Programa Amazônia Conectada sob a perspectiva de Engenharia. VI Semana de Infraestrutura da Internet no Brasil IX (PTT) Fórum 10

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Programa Amazônia Conectada sob a perspectiva de Engenharia. VI Semana de Infraestrutura da Internet no Brasil IX (PTT) Fórum 10"

Transcrição

1 Programa Amazônia Conectada sob a perspectiva de Engenharia VI Semana de Infraestrutura da Internet no Brasil IX (PTT) Fórum 10

2 Sumário O caráter único da Amazônia Infraestrutura atual Motivação O Programa Amazônia Conectada Projeto Piloto Coari Tefé Infovia Solimões Problemas encontrados Rompimento do cabo Elaboração do Termo de Referência para manutenção 2

3 Características da Amazônia O Amazonas é o maior sistema fluvial do mundo: Rio mais caudaloso : km do Ucayali Apurimac no Peru (2o é o Nilo: km) Maior bacia fluvial: 7,05 M km2 compreendendo Brasil, Guiana, Venezuela, Colômbia, Equador, Perú, Bolívia (2o é o Congo (Zaire): 3,68 M km2) Maior volume de descarga: 219 M m3/s (2o é o Congo (Zaire): 41,8 M m3/s ) [https://en.wikipedia.org/wiki/list_of_rivers_by_length] Outas características da Amazônia Grandes áreas de baixo relevo: selvas, com enorme biodiversidade; Quase nenhuma rodovia; Baixa densidade populacional; Os rios são vitais para alimentação (pesca) e transportes, com navegação local e internacional (oceânica) Amazon x Mississippi No pontos mais profundos: Obidos, AM (2 km largura, 60 m profund.) Vicksburg, MS (1 km largura, 38 m profund.)

4 Infraestrutura atual As maiores empresas nacionais Vivo (Telefónica) Claro/Embratel (América Móvil) TIM (Telecom Italia) Oi Telebras + Regionais A maioria das grandes empresas tem presença semelhante, servindo as regiões mais populosas do país; Todos têm cobertura limitada na Amazônia; Em boa parte da Amazônia, a única solução é o uso de comunicações (caras) via satélite. 4

5 Infraestrutura RNP - Deve-se observar a menor densidade de cobertura na Amazônia Ocidental. 5

6 Infraestrutura - Desequilíbrios A rede da RNP reflete as diferenças regionais da população; O Noroeste do país (Amazônia) é bem menos servido pelas redes da RNP, como também pela infraestrutura geral das telecomunicações no Brasil. Map of population density in Brasil, according to the Census in 2000 (Source: IBGE) 6

7 Infraestrutura atual Existem poucas rotas de FO na Amazônia, e quase nenhuma na Amazônia Ocidental. OPGW: Belém Tucuruí Marabá Santarém Itaituba Tucuruí Macapá Manaus Porto Velho Rio Branco Boa Vista Venezuela Estrada: Manaus Boa Vista Porto Velho Manaus Macapá Guiana Francesa Gasoduto: Manaus Coari Urucu Construídas a partir de 2010, ainda existem apenas 3 travessias em cabo de FO no rio Amazonas/Solimões: 1. Manaus (subfluvial) 2. Jurupari (OPGW) 7 3. Coari (gasoduto)

8 Motivação - A primeira proposta dos Rios Amazônicos Um projeto para lançar cabos ópticos subfluviais na Amazônia Projeto completo: km 6 rotas: A: Rio Amazonas, B: Rio Negro, C: Rio Branco, D: Rio Solimões, E: Rio Madeira, F : (costa do Atlântico) Macapá Guiana Francesa Custo estimado: US$ 500M 8

9 Motivação - A primeira proposta dos Rios Amazônicos Primeiro estágio Rota A : km; custo estimado: US$ 200 M. Interconexão das capitais: Belém, Macapá e Manaus. Grizendi, E.; Stanton, M.A. Use of subfluvial optical cable in a region without land-based infrastructure - a project to deploy optical cable in the Amazon region. UbuntuNet-Connect 2013, Kigale, Rwanda. t/files/grizend.pdf Macapá Marzagão Belém Óbidos Manaus Breves Monte Alegre Parintins Itacoatiara Santarém 9

10 Motivação - População a ser beneficiada pelo projeto População e número de campi de universidades e instituições de pesquisa (clientes da RNP) que poderiam ser beneficiados por este projeto: Estado Pará Amazonas Amapá População total 3,198,418 2,997, ,919 perto das rotas População ao longo 2,947,076 2,872, ,219 das rotas Fração da população 92% 96% 89% servida nas rotas Cidades Número total de cidades ao longo das rotas Fração das cidades ao longo das rotas Número total de clientes da RNP ao longo das rotas Rondônia Roraima TOTAL 443, ,344 7,615, , ,344 7,167, % 100% 94% % 79% 71% 100% 100% 74%

11 Motivação - Necessidade de grande capacidade de transferência de informações (dados, voz e vídeo HD); - Necessidade de Internet de qualidade (capacidade e disponibilidade); - Interconexão entre Saúde, Segurança pública, Trânsito, Turismo etc.; - Infraestrutura de comunicação unificada e com capacidade e disponibilidade; - Menor agressão ao meio ambiente se comparado as alternativas convencionais (estradas, OPGW). 11

12 Programa Amazônia Conectada O Programa Amazônia Conectada caracteriza-se pela implementação de um backbone de fibra óptica com cerca de 8 mil km de extensão, lançado nos leitos dos afluentes da bacia amazônica, a partir do qual vários serviços serão disponibilizados para a população ribeirinha, incluindo ainda órgãos públicos, unidades de ensino, organizações militares, entre outros. 12

13 Programa Amazônia Conectada Um projeto colaborativo EXÉRCITO BRASILEIRO REDE NACIONAL DE ENSINO E PESQUISA GOVERNO DO AMAZONAS PRODAM TELEBRAS IPAAM UNIVERSIDADE ESTADUAL DO AMAZONAS ELETRONORTE TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO AMAZONAS 13

14 Programa Amazônia Conectada Infovias: Rio Solimões Rio Negro Rio Madeira Fase 1 Rio Solimões: Manaus Tabatinga km até 2017 Investimento: R$ ,00 Rio Juruá Rio Purús Rio Neg ro Juruá Tefé Coari ru u P s ira Tabatinga Manaus es M ad e So lim õ Porto Velho para infraestrutura nacional de FO para infraestrutura nacional de FO 14

15 Programa Amazônia Conectada Prova de Conceito m de cabo subfluvial lançado no Rio Negro em Manaus; Fibra usada como extensão da rede MetroMAO da RNP; Em uso desde abril de Trajeto da FO da rede MetroMAO FO Trajeto da FO da extensão pelo cabo subfluvial 15

16 Projeto Piloto: Coari-Tefé Infovia Solimões 240 km, Mar-Abr, 2016 Cabo de Nexans (Noruega) Lançado pela Aquamar (Manaus) Sistema Óptico Padtec (Campinas) Conexão provisória à rede existente em Manaus; Clientes da RNP em Tefé incluem o IMDS Instituto Mamirauá para Desenvolvimento Sustentável, atualmente atendido via satélite Tefé Coari 16

