Universidade Salvador - UNIFACS. Economia

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Universidade Salvador - UNIFACS. Economia"

Transcrição

1 Universidade Salvador - UNIFACS Economia

2 Economia move o mundo As questões econômicas fazem parte do dia a dia das pessoas e a influência dos princípios da Economia está presente em situações que vão desde o preço cobrado pelo pão às transformações que ocorrem no mundo, como a globalização dos mercados, as inovações tecnológicas e as novas formas de organização e comercialização da produção.

3 Por que o mercado precisa do Economista? Para melhor entender os fenômenos econômicos e melhor intervir sobre eles, com novas práticas de realização da produção e do consumo. O economista deve, portanto, estar sempre atualizado sobre o que ocorre no mundo. É ele quem orienta a tomada de decisões das empresas, do governo e das famílias; analisa as alternativas de investimento no mundo dos negócios e as transações econômicas resultantes da geração e distribuição de riquezas; transforma dados em análises econômicas e financeiras; oferece a melhor combinação dos recursos para atender as inúmeras necessidades da sociedade. O grande desafio do Economista é apontar soluções para os problemas econômicos existentes na sociedade, a exemplo da escassez dos recursos.

4 Empresas Consultoria e Assessoria Orientação à tomada de decisões Gestão econômica e financeira Identificação de oportunida des e riscos Elaboração do planejamento econômico Análise de tendências setoriais Mercado Financeiro Análise do risco e do retorno das operações Análise de tendências macroeconômicas Principais campos de atuação do Economista Gestão e análise econômica Elaboração de planejamentos Realização de estudos e pesquisa de mercado Análise da viabilidade econômica e financeira dos negócios Instituições Públicas Formulação de políticas públicas Acompanhamento das finanças públicas Organismos Internacionais Identificação de oportunidades de investimento, de comércio e de cooperação internacional Assessoramento em temas econômicos e de desenvolvimento Institutos de Pesquisa Desenvolvimento de dados quantitativos Análise de informações socioeconômicas e demográficas Estudos setoriais e do mercado

5 Curso de Economia da UNIFACS Desde a sua implantação em 1997, o curso de Economia da UNIFACS oferece uma educação diferenciada e moderna, com base na formação acadêmica, profissional e humanística. A sua proposta é formar economistas aptos a dar respostas urgentes e necessárias às transformações do mundo globalizado, buscando atender ao novo perfil profissional requerido pelo mercado. O econo- mista formado pela UNIFACS é capaz de atuar em diferentes atividades dos setores público e privado. Associados da Target Empresa Júnior de Contábeis e Economia Com o objetivo de proporcionar uma formação consistente, a aprendizagem está centrado no aluno, incorporando o conteúdo teórico e aplicado da Economia. Assim, estimula-se a participação dos estudantes, dentro ou fora da sala de aula, em discussões e atividades orientadas sobre casos práticos. Principais diferenciais: Empresa Júnior - A Target Empresa Júnior de Contábeis e Economia permite aos alunos entrarem em contato, ainda na universidade, com o ambiente real do mercado de trabalho. Oportunidade de Estágio - Desde o 2º semestre, os alunos têm a oportunidade de estagiar em diferentes segmentos da área privada e pública. Iniciação Científica - A partir do 3 º semestre, os alunos têm a oportunidade de participar, como bolsistas, em projetos de iniciação científica de grupos de pesquisa cadastrados na FAPESB e no CNPq. Visitas Técnicas Representam excelente oportunidade dos estudantes vivenciarem a dinâmica de funcionamento das organizações no seu dia a dia.

6 Atividades Comunitárias Os alunos podem se engajar nas ações de caráter comunitário, baseadas na prestação de serviços profissionais em comunidades carentes. Turismo Acadêmico - Sob a coordenação da universidade, são promovidas viagens a outras localidades, com o objetivo de trocar experiências, vivenciar outras culturas e conhecer empresas de destaque na atividade econômica. Ciclo de Palestras com Especialistas - O objetivo é fomentar a discussão acadêmica de temas da conjuntura econômica, de contribuições teóricas e empíricas recentes para a Ciência Econômica e de reflexões em torno de novas áreas do conhecimento econômico. Alunos visitam o Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo

Currículos dos Cursos do CCH UFV CIÊNCIAS ECONÔMICAS. COORDENADOR Francisco Carlos da Cunha Cassuce

Currículos dos Cursos do CCH UFV CIÊNCIAS ECONÔMICAS. COORDENADOR Francisco Carlos da Cunha Cassuce 364 CIÊNCIAS ECONÔMICAS COORDENADOR Francisco Carlos da Cunha Cassuce francisco.cassuce@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2014 365 ATUAÇÃO O curso de graduação em Ciências Econômicas enseja a formação do

Leia mais

CIÊNCIAS ECONÔMICAS Ênfase em Economia Ênfase em Economia do Agronegócio

CIÊNCIAS ECONÔMICAS Ênfase em Economia Ênfase em Economia do Agronegócio UFV Catálogo de Graduação 2012 93 CIÊNCIAS ECONÔMICAS Ênfase em Economia Ênfase em Economia do COORDENADOR Roberto Serpa Dias rsdias@ufv.br 94 Currículos dos Cursos UFV Ênfase em Economia ATUAÇÃO O curso

