Separata ao Boletim do Exército

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Separata ao Boletim do Exército"

Transcrição

1 Separata ao Boletim do Exército MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO SEPARATA AO BE Nº 2/2015 PORTARIA N º 290-EME, DE 15 DE DEZEMBRO DE Aprova a Diretriz para os Desportos no Exército para o ano de 2015 e revoga a Portaria nº 240-EME, de 9 de dezembro de Brasília-DF, 9 de janeiro de 2015.

2

3 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO PORTARIA Nº 290, DE 15 DE DEZEMBRO DE Aprova a Diretriz para os Desportos no Exército para o ano de 2015 e revoga a Portaria nº 240-EME, de 9 de dezembro de O CHEFE DO ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO, no uso da atribuição que lhe confere o art. 5º, inciso VIII e o art. 9º, inciso I, do Regulamento do Estado-Maior do Exército (R-173), aprovado pela Portaria do Comandante do Exército nº 514, de 29 de junho de 2010, de acordo com o que propõe o Departamento de Educação e Cultura do Exército (DECEx) e ouvidos todos os Órgãos de Direção Setorial (ODS) e todos os Comandos Militares de Área (C Mil A) resolve: baixa. Art.1º Aprovar a Diretriz para os Desportos no Exército para o ano de 2015, que com esta Art. 2º Determinar que esta portaria entre em vigor na data de sua publicação. Art. 3º Revogar, a contar de 31 de dezembro de 2014, a Portaria nº 240-EME, de 9 de dezembro de ÍNDICE DE ASSUNTOS PREFÁCIO... - CAPÍTULO I - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... - Seção I - Das Finalidades... 1º Seção II - Dos Objetivos... 2º CAPÍTULO II - ORIENTAÇÃO PARA O DESPORTO NO ANO DE Seção I - Da Estrutura Desportiva... 3º/5º Seção II - O Planejamento Desportivo... 8º/13 CAPÍTULO III - ATIVIDADES DESPORTIVAS... - Seção I - CISM Day Run /19 Seção II - Jogos Mundiais Militares /26 Seção III - Jogos Olímpicos e Paralímpicos /31 Seção IV - Jogos Desportivos do Exército /36 CAPÍTULO IV - PROGRAMA DE ATLETAS DE ALTO RENDIMENTO... 37/41 Art. Separata ao Boletim do Exército nº 2, de 9 de janeiro de

4 Art. CAPÍTULO V - RECURSOS HUMANOS E FINANCEIROS... - Seção I - Das Responsabilidades... 42/45 Seção I - Da Gratificação de Representação... 46/47 CAPÍTULO VI - ATRIBUIÇÕES... 48/55 CAPÍTULO VII - PRESCRIÇÕES DIVERSAS... 56/57 ANEXOS: ANEXO A - PROGRAMA DESPORTIVO MILITAR PARA 2015 ANEXO B - PROGRAMA DE PREPARAÇÃO DESPORTIVA PARA 2015 ANEXO C - COMPOSIÇÃO DAS DELEGAÇÕES PARA OS JDE 2015 PREFÁCIO Esta Diretriz tem a finalidade de estabelecer a orientação geral para o planejamento e a prática dos desportos no âmbito do Exército no ano de Em caráter complementar, a presente Diretriz apresenta as diretrizes para a preparação dos Jogos Desportivos do Exército 2015 (JDE 2015), divulga o Calendário dos Campeonatos Mundiais Militares do Conseil International du Sport Militaire (CISM) e antecipa as possíveis participações do Exército nos 6º Jogos Mundiais Militares de 2015 (6º JMM 2015) e nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos 2016 (JO e JP 2016). Os grandes eventos desportivos internacionais que antecedem aos JO e JP 2016 acarretarão uma série de atribuições para o Exército nas áreas do planejamento, da organização, da defesa integrada e da condução das atividades desportivas. De forma paralela à organização desses eventos, com certeza, o Exército será solicitado a contribuir com atletas, técnicos, treinadores, diretores de provas, dirigentes, árbitros e auxiliares para participarem do planejamento, da montagem, da organização e da condução dos treinamentos, dos eventos testes e das competições que serão realizadas. A elaboração desta Diretriz teve como referência, a legislação nacional que rege o assunto e outros documentos de natureza semelhante, produzidos no âmbito do Ministério da Defesa e dos Comandos Militares que o integram. Buscou-se, com isso, o alinhamento com procedimentos já adotados, mantendo-se as peculiaridades e as especialidades próprias do Exército. As prescrições contidas nesta Diretriz estão alinhadas com a Diretriz Geral do Comandante do Exército Separata ao Boletim do Exército nº 2, de 9 de janeiro de 2015.

5 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Seção I Das Finalidades finalidades: Art. 1º A Diretriz para o Desporto no Exército no Ano de 2015 tem as seguintes I - estabelecer a orientação geral para o planejamento e a prática dos desportos no Exército no ano de 2015; II - divulgar o Calendário dos Campeonatos Mundiais Militares do CISM, que prevê a participação de equipes representativas das Forças Armadas; III - orientar a participação do Exército nos 6º JMM 2015 e nos JO e JP 2016; IV - orientar a participação do pessoal do Comando do Exército em competições militares e civis, nacionais e internacionais de interesse para a Instituição; V - orientar o planejamento das competições desportivas que serão disputadas no nível Exército no ano de 2015; VI - divulgar as competições de interesse para o Exército; e VII - divulgar o Programa de Atletas de Alto Rendimento do Exército (PAAR), para o público interno, como estímulo a prática desportiva. Seção II Dos Objetivos Art. 2º Esta Diretriz apresenta os seguintes objetivos: I - incentivar a prática desportiva no Exército; desportivo; II - motivar a capacitação de recursos humanos especializados na área do treinamento III - regular a realização do CISM Day Run - Corrida da Paz nas diversas Organizações Militares do Exército; IV - estabelecer premissas básicas para a preparação das equipes representativas dos C Mil A para os JDE 2015; V - orientar o planejamento dos JDE 2015; e VI - orientar o planejamento desportivo dos C Mil A, Grandes Comandos e Grandes Unidades para Separata ao Boletim do Exército nº 2, de 9 de janeiro de

6 CAPÍTULO II ORIENTAÇÃO PARA O DESPORTO NO ANO DE 2015 Seção I Da Estrutura Desportiva Art. 3º O Sistema de Capacitação Física do Exército (SiCaFEx) é um subsistema do Sistema de Ensino do Exército, constituído por representantes do ODG, dos ODS, dos C Mil A e dos Órgãos de Assistência Direta e Imediata (OADI), para coordenar, planejar, integrar, preparar, sincronizar e supervisionar todas as ações que envolvem as atividades de pesquisa, ensino, desenvolvimento, manutenção e recuperação da capacidade física e do desporto no âmbito do Exército. Art. 4º Compete ao SiCaFEx assegurar a integração da execução das atividades relacionadas à capacitação física e ao desporto, possibilitando a orientação e a coordenação com o máximo de eficiência, estimulando o fluxo de informações entre os ODG, ODS, C Mil A e OADI. Art. 5º O Seminário de Integração Anual do SiCAFEx (SAI/2015) será realizado no Centro de Capacitação Física do Exército no mês de maio de 2015 e centrará os seus trabalhos em quatro eixos temáticos: o Treinamento Físico Militar (TFM) e sua avaliação, a inserção do segmento feminino na Linha de Ensino Militar Bélico, o desporto militar e a Saúde e a Operacionalidade. Art. 6º As Instruções Gerais para os Desportos no Exército (IG 10-39) estabelecem a existência de Agências Desportivas em todos os Comandos Militares de Área (C Mil A), Grandes Comandos (G Cmdo) e Grandes Unidades (GU), constituídas por militares vinculados às 3ª seções, preferencialmente aqueles possuidores do Curso de Educação Física do Exército. Parágrafo único. As Seções de Educação Física e Desportos dos estabelecimentos de ensino e unidades congêneres terão atribuições semelhantes às das agências desportivas em seus respectivos escalões. de 2015: superior; Art. 7º As Agências Desportivas deverão desenvolver as atividades que se seguem no ano I - elaborar as suas diretrizes anuais para os desportos, com base nas diretrizes do escalão II - representar os C Mil A, G Cmdo ou GU a que pertencem, em competições militares programadas em calendário desportivo do escalão imediatamente superior; III - coordenar e supervisionar a constituição e o treinamento das delegações esportivas do seu C Mil A, G Cmdo ou GU; IV - organizar e dirigir as competições do seu C Mil A, G Cmdo ou GU; V - incentivar a prática dos desportos no âmbito dos C Mil A, G Cmdo ou GU; VI - difundir as regras desportivas e os regulamentos da CDE, visando, sobretudo, à preparação de árbitros, juízes e diretores de provas; 6 - Separata ao Boletim do Exército nº 2, de 9 de janeiro de 2015.

7 VII - publicar em boletim os resultados das competições militares de sua responsabilidade; VIII - homologar, em ata, os recordes registrados no seu C Mil A, G Cmdo ou GU, após a aprovação do respectivo comandante, providenciando a necessária publicação em boletim; IX - remeter à CDE uma cópia das atas de homologação dos recordes estabelecidos no seu respectivo C Mil A, após sua devida publicação em boletim; X - remeter a quem de direito (CDE ou C Mil A) os pedidos de homologação de recordes de níveis mais elevados registrados em competições sob sua responsabilidade; XI - manter atualizados os registros dos recordes homologados pelo respectivo C Mil A, G Cmdo ou GU, nos diferentes desportos; XII - encaminhar, à agência desportiva do escalão superior ou à CDE, nos casos dos C Mil A, as questões relativas à prática desportiva que não possa solucionar; XIII - encaminhar ao escalão superior ou a CDE, dentro de cinco dias após o término de cada competição a seu cargo, o relatório conforme modelo constante nas IG 10-39; XIV - indicar, quando solicitado, os elementos em condições de atuarem como árbitros, juízes ou diretores de provas nos diversos desportos; XV - cooperar com a CDE ou com o escalão superior na seleção dos elementos que devam ser convocados para as delegações desportivas; XVI - apoiar as competições militares que se realizarem na área de sua responsabilidade; XVII - solicitar o apoio administrativo necessário às competições sob sua responsabilidade; e desportiva. XVIII - manter os registros dos resultados obtidos pelos atletas convocados pela agência Seção II O Planejamento Desportivo Art. 8º A Prática desportiva é realizada no âmbito do Comando do Exército com as seguintes finalidades: I - desenvolver as qualidades físicas e morais desejáveis aos militares; II - promover o espírito de corpo das OM, GU, G Cmdo e C Mil A; e III - estreitar os laços de camaradagem que devem unir os militares. Art. 9º Os C Mil A deverão incentivar a incorporação de conscritos com histórico desportivo que possibilitem o seu aproveitamento pelas equipes do Exército ou das Forças Armadas. Separata ao Boletim do Exército nº 2, de 9 de janeiro de

