"Ele dará testemunho a meu favor. E vós também haveis de dar testemunho"

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download ""Ele dará testemunho a meu favor. E vós também haveis de dar testemunho""

Transcrição

1 Evangelho segundo S. João 15, ,1-4. «Quando vier o Paráclito, o Espírito da Verdade, que procede do Pai, e que Eu vos hei-de enviar da parte do Pai, Ele dará testemunho a meu favor. E vós também haveis de dar testemunho, porque estais comigo desde o princípio.» «Dei-vos a conhecer estas coisas para não vos perturbardes. Sereis expulsos das sinagogas; há-de chegar mesmo a hora em que quem vos matar julgará que presta um serviço a Deus! E farão isto por não terem conhecido o Pai nem a mim. Deixo-vos ditas estas coisas, para que, quando chegar a hora, vos lembreis de que Eu vo-las tinha dito. Não vo-las disse, porém, desde o princípio, porque Eu estava convosco.» Catecismo da Igreja Católica , 737 "Ele dará testemunho a meu favor. E vós também haveis de dar testemunho" A missão conjunta do Filho e do Espírito "Aquele que o Pai enviou a nossos corações, o Espírito de seu Filho" é realmente Deus. Consubstancial ao Pai e ao Filho, ele é inseparável dos dois, tanto na Vida íntima da Trindade como em seu dom de amor pelo mundo. Mas ao adorar a Santíssima Trindade, vivificante, consubstancial e indivisível, a fé da Igreja professa também a distinção das Pessoas. Quando o Pai envia seu Verbo, envia sempre seu Sopro: missão conjunta em que o Filho e o Espírito Santo são distintos, mas inseparáveis. Sem dúvida, é Cristo que aparece, ele, a Imagem visível do Deus invisível; mas é o Espírito Santo que o revela. Jesus é Cristo, "ungido", porque o Espírito é a unção dele, e tudo o que advém a partir da Encarnação decorre desta plenitude. Quando finalmente Cristo é glorificado, pode, por sua vez, de junto do Pai, enviar o Espírito aos que crêem nele: comunica-lhes sua glória, isto é, o Espírito Santo que o glorifica. A missão conjunta se desdobrar então nos filhos adoptados pelo Pai no Corpo de seu Filho: a missão do Espírito de adopção será uni-los a Cristo e fazêlos viver nele. A missão de Cristo e do Espírito Santo realiza-se na Igreja, Corpo de Cristo e Templo do Espírito Santo. Esta missão conjunta associa a partir de agora os fiéis de Cristo à sua comunhão com o Pai no Espírito Santo: o Espírito prepara os homens, antecipa-se a eles por sua graça, para atraí-los a Cristo. Manifesta-lhes o Senhor ressuscitado, lembra-lhes sua palavra, abrindo-lhes o espírito à compreensão de sua Morte e Ressurreição. Torna-lhes presente o mistério de Cristo, eminentemente na Eucaristia, a fim de reconciliá-los, de colocálos em comunhão com Deus, a fim de fazê-los produzir "muito fruto". Assim, a missão da Igreja não é acrescentada à de Cristo e do Espírito Santo, senão que é o Sacramento dela: por todo o seu ser e em todos os seus membros, a Igreja é enviada a anunciar e testemunhar, actualizar e difundir o mistério da comunhão da Santíssima Trindade Paulo VI, Papa de Evangelii nuntiandi

2 «Quando vier o Defensor, o Espírito de verdade, ele testemunhará a meu favor» É graças ao apoio do Espírito Santo que a Igreja cresce. Ele é a alma desta Igreja. É Ele que explica aos fiéis o sentido profundo do ensino de Jesus e o Seu mistério. Ele é aquele que, hoje como nos primórdios da Igreja, age em cada evangelizador que se deixa possuir e conduzir por Ele, e põe na sua boca as palavras que sozinho não saberia achar, predispondo também a alma daquele que escuta para o tornar aberto e receptivo à Boa Nova e ao Reino anunciado. As técnicas de evangelização são boas, mas as mais perfeitas não conseguiriam substituir a acção discreta do Espírito. A preparação mais cuidada do evangelizador nada opera sem Ele. Sem Ele, a dialética mais convincente é impotente sobre o espírito dos homens. Sem Ele, os esquemas sociológicos ou psicológicos mais elaborados depressa se revelam desprovidos de valor. Vivemos na Igreja um momento privilegiado do Espírito. Procuramos por todo o lado conhecê-lo melhor, tal como a Escritura o revela. Fica-se feliz por se esta r sob a Sua acção. Reunimo-nos à Sua volta. Queremos deixar-nos conduzir por Ele. Ora se o Espírito de Deus tem um lugar proeminente em toda a vida da Igreja, é na sua missão evangelizadora que Ele mais age. Não foi por acaso que o grande início da evangelização teve lugar na manhã do Pentecostes, sob o sopro do Espírito. Pode-se dizer que o Espírito Santo é o principal agente da evangelização... Mas também se pode dizer que Ele é o termo da evangelização: só Ele suscita a nova criação, a nova humanidade à qual a evangelização deve conduzir, com a unidade na diversidade que a evangelização desejaria provocar na comunidade cristã. Através dele, o Evangelho penetra no coração do mundo, pois é Ele que faz discernir os sinais dos tempos-sinais de Deus-que a evangelização descobre e realça no interior da História. Santa Teresa Benedita da Cruz [Edith Stein], ( ), carmelita, mártir, co-patrona da Europa Poesia, Pentecostes 1937 "O Defensor que vos enviarei de junto do Pai, o Espírito de verdade" Quem és tu, suave luz?... És tu o raio que brota qual relâmpago do trono altíssimo do eterno Juíz, penetrando como um ladrão na noite da alma que se ignorava a si mesma? (Lc 12,39) Misericordioso, mas também imparável, tu penetras até às profundezas escondidas. A alma assusta-se com o que vê de si mesma e esconde-se num sagrado temor diante do princípio de toda a sabedoria que vem do alto e nos prende solidamente ao alto, diante da tua acção que nos recria, ó Espírito Santo, raio que nada pode parar! És tu a plenitude do espírito e do poder que permite ao Cordeiro romper os selos do decreto eterno de Deus? (Ap 5,7) Por ordem tua, os mensageiros do julgamento

3 cavalgam por todo o mundo e separam, com o gume da sua espada, o Reino da Luz do reino das trevas (Ap 6,2). Os céus serão novos e nova será a terra (Ap 21,11) e, pelo teu sopro ligeiro, tudo reencontrará o seu justo lugar: Evangelho segundo S. João 16,5-11. «Agora vou para aquele que me enviou, e ninguém de vós me pergunta: 'Para onde vais?' Mas, por vos ter anunciado estas coisas, o vosso coração ficou cheio de tristeza. Contudo, digo-vos a verdade: é melhor para vós que Eu vá, pois, se Eu não for, o Paráclito não virá a vós; mas, se Eu for, Eu vo-lo enviarei. E, quando Ele vier, dará ao mundo provas irrefutáveis de uma culpa, de uma inocência e de um julgamento: de uma culpa, pois não creram em mim; de uma inocência, pois Eu vou para o Pai, e já não me vereis; de um julgamento, pois o dominador deste mundo ficou condenado.» Santo António (cerca ), franciscano, doutor da Igreja Sermões para os domingos e as festas dos santos Se eu não for, o defensor não virá a vós; mas se eu partir, eu enviá-lo-ei a vós O Espírito Santo é o sustento que nos reconforta no caminho da pátria, é o vinho que nos alegra na tribulação, o óleo que adoça as amarguras da vida. Faltava este triplo socorro aos apóstolos que deviam ir pregar no mundo inteiro. Por isso Jesus lhes enviou o Espírito Santo. Ficaram cheios dele cheios, para que os espíritos impuros não pudessem ter qualquer acesso a eles: quando um copo está bem cheio, não se pode por nada nele. O Espírito Santo vos ensinará (Jo 16,13), para que vós saibais; ele vos sugerirá, para que vós queirais. Ele dá o saber e o querer; juntemos o nosso poder, na medida das nossas forças, e seremos templos do Santo Espírito (1Co 6,19). Cardeal John Henry Newman ( ), sacerdote, fundador de uma ordem religiosa, teólogo. 12 sermões sobre Cristo «Se Eu for, enviar-vos-ei o Paráclito, o Defensor» Poderíamos ser levados a dizer: «Cristo voltou, mas em espírito; é o seu Espírito o que veio em seu lugar; e, quando Ele diz que está connosco, isso significa simplesmente que o seu Espírito está connosco». Ninguém, certamente, pode negar que o Espírito Santo veio; mas por que veio? Para suprir a ausência de Cristo ou para realizar a sua presença? Com certeza para

4 O tornar presente. Não pensemos, sequer por um momento, que Deus Espírito Santo possa vir de maneira que Deus Filho Se mantenha à distância. Não, Ele não veio para que Cristo não venha, mas antes para que Cristo possa vir na sua vinda. Com o Espírito Santo entramos em comunhão com o Pai e o Filho «Cheios de força, pelo seu Espírito, para que se robusteça em vós o homem interior, diz-nos são Paulo, para que Cristo habite, pela fé, nos vossos corações» (Ef 3, 16-17). O Espírito Santo suscita; a fé acolhe a habitação de Cristo no coração. Sendo assim, o Espírito não ocupa o lugar de Cristo na alma, antes assegura esse lugar a Cristo. São Paulo insiste nesta presença de Cristo naqueles que possuem o seu Espírito (cf. 1 Co 6, 15; 1 Co ) O Espírito Santo digna-se, portanto vir a nós para que, pela sua vinda, Cristo possa vir a nós, não corporal ou visivelmente, mas penetrando-nos. E é assim que Ele está, ao mesmo tempo, presente e ausente; ausente na medida em que deixou a terra; presente pelo facto de que Ele não se afasta da alma fiel; ou, como Ele mesmo dizia: «O Cardeal John Henry Newman ( ), sacerdote, fundador de comunidade religiosa, teólogo Meditações e Devoções, cap. 14 O Paráclito, 3. «Se Eu não partir, o Paráclito, o Defensor, não virá a vós; mas se Eu partir, enviar-vo- Lo-ei» Meu Deus, eterno Paráclito, adoro-te, Luz e Vida. Poderias ter-te limitado a enviar-me de fora bons pensamentos, para além da graça que os inspira e os realiza; poderias conduzir-me pela vida dessa maneira, limitando-te a purificar-me, pela Tua acção interior, no momento da minha passagem para o outro mundo. Na Tua compaixão infinita, porém, entraste na minha alma desde o começo, dela Te apossaste, dela fizeste o Teu templo. Pela Tua graça, habitas em mim de modo inefável, unindo-me a Ti e a toda a assembleia dos anjos e dos santos. Mais ainda, estás pessoalmente presente em mim, não apenas pela Tua graça, mas pelo Teu próprio ser, como se, mantendo embora a minha personalidade, eu fosse de alguma maneira absorvido em Ti, a partir dessa vida. E, como quiseste mesmo apossar-te do meu corpo, na sua fraqueza, ele se tornou igualmente templo Teu (1 Cor 6, 19). Verdade espantosa e temível! Ó meu Deus, creio que assim é, sei que assim é! Poderei pecar, estando Tu tão intimamente com igo? Poderei esquecer Quem está comigo, Quem está em mim? Poderei expulsar o hóspede divino por via daquilo que Ele abomina mais do que tudo, da única coisa que pode ofendê-lo, da única realidade que não é Sua? [ ] Meu Deus, possuo uma dupla segurança contra o pecado: a primeira é o temor de semelhante profanação, na Tua presença, de tudo quanto és em mim; a segunda é a confiança de que essa mesma presença me protegerá do mal. [ ] Nas provas e na tentação, chamarei por Ti. [ ] Graças a Ti, nunca Te abandonarei. Santa Teresa Benedita da Cruz [ dite Stein] ( ) carmelita, mátir, co-padroeira da Europa Poesia de Pentecostes 1937 "É bom para vós que eu parta porque, se não partir, o Paráclito não virá a vós"