Leia mais

Curso do Superior de Tecnologia em Marketing

Curso do Superior de Tecnologia em Marketing Curso do Superior de Tecnologia em Objetivos do curso 1.5.1 Objetivo Geral O Curso Superior de Tecnologia em na modalidade EaD da universidade Unigranrio, tem por objetivos gerais capacitar o profissional

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: Engenharia Elétrica Campus: Campos dos Goytacazes SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Missão O Curso de Engenharia Elétrica da Universidade Estácio de Sá tem por missão formar engenheiros capazes de atender

Leia mais

GRADE CURRICULAR CURRÍCULO PLENO SEMESTRALIZADO: 9 SEMESTRES (NOTURNO) Horas

GRADE CURRICULAR CURRÍCULO PLENO SEMESTRALIZADO: 9 SEMESTRES (NOTURNO) Horas GRADE CURRICULAR CURRÍCULO PLENO SEMESTRALIZADO: 9 SEMESTRES (NOTURNO) MÓDULO 1 67-102 Teoria Geral da Administração I 81-101 Língua Portuguesa 10-105 Matemática Básica 73.227 Sociologia 30 0 30 2 60.582

Leia mais

PORTARIA DA PROPPEX nº 002/2007

PORTARIA DA PROPPEX nº 002/2007 PORTARIA DA PROPPEX nº 002/2007 O Prof. Dr. Paulo Rogério Stella, Pró-Reitor de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão da Fundação Santo André, no uso de suas atribuições legais, constantes no Regimento Geral

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: Engenharia Civil Cabo Frio SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Missão O Curso de Engenharia Civil da Universidade Estácio de Sá tem por missão formar profissionais com sólidos conhecimentos tecnológicos

Leia mais

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*.

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*. EMENTÁRIO As disciplinas ministradas pela Universidade Federal de Viçosa são identificadas por um código composto por três letras maiúsculas, referentes a cada Departamento, seguidas de um número de três

Leia mais

Insper Direito Cursos de Curta e Média Duração Acompanhando o mercado jurídico moderno e inovando nos focos setorial e multidisciplinar

Insper Direito Cursos de Curta e Média Duração Acompanhando o mercado jurídico moderno e inovando nos focos setorial e multidisciplinar 1 Porque Insper Direito Cursos de Curta e Média Duração A dinâmica do mundo corporativo atual exige profissionais com habilidades multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diversas

Leia mais

Programa Próprio de Iniciação Tecnológica Industrial PPITI

Programa Próprio de Iniciação Tecnológica Industrial PPITI Programa Próprio de Iniciação Tecnológica Industrial PPITI Anápolis 2011 Programa Próprio de Iniciação Tecnológica Industrial - PPITI 1. Justificativa A inovação tecnológica é a introdução no mercado de

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADE DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADE DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADE DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: INTRODUÇÃO A ECONOMIA Código da Disciplina: EPD003 Curso: ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Semestre de oferta da disciplina:

Leia mais

MBA em FINANÇAS EMPRESARIAIS

MBA em FINANÇAS EMPRESARIAIS MBA em FINANÇAS EMPRESARIAIS 1) OBJETIVO O objetivo do MBA é proporcionar ao participante os conhecimentos e as técnicas indispensáveis à Gestão Financeira da empresa. Nas últimas décadas, a atuação do

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I - DA NATUREZA Art. º Consideram-se como Atividades Complementares do Engenharia de Produção, todas as atividades relacionadas com projetos de pesquisa,

Leia mais

Texto referência para a audiência pública sobre as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Relações Internacionais

Texto referência para a audiência pública sobre as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Relações Internacionais CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO Texto referência para a audiência pública sobre as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Relações Internacionais Comissão da Câmara de Educação Superior

Leia mais

VOCÊ SABE. O que faz o formador? Quais os requisitos de acesso à profissão de formador? O que é a habilitação própria para a docência?

VOCÊ SABE. O que faz o formador? Quais os requisitos de acesso à profissão de formador? O que é a habilitação própria para a docência? VOCÊ SABE O que faz o formador? Quais os requisitos de acesso à profissão de formador? O que é a habilitação própria para a docência? Setembro 2014 www.in-formacao.com.pt Formador/a O formador é o técnico

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE FISIOTERAPIA CAPÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE FISIOTERAPIA CAPÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE FISIOTERAPIA CAPÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES Art.1º O presente Regulamento disciplina a oferta, o funcionamento e o registro acadêmico das

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Jornalismo (POSJOR)

Programa de Pós-Graduação em Jornalismo (POSJOR) Programa de Pós-Graduação em Jornalismo (POSJOR) Ementário - Doutorado Eixo de Disciplinas Comuns Metodologia de Pesquisa em Jornalismo M e D Obrigatória 60 horas 04 Conhecimento e campo científico. Campo

Leia mais

NÚCLEO DE APOIO PSICOPEDAGÓGICO AO DISCENTE

NÚCLEO DE APOIO PSICOPEDAGÓGICO AO DISCENTE NÚCLEO DE APOIO PSICOPEDAGÓGICO AO DISCENTE REGULAMENTO DO NÚCLEO DE APOIO PSICOPEDAGÓGICO O presente regulamento tem por finalidade normatizar as atividades do Núcleo de Atendimento Psicopedagógico aos

Leia mais

Fusões, Aquisições, Reorganizações Societárias e Due Diligence ESCOLA DE DIREITO DE SÃO PAULO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS 2º SEMESTRE DE 2013

