Tabela 4. Descrição dos aspectos ambientais

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Tabela 4. Descrição dos aspectos ambientais"

Transcrição

1 Tabela 4. escrição dos aspectos ambientais Unidade PSICOLOGIA PAPEL/ PLÁSTICO/ CARBONO RESÍUOS SÓLIOS EFLUENTES LÍQUIOS COMPRAS PAPEL/ PLÁSTICO/ CARBONO TRANSPORTE PAPEL/ PLÁSTICO/ CARBONO

2 Tabela 6. CLASSIFICAÇÃO E QUANTIFICAÇÃO OS RESÍUOS GERAOS NO SETOR :PSICOLOGIA, COMPRAS E TRANSPORTE S QUANTIAE GERAA UNIAE 1 2 A B C R NR E RESÍUOS MEIO ESTIMAO Kg/dia kg/mês l/dia l/mês PSICOLOGIA PAPEL, PLÁSTICO E CARBONO TRANSPORTE PAPEL, PLÁSTICO E CARBONO COMPRAS PAPEL, PLÁSTICO E CARBONO

3 Tabela 7. QUANTIAE TOTAL E RESÍUOS GERAOS NO SETOR S A B C E A1 A2 A3 A4 A5 R NR TOTAL E RESÍUOS - MEIO kg/dia kg/mês TOTAL E RESÍUOS - ESTIMAO l/dia l/mês

4 Tabela 9. ESCRIÇÃO OS MATERIAIS USAOS NA SEGREGAÇÃO E ACONICIONAMENTO OS RESÍUOS GERAOS. Classificação da Área Hospitalar R NR EST. FÍSICO S L ESCRIÇÃO LIEIRA UTILIZAA CAPAC. IENTIFICAÇÃO ÁREA NÃO CRÍTICA Administração SPU / Faturamento Recursos Humanos Setor de Psicologia Setor de Suprimentos Coordenação de Limpeza Manutenção Lavanderia CCIH Salas de Repouso Áreas Administrativas / Coordenação Lixeiras CINZAS com tampa basculante, saco plástico preto ou cinza. Lixeiras sem tampa, vazadas com saco plástico preto ou cinza. Lixeira plástica AZUL, com tampa basculante; sacos plásticos azul transparente. Lixeira plástica VERMELHA, com tampa basculante; sacos plásticos vermelho transparente. Lixeira plástica VERES, com tampa basculante; sacos plásticos verde transparente. Lixeira plástica AMARELAS, com tampa basculante; sacos plásticos amarelo transparente. 10 litros 14 litros 14 litros Símbolo de resíduo comum, mais a inscrição: Material não reciclável, não contaminado. Símbolo do grupo, mais a inscrição: Papel. Símbolo do grupo, mais a inscrição: Plástico. Símbolo do grupo, mais a inscrição: Vidros. Símbolo do grupo, mais a inscrição: Metal ou Alumínio. A, B, C, e E - Classificação dos resíduos segundo a RC N 306/04 ANVISA R - Recicláveis / NR - Não recicláveis

5 Tabela 9. ESCRIÇÃO OS MATERIAIS USAOS NA SEGREGAÇÃO E ACONICIONAMENTO OS RESÍUOS GERAOS. Classificação da Área Hospitalar R NR EST. FÍSICO S L ESCRIÇÃO LIEIRA UTILIZAA CAPAC. IENTIFICAÇÃO ÁREA SEMI- CRÍTICA Ala A (enfermarias) Ala B (enfermarias) Centro Obstétrico UCT Farmácia Ambulatórios Centro de Imagens A B Lixeira plástica com tampa acionada por pedal; saco plástico branco leitoso, com símbolo de material infectante. Lixeiras plásticas brancas com tampa basculante; saco plástico branco leitoso, com símbolo de material infectante. Após a utilização serão armazenados na própria embalagem, para tratamento e reciclagem. Lixeiras CINZAS com tampa basculante; saco plástico preto ou cinza. Lixeiras CINZAS com tampa acionadas por pedal; saco plástico preto ou cinza. 50 litros 25 litros 15 litros 20 litros 50 litros 25 litros 15 litros Símbolo do grupo A, mais a inscrição Infectante. Símbolo do grupo B, mais a inscrição Resíduo Químico. Símbolo de resíduo comum, mais a inscrição: Material não reciclável, não contaminado. Lixeiras sem tampa, vazadas com saco plástico preto ou cinza. 10 litros A, B, C, e E - Classificação dos resíduos segundo a RC N 306/04 - ANVISA R - Recicláveis / NR - Não recicláveis

6 Tabela 9. ESCRIÇÃO OS MATERIAIS USAOS NA SEGREGAÇÃO E ACONICIONAMENTO OS RESÍUOS GERAOS. Classificação da Área Hospitalar R NR EST. FÍSICO S L ESCRIÇÃO LIEIRA UTILIZAA CAPAC. IENTIFICAÇÃO ÁREA SEMI- CRÍTICA Lixeira plástica AZUL, com tampa basculante; sacos plásticos azul transparente. 14 litros Símbolo do grupo, mais a inscrição: Papel. Ala A (enfermarias) Ala B (enfermarias) Centro Obstétrico UCT Farmácia Ambulatórios Centro de Imagens Lixeira plástica VERMELHA, com tampa basculante; sacos plásticos vermelho transparente. Lixeira plástica VERES, com tampa basculante; sacos plásticos verde transparente. Lixeira plástica AMARELAS, com tampa basculante; sacos plásticos amarelo transparente. 14 litros Símbolo do grupo, mais a inscrição: Plástico. Símbolo do grupo, mais a inscrição: Vidros. Símbolo do grupo, mais a inscrição: Metal ou Alumínio. E Recipientes, rígidos, resistentes à punctura, ruptura e vazamento, com tampa, devidamente identificados = coletores de papelão. 13 litros 1 litro Símbolo do grupo A, mais a inscrição: Infectante e Perfurocortantes A, B, C, e E - Classificação dos resíduos segundo a RC N 306/04 - ANVISA R - Recicláveis / NR - Não recicláveis

7 Tabela 9. ESCRIÇÃO OS MATERIAIS USAOS NA SEGREGAÇÃO E ACONICIONAMENTO OS RESÍUOS GERAOS. Classificação da Área Hospitalar R NR EST. FÍSICO S L ESCRIÇÃO LIEIRA UTILIZAA CAPAC. IENTIFICAÇÃO ÁREA CRÍTICA UCE Neonatologia Centro Cirúrgico Pronto Atendimento Laboratório CME SN A B Lixeira plástica com tampa acionada por pedal; saco plástico branco leitoso, com símbolo de material infectante. Lixeiras plásticas brancas com tampa basculante; saco plástico branco leitoso, com símbolo de material infectante. Após a utilização serão armazenados na própria embalagem, para tratamento e reciclagem. Lixeiras CINZAS com tampa basculante; saco plástico preto ou cinza. Lixeiras CINZAS com tampa acionadas por pedal; saco plástico preto ou cinza. 50 litros 25 litros 15 litros 20 litros 50 litros 25 litros 15 litros Símbolo do grupo A, mais a inscrição Infectante. Símbolo do grupo B, mais a inscrição Resíduo Químico. Símbolo de resíduo comum, mais a inscrição: Material não reciclável, não contaminado. Lixeiras sem tampa, vazadas com saco plástico preto ou cinza. 10 litros A, B, C, e E - Classificação dos resíduos segundo a RC N 306/04 - ANVISA R - Recicláveis / NR - Não recicláveis

