PLANOS DE SAÚDE REGULAMENTADOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANOS DE SAÚDE REGULAMENTADOS"

Transcrição

1 PLANOS DE SAÚDE REGULAMENTADOS Com relação a este tema, vamos explanar onde tudo começou: O Estatuto do Idoso (Lei n , de ), reconhecendo a hipossuficiência do idoso, trouxe algumas conseqüências aos planos de assistência à saúde, dentre elas a mudança de faixas etárias estabelecidas nos contratos de prestação de serviços com Operadoras de Planos de Saúde e vedações de reajuste das mensalidades de planos de assistência à saúde quando o beneficiário possuir 60 (sessenta) anos ou mais. Preceitua o artigo 15, parágrafo 3 o o seguinte: É vedada a discriminação do idoso nos planos de saúde pela cobrança de valores diferenciados em razão da idade. Todas as operadoras de planos de saúde são reguladas e fiscalizadas pela ANS Agência Nacional de Saúde, autarquia especial da União, por meio de suas resoluções e instrumentos competentes. Referidas resoluções são direcionadas pela Lei n 9.656/98, que dispõe sobre os planos de saúde, e de forma subsidiária, pelo Código de Defesa do Consumidor, conforme estabelece o artigo 35G da mesma lei. Importante ressaltar que, atualmente, a Lei n 9.656/98, bem como às resoluções publicadas pela ANS regulamentam tão somente os contratos de planos de saúde firmados a partir de 01 de janeiro de 1999, data da vigência da lei ou contratos adaptados à essa lei. Os contratos firmados antes da vigência da Lei n 9.656/98 ( ) eram regulados pela ANS,conforme previsão do artigo 35 E: Art.35-E. A partir de 5 de junho de 1998, fica estabelecido para os contratos celebrados anteriormente à data de vigência desta Lei que: I- qualquer variação na contraprestação pecuniária para consumidores com mais de sessenta anos de idade estará sujeita à autorização prévia da ANS; II- a alegação de doença ou lesão preexistente estará sujeita à prévia regulamentação da matéria pela ANS; III- é vedada a suspensão ou a rescisão unilateral do contrato individual ou familiar de produtos de que tratam o inciso I e o 1 o do art. 1 o desta Lei por parte da operadora, salvo o disposto no inciso II do parágrafo único do art. 13 desta Lei; IV- é vedada a interrupção de internação hospitalar em leito clínico, cirúrgico ou em centro de terapia intensiva ou similar, salvo a critério do médico assistente.

2 1 o Os contratos anteriores à vigência desta Lei, que estabeleçam reajuste por mudança de faixa etária com idade inicial em sessenta anos ou mais, deverão ser adaptados, até 31 de outubro de 1999, para repactuação da cláusula de reajuste, observadas as seguintes disposições: I- a repactuação será garantida aos consumidores de que trata o parágrafo único do art. 15, para as mudanças de faixa etária ocorridas após a vigência desta Lei, e limitar-se-á à diluição da aplicação do reajuste anteriormente previsto, em reajustes parciais anuais, com adoção de percentual fixo que, aplicado a cada ano, permita atingir o reajuste integral no início do último ano da faixa etária considerada; II- para aplicação da fórmula de diluição, consideram-se de dez anos as faixas etárias que tenham sido estipuladas sem limite superior; III- a nova cláusula, contendo a fórmula de aplicação do reajuste, deverá ser encaminhada aos consumidores, juntamente com o boleto ou título de cobrança, com a demonstração do valor originalmente contratado, do valor repactuado e do percentual de reajuste anual fixo, esclarecendo, ainda, que o seu pagamento formalizará esta repactuação; IV- a cláusula original de reajuste deverá ter sido previamente submetida à ANS; V- na falta de aprovação prévia, a operadora, para que possa aplicar reajuste por faixa etária a consumidores com sessenta anos ou mais de idade e dez anos ou mais de contrato, deverá submeter à ANS as condições contratuais acompanhadas de nota técnica, para, uma vez aprovada a cláusula e o percentual de reajuste, adotar a diluição prevista neste parágrafo. 2 o Nos contratos individuais de produtos de que tratam o inciso I e o 1 o do art. 1 o desta Lei, independentemente da data de sua celebração, a aplicação de cláusula de reajuste das contraprestações pecuniárias dependerá de prévia aprovação da ANS. No entanto, o dispositivo acima foi considerado inconstitucional pelo Supremo Tribunal Federal por meio da ADIn n Com isso, os contratos firmados antes da vigência da Lei n 9.656/98 e não adaptados a ela, não podem mais ser regulados e fiscalizados pela ANS, o que significa que os mesmos devem ser cumpridos entre as partes sem interferência da ANS. O intuito do presente artigo não é o esgotamento do assunto, até porque isso é, em suma, humanamente impossível, mas, tão só, a exposição de um entendimento jurídico acerca dos reajustes por faixa etária nos planos de saúde, respeitando assim, o Estatuto do Idoso.

3 Antes de adentrarmos nas diferenças entre os contratos de planos de saúde, cumpre-nos conceituarmos o reajuste por mudança de faixa etária. Este constitui-se de um acréscimo efetuado na mensalidade do plano de saúde, no mês de aniversário do beneficiário, quando este muda de faixa etária. Para isso, realizamos uma divisão dos seguintes contratos: os firmados antes à Lei n 9.656/98 (não regulamentados); os firmados na vigência da Lei n 9.656/98 ou adaptados a ela; os firmados após a vigência do Estatuto do Idoso. 1. Contratos Firmados antes à Lei n 9.656/98 (não regulamentados) Os contratos firmados antes da vigência da lei que dispõe sobre os planos de saúde e não adaptados a ela, vigoram em conformidade com o disposto no contrato pactuado entre a operadora de plano de saúde e o beneficiário, sendo cumprido todas as cláusulas contidas no contrato, sendo que o beneficiário não poderá usufruir dos benefícios do plano regulamentado, se assim não estiver constando em seu contrato. Vale lembrar que se trata de uma relação de consumo e, portanto, aplica-se nesses contratos o Código de Defesa do Consumidor. Nesse sentido, se o beneficiário do plano entender por abusivos os reajustes por mudança de faixa etária, poderá recorrer aos órgãos de proteção ao consumidor, ou ao Poder Judiciário, com relação aos valores e não com relação à extensão de cobertura do plano. Por outro lado, a ANS não poderá fiscalizar e regular esses contratos antigos por força de liminar do Supremo Tribunal Federal (ADIn ) proferida em Contratos Firmados sob a vigência da Lei n 9.656/98 (até a vigência do Estatuto do Idoso) Esses contratos possuem tratamento diferenciado em função da aludida lei que, em seu artigo 15, parágrafo único, dispõe o seguinte: Art.15. A variação das contraprestações pecuniárias estabelecidas nos contratos de produtos de que tratam o inciso I e o 1 o do art. 1 o desta Lei, em razão da idade do consumidor, somente poderá ocorrer caso estejam previstas no contrato inicial as faixas etárias e os percentuais de reajustes incidentes em cada uma delas, conforme normas expedidas pela ANS, ressalvado o disposto no art. 35-E. Parágrafo único. É vedada a variação a que alude o caput para consumidores com mais de sessenta anos de idade, que participarem dos produtos de que tratam o inciso I e o 1 o do art. 1 o, ou sucessores, há mais de dez anos. Os referidos contratos só poderão sofrer reajuste por mudança de faixa etária, se estiver expressamente previsto no contrato as faixas etárias e os percentuais de reajuste. A lei apenas estabelece um tipo de contrato para cada faixa etária, a qual determinará o valor das mensalidades.

