TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA"

Transcrição

1 TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA DEFINIÇÃO: COSSINETES São ferramentas de corte construídas de aço especial, com rosca temperada e retificada; é similar a uma porca, com cortes radiais dispostos convenientemente em torno do furo central. Os cossinetes possuem quatro ou mais furos, que formam as suas partes cortantes, que permitem a saída do cavaco. (Fig. 1) e (Fig. ) Geralmente possuem um corte no sentido da espessura que permite regular a profundidade do corte. O cossinete é utilizado para abrir roscas externas em peças cilíndricas de determinado diâmetro, tais como: parafusos e tubos. CARACTERÍSTICAS: Os cossinetes se caracterizam pelos seguintes elementos: 1- Sistema de rosca; - Passo ou número de fios por polegadas; - Diâmetro nominal; - Sentido da rosca. A escolha do cossinete é feita levando-se em conta esses elementos em relação à rosca a abrir. Outro tipo de cossinete: Cossinete bipartido, construído em aço especial acoplado em desandador, também de formato especial, possibilitando através de uma regulagem, a obtenção de um bom acabamento da rosca (figs. e ). UD TMT 0/0 1/0

2 DEFINIÇÃO: CHAVE DE FENDA A chave de fenda é uma ferramenta de aperto construída de uma haste cilíndrica de aço ao carbono, com uma de suas extremidades forjadas em forma de cunha e a outra em forma de espiga prismática ou cilíndrica estriada, onde é acoplado um cabo de madeira ou plástico (figs. 1 e ). USO: Este tipo de chave de fenda é empregada para apertar e desapertar parafusos que nas suas cabeças tenham fendas ou ranhuras, que permitam a entrada da cunha, dando, através de giros, o aperto ou desaperto (figs., e ). CARACTERÍSTICAS: A chave de fenda deve ter sua cunha temperada e revenida. A extremidade da cunha deve ter as faces em planos paralelos, para permitir ajuste correto à fenda do parafuso. UD TMT 0/0 /0

3 O cabo deve ser ranhurado longitudinalmente para permitir maior firmeza no aperto. O comprimento das chaves varia de ' a ". A forma e as dimensões das cunhas são proporcionais ao diâmetro da haste da chave. Para parafusos de fenda cruzada (fig.), usa-se uma chave com cunha em forma de cruz, chamada chave "PHILIPS" (fig.). CONDIÇÕES DE USO: O cabo deve estar bem engatado na haste da chave para evitar que deslize. A cunha tem quer ter as arestas paralelas para evitar sair da fenda do parafuso. CONSERVAÇÃO: - Guardar a chave de fenda em local apropriado. UD TMT 0/0 /0

4 PARAFUSOS, PORCAS E ARRUELAS DEFINIÇÃO: São peças metálicas empregadas na união de outras peças. O parafuso (fig.1) é formado por um corpo cilíndrico roscado e uma cabeça em várias formas; as porcas (fig.) são de forma prismática ou cilíndrica, com um furo roscado, por onde é atarraxada ao parafuso. A arruela é uma peça cilíndrica, de pouca espessura, com um furo no centro por onde passa o corpo do parafuso (figs., e ). Os parafusos servem para unir peças atarraxadas às porcas (fig.) ou unir peças atarraxadas à porca roscada (fêmea) (fig.). UD TMT 0/0 /0

5 As porcas servem para dar aperto nas uniões de peças; em alguns casos, servem para regulagem. As arruelas servem para proteger a superfície das peças, evitar deformações nas superfícies de contato e, também, de acordo com sua forma, evitar que a porca afrouxe. TIPOS DE PARAFUSOS: As figuras a 1 apresentam os principais tipos de parafusos. As figuras apresentam a forma e especificações próprias para construção de cada parafuso. UD TMT 0/0 /0

6 TIPOS DE PORCAS: As figuras de 1 a apresentam os principais tipos de porcas. UD TMT 0/0 /0

7 TIPOS DE ARRUELAS: As arruelas são classificadas geralmente em lisas (figs. e ), de pressão (figs. e ) e estreladas (figs. a ). A tabela seguinte apresenta as dimensões desses elementos de união de peças, nos seus valores mais comuns. UD TMT 0/0 /0

8 DIMENSÕES DE PARAFUSOS E ARRUELAS (TABELA) Fórmulas: H=1, d n=0, d C=f. 1, s=0, d m=0, d Whitworth (normal) Parafuso e Porca Arruela d(φexterno) E e a b D h f /" 1/" /" /1" 1/" /1" /" /1" 1/" /" /" /" 1" /" 1 1/" 1 /" 1 1/" 1 /" 1 /" 1 /" " 1/" 1/" /" " ,,,,, 1, 1, 1,, 1,, 1,,1,1,,, 0,,, 1 1,,, ,,, , 0, 0, 0, 1,,,,,,, UD TMT 0/0 /0

9 UD TMT 0/0 /0 Métrica (normal) Parafuso e Porca Arruela d(φexterno) E e a b D h f , ,,,,,, 1, 1, 1, 1,,, 1,,, 1, 1,,,1,,, 0,, 1,,, ,, , 0, 0, 0, 1, 1,,, Nota: As dimensões em milímetro são aproximados.

