Transcrição da Entrevista

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Transcrição da Entrevista"

Transcrição

1 Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex praticante David Local: Núcleo de Arte Neblon Data: Horário: 13h55 Duração da entrevista: 1h. COR PRETA - Relatos do Entrevistado COR VERDE - Comentários da Entrevistadora Bom, estamos aqui no Núcleo de Arte Leblon, hoje é 11 de Novembro são 5 para as duas, estamos aqui para entrevistar o David David você tem quantos anos? 20 anos. 1. O que é que a Dança significa para você? Bem, é melhor contar como começou, né?! Eu primeiro entrei para o Teatro, eu desenhava desde pequeno aí uma coisa levou à outra para fazer teatro aí no núcleo de arte o professor Flávio me mandou fazer dança também para complementar o teatro...aí o professor Flávio me mandou ir para a contemporânea e aí eu comecei a fazer aula com a Raquel. Ah a Raquel (...) Daí dentro do contemporâneo eu comecei a fazer aulas de jazz e ballet nas aulas de lá pra cá e, depois eu conheci um grupo de Hip Hop onde eu me identifiquei muito aí eu tive saindo do lado contemporâneo e ballet indo para o Hip Hop mas nunca tinha deixado de fazer as 2 coisas ao mesmo tempo. O que é que a dança significa para mim? É tudo eu não conseguiria viver sem a dança é simplesmente isso eu já tentei largar pensar Ah 1

2 eu preciso ganhar grana e não funciona assim é simplesmente eu não consigo parar de fazer às vezes o pessoal questiona você trabalha de quê? aí eu danço não mas trabalha de quê? não é uma coisa só é uma coisa meio chato de trabalhar com dança você não ganha nada 2. Você percebe se a dança te ajudou a modificar a sua vida? De que forma? Ajudou muito muito. De que forma? A Dança mudou toda perspectiva de vida eu nunca fui um garoto muito normal de pensar como é que eu vou viver daqui para frente e sei lá eu vou conseguir ganhar dinheiro sem estar atrás de uma mesa o resto da minha vida mexendo no computador teclando uma tecla isso não, e é isso que a dança fez na minha vida mudou, a perspectiva me colocou num foco. Num foco que é o foco artístico. O foco artístico que é de seguir a dança, dar aulas e eu gosto muito de dar aulas e e...ela te deu uma luz que você precisava seguir enquanto carreira né? Entendi. Sim, Não na dança, é como se assim que eu entrava na sala de dança já era outra coisa, a professora falava tenta fazer uma coisa assim aí já fazia era como se fosse já estivesse uma coisa ali guardada esperando para sair Ah tá! Só no comportamento mesmo da gente é social com os amigos com os outros que tipo eu era mais recatado uma criança meio submissa meio quieta e a dança tipo acabou...transforma você, né?! Sim.. Então vamos falar disso, essas são as transformações emocionais, você não falou antes, você teve transformações na verdade você era uma pessoa muito tímida e inibida na dança correto? Sim, muito tímido e houve essa mudança mesmo fiquei mais espontâneo na Dança. Você percebe que fazer dança mudou em alguma coisa na sua relação com o seu corpo? Tá, e você pensou que fazer dança mudou alguma coisa em relação com o seu corpo? Sim. A forma de ver seu corpo. Tem duas coisas tipo que mudou muito, o corpo realmente muda quando você dança você não é a mesma pessoa depois de 5 anos de ballet com certeza não é completamente outra e percepção corporal também é você não cai mais uma pessoa normal na rua você cai você não se machuca o pessoal fica como você faz isso? é percepção você sabe aonde todas 2

3 as partes do seu corpo estão você levanta uma braço você fala levante um braço está todo mole é você sabe onde está tudo Dançar no núcleo trouxe sensações de melhor convivência com as pessoas que frequentaram o Núcleo de Arte na sua época? Ah sim com certeza, eu sou uma pessoa muito mais sociável desde que comecei a dançar que é aquele convívio de você com o outro para fazer tudo fluir no final do ano a dança contemporânea tem muito disso de você se colocar no lugar do outro o corpo do outro tentar ser o mesmo corpo que você ou não sabe?! Sempre pensar eu o outro o grupo. 3. Você acha que a experiência de dançar possibilitou em você novas formas de sentir e expressar seus sentimentos e emoções? De exemplos? A probabilidade da dança é igual a qualquer arte que você faça transforma a visão que você tem uma pessoa leiga não olha com os mesmos olhos que um bailarino olha quando vê um espectáculo é a mesma coisa de alguém que faz parcourt não vai caminhar na rua olhando para a frente vai olhar para o banco vai olhar de uma trave que tem no meio do caminho e vai imaginar um milhão de coisas é que nem...eu via a possibilidade de imaginação de percepção das pessoas Isso, a gente vai gerar mil e outras coisas É muito sensível né? Sim exacto, é a sensibilidade essa é a palavra certa muda a sensibilidade viramos pessoas mais sensíveis dizem né?! Que o bailarino é uma pessoa melhor Está bom Diego, mais alguma coisa? Não...eu acho que faltava só um pouco mais de teoria não só no núcleo mas como literalmente no Brasil quem é dança precisa de saber de onde veio e para onde vai. Você acha que a experiência de dançar possibilitou melhoras no seu comportamento junto a família e a comunidade? Sim, eu procuro sempre isso na minha dança, no final do dia jogo tudo na dança e ela è capaz de desestressar ou estou muito feliz e aproveito para fazer ou por exemplo vou fazer um espectáculo aí eu busco nas minhas próprias vivencias colocar aquilo para dentro para ter toda uma interface das coreografias. 3

4 4. Você percebe se a dança pode ser um caminho para as pessoas terem uma profissão e serem reconhecidas na vida em sociedade? É danço há muito tempo Então você acha que (...) fala um pouquinho disso para mim então. Alem do mais, é o que eu sempre digo, eu conheço alguma pessoa que já me conhece e isso é muito estranho é você oi meu nome é David eu sei já te conhecia você dançou em tal lugar é você estava lá? Então olha (risos). Você mora aqui perto? Eu moro na Rocinha aqui do lado. Ah sim, então você já era...na comunidade todo mundo que passava me reconhecia como uma pessoa que dançava e dançava no núcleo porque eu dançava em muitos lugares e fiquei conhecido, assim ela acabou trazendo reconhecimento. 5. O Núcleo de Arte é importante para você? Por quê? De exemplos de algumas experiências que foram muito importantes para o seu crescimento? Ah sim! Importante não só pela dança, pelo teatro, pelo o que ofereceu mas pela pessoas que as professoras são óptimas eu fiquei super amigo da Lara que é diretora daqui da Tania, a Raquel também entre outros gente da casa os professores tudo são muito... Abertos... É não vira para mais a relação professor-aluno é uma comunidade todo o mundo junto entendeu?! A gente trabalha quando eu dançava aqui a gente trabalhava até ao final do ano para conseguir o que a gente queria que era fazer um grande espectáculo conseguir juntar uma galera boa e fazer uma coisa com conteúdo para mostrar ter bons resultados e depois colher os frutos que é para o ano que vem sempre vem o ah o aluno que fez o ano passado legal bora lá faz uma coisinha para a dança entendeu?! Então com certeza 6. Então o trabalho aqui é muito o trabalho com a comunidade? Exacto, não é a mesma coisa que numa escola você senta e você assiste o professor não o professor está sempre interagindo com você e vira a gente vira numa só Você foi aluno do município também né? Sim, fui aluno no particular e no município. 4

