A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA EM NÚMEROS THE PHARMACEUTICAL INDUSTRY IN FIGURES EDIÇÃO EDITION

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA EM NÚMEROS THE PHARMACEUTICAL INDUSTRY IN FIGURES EDIÇÃO 2010 2010 EDITION"

Transcrição

1 A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA EM NÚMEROS THE PHARMACEUTICAL INDUSTRY IN FIGURES EDIÇÃO EDITION

2 A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA EM NÚMEROS THE PHARMACEUTICAL INDUSTRY IN FIGURES EDIÇÃO EDITION

3 Índice I Principais Indicadores Económicos 1 Dados gerais da economia-portugal 9 2 População - UE 1 3 Projecções da População - UE 11 4 População por escalão etário - UE 12 5 PIB-Taxa de Crescimento real (%) em volume - UE 13 6 PIB pm per capita - UE 14 7 Taxa média de desemprego - UE 15 8 Taxa de Inflação - UE 16 II Dados e Indicadores de Saúde 1 Despesa Nacional em Saúde (Pública + Privada) Despesa Pública e Privada em saúde Indicadores 19 2 Despesa total em saúde per capita - UE 2 3 Principais causas de morte 21 4 Estabelecimentos de saúde 22 5 Pessoal de saúde 22 6 Consultas e Internamentos 22 7 Taxa de natalidade e de mortalidade 23 8 Projecções de esperança de vida - UE 23 9 Percentagem da população com mais de 65 anos na população total - UE 24 1 Indicadores de mortalidade - UE 25 III Dados do Sector Farmacêutico 1 Empresas farmacêuticas, armazenistas, farmácias, postos de medicamentos e locais de venda de MNSRM 27 2 Emprego na Indústria Farmacêutica - UE 27 3 Taxa de IVA - UE 28 4 Dívida Hospitalar à Indústria Farmacêutica Medicamentos e meios de diagnóstico Meios de diagnóstico 3 IV O Mercadodos Medicamentos de uso Humano A - Mercado 1 Produção de matérias-primas e produtos farmacêuticos 33 2 Importação e exportação de matérias-primas e 34 produtos farmacêuticos 3 Autorização de introdução no mercado (AIM) Pedidos de AIMs AIM s concedidas Pedidos de AIMs indeferidos Revisão de AIMs de medicamentos aprovados Pedidos de renovação de AIMs de medicamentos aprovados 36 4 Preços dos medicamentos Revisão anual de preços dos medicamentos 37 5 Comparticipação de medicamentos Pedidos de comparticipação Comparticipações concedidas e indeferidas Apresentações comparticipadas por grupos farmacoterapêuticos 39 e escalões de comparticipação 6 Consumo de medicamentos Mercado total - em valor Mercado total - repartição em valor (ambulatório + hospitalar) Mercado ambulatório - em unidades Mercado ambulatório de medicamentos - em valor - UE Consumo ambulatório de medicamentos per capita - UE 44 7 Distribuição do mercado ambulatório dos medicamentos pelos 45 vários sistemas de saúde 8 Nº de medicamentos de medicamentos com AIM de medicamentos com AIM segundo a classificação MSRM e MNSRM Comparticipados e não comparticipados Comparticipados - por escalões Comparticipados segundo a classificação - MSRM e MNSRM Não comparticipados 47 B - Mercado do SNS 1 Encargos do SNS com medicamentos 48 2 Encargos do SNS com medicamentos em relação ao mercado total 49 e ambulatório 3 Encargos do SNS com medicamentos em relação à 5 despesa pública em saúde 4 Taxa média de comparticipação 51 5 Evolução do valor comparticipado per capita e dos encargos 52 dos utentes per capita 6 Distribuição dos encargos do SNS pelos escalões de comparticipação 53 7 Encargos do SNS por grupo de utente 54 8 Evolução dos custos médios por receita e por embalagem, no SNS 55 9 Distribuição das vendas de medicamentos comparticipados 55 em ambulatório 1 Distribuição dos encargos do SNS pelos grupos farmacoterapêuticos 56 C - Mercado da Automedicação 1 MNSRM - Mercado (em valor) 57 2 MNSRM - Em unidades 58 3 MNSRM - Principais classes terapêuticas 59 4 MNSRM - Mercado Europeu 6 5 MNSRM - Quota de mercado em relação ao mercado ambulatório 61 (em valor) - UE V O Mercado da Saúde Animal 1 Evolução do mercado total da saúde animal 63 2 Repartição do mercado da saúde animal por grupos terapêuticos 64 3 Mercado da saúde animal por espécies 65 VI O Mercadodos Dispositivos Médicos para Diagnóstico in Vitro 1 Repartição do mercado europeu 67 Abreviaturas 71

4 Index I Main Economic Indicators 1 General economic data - Portugal 9 2 Population - EU 1 3 Population projections - EU 11 4 Population by age class - EU 12 5 GDP - real growth rate - EU 13 6 GDP per capita - EU 14 7 Unemployment Average Rate - EU 15 8 Inflation rate - EU 16 7 Distribution of Ambulatory Market by the several health systems 45 8 Number of medicinal products of medicinal products with Marketing Authorization of medicinal products with Marketing Authorization by 46 classification - prescription and non-prescription medicines 8.3 Reimbursed and non reimbursed Reimbursed by level Reimbursed by classification - prescription and non-prescription medicines Non reimbursed 47 II Healthcare indicators B - NHS Market 1 National Healthcare spending Public and Private Healthcare spending Indicators 19 2 Health care spending per capita - EU 2 3 Main death causes 21 4 Healthcare establishments 22 5 Healthcare employment 22 6 Medical acts / Internments 22 7 Birth and mortality rate 23 8 Life expectancy - EU 23 9 Percentage of elderly people (65 and over) in total population - EU 24 1 Mortality Indicators - EU 25 1 NHS Spending with Medicinal Products 48 2 Share of NHS spending with medicinal products in the total and 49 Ambulatory Market 3 Share of NHS spending on medicinal products in the Public Healthcare Spending 4 Reimbursement average rate 51 5 Evolution of reimbursed and co-payment per capita 52 6 Distribution of NHS spending by reimbursement levels 53 7 NHS spending by user groups 54 8 Evolution of average costs by prescription and by package in the NHS 55 9 Distribution of reimbursed medicinal products consumption 55 in ambulatory market 1 Distribution of NHS spending by pharmacotherapeutic groups 56 III Pharmaceutical Sector Data C - Self-medication Market 1 Pharmaceutical companies, wholesalers, pharmacies pharmacy extensions and Drug stores 27 2 Employment in the pharmaceutical industry 27 3 VAT rate 28 4 Hospital debts to Pharmaceutical Companies Medicinal products and diagnostic medical devices Hospital debts of diagnostic medical devices 3 IV Medicinal Products Market for Human Use A - Market 1 Manufacturing of raw materials and pharmaceutical products 33 2 Imports and exports of raw materials and pharmaceutical products 34 3 Marketing Authorization (MA) Marketing Authorizations applications Granted Marketing Authorizations Applications for Marketing Authorizations refused Revision of MA applications Renewals of Marketing Authorizations applications 36 4 Prices of medicinal products Annual prices revision of medicinal products 37 5 Reimbursement of medicinal products Applications for reimbursement of medicinal products Granted and refused reimbursement applications Reimbursed presentations by pharmacoterapeuthic groups and reimbursement levels 39 6 Medicinal products consumption market - in value market - distribution in value (Ambulatory + Hospital) Ambulatory market - in units Medicinal products (Ambulatory market) - in value - EU Ambulatory medicinal products consumption per capita - EU 44 1 Non-Prescription Medicines - Market (in value) 57 2 Non-Prescription Medicines - Market (in units) 58 3 Non-Prescription Medicines - Main therapeutic groups 59 4 Non-Prescription Medicines - European market 6 5 Non-Prescription Medicines - Market share of Ambulatory 61 market (in value) - EU V Animal Health Market 1 Animal Health Market evolution 63 2 Division of Animal Health Market by therapeutic groups 64 3 Animal Health Market by species 65 VI In Vitro Diagnostic Medical Devices Market 1 Division of European Market 67 Abbreviations 71

5 I. PRINCIPAIS INDICADORES ECONÓMICOS / MAIN ECONOMIC INDICATORS 9 I. PRINCIPAIS INDICADORES ECONÓMICOS MAIN ECONOMIC INDICATORS 1. DADOS GERAIS DA ECONOMIA EM PORTUGAL GENERAL ECONOMIC DATA IN PORTUGAL (Milhares / Thousands) (Média anual / Annual average) População / Population População Activa / Active Population Emprego / employment Desemprego / Unemployment Fonte:GEE - Gabinete de Estratégia e Estudos do Ministério da Economia Source: GEE - Department of Statistics and Studies of Economic Ministry (Milhões de Euro / Million Euro) (e) Importações / Imports Exportações / Exports Investimento (FBCF) / Investment (GFCF) Fonte: GEE - Gabinete de Estratégia e Estudos do Ministério da Economia (e) - estimativa Source: GEE - Department of Statistics and Studies of Economic Ministry (e) - estimativa PIB pm (Milhões de Euro) / GDP (Euro Million) Taxa de variação anual do PIB (em vol.) (%) / GDP Growth rate 1,5,9 1,3 1,8, -2,7 PIB pm per capita (Euro) / GDP Per Capita (Euro) PIB pm (Milhões US dólares) / GDP (million US$) PIB pm per capita (US dólares) / GDP Per Capita (US$) Fonte: GEE - Gabinete de Estratégia e Estudos do Ministério da Economia Source:GEE - DepartmentofStatisticsandStudiesofEconomicMinistry Taxa Inflação / Inflation rate 2,4 2,3 3,1 2,5 2,6 -,8 Taxa Actividade (1) / Activity rate (1) 52,2 52,5 52,8 53, 52,9 52,8 Taxa Desemprego (2) / Unemployment rate (2) 6,7 7,6 7,7 8, 7,6 9,5 Saldo Orçamental (Défice) (em % do PIB) -5,5-6,1-3,9-2,6-2,7-9,3 Dívida pública (em % do PIB) / Public Debts (% of GDP) 58,2 63,6 64,7 63,6 66,3 77,2 (1) - Pop, activa em % da pop, total / Active population / population (2) - Desemprego em % da população activa / Unemployement / Active population Fonte: GEE - Gabinete de Estratégia e Estudos do Ministério da Economia / PEC - Programa de estabilidade e crescimento / Source: GEE - Department of Statistics and Studies of Economic Ministry (%)

