Programa de Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego (PAECPE) - IEFP, I.P.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Programa de Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego (PAECPE) - IEFP, I.P."

Transcrição

1 Programa de Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego (PAECPE) - IEFP, I.P. Empreendedorismo: Apoios e casos de sucesso AERLIS (Museu do Design - Lisboa) 9 de maio de 2012

2 Enquadramento Legal: Portaria 985/2009, de 4 de setembro, com a redacção que lhe foi dada pela Portaria n.º 58/2011, de 28 de janeiro, alterada pela Portaria n.º 95/2012, de 4 de abril Despacho n.º 7131/2011, de 11 de maio, publicado no Diário da República n.º 91, 2.ª Série Regulamentação técnica: Manual de Procedimentos do PAECPE disponível em

3 Promovido e executado pelo IEFP, I.P., através da rede de Centros de Emprego, integra medidas facilitadoras da integração no mercado de trabalho, concretamente, através da criação do próprio emprego. Destina-se à viabilização de novos projetos empresariais de pequena dimensão, promovidos por desempregados e/ou jovens à procura do primeiro emprego.

4 i. MEDIDAS/MODALIDADES DE APOIO ii. DESTINATÁRIOS iii. PROMOTORES iv. REQUISITOS DO PROJETO v. REQUISITOS DAS EMPRESAS vi. APOIOS vii. CANDIDATURAS viii. REALIZAÇÃO E ACOMPANHAMENTO

5 i. MEDIDAS/MODALIDADES DE APOIO A) Apoios à Criação de Empresas de pequena dimensão, com fins lucrativos, através de crédito com garantia e bonificação de taxa de juro (art.º s 9º e 10º) Projetos de criação de empresas que originem a criação de emprego, através de linhas de crédito disponíveis: MICROINVEST e INVEST +. B) Plano Nacional de Microcrédito no âmbito do Programa de Apoio ao Desenvolvimento da Economia Social (PADES) (art.º 11º-A a 11º-C) Projetos de investimento viáveis que criem e consolidem postos de trabalho sustentáveis previamente validados pela Cooperativa António Sérgio para a Economia Social (CASES) através da linha de crédito MICROINVEST. Bancos aderentes: CGD, Millenium-BCP, BES, BPI, SANTANDER-Totta, Barclays, BPN, BANCO POPULAR, CRÉDITO AGRÍCOLA, MONTEPIO e BANIF.

6 i. MEDIDAS/MODALIDADES DE APOIO C) Apoios à Criação do Próprio Emprego por Beneficiários de Prestações de Desemprego (art.º 12º) Projetos de emprego promovidos por beneficiários das prestações de desemprego, desde que os mesmos assegurem o emprego, a tempo inteiro, dos promotores. Apoio técnico à criação e consolidação de empresas (ATCP), gratuito e facultativo, para os projetos aprovados/que obtêm financiamento assegurado por uma rede de 47 Entidades credenciadas pelo IEFP, IP (art.º 11.º) ou pelas entidades representativas do setor cooperativo que integram a CASES (art.º 11º C).

7 ATCP Principais caraterísticas: Duração mínima de 9 meses, após a aprovação da concessão do apoio financeiro e o início da atividade da empresa, e máxima de 24 meses, até ao final do 2º ano de atividade da empresa. Compreende: Acompanhamento da entidade (no mínimo: 1 visita mensal à empresa); Realização de ações de formação, nomeadamente na área de gestão (Max. 40 horas apoiadas pelo IEFP); Consultoria em situações de maior fragilidade na gestão ou na operacionalização da iniciativa, diagnosticadas durante o acompanhamento (Max. 40 horas apoiadas pelo IEFP).

8 ii. DESTINATÁRIOS A) MICROINVEST e INVEST + (art.º 4º) Inscritos nos Centros de Emprego, Desempregados inscritos há 9 meses ou menos (desemprego involuntário) ou inscritos há + 9 meses (outro motivo de inscrição) Jovens à procura do primeiro emprego com idade entre os 18 e os 35 anos, inclusive (com qualificações mínimas exigidas), e que não tenham tido contrato de trabalho sem termo; Quem nunca tenha exercido atividade profissional por conta de outrem ou por conta própria; Trabalhador independente cujo rendimento médio mensal seja inferior à RMMG

9 ii. DESTINATÁRIOS B) Plano Nacional de Microcrédito Linha de Crédito: MICROINVEST (art.º 11º-A) Todos os que têm especiais dificuldades de acesso ao mercado de trabalho e estejam em risco de exclusão social, possuam uma ideia de negócio e perfil de empreendedores, e formulem e apresentem projectos viáveis de criação de postos de trabalho. As microentidades e cooperativas até 10 trabalhadores que apresentem projetos viáveis / criação líquida de postos de trabalho C) Apoios à Criação do Próprio Emprego por Beneficiários de Prestações de Desemprego (CPE) (art.º 12º) Beneficiários de prestações de desemprego (cf. art.º 34º do DL 220/2006, de 3/11, aditado pelo DL 64/2012, de 15/03) que apresentem projeto que origine, pelo menos, a criação do seu emprego a tempo inteiro.

10 iii. PROMOTORES O(s) titular(es) que se propõe(m) criar o próprio emprego, através da constituição de uma nova empresa ou da aquisição do capital social de empresa pré-existente: Deve(m) ter pelo menos 18 anos à data da candidatura Metade dos promotores têm de, cumulativamente, ser destinatários do programa, criar o respetivo posto de trabalho a tempo inteiro e possuir conjuntamente mais de 50% do capital social e dos direitos de voto * * Não aplicável à modalidade de pagamento (total ou parcial) do montante antecipado de prestações de desemprego

11 iv. REQUISITOS DO PROJETO Criação de máximo de 10 postos de trabalho;* Investimento total máximo de ;* O crédito/montante antecipado de prestações de desemprego só pode financiar o aumento de capital social, não podendo financiar a aquisição de partes sociais existentes; A empresa cujo capital é adquirido ou a empresa trespassante do estabelecimento não pode ser detida em 25 % ou mais pelo promotor / cônjuge / unido de facto / familiar do promotor até ao 2.º grau em linha reta ou colateral / outra empresa na qual os sujeitos detenham 25 % ou mais do respetivo capital; Viabilidade económico-financeira. * Aplicável apenas ao crédito com garantia e bonificação de taxa de juro

12 v. REQUISITOS DAS EMPRESAS A nova empresa não pode estar constituída à data da entrega do pedido de financiamento Desde a data da contratualização dos apoios e até à extinção das obrigações associadas à execução do projeto: Encontrar-se regularmente constituída e registada; Dispor de licenciamento e outros requisitos legais para o exercício da atividade ou comprovativo de início do processo; Situação regularizada perante a Administ. Fiscal e a Seg. Social; Não se encontrar em situação de incumprimento no que respeita a apoios financeiros concedidos pelo IEFP, I.P.; Não ter registo de incidentes no sistema bancário Dispor de contabilidade organizada, desde que legalmente exigido.

