1º Tomar consciência da decisão a tomar (envolve definição de objectivos pessoais). 2º Procurar informação pertinente (auto-conhecimento e informação

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1º Tomar consciência da decisão a tomar (envolve definição de objectivos pessoais). 2º Procurar informação pertinente (auto-conhecimento e informação"

Transcrição

1 Intervenção Vocacional no 9º Ano Serviço de Psicologia, Externato da Luz 2008/2009

2 1º Tomar consciência da decisão a tomar (envolve definição de objectivos pessoais). 2º Procurar informação pertinente (auto-conhecimento e informação sobre cursos e profissões). 3º Identificar alternativas (caminhos existentes e possíveis). 4º Avaliar alternativas. 5º Decidir!

3 Definição de objectivos 1. Alguma dificuldade em definir objectivos, sonhos ou projectos de vida. Eu estou completamente decidido em relação ao agrupamento, vou para Ciências e Tecnologia, pois tem mais saídas profissionais. Até ao fim do 12º Ano tenho tempo para pensar no que irei seguir. Auto-questionar-se: Qual é o meu maior sonho? O que quero atingir na vida? Até quando vou querer estudar? Porque vou querer estudar mais? Eu não faço ideia de qual a minha carreira, simplesmente sei que tem algo a ver com o agrupamento de Ciências. Tenho a certeza que quero passar para o 10º Ano, pois completando o 12º Ano posso tirar um curso superior e, possivelmente ter um emprego melhor.

4 Procura de informação 2. Confusão entre informação relativa: - ao próprio; - ao mundo dos cursos e das profissões. (Referindo-se ao auto-conhecimento) Tenho pesquisado na Internet sobre os cursos e as profissões que poderemos seguir após o Ensino Secundário. Tenho visto programas de medicina para ver se me impressionava com aquilo que via e tenho tentado estar mais atenta aos meus gostos. Estratégias para aumentar o autoconhecimento: - Fazer voluntariado, estágios de verão (p.e. Ciência Viva), workshops; - Reflectir sobre o tempo e entusiasmo que dedicas a determinadas actividades e não a outras (interesses + e -); - Listar as tarefas para as quais pareces ter mais jeito ou aprender mais facilmente (aptidões + e -); -Recorrer a uma avaliação psicológica junto de especialistas de Orientação Vocacional;

5 Procura de informação 3. Desconhecimento de materiais e sites de apoio à pesquisa; desconhecimento de outras estratégias de exploração de informação. Apenas recorri ao meu irmão mais velho e aos meus pais. Queria recolher mais informação na Internet mas não sei a que sites recorrer. Pesquisar sites de interesse geral; Esclarecer dúvidas junto de amigos e familiares mais velhos ou professores; Ler livros/ artigos/folhetos/jornais/ revistas/blogues sobre as áreas de estudo ou profissões (p.e. consultar o Arquivo na Biblioteca); Questionar profissionais de várias áreas para saber o que fazem na sua prática; Visitar exposições ou eventos relacionados com as áreas de estudo ou profissões; Participar em fóruns de discussão na Internet.

6 Identificação de alternativas 4. Surpresa quanto à multiplicidade de vias que o Sistema Educativo Português oferece rigidez na formulação de alternativas possíveis. Eu espero tirar um curso superior completo e para isso vou melhor preparada se tirar um curso Científico-Humanístico. Estou na dúvida se hei-de seguir um Curso Profissional pois tenho medo de depois não conseguir entrar na faculdade. Consultar o Dossier de Turma (apresenta uma síntese do Sistema Educativo Português e alguns sites de interesse para explorar cada uma das temáticas apresentadas); Pesquisar sites de interesse geral, que informam sobre as possibilidades de ingresso no Ensino Superior (notar que os Cursos na via qualificante também permitem o acesso ao Ensino Superior) Ir além do que parece óbvio abrir o leque de hipóteses e explorar, explorar, explorar!

7 Pesquisa em sites de informação Ensino Secundário: sitio.dgidc.min-edu.pt (Direcção Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular do Ministério da Educação); (ANQ - Agência Nacional Para a Qualificação); (IEFP - Instituto de Emprego e formação profissional); (Novas Oportunidades). Ensino Superior: rea.asp (Acesso ao Ensino Superior); (DGES - Direcção Geral do Ensino Superior); (AExames) Profissões: ea.asp (Acesso ao Ensino Superior); sp (Edusurfa).

8 Avaliação de alternativas 5. Alguma dificuldade em identificar critérios para avaliar as alternativas. Já tinha pensado em Humanidades, porque acho que é o curso que mais se adequa a mim; a minha indecisão é devido ao facto de que caso queira ir para Marketing e Publicidade, não sei se este é o agrupamento certo ou se deveria ir para Economia. Tenho tentado explorar as profissões de cada agrupamento a que já me referi. De acordo com isso, tento ver quais as que me despertam maior interesse e observo os prós e os contras relacionados directamente com os meus gostos. Critérios possíveis: Para cada via de ensino, conhecer as disciplinas do 10º ao 12º (e explorar a matéria dada); Para cada via de ensino, listar e explorar algumas saídas profissionais e os cursos do Ensino Superior ou Profissões aos quais te poderás candidatar no final do 12º Ano; Fazer o percurso inverso, ou seja, explorar alguns cursos do Ensino Superior pelos quais já tenhas interesse e verificar quais as vias de ensino que lhe dão acesso; Avaliar cada via de ensino, tendo em conta a sua relação com os interesses e aptidões pessoais.

9 Momento da decisão 6. Ter medo da incerteza e da irreversibilidade da decisão final. Penso que a opção pela área que escolhi é o que quero. Mas, às vezes, penso se depois não me irei arrepender, mas julgo que isso é normal. Não posso dizer que esteja perdida mas tenho receio da minha decisão porque a minha escolha pode ser demasiado exigente para as minhas capacidades. Por isso, não tenho a certeza de qual é a melhor decisão. Apesar de já ter tomado uma decisão, não tenho a certeza se é isso que me imagino a fazer no futuro e isso faz-me ter dúvidas sobre o que realmente quero. Assumir que a incerteza é natural no processo de tomada de decisão; Perceber que a mesma pessoa pode ter potencial para várias áreas e que uma mesma área tem potencial para receber diferentes pessoas! Perceber que a mudança acontece ao longo do tempo, pelo que é importante termos uma atitude de contínua exploração; Existe possibilidade de reverter a escolha: - Mudança até ao final do 1º Período do 10º Ano; - Permeabilidade e equivalências (para alunos que desejem frequentar outra via de ensino após terem frequentado o 10º Ano).

