RESUMO. PALAVRA CHAVE: SPED e a contabilidade

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RESUMO. PALAVRA CHAVE: SPED e a contabilidade"

Transcrição

1 2 RESUMO O texto se refere ao Sistema Publico de Escrituração Digital, um sistema informatizado da receita federal que substitui as obrigações fiscais e contábeis das empresas para forma eletrônica facilitando o acompanhamento da receita nas empresas. A escriturações deixaram de ser preenchidas por contínuos formulários e livros, facilitando a vida dos funcionários. E todas as transações são armazenadas em bancos de dados, a receita federal integrou o seu sistema com as secretarias estaduais da fazenda, o que facilita a fiscalização. O Sped e composto por Contábil, Fiscal e Nota fiscal eletrônica, a nota fiscal foi a primeira a ser exigida para os contribuintes no inicio da implantação do sistema, ela foi a base para a dimensão que o fisco teria sobre as empresas. Também, a assinatura digital permite aos usuários transparência na garantia dos arquivos eletrônicos. A infra-estrutura de Tecnologia da Informática passou por varias mudanças, pois ela é que da o devido suporte nas empresas, ela e responsável por treinamentos, procedimentos de contingência, exigências de sistema, soluções de gestão. Com essa tecnologia o modelo de armazenamento dos registros ficou muito mais fácil e econômico. PALAVRA CHAVE: SPED e a contabilidade

2 3 INTRODUÇÃO O presente trabalho trata do Sistema Publico de Escrituração Digital - SPED Como e um assunto que interessa grande parte dos empresários e a todos que trabalha direta ou indiretamente com este programa seria de muita importância para este setor. Poder aprofundar sobre o assunto ajudaria a desmistificar muitas coisas, desde que esse projeto foi falado só se via como uma obrigação e não se enxergava os benefícios. A idéia e tornar todas as notas fiscais, escrituração fiscal e contábil da empresa em virtual. Segundo muitos especialistas, será uma das maiores revoluções digital, na área contabilidade no país. Esperam-se grandes benefícios com esse projeto na administração tributaria e também no meio empresarial, pois tem tudo para melhorar o mercado de negócios, fazendo gerar o desenvolvimento e o crescimento econômico do nosso país. Para os contadores se espera que facilite a vida na área com o tempo, espaço e o custo. Os contadores agora não vai mas apenas armazenadores de documentos para que possa ser apresentado ao fisco. Dessa forma o contador agora terá um papel fundamental nas empresas de consultor, devido ter geração de arquivos e suficientes para poder orientar melhor a cada cliente. Com essas informações haverá maior clareza sobre a aplicação de novos investimentos. O SPED busca uma integração entre os órgãos públicos e as empresas, para que haja maior clareza e confiança de ambas as partes.

3 4 A IMPORTÂNCIA DO SPED NA CONTABILIDADE 1. Referencial Teórico 1.1 Histórico (Fonte Em 19 de dezembro de 2003, houve uma ementa constitucional, que foi introduzido o inciso XXII ao art. 37 da constituição federal, que determinou a todas as administrações de esfera nacional, a atuar integralmente no compartilhamento de cadastros e informações fiscais. Após a ementa, houve o I ENAT- Encontro Nacional de Administradores Tributários, com a receita federal, a fazenda dos estados, secretarias de finanças do municípios das capitais. O Objetivo era padronização e melhoria nos procedimentos do fisco. Foi aprovado o primeiro protocolo de cooperação técnica, sobre a construção do cadastro unificado teve como objetivo, desenvolver métodos e instrumentos que atendesse a necessidade dos entes públicos. Já em 2005, no II ENAT, foram assinados o segundo e terceiro protocolo de cooperação técnica, que tinha como objetivo o Sistema Publico de Escrituração Digital SPED e a Nota Fiscal Eletrônica NF-e. O Sped faz parte do projeto de modernização da administração aduaneira (PEMATA), que focalizava na implantação de novos sistemas de informações integradas. 1.2 Implantação do SPED O sistema SPED faz parte do programa do governo o PAC 2007 a 2010(Programa de Aceleração do crescimento) para que acontecesse desenvolvimento e crescimento do nosso país e que diminuísse a burocracia gerando agilidade dentro do órgão público. O SPED foi oficializado em janeiro de 2007 por meio do decreto nº do governo

4 5 federal, junto ao sped fazem parte três grandes projetos que e o Contábil, Fiscal e Nota fiscal eletrônica. Em 2008, quando começou a ser implantado o sped 19 grupo de empresas de diferentes ramos iniciou-se a implantação da NF-e (nota fiscal eletrônica). 1.3 Relação contribuinte e fisco. Até recentemente, tínhamos uma legislação tributaria de apenas obrigação por parte do contribuinte, que tinha que decifrar a legislação para poder compreender e preencher corretamente todas as guias tributaria. A relação entre administração tributaria e contribuinte não existia e havia a necessidade de ser alterada para ambas as partes compreender melhor. Com a entrada do SPED o governo espera melhorar essa relação, tendo em vista que este projeto busca trabalhar a transparência fiscal. 2. Trabalhos Relacionados 2.1 Estado da Arte (Fonte Revista Exame Edição 992. ANO 45. nº /05/2011 Editora Abril pag. 61 a 72) O SPED fiscal do PIS/COFINS ou (EFD PIS/COFINS), e utilizado por pessoas jurídicas do direito privado na escrituração de contribuição na origem cumulativo ou e não cumulativo, na representação de receitas auferidas, custo, despesas operacionais. Cerca de contribuintes com o acompanhamento diferenciado, já estão na obrigatoriedade do SPED fiscal do PIS/COFINS, e serão incluídas até o 2º semestre de 2011, as empresas de regime do lucro real, essas empresas, são cerca de contribuintes. Em 2012, totalizará em quase 2 milhões de empresas do lucro presumido, que entrarão na obrigação do SPED fiscal do PIS/COFINS. 2.2 Descrições de Tecnologia Utilizada Assinatura Digital (fonte: Gestão de TI- Identidade Digital)

5 6 O Sped e utilizado por milhares de contribuintes, existindo a necessidade a segurança na troca das informações, a assinatura digital e a garantia de serviços eletrônicos virtuais, devido a operações de criptografia em arquivos. Pode ser certificado, assinatura, serve para a comprovação da autenticidade, ou seja, comprova que a pessoa ou entidade devida teve acesso a assinatura digital, possuindo a chave privada. E garante a não alteração do documento. Existem duas chaves criptográficas usadas na assinatura digital: - CHAVE PÚBLICA- tem a distribuição livre dentro do certificado, para permitir que as assinaturas sejam validadas. - CHAVE PRIVADA Essa é guardada pelo titular do certificado, utilizar para assinatura de documentos. 2.3 Os benefícios do SPED. O governo busca com a implantação deste projeto uma gestão fiscal transparente e eficaz, podemos citar alguns destes benefícios que se esperam e que serão benéficas tanto para o fisco como para o contribuinte. - Primeiramente com este sistema se espera eliminar as burocracia e agilidades nas transmissões de dados. - Evitar erros causados tanto pelo contribuinte como pelo fisco. - Proporcionar melhor ambiente de investimento para os investidores que estão de olho no crescimento da nossa economia. - Redução de custos financeiros. - Com clareza e objetividade isso ajuda na eliminação de interpretação duvidosa. - Acabar com a concorrência desleal devido a sonegação e a corrupção.

