AVALIAÇÃO GLOBAL DA SATISFAÇÃO DE CLIENTES

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AVALIAÇÃO GLOBAL DA SATISFAÇÃO DE CLIENTES - 2006 -"

Transcrição

1 AVALIAÇÃO GLOBAL DA SATISFAÇÃO DE CLIENTES JUNHO 2007

2 AVALIAÇÃO GLOBAL DA SATISFAÇÃO DE CLIENTES De modo a automatizar de forma simples a realização da Avaliação da Satisfação de Clientes, foi criado, aquando do desenvolvimento da Intranet da Qualidade, um módulo que permite avaliar a satisfação dos Clientes LIPOR. Assim, pela primeira vez a avaliação da satisfação de Clientes foi alargada a toda a LIPOR, não se cingindo apenas às Unidades Certificadas. Durante Abril de 2007 foram enviados, através da Intranet da Qualidade, os inquéritos de avaliação de satisfação aos Clientes que se relacionam com as Unidades Certificadas, bem como a alguns dos Clientes da base de dados da Horta da Formiga. Para os Clientes do Gabinete de Informação Lipor e do Ecofone, os inquéritos foram entregues pessoalmente, pelo que as respostas foram posteriormente inseridas na Intranet da Qualidade. Após diversos contactos com alguns Clientes mais relutantes, que ultrapassaram largamente o prazo de resposta, consideramos fechada a Avaliação da Satisfação de Clientes para 2006 em Junho deste ano. Ao analisar os resultados da avaliação efectuada pelos Clientes LIPOR, obteve-se um grau de satisfação de 84,60%, sendo que o objectivo definido para 2006 foi de 80%. De seguida, apresenta-se pormenorizadamente os resultados obtidos por grupo de perguntas, bem como as sugestões dadas aquando da resposta dos inquéritos. No entanto, na Intranet da Qualidade é possível visualizar os resultados da avaliação quer por cliente quer por pergunta.

3 Resumo Grupo N.º Grupo de Perguntas Média meta Correspondência Inquéritos 1 Atendimento 4, % 5 Inquéritos enviados Comunicação e Marketing 4, % 4 Inquéritos respondidos Competência Técnica 4, % 3 4 Produto 4, % 2 5 Serviço 4, % 1 6 Ecofone 4,29 4 0% Sem Opinião 7 GIL 4, Horta da Formiga 4, Financeira e Comercial 4, Geral 4, Inquérito 4,00 4 MÉDIA GLOBAL 4,23 84,60% Satisfação Global de Clientes 2006 Média da Satisfação 4,40 4,30 4,20 4,10 4,00 3,90 3,80 4,22 Atendimento 4,17 Comunicação e Marketing 4,32 Competência Técnica 4,25 Produto 4,12 Serviço 4,29 Ecofone 4,34 GIL 4,29 Horta da Formiga 4,16 Financeira e Comercial 4,35 Geral 4,00 Inquérito Grupo de Perguntas Meta 2006

4 1- Atendimento Tempo de espera no atendimento telefónico 4 10,3% 5 1 4,03 Qualidade do atendimento telefónico prestado pelos recepcionistas da LIPOR 4 10,3% 5 3 4,23 Simpatia e cortesia dos recepcionistas da LIPOR 4 10,3% 5 3 4,34 Compreensão das necessidades do Cliente e encaminhamento de solicitações 5 12,8% 5 3 4,18 Satisfação global relativamente ao atendimento prestado pelos recepcionistas da LIPOR 4 10,3% 5 3 4,31 Média 4,22 Amostra 39

5 2 - Comunicação e Marketing Imagem LIPOR 4 10,3% 5 3 4,34 Clareza da estratégia LIPOR 8 20,5% 5 3 4,29 Comunicação dos resultados e objectivos da LIPOR 10 25,6% 5 3 4,31 Qualidade no desenvolvimento do projecto LIPOR - Publicidade 9 23,1% 5 3 4,17 Qualidade no desenvolvimento do projecto LIPOR - Relações Públicas 10 25,6% 5 3 4,24 Qualidade no desenvolvimento do projecto LIPOR - Campanhas/ Sensibilização 8 20,5% 5 3 4,13 Frequência com que é contactado pela LIPOR 6 15,4% 5 2 3,79 Frequência de reuniões/ visitas 11 28,2% 5 1 3,54 Promoção de reuniões de reflexão e discussão 13 33,3% 5 1 3,73 Promoção de acções de sensibilização, formação ou esclarecimento 7 17,9% Promoção de eventos, seminários para a comunidade 9 23,1% 5 2 4,27 Apresentação dos profissionais/ colaboradores da LIPOR 7 17,9% 5 1 4,31 Newsletter Note Bem! 16 41,0% 5 3 4,48 Site LIPOR - Conteúdo 10 25,6% 5 3 4,41 Site LIPOR - Grafismo 9 23,1% 5 3 4,4 Site HORTA DA FORMIGA - Conteúdo 14 35,9% 5 3 4,28 Site HORTA DA FORMIGA - Grafismo 15 38,5% 5 3 4,29 Site CONSUMO SUSTENTÁVEL - Conteúdo 20 51,3% 5 3 4,11 Site CONSUMO SUSTENTÁVEL - Grafismo 22 56,4% 5 3 4,18 Site EU NÃO FAÇO LIXO - Conteúdo 20 51,3% 5 3 4,21 Site EU NÃO FAÇO LIXO - Grafismo 20 51,3% 5 3 4,16 Informação disponibilizada sobre o funcionamento das diferentes unidades da LIPOR 12 30,8% 5 2 3,89 Informação sobre as paragens da Central de Valorização Energética (se aplicável) 19 48,7% 5 2 4,25 Facilidade em apresentar reclamações e/ou sugestões pelos meios de comunicação disponibilizados pela LIPOR (ex.: telefone, site LIPOR) 14 35,9% 5 3 4,24 Satisfação global relativamente à comunicação e marketing 9 23,1% 5 3 4,17 Média 4,17 Amostra 39

6 3 - Competência Técnica Competência/ conhecimentos técnicos 7 17,9% 5 3 4,44 Responsabilidade e prontidão no aconselhamento e esclarecimento técnico 8 20,5% 5 3 4,39 Compreensão das necessidades do Cliente e encaminhamento de solicitações 7 17,9% 5 3 4,19 Rigor técnico na resolução de problemas 8 20,5% 5 3 4,26 Qual o seu nível de confiança em relação ao apoio técnico 8 20,5% 5 3 4,39 Disponibilidade demonstrada 7 17,9% 5 2 4,38 Conhecimento das especificações dos produtos (se aplicável) 21 53,8% 5 4 4,22 Eficácia das acções correctivas (se aplicável) 24 61,5% 5 3 4,2 Satisfação global relativamente à informação e acompanhamento técnico fornecido 12 30,8% 5 3 4,37 Média 4,32 Amostra 39