4 Além dessa norma, a Resolução CONSU n 06/98 da ANS, em seu artigo 1, estabelece as faixas etárias, determinando o máximo de 07 (sete) faixas, quais sejam: 1ª faixa - zero a 17 (dezessete) anos 2ª faixa - 18 (dezoito) a 29 anos (vinte e nove) 3ª faixa - 30 (trinta) a 39 anos (trinta e nove) 4ª faixa - 40 (quarenta) a 49 (quarenta e nove) anos 5ª faixa - 50 (cinqüenta) a 59 (cinqüenta e nove) anos 6ª faixa - 60 (sessenta) a 69 (sessenta e nove) anos 7ª faixa - 70 (setenta) anos ou mais Além desses requisitos, a mesma resolução estabelece, em seu artigo 2, que a última faixa etária não poderá ter valor superior a seis vezes o valor da primeira faixa. Por exemplo, se a primeira faixa (I) custar R$ 100,00, a última (VII) não pode custar mais de R$ 600,00. Aos beneficiários com mais de 60 (sessenta) anos e com 10 (dez) anos ou mais de plano de saúde é vedado o reajuste por mudança de faixa etária. Os requisitos delineados são cumulativos. Há quem entenda que o parágrafo único do artigo 15 da Lei n 9.656/98 foi revogado pelo Estatuto do Idoso, que veda o reajuste por faixa etária para os beneficiários com 60 (sessenta) anos ou mais, independente de completar 10 (dez) anos de plano. Portanto, aplicar-se-ia tal vedação também aos contratos anteriores ao estatuto. 3. Contratos firmados sob a vigência do Estatuto do Idoso O Estatuto do Idoso (Lei n /03) trouxe, aos planos de saúde firmados sob sua vigência, nova regulamentação sob a ótica dos reajustes por mudança de faixa etária. Também serão alcançados pelo Estatuto do Idoso os contratos adaptados e migrados em conformidade com a RN 64/03 da ANS. A RN 63, de , da ANS, em seu artigo 2, determinou a adoção de dez faixas etárias para os contratos firmados a partir de : 1ª faixa - 0 (zero) a 18 (dezoito) anos; 2ª faixa - 19 (dezenove) a 23 (vinte e três) anos; 3ª faixa - 24 (vinte e quatro) a 28 (vinte e oito) anos; 4ª faixa - 29 (vinte e nove) a 33 (trinta e três) anos;

5 5ª faixa - 34 (trinta e quatro) a 38 (trinta e oito) anos; 6ª faixa - 39 (trinta e nove) a 43 (quarenta e três) anos; 7ª faixa - 44 (quarenta e quatro) a 48 (quarenta e oito) anos; 8ª faixa - 49 (quarenta e nove) a 53 (cinqüenta e três) anos; 9ª faixa - 54 (cinqüenta e quatro) a 58 (cinqüenta e oito) anos; 10ª faixa - 59 (cinqüenta e nove) anos ou mais. Note-se que, antes do Estatuto, as operadoras de planos de saúde observavam o máximo de sete faixas etárias, sendo a última de 70 anos. Hoje, com o estatuto, observam o máximo de dez faixas etárias, sendo a última de 59 anos. Ao aumentar o número de faixas etárias, a resolução objetivou diluir os reajustes. Além disso, em seu artigo 3 impôs duas condições: I - o valor fixado para a última faixa etária não poderá ser superior a seis vezes o valor da primeira faixa etária; II - a variação acumulada entre a sétima e a décima faixas não poderá ser superior à variação acumulada entre a primeira e a sétima faixas. A primeira condição já era aplicada aos contratos anteriores à vigência do estatuto do Idoso. A segunda condição impede a concentração de reajustes nas faixas mais altas. Apesar de todas as condições impostas pela ANS, é de se concluir que, possivelmente, as mensalidades dos planos de saúde contratados a partir do estatuto do idoso poderão ser mais caras, principalmente nas faixas mais jovens, a fim de compensar a vedação do reajuste para os beneficiários com sessenta anos ou mais.

PANORAMA ATUAL DOS PLANOS DE SAÚDE

PANORAMA ATUAL DOS PLANOS DE SAÚDE Boletim Informativo Saúde nº 04, outubro/2003 PANORAMA ATUAL DOS PLANOS DE SAÚDE Rachel Pachiega preocupantes eventos. Os profissionais da área de saúde vêm passando por uma série de Vinda da alta cúpula

Leia mais

Formação de preços e aumentos por mudança de faixa etária

Formação de preços e aumentos por mudança de faixa etária 1 Formação de preços e aumentos por mudança de faixa etária A presente nota tem o objetivo de esclarecer as regras gerais da atual regulamentação para a formação dos preços e dos aumentos por mudança de

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 254, DE 5 DE MAIO DE 2011

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 254, DE 5 DE MAIO DE 2011 RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 254, DE 5 DE MAIO DE 2011 Dispõe sobre a adaptação e migração para os contratos celebrados até 1º de janeiro de 1999 e altera as Resoluções Normativas nº 63, de 22 de dezembro

Leia mais

Os Reajustes por Mudança de Faixa Etária nos Planos de Saúde

Os Reajustes por Mudança de Faixa Etária nos Planos de Saúde 1 Os Reajustes por Mudança de Faixa Etária nos Planos de Saúde Publicado em Revista de Direito do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro /Cont. de/ RJRJ, Rio de Janeiro, n.80, p. 95-99, jul./set.

