DIREITO DAS SUCESSÕES

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DIREITO DAS SUCESSÕES"

Transcrição

1 1) (OAB/PR 28/08/2004) Assinale a alternativa correta, tomando em consideração as afirmativas a seguir: I Na sucessão dos conviventes (união estável), o companheiro sobrevivente que concorrer na herança do de cujus com os descendentes deste último jamais terá direito à meação, uma vez que o direito sucessório do companheiro já incide sobre os bens adquiridos a qualquer título na vigência da união estável. Admitir-se coexistência de meação e de direito sucessório constituiria verdadeiro bis in idem. II Antonia é casada com Bernardo pelo regime de comunhão universal de bens. O casal tem cinco filhos. Antonia morre em dezembro de Bernardo, nesse caso, terá direito à meação sobre os bens que integram a comunhão. Além disso, conforme a inovação trazida pelo Código Civil de 2002, terá direito a mais um quarto da herança, uma vez que concorre com herdeiros do falecido que são, também, seus descendentes. a) Está correta apenas a assertiva I. b) Está correta apenas a assertiva II. c) Estão corretas as assertivas I e II. d) Estão incorretas as assertivas I e II. 2) (OAB/PR 12/03/2005) Assinale a alternativa correta: a) o casamento celebrado com infração a impedimento é reputado nulo, ao passo que o casamento celebrado na pendência de causa suspensiva é anulável; b) nos termos do Código Civil de 2002, o cônjuge, mesmo separado de fato pode ter direito à herança deixada pelo de cujus. Exceção a essa hipótese pode ocorrer se a separação de fato já perdurar mais de 2 (dois) anos; c) os fatos que caracterizam impossibilidade da vida em comum para efeito de separação judicial são definidos pelo legislador em rol taxativo; d) o divórcio não pode ser concedido sem que haja prévia partilha de bens. 3) (OAB/PR dezembro de 2004) Analise as afirmativas abaixo e, em seguida, assinale a alternativa correta: I Príamo e Hécuba eram casados pelo regime da participação final nos aqüestos. Do casamento resultou o nascimento de um único filho. Príamo morre em 5 de dezembro de A cônjuge sobrevivente não concorrerá com os descendentes de Príamo na herança deste último, mas terá direito à meação sobre os bens adquiridos onerosamente na vigência da sociedade conjugal; II Andrômaca era casada com Heitor pelo regime da separação absoluta de bens, decorrente de pacto antenupcial. Ambos os pais de Heitor, bem como seu avô paterno, morreram em um acidente de automóvel há 10 (dez) anos. Heitor vem a falecer em 10 de outubro de 2003, sem deixar descendentes. Os dois avós maternos e a avó paterna de Heitor ainda estão vivos. A herança de Heitor será dividida da seguinte forma: 50% para Andrômaca, 12,5% para cada um dos avós maternos e 25% para a avó paterna. a) ambas as afirmativas estão incorretas; b) somente a afirmativa I está correta; c) somente a afirmativa II está correta; d) ambas as afirmativas estão corretas. 4) (OAB/PR 12/03/2005) Analise as afirmativas abaixo e, em seguida, assinale a alternativa correta: I Antônio e Bruna são casados pelo regime da separação legal de bens. O casal não teve descendentes. Antônio morre em 10 de abril de 2004, sem deixar ascendentes vivos. Deixa porém, dois irmãos: Cláudio e Daniel. O patrimônio do de cujus ao tempo da abertura da sucessão era de R$ ,00 (cem mil reais). Pode-se afirmar que Bruna não terá qualquer direito à herança de Antônio, em virtude do regime de bens do casamento. II Daniela e Cláudio são casados sob o regime da comunhão universal de bens. O patrimônio adquirido onerosamente pelo casal ao longo da união é de R$ ,00 (sessenta mil reais). Antes de casar, Daniela já era proprietária de um imóvel no valor de R$ ,00 (cinqüenta mil reais). Daniela morre em 1º de janeiro de 2005, deixando 4 (quatro) filhos, todos havidos no casamento. Cláudio, Profa. Thatiana de Arêa Leão Candil Página 1 de 5

2 além da meação sobre a totalidade do patrimônio comum, terá direito, a título de herança, à quarta parte do imóvel adquirido por Daniela antes do casamento. III O testador pode excluir seus irmãos da sucessão, ainda que sejam eles seus únicos herdeiros legítimos. Basta, para isso, dispor em testamento da totalidade de seus bens, destinando-os a outras pessoas, sem contemplar seus irmãos. a) apenas a afirmativa I está correta; b) apenas a afirmativa III está correta; c) apenas as afirmativas II e III estão corretas; d) apenas as afirmativas I e III estão corretas. 5) (OAB/PR 04/04/2004) Assinale a alternativa correta. a) A sucessão abre-se no lugar do último domicílio do falecido. b) A sucessão abre-se no lugar da residência do falecido. c) A sucessão abre-se no lugar da residência ou domicílio do falecido, é opcional para atender a interesses dos herdeiros. d) A sucessão abre-se no domicílio do herdeiro inventariante. Essa opção visa proteger os herdeiros. 6) (OAB/SP 121º) Companheiro, na concorrência com colateral de 3.º grau do falecido, na sua sucessão quanto aos bens onerosamente adquiridos na vigência da união estável, fará jus a: (A) 1/2 do que couber ao colateral. (B) 1/3 daquela herança. (C) 1/4 daquela herança. (D) quota equivalente ao que, legalmente, couber ao colateral. 7) (OAB/SP 128º) Sobre o direito de representação na sucessão legítima, é INCORRETO afirmar: a) na linha ascendente nunca há direito de representação. b) se uma herdeira for declarada indigna, sua filha não herda no seu lugar. c) na linha transversal só há direito de representação em favor do sobrinho do falecido. d) na linha descendente sempre há direito de representação. 8) (OAB/SP 128º) Sobre a sucessão legítima, é INCORRETO afirmar: a) deixando o falecido apenas uma avó materna, uma avó paterna e um avô paterno, a herança será dividida em três partes iguais. b) descendentes, ascendentes e cônjuge do falecido têm direito à parte legítima da herança, por serem herdeiros necessários. c) com a morte do seu marido existe a possibilidade de a viúva concorrer na herança com os filhos do falecido, ainda que não sejam descendentes dela. d) na sucessão colateral, cada irmão bilateral herda o dobro do que cada irmão unilateral. 9) (177º Concurso da Magistratura - SP) Sobre a sucessão em união estável, assinale a resposta correta. a) Na união estável, nos termos do Código Civil, o companheiro supérstite não participa da sucessão do companheiro falecido, relativamente aos bens por este adquiridos a título gratuito ou próprios e exclusivos seus, quando deixar parentes sucessíveis. b) O companheiro supérstite, que concorre na sucessão legítima do companheiro falecido, relativamente aos bens adquiridos pelo esforço comum durante a união estável, terá direito à metade da herança, além da sua própria meação, se os parentes sucessíveis deixados pelo falecido estiverem na linha colateral por consangüinidade e afinidade. c) O companheiro supérstite que concorre com descendentes exclusivos do companheiro falecido, em qualquer hipótese e em quaisquer bens, terá direito a uma quota equivalente à que for atribuída àqueles. d) Na sucessão testamentária, o companheiro falecido, deixando herdeiros colaterais, não poderá dispor além da metade dos seus bens exclusivos em favor do companheiro supérstite. Profa. Thatiana de Arêa Leão Candil Página 2 de 5

