Bitcoin: Uma nova Realidade tributária? Fábio Raimundi

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Bitcoin: Uma nova Realidade tributária? Fábio Raimundi"

Transcrição

1 Bitcoin: Uma nova Realidade tributária? Fábio Raimundi

2

3 Moedas virtuais bitcoin litecoin dogecoin

4 Definição Bitcoin é uma criptomoeda onde a criação e transferência é baseada em protocolos código aberto de criptografia que é independente de qualquer autoridade central. Um bitcoin pode ser transferido por um computador ou smartphone sem recurso a uma instituição financeira intermediária. O conceito foi introduzido em 2008 num paper publicado por um programador com o pseudônimo de Satoshi Nakamoto que o chamou de sistema eletrônico de pagamento peer to peer. Fonte: Wikipédia

5 Fonte: You Tube

6 O que é Moeda virtual para transações financeiras sem que haja intermediação de bancos ou autoridades financeiras. Não há um dono do sistema e é aberto a qualquer um. COTAÇÃO EM 12 DE MARÇO: 1 BITCOIN = R$ 1.500,00 Fonte: Mercado Bitcoin O Mercado Bitcoin surgiu em 2011 atuando como facilitador na compra e venda de bitcoins no Brasil.

7 1ª etapa Fonte: G1

8 2ª etapa Fonte: G1

9 3ª etapa Fonte: G1

10 O que diz o Banco Central moedas virtuais não se confundem com a moeda eletrônica de que tratam a Lei nº /13, e sua regulamentação infralegal; não se caracterizam dispositivo ou sistema eletrônico para armazenamento em reais; pessoas que emitem ou fazem a intermediação desses ativos virtuais não são reguladas nem supervisionadas por autoridades monetárias de qualquer país; não têm garantia de conversão para a moeda oficial, tampouco são garantidos por ativo real de qualquer espécie.

11 O que diz o Banco Central eventual aplicação, por autoridades monetárias de quaisquer países, de medidas prudenciais, coercitivas ou punitivas sobre o uso desses ativos, pode afetar significativamente o preço de tais moedas ou mesmo a capacidade de sua negociação; esses instrumentos virtuais podem ser utilizados em atividades ilícitas; o armazenamento das chamadas moedas virtuais nas denominadas carteiras eletrônicas apresenta o risco de que o detentor desses ativos sofra perdas patrimoniais decorrentes de ataques de criminosos que atuam no espaço da rede mundial de computadores.

12 Contraponto a moeda oferece a chance de ganhos rápidos por causa da volatilidade elevada: em menos de sete meses, subiu 650%; além de negócios milionários, a moeda atrai também pequenos investidores, inclusive no Brasil; o investimento inicial feito por investidores brasileiros em 2011 já rendeu retorno de 1.800%;

13 Âmbito tributário

14 Tratamento fiscal... Moeda Oficial (reconhecida pelo Estado) Valor mobiliário (Título emitido por entidade pública ou privada) Escambo (permuta = alienação de bem móvel Art. 533 CCB) Commodities (bem móvel incorpóreo,, não consumível, divisível e fungível)

15 Não existe um posicionamento consolidado seja dos tribunais seja do Conselho de Contribuintes de como proceder a tributação dos bitcoins.

16 Tendência... Bitcoin é um bem imaterial (intangível) que se aproxima das commodities, passível de comercialização, mas que não se encontra vinculado necessariamente à um título, pois não se encontra registrado em um documento reconhecido pelo Estado Brasileiro, não podendo ser negociado como ação no mercado de valores (CVM). Apesar disso possui valoração econômica reconhecida no mercado de forma atualmente não regulamentada.

17 Uma luz no fim do túnel

18 Pronunciamento Técnico CPC 04 Ativos Intangíveis Item 12 Um ativo satisfaz o critério de identificação, em termos de definição de um ativo intangível, quando: a) For separável, ou seja, puder ser separado da entidade e vendido, transferido, licenciado, alugado ou trocado, individualmente ou junto com um contrato ativo ou passivo relacionado, independente da intenção de uso pela entidade; ou b) Resultar de direitos contratuais ou outros direitos legais, independentemente de tais direitos serem transferíveis ou separáveis da entidade ou de outros direitos e obrigações.

19 Conclusões

20 Obrigado!

Mercado de Capitais. Mercado financeiro. Professor: Msc. Roberto César

Mercado de Capitais. Mercado financeiro. Professor: Msc. Roberto César Mercado de Capitais Mercado financeiro Professor: Msc. Roberto César Tipos de Mercado Comissão de Valores Mobiliários, 2013, p.15 Mercado de Crédito É o segmento do mercado financeiro onde as instituições

Leia mais

Moedas Virtuais e Desenvolvimento de Software Open Source: Uma Grande Oportunidade na crise

Moedas Virtuais e Desenvolvimento de Software Open Source: Uma Grande Oportunidade na crise Moedas Virtuais e Desenvolvimento de Software Open Source: Uma Grande Oportunidade na crise Faculdade Maurício de Nassau Professor Romeryto Vieira Lira O que é o Dinheiro? São Ativos que são valiosos por

Leia mais

ESTUDO DE CASO. Os Novos Ajustes da Lei

ESTUDO DE CASO. Os Novos Ajustes da Lei ESTUDO DE CASO Os Novos Ajustes da Lei 11.638 Os Novos Ajustes da Lei 11.638 As demonstrações financeiras foram elaboradas com base nas práticas contábeis adotadas no Brasil e normas da Comissão de Valores

