Linguagem de Programação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Linguagem de Programação"

Transcrição

1 Linguagem de Programação Aula 10 Arquivos Universidade Federal de Santa Maria Colégio Agrícola de Frederico Westphalen Curso Técnico em Informática Prof. Bruno B. Boniati

2 Persistência de dados em memória secundária

3 Arquivos Permitem o armazenamento de dados em memória secundária (discos rígidos, memória flash, discos óticos, discos flexíveis, etc.); Que utilidade teriam nossos programas se toda a informação computada por eles se perder quando os mesmos são encerrados? Arquivos possibilitam armazenar dados para posterior recuperação.

4 Tipos de Arquivos Podemos diferenciar basicamente 2 tipos de arquivos: Arquivos sequencial Também conhecido como arquivo texto; Seu conteúdo somente pode ser acessado de forma sequencial; Compõe-se basicamente de uma sequência de caracteres em formato livre (não definido), pode ser editado por qualquer editor de textos Arquivos randômico Também conhecido como arquivo binário; Seu conteúdo é organizado de forma que seja possível acessar uma determinada posição do arquivo de maneira aleatória (sem precisar passar por todo o arquivo); Compõe-se de dados de um mesmo tipo dispostos sequencialmente.

5 Arquivos sequenciais

6 Arquivos sequenciais Um arquivo sequencial é organizado como sequências de caracteres em formato livre; Um arquivo fonte de uma linguagem de programação, uma página HTML, um arquivo XML ou um arquivo TXT são exemplos de arquivos sequenciais. Não há como achar uma informação dentro do arquivo sem necessariamente percorrê-lo do início até o final

7 Arquivos sequenciais em Pascal - TEXT Em linguagem Pascal, o tipo TEXT é utilizado para definir que uma variável irá representar um arquivo sequencial. var ListaDeTarefas : TEXT; begin //associa a variável ao arquivo físico Assign(ListaDeTarefas, 'lista.txt'); Rewrite(ListaDeTarefas); //Cria o arquivo em disco //Escreve os dados no arquivo WriteLN(ListaDeTarefas, 'Estudar Programação'); WriteLN(ListaDeTarefas, 'Namorar'); WriteLN(ListaDeTarefas, 'Fazer exercícios'); Novos comandos para tratamento de arquivos Close(ListaDeTarefas); //Fecha e grava o arquivo em disco end.

8 Testando a existência de um arquivo A ideia de arquivos é fazer a persistência de dados para uso futuro, sendo assim, devemos prever a existência de um arquivo antes de propor sua criação e só o criá-lo caso não exista. O código abaixo demonstra como fazer isso com uma diretiva de compilação que desabilita a verificação de erros de E/S Assign(ListaDeTarefas, 'lista.txt'); {$i-} //Desabilita a checagem de erros de E/S (Entrada e Saída) Reset(ListaDeTarefas); //Tenta abrir o arquivo {$i+} //Habilita a checagem de erros de E/S if IOResult > 0 then //Se houve algum erro de ES Rewrite(ListaDeTarefas); //Recria o arq. pois ele ñ existe

9 Percorrendo um arquivo sequencial Para obtermos os dados de um arquivo sequencial precisamos percorrê-lo do início ao fim, o código abaixo demonstra como isso pode ser feito (o código lista os dados de um arquivo na tela). writeln('digite o nome do arquivo para ser listado: '); readln(nome_arquivo); Assign(ListaDeTarefas, nome_arquivo); //Associa variável e arq. Reset(ListaDeTarefas); //Abrir o arquivo while not eof(listadetarefas) do //Enquanto não chegar ao final begin //Lê do arquivo e armazena na variável linha readln(listadetarefas, linha); writeln(linha); //Escreve a variável linha na tela end;

10 Arquivos randômicos Registro 1 Registro 2 Registro 3... Registro N Campo 1 Campo 2 Campo 3

11 Arquivos randômicos Um arquivo randômico é organizado com sequências de elementos de um mesmo tipo, geralmente registros. É o tipo de arquivo mais comum em aplicações. O arquivo randômico possibilita navegação entre seus registros de forma aleatória. É possível visitar o primeiro, o último ou o enésimo registro do arquivo diretamente.

12 Arquivos binários em Pascal FILE of Em linguagem Pascal, o tipo FILE of é utilizado para definir que uma variável irá representar um arquivo binário. type TAlunos = record nome : string; sexo : char; ano_nasc : integer; end; var ArquivoDeInteiros : FILE of Integer; begin CadastroDeAluno : FILE of TAlunos; Campos do registro Registros do Arquivo nome sexo ano_nasc Ana F 1994 Pedro M 1993 Julia F 1984 Saulo M 1988 end.

13 Gravando dados em arquivos binários Para gravar informações em um arquivo binário é necessário uma variável do mesmo tipo na qual o arquivo é organizado. Os dados são gravados na posição atual do arquivo. var arqalunos : File of TAlunos; alunos : TAlunos; begin Assign(arqAlunos, 'dados.dat'); Rewrite(arqAlunos); alunos.nome := 'Ana'; alunos.sexo := 'F'; alunos.ano_nasc := 1985; write(arqalunos, alunos); close(arqalunos); end;

14 Recuperando dados de arq. binários Para recuperar informações de um arquivo binário é necessário uma variável do mesmo tipo na qual o arquivo é organizado. var arqalunos : File of TAlunos; alunos : TAlunos; begin Assign(arqAlunos, 'dados.dat'); Reset(arqAlunos); while not eof(arqalunos) do begin read(arqalunos, alunos); writeln(alunos.nome, ', sexo = ', alunos.sexo); end; close(arqalunos); end;

15 Ponteiro lógico de um arquivo binário O ponteiro lógico indica a posição atual em que o arquivo se encontra (o número do registro). Arquivos binários permitem a movimentação do ponteiro lógico em qualquer direção; O comando seek é utilizado para movimentar o ponteiro um determinado número de posições; O comando FileSize retorna quantas posições possui um arquivo e o comando FilePos retorna a posição atual do ponteiro lógico; Comandos como writeln e readln movimentam automaticamente o ponteiro lógico para a próxima posição.

