Do cadastramento da Instituição de Ensino:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Do cadastramento da Instituição de Ensino:"

Transcrição

1 DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA CADASTRAMENTO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO E CURSOS DE NÍVEL MÉDIO E SUPERIOR,. NO ÂMBITO DAS PROFISSÕES INSERIDAS NO SISTEMA ONFEA/CREA, PARA CONCESSÃO DE TÍTULOS, ATRIBUIÇÕES E COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS. O cadastramento institucional é a inscrição da instituição de ensino que oferece cursos regulares no âmbito das profissões inseridas no Sistema Confea/Crea nos assentamentos do Crea em cuja circunscrição encontrar-se sua sede, em atendimento ao disposto nos arts. 10, 11 e 56 da Lei nº 5.194, de Cursos Regulares: curso técnico ou de graduação reconhecido, de pós-graduação credenciado, ou de pós-graduação senso lato considerado válido, em consonância com as disposições legais que disciplinam o sistema educacional, e devidamente registrado no Sistema Confea/Crea. Do cadastramento da Instituição de Ensino: O cadastramento da Instituição de Ensino deve ser formalizado por meio do preenchimento do Formulário A (apenso), instruído com as seguintes informações: I - indicação de seus atos constitutivos e regulatórios, registrados nos órgãos oficiais, que atestem sua existência e capacidade jurídica de atuação; II indicação de suas peças estatutárias ou regimentais, aprovadas pelos conselhos de educação ou instâncias competentes, que informem sua categoria administrativa e sua estrutura acadêmica; e III - relação dos cursos regulares oferecidos nas áreas profissionais abrangidas pelo Sistema Confea/Crea, com indicação dos respectivos atos de reconhecimento expedidos pelo poder público e publicados na imprensa oficial. Parágrafo único. A instituição de ensino deve atualizar seu cadastro institucional sempre que ocorram alterações nas informações acima indicadas. Do cadastramento do Curso: O cadastramento individual de cada curso regular oferecido pela Instituição de Ensino deve ser formalizado por meio do preenchimento do Formulário B (apenso), instruído com as seguintes informações: I - projeto pedagógico de cada um dos cursos relacionados, contendo os respectivos níveis, concepção, objetivos e finalidades gerais e específicas, estrutura acadêmica com duração indicada em períodos letivos, turnos, ementário das disciplinas e atividades acadêmicas obrigatórias, complementares e optativas com as respectivas cargas horárias, bibliografia recomendada e título acadêmico concedido; e II - caracterização do perfil de formação padrão dos egressos de cada um dos cursos relacionados, com indicação das competências, habilidades e atitudes pretendidas. Parágrafo único. A instituição de ensino deve atualizar o cadastro individual de cada curso sempre que ocorram alterações nas informações acima indicadas.

2 ÚÑÎÓËÔ_Î Ñ ß ÝßÜßÍÌÎßÓÛÒÌÑ Üß ÒÍÌ ÌË Y]Ñ ÜÛ ÛÒÍ ÒÑ Û» Ú± ³«? ±»º»»ó» ± ß ò íf ¼± ²» ± ¼ λ ± «9=± ²f ïòðïðô ¼» îî ¼» ¹± ± ¼» îððëô» ¼»ª»»»»²½ ¼± ½±³ ²º± ³ 9+» ¹»» ² «9=± Ü» Û² ²±»»«½«± «¼± ²± >³¾ ± ¼ ±º +» ²» ¼ ²± Í»³ ݱ²º» ñý» ò ïò ¼»² º ½ 9=± ø ²º± ³ ²±» 9± ¾ ± ± ¼ ¼± ± ½ ¼± ïòïò Ü»²±³ ² 9=± ¼ ² «9=± ¼» Û² ²±æ ÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ ïòîò Û²¼»»9±æ б æ ÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ Ì»»º,² ½±ø æ ÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ Ú æ ÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ Ûó³ æ ÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ ïòíò ß ± ß«± ª± ½±² «ª±»»¹«- ± ¼ ² «9=± ¼» Û² ²± øß ² ² ½» ²»²»» ²¼ ½ ²&³» ±» ¼ ¼± ß ± Ô» ¼» Ý 9=± ÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ Ü»½» ±óô» ¼» Ý 9=± ÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ Ü»½» ± ¼» Ý 9=± ÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ λ¹ ±»³ Ý - ± ÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ îò Ý ½» 9=± ¼ ² «9=± ¼» Û² ²± îòïò Ý»¹± ß¼³ ² ª øß ² ² ½» ²»²» i Ð&¾ ½ i Ú»¼» Û ¼«Ó«² ½ ß«? «½ Ú«²¼ ½ ±² Ð ª ¼ ݱ³ º ² «½ ª± Í»³ º ² «½ ª± ݱ³«²? ݱ²º» ±² Ú ² - ½ Ú«²¼ ½ ±² ݱ ± ª л ±² ¼ ¼» º3 ½ л ±² ¼ ¼» «3¼ ½

3 îòîò ± ¹ ² 9=± ß½ ¼6³ ½ øß ² ² ½» ²»²» i ˲ ª» ¼ ¼» i Ý»² ± ˲ ª»? ± i Ú ½«¼ ¼» ²¼ ½ ³¾7³»³ л9 Û «?» λ¹ ³»² ¼ ² «9=± ¼» Û² ²± ±ª ¼» ± ݱ²» ± ¼» Û¼«½ 9=± ½±³»»²» ô ¼» ½ ²¼± ²º± ³ 9+» ¹» ½ ½»»³» ««½ ¼6³ ½ ¼ ² «9=±ò îòíò Ò± ½ ± ¼» ² «9=± Ú± ³ ¼± Ó«½ ³ ô ²º± ³ ²±» 9± ¾ ± ± ½ ³ º± ¼»»¼»»³ =± ±º»»½ ¼± ½«±»¹ ¼» º± ³ 9=± ½«±»¹» ± ¼»ª ³»¹ ó» ²± Í»³ ݱ²º» ñý» æ îòíòï ÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ îòíòî ÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ îòíòí ÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ» ½òòòò íò Ý ½» 9=± ¼± ½«±»¹ ¼» º± ³ 9=± ±º»»½ ¼±» ² «9=± ¼» Û² ²± ½«±»¹» ± ¼»ª ³»¹ ó» ²± Í»³ ݱ²º» ñý» íòïò λ 9=± ¼± ½«±»¹ ¼» º± ³ 9=± ±º»»½ ¼±» ² «9=± ¼» Û² ²±ô»³ ¼»æ øð»»²½» ± Ï«¼ ± ¾ ± ½±³ ²º± ³ 9+» ¹»» ²»²» Òf ¼» Ñ ¼»³ íòïòï íòïòî» ½ò Ü»²±³ ² 9=± ¼± Ý«± ܱ½«³»² ± Ò ¼± ß ± ß«± ª± Ü ÝËÎÍÑÍ ÑÚÛÎÛÝ ÜÑÍ Òß ÍÛÜÛ Üß ÒÍÌ ÌË Y]Ñ ÒSÊÛÔ ÜÑÍ ÝËÎÍÑÍ øí ³» ³»²» ² ½±³ È Ì7½² ½± Ù ¼«9=± Í ± Ð- ó¹ ¼«9=± Ì»½²±ó -¹ ½ л² Í»² ± ± Í»² ± Û ± øû»½ ó 9=± Ó» ¼± ܱ«± ¼± Ì3 «± ß½ ¼6³ ½± ½±²½»¼ ¼±