10 O processo de tomada de decisão envolve, em primeiro lugar, uma tomada de consciência da decisão a tomar, de acordo com objectivos pessoais! Exige que estejamos envolvidos em estratégias de exploração para nos conhecermos melhor e para nos informarmos sobre o mundo dos cursos e das profissões. Podemos usar múltiplas estratégias e diferentes critérios para apoiar a nossa decisão o importante é não ficarmos inertes. A incerteza é natural ao longo de qualquer processo de tomada de decisão. A escolha não é irreversível.

11

GABINETE DE APOIO PSICOLÓGICO Educação

GABINETE DE APOIO PSICOLÓGICO Educação Sessão de esclarecimento On-line Informação ao Encarregado de GABINETE DE APOIO PSICOLÓGICO Educação 1 ORIENTAÇÃO VOCACIONAL Gabinete de Apoio Psicológico Agrupamento de Escolas de Almeida 2 ORIENTAÇÃO

Leia mais

Orientação Vocacional e Coaching Carlos Gomes

Orientação Vocacional e Coaching Carlos Gomes Índice Introdução... 2 Método Orienta... 3 Técnica das frases para completar... 6 Realização do Teste Vocacional... 8 Autoavaliação do Teste Vocacional... 9 Exploração de Valores... 10 Autoconhecimento...

Leia mais

9º Ano E agora? PRINCIPAIS PERCURSOS POSSÍVEIS

9º Ano E agora? PRINCIPAIS PERCURSOS POSSÍVEIS 9º Ano E agora? PRINCIPAIS PERCURSOS POSSÍVEIS 9º Ano E agora? 1 - CURSOS CIENTÍFICO-HUMANÍSTICOS Vocacionados para o prosseguimento de estudos Duração de 3 anos 10º, 11º e 12ºanos Sujeitos a 4 eames nacionais:

Leia mais

Como ajudar o seu filho nas escolhas académicas e profissionais. Ideias para hoje e amanhã

Como ajudar o seu filho nas escolhas académicas e profissionais. Ideias para hoje e amanhã Como ajudar o seu filho nas escolhas académicas e profissionais Ideias para hoje e amanhã Os Pais e a Carreira dos Filhos O futuro profissional dos filhos é uma preocupação natural para todos os pais,

Leia mais

Sistema Educativo Português 2011/2012

Sistema Educativo Português 2011/2012 Sistema Educativo Português 011/01 Objectivos Promover a auto - exploração (interesses, capacidades e valores profissionais) Auto Conhecimento; Explorar o Mundo das Profissões; Explorar as oportunidades

Leia mais

SERVIÇOS DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO SPO

SERVIÇOS DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO SPO SERVIÇOS DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO SPO DECRETO-LEI Nº190/1991 DE 17 MAIO DECRETO-LEI Nº300/1997 DE 31 OUTUBRO / PORTARIA Nº 63 / 2001 DE 30 DE JANEIRO A escola e seus actores Agrupamento de Escolas de

Leia mais

http://www.dges.mctes.pt A ferramenta de pesquisa no acesso ao ensino superior Ano lectivo 2009/2010 spo.agrupamentoescolasfiaes@gmail.com O site www.dges.mctes.pt é o site do Ministério da Ciência Tecnologia

Leia mais

Entrevista Rodrigo

Entrevista Rodrigo Entrevista 1.17 - Rodrigo (Bloco A - Legitimação da entrevista onde se clarificam os objectivos do estudo, se contextualiza a realização do estudo e participação dos sujeitos e se obtém o seu consentimento)

Leia mais

Instituto Superior de Ciências Empresariais e do Turismo

Instituto Superior de Ciências Empresariais e do Turismo Instituto Superior de Ciências Empresariais e do Turismo DESDE 1990 O ISCET Instituto Superior de Ciências Empresariais e do Turismo é um estabelecimento de ensino superior politécnico, criado em 25 de

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL

AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos de Comunicação Organizacional sobre

Leia mais

Orientação Escolar e Profissional. 9.º Ano e Agora. Serviço de Psicologia e Orientação. Psicóloga Eduarda Seabra

Orientação Escolar e Profissional. 9.º Ano e Agora. Serviço de Psicologia e Orientação. Psicóloga Eduarda Seabra Orientação Escolar e Profissional 9.º Ano e Agora Serviço de Psicologia e Orientação Psicóloga Eduarda Seabra Dossier Informação Escolar e Profissional Pág.1 1 Natureza dos Cursos Científico-Humanísticos

Leia mais

Exames Nacionais 2017 e Candidatura ao Ensino Superior

Exames Nacionais 2017 e Candidatura ao Ensino Superior Exames Nacionais 2017 e Candidatura ao Ensino Superior Atualizado em 19.09.2016 Exames Nacionais do Ensino Secundário e Candidatura ao Ensino Superior Datas mais importantes a ter em conta*. Ao longo do

Leia mais

Principais Temas. Gosto 26/09/2015. Principais temas abordados por jovens vestibulandos na escolha profissional

Principais Temas. Gosto 26/09/2015. Principais temas abordados por jovens vestibulandos na escolha profissional Principais temas abordados por jovens vestibulandos na escolha profissional Pontifícia Universidade Católica de Goiás Prof.ª Ms. Otília Loth Principais Temas É imprescindível considerar variáveis psicológicas,

Leia mais

Análise Crítica de Websites. 4º Trabalho Prático Design e Multimédia [ ] Realizado por: [ ] João Paulo Baptista Martins Pereira

