NOSSO ESCOPO DE TRABALHO NAS ÁREAS: FORÇA, TORQUE E DUREZA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "NOSSO ESCOPO DE TRABALHO NAS ÁREAS: FORÇA, TORQUE E DUREZA"

Transcrição

1 NOSSO ESCOPO DE TRABALHO NAS ÁREAS: ACÚSTICA E VIBRAÇÕES DIMENSIONAL ELETRICIDADE FÍSICA E QUÍMICA FORÇA, TORQUE E DUREZA VOLUME E MASSA ESPECÍFICA TEMPERATURA E UMIDADE PRESSÃO MASSA VISCOSIDADE VAZÃO TEMPO E FREQUÊNCIA Abaixo extensão do nosso escopo.

2 Calibração, Manutenção e Venda de Instrumentos de Medição. RELAÇÃO DO ESCOPO DE TRABALHO: (Pode haver extensão sob consulta) Área: ACÚSTICA E VIBRAÇÕES 20 Hz até 20 khz 0,2 db AUDIODOSÍMETRO 74 db até 124 db (amplitude nominal) 0,2 db CALIBRADOR DE NÍVEL SONORO 20 Hz até 20 khz 0,2 db MEDIDOR DE NÍVEL SONORO Área: DIMENSIONAL até 5 mm 0,4 µm APALPADOR ELETRÔNICO até 30 mm 0,4 µm ARAME PARA MEDIÇÃO DE ROSCAS 0,5 mm até 100 mm 0,4 µm BLOCO PADRÃO até 100 mm 2 µm PENEIRA GRANULOMÉTRICA até 100 mm 3 µm CALIBRADOR AJUSTÁVEL ROSCADO > 5 mm até 100 mm 0,6 µm CALIBRADOR ANEL LISO CILINDRICO > 5 mm até 100 mm 0,7 µm CALIBRADOR ANEL LISO CÔNICO > 5 mm até 100 mm 3 µm CALIBRADOR ANEL ROSCADO CILÍNDRICO > 5 mm até 100 mm 3 µm CALIBRADOR ANEL ROSCADO CÕNICO > 5 mm até 100 mm 1,5 µm CALIBRADOR DE BOCA AJUSTÁVEL E FIXO até 30 mm 0,6 µm CALIBRADOR DE FOLGA até 25 mm 1,0 µm CALIBRADOR DE RELÓGIO COMPARADOR > 0,5 mm até 200 mm 0,6 µm CALIBRADOR TAMPÃO LISO CILÍNDRICO > 0,5 mm até 200 mm 0,7 µm CALIBRADOR TAMPÃO LISO CÔNICO > 0,5 mm até 200 mm 3 µm CALIBRADOR TAMPÃO ROSCADO CILÍNDRICO > 0,5 mm até 200 mm 3 µm CALIBRADOR TAMPÃO ROSCADO CÔNICO até 100 mm 2 µm COMPARADOR DE DIÂMETROS INTERNOS até 100 mm 1 µm COMPARADOR ELETRÔNICO DE DESLOCAMENTO até 3000 mm 1,5 µm DESEMPENO até 360º 2 ESCALA ANGULAR DIGITAL até 360º 2 ESCALA ANGULAR GRADUADA > 0,3 mm até 100 mm 0,6 µm ESFERA PADRÃO até 600 mm 1,5 µm ESQUADRO até 600 mm 1,5 µm ESQUADRO CILÍNDRICO até 100 mm 1 µm EXTENSÔMETRO (INSTRUMENTO USADO PARA MEDIR ALONGAMENTO DE CORPOS DE PROVA) até 360º 2 GONIÔMETRO (TRANSFERIDOR DE ÂNGULO) 25 mm até 200 mm 0,5 µm HASTE PADRÃO 25 mm até 200 mm 0,5 µm HASTE PADRÃO PARA MICRÔMETRO DE ROSCA até 100 mm 0,4 µm MÁQUINA DE MEDIÇÃO Planeza, Retilineidade e Circularidade 1 µm MÁQUINA DE MEDIÇÃO DE FORMA até 2000 mm ( 2 + L/600 )µm MÁQUINA DE MEDIÇÃO POR COORDENADAS

3 até 100 mm 0,4 µm MÁQUINA DE MEDIÇÃO UNIVERSAL até 600 mm 0,01 mm MEDIDOR DE ALTURA ( TRAÇADOR DE ALTURA ) até 2 mm 1 µm MEDIDOR DE ESPESSURA DE CAMADA DE TINTA SECA até 200 mm 2 µm MESA DE SENO (RÉGUA DE SENO) até 360º 15 MESA DIVISORA até 1000 mm 1 µm MICRÔMETRO EXTERNO até 300 mm 1 µm MICRÔMETRO DE PROFUNDIDADE até 200 mm 1 µm MICRÔMETRO INTERNO DE 2 PONTAS até 200 mm 1 µm MICRÔMETRO INTERNO DE 3 PONTAS até 25 mm 2 µm MICROSCÓPIO DE MEDIÇÃO 0,01 mm/m até 10 mm/m 0,012 mm/m NIVEL DE BOLHA até 10 mm/m 0,003 mm/m NÍVEL ELETRÔNICO até 10 mm 0,5 µm PADRÃO DE ESPESSURA PARA MEDIDAS DE ESPESSURA DE CAMADA DE TINTA SECA ( PILÍCULAS ) Ra, Rz e Rmáx (DIN) 5% PADRÃO DE RUGOSIDADE até 600 mm 2 µm PADRÃO ESCALONADO COM TAMBOR MICROMÉTRICO até 600 mm 2 µm PADRÃO ESCALONADO PARA MÁQUINAS DE MEDIÇÃO POR COORDENADAS até 200 mm 1 µm PADRÃO ESCALONADO PARA MICRÔMETRO > 5 mm até 100 mm 0,8 µm PADRÃO ESCALONADO PARA MICRÔMETRO INTERNO DE 2 PONTAS até 600 mm 2 µm PADRÃO ESCALONADO PARA PAQUÍMETRO até 1000 mm 0,01 mm PAQUÍMETRO Planeza e Paralelismo 0,3 µm PARALELO ÓPTICO até 30 mm 0,4 µm PINO PADRÃO Planeza 0,3 µm PLANO ÓPTICO Até 200 mm / 0-360º 2 µm / 5 PROJETOR DE PERFIL até 2000 mm 0,2 mm RÉGUA GRADUADA até 10 mm 2 µm RELÓGIO APALPADOR CENTESIMAL até 10 mm 0,4 µm RELÓGIO APALPADOR MILESIMAL até 100 mm 2 µm RELÓGIO COMPADOR CENTESIMAL até 100 mm 0,4 µm RELÓGIO COMPADOR MILESIMAL até 100 mm 1 µm TAMBOR MICROMÉTRICO até 100 mm 0,5 µm TRANSDUTOR DE DESLOCAMENTO LINEAR até mm 0,2 mm TRENA Área: ELETRICIDADE >1 V até 5 kv (60 Hz) 0,1 % FONTE DE TENSÃO AC 120 V até 240 V 5 A até 11 A (60 Hz) Sen = 0,5i Sen = 0,05% MEDIDOR DE ENERGIA REATIVA 0,5c (Monofásico) > 0,2 V até 1000 V (60 Hz) 0,1% MEDIDOR DE TENSÃO AC 120 V até 240 V 5 A até 11 A (60 Hz) Sen = 0,5i Sen = 0,05% MEDIDOR DE POTÊNCIA REATIVA 0,5c (Monofásico > 100 µa até 20 A 0,15% FONTE DE CORRENTE DC Até 10 V 10 ppm PILHA PADRÃO 0 até 90 0,2º MEDIDOR DE ÂNGULO DE FASE Até 20 MΩ 0,02% RESISTOR PADRÃO Tensões Primárias: 100 V até 1000 V ( 60 Hz ) 0,15% TRANSFORMADOR DE POTENCIAL > 10 mv até 1000 V 0,02% MEDIDOR DE TENSÃO DC >1 nf até 1 µf 0,2% MEDIDOR DE CAPACITÂNCIA 1 Ω até 1 GΩ 0,13% MEDIDOR DE RESISTÊNCIA 0,1 até 1,0 0,5% MEDIDOR DE COS 0,05% MEDIDOR DE POTÊNCIA ATIVA >0,2 ma até 20 A (60 Hz) 0,7% FONTE DE CORRENTE AC > 20 mv até 1000 V 0,017% FONTE DE TENSÃO DC