5 Você percebe que participar das atividades do Núcleo de Arte transformou sua vida em casa? De que forma? Completamente através da Dança eu mudei tudo em mim, o meu jeito de ser, meu comportamento melhorou, minhas notas na escola. Enfim gostei tanto da Dança que ela transformou minha vida em casa, inclusive porque meus pais passaram a assistir minhas apresentações e isso me trouxe muita felicidade. Ficava emocionado ao vê-los na plateia. E minha mãe sempre me incentivou com a dança então sempre Você acha que o fato de dançar no núcleo de arte contribuiu para melhorar sua convivência em sociedade? Sim acho que melhorou muito porque aqui fiz amigos e essas amizades continuam até hoje. E também pelas apresentações fiquei conhecido no bairro e conheci outras pessoas. Então ampliou minha rede de amizades. 8. O Núcleo de Arte é considerado um local que te ajudou a você se modificar? Ou seja, você viu nele novas possibilidades de desenvolvimento artístico e profissional? De que forma? Sim, eu luto por isso...eu não...aqui dentro do Brasil é difícil mas eu é por onde eu estou lutando o único ruim é que aqui a dança era meio jogada então muita gente não tem foco do que fazer a pessoa toda que faz dança ela é quase que predestinada a acabar e dar aula não tem outros... Não tem outras opções e ir para uma companhia?! Exacto não tem por exemplo você ir para uma companhia é difícil tem mas é difícil sabe?! Você pode ser pesquisador da dança e isso é difícil porque o pessoal não...é muito difícil mestrado em dança Aqui na Bahia, concordo E aí são poucas pessoas o lugar que você encontra o pessoal daqui que está concentrado é o pessoal do Centro Coreográfico que é onde tipo junta o pessoal que está especializado nessa parte são poucas vertentes para você 9. Você percebe que participar das atividades do Núcleo de Arte transformou sua vida em casa? De que forma? 5

6 Sim mudou muito, porque eu mudei muito com a Dança e isso se refletiu lá em casa, os meus familiares me apoiam muito na Dança, eles sempre vem me assistir e incentivam eu fazer uma faculdade de Dança, vamos ver! 10. Você acha que a sua comunidade ou comunidade local na sua época estava envolvida com os eventos do núcleo? Se a resposta foi negativa o que você acha que faltava para ela participar mais das atividades e apresentações do Núcleo de Arte? Sim era, também tinha Dança na escola e os professores se conheciam Mas tinha alguma relação aqui? Os professores apresentavam, trabalham lá e lá aqui? Tinha trabalhos da escola lá que foram apresentados aqui no núcleo de arte que aqui sempre abriu um espaço que não só para o pessoal daqui mas também o pessoal de fora mostrar o seu trabalho e também do pessoal daqui com o núcleo de arte é um trabalho muito bom a gente sempre levava para apresentar a eles muitos muitos lugares e um deles era a escola também contribui por exemplo você fazendo dança você ganha uma disciplina também então melhora por exemplo o estudo eu melhorei muito depois que entrei na dança eu era uma criança muito difícil de concentrar Outra transformação? Sim outra transformação. Você que está falando ao longo da entrevista Ah porque na verdade você sempre procura alguém para se espelhar e quando entrei na dança queria ser um dançarino, eu fui me espelhar na professora de Dança que é um exemplo de pessoa, de profissional e de bailarina, sabe?! Agora me considero um bom profissional. 11. Na sua percepção, a sua ex professora de dança do NAPRJ teve papel importante no seu crescimento pessoal e artístico? Por quê? Então é isso a Raquel realmente foi uma pessoa muito importante não só ela como todos os professores do núcleo eu também tive aula com a Lara e com a Gabrielaia sempre me incentivaram a fazer por exemplo na época quando eu entrei no circo para fazer tecido ela super me motivou foi a época que eu entrei para o...como se chama isso...não eu sempre tive uma vantagem corporal que eu sou muito flexível e foi na época que eu entrei para contorção e sempre teve um contacto do tipo... Essa flexibilidade você sempre teve? 6

7 Sempre sempre é genética só que óbvio a gente trabalha muito também para conseguir ter algo mais na dança Aí você foi fazer o tecido 12. O que de mais importante aprendeu nas aulas de dança? De mais importante? Já você achou de tão importante Eu acho que a coisa que tem de mais importante não literalmente o que aprendi nas aulas de dança é que aprendi também mas é o mais importante que aprendi na dança para mim é a historia que está por trás por trás das coreografias por trás do espectáculo por trás do bailarino e é uma coisa a gente sempre tenta mostrar se mostrar fazer uma coreografia toda quadrada de um 7/8 que já ainda estipulou logo aquilo que é super fechadinha mas tem algo de você sempre tem algo de você não importa o que você faça você pode ter à mesma um bailarino pode ter à mesma linha um do outro pode estar fazendo os mesmos movimentos pode estar a dar o mesmo tanto de piruetas mas a emoção que ele transmite não é a mesma nunca vai ser a mesma 13. O que menos lhe agrada nas aulas de dança e por quê? E o que menos lhe agradou nas aulas de dança Menos me agradou? É você acha que achou no época que você não gostava? Sim, gente que não tinha o mesmo pensamento o meu, eu não gostava de gente que estava na aula de dança e não queria ser dançarino, tem gente que faz e nem é por hobby Para ocupar o tempo ocioso É para ocupar o tempo ocioso e isso me chateava bastante porque atrapalhava no final do trabalho é gente que vinha para namorar para bater papo não é que essas coisas não sejam importantes porque é um convívio social mas atrapalhava na hora da dança 14. Você acha que o fato de dançar no núcleo de arte contribuiu para melhorar sua convivência em sociedade? 7

