Capítulo 9. Arquitecturas Reais e Alternativas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Capítulo 9. Arquitecturas Reais e Alternativas"

Transcrição

1 Capítulo 9 Arquitecturas Reais e Alternativas Adaptado dos transparentes das autoras do livro The Essentials of Computer Organization and Architecture

2 Ábaco (3000 AC) do Lat. abacu < Gr. abax, quadro, mesa s. m., mesa coberta de areia para as crianças aprenderem a ler; Mat., espécie de contador mecânico; tabuada antiga; 2

3 Charles Babbage Máquina diferencial (1822) Calculadora enorme (nunca terminada) Máquina analítica (1833) Podia guardar números Utilizava cartões perfurados metálicos para especificar as instruções/operações Movida a vapor Precisão de 6 casas decimais 3

4 ENIAC ENIAC: Electronic Numerical Integrator And Computer Autores: Eckert e Mauchly (Universidade da Pensilvânia) Decimal (não era binário) 20 acumuladores (registos) de 10 dígitos Podia ser reprogramado para resolver um grande número de problemas válvulas, 30 toneladas, 180 metros quadrados, consumo de 174 kw adições por segundo 4

5 UNIVAC 1951 Computador universal (generalista) O primeiro computador digital Desenvolvido na Universidade da Pensilvânia Custo de $9,500,000 (em 1951 ) 5

6 Intel 4004 (1971) O primeiro microprocessador transístores Palavra de 4 bits 108 khz Foi chamado de microchip Poder de cálculo semelhante ao do ENIAC 6

7 Intel Em 1971 criou o 4004 Primeiro microprocessador Todos os componentes do CPU num único chip 4 bit Concebido para uma calculadora Em 1972 criou o bit Concebido para uma calculadora Em 1974 criou 8080 O primeiro microprocessador generalista da Intel 7

8 Intel 80x86 Em 1978 criou o 8086 (5, 8, 10 MHz) 16 bit 29,000 transístores Capacidade de endereçamento de 1 MB Em 1979 criou o bit interno, 8 bit data bus Em 1982 criou o ( MHz) 16 bit Capacidade de end. de 16 MB Memória virtual até 1 GB 8

9 Intel Pentium Em 1985 criou o (16-33 MHz) Primeiro processador de 32 bit transístores Capacidade de endereçamento de 4 GB (64 TB) Em 1989 criou o (25-50 MHz) 32 bit 1,2 milhões de transístores Em 1993 criou o Pentium ( MHz) 32 bit 3,1 milhões de transístores 1995 Pentium Pro, 1997 Pentium II 1998 Celeron 1999 Pentium III, Merced (IA-64) 2000 Celeron II, Pentium IV 2006 Pentium Core Duo 9

10 Número de transístores 1,000,000 K Mil milhões de transístores 100,000 10,000 1, i486 Pentium i Pentium III Pentium II Pentium Pro

11 Número de transístores Processador N Transístores Data comercialização Fabricante Intel Intel Intel Intel Intel Intel Intel Intel Intel Intel Intel Intel Intel Intel Pentium Intel AMD K AMD Pentium II Intel AMD K AMD Pentium III Intel AMD K6-III AMD AMD K AMD Pentium Intel Atom Intel Barton AMD 11

12 Número de transístores Processador N Transístores Data Comercialização Fabricante AMD K AMD Itanium Intel Cell Sony/IBM/Toshiba Core 2 Duo Intel AMD K AMD Core 2 Quad Intel Itanium 2 c/ 9 MB cache Intel G NVIDIA POWER IBM RV AMD (ATI) GT NVIDIA Dual Core Itanium Intel Quad Core Itanium KTukwila Intel 12

13 Evolução do processador MIPS Modelo Frequência [Mz] Ano Tecnologia [µm] Transistores [milhões] Tamanho [mm²] Tensão D cache [k] I cache [k] S cache [k] R R R R R R R R R R R

14 Número de registos generalistas Processador Nº de registos generalistas Arquitectura Ano EDSAC 1 Acumulador 1949 IBM Acumulador 1953 CDC Load-store 1963 IBM Registo-memória 1964 DEC PDP-8 1 Acumulador 1965 DEC PDP-11 8 Registo-memória 1970 Intel Acumulador 1972 Motorola Acumulador 1974 DEC VAX 16 Registo-memória, Memória-memória 1977 Intel Acumulador extendido 1978 Motorola Registo-memória 1980 Intel Registo-memória 1985 MIPS 32 Load-store 1985 HP PA-RISC 32 Load-store 1986 SPARC 32 Load-store 1987 PowerPC 32 Load-store 1992 DEC Alpha 32 Load-store

15 Instruções por segundo Processador Instruções por Segundo Ano Papel e lápis Intel kips at 2 MHz 1974 Motorola MIPS at 8 MHz 1979 Intel 386DX 8.5 MIPS at 25 MHz 1988 Intel 486DX 54 MIPS at 66 MHz 1992 PowerPC 600s (G2) 35 MIPS at 33 MHz 1994 Intel Pentium Pro 541 MIPS at 200 MHz 1996 ARM 7500FE 35.9 MIPS at 40 MHz 1996 PowerPC G3 525 MIPS at 233 MHz 1997 Zilog ez80 80 MIPS at 50 MHz 1999 Intel Pentium III 1354 MIPS at 500 MHz 1999 AMD Athlon 3561 MIPS at 1.2 GHz 2000 AMD XP MIPS at 2.0 GHz 2002 Pentium 4 Extreme Edition 9726 MIPS at 3.2 GHz 2003 ARM Cortex A MIPS at 1.0 GHz 2005 Xbox360 IBM "Xenon" Single Core 6400 MIPS at 3.2 GHz 2005 AMD Athlon FX MIPS at 2.8 GHz 2005 AMD Athlon X2 (Dual Core) MIPS at 2.2 GHz 2005 AMD Athlon FX-60 (Dual Core) MIPS at 2.6 GHz 2006 Intel Core 2 X MIPS at 2.93 GHz 2006 IBM Cell BE 25.6 GIPS (FLOPS) at 3.2 GHz

