Seminário Florescimento e Isoporização Efeitos na Moagem e Produção Industrial

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Seminário Florescimento e Isoporização Efeitos na Moagem e Produção Industrial"

Transcrição

1

2 AGRADECIMENTOS INICIAIS CONVITE EVENTO PALESTRANTES PARTICIPANTES

3 APRESENTAÇÃO Engenheiro Mecânico Universidade de Brasília 1982 Setor Sucroenergético 1984 MBA FGV Gestão de Projetos MBA Agroenergia USP/ESALQ

4 NÚMEROS DO GRUPO JALLES MACHADO Cana Moída toneladas Total Geral de Álcool litros Total Geral de Açúcar sacos 50 kgs Energia Exportada MWh

5 CARACTERÍSTICAS JALLES MACHADO CANA PRÓPRIA Vantagens Manejo da Colheita da Cana Mesclar Variedades e Tipos Interação Agroindustrial Desvantagem Moer Todas Variedades e Tipos

6 EFEITOS DA CANA ISOPORIZADA NO PROCESSO INDUSTRIAL Efeitos no processo de produção industrial Principais áreas sob esta influência Controle/eliminação/mitigação do processo

7 EFEITOS DA CANA ISOPORIZADA NO PROCESSO INDUSTRIAL PRINCIPAIS EFEITOS Compromete Capacidade de Moagem Dificuldade de Queima na Caldeira Decantação com Bagacilho em Suspensão Bagacilho Presente no Processo Compromete Qualidade e Eficiência Aumenta o Custo de Produção

8 ÁREAS SOB A INFLUÊNCIA DA ISOPORIZAÇÃO A cana isoporizada influencia em praticamente todas as áreas produtivas e de utilidades MOAGEM GERAÇÃO DE VAPOR FERMENTAÇÃO FÁBRICA DE AÇÚCAR TRATAMENTO DO CALDO

9 MOAGEM Entendendo um pouco de moenda... É uma máquina volumétrica Depende da densidade da cana Determinações empíricas Flutuação

10 Vista Lateral Moenda

11 CÁLCULO ABERTURA MOENDA ABERTURA DE SAÍDA EM TRABALHO S' = 9,5 x TCH x f%cana V x L x F%BAG V = π * D m * n (m/min)

12 CÁLCULO ABERTURA MOENDA INFLUÊNCIA DA fibra NA FLUTUAÇÃO OSC fibra (f) S' S S' - S 10 12,5 38,0 29, ,4 29, ,4 29, ,4 29, ,3 29,1-5

13 CAPACIDADE DE MOAGEM FATORES QUE INFLUENCIAM Bitola da Moenda Densidade da Cana Preparo da Cana Alimentação 1º Terno Rotação 1º Terno Corte, Carregamento e Transporte

14 CAPACIDADE DE MOAGEM CAPACIDADE = 47,12 x D 2 x L x rpm 0,97 _ 7,422 Densidade f BRUNELLI

15 CAPACIDADE DE MOAGEM CAPACIDADE DE MOAGEM DENSIDADE kg/m 3 MOAGEM t/h

16 Moagem Horária Plano x Real Influência Moagem Corte e Transporte Processo Moagem Horária Real Moagem Horária Plano

17 MOAGEM Mitigação/Controle Shute Donnelly o Altura 4000 mm o Controle Nível 5000 mm?? Moenda + Donnelly Limitações Prédio Manutenção Ponte Rolante

18 MOAGEM Mitigação/Controle ASSEPSIA oesteiras ogamelão ocastelos obagaceira Diminuir Infecção

19 MOAGEM Mitigação/Controle ASSEPSIA o Peneiras Diminuir Infecção

20 MOAGEM INFECÇÃO LUTA INCESSANTE E INSANA Peneira Rotativa Borracha Cush Cush Palha Tampa 2º Terno

21 MOAGEM EXTRAÇÃO Mitigação/Controle Reabsorção Flutuação Redução Moagem Aumento Embebição Evaporação??? Consumo de Vapor???

22 GERAÇÃO DE VAPOR Mitigação/Controle Queima Ruim Redução Produção Queda de Pressão Exportação Energia Melhorar Tiragem Retornar Bagaço

23 Mitigação/Controle Aderência Costado Formação Espuma Infecção Uso de Antibióticos Combater Espuma Intensificar Limpeza Batelada x Contínua FERMENTAÇÃO

24 Mitigação/Controle FERMENTAÇÃO (centrifugação) Recirculação Infecção Substituição Bicos Sangria de Fermento Filtro Telas 300 mesh

25 FÁBRICA DE AÇÚCAR Mitigação/Controle Presença Bagacilho o Evaporadores o Tachos o Cristalisadores Flotador

26 FÁBRICA DE AÇÚCAR Mitigação/Controle Retenção no Cesto Contaminação do Açúcar Resíduos Insolúveis Centrifugas de Açúcar????

27 FÁBRICA DE AÇÚCAR Filtro Resíduo Insolúveis

28 FÁBRICA DE AÇÚCAR RESÍDUOS INSOLÚVEIS Tipo Especificação Safra 2013 Branco < 8 4 Orgânico < 9 5 IMPORTÂNCIA DOS FATORES Temperatura Aquecimento Fechamento das Telas o Peneira Octogonal o Turbo Filtros

29 Mitigação/Controle? TRATAMENTO DO CALDO Bagacilho em Suspensão Turbidez Flotador Decantador ph Calagem Sulfitação Temperatura aquecimento acima de 105 ºC Polímeros branco e orgânico???

30 TRATAMENTO DO CALDO Eliminação/Mitigação Peneiras e Turbo Filtros Redução Malhas ofiltros 54 micros openeira 210 mesh Reduz Capacidade Turbo Filtro Equipamentos Ociosos Período Safra

31 CONCLUINDO A cana isoporizada provoca conseqüências em praticamente todas as áreas da indústria e os seus efeitos podem ser bem significativos em termos de produção, eficiência, qualidade e custos industriais. Se é inevitável... Exige maior controle do processo Maior interação agrícola e indústria Eliminar/Controlar/Mitigar onde possível Conhecimento do processo

32 Seminário Florescimento e Isoporização Muito Obrigado Pela Atenção! Ricardo Steckelberg

Eficiência nas Moendas de Cana

Eficiência nas Moendas de Cana 10 14 / 08 / 2015 paulo@delfini.com.br + 55 19 98166-7000 Conceito de eficiência Capacidade de moagem Extração de açúcar Consumo específico de energia Custo operacional por tonelada processada Custo de

Leia mais

Impurezas e Qualidade de Cana-de-Açúcar

Impurezas e Qualidade de Cana-de-Açúcar Impurezas e Qualidade de Cana-de-Açúcar Levantamento dos níveis de impurezas nas últimas safras Luiz Antonio Dias Paes 12 de Maio de 2011 Dados Gerais da Safra 10/11 Impurezas Evolução Indicadores Impurezas