17 Lançamento do cabo óptico entre Coari e Tefé, Mar/2016

18 Vídeo ilustrativo do lançamento do cabo entre Coari e Tefé

19 Carregamento da balsa 19

20 Acomodação e manuseio dos cabos ópticos 20

21 Montagem da plataforma de lançamento do cabo 21

22 Equipe de lançamento e equipe de apoio do Exército 22

23 Vista aérea balsa montada 23

24 Balsa zarpando 24

25 Controle de lançamento do cabo óptico 25

26 Cabo óptico sendo lançado 26

27 Cabo óptico sendo lançado 27

28 Cabo óptico sendo lançado 28

29 Cabo sendo lançado plataforma de lançamento 29

30 Cabo sendo lançado plataforma de lançamento 30

31 Cabo sendo lançado plataforma de lançamento 31

32 Cabo sendo lançado plataforma de lançamento 32

33 Equipe de mergulhadores 33

34 Equipe de mergulhadores 34

35 Equipe de mergulhadores 35

36 Mergulhadores acomodando cabo óptico no fundo do rio 36

37 Cabo óptico sendo lançado 37

38 Cabo óptico sendo lançado 38

39 Exército fazendo a segurança da operação 39

40 Saída do ponto de ancoragem em Coari 40

41 Aproximação do ponto de ancoragem em Tefé 41

42 Preparação para ancoragem do cabo em Tefé 42

43 Preparação para ancoragem do cabo em Tefé 43

44 Ancoragem do cabo em Tefé 44

45 Ancoragem do cabo em Tefé 45

46 Ancoragem do cabo em Tefé 46

47 Ancoragem do cabo em Tefé 47

48 Alguns números aproximadamente 4 km de cabos lançados por hora 48

49 Alguns números 49

50 Alguns números 50

51 Problemas encontrados - DIFICULDADE DE RETIRADA DE OBSTÁCULOS GRANDES; - POTÊNCIA DO BARCO DE APOIO INSUFICIENTE; - OBSTÁCULOS PASSANDO PROXIMO DO CABO ÓPTICO; - UTILIZAÇÃO DE DOIS BARCOS E OU BARCO COM POTÊNCIA MAIOR. 51

52 Problemas encontrados - DIFICULDADE DE RETIRADA DE OBSTÁCULOS GRANDES; - POTÊNCIA DO BARCO DE APOIO INSUFICIENTE; - OBSTÁCULOS PASSANDO PROXIMO DO CABO ÓPTICO; - UTILIZAÇÃO DE DOIS BARCOS E OU BARCO COM POTÊNCIA MAIOR. 52

53 Problemas encontrados - ILUMINAÇÃO INSUFICIENTE; - IDENTIFICAÇÃO COMPROMETIDA DE OBSTÁCULOS QUE DESCEM O RIO; - OBSTÁCULOS PASSANDO PROXIMO AO CABO ÓPTICO; - MELHORAR A ILUMINAÇÃO NA BALSA DE LANÇAMENTO. 53

54 Problemas encontrados - TEMPESTADE; - BALSA DE LANÇAMENTO SAINDO DA ROTA ESTABELECIDA; - CABO ÓPTICO ACOMODADO EM SOLO NÃO PREVISTO / DESCONHECIDO ; - IMPLANTAR SISTEMA DE ANCORAGEM E CONTROLE DE POSICIONAMENTO NA BALSA DE LANÇAMENTO. 54

55 ROMPIMENTO DO CABO AGOSTO

56 ROMPIMENTO DO CABO - Imagem do cabo içado com ponto do rompimento; Embarcação a serviço da Petrobrás lançou âncora sobre o cabo óptico. 56

57 ROMPIMENTO DO CABO - O cabo óptico enroscou na âncora da embarcação; Movimento para soltar âncora do cabo danificou aproximadamente 800 metros do cabo. 57

58 ROMPIMENTO DO CABO - O cabo óptico enroscou na âncora da embarcação; Movimento para soltar âncora do cabo danificou aproximadamente 800 metros do cabo. 58

59 ROMPIMENTO DO CABO - O cabo óptico enroscou na âncora da embarcação; Movimento para soltar âncora do cabo danificou aproximadamente 800 metros do cabo. 59

60 ROMPIMENTO DO CABO - Emenda finalizada. Aguardando lançamento. 60

61 ROMPIMENTO DO CABO - Emenda finalizada. Aguardando lançamento. 61

62 Amazônia Conectada - Manutenção Elaboração do Termo de Referência para contratação dos serviços de manutenção do trecho Manaus Coari - Tefé 62

63 Marco Aurélio Montoro Filho Especialista em Operações - Infraestrutura RNP / DEO / DAERO / GER São Paulo, dezembro de 2016

Considerações e Ações em Curso

Considerações e Ações em Curso Programa Amazônia Conectada http://www.amazoniaconectada.eb.mil.br Considerações e Ações em Curso 1 Introdução Baixa conectividade na região 2 TORDESILHAS D IGITAL Introdução Principais rios navegáveis

Leia mais

Encontro Provedores Regionais Cuiabá PAINEL 1 - Políticas públicas, tecnologias e financiamento.

Encontro Provedores Regionais Cuiabá PAINEL 1 - Políticas públicas, tecnologias e financiamento. Encontro Provedores Regionais Cuiabá PAINEL 1 - Políticas públicas, tecnologias e financiamento. Tecnologias, tendências e possíveis parcerias com a RNP possíveis parcerias com a RNP Eduardo Grizendi -

Leia mais

Encontro Provedores Regionais Cuiabá PAINEL 1 - Políticas públicas, tecnologias e financiamento.

Encontro Provedores Regionais Cuiabá PAINEL 1 - Políticas públicas, tecnologias e financiamento. Encontro Provedores Regionais Cuiabá PAINEL 1 - Políticas públicas, tecnologias e financiamento. Tecnologias, tendências e possíveis parcerias com a RNP possíveis parcerias com a RNP Eduardo Grizendi -

Leia mais

01 de setembro de Belém - PA. Adalberto Tokarski Diretor

01 de setembro de Belém - PA. Adalberto Tokarski Diretor 01 de setembro de 2015. Belém - PA Adalberto Tokarski Diretor AGENDA 1. AS HIDROVIAS BRASILEIRAS 2. COMPLEXO HIDROVIÁRIO REGIÃO AMAZÔNICA 3. EVOLUÇÃO DA PRODUÇÃO DE GRÃOS 4. NOVOS INVESTIMENTOS Região

Leia mais

SEMINÁRIO PAN- AMAZÔNICO DE PROTEÇÃO SOCIAL

SEMINÁRIO PAN- AMAZÔNICO DE PROTEÇÃO SOCIAL SEMINÁRIO PAN- AMAZÔNICO DE PROTEÇÃO SOCIAL Heitor Pinheiro Coordenador do Núcleo Pará Social 28 DE MARÇO DE 2017 Belém-PA OS DESAFIOS DA OFERTA DE POLÍTICAS SOCIAIS NA AMAZÔNIA PONTOS FOCAIS DOS DESAFIOS

Leia mais

Infraestrutura da RNP para 2020 e a Bahia. Eduardo Grizendi DEO/RNP

Infraestrutura da RNP para 2020 e a Bahia. Eduardo Grizendi DEO/RNP Infraestrutura da RNP para 2020 e a Bahia Eduardo Grizendi DEO/RNP RNP Rede Acadêmica brasileira (NREN) Organização Social vinculada ao MCTI 27 PoPs, um em cada capital (+ Campina Grande) 3 PoAs (S Carlos,

Leia mais

GASODUTO COARI-MANAUS

GASODUTO COARI-MANAUS GASODUTO COARI-MANAUS LICENCIAMENTO AMBIENTAL 13 DE JUNHO DE 2006 Ronaldo Mannarino Coordenador de Gás e Energia - Manaus - AM GASODUTO JÁ EXISTENTE DESDE 1999 Oleoduto e Gasoduto Urucu Solimões (280

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS AUDIÊNCIA PÚBLICA CINDRA 04/11/2015

CÂMARA DOS DEPUTADOS AUDIÊNCIA PÚBLICA CINDRA 04/11/2015 CÂMARA DOS DEPUTADOS AUDIÊNCIA PÚBLICA CINDRA 04/11/2015 A TELEFÔNICA ACREDITA NO BRASIL, INVESTIU R$ 226 BILHÕES DESDE 1998 Fortes Investimentos Orgânicos e Inorgânicos 2010 R$ 4,9 bi de Investimento

Leia mais

Uso de Travessia Subaquática em Rede de Distribuição Rural de Energia.

