ECONOMIA 25 de junho de 2015 Relatório de Crédito (dados de maio)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ECONOMIA 25 de junho de 2015 Relatório de Crédito (dados de maio)"

Transcrição

1 jan/02 ago/02 mar/03 out/03 mai/04 dez/04 jul/05 fev/06 set/06 abr/07 nov/07 jun/08 jan/09 ago/09 mar/ out/ mai/11 dez/11 jul/12 fev/13 set/13 abr/14 nov/14 ECONOMIA 25 de junho de 15 Relatório de Crédito (dados de maio) Fuga da poupança começa a se refletir no crédito O ritmo de crescimento das novas concessões de crédito para pessoa física continua desacelerando: a média diária cresceu apenas 1,4% em maio/15 na comparação com maio/14 (o que significa queda real de 7%). O destaque negativo foi o financiamento imobiliário, cujas concessões recuaram 30% nessa mesma comparação. Uma parte dessa queda se explica pela decisão da Caixa de financiar apenas 50% do valor de imóveis usados, o que reduziu significativamente sua participação no mercado. Contudo, os demais bancos também devem continuar desacelerando as concessões de empréstimos imobiliários, tendo em vista que os recursos da poupança direcionados para esse tipo de empréstimos estão se esgotando, o que tem pressionado fortemente o custo de captação tendência que deve se acentuar, uma vez que a provável continuidade do ciclo de aperto monetário e a deterioração da massa salarial devem estimular ainda mais resgates da caderneta. Em paralelo, o baixo nível de confiança do consumidor, a deterioração do mercado de trabalho, e a elevação das taxas de juros devem frear também a demanda. Dessa forma, dada a grande representatividade dessa linha no total de crédito, revisamos para baixo nossas projeções de crescimento do estoque total de crédito em 15 (para 6,8%, ante 7,5% na projeção anterior). Média diária das concessões imobiliárias (% a/a) Participação total dos Bancos Públicos vs. Privados 70% 65% 60% 55% 50% 45% 40% 35% 30% Fonte: BCB e Santander Públicos Privados Projeção de Inadimplência PF e PJ (Livres) Projeção para crescimento da carteira total 8,0 Projeções 6,7 6,9 % 18.8% 7,0 18% 6,1 6,0 5,7 5,8 16% 5,3 5,1 4,8 14% 5,0 12% 4,0 3,6 3,3 3,4 % 3,1 8% 3,0 6% 2,0 4% 1,0 2% 0% 0,0 Fontes: BCB e 11 Santander Pj PF 16.4% 14.5% 11.3% Projeção 6.8% 8.1%

2 Jun/01 Feb/02 Oct/02 Jun/03 Feb/04 Oct/04 Jun/05 Feb/06 Oct/06 Jun/07 Feb/08 Oct/08 Jun/09 Feb/ Oct/ Jun/11 Feb/12 Oct/12 Jun/13 Feb/14 Oct/14 Mar-12 May-12 Jul-12 Sep-12 Nov-12 Jan-13 Mar-13 May-13 Jul-13 Nov-13 Jan-14 Mar-14 May-14 Jul-14 Nov-14 Jan-15 Mar-15 May-15 Estoques seguem desacelerando O saldo total de crédito continuou desacelerando em maio, registrando alta de,1% a/a, contra,4% a/a em abril. Tanto o estoque de crédito dos bancos públicos como o dos privados apresentaram desaceleração nessa mesma comparação (público: de 15,5% para 15,3%; privado: de 4,6% para 3,2%). Vale notar que os bancos públicos continuam ganhando market share em relação aos privados (55,0% em maio ante 54,7% em abril), uma vez que seguem apresentando taxa de crescimento superior. Considerando apenas os recursos em posse das pessoas físicas, o crescimento do saldo desacelerou para 11,2% a/a no mês passado (vindo de 12,0% em abr/15). Já a carteira de empréstimos para pessoas jurídicas registrou ligeira aceleração: 9,2% a/a em maio ante 9,0% em abril. Apesar dessa leve recuperação, se excluirmos os empréstimos direcionados (13,5% a/a) e aqueles relacionados à variação cambial (22,6% a/a), o saldo de crédito para empresas cresceu apenas 1,1% a/a em maio (o que significa queda de 8% quando descontada a inflação do período). Crescimento da Carteira de Crédito (% a/a) PJ PF Total 8 6 Concessões A média diária das novas concessões de crédito para pessoa física também apresentou desaceleração: de 2,2% a/a em abril para 1,4% a/a em maio. O destaque negativo das concessões para pessoa física foram as referentes ao financiamento imobiliário, que recuaram 30% na comparação entre maio/15 e maio/14. Boa parte dessa queda está relacionada à decisão da Caixa, que desde o início de maio está financiando apenas 50% do valor do imóvel usado. Os demais bancos também devem continuar desacelerando as concessões de empréstimos imobiliários, tendo em vista que os recursos da poupança, que historicamente contribuíram para reduzir o custo de captação desses empréstimos (pois são remunerados a uma taxa inferior a Selic) estão praticamente esgotados: o saldo de crédito imobiliário atualmente é superior ao montante do saldo da poupança que deve ser direcionado obrigatoriamente para essa linha de crédito. Esse problema deve continuar se agravando nos próximos meses, uma vez que a perspectiva de pelo menos mais um aumento da taxa Selic (ampliando o diferencial de rentabilidade entre o CDI e a poupança) e a deterioração esperada para o mercado de trabalho devem contribuir para a continuidade do movimento de resgate dos fundos de poupança que tem sido observado nos últimos meses (o resgate líquido acumulado em 15 já é de R$ 32 bi). Essa pressão no custo de captação já tem se refletido nas taxas ao consumidor: em maio/15, a taxa média cobrada nessa linha de crédito foi,1% a.a., alta relevante quando comparada à média de 14 (9,3% a.a). Isso, em conjunto com o enfraquecimento do mercado de trabalho e o baixo nível de confiança do consumidor deve frear ainda mais a Crescimento da média diária das concessões para empréstimos imobiliários (% a/a) Saldo de crédito Imobiliário / Recursos da poupança direcionados para o crédito imobiliário (%) 1% 0% 80% 60% 40% % 0% 2