Leia mais

Descrição Resumida do processo

Descrição Resumida do processo Universidade de São Paulo USP Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Esalq Departamento de Agroindústria, Alimentos e Nutrição - LAN LAN 1458 Açúcar e Álcool 6ª Aula EXTRAÇÃO DO CALDO Prof. Antonio

Leia mais

Presidência e Direção

Presidência e Direção Usina Eficaz Sumário 1. Apresentação Pessoal 2. Apresentação Usina Pitangueiras 3. Responsabilidade Social 4. Alta Performance na Extração com Cana Crua 5. Enfardamento e Desenfardamento da Palha da Cana

Leia mais

Aproveitamento da Palha de Cana de Açúcar Planta CTC Palha Flex

Aproveitamento da Palha de Cana de Açúcar Planta CTC Palha Flex Aproveitamento da Palha de Cana de Açúcar Planta CTC Palha Flex 16 SBA Seminário Brasileiro Agroindustrial A Usina da Recuperação Francisco Linero Ribeirão Preto 29 de outubro de 2015 Agenda Recuperação

Leia mais

CANA-DE-AÇÚCAR NA PRODUÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA. Profa. Dra. Cristiane de Conti Medina Departamento de Agronomia

CANA-DE-AÇÚCAR NA PRODUÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA. Profa. Dra. Cristiane de Conti Medina Departamento de Agronomia CANA-DE-AÇÚCAR NA PRODUÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Profa. Dra. Cristiane de Conti Medina Departamento de Agronomia medina@uel.br AGRICULTURA PRODUÇÃO DE ALIMENTOS PRODUÇÃO DE ENERGIA A GRANDE REVOLUÇÃO ESTÁ

Leia mais

Glossário de termos técnicos Sucroalcooleiro

Glossário de termos técnicos Sucroalcooleiro Acidez sulfúrica Quantidade de ácidos totais presentes no vinho, mosto ou pé-de-cuba expressos em g/l de ácido sulfúrico. Açúcares fermentescíveis Denominação dos açúcares que podem ser transformados em

Leia mais

Leandro Pena Luciana Lucco Mariana Telles Victor Alves Docente: Rita Macri Disciplina: Gestão de Subprodutos Industriais Março 2010

Leandro Pena Luciana Lucco Mariana Telles Victor Alves Docente: Rita Macri Disciplina: Gestão de Subprodutos Industriais Março 2010 Água Residuais obtidas no processo de produção de Açúcar e Álcool Leandro Pena Luciana Lucco Mariana Telles Victor Alves Docente: Rita Macri Disciplina: Gestão de Subprodutos Industriais Março 2010 Capitação

Leia mais

Produção de Açúcar. Processos Químicos Industriais II

Produção de Açúcar. Processos Químicos Industriais II Produção de Açúcar Processos Químicos Industriais II Energia Brasil Moagem de cana de açúcar da safra 2013/2014 acumulada até 01/06/2013 somou aproximadamente 105 milhões de toneladas. Ainda de acordo

Leia mais

PROJETO DE PLANTA DE PELETIZAÇÃO DE BIOMASSA

PROJETO DE PLANTA DE PELETIZAÇÃO DE BIOMASSA PROJETO DE PLANTA DE PELETIZAÇÃO DE BIOMASSA MISSÃO FORNECER SOLUÇÕES MECATRÔNICAS DE BAIXO IMPACTO AMBIENTAL E VALOR SUPERIOR PERCEBIDO PARA MOVIMENTAÇÃO SEGURA DE PRODUTOS E PROCESSAMENTO DE MATERIAIS,

Leia mais

IMPUREZAS E QUALIDADE DE CANA-DE-AÇÚCAR STAB CANAOESTE Sertãozinho, 12 de maio de 2011

IMPUREZAS E QUALIDADE DE CANA-DE-AÇÚCAR STAB CANAOESTE Sertãozinho, 12 de maio de 2011 IMPUREZAS E QUALIDADE DE CANA-DE-AÇÚCAR STAB CANAOESTE Sertãozinho, 12 de maio de 2011 Impurezas e qualidade da cana colhida Celio Manechini Assessor de Tecnologia Agronômica Grupo São Martinho Definição:

Leia mais

Biomassa e Energia Raízen CTBE

Biomassa e Energia Raízen CTBE Biomassa e Energia Raízen CTBE Biomassa agrícola; Custos de Produção; Potencial Bagaço e Palha; AGENDA Potencial Vinhaça e Torta de Filtro; Cogeração Eletricidade; Etanol 2ª Segunda Geração T MS/há/ ano

Leia mais

CANA-ENERGIA: UMA EXCELENTE OPÇÃO PARA REDUÇÃO DOS CUSTOS DE PRODUÇÃO José Bressiani Diretor de Tecnologia Agrícola

CANA-ENERGIA: UMA EXCELENTE OPÇÃO PARA REDUÇÃO DOS CUSTOS DE PRODUÇÃO José Bressiani Diretor de Tecnologia Agrícola CANA-ENERGIA: UMA EXCELENTE OPÇÃO PARA REDUÇÃO DOS CUSTOS DE PRODUÇÃO José Bressiani Diretor de Tecnologia Agrícola A GRANBIO 85% 15% BioCelere BioVertis BioEdge BioPlant Empresa de Pesquisa e Desenvolvimento

Leia mais

Variedades Vertixde cana-energia para produção de biomassa e etanol José Bressiani Diretor de Tecnologia Agrícola

Variedades Vertixde cana-energia para produção de biomassa e etanol José Bressiani Diretor de Tecnologia Agrícola Variedades Vertixde cana-energia para produção de biomassa e etanol José Bressiani Diretor de Tecnologia Agrícola A GRANBIO 85% 15% BioCelere BioVertis BioEdge BioPlant Empresa de Pesquisa e Desenvolvimento

Leia mais

LINHA JATÃO 3 PONTOS. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14)

LINHA JATÃO 3 PONTOS. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14) Rua Dr. Luiz Miranda, 1650-17580-000 - Pompeia - SP - Tel. (14) 3405 2100 - Fax. (14) 3452 1916 - E-mail: vendas@jacto.com.br PROTEJA O MEIO AMBIENTE. AO INUTILIZAR ESTE FOLHETO, NÃO JOGUE EM VIAS PÚBLICAS.