13 vi. APOIOS Aplicáveis aos projetos que cumpram ainda os requisitos do projeto e das empresas (art.º 6º e 8º e n.º 9 do art.º 12º) e os critérios de elegibilidade de despesas de investimento (art.º 7º). A) Apoios à Criação de Empresas (art.º 9º) MICROINVEST Até /projeto para financiamento de projetos de investimento até INVEST + Até e 95% do investimento total e até por posto de trabalho criado a tempo completo (LIMITE: 10 postos de trabalho) para financiamento de projetos de investimento superior a e até

14 vi. APOIOS B) Plano Nacional de Microcrédito (art.º 11º-B) MICROINVEST (al. a) do n.º 3 art.º 9º) Até /projeto para financiamento de projetos de investimento até C) CPE (art.º 12º) Pagamento único, total ou parcial, do montante global das prestações de desemprego vincendas a aplicar na totalidade no financiamento do projeto com ou sem cumulação com o crédito com garantia e bonificação da taxa de juro. Nota: Apenas os projetos de empresas a constituir podem acumular o montante das prestações de desemprego com as modalidades de crédito com garantia e bonificação da taxa de juro.

15 vii. CANDIDATURAS A) Apoios à Criação de Empresas (art.º 10º) A formalizar pelos promotores em qualquer altura do ano e a apresentar numa das instituições de crédito aderentes à qual competirá a análise e decisão sobre o pedido de financiamento juntamente com a Declaração de Certificação de Destinatário emitida pelo Centro de Emprego. B) Plano Nacional de Microcrédito (art.º 11º-B) A formalizar pelos promotores em qualquer altura do ano e a apresentar numa das instituições de crédito aderentes à qual competirá a análise e decisão sobre o pedido de financiamento mediante validação prévia da CASES.

16 vii. CANDIDATURAS C) CPE (art.º 12º) Sem recurso ao crédito Em qualquer altura do ano, através de formulário próprio de candidatura e com Requerimento dirigido ao ISS, nos Centros de Emprego da área de residência do promotor ou de implementação do projeto. Em cumulação com o crédito (empresas a constituir) Em qualquer altura do ano e a apresentar numa das instituições de crédito aderentes com a Declaração de Certificação de Destinatário, emitida pelo Centro de Emprego da área de implementação do projeto, onde, em simultâneo, apresentam Requerimento dirigido ao ISS para pagamento (total ou parcial) do montante global de prestações de desemprego.

17 viii. REALIZAÇÃO E ACOMPANHAMENTO Execução do projeto (investimento e postos de trabalho) aprovado até um ano a contar da data de disponibilização do crédito; Os projetos de criação de emprego promovidos por beneficiários de prestações de desemprego (sem recurso ao crédito) devem manter a actividade da empresa e os postos de trabalho preenchidos durante, pelo menos, três anos; Acompanhamento pelo IEFP, I.P. desde a data de concessão dos apoios até à extinção das obrigações associadas ao projeto.

18 Links Úteis Apoios IEFP Criação do Próprio Emprego ou Empresa goempresa.aspx Formulários de Candidatura CPE (PAECPE) e Minuta de Requerimento dirigido ao ISS Programa Nacional do Microcrédito Empreendedorismo

19 Links Úteis Aspetos práticos sobre criação de empresas e Planos de Negócios Criação, Gestão, Expansão... de empresa Balcão do Empreendedor Dossiers Negócio Sou Mais Como elaborar um Plano de Negócios: Guia Prático Novos guias ensinam a criar negócios

20 FIM Sílvia Carimbo D.R.L.V.T. - Divisão de Emprego

PAECPE (PROGRAMA DE APOIO AO EMPREENDORISMO E À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO)

PAECPE (PROGRAMA DE APOIO AO EMPREENDORISMO E À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO) PAECPE (PROGRAMA DE APOIO AO EMPREENDORISMO E À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO) Condições de Acesso (Portaria n.º 985/2009 de 4 de Setembro) 0 PAECPE (PROGRAMA DE APOIO AO EMPREENDORISMO E À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO

Leia mais

INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL

INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL 1. Programa de Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego (PAECPE) 2. Programa Investe Jovem 3. Apoio Técnico à Criação e Consolidação de Projetos

Leia mais

PAECPE Programa de Apoio ao Empreendedorismo e Criação do Próprio Emprego

PAECPE Programa de Apoio ao Empreendedorismo e Criação do Próprio Emprego PAECPE Programa de Apoio ao Empreendedorismo e Criação do Portaria nº 58/2011, de 28 de Janeiro, que altera e republica a Portaria nº 985/2009 de 4 de Setembro, com as alterações introduzidas pela Portaria

Leia mais

WORKSHOP :EMPREENDEDORISMO E CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO

WORKSHOP :EMPREENDEDORISMO E CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO WORKSHOP :EMPREENDEDORISMO E CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO Entidade: Centro de Emprego de Loulé Tema: Apoios à Criação do Próprio Emprego e de Empresas 1. O Plano de Negócios 2. Apoios à Criação do Próprio

Leia mais

Lisboa, 26 de Junho de 2012

Lisboa, 26 de Junho de 2012 Lisboa, 26 de Junho de 2012 Estímulo 2012 A medida ativa de emprego Estímulo 2012, aprovada pela Portaria nº 45/2012, tem por objetivo: Apoiar a contratação de desempregados; Promovendo e aumentando a

Leia mais

APOIOS DO IEFP PARA A CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO

APOIOS DO IEFP PARA A CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO III Faro empreendedor Empreendedorismo Integrado APOIOS DO IEFP PARA A CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO Faro, 30 de Abril de 2013 1 PAECPE Programa de Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego

Leia mais

MEDIDA ESTIMULO 2012 Regulamento do Instituto do Emprego e Formação Profissional

MEDIDA ESTIMULO 2012 Regulamento do Instituto do Emprego e Formação Profissional MEDIDA ESTIMULO 2012 Regulamento do Instituto do Emprego e Formação Profissional No âmbito da medida de incentivos ao emprego "Estímulo 2012", estabelecida pela Portaria n 45/2012, de 13.2, o Instituto

Leia mais

b) Fomentar e apoiar a criação líquida de postos de trabalho;

b) Fomentar e apoiar a criação líquida de postos de trabalho; RATIO LEGIS a SUL Medida Contrato-Emprego Por Carla Lima A Portaria n.º 34/2017, de 18 de janeiro, regula a criação da medida Contrato- Emprego, que consiste na concessão, à entidade empregadora, de um

Leia mais

Volta de Apoio ao Emprego 2016 MEDIDAS ATIVAS DE EMPREGO

Volta de Apoio ao Emprego 2016 MEDIDAS ATIVAS DE EMPREGO Volta de Apoio ao Emprego 2016 MEDIDAS ATIVAS DE EMPREGO Centro de Emprego de Vila Nova de Famalicão 15 de Junho de 2016 Objetivo Contexto: - O que é o Instituto do Emprego e Formação Profissional, I.P.

Leia mais

Sessão de Divulgação - ALBUFEIRA

Sessão de Divulgação - ALBUFEIRA Sessão de Divulgação - ALBUFEIRA Entidade: Centro de Emprego de Loulé Tema: Apoios à de Empresas e Criação do Próprio Emprego IEFP,I.P. 1. O Plano de Negócios 2. Apoios à Criação do Próprio Emprego ou

Leia mais

Apoios ao Empreendedorismo

Apoios ao Empreendedorismo Apoios ao Empreendedorismo IAPMEI Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação, I.P.MEI - Ministério da Economia e da Inovação Objetivos: Facilitar o acesso a soluções de financiamento

Leia mais

MEDIDA CONTRATO-EMPREGO

MEDIDA CONTRATO-EMPREGO MEDIDA CONTRATO-EMPREGO EM QUE CONSISTE A medida Contrato-Emprego é um apoio financeiro aos empregadores que celebrem contratos de trabalho sem termo ou a termo certo, por prazo igual ou superior a 12

Leia mais

EDITAL Nº1/2015 MEDIDA II - INCENTIVO À PARTICIPAÇÃO INDIVIDUAL EM FORMAÇÃO CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS

EDITAL Nº1/2015 MEDIDA II - INCENTIVO À PARTICIPAÇÃO INDIVIDUAL EM FORMAÇÃO CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS EDITAL Nº1/2015 MEDIDA II - INCENTIVO À PARTICIPAÇÃO INDIVIDUAL EM FORMAÇÃO CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Para os efeitos convenientes torna-se público que se encontra aberto, a partir do

Leia mais

WORHSHOP A Mulher, a Ciência e o empreendedorismo 22-02-2013

WORHSHOP A Mulher, a Ciência e o empreendedorismo 22-02-2013 WORHSHOP A Mulher, a Ciência e o empreendedorismo 22-02-2013 Programa de Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego (PAECPE) Serviço de Emprego da Covilhã 1 Programa de Apoio ao Empreendedorismo

Leia mais

Sessão de esclarecimento ACIB. Barcelos, 28 de março de 2012

Sessão de esclarecimento ACIB. Barcelos, 28 de março de 2012 Sessão de esclarecimento ACIB Barcelos, 28 de março de 2012 O IEFP, I.P. É UM SERVIÇO PÚBLICO DE EMPREGO COM ATENDIMENTO PERSONALIZADO E GRATUITO QUE PODE APRESENTAR SOLUÇÕES PARA A SUA EMPRESA FACULTA

Leia mais

+ INICIATIVA Sessão de Divulgação

+ INICIATIVA Sessão de Divulgação + INICIATIVA Sessão de Divulgação Entidade: Centro de Emprego de Loulé Tema: Apoios à Criação do Próprio Emprego e de Empresas 1. O Plano de Negócios 2. Apoios à Criação do Próprio Emprego ou Empresa IEFP,

Leia mais

PDR Jovens Agricultores Investimentos na Exploração Agrícola

PDR Jovens Agricultores Investimentos na Exploração Agrícola PDR 2014-2020 Jovens Agricultores + 3.2 - Investimentos na Exploração Agrícola PSZ CONSULTING 2015 Índice Índice... 1 1 Prémio aos Jovens Agricultores... 2 1.1 Enquadramento... 2 1.2 Beneficiários... 2

Leia mais

GUIA PRÁTICO MEDIDAS ESPECÍFICAS E TRANSITÓRIAS DE APOIO E ESTÍMULO AO EMPREGO

GUIA PRÁTICO MEDIDAS ESPECÍFICAS E TRANSITÓRIAS DE APOIO E ESTÍMULO AO EMPREGO GUIA PRÁTICO MEDIDAS ESPECÍFICAS E TRANSITÓRIAS DE APOIO E ESTÍMULO AO EMPREGO REDUÇÃO DE TAXA CONTRIBUTIVA APOIO À REDUÇÃO DA PRECARIEDADE NO EMPREGO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO

Leia mais

IEFP. O Instituto do Emprego e Formação Profissional promove uma série de medidas e programas destinados a fomentar e apoiar o emprego em Portugal.

IEFP. O Instituto do Emprego e Formação Profissional promove uma série de medidas e programas destinados a fomentar e apoiar o emprego em Portugal. IEFP O Instituto do Emprego e Formação Profissional promove uma série de medidas e programas destinados a fomentar e apoiar o emprego em Portugal. Desse conjunto, destacamos: I) Apoios à contratação II)

Leia mais

*RN PT* FLEXOPACK - INDÚSTRIA EMBALAGENS, LDA. LUGAR ALÉM DO RIO Nº 35 ANTA ESPINHO

*RN PT* FLEXOPACK - INDÚSTRIA EMBALAGENS, LDA. LUGAR ALÉM DO RIO Nº 35 ANTA ESPINHO Delegação Regional do Norte Rua Eng. Ezequiel Campos, 488 4149-004 PORTO - Porto *RN057158099PT* FLEXOPACK - INDÚSTRIA EMBALAGENS, LDA. LUGAR ALÉM DO RIO Nº 35 ANTA 4500-579 ESPINHO Refª n.º 05-05-2016