Leia mais

Reajuste de mensalidade

Reajuste de mensalidade Reajuste de mensalidade Conceitos básicos Reajuste por variação de custos Reajuste por mudança de faixa etária SÉRIE PLANOS DE SAÚDE CONHEÇA SEUS DIREITOS Reajuste de mensalidade SÉRIE PLANOS DE SAÚDE

Leia mais

Os Reajustes por Mudança de Faixa Etária nos Planos de Saúde

Os Reajustes por Mudança de Faixa Etária nos Planos de Saúde Os Reajustes por Mudança de Faixa Etária nos Planos de Saúde Luciana de Oliveira Leal Halbritter Juíza de Direito do TJ RJ Mestre em Justiça e Cidadania pela UGF Sumário: 1. Introdução; 2. Aspectos Gerais;

Leia mais

Envelhecimento populacional e a composição etária de beneficiários de planos de saúde

Envelhecimento populacional e a composição etária de beneficiários de planos de saúde Envelhecimento populacional e a composição etária de beneficiários de planos de saúde Luiz Augusto Carneiro Superintendente Executivo Francine Leite Apresentação Este trabalho introduz o tema Envelhecimento

Leia mais

CAPÍTULO I - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

CAPÍTULO I - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Ministério da Saúde ANS Resolução Normativa RN Nº. 279, de 24.11.2011: Dispõe sobre a regulamentação dos artigos 30 e 31 da Lei nº 9.656, de 3 de junho de 1998, e revoga as Resoluções do CONSU Nº. 20 e

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA RN Nº XXXXX, DE XX DE XXXXXX DE 2008.

RESOLUÇÃO NORMATIVA RN Nº XXXXX, DE XX DE XXXXXX DE 2008. RESOLUÇÃO NORMATIVA RN Nº XXXXX, DE XX DE XXXXXX DE 2008. Dispõe sobre a classificação e características dos planos privados de assistência à saúde, regulamenta a sua contratação, institui a orientação

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 279 DE 24 DE NOVEMBRO DE 2011

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 279 DE 24 DE NOVEMBRO DE 2011 RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 279 DE 24 DE NOVEMBRO DE 2011 Dispõe sobre a regulamentação dos artigos 30 e 31 da Lei nº 9.656, de 3 de junho de 1998, e revoga as Resoluções do CONSU nºs 20 e 21, de 7 de

Leia mais

Vistos, Embora dispensado (art. 38, Lei nº 9.099/95), é o relato do necessário.

Vistos, Embora dispensado (art. 38, Lei nº 9.099/95), é o relato do necessário. Vistos, Como já ressaltado em decisum anterior, a presente demanda foi proposta por MARIA APARECIDA MARQUES AMORIN NUNES em face de UNIMED ARAGUAIA COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO, objetivando a revisão

Leia mais

Diferenças entre adaptação e migração nos planos privados de assistência à saúde

Diferenças entre adaptação e migração nos planos privados de assistência à saúde Diferenças entre adaptação e migração nos planos privados de assistência à saúde ADAPTAÇÃO MIGRAÇÃO Conceito É a alteração (aditamento) do contrato antigo, assinado antes de janeiro de 1999, para adequá-lo

Leia mais

Dispõe sobre o agrupamento de contratos coletivos de planos privados de assistência à saúde para fins de cálculo e aplicação de reajuste.

Dispõe sobre o agrupamento de contratos coletivos de planos privados de assistência à saúde para fins de cálculo e aplicação de reajuste. RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 309, DE 24 DE OUTUBRO DE 2012 Dispõe sobre o agrupamento de contratos coletivos de planos privados de assistência à saúde para fins de cálculo e aplicação de reajuste. A Diretoria

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA RN Nº 195, DE 14 DE JULHO DE 2009.

RESOLUÇÃO NORMATIVA RN Nº 195, DE 14 DE JULHO DE 2009. RESOLUÇÃO NORMATIVA RN Nº 195, DE 14 DE JULHO DE 2009. Dispõe sobre a classificação e características dos planos privados de assistência à saúde, regulamenta a sua contratação, institui a orientação para

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA RN Nº 195, DE 2009.

RESOLUÇÃO NORMATIVA RN Nº 195, DE 2009. RESOLUÇÃO NORMATIVA RN Nº 195, DE 2009. Dispõe sobre a classificação e características dos planos privados de assistência à saúde, regulamenta a sua contratação, institui a orientação para contratação

Leia mais

Orientações Jurídicas

Orientações Jurídicas São Paulo, 05 de junho de 2015. OJ-GER/021/15 Orientações Jurídicas Reajuste anual dos planos de assistência médico-hospitalar, com ou sem cobertura odontológica. Planos de contratação individual/familiar.

Leia mais

Seção II Das Definições

Seção II Das Definições RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 310, DE 30 DE OUTUBRO DE 2012 Dispõe sobre os princípios para a oferta de contrato acessório de medicação de uso domiciliar pelas operadoras de planos de assistência à saúde.

Leia mais

TERMO DE ADITAMENTO AO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE PME ALTO TIETÊ - PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS

TERMO DE ADITAMENTO AO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE PME ALTO TIETÊ - PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS JAN/10 TERMO DE ADITAMENTO AO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE PME ALTO TIETÊ - PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS O presente aditamento é parte integrante do Contrato de Assistência Médica

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANOS DE SAÚDE.

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANOS DE SAÚDE. MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANOS DE SAÚDE. Operadora: Unimed Campo Grande MS Cooperativa de Trabalho Médico. CNPJ: 03.315.918/0001-18 Nº de registro na ANS: 312851 Site: http://www.unimedcg.com.br

Leia mais

Art. 2º - Para fins de contratação, os planos privados de assistência à saúde classificam-se em:

Art. 2º - Para fins de contratação, os planos privados de assistência à saúde classificam-se em: RESOLUÇÃO NORMATIVA RN Nº 195, DE 14 DE JULHO DE 2009. Dispõe sobre a classificação e características dos planos privados de assistência à saúde, regulamenta a sua contratação, institui a orientação para

Leia mais

ção o do Envelhecimento Ativo

ção o do Envelhecimento Ativo Proposta : Criaçã ção o de incentivos para Programas de Promoçã ção o do Envelhecimento Ativo no âmbito da Saúde Suplementar GT Idoso- ANS Criação de Incentivos (Bonificação) para Participação em Programas

Leia mais

Lei nº 13.003/14 e resoluções. Contratualização entre OPS e prestadores

Lei nº 13.003/14 e resoluções. Contratualização entre OPS e prestadores Lei nº 13.003/14 e resoluções Contratualização entre OPS e prestadores Normas aplicáveis: Lei nº 13.003/2014 altera a Lei nº 9.656/98 ANS: RN nº 363/2014 regras pra celebração de contratos RN nº 364/2014