Análise Crítica de Websites. 4º Trabalho Prático Design e Multimédia [ ] Realizado por: [ ] João Paulo Baptista Martins Pereira Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra Departamento de Engenharia Informática 4º Trabalho Prático Design e Multimédia [2006-2007] Análise Crítica de Websites Realizado por: [501000915]

Leia mais

Reflexão do Curso 1ª Reflexão do Curso Técnico/a de Informática Sistemas Maria João Bastos

Reflexão do Curso 1ª Reflexão do Curso Técnico/a de Informática Sistemas Maria João Bastos 1ª Reflexão do Curso 18-02-2010 Técnico/a de Informática Sistemas Maria João Bastos Formação Base Cidadania e Profissionalidade Na nossa sociedade actual parece-me de extrema importância este tema ser

Leia mais

Toma um atitude pró-ativa na construção do teu

Toma um atitude pró-ativa na construção do teu Agrupamento de Escolas D. Lourenço Vicente Programa de Orientação Escolar Psicóloga Dra. Cláudia Almeida Toma um atitude pró-ativa na construção do teu futuro! E quais são as tuas opções de progressão

Leia mais

O ENSINO ARTICULADO DA MÚSICA NO 2º CICLO

O ENSINO ARTICULADO DA MÚSICA NO 2º CICLO O ENSINO ARTICULADO DA MÚSICA NO 2º CICLO Reconhecendo a importância da educação artística e em particular da educação musical na formação integral do aluno, o Conservatório de Caldas da Rainha possibilita,

Leia mais

PLANO DE ACTIVIDADES DA BIBLIOTECA ESCOLAR / CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS 2008/2009

PLANO DE ACTIVIDADES DA BIBLIOTECA ESCOLAR / CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS 2008/2009 DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO NORTE CENTRO DE ÁREA EDUCATIVA DE VILA REAL Cod. 345696 AGRUPAMENTO VERTICAL DO BAIXO BARROSO PLANO DE ACTIVIDADES DA BIBLIOTECA ESCOLAR / CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS

Leia mais

COLÉGIO DE ALBERGARIA REGULAMENTO INTERNO MODELO DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS

COLÉGIO DE ALBERGARIA REGULAMENTO INTERNO MODELO DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS REGULAMENTO INTERNO MODELO DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS 1. INTRODUÇÃO De acordo com o Projecto Educativo do Colégio de Albergaria e a legislação em vigor sobre a avaliação das aprendizagens dos alunos nos vários

Leia mais

Concurso CONSTRÓI O TEU FUTURO ANEXO ao Regulamento Guião de Base para desenvolvimento de app

Concurso CONSTRÓI O TEU FUTURO ANEXO ao Regulamento Guião de Base para desenvolvimento de app Concurso CONSTRÓI O TEU FUTURO ANEXO ao Regulamento Guião de Base para desenvolvimento de app 1.º ECRÃ Começa este percurso de exploração CONSTRÓI O TEU FUTURO! ONDE ESTOU? ESTOU NO ENSINO BÁSICO ESTOU

Leia mais

Critérios de Avaliação na Educação Pré-Escolar

Critérios de Avaliação na Educação Pré-Escolar Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal Critérios de Avaliação na Educação Pré-Escolar Revistos e aprovados na reunião de Departamento de 13 de setembro de 2016 Introdução O princípio consensualmente

Leia mais

VOLTA DE APOIO AO EMPREGO

VOLTA DE APOIO AO EMPREGO VOLTA DE APOIO AO EMPREGO CIDADE DAS PROFISSÕES A CIDADE DAS PROFISSÕES É UM ESPAÇO GRATUITO DE INFORMAÇÃO E CONSULTORIA SOBRE A VIDA PROFISSIONAL E O MUNDO DO TRABALHO PROMOVIDO PELA CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

Oferta Formativa Ensino Secundário

Oferta Formativa Ensino Secundário Oferta Formativa 2012017 Ensino Secundário Que caminho seguir Cursos gerais Cursos profissionais INTERESSES APTIDÕES EMPREGABILIDDAE O teu futuro profissional começa agora Faz uma escolha ponderada e consciente

Leia mais

Gurus da Qualidade. Walter Shewhart

Gurus da Qualidade. Walter Shewhart Gurus da Qualidade João Noronha ESAC/IPC Walter Shewhart 1891-1967 Cartas de controlo Causas normais e causas especiais de variação Controlo estatístico do processo Ciclo PDCA Plan, Do, Check, Act Ciclo

Leia mais

Serra do Saber. Formação Pedagógica Inicial de Formadores

Serra do Saber. Formação Pedagógica Inicial de Formadores Formação Pedagógica Inicial de Formadores Fundamentação Este curso apresenta de uma forma clara e recorrendo a uma metodologia teórico-prática, os conhecimentos necessários para a formação de formadores

Leia mais

* O que originou a designação Operational Research no Reino Unido, A origem da Investigação Operacional (IO)?

* O que originou a designação Operational Research no Reino Unido, A origem da Investigação Operacional (IO)? A origem da Investigação Operacional (IO)? A IO surgiu no final da II Guerra Mundial quando os Aliados se viram confrontados com problemas (relativamente aos recursos logísticos e às operações* das forças

Leia mais

O que é o programa Liderança Para a Mudança (LPM)?

O que é o programa Liderança Para a Mudança (LPM)? O que é o programa Liderança Para a Mudança (LPM)? O Liderança para a Mudança é um programa de aprendizagem activa para o desenvolvimento dos enfermeiros como líderes e gestores efectivos num ambiente

Leia mais

Inquérito por Questionário - Professores

Inquérito por Questionário - Professores Inquérito por Questionário - Professores INSTRUÇÕES Este questionário destina-se a recolher informação para um projecto de investigação sobre "Gestão Cooperada do Currículo como mecanismo de desenvolvimento

Leia mais

Plano Anual de Atividades

Plano Anual de Atividades Plano Anual de Atividades ANO LECTIVO 2011 / 2012 Índice Introdução -------------------------------------------------------------------------------------------- 2 Procedimentos adoptados -----------------------------------------------------------------------