8 Tabela 9. ESCRIÇÃO OS MATERIAIS USAOS NA SEGREGAÇÃO E ACONICIONAMENTO OS RESÍUOS GERAOS. Classificação da Área Hospitalar R NR EST. FÍSICO S L ESCRIÇÃO LIEIRA UTILIZAA CAPAC. IENTIFICAÇÃO ÁREA CRÍTICA Lixeira plástica AZUL, com tampa basculante; sacos plásticos azul transparente. 14 litros Símbolo do grupo, mais a inscrição: Papel. UCE Neonatologia Centro Cirúrgico Pronto Atendimento Laboratório CME SN Lixeira plástica VERMELHA, com tampa basculante; sacos plásticos vermelho transparente. Lixeira plástica VERES, com tampa basculante; sacos plásticos verde transparente. Lixeira plástica AMARELAS, com tampa basculante; sacos plásticos amarelo transparente. 14 litros Símbolo do grupo, mais a inscrição: Plástico. Símbolo do grupo, mais a inscrição: Vidros. Símbolo do grupo, mais a inscrição: Metal ou Alumínio. E Recipientes, rígidos, resistentes à punctura, ruptura e vazamento, com tampa, devidamente identificados = coletores de papelão. 13 litros 1 litro Símbolo do grupo A, mais a inscrição: Infectante e Perfurocortantes A, B, C, e E - Classificação dos resíduos segundo a RC N 306/04 - ANVISA R - Recicláveis / NR - Não recicláveis

9 Tabela 10. MANEJO OS RESÍUOS. UNIAE 1 2 A 3 4 S 5 B C R NR E Cor LIEIRA Cap. Quant. l/dia ESTIMAO l/mês PSICOLOGIA AZUL/ CINZA 23l/ 14l 01/ 01 TRANSPORTE AZUL 14l 01 COMPRAS AZUL/ CINZA 23l/ 14l 01/ 01

10 Tabela 11. COLETA INTERNA ÚNICA LOCAL (A, B, C, e E ) FREQÜENCIA HORA A COLETA USO E EPIs Sim Não N E FUNCIONÁ- RIOS Quant. CARRINHOS E TRANSPORTE Cap. N recipientes coletados PSICOLOGIA 1 CAA 02 IAS 7h 01 TRANSPORTE 1 CAA 02 IAS 7h 01 COMPRAS 1 CAA 02 IAS 7h 01

11 Tabela 12. TRATAMENTO OS RESÍUOS. (A, B, C, e E ) escrição RESÍUO Quant. GERENCIAMENTO / TRATAMENTO LOCAL

12 Tabela 18. LEVANTAMENTO E AÇÕES SUPORTE AOS 3 Rs no Setor PSICOLOGIA/ TRANSPORTE/ COMPRAS AÇÃO REUZIR Nº GRAMPOS Nº CLIPS Nº COPOS PARA TOMAR ÁGUA Nº PAPEIS REUTILIZAR CLIPS FOLHAS RASCUNHO COPOS PARA TOMAR ÁGUA PAPEL RECICLAR

13 Tabela 19. Programa de Reciclagem no Setor PSICOLOGIA, TRANSPORTE E COMPRAS TIPOS E RESÍUOS LOCAL E ARMAZENAGEM l/dia ESTIMAO l/mês NOME ESTINO (EMPRESA) LOCALIZAÇÃO UTILIZAÇÃO OS RESÍUOS PAPEL EPÓSITO NO FUNO O HOSPITAL

SAÚDE AMBIENTAL E VIGILÂNCIA SANITÁRIA

SAÚDE AMBIENTAL E VIGILÂNCIA SANITÁRIA SAÚDE AMBIENTAL E VIGILÂNCIA SANITÁRIA Conteúdo 9: Gerenciamento de Resíduos Sólidos Não Perigosos: Classificação dos Resíduos Sólidos (perigosos e não perigosos). Função do gerenciamento dos resíduos

Leia mais

Manejo dos resíduos gerados na assistência ao paciente com suspeita ou confirmação de contaminação pelo vírus Ebola. Enfª Marília Ferraz

Manejo dos resíduos gerados na assistência ao paciente com suspeita ou confirmação de contaminação pelo vírus Ebola. Enfª Marília Ferraz Manejo dos resíduos gerados na assistência ao paciente com suspeita ou confirmação de contaminação pelo vírus Ebola Enfª Marília Ferraz Goiânia, 29 de outubro de 2014 Referências para o assunto: RDC 306/2004

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA ACONDICIONAMENTO E SEGREGAÇÃO DE RESÍDUOS DOS GRUPOS A e E Prefeitura do Campus USP Fernando Costa (PUSP-FC)

PROCEDIMENTO PARA ACONDICIONAMENTO E SEGREGAÇÃO DE RESÍDUOS DOS GRUPOS A e E Prefeitura do Campus USP Fernando Costa (PUSP-FC) Página 1 de 5 Elaborado: Revisado: Aprovado: Vera Letticie de Azevedo Ruiz Grupo de Gestão Integrada de Resíduos do Campus Grupo de Gestão Integrada de Resíduos do Campus 1. OBJETIVOS Estabelecer os procedimentos

Leia mais

Bioética e Biossegurança

Bioética e Biossegurança Bioética e Biossegurança PROF: PATRÍCIA RUIZ ALUNOS: CARLA ALINE 21237, JAQUELINE GARCIA 26112, KAIO BARCELOS 23446, KAROLINA MACEDO 21542, MICHELY EMILIA 22055, NARA ALINE 21188, RAFAELA GADELHA 26067,

Leia mais

Sistemas de Gestão Ambiental. Gestão de Resíduos. Vídeo. Contextualização. Soluções. Instrumentalização. Aula 5. Prof. Esp.

Sistemas de Gestão Ambiental. Gestão de Resíduos. Vídeo. Contextualização. Soluções. Instrumentalização. Aula 5. Prof. Esp. Sistemas de Gestão Ambiental Aula 5 Gestão de Resíduos Prof. Esp. Felipe Luiz Vídeo Contextualização Lixão no Oceano Pacífico. Disponível em:

Leia mais

COMO SÃO CLASSIFICADOS OS RESÍDUOS EM GERAL?

COMO SÃO CLASSIFICADOS OS RESÍDUOS EM GERAL? RESÍDUOS SÓLIDOS COMO SÃO CLASSIFICADOS OS RESÍDUOS EM GERAL? RESÍDUO CLASSE I: São aqueles que apresentam periculosidade ou uma das seguintes características, inflamabilidade, corrosividade, reatividade,

Leia mais

Plano de Gerenciamento de Resíduos. Jeniffer Guedes

Plano de Gerenciamento de Resíduos. Jeniffer Guedes Jeniffer Guedes PLURAL Indústria Gráfica Ltda Parque gráfico da PLURAL com 33.500m 2. Fundada em 1996. Atualmente a PLURAL emprega 841 profissionais. Composição Acionária 51% 49% 90 anos de história Jornal

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2015

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2015 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2015 Regulamentação do descarte de resíduos comuns, recicláveis, pilhas e baterias e lâmpadas no Centro de Ciências da Saúde da UFRJ - CCS-UFRJ. 1 Objetivo e aplicação Com o

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04/2015

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04/2015 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04/2015 Regulamentação do descarte de vidros oriundos das diversas atividades acadêmicas e serviços do Centro de Ciências da Saúde. 1. Objetivo e aplicação Conforme as resoluções

Leia mais

GRUPO A Resíduos INFECTANTES

GRUPO A Resíduos INFECTANTES GRUPO A Resíduos INFECTANTES Resíduos com a possível presença de agentes biológicos que, por suas características, podem apresentar risco de infecção. 1. Material de assistência ao paciente: gaze, algodão,

Leia mais

MODELO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE PGRSS.