3 Jan-13 Mar-13 May-13 Jul-13 Nov-13 Jan-14 Mar-14 May-14 Jul-14 Nov-14 Jan-15 Mar-15 May-15 demanda por esses empréstimos. Tendo em vista a elevada representatividade desses empréstimos na carteira PF (30% do saldo total), revisamos nossa projeção de crescimento do saldo total de crédito para 6,8% (ante 7,7% na projeção anterior). As concessões para pessoa jurídica continuam caindo na comparação interanual, ainda que em um ritmo menor: -0,3% em maio/15 ante -4,9% em abril. Vale notar que essa ligeira recuperação decorre dos recursos do BNDES, de forma que se considerarmos apenas as concessões de recursos livres, a queda continua forte e bem generalizada entre suas diversas linhas de crédito, com destaque negativo para os recebíveis, que registraram queda de 15% a/a em maio (refletindo a forte retração das receitas com vendas), e para os recursos para capital de giro, que recuaram % a/a. As exceções a essa tendência foram o cheque especial (,2% a/a), o cartão de crédito (27,6% a/a) e o ACC (34,2% a/a) os dois primeiros estão possivelmente relacionados à busca por linhas emergenciais num contexto de escassez de outras modalidades mais baratas, enquanto o último decorre da elevada volatilidade cambial. Taxa de Inadimplência A inadimplência (atraso superior a 90 dias) dos empréstimos com recursos livres aumentou tanto nos empréstimos para pessoa física como para pessoa jurídica. Inadimplência PF Em relação aos empréstimos para pessoa física, o patamar da inadimplência observado em maio (5,4%) ainda é baixo quando comparado ao do mesmo mês do ano anterior (5,7%). Contudo, analisando a trajetória das diferentes linhas de crédito para o consumidor percebemos movimentos distintos: enquanto a inadimplência dos empréstimos para aquisição de veículos e o crédito consignado permanecem em patamares baixos (3,9% e 2,3%, respectivamente, em maio/15, contra 5,0% e 2,7% em maio/14), o cheque especial e o cartão de crédito apresentam deterioração relevante (14,2% e 7,3%, por ordem, em maio/15, ante 12,7% e 6,7% em maio/14) Sendo assim, boa parte desse cenário de aparente calmaria do ponto de vista de inadimplência PF parece estar relacionada a dois fatores: i) forte retração do mercado de veículos, que deve ter contribuído para a melhora de perfil de risco dos clientes dessa modalidade, uma vez que apenas consumidores com maior poder aquisitivo permanecem no mercado devido à deterioração das condições de crédito; ii) baixa volatilidade de rendimento dos servidores públicos e beneficiários do INSS, garantindo que a inadimplência do crédito consignado permaneça em patamar reduzido. Excluindo essas duas modalidades, a inadimplência PF já está em trajetória de alta: 14,1% em maio/15 ante 13,0% no mesmo mês do ano anterior. Total ex veiculos e consignado total Já nos empréstimos com recursos livres para empresas, a alta da inadimplência é mais generalizada e mais intensa. O atraso superior a 90 dias atingiu 4,0% da carteira PJ em maio/15, ante 3,9% em abr/15 e 3,4% em maio/14. Reforçamos nosso diagnóstico de que essa deterioração mais rápida da inadimplência PJ se deve a dois fatores 3

4 Mar-11 Jun-11 Sep-11 Dec-11 Mar-12 Jun-12 Sep-12 Dec-12 Mar-13 Jun-13 Dec-13 Mar-14 Jun-14 Dec-14 Mar-15 Jan-08 May-08 Sep-08 Jan-09 May-09 Sep-09 Jan- May- Sep- Jan-11 May-11 Sep-11 Jan-12 May-12 Sep-12 Jan-13 May-13 Jan-14 May-14 Jan-15 May-15 principais: i) o faturamento das empresas usualmente responde com mais intensidade e maior velocidade a ciclos econômicos do que a renda das famílias; ii) a constante necessidade de rolagem de dívidas e capital de giro faz com que o aperto de crédito tenha efeito ambíguo sobre a inadimplência PJ: por um lado a maior seletividade dos bancos, focando em operações de menor risco, tende a reduzir inadimplência; por outro, a escassez de crédito deteriora a situação financeira das empresas e tende a elevar a inadimplência. Analisando nosso modelo de projeção de curto prazo, que tem como objetivo projetar a inadimplência PJ nos próximos meses com base no indicador de atrasos (entre 15 e 90 dias), avaliamos que a tendência é que a deterioração continue, com a inadimplência atingindo 4,2% nos próximos 2 meses. Isso reforça nossa expectativa de que essa trajetória de alta será persistente ao longo do ano, atingindo 4,8% ao final de 15. Se esse cenário se confirmar, a inadimplência PJ terá crescido 40% ao longo de 15, o que deve representar uma pressão relevante de custos para os bancos, que pode motivar uma retração ainda mais forte das concessões para esses tipos de empréstimos. Spread e Juros Inadimplência PJ Atraso Inadimplencia Projeção projeção Pessoa Física: A taxa de juros total para pessoa física subiu de 34,0% a.a. em abril para 34,8% a.a. em maio. Considerando apenas os recursos livres, o aumento de taxas foi ainda maior, de 56,1% a.a. em abril para 57,3% a.a. em maio Taxa de Juros Pessoa Jurídica: Já a taxa de juros total para PJ subiu para 18,9% a.a., vindo de 18,5% a.a. em abril. Vale destacar o encarecimento da linha de financiamento para investimentos do BNDES, que representa 36% do saldo total de empréstimos para empresas, e registrou uma taxa média de 9,4% a.a. em maio, ante 8,9% a.a. em abr/15 e 7,1% a.a. em dez/ taxa de juros - recursos livres PJ Série3 taxa de juros - recursos livres PF 30 0 Esse movimento de alta de taxas deve continuar ao longo dos próximos meses, como consequência de três fatores principais: i) provável continuidade do ciclo de alta da taxa Selic; ii) mudança de mix entre os produtos em favor de linhas de crédito mais emergenciais - que são mais arriscadas e consequentemente apresentam taxas mais elevadas; iii) aumento dos spreads em virtude do aumento da inadimplência e da consequente piora de mix de classificações de risco dos clientes vale observar que segundo o relatório do Economia Bancária e Crédito do Banco Central a inadimplência responde por aproximadamente 30% do spread bancário (ao menos no caso de clientes preferenciais). 4

5 TABELAS Estoques - Total Saldo (R$ Bi) Variação Nominal Categoria (P) 16 (P) mai/15 m/m t/t a/a Estoque Total 11,3% 6,8% 8,1% ,7% 1,9%,1% Livres 4,6% 3,6% 6,4% ,6% 1,2% 4,7% PF 5,5% 2,9% 6,9% ,5% 0,7% 4,6% PJ 3,8% 4,2% 5,9% ,7% 1,6% 4,8% Direcionados 19,6%,3%,0% ,8% 2,6% 16,5% PF 25,0% 11,9% 14,1% ,6% 3,2%,2% PJ 15,7% 9,0% 6,7% ,9% 2,1% 13,6% Total PF 13,3% 6,9%,2% ,6% 1,9% 11,2% Total PJ 9,5% 6,6% 6,3% ,8% 1,9% 9,2% BANCOS PÚBLICOS 16,7%,2% 7,5% ,1% 5,3% 15,3% BANCOS PRIVADOS 5,6% 2,8% 9,0% ,0% 0,0% 3,2% Estoques - Por Setor Saldo (R$ Bi) Variação Nominal Categoria (P) 16 (P) mai/15 m/m t/t a/a Estoque Total 14,5% N/D N/D ,7% 1,9%,1% Setor Privado 13,8% N/D N/D ,6% 1,5% 8,8% PJ 12,0% N/D N/D ,6% 1,2% 6,4% PF 15,8% N/D N/D ,6% 1,9% 11,2% Setor Público 27,0% N/D N/D ,3% 6,2% 29,7% União 16,4% N/D N/D ,6% 7,9% 29,2% Estados e municipios 37,2% N/D N/D ,9% 4,8% 30,2% 5