Leia mais

RECOMENDAÇÃO PR/RJ/CG Nº 07/2014

RECOMENDAÇÃO PR/RJ/CG Nº 07/2014 Procedimento Administrativo MPF/PR/RJ nº 1.30.001.001245/2013-82 RECOMENDAÇÃO PR/RJ/CG Nº 07/2014 O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, por meio do Procurador da República in fine assinado, com fundamento nos

Leia mais

TERMO DE ADESÃO A CONTRATO DE OPERAÇÃO DE PLANO PRIVADO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE. Associado: Endereço: CNPJ: Inscrição Estadual: Representante legal:

TERMO DE ADESÃO A CONTRATO DE OPERAÇÃO DE PLANO PRIVADO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE. Associado: Endereço: CNPJ: Inscrição Estadual: Representante legal: TERMO DE ADESÃO A CONTRATO DE OPERAÇÃO DE PLANO PRIVADO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE Associado: Endereço: CNPJ: Inscrição Estadual: CEP: Telefone: Representante legal: RG: CPF: 1. Por este termo, o associado

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO GRATIFICAÇÕES, ADICIONAIS, AUXÍLIOS E OUTROS

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO GRATIFICAÇÕES, ADICIONAIS, AUXÍLIOS E OUTROS SINDICATO AUX ADM ESCOLAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, CNPJ n. 31.249.428/0001-04, neste ato representado (a) por seu Presidente, Sr(a). ELLES CARNEIRO PEREIRA; E ASSOCIACAO NOBREGA DE EDUCACAO E ASSISTENCIA

Leia mais

Lei nº 13.003/2014. Jacqueline Torres Gerente Executiva. GERAR Gerência Executiva de Aprimoramento do Relacionamento entre Operadoras e Prestadores

Lei nº 13.003/2014. Jacqueline Torres Gerente Executiva. GERAR Gerência Executiva de Aprimoramento do Relacionamento entre Operadoras e Prestadores Lei nº 13.003/2014 Jacqueline Torres Gerente Executiva GERAR Gerência Executiva de Aprimoramento do Relacionamento entre Operadoras e Prestadores O porquê de uma nova lei O mercado de planos de saúde organiza-se

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANOS DE SAÚDE DIFERENÇAS ENTRE PLANOS INDIVIDUAIS E COLETIVOS

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANOS DE SAÚDE DIFERENÇAS ENTRE PLANOS INDIVIDUAIS E COLETIVOS Operadora: ELOSAÚDE - CNPJ: 11.593.821/0001-03 03 - N ANS: 41729-7 - Site: www.elosaude.com.br - Tel.: (48) 3298-5555 MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANOS DE SAÚDE DIFERENÇAS ENTRE PLANOS INDIVIDUAIS

Leia mais

Manual de Orientação para contratação de Plano de Saúde

Manual de Orientação para contratação de Plano de Saúde Operadora: Allianz Saúde CNPJ: 04.439.627/0001-0 Nº de registro na ANS: 00051-5 Nº de registro do produto: conforme contratado pelo estipulante Site: www.allianz.com.br Telefone: 0800 7228148 Manual de

Leia mais

Manual de Orientação para Contratação de Planos de Saúde

Manual de Orientação para Contratação de Planos de Saúde Operadora: Unimed Curitiba Sociedade Cooperativa de Médicos CNPJ: 75.055.772/0001-20 Nº de registro na ANS: 30470-1 Site: http://www.unimedcuritiba.com.br Tel:(41) 3019-2000 Exclusivo para liberações de

Leia mais

Lei nº 13.003/2014. Novembro de 2015

Lei nº 13.003/2014. Novembro de 2015 Lei nº 13.003/2014 Novembro de 2015 Informações Gerais 1173 operadoras com beneficiários cadastrados 72 milhões de beneficiários - planos de assistência médica e/ou planos odontológicos Receita bruta de

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO DE AJ USTE DE CONDUTA Nº013/2003

TERMO DE COMPROMISSO DE AJ USTE DE CONDUTA Nº013/2003 TERMO DE COMPROMISSO DE AJ USTE DE CONDUTA Nº013/2003 Pelo presente instrumento, por um lado a Agência Nacional de Saúde Suplementar, pessoa jurídica de direito público, autarquia especial vinculada ao

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA REGULAÇÃO E DA CONTRATUALIZAÇÃO EM SAÚDE SUPLEMENTAR. Comissão Nacional de Convênios e Credenciamentos (CNCC)

A IMPORTÂNCIA DA REGULAÇÃO E DA CONTRATUALIZAÇÃO EM SAÚDE SUPLEMENTAR. Comissão Nacional de Convênios e Credenciamentos (CNCC) 1 A IMPORTÂNCIA DA REGULAÇÃO E DA CONTRATUALIZAÇÃO EM SAÚDE SUPLEMENTAR 2 CONCEITOS 3 SAÚDE SUPLEMENTAR: atividade que envolve a operação de planos privados de assistência à saúde sob regulação do Poder

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO DE AJ USTE DE CONDUTA Nº009/2003

TERMO DE COMPROMISSO DE AJ USTE DE CONDUTA Nº009/2003 TERMO DE COMPROMISSO DE AJ USTE DE CONDUTA Nº009/2003 Pelo presente instrumento, por um lado a Agência Nacional de Saúde Suplementar, pessoa jurídica de direito público, autarquia especial vinculada ao

Leia mais

Envelhecimento e Reajuste por Faixa Etária: Impacto da Lei 9.656 e do Estatuto do Idoso

Envelhecimento e Reajuste por Faixa Etária: Impacto da Lei 9.656 e do Estatuto do Idoso 140 Envelhecimento e Reajuste por Faixa Etária: Impacto da Lei 9.656 e do Estatuto do Idoso Eunice Bitencourt Haddad 1 O aumento do número de idosos, que se revela em verdadeiro bônus demográfico, acarreta,

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO

MANUAL DE ORIENTAÇÃO MANUAL DE ORIENTAÇÃO Operadora: GreenLine Sistema de Saúde - LTDA CNPJ: 61.849.980/0001-96 Nº de Registro na ANS: 32.507-4 Site: http://www.greenlinesaude.com.br Tel: 0800-776 - 7676 Manual de Orientação

Leia mais

CIRCULAR Nº 255, DE 4 DE JUNHO DE 2004

CIRCULAR Nº 255, DE 4 DE JUNHO DE 2004 SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR Nº 255, DE 4 DE JUNHO DE 2004 Dispõe sobre a atualização de valores relativos às operações de seguros, de previdência complementar aberta e de capitalização,

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR DIRETORIA COLEGIADA RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 186, DE 14 DE JANEIRO DE 2009

AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR DIRETORIA COLEGIADA RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 186, DE 14 DE JANEIRO DE 2009 AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR DIRETORIA COLEGIADA RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 186, DE 14 DE JANEIRO DE 2009 Dispõe sobre a regulamentação da portabilidade das carências previstas no inciso V do

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 265, DE 19 DE AGOSTO DE 2011

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 265, DE 19 DE AGOSTO DE 2011 RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 265, DE 19 DE AGOSTO DE 2011 Dispõe sobre a concessão de bonificação aos beneficiários de planos privados de assistência à saúde pela participação em programas para Promoção

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANO DE SAÚDE COLETIVO POR ADESÃO. Edição: 25/02/14

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANO DE SAÚDE COLETIVO POR ADESÃO. Edição: 25/02/14 MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANO DE SAÚDE COLETIVO POR ADESÃO Edição: 25/02/14 Direito de migrar para plano individual ou familiar aproveitando carência do plano coletivo empresarial Os beneficiários

Leia mais

TERMO DE ADESÃO AO CONTRATO DE PLANO DE SAÚDE UNIMED CASCAVEL Nº 155/13

TERMO DE ADESÃO AO CONTRATO DE PLANO DE SAÚDE UNIMED CASCAVEL Nº 155/13 TERMO DE ADESÃO AO CONTRATO DE PLANO DE SAÚDE UNIMED CASCAVEL Nº 155/1 ADERENTE: CNPJ: Endereço: CEP: Cidade: UF: Representante legal: CPF: RG: Endereço: CEP: Cidade: CLÁUSULA PRIMEIRA: A ADERENTE, doravante

Leia mais

A LEI 9.656/98 E O CDC

A LEI 9.656/98 E O CDC A LEI 9.656/98 E O CDC Daniela Maria Paludo 1 A Lei 9656/98 foi elaborada a partir de inúmeras discussões entre entidades de defesa do consumidor, representantes dos planos de seguro saúde, corporações

Leia mais

"Seção I Do Prazo de Permanência para a Portabilidade" (NR) "Seção II Dos Aspectos Operacionais Gerais da Portabilidade" (NR)

Seção I Do Prazo de Permanência para a Portabilidade (NR) Seção II Dos Aspectos Operacionais Gerais da Portabilidade (NR) CIRCULAR AHESP Nº 044/11 São Paulo, 06 de Julho de 2011 Att.: DIRETORIA ADMINISTRATIVA Ref.: MS/ANS/INSTRUÇÃO NORMATIVA-IN N.32, DE 04 DE JULHO DE 2011 Senhores Diretores: Segue abaixo íntegra da Instrução

Leia mais

CIRCULAR SUSEP N o 255, de 4 de junho de 2004.

CIRCULAR SUSEP N o 255, de 4 de junho de 2004. CIRCULAR SUSEP N o 255, de 4 de junho de 2004. Dispõe sobre a atualização de valores relativos às operações de seguros, de previdência complementar aberta e de capitalização, e dá outras providências.

Leia mais

DÚVIDAS FREQÜENTES SOBRE A NOVA LEI DE ESTÁGIO (LEI 11.788/2008)

DÚVIDAS FREQÜENTES SOBRE A NOVA LEI DE ESTÁGIO (LEI 11.788/2008) DÚVIDAS FREQÜENTES SOBRE A NOVA LEI DE ESTÁGIO (LEI 11.788/2008) 1. O que é o estágio? Resposta: Estágio é ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação

Leia mais

SULAMÉRICA TRT 2ª REGIÃO / SP

SULAMÉRICA TRT 2ª REGIÃO / SP SULAMÉRICA TRT 2ª REGIÃO / SP 1. OBJETO: 1.1. A presente proposta tem por objeto disponibilizar seguros saúde da Sul América Seguros Saúde S.A., operadora registrada na Agência Nacional de Saúde Suplementar

Leia mais

CLÍNICAS, HOSPITAIS E PLANOS DE SAÚDE

CLÍNICAS, HOSPITAIS E PLANOS DE SAÚDE 2013 CLÍNICAS, HOSPITAIS E PLANOS DE SAÚDE CONTEÚDO DEFINIÇÕES:... 2 CLÍNICAS MÉDICAS E HOSPITAIS... 2 PLANOS DE SAÚDE... 3 Dicas gerais de contratação:... 3 Coberturas:... 5 Plano Ambulatorial:... 5 Plano

Leia mais

NTRP Planos Coletivos Empresariais Adaptaçã. ção o de Contratos. Diretoria de Normas e Habilitação dos Produtos 13/07/2012

NTRP Planos Coletivos Empresariais Adaptaçã. ção o de Contratos. Diretoria de Normas e Habilitação dos Produtos 13/07/2012 Workshop Atuários NTRP Planos Coletivos Empresariais Adaptaçã ção o de Contratos Gerência-Geral Geral Econômico-Financeira e Atuarial dos Produtos Diretoria de Normas e Habilitação dos Produtos 13/07/2012

Leia mais

ADITIVO CONTRATUAL DE MANUTENÇÃO DE SEGURADOS DEMITIDOS OU APOSENTADOS

ADITIVO CONTRATUAL DE MANUTENÇÃO DE SEGURADOS DEMITIDOS OU APOSENTADOS ADITIVO CONTRATUAL DE MANUTENÇÃO DE SEGURADOS DEMITIDOS OU APOSENTADOS Este aditivo é parte integrante do Seguro Saúde contratado pelo Estipulante abaixo indicado, bem como de suas Condições Gerais. Número

Leia mais

O Aumento por Faixa Etária após o Estatuto do Idoso

O Aumento por Faixa Etária após o Estatuto do Idoso O Aumento por Faixa Etária após o Estatuto do Idoso 367 Marisa Simões Mattos Passos 1 A atividade explorada pelas operadoras de planos ou seguros privados de assistência saúde tem enorme repercussão social,

Leia mais

BREVE ANÁLISE ACERCA DAS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS NA LEI N O 9.656, DE 03 DE JUNHO DE 1998, PELA LEI N O 13.003, DE 24 DE JUNHO DE 2014

BREVE ANÁLISE ACERCA DAS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS NA LEI N O 9.656, DE 03 DE JUNHO DE 1998, PELA LEI N O 13.003, DE 24 DE JUNHO DE 2014 BREVE ANÁLISE ACERCA DAS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS NA LEI N O 9.656, DE 03 DE JUNHO DE 1998, PELA LEI N O 13.003, DE 24 DE JUNHO DE 2014 Guilherme Portes Rio de Janeiro 08 de agosto de 2014 Advogado e Sócio