8 Art. 10. Todas as competições militares no âmbito do EB deverão ser planejadas e executadas em consonância com o previsto nas Instruções Reguladoras para os Desportos no Exército (IR 60-28), aprovadas pela Port nº 013-DEP, de 8 de março de Art. 11. As Praças Especiais, exceto os Aspirantes-a-Oficial, participarão apenas das competições para elas programadas, podendo, entretanto, após consulta ao DECEx, integrar as equipes representativas do Exército e do Brasil em competições civis e militares, nacionais e internacionais. Art. 12. Os militares convocados para treinamento e competições esportivas civis e militares, nacionais e internacionais, projetam a imagem do Exército no Brasil e no exterior e devem, por isso, receber todo o apoio de seus comandantes, chefes ou diretores imediatos. Art. 13. As agências desportivas deverão priorizar em seus planejamentos para 2015: I - a prática dos desportos previstos nos JDE 2015; II - a participação do segmento feminino nas competições esportivas nas modalidades de orientação e tiro, a fim de revelar novos valores para as equipes representativas do Exército; e III - a execução de competições sem distinção de círculos hierárquicos, em todas as modalidades, conforme previsto na Portaria Normativa nº MD, de 16 de julho CAPÍTULO III ATIVIDADES DESPORTIVAS Seção I CISM Day Run Art. 14. Anualmente, o CISM promove o evento, no dia 18 de fevereiro, em comemoração ao aniversário da entidade, com o lema Amizade Através do Esporte. Art. 15. A programação consiste em realizar uma caminhada ou corrida com participação do maior número possível de militares, tendo como meta a presença de integrantes do EB. Art. 16. O CISM Run Day será coordenado, no âmbito do Exército, pelo Comando de Operações Terrestres (COTER), que deverá informar o efetivo total envolvido ao Gabinete do Comandante do Exército (Gab Cmt Ex), ao Estado-Maior do Exército (EME) e ao Departamento do Desporto Militar do Ministério da Defesa (DDT/MD), até 13 de março de Art. 17. A atividade deverá ser desenvolvida por guarnição ou organização militar (OM) com encargo de guarnição militar. Art. 18. O relatório dos C Mil A deverá ser encaminhado ao COTER até 05 de março de 2015, que o consolidará e o divulgará ao EME, ao Gabinete do Comandante do Exército, para ser enviado DDT/MD até 13 de março de Art. 19. O COTER deverá distribuir o modelo de relatório a ser preenchido pelos C Mil A, até 16 de janeiro de Separata ao Boletim do Exército nº 2, de 9 de janeiro de 2015.

9 Seção II Jogos Mundiais Militares 2015 Art. 20. Os 6º JMM 2015 serão realizados de 2 a 11 de outubro 2015, na Coréia do Sul. Neste evento estarão em evidência as imagens do Exército, das Forças Armadas e do Brasil, como consequência do excelente resultado atingido pelo País nos 5º JMM Art. 21. Nos 6º JMM 2015, serão disputados vinte e quatro esportes, sendo dezenove modalidades olímpicas e cinco modalidades militares, conforme a seguir listadas: I - Modalidades Olímpicas: a) Atletismo (Masc/Fem); b) Basquetebol (Masc); c) Judô (Masc/Fem); d) Futebol (Masc/Fem); e) Boxe (Masc); f) Esgrima (Masc/Fem); g) Handball (Masc); h) Ciclismo (Masc/Fem); i) Badminton (Masc/Fem); j) Maratona (Masc/Fem); k) Natação (Masc/Fem); l) Pentatlo Moderno (Masc/Fem); m) Luta Livre (Masc/Fem); n) Tiro (Masc/Fem); o) Triatlo (Masc/Fem); p) Tiro com Arco (Masc/Fem); q) Taekwondo (Masc/Fem); r) Voleibol (Masc/Fem); e s) Vela (Masc/Fem). Separata ao Boletim do Exército nº 2, de 9 de janeiro de

10 II - Modalidades Militares: a) Orientação (Masc/Fem); b) Paraquedismo (Masc/Fem); c) Pentatlo Militar (Masc/Fem); d) Pentatlo Naval (Masc/Fem); e e) Pentatlo Aeronáutico (Masc/Fem). Art. 22. A Força Terrestre deverá ser muito bem representada, tanto nas comissões técnicas, como no grupamento de atletas das diversas equipes, nos segmentos feminino e masculino. Art. 23. O Exército é o responsável pela preparação das seguintes Seleções Brasileiras Militares: Futebol Masculino, Esgrima, Judô, Natação, Pentatlo Moderno, Tiro, Triatlo, Voleibol, Paraquedismo e Pentatlo Militar e deverá apoiar as equipes gerenciadas pelas demais Forças, cedendo atletas e integrantes para as comissões técnicas. Art. 24. O DECEx, por intermédio do Centro de Capacitação Física do Exército (CCFEx), deverá planejar o execução do treinamento das equipes sob responsabilidade do Exército, de maneira a apresentar a melhor representação nacional possível. Art. 25. O Departamento Geral do Pessoal (DGP) deverá priorizar ações de pessoal que viabilizem os planejamentos de preparação da representação militar, de acordo com as solicitações do DECEx. Art. 26. O Comando Logístico (COLOG) deverá realizar ações que viabilizem a aquisição da munição necessária para o treinamento das equipes de Tiro e Pentatlo Militar. Seção III Jogos Olímpicos e Paralímpicos 2016 Art. 27. O planejamento da participação do Exército nos JO e JP 2016 visa auxiliar o esporte nacional, proporcionar a ampliação e a modernização dos principais centros esportivos do Exército e capacitar os recursos humanos na área desportiva. Art. 28. A participação de militares nos JO e JP 2016 como atletas. integrantes das comissões técnicas e dirigentes deverá ser amplamente estimulada. Art. 29. A participação de militares integrantes do Comitê Organizador dos JO e JP 2016 deverá ser regulada por legislação específica do DGP. Art. 30. O DECEx, por intermédio do CCFEx/CDE, deverá reavaliar a possibilidade de convocação de militares com possibilidade de integrar as equipes brasileiras que participarão dos 6º JMM, do JO e JP Separata ao Boletim do Exército nº 2, de 9 de janeiro de 2015.

11 Art. 31. O DGP deverá desencadear ações que facilitem a participação de integrantes do Exército nas seleções nacionais para os 6º JMM, os JO e JP 2016, incluindo a possibilidade de incorporação de militares como atletas, bem como a rápida concessão da autorização necessária aos integrantes do Exército para que participem dos treinamentos dessas seleções. Seção IV Jogos Desportivos do Exército Art. 32. Os JDE 2015 serão realizados em Brasília-DF, no período de 29 JUN a 6 JUL Art. 33. Os JDE 2015 serão regulados pelas Instruções Técnico-Normativas a serem confeccionadas pela Comissão de Desportos do Exército (CDE) e divulgadas aos C Mil A até 30 NOV Art. 34. Os integrantes do Programa de Atletas de Alto Rendimento (PAAR) não competirão nos Jogos Desportivos do Exército 2015, devendo participar dos Jogos, a fim de contribuir com o desenvolvimento do desporto militar. Art. 35. Os JDE 2015 serão disputados em doze modalidades: I - Futebol Society II - Basquetebol III - Voleibol IV - Pentatlo Militar V - Tiro VI - Orientação VII - Natação VIII - Atletismo IX - Judô X - Tênis XI - Vôlei de Praia XII - Natação Master Art. 36. A composição das delegações dos C Mil A está regulada no Anexo C. Separata ao Boletim do Exército nº 2, de 9 de janeiro de

12 CAPÍTULO IV PROGRAMA DE ATLETAS DE ALTO RENDIMENTO (PAAR) Art. 37. O PAAR possui as seguintes finalidades: I - representar o Exército em competições civis e militares, nacionais e internacionais; II - motivar e transferir conhecimento para os demais atletas militares; III - projetar uma imagem favorável do Exército; e IV - contribuir para o desenvolvimento do esporte nacional. Art. 38. Em 2015, as ações para os integrantes do PAAR deverão priorizar o estímulo e o desenvolvimento esportivo junto ao público interno do Exército e a projeção positiva da imagem da Força Terrestre. Parágrafo único. Nesse intento, deverão, sob coordenação da CDE, participar, sem competir, dos eventos esportivos escolares (AMAN, EsPCEx, CPOR/NPOR e EsSA), das competições das Forças Armadas (NAVAMAER, NAE e MAREXAER) e competições esportivas dos G Cmdo e GU (C Mil A, DE e Bda), para estimular o desenvolvimento do desporto militar. Art. 39. Além da presença nas competições, a CDE deverá desenvolver clínicas de treinamento, palestras motivacionais, ações cívico-sociais, demonstrações, participações como avulsos nas competições, sem cômputo na classificação, aulas teóricas e práticas na EsEFEx, dentre outras atividades. Art. 40. Em todas as oportunidades possíveis, os atletas de alto rendimento do Exército deverão apresentar a logomarca do Exército nos uniformes de treinamento e competição e citar o PAAR nos contatos junto à mídia nacional e internacional. Art. 41. Para a continuidade do PAAR, a CDE deverá priorizar a incorporação de atletas na seguinte ordem de prioridade: I - atletas com possibilidades de medalha nos Campeonatos Mundiais do CISM; II - atletas com possibilidades de medalha nos 6º JMM; III - atletas com possibilidades de medalha nos JO 2016; e IV - atletas integrantes da Delegação Brasileira nos Jogos Olímpicos CAPÍTULO V RECURSOS HUMANOS E FINANCEIROS Seção I Das Responsabilidades Art. 42. Recursos para as competições internacionais: I - a seleção dos militares participantes das competições será de responsabilidade da CDE; 12 - Separata ao Boletim do Exército nº 2, de 9 de janeiro de 2015.