16 Acessando posições aleatórias em arquivos binários writeln('o arquivo tem ', FileSize(arqAlunos), ' registros'); writeln('informe o nº do registro para consultar ')'); readln(posicao - 1); //A posição inicial é sempre zero seek(arqalunos, posicao); read(arqalunos, a); writeln('nome: ', a.nome, ', sexo: ', a.sexo); //Para mover o ponteiro lógico do arquivo para o primeiro registro seek(arqalunos, 0); //Para mover o ponteiro lógico para o final do arquivo seek(arqalunos, FileSize(arqAlunos));

17 Exercícios para fixação

Manipulação de Arquivos em Pascal

Manipulação de Arquivos em Pascal Manipulação de Arquivos em Pascal Estrutura de Dados II Aula 03 UFS - DComp Adaptados a partir do material da Profa. Kenia Kodel Cox 1 Para implementar programa infantil para ordenação (alfabética) de

Leia mais

PROG. DE COMPUTADORES II SI Arquivos

PROG. DE COMPUTADORES II SI Arquivos 1 PROG. DE COMPUTADORES II SI Arquivos Arquivos Permitem que gravemos nossas informações em dispositivos físicos Pendrive HD Estão organizados logicamente em registros Cada registro é similar a um campo

Leia mais

10) REGISTROS : Exemplos: var N,I: integer; A,B,C: real; CHAVE: boolean; CARAC: char; V: array[1..20] of real; M: array[1..10,1..

10) REGISTROS : Exemplos: var N,I: integer; A,B,C: real; CHAVE: boolean; CARAC: char; V: array[1..20] of real; M: array[1..10,1.. Página 1 de 10 10) REGISTROS : De um modo geral, as variáveis podem ser: - simples (integer, real, boolean, char) e - compostas: - homogêneas (array) - heterogêneas (record) Exemplos: var N,I: integer;

Leia mais

ARQUIVOS. Os arquivos criados em meios magnéticos poderão ser acessados para leitura e escrita na forma seqüencial, direta ou indexada.

ARQUIVOS. Os arquivos criados em meios magnéticos poderão ser acessados para leitura e escrita na forma seqüencial, direta ou indexada. Texto retirado e adaptado da apostila A Linguagem Pascal, disponível no site http://www.portaldaprogramacao.com (autor: desconhecido) ARQUIVOS Anteriormente, foi estudado o conceito de tabelas em memória

Leia mais

Variáveis Compostas Heterogêneas. Variável Composta Heterogênea. Variável Composta Heterogênea

Variáveis Compostas Heterogêneas. Variável Composta Heterogênea. Variável Composta Heterogênea Variáveis Compostas Heterogêneas Variável Composta Heterogênea Conjunto de dados logicamente relacionados, mas de tipos diferentes. Também chamada de registro. Variável Composta Heterogênea 1 Declaração

Leia mais

Armazenamento de Dados. Prof. Antonio Almeida de Barros Junior

Armazenamento de Dados. Prof. Antonio Almeida de Barros Junior Armazenamento de Dados Prof. Antonio Almeida de Barros Junior 1 Armazenamento de Dados Todos os dados que utilizamos até o momento, ficavam armazenados apenas na memória. Ao final da execução dos programas,

Leia mais

Lista de Comandos: Arquivo texto e Binário

Lista de Comandos: Arquivo texto e Binário Lista de Comandos: Arquivo texto e Declaração de arquivo do tipo binário program sequencial; type endereco = record end; rua : string[40]; numero : integer; CEP : real; cadastro = record end; nome : string[30];

Leia mais

Algoritmos e Programação _ Departamento de Informática

Algoritmos e Programação _ Departamento de Informática 16 ARQUIVOS Um arquivo corresponde a um conjunto de informações (exemplo: uma estrutura de dados-registro), que pode ser armazenado em um dispositivo de memória permanente, exemplo disco rígido. As operações

Leia mais

Estruturas de Dados. Profa. Juliana Pinheiro Campos

Estruturas de Dados. Profa. Juliana Pinheiro Campos Estruturas de Dados Profa. Juliana Pinheiro Campos Arquivos ESTRUTURAS DE DADOS Técnicas para que possamos salvar e recuperar informações em arquivos de maneira estruturada. Assim será possível implementar

Leia mais

Pascal. -Cabeçalho do programa. - label - const - type - var - procedure - function. - integer - real - byte - boolean - char - string

Pascal. -Cabeçalho do programa. - label - const - type - var - procedure - function. - integer - real - byte - boolean - char - string Pascal -Cabeçalho do programa Áreas do programa -Área de declarações -Corpo do programa - label - const - type - var - procedure - function - integer - real - byte - boolean - char - string Program

Leia mais

Estrutura de Dados. Introdução a Ponteiros. Prof. Gerson Borges Estrutura de Dados I 1

Estrutura de Dados. Introdução a Ponteiros. Prof. Gerson Borges Estrutura de Dados I 1 Estrutura de Dados Introdução a Ponteiros Prof. Gerson Borges Estrutura de Dados I 1 Sumário è Explicação da importância do planejamento de ensino; è Métodos e técnicas que iremos trabalhar durante o semestre;

