Processo de enumeração

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Processo de enumeração"

Transcrição

1 USB Processo de enumeração

2 USB - Universal Serial Bus USB não é um interface de comunicação genérico entre dispositivos O USB foi concebido para ligar dispositivos (periféricos) a Computadores

3 Computador PC

4 PC anos 90

5 PC-2000

6 PC- 2006

7 Problema: Ligar dispositivos ao PC Possíveis soluções: Porta série: baixas velocidade de transferência, um só dispositivo por porta, Modems,.. Porta Paralela: velocidade relativa, um só dispositivo Discos externos, Placa inserida num slot de expansão: instalação nunca amigável. Problemas com: Endereços de Entrada/Saída, IRQs, Conflitos entre placas, Placas de som, Modems,

8 Características do barramento USB Ligação a quente (hot-plugged) Facilidade de utilização (Dispositivos instalam-se automaticamente) Conector universal Alto desempenho: 12 Mbps Alimentados por cabo Gestão de consumo Detecção correcção de erros Dispositivos externos ao PC Possível ligar até 127 dispositivos

9 Revisões USB Revisão 1.0 e 1.1 Low-speed (1,5 Mbps) Full-spedd (12Mbps) Revisão 2.0 High speed (480Mps) Concorrência: Fire wire IEEE-1394 (400Mbps) e IEEE-1394.b (3,2Gbps) Prevista uma nova revisão (3.0) do USB para 2008

10 Terminologia

11 Compatibilidades

12 Dispositivo I/O Endpoints, podem haver vários num único dispositivos, são definidos como entrada (IN) ou saída (OUT). A referência é sempre o PC (HOST), OUT significa PC Device IN significa Device PC

13 Comunicação USB

14 Enumeração Antes que seja possível a comunicação com o dispositivo, é necessária a identificação do dispositivo e a atribuição de um device-driver pelo HOST Enumeração inclui: Atribuir um endereço ao dispositivo Ler as estruturas de dados do dispositivo Atribuir e carregar o device driver São estabelecidos os pipes entre o HOST e o dispositivo (endpoints) O dispositivo iti está configurado (pronto para transferência de dados)

15 Enumeração Na perspectiva do utilizador o processo de enumeração deve ser invisível e automático. Excepto nos casos em que é detectado um novo dispositivo, nesses caso: É necessário disponibilizar um ficheiro INF e o correspondente device driver

16 Instalação quasi-automáticaautomática

17 Gestor de dispositivos do windows

18 Enumeração (passo a passo) 1. Utilizador liga dispositivo USB 2. Concentrador detecta o dispositivo 3. Host é informado que um novo dispositivo se encontra ligado 4. Hub detecta que tipo de dispositivo é? (low/full speed) 5. Hub efectua Reset ao dispositivo 6. Host verifica se um dispositivo full-speed suporta highspeed 7. É estabelecido um caminho entre o dispositivo e o Host

19 Enumeração (passo a passo) 8. Host envia um pedido de Get_Descriptor para o endpoint0 9. O Host atribui um endereço ao dispositivo 10. O Host solicita informação sobre o dispositivo, são solicitados os diversos descritores 11. Host atribui e carrega o device-driver do dispositivo 12. Host selecciona uma configuração, caso haja mais que uma possível.

20 Device-DriverDriver

21 Hierarquia dos descritores

22 Classes de dispositivos (Device Class) Os dispositivos são diferentes uns dos outros, no entanto partilham determinados atributos e serviços que são semelhantes. São criadas classes especificas para os dispositivos Estas classificações tem por objectivo servir de referência parar que desenvolve dispositivo e o device-driver Os sistemas operativos já incluem classes nativas no seu Kernel

23 Device Class Base Class Descriptor Usage Description 00h Device Use class information in the Interface Descriptors 01h Interface Audio 02h Both Communications and CDC Control 03h Interface HID (Human Interface Device) 05h Interface Physical 06h Interface Image 07h Interface Printer 08h Interface Mass Storage 09h Device Hub 0Ah Interface CDC-Data 0Bh Interface Smart Card 0Dh Interface Content t Security 0Eh Interface Video 0Fh Interface Personal Healthcare DCh Both Diagnostic Device E0h Interface Wireless Controller EFh Both Miscellaneous FEh Interface Application Specific FFh Both Vendor Specific

24 Classes de dispositivos É de todo o interesse de para quem desenvolve o lado do dispositivo e o lado do PC que o dispositivo utilize uma classe padrão, neste caso não é necessário construir um device-driver di especifico para o SO S.O. Carrega o driver apropriado para o funcionamento do dispositivo

25 Classes de dispositivos Exemplos HID, human Interface Device, Rato Teclado Joystick Mass Storage Discos de estado sólido, são detectados pelo S.O.

26 Descritores È através dos

27 Descritor do Dispositivo Um dispositivo USB apenas pode ter um descritor de dispositivo que contem informação geral sobre o mesmo. No descritor de dispositivo é indicado o número de configurações que são suportadas pelo dispositivo. i i (tipicamente um dispositivo apenas aceita uma configuração)

28 Descritor de dispositivo Device Descriptor USB Receiver Offset Field Size Value Description 0 blength 1 12h 1 bdescriptortype 1 01h Device 2 bcdusb h USB Spec bdeviceclass 1 00h Class information in the Interface Descriptors 5 bdevicesubclass 1 00h 6 bdeviceprotocol 1 00h 7 bmaxpacketsize0 1 08h 8 bytes 8 idvendor 2 046Dh Logitech, Inc. 10 idproduct 2 C518h 12 bcddevice h imanufacturer 1 01h "Logitech" 15 iproduct 1 02h "USB Receiver" 16 iserialnumber 1 00h 17 bnumconfigurations 1 01h

29 Descritor de Configuração O dispositivo possui um configurador de configuração para cada configuração que possui. Normalmente apenas existe uma única configuração. Este descritor inclui informação geral sobre a configuração do dispositivo, i i define o número de interfaces. È durante o processo de enumeração que o Host define qual a configuração que vai funcionar. Apenas uma é possível de estar activa de cada vez. Também aqui se define a quantidade potencia solicitada pelo dispositivo e se é auto alimentado ou alimentado pelo barramento