6 Juros Variação Nominal (p.p) Categoria dez/14 Dec-15 (P) Dec-16 (P) mai/15 m/m t/t a/a Total 23,7 28,1 26,5 27,1 0,6 1,4 3,0 Livres 37,3 43,5 41,9 42,5 0,7 1,9 5,9 PF 49,6 58,1 56,5 57,3 1,2 3,0 8,5 PJ 24,2 27,9 26,4 26,9 0,3 0,8 3,1 Direcionados 7,8 9,5 9,0 9,3 0,4 1,0 1,0 PF 7,9 9,2 8,8 9,0 0,3 1,1 0,8 PJ 7,6 9,8 9,3 9,6 0,6 0,9 1,3 Total PF 30,7 35,3 34,3 34,8 0,8 1,9 3,5 Total PJ 16,5 19,7 18,5 18,9 0,4 0,8 2,0 Spreads Variação Nominal (p.p) Categoria dez/14 Dec-15 (P) Dec-16 (P) mai/15 m/m t/t a/a Total 14,9 N/D N/D 17,4 0,3 0,7 1,9 Livres 25,3 N/D N/D 29,8 0,5 1,5 4,6 PF 37,3 N/D N/D 44,4 1,1 2,7 7,4 PJ 12,5 N/D N/D 14,5 0 0,5 1,7 Direcionados 2,7 N/D N/D 3,2 0,1 0,1 0 PF 2,5 N/D N/D 2,5-0,3-0,1-0,2 PJ 2,8 N/D N/D 3,8 0,5 0,3 0,3 Total PF 21,5 N/D N/D 24,9 0,5 1,2 2,7 Total PJ 8,0 N/D N/D 9,5 0,2 0,3 0,8 Inadimplência (% da carteira) Variação Nominal (p.p) Categoria dez/14 Dec-15 (P) Dec-16 (P) mai/15 m/m t/t a/a Total 2,9 3,6 3,8 3,0 0,0 0,2 0,0 Livres 4,4 5,3 5,6 4,7 0,1 0,3 0,1 PF 5,3 5,8 6,1 5,4 0,1 0,1-0,4 PJ 3,4 4,8 5,1 4,0 0,1 0,5 0,6 Direcionados 1,0 1,4 1,4 1,2 0,0 0,0 0,1 PF N/D N/D N/D 2,0 0,1 0,1 0,0 PJ N/D N/D N/D 0,7 0,0 0,2 0,2 Total PF N/D N/D N/D 3,8 0,1 0,0-0,4 Total PJ N/D N/D N/D 2,3 0,0 0,3 0,3 BANCOS PÚBLICOS 2,1 2,7 2,3 2,4 0,1 0,2 0,3 BANCOS PRIVADOS 3,6 4,4 4,7 4,0 0,0 0,2 0,0 EQUIPE Maurício Molan Tatiana Pinheiro Adriana Dupita Matheus Rosignoli Everton Gomes Rodolfo Margato CONTATOS Fone: +55 (11) Este material foi preparado pelo Banco Santander (Brasil) S.A. e não constitui uma oferta ou solicitação de oferta para aquisição de valores mobiliários. Ele pode conter informações sobre eventos futuros e estas projeções/estimativas estão sujeitas a riscos e incertezas relacionados a fatores fora de nossa capacidade de controlar ou estimar precisamente, tais como condições de mercado, ambiente competitivo, flutuações de moeda e da inflação, mudanças em órgãos reguladores e governamentais e outros fatores que poderão diferir materialmente daqueles projetados. A informação nele contida baseia-se na melhor informação disponível, recolhida a partir de fontes oficiais ou críveis. Não nos responsabilizamos por eventuais omissões ou erros. As opiniões expressas são as nossas opiniões no momento. Reservamo-nos o direito de, a qualquer momento, comprar ou vender valores mobiliários mencionados. Estas projeções e estimativas não devem ser interpretadas como garantia de performance futura. O Banco Santander (Brasil) S.A. não se obriga em publicar qualquer revisão ou atualizar essas projeções e estimativas frente a eventos ou circunstâncias que venham a ocorrer após a data deste documento. Este material é para uso exclusivo de seus receptores e seu conteúdo não pode ser reproduzido, redistribuído, publicado ou copiado de qualquer forma, integral ou parcialmente, sem expressa autorização do Banco Santander (Brasil) S.A.. 14 Banco Santander (Brasil) S.A.. Direitos reservados. 6

Relatório de Crédito 01 de setembro de 2015 Deterioração da confiança deverá levar a crescimento da carteira mais modesto em 2016

Relatório de Crédito 01 de setembro de 2015 Deterioração da confiança deverá levar a crescimento da carteira mais modesto em 2016 211 212 213 214 215 216 Relatório de Crédito 1 de setembro de 215 Deterioração da confiança deverá levar a crescimento da carteira mais modesto em 216 Everton Gomes everton.gomes@santander.com.br A taxa

Leia mais

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança D A T A A B E C I P M A I O, 2 0 1 6 D E S T A Q U E S D O M Ê S São Paulo, 28 de junho de 2016 Em maio, crédito imobiliário somou R$ 3,9 bilhões Poupança

Leia mais

Operações Crédito do SFN

Operações Crédito do SFN BC: Operações de Crédito do Sistema Financeiro Nacional (SFN) registra alta de 0,3% em novembro e retração de 2,3% em 12 meses O crédito total do SFN incluindo as operações com recursos livres e direcionados

Leia mais

Volume Total de Crédito

Volume Total de Crédito Parte I Volume de Crédito A) Recursos Livres e Recursos Direcionados Período R$ milhões Variação % Junho2005 535.594 Junho2015 3.102.172 490,2% Volume Total de Crédito 4.000.000 2.000.000 R$ milhões B)

Leia mais

INDX apresenta alta de 2,67% em março

INDX apresenta alta de 2,67% em março INDX apresenta alta de 2,67% em março Dados de Março/11 Número 51 São Paulo O Índice do Setor Industrial (INDX), composto pelas ações mais representativas do segmento, encerrou o mês de março de 2010,

Leia mais

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança D A T A A B E C I P J U N H O, 2 0 1 6 D E S T A Q U E S D O M Ê S Poupança SBPE Captação Líquida: - R$ 2,79 bilhões Saldo: R$ 493,3 bilhões Financiamentos