Leia mais

Persistência de Dados

Persistência de Dados Persistência de s Universidade do Estado de Santa Catarina - Udesc Centro de Ciências Tecnológicas - CCT Departamento de Ciência da Computação Tecnologia de Sistemas de Informação Estrutura de s II - DAD

Leia mais

Algumas notas sobre PASCAL

Algumas notas sobre PASCAL Algumas notas sobre PASCAL PARTE I Anjolina Grisi de Oliveira 1 Um programa em PASCAL Esse texto inclui algumas notas sobre a linguagem PASCAL. As diferenças existentes entre os diversos compiladores não

Leia mais

Representação de Algoritmos - Linguagens de Programação

Representação de Algoritmos - Linguagens de Programação Representação de Algoritmos - Linguagens de Programação A representação de algoritmos em uma pseudo-linguagem mais próxima às pessoas é bastante útil principalmente quando o problema a ser tratado envolve

Leia mais

Estrutura da linguagem de programação C Prof. Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org

Estrutura da linguagem de programação C Prof. Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org Estrutura da linguagem de programação C Prof. Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org Breve Histórico A linguagem de programação C foi criada na década de 70, por Dennis Ritchie, que a implementou,

Leia mais

IFTO TÉCNICO EM INFORMÁTICA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS AULA 01

IFTO TÉCNICO EM INFORMÁTICA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS AULA 01 IFTO TÉCNICO EM INFORMÁTICA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS AULA 01 Prof. Manoel Campos da Silva Filho Tecnólogo em Processamento de Dados / Unitins Mestre em Engenharia Elétrica / UnB http://lab.ifto.edu.br/~mcampos

Leia mais

A4 Projeto Integrador e Lista de Jogos

A4 Projeto Integrador e Lista de Jogos A4 Projeto Integrador e Lista de Jogos 1ª ETAPA PROJETO INTEGRADOR (2 pontos na A4) Como discutido em sala de aula, a disciplina de algoritmos I também fará parte do projeto integrador, para cada grupo

Leia mais

- UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS Curso: Informática / Ciência da Computação

- UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS Curso: Informática / Ciência da Computação Programação 1I Prof. Osório Árvores Binárias Pag.: 1 - UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS Curso: Informática / Ciência da Computação Programação II Disciplina: Linguagem

Leia mais

Arquivos. Em relação ao Scilab, existem alguns tipos de arquivos que podem ser lidos, criados ou modificados.

Arquivos. Em relação ao Scilab, existem alguns tipos de arquivos que podem ser lidos, criados ou modificados. Arquivos Arquivos correspondem a unidades de armazenamento, tipicamente gravados em unidades de memória secundária. Sistemas operacionais, como Linux ou Windows, permitem que arquivos sejam criados e recuperados

Leia mais

Programação I. Departamento de Engenharia Rural Centro de Ciências Agrárias

Programação I. Departamento de Engenharia Rural Centro de Ciências Agrárias Departamento de Engenharia Rural Centro de Ciências Agrárias Programação I Prof. Bruno Vilela Oliveira bruno@cca.ufes.br http://www.brunovilela.webnode.com.br Aula 08 Programação em pascal Pascal Pascal

Leia mais

1 Funções básicas de implementação de arquivos

1 Funções básicas de implementação de arquivos 1 Funções básicas de implementação de arquivos 1.1 Definindo registros Depois de um objeto do mundo real ter sido modelado, ou seja, após seus atributos importantes (e relevantes) terem sido identificados,

Leia mais

ESTRUTURA DE DADOS -VARIÁVEIS COMPOSTAS. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br

ESTRUTURA DE DADOS -VARIÁVEIS COMPOSTAS. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br ESTRUTURA DE DADOS -VARIÁVEIS COMPOSTAS Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br ROTEIRO Variáveis compostas homogêneas Arrays Vetores Matrizes Variáveis compostas heterogêneas Registros

Leia mais

Resumo da Introdução de Prática de Programação com C. A Linguagem C

Resumo da Introdução de Prática de Programação com C. A Linguagem C Resumo da Introdução de Prática de Programação com C A Linguagem C O C nasceu na década de 70. Seu inventor, Dennis Ritchie, implementou-o pela primeira vez usando um DEC PDP-11 rodando o sistema operacional

Leia mais

Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063)

Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063) Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063) Aula 2 Java como ferramenta de experimentação Universidade Federal de Santa Maria Colégio Agrícola de Frederico Westphalen Curso Superior de Tecnologia em Sistemas

Leia mais

Programação de Computadores I. Linguagem C Arquivos

Programação de Computadores I. Linguagem C Arquivos Linguagem C Arquivos Prof. Edwar Saliba Júnior Novembro de 2011 Unidade 12 Arquivos 1 Trabalhando com Arquivos Um arquivo em Linguagem C pode representar diversas coisas, como: arquivos em disco, uma impressora,

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA. Apostila Pascal Ed. 2006. Prof. Dr. Galeno José de Sena DMA/FEG CAPÍTULO 8

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA. Apostila Pascal Ed. 2006. Prof. Dr. Galeno José de Sena DMA/FEG CAPÍTULO 8 unesp UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Apostila Pascal Ed 2006 Prof Dr Galeno José de Sena DMA/FEG CAPÍTULO 8 ARQUIVOS DE DADOS EM PASCAL: ARQUIVOS SEQUENCIAIS - UMA INTRODUÇÃO 81 ARQUIVOS SEQUENCIAL E DIRETO