13 II - os custos referentes a transporte, diárias, materiais desportivos e treinamentos das delegações que participarão das competições internacionais correrão por conta do DDM/MD, das Confederações, Federações ou apoio de patrocinadores, conforme a competição; e III - as gratificações de representação dos militares do Exército, quando for o caso, serão autorizadas de acordo com a legislação vigente. Art. 43. Recursos para competições escolares: I - as despesas decorrentes serão custeadas com recursos das escolas e, quando coordenadas pelo DDM/MD, contarão com o apoio desse Departamento; II - as gratificações de representação das delegações e da arbitragem serão solicitadas, respectivamente, pelo Estabelecimento de Ensino participante e pela Escola de Educação Física do Exército (EsEFEx), de acordo com a legislação vigente; e III - os recursos necessários para a realização dos IX Jogos da Amizade terão origem no Ministério do Esporte e deverão ser repassados ao DECEx, por meio do DDM/MD. Art. 44. Recursos para competições de hipismo: I - a seleção dos militares participantes obedecerá ao regulamento próprio da competição estabelecido pela CDE; e II - as gratificações de representação serão autorizadas, quando for o caso, de acordo com a legislação vigente. Art. 45. Recursos para competições nacionais militares, treinamentos e competições civis: CDE. 1º a seleção dos militares participantes das competições será de responsabilidade da 2º os custos referentes ao transporte, diárias, materiais desportivos e treinamentos das delegações correrão por conta da CDE. 3º As gratificações de representação dos militares do Exército, quando for o caso, serão autorizadas de acordo com a legislação vigente. Seção II Da Gratificação de Representação Art. 46. Os deslocamentos decorrentes das atividades constantes do Anexo A - Programa Desportivo para 2015, serão enquadrados como Viagens de Representação, para fins de aplicação do Decreto nº 4.307, de 18 de julho de 2002, da Portaria do Comandante do Exército nº 386, de 7 de agosto de 2001 e dos demais documentos que regulamentam o pagamento da Gratificação de Representação no âmbito do Exército. Separata ao Boletim do Exército nº 2, de 9 de janeiro de

14 1º O presente amparo é estendido para os militares que tenham se deslocado de suas sedes para as atividades de montagem, organização, condução e arbitragem dos eventos citados nesta Diretriz. 2º Não está autorizado o pagamento da referida Gratificação para os treinamentos de qualquer natureza. 3º A autorização para o pagamento da referida Gratificação está condicionada à satisfação de todas as condicionantes a seguir listadas: I - o pagamento da Gratificação de Representação abordado nesta Diretriz é exclusivo para os períodos fixados no Anexo A - Programa Desportivo para 2015 ou, na falta desse, no documento oficial que regula a competição no seu mais alto escalão de comando; II - não é permitido a dilação dos períodos estabelecidos no Anexo A - Programa Desportivo para 2015; III - a Viagem de Representação é definida como o deslocamento realizado por militar para fora de sua sede, na condição de representante do Exército em eventos de interesse da Instituição, tais como congressos, simpósios e competições desportivas; e IV - para o pagamento da Gratificação de Representação nas atividades enquadradas como Viagens de Representação, faz-se necessário o cumprimento de dois requisitos essenciais: V - o militar deve possuir a condição de representante do Exército; e VI - o evento deve ser considerado do interesse do Comando da Força. 4º As estimativas das necessidades de recursos para o pagamento da Gratificação de Representação deverão ser encaminhadas, no ano anterior à realização do evento, à Secretaria de Economia e Finanças, conforme estabelecido no parágrafo 2º do art. 1º da Portaria do Comandante do Exército nº 386, de 7 de agosto de Art. 47. As competições desportivas de interesse Exército Brasileiro para o ano de 2015 estão definidas no Anexo A - Programa Desportivo para Art. 48. Compete ao EME: CAPÍTULO VI ATRIBUIÇÕES I - estabelecer a orientação geral para o planejamento e a prática dos desportos no Exército no ano de 2016; e II - incentivar a prática desportiva no Exército. Art. 49. Compete ao DGP: 14 - Separata ao Boletim do Exército nº 2, de 9 de janeiro de 2015.

15 I - por solicitação do Gabinete do Comandante do Exército ou por proposta da CDE, passar à disposição dos órgãos requisitantes o pessoal do Exército que irá integrar as equipes desportivas do Exército, do Ministério da Defesa e do Brasil, ouvidos o ODG, os C Mil A, os ODS e OADI onde serve o pessoal a ser convocado; II - regular a participação de pessoal do Comando do Exército no Comitê Organizador dos JO e JPO 2016, e III - orientar os órgãos do Serviço Militar quanto à prioridade a ser conferida à incorporação de atletas com potencial de integrar as equipes desportivas do Exército, do Ministério da Defesa e do Brasil; IV - informar ao EME, ao DECEx, ao Gab Cmt Ex e ao e comando do pessoal convocado para as equipes do Exército, do Ministério da Defesa, das entidades desportivas e do Brasil sobre a sua passagem à disposição dos órgãos requisitantes. Art. 50. Compete ao DECEx: I - providenciar a inclusão em A-2 dos recursos necessários às competições militares, ao fomento da prática desportiva no Exército e aos Jogos da Amizade; II - organizar, regulamentar e conduzir a execução dos JDE 2015, contando com o apoio do Comando Militar do Planalto, e as demais competições de nível Exército a serem realizadas em 2015; III - divulgar os calendários desportivos civis e militares ao público interno; PAAR; IV - propor ao EME as necessidades de convocação/ desconvocação dos integrantes do V - divulgar o PAAR para o público interno, como estímulo a prática desportiva; VI - coordenar a participação dos atletas do PAAR nas competições do Exército, dos C Mil A, G Cmdo, das GU e das escolas de formação, visando a motivação e a transferência de conhecimentos e de melhores práticas para os demais atletas do Exército; VII - coordenar, controlar e supervisionar, desde já, a participação do pessoal do Exército empregado na organização, na montagem, na arbitragem e nas equipes desportivas que participarão dos JO e JPO 2016; VIII - encaminhar proposta ao DGP, com a necessária tempestividade, sobre a convocação de pessoal para as equipes representativas do Exército, do Ministério da Defesa, das confederações esportivas e dos Comitês Olímpico e Paralímpico Brasileiro, bem como do pessoal necessário a organização, arbitragem e direção de eventos desportivos de interesse do Exército; IX - promover a atualização da capacitação de recursos humanos especializados nas áreas do treinamento desportivo, da arbitragem, da montagem e da condução de eventos desportivos de grande porte; Separata ao Boletim do Exército nº 2, de 9 de janeiro de

16 X - ativar o canal técnico previsto no Sistema de Capacitação Física do Exército (SICAFEx), utilizando as agências desportivas; XI - orientar, quando solicitado, o trabalho a ser desenvolvido pelas agências desportivas; XII - incentivar a prática desportiva no Exército; XIII - incentivar a prática desportiva pelo segmento feminino nas modalidades constantes do programa dos 6º JMM, com prioridade para as modalidades militares; XIV - preparar as Seleções Brasileiras Militares especificadas no art. 21. desta Diretriz; e Exército. XV - regular, orientar e conduzir a preparação das equipes desportivas representativas do Art. 51. O COTER deverá planejar, coordenar e apresentar os resultados da realização do CISM Day Run, conforme estipulado no Capítulo III desta Diretriz. Art. 52. Compete ao COLOG: I - adquirir a munição necessária para o fomento da prática do tiro esportivo, dentro das aquisições rotineiras; II - apoiar as necessidades logísticas para a realização dos JDE 2015, nas classes I, II, III e V (munição); e III - apoiar as necessidades logísticas para a realização dos IX Jogos da Amizade do Sistema Colégio Militar do Brasil, a ser realizado na AMAN, no período de 13 a 18 JUL 15, nas Classes I e III. Art. 53. Compete aos Comandos Militares de Área: I - atribuir prioridade para a incorporação de atletas no serviço militar com potencial para integrar as equipes desportivas do Exército e do Ministério da Defesa; II - agilizar a autorização para a passagem à disposição dos militares convocados que serão empregados nas competições previstas na presente Diretriz; e nas IG III - coordenar o trabalho da sua Agência Desportiva conforme estipulado nesta Diretriz e Art. 54. Compete, especificamente, ao Comando Militar do Planalto (CMP): I - apoiar o DECEx na realização dos Jogos Desportivos do Exército 2015; e II - alojar, alimentar, transportar, na guarnição militar de Brasília, e prestar o apoio de saúde necessário à organização e aos participantes do JDE 2015, contando com o apoio do DECEx Separata ao Boletim do Exército nº 2, de 9 de janeiro de 2015.

17 Art. 55. Compete ao Centro de Comunicação Social do Exército: I - realizar a divulgação dos JDE 2015 junto aos órgãos da Alta Administração do Ministério da Defesa, do Exército (ODG e ODS), da Marinha e da Aeronáutica; autoridades civis e público civil; II - divulgar as competições para os públicos interno e externo, empregando as mídias disponíveis (informativos, NE, Rádio VO, jornais e TV locais); III - realizar a cobertura fotográfica e filmagem dos JDE 2015; IV - Divulgar a realização dos IX Jogos da Amizade do Sistema Colégio Militar do Brasil, a ser realizado na AMAN, no período de 13 a 18 JUL 15; e V - divulgar o PAAR em todas as oportunidades. CAPÍTULO VII Prescrições Diversas Art. 56. Soluções criativas e parcerias deverão ser buscadas em todos os planejamentos, levando-se em consideração as restrições orçamentárias existentes, a pertinência das parcerias e dos patrocínios das atividades desportivas e a legislação vigente. Art. 57. A participação de militares em representações esportivas nacionais e internacionais deverá ser incentivada conforme a Msg nº F /Cmdo Ex, de 16 de setembro de 2014, do Comandante do Exército, distribuída através da Rede Comando. Separata ao Boletim do Exército nº 2, de 9 de janeiro de

18 REFERÊNCIAS MINISTÉRIO DA DEFESA (Brasil) - Portaria Normativa nº MD, de 16 de julho Dispõe sobre as normas e os procedimentos para os campeonatos esportivos das Forças Armadas (FA) e dá outras providências.. Portaria Normativa nº 8-MD/SEPESD/SG, de 19 de Setembro de Aprova as Diretrizes que nortearão os trabalhos do DDM no período 2014 a Programa Desportivo Militar para o ano de Dispõe sobre as competições esportivas das Forças Armadas a serem realizadas no ano de MINISTÉRIO DA DEFESA, EXÉRCITO BRASILEIRO, Gabinete do Comandante do Exército, Instruções Gerais para os Desportos no Exército (IG 10 39), aprovadas pela Portaria nº 445, de 28 de julho de Diretriz Geral do Comandante do Exército , de junho de MINISTÉRIO DA DEFESA, EXÉRCITO BRASILEIRO, Departamento de Educação e Cultura do Exército, Instruções Reguladoras para os Desportos no Exército (IR 60 28), aprovadas pela Portaria nº 13, de 8 de março de Separata ao Boletim do Exército nº 2, de 9 de janeiro de 2015.