5 Quem és tu, doce luz que me enches e iluminas as trevas do meu coração?... És o Mestre da obra, o construtor da eterna catedral que se eleva desde a terra ao Céu? Tu dás vida às suas colunas, que se erguem, altas e rectas, sólidas e imutáveis (Ap 3,12). Marcadas pelo sinal do Nome divino e eterno, lançam-se para a luz e suportam a cúpula que termina e coroa a santa catedral, a tua obra que abraça o universo inteiro: o Espírito Santo, Mão criadora de Deus!... És tu o doce cântico do amor e do sagrado respeito que ressoa sem fim à volta do trono da Trindade santa (Ap 4,8), sinfonia em que ecoa a nota pura dada por cada criatura? O som harmonioso, o acorde unânime dos membros e da Cabeça (Ef 4,15), no qual cada um, no auge da alegria, descobre o sentido misterioso do seu ser e o deixa brotar em gritos de júbilo, livre e paricipante no seu próprio jorrar: Espírito Santo eterno júbilo! Evangelho segundo S. João 16, «Tenho ainda muitas coisas a dizer-vos, mas não sois capazes de as compreender por agora. Quando Ele vier, o Espírito da Verdade, há-de guiar-vos para a Verdade completa. Ele não falará por si próprio, mas há-de dar-vos a conhecer quanto ouvir e anunciar-vos o que há-de vir. Ele há-de manifestar a minha glória, porque receberá do que é meu e vo-lo dará a conhecer. Tudo o que o Pai tem é meu; por isso é que Eu disse: 'Receberá do que é meu e volo dará a conhecer'.» Santo António (c ), franciscano, doutor da Igreja Sermões para os domingos e as festas dos santos Ele vos guiará para a verdade plena

6 O Espírito Santo, o Paráclito, o Defensor, é Aquele que, como um sopro, o Pai e o Filho enviam à alma dos justos. É por Ele que somos santificados e merecemos ser santos. O sopro humano é a vida dos corpos; o sopro divino é a vida dos espíritos. O sopro humano torna-nos sensíveis; o sopro divino torna-nos santos. Este Espírito é Santo, porque, sem ele, nenhum espírito nem angélico nem humano pode ser santo. O Pai diz Jesus vo-lo enviará em meu nome (Jo 14, 26), isto é, em minha glória, para manifestar a minha glória; ou ainda, porque Ele tem o mesmo nome que o Filho: é Deus. Ele Me glorificará, porque vos tornará espirituais e vos levará a compreender como o Filho é igual ao Pai e não simplesmente um homem como O vedes, ou porque vos tirará todo o temor e vos fará anunciar a minha glória a todo o mundo. Porque, a minha glória é a salvação dos homens. Ele vos ensinará todas as coisas. Filhos de Sião, alegrai-vos, diz o profeta Joel, porque o Senhor vosso Deus vos deu Aquele que ensina a justiça (2, 23 Vulg.), que vos há-de ensinar tudo o que diz respeito à salvação. Santa Teresa de Ávila ( ), carmelita, Doutora da Igreja Relações, nº 33 Reconhecendo a glória da Trindade eterna, adorando a sua omnipotente unidade" (colecta) A verdade sobre a Santíssima Trindade tinha-me sido exposta por teólogos, mas nunca a compreendi como a compreendo agora, depois daquilo que Deus me mostrou. [...] Foram-me representadas três Pessoas distintas, que podem ser consideradas e com quem se pode conviver em separado. Percebi depois que só o Filho encarnou, o que mostra claramente a realidade desta distinção. Estas Pessoas conhecem-se, amam-se e comunicam entre Si. Mas, se as três Pessoas são distintas, como dizemos que têm, todas três, uma mesma essência? Com efeito, é nisso que acreditamos; trata-se de uma verdade absoluta, pela qual estaria disposta a sofrer mil vezes a morte. Estas três Pessoas têm um único querer, um só poder, uma única soberania, de tal maneira que nenhuma delas pode coisa alguma sem as outras, e que há um só Criador de tudo quanto foi criado. Poderia o Filho criar uma formiga que fosse sem o Pai? Não, porque eles têm um mesmo poder. E o mesmo acontece com o Espírito Santo. Assim, há um só Deus todo-poderoso, e as três Pessoas constituem uma só Majestade. Poderá alguém amar o Pai sem amar o Filho e o Espírito Santo? Não, mas aquele que se torna agradável a uma destas três Pessoas torna-se agradável às três, e aquele que ofende uma delas ofende as outras duas. Poderá o Pai existir sem o Filho e sem o Espírito Santo? Não, porque têm uma mesma essência, e onde se encontra uma Pessoa encontram-se as outras duas, porque não podem separar-se. Como é então que vemos três Pessoas distintas? Como é que o Filho encarnou, sem que o Pai e o Espírito Santo tenham encarnado? Eu não o compreendo; os teólogos sabem explicá-lo. O que eu sei é que as três Pessoas concorreram para esta obra maravilhosa. De resto, não me detenho durante muito tempo em questões deste género; o meu espírito passa imediatamente à verdade de que Deus é todo-poderoso e de que, tendo-o querido, pôde fazê-lo, e poderia, da mesma maneira, fazer tudo o que quisesse. Quanto menos compreendo estas coisas, mais acredito nelas, e mais devoção delas retiro. Bendito seja Deus para sempre! Ámen.

7 S. Siluane ( ), monge ortodoxo Escritos espirituais "Quando vier, o Espírito de verdade guiar-vos-á para a verdade completa" Se quiseres rezar no teu coração e não fores capaz, contenta-te com dizer a oração com os lábios e mantém o teu espírito atento ao que dizes. Pouco a pouco, o Senhor te dará também a graça da oração interior e saberás então rezar sem distracções. Não procures realizar a oração do coração através de meios técnicos; prejudicarias o teu coração e, no fim, estarias a rezar só com os lábios. Reconhece a ordem da vida espiritual: Deus concede os seus dons à alma humilde e sincera. Sê obediente, conserva a moderação em tudo, no alimento, na palavra, em toda a atitude. Então o próprio Senhor te dará a graça da oração interior... O silêncio espiritual nasce do desejo de cumprir o mandamento de Cristo: "Ama o Senhor teu Deus com todo o teu coração, com toda a tua alma, com todas as tuas forças" (Mt 12,33). Esse silêncio nasce da procura do Deus vivo, naquele que se quer libertar das tentações deste mundo para encontrar o Senhor na plenitude do amor, para viver em sua presença na pura oração. Senhor, como poderia eu não te procurar? Tu revelaste-te à minha alma de uma forma tão incrível! Fizeste-a prisioneira do teu amor, ela não pode esquecer-te. Com efeito, repentinamente, a alma reconhece o Senhor no Espírito Santo; quem pode descrever esta alegria e esta consolação? O Espírito Santo age no homem todo, na inteligência, na alma e no corpo; por isso, Deus é reconhecido na terra como no céu. Na sua infinita bondade, o Senhor concedeu-me esta graça, a mim que sou pecador, para que os homens o conheçam e se voltem para ele. Pregador do Papa: «Família deveria ser reflexo terreno da Trindade» Comentário do Pe. Cantalamessa sobre a solenidade da Santíssima Trindade ROMA, sexta-feira, 1º de junho de 2007 (ZENIT.org).- Publicamos o comentário do Pe. Raniero Cantalamessa, ofmcap. -- pregador da Casa Pontifícia -- sobre a liturgia do próximo domingo, solenidade da Santíssima Trindade. * * * Iguais e diferentes Domingo da Santíssima Trindade Provérbios 8, 22-31; Romanos 5, 1-5; João 16, No Evangelho, procedente dos discursos de despedida de Jesus, perfilam-se no fundo três misteriosos sujeitos inextricavelmente unidos entre si. «Quando Ele vier, o Espírito da verdade, vos guiará até a verdade completa... Tudo o que tem o Pai é meu [do Filho!]».

8 Refletindo sobre estes e outros textos do mesmo tipo, a Igreja chegou à sua fé no Deus uno e trino. Muitos dizem: que enigma é esse de três que são um e de um que são três? Não seria mais simples crer em um Deus único e ponto, como fazem os judeus e os muçulmanos? A resposta é fácil. A Igreja crê na Trindade não porque goste de complicar as coisas, mas porque esta verdade lhe foi revelada por Cristo. A dificuldade de compreender o mistério da Trindade é um argumento a favor, não contra sua verdade. Nenhum homem, sozinho, teria idealizado jamais um mistério assim. Depois de que o mistério nos foi revelado, intuímos que, se Deus existe, não pode mais que ser assim: uno e trino ao mesmo tempo. Não pode ter amor mais que entre duas ou mais pessoas; se, portanto, «Deus é amor», deve haver n Ele um que ama, um que é amado e o amor que os une. Também os cristãos são monoteístas; crêem em um Deus que é único, mas não solitário. A quem Deus amaria se estivesse absolutamente só? Talvez a si mesmo? Mas então o seu não seria amor, mas egoísmo, ou narcisismo. Eu gostaria de lembrar o grande e formidável ensinamento de vida que nos chega da Trindade. Este mistério é a máxima afirmação de que se pode ser iguais e diferentes: iguais em dignidade e diferentes em características. E não é isso de que temos a necessidade mais urgente de aprender, para viver adequadamente neste mundo? Ou seja, que se pode ser diferentes na cor da pele, cultura, sexo, etnia e religião, e no entanto gozar de igual dignidade, como pessoas humanas? Este ensinamento encontra seu primeiro e mais natural campo de aplicação na família. A família deveria ser um reflexo terreno da Trindade. Está formada por pessoas diversas por sexo (homem e mulher) e por idade (pais e filhos), com todas as conseqüências que se derivam destas diversidades: diferentes sentimentos, diferentes atitudes e gostos. O êxito de um matrimônio e de uma família depende da medida com que esta diversidade saiba tender a uma unidade superior: unidade de amor, de intenções, de colaboração. Não é verdade que um homem e uma mulher devam ser à força afins em temperamento e dotes; que, para pôr-se de acordo, os dois tenham que ser alegres, vivazes, extrovertidos e instintivos, ou os dois introvertidos, tranqüilos, reflexivos. E mais, sabemos que conseqüências negativas podem derivar-se, já no plano físico, de matrimônios realizados entre parentes, dentro de um círculo estreito. Esposo e esposa não têm de ser «a meia laranja» um do outro, no sentido de duas metades perfeitamente iguais, mas no sentido de que cada um é a metade que falta ao outro e o complemento do outro. É o que pretendia Deus quando disse: «Não é bom que o homem esteja só. Vou fazer-lhe uma ajuda adequada» (Gn 2, 18). Tudo isso supõe o esforço de aceitar a diversidade do outro, que é para nós o mais difícil e aquilo que só os mais maduros conseguem. Vemos também daqui como é errôneo considerar a Trindade como um mistério remoto da vida, que se deve deixar à especulação dos teólogos. Ao contrário: é um mistério próximo. O motivo é muito simples: fomos criados à imagem do Deus uno e trino, levamos sua marca e estamos chamados a realizar a mesma síntese sublime de unidade e diversidade. [Tradução realizada por Zenit]