Leia mais

Capacidade de Armazenamento

Capacidade de Armazenamento Capacidade de Armazenamento Disquete 3½: 720 Kb ou 1.44 Mb Disco rígido: Zip disco De 20 Gb... 120 Mb Armazenamento e Organização Arquivo Tipos:.BAT.COM.EXE.TXT... Sistema de Computação HARDWARE X SOFTWARE

Leia mais

Linguagem de Programação III Aula 2 Revisão Parte II

Linguagem de Programação III Aula 2 Revisão Parte II Linguagem de Programação III Aula 2 Revisão Parte II Prof. Moser Fagundes Curso Técnico em Informática (Modalidade Integrada) Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) Campus Charqueadas Revisão de PHP

Leia mais

Memória Flash. PdP. Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 11/12/2005 Última versão: 18/12/2006. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos

Memória Flash. PdP. Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 11/12/2005 Última versão: 18/12/2006. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos TUTORIAL Memória Flash Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 11/12/2005 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br contato@maxwellbohr.com.br

Leia mais

Listas Lineares. Fundamentos

Listas Lineares. Fundamentos Listas Lineares Fundamentos Uma lista linear é uma coleção L:[a 1, a 2,..., a n ], n 0, cuja propriedade estrutural baseia-se apenas na posição relativa dos elementos, que são dispostos linearmente. Se

Leia mais

MC-102 Aula 01. Instituto de Computação Unicamp

MC-102 Aula 01. Instituto de Computação Unicamp MC-102 Aula 01 Introdução à Programação de Computadores Instituto de Computação Unicamp 2015 Roteiro 1 Por que aprender a programar? 2 Hardware e Software 3 Organização de um ambiente computacional 4 Algoritmos

Leia mais

INTRODUÇÃO OBJECT PASCAL/DELPHI

INTRODUÇÃO OBJECT PASCAL/DELPHI Introdução Object Pascal/Delphi 1 INTRODUÇÃO OBJECT PASCAL/DELPHI Objetivo Demonstrar a sintaxe e a semântica do Object Pascal e a forma como esse linguagem de programação será aplicada na disciplina de

Leia mais

A Linguagem Pascal e o Ambiente de Programação Dev-Pascal. Introdução à Ciência da Computação I

A Linguagem Pascal e o Ambiente de Programação Dev-Pascal. Introdução à Ciência da Computação I A Linguagem Pascal e o Ambiente de Programação Dev-Pascal Introdução à Ciência da Computação I Março/2004 Introdução (1 de 3) Homenagem a Blaise Pascal, filósofo e matemático do século XVII. Desenvolvida

Leia mais

Estrutura de Dados. Ricardo José Cabeça de Souza www.ricardojcsouza.com.br ricardo.souza@ifpa.edu.br. Parte 1

Estrutura de Dados. Ricardo José Cabeça de Souza www.ricardojcsouza.com.br ricardo.souza@ifpa.edu.br. Parte 1 Estrutura de Dados Ricardo José Cabeça de Souza www.ricardojcsouza.com.br Parte 1 MODELO DE UM COMPUTADOR CPU Central Processing Unit MODELO DE UM COMPUTADOR O canal de comunicação (conhecido como BUS)

Leia mais

Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063)

Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063) Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063) Aula 11 Applets Universidade Federal de Santa Maria Colégio Agrícola de Frederico Westphalen Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Prof. Bruno

Leia mais

Algoritmos e Programação Estruturada

Algoritmos e Programação Estruturada Algoritmos e Programação Estruturada Virgínia M. Cardoso Linguagem C Criada por Dennis M. Ritchie e Ken Thompson no Laboratório Bell em 1972. A Linguagem C foi baseada na Linguagem B criada por Thompson.

Leia mais

Introdução. Manipulação de arquivos em C. Estrutura de Dados II Prof Jairo Francisco de Souza

Introdução. Manipulação de arquivos em C. Estrutura de Dados II Prof Jairo Francisco de Souza Introdução Manipulação de arquivos em C Estrutura de Dados II Prof Jairo Francisco de Souza Manipulação de Arquivo em C Existem dois tipos possíveis de acesso a arquivos na linguagem C : sequencial (lendo

Leia mais

- UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS Curso: Informática / Ciência da Computação

- UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS Curso: Informática / Ciência da Computação Programação 1I Prof. Osório Árvores Genéricas Pag.: 1 - UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS Curso: Informática / Ciência da Computação Programação II Disciplina: Linguagem

Leia mais

Manipulação de Arquivos

Manipulação de Arquivos Manipulação de Arquivos Estrutura de Dados II Prof. Guilherme Tavares de Assis Universidade Federal de Ouro Preto UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas ICEB Departamento de Computação DECOM Tipo

Leia mais

Resumo da última aula. Compiladores. Tipos. Regras semânticas. Expressões de tipos. Análise Semântica e checagem de tipos.