Leia mais

MEDIDA ESTÁGIOS EMPREGO

MEDIDA ESTÁGIOS EMPREGO MEDIDA ESTÁGIOS EMPREGO Entidades Promotoras: Entidades privadas, com ou sem fins lucrativos e Autarquias Locais. Destinatários: Jovens à procura de emprego, entre os 18 e os 30 anos, inscritos no IEFP

Leia mais

GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Dispensa de Pagamento de Contribuições 1º

Leia mais

GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Dispensa de Pagamento de Contribuições 1º

Leia mais

Volta de Apoio ao Emprego 2014

Volta de Apoio ao Emprego 2014 Volta de Apoio ao Emprego 2014 Apoios ao Empreendedorismo 1. Programa de Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego (PAECPE) 2. Programa Investe Jovem 3.O Ninho de Empresas de Loulé 2014-10-23

Leia mais

GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Dispensa de Pagamento de Contribuições 1º

Leia mais

O FINANCIAMENTO DAS EMPRESAS TURÍSTICAS. Linha de Apoio à Qualificação da Oferta

O FINANCIAMENTO DAS EMPRESAS TURÍSTICAS. Linha de Apoio à Qualificação da Oferta O FINANCIAMENTO DAS EMPRESAS TURÍSTICAS Linha de Apoio à Qualificação da Oferta CENTRO O Financiamento da Atividade Turística LINHA DE APOIO À QUALIFICAÇÃO DA OFERTA 23 Maio 2017 Miguel Mendes Beneficiários

Leia mais

SI2E. CCDRC 16 de maio de 2017 SI2E. Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego

SI2E. CCDRC 16 de maio de 2017 SI2E. Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego CCDRC 16 de maio de 2017 SI2E Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego Registo de Beneficiários no Balcão 2020 Vídeo de apoio ao registo de entidades https://balcao.portugal2020.pt/balcao2020/content/videos/login_12_11_2014.htm

Leia mais

INTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

INTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO MEDIDAS ESPECÍFICAS E TRANSITÓRIAS DE APOIO E ESTÍMULO AO EMPREGO APOIO À CONTRATAÇÃO DE JOVENS, DE DESEMPREGADOS DE LONGA DURAÇÃO E DE DETERMINADOS PÚBLICOS INTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL,

Leia mais

Âmbito do Fundo de Modernização do Comércio

Âmbito do Fundo de Modernização do Comércio Comércio Investe Projeto Individual Âmbito do Fundo de Modernização do Comércio Candidaturas entre 30 de Setembro e 25 de Novembro Porto Rua Dr. Ernesto Soares dos Reis Nº 208, 1º Andar, Sala P 3720 256

Leia mais

. (A) N.º de trabalhadores com vínculo permanente na Entidade à data da candidatura:

. (A) N.º de trabalhadores com vínculo permanente na Entidade à data da candidatura: Formulário de Candidatura ao Programa Vida e Trabalho Prémio de Integração Sócio - Profissional (Portaria n.º 177/2002 de 02 de Novembro) 1. Identificação da Entidade Promotora Denominação: Sede: Freguesia:

Leia mais

Uma nova modalidade de apoio à contratação

Uma nova modalidade de apoio à contratação Uma nova modalidade de apoio à contratação Clique para editar o estilo do subtítulo do Modelo Global Portaria n.º 34/2017, de 18 de janeiro 5/24/2017 1 Uma medida integrada numa nova geração de políticas

Leia mais

3. Como podem ser constituídas as equipas dos projetos cooperativos?

3. Como podem ser constituídas as equipas dos projetos cooperativos? FAQ I Finalidade e âmbito do Programa COOPJOVEM 1. O que é o COOPJOVEM? O COOPJOVEM é um programa de apoio ao empreendedorismo cooperativo, destinado a apoiar os jovens NEET na criação de cooperativas,

Leia mais

PARTE I. Diário da República, 2.ª série N.º 4 5 de janeiro de CASES COOPERATIVA ANTÓNIO SÉRGIO PARA A ECONOMIA SOCIAL, CIPRL

PARTE I. Diário da República, 2.ª série N.º 4 5 de janeiro de CASES COOPERATIVA ANTÓNIO SÉRGIO PARA A ECONOMIA SOCIAL, CIPRL Diário da República, 2.ª série N.º 4 5 de janeiro de 2017 509 11.7 Excecionalmente e, designadamente quando o número de candidatos seja de tal modo elevado (igual ou superior a 100), tornando- -se impraticável

Leia mais

MEDIDAS DE ESTÍMULO EMPREGO (ACTUALIZAÇÃO)

MEDIDAS DE ESTÍMULO EMPREGO (ACTUALIZAÇÃO) MEDIDAS DE ESTÍMULO EMPREGO (ACTUALIZAÇÃO) INTRODUÇÃO Nos últimos anos e com o intuito de contrariar os efeitos da recessão económica no emprego, o legislador tem seguido uma política de estímulo ao mercado

Leia mais

Programa Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego Tagusvalley 25 Julho 2011 Sumário 1.Âmbito do programa 2.Apoios Prestados 3.Destinatários 4.Apoio Técnico à Criação e Consolidação de Projectos

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE MICROCRÉDITO

PROGRAMA NACIONAL DE MICROCRÉDITO PROGRAMA NACIONAL DE MICROCRÉDITO ACORDO DE COOPERAÇÃO entre o INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL (IEFP, IP) e a COOPERATIVA ANTÓNIO SÉRGIO PARA A ECONOMIA SOCIAL (CASES) Considerando que: A

Leia mais

Briefing Laboral # 18 1

Briefing Laboral # 18 1 Briefing Laboral # 18 1 CRIAÇÃO DA MEDIDA ESTÍMULO EMPREGO E ALTERAÇÃO ÀS MEDIDAS ESTÁGIO EMPREGO Portaria n.º 149-A/2014, de 24 de Julho Concessão de Apoio Financeiro à celebração de contrato de Trabalho

Leia mais

Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social. Pagamento Voluntário de Contribuições

Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social. Pagamento Voluntário de Contribuições Pagamento Voluntário de Contribuições Ficha Técnica Título Autor Conceção gráfica de Segurança Social Pagamento Voluntário de Contribuições Direção de Serviços de Instrumentos de Aplicação Edição http://www.seg-social.pt/dgss-direccao-geral-da-seguranca-social

Leia mais

MEDIDA ESTÁGIO PROFISSIONAL Portaria n.º 131/2017, de 7 de abril

MEDIDA ESTÁGIO PROFISSIONAL Portaria n.º 131/2017, de 7 de abril MEDIDA ESTÁGIO PROFISSIONAL Portaria n.º 131/2017, de 7 de abril A portaria n.º 13/2017, de 7 de abril, veio regular a criação da medida Estágios Profissionais. Esta medida consiste no apoio à inserção

