Ficha de observação FUTEBOL Níveis dos programas INTRODUTÓRIO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ficha de observação FUTEBOL Níveis dos programas INTRODUTÓRIO"

Transcrição

1 Turma: Ficha de observação FUTEBOL Níveis dos programas NI INTRODUTÓRIO ELEMENTR VNÇDO I E Sit. Jogo (x) Sit. Jogo (x) Sit. jogo (x) ou (x) taque Com bola Defesa H x H Com bola taque Sem bola Defesa Tran-defataque Com bola taque Sem bola Defesa Indicadores do nível de jogo Recebe e enquadra-se ofensivamente Com algum espaço recebe, passa ou remata oportuna/ Defende entre atacante e baliza HxH Ocupação equilibrada do espaço. Bola dentro de campo (poucas interrupções). Intenção em dominar as acções para dar continuidade ao jogo Recebe e protege a bola do defesa, consegue levantar a cabeça e ler o jogo Combina o passe com a sua própria desmarcação Desmarca-se com fintas em direção da baliza ou em apoio clara o espaço de penetração do jogador com bola ou em desmarcação Logo que perde a posse de bola marca o seu atacante, dificultando a acção ofensiva Poucas perdas de bola, garantida a largura e profundidade do ataque. lguma organização defensiva assim que a equipa perde a posse de bola Explora situações de superioridade numérica contra-ataque rápido Penetra protegendo a bola, fintando para finalizar ou fixar a acção do adversário direto Devolve a bola se a recebeu de um companheiro que entretando abriu linha de passe (tabelinha) Desmarca-se com fintas na direção da baliza ou em apoio Marca o jogador sem bola aumentando a pressão à medida que a bola se aproxima do seu adversário Realiza dobras quando os companheiros são ultrapassados Elevado ritmo de jogo. Poucos toques por cada jogador (tempo de posse de bola individual é reduzido)

2 Turma: NI INTRODUTÓRIO Sit. Jogo x I ELEMENTR Sit. Jogo x E VNÇDO Sit. jogo x (Serviço por baixo ou em passe, Mín toques) Ficha de observação VOLEIBOL Níveis dos programas (Serviço por baixo ou por cima; Mín. toques) Recebe o serviço colocando a bola jogável para o seu companheiro Desloca-se e enquadra-se para enviar a bola para o alvo Utiliza com oportunidade o passe e manchete Serve, colocando a bola no campo adversário Utiliza com correcção e oportunidade o passe e a manchete mantendo a bola em condições jogáveis Finaliza em passe colocado ou remate em apoio Serve por baixo ou cima colocando a bola numa zona de difícil receção Recebe serviço colocando a bola no jogador Passador o remate da sua equipa, protege o ataque o ataque da equipa adversária em remate, realiza bloco e protecção Indicadores do nível de jogo Bola mantém-se no ar. Passes altos e dentro do raio da ação do colega Bola mantém-se no ar; utilizam sempre que possível os toques, passes altos, respeitam as zonas de responsabilidade Bola mantêm-se no ar e invariavelmente o ºtoque é dado pelo passador. Intencionalidade d/ ações ofensivas/defensivas

3 Turma: Ficha de observação BSQUETEBOL Níveis dos programas NI INTRODUTÓRIO ELEMENTR VNÇDO I E Sit. Jogo X Sit. Jogo X Sit. Jogo X taque Defesa taque Defesa taque Defesa C/ bola S/ bola H x H C/ bola S/ bola HxH C/ bola S/ bola HxH Indicadores do nível de jogo Recebe a Dribla para bola com as progredir duas mãos Lança na passada ou parado a curta distância Passa oportun amente Desmarcase oportuname nte Defende entre atacante e cesto HxH Passes tensos: ocupação equilibrada do espaço; protegem a bola Desmarcase e corta para o cesto Progride em drible com as mãos Lança na passada ou parado a curta distância Passa a um colega desmarcad o Oferece linhas de ª passe clara para o cesto Marca o seu atacante Deslocamentos intencionais e com mudanças de direcção: atacam o cesto; assumem da imediato atitudes ofensivas e defensivas; ataque organizado Progride de forma adequada (Passe ou drible) Progride em drible (progressão, inversão, proteção) Lança no momento Passa e adequado e corta de forma adequada Desmarc a-se em corte Ressalto ofensivo Desmarcase garantindo equilibrio ofensivo Marca o seu atacante sem perder a referência da bola Organizam o ataque sem pressa, várias situações de x em finta e drible para o cesto, recupera rapidamente o enquadramento defensivo

4 Desmarca-se Turma: Ficha de observação NDEBOL Níveis dos programas INTRODUTÓRIO ELEMENTR Sit. VNÇDO Sit. NI I E Sit. Jogo x Jogo x Jogo x taque Defesa taque taque Com bola S/ Bola Individual Com bola Sem bola Defesa Individual Com bola Sem bola Defesa Individual Defesa Zona Como Guarda Redes Passe, Finaliza seguido de em remate desmarcaç em apoio ão ou salto Faz Impede a ação do marcação adversário, coloca-se individual entre a bola e a baliza ao portador da bola Orienta-se para a baliza adversária, opta pelo passe ou drible em progressão para finalizar Finaliza na sequência do movimento sem paragens com remate Desmarca-se no sentido de receber em condições para remate Triângulo perceptiv o Mais dificultar a progressã o em drible Faz marcação individual nominal Fintas e mudanças de direcção para passar ou remata em suspensão Perante uma defesa zona ataca o espaço entre adversários Desmarca-se garantindo a compensação ofensiva Marcação individual na proximidade e à distância Triângulo perceptivo Coloca-se perto da linha de área de baliza e consegue flutuar e atacar o portador de bola Enquadra-se com a bola sem perder a posição relativa à baliza Indicadores do nível de jogo Ocupação equilibrada do espaço, passes tensos, poucas perdas de bola Deslocamentos intensionais e com mudanças de direção, assume de imediato atitudes ofensivas e defensivas, ataque organizado No último terço ofensivo observam-se múltiplas acções de penetração sem bola criando espaços

5 NI INTRODUTÓRIO I ELEMENTR E VNÇDO Turma : Indicadores do nível de jogo Serviço colocando o volante na zona válida Clear: volante descreve uma trajectória alta e comprida Lob: volante batido por baixo, com trajectória alta e comprida titude defensiva: o jogador deixa a iniciativa ao adversário. Procura reenviar sempre mais uma vez que o adversário. Volante é mantido no ar durante mais de seis batimentos Serviço longo e curto que provoca desloca/o Ficha de observação BDMINTON Níveis dos programas Clear: volante descreve uma trajectória alta e comprida morti: controla a força do batimento e coloca o volante junto à rede Lob: volante batido por baixo, com trajectória alta e comprida Drive: cabeça da raquete paralela à rede e trajectória tensa Procura desequilibrar o adversário utilizando trajectórias com diferentes velocidades. O confronto consiste em colocar o adversário em dificuldade a partir de uma análise do seu jogo (pontos fracos e fortes). Desequilibra e constrói o ponto em função das oportunidades surgidas no decorrer do jogo. Recupera a posição base após batimento Serviço longo e curto que provoca desloca/o Clear: volante descreve uma trajectória alta e comprida morti: controla a força do batimento e coloca o volante junto à rede Lob: volante batido por baixo, com trajectória alta e comprida Drive: cabeça da raquete paralela à rede e trajectória tensa Remata armando o braço atrás imprimindo ao volante uma trajectória descendente e rápida No jogo de singulares: Desloca-se com rapidez e recupera a posição base após o batimento. Explora os espaços vazios. No jogo a pares, se serve curto, coloca-se à frente dando o fundo do campo ao parceiro. Para defender e após serviço comprido, coloca-se lado a lado com o parceiro. Em função da movimentação do parceiro, desloca-se, protegendo os espaços vazios.