MODELO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE PGRSS. MODELO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE PGRSS. 1. IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDIMENTO Razão Social / Nome completo: C.N.P.J. / C.P.F.: Endereço: Bairro: Classificação

Leia mais

Profª. Klícia Regateiro. O lixo

Profª. Klícia Regateiro. O lixo Profª. Klícia Regateiro O lixo Tipos de lixo O Definem-se resíduos sólidos como o conjunto dos produtos não aproveitados das atividades humanas: O domésticas, comerciais, industriais, de serviços de saúde

Leia mais

INSTRUÇÃO AMBIENTAL. Status: Aprovada COLETA SELETIVA

INSTRUÇÃO AMBIENTAL. Status: Aprovada COLETA SELETIVA 1 de 6 1 OBJETIVOS Definir procedimentos quanto à identificação, segregação, coleta e disponibilização de resíduos do Programa de coleta Seletiva, gerados na Câmara Municipal de Manaus. 2 DEFINIÇÕES E

Leia mais

3.2. COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS É a sistemática de segregar os resíduos de acordo com suas classes de risco nas áreas geradoras.

3.2. COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS É a sistemática de segregar os resíduos de acordo com suas classes de risco nas áreas geradoras. 1. OBJETIVO Estabelecer a sistemática para o processo de gerenciamento de resíduos nas áreas da ABCZ, visando a melhoria contínua na performance ambiental, a melhoria na eficiência do gerenciamento de

Leia mais

INFLUENZA A(H1N1) PROTOCOLO DE PROCEDIMENTOS MANEJO DE RESÍDUOS NA REDE MUNICIPAL

INFLUENZA A(H1N1) PROTOCOLO DE PROCEDIMENTOS MANEJO DE RESÍDUOS NA REDE MUNICIPAL INFLUENZA A(H1N1) PROTOCOLO DE PROCEDIMENTOS MANEJO DE RESÍDUOS NA REDE MUNICIPAL Atualização: 23.06.2009 às 14h51min Sumário I. Introdução II. Classificação III. Acondicionamento IV. Identificação V.

Leia mais

CATÁLOGO DE PRODUTOS.

CATÁLOGO DE PRODUTOS. CATÁLOGO DE PRODUTOS www.laureenartefatos.com.br A Laureen Artefatos é uma empresa genuinamente brasileira, localizada em Marília (interior de SP), especializada no desenvolvimento, fabricação e comercio

Leia mais

III CICLO DE PALESTRAS SEGURANÇA E SAÚDE

III CICLO DE PALESTRAS SEGURANÇA E SAÚDE III CICLO DE PALESTRAS SEGURANÇA E SAÚDE EM ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE 1 GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE Enfa. Gisele de J. Batistini SECONCI-SP Objetivos Estimular a reflexão sobre os riscos

Leia mais

07 - HIGIENIZAÇÃO, DISTRIBUIÇÃO & GOVERNANÇA 200 RACKS LAVAGEM & CIA 202 DISTRIBUIÇÃO 203 GOVERNANÇA & LIMPEZA 207 LIXEIRAS & CIA

07 - HIGIENIZAÇÃO, DISTRIBUIÇÃO & GOVERNANÇA 200 RACKS LAVAGEM & CIA 202 DISTRIBUIÇÃO 203 GOVERNANÇA & LIMPEZA 207 LIXEIRAS & CIA 07 - HIGIENIZAÇÃO, DISTRIBUIÇÃO & GOVERNANÇA 200 RACKS LAVAGEM & CIA 202 DISTRIBUIÇÃO 203 GOVERNANÇA & LIMPEZA 207 LIXEIRAS & CIA 200 Faça seu orçamento ilustrado online. RACKS LAVAGEM & CIA COMPARTIMENTOS

Leia mais

Tratamento de Efluentes Fotoquímicos Reciclagem de Filmes Fotossensíveis Manutenção de Processadoras Gerenciamento de Resíduos Licenciamento

Tratamento de Efluentes Fotoquímicos Reciclagem de Filmes Fotossensíveis Manutenção de Processadoras Gerenciamento de Resíduos Licenciamento Tratamento de Efluentes Fotoquímicos Reciclagem de Filmes Fotossensíveis Manutenção de Processadoras Gerenciamento de Resíduos Licenciamento Ambiental Radioproteção Física Médica PGRSS Revelando Ideias,

Leia mais

DIAGNÓSTICO DOS RESÍDUOS DE SERVIÇO DE SAÚDE NOS LABORATÓRIOS DE ANÁLISE CLÍNICA DO MUNICÍPIO DE CRUZ DAS ALMAS, BAHIA

DIAGNÓSTICO DOS RESÍDUOS DE SERVIÇO DE SAÚDE NOS LABORATÓRIOS DE ANÁLISE CLÍNICA DO MUNICÍPIO DE CRUZ DAS ALMAS, BAHIA DIAGNÓSTICO DOS RESÍDUOS DE SERVIÇO DE SAÚDE NOS LABORATÓRIOS DE ANÁLISE CLÍNICA DO MUNICÍPIO DE CRUZ DAS ALMAS, BAHIA Leidineia da Silva Moraes Graduanda no curso de Engenharia Sanitária e Ambiental da

Leia mais

Disciplina: Manejo de Resíduos Sólidos. 6 Armazenamento, Coleta e Transporte. Professor: Sandro Donnini Mancini. Sorocaba, Setembro de 2016

Disciplina: Manejo de Resíduos Sólidos. 6 Armazenamento, Coleta e Transporte. Professor: Sandro Donnini Mancini. Sorocaba, Setembro de 2016 Instituto de Ciência e Tecnologia de Sorocaba Disciplina: Manejo de Resíduos Sólidos Pós-grraduação em Engenharia Civil e Ambiental 6 Armazenamento, Coleta e Transporte Professor: Sandro Donnini Mancini

Leia mais

Realização: Guia de Descarte. Residuos. Centro de Ciências Rurais

Realização: Guia de Descarte. Residuos. Centro de Ciências Rurais Realização: Guia de Descarte de Residuos Guia de Descarte de Residuos Os resíduos sólidos recicláveis são depositados nas coletoras localizadas nos corredores e em frente aos prédios e são recolhidos pelos

Leia mais

Alphamat Serviços. Rua Anna Morales Tomasi, 167. Telefone: / Jd Santo Amaro CEP

Alphamat Serviços. Rua Anna Morales Tomasi, 167. Telefone: / Jd Santo Amaro CEP Alphamat Serviços Rua Anna Morales Tomasi, 167 Jd Santo Amaro CEP 18074-677 Sorocaba - SP Telefone: 15 3313-2857/9115-8535 Email: alphamat.me@ig.com.br Site: www.alphamat.com.br 1 Cestos Expositores Plásticos

Leia mais

Aspectos Legais 10/8/2012

Aspectos Legais 10/8/2012 Aspectos Legais Docente: Prof. Ednaldo Anthony Jesus e Silva CRF-1845 MT No Brasil, a Legislação de Biossegurança(lei nº 11.105, de 24 de março e 2005): Regulamenta os incisos II, IV e V do 1 o do art.