Fusões, Aquisições, Reorganizações Societárias e Due Diligence ESCOLA DE DIREITO DE SÃO PAULO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS 2º SEMESTRE DE 2013 Fusões, Aquisições, Reorganizações Societárias e Due Diligence ESCOLA DE DIREITO DE SÃO PAULO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS 2º SEMESTRE DE 2013 FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS A Fundação Getulio Vargas (FGV) deu

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: Licenciatura em Matemática Missão O Curso de Licenciatura em Matemática tem por missão a formação de docentes com um novo perfil fundamentado na conexão de dois eixos,

Leia mais

AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011

AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011 NATAL/RN MARÇO/2012

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE BOTÂNICA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE BOTÂNICA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE BOTÂNICA CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR Edital nº 101, de 15 de dezembro

Leia mais

Gestão de Projetos: Práticas PMBoK Guide

Gestão de Projetos: Práticas PMBoK Guide Curso de Pós-Graduação Lato-Sensu Gestão de Projetos: Práticas PMBoK Guide Autor & Coordenador da Nova Proposta Prof. Dr. Edson Coutinho da Silva Departamento de Administração O Curso O curso de pós-graduação

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA TITULO I DO ESTÁGIO E SEUS OBJETIVOS

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA TITULO I DO ESTÁGIO E SEUS OBJETIVOS REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA TITULO I DO ESTÁGIO E SEUS OBJETIVOS CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO E ABRANGÊNCIA ART. 1º - Denomina-se

Leia mais

TABELA UNIFICADA DE PONTUAÇÃO DA PROVA DE TÍTULOS CCB

TABELA UNIFICADA DE PONTUAÇÃO DA PROVA DE TÍTULOS CCB SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE GENÉTICA CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR Edital nº 101, de 15 de dezembro

Leia mais

Programa EaD em REDE

Programa EaD em REDE Programa EaD em REDE Regulamento Interno Regulamenta o Programa EaD em Rede da Associação Brasileira de Reitores das Universidades Estaduais e Municipais - ABRUEM. CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS Art.

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE XXX DEPARTAMENTO DE XXX

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE XXX DEPARTAMENTO DE XXX SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE XXX DEPARTAMENTO DE XXX CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR Edital nº 101, de 15 de dezembro de 2014, publicado no

Leia mais

Graduação Tecnológica em Gestão Financeira, com ênfase na Gestão de Tributos /1 - TURMA 00007

Graduação Tecnológica em Gestão Financeira, com ênfase na Gestão de Tributos /1 - TURMA 00007 Graduação Tecnológica em Gestão Financeira, com ênfase na Gestão de Tributos - 2017/1 - TURMA 00007 DESCRIÇÃO Data de Início: 06/03/2017 Datas e horários das aulas: De segunda a sexta-feira, das 18h45min

Leia mais

Currículos dos Cursos do CCH UFV ADMINISTRAÇÃO. COORDENADORA Fernanda Maria de Almeida

Currículos dos Cursos do CCH UFV ADMINISTRAÇÃO. COORDENADORA Fernanda Maria de Almeida 350 ADMINISTRAÇÃO COORDENADORA Fernanda Maria de Almeida fernanda.almeida@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2014 351 Bacharelado ATUAÇÃO Administrador é capacitado a gerir recursos de toda a ordem, mediante

Leia mais

O TEMPO PODE ATÉ PASSAR, MAS UMA FORMAÇÃO DE QUALIDADE FICA PARA SEMPRE.

O TEMPO PODE ATÉ PASSAR, MAS UMA FORMAÇÃO DE QUALIDADE FICA PARA SEMPRE. PROGRAMAÇÃO DE CURSOS TÉCNICOS 2º semestre de 2017 FOZ DO IGUAÇU O TEMPO PODE ATÉ PASSAR, MAS UMA FORMAÇÃO DE QUALIDADE FICA PARA SEMPRE. CURSOS TÉCNICOS SENAC. Transações Imobiliárias A HORA DE INVESTIR

Leia mais

CURSO: PEDAGOGIA EMENTAS º PERÍODO

CURSO: PEDAGOGIA EMENTAS º PERÍODO CURSO: PEDAGOGIA EMENTAS - 2016.1 1º PERÍODO DISCIPLINA: HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO Estudo da história geral da Educação e da Pedagogia, enfatizando a educação brasileira. Políticas ao longo da história engendradas

Leia mais

Normas de Estágio Curricular Não Obrigatório Remunerado. Instituto de Ciências Exatas e Tecnológicas - ICET. - Curso de Engenharia Mecânica

Normas de Estágio Curricular Não Obrigatório Remunerado. Instituto de Ciências Exatas e Tecnológicas - ICET. - Curso de Engenharia Mecânica Normas de Estágio Curricular Não Obrigatório Remunerado Instituto de Ciências Exatas e Tecnológicas - ICET - Curso de Engenharia Mecânica Currículo 2013/01 Descrição do Curso: O Curso de graduação em Engenharia

Leia mais

CURSO DE NUTRIÇÃO BACHARELADO

CURSO DE NUTRIÇÃO BACHARELADO CURSO DE BACHARELADO ATIVIDADES DO CURSO As Atividades Complementares visam complementar a formação realizada através das atividades realizadas em sala de aula, devendo se pautar, na sua oferta: Pela finalidade

Leia mais

Agenda. Contexto. O Nordeste Territorial. Fórum de Governança da Atividade Econômica. Formas de Financiamento