Leia mais

Ajuste Diário Boi Gordo. 1 x R$ 150,00 x 330 = R$ ,00 1 x R$ 152,00 x 330 = R$ ,00. Ajuste Diário Milho. Dia 1-09:00 Dia 1-15:30

Ajuste Diário Boi Gordo. 1 x R$ 150,00 x 330 = R$ ,00 1 x R$ 152,00 x 330 = R$ ,00. Ajuste Diário Milho. Dia 1-09:00 Dia 1-15:30 XP - Análise Cálculo de Diário BM&F Diário Boi Gordo Dia 1-09:00 Dia 1-16:00 1 x R$ 150,00 x 330 = R$ 49.500,00 1 x R$ 152,00 x 330 = R$ 50.160,00 R$ 152,00 - R$150,00 = R$ 2,00 diário R$ 2,00 x 330 =

Leia mais

CONTABILIDADE AVANÇADA. Avaliação de Investimentos em Participações Societárias

CONTABILIDADE AVANÇADA. Avaliação de Investimentos em Participações Societárias CONTABILIDADE AVANÇADA Avaliação de Investimentos em Participações Societárias INTRODUÇÃO Considera-se Participações Societárias quando uma sociedade (Investidora) vem à aplicar recursos na aquisição de

Leia mais

I Seminário de Empresas de Serviços Contábeis do Espírito Santo

I Seminário de Empresas de Serviços Contábeis do Espírito Santo I Seminário de Empresas de Serviços Contábeis do Espírito Santo Lei nº 12.973/2014 x IFRS: Avaliação pelo Valor Justo: Situações de Incidência, Cálculo e Contabilização Eduardo José Zanoteli Doutorando

Leia mais

Legislação Aplicável aos Ativos Orientações da Susep ao Mercado

Legislação Aplicável aos Ativos Orientações da Susep ao Mercado Legislação Aplicável aos Ativos Orientações da Susep ao Mercado Julho/2015 Conteúdo 1. BASE LEGAL... 2 1.1. NORMAS... 2 1.2. OUTRAS NORMAS RELACIONADAS... 4 2. NORMAS ADMINISTRATIVAS APLICÁVEIS... 5 1.

Leia mais

Certificados de Crédito Cooperativo (CCC)

Certificados de Crédito Cooperativo (CCC) Certificados de Crédito Cooperativo (CCC) Conceito: título de crédito nominativo, transferível e de livre negociação, que representa promessa de pagamento em dinheiro e constitui título executivo extrajudicial.

Leia mais

Unidade II. No ativo, a disposição das contas obedece ao grau decrescente de liquidez dos elementos nelas registrados.

Unidade II. No ativo, a disposição das contas obedece ao grau decrescente de liquidez dos elementos nelas registrados. Unidade II 8 ATIVO Ativo compreende, como já vimos, os bens e direitos da empresa, classificados de acordo com sua destinação específica, que varia segundo os fins da empresa. No ativo, a disposição das

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL - ANEXO 14

BALANÇO PATRIMONIAL - ANEXO 14 ATIVO Exercício Atual PASSIVO Exercício Atual ATIVO CIRCULANTE 652.201,35 PASSIVO CIRCULANTE 236.288,68 Caixa e Equivalentes de Caixa 652.201,35 Obrigações Trabalhistas, Previdenciárias e Assistenciais

Leia mais

Antes de investir, compare o fundo com outros da mesma classificação.

Antes de investir, compare o fundo com outros da mesma classificação. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FIC FI INTELIGENTE RENDA FIXA CURTO PRAZO 02.908.347/0001-62 Informações referentes a Agosto de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

4 NORMAS DE AUDITORIA

4 NORMAS DE AUDITORIA 4.10 Quadro de normas de contabilidade/auditoria/perícia e profissional A relação abaixo foi extraída do livro eletrônico publicado pelo CFC cujo título é: Princípios Fundamentais e Normas Brasileiras

Leia mais

Restrições de Investimento:.

Restrições de Investimento:. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPARTA CICLICO FIM 07.552.643/0001-97 Informações referentes a 06/2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o SPARTA CÍCLICO FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

ÁPICE SECURITIZADORA S.A. 1ª Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários. 65ª Série

ÁPICE SECURITIZADORA S.A. 1ª Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários. 65ª Série ÁPICE SECURITIZADORA S.A. 1ª Emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários 65ª Série Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2015 Data Base 31/12/2015 PARTICIPANTES EMISSORA INSTITUIÇÃO

Leia mais

Restrições de Investimento:.

Restrições de Investimento:. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O ÓRAMA OURO FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO 09.601.190/0001-77 Informações referentes a 06/2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre

Leia mais

CARTILHA DE INVESTIMENTOS Orientações da SUSEP ao Mercado

CARTILHA DE INVESTIMENTOS Orientações da SUSEP ao Mercado CARTILHA DE INVESTIMENTOS Orientações da SUSEP ao Mercado Julho/2016 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 1 1.1. ÁREA RESPONSÁVEL... 1 1.2. BASE LEGAL... 1 1.3. ABRANGÊNCIA... 1 1.4. OBJETIVO... 1 2. PERGUNTAS E RESPOSTAS...