30 Descritor de Configuração Configuration Descriptor 1 Bus Powered, 98 ma Offset Field Size Value Description 0 blength 1 09h 1 bdescriptortype 1 02h Configuration 2 wtotallength 2 003Bh 4 bnuminterfaces 1 02h 5 bconfigurationvalue 1 01h 6 iconfiguration 1 04h "RR42.00_B0032" 7 bmattributes 1 A0h Bus Powered, Remote Wakeup 4..0: Reserved : Remote Wakeup Yes 6: Self Powered.0... No, Bus Powered 7: Reserved (set to one) 1... (bus-powered for 1.0) 8 bmaxpower 1 31h 98 ma

31 Descritor de Interface Uma determinada configuração de um dispositivo pode ter mais que um interface, como é o caso dos dispositivos compostos. Por exemplo uma impressora HP Photosmart 8450 possui 3 interfaces, o número de interface é referido no descritor de configuração. A cada interface está associado um ou mais endpoints.

32 Descritor de Interface Interface Descriptor 2/0 Mass Storage, 2 Endpoints Offset Field Size Value Description 0 blength 1 09h 1 bdescriptortype 1 04h Interface 2 binterfacenumber 1 02h 3 balternatesetting 1 00h 4 bnumendpoints 1 02h 5 binterfaceclass 1 08h Mass Storage 6 binterfacesubclass 1 06h SCSI transparent command set 7 binterfaceprotocol 1 50h Bulk-Only Transport 8 iinterface 1 00h

33 Descritores de Endpoint Estes definem o tipo de transferência de dados suportada pelo endpoint, (Isochronous, bulk, Interrupt, control) a direcção dos dados, o tamanho máximo do pacote de dd dados e o intervalo de amostragem no caso de tipo de transferência por interrupção.

34 Descritores de Endpoint Endpoint Descriptor 05 5 Out, Bulk, 64 bytes Endpoint Descriptor 85 5 In, Bulk, 64 bytes Offset Field Size Value Description Offset Field Size Value Description 0 blength 1 07h 0 blength 1 07h 1 bdescriptortype 1 05h Endpoint 1 bdescriptortype 1 05h Endpoint 2 bendpointaddress 1 05h 5 Out 2 bendpointaddress 1 85h 5 In 3 bmattributes 1 02h Bulk 3 bmattributes 1 02h Bulk 1..0: Transfer Type...10 Bulk 7..2: Reserved wmaxpacketsize h 64 bytes 6 binterval 1 00h 1..0: Transfer Type...10 Bulk 7..2: Reserved wmaxpacketsize h 64 bytes 6 binterval 1 00h

35 Descritor de strings São opcionais, e quando existem (situação mais comum) são definidos para todo o dispositivo, para uma dada configuração. São tipicamente informativos, por exemplo nomes de dispositivos ii e modelos dl desses dispositivos. ii No caso do dispositivo não suportar descritores de string todos os índices de string nos descritores são colocados a zero. A codificação utilizada é a UNICODE.

36 Cabos USB

37 Cabo USB2.0 A-B

38 Cabo USB2.0 A-USB Mini 5 Pinos M/M

39 Cabo USB2.0 OTG (On-The-Go) Mini A - B O sistema On The Go (OTG) permite a conexão de dispositivos externos de armazenamento de dados USB (Leitores MP3, Pen drive, Disco Rigido, Cameras Fotográficas, etc) ligados entre si, sem ser necessário o uso de um computador. Para isso é necessário que os dispositivos USB também suportem esta função. Mini-A Mini-B

40 Cabo USB2.0 OTG (On-The-Go) Mini A - Mini A O sistema On The Go (OTG) permite a conexão de dispositivos externos de armazenamento de dados USB (Leitores MP3, Pen drive, Disco Rigido, Cameras Fotográficas, etc) ligados entre si, sem ser necessário o uso de um computador. Para isso é necessário que os dispositivos USB também suportem esta função.

41 Cabo USB2.0 Dual Power 2 x A-Mini B Este tipo de cabo serve para ligar os dispositivos que necessitem de uma corrente suplementar (>500mA), à fornecida pelo sinal USB. Numa extremidade d liga o dispositivo, i i ligando as outras duas pontas ao PC, ocupando para isso duas entradas USB do mesmo.

42 Cabo USB2.0 A-USB Mini 5 Pinos M/M 01.00m 00m (31684) A conexão USB permite a ligação de periféricos, sem a necessidade de desligar o computador. Actualmente, é talvez o tipo de ligação mais usada, ligando desde impressoras, ratos e teclados, máquinas industriais, entre outros.

43 Cabo USB2.0 B - USB Mini B M/M 03.00m (SB1433c)

Barramento USB. Trabalhos Práticos AM 2007/2008. Barramento USB. Objectivos

Barramento USB. Trabalhos Práticos AM 2007/2008. Barramento USB. Objectivos 8 Objectivos - Identificar os diversos dispositivos USB, a sua topologia e compatibilidades. - Saber interpretar os descritores relacionados com o dispositivo/periférico USB - Entender o processo de enumeração,

Leia mais

Guia Rápido de Comunicação USB via HID Terminal em Microcontroladores PIC

Guia Rápido de Comunicação USB via HID Terminal em Microcontroladores PIC Guia Rápido de Comunicação USB via HID Terminal em Microcontroladores PIC Autor: Eng. Rahul Martim Juliato (rahul.juliato@gmail.com) Este artigo apresenta de forma prática alguns passos para realizar uma

Leia mais

USB - Introdução. Meios Eletrônicos I 2011

USB - Introdução. Meios Eletrônicos I 2011 USB - Introdução Meios Eletrônicos I 2011 História USB: Universal Serial Bus Criado pela Intel em 1994, junto com outras empresas (Microsoft, HP, NEC, Apple) Facilita a conexão de dispositivos periféricos

Leia mais

Vitor Amadeu Souza. vitor@cerne-tec.com.br

Vitor Amadeu Souza. vitor@cerne-tec.com.br Introdução Vitor Amadeu Souza vitor@cerne-tec.com.br Veremos agora os passos para enviar uma string de caracteres pela USB. Porém antes veremos um tutorial referente a porta USB. Tutorial USB Sistema de

Leia mais

Introdução sobre à porta USB

Introdução sobre à porta USB Introdução sobre à porta USB O USB (Universal Serial Bus) surgiu em 1995 com uma parceria entre várias companhias de alta tecnologia (Compaq, Hewlett-Packard, Intel, Lucent, Microsoft, NEC e Philips).