19 ANEXO A - PROGRAMA DESPORTIVO MILITAR PARA EVENTOS GERAIS EVENTO LOCAL PERÍODO OM Rspnl Competições Esportivas dos G Cmdo e GU G Cmdo/GU ASD Cmdo/GU Competições Esportivas dos C Mil A C Mil A ASD C Mil A Jogos Desportivos do Exército Brasília-DF 29 JUN/6 JUL 15 CDE Jogos da Amizade dos Colégios Militares Resende-RJ 6 a 12 JUL DEPA XLIX NAVAMAER Resende-RJ 28 AGO a 4 SET CDMB XX MAREXAER R. de Janeiro-RJ SET CDMB XLVII NAE Campinas-SP 20 a 26 SET CDMB 6º Jogos Mundiais Militares Mungyeong/Coréia 2 a 11 OUT CDMB 2. ATLETISMO Campeonato Mundial de Cross Country Guyangui/China MAR CDMB Corrida Army Ten/Miler ASD/EUA ASD CDE Grande Prêmio Internacional Caixa/Sesi Fortaleza-CE MAIO CDE Grande Prêmio Brasil Caixa/Gov. do Pará Belém-PA MAIO CDE Camp. Sul Americanos de Cross Country Assunção/Paraguai JUN CDMB Jogos Pan Americanos Toronto/Canadá JUL CDE V Camp. Bras. Caixa de Juvenis Interclubes Londrina-PR JUL CDE Triathlon do Exército Vila Velha-ES 23 AGO 38º BI XXXIV Troféu Brasil Caixa de Atletismo São Paulo-SP OUT CDE XII Campeonato Brasileiro Caixa Sub/23 São Paulo-SP OUT CDE 3. BOXE Campeonato Brasileiro de Boxe ASD ASD CDE Jogos Abertos do Interior São Paulo-SP OUT CDE 4. ESGRIMA Copa do Mundo de Espada Feminina B. Aires/Argentina 12 a 15 FEV CDE Copa do Mundo de Espada Masculina Vancouver/Canada 12 a 15 FEV CDE Grand Prix de Florete Havana/Cuba 13 a 15 MAR CDE Torneio Satélite de Sabre Helsinki/Finlândia 13 a 15 MAR CDE Grand Prix de Espada R.de Janeiro-RJ 21 a 24 MAIO CDE Grand Prix de Sabre Moscou/Rússia 29 a 31 MAIO CDE Campeonato do Exército de Esgrima R.de Janeiro-RJ AGO EsEFEx Campeonato de Esgrima das FA R.de Janeiro-RJ 24 a 28 AGO EsEFEx Troféu Brasil por Equipes Curitiba-PR SET CDE Separata ao Boletim do Exército nº 2, de 9 de janeiro de

20 Copa do Mundo de Espada Masculina Luxemburgo/Lux 20 e 21 SET CDE Copa do Mundo de Espada Feminina Budapeste/Hungria 21 e 22 SET CDE Campeonato Brasileiro de Esgrima Brasília-DF NOV CDE Torneio Satélite de Espada Oslo/Noruega 21 a 23 NOV CDE Torneio Satélite de Florete Kocaeli/Turquia 12 a 14 DEZ CDE Grand Prix de Sabre Nova York/EUA 12 a 14 DEZ CDE 5. FUTEBOL: 23º Campeonato das FA R. de Janeiro-RJ 13 a 17 ABR CCFEx 6. HIPISMO: Campeonato Brasileiro de Polo São Paulo-SP ASD CDE Concurso Adestramento Mil Internacional Porto Alegre-RS ASD 3º RCGd Campeonato do Exército de Polo Porto Alegre-RS FEV 3º RCGd Concurso Internacional Combinado/CCE 1 Colina-SP 21 e 22MAR CDE Concurso Completo Internacional - CCE Barretos-SP 10 a 12ABR CDE Concurso Nacional Combinado/CCE T. Corações-MG JUN ESA Campeonato do Exército de Salto Brasília-DF JUL 1º RCGd Campeonato do Exército de Adestramento Resende-RJ JUL AMAN Campeonato Brasileiro de Amador - Salto São Paulo-SP 3 a 5 JUL CDE Concurso de Adestramento Nacional/Ads Brasília-DF 27 a 31 JUL 1º RCGd Concurso de Adestramento Nacional/Ads R. de Janeiro-RJ 24 a 28 AGO 2º RCGd Campeonato do Exército de CCE Bela Vista-MS SET 10º RCMec Concurso de Saltos Internacional (CSI) The Best Jump - Salto Porto Alegre-RS 2 a 4 OUT CDE Concurso Internacional Combinado - CCE Colina-SP 23 a 25 OUT CDE 1 Concurso Completo de Equitação 7. JUDÔ Curso de Treinadores de Judô Brasília-DF JUL CDE 8. NATAÇÃO Swimming and Paraswimming CISM Open Fontainebleau/França 2 a 6 FEV CDMB V Encontro Nacional de Árbitros/CBDA C. Grande-MS 21 a 23 FEV CDE Brasileiro Abs de Verão/Tr. Maria Lenk São Paulo-SP 20 à 25 ABR CDE Jogos Panamericanos Toronto/Canadá 10 a 17 JUL CDE Brasileiro Abs de Inverno - Tr. José Finkel B. Horizonte-MG 7 à 12 SET CDE 20 - Separata ao Boletim do Exército nº 2, de 9 de janeiro de 2015.

JOGOS DESPORTIVOS DO EXÉRCITO 2013

JOGOS DESPORTIVOS DO EXÉRCITO 2013 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DECEx - DPEP COMISSÃO DE DESPORTOS DO EXÉRCITO (L Mil Foot-ball/1915) 1. FINALIDADE JOGOS DESPORTIVOS DO EXÉRCITO 2013 INSTRUÇÕES TÉCNICO-NORMATIVAS Difundir as

Leia mais

Boletim do Exército Nº 52/2012. Brasília, DF, 28 de dezembro de 2012. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO

Boletim do Exército Nº 52/2012. Brasília, DF, 28 de dezembro de 2012. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO Boletim do Exército MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO Nº 52/2012 Brasília, DF, 28 de dezembro de 2012. BOLETIM DO EXÉRCITO Nº 52/2012 Brasília, DF, 28 de dezembro de

Leia mais

Boletim do Exército Nº 07/2009. Brasília - DF, 20 de fevereiro de 2009. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO

Boletim do Exército Nº 07/2009. Brasília - DF, 20 de fevereiro de 2009. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO Boletim do Exército MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO Nº 07/2009 Brasília - DF, 20 de fevereiro de 2009. BOLETIM DO EXÉRCITO Nº 07/2009 Brasília - DF, 20 de fevereiro

Leia mais

PORTARIA Nº 99-DECEx, DE 19 DE AGOSTO DE 2011.

PORTARIA Nº 99-DECEx, DE 19 DE AGOSTO DE 2011. PORTARIA Nº 99-DECEx, DE 19 DE AGOSTO DE 2011. Aprova as Instruções Reguladoras para a Organização, Funcionamento e Matrícula no Curso de Pós-Graduação em Direito Militar (IROFM/Dirt Mil - IR 60-49). O

Leia mais

Boletim do Exército N 07/2005. Brasília - DF, 18 de fevereiro de 2005. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO

Boletim do Exército N 07/2005. Brasília - DF, 18 de fevereiro de 2005. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO Boletim do Exército MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO N 07/2005 Brasília - DF, 18 de fevereiro de 2005. BOLETIM DO EXÉRCITO N 07/2005 Brasília - DF, 18 de fevereiro

Leia mais

柔 道 パウリスタ. Informações sobre valores, favorecidos e contratantes de convênios e pagamentos relativos aos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016:

柔 道 パウリスタ. Informações sobre valores, favorecidos e contratantes de convênios e pagamentos relativos aos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016: Informações sobre valores, favorecidos e contratantes de convênios e pagamentos relativos aos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016: Convênios Número do Convênio SIAFI: 755940 Situação: Aguardando Prestação

Leia mais

Comitê Olímpico Brasileiro Planejamento Estratégico Rio 2016

Comitê Olímpico Brasileiro Planejamento Estratégico Rio 2016 Comitê Olímpico Brasileiro Planejamento Estratégico Rio 2016 Meta - O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) trabalha pela transformação e manutenção do Brasil em uma potência olímpica, e a participação nos

Leia mais

65ª Assembléia Geral e Congresso do CISM Informações Gerais sobre 5º JMM RIO2011

65ª Assembléia Geral e Congresso do CISM Informações Gerais sobre 5º JMM RIO2011 65ª Assembléia Geral e Congresso do CISM Informações Gerais sobre 5º JMM RIO2011 Roteiro 1. Histórico 2. Estrutura Organizacional 3. Preparação das Equipes 4. Visão Estratégica 5. Planejamento Operacional

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E CULTURA DO EXÉRCITO (Insp G Ens Ex / 1937)

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E CULTURA DO EXÉRCITO (Insp G Ens Ex / 1937) MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E CULTURA DO EXÉRCITO (Insp G Ens Ex / 1937) INSTRUÇÕES REGULADORAS DA ORGANIZAÇÃO, FUNCIONAMENTO E MATRÍCULA PARA OS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO,

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA 2015

ORIENTAÇÃO TÉCNICA 2015 1 ORIENTAÇÃO TÉCNICA 2015 1. FINALIDADE Regular a Orientação Técnica de 2015 às Federações filiadas à CBPM. 2. REFERÊNCIAS - Estatuto da CBPM; - Regulamento Técnico da CBPM; - Calendário Desportivo da

Leia mais

5º Cabe ao Cmt Mil A a fixação, dentro do limite estabelecido no 4º deste artigo, do acréscimo a que faz jus o militar. (NR)

5º Cabe ao Cmt Mil A a fixação, dentro do limite estabelecido no 4º deste artigo, do acréscimo a que faz jus o militar. (NR) 5º Cabe ao Cmt Mil A a fixação, dentro do limite estabelecido no 4º deste artigo, do acréscimo a que faz jus o militar. (NR)... Art. 2º Estabelecer que esta portaria entre em vigor na data de sua publicação.