6 7 CONCLUSÃO O Sped surgiu com o intuito de proporcionar integração entre contribuintes e o fisco,com dados padronizados e precisos para eliminar as interpretações duvidosas. Toda as informações eram passadas para o fisco manualmente e isso no século XXI não é mais viável devido ao desenvolvimento tecnológico e necessidade de economia de custo operacional para o contribuinte e para o fisco. Promovendo redução de custo pela dispensa de emissão e armazenamento de documentos em papel, bem como a preservação do meio ambiente. Esta ferramenta facilita a transmissão das informações e dados, tanto para o governo quanto para os contribuintes. Com este projeto se busca um grande crescimento na economia e também no desenvolvimento na área tributária e tecnológica. Ele também tem com finalidade racionalizar e uniformizar as obrigações acessórias para os contribuintes, com os diferentes órgãos fiscalizadores. As operações com os cruzamentos de dados e auditoria eletrônica, a fiscalização pelos controles dos processos se tornará mais efetiva e rápida dispensando a presença de auditores nas instalações do contribuinte. O setor de recursos humanos exige conhecimento específico dos profissionais, aprimoramento no exercício do cargo e conseqüentemente as diversas especializações necessárias, da área. Mas já existem outras áreas também de olho neste avanço tecnológico, que muito em breve estará participando também deste projeto de integração.

7 8 REFERÊNCIAS SPED. Acesso em: 05/06/2011. DUARTE. Roberto Dias. Cofins, Sped, Pis. Revista Exame Edição 992. ANO 45. nº 09 Ed.Abril pag.61 à 72. RECEITA FEDERAL DO BRASIL.SISTEMA PUBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL-SPED.Disponível em: < www1.receita.fazenda.gov.br/sobre.../historico.htm.acesso em 02 de junho de RECEITA FEDERAL DO BRASIL.SPED-FISCAL-PIS-CFINS. Disponivel em : <www1.receita.fazenda.gov.br/sistemas/sped-fiscal-pis-cofins/.acesso em 02 de junho de JUSTIÇA FEDERAL DO BRASIL. IDENTIDADE DIGITAL.Disponível em:< Gestão de TI Identidade Digital. Acesso em 03 de junho de 2011.

SPED - Sistema Público de Escrituração Digital - Bases..

SPED - Sistema Público de Escrituração Digital - Bases.. SPED - Sistema Público de Escrituração Digital - Bases.. A Emenda Constitucional nº 42/2003 introduziu o inciso XXII ao artigo 37 da Constituição Federal, que determina que as administrações tributárias

Leia mais

Nota Fiscal Eletrônica: Processo de Implantação e seus Benefícios em Mato Grosso.

Nota Fiscal Eletrônica: Processo de Implantação e seus Benefícios em Mato Grosso. Nota Fiscal Eletrônica: Processo de Implantação e seus Benefícios em Mato Grosso. Dirce da Conceição Silva Jackeline de Souza Cruz Leila Pereira Campos Vanessa Patrizia Cortez Unirondon Centro Universitário

Leia mais

Saiba tudo sobre o esocial

Saiba tudo sobre o esocial Saiba tudo sobre o esocial Introdução Com a criação do Sistema Público de Escrituração Digital (Sped), o Governo propiciou maior controle e agilidade na fiscalização das informações contábeis e fiscais

Leia mais

Centro Interamericano de Administrações Tributárias CIAT 46ª. ASAMBLEA GENERAL DEL CIAT

Centro Interamericano de Administrações Tributárias CIAT 46ª. ASAMBLEA GENERAL DEL CIAT Centro Interamericano de Administrações Tributárias CIAT 46ª. ASAMBLEA GENERAL DEL CIAT MELHORAR O DESEMPENHO DA ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA: O CONTROLE DE EVASÃO E ASSISTÊNCIA AOS CONTRIBUINTES Subtema 1.3

Leia mais

Racionalizar e uniformizar as obrigações acessórias. Tornar mais célere a identificação de ilícitos tributários

Racionalizar e uniformizar as obrigações acessórias. Tornar mais célere a identificação de ilícitos tributários ORIGEM O Sistema Público de Escrituração Digital (SPED) surgiu em 2007 da necessidade de integrar (uniformizar) as informações prestadas pelos contribuintes com o fisco brasileiro. OBJETIVOS DO PROJETO

Leia mais

S N FI SPED PIS/CO 0

S N FI SPED PIS/CO 0 0SPED PIS/COFINS Versão Observação Data Modificação Responsável 1 Criação do Manual 31/03/2011 Edilson J. Martins 2 Natureza de operação, CST PIS Cofins por empresa 30/05/2011 Edilson J. Martins Página

Leia mais

Obrigações Acessórias Eletrônicas no ISSQN. Modelos Conceituais: objetivos desenvolvimento sinergias BHISS Digital

Obrigações Acessórias Eletrônicas no ISSQN. Modelos Conceituais: objetivos desenvolvimento sinergias BHISS Digital Obrigações Acessórias Eletrônicas no ISSQN Modelos Conceituais: objetivos desenvolvimento sinergias BHISS Digital EUGÊNIO VELOSO FERNANDES Gerente de Tributos Mobiliários Secretaria Municipal de Finanças

Leia mais

CENTRAL DE BALANÇOS PEDRO ONOFRE FERNANDES. abril de 2010 AUDITOR-FISCAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL. Sistema Público de Escrituração Digital

CENTRAL DE BALANÇOS PEDRO ONOFRE FERNANDES. abril de 2010 AUDITOR-FISCAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL. Sistema Público de Escrituração Digital CENTRAL DE BALANÇOS abril de 2010 PEDRO ONOFRE FERNANDES AUDITOR-FISCAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL SUMÁRIO Sistema Público de Escrituração Digital SPED Objetivo Premissas Abrangência Central de Balanços

Leia mais

Tecnologia da Informação e Contabilidade: Sped Fiscal dentro a Organização.