4 íòî ò λ 9=± ¼± ½«±»¹ ¼» º± ³ 9=±»ª»² «³»²» ±º»»½ ¼±» ² «9=± ¼» Û² ²± º± ¼»»¼»ô» ½ ²¼± ± ½±» ±²¼»²» ½ ³»º» ¼± ²±»³ îòíæ øð»»²½» ± Ï«¼ ± ¾ ± ½±³ ²º± ³ 9+» ¹»» ²»²» Òf ¼» Ñ ¼»³ Ý ³ ³ ± ½«± 7 ±º»»½ ¼± Ü»²±³ ² ó9=± ¼± Ý«± ÝËÎÍÑÍ ÑÚÛÎÛÝ ÜÑÍ ÚÑÎß ÜÛ ÍÛÜÛ Üß ÒÍÌ ÌË Y]Ñ Ò ¼± ß ± ß«± ª± ÒSÊÛÔ ÜÑÍ ÝËÎÍÑÍ øí ³» ³»²» ² ½±³ È Ì7½² ½± Ù ¼«9=± Í ± Ð- ó¹ ¼«9=± Í»² ± ± Í»² ± Û ± ܱ½«³»² ± Ü Ì»½²±ó л² øû»½ ó Ó» ó ¼± ܱ«±ó ¼± -¹ ½ 9=± Ì3 «± ß½ ¼6³ ½± ½±²½»¼ ¼± íòîòï íòîòî» ½ò îòíòï îòíòî» ½ò

5 ÚÑÎÓËÔ_Î Ñ Þ ÝßÜßÍÌÎßÓÛÒÌÑ ÜÑÍ ÝËÎÍÑÍ Üß ÒÍÌ ÌË Y]Ñ ÜÛ ÛÒÍ ÒÑ Û» º± ³«? ±»º»»ó» ± ß ò ìf ¼± ²» ± ¼ λ ± «9=± ²f ïòðïðô ¼» îî ¼» ¹± ± ¼» îððëô» ¼»ª»»»»²½ ¼± ½±³ ²º± ³ 9+»»»½3º ½» ª ± ±» ±»¼ ¹-¹ ½± ¼» ½ ¼ ½«±» ½ ±² ¼± ²± Ú± ³«? ± ßò ïò Ð ±» ±»¼ ¹-¹ ½± ¼± ½«± ±º»»½ ¼±» ² «9=± Ú± ³ ¼±»³ ¼»»»ª»² «³»²» º± ¼»»¼» øð»»²½» ½ ¼ ½«± ±» 9± ¼±»²»¹«²» ïòïò Ü»²±³ ² 9=± ¼± ½«± ø ²¼ ½ ²¼± ³¾7³ ± ½±» ±²¼»²» ²&³» ± ¼» ± ¼»³ ½±² ²» ²± Ú± ³«? ± ß ÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ ÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ Òf ¼» ± ¼»³ Ü»²±³ ² 9=± Ò3ª» ¼± ½«±æ Ì7½² ½± Í ± ¼» ¹ ¼«9=±»½²± -¹ ½ Í ± ¼» ¹ ¼«9=±»² Ð- ó¹ ¼«9=±»² ± ± Ð- ó¹ ¼«9=±»² ±» ± Ó» ¼± ܱ«± ¼± Ì3 «± ß½ ¼6³ ½± ½±²½»¼ ¼±æ ÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ ïòîò ݱ²½» 9=±ô º ² ¼ ¼»» ±¾» ª± ¼± ½«± øü» ½»ª» ¼» º± ³ «½ ² ³ ½±²ª»²»²» «¾ ¼ ± ±½» ± ¼» ¾«9=± ¼» 3 «± ô ª ¼ ¼»» ½±³» 6²½ ò Í» ²»½»? ± ݱ²½» 9=±æ ÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ Ѿ» ª± æ Ù» æ ÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ Û»½3º ½± æ ÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ Ú ² ¼ ¼» æ Ù» æ ÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ Û»½3º ½ æ ÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ ²¼ ½»9» «? ±¹ ³»² ±ª ¼» ± ݱ²» ± ½±³»»²»ô ½ ½»» ««½ ¼6³ ½ ¼± ½«±æ Û «± λ¹ ³»² ± ß ±ª 9=±» ± ݱ²» ± Û ¼«¼» Û¼«½ 9=± ß ±ª 9=±» ± ݱ²» ± Ú»¼» ¼» Û¼«½ 9=± Ñ«Û»½ º ½ ÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ

6 ïòíò Û ««½ ¼6³ ½ ¼± ½«± øð»»²½» ± Ï«¼ ± ¾ ±ô ²¼ ½ ²¼± ± ²&³» ± ¼» ± ¼»³» ¼»²±³ ² 9=± ¼» ½ ¼ ½«± ±º»»½ ¼±ô ½±² ²» ¼±»² íòï» íòî ¼± Ú± ³«? ± ß Òf ¼» Ñ ¼»³ ¼± ½«± íòïòï íòïòî Û ½ò Ü»²±³ ² 9=± ¼± ½«± ²»¹ 9=±»³» 3±¼±» ª± Ì«²± Ò&³» ± ³? ³± Ò&³» ± ¼» ª ¹ λ¹ ³»»³» 3±¼±» ½±» л 3±¼± ³3² ³± л 3±¼± ³? ³± Ü «²± Ò± «²± ¼» «²± ± ±º»»½ ¼ ± Í»³» ß²««³» 3±¼±» ª± ïòìò Û ««½«½«¼± ½«± øð»»²½» ½ ¼ ½«± ± Ï«¼ ± ¾ ±ô ±¼»²¼± ½ ½» ± Û³»²? ±» Þ ¾ ±¹ º ¾? ½ ¼± ¼ Ò&³» ± ¼» ± ¼»³ ¼± ½«± íòïòï òòò Ü ½ ² ñ Ó-¼«± ñ ß ª ¼ ¼» ½±² ²» ¼± ½«3½«±»²± ïò îò íò òòòòòò ïò îò íò òòòò Ý ¹ ±? Û³»²? ± Þ ¾ ±¹ º ¾? ½ ¼± ¼ ïòëò Ѿ» ª 9+»» ½»½»¼± ¼ ½ ±² » º 9 ³ ²»½»? æ

