AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DO ATENDIMENTO FONOAUDIOLÓGICO DE PACIENTES TRATADOS DO CÂNCER DE CABEÇA E PESCOÇO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DO ATENDIMENTO FONOAUDIOLÓGICO DE PACIENTES TRATADOS DO CÂNCER DE CABEÇA E PESCOÇO"

Transcrição

1 AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DO ATENDIMENTO FONOAUDIOLÓGICO DE PACIENTES TRATADOS DO CÂNCER DE CABEÇA E PESCOÇO Palavras chaves: qualidade de vida, questionários, avaliação da qualidade Introdução: Diferentes parâmetros podem fornecer a qualidade de um atendimento, desde a satisfação do paciente quanto ao espaço físico, a cordialidade do atendimento e o sucesso do tratamento. O conhecimento específico da qualidade do atendimento prestado pelos serviços é ferramenta útil para melhorias do mesmo. Estudos revelam que a satisfação do cliente é um instrumento importante na avaliação da qualidade do serviço prestado. Desta forma, a percepção do paciente passa a ser um parâmetro de eleição para o controle da prestação de serviços, o que irá oferecer direta ou indiretamente diretrizes para o planejamento do atendimento e possivelmente resultados mais satisfatórios (1, 2, 3) Em estudo anterior, o atendimento fonoaudiológico de 551 pacientes em hospital oncológico, foi avaliado como de boa qualidade, pois o sucesso da reabilitação foi observado na maioria significante dos pacientes. Os pacientes que responderam ao tratamento com melhores evoluções funcionais e melhores índices de aderência foram os acometidos pelo câncer de cabeça e pescoço (4). Não encontramos na literatura compulsada estudos sobre a qualidade de atendimento em qualquer área de atuação fonoaudiologica. Por esse motivo acreditamos ser importante a avaliação da qualidade do atendimento fonoaudiológico em pacientes tratados do câncer de cabeça e pescoço, tanto pela perspectiva do clínico como pela do paciente, para observarmos se os dois parâmetros convergem para a boa avaliação da qualidade do serviço fonoaudiológico prestado. Objetivo: Avaliar a qualidade do atendimento fonoaudiológico de pacientes tratados de câncer de cabeça e pescoço sob as perspectivas do clínico e do paciente. Método e casuística: Estudo de caráter transversal. A população alvo do estudo foi composta por indivíduos que foram submetidos à reabilitação fonoaudiológica no Hospital A.C. Camargo após tratamento oncológico devido ao câncer de cabeça e pescoço no período de 2000 a 2005, independentemente de sexo e de idade.

2 Foi realizado o levantamento de 350 fichas de avaliação fonoaudiológica e posterior revisão dos prontuários médicos para preenchimento da ficha de registro de dados. Foram registrados: dados de identificação e dados do tratamento médico e variáveis relacionadas com a evolução do tratamento fonoaudiológico (evolução do quadro, interrupção do tratamento, resultado final de fonoterapia e aderência ao tratamento). Posteriormente os pacientes foram contatados via telefone e/ou carta e devidamente esclarecidos da finalidade do trabalho em questão. Após aceitarem participar do estudo e assinar o termo de consentimento livre esclarecido, foi realizado um segundo contato telefônico para a aplicação do questionário a respeito da qualidade do atendimento fonoaudiológico, por fonoaudióloga sem contato anterior com o paciente. O questionário utilizado foi constituído da seguinte forma: ferramenta composta de sete questões objetivas que avaliam a percepção da reabilitação fonoaudiológica como; tempo de tratamento, motivação para a terapia, relação com o terapeuta, evolução da alteração funcional, motivo das faltas, motivo do abandono, satisfação funcional e satisfação com o departamento de fonoaudiologia. Após a obtenção das respostas, todo o questionário teve seus valores convertidos numa pontuação variável de 0 a 100, onde 0 corresponde ao pior escore e 100 ao melhor escore, sendo 100, o escore máximo para cada questão. Após a conversão, os valores de cada resposta foram somados e o resultado foi então dividido pelo número de questões, sendo o resultado obtido o valor do aspecto avaliado. Modelo aplicado ao paciente Ruim Razoável Bom Ótimo Excelente Como você avalia o tempo de tratamento realizado Modelo da conversão da pontuação Como você avalia o tempo de tratamento realizado Ruim Razoável Bom Ótimo Excelente

3 RESULTADOS: A casuística do estudo apresentou predominância do sexo masculino com idade mediana de 59 anos com predominância do tumor primário na cavidade oral (39,2%) e laringe (27,1%), com estadiamento avançado para 55% da população estudada. Verificamos que o tempo médio de fonoterapia foi de 3 meses com uma mediana de 6 sessões, aproximadamente. A maioria apresentou baixo índice de faltas. O resultado final da fonoterapia mais incidente foi o abandono do tratamento com 56,7%. Entretanto, destes já havia alcançado (66%) evolução do quadro entre razoável e ótimo. Este Resultados demonstram boa qualidade de atendimento fonoaudiológico, sob o ponto de vista do clínico. Com relação à opinião dos pacientes à respeito da qualidade de atendimento fonoaudiológico, observamos uma mediana igual ou superior a 75 em todas as questões do questionário e no escore final (tabela 1). Tabela 1 Distribuição de freqüências de acordo com as medidas de tendência central e de variabilidade relacionadas as diferentes questões e escores final do questionário. Variável Min Max Mediana Media ± dp Como você avalia o tempo de tratamento que foi realizado ,8 ± 19,7 Como você avalia o seu grau de comprometimento com o seu tratamento ,8 ± 23,9 fonoaudiológico. Como você avalia a relação com o seu terapeuta durante o tratamento ,6 ± 21,4 Como você avalia as explicações que seu fonoaudiólogo deu sobre o seu tratamento ,5 79,6 ± 22,8 De forma geral como você avalia o atendimento realizado pelo departamento de ,3 ± 20,8 fonoaudiologia. Escore final ,1 77,3 ± 16,3 *Legenda: Min Max = mínima e máxima, Med = media, dp = desvio padrão.