Leia mais

Lavadora a água quente de alta manobrabilidade e desenho vertical único

Lavadora a água quente de alta manobrabilidade e desenho vertical único 1 - Lavadora compacta a água quente A 1 combina um forte e robusto design, alta fiabilidade e facilidade de uso. A sua caldeira EcoPower proporciona uma eficiência inigualável e um baixo consumo de combustível,

Leia mais

Um Projeto para Aproveitar a Biomassa da Cana. Ribeirão Preto, Agosto 2016

Um Projeto para Aproveitar a Biomassa da Cana. Ribeirão Preto, Agosto 2016 Um Projeto para Aproveitar a Biomassa da Cana Ribeirão Preto, Agosto 2016 Quem somos e em que áreas atuamos Energia + Química Renovável Desenvolvimento e investimento em projetos de geração com biomassa

Leia mais

Segunda aula de química

Segunda aula de química Segunda aula de química Nome: Laísa 17/04/2017 Relembrando... Questão 3: Relembrando... (UNESP 2015) Alguns historiadores da Ciência atribuem ao filósofo pré-socrático. Empédocles a Teoria dos Quatro elementos.

Leia mais

PRODUTOS.

PRODUTOS. PRODUTOS www.psienergiatermica.com.br CENTRAL TERMOELÉTRICA Motor a Vapor com 3 potências disponíveis: 100, 200 e 300 CV, com alta capacidade de transformação do vapor, que garante geração de energia térmica

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE PROCESSOS FÍSICO-QUÍMICOS PARA AUMENTAR A EFICIÊNCIA DA COMBUSTÃO DA VINHAÇA, UTILIZANDO RESÍDUOS DO SETOR SUCROENERGÉTICO.

DESENVOLVIMENTO DE PROCESSOS FÍSICO-QUÍMICOS PARA AUMENTAR A EFICIÊNCIA DA COMBUSTÃO DA VINHAÇA, UTILIZANDO RESÍDUOS DO SETOR SUCROENERGÉTICO. DESENVOLVIMENTO DE PROCESSOS FÍSICO-QUÍMICOS PARA AUMENTAR A EFICIÊNCIA DA COMBUSTÃO DA VINHAÇA, UTILIZANDO RESÍDUOS DO SETOR SUCROENERGÉTICO. P. Sica 1, A. S. Baptista 2, F. Tonoli 3, H. Beltrame 4 1;

Leia mais

ACUMULADORES DE FRÍO TERMOS E CANTIS GELEIRAS FLEXÍVEIS GELEIRAS FLEXI-RÍGIDAS GELEIRAS RÍGIDAS GELEIRAS TERMOELÉTRICAS ACESSÓRIOS TERMOELÉCTRICAS

ACUMULADORES DE FRÍO TERMOS E CANTIS GELEIRAS FLEXÍVEIS GELEIRAS FLEXI-RÍGIDAS GELEIRAS RÍGIDAS GELEIRAS TERMOELÉTRICAS ACESSÓRIOS TERMOELÉCTRICAS ACUMULADORES DE FRÍO TERMOS E CANTIS GELEIRAS FLEXÍVEIS GELEIRAS FLEXI-RÍGIDAS GELEIRAS RÍGIDAS GELEIRAS TERMOELÉTRICAS ACESSÓRIOS TERMOELÉCTRICAS ACUMULADORES M5 M10 M20 M30 039460 (M5) EAN: 3138520394600

Leia mais

Fornalha. Aparelho de combustão Câmara de combustão. Atmosfera: Local onde se queima o combustível

Fornalha. Aparelho de combustão Câmara de combustão. Atmosfera: Local onde se queima o combustível FORNALHAS Fornalha Local onde se queima o combustível Aparelho de combustão Câmara de combustão Atmosfera: Uma boa combustão se processa sempre com excesso de ar. A atmosfera de uma fornalha é oxidante.

Leia mais

ARBUS Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14)

ARBUS Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14) Rua Dr. Luiz Miranda, 1650-17580-000 - Pompeia - SP - Tel. (14) 3405 2100 - Fax. (14) 3452 1916 - E-mail: vendas@jacto.com.br PROTEJA O MEIO AMBIENTE. AO INUTILIZAR ESTE FOLHETO, NÃO JOGUE EM VIAS PÚBLICAS.

Leia mais

Briquetagem e Peletização de Resíduos Agrícolas e Florestais

Briquetagem e Peletização de Resíduos Agrícolas e Florestais Briquetagem e Peletização de Resíduos Agrícolas e Florestais Daniela Collares Briquetagem e Peletização As tecnologias de briquetagem e de peletização são capazes de transformar a biomassa na sua forma

Leia mais

ANÁLISE DA UTILIZAÇÃO DA CINZA GERADA A PARTIR DO PROCESSO DE QUEIMA DO BAGAÇO DA CANA-DE-AÇÚCAR NA PRODUÇÃO DE CONCRETO

ANÁLISE DA UTILIZAÇÃO DA CINZA GERADA A PARTIR DO PROCESSO DE QUEIMA DO BAGAÇO DA CANA-DE-AÇÚCAR NA PRODUÇÃO DE CONCRETO ANÁLISE DA UTILIZAÇÃO DA CINZA GERADA A PARTIR DO PROCESSO DE QUEIMA DO BAGAÇO DA CANA-DE-AÇÚCAR NA PRODUÇÃO DE CONCRETO André Fontebassi Amorim Silva (1), Jéssica da Silva Coelho (2), Jéssica Laila Rodrigues

Leia mais

FILTROS PARA VAPOR, GÁS E LÍQUIDO

FILTROS PARA VAPOR, GÁS E LÍQUIDO FILTROS PARA VAPOR, GÁS E LÍQUIDO Foi pensando no FUTURO, que em 993 nasceu a TECHFILTER. Uma empresa que desde então trabalha constantemente em busca de soluções e tecnologias para tratamento, reúso e

Leia mais

Capacidade: 1,7L. Max. Cod Potência: 750W. Cod Potência: 2000W. Embalagem: 4 un. Cod

Capacidade: 1,7L. Max. Cod Potência: 750W. Cod Potência: 2000W. Embalagem: 4 un. Cod JARRO ELÉCTRICO. 1000W. DB-363 Protecção contra sobreaquecimento. Potência: 1000W Capacidade: 1L. Max. Embalagem: 8 un. 1065210363 1 2 JARRO ELÉCTRICO. 2000W. DB-364 Placa de aquecimento em aço inox. Protecção

Leia mais

SUMÁRIO. 1. Introdução Linhas e Capacidades Características Técnicas Partes do Equipamento... 4

SUMÁRIO. 1. Introdução Linhas e Capacidades Características Técnicas Partes do Equipamento... 4 SUMÁRIO 1. Introdução... 2 1.1. Linhas e Capacidades... 2 1.2. Características Técnicas... 3 1.3. Partes do Equipamento... 4 2. Instalação... 4 3. Operação... 5 4. Segurança... 5 5. Manutenção... 5 6.