4 >0,2 ma até 20 A (60 Hz) 0,3 % MEDIDOR DE CORRENTE AC >0,2 ma até 20 A 0,06% MEDIDOR DE CORRENTE DC 1 A até 200 A 0,3% TRANSFORMADOR DE CORRENTE Tensão: 5 V até 1000 V Corrente: 5 ma até 20 A Fator de Potência: 0,1 até 1 ( 0,06% MEDIDOR DE ENERGIA ATIVA 60 Hz ) 1,0 V até <120 V 0,01 ma até 20 A 0,1% FONTE DE POTÊNCIA DC Até 20 MΩ 0,02 % DÉCADA RESISTIVA 10 V até 240 V 0,5 A até 20 A (60 Hz) Cos = 1 0,3% FONTE DE POTÊNCIA AC (Monofásico) 1,0 V até <1000 V 0,01 ma até 20 A 0,18% MEDIDOR DE POTÊNCIA DC Área: FÍSICA E QUÍMICA 111,3 µs/cm, 1015 µs/cm, 1408 µs/cm, 0,7 % MEDIDOR DE CONDUTIVIDADE ( Por meio de Solução Padrão ) 12,85 ms/cm 1 µs/cm até 500 ms/cm 0,1 % MEDIDOR DE CONDUTIVIDADE ( Por meio de Sinal Elétrico) 10 % mol/mol até 25 % 2,0 % mol/mol MEDIDOR DE O2 (OXIGÊNIO) mol/mol 4,005 ph, 7,000 ph, 0,01 ph MEDIDOR DE PH ( Por meio de Solução Padrão ) 10,000 ph Até 14,00 ph 0,001 ph MEDIDOR DE PH ( Por meio de Sinal Elétrico) Área: FORÇA, TORQUE E DUREZA 0,5 N.m até 2000 N.m 0,5 % APERTADEIRA E/OU PARAFUSADEIRA Até 3000 kg ( 29,42 kn ) 2 HB BLOCO PADRÃO DE DUREZA BRINELL HR 15T/30T/45T/15N/30N/45N HRA / HRB / HRC Depende do Tipo do Padrão BLOCO PADRÃO DE DUREZA ROCKWELL > 10 N 5 HV BLOCO PADRÃO DE DUREZA VICKERS Até 2000 N.m 0,05 % CALIBRADOR DE TORQUÍMETRO 0,5 N.m até 2000 N.m 0,5 % APERTADEIRA E/OU PARAFUSADEIRA Até 3000 kg ( 29,42 kn ) 5 HB ESCALAS DE MÁQUINA DE DUREZA BRINELL ( Durômetro ) HR 15T/30T/45T/15N/30N/45N 1 HR ESCALAS DE MÁQUINA DE DUREZA ROCKWELL ( Durômetro ) HRA / HRB / HRC A,B,C,D,00 - medição da força da mola - medição da 0,05 N / 2 ESCALAS DE MÁQUINA DE DUREZA SHORE ( Durômetro Shore ) ponta >0,5 N até 1000 N 10 HV ESCALAS DE MÁQUINA DE DUREZA VICKERS ( Durômetro ) Ângulo de queda / comprimento reduzido / força 0,1 % ESCALAS DE MÁQUINA DE ENSAIOS DE IMPACTO de impacto / perda por atrito Até 200 kn 0,05 % ESCALAS DE MÁQUINA DE ENSAIOS EM COMPRESSÃO Até 200 kn 0,05 % ESCALAS DE MÁQUINA DE ENSAIOS EM TRAÇÃO Até 200 kn 0,05 % INSTRUMENTO DE MEDIÇÃO DE FORÇA DE USO GERAL EM COMPRESSÃO Até 200 kn 0,05 % INSTRUMENTO DE MEDIÇÃO DE FORÇA DE USO GERAL EM TRAÇÃO

5 2000 N.m 0,05% TORQUÍMETRO HORÁRIO E ANTI-HORÁRIO Até 2000 N.m 0,05% TRANSDUTOR DE TORQUE Área: MASSA 1 mg até 2000 kg Depende da Resolução BALANÇA 1 mg até 20 kg 0,015 mg até 0,2 g MEDIÇÃO DE MASSA DE PEÇAS DIVERSAS 1 mg até 20 kg 0,015 mg até 0,2 g PESO PADRÃO Área: PRESSÃO Até 1000 bar 0,05 % MANÔMETRO ANALÓGICO Até 1000 bar 0,05 % MANÔMETRO DIGITAL -1 bar até 1000 bar 0,05 % TRANSDUTOR DE PRESSÃO / VÁCUO -1 bar até 0 bar 0,12 % VACUÔMETRO ANALÓGICO -1 bar até 0 bar 0,12 % VACUÔMETRO DIGITAL Qualquer Faixa 0,05 % TRANSDUTOR DE NÍVEL ( por pressão ) -1 bar até 1000 bar 0,05 % PRESSOSTATOS / VACUOSTATOS -1 bar até 0 bar 0,12 % BOMBA DE VÁCUO Até 1000 bar 0,3 % VÁLVULA DE SEGURANÇA Até 500 mmhg 0,15 % MEDIDOR DE PRESSÃO ARTERIAL ( PRESSÃO NÃO INVASIVA ) Área: TEMPERATURA E UMIDADE -40ºC até 500ºC 1ºC ESTUFA À GRAVIDADE -40ºC até 500ºC 1ºC ESTUFA DE CIRCULAÇÃO FORÇADA >30% UR até 80% UR 2,5 % UR HIGRÓGRAFO >30% UR até 80% UR 2,5 % UR HIGRÔMETRO -200 C a 2300 C 0,5ºC CONTROLADOR DE TEMPERATURA ( PIRÔMETRO ) Ambiente até 1550ºC 3ºC PIRÔMETRO INFRAVERMELHO Ambiente até 1550ºC 3ºC PIRÔMETRO ÓPTICO -200 C a 2300 C 0,5ºC REGISTRADOR DE TEMPERATURA -200 C a 2300 C 0,1ºC SIMULADOR DE TEMPERATURA ( CALIBRADOR ) > 10ºC até 70ºC >30% UR até 80% UR 0,6ºC / 2,5% UR TERMOHIGRÓGRAFO > 10ºC até 70ºC >30% UR até 80% UR 0,6ºC / 2,5% UR TERMOHIGRÔMETRO -40 C até 1100 C 0,1 C até 1 C TERMÔMETRO ANALÓGICO/DIGITAL COM SENSOR -40 C até 700 C 0,5ºC TERMÔMETRO BIMETÁLICO -40 C até 400 C 0,2ºC TERMÔMETRO DE LÍQUIDO EM VIDRO -40 C até 1100 C 0,1ºC TERMOPAR -40 C até 1100 C 0,1ºC TERMÔMETRO DE RESISTÊNCIA -40 C até 1100 C 0,5ºC TERMOSTATO Área: TEMPO E FREQUÊNCIA 1 s (mínimo) 0,02 s CRONÔMETRO ANALÓGICO 1 s (mínimo) 0,02 s CRONÔMETRO DIGITAL 1 Hz até 200 MHz 0,01 % FREQUENCÍMETRO 1 Hz até 200 MHz 0,01 % GERADOR DE FUNÇÕES