Tecnologia da Informação e Contabilidade: Sped Fiscal dentro a Organização. Tecnologia da Informação e Contabilidade: Sped Fiscal dentro a Organização. Wéberson da Silva wsp_web@hotmail.com Adriana Pereira adriana.ds.pereira@gmail.com Afonso Luis afonsomoreira1@hotmail.com Luciana

Leia mais

Operação Tributável (base de cálculo = quantidade vendida x alíquota por unidade de produto)

Operação Tributável (base de cálculo = quantidade vendida x alíquota por unidade de produto) 1. Finalidade do CST Para a elaboração dos arquivos digitais da Escrituração Fiscal Digital (EFD), bem como para a geração do conteúdo das Notas Fiscais Eletrônicas (NF-e), foram instituídos através da

Leia mais

CIRCULAR Nº 13/2012. Ref.: SISCOSERV Informações de transações efetuadas por residentes no Brasil e no exterior. São Paulo, 12 de setembro de 2012.

CIRCULAR Nº 13/2012. Ref.: SISCOSERV Informações de transações efetuadas por residentes no Brasil e no exterior. São Paulo, 12 de setembro de 2012. São Paulo, 12 de setembro de 2012. CIRCULAR Nº 13/2012 Prezado Cliente, Ref.: SISCOSERV Informações de transações efetuadas por residentes no Brasil e no exterior A Lei nº 12.546/2011 instituiu a obrigação

Leia mais

NFC-e. SEFAZ/GO GIEF Your - Gerência Logo Here de Informações Econômico-Fiscais Coordenação Documentário Fiscal

NFC-e. SEFAZ/GO GIEF Your - Gerência Logo Here de Informações Econômico-Fiscais Coordenação Documentário Fiscal SEFAZ/GO GIEF Your - Gerência Logo Here de Informações Econômico-Fiscais Coordenação Documentário Fiscal Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica NFC-e NFC-e Antonio Carlos Godoi Coordenador de Documentos

Leia mais

ECF Obrigatoriedade, prazo e multas

ECF Obrigatoriedade, prazo e multas ECF Obrigatoriedade, prazo e multas 4 de abril de 2016 Escrituração Contábil Fiscal (ECF) substitui a DIPJ desde 2015 A ECF referente ao ano-calendário 2015 deve ser entregue até 30 de junho de 2016. A

Leia mais

Material de Apoio Comercial. Retornos de Resultados!

Material de Apoio Comercial. Retornos de Resultados! Material de Apoio Comercial Retornos de Resultados! Estrutura do Comercial 1 a 6 - Segmentação de Clientes por Serviços Contábeis A a F - Portfólio de Serviços Contábeis (Assessorias e Consultorias) e

Leia mais

CONSIDERANDO que o Conselho Federal de Contabilidade mantém Acordo de Cooperação Técnica com a Secretaria Executiva do Ministério da Fazenda,

CONSIDERANDO que o Conselho Federal de Contabilidade mantém Acordo de Cooperação Técnica com a Secretaria Executiva do Ministério da Fazenda, RESOLUÇÃO CFC N.º 1.299/10 Aprova o Comunicado Técnico CT 04 que define as formalidades da escrituração contábil em forma digital para fins de atendimento ao Sistema Público de Escrituração Digital (SPED).

Leia mais

Bloco Contábil e Fiscal

Bloco Contábil e Fiscal Bloco Contábil e Fiscal EFD Contribuições Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo EFD Contribuições, que faz parte do Bloco Contábil e Fiscal. Todas informações aqui disponibilizadas

Leia mais

esocial Uma nova forma de registro de eventos trabalhistas

esocial Uma nova forma de registro de eventos trabalhistas esocial Uma nova forma de registro de eventos trabalhistas Paulo Rogério Albuquerque de Oliveira Coordenação-Geral de Monitoramento Benefício por Incapacidade CGMBI/DPSO/SPS/MF Esplanada dos Ministérios,Bloco

Leia mais

GUIA DIÁRIO DE ALTERAÇÕES ICMS Santa Catarina Não foi publicada nenhuma alteração até o fechamento dessa edição do Guia.

GUIA DIÁRIO DE ALTERAÇÕES ICMS Santa Catarina Não foi publicada nenhuma alteração até o fechamento dessa edição do Guia. GUIA DIÁRIO DE ALTERAÇÕES 19.10.2015 1. ICMS Santa Catarina Não foi publicada nenhuma alteração até o fechamento dessa edição do Guia. 2. Legislação Federal SOLUÇÃO DE CONSULTA DISIT/SRRF07 Nº 7045, DE

Leia mais

IRPJ, CSLL, PIS, COFINS

IRPJ, CSLL, PIS, COFINS Alguns Clientes O objetivo da Studio Fiscal é oferecer serviços de consultoria tributária, buscando otimizar a carga tributária das empresas com base em trabalhos que envolvem gestão contábil, fiscal e

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015 Ensino Técnico Código: ETEC ANHANQUERA Município: Santana de Parnaíba Componente Curricular: Contabilidade Tributária e Fiscal Eixo tecnológico: Gestão e Negócios

Leia mais

Márcio Tonelli ECD e ECF LIÇÕES DE 2015 EXPECTATIVAS PARA 2016

Márcio Tonelli ECD e ECF LIÇÕES DE 2015 EXPECTATIVAS PARA 2016 Márcio Tonelli tt.consultoria.sped@gmail.com ECD e ECF LIÇÕES DE 2015 EXPECTATIVAS PARA 2016 NÚMEROS QUE IMPRESSIONAM Quantidade de versões de produção: Com alteração do número da versão: 13 Sem alteração

Leia mais

Certificado A1 e A3. Características, Conceito, Vantagens e Desvantagens

Certificado A1 e A3. Características, Conceito, Vantagens e Desvantagens E-book gratuito Certificado A1 e A3 Características, Conceito, Vantagens e Desvantagens Sobre o autor Jeferson Luiz Rosa é analista de suporte, pósgraduado em Inteligência de Negócios. Colaborador da Área

Leia mais

Quem sou? Lucas Nunes

Quem sou? Lucas Nunes Olá! Bem Vindos! Quem sou? Lucas Nunes Supervisor de Suporte PC Sistemas Goiânia/GO Circuito de Capacitação de Clientes Usabilidade Informação Melhores Práticas Conhecimento Relacionamento Atualizações

