Filo extremamente diversificado quanto ao tamanho e ao aspecto geral de seus representantes O agrupamento baseia-se no desenvolvimento embrionário,

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Filo extremamente diversificado quanto ao tamanho e ao aspecto geral de seus representantes O agrupamento baseia-se no desenvolvimento embrionário,"

Transcrição

1

2 Filo extremamente diversificado quanto ao tamanho e ao aspecto geral de seus representantes O agrupamento baseia-se no desenvolvimento embrionário, principalmente, na nêurula, quando é possível identificar as estruturas que caracterizam o grupo Notocorda Tubo neural dorsal Fendas branquiais Cauda pós-anal muscular

3 Notocorda - estrutura de sustentação Tubo neural dorsal- origem ectodérmica - localizado na região dorsal do embrião, acima da notocorda - dá origem ao sistema nervoso central dos adultos

4

5 Fendas branquiais aberturas laterais da faringe. nos aquáticos, dão origem às brânquias dos adultos, responsáveis pelas trocas gasosas e/ou alimentação nos terrestres, fecham-se durante o desenvolvimento Cauda pós-anal muscular locomoção por ondulação do corpo

6 Critérios de Classificação - Notocorda Protocordados - notocorda mantém-se nos adultos como única estrutura de sustentação do corpo - são considerados primitivos - são chamados de acraniados, pois não possuem crânio Vertebrados - notocorda é substituída pela coluna vertebral - são também denominados craniados, pois o encéfalo fica no interior do crânio

7 Critérios de Classificação - Notocorda Protocordados Urocordados ascídias - anfioxo Cefalocordados

8 Critérios de Classificação - Mandíbula Ágnatos (sem mandíbula) ou ciclostomados (boca circular) - boca sem mandíbula - apresenta dentes córneos que servem para raspar - são ectoparasitas aquáticos que sugam seu hospedeiro (sangue do peixe) Gnatostomados (boca com mandíbula) - apresentam mandíbula - maior eficiência alimentar

9 Critérios de Classificação - Mandíbula Ágnatos lampréias e feiticeiras Corpo cilíndrico Sem nadadeiras pares

10 Critérios de Classificação Estruturas locomotoras Peixes - nadadeiras - dividem-se em condrictes e osteíctes Tetrápodes - patas - inclui anfíbios, répteis, aves e mamíferos

11 Anexos Embrionários Anamniotas - podem apresentar apenas saco vitelínico - ágnatos, peixes e anfíbios Amniotas - apresentam saco vitelínico, âmnio, cório e alantóide - répteis, aves e mamíferos

12 Revestimento corporal Pele úmida - há glândulas mucosas - ágnatos, peixes e anfíbios Pele seca - não há glândulas mucosas - répteis, aves e mamíferos Obs.: pode haver estruturas especiais como pêlos, penas, escamas, placas, glândulas sebáceas e sudoríparas

13 Branquial Respiração - aquáticos - ágnatos, peixes e anfíbios Cutânea - terrestres úmidos - anfíbios Pulmonar - terrestres - anfíbios, répteis, aves e mamíferos

14 Controle de temperatura Ectotérmico, heterotérmico ou pecilotérmico - sangue frio - variam a temperatura corporal - ágnatos, peixes, anfíbios e répteis Endotérmico, homeotérmico - sangue quente - temperatura corporal constante - aves e mamíferos

15 Fecundação - externa - interna Desenvolvimento Reprodução - direto - indireto - ovulíparo, ovíparo, ovovivíparo, vivíparo

16

17 Peixes Condrictes ou peixes cartilaginosos - fendas branquiais visíveis - boca ventral - tubarões e arraias Osteíctes ou peixes ósseos - boca anterior - fendas branquiais sob o opérculo - bexiga natatória obs.: linha lateral sensorial

18 Peixes ósseos Sarcopterígios - nadadeira lobada - bexiga natatória funciona como pulmão - pirambóia (ocorre no Brasil) e celacanto

19 Actinopterígios - nadadeira raiada Peixes ósseos - bexiga natatória permite controle da flutuação

20 Anfíbios Primeiro grupo terrestre Derivados dos sarcopterígios Dependem da água para reprodução Grupos - anuros sapos, rãs e pererecas - urodelos salamandras - gimnofionas cobrascegas

21 Répteis Reprodução independente da água Ovo com casca Excreção de ácido úrico

22 - rincocéfalos - crocodilianos - quelônios - escamados - lacertílios - anfisbenas - serpentes

23 Aves Adaptações ao vôo - esqueleto aerodinâmico - ossos pneumáticos - sacos aéreos Outras características - Siringe - Penas Grupos Ratitas - esterno plano - não voam - ema, avestruz Carenadas - esterno em quilha

24 Aves Ratitas - esterno plano - não voam - ema, avestruz Carenadas - esterno em quilha

25

26 Mamíferos Glândulas mamárias Pelos Principais Grupos

27

28 Protérios ou monotremados - ovíparos Metatérios ou marsupiais - vivíparos - bolsa ou marsúpio contendo mamas Eutérios ou placentários - vivíparos - placenta e cordão bem desenvolvidos

29

30 (FGV) O filo dos cordados compreende quatro subfilos: hemicordados, urocordados, cefalocordados e vertebrados. Os três primeiros são, costumeiramente, agrupados sob designação de protocordados. A notocorda existe: a) somente na fase embrionária dos vertebrados e durante toda a vida dos protocordados; b) na fase adulta dos vertebrados e na vida embrionária dos protocordados; c) nos embriões de todos os cordados e no estágio adulto de apenas alguns protocordados; d) durante toda a vida dos cordados; e) somente na fase embrionária.

31 (MED. TAUBATÉ) Entre os vários caracteres gerais dos cordados, salientam-se três, que os distinguem de outros animais. Com relação a esse particular, assinale a alternativa correta: a) Simetria bilateral, tubo nervoso dorsal e notocorda. b) Três folhetos embrionários, notocorda e fendas branquiais na faringe. c) Tubo nervoso dorsal, trato digestório completo e celoma bem desenvolvido. d) Tubo nervoso dorsal, notocorda e fendas branquiais na faringe. e) Trato digestório completo, celoma bem desenvolvido e três folhetos embrionários.