Uso de Travessia Subaquática em Rede de Distribuição Rural de Energia. UNICAMP Universidade Estadual de Campinas NIPE Núcleo Interdisciplinar em Pesquisas Energéticas Uso de Travessia Subaquática em Rede de Distribuição Rural de Energia. Autores: Aureo Matos e Manuel Filho

Leia mais

Encontro Provedores Regionais Recife PAINEL 1 - Políticas públicas, tecnologias e financiamento.

Encontro Provedores Regionais Recife PAINEL 1 - Políticas públicas, tecnologias e financiamento. Encontro Provedores Regionais Recife PAINEL 1 - Políticas públicas, tecnologias e financiamento. Tecnologias disponíveis e as possíveis parcerias com a RNP possíveis parcerias com a RNP Eduardo Grizendi

Leia mais

BRASIL NOSSO TERRITÓRIO E FRONTEIRAS MODULO 02 PALMAS - TO

BRASIL NOSSO TERRITÓRIO E FRONTEIRAS MODULO 02 PALMAS - TO BRASIL NOSSO TERRITÓRIO E FRONTEIRAS MODULO 02 PALMAS - TO ESPAÇO GEOGRÁFICO E A AÇÃO HUMANA É o espaço onde os homens vivem e fazem modificações, sendo o resultado do trabalho do homem sobre a natureza.

Leia mais

DISPONIBILIDADE HÍDRICA DA BACIA AMAZÔNICA

DISPONIBILIDADE HÍDRICA DA BACIA AMAZÔNICA DISPONIBILIDADE HÍDRICA DA BACIA AMAZÔNICA IV Reunião Científica do projeto ORE - HYBAM 19 de novembro de 2007 Eurides de Oliveira ORIGEM DO RIO AMAZONAS 1541 - a expedição de Francisco Orellana desceu

Leia mais

Compar'lhamento de Infraestrutura Caso RNP/Chesf:

Compar'lhamento de Infraestrutura Caso RNP/Chesf: Compar'lhamento de Infraestrutura Caso RNP/Chesf: BENEFÍCIOS, OPORTUNIDADES, SOLUÇÕES E DESAFIOS Oswaldo Alves Agenda Sobre a RNP Infraestrutura RNP Construir vs Compar9lhar Sobre a Chesf Parceria Chesf

Leia mais

Programa de Inclusão Social e Desenvolvimento Econômico Sustentável do Estado do Acre PROACRE

Programa de Inclusão Social e Desenvolvimento Econômico Sustentável do Estado do Acre PROACRE Programa de Inclusão Social e Desenvolvimento Econômico Sustentável do Estado do Acre PROACRE 0 0'0" Localização Geográfica 0 0'0" 10 0'0"S 70 0'0"W 60 0'0"W 50 0'0"W Venezuela Suriname Guiana Francesa

Leia mais

MONITORAMENTO HIDROLÓGICO

MONITORAMENTO HIDROLÓGICO MONITORAMENTO HIDROLÓGICO 2017 Boletim Nº. 10 10/03/2017 Boletim de acompanhamento - 2017 1. Comportamento das Estações monitoradas De acordo com a Figura 01 e as Tabelas I e II, em termos estatísticos,

Leia mais

HIDROSFERA E AS ÁGUAS CONTINETAIS E BACIAS HIDROGRÁFICAS MÓDULOS 14 E 15

HIDROSFERA E AS ÁGUAS CONTINETAIS E BACIAS HIDROGRÁFICAS MÓDULOS 14 E 15 HIDROSFERA E AS ÁGUAS CONTINETAIS E BACIAS HIDROGRÁFICAS MÓDULOS 14 E 15 IMPORTÂNCIA DA ÁGUA A água é um recurso natural fundamental ao ser humano, uma das principais fontes de vida. Necessárias são posturas

Leia mais

O Uso da Água para a Navegação

O Uso da Água para a Navegação O Uso da Água para a Navegação JOSÉ ALEX BOTÊLHO DE OLIVA, M.Sc. Superintendente de Navegação Interior Rio de Janeiro, 09 de Dezembro de 2008. Rodovias RODOVIAS - Malha Rodoviária Brasileira 1.700 milhão

Leia mais

MONITORAMENTO HIDROLÓGICO

MONITORAMENTO HIDROLÓGICO MONITORAMENTO HIDROLÓGICO 2017 Boletim Nº. 12 24/03/2017 Boletim de acompanhamento - 2017 1. Comportamento das Estações monitoradas De acordo com a Figura 01 e as Tabelas I e II, em termos estatísticos,

Leia mais

Status das redes metropolitanas e implantação de novas conexões em redes inauguradas"

Status das redes metropolitanas e implantação de novas conexões em redes inauguradas Status das redes metropolitanas e implantação de novas conexões em redes inauguradas" VII FÓRUM REDECOMEP Rio de Janeiro/RJ Outubro de 2011 Objetivo - Fornecer um panorama geral em relação ao andamento

Leia mais

BIOMAS BRASILEIROS BRASIL

BIOMAS BRASILEIROS BRASIL BIOMAS BRASILEIROS BRASIL BIOMAS BRASILEIROS Aziz Ab Sáber (1924) Floresta Tropical pluvial-úmida Tropical:próxima ao Equador, estabilidade climática Pluvial: chuvas intensas e regulares ao longo do ano

Leia mais

MONITORAMENTO HIDROLÓGICO

MONITORAMENTO HIDROLÓGICO MONITORAMENTO HIDROLÓGICO 2017 Boletim Nº. 15 14/04/2017 Boletim de acompanhamento - 2017 1. Comportamento das Estações monitoradas De acordo com a Figura 01 e as Tabelas I e II, em termos estatísticos,

Leia mais

Documento de Definição do Programa Amazônia Conectada

Documento de Definição do Programa Amazônia Conectada Documento de Definição do Programa Amazônia Conectada Desenvolvido por: Cap Luciano Sales Versão: 3.0 Aprovado por: Gen Decílio Data: 01/07/2015 1. Contexto do Programa Em muitas partes do mundo, ainda

Leia mais

Programa Amazônia Conectada Cap Luciano Sales

Programa Amazônia Conectada Cap Luciano Sales Programa Amazônia Conectada Cap Luciano Sales Centro Integrado de Telemática do Exército Sumário Por que? Problemas com a infraestrutura de TI na Região Amazônica; Possibilidades existentes; Visão do Programa.