Leia mais

SUMÁRIO. Apresentação, xiii

SUMÁRIO. Apresentação, xiii SUMÁRIO Apresentação, xiii 1 A Contabilidade e a Gestão Tributária, 1 1.1 Introdução, 1 1.2 Os objetivos da atividade de gestão tributária, 1 1.3 Características profissionais exigidas para o cargo de

Leia mais

esags.edu.br Santo André > Av. Industrial, Bairro Jardim (11) Santos > Av. Conselheiro Nébias, 159 (13)

esags.edu.br Santo André > Av. Industrial, Bairro Jardim (11) Santos > Av. Conselheiro Nébias, 159 (13) TRIBUTOS SOBRE MERCADORIAS E SERVIÇOS APRESENTAÇÃO: A legislação tributária brasileira é tida como uma das mais complexas do mundo. Além disto, tem sido objeto de constantes alterações, o que obriga os

Leia mais

Companhia Estadual de Águas e Esgotos Márcia Dulce de Andrade Pereira Jacob Lopes Hallison Daniel do Carmo Marques. Maio/2016

Companhia Estadual de Águas e Esgotos Márcia Dulce de Andrade Pereira Jacob Lopes Hallison Daniel do Carmo Marques. Maio/2016 Companhia Estadual de Águas e Esgotos Márcia Dulce de Andrade Pereira Jacob Lopes Hallison Daniel do Carmo Marques Maio/2016 Motivação O governo federal estabelece a criação de um único canal para prestação

Leia mais

A1 Manual Certificado Digital A1 no Windows

A1 Manual Certificado Digital A1 no Windows A1 Manual Certificado Digital A1 no Windows Sumário Introdução 3 Requisitos para emissão do certificado digital A1 ICP-Brasil 4 Acessando o Certificado Digital pelo Internet Explorer 5 Acessando o Certificado

Leia mais

10 passos para. implantação do esocial

10 passos para. implantação do esocial 10 passos para implantação do esocial O que é o esocial? É um projeto do Governo Federal que irá unificar o envio de informações pelo empregador em relação aos seus trabalhadores. O sistema irá requerer

Leia mais

SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL E GUERRA FISCAL FEBRAFITE

SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL E GUERRA FISCAL FEBRAFITE SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL E GUERRA FISCAL FEBRAFITE OSVALDO SANTOS DE CARVALHO Secretaria da Fazenda de São Paulo 20 de junho de 2011 ICMS e Federação 1 Agenda RECEITAS E A AUTONOMIA DOS ENTES FEDERATIVOS

Leia mais

SPED PIS/COFINS e Cordilheira Software Contábil

SPED PIS/COFINS e Cordilheira Software Contábil SPED PIS/COFINS e Cordilheira Software Contábil Bloco 0 Abertura do arquivo Operações de serviços Bloco A Operações de CTRC e outros serviços com ICMS Apuração dos valores dos impostos Fechamento do arquivo

Leia mais

Escrituração Contábil Fiscal Destaques MP 627/03

Escrituração Contábil Fiscal Destaques MP 627/03 www.pwc.com Câmara Técnica de Contabilidade e Finanças - Aesbe Escrituração Contábil Fiscal Destaques MP 627/03 Maio de 2014 Índice ECF Escrituração Contábil Fiscal Sugestão de mudança Alguns comentários

Leia mais

Paulo Ricardo de Souza Cardoso Receita Federal do Brasil

Paulo Ricardo de Souza Cardoso Receita Federal do Brasil A legalidade e a segurança jurídica na relação Fisco- Contribuinte. O que fazer em favor de uma relação harmoniosa e equilibrada entre o Fisco e o contribuinte? Paulo Ricardo de Souza Cardoso Receita Federal

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA SISTEMA DE GESTÃO PUBLICA MUNICIPAL

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA SISTEMA DE GESTÃO PUBLICA MUNICIPAL ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA SISTEMA DE GESTÃO PUBLICA MUNICIPAL CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES O presente termo de referência tem por objeto dar subsídio à Contratação de empresa especializada em implantação,

Leia mais

SPED. Cruzamento das Informações: CRUZAMENTOS: Aspectos conceituais 24/09/2009. Acompanhamento Diferenciado: DACON DIRF DIPJ DCOMP DCTF DARF

SPED. Cruzamento das Informações: CRUZAMENTOS: Aspectos conceituais 24/09/2009. Acompanhamento Diferenciado: DACON DIRF DIPJ DCOMP DCTF DARF Cruzamento das Informações: DACON DIRF SPED DCTF DIPJ DCOMP DARF Palestrante: Thamara Jardim CRUZAMENTOS: Aspectos conceituais Acompanhamento Diferenciado: Art. 2º O acompanhamento diferenciado deverá

Leia mais

MAPEAMENTO EFD-SOCIAL.

MAPEAMENTO EFD-SOCIAL. MAPEAMENTO EFD-SOCIAL Projeto SPED Page 2 Projeto EFD-Social Objetivo: Modernização da Administração Tributária Eficiência na Administração de Receitas Instrumentos de Combate à Sonegação Facilitar o Cumprimento

Leia mais

Sumário. Capítulo Breves Noções Históricas A Contabilidade no Brasil O Símbolo da Contabilidade...4

Sumário. Capítulo Breves Noções Históricas A Contabilidade no Brasil O Símbolo da Contabilidade...4 Sumário Capítulo 1 Breves Noções Históricas...1 1.1. Breves Noções Históricas...1 1.2. A Contabilidade no Brasil...3 1.3. O Símbolo da Contabilidade...4 Capítulo 2 Conceitos Iniciais...5 2.1. A Definição

Leia mais

Modelos de sucesso de cooperação do contribuinte

Modelos de sucesso de cooperação do contribuinte Modelos de sucesso de cooperação do contribuinte Apresentado por: Brian McCauley, comissário adjunto Agência Canadense da Receita (CRA, sigla em inglês) Generalidades Antecedentes / Contexto Enfoque sobre

Leia mais

COMPANHIA DO METROPOLITANO DE SÃO PAULO - METRÔ. Setembro/2004

COMPANHIA DO METROPOLITANO DE SÃO PAULO - METRÔ. Setembro/2004 COMPANHIA DO METROPOLITANO DE SÃO PAULO - METRÔ DIRETORIA ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA - DF GERÊNCIA DE CONTRATAÇÕES E COMPRAS - GCP Setembro/2004 Apresentação do tema Objetivo Exposição de planejamento