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Conforme NBR14725, de julho/2005 e 1907/2006/EC

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Conforme NBR14725, de julho/2005 e 1907/2006/EC 1 1 Identificação do produto e da empresa Produto : Alfa numérico: ------ Fabricante: Diversey Brasil Indústria Química LTDA Departamento de informações: Rua Nossa Senhora do Socorro, 125 Socorro São Paulo

Leia mais

Review. Processos Químicos Industriais II

Review. Processos Químicos Industriais II Review Processos Químicos Industriais II Sacarose > 15% Extração de 94 a 97 % da sacarose gerando bagaço com umidade final de 50%. Concentrar o caldo decantado, através da retirada de água, elevando

Leia mais

Buscando uma melhor qualidade de pellet na fábrica de rações. João Costa Neto Guilherme Alves Costa

Buscando uma melhor qualidade de pellet na fábrica de rações. João Costa Neto Guilherme Alves Costa Buscando uma melhor qualidade de pellet na fábrica de rações João Costa Neto Guilherme Alves Costa Fórmulas PDI DGM e DPG Umidade Matrizes QUALIDADE DE PELLET Processo Gordura Condicionamento Vapor Temperatura

Leia mais

Extração do caldo. Marcos Omir Marques FCAVJ/UNESP

Extração do caldo. Marcos Omir Marques FCAVJ/UNESP Extração do caldo Marcos Omir Marques FCAVJ/UNESP Introdução Objetivo Separar a fração líquida do colmo, contendo açúcares (caldo) da fração fibra da cana, com o máximo de eficiência possivel. Equipamentos

Leia mais

Maquinas Termicas - Fornalha

Maquinas Termicas - Fornalha Máquinas Térmicas: Fornalhas Combustão 1 Fornalha Converte energia química do combustível em energia térmica. De acordo com o tipo e a qualidade do combustível disponível, a queima pode ser em suspensão,

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO SOLUÇÕES PARA CUIDAR DA ÁGUA CAIXA D ÁGUA DE POLIETILENO

GUIA DE INSTALAÇÃO SOLUÇÕES PARA CUIDAR DA ÁGUA CAIXA D ÁGUA DE POLIETILENO GUIA DE INSTALAÇÃO SOLUÇÕES PARA CUIDAR DA ÁGUA CAIXA D ÁGUA DE POLIETILENO CAIXA D ÁGUA EM POLIETILENO Características Função: Armazenar água a temperatura ambiente. Para outras finalidades consulte o

Leia mais

ESCOLHA DA MATÉRIA PRIMA

ESCOLHA DA MATÉRIA PRIMA ESCOLHA DA MATÉRIA PRIMA - Função das condições climáticas - regiões tropicais destaca-se a cana-de-açúcar e o sorgo sacarino - regiões temperadas destaca-se a beterraba açucareira (EUA - milho) ESCOLHA

Leia mais

Lavagem copos standard - pequena

Lavagem copos standard - pequena A gama de máquinas de lavar Electrolux é produzida para os clientes com elevada procura em termos de eficiência, economia e ergonomia nas operações de lavagem. A gama de produtos engloba máquinas de lavar

Leia mais

Multiprocessador. CARACTERÍSTICAS Descrição. Multiprocessador de Alimentos Motor / Rotação. 1/2 monofásico / 368rpm Voltagem.

Multiprocessador. CARACTERÍSTICAS Descrição. Multiprocessador de Alimentos Motor / Rotação. 1/2 monofásico / 368rpm Voltagem. Multiprocessador Disco Ralador MPAI Multiprocessador de Alimentos / Rotação 1/2 monofásico / 368rpm Disco Desfiador Fino 5mm Disco Desfiador Grosso 8mm Consumo Produção Bocal Maior 32x59,5x56,5cm Aço inox

Leia mais

Pouso Alegre, 15 de dezembro de Proposta Comercial:

Pouso Alegre, 15 de dezembro de Proposta Comercial: Página 1 de 5 Pouso Alegre, 15 de dezembro de 2016 Proposta Comercial: 027479 À DUARTE E SOUZA COMERCIO DE ALIMENTOS LTDA ME AVN TEIXEIRA E SOUZA,S_N PARTE CENTRO CABO FRIO RJ CEP: 28907-41 CNPJ/CPF: 24819303000107

Leia mais

MANGUEIRA FLEXÍVEL CDF (Condução água)

MANGUEIRA FLEXÍVEL CDF (Condução água) 1 MANGUEIRAS ATÓXICAS: Indicada para sucção e descarga de produtos alimentícios como leite, cerveja, vinho, xarope, aguardente, etc. Sua face interna totalmente lisa evita a fixação de resíduos, eliminando

Leia mais

CUIDADOS BÁSICOS COM CENTRÍFUGAS

CUIDADOS BÁSICOS COM CENTRÍFUGAS RECOMENDAÇÃO TÉCNICA ISSN 1413-9553 agosto, 1998 Número 10/98 CUIDADOS BÁSICOS COM CENTRÍFUGAS Vicente Real Junior André Luiz Bugnolli Ladislau Marcelino Rabello Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

Leia mais

SUBSTÂNCIAS PURAS, MISTURAS E SEPARAÇÃO DE MISTURAS.

SUBSTÂNCIAS PURAS, MISTURAS E SEPARAÇÃO DE MISTURAS. SUBSTÂNCIAS PURAS, MISTURAS E SEPARAÇÃO DE MISTURAS. CAPÍTULOS 6 E 7 Prof.ª Tatiana Lima Substâncias Puras * Conceito Toda matéria cuja fusão e ebulição ocorrem a uma temperatura constante. SIMPLES * Tipos

Leia mais

UTILIZAÇÃO DA PALHA DE CANA-DE-AÇÚCAR PARA AUMENTO DA CAPACIDADE ENERGÉTICA DE PLANTAS DE UTILIDADES

UTILIZAÇÃO DA PALHA DE CANA-DE-AÇÚCAR PARA AUMENTO DA CAPACIDADE ENERGÉTICA DE PLANTAS DE UTILIDADES UTILIZAÇÃO DA PALHA DE CANA-DE-AÇÚCAR PARA AUMENTO DA CAPACIDADE ENERGÉTICA DE PLANTAS DE UTILIDADES Luigi Mariani Filho luigi.mariani@poli.usp.br Resumo: O objetivo do trabalho em questão é avaliar a

Leia mais

Cogeração na indústria: os benefícios e os ganhos energéticos

Cogeração na indústria: os benefícios e os ganhos energéticos Cogeração na indústria: os benefícios e os ganhos energéticos Grupo Light Distribuição Geração Serviços de Energia Restrita a parte do estado do RJ (incluindo a Grande Rio) Light Energia Itaocara Paracambi