3 10) (178º Concurso da Magistratura - SP) Só uma destas afirmativas é verdadeira. Indique-a. a) Será igual o quinhão de cada herdeiro quando concorrerem à herança irmãos bilaterais com irmãos unilaterais do falecido. b) A herança transmite-se aos herdeiros na data da distribuição do inventário. c) Somente as pessoas já nascidas no momento da abertura da sucessão têm legitimidade para suceder. d) Na falta de descendentes, são chamados à sucessão os ascendentes, em concorrência com o cônjuge sobrevivente. 11) (OAB/PR 20/08/2006) Sobre a sucessão legítima, assinale a alternativa CORRETA: a) o cônjuge sobrevivente não participa da sucessão do cônjuge falecido em concorrência com os descendentes do de cujus quando era casado com este sob o regime da comunhão universal de bens. b) o cônjuge sobrevivente participa da sucessão do cônjuge falecido em concorrência com os descendentes do de cujus quando era casado com este sob o regime da separação obrigatória de bens. c) o cônjuge sobrevivente, quando concorrer com seus próprios descendentes na sucessão do cônjuge falecido, sempre terá quinhão igual àquele atribuído a cada um dos descendentes que sucederem por cabeça. d) o cônjuge sobrevivente jamais concorrerá com os avós do de cujus, uma vez que o cônjuge antecede os avós na ordem de vocação hereditária. 12) (OAB/SP 129º - 20/08/2006) Sobre a sucessão legítima, é correto afirmar que, na falta de descendentes e ascendentes, sendo casado o falecido, (A) o cônjuge sobrevivente não será considerado herdeiro necessário. (B) herdarão os irmãos do falecido. (C) a sucessão será inteiramente deferida ao cônjuge, ainda que o casamento tenha sido na separação convencional. (D) o cônjuge terá direito apenas à meação, enquanto que os demais parentes do falecido terão direito à sucessão. 13) (OAB/SP 129º - 20/08/2006) Quanto à sucessão colateral, é correto afirmar que (A) deixando o falecido apenas um tio e um sobrinho, a herança se divide ao meio. (B) a única hipótese de representação será em favor dos filhos de irmãos do falecido. (C) não há distinção entre irmãos bilaterais ou unilaterais do falecido. (D) o Código prevê a concorrência entre o irmão do falecido e a viúva do falecido. 14) (OAB/SP 129º) Sobre o Direito das Sucessões, é errado afirmar: a) os filhos do herdeiro renunciante herdam por representação. b) é lícito a José ceder os direitos que possui na sucessão do seu pai, Joaquim, que já faleceu. c) Pedro pode nomear como herdeira testamentária sua sobrinha, que nem sequer foi concebida. d) as testemunhas do testamento não podem ser nomeadas herdeiras. 15) (OAB/SP 131º) Sobre a sucessão testamentária, é ERRADO afirmar: (A) o instituto da redução das disposições testamentárias é aplicado para as hipóteses de avanço do testamento na parte legítima dos herdeiros necessários. (B) há direito de representação na sucessão testamentária. (C) o pai pode testar metade do seu patrimônio ao filho primogênito A, enquanto que a outra metade será igualmente dividida entre o próprio A e o caçula B. (D) o herdeiro, chamado, na mesma sucessão, a mais de um quinhão hereditário, sob títulos sucessórios diversos, pode livremente deliberar quanto aos quinhões que aceita e aos que renuncia. Profa. Thatiana de Arêa Leão Candil Página 3 de 5

4 16) (OAB/SP 129º) Vivian foi companheira de Alessandro durante vinte (20) anos, constituindo com ele uma típica União Estável, e tendo com ele uma filha. Nesse período, Alessandro adquiriu onerosamente e em decorrência de seu trabalho todo o seu patrimônio, estimado em dois (2) milhões de reais. Alessandro faleceu no ano de 2005, e a metade do patrimônio, atribuída a Vivian, somou um (1) milhão de reais. Posto isso, pergunta-se: Além dessa metade, corretamente atribuída, Vivian terá ainda algum direito sucessório? 17) (Apresentado pela Profa Giselda Hironaka - com algumas alterações) João faleceu nas seguintes condições: Tempo: no dia 11 de janeiro de 2003, às 12 horas. Condições: em um acidente, no qual faleceu também o seu filho mais velho, Jeremias. Jeremias faleceu duas horas antes de seu pai, João. Estado Civil: João fora casado em primeiras núpcias com Maria, e era casado no regime da comunhão parcial de bens com Ana. Deixa os seguintes parentes e cônjuge: Ana, sua mulher Gertrudes, sua mãe Gerson, Jerusa, Pedro e José seus filhos com Maria Eustáquio, seu filho com Ana Mateus, Lucas e Madalena, seus netos, filhos de Jeremias. Deixa os seguintes bens: Metade-ideal de uma casa, adquirida na constância de seu casamento com Maria Metade-ideal de uma chácara, adquirida na constância de seu casamento com Maria. Um apartamento e duas fazendas adquiridos no período de sua viuvez Três automóveis registrados em seu nome, sendo um adquirido na constância do casamento com Maria, outro na viuvez e o terceiro após o casamento com Ana Uma casa e uma aeronave adquiridas na constância de seu casamento com Ana Com base nestes dados responda: a) Como será dividida a herança entre os herdeiros do falecido? Explique, indicando os artigos correspondentes. b) A situação seria a mesma se ele vivesse em união estável com Ana, ao invés de ter se casado? Por que? 18) (XXII Concurso MP/MS ) Jerônimo se casou com Cida pelo regime de comunhão parcial de bens. Três meses após o casamento, ele recebeu herança deixada por sua mãe no valor de R$ 900 mil e cinco meses depois Cida recebeu herança deixada por seu pai no valor de R$350 mil. Na constância do casamento adquiririam bens a título oneroso no valor de R$600 mil. O casal recebeu ainda por doação do pai de Jerônimo um móvel no valor de R$200 mil. Tiveram cinco filhos na constância do casamento. Jerônimo faleceu deixando mulher e os cinco filhos. Discorra sobre a meação da esposa e de cada um dos filhos apresentando o valor do cálculo individualizado das quotas partes fundamentando com dispositivos do Código Civil. 19) (XXIII Concurso MP/MS ) Bento Estrada, solteiro, faleceu em 12/06/2005, deixando bens no valor de ,00 (quinhentos mil reais) e os seguintes parentes vivos: Celso e Ivone, seus tios; Mariana, sua prima; Tiago e Larissa, seus sobrinhos; filhos de Irene, sua irmã bilateral, falecida em 15/05/2005; Roberto e Priscila, seus sobrinhos, filhos de seu irmão unilateral Paulo, falecido em 14/03/2004; Antônio, sobrinho-neto, menor impúbere, filho do seu sobrinho Murilo, falecido em Profa. Thatiana de Arêa Leão Candil Página 4 de 5

5 07/06/2001, que também era filho de Irene; e sua companheira Luzia. Do valor dos bens acima mencionados, R$ ,00 (duzentos e vinte e dois reais) foram adquiridos onerosamente na vigência da união estável. Pergunta-se: Quem receberá a herança? Com que fundamento? Como será a mesma dividida? Quanto cada um dos beneficiários receberá? Fundamente. 20) (OAB/SP 136º - 19/10/08) Petrônio, casado com Maria das Graças sob regime de comunhão universal de bens, faleceu em 15 de setembro de 2007, deixando bens a inventariar no valor de R$ ,00. Deixou o filho Pedro bem como o filho Mário, este pré-morto e sem descendentes; seus pais, João e Josefa; e seu irmão, Jorge. Considerando a situação hipotética apresentada, na qualidade de advogado(a) consultado(a) sobre o caso, especifique os legitimados à sucessão de Petrônio, assim como a quota-parte que caberá a cada um deles. Além das argumentações fáticas, apresente os fundamentos legais pertinentes. Profa. Thatiana de Arêa Leão Candil Página 5 de 5

Direito Civil. Sucessão em Geral. Professora Alessandra Vieira.

Direito Civil. Sucessão em Geral. Professora Alessandra Vieira. Direito Civil Sucessão em Geral Professora Alessandra Vieira www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Aula Civil XX DO DIREITO SUCESSÓRIO Considerações Gerais: A abertura da sucessão se dá no exato instante

Leia mais

Professora: Vera Linda Lemos Disciplina: Direito das Sucessões 7º Período

Professora: Vera Linda Lemos Disciplina: Direito das Sucessões 7º Período Professora: Vera Linda Lemos Disciplina: Direito das Sucessões 7º Período Toda a sucessão legítima observará uma ordem de vocação hereditária que, no Código Civil, está prevista no artigo 1.829. Art. 1.829.