16 Frequência Frequência (MHz) Duplica cada 2 anos P6 Pentium proc Ano Fonte: Intel A frequência dos microprocessadores duplica cada 2 anos 16

17 Dissipação de energia 100 Power (Watts) P6 Pentium proc Year Fonte: Intel Os processadores continuam a usar e dissipar cada vez mais energia 17

18 A energia será um problema Power (Watts) Pentium proc 18KW 5KW 1.5KW 500W Year Fonte: Intel A consumo e dissipação de energia será proibitiva 18

19 Densidade energética Densidade Energética (W/cm2) Rocket Nozzle Nuclear Reactor Hot Plate P6 Pentium proc Ano Densidade energética demasiado alta para manter as conexões a temperaturas baixas Fonte: Intel 19

20 Diferencial no desempenho Velocidade do processador aumenta Capacidade de memória aumenta Velocidade da memória aumenta mais devagar que a do processador 20

21 (Possíveis) soluções Aumentar o número de bits transferidos em cada acesso Tornar os circuitos de DRAM mais largos em vez de mais longos Alterar a ligação aos circuitos DRAM Inovações nas memórias cache Reduz a frequência de acessos à memória DRAM Memórias cache mais complexas, maiores, mais níveis, e internas ao chips Aumentar a velocidade do canal de interligação à memória Buses de alta velocidade, hierarquia de buses 21

22 Capacidade de armazenamento Cresce mais depressa que a Lei de Moore 22

23 Exemplos reais de ISA s [1] Os processadores da Intel suportam vários modos de endereçamento (m.e.) O 8086 suportava 17 m.e. diferentes (variantes dos modos já apresentados) De modo a ser compatível, o Pentium também suporta os mesmos 17 m.e. O Itanium, sendo RISC, suporta apenas um m.e. (indirecto por registo) A família 80x86 e os seus clones são little endian 23

24 Exemplos reais de ISA s [3] O MIPS é um acrónimo de Microprocessor Without Interlocked Pipeline Stages Em ASC irá ser estudado o que é um pipeline A arquitectura é little endian Tem instruções com 3 endereços com tamanho fixo Apenas as instruções de LOAD e STORE podem aceder à memória O modo de endereçamento é baseado (base addressing mode) 24

25 Exemplos reais de ISA s [4] A linguagem de programação Java é compilada para um microprocessador virtual denominado JVM (Java Virtual Machine) Há implementações da JVM para diferentes processadores com diferentes arquitecturas (incluindo versões simplificadas em hardware) Tal como uma máquina real, a JVM também tem uma ISA, denominada de bytecode, que é independente da ISA do processador real (e compatível com todas as JVM s disponíveis) 25

26 RISC vs. CISC A grande diferença entre processadores CISC e RISC torna-se evidente através da equação básica do desempenho do processador: Os processadores RISC reduzem o tempo de execução reduzindo o número de ciclos por instrução Os processadores CISC melhoram o desempenho reduzindo o número de instruções por programa 26

27 RISC vs. CISC RISC Múltiplos conjuntos de registos Três operandos por instrução Passagem de parâmetros através de janelas de registos Instruções executadas em um ciclo de relógio Instruções implementadas em hardware Múltiplas optimizações (e.g., pipeline) CISC Um único conjunto de instruções Um ou dois operando por instrução Passagem de parâmetros em memória Instruções executadas em múltiplos ciclos de relógio Instruções microprogramadas Múltiplas optimizações (e.g., pipeline) 27

28 RISC vs. CISC RISC Suporta um pequeno número de instruções Instruções simples Instruções de tamanho fixo e regular Complexidade transferida para o compilador Apenas as instruções LOAD/STORE acedem à memória Menos modos de endereçamento CISC Suporta um grande número de instruções Instruções complexas Instruções de tamanho variável e irregular Complexidade no microcódigo Muitas instruções acedem à memória Muitos modos de endereçamento 28

29 Taxonomia de Flynn Muitas tentativas de definir uma forma de categorizar as arquitecturas de computadores A taxonomia de Flynn é a que há mais tempo persiste, se bem que tenha algumas limitações A taxonomia de Flynn tem em consideração o número de processadores e o número de grupos de dados incorporados na arquitectura Um processador pode ter um ou mais processadores, que manipulam um ou mais grupos de dados 29

30 Taxonomia de Flynn Quatro combinações processadores / dados SISD: Single instruction stream, single data stream Os computadores clássicos single-core SIMD: Single instruction stream, multiple data stream Processadores vectoriais (GPUs) MIMD: Multiple instruction stream, multiple data stream Os computadores multiprocessador (multi-cores) MISD: Multiple instruction stream, single data stream Não existe 30

31 Taxonomia de Flynn Computadores SMP (symmetric multiprocessors ) e MPP (massively parallel processors) são ambos MIMD Sistemas SMP partilham a memória Menos processadores + partilha de memória + comunicação por memória Sistemas MPP não partilham a memória Mais processadores + memória distribuída + comunicação via rede (mensagens) 31

32 Taxonomia de Flynn 32

33 Arquitecturas multiprocessadores 33

Capítulo 1 Introdução

Capítulo 1 Introdução Capítulo 1 Introdução Programa: Seqüência de instruções descrevendo como executar uma determinada tarefa. Computador: Conjunto do hardware + Software Os circuitos eletrônicos de um determinado computador

Leia mais

O Nível ISA. Modelo de programação Arquitecturas CISC e RISC Introdução ao IA-32 da Intel

O Nível ISA. Modelo de programação Arquitecturas CISC e RISC Introdução ao IA-32 da Intel O Nível ISA Modelo de programação Arquitecturas CISC e RISC Introdução ao IA-32 da Intel Nível ISA (Instruction Set Architecture) Tipos de dados Inteiros (1, 2, 4 ou 8 bytes) Servem também para representar

Leia mais

Ricardo Gonçalves 2013/2014. Arquitecturas Multicore

Ricardo Gonçalves 2013/2014. Arquitecturas Multicore Ricardo Gonçalves 2013/2014 Arquitecturas Multicore Outline Introdução Processador Multi-core: o que é? Do multi-processador ao multi-core Evolução dos processadores multi-core Arquitecturas multi-core