7 4 - Produto Correspondência às necessidades e expectativas 1 25,0% Frequência de pedido de retoma (se aplicável) 2 50,0% Resposta às alterações solicitadas 1 25,0% Qualidade geral do(s) produto(s) 2 50,0% Cumprimento das especificações do Produto do CT LIPOR: - Acondicionamento 1 25,0% Cumprimento das especificações do Produto do CT LIPOR: - Produtos desejados 1 25,0% 5 4 4,33 Cumprimento das especificações do Produto do CT LIPOR: - Produtos tolerados 2 50,0% Cumprimento das especificações do Produto do CT LIPOR: - Produtos recusados 2 50,0% Cumprimento das especificações do Produto do CT LIPOR: - Massa volúmica 2 50,0% 5 4 4,5 Humidade (se aplicável) 1 25,0% 4 3 3,67 Cumprimento das especificações do Produto do CT LIPOR: - Quantidades retomadas 2 50,0% Cumprimento das especificações do produto da CVE LIPOR: - Acondicionamento 2 50,0% 4 3 3,5 Quantidades enviadas 2 50,0% 5 4 4,5 Satisfação global relativamente ao(s) produto(s) 3 75,0% Média 4,25 Amostra 4

8 5 - Serviço Correspondência às necessidades e expectativas 4 13,8% 5 3 3,92 Rapidez e eficácia 4 13,8% 5 3 4,08 Cumprimento de prazos 5 17,2% Resposta a alterações solicitadas 9 31,0% 5 3 4,15 Recepção de Resíduos: - Objectividade da descrição dos resíduos admissíveis 5 17,2% 5 2 4,13 Recepção de Resíduos: - Informação sobre os procedimentos de recepção de materiais 6 20,7% Recepção de Resíduos: - Informação sobre os procedimentos de descarga 7 24,1% 5 2 4,09 Recepção de Resíduos: - Tempo de espera para descarga 11 37,9% 5 3 4,33 Conformidade das Descargas: - Informação sobre a conformidade da descarga de materiais 10 34,5% 5 2 4,05 Conformidade das Descargas: - Tempo de espera para carga de materiais 20 69,0% 5 4 4,22 Conformidade das Descargas: - Tempo de espera para pesagem dos camiões 15 51,7% 5 3 4,21 Recepção da 3.ª via das Guias de Acompanhamento de Resíduos - Modelo A (se aplicável) 17 58,6% 5 2 4,25 Satisfação global relativamente aos serviços prestados 7 24,1% 5 2 4,14 Média 4,12 Amostra 29

9 6 - Ecofone Atendimento Telefónico: - Tempo de espera 16 40% 5 3 4,04 Atendimento Telefónico: - Rapidez na marcação de recolhas 16 40% 5 2 4,25 Atendimento Telefónico: - Informação transmitida no atendimento 17 43% 5 3 4,22 Atendimento Telefónico: - Simpatia e cortesia no atendimento 15 38% 5 4 4,36 Serviço de Recolha: - Qualidade do serviço de recolha 0 0% 5 3 4,3 Serviço de Recolha: - Simpatia e cortesia das equipas de recolha 0 0% 5 4 4,55 Serviço de Recolha: - Apresentação das equipas de recolha 0 0% 5 4 4,45 Serviço de Recolha: - Clareza nas informações transmitidas 6 15% 5 3 4,41 Serviço de Recolha: - Cumprimento dos prazos de recolha 0 0% 5 3 4,23 Adequabilidade dos sacos de recolha: - Tipo 0 0% 5 3 4,2 Adequabilidade dos sacos de recolha: - Quantidade 0 0% 5 2 4,18 Compreensão das necessidades do Cliente e encaminhamento de solicitações 1 3% 5 3 4,21 Satisfação global relativamente ao serviço prestado 0 0% 5 3 4,35 Média 4,29 Amostra 40

10 7 - Gil Sessões temáticas/ Sensibilização: - Qualidade 2 6,3% 5 3 4,43 Sessões temáticas/ Sensibilização: - Duração 2 6,3% 5 3 4,23 Sessões temáticas/ Sensibilização: - Quantidade 2 6,3% 5 2 3,9 Sessões temáticas/ Sensibilização: - Adequação do tema 3 9,4% 5 3 4,38 Atelier''s de reutilização 6 18,8% 5 3 4,46 Visitas realizadas às instalações da LIPOR 15 46,9% 5 4 4,59 Satisfação global relativamente ao Gabinete de Informação LIPOR 2 6,3% 5 3 4,37 Média 4,34 Amostra 32 Escolas

11 8 - Horta da Formiga Cursos/ Sensibilização: - Qualidade 0 0,0% 5 4 4,5 Cursos/ Sensibilização: - Duração 1 16,7% Cursos/ Sensibilização: - Quantidade 0 0,0% Adequação do tema 0 0,0% 5 3 4,5 Atelier''s de reutilização 3 50,0% 5 4 4,33 Visitas realizadas à Horta da Formiga 5 83,3% Newsletter Horta da Formiga 0 0,0% 5 4 4,5 Satisfação global relativamente à Horta da Formiga - Centro de Compostagem Caseira 0 0,0% 5 3 4,5 Média 4,29 Amostra 6 Formandos

12 9 - Financeira e Comercial Esclarecimento de dúvidas 18 54,5% 5 3 4,2 Resolução de problemas administrativos 18 54,5% 5 3 4,2 Procedimentos administrativos 18 54,5% 5 2 3,93 Facturação 19 57,6% 5 4 4,36 Condições de Pagamento 23 69,7% 5 3 4,1 Satisfação global relativamente à área financeira e comercial 20 60,6% 5 3 4,15 Média 4,16 Amostra 33

13 10 - Geral Relação LIPOR - Cliente 4 10,3% 5 3 4,31 Qualidade/ Adequabilidade das instalações 6 15,4% 5 3 4,39 Adequabilidade dos acessos 6 15,4% 5 3 4,39 Qualidade da informação disponível sobre os acessos às instalações da LIPOR 9 23,1% 5 1 4,2 Postura da LIPOR relativamente a Investigação e Desenvolvimento 17 43,6% 5 3 4,32 Trabalho global da LIPOR no tratamento de resíduos da sua Comunidade 7 17,9% 5 3 4,5 Média 4,35 Amostra 39

14 11 - Avaliação do Inquérito Critério Máximo Minimo Média Inquérito Média 4 Amostra 39

15 Sugestões Cliente Sugestão Grupo de Pergunta "A Lipor possui um leque de ofertas muito interessantes, a única sugestão que posso dar é a Lipor interceder junta às Câmaras para deixarem de efectuar alguns serviços s clientes privados o que implicaria uma melhor triagem dos resíduos no futuro e consequentemente havia um Atendimento benefício para a Lipor na recepção dos mesmos." "Honestamente não me sinto competente nesta área para dar sugestões, a única coisa que posso dizer é que de um modo geral gosto da organização da Lipor e das surpresas positivas Comunicação e Marketing que me causa a ver a evolução." CESPA PORTUGAL, SA - PORTO "Os técnicos são vítimas da fraca resposta da tecnologia do nosso país em responder a questões problemáticas que alguns resíduos nos criam, a todos os 'Produtores e Gestores'; uma vez que, alguns dos nossos destinos finais licenciados são muito limitados em relação com outras tecnologias que já tive o prazer de visitar noutros países. Mas como tudo passa pela parte pela económica estou certo que a Lipor está no bom caminho desde que o Ministério do Ambiente também esteja." "Um inquérito mais sintéctico sobre os resíduos a admitir e menos extenso sob pena de ser moroso." "A taxa de resíduos baixar. Porque a realidade portuguesa não suporta custos muito elevados, no entanto sou conhecedor que a Lipor faz grandes investimentos nesta área e só à Lipor compete verificar a exequabilidade deste pedido." "Falta apenas, na minha opinião, o aterro de RSU's uma vezq eu o incenerador pela sua tecnologia não pode admitir alguns resíduos." Competência Técnica dos Colaboradores da Lipor Serviço Área Financeira e Comercial Geral DANIEL JOSÉ MORAIS, LDA SOCIEDADE PONTO VERDE, SA "Diminuição do tempo de espera relativo às chamadas telefónicas." "Diminuição da burocracia." Atendimento Área Financeira e Comercial "Adopção do procedimento aplicado em situações de diferenças entre pesagens, nas básculas Competência Técnica dos do retomador e da Lipor." Colaboradores da Lipor