32 (UFRGS - RS). As duas afirmações abaixo referem - se à relação entre as temperaturas do meio e do corpo de animais. I O aumento da temperatura do meio é usualmente acompanhado por aumento da temperatura do corpo do animal. IIO aumento da temperatura do meio não apresenta nenhum efeito apreciável na temperatura do corpo do animal. O morcego, o lagarto e a traíra relacionam - se, pela ordem, com as afirmações: a) I, II, II b) II, I, I c) I, II, I d) II, II, I e) I, I, II

33 (UFPR). O Ornithorhynchus é um mamífero que existe unicamente no continente australiano, mas é mais famoso ainda por sua primitividade. Analisando as características abaixo, é possível selecionar as que mais se adaptam a esse Monotremata. a) Ossos epipúbicos presentes; fêmea geralmente com marsúpio; útero e vagina duplos; glândulas mamárias primitivas. b) Ouvido geralmente provido de pavilhão; dentes, tanto nos filhotes como nos adultos, diferenciados na forma e na função; coração com três câmaras; patas com membranas interdigitais para a natação. c) Mamíferos sem bolsa e sem ossos marsupiais; vagina única;feto desenvolve - se inteiramente dentro do útero, preso por uma placenta. d) Mamíferos que põem ovos; sem pavilhões nos ouvidos; dentes apenas nos filhotes; adultos com bico córneo; cloaca presente; sem útero e sem vagina; glândulas mamárias sem tetas; nos pés têm membranas interdigitais, que servem para a natação, uma vez que têm hábitos aquáticos.

34 (Unifesp 2004) Cobras, em geral, ingerem grande quantidade de alimento, mas apenas de tempos em tempos. Gaviões, comparativamente, ingerem alimento em pequenas quantidades, porém diariamente e várias vezes ao dia. Conhecendo as principais características dos grupos a que esses animais pertencem, pode-se afirmar corretamente que isso ocorre porque: a) a digestão nas cobras é mais lenta e isso fornece energia aos poucos para seu corpo. Nos gaviões, a necessidade de fornecimento maior e mais rápido de energia condicionou o comportamento de tomada mais freqüente de alimento. b) as cobras, por ingerirem as presas inteiras, demoram mais tempo digerindo pêlos e penas. Os gaviões, por ingerirem as presas aos pedaços, já começam a digestão a partir do tecido muscular da presa. c) os órgãos sensoriais das cobras são bem menos desenvolvidos que os dos gaviões. Por isso, ao conseguirem alimento, ingerem a maior quantidade possível como forma de otimizar o recurso energético. d) sendo ectotérmicas (pecilotérmicas), as cobras possuem um período de busca de alimento restrito aos horários mais quentes do dia e, por isso, ingerem tudo o que encontram. Já os gaviões, que são endotérmicos (homeotérmicos), são ativos tanto de dia quanto à noite. e) as escamas e placas epidérmicas do corpo das cobras dificultam sua locomoção rápida, o que influencia o comportamento de caça e tomada de alimento. Os gaviões, nesse sentido, são mais ágeis e eficientes, por isso caçam e comem mais.

35 (PUCCAMP 2005) Na escuridão, morcegos navegam e procuram suas presas emitindo ondas de ultra-som e depois detectando as suas reflexões. Estas são ondas sonoras com freqüências maiores do que as que podem ser ouvidas por um ser humano. Depois de o som ser emitido através das narinas do morcego, ele poderia se refletir em uma mariposa, e então retornar aos ouvidos do morcego. Os movimentos do morcego e da mariposa em relação ao ar fazem com que a freqüência ouvida pelo morcego seja diferente da freqüência que ele emite. O morcego automaticamente traduz esta diferença em uma velocidade relativa entre ele e a mariposa. Algumas mariposas conseguem escapar da captura voando para longe da direção em que elas ouvem ondas ultra-sônicas, o que reduz a diferença de freqüência entre o que o morcego emite e o que escuta, fazendo com que o morcego possivelmente não perceba o eco. (Halliday, Resnick e Walker, "Fundamentos de Física", v. 2, 6. ed. Rio de Janeiro: LTC, p. 131) Considere os caracteres a seguir: I. Pêlos II. Glândulas mamárias III. Coluna vertebral VI. Coração com quatro cavidades V. Diafragma Desses caracteres, os que são exclusivos da classe à qual pertencem os morcegos são os de números: a) I, II e III b) I, II e IV c) I, II e V d) II, III e IV e) III, IV e V

Biologia Móds. 21/22 Setor 1423 Cordados Prof. Rafa

Biologia Móds. 21/22 Setor 1423 Cordados Prof. Rafa Biologia Móds. 21/22 Setor 1423 Cordados Prof. Rafa Características: Triblásticos Celomados ectoderme intestino mesoderme celoma cavidade corporal na mesoderme endoderme Características: Deuterostômios:

Leia mais

Filo Cordado. Apostila VII Unidade 24 a Características Embrionárias: 2- Caracterização Fisiológica: Característica

Filo Cordado. Apostila VII Unidade 24 a Características Embrionárias: 2- Caracterização Fisiológica: Característica 1- Características Embrionárias: Característica Tipo Simetria* Bilateral Tecidos Eumetazoa Tecidos embrionários Triblástico Celoma Celomado Origem do celoma Enterocelomado Blastóporo Deuterostômico Metameria

Leia mais

REVISÃO DO FILO DOS CORDADOS. Biologia Professora: Maria Lucia Fensterseifer

REVISÃO DO FILO DOS CORDADOS. Biologia Professora: Maria Lucia Fensterseifer REVISÃO DO FILO DOS CORDADOS Biologia Professora: Maria Lucia Fensterseifer PROTOCORDADOS NOTOCORDA TUBO NERVOSO DORSAL FENDAS FARÍNGEAS ASCÍDIA = UROCORDADO (NOTOCORDA NA CAUDA DA FASE LARVAL) ANFIOXO

Leia mais

FILO CHORDATA. Cordados

FILO CHORDATA. Cordados FILO CHORDATA Cordados Cordados Notocorda Triblásticos Deuterostômios Simetria Bilateral Epineuro Celomados 2 Características presentes em todos os cordados: Notocorda; Fendas na faringe; Tubo nervoso

Leia mais

Filo Chordada (Cordados) Vitor Leite

Filo Chordada (Cordados) Vitor Leite Filo Chordada (Cordados) Vitor Leite Filo Chordata (Cordados) Características gerais: -Triblásticos, celomados, deuterostômios, apresentam metameria (evidente na fase embrionária); Características Exclusivas:

Leia mais

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 60 CORDADOS

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 60 CORDADOS BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 60 CORDADOS ixação F ) Um aluno esquematizou um anfioxo, indicando, com legendas, os principais caracteres do 2 lo Chordata. p Indique a legenda que aponta o ERRO cometido

Leia mais

Cor C da or do da s do Prof. Fernando Belan Prof. Fernand - BIOLOGIA MAIS o Belan