6 I.PRINCIPAIS INDICADORES ECONÓMICOS / MAIN ECONOMIC INDICATORS 1 I. PRINCIPAIS INDICADORES ECONÓMICOS / MAIN ECONOMIC INDICATORS POPULAÇÃO POPULATION 3. PROJECÇÕES DA POPULAÇÃO POPULATION PROJECTIONS População - a 1 de Janeiro Population of 1 January Crescimento da população Population Growth Países / Countries (29/1999) Irlanda / Ireland ,2% Chipre / Cyprus ,7% Luxemburgo / Luxembourg ,5% Espanha / Spain ,1% Malta / Malta ,3% França / France ,% Itália / Italy ,5% Bélgica / Belgium ,3% Reino Unido / United Kingdom ,2% Portugal ,7% Áustria / Austria ,7% Holanda / Netherlands ,6% Suécia / Sweden ,5% Dinamarca / Denmark ,7% Grécia / Greece ¹ ,7% Finlândia / Finland ,2% Eslovénia / Slovenia ,7% República Checa / Czech Republic ,7% Eslováquia / Slovakia ,3% Alemanha / Germany ,% Polónia / Poland ,4% Hungria / Hungary ,2% Estónia / Estonia ,8% Roménia / Romenia ,4% Lituânia / Lithuania ,3% Letónia / Latvia ,7% Bulgária / Bulgary ,6% Turquia / Turkey ,7% Noruega / Norway ,% Suíça / Switzerland ,1% Macedónia / Macedonia ,3% Croácia / Croatia ,% UE - 27 / EU ,8% 1 - Valores provisórios em 29 / Provisional value on 29 Fonte: EUROSTAT / Source: EUROSTAT Yearbook 29 (1 Janeiro; milhões / 1 January; millions) Países / Countries Alemanha / Germany 78,2 79,1 82,2 82,3 82,1 81,5 8,2 77,8 74,5 7,8 França / France 53,7 56,6 58,8 61,5 62,6 65,6 68, 69,9 71, 71,8 Reino Unido / United Kingdom 56,3 57,2 58,8 6,9 62, 65,7 69,2 72, 74,5 76,7 Itália / Italy 56,4 56,7 56,9 59,1 6, 61,4 61,9 62, 61,2 59,4 Espanha / Spain 37,2 38,8 4, 44,5 46,7 51,1 52,7 53,3 53,2 51,9 Polónia / Poland 35,4 38, 38,7 38,1 38,1 38, 37, 35,2 33,3 31,1 Roménia / Romenia 22,1 23,2 22,5 21,6 21,3 2,8 2, 19,2 18,1 16,9 Holanda / Netherlands 14,1 14,9 15,9 16,4 16,5 16,9 17,2 17,2 16,9 16,6 Grécia / Greece 9,6 1,1 1,9 11,2 11,3 11,6 11,6 11,6 11,4 11,1 Portugal 9,7 1, 1,2 1,6 1,7 11,1 11,3 11,5 11,4 11,3 Bélgica / Belgium 9,9 9,9 1,2 1,6 1,8 11,3 11,7 12, 12,2 12,3 República Checa / Czech Republic 1,3 1,4 1,3 1,3 1,4 1,5 1,4 1,2 9,9 9,5 Hungria / Hungary 1,7 1,4 1,2 1,1 1, 9,9 9,7 9,4 9,1 8,7 Suécia / Sweden 8,3 8,5 8,9 9,1 9,3 9,9 1,3 1,5 1,7 1,9 Áustria / Austria 7,5 7,6 8, 8,3 8,4 8,7 9, 9,1 9,1 9, Bulgária / Bulgary 8,8 8,8 8,2 7,7 7,6 7,2 6,8 6,3 5,9 5,5 Dinamarca / Denmark 5,1 5,1 5,3 5,4 5,5 5,7 5,8 5,9 5,9 5,9 Eslováquia / Slovakia 5, 5,3 5,4 5,4 5,4 5,4 5,3 5,1 4,9 4,5 Finlândia / Finland 4,8 5, 5,2 5,3 5,3 5,5 5,6 5,5 5,4 5,4 Irlanda / Ireland 3,4 3,5 3,8 4,3 4,6 5,4 5,9 6,2 6,5 6,8 Lituânia / Lithuania 3,4 3,7 3,5 3,4 3,3 3,2 3,1 2,9 2,7 2,5 Letónia / Latvia 2,5 2,7 2,4 2,3 2,2 2,2 2, 1,9 1,8 1,7 Eslovénia / Slovenia 1,9 2, 2, 2, 2, 2,1 2, 2, 1,9 1,8 Estónia / Estonia 1,5 1,6 1,4 1,3 1,3 1,3 1,3 1,2 1,2 1,1 Chipre / Cyprus,5,6,7,8,8 1, 1,1 1,2 1,3 1,3 Luxemburgo / Luxembourg,4,4,4,5,5,6,6,7,7,7 Malta / Malta,3,4,4,4,4,4,4,4,4,4 UE 27 / EU ,1 47,4 482,8 495,1 499,4 513,8 519,9 52,1 515,3 55,7 Zona Euro / Euro area 287,6 295,6 37,3 319,6 322,9 334,1 339,1 34,4 337,3 33,6 Fonte: EUROSTAT / Source: EUROSTAT Yearbook 29

7 I.PRINCIPAIS INDICADORES ECONÓMICOS / MAIN ECONOMIC INDICATORS 12 I. PRINCIPAIS INDICADORES ECONÓMICOS / MAIN ECONOMIC INDICATORS POPULAÇÃO POR ESCALÃO ETÁRIO - 29 POPULAÇÃO BY AGE CLASS 5. PIB - TAXA DE CRESCIMENTO REAL (%) EM VOLUME GDP - REAL GROWTH RATE (%) Países/ Countries a 14 anos to 14 years 15 a 24 anos 15 to 24 yearss 25 a 49 anos 25 to 49 years (% do total da população/ % of total population) 5 a 64 anos 5 to 64 years 65 a 79 anos 65 to 79 years 8 ou + anos 8 or more years Grécia / Greece 14,3 1,8 37,5 18,7 14,3 4,1 Alemanha / Germany 13,6 11,4 35,7 18,9 15,4 4,6 Itália / Italy 14,1 1,2 37, 18,7 14,5 5,5 Bulgária / Bulgary 13,4 12,7 35,8 2,6 13,7 3,6 Letónia / Latvia 13,7 15,1 35,8 18,1 13,6 3,5 Estónia / Estonia 14,9 14,6 34,9 18,4 13,2 3,7 Portugal 15,3 11,4 37,3 18,4 13,3 2,5 Bélgica (1) / Belgium 16,9 12,1 35,1 18,8 12,4 4,7 Eslovénia / Slovenia 14, 12, 37,6 2, 12,7 3,6 Lituânia / Lithuania 15,1 15,7 36,1 17,1 12,5 3,3 Espanha / Spain 14,8 1,9 4,6 17,2 11,9 4,6 Hungria / Hungary 14,9 12,6 35,7 2,5 12,5 3,7 Roménia / Romenia 15,2 14,4 37, 18,6 11,9 2,8 Áustria / Austria 15,1 12,2 37,2 18, 12,7 4,6 Finlândia / Finland 16,7 12,4 32,5 21,6 12,3 4,3 Suécia / Sweden 16,7 13,2 32,9 19,4 12,4 5,3 França / France 18,5 12,7 33,4 18,9 11,4 4,9 Reino Unido (1) / United Kingdom 17,6 13,4 34,9 18, 11,6 4,5 Dinamarca / Denmark 18,3 12, 34, 19,8 11,8 4,1 República Checa / Cech Republic 14,1 12,8 37,1 21, 11,4 3,4 Luxemburgo / Luxembourg 18, 11,8 38,7 17,5 1,4 3,4 Holanda / Netherlands 17,7 12,2 35,2 19,9 11,2 3,8 Polónia / Poland 15,3 14,9 36,1 2,2 1,3 3, Malta / Malta 15,9 14,1 34,5 21,5 1,9 2,8 Chipre / Cyprus 17,1 15,2 37,3 17,6 9,9 2,8 Eslováquia / Slovakia 15,4 15, 38,2 19,2 9,4 2,6 Irlanda / Ireland 2,9 13,3 39, 15,7 8,3 2,7 Turquia / Turkey 26,3 17,4 37,3 12,2 (1) 5,9 1,1 Croácia / Croatia 15,3 12,4 34,9 19,7 13,9 3,2 Suíça / Switzerland 15,3 11,9 37,1 19, 11,9 4,7 Noruega / Norway 19, 12,8 34,8 18,7 1,1 4,6 Macedónia / Macedonia 18,1 15,7 37,1 17,6 9,8 1,7 Liechtenstein / Liechtenstein 16,4 12,2 38,1 2,3 9,8 3,1 Islândia / Iceland 2,8 14,8 36, 16,7 8,4 3,2 UE - 27 (1) / EU 27 15,7 12,5 36,2 18,6 12,7 4,3 Zona Euro (1) / Euro area 15,5 11,7 36,5 18,4 13,2 4,6 (1) - Dados de 28 / Data of 28 Fonte: EUROSTAT / Source: EUROSTAT Yearbook 29 (Crescimento em relação ao ano anterior / Growth on previous year) Países / Countries * 21* 211* Eslováquia / Slovakia 5,2% 6,5% 8,5% 1,4% 6,4% -5,8% 1,9% 2,6% Letónia / Latvia 8,7% 1,6% 12,2% 1,% -4,6% -18,% -4,% 2,% Lituânia / Lithuania 7,4% 7,8% 7,8% 9,8% 2,8% -18,1% -3,9% 2,5% Eslovénia / Slovenia 4,3% 4,5% 5,8% 6,8% 3,5% -7,4% 1,3% 2,% Polónia / Poland 5,3% 3,6% 6,2% 6,8% 5,% 1,2% 1,8% 3,2% Estónia / Estonia 7,2% 9,4% 1,% 7,2% -3,6% -13,7% -,1% 4,2% Bulgária / Bulgary 6,6% 6,2% 6,3% 6,2% 6,% -5,9% -1,1% 3,1% Roménia / Romenia 8,5% 4,2% 7,9% 6,3% 6,2% -8,%,5% 2,6% República Checa / Czech Republic 4,5% 6,3% 6,8% 6,1% 2,5% -4,8%,8% 2,3% Irlanda / Ireland 4,6% 6,2% 5,4% 6,% -3,% -7,5% -1,4% 2,6% Luxemburgo / Luxembourg 4,4% 5,4% 5,6% 6,5%,% -3,6% 1,1% 1,8% Finlândia / Finland 3,7% 2,8% 4,9% 4,2% 1,% -6,9%,9% 1,6% Chipre / Cyprus 4,2% 3,9% 4,1% 4,4% 3,7% -,7%,1% 1,3% Grécia / Greece 4,6% 2,2% 4,5% 4,5% 2,% -1,1% -,3%,7% Espanha / Spain 3,3% 3,6% 4,% 3,6%,9% -3,7% -,8% 1,% Malta / Malta,4% 4,1% 3,8% 3,7% 2,1% -2,2%,7% 1,6% Holanda / Netherlands 2,2% 2,% 3,4% 3,6% 2,% -4,5%,3% 1,6% Áustria / Austria 2,5% 2,5% 3,5% 3,5% 2,% -3,7% 1,1% 1,5% Reino Unido / United Kingdom 3,% 2,2% 2,9% 2,6%,6% -4,6%,9% 1,9% Bélgica / Belgium 3,2% 1,8% 2,8% 2,9% 1,% -2,9%,6% 1,5% Suécia / Sweden 4,1% 3,3% 4,2% 2,6% -,2% -4,6% 1,4% 2,1% Alemanha / Germany 1,2%,8% 3,2% 2,5% 1,3% -5,% 1,2% 1,7% França / France 2,5% 1,9% 2,2% 2,3%,4% -2,2% 1,2% 1,5% Portugal 1,5%,9% 1,4% 1,9%,% -2,9%,3% 1,% Dinamarca / Denmark 2,3% 2,4% 3,4% 1,7% -,9% -4,5% 1,5% 1,8% Itália / Italy 1,5%,7% 2,% 1,6% -1,% -4,7%,7% 1,4% Hungria / Hungary 4,9% 3,5% 4,% 1,%,6% -6,5% -,5% 3,1% Croácia / Croatia 4,2% 4,2% 4,7% 5,5% 2,4% -5,8%,2% 2,2% Macedónia / Macedonia 4,1% 4,1% 4,% 5,9% 4,9% -2,% 1,5% 2,5% Turquia / Turkey 9,4% 8,4% 6,9% 4,5%,9% -5,8% 2,8% 3,6% Islândia / Iceland 7,7% 7,5% 4,3% 5,6% 1,3% -9,8% 1,9% 2,9% Noruega / Norway 3,9% 2,7% 2,3% 3,1% 2,1% -2,2%,6% 2,% Suíça / Switzerland 2,5% 2,6% 3,6% 3,6% 1,8% -2,4% -,1% 1,1% Japão / Japan 2,7% 1,9% 2,% 2,3% -,7% -5,9% 1,1%,4% EUA / USA 3,6% 3,1% 2,7% 2,1%,4% -2,5% 2,2% 2,% UE 27 / EU 27 2,5% 2,% 3,2% 2,9%,8% -4,1%,7% 1,6% UE 25 / EU 25 2,5% 2,% 3,1% 2,8%,7% -4,1%,7% 1,6% UE 15 / EU 15 2,3% 1,8% 3,% 2,6%,6% -4,4%,7% 1,5% Área Euro / Euro area 2,2% 1,7% 3,% 2,8%,7% -4,%,7% 1,5% Grécia: valores provisórios / Greece: provisional value (*) - Previsões / forecast Fonte: EUROSTAT / Source: EUROSTAT Yearbook 29