Leia mais

Nesse módulo nosso foco será nas chamadas opções de compra (CALL) e como funciona a compra dessas opções (chamamos isso de compra a seco).

Nesse módulo nosso foco será nas chamadas opções de compra (CALL) e como funciona a compra dessas opções (chamamos isso de compra a seco). Como funciona o mercado de opções No mercado de opções negociamos, basicamente, direitos e obrigações de compra e de venda de determinado ativo, tendo preço de exercício e prazo de validade pré-estabelecidos.

Leia mais

"Aspectos Contábeis importantes do Mercado Imobiliário" Apresentação APIMEC 28/02/2013

Aspectos Contábeis importantes do Mercado Imobiliário Apresentação APIMEC 28/02/2013 "Aspectos Contábeis importantes do Mercado Imobiliário" Apresentação APIMEC 28/02/2013 AGENDA Práticas contábeis específicas à atividade imobiliária Assuntos polêmicos Pontos de atenção para análise de

Leia mais

Política de Partes Relacionadas

Política de Partes Relacionadas Política de Partes Relacionadas SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 A QUEM SE APLICA... 3 3 DEFINIÇÃO DE TRANSAÇÕES COM PARTES RELACIONADAS... 3 4 DEFINIÇÃO DE PARTES RELACIONADAS... 4 5 DEFINIÇÃO DE SITUAÇÕES

Leia mais

ORIGEM DA MOEDA. Prof. Me. Wesley Vieira Borges Economia e Mercado

ORIGEM DA MOEDA. Prof. Me. Wesley Vieira Borges Economia e Mercado ORIGEM DA MOEDA Prof. Me. Wesley Vieira Borges Economia e Mercado Origem e Evolução da Moeda Escambo Simples troca de mercadoria por mercadoria. Permuta de sem a preocupação com equivalência em valor Moeda-Mercadoria

Leia mais

COMUNICADO AOS CLIENTES Nº. 12/16 TRIBUTÁRIO Instrução Normativa nº /16 Mudanças na inscrição no CNPJ Beneficiários Finais

COMUNICADO AOS CLIENTES Nº. 12/16 TRIBUTÁRIO Instrução Normativa nº /16 Mudanças na inscrição no CNPJ Beneficiários Finais COMUNICADO AOS CLIENTES Nº. 12/16 TRIBUTÁRIO 10.5.2016 Instrução Normativa nº. 1.634/16 Mudanças na inscrição no CNPJ Beneficiários Finais Foi publicada no Diário Oficial da União a Instrução Normativa

Leia mais

Apresentação. Presentation de novembro de H07 9 de novembro de 2007

Apresentação. Presentation de novembro de H07 9 de novembro de 2007 Apresentação Apresentação dos dos Resultados Resultados do do 3T07 3T07 Presentation de novembro de 2007 1H07 9 de novembro de 2007 1 As Demonstrações Financeiras são de caráter pro-forma, abrangendo demonstrações

Leia mais

INSTRUÇÃO CVM Nº 547, DE 5 DE FEVEREIRO DE 2014

INSTRUÇÃO CVM Nº 547, DE 5 DE FEVEREIRO DE 2014 Altera dispositivos da Instrução CVM nº 358, de 3 de janeiro de 2002, e da Instrução CVM nº 480, de 7 de dezembro de 2009. O PRESIDENTE DA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS - CVM torna público que o Colegiado,

Leia mais

INSTRUÇÃO CVM Nº 548, DE 6 DE MAIO DE 2014

INSTRUÇÃO CVM Nº 548, DE 6 DE MAIO DE 2014 Altera, acrescenta e revoga dispositivos da Instrução CVM nº 400, de 29 de dezembro de 2003. O PRESIDENTE DA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS - CVM torna público que o Colegiado, em reunião realizada em

Leia mais

A Lei /2014 e o Novo Tratamento Tributário dados às Operações de Combinações de Negócios Pronunciamento Técnico CPC 15

A Lei /2014 e o Novo Tratamento Tributário dados às Operações de Combinações de Negócios Pronunciamento Técnico CPC 15 A Lei 12.973/2014 e o Novo Tratamento Tributário dados às Operações de Combinações de Negócios Pronunciamento Técnico CPC 15 Sumário de Apresentação 1. Introdução: Combinação de Negócios CPC 15 2. Custo

Leia mais

ISEC SECURITIZADORA S.A. 2ª. SÉRIE da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013

ISEC SECURITIZADORA S.A. 2ª. SÉRIE da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013 ISEC SECURITIZADORA S.A. 2ª. SÉRIE da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013 Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2014. Prezados Senhores

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AMBEV S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AMBEV S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

COMUNICADO ART 11/358 CONSOLIDADO. Negociação de Administradores e Pessoas Ligadas Art. 11 Instrução CVM nº 358/2002. ( ) Conselho Fiscal

COMUNICADO ART 11/358 CONSOLIDADO. Negociação de Administradores e Pessoas Ligadas Art. 11 Instrução CVM nº 358/2002. ( ) Conselho Fiscal COMUNICADO ART 11358 CONSOLIDADO Negociação de Administradores e Art. 11 Instrução CVM nº 3582002 CEMIG, Luce Empreendimentos e Participações S.A., Light S.A., CNPJ 003.378.5210001-75 comunica que no período

Leia mais

Teleconferência de resultados

Teleconferência de resultados Teleconferência de resultados 2 Aviso importante Este material foi preparado pela Linx S.A. ( Linx ou Companhia ) e pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros.