Leia mais

CARTILHA INFORMATIVA SOBRE:

CARTILHA INFORMATIVA SOBRE: CARTILHA INFORMATIVA SOBRE: As consequências patrimoniais dos principais regimes de bens quando da morte de um dos cônjuges. Material produzido por Felipe Pereira Maciel, advogado inscrito na OAB/RJ sob

Leia mais

OAB XXI EXAME DE ORDEM 1ª FASE Direito Civil Aula 05 Luciano Figueiredo Sucessões Teoria Geral

OAB XXI EXAME DE ORDEM 1ª FASE Direito Civil Aula 05 Luciano Figueiredo Sucessões Teoria Geral Sucessões Teoria Geral Material para o Curso de Primeira Fase da OAB. Elaboração: Luciano L. Figueiredo 1. 1. Conceitos de Sucessão e Conceitos Importantes - Sucessor x Herdeiro x Legatário 2. Sistema

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2009

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2009 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2009 Altera a Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002 Código Civil, a Lei nº 5.869, de 11 de janeiro de 1973 Código de Processo Civil, e revoga as Leis nº 8.971, de 29 de

Leia mais

É a primeira classe a herdar. Não há limitação de grau para herdar. Regra do grau mais próximo exclui o mais remoto (art. 1833, CC) Filho 1 Filho 2

É a primeira classe a herdar. Não há limitação de grau para herdar. Regra do grau mais próximo exclui o mais remoto (art. 1833, CC) Filho 1 Filho 2 Sucessão dos Descendentes (art. 1833, CC) É a primeira classe a herdar. Não há limitação de grau para herdar. Regra do grau mais próximo exclui o mais remoto (art. 1833, CC) Filho 1 Filho 2 Neto 1 Neto

Leia mais

DIREITO CIVIL MARATONA OAB SUPER REVISÃO PARA O XX EXAME DE ORDEM PROFESSORA RAQUEL BUENO DIREITO CIVIL

DIREITO CIVIL MARATONA OAB SUPER REVISÃO PARA O XX EXAME DE ORDEM PROFESSORA RAQUEL BUENO DIREITO CIVIL DIREITO CIVIL MARATONA OAB SUPER REVISÃO PARA O XX EXAME DE ORDEM PROFESSORA RAQUEL BUENO DIREITO CIVIL 1 2 O DIÁRIO DE LAURA LEDA E ADÃO LANCE ALIMENTOS GRAVÍDICOS LEI 11.804/2008 LAURINHA REGISTRO CIVIL

Leia mais

Direito Civil VI - Sucessões. Prof. Marcos Alves da Silva

Direito Civil VI - Sucessões. Prof. Marcos Alves da Silva Direito Civil VI - Sucessões Prof. Marcos Alves da Silva SUCESSÃO DO CÔNJUGE Herdeiro necessário e concorrente ( concorrente, conforme o regime de bens) Os regimes de matrimoniais de bens e suas implicações

Leia mais

Professora Alessandra Vieira

Professora Alessandra Vieira Sucessão Legítima Conceito: A sucessão legítima ou ab intestato, é a que se opera por força de lei e ocorre quando o de cujus tem herdeiros necessários que, de pleno direito, fazem jus a recolher a cota

Leia mais

Sucessão dos ascendentes Sucessão do cônjuge Sucessão dos colaterais

Sucessão dos ascendentes Sucessão do cônjuge Sucessão dos colaterais Sucessão dos ascendentes Sucessão do cônjuge Sucessão dos colaterais Da sucessão dos ascendentes Herdam somente se não houver descendente. São herdeiros necessários: 1.845, CC. Chamadosasucederpordireitopróprioeemsegundo

Leia mais

Sucessão que segue as regras da lei quando: DIREITO DAS SUCESSÕES

Sucessão que segue as regras da lei quando: DIREITO DAS SUCESSÕES DIREITO DAS SUCESSÕES I. SUCESSÃO EM GERAL II. III. IV. SUCESSÃO LEGÍTIMA SUCESSÃO TESTAMENTÁRIA INVENTÁRIO E PARTILHA SUCESSÃO LEGÍTIMA 1. Conceito 2. Parentesco 3. Sucessão por direito próprio e por

Leia mais

Caderno de apoio Master MASTER /// JURIS

Caderno de apoio Master MASTER /// JURIS Turma e Ano: Master A (2015) Matéria/Aula: Direito Civil Família e Sucessões Aula 22 Data: 01.07.2015 Professor: Andréa Amin Conteúdo: Capacidade para testar; Limitações; Testamento: natureza, características,

Leia mais

OAB 139º - 1ª Fase Regular Modulo II Disciplina: Direito Civil Professor João Aguirre Data: 24/07/2009

OAB 139º - 1ª Fase Regular Modulo II Disciplina: Direito Civil Professor João Aguirre Data: 24/07/2009 TEMAS ABORDADOS EM AULA 9ª Aula: Sucessão SUCESSÃO 1. Tipos 1.1. Sucessão Legítima: surgiu pela lei (legislador deu a lei) 1.2. Sucessão Testamentária: Surgiu o testamento Em regra vale a legítima quando

Leia mais

DIREITO DE FAMÍLIA ROTEIRO DE AULA Profa. Dra. Maitê Damé Teixeira Lemos

DIREITO DE FAMÍLIA ROTEIRO DE AULA Profa. Dra. Maitê Damé Teixeira Lemos DIREITO DE FAMÍLIA ROTEIRO DE AULA Profa. Dra. Maitê Damé Teixeira Lemos Direito Matrimonial o Conceito: o Natureza jurídica do casamento: o Finalidades do casamento: o Princípios do casamento: o Esponsais

Leia mais

Inovações e desacertos no novo Direito Sucessório

Inovações e desacertos no novo Direito Sucessório Inovações e desacertos no novo Direito Sucessório Giselda Maria Fernandes Novaes Hironaka Doutora e Livre Docente em Direito pela Faculdade de Direito da USP Professora Associada ao Departamento de Direito

Leia mais

Sucessão do(a) companheiro(a). Art , CC

Sucessão do(a) companheiro(a). Art , CC Sucessão do(a) companheiro(a). Art. 1.790, CC Sucessão do companheiro(a): CAHALI: A inclusão do direito sucessório decorrente da união estável de forma desconexa, incompleta, como promovida pelo Código

Leia mais

Direito das Sucessões

Direito das Sucessões Direito das Sucessões OBJETIVO Compreender as consequências da ordem de vocação hereditária. ROTEIRO! Da ordem de vocação hereditária! Ordem de vocação hereditária no Código de 1916! Nova ordem de vocação

Leia mais

HERDEIROS, LEGATÁRIOS E CÔNJUGE

HERDEIROS, LEGATÁRIOS E CÔNJUGE HERDEIROS, LEGATÁRIOS E CÔNJUGE Luiz Alberto Rossi (*) SUMÁRIO DISTINÇÃO ENTRE HERDEIROS E LEGATÁRIOS. SAISINE. CÔNJUGE: HERDEIRO NECESSÁRIO. QUINHÃO DO CÔNJUGE. TIPOS DE CONCORRÊNCIA. BENS PARTICULARES.

Leia mais

Princípios Básicos ENTRE OS CÔJUGES. Princípios Básicos. Princípios Básicos

Princípios Básicos ENTRE OS CÔJUGES. Princípios Básicos. Princípios Básicos DO REGIME DE BENS ENTRE OS CÔJUGES 1. Irrevogabilidade ATENÇÃO -> A imutabilidade do regime de bens não é, porém, absoluta no novo Código Civil. O art. 1639, 2º., admite a sua alteração. 1. Irrevogabilidade

Leia mais

CIVIL V 2 BIMESTRE PROF. RODRIGO GAGO FREITAS

CIVIL V 2 BIMESTRE PROF. RODRIGO GAGO FREITAS CIVIL V 2 BIMESTRE PROF. RODRIGO GAGO FREITAS Provas Normais e a ultima vale 5,0, pois terá a divisão com seminários. 1 - dissertativa. Caso prático, alguém morreu, o outro renuncia à herança e bla bla.