9 ZP Catecismo da Igreja Católica "O Espírito da Verdade há-de guiar-vos para a Verdade completa" "O que está em Deus, ninguém o conhece senão o Espírito de Deus" (1 Cor 2,11). Ora, seu Espírito que o revela nos conhecer Cristo, seu Verbo, sua Palavra viva, mas não se revela a si mesmo. Aquele que "falou pelos profetas" faz-nos ouvir a Palavra do Pai. Mas, ele mesmo, nós não o ouvimos. Só o conhecemos no momento em que nos revela o Verbo e nos dispõe a acolhê-lo na fé. O Espírito de Verdade que nos "desvenda o Cristo "não fala de si mesmo". Tal apagamento, propriamente divino, explica por que "o mundo não pode acolhê-lo, porque não o vê nem o conhece", enquanto os que crêem em Cristo o conhecem, porque ele permanece com eles (Jo 14,17). A Igreja, comunhão viva na fé dos apóstolos, que ela transmite, é o lugar de nosso conhecimento do Espírito Santo: - nas Escrituras que ele inspirou; - na Tradição, da qual os Padres da Igreja são as testemunhas sempre atuais; - no Magistério da Igreja, ao qual ele assiste; - na Liturgia sacramental, por meio de suas palavras e de seus símbolos, na qual o Espírito Santo nos coloca em Comunhão com Cristo; - na oração, na qual Ele intercede por nós; - nos carismas e nos ministérios, pelos quais a Igreja é edificada; - nos sinais de vida apostólica e missionária; - no testemunho dos santos, no qual ele manifesta sua santidade e continua a obra da salvação. Concílio Vaticano II Lumen Gentium, 4 e 12 Quando vier o Espírito da verdade, guiar-vos-á para a verdade total Pelo Espírito de vida nascente de água a jorrar para a vida eterna (Jo 4,14), o Pai dá vida aos homens, mortos pelo pecado, até que ressuscite em Cristo os seus corpos mortais (Rom 8,11). O Espírito habita na Igreja e nos corações dos fiéis como num templo (1Co 3,16); ele ora neles e dá testemunho da adopção de filhos de Deus (Gal 4,6). Esta Igreja, que ele conduz à verdade total, que unifica na comunhão e no ministério, o Espírito constrói-a e dirige-a com diversos dons, hierárquicos e carismáticos, e adorna-a com os seus frutos. Assegura a sua juventude pela força do Evangelho, renova-a continuamente, leva-a à união perfeita com o seu Esposo. Porque o Esposo e a Esposa dizem ao Senhor Jesus: Vem (Ap 22,17)... A totalidade dos fiéis consagrados pela unção que vem do Espírito Santo, não pode enganarse na fé. Ele manifesta este dom particular por meio do sentir sobrenatural da fé do povo todo, quando este, desde os bispos até ao último dos leigos fiéis (Santo Agostinho) manifesta

10 consenso universal em matéria de fé e costumes. Com efeito, graças a este sentido de fé, que é despertado e sustentado pelo Espírito da verdade, o povo de Deus, deixando-se conduzir com fidelidade pelo magistério da Igreja, já não recebe uma palavra vinda dos homens: ele recebe verdadeiramente a palavra de Deus (1Tess 2,13). Ele adere indefectivelmente à fé transmitida aos santos uma vez por todas (Jud 3), aprofunda-a pelo seu juízo acertado, aplica-a mais totalmente na vida. Guilherme de S. Thierry (cerca de ), monge beneditino e cisterciense «O Espírito de Verdade guiar-vos-á à plenitude da verdade» Quem pois conhece os segredos do homem, senão o espírito do homem que está nele? Do mesmo modo, ninguém conhece os segredos de Deus, senão o Espírito de Deus (1 Co 2,11). Apressa-te pois a comungar o Espírito Santo. Ele está lá desde que o invoquem; não o invoquem se ele está presente. Chamai, ele vem; ele chega na abundância das bênçãos divinas. É ele o rio impetuoso que alegra a casa de Deus (Sl 45,5). Desde a sua vinda, se ele te encontra humilde e sem inquietude, tremente à palavra de Deus, ele repousará sobre ti e revelar-te-á o que Deus esconde aos sábios e aos prudentes deste mundo. Começarão a brilhar para ti todas as coisas que a Sabedoria possuía, quando ela estava na terra, revelada aos discípulos, mas que eles não podiam possuir antes da vinda do Espírito da verdade que lhes ensinaria toda a verdade... Do mesmo modo que aqueles que adoram a Deus devem necessariamente adorá-lo em espírito e em verdade (Jo 4,24), também aqueles que desejam conhecê-lo não devem procurar no Espírito Santo senão a inteligência da fé... Entre as trevas e a ignorância desta vida, para os pobres em espírito é ele mesmo a luz que ilumina, a caridade que atrai, a doçura que encanta, o amor de quem ama, a piedade de quem se entrega sem reserva. É ele que revela aos crentes a justiça de Deus; ele dá graça sobre graça, e, pela fé que vem daquilo que não entendemos (Rm 10,17), a iluminação. Evangelho segundo S. João 16, «Ainda um pouco, e deixareis de me ver; e um pouco mais, e por fim me vereis.» Disseram entre si alguns dos discípulos: «Que é isso que Ele nos diz: 'Ainda um pouco, e deixareis de me ver, e um pouco mais, e por fim me vereis'? E também: 'Eu vou para o Pai'?» Diziam, pois: «Que quer Ele dizer com isto: 'Ainda um pouco'? Não sabemos o que Ele está a anunciar!» Jesus, percebendo que o queriam interrogar, disse-lhes: «Estais entre vós a inquirir acerca disto que Eu disse: 'Ainda um pouco, e deixareis de me ver, e um pouco mais, e por fim me vereis'? Em verdade, em verdade vos digo: haveis de chorar e lamentar-vos, ao passo que o mundo há-de gozar. Vós haveis de estar tristes, mas a vossa tristeza há-de converter-se em alegria!

11 São Cesário de Arles ( ), monge e bispo Sermão 166 «O Reino de Deus [ ] é justiça e paz e alegria no Espírito Santo» (Rm 14, 17) O que é, irmãos, a verdadeira alegria, senão o Reino dos céus? E o que é o Reino dos céus, senão Cristo Nosso Senhor? Sei que todos os homens desejam possuir uma alegria verdadeira. Aquele, porém, que quer alegrar-se com as colheitas sem cultivar o campo está equivocado; e engana-se aquele que pretende recolher frutos sem plantar árvores. Não se possui a verdadeira alegria sem justiça e paz. [ ] Presentemente, respeitando a justiça e possuindo a paz, penamos durante um curto período, como que debruçados sobre uma tarefa. Em seguida, contudo, alegrar-nos-emos sem fim com o fruto desse trabalho. Escuta o apóstolo Paulo, que diz acerca de Cristo: «Ele é a nossa paz» (Ef 2, 14) [...] E o Senhor, falando aos seus discípulos, diz-lhes: «Voltarei a ver-vos e o vosso coração alegrarse-á, e ninguém poderá tirar-vos a vossa alegria». Que alegria é esta, que ninguém poderá tirar-nos, a não ser Ele próprio, o vosso Senhor, que ninguém poderá tirar-vos? Examinai, pois, a vossa cons ciência, irmãos; se nela reina a justiça, se quereis e desejais a todos a mesma coisa que a vós próprios, se a paz está em vós, não apenas com os vossos amigos, mas também com os vossos inimigos, sabei que o Reino dos céus, quer dizer Cristo Senhor, permanece em vós. Do Catecismo Católico Quando Jesus voltar Jesus não revela plenamente o Espírito Santo enquanto Ele próprio não for glorificado pela sua morte e ressurreição. No entanto, sugere-o, pouco a pouco... Aos seus discípulos fala d Ele abertamente a propósito da oração e do testemunho que devem dar. Só quando chega a Hora em que vai ser glorificado, é que Jesus promete a vinda do Espírito Santo, pois a sua morte e ressurreição serão o cumprimento da promessa feita aos antepassados. O Espírito da verdade, o outro Paráclito, será dado pelo Pai a pedido de Jesus; será enviado pelo Pai em nome de Jesus; Jesus o enviará de junto do Pai porque do Pai procede. O Espírito santo virá, nós O conheceremos, Ele ficará connosco para sempre, habitará connosco; há-de ensinar-nos tudo, há-de lembrar-nos tudo o que Cristo nos disse e dará testemunho d Ele; conduzir-nos-á à verdade total e glorificará a Cristo. Quanto ao mundo, confundi-lo-á em matéria de pecado, de justiça e de julgamento. Evangelho segundo S. João 16, Em verdade, em verdade vos digo: haveis de chorar e lamentar-vos, ao passo que o mundo há-

12 de gozar. Vós haveis de estar tristes, mas a vossa tristeza há-de converter-se em alegria! A mulher, quando está para dar à luz, sente tristeza, porque chegou a sua hora; mas, quando deu à luz o menino, já não se lembra da sua aflição, com a alegria de ter vindo um homem ao mundo. Também vós vos sentis agora tristes, mas Eu hei-de ver-vos de novo! Então, o vosso coração há-de alegrar-se e ninguém vos poderá tirar a vossa alegria. Nesse dia, já não me perguntareis nada. Em verdade, em verdade vos digo: se pedirdes alguma coisa ao Pai em meu nome, Ele vo-la dará. S. João Crisóstomo (c ), bispo de Antioquia depois de Constantinopla, doutor da Igreja Homilia 79 sobre S. João A tristeza que gera a alegria Depois de ter derramado a alegria na alma dos seus discípulos pela promessa que lhes fez de lhes enviar o Espírito Santo, o Salvador entristece-os de novo ao dizer: "Mais um pouco e não me vereis mais". Age desta forma para os preparar, através desta linguagem triste e severa, para a ideia da sua próxima separação; porque nada é mais próprio para acalmar a alma mergulhada na tristeza e na aflição do que o pensamento frequente nos motivos que produziram nela essa tristeza. Eles não compreendiam, quer por causa da tristeza que os impedia de pensar no que Ele lhes dizia, quer por causa da obscuridade das próprias palavras que pareciam conter duas coisas contraditórias, mas que, na realidade não o eram. Porque, se Te vemos, podiam eles dizer, como te vais embora? E, se te vais embora, como Te poderemos ver? Nosso Senhor, querendo depois mostar-lhes que a tristeza gera alegria e, ainda, que aquela tristeza seria curta ao passo que a sua alegria não terá fim, toma a comparação da mulher que dá à luz. Com tal comparação, Ele quer também exprimir, de um modo figurado, que Ele se libertou dos constrangimentos da morte e que, assim, regenerou o homem novo. E não diz que não haverá tribulação mas que não se lembrarão dela, tão grande vai ser a alegria que lhe sucederá. S. Gregório de Nisa ( ), monge e bispo Contra Eunómio Toda a criação... tem gemido e sofrido as dores de parto, até ao presente (Rom 8,22) O apóstolo Paulo... testemunha a respeito do Filho único que ele não criou apenas os seres, mas ainda que, tendo a antiga criação envelhecido e tornando-se caduca, ele operou uma nova criação. E assim, o próprio Cristo é o primogénito de toda a criação (Col 1,15) pelo Evangelho anunciado aos homens... Como se tornou Cristo primogénito de uma multidão de irmãos (Rom 8,29)?... Por nós, ele

13 fez-se como nós, tendo participado na carne e no sangue para nos transformar, de corruptíveis em incorruptíveis, pelo nascimento do alto, da água e do Espírito (Jo 3,5). Mostrou-nos o caminho de um tal nascimento assim que atraiu, pelo seu próprio baptismo, o Espírito Santo sobre a água. Tornou-se assim o primogénito de todos os que são regenerados espiritualmente, e todos os que tomam parte nesta regeneração pela água e pelo Espírito são chamados irmãos. Tendo depositado na nossa natureza humana a força da ressurreição de entre os mortos, Cristo tornou-se também primícias dos que adormeceram e primogénito dos mortos (Col 1,18). Primeiro entre todos, abriu-nos o caminho da libertação da morte. Pela sua Ressurreição, destruiu os laços da morte que nos mantinham cativos. Assim, por esta dupla regeneração, do santo baptismo e da ressurreição dos mortos, ele torna-se o primogénito da nova criação. Este primogénito tem irmãos. Ele disse a Maria Madalena: Vai ter com os Meus irmãos e diz-lhes que vou subir para Meu e vosso Pai, Meu Deus e vosso Deus (Jo 20,17). É por isso que, como mediador entre Deus e os homens (1Tim 2,5), abrindo o cortejo de toda a natureza humana, ele envia aos seus irmãos esta mensagem e lhes diz: Pelas primícias que assumi, em mim, eu reconduzo ao nosso Deus e Pai tudo o que é humano. Santo Agostinho ( ), bispo de Hippone (África do Norte) e doutor da Igreja Sermões sobre S. João, nº 101 «Ninguém tirará a vossa alegria» Estas palavras do Salvador: «Eu hei-de ver-vos de novo e o vosso coração alegrar-se-á e ninguém vos poderá tirar a vossa alegria» não devem ser reportadas a esse tempo em que, após a ressurreição, ele se mostrou aos seus discípulos na sua carne e lhes disse para o tocarem, mas a este outro tempo do qual ele já dissera: «Aquele que me ama, meu Pai o amará e eu me manifestarei a ele» (Jo 14,21). Esta visão não é para esta vida, mas para a do mundo que há-de vir. Ela não é para um tempo, mas não terá fim. «A vida eterna consiste nisto: que Te conheçam a Ti, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a Quem enviaste» (Jo 17,3). Desta visão e conhecimento, o apóstolo Paulo disse: «Hoje vemos como por um espelho, de maneira confusa, mas então veremos face a face. Hoje conheço de me maneira imperfeita: então, conhecerei exactamente, como também sou conhecido» (1 Cor 13,12). Este fruto do seu trabalho, a Igreja o produz agora no desejo, então ela o produzirá na visão; agora ela o produz na dor, então ela o produzirá na alegria; agora ela o produz na súplica, então ela o produzirá no louvor. Este fruto não terá fim, porque só o infinito nos será cumulado. É o que fazia Filipe dizer: «Senhor, mostra-nos o Pai e isso nos basta» (Jo 14, 8). S. Cesário d Arles ( ), monge e bispo Sermão 166 O Reino de Deus...é justiça, paz e alegria no Espírito Santo (Rom 14,17) Qual é a verdadeira alegria, irmãos, senão a do Reino dos céus? E o que é o Reino dos céus, senão Cristo nosso Senhor? Eu sei que todos os homens querem ter uma verdadeira alegria.

