CONDOMÍNIO RESIDENCIAL VILLAGGIO PANAMBY REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DOS DIREITOS E DEVERES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONDOMÍNIO RESIDENCIAL VILLAGGIO PANAMBY REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DOS DIREITOS E DEVERES"

Transcrição

1 CONDOMÍNIO RESIDENCIAL VILLAGGIO PANAMBY REGIMENTO INTERNO O será regido pelo presente Regimento Interno: Art. 1-A. Revogado pela Convenção que tratou integralmente da matéria nas clausulas décima sétima e seguintes. (trata do conselho adminstrativo). Art. 1º. São direitos dos condôminos: I. Usufruir com tranqüilidade, conforto e segurança, dos bens de serviços comuns desde que não impeçam o idêntico gozo por parte dos demais condôminos; II. Participar ativamente nas relações, reuniões e atividades condominiais, exprimindo a qualquer tempo e livremente suas opiniões cabíveis ao bem comum. Para tanto, deverá registrá-las em livro próprio, disponível na Administração ou através de fóruns de discussão, através da internet, ou outro meio de comunicação que o condomínio venha adotar. III. Usufruir com exclusividade da sua unidade autônoma, segundo suas conveniências e interesses, desde que, condicionados as normas de boa vizinhança, de maneira a não causar dano ou incômodo aos demais condôminos e respeitadas às condições previstas neste Regimento. IV. Usar e gozar das coisas comuns, desde que não cause danos ou prejuízos ao Condomínio ou aos demais condôminos e moradores, nem cause obstáculos ou embaraço ao bom uso dos demais condôminos. V. Participar das Assembléias e Comissões, questionar, votar e ser votado, desde que esteja adimplente perante o Condomínio, em todas as suas obrigações e assistir reuniões do Conselho. VI. Convocar a realização de Assembléias Extraordinárias ao Síndico, através de correspondência firmada por, no mínimo, 1/12 dos proprietários adimplentes, indicando necessariamente os fins da convocação. VII. Examinar os livros e arquivos do Condomínio, sob a responsabilidade da Administração, bem como, solicitar formalmente esclarecimentos ao Síndico, no caso de quaisquer dúvidas. Art. 2º. São deveres dos condôminos: CAPÍTULO I DOS DIREITOS E DEVERES I - Conhecer, cumprir e fazer cumprir a Lei, a Convenção do Condomínio, o presente Regimento Interno, as decisões administrativas do Síndico, e ainda as deliberadas em Assembléias Gerais, ordinárias e extraordinárias; II - Conhecer, cumprir e fazer cumprir as recomendações do Manual de Utilização e Conservação ; 1

2 III - Na locação de sua unidade autônoma, fazer anexar ao respectivo contrato de locação, uma cópia deste Regimento e também, fazer constar do contrato, uma cláusula explicitando a necessária e obrigatória observância ao mesmo; IV - Contribuir financeiramente para o custeio das despesas e coisas comuns, da totalidade da área do condomínio, inclusive das torres, através do pagamento de sua respectiva quota-parte destinadas a manutenção e a aquisição, conservação, manutenção, modernização, reparação ou reconstrução das coisas comuns; V - Comunicar à Administração, por escrito, com a assinatura do proprietário ou da Administradora do imóvel, a data e hora de sua mudança com antecedência mínima de 02 (dois) dias úteis. VI - O acesso de entregadores de quaisquer produtos pelo sistema Delivery fica restrito a portaria. Mesmo com autorização expressa do condômino ou morador, o acesso de entregadores de Delivery não será permitido visando, à segurança de todos. VII Comunicar à Administração, também por escrito, a mudança ou saída do apartamento ou retirada parcial de móveis, equipamentos ou objetos de arte, para manutenção, reformas e outros fins, dispensa- se a firma reconhecida, desde que a comunicação seja lançada no livro de ocorrências do Condomínio. Para a realização da mudança também haverá a necessidade do aviso ser feito com a antecedência de 02 (dois) dias úteis; VIII - Ato contínuo a mudança, atualizar os dados cadastrais junto a Administração IX - Novos proprietários deverão apresentar a documentação de transmissão da propriedade e posse do apartamento. X - Permitir a entrada do Síndico, Subsíndico, membro do Conselho Consultivo, para inspeções relacionadas com o interesse coletivo, que eventualmente nte se façam necessárias em sua unidade autônoma, desde que devidamente justificada pelo Síndico ou Subsíndico e com prévio agendamento de horário com o proprietário da unidade, salvo nas emergências previstas na legislação; XI - Informar imediatamente ao Síndico, Subsíndico ou Administração, a incidência de moléstia infecto-contagiosa contagiosa grave nas pessoas residentes em sua unidade autônoma, sem prejuízo da comunicação às autoridades competentes; XII - Observar a velocidade máxima de 20 (vinte) km/h nas áreas de circulação do condomínio e ao sair da garagem do edifício para a avenida, dar preferência a quem estiver entrando. É terminantemente proibido que menores de idade conduzam qualquer veículo motorizado no interior do condomínio; XIII Ressarcir, no prazo de 30 (trinta) dias, os prejuízos causados por si próprio, dependentes, moradores ou visitantes, das coisas comuns do Condomínio, de seus condôminos ou a terceiros em áreas do Condomínio, provocados pelo mau uso ou descuido na conservação, manutenção ou condução de veículos, ou ainda, de qualquer outro equipamento, material ou acessório de suas respectivas propriedades ou posses. XIV - Tratar com respeito e consideração os empregados do Condomínio. Toda reclamação ou sugestão deverá ser enviada via internet à Administração, Subsíndico, Síndico ou ao Conselho Administrativo e/ou registrada no livro disponível na Administração. 2

3 XV - Comunicar a Administração com antecedência mínima de 02 (dois) dias úteis, as reformas a serem efetuadas em seu apartamento, com apresentação de projeto e ART de serviço de engenharia, sempre que se fizer necessário. XVI - Observar, no âmbito do Condomínio, os mais rigorosos comportamentos de moralidade, decência e respeito ao próximo. XVII Providenciar/informar, em até 48 (quarenta e oito) horas, o conserto de vazamentos, identificados na respectiva unidade, decorrentes de mau uso e não cobertos pela garantia da construtora, com a devida substituição de qualquer peça que impossibilite a regulagem correta para o consumo adequado de água, bem como realizar consertos elétricos comprovadamente necessários para a segurança do Condomínio. XVIII Providenciar/informar, em até 48 (quarenta e oito) horas, o conserto ou substituição de qualquer peça ou aparelho pertencente ao Condomínio omínio que tenha sido danificado por animais ou pessoas de sua relação, sejam elas condôminos, moradores ou visitantes, assumindo integralmente os respectivos custos, podendo, em caso contrário, pagar multa correspondente ao valor do conserto, além de responder civilmente pela ação ou omissão havida. XIX - Encaminhar formalmente àadministração, Subsíndico, Síndico ou ao Conselho Administrativo, sugestões, críticas ou denúncias de atos irregulares, ocorridos no Condomínio. XX - Registrar na Administração, no livro de ocorrências, o nome e número da Cédula de Identidade dos profissionais (pedreiro, marceneiro, pintores, dentre outros), que estejam realizando serviços esporádicos na respectiva unidade e necessitem de acesso ao Condomínio. XXI -Fornecer dados cadastrais, dos moradores e seus empregados, à Administração, sempre que solicitado pela mesma, bem como manter atualizadas as informações fornecidas. XXII - Comunicar formalmente à Administração sobre a venda de sua unidade, informando a data, o nome completo e o CPF do comprador, devendo ainda, entregar ao comprador cópia deste Regimento, para o devido conhecimento das normas internas. XXIII - Contribuir para as despesas gerais, aprovadas pelas Assembléias, efetuando os pagamentos das taxas condominiais e taxas-extras até os respectivos vencimentos (dia 05 de cada mês), bem como dos valores relativos às multas, por ventura, aplicadas. XXIV - Usar seu apartamento para fins exclusivamente residenciais e familiares. XXV - Fornecer à Administração a identificação de seus empregados para fins exclusivos de controle de entrada no condomínio, inclusive quando houver novas admissões e ou demissões. XXVI - Tomar conhecimento que só terão acesso ao Condomínio, pessoas autorizadas por condôminos e moradores, inclusive na ocorrência de venda e/ou aluguel da unidade. O ingresso de pessoas estranhas, somente se dará após formal liberação do proprietário, ou mediante apresentação do contrato de compra e venda ou de locação do imóvel. 3

4 CAPÍTULO II DAS OBRIGAÇÕES BÁSICAS DOS EMPREGADOS Art. 3º. Os empregados do condomínio terão regulamento próprio de acordo com suas funções, sendo obrigatório a todos o uso do uniforme e crachá de identificação e devem: I - Atender aos condôminos, moradores e visitantes com cortesia e educação, prestando todas as informações solicitadas, quando pertinentes a sua respectiva função. II - Não prestar nenhum tipo de informação a terceiros sobre os condôminos e moradores, sem a prévia autorização dos mesmos. III - Não permitir o acesso de pessoas estranhas ao Condomínio, sem a prévia autorização de um morador maior de idade ou administração. IV - Não prestar serviços aos condôminos/moradores ou a terceiros durante o horário de expediente, sob nenhuma hipótese. Não inclui neste artigo a atenção que estes empregados deverão dispensar aos condôminos, moradores e/ou visitantes, auxiliando-os os no embarque ou desembarque de volumes, objetos, compras, etc. V - Não se ausentar do seu local de trabalho para levar até as unidades objetos pessoais de condôminos e moradores, nem receber dos mesmos objetos, cheques ou valores em espécies para entrega futura a terceiros. VI - Comunicar imediatamente ao seu superior e, na sua ausência, à Administração, qualquer anormalidade que possa colocar em risco a segurança do Condomínio. VII - Entregar aos condôminos, mediante protocolo, toda correspondência registrada, com AR (aviso de recebimento), encomendas e notificações e outras autorizadas pela Administração. VIII - Registrar no Livro de Ocorrência, todo fato relevante ocorrido no Condomínio, do qual tenha presenciado ou tomado conhecimento. IX - Entregar aos condôminos, mediante protocolo, tão logo sejam disponibilizados pela Administradora, os boletos referentes às taxas de Condomínio e /ou taxas-extras, ofícios circulares e correspondências em geral. X - Comunicar imediatamente a administração toda alteração nos seus dados cadastrais (nascimento de filho, mudança de endereço e telefone, etc.). XI - Usar roupas e calçados adequados e EPI para a realização dos serviços, mantendo sempre uma aparência compatível com a função. XII - Zelar pela harmonia da equipe dos empregados e dos condôminos, evitando discussões ou intrigas. XIII - Participar dos treinamentos, bem como se atualizar tecnicamente, visando sempre a segurança, conforto e qualidade de vida dos moradores. 4

