Escola Principais autores Abordagens teóricas Metodologia

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Escola Principais autores Abordagens teóricas Metodologia"

Transcrição

1 Revisão Antropologia II Escola Principais autores Abordagens teóricas Metodologia Evolucionismo Tylor, Fraser, Morgan Unidade humana, compreensão das diferenças através de uma linha evolutiva da humanidade, diferentes fases (linha temporal em selvageriabarbárie-civilização) Método comparativo que desmembra aspectos da sociedade, Histórico Escola sociológica Francesa Émile Durkheim, Marcel Mauss, Robert Hertz Fatos sociais são explicados por fatos sociais, preeminência do social sobre o indivíduo. Representações coletivas, cultura como sistema simbólico, "sistemas de representação" - religião, mitologia (como formas de pensar e de entender o mundo). Fato social total, troca/reciprocidade, corpo socialmente treinado. Comparação a partir de determinadas questões, mas levando em conta o sentido local, que busca os fundamentos da vida social. Preocupação mais teórica, usa etnografias feitas por outros. Culturalismo Franz Boas, Foco na ideia de CULTURA formas de pensar, línguas, mitos, arte. Cada cultura constitui a forma de viver, pensar, se comportar, sentir. Os sentidos (visão, audição) são culturalmente treinados. Etnografias, entender cada cultura como um todo. Incorpora documentação histórica. Ruth Benedict, Margaret Mead Relativismo cultural respeitar cada cultura, entendê-las por dentro, convívio com o nativo. Padrões de cultura. Desnaturalização dos comportamentos e das formas de pensar e sentir. Personalidade é culturalmente moldada. 1

2 Funcionalismo / Estruturalfuncionalismo Malinowski Radcliffe-Brown Descrições etnográficas detalhistas, teoria das necessidades básicas, função como o papel que uma parte tem na manutenção da vida social, estabilização. Entender cada sociedade como um todo. Antropologia como ciência natural busca conceitos, modelos de abstração. Estrutura social: sistema de relações sociais entre as posições sociais, pessoas. (não é abstração, é observável). Forma social é algo que o pesquisador abstrai. Função, como na fisiologia, as relações entre processo e estrutura, função da parte para manutenção do todo (estrutura social). Etnografia, sistematizada a partir de Malinowski. Como vivem, como se organizam, como pensam e sentem, contradições entre ação e regras sociais. Em M, R-B e EP foco no presente etnográfico. R-B: Etnografia, mas propõe método comparativo, semelhante Escola Sociológica FR: comparação de formas sociais (EX Irmão da Mãe) Cultura é parte de um sistema social (seu objeto é o sistema, não a cultura) Evans-Pritchard Tb busca modelos de abstração, mas a partir do campo. Estrutura social: relações entre grupos sociais, grupos definidos localmente, foco na organização política. Estrutura permanece constante (muda lentamente) Antropólogo a é tradutor, ciência humana (não natural) Observação participante, tornando-se na medida do possível, um membro da comunidade estudada. Azande entender como 2

3 pensam, sua lógica, semelhante à nossa. Problema da cultura e da racionalidade, sistema de crenças. Nuer: Princípios de estruturas sociais: segmentos políticos (linhagens, grupos etários, território), como se interrelacionam. Um sistema social. Oposições segmentares, princípios de fusão e fissão. Tempo e espaço ecológico e estrutural forma de pensar e categorizar se relaciona à estrutura social (ex. Conjuntos etários) Comparação: sistemas políticos africanos, sociedades de linhagens, comparações entre grupos semelhantes de estruturas políticas. Leach Descreve categorias, faz diagramas (abstrações a partir do caso, não universais) Questiona modelos em equilíbrios de RB e EP Estrutura social: o sistema formal de relações entre pessoas e grupos de pessoas dentro de um sistema social, Princípios de organização. Estrutura social em situações práticas Mudança estrutural inconsistências, mudanças ao longo da história Sistemas incongruentes podem convier. Estrutura independe do conteúdo cultural. Questiona noção de uma sociedade e suas fronteiras. Alternância histórica entre Incorpora a perspectiva histórica, uso de documentos ao lado da etnografia e da observação. 3

4 sistemas Gumsa e Gumlao. Mito e ritual descrevem modelos ideais, mas vida política é mais instável, modelos culturais distintos convivem, são ambíguos. Ideal nativo não corresponde ao fato. Gluckman Foco na mudança social. L e G - Rejeitam as teorias do equilíbrio, questionam a noção de coesão Questiona fronteiras dos grupos, estuda sociedades plurais. Critica dominação colonial Preocupa-se com o Poder. Foco nos conflitos (considerado marxista por alguns), sistemas não estão em equilíbrio, diferentes estruturas sociais em processos de transformação. ESTRUTURA SOCIAL sistema de relações entre os grupos. Mas uma pessoa pode pertencer a inúmeros grupos ao mesmo tempo, que podem até estar em oposição. Cooperação, segregação, hostilidade interesses de diversos grupos Mudança social é o foco (exo /endo cultura) Estrutura social - interdependência de suas partes; sucessão de diferentes equilíbrios sucessivos (repetitivos, em mudança) Etnografia Descrição a partir de uma situação social (evitar descrições excessivas). Uso de documentação histórica. 4

5 cultura comportamento padronizados de indivíduos numa comunidade (como RB) Para Leach e Gluckman:... a dinâmica central dos sistemas sociais é fornecida pela atividade política, por homens que competem entre si para melhorar seus meios e seu status, a partir de um enquadre formado por regras ambíguas e contraditórias. (Kuper, p. 177) 5

ANT 7201 Teoria Antropológica I

ANT 7201 Teoria Antropológica I UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE FILOSOFIA E CIENCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE ANTROPOLOGIA CURSO DE GRADUAÇÃO ANTROPOLOGIA ANT 7201 Teoria Antropológica I Semestre: 2014-2 Prof. Pedro Castelo

Leia mais

FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE

FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Bacharelado em Psicologia Disciplina: Fundamentos Sócio-Antroplógicos da Psicologia Professor: Salomão David Vergne e-mail: vergne07@gmail.com Cardoso Código:

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓREITORIA DE GRADUAÇÃO PLANO DE ENSINO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓREITORIA DE GRADUAÇÃO PLANO DE ENSINO I. IDENTIFICAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO PLANO DE ENSINO UNIDADE ACADÊMICA: Faculdade de Ciências Sociais CURSO: DISCIPLINA: Antropologia 1 CARGA HORÁRIA SEMANAL: CARGA HORÁRIA TOTAL: 64 ANO/SEMESTRE: 2017/1

Leia mais

Gustavo Noronha Silva. O conflito: um breve comparativo entre Radcliffe-Brown, Evans-Pritchard e Leach

Gustavo Noronha Silva. O conflito: um breve comparativo entre Radcliffe-Brown, Evans-Pritchard e Leach Gustavo Noronha Silva O conflito: um breve comparativo entre Radcliffe-Brown, Evans-Pritchard e Leach Universidade Estadual de Montes Claros / UNIMONTES abril / 2004 Gustavo Noronha Silva O conflito: um

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ANTROPOLOGIA SOCIAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ANTROPOLOGIA SOCIAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ANTROPOLOGIA SOCIAL Curso: ANT0001 - TEORIA ANTROPOLÓGICA CLÁSSICA Professor: Carlos

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE FILOSOFIA, LETRAS E CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE ANTROPOLOGIA

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE FILOSOFIA, LETRAS E CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE ANTROPOLOGIA 1. Disciplina: Introdução às Ciências Sociais (Antropologia) - 1º semestre/ 2016 Sextas-feiras à noite (das 19h30 às 23h) Prof ª Ana Lúcia Pastore Schritzmeyer alps@usp.br (sala 20) 2. Código: FLA0101

Leia mais

Sociologia. Professor: Matheus Bortoleto Rodrigues Escola Cenecista Dr. José Ferreira

Sociologia. Professor: Matheus Bortoleto Rodrigues   Escola Cenecista Dr. José Ferreira Sociologia Professor: Matheus Bortoleto Rodrigues E-mail: matheus.bortoleto@cnec.edu.br Escola Cenecista Dr. José Ferreira Cultura Objetivo: Problematizar o desenvolvimento das diferentes sociedades humanas

Leia mais

PROGRAMA GERAL DO COMPONENTE CURRICULAR- PGCC 1

PROGRAMA GERAL DO COMPONENTE CURRICULAR- PGCC 1 Governo do Estado do Rio Grande do Norte Secretaria de Estado da Educação e da Cultura - SEEC UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE - UERN Pró-Reitoria de Ensino de Graduação PROEG Home Page: http://www.uern.br

Leia mais

Sociologia. Surgimento e principais tópicos. Prof. Alan Carlos Ghedini

Sociologia. Surgimento e principais tópicos. Prof. Alan Carlos Ghedini Sociologia Surgimento e principais tópicos Prof. Alan Carlos Ghedini Podemos entender a sociologia, de modo geral, como a área de estudo que se dedica a entender o comportamento humano em sociedade. São

Leia mais

Sociologia. Professor: Matheus Bortoleto Rodrigues Escola Cenecista Dr. José Ferreira

Sociologia. Professor: Matheus Bortoleto Rodrigues   Escola Cenecista Dr. José Ferreira Sociologia Professor: Matheus Bortoleto Rodrigues E-mail: matheus.bortoleto@cnec.edu.br Escola Cenecista Dr. José Ferreira Cultura Objetivo: Problematizar o desenvolvimento das diferentes sociedades humanas

Leia mais

As principais tendências do pensamento antropológico contemporâneo

As principais tendências do pensamento antropológico contemporâneo As principais tendências do pensamento antropológico contemporâneo Campos de investigação Antropologia das tecnologias; Antropologia econômica; Antropologia urbana; Antropologia política; Antropologia

Leia mais

FUNCIONALISMO E ESTRUTURALISMO

FUNCIONALISMO E ESTRUTURALISMO FUNCIONALISMO E ESTRUTURALISMO OBJETIVO: Esta aula tem por objetivo expor aos estudantes de Administração e Direito os fundamentos de duas teorias que conferiram um grau maturidade para pensamento antropológico

Leia mais

Produção de conhecimento: uma característica das sociedades humanas

Produção de conhecimento: uma característica das sociedades humanas 1 Produção de conhecimento: uma característica das sociedades humanas Os seres humanos sempre buscaram formas de compreender os fenômenos que ocorrem em seu dia a dia, de modo a procurar soluções para

Leia mais

META Apresentar o pensamento funcionalista no âmbito da antropologia.

META Apresentar o pensamento funcionalista no âmbito da antropologia. Aula 9 O FUNCIONALISMO NA ANTROPOLOGIA META Apresentar o pensamento funcionalista no âmbito da antropologia. OBJETIVOS Ao final desta aula o aluno deverá: saber defi nir o pensamento funcionalista; identifi

Leia mais

Principais paradigmas e escolas de pensamento antropológico

Principais paradigmas e escolas de pensamento antropológico Principais paradigmas e escolas de pensamento antropológico (Material didático elaborado por Vagner Gonçalves da Silva; disponível em http://www.fflch.usp.br/da/vagner/antropo.html) Alguns Alguns Formação

Leia mais

3º ANO / PRÉVEST PROF. Abdulah

3º ANO / PRÉVEST PROF. Abdulah 3º ANO / PRÉVEST PROF. Abdulah QUEM FOI DURKHEIM? BIOGRAFIA Francês, nascido em Épinal, em 1858. Inaugurou o estudo da Sociologia. CONTEXTO / INFLUÊNCIAS Revolução Industrial / Neocolonialismo. Influenciado

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DEPARTAMENTO DE BIBLIOTECONOMIA E HISTÓRIA CONCURSO PÚBLICO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DEPARTAMENTO DE BIBLIOTECONOMIA E HISTÓRIA CONCURSO PÚBLICO CRONOGRAMA DAS PROVAS ARQUEOLOGIA PROVA DATA HORÁRIO Prova Escrita 26 de maio 14h Entrega da proposta de 26 de maio 14h Resultado da prova escrita e 27 de maio 14h sorteio de pontos Prova didática 28 de