16 Sugestões Cliente Sugestão Grupo de Pergunta "Há ocorrências apontadas que nos são completamente alheias e que, em nosso entender, não deveriam ser consideradas não conformes. Por exemplo, a presença de elevada quantidade de Competência Técnica dos papel num circuito de recolha indiferenciada (de origem doméstica), sai completamente fora do Colaboradores da Lipor nosso controlo pois não podemos obrigar os munícipes a separar, nem podemos simplesmente não recolher os resíduos." MAIAMBIENTE "No que se refere ao CT, havia um hiato de tempo desde a ocorrência até ao envio do respectivo Boletim de Não Conformidade, que está agora resolvido com as "Cargas Não Conformes on line". Nas ocorrências da CVE, já por diversas vezes relatamos a nossa opinião, inclusivé no inquérito do ano anterior." Serviço MUNICÍPIO DE VILA DO CONDE "Fica a dúvida nalgumas questões, a que tipo de clientes são aplicáveis." Inquérito "Promover mais acções de formação para técnicos municipais nas várias vertentes (Agenda21, Comunicação e Marketing Desenvolvimento Sustentável, etc) "Sugere-se a elaboração e envio municipais, trimestralmente, de um mapa integrando os quantitativos e outras informações, de todas as tipologias de resíduos, recebidos do município nas unidades da Lipor (no ano transacto por exemplo, para a eleboração do relatório interno, Competência Técnica dos houve necessidade de recorrer a um serviço para obter a quantidade de orgânicos, a outro para Colaboradores da Lipor obter a quantidade de tampinhas...), assim como das acções de educação e sensibilização ambiental realizadas e previstas. "Sugeria a emissão de um guia de orientação, destinados aos técnicos municipais, sobre a tipologia de materiais admissíveis não admissíveis, critérios e requisitos de aceitação, etc, nas Serviço várias unidades da Lipor." "Entendendo que a LIPOR é uma associação intermunicipal, aliás a única que envolve estes municípios, a sua imagem na protecção e melhoria do ambiente, e dadas as potencialidades de solucionar e melhorar situações/problemas comuns nos município (qualidade do ar interior, Geral eficiência energética-medidas para redução de consumos, de aplicação de sistemas de energias renováveis em edifícios municipais e sob jurisdição municipal-, conforto térmico, etc.), sugeria-se alargar o seu campo de intervenção."

Aspectos a Abordar. Como Comunicar na Área dos Resíduos Paula Mendes (LIPOR) paula.mendes@lipor.pt. Porquê Comunicar? Estratégia de Comunicação

Aspectos a Abordar. Como Comunicar na Área dos Resíduos Paula Mendes (LIPOR) paula.mendes@lipor.pt. Porquê Comunicar? Estratégia de Comunicação Como Comunicar na Área dos Resíduos Paula Mendes (LIPOR) paula.mendes@lipor.pt Conferência Gestão e Comunicação na Área dos Resíduos Estoril, 22 de Setembro de 2009 1 Aspectos a Abordar Porquê Comunicar?

Leia mais

Educação e Sensibilização Ambiental

Educação e Sensibilização Ambiental Educação e Sensibilização Ambiental Plano de Actividades LIPOR 2006/2007 Gabinete de Informação Lipor Objectivos Incentivar a participação nas actividades e projectos desenvolvidos pela LIPOR; Proporcionar

Leia mais

Águas de Gondomar considerada novamente uma das Melhores Empresas para Trabalhar. A Águas de Gondomar, de acordo com os resultados publicados na

Águas de Gondomar considerada novamente uma das Melhores Empresas para Trabalhar. A Águas de Gondomar, de acordo com os resultados publicados na info Gondomar Newsletter N.º14 Julho 2012 Semestral Águas de Gondomar considerada novamente uma das Melhores Empresas para Trabalhar A Águas de Gondomar, de acordo com os resultados publicados na revista

Leia mais

Muito Satisfeito Satisfeito 300. Pouco Satisfeito Insatisfeito 200. Sinalização da Sede

Muito Satisfeito Satisfeito 300. Pouco Satisfeito Insatisfeito 200. Sinalização da Sede HM/29 7 6 629 28 INSTALAÇÃO DA SEDE 5 4 Muito 3 Pouco 2 1 19 13 12 138 Sinalização da Sede 7 28 INSTALAÇÃO DA SEDE 6 591 5 4 Muito 3 Pouco 2 1 99 136 117 143 Conforto da Instalação 45 4 35 47 28 INSTALAÇÃO

Leia mais

Regulamento do Concurso de Reciclagem Recicla Papel e Plástico, Ganha uma Barraquinha para a Queima das Fitas do Porto 2015

Regulamento do Concurso de Reciclagem Recicla Papel e Plástico, Ganha uma Barraquinha para a Queima das Fitas do Porto 2015 Regulamento do Concurso de Reciclagem Recicla Papel e Plástico, Ganha uma Barraquinha para a Queima das Fitas do Porto 2015 Artigo 1.º Preâmbulo No âmbito da Queima das Fitas do Porto 2015 e da temática

Leia mais

questionários de avaliação da satisfação CLIENTES, COLABORADORES, PARCEIROS

questionários de avaliação da satisfação CLIENTES, COLABORADORES, PARCEIROS questionários de avaliação da satisfação creche CLIENTES, COLABORADORES, PARCEIROS 2ª edição (revista) UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu Governo da República Portuguesa SEGURANÇA SOCIAL INSTITUTO DA

Leia mais

1 - Publituris.pt, 30-09-2010, Publituris: ExpoQuintas em processo de certificação para "Green Event"

1 - Publituris.pt, 30-09-2010, Publituris: ExpoQuintas em processo de certificação para Green Event Revista de Imprensa 01-10-2010 Cascais Energia 1 - Publituris.pt, 30-09-2010, Publituris: ExpoQuintas em processo de certificação para "Green Event" 2 - Planeta Azul.pt, 27-09-2010, Caça Watts e Eco-famílias

Leia mais

GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL

GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL CADERNOS DE MUSEOLOGIA Nº 28 2007 135 GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL INTRODUÇÃO Os Sistemas da Qualidade

Leia mais

GUIA PARA COMPRA ONLINE

GUIA PARA COMPRA ONLINE GUIA PARA COMPRA ONLINE www.tipsal.pt QUEM SOMOS A TIPSAL - Técnicas Industriais de Protecção e Segurança, Lda foi fundada em 1980. Somos uma empresa de capitais exclusivamente nacionais com sede social