14 Mas enganam-se os que querem ser felizes recolhendo sem cultivar o seu campo; enganam-se, os que querem recolher os frutos sem plantar as árvores. Não se possui a verdadeira alegria sem a justiça e a paz... No presente, respeitando a justiça e possuindo a paz, afligimo-nos durante um curto prazo, como quando estamos a braços com um grande trabalho. Mas em seguida, regozijamo-nos sem fim com os frutos desse trabalho. Escutai o apóstolo Paulo que diz de Cristo: Ele é a nossa paz (Ef 2,14)... E o Senhor, falando aos seus discípulos, disse-lhes: Voltarei a ver-vos e o vosso coração regozijar-se-á, e ninguém poderá roubar a vossa alegria. Que alegria é esta que ninguém poderá roubar, senão ele próprio, o vosso Senhor, que ninguém vos pode roubar? Examinai pois a vossa consciência, irmãos; se n ela reina a justiça, se quiserdes e desejardes para os outros o mesmo que para vós próprios, se estais em paz, não apenas com os vossos amigos, mas igualmente com os vossos inimigos, sabei que o Reino dos céus, quer dizer, o Cristo Senhor, habita em vós. S. Bernardo ( ), monge cisterciense e doutor da Igreja Homilias sobre o Cântico dos Cânticos, n 37 "Haveis de estar tristes, mas a vossa tristeza transformar-se-á em alegria" "Vão chorando ao lançar a semente"... Mas irão chorar para sempre? Certamente que não: "Regressarão na alegria, trazendo as espigas" (Sl 125,8). E terão razões para se alegrarem, pois trarão as espigas da glória. Mas, dir-me-eis, isso só acontecerá no último dia, no tempo da ressurreição, e a espera é bem longa. Não percais a coragem, não cedais a infantilidades. Enquanto esperais, recebereis "primícias do Espírito" (2Co 1,22), suficientes para que ceifeis desde hoje mesmo na alegria. Semeai na justiça, diz o Senhor, e recolhereis a esperança da vida. Ele não vos remete para o último dia, em tudo vos será dado realmente e já não em esperança. Ele fala do presente. Claro que a nossa alegria será grande, o nosso júbilo infinito, quando começar a nova vida. Mas a esperança de tão grande alegria não pode, desde agora, ser privada de alegria. Evangelho segundo S. João 16, Nesse dia, já não me perguntareis nada. Em verdade, em verdade vos digo: se pedirdes alguma coisa ao Pai em meu nome, Ele vo-la dará. Até agora não pedistes nada em meu nome; pedi e recebereis. Assim, a vossa alegria será completa.» «Até aqui falei-vos por meio de comparações. Está a chegar a hora em que já não vos falarei por comparações, mas claramente vos darei a conhecer o que se refere ao Pai. Nesse dia, apresentareis em meu nome os vossos pedidos ao Pai, e não vos digo que rogarei por vós ao Pai, pois é o próprio Pai que vos ama, porque vós já me tendes amor e já credes que Eu saí de Deus. Saí do Pai e vim ao

15 mundo; agora deixo o mundo e vou para o Pai.» Clemente de Alexandria (150 - c. 215), teólogo Estrómata 7,7 "Pedi e recebereis: ficareis assim repletos de alegria" Venerar e honrar aquele que nós acreditamos ser o Verbo, nosso Salvador e nosso chefe, e, por Ele, o Pai, tal é o nosso dever, não em certos dias especiais (tal como outros fazem) mas continuamente, durante toda a nossa vida e de todas as formas. "Sete vezes por dia cantei o teu louvor" (Sl 118,164), exclama o povo eleito... Por isso, não é num lugar determinado, nem num templo escolhido, nem em certas festas ou em certos dias fixos, mas é durante toda a vida, em todo o lugar, que o homem verdadeiramente espiritual honra a Deus, isto é, proclama a sua acção de graças por conhecer a verdadeira vida. A presença do homem de bem, pelo respeito que inspira, torna sempre melhor quem com ele convive. Quanto mais aquele que está continuamente em presença de Deus, pelo conhecimento, pela maneira de viver e pela acção de graças, não se irá tornando cada dia melhor em tudo: acções, palavras e disposições!... Vivendo, pois, toda a nossa vida como uma festa, na certeza de que Deus está totalmente presente em toda a parte, trabalhamos cantando, navegamos ao som de hinos, comportamo-nos à maneira dos "cidadãos do céu" (Fl 3,20). A oração é, se o ouso dizer, uma conversa íntima com Deus. Mesmo se murmuramos suavemente, mesmo se, sem mexer os lábios, falamos em silêncio, nós gritamos interiormente. E Deus volta constantemente o seu ouvido para esta voz interior... Sim, o homem verdadeiramente espiritual ora durante toda a sua vida, porque orar é para ele um esforço de união com Deus, e rejeita tudo o que é inútil porque atingiu aquele estado em que já recebeu, de certa maneira, a perfeição que consiste em agir por amor... Toda a sua vida é uma liturgia sagrada. S. Bernardo ( ), monge de Cister e doutor da Igreja Sermão da Quaresma nº 5,5 Tudo o que pedirdes a meu Pai em meu nome, ele vo-lo concederá Sempre que falo da súplica, parece-me perceber no vosso coração certas reflexões humanas que tenho ouvido muitas vezes, mesmo no meu próprio coração. Não cessando nós nunca de suplicar, como é que tão raramente parece que experimentamos o fruto da nossa súplica? Temos a impressão de sair da oração de súplica como entrámos; ninguém nos responde uma única palavra, nos dá nada, temos a impressão de ter pedido em vão. Mas o que diz o Senhor no evangelho? Não julgueis pelas aparências, julgai segundo a justiça (Jo 7,24). O que é um julgamento justo, senão um julgamento de fé? Porque o justo vive pela fé (Gal 3,11). Julgai pois preferencialmente pela fé, em vez de o fazerdes pela experiência, porque a fé não engana, enquanto que a experiência pode induzir em erro. E qual é a verdade da fé, senão a que o Filho de Deus, ele próprio, prometeu? Tudo quanto pedirdes, orando, acreditai que o recebereis e obtereis (Mc 11,24). Assim, que ninguém entre vós, irmãos, tenha em pouca conta a sua prece! Porque, vos asseguro, aquele a quem ela é dirigida, não a tem em pouca conta; antes mesmo dela ter saído da vossa boca, ele a escreveu

16 no seu livro. Podemos estar certos, sem a mínima dúvida, que, ou Deus nos concede o que lhe pedimos, ou nos dará qualquer coisa que ele sabe ser mais vantajoso. Porque nós não sabemos o que devemos pedir em nossas orações (Rom 8,26) mas Deus tem compaixão da nossa ignorância e recebe a nossa prece com bondade... Então põe no Senhor as tuas delícias; conceder-te-á os desejos do teu coração (Sl 36,4). Bem-aventurado Henri Suso (c ), dominicano O livro da Sabedoria eterna «Para que encontreis em mim a paz» «Senhor, desde os dias da minha juventude, que o meu espírito busca um não sei quê, com uma sede impaciente. O que é então, Senhor? Ainda não consegui apreendê-lo perfeitamente. Há tantos anos que o desejo ardentemente e ainda não consegui apreendê-lo... E contudo é mesmo o que atrai o meu coração e a minha alma, e sem o que não posso estabelecer-me numa verdadeira paz. Senhor, eu queria procurar a minha felicidade nas criaturas deste mundo, como via tanta gente fazer à minha volta. Mas quanto mais buscava, menos encontrava; quanto mais me aproximava, mais me afastava. Com efeito, todas as coisas me diziam: «Eu não sou aquilo que procuras». És então tu, Senhor, aquilo que procurei durante tanto tempo? Era então para Ti que o enlevo do meu coração sempre e sem cessar puxava? Porquê, então, não Te mostraste a mim? Como pudeste adiar este encontro durante tanto tempo? Por quantos caminhos extenuantes não me atolei? É que é verdadeiramente feliz o homem que prevines com tanto amor ; Tu não o deixas em repouso até que ele busque o repouso só em Ti.» S. João Maria Vianney (l786-l859), Padre, Cura d Ars Catecismo sobre a oração «Até agora, ainda não pedistes nada. Pedi e recebereis; assim sereis cumulados de alegria». Vede, meus filhos: o tesouro do cristão não está na terra, mas no Céu. (Mt. 6, 20). Pois bem! O nosso pensamento deve estar onde está o nosso tesouro. O homem tem a bela função de orar e amar. Vós orais, e amais: eis a felicidade do homem sobre a terra. A oração, outra coisa não é senão uma união com Deus. Quando se tem o coração puro e unido a Deus, sente-se um bálsamo, uma doçura que inebria, uma luz que encandeia (atrai, seduz). Nesta íntima união, Deus e a alma são como dois pedaços de cera fundidos entre si; jamais se podem separar. É uma coisa muito bela esta união de Deus com a sua pequena criatura. É uma felicidade que não se pode compreender. Nós não éramos dignos de rezar, mas Deus, na Sua bondade, permitiu que Lhe falássemos. A nossa oração é um incenso que Deus recebe com um extremo (imenso) prazer. Meus filhos, vós tendes um coração pequeno, mas a oração dilata-o e torna-o capaz de amar a Deus. A oração é um ante gozo do Céu, um fluxo do paraíso. Ela nunca nos deixa sem doçura.