8 Ah sim!! Com certeza! Não só a parte tipo de ter as aulas mas como eu falei com os professores de aqui a gente vira uma família e passa a ser como um...como quando a gente tem um contacto todo os mundo da dança aqui tem que contactos para fazer os trabalhos e acaba que os nossos professores são nossos contactos porque eles conhecem todo o mundo e eles indicam é como tipo tentar ajudar quem é da família sabe?! Como é que foi essa história de você montar um grupo? Conta para mim um pouquinho Sim, eu fui daqui do núcleo de arte aí depois eu fui para o ballet da Lanscar, depois do ballet da Lanscar eu entrei numa CRIO que a (...) criou (...) Onde fica? A organização CRIO é do Botafogo a gente treina em muitos muitos lugares porque Break Dance você dá uma olhada na história é assim em qualquer lugar é hora e é hora em qualquer lugar daí de um tempo para cá meio ano para cá eu estou com um projecto tipo montar uma coisa de verdade só com pessoal que quer porque realmente a dança aqui no Brasil (..) É difícil mas tem que ter interesse né?! tem que colaborar É difícil e tem muita gente que fica desmotivada então encontrar as mesmas pessoas que têm o mesmo foco que você acaba se tornando uma coisa difícil Desses interesses comuns Exacto, e esse grupo é basicamente isso é um grupo que eu estou tentatdo montar agora que eu estou tirando a minha carteira do sindicato da Dança para ficar comprovado que eu trabalho com isso montar um grupo só com o pessoal que eu realmente quer que realmente trabalha para isso que estuda que dança só por dançar que sabe o nome dos passos que sabe de onde veio que sabe para onde vai que sabe o que quer 15. O que te motivou a seguir a carreira de Dança? Ah sim, o grupo que era tipo a sala era meio que dividida em grupos e tinha um grupo que era focado na dança o grupo de gente que não queria nada ou o grupo de gente que veio para confraternizar não queria nada mas pelo menos não queria levar aquilo para a vida mas pelo menos estavam fazendo e esse grupo que estava comigo a maioria seguiu o pessoal que veio dançar só como hobby teve muita gente que disse não agora eu gosto disso e veio para o nosso grupinho 8

9 E entrou depois que bom né?! ficou sendo um referencial Exacto, isso acontece isso acontece muito gente que entra por exemplo numa aula de pilates na académia aí gostam de dançar e vai para uma escola de dança e olha sou boa nisso isso aí daqui a pouco está dando aula acontece 9

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex Praticante Denise Local: Núcleo de Arte Albert Einstein Data: 03.12.2013 Horário: 10 h30 Duração da entrevista: 1h.

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Praticante Fabrício Local: Núcleo de Arte do Neblon Data: 26.11.2013 Horário: 14h30 Duração da entrevista: 20min COR PRETA

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Praticante Sonia Local: Núcleo de Arte Nise da Silveira Data: 5 de dezembro de 2013 Horário: 15:05 Duração da entrevista:

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Praticante Igor Local: Núcleo de Arte Nise da Silveira Data: 05 de dezembro de 2013 Horário: 15:05 Duração da entrevista:

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex Praticante Iago Local: Núcleo de Arte Copacabana Data: 29.11.2013 Horário: 9h25 Duração da entrevista: 1h. COR PRETA

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex Praticante Danilo Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 08.10.2013 Horário: 14 h Duração da entrevista: 1h. COR PRETA

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Praticante Maria Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 01.10.2013 Horário: 14h09 Duração da entrevista: 22min COR PRETA -

Leia mais

Suelen e Sua História

Suelen e Sua História Suelen e Sua História Nasci em Mogi da Cruzes, no maternidade Santa Casa de Misericórdia no dia 23 de outubro de 1992 às 18 horas. Quando eu tinha 3 anos de idade fui adotada pela tia da minha irmã, foi

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Diretor André Local: Núcleo de Arte Albert Einstein Data: 24/09/2012 Horário: 14h Duração da entrevista: 1h. COR PRETA

Leia mais

MÃE, QUANDO EU CRESCER...

MÃE, QUANDO EU CRESCER... MÃE, QUANDO EU CRESCER... Dedico este livro a todas as pessoas que admiram e valorizam a delicadeza das crianças! Me chamo Carol, mas prefiro que me chamem de Cacau, além de ser um apelido que acho carinhoso,

Leia mais

Olhando o Aluno Deficiente na EJA

Olhando o Aluno Deficiente na EJA Olhando o Aluno Deficiente na EJA ConhecendoJoice e Paula Lúcia Maria Santos Tinós ltinos@ffclrp.usp.br Apresentando Joice e Paula Prazer... Eu sou a Joice Eu sou a (...), tenho 18 anos, gosto bastante

Leia mais

Anexo 1 Versão Provisória do Questionário. Questionário Corpo, Dança e Comunidade.

Anexo 1 Versão Provisória do Questionário. Questionário Corpo, Dança e Comunidade. Anexo 1 Versão Provisória do Questionário Questionário Corpo, Dança e Comunidade. Este questionário faz parte de um estudo de Doutorado em Dança associado à Faculdade de Motricidade Humana (Lisboa, Portugal)

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Professora: Valéria Local: Núcleo de Arte Nise da Silveira Data: 12 de dezembro de 2012 Horário: 7:52 Duração da entrevista:

Leia mais

Minha História de amor

Minha História de amor Minha História de amor Hoje eu vou falar um pouco sobre a minha história de amor! Bem, eu namoro à distância faz algum tempinho. E não é uma distância bobinha não, são 433 km, eu moro em Natal-Rn, e ela

Leia mais

Anexo Entrevista G2.5

Anexo Entrevista G2.5 Entrevista G2.4 Entrevistado: E2.5 Idade: 38 anos Sexo: País de origem: Tempo de permanência em Portugal: Feminino Ucrânia 13 anos Escolaridade: Imigrações prévias: --- Ensino superior (professora) Língua

Leia mais

Anexo 2.2- Entrevista G1.2

Anexo 2.2- Entrevista G1.2 Entrevistado: E1.2 Idade: Sexo: País de origem: Tempo de permanência 53 anos Masculino Cabo-Verde 40 anos em Portugal: Escolaridade: 4ª classe Imigrações prévias : -- Língua materna: Outras línguas: Agregado

Leia mais

Não Fale com Estranhos

Não Fale com Estranhos Não Fale com Estranhos Texto por: Aline Santos Sanches PERSONAGENS Cachorro, Gato, Lobo, Professora, Coelho SINOPSE Cachorro e Gato são colegas de classe, mas Gato é arisco e resolve falar com um estranho.

