1Introduc~ao Arepresentac~aologicadeesquemasER,esquemasconceituaisconstrudossegundoomodelo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1Introduc~ao Arepresentac~aologicadeesquemasER,esquemasconceituaisconstrudossegundoomodelo"

Transcrição

1 Projeto/ReprojetodeBancosdeDadosRelacionais: 1DepartamentodeCi^enciadaComputac~ao AndersonA.Ferreira1 UniversidadeFederaldeMinasGerais BeloHorizonteMG AFerramentaDB-Tool AlbertoH.F.Laender1 2DepartamentodeCi^enciadaComputac~ao UniversidadedoAmazonas ManausAM AltigranS.daSilva2 alistofcommandstoimplementthecorrespondinginformixschema.inthesecondphase, isimplementedusinginformixasitstargetdatabasemanagementsystem(dbms).thetool operatesintwophases.intherstphase,itreceivesasinputanerschemaandgenerates itreceivesalistofredesigncommandsspecifyingchangestotheerschemaandgenerates aredesignplantoreestructurethedatabaseaccordingly.anexampleillustratestheuseof toolproducesoptimizedrelationalrepresentationsofentityrelationship(er)schemasand Thispaperdescribesatoolthatsupportsthedesignandredesignofrelationaldatabases.The Abstract 1Introduc~ao Arepresentac~aologicadeesquemasER,esquemasconceituaisconstrudossegundoomodelo entidade-relacionamento(modeloer)[chen76],pormeiodeesquemasrelacionaiseumdos temasclassicosdaareadebancodedados.diversosmetodos[alal85,bacn92,catl90, thetool. representac~oeseincorporamrestric~oesdeintegridadeaoesquemarelacionalresultantecomo naisapartirdeesquemaser,processoqueechamadodeprojetologicoousimplesmentepro- jeto[bacn92,elna94].essesmetodosgeralmenteutilizamalgumcriterioparaotimizac~aodas CaTL93,MaSh92,TeYF86]t^emsidopropostosparaaconstruc~aoderepresentac~oesrelacio- objetivodegarantiraspropriedadessem^anticasdomodeloer. otimizadasondeonumerodedepend^enciasdeinclus~aoentreasrelac~oesereduzido.esses relacionalotimizadasr,sendoposteriormenteinstanciado(2),criandoumestadoconsistente dobancodedados.deacordocomevoluc~oesocorridasnomundoreal,sepodesermodi- mesmostrabalhostratamaindaoproblemademanutenc~aodessasrepresentac~oesquandoo esquemaerqueelasrepresentamsofremodicac~oesemfunc~aodeevoluc~oesocorridasnomundo real.esseprocesso,chamadoreprojeto,eilustradonafigura1edescritoaseguir. Emparticular,ometodopropostoem[CaTL90,CaTL93]gerarepresentac~oesrelacionais consisteemmodicarsrgerandoumanovarepresentac~aorelacionalsr'(4)emapearem cado(3)detalformaaproduzirumnovoesquemaconceitualse'.oprocessodereprojeto formacorretaeotimizada(6). umnovoestado'(5),detalformaque'sejaconsistentecomsr'(7)esr'representese'de SejaumesquemaERSE.Nafasedeprojeto(1),SEemapeadoparaumarepresentac~ao relacionaisquefoidesenvolvidacombasenometodopropostoem[catl90,catl93].db-tool implementaosalgoritmosdescritosem[silv95],ondeessemetodofoidetalhadoeformalizado,e utilizacomosgbdalvoosistemainformix[info91].nafasedeprojeto,db-toolrecebecomo entradaumesquemaereproduzcomosadaumasequ^enciadecomandosnaldddosistema EsteartigodescreveDB-Tool,umaferramentaparaprojeto/reprojetodebancosdedados

2 S E S R S R S E σ σ Figura1:Processodeprojeto/reprojetodebancosdedados. Informixparageraroesquemadobancodedados.Nafasedereprojeto,DB-Toolrecebeuma listadecomandosdereprojetoespecicandomodicac~oesnoesquemaeregeraumasequ^encia decomandosnaldd/lmddosistemainformixqueconstituemumplanodereprojetoparao bancodedados. Diversasferramentasdeprojetodebancodedadosrelacionaist^emsidodescritasnaliteratura[AlAL85,Fran96,HEH+94,MaSh94].Oquetornaanossaferramentadiferentedessas eofatodequeelasuportan~aoapenasoprocessodeprojeto,mastambemoprocessodereprojetodebancosdedadosrelacionais.mesmoferramentascomerciais,taiscomo,erwine S-Designor[Butl96],suportamapenasoprojetodebancosdedadosen~aoauxiliamoprojetista narealizac~aodoprocessodereprojeto.assimsendo,oproprioprojetistadevereestruturaro bancodedadosquandoocorremmodicac~oesnasaplicac~oes.umoutroaspectoimportante danossaferramentaequeelapermiteaoprojetistaavaliaroimpactodasmudancassemrealmentereestruturarobancodedados,umavezque,deacordocomometododereprojeto adotado[silv95,silc96],onovoestadodobancodedadosegeradoapartirdeumestado transiente(virtual)queeobtidosemmodicararepresentac~aorelacionalcorrente. Oartigoaseguirestaorganizadodaseguinteforma.ASec~ao2apresentaumavis~aogeral dometododeprojeto/reprojetoadotado.asec~ao3contemumadescric~aogeraldaferramenta. ASec~ao4descreveumexemplodeutilizac~aodaferramenta.Finalmente,aSec~ao5apresenta algumasconclus~oes. 2Vis~aoGeraldoMetododeProjeto/Reprojeto 2.1ConceitosBasicos 2.1.1EsquemasER UmesquemaEReumaduplaSE=hE;RiondeEeumconjuntodeesquemasdeentidadeeR eumconjuntodeesquemasderelacionamento. Umesquemadeentidadepossuiumnome,umconjuntodeatributoscomseusrespectivos domniose,opcionalmente,umachaveprimariaeumaoumaischavesalternativas.umachave eformadaporumsubconjuntodoconjuntodeatributosdoesquemacujosvaloresidenticamde formaunicaasinst^anciasdoconjuntodeentidadescorrespondente.pelomenosumdosatributos deumesquemadeentidadedeveserumdiscriminador[silv95],ouseja,devesemprepossuirvalor diferentedenulo,oqueserveparaindicaraocorr^enciadeumaentidade(inst^ancia).osatributos dachaveprimarias~aosemprediscriminadores.umesquemadeentidadepodeserespecializado porumoumaisesquemasdeentidadeetambempodeespecializarumoumaisesquemasde

3 todainst^anciadeeetambemumainst^anciadef.adenic~aodeumachaveprimariaparaum esquemadeentidadesoeobrigatoriaseesteesquemadeentidaden~aoespecializanenhumoutro. pantese,opcionalmente,umalistadeatributos.asinst^anciasdeumesquemaderelacionamento s~aoelementosdoprodutocartesianodoconjuntodeinst^anciasdosesquemasdeentidadeque entidade,sendoqueseumesquemadeentidadeeespecializaumesquemadeentidadef,ent~ao s~aoparticipantesdoesquemaderelacionamento.acadaparticipanteeatribudoumpapelque deveserunicoemcadaesquemaderelacionamento.umconjuntodepapeiseumidenticador deumesquemaderelacionamentosetodacombinac~aodeint^anciasdessespapeisforunicaentre asinst^anciasdesseesquema[silv95]. Umesquemaderelacionamentopossuiumnome,umalistadeesquemasdeentidadepartici- maisprecisapodeserencontradaem[silv95]. respeitadaspelasinst^anciasdosseusesquemasdeentidadeerelacionamento.umadenic~ao deneentitye(employee) AFigura2descreveoesquemaERCompanyqueserausadocomoexemplonesteartigo. UmestadodeumesquemaERSEeconsistentequandotodasasrestric~oessem^anticass~ao deneentityr(researcher) deneentitya(administrative) keyid attributesidchar(4)notnull, Salarydecimal(8,2) deneentityp(project) specializationofe attributesdegreechar(4)notnull attributesjobdescchar(40)notnull denerelationshipw(works-for)overr,p attributeshoursintegernotnull, identierr attributesname keyname Contractorchar(20) char(20)notnull, ografoercorrespondenteaoesquemaercompanydafigura2. ScompapelP,sendol((S;T))=Ppertencenteaoconjuntoderotulosl.AFigura3(a)mostra dirigido,parcialmenterotulado,ondecadaverticeemvcorrespondeaumesquemadeentidade ourelacionamentodeseeumarco(s;t)2ase,esomentese,sespecializatoutparticipade Umgrafog=(V;A;l)deumesquemaERSE(ousimplesmentegrafoER)eummultigrafo Figura2:EsquemaERCompany. sobret[v. relac~ao,veumconjuntodeesquemasdevis~aoeceumconjuntoderestric~oesdeintegridade 2.1.2EsquemasRelacionais UmesquemarelacionaleumatriplaSR=hT;V;CiondeTeumconjuntodeesquemasde Umesquemaderelac~aopossuiumnome,umalistadeatributos(cadaumcomseurespectivo Figura3:GrafoEReorestadecolapsamento. domnio),umachaveprimariae,opcionalmente,umaoumaischavesalternativas.umachave A Arco nao-colapsavel E R (a) Grafo ER g R Arco colapsavel P W P A E (b) Floresta de colapsamento f R P W