8 I.PRINCIPAIS INDICADORES ECONÓMICOS / MAIN ECONOMIC INDICATORS 14 I. PRINCIPAIS INDICADORES ECONÓMICOS / MAIN ECONOMIC INDICATORS PIB pm PER CAPITA GDP PER CAPITA 7. TAXA MÉDIA DE DESEMPREGO UNEMPLOYMENT AVERAGE RATE (Paridade do Poder de Compra em US$ / US$ Purchasing Power Parity) Países / Countries 2 (US$) 28 (1) (US$) Crescimento (%) / Growth Rate (%) Luxemburgo / Luxembourg ,3% Irlanda / Ireland ,2% Holanda / Netherlands ,9% Áustria / Austria ,6% Suécia / Sweden ,8% Bélgica / Belgium ,2% Dinamarca / Denmark ,2% Finlândia / Finland ,2% Reino Unido / United Kingdom ,5% Alemanha / Germany ,% Espanha / Spain ,5% França / France ,% Grécia / Greece ,6% Itália / Italy ,8% República Checa / Czech Republic ,9% Portugal ,1% Eslováquia / Slovakia ,1% Hungria / Hungary ,4% Polónia / Poland ,9% UE 15 / EU ,% Noruega / Norway ,9% EUA / USA ,4% Suíça / Switzerland ,2% Japão / Japan ,2% (1) - Estimativa / Estimative Fonte: Central Intelligence Agency - The World Factbook / Source: Central Intelligence Agency - The World Factbook Países / Countries (*) Eslováquia / Slovakia 18,2% 16,3% 13,4% 11,1% 9,5% 11,9% 1,3% Polónia / Poland 19,% 17,8% 13,9% 9,6% 7,1% 8,2% na Alemanha / Germany 9,8% 1,7% 9,8% 8,4% 7,3% 7,5% 1,% França / France 9,3% 9,3% 9,2% 8,4% 7,8% 9,4% 1,3% Grécia / Greece 1,5% 9,9% 8,9% 8,3% 7,7% 9,5% (*) 1,5% Espanha / Spain 1,6% 9,2% 8,5% 8,3% 11,3% 18,% 2,2% Portugal 6,7% 7,6% 7,7% 8,% 7,6% 9,5% 11,% Bélgica / Belgium 8,4% 8,5% 8,3% 7,5% 7,% 7,9% 9,9% Hungria / Hungary 6,1% 7,2% 7,5% 7,4% 7,8% 1,% na Bulgária / Bulgary 12,1% 1,1% 9,% 6,9% 5,6% 6,7% na Finlândia / Finland 8,8% 8,4% 7,7% 6,9% 6,4% 8,2% 9,8% Roménia / Romenia 8,1% 7,2% 7,3% 6,4% 5,8% na na Malta / Malta 7,4% 7,2% 7,1% 6,4% 5,9% 7,% 7,6% Suécia / Sweden 7,5% 7,7% 7,% 6,1% 6,2% 8,3% 8,2% Itália / Italy 8,% 7,7% 6,8% 6,1% 6,7% 9,1% (*) 1,5% Letónia / Latvia 1,4% 8,9% 6,8% 6,% 7,5% 17,6% na República Checa / Czech Republic 8,3% 7,9% 7,2% 5,3% 4,4% 6,8% 9,8% Reino Unido / United Kingdom 4,7% 4,8% 5,4% 5,3% 5,6% 7,6% 9,3% Eslovénia / Slovenia 6,3% 6,5% 6,% 4,9% 4,4% 6,% 6,1% Estónia / Estonia 9,7% 7,9% 5,9% 4,7% 5,5% 13,8% na Luxemburgo / Luxembourg 5,% 4,6% 4,6% 4,2% 4,9% 5,7% 6,% Irlanda / Ireland 4,6% 4,4% 4,5% 4,6% 6,% 11,9% 15,5% Áustria / Austria 4,9% 5,2% 4,8% 4,4% 3,8% 5,% 6,4% Lituânia / Lithuania 11,4% 8,3% 5,6% 4,3% 5,8% 14,% na Chipre / Cyprus 4,7% 5,3% 4,6% 4,% 3,6% 5,3% 5,9% Dinamarca / Denmark 5,5% 4,8% 3,9% 3,8% 3,3% 6,% 4,2% Holanda / Netherlands 4,6% 4,7% 3,9% 3,2% 2,8% 3,4% 6,6% UE 27 / EU 27 9,1% 8,9% 8,2% 7,1% 7,% 8,9% 11,7% (*) - Previsões do FMI Fonte: EUROSTAT / Source: EUROSTAT Yearbook 29 (%)

9 I.PRINCIPAIS INDICADORES ECONÓMICOS / MAIN ECONOMIC INDICATORS 16 I. PRINCIPAIS INDICADORES ECONÓMICOS / MAIN ECONOMIC INDICATORS TAXA DE INFLAÇÃO - (ÍNDICE HARMONIZADO DE PREÇOS NO CONSUMIDOR) INFLATION RATE (HARMONIZED INDEX CONSUMER PRICE) (%) Países / Countries Letónia / Latvia 6,2% 6,9% 6,6% 1,1% 15,3% 3,3% Hungria / Hungary 6,8% 3,5% 4,% 7,9% 6,% 4,% Bulgária / Bulgary 6,1% 6,% 7,4% 7,6% 12,% 2,5% Estónia / Estonia 3,% 4,1% 4,4% 6,7% 1,6%,2% Lituânia / Lithuania 1,2% 2,7% 3,8% 5,8% 11,1% 4,2% Roménia / Romenia 11,9% 9,1% 6,6% 4,9% 7,9% 5,6% Eslovénia / Slovenia 3,7% 2,5% 2,5% 3,8% 5,5%,9% Grécia / Greece 3,% 3,5% 3,3% 3,% 4,2% 1,3% República Checa / Czech Republic 2,6% 1,6% 2,1% 3,% 6,3%,6% Irlanda / Ireland 2,3% 2,2% 2,7% 2,9% 3,1% -1,7% Espanha / Spain 3,1% 3,4% 3,6% 2,8% 4,1% -,3% Luxemburgo / Luxembourg 3,2% 3,8% 3,% 2,7% 4,1%,% Polónia / Poland 3,6% 2,2% 1,3% 2,6% 4,2% 4,% Portugal 2,5% 2,1% 3,% 2,4% 2,7% -,9% Alemanha / Germany 1,8% 1,9% 1,8% 2,3% 2,8%,2% Reino Unido / United Kingdom 1,3% 2,1% 2,3% 2,3% 3,6% 2,2% Áustria / Austria 2,% 2,1% 1,7% 2,2% 3,2%,4% Chipre / Cyprus 1,9% 2,% 2,2% 2,2% 4,4%,2% Itália / Italy 2,3% 2,2% 2,2% 2,% 3,5%,8% Eslováquia / Slovakia 7,5% 2,8% 4,3% 1,9% 3,9%,9% Bélgica / Belgium 1,9% 2,5% 2,3% 1,8% 4,5%,% Dinamarca / Denmark,9% 1,7% 1,9% 1,7% 3,6% 1,1% Suécia / Sweden 1,%,8% 1,5% 1,7% 3,3% 1,9% Finlândia / Finland,1%,8% 1,3% 1,6% 3,9% 1,6% França / France 2,3% 1,9% 1,9% 1,6% 3,2%,1% Holanda / Netherlands 1,4% 1,5% 1,7% 1,6% 2,2% 1,% Malta / Malta 2,7% 2,5% 2,6%,7% 4,7% 1,8% UE 27 / EU 27 2,% 2,2% 2,2% 2,3% 3,7% 1,% Área Euro / Euro Area 2,1% 2,2% 2,2% 2,1% 3,3%,3% Fonte: EUROSTAT / Source: EUROSTAT Yearbook 29