Cor C da or do da s do Prof. Fernando Belan Prof. Fernand - BIOLOGIA MAIS o Belan Cordados Cordados Prof. Fernando Fernando Belan Belan -- BIOLOGIA BIOLOGIA MAIS MAIS Prof. Introdução Protocordados (anfioxo e ascídia); Vertebrados (peixes, anfíbios, répteis, aves e mamíferos); Simetria

Leia mais

FILO CHORDATA. Anfioxo. Ascídia

FILO CHORDATA. Anfioxo. Ascídia FILOS ANIMAIS FILO CHORDATA O filo apresenta cerca de 50.000 espécies distribuídas entre protocordados e vertebrados. Protocordados cordados mais simples, pequenos e exclusivamente marinhos não são muito

Leia mais

Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio

Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio Conteúdo: Conteúdo Recuperação do 3 Bimestre disciplina: Ciências - Peixes, anfíbios, répteis, aves e mamíferos. Diferenças entre esses seres vivos e importâncias

Leia mais

Revisão de Ciências 3 Trimestre 7 anos. Prof. José Roberto

Revisão de Ciências 3 Trimestre 7 anos. Prof. José Roberto Revisão de Ciências 3 Trimestre 7 anos Prof. José Roberto VERTEBRADOS CARACTERÍSTICAS GERAIS Animais vertebrados são todos aqueles que possuem como caracteristica principal, uma coluna vertebral. Animais

Leia mais

Biologia FILO CORDADOS

Biologia FILO CORDADOS CPMG- NADER ALVES DOS SANTOS Biologia FILO CORDADOS Prof. Weber FILO DOS CORDADOS Filo Chordata grandes animais existentes na Terra, dentre eles, o homem. Grande adaptação, diversos hábitos de vida, grande

Leia mais

Evolução dos vertebrados

Evolução dos vertebrados PEIXES Evolução dos vertebrados PEIXES PULMONADOS AVES ÓSSEOS ANFÍBIOS RÉPTEIS CICLÓSTOMO PEIXES MAMÍFEROS CARTILAGINOSOS Peixe Primitivo (Lampreias e Feiticeiras) Características gerais Exclusivamente

Leia mais

Filo dos Cordados Características gerais presentes pelo menos em uma fase da vida(embrionária):

Filo dos Cordados Características gerais presentes pelo menos em uma fase da vida(embrionária): Filo dos Cordados Características gerais presentes pelo menos em uma fase da vida(embrionária): Presença de notocorda (eixo dorsal de sustentação). Tubo nervoso dorsal. Fendas branquiais na faringe. Cauda

Leia mais

Reino Animalia 0 (Metazoa)

Reino Animalia 0 (Metazoa) Reino Animalia 0 (Metazoa) Filo Chordata (Parte II) Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/ Chordata Triblásticos, celomados, deuterostômios e possuem simetria bilateral;

Leia mais

Alta capacidade de locomoção Deuterostômios com simetria pentarradial. Os equinodermos alimentam-se de pequenos animais e algas.

Alta capacidade de locomoção Deuterostômios com simetria pentarradial. Os equinodermos alimentam-se de pequenos animais e algas. Os equinodermos constituem um grupo exclusivamente marinhos, dotados de um endoesqueleto calcário muitas vezes provido de espinhos salientes. Alta capacidade de locomoção Deuterostômios com simetria pentarradial

Leia mais

Herpetologia Estudo dos répteis. Prof. Pablo Paim Biologia

Herpetologia Estudo dos répteis. Prof. Pablo Paim Biologia Herpetologia Estudo dos répteis Prof. Pablo Paim Biologia Atualmente segundo a SBH são descritas para o Brasil 1026 espécies de anfíbios e 760 espécies de répteis. Anfíbios 988 Anuros; 1 Caudata; 33 Gymnophionas

Leia mais

BIOLOGIA AULA 12: ZOOLOGIA CORDADOS (Aves e mamíferos)

BIOLOGIA AULA 12: ZOOLOGIA CORDADOS (Aves e mamíferos) BIOLOGIA AULA 12: ZOOLOGIA CORDADOS (Aves e mamíferos) 1. Classe das aves Apresentam um padrão estrutural muito bem adaptado e homogêneo. São dióicos, geralmente com dimorfismo sexual, fecundação interna

Leia mais

AVES PROF. MARCELO MIRANDA

AVES PROF. MARCELO MIRANDA AVES Características gerais: - penas, membros anteriores modificados em asas, homeotermia(endotermia). Penas: estruturas que revestem e isolam termicamente o corpo, permitindo a manutenção da temperatura.

Leia mais

FILO CHORDATA. Cordados

FILO CHORDATA. Cordados FILO CHORDATA Cordados Cordados Notocorda Triblásticos Deuterostômios Simetria Bilateral Epineuro Celomados 2 Características presentes em todos Notocorda; Fendas na faringe; Tubo nervoso dorsal; Cauda

Leia mais

Cordados. Cauda pós-anal Notocorda Sistema Nervoso Dorsal Endóstilo Fendas faringianas

Cordados. Cauda pós-anal Notocorda Sistema Nervoso Dorsal Endóstilo Fendas faringianas Filo Chordata Cordados Cauda pós-anal Notocorda Sistema Nervoso Dorsal Endóstilo Fendas faringianas Características Gerais Triblásticos; Celomados; Deuterostômios; Simetria bilateral; Sistema digestório

Leia mais

Características Gerais dos Cordados (Protocordados e Vertebrados)

Características Gerais dos Cordados (Protocordados e Vertebrados) Características Gerais dos Cordados (Protocordados e Vertebrados) Ocorrência, em pelo menos uma fase da vida de: Tubo Neural Dorsal Notocorda Fendas Branquiais na Faringe Classificação dos Cordados Cordados

Leia mais

Biologia Alternativa C. 02 Alternativa A 03 V - V - V - F - V. 01 Alternativa A. 02 Alternativa C. 03 Alternativa B.