Leia mais

USB Transacções Detecção de dispositivos Low-speed Detecção de dispositivos Full-speed Comunicação Diferencial Comunicação Diferencial Codificação NRZI Codificação NRZI (Non-Return Zero Inverted) O 0 s

Leia mais

Universal Serial Bus USB

Universal Serial Bus USB Universal Serial Bus USB Walter Fetter Lages w.fetter@ieee.org Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Engenharia Departamento de Engenharia Elétrica Microprocessadores II Copyright (c) Walter

Leia mais

SISTEMA DE COMUNICAÇÃO USB COM MICROCONTROLADOR

SISTEMA DE COMUNICAÇÃO USB COM MICROCONTROLADOR POLITÉCNICA DE SISTEMA DE COMUNICAÇÃO USB COM MICROCONTROLADOR Trabalho de Conclusão de Curso Engenharia da Computação Leonardo de Sá Leal Santos Orientador: Prof. Sérgio Campello Oliveira LEONARDO DE

Leia mais

Um agente embutido para conversão de uma interface serial em USB

Um agente embutido para conversão de uma interface serial em USB UFMG - ICEx DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA C O M P U T A Ç Ã O UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Um agente embutido para conversão de uma interface serial em USB NÚMERO Ana Luiza de Almeida Pereira Zuquim

Leia mais

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição Capítulo 7 Entrada/saída Os textos nestas caixas foram adicionados pelo Prof. Joubert slide 1 Problemas de entrada/saída Grande variedade

Leia mais

CAPÍTULO 4 Interface USB

CAPÍTULO 4 Interface USB Interfaces e Periféricos 29 CAPÍTULO 4 Interface USB Introdução Todo computador comprado atualmente possui uma ou mais portas (conectores) USB. Estas portas USB permitem que se conecte desde mouses até

Leia mais

Seminários S2i. Barramento USB. Teoria e Projetos. Guilherme Francisco Mallmann

Seminários S2i. Barramento USB. Teoria e Projetos. Guilherme Francisco Mallmann Seminários S2i Barramento USB Teoria e Projetos Guilherme Francisco Mallmann Apanhado Geral USB = Universal Serial Bus; 4 vias de comunicação; Vias: Vbus (+5V) Vermelho; D- Branco; D+ Verde; GND (referência)

Leia mais

Programação de Sistemas

Programação de Sistemas Programação de Sistemas USB Universal Serial Bus Programação de Sistemas USB: 1/32 Introdução (1) O USB foi definido por um consórcio de fabricantes de computadores e periféricos (Agere, Apple, Intel,

Leia mais

Aula 04 B. Interfaces. Prof. Ricardo Palma

Aula 04 B. Interfaces. Prof. Ricardo Palma Aula 04 B Interfaces Prof. Ricardo Palma Interface SCSI SCSI é a sigla de Small Computer System Interface. A tecnologia SCSI (pronuncia-se "scuzzy") permite que você conecte uma larga gama de periféricos,

Leia mais

Barramento - Significado

Barramento - Significado Barramento - Significado Barramento é um conjunto de linhas de comunicação que permitem a ligação entre dispositivos, como a CPU, as memórias e outros periféricos. ricos. Barramento - Significado O Barramento,

Leia mais

CARTÃO INTERFACE PARALELO PCI

CARTÃO INTERFACE PARALELO PCI CARTÃO INTERFACE PARALELO PCI Manual de Instalação Rápida: Introdução Agradecemos a aquisição do cartão acessório PCI do interface IEEE 1284. Este cartão permite aos utilizadores adicionar ou expandir

Leia mais

É solicitada fonte de 400Watts e volume máximo de 13.000cm3.

É solicitada fonte de 400Watts e volume máximo de 13.000cm3. Florianópolis, 14 de outubro de 2015. Para que todos tenham o mesmo entendimento, abaixo questionamentos formulados por empresa interessada no certame, bem como os esclarecimentos por parte do Senac/SC.

Leia mais

Dispositivos externos

Dispositivos externos Dispositivos externos Manual do utilizador Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Microsoft é uma marca registada da Microsoft Corporation nos E.U.A. As informações aqui contidas estão

Leia mais

Escola Secundária de Emídio Navarro

Escola Secundária de Emídio Navarro Escola Secundária de Emídio Navarro Curso Secundário de Carácter Geral (Agrupamento 4) Introdução às Tecnologias de Informação Ficha de trabalho N.º 1 1. Refere algumas das principais áreas das Tecnologias

Leia mais

CAPÍTULO 2 CARACTERÍSTICAS DE E/S E PORTA PARALELA

CAPÍTULO 2 CARACTERÍSTICAS DE E/S E PORTA PARALELA 8 CAPÍTULO 2 CARACTERÍSTICAS DE E/S E PORTA PARALELA A porta paralela, também conhecida por printer port ou Centronics e a porta serial (RS-232) são interfaces bastante comuns que, apesar de estarem praticamente

Leia mais

Módulo 1 Introdução às Redes

Módulo 1 Introdução às Redes CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes Módulo 1 Introdução às Redes Ligação à Internet Ligação à Internet Uma ligação à Internet pode ser dividida em: ligação física; ligação lógica; aplicação. Ligação física

Leia mais

Sweex Adaptador ISDN PCI

Sweex Adaptador ISDN PCI Sweex Adaptador ISDN PCI Vantagens Velocidade - Devido ao facto de o adaptador ISDN juntar os canais, é possível obter um tráfego de dados com velocidades de 64.000 / 128.000 Kbps. Live video & conference