4 listadeatributosquaisquer.asrestric~oesdeintegridadeemcpodemserdosseguintestipos: primariaeumalistadeatributosquen~aoadmitemvalornuloeumachavealternativaeuma atributosaeb.umadndaformat:a;besatisfeitase,esomentese,paratodatuplade t2(t2)talquet[x1]=u[x2]. t(t),osatributosdoconjuntobs~aotodosnulossemprequeumdosatributosdeafornulo. mente,osconjuntosdeatributosx1ex2.umadidaformat1[x1]t2[x2]esatisfeitapara osestadost1(t1)et2(t2)se,esomentese,paracadatuplatdet1(t1),existeumatuplaude Depend^enciasdeNulos(DNs)-SejaTumesquemaderelac~aocontendoosconjuntosde Depend^enciasdeInclus~ao(DIs)-SejamT1eT2esquemasderelac~aocontendo,repectiva- denominadodepend^enciadenulosentresi. UmaDNdaformaT:[A]esatisfeitase,esomentese,emtodatupladet(T)osatributosdo conjuntoas~aotodosnulosoutodosn~aonulos[silc94,silv95].essesegundotipodedne UmesquemarelacionalSReumarepresentac~aorelacionaldeumesquemaERSEseadenic~ao seusesquemasderelac~aoevis~aos~aoconsistentescomasuadenic~ao,etodasasrestric~oesde desrgarantirquequalquerestadoconsistenteedesepodeserrepresentadoporumestado integridade(disedns)s~aorespeitadas[silv95]. 2.2Representac~oesRelacionaisdeEsquemasER UmestadodeumesquemarelacionalSReconsistentese,esomentese,osestadosdos umesquemaderelac~ao(comatributosapropriados)pararepresentarcadaesquemadeentidade ourelacionamentoemse,gerandoumadiparacadaarcodografoercorrespondentedemodo consistenterdesrequalquerestadoconsistenterrepresentaumestadoconsistentede deles~aoinecientes,nosentidodequeonumerodedisaseremmantidasepelomenosigualao numerodearcosnografodoesquemaeremquest~ao.destaforma,visandoreduzironumero SE[Silv95]. acapturaradequadamenteasem^anticadese. dedisenvolvidas,pode-seoptarporrepresentaremummesmoesquemaderelac~aovariosesquemasdeentidadeourelacionamentoquecompartilhamalgumapropriedade.essaestrategia deotimizac~ao,chamadadecolapsamento[catl90,catl93],eutilizadaparaagerac~aoderepresentac~oesrelacionaisotimizadasondevariasdispodemserremovidaseoutraspodemser substitudaspordnscujocustodevericac~aoemenor[silv95,silc96]. restadecolapsamento[catl90,catl93].umaorestadecolapsamentofdeumesquemaer somentearcosdegques~aocolapsaveisest~aorepresentados.umarco(s,t)degecolapsavel mostraumaorestadecolapsamentocorrespondenteaografoerdafigura3(a). quandon~aoerotuladoouseorotuloenetefuncionalemscompapeln.afigura3(b) mentofegeradoumesquemaderelac~aor*,chamadoesquemadecolapsamento,detalforma Umarepresentac~aorelacionalotimizadaegeradacombaseemumaestruturachamadao- Entretanto,apesardasimplicidadedessemetodo,asrepresentac~oesrelacionaisobtidasatraves Umamaneiratrivialdeseobterumarepresentac~aorelacionaldeumesquemaERSEegerar eumconjuntodearvoresquepossuitodososverticesdografogdoesquemaer,masnoqual queemr*s~aorepresentadosretodososseusdescendentesemf.alemdisso,paracada verticesdef,egeradoumesquemadevis~ao,chamadoesquemaderepresentac~ao,sobreo esquemadecolapsamentocorrespondentequerepresentarasnarepresentac~aorelacionalotimizada[silv95,silc96].quantoasrestric~oesdeintegridadenecessarias,paracadaarco(s,t)de eparacadaarco(s,t)queestejaemfs~aogeradasdnsenvolvendoosatributosdoesquema Assim,emumarepresentac~aorelacionalotimizada,paracadaraizRdaorestadecolapsa- gquen~aoestejaemfs~aogeradasdisenvolvendoosesquemasderepresentac~aocorrespondentes decolapsamentoquecontemosverticesset.

5 recebecomoentradaoesquemaerse,juntamentecomoseugrafogeaorestadecolapsamentofquedeneasuarepresentac~aorelacional,eumaseriedecomandosdereprojeto, consistentecomanovarepresentac~aogerada.paraisso,ometododereprojeto[silv95,silc96] OprocessodereprojetoilustradonaFigura1temporobjetivomodicararepresentac~aorelacionaldeumesquemaERSEereestruturaroestadoatualdobancodedadosdeformaatorna-lo 2.3Manutenc~aodeRepresentac~oesRelacionais esquemaeroriginalparaavaliaroimpactoeaviabilidadedasalterac~oesnecessariasnobanco dedados. disso,ometodotambemincluiumaanalisedoestadoatualdarepresentac~aoquevisavericar seepossveltransformaresteestadoemumestadoconsistenteparaanovarepresentac~aorelacional.oplanodereprojetopodeserusadopeloprojetistaresponsavelpelasmodicac~oesdo especicandomodicac~oesemse,egeracomosadaoplanodereprojetocorrespondente.alem grafog0des'eetambemumaorestadecolapsamentof0. ERSEcomoobjetivodeproduzirumnovoesquemaERS'E.Alemdisso,devemsergeradoso umestadoconsistentecorrespondenteaonovoesquemaerapartirdoestadoatualdoesquema reprojeto[silv95,silc96]: Gerac~aodonovoesquemaER.Consistenaaplicac~aodoscomandosdereprojetoaoesquema Vericac~aodaadequac~aoaonovoesquemaER.Consisteemvericarseepossvelproduzir Assim,distinguimosquatroetapasdistintas,emboradependentesentresi,nometodode eintroduzirnovosatributos)econtrac~oes(removeresquemasdecolapsamento,restric~oese samentofef0pararealizarexpans~oes(criaresquemasdecolapsamento,denirnovasrestric~oes representac~ao. atributos)narepresentac~aorelacional,alemdeatualizardeformaadequadaosesquemasde ERoriginal,queerepresentadopeloestadoatualdarepresentac~aorelacionalcorrente. Reestruturac~aodarepresentac~aorelacional.Consistenacomparac~aodasorestasdecolap- combasenometododeprojeto/reprojeto,descritonasec~aoanterior.db-toolutilizacomo Nestasec~ao,apresentamosumadescric~aogeraldaferramentaDB-Toolquefoidesenvolvida necessario,asinst^anciasexistentesnarepresentac~aooriginalparaanovarepresentac~aorelacional. 3AFerramentaDB-Tool Mapeamentodeinst^anciasparaanovarepresentac~aorelacional.Consisteemmapear,quando SGBDalvoosistemaInformix[Info91].AescolhadoInformixcomosistemaalvoparaaferramentafoifeitabasicamenteemfunc~aodesuadisponibilidadenoDepartamentodeCi^encia caractersticasqueotornamadequadocomosistemaalvoparaessetipodeferramenta,como, dacomputac~aodaufmg.entretanto,oinformixeumsgbdrelacionalquepossuialgumas 3.1Gerac~aodaRepresentac~aoRelacionalOtimizada gatilhos,facilidadesfundamentaisparaaimplementac~aodometododeprojeto/reprojeto. porexemplo,adenic~aoexplcitadechavesprimarias,chavesalternativasechavesestrangeiras atravesdasualdd.alemdisso,oinformixpossibilitaacriac~aodeprocedimentos,vis~oese gatilhos(\triggers"),aalterac~aodetabelas,earemoc~aodeprocedimentos,tabelas,vis~oese Nafasedeprojeto,quandoerealizadaagerac~aodarepresentac~aorelacionalotimizada,oprojetistaentracomoesquemaEReaferramentaproduzumasequ^enciadecomandosdaLDDdo Informixparaacriac~aodastabelas,vis~oeserestric~oesdeintegridade(DIseDNs)corresponden- conformedescritonasec~ao2.2. tes.agerac~aodessarepresentac~aorelacionalefeitaapartirdeumaorestadecolapsamentof

6 databelarclp. ParacadaraizRdef,egeradoumcomandoCREATETABLEnecessarioparacriarumatabela denomerclp,cujosatributoss~aoosatributosassociadosaretodososatributosdiretaou 3.1.1Criac~aodasTabelas esquemadeentidadeourelacionamento,egeradoumesquemadevis~aosqueseraoseuesquema 3.1.2Criac~aodasVis~oes indiretamenteassociadosaosdescendentesder.achaveprimariadessatabelaeachaveprimaria derepresentac~ao.oesquemadevis~aoedenidosobreoesquemadecolapsamentoqueengloba Deacordocomometododeprojeto/reprojeto,paracadaverticeSdef,correspondenteaum der.asdemaischavesderedeseusdescendentesemfs~aodenidascomochavesalternativas S.Assim,paracadaverticeSdefegeradoumcomandoCREATEVIEWnecessarioparacriar avis~aocorrespondenteaoesquemaderepresentac~aodes. nadenic~aodatabelacorrespondenteaoesquemadecolapsamentoqueenglobae. feitaatravesdeumachaveestrangeiradenidapelaclausulaforeignkey.assim,paracada arco(e,f)degn~aoexistenteemf,aferramentaincluiadenic~aodeumachaveestrangeira devesergeradaumadicorrespondente.aimplementac~aodeumadinosistemainformixe Paracadaarco(E,F)dografogdoesquemaERn~aoexistentenaorestadecolapsamentof 3.1.3Criac~aodasDepend^enciasdeInclus~ao s~aodenidosgatilhoscujafunc~aoevericarseastuplasdastabelasenvolvidasrepresentam corretamenteinst^anciasdoesquemaer Criac~aodasDepend^enciasdeNulos masderepresentac~ao(vis~oes),oquen~aoepossveldeserdiretamenteimplementadonoinfor- mix.assim,paraosarcos(e,f)nosquaisfn~aoeumaraizdef,alemdachaveestrangeira, EimportanteobservarqueasDIsgeradaspelometododeprojetos~aodenidasentreesque- Deacordocomometododeprojeto/reprojeto,asseguintesDNsdevemsergeradasapartirda orestadecolapsamentof: Depend^enciadosatributosquepodemassumirnulosdeumverticen~aoraizdefparaos Depend^enciadosatributosn~aonulosdeumverticeSquen~aoeraizdefemrelac~aoaos Depend^enciadenulosentresi,paraosatributosn~aonulosdosverticesquen~aos~aorazes atributosn~aonulosdestevertice. atributosn~aonulosdoverticepaidesemfquen~aoeumaraizemf. depend^enciadenulosentresi). def(osatributosherdadosquen~aocomp~oemachaveprimariatambemfazempartedesta serinseridaoumodicada,satisfazdeterminadascondic~oes. 3.2Manutenc~aodaRepresentac~aoRelacional Nestasec~ao,descrevemoscomos~aogeradososcomandosdaLDD/LMDdoInformixpararealizaroprocessodereprojeto.ConformedescritonaSec~ao2.3,ometododereprojetoenvolve quatroetapas:gerac~aodonovoesquemaer,vericac~aodaadequac~aoaonovoesquemaer,reestruturac~aodarepresentac~aorelacionalemapeamentodeinst^anciasparaanovarepresentac~ao Paraaimplementac~aodasDNs,eusadaaclausulaCHECKquevericaseumatupla,ao relacional.aseguir,descrevemoscomos~aorealizadasessasquatroetapas.