Leia mais

Operações Crédito do SFN

Operações Crédito do SFN BC: Operações de Crédito do Sistema Financeiro Nacional sobem 0,1% em maio de 2016, acumulando alta de 2,0% em 12 meses O crédito total do SFN incluindo as operações com recursos livres e direcionados

Leia mais

Banco do Brasil. Divulgação do Resultado 1T09

Banco do Brasil. Divulgação do Resultado 1T09 Banco do Brasil Divulgação do Resultado 1 Aviso Importante Esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas, estimativas de crescimento, projeções de resultados

Leia mais

Cenários. Plano Milênio. Justificativa da Rentabilidade Mensal

Cenários. Plano Milênio. Justificativa da Rentabilidade Mensal Ano IV Edição: maio/2013 nº 33 Informações referentes à abril/2013 Cenários Cenário Internacional O sentimento dos investidores globais melhorou no último mês com a solução para a crise no Chipre e o melhor

Leia mais

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina ICF. Intenção de Consumo das Famílias

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina ICF. Intenção de Consumo das Famílias Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina ICF Intenção de Consumo das Famílias Núcleo de Estudos Estratégicos Fecomércio SC Março de 2016 SUMÁRIO EMPREGO, REN DA E CONSUMO ATUAIS...

Leia mais

Relatório de Estabilidade Financeira. Setembro/2016

Relatório de Estabilidade Financeira. Setembro/2016 Relatório de Estabilidade Financeira Setembro/2016 1 Relatório de Estabilidade Financeira O Relatório de Estabilidade Financeira (REF) é uma publicação semestral do Banco Central do Brasil (BCB) destinada

Leia mais

Carta de Conjuntura do Setor de Seguros

Carta de Conjuntura do Setor de Seguros Carta de Conjuntura do Setor de Seguros Número 11, Fevereiro/2015 www.ratingdeseguros.com.br 1 Objetivo: O objetivo desta é ser uma avaliação mensal desse segmento e seus setores relacionados (resseguro,

Leia mais

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança D A T A A B E C I P N O V E M B R O, 2 0 1 5 D E S T A Q U E S D O M Ê S Poupança SBPE Captação Líquida: - R$ 962 milhões Saldo: R$ 501,2 bilhões Financiamentos

Leia mais

Relatório Mercatto OABPREV RJ Fundo Multimercado

Relatório Mercatto OABPREV RJ Fundo Multimercado Relatório Mercatto OABPREV RJ Fundo Multimercado Abril/11 Sumário 1. Características do Fundo Política de Gestão Objetivo do Fundo Público Alvo Informações Diversas Patrimônio Líquido 2. Medidas Quantitativas

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T16. 6 de maio de Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 1T16. 6 de maio de Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 6 de maio de 2016 Magazine Luiza Destaques Vendas E-commerce Margem Bruta EBITDA e Lucro Líquido Capital de Giro Endividamento Luizacred Aumento da receita bruta de 3% totalizando

Leia mais

Índice de atividade econômica - IBC-Br (%):

Índice de atividade econômica - IBC-Br (%): SIM SEBRAE Inteligência de Mercados Edição n - Fev/6 Índice de atividade econômica - IBC-Br (%) A produção industrial brasileira apresentou leve recuperação no período de novembro a dezembro de 25. pg

Leia mais

CONTEXTO DA ECONOMIA E SEUS REFLEXOS NA AMÉRICA LATINA

CONTEXTO DA ECONOMIA E SEUS REFLEXOS NA AMÉRICA LATINA CONTEXTO DA ECONOMIA E SEUS REFLEXOS NA AMÉRICA LATINA AMÉRICA LATINA AMÉRICA LATINA Quatro desafios da economia da América Latina em 2015 Crescimento moderado da economia global; Queda do preço das comodities

Leia mais

Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor - PEIC

Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor - PEIC 21 de fevereiro de 2013 Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor - PEIC A PEIC é uma pesquisa realizada pela CNC e divulgada regionalmente pela Fecomércio-RS. Apesar de, muitas vezes, ser

Leia mais

Destaques Semanais e Projeções Macroeconômicas

Destaques Semanais e Projeções Macroeconômicas Destaques Semanais e Projeções Macroeconômicas São Paulo, 18 de março de 2016 Tatiana Pinheiro Adriana Dupita Departamento de Pesquisa Econômica Luciano Sobral Everton Gomes Matheus Rosignoli Rodolfo Margato

Leia mais

Informativo Semanal de Economia Bancária

Informativo Semanal de Economia Bancária Informativo Semanal de Economia Bancária Federação Brasileira de Bancos Semana de 11 a 15 de julho de 2016 Ano 8, Nº. 355 Comentário Semanal A pesquisa Focus divulgada na manhã de hoje (11) praticamente

Leia mais

Conjuntura Nacional e Internacional Escola Florestan Fernandes, Guararema, 3 de julho de º. PLENAFUP

Conjuntura Nacional e Internacional Escola Florestan Fernandes, Guararema, 3 de julho de º. PLENAFUP Conjuntura Nacional e Internacional Escola Florestan Fernandes, Guararema, 3 de julho de 2015 5º. PLENAFUP Economia Brasileira I.54 - Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) Período Índice

Leia mais

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança D A T A A B E C I P S E T E M B R O, 2 0 1 5 D E S T A Q U E S D O M Ê S Poupança SBPE Captação Líquida: - R$ 5,38 bilhões Saldo: R$ 498,7 bilhões

Leia mais

Relatório Setorial Mercado imobiliário 26 de abril de 2016 O desafio do mercado imobiliário brasileiro

Relatório Setorial Mercado imobiliário 26 de abril de 2016 O desafio do mercado imobiliário brasileiro Relatório Setorial Mercado imobiliário 26 de abril de 216 O desafio do mercado imobiliário brasileiro Everton Gomes everton.gomes@santander.com.br Depois de alguns anos de forte crescimento, o mercado

Leia mais

5. NÍVEL DE ATIVIDADE ECONÔMICA. Álvaro Alves de Moura Jr.

5. NÍVEL DE ATIVIDADE ECONÔMICA. Álvaro Alves de Moura Jr. 98 5. NÍVEL DE ATIVIDADE ECONÔMICA Álvaro Alves de Moura Jr. O principal destaque na análise do nível de atividade econômica se refere à mudança na metodologia do cálculo do PIB, que passou a incluir informações

Leia mais

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança D A T A A B E C I P A B R I L, 2 0 1 6 D E S T A Q U E S D O M Ê S São Paulo, 27 de maio de 2016 Crédito imobiliário alcança R$ 3,5 bilhões em abril

Leia mais

IPCA, inflação livre, administrados e projeção Carta Aberta. Acumulado em doze meses. Jan Mar Mai Jul Set Nov Jan Mar Mai Jul Set Nov Jan Mar Mai

IPCA, inflação livre, administrados e projeção Carta Aberta. Acumulado em doze meses. Jan Mar Mai Jul Set Nov Jan Mar Mai Jul Set Nov Jan Mar Mai IPCA: Inércia, Câmbio, Expectativas e Preços Relativos Este boxe examina o comportamento recente do IPCA, a partir da contribuição dos principais fatores que explicam sua dinâmica, com destaque para a