Leia mais

BREVE REFLEXÃO SOBRE A PRÁTICA PEDAGÓGICA EM AULAS NO ENSINO MÉDIO

BREVE REFLEXÃO SOBRE A PRÁTICA PEDAGÓGICA EM AULAS NO ENSINO MÉDIO 466 BREVE REFLEXÃO SOBRE A PRÁTICA PEDAGÓGICA EM AULAS NO ENSINO MÉDIO Hélio Márcio Nunes Lacerda UFT/Letras heliomarcio207@yahoo.co.uk Naiana Siqueira Galvão UFT/Letras anaiangalvao@hotmail.com Esse trabalho

Leia mais

O que os pais devem saber, sobre o processo de tomada de decisão

O que os pais devem saber, sobre o processo de tomada de decisão AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOÃO DE BARROS SERVIÇOS DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO O que os pais devem saber, sobre o processo de tomada de decisão O adolescente depara-se com várias tarefas de desenvolvimento

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL NA FASE DA ADOLESCÊNCIA ALEXANDRA SCHÜTZ

A IMPORTÂNCIA DA ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL NA FASE DA ADOLESCÊNCIA ALEXANDRA SCHÜTZ 1 UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE EDUCAÇÃO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE PSICOLOGIA A IMPORTÂNCIA DA ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL NA FASE DA ADOLESCÊNCIA ALEXANDRA SCHÜTZ Itajaí, (SC) 2007 ALEXANDRA

Leia mais

Descrição do Curso de Verão

Descrição do Curso de Verão Descrição do Curso de Verão Portugal - 1 de 7 - Introdução O BEST Board of European Students of Technology é uma associação sem fins lucrativos, políticos ou religiosos que reúne estudantes de Engenharia,

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE LÍNGUA GESTUAL PORTUGUESA

AVALIAÇÃO DO CURSO DE LÍNGUA GESTUAL PORTUGUESA AVALIAÇÃO DO CURSO DE LÍNGUA GESTUAL PORTUGUESA Setembro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos de Língua Gestual Portuguesa sobre

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR 2016/2017 A AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR 1 INTRODUÇÃO Enquadramento Normativo Avaliar o processo e os efeitos, implica

Leia mais

Cursos Profissionais

Cursos Profissionais Ensino Secundário - Cursos Científico-Humanísticos Artes Visuais Línguas e Humanidades Ciências Socioeconómicas Ciências e Tecnologias Agrupamento de Escola de Anadia Cursos Profissionais Condições de

Leia mais

ANIMAÇÃO DE LEITURA THEKA

ANIMAÇÃO DE LEITURA THEKA THEKA O que é? Para que serve? Que objectivos queremos alcançar? Que iniciativas utilizar? Que actividades desenvolver? Que estratégias aplicar? Como avaliar? COMO ENTENDÊ-LA ENTUSIASMAR? ANIMAR? DINAMIZAR?

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PEDRO ALEXANDRINO BIG 6. Modelo de Pesquisa e Tratamento da Informação

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PEDRO ALEXANDRINO BIG 6. Modelo de Pesquisa e Tratamento da Informação AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PEDRO ALEXANDRINO BIG 6 Modelo de Pesquisa e Tratamento da Informação RAZÕES DA ADOÇÃO DE UM MODELO DE PESQUISA Importância do desenvolvimento de competências de investigação: procurar

Leia mais

Melhorar as aprendizagens e consolidar conhecimentos. Colmatar as dificuldades ao nível da compreensão oral e escrita.

Melhorar as aprendizagens e consolidar conhecimentos. Colmatar as dificuldades ao nível da compreensão oral e escrita. Escola Secundária Abel Salazar Sala de Estudo DEFINIÇÃO Pretende-se que a Sala de Estudo seja um espaço com um ambiente educativo diferente daquele a que o aluno está habituado a vivenciar nas áreas curriculares

Leia mais

5º Painel Formação e a sua evolução: A formar há cinco décadas, para onde vai a formação em Portugal

5º Painel Formação e a sua evolução: A formar há cinco décadas, para onde vai a formação em Portugal Publicação apoiada pelo projeto PEst-OE/EGE/UI4056/2014 UDI/IPG, financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia, pelo qual agradecemos. 5º Painel Formação e a sua evolução: A formar há cinco décadas,

Leia mais

Investigação sobre o currículo Síntese da discussão do grupo temático

Investigação sobre o currículo Síntese da discussão do grupo temático Grupo temático Investigação sobre o currículo Investigação sobre o currículo Síntese da discussão do grupo temático Cristina Loureiro Escola Superior de Educação de Lisboa Irene Segurado Escola B2,3 Rui

Leia mais

Portfolio: uma ferramenta pedagógica para aprender. Lurdes Gonçalves

Portfolio: uma ferramenta pedagógica para aprender. Lurdes Gonçalves Portfolio: uma ferramenta pedagógica para aprender Lurdes Gonçalves mgoncalves@dte.ua.pt www.portfolio.alfarod.net Tópicos da apresentação 4. Conceito 5. Percurso individual 6. Notas de experiência 7.

Leia mais

Aulas: Sumário / Resumo

Aulas: Sumário / Resumo Aulas: Sumário / Resumo a. Aula 1 (05-03-07) Aula em que foi apresentada a disciplina, e a plataforma que será usada na disciplina (teleduc); (aula em que não estive presente). b. Aula 2 (12-03-07) Aula

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES (PAA) Adenda n.º 1. Viagens na minha Terra 2014/2015

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES (PAA) Adenda n.º 1. Viagens na minha Terra 2014/2015 PLANO ANUAL DE ATIVIDADES (PAA) Adenda n.º 1 Viagens na minha Terra 2014/2015 1 Tabela XXIII- Departamento curricular da Educação Pré-escolar Celebrar o Natal ida ao circo Destinatários: alunos da educação

Leia mais

OBJECTIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS DA EDUCAÇÃO AFECTIVO- SEXUAL

OBJECTIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS DA EDUCAÇÃO AFECTIVO- SEXUAL OBJECTIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS DA EDUCAÇÃO AFECTIVO- SEXUAL Numa perspectiva global pretende-se que no 2º ciclo os alunos Adquiram e aumentem conhecimentos: Sobre o conceito de sexualidade e as suas diferentes