Leia mais

Material de divulgação da Editora Moderna

Material de divulgação da Editora Moderna Material de divulgação da Editora Moderna Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

SOCIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 08 A FORMAÇÃO CULTURAL DO BRASIL

SOCIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 08 A FORMAÇÃO CULTURAL DO BRASIL SOCIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 08 A FORMAÇÃO CULTURAL DO BRASIL Como pode cair no enem? F O trecho já que aqui a mestiçagem jamais foi crime ou pecado remete a qual conceito 1 polêmico atribuído ao Gilberto

Leia mais

PLANO DE DISCIPLINA. Período: Carga Horária: 60 h

PLANO DE DISCIPLINA. Período: Carga Horária: 60 h PLANO DE DISCIPLINA Curso: SERVIÇO SOCIAL Disciplina: Introdução a Antropologia Coordenação: Naiara C. Magalhães Professor (a): Robert Wagner Período: 2014.1 Carga Horária: 60 h 1. UNIDADE TEMÁTICA: Ementa:

Leia mais

RESENHA: O Patrimônio como Categoria do Pensamento, de José Reginaldo Santos.

RESENHA: O Patrimônio como Categoria do Pensamento, de José Reginaldo Santos. RESENHA: O Patrimônio como Categoria do Pensamento, de José Reginaldo Santos. d.o.i. 10.13115/2236-1499.2013v1n10p287 Emanoel Magno Atanásio de Oliveira 1 GONÇALVES, José Reginaldo Santos. O patrimônio

Leia mais

AULA 1 A constituição do campo de uma sociologia da vida econômica (I)

AULA 1 A constituição do campo de uma sociologia da vida econômica (I) AULA 1 A constituição do campo de uma sociologia da vida econômica (I) SOCIOLOGIA ECONÔMICA 02/2004 NADYA ARAUJO GUIMARÃES Conceito de ator Ação econômica Determinantes que estabelecem os limites da ação

Leia mais

Cultura Organizacional

Cultura Organizacional Cultura Organizacional Curso de Especialização em Gestão da Comunicação Organizacional e Relações Públicas ECA/USP A tradição antropológica Sistemas Simbólicos Antropologia Social Antropologia Cultural

Leia mais

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS LICENCIATURA. 1º período Disciplinas Teórica Prática

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS LICENCIATURA. 1º período Disciplinas Teórica Prática MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas. UNIFAL-MG Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700. Alfenas/MG CEP 37130-000 Fone: (35) 3299-1000. Fax: (35) 3299-1063 DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE

Leia mais

COMUNICAÇÃO SOCIAL Cultura brasileira AULA III

COMUNICAÇÃO SOCIAL Cultura brasileira AULA III COMUNICAÇÃO SOCIAL Cultura brasileira AULA III 1. Definições de cultura 2. Definições de Identidade Cultural 2.1. Nos Estudos Culturais, as identidades culturais dizem respeito àqueles aspectos de nossas

Leia mais

Noções de etnologia indígena. Teresa Cristina Silveira Antropóloga, Indigenista

Noções de etnologia indígena. Teresa Cristina Silveira Antropóloga, Indigenista Noções de etnologia indígena Teresa Cristina Silveira Antropóloga, Indigenista Antropologia Antropologia Empírica Antropologia Física Antropologia Cultural Antropologia Filosófica Arqueologia Etnologia

Leia mais

PLANO DE CURSO. Tipo de aula

PLANO DE CURSO. Tipo de aula PLANO DE CURSO DISCIPLINA: ANTROPOLOGIA JURIDICA (CÓD.: ENEX 60109) ETAPA: 2ª TOTAL DE ENCONTROS: 15 SEMANAS Semana Conteúdos/ Matéria Categorias/ Questões Tipo de aula Habilidades e Competências Textos,

Leia mais

Seminário: Textos - O Desafio do Conhecimento: Pesquisa Qualitativa em Saúde (Minayo,2008)

Seminário: Textos - O Desafio do Conhecimento: Pesquisa Qualitativa em Saúde (Minayo,2008) UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA LABORATÓRIO NACIONAL DE COMPUTAÇÃO CIENTÍFICA/MCT UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC INSTITUTO FEDERAL DE

Leia mais

momento presente, buscando explicar a lógica do sistema como uma totalidade orgânica e identificar as estruturas e funções sociais de modo preciso.

momento presente, buscando explicar a lógica do sistema como uma totalidade orgânica e identificar as estruturas e funções sociais de modo preciso. 1 CULTURA E IDENTIDADE A cultura encontra-se essencialmente vinculada ao processo de formação das sociedades humanas, numa relação simbiótica, interdependente e dinâmica que acompanha o desenvolvimento

Leia mais

A Teoria Crítica e as Teorias Críticas

A Teoria Crítica e as Teorias Críticas A Teoria Crítica e as Teorias Críticas As Teorias Críticas Clássicas apresentam uma contestação aos métodos utilizados pelas pesquisas administrativas Têm o marxismo como base filosófica e ideológica Teoria

Leia mais

A construção da corporalidade nas etnociências. Resumo

A construção da corporalidade nas etnociências. Resumo 1 Nome: Rafaela Campos de Carvalho Titulação: Mestranda do Programa de Pós Graduação em Antropologia Social da Universidade Estadual de Campinas. Principal instituição à qual está vinculada: UNICAMP ARTIGO:

Leia mais

antropologia & cultura

antropologia & cultura antropologia & cultura carlos joão correia estudos africanos filosofia artes & humanidades 2011-2012/2ºsemestre Cultura é o termo sociológico para o comportamento aprendido [learned behaviour]; comportamento

Leia mais

Quem criou o termo e desenvolveu a sociologia como ciência autônoma foi Auguste Comte. Sua obra inicia-se no início do século XIX e é central a noção

Quem criou o termo e desenvolveu a sociologia como ciência autônoma foi Auguste Comte. Sua obra inicia-se no início do século XIX e é central a noção Quem criou o termo e desenvolveu a sociologia como ciência autônoma foi Auguste Comte. Sua obra inicia-se no início do século XIX e é central a noção de evolução social na compreensão deste sociólogo sobre