Agenda. Contexto. O Nordeste Territorial. Fórum de Governança da Atividade Econômica. Formas de Financiamento Agenda Contexto O Nordeste Territorial Fórum de Governança da Atividade Econômica Formas de Financiamento Área de atuação do BNB Nordeste: 1.554,4 mil Km 2 Semi-árido: 974,4 mil Km 2 (62,7% do território

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ INSTITUTO DE CULTURA E ARTE CURSO DE TEATRO-LICENCIATURA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ INSTITUTO DE CULTURA E ARTE CURSO DE TEATRO-LICENCIATURA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ INSTITUTO DE CULTURA E ARTE CURSO DE TEATRO-LICENCIATURA ADENDO AO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE TEATRO - LICENCIATURA REGULAMENTAÇÃO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPITULO

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICAS GERÊNCIAS.

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICAS GERÊNCIAS. REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICAS GERÊNCIAS. IFNMG - Câmpus Pirapora 1 1- O QUE É O NPG O Núcleo de Práticas Gerenciais - NPG é um laboratório de práticas administrativas, com layout devidamente planejado

Leia mais

LABORATÓRIO DE AGÊNCIA UM ESPAÇO PARA CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL

LABORATÓRIO DE AGÊNCIA UM ESPAÇO PARA CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL LABORATÓRIO DE AGÊNCIA UM ESPAÇO PARA CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL Raquel de Souza Oliveira 1 ; Patrícia Cristina Statella Martins 2 1 Acadêmica do Curso de Turismo com Ênfase em Ambientes Naturais da UEMS,

Leia mais

O TEMPO PODE ATÉ PASSAR, MAS UMA FORMAÇÃO DE QUALIDADE FICA PARA SEMPRE.

O TEMPO PODE ATÉ PASSAR, MAS UMA FORMAÇÃO DE QUALIDADE FICA PARA SEMPRE. PROGRAMAÇÃO DE CURSOS TÉCNICOS 2º semestre de 2017 MARINGÁ O TEMPO PODE ATÉ PASSAR, MAS UMA FORMAÇÃO DE QUALIDADE FICA PARA SEMPRE. CURSOS TÉCNICOS SENAC. Transações Imobiliárias A HORA DE INVESTIR NO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 79, DE 28 DE AGOSTO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 79, DE 28 DE AGOSTO DE 2014 RESOLUÇÃO Nº 79, DE 28 DE AGOSTO DE 2014 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Pampa, em sua 56ª Reunião Ordinária, realizada no dia 28 de agosto de 2014, no uso das atribuições que lhe são

Leia mais

Bacharelado Interdisciplinar em Ciências Humanas

Bacharelado Interdisciplinar em Ciências Humanas UNIVERSIDADE DA INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL DA LUSOFONIA AFRO-BRASILEIRA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE ENSINO COORDENAÇÃO DE CURSO Bacharelado Interdisciplinar em Ciências Humanas 1. Perfil do

Leia mais

1. DAS CONDIÇÕES PARA A INSCRIÇÃO

1. DAS CONDIÇÕES PARA A INSCRIÇÃO A COORDENAÇÃO DA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL NA UFPE UAB/UFPE convid a os interessados a se inscreverem no processo de seleção simplificada para Cadastro de Reserva de Bolsistas CAPES como Tutor para

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: ENGENHARIA DE PETRÓLEO Campus: NITERÓI Missão O Curso de Engenharia de Petróleo da Universidade Estácio de Sá tem por missão formar profissionais com sólida formação técnica

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIENCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE FISIOLOGIA E FARMACOLOGIA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIENCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE FISIOLOGIA E FARMACOLOGIA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIENCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE FISIOLOGIA E FARMACOLOGIA Edital nº 68, de 22 de julho de 2014, publicado no Diário Oficial da União

Leia mais

Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação

Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação Curso de Atualização Pedagógica Julho de 2010 Mediador: Adelardo Adelino Dantas de Medeiros (DCA/UFRN) Diretrizes Curriculares

Leia mais

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ECONOMIA

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ECONOMIA REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ECONOMIA Art. 1º. O presente regulamento tem como finalidade regular as atividades complementares

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO BACHARELADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO BACHARELADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO BACHARELADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS O Estágio Curricular Supervisionado Obrigatório está organizado em duas etapas, uma no sétimo e outra

Leia mais

Licenciatura em Ciências Exatas Revisão 3 REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO

Licenciatura em Ciências Exatas Revisão 3 REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO O Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Ciências Exatas do Setor Palotina da UFPR prevê a realização de estágios nas modalidades de estágio obrigatório e

Leia mais

Serviço Público Federal Universidade Federal da Bahia Escola de Nutrição

Serviço Público Federal Universidade Federal da Bahia Escola de Nutrição Serviço Público Federal Universidade Federal da Bahia Escola de Nutrição Endereço: R. Basílio da Gama, S/N - Canela - Salvador / Bahia CEP 40.110.907 Telefone: (071) 3283-7700 /7701 e-mail: enufba@ufba.br

Leia mais

Normas de Estágio Curricular Não Obrigatório Remunerado. Instituto de Ciências Exatas e Tecnológicas - ICET