Leia mais

TRANSCRIÇÃO PRÉVIA PROJETO PROFALA TRANSCRITOR(A): Késsia Araújo 65ª ENTREVISTA (J.D.T.S) Cabo Verde

TRANSCRIÇÃO PRÉVIA PROJETO PROFALA TRANSCRITOR(A): Késsia Araújo 65ª ENTREVISTA (J.D.T.S) Cabo Verde TRANSCRIÇÃO PRÉVIA PROJETO PROFALA TRANSCRITOR(A): Késsia Araújo 65ª ENTREVISTA (J.D.T.S) Cabo Verde PERGUNTAS METALINGUÍSTICAS Doc.: J. quais são as línguas que você fala " Inf.: eu " (+) inglês né falo

Leia mais

Integração entre Serviços e Benefícios. VI Seminário Estadual de Gestores e trabalhadores da Política de Assistência Social Santa Catariana/ 2015

Integração entre Serviços e Benefícios. VI Seminário Estadual de Gestores e trabalhadores da Política de Assistência Social Santa Catariana/ 2015 Integração entre Serviços e Benefícios VI Seminário Estadual de Gestores e trabalhadores da Política de Assistência Social Santa Catariana/ 2015 A desproteção e a vulnerabilidade são multidimensionais

Leia mais

AS MELHORES PRÁTICAS PARA ATRAIR CLIENTES PARA O SEU NEGÓCIO

AS MELHORES PRÁTICAS PARA ATRAIR CLIENTES PARA O SEU NEGÓCIO AS MELHORES PRÁTICAS PARA ATRAIR CLIENTES PARA O SEU NEGÓCIO João Carlos Nunes INTRODUÇÃO Não interessa se você tem uma academia, um estúdio ou mesmo se é um treinador pessoal, o seu negócio não teria

Leia mais

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ALINE PELLEGRINO II

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ALINE PELLEGRINO II CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ALINE PELLEGRINO II (depoimento) 2014 FICHA TÉCNICA ENTREVISTA CEDIDA PARA PUBLICAÇÃO NO REPOSITÓRIO DIGITAL

Leia mais

Real Brazilian Conversations #20 Premium PDF Guide Brazilian Portuguese Podcast, by RLP reallylearnportuguese.com

Real Brazilian Conversations #20 Premium PDF Guide Brazilian Portuguese Podcast, by RLP reallylearnportuguese.com Subjects on this conversation: The city of Belo Horizonte Minas Gerais state. Context: In this conversation André and Guilherme talk about the city of Belo Horizonte, in Minas Gerais state. Cultural notes,

Leia mais

Real Brazilian Conversations #21 Premium PDF Guide Brazilian Portuguese Podcast, by RLP reallylearnportuguese.com

Real Brazilian Conversations #21 Premium PDF Guide Brazilian Portuguese Podcast, by RLP reallylearnportuguese.com Subjects on this conversation: How it is like to live in Uberlândia MG. Context: In this conversation André talks to his aunt Edmárcia, about the city of Uberlândia, in Minas Gerais state. She tells us

Leia mais

Em Círculos. Mateus Milani

Em Círculos. Mateus Milani Em Círculos Mateus Milani Que eu não perca a vontade de ter grandes amigos, mesmo sabendo que, com as voltas do mundo, eles acabam indo embora de nossas vidas Ariano Suassuna. Sinopse Círculos. A vida

Leia mais

1.começo Eu Isabel franca moro com minha mãe chamada Helen,moramos numa cidade chamada nova lux gosto muito de morar com minha mãe mas o marido dela

1.começo Eu Isabel franca moro com minha mãe chamada Helen,moramos numa cidade chamada nova lux gosto muito de morar com minha mãe mas o marido dela anoitecer 1.começo Eu Isabel franca moro com minha mãe chamada Helen,moramos numa cidade chamada nova lux gosto muito de morar com minha mãe mas o marido dela chamado pio,bom o cara e legal mas tem um

Leia mais

P/1 E qual a data do seu nascimento? Eu te ajudo. Já te ajudo. Dia 30 de março de 1984.

P/1 E qual a data do seu nascimento? Eu te ajudo. Já te ajudo. Dia 30 de março de 1984. museudapessoa.net P/1 Então, vamos lá. Eu queria que você me falasse seu nome completo. R Meu nome é Karen Fisher. P/1 E onde você nasceu, Karen? R Eu nasci aqui no Rio, Rio de Janeiro. P/1 Na cidade mesmo?

Leia mais

Parte Um Minha_Vida_Agora.indd 7 Minha_Vida_Agora.indd 7 11/06/ :19:05 11/06/ :19:05

Parte Um Minha_Vida_Agora.indd 7 Minha_Vida_Agora.indd 7 11/06/ :19:05 11/06/ :19:05 Parte Um Minha_Vida_Agora.indd 7 11/06/2012 16:19:05 Minha_Vida_Agora.indd 8 11/06/2012 16:19:06 1 Meu nome é Elizabeth, mas ninguém nunca me chamou assim. Meu pai deu uma olhada em mim quando nasci e

Leia mais

Superando Seus Limites

Superando Seus Limites Superando Seus Limites Como Explorar seu Potencial para ter mais Resultados Mini Curso Parte I As Forças que controlam a sua vida Página 2 de 6 Como te falei, essa é a primeira etapa do mini-curso Superando

Leia mais

Aexo 3 Dados das entrevistas do grupo 1

Aexo 3 Dados das entrevistas do grupo 1 Aexo 3 Dados das entrevistas do grupo 1 Grupo I Informantes idade Sexo profissão Escolarida de Tempo de imigração em Portugal Língua materna E1.1 51 anos Masc. -- 6ª classe 40 anos Crioulo cv E1.2 53 anos

Leia mais

Meu nome é César e hoje começam minhas aulas numa nova escola. Por causa disso, estou de péssimo

Meu nome é César e hoje começam minhas aulas numa nova escola. Por causa disso, estou de péssimo 1. Meu nome é César e hoje começam minhas aulas numa nova escola. Por causa disso, estou de péssimo humor. Todo ano é a mesma coisa: tenho que trocar de escola, de colegas, de professores, de bairro e,

Leia mais

O SEGUIDOR DE GAROTAS SENSÍVEIS. Peça de uma única cena

O SEGUIDOR DE GAROTAS SENSÍVEIS. Peça de uma única cena O SEGUIDOR DE S SENSÍVEIS Peça de uma única cena PERSONAGENS: ENTRA. VEM ATRÁS. SE VIRA Ei, cara! Você quer parar de me seguir! Eu não estou te seguindo. Como não? Faz tempo que você me segue. É verdade.

Leia mais

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS CHRISTOPHER PAUL MCPHERSON (depoimento) 2013 CEME-ESEF-UFRGS FICHA TÉCNICA Projeto:

Leia mais

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS RODRIGO DOS SANTOS

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS RODRIGO DOS SANTOS CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS RODRIGO DOS SANTOS (depoimento) 2013 CEME-ESEF-UFRGS FICHA TÉCNICA Projeto:

Leia mais

FICHA SOCIAL Nº 123 INFORMANTE: SEXO: IDADE: ESCOLARIZAÇÃO: LOCALIDADE: PROFISSÃO: DOCUMENTADORA: TRANSCRITORA: DIGITADORA: DURAÇÃO:

FICHA SOCIAL Nº 123 INFORMANTE: SEXO: IDADE: ESCOLARIZAÇÃO: LOCALIDADE: PROFISSÃO: DOCUMENTADORA: TRANSCRITORA: DIGITADORA: DURAÇÃO: FICHA SOCIAL Nº 123 INFORMANTE: M.A.M.B. SEXO: Masculino IDADE: 27 anos - Faixa II ESCOLARIZAÇÃO: 9 a 11 anos (2º grau incompleto) LOCALIDADE: Batateira - Zona Urbana PROFISSÃO: Comerciante DOCUMENTADORA:

Leia mais

O Poder da Sua Mente!