Biologia Alternativa C. 02 Alternativa A 03 V - V - V - F - V. 01 Alternativa A. 02 Alternativa C. 03 Alternativa B. Biologia 1 Unidade 45 V - V - V - F - V Unidade 46 06 1 Unidade 47 4 + 8 + 64 = 76 Unidade 48 V V V F F a) Vasos liberianos (floema). b) Transporte de seiva orgânica dos órgãos produtores para os órgãos

Leia mais

MAMÍFEROS. 15 Sistema Poliedro de Ensino Professora Giselle Cherutti

MAMÍFEROS. 15 Sistema Poliedro de Ensino Professora Giselle Cherutti MAMÍFEROS Capítulo 15 Sistema Poliedro de Ensino Professora Giselle Cherutti CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS MAMÍFEROS Aquáticos: Habitat: Mamíferos podem ser terrestres: Único mamífero que voa: Pelos Estratificada

Leia mais

Ciências 2016 Professor: Danilo Lessa Materiais: Livro e PPT

Ciências 2016 Professor: Danilo Lessa Materiais: Livro e PPT Ciências 2016 Professor: Danilo Lessa Materiais: Livro e PPT Sorriso Pensante Autor: Ivan Cabral Distribuição dos Vertebrados vs Invertebrados: 4,0% 96,0% Vertebrados Invertebrados Principais características

Leia mais

FILO CHORDATA (Cordados)

FILO CHORDATA (Cordados) FILO CHORDATA (Cordados) Chorda = cordão animais que possuem um cordão dorsal de sustentação Ocupam todos os ecossistemas 1. Características gerais Simetria bilateral Triblásticos Celomados Deuterostômios

Leia mais

SUPERCLASSE PEIXES 2) CLASSE CONDRÍCTEIS PEIXES CARTILAGINOSOS

SUPERCLASSE PEIXES 2) CLASSE CONDRÍCTEIS PEIXES CARTILAGINOSOS PEIXES SUPERCLASSE PEIXES 2) CLASSE CONDRÍCTEIS PEIXES CARTILAGINOSOS Endoesqueleto cartilaginoso Espiráculos Boca ventral 5 a 7 pares de fendas branquiais Sem bexiga natatória Presença de cloaca Glândula

Leia mais

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira UFRGS EMBRIOLOGIA

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira UFRGS EMBRIOLOGIA UFRGS EMBRIOLOGIA 1. (Ufrgs 2012) Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas do enunciado abaixo, na ordem em que aparecem. Em mamíferos, o... e as células trofoblásticas interagem com

Leia mais

Locomoção dos animais

Locomoção dos animais Locomoção dos animais Página 42 1. A locomoção 1.1 O que é a locomoção? A locomoção é a capacidade que a maioria dos animais tem de se deslocar no meio onde vivem. Os animais estão adaptados à locomoção

Leia mais

ZOOLOGIA DE VERTEBRADOS CURSO: Ciências Biológicas 3º Ano 2º semestre

ZOOLOGIA DE VERTEBRADOS CURSO: Ciências Biológicas 3º Ano 2º semestre ZOOLOGIA DE VERTEBRADOS CURSO: Ciências Biológicas 3º Ano 2º semestre 2ª Aula 1ª Parte Diversidade, Evolução e Origem dos vertebrados (Ministrante: Profa. Dra. Virginia S. Uieda) Professores Responsáveis:

Leia mais

1. (UFMG) Todas as alternativas indicam características que podem aparecer nos. a) coração dorsal com quatro cavidades circulação aberta.

1. (UFMG) Todas as alternativas indicam características que podem aparecer nos. a) coração dorsal com quatro cavidades circulação aberta. 12. Cordados 1. (UFMG) Todas as alternativas indicam características que podem aparecer nos vertebrados, exceto: a) coração dorsal com quatro cavidades circulação aberta. b) sistema excretor com néfrons

Leia mais

Aula 4.4 - Os conquistadores do ambiente terrestre

Aula 4.4 - Os conquistadores do ambiente terrestre Aula 4.4 - Os conquistadores do ambiente terrestre Além do vegetais outros organismos habitavam o ambiente terrestre Organismos de corpo mole como moluscos e anelídeos Organismos com cutícula redução da

Leia mais

Sugestões de atividades para avaliação. Ciências 7 o ano Unidade 8

Sugestões de atividades para avaliação. Ciências 7 o ano Unidade 8 Sugestões de atividades para avaliação Ciências 7 o ano Unidade 8 5 Nome: Data: UniDaDE 8 1 Com relação às suas características gerais, podemos dizer que os vertebrados possuem exclusivamente: I. patas.

Leia mais

A forma do corpo provavelmente evoluiu a partir de um tipo inicial semelhante ao das salamandras, nadando por ondulações do corpo e cauda.

A forma do corpo provavelmente evoluiu a partir de um tipo inicial semelhante ao das salamandras, nadando por ondulações do corpo e cauda. Silvestre A forma do corpo provavelmente evoluiu a partir de um tipo inicial semelhante ao das salamandras, nadando por ondulações do corpo e cauda. A mudança para um anfíbio saltador pode ser relacionada

Leia mais

Princípios de sistemática filogenética, origem dos vertebrados.

Princípios de sistemática filogenética, origem dos vertebrados. Princípios de sistemática filogenética, origem dos vertebrados. Sistemática vs Taxonomia Descrevem campos de estudo que se sobrepõem; Taxonomia Taxonomia lida com a teoria e a pratica de descrever a biodiversidade,

Leia mais

Triblásticos Celomados

Triblásticos Celomados Biologia Móds. 19/20 Setor 1403 Os Cordados Prof. Rafa Características: Triblásticos Celomados ectoderme intestino mesoderme celoma cavidade corporal na mesoderme endoderme Características: Deuterostômios:

Leia mais

BIOLOGIA AULA 11: ZOOLOGIA EQUINODERMOS; CORDADOS

BIOLOGIA AULA 11: ZOOLOGIA EQUINODERMOS; CORDADOS BIOLOGIA AULA 11: ZOOLOGIA EQUINODERMOS; CORDADOS FILO DOS EQUINODERMOS Os equinodermos (do grego echinos: espinhos; derma: pele) constituem um grupo de animais exclusivamente marinhos, dotados de um endoesqueleto

Leia mais

Animais Parte 2 (9- Cordados)

Animais Parte 2 (9- Cordados) Animais Parte 2 (9- Cordados) Os cordados são animais vertebrados, bilateralmente simétricos e o filo animal mais diverso no mundo. Todos compartilham um grupo de características derivadas, embora muitas

Leia mais

CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE

CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE 08 CEEJA MAX DADÁ GALLIZZI PRAIA GRANDE - SP 0 Intenção sem ação é ilusão. Ouse fazer e o poder lhe será dado

Leia mais

Embriologia. Prof. César Lima

Embriologia. Prof. César Lima Embriologia A embriologia é a parte da Biologia que estuda o desenvolvimento dos embriões animais. Há grandes variações, visto que os animais invertebrados e vertebrados apresentam muitos diferentes aspectos

Leia mais

Tema: Gimnospermas, Angiospermas, Cordados, Anfibios e Peixes

Tema: Gimnospermas, Angiospermas, Cordados, Anfibios e Peixes SÉRIE/ANO: 2ªSérie SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR SARGENTO NADER ALVES DOS SANTOS