Acesse:

Acesse: Feitos um para o outro Existem muitas coisas nesse mundo que foram feitas uma para a outra: arroz com feijão, goiabada com queijo, a porca e o parafuso. Na aula passada, você estudou que para fazer aquela

Leia mais

Classificação dos machos de roscar, segundo o tipo de rosca. Desandadores

Classificação dos machos de roscar, segundo o tipo de rosca. Desandadores Classificação dos machos de roscar, segundo o tipo de rosca Rosca Sistema Métrico Normal Fina Machos de roscar Rosca Sistema Whitworth Para Parafusos Normal - BSW Fina - BSF Para Tubos - BASP - BSPT Rosca

Leia mais

União de materiais utilizados na construção de máquinas agrícolas

União de materiais utilizados na construção de máquinas agrícolas Universidade Estadual do Norte Fluminense Centro de Ciências e Tecnologias Agropecuárias Laboratório de Engenharia Agrícola EAG 03204 Mecânica Aplicada * União de materiais utilizados na construção de

Leia mais

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA DEFINIÇÃO: TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA MACHOS DE ROSCAR São ferramentas de corte construídas de aço especial, com rosca similar a um parafuso, com três ou quatro ranhuras longitudinais. Um dos seus extremos

Leia mais

Elementos de máquina. Curso Técnico Concomitante em Mecânica 3º módulo. Diego Rafael Alba

Elementos de máquina. Curso Técnico Concomitante em Mecânica 3º módulo. Diego Rafael Alba E Curso Técnico Concomitante em Mecânica 3º módulo Diego Rafael Alba 1 Roscas É um conjunto de filetes em torno de uma superfície cilíndrica; Podem ser internas e externas. 2 Perfil de rosca Triangular;

Leia mais

Questões para a prova de Tecnologia Aplicada I 03/06/2011

Questões para a prova de Tecnologia Aplicada I 03/06/2011 Questões para a prova de Tecnologia Aplicada I 03/06/2011 1. Qual a definição de aço-carbono? Aço é a liga ferro-carbono que contém de 0,008% a 2,11% de carbono em sua composição e é obtido a partir do

Leia mais

Mecânica Ferramentas e seus Acessórios

Mecânica Ferramentas e seus Acessórios CPM - Programa de Certificação de Pessoal de Manutenção Mecânica Ferramentas e seus Acessórios SENAI Departamento Regional do Espírito Santo 3 Ferramentas e seus Acessórios - Mecânica SENAI - ES, 1996

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SÃO PAULO Campus Presidente Epitácio

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SÃO PAULO Campus Presidente Epitácio INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SÃO PAULO Campus Presidente Epitácio ELMA3 AULA 5 Prof. Carlos Fernando Dispositivos de Fixação Pinos, Cupilhas, Cavilhas, Roscas, Mancais de Deslizamento

Leia mais

CALIBRADOR. Prof. Dr. Roger Nabeyama Michels

CALIBRADOR. Prof. Dr. Roger Nabeyama Michels CALIBRADOR Prof. Dr. Roger Nabeyama Michels Medição Indireta Consiste em confrontar a peça que se quer medir com a peça padrão. Um eixo pode ser medido indiretamente utilizando um calibrador de eixos.

Leia mais

Pinos e cupilhas. Pinos e cavilhas

Pinos e cupilhas. Pinos e cavilhas A U A UL LA Pinos e cupilhas Introdução Até agora você estudou rebites que constituem um dos principais elementos de fixação. Mas existem outros elementos que um mecânico deve conhecer como pinos, cavilhas

Leia mais

3.4 MEDIDAS MATERIALIZADAS MEDIDAS

3.4 MEDIDAS MATERIALIZADAS MEDIDAS METROLOGIA APLICADA 3.4 MEDIDAS MATERIALIZADAS MEDIDAS MATERIALIZADAS 3.4 Calibradores 3.4.1 Introdução - Calibradores são instrumentos que estabelecem os limites máximo e mínimo das dimensões que desejamos

Leia mais

4. FERRAMENTAS EMPREGADAS EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS. Figura 57 Alicate universal. 2. Alicate de Corte - serve para cortar chapas, arames e fios de aço.

4. FERRAMENTAS EMPREGADAS EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS. Figura 57 Alicate universal. 2. Alicate de Corte - serve para cortar chapas, arames e fios de aço. 33 4. FERRAMENTAS EMPREGADAS EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Algumas ferramentas poderâo ser utilizadas quando da aplicação dos eletrodutos, com a finalidade de fazer corte, abrir roscas ou fazer curvas. Dentre

Leia mais

Disciplina: Metrologia Sistema de Medição Micrômetro

Disciplina: Metrologia Sistema de Medição Micrômetro Disciplina: Metrologia Sistema de Medição Micrômetro Profª: Janaina Fracaro de Souza Gonçalves Micrômetro Micrômetro: tipos e usos Jean Louis Palmer apresentou, pela primeira vez, um micrômetro para requerer

Leia mais

As molas são usadas, principalmente, nos casos de armazenamento de energia, amortecimento de choques, distribuição de cargas, limitação de vazão,

As molas são usadas, principalmente, nos casos de armazenamento de energia, amortecimento de choques, distribuição de cargas, limitação de vazão, MOLAS As molas são usadas, principalmente, nos casos de armazenamento de energia, amortecimento de choques, distribuição de cargas, limitação de vazão, preservação de junçõeses ou contatos. MOLAS HELICOIDAIS

Leia mais

Título do grupo COMPASSOS (INTERNO / EXTERNO / DE PONTA) CORTADOR HIDRÁULICO DE PORCAS EXTRATOR DE PORCAS DANIFICADAS

Título do grupo COMPASSOS (INTERNO / EXTERNO / DE PONTA) CORTADOR HIDRÁULICO DE PORCAS EXTRATOR DE PORCAS DANIFICADAS 0 Título do grupo 13Ferramentas especiais e de medição COMPASSOS (INTERNO / EXTERNO / DE PONTA) CALIBRE DE FOLGA CALIBRE DE ROSCA LIMA PARA ROSCAS PAQUÍMETRO DIGITAL ARCOS DE SERRA PARA METAL PINÇAS (PONTAS

Leia mais

Ferramentas utilizadas em Instalações Elétricas

Ferramentas utilizadas em Instalações Elétricas Ferramentas utilizadas em Instalações Elétricas ALICATE UNIVERSAL É o modelo mais conhecido e utilizado de toda a família dos alicates. Esse tipo de alicate é uma das principais ferramentas usadas pelo

Leia mais

Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico

Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico Módulo IV Aula 03 Conjuntos O desenho de conjunto representa um grupo de peças montadas tais como: dispositivos, ferramentas, máquinas, motores, equipamentos

Leia mais

Pinos e cupilhas. Pinos e cavilhas

Pinos e cupilhas. Pinos e cavilhas A U A UL LA Pinos e cupilhas Introdução Até agora você estudou rebites que constituem um dos principais elementos de fixação. Mas existem outros elementos que um mecânico deve conhecer como pinos, cavilhas