10 II. DADOS E INDICADORES DE SAÚDE / HEALTHCARE INDICATORS 19 II. DADOS E INDICADORES DE SAÚDE HEALTHCARE INDICATORS 1. DESPESA NACIONAL EM SAÚDE (PÚBLICA + PRIVADA) NATIONAL HEALTHCARE SPENDING 1.1 Despesa pública e privada em saúde Public and Private Healthcare spending Despesa Corrente do Estado National spending Despesa Nacional em Saúde (Pública + Privada) National Healthcare spending (Public + Private) Despesa Pública em Saúde Public Healthcare spending Despesa Privada em Saúde Private Healthcare spending (1) Valores estimados / Estimated data Fonte: ACSS - Contas SNS / Source: ACSS NHS Accounts 23 Tx cresc. Growth Rate % 24 Tx cresc. Growth Rate % 25 Tx cresc. Growth Rate % (Milhões de Euro / Million Euro) 26 Tx cresc. Growth Rate % 27 (1) 33.95,5 12, 37.74, 4, ,7 3, ,3 3, , ,7 7, ,1 5, ,6 2, ,1 3, , ,7 5, ,6 4, ,5 2,1 1.51,4 1,4 1.66, , 11, ,5 6, ,1 3, 4.25,7 8,7 4.62,2 1.2 Indicadores Indicators % da Despesa Pública em Saúde na Despesa Corrente do Estado % of Public Healthcare spending in National spending % da Despesa Pública em Saúde na Despesa Nacional em Saúde % of Public Healthcare spending in National Healthcare spending % da Despesa Privada em Saúde na Despesa Nacional em Saúde % of Private Healthcare spending in National Healthcare spending 23 Tx cresc. Growth Rate % 24 Tx cresc. Growth Rate % 25 Tx cresc. Growth Rate % 26 Tx cresc. Growth Rate % (%) 27 (1) 28,% -5,5% 26,5%,7% 26,7% -1,1% 26,4% -2,1% 25,8% 72,8% -1,5% 71,7% -,4% 71,4% -,3% 71,2% -2,% 69,8% 27,2% 3,9% 28,3% 1,1% 28,6%,6% 28,8% 5,% 3,2% (1) Valores estimados / estmated data Fonte: ACSS - Contas SNS / Source: ACSS NHS Accounts

11 II. DADOS E INDICADORES DE SAÚDE / HEALTHCARE INDICATORS 2 II. DADOS E INDICADORES DE SAÚDE / HEALTHCARE INDICATORS DESPESA TOTAL EM SAÚDE (PÚBLICA + PRIVADA) PER CAPITA - (US$ PPP) HEALTHCARE SPENDING PER CAPITA (US$ PPP) Países / Countries % Crescimento / Growth Rate (%) Luxemburgo (1) / Luxembourg ,1% Áustria / Austria ,1% Bélgica / Belgium ,9% França / France ,2% Holanda (2) / Netherlands ,4% Alemanha / Germany ,2% Dinamarca / Denmark ,3% Suécia / Sweden ,2% Irlanda / Ireland ,7% Reino Unido / United Kingdom ,6% Finlândia / Finland ,5% Itália / Italy ,8% Grécia / Greece ,8% Espanha / Spain ,1% Portugal (3) ,8% Hungria / Hungary ,6% República Checa / Czech Republic ,1% Polónia / Poland ,2% MÉDIA UE / EU Average ,5% EUA / USA ,7% Noruega / Norway ,2% Suíça (2) / Switzerland ,3% Canadá / Canada ,4% Islândia / Iceland ,2% Nova Zelândia /New Zeland ,2% (valores em USD, PPP - purchasing power parity) (1) Dados de 27: Valores estimados de 26 / 26 (estimated) (2) Dados de 27: Valores estimados / 27 (estimated) (3) Dados de 27: Valores de 26 / 26 (estimated) Gastos de Saúde Totais (Públicos e Privados) per capita - 27 / Healthcare spending per capita-27 USD PPP PRINCIPAIS CAUSAS DE MORTE MAIN DEATH CAUSES Algumas das principais causas de morte Main death causes Doenças do aparelho circulatório Circulatory System Diseases Tumores malignos Cancer Doenças do aparelho respiratório Respiratory System Diseases Sintomas, sinais, exames anormais, causas mal definidas Circulatory System Diseases Doenças do aparelho digestivo Digestive System Diseases Doenças do aparelhoi geniturinário Circulatory System Diseases Acidentes de transporte Transport accidents Doenças pelo vírus da imunodeficiência humana (VIH) HIV Infections Outras causas Other causes de Óbitos em Portugal of deaths in Portugal Unidade: N.º de doentes / Unit: nº of patients de Óbitos (Nº) / of deaths Evolução / Growth / ,5% ,% ,6% ,4% ,9% ,8% ,1% ,2% ,3% ,5% Ano /Year: Luxemburgo (1) / Luxembourg Áustria / Austria Bélgica / Belgium França / France Holanda (2) / Netherlands Alemanha / Germany Dinamarca / Denmark Suécia / Sweden Fonte: OCDE Health Data 29 / Source: OECD Health Data 29 Irlanda / Ireland Reino Unido / United Kingdom Finlândia / Finland Itália / Italy Grécia / Greece Espanha / Spain Portugal (3) Hungria / Hungary República Checa / Czech Republic Polónia / Poland MÉDIA U.E /EU Average EUA /USA Noruega / Norway Suíça (2) / Switzerland Canadá / Canada Islândia / Iceland Nova Zelândia / New Zeland Doenças do Aparelho Circulatório / Circulatory System Diseases Tumores malignos / Cancer Doenças do Aparelho Respiratório / Respiratory System Diseases Sintomas, sinais, exames anormais / Symptoms, signs, abnormal Doenças do Aparelho digestivo / Digestive System Diseases Doenças do aparelho geniturinário / Diseases of the genitourinary system Acidentes de transportes / Transport accidents Infecção por vírus humano de imunodeficiência / HIV Infections Fonte: INE - Boletim mensal de estatística / Source: INE - Monthly Statistical Bulletin 717

12 II. DADOS E INDICADORES DE SAÚDE / HEALTHCARE INDICATORS 22 II. DADOS E INDICADORES DE SAÚDE / HEALTHCARE INDICATORS ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE HEALTHCARE ESTABLISHMENTS 7. TAXA DE NATALIDADE E DE MORTALIDADE BIRTH AND MORTALITY RATE Anos / Years Hospitais / Hospitals Centros de saúde / Healthcare centers Farmácias (1) / Pharmacies Postos Farmacêuticos (1) / Pharmaceutical jobs Locais de venda de MNSRM (1) / Drug Stores _ (1) - Dados de Portugal Continental/ Portugal data except islands Fonte: Infarmed Estatística do medicamento 28 / Source: Infarmed - Medicines Statistic PESSOAL DE SAÚDE HEALTHCARE EMPLOYMENT Anos / Years de Médicos / Physicians (1) Médicos /1 habitantes / Physicians / 1 inhabitants 3,2 3,4 3,5 3,6 3,7 3,7 (1) de Enfermeiros / Nurses Enfermeiros /1 habitantes / Nurses / 1 inhabitants 3,7 4,6 4,8 5,1 5,3 5,6 (1) - Dados de 28 / Data of 28 Fonte: Ordem dos Médicos e dos Enfermeiros / INE / Source: Portuguese Doctors Society and Portuguese Nurses Society 6. CONSULTAS E INTERNAMENTOS Medical acts / Internments 199 Hospitais (1) / Hospitals Centros Saúde / Healthcare centers / 2 Hospitais (1) / Hospitals Centros Saúde/ Healthcare centers / 25 Hospitais (1) / Hospitals Centros Saúde/ Healthcare centers / 26 Hospitais (1) / Hospitals Centros Saúde/ Healthcare centers / 27 Hospitais (1) / Hospitals Centros Saúde/ Healthcare centers / Evolução 199/27 (%) Growth 199/27 (1) Hospitais públicos e privados / Public and private hospitals Fonte: INE / Source: National Statistics Institute Hospitais + Centros de Saúde Hospitals + Healthcare Centers (Nº) (Nº) Consultas / Medical Acts Internamentos / Internments ,% 12,3% Anos / Years Taxa de Natalidade / Birth rate 1,4 1,4 1, 9,7 9,8 Taxa de Mortalidade Geral / General mortality rate 9,7 1,2 9,6 9,8 9,8 Taxa de Mortalidade Infantil / Infant mortality rate 3,8 3,5 3,3 3,4 3,3 Fonte: INE - Estatísticas Demográficas / Source: Demographic Statistics - National Statistics Institute 8. PROJECÇÕES DE ESPERANÇA DE VIDA LIFE EXPECTANCY PROJECTIONS Países / Countries Homens / Males Mulheres / Females (%) (Anos / Years) Alemanha / Germany 76,3 77,2 78,9 8,2 81,2 82, 81,9 82,7 84,2 85,4 86,2 86,9 Áustria / Austria 76,4 77,5 79,4 81, 82,4 83,6 82,3 83,2 84,9 86,1 87, 87,7 Bélgica / Belgium 75,8 76,9 78,9 8,4 81,5 82,3 81,9 82,9 85, 86,5 87,5 88,3 Bulgária / Bulgary 69,4 7,7 73,2 75,5 77,1 78,2 76,1 77,2 79,1 8,7 81,8 82,6 Chipre / Cyprus 76,5 77,5 79, 8,2 81,1 81,9 8,9 81,6 82,8 83,7 84,5 85,1 Dinamarca / Denmark 75,4 76,3 78, 79,3 8,2 8,9 79,7 8,4 81,6 82,5 83,2 83,7 Eslováquia / Slovakia 69,9 7,9 73,1 75,3 76,7 77,7 77,9 78,7 8,3 81,8 82,7 83,4 Eslovénia / Slovenia 72,8 73,9 76,1 77,9 79, 79,8 8,3 81,2 82,8 83,8 84,6 85,2 Espanha / Spain 76,4 77,5 79,4 8,8 81,9 82,7 83,6 84,5 86,2 87,5 88,4 89,1 Estónia / Estonia 65,7 66,5 68,9 71,6 73,5 74,9 77, 77,8 79,5 81,2 82,3 83,1 Finlândia / Finland 75,5 76,7 78,7 8,2 81,2 81,9 82, 82,8 84,2 85,3 86, 86,5 França / France 75,7 76,8 78,7 8,2 81,4 82,4 8,9 81,8 83,5 84,9 86, 87, Grécia / Greece 76,8 77,6 79,1 8,2 8,9 81,4 83,6 84,4 85,9 86,9 87,5 87,9 Holanda / Netherlands 76,4 77, 78,2 79, 79,7 8,2 8,9 81,4 82,2 82,8 83,2 83,6 Hungria / Hungary 68,8 7,1 72,8 75,2 77, 78,1 77, 78, 79,8 81,5 82,6 83,4 Irlanda / Ireland 76,5 77,1 78,1 78,9 79,6 8,3 81,5 82,1 83,2 84, 84,6 85,1 Itália / Italy 77,5 78,4 8,1 81,5 82,6 83,6 83,3 84,1 85,6 86,8 87,9 88,8 Letónia / Latvia 65, 65,8 68,1 7,9 72,9 74,3 76,3 77, 78,6 8,4 81,6 82,5 Lituânia / Lithuania 66,7 67,4 69,6 72,3 74,3 75,5 77,7 78,5 8,1 81,8 82,9 83,7 Luxemburgo / Luxembourg 75,2 76,3 78,4 79,9 8,9 81,6 81,6 82,4 83,9 85,1 85,9 86,7 Malta / Malta 76,5 77,4 79, 8,1 81, 81,8 8,9 81,7 82,9 83,7 84,5 85, Polónia / Poland 7,7 72, 74,6 76,8 78,2 79,1 78,7 79,6 81,3 82,8 83,8 84,4 Portugal 74,4 75,4 77,1 78,5 79,5 8,4 81,2 82,2 83,9 85,1 86, 86,6 Reino Unido / United Kingdom 76,6 77,6 79,5 81, 82, 82,9 81,1 82, 83,7 85, 85,9 86,6 República Checa / Czech Republic 72,6 73,7 75,9 77,8 78,8 79,7 79, 79,8 81,3 82,7 83,5 84,1 Roménia / Romenia 68,5 69,8 72,4 74,8 76,5 77,6 75,5 76,5 78,3 8, 81,2 82, Suécia / Sweden 78,3 79,1 8,7 81,9 82,7 83,3 82,5 83,2 84,5 85,4 86, 86,5 Fonte: EUROSTAT / Source: EUROSTAT Yearbook 29