5 XIV - Ligar e desligar as iluminações e equipamentos de propriedade do Condomínio em horários previamente estabelecidos pela Administração. CAPÍTULO II DA PROPRIEDADE COMUM Art. 4º. Os salões de festas, salão de jogos, salas de ginástica, brinquedotecas, kidsclub, piscinas, parques infantis, saunas, cinema, churrasqueiras, campo de futebol, quadras, bar e a cozinha destinamse exclusivamente a realização de eventos de lazer, comemorativos ou a serviço do Condomínio ou de seus condôminos e moradores, observando-se o disposto neste Regimento Interno. Parágrafo Único: Os Salões de Festas poderão ser utilizados simultaneamente sendo um evento por torre, exclusivamente para condôminos. Art. 5º. O hall principal e demais dependências sociais destinam-se se ao uso dos condôminos e moradores, ou visitantes, observando-se o disposto neste Regimento Interno. Art. 6º.. Os dutos de distribuição de água, esgoto, as linhas de distribuição de energia elétrica, telefônica, intercomunicação, sinal de TV, casas de bombas, vestiários, casa de gás,depósitos, guarita, escadas e outros inerentes a operacionalidade do empreendimento, destinam se, exclusivamente ao Condomínio. Art. 7º.. Os serviços comuns pagos e mantidos com a contribuição pecuniária de todos, destinam-se exclusivamente ao proveito comunitário, observando-se o disposto neste Regimento Interno. Capítulo III DA UTILIZAÇÃO DAS COISAS COMUNS Art. 8º. UTILIZAÇÃO DO SALÃO DE FESTAS (MANSÃO SOCIAL): : I. O Salão de Festas (Mansão Social) destina-se se as festas sociais, promovidas exclusivamente para seus moradores, condôminos, e seus ascendentes de primeiro graudireto e descendentes de até segundo graudireto.(alteração alteração conforme AGE 01/03/12). II. Para sua utilização é necessário o pagamento de uma taxa no valor equivalente a5 (cinco) vezes a menor taxa condominial existentede modo a cobrir os custos de consumo de energia elétrica, ar condicionado, gás glp, água, bem como, a manutenção das condições de funcionalidade dos equipamentos, além dos serviços obrigatórios constantes no contrato de locação. O valor cobrado deverá ser pago até 48 horas após a sua reserva e esta só será efetivada após o pagamento. A referida taxa será revertida para a conta de fundo de reserva do Condomínio. No mínimo, 20% da referida taxa será revertida para um fundo de requipagem. III. A utilização do Salão de Festas (Mansão Social)é exclusiva dos mencionados no inciso I, que só poderão fazê-la para promoção de atividades sociais tais como casamentos, batizados, bodas, aniversários, festas comemorativas ou recepções, sendo vedada à cessão do Salão de Festas (Mansão Social) para atividades político-partidárias, partidárias, religiosas, profissionais, mercantis, estando proibida ainda a utilização para promoção de jogos de qualquer natureza. 5

6 III.I Será punido com multa grave o condômino que der utilização diversa da finalidade/homenageado da festa informada. IV. É vedada à cessão do Salão de Festas (Mansão Social)para comemorações particulares dos condôminos e moradores, nas seguintes datas tradicionais: Véspera e dia de Natal; véspera e dia de Ano Novo,véspera de São João, e jogos do Brasil em Copa do Mundo,dias dias dos Pais, dias das Mães e, dias de Carnaval, que será reservado exclusivamente para o Condomínio.Será reservada uma sexta e um domingo de cada mês para o Condomínio conforme calendário a ser divulgado. VI. A solicitação para utilização do Salão de Festas (Mansão Social) deverá ser feita via internet ou na Administração. Havendo mais de uma solicitação para o mesmo dia a preferência será para o primeiro solicitante. Observando-se o prazo para pagamento da reserva prevista no Inciso II.Os moradores poderão fazer sua reserva com antecedência de 1 (um) ano. Ascendentes e descendentes poderão marcar com antecedência de 6 (seis) meses. VII. Caso o condômino desista do uso até 60 (sessenta) dias antes do evento, deverá receber a quantia de volta, sem qualquer acréscimo ou desconto. Na hipótese da desistência ocorrer após o citado prazo, o condômino não fará jus a qualquer devolução, salvo caso excepcionais, sob a avaliação do Conselho de Administração. VIII. A cessão do Salão de Festas (Mansão Social) está condicionada a prévia assinatura, por parte do requisitante, de um Termo de Responsabilidade, onde ficará expressamente consignado haver recebido as referidas dependências em perfeitas condições, após uma vistoria para conferência dos equipamentos, acessórios e utensílios do Salão de Festas (Mansão Social), assumindo integralmente o ônus sobre quaisquer danos ocorridos, desde o recebimento das chaves, até a entrega do Salão de Festas, inclusive os causados por familiares, convidados, prepostos, pessoal contratado e de serviços. Bem como, os eventuais pagamentos de impostos e das licenças que eventualmente sejam necessárias, juntoaos órgãos competentes. IX. A avaliação dos prejuízos causados ao Condomínio, para efeito do ressarcimento por parte do requisitante, será feita através de coleta de preços entre firmas reconhecidaspelo Conselho Administrativo a execução dos serviços de reparo ou reposição, cabendo recurso a assembléia geral ou ao Conselho Administrativo. X. A recusa ao pagamento, ou sua demora por mais de 30 (trinta) dias, a partir da data da notificação relativa ao ressarcimento das despesas decorrentes da reparação dos danos causados, acarretará o acréscimo de 20% ao montante dos danos apurados e a cobrança judicial do débito, com o pagamento de custas e honorários advocatícios, bem como a perda do direito da requisição do Salão de Festas (Mansão Social) até o cumprimento das obrigações. XI. O condômino ou morador usuário do Salão de Festas (Mansão Social)deverá orientar seus convidados a não utilizarem outras áreas comuns do Condomínio, que evidentemente entemente não fazem parte do espaço. Também deverá cuidar para que não haja aglomeração de pessoas na frente dos prédios residenciais durante o período em que se utilizar o Salão de Festas (Mansão Social). XII. O requisitante assumirá para todos os efeitos legais, a responsabilidade de manutenção ao respeito e as boas normas de conduta e convivência social no decorrer das atividades, comprometendose, a reprimir abusos e excessos e afastar pessoas cuja presença seja considerada inconveniente. 6

7 XIII.Aunidade autônoma inadimplente em qualquer obrigação referente ao condomínio não poderá reservar e utilizar o Salão de Festas (Mansão Social). XIV. Cada unidade condominial terá um limite de até 01 (um) evento por ano calendário para utilizar o Salão de Festas (Mansão Social), sendo vedada a transferência formal ou informal para outras unidades, em qualquer hipótese. XV. O horário de funcionamento do Salão de Festas (Mansão Social)será permitido até as 05:00h (cinco) da manhã, desde que não cause transtorno e obedeça a legislação em vigor. O uso de som só será permitido até as 22:00h, após isso só será permitido nos termos da legislação vigente. XVII.Pelo menos um representante da unidade permanecerá no local durante todo o tempo em que transcorrer a reunião festiva, não o abandonando, salvo por curtíssimos momentos. XVIII. Acompanhará cada Termo de Responsabilidade supra mencionada, a relação dos bens, móveis integrantes do Salão de Festas (Mansão Social) inclusive de áreas de apoio, que serão conferidas pelo interessado no ato que lhe forem entregues as chaves do espaço. XIX. Encerrada a reunião festiva o condômino ou morador que utilizou o Salão de Festas (Mansão Social), fica obrigado a devolver as chaves até 8:00h da manhã do dia seguinte, mediante vistoria, acompanhada por um representante da Administração, a fim de constatar a existência ou não de danos ao Salão de Festas (Mansão Social) e bens que o guarnecem. A não retirada do material e equipamentos de decoração e outros objetos utilizados no prazo determinado implicará o pagamento de multa no valor da menor taxa de condomínio. Após as 9:00h da manhã,sem prejuízo da multa, o condomínio estará autorizado a retirar os materiais da festa, independentemente de comunicação ao locatário. O condomínio não se responsabilizará por eventuais danos na retirada, armazenamento e guarda dos materiais. Parágrafo ùnico: Em não havendo reserva para antes das 14:00 do dia seguinte o condmômino poderá entregar as chaves até o meio dia, a partir do qual incindirá multa no valor da menor taxa de condomínio. Após às 13:00,sem prejuízo da multa, o condomínio estará autorizado a retirar os materiais da festa, independentemente de comunicação ao locatário. O condomínio não se responsabilizará por eventuais danos na retirada, armazenamento e guarda dos materiais. XX. Cada condômino ou morador que realizar uma festa social obrigatoriamente enviará uma lista de seus convidados à Administração com antecedência mínima de 24 (vinte e quatro) horas. XXI. O condômino ou morador poderá providenciarserviços de manobristas através de empresas especializadas, previamente cadastradas e aprovadas pelo Conselho Administrativo, bem como contemplando seguro específico e de responsabilidade civil, enviando antecipadamente cópia das apólices com antecedência mínima de 48 (quarenta e oito) horas para a Administração. O morador ou condômino, contratando ou não serviços de manobristas, deverá orientar e assumir todos os custos para que os veículos de seus convidados sejam estacionados fora do Condomínio. ondomínio.(conforme AGE 25/09/12) XXII. A limpeza após o evento será de responsabilidade do Condomínio. 7

8 XXIII. Em datas especiais, Natal, Reveillon, Dia dos Pais, Dia das Mães, São João, Dia das Crianças, Carnaval, a exclusividade de reserva é sempre do Condomínio. XXIV.. A utilização fica limitada a 300 (trezentas) pessoas. Art. 9º. UTILIZAÇÃO DOS SALÕES DE FESTAS DAS TORRES. I. O Salão de Festas destina-se se as festas sociais, promovidas exclusivamente para seus moradores, condôminos, e seus ascendentes de primeiro grau direto e descendentes de até segundo grau direto. (alteração conforme AGE 01/03/12). Deve-se utilizar o salão de festas em que o morador reside. II.. Em datas especiais, Natal, Reveillon e Dia das Crianças, a exclusividade de reserva é sempre do Condomínio. III.. É obrigatória a contribuição com uma taxa, para o salão de festas, que será no valor equivalente a 0,5 (meia) cota damenor taxa condominial existente, visando o custeio de despesas de energia elétrica, água, ar condicionado, conservação e manutenção dos móveis e utensílios. O valor cobrado deverá ser pago até 48 horas após a reserva e esta só será efetivada após o pagamento. A referida taxa será revertida para a conta de fundo de reserva do Condomínio. No mínimo, 20% da referida taxa será revertida para um fundo de requipagem. IV. O condômino ou morador, interessado em utilizar os salões de festas, deverão entrar em contato com a Administração, a fim de reservar o dia pretendido e assinar o competente Termo de Responsabilidade, que automaticamente autoriza a cobrança da taxa, com antecedência máxima de 01 (um) ano. V.. Fica limitado a cada unidade autônoma a reservar até quatro datas. Outras datas somente poderão ocorrer se feita após a utilização da última reserva e havendo disponibilidade no ato. VI. Caso o condômino desista do uso até 30 (trinta) dias antes do evento, deverá receber a quantia de volta, sem qualquer acréscimo ou desconto. Na hipótese da desistência ocorrer após o citado prazo, o condômino fará jus adevolução de 50% (cinquenta por cento) do valor. VII.É É obrigatória a vistoria do local, a fim de constatar o estado de conservação das instalações e de todo o mobiliário que compõe o salão e áreas de apoio, devendo o contratante assinar termo de aceite do salão no estado em que se encontra, independente de reparos de que este eventualmente necessite, conforme contrato. VIII.. Durante o período em que o usuário do salão ficar de posse das chaves, todos os fatos ou atos, que ocorram no mesmo, serão de sua exclusiva responsabilidade; IX.. No momento da devolução das chaves a Administração, deve o interessado acompanhar a vistoria a fim de constatar, por ocasião da devolução, que o estado de conservação do espaço e todos os seus pertences é o mesmo que lhe foi entregue; X.. Quaisquer danos causados ao Salão de Festas ou ao Condomínio pelos convidados ou outros nas reuniões festivas serão ressarcidos ao Condomínio pelo condômino ou morador responsável pela promoção da festa. 8