6 Turma: Ficha de observação - DNÇ SOCIL cção a realizar: realiza a dança social do Merengue (º ano); Rumba Quadrada (ºano); Chá-Chá-Chá e Valsa Inglesa (ºano); Merengue/Rumba Quadrada (º ano); Chá-Chá-Chá (ºano); Valsa inglesa, Salsa e Kizomba (º ano) NI Em line dance, INTRODUTÓRIO realiza os passos básicos em I ELEMENTR E VNÇDO sequência acordada, com organização espacial definida.inicia no º tempo do compasso e faz coincidir cada passo a tempo. par realiza os passos básicos das danças com correcção e ritmo na sequência acordada. Coordena os diversos movimentos com fluidez, adequando-os à marcação musical, mantendo as posições adequadas no par. Cria uma sequência com o par aplicando os passos da dança coordenando os diversos movimentos com fluidez e elegância, adequando-os à marcação musical, mantendo as posições adequadas no par. Indicadores de execução correta Sem paragens acentuadas na ligação das frases de movimento. Coordenado com o par. Sem paragens acentuadas na ligação dos passos. Coordenado com o par. Sem paragens acentuadas na ligação dos passos. Expressão adequada à dança

7 Turma: Ficha de observação RÂGUEBI Níveis dos programas NI INTRODUTÓRIO I ELEMENTR E VNÇDO taque com bola taque sem bola Defesa taque com bola taque sem bola Defesa taque com bola taque sem bola Defesa vança no terreno, utilizando técnicas de evasão e/ou passando oportunamente a um colega poia e aproxima-se do portador da bola quando este é tocado. Segue os pontapés quando em jogo. Pressiona o adversário com bola, tentando tocá-lo e interceptar os passes. Procura colocar- se constantement e em jogo vança no terreno utilizando técnicas de evasão ou repulsão e/ou passando oportunamente a um colega Procura colocar- se constantemente em posição de poder jogar a bola; dirige- se rapidamente para o portador da bola, quando este é tocado, procurando assegurar a posse da bola e participa activamente de forma adequada e correcta no apoio à conquista. ssume de imediato uma atitude de pressão; procura garantir o equilíbrio da colocação defensiva; observa o movimento da bola e do seu opositor e procura impedir a progressão do portador da bola vança no terreno utilizando técnicas de evasão, -mudanças de direcção, troca de pés e fintas - e repulsão (hand-off ) assegurando o avanço da sua equipa. Comunica com os companheiros para organizar ou reorganizar as acções poia o portador pelo lado melhor ou abre nova linha de passe; procura colocar-se permanentemente em posição de poder jogar a bola (em pé e colocado legalmente em jogo), e integrar-se na organização colectiva; chega rapidamente às situações de jogo agrupado espontâneo; participa activa, adequada e eficazmente nas situações de conquista, no apoio à disputa, controlo, transmissão ou utilização directa da bola; Observa as situações e o portador da bola; Segue prontamente os pontapés e participa activa e adequadamente na disputa da bola. Pressiona o adversário; Varia adequadamente o tipo de defesa (individual, zona ou corredor, mista); participa activa, adequada e eficazmente na disputa da bola, nas situações de conquista; recoloca-se rapidamente na sequência de pontapés, participando activamente na disputa da bola Indicadores Bitoque-Râguebi x a x Bitoque-Râguebi x a x Bitoque-Râguebi x a x Realiza com oportunidade as acções: a) passe directo (parado e em corrida), b) recepção, c) ensaio, d) mudança de direcção e f) fintas. Realiza com oportunidade as acções previstas no nível introdutório e as seguintes: a) lançamento (alinhamento), b) introdução (formação ordenada), c) posição de empurrar (formação ordenada maul e ruck ) e d) posição de aguentar (forma ordenada). Realiza com oportunidade as acções previstas nos níveis anteriores e as seguintes: a) pontapé de ressalto e b) lançamentos no alinhamento (trajectórias para diferentes pontos de queda).

8 Turma : Ficha de observação TLETISMO - BRREIRS NI INTRODUTÓRIO I ELEMENTR E VNÇDO Transpõe bar., à altura mínima Ritmo de passadas entre as barreiras Fluidez e coordenação geral, a corrida, a transposição e a receção. celera para a ª bar. Transpõe bar., à altura adequada ao esc. etário Ritmo de passadas com uma trajetória rasante taca a bar. longe com ext. da perna de ataque fastamen to lateral da perna de impulsão Termina sem desaceleraç ão nítida Partida baixa com blocos de part. celera para a ª bar. Transpõe a bar., à altura adequad a ao esc. etário Ritmo de passadas com uma trajetória rasante taca a bar. longe com ext. da perna de ataque fastament o lateral da perna de impulsão envolvendo a bar. Termina à vel máxima Indicadores de execução correta Coordenação técnica, fluidez e ritmo Coordenação técnica, fluidez e ritmo Coordenação técnica, fluidez e ritmo

9 Turma: Ficha de observação TLETISMO SLTO EM COMPRIMENTO Níveis dos programas NI INTRODUTÓRIO I ELEMENTR E VNÇDO Cor. de balanço de a pas. com celeração impulsão progressiva numa zona de chamada Extensão da perna de impulsão Elevação enérgica da coxa da Queda a pés perna livre e juntos manutenção em elevação durante o voo Cor. de balanço de a pas., com impulsão na tábua de chamada. celeração progressiva Extensão da perna de impulsão Elevação enérgica da coxa da perna livre e manutenção em elevação durante o voo Puxa a perna de impulsão para junto da perna livre na fase descendente do voo Toca o solo o mais longe possível, com flexão do tronco à frente. Cor. de balanço ajustada Impulsão na tábua de chamada umenta a cadência nas últimas passadas Extensão da perna de impulsão Elevação Puxa as pernas e enérgica da os braços para a coxa da frente e para baixo, perna livre e na parte final de manutenção voo, inclinando o em elevação tronco à frente durante o para receção na voo caixa de saltos Indicadores de execução correta 0 Técnica da passada Técnica da passada Técnica da passada

10 Executa o lançamento sem balanço, partindo de uma fase inicial de costas para a Roda e avança a bacia do lado do peso com extensão total das pernas e do braço Empurra o engenho para a frente e para cima Mantém o cotovelo afastado em relação ao tronco Realiza um lançamento, pelo menos, de, metros Pega correctamente no peso Preparação de costas para a zona de lançamento Desliza de costas, rasante ao solo Roda e avança a bacia do lado do peso com extensão da perna Empurra o engenho para a frente e para cima Realiza um lançamento, pelo menos, de metros Mantém o cotovelo afastado em relação ao tronco Pega corretamente no peso Mantém o cotovelo alto, num ângulo de º em relação ao corpo preparação de costas para a zona de lançamento, apoiado na perna da frente, com o Desliza com o ritmo de apoios curto e longo rasante ao solo Roda e avança a bacia do lado do peso com extensão da perna Empurra o peso com extensão total dos segmentos e flexão da mão Recuperação com a rápida troca dos apoios, ficando em equilíbrio Realiza um lançamento, pelo menos de, metros Turma: Ficha de observação TLETISMO LNÇMENTO DO PESO Níveis dos programas NI INTRODUTÓRIO I ELEMENTR E VNÇDO