Leia mais

Com 30 participantes ou mais

Com 30 participantes ou mais MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PLANOS DE SAÚDE CUNHA ODONTOLOGIA S/S LTDA CNPJ n : 06.216.938/0001-20 N de registro na ANS: 41695-9 Site: www.cunhaodontologia.com.br Tel: Serviços: (62) 3945.5673

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE GUANHÃES, Estado de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais;

O PREFEITO MUNICIPAL DE GUANHÃES, Estado de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais; LEI Nº 2451 DE 24 DE NOVEMBRO DE 2011 Dispõe sobre o estágio de estudantes junto ao poder público Municipal, suas autarquias e fundações e dá outras providencias. O PREFEITO MUNICIPAL DE GUANHÃES, Estado

Leia mais

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado da Casa Civil Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do Estado do Rio de Janeiro

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado da Casa Civil Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do Estado do Rio de Janeiro Processo nº.: E-12/0 Autuação: 29/01 Concessionária: PROLAGOS Assunto: Seguro Garantia - 2014 Sessão Regulatória: 26 de agosto de 2014 RELATÓRIO O presente Processo Regulatório foi iniciado em razão da

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS MÉDICOS (ADAPTADO às RESOLUÇÕES NORMATIVAS N.ºs 363, 364 e SÚMULA 26 DA ANS)

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS MÉDICOS (ADAPTADO às RESOLUÇÕES NORMATIVAS N.ºs 363, 364 e SÚMULA 26 DA ANS) CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS MÉDICOS (ADAPTADO às RESOLUÇÕES NORMATIVAS N.ºs 363, 364 e SÚMULA 26 DA ANS) I CONTRATANTE : Nome Operadora de Saúde Endereço: R...., nº... Bairro... - Cidade/ Capital

Leia mais

1. RELATÓRIO. É o relatório. 2. ADMISSIBILIDADE. 2.1 - Tempestividade.

1. RELATÓRIO. É o relatório. 2. ADMISSIBILIDADE. 2.1 - Tempestividade. PREGÃO ELETRÔNICO n. 07/2013 OBJETO: Contratação de pessoa jurídica de direito privado que opere plano de assistência à saúde, devidamente registrada e ativa na Agência Nacional de Saúde Suplementar, para

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 ATO DAS DISPOSIÇÕES CONSTITUCIONAIS TRANSITÓRIAS Art. 90. O prazo previsto no caput do art. 84 deste Ato das Disposições Constitucionais Transitórias

Leia mais

LEI 13003 Manual Perguntas e Respostas

LEI 13003 Manual Perguntas e Respostas LEI 13003 Manual Perguntas e Respostas APRESENTAÇÃO A Federação Baiana de Hospitais e a Associação de Hospitais e Serviços de Saúde do Estado da Bahia, cumprindo com a função de orientar e assessorar hospitais,

Leia mais

Manual de Orientação para Contratação de Plano de Saúde

Manual de Orientação para Contratação de Plano de Saúde Manual de Orientação para Contratação de Plano de Saúde Manual de Orientação para Contratação de Plano de Saúde Operadora: Prodent Assistência Odontológica Ltda CNPJ: 61.590.816/0001-07 N de registro na

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 252, DE 28 DE ABRIL DE 2011

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 252, DE 28 DE ABRIL DE 2011 RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 252, DE 28 DE ABRIL DE 2011 Dispõe sobre as regras de portabilidade e de portabilidade especial de carências, alterando as Resoluções Normativas nº 186, de 14 de janeiro de

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA IN Nº 19, DE 3 DE ABRIL DE 2009 DA DIRETORIA DE NORMAS E HABILITAÇÃO DOS PRODUTOS

INSTRUÇÃO NORMATIVA IN Nº 19, DE 3 DE ABRIL DE 2009 DA DIRETORIA DE NORMAS E HABILITAÇÃO DOS PRODUTOS INSTRUÇÃO NORMATIVA IN Nº 19, DE 3 DE ABRIL DE 2009 DA DIRETORIA DE NORMAS E HABILITAÇÃO DOS PRODUTOS (ALTERADA PELA IN Nº 32/DIPRO) Dispõe sobre o detalhamento da Resolução Normativa RN nº 186, de 2009

Leia mais

GUIA DE CONTRATAÇÃO DE PLANOS ODONTOLÓGICOS

GUIA DE CONTRATAÇÃO DE PLANOS ODONTOLÓGICOS GUIA DE CONTRATAÇÃO DE PLANOS ODONTOLÓGICOS GUIA DE CONTRATAÇÃO DE PLANOS ODONTOLÓGICOS 2 Diferenças entre planos individuais e coletivos: Os planos com contratação individual ou familiar são aqueles contratados

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 198/2007

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 198/2007 TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 198/2007 Pelo presente instrumento, por um lado a Agência Nacional de Saúde Suplementar, pessoa jurídica de direito público, autarquia especial vinculada ao

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 28/2003

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 28/2003 TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 28/2003 Pelo presente instrumento, por um lado a Agência Nacional de Saúde Suplementar, pessoa jurídica de direito público, autarquia especial vinculada ao

Leia mais

Reajuste da mensalidade em função da mudança de faixa etária

Reajuste da mensalidade em função da mudança de faixa etária 428 Série Aperfeiçoamento de Magistrados 6 Judicialização da Saúde - Parte I Reajuste da mensalidade em função da mudança de faixa etária Raquel de Andrade Teixeira Cardoso 1 INTRODUÇÃO Em razão dos baixos

Leia mais

DECISÃO MONOCRÁTICA. Trata-se de ação revisional proposta por FÁTIMA EUNICE ALVES DOS SANTOS em face do BRADESCO SAÚDE S.A

DECISÃO MONOCRÁTICA. Trata-se de ação revisional proposta por FÁTIMA EUNICE ALVES DOS SANTOS em face do BRADESCO SAÚDE S.A Primeira Câmara Cível Apelante: BRADESCO SAÚDE S.A. Apelado: FÁTIMA EUNICE ALVES DOS SANTOS Relator: Des. MALDONADO DE CARVALHO SEGURO SAÚDE. ASSISTÊNCIA MÉDICO- HOSPITALAR. RELAÇÃO DE CONSUMO. REAJUSTE

Leia mais

QUESTIONAMENTOS ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 42/2012 - BNDES. Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece:

QUESTIONAMENTOS ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 42/2012 - BNDES. Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece: QUESTIONAMENTOS ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 42/2012 - BNDES Prezada Senhora, Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece: 1. EDITAL - Item 4.12.4 inciso I - Qual documento