Leia mais

I - as ações decorrentes sejam realizadas de maneira progressiva, ativando-se, inicialmente, um núcleo do Batalhão; e

I - as ações decorrentes sejam realizadas de maneira progressiva, ativando-se, inicialmente, um núcleo do Batalhão; e Art. 3º Determinar que o Estado-Maior do Exército, os órgãos de direção setorial e o Comando Militar da Amazônia adotem, em suas áreas de competência, as providências decorrentes. Art. 4º Estabelecer que

Leia mais

Art. 1º Aprovar a Diretriz de Implantação do Sistema de Protocolo Eletrônico de Documentos (SPED) no âmbito do Exército Brasileiro.

Art. 1º Aprovar a Diretriz de Implantação do Sistema de Protocolo Eletrônico de Documentos (SPED) no âmbito do Exército Brasileiro. PORTARIA Nº 002-EME, DE 17 DE JANEIRO DE 2012. Aprova a Diretriz de Implantação do Sistema de Protocolo Eletrônico de Documentos (SPED) no âmbito do Exército Brasileiro. O CHEFE DO ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO,

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA 2014

ORIENTAÇÃO TÉCNICA 2014 1 ORIENTAÇÃO TÉCNICA 2014 1. FINALIDADE Regular a Orientação Técnica de 2014 às Federações filiadas à CBPM. 2. REFERÊNCIAS - Estatuto da CBPM; - Regulamento Técnico da CBPM; - Calendário Desportivo da

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2010 / 2016 RICARDO DE MOURA

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2010 / 2016 RICARDO DE MOURA PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2010 / 2016 NATAÇÃO RICARDO DE MOURA APRESENTAÇÃO O Planejamento Estratégico 2010-2016 é o estudo e um roteiro de trabalho orientado para aumentar a probabilidade de resultados

Leia mais

XXV Campeonato Brasileiro Interfederativo Infanto- Juvenil Troféu Chico Piscina

XXV Campeonato Brasileiro Interfederativo Infanto- Juvenil Troféu Chico Piscina REGULAMENTOS XXV Campeonato Brasileiro Interfederativo Infanto- Juvenil Troféu Chico Piscina CAPÍTULO I DAS FINALIDADES Art. 1º - Com a participação das Federações filiadas à Confederação Brasileira de

Leia mais

VII - tenha a seleção e o relacionamento dos militares designados para a matrícula a cargo do DGP, ouvido o CIE; e

VII - tenha a seleção e o relacionamento dos militares designados para a matrícula a cargo do DGP, ouvido o CIE; e VII - tenha a seleção e o relacionamento dos militares designados para a matrícula a cargo do DGP, ouvido o CIE; e VIII - tenha a orientação técnico-pedagógica do DECEx. Art. 3º Determinar que a presente

Leia mais

CALENDÁRIO ESPORTIVO PARALÍMPICO 2015

CALENDÁRIO ESPORTIVO PARALÍMPICO 2015 1 JAN 03 a 05 8ª FASE DE TREINAMENTO VELA CBVA NITERÓI/RJ SELEÇÃO PRINCIPAL 2 JAN 04 a 11 1ª FASE DE TREINAMENTO RUGBY EM CR ABRC RIO DE JANEIRO/RJ SELEÇÃO PRINCIPAL 3 JAN 09 a 03/02 INTERCÂMBIO DE TREINAMENTO

Leia mais

CALENDÁRIO ESPORTIVO PARALÍMPICO 2015

CALENDÁRIO ESPORTIVO PARALÍMPICO 2015 1 JAN 04 a 11 1ª FASE DE TREINAMENTO RUGBY EM CR ABRC RIO DE JANEIRO/RJ SELEÇÃO PRINCIPAL 2 JAN 07 a 19 8ª FASE DE TREINAMENTO VELA CBVA NITERÓI/RJ SELEÇÃO PRINCIPAL 3 JAN 09 a 03/02 INTERCÂMBIO DE TREINAMENTO

Leia mais

REGULAMENTO DAS COMPETICÕES DESPORTIVAS MILITARES NACIONAIS... 3

REGULAMENTO DAS COMPETICÕES DESPORTIVAS MILITARES NACIONAIS... 3 Portaria n. 260/98 (2.ª série), de 17 de Fevereiro de 1998, dos Ministérios da Defesa Nacional e da Administração Interna, publicada no DR, 2.ª série, n.º 53, de 04.03.98 REGULAMENTO DAS COMPETICÕES DESPORTIVAS

Leia mais

Art. 3º Revogar a Portaria nº 019-DCT, de 17 de maio de 2011.

Art. 3º Revogar a Portaria nº 019-DCT, de 17 de maio de 2011. PORTARIA Nº 023-DCT, DE 6 DE JUNHO DE 2013. Aprova as Instruções Reguladoras da Inscrição, do Exame de Qualificação e Admissão e da Matrícula no Curso de Graduação do Instituto Militar de Engenharia (EB80-IR-07.001).

Leia mais

MINUTA DE CALENDÁRIO NATAÇÃO 2015

MINUTA DE CALENDÁRIO NATAÇÃO 2015 MINUTA DE CALENDÁRIO NATAÇÃO 2015 MARÇO 18/03 a 09/04 Treinamento em altitude 27 e 28/03 XXII Festival Nordestinho de Natação Mirim e Petiz - Troféu Alexandre Azambuja Pussield (50 mts) 28 e 29 Multinations

Leia mais

Proposta Comercial. Depto. de Marketing 01/Abr/10

Proposta Comercial. Depto. de Marketing 01/Abr/10 Proposta Comercial Depto. de Marketing 01/Abr/10 16/Jun/10 A REDE RECORD e a RECORD NEWS oferecem ao Mercado Publicitário o patrocínio dos Jogos Olímpicos de Verão da Juventude, que acontecerão em CINGAPURA.

Leia mais

XXIV TORNEIO SUL BRASILEIRO DE NATAÇÃO JÚNIOR I, II e SENIOR - TROFÉU PROF. HUGO YABE E XXII TROFÉU OPEN SUL BRASILEIRO DE NATAÇÃO

XXIV TORNEIO SUL BRASILEIRO DE NATAÇÃO JÚNIOR I, II e SENIOR - TROFÉU PROF. HUGO YABE E XXII TROFÉU OPEN SUL BRASILEIRO DE NATAÇÃO XXIV TORNEIO SUL BRASILEIRO DE NATAÇÃO JÚNIOR I, II e SENIOR - TROFÉU PROF. HUGO YABE E XXII TROFÉU OPEN SUL BRASILEIRO DE NATAÇÃO REGULAMENTO CAPÍTULO I DO OBJETIVO E FINALIDADES Art. 1º - Pelos Clubes

Leia mais

CALENDÁRIO NATAÇÃO 2015 Após aprovação na AGO da CBDA em 23/02/2015

CALENDÁRIO NATAÇÃO 2015 Após aprovação na AGO da CBDA em 23/02/2015 CALENDÁRIO NATAÇÃO 2015 Após aprovação na AGO da CBDA em 23/02/2015 JANEIRO 24/01 a 14/02 MARÇO 27 e 28 ABRIL 06 a 11 13 14 15 a 18 19 17 e 18 17 e 18 Treinamento em altitude XXII Festival Nordestinho

Leia mais

MINISTÉRIO DO ESPORTE SECRETARIA NACIONAL DE ESPORTE DE ALTO RENDIMENTO

MINISTÉRIO DO ESPORTE SECRETARIA NACIONAL DE ESPORTE DE ALTO RENDIMENTO MINISTÉRIO DO ESPORTE SECRETARIA NACIONAL DE ESPORTE DE ALTO RENDIMENTO PUBLICAÇÃO DAS PROPOSTAS HABILITADAS - EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 06/2013 CALENDÁRIO 2014 Aos oito dias do mês de maio de dois

Leia mais

Brazilian Police and Fire Games HISTÓRIA: CADERNO DE ENCARGOS 1

Brazilian Police and Fire Games HISTÓRIA: CADERNO DE ENCARGOS 1 HISTÓRIA: A origem das competições esportivas entre Policiais e Bombeiros pode ser atribuída a Duke Nyeus na Califórnia. Ele e outros policiais nos Estados Unidos começaram as Olimpíadas. Hoje, nos Estados

Leia mais

PORTARIA Nº 129 -EME, DE 27 DE AGOSTO DE 2012.

PORTARIA Nº 129 -EME, DE 27 DE AGOSTO DE 2012. PORTARIA Nº 129 -EME, DE 27 DE AGOSTO DE 2012. Aprova a Diretriz para Cursos e Estágios em Estabelecimentos de Ensino Civis Nacionais e revoga a Portaria nº 130-EME, de 16 de setembro de 2011. O CHEFE

Leia mais

PORTARIA Nº 728, DE 7 DE OUTUBRO DE 2009.

PORTARIA Nº 728, DE 7 DE OUTUBRO DE 2009. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO GABINETE DO COMANDANTE PORTARIA Nº 728, DE 7 DE OUTUBRO DE 2009. Aprova as Instruções Gerais dos Postos Médicos de Guarnição (IG 10-86) e dá outras providências

Leia mais

Confederação Brasileira de Desportos de Deficientes Visuais CBDV. Relatório Administrativo-Técnico-Financeiro Ano Base: 2013

Confederação Brasileira de Desportos de Deficientes Visuais CBDV. Relatório Administrativo-Técnico-Financeiro Ano Base: 2013 Confederação Brasileira de Desportos de Deficientes Visuais CBDV Relatório Administrativo-Técnico-Financeiro Ano Base: 2013 1. Introdução O presente relatório contempla as atividades desenvolvidas pela

Leia mais

PLANO DE TRABALHO CANOAGEM VELOCIDADE

PLANO DE TRABALHO CANOAGEM VELOCIDADE Versão 1 26/08/2015 PLANO DE TRABALHO CANOAGEM VELOCIDADE CRITÉRIOS PARA PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS INTERNACIONAIS PARA O ANO DE 2016 E CONVOCAÇÃO PARA O CENTRO DE TREINAMENTO Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 2.

Leia mais

REGULAMENTO GERAL OLIMPÍADA ESCOLAR DE NOVO HAMBURGO 2012

REGULAMENTO GERAL OLIMPÍADA ESCOLAR DE NOVO HAMBURGO 2012 REGULAMENTO GERAL OLIMPÍADA ESCOLAR DE NOVO HAMBURGO 2012 OBJETIVO GERAL Formação para o pleno exercício da cidadania de crianças e adolescentes por meio do esporte. CAPÍTULO I DA FINALIDADE DO EVENTO

Leia mais

MINUTA DE CALENDÁRIO NATAÇÃO 2015 Atualizado em 19/01/2015 11:38

MINUTA DE CALENDÁRIO NATAÇÃO 2015 Atualizado em 19/01/2015 11:38 MINUTA DE CALENDÁRIO NATAÇÃO 2015 Atualizado em 19/01/2015 11:38 JANEIRO 24/01 a 14/02 MARÇO 27 e 28/03 28 e 29 28 e 29 ABRIL 06 a 11 13 14 15 a 18 19 17 a 19 17 e 18 Treinamento em altitude XXII Festival

Leia mais

Art. 1º Aprovar as Instruções Gerais de Segurança da Informação para o Exército Brasileiro (IG 20-19).