Leia mais

Teoria da Contabilidade. Prof. Joaquim Mario de Paula Pinto Junior 1

Teoria da Contabilidade. Prof. Joaquim Mario de Paula Pinto Junior 1 Teoria da Contabilidade Prof. Joaquim Mario de Paula Pinto Junior 1 O QUE VEREMOS A SEGUIR: Normas Brasileiras de Contabilidade sobre escrituração contábil; NBC T 2.1 Das Formalidades da Escrituração Contábil;

Leia mais

I SIMPÓSIO MINEIRO DE CONTABILIDADE APLICADA NO SETOR PÚBLICO

I SIMPÓSIO MINEIRO DE CONTABILIDADE APLICADA NO SETOR PÚBLICO I SIMPÓSIO MINEIRO DE CONTABILIDADE APLICADA NO SETOR PÚBLICO A CONVERGÊNCIA DAS NORMAS INTERNACIONAIS AO SETOR PÚBLICO MARIA DA CONCEIÇAO BARROS DE REZENDE SITUAÇAO DA CONTABILIDADE PÚBLICA NO BRASIL

Leia mais

Ferramenta desenvolvida com software livre aprimora e amplia sistemas de importação na Receita Federal

Ferramenta desenvolvida com software livre aprimora e amplia sistemas de importação na Receita Federal Ferramenta desenvolvida com software livre aprimora e amplia sistemas de importação na Receita Federal FEVEREIRO/2016 Perfil A Secretaria da Receita Federal do Brasil RFB desempenha funções essenciais

Leia mais

ALGUNS CONCEITOS IMPORTANTES SOBRE A NOTA FISCAL ELETRÔNICA - NF-e

ALGUNS CONCEITOS IMPORTANTES SOBRE A NOTA FISCAL ELETRÔNICA - NF-e APRESENTAÇÃO A nota fiscal passou por várias mudanças ao longo de sua existência, e o que antes era um simples documento fiscal feito a mão e de difícil controle, hoje com a era digital se tornou eletrônica,

Leia mais

Slide 1 O CRUZAMENTO DE INFORMAÇÕES FISCAIS ATRAVÉS DAS OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS. Slide 2. Slide 3 DADOS DISPONÍVEIS AO FISCO

Slide 1 O CRUZAMENTO DE INFORMAÇÕES FISCAIS ATRAVÉS DAS OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS. Slide 2. Slide 3 DADOS DISPONÍVEIS AO FISCO Slide 1 O CRUZAMENTO DE INFORMAÇÕES FISCAIS ATRAVÉS DAS OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS Nilson José Goedert Contador 2016 Slide 2 Obrigações Federais para Pessoas Jurídicas em Geral: 1. SPED Sistema Público de Escrituração

Leia mais

Módulo Contábil e Fiscal

Módulo Contábil e Fiscal Módulo Contábil e Fiscal SPED Contábil e Fiscal Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Contábil e Fiscal SPED. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas no

Leia mais

SEFAZ Concurso Público 02/2014 Gabarito Definitivo Auditor-Fiscal da Receita Estadual. Bloco 1

SEFAZ Concurso Público 02/2014 Gabarito Definitivo Auditor-Fiscal da Receita Estadual. Bloco 1 SEFAZ Concurso Público 02/2014 Gabarito Definitivo Auditor-Fiscal da Receita Estadual Bloco 1 01 E Língua Portuguesa 02 B Língua Portuguesa 03 C Língua Portuguesa 04 A Língua Portuguesa 05 C Língua Portuguesa

Leia mais

EXPERIÊNCIA DE MERCADO

EXPERIÊNCIA DE MERCADO QUEM SOMOS A Dias e Ribeiro Serviços Contábeis é uma empresa com um foco: atender o cliente de modo personalizado. Para isto se estruturou com ferramentas tecnológicas, profissionais competentes e uma

Leia mais

O cruzamento de informações sob a ótica dos órgãos de controle A VISÃO DO FISCO

O cruzamento de informações sob a ótica dos órgãos de controle A VISÃO DO FISCO O cruzamento de informações sob a ótica dos órgãos de controle A VISÃO DO FISCO Como você produz e formata suas informações? Qual a qualidade dessas informações? Elas são consistentes? Houve mudanças/evolução

Leia mais

ANO XXIII ª SEMANA DE JUNHO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 23/2012 ASSUNTOS CONTÁBEIS IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA

ANO XXIII ª SEMANA DE JUNHO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 23/2012 ASSUNTOS CONTÁBEIS IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA ANO XXIII - 2012-1ª SEMANA DE JUNHO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 23/2012 ASSUNTOS CONTÁBEIS ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL DIGITAL - ECD - NORMAS GERAIS Introdução - Obrigatoriedade de Adoção da ECD - Sociedades

Leia mais

Conteúdo Programático Contabilidade Geral Básica - CGB [2ª Edição]

Conteúdo Programático Contabilidade Geral Básica - CGB [2ª Edição] Conteúdo Programático Contabilidade Geral Básica - CGB [2ª Edição] CAPÍTULO I. Introdução ao Curso de Contabilidade Introdução ao Curso de Contabilidade 1. Contabilidade. 2. Contabiliza.se o quê. 3. O

Leia mais

Pessoa Jurídica - Tamanho

Pessoa Jurídica - Tamanho Pessoa Jurídica - Tamanho 0MEI Microempreendedor individual; 0Microempresa; 0Empresa de Pequeno Porte; MEI Microempreendedor individual 0Foi criado visando a legalização de atividades informais por partes

Leia mais

Módulo 1 Princípios Básicos do Setor de Energia Elétrica

Módulo 1 Princípios Básicos do Setor de Energia Elétrica TRIBUTAÇÃO SOBRE ENERGIA ELÉTRICA CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Módulo 1 Princípios Básicos do Setor de Energia Elétrica 1 Modelo atual do setor elétrico brasileiro a partir de 2004 2 Marcos Regulatórios do Novo

Leia mais

Transparência Corporativa

Transparência Corporativa Transparência Corporativa Transparência como qualidade corporativa e os seus desdobramentos na esfera fiscal Ana Teresa Lima Rosa Bruno Nepomuceno Laura Romano Campedelli PÚBLICA Maioria dos estudos está

Leia mais

Tarefa Orientada 14 Criação, alteração e utilização de índices

Tarefa Orientada 14 Criação, alteração e utilização de índices Tarefa Orientada 14 Criação, alteração e utilização de índices Conteúdos Criar um índice Alterar um índice 1. Criar índices gerais: Para a realização desta tarefa, utilize o ficheiro com o nome criação_de_índices.doc.