Leia mais

Câmara dos Deputados - Comissão de Defesa do Consumidor. Audiência Pública: Modelo de Negócio das Moedas Virtuais. Brasília,

Câmara dos Deputados - Comissão de Defesa do Consumidor. Audiência Pública: Modelo de Negócio das Moedas Virtuais. Brasília, Câmara dos Deputados - Comissão de Defesa do Consumidor Audiência Pública: Modelo de Negócio das Moedas Virtuais Brasília, 18.11.2015 Tipos de moedas Substitutos potenciais das moedas físicas Moeda (tradicional)-

Leia mais

Essência e Forma em Contabilidade e Direito

Essência e Forma em Contabilidade e Direito Essência e Forma em Contabilidade e Direito Natanael Martins São Paulo, 20 de junho de 2013 INTRODUÇÃO Lei 6.404/76 A Velha Contabilidade DL 1.598/77 Lei 11.638/07 IFRS A Nova Contabilidade LEI 11.941/09

Leia mais

Denominação da Companhia: Via Varejo S.A. (X) Grupo de Controle Grupo e Pessoas ( ) Conselho de Ligadas Administração

Denominação da Companhia: Via Varejo S.A. (X) Grupo de Controle Grupo e Pessoas ( ) Conselho de Ligadas Administração Negociação de Administradores e Art. 11 Instrução CVM nº 358/2002 Em 06/2012 não ocorreram operações com valores mobiliários e derivativos, de acordo com o artigo 11 da Instrução CVM nº 358/2002. (X) Grupo

Leia mais

Restrições de Investimento: Não aplicável.

Restrições de Investimento: Não aplicável. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O MULTINVEST FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CREDITO PRIVADO 09.601.197/0001-99 Informações referentes a 09/2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

As Modificações Referentes ao Ágio e a Lei /2014. Apresentação: Rafael Correia Fuso

As Modificações Referentes ao Ágio e a Lei /2014. Apresentação: Rafael Correia Fuso As Modificações Referentes ao Ágio e a Lei 12.973/2014 Apresentação: Rafael Correia Fuso A formação do ágio / deságio ÁGIO / DESÁGIO CUSTO DE AQUISIÇÃO VALOR PATRIMONIAL Se custo de aquisição > valor patrimonial

Leia mais

Diagnóstico da Convergência às Normas Internacionais IAS 28 Investments in Associates

Diagnóstico da Convergência às Normas Internacionais IAS 28 Investments in Associates Diagnóstico da Convergência às Normas Internacionais IAS 28 Investments in Associates Situação: PARCIALMENTE DIVERGENTE. 1. Introdução O IAS 28 Investments in Associates é aplçicado ao registro de investimentos

Leia mais

CIRCULAR Nº 3.752, DE 27 DE MARÇO DE 2015

CIRCULAR Nº 3.752, DE 27 DE MARÇO DE 2015 CIRCULAR Nº 3.752, DE 27 DE MARÇO DE 2015 Regulamenta a Resolução nº 4.373, de 29 de setembro de 2014, com o objetivo de uniformizar, simplificar procedimentos e conferir maior clareza às disposições sobre

Leia mais

FATOR AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO DE AÇÕES - CNPJ: /

FATOR AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO DE AÇÕES - CNPJ: / LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O FUNDO FATOR AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO DE AÇÕES CNPJ: 11.186.674/0001-49 Informações referentes a Dezembro/2016 Esta lâmina

Leia mais

Restrições de Investimento:.

Restrições de Investimento:. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O ÓRAMA BOLSA MID LARGE - SMALL CAP FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES 13.966.586/0001-95 Informações referentes a 06/2016 Esta lâmina contém um resumo das informações

Leia mais

Safra Títulos Públicos DI - Fundo de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2004

Safra Títulos Públicos DI - Fundo de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2004 Safra Títulos Públicos DI - Fundo de Investimento Financeiro Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2004 e de 2003 e parecer de auditores independentes Demonstração da composição e diversificação

Leia mais

Orçamentos de Despesas Ajustadas e de Investimentos Despesas ajustadas e investimentos para 2017

Orçamentos de Despesas Ajustadas e de Investimentos Despesas ajustadas e investimentos para 2017 Orçamentos de Despesas Ajustadas e de Investimentos Despesas ajustadas e investimentos para 2017 Dez/2016 ORÇAMENTOS DE DESPESAS AJUSTADAS E INVESTIMENTOS Confidencial Restrita Confidencial Uso Interno

Leia mais

Mercado de Capitais. Sistema financeiro nacional. Professor: Msc. Roberto César

Mercado de Capitais. Sistema financeiro nacional. Professor: Msc. Roberto César Mercado de Capitais Sistema financeiro nacional Professor: Msc. Roberto César Sistema Financeiro Consumo Poupança Investimento Sistema Financeiro Nacional O Sistema Financeiro Nacional pode ser definido

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FI PETROBRAS AÇÕES / Informações referentes a Novembro de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FI PETROBRAS AÇÕES / Informações referentes a Novembro de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FI PETROBRAS AÇÕES 03.917.096/0001-45 Informações referentes a Novembro de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o SANTANDER

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER PIBB AÇÕES / Informações referentes a Novembro de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER PIBB AÇÕES / Informações referentes a Novembro de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER PIBB AÇÕES 07.184.920/0001-56 Informações referentes a Novembro de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o SANTANDER FUNDO