9 XI.Além m de cumprir e fazer cumprir todas as normas e regulamentos do Condomínio, o responsável se obriga a tomar todas as providências para que seus convidados não perturbem o sossego dos demais condôminos e moradores durante o desenrolar da reunião festiva. a) Utilizar o Salão no horário das 09:00h às 05:00 horas; b) Não exceder os limites da legislação em vigor, com relação ao uso de aparelhos de som ou de conjunto musical, especialmente a partir das 22:00 (vinte e duas) horas; c) O condômino ou morador usuário do Salão de Festas deverá orientar seus convidados a não utilizarem outras áreas comuns do Condomínio, que evidentemente não fazem parte do espaço. Também deverá cuidar para que não haja aglomeração de pessoas na frente dos prédios residenciais durante o período em que se utilizar o Salão de Festas.; d) Permanecer no local durante todo o tempo em que transcorrer a reunião festiva, não o abandonando, salvo por curtíssimos momentos. e) O Termo de Responsabilidade deverá ser acompanhado da relação dos bens e móveis integrantes do Salão de Festa, que será necessariamente conferida pelo interessado no ato que lhe forem entregues as chaves do Salão de Festas e apoio; XII. Encerrada a reunião festiva o condômino ou morador que utilizou izou o Salão de Festas, fica obrigado a devolver as chaves até 8:00h da manhã do dia seguinte, mediante vistoria, acompanhada por um representante da Administração, a fim de constatar a existência ou não de danos ao Salão de Festas e bens que o guarnecem. A não retirada do material e equipamentos de decoração e outros objetos utilizados no prazo determinado implicará o pagamento de multa no valor da menor taxa de condomínio. Após as 9:00h da manhã,sem prejuízo da multa, o condomínio estará autorizado a retirar os materiais da festa, independentemente de comunicação ao locatário. O condomínio não se responsabilizará por eventuais danos na retirada, armazenamento e guarda dos materiais. XIII.. A não devolução das chaves ou não retirada do material de ornamentação, dentro do prazo supra estabelecido, implicará no débito, ao detentor da chave, de taxas adicionais de retribuição, por dia de atraso na entrega, a contar do fim do prazo previsto neste Regimento; XIV. O condômino ou morador poderá providenciar serviços de manobristas através de empresas especializadas, previamente cadastradas e aprovadas pelo Conselho Administrativo, bem como contemplando seguro específico e de responsabilidade civil, enviando antecipadamente cópia das apólices com antecedência mínima de 48 (quarenta e oito) horas para a Administração. O morador ou condômino, contratando ou não serviços de manobristas, deverá orientar e assumir todos os custos para que os veículos de seus convidados sejam estacionados fora do Condomínio.(conforme AGE 25/09/12). XV - Será expressamente proibido colocar mesas, cadeiras e outros nas vias de acesso de automóveis ou que causem transtorno aos moradores. Outras áreas poderão ser facultadas com autorização do Conselho Administrativo. XVI - A locação e ou cessão do espaço por parte dos condôminos ou moradores a terceiros, estranhos ao condomínio, é vedada; 9

10 XVII.. A limpeza após o evento será de responsabilidade do Condomínio; XVIII - O Condomínio ou morador inadimplente não poderá reservar os salões de festas; XIX. A utilização dos Salões de Festas ficam limitados a 180 (cento e oitenta) pessoas; Art. 10º - UTILIZAÇÃO DO CINEMA. I.. O cinema é de uso exclusivo dos condôminos e moradores, admitindo-se, entretanto, a presença de convidados, limitado ao uso do espaço, cujos nomes deverão ser informados previamente à portaria que lhes facultará o acesso. II.. Fica vedado o uso do cinema quando o Salão de Festas (Mansão Social) estiver sendo utilizado sob reserva, até 02 (duas) horas antes do início da festa, salvo acesso independente ao segundo andar. III.Será facultada a reserva do cinema na Administração ou via internet, pelo condômino ou morador em dias e horários pré-estabelecidos pela Administração para uso exclusivo, limitado a um período de 03 (três) horas, mediante pagamento de uma taxa de 1/10 da menor taxa de condomínio (valor que será destinado para limpeza e conservação). A reserva deverá ser feita com antecedência máxima de 01 (um) mês e mínima de 24 (vinte e quatro) horas. IV.. Havendo choque de reserva entre o cinema e o Salão de Festas (Mansão Social), terá prioridade de reserva aquela feita para o Salão de Festas (Mansão Social), desde que a antecedência do uso seja superior a quinze dias. V.. Serão criados horários de uso coletivo, usado exclusivamente por condôminos ou moradores e convidados (limitado a 02 por unidade), que deverão fazer a reserva da entrada, com programação elaborada pela Administração. Nesta situação não haverá cobrança de taxas. Em todas as exibições de uso coletivo deverá ser estabelecida uma censura, de acordo com legislação pertinenete, que deverá ser respeitada por todos os condôminos, moradores e/ou convidados. VI.. É expressamente proibido fumar no cinema bem como preparar comidas. VII.. Todos os usuários terão que zelar pelas instalações e cumprir a convenção do condomínio e o presente regimento interno, estando sujeitos as penalidades previstas. VIII.. Fica expressamente proibida a exibição de filmes pornogáficos. Art. 11º - UTILIZAÇÃO DO SALÃO DE JOGOS I.. O salão de jogos é de uso exclusivo dos condôminos e moradores, admitindo-se, entretanto, a presença de convidados, limitado a 04 (quatro) por unidade e ao uso do espaço, cujos nomes deverão ser informados previamente à portaria que lhes facultará o acesso. É proibida a reserva de qualquer área do salão de jogos. II.. Fica vedado o uso do salão de jogos quando o Salão de Festas (Mansão Social) estiver sendo utilizado sob reserva, salvo acesso independente ao segundo andar. 10

11 III.. É proibido o acesso no salão de jogos de crianças menores de 12 anos, desacompanhados dos seus pais ou responsáveis. IV.. Os eventuais danos causados no salão de jogos ou aos seus pertences, por uso inadequado e falta de zelo, inclusive por deixar ligado qualquer equipamento, serão ressarcidos pelo usuário que ocasionou, e o seu valor será cobrado na taxa condominial. V.. Todos os usuários terão que zelar pelas instalações e cumprir a convenção do condomínio e o presente regimento interno, estando sujeitos as penalidades previstas. Art. 12º - UTILIZAÇÃO DA LAN HOUSE I. A lanhouse é de uso exclusivo dos condôminos e moradores. Admitindo-se, entretanto, a presença de convidados, limitado ao uso de seu espaço, cujos nomes deverão ser informados previamente ao funcionário responsável pelo setor, que lhe facultará o acesso. II. O horário de funcionamento da lanhouse é das 8:00 às 24:00 horas. III. A reserva de uso da lanhouse deverá ser feita na Administração, pelo período de 3 (três) horas. Não tendo outra reserva no período subseqüente, a reserva poderá ser prorrogada até o final do próximo período. Menores de 14 anos só poderão utilizar a lanhouse com autorização expressa dos pais ou responsáveis. IV. Fica vedado o uso da lanhouse quando o Salão de Festas (Mansão Social) estiver sendo utilizado sob reserva, salvo acesso independente ao segundo andar. IV. Fica terminantemente proibido o acesso, pelos usuários da lanhouse, a sites pornográficos ou criminosos. V. É proibido comer, beber, promover algazarra, fumar, usar bebidas alcoólicas, jogar papéis ou quaisquer objetos no chão, trazer som exceto o de ouvido, abandonar sobre aparelhos e instalações, abrigos ou toalhas, bem como largá-los pelo chão. VI. Os eventuais danos causados na lanhouse ou aos seus pertences, por uso inadequado e falta de zelo, inclusive por deixar ligado qualquer equipamento, serão ressarcidos pelo usuário que ocasionou, e o seu valor será cobrado na taxa condominial. VII. Todos os usuários terão que zelar pelas instalações e cumprir a convenção do condomínio e o presente regimento interno, estando sujeitos as penalidades previstas. Art. 13º - UTILIZAÇÃO DO BUSINESS CENTER I. O business center é de uso exclusivo dos condôminos e moradores, admitindo-se, entretanto, a presença de convidados, limitado ao uso do espaço, cujos nomes deverão ser informados previamente ao funcionário responsável pelo setor, que lhe facultará o acesso. O horário de funcionamento dobusiness center é das 8:00 às 24:00 horas. 11

12 II.. Fica vedado o uso do business center quando o Salão de Festas (Mansão Social) estiver sendo utilizado sob reserva, salvo acesso independente ao segundo andar. III. A reserva do business centerdeverá everá ser realizada na Administração ou via internet, pelo condômino ou morador para uso exclusivo, limitado a um período de 02 (duas) horas. Não havendo outra reserva no período subseqüente, a reserva poderá ser prorrogada enquanto não houver outra reserva. IV.. Havendo choque de reserva entre o business center e o Salão de Festas (Mansão Social), terá prioridade de reserva aquela feita para o Salão de Festas (Mansão Social), salvo acesso independente ao segundo andar. V. É proibido promover algazarra, fumar, jogar papéis ou quaisquer objetos no chão, trazer som exceto o de ouvido, abandonar sobre aparelhos e instalações, abrigos ou toalhas, bem como largá-los pelo chão e o acesso de crianças menores de 12 anos, desacompanhados dos seus pais ou responsáveis. VI.. Todos os usuários terão que zelar pelas instalações e cumprir a convenção do condomínio e o presente regimento interno, estando sujeitos as penalidades previstas. Art. 14º - UTILIZAÇÃO DAS PISCINAS EXTERNAS. I - As piscinas externas funcionarão diariamente das 06:00h às 24:00h. As piscinas destinam-se ao uso exclusivo dos condôminos e moradores, sendo permitido apenas 06 (seis) convidados por unidade autônoma, desde que acompanhados por condômino ou morador, observando-se o disposto no presente Regimento Interno. Todas as segundas feiras as piscinas serão interditadas para limpeza e manutenção, exceto quando esse dia for feriado. Nesses casos será agendado outro dia na semana para tal procedimento. Não poderá haver choque com os dias de tratamento das piscinas das torres. II. As piscinas são para uso coletivo dos seus condôminos e moradores, admitindo-se, entretanto, a presença de 06 (seis) convidados, cujos nomes deverão ser informados previamente à Administração que lhes facilitará o acesso. III. O limite máximo de convidados por unidade autônoma deve ser de no máximo 06 (seis) convidados. Parágrafo Único A piscina de 25 metros (raias) terá utilização preferencialmente para prática de natação (quatro estilos). O Condômino terá sempre prioridade imediata frente a qualquer convidado. Na hipótese de haver contratação de instrutor deverá ocorrer em horário pré-determinado pela Comissão de Esportes, excluindo sábados, domingos e feriados. IV. Os horários de funcionamento das piscinas serão das 06:00h às 24:00 h. V. Não poderão ser utilizadas por empregados do Condomínio ou dos condôminos e prestadores de serviços, à exceção daqueles cujo serviço demande, como acompanhantes de crianças, idosos ou portadores de necessidades especiais. 12

13 VI. Não será permitido o uso da área das piscinas para fazer acarajé, consumo de caranqueijos, uso de som, batucadas e ou outras atividades que possam danificar o piso e as instalações ou incomodar os demais usuários. Será permitido apenas o som ambiente fornecido pelo próprio condomínio, dentro das normas legais vigentes. VII.Ao sair das piscinas os usuários deverão utilizar as dependências e elevadores de serviço, não podendo, em hipótese alguma, circular pelas entradas sociais, molhados ou em trajes de banho. VIII. Não será permitida a utilização das piscinas, pessoas que estejam com moléstias infectocontagiosa, afecção da pele de qualquer espécie, micoses, mesmo que tenham sido adquiridas ou diagnosticadas durante o período de validade dos exames. Usando penso, algodão, esparadrapos, gazes e curativos de qualquer espécie. IX. Não será permitido fumar na borda ou dentro das piscinas, usar quaisquer objetos cortantes ou perfurantes, que possam causar ferimentos de qualquer espécie, tais como copos, garrafas de vidro, pratos ou similares; deverão ser usados copos plásticos e/ou acrilícos. X. Não será permitido jogar outra pessoa n água, promover correrias no deck, etc; XI. Antes de usar as piscinas deve-se usar a ducha para retirar as impurezas da pele bem como óleos, bronzeador, protetor solar, hidratantes, etc; XII. O acesso às piscinas só será permitido as pessoas com trajes apropriados; XIII. Os freqüentadores que danificarem objetos de uso comum serão obrigados a ressarcir ao Condomínio os valores que forem despendidos no conserto ou na substituição dos mesmos. Os valores serão debitados ao condômino responsável, por seus dependentes e ou convidados. XIV. O Condomínio não dispõe de salva vidas, portanto as crianças que freqüentarem as piscinas estarão sob a responsabilidade exclusiva dos pais ou responsáveis. XV. Em benefício da segurança e conforto de todos freqüentadores das piscinas, devem os condôminos prestigiar o trabalho e conduta dos funcionários, abstendo-se se de tentar flexibilização do cumprimento das regras deste regulamento. XVI. Os pais deverão recomendar e esclarecer aos seus filhos menores os motivos da proibição de urinar nas piscinas e incentivar o uso dos sanitários próximos. XVII. Todas as infrações cometidas por usuários que por qualquer motivo burlarem ou tentarem por meio ardiloso se eximir do cumprimento das regras acima, estarão sujeitos às penalidades previstas na Convenção do Condomínio e no presente Regimento Interno. Art. 15º - UTILIZAÇÂO DO WELLNESS CENTER FITNESS E SPA I.A utilização do Wellness Center Fitness e Spa é de uso exclusivo dos condôminos e moradores, excluídos os funcionários com residência na unidade,sendo proibido o uso por familiares ou convidados não residentes no condomínio. 13