O Poder da Sua Mente! O Poder da Sua Mente! Se você acredita que pode, então você pode. Se você acredita que não pode, você está certa. Mary Kay Ash Quem sou eu? Juliana David Yamazaki Diretora Sênior de Vendas Independente

Leia mais

AURORA O CANTONOVELA Luiz Tatit

AURORA O CANTONOVELA Luiz Tatit AURORA O CANTONOVELA Luiz Tatit A) Marcando compasso Oi, estou aqui outra vez Esperando por ela, esperando Você lembra como ela era antes? Você marcava algum encontro A qualquer hora Lá estava ela: Aurora!

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Professora: Cloudine Local: Núcleo de Arte Albert Eistein Data: 18 de junho Horário: 14h Duração da entrevista: 18min.

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 3 Data: 18/10/2010 Hora: 19h00 Duração: 22:25 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

Identificação. ML01 Duração da entrevista 21:39 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1953 (59) Local de nascimento/residência

Identificação. ML01 Duração da entrevista 21:39 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1953 (59) Local de nascimento/residência 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 Identificação ML01 Duração da entrevista 21:39 Data da entrevista 4-8-2012 Ano de nascimento (Idade) 1953 (59) Local de nascimento/residência

Leia mais

a confusão do final do ano e as metas para o próximo

a confusão do final do ano e as metas para o próximo o que fazer se o ano que passou foi ruim? o que fazer nesse próximo ano? a confusão do final do ano e as metas para o próximo Enéas Guerriero www.equilibriocontinuo.com.br O que vamos falar hoje? 1) Estresse

Leia mais

Os Principais Tipos de Objeções

Os Principais Tipos de Objeções Os Principais Tipos de Objeções Eu não sou como você" Você tem razão, eu não estou procurando por pessoas que sejam como eu. Sou boa no que faço porque gosto de mim como eu sou. Você vai ser boa no que

Leia mais

A conta-gotas. Ana Carolina Carvalho

A conta-gotas. Ana Carolina Carvalho A conta-gotas Ana Carolina Carvalho Agradeço a Regina Gulla pela leitura atenta e pelas sugestões. Para minha mãe, pela presença. Para Marina, minha afilhada, que quis ler o livro desde o começo. 1 A

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Diretora Érika Local: Núcleo de Avenida dos Desfiles Data: 11.12.2012 Horário: h Duração da entrevista: 1h. COR PRETA

Leia mais

Produzido para você por:

Produzido para você por: Produzido para você por: www.fbultimate.com.br Sobre Felipe Moreira: 1º WORKSHOP DE VENDAS E LUCROS NO FACEBOOK Vídeo #1: As 4 Taxas de Ações Estúpidas Nesse primeiro vídeo do workshop você está vendo

Leia mais

Protocolo da Entrevista a Anália

Protocolo da Entrevista a Anália Protocolo da Entrevista a Anália 1 Pedia-lhe que me contasse o que lhe aconteceu de importante desde que acabou a licenciatura até agora. Então, eu acabei o 4.º ano da licenciatura e tinha o 5.º ano que

Leia mais

Identificação. F03 Duração da entrevista 18:12 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1974 (36) Local de nascimento/residência

Identificação. F03 Duração da entrevista 18:12 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1974 (36) Local de nascimento/residência 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 Identificação F03 Duração da entrevista 18:12 Data da entrevista 4-5-2011 Ano de nascimento (Idade) 1974 (36) Local de

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Professora: Lúcia Local: Núcleo de Arte Leblon Data:07/12/2013 Horário:15h Duração da entrevista: 31min. 7seg. COR PRETA

Leia mais

O criador de ilusões

O criador de ilusões O criador de ilusões De repente do escuro ficou claro, deu para ver as roupas brancas entre aventais e máscaras e foi preciso chorar, logo uma voz familiar misturada com um cheiro doce e agradável de

Leia mais

(18/04/2008) (EU): OIE BB (VC): OIIIIIIIIIIIIIII (EU): TUDO CERTO (VC): TUDO CERTIN.. (EU): CONSEGUINDO LEVAR A VIDA REAL A SERIO AGORA?

(18/04/2008) (EU): OIE BB (VC): OIIIIIIIIIIIIIII (EU): TUDO CERTO (VC): TUDO CERTIN.. (EU): CONSEGUINDO LEVAR A VIDA REAL A SERIO AGORA? (18/04/2008) (EU): OIE BB (VC): OIIIIIIIIIIIIIII (EU): TUDO CERTO (VC): TUDO CERTIN.. (EU): CONSEGUINDO LEVAR A VIDA REAL A SERIO AGORA? (VC): HUAHSUASHUAHSUAHSUA SEI LÁ (EU): ENTENDO TUDO NO REAL TA DESABANDO

Leia mais

Transcrição de Entrevista nº 10

Transcrição de Entrevista nº 10 Transcrição de Entrevista nº 10 E Entrevistador E10 Entrevistado 10 Sexo Feminino Idade 31 anos Área de Formação Engenharia Informática E - Acredita que a educação de uma criança é diferente perante o

Leia mais

REUNIÃO DE UNIDADE. Fernanda Marcella Araújo Diretora de Vendas Independente Mary Kay

REUNIÃO DE UNIDADE. Fernanda Marcella Araújo Diretora de Vendas Independente Mary Kay REUNIÃO DE UNIDADE Fernanda Marcella Araújo Diretora de Vendas Independente Mary Kay O QUE É UMA OBJEÇÃO? Ação de contestar, negar; É aquilo que se opõe; que se coloca do lado contrário; que se contesta.

Leia mais

Leitura e Mediação Pedagógica

Leitura e Mediação Pedagógica Protocolo Colaborador: 23 Leitura e Mediação Pedagógica S. Pesquisador: Helen Danyane Soares Caetano de Souza 04-set-10 Dentro de casa tem Transcrição (1) P: Bom dia S.? (2) C: Bom dia. (3) P: Tudo bem?

Leia mais

INQ Como é que surgiu a decisão de vir para França? Foi assim de um dia para o outro? Como é que decidiu vir para cá?

INQ Como é que surgiu a decisão de vir para França? Foi assim de um dia para o outro? Como é que decidiu vir para cá? Transcrição da entrevista: Informante: nº9 Célula: 3 Data da gravação: Agosto de 2009 Geração: 1ª Idade: 63 Sexo: Feminino Tempo de gravação: 11.58 minutos INQ Como é que surgiu a decisão de vir para França?

Leia mais

A minha vida sempre foi imaginar. Queria ter um irmãozinho para brincar...