Leia mais

CSHG EQUITY HEDGE LEVANTE FIC FIM

CSHG EQUITY HEDGE LEVANTE FIC FIM A presente Instituição aderiu ao Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para os Fundos de Investimento. CSHG EQUITY HEDGE LEVANTE FIC FIM Relatório Gerencial: 31/10/2011 CARACTERÍSTICAS FUNDO DE

Leia mais

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES CLIC FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ / Data da Atualização: 25/08/2016

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES CLIC FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ / Data da Atualização: 25/08/2016 FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES CLIC FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 01.776.200/0001-01 Data da Atualização: 25/08/2016 Características: O CLIC FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES, é uma comunhão

Leia mais

Diagnóstico da Convergência às Normas Internacionais IAS 31 Interests in Joint Ventures

Diagnóstico da Convergência às Normas Internacionais IAS 31 Interests in Joint Ventures Diagnóstico da Convergência às Normas Internacionais IAS 31 Interests in Joint Ventures Situação: PARCIALMENTE CONVERGENTE 1. Introdução O IAS 31 Interests in Joint Ventures trata da contabilização das

Leia mais

Goodwill Contábil x Goodwill. I Workshop em Contabilidade e Tributação

Goodwill Contábil x Goodwill. I Workshop em Contabilidade e Tributação Goodwill Contábil x Goodwill Fiscal: Casamento ou Divórcio? I Workshop em Contabilidade e Tributação 18 e 19/11/2015 Prof. Jorge Vieira Goodwill e Ganho por Compra Vantajosa: Reconhecimento e mensuração

Leia mais

Comissão de Valores Mobiliários

Comissão de Valores Mobiliários Comissão de Valores Mobiliários A informação nas Companhias Abertas Sigilo e Divulgação Maio/2015 Ressalto que as opiniões que expressarei aqui hoje refletem exclusivamente a minha visão e não necessariamente

Leia mais

COTAS DE RESERVA AMBIENTAL. Quais as possíveis ações? Julho 2016

COTAS DE RESERVA AMBIENTAL. Quais as possíveis ações? Julho 2016 COTAS DE RESERVA AMBIENTAL Quais as possíveis ações? Julho 2016 Uma bolsa de valores ambientais com atuação nacional Missão Desenvolver e promover mecanismos de mercado para facilitar o cumprimento de

Leia mais

Antes de investir, compare o fundo com outros da mesma classificação.

Antes de investir, compare o fundo com outros da mesma classificação. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O L2 EXCLUSIVE FUNDO DE INVESTIMENTOS MULTIMERCADO CNPJ: 13.659.375/0001-00 Informações referentes a Novembro de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações

Leia mais

MENDES JUNIOR ENGENHARIA S/A 8ª Emissão de Debêntures. Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2015 Data Base 31/12/2015

MENDES JUNIOR ENGENHARIA S/A 8ª Emissão de Debêntures. Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2015 Data Base 31/12/2015 MENDES JUNIOR ENGENHARIA S/A 8ª Emissão de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2015 Data Base 31/12/2015 PARTICIPANTES EMISSORA COORDENADOR(ES) ESCRITURADOR LIQUIDANTE MENDES JUNIOR

Leia mais

Aspectos Tributários Relevantes

Aspectos Tributários Relevantes Aspectos Tributários Relevantes Fundos de Investimento em Participações e Holdings Estrutura FIP Cumprimento dos Requisitos Histórico Regra 40% Fiscalização Principais Considerações Características Gerais

Leia mais

DOM BOSCO PIRACICABA ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS

DOM BOSCO PIRACICABA ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS DOM BOSCO PIRACICABA ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS INTRODUÇÃO AO MERCADO DE CAPITAIS José Antonio de Souza Analista de Mercado de Capitais Gerência de Acompanhamento de Mercado-2 (GMA-2) Superintendência de

Leia mais

Manual de Normas Módulo de Distribuição de Ativos - MDA

Manual de Normas Módulo de Distribuição de Ativos - MDA Manual de Normas Versão: 06/10/2015 Documento Público MANUAL DE NORMAS DE MÓDULO DE DE DISTRIBUIÇÃO DE ATIVOS - MDA SUMÁRIO 06/10/2015 CAPÍTULO I DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO II DOS PARTICIPANTES 3 CAPÍTULO

Leia mais

BITCOIN A MOEDA DIGITAL QUE SE TORNOU REALIDADE

BITCOIN A MOEDA DIGITAL QUE SE TORNOU REALIDADE BITCOIN A MOEDA DIGITAL QUE SE TORNOU REALIDADE Alberto Ayres Benicio Mestrado em Informática pela PUC-PR Alessandro Rodrigues da Cruz Marlon Wanger Souza Silva Graduados em Análise e Desenvolvimento de

Leia mais

Aplicação, mudanças e tendências das normas contábeis - IFRS

Aplicação, mudanças e tendências das normas contábeis - IFRS www.pwc.com.br Aplicação, mudanças e tendências das normas contábeis - IFRS Setembro de 2012 Leandro Ardito Agenda Práticas contábeis adotadas no Brasil (CPC): visão geral e convergência com IFRS IFRS

Leia mais

FORMULÁRIO CONSOLIDADO Negociação de Administradores e Pessoas Ligadas Art. 11 Instrução CVM nº 358/2002