6 1 ns até 5 s 1 ppm GERADOR DE INTERVALO DE TEMPO 1 Hz até 200 MHz 0,01 % GERADORES DE FREQUÊNCIA 1 ns até 5 s 1 ppm MEDIDOR DE INTERVALO DE TEMPO 1 Hz até 200 MHz 0,01 % MEDIDORES DE FREQUÊNCIA 1 ns até 5 s / 2 mv/div até 50 V/div 1 ppm / 0,02 % OSCILOSCÓPIO rpm 0,1 rpm TACÔMETRO Todas as faixas 0,1 rpm AGITADOR Área: VAZÃO Até 100 l/min 0,35% MEDIDOR DE VAZÃO DE GASES Até 230 l/min 2,5% MEDIDOR DE VAZÃO DE LÍQUIDOS Até 230 l/min 2,5% TOTALIZADOR DE VOLUME DE LÍQUIDOS Até 100 l/min 0,35% TOTALIZADOR DE VOLUME DE GASES Área: VISCOSIDADE Até 100 mm²/s² 0,46% VISCOSÍMETRO CAPILAR DE VIDRO Até cp 1,3% VISCOSÍMETRO BROOKFIELD Todas Faixas -- VISCOSIDADE CINEMÁTICA E DINÂMICA ( Sob Consulta ) Área: VOLUME E MASSA ESPECÍFICA > 10 µl 0,2% MICROPIPETA 0,10 ml até 500 ml 0,05% PICNÔMETRO DE VIDRO 0,01 ml até 5000 ml 1,3% SERINGA 0,10 ml até 100 ml 0,1% TITULADOR Até 5000 ml 0,1% VIDRARIA DE LABORATÓRIO Nota : As incertezas declaradas foram apresentadas em função da melhor capacidade de medição do laboratório, onde cada instrumento possui particularidades, podendo variar as incertezas sempre para cima. Caso o Escopo acima não apresente algum instrumento que queira consultar, entre em contato com o departamento Comercial.

Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva

Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva CERTIFICADO: Nº 020/2012 A Rede Metrológica do Estado de São Paulo qualifica o Laboratório de Calibração

Leia mais

ESCOPO DO LABORATORIO

ESCOPO DO LABORATORIO Haste Padrão parã Micrômetro Externo âté 500 mm Paquímetro Micrômetro Externo Relógio Apalpador Milesimal / Centesimal até 25 mm Paquímetro Medidor de Altura Bloco Padrão Calibrador Anel de Rosca Paralela

Leia mais

Escopo de Grandezas Qualificadas (Ver escopo detalhado por instrumento em anexo)

Escopo de Grandezas Qualificadas (Ver escopo detalhado por instrumento em anexo) AFERITEC - Comprovações Metrológicas Ltda Escopo de Qualificação: Dimensional, Eletricidade, Força/Torque/Dureza, Massa, Volume/Massa Específica, Temperatura e Umidade, Tempo/Freqüência/Rotação, Física/Química,

Leia mais

AFERITEC - Comprovações Metrológicas Ltda. Rua Cesar Ladeira, 183 Chácara Floresta Piracicaba - SP

AFERITEC - Comprovações Metrológicas Ltda. Rua Cesar Ladeira, 183 Chácara Floresta Piracicaba - SP Grupo de e Ensaios Anfavea GT#8 AFERITEC - Comprovações Metrológicas Ltda. Rua Cesar Ladeira, 183 Chácara Floresta Piracicaba - SP Escopo de Qualificação: Dimensional, Eletricidade, Força/Torque/Dureza,

Leia mais

Reconhecimento para Qualificação para Laboratórios de Calibração e Ensaios

Reconhecimento para Qualificação para Laboratórios de Calibração e Ensaios K & L Laboratórios de Metrologia Unidade: Rua Sergipe, 113 Sala B Bairro: Boneca do Iguaçu - São José dos Pinhais - PR Escopo de Qualificação: Dimensional, Força, Torque e Dureza, Massa, Acústica, Eletricidade,

Leia mais

Medição Soluções na Área Metrológica Ltda.

Medição Soluções na Área Metrológica Ltda. Medição Soluções na Área Metrológica Ltda. Rua Paulo D Assunção n 325, Bairro: Jardim Industrial - Contagem Minas Gerais Escopo de Qualificação: Dimensional, Força/Torque/Dureza, Tempo/ Freqüência / Rotação,

Leia mais

Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva

Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva CERTIFICADO: Nº 004/2012 A Rede Metrológica do Estado de São Paulo qualifica o Laboratório de Calibração

Leia mais

ESCOPO DOS PROGRAMAS DE ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA

ESCOPO DOS PROGRAMAS DE ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA BENEFÍCIOS AOS PARTICIPANTES: Sistema de gestão que opera seguindo os requisitos da norma técnica ISO/IEC 17043; 19 Programas oferecidos periodicamente, totalizando 79 serviços de avaliação da conformidade

Leia mais

Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva

Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva CERTIFICADO: Nº 009/2012 A Rede Metrológica do Estado de São Paulo qualifica o Laboratório de Calibração

Leia mais

ABRANGÊNCIA DOS SERVIÇOS

ABRANGÊNCIA DOS SERVIÇOS 1 2 Medidores de Nível Sonoro (Medidores de Nível de Pressão Sonora à frequência de 1000 Hz) de 94 e 114 db 0,12 db PC-157 de 94 e 114 db Calibrador de Nível Sonoro (Calibradores de Nível de Pressão de

Leia mais

Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva

Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva CERTIFICADO: Nº 006/2012 A Rede Metrológica do Estado de São Paulo qualifica o Laboratório de Calibração

Leia mais

ABRANGÊNCIA DOS SERVIÇOS

ABRANGÊNCIA DOS SERVIÇOS ACÚSTICA 1 Calibrador de Nível Sonoro (Calibradores de Nível de Pressão Sonora à frequência de 1000 Hz) de 94 e 114 db 0,15 db PC-158 de 94 e 114 db 2 Medidores de Nível Sonoro (Medidores de Nível de Pressão

Leia mais

CRONOGRAMA DE ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA DA REDE - PREVISÃO DE INSCRIÇÕES

CRONOGRAMA DE ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA DA REDE - PREVISÃO DE INSCRIÇÕES BENEFÍCIOS AOS PARTICIPANTES: Sistema de gestão que opera seguindo os requisitos da norma técnica ISO/IEC 17043; Programas concluídos cadastrados na base de dados internacional EPTIS European Proficiency

Leia mais

Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva

Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva CERTIFICADO: Nº 007/2013 Rev.03 A Rede Metrológica do Estado de São Paulo qualifica o Laboratório de

Leia mais

Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva

Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva CERTIFICADO: Nº 003/2012 A Rede Metrológica do Estado de São Paulo qualifica o Laboratório de Calibração

Leia mais

Reconhecimento para Qualificação para Laboratórios de Calibração e Ensaios

Reconhecimento para Qualificação para Laboratórios de Calibração e Ensaios MEC MEC-Q Metrologia e Comércio de Instrumentos Ltda Unidade Rua Silvio Lobo, 60 A Bairro: Angola Horto - Betim MG. Escopo de Qualificação: Dimensional, Força/Torque/Dureza, Eletricidade, Massa, Volume/Massa