4 Com relação à opinião dos pacientes a respeito do motivo do abandono do tratamento, a fonoterapia já ter contribuído com a reabilitação e o paciente já se sentirem melhor foi o aspecto mais mencionado, para 56,2 % dos pacientes (figura 1). Figura 1: Distribuição da casuística de acordo com os motivos do abandono do tratamento fonoaudiológico ,2% ,1% 14,1% 17,1% ,5% resp 1 resp 4 resp 6 resp 2 resp 3 Resp 1 = Questões financeiras. Resp 2 = Indisponibilidade de horários Resp 3 = A fonoterapia já havia contribuído com a sua reabilitação e você já se sentia melhor Resp 4 = A fonoterapia não contribuía mais com melhoras evidentes Resp 5 = A fonoterapia não contribuiu com a melhora do seu problema. Resp 6 = Outros (retornar para cidade de origem, alta, por orientação da fono) Na análise dos resultados com relação ao tipo de tratamento realizado observouse que os pacientes tratados com radioterapia exclusiva ou associada a outra modalidade de tratamento apresentaram os piores escores (p=0,049). Pacientes que interromperam o atendimento devido à piora do estado clínico geral e pacientes que ainda estavam em acompanhamento fonoaudiológico apresentaram os menores escores (p = 0,040) e (p = 0,036), respectivamente. Discussão: A proposta de estudo, além de mensurar a qualidade do atendimento fonoaudiológico para pacientes com câncer de cabeça e pescoço, também compreender quais os aspectos mais mencionados por esse grupo de indivíduos como importantes

5 para a qualidade do atendimento e identificar quais deles levam um paciente a abandonar o tratamento fonoaudiológico. O estudo desperta na fonoaudiologia clínica a necessidade de conhecer melhor os serviços que presta aos seus pacientes e os aspectos que podem influenciar no sucesso da terapia fonoaudiológica. Os resultados encontrados em nosso estudo demonstram que os pacientes têm um alto conhecimento a respeito do seu problema, pois aqueles que permanecem em atendimento (acompanhamento) identificaram que ainda não estão com uma evolução satisfatória (p = 0,040). Sabemos que o grau de informação que o paciente possui sobre seu problema de saúde está diretamente relacionado à qualidade da atenção recebida e indica a preocupação do profissional em torná-lo atuante nos diversos momentos de seu tratamento (5). Nogueira (1994) sugere a aplicação de princípios organizacionais que resguardem o conforto do usuário e aumentem a percepção dos profissionais sobre o sentido do conjunto dos atos, para enfrentar muitos dos problemas que foram aqui apresentados. Podemos, deste modo, propor que a satisfação do usuário seja uma meta na fonoaudiologia e que seja avaliada sistematicamente sob a perspectiva de quem utiliza o serviço vivenciando os problemas citados, trazendo, portanto, críticas e sugestões concretas para a melhoria da qualidade do serviço prestado. Conclusão: Os resultados desta pesquisa permitem-nos concluir que o Departamento de Fonoaudiologia de um hospital oncológico, sob a perspectiva do clínico, apresenta um tempo de fonoterapia com mediana de 3 meses, baixo índice de faltas, predominância de boa evolução do quadro clinico e alto índice de aderência ao tratamento. Sob a perspectiva do paciente, as interrupções do tratamento e a modalidade de tratamento médico podem interferir na avaliação da qualidade do atendimento prestado. Os dados encontrados sugerem a concordância entre a avaliação do clínico e do paciente, indicando uma boa qualidade de atendimento. Embora o índice de abandono do tratamento seja alto, ambas as análises se justificam pela boa evolução funcional, pela percepção e satisfação do paciente a respeito da sua evolução clínica. 1 - Santos MP. Avaliação da qualidade dos serviços públicos de atenção à saúde da criança sob a ótica do usuário. Rev Bra Enferm. 1999; 48(2): List MA, Stracks J, Colangelo L, et al. How do head and neck cancer patients prioritize tretment outcomes before initiating treatment? J clin oncol. 2000; 18(4): p Rogers SN, Louve D, Fesher SE, Brown JS, Vaeghan ED. Heath-related quality of life and clinical fuction after primary sugery for oral cnacer. Br J Oral maxillofacial Surg. 2002; 40:11-8.

6 4- Barcelos CB, Carrara-de Angelis E, Barros APB. Na evaluation of speech therapist quality of care on oncology hospitals. Applied Cancer Research. 2006;26(1) 5 - Selma CF, Gastão WSC. Avaliação da qualidade de atendimento ambulatorial em pediatria em um hospital universitário. Cad. Saúde Públ. 1998; 14(1):61-70.

Relatório. Aplicação dos Questionários de Satisfação dos Cidadãos/Clientes da Consultadoria Jurídica (escrito e telefone) Outubro de 2011

Relatório. Aplicação dos Questionários de Satisfação dos Cidadãos/Clientes da Consultadoria Jurídica (escrito e telefone) Outubro de 2011 Relatório Aplicação dos Questionários de Satisfação dos Cidadãos/Clientes da Consultadoria Jurídica (escrito e telefone) Outubro de 2011 1 Índice Introdução 3 Metodologia 4 Versão Escrita 4 Versão por

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS MUNICIPES

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS MUNICIPES RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS MUNICIPES Câmara Municipal de Vimioso 2016 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 1 2. A IMPORTANCIA DE MEDIR A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES 2 3. OBJECTIVOS 2 4. METODOLOGIA 2 5. ANÁLISE

Leia mais

INQUÉRITO DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS CLIENTES EXTERNOS

INQUÉRITO DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS CLIENTES EXTERNOS Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve INQUÉRITO DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS CLIENTES EXTERNOS RELATÓRIO FINAL DA ANÁLISE DOS DADOS DEZEMBRO 2010 Índice Índice... 2 1. Sumário... 3 2.

Leia mais

Acreditação de Operadoras: por que investir em qualidade?

Acreditação de Operadoras: por que investir em qualidade? Gestão da Qualidade investimento ou Despesa? Acreditação de Operadoras: por que investir em qualidade? Heleno Costa Junior Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA) Assessor de Relações Institucionais

Leia mais

Estamos Tratando Adequadamente as Urgências em Radioterapia?

Estamos Tratando Adequadamente as Urgências em Radioterapia? Estamos Tratando Adequadamente as Urgências em Radioterapia? Autores Alice de Campos Ana Carolina Rezende Icaro T. Carvalho Heloisa A. Carvalho Alice de Campos Residente HCFMUSP INTRODUÇÃO Urgências em

Leia mais

RELATÓRIO DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO CLIENTE EXTERNO EMBRAPA MEIO AMBIENTE ANO BASE Sistema de Gestão da Qualidade

RELATÓRIO DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO CLIENTE EXTERNO EMBRAPA MEIO AMBIENTE ANO BASE Sistema de Gestão da Qualidade RELATÓRIO DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO CLIENTE EXTERNO EMBRAPA MEIO AMBIENTE ANO BASE - 2010 Sistema de Gestão da Qualidade - 1 - SUMÁRIO 1. - Introdução.... 3 2. - Metodologia.... 3 2.1 - Amostragem e

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO SOBRE A SISTEMÁTICA DE ENTREGA DOS RELATÓRIOS DE GESTÃO EM 2009

PESQUISA DE OPINIÃO SOBRE A SISTEMÁTICA DE ENTREGA DOS RELATÓRIOS DE GESTÃO EM 2009 PESQUISA DE OPINIÃO SOBRE A SISTEMÁTICA DE ENTREGA DOS RELATÓRIOS DE GESTÃO EM 2009 /Adplan 7/10/2009 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 2. PERFIL DAS UNIDADES DOS RESPONDENTES... 3 3. SÍNTESE DAS OPINIÕES DOS

Leia mais

Relatório de Satisfação dos Cidadãos/Clientes do Núcleo de Passaportes da Loja do Cidadão_2016

Relatório de Satisfação dos Cidadãos/Clientes do Núcleo de Passaportes da Loja do Cidadão_2016 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA Governo Regional Secretaria Regional das Finanças e da Administração Pública DRAPMA - Direção Regional da Administração Pública e da Modernização Administrativa Relatório de