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A RESOLUÇÃO N o 1010/05

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A RESOLUÇÃO N o 1010/05 PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A RESOLUÇÃO N o 1010/05 As perguntas abaixo foram compiladas após a série de treinamentos sobre a Resolução nº 1.010, de 2005, ministrados pelo Confea aos Creas durante o primeiro

Leia mais

Dados sobre EaD (matrículas cursos de Engenharia)

Dados sobre EaD (matrículas cursos de Engenharia) Dados sobre EaD (matrículas cursos de Engenharia) Matrículas EaD - Público e Privado - Brasil 2013 Região Curso Matrículas Centro-Oeste Engenharia Ambiental 33 Centro-Oeste Engenharia Civil 279 Centro-Oeste

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 1.007, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2003.

RESOLUÇÃO Nº 1.007, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2003. RESOLUÇÃO Nº 1.007, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2003. Dispõe sobre o registro de profissionais, aprova os modelos e os critérios para expedição de Carteira de Identidade Profissional e dá outras providências.

Leia mais

!"!#$ %"&'$ (#!') *!"!#$ %"('$ (#')+,-#$ (,-'.,/%0,).,/%0 ).,/10 %23455623556 7899: 5;665;66 ?9@ABCD@9EF9G3H>BIJK>I9@A@BG4>I9LAB@K@JIM>D899:566566 NBCKOPQCIHBCRSG7HHBCRHBCKOTA>CUGNBCKOTA>CUIHBCR8ACUVW:X6YZ

Leia mais

CARTILHA PARA ADESÃO ATA DE REGISTRO DE PREÇO

CARTILHA PARA ADESÃO ATA DE REGISTRO DE PREÇO CARTILHA PARA ADESÃO ATA DE REGISTRO DE PREÇO POLÍCIA RODOVIARIA FEDERAL ARP Nº 09/2013 Aos Órgãos da Administração Pública Ref.: 2013. Ata de Registro de Preços conforme preceitua o Decreto Nº 7.892,

Leia mais

O EXERCÍCIO PROFISSIONAL DA ÁREA TECNOLÓGICA NO SISTEMA CONFEA/CREA

O EXERCÍCIO PROFISSIONAL DA ÁREA TECNOLÓGICA NO SISTEMA CONFEA/CREA O EXERCÍCIO PROFISSIONAL DA ÁREA TECNOLÓGICA NO SISTEMA CONFEA/CREA O PAPEL DOS CONSELHOS PROFISSIONAIS Parecer CNE/CES n 20/2002 Não cabe ao órgão profissional definir condições de funcionamento de cursos

Leia mais

Edital SRH/AGP/Nº001/08

Edital SRH/AGP/Nº001/08 Edital SRH/AGP/Nº001/08 CREDENCIAMENTO DE SERVIDORES DA UFCG PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PROFISSIONAIS DE INSTRUTORIA EM DIVERSAS ÁREAS NO DESENVOLVIMENTO DE CURSOS DE CAPACITAÇÃO E PÓS- GRADUAÇÃO (LATO-SENSO)

Leia mais

SOMBRA CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃ TÓPICOS EM SISTEMAS DISTRIBUÍDOS

SOMBRA CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃ TÓPICOS EM SISTEMAS DISTRIBUÍDOS UNIVERSIDADE SEVERINO SOMBRA CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃ ÇÃO TÓPICOS EM SISTEMAS DISTRIBUÍDOS DOS Prof. Giuliano Prado M. Giglio, MSc. profgiuliano@yahoo.com.br http://www.profgiuliano.cjb.net Tópicos

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 07/11 CONSUNI

RESOLUÇÃO Nº 07/11 CONSUNI RESOLUÇÃO Nº 07/11 CONSUNI APROVA O REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO. A Presidente do Conselho Universitário CONSUNI do Centro Universitário Católica de Santa

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 5.622, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2005. Vide Lei n o 9.394, de 1996 Texto compilado Regulamenta o art. 80 da Lei n o 9.394, de

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 5.622, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2005. Vide Lei n o 9.394, de 1996 Regulamenta o art. 80 da Lei n o 9.394, de 20 de dezembro

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 5.622, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2005. Vide Lei n o 9.394, de 1996 Regulamenta o art. 80 da Lei n o 9.394, de 20 de dezembro

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO PROFISSIONAL EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM SAÚDE REGIMENTO INTERNO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO PROFISSIONAL EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM SAÚDE REGIMENTO INTERNO UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO PROFISSIONAL EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM SAÚDE REGIMENTO INTERNO I DOS OBJETIVOS E DA ESTRUTURAÇÃO GERAL DO MESTRADO Art.

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC 1 PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC O PPC, Projeto Pedagógico de Curso, é o instrumento de concepção de ensino e aprendizagem de um curso e apresenta características de um projeto, no qual devem ser definidos

Leia mais

REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO

REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO UNIÃO DAS INSTITUIÇÕES DE SERVIÇOS, ENSINO E PESQUISA LTDA. REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO SÃO PAULO 2010 Capítulo I Das Disposições Preliminares Art. 1º - Os Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 30, DE 28 DE ABRIL DE 2011

RESOLUÇÃO Nº 30, DE 28 DE ABRIL DE 2011 RESOLUÇÃO Nº 30, DE 28 DE ABRIL DE 2011 Dispõe sobre as normas para a pós-graduação na modalidade lato sensu ofertada pela Universidade Federal do Pampa. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal

Leia mais

DECRETO FEDERAL Nº 6.303, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2007 Diário Oficial da União; Poder Executivo, Brasília, DF, 13 dez. 2007. Seção I, p.