A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA EM NÚMEROS

A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA EM NÚMEROS A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA EM NÚMEROS THE PHARMACEUTICAL INDUSTRY IN FIGURES 2012 1ª EDIÇÃO 2012 1 ST EDITION 2012 2 de 93 I 1 2 3 4 5 PRINCIPAIS INDICADORES ECONÓMICOS MAIN ECONOMIC INDICATORS Dados gerais

Leia mais

MERCADO FARMACÊUTICO - MEDICAMENTOS DE USO HUMANO PHARMACEUTICAL MARKET - MEDICINES FOR HUMAN USE A Produção farmacêutica ÍNDICE / INDEX

MERCADO FARMACÊUTICO - MEDICAMENTOS DE USO HUMANO PHARMACEUTICAL MARKET - MEDICINES FOR HUMAN USE A Produção farmacêutica ÍNDICE / INDEX ÍNDICE / INDEX I PRINCIPAIS INDICADORES ECONÓMICOS MAIN ECONOMIC INDICATORS 1 Dados gerais da economia em Portugal General economic data in Portugal 2 PIB - Taxa de crescimento real (%) - em volume - UE

Leia mais

A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA EM NÚMEROS THE PHARMACEUTICAL INDUSTRY IN FIGURES EDIÇÃO EDITION

A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA EM NÚMEROS THE PHARMACEUTICAL INDUSTRY IN FIGURES EDIÇÃO EDITION A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA EM NÚMEROS THE PHARMACEUTICAL INDUSTRY IN FIGURES EDIÇÃO 21 21 EDITION A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA EM NÚMEROS THE PHARMACEUTICAL INDUSTRY IN FIGURES EDIÇÃO 21 21 EDITION Índice I

Leia mais

DESPESA EM I&D E Nº DE INVESTIGADORES EM 2007 EM PORTUGAL

DESPESA EM I&D E Nº DE INVESTIGADORES EM 2007 EM PORTUGAL DESPESA EM I&D E Nº DE INVESTIGADORES EM 2007 EM PORTUGAL Súmula dos dados provisórios do Inquérito ao Potencial Científico e Tecnológico Nacional, IPCTN, 2007 I DESPESA 1. Despesa em I&D nacional total

Leia mais

A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA EM NÚMEROS THE PHARMACEUTICAL INDUSTRY IN FIGURES

A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA EM NÚMEROS THE PHARMACEUTICAL INDUSTRY IN FIGURES A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA EM NÚMEROS THE PHARMACEUTICAL INDUSTRY IN FIGURES 2014 ÍNDICE INDEX I I.1 I.2 PRINCIPAIS INDICADORES ECONÓMICOS MAIN ECONIMIC INDICATORS Dados macroeconomicos em Portugal General

Leia mais

A procura de novas soluções para os problemas do envelhecimento: As abordagens integradas.

A procura de novas soluções para os problemas do envelhecimento: As abordagens integradas. A procura de novas soluções para os problemas do envelhecimento: As abordagens integradas. Constança Paúl, 19 Abril 2012, IPO-Porto Health Cluster Portugal: Encontros com a inovação em saúde A procura

Leia mais

Financiamento: Inovação e / ou Sustentabilidade em tempos de crise. Adalberto Campos Fernandes

Financiamento: Inovação e / ou Sustentabilidade em tempos de crise. Adalberto Campos Fernandes Financiamento: Inovação e / ou Sustentabilidade em tempos de crise Adalberto Campos Fernandes O Contexto FINANCIAMENTO: INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE EM TEMPOS DE CRISE O CONTEXTO A ESPECIFICIDADE DO BEM

Leia mais

Maria João da Cruz Nogueira

Maria João da Cruz Nogueira Maria João da Cruz Nogueira Trabalho elaborado para a Oficina de Formação: A Educação Sexual em Meio Escolar: metodologias de abordagem/intervenção Formadoras: Cândida Ramoa, Isabel Leitão Matosinhos Fevereiro

Leia mais

Serviços Postais. Postal Services

Serviços Postais. Postal Services 002 Serviços Postais Postal Services 019 Serviços Postais Postal Services Prestadores de Serviços Postais Postal services Providers * Serviços não enquadrados na categoria de Correio Expresso Services

Leia mais

Universidade Nova de Lisboa Ano Lectivo 2006/2007. João Amador Seminário de Economia Europeia. Economia Portuguesa e Europeia. Exame de 1 a época

Universidade Nova de Lisboa Ano Lectivo 2006/2007. João Amador Seminário de Economia Europeia. Economia Portuguesa e Europeia. Exame de 1 a época Universidade Nova de Lisboa Ano Lectivo 2006/2007 FaculdadedeEconomia João Salgueiro João Amador Seminário de Economia Europeia Economia Portuguesa e Europeia Exame de 1 a época 5 de Janeiro de 2007 Atenção:

Leia mais

Embargo até 10H de 31-Maio-2012 COMUNICADO DE IMPRENSA ESPAD/2011. Lisboa, 31 de Maio de 2012

Embargo até 10H de 31-Maio-2012 COMUNICADO DE IMPRENSA ESPAD/2011. Lisboa, 31 de Maio de 2012 Embargo até 10H de 31-Maio-2012 COMUNICADO DE IMPRENSA Lisboa, 31 de Maio de 2012 O ESPAD European School Survey on Alcohol and other Drugs é um inquérito a nível europeu, que se realiza atualmente em

Leia mais

UNIÃO EUROPEIA Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil

UNIÃO EUROPEIA Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC UNIÃO EUROPEIA Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil

Leia mais

Informação ao Utente sobre Preço dos Medicamentos Situação Europeia

Informação ao Utente sobre Preço dos Medicamentos Situação Europeia que não requerem PVP na embalagem dos medicamentos Alemanha Informação sobre preços é fornecida às farmácias e seguradoras pelo IFA (Information Centre for Pharmaceutical Specialities). Identificação do

Leia mais

Universidades Europeias diversificam financiamento

Universidades Europeias diversificam financiamento Universidades Europeias diversificam financiamento Maria da Graça Carvalho IST, PE Grupo PPE Manuel Loureiro - ULHT Ensino Superior: avaliação e sustentabilidade 28 de Fevereiro 2011, Lisboa ISG Instituto

Leia mais

gabinete de estratégia e estudos

gabinete de estratégia e estudos Gabinete de Estratégia e Estudos Síntese Estatística gabinete de estratégia e estudos INVESTIMENTO DIRECTO Exterior em Portugal e Portugal no Exterior Agosto de 26 Índice Tratamento e análise dos dados

Leia mais

PRODUTIVIDADE DO TRABALHO E COMPETITIVIDADE: BRASIL E SEUS CONCORRENTES

PRODUTIVIDADE DO TRABALHO E COMPETITIVIDADE: BRASIL E SEUS CONCORRENTES PRODUTIVIDADE DO TRABALHO E COMPETITIVIDADE: BRASIL E SEUS CONCORRENTES Eduardo Augusto Guimarães Maio 2012 Competitividade Brasil 2010: Comparação com Países Selecionados. Uma chamada para a ação África

Leia mais

Internacionalização da Economia Portuguesa e a Transformação da Indústria Portuguesa. Coimbra, 19 de Novembro de 2010

Internacionalização da Economia Portuguesa e a Transformação da Indústria Portuguesa. Coimbra, 19 de Novembro de 2010 Internacionalização da Economia Portuguesa e a Transformação da Indústria Portuguesa Coimbra, 19 de Novembro de 2010 Enquadramento Enquadramento A importância da Internacionalização na vertente das exportações

Leia mais

EDUCAÇÃO. Base do Desenvolvimento Sustentável

EDUCAÇÃO. Base do Desenvolvimento Sustentável EDUCAÇÃO Base do Desenvolvimento Sustentável 1 Por que investir em educação? 2 Por que investir em educação? 1. Acesso à cidadania. 2. Aumento da renda pessoal (prêmio salarial): 10% por um ano a mais

Leia mais

EDUCAÇÃO. Base para o desenvolvimento

EDUCAÇÃO. Base para o desenvolvimento EDUCAÇÃO Base para o desenvolvimento 1 Por que investir em educação? 2 Por que investir em educação? 1. Acesso à cidadania. 2. Aumento da renda pessoal (prêmio salarial): 10% por um ano a mais de escolaridade.