Leia mais

PROJECTO EDUCAR PARA A SAÚDE

PROJECTO EDUCAR PARA A SAÚDE Ano lectivo 2009/2010 PROJECTO EDUCAR PARA A SAÚDE Equipa: Ana Luísa Leal António Sousa Célia Oliveira Justa Costa PROJECTO EDUCAR PARA A SAÚDE 1º PERÍODO ÁREA de INTERVENÇÃO- HÁBITOS ALIMENTARES DEFICITÁRIOS

Leia mais

Planificação de Atividades do Serviço de Psicologia e Orientação Ano Letivo 2012 / 2013

Planificação de Atividades do Serviço de Psicologia e Orientação Ano Letivo 2012 / 2013 Planificação de Atividades do Serviço de Psicologia e Orientação Ano Letivo 2012 / 2013 Psicóloga Ana Rita Antunes (2º e 3º Ciclos e Coordenadora do Serviço de Psicologia e Orientação) Psicóloga Filipa

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular GESTÃO FINANCEIRA Ano Lectivo 2010/2011

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular GESTÃO FINANCEIRA Ano Lectivo 2010/2011 Programa da Unidade Curricular GESTÃO FINANCEIRA Ano Lectivo 2010/2011 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Contabilidade 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

PORTUGUÊS CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS. ENSINO BÁSICO (2.º e 3.º CICLOS) ENSINO SECUNDÁRIO

PORTUGUÊS CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS. ENSINO BÁSICO (2.º e 3.º CICLOS) ENSINO SECUNDÁRIO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº 4 DE ÉVORA SEDE: ESCOLA SECUNDÁRIA ANDRÉ DE GOUVEIA CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS PORTUGUÊS ENSINO BÁSICO (2.º e 3.º CICLOS) ENSINO SECUNDÁRIO outubro

Leia mais

Pensamento Positivo. Pr. Rodrigo Moraes

Pensamento Positivo. Pr. Rodrigo Moraes Pensamento Positivo Pr. Rodrigo Moraes Pensamento Positivo Pastor Rodrigo Moraes Igreja Nova Aliança Ministério Atraindo Vidas Para Deus - AVD 2015 Prefácio Esta é uma obra com o intuito de mostrar com

Leia mais

WY XP. WyExperience Vivenciando o conhecimento. 2 meses longe de casa. Imersão em Ciência & Tech. Capacitação em empreendedorismo & inovação

WY XP. WyExperience Vivenciando o conhecimento. 2 meses longe de casa. Imersão em Ciência & Tech. Capacitação em empreendedorismo & inovação WY XP WyExperience Vivenciando o conhecimento Imersão em Ciência & Tech 2 meses longe de casa Capacitação em empreendedorismo & inovação Procura-se! Estudante apaixonado por conhecimento, que sonhe com

Leia mais

CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE APOIO À INFÂNCIA Planificação Anual

CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE APOIO À INFÂNCIA Planificação Anual Planificação Anual Disciplina: TÉCNICA PEDAGÓGICA E INTERVENÇÃO EDUCATIVA Turma 12ºH Professora: Carla Amaral 1 - Estrutura e Finalidades da disciplina A disciplina de Técnica Pedagógica e Intervenção

Leia mais

Disciplina de Matemática. Critérios de Avaliação do Ensino Secundário

Disciplina de Matemática. Critérios de Avaliação do Ensino Secundário AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº 2 DE BEJA ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO D. MANUEL I ANO LECTIVO DE 2015-2016 DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS Disciplina de Matemática Critérios de Avaliação

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO 2015/2016 DOMÍNIOS DE AVALIAÇÃO. Assiduidade/Pontualidade (2%) Comportamento / Relação com os outros (6%)

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO 2015/2016 DOMÍNIOS DE AVALIAÇÃO. Assiduidade/Pontualidade (2%) Comportamento / Relação com os outros (6%) PORTUGUÊS DOMÍNIOS DE Leitura / Educação literária (25) Escrita (25) Gramática (15) Oralidade (15) 80 Assiduidade/Pontualidade (2) Comportamento / Relação com os outros (6) Organização do material (2)

Leia mais

DOSSIER DE APRESENTAÇÃO

DOSSIER DE APRESENTAÇÃO DOSSIER DE APRESENTAÇÃO O índice de desemprego jovem atinge os 34,8% em Portugal, umas das maiores taxas de desemprego jovem na União Europeia. in Tendências Globais de Emprego para a Juventude 2015, Organização

Leia mais

Perguntas mais frequentes

Perguntas mais frequentes Perguntas mais frequentes Sucesso ao Alcance de Todos Pág: 1 de 7 Índice 1. Que posso conseguir com esta oportunidade?... 3 2. Tenho de ter exclusividade?... 3 3. Será que funciona? Será um negócio de

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VIZELA VIZELA Escola sede: ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS DE VIZELA INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE SOCIOLOGIA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VIZELA VIZELA Escola sede: ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS DE VIZELA INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE SOCIOLOGIA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VIZELA VIZELA Escola sede: ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS DE VIZELA INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE SOCIOLOGIA Prova: 344 / 2015 12.º Ano de Escolaridade Formação

Leia mais

Modelo Unificado do Saber a Desenvolver no Âmbito do ISCE CI.