Leia mais

2'LUHLWRGDV6XFHVV}HVQRQRYR&yGLJR&LYLO

2'LUHLWRGDV6XFHVV}HVQRQRYR&yGLJR&LYLO 2'LUHLWRGDV6XFHVV}HVQRQRYR&yGLJR&LYLO 5LFDUGR$XJXVWRGH2;DYLHU$UDXMR advogado em Santa Catarina, coordenador de serviços administrativos, presidente do Conselho de Contribuintes do Município de Timbó (SC)

Leia mais

EXERCÍCIOS SUCESSÃO TESTAMENTÁRIA

EXERCÍCIOS SUCESSÃO TESTAMENTÁRIA Universidade do Sul de Santa Catarina Unidade Ilha Centro Curso: Direito Disciplina: Direito das Sucessões Professor: MSc. Patrícia Fontanella Acadêmico (a): EXERCÍCIOS SUCESSÃO TESTAMENTÁRIA 01. (MP/SC

Leia mais

PONTO 1: Sucessões. SUCESSÃO TESTAMENTÁRIA art. 1845 do CC. A dispensa tem que ser no ato da liberalidade ou no testamento.

PONTO 1: Sucessões. SUCESSÃO TESTAMENTÁRIA art. 1845 do CC. A dispensa tem que ser no ato da liberalidade ou no testamento. 1 DIREITO CIVIL DIREITO CIVIL PONTO 1: Sucessões SUCESSÃO LEGÍTIMA SUCESSÃO TESTAMENTÁRIA art. 1845 do CC. A dispensa tem que ser no ato da liberalidade ou no testamento. Colação não significa devolução

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br O companheiro como herdeiro legítimo no Código Civil de 2002 Rogério Dell Isola Cancio da Cruz * O Código Civil de 2002 tratou da sucessão do companheiro no direito brasileiro de

Leia mais

Professora: Vera Linda Lemos Disciplina: Direito das Sucessões 7º Período

Professora: Vera Linda Lemos Disciplina: Direito das Sucessões 7º Período Professora: Vera Linda Lemos Disciplina: Direito das Sucessões 7º Período Toda a sucessão legítima observará uma ordem de vocação hereditária que, no Código Civil, está prevista no artigo 1.829. Art. 1.829.

Leia mais

CONVIVENTE: A PERSPECTIVA DE UM NOVO ESTADO CIVIL E SEUS REFLEXOS PARA O RCPN

CONVIVENTE: A PERSPECTIVA DE UM NOVO ESTADO CIVIL E SEUS REFLEXOS PARA O RCPN CONVIVENTE: A PERSPECTIVA DE UM NOVO ESTADO CIVIL E SEUS REFLEXOS PARA O RCPN RODRIGO TOSCANO DE BRITO Doutor e Mestre em Direito Civil pela PUC-SP. Professor de Direito Civil da UFPB e da Escola da Magistratura.

Leia mais

Noções Introdutórias Abertura da Sucessão. Transmissão da Herança. Aceitação e Renúncia da Herança. Cessão da Herança

Noções Introdutórias Abertura da Sucessão. Transmissão da Herança. Aceitação e Renúncia da Herança. Cessão da Herança Sumário 1. Noções Introdutórias 1.1 Sucessão. Compreensão do Vocábulo. O Direito das Sucessões 1.2 Direito das Sucessões no Direito Romano 1.3 Ideia Central do Direito das Sucessões 1.4 Noção de Herança

Leia mais

A evolucao historica da uniao estavel e do casamento com reflexo na sucessao

A evolucao historica da uniao estavel e do casamento com reflexo na sucessao ISSN 1127-8579 Pubblicato dal 20/07/2016 All'indirizzo http://www.diritto.it/docs/38482-a-evolucao-historica-da-uniao-estavel-e-docasamento-com-reflexo-na-sucessao Autore: Lorrayne Cristhine Carrijo A

Leia mais

Problemática da equiparação do Casamento com a União Estável para fins sucessórios

Problemática da equiparação do Casamento com a União Estável para fins sucessórios Problemática da equiparação do Casamento com a União Estável para fins sucessórios Por André Muszkat e Maria Letícia Amorim* Casamento e união estável são dois institutos jurídicos distintos, apesar de

Leia mais

2ª Fase OAB/FGV Direito Civil

2ª Fase OAB/FGV Direito Civil 2ª Fase OAB/FGV Direito Civil Professor Fabio Alves fabio@ferreiraecamposadv.com DIREITO DAS SUCESSÕES PRINCÍPIO DA SAISINE ART. 1784 RESERVA DE LEGITIMA Art. 1.789. Havendo herdeiros necessários, o testador

Leia mais

Núcleo de Pesquisa e Extensão do Curso de Direito NUPEDIR VIII MOSTRA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (MIC) 20 de novembro de 2015

Núcleo de Pesquisa e Extensão do Curso de Direito NUPEDIR VIII MOSTRA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (MIC) 20 de novembro de 2015 SUCESSÃO DO CÔNJUGE E DO COMPANHEIRO SOBREVIVENTE: BREVE ANÁLISE DAS DIFERENÇAS SUCESSÓRIAS Laura Novak de Souza 1 Liana Maria Feix Suski 2 SUMÁRIO: 1 INTRODUÇÃO. 2 DA VOCAÇÃO HEREDITÁRIA DO CÔNJUGE SOBREVIVENTE.

Leia mais

Marcos Puglisi de Assumpção 4. A SUCESSÃO NO CASAMENTO, NA UNIÃO ESTÁVEL E NO CONCUBINATO

Marcos Puglisi de Assumpção 4. A SUCESSÃO NO CASAMENTO, NA UNIÃO ESTÁVEL E NO CONCUBINATO Marcos Puglisi de Assumpção 4. A SUCESSÃO NO CASAMENTO, NA UNIÃO ESTÁVEL E NO CONCUBINATO 2010 A SUCESSÃO NO CASAMENTO, NA UNIÃO ESTÁVEL E NO CONCUBINATO Para se obter um bom entendimento como se processa

Leia mais

Regime de bens e divisão da herança

Regime de bens e divisão da herança Regime de bens e divisão da herança Antes da celebração do casamento, os noivos têm a possibilidade de escolher o regime de bens a ser adotado, que determinará se haverá ou não a comunicação (compartilhamento)

Leia mais

Conceito: é a relação afetiva ou amorosa entre homem e mulher, não adulterina ou incestuosa, com estabilidade e durabilidade, vivendo ou não sob o

Conceito: é a relação afetiva ou amorosa entre homem e mulher, não adulterina ou incestuosa, com estabilidade e durabilidade, vivendo ou não sob o União Estável Conceito: é a relação afetiva ou amorosa entre homem e mulher, não adulterina ou incestuosa, com estabilidade e durabilidade, vivendo ou não sob o mesmo teto, com o objetivo de constituir

Leia mais

DIREITO CIVIL EXERCÍCIOS SUCESSÕES DISCURSIVAS:

DIREITO CIVIL EXERCÍCIOS SUCESSÕES DISCURSIVAS: DIREITO CIVIL EXERCÍCIOS SUCESSÕES DISCURSIVAS: 1. Capacidade para suceder é a aptidão da pessoa para receber os bens deixados pelo de cujus no tempo da abertura da sucessão. Considerando tal afirmação

Leia mais

SUCESSÃO LEGÍTIMA DO CÔNJUGE: CONCORRÊNCIA COM DESCENDENTES COMUNS E EXCLUSIVOS DO AUTOR DA HERANÇA

SUCESSÃO LEGÍTIMA DO CÔNJUGE: CONCORRÊNCIA COM DESCENDENTES COMUNS E EXCLUSIVOS DO AUTOR DA HERANÇA Sucessão legítima do cônjuge: Concorrência com descendentes comuns e exclusivos do autor da herança Revista Científica da Faculdade de Balsas, Ano II, n.2, 2011. SUCESSÃO LEGÍTIMA DO CÔNJUGE: CONCORRÊNCIA

Leia mais

Processos de Regularização de Imóveis

Processos de Regularização de Imóveis Processos de Regularização de Imóveis Prof. Weliton Martins Rodrigues ensinar@me.com www.vivadireito.net 5 5.1. Copyright 2013. Todos os direitos reservados. 1 2 A aquisição da propriedade é forma pela

Leia mais

QUESTÕES OBJETIVAS SUCESSÕES

QUESTÕES OBJETIVAS SUCESSÕES QUESTÕES OBJETIVAS SUCESSÕES 1. Heitor, solteiro e pai de dois filhos também solteiros (Roberto, com trinta anos de idade, e Leonardo, com vinte e oito anos de idade), vem a falecer, sem deixar testamento.