Leia mais

Em Portugal o Produto Interno Bruto per capita expresso em Paridades de Poder de Compra situou-se em 79,0% da média da União Europeia em 2013

Em Portugal o Produto Interno Bruto per capita expresso em Paridades de Poder de Compra situou-se em 79,0% da média da União Europeia em 2013 Paridades de Poder de Compra 2013 11 de dezembro de 2014 Em Portugal o Produto Interno Bruto per capita expresso em Paridades de Poder de Compra situou-se em 79,0% da média da União Europeia em 2013 O

Leia mais

Serviços de Transmissão de Dados (STD) Serviço de Acesso à Internet (ISP) Data Transmission Services / Internet Access Service

Serviços de Transmissão de Dados (STD) Serviço de Acesso à Internet (ISP) Data Transmission Services / Internet Access Service 009 Serviços de Transmissão de Dados (STD) Serviço de Acesso à Internet (ISP) Data Transmission Services / Internet Access Service 087 Serviços de Transmissão de Dados (STD) / Serviço de acesso à Internet

Leia mais

International Trade and FDI between Portugal-China Comércio Internacional e IDE entre Portugal-China. dossiers. Economic Outlook Conjuntura Económica

International Trade and FDI between Portugal-China Comércio Internacional e IDE entre Portugal-China. dossiers. Economic Outlook Conjuntura Económica dossiers Economic Outlook Conjuntura Económica International Trade and FDI between Portugal-China Comércio Internacional e IDE entre Portugal-China Last Update Última Actualização: 10-02-2015 Prepared

Leia mais

imigração e comércio internacional no contexto da integração europeia o caso português

imigração e comércio internacional no contexto da integração europeia o caso português imigração e comércio internacional no contexto da integração europeia o caso português Nuno Gonçalves Ana Paula Africano Resumo: Palavras-chave Códigos JEL Abstract: Keywords model. JEL Codes 41 estudos

Leia mais

Portugal Leaping forward

Portugal Leaping forward Portugal Leaping forward Dr. Pedro Reis Presidente da AICEP Lisboa, 16 de Março 2012 Enquadramento internacional Fonte: EIU (Fev 2012) Nota: PIB a preços de mercado Variação (%) Enquadramento internacional

Leia mais

III.4.1 - Indicadores do comércio internacional por NUTS II, 2004. III.4.1 - Indicators of international trading by NUTS II, 2004

III.4.1 - Indicadores do comércio internacional por NUTS II, 2004. III.4.1 - Indicators of international trading by NUTS II, 2004 III.4.1 - Indicadores do comércio internacional por NUTS II, 2004 III.4.1 - Indicators of international trading by NUTS II, 2004 Unidade: % Unit:% Taxa de cobertura das pelas para os 4 principais mercados

Leia mais

O trabalho da Organização das Nações Unidas

O trabalho da Organização das Nações Unidas O trabalho da Organização das Nações Unidas Report A Inclusion Europe e os seus 49 membros de 36 países lutam contra a Inclusion Europe and its 47 members in these 34 countries are fighting exclusão social

Leia mais

Terceiro Sector, Contratualização para ganhos em saúde

Terceiro Sector, Contratualização para ganhos em saúde Terceiro Sector, Contratualização para ganhos em saúde 1º Encontro Nacional - Desafios do presente e do futuro Alexandre Lourenço www.acss.min-saude.pt Sumário Organizações do Terceiro Sector Necessidade

Leia mais

Integrando informação, indicadores e melhoria: experiências internacionais. OECD e da Europa. Niek Klazinga, QualiHosp Sao Paulo, April 3th 2012

Integrando informação, indicadores e melhoria: experiências internacionais. OECD e da Europa. Niek Klazinga, QualiHosp Sao Paulo, April 3th 2012 Integrando informação, indicadores e melhoria: experiências internacionais sobre assistência à saúde da OECD e da Europa Niek Klazinga, QualiHosp Sao Paulo, April 3th 2012 Por que a qualidade do cuidado

Leia mais

A AUSTERIDADE CURA? A AUSTERIDADE MATA?

A AUSTERIDADE CURA? A AUSTERIDADE MATA? A AUSTERIDADE CURA? A AUSTERIDADE MATA? 29.Nov.2013 Financiamento Sector público é a principal fonte de financiamento de cuidados de saúde. Apenas EUA e México apresentam menos de 50% de financiamento

Leia mais

Seminário. 12 novembro 2013. Iniciativa conjunta INE LNEC

Seminário. 12 novembro 2013. Iniciativa conjunta INE LNEC Seminário 12 novembro 2013 Iniciativa conjunta INE LNEC Casa própria ou arrendamento perfil da ocupação residencial emportugal Bárbara Veloso INE 12 novembro 2013 Iniciativa conjunta INE LNEC Sumário Aumentaram

Leia mais

A formação da União Europeia

A formação da União Europeia A formação da União Europeia A EUROPA DOS 28 Como tudo começou? 1926: 1º congresso da União Pan- Europeia em Viena (Áustria) 24 países aprovaram um manifesto para uma organização federativa na Europa O

Leia mais

ESTATÍSTICA DO MEDICAMENTO MEDICINES STATISTIC

ESTATÍSTICA DO MEDICAMENTO MEDICINES STATISTIC ESTATÍSTICA DO MEDICAMENTO 2013 MEDICINES STATISTIC 1. 1.1. 1.2. 1.3. 1.4. 1.5. 1.5.1. 1.5.2. 1.5.3. 1.6. 2. 2.1. 2.1.1. 2.1.1.1. 2.1.1.1.1. 2.1.1.1.2. 2.1.1.1.3. 2.1.1.1.4. 2.1.2. 2.1.3. 2.1.4. 2.1.5.

Leia mais

FAUBAI 2014 A Educação Superior Brasileira: Construindo Parcerias Estratégicas Joinville, 12 a 16 de Abril

FAUBAI 2014 A Educação Superior Brasileira: Construindo Parcerias Estratégicas Joinville, 12 a 16 de Abril FAUBAI 2014 A Educação Superior Brasileira: Construindo Parcerias Estratégicas Joinville, 12 a 16 de Abril A Internacionalização do Ensino A Experiência Europeia O Ensino Superior Europeu "in a nutshell"

Leia mais

Sessão de Informação ERASMUS+ 1 9 d e m a r ç o d e 2 0 1 4 I n s t i t u t o P o l i t é c n i c o d e B e j a

Sessão de Informação ERASMUS+ 1 9 d e m a r ç o d e 2 0 1 4 I n s t i t u t o P o l i t é c n i c o d e B e j a Sessão de Informação ERASMUS+ 1 9 d e m a r ç o d e 2 0 1 4 I n s t i t u t o P o l i t é c n i c o d e B e j a Mobilidade de indivíduos para aprendizagem (KA1) Mobilidade de staff, em particular de pessoal

Leia mais

"SMS sem fronteiras": Comissão planeia pôr fim aos abusos nos preços das mensagens de texto enviadas do estrangeiro

SMS sem fronteiras: Comissão planeia pôr fim aos abusos nos preços das mensagens de texto enviadas do estrangeiro IP/08/1144 Bruxelas, 15 de Julho de 2008 "SMS sem fronteiras": Comissão planeia pôr fim aos abusos nos preços das mensagens de texto enviadas do estrangeiro Os 2500 milhões de mensagens de texto enviadas

Leia mais

NOTA INFORMATIVA SINGLE EURO PAYMENTS AREA. 1. O que é a SEPA?

NOTA INFORMATIVA SINGLE EURO PAYMENTS AREA. 1. O que é a SEPA? 1 NOTA INFORMATIVA 1. O que é a SEPA? Para harmonização dos sistemas de pagamento no espaço europeu no sentido de impulsionar o mercado único, foi criada uma Área Única de Pagamentos em Euro (denominada

Leia mais

Continua a valer a pena investir em Olival em Portugal?

Continua a valer a pena investir em Olival em Portugal? Continua a valer a pena investir em Olival em Portugal? 10 Outubro 2012 Manuela Nina Jorge Índice 02 1. Enquadramento do sector do azeite e evolução mundial 2. Evolução do sector em Portugal nos últimos

Leia mais

Atualidades. Blocos Econômicos, Globalização e União Européia. 1951 - Comunidade Européia do Carvão e do Aço (CECA)

Atualidades. Blocos Econômicos, Globalização e União Européia. 1951 - Comunidade Européia do Carvão e do Aço (CECA) Domínio de tópicos atuais e relevantes de diversas áreas, tais como política, economia, sociedade, educação, tecnologia, energia, ecologia, relações internacionais, desenvolvimento sustentável e segurança

Leia mais

Lisboa, 25 de Fevereiro de 2014. José António Vieira da Silva

Lisboa, 25 de Fevereiro de 2014. José António Vieira da Silva Lisboa, 25 de Fevereiro de 2014 José António Vieira da Silva 1. A proteção social como conceito amplo a ambição do modelo social europeu 2. O modelo de proteção social no Portugal pós 1974 3. Os desafios

Leia mais

Estrutura da Apresentação. i. Onde estamos e como aqui chegámos: Evoluções da PAC desde a adesão de Portugal

Estrutura da Apresentação. i. Onde estamos e como aqui chegámos: Evoluções da PAC desde a adesão de Portugal Reflexões e preocupações para o sector dos pequenos ruminantes na PAC-pós 213 -------------------------------------------------------------------- Reunião da SPOC Evolução Recente dos Sistemas de Produção

Leia mais

PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução 2005-2011 Actualizado em Setembro de 2011. Unid. Fonte 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Notas 2011

PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução 2005-2011 Actualizado em Setembro de 2011. Unid. Fonte 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Notas 2011 Evolução 2005-2011 Actualizado em Setembro de 2011 Unid. Fonte 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Notas 2011 População a Milhares Hab. INE 10.563 10.586 10.604 10.623 10.638 10.636 10.643 2º Trimestre

Leia mais

A GESTÃO DA PERFORMANCE NA NAV Portugal

A GESTÃO DA PERFORMANCE NA NAV Portugal A GESTÃO DA PERFORMANCE NA NAV Portugal APDH - CONVERSAS DE FIM DE TARDE O Desempenho Organizacional Hospitalar. Como Obter Ganhos de Eficiência nos Serviços de Saúde 22 de Junho de 2006 João Batista Controlo

Leia mais

Mais de 250 milhões de europeus utilizam regularmente a Internet, diz relatório de progresso da Comissão relativo às TIC

Mais de 250 milhões de europeus utilizam regularmente a Internet, diz relatório de progresso da Comissão relativo às TIC IP/08/605 Bruxelas, 18 de Abril de 2008 Mais de 250 milhões de europeus utilizam regularmente a Internet, diz relatório de progresso da Comissão relativo às TIC Mais de metade dos europeus são neste momento

Leia mais

NOVOS DESAFIOS DO SISTEMA DE SAÚDE. Adalberto Campos Fernandes

NOVOS DESAFIOS DO SISTEMA DE SAÚDE. Adalberto Campos Fernandes NOVOS DESAFIOS DO SISTEMA DE SAÚDE Adalberto Campos Fernandes O Contexto NOVOS DESAFIOS DO SISTEMA DE SAÚDE O CONTEXTO OS OBJECTIVOS DAS POLÍTICAS DE SAÚDE O SISTEMA DE SAÚDE, OS MODELOS DE FINANCIAMENTO,

Leia mais

Evolução Nacional da Sociedade da Informação e Comparações Internacionais

Evolução Nacional da Sociedade da Informação e Comparações Internacionais Evolução Nacional da Sociedade da Informação e Comparações Internacionais Forum para a Sociedade da Informação Aveiro, 10 Mar 2006 Luis Magalhães Presidente da UMIC Agência para a Sociedade do Conhecimento,

Leia mais

Políticas para Inovação no Brasil

Políticas para Inovação no Brasil Políticas para Inovação no Brasil Naercio Menezes Filho Centro de Políticas Públicas do Insper Baixa Produtividade do trabalho no Brazil Relative Labor Productivity (GDP per Worker) - 2010 USA France UK

Leia mais

HBL15 Trabalhar na Irlanda do Norte: Subsídio de Alojamento Um folhetim informativo do Executivo de Alojamento para Trabalhadores Migrantes