Leia mais

Conteúdo Tópicos Breve história dos computadores. Capítulo 2 Evolução do Computador e Desempenho. Desempenho

Conteúdo Tópicos Breve história dos computadores. Capítulo 2 Evolução do Computador e Desempenho. Desempenho Capítulo 2 Evolução do Computador e Desempenho Conteúdo Tópicos Breve história dos computadores Tubos de Vácuo Transístores Circuitos Integrados Desempenho velocidade do microprocesador balanceamento Evolução:

Leia mais

Arquitetura e Organização de Computadores

Arquitetura e Organização de Computadores Arquitetura e Organização de Computadores Aula 01 Tecnologias e Perspectiva Histórica Edgar Noda Pré-história Em 1642, Blaise Pascal (1633-1662) construiu uma máquina de calcular mecânica que podia somar

Leia mais

Unidade Central de Processamento Organização da UCP Execução de instruções em paralelo ("pipeline") Execução de programas

Unidade Central de Processamento Organização da UCP Execução de instruções em paralelo (pipeline) Execução de programas http://www.ic.uff.br/~debora/fac! Dar noções iniciais dos componentes básicos de um sistema de computador, assim também como conceitos fundamentais necessários para a manipulação de informação dentro do

Leia mais

CISC RISC Introdução A CISC (em inglês: Complex Instruction Set Computing, Computador com um Conjunto Complexo de Instruções), usada em processadores Intel e AMD; suporta mais instruções no entanto, com

Leia mais

1.3. Componentes dum sistema informático HARDWARE SOFTWARE

1.3. Componentes dum sistema informático HARDWARE SOFTWARE 1.3. Componentes dum sistema informático Computador Sistema Informático HARDWARE SOFTWARE + Periféricos Sistema Operativo Aplicações HARDWARE - representa todos os componentes físicos de um sistema informático,

Leia mais

Aula 26: Arquiteturas RISC vs. CISC

Aula 26: Arquiteturas RISC vs. CISC Aula 26: Arquiteturas RISC vs CISC Diego Passos Universidade Federal Fluminense Fundamentos de Arquiteturas de Computadores Diego Passos (UFF) Arquiteturas RISC vs CISC FAC 1 / 33 Revisão Diego Passos

Leia mais

Processador ( CPU ) E/S. Memória. Sistema composto por Processador, Memória e dispositivos de E/S, interligados por um barramento

Processador ( CPU ) E/S. Memória. Sistema composto por Processador, Memória e dispositivos de E/S, interligados por um barramento 1 Processadores Computador Processador ( CPU ) Memória E/S Sistema composto por Processador, Memória e dispositivos de E/S, interligados por um barramento 2 Pastilha 3 Processadores (CPU,, Microcontroladores)

Leia mais

Arquitetura de Computadores. Prof. Marcelo Mikosz Gonçalves

Arquitetura de Computadores. Prof. Marcelo Mikosz Gonçalves Arquitetura de Computadores Prof. Marcelo Mikosz Gonçalves Conceitos Básicos Programa: é uma seqüência de instruções que executam uma determinada tarefa. Linguagem de máquina: conjunto de instruções primitivas

Leia mais

O que é Arquitetura de Computadores?

O que é Arquitetura de Computadores? O que é Arquitetura de Computadores? Forças Coordenação de um conjunto de níveis de abstração de um computador sobre um grande conjunto de forças de mudança Arquitetura de Computadores = Arquitetura de

Leia mais

Capítulo 4. MARIE (Machine Architecture Really Intuitive and Easy)

Capítulo 4. MARIE (Machine Architecture Really Intuitive and Easy) Capítulo 4 João Lourenço Joao.Lourenco@di.fct.unl.pt Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade Nova de Lisboa 2007-2008 MARIE (Machine Architecture Really Intuitive and Easy) Adaptado dos transparentes

Leia mais

Cap. 5 - Microprocessadores

Cap. 5 - Microprocessadores Cap. 5 - Microprocessadores Arquitectura de Computadores 2010/2011 Licenciatura em Informática de Gestão Dora Melo (Responsável) Originais cedidos gentilmente por António Trigo (2009/2010) Instituto Superior

Leia mais

CPU Unidade Central de Processamento. História e progresso

CPU Unidade Central de Processamento. História e progresso CPU Unidade Central de Processamento História e progresso O microprocessador, ou CPU, como é mais conhecido, é o cérebro do computador e é ele que executa todos os cálculos e processamentos necessários,

Leia mais

Organização Básica de computadores e linguagem de montagem

Organização Básica de computadores e linguagem de montagem Organização Básica de computadores e linguagem de montagem Prof. Edson Borin 1 o Semestre de 2012 ~2400 AC Ábaco: 1 a calculadora ~500 AC Introdução do Zero, Índia antiga ~300 AC Matemático Indiano descreveu

Leia mais

Organização de Computadores I

Organização de Computadores I Departamento de Ciência da Computação - UFF Objetivos Organização de Computadores I Profa. Débora Christina Muchaluat Saade debora@midiacom.uff.br http://www.ic.uff.br/~debora/orgcomp Dar noções iniciais

Leia mais

INSTALAÇÃO e MANUTENÇÃO de MICRO COMPUTADORES

INSTALAÇÃO e MANUTENÇÃO de MICRO COMPUTADORES INSTALAÇÃO e MANUTENÇÃO de MICRO COMPUTADORES 2010/2011 1 Processador O microprocessador, popularmente conhecido como processador, é um circuito integrado que realiza as funções de cálculo e tomada de

Leia mais

Processadores. Prof. Alexandre Beletti Ferreira

Processadores. Prof. Alexandre Beletti Ferreira Processadores Prof. Alexandre Beletti Ferreira Introdução O processador é um circuito integrado de controle das funções de cálculos e tomadas de decisão de um computador. Também é chamado de cérebro do

Leia mais

Tópicos da aula. Histórico e Evolução dos Computadores. Noções Básicas de Arquitetura de Computadores

Tópicos da aula. Histórico e Evolução dos Computadores. Noções Básicas de Arquitetura de Computadores Tópicos da aula Introdução Histórico e Evolução dos Computadores Noções Básicas de Arquitetura de Computadores Características gerais dos componentes de um computador digital Objetivos da aula Complementar