Leia mais

Capítulo I: Elementos de Fixação

Capítulo I: Elementos de Fixação Capítulo I: Elementos de Fixação Profª. Luziane M. Barbosa 1 Profª. Luziane M. Barbosa 2 1 Profª. Luziane M. Barbosa 3 Uniões Móveis Permanentes Profª. Luziane M. Barbosa 4 2 PINOS Funções: Possibilitar

Leia mais

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA FERRAMENTAS DE CORTE P/ TORNO (PERFIS E APLICAÇÕES) DEFINIÇÃO: São ferramentas de aço rápido ou de carboneto metálico, empregadas nas operações de torneamento, para cortar

Leia mais

PARAFUSOS DE CABEÇA QUADRADA, DE ROSCA DUPLA E DE CABEÇA ABAULADA FIGURA 1 - PARAFUSO DE CABEÇA QUADRADA (M16) - NTC /19 T A B E L A 1

PARAFUSOS DE CABEÇA QUADRADA, DE ROSCA DUPLA E DE CABEÇA ABAULADA FIGURA 1 - PARAFUSO DE CABEÇA QUADRADA (M16) - NTC /19 T A B E L A 1 FIGURA 1 - PARAFUSO DE CABEÇA QUADRADA (M16) - 811800/19 T A B E L A 1 Código Dimensões (mm) Código Dimensões (mm) COPEL A B (mín.) COPEL A B (mín.) 1800 15010938 40 ± 1.5 35 1809 15011065 250 ± 3.0 170

Leia mais

Universidade de Fortaleza Centro de Ciencias Tecnologicas Curso de Engenharia deprodução/mecânica. Desenho Mecânico. Prof.

Universidade de Fortaleza Centro de Ciencias Tecnologicas Curso de Engenharia deprodução/mecânica. Desenho Mecânico. Prof. Universidade de Fortaleza Centro de Ciencias Tecnologicas Curso de Engenharia deprodução/mecânica Desenho Mecânico Prof. José Rui Barbosa Componentes mecânicos Elementos de ligação - Roscas - Parafusos

Leia mais

A Anatomia de uma Lenda

A Anatomia de uma Lenda As Chaves de Tubo RIDGID são conhecidas mundialmente pela sua robustez e resistência à serviços pesados. A original Chave Heavy Duty RIDGID, apresentada abaixo, ganhou a confiança dos profissionais de

Leia mais

Parafusos II. roscas. Nesta e nas próximas aulas são apresentadas informações sobre parafusos.

Parafusos II. roscas. Nesta e nas próximas aulas são apresentadas informações sobre parafusos. A UU L AL A Parafusos II Na aula anterior você teve noções gerais de roscas. Nesta e nas próximas aulas são apresentadas informações sobre parafusos. Introdução Parafusos Parafusos são elementos de fixação,

Leia mais

PRÁTICA DE OFICINA - AULA OPERAÇÕES BÁSICAS NO TORNEAMENTO 1 - TORNEAMENTO

PRÁTICA DE OFICINA - AULA OPERAÇÕES BÁSICAS NO TORNEAMENTO 1 - TORNEAMENTO 1 PRÁTICA DE OFICINA - AULA 01-2015-1 OPERAÇÕES BÁSICAS NO TORNEAMENTO 1 - TORNEAMENTO Processo mecânico de usinagem destinado a obtenção de superfícies de revolução com auxílio de uma ou mais ferramentas

Leia mais

porca sextavada rosca em polegadas winox porca sextavada rosca métrica arruela lisa polegadas fixação rosca MA - ansi din 934 ansi b

porca sextavada rosca em polegadas winox porca sextavada rosca métrica arruela lisa polegadas fixação rosca MA - ansi din 934 ansi b 1 fixação winox rosca MA - ansi 18.2.2 porca sextavada rosca em polegadas Diâmetro Rosca/ PASSo h (altura ) s (chave máxima) 800052 1/4 UNC - 20 7/32 7/16 1000 800053 5/16 unc - 18 17/64 1/2 500 800054

Leia mais

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I AULA 8 - ELEMENTOS DE MÁQUINA (UNIÃO E FIXAÇÃO) Notas de Aulas v.2015 ELEMENTOS DE FIXAÇÃO REBITES ELEMENTOS DE FIXAÇÃO REBITES ELEMENTOS DE FIXAÇÃO REBITES Costuras:

Leia mais

Módulo 08 DESENHO TÉCNICO. Luiz Fontanella

Módulo 08 DESENHO TÉCNICO. Luiz Fontanella Módulo Luiz Fontanella 2 ÍNDICE SCRIÇÃO PÁG. ÍNDICE 2 ROSCAS 3 TIPOS 4 SENTIDO DIREÇÃO 4 NOMENCLATURA 5 ROSCAS TRIANGULARES 5 o ROSCA MÉTRICA 6 o ROSCA WHITWORTH 6 PARAFUSOS 7 PARAFUSOS PASSANTES 7 PARAFUSOS

Leia mais

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA DEFINIÇÃO: TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA AVANÇO DE NAS MÁQUINAS - FERRAMENTAS É a distância correspondente ao deslocamento que faz a ferramenta ou a peça em cada rotação (figs. 1 e 2) ou em cada golpe (fig.3).

Leia mais

Acesse:

Acesse: Uma questão de exatidão Como você viu na Aula 30, o furo executado com a broca geralmente não é perfeito a ponto de permitir ajustes de exatidão, com rigorosa qualidade de usinagem. Isso pode ser um problema,

Leia mais

Classificação dos parafusos quanto à função:

Classificação dos parafusos quanto à função: Classificação dos parafusos quanto à função: Os parafusos podem ser classificados quanto a sua função em quatro grandes grupos: parafusos passantes, parafusos não-passantes, parafusos de pressão, parafusos

Leia mais

Fabricado em aço alto carbono Cabo ergonômico e com abas protetoras arredondadas TAG PLÁSTICO. embalagem qtd./pçs.