Leia mais

PISTOLAS DE PINTURA - TIPO GRAVIDADE

PISTOLAS DE PINTURA - TIPO GRAVIDADE PISTOLAS DE PINTURA - TIPO GRAVIDADE MILENIUM HVLP COM / SEM REGULADOR Bicos AI Bicos AI 40 Lbs/Pol² - PSI 7,0 PCM à 40 PSI 600 ml com coador 1,3 / 1,4 mm (acabamento) 1,7 mm (primers e fundos) 7,0 PCM

Leia mais

VARIEDADES DE CANA SOB A ÓTICA DO FORNECEDOR. Eng.Agr. Dib Nunes Jr. Grupo IDEA

VARIEDADES DE CANA SOB A ÓTICA DO FORNECEDOR. Eng.Agr. Dib Nunes Jr. Grupo IDEA VARIEDADES DE CANA SOB A ÓTICA DO FORNECEDOR Eng.Agr. Dib Nunes Jr. Grupo IDEA QUESTÕES IMPORTANTES O QUE MAIS PREOCUPA O FORNECEDOR DE CANA? R: O preço da cana O QUE PODE SER FEITO PARA MELHORAR? R: Existem

Leia mais

SUMÁRIO. 1. Introdução Linhas e Capacidades Acessórios Características Técnicas Partes do Equipamento...

SUMÁRIO. 1. Introdução Linhas e Capacidades Acessórios Características Técnicas Partes do Equipamento... SUMÁRIO 1. Introdução... 2 1.1. Linhas e Capacidades... 2 1.2. Acessórios... 3 1.3. Características Técnicas... 4 1.4. Partes do Equipamento... 5 2. Instalação... 6 3. Operação... 7 4. Segurança... 8 5.

Leia mais

On-Line. Conheça o grupo LAVOR

On-Line. Conheça o grupo LAVOR 1975-2014 Desde de 1975 a Lavor é uma das maiores fabricantes mundiais de sistemas de limpeza de alta tecnologia, constando atualmente com 7 fábricas no mundo. A Lavor projeta e produz máquinas para utilizações

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS Máquinas Hidráulicas

LISTA DE EXERCÍCIOS Máquinas Hidráulicas LISTA DE EXERCÍCIOS Máquinas Hidráulicas 1- Água escoa em uma tubulação de 50 mm de diâmetro a uma vazão de 5 L/s. Determine o número de Reynolds nestas condições, informe se o escoamento é laminar ou

Leia mais

Processos de Moagem e Difusão para a extração do caldo da cana-de-açúcar. Dra. Sandra Helena da Cruz (ESALQ / USP)

Processos de Moagem e Difusão para a extração do caldo da cana-de-açúcar. Dra. Sandra Helena da Cruz (ESALQ / USP) Processos de Moagem e Difusão para a extração do caldo da cana-de-açúcar Dra. Sandra Helena da Cruz (ESALQ / USP) 1 1. INTRODUÇÃO CANA-DE-AÇÚCAR (partes) 12,5% fibra Parte dura (casca e nó) - 25% peso

Leia mais

SISTEMAS TÉRMICOS DE POTÊNCIA

SISTEMAS TÉRMICOS DE POTÊNCIA SISTEMAS TÉRMICOS DE POTÊNCIA GERADORES DE VAPOR Prof. Dr. Ramón Silva - 2015 O objetivo dessa aula apresentar e classificar os diversos tipos de geradores de vapor. Prof. Dr. Ramón Silva - 2015 2 Gerador

Leia mais

Gestão de energia : 2010/2011

Gestão de energia : 2010/2011 Gestão de energia : 2010/2011 Aula # P1 Balanços de energia Prof. Miguel Águas miguel.aguas@ist.utl.pt PROBLEMA 1 - Permutador Uma fábrica textil tem um efluente resultante de águas sujas quentes cujo

Leia mais

Tecnologia em Filtração

Tecnologia em Filtração FILTRO AUTOLIMPANTE MULTIELEMENTOS S o l u ç õ e s GLOBAIS em filtragem desde 1967 Indústria de Filtros Barra Ltda. Escritório: Av. do Cursino, 1939 - Sala 1 - Jardim da Saúde - São Paulo - SP Tel: (11)

Leia mais

ARBUS 2000 TP. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14) www. jacto.com.br

ARBUS 2000 TP. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14) www. jacto.com.br Rua Dr. Luiz Miranda, 1650-17580-000 - Pompeia - SP - Tel. (14) 3405 2100 - Fax. (14) 3452 1916 - www. jacto.com.br PROTEJA O MEIO AMBIENTE. AO INUTILIZAR ESTE FOLHETO, NÃO JOGUE EM VIAS PÚBLICAS. Imagens

Leia mais

Briquetagem e os processos termoquímicos de importância para a agricultura familiar

Briquetagem e os processos termoquímicos de importância para a agricultura familiar Simpósio de Agroenergia para Agricultura Familiar 17 e 18 de Março de 2014, Teresina PI Briquetagem e os processos termoquímicos de importância para a agricultura familiar José Dilcio Rocha Tópicos da

Leia mais

1.000 turbinas instaladas Fabricando a maior do setor

1.000 turbinas instaladas Fabricando a maior do setor Turbinas a Vapor 1.000 turbinas instaladas Fabricando a maior do setor Conteúdo o Portfolio Turbinas a Vapor - SIEMENS o Alternativas para uma solução otimizada o Acionamento direto vs. acionamento com

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO

MANUAL DE INSTRUÇÕES INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO AQUECEDORES ELÉTRICOS Aquecedores de 30 kw, 36 kw e 48 kw Aquecedores em série: 2 x 30 (60 kw) e 2 x 36 (72 kw) REV. B: AGOSTO/2010 E-384832-3 ÍNDICE PÁGINA Descrição 3 GERAL 3 EQUIPAMENTO

Leia mais

MOENDAS DE CANA. Manual de Instrução

MOENDAS DE CANA. Manual de Instrução Moendas de Cana CANA SHOP Moendas de Cana MOENDAS DE CANA R Debulhadores de Milho www.vencedoramaqtron.com.br Batedeiras de Cereais Trilhadeiras B-721 Turbo B-722 Turbo Desintegradores Trituradores para

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO

INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICOT Departamento de Engenharia Química e Biológica Separação e Purificação de Produtos Biológicos CENTRIFUGAÇÃO Centrifugação Velocidade de centrifugação vs diâmetro partícula Velocidade

Leia mais

Conservação de Energia

Conservação de Energia Lei de Pascal F = Força A = Área P = Pressão 1. Suponhamos uma garrafa cheia de um líquido, o qual é, praticamente, incompressível 2. Se aplicarmos uma força de 10kgf numa rolha de 1 cm 2 de área 3. o

Leia mais

NASCEMOS EM UM TEMPO DE CRISE, CRESCEMOS ENTRE CRISES, IMAGINE SE NÃO HOUVESSE CRISES...