11 Turma : Ficha de observação SOLO - Níveis dos programas NI INTRODUTÓRIO I ELEMENTR E VNÇDO vião Rol fr eng Flex Rol ret ng I c/ajuda vião Rol fr enc Flex I, rol fr Rol Ret Enc Roda vião Salto de Mãos Rol fr saltado Flex I, Rol fr Rol Ret I Roda Rodada Salto de Carpa pr af Indicadores de execução correta Na avaliação inicial o aluno executa as habilidades técnicas: rolamento à frente engrupado, rolamento à retaguarda engrupado, pino com ajuda, roda. O nível de desempenho final é dado pela execução do exercício obrigatório (ver exercícios no PDEF)

12 Turma: NI INTRODUTÓRIO I ELEMENTR E VNÇDO NI INTRODUTÓRIO I ELEMENTR E VNÇDO Eixo no Boque/Plinto Transversal Ficha de observação - Plinto / Boque Eixo no Plinto Transversal Queda Facial no Plinto Transversal Entre mãos no plinto longitudinal ½ pirueta Salto engrupa do Ficha de observação - MiniTrampolim Carpa de pernas afastadas Pirueta Carpa de pernas unidas ¾ de mortal à frente com recepção dorsal num plano elevado Mortal à frente engrupado Indicadores de execução correta Transpõe o Boque / Plinto Receção equilibrada. º e º voo Recepção equilibrada. º e º voo Receção equilibrada. º e º voo Receção equilibrada. Receção equilibrada Receção equilibrada Extensão completa dos membros inferiores em relação ao tronco na abertura Receção equilibrada. bertura cedo

13 vião Turma : Indicadores de execução correta NI INTRODUTÓRIO I ELEMENTR E VNÇDO Marcha na ponta dos pés à frente e à frente ½ volta Salto em extensão Quatro gachame nto Ficha de observação TRVE - Níveis dos programas Saída - Salto em extensão Entrada a um pé após chamada com o outro no reuther Deslocamento à fr e ret na ponta dos pés gacham ento Salto em extensão com troca de pés Saída com salto em extensão com ½ pirueta Entrada de eixo transversal com impulsão no reuther Rolamento à frente para pernas afastadas Pivot com balanço de uma perna Sem desequilíbrios nem movimentos parasitas Sem desequilíbrios nem movimentos parasitas Sem desequilíbrios nem movimentos parasitas vião Saída em Salto de rodada com gato, salto apoio das mãos de extensão na extremidade

14 Turma : vançado Ficha de observação CROBÁTIC - Níveis dos programas Pares - Dois Categoria C Trios - Um Categoria C Quadra - Categoria C Elementar Pares - Um Categoria C Trios - Um Categoria B Quadra - Categoria B Introdutório Indicadores de execução correta Constituição do Grupo Pares - Categoria Trios - Categoria Quadra - Categoria Coordenação Técnica, Correção, Fluidez. O nível avançado é executado com acompanhamento musical e realizado em exercício com elementos de ligação. Par Par Par Trio Trio Quadra Obs Nível

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 10º ANO. Grupo Disciplinar de Educação Física

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 10º ANO. Grupo Disciplinar de Educação Física CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 10º ANO Grupo Disciplinar de Educação Física JOGOS DESPORTIVOS COLECTIVOS Futebol Voleibol Basquetebol Andebol Em situação de jogo 4x4 ou 5x5 - Enquadra-se ofensivamente e realiza

Leia mais

PERFIL DE APRENDIZAGENS ESPECÍFICAS Educação Física 5.º ano

PERFIL DE APRENDIZAGENS ESPECÍFICAS Educação Física 5.º ano Jogos Pré-Desportivos Educação Física 5.º ano Conhecer o objetivo do jogo, o funcionamento e as regras do jogo. Jogos sem bola: Em situação de ataque cria oportunidades com superioridade numérica para

Leia mais

Coopera com os companheiros Aceita opções e falhas dos seus colegas Respeita companheiros e adversários Conhece Jogo: objectivo e regras

Coopera com os companheiros Aceita opções e falhas dos seus colegas Respeita companheiros e adversários Conhece Jogo: objectivo e regras Jogo 7x7 Jogo 5x5 FUTEBOL Coopera com os companheiros Aceita opções e falhas dos seus colegas Respeita companheiros e adversários Conhece Jogo: objectivo e regras Recepção e controlo Enquadar ofensivamente

Leia mais

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Agrupamento de Escolas Elias Garcia Departamento de Expressões Secção de Educação Física CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 7º ANO ATIVIDADES FÍSICAS CRITÉRIO 4 VOLEIBOL (PARTE DO NÍVEL ELEMENTAR 7º ANO) - Elementar

Leia mais

EB 2,3 MARTIM DE FREITAS EDUCAÇÃO FÍSICA 2011/2012 2º CICLO NÍVEIS INTRODUTÓRIO, ELEMENTAR E AVANÇADO. JOGOS PRÉ DESPORTIVOS (excepto Raquetes) 5º Ano

EB 2,3 MARTIM DE FREITAS EDUCAÇÃO FÍSICA 2011/2012 2º CICLO NÍVEIS INTRODUTÓRIO, ELEMENTAR E AVANÇADO. JOGOS PRÉ DESPORTIVOS (excepto Raquetes) 5º Ano EB 2,3 MARTIM DE FREITAS EDUCAÇÃO FÍSICA 2011/2012 2º CICLO NÍVEIS INTRODUTÓRIO, ELEMENTAR E AVANÇADO JOGOS PRÉ DESPORTIVOS (excepto Raquetes) 5º Ano 1. Se tem a bola, passar a um companheiro liberto 2.

Leia mais

Escola Básica da Madalena Grelha de Conteúdos Educação Física - CEF 2º ano Ano letivo

Escola Básica da Madalena Grelha de Conteúdos Educação Física - CEF 2º ano Ano letivo Escola Básica da Madalena Grelha de Conteúdos Educação Física - 2º ano Ano letivo 2012 2013 1º PERIODO Testes de Condição Física Avaliação da velocidade, flexibilidade, força muscular, agilidade e medidas

Leia mais

Agrupamento de Escolas da Sé - Guarda Escola Básica Carolina Beatriz Ângelo Grupo Disciplinar de Educação Física

Agrupamento de Escolas da Sé - Guarda Escola Básica Carolina Beatriz Ângelo Grupo Disciplinar de Educação Física Agrupamento de Escolas da Sé - Guarda Escola Básica Carolina Beatriz Ângelo Grupo Disciplinar de Educação Física 9º ANO - 1º PERÍODO UNIDADE DIDÁTICA TESTES DE C.F. ATLETISMO GINÁSTICA SOLO Conteúdos -

Leia mais

DgestE Direção-GeraL dos Estabelecimentos Escolares DSRAI Direção de Serviços da Região Algarve Agrupamento de Escolas Júlio Dantas

DgestE Direção-GeraL dos Estabelecimentos Escolares DSRAI Direção de Serviços da Região Algarve Agrupamento de Escolas Júlio Dantas ENSINO BÁSICO PLANIFICAÇÃO ANUAL - 205-206 DISCIPLINA: EDUCAÇÃO FÍSICA 3º CICLO 7º e 8º anos ACTIVIDADES FÍSICAS DISTRIBUIÇÃO POR PERÍODOS º Período 2º Período 3º Período 3º Ciclo (7º e 8º anos) A - JDC:,

Leia mais

Protocolo de Avaliação Inicial. Educação Física

Protocolo de Avaliação Inicial. Educação Física Protocolo de Avaliação Inicial Educação Física ÁREA DAS ACTIVIDADE FÍSICAS 1- JOGOS DESPORTIVOS COLECTIVOS 1.1. FUTEBOL. Jogo reduzido 5x5 (4+GR; 2 balizas) ou 4x4 (3+GR; 2 balizas). Critérios de êxito:

Leia mais

Ano Actividade Objectivos Conteúdos Local 7ºANO Condição Física Desenvolvimentos da condição

Ano Actividade Objectivos Conteúdos Local 7ºANO Condição Física Desenvolvimentos da condição Planificações Ano Actividade Objectivos Conteúdos Local 7ºANO Condição Física Desenvolvimentos da condição física de base - Resistência aeróbia e anaeróbia - Força explosiva - Força resistente - Flexibilidade

Leia mais

COLÉGIO DE SANTA DOROTEIA LISBOA ANO LECTIVO 2015/2016 DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA DISCIPLINA:EDUCAÇÃO FÍSICA 8º ANO COMPETÊNCIAS/CONTEÚDOS

COLÉGIO DE SANTA DOROTEIA LISBOA ANO LECTIVO 2015/2016 DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA DISCIPLINA:EDUCAÇÃO FÍSICA 8º ANO COMPETÊNCIAS/CONTEÚDOS DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA DISCIPLINA:EDUCAÇÃO FÍSICA 8º ANO COMPETÊNCIAS/CONTEÚDOS 2º PERÍODO Competências a desenvolver Conteúdos Aulas previstas Cooperar com os companheiros para o alcance do objectivo

Leia mais

Plano Anual da Turma 12º A1 e A2

Plano Anual da Turma 12º A1 e A2 grupamento de Escolas de Manteigas Plano nual da Turma 12º 1 e 2 Período Data Unidades Didáticas Nº total de aulas 1º Período 21 Setembro 17 Dezembro. adminton. Futebol. Ginástica: Solo, crobática e parelhos.

Leia mais

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA PLANIFICAÇÃO ANUAL - 9ºANO

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA PLANIFICAÇÃO ANUAL - 9ºANO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA ANO LECTIVO 2015-2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL - 9ºANO I - DISTRIBUIÇÃO DE ESPAÇOS E RESPECTIVA CARGA HORÁRIA PARA DESENVOLVIMENTO DOS 10 BLOCOS DE ACTIVIDADES 9.º ANO Sequência

Leia mais

MATRIZ A Prova Global do Agrupamento

MATRIZ A Prova Global do Agrupamento Compor e realizar Ginástica. Destrezas elementares de solo e aparelhos (Plinto e mini trampolim), em esquemas individuais, aplicando os critérios de correcção técnica e apreciando os esquemas de acordo

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL. ENSINO SECUNDÁRIO DISCIPLINA: Educação Física ANO: 10º ANO LETIVO 2011/2012

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL. ENSINO SECUNDÁRIO DISCIPLINA: Educação Física ANO: 10º ANO LETIVO 2011/2012 ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL ENSINO SECUNDÁRIO DISCIPLINA: Educação Física ANO: 10º ANO LETIVO 2011/2012 COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ATIVIDADES ESTRATÉGIAS

Leia mais

Ano Letivo 2011/2012

Ano Letivo 2011/2012 Ano Letivo 2011/2012 Informação/ Exame de Equivalência à Frequência Disciplina de Educação Física 3ºciclo 1. Objeto de Avaliação A prova tem por referência o Programa de Educação Física. A prova desta

Leia mais

GINÁSTICA DE APARELHOS

GINÁSTICA DE APARELHOS GINÁSTICA DE APARELHOS Plinto O plinto é um aparelho utilizado para a realização de saltos tanto na posição transversal como longitudinal. Segurança: Deve-se verificar se a distância do trampolim ao aparelho

Leia mais

I - DISTRIBUIÇÃO DE ESPAÇOS E RESPECTIVA CARGA HORÁRIA PARA DESENVOLVIMENTO DOS 10 BLOCOS DE ACTIVIDADES 7.º ANO

I - DISTRIBUIÇÃO DE ESPAÇOS E RESPECTIVA CARGA HORÁRIA PARA DESENVOLVIMENTO DOS 10 BLOCOS DE ACTIVIDADES 7.º ANO I - DISTRIBUIÇÃO DE ESPAÇOS E RESPECTIVA CARGA HORÁRIA PARA DESENVOLVIMENTO DOS 10 BLOCOS DE ACTIVIDADES 7.º ANO DOCENTE 7.º ANO 1 Sequência de Espaços por Docentes/Turmas e Estimativa de Carga Horária

Leia mais

Matriz - Prova Global do Agrupamento Departamento de Educação Física Educação Física - 2º Ciclo

Matriz - Prova Global do Agrupamento Departamento de Educação Física Educação Física - 2º Ciclo Cambalhota à frente com pernas unidas Cambalhota à retaguarda com pernas unidas. Apresentação de uma sequência com Ligação entre os elementos.... Nível 1 Apresenta-se e tenta, mas não executa o exercício.

Leia mais

Planificação Detalhada Anual : 8º Ano Educação Física

Planificação Detalhada Anual : 8º Ano Educação Física Planificação Detalhada Anual : 8º Ano Educação Física DOMÍNIO/TEMA Aptidão SUB TEMA (Conteúdos) Resistência Força Velocidade Flexibilidade Coordenação Equilíbrio OBJETIVOS GERAIS Elevar o nível funcional

Leia mais

1 OBJETO DE AVALIAÇÃO

1 OBJETO DE AVALIAÇÃO Informação- Prova de Equivalência à Frequência Educação Física Prova escrita e prática Prova 26 2016 3º Ciclo do Ensino Básico O presente documento divulga informação relativa à prova de equivalência à

Leia mais

Prova Escrita e Prática de Educação Física

Prova Escrita e Prática de Educação Física INFORMAÇÃO ------------------------------------------------------------------------------------------------------- PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DO ENSINO SECUNDÁRIO Prova Escrita e Prática de Educação

Leia mais

Escola Secundária Dr. João Araújo Correia

Escola Secundária Dr. João Araújo Correia Escola Secundária Dr. João Araújo Correia CONTEÚDOS E CARGAS PARA O ESINO SECUNDÁRIO NO ANO LECTIVO 2015-2016 Considerando: - O Programa de Educação Física; - O documento de apoio elaborado por Docentes

Leia mais

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS DA DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA DO 2º CEB 5º ANO DE ESCOLARIDADE

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS DA DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA DO 2º CEB 5º ANO DE ESCOLARIDADE CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS DA DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA DO 2º CEB 5º ANO DE ESCOLARIDADE Os conteúdos lecionados no 1º, 2º e 3º períodos são os mesmos mas com etapas diferentes a saber: 1º Período - recuperação

Leia mais

ESCRITA E PRÁTICA 1. INTRODUÇÃO

ESCRITA E PRÁTICA 1. INTRODUÇÃO INFORMAÇÃO-Prova de Equivalência à Frequência 3º Ciclo do Ensino Básico Despacho Normativo nº 1-G/2016, de 6 de abril Disciplina: EDUCAÇÃO FÍSICA Código: 26 Tipo de Prova: ESCRITA E PRÁTICA 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS DA DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA DO 2º CEB 6º ANO DE ESCOLARIDADE

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS DA DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA DO 2º CEB 6º ANO DE ESCOLARIDADE CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS DA DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA DO 2º CEB 6º ANO DE ESCOLARIDADE Os conteúdos lecionados no 1º, 2º e 3º períodos são os mesmos mas com etapas diferentes a saber: 1º Período - recuperação