A minha vida sempre foi imaginar. Queria ter um irmãozinho para brincar... O pequeno Will A minha vida sempre foi imaginar. Queria ter um irmãozinho para brincar... Então um dia tomei coragem e corri até mamãe e falei: - Mãeee queria tanto um irmãozinho, para brincar comigo!

Leia mais

Mestrado: 2º Ciclo em Ensino de Educação Física nos Ensinos Básico e Secundário Disciplina: Psicologia Educacional Docente: Doutor Nuno Corte Real

Mestrado: 2º Ciclo em Ensino de Educação Física nos Ensinos Básico e Secundário Disciplina: Psicologia Educacional Docente: Doutor Nuno Corte Real Mestrado: 2º Ciclo em Ensino de Educação Física nos Ensinos Básico e Secundário Disciplina: Psicologia Educacional Docente: Doutor Nuno Corte Real Tema: Elaboração de uma peça de teatro - Promoção da Saúde,

Leia mais

COMO TER SUA ESPOSA DE VOLTA

COMO TER SUA ESPOSA DE VOLTA COMO TER SUA ESPOSA DE VOLTA Trechos selecionados do livro Estratégias poderosas para fazê-la voltar para você. www.salveseucasamento.com.br Mark Love E-book gratuito Esse e-book gratuito é composto de

Leia mais

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS MARCELO CARABAGIALLE

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS MARCELO CARABAGIALLE CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS MARCELO CARABAGIALLE (depoimento) 2013 CEME-ESEF-UFRGS FICHA TÉCNICA Projeto:

Leia mais

TABUADA DAS OBJEÇÕES

TABUADA DAS OBJEÇÕES TABUADA DAS OBJEÇÕES Você já sentiu acuada, sem palavras ao ouvir alguma objeção de sua potencial iniciada!? As pessoas que você vai abordar são tão especiais quanto você e se elas disserem não, lembre-se

Leia mais

Leitura e Mediação Pedagógica

Leitura e Mediação Pedagógica Protocolo Colaborador: ######## 66 Leitura e Mediação Pedagógica AC Pesquisador: Paula Maria Cobucci Ribeiro Dias Transcrição (1) P: As coisas mudam ou não mudam? Olha só: tem umas coisas boas. Olha só.

Leia mais

E6- mais ou menos. Correu uma beca pó torto. E- Eu sei, a Laura disse-me, eu não tava nesse dia não puder ir. Gostavas que tivesse corrido melhor?

E6- mais ou menos. Correu uma beca pó torto. E- Eu sei, a Laura disse-me, eu não tava nesse dia não puder ir. Gostavas que tivesse corrido melhor? E- Vá, então eu queria-te perguntar sobre o teatro, o que é que tu achas do teatro. E6- Bué fixe. E- Ya e quando soubeste que ias fazer teatro ficaste contente ou triste? E6- Bué contente. E- Porquê? E6-

Leia mais

Altos da Serra - Capítulo Altos da Serra. Novela de Fernando de Oliveira. Escrita por Fernando de Oliveira. Personagens deste Capítulo

Altos da Serra - Capítulo Altos da Serra. Novela de Fernando de Oliveira. Escrita por Fernando de Oliveira. Personagens deste Capítulo Altos da Serra - Capítulo 03 1 Altos da Serra Novela de Fernando de Oliveira Escrita por Fernando de Oliveira Personagens deste Capítulo Altos da Serra - Capítulo 03 2 CENA 01. CAPELA / CASAMENTO. INTERIOR.

Leia mais

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS NILTON SANTOS DE ATHAYDE (depoimento) 2011 CEME-ESEF-UFRGS FICHA TÉCNICA Projeto:

Leia mais

Esta primeira sequência respeita a estrutura da sequência do Conrado que analisamos.

Esta primeira sequência respeita a estrutura da sequência do Conrado que analisamos. Esta primeira sequência respeita a estrutura da sequência do Conrado que analisamos. O template é adequado aos profissionais que podem (e querem) oferecer uma aula on-line, para fazer as vendas... ou seja,

Leia mais

ELA. por Raquel Schaedler. Peça para três personagens: O homem A mulher ELA

ELA. por Raquel Schaedler. Peça para três personagens: O homem A mulher ELA ELA por Raquel Schaedler Peça para três personagens: O homem A mulher ELA Você comeu? Comi. Você tá com fome? Um pouquinho. quer um miojo? Não. Você não tem um chocolate aí? Tenho. Tem? O que você tem?

Leia mais

Falará sobre o NTI auxiliando no processo de apoio às ações de ensino dos alunos, particularmente os alunos do Curso de Letras da UFAC.

Falará sobre o NTI auxiliando no processo de apoio às ações de ensino dos alunos, particularmente os alunos do Curso de Letras da UFAC. UFAC RBR-AC 31.10.2011 Falará sobre o NTI auxiliando no processo de apoio às ações de ensino dos alunos, particularmente os alunos do Curso de Letras da UFAC. [Se identificou, identificou o setor e o Diretor

Leia mais

July: Eu também! Achei o máximo as coisas que ela faz. Vou pedir para a minha mãe fazer umas roupinhas novas. Estou pensando até em montar um guarda-r

July: Eu também! Achei o máximo as coisas que ela faz. Vou pedir para a minha mãe fazer umas roupinhas novas. Estou pensando até em montar um guarda-r Série Ao infinito e além... Sua vida além das estrelas! 4 a 8 anos Aprendendo a Viver! Conceito Viver a vida como se fosse o melhor presente. Versículo-chave Não desperdicem nenhum pouco desta maravilhosa

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Professora Cíntia Local: Núcleo de Arte Nise da Silveira Data: 12.12.2012 Horário: 14h Duração da entrevista: 1h COR PRETA

Leia mais

A Procura. de Kelly Furlanetto Soares

A Procura. de Kelly Furlanetto Soares A Procura de Kelly Furlanetto Soares Peça escrita durante a Oficina Regular do Núcleo de Dramaturgia SESI PR. Teatro Guaíra, sob orientação de Andrew Knoll, no ano de 2012. 1 Cadeiras dispostas como se

Leia mais

A LOIRA DO CEMITÉRIO. Por JULIANO FIGUEIREDO DA SILVA

A LOIRA DO CEMITÉRIO. Por JULIANO FIGUEIREDO DA SILVA A DO CEMITÉRIO Por JULIANO FIGUEIREDO DA SILVA TODOS OS DIREITOS RESERVADOS RUA: ALAMEDA PEDRO II N 718 VENDA DA CRUZ SÃO GONÇALO E-MAIL: jfigueiredo759@gmail.com TEL: (21)92303033 EXT.PRAÇA.DIA Praça

Leia mais

Anexo 4- Dados das entrevistas do Grupo II

Anexo 4- Dados das entrevistas do Grupo II Anexo 4- Dados das entrevistas do Grupo II Grupo II Informantes idade Sexo profissão escolaridade Tempo de imigração em Portugal Língua materna E2.1 42 Masc. Jardineiro 12º 12 anos Ucraniano E2.2 62 Fem.