Leia mais

Serial Paralela USB FireWire(IEEE1394)

Serial Paralela USB FireWire(IEEE1394) Serial Paralela USB FireWire(IEEE1394) histórico Tudo começou em 1980 quando a IBM estava desenvolvendo seu primeiro micro PC. Já haviam definido que o barramento ISA seria usado para permitir que o IBM

Leia mais

Modelo Genérico de Módulo de E/S Grande variedade de periféricos

Modelo Genérico de Módulo de E/S Grande variedade de periféricos Conteúdo Capítulo 7 Entrada/Saída Dispositivos externos Módulos E/S Técnicas de E/S E/S Programada E/S Conduzida por interrupções Processamento de interrupções Controlador Intel 82C59A Acesso Directo à

Leia mais

Escola Secundária de Emídio Navarro

Escola Secundária de Emídio Navarro Escola Secundária de Emídio Navarro Curso Secundário de Carácter Geral (Agrupamento 4) Introdução às Tecnologias de Informação Correcção da ficha de trabalho N.º 1 1. Refere algumas das principais áreas

Leia mais

Prof. Daniel Gondim danielgondimm@gmail.com. Informática

Prof. Daniel Gondim danielgondimm@gmail.com. Informática Prof. Daniel Gondim danielgondimm@gmail.com Informática Componentes de um SC Barramento Também conhecido como BUS É um conjunto de linhas de comunicação que permitem a interligação entre dispositivos,

Leia mais

Sistemas Operacionais Entrada / Saída. Carlos Ferraz (cagf@cin.ufpe.br) Jorge Cavalcanti Fonsêca (jcbf@cin.ufpe.br)

Sistemas Operacionais Entrada / Saída. Carlos Ferraz (cagf@cin.ufpe.br) Jorge Cavalcanti Fonsêca (jcbf@cin.ufpe.br) Sistemas Operacionais Entrada / Saída Carlos Ferraz (cagf@cin.ufpe.br) Jorge Cavalcanti Fonsêca (jcbf@cin.ufpe.br) Tópicos Princípios do hardware de E/S Princípios do software de E/S Camadas do software

Leia mais

SISTEMAS INFORMÁTICOS

SISTEMAS INFORMÁTICOS SISTEMAS INFORMÁTICOS Nesta apresentação, aprenderá a distinguir Hardware de software, identificar os principais componentes físicos de um computador e as suas funções. Hardware e Software Estrutura de

Leia mais

Por razões, é requerido um módulo de E/S, que deve desempenhar duas funções principais:

Por razões, é requerido um módulo de E/S, que deve desempenhar duas funções principais: Entrada e Saída Além do processador e da memória, um terceiro elemento fundamental de um sistema de computação é o conjunto de módulos de E/S. Cada módulo se conecta com o barramento do sistema ou com

Leia mais

Entradas/Saídas. 1. Princípios de hardware/software de E/S 2. Camadas de software de E/S 3. Relógios (Temporizadores) 4. Gestão de consumo de potência

Entradas/Saídas. 1. Princípios de hardware/software de E/S 2. Camadas de software de E/S 3. Relógios (Temporizadores) 4. Gestão de consumo de potência Entradas/Saídas 1. Princípios de hardware/software de E/S 2. Camadas de software de E/S 3. Relógios (Temporizadores) 4. Gestão de consumo de potência Organização de um Sistema Operativo System Call Handler

Leia mais

Dispositivos externos Manual do utilizador

Dispositivos externos Manual do utilizador Dispositivos externos Manual do utilizador Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Microsoft é uma marca comercial registada da Microsoft Corporation nos E.U.A. As informações aqui contidas

Leia mais

Prof. Sandrina Correia

Prof. Sandrina Correia Tecnologias de I informação de C omunicação 9º ANO Prof. Sandrina Correia TIC Prof. Sandrina Correia 1 Objectivos Definir os conceitos de Hardware e Software Identificar os elementos que compõem um computador

Leia mais

Interrupções. As interrupções são casos especiais de chamadas de procedimentos.

Interrupções. As interrupções são casos especiais de chamadas de procedimentos. Interrupções Uma interrupção é equivalente a uma chamada de procedimento. A chamada é equivalente a um CALL gerado pela execução de uma instrução. As interrupções são casos especiais de chamadas de procedimentos.

Leia mais

Entrada e Saída. Interface entre periféricos, processador e memória. Fonte: Minho - Portugal 1

Entrada e Saída. Interface entre periféricos, processador e memória. Fonte: Minho - Portugal 1 Entrada e Saída Interface entre periféricos, processador e memória Fonte: Minho - Portugal 1 Ligação Processador/Memória - Periférico Processador Memória Controlo Dados Controlador Fonte: Minho - Portugal

Leia mais

Barramentos do Sistema

Barramentos do Sistema Barramentos do Sistema AOC: Arquitetura e Organização de Computadores Computador CPU Quais os barramentos? Unidade lógica e aritmética Equipamentos de E/S Memória principal Unidade de controle Linhas de

Leia mais

Placas Adaptadoras e montagem de Redes

Placas Adaptadoras e montagem de Redes Placas Adaptadoras e montagem de Redes Objetivos da aula: 1 - Descrever a função da placa adaptadora de rede em uma rede. 2 - Descrever as opções de configuração para placas adaptadoras de rede. 3 - Listar

Leia mais

Organização e arquitetura de computadores Protocolos de barramento

Organização e arquitetura de computadores Protocolos de barramento Organização e arquitetura de computadores Protocolos de barramento Alunos: José Malan, Gustavo Marques, Johnathan Alves, Leonardo Cavalcante. Universal serial bus (USB) O USB é um padrão da indústria que

Leia mais

Dispositivos externos

Dispositivos externos Dispositivos externos Número de publicação do documento: 405762-131 Maio de 2006 Este manual explica como utilizar os dispositivos externos opcionais. Conteúdo 1 Utilizar dispositivos USB Ligar dispositivos

Leia mais

Versão Portuguesa. Introdução. Conteúdo da embalagem. Especificações. PU052 Sweex 2 Port USB 2.0 & 2 Port FireWire PC Card

Versão Portuguesa. Introdução. Conteúdo da embalagem. Especificações. PU052 Sweex 2 Port USB 2.0 & 2 Port FireWire PC Card PU052 Sweex 2 Port USB 2.0 & 2 Port FireWire PC Card Introdução Gostaríamos de agradecer o facto de ter adquirido a Sweex 2 Port USB 2.0 & 2 Port FireWire PC Card. Com esta placa poderá facilmente acrescentar

Leia mais

Arquitetura de Computadores Arquitetura de entrada e saída

Arquitetura de Computadores Arquitetura de entrada e saída Arquitetura de Entrada e Saída Arquitetura de Computadores Arquitetura de entrada e saída Barramento Meio de transmissão de dados entre a CPU, a memória principal e os dispositivos de entrada e saída.