Art. 1º Aprovar as Instruções Gerais de Segurança da Informação para o Exército Brasileiro (IG 20-19). PORTARIA Nº 483, DE 20 DE SETEMBRO DE 2001. Aprova as Instruções Gerais de Segurança da Informação para o Exército Brasileiro (IG 20-19). O COMANDANTE DO EXÉRCITO, no uso da competência que lhe é conferida

Leia mais

Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016. Rio de Janeiro, 30 de junho de 2011

Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016. Rio de Janeiro, 30 de junho de 2011 Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016 Rio de Janeiro, 30 de junho de 2011 1 AGENDA 1. Os Jogos em números 2. Partes interessadas e estrutura jurídica 3. Orçamentos dos Jogos Rio

Leia mais

MANUAL DO ATLETA São Paulo, 2013

MANUAL DO ATLETA São Paulo, 2013 MANUAL DO ATLETA São Paulo, 2013 1 APRESENTAÇÃO O Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa, também identificado pela sigla COTP, é um equipamento da Coordenadoria de Gestão do Esporte de Alto Rendimento

Leia mais

INSTRUÇÕES GERAIS PARA O SISTEMA DE GESTÃO DE DESEMPENHO DO PESSOAL MILITAR DO EXÉRCITO

INSTRUÇÕES GERAIS PARA O SISTEMA DE GESTÃO DE DESEMPENHO DO PESSOAL MILITAR DO EXÉRCITO MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO-GERAL DO PESSOAL INSTRUÇÕES GERAIS PARA O SISTEMA DE GESTÃO DE DESEMPENHO DO PESSOAL MILITAR DO EXÉRCITO 1ª Edição 2014 PORTARIA Nº 1494, DE 11 DEDEZEMBRO

Leia mais

COMANDANTE DO EXÉRCITO PORTARIA Nº 134, DE 19 DE MARÇO DE 2007.

COMANDANTE DO EXÉRCITO PORTARIA Nº 134, DE 19 DE MARÇO DE 2007. COMANDANTE DO EXÉRCITO PORTARIA Nº 134, DE 19 DE MARÇO DE 2007. Aprova as Instruções Gerais para o Funcionamento dos Hotéis de Trânsito do Exército (IG 30-52). O COMANDANTE DO EXÉRCITO, no uso das atribuições

Leia mais

COMPLEXO ESPORTIVO DE DEODORO

COMPLEXO ESPORTIVO DE DEODORO COMPLEXO ESPORTIVO DE DEODORO Legado dos Jogos Pan-americanos de 2007 e futuro Parque Olímpico de Deodoro nos Jogos Rio 2016, o complexo tem uso intensivo desde a inauguração, com cerca de 300 eventos

Leia mais

INSTRUÇÕES REGULADORAS DA ORGANIZAÇÃO, FUNCIONAMENTO E MATRÍCULA, DO CURSO DE IDIOMAS VIRTUAL (IROFM/CIV IR 60-55). Seção I Da Finalidade

INSTRUÇÕES REGULADORAS DA ORGANIZAÇÃO, FUNCIONAMENTO E MATRÍCULA, DO CURSO DE IDIOMAS VIRTUAL (IROFM/CIV IR 60-55). Seção I Da Finalidade INSTRUÇÕES REGULADORAS DA ORGANIZAÇÃO, FUNCIONAMENTO E MATRÍCULA, DO CURSO DE IDIOMAS VIRTUAL (IROFM/CIV IR 60-55). (Documento aprovado pela Portaria Nº 079 - DECEx, de de 2011) Seção I Da Finalidade Art.

Leia mais

REGULAMENTO CAPÍTULO I

REGULAMENTO CAPÍTULO I DAS FINALIDADES FESTIVAL CBDA CORREIOS- SUL BRASILEIRO DE CLUBES MIRIM I E II - PETIZ I E II REGULAMENTO CAPÍTULO I Art. 1º - Pelos Clubes e Associações de Federações filiadas às Federações localizadas

Leia mais

ESPORTE CLUBE PINHEIROS

ESPORTE CLUBE PINHEIROS EC PINHEIROS 2012 NÚMEROS QUE IMPRESSIONAM 113 ANOS de existência umas das instituições mais tradicionais do país, oferecendo atividades esportivas, sociais e culturais de primeiro nível. 170.000 m² de

Leia mais

DECRETO Nº 3.182, DE 23 DE SETEMBRO DE 1999.

DECRETO Nº 3.182, DE 23 DE SETEMBRO DE 1999. DECRETO Nº 3.182, DE 23 DE SETEMBRO DE 1999. Regulamenta a Lei 9.786, de 8 de fevereiro de 1999, que dispõe sobre o ensino no Exército Brasileiro e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no

Leia mais

ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO PORTARIA Nº 017-EME, DE 8 DE MARÇO DE 2007.

ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO PORTARIA Nº 017-EME, DE 8 DE MARÇO DE 2007. ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO PORTARIA Nº 017-EME, DE 8 DE MARÇO DE 2007. Aprova as Normas para o Funcionamento do Sistema de Material do Exército (SIMATEX). O CHEFE DO ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO, no uso da competência

Leia mais

R E G U L A M E N T O 2 0 0 6

R E G U L A M E N T O 2 0 0 6 CAMPEONATOS BRASILEIROS CAIXA DE ATLETISMO DE MENORES XXXIII Masculino e Feminino R E G U L A M E N T O 2 0 0 6 Emitido em 15/02/06 Art. 1º - Os CAMPEONATOS BRASILEIROS DE ATLETISMO DE MENORES têm por

Leia mais

REGULAMENTO GERAL 2 JOGOS DO IFRS JOGOS DE INTEGRAÇÃO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E FINALIDADES

REGULAMENTO GERAL 2 JOGOS DO IFRS JOGOS DE INTEGRAÇÃO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E FINALIDADES 2015 REGULAMENTO GERAL 2 JOGOS DO IFRS JOGOS DE INTEGRAÇÃO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E FINALIDADES Art.1º Os 2º Jogos do IFRS JOGOS DE INTEGRAÇÃO têm por objetivo proporcionar momentos de

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 97, DE 9 DE JUNHO DE 1999. Dispõe sobre as normas gerais para a organização, o preparo e o emprego das Forças Armadas.

LEI COMPLEMENTAR Nº 97, DE 9 DE JUNHO DE 1999. Dispõe sobre as normas gerais para a organização, o preparo e o emprego das Forças Armadas. LEI COMPLEMENTAR Nº 97, DE 9 DE JUNHO DE 1999 Dispõe sobre as normas gerais para a organização, o preparo e o emprego das Forças Armadas. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta

Leia mais

Mínimos de Acesso a Provas Internacionais ANO DE 2013

Mínimos de Acesso a Provas Internacionais ANO DE 2013 Mínimos de Acesso a Provas Internacionais ANO DE 2013 NOTA INTRODUTÓRIA O novo ciclo olímpico 2013-2016 arranca sob a égide duma conjuntura económica e financeira extremamente adversa não obstante os votos

Leia mais

XXVIII TORNEIO NORTE/NORDESTE INTERFEDERATIVO INFANTIL, JUVENIL, JÚNIOR/SENIOR COPA CIDADE DE JOÃO PESSOA/PB TROFÉU DR.

XXVIII TORNEIO NORTE/NORDESTE INTERFEDERATIVO INFANTIL, JUVENIL, JÚNIOR/SENIOR COPA CIDADE DE JOÃO PESSOA/PB TROFÉU DR. REGULAMENTO CAPÍTULO I DAS FINALIDADES XXVIII TORNEIO NORTE/NORDESTE INTERFEDERATIVO INFANTIL, JUVENIL, JÚNIOR/SENIOR COPA CIDADE DE JOÃO PESSOA/PB TROFÉU DR. MILTON MEDEIROS Art. 1º - Pelas Federações

Leia mais

ATIVIDADES COMPLEMENTARES INSTRUÇÃO NORMATIVA 001/2014

ATIVIDADES COMPLEMENTARES INSTRUÇÃO NORMATIVA 001/2014 CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLA DE NEGÓCIOS ATIVIDADES COMPLEMENTARES INSTRUÇÃO NORMATIVA 001/2014 Rev.: 9 18/09/2014 CURITIBA - PR, 2014 SUMÁRIO CAPITULO I DAS ATIVIDADES... 2 CAPITULO II - DO APROVEITAMENTO

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI COMPLEMENTAR Nº 97, DE 9 DE JUNHO DE 1999 Dispõe sobre as normas gerais para a organização, o preparo e o emprego das Forças Armadas.

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE ENSINO E PESQUISA DIRETORIA DE ESPECIALIZAÇÃO E EXTENSÃO (C Aprf Esp do Realengo/1945)

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE ENSINO E PESQUISA DIRETORIA DE ESPECIALIZAÇÃO E EXTENSÃO (C Aprf Esp do Realengo/1945) MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE ENSINO E PESQUISA DIRETORIA DE ESPECIALIZAÇÃO E EXTENSÃO (C Aprf Esp do Realengo/1945) NORMAS PARTICULARES PARA GESTÃO ESCOLAR NO ÂMBITO DA DIRETORIA

Leia mais

Avaliação do desempenho dos países nos jogos olímpicos, nos últimos 20 anos, e opções estratégicas para o Brasil na Rio 2016

Avaliação do desempenho dos países nos jogos olímpicos, nos últimos 20 anos, e opções estratégicas para o Brasil na Rio 2016 AGENDA POSITIVA RIO 216 Avaliação do desempenho dos países nos jogos olímpicos, nos últimos 2 anos, e opções estratégicas para o Brasil na Rio 216 São Paulo, outubro de 212 ESTUDO PRO BONO Aviso legal

Leia mais

Versão 1 14/11/2014 CANOAGEM VELOCIDADE CRITÉRIOS PARA PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS INTERNACIONAIS DE 2015 E CONVOCAÇÂO PARA O CENTRO DE TREINAMENTO

Versão 1 14/11/2014 CANOAGEM VELOCIDADE CRITÉRIOS PARA PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS INTERNACIONAIS DE 2015 E CONVOCAÇÂO PARA O CENTRO DE TREINAMENTO Versão 1 1/11/201 CRITÉRIOS PARA PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS INTERNACIONAIS DE 2015 E CONVOCAÇÂO PARA O CENTRO DE TREINAMENTO Sumário 1. INTRODUÇÃO...3 2. OBJETIVO...3 3. ELEGIBILIDADE...3. CALENDÁRIO DE EVENTOS

Leia mais

Regulamento Circuito Paulista de Natação (Filiados) 2015

Regulamento Circuito Paulista de Natação (Filiados) 2015 FEDERAÇÃO PAULISTA DE DESPORTOS PARA CEGOS Regulamento Circuito Paulista de Natação (Filiados) 2015 Circuito Paulista de Natação para Deficientes Visuais NATAÇÃO SEÇÃO I - DA COMPETIÇÃO I DOS OBJETIVOS

Leia mais

PORTARIA N o 035-DCT, DE 7 DE JULHO DE 2010.