Leia mais

O Sistema Integrado de Gestão de Qualidade e Ambiente da Câmara Municipal de Esposende

O Sistema Integrado de Gestão de Qualidade e Ambiente da Câmara Municipal de Esposende SEMINÁRIO: QUALIDADE E EXCELÊNCIA NA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO ÃO Porto, 3 e 4 de Novembro de 2005 O Sistema Integrado de Gestão de Qualidade e Ambiente da Câmara Municipal de Esposende Carla Dias carla.dias@cm-esposende.pt

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL MONCHIQUE. Preâmbulo

CÂMARA MUNICIPAL MONCHIQUE. Preâmbulo CÂMARA MUNICIPAL MONCHIQUE REGULAMENTO DO BANCO LOCAL DE VOLUNTARIADO DE MONCHIQUE Preâmbulo Considerando que a participação solidária em acções de voluntariado, definido como conjunto de acções de interesse

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO

AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos de Turismo sobre a ESEC 4 3.2. Opinião dos alunos sobre

Leia mais

Introdução. 1 Direcção Geral da Administração Interna, Violência Doméstica 2010 Ocorrências Participadas às

Introdução. 1 Direcção Geral da Administração Interna, Violência Doméstica 2010 Ocorrências Participadas às Câmara Municipal da Departamento de Educação e Desenvolvimento Sociocultural Divisão de Intervenção Social Plano Municipal contra a Violência Rede Integrada de Intervenção para a Violência na Outubro de

Leia mais

SESSÃO "SEMANA EUROPEIA DA ENERGIA SUSTENTÁVEL 2015" RELATÓRIO FINAL

SESSÃO SEMANA EUROPEIA DA ENERGIA SUSTENTÁVEL 2015 RELATÓRIO FINAL SESSÃO "SEMANA EUROPEIA DA ENERGIA SUSTENTÁVEL 015" RELATÓRIO FINAL ENQUADRAMENTO No âmbito da Semana Europeia da Energia Sustentável (15 a 19 de Junho de 015),, a Câmara Municipal de Lisboa e a Lisboa

Leia mais

Mais clima para todos

Mais clima para todos Mais clima para todos 1 Mais clima para todos Na União Europeia, entre 1990 e 2011, o setor dos resíduos representou 2,9% das emissões de gases com efeito de estufa (GEE), e foi o 4º setor que mais contribuiu

Leia mais

REGULAMENTO DO PROVEDOR DO CLIENTE DAS EMPRESAS DO GRUPO EDP

REGULAMENTO DO PROVEDOR DO CLIENTE DAS EMPRESAS DO GRUPO EDP REGULAMENTO DO PROVEDOR DO CLIENTE DAS EMPRESAS DO GRUPO EDP Aprovado em reunião do Conselho de Administração Executivo da EDP Energias de Portugal, S.A. (EDP) em 25 de Março de 2008 Capítulo I Disposições

Leia mais

Relatório Questionário on-line

Relatório Questionário on-line Associação Portuguesa dos Gestores e Técnicos dos Recursos Humanos Seminário: Novos Caminhos, Novos Desafios da Formação Certificada Relatório Questionário on-line Relatório 1. Introdução e Objectivos

Leia mais

MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE

MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE Objectivos gerais do módulo No final do módulo, deverá estar apto a: Definir o conceito de Help Desk; Identificar os diferentes tipos de Help Desk; Diagnosticar

Leia mais

= e-learning em Educação Ambiental =

= e-learning em Educação Ambiental = Agência Regional de Energia e Ambiente do Norte Alentejano e Tejo = e-learning em Educação Ambiental = PRINCIPAIS RESULTADOS DO RELATÓRIO FINAL Dezembro de 2010 Título: Financiamento: Plataforma de e-learning

Leia mais

GESTÃO DE RESÍDUOS PREOCUPAÇÕES EM OBRA

GESTÃO DE RESÍDUOS PREOCUPAÇÕES EM OBRA GESTÃO DE RESÍDUOS PREOCUPAÇÕES EM OBRA Os resíduos de construção e demolição, quer devido à sua perigosidade, quer devido às quantidades produzidas, é considerado um fluxo de resíduos prioritário a nível

Leia mais

2011/2012. CÂMARA MUNICIPAL ALENQUER-Divisão de Ambiente

2011/2012. CÂMARA MUNICIPAL ALENQUER-Divisão de Ambiente PLANO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL 2011/2012 CÂMARA MUNICIPAL ALENQUER-Divisão de Ambiente 2011/2012 Índice: Introdução Ações de Sensibilização: Ateliers: Datas Comemorativas: Visitas de Estudo: Concursos: Projetos:

Leia mais

Apresentação PRO BONO PRO BONO

Apresentação PRO BONO PRO BONO Guia do Voluntário Apresentação A PRO BONO surgiu enquanto forma de aliar o mundo jurídico ao mundo do voluntariado; duas realidades que se desencontram no nosso dia-a-dia mas que acreditamos fazer sentido

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO Introdução O presente Regulamento foi concebido a pensar em si, visando o bom funcionamento da formação. Na LauTraining Formação e Consultoria, vai encontrar um ambiente de trabalho e de formação agradável

Leia mais

NORMATIVO DA OPERAÇÃO TAMPINHAS

NORMATIVO DA OPERAÇÃO TAMPINHAS NORMATIVO DA OPERAÇÃO TAMPINHAS 1. OBJETO: A LIPOR tem como um dos seus pilares estratégicos o apoio à Comunidade em que está inserida, com particular enfoque junto das populações onde desenvolve a sua

Leia mais

Relatório de Monitorização do Regime de Fruta Escolar. Ano lectivo 2010/2011

Relatório de Monitorização do Regime de Fruta Escolar. Ano lectivo 2010/2011 Relatório de Monitorização do Regime de Fruta Escolar Ano lectivo 2010/2011 Apreciação Geral A aplicação do Regime de Fruta Escolar (RFE) em Portugal tem os seguintes objectivos gerais: Saúde Pública:

Leia mais

MAPA DE PESSOAL 2009

MAPA DE PESSOAL 2009 MAPA DE PESSOAL 2009 Atribuições / Competências/Actividades Administração Competência para coordenar e viabilizar toda a actividade normal e funcional da LIPOR; Executar e velar pelo cumprimento das deliberações

Leia mais

ARTIGO: SOLUÇÕES PARA O SECTOR AUTARQUIAS in IGOV Maio 2010

ARTIGO: SOLUÇÕES PARA O SECTOR AUTARQUIAS in IGOV Maio 2010 CÂMARA MUNICIPAL DE SANTARÉM - R EVOLUÇÃO ADMINISTRATIVA A Autarquia de Santarém, em parceria com a PT Prime, desenvolveu um sistema de soluções integradas e inter-operantes que lhe possibilitaram operacionalizar

Leia mais

Permanente actualização tecnológica e de Recursos Humanos qualificados e motivados;

Permanente actualização tecnológica e de Recursos Humanos qualificados e motivados; VISÃO Ser a empresa líder e o fornecedor de referência do mercado nacional (na área da transmissão de potência e controlo de movimento) de sistemas de accionamento electromecânicos e electrónicos, oferecendo