Leia mais

João Carlos Guimarães Lerch

João Carlos Guimarães Lerch 13301 A Rede Metrológica do Estado do Rio Grande do Sul qualifica o Laboratório METROLOGIA WG localizado na Rua Henrique Dias, 630, na cidade de Sapucaia do Sul - RS. Conforme critérios estabelecidos no

Leia mais

Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva

Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva CERTIFICADO: Nº 008/2013 Rev. 04 A Rede Metrológica do Estado de São Paulo qualifica o Laboratório

Leia mais

Metrologia em apoio à competitividade e inovação. Laboratório de Metrologia Mecânica / CTMetro / IPT

Metrologia em apoio à competitividade e inovação. Laboratório de Metrologia Mecânica / CTMetro / IPT Metrologia em apoio à competitividade e inovação Laboratório de Metrologia Mecânica / CTMetro / IPT Out / 2014 Importância da Metrologia Metrologia: competitividade e inovação Sobre o IPT Missão Criar

Leia mais

RELAÇÃO PADRONIZADA DE SERVIÇOS DE CALIBRAÇÃO ACREDITADOS

RELAÇÃO PADRONIZADA DE SERVIÇOS DE CALIBRAÇÃO ACREDITADOS RELAÇÃO PADRONIZADA DE SERVIÇOS DE CALIBRAÇÃO ACREDITADOS NORMA Nº NIT-DICLA-012 APROVADA EM JUN/08 Nº 01/14 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade 4 Histórico da Revisão e Prazo para

Leia mais

ORIENTAÇÃO PARA A REALIZAÇÃO DE CALIBRAÇÕES NO GRUPO DE SERVIÇOS DE CALIBRAÇÃO EM METROLOGIA DIMENSIONAL. Documento de caráter orientativo

ORIENTAÇÃO PARA A REALIZAÇÃO DE CALIBRAÇÕES NO GRUPO DE SERVIÇOS DE CALIBRAÇÃO EM METROLOGIA DIMENSIONAL. Documento de caráter orientativo Coordenação Geral de Acreditação ORIENTAÇÃO PARA A REALIZAÇÃO DE CALIBRAÇÕES NO GRUPO DE SERVIÇOS DE CALIBRAÇÃO EM METROLOGIA DIMENSIONAL Documento de caráter orientativo DOQ-CGCRE-004 Revisão 02 FEV/2010

Leia mais

Anexo Técnico de Acreditação Nº M0002-1 Accreditation Annex nr.

Anexo Técnico de Acreditação Nº M0002-1 Accreditation Annex nr. Tel +351.1 948 1 Fax +351.1 948 Anexo Técnico de Acreditação Nº M-1 A entidade a seguir indicada está acreditada como Laboratório de, segundo a norma NP EN ISO/IEC 175:5 Endereço Address Contacto Contact

Leia mais

RELAÇÃO PADRONIZADA DE SERVIÇOS DE CALIBRAÇÃO ACREDITADOS

RELAÇÃO PADRONIZADA DE SERVIÇOS DE CALIBRAÇÃO ACREDITADOS RELAÇÃO PADRONIZADA DE SERVIÇOS DE CALIBRAÇÃO ACREDITADOS NORMA Nº NIT-DICLA-0 APROVADA EM FEV/2010 Nº 01/13 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade 4 Histórico da Revisão 5 Documentos

Leia mais

Reconhecimento para Qualificação para Laboratórios de Calibração e Ensaios

Reconhecimento para Qualificação para Laboratórios de Calibração e Ensaios MEC-Q Soluções de Metrologia Industrial Ltda. Unidade Rodovia BA 512 Km 2,5 S/N, Caixa Postal 78 Bairro: Pólo Petroquímico Camaçari - BA Escopo de Qualificação: Dimensional, Força/Torque e Dureza, Eletricidade,

Leia mais

RM 54 RELAÇÃO PADRONIZADA DOS SERVIÇOS DE CALIBRAÇÃO SUMÁRIO 1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO 2 REFERÊNCIAS 3 DEFINIÇÕES 4 METODOLOGIA

RM 54 RELAÇÃO PADRONIZADA DOS SERVIÇOS DE CALIBRAÇÃO SUMÁRIO 1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO 2 REFERÊNCIAS 3 DEFINIÇÕES 4 METODOLOGIA SUMÁRIO 1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO 2 REFERÊNCIAS 3 DEFINIÇÕES 4 METODOLOGIA 1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO O presente documento tem o objetivo de padronizar a relação dos serviços de calibração/medição

Leia mais

Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva

Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva CERTIFICADO: Nº 011/2012 A Rede Metrológica do Estado de São Paulo qualifica o Laboratório de Calibração

Leia mais

Metrologia Dimensional 17-07-2003

Metrologia Dimensional 17-07-2003 Artigo Serviço Referências 52.15.205 Apalpa Folgas (a) DIN 2275 52.15.206 Aplicador Rectangular (b) -------------- 52.15.207 Base de Comparador (b) -------------- 52.15.210 de Haste Telesc. Analógica

Leia mais

Serviços de / Medição DIMENSIONAL Pontos de / Parametros Medidos 18 Calibrador de Raio até 1000 mm 0,002 mm PC-124 Raio 19 Calibrador de Relógio Compa

Serviços de / Medição DIMENSIONAL Pontos de / Parametros Medidos 18 Calibrador de Raio até 1000 mm 0,002 mm PC-124 Raio 19 Calibrador de Relógio Compa Serviços de / Medição 1 2 Medidores de Nível Sonoro (Medidores de Nível de Pressão Sonora à frequência de 1000 Hz) Calibrador de Nível Sonoro (Calibradores de Nível de Pressão Sonora à frequência de 1000

Leia mais

ANEXO VII - LISTA DE QUANTIDADES E PREÇOS LQP. Equipamentos e instrumentos de ensaio HUPMUA.

ANEXO VII - LISTA DE QUANTIDADES E PREÇOS LQP. Equipamentos e instrumentos de ensaio HUPMUA. COPEL GERAÇÃO E TRANSMISSÃO SA 28/04/2011 17:35:40 Equipamentos e instrumentos de ensaio HUPMUA..xls Pág 1/5 Responsável: Joel Fernandes / Gian Gomes LOTE DESCRIÇÃO ITENS VALOR L01 INSTRUMENTOS DE MEDIÇÃO

Leia mais

Apresentação. Joinville - SC. São José dos Pinhais - PR

Apresentação. Joinville - SC. São José dos Pinhais - PR Apresentação Fundada em 1990, em Joinville/ SC, a K&L iniciou suas atividades com serviços de manutenção em instrumentos de medição da área dimensional. O rápido reconhecimento permitiu investimentos em

Leia mais

TABELA DE PREÇOS 2012

TABELA DE PREÇOS 2012 TABELA DE PREÇOS 2012 1. Calibrações Dimensionais / Massas Micrómetros de exteriores 0-25 / 0-30 / 0-50 mm 31,00 25-100 mm / (Cap. Individual de 25 mm) 40,00 100-300 mm / (Cap. Individual de 25 mm) 50,00

Leia mais

Tel.: 55 (11) 2814-0790 Fax 55 (11) 4647-6782 E-mail: triak@triak.com.br CNPJ: 08.747.866/0001-72 Inc. Estadual: 147.257.444.110 www.triak.com.

Tel.: 55 (11) 2814-0790 Fax 55 (11) 4647-6782 E-mail: triak@triak.com.br CNPJ: 08.747.866/0001-72 Inc. Estadual: 147.257.444.110 www.triak.com. Promoção Válida /janeiro 2011 /fevereiro 2011 das normas internacionais, Garantia de 1 ano Assistência Técnica Própria Tel.: 55 (11) 2814-0790 Fax 55 (11) 4647-6782 E-mail: triak@triak.com.br CNPJ: 08.747.866/0001-72

Leia mais

CATÁLOGO RESUMIDO. Instrumentos e equipamentos de medição que aliam alta qualidade, tecnologia e assistência técnica própria.