7 3.2.1Gerac~aodoNovoEsquemaER Nestaetapa,oprojetistaentracomoscomandosdereprojetoeaferramentageraonovoesquema ERcomseusrespectivosgrafos.Exemplosdessescomandoss~aomostradosnaFigura4parao esquemaercompanyse(figura2).umadescric~aodetalhadadoscomandosdereprojetoque podemseraplicadosaumesquemaerpodeserencontradaem[ferr97]. removekeynamefromp; removeidentierrfromrelationshipw; addattributenumberintegernotnulltop; novoesquemaouseapartirdoestadoatualepossvelgerarumestadoquesejaadequado Estaetapatemcomoobjetivovericarseoestadoatualdobancodedadoseadequadoao 3.2.2Vericac~aodaAdequac~aoaoNovoEsquemaER Figura4:ComandosparamodicaroesquemaERCompany. addkeynumbertop; aonovoesquema,gerandoumestadointermediario,sobreoqualevericadaaconsist^encia comonovoesquemaer.paraisso,s~aoexecutadastr^estarefas,deacordocomometodode reprojeto[silv95,silc96]:coletadedados,gerac~aodasrepresentac~oesrelacionaistransitorias evericac~aodaadequac~ao,propriamentedita.aseguir,descreveremoscomos~aogeradosos quandoumnovoesquemadeentidadeourelacionamentoseincludoeprecisaserinstanciado, vericarasnovasrestric~oes.umaoutrasituac~aoemqueenecessarioacoletadedados,e relacionalcorrentecorrespondente,tornando-senecessariodeterminaressesvaloresantesde esquemafazrefer^enciaaatributoscujosvaloresn~aopodemserdeterminadosnarepresentac~ao comandosdaldd/lmddoinformixpararealizaressastarefas. original.acoletadedadosefeitaatravesdetabelasdevalorac~aocriadaspelaferramentaeque s~aoinstanciadaspeloprojetistadeacordocomcadasituac~aoespecca. comonocasodeumesquemadeentidadeespecializadoporoutrojaexistentenoesquemaer ColetadeDados.Estatarefaenecessariaquandoalgumadasnovasrestric~oessobreonovo Gerac~aodasRepresentac~oesRelacionaisTransitorias.Nestatarefa,paracadaesquema deentidadeourelacionamentodonovoesquemaer,ecriadaumarepresentac~aorelacionaltransitoria[silv95,silc96]queiracomporumbancodedadostransitorio(virtual),atravesdoqual seravericadoseoestadoestaconsistentecomonovoesquemarelacionale,consequentemente, comonovoesquemaer. quemadeentidadeourelacionamentosdonovoesquemaers'en~aopertenceaoesquemaer paraonovoesquemaer. originalse;(2)oconjuntodeatributosdarepresentac~aorelacionaldoesquemadeentidadeou relacionamentoseomesmoparaoesquemaeroriginaleparaonovoesquemaer;(3)oconjuntodeatributosdarepresentac~aorelacionaldeumesquemadeentidadesn~aoeomesmopara oesquemaeroriginaleparaonovoesquemaer;e(4)oconjuntodeatributosdarepresentac~ao relacionaldeumesquemaderelacionamentorn~aoeomesmoparaoesquemaeroriginale Paraacriac~aodasrepresentac~oesrelacionaistransitoriass~aoobservadosquatrocasos:(1)oes- arepresentac~aorelacionaltransitoriacorrespondente.umadiscuss~aodetalhadadecomoesses comandoss~aocriadosfogeaoescopodesteartigoepodeserencontradaem[ferr97]. Paracadaumdessescasos,egeradoumcomandoCREATEVIEWparacriaravis~aoreferente

8 sitoriasemrelac~aoaonovoesquemaer,enecessariovericarses~aosatisfeitastodasasnovas depend^enciasdeinclus~aoetodasasnovaschavesdenidas.assim,s~aogeradoscomandos Vericac~aodaAdequac~ao.Paravericaraadequac~aodasrepresentac~oesrelacionaistran- SELECTparavericarasnovaschaveseparavericarasnovasdepend^enciasdeinclus~aoque ferramentageraoscomandosinformixnecessariosparacriareexpandirtabelas,criareremover Informixapartirdemodicac~oesfeitasnoesquemaERoriginal.Paraessareestruturac~ao,a estrangeiraseprimarias,usadasnadenic~aodealgumadi,mudaram Reestruturac~aodaRepresentac~aoRelacional Aetapadereestruturac~aodarepresentac~aorelacionalconsistedareestruturac~aodoesquema s~aodevidasaarcosdonovografog'quen~aoexistemnografogetambemaarcoscujaschaves, colapsamentof'geradaapartirdasmodicac~oesintroduzidasnoesquemaeroriginal[silc96]. Aseguir,eapresentadaumabrevedescric~aodecomoessescomandoss~aogeradospelaferramenta. gerac~aodessescomandosefeitacomparando-seaorestadecolapsamentofcomaorestade chaves,atualizaradenic~aodevis~oes,atualizardnsedis,eremoverecontrairtabelas.a foramintroduzidosnovosatributosouqueincorporamatributosdeesquemasdeentidadeou arvoresdef'cujosverticescorrespondemaesquemasdeentidadeourelacionamentonosquais TABLEparacriaratabelacorrespondenteconformedescritonaSec~ao3.1.Tambems~aogerados comandosaltertableparaalteraradenic~aodastabelasquecorrespondemarazesde relacionamentocorrespondentesaverticesdeoutraarvoredef. Criac~aoeExpans~aodeTabelas.Paracadanovaraizdef',egeradoumcomandoCREATE movido,egeradoumcomandoaltertablepararemoveradenic~aodachaveestrangeira queimplementaadicorrespondente.separaadiqueestasendoremovidaexistiremgatilhos TRIGGERpararemoveradenic~aodecadagatilho. Atualizac~aodeChaves.ParacadaverticeEdef'cujoesquemadeentidade(ourelacionamento)teveasuachave(ouidenticador)alterada(o),s~aogeradoscomandosALTERTABLE paraalterarachaveprimariaoualgumachavealternativadatabelacorrespondenteaoesquema decolapsamentoqueenglobae. gerados,senecessario,comandosaltertablepararemoverasrestric~oesimpostaspelas Atualizac~aodeDepend^enciasdeNulos.Paracadaarcodef,n~aoexistenteemf',s~ao clausulascheckqueimplementamasdnscorrespondentes.analogamente,paracadanovo arcocriadoemf',s~aogerados,senecessario,comandosaltertableparacriaradenic~ao declausulascheckqueimplementamadncorrespondente. Atualizac~aodeVis~oes.ParacadaverticeRdefn~aoexistenteemf',ouqueteveasua posic~aooulistadeatributoscorrespondentesalteradanaorestadecolapsamentof',egerado umcomandodropviewpararemoveradenic~aodavis~aocorrespondente.alemdisso, paracadaverticerdef'n~aoexistenteemf,ouqueteveasuaposic~aooulistadeatributos correspondentesalteradanaorestadecolapsamentof',egeradoumcomandocreateview relacionadosaela,estestambemdevemserremovidos.paraissoegeradoumcomandodrop Remoc~aodeDepend^enciasdeInclus~ao.Paracadaarcodeg,n~aoexistenteemf,re- paracriaranovavis~aocorrespondentear.

9 existenteemf',egeradoumcomandoaltertableparacriaradenic~aodachaveestrangeiraqueimplementaadicorrespondente.separaessasnovasdisfornecessariaaadic~aode Adic~aodeNovasDepend^enciasdeInclus~ao.Paracadanovoarcocriadoemg'en~ao gatilhos,egeradoumcomandocreatetriggercorrespondente. Contrac~aoeRemoc~aodeTabelas.ParacadaraizRdefquen~aoemaisumaraizem f',egeradoumcomandodroptablequeremoveadenic~aodatabelacorrespondenteao algumaalterac~aoquerequeraremoc~aodeatributosdessastabelas MapeamentodeInst^anciasparaaNovaRepresentac~aoRelacional adenic~aodastabelasquecorrespondemarazesmantidasemf',mascujosverticessofreram Deacordocomometododereprojeto[Silv95],existemduassituac~oesondeenecessarioo esquemadecolapsamentoder.tambems~aogeradoscomandosaltertableparaalterar relacionamento,seencontraemsubgrafosdecolapsamentodistintosemfef';(2)overtice mapeamentodeinst^anciasdeumesquemadeentidadeourelacionamento,representadoemsr, paraanovarepresentac~aorelacional:(1)overtice,querepresentaoesquemadeentidadeou geradoscomandosselect,inserteupdate,denidossobreasrepresentac~oesrelacionais transitorias,paraexecutaromapeamentodasinst^anciasparaanovarepresentac~aorelacional. situac~aoenquantoqueaoperac~aodeajusteresolveasegunda.paraambasasoperac~oes,s~ao permanecenomesmosubgrafodecolapsamento,masganhououperdeuatributosnativosou herdados Gerac~aodoPlanodeReprojeto inst^anciaseoutradeajustedeinst^ancias.aoperac~aodemovimentac~aovisaresolveraprimeira Pararesolveressasduassituac~oes,foramdenidasduasoperac~oes:umademovimentac~aode ParaqueonovoesquemaInformixeonovoestadodobancodedadossejamgeradoscorretamente,enecessarioqueaexecuc~aodoscomandosquecomp~oemoplanodereprojetoseja feitaemumaordemespecca.umapossvelordemparaagerac~aodessescomandoseaseguinte[ferr97]:(1)comandosdecoletadedados,(2)comandosdegerac~aodasrepresentac~oes etapadeadequac~ao,(7)comandosderemoc~aodedepend^enciasdeinclus~ao,(8)comandosde deatualizac~aodevis~oes,(11)comandosdeadic~aodenovasdepend^enciasdeinclus~aoe(12)comandosdecontrac~aoeremoc~aodetabelas. relacionaistransitorias,(3)comandosdevericac~aodaadequac~aodoestadotransitorioaonovo esquemaer,(4)comandosparacriac~aoeexpans~aodetabelas,(5)comandosdemapeamento paraanovarepresentac~aorelacional,(6)comandosderemoc~aodetabelasevis~oescriadasna atualizac~aodechaves,(9)comandosdeatualizac~aodedepend^enciasdenulos,(10)comandos vezqueaoremoverumachavetodasaschavesestrangeirasdenidassobreelas~aotambem exemplo,seatualizarmosaschavesedepoisremovermosasdis,podemocorrererros,uma removidas. invers~aodecertoscomandospodeoriginarerrosdeprocessamentonosistemainformix.por geradosser~aoexecutados.emboraessaordemn~aosejaaunicapossvel[silv95,silc96],a Aexecuc~aodoplanodereprojetonaordemestabelecidaacimagarantequetodoscomandos 4Discuss~aodeumExemplo Nestasec~ao,apresentamosumexemplodecomoDB-Toolsecomportanagerac~aodeumesquemaInformixcorrespondentearepresentac~aorelacionaldeumesquemaER,enagerac~aodos comandosdaldd/lmddoinformixnecessariosparaexecutaroreprojetoquandooesquema ERemodicado.

10 4.1Gerac~aodoEsquemaInformix AFigura5mostraoesquemaInfomixgeradopelaferramentaapartirdoesquemaERda Figura2,conformedescritonaSec~ao3.1. CREATEDATABASECompanyWITHLOG; CREATETABLEPCLP( Namechar(20)NOTNULL, Contractorchar(20), PRIMARYKEY(Name)CONSTRAINTPKP); CREATETABLEECLP( Idchar(4)NOTNULL, Salarydecimal(8,2), Jobdescchar(40), Degreechar(4), PNamechar(20), Hoursinteger, PRIMARYKEY(Id)CONSTRAINTPKE, CHECK((PNameISNOTNULLAND HoursISNOTNULL)OR (PNameISNULLANDHoursISNULL)) CONSTRAINTDNW1, CHECK((DegreeISNOTNULL)OR (PNameISNULLANDHoursISNULL)) CONSTRAINTDNW2, FOREIGNKEY(PName)REFERENCES PCLP(Name)CONSTRAINTDIFKWP); CREATEVIEWEAS SELECTId,Salary FROMECLP; CREATEVIEWAAS SELECTId,Jobdesc FROMECLP WHEREJobdescISNOTNULL; CREATEVIEWPAS SELECTName,Contractor FROMPCLP; CREATEVIEWRAS SELECTId,Degree FROMECLP WHEREDegreeISNOTNULL; CREATEVIEWWAS SELECTId,PName,Hours FROMECLP WHEREPNameISNOTNULLAND HoursISNOTNULL; CREATEPROCEDUREErroDIOP() RAISEEXCEPTION-746,0,"Missingkeyin referencedtableforreferentialconstraint"; ENDPROCEDURE; Figura5:EsquemaInformix. NotequeparacadaraizdaorestadecolapsamentofdaFigura3(b),foigeradoum comandocreatetablequedeneoesquemadecolapsamentocorrespondenteeparacada verticedeffoigeradoumcomandocreateviewquedeneoesquemaderepresentac~ao correspondente.alemdisso,paracadaarcodografoergn~aoexistenteemffoiincluda umaclausulaforeignkeynadenic~aodatabelacorrespondenteaoverticedeorigem,e paracadaarcodeffoiincludaumaclausulachecknadenic~aodatabelacorrespondente araizdaarvorequecontemessearco.cadaclausulaforeignkeyecheckimplementa, respectivamente,umadieumadngeradapelometododeprojeto. 4.2Gerac~aodosComandosparaExecuc~aodoReprojeto 4.2.1Gerac~aodoNovoEsquemaER ConsidereoscomandosdereprojetomostradosnaFigura4especicandomodicac~oessobre oesquemaerdafigura2.oresultadodessasmodicac~oeseoesquemaermostradona Figura6.Ografog'eaorestadecolapsamentof'correspondentess~aomostradosnaFigura7. deneentitye(employee) attributesidchar(4)notnull, Salarydecimal(8,2) keyid deneentitya(administrative) attributesa.jobdescchar(40)notnull specializationofe deneentityr(researcher) attributesdegreechar(4)notnull specializationofe deneentityp(project) attributesnumberintegernotnull, Name char(20)notnull, Contractorchar(20) keynumber denerelationshipw(work-for)overr,p attributeshoursintegernotnull Figura6:NovoesquemaERCompany.