Leia mais

Caderno Eletrônico de Exercícos Direito das Sucessões

Caderno Eletrônico de Exercícos Direito das Sucessões 1) Que é herança jacente: a) Herança que não existe herdeiros, salvo o estado b) Herança que tem que ser dividida entre os pais e cônjuge c) Herança que tem que ser dividida entre irmãos d) Herança deixada

Leia mais

DIREITO FAMÍLIA SUCESSÃO PRINCÍPIOS ORIENTADORES

DIREITO FAMÍLIA SUCESSÃO PRINCÍPIOS ORIENTADORES DIREITO FAMÍLIA SUCESSÃO DE DIREITO FAMÍLIA PONTO 1: SUCESSÃO PONTO 2: PRINCÍPIOS ORIENTADORES; SUCESSÃO LEGÍTIMA E TESTAMENTÁRIA, EXCLUSÃO DOS HERDEIROS; PONTO 3: ESPÉCIES DE HERDEIROS, CESSÃO DE DIREITOS;

Leia mais

ORDEM DA VOCAÇÃO HEREDITÁRIA

ORDEM DA VOCAÇÃO HEREDITÁRIA ORDEM DA VOCAÇÃO HEREDITÁRIA Norberto Ungaretti Desembargador Aposentado Sob a denominação Da Ordem da Vocação Hereditária abrese o Capítulo I do Título dedicado pelo novo Código Civil à sucessão legítima

Leia mais

DIREITO CIVIL VI Direito das Sucessões

DIREITO CIVIL VI Direito das Sucessões DIREITO CIVIL VI Direito das Sucessões O conhecimento quando compartilhado é muito melhor, pois, todos são beneficiados com novas formas de enxergar o mundo Paulo Henrique 2015 1 DIREITO CIVIL 6 Conteúdo

Leia mais

DIREITO DAS SUCESSÕES

DIREITO DAS SUCESSÕES Direito Civil Aula 3 Delegado Civil Sandro Gaspar Amaral DIREITO DAS SUCESSÕES PRINCÍPIO DE SAISINE (art. 1784, CC): transmissão da propriedade e da posse no exato momento da morte. NORMA VIGENTE (art.

Leia mais

da CAPACIDADE PARA SUCEDER, aceitação, renúncia e os excluídos da sucessão

da CAPACIDADE PARA SUCEDER, aceitação, renúncia e os excluídos da sucessão da CAPACIDADE PARA SUCEDER, aceitação, renúncia e os excluídos da sucessão DA CAPACIDADE PARA SUCEDER Capacidade para suceder na sucessão legítima (art. 1798). O problema dos embriões crioconservados.

Leia mais

SUCESSÃO HEREDITÁRIA. fases práticas do inventário e partilha

SUCESSÃO HEREDITÁRIA. fases práticas do inventário e partilha EDUARDO MACHADO ROCHA Juiz de Direito da Vara de Família e Sucessões da Comarca de Dourados (MS). Pós-graduado - Especialização em Direito Processual Civil. Professor de Direito Civil na Unigran - Universidade

Leia mais

SUCESSÃO DO CÔNJUGE NO NOVO CÓDIGO CIVIL

SUCESSÃO DO CÔNJUGE NO NOVO CÓDIGO CIVIL SUCESSÃO DO CÔNJUGE NO NOVO CÓDIGO CIVIL Zeno Veloso 1 No palco em que se desenrolam as relações jurídicas da sucessão legítima, um personagem ganhou papel de grande destaque, podendo-se afirmar que é

Leia mais

OS DIREITOS SUCESSÓRIOS DO CÔNJUGE SUPÉRSTITE. Introdução

OS DIREITOS SUCESSÓRIOS DO CÔNJUGE SUPÉRSTITE. Introdução Alexandre de Oliveira Fistarol * Caroline Zattera ** Denise Frizzo Ribeiro *** Elisandra de Souza Moreira **** Gleici Carenhato ***** Odir Berlatto ****** OS DIREITOS SUCESSÓRIOS DO CÔNJUGE SUPÉRSTITE

Leia mais

Grupo de Estudos de Empresas Familiares GVlaw/ Direito GV. Reflexos Familiares e Sucessórios na Empresa Familiar. Apresentação 10.08.

Grupo de Estudos de Empresas Familiares GVlaw/ Direito GV. Reflexos Familiares e Sucessórios na Empresa Familiar. Apresentação 10.08. Grupo de Estudos de Empresas Familiares GVlaw/ Direito GV Reflexos Familiares e Sucessórios na Empresa Familiar Apresentação 10.08.10 Luiz Kignel Karime Costalunga F 1 F 2 F 3 F 1 F 2 F 3 F 4 Fundador

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 4.121, DE 27 DE AGOSTO DE 1962. Dispõe sôbre a situação jurídica da mulher casada. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que

Leia mais

PROF. MS. FABIO TRUBILHANO

PROF. MS. FABIO TRUBILHANO 3 PROF. MS. FABIO TRUBILHANO ASPECTOS POLÊMICOS DA SUCESSÃO DO CÔNJUGE E DO COMPANHEIRO A primeira questão polêmica sobre a qual nos debruçaremos envolve os arts. 1.641, 1.687 e 1.829 do Código Civil brasileiro.

Leia mais

Direito Civil VI - Sucessões. Prof. Marcos Alves da Silva

Direito Civil VI - Sucessões. Prof. Marcos Alves da Silva Direito Civil VI - Sucessões Prof. Marcos Alves da Silva Direito das Sucessões Sucessão: alteração de titulares em uma dada relação jurídica Sucessão (sentido estrito): causa mortis A sucessão engloba

Leia mais

A sucessão dos companheiros no novo Código Civil

A sucessão dos companheiros no novo Código Civil A sucessão dos companheiros no novo Código Civil Daíze Golnária Garcia de Araújo 1, daizearaujo@ig.com.br 1. Pós-graduanda (especialização) em Direito Civil e Processual Civil na Faculdade de Minas (FAMINAS),

Leia mais

Bacharelado em Direito. Direito Civil VI (Sucessões) Semestre: 7.º Carga Horária: 72 h 1. EMENTA

Bacharelado em Direito. Direito Civil VI (Sucessões) Semestre: 7.º Carga Horária: 72 h 1. EMENTA Curso: Disciplina: Bacharelado em Direito Direito Civil VI (Sucessões) Semestre: 7.º Carga Horária: 72 h 1. EMENTA Conceito e princípios do Direito das Sucessões. Sucessão em geral. Sucessão legítima.