Leia mais

MANUTENÇÃO DE MICRO. Mário Gomes de Oliveira

MANUTENÇÃO DE MICRO. Mário Gomes de Oliveira MANUTENÇÃO DE MICRO Mário Gomes de Oliveira 1 IRQ Pedido de atenção e de serviço feito à CPU, para notificar a CPU sobre a necessidade de tempo de processamento. 2 IRQ (Interrupt Request line ou Linha

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores São dois ou mais computadores ligados entre si através de um meio.a ligação pode ser feita recorrendo a tecnologias com fios ou sem fios. Os computadores devem ter um qualquer dispositivo

Leia mais

DRAM. DRAM (Dynamic RAM) É a tecnologia usada na fabricação das memória de 30, 72 e 168 pinos. Divide-se em:

DRAM. DRAM (Dynamic RAM) É a tecnologia usada na fabricação das memória de 30, 72 e 168 pinos. Divide-se em: DRAM DRAM (Dynamic RAM) É a tecnologia usada na fabricação das memória de 30, 72 e 168 pinos. Divide-se em: FPM RAM (Fast Page Mode) EDO RAM (Extended Data Output RAM) BEDO RAM (Burst Extended Data Output

Leia mais

CONTROLE DE MOTOR DE PASSO VIA USB USANDO O FT232BM NO

CONTROLE DE MOTOR DE PASSO VIA USB USANDO O FT232BM NO Página 1 de 1 Home Índice USBMotor Controle de motor de passo Por: Antônio Rogério Messias CONTROLE DE MOTOR DE PASSO VIA USB USANDO O FT232BM NO MODO BIT-BANG Para uso particular ou educacional. Copyright(c)

Leia mais

O sucesso alcançado pelos computadores pessoais fica a dever-se aos seguintes factos:

O sucesso alcançado pelos computadores pessoais fica a dever-se aos seguintes factos: O processador 8080 da intel é tido como o precursor dos microprocessadores, uma vez que o primeiro computador pessoal foi baseado neste tipo de processador Mas o que significa família x86? O termo família

Leia mais

Universidade do Algarve Faculdade de Ciências e Tecnologia Área Departamental de Engenharia Electrónica e Computação

Universidade do Algarve Faculdade de Ciências e Tecnologia Área Departamental de Engenharia Electrónica e Computação Universidade do Algarve Faculdade de Ciências e Tecnologia Área Departamental de Engenharia Electrónica e Computação Periféricos e Interfaces 2003/2004 Cursos de Informática e Ensino de Informática Exame

Leia mais

Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra

Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra Departamento de Engenharia Informática Arquitectura de Computadores 2 João Eurico Rosa Pinto jepinto@student.dei.uc.pt Filipe Duarte da Silva

Leia mais

Integração de Sistemas Embebidos MECom :: 5º ano

Integração de Sistemas Embebidos MECom :: 5º ano Integração de Sistemas Embebidos MECom :: 5º ano Device Drivers em Linux - Introdução António Joaquim Esteves www.di.uminho.pt/~aje Bibliografia: capítulo 1, LDD 3ed, O Reilly DEP. DE INFORMÁTICA ESCOLA

Leia mais

1. Os caracteres (p.ex: a, A, 8,!, +, etc) são representados no computador através da codificação ASCII (American Standard Code for

1. Os caracteres (p.ex: a, A, 8,!, +, etc) são representados no computador através da codificação ASCII (American Standard Code for FICHA DE TRABALHO Nº 1 MÓDULO: EQUIPAMENTOS ACTIVOS DE REDES DATA: / 03 / 2010 FORMADOR: EDUARDO SEQUEIRA FICHA LABORATORIAL 1. Os caracteres (p.ex: a, A, 8,!, +, etc) são representados no computador através

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Sistemas de Entrada/Saída Princípios de Hardware Sistema de Entrada/Saída Visão Geral Princípios de Hardware Dispositivos de E/S Estrutura Típica do Barramento de um PC Interrupções

Leia mais

Laboratório de Hardware

Laboratório de Hardware Laboratório de Hardware Um PC é composto por diversos componentes, incluindo o processador, pentes de memória, HD, placa de rede e assim por diante. Prof. Marcel Santos Silva No início, as placas-mãe serviam

Leia mais

WWW.cerne-tec.com.br. Comunicação USB com o PIC Vitor Amadeu Souza Parte II vitor@cerne-tec.com.br

WWW.cerne-tec.com.br. Comunicação USB com o PIC Vitor Amadeu Souza Parte II vitor@cerne-tec.com.br 1 Comunicação USB com o PIC Vitor Amadeu Souza Parte II vitor@cerne-tec.com.br Continuando com o artigo apresentado na edição passada de comunicação USB com o PIC, continuaremos nesta edição o estudo do

Leia mais

Arquitetura e Organização de Computadores

Arquitetura e Organização de Computadores Arquitetura e Organização de Computadores Entrada/Saída Material adaptado, atualizado e traduzido de: STALLINGS, William. Arquitetura e Organização de Computadores. 5ª edição Problemas Entrada/Saída Grande

Leia mais

Importante. Interessante. Não importante

Importante. Interessante. Não importante Universal Serial Bus Por: Ivenelson Importante Interessante Não importante Instalando acessórios no computador Placa mãe e seus Slots Zip Drive 150MB Maquina digital Drive de CD Floppy Disk 3,4 Placa de

Leia mais

MINI DICIONÁRIO TÉCNICO DE INFORMÁTICA. São apresentados aqui alguns conceitos básicos relativos à Informática.