Leia mais

P L A N I F I C A Ç Ã O A N U A L - 2º C I C L O

P L A N I F I C A Ç Ã O A N U A L - 2º C I C L O DISCIPLINA: EDUCAÇÃO FISICA ANO: 5º, 6º TURMAS: A, B, C ANO LECTIVO: 2011/2012 P L A N I F I C A Ç Ã O A N U A L - 2º C I C L O DE AÇÃO No 5º e 6º ano o aluno deverá adquirir competências de nível "introdução"

Leia mais

26 EDUCAÇÃO FÍSICA alunos abrangidos pela Portaria n.º 23/2015, de 27 de fevereiro escrita e prática 3.ºciclo do ENSINO BÁSICO 20

26 EDUCAÇÃO FÍSICA alunos abrangidos pela Portaria n.º 23/2015, de 27 de fevereiro escrita e prática 3.ºciclo do ENSINO BÁSICO 20 informação-prova de equivalência à frequência data:. 0 5. 2 0 26 EDUCAÇÃO FÍSICA alunos abrangidos pela Portaria n.º 23/2015, de 27 de fevereiro escrita e prática 3.ºciclo do ENSINO BÁSICO 20 1.O B J E

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE ODIVELAS MATRIZ DO EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA EDUCAÇÃO FÍSICA 3º Ciclo Ano lectivo 2009/2010

ESCOLA SECUNDÁRIA DE ODIVELAS MATRIZ DO EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA EDUCAÇÃO FÍSICA 3º Ciclo Ano lectivo 2009/2010 Ginástica de Solo Prova Prática ESCOLA SECUNDÁRIA DE ODIVELAS MATRIZ DO EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA EDUCAÇÃO FÍSICA 3º Ciclo Ano lectivo 2009/2010 Tempo de realização: 45m A prova é composta por

Leia mais

INFORMAÇÃO-Prova de Equivalência à Frequência 2º Ciclo do Ensino Básico. Despacho Normativo nº 6A/2015 de 5 de março

INFORMAÇÃO-Prova de Equivalência à Frequência 2º Ciclo do Ensino Básico. Despacho Normativo nº 6A/2015 de 5 de março INFORMAÇÃO-Prova de Equivalência à Frequência 2º Ciclo do Ensino Básico Despacho Normativo nº 6A/2015 de 5 de março Disciplina: EDUCAÇÃO FÍSICA Código: 28 Tipo de Prova: ESCRITA E PRÁTICA 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BENAVENTE

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BENAVENTE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BENAVENTE Informação - Prova de Equivalência à Frequência 2º Ciclo do Ensino Básico 2015 Alunos com Necessidades Educativas Especiais Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 julho Aprovado

Leia mais

Educação Física Agrupamento de Escolas Martim de Freitas. Francisco Pinto

Educação Física Agrupamento de Escolas Martim de Freitas. Francisco Pinto Educação Física Agrupamento de Escolas Martim de Freitas Francisco Pinto Caraterização Caraterização O é uma modalidade individual, integrada por um conjunto de ações naturais, como são os casos dos saltos,

Leia mais

PLANIFICAÇÃO EDUCAÇÃO FÍSICA. Secundário Andebol

PLANIFICAÇÃO EDUCAÇÃO FÍSICA. Secundário Andebol Secundário Andebol Conhecer o objectivo e campo do jogo; Conhecer as seguintes regras do jogo: duração do jogo, constituição das equipas, golo, lançamento de saída, guarda-redes, área de baliza, violação

Leia mais

Informação Prova de Equivalência à Frequência EDUCAÇÃO FÍSICA

Informação Prova de Equivalência à Frequência EDUCAÇÃO FÍSICA Informação Prova de Equivalência à Frequência EDUCAÇÃO FÍSICA Prova 311 2015 Prova Escrita e Prática Curso científico humanístico Ensino Secundário /12º Ano Decreto Lei n.º 139/2012 de 5 de julho O presente

Leia mais

PLANO ANUAL EDUCAÇÃO FÍSICA 3º CICLO

PLANO ANUAL EDUCAÇÃO FÍSICA 3º CICLO PLANO ANUAL EDUCAÇÃO 3º CICLO Ano Letivo 2012/2013 Rua Marquês de Olhão Bairro da Madre de Deus Telefone 21 8610100 Fax 218683995 1900-330 Lisboa E-Mail: eb23.lantonioverney@escolas.min-edu.pt 1 Competências

Leia mais

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA 1 PLANIFICAÇÃO ANUAL - 7ºANO

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA 1 PLANIFICAÇÃO ANUAL - 7ºANO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA ANO LECTIVO 2015-2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL - 7ºANO DOCENTES 7.º ANO 1 Sequência de Espaços por Docentes/Turmas e Estimativa de por Bloco de Actividades 1.º Período 15 SETEMBRO

Leia mais

1 OBJETO DE AVALIAÇÃO

1 OBJETO DE AVALIAÇÃO Informação- Prova de Equivalência à Frequência Educação Física Prova 28 2016 2º Ciclo do Ensino Básico O presente documento divulga informação relativa à prova de equivalência à frequência do 2º Ciclo

Leia mais

Conhecer e aplicar cuidados higiénicos, bem como as regras de segurança pessoal e dos companheiros, e de preservação dos recursos materiais.

Conhecer e aplicar cuidados higiénicos, bem como as regras de segurança pessoal e dos companheiros, e de preservação dos recursos materiais. Competências essenciais de Educação Física 2º ciclo Elevar o nível funcional das capacidades condicionais e coordenativas gerais básicas, particularmente da resistência geral de longa duração; da força

Leia mais

2012 / Programa Nestum Rugby nas Escolas. Introdução ao Tag-Rugby e ao Bitoque

2012 / Programa Nestum Rugby nas Escolas. Introdução ao Tag-Rugby e ao Bitoque 2012 / 2013 Programa Nestum Rugby nas Escolas Introdução ao Tag-Rugby e ao Bitoque Introdução O que é o TAG RUGBY? O Tag Rugby é usado como uma alternativa de ensino do rugby de XV nas escolas, ou como

Leia mais

Planificação Anual Departamento Expressões e Tecnologias

Planificação Anual Departamento Expressões e Tecnologias Modelo Dep-01 Agrupamento de Escolas do Castêlo da Maia Planificação Anual Departamento Expressões e Tecnologias Ano: 6º ano Ano letivo: 201.2014 Disciplina: Educação Física Turmas: A, B, C, D, E, F, G,

Leia mais

TER AS IDEIAS CLARAS!!!

TER AS IDEIAS CLARAS!!! TER AS IDEIAS CLARAS!!! O jogo de Andebol poderá resumir-se a uma atividade acíclica cujos principais movimentos são abertos e realizados com intervalos de pausas de recuperação incompleta (3 a7 ), a uma

Leia mais

Educação Física 2016

Educação Física 2016 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AUÉLIA DE SOUSA INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Educação Física 2016 Prova 311 ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

As informações apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação referida e das metas da disciplina.