Leia mais

SUCESSÃO LEGÍTIMA DO CÔNJUGE E DO COMPANHEIRO NO NOVO CÓDIGO CIVIL

SUCESSÃO LEGÍTIMA DO CÔNJUGE E DO COMPANHEIRO NO NOVO CÓDIGO CIVIL DIMAS MESSIAS DE CARVALHO Promotor de Justiça no Estado de Minas Gerais. Autor do Livro Direito de Família, publicado em 2005, pela Editora Atenas. Professor de Direito de Família e Sucessões na Unifenas,

Leia mais

PROJETO INTERDISCIPLINAR

PROJETO INTERDISCIPLINAR 1/08 PROJETO INTERDISCIPLINAR DADOS DO PROJETO: Título Curso Docentes Responsáveis Turmas INVENTÁRIO E PARTILHA: ANÁLISE E SOLUÇÃO DE CASOS CONCRETOS. Direito Helisia Costa Góes Ilza Maria da Silva Facundes

Leia mais

CURSO DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NAS ATIVIDADES NOTARIAIS E REGISTRAIS EAD. DISCIPLINA: Direito Civil. PROFESSORES: Reyvani Jabour

CURSO DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NAS ATIVIDADES NOTARIAIS E REGISTRAIS EAD. DISCIPLINA: Direito Civil. PROFESSORES: Reyvani Jabour CURSO DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NAS ATIVIDADES NOTARIAIS E REGISTRAIS EAD DISCIPLINA: Direito Civil PROFESSORES: Reyvani Jabour Nome: Nº de Identidade: Reescreva a frase: Atesto para os devidos fins

Leia mais

Caderno de apoio Master MASTER /// JURIS

Caderno de apoio Master MASTER /// JURIS Turma e Ano: Master A (2015) Matéria/Aula: Direito Civil Família e Sucessões Aula 18 Data: 18.06.2015 Professor: Andréa Amin Conteúdo: Sucessão (introdução); Espécies de sucessão; Lei aplicável; Saisine

Leia mais

A SUCESSÃO DO CÔNJUGE SOBREVIVENTE EM CONCORRÊNCIA COM OS DESCENDENTES OCORRENDO A HIBRIDEZ FAMILIAR RESUMO

A SUCESSÃO DO CÔNJUGE SOBREVIVENTE EM CONCORRÊNCIA COM OS DESCENDENTES OCORRENDO A HIBRIDEZ FAMILIAR RESUMO A SUCESSÃO DO CÔNJUGE SOBREVIVENTE EM CONCORRÊNCIA COM OS DESCENDENTES OCORRENDO A HIBRIDEZ FAMILIAR Rodrigo Schenckel da Silva 1 Rachel Marques da Silva 2 RESUMO Com a entrada em vigor do Código Civil

Leia mais

. CURSO: DIREITO Turma: DISCIPLINA: Direito Civil VII Profª Ms. Tatyane Karen VALOR: 6 H/A NOTA: ALUNO(A):

. CURSO: DIREITO Turma: DISCIPLINA: Direito Civil VII Profª Ms. Tatyane Karen VALOR: 6 H/A NOTA: ALUNO(A): . CURSO: DIREITO Turma: DISCIPLINA: Direito Civil VII Profª Ms. Tatyane Karen Data: / / VALOR: 6 H/A NOTA: ALUNO(A): Questão 1 ( VUNESP - 2011 - TJ-SP Juiz) Assinale a alternativa correta. a) Na falta

Leia mais

CARLOS JORGE SAMPAIO ADVOGADO PARECER

CARLOS JORGE SAMPAIO ADVOGADO PARECER CARLOS JORGE SAMPAIO ADVOGADO COSTA PARECER Direito das Sucessões. Situação jurídica do companheiro ou companheira comparada com o status jurídico dos cônjuges. Constitucionalidade da distinção entre os

Leia mais

XX Exame de Ordem REVISÃO TURBO CEISC. Direito Civil FAMÍLIA e SUCESSÕES Profa. Dra. Maitê Damé Teixeira Lemos

XX Exame de Ordem REVISÃO TURBO CEISC. Direito Civil FAMÍLIA e SUCESSÕES Profa. Dra. Maitê Damé Teixeira Lemos XX Exame de Ordem REVISÃO TURBO CEISC Direito Civil FAMÍLIA e SUCESSÕES Profa. Dra. Maitê Damé Teixeira Lemos DIREITO MATRIMONIAL Esponsais Comprova o compromisso assumido entre os nubentes, que demonstre

Leia mais

ALGUNS ASPECTOS QUE DIFERENCIAM A UNIÃO ESTÁVEL DO CASAMENTO

ALGUNS ASPECTOS QUE DIFERENCIAM A UNIÃO ESTÁVEL DO CASAMENTO ALGUNS ASPECTOS QUE DIFERENCIAM A UNIÃO ESTÁVEL DO CASAMENTO José Ricardo Afonso Mota: Titular do Ofício do Registro Civil e Tabelionato de Notas da cidade de Bom Jesus do Amparo (MG) A união estável,

Leia mais

Regime de bens no casamento. 14/dez/2010

Regime de bens no casamento. 14/dez/2010 1 Registro Civil Registro de Pessoas Jurídicas Registro de Títulos e Documentos Regime de bens no casamento 14/dez/2010 Noções gerais, administração e disponibilidade de bens, pacto antenupcial, regime

Leia mais

Direito das Sucessões Parte II. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Direito das Sucessões Parte II. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Direito das Sucessões Parte II Abertura da Sucessão Momento da morte do de cujus, devidamente comprovada. Com a abertura da sucessão os herdeiros, legítimos ou testamentários, adquirem, de imediato, a

Leia mais

O DIREITO DAS Sucessões na Contemporaneidade. http://patriciafontanella.adv.br

O DIREITO DAS Sucessões na Contemporaneidade. http://patriciafontanella.adv.br O DIREITO DAS Sucessões na Contemporaneidade http://patriciafontanella.adv.br Viés Constitucional Assento constitucional (art. 5º XXX, CF/88). Mudança dos poderes individuais da propriedade, trazendo a

Leia mais

A mulher casada antes e depois do 25 de Abril:

A mulher casada antes e depois do 25 de Abril: A mulher casada antes e depois do 25 de Abril: A evolução da sua situação jurídica em Alexandra Teixeira de Sousa Maio de 2011. A mulher casada antes e depois do 25 de Abril: evolução da situação jurídica

Leia mais

DIREITO CIVIL DIREITO DAS SUCESSÕES PROF. FLÁVIO MONTEIRO DE BARROS

DIREITO CIVIL DIREITO DAS SUCESSÕES PROF. FLÁVIO MONTEIRO DE BARROS DIREITO CIVIL DIREITO DAS SUCESSÕES PROF. FLÁVIO MONTEIRO DE BARROS MÓDULO I Direito das Sucessões; Conceito; Formas de Sucessão; Abertura da Sucessão; Sucessão Universal e Singular; Da Capacidade para

Leia mais

Direito das Sucessões Parte I. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Direito das Sucessões Parte I. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Direito das Sucessões Parte I Sucessão - Etimologia Sucessão Successio, de succedere. Relação de ordem, de continuidade. Uma sequência de fato e de coisas. O que vem em certa ordem ou em certo tempo. Sucessão

Leia mais

DIREITO CIVIL: SUCESSÕES

DIREITO CIVIL: SUCESSÕES FACULDADE PITÁGORAS - TEIXEIRA DE FREITAS CURSO DE DIREITO VALDEIR SOARES DA CONCEIÇÃO DIREITO CIVIL: SUCESSÕES TEIXEIRA DE FREITAS/BA 2011 VALDEIR SOARES DA CONCEIÇÃO DIREITO CIVIL: SUCESSÕES Trabalho

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA GERÊNCIA TRIBUTÁRIA SUBGERÊNCIA DE LEGISLAÇÃO E ORIENTAÇÃO TRIBUTÁRIA

GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA GERÊNCIA TRIBUTÁRIA SUBGERÊNCIA DE LEGISLAÇÃO E ORIENTAÇÃO TRIBUTÁRIA PARECER N 318 / 2015 ASSUNTO: PARECER CONSULTIVO EMENTA: ITCMD HOMOLOGAÇÃO OU EMISSÃO DE CERTIDÃO DE DISPENSA DO IMPOSTO RELATIVO À MEEIRA FALTA DE PREVISÃO LEGAL GUIAS DE TRANSMISSÃO E DUAs PARA FATOS