DECRETO FEDERAL Nº 6.303, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2007 Diário Oficial da União; Poder Executivo, Brasília, DF, 13 dez. 2007. Seção I, p. DECRETO FEDERAL Nº 6.303, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2007 Diário Oficial da União; Poder Executivo, Brasília, DF, 13 dez. 2007. Seção I, p. 4 Altera dispositivos dos Decretos nos 5.622, de 19 de dezembro de

Leia mais

REGIMENTO DO SETOR REGISTROS ACADÊMICOS

REGIMENTO DO SETOR REGISTROS ACADÊMICOS REGIMENTO DO SETOR REGISTROS ACADÊMICOS CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES INICIAIS DAS COMPETÊNCIAS Art. 1º O Setor de Registros Acadêmicos - SRA é o órgão que operacionaliza todas as atividades ligadas à vida

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº.03/2008

RESOLUÇÃO Nº.03/2008 FACULDADE DE CAMPINA GRANDE DO SUL Credenciada pela Portaria MEC nº 381/2001, de 05/03/2001 D.O.U. 06/03/2001 RESOLUÇÃO Nº.03/2008 Dispõe sobre o Regulamento do Programa de Iniciação Científica. O Conselho

Leia mais

ATO ESPECIAL Nº. 017/2012 Santarém, 29 de março de 2012.

ATO ESPECIAL Nº. 017/2012 Santarém, 29 de março de 2012. ATO ESPECIAL Nº. 017/2012 Santarém, 29 de março de 2012. O Diretor Geral das Faculdades Integradas do Tapajós FIT, no uso de suas atribuições legais e regimentais, e, CONSIDERANDO que as Faculdades Integradas

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO FACULDADE SUMARÉ

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO FACULDADE SUMARÉ REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO FACULDADE SUMARÉ 2008 CAPÍTULO I DA CONCEPÇÃO E FINALIDADE Art. 1º. Respeitada a legislação vigente, as normas específicas aplicáveis a cada curso e, em

Leia mais

Formação de Formadores

Formação de Formadores REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: Formação de Formadores São Paulo 2012 1 Sumário Título I Da Constituição do Programa... 03 Capítulo I Dos Fins e Objetivos... 03 Capítulo II

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE INFRA-ESTRUTURA E LOGÍSTICA DEPARTAMENTO AUTÔNOMO DE ESTRADAS DE RODAGEM EDITAL N 001/2009

GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE INFRA-ESTRUTURA E LOGÍSTICA DEPARTAMENTO AUTÔNOMO DE ESTRADAS DE RODAGEM EDITAL N 001/2009 Anexo IV Da classificação e da tabela de pontuação A) Para os cargos de Técnico em Assuntos Rodoviários e Técnico em Assuntos Administrativos: TEMPO DE FORMAÇÃO NA PROFISSÃO: Comprovação através de Diploma

Leia mais

SELEÇÃO DE MONITORES DO CURSO DE ENFERMAGEM EDITAL 01/2015

SELEÇÃO DE MONITORES DO CURSO DE ENFERMAGEM EDITAL 01/2015 SELEÇÃO DE MONITORES DO CURSO DE ENFERMAGEM EDITAL 01/2015 A Diretora-Geral da Faculdade Jk, no uso de suas atribuições estatutárias e regimentais, torna público que estão abertas, de acordo com o que

Leia mais

PROGRAMA DE MONITORIA VOLUNTÁRIA DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO EDITAL 01/2015

PROGRAMA DE MONITORIA VOLUNTÁRIA DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO EDITAL 01/2015 PROGRAMA DE MONITORIA VOLUNTÁRIA DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO EDITAL 01/2015 A Coordenação dos Cursos Superiores de Tecnologia da Informação da Faculdade JK, no uso de suas atribuições

Leia mais

CAPÍTULO I Das definições preliminares, das e dos objetivos.

CAPÍTULO I Das definições preliminares, das e dos objetivos. Resolução n.º 03/2010 Regulamenta os Cursos de Pós-Graduação da Faculdade Campo Real. O CONSU Conselho Superior, por meio do Diretor Geral da Faculdade Campo Real, mantida pela UB Campo Real Educacional

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA A Coordenadora da Faculdade de Ciência e Tecnologia de Montes Claros FACIT, no uso de suas atribuições regimentais, considerando que o projeto dos cursos

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 62 DE 26 DE SETEMBRO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº 62 DE 26 DE SETEMBRO DE 2013 RESOLUÇÃO Nº 62 DE 26 DE SETEMBRO DE 2013 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Pampa, em sua 45ª Reunião Ordinária, realizada no dia 26 de setembro de 2013, no uso das atribuições que lhe

Leia mais

MBA EM GESTÃO DE PROJETOS a distância

MBA EM GESTÃO DE PROJETOS a distância FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI FLORIANÓPOLIS DIREÇÃO GERAL DA FACULDADE João Roberto Lorenzett COORDENAÇÃO DA FACULDADE Priscila Basto Fagundes COORDENAÇÃO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Beth Schirmer

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO Lato Sensu FACULDADE SATC

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO Lato Sensu FACULDADE SATC REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO Lato Sensu FACULDADE SATC 2014 ÍNDICE CAPÍTULO I... 3 Da Constituição, Natureza, Finalidade e Objetivos dos Cursos... 3 CAPÍTULO II... 3 Da Implantação dos Cursos...

Leia mais

REGULAMENTO INSTITUCIONAL PÓS-GRADUAÇÃO

REGULAMENTO INSTITUCIONAL PÓS-GRADUAÇÃO DIRETORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO REGULAMENTO INSTITUCIONAL PÓS-GRADUAÇÃO CACOAL 2007 Capítulo I Das Disposições Preliminares Art. 1º - Os Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu (Especialização)

Leia mais

EDITAL DE ABERTURA DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS E SOCIAIS APLICADAS DO ARAGUAIA

EDITAL DE ABERTURA DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS E SOCIAIS APLICADAS DO ARAGUAIA EDITAL DE ABERTURA DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS E SOCIAIS APLICADAS DO ARAGUAIA A Diretora Acadêmica da Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais Aplicadas do

Leia mais

Portaria nº 69, de 30/06/2005

Portaria nº 69, de 30/06/2005 Câmara dos Deputados Centro de Documentação e Informação - Legislação Informatizada Portaria nº 69, de 30/06/2005 O PRIMEIRO-SECRETÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS, no uso das atribuições que lhe confere o

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO DO INSTITUTO SALESIANO DE FILOSOFIA

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO DO INSTITUTO SALESIANO DE FILOSOFIA REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO DO INSTITUTO SALESIANO DE FILOSOFIA CAPÍTULO I DO CONCEITO E OBJETIVOS Art. 1º. O Núcleo de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão, doravante

Leia mais

EDITAL Nº 11/2014. Processo Seletivo de Bolsistas para Monitoria em Ensino a Distância

EDITAL Nº 11/2014. Processo Seletivo de Bolsistas para Monitoria em Ensino a Distância UDF - CENTRO UNIVERSITÁRIO PRÓ-REITORIA ACADÊMICA EDITAL Nº 11/2014 Processo Seletivo de Bolsistas para Monitoria em Ensino a Distância A Pró-Reitora, no uso de suas atribuições regimentais e tendo em