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS MUNICIPES. Câmara Municipal de Mogadouro

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS MUNICIPES. Câmara Municipal de Mogadouro RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS MUNICIPES Câmara Municipal de Mogadouro ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 2 2. A IMPORTÂNCIA DE MEDIR A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES... 2 3. OBJETIVOS... 2 4. METODOLOGIA... 2

Leia mais

4ª Reunião do GT de Oncologia. Projeto OncoRede

4ª Reunião do GT de Oncologia. Projeto OncoRede 4ª Reunião do GT de Oncologia Projeto OncoRede Clique para editar o nome do autor Clique para editar o cargo do autor Rio de Janeiro, 02 de Setembro de 2016 Clique para editar local e data Pauta da 4ª

Leia mais

PROPOSTA DE REESTRUTURAÇÃO DO PROCESSO DE AVALIAÇÃO PARA O CURSO DE ODONTOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE

PROPOSTA DE REESTRUTURAÇÃO DO PROCESSO DE AVALIAÇÃO PARA O CURSO DE ODONTOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE PROPOSTA DE REESTRUTURAÇÃO DO PROCESSO DE AVALIAÇÃO PARA O CURSO DE ODONTOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE Euler Maciel Dantas * Hallissa Simplício Gomes Pereira ** Isabelita Duarte

Leia mais

Cartilha orienta conselheiros de saúde para exercício do controle social

Cartilha orienta conselheiros de saúde para exercício do controle social Cartilha orienta conselheiros de saúde para exercício do controle social A publicação Orientações para Conselheiros de Saúde foi desenvolvida pelo Tribunal de Contas da União para fortalecer o controle

Leia mais

AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011

AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011 NATAL/RN MARÇO/2012

Leia mais

BETIM Leila da Cunha Meneses Maria Aparecida Rodegheri

BETIM Leila da Cunha Meneses Maria Aparecida Rodegheri INTERNAÇÃO DOMICILIAR: EXPERIÊNCIA EM UM MUNICÍPIO DE MINAS GERAIS BETIM Leila da Cunha Meneses Maria Aparecida Rodegheri Betim- Minas Gerais Dados Importantes População : 2010 (IBGE) : 378.089 Orçamento

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula 9 Cronograma de Aulas Pág. 10 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA HOSPITALAR

Leia mais

Relatório da Satisfação/Cidadãos Clientes do Núcleo de Passaportes Loja do Cidadão

Relatório da Satisfação/Cidadãos Clientes do Núcleo de Passaportes Loja do Cidadão Relatório da Satisfação/Cidadãos Clientes do Núcleo de Passaportes Loja do Cidadão 2015 Direção Regional da Administração Pública e da Modernização Administrativa Secretaria Regional das Finanças e da

Leia mais

Medidas Resumo. Medidas de Posição/ Medidas de Dispersão. A intenção desse trabalho é introduzir os conceitos de Medidas de posição e de dispersão.

Medidas Resumo. Medidas de Posição/ Medidas de Dispersão. A intenção desse trabalho é introduzir os conceitos de Medidas de posição e de dispersão. Medidas Resumo Medidas de Posição/ Medidas de Dispersão A intenção desse trabalho é introduzir os conceitos de Medidas de posição e de dispersão. Prof. MSc. Herivelto Marcondes Março/2009 1 Medidas Resumo

Leia mais

Desenvolvendo o Pensamento Matemático em Diversos Espaços Educativos A MATEMÁTICA EM SITUAÇÕES QUE ENGLOBAM ALIMENTAÇÃO E SAÚDE

Desenvolvendo o Pensamento Matemático em Diversos Espaços Educativos A MATEMÁTICA EM SITUAÇÕES QUE ENGLOBAM ALIMENTAÇÃO E SAÚDE A MATEMÁTICA EM SITUAÇÕES QUE ENGLOBAM ALIMENTAÇÃO E SAÚDE Modelagem e Educação Matemática (MEM) GT 4 Ângela Tereza Silva de SOUZA Universidade Federal da Paraíba anjinhatereza@hotmail.com RESUMO Neste

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES EXECUTADAS PELA CPA- Ano: 2011

RELATÓRIO DE ATIVIDADES EXECUTADAS PELA CPA- Ano: 2011 COMISSÃO PROPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE ATIVIDADES EXECUTADAS PELA CPA- Ano: 2011 São Luis- MA 2011 1 RELATÓRIO DE ATIVIDADES EXECUTADAS PELA CPA - 2011 Programa de sensibilização de discente, coordenadores

Leia mais

Relatório. da aplicação do Questionário de Satisfação dos Cidadãos/Clientes no Serviço de Passaportes da Loja do Cidadão

Relatório. da aplicação do Questionário de Satisfação dos Cidadãos/Clientes no Serviço de Passaportes da Loja do Cidadão Relatório da aplicação do Questionário de Satisfação dos Cidadãos/Clientes no Serviço de Passaportes da Loja do Cidadão Direcção Regional da Administração Pública e Local Junho de 2008 1 Índice Parte I

Leia mais

Registro Hospitalar de Câncer Conceitos Básicos Planejamento Coleta de Dados Fluxo da Informação

Registro Hospitalar de Câncer Conceitos Básicos Planejamento Coleta de Dados Fluxo da Informação Registro Hospitalar de Câncer Conceitos Básicos Planejamento Coleta de Dados Fluxo da Informação Registro Hospitalar de Câncer Este tipo de registro se caracteriza em um centro de coleta, armazenamento,

Leia mais

Questionário de Satisfação dos clientes da CPCJ de Silves

Questionário de Satisfação dos clientes da CPCJ de Silves Questionário de Satisfação dos clientes da CPCJ de Silves INDÍCE Pag. I Introdução 2 II - Método de Recolha e tratamento de dados 2 III - Perfil dos Clientes 3 IV Análise 3 V - Conclusões finais 14 VI

Leia mais

Taxa de Satisfação do Cliente - Internação = ra X 100 ra + rn

Taxa de Satisfação do Cliente - Internação = ra X 100 ra + rn Indicador : Taxa de Satisfação do Cliente - Internação Definição: Taxa de Satisfação do Cliente Internação: é a relação entre o número de respostas afirmativas dos serviços oferecidos na instituição e

Leia mais

CAF Estrutura Comum de Avaliação para a Qualidade Total das Administrações da União Europeia

CAF Estrutura Comum de Avaliação para a Qualidade Total das Administrações da União Europeia QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO Pais/Encarregados de Educação CAF Estrutura Comum de Avaliação para a Qualidade Total das Administrações da União Europeia Agrupamento de Escolas de Arganil 2º/3º CEB e Secundário

Leia mais

TRATAMENTO E ACOMPANHAMENTO DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DOS CLIENTES

TRATAMENTO E ACOMPANHAMENTO DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DOS CLIENTES TRATAMENTO E ACOMPANHAMENTO DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DOS CLIENTES José Luis Costa (1) Administrador formado pela faculdade IPEP e Graduado em Tecnólogo em Gestão Pública, ingressou na Sanasa em 1994,