Leia mais

I. SUCESSÃO POR CAUSA DA MORTE E PLANEAMENTO SUCESSÓRIO

I. SUCESSÃO POR CAUSA DA MORTE E PLANEAMENTO SUCESSÓRIO Índice 167 Abreviaturas e siglas 9 Introdução 11 I. SUCESSÃO POR CAUSA DA MORTE E PLANEAMENTO SUCESSÓRIO 17 1. O património e a sua transmissão por causa da morte 18 1.1. O problema sucessório 18 1.2 O

Leia mais

COMISSÃO de Seguridade Social e Família. PROJETO DE LEI N o 508, DE 2007 (Apensos os PLs 2.528, de 2007, e 3.075, de 2008)

COMISSÃO de Seguridade Social e Família. PROJETO DE LEI N o 508, DE 2007 (Apensos os PLs 2.528, de 2007, e 3.075, de 2008) COMISSÃO de Seguridade Social e Família PROJETO DE LEI N o 508, DE 2007 (Apensos os PLs 2.528, de 2007, e 3.075, de 2008) Altera dispositivos do Código Civil, dispondo sobre igualdade de direitos sucessórios

Leia mais

A sucessão do cônjuge e do companheiro no novo código civil

A sucessão do cônjuge e do companheiro no novo código civil A sucessão do cônjuge e do companheiro no novo código civil 1. Intróito Inacio de Carvalho Neto Professor de Direito Civil da Unifoz, da Unipar, do CIES, da Escola do Ministério Público e da Escola da

Leia mais

SEÇÃO III DIREITO CIVIL E PROCESSUAL CIVIL SUBSEÇÃO I DIREITO CIVIL 1. ARTIGOS 1.1 SUCESSÃO LEGÍTIMA DO CÔNJUGE E DO COMPANHEIRO NO NOVO CÓDIGO CIVIL

SEÇÃO III DIREITO CIVIL E PROCESSUAL CIVIL SUBSEÇÃO I DIREITO CIVIL 1. ARTIGOS 1.1 SUCESSÃO LEGÍTIMA DO CÔNJUGE E DO COMPANHEIRO NO NOVO CÓDIGO CIVIL SEÇÃO III DIREITO CIVIL E PROCESSUAL CIVIL SUBSEÇÃO I DIREITO CIVIL 1. ARTIGOS 1.1 SUCESSÃO LEGÍTIMA DO CÔNJUGE E DO COMPANHEIRO NO NOVO CÓDIGO CIVIL DIMAS MESSIAS DE CARVALHO Promotor de Justiça no Estado

Leia mais

PONDERAÇÕES ELEMENTARES ACERCA DOS DIREITOS SUCESSÓRIOS DOS HERDEIROS DO CÔNJUGUE FALECIDO, NO ATUAL CÓDIGO CIVIL (DE 1916) E NO NOVO CÓDIGO CIVIL

PONDERAÇÕES ELEMENTARES ACERCA DOS DIREITOS SUCESSÓRIOS DOS HERDEIROS DO CÔNJUGUE FALECIDO, NO ATUAL CÓDIGO CIVIL (DE 1916) E NO NOVO CÓDIGO CIVIL PONDERAÇÕES ELEMENTARES ACERCA DOS DIREITOS SUCESSÓRIOS DOS HERDEIROS DO CÔNJUGUE FALECIDO, NO ATUAL CÓDIGO CIVIL (DE 1916) E NO NOVO CÓDIGO CIVIL Ilza Andrade Campos Silva * SUMÁRIO: 1. Considerações

Leia mais

Escrito por Administrator Dom, 15 de Novembro de :29 - Última atualização Qua, 04 de Janeiro de :11

Escrito por Administrator Dom, 15 de Novembro de :29 - Última atualização Qua, 04 de Janeiro de :11 INFORMAÇÕES PARA HABILITAÇÃO DE CASAMENTO DIVORCIADO 1. DOCUMENTOS: 1.1. Certidão de Casamento com averbação de divórcio, original e cópia simples; 1.2. Cópia simples da petição inicial, sentença e certidão

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2016

FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2016 FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2016 Disciplina: Direito Civil V Departamento II: Direito Privado Docente Responsável: Daniele Cristina Pavin Carga Horária Anual: 100 h/a Tipo: Anual 5º Ano Objetivos:

Leia mais

ORIENTAÇÕES DIREITO CIVIL ORIENTAÇÕES CÓDIGO CIVIL BRASILEIRO

ORIENTAÇÕES DIREITO CIVIL ORIENTAÇÕES CÓDIGO CIVIL BRASILEIRO ORIENTAÇÕES DIREITO CIVIL ORIENTAÇÕES CÓDIGO CIVIL BRASILEIRO IGUALDADE ENTRE SEXOS - Em conformidade com a Constituição Federal de 1988, ao estabelecer que "homens e mulheres são iguais em direitos e

Leia mais

A UNIÃO ESTÁVEL NO NOVO CÓDIGO CIVIL

A UNIÃO ESTÁVEL NO NOVO CÓDIGO CIVIL 76 A UNIÃO ESTÁVEL NO NOVO CÓDIGO CIVIL CLAUDIA NASCIMENTO VIEIRA¹ O artigo 226 da Constituição Federal equiparou a união estável entre homem e mulher ao casamento, dispondo em seu parágrafo 3º que é reconhecida

Leia mais

SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJÁ. Direito sucessório na união estável a luz do novo código civil brasileiro

SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJÁ. Direito sucessório na união estável a luz do novo código civil brasileiro SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJÁ Direito sucessório na união estável a luz do novo código civil brasileiro Luana Nayara Lopes Mamedes Carvalho da Silva Bacharel em

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PLANO DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PLANO DE ENSINO PLANO DE ENSINO I. IDENTIFICAÇÃO Unidade Acadêmica: Unidade Acadêmica Especial de Letras, Ciências Humanas e Sociais Aplicadas da Regional Jataí. Curso: Direito Disciplina: Direito das Sucessões Carga

Leia mais

Escrito por Administrator Dom, 15 de Novembro de :28 - Última atualização Qua, 04 de Janeiro de :05

Escrito por Administrator Dom, 15 de Novembro de :28 - Última atualização Qua, 04 de Janeiro de :05 INFORMAÇÕES PARA HABILITAÇÃO DE CASAMENTO SOLTEIRO 1. DOCUMENTOS: 1.1. Certidão de Nascimento, original e cópia simples, essas não poderão conter rasuras nem emendas; 1.2. Cópia simples da identidade e

Leia mais

DIREITO DAS SUCESSÕES (3) O DIREITO SUCESSÓRIO. Profa. Dra. Zamira de Assis

DIREITO DAS SUCESSÕES (3) O DIREITO SUCESSÓRIO. Profa. Dra. Zamira de Assis DIREITO DAS SUCESSÕES (3) O DIREITO SUCESSÓRIO Profa. Dra. Zamira de Assis ALGUNS DADOS IMPORTANTES QUANDO DA ABERTURA DA SUCESSÃO 1. Data do óbito. 2. Domicilio do de cujus. 3. Existência de cônjuge e

Leia mais

DOS SONEGADOS DA GARANTIA DOS QUINHÕES HEREDITÁRIOS. Da garantia dos quinhões hereditários. Dos sonegados 27/10/2016

DOS SONEGADOS DA GARANTIA DOS QUINHÕES HEREDITÁRIOS. Da garantia dos quinhões hereditários. Dos sonegados 27/10/2016 DA GARANTIA DOS QUINHÕES HEREDITÁRIOS Da garantia dos quinhões hereditários Antes da partilha os herdeiros terão a indivisibilidade de seu direito sendo que, após a partilha, cada herdeiro será senhor

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS DEPARTAMENTO DE DIREITO MARCELO BASTOS FARIAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS DEPARTAMENTO DE DIREITO MARCELO BASTOS FARIAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS DEPARTAMENTO DE DIREITO MARCELO BASTOS FARIAS O DIREITO SUCESSÓRIO DOS CÔNJUGES E DOS COMPANHEIROS: DISTINÇÕES E INCONSTITUCIONALIDADES