Leia mais

Apresentação Semanal. De 04 a 15 de abril de Matheus Rosignoli

Apresentação Semanal. De 04 a 15 de abril de Matheus Rosignoli 1 Apresentação Semanal De 04 a 15 de abril de 2016 Matheus Rosignoli mrosignoli@santander.com.br Indicadores e eventos da última semana Mar-08 Jul-08 Nov-08 Mar-09 Jul-09 Nov-09 Mar-10 Jul-10 Nov-10 Mar-11

Leia mais

Crédito ao Consumo Principais Produtos. Financiamento de veículos

Crédito ao Consumo Principais Produtos. Financiamento de veículos 1 Crédito ao Consumo Principais Produtos Financiamento de veículos 2 Rede de Atendimento Crédito ao Consumo Correntistas Estrutura de Atendimento Correntistas Rede Prime 305 Agências Rede Varejo 4.387

Leia mais

Cenário macroeconômico

Cenário macroeconômico Cenário macroeconômico 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016* 2017* TAXA DE CRESCIMENTO DO PIB DO MUNDO (SOMA DOS PIBs OBTIDA PELA PARIDADE DO PODER DE COMPRA) 1980 - Título 2011 FONTE: FMI. ELABORAÇÃO E

Leia mais

Renda Fixa: 88%[(78% [CDI+0,5%]+17% IMAB + 5%IMAB5)+12%(103%CDI)] Renda Variável Ativa = 100%(IBrx+6%) Inv. estruturados = IFM Inv. no exterior = BDRX

Renda Fixa: 88%[(78% [CDI+0,5%]+17% IMAB + 5%IMAB5)+12%(103%CDI)] Renda Variável Ativa = 100%(IBrx+6%) Inv. estruturados = IFM Inv. no exterior = BDRX Objetivo Os investimentos dos Planos Básico e Suplementar, modalidade contribuição definida, tem por objetivo proporcionar rentabilidade no longo prazo através das oportunidades oferecidas pelos mercados

Leia mais

Perspectivas econômicas

Perspectivas econômicas Perspectivas econômicas 5º seminário Abecip Ilan Goldfajn Economista-chefe e Sócio Itaú Unibanco Maio, 2015 2 Roteiro Recuperação em curso nas economias desenvolvidas. O Fed vem adiando o início do ciclo

Leia mais

PME registra menor taxa de desemprego da série histórica para o mês de fevereiro, mas indica acomodação no mercado de trabalho.

PME registra menor taxa de desemprego da série histórica para o mês de fevereiro, mas indica acomodação no mercado de trabalho. PME registra menor taxa de desemprego da série histórica para o mês de fevereiro, mas indica acomodação no mercado de trabalho. Segundo apuração da PME (Pesquisa Mensal do Emprego), realizada pelo IBGE,

Leia mais

Desafios e Perspectivas da Economia Brasileira

Desafios e Perspectivas da Economia Brasileira Desafios e Perspectivas da Economia Brasileira 39º Prêmio Exportação Rio Grande do Sul - 2011 Alexandre Tombini Presidente do Banco Central do Brasil 20 de Junho de 2011 Conquistas da Sociedade Brasileira

Leia mais

Fonte: Elaboração Própria com base nos dados do Alice Web / MDIC.

Fonte: Elaboração Própria com base nos dados do Alice Web / MDIC. O Gráfico 1 nos mostra a evolução das exportações do Brasil, estado de São Paulo e estado de São Paulo sem região metropolitana. O número 1 (um) após o nome de cada região na legenda da Figura 1 indica

Leia mais

Impactos da Crise Mundial sobre a Economia Brasileira

Impactos da Crise Mundial sobre a Economia Brasileira Impactos da Crise Mundial sobre a Economia Brasileira Centro das Indústrias do Estado de São Paulo - CIESP Campinas (SP) 29 de julho de 2009 1 CIESP Campinas - 29/07/09 Crise de 2008 breve histórico Início:

Leia mais

Cenário Macroeconômico 2006 Janeiro de 2006

Cenário Macroeconômico 2006 Janeiro de 2006 Cenário Macroeconômico 2006 Janeiro de 2006 1 Cenário Econômico Regra básica: Cenário Internacional é dominante. Oscilações de curto prazo são determinadas exogenamente. 2 Cenário Internacional União monetária

Leia mais

Indicador de inadimplência de Pessoas Jurídicas SPC Brasil e CNDL

Indicador de inadimplência de Pessoas Jurídicas SPC Brasil e CNDL Indicador de inadimplência de Pessoas Jurídicas SPC Brasil e CNDL Dados referentes a junho de 2016 RELEASE DE IMPRENSA RESUMO ANÁLISE ECONÔMICA METODOLOGIA DOS INDICADORES INFORMAÇÕES RELEVANTES Presidentes

Leia mais

Mercado de trabalho enfrentou cenário difícil durante todo o ano de 2015

Mercado de trabalho enfrentou cenário difícil durante todo o ano de 2015 Mercado de trabalho enfrentou cenário difícil durante todo o ano de 2015 Neste edição especial do boletim Mercado de trabalho do CEPER-FUNDACE, serão comparados dados do Cadastro Geral de Empregados e

Leia mais

NOVAS REGRAS FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO. MAIANE SILVA MORAIS

NOVAS REGRAS FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO. MAIANE SILVA MORAIS NOVAS REGRAS FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO. MAIANE SILVA MORAIS Financiamento imobiliário A Caixa Econômica Federal vai reduzir o limite de financiamento para imóveis usados a partir de 4 de maio. O objetivo

Leia mais

CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 2 SUMÁRIO Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita de

Leia mais

Resultados 1º Trimestre de de Maio de 2015

Resultados 1º Trimestre de de Maio de 2015 Resultados 1º Trimestre de 2015 8 de Maio de 2015 Receita líquida avança 14,8%, com sólido crescimento orgânico Cnova Receita líquida: +14,8% Vendas mesmas lojas: +4,0% EBITDA (1) : R$ 1,057 bilhão Margem

Leia mais

SET/16 AGO/16. 52,9 43,9 48,4 Queda da produção. 47,1 46,0 47,4 Queda no número de empregados 67,0 66,0 71,2 Redução no uso da capacidade

SET/16 AGO/16. 52,9 43,9 48,4 Queda da produção. 47,1 46,0 47,4 Queda no número de empregados 67,0 66,0 71,2 Redução no uso da capacidade Indicador PRODUÇÃO NÚMERO DE EMPREGADOS UTILIZ. DA CAPACIDADE INSTALADA (UCI) - % UCI EFETIVA- USUAL EVOLUÇÃO DOS ESTOQUES ESTOQUE EFETIVO- PLANEJADO MÉDIA HIST. Setembro e 3º trimestre de 2016 Produção