Leia mais

REGULAMENTO DOS PROCESSOS DE TRANSFERÊNCIA, APROVEITAMENTO DE ESTUDOS E COMPETÊNCIAS E ACESSO DE PORTADOR DE DIPLOMA SUPERIOR

REGULAMENTO DOS PROCESSOS DE TRANSFERÊNCIA, APROVEITAMENTO DE ESTUDOS E COMPETÊNCIAS E ACESSO DE PORTADOR DE DIPLOMA SUPERIOR REGULAMENTO DOS PROCESSOS DE TRANSFERÊNCIA, APROVEITAMENTO DE ESTUDOS E COMPETÊNCIAS E ACESSO DE PORTADOR DE DIPLOMA SUPERIOR (Aplicado aos cursos de Graduação) Aprovado no Conselho de Ensino, Pesquisa

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DE POUSO ALEGRE REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE APROVEITAMENTO DE ESTUDOS

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DE POUSO ALEGRE REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE APROVEITAMENTO DE ESTUDOS INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DE POUSO ALEGRE REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE DE ESTUDOS Art. 1º O aproveitamento de estudos é o resultado do reconhecimento da equivalência de uma ou mais disciplinas, componente(s)

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 18, DE 2 DE MARÇO DE 2012

RESOLUÇÃO Nº 18, DE 2 DE MARÇO DE 2012 RESOLUÇÃO Nº 18, DE 2 DE MARÇO DE 2012 Dispõe sobre os registros definitivos e temporários de profissionais no Conselho de Arquitetura e Urbanismo e dá outras providências. O Conselho de Arquitetura e

Leia mais

CAPÍTULO II DA DURAÇÃO E DA CARGA HORÁRIA

CAPÍTULO II DA DURAÇÃO E DA CARGA HORÁRIA POLO UFRJ - XERÉM COORDENAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL E SUPORTE ACADÊMICO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO Art. 1 o. As Atividades Complementares são componentes

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU R E G I M E N T O G E R A L PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Regimento Geral PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Este texto foi elaborado com as contribuições de um colegiado de representantes da Unidades Técnico-científicas,

Leia mais

MBA EM GESTÃO DE PROJETOS

MBA EM GESTÃO DE PROJETOS FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI FLORIANÓPOLIS DIREÇÃO GERAL DA FACULDADE João Roberto Lorenzett COORDENAÇÃO DA FACULDADE Priscila Basto Fagundes COORDENAÇÃO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Beth Schirmer

Leia mais

EDITAL DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU MBA EM GESTÃO INDUSTRIAL

EDITAL DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU MBA EM GESTÃO INDUSTRIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI FLORIANÓPOLIS DIREÇÃO GERAL DA FACULDADE: JOÃO ROBERTO LORENZETT COORDENAÇÃO DA FACULDADE: PRISCILA FAGUNDES COORDENAÇÃO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU: RONALDO CARLOS

Leia mais

PROGRAMA DE BOLSAS DE FORMAÇÃO ACADÊMICA MODALIDADE: MESTRADO E DOUTORADO

PROGRAMA DE BOLSAS DE FORMAÇÃO ACADÊMICA MODALIDADE: MESTRADO E DOUTORADO PROGRAMA DE BOLSAS DE FORMAÇÃO ACADÊMICA MODALIDADE: MESTRADO E DOUTORADO EDITAL Nº. 01/2008 O Presidente da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico FUNCAP, Prof. Tarcísio

Leia mais

DELIBERAÇÃO CEE/MS N 9367, DE 27 DE SETEMBRO DE 2010.

DELIBERAÇÃO CEE/MS N 9367, DE 27 DE SETEMBRO DE 2010. DELIBERAÇÃO CEE/MS N 9367, DE 27 DE SETEMBRO DE 2010. Dispõe sobre o Atendimento Educacional Especializado na educação básica, modalidade educação especial, no Sistema Estadual de Ensino de Mato Grosso

Leia mais

DOS CURSOS E SEUS OBJETIVOS

DOS CURSOS E SEUS OBJETIVOS REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DAS FACULDADES INTEGRADAS DE VITÓRIA DOS CURSOS E SEUS OBJETIVOS Disciplina os Cursos de Pós- Graduação Lato Sensu nas modalidades Acadêmica e Profissionalizante

Leia mais

REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO - IFG

REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO - IFG REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO - IFG DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Art.1º. O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) é componente curricular obrigatório dos cursos

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE LETRAS REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DA ESTRUTURA

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE LETRAS REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DA ESTRUTURA UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE LETRAS REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DA ESTRUTURA Art. 1º O presente regulamento estabelece as orientações básicas

Leia mais

RESOLUÇÃO - CONSUNI Nº 06/2011

RESOLUÇÃO - CONSUNI Nº 06/2011 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS RESOLUÇÃO - CONSUNI Nº 06/2011 Disciplina o relacionamento entre a Universidade Federal de Goiás e as Fundações de Apoio à UFG. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO

Leia mais

CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES E DIRETRIZES DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO. Ji-Paraná RO, 2015.

CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES E DIRETRIZES DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO. Ji-Paraná RO, 2015. CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES E DIRETRIZES DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO Ji-Paraná RO, 15. CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES E DIRETRIZES DAS ATIVIDADES

Leia mais

PRÓ- REITORIA DE PESQUISA, PÓS- GRADUAÇÃO, EXTENSÃO E CULTURA GERÊNCIA DE PÓS- GRADUAÇÃO PROGRAMA DE MESTRADO ACADÊMICO EM COMPUTAÇÃO APLICADA

PRÓ- REITORIA DE PESQUISA, PÓS- GRADUAÇÃO, EXTENSÃO E CULTURA GERÊNCIA DE PÓS- GRADUAÇÃO PROGRAMA DE MESTRADO ACADÊMICO EM COMPUTAÇÃO APLICADA PRÓ- REITORIA DE PESQUISA, PÓS- GRADUAÇÃO, EXTENSÃO E CULTURA GERÊNCIA DE PÓS- GRADUAÇÃO PROGRAMA DE MESTRADO ACADÊMICO EM COMPUTAÇÃO APLICADA NORMAS PARA O ESTÁGIO DE DOCÊNCIA Em sua Seção III, Regimento

Leia mais

O COORDENADOR DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL, no uso de suas atribuições legais e regimentais, e:

O COORDENADOR DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL, no uso de suas atribuições legais e regimentais, e: Resoluçãonº01de209 Regulamenta o Estágio de Docência para os alunos do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil O COORDENADOR DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL, no uso de suas atribuições