Leia mais

DIREITO DAS SUCESSÕES (4) DO DIREITO DE REPRESENTAÇÃO. CHAMAMENTO (vocação) ACEITAÇÃO REPÚDIO. Profa. Dra. Zamira de Assis. CAPACIDADE lato sensu

DIREITO DAS SUCESSÕES (4) DO DIREITO DE REPRESENTAÇÃO. CHAMAMENTO (vocação) ACEITAÇÃO REPÚDIO. Profa. Dra. Zamira de Assis. CAPACIDADE lato sensu DIREITO DAS SUCESSÕES (4) DO DIREITO DE REPRESENTAÇÃO Profa. Dra. Zamira de Assis herança jacente DEVOLUÇÃO CHAMAMENTO (vocação) Partilha ACEITAÇÃO REPÚDIO CAPACIDADE lato sensu (in) REPRESENTAÇÃO APTIDÃO

Leia mais

ORDEM DE VOCAÇÃO HEREDITÁRIA NO NOVO CÓDIGO CIVIL: OS DIREITOS SUCESSÓRIOS DO CÔNJUGE ALICE DE SOUZA BIRCHAL 1 - INTRODUÇÃO: A questão primordial a

ORDEM DE VOCAÇÃO HEREDITÁRIA NO NOVO CÓDIGO CIVIL: OS DIREITOS SUCESSÓRIOS DO CÔNJUGE ALICE DE SOUZA BIRCHAL 1 - INTRODUÇÃO: A questão primordial a ORDEM DE VOCAÇÃO HEREDITÁRIA NO NOVO CÓDIGO CIVIL: OS DIREITOS SUCESSÓRIOS DO CÔNJUGE ALICE DE SOUZA BIRCHAL 1 - INTRODUÇÃO: A questão primordial a que se pretende responder através deste estudo refere-se

Leia mais

DIREITO DAS SUCESSÕES REGIME DE BENS

DIREITO DAS SUCESSÕES REGIME DE BENS DIREITO DAS SUCESSÕES REGIME DE BENS Prof.Dicler Direito das Sucessões é o conjunto de normas que disciplinam a transferência do patrimônio (ativo e passivo créditos e débitos) de alguém, depois de sua

Leia mais

O cônjuge supérstite em relação à sucessão legítima 1

O cônjuge supérstite em relação à sucessão legítima 1 O cônjuge supérstite em relação à sucessão legítima 1 Elaine Aparecida Vilas Boas Reback 2, Dinair Flor de Miranda 3 Resumo: O presente artigo científico visa a analisar sistematicamente a posição do cônjuge

Leia mais

SUCESSÃO DO CÔNJUGE À LUZ DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL

SUCESSÃO DO CÔNJUGE À LUZ DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL SUCESSÃO DO CÔNJUGE À LUZ DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL Carlos José de Castro Costa 1 Introdução O advento do Código Civil de 2002 operou importantes modificações no âmbito do Direito Sucessório, ao inserir

Leia mais

Livro V Do Direito das Sucessões. Introdução: Mudança trazidas pelo CC/02 no direito civil nos campos: sucessões e família. Cônjuge Companheiro

Livro V Do Direito das Sucessões. Introdução: Mudança trazidas pelo CC/02 no direito civil nos campos: sucessões e família. Cônjuge Companheiro Msc. Sybelle Serrão Livro V Do Direito das Sucessões Introdução: Mudança trazidas pelo CC/02 no direito civil nos campos: sucessões e família. Cônjuge Companheiro Sucessão substituição Art. 1.784. Aberta

Leia mais

ESCOLA DA MAGISTRATURA DO ESTADO DO PARANÁ XXVII CURSO DE PREPARAÇÃO À MAGISTRATURA NÚCLEO CURITIBA MARIA CRISTINA FALAVINHA RAMOS REGIO

ESCOLA DA MAGISTRATURA DO ESTADO DO PARANÁ XXVII CURSO DE PREPARAÇÃO À MAGISTRATURA NÚCLEO CURITIBA MARIA CRISTINA FALAVINHA RAMOS REGIO ESCOLA DA MAGISTRATURA DO ESTADO DO PARANÁ XXVII CURSO DE PREPARAÇÃO À MAGISTRATURA NÚCLEO CURITIBA MARIA CRISTINA FALAVINHA RAMOS REGIO RESERVA DA QUARTA PARTE DA HERANÇA AO CÔNJUGE SOBREVIVENTE CURITIBA

Leia mais

Planejamento Sucessório. Bens localizados no Exterior

Planejamento Sucessório. Bens localizados no Exterior Planejamento Sucessório Bens localizados no Exterior Regras de Sucessão Parcela Legítima x Parcela Disponível 50% Legítima Obrigatoriamente dos Herdeiros Necessários 50% Disponível Pode dispor como desejar

Leia mais

FAURGS TJ - RS Edital 001/2015 CECPODNR PROVIMENTO E REMOÇÃO Pág. 1

FAURGS TJ - RS Edital 001/2015 CECPODNR PROVIMENTO E REMOÇÃO Pág. 1 Pág. 1 FAURGS TJ - RS Edital 001/2015 CECPODNR Pág. 2 Instrução: Responda às questões no CADERNO DE RESPOSTAS, atendo-se ao solicitado. 01. Conceitue a conversão do negócio jurídico e explique os seus

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.377.084 - MG (2013/0083914-0) RECORRENTE REPR. POR ADVOGADOS INTERES. : GERALDO SEBASTIÃO DA SILVA - ESPÓLIO : APARECIDA JOANA DA SILVA PAIVA - INVENTARIANTE : PAULO EDUARDO ALMEIDA

Leia mais

SUCESSÃO LEGÍTIMA À LUZ DO NOVO CÓDIGO CIVIL

SUCESSÃO LEGÍTIMA À LUZ DO NOVO CÓDIGO CIVIL 1 SUCESSÃO LEGÍTIMA À LUZ DO NOVO CÓDIGO CIVIL Euclides de Oliveira (Advogado de Família e Sucessões. Doutor em Direito Civil pela USP. Vice- Presidente do IBDFAM em São Paulo. Autor de livros jurídicos)

Leia mais

DA SUCESSÃO LEGÍTIMA 1. INTRODUÇÃO: CONCEITO E HIPÓTESES DE CABIMENTO DA SUCESSÃO LEGÍTIMA

DA SUCESSÃO LEGÍTIMA 1. INTRODUÇÃO: CONCEITO E HIPÓTESES DE CABIMENTO DA SUCESSÃO LEGÍTIMA 1 DA SUCESSÃO LEGÍTIMA Márcia Maria Menin 1 1. INTRODUÇÃO: CONCEITO E HIPÓTESES DE CABIMENTO DA SUCESSÃO LEGÍTIMA Caracteriza-se como legítima a sucessão deferida pela lei através da ordem de vocação hereditária,

Leia mais

O DIREITO SUCESSÓRIO DO CÔNJUGE SEPARADO DE FATO

O DIREITO SUCESSÓRIO DO CÔNJUGE SEPARADO DE FATO O DIREITO SUCESSÓRIO DO CÔNJUGE SEPARADO DE FATO Valéria Edith Carvalho de Oliveira 1 Sumário: 1 Introdução. 2 O direito sucessório do cônjuge separado de fato. 3. O direito sucessório do cônjuge separado

Leia mais

Direitos das Sucessões

Direitos das Sucessões Há 4 títulos do capítulo das sucessões: Sucessões em geral: aplicada a qualquer hipótese; Sucessão Legítima: prevista em lei; Sucessão testamentária: disposições de vontade; Inventário e partilha: regras

Leia mais

C O N S U L T A. Rio de Janeiro, setembro de I A questão

C O N S U L T A. Rio de Janeiro, setembro de I A questão C O N S U L T A Rio de Janeiro, setembro de 2011. Ementa: Direito Civil Sucessão - Regime de Bens Comunhão Universal - Indenização Trabalhista Incomunicabilidade Bem reservado Casamento celebrado na vigência

Leia mais