Leia mais

O livro na sociedade, a sociedade no livro: pensando sociologicamente a literatura

O livro na sociedade, a sociedade no livro: pensando sociologicamente a literatura O livro na sociedade, a sociedade no livro: pensando sociologicamente a literatura Laura Garbini Both Mestre em Antropologia Social UFPR Profa. da UNIBRASIL laura.both@unibrasil.com.br No nosso dia-a-dia

Leia mais

Relatório de Disciplinas - UFF DEPARTAMENTO DE ANTROPOLOGIA

Relatório de Disciplinas - UFF DEPARTAMENTO DE ANTROPOLOGIA GAP112 ANTROPOLOGIA I 6 C.H.Teórica: 6 C.H.Prática: PROBLEMAS BÁSICOS DE ORGANIZAÇÃO SOCIAL, POLÍTICA E ECONÔMICA DE SEGMENTO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DENTRO DA PERSPECTIVA ANTROPOLÓGICA. CONHECIMENTO E

Leia mais

O que é pesquisa? inquietações, ou para um problema;

O que é pesquisa? inquietações, ou para um problema; Metodologia da Pesquisa: A construção do conhecimento O que é pesquisa? 1. Pesquisar é procurar respostas para inquietações, ou para um problema; 2. Atividade básica das ciências na sua indagação e descoberta

Leia mais

Modernidade: o início do pensamento sociológico

Modernidade: o início do pensamento sociológico Modernidade: o início do pensamento sociológico Os dois tipos de solidariedade Solidariedade Mecânica Solidariedade Orgânica Laço de solidariedade Consciência Coletiva Divisão social do trabalho Organização

Leia mais

2 ª aula: O Evolucionismo CASTRO, Celso. (2005). Introdução. In: Evolucionismo Cultural. Textos de Morgan, Tylor e Frazer. RJ: Jorge Zahar Ed.

2 ª aula: O Evolucionismo CASTRO, Celso. (2005). Introdução. In: Evolucionismo Cultural. Textos de Morgan, Tylor e Frazer. RJ: Jorge Zahar Ed. Título da disciplina: Teoria Social III - IFC028249 (DO) - IFC027239 (ME) Professora: Marcos Alexandre Albuquerque N o de Créditos: 4 (quatro), 60 horas, 15 sessões. Período: 1º Semestre de 2016 Horário:

Leia mais

Módulo 01: As distintas abordagens sobre a linguagem: Estruturalismo, Gerativismo, Funcionalismo, Cognitivismo

Módulo 01: As distintas abordagens sobre a linguagem: Estruturalismo, Gerativismo, Funcionalismo, Cognitivismo Módulo 01: As distintas abordagens sobre a linguagem: Estruturalismo, Gerativismo, Funcionalismo, Cognitivismo Sintaxe do Português I 1º semestre de 2015 sim, ele chegou! Finalmente! Prof. Dr. Paulo Roberto

Leia mais

Sumário. Agradecimentos... 7 Introdução... 15 SOCIOLOGIA. 2.3.4.1. Primeiro momento da alienação... 43 2.3.4.2. Segundo momento da alienação...

Sumário. Agradecimentos... 7 Introdução... 15 SOCIOLOGIA. 2.3.4.1. Primeiro momento da alienação... 43 2.3.4.2. Segundo momento da alienação... Cód. barras: STJ00095025 (2013) Sumário Agradecimentos... 7 Introdução....................... 15 Parte I SOCIOLOGIA 1. Origens da Sociologia... 27 1.1. As origens históricas e conceituais da Sociologia...

Leia mais

Pensamento e linguagem

Pensamento e linguagem Pensamento e linguagem Função da linguagem Comunicar o pensamento É universal (há situações que nem todos sabem fazer), mas todos se comunicam Comunicação verbal Transmissão da informação Características

Leia mais

O CONTEXTO HISTÓRICO DO SURGIMENTO DA SOCIOLOGIA

O CONTEXTO HISTÓRICO DO SURGIMENTO DA SOCIOLOGIA O CONTEXTO HISTÓRICO DO SURGIMENTO DA SOCIOLOGIA CENÁRIO HISTÓRICO A Sociologia surge como conseqüência das mudanças trazidas por duas grandes revoluções do século XVIII. As mudanças trazidas pelas duas

Leia mais

FÓRUM DE PESQUISA 15: SIMPÁTICA ANTROPOLOGIA: EMPATIA E ANTIPATIA NA PRATICA ANTROPOLÓGICA. PROXIMIDADE E DISTANCIA COM RELAÇÃO AO OBJETO DE PESQUISA

FÓRUM DE PESQUISA 15: SIMPÁTICA ANTROPOLOGIA: EMPATIA E ANTIPATIA NA PRATICA ANTROPOLÓGICA. PROXIMIDADE E DISTANCIA COM RELAÇÃO AO OBJETO DE PESQUISA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ANTROPOLOGIA 22 ª REUNIÃO BRASILEIRA DE ANTROPOLOGIA BRASÍLIA, 16 A 19 DE JULHO DE 2000 FÓRUM DE PESQUISA 15: SIMPÁTICA ANTROPOLOGIA: EMPATIA E ANTIPATIA NA PRATICA ANTROPOLÓGICA.

Leia mais

INCLUSÃO EM TRANSICIONALIDADE

INCLUSÃO EM TRANSICIONALIDADE INCLUSÃO EM TRANSICIONALIDADE Profa Dra IVONISE FERNANDES DA MOTTA * Profa Dra SANDRA CONFORTO TSCHIRNER ** RESUMO Um tema bastante abordado na contemporaneidade é a inclusão de pessoas com algum tipo

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 45 PERÍODO: 1º

1. IDENTIFICAÇÃO CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 45 PERÍODO: 1º 1. IDENTIFICAÇÃO PERÍODO: 1º CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 45 NOME DA DISCIPLINA: ANTROPOLOGIA CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 NOME DO CURSO: DIREITO/ECONOMIA/DIREITO 2. EMENTA A evolução do conhecimento antropológico.