Leia mais

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras. Boletim 1º Semestre 2016

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras. Boletim 1º Semestre 2016 Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras Boletim 1º Semestre 2016 N O T A Ressaltamos que os dados divulgados pelo BACEN, são sempre informados como preliminares nos últimos três meses

Leia mais

Destaques Semanais e Projeções Macroeconômicas

Destaques Semanais e Projeções Macroeconômicas Destaques Semanais e Projeções Macroeconômicas São Paulo, 4 de março de 2016 Tatiana Pinheiro Adriana Dupita Departamento de Pesquisa Econômica Luciano Sobral Everton Gomes Matheus Rosignoli Rodolfo Margato

Leia mais

Destaques Semanais e Projeções Macroeconômicas

Destaques Semanais e Projeções Macroeconômicas Destaques Semanais e Projeções Macroeconômicas São Paulo, 22 de abril de 2016 Tatiana Pinheiro Adriana Dupita Departamento de Pesquisa Econômica Luciano Sobral Everton Gomes Matheus Rosignoli Rodolfo Margato

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T16

Divulgação de Resultados 1T16 São Paulo - SP, 29 de Abril de 2016. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

Crescimento e juros. Roberto Padovani Março 2013

Crescimento e juros. Roberto Padovani Março 2013 Crescimento e juros Roberto Padovani Março 2013 jan-91 dez-91 nov-92 out-93 set-94 ago-95 jul-96 jun-97 mai-98 abr-99 mar-00 fev-01 jan-02 dez-02 nov-03 out-04 set-05 ago-06 jul-07 jun-08 mai-09 abr-10

Leia mais

Informativo Semanal de Economia Bancária

Informativo Semanal de Economia Bancária Informativo Semanal de Economia Bancária Semana de 07 a 11 de março de 2016 Ano 8, Nº. 337 Comentário Semanal As projeções da pesquisa Focus divulgadas na manhã de hoje (7) mostraram poucas alterações

Leia mais

Dados de Crédito agosto

Dados de Crédito agosto 29/09/09 Dados de Crédito agosto O Banco Central divulgou relatório de política monetária e crédito referente ao mês de agosto. O crédito com recursos livres teve aumento real de 6, nos últimos 12 meses.

Leia mais

Apresentação Corporativa

Apresentação Corporativa Apresentação Corporativa PÁG 2 Aviso Esta apresentação poderá conter certas projeções e tendências que não são resultados financeiros realizados, nem informação histórica. Estas projeções e tendências

Leia mais

Panorama do Mercado de Crédito

Panorama do Mercado de Crédito Panorama do Mercado de Crédito FEBRABAN Dezembro de 2011 Rubens Sardenberg Economista-chefe ÍNDICE I. Evolução do Crédito II. Pessoa Física III. Pessoa Jurídica IV. Inadimplência V. Spread VI. Projeções

Leia mais

Acerto de contas. Cenário macroeconômico Agosto 2013

Acerto de contas. Cenário macroeconômico Agosto 2013 Acerto de contas Cenário macroeconômico Agosto 2013 Agenda: crescimento baixo com inflação Eleições crescimento versus Economia Mundial Variação do PIB, % a/a 5,5 4,5 3,5 2,5 1,5 0,5-0,5-1,5-2,5-3,5 Outros

Leia mais

Relatório Mensal. Março. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS

Relatório Mensal. Março. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Relatório Mensal 2011 Março Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Composição da Carteira Ativos Mobiliários e Imobiliários 0,53% 39,27%

Leia mais

Prof. Dr. Cláudio D. Shikida. Éverton Coelho. Luiz André Miranda. Renato Byrro

Prof. Dr. Cláudio D. Shikida. Éverton Coelho. Luiz André Miranda. Renato Byrro Pré-COPOM Setembro/2008 NEPM Núcleo de Estudos de Política Monetária do IBMEC/MG Belo Horizonte, 05 de Setembro de 2008 Direção: Prof. Dr. Cláudio D. Shikida Alunos Integrantes t Christiane Dolabella ll

Leia mais

Economia Brasileira: da estabilidade macroeconômica ao crescimento sustentado

Economia Brasileira: da estabilidade macroeconômica ao crescimento sustentado Economia Brasileira: da estabilidade macroeconômica ao crescimento sustentado Junho de 2010 Wilson R. Levorato Diretor Geral Brasil e a crise internacional: porque nos saímos tão bem? Onde estamos? Cenário

Leia mais

Resultados Título da apresentação

Resultados Título da apresentação Resultados 2015 Título da apresentação Aviso Legal Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros do Banco Pan. Essas declarações estão baseadas

Leia mais

Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016

Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016 Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016 Diretoria Adjunta de Análise e Disseminação de Informações Gerência de Indicadores Econômicos Em fevereiro de 2016, no acumulado de 12 meses,

Leia mais

Siderurgia. Siderurgia: Produção de aço cresce no Brasil e no mundo. Análise de Investimentos Relatório de Setorial

Siderurgia. Siderurgia: Produção de aço cresce no Brasil e no mundo. Análise de Investimentos Relatório de Setorial 24 de Março de 2015 : Produção de aço cresce no Brasil e no mundo Em fevereiro, a produção de aço apresentou elevação no Brasil e no mundo. No Brasil, o volume produzido aumentou 2,3% no mês, somando um

Leia mais

Boletim Mensal Situação Monetária e Cambial

Boletim Mensal Situação Monetária e Cambial Boletim Mensal Situação Monetária e Cambial Estudos Económicos Índice 1. Situação Monetária... 4 1.1. Base Monetária... 4 1.2. Massa Monetária... 5 1.2.1. Crédito à Economia... 6 1.2.2. Activo Externo

Leia mais

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina PEIC. Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina PEIC. Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor Núcleo de Estudos Estratégicos Fecomércio SC Novembro de 2016 SUMÁRIO ANÁLISE

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 1º Trimestre Coletiva de Imprensa 12 de Maio de 2016

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 1º Trimestre Coletiva de Imprensa 12 de Maio de 2016 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 1º Trimestre 2016 Coletiva de Imprensa 12 de Maio de 2016 Avisos Estas apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas expectativas

Leia mais

Informe 05/2015 Balanço das Exportações e Importações Brasileiras de Roc has Ornamentais

Informe 05/2015 Balanço das Exportações e Importações Brasileiras de Roc has Ornamentais Informe 5/215 Balanço das Exportações e Importações Brasileiras de Rochas Ornamentais de Janeiro a Maio de 215 Associação Brasileira da Indústria de Rochas Ornamentais ABIROCHAS Avenida Paulista, 1313

Leia mais

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Análise Setorial Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Dezembro de 2014 Sumário 1. Perspectivas do Cenário Econômico em 2015... 3 2. Balança Comercial no Ano de 2014... 4 3.

Leia mais

Os recursos não investidos permanecem alocados no HG Premium, Fundo que acumula uma rentabilidade de 2,50% em 2008, representando 97,00% do CDI.