Leia mais

Código PE-NOPD-8. Data: 29/04/2011

Código PE-NOPD-8. Data: 29/04/2011 1. Objetivo e campo de aplicação Este padrão tem como finalidade estabelecer a metodologia de descarte de resíduos e efluentes gerados no Laboratório de Macromoléculas e Colóides na Indústria de Petróleo

Leia mais

Reciclagem de Materiais COLETA SELETIVA

Reciclagem de Materiais COLETA SELETIVA Reciclagem de Materiais COLETA SELETIVA COLETA SELETIVA Conheça algumas medidas importantes para não poluir o meio ambiente na hora de jogar fora o seu lixo Já é inquestionável hoje a importância da reciclagem

Leia mais

LIXEIRAS E CONTAINERS

LIXEIRAS E CONTAINERS LIXEIRAS E CONTAINERS Lixeira Retangular (com pedal) Material: Polipropileno Cores disponíveis: branco e preto Hastes e pedais: somente preto Dimensões por Litragem: - 25 L: 310 x 470 x 230 mm (Peso: 2,600

Leia mais

DIAGNÓSTICO DA SITUAÇÃO ATUAL DOS RESÍDUOS GERADOS NA UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ, CAMPUS FRANCISCO BELTRÃO

DIAGNÓSTICO DA SITUAÇÃO ATUAL DOS RESÍDUOS GERADOS NA UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ, CAMPUS FRANCISCO BELTRÃO DIAGNÓSTICO DA SITUAÇÃO ATUAL DOS RESÍDUOS GERADOS NA UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ, CAMPUS FRANCISCO BELTRÃO Juliana Biluca (*), Karen Meridiana Rodrigues de Conto, Douglas Alcindo da Roza,

Leia mais

Memorial Descritivo Pregão eletrônico Nº 36/2016

Memorial Descritivo Pregão eletrônico Nº 36/2016 Empresa: Endereço: Fundaçao Hospitalar Santa Terezinha de Erechim Memorial Descritivo Pregão eletrônico Nº 36/2016 Fone: Cidade: Bairro: Cep: Data Abertura: 09/11/2016 09:00:00 Data Emissão: 27/10/2016

Leia mais

RESÍDUO DO SERVIÇO DE SAÚDE STERLIX AMBIENTAL TRATAMENTO DE RESÍDUOS LTDA - ENG.AMBIENTAL GESUALDO DELFINO DE MORAES

RESÍDUO DO SERVIÇO DE SAÚDE STERLIX AMBIENTAL TRATAMENTO DE RESÍDUOS LTDA - ENG.AMBIENTAL GESUALDO DELFINO DE MORAES RESÍDUO DO SERVIÇO DE SAÚDE LEGISLAÇÃO CONAMA 358 29 de Abril 2005 RDC 306 7 de Dezembro 2004 Classificação Grupo A Biológicos Grupo B Químicos Grupo C Radioativos Grupo D Comuns Grupo E Perfuro cortantes

Leia mais

Busque seu produto. Lixeiras... 2 Lixeiras Para Coleta Seletiva... 14

Busque seu produto. Lixeiras... 2 Lixeiras Para Coleta Seletiva... 14 Busque seu produto Lixeiras... 2 Lixeiras Para Coleta Seletiva... 14 Lixeiras Cesto de Lixo Scalfo Código: P00001 Cesto Plástico para escritório. Sem tampa 10 Litros. Cor: Preto Cesto de Pedal 40 Litros

Leia mais

Apresentação. Incentivamos inovações e iniciativas que levem à qualidade ambiental e à redução dos efeitos das mudanças climáticas.

Apresentação. Incentivamos inovações e iniciativas que levem à qualidade ambiental e à redução dos efeitos das mudanças climáticas. Apresentação Na 3corações temos consciência de que a natureza é um bem de todos e origem dos recursos necessários para a nossa sobrevivência como pessoas e como negócio. Nosso objetivo é preservar e até

Leia mais

CATÁLOGO CONTENTORES DIVERSOS EM PEAD

CATÁLOGO CONTENTORES DIVERSOS EM PEAD CATÁLOGO CONTENTORES DIVERSOS EM PEAD MENOS RESÍDUOS - MENOS POLUIÇÃO MAIS FUTURO A ALMOVERDE Ecologia, Lda. dedica se, desde o seu início, à comercialização de equipamentos para a recolha selectiva de

Leia mais

RESÍDUOS DOS SERVIÇOS DE. Hélida Rosa Silva Enfª Resp. Técnica GRSS CTAALS

RESÍDUOS DOS SERVIÇOS DE. Hélida Rosa Silva Enfª Resp. Técnica GRSS CTAALS RESÍDUOS DOS SERVIÇOS DE SAÚDE Hélida Rosa Silva Enfª Resp. Técnica GRSS CTAALS 1- SUMÁRIO - O que é o plano de gerenciamento (PGRSS) e gerenciamento de resíduos (GRSS)? - Objetivo do PGRSS - Leis que

Leia mais

DIAGNÓSTICO DO PROCESSO DE GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS EM ESTABELECIMENTOS ASSISTENCIAIS DE SAÚDE NA CIDADE DE PASSO FUNDO-RS

DIAGNÓSTICO DO PROCESSO DE GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS EM ESTABELECIMENTOS ASSISTENCIAIS DE SAÚDE NA CIDADE DE PASSO FUNDO-RS DIAGNÓSTICO DO PROCESSO DE GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS EM ESTABELECIMENTOS ASSISTENCIAIS DE SAÚDE NA CIDADE DE PASSO FUNDO-RS Atílio Tramontini (UPF) atiliotramontini@upf.br Renata Reinehr (UPF) renatinha_b2@yahoo.com.br

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE MACAÉ RJ AGÊNCIA MUNICIPAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DIRETORIA DE RESÍDUOS

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE MACAÉ RJ AGÊNCIA MUNICIPAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DIRETORIA DE RESÍDUOS ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE MACAÉ RJ AGÊNCIA MUNICIPAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DIRETORIA DE RESÍDUOS MODELO BÁSICO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS

Leia mais

ALVARO HENRIQUES & FILHOS LDA Rua do Casal Novo Lote 10 Casal Novo Caneças. Tel: Fax:

ALVARO HENRIQUES & FILHOS LDA Rua do Casal Novo Lote 10 Casal Novo Caneças. Tel: Fax: ALVARO HENRIQUES & FILHOS LDA Rua do Casal Novo Lote 10 Casal Novo Caneças Tel: 219802759 Fax: 219811303 E-mail: ahflda@gmail.com Balde Oval Bico Refª Castelo Venda Capacidade:15 Litros Pack: Caixa de

Leia mais

8. Gestão de Resíduos Especiais. Roseane Maria Garcia Lopes de Souza. Há riscos no manejo de resíduos de serviços de saúde?