Leia mais

Soc.Semana 18. Lara Rocha (Leidiane Oliveira)

Soc.Semana 18. Lara Rocha (Leidiane Oliveira) Lara Rocha (Leidiane Oliveira) Semana 18 Este conteúdo pertence ao Descomplica. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados. Antropologia

Leia mais

Disciplina: Política e Meio Ambiente

Disciplina: Política e Meio Ambiente MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal do Amapá Mestrado em Políticas Públicas e Meio Ambiente Disciplina: Política e Meio Ambiente Ricardo Ângelo PEREIRA DE LIMA I A QUESTÃO AMBIENTAL E O DESENVOLVIMENTO

Leia mais

antropologia & cultura

antropologia & cultura antropologia & cultura carlos joão correia estudos africanos filosofia artes & humanidades 2011-2012/2ºsemestre As inúmeras culturas no mundo não são tentativas falhadas de serem modernas, de serem como

Leia mais

Teorias da Cultura: O Evolucionismo na Cultura

Teorias da Cultura: O Evolucionismo na Cultura Teorias da Cultura: O Evolucionismo na Cultura O Evolucionismo na Antropologia Edward Tylor - Primitive Culture (1871) Tylor procurou demonstrar que cultura pode ser objeto de um estudo sistemático, pois

Leia mais

Professora: Susana Rolim S. Silva

Professora: Susana Rolim S. Silva Professora: Susana Rolim S. Silva Sociólogo, filósofo e antropólogo francês. Conferiu a Sociologia o reconhecimento acadêmico. Considerado por muitos o pai da Sociologia. Sua grande preocupação: estabelecer

Leia mais

SUMÁRIO DETALHADO 1 A PERSPECTIVA SOCIOLÓGICA...1

SUMÁRIO DETALHADO 1 A PERSPECTIVA SOCIOLÓGICA...1 SUMÁRIO DETALHADO 1 A PERSPECTIVA SOCIOLÓGICA...1 O que é sociologia?...2 A imaginação sociológica...2 A sociologia e as ciências sociais...3 Sociologia e senso comum...5 O que é teoria sociológica?...6

Leia mais

CURRÍCULO DO CURSO. Mínimo: 8 semestres. Profª. Luciana Silveira Cardoso

CURRÍCULO DO CURSO. Mínimo: 8 semestres. Profª. Luciana Silveira Cardoso Documentação: Objetivo: Titulação: Diplomado em: Criação: Resolução nº030/ceg/2009 de 30 de setembro de 2009. Portaria Noormativa nº 40/2007/MEC - Exclusivamente para Registro de Diploma. Curso Reconhecido

Leia mais

EMENTA DINÂMICA DO CURSO EM CLASSE

EMENTA DINÂMICA DO CURSO EM CLASSE Universidade de Brasília Instituto de Ciências Sociais Departamento de Antropologia Disciplina: INTRODUÇÃO À ANTROPOLOGIA Professora: ARIANA TIMBÓ MOTA. 1 semestre de 2004. EMENTA O curso tem por objetivo

Leia mais

P L A N O DE C U R S O DISCIPLINA SOCIOLOGIA I. CARGA HORÁRIA TU: 50 horas TC: 30 horas Total: 80 horas. Professora Doutora Márcia Maria de Oliveira

P L A N O DE C U R S O DISCIPLINA SOCIOLOGIA I. CARGA HORÁRIA TU: 50 horas TC: 30 horas Total: 80 horas. Professora Doutora Márcia Maria de Oliveira Curso: LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO DO CAMPO CÓDIGO DRP30156 P L A N O DE C U R S O DISCIPLINA SOCIOLOGIA I HABILITAÇÃO: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS PERÍODO 3 CRÉDITOS 06 CARGA HORÁRIA TU: 50 horas TC: 30 horas

Leia mais

Bateria de Sociologia I trimestre

Bateria de Sociologia I trimestre Colégio: Nome: Nº Professor (a): Série: 1º ano Data: / /2014 Bateria de Sociologia I trimestre Turma: 01. Qual é o papel da reforma protestante na ideia do individuo. 02. Qual é o papel da língua para

Leia mais

IDEOLOGIA: UMA IDEIA OU UMA INFLUÊNCIA?

IDEOLOGIA: UMA IDEIA OU UMA INFLUÊNCIA? Matheus Silva Freire IDEOLOGIA: UMA IDEIA OU UMA INFLUÊNCIA? Introdução Em resumo, todos têm costumes e coisas que são passadas de geração para geração, que são inquestionáveis. Temos na nossa sociedade

Leia mais

Aula 6: Modelos clássicos da análise e compreensão da sociedade e das instituições sociais e políticas: A Sociologia de Émile Durkheim (I).

Aula 6: Modelos clássicos da análise e compreensão da sociedade e das instituições sociais e políticas: A Sociologia de Émile Durkheim (I). Aula 6: Modelos clássicos da análise e compreensão da sociedade e das instituições sociais e políticas: A Sociologia de Émile Durkheim (I). CCJ0001 - Fundamentos das Ciências Sociais Profa. Ivana Schnitman

Leia mais

09/05/2012. Os Clássicos da Sociologia. Os Clássicos da Sociologia. Características de um clássico EMILE DURKHEIM Objeto da Sociologia

09/05/2012. Os Clássicos da Sociologia. Os Clássicos da Sociologia. Características de um clássico EMILE DURKHEIM Objeto da Sociologia OS CLÁSSICOS DA SOCIOLOGIA : MARX, DURKHEIM E WEBER OS CLÁSSICOS DA SOCIOLOGIA: DURKHEIM, WEBER E MARX Características de um clássico Seja considerado interprete autêntico e único de seu tempo, cuja obra

Leia mais

PROAC / COSEAC - Gabarito. Prova de Conhecimentos Específicos. 1 a Questão: (3,0 pontos)

PROAC / COSEAC - Gabarito. Prova de Conhecimentos Específicos. 1 a Questão: (3,0 pontos) Prova de Conhecimentos Específicos 1 a Questão: (3,0 pontos) Thomas Hobbes (1588/1679) e John Locke (1632/1704) são dois dos principais teóricos do Estado moderno. Enquanto o primeiro, na sua obra eminente,