Leia mais

LISTA DE COMPETÊNCIAS TÉCNICO SUPERIOR E TÉCNICO

LISTA DE COMPETÊNCIAS TÉCNICO SUPERIOR E TÉCNICO LISTA DE COMPETÊNCIAS TÉCNICO SUPERIOR E TÉCNICO N.º ORIENTAÇÃO PARA RESULTADOS: Capacidade para concretizar eficiência os objectivos do serviço e as tarefas e que lhe são solicitadas. com eficácia e 1

Leia mais

Investimento Adjudicado 2007-2009

Investimento Adjudicado 2007-2009 Programa de Modernização das Escolas do Ensino Secundário Investimento Adjudicado 2007-2009 Comissão Parlamentar de Educação e Ciência, Memorando de apoio à audição parlamentar de 24 Março de 2010 NOTA

Leia mais

Condições Gerais de Prestação de Serviços Analíticos 2013/14

Condições Gerais de Prestação de Serviços Analíticos 2013/14 Laboratório de Análises Um Laboratório ao serviço da Academia e da Indústria Condições Gerais de Prestação de Serviços Analíticos 2013/14 Laboratório de Análises Tel: +351 212947805 (ext: 10993) http://www.dq.fct.unl.pt/servicos-externos

Leia mais

PHC dcrm. Aumente o potencial da força de vendas da sua empresa, ao aceder remotamente à informação comercial necessária à sua actividade

PHC dcrm. Aumente o potencial da força de vendas da sua empresa, ao aceder remotamente à informação comercial necessária à sua actividade O módulo PHC dcrm permite aos comerciais da sua empresa focalizar toda a actividade no cliente, aumentando a capacidade de resposta aos potenciais negócios da empresa. PHC dcrm Aumente o potencial da força

Leia mais

Perguntas Frequentes

Perguntas Frequentes Perguntas Frequentes Campanha de Recolha de suportes de informação descartáveis usados Vamos Gravar esta Ideia! ENQUADRAMENTO 1. Qual é o enquadramento legal para a Campanha Vamos Gravar esta ideia!? A

Leia mais

São mais de 80 os serviços que garantem o correcto acondicionamento e encaminhamento do papel/cartão para os respectivos pontos de recolha.

São mais de 80 os serviços que garantem o correcto acondicionamento e encaminhamento do papel/cartão para os respectivos pontos de recolha. A Câmara Municipal procura ser um exemplo de bom desempenho ambiental. A gestão ambiental da autarquia promove, através de um conjunto de projectos, a reciclagem junto dos munícipes e dos seus trabalhadores.

Leia mais

Comunicação durante o processo de auto-avaliação

Comunicação durante o processo de auto-avaliação Comunicação durante o processo de auto-avaliação Durante o processo de auto-avaliação a política de comunicação deve focalizar os ganhos para todas as partes interessadas, colaboradores e cidadãos/clientes.

Leia mais

COMPETÊNCIAS DA DAG / RELAÇÕES PÚBLICAS

COMPETÊNCIAS DA DAG / RELAÇÕES PÚBLICAS COMPETÊNCIAS DA DAG / RELAÇÕES PÚBLICAS Tendo em conta a necessidade de o ISA, como qualquer outro prestador de serviços, responder cada vez melhor às expectativas do seu público estratégico, conhecendo-o

Leia mais

BCN A EXPERIÊNCIA COM A PROVEDORIA DO CLIENTE

BCN A EXPERIÊNCIA COM A PROVEDORIA DO CLIENTE BCN A EXPERIÊNCIA COM A PROVEDORIA DO CLIENTE A GABINETE DE PROVEDORIA DO CLIENTE B ESTATÍSTICAS C PRINCIPAIS MEDIDAS ADOPTADAS GABINETE DE PROVEDORIA DO CLIENTE Com o objectivo de proteger os nossos Clientes

Leia mais

Guia de Acesso à Formação Online Formando

Guia de Acesso à Formação Online Formando Guia de Acesso à Formação Online Formando Copyright 2008 CTOC / NOVABASE ÍNDICE ÍNDICE...2 1. Introdução...3 2. Metodologia Formativa...4 3. Actividades...5 4. Apoio e Acompanhamento do Curso...6 5. Avaliação...7

Leia mais

MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA

MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA VISÃO Ser a empresa líder e o fornecedor de referência do mercado nacional (na área da transmissão de potência e controlo de movimento) de sistemas de accionamento electromecânicos

Leia mais

Índice. rota 3. Enquadramento e benefícios 6. Comunicação Ética 8. Ética nos Negócios 11. Promoção para o Desenvolvimento Sustentável 13. Percurso 1.

Índice. rota 3. Enquadramento e benefícios 6. Comunicação Ética 8. Ética nos Negócios 11. Promoção para o Desenvolvimento Sustentável 13. Percurso 1. rota 3 CLIENTES Rota 3 Índice Enquadramento e benefícios 6 Percurso 1. Comunicação Ética 8 Percurso 2. Ética nos Negócios 11 Percurso 3. Promoção para o Desenvolvimento Sustentável 13 responsabilidade

Leia mais

Câmaras Municipais 2004

Câmaras Municipais 2004 Câmaras Municipais 2004 Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação (Resultados Provisórios) Dezembro de 2004 BREVE NOTA METODOLÓGICA Universo de referência: Câmaras Municipais

Leia mais

AVALIAÇÃO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO MUSICAL NO ENSINO BÁSICO

AVALIAÇÃO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO MUSICAL NO ENSINO BÁSICO AVALIAÇÃO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO MUSICAL NO ENSINO BÁSICO Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos do Mestrado em Educação Musical

Leia mais

A gestão completa dos seus recursos humanos

A gestão completa dos seus recursos humanos PHC Recursos Humanos CS DESCRITIVO Optimize a selecção e recrutamento, proceda à correcta descrição de funções, execute as avaliações de desempenho e avalie as acções de formação. PHC Recursos Humanos

Leia mais

Case study 100R RECICLAGEM 100% GARANTIDA EMPRESA ENVOLVIMENTO

Case study 100R RECICLAGEM 100% GARANTIDA EMPRESA ENVOLVIMENTO Case study 2010 100R RECICLAGEM 100% GARANTIDA EMPRESA A Sociedade Ponto Verde é uma entidade privada sem fins lucrativos que tem por missão organizar e gerir a retoma e valorização de resíduos de embalagens

Leia mais

COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS DE SUCESSO

COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS DE SUCESSO COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS DE SUCESSO 1 Sumário: Conceito e Objectivos Estrutura do PN o Apresentação da Empresa o Análise do Produto / Serviço o Análise de Mercado o Estratégia de Marketing o

Leia mais

Regulamento de Funcionamento das Acções de Formação

Regulamento de Funcionamento das Acções de Formação Regulamento de Funcionamento das Acções de Formação A Ciência Viva tem como missão a difusão da Cultura Científica e Tecnológica apoiando acções dirigidas à promoção da Educação Científica e Tecnológica

Leia mais

Plano de Sustentabilidade e Gestão da Segurança Social PSGSS

Plano de Sustentabilidade e Gestão da Segurança Social PSGSS Plano de Sustentabilidade e Gestão da Segurança Social PSGSS Manuel Moreira Coordenador do PSGSS Benguela, 22 e 23 de Maio Agenda Objetivos Gerais Objectivos Estratégicos Estrutura do Projecto Inciativas

Leia mais

SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS

SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS SISTEMA DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA - SIADAP - ANO DE 2015 MISSÃO E OBJECTIVOS DAS UNIDADES ORGÃNICAS DOS SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS DA MAIA, PARA O ANO DE 2015 DIVISÃO ECONÓMICA

Leia mais

Missão: Melhorar a qualidade de vida dos munícipes e promover a modernização administrativa com vista à aproximação dos serviços aos cidadãos.