MINI DICIONÁRIO TÉCNICO DE INFORMÁTICA. São apresentados aqui alguns conceitos básicos relativos à Informática. Tecnologias da Informação e Comunicação MINI DICIONÁRIO TÉCNICO DE INFORMÁTICA São apresentados aqui alguns conceitos básicos relativos à Informática. Informática: Tratamento da informação por meios automáticos.

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO DE SOFTWARE

GUIA DE INSTALAÇÃO DE SOFTWARE GUIA DE INSTALAÇÃO DE SOFTWARE SISTEMA MULTIFUNÇÕES DIGITAL Página INTRODUÇÃO ANTES DA INSTALAÇÃO INSTALAR O DRIVER DA IMPRESSORA LIGAÇÃO A UM COMPUTADOR 9 CONFIGURAR O CONTROLADOR DA IMPRESSORA 0 COMO

Leia mais

Revisões. USB Universal Serial Bus. USB Universal Serial Bus. USB Universal Serial Bus. USB Universal Serial Bus. USB Universal Serial Bus

Revisões. USB Universal Serial Bus. USB Universal Serial Bus. USB Universal Serial Bus. USB Universal Serial Bus. USB Universal Serial Bus Revisões Porto paralelo Norma IEEE 84 Modos: compatibilidade, nibble, byte, ECP e EPP Tem como objectivo substituir as ligações através de RS 3 e de porto paralelo É uma especificação que funciona de facto

Leia mais

Preparatório LPIC-1 Tópico 101

Preparatório LPIC-1 Tópico 101 Preparatório LPIC-1 Tópico 101 Professor M.Sc. Thiago Leite thiago.leite@udf.edu.br 1 Tópico 101 Arquitetura do Sistema Determinar e configurar definições do hardware Sistema de boot Modificar o nível

Leia mais

IEEE 1394 PORQUE OUTRO BARRAMENTO? Grande crescimento do número de conectores no PC. Equipamentos analógicos migrando para digital

IEEE 1394 PORQUE OUTRO BARRAMENTO? Grande crescimento do número de conectores no PC. Equipamentos analógicos migrando para digital Histórico IEEE 1394 1986 - primeiras idéias concretas trazidas pela Apple Computers que adotou a denominação FireWire. 1987 - primeira especificação do padrão. 1995 adoção pelo IEEE do padrão IEEE 394.

Leia mais

Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO

Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO Curso Profissional de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos MÓDULO VI Programação de Sistemas de Comunicação Duração: 30 tempos Conteúdos 2 Construção

Leia mais

FIREWIRE. O logotipo padronizado: Suas principais vantagens:

FIREWIRE. O logotipo padronizado: Suas principais vantagens: FIREWIRE O barramento Firewire, também conhecido como IEEE 1394 ou como i.link, foi desenvolvido inicialmente pela Apple Computer em 1996, como um barramento serial de alta velocidade, e transfere um grande

Leia mais

Medidor Powersave V2 USB

Medidor Powersave V2 USB Medidor Powersave V2 USB O medidor é formado por uma caixa plástica contendo uma placa eletrônica, uma tomada macho, uma tomada fêmea, um conector H, um barramento lateral, um conector USB e leds indicativos.

Leia mais

ARQUITETURA DE COMPUTADORES

ARQUITETURA DE COMPUTADORES 01001111 01110010 01100111 01100001 01101110 01101001 01111010 01100001 11100111 11100011 01101111 00100000 01100100 01100101 00100000 01000011 01101111 01101101 01110000 01110101 01110100 01100001 01100100

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Placas de Rede Modems Hubs e switches Router Prof. Hugo Rosa PLACAS DE REDE As placas de rede são periféricos de entrada e saída e são utilizadas para interligar um computador a uma

Leia mais

TECLADO PAINEL OPERADOR USB COM DISPLAY GRÁFICO. Código : FT 023/09 REV: 02

TECLADO PAINEL OPERADOR USB COM DISPLAY GRÁFICO. Código : FT 023/09 REV: 02 TECLADO PAINEL OPERADOR USB COM DISPLAY GRÁFICO Código : FT 023/09 REV: 02 Características LCD gráfico de 240 x 64 pontos ( 8 linhas x 40 colunas ). Teclas reprogramáveis. Interface USB 2.0. Porta Serial

Leia mais

Barramentos e Chipsets

Barramentos e Chipsets Sumário Introdução Barramentos e Chipsets Eduardo Amaral Barramentos Barramento frontal (Front Side Bus) Barramento de memória Barramento de externo ou de I/O Chipset Ponte norte Ponte sul Introdução Organização

Leia mais

Visão Computacional. Alessandro L. Koerich. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Visão Computacional. Alessandro L. Koerich. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Universidade Federal do Paraná (UFPR) Visão Computacional Alessandro L. Koerich Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Universidade Federal do Paraná (UFPR) Interfaces Câmera PC Analógica, Firewire, GigE, Camera Link, USB Introdução

Leia mais

4.4 - Barramentos. CEFET-RS Curso de Eletrônica. Profs. Roberta Nobre & Sandro Silva. robertacnobre@gmail.com e sandro@cefetrs.tche.