Resumo da última aula. Compiladores. Tipos. Regras semânticas. Expressões de tipos. Análise Semântica e checagem de tipos. Resumo da última aula Compiladores Análise semântica Verificação de tipos 1 Implementação: Esquemas S-atribuídos: Mecanismo bottom-up direto Esquemas L-atribuídos: Mecanismo top-down: Necessita gramática

Leia mais

14. Arquivos. W. Celes e J. L. Rangel. Estruturas de Dados PUC-Rio 13-1

14. Arquivos. W. Celes e J. L. Rangel. Estruturas de Dados PUC-Rio 13-1 14. Arquivos W. Celes e J. L. Rangel Neste capítulo, apresentaremos alguns conceitos básicos sobre arquivos, e alguns detalhes da forma de tratamento de arquivos em disco na linguagem C. A finalidade desta

Leia mais

Introdução à Programação

Introdução à Programação Introdução à Programação INF 1005 e INF1004 - Programação I Pontifícia Universidade Católica Departamento de Informática 1 Modelo de um Computador 2 1 CPU: Unidade Central de Processamento Principal componente

Leia mais

1) Digitar o código-fonte no editor do compilador Turbo Pascal para windows, exatamente como apresentado a seguir:

1) Digitar o código-fonte no editor do compilador Turbo Pascal para windows, exatamente como apresentado a seguir: Introdução à Informática 1 de 6 Data: 29/05/04 1) Digitar o código-fonte no editor do compilador Turbo Pascal para windows, exatamente como apresentado a seguir: program eq2grau; uses WinCrt, Strings;

Leia mais

Fundamentos de Arquivos. SCC203 Algoritmos e Estruturas de Dados II

Fundamentos de Arquivos. SCC203 Algoritmos e Estruturas de Dados II Fundamentos de Arquivos SCC203 Algoritmos e Estruturas de Dados II Arquivos Informação mantida em memória secundária HD Disquetes Fitas magnéticas CD DVD 2 Discos X Memória Principal Tempo de acesso HD:

Leia mais

Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063)

Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063) Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063) Aula 9 JDBC (Java Database Connectivity) Universidade Federal de Santa Maria Colégio Agrícola de Frederico Westphalen Curso Superior de Tecnologia em Sistemas

Leia mais

Sistemas Operacionais. Andrique Amorim www.andrix.com.br professor@andrix.com.br. Gerência de Arquivos

Sistemas Operacionais. Andrique Amorim www.andrix.com.br professor@andrix.com.br. Gerência de Arquivos Andrique Amorim www.andrix.com.br professor@andrix.com.br Gerência de Arquivos Gerência de Arquivos Um sistema operacional tem por finalidade permitir que o usuários do computador executem aplicações,

Leia mais

Pratica JFlex. Prática criando o primeiro analisador léxico

Pratica JFlex. Prática criando o primeiro analisador léxico UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA CAMPUS DE SÃO MIGUEL DO OESTE CURSO: CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO DISCIPLINA: COMPILADORES PROFESSOR: JOHNI DOUGLAS MARANGON Pratica JFlex JFlex é uma ferramenta que permite

Leia mais

Laboratório de Programação (DPADF 0063)

Laboratório de Programação (DPADF 0063) Laboratório de Programação (DPADF 0063) Aula 1 Motivação e Introdução Universidade Federal de Santa Maria Colégio Agrícola de Frederico Westphalen Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet

Leia mais

8. Tratamento de Arquivos

8. Tratamento de Arquivos 8. Tratamento de Arquivos Algumas vezes, uma aplicação precisa ler ou gravar dados em arquivos. Por exemplo: um contador de página da web deve ter acesso a um arquivo onde esteja armazenado o número de

Leia mais

Linguagem de Programação

Linguagem de Programação Linguagem de Programação Aula 1 Motivação e Revisão Universidade Federal de Santa Maria Colégio Agrícola de Frederico Westphalen Curso Técnico em Informática Prof. Bruno B. Boniati www.cafw.ufsm.br/~bruno

Leia mais

Organização de programas em Python. Vanessa Braganholo vanessa@ic.uff.br

Organização de programas em Python. Vanessa Braganholo vanessa@ic.uff.br Organização de programas em Python Vanessa Braganholo vanessa@ic.uff.br Vamos programar em Python! Mas... } Como um programa é organizado? } Quais são os tipos de dados disponíveis? } Como variáveis podem

Leia mais

Descrição. Implementação. Departamento de Informática e Estatística Universidade Federal de Santa Catarina LAB 4 Transferência de Arquivos

Descrição. Implementação. Departamento de Informática e Estatística Universidade Federal de Santa Catarina LAB 4 Transferência de Arquivos Departamento de Informática e Estatística Universidade Federal de Santa Catarina LAB 4 Transferência de Arquivos Descrição Implemente nesta atividade de laboratório um programa em Java utilizando threads

Leia mais

GERENCIAMENTO DE DISPOSITIVOS

GERENCIAMENTO DE DISPOSITIVOS 2 SISTEMAS OPERACIONAIS: GERENCIAMENTO DE DISPOSITIVOS E ARQUIVOS Introdução à Microinformática Prof. João Paulo Lima Universidade Federal Rural de Pernambuco Departamento de Estatística e Informática

Leia mais

Software. Professora Milene Selbach Silveira Prof. Celso Maciel da Costa Faculdade de Informática - PUCRS

Software. Professora Milene Selbach Silveira Prof. Celso Maciel da Costa Faculdade de Informática - PUCRS Software Professora Milene Selbach Silveira Prof. Celso Maciel da Costa Faculdade de Informática - PUCRS ESQUEMA DE UM SISTEMA DE COMPUTADOR Unidades de Entrada - Teclado - Scanner - Caneta Ótica - Leitora

Leia mais

Funções de um SO. Gerência de processos Gerência de memória Gerência de Arquivos Gerência de I/O Sistema de Proteção

Funções de um SO. Gerência de processos Gerência de memória Gerência de Arquivos Gerência de I/O Sistema de Proteção Sistemas de Arquivos Funções de um SO Gerência de processos Gerência de memória Gerência de Arquivos Gerência de I/O Sistema de Proteção 2 Sistemas Operacionais Necessidade de Armazenamento Grandes quantidades

Leia mais

PROGRAMAÇÃO II 3. FILA DINÂMICA

PROGRAMAÇÃO II 3. FILA DINÂMICA 3. FILA DINÂMICA PROGRAMAÇÃO II Prof. Jean Eduardo Glazar Uma fila é um tipo especial de lista na qual todas as inserções são feitas sempre depois do fim e as deleções no início. Por isso também recebe

Leia mais

Bacharelado em Ciência e Tecnologia BC-0505 - Processamento da Informação Teoria Arquivos Prof. Edson Pinheiro Pimentel edson.pimentel@ufabc.edu.