HBL15 Trabalhar na Irlanda do Norte: Subsídio de Alojamento Um folhetim informativo do Executivo de Alojamento para Trabalhadores Migrantes HBL15 Trabalhar na Irlanda do Norte: Subsídio de Alojamento Um folhetim informativo do Executivo de Alojamento para Trabalhadores Migrantes Este folheto explica as regras que se aplicam ao Benefício de

Leia mais

Preçário dos Cartões Telefónicos PT

Preçário dos Cartões Telefónicos PT Preçário dos Cartões Telefónicos PT Cartão Telefónico PT 5 e (Continente)... 2 Cartão Telefónico PT 5 e (Região Autónoma dos Açores)... 6 Cartão Telefónico PT 5 e (Região Autónoma da Madeira)... 10 Cartão

Leia mais

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas Porto, 28 de Janeiro de 2014 Índice 1. Enquadramento 2. A aicep Portugal Global 3. Produtos e serviços AICEP Enquadramento Enquadramento

Leia mais

Os Cursos de Especialização Tecnológica Em Portugal Nuno Mangas

Os Cursos de Especialização Tecnológica Em Portugal Nuno Mangas Os Cursos de Especialização Tecnológica Em Portugal Nuno Mangas Fórum novo millenium Nuno Mangas Covilhã, 22 Setembro 2011 Índice 1 Contextualização 2 Os CET em Portugal 3 Considerações Finais 2 Contextualização

Leia mais

Newsletter Informação Semanal 21-09 a 27-09-2015

Newsletter Informação Semanal 21-09 a 27-09-2015 EUR / Kg Peso Carcaça CONJUNTURA SEMANAL Newsletter Informação Semanal 21-09 a 27-09- As Newsletter do SIMA podem também ser consultadas no facebook em: https://www.facebook.com/sima.portugal Na semana

Leia mais

ESPANHA Porta de acesso à Europa para as multinacionais brasileiras

ESPANHA Porta de acesso à Europa para as multinacionais brasileiras ESPANHA Porta de acesso à Europa para as multinacionais brasileiras ESPANHA: UM PAÍS QUE SAE DA CRISE 2,00% 1,50% Evolução do PIB espanhol 1,70% 1,00% 1% 0,50% 0,00% -0,50% -0,20% 0,10% 2010 2011 2012

Leia mais

Conferência do Banco de Portugal

Conferência do Banco de Portugal Conferência do Banco de Portugal Desenvolvimento Económico português no espaço europeu Factores de desenvolvimento e reformas estruturais VÍTOR CONSTÂNCIO Lisboa 11 de Março de 2004 Taxa de crescimento

Leia mais

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇO DE SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET ATRAVÉS DE BANDA LARGA

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇO DE SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET ATRAVÉS DE BANDA LARGA http://www.anacom.pt/template12.jsp?categoryid=168982 INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA DO SERVIÇO DE SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET ATRAVÉS DE BANDA LARGA 3º TRIMESTRE DE 2005 NOTA: O presente documento constitui

Leia mais

CARTA DO DIRETOR-EXECUTIVO

CARTA DO DIRETOR-EXECUTIVO International Coffee Organization Organización Internacional del Café Organização Internacional do Café Organisation Internationale du Café P CARTA DO DIRETOR-EXECUTIVO RELATÓRIO SOBRE O MERCADO CAFEEIRO

Leia mais

A evolução dos impostos nos países da OCDE, no período de 1990 a 2003: Comparação com Portugal

A evolução dos impostos nos países da OCDE, no período de 1990 a 2003: Comparação com Portugal A evolução dos impostos nos países da OCDE, no período de 1990 a 2003: Comparação com Portugal 0 Sumário e conclusões 1 - O peso das receitas fiscais totais no PIB 2 O peso dos impostos sobre o rendimento

Leia mais

A concorrência nos mercados financeiros em Portugal v. UE

A concorrência nos mercados financeiros em Portugal v. UE A concorrência nos mercados financeiros em Portugal v. UE Apresentação Comissão Parlamentar Orçamento e Finanças Abel M. Mateus Autoridade da Concorrência Lisboa, 24/5/2006 Temas I -Sumário Executivo II

Leia mais

RECOMENDAÇÕES PARA A LONGEVIDADE. Portugal 2014 PREÂMBULO

RECOMENDAÇÕES PARA A LONGEVIDADE. Portugal 2014 PREÂMBULO RECOMENDAÇÕES PARA A LONGEVIDADE Portugal 2014 PREÂMBULO A Direção da Associação Amigos da Grande Idade Inovação e Desenvolvimento, celebra em 2014 o envelhecimento populacional, como a maior conquista

Leia mais

MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO

MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO Ambiente de Inovação em Saúde EVENTO BRITCHAM LUIZ ARNALDO SZUTAN Diretor do Curso de Medicina Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo SOCIEDADES CONHECIMENTO

Leia mais

Retrato de Portugal alguns indicadores

Retrato de Portugal alguns indicadores Retrato de Portugal alguns indicadores Apresentação de Joel Felizes Resumo O Índice de Desenvolvimento Humano e o PIB A posição de Portugal vista em diversas dimensões Comparação a nível mundial e da UE

Leia mais

Desafios Institucionais do Brasil: A Qualidade da Educação

Desafios Institucionais do Brasil: A Qualidade da Educação Desafios Institucionais do Brasil: A Qualidade da Educação André Portela Souza EESP/FGV Rio de Janeiro 13 de maio de 2011 Estrutura da Apresentação 1. Porque Educação? Educação e Crescimento 2. Educação

Leia mais

PERSPECTIVAS ECONÓMICAS PARA OS EUA E A ZONA EURO. J. Silva Lopes

PERSPECTIVAS ECONÓMICAS PARA OS EUA E A ZONA EURO. J. Silva Lopes PERSPECTIVAS ECONÓMICAS PARA OS EUA E A ZONA EURO J. Silva Lopes IDEEF, 28 Setembro 2010 ESQUEMA DA APRESENTAÇÃO I As perspectivas económicas para os tempos mais próximos II Políticas de estímulo à recuperação

Leia mais

Observatório Pedagógico. Objectivos: Políticas Redistributivas e Desigualdade em Portugal. Carlos Farinha Rodrigues DESIGUALDADE ECONÓMICA EM PORTUGAL

Observatório Pedagógico. Objectivos: Políticas Redistributivas e Desigualdade em Portugal. Carlos Farinha Rodrigues DESIGUALDADE ECONÓMICA EM PORTUGAL Observatório Pedagógico Políticas Redistributivas e Desigualdade em Portugal Carlos Farinha Rodrigues ISEG / Universidade Técnica de Lisboa Objectivos: 21 22 23 24 25 26 29 21 22 23 24 25 26 29 "shares"

Leia mais

Public Debt Dívida Pública. dossiers. Economic Outlook Conjuntura Económica. Conjuntura Económica. Estado e Governo. Public Debt / Dívida Pública

Public Debt Dívida Pública. dossiers. Economic Outlook Conjuntura Económica. Conjuntura Económica. Estado e Governo. Public Debt / Dívida Pública dossiers Economic Outlook Conjuntura Public Debt Dívida Pública Last Update Última Actualização:08/12/2015 Portugal Economy Probe (PE Probe) Prepared by PE Probe Preparado por PE Probe Copyright 2015 Portugal

Leia mais

9. o ANO FUNDAMENTAL PROF. ª ANDREZA XAVIER PROF. WALACE VINENTE

9. o ANO FUNDAMENTAL PROF. ª ANDREZA XAVIER PROF. WALACE VINENTE 9. o ANO FUNDAMENTAL PROF. ª ANDREZA XAVIER PROF. WALACE VINENTE CONTEÚDOS E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Unidade I Tempo, espaço, fontes históricas e representações cartográficas. 2

Leia mais

Preçário AGENCIA DE CAMBIOS CENTRAL, LDA AGÊNCIAS DE CÂMBIOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS. Data de Entrada em vigor: 27-Abr-2015

Preçário AGENCIA DE CAMBIOS CENTRAL, LDA AGÊNCIAS DE CÂMBIOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS. Data de Entrada em vigor: 27-Abr-2015 Preçário AGENCIA DE CAMBIOS CENTRAL, LDA AGÊNCIAS DE CÂMBIOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS O Preçário completo da Agência de Câmbios Central, Lda., contém o Folheto de e Despesas (que incorpora

Leia mais

3. Substituiçã o de cartão. 4. Inibição do cartão. 2. Emissão do Cartão. Isento Isento -- -- 25,00 (4) Ver Nota (2).

3. Substituiçã o de cartão. 4. Inibição do cartão. 2. Emissão do Cartão. Isento Isento -- -- 25,00 (4) Ver Nota (2). 3. CARTÕES DE CRÉDITO E DE DÉBITO (CLIENTES PARTICULARES) - FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Entrada em vigor: 04-agosto-2015 3.1. Cartões de Crédito Designação do cartão Redes onde o cartão é aceite Barclays

Leia mais

Conta Satélite da Saúde 2010-2012Pe

Conta Satélite da Saúde 2010-2012Pe Conta Satélite da Saúde 21-212Pe 21 de junho de 213 Em 212 a despesa corrente em saúde voltou a diminuir Em 212, a despesa corrente em saúde voltou a diminuir significativamente (-5,5), após ter registado

Leia mais

International Trade: Statistics and Top 10 Partners Comércio Internacional: Estatísticas e Top 10 Parceiros. Economic Outlook. Económica.