8. Gestão de Resíduos Especiais. Roseane Maria Garcia Lopes de Souza. Há riscos no manejo de resíduos de serviços de saúde? 8. Gestão de Resíduos Especiais Roseane Maria Garcia Lopes de Souza Há riscos no manejo de resíduos de serviços de saúde? Geradores de Resíduos de Serviços de Saúde Todos os serviços relacionados com o

Leia mais

GESTÃO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE

GESTÃO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE GESTÃO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE Elaboração: Elci de Souza Santos Colaboração: Equipe Tele-educação da Rede de Teleassistência de Minas Gerais SUMÁRIO Introdução --------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

EDITAL DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 22/2016

EDITAL DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 22/2016 Página 1 de 14 Tipo de Julgamento: Menor Preço por 1 68,00 Un SABÃO EM PÓ 2KG Valor de Referência: 19,50000 2 2.516,00 UN PAPEL HIGIÊNICO FOLHA SIMPLES 60 METROS DE BOA QUALIDADE PACOTE COM 4 ROLOS Valor

Leia mais

IN-42-A-01 SISTEMA: ADMINISTRAÇÃO SUBSISTEMA: LIXO ORGÂNICO E RECICLÁVEL MÓDULO: ÍNDICE DATA REVISÃO:

IN-42-A-01 SISTEMA: ADMINISTRAÇÃO SUBSISTEMA: LIXO ORGÂNICO E RECICLÁVEL MÓDULO: ÍNDICE DATA REVISÃO: MÓDULO: ÍNDICE DATA REVISÃO: ASSUNTO MÓDULO FOLHAS GENERALIDADES 01 01/01 DEFINIÇÕES GERAIS 02 01/02 PROCEDIMENTOS GERAIS 03 01/01 SEPARAÇÃO E COLETA 04 01/01 RESÍDUOS ESPECIAIS 05 01/02 DISPOSIÇÕES FINAIS

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL EDGAR BARBOSA OFICINA: QUÍMICA AMBIENTAL E RECICLAGEM NATAL/RN 2013

ESCOLA ESTADUAL EDGAR BARBOSA OFICINA: QUÍMICA AMBIENTAL E RECICLAGEM NATAL/RN 2013 ESCOLA ESTADUAL EDGAR BARBOSA OFICINA: QUÍMICA AMBIENTAL E RECICLAGEM NATAL/RN 2013 LIXO 2º ENCONTRO OBJETIVO: Relatar a composição química do lixo e os prováveis danos causados, além de discutir principais

Leia mais

DIFICULDADES E DESAFIOS NO GERENCIAMENTO INTEGRADO DOS RESÍDUOS DE SERVIÇO DE SAÚDE 1

DIFICULDADES E DESAFIOS NO GERENCIAMENTO INTEGRADO DOS RESÍDUOS DE SERVIÇO DE SAÚDE 1 DIFICULDADES E DESAFIOS NO GERENCIAMENTO INTEGRADO DOS RESÍDUOS DE SERVIÇO DE SAÚDE 1 ALVES, Matheus A. de Lima 2 ; SANTIAGO, Mariana Ribeiro 3 ; PINTO, Juliane 4 1 Projeto de Extensão _UNIFRA 2 Curso

Leia mais

Parque de Resíduos. FUNFARME Fundação Faculdade Regional de Medicina de São José do Rio Preto SP - HOSPITAL DE BASE

Parque de Resíduos. FUNFARME Fundação Faculdade Regional de Medicina de São José do Rio Preto SP - HOSPITAL DE BASE Parque de Resíduos FUNFARME Fundação Faculdade Regional de Medicina de São José do Rio Preto SP - HOSPITAL DE BASE Vista aérea complexo FUNFARME Hemocentro Hospital H C P. Resíduos Faculdades Ambulatório

Leia mais

Questionário - Levantamento de Dados Municípios do Estado do Tocantins 1. Requisitos Legais / Estudos Específicos

Questionário - Levantamento de Dados Municípios do Estado do Tocantins 1. Requisitos Legais / Estudos Específicos MUNICÍPIO RESPONSÁVEL CONTATO (tel. e e-mail) Questionário - Levantamento de Dados Municípios do Estado do Tocantins 1. Requisitos Legais / Estudos Específicos Existem Planos Setoriais / Planos de Integração

Leia mais

PRPC1000 1000 litros 1300 x 1370 x 1040 mm Disponível também com pedal. Código Capacid. Medidas

PRPC1000 1000 litros 1300 x 1370 x 1040 mm Disponível também com pedal. Código Capacid. Medidas PRPC1000 1000 litros 1300 x 1370 x 1040 mm Disponível também com pedal R$ 1360.00 R$ 1600.00 PRPC600 660 litros 1220 x 1370 x 795 mm Disponível também com pedal R$ 1200.00 R$1400.00 380 Carro Coletor 570

Leia mais

CEDILAB. Medicina Laboratorial. Natasha Slhessarenko

CEDILAB. Medicina Laboratorial. Natasha Slhessarenko CEDILAB Medicina Laboratorial EXPERIÊNCIA DE GESTÃO DE RESÍDUOS Natasha Slhessarenko Dados IPCC (Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática)- Fev/2007 Agora há 95% de certeza de que as atividades

Leia mais

TÍTULO SEGREGAÇÃO DE RESÍDUO COMUM RECICLÁVEL GERÊNCIA DE ENGENHARIA GESTÃO AMBIENTAL GESTÃO DE RESÍDUOS

TÍTULO SEGREGAÇÃO DE RESÍDUO COMUM RECICLÁVEL GERÊNCIA DE ENGENHARIA GESTÃO AMBIENTAL GESTÃO DE RESÍDUOS POP 2 TÍTULO SEGREGAÇÃO DE RESÍDUO COMUM RECICLÁVEL CÓDIGO: DATA ELABORAÇÃO: 01/02/2015 DATA PRÓXIMA REVISÃO: 01/02/2016 DATA ÚLTIMA REVISÃO: 18/04/2014 GERÊNCIA DE ENGENHARIA GESTÃO AMBIENTAL GESTÃO DE

Leia mais

Planos de Gestão de Resíduos Hospitalares em UPCS

Planos de Gestão de Resíduos Hospitalares em UPCS Anabela Santiago Paulo Diegues Dezembro de 2007 Enquadramento Legislativo Principal Legislação aplicável aos Resíduos Hospitalares Despacho nº 242/96, de 13 de Agosto Portaria nº 174/97, de 10 de Março

Leia mais

ACONDICIONAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS (RSU) Profa. Margarita María Dueñas Orozco

ACONDICIONAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS (RSU) Profa. Margarita María Dueñas Orozco ACONDICIONAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS (RSU) Profa. Margarita María Dueñas Orozco margarita.unir@gmail.com RESPONSABILIDADES FASE INTERNA FASE EXTERNA Geração Coleta interna Acondicionamento Armazenamento

Leia mais

O que são PérfuroP. rfuro-cortantes? Todo material que possa provocar cortes ou perfurações.