Fabricado em aço alto carbono Cabo ergonômico e com abas protetoras arredondadas TAG PLÁSTICO. embalagem qtd./pçs. licates licate Universal Baseado na Norma DIN ISO 746 licate Cor te Diagonal DIN ISO 749 licate MeiaCana Cur to Fabricado em aço alto carbono Cabo ergonômico e com abas protetoras arredondadas 8" 119022B

Leia mais

* Informe-se sobre os termos e condições da Garantia para Sempre Belzer ao final do catálogo.

* Informe-se sobre os termos e condições da Garantia para Sempre Belzer ao final do catálogo. * Informe-se sobre os termos e condições da Garantia para Sempre Belzer ao final do catálogo. 33 Soquetes e Acessórios Os soquetes são ferramentas manuais destinadas ao aperto e desaperto de porcas ou

Leia mais

Válvula de Esfera Monobloco

Válvula de Esfera Monobloco Válvula de Esfera Monobloco Valvula Esfera Em Aço Carbono WCB; CF8 (ISS304); CF8M (SS316) Microfundidos Corpo Monobloco Para Apicação Quimica e industrial Haste a Prova de Explosão Normas e Padroes Pressão

Leia mais

PROJETO DO TELESCÓPIO

PROJETO DO TELESCÓPIO PROJETO DO TELESCÓPIO EDER MARTIOLI DAS-INPE A v. d o s A s t ro n a u ta s, 1 7 5 8 t e l e f o n e : ( 1 2 ) 3 9 4 5-7 1 9 4 f a x : ( 1 2 ) 3 9 4 5-6 8 1 1 e d e r@ d a s. i n p e. b r Índice I. Lista

Leia mais

Informações Técnicas Propriedades Mecânicas

Informações Técnicas Propriedades Mecânicas Informações Técnicas Propriedades Mecânicas Resistência a Limite de Carga de Grau de Tração Escoamento Alongam. Redução Dureza Prova de Área Resistência (kgf/mm2) (kgf/mm2) (kgf/mm2) min. máx. min. (%)

Leia mais

Acesse:

Acesse: Nem só o padeiro faz roscas Para montar conjuntos mecânicos, usam-se os mais diversos processos de união das diversas partes que os compõem. Assim, é possível uni-los por soldagem, por rebitagem, por meio

Leia mais

Conjuntos mecânicos III

Conjuntos mecânicos III Conjuntos mecânicos III A UU L AL A Desenho de componente é o desenho de uma peça isolada que compõe um conjunto mecânico. Introdução Desenho de detalhe é o desenho de um elemento, de uma parte de um elemento,

Leia mais

FIXADORES PARA ESTRUTURAS METÁLICAS

FIXADORES PARA ESTRUTURAS METÁLICAS FIXADORES PARA ESTRUTURAS METÁLICAS LINHA ASTM A325 TIPO 1 São fixadores específicos de alta resistência, empregados em ligações parafusadas estruturais e indicados em montagens de maior responsabilidade.

Leia mais

Elementos de Máquinas

Elementos de Máquinas Elementos de Máquinas O que são Elementos Orgânicos de Máquinas? São componentes que possuem funções como fixar, apoiar outras peças ou componentes, transmitir potência, realizar vedações ou conferir certa

Leia mais

ADES FERRAMENTAS CATÁLOGO DE PRODUTOS

ADES FERRAMENTAS CATÁLOGO DE PRODUTOS ADES CATÁLOGO DE PRODUTOS ADES NOSSA HISTÓRIA ADES 2 FACAS CIRCULARES HSS Facas de corte - HSS D () 20 2 32 40 0 63 80 0 12 10 160 200 20 d () 8 8 13 16 22 22 22 32 32 32 32 E () 0,20 x x x x x 0,2 x x

Leia mais

Parafusos. Rosca. Formas padronizadas de roscas

Parafusos. Rosca. Formas padronizadas de roscas 4 Parafusos São elementos de máquinas usados em uniões provisórias ou desmontáveis, ou seja, quando permitem a desmontagem e montagem com facilidade sem danificar as pecas componentes. Exemplo: a união

Leia mais

Informações Técnicas Uso Orientativo

Informações Técnicas Uso Orientativo Parafusos série métrica conforme norma DIN ISO 9- CLASSE DE.. 0.9 2.9 4.6. < M6 > M6 () 67-9 HRB 2-9 HRB (2) 22-32 HRC 23-34 HRC 32-39 HRC 39-44 HRC TENSÃO TENSÃO TRAÇÃO MÍNIMA ESCOAMENTO (kgf/ 2 ) MÍNIMA

Leia mais

PARAFUSOS DE CABEÇA QUADRADA, DE ROSCA DUPLA E DE CABEÇA ABAULADA FIGURA 1 - PARAFUSO DE CABEÇA QUADRADA (M16) - NTC /19 TA B E L A 1

PARAFUSOS DE CABEÇA QUADRADA, DE ROSCA DUPLA E DE CABEÇA ABAULADA FIGURA 1 - PARAFUSO DE CABEÇA QUADRADA (M16) - NTC /19 TA B E L A 1 FIGURA 1 - PARAFUSO DE CABEÇA QUADRADA (M16) - 811800/19 Código COPEL OBS.: 1. Medidas em milímetros. TA B E L A 1 Código A B (mín.) COPEL A B (mín.) 1800 15010938 40 1,5 35 1809 15011065 250 3,0 170 1801

Leia mais

Calibrador. Seguindo as diretrizes da empresa para implantar. Um problema. Medição indireta. Calibradores

Calibrador. Seguindo as diretrizes da empresa para implantar. Um problema. Medição indireta. Calibradores A UU L AL A Calibrador Seguindo as diretrizes da empresa para implantar um programa de qualidade e produtividade, um dos funcionários alertou o supervisor sobre a perda de tempo em medir um grande lote

Leia mais

TECNOLÓGICO EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL. Tecnologia Mecânica Aula 07 Prof. Dr. João Alves Pacheco

TECNOLÓGICO EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL. Tecnologia Mecânica Aula 07 Prof. Dr. João Alves Pacheco TECNOLÓGICO EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL Tecnologia Mecânica Aula 07 Prof. Dr. João Alves Pacheco Origem Jean Louis Palmer apresentou em 1848 um micrômetro para requerer sua patente. O instrumento permitia