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EDITAL DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO TECNOLÓGICA INOVATEC/UERGS 2012

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EDITAL DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO TECNOLÓGICA INOVATEC/UERGS 2012 PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EDITAL DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO TECNOLÓGICA INOVATEC/UERGS 2012 EDITAL PROPPG 011/2011 O Reitor da UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO

Leia mais

ÒØ Ò Ó ÂÓ ÕÙ Ñ Ò Ö Ø Ú ÍÑ Å ØÓ ÓÐÓ È ÖØ Ó Ô Ö Ó Ó¹ÔÖÓ ØÓ Ë Ø Ñ Ø Ñ Ó Ì Ù Ñ Ø ÓÐ Ò Ò Ö ÍÒ Ú Ö Ó Å Ò Ó Ô Ö Ó Ø ÒÓ Ó Ö Ù ÓÙØÓÖ Ñ ÁÒ ÓÖÑ Ø ýö Ô Ð Þ Ó Ñ Ò Ò Ö ÓÑÔÙØ ÓÖ µ ÍÒ Ú Ö Ó Å Ò Ó ÓÐ Ò Ò Ö Ô ÖØ Ñ ÒØÓ ÁÒ

Leia mais

PORTARIA Nº. 14/REITORIA/10, de 5 de julho de 2010 CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

PORTARIA Nº. 14/REITORIA/10, de 5 de julho de 2010 CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO PORTARIA Nº. 14/REITORIA/10, de 5 de julho de 2010 CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Institui e estabelece critérios para o Aproveitamento de Estudos e Verificação de Proficiência para fins de certificação

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO INTRODUÇÃO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO (PPC) Articulação com o Plano de Desenvolvimento Institucional PDI Projeto Político Pedagógico Indissociabilidade entre ensino, pesquisa

Leia mais

Patrimônio Genético - Cadastramento de Instituições e Autorização de Acesso e Remessa

Patrimônio Genético - Cadastramento de Instituições e Autorização de Acesso e Remessa Patrimônio Genético - Cadastramento de Instituições e Autorização de Acesso e Remessa RN-017/2010 O Presidente do CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO - CNPq, no uso das atribuições

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS SECRETARIA DOS CONSELHOS RESOLUÇÃO Nº 195- CEPEX/2007

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS SECRETARIA DOS CONSELHOS RESOLUÇÃO Nº 195- CEPEX/2007 RESOLUÇÃO Nº 195- CEPEX/2007 APROVA O REGULAMENTO DA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA NO ÂMBITO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS - UNIMONTES O Reitor e Presidente do CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

Leia mais

APROVAR as normas para concessão de afastamento para pós-graduação aos servidores do IF-SC. CAPÍTULO I DOS TIPOS DE PÓS-GRADUAÇÃO

APROVAR as normas para concessão de afastamento para pós-graduação aos servidores do IF-SC. CAPÍTULO I DOS TIPOS DE PÓS-GRADUAÇÃO RESOLUÇÃO N o 019/2012/CDP Florianópolis, 03 de maio de 2012. A PRESIDENTE DO DO INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA, no uso das atribuições que lhe foram conferidas pelo Regimento Geral do IF-SC e pelo

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE VOLTA REDONDA - UniFOA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE EXTENSÃO PIBEx

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE VOLTA REDONDA - UniFOA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE EXTENSÃO PIBEx CENTRO UNIVERSITÁRIO DE VOLTA REDONDA - UniFOA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE EXTENSÃO PIBEx REGULAMENTO O Presidente do CONSUN e CONSEPE do Centro

Leia mais

João Fernando Custodio da Silva Engenheiro Cartógrafo, Conselheiro CREA-SP 2007-2009 Professor Titular do Departamento de Cartografia, FCT/UNESP

João Fernando Custodio da Silva Engenheiro Cartógrafo, Conselheiro CREA-SP 2007-2009 Professor Titular do Departamento de Cartografia, FCT/UNESP Regulamentação da atribuição de títulos profissionais, atividades, competências e caracterização do âmbito de atuação dos profissionais inseridos no Sistema CONFEA-CREA João Fernando Custodio da Silva

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DO ICSP/FESP CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DO ICSP/FESP CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS 1 FESP ICSP INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DO PARANÁ Mantenedora: Fundação de Estudos Sociais do Paraná CGC/MF: 76.602.895/0001-04 Inscr. Estadual: Isento Rua General Carneiro, 216 Fone/Fax (0xx41) 264-3311

Leia mais

RESOLUÇÃO N.º 03/2013

RESOLUÇÃO N.º 03/2013 RESOLUÇÃO N.º 03/2013 Aprova, após manifestação favorável do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão, a Proposta de novo Regulamento Geral dos Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu da Pontifícia Universidade

Leia mais

Gerente GC GC. Cluster N. Cluster 1. Cluster 2

Gerente GC GC. Cluster N. Cluster 1. Cluster 2 Ö Ò Ð ØÖ Ù ÓÒ Ú Ð Ñ ÐÙ Ø Ö ÒØ Ð Ö Äº Ó Ë ÒØÓ Ð Èº Ù ÖØ ÂÖº Ð ÒÒ Å Ò Ð Ð Ö ºÙ Ñ º Ö Ð Ò ºÙ ÔÖº Ö Ý ÖÝ ÓкӺ Ô ÔØÓº Ò ÓÑÔÙØ Ó ÔØÓº ÁÒ ÓÖÑ Ø Ý Ö ËÓÐÙØ ÓÒ ÁÒº ÍÒ Úº Ö Ð Å Ò Ö ÍÒ Úº Ö Ð Ó È Ö Ò Ó ¹ Ù Ë Ò Å

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DO CESUBE

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DO CESUBE REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DO CESUBE Considerando o significado e a importância do Estágio como parte fundamental da formação profissional, define-se

Leia mais

INGRESSO DE PROFISSIONAIS ESTRANGEIROS NO BRASIL

INGRESSO DE PROFISSIONAIS ESTRANGEIROS NO BRASIL INGRESSO DE PROFISSIONAIS ESTRANGEIROS NO BRASIL REGISTRO PROFISSIONAL E ACERVO TÉCNICO A EXPERIÊNCIA DO CREA-PR Eng. Civ. Joel Krüger Presidente CREA-PR Sistema CONFEA/CREAs 977.750 Profissionais 306

Leia mais

REGULAMENTO DE MONITORIA-GRADUADA DAS FACULDADES DE VITÓRIA FDV. Estabelece normas para o funcionamento do Programa de Monitoria-Graduada na FDV