Leia mais

INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO DISPENSA PARCIAL OU ISENÇÃO TOTAL DO PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO, DESEMPREGADO DE LONGA DURAÇÃO E DESEMPREGADO DE MUITO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA

Leia mais

MANUAL DE APOIO NO DESEMPREGO PROTEÇÃO SOCIAL

MANUAL DE APOIO NO DESEMPREGO PROTEÇÃO SOCIAL A informação contida neste manual de apoio não é exaustiva e, como tal, não dispensa a consulta da legislação aplicável: Decreto-Lei n.º 64/2012, de 15 de março. Altera o Decreto-Lei 220/2006, de 03 de

Leia mais

Formação-ação no domínio da competitividade e internacionalização -Portugal 2020- Maria José Caçador 15.abril.2016

Formação-ação no domínio da competitividade e internacionalização -Portugal 2020- Maria José Caçador 15.abril.2016 Formação-ação no domínio da competitividade e internacionalização -Portugal 2020- Maria José Caçador 15.abril.2016 ENQUADRAMENTO SISTEMA DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS Inovação Empresarial e Empreendedorismo

Leia mais

GUIA PRÁTICO MEDIDAS ESPECÍFICAS E TRANSITÓRIAS DE APOIO E ESTÍMULO AO EMPREGO

GUIA PRÁTICO MEDIDAS ESPECÍFICAS E TRANSITÓRIAS DE APOIO E ESTÍMULO AO EMPREGO GUIA PRÁTICO MEDIDAS ESPECÍFICAS E TRANSITÓRIAS DE APOIO E ESTÍMULO AO EMPREGO ISENÇÃO DO PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES APOIO À REDUÇÃO DA PRECARIEDADE NO EMPREGO DOS JOVENS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL,

Leia mais

V I D A A T I V A. Emprego Qualificado. Desempregados. APOIO ÀS Start-Up`s

V I D A A T I V A. Emprego Qualificado. Desempregados. APOIO ÀS Start-Up`s V I D A A T I V A Formar e I n t e g r a r Emprego Qualificado Desempregados APOIO ÀS Start-Up`s APOIO AO EMPREENDEDORISMO Apresentar os elementos centrais da intervenção do IEFP no apoio ao Empreendedorismo:

Leia mais

Versão de trabalho PROGRAMA MODELAR MANUAL DE APOIO À EXECUÇÃO DOS PROJECTOS

Versão de trabalho PROGRAMA MODELAR MANUAL DE APOIO À EXECUÇÃO DOS PROJECTOS Versão de trabalho PROGRAMA MODELAR MANUAL DE APOIO À EXECUÇÃO DOS PROJECTOS UMCCI Março de 2009 Índice 1 Introdução.. 3 2 - Contabilização do investimento e dos incentivos 3 3 - Execução do projecto 4

Leia mais

12 medidas de financiamento, simplificação e novos concursos

12 medidas de financiamento, simplificação e novos concursos 12 medidas de financiamento, simplificação e novos concursos SI QREN Evolução da procura e das aprovações Investim ento M Procura/candidaturas (investimento) Aprovações (investimento) Aprovações (incentivo

Leia mais

Medida Cheque-Formação

Medida Cheque-Formação Medida Cheque-Formação Sofia David CTCV Coimbra 15/10/2015 1 O CTCV como entidade Formadora: Desígnios Apoiar as empresas no Desenvolvimento de Projetos que conduzam ao desenvolvimento de competências

Leia mais

INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO DISPENSA PARCIAL DO PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES PARA A SEGURANÇA SOCIAL RELATIVAMENTE AOS PRODUTORES DE LEITE CRU DE VACA E AOS PRODUTORES DE CARNE DE SUÍNO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

Leia mais

GUIA PRÁTICO REDUÇÃO DA TAXA CONTRIBUTIVA TRABALHADORES COM DEFICIÊNCIA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO REDUÇÃO DA TAXA CONTRIBUTIVA TRABALHADORES COM DEFICIÊNCIA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO REDUÇÃO DA TAXA CONTRIBUTIVA TRABALHADORES COM DEFICIÊNCIA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Redução da Taxa Contributiva Trabalhadores com Deficiência (2007

Leia mais

Financiamento e Empreendedorismo Cultural

Financiamento e Empreendedorismo Cultural Financiamento e Empreendedorismo Cultural Instrumentos e Soluções de Investimento Porto, 2 de Julho 2009 Financiamento e Empreendedorismo Cultural 1 Programa Financiamentos ao Sector Cultural Soluções

Leia mais

( DR N.º 172, Série I 4 Setembro 2009 4 Setembro 2009 )

( DR N.º 172, Série I 4 Setembro 2009 4 Setembro 2009 ) LEGISLAÇÃO Portaria n.º 985/2009, de 4 de Setembro, Aprova a criação do Programa de Apoio ao Empreendimento e à Criação do Próprio Emprego (PAECPE), a promover e executar pelo Instituto do Emprego e Formação

Leia mais

Linha de Crédito Capitalizar Versão v.2

Linha de Crédito Capitalizar Versão v.2 1. Condições a Observar pelas Empresas Beneficiárias Condições genéricas: 1.1. Localização (sede social) em território nacional; inclui Regiões Autónomas da Madeira e Açores, bem como Portugal Continental.