CATÁLOGO RESUMIDO. Instrumentos e equipamentos de medição que aliam alta qualidade, tecnologia e assistência técnica própria. CATÁLOGO RESUMIDO Instrumentos e equipamentos de medição que aliam alta qualidade, tecnologia e assistência técnica própria. QUALIDADE TECNOLOGIA DURABILIDADE Confira nossa seleção de produtos em promoção

Leia mais

Segmento Laboratorial: Farmácias de Manipulação, Cosméticos, Centros de pesquisa, Petroleo e Gas, Siderurgia, Mineração e Industrias em geral.

Segmento Laboratorial: Farmácias de Manipulação, Cosméticos, Centros de pesquisa, Petroleo e Gas, Siderurgia, Mineração e Industrias em geral. Segmento Laboratorial: Farmácias de Manipulação, Cosméticos, Centros de pesquisa, Petroleo e Gas, Siderurgia, Mineração e Industrias em geral. Contato: (27) 3200-8890 MANUTENÇÃO, CALIBRAÇÃO, LOCAÇÃO E

Leia mais

Tel/fax: +55-11-36735020

Tel/fax: +55-11-36735020 Temperatura Termômetros: Bimetálicos Analógicos Capela Digitais Infravermelhos Máxima e mínima Ambientais Clínicos para Refrigeração para Laticínios ASTM Químicos Industriais em geral Registradores e Calibradores

Leia mais

Sistemas de Medição e Metrologia. Aula 3. Organização da Aula 3. Sistema de Medição e Metrologia. Contextualização. Profa. Rosinda Angela da Silva

Sistemas de Medição e Metrologia. Aula 3. Organização da Aula 3. Sistema de Medição e Metrologia. Contextualização. Profa. Rosinda Angela da Silva Sistemas de Medição e Metrologia Aula 3 Profa. Rosinda Angela da Silva Organização da Aula 3 Equipamentos de medição A importância dos equipamentos Os equipamentos mais conhecidos Uso e cuidados Utilizando

Leia mais

Capítulo 4: Diagnóstico do Sistema Normativo do SISMETRA

Capítulo 4: Diagnóstico do Sistema Normativo do SISMETRA Capítulo 4: Diagnóstico do Sistema Normativo do SISMETRA Caracterizado no Capítulo 3, à luz da prática internacional de normalização, o sistema normativo do SISMETRA foi objeto de criteriosa análise de

Leia mais

INSTITUIÇÃO / LABORATÓRIO CONTROL-LAB - LABORATÓRIO DE CALIBRAÇÃO CONTROL-LAB CONTROLE DE QUALIDADE PARA LABORATÓRIOS

INSTITUIÇÃO / LABORATÓRIO CONTROL-LAB - LABORATÓRIO DE CALIBRAÇÃO CONTROL-LAB CONTROLE DE QUALIDADE PARA LABORATÓRIOS INSTITUIÇÃO / CONTROL-LAB - CALIBRAÇÃO CONTROL-LAB CONTROLE QUALIDA PARA S DIVISÃO S ADRIANÓPOLIS CENTRO PESQUISAS ENERGIA ELÉTRICA - CEPEL ÁREA ATUAÇÃO VOLUME E MASSA ESPECÍFICA ELETRICIDA SCRIÇÃO INSTRUMENTOS

Leia mais

MEDIÇÃO TRENAS CURTAS. Graduação: mm/pol.

MEDIÇÃO TRENAS CURTAS. Graduação: mm/pol. TRENAS CURTAS Estojo anatômico em ABS com borracha termoplástica Fita de aço com revestimento de nylon e pintura fosca antirreflexo (maior vida útil) Sistema autotrava que mantém a fita travada quando

Leia mais

RELAÇÃO PADRONIZADA DE SERVIÇOS ACREDITADOS PARA LABORATÓRIOS DE CALIBRAÇÃO

RELAÇÃO PADRONIZADA DE SERVIÇOS ACREDITADOS PARA LABORATÓRIOS DE CALIBRAÇÃO RELAÇÃO PADRONIZADA DE SERVIÇOS ACREDITADOS PARA LABORATÓRIOS DE CALIBRAÇÃO NORMA Nº NIT-DICLA-012 PUBLICADO EM MAR/2016 Nº 01/36 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade 4 Histórico

Leia mais

Catálogo do Laboratório M 305

Catálogo do Laboratório M 305 Catálogo do Laboratório M 305 Curso de Física Universidade Católica de Brasília UCB X/2012 1 Lista de Figuras 1 Interface (Science Workshop 750 Interface)..............................................................

Leia mais

FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES

FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES 2014 1 a QUESTÃO Valor: 1,0 O cérebro humano determina a direção de onde provém um som por meio da diferença de fase entre

Leia mais

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I Comissão Permanente de Licitação - COPEL PORTARIA Nº 06 DE DE JULHO DE 004 Folha: 000 Data: 06//004 Licitação nº: 044 /004 00 33739 ESTUFA de esterilização e secagem - int 30x5x5 / ext 6x37x44 ASSLAB -

Leia mais

Rugosímetro Portátil RUGOSÍMETRO PORTÁTIL. 2 PARÂMETROS DE MEDIÇÃO: Ra e Rz. PARA MEDIÇÕES EXTERNAS DE PEÇAS PLANAS E CILÍNDRICAS (A PARTIR DE Ø10mm)

Rugosímetro Portátil RUGOSÍMETRO PORTÁTIL. 2 PARÂMETROS DE MEDIÇÃO: Ra e Rz. PARA MEDIÇÕES EXTERNAS DE PEÇAS PLANAS E CILÍNDRICAS (A PARTIR DE Ø10mm) 2 PARÂMETROS DE MEDIÇÃO: Ra e Rz PARA MEDIÇÕES EXTERNAS DE PEÇAS PLANAS E CILÍNDRICAS (A PARTIR DE mm) 400.160 Usado para medição de rugosidade de superfícies metálicas e não metálicas, com sensor motorizado

Leia mais

Montenegro, Fernandes & Cª, S.A.

Montenegro, Fernandes & Cª, S.A. Ref-11909-0108 Paquimetro 150mm 6016000108 13,40 Aço carbono. Escala 0,05mm Ref-2670-0302 Carteira plástica. com DIN 862. Paquimetro Aço 150mm 6016000302 25,50 Ref-2670-0351 32,00 Paquimetro Aço 200mm

Leia mais

Instrumentação, Medição e Controle

Instrumentação, Medição e Controle Cotergavi.indd 1 6/23/2008 9:58:53 AM Instrumentação, Medição e Controle Os produtos da Cotergavi abrangem diversos setores, como:alimentício, Farmacêutico, Plástico, Sulcro-alcooleiro, Têxtil, Químico,

Leia mais

Fundação de Apoio à Tecnologia e Ciência

Fundação de Apoio à Tecnologia e Ciência ATA DE JULGAMENTO DA CONCORRÊNCIA Nº 50001-01/2011 Ata da sessão de JULGAMENTO das propostas referente a CONCORRÊNCIA 50001-01/2011, do tipo menor preço unitário, segundo especificado no item do Edital

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Controle e Processos Industriais CURSO: Técnico em Eletromecânica FORMA/GRAU:( )integrado ( X )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura

Leia mais

RELATÓRIO DE PATRIMÔNIOS POR CONTA CONTÁBIL - Situação: Ativo

RELATÓRIO DE PATRIMÔNIOS POR CONTA CONTÁBIL - Situação: Ativo Pág.: 1 / 105 RELATÓRIO DE ÔNIOS POR CONTA CONTÁBIL - Situação: Ativo Conta : 14212.04.00 APARELHOS DE MEDICAO E ORIENTACAO Calibrador de pressão portátil para esfignomanômetro Simulador de sopro Coleçao

Leia mais

A Mitutoyo comemora e seus clientes ganham as melhores soluções de metrologia com ofertas imperdíveis!