As informações apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação referida e das metas da disciplina. Informação-Prova de Equivalência à Frequência Educação Física maio de 2016 Prova 28 2016 -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BENAVENTE

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BENAVENTE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BENAVENTE Informação Prova de Equivalência à Frequência Prática 3º Ciclo do Ensino Básico 2014/2015 Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 julho Aprovado em Conselho Pedagógico de 06

Leia mais

PLANIFICAÇÃO MODULAR BIANUAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2011/ /2013 CURSO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO - EMPREGADO DE BAR (2º ANO)

PLANIFICAÇÃO MODULAR BIANUAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2011/ /2013 CURSO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO - EMPREGADO DE BAR (2º ANO) PLANIFICAÇÃO MODULAR BIANUAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2011/2012-2012/2013 CURSO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO - EMPREGADO DE BAR (2º ANO) MÓDULO A1 JOGOS DESPORTIVOS COLETIVOS Conteúdos Objetivos Estratégias/Atividades

Leia mais

CONTEÚDOS CONTEÚDOS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2015-2016

CONTEÚDOS CONTEÚDOS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2015-2016 PROGRAMÁTICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA Capacidades Condicionais e Coordenativas Gerais Resistência Geral; Força Resistente; Força Rápida; Força Rápida; Velocidade de Reação Simples e Complexa; Velocidade de

Leia mais

Prova de EDUCAÇÃO FÍSICA

Prova de EDUCAÇÃO FÍSICA INFORMAÇÃO ------------------------------------------------------------------------------------------------------- PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DO ENSINO BÁSICO Prova de EDUCAÇÃO FÍSICA Prova 26

Leia mais

Planificação Anual Departamento Expressões e Tecnologias

Planificação Anual Departamento Expressões e Tecnologias Modelo Dep-01 Agrupamento de Escolas do Castêlo da Maia Planificação Anual Departamento Expressões e Tecnologias Ano: 5º ano Ano letivo: 201.201 Disciplina: Educação Física Turmas: A, B, C, D, E, F, G,

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SEBASTIÃO DA GAMA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SEBASTIÃO DA GAMA INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA EDUCAÇÃO FÍSICA - Prova teórica e prática 2016 Prova 28. 2º Ciclo do Ensino Básico 1. OBJETO DE AVALIAÇÃO A prova de Educação Física tem por referência o programa

Leia mais

JOGOS DESPORTIVOS COLETIVOS

JOGOS DESPORTIVOS COLETIVOS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARTIM DE FREITAS ESCOLA BÁSICA 2/3 MARTIM DE FREITAS Ano letivo 2015/2016 EDUCAÇÃO FÍSICA 3º CICLO NÍVEIS INTRODUTÓRIO (I), ELEMENTAR (E) e AVANÇADO (A) JOGOS DESPORTIVOS COLETIVOS

Leia mais

INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ANO LETIVO: 2013/2014

INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ANO LETIVO: 2013/2014 INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ANO LETIVO: 2013/2014 ENSINO BÁSICO 6º ANO DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA CÓDIGO 28 MODALIDADE PROVA ESCRITA E PROVA PRÁTICA INTRODUÇÃO: O presente documento

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA 11º ANO PLANIFICAÇÃO

EDUCAÇÃO FÍSICA 11º ANO PLANIFICAÇÃO ESCOLA SECUNDÁRIA JOÃO GONÇALVES ZARCO-402011 Objetivos gerais: Realizar atividades de forma autónoma, responsável e criativa Cooperar com outros em tarefas e projetos comuns Relacionar harmoniosamente

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GONÇALO SAMPAIO ESCOLA E.B. 2, 3 PROFESSOR GONÇALO SAMPAIO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GONÇALO SAMPAIO ESCOLA E.B. 2, 3 PROFESSOR GONÇALO SAMPAIO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GONÇALO SAMPAIO ESCOLA E.B. 2, 3 PROFESSOR GONÇALO SAMPAIO DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES (EDUCAÇÃO FÍSICA) 6º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL 2016/2017 6.º Ano 1. CONTEÚDOS DE APRENDIZAGEM Atletismo

Leia mais

Plano de Estudos da Disciplina de Educação Física

Plano de Estudos da Disciplina de Educação Física Plano de Estudos da Disciplina de Educação Física 2º Ciclo - 2015/2016 Conteúdos Gerais a Privilegiar Conteúdos Transversais a Privilegiar Conteúdos Específicas a Privilegiar Usar adequadamente linguagens

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SEBASTIÃO DA GAMA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SEBASTIÃO DA GAMA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SEBASTIÃO DA GAMA INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA EDUCAÇÃO FÍSICA - Prova teórica e prática 2016 Prova 311. Ensino Secundário O presente documento divulga informação

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARTIM DE FREITAS Grupo Disciplinar de Educação Física. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - 2º Ciclo

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARTIM DE FREITAS Grupo Disciplinar de Educação Física. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - 2º Ciclo AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARTIM DE FREITAS Grupo Disciplinar de Educação Física CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - 2º Ciclo Avaliação dos alunos (Critérios uniformizados a nível do Conselho Pedagógico e do Grupo

Leia mais

Intervenção nos Jogos Desportivos Coletivos de Invasão. Pontos comuns entre o Basquetebol, Andebol e Futebol

Intervenção nos Jogos Desportivos Coletivos de Invasão. Pontos comuns entre o Basquetebol, Andebol e Futebol Faculdade de Motricidade Humana Escola Secundária Fernando Namora Intervenção nos Jogos Desportivos Coletivos de Invasão Pontos comuns entre o Basquetebol, Andebol e Futebol Orientadores: Professores Estagiários:

Leia mais

Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga. Disciplina: EDUCAÇÃO FÍSICA 2016

Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga. Disciplina: EDUCAÇÃO FÍSICA 2016 Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga INFORMAÇÃO- Prova de Equivalência à Frequência Disciplina: EDUCAÇÃO FÍSICA 2016 Prova 24 2º Ciclo/ 6º Ano de escolaridade Decreto-Lei n.º 139/2012,

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA 2º CICLO I E A

EDUCAÇÃO FÍSICA 2º CICLO I E A AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARTIM DE FREITAS ESCOLA BÁSICA 2/3 MARTIM DE FREITAS Ano letivo 2015/2016 EDUCAÇÃO FÍSICA 2º CICLO NÍVEIS INTRODUTÓRIO (I), ELEMENTAR (E) e AVANÇADO (A) 1. Se tem a bola, passar

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL 3º CICLO EDUCAÇÃO FÍSICA 8º ANO Documento(s) Orientador(es): Programas nacionais de Educação Física; legislação em vigor

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA 6.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA 6.º ANO DE EDUCAÇÃO FÍSICA 6.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO METAS INTERMÉDIAS ATIVIDADES DESPORTIVAS O aluno cumpre o nível introdutório de quatro matérias diferentes. Dois níveis introdutório na categoria

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE S. PEDRO DA COVA

ESCOLA SECUNDÁRIA DE S. PEDRO DA COVA ESCOLA SECUNDÁRIA DE S. PEDRO DA COVA INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE EDUCAÇÃO FÍSICA PROVA 26 / 2015 ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

CONTEÚDOS TÉCNICOS E TÁCTICOS DOS ESCALÕES DE FORMAÇÃO

CONTEÚDOS TÉCNICOS E TÁCTICOS DOS ESCALÕES DE FORMAÇÃO CONTEÚDOS TÉCNICOS E TÁCTICOS DOS ESCALÕES DE FORMAÇÃO Técnico/táctica individual ofensiva com e sem bola (procedimentos gerais) a) Os aspectos da técnica e táctica ofensiva prevalecem sobre os defensivos

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GONÇALO SAMPAIO ESCOLA E.B. 2, 3 PROFESSOR GONÇALO SAMPAIO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GONÇALO SAMPAIO ESCOLA E.B. 2, 3 PROFESSOR GONÇALO SAMPAIO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GONÇALO SAMPAIO ESCOLA E.B. 2, 3 PROFESSOR GONÇALO SAMPAIO DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES (EDUCAÇÃO FÍSICA) 9º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL 2014/2015 1º PERÍODO 1. CONTEÚDOS DE APRENDIZAGEM

Leia mais

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE EDUCAÇÃO FÍSICA (3.º ciclo) 1. Introdução