Leia mais

CHEQUE-FORMAÇÃO OBJECTIVOS:

CHEQUE-FORMAÇÃO OBJECTIVOS: CHEQUE-FORMAÇÃO OBJECTIVOS: O Cheque-Formação visa reforçar a qualidade e a celeridade das medidas ativas de emprego, em particular no que respeita à qualificação profissional, procurando, nomeadamente:

Leia mais

GUIA PRÁTICO REDUÇÃO DE TAXA CONTRIBUTIVA PRÉ REFORMA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO REDUÇÃO DE TAXA CONTRIBUTIVA PRÉ REFORMA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO REDUÇÃO DE TAXA CONTRIBUTIVA PRÉ REFORMA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Redução de Taxa Contributiva Pré Reforma (2005 v5.4) PROPRIEDADE Instituto da

Leia mais

ARGANIL INVESTE MAIS REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL. Nota Justificativa

ARGANIL INVESTE MAIS REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL. Nota Justificativa ARGANIL INVESTE MAIS REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL Nota Justificativa Considerando que a competitividade da economia concelhia está na primeira linha das preocupações

Leia mais

ADSE - BENEFICIÁRIOS

ADSE - BENEFICIÁRIOS QUEM SE PODE INSCREVER NA ADSE? Podem ser inscritos na ADSE: Os trabalhadores com relação jurídica de emprego público da administração central, regional e local, desde que estejam inscritos na Caixa Geral

Leia mais

Formação Algarve PROGRAMA FORMAÇÃO ALGARVE

Formação Algarve PROGRAMA FORMAÇÃO ALGARVE PROGRAMA FORMAÇÃO ALGARVE Em que consiste Concessão de um apoio financeiro à renovação, à conversão de contratos de trabalho a termo ou à celebração de novos contratos de trabalho com ex-trabalhadores

Leia mais

GUIA PRÁTICO SUPLEMENTO ESPECIAL DE PENSÃO

GUIA PRÁTICO SUPLEMENTO ESPECIAL DE PENSÃO GUIA PRÁTICO SUPLEMENTO ESPECIAL DE PENSÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/8 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Suplemento Especial de Pensão (7017-A v4. 11) PROPRIEDADE

Leia mais

REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE INCENTIVOS AO INVESTIMENTO

REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE INCENTIVOS AO INVESTIMENTO REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE INCENTIVOS AO INVESTIMENTO Considerando que os Municípios dispõem de atribui ções no domínio da promoção do desenvolvimento, de acordo com o disposto na alínea n) do n.º 1 do

Leia mais

PROJETO DE REGULAMENTO DE INCENTIVOS À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO NO MUNICÍPIO DE NELAS

PROJETO DE REGULAMENTO DE INCENTIVOS À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO NO MUNICÍPIO DE NELAS PROJETO DE REGULAMENTO DE INCENTIVOS À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO NO MUNICÍPIO DE NELAS PROJETO DE REGULAMENTO DE INCENTIVOS À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO NO MUNICÍPIO DE NELAS Nota Justificativa O empreendedorismo

Leia mais

Conceição Carvalho Diretora Adjunta

Conceição Carvalho Diretora Adjunta Conceição Carvalho Diretora Adjunta NERCAB - Associação Empresarial da Região de Castelo Branco QUEM SOMOS? O QUE FAZEMOS? QUEM PODEMOS AJUDAR? A NOSSA MISSÃO Promover o desenvolvimento das atividades

Leia mais

GUIA PRÁTICO MEDIDAS EXCECIONAIS DE APOIO AO EMPREGO PARA 2010 APOIO À REDUÇÃO DA PRECARIEDADE NO EMPREGO INTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.

GUIA PRÁTICO MEDIDAS EXCECIONAIS DE APOIO AO EMPREGO PARA 2010 APOIO À REDUÇÃO DA PRECARIEDADE NO EMPREGO INTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I. GUIA PRÁTICO MEDIDAS EXCECIONAIS DE APOIO AO EMPREGO PARA 2010 APOIO À REDUÇÃO DA PRECARIEDADE NO EMPREGO INTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Medidas excecionais de apoio

Leia mais

REGIME DE SEGURANÇA SOCIAL DOS TRABALHADORES INDEPENDENTES DECRETO-LEI N.º 328/93, DE 25 DE SETEMBRO

REGIME DE SEGURANÇA SOCIAL DOS TRABALHADORES INDEPENDENTES DECRETO-LEI N.º 328/93, DE 25 DE SETEMBRO Legislação publicada: Despacho Normativo n.º 19/87, de 19 de Fevereiro: vai ser feita referência a este despacho no art. 6.º do D.L. 328/93; Decreto-Lei n.º 328/93, de 25 de Setembro: instituiu o regime

Leia mais

APOIOS AO EMPREGO E À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO

APOIOS AO EMPREGO E À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO APOIOS AO EMPREGO E À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO APOIOS AO EMPREGO E À CONTRATAÇÃO Portaria n.º130/2009, de 30 de Janeiro PROGRAMA DE ESTÍMULO À OFERTA DE EMPREGO INICIATIVAS LOCAIS DE EMPREGO Portaria

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 03/2016

ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 03/2016 ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 03/2016 REGULAMENTO ESPECÍFICO DO DOMÍNIO DA COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO (RECI) Sistema de Incentivos às Empresas Inovação Produtiva Majoração «Execução do Investimento»

Leia mais

LINHA DE CRÉDITO COM GARANTIA MÚTUA, IFD PROGRAMA CAPITALIZAR PORTUGAL Perguntas Frequentes

LINHA DE CRÉDITO COM GARANTIA MÚTUA, IFD PROGRAMA CAPITALIZAR PORTUGAL Perguntas Frequentes LINHA DE CRÉDITO COM GARANTIA MÚTUA, IFD 2016-2020 PROGRAMA CAPITALIZAR PORTUGAL 2020 Perguntas Frequentes Linha de Crédito com Garantia Mútua, IFD 2016-2020 Programa Capitalizar Portugal 2020 PERGUNTAS

Leia mais

GUIA PRÁTICO REGIME DE PROTEÇÃO SOCIAL DE TRABALHADORES EM FUNÇÕES PÚBLICAS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO REGIME DE PROTEÇÃO SOCIAL DE TRABALHADORES EM FUNÇÕES PÚBLICAS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO REGIME DE PROTEÇÃO SOCIAL DE TRABALHADORES EM FUNÇÕES PÚBLICAS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Regime de Proteção Social de Trabalhadores em Funções Públicas

Leia mais

Medidas Ativas de Emprego. Junho 2014

Medidas Ativas de Emprego. Junho 2014 Medidas Ativas de Emprego Junho 2014 Intervenção do SPE A intervenção prioritária deve ser o ajustamento entre quem procura e quem oferece emprego. Quem procura o SPE quer acima de tudo um emprego. Quando

Leia mais

Linha de Crédito Investe QREN. Apresentação a clientes

Linha de Crédito Investe QREN. Apresentação a clientes Linha de Crédito Investe QREN Linha de Crédito Bonificada com Garantia Mútua Apresentação a clientes UNIÃO EUROPEIA Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional Enquadramento Pretende-se com esta Linha beneficiar

Leia mais

Normas para concessão de auxílios económicos no 1.º ciclo do ensino básico

Normas para concessão de auxílios económicos no 1.º ciclo do ensino básico Normas para concessão de auxílios económicos no 1.º ciclo do ensino básico ENQUADRAMENTO Desde a Constituição da República de 1976 que está consagrada a universalidade, obrigatoriedade e gratuitidade do

Leia mais

GUIA PRÁTICO REDUÇÃO DA TAXA CONTRIBUTIVA MEDIDA EXCEPCIONAL DE APOIO AO EMPREGO PARA O ANO 2010 INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.