Leia mais

Parte 01. Fundamentos de Arquitetura de Computadores. Prof. Pedro Neto

Parte 01. Fundamentos de Arquitetura de Computadores. Prof. Pedro Neto Parte 01 Fundamentos de Arquitetura de Computadores Prof. Pedro Neto Aracaju Sergipe - 2011 Conteúdo 1. Introdução i. Definição de Computador ii. Máquina Multinível iii. Evolução do Computador Histórico

Leia mais

Conjunto de Instruções e Arquitectura p.1

Conjunto de Instruções e Arquitectura p.1 Conjunto de Instruções e Arquitectura Luís Nogueira luis@dei.isep.ipp.pt Departamento Engenharia Informática Instituto Superior de Engenharia do Porto Conjunto de Instruções e Arquitectura p.1 Organização

Leia mais

Bits internos e bits externos. Barramentos. Processadores Atuais. Conceitos Básicos Microprocessadores. Sumário. Introdução.

Bits internos e bits externos. Barramentos. Processadores Atuais. Conceitos Básicos Microprocessadores. Sumário. Introdução. Processadores Atuais Eduardo Amaral Sumário Introdução Conceitos Básicos Microprocessadores Barramentos Bits internos e bits externos Clock interno e clock externo Memória cache Co-processador aritmético

Leia mais

periféricos: interfaces humano-computador (HCI) arquivo de informação comunicações

periféricos: interfaces humano-computador (HCI) arquivo de informação comunicações Introdução aos Sistemas de Computação (6) Análise de componentes num computador Estrutura do tema ISC 1. Representação de informação num computador 2. Organização e estrutura interna dum computador 3.

Leia mais

ENIAC (Electronic Numerical Integrator Analyzer and Computer)

ENIAC (Electronic Numerical Integrator Analyzer and Computer) No final do século XIX os computadores mecânicos, que realizavam cálculos através de um sistema de engrenagens, acionado por uma manivela ou outro sistema mecânico qualquer. PROF. MARCEL SANTOS SILVA O

Leia mais

Organização e Arquitetura de computadores

Organização e Arquitetura de computadores Conteúdo Organização e Arquitetura de computadores Abstrações e Tecnologias computacionais Prof. Dr. Luciano José Senger Falácias e armadilhas Computadores: produto da tecnologia de informação, 10% do

Leia mais

SIS17 - Arquitetura de Computadores. Introdução (Parte III)

SIS17 - Arquitetura de Computadores. Introdução (Parte III) SIS17 - Arquitetura de Computadores Introdução (Parte III) Espectro Computacional (Visão Geral) Servidor Estações de Trabalho Mainframe Supercomputador TIPO Computadores de uso comum (pequenos chips) Computadores

Leia mais

Curso EFA Técnico/a de Informática - Sistemas. Óbidos

Curso EFA Técnico/a de Informática - Sistemas. Óbidos Curso EFA Técnico/a de Informática - Sistemas Óbidos MÓDULO 769 Arquitectura interna do computador Carga horária 25 2. PROCESSADOR (UNIDADE CENTRAL DE PROCESSAMENTO CPU) Formadora: Vanda Martins 3 O processador

Leia mais

Universidade Tuiuti do Paraná Faculdade de Ciências Exatas Hardware. Arquitetura básica de Processadores. Profº André Luiz andreluizsp@gmail.

Universidade Tuiuti do Paraná Faculdade de Ciências Exatas Hardware. Arquitetura básica de Processadores. Profº André Luiz andreluizsp@gmail. Universidade Tuiuti do Paraná Faculdade de Ciências Exatas Hardware Arquitetura básica de Processadores Profº André Luiz andreluizsp@gmail.com 1 Microprocessador Ao comprar um desktop ou notebook, quase

Leia mais

Calculadoras Mecânicas

Calculadoras Mecânicas ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES Evolução e Desempenho de Computadores 1ª Calculadora - séc. V a.c Muitos povos da antiguidade utilizavam o ábaco para a realização de cálculos do dia a dia, principalmente

Leia mais

Arquitetura e Organização de Computadores

Arquitetura e Organização de Computadores Arquitetura e Organização de Computadores Fernando Fonseca Ramos Faculdade de Ciência e Tecnologia de Montes Claros Fundação Educacional Montes Claros 1 Índice 1- Introdução 3- Memórias 4- Dispositivos

Leia mais

1. INTRODUÇÃO. Computador Digital: É uma máquina capaz de solucionar problemas através da execução de instruções que lhe são fornecidas.

1. INTRODUÇÃO. Computador Digital: É uma máquina capaz de solucionar problemas através da execução de instruções que lhe são fornecidas. 1. INTRODUÇÃO Computador Digital: É uma máquina capaz de solucionar problemas através da execução de instruções que lhe são fornecidas. Programa: É uma seqüência de instruções que descrevem como executar

Leia mais

Arquiteturas RISC. (Reduced Instructions Set Computers)

Arquiteturas RISC. (Reduced Instructions Set Computers) Arquiteturas RISC (Reduced Instructions Set Computers) 1 INOVAÇÕES DESDE O SURGIMENTO DO COMPU- TADOR DE PROGRAMA ARMAZENADO (1950)! O conceito de família: desacoplamento da arquitetura de uma máquina

Leia mais

Organização de Computadores 2005/2006 Processadores Intel

Organização de Computadores 2005/2006 Processadores Intel Organização de Computadores 2005/2006 Processadores Intel Paulo Ferreira paf a dei.isep.ipp.pt Março de 2006 Pré História 2 8080.............................................................................................