Leia mais

PERFIL NUTRICIONAL E PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA DA UNIFRA 1

PERFIL NUTRICIONAL E PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA DA UNIFRA 1 PERFIL NUTRICIONAL E PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA DA UNIFRA 1 TEIXEIRA, Giselle 2 ; BOSI, Greice 2 ; FONTOURA, Ethiene 2 ; MUSSOI, Thiago 2 ; BLASI,

Leia mais

Oobjetivo do presente texto é o

Oobjetivo do presente texto é o Oobjetivo do presente texto é o de descrever como os psicólogos organizacionais avaliam o exercício de sua profissão. Os dados utilizados foram os dos Conselhos Federal e Regionais de Psicologia, obtidos

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM ACONSELHAMENTO GENÉTICO EM PREDISPOSIÇÃO

Leia mais

A PREVALÊNCIA DE CÁRIE DENTÁRIA EM 1 MOLAR DE CRIANÇAS DE 6 A 12 ANOS: uma abordagem no Novo Jockey, Campos dos Goytacazes, RJ

A PREVALÊNCIA DE CÁRIE DENTÁRIA EM 1 MOLAR DE CRIANÇAS DE 6 A 12 ANOS: uma abordagem no Novo Jockey, Campos dos Goytacazes, RJ 1 A PREVALÊNCIA DE CÁRIE DENTÁRIA EM 1 MOLAR DE CRIANÇAS DE 6 A 12 ANOS: uma abordagem no Novo Jockey, Campos dos Goytacazes, RJ Luciano Bárbara dos Santos 1 1 Cirurgião-dentista, aluno do curso de pós-graduação

Leia mais

- Avaliação da Cultura de Segurança do Doente em Hospitais -

- Avaliação da Cultura de Segurança do Doente em Hospitais - - Avaliação da Cultura de Segurança do Doente em Hospitais - A segurança do doente é uma preocupação crescente nos Hospitais Portugueses, tal como acontece noutros países da Europa e do resto do mundo.

Leia mais

AMIGABILIDADE Capacidade da organização para facilitar o acesso das pessoas à organização, nos domínios físico, temporal e relacional.

AMIGABILIDADE Capacidade da organização para facilitar o acesso das pessoas à organização, nos domínios físico, temporal e relacional. ENQUADRAMENTO GERAL O presente relatório tem como finalidade apresentar os resultados de avaliação realizada aos colaboradores da Instituição. Esta avaliação foi executada mediante a aplicação de um inquérito

Leia mais

Benefício da radioterapia neoadjuvante na sobrevida de pacientes com câncer de mama localmente avançado

Benefício da radioterapia neoadjuvante na sobrevida de pacientes com câncer de mama localmente avançado Benefício da radioterapia neoadjuvante na sobrevida de pacientes com câncer de mama localmente avançado Igor Martinez Bruna Villani Daniel Przybysz Marlison Caldas Celia Viegas Carlos Manoel Lilian Faroni

Leia mais

Parte 3 Descrição da Pesquisa de Satisfação com os Usuários

Parte 3 Descrição da Pesquisa de Satisfação com os Usuários Parte 3 Descrição da Pesquisa de Satisfação com os Usuários - 2010 Perfil dos Usuários: Observa-se no gráfico 1 abaixo, que do total de usuários (N = 42) que respondeu à pesquisa, a maioria (67%) era de

Leia mais

Título do Trabalho: Correlação entre dois instrumentos para avaliação do desenvolvimento motor de prematuros

Título do Trabalho: Correlação entre dois instrumentos para avaliação do desenvolvimento motor de prematuros Introdução O acompanhamento do desenvolvimento infantil consiste em uma das mais importantes estratégias básicas de saúde, demonstrando significante eficácia (SILVA; MAIA; LOPES; CARDOSO, 2013). Nesse

Leia mais

São Paulo, 09 de Abril de Ofício Lote III n.º 004/2010

São Paulo, 09 de Abril de Ofício Lote III n.º 004/2010 Ofício Lote III n.º 004/2010 São Paulo, 09 de Abril de 2010. Prezada Senhora, Através deste, encaminhamos o Relatório dos Indicadores Gerais de Acompanhamento e Avaliação da Gestão, dos Indicadores de

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL, I.P. RELATÓRIO DO QUESTIONÁRIO A CLIENTES DO INAC, I.P. PARA APRECIAÇÃO DA QUALIDADE DO SERVIÇO PRESTADO

INSTITUTO NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL, I.P. RELATÓRIO DO QUESTIONÁRIO A CLIENTES DO INAC, I.P. PARA APRECIAÇÃO DA QUALIDADE DO SERVIÇO PRESTADO INSTITUTO NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL, I.P. RELATÓRIO DO QUESTIONÁRIO A CLIENTES DO INAC, I.P. PARA APRECIAÇÃO DA QUALIDADE DO SERVIÇO PRESTADO FICHA TÉCNICA Título Relatório do Questionário a Clientes do

Leia mais

Se é possível cuidar, recuperar e integrar as pessoas internadas, dependentes com incapacidade funcional, sem a ENFERMAGEM DE REABILITAÇÃO?

Se é possível cuidar, recuperar e integrar as pessoas internadas, dependentes com incapacidade funcional, sem a ENFERMAGEM DE REABILITAÇÃO? Se é possível cuidar, recuperar e integrar as pessoas internadas, dependentes com incapacidade funcional, sem a ENFERMAGEM DE REABILITAÇÃO? É, mas não com a mesma qualidade.. (Mark Twain) AGRADECIMENTOS

Leia mais

Avaliação da flexibilização do horário do programa de rádio A Voz do Brasil - Março/2014 -

Avaliação da flexibilização do horário do programa de rádio A Voz do Brasil - Março/2014 - Avaliação da flexibilização do horário do programa de rádio A Voz do Brasil - Março/2014 - 2 Objetivo Metodologia Perfil da amostra Programa A Voz do Brasil Transmissão em horário fixo / flexível Importância

Leia mais

COORDENAÇÃO DO NÚCLEO CURRICULAR FLEXÍVEL PRÁTICAS EDUCATIVAS FICHA DE OBSERVAÇÃO

COORDENAÇÃO DO NÚCLEO CURRICULAR FLEXÍVEL PRÁTICAS EDUCATIVAS FICHA DE OBSERVAÇÃO FICHA DE OBSERVAÇÃO ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE E ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA Acadêmico: Curso: Período: Turno: Disciplina: Atenção Primária à Saúde e Estratégia de Saúde da Família Local: Profissional

Leia mais

DISFONIA. Justificativa Tipos N máximo de sessões Videolaringoscopia: é um exame

DISFONIA. Justificativa Tipos N máximo de sessões Videolaringoscopia: é um exame DISFONIA Justificativa Tipos N máximo de Videolaringoscopia: é um exame Disfonias Funcionais: São alterações realizado com anestesia tópica e permite uma detalhada avaliação da estrutura anatômica da hipofaringe