14 II.O horário de funcionamento do Wellness Center Fitness e Spaé de segunda a sexta das 5:30 às 23:00. Nos sábados das 7:00 às 13:00 e nos domingos das 8:00 às 12:00. O Wellness funcionará nos feriados das 8:00 às 12:00 salvo feriados nacionais e regionais importantes em que não funcionará.(alteração conforme clausula sexagésima primeira da convenção). III. É proibido promover algazarra, fumar, usar bebidas alcoólicas, jogar papéis ou quaisquer objetos no chão, trazer som exceto o de ouvido, abandonar sobre aparelhos e instalações, abrigos ou toalhas, bem como largá-los los pelo chão e o acesso de crianças menores de 12 anos, desacompanhados dos seus pais ou responsáveis. IV. Nas salas de musculação, exercícios aeróbicos, ginástica e spinning, deverão ser observadas as seguintes regras: a) O calçado a ser utilizado deverá ser do tipo tênis e os usuários deverão estar devidamente trajados, com camisas e calção, abrigo de ginástica ou malhas apropriadas, não sendo permitido o traje de banho; b) Visando a melhor utilização por todos os freqüentadores, o tempo de uso individual de cada um, por equipamento, fica limitado a 30 (trinta minutos), exceção feita as atividades coletivas de ginástica. c)os eventuais danos causados às salasou aos seus pertences, por uso inadequado e falta de zelo, inclusive por deixar ligado qualquer equipamento, serão ressarcidos pelo usuário que ocasionou, e o seu valor será cobrado na taxa condominial. d) É de inteira responsabilidade do condômino ou morador a obtenção de programas específicos para uso dos equipamentos. O Condomínio não se responsabilizará por danos físicos sofridos pelo usuário, pelo mau uso do equipamento. e) Objetos perdidos, esquecidos ou extraviados, serão encaminhados à Administração e aí permanecerão, por um período de 30 (trinta) dias, à disposição do seu dono, vencido o referido prazo, serão encaminhados a uma instituição de caridade com a autorização do Síndico; f) O Condomínio, com aprovação do Conselho Administrativo,poderá rá contratar empresa especializada para gerir, manter e coordenar a academia de ginástica, além de executar a manutenção preventiva e corretiva dos equipamentos, visando o seu perfeito funcionamento. O custo do Wellness estará incluído nas despesas esas do condomínio, em caso de terceirização ou não, suportado equanimamente por cada unidade autônoma. V. Nas salas de pilates e artes marciais, deverão ser observadas as seguintes regras: a) os usuários deverão estar devidamente trajados, com camisas e calção, abrigo de ginástica ou malhas apropriadas, não sendo permitido o traje de banho; VI. Na quadra de squash, deverão ser observadas as seguintes regras: a) A quadra de squash é privativa e de uso exclusivo dos condôminos e moradores, limitado a 02 (dois) convidados por unidade autônoma, devidamente identificados pela administração do Welness. O proprietário que alugar ou ceder o seu apartamento perderá o direito de utilizar a quadra de squash. 14

15 b) Na quadra de squash é proibido o uso de patinetes, bicicletas, skates e similares, não sendo permitida a utilização e circulação com calçados de solado não adequado; c) O horário de utilização da quadra de squash será das 05:00 h as 24:00 horas; d) O condômino ou morador poderá efetuar apenas 01 (uma) reserva de cada vez, por um período de uma hora de uso consecutivo. Passados 15 minutos do horário da reserva, caso o condômino ou morador não compareça, a reserva estará automaticamente cancelada. A reserva deverá ser feita com antecedência máxima de uma semana. emana.a reserva será feita por morador e não por unidade autônoma. e) Será vedado ao condômino ou morador, efetuar nova reserva antes do final do período de uso da primeira reserva,independentemente de quantas unidades autônomas possua. f)será obedecida a ordem cronológica de data e horário de chegada das solicitações, que poderão ser por internet ou direto na Administração, tendo preferência em igualdade de horário, a ordem de solicitação; g) É obrigatória a permanência no local, durante a utilização da quadra de squash, do requisitante ou responsável pela reserva. h) O Condomínio não é responsável por lesões em virtude do uso da quadra de squash. A quadra de squash poderá ser reservada para realização de pequenos eventos esportivos, promovidos exclusivamente pelo CONDOMÍNIO para moradores e convidados; i) A locação e ou cessão por parte dos condôminos a terceiros é expressamente vedada. j) Na hipótese de haver contratação de instrutor deverá ocorrer em horário determinado pela comissão de esportes, excluindo sábados, domingos e feriados. VII. Na sala de banho romano e cromoterapia, deverão ser observadas as seguintes regras: a) A sala de banho romano e cromoterapia é privativa e de uso exclusivo dos condôminos e moradores. b) A sala de banho romano e cromoterapia funcionará no horário das 05:00 h às 24:00 horas. VIII. Nas salas de massagem, deverão ser observadas as seguintes regras: a) A sala de massagem é privativa e de uso exclusivo dos condôminos e moradores e o seu uso será regulado pela administração do Welness. b) A sala de massagem funcionará no horário das 05:00 h às 24:00 horas. IX. Nas salas de duchas e saunas, deverão ser observadas as seguintes regras: a) As duchas e saunas são privativas e de uso exclusivo dos condôminos e moradores; b) As Saunas funcionarão nos horários das 05:00 h às 24:00 horas, quando for solicitada por condôminos ou moradores. 15

16 c) O uso da sauna deve ser precedido por um extensivo banho de ducha; quando a temperatura interna do recinto estiver ideal entrar no ambiente, trajando, homens (sungas ou short), mulheres (biquínis ou maiô), levando sempre consigo toalha ou assento próprio para cobrir a bancada. d) Precauções: O condômino deverá evitar refeições pesadas ou ingerir bebidas alcoólicas antes do uso da sauna, importante que esteja alimentado, não fazer exercícios físicos durante o período de uso, pessoas cardíacas ou portadoras de hipertensão, deverão consultar um médico para que seja autorizado o uso. A administração do Welness providenciará aviso contendo estas advertências. Art. 16º - UTILIZAÇÃO DAS QUADRAS DE TÊNIS. I.As quadras de tênis são privativas e de uso exclusivo dos condôminos e moradores, limitado a 03 (três) convidados por unidade autônoma; II. Nas quadras de tênis, é proibido o uso de patinetes, bicicletas, skates e similares, não sendo permitida a utilização e circulação com calçados de solado não adequado; III.O horário de utilização das quadras de tênis será das 07:00h as 24:00 horas; IV. O condômino ou morador poderá efetuar apenas 01 (uma) reserva de cada vez,por uma hora e trinta minutos, preferencialmente na quadra 01, com antecedência máxima de uma semana. Passados 15 minutos do horário da reserva, caso o condômino ou morador não compareça, a reserva estará automaticamente cancelada. Nos horários em que a quadra estiver disponível, fica autorizado o uso por qualquer condômino ou morador, independente de reserva; Para a quadra 02 terá preferência a reserva feita para aulas com instrutores que serão cadastrados e indicadas pelo Síndico/Administração e/ou Comissão de Esportes.A quadra 02 poderá ser reservada por condôminos ou moradores caso não estejam reservados para aula. V. Será vedado ao condômino ou morador, efetuar nova reserva antes do final do período de uso da primeira reserva; VI. Para a segunda quadra não há limites de reservas até objeto de discussão em assembléia extraordinária especialmente convocada; VII. Será obedecida a ordem cronológica de data e horário de chegada das solicitações, que poderão ser por internet ou direto na Administração, tendo preferência em igualdade de horário, a ordem de solicitação; VIII. Só será permitido reserva particular em 01 (uma) das quadras aos sábados, domingos e feriados, limitada a 01 (uma) vez por mês por unidade autônoma; IX. O Condomínio não é responsável por lesões em virtude do uso das quadras. As quadras poderão ser reservadas para realização de pequenos eventos esportivos, promovidos exclusivamente pelo CONDOMÍNIO para moradores res e convidados; X. A locação e ou cessão por parte dos condôminos a terceiros é expressamente vedada. 16

17 XI. Na hipótese de haver contratação de instrutor deverá ocorrer em horário determinado pela comissãode esportes. XII. É obrigatória a permanência no local, durante a utilização da quadra de tênis, do requisitante ou responsável pela reserva. XIII. O uso das duas quadras de tênis será livre quando estiver em horário de funcionamento e não houver reservas agendadas, obedecendo-se neste caso a ordem de marcação a ser elaborada e fixada em local apropriado pela comissão de esportes, pelo prazo normal de uma hora e meia, e prorrogando- se caso não haja reservas ou condôminos interessados. Art. 17º. UTILIZAÇÃO DO CAMPO DE FUTEBOL E QUADRA POLIESPORTIVA: I. O campo de futebol e a quadra poliesportiva são de uso exclusivo dos condôminos e moradores e, em casos especiais, aos seus convidados, na forma deste regimento interno e limitado a nove por morador e vinte por reserva, cujos nomes deverão ser informados previamente à gerência, que enviará a lista de convidados quando a portaria lhes facultará o acesso;com relação aos convidados na lista de reserva somente será oferecida três vagas de visitante por reserva, devendo o excedente estacionar fora do condomínio.(conforme AGE 25/09/12) II. O horário de funcionamento do campo e da quadra é das 07:00h às 22:00 horas; III. Os usuários devem se abster de jogar qualquer tipo de resíduo fora dos coletores de lixo a fim de colaborarem com a limpeza. IV.É proibido discutir em voz alta ou pronunciar palavras de baixo calão nas dependências do campo e da quadra, durante a realização dos jogos, com violação das normas elementares da boa educação, bem como o uso de aparelhos sonoroscomo apitos e similares; (conforme AGE 25/09/12) V. Fica terminantemente proibido utilizar a quadra para fins que não sejam esportivostais como festas e aniversários para os quais não existe reserva, excetuando-se eventos organizados pelo condominio. (conforme AGE 25/09/12) VI. Devem os usuários zelar pela integridade do campo e da quadra e seus utensílios, inclusive pela iluminação que deve ser desligada ao término de suas atividades.quaisquer danos causados ao campo e a quadra, seus utensílios ou ao Condomínio, serão ressarcidos pelo causador que ocasionou o dano e o seu valor cobrado na taxa condominial do Condômino causador ou responsável; VII. Com relação ao uso do campo de futebol, o calçado a ser utilizado para a prática de esportes deverá ser do tipo tênis, não sendo permitida à prática de esporte em trajes inapropriados; VIII. Visando atender a todos os condôminos ou moradores que desejarem usar o campo e a quadra, o tempo para cada utilização está limitado a 02 (duas) horas no máximo; IX. Qualquer condômino ou morador poderá reservar o campo e a quadra para sua utilização com visitantes. O condômino ou morador deverá reservar dia e horário, préviamente na Administração ou via internet, ficando determinado que tal reserva não poderá ultrapassar sar o período de duas horas de uso consecutivo, obrigatoriamente coincidente com horas fechadas (ex: de 07:00h às 09:00h), por período (manhã tarde ou noite), sendo que, passados 15 minutos do horário da reserva, caso o solicitante não 17