Leia mais

PORTO DE SANTANA AMAPÁ

PORTO DE SANTANA AMAPÁ PORTO DE SANTANA AMAPÁ (Porto de Macapá) HISTÓRICO A construção do Porto de Santana (antigo Porto de Macapá) foi iniciada em 1980, com a finalidade original de atender à movimentação de mercadorias por

Leia mais

TELEFONIA FIXA E MÓVEL

TELEFONIA FIXA E MÓVEL DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TELEFONIA FIXA E MÓVEL NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

Jorge Salomão Pereira. Novos Cabos Submarinos : um segundo ciclo de investimentos

Jorge Salomão Pereira. Novos Cabos Submarinos : um segundo ciclo de investimentos Jorge Salomão Pereira Novos Cabos Submarinos : um segundo ciclo de investimentos Cabos submarinos: espinha dorsal da conexões de alta capacidade Crescimento acelerado Ano Tráfego Mundial IP 1992 100 Gb/dia

Leia mais

CONEXÃO HIDROVIÁRIA BRASIL COM AMÉRICA DO SUL

CONEXÃO HIDROVIÁRIA BRASIL COM AMÉRICA DO SUL CONEXÃO HIDROVIÁRIA BRASIL COM AMÉRICA DO SUL JOSÉ ALEX BOTÊLHO DE OLIVA,M.Sc. Superintendente de Navegação Interior Objetivo da Agência Exercer a ação de Estado na Regulação do Setor Aquaviário O Desenvolvimento

Leia mais

Estatísticas básicas de turismo. Brasil. Brasília, novembro de 2007.

Estatísticas básicas de turismo. Brasil. Brasília, novembro de 2007. Brasil Brasília, novembro de 2007. Índice Páginas I Turismo no mundo 1. Fluxo receptivo internacional 1.1 - Chegadas de turistas no Mundo por Regiões e Sub-regiões - 2002/2006 03 1.2 - Chegada de turistas:

Leia mais

Missão: Ajudar nossos clientes a fazerem melhores negócios agora!

Missão: Ajudar nossos clientes a fazerem melhores negócios agora! Missão: Ajudar nossos clientes a fazerem melhores negócios agora! iopera do better business now apresenta: Caso de estudo BUSINESS ANALYTICS CRIAÇÃO DA OFERTA DE PRODUTOS E SERVIÇOS GERAÇÃO DE LEADS ALTAMENTE

Leia mais

HIDROGRAFIA (estudo das águas)

HIDROGRAFIA (estudo das águas) HIDROGRAFIA (estudo das águas) Consumo Real e Virtual 1 CONSUMO DE ÁGUA MUNDIAL CONSUMO DE ÁGUA MUNDIAL - comparativo CONSUMO DE ÁGUA BRASILEIRO 2 Ciclo da Água CONCEITOS e TERMINOLOGIAS 3 CONCEITOS e

Leia mais

HIDROVIA SOLIMÕES - AMAZONAS

HIDROVIA SOLIMÕES - AMAZONAS HIDROVIA SOLIMÕES - AMAZONAS MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DNIT Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes CODOMAR Companhia Docas do Maranhão AHIMOC Administração das Hidrovias da Amazônia Ocidental

Leia mais

ORIGENS GRUPO CEMIG. A CEMIGTelecom ABRANGÊNCIA E INFRAESTRUTURA

ORIGENS GRUPO CEMIG. A CEMIGTelecom ABRANGÊNCIA E INFRAESTRUTURA ORIGENS GRUPO CEMIG A CEMIGTelecom Criada em 1999 como Empresa de Infovias, a CEMIGTelecom é uma operadora de telecomunicações pertencente ao Grupo CEMIG que oferece uma das maiores e melhores redes ópticas

Leia mais

HIDROGRAFIA DO BRA R SIL I

HIDROGRAFIA DO BRA R SIL I HIDROGRAFIA DO BRASIL ÁGUAS CONTINENTAIS Rio São águas correntes que se deslocam na superfície, no sentido da declividade do relevo Importante elemento no ciclo hidrológico Fornecimento de água potável

Leia mais

ANEXO I RELAÇÃO DE UNIDADES DA FUNAI E DOS CURSOS DE NÍVEL MÉDIO E NÍVEL SUPERIOR DISPONÍVEIS PARA ESTÁGIO ALAGOAS AMAPÁ

ANEXO I RELAÇÃO DE UNIDADES DA FUNAI E DOS CURSOS DE NÍVEL MÉDIO E NÍVEL SUPERIOR DISPONÍVEIS PARA ESTÁGIO ALAGOAS AMAPÁ ANEXO I RELAÇÃO DE UNIDADES DA FUNAI E DOS CURSOS DE E DISPONÍVEIS PARA ESTÁGIO ACRE COORDENAÇÃO REGIONAL ALTO PURUS - RIO BRANCO FRENTE DE PROTEÇÃO ETNOAMBIENTAL ENVIRA RIO BRANCO ALAGOAS COORDENAÇÃO

Leia mais

HIDROGRAFIA (estudo das águas)

HIDROGRAFIA (estudo das águas) HIDROGRAFIA (estudo das águas) CONSUMO DE ÁGUA MUNDIAL CONSUMO DE ÁGUA MUNDIAL - comparativo CONSUMO DE ÁGUA BRASILEIRO Fase rápida Fase longa 2 Alto Médio Curso Curso Interflúvios Baixo Curso Interflúvios

Leia mais

SEMINÁRIO INTERNACIONAL PROGRAMA ARCUS. INTEGRAÇÃO POLÍTICA E ECONOMICA DA AMÉRICA DO SUL Intercâmbios Universitários Brasil-Chile-França

SEMINÁRIO INTERNACIONAL PROGRAMA ARCUS. INTEGRAÇÃO POLÍTICA E ECONOMICA DA AMÉRICA DO SUL Intercâmbios Universitários Brasil-Chile-França SEMINÁRIO INTERNACIONAL PROGRAMA ARCUS INTEGRAÇÃO POLÍTICA E ECONOMICA DA AMÉRICA DO SUL Intercâmbios Universitários Brasil-Chile-França O Brasil e a América do Sul: Cenários Geopolíticos e os Desafios

Leia mais

ÍNDICE 3 BACIA AMAZÔNICA

ÍNDICE 3 BACIA AMAZÔNICA (Folheto nº 6/13) ÍNDICE 3 BACIA AMAZÔNICA 1 2 3 4 Corr. 2-13 (Folheto nº 6/13) 2 14 CATÁLOGO DE CARTAS E PUBLICAÇÕES CARTA N CHART NR TÍTULO TITLE ESCALA SCALE 1ª ED. 1 ST ED. ÚLT. ED. LAST ED. RIO AMAZONAS

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS DE DEFESA E SEGURANÇA NA FRONTEIRA NORTE DO BRASIL. Universidade Federal do ABC 06 de agosto de 2012

POLÍTICAS PÚBLICAS DE DEFESA E SEGURANÇA NA FRONTEIRA NORTE DO BRASIL. Universidade Federal do ABC 06 de agosto de 2012 POLÍTICAS PÚBLICAS DE DEFESA E SEGURANÇA NA FRONTEIRA NORTE DO BRASIL Universidade Federal do ABC 06 de agosto de 2012 OBJETIVOS Realizar uma explanação sobre as Políticas Públicas de Defesa na Região

Leia mais

AMAZÔNIA BRASIL CORRESPONDE A 59% DO PAÍS

AMAZÔNIA BRASIL CORRESPONDE A 59% DO PAÍS AMAZÔNIA BRASIL CORRESPONDE A 59% DO PAÍS 5,3 milhões de quilômetros quadrados 23, 596 milhões de pessoas 20.000 km de vias navegáveis Equivalente a 80% da Amazônia Sulamericana 1/5 das florestas clima