11 E P E P ConsidereoesquemaERoriginal(Figura2),onovoesquemaER(Figura6),ografoERoriginal g(figura3(a))eonovografoerg'(figura7(a)).oscomandosgeradosparaarealizac~ao 4.2.2Vericac~aodaAdequac~aoaoNovoEsquemaER P dastarefasdecoletadedados,gerac~aodasrepresentac~oesrelacionaistransitoriasevericac~ao daadequac~aos~aomostradosnafigura8. Figura7:NovografoERenovaorestadecolapsamento. R A R W A R W {Coletadedados CREATETABLEPNumber( Namechar(20)NOTNULL, Arco nao-colapsavel Arco colapsavel Numberinteger, PRIMARYKEY(Name)); (a) Grafo g (b) Floresta f CREATEVIEWRRRT LOADFROM\PNumber" {Gerac~aodasrepresentac~oesrelacionaistransitorias CREATEVIEWERRT ASSELECT*FROMR; PRTN(Name,Number,Contractor) ASSELECT*FROME; INSERTINTOPNumber; CREATEVIEW PRRTASSELECT PRTN.Number,PRTN.Name,PRTN.Contractor FROMPRTN; WRRT(RId,PNumber,Hours)AS SELECTW.RId,P.Number,W.Hours CREATEVIEWARRT ASSELECT*FROMA; WHEREP.Name=PNumber.Name; FROMW,PRTNP P.Name,PNumber.Number,P.Contractor WHEREW.PName=P.Name; FROMP,PNumber SELECT*FROMWRRT SELECTRId,PNumberFROMWRRT {Vericac~aodaadequac~ao SELECTNumberFROMPRRT WHERENOTEXISTS(SELECT*FROMPRRT GROUPBYRId,PNumber HAVINGCOUNT(*)>1; GROUPBYNumber P,criarasrepresentac~oesrelacionaistransitoriasdosesquemasdeentidadeerelacionamentodo criarecarregaratabeladevalorac~aoparaoatributonumberadicionadoaoesquemadeentidade Notequeessescomandoscorrespondem,respectivamente,aoscomandosnecessariospara Figura8:Comandosdevericac~aodaadequac~ao. WHEREWRRT.PNumber=PRRT.Number); quecorrespondemapartedoplanodereprojetoresponsavelpormodicaroesquemainformix novoesquemaer,evericarseessasrepresentac~oesrelacionaistransitoriassatisfazemasnovas originalgerandoumesquemainformixconsistentecomonovoesquemaers'e. f(figura3(b))ef'(figura7(b)),aferramentageraoscomandosmostradosnafigura9, restric~oesdeintegridadedenidas Reestruturac~aodoesquemaInformix ComparandoosgrafosERg(Figura3(a))eg'(Figura7(a))easorestasdecolapsamento

12 CREATETABLEWCLP( HoursintegerNOTNULL, RIdchar(4)NOTNULL, PNumberintegerNOTNULL, PRIMARYKEY(RId,PNumber) CONSTRAINTPKW); ALTERTABLEPCLPADD (NumberintegerDEFAULT9NOTNULL); ALTERTABLEECLPDROP CONSTRAINTDIFKWP; ALTERTABLEPCLPDROP CONSTRAINTPKP; ALTERTABLEPCLPADD CONSTRAINTPRIMARYKEY(Number) CONSTRAINTPKP; ALTERTABLEECLPDROP CONSTRAINTDNW1; ALTERTABLEECLPDROP CONSTRAINTDNW2; DROPVIEWP; CREATEVIEWPAS SELECTNumber,Name,Contractor FROMPCLP; DROPVIEWW; CREATEVIEWWAS SELECTRId,PNumber,Hours FROMWCLP; ALTERTABLEWCLPADD CONSTRAINTFOREIGNKEY(PNumber) REFERENCESPCLP(Number) CONSTRAINTDIFKWP; CREATETRIGGERDIUPR UPDATEOFDegreeONECLP REFERENCINGOLDASpre NEWASpost FOREACHROWWHEN (pre.degreeisnotnulland post.degreeisnulland EXISTS(SELECT*FROMW WHEREpre.Id=W.RId)) (EXECUTEPROCEDUREErroDIOP()); CREATETRIGGERDIWR UPDATEOFRIdONWCLP REFERENCINGNEWASpost FOREACHROW WHEN(post.RIdISNOTNULLAND (NOTEXISTS(SELECT*FROMR WHEREpost.RId=R.Id))) (EXECUTEPROCEDUREErroDIOP()); CREATETRIGGERDIW INSERTONWCLP REFERENCINGNEWASpost FOREACHROW WHEN((post.RIdISNOTNULLAND NOTEXISTS(SELECT*FROMR WHEREpost.RId=R.Id))) (EXECUTEPROCEDUREErroDIOP()); ALTERTABLEWCLPADD CONSTRAINTFOREIGNKEY(RId) REFERENCESECLP(Id) CONSTRAINTDIFKWR; ALTERTABLEECLPDROP(PName,Hours); Figura9:Comandosdereestruturac~aodoesquemaInformix. ObservequeessescomandoscriamumanovatabelaWCLPcorrespondenteaarvorede raizwdef',alteramadenic~aodastabelaspclpeeclpdeacordocomasmodicac~oes feitasnoesquemaereatualizamasrepresentac~oesrelacionaisdewep.notequeoscomandos CREATETRIGGERcorrespondemaosgatilhosquecomplementamaimplementac~aodasnovas DIsgeradas,conformediscutidonaSess~ao MapeamentodeInst^anciasparaaNovaRepresentac~aoRelacional ConsidereosgrafosERg(Figura3(a))eg'(Figura7(a))easorestasdecolapsamentof (Figura3(b))ef'(Figura7(b)).AferramentageraoscomandosmostradosnaFigura10.O comandoinsertcorrespondeaumaoperac~aodemovimentac~aodeinst^anciasenquantoqueo comandoupdatecorrespondeaumaoperac~aodeajustedeinst^ancias. SELECTNumber,Name FROMPRRTINTOTEMPTab1; UPDATEPCLPSET (Number)=((SELECTNumberFROMTab1 WHEREPCLP.Name=Tab1.Name)); DROPTABLETab1; INSERTINTO WCLP(RId,PNumber,Hours) SELECTRId,PNumber,Hours FROMWRRT; Figura10:ComandosdeMapeamento.

13 5Conclus~oes Apresentamosnesteartigoumaferramentaparaprojeto/reprojetodebancodedadosrelacionais quefoidesenvolvidacombasenometodopropostoem[catl90,catl93].aferramenta, geraumasequ^enciadecomandosdaldd/lmddosistemainformixqueconstituemumplano dereprojetoparareestruturac~aodobancodedados. denominadadb-tool,implementaosalgoritmosdescritosem[silv95]eutilizacomosgbd textual.dessaforma,umaextens~aoimportanteseriaacriac~aodeumainterfacegracaque alvoosistemainformix.nafasedeprojeto,aferramentarecebecomoentradaumesquema correspondentearepresentac~aorelacionalotimizadadese.nafasedereprojeto,aferramenta possibilitasseaoprojetistacriaremodicaroesquemaereinteragircomosresultadosobtidos recebecomoentradaumalistadecomandosdereprojetoespecicandomodicac~oessobrese,e ERSEegeraumasequ^enciadecomandosnaLDDdosistemaInformixparacriaroesquema pelaaplicac~aodometodo. Navers~aoatual,aferramentarecebeoesquemaEReoscomandosdereprojetoemformato comometodoadotado,todoprocessodeprojeto/reprojetodeumbancodedadoseefetuado senvolvimentodessasvers~oes,n~aoenecessarioimplementarnovamentetodaaferramenta,mas apenasosmodulosquegeramoscomandosdaldd/lmddosistemaalvo,jaque,deacordo outrossgbdsrelacionais,taiscomooracleedb2.eimportanteobservarque,paraode- manipulando-seestruturasindependentesdecaractersticasdeimplementac~ao,ques~aoografo EReaorestadecolapsamento[Silv95,SiLC96]. Finalmente,eimportanteressaltarqueaimplementac~aodessaferramentaparaumSGBD Outraextens~aopoderiaserodesenvolvimentodevers~oesespeccasdaferramentapara relacionalcomercialdemonstrouaaplicac~aopraticadometododeprojeto/reprojetoproposto em[catl90,catl93]edetalhadoem[silv95].nestecontexto,destacaramosasestrategias deintegridadereferencial,gatilhosecondic~oesdevericac~ao(clausulascheck),mecanismos propostasparaimplementac~aodasdepend^enciasdeinclus~aoedenulosatravesderestric~oes Refer^encias [AlAL85]Albano,A.,deAntonellis,V.anddiLeva,A.,Computer-AidedDatabaseDesign:The encontradosnamaioriadossgbdsrelacionaisdisponveiscomercialmente. [Butl96]Butler,B.\ERDiagrammingTools:PowerThroughPerspective",PCMagazine15, [CaTL90]Casanova,M.A.,Tucherman,L.andLaender,A.H.F.\AlgorithmsforDesigningand [BaCN92]Batini,C.,Ceri,S.andNavathe,S.ConceptualDatabaseDesign:AnEntity- RelationshipApproach,BenjaminCummings,SanMateo,California(1992). 10(May1996). DATAIDProjet,North-Holland,Amsterdan(1985). [CaTL93]Casanova,M.A.,Tucherman,L.andLaender,A.H.F.\OntheDesignandMaintenanceofOptimizedRelationalRepresentationsofEntity-RelationshipSchemas", Proc.9thInt'lConf.onEntity-RelationshipApproach-ER'90,Lausanne,Switzerland (Oct.1990). DataandKnowledgeEngineering11,1(1993). MaintainingOptimizedRelationalRepresentationsofEntity-RelationshipSchemas", [Chen76]Chen,P.P.\TheEntity-RelationshipModel:TowardaUniedViewofData",ACM TransactionsonDatabaseSystems1,1(1976).