A Mitutoyo comemora e seus clientes ganham as melhores soluções de metrologia com ofertas imperdíveis! campanha A Mitutoyo comemora e seus clientes ganham as melhores soluções de metrologia com ofertas imperdíveis! Não perca esta oportunidade e procure o distribuidor de sua preferência. Produtos com este

Leia mais

TRANSDUTORES PARA MEDIDA DE DESLOCAMENTOS LINEARES. Notas de aula

TRANSDUTORES PARA MEDIDA DE DESLOCAMENTOS LINEARES. Notas de aula ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO LEM / PEF TRANSDUTORES PARA MEDIDA DE DESLOCAMENTOS LINEARES Notas de aula Dr. Pedro Afonso de Oliveira Almeida Professor Doutor PEF-EP/USP Notas de aula

Leia mais

Instrumentos Auxiliares

Instrumentos Auxiliares Instrumentos Auxiliares Calibradores Traçadores de Altura Digital Uma Coluna Haste e cursor fabricados em aço inoxidável. Display com dígitos de grande dimensão para leitura rápida e exata. Teclas de:

Leia mais

CALIBRAÇÃO 2 O QUE É CALIBRAÇÃO DE UM INSTRUMENTO DE MEDIÇÃO?

CALIBRAÇÃO 2 O QUE É CALIBRAÇÃO DE UM INSTRUMENTO DE MEDIÇÃO? DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE MECÂNICA APOSTILA DE METROLOGIA Cid Vicentini Silveira 2005 1 OBJETIVOS DESTE CAPÍTULO Determinar o que é calibração, por quê, o quê, quando, onde e como calibrar; Interpretar

Leia mais

Metrologia 1ª lista de exercícios

Metrologia 1ª lista de exercícios 1. Cite as três classes de aplicações onde é importante medir. Dê exemplos de situações presentes na sua vida de cada uma das classes. 2. Da definição de medir: "... é o procedimento experimental através

Leia mais

Prof. Dr. Mário Luiz Tronco

Prof. Dr. Mário Luiz Tronco Sensores em Robótica Prof. Dr. Mário Luiz Tronco Mário Prof. Mário Luiz Tronco Luiz Tronco ROBÓTICA Duas Grandes Áreas do Conhecimento: Engenharias Computação Elétrica Mecânica Mecatrônica Mário Luiz Tronco

Leia mais

O Som O som é uma onda mecânica, pois necessita de um meio material para se propagar. O Som. Todos os sons resultam de uma vibração (ou oscilação).

O Som O som é uma onda mecânica, pois necessita de um meio material para se propagar. O Som. Todos os sons resultam de uma vibração (ou oscilação). O Som Todos os sons resultam de uma vibração (ou oscilação). O Som O som é uma onda mecânica, pois necessita de um meio material para se propagar. As ondas sonoras são longitudinais. Resultam de compressões

Leia mais

Universidade Federal do Paraná - Engenharia Mecânica DEMEC Prof. Alessandro Marques Disciplina: Sistemas de Medições 1 (Exercícios)

Universidade Federal do Paraná - Engenharia Mecânica DEMEC Prof. Alessandro Marques Disciplina: Sistemas de Medições 1 (Exercícios) 1) Um manômetro foi construído com estes módulos: a) Transdutor extensométrico Faixa de medição: 0 a 20 bar Sensibilidade: 2 mv/bar Incerteza Expandida (U TE ): ± 0,02 mv b) Amplificador Faixa de medição:

Leia mais

Metrologia Aplicada e Instrumentação e Controle

Metrologia Aplicada e Instrumentação e Controle 25/11/2012 1 2012 Metrologia Aplicada e Instrumentação e Controle A disciplina de Metrologia Aplicada e Instrumentação e Controle, com 40 horas/aulas, será dividida em 2 (duas) partes, sendo : Metrologia

Leia mais

DURÔMETRO DE BANCADA ROCKWELL CÓDIGO ISH-R150

DURÔMETRO DE BANCADA ROCKWELL CÓDIGO ISH-R150 DURÔMETRO DE BANCADA ROCKWELL CÓDIGO ISH-R150 penetrador Mesa plana Ø60mm uso da mesa Seletor da força de ensaio Mesa plana Ø15Omm Aplicação da força Mesa prismática Escalas de ensaio Rockwell Força de

Leia mais

Metrologia Elétrica e de Telecomunicações. Centro de Metrologia Mecânica e Elétrica

Metrologia Elétrica e de Telecomunicações. Centro de Metrologia Mecânica e Elétrica Metrologia Elétrica e de Telecomunicações Centro de Metrologia Mecânica e Elétrica Serviço Metrológico Integrado O Laboratório de Metrologia Elétrica do IPT oferece um serviço metrológico completo e integrado

Leia mais

Instrumentos de Medição

Instrumentos de Medição Instrumentos de Medição Medidas de comprimento S. C. G. Granja 1 1 Departamento de Matemática Universidade do Estado de Mato Grosso UNEMAT Física 1, Março de 2010 Instrumentos de Medição Dispositivos necessários

Leia mais

TÉCNICO EM ELETROMECÂNICA METROLOGIA. Prof. Fábio Evangelista Santana, MSc. Eng.

TÉCNICO EM ELETROMECÂNICA METROLOGIA. Prof. Fábio Evangelista Santana, MSc. Eng. TÉCNICO EM ELETROMECÂNICA METROLOGIA Prof. Fábio Evangelista Santana, MSc. Eng. fsantana@cefetsc.edu.br PROGRAMAÇÃO Aula 1 2 Data 07/11 14/11 Conteúdo Correção da avaliação, blocos-padrão, calibradores,

Leia mais

LABORATÓRIO DE FUNDIÇÃO. 1. Descrição Física

LABORATÓRIO DE FUNDIÇÃO. 1. Descrição Física LABORATÓRIO DE FUNDIÇÃO 1. Descrição Física O espaço físico deste laboratório deve ser de 100 m 2, com piso em cimento queimado e uma área de aproximadamente 3 m 2 em terra batida para vazamento de metal,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETRÔNICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETRÔNICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETRÔNICA LISTA DE EXERCICIOS #8 (1) FONTE DE CORRENTE COM CARGA ATERRADA (A) Encontre

Leia mais

Unidade Curricular C/H Semestral Pré-Requisito Processos de Fabricação 04

Unidade Curricular C/H Semestral Pré-Requisito Processos de Fabricação 04 Curso Técnico Subsequente em Manutenção Automotiva Nome do Curso CÂMPUS FLORIANÓPOLIS MATRIZ CURRICULAR Módulo/Semestre 1 Carga horária total: 400h Processos de Fabricação 04 Tecnologia dos Materiais 04

Leia mais

Nota Introdutória... IX. Objectivos dos Conteúdos do Livro de Metrologia Industrial... XI. Capítulo 1 A Metrologia em Portugal...