Leia mais

AVALIAÇÃO DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE DA CRIANÇA: COMPARAÇÃO ENTRE UNIDADES TRADICIONAIS E COM ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA

AVALIAÇÃO DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE DA CRIANÇA: COMPARAÇÃO ENTRE UNIDADES TRADICIONAIS E COM ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA AVALIAÇÃO DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE DA CRIANÇA: COMPARAÇÃO ENTRE UNIDADES TRADICIONAIS E COM ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA Enfª Ms. Vanessa B. Comassetto A. Oliveira INTRODUÇÃO CONCEITUANDO APS Acessibilidade

Leia mais

Grupo A - I semestre de 2014 Lista de exercícios 1 - Introdução à Estatística Descritiva C A S A (gabarito)

Grupo A - I semestre de 2014 Lista de exercícios 1 - Introdução à Estatística Descritiva C A S A (gabarito) Grupo A - I semestre de 014 Exercício 1. (0,9 pontos). Classifique cada uma das variáveis nas situações abaixo: (a) (0, pontos). Uma empresa de cartões rastreou todas as compras efetuadas com crédito ou

Leia mais

2. Nome do(s) supervisor(es): PROFA. DRA. SONIA REGINA PASIAN. Psicóloga MARIA PAULA FOSS

2. Nome do(s) supervisor(es): PROFA. DRA. SONIA REGINA PASIAN. Psicóloga MARIA PAULA FOSS UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS DE RIBEIRÃO PRETO DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA E EDUCAÇÃO CENTRO DE PESQUISA E PSICOLOGIA APLICADA ESTÁGIO: AVALIAÇÃO NEUROPSICOLÓGICA

Leia mais

PREVENÇÃO DE RECIDIVA DE ÚLCERA VENOSA: um estudo de coorte

PREVENÇÃO DE RECIDIVA DE ÚLCERA VENOSA: um estudo de coorte PREVENÇÃO DE RECIDIVA DE ÚLCERA VENOSA: um estudo de coorte Eline Lima Borges 1 Aidê Ferreira Ferraz 2 Daclé Vilma Caravalho 2 Vera Lúcia de Araújo Nogueira Lima 3 Selme Silqueira de Matos 4 1 Professor

Leia mais

6. Análise dos Resultados

6. Análise dos Resultados 87 6. Análise dos Resultados Os dados coletados através da Avaliação Ergonômica: avaliação observacional da sala de informática, do RULA, dos Questionários e da Avaliação Postural Computadorizada aponta

Leia mais

OCORRÊNCIA DE ANTECEDENTES FAMILIARES EM PACIENTES COM DISTÚRBIOS DO MOVIMENTO DO HOSPITAL DAS CLÍNICAS NO ESTADO DE GOIÁS

OCORRÊNCIA DE ANTECEDENTES FAMILIARES EM PACIENTES COM DISTÚRBIOS DO MOVIMENTO DO HOSPITAL DAS CLÍNICAS NO ESTADO DE GOIÁS Introdução: Os distúrbios do movimento (DM) englobam doenças agudas e crônicas caracterizadas por movimentos involuntários e/ou perda do controle ou eficiência em movimentos voluntários. DM são diversos

Leia mais

DADOS DEMOGRÁFICOS: Favor complete os dados à seguir, para que possamos conhecer um pouco sobre você e sobre sua relação com o paciente.

DADOS DEMOGRÁFICOS: Favor complete os dados à seguir, para que possamos conhecer um pouco sobre você e sobre sua relação com o paciente. Numero de identificação: : local no pac. Satisfação da família com os cuidados na Unidade de Terapia Intensiva FS-ICU (24) Como vocês estão indo? Suas opiniões sobre a estadia recente de seu familiar na

Leia mais

Relatório de Pesquisa JULHO / Área de Gestão do Conhecimento Programa Estudos e Pesquisas

Relatório de Pesquisa JULHO / Área de Gestão do Conhecimento Programa Estudos e Pesquisas Relatório de Pesquisa JULHO / 2003 Área de Gestão do Conhecimento Programa Estudos e Pesquisas Coordenação Área de Gestão do Conhecimento Programa Estudos e Pesquisas Coleta de Dados, Tabulação e Elaboração

Leia mais

Carlos Augusto de Oliveira. Inovação da Tecnologia, do Produto e do Processo

Carlos Augusto de Oliveira. Inovação da Tecnologia, do Produto e do Processo Carlos Augusto de Oliveira Inovação da Tecnologia, do Produto e do Processo Prefácio........................................................................ 19 1. O Planejamento da Qualidade.....................................................

Leia mais

Relatório da CPA (Comissão Própria de Avaliação) da Pesquisa com os Estudantes do curso superior de Tecnologia em Radiologia

Relatório da CPA (Comissão Própria de Avaliação) da Pesquisa com os Estudantes do curso superior de Tecnologia em Radiologia Relatório da CPA (Comissão Própria de Avaliação) da Pesquisa com os Estudantes do curso superior de Tecnologia em Radiologia A presente pesquisa foi realizada em dezembro de 2010 na Unidade de Duque de

Leia mais

Questionário de Satisfação do Sócio

Questionário de Satisfação do Sócio Capítulo 7 Questionário de Satisfação do Sócio Sócios que não estejam satisfeitos com certos aspectos do clube poderão se desvincular. Um levantamento anual poderá ajudar a obter sugestões de melhorias,

Leia mais

HISTÓRICO DE REVISÕES

HISTÓRICO DE REVISÕES PÁGINA: 1/8 DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO DIRAD ÁREAS SGT/ QUALIDADE CÓDIGO DE CLASSIFICAÇÃO DO DOCUMENTO 010 TíTULO: Capacitar Servidores Planejamento Anual ELABORADO EM:22/06/2016 REVISADO EM:15/07/2016

Leia mais

Introdução à Pesquisa de Marketing

Introdução à Pesquisa de Marketing Introdução à Pesquisa de Marketing 1 O que é pesquisa de marketing? É a elaboração, a coleta, a análise e a edição de relatórios sistemáticos de dados e descobertas relevantes sobre uma situação específica

Leia mais

Página 2 em diante devem estar contemplados os seguintes itens:

Página 2 em diante devem estar contemplados os seguintes itens: 1 TEMPLATE - Projeto de pesquisa FORMATAÇÃO Fonte: Texto: Arial ou Times New Roman, tamanho 12. Títulos: Arial ou Times New Roman, tamanho 14, negrito Espaço: duplo Margens: 2,5 cm em todas as margens

Leia mais

IDOSOS VÍTIMAS DE ACIDENTES DE TRÂNSITO E VIOLÊNCIA ATENDIDOS POR UM SERVIÇO PRÉ-HOSPITALAR MÓVEL

IDOSOS VÍTIMAS DE ACIDENTES DE TRÂNSITO E VIOLÊNCIA ATENDIDOS POR UM SERVIÇO PRÉ-HOSPITALAR MÓVEL IDOSOS VÍTIMAS DE ACIDENTES DE TRÂNSITO E VIOLÊNCIA ATENDIDOS POR UM SERVIÇO PRÉ-HOSPITALAR MÓVEL Hilderjane Carla da Silva Universidade Federal do Rio Grande do Norte / E-mail: hilderjanecarla@hotmail.com