Leia mais

UTILITIES E SETOR PÚBLICO

UTILITIES E SETOR PÚBLICO Segmento SERVIÇOS UTILITIES E SETOR PÚBLICO Para o subsegmento de utilities e setor público, as soluções de software de gestão para o segmento de serviços da TOTVS permitem controle, redução de custos,

Leia mais

TÍTULO 10 SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL SPED E ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL EFD

TÍTULO 10 SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL SPED E ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL EFD (*) 1) SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL SPED 1.1) FINALIDADE: instituído pelo Decreto nº 6.022, de janeiro de 2007, o projeto do Sistema Público de Escrituração Digital SPED faz parte do programa

Leia mais

OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS

OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS E-BOOK Governança das Obrigações Acessórias FIQUE ATENTO! A automação dos órgãos fiscalizadores, como a Receita Federal e a Secretaria da Fazenda, exige total controle e planejamento

Leia mais

TECNOLOGIA PROTEGENDO O FUTURO

TECNOLOGIA PROTEGENDO O FUTURO Integratto Family Office INVESTINDO EM TECNOLOGIA PROTEGENDO O FUTURO Integratto Family Office O Integratto Family Office Nasajon é um software integrado que oferece credibilidade e segurança no gerenciamento

Leia mais

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE NBC T 16 NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICO NBC T 16.5 REGISTRO CONTÁBIL

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE NBC T 16 NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICO NBC T 16.5 REGISTRO CONTÁBIL NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE NBC T 16 NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICO NBC T 16.5 REGISTRO CONTÁBIL Conteúdo Item DISPOSIÇÕES GERAIS 1 FORMALIDADES DA ESCRITURAÇÃO

Leia mais

Professor José Sérgio Fernandes de Mattos

Professor José Sérgio Fernandes de Mattos Professor Apresentação: 1. Instituído pelo Decreto nº 6.022, de 22 de janeiro de 2007, o Sistema Público de Escrituração Digital (Sped) faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento do Governo Federal

Leia mais

Programa de Estímulo à Cidadania Fiscal do Estado de São Paulo Projeto Nota Fiscal Paulista

Programa de Estímulo à Cidadania Fiscal do Estado de São Paulo Projeto Nota Fiscal Paulista Programa de Estímulo à Cidadania Fiscal do Estado de São Paulo Projeto Nota Fiscal Paulista 14/08/07 OBJETIVO Incentivar os adquirentes de mercadorias, bens e serviços de transporte interestadual e intermunicipal

Leia mais

Com Circular nº642 que aprova o leiaute oficial e o prazo de envio das informações.

Com Circular nº642 que aprova o leiaute oficial e o prazo de envio das informações. SEMINÁRIO esocial Versão 1.1 MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA AS ÁREAS TRABALHISTA/PREVIDENCIÁRIA/ CONTÁBIL/MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO COM PPP/CAT e ASO s Com Circular nº642 que aprova o leiaute oficial

Leia mais

VISÃO DA COMUNIDADE EMPRESARIAL

VISÃO DA COMUNIDADE EMPRESARIAL SEMINÁRIO SPED ACE GUARULHOS 20/03/2009 VISÃO DA COMUNIDADE EMPRESARIAL Paulo Roberto da Silva BRASIL - SITUAÇÃO ATUAL EX. OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS DOS ESTADOS SPED UMA NOVA ERA NA ESCRITURAÇÃO NACIONAL SPED

Leia mais

Coordenadoria de Fiscalização Página 2 de 28 Grupo Gestor do SPED

Coordenadoria de Fiscalização Página 2 de 28 Grupo Gestor do SPED Coordenadoria de Fiscalização Página 2 de 28 SUMÁRIO 1. Apresentação....... 6 2. O que é Escrituração Fiscal Digital?....... 7 3. Antigos livros fiscais em papel....... 7 4. Quem está obrigado à EFD?.......

Leia mais

Diário Oficial da União Seção 1-Nº 116, segunda-feira, 18 de junho de 2012

Diário Oficial da União Seção 1-Nº 116, segunda-feira, 18 de junho de 2012 Secretaria da Receita Federal do Brasil revoga instrução normativa que tratava a respeito dos procedimentos para ratificação de erros no preenchimento de Guia da Previdência Social (GPS) Para conhecimento,

Leia mais

10 - Matemática (Base Nacional Comum Ensino Médio) 11 - Química (Base Nacional Comum Ensino Médio) 12 - Sociologia (Base Nacional Comum Ensino Médio)

10 - Matemática (Base Nacional Comum Ensino Médio) 11 - Química (Base Nacional Comum Ensino Médio) 12 - Sociologia (Base Nacional Comum Ensino Médio) Escola Técnica Estadual Lauro Gomes - São Bernardo do Campo AVISO DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES AO PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, OBJETIVANDO A FORMAÇÃO DE CADASTRO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE EXCEPCIONAL

Leia mais

Pergunte à CPA Decreto /2015

Pergunte à CPA Decreto /2015 Pergunte à CPA Decreto 61.084/2015 Alterações no artigo 132-A: Artigo 132-A - Ressalvado o disposto no artigo 132, nas demais hipóteses previstas na legislação, tais como não-obrigatoriedade de uso de

Leia mais

ITG 1000 PME s Giovana Garcia

ITG 1000 PME s Giovana Garcia ITG 1000 PME s Giovana Garcia Você bem preparado para o futuro da profissão. 1 RESOLUÇÃO CFC N.º 1.418/12 Aprova a ITG 1000 Modelo Contábil para Microempresa e Empresa de Pequeno Porte. X RESOLUÇÃO CFC

Leia mais

1. Histórico: 2. Área de atuação: 3. Softwares da PROSIS:

1. Histórico: 2. Área de atuação: 3. Softwares da PROSIS: Neste informativo você terá as informações gerais sobre a PROSIS Informática, e também sobre os produtos PROSIS que estamos propondo para você revender. 1. Histórico: No ano de 1989 poucas pessoas imaginavam

Leia mais

Oficina IV - Experiências de implantação e utilização de informações de custos nos entes sub-nacionais

Oficina IV - Experiências de implantação e utilização de informações de custos nos entes sub-nacionais I Congresso Informação de Custos e Qualidade do Gasto no Setor Público Oficina IV - Experiências de implantação e utilização de informações de custos nos entes sub-nacionais Selene Peres Peres Nunes Brasília,

Leia mais

Ministério da Fazenda SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL. Instrução Normativa nº 632, de 17 de março de 2006

Ministério da Fazenda SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL. Instrução Normativa nº 632, de 17 de março de 2006 Ministério da Fazenda SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL Instrução Normativa nº 632, de 17 de março de 2006 DOU de 20.3.2006 Aprova o Programa Gerador de Documentos do Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica -

Leia mais

TERMO DE COOPERAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO E UNIVERSALIZAÇÃO DO REGISTRO ELETRÔNICO

TERMO DE COOPERAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO E UNIVERSALIZAÇÃO DO REGISTRO ELETRÔNICO TERMO DE COOPERAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO E UNIVERSALIZAÇÃO DO REGISTRO ELETRÔNICO Termo de Cooperação que entre si celebram o Instituto de Registro Imobiliário do Brasil e Associação dos Registradores

Leia mais

ESTRUTURA E ANÁLISE DE CUSTOS. Princípios da Contabilidade de Custos Finalidade; Objetivos e enfoque (gerencial, formal e aspectos legais) 18/02/2016

ESTRUTURA E ANÁLISE DE CUSTOS. Princípios da Contabilidade de Custos Finalidade; Objetivos e enfoque (gerencial, formal e aspectos legais) 18/02/2016 ESTRUTURA E ANÁLISE DE CUSTOS Princípios da Contabilidade de Custos Finalidade; Objetivos e enfoque (gerencial, formal e aspectos legais) 18/02/2016 CONTABILIDADE X CUSTOS Contabilidade é a ciência que

Leia mais

Controladoria para Empresas dos Serviços Contábeis

Controladoria para Empresas dos Serviços Contábeis Controladoria para Empresas dos Serviços Contábeis Paulo Henrique Vaz Mestre em Ciências Contábeis e Atuariais PUC/SP; Graduado e Especialista e Contabilidade; Palestrante e Professor da Unisescon; Professor

Leia mais

Papel do Atuário na Gestão de Negócios Gláucia Carvalho Superintendente Atuarial ENA

Papel do Atuário na Gestão de Negócios Gláucia Carvalho Superintendente Atuarial ENA Papel do Atuário na Gestão de Negócios Gláucia Carvalho Superintendente Atuarial ENA - 2015 AGENDA 2 COMO SOMOS VISTOS? NECESSIDADE DE INTEGRAÇÃO: MACROPROCESSOS E A ÁREA ATUARIAL NOSSO CONTEXTO: DIVULGAÇÃO

Leia mais

SPED: O Impacto Tecnológico das Obrigatoriedades Fiscais para as Empresas e Escritórios de Contabilidade de Cachoeira do Sul/RS

SPED: O Impacto Tecnológico das Obrigatoriedades Fiscais para as Empresas e Escritórios de Contabilidade de Cachoeira do Sul/RS SPED: O Impacto Tecnológico das Obrigatoriedades Fiscais para as Empresas e Escritórios de Contabilidade de Cachoeira do Sul/RS Laís Lúcia Achterberg (ULBRA) Claudia de Freitas Michelin (ULBRA) Aline Martins

Leia mais

MODELAGEM FISCAL E TRIBUTOS OPORTUNIDADES E DESAFIOS. Alessandro Dessimoni

MODELAGEM FISCAL E TRIBUTOS OPORTUNIDADES E DESAFIOS. Alessandro Dessimoni MODELAGEM FISCAL E TRIBUTOS OPORTUNIDADES E DESAFIOS Alessandro Dessimoni Temas abordados 1. Alta carga tributária; 2. A burocracia e entraves da legislação; 3. Interpretação restritiva do Fisco sobre

Leia mais

COMO ABRIR UMA IGREJA

COMO ABRIR UMA IGREJA COMO ABRIR UMA IGREJA Este ebook tem por finalidade proporcionar um esclarecimento sobre como as igrejas são vistas pelo governo, quais tributos ela deve pagar e como deve ser constituída. As igrejas,

Leia mais

Módulo Emissor de NFS-e

Módulo Emissor de NFS-e Poder Executivo do MUNICÍPIO de Londrina Secretaria Municipal de Fazenda ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA Módulo Emissor de NFS-e Tutorial para solicitação de autorização para emissão de NFS-e REVIsÃo 2014.04.28

Leia mais

MARCO REGULATÓRIO DAS SOCIEDADES CIVIS TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

MARCO REGULATÓRIO DAS SOCIEDADES CIVIS TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MARCO REGULATÓRIO DAS SOCIEDADES CIVIS TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Airton Roberto Rehbein Auditor Público MARCO REGULATÓRIO DAS SOCIEDADES CIVIS A Lei Federal 3.204/2015 alterou a

Leia mais

INFORMATIVO DO SIMPLES NACIONAL COMISSÃO DE ESTUDOS TRIBUTÁRIOS OAB/RO

INFORMATIVO DO SIMPLES NACIONAL COMISSÃO DE ESTUDOS TRIBUTÁRIOS OAB/RO INFORMATIVO DO SIMPLES NACIONAL COMISSÃO DE ESTUDOS TRIBUTÁRIOS OAB/RO 2014 INTRODUÇÃO: A necessária inclusão no Simples Nacional, e a vitória da advocacia! Foi aprovada recentemente a inclusão das sociedades

Leia mais

Validação da NF-e no envio. para a SEFAZ/SRF

Validação da NF-e no envio. para a SEFAZ/SRF NOVOS DESAFIOS: Validação da NF-e no envio para a SEFAZ/SRF 1 RBLA-LEG 13/11/2006 Reservados todos os direitos de propriedade intelectual, incluídos os de patentes, de uso, cópia e reprodução, em favor

Leia mais

Apresentação de sugestões para o Marco Regulatório do Transporte Rodoviário de Cargas Audiência Pública 19/11/2015

Apresentação de sugestões para o Marco Regulatório do Transporte Rodoviário de Cargas Audiência Pública 19/11/2015 Apresentação de sugestões para o Marco Regulatório do Transporte Rodoviário de Cargas Audiência Pública 19/11/2015 Nossa expectativa com a criação do Marco Regulatório do Transporte Rodoviário de Cargas

Leia mais

DECLARAÇÃO PERIÓDICA DE IVA

DECLARAÇÃO PERIÓDICA DE IVA DECLARAÇÃO PERIÓDICA DE IVA NOVAS INSTRUÇÕES E ANEXOS 40 / 41 W: www.centralgest.com E: comercial@centralgest.com T: (+351) 231 209 530 Portugal Angola Moçambique Cabo Verde 1987-2013 CentralGest - Produção

Leia mais

CFC. Brasília, Maio de 2013

CFC. Brasília, Maio de 2013 CFC Brasília, Maio de 2013 Agenda Abrangência Atual Infraestrutura de TI Contingência Formas de Recepção Uso da Informação Estatísticas esocial Perguntas? Abrangência Atual NF-e CT-e ECD FCont EFD IRPJ

Leia mais

Cordilheira Escrita Fiscal 2.102a SPED PIS/COFINS

Cordilheira Escrita Fiscal 2.102a SPED PIS/COFINS LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA VERSÃO 2 (Orientamos aos clientes que utilizam banco de dados SQL, para efetuarem a atualização preferencialmente após o encerramento das atividades do dia, acessando

Leia mais

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN Ciências Contábeis - Campus Mossoró) 3ª SÉRIE

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN Ciências Contábeis - Campus Mossoró) 3ª SÉRIE DISCIPLINAS DA SÉRIE ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN 2016.2 Ciências Contábeis - Campus Mossoró) 3ª SÉRIE CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA II DIREITO TRIBUTARIO LEGISLAÇÃO SOCIAL E TRABALHISTA ORÇAMENTO PUBLICO TEORIA

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Como informar o IPI no SPED Fiscal nas entradas sem direito ao crédito.