Missão: Melhorar a qualidade de vida dos munícipes e promover a modernização administrativa com vista à aproximação dos serviços aos cidadãos. OBJECTIVOS DAS UNIDADES ORGÂNICAS - 2011 MUNICÍPIO DA MARINHA GRANDE UNIDADE ORGÂNICA: Divisão de Ambiente, Serviços Urbanos e Protecção Civil Missão: Melhorar a qualidade de vida dos munícipes e promover

Leia mais

Condições do Franchising

Condições do Franchising Condições do Franchising ÍNDICE Introdução 1. Vantagens em entrar num negócio de franchising 2. O que nos distingue como sistema de franchising 2.1. vantagens para o franchisado face a outras redes 2.2.

Leia mais

Retirado de: www.globaz.pt

Retirado de: www.globaz.pt Retirado de: www.globaz.pt Designação: Intranet de Comunicação Interna Cliente: Fólio - Edições e Publicidade, Lda Objectivos:. : Aumentar a eficácia das comunicações internas. : Baixar os custos de comunicação

Leia mais

Plano de Actividades 2010

Plano de Actividades 2010 Plano de Actividades 2010 Gabinete de Apoio ao Estudante com Deficiência Janeiro de 2010 O presente relatório explicita as actividades que, de forma permanente, são asseguradas pelo, bem como um conjunto

Leia mais

Agência Portuguesa do Ambiente Apresentação Pública dos Resultados do Inquérito sobre Equipamentos de Educação Ambiental para a Sustentabilidade

Agência Portuguesa do Ambiente Apresentação Pública dos Resultados do Inquérito sobre Equipamentos de Educação Ambiental para a Sustentabilidade Agência Portuguesa do Ambiente Apresentação Pública dos Resultados do Inquérito sobre Equipamentos de Educação Ambiental para a Sustentabilidade Jorge Neves, 19/12/2011, Amadora colocar foto da era ENQUADRAMENTO

Leia mais

Oficina de Formação Educação Sexual e Violência (Data de início: 28/011/2015 - Data de fim: 15/04/2015)

Oficina de Formação Educação Sexual e Violência (Data de início: 28/011/2015 - Data de fim: 15/04/2015) Oficina de Formação Educação Sexual e Violência (Data de início: 28/011/2015 - Data de fim: 15/04/2015) I - Autoavaliação (formandos) A- Motivação para a Frequência da Ação 1- Identifique, de 1 (mais importante)

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE. Câmara Municipal do Funchal. Divisão de Atendimento e Informação

MANUAL DA QUALIDADE. Câmara Municipal do Funchal. Divisão de Atendimento e Informação Câmara Municipal do Funchal Divisão de Atendimento e Informação INDICE Promulgação Âmbito Exclusões Hierarquia da documentação do Sistema de Gestão da Qualidade Política da Qualidade Missão e Visão Apresentação

Leia mais

Gestão de Resíduos, Produtos para a Construção, Demolição & Reciclagem

Gestão de Resíduos, Produtos para a Construção, Demolição & Reciclagem 1. GESTÃO DE RESÍDUOS (Alvarás n.º 43/2010/CCDRC e n.º 52/2010/CCDRC) 1.1 Resíduos admissíveis nas Unidades de Gestão de Resíduos Resíduos não perigosos (estado sólido ou pastoso) Betão, Argamassas, Telhas,

Leia mais

GESTÃO DOCUMENTAL. Mapeamento de processos P05 - Gestão Estratégica. Sub-processo Procedimento Gestão Instruções de Trabalho Impressos

GESTÃO DOCUMENTAL. Mapeamento de processos P05 - Gestão Estratégica. Sub-processo Procedimento Gestão Instruções de Trabalho Impressos Actualizado em: 81121 P5 - Gestão Estratégica Sub-processo Procedimento Gestão Instruções de Trabalho Impressos SP3 Planeamento e Revisão do Sistema IT 9 Planeamento e Análise 4 Programa de Objectivos

Leia mais

ATENDIMENTO PESSOAL E TELEFÓNICO

ATENDIMENTO PESSOAL E TELEFÓNICO ÁREA COMERCIAL ATENDIMENTO PESSOAL E TELEFÓNICO Como entusiasmar clientes pela forma de atender? Desenvolver competências técnicas e relacionais que potenciem a angariação e satisfação de clientes. Atendimento

Leia mais

Análise do Questionário aos Utentes Internet 2006/2007. Resumo

Análise do Questionário aos Utentes Internet 2006/2007. Resumo Análise do Questionário aos Utentes Internet 2006/2007 Resumo Nos três últimos anos a Administração Fiscal tem vindo a efectuar estudos qualitativos de periodicidade anual com o objectivo de conhecer o

Leia mais

Galp Energia Projecto Vidas Galp

Galp Energia Projecto Vidas Galp Galp Energia Projecto Vidas Galp Situação Informação sobre a empresa O Grupo Galp Energia é constituído pela Galp Energia e subsidiárias, as quais incluem a Petróleos de Portugal Petrogal, S.A., a Galp

Leia mais

Horta à Porta. LIPOR Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto

Horta à Porta. LIPOR Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto Horta à Porta LIPOR Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto Ana Lopes DVO ana.lopes@lipor.pt 9 de Outubro de 2011 1 Apresentação 8 Municípios Área 648 km2 População 1 milhão habitantes

Leia mais

PLANO AÇÃO SOBRE O TEMA RESÍDUOS. Ações e Atividades previstas

PLANO AÇÃO SOBRE O TEMA RESÍDUOS. Ações e Atividades previstas Apresenta-se abaixo o plano de acção, tal como solicitado, no entanto, pela nossa metodologia de trabalho, foram elaborados um conjunto de projectos, para apresentação / aprovação da Direcção da escola,

Leia mais

Capítulo III Aspectos metodológicos da investigação

Capítulo III Aspectos metodológicos da investigação Capítulo III Aspectos metodológicos da investigação 3.1) Definição do problema Tendo como ponto de partida os considerandos enumerados na Introdução, concretamente: Os motivos de ordem pessoal: Experiência

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DE FUNCIONAMENTO DO BANCO LOCAL DE VOLUNTARIADO DE MONDIM DE BASTO. Preâmbulo

REGULAMENTO INTERNO DE FUNCIONAMENTO DO BANCO LOCAL DE VOLUNTARIADO DE MONDIM DE BASTO. Preâmbulo REGULAMENTO INTERNO DE FUNCIONAMENTO DO BANCO LOCAL DE VOLUNTARIADO DE MONDIM DE BASTO Preâmbulo O Decreto-Lei nº 389/99, de 30 de Setembro, no artigo 21º, atribui ao Conselho Nacional para a Promoção

Leia mais

REGULAMENTO DO BANCO LOCAL DE VOLUNTARIADO DE MIRANDELA. Preâmbulo

REGULAMENTO DO BANCO LOCAL DE VOLUNTARIADO DE MIRANDELA. Preâmbulo REGULAMENTO DO BANCO LOCAL DE VOLUNTARIADO DE MIRANDELA Preâmbulo O voluntariado é definido como um conjunto de acções e interesses sociais e comunitários, realizadas de forma desinteressada no âmbito

Leia mais

Regulamento de Funcionamento da Formação

Regulamento de Funcionamento da Formação Regulamento de Funcionamento da Formação Índice 1. Caracterização e Identificação da Entidade... 3 2. Certificação entidade formadora... 3 3. Acreditação Entidade Formadora... 3 4. Certificação ISO 9001...