Nota Introdutória... IX. Objectivos dos Conteúdos do Livro de Metrologia Industrial... XI. Capítulo 1 A Metrologia em Portugal... Índice Nota Introdutória... IX Objectivos dos Conteúdos do Livro de Metrologia Industrial... XI Capítulo 1 A Metrologia em Portugal... 1 1.1 CONCEITO DE METROLOGIA... 1 1.2 EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA METROLOGIA

Leia mais

SUMÁRIO 1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO 2 REFERÊNCIAS 3 DEFINIÇÕES 4 METODOLOGIA

SUMÁRIO 1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO 2 REFERÊNCIAS 3 DEFINIÇÕES 4 METODOLOGIA RM 53 ORIENTAÇÕES SOBRE DECLARAÇÃO DA INCERTEZA DE MEDIÇÃO EM METROLOGIA DIMENSIONAL PROCEDIMENTO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE REVISÃO: 04 ABR/2015 SUMÁRIO 1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO 2 REFERÊNCIAS

Leia mais

Instrumentação Eletrônica TE149. Prof. Marlio Bonfim UFPR 2 semestre 2013

Instrumentação Eletrônica TE149. Prof. Marlio Bonfim UFPR 2 semestre 2013 Instrumentação Eletrônica TE149 Prof. Marlio Bonfim UFPR 2 semestre 2013 Instrumentação Eletrônica Sinais elétricos Mundo Mundo Real Real Grandezas Físicas Físicas Sensor Atuador Condicionamento e Processamento

Leia mais

Válvula Globo de Assento Angular, Metálica

Válvula Globo de Assento Angular, Metálica Válvula Globo de Assento Angular, Metálica Construção A válvula GEMÜ de / vias, acionada pneumaticamente, possui um atuador de pistão de alumínio de baixa manutenção. A vedação da haste ocorre por meio

Leia mais

3.5 mm distância entre pinos 1 contato 12 A Para c.i. ou base série 95 A2 A

3.5 mm distância entre pinos 1 contato 12 A Para c.i. ou base série 95 A2 A .3 =.7.3 =.7.3 =.7 Série 4 - Mini relé para circuito impresso 8 - - 6 A Características 4.3 4.5 4.6 e contatos - Baixo perfil (altura 5.7 mm) 4.3 - contato A (3.5 mm de distância entre pinos dos contatos)

Leia mais

Linha Geral de instrumentos

Linha Geral de instrumentos Linha Geral de instrumentos digitais e analógicos Instrumentos digitais e analógicos Transformadores Transdutores analógicos Shunts MEDIDORES Instrumentos ANAlógicos Sistema Ferro Móvel para medição de

Leia mais

Calibrador. Seguindo as diretrizes da empresa para implantar. Um problema. Medição indireta. Calibradores

Calibrador. Seguindo as diretrizes da empresa para implantar. Um problema. Medição indireta. Calibradores A UU L AL A Calibrador Seguindo as diretrizes da empresa para implantar um programa de qualidade e produtividade, um dos funcionários alertou o supervisor sobre a perda de tempo em medir um grande lote

Leia mais

Coordenação Geral de Acreditação AMOSTRA REPRESENTATIVA DO ESCOPO. Documento de caráter orientativo (DOQ-CGCRE-013) (Revisão 02 - SET/2010)

Coordenação Geral de Acreditação AMOSTRA REPRESENTATIVA DO ESCOPO. Documento de caráter orientativo (DOQ-CGCRE-013) (Revisão 02 - SET/2010) Coordenação Geral de Acreditação AMOSTRA REPRESENTATIVA DO ESCOPO Documento de caráter orientativo (DOQ-CGCRE-013) (Revisão 02 - SET/2010) DOQ-CGCRE-013 Revisão 02 Set/2010 Página 01/14 SUMÁRIO 1 Objetivo

Leia mais

Montenegro, Fernandes & Cª, S.A.

Montenegro, Fernandes & Cª, S.A. 6016000108 LIMIT- PAQUIMETRO 150mm 11909-0108 12,50 11909- Em aço carbono. Escala de leitura 0,05mm Fornecido em carteira plástica. Tolerância de acordo com DIN 862. 6016000302 LIMIT- PAQUIMETRO AÇO 150mm

Leia mais

COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE ENSINO DA AERONÁUTICA CENTRO DE INSTRUÇÃO E ADAPTAÇÃO DA AERONÁUTICA CONCURSO DE ADMISSÃO AO EAOEAR 2002 05 No circuito mostrado na figura abaixo, determine a resistência

Leia mais

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ÁREA DE CONSTRUÇÃO

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ÁREA DE CONSTRUÇÃO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ÁREA DE CONSTRUÇÃO 1. Para determinar a porosidade aberta de uma pedra calcária, utilizou-se um provete com as dimensões de 7.1 7.1 7.1 cm 3. Determinou-se a massa no estado

Leia mais

Ensaios Mecânicos de Materiais. Aula 3 Ensaio de Dureza. Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Ensaios Mecânicos de Materiais. Aula 3 Ensaio de Dureza. Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues Ensaios Mecânicos de Materiais Aula 3 Ensaio de Dureza Tópicos Abordados Nesta Aula Ensaio de Dureza. Dureza Brinell. Dureza Rockwell. Dureza Vickers. Definições de Dureza Dureza - propriedade mecânica

Leia mais

E-QP-ECD-071 REV. D 01/Abr/ OBJETIVO 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 3. TERMINOLOGIA 4. INSTRUMENTOS

E-QP-ECD-071 REV. D 01/Abr/ OBJETIVO 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 3. TERMINOLOGIA 4. INSTRUMENTOS ENGENHARIA PROCEDIMENTO DE CONTROLE DIMENSIONAL - MEDIÇÃO DE ROSCAS EXTERNAS - - NÍVEL BÁSICO - Os comentários e sugestões referentes a este documento devem ser encaminhados ao SEQUI, indicando o item

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO Departamento de Engenharia Mecânica

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO Departamento de Engenharia Mecânica S (Automação e Robótica - EEK557) Introdução à automação e robótica Estudo de ambientes robotizados. Modelagem de cadeias cinemáticas abertas Cinemática e dinâmica. Planejamento de trajetórias. Apresentação

Leia mais

Principais características.

Principais características. Principais características. Este conjunto de equipamentos não necessita de instalações especiais, podendo operar sobre bancadas convencionais, é de fácil montagem, com conexões de engate rápido, sem emprego

Leia mais

- - - - - - - - Site do Inmetro - - - - - - - - 27/09/2016 06/03/2012 FIT - FLEXTRONICS INSTITUTO DE TECNOLOGIA TEMPO E FREQUÊNCIA

- - - - - - - - Site do Inmetro - - - - - - - - 27/09/2016 06/03/2012 FIT - FLEXTRONICS INSTITUTO DE TECNOLOGIA TEMPO E FREQUÊNCIA - - - - - - - - Site do Inmetro - - - - - - - - Acreditação Nº 474 Data da Acreditação 27/09/2010 Data de Validade do Certificado Última Revisão do Escopo Razão Social Nome do Laboratório Situação 27/09/2016

Leia mais

Lista de Exercícios 2 (Fonte: Fitzgerald, 6ª. Edição)

Lista de Exercícios 2 (Fonte: Fitzgerald, 6ª. Edição) Universidade Federal de Minas Gerais Escola de Engenharia Curso de Graduação em Engenharia Elétrica Disciplina: Conversão da Energia Lista de Exercícios 2 (Fonte: Fitzgerald, 6ª. Edição) 5.3) Cálculos

Leia mais

Ensaio de Dureza. Propriedade utilizada na especificação de materiais

Ensaio de Dureza. Propriedade utilizada na especificação de materiais Ensaio de Dureza Propriedade utilizada na especificação de materiais Base de medida para: Resistência mecânica e ao desgaste Resistência ao corte em usinagem Tratamento térmico e tratamento mecânico Conceitos

Leia mais

IJSO Preparação de Física (Lista 03) Aluno: Código:

IJSO Preparação de Física (Lista 03) Aluno: Código: IJSO Preparação de Física (Lista 03) Aluno: Código: Dados: g = 10 m /s 2 1 atm = 1,0.10 5 Pa Parte I: Questões (valor: 8,5) 01. (1,0) Dois trens I e II, cujas frentes distam A metros entre si no instante

Leia mais

PROPOSTA DE ESCOPO PARA CALIBRAÇÃO ANEXO A. Norma de Origem: NIT-DICLA-005 Folha: 1 / 2 CALIBRAÇÕES

PROPOSTA DE ESCOPO PARA CALIBRAÇÃO ANEXO A. Norma de Origem: NIT-DICLA-005 Folha: 1 / 2 CALIBRAÇÕES Norma de Origem: NIT-DICLA-005 Folha: 1 / 2 Escala de Máquinas de Ensaio 2075 - Escalas de Máquina de Ensaios em Tração 2076 - Escalas de máquina de ensaios de impacto 2074 - Escalas de Máquina de Ensaios

Leia mais

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO PREFÁCIO... 15

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO PREFÁCIO... 15 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 13 PREFÁCIO... 15 1 INTRODUÇÃO E DEFINIÇÕES GERAIS... 19 1.1 Aplicações da Simulação Dinâmica... 20 1.2 Tipos de Modelos para Sistemas Dinâmicos... 21 1.3 Modelos Matemáticos...

Leia mais

Classe 0 Código

Classe 0 Código ESEMPENO E GRNITO 6900-132 Fabricados em granito, livres de deformação dimensional, e alta resistência ao desgaste e isentos de oxidação tendem a Norma IN876 nas classe 0 ou 00 Fornecidos com certificado

Leia mais

ESTUDO DIRIGIDO

ESTUDO DIRIGIDO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO - IFPE CAMPUS GARANHUNS CURSO TÉCNICO SUBSEQUENTE EM ELETROELETRÔNICA Disciplina: Instrumentação Industrial UNIDADE 2 Período Letivo: 2012.2

Leia mais

Catálogo 2014/15 Ferramenta Pneumática 9.

Catálogo 2014/15 Ferramenta Pneumática 9. 9 www.kroftools.com 9 Catálogo 2014/15 Chave impacto 1/2 1356NM Chave impacto 1/2 435NM Compacta 9200 Tipo de martelo: Duplo martelo Tamanho da quadra: 1/2 Potência: 138kg-m, 1356Nm Velocidade: 10,000

Leia mais

Grandezas Físicas Fundamentais

Grandezas Físicas Fundamentais ANÁLISE DIMENSIONAL Grandezas Físicas Fundamentais Grandeza Física Unidade no SI Comprimento L metro m Massa M quilograma kg Tempo T segundo s Temperatura termodinâmica Corrente elétrica Intensidade luminosa

Leia mais

TÉCNICO EM ELETROMECÂNICA METROLOGIA. Prof. Fábio Evangelista Santana, MSc. Eng.

TÉCNICO EM ELETROMECÂNICA METROLOGIA. Prof. Fábio Evangelista Santana, MSc. Eng. TÉCNICO EM ELETROMECÂNICA METROLOGIA Prof. Fábio Evangelista Santana, MSc. Eng. fsantana@cefetsc.edu.br PROGRAMAÇÃO Aula 1 2 Data 05/11 07/11 Conteúdo Correção da avaliação, blocos-padrão, calibradores,

Leia mais

Transmissores de saída dupla OEM para aplicações de serviço pesado, tipo MBS 1300 e MBS 1350

Transmissores de saída dupla OEM para aplicações de serviço pesado, tipo MBS 1300 e MBS 1350 Ficha técnica Transmissores de saída dupla OEM para aplicações de serviço pesado, tipo MBS 1300 e MBS 1350 A série MBS 1300 é um transmissor de saída dupla. Saída 1 propicia um sinal de pressão na medida

Leia mais

Temperatura. Termometria INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE. Escalas termométricas. Conceitos importantes. Relação entre as escalas 2/6/2011

Temperatura. Termometria INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE. Escalas termométricas. Conceitos importantes. Relação entre as escalas 2/6/2011 Termometria INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE Professor Miguel Neto Temperatura É a ciência que estuda e desenvolve os instrumentos de medidas de temperatura. Está divida em: Pirometria: Medição de altas temperaturas,

Leia mais

As figuras acima mostram as linhas de indução de um campo magnético uniforme B r

As figuras acima mostram as linhas de indução de um campo magnético uniforme B r 1) No sistema mostrado abaixo, as roldanas e os fios são ideais e o atrito é considerado desprezível. As roldanas A, B, e C são fixas e as demais são móveis sendo que o raio da roldana F é o dobro do raio

Leia mais

Relógios Comparadores. Prof. Dr. Eng. Gustavo Daniel Donatelli Anderson César Silva

Relógios Comparadores. Prof. Dr. Eng. Gustavo Daniel Donatelli Anderson César Silva Relógios Comparadores Prof. Dr. Eng. Gustavo Daniel Donatelli Anderson César Silva 1 Conteúdos 2 Medição diferencial O relógio comparador mecânico Aspectos metrológicos Calibração de relógios comparadores

Leia mais

MEDIDOR DE ALTURA TESA MICRO-HITE plus. Velocidade da coluna vertical manual combinada com a precisão de um sistema motorizado

MEDIDOR DE ALTURA TESA MICRO-HITE plus. Velocidade da coluna vertical manual combinada com a precisão de um sistema motorizado Velocidade da coluna vertical manual combinada com a precisão de um sistema motorizado Todos TESA MICRO-HITE plus M são instrumentos que se destacam dos outros medidores de altura, pela excepcional capacidade

Leia mais

Especificações de Transdutores Analógicos HB/ABB

Especificações de Transdutores Analógicos HB/ABB Especificações de Transdutores Analógicos HB/ABB Transdutor Analógico para Potência Ativa ou Reativa Principal função: Conversão da potência ativa ou reativa de uma rede, monofásica ou trifásica, em um

Leia mais

1 - Levantamento de hipóteses. 2 - Coleta de dados. 3 - Análise dos dados

1 - Levantamento de hipóteses. 2 - Coleta de dados. 3 - Análise dos dados Etapas para a solução de um Problema 1 - Levantamento de hipóteses 2 - Coleta de dados 3 - Análise dos dados 4 - Conclusão O QUE O CURSO VAI ENSINAR? Como resolver um problema! 2 Coleta de Dados O conceito

Leia mais

Paquimetro Digital especial. (Métrico) 0,01 ± 0,05. (Polegada/Métrico) .0005/0,01 ± 0,05. Paquimetro Digital especial com face em metal duro

Paquimetro Digital especial. (Métrico) 0,01 ± 0,05. (Polegada/Métrico) .0005/0,01 ± 0,05. Paquimetro Digital especial com face em metal duro Paquimetro Digital especial (Métrico) 0,01 ± 0,05 (Polegada/Métrico) pol/.0005/0,01 ± 0,05 Paquimetro Digital especial com face em metal duro 0,01 ± 0,02 Paquimetro Especial Paquimetro com bico tipo Lâmina

Leia mais

ANTISAGTEST Norma ASTM Aparelho determina a tendência de escorrimento vertical de tinta com aplicação de 10 faixas com espessura de 75 a 300 micros.

ANTISAGTEST Norma ASTM Aparelho determina a tendência de escorrimento vertical de tinta com aplicação de 10 faixas com espessura de 75 a 300 micros. ANTISAGTEST Aparelho determina a tendência de escorrimento vertical de tinta com aplicação de 10 faixas com espessura de 75 a 300 micros. APARELHO TIPO PENTE Medidor de camada úmida escalas de medição:

Leia mais