4.4 - Barramentos. CEFET-RS Curso de Eletrônica. Profs. Roberta Nobre & Sandro Silva. robertacnobre@gmail.com e sandro@cefetrs.tche. CEFET-RS Curso de Eletrônica 4.4 - Barramentos robertacnobre@gmail.com e sandro@cefetrs.tche.br Unidade 04.4.1 Barramentos São elementos de hardware que permitem a interconexão entre os componentes do

Leia mais

6 - Gerência de Dispositivos

6 - Gerência de Dispositivos 1 6 - Gerência de Dispositivos 6.1 Introdução A gerência de dispositivos de entrada/saída é uma das principais e mais complexas funções do sistema operacional. Sua implementação é estruturada através de

Leia mais

Servidor de Rede USB Série Multi-função

Servidor de Rede USB Série Multi-função Servidor de Rede USB Série Multi-função Manual de Instalação Rápida: Introdução Este documento descreve os passos para instalação e configuração do Servidor de Rede USB como um servidor de dispositivo

Leia mais

U S B A D A P T E R B L U E T O O T H

U S B A D A P T E R B L U E T O O T H C O M M U N I C AT I O N S U P P O R T U S B A D A P T E R B L U E T O O T H C L A S S 1 M A N U A L N I - 7 0 7 5 2 8 C O M M U N I C AT I O N S U P P O R T U S B A D A P T E R B L U E T O O T H C L A

Leia mais

Sistemas Operacionais. Roteiro. Hardware. Marcos Laureano

Sistemas Operacionais. Roteiro. Hardware. Marcos Laureano Sistemas Operacionais Marcos Laureano 1/25 Roteiro Estrutura de um sistema operacional Interrupções Proteção do núcleo Níveis de privilégio Chamadas de sistema 2/25 Mono-processadores atuais seguem um

Leia mais

CARACTERÍSTICAS DA USB

CARACTERÍSTICAS DA USB CARACTERÍSTICAS DA USB Idealizada em 1995 por um grupo de empresas de alta tecnologia (Compaq, DEC, IBM, Intel, Microsoft, NEC e outras) e desenvolvido pelo USB Implementers Forum (http://www.usb.org)

Leia mais

Introdução às Tecnologias de Informação e Comunicação. Conceitos Introdutórios

Introdução às Tecnologias de Informação e Comunicação. Conceitos Introdutórios Introdução às Tecnologias de Informação e Comunicação Conceitos Introdutórios Informática Informática - Tratamento ou processamento da informação utilizando meios automáticos, nomeadamente o computador.

Leia mais

Importante! Especificações. Instalação

Importante! Especificações. Instalação Importante! Introdução LD000020 Adaptador USB Powerline Sweex Antes de mais, gostaríamos de agradecer-lhe ter escolhido adquirir o adaptador Powerline. Com a ajuda deste adaptador Powerline, é possível

Leia mais

07-Aug-07. Informações gerais. Interfaces e Periféricos. Avaliação. Material didático. Objetivo. Tópicos principais

07-Aug-07. Informações gerais. Interfaces e Periféricos. Avaliação. Material didático. Objetivo. Tópicos principais Interfaces e Periféricos Prof. João Paulo A. Almeida (jpalmeida@inf.ufes.br) Informações gerais Página web: http://www.inf.ufes.br/~jpalmeida/ensino/2007-02- interfaces-perifericos Carga horária semestral

Leia mais

SCD 912. Dispositivo de comunicação e armazenamento. Apresentação. Dados Técnicos. Conexões

SCD 912. Dispositivo de comunicação e armazenamento. Apresentação. Dados Técnicos. Conexões Conv. USB-Serial Baudrate, stop bit e nro de dados programável. Baudrate de 1200 a 38400 bauds. Emula porta COM virtual. Led de indicação de operação como conversor USB-serial. Não possui linhas de controle

Leia mais

BIOS, BOOT, CMOS e CMOS Setup. Prof. César Couto

BIOS, BOOT, CMOS e CMOS Setup. Prof. César Couto BIOS, BOOT, CMOS e CMOS Setup Prof. César Couto BIOS Quando o computador é ligado, o processador executa instruções da memória ROM (Read Only Memory). A ROM preserva o conteúdo quando o computador é desligado.

Leia mais

Curso básico em técnicas de Manutenção para activistas comunitários

Curso básico em técnicas de Manutenção para activistas comunitários Curso básico em técnicas de Manutenção para activistas comunitários Perguntas relacionadas com a Aula 2 do Módulo I Aula 2 1. Qual das alíneas encontram-se mencionados todos os tipos de computador por

Leia mais

Introdução à estrutura e funcionamento de um Sistema Informático

Introdução à estrutura e funcionamento de um Sistema Informático Introdução à estrutura e funcionamento de um Sistema Informático Elementos que constituem o Computador O funcionamento do computador é possível devido aos vários elementos interligados que o constituem:

Leia mais

Universidade Tuiuti do Paraná UTP Faculdade de Ciências Exatas - FACET

Universidade Tuiuti do Paraná UTP Faculdade de Ciências Exatas - FACET Universidade Tuiuti do Paraná UTP Faculdade de Ciências Exatas - FACET Hardware de Computadores Questionário II 1. A principal diferença entre dois processadores, um deles equipado com memória cache o

Leia mais

481040 - Programador/a de Informática

481040 - Programador/a de Informática 481040 - Programador/a de Informática UFCD - 0770 Dispositivos e periféricos Sessão 4 SUMÁRIO Disco Rígido; Sistema de ficheiros Uma unidade de disco rígido é composta por um conjunto de discos sobrepostos,

Leia mais

Técnicas de Manutenção de Computadores

Técnicas de Manutenção de Computadores Técnicas de Manutenção de Computadores Professor: Luiz Claudio Ferreira de Souza Placa Mãe Dispositivos (Onboard) São aqueles encontrados na própria Placa Mãe. Ex: Rede, Som, Vídeo e etc... Prof. Luiz

Leia mais

USB (Universal Serial Bus Barramento Serial Universal)

USB (Universal Serial Bus Barramento Serial Universal) USB (Universal Serial Bus Barramento Serial Universal) Organizado por Gustavo Aguiar Novembro 2007 I ntrodução Todo computador comprado atualmente possui uma ou mais portas (conectores) USB. Estas portas

Leia mais

Gerenciamento de Entrada e Saída Hélio Crestana Guardia e Hermes Senger

Gerenciamento de Entrada e Saída Hélio Crestana Guardia e Hermes Senger Gerenciamento de Entrada e Saída Hélio Crestana Guardia e Hermes Senger O controle da entrada e saída (E/S ou I/O, input/output) de dados dos dispositivos é uma das funções principais de um sistema operacional.