Leia mais

Índice. 1. O Alfabetizador Ao Desenhar, A Criança Escreve?...5

Índice. 1. O Alfabetizador Ao Desenhar, A Criança Escreve?...5 GRUPO 5.4 MÓDULO 2 Índice 1. O Alfabetizador...3 1.1. Contribuições ao Educador-Alfabetizador... 4 1.2. Ações do professor alfabetizador... 4 2. Ao Desenhar, A Criança Escreve?...5 2 1. O ALFABETIZADOR

Leia mais

Aula 4 Cultura e Sociedade

Aula 4 Cultura e Sociedade Sociologia e Antropologia em Administraçã ção Aula 4 Cultura e Sociedade Profa. Ms. Daniela Cartoni Leitura para a aula DIAS, Reinaldo. Sociologia Geral. Campinas: Alinea, 2008. PLT 254 Capítulo 2 CONCEITO

Leia mais

TESE DE DOUTORADO MEMÓRIAS DE ANGOLA E VIVÊNCIAS NO BRASIL: EDUCAÇÃO E DIVERSIDADES ÉTNICA E RACIAL

TESE DE DOUTORADO MEMÓRIAS DE ANGOLA E VIVÊNCIAS NO BRASIL: EDUCAÇÃO E DIVERSIDADES ÉTNICA E RACIAL TESE DE DOUTORADO MEMÓRIAS DE ANGOLA E VIVÊNCIAS NO BRASIL: EDUCAÇÃO E DIVERSIDADES ÉTNICA E RACIAL Marciele Nazaré Coelho Orientadora: Profa. Dra. Roseli Rodrigues de Mello Por: Adriana Marigo Francisca

Leia mais

1948 Declaração Universal dos Direitos De acordo com a Declaração Universal dos Direitos : Os direitos humanos vêm ganhando força nos últimos tempos

1948 Declaração Universal dos Direitos De acordo com a Declaração Universal dos Direitos : Os direitos humanos vêm ganhando força nos últimos tempos DIREITOS HUMANOS 1948 Declaração Universal dos Direitos De acordo com a Declaração Universal dos Direitos : Os direitos humanos vêm ganhando força nos últimos tempos impulsionados pelos fundamentos da

Leia mais

Papel: contribuir para a compreensão da natureza e funcionamento da tradição humana.

Papel: contribuir para a compreensão da natureza e funcionamento da tradição humana. 1 Antropologia, a Ciência do homem A ciência - antropologia divide-se em dois campos: 1) Antropologia Física - Refere-se à forma Física do Homem (biologia humana); 2) Antropologia Social - Comportamento

Leia mais

Escritos de Max Weber

Escritos de Max Weber Escritos de Max Weber i) 1903-1906 - A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo (1ª parte, em 1904; 2ª parte em 1905; introdução redigida em 1920); - A objetividade do conhecimento nas Ciências Sociais

Leia mais

Aristóteles. (384 a.c 347 a.c)

Aristóteles. (384 a.c 347 a.c) Aristóteles (384 a.c 347 a.c) Trajetória histórica Nasce em Estagira império macedônio Encontro com Platão academia aos 17 anos (fica 20 anos) Preceptor de Alexandre Muito estudo biblioteca e investigação

Leia mais

UNIDADE 01 CIÊNCIA TECNOLOGIA SOCIEDADE

UNIDADE 01 CIÊNCIA TECNOLOGIA SOCIEDADE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E UNIDADE 01 CIÊNCIA TECNOLOGIA SOCIEDADE 1 Todos possuem conceitos variados sobre os termos ciência, sociedade e tecnologia. Ao consultarmos o dicionário Aurélio, encontramos

Leia mais

Sociologia 23/11/2015 PRODUÇÃO & MODELOS ECONÔMICOS TIPOS DE MODOS DE PRODUÇÃO

Sociologia 23/11/2015 PRODUÇÃO & MODELOS ECONÔMICOS TIPOS DE MODOS DE PRODUÇÃO Sociologia Professor Scherr PRODUÇÃO & MODELOS ECONÔMICOS TIPOS DE MODOS DE PRODUÇÃO Comunismo primitivo os homens se unem para enfrentar os desafios da natureza. Patriarcal domesticação de animais, uso

Leia mais

AULA 10 Questão de pesquisa e amostragem

AULA 10 Questão de pesquisa e amostragem 1 AULA 10 Questão de pesquisa e amostragem Ernesto F. L. Amaral 03 de setembro de 2010 Metodologia (DCP 033) Fonte: Flick, Uwe. 2009. Desenho da pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed. pp.33-42 & 43-55.

Leia mais

SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO ROSILDA SILVIO SOUZA

SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO ROSILDA SILVIO SOUZA SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO ROSILDA SILVIO SOUZA A consciência de nossa humanidade nesta era planetária deveria conduzir-nos à solidariedade e à comiseração recíproca, de indivíduo para indivíduo, de todos

Leia mais

A teoria genética de Piaget. Professora Cibelle Celestino Silva IFSC USP

A teoria genética de Piaget. Professora Cibelle Celestino Silva IFSC USP A teoria genética de Piaget Professora Cibelle Celestino Silva IFSC USP Jean Piaget (1896-1980) biólogo suíço estudou a interação de moluscos com o meio ambiente Jean Piaget (1896-1980) os moluscos, como

Leia mais

EDITORIAL. v. 6, n.1, p. 1-24, jan./jun Revision, v. 1, p , 1998.