Leia mais

V WORKSHOP do POP-RS e Reunião da Rede Tchê 2014

V WORKSHOP do POP-RS e Reunião da Rede Tchê 2014 V WORKSHOP do POP-RS e Reunião da Rede Tchê 2014 Iniciativas e Soluções para interiorização da RNP no Rio Grande do Sul Eduardo Grizendi - DEO/RNP1 Porto Alegre, 31 de Outubro de 2014 1 www.rnp.br Componentes

Leia mais

SER-310 População Espaço e Meio Ambiente. EXERCÍCIO 1 E 2 Caracterização Demográfica da Área de Estudo Utilização de Dados Censitários IBGE

SER-310 População Espaço e Meio Ambiente. EXERCÍCIO 1 E 2 Caracterização Demográfica da Área de Estudo Utilização de Dados Censitários IBGE SER-310 População Espaço e Meio Ambiente EXERCÍCIO 1 E 2 Caracterização Demográfica da Área de Estudo Utilização de Dados Censitários IBGE A várzea do Baixo Amazonas Aluna: Vivian Fróes Renó A várzea foi

Leia mais

Programa Amazônia Conectada

Programa Amazônia Conectada Programa Amazônia Conectada Luciano Sales, PMP, PgMP lucianosales@citex.eb.mil.br Guilherme Moraes guilherme@prodam.am.gov.br Sumário Por que? Problemas com a infraestrutura de TI na Região Amazônica;

Leia mais

Encontro dos Provedores Regionais Campinas

Encontro dos Provedores Regionais Campinas Encontro dos Provedores Regionais Campinas Cybelle Suemi Oda - DEO/RNP Campinas, 11 de julho de 2017 Sobre a RNP 2 RNP Organização Social sem fins lucrativos, vinculada ao MCTIC Responsável pela implantação,

Leia mais

Audiência Pública CFFC - Comissão de Fiscalização Financeira e Controle

Audiência Pública CFFC - Comissão de Fiscalização Financeira e Controle Audiência Pública CFFC - Comissão de Fiscalização Financeira e Controle Brasília, 17 de abril de 2012 Visão Geral AC Rio Branco Venezuela Boa Vista Manaus AM Hub Satélite RR Porto Velho Rede de fibra ótica

Leia mais

PROPOSTA PARA CRIAÇÃO DE UM SISTEMA DE EMBARCAÇÕES NA AMAZÔNIA Cel Inf Ajax Porto Pinheiro

PROPOSTA PARA CRIAÇÃO DE UM SISTEMA DE EMBARCAÇÕES NA AMAZÔNIA Cel Inf Ajax Porto Pinheiro PROPOSTA PARA CRIAÇÃO DE UM SISTEMA DE EMBARCAÇÕES NA AMAZÔNIA Cel Inf Ajax Porto Pinheiro 1 INTRODUÇÃO O presente artigo tem por finalidade apresentar uma proposta para a criação de um sistema de embarcações

Leia mais

ENASE 2008 DESAFIOS PARA EXPANSÃO DA GERAÇÃO HÍDRICA GRANDES APROVEITAMENTOS CENÁRIOS DE EXPANSÃO DO SISTEMA DE TRANSMISSÃO

ENASE 2008 DESAFIOS PARA EXPANSÃO DA GERAÇÃO HÍDRICA GRANDES APROVEITAMENTOS CENÁRIOS DE EXPANSÃO DO SISTEMA DE TRANSMISSÃO ENASE 2008 DESAFIOS PARA EXPANSÃO DA GERAÇÃO HÍDRICA GRANDES APROVEITAMENTOS CENÁRIOS DE EXPANSÃO DO SISTEMA DE TRANSMISSÃO JOSÉ CLÁUDIO CARDOSO PRESIDENTE OUTUBRO/2008 CENÁRIOS DE EXPANSÃO DO SISTEMA

Leia mais

Dec nº 7.496, de 8 Jun 11

Dec nº 7.496, de 8 Jun 11 Dec nº 7.496, de 8 Jun 11 Redução dos índices de criminalidade; Coordenação do planejamento e execução de operações militares e policiais; Cooperação com os países fronteiriços; Apoio à população; e Intensificação

Leia mais

Tecnologias disponíveis e as possíveis parcerias com a RNP

Tecnologias disponíveis e as possíveis parcerias com a RNP Tecnologias disponíveis e as possíveis parcerias com a RNP Encontro Provedores Regionais Rio de Janeiro Julho/2014 Agenda Tecnologias e tendências em redes ópticas; Oportunidades de negócio com a RNP.

Leia mais

Um vazio demográfico

Um vazio demográfico Uma área conservada Um vazio demográfico Ainda remota e de difícil acesso Malha viária Infraestrutura precária Grande diversidade de condições e respostas Existem Várias Amazônias dentro da AMAZÔNIA PROBLEMA

Leia mais

MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES. ROAD SHOW LEILÃO 700MHz

MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES. ROAD SHOW LEILÃO 700MHz MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES ROAD SHOW LEILÃO 700MHz INDICADORES DE AMBIENTE 2 POPULAÇÃO BRASILEIRA divisão demográfica Região Norte 16,9 milhões de habitantes Região Nordeste 55,8 milhões de habitantes

Leia mais

Brasil Junho Mercado em números

Brasil Junho Mercado em números Junho 2016 Mercado em números Guiana Venezuela Suriname Columbia Guiana Francesa Designação oficial: República Federativa do Capital: Brasília Localização: Leste da América do Sul Peru Fronteiras terrestres:

Leia mais

ESTUDO DIRIGIDO 5º PERÍODO PROFº GUSTAVO BARCELOS

ESTUDO DIRIGIDO 5º PERÍODO PROFº GUSTAVO BARCELOS ESTUDO DIRIGIDO 5º PERÍODO PROFº GUSTAVO BARCELOS QUESTIONAMENTOS 1- Diferencie Amazônia Legal e Amazônia Internacional. 2- Caracterize o clima equatorial quanto a temperatura e umidade. 3- Explique o

Leia mais

A ESPACIALIZAÇÃO DA MIGRAÇÃO INTERNACIONAL NA AMAZÔNIA BRASILEIRA: DIFERENTES PROCESSOS, DIFERENTES SIGNIFICADOS

A ESPACIALIZAÇÃO DA MIGRAÇÃO INTERNACIONAL NA AMAZÔNIA BRASILEIRA: DIFERENTES PROCESSOS, DIFERENTES SIGNIFICADOS A ESPACIALIZAÇÃO DA MIGRAÇÃO INTERNACIONAL NA AMAZÔNIA BRASILEIRA: DIFERENTES PROCESSOS, DIFERENTES SIGNIFICADOS Jonatha Rodrigo de Oliveira Lira UNICAMP rodrrigao@hotmail.com INTRODUÇÃO Dentro de um contexto

Leia mais

Publicado no Diário Oficial da União - Seção 3, de 03/02/2011

Publicado no Diário Oficial da União - Seção 3, de 03/02/2011 Publicado no Diário Oficial da União - Seção 3, de 03/02/2011 PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 1ª REGIÃO CONCURSO PÚBLICO EDITAL DE RETIFICAÇÃO O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA

Leia mais

2º ano do Ensino Médio. Ciências Humanas e suas Tecnologias Geografia

2º ano do Ensino Médio. Ciências Humanas e suas Tecnologias Geografia 2º ano do Ensino Médio Ciências Humanas e suas Tecnologias Geografia Complexo Regional da Amazônia (processo de ocupação) Século XVII - XVIII Drogas do Sertão Final do século XIX - início do século XX