Leia mais

1 Cartilha de Extensão de Benefício do Plano de Saúde Coletivo Empresarial aos

1 Cartilha de Extensão de Benefício do Plano de Saúde Coletivo Empresarial aos Cartilha de Extensão de Benefício do Plano de Saúde Coletivo Empresarial aos Beneficiários Contributários Demitidos ou Exonerados Sem Justa Causa e/ou RN nº 279, da ANS, de 24 de novembro de 2011, a qual

Leia mais

SEGURADORA SUL AMÉRICA COMPANHIA DE SEGURO SAÚDE

SEGURADORA SUL AMÉRICA COMPANHIA DE SEGURO SAÚDE 006246 SEGURADORA SUL AMÉRICA COMPANHIA DE SEGURO SAÚDE ESTIPULANTE Valor da USR R$0,52965 Valor da USR R$0,52965 196,65 307,84 316,22 321,54 331,25 335,77 481,79 489,25 606,67 1.179,93 154,61 242,04 248,61

Leia mais

Envelhecimento e Reajuste por Faixa Etária: Impacto da Lei 9.656 e do Estatuto do Idoso

Envelhecimento e Reajuste por Faixa Etária: Impacto da Lei 9.656 e do Estatuto do Idoso 480 Série Aperfeiçoamento de Magistrados 6 Judicialização da Saúde - Parte I Envelhecimento e Reajuste por Faixa Etária: Impacto da Lei 9.656 e do Estatuto do Idoso Veleda Suzete Saldanha Carvalho 1 É

Leia mais

CIRCULAR SUSEP N o 269, de 30 de setembro de 2004.

CIRCULAR SUSEP N o 269, de 30 de setembro de 2004. CIRCULAR SUSEP N o 269, de 30 de setembro de 2004. Estabelece, altera e consolida as regras e critérios complementares de funcionamento e de operação dos contratos de seguros de automóveis, com inclusão

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Fica aprovado, em anexo, o Regulamento dos Programas de Pós-Graduação Lato Sensu da FAE Centro Universitário.

R E S O L U Ç Ã O. Fica aprovado, em anexo, o Regulamento dos Programas de Pós-Graduação Lato Sensu da FAE Centro Universitário. RESOLUÇÃO CONSEPE 09/2009 APROVA O REGULAMENTO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA FAE CENTRO UNIVERSITÁRIO. O Presidente do Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão CONSEPE, no uso das

Leia mais

Orientações Jurídicas

Orientações Jurídicas São Paulo, 13 de agosto de 2015. OJ-GER/030/15 Orientações Jurídicas Legitimidade da cobrança da taxa de adesão nos planos de saúde. Devido a inúmeros questionamentos acerca da licitude da cobrança da

Leia mais

ÍNDICES DE REAJUSTE DOS PLANOS DE SAÚDE NO BRASIL

ÍNDICES DE REAJUSTE DOS PLANOS DE SAÚDE NO BRASIL ÍNDICES DE REAJUSTE DOS PLANOS DE SAÚDE NO BRASIL Clique para editar o nome Rafael do Vinhas autor Clique para editar o cargo do autor Gerência-Geral Regulatória da Estrutura dos Produtos Clique para editar

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN N 259, DE 17 DE JUNHO DE 2011

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN N 259, DE 17 DE JUNHO DE 2011 RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN N 259, DE 17 DE JUNHO DE 2011 Dispõe sobre a garantia de atendimento dos beneficiários de plano privado de assistência à saúde e altera a Instrução Normativa IN nº 23, de 1º de

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 62 da Constituição, adota a seguinte Medida Provisória, com força de lei:

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 62 da Constituição, adota a seguinte Medida Provisória, com força de lei: MEDIDA PROVISÓRIA N o 2.097-35, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2000. Altera a Lei n o 9.656, de 3 de junho de 1998, que dispõe sobre os planos privados de assistência à saúde e dá outras providências. O PRESIDENTE

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA RN Nº 195, DE 14 DE JULHO DE 2009.

RESOLUÇÃO NORMATIVA RN Nº 195, DE 14 DE JULHO DE 2009. RESOLUÇÃO NORMATIVA RN Nº 195, DE 14 DE JULHO DE 2009. Dispõe sobre a classificação e características dos planos privados de assistência à saúde, regulamenta a sua contratação, institui a orientação para

Leia mais

CIRCULAR SUSEP N o 269, de 30 de setembro de 2004.

CIRCULAR SUSEP N o 269, de 30 de setembro de 2004. CIRCULAR SUSEP N o 269, de 30 de setembro de 2004. Estabelece, altera e consolida as regras e critérios complementares de funcionamento e de operação dos contratos de seguros de automóveis, com inclusão

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 01/99. A PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DO SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA, no uso de suas atribuições legais, regulamentares e regimentais,

RESOLUÇÃO Nº 01/99. A PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DO SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA, no uso de suas atribuições legais, regulamentares e regimentais, RESOLUÇÃO Nº 01/99 NORMAS DE ARRECADAÇÃO DIRETA MEDIANTE CONVÊNIO, alterações, aprova A PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DO SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA, no uso de suas atribuições legais, regulamentares

Leia mais

Plano de saúde corporativo. Resolução ANS.

Plano de saúde corporativo. Resolução ANS. Plano de saúde corporativo. Resolução ANS. No último dia 24.11.2011, a Agência Nacional de Saúde ANS reuniu-se e editou uma Resolução (Resolução Normativa DC/ANSS 279, que passará a viger em 22/02/2012)

Leia mais

Estado de Sergipe Poder Judiciário 4ª Vara Cível CAPUCHO, ARACAJU/Se Termo do Despacho Dados do Processo Número 200410400571 Classe Civil Publica Situação ANDAMENTO Competência 4ª VARA CíVEL Distribuido

Leia mais

Índice. 1. Os preços dos planos de saúde são controlados? 2. Como funcionam as regras de reajuste. 3. Quais as regras de reajuste dos planos

Índice. 1. Os preços dos planos de saúde são controlados? 2. Como funcionam as regras de reajuste. 3. Quais as regras de reajuste dos planos Índice FenaSaúde na Redação Reajuste dos Planos de Saúde Apresentação 6 1. Os preços dos planos de saúde são controlados? 8 2. Como funcionam as regras de reajuste dos planos de saúde? 3. Quais as regras

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009/2010

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009/2010 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009/2010 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ001188/2009 DATA DE REGISTRO NO MTE: 25/08/2009 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR038092/2009 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.477193/2009-15 DATA DO

Leia mais

Plano Jurídico Diamond

Plano Jurídico Diamond Plano Jurídico Diamond CONTRATO DE ADESÃO DO PLANO JURÍDICO DIAMOND CLÁUSULA PRIMEIRA: Do Objeto. 1.1 - A Contratada, PLANO JURÍDICO DIAMOND, é uma operadora de serviços, com sede na Rua Teixeira Leal,