Modelo Unificado do Saber a Desenvolver no Âmbito do ISCE CI. Modelo Unificado do Saber a Desenvolver no Âmbito do ISCE CI. Com vista a envolver todos os intervenientes institucionais (docentes do quadro, docentes convidados, estudantes dos diversos graus de ensino

Leia mais

LICENCIATURA EM CINEMA E AUDIOVISUAL

LICENCIATURA EM CINEMA E AUDIOVISUAL LICENCIATURA EM CINEMA E AUDIOVISUAL NORMAS REGULAMENTARES Curso do 1º ciclo de estudos do ensino superior, de cariz universitário, conferente do grau de licenciado, adequado ao Processo de Bolonha, constante

Leia mais

Trabalho colaborativo e didática da ortografia

Trabalho colaborativo e didática da ortografia Ensinar Português hoje: problemas e desafios Trabalho colaborativo e didática da ortografia Maria João Macário mjoaomacario@ua.pt Cristina Manuela Sá cristina@ua.pt Estrutura da apresentação I - Breve

Leia mais

Anexo A Escala de Autoconceito

Anexo A Escala de Autoconceito Anexo A Escala de Autoconceito - Piers-Harris Children s Self-Concept Scale - Orientações para Administração ESCALA DE AUTO-CONCEITO (Piers-Harris Children s Self-Concept Scale 2) Nome: Idade: Data de

Leia mais

Guia do Formador de Igualdade de Oportunidades e Manual do Participante

Guia do Formador de Igualdade de Oportunidades e Manual do Participante CARACTERIZAÇÃO DO PRODUTO Guia do Formador de Igualdade de Oportunidades e Manual do Participante Produção apoiada pelo Programa Operacional de Emprego, Formação e Desenvolvimento Social (POEFDS), co-financiado

Leia mais

Câmara de Lobos, 15 de setembro de 2015

Câmara de Lobos, 15 de setembro de 2015 GRUPO 300 Português 7.º / 8.º e 9.º anos Critérios de avaliação Perce ntage m Total TESTES DE AVALIAÇÃO LEITURA / EDUCAÇÃO LITERÁRIA / - ler e interpretar textos diversos - escrever para expressar conhecimentos.

Leia mais

Instituto Superior de Ciências Empresariais e do Turismo

Instituto Superior de Ciências Empresariais e do Turismo Instituto Superior de Ciências Empresariais e do Turismo DESDE 1990 O ISCET Instituto Superior de Ciências Empresariais e do Turismo é um estabelecimento de ensino superior politécnico, criado em 25 de

Leia mais

Economia da Educação 2015/2016 Pedro Telhado Pereira 2ª frequência 9/6/2016 (Duração minutos) Tópicos de resolução

Economia da Educação 2015/2016 Pedro Telhado Pereira 2ª frequência 9/6/2016 (Duração minutos) Tópicos de resolução Nome: Nº: Economia da Educação 2015/2016 Pedro Telhado Pereira 2ª frequência 9/6/2016 (Duração - 120 minutos) Tópicos de resolução As respostas devem ser dadas na folha de enunciado I Uma das competências

Leia mais

Matrícula: 2. A minha matrícula está inativa 3. O CEJA Virtual 4

Matrícula: 2. A minha matrícula está inativa 3. O CEJA Virtual 4 Perguntas frequentes Matrícula: 2 1. Estou tentando fazer a minha pré-matrícula no site, mas está aparecendo a informação de que o meu CPF já está em uso. O que eu faço? 2 2. Quero transferir a minha matrícula

Leia mais

É escolher um tema, clarificá-lo nos seus diversos aspectos, e tomar uma posição sobre o assunto. Não é necessariamente inventar algo.

É escolher um tema, clarificá-lo nos seus diversos aspectos, e tomar uma posição sobre o assunto. Não é necessariamente inventar algo. Elaborar um trabalho de pesquisa 1 É escolher um tema, clarificá-lo nos seus diversos aspectos, e tomar uma posição sobre o assunto. Não é necessariamente inventar algo. 2 1º - ESCOLHER o tema 2º - PROCURAR

Leia mais

realidade das profissões

realidade das profissões 12 12 Escolha Certa! Certa! As profissões As profissões do século do 21 século 21 Uma decisão difícil, extremamente pessoal. É dessa maneira que pode ser encarado esse momento crucial na vida do jovem:

Leia mais

Curso de Pós - Licenciatura de Especialização em Enfermagem Médico-Cirúrgica

Curso de Pós - Licenciatura de Especialização em Enfermagem Médico-Cirúrgica ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DE COIMBRA ÁREA CIENTÍFICA DE ENFERMAGEM DO ADULTO E IDOSO Curso de Pós - Licenciatura de Especialização em Enfermagem Médico-Cirúrgica REGIME DE FREQUÊNCIA, AVALIAÇÃO, PRECEDÊNCIAS

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: PSICOLOGIA Campus: MACAÉ Missão O Curso de Psicologia da Estácio de Sá tem como missão formar profissionais Psicólogos generalistas que no desempenho de suas atividades

Leia mais

CURSOS CIENTÍFICO HUMANÍSTICOS DE LÍNGUAS E HUMANIDADES Planificação anual de ESPANHOL 10.º ano (iniciação) Turmas: E Professora: Cecília Marinho

CURSOS CIENTÍFICO HUMANÍSTICOS DE LÍNGUAS E HUMANIDADES Planificação anual de ESPANHOL 10.º ano (iniciação) Turmas: E Professora: Cecília Marinho CURSOS CIENTÍFICO HUMANÍSTICOS DE LÍNGUAS E HUMANIDADES Planificação anual de ESPANHOL 10.º ano (iniciação) Turmas: E Professora: Cecília Marinho 1 - Estrutura e Finalidades da disciplina A disciplina

Leia mais

Vias de conclusão do ensino secundário Decreto-Lei nº 357/2007

Vias de conclusão do ensino secundário Decreto-Lei nº 357/2007 Vias de conclusão do ensino secundário Decreto-Lei nº 357/2007 Objectivo? A quem se destina? Vias de Conclusão do Nível Secundário de Educação Que entidades? Como se operacionaliza? Objectivo Criar uma

Leia mais

OBJECTIVOS ESPECÍFICOS / COMPETÊNCIAS A ADQUIRIR PELOS FORMANDOS

OBJECTIVOS ESPECÍFICOS / COMPETÊNCIAS A ADQUIRIR PELOS FORMANDOS ESTRUTURA PROGRAMÁTICA DO CURSO MÓDULOS OBJECTIVOS ESPECÍFICOS / COMPETÊNCIAS A ADQUIRIR PELOS FORMANDOS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Acolhimento dos formandos e Apresentação do Curso A entidade formadora;