GUIA PRÁTICO REDUÇÃO DA TAXA CONTRIBUTIVA MEDIDA EXCEPCIONAL DE APOIO AO EMPREGO PARA O ANO 2010 INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I. GUIA PRÁTICO REDUÇÃO DA TAXA CONTRIBUTIVA MEDIDA EXCEPCIONAL DE APOIO AO EMPREGO PARA O ANO 2010 INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Redução da taxa contributiva Medida

Leia mais

INCENTIVOS DE APOIO À CONTRATAÇÃO

INCENTIVOS DE APOIO À CONTRATAÇÃO DOSSIER INFORMATIVO 4 INCENTIVOS DE APOIO À CONTRATAÇÃO EMPRESAS ÍNDICE 1 - Medida Estágio Emprego...4 2 - Medida Estímulo Emprego...10 3 - Medida REATIVAR...16 4 - Dispensa de pagamento de contribuições

Leia mais

Subsídio de Doença Direção-Geral da Segurança Social março 2015

Subsídio de Doença Direção-Geral da Segurança Social março 2015 Direção-Geral da Segurança Social março 2015 O é uma prestação em dinheiro atribuída ao beneficiário para compensar a perda de remuneração, resultante do impedimento temporário para o trabalho, por motivo

Leia mais

PDR Pequenos Investimentos na Exploração Agrícola

PDR Pequenos Investimentos na Exploração Agrícola PDR 2014-2020 3.2.2 Pequenos Investimentos na Exploração Agrícola Portal dos Incentivos Maio 2015 Índice 1 Apresentação de Tema... 2 1.1 Enquadramento... 2 1.2 Beneficiários... 2 1.3 Critérios de Elegibilidade

Leia mais

Exemplo: Uma empresa efetua despedimentos, no âmbito de uma reestruturação, em

Exemplo: Uma empresa efetua despedimentos, no âmbito de uma reestruturação, em Em cada triénio, só são consideradas para efeitos de proteção no desemprego as situações de cessação do contrato de trabalho por acordo, com fundamento em motivos que permitam o recurso ao despedimento

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO AO EMPREENDEDORISMO E À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO

PROGRAMA DE APOIO AO EMPREENDEDORISMO E À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO PROGRAMA DE APOIO AO EMPREENDEDORISMO E À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO O PAECPE concede apoio à criação de empresas e à criação do próprio emprego. Contempla as seguintes medidas: 1) Apoios à Criação de

Leia mais

www.microcredito.com.pt ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE DIREITO AO CRÉDITO Partilhe as suas esperanças e sonhos. Outras pessoas podem ajudá-lo a torná-las realidade (Autor desconhecido) Viana do Castelo: LISBOA

Leia mais

DESPACHO N. GR.03/05/2011

DESPACHO N. GR.03/05/2011 DESPACHO N. GR.03/05/2011 Regulamento Estatuto de Trabalhador-Estudante da Universidade do Porto No uso da competência que me é consagrada na alínea o) do n 1 do artigo 400 dos Estatutos da Universidade

Leia mais

GUIA PRÁTICO REDUÇÃO DA TAXA CONTRIBUTIVA DEFICIENTES INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO REDUÇÃO DA TAXA CONTRIBUTIVA DEFICIENTES INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO REDUÇÃO DA TAXA CONTRIBUTIVA DEFICIENTES INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Isenção/Redução da Taxa Contributiva Regiões com Problemas de Interioridade (2007

Leia mais

Titulo da Apresentação da DRAPLVT

Titulo da Apresentação da DRAPLVT Título da Apresentação Titulo da Apresentação da DRAPLVT Substítulo Santarém Fevereiro 2017 Objetivos Nacionais Crescimento sustentável do sector AGROFLORESTAL em TODO O TERRITÒRIO NACIONAL Aumento do

Leia mais

PROTOCOLO BPI/CAP BPI E CAP UNEM ESFORÇOS NO ADIANTAMENTO DE AJUDAS DIRECTAS AOS AGRICULTORES

PROTOCOLO BPI/CAP BPI E CAP UNEM ESFORÇOS NO ADIANTAMENTO DE AJUDAS DIRECTAS AOS AGRICULTORES BPI E CAP UNEM ESFORÇOS NO ADIANTAMENTO DE AJUDAS DIRECTAS AOS AGRICULTORES 2016 ENQUADRAMENTO E VANTAGENS Protocolo BPI/CAP O BPI renovou o protocolo com a Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP)

Leia mais

Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social. Seguro Social Voluntário

Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social. Seguro Social Voluntário Seguro Social Voluntário Ficha Técnica Título Autor de Segurança Social Seguro Social Voluntário Conceção gráfica Edição Direção de Serviços de Instrumentos de Aplicação http://www.seg-social.pt/dgss-direccao-geral-da-seguranca-social

Leia mais

Linha de Microcrédito (FINICIA II)

Linha de Microcrédito (FINICIA II) Linha de Microcrédito (FINICIA II) 2016 ENQUADRAMENTO E SÍNTESE Linha de Microcrédito Linha criada pelo Banco BPI e pelas Sociedades de Garantia Mútua (SGM) no âmbito do Programa FINICIA II do IAPMEI,

Leia mais

GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES ROTAÇÃO EMPREGO-FORMAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES ROTAÇÃO EMPREGO-FORMAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES ROTAÇÃO EMPREGO-FORMAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Dispensa de Pagamento de Contribuições Rotação Emprego-Formação

Leia mais

PME INVESTE CRESCIMENTO GERAL

PME INVESTE CRESCIMENTO GERAL PME INVESTE CRESCIMENTO GERAL INFORMAÇÃO SINTETIZADA OBJETO Facilitar o acesso ao crédito por parte das PME, nomeadamente através da bonificação de taxas de juro e da minimização do risco das operações