EDITORIAL. v. 6, n.1, p. 1-24, jan./jun Revision, v. 1, p , 1998. EDITORIAL Família é um termo muito utilizado, mas difícil de captar em toda a sua complexidade. Nos estudos de família há limitações, tanto no aspecto teórico quanto na perspectiva empírica, em relação

Leia mais

X RAM- Reunión de antropologia del Mercosur Situar, actuar y imaginar antropologías desde el cono sur de julio de 2013 Córdoba- Argentina

X RAM- Reunión de antropologia del Mercosur Situar, actuar y imaginar antropologías desde el cono sur de julio de 2013 Córdoba- Argentina X RAM- Reunión de antropologia del Mercosur Situar, actuar y imaginar antropologías desde el cono sur 10 13 de julio de 2013 Córdoba- Argentina GT:Antropologias, Etnografias e Educação. Coordenadoras:

Leia mais

FILOSOFIA E SOCIEDADE: O TRABALHO NA SOCIEDADE MODERNA

FILOSOFIA E SOCIEDADE: O TRABALHO NA SOCIEDADE MODERNA FILOSOFIA E SOCIEDADE: O TRABALHO NA SOCIEDADE MODERNA FILOSOFIA E SOCIEDADE: O TRABALHO NA SOCIEDADE MODERNA O ser humano ao longo de sua existência foi construindo um sistema de relação com os demais

Leia mais

A sociologia crítica origem, desenvolvimento e conseqüências metodológicas. Ernesto Friedrich de Lima Amaral

A sociologia crítica origem, desenvolvimento e conseqüências metodológicas. Ernesto Friedrich de Lima Amaral A sociologia crítica origem, desenvolvimento e conseqüências metodológicas Ernesto Friedrich de Lima Amaral 29 de janeiro de 2009 Estrutura da aula 1. Origens da sociologia crítica 2. Conceituação e desenvolvimento

Leia mais

THE (IN) DISCIPLINE OF TOURISM RESENHA DE LIVRO

THE (IN) DISCIPLINE OF TOURISM RESENHA DE LIVRO 184 THE (IN) DISCIPLINE OF TOURISM RESENHA DE LIVRO Margarita Barretto 1 TRIBE, John. The (in) discipline of tourism. Annals of Tourism Research, v. 24, n. 3, p. 638-657, 1997. John Tribe é Doutor em Economia

Leia mais

Definição: ( PÉRES, 2006)

Definição: ( PÉRES, 2006) Antropologia Visual Definição: Antropologia Visual é uma área da Antropologia Sócio-cultural, que utiliza suportes imagéticos para descrever uma cultura ou um aspecto particular de uma cultura. ( PÉRES,

Leia mais

PESQUISA QUALITATIVA HISTÓRIA DA PESQUISA QUALITATIVA

PESQUISA QUALITATIVA HISTÓRIA DA PESQUISA QUALITATIVA PESQUISA QUALITATIVA HISTÓRIA DA PESQUISA QUALITATIVA Podemos considerada a pesquisa qualitativa uma tentativa de aproximação dos métodos de pesquisa nas quais pesquisa as ciências sociais. Sendo assim,

Leia mais

Os Sociólogos Clássicos Pt.2

Os Sociólogos Clássicos Pt.2 Os Sociólogos Clássicos Pt.2 Max Weber O conceito de ação social em Weber Karl Marx O materialismo histórico de Marx Teoria Exercícios Max Weber Maximilian Carl Emil Weber (1864 1920) foi um intelectual

Leia mais

Unidade III METODOLOGIA E PRÁTICA DO ENSINO DA MATEMÁTICA E CÊ CIÊNCIASC. Prof. Me. Guilherme Santinho Jacobik

Unidade III METODOLOGIA E PRÁTICA DO ENSINO DA MATEMÁTICA E CÊ CIÊNCIASC. Prof. Me. Guilherme Santinho Jacobik Unidade III METODOLOGIA E PRÁTICA DO ENSINO DA MATEMÁTICA E CÊ CIÊNCIASC Prof. Me. Guilherme Santinho Jacobik O ensino de ciências segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais O ensino de Ciências tem

Leia mais

análise de sistemas de informação

análise de sistemas de informação análise de sistemas de informação sistemas de informação e organização sistemas de informação e organização tópicos organização, gestão, participação, sistemas, processos de negócio, cultura, estrutura,

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Semestre Letivo. 1. Identificação Código. 1.2 Unidade: Faculdade de Medicina Departamento Responsável: Medicina Social 25.

PLANO DE ENSINO. Semestre Letivo. 1. Identificação Código. 1.2 Unidade: Faculdade de Medicina Departamento Responsável: Medicina Social 25. PLANO DE ENSINO Ano Semestre Letivo 2014 2 1. Identificação Código 1.1 Disciplina: Antropologia do corpo e da saúde 0450041 1.2 Unidade: Faculdade de Medicina 25 1.3 Departamento Responsável: Medicina

Leia mais

A constituição da Antropologia como ciência. Diversidade cultural, relativismo e etnocentrismo. Evolucionismo. Críticas ao Evolucionismo.

A constituição da Antropologia como ciência. Diversidade cultural, relativismo e etnocentrismo. Evolucionismo. Críticas ao Evolucionismo. Disciplina: Introdução à Antropologia (Antropologia I) Período: 2006/1 Profa. Sandra Jacqueline Stoll EMENTA A constituição da Antropologia como ciência. Diversidade cultural, relativismo e etnocentrismo.

Leia mais

QUADRO DE EQUIVALÊNCIAS ESTRUTURAS CURRICULARES 2001 E 2009 CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS IDEAL

QUADRO DE EQUIVALÊNCIAS ESTRUTURAS CURRICULARES 2001 E 2009 CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS IDEAL DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO GERAL BÁSICA FORMAÇÃO ESPECÍFICA Introdução à História 08 1º. Introdução à História 08 1º. História do Brasil I 04 2º. História do Brasil I 06 2º. História do Brasil II 04 2º. História

Leia mais

UFMG FAFICH - DSOA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ANTROPOLOGIA Disciplina: Antropologia Clássica 1 o semestre 2011

UFMG FAFICH - DSOA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ANTROPOLOGIA Disciplina: Antropologia Clássica 1 o semestre 2011 UFMG FAFICH - DSOA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ANTROPOLOGIA Disciplina: Antropologia Clássica 1 o semestre 2011 Prof. Ruben Caixeta de Queiroz O objetivo do curso é a leitura dos clássicos da segunda

Leia mais

Universidade Federal de Roraima Departamento de matemática

Universidade Federal de Roraima Departamento de matemática Universidade Federal de Roraima Departamento de matemática Metodologia do Trabalho Científico O Método Cientifico: o positivismo, a fenomenologia, o estruturalismo e o materialismo dialético. Héctor José