Normas de Estágio Curricular Não Obrigatório Remunerado. Instituto de Ciências Exatas e Tecnológicas - ICET Descrição do Curso: Normas de Estágio Curricular Não Obrigatório Remunerado Instituto de Ciências Exatas e Tecnológicas - ICET - Curso de Engenharia Industrial - - Habilitação em Química e Habilitação

Leia mais

Dispõe acerca das atividades dos docentes no âmbito do Instituto Federal da Bahia

Dispõe acerca das atividades dos docentes no âmbito do Instituto Federal da Bahia Resolução XX, de XX de 2016 PROPOSTA REGULAMENTO Dispõe acerca das atividades dos docentes no âmbito do Instituto Federal da Bahia O PRESIDENTE DO CONSELHO SUPERIOR DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE AGRONOMIA ELISEU MACIEL DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA AGROINDUSTRIAL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE AGRONOMIA ELISEU MACIEL DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA AGROINDUSTRIAL TABELA DE TÍTULOS Para avaliação do Curriculum Vitae serão considerados os seguintes grupos de documentos/atividades para avaliação de títulos: 1- GRUPO I Títulos Acadêmicos; 2- GRUPO II Atividades de

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE HISTOLOGIA E EMBRIOLOGIA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE HISTOLOGIA E EMBRIOLOGIA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE HISTOLOGIA E EMBRIOLOGIA CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR Edital nº 05, de

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI ÍTALO BOLOGNA (FATECIB) REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS, PESQUISA E EXTENSÃO (NEPE)

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI ÍTALO BOLOGNA (FATECIB) REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS, PESQUISA E EXTENSÃO (NEPE) FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI ÍTALO BOLOGNA (FATECIB) REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS, PESQUISA E EXTENSÃO (NEPE) 1. OBJETIVO GERAL O Núcleo de Estudos, Pesquisa e Extensão da Faculdade de Tecnologia

Leia mais

PONTUAÇÃO PARA PROGRESSÃO FUNCIONAL DE DOCENTES (Aprovada na 207ª Reunião do Conselho da Unidade do IM, em 25/09/2009)

PONTUAÇÃO PARA PROGRESSÃO FUNCIONAL DE DOCENTES (Aprovada na 207ª Reunião do Conselho da Unidade do IM, em 25/09/2009) UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE MATEMÁTICA Av. Bento Gonçalves 9500 - Agronomia - 91509-900 Porto Alegre - RS - BRASIL Tel: (051) 3308-6189/3308-6225 FAX: (051) 3308-7301 e-mail:

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FAIMI/UNIESP

REGULAMENTO INTERNO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FAIMI/UNIESP REGULAMENTO INTERNO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FAIMI/UNIESP Mirassol/SP 2014 REGULAMENTO INTERNO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FAIMI/UNIESP CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES

Leia mais

EDUCAÇÃO, TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: CULTURA, CIÊNCIA, TECNOLOGIA, SAÚDE, MEIO AMBIENTE DOCUMENTO REFERÊNCIA

EDUCAÇÃO, TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: CULTURA, CIÊNCIA, TECNOLOGIA, SAÚDE, MEIO AMBIENTE DOCUMENTO REFERÊNCIA EIXO III EDUCAÇÃO, TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: CULTURA, CIÊNCIA, TECNOLOGIA, SAÚDE, MEIO AMBIENTE DOCUMENTO REFERÊNCIA SUGESTÃO Desde os anos 1980, observam-se transformações significativas

Leia mais

Projeto Pedagógico do Bacharelado em Relações Internacionais

Projeto Pedagógico do Bacharelado em Relações Internacionais Atos legais referentes ao curso Pela Portaria CEE nº 409/2006, de 09.10.2006, publicada no D.O.E. em 11.10.2006, O Conselho Estadual de Educação reconhece o curso de graduação em Relações Internacionais

Leia mais

Fazer a diferença no mercado

Fazer a diferença no mercado #VIVAA UNIVERSIDADE Fazer a diferença no mercado motivo 01 Aumento salarial e crescimento na carreira são os principais objetivos de quem procura por cursos de Pós-Graduação. Com o mercado de trabalho

Leia mais

CURSO DE SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA Autorizado pela Portaria nº 433 de 21/10/2011 DOU de 24/10/2011 PLANO DE CURSO

CURSO DE SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA Autorizado pela Portaria nº 433 de 21/10/2011 DOU de 24/10/2011 PLANO DE CURSO CURSO DE SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA Autorizado pela Portaria nº 433 de 21/10/2011 DOU de 24/10/2011 Componente Curricular: Ética e Empreendedorismo Código: Pré-requisito: Período Letivo:

Leia mais

LDB Lei de Diretrizes e Bases

LDB Lei de Diretrizes e Bases PEDAGOGIA LDB Lei de Diretrizes e Bases Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional O pedagogo estuda as teorias da ciência da educação e do ensino É

Leia mais

Normas de Estágio Curricular Não Obrigatório Remunerado. Instituto de Ciências Sociais Aplicadas ICSA. - Curso de Direito Currículo 2014/01

Normas de Estágio Curricular Não Obrigatório Remunerado. Instituto de Ciências Sociais Aplicadas ICSA. - Curso de Direito Currículo 2014/01 Normas de Estágio Curricular Não Obrigatório Remunerado Instituto de Ciências Sociais Aplicadas ICSA - Curso de Direito Currículo 2014/01 Descrição do Curso: O curso de Direito é baseado na formação geral,