Bacharelado em Ciência e Tecnologia BC-0505 - Processamento da Informação Teoria Arquivos Prof. Edson Pinheiro Pimentel edson.pimentel@ufabc.edu. Bacharelado em Ciência e Tecnologia BC-0505 - Processamento da Informação Teoria Arquivos Prof. Edson Pinheiro Pimentel edson.pimentel@ufabc.edu.br Conceitos Arquivos permitem armazenar dados de maneira

Leia mais

Sistemas de Informação. Sistemas Operacionais 4º Período

Sistemas de Informação. Sistemas Operacionais 4º Período Sistemas de Informação Sistemas Operacionais 4º Período SISTEMA DE ARQUIVOS SUMÁRIO 7. SISTEMA DE ARQUIVOS: 7.1 Introdução; 7.2 s; 7.3 Diretórios; 7.4 Gerência de Espaço Livre em Disco; 7.5 Gerência de

Leia mais

1 Ficheiros 1 1.1 Métodos sobre ficheiros... 2 1.2 Ficheiros de texto vs. binários... 3 1.3 Procurar ocorrências de uma palavra...

1 Ficheiros 1 1.1 Métodos sobre ficheiros... 2 1.2 Ficheiros de texto vs. binários... 3 1.3 Procurar ocorrências de uma palavra... Nesta aula... Conteúdo 1 Ficheiros 1 1.1 Métodos sobre ficheiros......................... 2 1.2 Ficheiros de texto vs. binários..................... 3 1.3 Procurar ocorrências de uma palavra..................

Leia mais

MÉTODOS DE ORDENAÇÃO

MÉTODOS DE ORDENAÇÃO UNIÃO DE TECNOLOGIA E ESCOLAS DE SANTA CATARINA Tecnologia em Processamento de Dados MÉTODOS DE ORDENAÇÃO Tecnologia em Processamento de Dados (Pascal) Jurandir Steffens Acadêmico Glauco Vinicius Scheffel

Leia mais

Curso de Linguagem C

Curso de Linguagem C Curso de Linguagem C 1 Aula 1 - INTRODUÇÃO...4 AULA 2 - Primeiros Passos...5 O C é "Case Sensitive"...5 Dois Primeiros Programas...6 Introdução às Funções...7 Introdução Básica às Entradas e Saídas...

Leia mais

Árvores e Árvores Binárias

Árvores e Árvores Binárias MAC 5710 - Estruturas de Dados - 2008 Referência bibliográfica Os slides sobre este assunto são parcialmente baseados nas seções sobre árvores do capítulo 4 do livro N. Wirth. Algorithms + Data Structures

Leia mais

Curso de C. Introdução. Copyright @ 2005 by Arnaldo V. Moura e Daniel F. Ferber

Curso de C. Introdução. Copyright @ 2005 by Arnaldo V. Moura e Daniel F. Ferber Curso de C Introdução Introdução Roteiro: Recordando Algoritmos Linguagem de Programação O computador Instruções de Máquina Níveis de Abstração Compilação Algoritmos Recordando: Algoritmo: conjunto finito

Leia mais

Lista de Exercícios da 3ª Unidade. ( Ponteiros, Alocação dinâmica, Arquivos, Estruturas de Dados)

Lista de Exercícios da 3ª Unidade. ( Ponteiros, Alocação dinâmica, Arquivos, Estruturas de Dados) Lista de Exercícios da 3ª Unidade ( Ponteiros, Alocação dinâmica, Arquivos, Estruturas de Dados) 1. (Seg. chamada - 2014.1) Construa um programa em C que realize as seguintes operações: a) Faça uma função

Leia mais

Conjunto (set) O tipo estruturado set representa, em Pascal, um conjunto de objectos de um dado tipo;

Conjunto (set) O tipo estruturado set representa, em Pascal, um conjunto de objectos de um dado tipo; Conjunto (set) O tipo estruturado set representa, em Pascal, um conjunto de objectos de um dado tipo; O tipo de dados tem por base um tipo simples (enumerável); Na verdade, um set representa o conjunto

Leia mais

PIP/CA - Programa Interdisciplinar de Pós-Graduação em Computação Aplicada da UNISINOS ALGORITMOS & ESTRUTURAS DE DADOS

PIP/CA - Programa Interdisciplinar de Pós-Graduação em Computação Aplicada da UNISINOS ALGORITMOS & ESTRUTURAS DE DADOS PIP/CA - Programa Interdisciplinar de Pós-Graduação em Computação Aplicada da UNISINOS Disciplina de Nivelamento - 2000/1: ALGORITMOS & ESTRUTURAS DE DADOS Professor Responsável: Prof. Fernando Santos

Leia mais

MC-102 Algoritmos e Programação de Computadores

MC-102 Algoritmos e Programação de Computadores MC-102 Algoritmos e Programação de Computadores Prof. Ariel Vargas Unicamp Arquivos Binários Arquivos Arquivos Texto Podem ser manipulados por um editor de texto comum Os dados são gravados como caracteres