17 É um mel que desliza pela alma e tudo dulcifica. Os sofrimentos (as dores) derretem-se diante duma oração bem feita, como a neve diante do sol. Beata Teresa de Calcutá ( ), fundadora das Irmãs Missionárias da Caridade Um caminho muito simples «Disse-vos estas coisas para que encontreis em Mim a paz» As obras do amor são sempre obras de paz. Cada vez que partilhais o amor com outros, sentireis que a paz vos envolve a vós e a eles. E onde há paz, aí está Deus. É derramando a paz e a alegria nos corações que Deus toca as nossas vidas e nos mostra o seu amor. Conduzi-me, Senhor, da morte à vida Do erro à verdade. Levai-me do desespero à esperança, Do temor à confiança. Fazei-me passar do ódio ao amor, Da guerra à paz. Fazei que a paz encha os corações, O nosso mundo, o nosso universo: Paz, paz, paz. João Paulo II Mensagem Para o Dia Mundial da Paz 2002 «No mundo, tereis tribulações; mas, tende confiança, Eu já venci o mundo!» As famílias, os grupos, os Estados, a própria Comunidade internacional, precisam de se abrir ao perdão a fim de reatar os laços rotos, ultrapassar as situações estéreis de condenações recíprocas, vencer a tentação de excluir os outros recusando-lhes toda a possibilidade de apelação. A capacidade de perdoar está na base de qualquer projecto de uma sociedade que se quer mais justa e solidária. A recusa do perdão, pelo contrário, sobretudo se ela mantém a continuidade de conflitos. Tem repercussões incalculáveis para o desenvolvimento dos povos. Os recursos são aplicados a sustentar a corrida aos armamentos, às despesas da guerra, ou a fazer face às consequências das represálias económicas. Por isso faltam disponibilidades financeiras necessárias ao desenvolvimento, à paz, à justiça. Quantos sofrimentos não afligem a humanidade por não haver reconciliação, quantos atrasos não sofre por não saber perdoar! A paz é a condição do desenvolvimento, mas uma paz verdadeira só é possível através do perdão. A proposta de perdão não é coisa que se admita como uma evidência ou que se aceite facilmente; em certos aspectos é uma mensagem paradoxal. De facto, o perdão encerra sempre, a curto prazo, uma perda aparente, enquanto que, a longo prazo, assegura um ganho real. A violência é exactamente o contrário: opta por um ganho a curto prazo,

18 Evangelho segundo S. João 16, Disseram-lhe os seus discípulos: «Agora, sim, falas claramente e não usas nenhuma comparação. Agora vemos que sabes tudo e não precisas de que ninguém te faça perguntas. Por isso, cremos que saíste de Deus!» Disse-lhes Jesus: «Agora credes? Eis que vem a hora e já chegou em que sereis dispersos cada um por seu lado, e me deixareis só, se bem que Eu não esteja só, porque o Pai está comigo. Anunciei-vos estas coisas para que, em mim, tenhais a paz. No mundo, tereis tribulações; mas, tende confiança: Eu já venci o mundo!» Liturgia caldeia Hino do ofício do 2º dia do «Ba oussa», de Santo Efrem (trad. do Conselho Pontifício para a Unidade dos Cristãos) "Para que encontreis a paz em mim" Senhor, a tua misericórdia é eterna. Ó Cristo, tu que és todo misericórdia, dá-nos a tua graça; estende a tua mão e vem em auxílio de todos os que são tentados, tu que és bom. Tem piedade de todos os teus filhos e vem em seu socorro; concede-nos, Senhor misericordioso, que nos refugiemos à sombra da tua protecção e sejamos libertos do mal e dos adeptos do Maligno. A minha vida está crispada como uma teia de aranha. No tempo da desgraça e da perturbação, tornámo-nos como que refugiados e os nossos anos esmoreceram sob a miséria e as infelicidades. Senhor, tu que acalmaste o mar só com uma palavra, apazigua também na tua misericórdia as perturbações do mundo, sustenta o universo que oscila sob o peso das suas faltas. Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Senhor, que a tua mão misericordiosa repouse sobre os crentes e confirme a promessa que fizeste aos apóstolos: "Estou convosco todos os dias até ao fim do mundo" (Mt 28,20). Sê o nosso socorro como foste o deles e, pela tua graça, salva-nos de todo o mal; dá-nos a segurança e a paz, a fim de te rendermos graças e adoremos o teu Santo Nome em todo o tempo. S. Siluane ( ), monge ortodoxo Escritos Espirituais "Disse-vos isto para que encontreis em mim a paz" Não foi o próprio Senhor quem disse: "O Reino de Deus está em vós" (Lc 17,21)? É agora que começa a vida eterna. Peço-vos, meus irmãos, fazei a experiência! Se alguém vos ofender, vos caluniar, vous roubar o que vos pertence, mesmo se for um perseguidor, rezai a Deus dizendo: "Senhor, nós somos todos tuas criaturas, tem piedade dos teus servos e conduzlhes o coração à penitência". Então, sentirás a graça na tua alma. Naturalmente que, ao princípio, tens de fazer algum esforço para amares os teus inimigos; mas o Senhor, ao ver a

19 tua boa vontade, ajudar-te-á em todas as coisas e a própria experiência te mostrará o caminho. Pelo contrário, aquele que medita coisas más contra os seus inimigos não pode possuir o amor nem conhecer Deus. Não sejas nunca violento para com o irmão, nunca o julgues, convence-o na mansidão e no amor. O orgulho e a dureza roubam a paz. Ama, portanto, aquele que não te ama e reza por ele; assim, a tua paz não será perturbada.

IV FÓRMULAS DE BÊNÇÃO PARA LAUDES E VÉSPERAS

IV FÓRMULAS DE BÊNÇÃO PARA LAUDES E VÉSPERAS IV FÓRMULAS DE BÊNÇÃO PARA LAUDES E VÉSPERAS I. Nas celebrações do Tempo Advento Deus omnipotente e misericordioso, que vos dá a graça de comemorar na fé a primeira vinda do seu Filho Unigénito e de esperar

Leia mais

1ª Carta de João. A Palavra da Vida. Deus é luz. Nós somos pecadores. Cristo, nosso defensor junto a Deus

1ª Carta de João. A Palavra da Vida. Deus é luz. Nós somos pecadores. Cristo, nosso defensor junto a Deus 1ª Carta de João A Palavra da Vida 1 1 O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que contemplamos e o que as nossas mãos apalparam da Palavra da Vida 2 vida esta que

Leia mais

CELEBRAÇÃO ARCIPRESTAL DA EUCARISTIA EM ANO DA FÉ

CELEBRAÇÃO ARCIPRESTAL DA EUCARISTIA EM ANO DA FÉ CELEBRAÇÃO ARCIPRESTAL DA EUCARISTIA EM ANO DA FÉ SEIA 23 DE JUNHO 2013 ENTRADA NÓS SOMOS AS PEDRAS VIVAS DO TEMPLO DO SENHOR, NÓS SOMOS AS PEDRAS VIVAS DO TEMPLO DO SENHOR, POVO SACERDOTAL, IGREJA SANTA

Leia mais

A Apostolicidade da Fé

A Apostolicidade da Fé EMBARGO ATÉ ÀS 18H30M DO DIA 10 DE MARÇO DE 2013 A Apostolicidade da Fé Catequese do 4º Domingo da Quaresma Sé Patriarcal, 10 de Março de 2013 1. A fé da Igreja recebemo-la dos Apóstolos de Jesus. A eles

Leia mais

TOMADA DE POSSE DO NOVO PÁROCO - CELEBRAÇÃO (cf. Cerimonial dos Bispos, nn. 1185-1198) DIOCESE DE CRUZEIRO DO SUL AC/AM

TOMADA DE POSSE DO NOVO PÁROCO - CELEBRAÇÃO (cf. Cerimonial dos Bispos, nn. 1185-1198) DIOCESE DE CRUZEIRO DO SUL AC/AM Página 1 TOMADA DE POSSE DO NOVO PÁROCO - CELEBRAÇÃO (cf. Cerimonial dos Bispos, nn. 1185-1198) DIOCESE DE CRUZEIRO DO SUL AC/AM 01. Canto de Entrada 02. Saudação inicial do celebrante presidente 03. Leitura

Leia mais

Glória! Glória! Glória! Glória ao Senhor! Glória pelos séculos sem fim!

Glória! Glória! Glória! Glória ao Senhor! Glória pelos séculos sem fim! Page 1 of 6 GUIÃO DA CELEBRAÇÃO DA 1ª COMUNHÃO 2006 Ambientação Irmãos: Neste Domingo, vamos celebrar e viver a Eucaristia com mais Fé e Amor e também de uma maneira mais festiva, já que é o dia da Primeira

Leia mais

DOMINGO VII DA PÁSCOA. Vésperas I

DOMINGO VII DA PÁSCOA. Vésperas I DOMINGO VII DA PÁSCOA (Onde a solenidade da Ascensão não é transferida para este Domingo). Semana III do Saltério Hi n o. Vésperas I Sa l m o d i a Salmos e cântico do Domingo III. Ant. 1 Elevado ao mais

Leia mais

Adoração ao Santíssimo Sacramento. Catequese Paroquial de Nossa Senhora da Lapa. 4 de Março de 2014

Adoração ao Santíssimo Sacramento. Catequese Paroquial de Nossa Senhora da Lapa. 4 de Março de 2014 Adoração ao Santíssimo Sacramento Catequese Paroquial de Nossa Senhora da Lapa 4 de Março de 2014 Leitor: Quando nós, cristãos, confessamos a Trindade de Deus, queremos afirmar que Deus não é um ser solitário,

Leia mais

Lausperene. Senhor Jesus, Eu creio que estais presente no pão da Eucaristia. Senhor, eu creio em Vós.

Lausperene. Senhor Jesus, Eu creio que estais presente no pão da Eucaristia. Senhor, eu creio em Vós. Lausperene Cântico: Dá-nos um coração Refrão: Dá-nos um coração, grande para amar, Dá-nos um coração, forte para lutar. 1. Homens novos, criadores da história, construtores da nova humanidade; homens novos

Leia mais

Catequese e adoração das crianças ao Santíssimo Sacramento

Catequese e adoração das crianças ao Santíssimo Sacramento Catequese e adoração das crianças ao Santíssimo Sacramento Paróquia de Calheiros, 1 e 2 de Março de 2008 Orientadas por: Luís Baeta CÂNTICOS E ORAÇÕES CÂNTICOS CRISTO VIVE EM MIM Cristo vive em mim, que

Leia mais

ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO NA ABERTURA DO ANO SACERDOTAL 19 de junho de 2009. Fidelidade de Cristo, fidelidade do Sacerdote

ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO NA ABERTURA DO ANO SACERDOTAL 19 de junho de 2009. Fidelidade de Cristo, fidelidade do Sacerdote ARQUIDIOCESE DE FLORIANÓPOLIS ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO NA ABERTURA DO ANO SACERDOTAL 19 de junho de 2009 Fidelidade de Cristo, fidelidade do Sacerdote 1 - MOTIVAÇÃO INICIAL: Dir.: Em comunhão

Leia mais

Solenidade da Assunção de Nª Senhora. Ano B

Solenidade da Assunção de Nª Senhora. Ano B Solenidade da Assunção de Nª Senhora Admonição Inicial Cântico Inicial (Tu és o Sol) Refrão: Tu és o sol de um novo amanhecer! Tu és farol, a vida a renascer Maria! Maria! És poema de amor! És minha Mãe

Leia mais

Lembrança da Primeira Comunhão

Lembrança da Primeira Comunhão Lembrança da Primeira Comunhão Jesus, dai-nos sempre deste pão Meu nome:... Catequista:... Recebi a Primeira Comunhão em:... de... de... Local:... Pelas mãos do padre... 1 Lembrança da Primeira Comunhão

Leia mais

O Canto Litúrgico. Como escolher os cantos para nossas celebrações?

O Canto Litúrgico. Como escolher os cantos para nossas celebrações? O Canto Litúrgico Como escolher os cantos para nossas celebrações? O que é Liturgia? Liturgia é antes de tudo "serviço do povo", essa experiência é fruto de uma vivencia fraterna, ou seja, é o culto, é

Leia mais

SE SOUBERMOS PERDOAR Ó CARA IRMÃ CLARA, SE SOUBERMOS PERDOAR

SE SOUBERMOS PERDOAR Ó CARA IRMÃ CLARA, SE SOUBERMOS PERDOAR CANTO 1 - LOUVOR DA CRIAÇÃO D Bm G Em A7 D Bm G Em A7 Aleluia! Aleluia! Aleluia! Aleluia! D F#m G Em A7 1. Javé o nosso Deus é poderoso, seu nome é grande em todas as nações D F#m G Em A7 Na boca das crianças

Leia mais

DIRECTÓRIO GERAL DA CATEQUESE - SDCIA/ISCRA -2 Oração inicial Cântico - O Espírito do Senhor está sobre mim; Ele me enviou para anunciar aos pobres o Evangelho do Reino! Textos - Mc.16,15; Mt.28,19-20;

Leia mais

1ª Leitura - Ex 17,3-7

1ª Leitura - Ex 17,3-7 1ª Leitura - Ex 17,3-7 Dá-nos água para beber! Leitura do Livro do Êxodo 17,3-7 Naqueles dias: 3 O povo, sedento de água, murmurava contra Moisés e dizia: 'Por que nos fizeste sair do Egito? Foi para nos

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS COLABORADORES DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANTONIO PEDRO -ACHUAP-

ASSOCIAÇÃO DOS COLABORADORES DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANTONIO PEDRO -ACHUAP- 1 ASSOCIAÇÃO DOS COLABORADORES DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANTONIO PEDRO -ACHUAP- DIA 15.06.2010 MOMENTO ORANTE ECUMÊNICO PELA PASSAGEM DO 59º ANIVERSÁRIO DA ACHUAP (para propiciar momento de silêncio e

Leia mais

Cântico: Dá-nos um coração

Cântico: Dá-nos um coração Cântico: Dá-nos um coração Refrão: Dá-nos um coração, grande para amar, Dá-nos um coração, forte para lutar. 1. Homens novos, criadores da história, construtores da nova humanidade; homens novos que vivem

Leia mais

A grande refeição é aquela que fazemos em torno da Mesa da Eucaristia.