Leia mais

PARAFUSOS DE CABEÇA QUADRADA, DE ROSCA DUPLA E DE CABEÇA ABAULADA FIGURA 1 - PARAFUSO DE CABEÇA QUADRADA (M16) - NTC /19 TABELA - 1

PARAFUSOS DE CABEÇA QUADRADA, DE ROSCA DUPLA E DE CABEÇA ABAULADA FIGURA 1 - PARAFUSO DE CABEÇA QUADRADA (M16) - NTC /19 TABELA - 1 FIGURA 1 - PARAFUSO DE CABEÇA QUADRADA (M16) - 811800/19 Código COPEL TABELA - 1 Código A B (mín.) COPEL A B (mín.) 1800 15010938 40 ± 1,5 35 1809 15011065 250 ± 3,0 170 1801 15010962 60 ± 2,0 45 1811

Leia mais

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA DEFINIÇÃO: TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA PLACA ARRASTADORA E ARRASTADOR São acessórios do torno que servem para transmitir o movimento de rotação do eixo principal em peças a serem usinadas entrepontas

Leia mais

Rua do Manifesto, Ipiranga - São Paulo Fone: +55 (11)

Rua do Manifesto, Ipiranga - São Paulo Fone: +55 (11) 115 NOVO Paquímetros Digitais de Profundidade Série 5004 0-600mm / 0-24" Ideal para medição de peças grandes até 600mm (24") Três dispositivos móveis para a ponte proporcionam capacidade adicional para

Leia mais

parte externa rosca interna

parte externa rosca interna Acesse: http://fuvestibular.com.br/ A UU L AL A Porcas Um menino tinha duas bicicletas quebradas. Decidiu juntar as peças das duas e montar uma bicicleta que lhe servisse para ir à escola. Seu pai, mecânico,

Leia mais

FIGURA 1 CONECTOR TERMINAL FIGURA 2 LUVA TERMOCONTRÁTIL FIGURA 3 DETALHE DE INSTALAÇÃO. Parafuso e Arruela. Conector. Luva

FIGURA 1 CONECTOR TERMINAL FIGURA 2 LUVA TERMOCONTRÁTIL FIGURA 3 DETALHE DE INSTALAÇÃO. Parafuso e Arruela. Conector. Luva FIGURA 1 E C D φ G F φ 10.0 + 0.2 A B CONECTOR TERMINAL FIGURA 2 I H LUVA TERMOCONTRÁTIL FIGURA 3 Rosca (Normal) DIN II 16 fios / in Sextavado Interno d1 h l1 l2 PARAFUSO D12 d2 m ARRUELA LISA DETALHE

Leia mais

Chaves de Fenda, Phillips, Torx e Canhão

Chaves de Fenda, Phillips, Torx e Canhão Chaves de Fenda, Phillips, Torx e Canhão Ferramentas manuais de nível profissional indicadas para aperto e desaperto de porcas e parafusos de fenda simples, tipo Phillips, de encaixe Torx ou encaixe sextavado

Leia mais

Chaves de Fenda, Phillips e Canhão

Chaves de Fenda, Phillips e Canhão Chaves de Fenda, Phillips e Canhão Ferramentas manuais de nível profissional indicadas para aperto e desaperto de porcas e parafusos de fenda simples, tipo Phillips ou encaixe sextavado (canhão). Todas

Leia mais

O supervisor treinou o pessoal para medição indireta com calibradores. Falta treiná-lo no uso de verificadores.

O supervisor treinou o pessoal para medição indireta com calibradores. Falta treiná-lo no uso de verificadores. Verificadores O supervisor treinou o pessoal para medição indireta com calibradores. Falta treiná-lo no uso de verificadores. Os verificadores também são usados para medição indireta. Nesta aula, são estudados

Leia mais

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA TORNO MEC. HORIZONTAL (NOMENCL./CARACT./ACESSÓRIOS) DEFINIÇÃO: É a máquina-ferramenta usada para trabalhos de torneamento, principalmente de metais que, através da realização

Leia mais

09 - Parafusos Imperdíveis de Aperto Rápido, Série 09 Parafusos Tamanho pequeno

09 - Parafusos Imperdíveis de Aperto Rápido, Série 09 Parafusos Tamanho pequeno 482 09 - Parafusos Imperdíveis de Aperto Rápido, Série 09 Parafusos Tamanho pequeno de baixo carbono cementado, zincado, bicromatizado e selador, ou aço Como selecionar o seu parafuso: 1. Determine a espessura

Leia mais

Roteiro de aula para atividade experimental de baixo custo. Ronaldo F. Ayres Jr. Alexandre Carlos Tort

Roteiro de aula para atividade experimental de baixo custo. Ronaldo F. Ayres Jr. Alexandre Carlos Tort UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO Instituto de Física Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física Mestrado Profissional em Ensino de Física Roteiro de aula para atividade experimental de baixo custo

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MÓDULO DE ACESSIBILIDADE- MAC- 01 ERG. Especificação Técnica revisada conforme FSET nº 175/2011 acordado com o DERAT.

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MÓDULO DE ACESSIBILIDADE- MAC- 01 ERG. Especificação Técnica revisada conforme FSET nº 175/2011 acordado com o DERAT. EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MÓDULO DE ACESSIBILIDADE- MAC- 01 ERG NÚMERO: 132008 DESENHO: DT- 494/7 EMISSÃO: MARÇO/2013 VALIDADE: MARÇO/2015 REVOGA: 082104 REVOGA

Leia mais

* Informe-se sobre os termos e condições da Garantia para Sempre Belzer ao final do catálogo.

* Informe-se sobre os termos e condições da Garantia para Sempre Belzer ao final do catálogo. * Informe-se sobre os termos e condições da Garantia para Sempre elzer ao final do catálogo. 57 Chaves de Fenda, Phillips e Canhão Ferramentas manuais de nível profissional indicadas para aperto e desaperto

Leia mais

Índice. Chaves de Fenda e Phillips Martelos Ferramentas Especiais Jogos e Kits Diversos Displays de Parede...