Os recursos não investidos permanecem alocados no HG Premium, Fundo que acumula uma rentabilidade de 2,50% em 2008, representando 97,00% do CDI. Relatório Gerencial HG Realty BC FIP 1 Trimestre de 2008 CREDIT SUISSE HEDGING-GRIFFO 1. Palavra do Gestor Prezado Investidor, No primeiro trimestre de 2008 o Fundo continuou o acompanhamento das vendas

Leia mais

Resultados 3º Trimestre de de Outubro de 2016

Resultados 3º Trimestre de de Outubro de 2016 Resultados 3º Trimestre de 2016 28 de Outubro de 2016 3T16: Receita líquida: R$ 15,1 bilhões EBITDA ajustado (1) : R$ 619 milhões Número de lojas: 2.089 (2) Inclui R$ 1.824 milhões de recebíveis de cartão

Leia mais

CENÁRIO MACROECONÔMICO

CENÁRIO MACROECONÔMICO CENÁRIO MACROECONÔMICO SEGUE PAUTADO PELAS MUDANÇAS NO CENÁRIO GLOBAL, AFETANDO DIRETAMENTE O CÂMBIO, E PELO CRESCIMENTO MAIS MODERADO DA ECONOMIA DOMÉSTICA Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Leia mais

Relatório de Mercado Semanal

Relatório de Mercado Semanal Boletim Focus Relatório de Mercado Focus Fonte:Banco Central Cenário A semana que passou foi marcada pelo forte movimento de correção nas bolsas mundiais ocorrido na sexta-feira (9), após declarações hawkish

Leia mais

Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro

Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro (com base na Nota do Banco Central do Brasil de 22-10-08) Edição de 27 de Outubro de 08 Crise não teve impacto significativo nas operações

Leia mais

Extrato de Fundos de Investimento

Extrato de Fundos de Investimento São Paulo, 01 de Outubro de 2010 Prezado(a) FUNDO DE PENSAO MULTIPATR OAB 01/09/2010 a 30/09/2010 Liquidez é a palavra da vez nos mercados. Apesar da fraqueza na economia americana e nas demais avançadas

Leia mais

Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC) BLUMENAU

Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC) BLUMENAU Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC) BLUMENAU Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC) BLUMENAU FECOMÉRCIO SC SUMÁRIO Endividamento em Blumenau 7 Considerações

Leia mais

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Abril 2010

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Abril 2010 Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Abril 2010 As perspectivas do crédito à produção na construção civil e impactos no custo de funding dos empreendimentos Roberto Sampaio

Leia mais

PESQUISA FEBRABAN DE PROJEÇÕES MACROECONÔMICAS E EXPECTATIVAS DE MERCADO

PESQUISA FEBRABAN DE PROJEÇÕES MACROECONÔMICAS E EXPECTATIVAS DE MERCADO PESQUISA FEBRABAN DE PROJEÇÕES MACROECONÔMICAS E EXPECTATIVAS DE MERCADO Realizada entre os dias 20 e 23 de junho de 2016 Analistas consultados: 24 PROJEÇÕES E EXPECTATIVAS DE MERCADO Pesquisa FEBRABAN

Leia mais

ÍNDICE ASCENSÃO DAS MULHERES NO SETOR EMPREGO FORMAL... 03

ÍNDICE ASCENSÃO DAS MULHERES NO SETOR EMPREGO FORMAL... 03 CONSTRUÇÃO CIVIL EM ANÁLISE Nº 04 ABRIL 2016 1 ÍNDICE ASCENSÃO DAS MULHERES NO SETOR... 02 1 EMPREGO FORMAL... 03 1.1 SALDO MENSAL DE EMPREGO NA CONSTRUÇÃO CIVIL DO ESTADO DO PARÁ... 04 1.2 SALDO ANUAL

Leia mais

Setor Externo: Ajuste Forçado e Retomada da Economia Brasileira

Setor Externo: Ajuste Forçado e Retomada da Economia Brasileira 7 Setor Externo: Ajuste Forçado e Retomada da Economia Brasileira Vera Martins da Silva (*) A economia brasileira está saindo do fundo do poço, mas muito mais lentamente do que o desejado pela grande massa

Leia mais

Iochpe-Maxion Relatório de Atualização

Iochpe-Maxion Relatório de Atualização jan-16 mar-16 mai-16 jul-16 set-16 nov-16 Iochpe-Maxion Recomendação Neutro MYPK3 Preço em 04/01/17 (R$) 12,59 Ações (MM) 95 Valor Mercado (R$ MM) 1.187 Mín. 52 semanas (R$) 8,34 Máx. 52 semanas (R$) 20,31

Leia mais

Modelagem de crédito no Brasil Evolução recente e desafios futuros. Ana Carla Abrão Costa

Modelagem de crédito no Brasil Evolução recente e desafios futuros. Ana Carla Abrão Costa Modelagem de crédito no Brasil Evolução recente e desafios futuros Ana Carla Abrão Costa 27 nov 2012 Agenda Evolução do mercado de crédito no Brasil Modelagem de crédito Basiléia 2 Considerações Finais

Leia mais

(com base na Nota do Banco Central do Brasil de 27-05-2009) Edição de 27 de Maio de 2009

(com base na Nota do Banco Central do Brasil de 27-05-2009) Edição de 27 de Maio de 2009 Relatório Febraban - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro (com base na Nota do Banco Central do Brasil de 27-05-2009) Edição de 27 de Maio de 2009 Em Abril de 2009, operações de crédito atingiram

Leia mais

Evolução Recente da Economia Brasileira

Evolução Recente da Economia Brasileira Evolução Recente da Economia Brasileira Henrique de Campos Meirelles Novembro de 2008 1 Panorama Internacional 2 US$ bilhões EUA: Emissão de Commercial Papers (CP) por Empresas Não-Financeiras 2.400 subprime

Leia mais

15.1.Os principais instrumentos de política monetária são:

15.1.Os principais instrumentos de política monetária são: Módulo 15 Política Monetária O conjunto de atos do BACEN para controlar a quantidade de dinheiro e a taxa de juros e, em geral, as condições de crédito constitui a política monetária de um determinado

Leia mais

3º Trimestre de 2015 Resultados Tupy

3º Trimestre de 2015 Resultados Tupy 3º Trimestre de 2015 Resultados Tupy São Paulo, 13 de novembro de 2015 1 DISCLAIMER Esta Apresentação pode conter declarações prospectivas, as quais estão sujeitas a riscos e incertezas, pois foram baseadas

Leia mais

Informativo Semanal de Economia Bancária

Informativo Semanal de Economia Bancária Informativo Semanal de Economia Bancária Semana de 15 a 19 de fevereiro de 2016 Ano 8, Nº. 334 Federação Brasileira de Bancos Comentário Semanal A pesquisa Focus, divulgada nesta manhã, trouxe uma relativa