A grande refeição é aquela que fazemos em torno da Mesa da Eucaristia. EUCARISTIA GESTO DO AMOR DE DEUS Fazer memória é recordar fatos passados que animam o tempo presente em rumo a um futuro melhor. O povo de Deus sempre procurou recordar os grandes fatos do passado para

Leia mais

CELEBRAÇÃO DO MATRIMÓNIO

CELEBRAÇÃO DO MATRIMÓNIO CELEBRAÇÃO DO MATRIMÓNIO Assinatura do Registo A assinatura do Registo será colocada na Liturgia, conforme prática local ou critério do Oficiante. Celebração da Santa Ceia No caso de ser pedida a Celebração

Leia mais

Curso de Discipulado

Curso de Discipulado cidadevoadora.com INTRODUÇÃO 2 Este curso é formado por duas partes sendo as quatro primeiras baseadas no evangelho de João e as quatro últimas em toda a bíblia, com assuntos específicos e muito relevantes

Leia mais

ANO B. DOMINGO II DA PÁSCOA ou da Divina Misericórdia. (Outras intenções: adultos e crianças baptizados nesta Páscoa...).

ANO B. DOMINGO II DA PÁSCOA ou da Divina Misericórdia. (Outras intenções: adultos e crianças baptizados nesta Páscoa...). 122 ANO B DOMINGO II DA PÁSCOA ou da Divina Misericórdia (Se estiverem presentes adultos que tenham sido baptizados na última Páscoa, as intenções da oração dos fiéis poderão hoje ser propostas por eles).

Leia mais

XV DOMINGO DO TEMPO COMUM

XV DOMINGO DO TEMPO COMUM XV DOMINGO DO TEMPO COMUM Jesus chamou os doze Apóstolos e começou a enviá-los dois a dois 1. Admonição de entrada 2. Entrada: Em nome do Pai Refrão: Em nome do Pai, em nome do Filho, em nome do Espírito

Leia mais

I DOMINGO DA QUARESMA

I DOMINGO DA QUARESMA I DOMINGO DA QUARESMA LITURGIA DA PALAVRA / I Gen 2, 7-9; 3, 1-7 Leitura do Livro do Génesis O Senhor Deus formou o homem do pó da terra, insuflou em suas narinas um sopro de vida, e o homem tornou-se

Leia mais

Vivendo a Liturgia Ano A

Vivendo a Liturgia Ano A Vivendo a Liturgia Junho/2011 Vivendo a Liturgia Ano A SOLENIDADE DA ASCENSÃO DO SENHOR (05/06/11) A cor litúrgica continua sendo a branca. Pode-se preparar um mural com uma das frases: Ide a anunciai

Leia mais

DIA DE ORAÇÃO PELA JMJ RIO2013

DIA DE ORAÇÃO PELA JMJ RIO2013 ROTEIRO PARA O DIA DE ORAÇÃO PELA JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE RIO2013 Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude - CNBB CANTO DE ENTRADA (Canto a escolha) (Este momento de oração pode ser associado

Leia mais

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa.

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Encontro com a Palavra Agosto/2011 Mês de setembro, mês da Bíblia 1 encontro Nosso Deus se revela Leitura Bíblica: Gn. 12, 1-4 A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Boas

Leia mais

Evangelhos. www.paroquiadecascais.org

Evangelhos. www.paroquiadecascais.org Evangelhos 1. Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus (Mt 5, 1-12a) ao ver a multidão, Jesus subiu ao monte e sentou-se. Rodearam-n O os discípulos e Ele começou a ensiná-los, dizendo:

Leia mais

A Bíblia afirma que Jesus é Deus

A Bíblia afirma que Jesus é Deus A Bíblia afirma que Jesus é Deus Há pessoas (inclusive grupos religiosos) que entendem que Jesus foi apenas um grande homem, um mestre maravilhoso e um grande profeta. Mas a Bíblia nos ensina que Jesus

Leia mais

NOVENA DOS PAIS QUE ORAM PELOS FILHOS

NOVENA DOS PAIS QUE ORAM PELOS FILHOS Pe. Nilton César Boni, cmf NOVENA DOS PAIS QUE ORAM PELOS FILHOS EDITORA AVE-MARIA Apresentação Aos membros da família cristã podem aplicar-se de modo particular as palavras com que Cristo promete a sua

Leia mais

CATEDRAL DIOCESANA DE CAMPINA GRANDE PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO

CATEDRAL DIOCESANA DE CAMPINA GRANDE PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO CATEDRAL DIOCESANA DE CAMPINA GRANDE PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO SOBRE NÓS FAZEI BRILHAR O ESPLENDOR DE VOSSA FACE! 3 º DOMINGO DA PÁSCOA- ANO B 22 DE ABRIL DE 2012 ANIM: (Saudações espontâneas)

Leia mais

COLÉGIO AGOSTINIANO SÃO JOSÉ PASTORAL EDUCATIVA São José do Rio Preto MISSA DO DIA DOS PAIS

COLÉGIO AGOSTINIANO SÃO JOSÉ PASTORAL EDUCATIVA São José do Rio Preto MISSA DO DIA DOS PAIS COLÉGIO AGOSTINIANO SÃO JOSÉ PASTORAL EDUCATIVA São José do Rio Preto MISSA DO DIA DOS PAIS RITOS INICIAIS ANIM.: Celebramos hoje a Eucaristia, ação de graças a Deus, nosso Pai, por todos os pais do colégio.

Leia mais

BAPTISMO DAS CRIANÇAS (Sem Missa)

BAPTISMO DAS CRIANÇAS (Sem Missa) BAPTISMO DAS CRIANÇAS (Sem Missa) Cântico de Entrada SAUDAÇÃO E MONIÇÃO INICIAL DIÁLOGO COM OS PAIS E PADRINHOS Que nome escolhestes para o vosso filho? Pais: (dizem o nome do filho). Que pedis à Igreja

Leia mais

Celebração do Dia Nacional do Catequista 30 de agosto de 2015

Celebração do Dia Nacional do Catequista 30 de agosto de 2015 Celebração do Dia Nacional do Catequista 30 de agosto de 2015 Introdução: Educar na fé, para a paz, a justiça e a caridade Este ano a Igreja no Brasil está envolvida em dois projetos interligados: a lembrança

Leia mais

Celebração Comunitária do SACRAMENTO DO BAPTISMO

Celebração Comunitária do SACRAMENTO DO BAPTISMO Celebração Comunitária do SACRAMENTO DO BAPTISMO O Baptismo, porta da vida e do reino, é o primeiro sacramento da nova lei, que Cristo propôs a todos para terem a vida eterna, e, em seguida, confiou à

Leia mais

igrejabatistaagape.org.br [1] Deus criou o ser humano para ter comunhão com Ele, mas ao criá-lo concedeu-lhe liberdade de escolha.

igrejabatistaagape.org.br [1] Deus criou o ser humano para ter comunhão com Ele, mas ao criá-lo concedeu-lhe liberdade de escolha. O Plano da Salvação Contribuição de Pr. Oswaldo F Gomes 11 de outubro de 2009 Como o pecado entrou no mundo e atingiu toda a raça humana? [1] Deus criou o ser humano para ter comunhão com Ele, mas ao criá-lo

Leia mais

ORAÇÃO EM FAMÍLIA Quaresma e Tempo Pascal

ORAÇÃO EM FAMÍLIA Quaresma e Tempo Pascal 1 PARÓQUIA DE Nª SRª DA CONCEIÇÃO, MATRIZ DE PORTIMÃO ORAÇÃO EM FAMÍLIA Quaresma e Tempo Pascal (O Ícone da Sagrada Família deve ser colocado na sala, num lugar de relevo e devidamente preparado com uma

Leia mais

CONHECENDO O ESPÍRITO SANTO. APOSTILA DA CLASSE DE NOVOS MEMBROS Volume 06 de 07

CONHECENDO O ESPÍRITO SANTO. APOSTILA DA CLASSE DE NOVOS MEMBROS Volume 06 de 07 CONHECENDO O ESPÍRITO SANTO APOSTILA DA CLASSE DE NOVOS MEMBROS Volume 06 de 07 A trindade sempre existiu, mas se apresenta com maior clareza com vinda de Cristo e a redação do Novo Testamento. Por exemplo,

Leia mais

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 1 a Edição Editora Sumário Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9 Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15 Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 Santos, Hugo Moreira, 1976-7 Motivos para fazer

Leia mais

Bíblia Sagrada N o v o T e s t a m e n t o P r i m e i r a E p í s t o l a d e S ã o J o ã o virtualbooks.com.br 1

Bíblia Sagrada N o v o T e s t a m e n t o P r i m e i r a E p í s t o l a d e S ã o J o ã o virtualbooks.com.br 1 Bíblia Sagrada Novo Testamento Primeira Epístola de São João virtualbooks.com.br 1 Capítulo 1 1 O que era desde o princípio, o que temos ouvido, o que temos visto com os nossos olhos, o que temos contemplado

Leia mais

JESUS CRISTO FOI CONCEBIDO PELO PODER DO ESPÍRITO SANTO, E NASCEU DA VIRGEM MARIA (CONT)

JESUS CRISTO FOI CONCEBIDO PELO PODER DO ESPÍRITO SANTO, E NASCEU DA VIRGEM MARIA (CONT) JESUS CRISTO FOI CONCEBIDO PELO PODER DO ESPÍRITO SANTO, E NASCEU DA VIRGEM MARIA (CONT) 11-02-2012 Catequese com adultos 11-12 Chave de Bronze Em que sentido toda a vida de Cristo é Mistério? Toda a vida

Leia mais

JESUS É A LUZ DO MUNDO João 8.12 Pr. Vlademir Silveira IBME 24/03/13

JESUS É A LUZ DO MUNDO João 8.12 Pr. Vlademir Silveira IBME 24/03/13 JESUS É A LUZ DO MUNDO João 8.12 Pr. Vlademir Silveira IBME 24/03/13 INTRODUÇÃO O Evangelho de João registra 7 afirmações notáveis de Jesus Cristo. Todas começam com Eu sou. Jesus disse: Eu sou o pão vivo

Leia mais

Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim

Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim 5º DOMINGO DA PÁSCOA 18 de maio de 2014 Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim Leituras: Atos 6, 1-7; Salmo 32 (33), 1-2,4-5.18-19; Primeira Carta de Pedro 2, 4-9; João

Leia mais

CAPÍTULO 2. O Propósito Eterno de Deus

CAPÍTULO 2. O Propósito Eterno de Deus CAPÍTULO 2 O Propósito Eterno de Deus Já falamos em novo nascimento e uma vida com Cristo. Mas, a menos que vejamos o objetivo que Deus tem em vista, nunca entenderemos claramente o porque de tudo isso.