O que são PérfuroP. rfuro-cortantes? Todo material que possa provocar cortes ou perfurações. Limpeza Pérfuro-cortantes O que são PérfuroP rfuro-cortantes? Todo material que possa provocar cortes ou perfurações. Causas dos Acidentes de Trabalho Ato inseguro Condição insegura do ambiente Fator

Leia mais

Orientações sobre o Manejo de Resíduos Perigosos no HC/UFTM

Orientações sobre o Manejo de Resíduos Perigosos no HC/UFTM APRESENTAÇÃO ccih@he.uftm.edu.br Tel: 34 3318-5261 Orientações sobre o Manejo de Resíduos Perigosos no HC/UFTM Uberaba, 2012 Esta cartilha tem como objetivo levar informações imprescindíveis sobre o Plano

Leia mais

LOGO MARCA DA EMPRESA NOME COMERCIAL DA EMPRESA CNPJ Nº MODELO DA PROPOSTA DE PREÇOS ANEXO I

LOGO MARCA DA EMPRESA NOME COMERCIAL DA EMPRESA CNPJ Nº MODELO DA PROPOSTA DE PREÇOS ANEXO I Ao Governo do Estado de Roraima Secretaria de Estado da Saúde SESAU Gerencia Especial de Cotação GEC MODELO DA PROPOSTA DE PREÇOS PROCESSO N 02060.003602/5-06 CARIMBO ANEXO I - ESPECIFICAÇÃO DOS SERVIÇOS

Leia mais

Resíduos sólidos de serviços de saúde: diagnóstico e diretrizes para gestão hospitalar

Resíduos sólidos de serviços de saúde: diagnóstico e diretrizes para gestão hospitalar doi: 10.4013/ete.2011.72.04 ISSN 1808-7310 Resíduos sólidos de serviços de saúde: diagnóstico e diretrizes para gestão hospitalar Solid wastes of health services: diagnosis and guidelines for hospital

Leia mais

Como estamos fazendo a gestão dos RSS no Centro de Assistência Odontológica à Pessoa com Deficiência (CAOE): reflexão e orientação

Como estamos fazendo a gestão dos RSS no Centro de Assistência Odontológica à Pessoa com Deficiência (CAOE): reflexão e orientação Como estamos fazendo a gestão dos RSS no Centro de Assistência Odontológica à Pessoa com Deficiência (CAOE): reflexão e orientação Janaína Conrado Lyra da Fonseca Resp. Grupo Segurança do Trabalhador e

Leia mais

GERAÇÃO DE RESÍDUOS. Planejamento e Gestão de Resíduos

GERAÇÃO DE RESÍDUOS. Planejamento e Gestão de Resíduos GERAÇÃO DE RESÍDUOS Planejamento e Gestão de Resíduos FONTES GERADORAS ORIGEM DE ACORDO COM A CLASSIFICAÇÃO Domiciliar Comercial Institucional Serviços Públicos (limpeza pública) Serviços de saúde Indústria

Leia mais

Carlos Eduardo Godoy (Prof. Amparo) 1

Carlos Eduardo Godoy (Prof. Amparo)   1 Coleta Seletiva Consciência limpa Carlos Eduardo Godoy (Prof. Amparo) E-mail: cecgodoy@gmail.com 1 Proposta da palestra Apresentar para a Comunidade Móbile informações importantes sobre Responsabilidade

Leia mais

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE (PGRSS) ODONTOLOGIA O gerenciamento dos RSS constitui-se em um conjunto de procedimentos de gestão, planejados e implementados a partir de bases

Leia mais

RP 17 TA RP 17 FF RP 23 TAL

RP 17 TA RP 17 FF RP 23 TAL Caixas Plásticas RP 17 TA Aplicação: Transporte de produtos em geral. Cores disponíveis: azul, vermelho, amarelo, cinza, verde, laranja, branco leitoso, preto e branco natural. Medidas: 18A x 40L x 60C

Leia mais

Confederação Nacional do Transporte - CNT Diretoria Executiva da CNT. DESPOLUIR Programa Ambiental do Transporte

Confederação Nacional do Transporte - CNT Diretoria Executiva da CNT. DESPOLUIR Programa Ambiental do Transporte Confederação Nacional do Transporte - CNT Diretoria Executiva da CNT DESPOLUIR Programa Ambiental do Transporte Promoção SEST / SENAT Conteúdo Técnico ESCOLA DO TRANSPORTE JULHO/2007 O que é Lixo? Lixo

Leia mais

Avaliação do perfil do resíduo gerado numa fábrica de tintas

Avaliação do perfil do resíduo gerado numa fábrica de tintas Avaliação do perfil do resíduo gerado numa fábrica de tintas Marçal Paim da Rocha (UFSM) marcalrocha@yahoo.com.br Juliano Konrad da Roza julianoroza@bol.com.br Djalma Dias da Silveira (UFSM) djalma@smail.com.br

Leia mais

volt 4625 pendente em alumínio pendente em alumínio e madeira branco pendente em alumínio e madeira branco e madeira branco pendente em alumínio

volt 4625 pendente em alumínio pendente em alumínio e madeira branco pendente em alumínio e madeira branco e madeira branco pendente em alumínio volt 4624 pendente em alumínio e madeira branco 35,5 x 35,5 cm (AxØ) 4626 pendente em alumínio e madeira branco 40 x 25 cm (AxØ) 4628 pendente em alumínio e madeira branco 31 x 33,5 cm (AxØ) 4625 pendente

Leia mais

É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto.

É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto. É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto. REDUZIR REUTILIZAR RECUPERAR RECICLAR A redução deve ser adaptada por

Leia mais

Gerenciamento de Resíduos

Gerenciamento de Resíduos Gerenciamento de Resíduos Hospital São Paulo HSP/SPDM HU da Universidade Federal de São Paulo UNIFESP Dr. João Luiz Grandi Gerente de Meio Ambiente Gerência Executiva de Engenharia e Infraestrutura Hospitalar

Leia mais

22ª Semana de Tecnologia Metroferroviária

22ª Semana de Tecnologia Metroferroviária GERAÇÃO E DISPOSIÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL DE OBRA METROVIÁRIA Katia Harue Kamimura Fabíola Pagliarani Lucas Campaner Alves Flavia Rodrigues 22ª Semana de Tecnologia Metroferroviária

Leia mais

ROTEIRO PARA POSTO DE COLETA DE ANÁLISES CLÍNICAS

ROTEIRO PARA POSTO DE COLETA DE ANÁLISES CLÍNICAS PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE COORDENADORIA GERAL DE VIGILÂNCIA DA SAÚDE EQUIPE DE CONTROLE E VIGILÂNCIA DE SERVIÇOS DE SAÚDE versão 06/03/2007 ROTEIRO PARA POSTO DE

Leia mais

ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Prédio da Administração

ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Prédio da Administração ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Prédio da Administração Informamos que o POLI RECICLA gerencia os resíduos recicláveis e perigosos de acordo com as normas vigentes e dentro de uma política

Leia mais

Superficie Externa. Cor. 25-50 - 100 metros. Lance. -20º à + 60º. Temperatura

Superficie Externa. Cor. 25-50 - 100 metros. Lance. -20º à + 60º. Temperatura SERINGA DUPLA DESIGUAL EM POLIURETANO 1 VIA (NEW-ODONTO-02) poliuretano atóxico, atendendo as especificações quanto a alta resistência mecânica, química, que é comprovadamente garantida nas especificações