PORTARIA N o 035-DCT, DE 7 DE JULHO DE 2010. PORTARIA N o 035-DCT, DE 7 DE JULHO DE 2010. Aprova as Instruções Reguladoras para a Inscrição, a Seleção e a Matrícula em Cursos de Pós- Graduação stricto sensu (Mestrado e Doutorado) da Linha de Ensino

Leia mais

EC PINHEIROS OLÍMPICO AQUÁTICOS

EC PINHEIROS OLÍMPICO AQUÁTICOS EC PINHEIROS OLÍMPICO AQUÁTICOS ESPORTE CLUBE PINHEIROS NÚMEROS QUE IMPRESSIONAM 112 ANOS de existência umas das instituições mais tradicionais do país, oferecendo atividades esportivas, sociais e culturais

Leia mais

Confederação Brasileira de Desportos de Deficientes Visuais CBDV Relatório Administrativo-Técnico-Financeiro Ano Base: 2012

Confederação Brasileira de Desportos de Deficientes Visuais CBDV Relatório Administrativo-Técnico-Financeiro Ano Base: 2012 Confederação Brasileira de Desportos de Deficientes Visuais CBDV Relatório Administrativo-Técnico-Financeiro Ano Base: 2012 1. Introdução O presente relatório contempla as atividades desenvolvidas pela

Leia mais

IX Jogos da Amizade AMAN - 2015

IX Jogos da Amizade AMAN - 2015 IX Jogos da Amizade AMAN - 2015 PALAVRAS DO COMANDO DO CMS PALAVRAS DO SUBDIRETOR DE ENSINO DO CMS PALAVRAS DA SEÇÃO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - Parabéns pela escolha dos atletas para representar o CMS! - Importância

Leia mais

XXIV CAMPEONATO BRASILEIRO SENIOR DE NATAÇÃO TROFÉU PROF. DALTELY GUIMARÃES REGULAMENTO

XXIV CAMPEONATO BRASILEIRO SENIOR DE NATAÇÃO TROFÉU PROF. DALTELY GUIMARÃES REGULAMENTO XXIV CAMPEONATO BRASILEIRO SENIOR DE NATAÇÃO TROFÉU PROF. DALTELY GUIMARÃES REGULAMENTO CAPÍTULO I DAS FINALIDADES Art. 1º Pelas Associações de Federações filiadas à Confederação Brasileira de Desportos

Leia mais

TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXIII Edição

TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXIII Edição TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXIII Edição Art. 1º - Art. 2º - Art. 3º - O Troféu Brasil de Atletismo é uma competição realizada anualmente que têm por propósito básico a difusão do Atletismo e a verificação

Leia mais

Separata ao Boletim do Exército

Separata ao Boletim do Exército Separata ao Boletim do Exército MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO SEPARATA AO BE Nº 3/2015 COMANDANTE DO EXÉRCITO PORTARIA Nº 012, DE 9 DE JANEIRO DE 2015. Aprova as

Leia mais

Associação Brasileira de Escolinhas de Futebol e Futsal- ABEFF

Associação Brasileira de Escolinhas de Futebol e Futsal- ABEFF Associação Brasileira de Escolinhas de Futebol e Futsal- ABEFF Diretoria de Competições Regulamento da Copa do Brasil de Escolinhas de Futebol Copa do Brasil de Escolinhas de Futebol 2016 Categorias Sub

Leia mais

CALENDÁRIO CBDA - UNIFICADO 2016

CALENDÁRIO CBDA - UNIFICADO 2016 CALENDÁRIO CBDA - UNIFICADO 2016 JANEIRO 02 a 23 EVEO Treinamento em Altitude 1 - Poliana Okimoto Treinamento em Altitude 2 - Ana Marcela 12/01 a 04/02 Cunha e Allan do Carmo FEVEREIRO 07 16 a 21 19 a

Leia mais

Aberta e a Distância - CEAD, da UNIFAL-MG.

Aberta e a Distância - CEAD, da UNIFAL-MG. RESOLUÇÃO Nº 023/2011, DE 28 DE ABRIL DE 2011 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG O Conselho Universitário da UNIFAL-MG, no uso de suas atribuições regimentais e estatutárias,

Leia mais

LIGA GONÇALENSE DE DESPORTOS BOLETIM OFICIAL Nº 01/2011 - SÃO GONÇALO, 06 DE JANEIRO DE 2011 RESOLUÇÕES DA PRESIDÊNCIA

LIGA GONÇALENSE DE DESPORTOS BOLETIM OFICIAL Nº 01/2011 - SÃO GONÇALO, 06 DE JANEIRO DE 2011 RESOLUÇÕES DA PRESIDÊNCIA LIGA GONÇALENSE DE DESPORTOS BOLETIM OFICIAL Nº 01/2011 - SÃO GONÇALO, 06 DE JANEIRO DE 2011 RESOLUÇÕES DA PRESIDÊNCIA 1- Calendário 2011 Faço saber aos interessados que o Calendário Desportivo Oficial

Leia mais

Natação 2012 09/02/2012

Natação 2012 09/02/2012 MINUTA CALENDÁRIO 2012 NATAÇÃO FEDERAÇÃO DE ESPORTES AQUÁTICOS DA PARAÍBA Natação 2012 09/02/2012 MARÇO 11 a 25 - Campeonato Sul-americano Absoluto Seletiva para Olimpíadas de Londres 31 e 01/04 - Multinations

Leia mais

Programa Minas Olímpica. Jogos Escolares de Minas Gerais JEMG/2014. Regulamento Geral

Programa Minas Olímpica. Jogos Escolares de Minas Gerais JEMG/2014. Regulamento Geral Programa Minas Olímpica Jogos Escolares de Minas Gerais JEMG/2014 Regulamento Geral 2 Índice Capítulo I Da Finalidade e dos Objetivos Seção I Finalidade 4 Seção II Justificativa 4 Seção III Objetivos 4

Leia mais

Natação Calendário Anual

Natação Calendário Anual Natação Calendário Anual O Clube Paineiras Fundado no início da década de 60, o Paineiras é um dos mais conceituados clubes de São Paulo, destacando-se em sua programação sociocultural, com grandes shows

Leia mais

LEI Nº 13.924, DE 17 DE JANEIRO DE 2012.

LEI Nº 13.924, DE 17 DE JANEIRO DE 2012. LEI Nº 13.924, DE 17 DE JANEIRO DE 2012. Institui o Sistema Estadual de Apoio e Incentivo a Políticas Estratégicas do Estado do Rio Grande do Sul - SISAIPE/RS - e dá outras providências. O GOVERNADOR DO

Leia mais

PORTARIA Nº 78 - DEP, DE 31 DE JULHO DE 2006

PORTARIA Nº 78 - DEP, DE 31 DE JULHO DE 2006 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE ENSINO E PESQUISA (Insp G Ens Ex/1937) PORTARIA Nº 78 - DEP, DE 31 DE JULHO DE 2006 Aprova as Instruções Reguladoras da Inscrição, Seleção e Matrícula

Leia mais

CAMPEONATO ESTADUAL DE NATAÇÃO DE VERÃO TROFÉU ALEXANDRE VISCARDI, TROFÉU MARCOS CHAIBEN INFANTIL JUVENIL JUNIOR SENIOR TROFÉU PARANÁ ABSOLUTO

CAMPEONATO ESTADUAL DE NATAÇÃO DE VERÃO TROFÉU ALEXANDRE VISCARDI, TROFÉU MARCOS CHAIBEN INFANTIL JUVENIL JUNIOR SENIOR TROFÉU PARANÁ ABSOLUTO CAMPEONATO ESTADUAL DE NATAÇÃO DE VERÃO TROFÉU ALEXANDRE VISCARDI, TROFÉU MARCOS CHAIBEN INFANTIL JUVENIL JUNIOR SENIOR TROFÉU PARANÁ ABSOLUTO Data :04 A 07 DE NOVEMBRO DE 2015 Inscrição: 28 de outubro

Leia mais

ASPECTOS A OBSERVAR NA ELABORAÇÃO DOS CALENDÁRIOS E PROGRAMAS DE ATIVIDADES DE UMA FEDERAÇÃO NACIONAL.