Leia mais

REGULAMENTO DE REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO Faculdade de Enfermagem Luiza de Marillac

REGULAMENTO DE REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO Faculdade de Enfermagem Luiza de Marillac REGULAMENTO DE REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO Faculdade de Enfermagem Luiza de Marillac 2 TÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES GERAIS Artigo 1º - Os Cursos da FELM mantém estágios curriculares supervisionados que se constituem

Leia mais

Plano de Ensino. DIRETOR(A) GERAL DO CAMPUS: Ana Rita Kraemmer da Fontoura DIRETOR (A) DE ENSINO: Alessandro Bazzan DOCENTE(A): Gustavo Griebler

Plano de Ensino. DIRETOR(A) GERAL DO CAMPUS: Ana Rita Kraemmer da Fontoura DIRETOR (A) DE ENSINO: Alessandro Bazzan DOCENTE(A): Gustavo Griebler Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação CURSO: Tecnólogo em Sistemas para Internet FORMA/GRAU: ( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADE DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADE DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADE DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Micro e Macro Economia Código: EPD005 Curso: Engenharia de Produção Faculdade Responsável: Engenharia de

Leia mais

PEDAGOGIA NORMAL SUPERIOR E COMPLEMENTAÇÃO DE ESTUDOS/ MÓDULO II OFERTA ESPECIAL DE DISCIPLINAS DISCIPLINAS EQUIVALENTES POR TURMA E CURSO

PEDAGOGIA NORMAL SUPERIOR E COMPLEMENTAÇÃO DE ESTUDOS/ MÓDULO II OFERTA ESPECIAL DE DISCIPLINAS DISCIPLINAS EQUIVALENTES POR TURMA E CURSO DISCIPLINAS PEDAGOGIA NORMAL SUPERIOR E COMPLEMENTAÇÃO DE ESTUDOS/ MÓDULO II OFERTA ESPECIAL DE DISCIPLINAS DISCIPLINAS EQUIVALENTES POR TURMA E CURSO PEDAGOGIA 2004 PEDAGOGIA 2006 PEDAGOGIA 2007 PEDAGOGIA

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Curso: CST DE MARKETING Campus: Alcântara

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Curso: CST DE MARKETING Campus: Alcântara SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: CST DE MARKETING Campus: Alcântara Missão O Curso Superior de Tecnologia em Marketing da Universidade Estácio de Sá tem como missão formar profissionais com elevados níveis

Leia mais

Dinâmica de Mercados e Produtos Financeiros Porque Educação Executiva Insper Sobre o Instituto Educacional BM&FBOVESPA

Dinâmica de Mercados e Produtos Financeiros Porque Educação Executiva Insper Sobre o Instituto Educacional BM&FBOVESPA 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

EMENTÁRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

EMENTÁRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO EMENTÁRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 1 PERÍODO Matemática (72 horas) Números. Operações matemáticas avançadas. Máximo Divisor Comum. Mínimo Múltiplo Comum. Expressões e equações. Teoria dos Conjuntos. Funções.

Leia mais

EDITAL N.º 24/2016 SELEÇÃO DE ALUNOS BOLSISTAS DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID/CAPES/UNILASALLE CANOAS

EDITAL N.º 24/2016 SELEÇÃO DE ALUNOS BOLSISTAS DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID/CAPES/UNILASALLE CANOAS EDITAL N.º 24/2016 SELEÇÃO DE ALUNOS BOLSISTAS DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID/CAPES/UNILASALLE CANOAS O Reitor do Centro Universitário La Salle Unilasalle Canoas, no uso

Leia mais

DISCIPLINAS/ATIVIDADES OBRIGATÓRIAS

DISCIPLINAS/ATIVIDADES OBRIGATÓRIAS MEC - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 374/2010 EMENTA: Estabelece o Ajuste Curricular do Curso de Graduação em Turismo, aprovado pela Resolução 226/2007 e alterada

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO. Introdução

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO. Introdução REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Introdução O presente regulamento constitui um documento interno do curso de Ciências Contábeis e tem por objetivo reger as atividades relativas ao Estágio Supervisionado.

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 2º Semestre EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 2º Semestre EMENTA Plano de Ensino EIXO TECNOLÓGICO: GESTÃO E NEGÓCIOS IDENTIFICAÇÃO CURSO: Curso Superior em Administração FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( x ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

*** *** *** *** 60 *** *** Profissional Cursos de Extensão *** *** Certificado e Programa detalhado do curso.

*** *** *** *** 60 *** *** Profissional Cursos de Extensão *** *** Certificado e Programa detalhado do curso. Tabela de Conversão s Complementares - Cursos EaD Dimensão Apresentação de trabalho em congresso ou similar *** 45 90 *** Certificado de apresentação e Programação do Aproveitamento de disciplinas de outros

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: Pedagogia Missão O Curso de Pedagogia tem por missão a formação de profissionais de educação autônomos e cooperativos, capazes de pensar, investigar, decidir, planejar,

Leia mais

Curso de Filosofia - UFRN. apresentação

Curso de Filosofia - UFRN. apresentação Curso de Filosofia - UFRN apresentação 1. Dados do curso Centro: CCHLA Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (Natal) Modalidades: Bacharelado e Licenciatura Diploma: Bacharel em Filosofia e Licenciado