Leia mais

PROGRAMAÇÃO II 3. PILHA DINÂMICA

PROGRAMAÇÃO II 3. PILHA DINÂMICA 3. PILHA DINÂMICA PROGRAMAÇÃO II Prof. Jean Eduardo Glazar Uma pilha é um tipo especial de Pilha na quais todas as inserções e remoções são feitas na primeira posição, que é chamada de topo. Outro nome

Leia mais

CURSO BÁSICO DE PROGRAMAÇÃO AULA 9. Revisão Aula Anterior Estruturas de Decisão (If e Switch)

CURSO BÁSICO DE PROGRAMAÇÃO AULA 9. Revisão Aula Anterior Estruturas de Decisão (If e Switch) CURSO BÁSICO DE PROGRAMAÇÃO AULA 9 Revisão Aula Anterior Estruturas de Decisão (If e Switch) Revisão Comandos básicos no terminal: Para verificar os arquivos que estão em uma pasta usa-se ls: Para acessar

Leia mais

Conteúdo. Disciplina: INF 02810 Engenharia de Software. Monalessa Perini Barcellos. Centro Tecnológico. Universidade Federal do Espírito Santo

Conteúdo. Disciplina: INF 02810 Engenharia de Software. Monalessa Perini Barcellos. Centro Tecnológico. Universidade Federal do Espírito Santo Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Disciplina: INF 02810 Prof.: (monalessa@inf.ufes.br) Conteúdo 1. Introdução 2. Processo de Software 3. Gerência de

Leia mais

Tutorial de Turbo Pascal

Tutorial de Turbo Pascal Página 1 de 7 Este tutorial foi completamente escrito por Rodrigo Brambilla pode ser distribuído livremente sem nenhuma modificação. Agradecimentos: Leomar Pacheco Rocha, Rodrigo Hoffmann dos Santos, Paulo

Leia mais

Curso : Tecnologia em Desenvolvimento de Sistemas - AEMS

Curso : Tecnologia em Desenvolvimento de Sistemas - AEMS Curso : Tecnologia em Desenvolvimento de Sistemas - AEMS Série : 3 º Período - 1 º Semestre de 2011 Professora : Elzi Ap. Gil 3. LISTAS LINEARES PARTE - III Disciplina - Estrutura de Dados Segundo Pereira(2002),

Leia mais

3/19/2014. Compilador DEV C++ ENGENHARIAS LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO Henry Lubanco/ Joelio Piraciaba

3/19/2014. Compilador DEV C++ ENGENHARIAS LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO Henry Lubanco/ Joelio Piraciaba Compilador DEV C++ 101 Compilador DEV C++ 102 1 Compilador DEV C++ Compilar (Ctrl+F9) Executar (Ctrl+F10) Compilar e executar (F9) 103 Compilador DEV C++ Escolher a pasta Escolher o nome e o tipo de arquivo

Leia mais

Elementos básicos das linguagens de programação

Elementos básicos das linguagens de programação Elementos básicos das linguagens de programação Objetivos: Apresentar os últimos elementos básicos das linguagens de programação Elementos básicos já estudados Entrada (read, readln) Saída (write, writeln)

Leia mais

7. ESTRUTURAS DE DADOS ESTÁTICAS E DINÂMICAS

7. ESTRUTURAS DE DADOS ESTÁTICAS E DINÂMICAS 7. ESTRUTURAS DE DADOS ESTÁTICAS E DINÂMICAS Até... 7.1 Alocação Estática Alocação de Espaço em Memória Como já foi visto anteriormente, a memória de um computador compõe-se de uma sequência de palavras,

Leia mais

Programação de Computadores I. Conhecendo a IDE Code::Blocks

Programação de Computadores I. Conhecendo a IDE Code::Blocks Code::Blocks Conhecendo a IDE Programação de Computadores I Professor: Edwar Saliba Júnior Conhecendo a IDE Code::Blocks Apresentação: 1) Abra a IDE (Integrated Development Environment), ou seja, o Ambiente

Leia mais

UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA (ICET) CURSO DE CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO. O Paradigma da Orientação a Objeto

UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA (ICET) CURSO DE CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO. O Paradigma da Orientação a Objeto UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA (ICET) CURSO DE CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO O Paradigma da Orientação a Objeto Apresentada em Cumprimento Parcial dos Requerimentos para

Leia mais

Aula 3 Alocação Dinâmica

Aula 3 Alocação Dinâmica Aula 3 Alocação Dinâmica Universidade Federal de Santa Maria Colégio Agrícola de Frederico Westphalen Curso Superior de Tecnologia em Sistemas de Internet Prof. Bruno B. Boniati www.cafw.ufsm.br/~bruno

Leia mais

Avaliação de Expressões

Avaliação de Expressões valiação de Expressões valiação de Expressões - Como efetuar o cálculo de uma expressão em um computador? Exemplo: / B C D + E Regras usuais da matemática. Os parênteses alteram a ordem das expressões:

Leia mais

Linguagem de Programação

Linguagem de Programação Linguagem de Programação Aula 5 Elementos Fundamentais de Controle Universidade Federal de Santa Maria Colégio Agrícola de Frederico Westphalen Curso Técnico em Informática Prof. Bruno B. Boniati www.cafw.ufsm.br/~bruno

Leia mais

Notas da Aula 4 - Fundamentos de Sistemas Operacionais

Notas da Aula 4 - Fundamentos de Sistemas Operacionais Notas da Aula 4 - Fundamentos de Sistemas Operacionais 1. Threads Threads são linhas de execução dentro de um processo. Quando um processo é criado, ele tem uma única linha de execução, ou thread. Esta