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE EDUCAÇÃO FÍSICA (3.º ciclo) 1. Introdução Departamento do Ensino Básico AGRUPAMENTO de ESCOLAS de MOURA Escola do Ensino Básico dos 2º e 3º Ciclos de Moura Ano letivo 2015/2016 INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE EDUCAÇÃO FÍSICA (3.º

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO DA LOUSÃ

ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO DA LOUSÃ 1 ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO DA LOUSÃ Objectivo Ser capaz de realizar uma corrida com barreiras - ritmada em velocidade máxima. Princípios a considerar Um barreirista é também um velocista Correr rápido

Leia mais

Planificação Anual Educação Física - 2º Ciclo 2012/2013

Planificação Anual Educação Física - 2º Ciclo 2012/2013 Planificação Anual Educação Física - 2º Ciclo 2012/2013 Participar ativamente em todas as situações e procurar o êxito pessoal e do grupo: - Relacionando-se com cordialidade e respeito pelos seus companheiros,

Leia mais

DISCIPLINA: ESTAFETAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

DISCIPLINA: ESTAFETAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ESTAFETAS 192 DOMÍNIO DAS TÉCNICAS III FASE - APERFEIÇOAMENTO TÉCNICO B FASES / NÍVEIS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS I- Ensino / Aprendizagem - Aquisição da noção de transmissão, através de jogos. - Aquisição

Leia mais

Escola Secundária De São Pedro Da Cova. Voleibol Ano lectivo 2010/2011 1

Escola Secundária De São Pedro Da Cova. Voleibol Ano lectivo 2010/2011 1 Escola Secundária De São Pedro Da Cova Voleibol 25-01-2011 Ano lectivo 2010/2011 1 índice Serviço Recepção Passe de costas Remates Manchete Situação de jogo Vídeo Objectivo do jogo Terreno de jogo Toques

Leia mais

Exercícios para Aperfeiçoamento da Defesa Individual Homem-a-Homem

Exercícios para Aperfeiçoamento da Defesa Individual Homem-a-Homem Exercícios para Aperfeiçoamento da Defesa Individual Homem-a-Homem Pressionar a bola torna o drible e o passe mais difíceis, e aumenta as chances de ocorrer um erro do ataque. O objectivo principal é impedir

Leia mais

As informações apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação referida e das metas da disciplina.

As informações apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação referida e das metas da disciplina. Informação-Prova de Equivalência à Frequência Educação Física maio de 2016 Prova 28 2016 -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS EÇA DE QUEIRÓS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS EÇA DE QUEIRÓS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS EÇA DE QUEIRÓS Informação - Prova de Equivalência à Frequência Educação Física Código 311 (Ensino Secundário) Prova Prática Ano letivo 2012/2013 1. INTRODUÇÃO O presente documento

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL 6ºANO DE ESCOLARIDADE

PLANIFICAÇÃO ANUAL 6ºANO DE ESCOLARIDADE Departamento Educação Física e Desporto Escolar PLANIFICAÇÃO ANUAL 6ºANO DE ESCOLARIDADE ANO LETIVO 2013/2014 Departamento Educação Física e Desporto Escolar Planificação Anual do 6.º ano escolarida Capacidas

Leia mais

Fase Preparatória Objectivos Operacionais Estratégias / Organização Objectivos comportamentais / Componentes críticas Chamada

Fase Preparatória Objectivos Operacionais Estratégias / Organização Objectivos comportamentais / Componentes críticas Chamada Professor: Rui Morcela Ano Lectivo: 2009/10 Ano: 8º Turma: A Nº Alunos: 20 Aula Nº: 81 Aula U.D. Nº: 3 de 6 Instalações: Pavilhão Data: 14-05-2010 Hora: 9h20m Duração: 35 minutos Unidade Didáctica: Ginástica

Leia mais

Composição Curricular da Educação Física no Ensino Secundário

Composição Curricular da Educação Física no Ensino Secundário Composição Curricular da Educação Física no Ensino Secundário A. Actividades físicas actividades físicas desportivas + actividades físicas expressivas, actividades físicas de exploração da natureza e jogos

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL ENSINO SECUNDÁRIO EDUCAÇÃO FÍSICA 11º ANO Documento(s) Orientador(es): Programas nacionais de Educação Física; legislação

Leia mais

Documento de Apoio de Andebol

Documento de Apoio de Andebol Documento de Apoio de Andebol Caracterização da Modalidade O andebol distingue-se pelas suas variadas acções que vão desde as corridas, aos arranques, às paragens, aos saltos de diversas formas e à combinação

Leia mais

DISCIPLINA: EDUCAÇÃO FÍSICA 2 ºCICLO PATINAGEM:

DISCIPLINA: EDUCAÇÃO FÍSICA 2 ºCICLO PATINAGEM: (Currículo Regional do Ensino 5,8,9,10 e 14 - Compreender e valorizar a prática da patinagem como factor de desenvolvimento pessoal e de melhor qualidade de vida; - Conhecer as características da Patinagem

Leia mais

Cód INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Prova de Educação Física

Cód INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Prova de Educação Física INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Prova de Educação Física 12.º Ano / ENSINO SECUNDÁRIO Código 311 Duração da Prova: 90+90 minutos Tolerância: 00 minutos Ano Letivo 2014/2015 1. Introdução

Leia mais

Informação/Exame de Equivalência à Frequência. Ano letivo de 2013/2014

Informação/Exame de Equivalência à Frequência. Ano letivo de 2013/2014 ESCOLA MARTIM DE FREITAS Informação/Exame de Equivalência à Frequência Ano letivo de 2013/2014 Disciplina: Educação Física 2º Ciclo do Ensino Básico 1. Introdução Este documento tem como finalidade, divulgar

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA maio de Prova º Ciclo do Ensino Básico (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho)

EDUCAÇÃO FÍSICA maio de Prova º Ciclo do Ensino Básico (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA EDUCAÇÃO FÍSICA maio de 016 Prova 8 016.....º Ciclo do Ensino Básico (Decreto-Lei n.º 139/01, de de julho) O presente documento divulga informação relativa

Leia mais

Fase Preparatória Objectivos Operacionais Estratégias / Organização Objectivos comportamentais / Componentes críticas Chamada

Fase Preparatória Objectivos Operacionais Estratégias / Organização Objectivos comportamentais / Componentes críticas Chamada Professor: Mário Santos Ano Lectivo: 2009/10 Ano: 8º Turma: A Nº Alunos: 20 Aula Nº: 1 e 2 Aula U.D. Nº: 1 e 2 de 3 Instalações: Pavilhão Data: 13-04-2010 Hora: 10h20min Duração: 75 minutos Unidade Didáctica:

Leia mais

CURSO DE TREINADORES DE FUTSAL NÍVEL II TÉCNICO TÁCTICA CADERNO DE EXERCÍCIOS ESTRUTURA DOS CONTEÚDOS A ABORDAR NAS DIFERENTES SESSÕES:

CURSO DE TREINADORES DE FUTSAL NÍVEL II TÉCNICO TÁCTICA CADERNO DE EXERCÍCIOS ESTRUTURA DOS CONTEÚDOS A ABORDAR NAS DIFERENTES SESSÕES: CURSO DE TREINADORES DE FUTSAL NÍVEL II TÉCNICO TÁCTICA CADERNO DE EXERCÍCIOS ESTRUTURA DOS CONTEÚDOS A ABORDAR NAS DIFERENTES SESSÕES: 1. Activação geral 2. Técnica Individual 3. Acções Colectivas Complexas