18 compareça, a reserva estará automaticamente cancelada, sendo-lhe vedado efetuar nova reserva antes do final de uso da primeira reserva. A antecedência mínima para realização de reserva é de duas horas. a)as reservas para uso da quadra de Futebol Society e quadra poliesportiva estão limitadas às 2ªs. e 3ªs. Feiras. b) Nos demais dias não será permitida reserva ficando o número de convidados limitado a quatro por morador c) Nos sábados e domingos as duas quadras serão preferencialmente utilizadas por crianças até doze anos. (artigo inteiro conforme AGE 25/09/12). X. É obrigatória a permanência no local, durante a utilização das quadras, do requisitante ou responsável pela reserva. XI. O uso das quadras será livre quando estiver em horário de funcionamento e não houver reservas agendadas, obedecendo-se neste caso a ordem de marcação a ser elaborada e fixada em local apropriado pela comissão de esportes, pelo prazo normal de uma hora e meia, e prorrogando-se caso não haja reservas ou condôminos interessados. Art. 18º. UTILIZAÇÃO DE USO DOS PARQUES INFANTIS: I. Os parques infantissão de uso privativo dos condôminos e moradores e em casos especiais, de seus convidados. II. As crianças deverão usar os equipamentos de lazer dos parques infantis, de acordo com sua faixa etária ou especificação dos fabricantes; III. As crianças deverão estar acompanhadas por pessoa responsável (adulta), que controlará o uso do equipamento adequado às faixas etárias. IV. O Condomínio não terá qualquer responsabilidade em caso de acidentes com crianças; V. Qualquer dano causado aos equipamentos dos parques infantis será debitado ao condômino ou morador responsável pela criança que o ocasionar. Art. 19º. UTILIZAÇÃO DA BRINQUEDOTECA E DO KIDS CLUB I. A brinquedoteca e o kidsclubsão de uso privativo de crianças,de até 10 anos de idade, filhos dos condôminos e moradores, se for o caso, de seus convidados.é proibida a reserva de qualquer área da brinquedoteca ou do Kidsclub. II. O horário de funcionamento da brinquedoteca e do kidsclub é das 07:00 h às 19:00 horas. III. As crianças deverão usar os equipamentos de lazer da brinquedoteca e do kidsclub de acordo com sua faixa etária ou especificação dos fabricantes; 18

19 IV. As crianças deverão estar acompanhadas por pessoa responsável (adulta), que se responsabilizará pela criança. V. O Condomínio não terá qualquer responsabilidade em caso de acidentes com crianças que deverão estar acompanhadas; VI. Qualquer dano causado aos equipamentos da brinquedoteca e dokidsclub será debitado ao condômino ou morador responsável pela criança que o ocasionar. VII. O condomínio disponibizará funcionários que zelarão pelo patrimônio do kidsclub, uso adequado dos equipamentos e o controle de acesso. Art. 20º. UTILIZAÇÃO DA PISTA DE COOPER: I.A pista de Cooper, quando implementada, será privativa e de uso exclusivo dos condôminos e moradores e seus convidados; II. A pista de Cooper é destinada preferencialmente à prática de caminhada e cooper, sendo proibido o uso de bicicletas, patins, skates, velocípedes es ou qualquer outro tipo de veículos ou brinquedos no horário das 06:00h às 09:00h e a partir das 18:00 h. Art. 21º. UTILIZAÇÃO DASCHURRASQUEIRAS: I As churrasqueiras são destinadas à integração dos condôminos e moradores com apoio de uma das quadras para prática de esportes, sendo permitida a reserva de apenas 02 (dois) eventos por mês. A reserva deve ser feita via internet ou na Administração. II - O número de convidados deve limitar-se a 20 pessoas, sendo vedado o acréscimo de mesas e cadeiras à área; III. Qualquer dano causado aos mesmos ou aos seus utensílios,será será ressarcido pelo condômino ou morador que o ocasionou e o seu valor será cobrado juntamente com a taxa de condomínio subseqüente ao mês do seu uso. IV. A locação e ou cessão das churrasqueiras por parte dos condôminos ou moradores a terceiros, é vedada; V. A limpeza após o evento será de responsabilidade do Condomínio. VI. A reserva da churrasqueira implica na reserva de uma das quadras pelo período máximo de duas horas para prática de esportes, sendo proibido seu uso para aniversários ou festas. Art. 22º. UTILIZAÇÃO DO POSTO DE LAVAGEM VEÍCULOS: I.Área destinada à lavagem e limpeza dos veículos destina-se se exclusivamente para uso dos veículos dos condôminos e moradores devidamente registrados na Administração. 19

20 II. Os condôminos e moradores deverão encaminhar à Administração dados simplificados dos veículos, visando o controle e cadastro para uso do local. III. Horário de funcionamento será diariamente das 06:00h às 18:00 horas, salvo em caso de terceirização; IV.Só será permitido dirigir os veículos pessoas habilitadas; V. Será de inteira responsabilidade do condômino/morador, quaisquer prejuízos que eventualmente ocorram nas dependências do posto e das áreas comuns, causados por seu veículos ou pela pessoa responsável pelo mesmo. VI. O Condomínio não terá qualquer responsabilidade por danos, avarias causadas no veículo, bem como furtos e roubos eventuais VII.O Conselho Administrativo deverá elaborar normas específicas de operacionalização, visando buscar empresa especializada, com sistema que utilizará carrinhos de limpeza para executar a lavagem dos veículos, com o objetivo de redução no consumo de água e padronização dos serviços. Neste caso, os valores serão previamente divulgados. VIII. O atendimento obedecerá à ordem de chegada dos veículos no posto de lavagem. Art. 23º. REGULAMENTO DO USO DAS GARAGENS I. É expressamente proibido o estacionamento de veículo, de qualquer espécie, fora dos limites dos boxes. II. A velocidade máxima para circulação de qualquer espécie de veiculo, pelas garagens é de 10 Km/h e nas áreas de acesso às mesmas é de 20 Km/h. III. É proibido depositar lixo, detritos, ferramentas, pneus, peças, entulho e materiais de qualquer espécie em qualquer lugar, seja em área de Box, seja em área comum de circulação das garagens. IV. É vedado a circulação de bicicletas, velocípedes, patins, skates, carrinhos de rolimãs, patinetes, ou qualquer outro veículo ou brinquedo, nas dependências das garagens, salvo o tempo necessário para retirá-lo, quando se fizer necessário. V. É vedada lavagemde veículosnas dependências das garagens ou nos estacionamentos, devendo ser feita no local apropriado para lavagens, excetuada a lavagem por empresa especializada que será definido pelo Conselho Administrativo. VI. Cada Box de estacionamento somente poderá ser utilizado por veículo pertencente a seu proprietário ou inquilino do apartamento, sendo proibida a locação ou cessão, a qualquer título, a pessoas não moradoras do Condomínio. VII. A circulação dos veículos dentro das garagens, com as luzes acesas e em velocidade reduzida, é obrigatória, a fim de prevenir acidentes. 20

REGIMENTO INTERNO. Artigo 8º - Fica estabelecido que os portões de entrada que dão acesso ao CONDOMÍNIO serão mantidos permanentemente fechados.

REGIMENTO INTERNO. Artigo 8º - Fica estabelecido que os portões de entrada que dão acesso ao CONDOMÍNIO serão mantidos permanentemente fechados. SEM MARCADOR TEXTO ORIGINAL GRIFADO EM VERDE ALTERAÇÕES A SEREM APROVADAS NA ASSEMBLÉIA REGIMENTO INTERNO Artigo 8º - Fica estabelecido que os portões de entrada que dão acesso ao CONDOMÍNIO serão mantidos

Leia mais

CAPÍTULO V. Da Garagem e Estacionamento

CAPÍTULO V. Da Garagem e Estacionamento CAPÍTULO V Da Garagem e Estacionamento Art 37. Cada unidade autônoma tem direito a uma vaga de estacionamento, perfazendo um total de 967 (novecentos e sessenta e sete) vagas, distribuídas de acordo com

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO LOTEAMENTO VILLAS DO JACUÍPE

ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO LOTEAMENTO VILLAS DO JACUÍPE ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO LOTEAMENTO VILLAS DO JACUÍPE Estrada do Coco, Km 31 Barra do Jacuípe CEP 42.833-000 Camaçari/Bahia CNPJ 03.380.253/0001-26 Telefones : (071) 3678-1690 e 3678-2356 E-mail : vjacuipe@oi.com.br

Leia mais

Rua Engenheiro Niepce da Silva, 144, Portão, Curitiba PR, 80610-280 www.lejardinresidencial.com administrativo@lejardinresidencial.

Rua Engenheiro Niepce da Silva, 144, Portão, Curitiba PR, 80610-280 www.lejardinresidencial.com administrativo@lejardinresidencial. CIRCULAR Nº 003/2014 DATA: 15 de dezembro de 2014 ASSUNTO: LIBERAÇÃO, em caráter provisório, de parte das áreas comuns do condomínio, que foram aprovadas e recebidas da Cyrela. A Síndica do Condomínio

Leia mais

ASSUNTO: REGULAMENTA O USO DE ADESIVOS DE IDENTIFICAÇÃO DOS VEÍCULOS DE CONDÔMINOS

ASSUNTO: REGULAMENTA O USO DE ADESIVOS DE IDENTIFICAÇÃO DOS VEÍCULOS DE CONDÔMINOS CIRCULAR Nº 003/2015 Curitiba, 05/06/2015. ASSUNTO: REGULAMENTA O USO DE ADESIVOS DE IDENTIFICAÇÃO DOS VEÍCULOS DE CONDÔMINOS A Síndica do Condomínio Le Jardin Residencial, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DAS SEDES DE LAZER DA AMPB

REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DAS SEDES DE LAZER DA AMPB Art. 1º. O presente regulamento visa disciplinar o uso do Clube de Areia Dourada, assim como eventuais unidades de lazer a serem construídas ou adquiridas pela Associação dos Magistrados da Paraíba. DOS

Leia mais

2.2 - A entrada ou saída de pedestres nas dependências da ULIVING BELA VISTA dar-se-á, pela recepção principal Rua Barata Ribeiro, 61

2.2 - A entrada ou saída de pedestres nas dependências da ULIVING BELA VISTA dar-se-á, pela recepção principal Rua Barata Ribeiro, 61 O Regulamento Interno da ULIVING BELA VISTA, localizado na cidade de SÃO PAULO CAPITAL, à Rua Barata Ribeiro nº 61 estabelece as regras de convivência e as relações entre os usuários do empreendimento.

Leia mais

Ordem dos Advogados do Brasil - Seção de Goiás Casa do Advogado Jorge Jungmann

Ordem dos Advogados do Brasil - Seção de Goiás Casa do Advogado Jorge Jungmann REGULAMENTO DO CEL DA OAB-GO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES SEÇÃO I Da Conceituação e da Freqüência Art. 1º. O Centro de Cultura, Esporte e Lazer da Advocacia de Goiás é um espaço reservado aos profissionais

Leia mais

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 80, DE 05 DE NOVEMBRO DE 2013.

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 80, DE 05 DE NOVEMBRO DE 2013. INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 80, DE 05 DE NOVEMBRO DE 2013. A DIRETORA EM EXERCÍCIO DO CÂMPUS DE PARANAÍBA da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, no uso de suas atribuições legais, resolve:

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DE RESERVAS

REGULAMENTO GERAL DE RESERVAS REGULAMENTO GERAL DE RESERVAS A diretoria do Candeias Esporte, Lazer e Recreação usando das atribuições conferidas pelo Estatuto Social, (art. 91 alínea b), institui o presente "Regulamento Geral de Reservas",

Leia mais

Regimento da Colônia de Férias em Garopaba/SC

Regimento da Colônia de Férias em Garopaba/SC Regimento da Colônia de Férias em Garopaba/SC CAPITULO I - DA UTILIZAÇÃO Artigo 1º - A Colônia de Férias da ASSUFRGS, localizada em Garopaba/SC, é de uso exclusivo dos seus filiados, servidores da UFRGS,

Leia mais

CONDOMÍNIO DO ED. NUMBER ONE BUSINESS CENTER REGIMENTO INTERNO

CONDOMÍNIO DO ED. NUMBER ONE BUSINESS CENTER REGIMENTO INTERNO CONDOMÍNIO DO ED. NUMBER ONE BUSINESS CENTER REGIMENTO INTERNO O presente regimento interno visa regulamentar o funcionamento do edifício zelando sempre pela segurança e conforto dos condôminos. I REGULAMENTO

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DE ALUGUEL E USO DE QUADRA HELP GESTION COMÉRCIO E SERVIÇOS LTDA SPACEBALL

REGULAMENTO INTERNO DE ALUGUEL E USO DE QUADRA HELP GESTION COMÉRCIO E SERVIÇOS LTDA SPACEBALL REGULAMENTO INTERNO DE ALUGUEL E USO DE QUADRA HELP GESTION COMÉRCIO E SERVIÇOS LTDA SPACEBALL A HELP GESTION COMÉRCIO E SERVIÇOS LTDA, denominada SPACEBALL, é um Centro Esportivo destinado à prática de