Leia mais

EDITAL PROCESSO SELETIVO 2016 EDITAL Nº 02/2016

EDITAL PROCESSO SELETIVO 2016 EDITAL Nº 02/2016 EDITAL PROCESSO SELETIVO 2016 EDITAL Nº 02/2016 A Empresa Júnior Politech Projetos e Consultoria, da escola Politécnica do Centro Universitário do Leste de Minas Gerais- UNILESTE comunica a comunidade

Leia mais

LIZANE SOARES FERREIRA. MBA em Gestão Empresarial - Fundação Getúlio Vargas (FGV)

LIZANE SOARES FERREIRA. MBA em Gestão Empresarial - Fundação Getúlio Vargas (FGV) Brasileira, solteira, 39 anos E-mail: lizaneferreira@hotmail.com LIZANE SOARES FERREIRA Formação: MBA em Gestão Empresarial - Fundação Getúlio Vargas (FGV) Especialista em Comércio Exterior com Ênfase

Leia mais

PLANO DE ENSINO - 2S/ FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS

PLANO DE ENSINO - 2S/ FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS PLANO DE ENSINO - 2S/2010 - FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS CURSO: CIÊNCIAS ECONÔMICAS TURNO: NOTURNO DISCIPLINA: DESENVOLVIMENTO SÓCIO ECONÔMICO SEMESTRE: 4º N DE CRÉDITOS: 04 CARGA HORÁRIA: 68 HS/AULAS

Leia mais

Anexo VI da RN-017/ Bolsas por Quota no País

Anexo VI da RN-017/ Bolsas por Quota no País Anexo VI da RN-017/2006 - Bolsas por Quota no País 6. Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação PIBITI 6.1. Finalidade O Programa Institucional de Bolsas de

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Gestão Empresarial. Prof. Me. Vitor Paulo Boldrin Organizador. ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS Regulamento

Curso Superior de Tecnologia em Gestão Empresarial. Prof. Me. Vitor Paulo Boldrin Organizador. ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS Regulamento Curso Superior de Tecnologia em Gestão Empresarial Prof. Me. Vitor Paulo Boldrin Organizador ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS Regulamento Jales 2016 APRESENTAÇÃO E EMENTA O presente texto visa

Leia mais

Aula 4A - Introdução a Política Macroeconômica

Aula 4A - Introdução a Política Macroeconômica From the SelectedWorks of Jorge Amaro Bastos Alves August, 2010 Aula 4A - Introdução a Política Macroeconômica Jorge Amaro Bastos Alves, Faculdade de Campina Grande do Sul Available at: http://works.bepress.com/jorgeab_alves/16/

Leia mais

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO MANUAL/EDITAL DO (A) CANDIDATO (A) EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL DEPARTAMENTO REGIONAL DE RONDÔNIA 2º SEMESTRE/2016 APRESENTAÇÃO PREZADO CANDIDATO

Leia mais

METODOLOGIA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO TCCE- METODOLOGIA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO INTEGRADO AO TRABALHO DE CURSO

METODOLOGIA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO TCCE- METODOLOGIA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO INTEGRADO AO TRABALHO DE CURSO METODOLOGIA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO TCCE- METODOLOGIA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO INTEGRADO AO TRABALHO DE CURSO Pretende-se com a implementação dessa metodologia uma maior integração

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Reconhecimento Renovado pela Portaria MEC nº 264 de , DOU de

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Reconhecimento Renovado pela Portaria MEC nº 264 de , DOU de CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Reconhecimento Renovado pela Portaria MEC nº 264 de 14.07.11, DOU de 19.07.11 Componente Curricular: ECONOMIA Código: ADM 140 Pré-requisito: ----- Período Letivo: 2015.1 Professor:

Leia mais

2. Capacidade de discernimento RESOLUÇÃO Nº 5804/2008 SEAP CARGO: AGENTE DE EXECUÇÃO - AE. CARGA HORÁRIA: 40 horas FUNÇÃO: TÉCNICO ADMINISTRATIVO

2. Capacidade de discernimento RESOLUÇÃO Nº 5804/2008 SEAP CARGO: AGENTE DE EXECUÇÃO - AE. CARGA HORÁRIA: 40 horas FUNÇÃO: TÉCNICO ADMINISTRATIVO RESOLUÇÃO Nº 5804/2008 SEAP CARGO: AGENTE DE EXECUÇÃO - AE FUNÇÃO: TÉCNICO ADMINISTRATIVO CÓDIGO DA FUNÇÃO: AETA CBO: 4110-10 Ensino médio completo, fixado na forma do Anexo II da Lei Estadual N 13.666,

Leia mais

1º PERÍODO. Carga Horária e Creditação. Total (50') Física I 80 66, Laboratório de Física I 40 33,

1º PERÍODO. Carga Horária e Creditação. Total (50') Física I 80 66, Laboratório de Física I 40 33, 1º PERÍODO Física I 80 66,67 4 4 0 Laboratório de Física I 40 33,33 2 1 1 Laboratório de Computação 40 33,33 2 0 2 Introdução a Engenharia de Produção 60 50 3 3 0 Geometria Analítica 60 50 3 3 0 Química

Leia mais

Eliana Sá 10/04/2014

Eliana Sá 10/04/2014 Eliana Sá 10/04/2014 Sistema Indústria Federal CNI SESI DN Estadual Federações de Indústrias SESI DR SENAI DN SENAI DR IEL NC IEL NR Desenvolvimento Empresarial Fonte imagem: http://miyashita.com.br/?id=119&m=387.