Índice. Chaves de Fenda e Phillips Martelos Ferramentas Especiais Jogos e Kits Diversos Displays de Parede... Desenvolvida no Brasil, a Mayle oferece, desde os anos 80, ferramentas versáteis que atendem desde os adeptos ao faça você mesmo até os profissionais liberais. Apresentando diversos produtos avulsos, além

Leia mais

ALICATES CHAVES. Alicate de Pressão. Alicate Universal. Alicate Corte Diagonal. Chaves de Fenda. Alicate Meia-Cana Curto DIN ISO 5746

ALICATES CHAVES. Alicate de Pressão. Alicate Universal. Alicate Corte Diagonal. Chaves de Fenda. Alicate Meia-Cana Curto DIN ISO 5746 ICTES licate Universal DIN ISO 5746 licate de Pressão CPCIDDE DE CORTE RME RME MOE DURO 119022 8 6 0,421 Ø2,5 Ø1,6 Fabricado em aço lto Carbono. Cabo ergonômico e com abas protetoras arredondadas. licate

Leia mais

CADEIRA POSTURAL REGULÁVEL MANUAL DE CONFECÇÃO

CADEIRA POSTURAL REGULÁVEL MANUAL DE CONFECÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE MECÂNICA TECNOLOGIA ASSISTIVA (http://www.damec.ct.utfpr.edu.br/assistiva/) CADEIRA POSTURAL REGULÁVEL MANUAL DE CONFECÇÃO PROJETO ELABORADO

Leia mais

Exercícios de revisão fundamentos mecânicos

Exercícios de revisão fundamentos mecânicos 1. O desenho técnico é a ferramenta necessária para a interpretação e representação de um projeto, por ser o meio de comunicação entre a equipe de criação e a de fabricação (ou de construção); nesse contexto

Leia mais

Conjuntos mecânicos V

Conjuntos mecânicos V A U A UL LA Acesse: http://fuvestibular.com.br/ Conjuntos mecânicos V Introdução Os funcionários acharam importante a aula anterior porque puderam conhecer bem o calço-regulável e as diversas formas pelas

Leia mais

A precisão e exatidão de medidas, a qualidade e acabamento superficial da peça são fatores amplamente dependentes do molde.

A precisão e exatidão de medidas, a qualidade e acabamento superficial da peça são fatores amplamente dependentes do molde. Moldes Plástico. Na seqüência de desenvolvimento de uma peça injetada, desde o primeiro rascunho até a extração na máquina, o molde de injeção é o último elo, porém não é o menos importante. A precisão

Leia mais

* Informe-se sobre os termos e condições da Garantia para Sempre Belzer ao final do catálogo.

* Informe-se sobre os termos e condições da Garantia para Sempre Belzer ao final do catálogo. * Informe-se sobre os termos e condições da Garantia para Sempre Belzer ao final do catálogo. 33 Soquetes e Acessórios Os soquetes são ferramentas manuais destinadas ao aperto e desaperto de porcas ou

Leia mais

REBITADORES MANUAIS TIPO ALICATE REBITADORES MANUAIS TIPO ALAVANCA REBITADOR MANUAL TIPO ALICATE REBITADOR MANUAL GIRATÓRIO REBITADOR TIPO SANFONA

REBITADORES MANUAIS TIPO ALICATE REBITADORES MANUAIS TIPO ALAVANCA REBITADOR MANUAL TIPO ALICATE REBITADOR MANUAL GIRATÓRIO REBITADOR TIPO SANFONA 285 REBITADORES MANUAIS TIPO ALICATE REBITADORES MANUAIS TIPO ALAVANCA Uso leve Indicado para unir peças, como: chapas, tubos, perfis, entre outras, através de rebites de repuxo Corpo em chapa de aço estampado

Leia mais

E6 - Dobradiças TAMANHO REAL. Carga axial. 4 furos Ø 6 + 0,1-0,0 34±0,5. Torque adiante N m. Códigos

E6 - Dobradiças TAMANHO REAL. Carga axial. 4 furos Ø 6 + 0,1-0,0 34±0,5. Torque adiante N m. Códigos E6 - Dobradiças 327 Tamanho grande 8,4 50,8 57,1 Tamanho grande: Zamac com pintura a pó preta Ø 12 0,69 de profundidade (2 furos) Ø 5,2 () radial 34±0,5 Vida útil: 20.000 ciclos de operação com valor de

Leia mais

Origem e função do micrômetro

Origem e função do micrômetro Origem e função do micrômetro Jean Louis Palmer apresentou, pela primeira vez, um micrômetro para requerer sua patente. O instrumento permitia a leitura de centésimos de milímetro, de maneira simples.

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MÓDULO DE PASSAGEM DE DUTOS MPD 01

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MÓDULO DE PASSAGEM DE DUTOS MPD 01 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MÓDULO DE PASSAGEM DE DUTOS MPD 01 NÚMERO: 132019 DESENHO: DT-576 EMISSÃO: MARÇO /2013 VALIDADE: MARÇO /2018 REVOGA: 112006 CÓDIGO ERP: Modelo A: 11990197-8 (CON) 10900153-2 (PER)

Leia mais

CHAVES DE FENDA, PHILLIPS, TORX E CANHÃO

CHAVES DE FENDA, PHILLIPS, TORX E CANHÃO HVES DE FEND, PHILLIPS, TORX E NHÃO Ferramentas manuais de nível profissional indicadas para aperto e desaperto de porcas e parafusos de fenda simples, tipo Phillips, de encaixe Torx ou encaixe sextavado

Leia mais

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM 0502)

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM 0502) DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM 0502) Aula 10 Tolerância de forma e posição, roscas, parafusos e porcas 10. 02 Aula 10 Tolerância de forma e posição, roscas, parafusos e porcas TOLERÂNCIA GEOMÉTRICA: FORMA