Leia mais

CORDADOS. bilatérias, triblásticos. Radiados, diblásticos

CORDADOS. bilatérias, triblásticos. Radiados, diblásticos CORDADOS bilatérias, triblásticos Radiados, diblásticos FILO CHORDATA (gr. Chorda, cordão) FILO CHORDATA É o maior filo da linha deuterostômia Compreendem dois grupos: Protocordados (cordados inferiores):

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA - UNIR NÚCLEO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA - NCT DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA. Carga Horária: 120 horas/aula

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA - UNIR NÚCLEO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA - NCT DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA. Carga Horária: 120 horas/aula FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA - UNIR NÚCLEO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA - NCT DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA Código: CBIACO Créditos: 06 Período: 3 o (terceiro período) Disciplina: Anatomia Comparada

Leia mais

2012 3ª PROVA SUBSTITUTIVA de BIOLOGIA

2012 3ª PROVA SUBSTITUTIVA de BIOLOGIA COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 2012 3ª PROVA SUBSTITUTIVA de BIOLOGIA Aluno: Nº Série: 1º Turma: Data: 12/12/2012 Nota: Professor: Regina e Gabriela Valor da Prova: 65 pontos 1) Número de

Leia mais

Tipos de Ovos ou. óvulos ou. ovócitos ou. gametas femininos. Onde Ficam?

Tipos de Ovos ou. óvulos ou. ovócitos ou. gametas femininos. Onde Ficam? Tipos de Ovos ou óvulos ou ovócitos ou gametas femininos Onde Ficam? Nos ovários ou gônadas (glândulas) das fêmeas. artropodes Total blastômeros Holoblástica ocorre em todo o ovo; Meroblástica ocorre em

Leia mais

01) (UFRRJ/2003) Os óvulos apresentam diferentes quantidades e distribuição do vitelo ou deutoplasma (substância de reserva).

01) (UFRRJ/2003) Os óvulos apresentam diferentes quantidades e distribuição do vitelo ou deutoplasma (substância de reserva). 01) (UFRRJ/2003) Os óvulos apresentam diferentes quantidades e distribuição do vitelo ou deutoplasma (substância de reserva). Considerando-se o vitelo das aves, podemos afirmar que, ao longo do desenvolvimento

Leia mais

ATIVIDADES. BA.11 e 12: Cordados, uma visão geral BIOLOGIA. A partir dessa análise, é CORRETO afirmar que o ancestral desses quatro grupos apresentava

ATIVIDADES. BA.11 e 12: Cordados, uma visão geral BIOLOGIA. A partir dessa análise, é CORRETO afirmar que o ancestral desses quatro grupos apresentava ATIVIDADES 1. (UFPE 2004) Levando-se em conta as características dos cordados, analise as proposições seguintes com verdadeiro ou falso. ( ) Os equinodermos são deuterostômios e apresentam esqueleto interno

Leia mais

Que tal estudarmos os animais jogando um jogo bem legal? Vamos lá!!!! Siga as instruções abaixo e bons estudos!!!! INSTRUÇÕES

Que tal estudarmos os animais jogando um jogo bem legal? Vamos lá!!!! Siga as instruções abaixo e bons estudos!!!! INSTRUÇÕES Atividade de Estudo - Ciências 4º ano Nome: Que tal estudarmos os animais jogando um jogo bem legal? Vamos lá!!!! Siga as instruções abaixo e bons estudos!!!! INSTRUÇÕES Durante o jogo você terá que fazer

Leia mais

CEF Tratamento de Animais em Cativeiro 9º F. Higiene e Nutrição Animal

CEF Tratamento de Animais em Cativeiro 9º F. Higiene e Nutrição Animal Aves As aves são animais endotérmicos, que produzem seu próprio calor, e são homeotérmicas, capazes de manter esta temperatura de certa forma alta e constante, com certo grau de oscilação diária, conforme

Leia mais

BIOLOGIA. Prof. Fred CORDADOS. 1) Invertebrados. 1.A) Subfilo Urocordata ou tunicados. Ex: Ascidia. 1.B) Subfilo Cefalocordata. Ex. Anfioxo.

BIOLOGIA. Prof. Fred CORDADOS. 1) Invertebrados. 1.A) Subfilo Urocordata ou tunicados. Ex: Ascidia. 1.B) Subfilo Cefalocordata. Ex. Anfioxo. BIOLOGIA Prof. Fred CORDADOS 1) Invertebrados. 1.A) Subfilo Urocordata ou tunicados. Ex: Ascidia. 1.B) Subfilo Cefalocordata. Ex. Anfioxo. 2) Vertebrados 2) Sibfilo Vertebrata (EUCORDATAS). 2.A) Superclasse

Leia mais

ASPECTOS EVOLUTIVOS. originaram dos répteis. Escamas móveis semelhantes as penas antes do surgimento da endotermia e no início, sem relação com o vôo.

ASPECTOS EVOLUTIVOS. originaram dos répteis. Escamas móveis semelhantes as penas antes do surgimento da endotermia e no início, sem relação com o vôo. Classe das Aves ASPECTOS EVOLUTIVOS originaram dos répteis. Escamas móveis semelhantes as penas antes do surgimento da endotermia e no início, sem relação com o vôo. redução do peso. o planar vôo nicho

Leia mais

GOIÂNIA, / / PROFESSOR: Fred. Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações:

GOIÂNIA, / / PROFESSOR: Fred. Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações: GOIÂNIA, / / 2016 PROFESSOR: Fred DISCIPLINA: Biologia SÉRIE: 3º ALUNO(a): No Anhanguera você é + Enem Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações: - É fundamental

Leia mais

2. (1,0) Dadas as funções f(x) = 5x e g(x) = 2x 6, construa o gráfico dessas funções e descubra o ponto de intersecção:

2. (1,0) Dadas as funções f(x) = 5x e g(x) = 2x 6, construa o gráfico dessas funções e descubra o ponto de intersecção: QiD 3 1ª SÉRIE PARTE 4 MATEMÁTICA 1. (1,0) O preço de um carro novo é de R$9.000,00 e, com 4 anos de uso, é de R$4.000,00. Supondo que o preço caia com o tempo, segundo uma linha reta, determine o valor

Leia mais

GOIÂNIA, / / PROFESSOR: FreD. DISCIPLINA: Biologia TOOOP SÉRIE: 3º

GOIÂNIA, / / PROFESSOR: FreD. DISCIPLINA: Biologia TOOOP SÉRIE: 3º GOIÂNIA, / / 2015 PROFESSOR: FreD DISCIPLINA: Biologia TOOOP SÉRIE: 3º ALUNO(a): No Anhanguera você é + Enem Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações: - É fundamental