Leia mais

Os Recursos Hídricos no Espaço Lusófono

Os Recursos Hídricos no Espaço Lusófono SNIRH 1 Os Recursos Hídricos no Espaço Lusófono SNIRH Trabalho realizado por: Ana Júlia Rodrigues Maria Vieira 7º ANO Instituto Educativo do Juncal 2 Índice Índice 3 Introdução 5 Recursos Hídricos 6 Espaço

Leia mais

AMAZÔNIA BRASILEIRA: ANÁLISE DA MIGRAÇÃO DE RETORNO DE BRASILEIROS

AMAZÔNIA BRASILEIRA: ANÁLISE DA MIGRAÇÃO DE RETORNO DE BRASILEIROS AMAZÔNIA BRASILEIRA: ANÁLISE DA MIGRAÇÃO DE RETORNO DE BRASILEIROS 1. INTRODUÇÃO Jonatha Rodrigo de Oliveira Lira Programa de Pós-Graduação em Geografia - UFPa rodrrigao@hotmail.com Quando pensamos em

Leia mais

Oportunidade de Atração de Investimentos no Setor de Celulose no Brasil Potencial de Negócios em Celulose no Pará

Oportunidade de Atração de Investimentos no Setor de Celulose no Brasil Potencial de Negócios em Celulose no Pará Oportunidade de Atração de Investimentos no Setor de Celulose no Brasil Potencial de Negócios em Celulose no Pará Belém, PA Junho -2016 1 Mercado de Floresta Plantada 2 Mercado de Floresta Plantada Distribuição

Leia mais

ANEXO I QUADRO DE VAGAS POR DSEI/UF/NÍVEL/ÁREA DE ATUAÇÃO/MUNICÍPIO DE LOTAÇÃO/VAGAS DE AMPLA CONCORRÊNCIA/VAGAS PARA PNE

ANEXO I QUADRO DE VAGAS POR DSEI/UF/NÍVEL/ÁREA DE ATUAÇÃO/MUNICÍPIO DE LOTAÇÃO/VAGAS DE AMPLA CONCORRÊNCIA/VAGAS PARA PNE ANEXO I QUADRO DE VAGAS POR DSEI/UF/NÍVEL/ÁREA DE ATUAÇÃO/MUNICÍPIO DE LOTAÇÃO/VAGAS DE PLA CONCOÊNCIA/VAGAS PARA PNE DSEI UF Área de Atuação/Área de Conhecimento Município de Lotação Vagas de Ampla Concorrência

Leia mais

Brasil Setembro Mercado em números

Brasil Setembro Mercado em números Setembro 2016 Mercado em números Guiana Venezuela Suriname Columbia Guiana Francesa Designação oficial: República Federativa do Capital: Brasília Localização: Leste da América do Sul Peru Fronteiras terrestres:

Leia mais

Clique para editar o título mestre

Clique para editar o título mestre I CONFERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL DO ESTADO DO AMAZONAS O PLANEJAMENTO DO DESENVOLVIMENTO REGIONAL NO ESTADO DO AMAZONAS Manaus, 17 de Setembro de 2012 AIRTON ÂNGELO CLAUDINO Secretário de Estado

Leia mais

Resultados Comitê Setorial de IND P&G. 23 de novembro de 2006

Resultados Comitê Setorial de IND P&G. 23 de novembro de 2006 Resultados Comitê Setorial de IND P&G 23 de novembro de 2006 Carteira de Projetos CARTEIRA 2004 CARTEIRA 2005 CARTEIRA 2006 PROPOSTA CARTEIRA 2007 IND PG 1 IND PG 2 16 projetos IND PG 6 IND PG 8 13 projetos

Leia mais

DESMATAMENTO EM UNIDADES DE CONSERVAÇÃO ATRAVÉS DO PRODES NO ESTADO DO PARÁ

DESMATAMENTO EM UNIDADES DE CONSERVAÇÃO ATRAVÉS DO PRODES NO ESTADO DO PARÁ DESMATAMENTO EM UNIDADES DE CONSERVAÇÃO ATRAVÉS DO PRODES NO ESTADO DO PARÁ Andrea de Souza Fagundes(*), Bruna Larissa Rosendo Pereira, Mauricio Castro Da Costa *Instituto de Estudos Superiore da Amazônia

Leia mais

Criminalidade no Brasil

Criminalidade no Brasil Criminalidade no Brasil Instituto Avante Brasil Diretor- Presidente: Luiz Flávio Gomes Coordenação e elaboração de pesquisa: Flávia Mestriner Botelho CRIMINALIDADE NO BRASIL De acordo com um levantamento

Leia mais

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA EXPANSÃO DA GERAÇÃO HIDRELÉTRICA NA REGIÃO AMAZÔNICA e INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA NA AMÉRICA DO SUL Reunião Plenária da ABRAGE Brasília, 25 de março de 2010 AGENDA Energia no Brasil

Leia mais

Nasceu para atendimento demanda interna comunicação de dados usinas e telefonia. Anos 70, 80 - comunicação por rádio. Anos 90 - Sistema UHF/microondas

Nasceu para atendimento demanda interna comunicação de dados usinas e telefonia. Anos 70, 80 - comunicação por rádio. Anos 90 - Sistema UHF/microondas Sobre a COPEL Telecom Nasceu para atendimento demanda interna comunicação de dados usinas e telefonia 1970 - inicialmente uma Divisão subordinada ao Departamento de Engenharia da Copel Anos 70, 80 - comunicação

Leia mais

Desafios e Perspectivas na Construção de Redes de Telecomunicações na Bahia

Desafios e Perspectivas na Construção de Redes de Telecomunicações na Bahia Desafios e Perspectivas na Construção de Redes de Telecomunicações na Bahia VII WTR-BA Workshop de Tecnologias de Redes do PoP-BA/REMESSA. 26 e 27 de Setembro de 2016. DEO/RNP Eduardo Grizendi RNP/DEO

Leia mais

Blocos econômicos. Bloco Econômico é uma integração de países nos. desenvolvimento e maior poder de competição.

Blocos econômicos. Bloco Econômico é uma integração de países nos. desenvolvimento e maior poder de competição. Blocos econômicos Bloco Econômico é uma integração de países nos aspectos, visando seu desenvolvimento e maior poder de competição. Eles constituem expressivos espaços integrados de livre comércio. Esses

Leia mais

Explorando a visão do setor privado brasileiro sobre o potencial e possibilidades de projetos governamentais de Banda Larga no Brasil

Explorando a visão do setor privado brasileiro sobre o potencial e possibilidades de projetos governamentais de Banda Larga no Brasil TIM BRASIL Salvador, 22 de Fevereiro de 2016 Painel: Iniciativas de Projetos de Banda Larga: Experiências brasileiras e britânicas Explorando a visão do setor privado brasileiro sobre o potencial e possibilidades

Leia mais

HIDROVIA AMAZÔNICA: Rios Maranhão e Amazonas, trecho Saramiriza-Iquitos-Santa Rosa; Rio Huallaga, trecho Yurimaguas-Confluência com o rio Maranhão;

HIDROVIA AMAZÔNICA: Rios Maranhão e Amazonas, trecho Saramiriza-Iquitos-Santa Rosa; Rio Huallaga, trecho Yurimaguas-Confluência com o rio Maranhão; HIDROVIA AMAZÔNICA: Rios Maranhão e Amazonas, trecho Saramiriza-Iquitos-Santa Rosa; Rio Huallaga, trecho Yurimaguas-Confluência com o rio Maranhão; Rio Ucayali, trecho Pucallpa- confluência com o rio Maranhão