Leia mais

NTC BRAÇO L 15 e 35 kv FIGURA BRAÇO L VISTA ISOMÉTRICA. JANEIRO 2015 SEE/DPRD/VPON VOLUME 3 Página 1 de 4

NTC BRAÇO L 15 e 35 kv FIGURA BRAÇO L VISTA ISOMÉTRICA. JANEIRO 2015 SEE/DPRD/VPON VOLUME 3 Página 1 de 4 FIGURA BRAÇO L VISTA ISOMÉTRICA JANEIRO 2015 SEE/DPRD/VPON VOLUME 3 Página 1 de 4 DETALHE DO REFORÇO DETALHE DO CONECTOR DETALHES DO ENSAIO VISTA LATERAL VISTA SUPERIOR JANEIRO 2015 SEE/DPRD/VPON VOLUME

Leia mais

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM0564) AULA 8 DESENHO DE CONJUNTO E ELEMENTOS DE MÁQUINA (UNIÃO E FIXAÇÃO)

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM0564) AULA 8 DESENHO DE CONJUNTO E ELEMENTOS DE MÁQUINA (UNIÃO E FIXAÇÃO) DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM0564) AULA 8 DESENHO DE CONJUNTO E ELEMENTOS DE MÁQUINA (UNIÃO E FIXAÇÃO) Notas de Aulas v.2016 DESENHO DE CONJUNTO E DE DETALHE DEFINIÇÕES Conjuntos Mecânicos Peças justapostas

Leia mais

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA DEFINIÇÃO: TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA ROSCAS (NOÇÕES TIPOS NOMENCLATURA) É uma saliência, em forma helicoidal, que se desenvolve, externa ou internamente, ao redor de uma superfície cilíndrica ou cônica.

Leia mais

CONECTOR DERIVAÇÃO PARA LINHA VIVA

CONECTOR DERIVAÇÃO PARA LINHA VIVA FIGURA 1 JUNHO/2017 DPLD/VNTD VOLUME 1 Página 1 de 5 DETALHE B (BICO) NOTAS: - O conector de derivação deve ter a parte superior do bico estendida, como mostra o modelo 1 do Detalhe B, visando facilitar

Leia mais

MÁQUINAS E MECANIZAÇÃO AGRÍCOLA

MÁQUINAS E MECANIZAÇÃO AGRÍCOLA MÁQUINAS E MECANIZAÇÃO AGRÍCOLA Professor: Diogo Santos Campos MÁQUINAS E MECANIZAÇÃO AGRÍCOLA Engenheiro Agrícola, D.Sc. diogo.campos@ifmg.edu.br https://sites.google.com/a/ifmg.edu.br/diogo/ (37)3431-4975

Leia mais

CADEIRA POSTURAL REGULÁVEL MANUAL DE CONFECÇÃO

CADEIRA POSTURAL REGULÁVEL MANUAL DE CONFECÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE MECÂNICA TECNOLOGIA ASSISTIVA (http://www.damec.ct.utfpr.edu.br/assistiva/) CADEIRA POSTURAL REGULÁVEL MANUAL DE CONFECÇÃO PROJETO ELABORADO

Leia mais

CATÁLOGO INOX 316/A4

CATÁLOGO INOX 316/A4 CATÁLOGO INOX 316/A4 SEXTAVADO ROSCA INTEIRA - INOX 316 PRODUTOS DE ALTA PERFORMANCE! PARAFUSO CABEÇA SEXTAVADA ROSCA INTEIRA AÇO INOXIDÁVEL - 316 ASME B18.2.1 UnC - Asme b1.1 bsw - din 11 SXRI3/16X1/2A4

Leia mais

SISTEMAS DE LUBRIFICAÇÃO LTDA-ME L IN H A P R O F I S S I O N A L

SISTEMAS DE LUBRIFICAÇÃO LTDA-ME L IN H A P R O F I S S I O N A L SISTEMAS DE LUBRIFICAÇÃO LTDA-ME L IN H A P R O F I S S I O N A L ÍNDICE Linha de Escovas Página Escovas Circulares de arames Ondulados 03 ref. 7000 Escovas Circulares de arames Trançados 04 ref. 7010

Leia mais

CONECTOR TERMINAL DE COMPRESSÃO alumínio FIGURA 1 FIGURA 2

CONECTOR TERMINAL DE COMPRESSÃO alumínio FIGURA 1 FIGURA 2 FIGURA 1 FIGURA 2 FIGURA 3 OBS.: 1) Medidas em milímetros. 2) Deve ser dimensionado para atender a todas as características de aplicação mecânica e elétrica da Tabela 1. MAIO/2017 DPLD/VNTD VOLUME 1 Página

Leia mais

Introdução. Elementos de fixação

Introdução. Elementos de fixação A U A UL LA Introdução aos elementos de fixação Introdução Elementos de fixação constitui uma unidade de 3 aulas que faz parte do módulo Elementos de Máquinas. Nessa unidade, você vai estudar os principais

Leia mais

SEM DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I

SEM DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I SEM 0564 - DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I Notas de Aulas v.2017 Aula 07 Componentes de fixação: parafusos, porcas, rebites e Soldas (noções de simbologia) Prof. Assoc. Carlos Alberto Fortulan Departamento

Leia mais

CHUMBADORES CBA COM PARAFUSO. Central de Relacionamento : (11)

CHUMBADORES CBA COM PARAFUSO. Central de Relacionamento : (11) CHUMBADORES CBA COM PARAFUSO Descrição do Produto Chumbador de expansão controlada por torque, composto por parafuso, arruela, jaqueta e cone. Prolongador incluso conforme comprimento. - Cone com desenho

Leia mais

Corpo em chapa de aço estampado Cabo plastificado Diâmetro máximo de rebite: 4,8 mm

Corpo em chapa de aço estampado Cabo plastificado Diâmetro máximo de rebite: 4,8 mm REBITADORES MANUAIS TIPO ALICATE Uso leve Indicado para unir peças, como: chapas, tubos, perfis, entre outras, através de rebites de repuxo Corpo em chapa de aço estampado Cabo plastificado Diâmetro máximo

Leia mais

Acesse:

Acesse: Roda, roda, gira... Acesse: http://fuvestibular.com.br/ Você já parou para pensar em quanto sua vida depende de parafusos, pinos, rebites e da qualidade das montagens dos muitos conjuntos mecânicos que

Leia mais

64 - Fechos de Impacto

64 - Fechos de Impacto 244 64 - Fechos de Impacto Puxe para abrir Fechos com manopla larga Tamanho miniatura Lingueta plástica 11 Aço inox, passivado e escovado, nylon com fibra de vidro, preto 28 13 Carga de trabalho máxima:

Leia mais

Fixação Ferragens Bricolagem

Fixação Ferragens Bricolagem Fixação Ferragens Bricolagem S S PARA AGLOMERADO E MDF Cabeça chata Fenda phillips Indicado para trabalhos em madeira tipo aglomerado, MDF, etc. 3,0 x 2 mm 230 789668902309 3,0 x 6 mm 2302 7896689023026

Leia mais

Mesas de Medição. Série 7 Modelo padrão. Série 7 Modelo padrão com mesa grande

Mesas de Medição. Série 7 Modelo padrão. Série 7 Modelo padrão com mesa grande Mesas de Medição Modelo padrão Coluna de aço cromada e temperado. Três modelos de batentes intercambiáveis: lisa, convexa e com ranhura. Ø 30 Batente: Ø 58 168 x 110 Ø 8 7002 Ø 3 /8 7003 Afuste fino: Acessório

Leia mais

Ajustagem Mecânica. Convenções para Acabamento de Superfícies. Material elaborado por Prof.MEng.Ivandro Bonetti

Ajustagem Mecânica. Convenções para Acabamento de Superfícies. Material elaborado por Prof.MEng.Ivandro Bonetti Convenções para Acabamento de Superfícies Ajustagem Mecânica Rugosidade Rugosidade são erros microgeométricos existentes nas superfícies das peças. Símbolo sem indicação de rugosidade A ABNT adota o desvio

Leia mais

52-SM - Parafusos Imperdíveis

52-SM - Parafusos Imperdíveis 472 52-SM - s Imperdíveis Série em tamanho miniatura Modelo com tecnologia de montagem em superfície (SMT) Para instalação em placas de circuito impresso através da tecnologia de montagem em superfície

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SÃO PAULO Campus Presidente Epitácio

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SÃO PAULO Campus Presidente Epitácio INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SÃO PAULO Campus Presidente Epitácio ELMA3 AULA 4 Prof. Carlos Fernando Dispositivos de Fixação Rebites, Parafusos, Pregos, Arruelas, Anéis Elásticos.

Leia mais

Instruções de montagem

Instruções de montagem Instruções de montagem Indicações importantes relativas às instruções de montagem VOSS O desempenho e a segurança mais elevados possíveis no funcionamento dos produtos VOSS só serão obtidos se forem cumpridas

Leia mais

GUIA PARAFUSOS, ARRUELAS E PORCAS 1

GUIA PARAFUSOS, ARRUELAS E PORCAS 1 GUIA PARAFUSOS, ARRUELAS E PORCAS 1 144 / 146 Rebite de Rosca DIMENSIONAL NOMINAL CAB. CILINDRICA CAB CILINDRICA CAB. SEXTAVADA CABSEXTAVADO PLANA EXTRA FINA PLANA EXTRAFINA RKPO RFPO RKSO RFFO COMPRIMENTO

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MESA DE HALL PÚBLICO MHP 02 ERG

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MESA DE HALL PÚBLICO MHP 02 ERG ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MESA DE HALL PÚBLICO MHP 02 ERG NÚMERO: 172002 DESENHO: DT-498/4 EMISSÃO: FEV/2017 VALIDADE: FEV/2022 REVOGA: 122010 REVOGA DESENHO: DT-498/3 CÓDIGO ERP: 10050045-5 ORGÃO DEMANDANTE:

Leia mais

EDITAL Nº. 07:2016. Período de 01 de julho de 2016 a 31 de julho de 2016 PROPOSTAS DE CANCELAMENTO DE NORMAS BRASILEIRAS

EDITAL Nº. 07:2016. Período de 01 de julho de 2016 a 31 de julho de 2016 PROPOSTAS DE CANCELAMENTO DE NORMAS BRASILEIRAS EDITAL Nº. 07:2016 Período de 01 de julho de 2016 a 31 de julho de 2016 PROPOSTAS DE CANCELAMENTO DE NORMAS BRASILEIRAS As Propostas de Cancelamento de Normas da ABNT podem ser visualizadas pelo site www.abnt.org.br/consultanacional.

Leia mais

Catálogo do Grupo 30.42

Catálogo do Grupo 30.42 Catálogo do Grupo 30.42 Ferramentas CÓDIGO 304200001 ALICATE DE BICO MEIA CANA, 6 POLEGADAS, CORPO EM AÇO VANÁDIO. 138754 Unidade 304200002 ALICATE DE BICO MEIA CANA, EXTRA LONGO, RETO, 13.1/2, ACABAMENTO

Leia mais

TIPOS DE CONECTORES. Conector: Meio de união que trabalha através de furos feitos nas chapas.

TIPOS DE CONECTORES. Conector: Meio de união que trabalha através de furos feitos nas chapas. ESTRUTURAS METÁLICAS LIGAÇÕES COM CONECTORES Prof. Alexandre Augusto Pescador Sardá TIPOS DE CONECTORES Conector: Meio de união que trabalha através de furos feitos nas chapas. Rebites; Parafusos comuns;

Leia mais

Aula Processos de usinagem de roscas -

Aula Processos de usinagem de roscas - Aula 14 - Processos de usinagem de roscas - Prof. Dr. Eng. Rodrigo Lima Stoeterau Processo de Usinagem de Roscas Processos de Usinagem Rosqueamento Definição: processo de usiangem cujo a função é produzir

Leia mais

SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO

SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO 1. OBJETO: SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO TERMO DE REFERÊNCIA O presente Termo de Referência tem por objeto aquisição de CAIXA PADRÃO PARA 1 HIDRÔMETROS DN 3/4, e TUBETE PLÁSTICO OITAVADO LONGO ¾ ROSCA

Leia mais