Leia mais

RESÍDUO BIOLÓGICOS Os resíduos com risco biológico são resultantes da assistência e da pesquisa,

RESÍDUO BIOLÓGICOS Os resíduos com risco biológico são resultantes da assistência e da pesquisa, A RDC 306/2004 classifica os resíduos com sendo: Biológicos, Químicos, Radioativos, Comum e perfurocortantes. Resíduos Biológicos Resíduos Químicos Resíduos Radioativos Resíduos Comum Resíduos Perfurocortantes

Leia mais

Mercado da reciclagem: a qualidade dos materiais

Mercado da reciclagem: a qualidade dos materiais Mercado da reciclagem: a qualidade dos materiais Cinthia Versiani Scott Varella Ms. Engenheira de Produção Pesquisadora do Núcleo Alternativas de Produção Consultora INSEA Objetivo Qualidade da matéria

Leia mais

CREATIVE STUDIO - SRL VEGGIANO - PD 600

CREATIVE STUDIO - SRL VEGGIANO - PD 600 CREATIVE STUDIO - SRL VEGGIANO - PD 600 T.T.S TECNO TROLLEY SYSTEM DO BRASIL RUA SITIO DO RIBEIRÃO N 523 - JD.SEMIRÂMIS CEP 06709-450 COTIA-SÃO PAULO - BRASIL TEL 0-XX-11-4612-0722 FAX 0-XX-11-4612-0031

Leia mais

III AVALIAÇÃO DO GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS HOSPITALARES NO MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE

III AVALIAÇÃO DO GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS HOSPITALARES NO MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE III-106 - AVALIAÇÃO DO GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS HOSPITALARES NO MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE Márcia Maria Nascimento de Almeida (1) Engenheira Sanitarista pela Escola Politécnica da Universidade

Leia mais

RESPEITO E CONSCIÊNCIA AMBIENTAL

RESPEITO E CONSCIÊNCIA AMBIENTAL RESPEITO E CONSCIÊNCIA AMBIENTAL A Comissão Ministerial de Gestão Ambiental foi criada através da Portaria POR-PGJ n 204/08, com o fim de estudar, sugerir e acompanhar a implementação de medidas administrativas

Leia mais

PROCESSO SELETIVO - EDITAL N.º 006/2017 ANEXO II - FORMAÇÃO ESCOLAR/REQUISITOS FORMAÇÃO ESCOLAR / REQUISITOS SEÇÃO

PROCESSO SELETIVO - EDITAL N.º 006/2017 ANEXO II - FORMAÇÃO ESCOLAR/REQUISITOS FORMAÇÃO ESCOLAR / REQUISITOS SEÇÃO PROCESSO SELETIVO - EDITAL N.º 006/2017 ANEXO II - FORMAÇÃO ESCOLAR/REQUISITOS CARGO SEÇÃO PRONTO SOCORRO PEDIÁTRICO UTI - ADULTO FORMAÇÃO ESCOLAR / REQUISITOS Ativo; Experiência na seção de Pronto socorro

Leia mais

26 - Contentores 28 - Cubas e Caçambas 32 - Caixas 36 - Pallets de contenção. Quem somos. Índice. porta guarda chuva, lâmpadas e pilhas)

26 - Contentores 28 - Cubas e Caçambas 32 - Caixas 36 - Pallets de contenção. Quem somos. Índice. porta guarda chuva, lâmpadas e pilhas) Quem somos No final de 1998 nasce a BELOSCH Rotomoldagem com uma série de ideias inovadoras. Iniciamos nossas atividades na Cidade de Joinville-SC em um galpão de 450m². De forma visionária sentimos a

Leia mais

Segregação de resíduos. Segregação de resíduos. Manejo de Resíduos Sólidos e de Serviços de Saúde Segregação de resíduos

Segregação de resíduos. Segregação de resíduos. Manejo de Resíduos Sólidos e de Serviços de Saúde Segregação de resíduos USP Segregação Manejo de Resíduos Sólidos e de Serviços de Saúde 2014 1 Custos de tratamento de RSS perigosos R$ 800,00 a 2.000,00 / ton (R$ 8,00 a 20,00 / kg) Composição média Classificação Parcela Grupo

Leia mais

Pilhas / Baterias e Divertidas. Diversos

Pilhas / Baterias e Divertidas. Diversos Com Pedal Escritório Pilhas / Baterias e Divertidas Porta Copos e Cinzeiros Chão ou Suporte Diversos s Com Pedal» para ambiente interno» Com cantos arredondados» Resistente» Ótimo custo x benefício» Utilizada

Leia mais

Valorização dos Resíduos Plásticos

Valorização dos Resíduos Plásticos Valorização dos Resíduos Plásticos CENÁRIO CENÁRIO Consumimos 50% a mais do que o planeta é capaz de produzir, absorver e regenerar 16% da população mundial consome 78% dos recursos 2/3 da população não

Leia mais

Edital Pibid n 11 /2012 CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID Plano de Atividades (PIBID/UNESPAR)

Edital Pibid n 11 /2012 CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID Plano de Atividades (PIBID/UNESPAR) Edital Pibid n 11 /2012 CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID Plano de Atividades (PIBID/UNESPAR) Tipo do produto: Plano de aula 1 IDENTIFICAÇÃO NOME DO SUBPROJETO: POPULARIZANDO

Leia mais

ENTENDA O QUE MUDOU COM A IMPLANTAÇÃO DO PONTO ECO. Adequação Física e estrutural

ENTENDA O QUE MUDOU COM A IMPLANTAÇÃO DO PONTO ECO. Adequação Física e estrutural ENTENDA O QUE MUDOU COM A IMPLANTAÇÃO DO PONTO ECO Adequação Física e estrutural A etapa mais demorada e com maior investimento de recursos é a adequação física e da estrutura da empresa. No Recreio da

Leia mais

ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Biênio e Produção

ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Biênio e Produção ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Biênio e Produção Informamos que o POLI RECICLA gerencia os resíduos recicláveis e perigosos de acordo com as normas vigentes e dentro de uma política de

Leia mais

Diagnóstico do gerenciamento interno dos resíduos de serviços de saúde em hospital de médio porte no município de São Carlos, SP

Diagnóstico do gerenciamento interno dos resíduos de serviços de saúde em hospital de médio porte no município de São Carlos, SP Diagnóstico do gerenciamento interno dos resíduos de serviços de saúde em hospital de médio porte no município de São Carlos, SP Érica Pugliesi a* Tatiana Novis Lopes Gil a e Valdir Schalch a a Núcleo

Leia mais

Diretoria Geral de Odontologia Centro de Estudos e Pesquisas Odontológicas

Diretoria Geral de Odontologia Centro de Estudos e Pesquisas Odontológicas Diretoria Geral de Odontologia Centro de Estudos e Pesquisas Odontológicas No Brasil, há alguns anos atrás, os resíduos dos serviços de saúde (RSS) eram manejados da mesma forma que os resíduos domiciliares

Leia mais

Ref. CVT10. Ref. CVT01

Ref. CVT10. Ref. CVT01 Ref. CVT01 Ref. CVT10 Descrição: 67 cm de raio, 8 varas duplas metálicas, haste metálica, com pontinhas de plástico, com cabo curvo de plástico e tecido liso Cores: Preto Descrição: 61 cm de raio, 8 varas,