Leia mais

Conhecimento Específico

Conhecimento Específico Conhecimento Específico Eficiência, Eficácia e Efetividade Professor Rafael Ravazolo Conhecimento Específico EFICIÊNCIA, EFICÁCIA E EFETIVIDADE Segundo Chiavenato, o desempenho de cada organização deve

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO RIO GRANDE DO NORTE

PODER JUDICIÁRIO DO RIO GRANDE DO NORTE SEGURANÇA JURÍDICA PODER JUDICIÁRIO DO RIO GRANDE DO NORTE COORDENADORIA DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO EFETIVIDADE CELERIDADE IMPARCIALIDADE EQUIDADE PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL E INSTALAÇÕES FÍSICAS

Leia mais

Relatório da CPA (Comissão Própria de Avaliação) da Pesquisa com os Estudantes do curso superior de Engenharia de Petróleo e Gás

Relatório da CPA (Comissão Própria de Avaliação) da Pesquisa com os Estudantes do curso superior de Engenharia de Petróleo e Gás Relatório da CPA (Comissão Própria de Avaliação) da Pesquisa com os Estudantes do curso superior de Engenharia de Petróleo e Gás A presente pesquisa foi realizada em dezembro de 2010 na Unidade de Duque

Leia mais

Produção e gestão hospitalar: o caso das ciências laboratoriais

Produção e gestão hospitalar: o caso das ciências laboratoriais Escola Nacional de Saúde Pública Universidade Nova de Lisboa Produção e gestão hospitalar: o caso das ciências laboratoriais Sílvia Lopes Carlos Costa Modelos de Gestão na Saúde Implicações nas Ciências

Leia mais

Relatório da CPA (Comissão Própria de Avaliação) da Pesquisa com os Estudantes do curso de Educação Física

Relatório da CPA (Comissão Própria de Avaliação) da Pesquisa com os Estudantes do curso de Educação Física Relatório da CPA (Comissão Própria de Avaliação) da Pesquisa com os Estudantes do curso de Educação Física A presente pesquisa foi realizada maio de 2011 na Unidade de Duque de Caxias, tendo como universo

Leia mais

04/07/2014. Apneia do Sono e Hipertensão Resistente Qual a importância?

04/07/2014. Apneia do Sono e Hipertensão Resistente Qual a importância? e Hipertensão arterial resistente (HAR): todo paciente com HAR deve fazer Polissonografia? Gleison Guimarães TE SBPT 2004/TE AMIB 2007 Área de atuação em Medicina do Sono pela SBPT - 2012 Profº Pneumologia

Leia mais

Relatório. Inquérito de satisfação dos clientes da DRAPLVT

Relatório. Inquérito de satisfação dos clientes da DRAPLVT Relatório Inquérito de satisfação dos clientes da DRAPLVT 2011 Relatório de Análise do Questionário de Satisfação aos Utentes da DRAPLVT Período de recolha: 1 de Abril a 31 de Outubro de 2011 Dando cumprimento

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO DA SAHUDES

RELATÓRIO DE GESTÃO DA SAHUDES RELATÓRIO DE GESTÃO DA SAHUDES A Sociedade de Apoio, Humanização e Desenvolvimento de Serviços de Saúde SAHUDES, devidamente qualificada como Organização Social, titulação deferida através do Decreto Municipal

Leia mais

Análise de erro de medicação sob a ótica de auxiliares/técnicos de enfermagem em uma Unidade de Terapia Intensiva

Análise de erro de medicação sob a ótica de auxiliares/técnicos de enfermagem em uma Unidade de Terapia Intensiva VI Simpósio Internacional de Enfermagem (SIEN) Análise de erro de medicação sob a ótica de auxiliares/técnicos de enfermagem em uma Unidade de Terapia Intensiva Daniela Benevides Ortega Enfermeira da UTI

Leia mais

Características endoscópicas dos tumores neuroendócrinos retais podem prever metástases linfonodais? - julho 2016

Características endoscópicas dos tumores neuroendócrinos retais podem prever metástases linfonodais? - julho 2016 A incidência de tumores neuroendócrinos (TNE) retais tem aumentado ao longo dos últimos 35 anos. A maioria dos TNEs retais são diagnosticados por acaso, provavelmente devido ao aumento do número de sigmoidoscopias

Leia mais

AVALIAÇÃO DE SERVIÇOS DE SAÚDE AUDITIVA SOB A PERSPECTIVA DO USUÁRIO: PROPOSTA DE INSTRUMENTO

AVALIAÇÃO DE SERVIÇOS DE SAÚDE AUDITIVA SOB A PERSPECTIVA DO USUÁRIO: PROPOSTA DE INSTRUMENTO AVALIAÇÃO DE SERVIÇOS DE SAÚDE AUDITIVA SOB A PERSPECTIVA DO USUÁRIO: PROPOSTA DE INSTRUMENTO Armigliato ME; Prado DAG; Melo TM; Lopes AC; Martinez MANS; Amantini RCB; Bevilacqua MC. Palavras-chaves: Avaliação

Leia mais

RELATÓRIO QUADRIMESTRAL DE GESTÃO

RELATÓRIO QUADRIMESTRAL DE GESTÃO RELATÓRIO QUADRIMESTRAL DE GESTÃO 3º QUADRIMESTRE - EXERCÍCIO 2015 DADOS DO CONVÊNIO INSTITUIÇÃO Associação Pais Amigos dos Surdos de Campinas /APASCAMP PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 13/10/15717 TERMO DE

Leia mais

Não Conformidade, Ação Corretiva e Ação Preventiva

Não Conformidade, Ação Corretiva e Ação Preventiva 1. HISTÓRICO DE REVISÕES Revisão: 02 Página 1 de 6 DATA REVISÃO RESUMO DE ALTERAÇÕES 20/08/2013 00 Emissão inicial 21/08/2014 01 03/12/2015 02 Definição mais clara da sistemática de tratativa de cargas

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS MUNÍCIPES Câmara Municipal de Miranda do Douro

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS MUNÍCIPES Câmara Municipal de Miranda do Douro RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS MUNÍCIPES 2015 Câmara Municipal de Miranda do Douro ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2 2. A IMPORTANCIA DE MEDIR A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES 2 3. OBJECTIVOS 2 4. METODOLOGIA

Leia mais

IMPORTÂNCIA DOS FOLHETOS EDUCATIVOS SOBRE HANSENÍASE ENTRE ESTUDANTES DO ENSINO FUNDAMENTAL, MÉDIO E SUPERIOR

IMPORTÂNCIA DOS FOLHETOS EDUCATIVOS SOBRE HANSENÍASE ENTRE ESTUDANTES DO ENSINO FUNDAMENTAL, MÉDIO E SUPERIOR IMPORTÂNCIA DOS FOLHETOS EDUCATIVOS SOBRE HANSENÍASE ENTRE ESTUDANTES DO ENSINO FUNDAMENTAL, MÉDIO E SUPERIOR Mariluce Gonçalves Fonseca (Faculdades Integradas FAFIBE) Amanda Fernandes Abbes (G- Faculdades