International Trade: Statistics and Top 10 Partners Comércio Internacional: Estatísticas e Top 10 Parceiros. Economic Outlook. Económica. dossiers Economic Outlook Conjuntura International Trade: Statistics and Top 10 Partners Comércio Internacional: Estatísticas e Top 10 Parceiros Last Update Última Actualização 15-07-2015 Prepared by PE

Leia mais

Sociedade de Geografia de Lisboa

Sociedade de Geografia de Lisboa Sociedade de Geografia de Lisboa Tema A internacionalização das empresas portuguesas para os Países da Europa Central e Oriental (PECO) Autor Rui Paulo Almas Data Lisboa, 25 de Junho de 2012 1 A internacionalização

Leia mais

Os Desafios da Economia Portuguesa no Contexto Europeu e Mundial. João César das Neves Universidade Católica Portuguesa 8 de Julho de 2015

Os Desafios da Economia Portuguesa no Contexto Europeu e Mundial. João César das Neves Universidade Católica Portuguesa 8 de Julho de 2015 Os Desafios da Economia Portuguesa no Contexto Europeu e Mundial João César das Neves Universidade Católica Portuguesa 8 de Julho de 215 Pode o capitalismo sobreviver? «A tese que tentarei estabelecer

Leia mais

Instituto Nacional de Estatística divulgou A Península Ibérica em Números - 2007

Instituto Nacional de Estatística divulgou A Península Ibérica em Números - 2007 'DWD 7HPD $FRQWHFLPHQWR 21/12 Economia 20/12 Demografia Instituto Nacional de Estatística divulgou A Península Ibérica em Números - 2007 http://www.ine.pt/portal/page/portal/portal_ine/publicacoes?publicacoespub_boui=10584451&publicacoesm

Leia mais

useful phone numbers Students Union Associação Académica da Universidade da Beira Interior

useful phone numbers Students Union Associação Académica da Universidade da Beira Interior useful phone numbers Students Union Associação Académica da Universidade da Beira Interior Headquarters: Rua Senhor da Paciência, 39 6200-158 Covilhã Portugal Telephone: +351 275 319 530 Fax: +351 275

Leia mais

Quadro 1 Número de empresas de seguros a operar em Portugal. 2014 Vida Não Vida Mistas Total. Empresas de seguros de direito português 15 23 6 44

Quadro 1 Número de empresas de seguros a operar em Portugal. 2014 Vida Não Vida Mistas Total. Empresas de seguros de direito português 15 23 6 44 Quadro Número de empresas de seguros a operar em Portugal 24 Vida Não Vida Mistas Total Em regime de estabelecimento 2 46 2 78 Empresas de seguros de direito português 5 23 6 44 Empresas de seguros 5 2

Leia mais

A importância e desafios da agricultura na economia regional. Assessoria Econômica

A importância e desafios da agricultura na economia regional. Assessoria Econômica A importância e desafios da agricultura na economia regional Assessoria Econômica A Agricultura é importante para o crescimento e desenvolvimento econômico ou é apenas fornecedora de alimentos? Taxa Média

Leia mais

Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.º 11 Novembro 2014. Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia

Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.º 11 Novembro 2014. Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 11 Novembro Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia GPEARI Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais Ministério

Leia mais

Retribuição Mínima Mensal Garantida em Portugal

Retribuição Mínima Mensal Garantida em Portugal Retribuição Mínima Mensal Garantida em Portugal Memorando Complementar ao Relatório de Setembro de 2011 13 de Dezembro de 2012 Carla Sá João Cerejeira Miguel Portela NIPE Núcleo de Investigação em Políticas

Leia mais

ED 2068/09. 16 junho 2009 Original: inglês. Obstáculos ao consumo

ED 2068/09. 16 junho 2009 Original: inglês. Obstáculos ao consumo ED 2068/09 16 junho 2009 Original: inglês P Obstáculos ao consumo 1. Cumprimentando os Membros, o Diretor-Executivo recorda-lhes que, de acordo com o Artigo 33 do Convênio Internacional do Café de 2001

Leia mais

Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa

Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa Ministério da Saúde Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa Assunto: Cartão Europeu de Seguro de Doença Nº: 20/DSPCS DATA: 18/05/04 Para: Todos os serviços dependentes do Ministério da Saúde Contacto

Leia mais

Espanha continuou a ser o país com maior peso nas transações comerciais de bens com o exterior (23,5% nas exportações e de 32,5% nas importações).

Espanha continuou a ser o país com maior peso nas transações comerciais de bens com o exterior (23,5% nas exportações e de 32,5% nas importações). Estatísticas do Comércio Internacional 214 7 de julho de 215 Resultados preliminares do Comércio Internacional em 214: em termos nominais, as exportações aumentaram 1,8% e as importações aumentaram 3,2%

Leia mais

Por que a CPMF é um problema para o Brasil?

Por que a CPMF é um problema para o Brasil? Por que a CPMF é um problema para o Brasil? 1 A Carga Tributária Brasileira Muito pesada para um país que precisa crescer 2 A carga tributária brasileira vem apresentando crescimento 40% 30% 26,9% 27,8%

Leia mais

www.pwc.com/br Audiência no Senado Escolha e Contratação da Entidade Aferidora da Qualidade 22 de Março de 2012 Luiz Eduardo Viotti Sócio da PwC

www.pwc.com/br Audiência no Senado Escolha e Contratação da Entidade Aferidora da Qualidade 22 de Março de 2012 Luiz Eduardo Viotti Sócio da PwC www.pwc.com/br Audiência no Senado Escolha e Contratação da Entidade Aferidora da Qualidade 22 de Março de 2012 Luiz Eduardo Viotti Sócio da PwC Participamos do processo de escolha da Entidade Aferidora

Leia mais

OCDE/ITF - IRTAD 5 6 6.1 6.2 A ANSR

OCDE/ITF - IRTAD 5 6 6.1 6.2 A ANSR Jorge Jacob Agenda: 1 Sinistralidade Rodoviária um flagelo mundial 2 Organização Mundial MACRO 3 WHO The Decade of Action for Road Safety 4 OCDE/ITF - IRTAD 5 UE/Comissão Europeia 6 Portugal: 6.1 Situação

Leia mais

Áustria, Dinamarca, Finlândia, França, Irlanda, Itália, Liechtenstein, Noruega, Suécia, Reino Unido

Áustria, Dinamarca, Finlândia, França, Irlanda, Itália, Liechtenstein, Noruega, Suécia, Reino Unido PROGRAMA ERASMUS+ AÇÃO 1 MOBILIDADE INDIVIDUAL PARA FINS DE APRENDIZAGEM ENSINO SUPERIOR 2015 TABELA DE BOLSAS DE MOBILIDADE ESTUDANTES PARA ESTUDOS E ESTÁGIOS TABELA 1 De Portugal Continental para: Valor

Leia mais

MINIGUIA DA EUROPA 2011 Comunicar com os Europeus Línguas Na Europa fala-se muitas línguas, cujas principais famílias são a germânica, a românica, a eslava, a báltica e a céltica. As instituições da União

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 9 setembro 211 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia e do Emprego G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais

Leia mais

SEPA - Single Euro Payments Area

SEPA - Single Euro Payments Area SEPA - Single Euro Payments Area Área Única de Pagamentos em euros APOIO PRINCIPAL: APOIO PRINCIPAL: Contexto O que é? Um espaço em que consumidores, empresas e outros agentes económicos poderão efectuar

Leia mais

Educação, Economia e Capital Humano em Portugal Notas sobre um Paradoxo

Educação, Economia e Capital Humano em Portugal Notas sobre um Paradoxo Portugal na União Europeia 1986-2010 Faculdade de Economia, Universidade do Porto - 21 Janeiro 2011 Educação, Economia e Capital Humano em Portugal Notas sobre um Paradoxo Pedro Teixeira (CEF.UP/UP e CIPES);

Leia mais

E R A S M U S + ERASMUS+ Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa. Apresentação

E R A S M U S + ERASMUS+ Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa. Apresentação ERASMUS+ Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa Apresentação ERASMUS+ - Ensino Superior O Erasmus+ é o novo programa da UE dedicado à educação, formação, juventude e desporto. O programa tem início

Leia mais

ESPANHA Porta de acessoà Europa para as multinacionais brasileiras

ESPANHA Porta de acessoà Europa para as multinacionais brasileiras ESPANHA Porta de acessoà Europa para as multinacionais brasileiras Existem muitas empresas e investimentos espanhóis no Brasil. É a hora de ter investimentos brasileiros na Espanha Presidente Lula da Silva,

Leia mais

Fonte: http://www.mckinsey.com

Fonte: http://www.mckinsey.com 30000000 70000000 Fonte: http://www.mckinsey.com 700000 1400000 Fonte: http://www.mckinsey.com 22000 43000 Fonte: http://www.mckinsey.com Fonte: http://www.mckinsey.com Disponível em: http://www.gs1.org/healthcare/mckinsey

Leia mais

Direcção de Serviços das Questões Económicas e Financeiras DGAE / MNE

Direcção de Serviços das Questões Económicas e Financeiras DGAE / MNE INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA UNIÃO EUROPEIA ESTADOS-MEMBROS Direcção de Serviços das Questões Económicas e Financeiras DGAE / MNE Fevereiro de 2011 FICHA TÉCNICA Título Informação Estatística União Europeia/Estados-membros,

Leia mais

Mobilidade de Estudantes Sessão de Esclarecimento 2015/2016 janeiro 2015 Núcleo de Relações Internacionais do ISEL

Mobilidade de Estudantes Sessão de Esclarecimento 2015/2016 janeiro 2015 Núcleo de Relações Internacionais do ISEL Changing lives. Opening minds. Mobilidade de Estudantes Sessão de Esclarecimento 2015/2016 janeiro 2015 Núcleo de Relações Internacionais do ISEL ERASMUS + Uma porta aberta para a Europa : O novo programa

Leia mais

SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR. Viana do Castelo, 11de Fevereiro

SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR. Viana do Castelo, 11de Fevereiro SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR Viana do Castelo, 11de Fevereiro www.cosec.pt COSEC Companhia de Seguro de Créditos, S.A. 2014 Índice Sobre a COSEC Seguro de Créditos Soluções à medida em resumo

Leia mais

Eficiência Energética

Eficiência Energética Eficiência Energética Compromisso para o Crescimento Verde Sessão de discussão pública Porto, 2 de dezembro de 2014 Apresentado por: Gabriela Prata Dias 1 Conceito de Eficiência Energética (EE) 2 As medidas

Leia mais

Comparticipação e Avaliação prévia Enquadramento Regulamentar

Comparticipação e Avaliação prévia Enquadramento Regulamentar Comparticipação e Avaliação prévia Enquadramento Regulamentar INFARMED - Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, I.P. Direção de Avaliação Económica e Observação do Mercado Sónia Caldeira

Leia mais

Estrutura da Energia no Brasil: Órgãos e Sistemas

Estrutura da Energia no Brasil: Órgãos e Sistemas Centro Universitário Fundação Santo André MBA Gestão de Energia Estrutura da Energia no Brasil: Órgãos e Sistemas Prof. Eduardo Matsudo MATRIZ ENERGÉTICA E DADOS ESTATÍSTICOS Santo André, 21 de março de

Leia mais

Importações e Exportações Portuguesas de Produtos Energéticos

Importações e Exportações Portuguesas de Produtos Energéticos Em Análise Walter Anatole Marques 1 Importações e Exportações Portuguesas de Produtos A balança comercial de produtos de Portugal é fortemente deficitária, tendo o peso do seu défice no PIB aumentado mais

Leia mais

Empreender em Portugal: Rumo a um Empreendedorismo Sustentado

Empreender em Portugal: Rumo a um Empreendedorismo Sustentado Empreender em Portugal: Rumo a um Empreendedorismo Sustentado Patrícia Jardim da Palma Professora Universitária no ISCSP Coordenadora do Hélios Directora do INTEC ppalma@iscsp.utl.pt Agenda O empreendedorismo

Leia mais

Síntese Estatística de Conjuntura Short-term Economic Indicators. - Nº 38/2015-18 de setembro de 2015 September, 18, 2015

Síntese Estatística de Conjuntura Short-term Economic Indicators. - Nº 38/2015-18 de setembro de 2015 September, 18, 2015 Shortterm Economic Indicators Nº 38/ 1 Shortterm Economic Indicators Nº 38/ Índice Temático / Thematic Index 1. Conjuntura Internacional / International Economic Situation Página / Page Previsões de crescimento

Leia mais