14 [Fran96]Frank,M.\TheEvolutionofClient/ServerCASE",DBMS9,1(Jan.1996). [Ferr97]Ferreira,A.A.\UmaFerramentaparaProjetoeReprojetodeBancosdeDados [ElNa94]Elmasri,R.andNavathe,S.FundamentalsofDatabaseSystems,2ndEd.,Benjamin [HEH+94]Hainaut,J.L.,Englebert,V.,Henrard,J.,Hick,J.M.andRoland,D.\Database UFMG,BeloHorizonte(Mar.1997). Cummings,SanMateo,California(1994). Relacionais",Dissertac~aodeMestrado,DepartamentodeCi^enciadaComputac~ao, [Info91]InformixGuidetoSQL,ReferenceManual,InformixSoftware,Inc(1991). [MaSh92]Markowitz,V.M.andShoshani,A.\RepresentingExtendedEntity-Relationship Evolution:theDB-MAINApproach",Proc.13thConf.ontheEntity-Relationship [MaSh94]Markowitz,V.M.andShoshani,A.\AnOverviewoftheLawrenceBerkeleyLa- Approach,Manchester,UK(Dec.1994). DatabaseSystems17,3(Sept.1992). StructuresinRelationalDatabases:aModularApproach",ACMTransactionson [Silv95]Silva,A.S.\UmaContribuic~aoparaoProblemadeManutenc~aodeRepresentac~oes [SiLC94]Silva,A.S.,LaenderA.H.F.,CasanovaM.A.\SobreaManutenc~aodaCorrec~ao BrasileirodeBancodeDados,S~aoCarlos,Brasil(Set.1994). Sem^anticadeRepresentac~oesRelacionaisdeEsquemasER",Anaisdo9.Simposio RelationshipApproach,Manchester,UK(Dec.1994). boratoryextendedentity-relationshiptools",proc.13thint'lconf.onentity- [TeYF86]Teorey,T.J.,Yang,D.andFry,J.P.\ALogicalDesignMethodologyforRelational [SiLC96]Silva,A.S.,Laender,A.H.F.andCasanova,M.A.\AnApproachtoMaintaining Int'lConf.onConceptualModeling-ER'96,Cottbus,Germany(Oct.1996). OptimizedRelationalRepresentationsofEntity-RelationshipSchemas",Proc.15th RelacionaisOtimizadasdeEsquemasEntidade-Relacionamento",Dissertac~aodeMestrado,DepartamentodeCi^enciadaComputac~ao,UFMG,BeloHorizonte(Fev.1995). DatabaseusingtheExtendedEntity-RelationshipModel",ACMComputingSurvey 18,2(June1986).

ASOCIACIÓN CLUBS BALONCESTO TEMPORADA 2014/2015 CALENDARIO LIGA REGULAR EQUIPOS PARTICIPANTES RIO NATURA MONBUS OBRADOIRO HERBALIFE GRAN CANARIA

ASOCIACIÓN CLUBS BALONCESTO TEMPORADA 2014/2015 CALENDARIO LIGA REGULAR EQUIPOS PARTICIPANTES RIO NATURA MONBUS OBRADOIRO HERBALIFE GRAN CANARIA ASOCIACIÓN CLUBS BALONCESTO TEMPORADA 2014/2015 CALENDARIO LIGA REGULAR EQUIPOS PARTICIPANTES JORNADA 1 : 04-05 OCT. 2014 JORNADA 2 : 11-12 OCT. 2014 JORNADA 3 : 18-19 OCT. 2014 JORNADA 4 : 25-26 OCT.

Leia mais

PLANEJAMENTO DE AULA ANUAL 2016 Série: 8º Ano A e B. Matéria (Arte Plástica e Teatro) 1-Feb 2-Feb 3-Feb 4-Feb 5-Feb

PLANEJAMENTO DE AULA ANUAL 2016 Série: 8º Ano A e B. Matéria (Arte Plástica e Teatro) 1-Feb 2-Feb 3-Feb 4-Feb 5-Feb 1-Feb 2-Feb 3-Feb 4-Feb 5-Feb 8-Feb 9-Feb 10-Feb 11-Feb 12-Feb CARNAVAL 15-Feb 16-Feb 17-Feb 18-Feb 19-Feb 22-Feb 23-Feb 24-Feb 25-Feb 26-Feb 29-Feb 1-Mar 2-Mar 3-Mar 4-Mar 7-Mar 8-Mar 9-Mar 10-Mar 11-Mar

Leia mais

Termo de Referência. Contexto. Objetivo. Atividades

Termo de Referência. Contexto. Objetivo. Atividades Contexto Termo de Referência Consultor de Monitoramento Socioeconômico para Projeto de Conservação da Biodiversidade Wildlife Conservation Society, Programa Brasil (WCS Brasil), Manaus, Amazonas, Brasil

Leia mais

1 day Fri 08/04/11 Fri 08/04/11 Brunno Henrique;Cleon Xavier;Douglas Task

1 day Fri 08/04/11 Fri 08/04/11 Brunno Henrique;Cleon Xavier;Douglas Task ID Name Duration Start Finish Resource Names Predecessors 27 Feb '11 06 Mar '11 13 Mar '11 Mode T F S S M T W T F S S M 1 Escopo 137 days Fri 04/03/11 Fri 09/09/11 Brunno Henrique;Cleon Xavier;Douglas

Leia mais

É a resposta à execução, sob demanda do operador, do seguinte comando CHM : DISPLAY-NSCLOG-FILECHAR

É a resposta à execução, sob demanda do operador, do seguinte comando CHM : DISPLAY-NSCLOG-FILECHAR Gestão do Sistema RRN 05437 Condição de Ativação da Mensagem É a resposta à execução, sob demanda do operador, do seguinte comando CHM : CRN 5711 DISPLAY-NSCLOG-FILECHAR DOCC: MMCC: CYB3WH02 B6P7WH02 000119

Leia mais

Programação para Android. Aula 05: Estilos e temas; galeria de imagens

Programação para Android. Aula 05: Estilos e temas; galeria de imagens Programação para Android Aula 05: Estilos e temas; galeria de imagens Objetivos Aplicar estilos e temas Criar uma galeria de imagens com o widget Gallery Parte 01: Estilos e temas Interface de Usuários

Leia mais

Economia Brasileira: Perspectivas para os próximos 10 anos

Economia Brasileira: Perspectivas para os próximos 10 anos Economia Brasileira: Perspectivas para os próximos 10 anos Conjuntura Economia Americana Crescimento e Mercado de trabalho PIB EUA (%) 11 Desemprego EUA 5,0 4,0 3,0 2,0 1,0 0,0 1,6 3,9 2,8 2,8 3,2 1,4

Leia mais

Grupo de Trabalho da Soja Moratória da Soja no Bioma Amazônia Brasileiro

Grupo de Trabalho da Soja Moratória da Soja no Bioma Amazônia Brasileiro Grupo de Trabalho da Soja Moratória da Soja no Bioma Amazônia Brasileiro Um iniciativa multistakeholder de sucesso no combate ao desflorestamento Carlo Lovatelli Presidente - ABIOVE Copenhagen, Denmark

Leia mais

Modelagem de Banco de Dados através do ERwin

Modelagem de Banco de Dados através do ERwin Modelagem de Banco de Dados através do ERwin Introdução O Erwin é uma ferramenta CASE para a modelagem de banco de dados através do modelo ER (Entidade-Relacionamento). Possibilita uma maior concentração

Leia mais

Fundos de Investimento Imobiliário Negociação Mercado Secundário. Maio 2011

Fundos de Investimento Imobiliário Negociação Mercado Secundário. Maio 2011 Fundos de Investimento Imobiliário Negociação Mercado Secundário Maio 2011 4 Agenda Introdução Ambientes de Negociação Panorama do Mercado Liquidez Precificação Conclusões 2 4 Introdução Patrimônio Líquido

Leia mais

Agenda Elétrica Sustentável 2020

Agenda Elétrica Sustentável 2020 Congresso Eficiência Energética Casa Alemã A Casa Ecoeficiente São Paulo, 14 de Abril de 2010 Agenda Elétrica Sustentável 2020 Estudo de Cenários para um Setor Elétrico Brasileiro Eficiente, Seguro e Competitivo

Leia mais

BANCO DE DADOS MODELAGEM ER GENERALIZAÇÃO / ESPECIALIZAÇÃO. Prof.: Jean Carlo Mendes carlomendes@yahoo.com.br http://www.jeancarlomendes.com.

BANCO DE DADOS MODELAGEM ER GENERALIZAÇÃO / ESPECIALIZAÇÃO. Prof.: Jean Carlo Mendes carlomendes@yahoo.com.br http://www.jeancarlomendes.com. BANCO DE DADOS MODELAGEM ER GENERALIZAÇÃO / ESPECIALIZAÇÃO Prof.: Jean Carlo Mendes carlomendes@yahoo.com.br http://www.jeancarlomendes.com.br - Além de relacionamentos e atributos, propriedades podem

Leia mais

Teoria dos Grafos. Edson Prestes

Teoria dos Grafos. Edson Prestes Edson Prestes Grafos Cliques Maximais Para determinar os cliques maximais de um grafo G podemos usar o método de Maghout em Dado o grafo abaixo, calcule Determine os conjuntos independentes maximais em

Leia mais

Deportes. Cultura. Ecoturismo y Aventura. Sol y Playa

Deportes. Cultura. Ecoturismo y Aventura. Sol y Playa Cultura Para aquellos que aman el arte Ecoturismo y Aventura Para aquellos que aman la naturaleza y la adrenalina Deportes Para los amantes de los deportes Sol y Playa Para aquellos que aman el mar. Realmente,

Leia mais

COMO ELABORAR UM TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

COMO ELABORAR UM TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Série: 3º ANO ENSINO MÉDIO MATERIAL COMPLEMENTAR COMO ELABORAR UM TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO São Paulo 2012 1 1. APRESENTAÇÃO GRÁFICA: Todo trabalho escolar deve conter impressão de boa qualidade,

Leia mais

Daniel Latorraca Ferreira

Daniel Latorraca Ferreira Daniel Latorraca Ferreira Os desafios das diversificação Custos e DRE das URTEs Primeira análises de viabilidade econômica Considerações Finais Os desafios da diversificação Novos mercados 1 - Análise

Leia mais

Manual para criar uma rede bayesiana utilizando a shell Netica.

Manual para criar uma rede bayesiana utilizando a shell Netica. Manual para criar uma rede bayesiana utilizando a shell Netica. Uma rede bayesiana tem uma arquitetura de um grafo acíclico, onde os nós representam as variáveis (de entrada e de saída) que se interrelacionam

Leia mais

Entendendo o OpenLDAP. Por GABRIEL STEIN

Entendendo o OpenLDAP. Por GABRIEL STEIN Por GABRIEL STEIN CONCEITOS ABORDADOS Conceito de diretório / Serviço de diretório Organização Hierárquica - Árvore LDAP Histórico Características Atributos ObjectClasses Schemas Entrada DNs Arquivos LDIF

Leia mais

Sistema de Informações Gerenciais do Interlegis APO-CASA

Sistema de Informações Gerenciais do Interlegis APO-CASA Produto II Sistema de Informações Gerenciais do Interlegis APO-CASA Guilherme Mesquita Gondim Contrato N : 2008/000471 Sumário 1 Introdução 1 2 Informações gerais 2 2.1 SIGI................................