Leia mais

Plano de Saúde - O Envelhecimento e o Reajuste por Faixa Etária Impacto da Lei 9.656 e o Estatuto do Idoso (Lei nº 10.741/2003)

Plano de Saúde - O Envelhecimento e o Reajuste por Faixa Etária Impacto da Lei 9.656 e o Estatuto do Idoso (Lei nº 10.741/2003) Série Aperfeiçoamento de Magistrados 6 Judicialização da Saúde - Parte I 393 Plano de Saúde - O Envelhecimento e o Reajuste por Faixa Etária Impacto da Lei 9.656 e o Estatuto do Idoso (Lei nº 10.741/2003)

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo fls. 91 Registro: 2014.0000560120 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 4008523-94.2013.8.26.0577, da Comarca de São José dos Campos, em que é apelante ULYSSES PINTO NOGUEIRA,

Leia mais

MANUAL DO ASSOCIADO CONTRATANTE: SENGE - PR CÓDIGO CONTRATANTE: 54780-0

MANUAL DO ASSOCIADO CONTRATANTE: SENGE - PR CÓDIGO CONTRATANTE: 54780-0 MANUAL DO ASSOCIADO CONTRATANTE: SENGE - PR CÓDIGO CONTRATANTE: 54780-0 Este manual tem o objetivo de levar ao Associado informações sobre o plano de saúde ao qual está propondo sua adesão. Colocamos as

Leia mais

Cartilha de Extensão de Benefício do. Beneficiários Contributários Demitidos. ou Exonerados Sem Justa Causa e/ou. Aposentados

Cartilha de Extensão de Benefício do. Beneficiários Contributários Demitidos. ou Exonerados Sem Justa Causa e/ou. Aposentados Cartilha de Extensão de Benefício do Seguro-saúde Empresarial aos Beneficiários Contributários Demitidos ou Exonerados Sem Justa Causa e/ou Aposentados Dezembro / 2013 Índice Introdução... 02 1. Definições...

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Nova Lei dos estágios: as novas regras do estágio em nível superior Bruno Minoru Takii* Introdução. O presente artigo tem como objetivo elucidar as novas regras trazidas pelo Projeto

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 0108/2006

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 0108/2006 TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 0108/2006 Pelo presente instrumento, por um lado a Agência Nacional de Saúde Suplementar, pessoa jurídica de direito público, autarquia especial vinculada ao

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SP008079/2009 DATA DE REGISTRO NO MTE: 22/09/2009 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR044195/2009 NÚMERO DO PROCESSO: 46261.004278/2009-22 DATA

Leia mais

CONSELHO SUPERIOR (CANCELADA)

CONSELHO SUPERIOR (CANCELADA) CONSELHO SUPERIOR (CANCELADA) Resolução-CSDP nº 062, de 10 de setembro de 2010 Dispõe sobre a concessão de férias aos Defensores Públicos do Estado do Tocantins e dá outras providências. O CONSELHO SUPERIOR

Leia mais

RESOLVEU: I - probidade na condução das atividades no melhor interesse de seus clientes e na integridade do mercado;

RESOLVEU: I - probidade na condução das atividades no melhor interesse de seus clientes e na integridade do mercado; Estabelece normas e procedimentos a serem observados nas operações em bolsas de valores e dá outras providências. O PRESIDENTE DA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS torna público que o Colegiado, em sessão

Leia mais

Lei nº 11.788, de 25 de setembro de 2008

Lei nº 11.788, de 25 de setembro de 2008 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO Curso de Comunicação Social Publicidade e Propaganda Ética e Legislação em Publicidade e Propaganda Profª. Cláudia Holder Nova Lei de Estágio (Lei nº 11.788/08) Lei

Leia mais

Av. Augusto Severo, 84 Glória Cep: 20021-010 Rio de Janeiro RJ - Brasil

Av. Augusto Severo, 84 Glória Cep: 20021-010 Rio de Janeiro RJ - Brasil TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 012 /2003 Pelo presente instrumento, por um lado a Agência Nacional de Saúde Suplementar, pessoa jurídica de direito público, autarquia especial vinculada ao

Leia mais

A LEGALIDADE DOS REAJUSTES DAS MENSALIDADES DE PLANOS DE SAÚDE EM VIRTUDE DO ENVELHECIMENTO DOS BENEFICIÁRIOS NOS CHAMADOS PLANOS ANTIGOS

A LEGALIDADE DOS REAJUSTES DAS MENSALIDADES DE PLANOS DE SAÚDE EM VIRTUDE DO ENVELHECIMENTO DOS BENEFICIÁRIOS NOS CHAMADOS PLANOS ANTIGOS A LEGALIDADE DOS REAJUSTES DAS MENSALIDADES DE PLANOS DE SAÚDE EM VIRTUDE DO ENVELHECIMENTO DOS BENEFICIÁRIOS NOS CHAMADOS PLANOS ANTIGOS HAROLDO AZEVEDO CARVALHO Sócio-Diretor Syrax Consultoria em Saúde

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA RN Nº XXX, DE XX DE XXXXXXXXX DE XXXX

RESOLUÇÃO NORMATIVA RN Nº XXX, DE XX DE XXXXXXXXX DE XXXX RESOLUÇÃO NORMATIVA RN Nº XXX, DE XX DE XXXXXXXXX DE XXXX Dispõe sobre os procedimentos de adequação econômico-financeira das operadoras de planos privados de assistência à saúde de que trata a alínea

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 023/2009

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 023/2009 TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 023/2009 Pelo presente instrumento, por um lado a Agência Nacional de Saúde Suplementar, pessoa jurídica de direito público, autarquia especial vinculada ao

Leia mais

PLANOS DE SAÚDE. O que é preciso saber?

PLANOS DE SAÚDE. O que é preciso saber? PLANOS DE SAÚDE O que é preciso saber? Queridos amigos, Estamos muito felizes por concluir a nossa segunda cartilha sobre direitos atrelados à saúde. Este trabalho nasceu com o propósito de levar informações

Leia mais

PM 60 SA SITE NA INTERNET: www.brasilcap.com CONDIÇÕES GERAIS

PM 60 SA SITE NA INTERNET: www.brasilcap.com CONDIÇÕES GERAIS PM 60 SA SITE NA INTERNET: www.brasilcap.com CONDIÇÕES GERAIS GLOSSÁRIO Subscritor é a pessoa que subscreve a proposta de aquisição do Título, assumindo o compromisso de efetuar o pagamento na forma convencionada

Leia mais