Leia mais

EDITAL DE RECUPERAÇÃO PARALELA SEMESTRAL 1º SEMESTRE/2016

EDITAL DE RECUPERAÇÃO PARALELA SEMESTRAL 1º SEMESTRE/2016 EDITAL DE RECUPERAÇÃO PARALELA SEMESTRAL 1º SEMESTRE/2016 Aluno: Ano: Professora: Disciplina: No Colégio Pentágono trabalhamos com a Recuperação Contínua e Paralela. A Recuperação Contínua ocorre durante

Leia mais

ZOOLOGIA - REINO METAZOA

ZOOLOGIA - REINO METAZOA ZOOLOGIA - REINO METAZOA FILO CORDADO CARACTERÍSTICAS GERAIS O que será que caracteriza um vertebrado? Substituição da Notocorda pela Coluna Vertebral; Presença de uma cabeça definida; Presença de órgãos

Leia mais

REPRODUÇÃO. Prof. Edgard Manfrim - Biologia

REPRODUÇÃO. Prof. Edgard Manfrim - Biologia REPRODUÇÃO Prof. Edgard Manfrim - Biologia REPRODUÇÃO ASSEXUADA BROTAMENTO OU GEMIPARIDADE ESPONGIÁRIO E CELENTERADO ESTROBILIZAÇÃO MEDUSAS REGENERAÇÃO PLANÁRIAS Prof. Edgard Manfrim - Biologia Prof. Edgard

Leia mais

Introdução à Biologia. Profª Laís F. O.

Introdução à Biologia. Profª Laís F. O. Introdução à Biologia Profª Laís F. O. SERES VIVOS Organização celular Composição química Reprodução Metabolismo Hereditariedade Adaptação ao meio Variabilidade Excitabilidade... BIOLOGIA CITOLOGIA HISTOLOGIA

Leia mais

Filos: Poríferos Cnidários Platelmintos- Nematelmintos Anelídeos Moluscos Artrópodes - Equinodermos Cordatas. Professora Débora Biologia

Filos: Poríferos Cnidários Platelmintos- Nematelmintos Anelídeos Moluscos Artrópodes - Equinodermos Cordatas. Professora Débora Biologia Filos: Poríferos Cnidários Platelmintos- Nematelmintos Anelídeos Moluscos Artrópodes - Equinodermos Cordatas Professora Débora Biologia Filo Poríferos Esponjas Filo Poríferos Características São todas

Leia mais

Plano de Recuperação Final EF2

Plano de Recuperação Final EF2 Professor: Cybelle / José Henrique / Sarah Ano: 7º ano Objetivos: Proporcionar ao aluno a oportunidade de resgatar os conteúdos trabalhados em Ciências nos quais apresentou defasagens e os quais lhe servirão

Leia mais

Filo Annelida Vermes Anelados

Filo Annelida Vermes Anelados Filo Annelida Vermes Anelados CARACTERÍSTICAS GERAIS Anelídeo anelo = anel Metameria Meta = sucessão; meros = partes Externa e Interna Triblástico ( endoderme, mesoderme e ectoderme) Celomados Simetria

Leia mais

Este grupo abriga cerca de 40 mil espécies que ocupam os mais variados habitats.

Este grupo abriga cerca de 40 mil espécies que ocupam os mais variados habitats. FILO CHORDATA Em alguma fase da vida, os cordados apresentam: Presença de NOTOCORDA, que é uma A notocorda é uma estrutura com aspecto similar a uma vareta, de origem mesodérmica, de posição dorsal, com

Leia mais

Ciclostomados e peixes

Ciclostomados e peixes Ciclostomados e peixes Agnatos ou ciclostomados Disponível em: . Acesso em: 17 jun. 2012. Agnatos ou ciclostomados

Leia mais

Estudante: Ano/Turma: 7º

Estudante: Ano/Turma: 7º Estudante: Ano/Turma: 7º Educador: Marcela Salgado Ensino Fundamental II ATIVIDADE COMPLEMENTAR C.Curricular: Ciências Data: Questão 1 Sobre o assunto de células responda: a) Indique a função e/ou as características

Leia mais

Vertebrados. Classe dos Peixes

Vertebrados. Classe dos Peixes Vertebrados Os animais vertebrados, pertencentes ao reino animal e ao filo chordata, são animais que possuem vértebras, ou seja, os ossos que compõem a coluna vertebral. Importante salientar que nem todos

Leia mais

Filo Echinodermata (Equinodermos)

Filo Echinodermata (Equinodermos) Do grego echinos: espinhos; derma: pele. O filo possui cerca de 6000 espécies descritas, todas marinhas. Os equinodermos estão agrupados em 5 classes distintas: -Asteroidea (estrelas-do-mar) Do grego echinos:

Leia mais

Os Répteis. Capítulo 13- Sistema Poliedro de Ensino Professora Giselle Cherutti

Os Répteis. Capítulo 13- Sistema Poliedro de Ensino Professora Giselle Cherutti Os Répteis Capítulo 13- Sistema Poliedro de Ensino Professora Giselle Cherutti Evolução dos Répteis Origem do latim Reptilis = que se rasteja A conquista do meio terrestre Surgiram a cerca de 300 milhões

Leia mais

Reino Animalia. Desenvolvimento Embrionário

Reino Animalia. Desenvolvimento Embrionário Reino Animalia Características Gerais Seres eucariontes (seres vivos que possuem o núcleo de suas células delimitado por uma membrana, a carioteca); Maioria desses seres possui capacidade de locomoção

Leia mais

PORÍFEROS. Pseudocelomado Tubo dentro de um tubo. O pseudoceloma EMBRIOLOGIA. de um lado e endoderme de outro.