NASCEMOS EM UM TEMPO DE CRISE, CRESCEMOS ENTRE CRISES, IMAGINE SE NÃO HOUVESSE CRISES... NASCEMOS EM UM TEMPO DE CRISE, CRESCEMOS ENTRE CRISES, COMEMORAMOS 90 ANOS E FORNECEMOS CENTENAS DE EQUIPAMENTOS NESTA CRISE IMAGINE SE NÃO HOUVESSE CRISES... A MAIOR EMPRESA DE BENS DE CAPITAL DA AMÉRICA

Leia mais

Caldeiras. Notas das aulas da disciplina de EQUIPAMENTOS INDUSTRIAIS. Equipamentos Industriais 1

Caldeiras. Notas das aulas da disciplina de EQUIPAMENTOS INDUSTRIAIS. Equipamentos Industriais 1 Caldeiras Notas das aulas da disciplina de EQUIPAMENTOS INDUSTRIAIS Equipamentos Industriais 1 Geradores com câmara de combustão Caldeiras Tipo de combustível sólido, líquido, gasoso, misto Fluido quente

Leia mais

COLUNA DE BANHO MANUAL DE INSTRUÇÕES 51J

COLUNA DE BANHO MANUAL DE INSTRUÇÕES 51J COLUNA DE BANHO MANUAL DE INSTRUÇÕES 51J ÍNDICE 1.0 INTRODUÇÃO 2.0 CARACTERÍSTICAS 2.1 HIDRÁULICAS 2.2 DIMENSÕES 3.0 MONTAGEM E INSTALAÇÃO 4.0 OPERAÇÃO 4.1 VÁLVULA DESVIADORA 4.2 FUNÇÕES DOS JATOS 5.0

Leia mais

QUALIDADE DA MATÉRIA PRIMA QUALIDADE DA MATÉRIA PRIMA ENTREGUE NAS UNIDADES INDUSTRIAIS 16/11/2015. Antes exclusivamente pela POL (sacarose aparente).

QUALIDADE DA MATÉRIA PRIMA QUALIDADE DA MATÉRIA PRIMA ENTREGUE NAS UNIDADES INDUSTRIAIS 16/11/2015. Antes exclusivamente pela POL (sacarose aparente). QUALIDADE DA MATÉRIA PRIMA ENTREGUE NAS UNIDADES INDUSTRIAIS QUALIDADE DA MATÉRIA PRIMA Antes exclusivamente pela POL (sacarose aparente). Atualmente, há uma definição mais completa, que engloba as características

Leia mais

Plástico Biodegradável a partir do açúcar da cana de açúcar e a sustentabilidade. Seminário de Tecnologia ABIQUIM/2008

Plástico Biodegradável a partir do açúcar da cana de açúcar e a sustentabilidade. Seminário de Tecnologia ABIQUIM/2008 Plástico Biodegradável a partir do açúcar da cana de açúcar e a sustentabilidade PHB INDUSTRIAL S/A Seminário de Tecnologia ABIQUIM/2008 17-18 18 de Junho de 2.008 Produtos Petrobasedos Avaliação do Ciclo

Leia mais

BC4500. Código:

BC4500. Código: Valtra é uma marca mundial da AGCO Corporation. VA LT R A Valtra do Brasil Ltda. NOSSO JEITO É FA ZER DO SEU JEITO Rua Cap. Francisco de Almeida, 695 CEP 08740 300 - Mogi das Cruzes - SP Tel.: 11 4795

Leia mais

Plano de Aula - O Processo de Fabricação do Açúcar e Álcool - cód Horas/Aula

Plano de Aula - O Processo de Fabricação do Açúcar e Álcool - cód Horas/Aula Plano de Aula - O Processo de Fabricação do Açúcar e Álcool - cód. 4465-24 Horas/Aula Aula 1 Capítulo 1 - Introdução Capítulo 2 - Histórico da Cana-de-Açúcar no Brasil Aula 2 Capítulo 3 - Cenário da Cana-de-Açúcar

Leia mais

Tratamento de Água. Filtração. Filtração SÉRIE CV. Filtros para Água. SNatural FILTRO ATRAVÉS DE CARVÃO ATIVADO

Tratamento de Água. Filtração. Filtração SÉRIE CV. Filtros para Água. SNatural FILTRO ATRAVÉS DE CARVÃO ATIVADO Tratamento de Água Filtração Filtros para Água Filtração SÉRIE CV SNatural FILTRO ATRAVÉS DE CARVÃO ATIVADO EFICIÊNCIA NA REMOÇÃO DO CLORO (CLASSE I >75%) Uso: comercial e industrial; Processo para redução

Leia mais

Ref. no BOMBA C3 E 4 PISTÕES CERÂMICOS SISTEMA DE AQUECIMENTO ELECTRICO PISTÕES DE LATÃO START/STOP AUTOMÁTICO

Ref. no BOMBA C3 E 4 PISTÕES CERÂMICOS SISTEMA DE AQUECIMENTO ELECTRICO PISTÕES DE LATÃO START/STOP AUTOMÁTICO ELÉCTRICA - Lavadoras estacionárias de água quente A ELÉCTRICA utiliza aquecimento eléctrico livre de poluição. Bomba de latão. Comando à distância através de PLC opcional. Unidade de sistema de diagnóstico,

Leia mais

Cesto Arrastado WTM300

Cesto Arrastado WTM300 A gama de máquinas de lavar Electrolux é produzida para os clientes com elevada procura em termos de eficiência, economia e ergonomia nas operações de lavagem. A gama de produtos engloba máquinas de lavar

Leia mais

USINAS DE ÁLCOOL. Implantação

USINAS DE ÁLCOOL. Implantação USINAS DE ÁLCOOL Implantação APRESENTAÇÃO DA USINA Objetivo: Fabricação, instalação e montagem de Micro Destilaria de Álcool Etílico Hidratado Carburante (ETANOL) de capacidade de 5.000 litros/dia. CAPACIDADE

Leia mais

Intercambiador de Calor

Intercambiador de Calor C6-003 Intercambiador de Calor Séries ICH-DX, ICV-DX Expansão Direta TROX DO BRASIL LTDA. Rua Alvarenga, 2025 05509-005 São Paulo SP Fone: (11) 3037-3900 Fax: (11) 3037-3910 E-mail: trox@troxbrasil.com.br

Leia mais

Disciplina: Sistemas Fluidomecânicos. Cavitação e Altura de Carga de Sucção Positiva Disponível 1ª Parte

Disciplina: Sistemas Fluidomecânicos. Cavitação e Altura de Carga de Sucção Positiva Disponível 1ª Parte Disciplina: Sistemas Fluidomecânicos Cavitação e Altura de Carga de Sucção Positiva Disponível 1ª Parte Cavitação e Altura de Carga A cavitação ocorre quando a pressão estática de um líquido decair para