Leia mais

Concurso de Pintura Pintar Vieira do Minho. Regulamento 2008

Concurso de Pintura Pintar Vieira do Minho. Regulamento 2008 Concurso de Pintura Pintar Vieira do Minho Regulamento 2008 Artigo Primeiro Objectivos O Concurso de Pintura Pintar Vieira Minho, terceiro ano, organizado pela Câmara Municipal de Vieira do Minho, tem

Leia mais

Programa de Tutorias (PT) Presidência Gabinete de Apoio ao Estudante e ao Diplomado Conselho Pedagógico

Programa de Tutorias (PT) Presidência Gabinete de Apoio ao Estudante e ao Diplomado Conselho Pedagógico Programa de Tutorias (PT) Presidência Gabinete de Apoio ao Estudante e ao Diplomado Conselho Pedagógico 1 Sumário Enquadramento Missão e objetivos Projeto-piloto Funcionamento do PT 2015/2016 Conclusões

Leia mais

ESTRUTURA, FORMATO E OBJETIVOS DA ESCOLA DE PROFESSORES DO ENSINO MÉDIO (EPEM)

ESTRUTURA, FORMATO E OBJETIVOS DA ESCOLA DE PROFESSORES DO ENSINO MÉDIO (EPEM) 1 REDEENSINAR JANEIRO DE 2001 ESTRUTURA, FORMATO E OBJETIVOS DA ESCOLA DE PROFESSORES DO ENSINO MÉDIO (EPEM) Guiomar Namo de Mello Diretora Executiva da Fundação Victor Civita Diretora de Conteúdos da

Leia mais

ATENÇÃO: O bloco de exercício que verá a seguir, é um dos 64 que pertencem ao módulo 1 do Curso de Eletroeletrônica Analógica e Digital.

ATENÇÃO: O bloco de exercício que verá a seguir, é um dos 64 que pertencem ao módulo 1 do Curso de Eletroeletrônica Analógica e Digital. ATENÇÃO: O bloco de exercício que verá a seguir, é um dos 64 que pertencem ao módulo 1 do Curso de Eletroeletrônica Analógica e Digital. A partir dele terá uma idéia de onde o treinamento poderá lhe levar.

Leia mais

Os conteúdos programáticos serão trabalhados de acordo com os seguintes parâmetros:

Os conteúdos programáticos serão trabalhados de acordo com os seguintes parâmetros: 3º ciclo Oferta Complementar: Apoio ao estudo da disciplina de Português Domínios Ponderação Componente cognitiva (capacidades e conhecimentos) Oralidade Leitura Escrita Gramática 80% Componente socioafetiva

Leia mais

3. ORIENTAÇÕES IDEB E POSSÍVEIS ANÁLISES

3. ORIENTAÇÕES IDEB E POSSÍVEIS ANÁLISES 3. ORIENTAÇÕES IDEB E POSSÍVEIS ANÁLISES O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) é o indicador nacional que reflete a situação da unidade escolar a partir do resultado de dois componentes:

Leia mais

Inovação. Data: 12/04/2012. Inovação é a exploração com sucesso de novas idéias. United Kingdom Department of Trade & Industry

Inovação. Data: 12/04/2012. Inovação é a exploração com sucesso de novas idéias. United Kingdom Department of Trade & Industry Cursos: Administração / Ciências Contábeis Disciplina: Inovação Tecnológica Data: 12/04/2012 Inovação Inovação é a exploração com sucesso de novas idéias. United Kingdom Department of Trade & Industry

Leia mais

LITERACIAS de INFORMAÇÃO: as Ferramentas das Sociedades Contemporâneas

LITERACIAS de INFORMAÇÃO: as Ferramentas das Sociedades Contemporâneas LITERACIAS de INFORMAÇÃO: as Ferramentas das Sociedades Contemporâneas O Modelo PLUS, uma proposta sustentada para enfrentar a Sociedade de Informação O CONCEITO Engloba o conhecimento das necessidades

Leia mais

Adriana Cybele Ferrari

Adriana Cybele Ferrari Adriana Cybele Ferrari Coordenadora da Unidade de Bibliotecas e Leitura Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo São Paulo, 12 de Março de 2013 Espaços vivos de interação das pessoas; O elemento central

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular CONSULTA PSICOLÓGICA E EXAME PSICOLÓGICO Ano Lectivo 2013/2014

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular CONSULTA PSICOLÓGICA E EXAME PSICOLÓGICO Ano Lectivo 2013/2014 Programa da Unidade Curricular CONSULTA PSICOLÓGICA E EXAME PSICOLÓGICO Ano Lectivo 2013/2014 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (2º Ciclo) 2. Curso Mestrado em Psicologia Clínica 3. Ciclo

Leia mais

NA EDUCAÇÃO INFANTIL, A TAREFA DE ENSINAR É MUITO SÉRIA. entusiasmo pela

NA EDUCAÇÃO INFANTIL, A TAREFA DE ENSINAR É MUITO SÉRIA. entusiasmo pela NA EDUCAÇÃO INFANTIL, A TAREFA DE ENSINAR É MUITO SÉRIA. desco entusiasmo pela berta só o é anglo. ENSINAR É UMA TAREFA MUITO SÉRIA. MAS ISSO NÃO QUER DIZER QUE NÃO POSSA VIR ACOMPANHADA DE AFETO E DE

Leia mais

FORMAÇÃO PROFISSIONAL DO PESSOAL NÃO DOCENTE

FORMAÇÃO PROFISSIONAL DO PESSOAL NÃO DOCENTE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DO PESSOAL NÃO DOCENTE ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO E ENSINO NÃO SUPERIOR DIRECÇÃO GERAL DOS RECURSOS HUMANOS DA EDUCAÇÃO DIVISÃO DE APOIO À FORMAÇÃO DO PESSOAL NÃO DOCENTE CARACTERIZAÇÃO

Leia mais

A PRESENÇA DA LINGUAGEM ESCRITA NOS PROJETOS CURRICULARES DE GRUPO

A PRESENÇA DA LINGUAGEM ESCRITA NOS PROJETOS CURRICULARES DE GRUPO A PRESENÇA DA LINGUAGEM ESCRITA NOS PROJETOS CURRICULARES DE GRUPO MARIA HELENA HORTA (hhorta@ualg.pt) CONVERSAS SOBRE A INFÂNCIA BIBLIOTECA MUNICIPAL DE FARO ---- Outubro 2012 Nota introdutória Conhecimento

Leia mais

As reuniões e o secretariado das reuniões

As reuniões e o secretariado das reuniões Escola Secundaria de Paços de Ferreira As reuniões e o secretariado das reuniões Trabalho realizado por: Tânia Leão n.º19 Reuniões As reuniões permitem a um grupo de pessoas com um interesse ou objectivo

Leia mais

CURRICULUM VITAE Licenciatura em Sociologia, realizada na Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, com média final de 15 valores.