REGULAMENTO DE MONITORIA-GRADUADA DAS FACULDADES DE VITÓRIA FDV. Estabelece normas para o funcionamento do Programa de Monitoria-Graduada na FDV 1 1 1 1 1 1 0 1 0 REGULAMENTO DE MONITORIA-GRADUADA DAS FACULDADES DE VITÓRIA FDV Estabelece normas para o funcionamento do Programa de Monitoria-Graduada na FDV Art. 1 o. A monitoria-graduada é atividade

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (PROBIC/UNIARAXÁ)

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (PROBIC/UNIARAXÁ) REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (PROBIC/UNIARAXÁ) CAPÍTULO I DAS FINALIDADES E OBJETIVOS Art. 1 - As normas que seguem visam orientar pesquisadores e bolsistas vinculados a projetos

Leia mais

RESOLUÇÃO CSA N.º 07, DE 23 DE SETEMBRO DE 2014

RESOLUÇÃO CSA N.º 07, DE 23 DE SETEMBRO DE 2014 RESOLUÇÃO CSA N.º 07, DE 23 DE SETEMBRO DE 2014 Estabelece o Regulamento para a Oferta de Cursos de Pós Graduação Lato Sensu das Faculdades Ponta Grossa. A Presidente do Conselho Superior de Administração

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE DE DIREITO DE VITÓRIA FDV

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE DE DIREITO DE VITÓRIA FDV REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE DE DIREITO DE VITÓRIA FDV REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA TÍTULO I Dos Princípios gerais Art. 1. Este regimento Interno disciplina

Leia mais

Portaria nº 73, de 24 de abril de 2014.

Portaria nº 73, de 24 de abril de 2014. Portaria nº 73, de 24 de abril de 2014. O SECRETÁRIO DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DO DISTRITO FEDERAL, no uso das atribuições que lhe conferem o artigo 105, parágrafo único, III, da Lei Orgânica do Distrito Federal

Leia mais

PRESIDÊNCIA 21 / 06 / 2013 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 22 / 2013

PRESIDÊNCIA 21 / 06 / 2013 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 22 / 2013 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL PRESIDÊNCIA 21 / 06 / 2013 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 22 / 2013 Assunto: Fixa

Leia mais

Universidade Estadual de Maringá GABINETE DA REITORIA

Universidade Estadual de Maringá GABINETE DA REITORIA R E S O L U Ç Ã O N o 119/2005-CEP CERTIDÃO Certifico que a presente Resolução foi afixada em local de costume, nesta Reitoria, no dia 1º/9/2005. Esmeralda Alves Moro, Secretária. Aprova normas para organização

Leia mais

Fatec Barueri Padre Danilo José de Oliveira Ohl Diretoria

Fatec Barueri Padre Danilo José de Oliveira Ohl Diretoria Edital 051/2015 (Vagas remanescentes para mudança de curso para Comércio Exterior, Transporte Terrestre, Eventos, Gestão da Tecnologia da Informação, Gestão Empresarial) O Diretor da Faculdade de Tecnologia

Leia mais

U N I V E R S I D A D E C A T Ó L I C A D E B R AS Í L I A P R Ó - R E I T O R I A D E P Ó S - G R A D U A Ç Ã O E P E S Q U I S A P R PG P/ U C B

U N I V E R S I D A D E C A T Ó L I C A D E B R AS Í L I A P R Ó - R E I T O R I A D E P Ó S - G R A D U A Ç Ã O E P E S Q U I S A P R PG P/ U C B U N I V E R S I D A D E C A T Ó L I C A D E B R AS Í L I A P R Ó - R E I T O R I A D E P Ó S - G R A D U A Ç Ã O E P E S Q U I S A P R PG P/ U C B REGULAMENTO GERAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO

Leia mais

RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 742

RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 742 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 742 Aprova o Regulamento Geral dos Cursos de Pós-Graduação LATO SENSU da UFG, revogando-se a Resolução CEPEC Nº 540. O CONSELHO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONGREGAÇÃO DO INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS RESOLUÇÃO Nº 11 - IG, DE 17 DE ABRIL DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONGREGAÇÃO DO INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS RESOLUÇÃO Nº 11 - IG, DE 17 DE ABRIL DE 2015 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONGREGAÇÃO DO INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS RESOLUÇÃO Nº 11 - IG, DE 17 DE ABRIL DE 2015 Estabelece normas para efeito de registro e alocação de carga horária

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 002/2014

RESOLUÇÃO Nº 002/2014 RESOLUÇÃO Nº 002/2014 Dispõe sobre o Estágio Profissional de Advocacia e disciplina o credenciamento de escritórios de advocacia e outras entidades interessadas, bem como os convênios celebrados pela OAB/BA

Leia mais

Grupo 1: Atividades Complementares de Ensino (Máximo de 120 horas)

Grupo 1: Atividades Complementares de Ensino (Máximo de 120 horas) CENTRO INTEGRADO DE ENSINO SUPERIOR DE FLORIANO FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DE FLORIANO - FAESF RUA FÉLIX PACHÊCO, 1206 BAIRRO: MANGUINHA FONE: (89) 3521-6512 ou 3521-2956 CNPJ: 04.899.971/0001-76 E-MAIL:

Leia mais

Ö Ø Ö Þ Ó Ö Ö È Ö¹ØÓ¹È Ö ÂÙÐ ÒÓ Ë ÒØÓ Ä ÓÒ Ö Ó ÊÓ Ó ÆÓ Ù Ö È ÙÐÓ Ö Ù Ó Î Ö Ð Ó ÐÑ Ï Ò Ö Å Ö ÂÖº Ô ÖØ Ñ ÒØÓ Ò ÓÑÔÙØ Ó ÍÒ Ú Ö Ö Ð Å Ò Ö ÙÐ ÒÓ ÐÖÓ Ó Ô ÙÐÓ Ú Ö Ð Ó Ñ Ö ºÙ Ñ º Ö ½ Ö Ð ¾¼¼¾ È Ð ÚÖ ¹ Ú Ë Ø Ñ

Leia mais

O Decreto 5.773 de 09/05/2006, dispõe sobre o ato regulatório de credenciamento de Instituições de Educação Superior (IES).

O Decreto 5.773 de 09/05/2006, dispõe sobre o ato regulatório de credenciamento de Instituições de Educação Superior (IES). Credenciamento de IES O Decreto 5.773 de 09/05/2006, dispõe sobre o ato regulatório de credenciamento de Instituições de Educação Superior (IES). O início do funcionamento de IES é condicionado à edição

Leia mais

LEI N. 1397/2013, de 03 de dezembro de 2013.