Leia mais

QUALIFICAÇÃO TÉCNICA EM DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

QUALIFICAÇÃO TÉCNICA EM DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Desenvolvimento De Sistemas - Lógica De Programação. 1. Lógica de Programação I 1.1 Introdução á Lógica de Programação 1.2 O que é lógica? 1.3 Lógica Matemática 1.4 Lógica de Programação 1.5 Seqüência

Leia mais

Arq = Freefile Open C:\Pasta\Arquivo.dat For Binary As #arq Abrir o arquivo binario. X = Seek(arq) Mostra a posição que está sendo lida no arquivo

Arq = Freefile Open C:\Pasta\Arquivo.dat For Binary As #arq Abrir o arquivo binario. X = Seek(arq) Mostra a posição que está sendo lida no arquivo 6.3 Arquivos Binários Para ler arquivos binários é utilizado o seguinte comando. Arq = Freefile Open C:\Pasta\Arquivo.dat For Binary As #arq Abrir o arquivo binario Get #arq, 1, CabArquivo Lê o arquivo

Leia mais

OFICINA DA PESQUISA PROGRAMAÇÃO APLICADA À CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

OFICINA DA PESQUISA PROGRAMAÇÃO APLICADA À CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO OFICINA DA PESQUISA PROGRAMAÇÃO APLICADA À CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Prof. Msc. Carlos José Giudice dos Santos carlos@oficinadapesquisa.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Linguagens de Programação Material

Leia mais

Técnicas de programação com PASCAL

Técnicas de programação com PASCAL Técnicas de programação com PASCAL Prof. Eng Luiz Antonio Vargas Pinto www.vargasp.net A linguagem PASCAL... 4 Estrutura do Programa... 4 Declarando tipos [ Type ]... 5 Declarando variáveis [ Var ]...

Leia mais

Introdução. INF1005 Programação I 33K Prof. Gustavo Moreira gmoreira@inf.puc-rio.br

Introdução. INF1005 Programação I 33K Prof. Gustavo Moreira gmoreira@inf.puc-rio.br Introdução INF1005 Programação I 33K Prof. Gustavo Moreira gmoreira@inf.puc-rio.br introdução Tópicos conceitos básicos o que é um programa um programa na memória decifrando um código referência Capítulo

Leia mais

TECNÓLOGO EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I Aula 01: Conceitos Iniciais / Sistema Operacional

TECNÓLOGO EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I Aula 01: Conceitos Iniciais / Sistema Operacional TECNÓLOGO EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I Aula 01: Conceitos Iniciais / Sistema Operacional O conteúdo deste documento tem por objetivo apresentar uma visão geral

Leia mais

MC102 Algoritmos e programação de computadores Aula 3: Variáveis

MC102 Algoritmos e programação de computadores Aula 3: Variáveis MC102 Algoritmos e programação de computadores Aula 3: Variáveis Variáveis Variáveis são locais onde armazenamos valores na memória. Toda variável é caracterizada por um nome, que a identifica em um programa,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA ELÉTRICA COLEGIADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA/ENG.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA ELÉTRICA COLEGIADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA/ENG. UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA ELÉTRICA COLEGIADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA/ENG. COMPUTAÇÃO PLANO DE CURSO DISCIPLINA: MÉTODOS E TÉCNICAS DE PROGRAMAÇÃO CÓDIGO:

Leia mais

UNISINOS - UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS (C6/6) Curso: Informática

UNISINOS - UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS (C6/6) Curso: Informática Programação 1 Prof. Osório Aula 01 Pag.: 1 UNISINOS - UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS (C6/6) Curso: Informática PROGRAMAÇÃO I AULA 01 Disciplina: Linguagem

Leia mais

Introdução à Computação: Sistemas de Computação

Introdução à Computação: Sistemas de Computação Introdução à Computação: Sistemas de Computação Beatriz F. M. Souza (bfmartins@inf.ufes.br) http://inf.ufes.br/~bfmartins/ Computer Science Department Federal University of Espírito Santo (Ufes), Vitória,

Leia mais

II. LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO COM PASCAL

II. LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO COM PASCAL II. LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO COM PASCAL Leitura: Engenharia de Software - Roger S. Pressman Cap 16 - Linguagens de Programação e Codificação (exceto 16.2) Introdução à Programação com Pascal - Sérgio E. R.

Leia mais

Identificação das variáveis de entrada; resultados/variáveis de saída e método ou solução. (procedimentos e funções)

Identificação das variáveis de entrada; resultados/variáveis de saída e método ou solução. (procedimentos e funções) Aulas anteriores... Formulação adequada do problema Identificação das variáveis de entrada; resultados/variáveis de saída e método ou solução Definição do algoritmo Método de decomposição hierárquica utilizando

Leia mais

Prof. Dr. Charlie Antoni Miquelin BÁSICO DE COMPUTAÇÃO EM TC

Prof. Dr. Charlie Antoni Miquelin BÁSICO DE COMPUTAÇÃO EM TC BÁSICO DE COMPUTAÇÃO EM TC Definições O computador digital é uma máquina capaz de receber informações, processá-las e devolver resultados. Estes resultados podem ser mostrados em um monitor, armazenados,

Leia mais

Linguagem Pascal. Prof. Antonio Almeida de Barros Junior

Linguagem Pascal. Prof. Antonio Almeida de Barros Junior Linguagem Pascal Prof. Antonio Almeida de Barros Junior 1 Linguagem Pascal Criada para ser uma ferramenta educacional (Década de 70); Prof. Niklaus Wirth (Universidade de Zurique); Blaise Pascal (Matemático

Leia mais