Leia mais

Educação Física - Protocolo de avaliação inicial 1

Educação Física - Protocolo de avaliação inicial 1 Ano letivo 2012/2013 I. ÍNDICE I. Índice... 1 II. Avaliação Inicial... 2 III. Metodologia... 3 IV. Avaliação dos conhecimentos... 4 V. Avaliação da Aptidão Física... 4 Composição Corporal... 5 Aptidão

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALMANCIL (145142)

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALMANCIL (145142) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALMANCIL (145142) Prova de equivalência à frequência de Educação Física 2.º Ciclo do Ensino Básico As informações apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação

Leia mais

Ação de Formação para Treinadores organizada pela Associação de Basquetebol do Porto. Guifões 21/05/2012. Conceitos defensivos a desenvolver nos S14

Ação de Formação para Treinadores organizada pela Associação de Basquetebol do Porto. Guifões 21/05/2012. Conceitos defensivos a desenvolver nos S14 Ação de Formação para Treinadores organizada pela Associação de Basquetebol do Porto Guifões 21/05/2012 Introdução: Os jogadores Conceitos defensivos a desenvolver nos S14 Os nossos jogadores sabem cada

Leia mais

CURSO DE TREINADORES DE FUTSAL NÍVEL I TÉCNICO TÁCTICA CADERNO DE EXERCÍCIOS ESTRUTURA DOS CONTEÚDOS A ABORDAR NAS DIFERENTES SESSÕES:

CURSO DE TREINADORES DE FUTSAL NÍVEL I TÉCNICO TÁCTICA CADERNO DE EXERCÍCIOS ESTRUTURA DOS CONTEÚDOS A ABORDAR NAS DIFERENTES SESSÕES: CURSO DE TREINADORES DE FUTSAL NÍVEL I TÉCNICO TÁCTICA CADERNO DE EXERCÍCIOS ESTRUTURA DOS CONTEÚDOS A ABORDAR NAS DIFERENTES SESSÕES: 1. Activação geral 2. Técnica Individual 3. Acções Colectivas Elementares

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GONÇALO SAMPAIO ESCOLA E.B. 2, 3 PROFESSOR GONÇALO SAMPAIO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GONÇALO SAMPAIO ESCOLA E.B. 2, 3 PROFESSOR GONÇALO SAMPAIO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GONÇALO SAMPAIO ESCOLA E.B. 2, 3 PROFESSOR GONÇALO SAMPAIO DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES (EDUCAÇÃO FÍSICA) 5º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL 2014/2015 5.º Ano 1. CONTEÚDOS DE APRENDIZAGEM Atletismo

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DAS UNIDADES DE ENSINO DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2º E 3º CICLO 2014/2015 FUTEBOL

PLANIFICAÇÃO DAS UNIDADES DE ENSINO DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2º E 3º CICLO 2014/2015 FUTEBOL FUTEBOL 1. Recebe a bola controlando-a e enquadra-se 1. Recebe a bola, controlando-a e enquadra-se ofensivamente; ofensivamente, optando conforme a leitura da simula e ou finta, se necessário, para se

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Porto de Mós

Agrupamento de Escolas de Porto de Mós Prova de Equivalência à Frequência Educação Física Prova Código 28-2016 2º Ciclo do Ensino Básico 6º Ano de Escolaridade 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da Prova de

Leia mais

INFORMAÇÃO-Prova de Equivalência à Frequência 2º Ciclo do Ensino Básico. Despacho Normativo nº 1-G/2016 de 6 de abril

INFORMAÇÃO-Prova de Equivalência à Frequência 2º Ciclo do Ensino Básico. Despacho Normativo nº 1-G/2016 de 6 de abril INFORMAÇÃO-Prova de Equivalência à Frequência 2º Ciclo do Ensino Básico Despacho Normativo nº 1-G/2016 de 6 de abril Disciplina: EDUCAÇÃO FÍSICA - PCA Código: 28 Tipo de Prova: ESCRITA E PRÁTICA 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

Escola Básica 2, 3 de Alfornelos. Grupo Disciplinar de Educação Física. Protocolo de Avaliação Inicial

Escola Básica 2, 3 de Alfornelos. Grupo Disciplinar de Educação Física. Protocolo de Avaliação Inicial Escola Básica 2, 3 de Alfornelos Grupo Disciplinar de Educação Física Protocolo de Avaliação Inicial Ano Letivo 2012/2013 Índice 1 Introdução... 5 2 Metodologia... 5 3 Atividades Físicas e Desportivas...

Leia mais

PLANO CURRICULAR DE EDUCAÇÃO FÍSICA

PLANO CURRICULAR DE EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLA SECUNDÁRIA FERNANDO NAMORA ANO LECTIVO 2008/2009 PLANO CURRICULAR DE EDUCAÇÃO FÍSICA Ensinos Básico e Secundário Setembro 2008 Plano Anual de Educação Física Índice ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 2 2 REFERÊNCIAS

Leia mais

Aula Teórica. Prof. Cláudio Gomes

Aula Teórica. Prof. Cláudio Gomes Aula Teórica História do Basquetebol Em 1891, o director da secção de Educação Física do Springfield College (USA), pediu o Professor James Naismith para criar um actividade que satisfizesse o interesse

Leia mais

SALTO EM COMPRIMENTO

SALTO EM COMPRIMENTO SALTO EM COMPRIMENTO 1. Regras Básicas do Salto em Comprimento Caixa de areia Corredor de Balanço Tábua de Chamada A prova do salto em comprimento disputa-se na pista de atletismo numa zona específica

Leia mais

Unidade didática de Ginástica

Unidade didática de Ginástica Livro do Professor 5 Unidade didática de Ginástica Objetivos gerais da Ginástica Compor e realizar as destrezas elementares de solo, aparelhos e minitrampolim, em esquemas individuais e/ou de grupo, aplicando

Leia mais

PROJECTO CURRICULAR DE EDUCAÇÃO FÍSICA Projeto e normas orientadoras do Departamento de Educação Física 2015/2016

PROJECTO CURRICULAR DE EDUCAÇÃO FÍSICA Projeto e normas orientadoras do Departamento de Educação Física 2015/2016 PROJECTO CURRICULAR DE EDUCAÇÃO FÍSICA Projeto e normas orientadoras do Departamento de Educação Física 2015/2016 Outubro 2015 (última atualização) Conteúdo CAPÍTULO I ENQUADRAMENTO ORGANIZACIONAL... 5

Leia mais

Informação Exame de Equivalência. à disciplina de: EDUCAÇÃO FÍSICA

Informação Exame de Equivalência. à disciplina de: EDUCAÇÃO FÍSICA Informação Exame de Equivalência à disciplina de: EDUCAÇÃO FÍSICA 3º Ciclo do Ensino Básico Ano letivo de 2011/12 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova de exame de

Leia mais

Escola Básica 2,3 D. Fernando II

Escola Básica 2,3 D. Fernando II Escola Básica 2,3 D. Fernando II Escola Básica 2,3 de D. Fernando II Protocolo Geral de Avaliação 2009 / 2013 Índice Caracterização Do Grupo de Educação Física... 4 Recursos Humanos... 4 Recursos Espaciais...

Leia mais

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR EF

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR EF PRÉ-ESCOLAR: EXPRESSÃO MOTORA Domínio: Atividades Físicas DESLOCAMENTOS E EQUILÍBRIOS PERÍCIAS E MANIPULAÇÕES JOGOS ACTIVIDADES RÍTMICAS E EXPRESSIVAS PERCURSOS NA NATUREZA Posições de equilíbrio no solo,

Leia mais