Leia mais

Condições Gerais de Hospedagem do Arraial do Conto Hotel e Lazer

Condições Gerais de Hospedagem do Arraial do Conto Hotel e Lazer Condições Gerais de Hospedagem do Arraial do Conto Hotel e Lazer A hospedagem no Arraial do Conto Hotel e Lazer é regida pelas seguintes condições: 1. Preenchimento da Ficha de Identificação: É obrigatório

Leia mais

Condomínio do Residencial Villa D'Itália

Condomínio do Residencial Villa D'Itália Prezados moradores, De acordo com a Assembléia Extraordinária realizada no dia 18 de dezembro de 2014, informamos para ciência de todos que alguns itens presentes no Regimento Interno, que foram aprovados

Leia mais

REGULAMENTO DA HOTELARIA

REGULAMENTO DA HOTELARIA REGULAMENTO DA HOTELARIA I DISPOSIÇÕES GERAIS. Art. 1º. O presente Regulamento, aprovado pela Diretoria Executiva, rege o uso dos serviços de hotelaria disponibilizados pela AMAM aos Associados e seus

Leia mais

PRESIDÊNCIA 19/06/2013 RESOLUÇÃO Nº 96/2013

PRESIDÊNCIA 19/06/2013 RESOLUÇÃO Nº 96/2013 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL PRESIDÊNCIA 19/06/2013 RESOLUÇÃO Nº 96/2013 EMENTA: Dispõe sobre o acesso,

Leia mais

REGULAMENTO PARA ÁREAS DE LAZER ESPAÇO FRANELLI DO CONDOMÍNIO RESIDENCIAL PONTAL DA LIBERDADE

REGULAMENTO PARA ÁREAS DE LAZER ESPAÇO FRANELLI DO CONDOMÍNIO RESIDENCIAL PONTAL DA LIBERDADE REGULAMENTO PARA ÁREAS DE LAZER ESPAÇO FRANELLI DO CONDOMÍNIO RESIDENCIAL PONTAL DA LIBERDADE Art. 1º - Este documento visa de estabelecer as normas relativas à utilização das áreas comuns do Espaço FRANELLI,

Leia mais

Resolução Congregação 01/2007

Resolução Congregação 01/2007 Resolução Congregação 01/2007 Dispõe sobre os procedimentos da Biblioteca da FEAD. O Presidente da Congregação, no uso de suas atribuições regimentais, e considerando: a) a necessidade de adequar normas

Leia mais

Contrato de Locação de Imóvel e Mobília por Temporada

Contrato de Locação de Imóvel e Mobília por Temporada Contrato de Locação de Imóvel e Mobília por Temporada LOCATÁRIO: Profissão: RG: CPF: Residente e domiciliado: LOCADOR: VILA DOS MANACÁS ATIVIDADES IMOBILIARIAS, empresa estabelecida nesta cidade de Ubatuba/SP,

Leia mais

CENTRO DE CONVIVÊNCIA Associação Residencial Alphaville 9

CENTRO DE CONVIVÊNCIA Associação Residencial Alphaville 9 REGRAS ESPECÍFICAS ESTABELECIDAS PARA FREQUENCIA E USO A, disponibiliza aos seus Associados o Centro de Convivência e Academia, como espaço destinado à prática de atividades esportivas e sociais, fundamentais

Leia mais

ACESSO A SEDE CAMPESTRE DE RATONES REGULAMENTO Nº. 001/2014

ACESSO A SEDE CAMPESTRE DE RATONES REGULAMENTO Nº. 001/2014 ACESSO A SEDE CAMPESTRE DE RATONES REGULAMENTO Nº. 001/2014 Regulamenta o funcionamento da SEDE CAMPESTRE da Associação dos Servidores da UDESC - ASUDESC e dá outras providências. Das disposições preliminares

Leia mais

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS. Art. 2º As Bibliotecas da Univás estão a serviço da comunidade, oferecendo aos usuários:

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS. Art. 2º As Bibliotecas da Univás estão a serviço da comunidade, oferecendo aos usuários: REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS CAPÍTULO I DA FINALIDADE Art. 1 Este Regulamento normatiza o funcionamento das Bibliotecas da Universidade do Vale do Sapucaí Univás, mantida pela Fundação de Ensino Superior

Leia mais

Propostas de Alteração do Regimento Interno

Propostas de Alteração do Regimento Interno Propostas de Alteração do Regimento Interno 1- Proposta de Antônio de Jesus Ribeiro Q22 L17: Incluir Único no Artigo 1º Parágrafo único Caso o dano seja no meio, caberá ao proprietário da unidade danificada

Leia mais

DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Ff 1 REGULAMENTO GERAL Nº. 001/2007 Regulamenta o funcionamento do clube social da Associação dos Servidores da Secretaria da Administração e Unidades Vinculadas - ASSECAD e dá outras providências. DAS

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA

CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA Resolução nº 1.839, de 26 de novembro de 2010. Disciplina o uso e responsabilidade dos equipamentos de telefonia móvel no âmbito do Conselho Federal de Economia. O CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA, no uso

Leia mais

Resolução Nº 003/2011/ASIBAMA-DF

Resolução Nº 003/2011/ASIBAMA-DF Resolução Nº 003/2011/ASIBAMA-DF Altera o Regimento Interno da Área de Lazer da ASIBAMA-DF A Presidente da ASIBAMA-DF, nos termos do art. 30, inciso I, do Estatuto da ASIBAMA-DF, e considerando o disposto

Leia mais

Núcleos Sindicais: Apucarana. Arapongas. Assis Chateaubriand. Cambará. Campo Mourão. Cascavel. Cianorte. Cornélio Procópio

Núcleos Sindicais: Apucarana. Arapongas. Assis Chateaubriand. Cambará. Campo Mourão. Cascavel. Cianorte. Cornélio Procópio REGIMENTO DAS COLÔNIAS DE PRAIA ITAPOÁ E GUARATUBA Curitiba Art. 1º - As Colônias de Praia de Itapoá e Guaratuba são propriedades da APP-Sindicato e destinam-se à hospedagem dos seus sindicalizados e dependentes.

Leia mais

REGULAMENTO DE OBRAS ANEXO I. Cuidados ao iniciar a obra: Horário de funcionamento do prédio:

REGULAMENTO DE OBRAS ANEXO I. Cuidados ao iniciar a obra: Horário de funcionamento do prédio: ANEXO I REGULAMENTO DE OBRAS Cuidados ao iniciar a obra: Toda obra ou reforma na unidade deve ser comunicada ao síndico, com antecedência mínima de 10 dias, através da apresentação de respectivo croqui

Leia mais

ASSOCIAÇÃO JARDINS SIENA MANUAL DE NORMAS ADMINISTRATIVAS

ASSOCIAÇÃO JARDINS SIENA MANUAL DE NORMAS ADMINISTRATIVAS ASSOCIAÇÃO JARDINS SIENA MANUAL DE NORMAS ADMINISTRATIVAS Nome do Arquivo: Normas de utilização de Áreas de Lazer Última alteração: 18/09/2015 1. OBJETIVOS Estabelecer normas para utilização das áreas

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS DO LOTEAMENTO CANTO DE AREMBEPE (APLCA) CAPÍTULO I DO OBJETO

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS DO LOTEAMENTO CANTO DE AREMBEPE (APLCA) CAPÍTULO I DO OBJETO REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS DO LOTEAMENTO CANTO DE AREMBEPE (APLCA) CAPÍTULO I DO OBJETO Art. 1. Este Regimento Interno tem por objetivo primordial a regulamentação das relações entre

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS CAMPUS MACHADO ASSEIF-MACHADO

ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS CAMPUS MACHADO ASSEIF-MACHADO ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS CAMPUS MACHADO ASSEIF-MACHADO REGIMENTO INTERNO ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES DO INSTITUTO FEDERAL DE

Leia mais

MANUAL DO CONDÔMINO. O edital de convocação deve indicar com clareza os assuntos a serem debatidos, a data, horário e local.

MANUAL DO CONDÔMINO. O edital de convocação deve indicar com clareza os assuntos a serem debatidos, a data, horário e local. MANUAL DO CONDÔMINO REGULAMENTO INTERNO Cada prédio possui as suas próprias necessidades e, por isso, tanto a convenção como o regulamento interno devem ser redigidos especialmente para a edificação em

Leia mais

REGULAMENTO PARA FUNCIONAMENTO E UTILIZAÇÃO DOS CENTROS DE LAZER DA FUNDAÇÃO ASSEFAZ

REGULAMENTO PARA FUNCIONAMENTO E UTILIZAÇÃO DOS CENTROS DE LAZER DA FUNDAÇÃO ASSEFAZ Anexo nº 01 à Decisão Presidente Nº 026/07. REGULAMENTO PARA FUNCIONAMENTO E UTILIZAÇÃO DOS CENTROS DE LAZER DA FUNDAÇÃO ASSEFAZ DA FINALIDADE 1- Este Regulamento tem por objetivo estabelecer normas básicas

Leia mais

FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA SECCIONAL DE SÃO PAULO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL E DA CAASP CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DE SÃO

FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA SECCIONAL DE SÃO PAULO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL E DA CAASP CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DE SÃO FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA SECCIONAL DE SÃO PAULO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL E DA CAASP CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DE SÃO PAULO OABPrev-SP REGULAMENTO ÍNDICE CAPÍTULO I DO OBJETO

Leia mais

DICAS PARA CONDÔMINOS

DICAS PARA CONDÔMINOS DICAS PARA CONDÔMINOS Área Privativa: É a unidade de cada proprietário incluindo a vaga de garagem. Áreas Comuns: São utilizadas por todos os moradores, como playground, jardins, elevadores, corredores,

Leia mais

Edifício Evolution Business Center Manual do Credenciado

Edifício Evolution Business Center Manual do Credenciado Edifício Evolution Business Center Manual do Credenciado A BrasilPark quer prestar sempre o melhor serviço para seus clientes. Para que isso aconteça, é essencial que você fique atento aos nossos procedimentos

Leia mais

Regulamento BEM VINDOS A POUSADA LA VILLA. Para sua maior tranquilidade e conforto apresentamos o manual do hospede.

Regulamento BEM VINDOS A POUSADA LA VILLA. Para sua maior tranquilidade e conforto apresentamos o manual do hospede. Regulamento BEM VINDOS A POUSADA LA VILLA Para sua maior tranquilidade e conforto apresentamos o manual do hospede. Recepção: HORÁRIOS DE FUNCIONAMENTO da recepção dás 8:00 às 12:00 e 13:00 às 18:00. DO

Leia mais

Edifício Crespi II Manual do Credenciado

Edifício Crespi II Manual do Credenciado Edifício Crespi II Manual do Credenciado A BrasilPark quer prestar sempre o melhor serviço para seus clientes. Para que isso aconteça, é essencial que você fique atento aos nossos procedimentos de atendimento.

Leia mais

Aluguel O que é preciso saber sobre aluguel Residencial

Aluguel O que é preciso saber sobre aluguel Residencial Aluguel O que é preciso saber sobre aluguel Residencial Ao alugar um imóvel é necessário documentar a negociação por meio de um contrato, de preferência, escrito. O inquilino deve ler atentamente todas

Leia mais

RESOLUÇÃO CNSP N o 296, DE 2013.

RESOLUÇÃO CNSP N o 296, DE 2013. MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS RESOLUÇÃO CNSP N o 296, DE 2013. Dispõe sobre as regras e os critérios para operação do seguro de garantia estendida, quando da aquisição de

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Através do presente VELOCITY ACADEMIA DE GINÁSTICA LTDA regula a contratação, pelo ALUNO, do direito de utilização dos serviços e instalações da VELOCITY, nas condições

Leia mais

Histórico de editais de Assembléias Ordinárias e Extraordinárias realizadas no Condomínio do Residencial Imprensa IV

Histórico de editais de Assembléias Ordinárias e Extraordinárias realizadas no Condomínio do Residencial Imprensa IV Histórico de editais de Assembléias Ordinárias e Extraordinárias realizadas no Condomínio do Residencial Imprensa IV AGE 30/6/2007 Eleição da Comissão de Recebimento das Áreas Comuns; Fixação do Pró-labore

Leia mais

Hotel Colônia AOJESP PACOTES Alta Temporada 2011/2012

Hotel Colônia AOJESP PACOTES Alta Temporada 2011/2012 Hotel Colônia AOJESP PACOTES Alta Temporada 2011/2012 PACOTE ENTRADA SAÍDA DIÁRIAS DEZEMBRO 30/11/2011 QUA 05/12/2011 SEG 5 07/12/2011 QUA 12/12/2011 SEG 5 14/12/2011 QUA 19/12/2011 SEG 5 NATAL 21, 22,

Leia mais

REGULAMENTO DIÁRIAS: RESERVAS:

REGULAMENTO DIÁRIAS: RESERVAS: REGULAMENTO DIÁRIAS: As diárias iniciam às 13:00 e terminam às 12:00 do dia seguinte, independente do horário em que foi realizado o check-in. Após às 12:00 será cobrada nova diária. Cada diária inclui

Leia mais

O CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA DE PERNAMBUCO, no uso das atribuições que lhe confere o Artigo 10 da Lei nº 5.

O CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA DE PERNAMBUCO, no uso das atribuições que lhe confere o Artigo 10 da Lei nº 5. Resolução nº 007, de 27 de maio de 2015 Disciplina a cessão e locação do auditório e das salas de treinamento destinados à eventos e reuniões na sede do CRMV-PE O CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA

Leia mais

Contamos com a compreensão e a colaboração de todos para manter uma interação marcada pela gentileza e o profissionalismo.

Contamos com a compreensão e a colaboração de todos para manter uma interação marcada pela gentileza e o profissionalismo. 1 Regulamento Interno Este regulamento define regras e procedimentos para o pleno entendimento entre Hóspedes e a Administração do Hotel, lembrando que o bom senso e o respeito mútuo constituem as melhores

Leia mais

29) CONTRATO DE LOCAÇÃO DE QUARTO POR TEMPORADA. Pelo presente instrumento particular de um lado,...,

29) CONTRATO DE LOCAÇÃO DE QUARTO POR TEMPORADA. Pelo presente instrumento particular de um lado,..., 29) CONTRATO DE LOCAÇÃO DE QUARTO POR TEMPORADA Pelo presente instrumento particular de um lado,..., brasileira, solteira, professora universitária, inscrita no CPF sob o n...., residente e domiciliada

Leia mais

PORTARIA Nº 15, DE 08 DE MARÇO DE 2007.

PORTARIA Nº 15, DE 08 DE MARÇO DE 2007. PORTARIA Nº 15, DE 08 DE MARÇO DE 2007. Regulamenta o uso dos veículos da frota oficial e estabelece normas gerais sobre as atividades de transporte de usuários da FHDSS-Unesp. O Diretor da Faculdade de

Leia mais

Regimento Interno - Empreendimento do PAR - Programa de Arrendamento Residencial

Regimento Interno - Empreendimento do PAR - Programa de Arrendamento Residencial Nome do empreendimento REGIMENTO INTERNO O presente regimento interno estabelece normas de disciplina, procedimento, conduta e comportamento às quais estão obrigados todos os moradores e toda e qualquer

Leia mais

Anexo Res. CONSU Nº 40/2011. REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS MORFOLÓGICAS E MULTIDISCIPLINAR CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Anexo Res. CONSU Nº 40/2011. REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS MORFOLÓGICAS E MULTIDISCIPLINAR CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Anexo Res. CONSU Nº 40/2011. REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS MORFOLÓGICAS E MULTIDISCIPLINAR CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. Este Regulamento dispõe sobre a estruturação, utilização e

Leia mais

PORTARIA Nº 81, DE 18 DE SETEMBRO DE 2012.

PORTARIA Nº 81, DE 18 DE SETEMBRO DE 2012. PORTARIA Nº 81, DE 18 DE SETEMBRO DE 2012. EMENTA: Disciplina a cessão e locação de espaços destinados a reuniões e eventos na sede do CRMV-RJ. O PRESIDENTE DO CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA

Leia mais

Edifício Centro Empresarial Morumbi Manual do Credenciado

Edifício Centro Empresarial Morumbi Manual do Credenciado Edifício Centro Empresarial Morumbi Manual do Credenciado A BrasilPark quer prestar sempre o melhor serviço para seus clientes. Para que isso aconteça, é essencial que você fique atento aos nossos procedimentos

Leia mais

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO APLUBCAP POPULAR 513 MODALIDADE POPULAR PAGAMENTO MENSAL CONDIÇÕES GERAIS

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO APLUBCAP POPULAR 513 MODALIDADE POPULAR PAGAMENTO MENSAL CONDIÇÕES GERAIS I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A. CNPJ: 88.076.302/0001-94 APLUBCAP POPULAR 513 MODALIDADE: POPULAR PROCESSO SUSEP Nº: 15414.900001/2014-75 II - GLOSSÁRIO Subscritor

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE CAPIXABA DA SERRA

REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE CAPIXABA DA SERRA REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE CAPIXABA DA SERRA SERRA SUMÁRIO REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE CAPIXABA DA SERRA... 2 DOS OBJETIVOS:... Erro! Indicador não definido. DO HORÁRIO

Leia mais

REGULAMENTO UNIDADE PAULISTA ATENÇÃO:

REGULAMENTO UNIDADE PAULISTA ATENÇÃO: REGULAMENTO UNIDADE PAULISTA ATENÇÃO: 1) Este regulamento SÓ se aplica aos contratos celebrados na unidade Paulista, por alunos matriculados nos cursos preparatórios para concursos públicos semestrais

Leia mais

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DIDÁTICO DE ANATOMIA, BIOLOGIA, PARASITOLOGIA E EMBRIOLOGIA APLICADOS À NUTRIÇÃO CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DIDÁTICO DE ANATOMIA, BIOLOGIA, PARASITOLOGIA E EMBRIOLOGIA APLICADOS À NUTRIÇÃO CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DIDÁTICO DE ANATOMIA, BIOLOGIA, PARASITOLOGIA E EMBRIOLOGIA APLICADOS À NUTRIÇÃO CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM NUTRIÇÃO - BACHARELADO Autorizada pela Portaria MEC 2.626 de 25

Leia mais

CLUBE DE ENGENHARIA DE GOIÁS ANEXO I - REGIMENTO INTERNO

CLUBE DE ENGENHARIA DE GOIÁS ANEXO I - REGIMENTO INTERNO CLUBE DE ENGENHARIA DE GOIÁS ANEXO I - REGIMENTO INTERNO Normas de Utilização das Dependências Internas Janeiro 2015 CAPÍTULO I DA UTILIZAÇÃO DA PORTARIA Art. 1º - A portaria controlará a entrada e saída

Leia mais

CG DA MODALIDADE POPULAR PM CONDIÇÕES GERAIS DO APLUBCAP POPULAR 2262 SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A. CNPJ: 88.076.

CG DA MODALIDADE POPULAR PM CONDIÇÕES GERAIS DO APLUBCAP POPULAR 2262 SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A. CNPJ: 88.076. CONDIÇÕES GERAIS DO APLUBCAP POPULAR 2262 I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A. CNPJ: 88.076.302/0001-94 APLUBCAP POPULAR 226 MODALIDADE: POPULAR PROCESSO SUSEP Nº:

Leia mais

CARTILHA DO CLIENTE - SANTA BRANCA ECOTURISMO

CARTILHA DO CLIENTE - SANTA BRANCA ECOTURISMO CARTILHA DO CLIENTE - SANTA BRANCA ECOTURISMO A Cartilha do Cliente - Santa Branca Ecoturismo visa a especificar os parâmetros gerais de conduta necessários a boa convivência e utilização do local, bem

Leia mais

Edifício New England Manual do Credenciado

Edifício New England Manual do Credenciado Edifício New England Manual do Credenciado A BrasilPark quer prestar sempre o melhor serviço para seus clientes. Para que isso aconteça, é essencial que você fique atento aos nossos procedimentos de atendimento.

Leia mais

Central de Atendimento: (11) 3292-6100

Central de Atendimento: (11) 3292-6100 Manual das Normas para uso da Colônia de Férias do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Artefatos de Borracha, Pneumáticos e Afins da Grande São Paulo e Região Uma publicação do Sindicato dos

Leia mais

1 Objetivo Esta Regulamentação Especial estabelece normas para acesso de pessoas ao Condomínio Edifício São Luiz.

1 Objetivo Esta Regulamentação Especial estabelece normas para acesso de pessoas ao Condomínio Edifício São Luiz. Revisão: julho/2007 Fl. 01 de 03 1 Objetivo Esta Regulamentação Especial estabelece normas para acesso de pessoas ao Condomínio Edifício São Luiz. 2 Procedimentos 2.1 O acesso de pessoas nas dependências

Leia mais

RESOLUÇÃO N 002/2007 - DG. Regulamenta Procedimentos para o Funcionamento da Biblioteca da FCV.

RESOLUÇÃO N 002/2007 - DG. Regulamenta Procedimentos para o Funcionamento da Biblioteca da FCV. RESOLUÇÃO N 002/2007 - DG Regulamenta Procedimentos para o Funcionamento da Biblioteca da FCV. O Conselho Superior - CONSU, aprovou em 30 de março de 2007, e eu, Prof. José Carlos Barbieri, Diretor da

Leia mais

FANORPI REGULAMENTO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA

FANORPI REGULAMENTO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA FANORPI REGULAMENTO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA Art. 1 O Laboratório de Informática destina-se aos acadêmicos e professores com prioridade de utilização aos acadêmicos. Art. 2 As atividades desempenhadas

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008 REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA

FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008 REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008 REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA Revisão 00 31/08/2009 Edição inicial Revisão 01 29/06/2011 Nova redação para o Cap. I, art.

Leia mais

Que se celebra entre o Sr. Cristiano Carnelós Peyrer, brasileiro, solteiro, portador da

Que se celebra entre o Sr. Cristiano Carnelós Peyrer, brasileiro, solteiro, portador da INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONTRATO DE LOCAÇÃO DO ESPAÇO PARA EVENTOS Que se celebra entre o Sr. Cristiano Carnelós Peyrer, brasileiro, solteiro, portador da cédula de identidade R.G. sob nº 28.266.412-9,

Leia mais

REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA Faculdade de Alta Floresta - FAF

REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA Faculdade de Alta Floresta - FAF REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA Faculdade de Alta Floresta - FAF 2011 ÍNDICE CAPÍTULO I... 1 DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 1 CAPÍTULO III... 2 DOS DIREITOS... 2 CAPÍTULO IV... 2 DOS DEVERES...