LEI N. 1397/2013, de 03 de dezembro de 2013. LEI N. 1397/2013, de 03 de dezembro de 2013. REESTRUTURA O SISTEMA MUNICIPAL DE ENSINO, O CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE FAZENDA VILANOVA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. PEDRO ANTONIO DORNELLES, PREFEITO

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 012, de 27 de março de 2008. 1 (Modificado o Regimento pela Res. 022/2011 e 061/2011)

RESOLUÇÃO N o 012, de 27 de março de 2008. 1 (Modificado o Regimento pela Res. 022/2011 e 061/2011) RESOLUÇÃO N o 012, de 27 de março de 2008. 1 (Modificado o Regimento pela Res. 022/2011 e 061/2011) Cria o Núcleo de Educação a Distância (NEAD) e aprova seu Regimento Interno. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

MBA EM GESTÃO DE SERVIÇOS COMPARTILHADOS

MBA EM GESTÃO DE SERVIÇOS COMPARTILHADOS FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI FLORIANÓPOLIS DIREÇÃO GERAL DA FACULDADE: JOÃO ROBERTO LORENZETT COORDENAÇÃO DA FACULDADE: PRISCILA FAGUNDES COORDENAÇÃO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU: LUÍS HENRIQUE

Leia mais

RESOLUÇÃO N 92/13 CEPE

RESOLUÇÃO N 92/13 CEPE RESOLUÇÃO N 92/13 CEPE Aprova normas de dispensa de Disciplinas, de Equivalência de Disciplinas, de Exames de Adiantamento e Aproveitamento de Conhecimento nos cursos de graduação da Universidade Federal

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE DE CASTANHAL TÍTULO I

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE DE CASTANHAL TÍTULO I REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE DE CASTANHAL TÍTULO I DOS PRINCÍPIOS GERAIS Art. 1º. Este Regulamento dispõe sobre o Núcleo de Prática Jurídica do Curso de Direito

Leia mais

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE ORIENTADOR DE APRENDIZAGEM N.º

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE ORIENTADOR DE APRENDIZAGEM N.º UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA REGIONAL DE CHAPECÓ - UNOCHAPECÓ UNOCHAPECÓVirtual Núcleo de Educação a Distância da UNOCHAPECÓ EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE ORIENTADOR DE APRENDIZAGEM N.º 001/2006

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 25/11-CEPE R E S O L V E:

RESOLUÇÃO Nº 25/11-CEPE R E S O L V E: RESOLUÇÃO Nº 25/11-CEPE Fixa normas para execução do Programa Bolsa Extensão da Universidade Federal do Paraná. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO da Universidade Federal do Paraná, órgão normativo,

Leia mais

manual do ESTAGIÁRIO

manual do ESTAGIÁRIO manual do ESTAGIÁRIO SUMÁRIO O que é estágio?...05 Modalidades...06 Objetivo geral...06 Quem pode e onde fazer?...08 Procedimentos para formalização da matrícula...08 Carga horária e remuneração...11

Leia mais

REGULAMENTO DA DISCIPLINA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS SUPERIORESDE GRADUAÇÃO DO CEFET-PR. Capítulo I DO ESTÁGIO E SUAS FINALIDADES

REGULAMENTO DA DISCIPLINA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS SUPERIORESDE GRADUAÇÃO DO CEFET-PR. Capítulo I DO ESTÁGIO E SUAS FINALIDADES REGULAMENTO DA DISCIPLINA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS SUPERIORESDE GRADUAÇÃO DO CEFET-PR Capítulo I DO ESTÁGIO E SUAS FINALIDADES Art. 1º - O Estágio Curricular, baseado na lei nº 6.494,

Leia mais

ATO Nº 32/2009. O DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABA- LHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

ATO Nº 32/2009. O DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABA- LHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, ATO Nº 32/2009 Dispõe sobre a concessão de Bolsa de Estudo de cursos de pós-graduação lato e strito sensu, na forma de reembolso parcial, para magistrados e servidores do Tribunal Regional do Trabalho

Leia mais

Art. 1. As ATIVIDADES COMPLEMENTARES do Curso de Direito da FFB serão regidas por este Regulamento.

Art. 1. As ATIVIDADES COMPLEMENTARES do Curso de Direito da FFB serão regidas por este Regulamento. REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURRÍCULO NOVO DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE FARIAS BRITO Dispõe acerca do regime das Atividades Complementares do Currículo Novo (Grade 03) do Curso de

Leia mais

O CONSELHO UNIVERSITÁRIO - CONSU DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO, no uso de suas atribuições estatutárias e regimentais, RESOLVE:

O CONSELHO UNIVERSITÁRIO - CONSU DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO, no uso de suas atribuições estatutárias e regimentais, RESOLVE: MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO Uberaba-MG RESOLUÇÃO N 4 DE 29 DE JUNHO DE 2015, DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UFTM Estabelece normas para realização de Estágio Pós- Doutoral

Leia mais

PROF. RAIMUNDO NONATO DA COSTA SABÓIA VILARINS Presidente do Conselho Universitário Reitor Pro Tempore da UERR

PROF. RAIMUNDO NONATO DA COSTA SABÓIA VILARINS Presidente do Conselho Universitário Reitor Pro Tempore da UERR Dispõe sobre a aprovação do Regulamento Geral da Pós Lato Sensu da Universidade Estadual de Roraima. O PRESIDENTE DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO E REITOR PRO TEMPORE DA - UERR, no uso das atribuições que lhe

Leia mais

RESOLUÇÃO UnC-CONSUN 031/2010

RESOLUÇÃO UnC-CONSUN 031/2010 RESOLUÇÃO UnC-CONSUN 031/2010 Dispõe sobre a aprovação, ad referendum do CONSUN, da readequação do número de vagas dos cursos de Graduação e Pós- Graduação lato sensu, na modalidade de Educação à Distância.

Leia mais

Capítulo I Da Origem. Capítulo II Dos Órgãos Colegiados

Capítulo I Da Origem. Capítulo II Dos Órgãos Colegiados NORMATIZAÇÃO ADMINISTRATIVA, DIDÁTICO-PEDAGÓGICA PARA AS ATIVIDADES DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NOS CURSOS TÉCNICOS NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E

Leia mais

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA INSTITUCIONAL 1º Semestre de 2016

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA INSTITUCIONAL 1º Semestre de 2016 EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA INSTITUCIONAL 1º Semestre de 2016 As FACULDADES INTEGRADAS RIO BRANCO, na forma regimental torna público o presente Edital, estabelecendo as normas para

Leia mais