Leia mais

2000- Federalização da CEAM pela ELETROBRAS

2000- Federalização da CEAM pela ELETROBRAS Histórico da empresa Capital 28/07/1952 - Fundação da Companhia de Eletricidade de Manaus - CEM; 10/11/1980 - Incorporação da CEM pela Centrais Elétricas do Norte do Brasil Eletronorte; 23/12/1997 Criação

Leia mais

Biomas terrestres. Gabriela Ferreira 6º ano

Biomas terrestres. Gabriela Ferreira 6º ano Biomas terrestres Gabriela Ferreira 6º ano Tundra Tundra é um tipo de vegetação rasteira típica de regiões polares que ficam cobertas por gelo durante grande parte do ano. Na época do verão, este gelo

Leia mais

Instituto Mamirauá no AM seleciona bolsistas para programa científico

Instituto Mamirauá no AM seleciona bolsistas para programa científico Page 1 of 5 globo.com notícias esportes entretenimento vídeos e-mail Globomail Pro Globomail Free Criar um e-mail central globo.com assine já todos os sites Amazonas 05/07/2012 13h09 - Atualizado em 05/07/2012

Leia mais

APOIO: F á b io R. d e A. V a s c o n c e llo s E n g en h eiro N a v a l N a v a l E n g in eer 10/03/09

APOIO: F á b io R. d e A. V a s c o n c e llo s E n g en h eiro N a v a l N a v a l E n g in eer 10/03/09 F á b io R. d e A. V a s c o n c e llo s E n g en h eiro N a v a l N a v a l E n g in eer S I N C O N A P A S in d ic a t o d a s I n d u s t ria s d a C o n s t ru ç ã o N a v a l n o E s t a d o d o

Leia mais

GEOGRAFIA 7 0 ANO UNIDADE 4 REGIÃO NORTE. Slides X SAIR. Atividades integradas. Alfabetização cartográfica. Inforresumo CADERNO 2

GEOGRAFIA 7 0 ANO UNIDADE 4 REGIÃO NORTE. Slides X SAIR. Atividades integradas. Alfabetização cartográfica. Inforresumo CADERNO 2 GEOGRAFIA 7 0 ANO UNIDADE 4 REGIÃO NORTE LUIZ CLÁUDIO MARIGO/OPÇÃO BRASIL Slides Capítulo 1: Aspectos gerais e físicos Capítulo 2: Ocupação da região Norte Capítulo 3: Expansão urbana e população tradicional

Leia mais

PAES CARVALHO NAVEGAÇÃO & LOGÍSTICA LTDA. Belém (PA) - Av. Gentil Bittencourt, nº 16 - Batista Campos CEP: Tel.:55 (91) Fax:55

PAES CARVALHO NAVEGAÇÃO & LOGÍSTICA LTDA. Belém (PA) - Av. Gentil Bittencourt, nº 16 - Batista Campos CEP: Tel.:55 (91) Fax:55 PAES CARVALHO NAVEGAÇÃO & LOGÍSTICA LTDA. Belém (PA) - Av. Gentil Bittencourt, nº 16 - Batista Campos CEP: 66.015140 - Tel.:55 (91) 32051800 - Fax:55 (91) 32051801 Produção e Exportação Soja e Milho Fonte:

Leia mais

PROJETO DE DRAGAGEM DOS PORTOS BRASILEIROS METAS E REALIZAÇÕES

PROJETO DE DRAGAGEM DOS PORTOS BRASILEIROS METAS E REALIZAÇÕES Presidência da República Secretaria Especial de Portos I CONFERÊNCIA HEMISFÉRICA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL PROJETO DE DRAGAGEM DOS PORTOS BRASILEIROS METAS E REALIZAÇÕES Eng MARCOS PAGNONCELLI Coordenador-Geral

Leia mais

Relatório Diário Automático

Relatório Diário Automático Relatório Diário Automático 01/Mar/2017 Este documento foi criado automaticamente pelo Programa Queimadas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), em Cachoeira Paulista, SP, Brasil. Envie comentários

Leia mais

O Exército Brasileiro na Defesa da Soberania na Amazônia

O Exército Brasileiro na Defesa da Soberania na Amazônia MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO COMANDO MILITAR DA AMAZÔNIA GABINETE DO COMANDO O Exército Brasileiro na Defesa da Soberania na Amazônia INTRODUÇÃO A Amazônia é um dos poucos subsistemas mundiais

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES COPA DO MUNDO COPA DO MUNDO 2014

TELECOMUNICAÇÕES COPA DO MUNDO COPA DO MUNDO 2014 TELECOMUNICAÇÕES COPA DO MUNDO COBERTURA ESTÁDIO NACIONAL INDOOR DE BRASÍLIA MANÉ NOS GARRINCHA ESTÁDIOS COPA DO MUNDO 2014 o Setor de Telecomunicações está entregando a cobertura indoor em todos os estádios

Leia mais

Em que continente fica o Brasil?

Em que continente fica o Brasil? Em que continente fica o Brasil? (América do Sul) Qual a capital política do Brasil? (Brasília) Qual a maior cidade do Brasil? (São Paulo 19 milhões habitantes) Quantos habitantes tem o Brasil? (193 milhões)

Leia mais

POSIÇÃO ATUALIZADA ATÉ 25/06/2012 Classif Último Candidato Convocado procedimentos préadmissionais

POSIÇÃO ATUALIZADA ATÉ 25/06/2012 Classif Último Candidato Convocado procedimentos préadmissionais CONCURSO PÚBLICO 2010 TBN RJ e SP de de RJ Campos dos Goytacazes Técnico Bancário 106 2 105 2 RJ Centro Técnico Bancário 592 4 592 4 RJ Niteroi Técnico Bancário 130 3 130 3 RJ Nova Iguaçu Técnico Bancário

Leia mais

Disponibilidade Hídrica do Sistema Elétrico Brasileiro

Disponibilidade Hídrica do Sistema Elétrico Brasileiro Disponibilidade Hídrica do Sistema Elétrico Brasileiro Maio/2003 A Água no Mundo Desse volume: 97,2% águas dos mares 2,15% geleiras e calotas polares 3/4 3/4 do do globo globo terrestre são são cobertos

Leia mais

Educação, Ciência e Tecnologia na Amazônia. Brasília, 28 de junho de 2012

Educação, Ciência e Tecnologia na Amazônia. Brasília, 28 de junho de 2012 Educação, Ciência e Tecnologia na Amazônia Brasília, 28 de junho de 2012 Agenda Amazonas e SEDUC-AM Programa Ciência na Escola Ensino Mediado por Tecnologia SAO 120628 Seminário Educação e Ciência na Camara

Leia mais

INDICADORES ECONÔMICOS

INDICADORES ECONÔMICOS INDICADORES ECONÔMICOS PRODUTO INTERNO BRUTO PIB Centro de Ensino Superior do Amapá - CEAP José Reinaldo Picanço Evolucao do Produto Interno Bruto - PIB (2005/2010) TAXA DE CRESCIMENTO MEDIA DE 13,7% Fonte:

Leia mais

Apostila de Geografia 16 Hidrografia Matheus Borges

Apostila de Geografia 16 Hidrografia Matheus Borges Apostila de Geografia 16 Hidrografia Matheus Borges 1.0 Distribuição das Águas 97% Águas salgadas: Oceano Pacífico (o maior). Oceano Atlântico (muito navegável). Oceano Índico. 3% Água doce: 2% Geleiras.