Leia mais

diferenciação adotados foram as variáveis: gênero, faixa etária, caráter do atendimento e óbitos.

diferenciação adotados foram as variáveis: gênero, faixa etária, caráter do atendimento e óbitos. Introdução AVE- Acidente Vascular Encefálico, também conhecido como AVC e derrame cerebral, é classicamente caracterizado pelo entupimento ou rompimento de algum vaso sanguíneo no cérebro. A American Heart

Leia mais

Fazer um diagnóstico. Necessidade dos testes. Foco principal. Variabilidade do teste. Diminuição das incertezas definição de normal

Fazer um diagnóstico. Necessidade dos testes. Foco principal. Variabilidade do teste. Diminuição das incertezas definição de normal Fazer um diagnóstico Avaliação Crítica tentativa de tomar uma decisão adequada usando informações inadequadas resultado de testes diminuir a incerteza do diagnóstico Ideal saber viver com a incerteza saber

Leia mais

CRIATIVIDADE Relatório de Consultoria

CRIATIVIDADE Relatório de Consultoria ELBI ELÉTRICA LTDA Betim/MG Proposta_ELBI-Betim-7_2015_((Criatividade))_rev.B Este relatório contem um resumo das atividades desenvolvidas na ELBI Betim/MG desde o início das atividades de consultoria

Leia mais

CURSO DE ATUALIZAÇÃO

CURSO DE ATUALIZAÇÃO CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde DESENVOLVIMENTO DA GESTÃO DO TRABALHO E SAÚDE DO TRABALHADOR DA SAÚDE Adryanna Saulnier Bacelar Moreira Márcia Cuenca

Leia mais

Protocolos de Eficácia Terapêutica e Avaliação. M.Sc. Profª Viviane Marques

Protocolos de Eficácia Terapêutica e Avaliação. M.Sc. Profª Viviane Marques Protocolos de Eficácia Terapêutica e Avaliação M.Sc. Profª Viviane Marques Na reabilitação na disfagia orofaríngea a diferenciação dos conceitos eficácia e eficiência em terapia. O termo eficácia aqui

Leia mais

INSERÇÃO DO PROFISSIONAL DE NUTRIÇÃO NA SAÚDE PUBLICA

INSERÇÃO DO PROFISSIONAL DE NUTRIÇÃO NA SAÚDE PUBLICA INSERÇÃO DO PROFISSIONAL DE NUTRIÇÃO NA SAÚDE PUBLICA RESUMO Sidnéia Mardegan¹ Fabiana Skiavine Moya da Silva² ¹Acadêmica do Curso de Nutrição UNIAMERICA ²Nutricionista docente da Faculdade União das Américas

Leia mais

Anexo A. Protocolo do Estudo de Caso

Anexo A. Protocolo do Estudo de Caso Anexo A Protocolo do Estudo de Caso 140 Protocolo do Estudo de Caso - Especificação do Processo de Recolha de Informação O processo de recolha de informação no decorrer do estudo de caso respeita a três

Leia mais

41 ANOS DE EXISTÊNCIA. 942 Médicos Cooperados 71 mil clientes. 1ª Sede Praça Carlos de Campos

41 ANOS DE EXISTÊNCIA. 942 Médicos Cooperados 71 mil clientes. 1ª Sede Praça Carlos de Campos 41 ANOS DE EXISTÊNCIA 942 Médicos Cooperados 71 mil clientes 1ª Sede Praça Carlos de Campos UNIDADES DE NEGÓCIOS PROGRAMA DR. SAUDÁVEL EQUIPE MEDICINA PREVENTIVA 04 Cooperados Coordenador Médico Supervisor

Leia mais

Ações da ANVISA e CNEN para Segurança em Radioterapia

Ações da ANVISA e CNEN para Segurança em Radioterapia Maria Helena Marechal Coordenação Geral de Instalações Médicas e Industriais Diretoria de Radioproteção e Segurança Nuclear Peço desculpas pois devido as condições meteorológicas e a RIO + 20 me foi impossível

Leia mais

Relatório de autoavaliação do Instituto Superior de Educação e Trabalho ISET

Relatório de autoavaliação do Instituto Superior de Educação e Trabalho ISET Relatório de autoavaliação do Instituto Superior de Educação e Trabalho ISET No âmbito do processo de autoavaliação procurámos captar as opiniões de alunos e estudantes. Foi assim solicitado a estudantes

Leia mais

Relatório da Pesquisa de Satisfação

Relatório da Pesquisa de Satisfação Responsável pela José Roberto da Silva elaboração Processo Pesquisa de dos Usuários da Sinfo Indicador(es) neste IND008-01 - Percentual de usuários que responderam à pesquisa de satisfação relatório IND008-02

Leia mais

Avaliação da prevalência de ansiedade e depressão dos pacientes estomizados da microregião de Divinopólis/Santo Antonio do Monte-MG

Avaliação da prevalência de ansiedade e depressão dos pacientes estomizados da microregião de Divinopólis/Santo Antonio do Monte-MG Avaliação da prevalência de ansiedade e depressão dos pacientes estomizados da microregião de Divinopólis/Santo Antonio do Monte-MG Juliano Teixeira Moraes 1,Isabela Teixeira Rezende Guimarães 2, Magda

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 012 DE 06 DE DEZEMBRO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº. 012 DE 06 DE DEZEMBRO DE 2013 RESOLUÇÃO Nº. 012 DE 06 DE DEZEMBRO DE 2013 AVALIAÇÃO PERIÓDICA DE DESEMPENHO APD (ANEXO I) Este formulário destina-se à avaliação periódica dos servidores Assistente e Técnico-administrativo estáveis,

Leia mais

Relatório dos Resultados do Questionário de Satisfação aos Clientes Externos do GPP

Relatório dos Resultados do Questionário de Satisfação aos Clientes Externos do GPP Gabinete de Planeamento, Políticas e Administração Geral Relatório dos Resultados do Questionário de Satisfação aos Clientes Externos do GPP 2015 Gabinete de Planeamento, Políticas e Administração Geral

Leia mais

RELATÓRIO GERENCIAL AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE, CURSO E COORDENADOR DE CURSO GRADUAÇÃO PRESENCIAL REGIME QUADRIMESTRAL

RELATÓRIO GERENCIAL AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE, CURSO E COORDENADOR DE CURSO GRADUAÇÃO PRESENCIAL REGIME QUADRIMESTRAL RELATÓRIO GERENCIAL AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE, CURSO E COORDENADOR DE CURSO GRADUAÇÃO PRESENCIAL REGIME QUADRIMESTRAL MÓDULO B 2015 CENTRO UNIVERSITÁRIO INTERNACIONAL UNINTER COMISSÃO PRÓPRIA DE

Leia mais

TÍTULO: AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE SATISFAÇÃO EM PACIENTES QUE RECEBEM ATENDIMENTO DE FISIOTERAPIA HOSPITALAR: ESTUDO TRANSVERSAL