CURRICULUM VITAE Licenciatura em Sociologia, realizada na Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, com média final de 15 valores. CURRICULUM VITAE ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO Mónica Catarina do Adro Lopes Nacionalidade: Portuguesa Naturalidade: Leiria B.I: 11580295 Contribuinte: 214859487 Data de nascimento: 02/12/78 Estado civil:

Leia mais

Descrição de Um Leitor Ativo Leitura do texto: A moringa, a geladeira e a roupa no varal

Descrição de Um Leitor Ativo Leitura do texto: A moringa, a geladeira e a roupa no varal Descrição de Um Leitor Ativo Leitura do texto: A moringa, a geladeira e a roupa no varal Acompanhe o leitor competente em ação. Leio o titulo: A moringa, a geladeira e a roupa no varal. São três coisas

Leia mais

Escola Secundária com 3º Ciclo D. Manuel I de Beja

Escola Secundária com 3º Ciclo D. Manuel I de Beja Escola Secundária com 3º Ciclo D. Manuel I de Beja Psicologia B 12º ano Ano lectivo 2011/2012 Critérios de avaliação Competências: Equacionar a Psicologia no panorama geral das ciências; Capacidades de

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MOGADOURO REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE DOCENTES DO PRÉ - ESCOLAR

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MOGADOURO REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE DOCENTES DO PRÉ - ESCOLAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MOGADOURO REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE DOCENTES DO PRÉ - ESCOLAR Ano Letivo: 2012 / 2013 ÍNDICE CAPÍTULO I PÁG. ÂMBITO 3 CAPÍTULO I I Conselho de Docentes 3 CAPÍTULO III Competências

Leia mais

Programa de Matemática 1.º ano

Programa de Matemática 1.º ano Programa de Matemática 1.º ano Introdução A Matemática é uma das ciências mais antigas e é igualmente das mais antigas disciplinas escolares, tendo sempre ocupado, ao longo dos tempos, um lugar de relevo

Leia mais

PLANO TIC E D U C A Ç Ã O P RÉ- E S C O L A R E 1 º C I C L O

PLANO TIC E D U C A Ç Ã O P RÉ- E S C O L A R E 1 º C I C L O PLANO TIC E D U C A Ç Ã O P RÉ- E S C O L A R E 1 º C I C L O D O E N S I N O B Á S I C O 2011-2012 O Coordenador TIC Susana Isabel F. Almendra Neno CARACTERIZAÇÃO DA ESCOLA IDENTIFICAÇÃO DO COORDENADOR

Leia mais

O Sonho. Intervenção pela Arte. Educação para todos. Realização de espectáculos nacionais e internacionais. Associação/ Cooperativa

O Sonho. Intervenção pela Arte. Educação para todos. Realização de espectáculos nacionais e internacionais. Associação/ Cooperativa O Sonho Intervenção pela Arte Educação para todos Realização de espectáculos nacionais e internacionais Associação/ Cooperativa Estado de Arte O que tem acontecido em Portugal ao nível do serviço educativo?

Leia mais

Planificação anual de Educação Sexual - 5ºano

Planificação anual de Educação Sexual - 5ºano AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANSELMO DE ANDRADE ANO LETIVO 2011-2012 Planificação anual de Educação Sexual - 5ºano Conteúdos Metodologias Objetivos Activides Calenrização Disciplinas envolvis Avaliação Diverside,

Leia mais

Gustv Eiffel Centro Novas Oportunidades

Gustv Eiffel Centro Novas Oportunidades COOPTÉCNICA GUSTAVE EIFFEL Gustv Eiffel Centro Novas Oportunidades FICHA 1 CALENDARIZAÇÃO DAS SESSÕES Nome Nº de Documento de Identificação Etapa Sessão Tipo de Actividade Data Hora Duração Prevista Acolhimento

Leia mais

Trabalho 3: Visionamento de uma sessão no Webinars

Trabalho 3: Visionamento de uma sessão no Webinars Departamento de Matemática Mestrado em Ensino de Matemática no 3º Ciclo do Ensino Básico e no Ensino Secundário Trabalho 3: Visionamento de uma sessão no Webinars Meios Computacionais no Ensino Professor:

Leia mais

Identificar e avaliar criticamente uma variedade métodos de investigação utilizados pelos investigadores.

Identificar e avaliar criticamente uma variedade métodos de investigação utilizados pelos investigadores. METODOLOGIAS DE INVESTIGAÇÃO [25800] GERAL Regime: Semestre: OBJETIVOS Fornecer os conceitos teóricos inerentes ao conhecimento científico e, por outro lado, fornecer os instrumentos metodológicos essenciais

Leia mais

Projecto de Decreto Regulamentar Avaliação de Desempenho Docente

Projecto de Decreto Regulamentar Avaliação de Desempenho Docente Projecto de Decreto Regulamentar Avaliação de Desempenho Docente Uma avaliação dos professores justa, séria e credível, que seja realmente capaz de distinguir o mérito e de estimular e premiar o bom desempenho,

Leia mais

A Educação Profissional e Tecnológica. Conceituação Princípios Objetivos Características

A Educação Profissional e Tecnológica. Conceituação Princípios Objetivos Características A Educação Profissional e Tecnológica Conceituação Princípios Objetivos Características Conceituação A educação profissional tecnológica, integrada às diferentes formas de educação, ao trabalho, a ciência

Leia mais