Leia mais

7 E o Espírito é o que dá testemunho, porque o Espírito é a verdade. 8 Porque três são os que dão testemunho: o Espírito, e a água, e o sangue; e

7 E o Espírito é o que dá testemunho, porque o Espírito é a verdade. 8 Porque três são os que dão testemunho: o Espírito, e a água, e o sangue; e I João 1 1 O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que contemplamos e as nossas mãos apalparam, a respeito do Verbo da vida 2 (pois a vida foi manifestada, e nós

Leia mais

EUCARISTIA PÃO DE VIDA NOVA

EUCARISTIA PÃO DE VIDA NOVA HORA SANTA EUCARÍSTICA EUCARISTIA PÃO DE VIDA NOVA O texto inspira-se no da Comissão Pastoral-Missionária do Grande Jubileu do Ano 2000, editado entre nós com o título Eu sou a vida do mundo (Paulinas,

Leia mais

OS SACRAMENTOS. O que é um Sacramento?

OS SACRAMENTOS. O que é um Sacramento? OS SACRAMENTOS Os sacramentos da nova lei foram instituídos por Cristo e são sete, a saber: o Batismo, a Crisma ou Confirmação, a Eucaristia, a Penitência, a Unção dos Enfermos, a Ordem e o Matrimônio.

Leia mais

A Palavra de Deus. - É na Palavra de Deus que o homem encontra o conhecimento a respeito da Vida, de onde viemos e onde vamos viver a eternidade.

A Palavra de Deus. - É na Palavra de Deus que o homem encontra o conhecimento a respeito da Vida, de onde viemos e onde vamos viver a eternidade. A Palavra de Deus 2 Timóteo 3:16-17 Pois toda a Escritura Sagrada é inspirada por Deus e é útil para ensinar a verdade, condenar o erro, corrigir as faltas e ensinar a maneira certa de viver. 17 E isso

Leia mais

18 Estudos Bíblicos para Evangelismo e Discipulado

18 Estudos Bíblicos para Evangelismo e Discipulado LIÇÃO 1 - EXISTE UM SÓ DEUS 18 Estudos Bíblicos para Evangelismo e Discipulado A Bíblia diz que existe um único Deus. Tiago 2:19, Ef. 4 1- O Deus que Criou Todas as coisas, e que conduz a sua criação e

Leia mais

Bem - Aventuranças. Conselho Inter-paroquial de Catequese Lamas, 22 de Novembro de 2007

Bem - Aventuranças. Conselho Inter-paroquial de Catequese Lamas, 22 de Novembro de 2007 Bem - Aventuranças Conselho Inter-paroquial de Catequese Lamas, 22 de Novembro de 2007 Eu estou à tua porta a bater, Eu estou à tua porta a bater, Se me abrires a porta entrarei para enviar. Eu preciso

Leia mais

MARIA, MÃE DA MISERICÓRDIA! INTRODUÇÃO

MARIA, MÃE DA MISERICÓRDIA! INTRODUÇÃO MARIA, MÃE DA MISERICÓRDIA! INTRODUÇÃO A pessoa de Maria foi desde os primeiros séculos do cristianismo uma grade fonte de inspiração para o povo cristão. De fato nas catacumbas de Roma, onde os cristãos

Leia mais

Leituras: Ex 34, 4b-6.8-9; 2 Cor 13, 11-13; Jo 3, 16 18

Leituras: Ex 34, 4b-6.8-9; 2 Cor 13, 11-13; Jo 3, 16 18 // De acordo com o calendário litúrgico, neste domingo (19), comemoramos a festa da Santíssima Trindade. Dom Emanuele Bargellini - Prior do Mosteiro da Transfiguração (Mogi das Cruzes - São Paulo), doutor

Leia mais

NOVE DIAS COM IRMÃ CLARA FIETZ NA ESCOLA DE JESUS CRISTO

NOVE DIAS COM IRMÃ CLARA FIETZ NA ESCOLA DE JESUS CRISTO NOVE DIAS COM IRMÃ CLARA FIETZ NA ESCOLA DE JESUS CRISTO ORAÇÃO DO INÍCIO DA NOVENA SENHOR JESUS CRISTO, Vós nos encorajastes a Vos trazer nossa preocupação na oração. Se me pedirdes alguma coisa em meu

Leia mais

Sagrado Coração de Jesus

Sagrado Coração de Jesus Trezena em honra ao Sagrado Coração de Jesus Com reflexões sobre suas doze promessas a Santa Margarida Maria de Alacoque EDITORA AVE-MARIA Introdução Antes de o prezado leitor iniciar esta Trezena em honra

Leia mais

CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA ÍNDICE GERAL

CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA ÍNDICE GERAL CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA ÍNDICE GERAL CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA ÍNDICE GERAL PRÓLOGO I. A Vida do homem conhecer e amar a Deus II. Transmitir a fé a catequese III. Finalidade e destinatários deste

Leia mais

OUTRAS ORAÇÕES PAI NOSSO ORAÇÃO A SÃO JERÔNIMO. Pai nosso que estais nos céus. Santificado seja o vosso nome. Venha a nós o vosso reino

OUTRAS ORAÇÕES PAI NOSSO ORAÇÃO A SÃO JERÔNIMO. Pai nosso que estais nos céus. Santificado seja o vosso nome. Venha a nós o vosso reino OUTRAS ORAÇÕES PAI NOSSO Pai nosso que estais nos céus Santificado seja o vosso nome Venha a nós o vosso reino Seja feita a vossa vontade Assim na Terra como no Céu O pão nosso de cada dia nos dai hoje

Leia mais

Consagrar o Mundo a Cristo Redentor por Maria e com Maria

Consagrar o Mundo a Cristo Redentor por Maria e com Maria Homilia na Consagração do Mundo a Nossa Senhora Consagrar o Mundo a Cristo Redentor por Maria e com Maria António Marto Fátima 25 de Março de 2009 Diante da tua imagem de Nossa Senhora do Rosário de Fátima,

Leia mais

EVANGELHO DE JOÃO, Cap. 3. Evangelho de João Cap. 3. 1 Havia, entre os fariseus, um homem chamado Nicodemos, um dos principais dos judeus.

EVANGELHO DE JOÃO, Cap. 3. Evangelho de João Cap. 3. 1 Havia, entre os fariseus, um homem chamado Nicodemos, um dos principais dos judeus. EVANGELHO DE JOÃO, Cap. 3 LEMBRETE IMPORTANTE: As palavras da bíblia, são somente as frases em preto Alguns comentários explicativos são colocados entre os versículos, em vermelho. Mas é apenas com o intuito

Leia mais

O PODER DA ORAÇAO E DA SANTIFICAÇAO

O PODER DA ORAÇAO E DA SANTIFICAÇAO O PODER DA ORAÇAO E DA SANTIFICAÇAO PROGRAMA A HORA MILAGROSA Assim nos ensinou o Santo Irmão Aldo sobre o poder da oração e da santificação: Todo o filho de Deus deve ser dado à oração e à meditação.

Leia mais

P á g i n a 1 7 PAROQUIA N. SRA. RAINHA DOS APOSTOLOS CANTOS DA QUARESMA - 2015. Cantos de Entrada: 1) Entrada/Senhor Eis Aqui o Teu Povo

P á g i n a 1 7 PAROQUIA N. SRA. RAINHA DOS APOSTOLOS CANTOS DA QUARESMA - 2015. Cantos de Entrada: 1) Entrada/Senhor Eis Aqui o Teu Povo Cantos de Entrada: 1) Entrada/Senhor Eis Aqui o Teu Povo Refrão: Senhor, eis aqui o teu povo que vem implorar teu perdão; É grande o nosso pecado, porém é maior o teu coração. 1. Sabendo que acolheste

Leia mais

No entanto, por mais dedicado, íntegro e capacitado que um líder ou pastor seja, jamais chegará, se quer, aos pés do Senhor Jesus.

No entanto, por mais dedicado, íntegro e capacitado que um líder ou pastor seja, jamais chegará, se quer, aos pés do Senhor Jesus. A sociedade, em todas as nações, encontra-se doente. A maioria das pessoas tem a alma enferma. Nesses últimos dias, o que tem acontecido no Sebastião Norões, tem nos mostrado que até as crianças estão

Leia mais

1. Com o Dízimo, aprendemos a AGRADECER a Deus e ao próximo.

1. Com o Dízimo, aprendemos a AGRADECER a Deus e ao próximo. 1. Com o Dízimo, aprendemos a AGRADECER a Deus e ao próximo. Ao contribuir com o dízimo, saímos de nós mesmos e reconhecemos que pertencemos tanto à comunidade divina quanto à humana. Um deles, vendo-se

Leia mais

"Maria!"! !!!!!!!! Carta!de!Pentecostes!2015! Abade!Geral!OCist!

Maria!! !!!!!!!! Carta!de!Pentecostes!2015! Abade!Geral!OCist! CartadePentecostes2015 AbadeGeralOCist "Maria" Carissimos, vos escrevo repensando na Semana Santa que passei em Jerusalém, na Basílica do Santo Sepulcro, hóspede dos Franciscanos. Colhi esta ocasião para

Leia mais

Os Sacramentos estão presentes em cada fase da vida do Cristão

Os Sacramentos estão presentes em cada fase da vida do Cristão Os Sacramentos estão presentes em cada fase da vida do Cristão A vida litúrgica começa muito cedo. Os Sacramentos são conhecidos como encontros pessoais com Cristo. Também são vistos como sinais da salvação.

Leia mais

Hora Santa pela santificação do Clero

Hora Santa pela santificação do Clero Hora Santa pela santificação do Clero Solenidade do Sagrado Coração de Jesus - 12 de Junho de 2015 1. ABERTURA Animador: Caríssimos irmãos e irmãos, neste dia em que a Igreja celebra a Solenidade do Sagrado

Leia mais

A Diferença entre DEUS e seu FILHO

A Diferença entre DEUS e seu FILHO A Diferença entre DEUS e seu FILHO João 4.22 Vós adorais o que não sabeis; nós adoramos o que sabemos porque a salvação vem dos judeus. Mateus 15.9 Mas, em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos

Leia mais

Músicos, Ministros de Cura e Libertação

Músicos, Ministros de Cura e Libertação Músicos, Ministros de Cura e Libertação João Paulo Rodrigues Ferreira Introdução Caros irmãos e irmãs; escrevo para vocês não somente para passar instruções, mas também partilhar um pouco da minha experiência

Leia mais

Missa - 10/5/2015. Entrada

Missa - 10/5/2015. Entrada Missa - 10/5/2015 ntrada m F#m 1. Todos unidos formamos um só corpo, um povo que na Páscoa nasceu. G Membros de Cristo, no sangue redimidos, Igreja peregrina de eus. m F#m Vive conosco a força do spírito,

Leia mais

NOVENA A SÃO PEREGRINO: PROTETOR DOS DOENTES DE CÂNCER. Comentarista: Quem foi São Peregrino? São Peregrino, foi um frade da Ordem dos

NOVENA A SÃO PEREGRINO: PROTETOR DOS DOENTES DE CÂNCER. Comentarista: Quem foi São Peregrino? São Peregrino, foi um frade da Ordem dos NOVENA A SÃO PEREGRINO: PROTETOR DOS DOENTES DE CÂNCER Comentarista: Quem foi São Peregrino? São Peregrino, foi um frade da Ordem dos Servos de Maria e ficou conhecido como o protetor contra o câncer.

Leia mais

Diocese de Guaxupé. Hora Santa. Dia de Oração pela Santificação dos Sacerdotes

Diocese de Guaxupé. Hora Santa. Dia de Oração pela Santificação dos Sacerdotes Diocese de Guaxupé Hora Santa Dia de Oração pela Santificação dos Sacerdotes para exposição do Santíssimo Sacramento Glória a Jesus na Hóstia Santa (ou outro a escolha) Dirigente: Graças e louvores se

Leia mais

Entrada da Palavra: Comentário da Palavra: Permaneçamos em pé para acolher o Livro Santo de Nossa Fé, a Palavra de Deus, cantando.

Entrada da Palavra: Comentário da Palavra: Permaneçamos em pé para acolher o Livro Santo de Nossa Fé, a Palavra de Deus, cantando. Celebração de Encerramento PREPARAR 1. Bíblia e velas para a Procissão de Entrada da Palavra 2. Sementes de girassóis para cada catequista depositar num prato com terra diante do altar durante a homilia

Leia mais

A Unidade de Deus. Jesus Cristo é o Único Deus. Pai Filho Espírito Santo. Quem é Jesus? Como os Apóstolos creram e ensinaram? O que a Bíblia diz?