Leia mais

Capítulo 4. Packages e interfaces

Capítulo 4. Packages e interfaces Capítulo 4. Packages e interfaces 1/17 Índice Indice 4.1 - Package 4.2 - Interface 2/17 Índice 4.1 Package 4.1 - Package 4.2 -- Interface 3/17 4.1 Package Package ou pacote está para o Java como as directorias

Leia mais

Definição e Conceitos Básicos

Definição e Conceitos Básicos Definição e Conceitos Básicos Grafos e Algoritmos Computacionais Prof. Flávio Humberto Cabral Nunes fhcnunes@yahoo.com.br 1 Conceitos Básicos Em grafos ocorrem dois tipos de elementos: Vértices ou nós;

Leia mais

COBERTURA EM UMA REDE DE SENSORES SEM FIO

COBERTURA EM UMA REDE DE SENSORES SEM FIO COBERTURA EM UMA REDE DE SENSORES SEM FIO Vivian Lúcia Bittencourt Drumond Universidade Presidente Antônio Carlos Rodovia MG 368 KM 12 Colônia Rodrigo Silva Barbacena Minas Gerais Brasil viviandrumond@yahoo.com.br

Leia mais

PREVISÃO EVOLUTIVA DE CARGA INCLUINDO A ANÁLISE DE RISCOS

PREVISÃO EVOLUTIVA DE CARGA INCLUINDO A ANÁLISE DE RISCOS PREVISÃO EVOLUTIVA DE CARGA INCLUINDO A ANÁLISE DE RISCOS Leontina Pinto ENGENHO Luiz Macêdo ENGENHO Jacques Szczupak ENGENHO Elias Albarello ELETROPAULO Débora Tortelli - CPFL 1 INTRODUÇÃO Dez 00/Jan

Leia mais

Demandas de pesquisas para viabilizar o manejo florestal sustentável nas Unidades de Conservação Estaduais UCE do Amazonas

Demandas de pesquisas para viabilizar o manejo florestal sustentável nas Unidades de Conservação Estaduais UCE do Amazonas Demandas de pesquisas para viabilizar o manejo florestal sustentável nas Unidades de Conservação Estaduais UCE do Amazonas COntribuição no seminário Mercado de oportunidades para o conhecimento das UCE

Leia mais

Persistindo dados com TopLink no NetBeans

Persistindo dados com TopLink no NetBeans Persistindo dados com TopLink no NetBeans O que é TopLink? O TopLink é uma ferramenta de mapeamento objeto/relacional para Java. Ela transforma os dados tabulares de um banco de dados em um grafo de objetos

Leia mais

Matemática Discreta. Leandro Colombi Resendo. Matemática Discreta Bacharel em Sistemas de Informações

Matemática Discreta. Leandro Colombi Resendo. Matemática Discreta Bacharel em Sistemas de Informações Matemática Discreta Leandro Colombi Resendo Grafos e Árvores Grafos e Suas Representações Árvores e suas Representações Árvores de Decisão Códigos de Huffman Definição: Uma árvore é um grafo conexo acíclico

Leia mais

TECINBASE.COM.BR. Migrando Active Directory windows 2003 to 2008

TECINBASE.COM.BR. Migrando Active Directory windows 2003 to 2008 TECINBASE.COM.BR Migração Active Directory 2003 to 1 ÍNDICE 1 Overview... 3 1.1 Informações do documento... 3 2 Escopo do documento.... 4 3 Preparando domínio e Floresta... 4 3.1 Rodando os comandos....

Leia mais

Conceito Básicos da Teoria de Grafos

Conceito Básicos da Teoria de Grafos 1 Conceito Básicos da Teoria de Grafos GRAFO Um grafo G(V,A) é definido pelo par de conjuntos V e A, onde: V - conjunto não vazio: os vértices ou nodos do grafo; A - conjunto de pares ordenados a=(v,w),

Leia mais

Inovação em Saúde. A Tecnologia da Informação e a excelência da gestão

Inovação em Saúde. A Tecnologia da Informação e a excelência da gestão Inovação em Saúde A Tecnologia da Informação e a excelência da gestão Big Data e Health Analytics Dr. Bento de Toledo A SAÚDE NO BRASIL NUNCA MAIS SERÁ A MESMA PRIMEIRA REVOLUÇÃO SERÁ TECNOLÓGICA A SEGUNDA

Leia mais

ACL Linux. O que são ACLs e por que usá-las?

ACL Linux. O que são ACLs e por que usá-las? ACL Linux O que são ACLs e por que usá-las? Motivação Unix utiliza um sistema de arquivo simples, mas poderoso Permissões para o dono, grupo do dono e demais Cada um possui 3 bits (r, w, x) 2 O que é ACL

Leia mais

TEMPORADA 2016/2017 CALENDARIO LIGA REGULAR EQUIPOS PARTICIPANTES. Iberostar Tenerife. Laboral Kutxa Baskonia. JORNADA 1 : oct 2016

TEMPORADA 2016/2017 CALENDARIO LIGA REGULAR EQUIPOS PARTICIPANTES. Iberostar Tenerife. Laboral Kutxa Baskonia. JORNADA 1 : oct 2016 TEMPORADA 2016/2017 CALENDARIO LIGA REGULAR EQUIPOS PARTICIPANTES Descansa: JORNADA 1 : 01-02 oct 2016 Descansa: JORNADA 2 : 07 oct 2016 Descansa: JORNADA 3 : 09 oct 2016 Descansa: JORNADA 4 : 15-16 oct

Leia mais

Composição da atmosfera; Nitrogênio (78%); Oxigênio (21%); Outros Gases (1%)

Composição da atmosfera; Nitrogênio (78%); Oxigênio (21%); Outros Gases (1%) O CLIMA MUNDIAL E BRASILEIRO A Atmosfera Composição da atmosfera; Nitrogênio (78%); Oxigênio (21%); Outros Gases (1%) As camadas da atmosfera: Troposfera; Estratosfera; Mesosfera; Ionosfera; Exosfera.

Leia mais

RELAÇÃO DOS PROCESSOS REGISTRADOS POR ORDEM DE PRIORIDADE DE ATENDIMENTO

RELAÇÃO DOS PROCESSOS REGISTRADOS POR ORDEM DE PRIORIDADE DE ATENDIMENTO 1 201500009 FACULDADE DE DIREITO DE ALTA FLORESTA 2 201500010 FACULDADE DE COLIDER 3 201500011 FACULDADE DE COLIDER 4 201500012 FACULDADE DE COLIDER 5 201500013 FACULDADE DE COLIDER 6 201500014 FACULDADE

Leia mais

Concurso Logotipo do Curso de Tecnologia em Sistemas para Internet

Concurso Logotipo do Curso de Tecnologia em Sistemas para Internet Concurso Logotipo do Curso de Tecnologia em Sistemas para Internet Prezados, Seguem, o Logotipos pré-selecionados para votação. Analisem cada imagem bem como sua descrição e envie um e-mail contendo a

Leia mais

Setembro/2007 MACROECONOMIA, POLÍTICA, SETORIAL E PROJETOS

Setembro/2007 MACROECONOMIA, POLÍTICA, SETORIAL E PROJETOS Setembro/2007 ! " # $ % " &'( " % # ) % * ) + ",, % ) -.,, + -! 2.0% 1.8% 1.6% 1.4% 1.2% 1.0% 0.8% 0.6% 0.4% 0.2% 0.0% / Dow Jones S&P 500 Jan-07 Jan-07 Jan-07 Feb-07 Feb-07 Mar-07 Mar-07 Apr-07 Apr-07

Leia mais

PROGRAMA/REFERENCIAL DO CURSO

PROGRAMA/REFERENCIAL DO CURSO Nome do curso Auditores Florestais PEFC e FSC Horário Designação e código UFCD Não aplicável Duração 09.00 às 19.00 horas 10.00 às 18.00 horas 87 horas Formador/a,, Luís Janicas, Paula Salazar, e Modalidade

Leia mais

10. Acessando o Banco de Dados através do Visual Basic

10. Acessando o Banco de Dados através do Visual Basic 10. Acessando o Banco de Dados através do Visual Basic Para acessar o Banco de Dados através do Visual Basic, pode ser utilizado dois métodos diferentes: 10.1 DAO ADO - ActiveX Data Objects DAO - Data

Leia mais

GUIA PARA NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ESCOLARES ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

GUIA PARA NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ESCOLARES ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO GUIA PARA NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ESCOLARES ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO Apresentação Como forma de orientar nossos alunos na realização das atividades de pesquisa enviadas para casa ou realizadas em equipe

Leia mais

External Milestone. Manual Summary Rollup Split. Inactive Task. Start-only Finish-only Project Summary. Inactive Milestone Inactive Summary

External Milestone. Manual Summary Rollup Split. Inactive Task. Start-only Finish-only Project Summary. Inactive Milestone Inactive Summary ID Name Duration Start Finish Predecessors Resource Names Mode 1 Site 85 days Wed 10/08/11Tue 06/12/11 2 Criação do site da empressa 2 days Wed 10/08/11Thu 11/08/11 Taísa[10%];Lorena 3 Atualização constante

Leia mais

Ciclo de seminários A política ambiental no sistema fiscal português

Ciclo de seminários A política ambiental no sistema fiscal português 5º Seminário A Política Ambiental no Sector Energético Português 3 de Julho de 2008 Energia: até onde poderemos ir? Ano: %PIBpm 2004 : 2.8 2005 : 3.8 2006 : 3.9 2007 : 4.0 % PIBpm 12 10 8 6 4 Guerra Israelo-Árabe

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO Análise e Síntese de Algoritmos. RESOLUÇÃO DA REPESCAGEM DO 1 o TESTE

INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO Análise e Síntese de Algoritmos. RESOLUÇÃO DA REPESCAGEM DO 1 o TESTE INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO Análise e Síntese de Algoritmos Ano Lectivo de 00/006 o Semestre RESOLUÇÃO DA REPESCAGEM DO o TESTE I. (,+,+,0 =,0 val.) ) Considere o seguinte grafo. d f i l a c g h b e j k

Leia mais

CAP4. ELEMENTOS DA TEORIA DE GRAFOS. Grafo [graph]. Estrutura que consiste num par ordenado de conjuntos, G ( V, E) , sendo:

CAP4. ELEMENTOS DA TEORIA DE GRAFOS. Grafo [graph]. Estrutura que consiste num par ordenado de conjuntos, G ( V, E) , sendo: Matemática Discreta ESTiG\IPB Cap4. Elementos da Teoria de Grafos pg 1 CAP4. ELEMENTOS DA TEORIA DE GRAFOS Grafo [graph]. Estrutura que consiste num par ordenado de conjuntos, G ( V, E), sendo: Exemplos

Leia mais

Universidade de Pernambuco Escola Politécnica de Pernambuco. Ciclo Profissional. Banco de Dados NF

Universidade de Pernambuco Escola Politécnica de Pernambuco. Ciclo Profissional. Banco de Dados NF Universidade de Pernambuco Escola Politécnica de Pernambuco Ciclo Profissional Banco de Dados NF Projeto de Banco de Dados Parking Manager Recife, maio de 2012. Projeto realizado pelos discentes André