Leia mais

A RELEVÂNCIA DA CERTIFICAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE DAS ORGANIZAÇÕES

A RELEVÂNCIA DA CERTIFICAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE DAS ORGANIZAÇÕES A RELEVÂNCIA DA CERTIFICAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE DAS ORGANIZAÇÕES Cristina Barbosa, Auditora da APCER XIX Congresso da Ordem dos Engenheiros 20-out-2012 Centro Cultural de Belém Resumo da Apresentação

Leia mais

Um percurso formativo Fátima Fonseca (*)

Um percurso formativo Fátima Fonseca (*) 1 Um percurso formativo Fátima Fonseca (*) Este trabalho prende-se com o estudo que fizemos na formação na área das Competências Interpessoais, sendo que o grande objectivo é o de sermos capazes, nas nossas

Leia mais

MANUAL DE APOIO SISTEMA INTEGRADO DE DOCUMENTOS E ATENDIMENTO MUNICIPAL

MANUAL DE APOIO SISTEMA INTEGRADO DE DOCUMENTOS E ATENDIMENTO MUNICIPAL Município de Alfândega da Fé Câmara Municipal GABINETE de INFORMATICA (GI) MANUAL DE APOIO SISTEMA INTEGRADO DE DOCUMENTOS E ATENDIMENTO MUNICIPAL - CMAF Versão 2.00 PS.05_MAN.01 GI GABINETE de INFORMATICA

Leia mais

A importância da Sensibilização e do Envolvimento da Comunidade

A importância da Sensibilização e do Envolvimento da Comunidade A importância da Sensibilização e do Envolvimento da Comunidade Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto Brasília 9 de abril de 2015 Auditório da Praça das Boas Práticas Alexandre

Leia mais

Pedro Sobral. Gestão de Resíduos de Construção e Demolição CCDR-Alentejo/CM Montemor-o-Novo 26 de Julho, Évora

Pedro Sobral. Gestão de Resíduos de Construção e Demolição CCDR-Alentejo/CM Montemor-o-Novo 26 de Julho, Évora Pedro Sobral Gestão de Resíduos de Construção e Demolição CCDR-Alentejo/CM Montemor-o-Novo 26 de Julho, Évora A RESIALENTEJO em númerosn Área territorial: 8 Municípios População abrangida: 101.658 hab

Leia mais

Secretaria Nacional para o Ambiente e Prevenção Departamento Nacional de Protecção Civil e Segurança

Secretaria Nacional para o Ambiente e Prevenção Departamento Nacional de Protecção Civil e Segurança De: Para: Assunto: Circular: Data: Secretaria Nacional para o Ambiente e Prevenção Departamento Nacional de Protecção Civil e Segurança Juntas Regionais e de Núcleo Atividades Escutistas na Serra da Estrela

Leia mais

GRELHA PARA A CARACTERIZAÇÃO DE RTP. AEBJC Associação para o Ensino Bento de Jesus Caraça

GRELHA PARA A CARACTERIZAÇÃO DE RTP. AEBJC Associação para o Ensino Bento de Jesus Caraça GRELHA PARA A CARACTERIZAÇÃO DE RTP Entidade interlocutora: Identificação do Projecto AEBJC Associação para o Ensino Bento de Jesus Caraça Nº do projecto: 2001/EQUAL/A2/AD/139 Designação do projecto: Área

Leia mais

Seminários 2013 Resíduos Hospitalares. Obrigações Legais dos Produtores de Resíduos Hospitalares. Francisco Valente

Seminários 2013 Resíduos Hospitalares. Obrigações Legais dos Produtores de Resíduos Hospitalares. Francisco Valente Seminários 2013 Resíduos Hospitalares Obrigações Legais dos Produtores de Resíduos Hospitalares Francisco Valente OBJECTIVOS Informação sobre as obrigações legais dos produtores de resíduos hospitalares;

Leia mais

Simplificação nas PMEs

Simplificação nas PMEs Simplificação nas PMEs Aproveitamento das Novas Tecnologias DGITA Portal Declarações Electrónicas Dezembro 2007 Simplificação nas PMEs - Aproveitamento das Novas Tecnologias 1 Agenda O que é a DGITA? Estratégia

Leia mais

FICHA TÉCNICA. TÍTULO Instituto Nacional de Aviação Civil, I.P. Relatório de Sustentabilidade 2008

FICHA TÉCNICA. TÍTULO Instituto Nacional de Aviação Civil, I.P. Relatório de Sustentabilidade 2008 FICHA TÉCNICA TÍTULO Instituto Nacional de Aviação Civil, I.P. Relatório de Sustentabilidade 2008 EDITOR INAC Instituto Nacional de Aviação Civil, I.P. Rua B Edifícios 4 e Santa Cruz Aeroporto de Lisboa

Leia mais

Como Vender em Alemanha Uma acção à medida dos seus interesses

Como Vender em Alemanha Uma acção à medida dos seus interesses Como Vender em Alemanha Uma acção à medida dos seus interesses Ficha de Inscrição Encontre a resposta às suas dúvidas! Identifique a sessão pretendida: Porto AICEP (Rua António Bessa Leite, 1430-2.º andar)

Leia mais

Projeto: Objetos de Natal Reciclados

Projeto: Objetos de Natal Reciclados Projeto: Objetos de Natal Reciclados Regulamento do Projeto Entidade Promotora O projeto Objetos de Natal Reciclados é uma iniciativa da Câmara Municipal de Gouveia. Objetivos Com este projeto pretende-se

Leia mais

Sistema Integrado de Gestão da Qualidade e Ambiente

Sistema Integrado de Gestão da Qualidade e Ambiente Sistema Integrado de Gestão da Qualidade e Ambiente Concelho de Esposende Distrito de Braga 15 Freguesias Área - Cerca de 95 Km2 População - 33.325 habitantes ( x 3 na época balnear ) Orla Costeira Parque

Leia mais

Inovar em rede. A cidadania na Gestão Pública. www.quidgest.com quidgest@quidgest.com

Inovar em rede. A cidadania na Gestão Pública. www.quidgest.com quidgest@quidgest.com www.quidgest.com quidgest@quidgest.com Inovar em rede A cidadania na Gestão Pública Quidgest Portugal R. Castilho n.º 63 6.º 1250-068 Lisboa Portugal tel. (+351) 213 870 563 / 652 / 660 fax. (+351) 213

Leia mais

Procifisc Engenharia e Consultadoria, Lda.