Leia mais

CONCEPÇÃO DO CURSO: Para tanto o curso deverá garantir:

CONCEPÇÃO DO CURSO: Para tanto o curso deverá garantir: CONCEPÇÃO DO CURSO: O Curso de Farmácia da FMC/FBPN foi concebido para atender a uma necessidade Regional/Nacional de preparação de um profissional da área de saúde, orientado-o e capacitado a trabalhar

Leia mais

Chamada Pública de Seleção do Curso de Mestrado e Acadêmico em Geografia / 2013 IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO(A) FORMAÇÃO UNIVERSITÁRIA

Chamada Pública de Seleção do Curso de Mestrado e Acadêmico em Geografia / 2013 IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO(A) FORMAÇÃO UNIVERSITÁRIA FICHA DE INSCRIÇÃO Nº: Chamada Pública de Seleção do Curso de Mestrado e Acadêmico em Geografia / 2013 IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO(A) Nome Nascimento DIA MÊS ANO RESIDENCIAL Telefones CELULAR ( ) Sexo Masculino

Leia mais

RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - ESTUDANTES MEDICINA - SÃO CARLOS. Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Medicina - Campus São Carlos

RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - ESTUDANTES MEDICINA - SÃO CARLOS. Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Medicina - Campus São Carlos RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - ESTUDANTES MEDICINA - SÃO CARLOS Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Medicina - Campus São Carlos INDICADOR CLASSIFICAÇÃO ÍNDICE DE AVALIAÇÃO GERAL SATISFAÇÃO

Leia mais

CURSO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS REGULAMENTO- ATIVIDADES COMPLEMENTARES

CURSO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS REGULAMENTO- ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS REGULAMENTO- ATIVIDADES COMPLEMENTARES As Atividades Complementares constituem parte da Carga Horária do Curso de Relações Internacionais da UNIFESP Osasco, em um total

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão. Objetivo Geral. Objetivos Específicos

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão. Objetivo Geral. Objetivos Específicos SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: TRANSPORTE TERRESTRE Missão O Curso de Transporte Terrestre da Universidade Estácio de Sá tem por missão formar profissionais de excelência para atuar nas áreas de gestão

Leia mais

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL Curriculum Vitae Nome: Carlos Augusto Arentz Pereira Nacionalidade: brasileiro Data de Nascimento: 02/01/1961 Natural: Rio de Janeiro - RJ Matrícula: 080.035-3 FORMAÇÃO Doutorado em Economia Universidade

Leia mais

EDITAL N.º 262/2016 PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL: SELEÇÃO DE TUTOR PET CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

EDITAL N.º 262/2016 PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL: SELEÇÃO DE TUTOR PET CIÊNCIAS BIOLÓGICAS EDITAL N.º 262/216 PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL: SELEÇÃO DE TUTOR PET CIÊNCIAS BIOLÓGICAS O VICE-REITOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, torna pública

Leia mais

UNIFLOR E PREFEITURA DE MATUPÁ: JUNTOS NUMA JORNADA DE CIDADANIA

UNIFLOR E PREFEITURA DE MATUPÁ: JUNTOS NUMA JORNADA DE CIDADANIA UNIFLOR E PREFEITURA DE MATUPÁ: JUNTOS NUMA JORNADA DE CIDADANIA Guarantã do Norte 2013 DADOS DE IDENTIFICAÇÃO IES: Faculdade de Ciências Sociais de Guarantã do Norte PARCERIA: Prefeitura Municipal de

Leia mais

Orientações - Estágio Curricular Obrigatório

Orientações - Estágio Curricular Obrigatório Orientações - Estágio Curricular Obrigatório 1. Apresentação O estágio curricular é obrigatório para as Licenciaturas e está baseado na seguinte Legislação: 1.A - LICENCIATURAS EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS,

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO. Licenciatura EM educação básica intercultural TÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO. Licenciatura EM educação básica intercultural TÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Licenciatura EM educação básica intercultural TÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Artigo 1º - O Estágio Supervisionado de que trata este regulamento refere-se à formação de

Leia mais

GRUPO DISCIPLINAR ECONOMIA FINANÇAS E CONTABILIDADE ACTIVIDADE CIENTIFICA NOS ÚLTIMOS 5 ANOS ( )

GRUPO DISCIPLINAR ECONOMIA FINANÇAS E CONTABILIDADE ACTIVIDADE CIENTIFICA NOS ÚLTIMOS 5 ANOS ( ) GRUPO DISCIPLINAR ECONOMIA FINANÇAS E CONTABILIDADE ACTIVIDADE CIENTIFICA NOS ÚLTIMOS 5 ANOS (22-27) EFC - Habilitações Académicas Habilitações Académicas Licenciado 4 Mestrado 6 Especialista 3 Doutoramento

Leia mais

CURSO: ENGENHARIA CIVIL

CURSO: ENGENHARIA CIVIL CURSO: ENGENHARIA CIVIL OBJETIVOS DO CURSO Objetivos Gerais Formar engenheiros civis com sólida base teórica-prática, através de um currículo dinâmico que proporcione uma moderna visão do exercício profissional

Leia mais

LDB Lei de Diretrizes e Bases

LDB Lei de Diretrizes e Bases PEDAGOGIA LDB Lei de Diretrizes e Bases Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional O pedagogo estuda as teorias da ciência da educação e do ensino É

Leia mais