Leia mais

Pensamento Positivo. Pr. Rodrigo Moraes

Pensamento Positivo. Pr. Rodrigo Moraes Pensamento Positivo Pr. Rodrigo Moraes Pensamento Positivo Pastor Rodrigo Moraes Igreja Nova Aliança Ministério Atraindo Vidas Para Deus - AVD 2015 Prefácio Esta é uma obra com o intuito de mostrar com

Leia mais

*PRECCI* Programa de Evangelização e Catequese Católico InfantoJuvenil TiaJane. Roteiro

*PRECCI* Programa de Evangelização e Catequese Católico InfantoJuvenil TiaJane. Roteiro Personagens: J- TIA JANE B- Anjo BENTINHO P- PEDRINHO C- CLARINHA Be- Bebel Roteiro J- É ano novo lalaia, é ano novo lalaia! Vou deixar tudo bonito pra esperar o menino Jesus que vai nascer!!! (cantando

Leia mais

UM DIA CHEIO. Língua Portuguesa. 6º Ano do Ensino Fundamental II. Nome: Maria Clara Gonçalves dos Santos. Professora: Maristela Mendes de Sousa Lara

UM DIA CHEIO. Língua Portuguesa. 6º Ano do Ensino Fundamental II. Nome: Maria Clara Gonçalves dos Santos. Professora: Maristela Mendes de Sousa Lara UM DIA CHEIO Língua Portuguesa 6º Ano do Ensino Fundamental II Nome: Maria Clara Gonçalves dos Santos Professora: Maristela Mendes de Sousa Lara Tudo começou quando eu queria pescar com meu avô. Ele tinha

Leia mais

29/11/2009. Entrevista do Presidente da República

29/11/2009. Entrevista do Presidente da República Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na chegada ao hotel Villa Itália Cascais-Portugal, 29 de novembro de 2009 Jornalista: (incompreensível) Presidente:

Leia mais

Trocas de Experiências: Relatos de atuação e montagem de Atendimento Espaço Psicopedagógico.

Trocas de Experiências: Relatos de atuação e montagem de Atendimento Espaço Psicopedagógico. Trocas de Experiências: Relatos de atuação e montagem de Atendimento Espaço Psicopedagógico. Ana Paula Silva de Oliveira anapaula.psicopedagogoa@gmail.com * Educadora há 22 anos, atualmente na Educação

Leia mais

Na escola estão Pedro e Thiago conversando. THIAGO: Não, tive que dormi mais cedo por que eu tenho prova de matemática hoje.

Na escola estão Pedro e Thiago conversando. THIAGO: Não, tive que dormi mais cedo por que eu tenho prova de matemática hoje. MENININHA Na escola estão Pedro e Thiago conversando. PEDRO: Cara você viu o jogo ontem? THIAGO: Não, tive que dormi mais cedo por que eu tenho prova de matemática hoje. PEDRO: Bah tu perdeu um baita jogo.

Leia mais

Todo mundo vai à festa da Giovanna. MADE Oi, tudo bem gente? Eu sou a Made, a mãe da Nana e da Nina, e queria contar um história também? Eu posso?

Todo mundo vai à festa da Giovanna. MADE Oi, tudo bem gente? Eu sou a Made, a mãe da Nana e da Nina, e queria contar um história também? Eu posso? Todo mundo vai à festa da Giovanna MADE Oi, tudo bem gente? Eu sou a Made, a mãe da Nana e da Nina, e queria contar um história também? Eu posso? SEU LOCUTOR É claro, Dona Made! Que bom! A senhora é muito

Leia mais

Maria Luiza Braga (UFRJ)

Maria Luiza Braga (UFRJ) Entrevista Maria Luiza Braga (UFRJ) André Felipe Cunha Vieira Gostaria( de( começar( esta( entrevista( agradecendo( por( você( aceitar( nosso( convite(e(nos(receber(em(sua(casa.(ler(seu(currículo(lattes(é(um(exercício(de(

Leia mais

AÇÕES GARANTEM O FUTURO. Sr. Luiz Barsi

AÇÕES GARANTEM O FUTURO. Sr. Luiz Barsi AÇÕES GARANTEM O FUTURO Sr. Luiz Barsi Relatório 33-05/06/2017 A série de cartas Ações Garantem O Futuro, são escritas em uma parceria entre Luiz Barsi e a Suno Research Descubra as vantagens de ser um

Leia mais

como diz a frase: nois é grossa mas no fundo é um amor sempre é assim em cima da hora a pessoa muda numa hora ela fica com raiva, triste, feliz etc.

como diz a frase: nois é grossa mas no fundo é um amor sempre é assim em cima da hora a pessoa muda numa hora ela fica com raiva, triste, feliz etc. SEGUIR EM FRENTE seguir sempre em frente, nunca desistir dos seus sonhos todos nós temos seu nivel ou seja todos nós temos seu ponto fraco e siga nunca desistir e tentar até voce conseguir seu sonho se

Leia mais

MADAME SILMARA- um, dois, três, quarto, cinco, seis, sete, oito, nove dez JOANA-Não precisa mais tirar as cartas.

MADAME SILMARA- um, dois, três, quarto, cinco, seis, sete, oito, nove dez JOANA-Não precisa mais tirar as cartas. DIÁLOGOS: 00.01.32 MADAME SILMARA- um, dois, três, quarto, cinco, seis, sete, oito, nove dez. 00.02.02 JOANA-Não precisa mais tirar as cartas. 00.02.03 MADAME SILMARA - Não? 00.02.04 JOANA -Não. A senhora

Leia mais

Minha Vida Profissional Projeto 306. Por David Batty

Minha Vida Profissional Projeto 306. Por David Batty Minha Vida Profissional Projeto 306 Por David Batty 2 Nome: Minha Vida Profissional Data de Início: Projeto 307 Data de término: Quantas horas na sua vida você gastou trabalhando? Muitas! Algumas pessoas

Leia mais

Eu queria desejar a você toda a felicidade do mundo e Obrigado, vô.

Eu queria desejar a você toda a felicidade do mundo e Obrigado, vô. Parabéns para o Dan Tocou o telefone lá em casa. Meu pai atendeu na sala. Alô. Meu avô, pai do meu pai, do outro lado da linha, fez voz de quem não gostou da surpresa. Eu liguei pra dar parabéns ao Dan.

Leia mais

PSY: Você também tratou muito dela quando viviam as duas. A: Depois não percebe que tem de ir apresentável! Só faz o que lhe apetece!