TÍTULO: AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE SATISFAÇÃO EM PACIENTES QUE RECEBEM ATENDIMENTO DE FISIOTERAPIA HOSPITALAR: ESTUDO TRANSVERSAL TÍTULO: AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE SATISFAÇÃO EM PACIENTES QUE RECEBEM ATENDIMENTO DE FISIOTERAPIA HOSPITALAR: ESTUDO TRANSVERSAL CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FISIOTERAPIA

Leia mais

TÍTULO: O IMPACTO DA INTERVENÇÃO PSICOLÓGICA EM PACIENTES OSTOMIZADOS POR CÂNCER

TÍTULO: O IMPACTO DA INTERVENÇÃO PSICOLÓGICA EM PACIENTES OSTOMIZADOS POR CÂNCER TÍTULO: O IMPACTO DA INTERVENÇÃO PSICOLÓGICA EM PACIENTES OSTOMIZADOS POR CÂNCER CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PSICOLOGIA INSTITUIÇÃO: UNIÃO DAS FACULDADES DOS GRANDES

Leia mais

Programa de Telessaúde Auditiva: recursos do Telessaúde Brasil Redes no apoio a Saúde Auditiva no Espírito Santo

Programa de Telessaúde Auditiva: recursos do Telessaúde Brasil Redes no apoio a Saúde Auditiva no Espírito Santo Programa de Telessaúde Auditiva: recursos do Telessaúde Brasil Redes no apoio a Saúde Auditiva no Espírito Santo Profa Dra Carmen Barreira-Nielsen UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPIRITO SANTO Experiência UFES

Leia mais

Centro Clínico Champalimaud

Centro Clínico Champalimaud Centro Clínico Champalimaud O Centro Clínico Champalimaud (CCC) é uma instituição médica, científica e tecnológica de última geração, onde, a par da prestação integrada e interdisciplinar de cuidados clínicos

Leia mais

ESTUDOS DE COORTE. Baixo Peso Peso Normal Total Mãe usuária de cocaína

ESTUDOS DE COORTE. Baixo Peso Peso Normal Total Mãe usuária de cocaína UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE MEDICINA DEPARTAMENTO DE MEDICINA PREVENTIVA DISCIPLINA DE EPIDEMIOLOGIA ESTUDOS DE COORTE 1) Com o objetivo de investigar

Leia mais

INTRODUÇÃO. maior que 50 anos. A Organização das Nações Unidas (ONU) considera o período

INTRODUÇÃO. maior que 50 anos. A Organização das Nações Unidas (ONU) considera o período INTRODUÇÃO Nos últimos anos temos assistido a um rápido crescimento da população com idade maior que 50 anos. A Organização das Nações Unidas (ONU) considera o período 1975-2025 a Era do Envelhecimento.

Leia mais

Experiência: Gestão Estratégica de compras: otimização do Pregão Presencial

Experiência: Gestão Estratégica de compras: otimização do Pregão Presencial Experiência: Gestão Estratégica de compras: otimização do Pregão Presencial Hospital de Clínicas de Porto Alegre Responsável: Sérgio Carlos Eduardo Pinto Machado, Presidente Endereço: Ramiro Barcelos,

Leia mais

Áquila Lopes Gouvêa Enfermeira da Equipe de Controle de Dor Instituto Central do Hospital das Clínica da Faculdade de Medicina da USP

Áquila Lopes Gouvêa Enfermeira da Equipe de Controle de Dor Instituto Central do Hospital das Clínica da Faculdade de Medicina da USP SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE ASSISTÊNCIA MULDISCIPLINAR AO PACIENTE POLITRAUMATIZADO Áquila Lopes Gouvêa Enfermeira da Equipe de Controle de Dor Instituto Central do Hospital das Clínica da Faculdade de Medicina

Leia mais

Estatística Descritiva (I)

Estatística Descritiva (I) Estatística Descritiva (I) 1 O que é Estatística Origem relacionada com a coleta e construção de tabelas de dados para o governo. A situação evoluiu: a coleta de dados representa somente um dos aspectos

Leia mais

AUDITORIA EM RADIOTERAPIA. Dr Marcos Santos

AUDITORIA EM RADIOTERAPIA. Dr Marcos Santos Dr Marcos Santos marcosrxt@gmail.com CONFLITOS DE INTERESSE Não tenho conflitos de interesse a declarar 60% dos pacientes com câncer farão RT (1) RT: 5% dos custos do tratamento oncológico

Leia mais

Escrito por Administrator Seg, 22 de Novembro de :55 - Última atualização Seg, 22 de Novembro de :09

Escrito por Administrator Seg, 22 de Novembro de :55 - Última atualização Seg, 22 de Novembro de :09 MISSÃO O Serviço Social tem como missão dar suporte psico-social e emocional ao colaborador e sua família. Neste sentido, realiza o estudo de casos, orientando e encaminhando aos recursos sociais da comunidade,

Leia mais

INFLUÊNCIA DOS PROFESSORES TUTORES NA EVASÃO DOS CURSOS A DISTÂNCIA

INFLUÊNCIA DOS PROFESSORES TUTORES NA EVASÃO DOS CURSOS A DISTÂNCIA INFLUÊNCIA DOS PROFESSORES TUTORES NA EVASÃO DOS CURSOS A DISTÂNCIA Yara Maria Guisso de Andrade Facchini - IFSP yarafacchini@ifsp.edu.br Laura Rezende Franco - UNIFAE laura@fae.br Tipo: RELATO DE EXPERIÊNCIA

Leia mais

O QUE É O ENADE? Profa. Me. Karen Fernanda Bortoloti

O QUE É O ENADE? Profa. Me. Karen Fernanda Bortoloti O QUE É O ENADE? Profa. Me. Karen Fernanda Bortoloti 1 http://www.bahianoticias.com.br O QUE É O ENADE? 2 ENADE Exame Nacional de Desempenho de Estudantes. Integra o Sinaes - Sistema Nacional de Avaliação

Leia mais

ANÁLISE DESCRITIVA DAS INTOXICAÇÕES POR MEDICAMENTOS EM GOIÁS

ANÁLISE DESCRITIVA DAS INTOXICAÇÕES POR MEDICAMENTOS EM GOIÁS ANÁLISE DESCRITIVA DAS INTOXICAÇÕES POR MEDICAMENTOS EM GOIÁS Luciana de Melo Borges 1,3 ; Naiana Kelly Silva Bitencourt 1,3 ; Sueli Martins de Freitas Alves 2,3 1 Bolsista PBIC/UEG 2 Pesquisadora - Orientadora

Leia mais

Caminho do Ouro ANO DE 2004 Cidade de Goiás Semana Santa

Caminho do Ouro ANO DE 2004 Cidade de Goiás Semana Santa Caminho do Ouro ANO DE 2004 Cidade de Goiás Semana Santa Objetivo Conhecer os visitantes que frequentaram a Cidade de Goiás durante a Semana Santa de 2004, com vistas à identificação do perfil, motivação

Leia mais