FORMULÁRIO CONSOLIDADO Negociação de Administradores e Pessoas Ligadas Art. 11 Instrução CVM nº 358/2002 FORMULÁRIO CONSOLIDADO Negociação de Administradores e Art. 11 Instrução CVM nº 358/2002 Em fevereiro de 2016, ocorreram operações com valores mobiliários e derivativos, de acordo com o artigo 11 da Instrução

Leia mais

MANUAL DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E CONTROLE INTERNO

MANUAL DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E CONTROLE INTERNO MANUAL DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E CONTROLE INTERNO Agosto / 2015 SUMÁRIO I) INTRODUÇÃO... 2 II) METODOLOGIA PARA DISTRIBUIÇÃO DE ORDENS... 2 III) METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE MERCADO... 3

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER DIVIDENDOS AÇÕES / Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER DIVIDENDOS AÇÕES / Informações referentes a Maio de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER DIVIDENDOS AÇÕES 03.396.639/0001-26 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o SANTANDER FUNDO

Leia mais

TEMA 2.1. Aspectos Contábeis Mensuração de IF: Valor Justo e Custo Amortizado pela Taxa Interna de Retorno

TEMA 2.1. Aspectos Contábeis Mensuração de IF: Valor Justo e Custo Amortizado pela Taxa Interna de Retorno FEA-USP-EAC Curso de Graduação em Ciências Contábeis Disciplina: EAC0561 : Estudos Complementares IV Contabilidade de Instrumentos Financeiros e Derivativos Aspectos Contábeis e Fiscais 2014_02 T20 TEMA

Leia mais

CONSTRUA SEU FUTURO COM ETHEREUM. Ethtrade Ltda. Apresentação

CONSTRUA SEU FUTURO COM ETHEREUM. Ethtrade Ltda. Apresentação CONSTRUA SEU FUTURO COM ETHEREUM Ethtrade Ltda. Apresentação Futuro da Cryptomoeda - mercado 2009 2016 Bitcoin Ethereum Steemit Tem aumentado mais de 1000 vezes nos últimos 7 anos A capitalização US$10,5

Leia mais

MANUAL DE GESTÃO DE RISCOS

MANUAL DE GESTÃO DE RISCOS MANUAL DE GESTÃO DE RISCOS Junho, 2016 1 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 3 2. COMITÊ DE RISCO e CONTROLES INTERNOS... 3 3. ORGANOGRAMA... 3 4. RISCO DE CRÉDITO... 4 5. RISCO DE LIQUIDEZ... 4 6. RISCO DE CONTRAPARTE...

Leia mais

PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES

PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES Aos Administradores e Cotistas BANRISUL PATRIMONIAL FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA DE LONGO PRAZO (Administrado pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul S/A) (1)

Leia mais

Como comprar Títulos Públicos através do Tesouro Direto. Etapa 1 Como se cadastrar no Tesouro Direto

Como comprar Títulos Públicos através do Tesouro Direto. Etapa 1 Como se cadastrar no Tesouro Direto Como comprar Títulos Públicos através do Tesouro Direto Etapa 1 Como se cadastrar no Tesouro Direto Passo 1 Na área logada clique em FERRAMENTAS E SERVIÇOS e depois em ASSINATURAS DE FERRAMENTAS & SERVIÇOS

Leia mais

Atividades não legislativas

Atividades não legislativas Conselho da União Europeia Bruxelas, 16 de junho de 2016 (OR. en) 10063/16 S A 52 LISTA DE PONTOS "A" Assunto: 3475.ª reunião do CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA (Assuntos Económicos e Financeiros) Data: 17

Leia mais

Lâmina de Informações Essenciais Sobre o QUEST ACOES FIC FI ACOES

Lâmina de Informações Essenciais Sobre o QUEST ACOES FIC FI ACOES Lâmina de Informações Essenciais Sobre o QUEST ACOES FIC FI ACOES Informações referentes a Dezembro de 2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o QUEST AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

PERMANENTE

PERMANENTE BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE JUNHO DE 2009 E 2008 A T I V O 30.06.2009 30.06.2008 ATIVO CIRCULANTE 62.969 46.291 DISPONIBILIDADES 46 47 APLICAÇÕES INTERFINANCEIRAS DE LIQUIDEZ 13.419 593 APLICAÇÕES EM

Leia mais

INSTRUÇÃO CVM Nº 554/14: CLASSIFICAÇÃO DE INVESTIDORES. São Paulo, 18 de dezembro de 2014 Flavia Mouta

INSTRUÇÃO CVM Nº 554/14: CLASSIFICAÇÃO DE INVESTIDORES. São Paulo, 18 de dezembro de 2014 Flavia Mouta INSTRUÇÃO CVM Nº 554/14: CLASSIFICAÇÃO DE INVESTIDORES São Paulo, 18 de dezembro de 2014 Flavia Mouta 1 Comissão de Valores Mobiliários Protegendo quem investe no futuro do Brasil. O conteúdo da apresentação

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O ALFAMAIS - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ:

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O ALFAMAIS - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ: LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O ALFAMAIS - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES Informações referentes à Dezembro de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações

Leia mais

Balanço patrimonial da Holding S.A. antes da cisão parcial: Ativos $ Passivos $

Balanço patrimonial da Holding S.A. antes da cisão parcial: Ativos $ Passivos $ CISÃO 1 INTRODUÇÃO A cisão é um processo no qual uma companhia transfere parcelas de seu patrimônio para uma ou mais sociedades, constituídas para esse fim ou já existentes, extinguindo-se a companhia