Leia mais

Guia de Estudo. Redes e Internet

Guia de Estudo. Redes e Internet Tecnologias da Informação e Comunicação Guia de Estudo Redes e Internet Aspectos Genéricos Uma rede de computadores é um sistema de comunicação de dados constituído através da interligação de computadores

Leia mais

FICHA INFORMATIVA E DE TRABALHO MÓDULO 0773 - REDE LOCAL INSTALAÇÃO

FICHA INFORMATIVA E DE TRABALHO MÓDULO 0773 - REDE LOCAL INSTALAÇÃO CURSO EFA 2012 / 2013 Formando: Data: / / ÁREA/Assunto: Formador / Mediador: Avaliação Formando Formador FICHA INFORMATIVA E DE TRABALHO MÓDULO 0773 - REDE LOCAL INSTALAÇÃO Standard IEE 802 Para que as

Leia mais

Utilizando o Tablet PC da GIGABYTE pela primeira vez

Utilizando o Tablet PC da GIGABYTE pela primeira vez Parabéns pela aquisição deste Slate PC da GIGABYTE! Este Guia de Instalação permite-lhe fazer a instalação de forma correcta e rápida do seu equipamento. Para mais detalhes, por favor navegue em www.gigabyte.com.

Leia mais

Entrada e Saída. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Entrada e Saída. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Entrada e Saída Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Sumário Introdução; Dispositivos Externos; E/S Programada; E/S Dirigida por Interrupção; Acesso Direto à Memória; Bibliografia. Prof. Leonardo Barreto Campos

Leia mais

Organização de Computadores. (Aula 5) Entrada/Saída

Organização de Computadores. (Aula 5) Entrada/Saída Organização de Computadores (Aula 5) Entrada/Saída Entrada e Saída (Input/Output I/O) Computador: Processador, Memória (principal e secundária) Equipamentos (dispositivos, elementos, unidades,...) de Entrada/Saída

Leia mais

ENTRADA E SAÍDA DE DADOS

ENTRADA E SAÍDA DE DADOS ENTRADA E SAÍDA DE DADOS Os dispositivos de um computador compartilham uma única via de comunicação BARRAMENTO. BARRAMENTO Elétrica/Mecânica + Protocolo. GERENCIAMENTO DE E/S O controle da troca de dados

Leia mais

Sistemas Operacionais. Patrícia Megumi Matsumoto Luciana Maria Gregolin Dias

Sistemas Operacionais. Patrícia Megumi Matsumoto Luciana Maria Gregolin Dias Sistemas Operacionais Microsoft Windows R Patrícia Megumi Matsumoto Luciana Maria Gregolin Dias Histórico Início da década de 80 MS-DOS (vai evoluindo, mas sem nunca deixar de ser um SO orientado à linha

Leia mais

HARD DISK CASING 2.5 STORAGE IDE/PATA TO USB 2.0

HARD DISK CASING 2.5 STORAGE IDE/PATA TO USB 2.0 STORAGE SUPPORT HARD DISK CASING 2.5 STORAGE IDE/PATA TO USB 2.0 Manual SI-707143 STORAGE SUPPORT HARD DISK CASING 2.5 STORAGE IDE/PATA TO USB 2.0 A n t e s d e m a i s, g o s t a r í a m o s d e l h e

Leia mais

Curso básico em técnicas de manutenção para activistas comunitários

Curso básico em técnicas de manutenção para activistas comunitários Curso básico em técnicas de manutenção para activistas comunitários Modulo I INTRODUÇÃO AO EQUIPAMENTO INFORMÁTICO Respostas as perguntas do modulo I Aula 1 1. Qual dos seguintes itens faz parte do kit

Leia mais

Antes de dar início à instalação, verifique se todas as peças necessárias estão presentes. A caixa deve conter:

Antes de dar início à instalação, verifique se todas as peças necessárias estão presentes. A caixa deve conter: M A N U A L N I - 7 0 7 5 0 3 N I - 7 0 7 5 0 7 N I - 7 0 7 5 0 8 1 C O N T E Ú D O D A E M B A L A G E M 4 E S P E C I F I C A Ç Õ E S T É C N I C A S 5 G A M A D E A P L I C A Ç Õ E S 6 I N S TA L A

Leia mais

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S.A. ELETROBRÁS. EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO DAC Nº. 13/2008.

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S.A. ELETROBRÁS. EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO DAC Nº. 13/2008. 1 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S.A. ELETROBRÁS. EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO Nº. 13/2008. ANEXO I ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 2 1 ESCOPO DO FORNECIMENTO 1.1 - O objeto deste

Leia mais

Trabalho Prático Nº6 Porta USB Processo de Enumeração

Trabalho Prático Nº6 Porta USB Processo de Enumeração Trabalho Prático Nº6 Porta USB Processo de Enumeração 1. OBJECTIVOS - Compreender o funcionamento geral de um dispositivo USB. - Entender e descrever em detalhe o processo de enumeração de um dispositivo

Leia mais

Pingwin Android Como instalar

Pingwin Android Como instalar Pingwin Android Como instalar 1. Fazer o download do Pingwin.apk; 2. Autorizar instalações de fornecedores desconhecidos no Android; 3. Licenciar o Pingwin Android; 4. Como configurar o Pingwin Android

Leia mais

Comunicação via interface SNMP

Comunicação via interface SNMP Comunicação via interface SNMP 1 - FUNCIONAMENTO: Os No-breaks PROTEC possuem 3 interfaces de comunicação: Interface RS232, interface USB e interface SNMP. Todas elas permitem o controle e o monitoramento

Leia mais

Vitor Amadeu Souza vitor@cerne-tec.com.br Cerne Tecnologia www.cerne-tec.com.br

Vitor Amadeu Souza vitor@cerne-tec.com.br Cerne Tecnologia www.cerne-tec.com.br Vitor Amadeu Souza vitor@cerne-tec.com.br Cerne Tecnologia www.cerne-tec.com.br ARMAZENAMENTO DE DADOS Introdução Vários periféricos podem ser usados para permitir o armazenamento e interface do computador.

Leia mais