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PRODUTOS QUÍMICOS

GERENCIAMENTO DE PRODUTOS QUÍMICOS PS 15 2 Segurança do Trabalho Diretor Técnico 17/04/2017 1 1. OBJETIVO Definir sistemática para o gerenciamento dos produtos químicos utilizados nos processos da CASTILHO a fim de prevenir impactos ambientais

Leia mais

Hotelaria. Reunião 05/08/2015

Hotelaria. Reunião 05/08/2015 Hotelaria Reunião 05/08/2015 PAUTA Definição dos indicadores; Registros das informações; Adesão ao programa; Participação dos hospitais; Estudo de Caso (próxima reunião); Índice do Quilo de Roupa Lavada

Leia mais

PROGRAMA DE ATÉ 25% DE REEMBOLSO

PROGRAMA DE ATÉ 25% DE REEMBOLSO PROGRAMA DE ATÉ 25% DE REEMBOLSO SOLICITE A SUA OFERTA EM: WWW.RUBBERMAID-CASHBACK.COM CABE NOS ESPAÇOS MAIS APERTADOS Os novos contentores Slim Jim com pedal possuem um perfil ainda mais fino. Por isso,

Leia mais

cartilha_pmmc_recicla_mogi_infantil_7_8.indd 1

cartilha_pmmc_recicla_mogi_infantil_7_8.indd 1 1 cartilha_pmmc_recicla_mogi_infantil_7_8.indd 1 07/08/13 15:36 2 cartilha_pmmc_recicla_mogi_infantil_7_8.indd 2 07/08/13 15:37 como as crianças Podem ajudar a recuperar a saúde do PLaneta? AI... AI...

Leia mais

COMPLEXO AMBIENTAL FIAT Gestão de Resíduos DIRETORIA INDUSTRIAL AMÉRICA LATINA ENGENHARIA AMBIENTAL E UTILIDADES

COMPLEXO AMBIENTAL FIAT Gestão de Resíduos DIRETORIA INDUSTRIAL AMÉRICA LATINA ENGENHARIA AMBIENTAL E UTILIDADES COMPLEXO AMBIENTAL FIAT Gestão de Resíduos DIRETORIA INDUSTRIAL AMÉRICA LATINA ENGENHARIA AMBIENTAL E UTILIDADES RESÍDUOS MATÉRIA-PRIMA TRABALHO HUMANO PROCESSO RESÍDUOS PRODUTO FINAL ENERGIA SÓLIDOS LÍQUIDOS

Leia mais

Produção e caracterização de resíduos da construção civil

Produção e caracterização de resíduos da construção civil 1 Produção e caracterização de resíduos da construção civil 2 Geração de resíduos RCC Brasil 230 a 760 kg/hab.ano RCC Europa 600 a 918 kg/hab.ano Resíduos domiciliares Europa 390 kg/hab.ano 3 Geração de

Leia mais

UTILITÁRIOS BRUTE CARROS

UTILITÁRIOS BRUTE CARROS UTILITÁRIOS BRUTE CARROS FUNCIONAIS infinity MEGA BRUTE CARROS BASCULANTES MOPS PÓ - FIOS TORCIDOS MANUSEIO DE MATERIAIS: Carros Funcionais Carro Funcional - Linha Hotelaria Os carros mais compactos da

Leia mais

Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviço de Saúde

Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviço de Saúde Hospital Universitário da Universidade de São Paulo (USP) Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviço de Saúde Atualizado em 10 de setembro de 2015. Responsável: ulce Regina Batista Carmo Gerenciamento

Leia mais

ANEXO I DESCRIÇÃO DOS ITENS

ANEXO I DESCRIÇÃO DOS ITENS ANEXO I DESCRIÇÃO DOS ITENS HOSPITAL - MATERIAL DE LIMPEZA E LAVANDERIA 1 UN 50 ALCOOL GEL REFIL 800ML 2 Fr 10 ALCOOL USO DOMESTICO 3 LT 220 AMACIANTE P/ROUPA 4 UN 5 BALDE P/LIMPEZA 18LT 5 GL 2 BRILHA

Leia mais

RSS - TERMINOLOGIA - GERENCIAMENTO INTRA - ESTABELECIMENTO ABNT NBR ABNT NBR Angela Maria Magosso Takayanagui

RSS - TERMINOLOGIA - GERENCIAMENTO INTRA - ESTABELECIMENTO ABNT NBR ABNT NBR Angela Maria Magosso Takayanagui RSS ABNT NBR 12807 ABNT NBR 12809 - TERMINOLOGIA - GERENCIAMENTO INTRA - ESTABELECIMENTO Angela Maria Magosso Takayanagui - 2016 Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto/USP ABNT CEE 129 Comissão Especial

Leia mais

Tratamento e Descarte de Resíduos de Obras

Tratamento e Descarte de Resíduos de Obras PROCEDIMENTO DO SMS Tratamento e Descarte de de Obras PR-99-992-CPG-003 Revisão: 02 Página: 1/6 1. OBJETIVO Definir padrões para o manuseio e descarte de resíduos produzidos pelas empresas contratadas

Leia mais

Resíduos de Serviços. de Saúde MANUAL DE ORIENTAÇÃO RESÍDUOS SÓLIDOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE

Resíduos de Serviços. de Saúde MANUAL DE ORIENTAÇÃO RESÍDUOS SÓLIDOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE Resíduos de Serviços de Saúde MANUAL DE ORIENTAÇÃO Comissão de Acompanhamento e Avaliação do Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos do Complexo Faculdade de Medicina de Botucatu Botucatu - 2007 1 a

Leia mais

Tarefas / Atividades. I - C I - C Não direcionado por contrato relacionado à atividade / função - atuação desdobrada

Tarefas / Atividades. I - C I - C Não direcionado por contrato relacionado à atividade / função - atuação desdobrada Nota: Item 6 não é aplicável pois é derivada da atividade da ANASOL, empresa que não pertence mais ao Grupo Bureau Veritas. Tarefas / Atividades Âmbito Envolvidos Atividades de escritórios (BV ou Externos)

Leia mais

LISTA TELEFÓNICA HOSPITAL PADRE AMÉRICO - PENAFIEL (DIVULGAÇÃO EXTERNA)

LISTA TELEFÓNICA HOSPITAL PADRE AMÉRICO - PENAFIEL (DIVULGAÇÃO EXTERNA) LISTA TELEFÓNICA HOSPITAL PADRE AMÉRICO - PENAFIEL (DIVULGAÇÃO EXTERNA) PISO 0 CASA MORTUÁRIA SERVIÇOS GERAIS (ESPÓLIO) 30037 GABINETE 914208510 31501 SECRETARIADO 255714434 GABINETE MÉDICO LEGAL 30023

Leia mais

Decreto de Regulamentação da Lei: DECRETO ESTADUAL n DE 03/12/02.

Decreto de Regulamentação da Lei: DECRETO ESTADUAL n DE 03/12/02. LEGISLAÇÃO VIGENTE PGRS LEI FEDERAL n o 9.795, de 27/04/99. A definição oficial de Educação Ambiental no Brasil. LEI ESTADUAL n o 12.493, de 22/01/99. Estabelece princípios, procedimentos, normas e critérios

Leia mais