Leia mais

DFC DEMONSTRAÇÃO DE FLUXO DE CAIXA

DFC DEMONSTRAÇÃO DE FLUXO DE CAIXA DFC DEMONSTRAÇÃO DE FLUXO DE CAIXA Base Legal CPC 03 e Seção 07 da NBC TG 1.000 O presente auto estudo embasará os conceitos e procedimentos técnicos contemplados no CPC 03 (IFRS Integral) e na Seção 07

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BBM SMID CAPS VALOR FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BBM SMID CAPS VALOR FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BBM SMID CAPS VALOR FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES 08.892.340/0001-86 Informações referentes a Agosto de 2016 Esta lâmina contém

Leia mais

Câmara de Arbitragem do Mercado

Câmara de Arbitragem do Mercado Câmara de Arbitragem do Mercado O canal mais rápido e econômico para a solução de conflitos societários e do mercado de capitais. A Câmara de Arbitragem do Mercado (CAM) é o foro adequado para resolver

Leia mais

CONSTRUTORA ATERPA M. MARTINS S.A. 4ª Emissão Pública de Debêntures

CONSTRUTORA ATERPA M. MARTINS S.A. 4ª Emissão Pública de Debêntures CONSTRUTORA ATERPA M. MARTINS S.A. 4ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2014 Construtora Aterpa M. Martins S.A. 4ª Emissão Pública de Debêntures Relatório

Leia mais

PATACA. um sistema para promoção da descentralização da moeda através de moedas criptográficas

PATACA. um sistema para promoção da descentralização da moeda através de moedas criptográficas PATACA um sistema para promoção da descentralização da moeda através de moedas criptográficas um trabalho de Ricardo Macedo sob a orientação do Prof. Flávio Soares (IME-USP) e Prof. Gilson Schwartz (ECA-USP)

Leia mais

Antes de investir, compare o fundo com outros da mesma classificação.

Antes de investir, compare o fundo com outros da mesma classificação. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER LIQUIDEZ SIMPLES RENDA FIXA CURTO PRAZO 05.211.884/0001-47 Informações referentes a Dezembro de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

Resultados do ano de 2008

Resultados do ano de 2008 Resultados do ano de 2008 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação de valores mobiliários brasileira

Leia mais

Restoque Comércio e Confecções de Roupas S.A. Balanço Patrimonial Consolidado em 31 de dezembro de 2014 Em milhares de reais

Restoque Comércio e Confecções de Roupas S.A. Balanço Patrimonial Consolidado em 31 de dezembro de 2014 Em milhares de reais Restoque Comércio e Confecções de Roupas S.A. Balanço Patrimonial Consolidado em 31 de dezembro de 2014 Em milhares de reais Ativo Passivo e Patrimônio Líquido Circulante R$ Circulante R$ Caixa e equivalentes

Leia mais

Crescimento e juros. Roberto Padovani Março 2013

Crescimento e juros. Roberto Padovani Março 2013 Crescimento e juros Roberto Padovani Março 2013 jan-91 dez-91 nov-92 out-93 set-94 ago-95 jul-96 jun-97 mai-98 abr-99 mar-00 fev-01 jan-02 dez-02 nov-03 out-04 set-05 ago-06 jul-07 jun-08 mai-09 abr-10

Leia mais

Formulário de Informações Complementares

Formulário de Informações Complementares Formulário de Informações Complementares COPERNICO FIC MULT CRED PRIV IE 12.987.825/0001-20 Fevereiro 2016 A PRESENTE INSTITUIÇÃO ADERIU AO CÓDIGO ANBIMA DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS PARA OS FUNDOS

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O FI MM LP CP NANKING INSTITUC / Informações referentes a Março de 2013

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O FI MM LP CP NANKING INSTITUC / Informações referentes a Março de 2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o HSBC FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO LONGO PRAZO CREDITO PRIVADO IONAL. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER VALE PLUS AÇÕES / Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER VALE PLUS AÇÕES / Informações referentes a Maio de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER VALE PLUS AÇÕES 09.296.352/0001-00 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o SANTANDER FIC

Leia mais

Atividades de CCP Estrutura Legal e Sistemas de Administração de Riscos

Atividades de CCP Estrutura Legal e Sistemas de Administração de Riscos Título da apresentação Atividades de CCP Estrutura Legal e Sistemas de Administração de Riscos Luis Antonio Barron G. Vicente Junho 2010 Agenda 1 ESTRUTURA DO MERCADO FINANCEIRO BRASILEIRO 2 AMBIENTE DE

Leia mais

Relatório da Administração Engetec Participações em Engenharia e Construção S.A.

Relatório da Administração Engetec Participações em Engenharia e Construção S.A. Relatório da Administração Engetec Participações em Engenharia e Construção S.A. Senhores Acionistas, Em cumprimento as disposições estatuárias, submetemos a apreciação de V.Sas. o relatório anual da administração

Leia mais

Safra Exportação - Fundo de Investimento em Ações (Administrado pelo Banco Safra S.A.)