ASPECTOS A OBSERVAR NA ELABORAÇÃO DOS CALENDÁRIOS E PROGRAMAS DE ATIVIDADES DE UMA FEDERAÇÃO NACIONAL. Nacional v.2003.07.01 CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE ESGRIMA ASPECTOS A OBSERVAR NA ELABORAÇÃO DOS CALENDÁRIOS E PROGRAMAS DE ATIVIDADES DE UMA FEDERAÇÃO NACIONAL. SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO. 2. AS PROPOSTAS APRESENTADAS

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 983/DPE/SPEAI/MD, DE 17 DE OUTUBRO DE 2003

MINISTÉRIO DA DEFESA GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 983/DPE/SPEAI/MD, DE 17 DE OUTUBRO DE 2003 PORTARIA DPE/SPEAI/MD 983/2003 MINISTÉRIO DA DEFESA GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 983/DPE/SPEAI/MD, DE 17 DE OUTUBRO DE 2003 Aprova a Diretriz para o relacionamento das Forças Armadas com as comunidades

Leia mais

NORMAS REGIONAIS PARA O ENCAMINHAMENTO DE BENEFICIÁRIOS DO SAMMED/FUSEx NO ÂMBITO DA 10ª REGIÃO MILITAR

NORMAS REGIONAIS PARA O ENCAMINHAMENTO DE BENEFICIÁRIOS DO SAMMED/FUSEx NO ÂMBITO DA 10ª REGIÃO MILITAR MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO COMANDO MILITAR DO NORDESTE COMANDO DA 10 a REGIÃO MILITAR REGIÃO MARTIM SOARES MORENO NORMAS REGIONAIS PARA O ENCAMINHAMENTO DE BENEFICIÁRIOS DO SAMMED/FUSEx NO

Leia mais

Experimentação Esportiva

Experimentação Esportiva Experimentação Esportiva Aula 3 A categorização dos esportes Olímpicos e Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Compreender a categorização dos esportes Olímpicos e por similaridade de movimentos, ações ou local

Leia mais

EIXOS DA POLÍTICA PÚBLICA DO ESPORTE PARA JUVENTUDE

EIXOS DA POLÍTICA PÚBLICA DO ESPORTE PARA JUVENTUDE MINISTÉRIO DO ESPORTE EIXOS DA POLÍTICA PÚBLICA DO ESPORTE PARA JUVENTUDE APOLINÁRIO REBELO DANIELLE FERMIANO DOS SANTOS GRUNEICH Representantes do Ministério do Esporte no CONJUVE Marco no Governo Lula:

Leia mais

CONFEDERAÇÃOBRASILEIRADEESGRIMA FUNDADA EM 27 de JUNHO 1927

CONFEDERAÇÃOBRASILEIRADEESGRIMA FUNDADA EM 27 de JUNHO 1927 Brasília, DF, 30 de julho de 2015. OF / CBE / PRES / No. 2015.450. Do: Presidente da Confederação Brasileira de Esgrima - CBE. Às Federações e EPDs. ASSUNTO: Renovação de Contrato de patrocínio Petrobras

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS Nº /2012. Anexo II PROGRAMA DE TRABALHO

EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS Nº /2012. Anexo II PROGRAMA DE TRABALHO EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS Nº /2012 Anexo II PROGRAMA DE TRABALHO Este anexo estabelece o programa de trabalho e resultados para a OSCIP com a fixação de direitos, obrigações, prazos de execução e critérios

Leia mais

III Seminário Gestão e Otimização dos Espaços de Cultura, Esporte e Lazer

III Seminário Gestão e Otimização dos Espaços de Cultura, Esporte e Lazer III Seminário Gestão e Otimização dos Espaços de Cultura, Esporte e Lazer Unidades SESI 94 Unidades em 77 Municípios: 30 unidades escolares 43 unidades multioperacionais 6 Clubes 4 Centros de Cultura 6

Leia mais

CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL. Texto atualizado apenas para consulta.

CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL. Texto atualizado apenas para consulta. 1 Texto atualizado apenas para consulta. LEI Nº 2.402, DE 15 DE JUNHO DE 1999 (Autoria do Projeto: Deputado Agrício Braga) Institui o Programa Bolsa Atleta. O GOVERNADOR DO DISTRITO FEDERAL, Faço saber

Leia mais

DECRETO Nº 5.910 DE 24 DE OUTUBRO DE 1996

DECRETO Nº 5.910 DE 24 DE OUTUBRO DE 1996 DECRETO Nº 5.910 DE 24 DE OUTUBRO DE 1996 Regulamenta os artigos 68 a 71, da Lei n 6.677, de 26 de setembro de 1994, que dispõe sobre a concessão de diárias aos servidores públicos civis da administração

Leia mais

EC PINHEIROS OLÍMPICO TERRESTRES

EC PINHEIROS OLÍMPICO TERRESTRES EC PINHEIROS OLÍMPICO TERRESTRES ESPORTE CLUBE PINHEIROS NÚMEROS QUE IMPRESSIONAM 112 ANOS de existência umas das instituições mais tradicionais do país, oferecendo atividades esportivas, sociais e culturais

Leia mais

LEI Nº 982 DE 16 DE MAIO DE 2013.

LEI Nº 982 DE 16 DE MAIO DE 2013. LEI Nº 982 DE 16 DE MAIO DE 2013. Dispõe sobre a criação, composição, competência e funcionamento do Conselho Municipal de Esporte e Lazer CMEL. O Povo do Município de Turvolândia Estado de Minas Gerais,

Leia mais

Boletim do Exército Nº 41/2011. Brasília, DF, 14 de outubro de 2011. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO

Boletim do Exército Nº 41/2011. Brasília, DF, 14 de outubro de 2011. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO Boletim do Exército MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO Nº 41/2011 Brasília, DF, 14 de outubro de 2011. BOLETIM DO EXÉRCITO Nº 41/2011 Brasília, DF, 14 de outubro de

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E MISSÃO

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E MISSÃO Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe) REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E MISSÃO Art. 1º O CENTRO BRASILEIRO DE PESQUISA EM AVALIAÇÃO E SELEÇÃO

Leia mais

REGRAS PARA FORMAÇÃO E PARTICIPAÇÃO DE ATLETAS NA SELEÇÃO BRASILEIRA DE TRIATHLON

REGRAS PARA FORMAÇÃO E PARTICIPAÇÃO DE ATLETAS NA SELEÇÃO BRASILEIRA DE TRIATHLON REGRAS PARA FORMAÇÃO E PARTICIPAÇÃO DE ATLETAS NA SELEÇÃO BRASILEIRA DE TRIATHLON Conforme lei federal n 9.615 de 24 de março de 1998 e decreto n 2.574 de 29 de abril de 1998, Estatutos e regulamentos

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO - CTIC

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO - CTIC REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO - CTIC APROVAÇÃO: Resolução DIREX nº 110/2013, de 08/07/2013 REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO

Leia mais

XXVII JOGOS ESCOLARES MUNICIPAIS JEMs 2013 REGULAMENTO ESPECÍFICO DO ATLETISMO

XXVII JOGOS ESCOLARES MUNICIPAIS JEMs 2013 REGULAMENTO ESPECÍFICO DO ATLETISMO REGULAMENTO ESPECÍFICO DO ATLETISMO Art. 1º - As competições serão regidas pelas Regras Oficiais da Federação Internacional de Atletismo Amador e da Confederação Brasileira de Atletismo em tudo que não

Leia mais

AVISO DE RESULTADO DE EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 001/2013 Processo nº 63165953

AVISO DE RESULTADO DE EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 001/2013 Processo nº 63165953 AVISO DE RESULTADO DE EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 001/2013 Processo nº 63165953 A SECRETARIA DE ESTADO DE ESPORTES E LAZER SESPORT no uso das atribuições que lhe conferem a Lei nº 3043/1975, Considerando

Leia mais

REGULAMENTO DE FORMAÇÃO DA SELEÇÃO BRASILEIRA 2015 SUB-14, CADETE, JUNIOR E SUB-21

REGULAMENTO DE FORMAÇÃO DA SELEÇÃO BRASILEIRA 2015 SUB-14, CADETE, JUNIOR E SUB-21 REGULAMENTO DE FORMAÇÃO DA SELEÇÃO BRASILEIRA 2015 SUB-14, CADETE, JUNIOR E SUB-21 Este regulamento tem por finalidade determinar as condições e os critérios seletivos gerais para formar e compor a Seleção

Leia mais

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------ Bolsa Esporte ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------ EDITAL BOLSA ESPORTE Nº. 01/2014 O Estado da Bahia, através

Leia mais

Art. 3º - Os Campeonatos são disputados anualmente, podendo ser realizados em várias etapas.

Art. 3º - Os Campeonatos são disputados anualmente, podendo ser realizados em várias etapas. Art. 1º - Os CAMPEONATOS ESTADUAIS CAIXA DE ATLETISMO MIRIM têm por propósito básico a integração estadual, a difusão do Atletismo e a verificação do desenvolvimento de seu estágio técnico nos diversos

Leia mais

PROGRAMA TALENTO OLÍMPICO DO PARANÁ TOP 2016

PROGRAMA TALENTO OLÍMPICO DO PARANÁ TOP 2016 1 PROGRAMA TALENTO OLÍMPICO DO PARANÁ TOP 2016 Apresentação e Regulamento Geral Edição 2013 2 I. APRESENTAÇÃO 3 1. Identificação do Projeto Talento Olímpico do Paraná TOP 2016 2. Órgão Governo do Estado

Leia mais

Andrew PARSONS Presidente Comitê Paraolímpico Brasileiro Membro do Conselho Executivo Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Para Membro do Comitê

Andrew PARSONS Presidente Comitê Paraolímpico Brasileiro Membro do Conselho Executivo Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Para Membro do Comitê Andrew PARSONS Presidente Comitê Paraolímpico Brasileiro Membro do Conselho Executivo Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Para Membro do Comitê Executivo Comitê Paraolímpico Internacional Presidente

Leia mais

O MINISTÉRIO DOS ESPORTES, através do Gabinete do Ministro, baixa PORTARIA N.º 151 de 4 de agosto de 2010.

O MINISTÉRIO DOS ESPORTES, através do Gabinete do Ministro, baixa PORTARIA N.º 151 de 4 de agosto de 2010. Circular: 003 2010 Vila Velha, 06 de Agosto de 2010. Às Federações de Triathlon. Prezados Senhores e Senhoras, A CBTri e suas filiadas estão recebendo vários e-mails e telefonemas de pais, treinadores

Leia mais

XXV TORNEIO SUDESTE DE NATAÇÃO INFANTIL E JUVENIL TROFÉU ASSIS CHATEAUBRIAND

XXV TORNEIO SUDESTE DE NATAÇÃO INFANTIL E JUVENIL TROFÉU ASSIS CHATEAUBRIAND REGULAMENTO XXV TORNEIO SUDESTE DE NATAÇÃO INFANTIL E JUVENIL TROFÉU ASSIS CHATEAUBRIAND CAPÍTULO I DAS FINALIDADES Art. 1º - Pelos Clubes filiados à Federação Aquática do Estado do Rio de Janeiro, Federação

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE RUGBI EM CADEIRA DE RODAS D CAMPEONATO BRASILEIRO DE RUGBY EM CADEIRA DE RODAS (PRINCIPAL) MATINHOS/PR

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE RUGBI EM CADEIRA DE RODAS D CAMPEONATO BRASILEIRO DE RUGBY EM CADEIRA DE RODAS (PRINCIPAL) MATINHOS/PR CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE DESPORTOS DE DEFICIENTES VISUAIS CBDV D COPA BARSIL DE FUTEBOL DE 5 (PRINCIPAL) SÃO PAULO D COPA BRASIL DE GOALBALL (PRINCIPAL) GOIANIA D GRAND PRIX INFRAERO DE JUDO ETAPA FINAL

Leia mais