Leia mais

ARQUITETURA DE COMPUTADORES

ARQUITETURA DE COMPUTADORES 01001111 01110010 01100111 01100001 01101110 01101001 01111010 01100001 11100111 11100011 01101111 00100000 01100100 01100101 00100000 01000011 01101111 01101101 01110000 01110101 01110100 01100001 01100100

Leia mais

ORGANIZACÃO DE COMPUTADORES PROCESSADORES CHIPS TRANSISTORES

ORGANIZACÃO DE COMPUTADORES PROCESSADORES CHIPS TRANSISTORES PROCESSADORES CHIPS TRANSISTORES O que é um chip? - conhecido como circuito integrado; - pequeno e fino pedaço de silício no qual os transistores, que formam o microprocessador, foram encapsulados; - processadores

Leia mais

Microprocessadores II - ELE 1084

Microprocessadores II - ELE 1084 Microprocessadores II - ELE 1084 CAPÍTULO III OS PROCESSADORES 3.1 Gerações de Processadores 3.1 Gerações de Processadores Primeira Geração (P1) Início da arquitetura de 16 bits CPU 8086 e 8088; Arquiteturas

Leia mais

CPU - Significado CPU. Central Processing Unit. Unidade Central de Processamento

CPU - Significado CPU. Central Processing Unit. Unidade Central de Processamento CPU - Significado CPU Central Processing Unit Unidade Central de Processamento CPU - Função Na CPU são executadas as instruções Instrução: comando que define integralmente uma operação a ser executada

Leia mais

Conjunto de instruções do CPU. Arquitectura de um computador. Definição das instruções (1) Definição das instruções (2)

Conjunto de instruções do CPU. Arquitectura de um computador. Definição das instruções (1) Definição das instruções (2) Arquitectura de um computador Caracterizada por: Conjunto de instruções do processador (ISA Estrutura interna do processador (que registadores existem, etc Modelo de memória (dimensão endereçável, alcance

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores I. de Computadores

Organização e Arquitetura de Computadores I. de Computadores Universidade Federal de Campina Grande Departamento de Sistemas e Computação Curso de Bacharelado em Ciência da Computação Organização e Arquitetura de I Organização Básica B de (Parte V, Complementar)

Leia mais

Multi-processamento. Arquitecturas MIMD de memória partilhada Multi-cores heterogéneos Multi-processadores

Multi-processamento. Arquitecturas MIMD de memória partilhada Multi-cores heterogéneos Multi-processadores Multi-processamento Arquitecturas MIMD de memória partilhada Multi-cores heterogéneos Multi-processadores Arquitecturas MIMD de memória distribuída Massive Parallel Computers Sistemas distribuídos Ainda

Leia mais

Hardware Fundamental

Hardware Fundamental Hardware Fundamental Arquitectura de Computadores 10º Ano 2006/2007 Unidade de Sistema Um computador é um sistema capaz de processar informação de acordo com as instruções contidas em programas. Na década

Leia mais

Histórico dos Computadores

Histórico dos Computadores Histórico dos Computadores O mais antigo equipamento para cálculo foi o ábaco (Fig. 1), que era um quadro com arruelas móveis, dispostas em arames paralelos, tendo, portanto, um mecanismo simples. Surgido

Leia mais

Trabalho de: Alexandre / Paulo / Rui

Trabalho de: Alexandre / Paulo / Rui Trabalho de: Alexandre / Paulo / Rui Índice 1 - CPU-Processador 2 - Chipset Intel/AMD 3 - Cache 4 - Núcleo 5 - CISC/RISC 1. CPU / Processador A unidade central de processamento ou CPU (Central Processing

Leia mais

A Evolução dos Computadores: do ENIAC ao Jaguar

A Evolução dos Computadores: do ENIAC ao Jaguar A Evolução dos Computadores: do ENIAC ao Jaguar Siang Wun Song - IME/USP e Universidade Federal do ABC setembro de 2010 História da Computação - Ábacos antigos Ábaco da Mesopotâmia (2700-2300 A.C.) Ábaco

Leia mais

Estrutura e funcionamento de um sistema informático

Estrutura e funcionamento de um sistema informático Estrutura e funcionamento de um sistema informático 2006/2007 Sumário A constituição de um sistema informático: hardware e software. A placa principal. O processador, o barramento e a base digital. Ficha

Leia mais

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição. Capítulo 2 Evolução e desempenho do computador

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição. Capítulo 2 Evolução e desempenho do computador William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição Capítulo 2 Evolução e desempenho do computador slide 1 ENIAC histórico Electronic Numerical Integrator And Computer. Eckert e Mauchly.

Leia mais

Arquitetura de Computadores

Arquitetura de Computadores Arquitetura de Computadores Prof. Fábio M. Costa Instituto de Informática UFG 1o. Semestre / 2005 Fundamentos Roteiro Fundamentos Princípios de funcionamento de computadores Perspectiva histórica Tendências

Leia mais

Universidade de Brasília Instituto de Ciências Exatas Departamento de Ciências da Computação. Capítulo 1. Introdução, Abstrações e Histórico

Universidade de Brasília Instituto de Ciências Exatas Departamento de Ciências da Computação. Capítulo 1. Introdução, Abstrações e Histórico Universidade de Brasília Instituto de Ciências Exatas Departamento de Ciências da Computação Capítulo 1 Introdução, Abstrações e Histórico Prof. Marcus Vinicius Lamar 1 O que é: Organização e Arquitetura

Leia mais

Pipeline, RISC e CISC

Pipeline, RISC e CISC Pipeline, RISC e CISC Abordaremos nesta aula assuntos referentes às arquiteturas RISC e CISC. Esses dois tipos de arquiteturas diferem muito entre si. Porém tanto uma quanto a outra traz consigo vantagens

Leia mais

Máquinas Multiníveis

Máquinas Multiníveis Infra-Estrutura de Hardware Máquinas Multiníveis Prof. Edilberto Silva www.edilms.eti.br edilms@yahoo.com Sumário Conceitos básicos Classificação de arquiteturas Tendências da tecnologia Família Pentium

Leia mais

A história do Processadores O que é o processador Características dos Processadores Vários tipos de Processadores

A história do Processadores O que é o processador Características dos Processadores Vários tipos de Processadores A história do Processadores O que é o processador Características dos Processadores Vários tipos de Processadores As empresas mais antigas e ainda hoje no mercado que fabricam CPUs é a Intel, AMD e Cyrix.