Leia mais

Design de Software e Projeto Arquitetural de Software. Prof. Edison A M Morais http://www.edison.eti.br prof@edison.eti.br

Design de Software e Projeto Arquitetural de Software. Prof. Edison A M Morais http://www.edison.eti.br prof@edison.eti.br Design de Software e Projeto Arquitetural de Software Prof. Edison A M Morais http://www.edison.eti.br prof@edison.eti.br Agenda 1. Contexto da Arquitetura e Projeto de Software 2. Definição de Arquitetura

Leia mais

Exercícios Respondidos by Jeiks

Exercícios Respondidos by Jeiks Exercícios Respondidos by Jeiks 1. Defina Unix Epoch. A Era UNIX ou Posix Time ou Unix epoch ou Unix Timestamp teve início no dia a 1 de janeiro de 19701. O nome se deve ao fato de esta data, dia 1 de

Leia mais

BACTOCOUNT IBC INSTRUÇÃO DE TRABALHO PARA LIMPEZA DO BANCO DE DADOS

BACTOCOUNT IBC INSTRUÇÃO DE TRABALHO PARA LIMPEZA DO BANCO DE DADOS BACTOCOUNT IBC PARA LIMPEZA DO BANCO DE DADOS N o Descrição Prep. Aprov. Data REVISÕES Elaborador SAMUEL Verificador RAFAEL Aprovado RAFAEL Rafael Castilha Data NOV/10 N o DOCUMENTO Resp. Técnico CREA

Leia mais

IECLB worship & pastoral services during FIFA 2014

IECLB worship & pastoral services during FIFA 2014 IECLB worship & pastoral services during FIFA 2014 City Church Parish Manaus Comunidade Evangélica de Confissão Luterana de Manaus Manaus Comunidade Evangélica de Confissão Luterana de Manaus Cuiabá and

Leia mais

Criação e impressão R$ Forneceodres

Criação e impressão R$ Forneceodres Mês Meios de Comunicação Jornais R$ 27.454,05 Rádio R$ 13.974,12 Internet R$ 19.075,52 Cinema R$ 107.692,00 Revista R$ 23.885,85 Diagramação R$ 6.344,00 Criação e impressão R$ 7.207,60 1.935,40 jan/14

Leia mais

POSITIONS BLOGGER.COM. Jul'14 Aug'14 Sep'14 Oct'14 Nov'14 Dec'14 Jan'15 Feb'15 Mar'15 Apr'15 May'15 Jun'15

POSITIONS BLOGGER.COM. Jul'14 Aug'14 Sep'14 Oct'14 Nov'14 Dec'14 Jan'15 Feb'15 Mar'15 Apr'15 May'15 Jun'15 BLOGGE.COM Visão geral Database: Google Brazil Date: 03 Jun 2015 (live) Visão Global Banco de dados SEMrush rank 978 Tráfego orgânico 396,756 Preço tráfego orgânico $280,166 Tráfego Ads 0 Preço tráfego

Leia mais

Universidade de São Paulo São Carlos, SP Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação. SSC0206 1/2010 Introdução à Compilação

Universidade de São Paulo São Carlos, SP Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação. SSC0206 1/2010 Introdução à Compilação Universidade de São Paulo São Carlos, SP Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação SSC0206 1/2010 Introdução à Compilação Trabalho 3: Analisador Semântico e Gerador de Código Prof. Dr. Thiago A.

Leia mais

CAPÍTULO 2. Grafos e Redes

CAPÍTULO 2. Grafos e Redes CAPÍTULO 2 1. Introdução Um grafo é uma representação visual de um determinado conjunto de dados e da ligação existente entre alguns dos elementos desse conjunto. Desta forma, em muitos dos problemas que

Leia mais

Estudo de Viabilidade Económico-Financeira

Estudo de Viabilidade Económico-Financeira Departamento de Planeamento e Controlo Estudo de Viabilidade Económico-Financeira Fábrica Gelo-Puro (Luanda) Inferência Consultores de Negócio e Gestão Lisboa: Anexo ao Centro de Congressos de Lisboa -

Leia mais

Lig@dos para um ensino melhor

Lig@dos para um ensino melhor Conhecer e partilhar para inovar na Educação Alexandre Martins Lima alima@anpri.pt Ana Paula Jacinto Ferreira apjferreira@anpri.pt Associação Nacional de Professores de Informática Associação Nacional

Leia mais

A floresta de araucária é colocada no mercado da madeira

A floresta de araucária é colocada no mercado da madeira A floresta de araucária é colocada no mercado da madeira . Proprietários Capital Força Valor da Francisco Azevedo Muller Amazonas A. Marcondes Produção Nº. de operários 14:000$ 9 C. V. 10:000$000 5 18:000$

Leia mais

EDV (Estruturas de Dados com Vetores) um protótipo de aplicativo Educacional

EDV (Estruturas de Dados com Vetores) um protótipo de aplicativo Educacional EDV (Estruturas de Dados com Vetores) um protótipo de aplicativo Educacional Luis Arturo Pérez Lozada 1 1 Centro de Matemática, Computação e Cognição Universidade Federal do ABC CEP 09210-580 Santo André

Leia mais

Contrato de manutenção do Portal do Extrativismo e do Portal da Madeira Manejada

Contrato de manutenção do Portal do Extrativismo e do Portal da Madeira Manejada Contrato de manutenção do Portal do Extrativismo e do Portal da Madeira Manejada Prestação de serviço Termos de Referência e Contrato julho de 2008 Projeto Floresta Viva GRET 1/5 ÍNDICE 1. CONTEXTO...

Leia mais

WORLD CUP BRAZIL 2014

WORLD CUP BRAZIL 2014 WORLD CUP BRAZIL 2014 Match Date Match Stadium City Cat 1 Cat 2 Cat 3/4 VIP 1 12 jun Brazil vs. Croatia Arena De São Paulo Sao Paulo $2,900 $2,500 $1,800 2 13 jun Mexico vs. Cameroon Estadio Das Dunas

Leia mais

Curso para Lideranças Comunitárias sobre. Pagamentos por Serviços Ambientais (PSA) e. Redução das Emissões do Desmatamento e Degradação (REDD)

Curso para Lideranças Comunitárias sobre. Pagamentos por Serviços Ambientais (PSA) e. Redução das Emissões do Desmatamento e Degradação (REDD) Curso para Lideranças Comunitárias sobre Pagamentos por Serviços Ambientais (PSA) e Redução das Emissões do Desmatamento e Degradação (REDD) Rio Branco, Acre, Brazil 16-20 Ago ELTI is a joint initiative

Leia mais

ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO CONTEÚDO 4 GENERALIZAÇÃO E ENTIDADE ASSOCIATIVA. Prof. Msc. Ricardo Antonello BANCO DE DADOS I

ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO CONTEÚDO 4 GENERALIZAÇÃO E ENTIDADE ASSOCIATIVA. Prof. Msc. Ricardo Antonello BANCO DE DADOS I ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO BANCO DE DADOS I CONTEÚDO 4 GENERALIZAÇÃO E ENTIDADE ASSOCIATIVA Prof. Msc. Ricardo Antonello Generalizaçao ou especialização Além de relacionamentos e atributos, propriedades

Leia mais

DHL GLOBAL FORWARDING

DHL GLOBAL FORWARDING DHL GLOBAL FORWARDING Plano de Contingência World Cup 2014 Name of the presenter 1 DHL Global Forwarding Brazil 2014 V1.0 PLANO DE CONTINGÊNCIA WORLD CUP 2014 - BRASIL Apresentação das ações internas desenvolvidas

Leia mais

Edificação e Urbanização na Região Norte

Edificação e Urbanização na Região Norte Edificação e Urbanização na Região Norte (Mapa da Situação Urbanística Existente - MSUE) Nota MetodoLogica Última actualização: 30-NOV-2011 A Introdução e aspectos genéricos sobre o produto MSUE Categorias

Leia mais

Moderador: Prof. Dr. Dorel Soares Ramos / Escola Politécnica da USP

Moderador: Prof. Dr. Dorel Soares Ramos / Escola Politécnica da USP Mesa Redonda 1: Modelo de Planejamento Energético PL Dual Estocástico e a definição de Preços de Mercado num Sistema Elétrico cuja Matriz Energética Nacional caminha fortemente para a diversificação Moderador:

Leia mais

BANCO DE DADOS GEOGRÁFICOS E WEBMAPPING. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

BANCO DE DADOS GEOGRÁFICOS E WEBMAPPING. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza BANCO DE DADOS GEOGRÁFICOS E WEBMAPPING Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza 1 BDGEO E WEBMAPPING Dado geográfico Visões dos dados geográficos Exemplos de SIGs DADO GEOGRÁFICO Dado

Leia mais

Concurso Logotipo do Curso de Tecnologia em Sistemas para Internet. Segue, o Logotipo colorido, preto e branco e uma breve explicação de cada um.

Concurso Logotipo do Curso de Tecnologia em Sistemas para Internet. Segue, o Logotipo colorido, preto e branco e uma breve explicação de cada um. Concurso Logotipo do Curso de Tecnologia em Sistemas para Internet Prezados, Segue, o Logotipo colorido, preto e branco e uma breve explicação de cada um. LOGOTIPO - 01 DESCRIÇÃO: Com apelo visual forte,

Leia mais

Teoria dos Grafos. Aula 5 - Estruturas de Dados para Grafos. Profª. Alessandra Martins Coelho. março/2013

Teoria dos Grafos. Aula 5 - Estruturas de Dados para Grafos. Profª. Alessandra Martins Coelho. março/2013 Teoria dos Grafos Aula 5 - Estruturas de Dados para Grafos Profª. Alessandra Martins Coelho março/2013 Estrutura é o que caracteriza o próprio grafo e independe da forma como ele é representado. A representação

Leia mais

7 - Análise de redes Pesquisa Operacional CAPÍTULO 7 ANÁLISE DE REDES. 4 c. Figura 7.1 - Exemplo de um grafo linear.

7 - Análise de redes Pesquisa Operacional CAPÍTULO 7 ANÁLISE DE REDES. 4 c. Figura 7.1 - Exemplo de um grafo linear. CAPÍTULO 7 7 ANÁLISE DE REDES 7.1 Conceitos Básicos em Teoria dos Grafos Diversos problemas de programação linear, inclusive os problemas de transporte, podem ser modelados como problemas de fluxo de redes.