PORÍFEROS. Pseudocelomado Tubo dentro de um tubo. O pseudoceloma EMBRIOLOGIA. de um lado e endoderme de outro. EMBRIOLOGIA Pseudocelomado Tubo dentro de um tubo. O pseudoceloma tem mesoderme de um lado e endoderme de outro. Celomado Tubo dentro de um tubo. O celoma é envolvido pela mesoderme por todos os lados

Leia mais

Curso Wellington Biologia Reino Animal Cordados- Aves- Prof Hilton Franco

Curso Wellington Biologia Reino Animal Cordados- Aves- Prof Hilton Franco 1. É engraçado pensar em um tordo empoleirado nas costas de um Velociraptor ou um pato nadando ao lado de um Spinosaurus. (DYKE, 2010, p. 59). A ilustração apresenta duas concepções sobre a origem das

Leia mais

BIOLOGIA Diversidade da Vida Exercícios complementares Répteis, aves e mamíferos

BIOLOGIA Diversidade da Vida Exercícios complementares Répteis, aves e mamíferos 1. (UECE) Analise as afirmações abaixo, classificando-as em verdadeiras (V) ou falsas F. ( ) Nos mamíferos o coração encontra-se dividido em quatro cavidades: dois átrios e dois ventrículos. Desta forma,

Leia mais

EMBRIOLOGIA. Prof. André Maia. Conceito. 1. Ovos Isolécitos

EMBRIOLOGIA. Prof. André Maia. Conceito. 1. Ovos Isolécitos EMBRIOLOGIA Prof. André Maia Conceito É a parte da Biologia que estuda os processos através dos quais se forma o embrião, a partir da célula ovo ou zigoto (embriogênese). Períodos de desenvolvimento Clivagem

Leia mais

Roteiro de Estudos de Ciências 7 ANO. 3º trimestre

Roteiro de Estudos de Ciências 7 ANO. 3º trimestre Ciências/15 7º ano Turma: 3º trimestre Nome: Data: / / 7ºcie303r Roteiro de Estudos de Ciências 7 ANO 3º trimestre O que estudamos no terceiro trimestre? No terceiro trimestre finalizamos nosso estudo

Leia mais

FILO: CORDADOS SUB-FILO: VERTEBRADOS TABELA DE ZOOLOGIA COMPARADA

FILO: CORDADOS SUB-FILO: VERTEBRADOS TABELA DE ZOOLOGIA COMPARADA Classes Peixes Cartilaginosos (Condrictes) Temperatura ectotérmicos do corpo Tegumento pele coberta por escamas placóides, de origem dermoepidérmi ca Sustentação e locomoção Nutrição digestão Circulação

Leia mais

Revisão de Ciências 3 Trimestre 7 anos

Revisão de Ciências 3 Trimestre 7 anos PARNAMIRIM - RN Revisão de Ciências 3 Trimestre 7 anos Prof. José Roberto E Raphaella Madruga. Nematódeo Vermes de corpo cilíndrico, coberto por cutícula. Apresentam sexos separados (dimorfismo sexual

Leia mais

Sanguessugas. Poliquetos. Minhocas

Sanguessugas. Poliquetos. Minhocas Sanguessugas Poliquetos Minhocas Representados pelas minhocas, sanguessugas e poliquetos Vivem em solos úmidos, água doce ou marinhos Podem ser parasitas ou vida livre São triblásticos, simetria bilateral

Leia mais

UNIDADE - I. Aparecida de Goiânia, / /2016. Aluno(a): Série: 7º Ano Turno: Matutino Professor (a): Lindinaldo

UNIDADE - I. Aparecida de Goiânia, / /2016. Aluno(a): Série: 7º Ano Turno: Matutino Professor (a): Lindinaldo UNIDADE - I Aparecida de Goiânia, / /2016. Aluno(a): Série: 7º Ano Turno: Matutino Professor (a): Lindinaldo Trabalho de Recuperação - Ciências Valor: 4,0 (Quatro) pontos 1. Leia as frases a seguir e analise-as

Leia mais

02)(UFPEL-2007) O desenvolvimento embrionário dos vertebrados é dividido nas seguintes etapas: segmentação, gastrulação e organogênese.

02)(UFPEL-2007) O desenvolvimento embrionário dos vertebrados é dividido nas seguintes etapas: segmentação, gastrulação e organogênese. COLÉGIO CEC CENTRO EDUCACIONAL CIANORTE ED. INFANTIL, ENS. FUNDAMENTAL E MÉDIO - SISTEMA ANGLO DE ENSINO REVISÃO DE EMBRIOLOGIA PROFESSOR NANNI (TERCEIRÃO 2012) 01)(UFPR-modificado) Os diferentes modos

Leia mais

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 46 ANEXOS EMBRIONÁRIOS

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 46 ANEXOS EMBRIONÁRIOS BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 46 ANEXOS EMBRIONÁRIOS Como pode cair no enem? (PUC) O desenvolvimento embrionário nos vertebrados leva à formação, em determinado estágio, de certas estruturas que não

Leia mais

y Para viver, viver os seres aeróbios necessitam da entrada constante de oxigénio para as células e da eliminação eficaz do dióxido de carbono que se

y Para viver, viver os seres aeróbios necessitam da entrada constante de oxigénio para as células e da eliminação eficaz do dióxido de carbono que se Trocas gasosas nos seres multicelulares y Para viver, viver os seres aeróbios necessitam da entrada constante de oxigénio para as células e da eliminação eficaz do dióxido de carbono que se forma como

Leia mais

Vivendo na Terra. Como era a Terra e quais os grupos animais viventes no momento evolutivo em que se deu a transição para o ambiente terrestre?

Vivendo na Terra. Como era a Terra e quais os grupos animais viventes no momento evolutivo em que se deu a transição para o ambiente terrestre? Vivendo na Terra Como era a Terra e quais os grupos animais viventes no momento evolutivo em que se deu a transição para o ambiente terrestre? Transição para o ambiente terrestre Peixes com características

Leia mais

BANCO DE ATIVIDADES Presente Ciências 3 ano - 3 bimestre Avaliação

BANCO DE ATIVIDADES Presente Ciências 3 ano - 3 bimestre Avaliação Ciências 3 ano - 3 bimestre Unidade 3 - Animais Leia com atenção a letra da música. A Dança Dos Bichos Essa é a dança dos bichos Palma, pata, pé, pé, pé Essa é a dança dos bichos E aí, que bicho você é?