Leia mais

Curso Técnico em Informática. Rafael Barros Sales Tecnólogo em Redes de Computadores Técnico em Informatica CREA/AC

Curso Técnico em Informática. Rafael Barros Sales Tecnólogo em Redes de Computadores Técnico em Informatica CREA/AC Curso Técnico em Informática Rafael Barros Sales Tecnólogo em Redes de Computadores Técnico em Informatica CREA/AC Athlon e Duron O Athlon (em formato de cartucho, com cache L2 externo) Assim como o Pentium

Leia mais

Processadores. Fabricantes dos processadores: Intel e AMD

Processadores. Fabricantes dos processadores: Intel e AMD Processadores Os processadores (ou CPUs, de Central Processing Unit) são chips responsáveis pela execução de cálculos, decisões lógicas e instruções que resultam em todas as tarefas que um computador pode

Leia mais

Sistemas Operacionais. Prof. Pedro Luís Antonelli Anhanguera Educacional

Sistemas Operacionais. Prof. Pedro Luís Antonelli Anhanguera Educacional Sistemas Operacionais Prof. Pedro Luís Antonelli Anhanguera Educacional Hardware HARDWARE Sistema Computacional = conjunto de circuitos eletrônicos interligados formado por processador, memória, registradores,

Leia mais

ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 1866

ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 1866 1 Introdução: Um computador é uma máquina (conjunto de partes eletrônicas e eletromecânicas) capaz de sistematicamente coletar, manipular e fornecer resultados da manipulação de dados para um ou mais objetivos.

Leia mais

Professores: Aula 10. Lúcia M. A. Drummond Simone de Lima Martins. Conteúdo: Arquiteturas Avançadas. - Arquiteturas RISC - Processamento Paralelo

Professores: Aula 10. Lúcia M. A. Drummond Simone de Lima Martins. Conteúdo: Arquiteturas Avançadas. - Arquiteturas RISC - Processamento Paralelo 1 Professores: Aula 10 Lúcia M. A. Drummond Simone de Lima Martins Conteúdo: Arquiteturas Avançadas - Arquiteturas RISC - Processamento Paralelo 2 Arquiteturas RISC Reduced Instruction Set Computer se

Leia mais

Hardware Avançado. Laércio Vasconcelos Rio Branco, mar/2007 www.laercio.com.br

Hardware Avançado. Laércio Vasconcelos Rio Branco, mar/2007 www.laercio.com.br Hardware Avançado Laércio Vasconcelos Rio Branco, mar/2007 www.laercio.com.br Avanços recentes em Processadores Chipsets Memórias Discos rígidos Microeletrônica Um processador moderno é formado por mais

Leia mais

Sistema de Computação

Sistema de Computação Sistema de Computação Máquinas multinível Nível 0 verdadeiro hardware da máquina, executando os programas em linguagem de máquina de nível 1 (portas lógicas); Nível 1 Composto por registrados e pela ALU

Leia mais

ALGORÍTMOS PARALELOS (Aula 2) LCAD. Neyval C. Reis Jr. OUTUBRO/2004. Laboratório de Computação de Alto Desempenho DI/UFES

ALGORÍTMOS PARALELOS (Aula 2) LCAD. Neyval C. Reis Jr. OUTUBRO/2004. Laboratório de Computação de Alto Desempenho DI/UFES ALGORÍTMOS PARALELOS (Aula 2) Neyval C. Reis Jr. OUTUBRO/2004 LCAD Laboratório de Computação de Alto Desempenho DI/UFES Programa do Curso LCAD 1. Introdução 2. Arquitetura de Computadores 3. Arquiteturas

Leia mais

Arquitetura de Computadores Paralelismo, CISC X RISC, Interpretação X Tradução, Caminho de dados

Arquitetura de Computadores Paralelismo, CISC X RISC, Interpretação X Tradução, Caminho de dados Arquitetura de Computadores Paralelismo, CISC X RISC, Interpretação X Tradução, Caminho de dados Organização de um Computador Típico Memória: Armazena dados e programas. Processador (CPU - Central Processing

Leia mais

Manutenção de Computadores Montagem de microcomputadores: Entendendo melhor os processadores. Professor: Francisco Ary

Manutenção de Computadores Montagem de microcomputadores: Entendendo melhor os processadores. Professor: Francisco Ary Manutenção de Computadores Montagem de microcomputadores: Entendendo melhor os processadores Professor: Francisco Ary Introdução O processador é um dos componentes mais importantes (e geralmente o mais

Leia mais

Disciplina: Organização de computadores

Disciplina: Organização de computadores Disciplina: Organização de computadores Professora: Carolina D. G. dos Santos E-mail: profcarolinadgs@gmail.com Página: profcarolinadgs.webnode.com.br Unip / Prof. a Carolina 1 à Computador Conceitos Básicos

Leia mais

29/3/2011. Primeira unidade de execução (pipe U): unidade de processamento completa, capaz de processar qualquer instrução;

29/3/2011. Primeira unidade de execução (pipe U): unidade de processamento completa, capaz de processar qualquer instrução; Em 1993, foi lançada a primeira versão do processador Pentium, que operava a 60 MHz Além do uso otimizado da memória cache (tecnologia já amadurecida) e da multiplicação do clock, o Pentium passou a utilizar

Leia mais

Arquitetura de Computadores

Arquitetura de Computadores Arquitetura de Computadores Arquitetura de Computadores Definições... a estrutura de um computador que um programador de código máquina tem de entender para escrever corretamente um programa para essa

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores. Aula 1 - Introdução. 2002 Juliana F. Camapum Wanderley. http://www.cic.unb.br/docentes/juliana/cursos/oac

Organização e Arquitetura de Computadores. Aula 1 - Introdução. 2002 Juliana F. Camapum Wanderley. http://www.cic.unb.br/docentes/juliana/cursos/oac Organização e Arquitetura de Computadores Aula 1 - Introdução 2002 Juliana F. Camapum Wanderley http://www.cic.unb.br/docentes/juliana/cursos/oac OAC Introdução 1 Sumário Introdução a Arquitetura de Computadores

Leia mais

AULA1 Introdução a Microprocessadores gerais

AULA1 Introdução a Microprocessadores gerais AULA1 Introdução a Microprocessadores gerais Disciplina: Aplicações Avançadas de Microprocessadores (AAM) Prof. Eduardo Henrique Couto ehcouto@hotmail.com 2014/1 Apresentação do Professor: Cronograma:

Leia mais

Introdução à Computação

Introdução à Computação Universidade Federal do Rio Grande do Norte Departamento de Engenharia de Computação e Automação Introdução à Computação DCA0800 - Algoritmos e Lógica de Programação Heitor Medeiros 1 Informática x Computação

Leia mais

Automação e Computadores

Automação e Computadores Automação e Computadores MICROCOMPUTADORES Curso Profissional de Técnico de Eletrónica, Automação e Computadores O Computador Hardware Unidades Funcionais de um Sistema Informático Dispositivos de Entrada

Leia mais

Sistemas de Computação. Dentro da Unidade do Sistema

Sistemas de Computação. Dentro da Unidade do Sistema Sistemas de Computação Dentro da Unidade do Sistema Conexão de rede subwoofer impressora microfone Unidade de disco flexível Monitor de vídeo Unidade de DVD modem Alto-falante Unidade de sistema ou gabinete

Leia mais

Gerações de Computadores. INF005 - Arquitetura de Computadores e Software Básico Aula 3 Flávia Maristela (flavia@flaviamaristela.

Gerações de Computadores. INF005 - Arquitetura de Computadores e Software Básico Aula 3 Flávia Maristela (flavia@flaviamaristela. Gerações de Computadores INF005 - Arquitetura de Computadores e Software Básico Aula 3 Flávia Maristela (flavia@flaviamaristela.com) Como é formado o meu computador? Computador = hardware + software 1ª

Leia mais

Conjunto de instruções. O Conjunto de Instruções. Conjunto de instruções. Instruções típicas. Instruções típicas. Instruções típicas

Conjunto de instruções. O Conjunto de Instruções. Conjunto de instruções. Instruções típicas. Instruções típicas. Instruções típicas Conjunto de instruções O Conjunto de Instruções ISA Instruction Set Architecture Alguns conceitos... Linguagem máquina Combinação de 0 s e 1 s organizados segundo palavras que são as instruções que o processador

Leia mais

RISC X CISC - Pipeline

RISC X CISC - Pipeline RISC X CISC - Pipeline IFBA Instituto Federal de Educ. Ciencia e Tec Bahia Curso de Analise e Desenvolvimento de Sistemas Arquitetura de Computadores 25 e 26/30 Prof. Msc. Antonio Carlos Souza Referências

Leia mais

Microprocessadores II - ELE 1084

Microprocessadores II - ELE 1084 Microprocessadores II - ELE 1084 CAPÍTULO III PROCESSADORES P5 3.1 Gerações de Processadores 3.1 Gerações de Processadores Quinta Geração (P5) Pentium (586) 32 bits; Instruções MMX; Concorrente K5 (AMD).

Leia mais

Os textos nestas caixas foram adicionados pelo Prof. Joubert

Os textos nestas caixas foram adicionados pelo Prof. Joubert William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição Capítulo 2 Evolução e desempenho do computador Os textos nestas caixas foram adicionados pelo Prof. Joubert slide 1 ENIAC histórico

Leia mais

Arquitetura e Organização de Computadores. Capítulo 0 - Introdução

Arquitetura e Organização de Computadores. Capítulo 0 - Introdução Arquitetura e Organização de Computadores Capítulo 0 - Introdução POR QUE ESTUDAR ARQUITETURA DE COMPUTADORES? 2 https://www.cis.upenn.edu/~milom/cis501-fall12/ Entender para onde os computadores estão

Leia mais

Capítulo 8. Software de Sistema

Capítulo 8. Software de Sistema Capítulo 8 Software de Sistema Adaptado dos transparentes das autoras do livro The Essentials of Computer Organization and Architecture Objectivos Conhecer o ciclo de desenvolvimento da linguagem Java

Leia mais

TI - Tecnologia da Informação UNIDADE 1:Fundamentos Básicos de Informática

TI - Tecnologia da Informação UNIDADE 1:Fundamentos Básicos de Informática TI - Tecnologia da Informação UNIDADE 1:Fundamentos Básicos de Informática Prof. Adolfo Colares A origem da computação está diretamente relacionada a matemática. Por volta de 5500 anos A.C, povos antigos

Leia mais

Hardware - Microprocessador

Hardware - Microprocessador Introdução Um microprocessador é um circuito integrado encarregue de executar as instruções de todos os programas armazenados na memória. É o motor que põe tudo a trabalhar desde o momento em que se liga

Leia mais

ARQUITETURA DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br

ARQUITETURA DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br - Aula 3 - ORGANIZAÇÃO DE SISTEMAS COMPUTACIONAIS - PROCESSADORES 1. INTRODUÇÃO Um computador eletrônico digital é um sistema composto por um conjunto de processadores, memórias e dispositivos de entrada/saída

Leia mais

Aula 02 - Conceitos de Hardware e Software. Por Sediane Carmem Lunardi Hernandes

Aula 02 - Conceitos de Hardware e Software. Por Sediane Carmem Lunardi Hernandes Aula 02 - Conceitos de Hardware e Software Por Sediane Carmem Lunardi Hernandes 1 1. Hardware Unidades funcionais Processador / UCP Unidade Lógica e Aritmética Unidade de Controle Registradores Memória

Leia mais

PROCESSADOR. Montagem e Manutenção de Microcomputadores (MMM).