Procifisc Engenharia e Consultadoria, Lda. 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa, com sede em Castelo Branco, é uma empresa criada em 2007 que atua nos domínios da engenharia civil e da arquitetura. Atualmente, é uma empresa

Leia mais

Análise do Questionário aos Notários 2006/2007. Resumo

Análise do Questionário aos Notários 2006/2007. Resumo Análise do Questionário aos Notários 2006/2007 Resumo Nos três últimos anos a Administração Fiscal tem vindo a efectuar estudos qualitativos de periodicidade anual com o objectivo de conhecer o grau de

Leia mais

Responsabilidade Social. José Carlos Quadrado

Responsabilidade Social. José Carlos Quadrado Responsabilidade Social José Carlos Quadrado A transparência é uma componente da Responsabilidade Social Comissão Europeia, 2001 Responsabilidade Social- definição Responsabilidade Social é a integração

Leia mais

REGULAMENTO DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO

REGULAMENTO DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO REGULAMENTO DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO Capítulo I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º (Objeto) O presente regulamento define as normas de participação e intervenção no Orçamento Participativo do Município da

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS

CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Helena Ferreira (helena.ferreira@apcer.pt) Gestora de Desenvolvimento da APCER I. APRESENTAÇÃO DA APCER www.apcer.pt 1. Quem Somos Início de actividade

Leia mais

SMARTCALL. Apresentação

SMARTCALL. Apresentação SOBRE A SMARTCALL SMARTCALL Apresentação A SmartCall desenvolve serviços inovadores direccionados para a dinamização do relacionamento das empresas com os seus clientes e a criação de novas oportunidades

Leia mais

A Grande Viagem do Lixo

A Grande Viagem do Lixo Olá! Eu sou a Clarinha a mascote da Lipor. Sempre que me vires, é sinal que alguém está a cuidar do ambiente e a aprender como viver num mundo mais limpo, mais verde. E tu? sabias que... Há 4 R s nossos

Leia mais

Regulamento de Admissão de Resíduos na. Unidade de Valorização de Correntes de Resíduos de Gorduras Ácidas. da ENC Bioenergy, Lda

Regulamento de Admissão de Resíduos na. Unidade de Valorização de Correntes de Resíduos de Gorduras Ácidas. da ENC Bioenergy, Lda Regulamento de Admissão de Resíduos na Unidade de Valorização de Correntes de Resíduos de Gorduras Ácidas da ENC Bioenergy, Lda UVCRGA Rua Carva-Penedo, 4520-503, Sanfins, S.ªM.ª da Feira Portugal T (+351)

Leia mais

PHC dcrm. Aumente o potencial da força de vendas da sua empresa ao aceder remotamente à informação comercial necessária à sua actividade

PHC dcrm. Aumente o potencial da força de vendas da sua empresa ao aceder remotamente à informação comercial necessária à sua actividade PHC dcrm DESCRITIVO O módulo PHC dcrm permite aos comerciais da sua empresa focalizar toda a actividade no cliente, aumentando a capacidade de resposta aos potenciais negócios da empresa. PHC dcrm Aumente

Leia mais

SAD SISTEMA DE ATENDIMENTO DATAMACE

SAD SISTEMA DE ATENDIMENTO DATAMACE SAD SISTEMA DE ATENDIMENTO DATAMACE OBJETIVO O SAD foi desenvolvido para aprimorar e permitir o rastreamento dos registros de contatos realizados entre a Datamace e seus clientes. Permite administrar a

Leia mais

REGULAMENTO PRÉMIO PRESTÍGIO DE SUSTENTABILIDADE

REGULAMENTO PRÉMIO PRESTÍGIO DE SUSTENTABILIDADE REGULAMENTO PRÉMIO PRESTÍGIO DE SUSTENTABILIDADE Os Amigos do Cáster em parceria com a Câmara Municipal de Ovar criam o PRÉMIO PRESTÍGIO DE SUSTENTABILIDADE, inserido no âmbito do Programa Integrado de

Leia mais

Exemplos de Boas Práticas de RSE

Exemplos de Boas Práticas de RSE Exemplos de Boas Práticas de RSE 7.4. Pritchard Englefield Filme sobre a RSE na comunidade Resumo A empresa Pritchard Englefield foi fundada em 1848. Está sediada na City de Londres (Grã-Bretanha). A Pritchard

Leia mais

Desenvolvimento Sustentável da Inovação Empresarial

Desenvolvimento Sustentável da Inovação Empresarial Desenvolvimento Sustentável da Inovação Empresarial Inovar para Ganhar Paulo Nordeste Portugal tem apresentado nos últimos anos casos de sucesso em inovação; como novos produtos, serviços e modelos de

Leia mais

O reconhecimento como uma referência na área de consultadoria em engenharia em Portugal.

O reconhecimento como uma referência na área de consultadoria em engenharia em Portugal. VISÃO & MISSÃO VISÃO O reconhecimento como uma referência na área de consultadoria em engenharia em Portugal. MISSÃO Actuar junto de empresas industriais, de serviços, estabelecimentos de ensino, empresas

Leia mais

Sistema de Certificação de Competências TIC

Sistema de Certificação de Competências TIC Sistema de Certificação de Competências TIC Portal das Escolas Manual de Utilizador INDICE 1 Introdução... 5 1.1 Sistema de formação e certificação de competências TIC...6 1.1.1 Processo de certificação

Leia mais

OPORTUNIDADES. Cluster energético: oportunidades; horizontes; observatório, BejaGlobal; PASE

OPORTUNIDADES. Cluster energético: oportunidades; horizontes; observatório, BejaGlobal; PASE CLUSTER ENERGÉTICO DE BEJA OPORTUNIDADES SUSTENTABILIDADE ENERGÉTICA E CRESCIMENTO ECONÓMICO A sustentabilidade energética e climática é um desígnio estratégico duplo significado. Por um lado, desenvolvimento

Leia mais

Apresentação. Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares. Oliveira de Azeméis Novembro 2007

Apresentação. Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares. Oliveira de Azeméis Novembro 2007 Apresentação Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares Oliveira de Azeméis Novembro 2007 Apresentação SABE 12-11-2007 2 Apresentação O conceito de Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares (SABE) que se

Leia mais

inovação 1 Perguntas Frequentes (FAQs) 1.1 Contratos

inovação 1 Perguntas Frequentes (FAQs) 1.1 Contratos 2 Conteúdos 1 Perguntas Frequentes (FAQs)... 3 1.1 Contratos... 3 1.2 Encomendas e Pedidos... 4 1.3 Facturação e Pagamentos... 5 1.4 Assistência Técnica... 5 1.5 Questões Técnicas e de Qualidade... 6 3

Leia mais

prodj Condições Gerais de Venda On-line

prodj Condições Gerais de Venda On-line Índice 1. Contactos da prodj... 2 2. Processo de compra na loja on line da prodj... 2 2.1. Registo introdução, correcção e eliminação de dados pessoais... 2 2.2. Segurança no registo... 2 2.2. Compra...

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO VOLUNTARIADO

REGULAMENTO INTERNO VOLUNTARIADO REGULAMENTO INTERNO DO VOLUNTARIADO REGULAMENTO Artigo 1.º Âmbito O presente regulamento visa definir as linhas orientadoras do grupo de voluntariado Marvila Voluntária, o qual tem como entidade promotora

Leia mais