Leia mais

PRINCIPAIS PROJETOS ELÉTRICOS EXECUTADOS PELA FERTRON

PRINCIPAIS PROJETOS ELÉTRICOS EXECUTADOS PELA FERTRON PRINCIPAIS PROJETOS ELÉTRICOS EXECUTADOS PELA FERTRON Usina Cerradão Ltda Sistema de Coogeração de 31,25MVA-13,8kV Cubículos MT (Primário/Secundário Entrada Concessionária, Entrada Gerador, Caldeira,Serviços

Leia mais

LINHA ADVANCE. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14)

LINHA ADVANCE. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14) Rua Dr. Luiz Miranda, 1650 17580000 Pompeia SP Tel. (14) 3405 2100 Fax. (14) 3452 1916 Email: vendas@jacto.com.br PROTEJA O MEIO AMBIENTE. AO INUTILIZAR ESTE FOLHETO, NÃO JOGUE EM VIAS PÚBLICAS. www.jacto.com.br

Leia mais

Lavagem copos WT2. Electrolux Dishwashing

Lavagem copos WT2. Electrolux Dishwashing A gama de máquinas de lavar Electrolux é produzida para os clientes com elevada procura em termos de eficiência, economia e ergonomia nas operações de lavagem. A gama de produtos engloba máquinas de lavar

Leia mais

Lastros Modulares STD

Lastros Modulares STD Lastros Modulares STD Os Fornos de Lastros Modulares STD são indicados para a produção de pães, salgados, pizzas e produtos de confeitaria em geral. São equipamentos de rápido aquecimento, alta produtividade

Leia mais

Soluções de DOSAGEM. Válvulas rotativas de passagem directa. Tipo: DBS

Soluções de DOSAGEM. Válvulas rotativas de passagem directa. Tipo: DBS Soluções de DOSAGEM Válvulas rotativas de passagem directa Tipo: DBS Aplicação As válvulas rotativas de passagem directa da MIGSA foram especificamente concebidas para sólidos a granel pulverulentos de

Leia mais

9 PENEIRAMENTO UMA DAS OPERAÇÕES MECÂNICAS MAIS SIMPLES É O PENEIRAMENTO. É UMA OPERAÇÃO DE SEPARAÇÃO DE SÓLIDOS E PODE TER DOIS OBJETIVOS:

9 PENEIRAMENTO UMA DAS OPERAÇÕES MECÂNICAS MAIS SIMPLES É O PENEIRAMENTO. É UMA OPERAÇÃO DE SEPARAÇÃO DE SÓLIDOS E PODE TER DOIS OBJETIVOS: 9 PENEIRAMENTO UMA DAS OPERAÇÕES MECÂNICAS MAIS SIMPLES É O PENEIRAMENTO. É UMA OPERAÇÃO DE SEPARAÇÃO DE SÓLIDOS E PODE TER DOIS OBJETIVOS: A) DIVIDIR O SÓLIDO GRANULAR EM FRAÇÕES HOMOGÊNEAS B) OBTER FRAÇÕES

Leia mais

O Sistema de Gestão encontra-se certificado pela Norma NP EN ISO 9001:2008 (Certificado ISO 9001:2008 VENTIL)

O Sistema de Gestão encontra-se certificado pela Norma NP EN ISO 9001:2008 (Certificado ISO 9001:2008 VENTIL) FUNDADA EM 1971, CONTA COM UMA ELEVADA EXPERIÊNCIA DOS SEUS RECURSOS HUMANOS, DESENVOLVENDO SOLUÇÕES TÉCNICAS PRINCIPALMENTE PARA OS SECTORES DE: - MADEIRA E MOBILIÁRIO - CORTIÇA - CERÂMICA - METALOMECÂNICA

Leia mais

USP/ESALQ LAN1458 Açúcar e Álcool TRATAMENTO DO CALDO. Prof. Dra Sandra H da Cruz

USP/ESALQ LAN1458 Açúcar e Álcool TRATAMENTO DO CALDO. Prof. Dra Sandra H da Cruz USP/ESALQ LAN1458 Açúcar e Álcool TRATAMENTO DO CALDO Prof. Dra Sandra H da Cruz 1. Introdução Açúcar de cana https://www.youtube.com/watch?v=jhvkurxstfy https://www.youtube.com/watch?v=w3p3lbaxu0e TRATAMENTO

Leia mais

Produto. Características Técnicas. Biorreator Semi-Piloto para Escalonamento

Produto. Características Técnicas. Biorreator Semi-Piloto para Escalonamento Produto Biorreator Semi-Piloto para Escalonamento Biorreator/Fermentador de Bancada de 25 Litros para cultivos de micro-organismos com esterilização In Situ e monitor IHM para controle de processo e aquisição

Leia mais

PROCESSOS DE SEPARAÇÃO. Jeosafá Lima

PROCESSOS DE SEPARAÇÃO. Jeosafá Lima PROCESSOS DE SEPARAÇÃO Jeosafá Lima Misturas homogêneas e heterogêneas Uma mistura é constituída por duas ou mais substâncias, sejam elas simples ou compostas. https://www.youtube.com/watch?v=6jcxdhovkcm

Leia mais

SISTEMAS TÉRMICOS DE POTÊNCIA

SISTEMAS TÉRMICOS DE POTÊNCIA SISTEMAS TÉRMICOS DE POTÊNCIA PROF. RAMÓN SILVA Engenharia de Energia Dourados MS - 2013 2 Caldeira de vapor é todo equipamento que utilizando a energia química liberada durante a combustão de um combustível

Leia mais

Pouso Alegre, 13 de março de Proposta Comercial:

Pouso Alegre, 13 de março de Proposta Comercial: Página 1 de 5 Pouso Alegre, 13 de março de 2017 Proposta Comercial: 029394 À DINAMITE VILA MADALENA CHOPERIA LTDA RUA MOURATO COELHO, 1.060 PINHEIROS SAO PAULO SP CEP: 05417001 CNPJ/CPF: 07263167000194

Leia mais

Processo de produção de etanol a partir do sorgo sacarino

Processo de produção de etanol a partir do sorgo sacarino Sorgo & Cana Do ponto de vista de processamento industrial, a utilização do sorgo sacarino pouco se difere da cana-de-açúcar para produção de etanol. Ao chegar à indústria, a matéria-prima é quantificada

Leia mais

FICHA TÉCNICA DE PRODUTO SPRAY TERMOPLÁSTICO

FICHA TÉCNICA DE PRODUTO SPRAY TERMOPLÁSTICO FICHA TÉCNICA DE PRODUTO SPRAY TERMOPLÁSTICO (Elaborada de acordo com a norma NP-3284:1986) Designação Comercial Spray Termoplástico R4 Branco Identificação Técnica Spray Termoplástico de cor branco elaborado