Leia mais

Exercícios de Embriogênese e Anexos

Exercícios de Embriogênese e Anexos Exercícios de Embriogênese e Anexos Material de apoio do Extensivo 1. (VUNESP) Uma senhora deu à luz dois gêmeos de sexos diferentes. O marido, muito curioso, deseja saber informações sobre o desenvolvimento

Leia mais

Criando Cladogramas. Introdução. Objetivos: Construir e analisar um cladograma. Procedimento

Criando Cladogramas. Introdução. Objetivos: Construir e analisar um cladograma. Procedimento Criando Cladogramas Introdução Uma forma de descobrir o grau de parentesco de seres vivos (filogenia) é comparar as estruturas anatômicas de vários organismos diferentes. Órgãos e estruturas que são parecidos

Leia mais

Tipos de óvulos: os óvulos possuem uma substancia de reserva nutritiva chamada vitelo, de acordo com a quantidade e a distribuição do vitelo, os

Tipos de óvulos: os óvulos possuem uma substancia de reserva nutritiva chamada vitelo, de acordo com a quantidade e a distribuição do vitelo, os Embriologia Embriologia é a parte da Biologia que estuda as transformações que se processa no embrião, desde a formação da célula-ovo até o nascimento. Tipos de óvulos: os óvulos possuem uma substancia

Leia mais

COLÉGIO EQUIPE DE JUIZ DE FORA. Listão de Férias ano

COLÉGIO EQUIPE DE JUIZ DE FORA. Listão de Férias ano Listão de Férias 2016 8 ano 1) Indique a alternativa que não apresenta informações corretas sobre o sistema urinário humano. a) A filtração do sangue ocorre em uma estrutura chamada néfron. b) O sistema

Leia mais

Estudo Dirigido de Ciências 6 as séries Professores: Andréia e Zago

Estudo Dirigido de Ciências 6 as séries Professores: Andréia e Zago Colégio Salesiano São Gonçalo Escola de Educação Básica Estudo Dirigido de Ciências 6 as séries Professores: Andréia e Zago 1. No aniversário de uma cidade a beira-mar, um restaurante promoveu um Festival

Leia mais

ANEXOS EMBRIONÁRIOS EMBRIOLOGIA

ANEXOS EMBRIONÁRIOS EMBRIOLOGIA ANEXOS EMBRIONÁRIOS EMBRIOLOGIA Embriologia A embriologia é a parte da Biologia que estuda o desenvolvimento dos embriões animais. Há grandes variações, visto que os animais invertebrados e vertebrados

Leia mais

Prof. Valdiran Wanderley de Souza Prof. Marcelo Siqueira de Araújo

Prof. Valdiran Wanderley de Souza Prof. Marcelo Siqueira de Araújo Prof. Valdiran Wanderley de Souza Prof. Marcelo Siqueira de Araújo LÂMINA D Kiwi Temperatura Endotérmicos Desenvolvimento Ovíparos (botam ovos) Anexos Embrionários Saco vitelínico; cório, âmnio, alantóide

Leia mais

Ano: 7 Turma: 71 e 72

Ano: 7 Turma: 71 e 72 COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Final 2ª Etapa 2013 Disciplina: Ciências Professor (a): Felipe Cesar Ano: 7 Turma: 71 e 72 Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação.

Leia mais

Utilize-se das informações acima e de seus conhecimentos sobre esse assunto e assinale a melhor resposta a ser fornecida pelo ginecologista:

Utilize-se das informações acima e de seus conhecimentos sobre esse assunto e assinale a melhor resposta a ser fornecida pelo ginecologista: Avaliação: Aluno: Data: Ano: Turma: Professor: Biologia Questão 1 A questão da fertilização é muito discutida hoje na mídia, principalmente em programas que visam a informação para leigos interessados

Leia mais

REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE III

REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE III REVISÃO 1 REVISÃO 2 REVISÃO 3 AULA: 18.1 REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE III 2 REVISÃO 1 REVISÃO 2 REVISÃO 3 Reino Animal 3 REVISÃO 1 REVISÃO 2 REVISÃO 3 Apesar da grande diversidade, quase todos os animais

Leia mais

Sugestão de avaliação

Sugestão de avaliação Sugestão de avaliação 7 CIÊNCIAS Professor, esta sugestão de avaliação corresponde ao terceiro bimestre escolar ou às Unidades 3 e 4 do livro do Aluno. Avaliação Ciências NOME: TURMA: escola: PROfessOR:

Leia mais

ACERVO DIGITAL FASE II. Embriologia I GALINHA. Lâmina F3-01. Tempo do desenvolvimento 24h em corte transversal

ACERVO DIGITAL FASE II. Embriologia I GALINHA. Lâmina F3-01. Tempo do desenvolvimento 24h em corte transversal ACERVO DIGITAL FASE II Embriologia I GALINHA Lâmina F3-01 Tempo do desenvolvimento 24h em corte transversal de 100x: É possível observar-se os três folhetos embrionários, ectoderme, mesoderme e endoderme

Leia mais

Phyllum Echinodermata

Phyllum Echinodermata Phyllum Echinodermata Echinos = espinho ; derma = pele Representantes: estrelas-do-mar; ouriço-domar; serpentes-do-mar; lírio-do-mar; pepinodo-mar; bolacha-da-praia. Estrela do mar Ouriço do mar Serpente

Leia mais

Protozoose. Reino Protista Protozoários. Amebíase / disenteria amebiana. Reino

Protozoose. Reino Protista Protozoários. Amebíase / disenteria amebiana. Reino Reino Reino Protista Protozoários Amebíase / disenteria amebiana - unicelulares - eucariontes - locomoção: flagelos, cílios, pseudópodes - em H2O: vacúolo contrátil Amebíase / disenteria amebiana Entamoeba

Leia mais

OS PEIXES. Capítulo 9 Sistema Poliedro de Ensino Professora Giselle Cherutti

OS PEIXES. Capítulo 9 Sistema Poliedro de Ensino Professora Giselle Cherutti OS PEIXES Capítulo 9 Sistema Poliedro de Ensino Professora Giselle Cherutti A EVOLUÇÃO DOS PEIXES Os primeiros peixes surgiram nos oceanos primitivos a cerca de 510 milhões de anos atrás - ''Ostracodermas'

Leia mais

Noções de Embriologia Geral

Noções de Embriologia Geral Noções de Embriologia Geral EMBRIOLOGIA É o estudo do desenvolvimento de um ser pluricelular desde o estágio de uma célula (zigoto) até a diferenciação e especialização das células, tecidos e órgãos que

Leia mais

Curso Wellington - Biologia - Reino Animal - Cordados - Anfíbios Prof Hilton Franco

Curso Wellington - Biologia - Reino Animal - Cordados - Anfíbios Prof Hilton Franco 1. Os anfíbios são animais extremamente dependentes do ambiente aquático, em especial, na fase reprodutiva. Sobre a reprodução desses animais, assinale o que for correto. 01) Seus ovos sem casca, apenas

Leia mais

- CORDADOS - Vestibulando Web Page www.vestibulandoweb.com.br

- CORDADOS - Vestibulando Web Page www.vestibulandoweb.com.br Vestibulando Web Page 01) (UFJF/2002) Com relação aos animais do grupo Chordata, além da presença da notocorda (ou corda) e da cauda propulsora, quais dos caracteres abaixo os distinguem de outros grupos

Leia mais