Safra Exportação - Fundo de Investimento em Ações (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Safra Exportação - Fundo de Investimento em Ações Demonstrações financeiras em 30 de setembro de 2004 e parecer de auditores independentes Parecer dos auditores independentes Aos Quotistas e ao Administrador

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE ATIVO E PASSIVO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE ATIVO E PASSIVO Art. 183 Critérios de Avaliação do ATIVO Art. 184 Critérios de Avaliação do PASSIVO Princípio do REGISTRO PELO VALOR ORIGINAL 1º As seguintes bases de mensuração devem ser utilizadas em graus distintos

Leia mais

Aula 04 Moedas e Bancos

Aula 04 Moedas e Bancos Aula 04 Moedas e Bancos 1. (GESTOR 2008) Considerando a definição de meios de pagamentos adotada no Brasil, é incorreto afirmar que: a) o M1 engloba o papel-moeda em poder do público. b) o M2 engloba os

Leia mais

Direito Empresarial. Prof. Dr. Érico Hack

Direito Empresarial. Prof. Dr. Érico Hack Direito Empresarial Aula 7 Empresário e estabelecimento empresarial Prof. Dr. Érico Hack PUCPR Evolução - Empresa Teoria subjetiva Corporações de ofício Teoria objetiva atos de comércio lista taxativa

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER SL RENDA FIXA REFERENCIADO DI / Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER SL RENDA FIXA REFERENCIADO DI / Informações referentes a Maio de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER SL RENDA FIXA REFERENCIADO DI 03.102.081/0001-29 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 05. Divulgação sobre Partes Relacionadas

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 05. Divulgação sobre Partes Relacionadas COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 05 Divulgação sobre Partes Relacionadas Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 24 Índice Item Objetivo 1 Alcance 2-4 Definições

Leia mais

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas)

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas) 1. Contexto operacional O CLUBE DE INVESTIMENTO INVEST TRADE ( Clube ) constituído por número limitado de cotistas que tem por objetivo a aplicação de recursos financeiros próprios para a constituição,

Leia mais

INFORMATIVO JURÍDICO

INFORMATIVO JURÍDICO 1 ROSENTHAL E SARFATIS METTA ADVOGADOS INFORMATIVO JURÍDICO NÚMERO 07, ANO IV JULHO DE 2012 1 RECEITA FEDERAL CRIA OBRIGAÇÃO ACESSÓRIA PARA TRANSAÇÕES COM ESTRANGEIROS Receita Federal edita Instrução Normativa

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Períodos findos em 30 de Setembro de 2014 em 31 de dezembro de 2013 Em Milhares de Reais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Períodos findos em 30 de Setembro de 2014 em 31 de dezembro de 2013 Em Milhares de Reais NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Períodos findos em 30 de Setembro de 2014 em 31 de dezembro de 2013 Em Milhares de Reais 1. Contexto operacional A empresa é uma sociedade anônima de capital

Leia mais

Política de Precificação de Ativos

Política de Precificação de Ativos Política de Precificação de Ativos 1 SUMÁRIO I. OBJETIVO... 3 II. DEFINIÇÕES... 3 III. PRINCÍPIOS E DIRETRIZES... 3 IV. METODOLOGIA... 5 V. APROVAÇÃO... 7 2 I. OBJETIVO Este documento tem como objetivo

Leia mais

O ÍNDICE I) CARACTERÍSTICAS GERAIS

O ÍNDICE I) CARACTERÍSTICAS GERAIS O ÍNDICE I) CARACTERÍSTICAS GERAIS O índice BM&FBovespa Small Cap, registrado sob o código ISIN BRSMLLINDM18, é um índice de mercado que mede o retorno de um investimento em uma carteira teórica composta

Leia mais

Tributação Indireta no contexto do IFRS. Possíveis Impactos no ICMS/ISS

Tributação Indireta no contexto do IFRS. Possíveis Impactos no ICMS/ISS Tributação Indireta no contexto do IFRS Possíveis Impactos no ICMS/ISS Reunião GEDEC 28/10/2015 Escopo da Apresentação Foram analisados os CPCs que possam gerar controvérsias ou possíveis impactos fiscais

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SAMBA DT FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO / Informações referentes a 03/2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SAMBA DT FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO / Informações referentes a 03/2016 Exibir Competência: Nome do Fundo: SAMBA DT FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ: 23.631.532/0001-22 Tipo: FDOS DE INVESTIMENTO Cód. CVM: 250856 Administrador: CM CAPITAL MARKETS DTVM LTDA CNPJ: 02.671.743/0001-19

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER ÔNIX AÇÕES / Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER ÔNIX AÇÕES / Informações referentes a Maio de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER ÔNIX AÇÕES 88.002.696/0001-36 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o SANTANDER FIC FI ONIX

Leia mais

A Regulamentação do Mercado de Valores Mobiliários Uma Perspectiva Geral (Parte III)

A Regulamentação do Mercado de Valores Mobiliários Uma Perspectiva Geral (Parte III) A Bolsa de Valores Na parte final do artigo anterior caracterizámos o mercado secundário de valores e, neste âmbito, apresentámos a definição basilar da bolsa de valores, como uma entidade que tem por

Leia mais

Lamina de Informações Essenciais

Lamina de Informações Essenciais Lamina de Informações Essenciais SUL AMÉRICA EXCELLENCE FI RENDA FIXA CP CNPJ nº 04.899.128/0001-90 Informações referentes a Julho de 2014 Rating : bra+f * Standard&Poor's Esta lâmina contém um resumo

Leia mais