Leia mais

Apresentação disciplina ECO034

Apresentação disciplina ECO034 215 Apresentação disciplina ECO34 Panorama do primeiro semestre de 215 Alguns fatores no primeiro semestre de 215 vêm afetando a economia, e fazendo com que a população diminua o seu consumo. Aceleração

Leia mais

PED PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO. Evolução da População Metropolitana de São Paulo

PED PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO. Evolução da População Metropolitana de São Paulo PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Agosto de 2003 Nota Técnica Nº 9: Atualização dos Valores Absolutos das Séries Divulgadas pela Com a divulgação dos dados definitivos

Leia mais

CHEGADA DO NATAL MARCA INTERRUPÇÃO DA SEQUÊNCIA DE ALTAS NA CONFIANÇA DO COMÉRCIO

CHEGADA DO NATAL MARCA INTERRUPÇÃO DA SEQUÊNCIA DE ALTAS NA CONFIANÇA DO COMÉRCIO (0-200) CHEGADA DO NATAL MARCA INTERRUPÇÃO DA SEQUÊNCIA DE ALTAS NA CONFIANÇA DO COMÉRCIO O de Confiança do Empresário do Comércio (Icec) atingiu 99,1 pontos em dezembro, ante os 98,9 pontos observados

Leia mais

Carta de Conjuntura do Setor de Seguros

Carta de Conjuntura do Setor de Seguros Carta de Conjuntura do Setor de Seguros Número 2, Maio/2014 www.ratingdeseguros.com.br 1 Objetivo: O objetivo desta é ser uma avaliação mensal desse segmento e seus setores relacionados (resseguro, capitalização,

Leia mais

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO jan/15 fev/15 Ligeira deterioração nos principais indicadores Com o feriado da Semana Santa, os principais indicadores para a semana de 18 a 24 de março apresentaram relativa estabilidade, com os mercados

Leia mais

INFORME ECONÔMICO 28 de outubro de 2016

INFORME ECONÔMICO 28 de outubro de 2016 RESENHA SEMANAL E PERSPECTIVAS No Brasil, Banco Central sinalizou a manutenção do ritmo de corte para a próxima reunião. Nos Estados Unidos, o crescimento do PIB acelerou no terceiro trimestre. No Brasil,

Leia mais

Volume de Vendas do Varejo Ampliado Acumulado em 12 meses em relação aos 12 meses anteriores. dez/14. set/16. mar/14. dez/13.

Volume de Vendas do Varejo Ampliado Acumulado em 12 meses em relação aos 12 meses anteriores. dez/14. set/16. mar/14. dez/13. dez/11 mar/12 jun/12 set/12 dez/12 mar/13 jun/13 set/13 mar/14 set/14 mar/15 set/15 mar/16 set/16 Monitor Econômico ASSESSORIA ECONÔMICA Dados divulgados entre 09 e 13 de janeiro Comércio (PMC) Entre outubro

Leia mais

Esgotamento do Funding Tradicional?

Esgotamento do Funding Tradicional? Esgotamento do Funding Tradicional? Novos instrumentos vão vigorar no curto prazo? Gueitiro Matsuo Genso 12ª Conferência Internacional da LARES São Paulo 19 a 21 de setembro, 2012 Agenda Relevância no

Leia mais

Teleconferência de Resultados 3T de Novembro de 2016 Relações com Investidores

Teleconferência de Resultados 3T de Novembro de 2016 Relações com Investidores Teleconferência de Resultados 11 de Novembro de 2016 Relações com Investidores 1 Disclaimer Este material constitui uma apresentação de informações gerais sobre a Marfrig Global Foods S.A. e suas controladas

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O FI RF CP LP TITULOS PRIVADOS / Informações referentes a Abril de 2013

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O FI RF CP LP TITULOS PRIVADOS / Informações referentes a Abril de 2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o HSBC FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CREDITO PRIVADO LONGO PRAZO. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto

Leia mais

Nota de Crédito PJ. Janeiro 2015. Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014

Nota de Crédito PJ. Janeiro 2015. Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014 Nota de Crédito PJ Janeiro 2015 Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014 mai/11 mai/11 Carteira de Crédito PJ não sustenta recuperação Após a aceleração verificada em outubro, a carteira de crédito pessoa jurídica

Leia mais

SONDAGEM INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO DE ALAGOAS

SONDAGEM INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO DE ALAGOAS SONDAGEM INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO DE ALAGOAS Indicadores dos Níveis de Atividade e Emprego mantém tendência de retração na Indústria da Construção de Alagoas e do Nordeste no 4º Trimestre de 2015 4º TRI/2015

Leia mais

Relatório Gerencial - CSHG Realty BC II FIP

Relatório Gerencial - CSHG Realty BC II FIP CREDIT SUISSE HEDGING-GRIFFO Relatório Gerencial - CSHG Realty BC II FIP 2 Trimestre de 2009 1. Palavra do Gestor Prezado Investidor, Durante o segundo trimestre de 2009 o Fundo acompanhou as obras e vendas

Leia mais

Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017

Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017 Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017 Henrique Meirelles Ministro da Agosto 2016 Cenário de Referência 2 Foi observado o limite de crescimento da despesa contido na Proposta de Emenda Constitucional 241/2016

Leia mais

set./2010 set./2009 dez./2010 jun./2010 dez./2009 mar./2011 mar./2010

set./2010 set./2009 dez./2010 jun./2010 dez./2009 mar./2011 mar./2010 5 MOEDA E CRÉDITO A evolução recente de alguns indicadores macroeconômicos, notadamente a aceleração da inflação, mudou as expectativas do mercado com relação ao comportamento da taxa de juros básica.

Leia mais

Portal de Informações FEBRABAN. Módulo I Crédito

Portal de Informações FEBRABAN. Módulo I Crédito Portal de Informações FEBRABAN Módulo I Crédito Módulo de dados I: Crédito Sumário Este módulo de dados abrange as operações de crédito com recursos livres e direcionados (taxas de juros administradas)

Leia mais

Volatilidade cambial e commodities. Cenários para 2016

Volatilidade cambial e commodities. Cenários para 2016 Volatilidade cambial e commodities Cenários para 2016 jan-13 mar-13 mai-13 jul-13 set-13 nov-13 jan-14 mar-14 mai-14 jul-14 set-14 nov-14 jan-15 mar-15 mai-15 jul-15 set-15 nov-15 jan-16 mar-16 Trajetória

Leia mais

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES Página 1 de 28 Atualização: da poupança jun/81 1 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00 26.708,00-0,000% - 26.708,00 26.708,00 26.708,00 jul/81 2 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO CAIXA TRX LOGISTICA RENDA - FII (CNPJ:

FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO CAIXA TRX LOGISTICA RENDA - FII (CNPJ: FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO CAIXA TRX LOGISTICA RENDA - FII (CNPJ: 12.887.506/0001-43) (Administrado pela Caixa Econômica Federal) (CNPJ: 00.360.305/0001-04) Demonstração do fluxo de caixa Semestre

Leia mais