Leia mais

EXPLICAÇÕES DA SEÇÃO B 1 B

EXPLICAÇÕES DA SEÇÃO B 1 B EXPLICAÇÕES DA SEÇÃO B 1 B Os instantes do nascer, passagem meridiana e ocaso dos planetas ( exceto Plutão ), Sol e Lua são apresentados para seis cidades brasileiras : Longitude ( W ) Latitude ( S ) o

Leia mais

II Encontro de Urologia do Sudeste

II Encontro de Urologia do Sudeste II Encontro de Urologia do Sudeste Tratamento expulsivo do cálculo ureteral Dr. Bruno Nahar Serviço de Urologia do Hospital Federal de Bonsucesso INTRODUÇÃO - Litíase urinária acomete aproximadamente 12%

Leia mais

CALENDÁRIO DE TREINAMENTO Janeiro à Julho /15 FY16

CALENDÁRIO DE TREINAMENTO Janeiro à Julho /15 FY16 # Dias Turno Região Mês Início Fim CL210 CL210 CL210/ CL211 CL210/ CL211 CL210/ CL211 CL210/ CL211 CL210/ CL211 CL210/ CL211 CL210/ CL211 CL220/ CL221 JB225 Red Hat OpenStack Administration Red Hat OpenStack

Leia mais

Relatório do Trabalho Final da Disciplina de Engenharia de Software de Componentes

Relatório do Trabalho Final da Disciplina de Engenharia de Software de Componentes Relatório do Trabalho Final da Disciplina de Engenharia de Software de Componentes 1. Proposta de trabalho final: Thiago Coelho Prado Configuração em tempo de compilação de um servidor de imagens médicas

Leia mais

Busca em Árvores ou Grafos

Busca em Árvores ou Grafos Giga Mundo Computação RSS Sobre a Equipe Mais computacao no seu Email! Nosso forum Politica de Privacidade Busca em Árvores ou Grafos Posted by on March 10th, 2009 in Inteligência Artificial StatSoft Data

Leia mais

Pesquisa para a conservaçao do cachorro vinagre (Speothos venaticus) Edson de Souza Lima Instituto Pró-carnívoros

Pesquisa para a conservaçao do cachorro vinagre (Speothos venaticus) Edson de Souza Lima Instituto Pró-carnívoros Pesquisa para a conservaçao do cachorro vinagre (Speothos venaticus) Edson de Souza Lima Instituto Pró-carnívoros Pesquisa para a conservaçao do cachorro vinagre (Speothos venaticus) Nova Xavantina / Água

Leia mais

Presidente do Quality Assurance Institute QAI Brasil Presidente do International Function Point Users Group IFPUG. Definindo e Alcançando Objetivos

Presidente do Quality Assurance Institute QAI Brasil Presidente do International Function Point Users Group IFPUG. Definindo e Alcançando Objetivos Derivação de Métricas para Projetos de BI Mauricio Aguiar ti MÉTRICAS Presidente do Quality Assurance Institute QAI Brasil Presidente do International Function Point Users Group IFPUG www.metricas.com.br

Leia mais

26/08/2013. Árvore. Árvore. Árvore. Floresta :: Exemplo. Floresta ÁRVORES

26/08/2013. Árvore. Árvore. Árvore. Floresta :: Exemplo. Floresta ÁRVORES 2 ÁRVORES Dado um grafo G G é chamado de árvore caso seja não direcionado, conectado e não possua circuitos simples Matemática Discreta Prof. João Paulo Lima Universidade Federal Rural de Pernambuco Departamento

Leia mais

Com Pedido de Compra Sem Pedido de Compra ou Entrada Manual Importando XML enviado do Fornecedor

Com Pedido de Compra Sem Pedido de Compra ou Entrada Manual Importando XML enviado do Fornecedor Movimentos - Entrada de Nota Fiscal Para realizar a entrada de nota fiscal no sistema, verifica-se primeiro as opções, existem vários meios para dar entrada em uma Nota Fiscal: Com Pedido de Compra é quando

Leia mais

Produtos e Serviços Financeiros no Varejo

Produtos e Serviços Financeiros no Varejo Seminário GVcev Produtos e Serviços Financeiros no Varejo Produto Private Label fortalecendo a parceria entre varejo e instituições financeiras Marcelo Noronha Agenda Parceria Produto Private Label Bradesco

Leia mais

OS SETE GRUPOS DE FRISOS

OS SETE GRUPOS DE FRISOS UNIVERSIDADE DOS AÇORES CAMPUS DE ANGRA HEROÍSMO LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO BÁSICA APLICAÇÕES DA MATEMÁTICA ANO LETIVO 2013/2014 OS SETE GRUPOS DE FRISOS Identificação e classificação de frisos da Ilha Terceira

Leia mais

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES Página 1 de 28 Atualização: da poupança jun/81 1 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00 26.708,00-0,000% - 26.708,00 26.708,00 26.708,00 jul/81 2 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00

Leia mais

Redes de Computadores. Camada de Aplicação Teoria de Redes Complexas: Conceitos Básicos em Grafos

Redes de Computadores. Camada de Aplicação Teoria de Redes Complexas: Conceitos Básicos em Grafos Redes de Computadores Camada de Aplicação Teoria de Redes Complexas: Conceitos Básicos em Grafos Introdução Como as coisas estão conectadas? Redes! A network is a set of vertices or nodes provided with

Leia mais

MOQ 43 PESQUISA OPERACIONAL. Professor: Rodrigo A. Scarpel rodrigo@ita.br www.mec.ita.br/~rodrigo

MOQ 43 PESQUISA OPERACIONAL. Professor: Rodrigo A. Scarpel rodrigo@ita.br www.mec.ita.br/~rodrigo MOQ PESQUISA OPERACIONAL Professor: Rodrigo A. Scarpel rodrigo@ita.br www.mec.ita.br/~rodrigo Programa do curso: Semana Conteúdo Apresentação da disciplina. Formulação em programação matemática (PM). Introdução

Leia mais

SISTEMA DE BANCO DE IMAGENS MANUAL DE USO

SISTEMA DE BANCO DE IMAGENS MANUAL DE USO SISTEMA DE BANCO DE IMAGENS MANUAL DE USO Versão: BETA Última atualização: 24/06/2012 Índice O sistema de banco de imagens 03 Pesquisa de fotos 04 Pautas e eventos 08 Cadastro de fotos 09 Edição e indexação

Leia mais

Treinamento para Pais Cidadania digital No Nível Fundamental. Parent Academy Digital Citizenship. At Elementary Level

Treinamento para Pais Cidadania digital No Nível Fundamental. Parent Academy Digital Citizenship. At Elementary Level Parent Academy Digital Citizenship At Elementary Level Treinamento para Pais Cidadania digital No Nível Fundamental Pan American School of Bahia March 18 and 29 April 5 and 18 May 3 and 9 June 6, 2016

Leia mais

Plano de Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento da Amazônia PCTI/Amazônia. Apresentação na Reunião do Confap

Plano de Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento da Amazônia PCTI/Amazônia. Apresentação na Reunião do Confap Desenvolvimento da Amazônia PCTI/Amazônia Apresentação na Reunião do Confap Brasília/DF, 13 de Maio de 2014 Plano de Ação em Ciência, Tecnologia e Inovação para o desenvolvimento da Amazônia Brasileira

Leia mais

POSITIONS BIBLIAONLINE.COM.BR. Jul'14 Aug'14 Sep'14 Oct'14 Nov'14 Dec'14 Jan'15 Feb'15 Mar'15 Apr'15 May'15 Jun'15

POSITIONS BIBLIAONLINE.COM.BR. Jul'14 Aug'14 Sep'14 Oct'14 Nov'14 Dec'14 Jan'15 Feb'15 Mar'15 Apr'15 May'15 Jun'15 Visão geral Database: Google Brazil Date: 03 Jun 2015 (live) Visão Global Banco de dados SEMrush rank 259 Tráfego orgânico 1,606,323 Preço tráfego orgânico $320,640 Tráfego Ads 0 Preço tráfego Ads $0 ar

Leia mais

Crescimento e juros. Roberto Padovani Março 2013

Crescimento e juros. Roberto Padovani Março 2013 Crescimento e juros Roberto Padovani Março 2013 jan-91 dez-91 nov-92 out-93 set-94 ago-95 jul-96 jun-97 mai-98 abr-99 mar-00 fev-01 jan-02 dez-02 nov-03 out-04 set-05 ago-06 jul-07 jun-08 mai-09 abr-10

Leia mais

COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) OUTUBRO/2010

COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) OUTUBRO/2010 PROCEDIMENTOS DE CONFIGURAÇÃO DO AD, DNS E DHCP COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) OUTUBRO/2010 Rua do Rouxinol, N 115 / Salvador Bahia CEP: 41.720-052 Telefone: (71) 3186-0001. Email: cotec@ifbaiano.edu.br

Leia mais

BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE

BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE Boletim Mensal Situação Monetária e Cambial Estudos Económicos Agosto 2015 Índice 1. Situação Monetária... 1 1.1. Base Monetária (BM)... 1 1.2. Massa Monetária (M3)... 1 1.2.1. Crédito à Economia... 2

Leia mais

EXPLICAÇÕES DA SEÇÃO B 1 B

EXPLICAÇÕES DA SEÇÃO B 1 B EXPLICAÇÕES DA SEÇÃO B 1 B Os instantes do nascer, passagem meridiana e ocaso dos planetas ( exceto Plutão ), Sol e Lua são apresentados para seis cidades brasileiras : Longitude ( W ) Latitude ( S ) o

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 1.72.380,00 0,00 0,00 0,00 361.00,00 22,96 22,96 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl

Leia mais

8. Árvores. Fernando Silva DCC-FCUP. Estruturas de Dados. Fernando Silva (DCC-FCUP) 8. Árvores Estruturas de Dados 1 / 38

8. Árvores. Fernando Silva DCC-FCUP. Estruturas de Dados. Fernando Silva (DCC-FCUP) 8. Árvores Estruturas de Dados 1 / 38 8. Árvores Fernando Silva DCC-FCUP Estruturas de Dados Fernando Silva (DCC-FCUP) 8. Árvores Estruturas de Dados 1 / 38 Árvores - estruturas não lineares (1) Uma lista é um exemplo de uma estrutura de dados

Leia mais

Introdução aos Bancos de Dados Não-Relacionais. Mauricio De Diana (mestrando) Marco Aurélio Gerosa (orientador)

Introdução aos Bancos de Dados Não-Relacionais. Mauricio De Diana (mestrando) Marco Aurélio Gerosa (orientador) Introdução aos Bancos de Dados Não-Relacionais Mauricio De Diana (mestrando) Marco Aurélio Gerosa (orientador) Conteúdo Histórico de BDs não-relacionais na Web 4 Categorias de bancos NoSQL Exemplos de

Leia mais

LDAP. Laboratório de Computação Científica UFMG

LDAP. Laboratório de Computação Científica UFMG LDAP Laboratório de Computação Científica UFMG Sumário Diretórios Introdução ao LDAP Modelos do LDAP Formato LDIF Distribuição Replicação Diretórios Diretórios Visão Geral O que um diretório faz? O que

Leia mais

Verticalização de Molares

Verticalização de Molares Curso de Aperfeiçoamento em Ortodontia Verticalização de Molares Prof.: Paulo César Principais causas 1. Perdas precoce de molares decíduos Principais causas 2. Anodontia de 2 pré-molares !"#$"$%&'()*(+,($%-"%.+/0.+"123!

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl Acum 14 set/11 15

Leia mais

Editoria: Capa 1ª Página

Editoria: Capa 1ª Página Editoria: Capa 1ª Página USP identifica vírus mayaro em Manaus 1 Editoria: Plus Cuidar de idosos requer dedicação 04/05/06/07/08 Editoria: Plus Cuidar de idosos requer dedicação 04/05/06/07/08 Editoria:

Leia mais

Teoria dos Grafos. Edson Prestes

Teoria dos Grafos. Edson Prestes Edson Prestes Grafos Enumeração de Passeios/Caminhos O processo associado à enumeração de caminhos de um grafo/dígrafo é semelhante ao processo de contagem com a diferença de que usaremos uma matriz de

Leia mais