PROCESSADOR. Montagem e Manutenção de Microcomputadores (MMM). PROCESSADOR Montagem e Manutenção de Microcomputadores (MMM). INTRODUÇÃO O processador é o C.I. mais importante do computador. Ele é considerado o cérebro do computador, também conhecido como uma UCP -

Leia mais

Processadores clock, bits, memória cachê e múltiplos núcleos

Processadores clock, bits, memória cachê e múltiplos núcleos Processadores clock, bits, memória cachê e múltiplos núcleos Introdução Os processadores (ou CPUs, de Central Processing Unit) são chips responsáveis pela execução de cálculos, decisões lógicas e instruções

Leia mais

CAPÍTULO 2 ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES

CAPÍTULO 2 ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES CAPÍTULO 2 ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES 2.1 Organização de um Computador Típico : Armazena dados e programas. Processador (CPU - Central Processing Unit): Executa programas armazenados na memória, interpretando

Leia mais

Introdução à Organização de Computadores. Sistemas da Computação Prof. Rossano Pablo Pinto, Msc. rossano at gmail com 2 semestre 2007

Introdução à Organização de Computadores. Sistemas da Computação Prof. Rossano Pablo Pinto, Msc. rossano at gmail com 2 semestre 2007 Introdução à Organização de Computadores Sistemas da Computação Prof. Rossano Pablo Pinto, Msc. rossano at gmail com 2 semestre 2007 Tópicos Processadores Memória Principal Memória Secundária Entrada e

Leia mais

Introdução aos Computadores

Introdução aos Computadores Introdução aos Computadores Computadores e Redes de Comunicação Mestrado em Gestão de Informação, FEUP 06/07 Sérgio Sobral Nunes mail: sergio.nunes@fe.up.pt web: www.fe.up.pt/~ssn Sumário Definição Breve

Leia mais

Introdução à Organização e Arquitetura de Computadores. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Introdução à Organização e Arquitetura de Computadores. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Introdução à Organização e Arquitetura de Computadores Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Sumário Introdução; Evolução dos Computadores; Considerações da Arquitetura de von Neumann; Execução de uma instrução

Leia mais

Organização de Computadores 2005/2006 Processadores Intel

Organização de Computadores 2005/2006 Processadores Intel GoBack Organização de Computadores 2005/2006 Processadores Intel Paulo Ferreira paf a dei.isep.ipp.pt Março de 2006 ORGC Processadores Intel slide 1 Pré 8080 8086 80286 Pré ORGC Processadores Intel slide

Leia mais

Arquitecturas Alternativas. Pipelining Super-escalar VLIW IA-64

Arquitecturas Alternativas. Pipelining Super-escalar VLIW IA-64 Arquitecturas Alternativas Pipelining Super-escalar VLIW IA-64 Pipeline de execução A execução de uma instrução passa por várias fases: Vimos o ciclo: fetch, decode, execute fetch decode execute instrução

Leia mais

Arquitetura de Von Neumann e os Computadores Modernos

Arquitetura de Von Neumann e os Computadores Modernos Arquitetura de Von Neumann e os Computadores Modernos Arquitetura de Computadores e Software Básico Aula 5 Flávia Maristela (flaviamsn@ifba.edu.br) Arquitetura de Von Neumann e as máquinas modernas Onde

Leia mais

Introdução às arquiteturas paralelas e taxonomia de Flynn

Introdução às arquiteturas paralelas e taxonomia de Flynn Introdução às arquiteturas paralelas e taxonomia de Flynn OBJETIVO: definir computação paralela; o modelo de computação paralela desempenhada por computadores paralelos; e exemplos de uso da arquitetura

Leia mais

Arquitetura de processadores: RISC e CISC

Arquitetura de processadores: RISC e CISC Arquitetura de processadores: RISC e CISC A arquitetura de processador descreve o processador que foi usado em um computador. Grande parte dos computadores vêm com identificação e literatura descrevendo

Leia mais

Hardware. Objetivos da aula. Fornecer exemplos de processadores Intel. Esclarecer as diferenças e as tecnologias embutidas nos processadores Intel.

Hardware. Objetivos da aula. Fornecer exemplos de processadores Intel. Esclarecer as diferenças e as tecnologias embutidas nos processadores Intel. Hardware UCP Unidade Central de Processamento Características dos processadores Intel Disciplina: Organização e Arquitetura de Computadores Prof. Luiz Antonio do Nascimento Faculdade Nossa Cidade Objetivos

Leia mais

Arquitetura e Organização de Computadores. Capítulo 0 - Introdução

Arquitetura e Organização de Computadores. Capítulo 0 - Introdução Arquitetura e Organização de Computadores Capítulo 0 - Introdução POR QUE ESTUDAR ARQUITETURA DE COMPUTADORES? 2 https://www.cis.upenn.edu/~milom/cis501-fall12/ Entender para onde os computadores estão

Leia mais

HARDWARE Montagem e Manutenção de Computadores Instrutor: Luiz Henrique Goulart 15ª AULA OBJETIVOS: PROCESSADORES EVOLUÇÃO / GERAÇÕES BARRAMENTO (BITS) FREQÜÊNCIA (MHZ) OVERCLOCK ENCAPSULAMENTO APOSTILA

Leia mais

Introdução à Arquitetura de Computadores IFES Campus Serra

Introdução à Arquitetura de Computadores IFES Campus Serra Os computadores atuais possuem seis ou mais níveis de máquinas conforme podemos observar no quadro abaixo Nível de linguagem orientada para problemas Nível de linguagem de montagem Nível de sistema operacional

Leia mais

Conceitos e Evolução Capítulos 1 e 2

Conceitos e Evolução Capítulos 1 e 2 Aula 2 ARQUITETURA DE COMPUTADORES Conceitos e Evolução Capítulos 1 e 2 Prof. Osvaldo Mesquita E-mail: oswaldo.mesquita@gmail.com 1/48 CONTEÚDO DA AULA Conceitos Importantes O que é arquitetura de computadores?

Leia mais

Evolução dos Processadores

Evolução dos Processadores Evolução dos Processadores Arquitetura Intel Arquitetura x86 Micro Arquitetura P5 P6 NetBurst Core Processador Pentium Pentium Pro Pentium II Pentium III Pentium 4 Pentium D Xeon Xeon Sequence Core 2 Duo

Leia mais

INSTITUTO DE EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, I.P.

INSTITUTO DE EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, I.P. INSTITUTO DE EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, I.P. Centro de Emprego e Formação Profissional da Guarda Curso: Técnico de Informática Sistemas (EFA-S4A)-NS Trabalho Realizado Por: Igor_Saraiva nº 7 Com

Leia mais

Arquitetura de Computadores

Arquitetura de Computadores Introdução Arquitetura de Introdução Computador: Máquina programável, de propósito geral, que processa informação. Programa: Seqüência de instruções (de uma dada linguagem de programação) que operam sobre

Leia mais