Leia mais

GUIA PRÁTICO PEDIDO DE DECLARAÇÃO DE NÃO APLICAÇÃO DE SANÇÕES

GUIA PRÁTICO PEDIDO DE DECLARAÇÃO DE NÃO APLICAÇÃO DE SANÇÕES GUIA PRÁTICO PEDIDO DE DECLARAÇÃO DE NÃO APLICAÇÃO DE SANÇÕES INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/6 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Pedido de Declaração de não Aplicação

Leia mais

Proteção no desemprego para os trabalhadores independentes Decreto-Lei n.º 65/2012, de 15 de março

Proteção no desemprego para os trabalhadores independentes Decreto-Lei n.º 65/2012, de 15 de março Proteção no desemprego para os trabalhadores independentes Decreto-Lei n.º 65/2012, de 15 de março Através do presente decreto-lei o Governo instituiu um regime jurídico de proteção na eventualidade desemprego,

Leia mais

GUIA PRÁTICO COMPLEMENTO ESPECIAL DE PENSÃO

GUIA PRÁTICO COMPLEMENTO ESPECIAL DE PENSÃO Manual de GUIA PRÁTICO COMPLEMENTO ESPECIAL DE PENSÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/7 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Complemento Especial de Pensão (7017

Leia mais

Lisboa, 25 de novembro de 2011

Lisboa, 25 de novembro de 2011 Lisboa, 25 de novembro de 2011 A reabilitação urbana constitui um fator essencial no desenvolvimento do setor do turismo, enquanto elemento integrante da nossa oferta turística A regeneração urbana estabelece

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Segunda-feira, 13 de maio de Série. Número 56

JORNAL OFICIAL. Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Segunda-feira, 13 de maio de Série. Número 56 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Segunda-feira, 13 de maio de 2013 Série Suplemento Sumário SECRETARIA REGIONAL DOS ASSUNTOS SOCIAIS Portaria n.º 32/2013 Aprova e regulamenta o Programa de Estímulo

Leia mais

REGULAMENTO DE PROCEDIMENTOS DO PROGRAMA NACIONAL DE MICROCRÉDITO

REGULAMENTO DE PROCEDIMENTOS DO PROGRAMA NACIONAL DE MICROCRÉDITO REGULAMENTO DE PROCEDIMENTOS DO PROGRAMA NACIONAL DE MICROCRÉDITO INDICE 1. OBJETIVO 2. DESTINATÁRIOS 3. REQUISITOS GERAIS DE ACESSO À TIPOLOGIA MICROINVEST 4. MODELO ESPECÍFICO DE APOIO TÉCNICO À CRIAÇÃO

Leia mais

Partido Popular CDS-PP Grupo Parlamentar

Partido Popular CDS-PP Grupo Parlamentar Partido Popular CDS-PP Grupo Parlamentar PROPOSTA DE LEI Nº 247/X PROPOSTA DE ADITAMENTO Ao abrigo das disposições constitucionais e regimentais aplicáveis, os Deputados abaixo assinados, do Grupo Parlamentar

Leia mais

EMISSOR: Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social

EMISSOR: Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social DATA: Segunda-feira, 16 de setembro de 2013 NÚMERO: 178 SÉRIE I, 1º SUPLEMENTO EMISSOR: Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social DIPLOMA: Portaria n.º 286-A/2013 SUMÁRIO: Cria a medida Incentivo

Leia mais

2. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (PARTICULARES) (ÍNDICE)

2. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (PARTICULARES) (ÍNDICE) 2.1. Crédito à habitação e s conexos Crédito Habitação Valor Anual iniciais 1. Comissão de Dossier 260,00 2. Comissão de Formalização Contratual Modalidade de Estrangeiros não Residentes Em % Euros (Mín/Máx)

Leia mais

Protocolo Bancário BES/Turismo de Portugal (Linha de Apoio à Qualificação da Oferta) Apresentação a clientes

Protocolo Bancário BES/Turismo de Portugal (Linha de Apoio à Qualificação da Oferta) Apresentação a clientes Protocolo Bancário BES/Turismo de Portugal (Linha de Apoio à Qualificação da Oferta) Apresentação a clientes Gestão da Poupança Linha de crédito para apoio à Qualificação da Oferta (1/6) Beneficiários

Leia mais

PROTECÇÃO SOCIAL NA PARENTALIDADE FOLHA ANEXA AO REQUERIMENTO DOS SUBSÍDIOS PARENTAL, SOCIAL PARENTAL E PARENTAL ALARGADO, MOD.

PROTECÇÃO SOCIAL NA PARENTALIDADE FOLHA ANEXA AO REQUERIMENTO DOS SUBSÍDIOS PARENTAL, SOCIAL PARENTAL E PARENTAL ALARGADO, MOD. PROTECÇÃO SOCIAL NA PARENTALIDADE FOLHA ANEXA AO REQUERIMENTO DOS SUBSÍDIOS PARENTAL, SOCIAL PARENTAL E PARENTAL ALARGADO, MOD. RP 5049-DGSS 1. Quais os subsídios a requerer I INFORMAÇÕES O formulário

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES

MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES Diário da República, 1.ª série N.º 20 28 de Janeiro de 2011 595 MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES Portaria n.º 57/2011 de 28 de Janeiro Nos termos do Decreto -Lei n.º 12/2004, de

Leia mais

S.R. DA EDUCAÇÃO E CULTURA Portaria n.º 71/2016 de 4 de Julho de 2016

S.R. DA EDUCAÇÃO E CULTURA Portaria n.º 71/2016 de 4 de Julho de 2016 S.R. DA EDUCAÇÃO E CULTURA Portaria n.º 71/2016 de 4 de Julho de 2016 Considerando que o Regime Jurídico de Apoio ao Movimento Associativo Desportivo, aprovado pelo Decreto Legislativo Regional n.º 21/2009/A,

Leia mais

AVISO N.º 05/2014 de 15 de Setembro

AVISO N.º 05/2014 de 15 de Setembro Publicado no Diário da República, I série, nº 182, de 01 de Outubro AVISO N.º 05/2014 de 15 de Setembro ASSUNTO: Sistemas de Pagamentos de Angola Autorização para a Constituição das Sociedades Prestadoras

Leia mais

Regulamento da Ação Social Escolar - 1.º Ciclo do Ensino Básico

Regulamento da Ação Social Escolar - 1.º Ciclo do Ensino Básico Regulamento da Ação Social Escolar - 1.º Ciclo do Ensino Básico Preâmbulo A Educação constitui uma das atribuições fundamentais dos Municípios desde 1984 e a sua implementação obedece a um conjunto de

Leia mais