PSY: Você também tratou muito dela quando viviam as duas. A: Depois não percebe que tem de ir apresentável! Só faz o que lhe apetece! Anexo 3 SESSÃO CLÍNICA - A PSY: Então como tem andado? A:Bem. Fomos as três a Fátima, foi giro. Correu bem, gosto de ir lá. Tirando a parte de me chatear com a minha irmã, mas isso já é normal. Anda sempre

Leia mais

DESABITUAÇÃO. MULHER 1 Foi agora? MULHER 2 Foi. MULHER 1 Você viu? MULHER 2 Não, eu não vi nada. Não sei de nada.

DESABITUAÇÃO. MULHER 1 Foi agora? MULHER 2 Foi. MULHER 1 Você viu? MULHER 2 Não, eu não vi nada. Não sei de nada. DESABITUAÇÃO (Duas mulheres e um homem estão em volta de algo que não podemos ver. Os três olham para a presença ausente, um mesmo ponto fixo no chão. Durante a cena, todos agem com uma naturalidade banal,

Leia mais

CONVERSANDO COM A PERFEIÇÃO. Marcelo Ferrari. 1 f i c i n a. 1ª edição - 1 de agosto de w w w. 1 f i c i n a. c o m. b r

CONVERSANDO COM A PERFEIÇÃO. Marcelo Ferrari. 1 f i c i n a. 1ª edição - 1 de agosto de w w w. 1 f i c i n a. c o m. b r CONVERSANDO COM A PERFEIÇÃO Marcelo Ferrari 1 f i c i n a 1ª edição - 1 de agosto de 2015 w w w. 1 f i c i n a. c o m. b r CONVERSANDO COM A PERFEIÇÃO PERFEIÇÃO: Olá! Eu sou a perfeição. Vamos conversar?

Leia mais

AI-011-CAS.doc. Doc.: sexo masculino/idade: 28 anos/escolaridade: Superior Data da entrevista 12/11/2006 Duração (em minutos) 16 minutos e 20 segundos

AI-011-CAS.doc. Doc.: sexo masculino/idade: 28 anos/escolaridade: Superior Data da entrevista 12/11/2006 Duração (em minutos) 16 minutos e 20 segundos Amostra Tipo de textos coletados Dados do informante e do documentador AI-011 Transcrição Arquivos de som AI-011-CAS.doc AI-011-CAS.wav Inf.: sexo feminino/idade: 23 anos/escolaridade: Superior Doc.: sexo

Leia mais

coleção Conversas #5 Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça.

coleção Conversas #5 Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça. coleção Conversas #5 Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS da Editora AfroReggae nasceu com o desejo de facilitar diálogos que muitas vezes podem

Leia mais

Depois do almoço e do soninho da tarde...

Depois do almoço e do soninho da tarde... Marquinhos e sua querida mãe tiveram uma tarde muito especial. Como será que foi? Vamos ver? Mamãe! Mamãe!! Oi, filho! Mamãe! Hoje, lá na Escola das Escrituras, as professoras pediram que nós orássemos

Leia mais

A novela chegou ao fim. O atacante Robinho foi apresentado pelo Santos no início da

A novela chegou ao fim. O atacante Robinho foi apresentado pelo Santos no início da Volta para a casa: Robinho é apresentado e já quer jogar clássico Presidente entrega a camisa 7 ao ídolo do Santos, que já se coloca à disposição de Oswaldo de Oliveira para o duelo com o Corinthians,

Leia mais

Como Fazer Sua Primeira Venda

Como Fazer Sua Primeira Venda Por Tiago Bastos 1 Como Fazer Sua Primeira Venda Direto Da Mesa Do Tiago Bastos, Rio De Janeiro Este é sem dúvidas, o seu grande desejo: fazer sua primeira venda Estou certo? Neste guia eu vou lhe entregar

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Professora: Tatiana Local: Núcleo de Arte Silveira Sampaio Data: 11 de dezembro de 2012 Horário: 13h Duração da entrevista:

Leia mais

BALÉ DA VILA Dança para Crianças

BALÉ DA VILA Dança para Crianças BALÉ DA VILA Dança para Crianças MODALIDADES Balé a partir de 2 anos Jazz & Dança Contemporânea a partir de 5 anos Danças do Brasil & do Mundo a partir de 2 anos Encontro Dançante Super Baby 1e 2 anos

Leia mais

Língua Por. ortuguesa. As Vontades

Língua Por. ortuguesa. As Vontades Nome: Ensino: F undamental 4 o ano urma: T Data: 10/8/2009 Língua Por ortuguesa As Vontades Eu tenho que achar um lugar pra esconder minhas vontades. Não digo vontade magra, pequenininha, que nem tomar

Leia mais

Bárbara uma mulher de 25 anos, queria atrasar o livro de uma escritora famosa chamada Natália, Bárbara queria contar uns segredos bombásticos antes

Bárbara uma mulher de 25 anos, queria atrasar o livro de uma escritora famosa chamada Natália, Bárbara queria contar uns segredos bombásticos antes O ATAQUE NA PISCINA Bárbara uma mulher de 25 anos, queria atrasar o livro de uma escritora famosa chamada Natália, Bárbara queria contar uns segredos bombásticos antes de Natália, Bárbara não queria que

Leia mais

Já parou para pensar para onde ele vai? Em que você gasta mais?

Já parou para pensar para onde ele vai? Em que você gasta mais? Bem-vindo(a) ao módulo 1: Cuidando do caixa. Aqui estudaremos sobre como se faz o preenchimento da Planilha de Controle de Caixa e sobre a importância do uso do Controle de Caixa para a adequada gestão

Leia mais

TODO AMOR TEM SEGREDOS

TODO AMOR TEM SEGREDOS TODO AMOR TEM SEGREDOS VITÓRIA MORAES TODO AMOR TEM SEGREDOS TODO AMOR TEM SEGREDOS 11 19 55 29 65 41 77 87 121 99 135 111 145 É NÓIS! 155 11 12 1 2 10 3 9 4 8 7 6 5 TODO AMOR TEM SEGREDOS. Alguns a

Leia mais

Guarda Compartilhada

Guarda Compartilhada Guarda Compartilhada Apresentação Esta cartilha foi desenvolvida a partir da iniciativa do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos - NUPEMEC, sob a Coordenação do Juiz Paulo César

Leia mais

Entrevista a Diogo Carvalho

Entrevista a Diogo Carvalho Entrevista a Diogo Carvalho Campeão Nacional de Ténis de Mesa de Juniores: Individual, pares simples e mistos 2009/2010 1. Com que idade começaste a treinar ténis de mesa? R: Comecei a treinar ténis de

Leia mais

Como Melhorar Sua Comunicação de Marketing HOJE

Como Melhorar Sua Comunicação de Marketing HOJE Como Melhorar Sua Comunicação de Marketing HOJE PDF complementar do Vídeo #1 do Workshop On-Line Gratuito da AMD. Saiba mais em: www.marketingparadjs.com.br Este PDF é um presente meu para você.. (Everson

Leia mais