Leia mais

FILTRO CARTUCHO DADOS DE OPERAÇÃO DO FILTRO:

FILTRO CARTUCHO DADOS DE OPERAÇÃO DO FILTRO: FILTRO CARTUCHO Os filtros tipo cartucho são usados em indústrias alimentícias, química, petroquímica, papel e celulose para filtragem de ácidos e bases, aminas, água potável e industrial, óleo à base

Leia mais

B 25 KW ASPIRADOR FORNOS SÓLIDOS E LÍQUIDOS PROFISSIONAL

B 25 KW ASPIRADOR FORNOS SÓLIDOS E LÍQUIDOS PROFISSIONAL B 25 KW ASPIRADOR FORNOS SÓLIDOS E LÍQUIDOS PROFISSIONAL Características Standard: Chassis robusto em aço Rodas resistentes e grande volume Depósito em aço inox Escovas de carvão auto-stop Características

Leia mais

KSB KRT Drainer. Bomba submersível para instalação em poço úmido. 3. Denominação. 1. Aplicação. 4. Dados de operação. 2.

KSB KRT Drainer. Bomba submersível para instalação em poço úmido. 3. Denominação. 1. Aplicação. 4. Dados de operação. 2. Folheto Descritivo Nº. A2750.1P/6 KSB KRT Drainer Bomba submersível para instalação em poço úmido Linha: Submersível Hidráulica K 1500/2000/3000 Hidráulica F 1500 Hidráulica FI 1000/1500.1/1500.2 Hidráulica

Leia mais

TÓPICOS: 1. Breve histórico 2. Diferentes tipos 3. Limpeza 4. Desinfecção 5. Esterilização 6. Reparo

TÓPICOS: 1. Breve histórico 2. Diferentes tipos 3. Limpeza 4. Desinfecção 5. Esterilização 6. Reparo Paulo Mathera Engenheiro Eletrônico Empresa H. Strattner Produtos Karl Storz, Medisafe, Scican etc E-mail: paulo@strattner.com.br Tel.: + 55 21 2121-1300 + 55 21 8101-2857 TÓPICOS: 1. Breve histórico 2.

Leia mais

TEQ Sistemas de Instrumentação e Controle de Processos Lista de Exercícios nº 3 RESPOSTAS

TEQ Sistemas de Instrumentação e Controle de Processos Lista de Exercícios nº 3 RESPOSTAS Questões TEQ00141- Sistemas de Instrumentação e Controle de Processos Lista de Exercícios nº 3 RESPOSTAS 1- Especifique a ação segura de falha (se é falha-abre ou falha-fecha) apropriada para as válvulas

Leia mais

POTENCIAL DE BIOMASSA

POTENCIAL DE BIOMASSA POTENCIAL DE BIOMASSA IDEA 2 Seminário sobre BIOMASSA DE CANA DE AÇÚCAR 10 Agosto 2016 1 BIOMASSA - OPÇÃO AGRICOLA 5 Anos 2 Anos 1 Ano 1 Ano 1 Ano 1 Ano Produção agricola de cada biomassa t/ha - Eucalipto

Leia mais

caixa de polietileno

caixa de polietileno caixa de polietileno www.precongoias.com.br A caixa-d água de polietileno polivalente da Precon Goiás. As caixas-d água de polietileno Precon Goiás são de alta densidade e grande resistência, produzidas

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES TURBO GÁS

MANUAL DE INSTRUÇÕES TURBO GÁS MANUAL DE INSTRUÇÕES TURBO GÁS Progás Indústria Metalúrgica Ltda. Av. Eustáquio Mascarello, 5 - Desvio Rizzo Caxias do Sul - RS - Brasil Fone: 0800.979. www.progas.com.br - e-mail: progas@progas.com.br

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ Data de emissão: 17/11/2010 Revisão: 2 Revisado em: 22/05/2012 Pagina de 1 a 9

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ Data de emissão: 17/11/2010 Revisão: 2 Revisado em: 22/05/2012 Pagina de 1 a 9 POLIPLUS METÁLICO 1 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA NOME DO PRODUTO: POLIPLUS METÁLICO FABRICANTE: POLIPISO DO BRASIL ENDEREÇO: AVENIDA GERALDO ANTÔNIO TRALDI, Nº 400. DISTRITO INDUSTRIAL COSMO

Leia mais

Oportunidades Para o Aumento da Produtividade na Agro-Indústria de Cana-de-Açúcar

Oportunidades Para o Aumento da Produtividade na Agro-Indústria de Cana-de-Açúcar Oportunidades Para o Aumento da Produtividade na Agro-Indústria de Cana-de-Açúcar Terceiro Seminário Internacional Uso Eficiente do Etanol Manoel Regis L.V. Leal CTBE/CNPEM Laboratório Nacional de Ciência

Leia mais

Flexfab South América Ltda CATÁLOGO DE PRODUTOS. Mangueiras, Dutos e Conectores de Alta Performance

Flexfab South América Ltda CATÁLOGO DE PRODUTOS. Mangueiras, Dutos e Conectores de Alta Performance Flexfab South América Ltda CATÁLOGO DE PRODUTOS Mangueiras, Dutos e Conectores de Alta Performance MANGUEIRAS DE SILICONE PREMIUM. LÍDER NO MERCADO POR MAIS DE ANOS. A singularidade do silicone fornece

Leia mais

Manual de Instruções Filtro AQUABLOCK Fonte ampliada ( 36 )

Manual de Instruções Filtro AQUABLOCK Fonte ampliada ( 36 ) Manual de Instruções Filtro AQUABLOCK Fonte ampliada ( 36 ) Original Aquaplus Filtração Indústria e Comércio Ltda. Rua Vicente Sores da Costa, 128 / 130 Jd. Primavera São Paulo SP - CEP 02755-000 CNPJ

Leia mais

TRITURADORES. Manual de Instrução M

TRITURADORES. Manual de Instrução M TRITURADORES R M - 10000 www.vencedoramaqtron.com.br Manual de Instrução Apresentação Manual de Instrução - Trituradores M -10000 - O TRITURADOR MAQTRON 10.000 permite que o suinocultor ganhe tempo, economize

Leia mais

FORNOS PLACAS. KIT GUIAS TELESCÓPICAS WISH 2 ALTURAS Código: EAN: Preço: 93,00

FORNOS PLACAS. KIT GUIAS TELESCÓPICAS WISH 2 ALTURAS Código: EAN: Preço: 93,00 FORNOS As guias telescópicas opcionais podem ser instaladas nos fornos com suportes laterais cromados ou sistemas de guias telescópicas de série. KIT GUIAS TELESCÓPICAS WISH 2 ALTURAS Código: 41599010

Leia mais