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO CONDOMINIO CAMÉLIAS APROVADO EM ASSEMBLÉIA DIA 27/052015

REGULAMENTO INTERNO CONDOMINIO CAMÉLIAS APROVADO EM ASSEMBLÉIA DIA 27/052015 O CONDOMÍNIO DAS CAMELIAS reger-se-á, para todos os efeitos de direito, pelo presente Regulamento Interno, Convenção condominial e pela Legislação federal, estadual e municipal em vigor, especialmente

Leia mais

M U N I C Í P I O D E V A L E N Ç A C ÂMARA MUNICIPAL

M U N I C Í P I O D E V A L E N Ç A C ÂMARA MUNICIPAL NORMAS DE FUNCIONAMENTO DAS ZONAS DE ESTACIONAMENTO DA COROADA As zonas de estacionamento da Coroada, adiante designadas por parques ou Parques da Coroada, são parte integrante das áreas de estacionamento

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS DO ADVOGADO CAPÍTULO I - DO OBJETO Art. 1º - Este Regulamento estabelece os direitos e as

REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS DO ADVOGADO CAPÍTULO I - DO OBJETO Art. 1º - Este Regulamento estabelece os direitos e as REGULAMENTO FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA SECCIONAL DE SÃO PAULO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL E DA CAASP CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DE SÃO PAULO OABPrev-SP/CE ÍNDICE Capítulo I - DO OBJETIVO

Leia mais

Regulamento Interno para Utilização Associação Veper

Regulamento Interno para Utilização Associação Veper Regulamento Interno para Utilização Associação Veper A Associação Veper Os dirigentes do Grupo Veper tinham o sonho de oferecer um benefício a mais aos seus colaboradores, um espaço que oferecesse lazer,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS URUGUAIANA CURSO DE ENFERMAGEM REGIMENTO DO LABORATÓRIO DE ENSINO DE ENFERMAGEM

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS URUGUAIANA CURSO DE ENFERMAGEM REGIMENTO DO LABORATÓRIO DE ENSINO DE ENFERMAGEM UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS URUGUAIANA CURSO DE ENFERMAGEM REGIMENTO DO LABORATÓRIO DE ENSINO DE ENFERMAGEM Uruguaiana, 19 de abril de 2011. REGIMENTO DO LABORATÓRIO DE ENSINO DE ENFERMAGEM DA

Leia mais

Condomínio Edifício MAISON DE MOUETTE REGIMENTO INTERNO. Reeditado conforme alterações da. Assembléia Geral Extraordinária. de 18 de Maio de 1994

Condomínio Edifício MAISON DE MOUETTE REGIMENTO INTERNO. Reeditado conforme alterações da. Assembléia Geral Extraordinária. de 18 de Maio de 1994 Condomínio Edifício MAISON DE MOUETTE REGIMENTO INTERNO Reeditado conforme alterações da Assembléia Geral Extraordinária de 18 de Maio de 1994 Projectus Assessoria S/C Ltda - janeiro/95 1.É dever de todos

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES RESOLUÇÃO N o 488, DE 3 DE DEZEMBRO DE 2007 Aprova o Regulamento de Proteção e Defesa dos Direitos dos Assinantes dos Serviços de Televisão por Assinatura. O CONSELHO

Leia mais

Associação Esportiva do Alto Paraopeba REGIMENTO INTERNO

Associação Esportiva do Alto Paraopeba REGIMENTO INTERNO REGIMENTO INTERNO Este Regimento contém procedimentos a serem adotados por diretores, conselheiros, associados, colaboradores e visitantes, complementando o Estatuto Social de 18 de Outubro de 2012. Contém

Leia mais

Capítulo II DOS USUÁRIOS REGULARES E EVENTUAIS

Capítulo II DOS USUÁRIOS REGULARES E EVENTUAIS RESOLUÇÃO DA VRG Nº 03/2008 DISPÕE SOBRE O SERVIÇO DE ATENDIMENTO E FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA MARIO OSORIO MARQUES DA UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL -

Leia mais

CONTRATO DE FORNECIMENTO DE GÁS NATURAL CANALIZADO CONTENDO AS CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO DE GÁS CANALIZADO REFERENTES AOS CLIENTES COMERCIAIS

CONTRATO DE FORNECIMENTO DE GÁS NATURAL CANALIZADO CONTENDO AS CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO DE GÁS CANALIZADO REFERENTES AOS CLIENTES COMERCIAIS CONTRATO DE FORNECIMENTO DE GÁS NATURAL CANALIZADO CONTENDO AS CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO DE GÁS CANALIZADO REFERENTES AOS CLIENTES COMERCIAIS DA CEG 1.º PARTES a) CEG: COMPANHIA DISTRIBUIDORA DE

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA POUSADA BUTTERFLY HOUSE. A hospedagem na POUSADA BUTTERFLY HOUSE é regida pelas condições abaixo descritas:

REGIMENTO INTERNO DA POUSADA BUTTERFLY HOUSE. A hospedagem na POUSADA BUTTERFLY HOUSE é regida pelas condições abaixo descritas: REGIMENTO INTERNO DA POUSADA BUTTERFLY HOUSE A hospedagem na POUSADA BUTTERFLY HOUSE é regida pelas condições abaixo descritas: 1. É obrigatório o preenchimento da ficha de identificação, atendendo normas

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO BLOCOS

REGULAMENTO INTERNO DO BLOCOS 1 REGULAMENTO INTERNO DO BLOCOS 1. A Administração do Condomínio Condomínio Parque Residencial Vitória Régia II Blocos reger-se-á pela Lei 4.591, de 16/12/1964 e outras Leis que forem aplicáveis, a cujo

Leia mais

RESOLUÇÃO N 005/2012 - DG. Altera a Resolução n 002/2007-DG,que Regulamenta Procedimentos para o Funcionamento da Biblioteca da FCV

RESOLUÇÃO N 005/2012 - DG. Altera a Resolução n 002/2007-DG,que Regulamenta Procedimentos para o Funcionamento da Biblioteca da FCV RESOLUÇÃO N 005/2012 - DG Altera a Resolução n 002/2007-DG,que Regulamenta Procedimentos para o Funcionamento da Biblioteca da FCV Considerando o disposto na Resolução n o 002/07-DG e Considerando o parecer

Leia mais

TERMO DE ADESÃO AO SERVIÇO SEM PARAR Consulte a Proposta de Adesão com as regras específicas do Plano de Serviços escolhido.

TERMO DE ADESÃO AO SERVIÇO SEM PARAR Consulte a Proposta de Adesão com as regras específicas do Plano de Serviços escolhido. TERMO DE ADESÃO AO SERVIÇO SEM PARAR Consulte a Proposta de Adesão com as regras específicas do Plano de Serviços escolhido. 1. DAS DEFINIÇÕES 1.1. São aplicáveis as seguintes definições: (I) AUTOATENDIMENTO:

Leia mais

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO APLUBCAP POPULAR 200 MODALIDADE POPULAR PAGAMENTO MENSAL CONDIÇÕES GERAIS

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO APLUBCAP POPULAR 200 MODALIDADE POPULAR PAGAMENTO MENSAL CONDIÇÕES GERAIS I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A. CNPJ: 88.076.302/0001-94 APLUBCAP POPULAR 200 MODALIDADE: POPULAR PROCESSO SUSEP Nº: 15414.900570/2013-30 II - GLOSSÁRIO Subscritor

Leia mais

Resolução CTC Nº 001/2013. O CONSELHO TÉCNICO CONSULTIVO, no uso de suas atribuições regimentais (artigo 07 do Regimento Interno),

Resolução CTC Nº 001/2013. O CONSELHO TÉCNICO CONSULTIVO, no uso de suas atribuições regimentais (artigo 07 do Regimento Interno), Resolução CTC Nº 001/2013. Aprova a atualização do Regulamento da Biblioteca da Faculdade de Tecnologia Darcy Ribeiro. O CONSELHO TÉCNICO CONSULTIVO, no uso de suas atribuições regimentais (artigo 07 do

Leia mais

CONDOMÍNIO ROSSI IDEAL JACARANDÁS REGULAMENTO INTERNO

CONDOMÍNIO ROSSI IDEAL JACARANDÁS REGULAMENTO INTERNO INTRODUÇÃO CONDOMÍNIO ROSSI IDEAL JACARANDÁS REGULAMENTO INTERNO O presente instrumento constitui o Regulamento Interno do Condomínio Rossi Ideal Jacarandás, regido pelas disposições da lei 4591 de 16/12/64

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008 REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA

FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008 REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008 REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA Revisão 00 31/08/2009 Edição inicial Revisão 01 29/06/2011 - Nova redação para o Cap. I,

Leia mais

REGULAMENTO DA PORTARIA - DOS LOCAIS DE ACESSO AO CLUBE. - DOCUMENTOS A SEREM EXIGIDOS.

REGULAMENTO DA PORTARIA - DOS LOCAIS DE ACESSO AO CLUBE. - DOCUMENTOS A SEREM EXIGIDOS. REGULAMENTO DA PORTARIA INDICE CAPÍTULO I CAPÍTULO II CAPÍTULO III - DO OBJETIVO. - DOS LOCAIS DE ACESSO AO CLUBE. - DOCUMENTOS A SEREM EXIGIDOS. 1. Dos sócios titulares, seus dependentes e acompanhantes

Leia mais

MANUAL DE NORMAS COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO

MANUAL DE NORMAS COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO MANUAL DE NORMAS COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO VERSÃO: 31/3/2011 2/12 MANUAL DE NORMAS COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO SEGUNDO DAS DEFINIÇÕES 3 CAPÍTULO

Leia mais

DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

DAS DISPOSIÇÕES GERAIS ANEXO À RESOLUÇÃO Nº 490, DE 24 DE JANEIRO DE 2008 REGULAMENTO DE CONSELHO DE USUÁRIOS DO STFC CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Este Regulamento estabelece as regras básicas para implantação,

Leia mais

MODELO REGIMENTO INTERNO CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO... REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I - DEFINIÇÃO DO CONDOMÍNIO

MODELO REGIMENTO INTERNO CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO... REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I - DEFINIÇÃO DO CONDOMÍNIO MODELO REGIMENTO INTERNO CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO... REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I - DEFINIÇÃO DO CONDOMÍNIO Art. 1º - O presente Regulamento Interno, do Condomínio do Edifício, aprovado em Assembléia Geral

Leia mais

Regulamento da Promoção TEST LIFE EVEN

Regulamento da Promoção TEST LIFE EVEN Regulamento da Promoção TEST LIFE EVEN A) DO TEST LIFE 1. A presente promoção é realizada pela EVEN CONSTRUTORA E INCORPORADORA S/A, por si e pelas empresas de seu grupo econômico, doravante GRUPO EVEN,

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa RESOLUÇÃO DE MESA N.º783/2007. (publicada no DOE nº 194, de 11 de outubro de 2007) Define as políticas para o uso

Leia mais

Art. 1.331. Pode haver, em edificações, partes que são propriedade exclusiva, e partes que são propriedade comum dos condôminos.

Art. 1.331. Pode haver, em edificações, partes que são propriedade exclusiva, e partes que são propriedade comum dos condôminos. Lei do Condomínio 10.406/2002 CAPÍTULO VII Do Condomínio Edilício Seção I Disposições Gerais Art. 1.331. Pode haver, em edificações, partes que são propriedade exclusiva, e partes que são propriedade comum

Leia mais

REGULAMENTO PROGRAMA SEMPRE TORCEDOR

REGULAMENTO PROGRAMA SEMPRE TORCEDOR REGULAMENTO PROGRAMA SEMPRE TORCEDOR Edição: 1.1. Data de aprovação: 19 de Janeiro de 2011, Revogam-se todos os regulamentos ou resoluções do PROGRAMA SEMPRE TORCEDOR anteriores a esta edição e data. Nota:

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE FRANCA Secretaria de Planejamento e Gestão Econômica Divisão de Licitações e Compras Contrato nº 081/2007 Fls.

PREFEITURA MUNICIPAL DE FRANCA Secretaria de Planejamento e Gestão Econômica Divisão de Licitações e Compras Contrato nº 081/2007 Fls. Contrato nº 081/2007 Fls. 1 MINUTA TERMO DE CONTRATO Convite de Preços n.º 081/07 Processo n.º 11784/05 Objeto: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE DESCUPINIZAÇÃO DO PREDIO E ACERVO DO

Leia mais

Regulamento da Colônia de Férias e Lazer da ASRUNESP Associação dos Servidores da Reitoria da UNESP

Regulamento da Colônia de Férias e Lazer da ASRUNESP Associação dos Servidores da Reitoria da UNESP ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES DA REITORIA DA UNESP Alameda Santos, 647 CEP. 01419 901 Fone Fax 3141 9410 Sede Própria Regulamento da Colônia de Férias e Lazer da ASRUNESP Associação dos Servidores da Reitoria

Leia mais

Contrato de Adesão CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO (STFC)

Contrato de Adesão CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO (STFC) Contrato de Adesão CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO (STFC) O texto deste Contrato foi submetido à aprovação da Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL, estando sujeito a

Leia mais

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSSUNTOS JURÍDICOS

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSSUNTOS JURÍDICOS DECRETO N o 525, DE 11 DE JULHO DE 2013. Regulamenta a utilização de veículos oficiais pela administração direta e indireta do Município de Palmas. O PREFEITO DE PALMAS, no uso de suas atribuições que

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008 REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA

FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008 REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008 REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA Revisão 00 31/08/2009 Edição inicial Revisão 01 29/06/2011 - Nova redação para o Cap. I,

Leia mais

DECRETO Nº 4.498, DE 26 DE SETEMBRO DE 2012.

DECRETO Nº 4.498, DE 26 DE SETEMBRO DE 2012. DECRETO Nº 4.498, DE 26 DE SETEMBRO DE 2012. Estabelece o Regulamento Interno da Biblioteca Pública Municipal Santos Dumont, e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE, Estado de Santa Catarina,

Leia mais