A Unidade de Deus. Jesus Cristo é o Único Deus. Pai Filho Espírito Santo. Quem é Jesus? Como os Apóstolos creram e ensinaram? O que a Bíblia diz? A Unidade de Deus Quem é Jesus? Como os Apóstolos creram e ensinaram? O que a Bíblia diz? Vejamos a seguir alguns tópicos: Jesus Cristo é o Único Deus Pai Filho Espírito Santo ILUSTRAÇÃO Pai, Filho e Espírito

Leia mais

O FRUTO DO ESPÍRITO 1 - A CARIDADE, A ALEGRIA E A PAZ.

O FRUTO DO ESPÍRITO 1 - A CARIDADE, A ALEGRIA E A PAZ. O FRUTO DO ESPÍRITO O Espírito Santo nos guia para as alturas de Deus, para que possamos viver já nesta terra a semente da vida divina que está em nós. O fruto do Espírito são perfeições que o Espírito

Leia mais

ESTUDOS NO EVANGELHO DE JOÃO

ESTUDOS NO EVANGELHO DE JOÃO ESTUDOS NO EVANGELHO DE JOÃO ESTUDO 1 NOVA VIDA O presente curso ajudará você a descobrir fatos da Palavra de Deus, fatos os quais você precisa para viver a vida em toda a sua plenitude. Por este estudo

Leia mais

NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, REI DO UNIVERSO

NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, REI DO UNIVERSO Domingo XXXIV e último NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, REI DO UNIVERSO Solenidade LEITURA I 2 Sam 5, 1-3 «Ungiram David como rei de Israel» Leitura do Segundo Livro de Samuel Naqueles dias, todas as tribos

Leia mais

NOVENA PARA A FESTA DE SANTA MARIA EUGENIA FUNDADORA DAS RELIGIOSAS DA ASSUNÇÃO

NOVENA PARA A FESTA DE SANTA MARIA EUGENIA FUNDADORA DAS RELIGIOSAS DA ASSUNÇÃO NOVENA PARA A FESTA DE SANTA MARIA EUGENIA FUNDADORA DAS RELIGIOSAS DA ASSUNÇÃO Os santos são um projeto de Deus que se realizou, que deu certo. Por isso, eles são sinais indicadores, testemunhas, para

Leia mais

A Fe Parte 3 Vivenciemos nossa Fé com alegria

A Fe Parte 3 Vivenciemos nossa Fé com alegria Ano Novo 2013 Carta Pastoral do Bispo D. Paulo Otsuka Yoshinao Diocese de Kyoto A Fe Parte 3 Vivenciemos nossa Fé com alegria Fiquem sempre alegres no Senhor! Fl.4,4. O maior presente do cristianismo é

Leia mais

www.aciportugal.org ESTOU NESTE MUNDO COMO NUM GRANDE TEMPLO Santa Rafaela Maria

www.aciportugal.org ESTOU NESTE MUNDO COMO NUM GRANDE TEMPLO Santa Rafaela Maria www.aciportugal.org ESTOU NESTE MUNDO COMO NUM GRANDE TEMPLO Santa Rafaela Maria 2 www.aciportugal.org 11 ORAÇÃO FINAL Senhor Jesus Cristo, hoje sentimos a Tua paixão por cada um de nós e pelo mundo. O

Leia mais

CATEQUESE 1 Estamos reunidos de novo. CATEQUESE 1 Estamos reunidos de novo

CATEQUESE 1 Estamos reunidos de novo. CATEQUESE 1 Estamos reunidos de novo CATEQUESE 1 Estamos reunidos de novo Tens uma tarefa importante para realizar: 1- Dirige-te a alguém da tua confiança. 2- Faz a pergunta: O que admiras mais em Jesus? 3- Regista a resposta nas linhas.

Leia mais

Tempo do Natal. Vésperas

Tempo do Natal. Vésperas Tempo do Natal. DESDE A SOLENDADE DA EPFANA Hinos Vésperas Rei Herodes, porque temes A vinda de Cristo Rei, Que veio trazer aos homens Dos Céus o reino e a lei? Foram os Magos seguindo A estrela do Oriente

Leia mais

1º. Pregação: Tema: Desde o pecado de Adão e Eva somos curados por Deus

1º. Pregação: Tema: Desde o pecado de Adão e Eva somos curados por Deus SEMINÁRIO DE VIDA NO ESPÍRITO Tema geral: Cura Interior Autor: Pe. Fernando PREGAÇÃO: Tema: Curados para Amar Senhor se queres podes me curar Mt. 8, 1-4 1º. Pregação: Tema: Desde o pecado de Adão e Eva

Leia mais

Lição Um. Um Novo Princípio. O Poder Transformador de Cristo

Lição Um. Um Novo Princípio. O Poder Transformador de Cristo Livro 1 página 4 Lição Um Um Novo Princípio O Poder Transformador de Cristo Da Palavra de Deus: Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo

Leia mais

Mateus 4, 1-11. Respondeu-lhe Jesus: «Vai-te, Satanás, pois está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a Ele prestarás culto.

Mateus 4, 1-11. Respondeu-lhe Jesus: «Vai-te, Satanás, pois está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a Ele prestarás culto. Mateus 4, 1-11 Respondeu-lhe Jesus: «Vai-te, Satanás, pois está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a Ele prestarás culto.». Este caminho de 40 dias de jejum, de oração, de solidariedade, vai colocar-te

Leia mais

Espiritualidade do Câmbio Sistêmico ou Mudança de Estruturas

Espiritualidade do Câmbio Sistêmico ou Mudança de Estruturas Espiritualidade do Câmbio Sistêmico ou Mudança de Estruturas Uma breve meditação sobre Mudança de Estruturas O objetivo desta meditação é redescobrir a dimensão espiritual contida na metodologia de mudança

Leia mais

CRIANÇAS AJUDAM E EVANGELIZAM CRIANÇAS

CRIANÇAS AJUDAM E EVANGELIZAM CRIANÇAS CRIANÇAS AJUDAM E EVANGELIZAM CRIANÇAS Infância/Adolescencia MISSÃO MISSÃO. Palavra muito usada entre nós É encargo, incumbência Missão é todo apostolado da Igreja. Tudo o que a Igreja faz e qualquer campo.

Leia mais

A Pedagogia do cuidado

A Pedagogia do cuidado Roteiro de Oração na Vida Diária nº 23 A Pedagogia do cuidado Tempo forte na Igreja, inicia-se hoje nossa caminhada de preparação para a Páscoa, no rico tempo da quaresma. Como nos ciclos da natureza,

Leia mais

Todo dia é preciso lembrar, sou a luz, o caminho, a verdade, Sou o trigo que morre e floresce, sou o pão, sou fermento, sou vida.

Todo dia é preciso lembrar, sou a luz, o caminho, a verdade, Sou o trigo que morre e floresce, sou o pão, sou fermento, sou vida. Canto de entrada C G C Dm G G7 Venham comigo, vamos comer minha Páscoa. C G C Dm G G7 Isto é meu corpo, isto também é meu sangue C F G C G Eis o meu testamento até que se cumpra no reino de Deus. C G C

Leia mais

Personal Commitment Guide. Guia de Compromisso Pessoal

Personal Commitment Guide. Guia de Compromisso Pessoal Personal Commitment Guide Guia de Compromisso Pessoal Nome da Igreja ou Evento Nome do Conselheiro Telefone 1. Salvação >Você já atingiu um estágio na vida em que você tem a certeza da vida eterna e que

Leia mais

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL ESTUDO 4 Palavra Viva RELEMBRANDO SANTIFICAÇÃO Nossos três grandes inimigos: O MUNDO A CARNE O D IABO 'Porque a carne milita contra o Espírito, e o Espírito, contra a carne, porque

Leia mais

AS OBRAS DE MISERICORDIA 1. OBRAS DE MISERICÓRDIA CORPORAIS

AS OBRAS DE MISERICORDIA 1. OBRAS DE MISERICÓRDIA CORPORAIS 1 AS OBRAS DE MISERICORDIA «É meu vivo desejo que o povo cristão reflicta, durante o Jubileu, sobre as obras de misericórdia corporal e espiritual. Será uma maneira de acordar a nossa consciência, muitas

Leia mais

ASSEMBLEIA DO RENOVAMENTO CARISMÁTICO DA DIOCESE DO PORTO 21 de Abril de 2012

ASSEMBLEIA DO RENOVAMENTO CARISMÁTICO DA DIOCESE DO PORTO 21 de Abril de 2012 ASSEMBLEIA DO RENOVAMENTO CARISMÁTICO DA DIOCESE DO PORTO 21 de Abril de 2012 Mantendo-vos, portanto, firmes, tendo cingido os vossos rins com a verdade, vestindo a couraça da justiça e calçando os pés

Leia mais

Plano Pedagógico do Catecismo 6

Plano Pedagógico do Catecismo 6 Plano Pedagógico do Catecismo 6 Cat Objetivos Experiência Humana Palavra Expressão de Fé Compromisso PLANIFICAÇÃO de ATIVIDADES BLOCO I JESUS, O FILHO DE DEUS QUE VEIO AO NOSSO ENCONTRO 1 Ligar a temática

Leia mais

Vigília Jubilar. Vigília do dia 17 para 18. Abrir às 21 horas do dia 17/10 e encerrar às 6h da manhã do dia 18/10.

Vigília Jubilar. Vigília do dia 17 para 18. Abrir às 21 horas do dia 17/10 e encerrar às 6h da manhã do dia 18/10. Vigília Jubilar Vigília do dia 17 para 18. Abrir às 21 horas do dia 17/10 e encerrar às 6h da manhã do dia 18/10. Material: Uma Bíblia Vela da missão Velas para todas as pessoas ou pedir que cada pessoa

Leia mais

VIGÍLIA DE LOUVOR JOVEM

VIGÍLIA DE LOUVOR JOVEM VIGÍLIA DE LOUVOR JOVEM Se espera de uma v i g í l i a jo v e m um bom planejamento, divulgação, objetivo e um tema definido acertando em cheio o objetivo proposto no planejamento da vigília. Em uma vigília

Leia mais

Acólitos. São João da Madeira. Cancioneiro

Acólitos. São João da Madeira. Cancioneiro Acólitos São João da Madeira Cancioneiro Índice Guiado pela mão...5 Vede Senhor...5 Se crês em Deus...5 Maria a boa mãe...5 Quanto esperei por este momento...6 Pois eu queria saber porquê?!...6 Dá-nos

Leia mais

CANTOS - Novena de Natal

CANTOS - Novena de Natal 1 1 - Refrão Meditativo (Ritmo: Toada) D A7 D % G Em A7 % Onde reina o amor, frater---no amor. D A7 D % G A7 D Onde reina o amor, Deus aí está! 2 - Deus Trino (Ritmo: Balada) G % % C Em nome do Pai / Em

Leia mais

Felizes os puros de coração porque verão a Deus (Mt 5, 8)

Felizes os puros de coração porque verão a Deus (Mt 5, 8) Janeiro e Fevereiro 2015 Editorial Esta é a Síntese dos meses de Janeiro e Fevereiro, assim como a Palavra de Vida, em que o nosso diretor espiritual, Pe. Pedro, fala sobre Felizes os puros de coração

Leia mais

SOLENIDADE DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO REI DO UNIVERSO

SOLENIDADE DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO REI DO UNIVERSO Ano A - XXIV - Nº 1482-34º Domingo do Tempo Comum - cor branca ou dourada - 23/11/2014 SOLENIDADE DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO REI DO UNIVERSO Dia Nacional dos Leigos(as) Preparar o espaço celebrativo

Leia mais

DOUTRINAS BÁSICAS DA VIDA CRISTÃ

DOUTRINAS BÁSICAS DA VIDA CRISTÃ EBD DOUTRINAS BÁSICAS DA VIDA CRISTÃ DOUTRINAS BÁSICAS DA VIDA CRISTÃ OLÁ!!! Sou seu Professor e amigo Você está começando,hoje, uma ETAPA muito importante para o seu CRESCIMENTO ESPIRITUAL e para sua

Leia mais