Leia mais

GEOGRAFIA REVISÃO 1 REVISÃO 2. Aula 25.1 REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE IV

GEOGRAFIA REVISÃO 1 REVISÃO 2. Aula 25.1 REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE IV Aula 25.1 REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE IV Complexos Regionais Amazônia: Baixa densidade demográfica e grande cobertura vegetal. 2 3 Complexos Regionais Nordeste: Mais baixos níveis de desenvolvimento

Leia mais

Pronunciamento do Excelentíssimo Senhor Deputado ANSELMO, na Sessão Plenária do dia 31/03/06. Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados,

Pronunciamento do Excelentíssimo Senhor Deputado ANSELMO, na Sessão Plenária do dia 31/03/06. Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, Pronunciamento do Excelentíssimo Senhor Deputado ANSELMO, na Sessão Plenária do dia 31/03/06 Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, Ocupo hoje a tribuna desta Casa para mostrar um panorama dos

Leia mais

IV FEIRA INTERNACIONAL DA AMAZÔNIA A AMAZÔNIA E AS INICIATIVAS NO MERCOSUL PARA A INTEGRAÇÃO DE ROTEIROS TURÍSTICOS

IV FEIRA INTERNACIONAL DA AMAZÔNIA A AMAZÔNIA E AS INICIATIVAS NO MERCOSUL PARA A INTEGRAÇÃO DE ROTEIROS TURÍSTICOS IV FEIRA INTERNACIONAL DA AMAZÔNIA A AMAZÔNIA E AS INICIATIVAS NO MERCOSUL PARA A INTEGRAÇÃO DE ROTEIROS TURÍSTICOS ORENI BRAGA PRESIDENTE DA EMPRESA ESTADUAL DE TURISMO DO AMAZONAS - AMAZONASTUR SETEMBRO

Leia mais

COLÉGIO 7 DE SETEMBRO FUNDADOR PROF. EDILSON BRASIL SOÁREZ. O Colégio que ensina o aluno a estudar ALUNO(A): TURMA: Geografia.

COLÉGIO 7 DE SETEMBRO FUNDADOR PROF. EDILSON BRASIL SOÁREZ. O Colégio que ensina o aluno a estudar ALUNO(A): TURMA: Geografia. FUNDADOR PROF. EDILSON BRASIL SOÁREZ 2011 O Colégio que ensina o aluno a estudar APICE Geografia [2 a Etapa] 5 o Ano Ensino Fundamental I ALUNO(A): TURMA: Você está recebendo o APICE (Atividade para Intensificar

Leia mais

SISTEMAS DE TRANSPORTES TT046

SISTEMAS DE TRANSPORTES TT046 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE TRANSPORTES SISTEMAS DE TRANSPORTES TT046 Prof. Eduardo Ratton Prof. Garrone Reck Prof a. Gilza Fernandes Blasi Prof. Jorge Tiago Bastos Prof a. Márcia de

Leia mais

ANEXO I DOS CARGOS E DAS VAGAS, POLO E CAMPI DE LOTAÇÃO

ANEXO I DOS CARGOS E DAS VAGAS, POLO E CAMPI DE LOTAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTODE CARGO EFETIVO DA CARREIRA DE MAGISTÉRIODO ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO EDITAL

Leia mais

EVTEA - H Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental das Hidrovias

EVTEA - H Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental das Hidrovias EVTEA - H Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental das Hidrovias Descrição geral - Trabalho técnico de Economia, Engenharia, Ciências do Meio Ambiente, Estatística, Geografia, Ciências Sociais

Leia mais

EXPEDIÇÃO DO RIO ACRE. Engº José Roberto Campos da Veiga COOESA Engenharia Ltda. Fone: Rua Bela Cintra, 299 conjunto 61 São Paulo - SP

EXPEDIÇÃO DO RIO ACRE. Engº José Roberto Campos da Veiga COOESA Engenharia Ltda. Fone: Rua Bela Cintra, 299 conjunto 61 São Paulo - SP EXPEDIÇÃO DO RIO ACRE Engº José Roberto Campos da Veiga COOESA Engenharia Ltda. Fone: 11-3129-5317 Rua Bela Cintra, 299 conjunto 61 São Paulo - SP AGRADECIMENTOS AO SINDICATO DOS ENGENHEIROS PELA VIABILIZAÇÃO

Leia mais

EDITAL Nº 024/ PROCESSO DE BUSCA PARA PREENCHIMENTO DE UMA VAGA PARA FUNÇÃO GRATIFICADA DE COORDENADOR DE RECURSOS HUMANOS

EDITAL Nº 024/ PROCESSO DE BUSCA PARA PREENCHIMENTO DE UMA VAGA PARA FUNÇÃO GRATIFICADA DE COORDENADOR DE RECURSOS HUMANOS EDITAL Nº 024/2012 - PROCESSO DE BUSCA PARA PREENCHIMENTO DE UMA VAGA PARA FUNÇÃO GRATIFICADA DE COORDENADOR DE RECURSOS HUMANOS O Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá IDSM está selecionando

Leia mais

Oportunidades de negócios com a RNP

Oportunidades de negócios com a RNP Oportunidades de negócios com a RNP 17º Encontro Provedores Regionais Porto Velho Douglas Brito Damalio Outubro/2015 Agenda A RNP Oportunidade de Negócio Outras oportunidades Modelo de Contratação Grandes

Leia mais

ANEXO I DOS CARGOS E DAS VAGAS, POLO E CAMPI DE LOTAÇÃO

ANEXO I DOS CARGOS E DAS VAGAS, POLO E CAMPI DE LOTAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTODE CARGO EFETIVO DA CARREIRA DE MAGISTÉRIODO ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO EDITAL

Leia mais

COORDENAÇÃO REGIONAL NORDESTE I - MACEIÓ COORDENAÇÃO REGIONAL AMAPÁ E NORTE DO PARÁ - MACAPÁ COORDENAÇÃO TÉCNICA LOCAL DE OIAPOQUE

COORDENAÇÃO REGIONAL NORDESTE I - MACEIÓ COORDENAÇÃO REGIONAL AMAPÁ E NORTE DO PARÁ - MACAPÁ COORDENAÇÃO TÉCNICA LOCAL DE OIAPOQUE ANEXO I RELAÇÃO DE UNIDADES DA FUNAI COM POSTOS DE ESTÁGIO E DOS CURSOS DE NÍVEL MÉDIO E NÍVEL SUPERIOR REQUERIDOS ACRE ALTO PURUS - RIO BRANCO DO JURUÁ - CRUZEIRO DO SUL FRENTE DE PROTEÇÃO ETNOAMBIENTAL

Leia mais

Indicadores 5 e 6 do contrato de gestão Relatório de Abril de 2010

Indicadores 5 e 6 do contrato de gestão Relatório de Abril de 2010 Indicadores 5 e 6 do contrato de gestão Relatório de Abril de 2010 Leonardo Ferreira Carneiro Junho de 2010 Indicadores 5 e 6 do contrato de gestão Abril de 2010 1 Sumário 1. Introdução... 3 2. Metodologia

Leia mais

Encontro Provedores Regionais de Feira de Santana PAINEL 1 - Políticas públicas, tecnologias e financiamento.

Encontro Provedores Regionais de Feira de Santana PAINEL 1 - Políticas públicas, tecnologias e financiamento. Encontro Provedores Regionais de Feira de Santana PAINEL 1 - Políticas públicas, tecnologias e financiamento. Tecnologias disponíveis e as possíveis parcerias com a RNP possíveis parcerias com a RNP Eduardo

Leia mais