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Como informar o IPI no SPED Fiscal nas entradas sem direito ao crédito. Como. 11/04/2014 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas Pelo Cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 5 5. Informações Complementares... 5 6.

Leia mais

ABCE XIII SIMPÓSIO JURÍDICO BRASÍLIA CONTRATOS ENTRE PARTES RELACIONADAS RESOLUÇÃO 22/99 PROPOSTAS DE ALTERAÇÃO.

ABCE XIII SIMPÓSIO JURÍDICO BRASÍLIA CONTRATOS ENTRE PARTES RELACIONADAS RESOLUÇÃO 22/99 PROPOSTAS DE ALTERAÇÃO. ABCE XIII SIMPÓSIO JURÍDICO BRASÍLIA - 2007 CONTRATOS ENTRE PARTES RELACIONADAS RESOLUÇÃO 22/99 PROPOSTAS DE ALTERAÇÃO. Manoel Negrisoli SUMÁRIO Resolução ANEEL nº 022/1999 Principais alterações sugeridas

Leia mais

Resumo Aula-tema 01: Introdução: Serviço Público. Administração Pública. Contabilidade Pública. Regimes Contábeis.

Resumo Aula-tema 01: Introdução: Serviço Público. Administração Pública. Contabilidade Pública. Regimes Contábeis. Resumo Aula-tema 01: Introdução: Serviço Público. Administração Pública. Contabilidade Pública. Regimes Contábeis. Ainda hoje no Brasil, são raras as pesquisas e publicações na área da Contabilidade Pública

Leia mais

EMPREENDEDOR INDIVIDUAL

EMPREENDEDOR INDIVIDUAL EMPREENDEDOR INDIVIDUAL 1 Oportunidade de regularização para os empreendedores individuais, desde a vendedora de cosméticos, da carrocinha de cachorro-quente ao pipoqueiro. 2 Receita Bruta de até R$ 36

Leia mais

O SPED e o cruzamento das obrigações acessórias

O SPED e o cruzamento das obrigações acessórias O SPED e o cruzamento das obrigações acessórias ENTRADA DE DADOS PROCESSAMENTO DE DADOS Maior risco Entradas erradas causam saídas erradas SAÍDA DE INFORMAÇÃO Na visão de LAUDON & LAUDON(1999, p.

Leia mais

Concurso da Prefeitura São Paulo. Curso Gestão de Processos, Projetos e Tecnologia da Informação

Concurso da Prefeitura São Paulo. Curso Gestão de Processos, Projetos e Tecnologia da Informação Contatos: E-mail: profanadeinformatica@yahoo.com.br Blog: http://profanadeinformatica.blogspot.com.br/ Facebook: https://www.facebook.com/anapinf Concurso da Prefeitura São Paulo Curso Gestão de Processos,

Leia mais

Soluções & Infraestrutura

Soluções & Infraestrutura Soluções & Infraestrutura Somos SBR-T.I. surgiu para suprir a demanda e necessidade atual do mercado para garantir a adequação das tecnologias para alcançar mais competitividade no mercado. Estruturada

Leia mais

Missão. Visão. Objetivos Estratégicos (OE)

Missão. Visão. Objetivos Estratégicos (OE) Identidade Organizacional - Acesso à informação - IBAMA - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos R O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) é uma autarquia

Leia mais

SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL SPED. Instrutor: Márcio Tonelli

SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL SPED. Instrutor: Márcio Tonelli SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL SPED Instrutor: Márcio Tonelli (tt.consultoria.sped@gmail.com) HISTÓRICO EXPERIÊNCIA ADQUIRIDA PELA RFB: Pronafisco década de 80 Lei 8.218/91 IN 65/93, 68/95 e 86/01

Leia mais

Sped altera realidade fiscal e contábil das empresas

Sped altera realidade fiscal e contábil das empresas Sped altera realidade fiscal e contábil das empresas O governo brasileiro, por meio da Receita Federal do Brasil (RFB), está implantando mais um avanço na informatização da relação entre o fisco e os contribuintes.

Leia mais

Ramo da ciência contábil que aplica, no. prestação de contas; e o necessário suporte para a instrumentalização do

Ramo da ciência contábil que aplica, no. prestação de contas; e o necessário suporte para a instrumentalização do NBC TSP 16.1 - Conceituação, Objeto e Campo de Aplicação - CASP CONCEITO OBJETIVO ABRANGÊNCIA ENTIDADES DO OBJETO SETOR PÚBLICO Ramo da ciência contábil que aplica, no processo Fornecer gerador informações

Leia mais

Caso não consiga visualizar este , acesse o link: 0231/11

Caso não consiga visualizar este  , acesse o link:  0231/11 Página 1 de 5 Caso não consiga visualizar este e-mail, acesse o link: 0231/11 05/12/2011 SIMPLES NACIONAL - CONSOLIDAÇÃO DAS NORMAS E REGULAMENTAÇÃO DA LC 139/2011 Senhor Presidente, No dia 1º de dezembro

Leia mais

Manual do cliente Pessoa Jurídica

Manual do cliente Pessoa Jurídica Manual do cliente Pessoa Jurídica Autenticação da Escrituração Contábil Digital em Cartório (SPED) Realização O que é o SPED? Da obrigatoridade da autenticação dos livros em cartório de pessoa jurídica.

Leia mais

EFD-Reinf 29/06/2016. Apresentação. I -O que é o EFD-Reinf

EFD-Reinf 29/06/2016. Apresentação. I -O que é o EFD-Reinf EFD-Reinf Escrituração Fiscal Digital das Retenções e Informações da Contribuição Previdenciária Substituída O que vem por ai??? Danilo Lollio Estaapresentaçãoé de propriedade da Wolters Kluwer Prosoft.

Leia mais