Leia mais

Positivismo ou sociologia da ordem. Comte e Durkheim

Positivismo ou sociologia da ordem. Comte e Durkheim Positivismo ou sociologia da ordem Comte e Durkheim Por que a palavra positivismo? Positivo: o que é palpável, baseado nos fatos; o que pode ser observado. Para Comte, o termo positivo designa o real em

Leia mais

Consciência coletiva segundo Émile Durkheim. Sociologia da Comunicação FLUL, Docente: Rita Marquilhas

Consciência coletiva segundo Émile Durkheim. Sociologia da Comunicação FLUL, Docente: Rita Marquilhas Consciência coletiva segundo Émile Durkheim Sociologia da Comunicação FLUL, 23.02.2016 Docente: Rita Marquilhas Bibliografia Durkheim, Émile. 1893. De la division du travail social (capítulo sobre solidariedade

Leia mais

SÉRIE ANTROPOLOGIA. AS CATEGORIAS DO ENTENDIMENTO HUMANO E A NOÇÃO DE TEMPO E ESPAÇO ENTRE OS NUER Luís R. Cardoso de Oliveira.

SÉRIE ANTROPOLOGIA. AS CATEGORIAS DO ENTENDIMENTO HUMANO E A NOÇÃO DE TEMPO E ESPAÇO ENTRE OS NUER Luís R. Cardoso de Oliveira. SÉRIE ANTROPOLOGIA 137 AS CATEGORIAS DO ENTENDIMENTO HUMANO E A NOÇÃO DE TEMPO E ESPAÇO ENTRE OS NUER Luís R. Cardoso de Oliveira Brasília 1993 AS CATEGORIAS DO ENTENDIMENTO HUMANO E AS NOÇÕES DE TEMPO

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA SECITECE FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE REGIONAL DO CARIRI URCA Comissão do Concurso

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA SECITECE FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE REGIONAL DO CARIRI URCA Comissão do Concurso Departamento: CIÊNCIAS SOCIAIS Setor de Estudo: ANTROPOLOGIA 1. Historia e teoria antropológica. 2. Trabalho de campo: o método etnográfico. 3. Abordagens contemporâneas em etnografia. 4. Família, parentesco

Leia mais

Sociologia Geral e da Educação

Sociologia Geral e da Educação Sociologia Geral e da Educação Objetivo:Discutir a função social da escola Conteúdos: capítulos 7, 8 e 9 Metodologia: Aula expositiva dialogada Apresentação do vídeo Para que serve a escola Apresentação

Leia mais

Abordagem "quantitativa" Utilização de grandes amostras Seleção aleatória das unidades de análise Preferência por teorias parcimoniosas e dotadas de alto grau de generalidade Redução da complexidade social

Leia mais

Cultura e política: debates contemporâneos sobre Ementa conceito de cultura, etnocentrismo, identidade e Requ DOCENTE(S) VALIDADE

Cultura e política: debates contemporâneos sobre Ementa conceito de cultura, etnocentrismo, identidade e Requ DOCENTE(S) VALIDADE UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS HUMANAS SCH DEPARTAMENTO DE ANTROPOLOGIA EMENTA DE DISCIPLINA Codigo HS 099 Carga Horária Disciplina ANTROPOLOGIA E DINÂMICAS DA CULTURA Teóricas Práticas

Leia mais

Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo FESPSP PROGRAMA DE DISCIPLINA

Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo FESPSP PROGRAMA DE DISCIPLINA Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo FESPSP PROGRAMA DE DISCIPLINA I. IDENTIFICAÇÃO DISCIPLINA Antropologia I CARGA HORÁRIA 72 horas CURSO Sociologia e Política SEMESTRE 1º semestre PROFESSOR

Leia mais

Nadya Araujo Guimarães FSL Introdução à Sociologia USP, 02/2014

Nadya Araujo Guimarães FSL Introdução à Sociologia USP, 02/2014 Nadya Araujo Guimarães FSL 0114 - Introdução à Sociologia USP, 02/2014 Foco do debate de hoje 1. Hoje seguiremos explorando, sob novas facetas, a noção de corporeidade, que continuará, assim, no centro

Leia mais

Metodologia de Dissertação II. Renata Lèbre La Rovere IE/UFRJ

Metodologia de Dissertação II. Renata Lèbre La Rovere IE/UFRJ Metodologia de Dissertação II Renata Lèbre La Rovere IE/UFRJ Definição Análise de Conteúdo Análise de Conteúdo se define como um "conjunto de técnicas de análise das comunicações e aposta no rigor do método

Leia mais

RELAÇÃO COM OUTRAS ÁREAS DO CONHECIMENTO

RELAÇÃO COM OUTRAS ÁREAS DO CONHECIMENTO Aula 6 ANTROPOLOGIA: LIMITES METODOLÓGICOS E A RELAÇÃO COM OUTRAS ÁREAS DO CONHECIMENTO META Apresentar os limites metodológicos e a relação entre Antropologia e outras áreas do conhecimento no âmbito

Leia mais

Avaliação dos Estudantes sobre o Uso de Imagens como Recurso Auxiliar no Ensino de Conceitos Químicos

Avaliação dos Estudantes sobre o Uso de Imagens como Recurso Auxiliar no Ensino de Conceitos Químicos UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE PIBID-PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA BOLSISTA: LIANE ALVES DA SILVA Avaliação dos Estudantes sobre o Uso de Imagens como Recurso Auxiliar

Leia mais

Classificação das Pesquisas

Classificação das Pesquisas Classificação das Pesquisas Levando em conta o DELINEAMENTO da Pesquisa: 1. Abordagem Teórica 2. Técnicas de Coleta e Análise de Dados (Metodologia) 3. Ambiente de Pesquisa 1. Exploratória 2. Bibliográfica

Leia mais

Agora vamos assistir a uma Apresentação Narrada sobre o Positivismo. Ao final desta espera-se que você aprenda sobre as características do

Agora vamos assistir a uma Apresentação Narrada sobre o Positivismo. Ao final desta espera-se que você aprenda sobre as características do Agora vamos assistir a uma Apresentação Narrada sobre o Positivismo. Ao final desta espera-se que você aprenda sobre as características do positivismo como forma de análise sociológica. Análise que pretende

Leia mais