Métodos de Importação para Pesquisa Científica

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Métodos de Importação para Pesquisa Científica"

Transcrição

1 Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul Métodos de Importação para Pesquisa Científica Setor de Importação FUNDECT Marcelo Alves Teixeira Diretoria Executiva/FUNDECT Marcelo Turine Diretor Presidente Eduardo José de Arruda Diretor Científico Herbet Assunção Diretor Administrativo

2 Importações para Pesquisa As importações de equipamentos e insumos para pesquisa, somente podem ser realizadas por instituições ou pesquisadores credenciados pelo CNPq; O programa Ciência Importa Fácil estabelece que os pesquisadores, como pessoa física, podem ser beneficiados pelos benefícios tributários e administrativos para importação de equipamentos e insumos para pesquisa;

3 Importações para Pesquisa Até então, apenas instituições de pesquisa, sem fins lucrativos, podiam usufruir desses benefícios; As etapas do processo de importação a realizado pelos pesquisadores são as mesmas que das instituições credenciadas;

4 Credenciamento Pesquisadores e Instituições de Pesquisa Nos termos da LEI Federal 8.010/90, alterada pela LEI Federal /04, para Importar com Isenção de impostos; Nos termos do artigo 26-A, do anexo I, do Decreto /98 que regulamenta a isenção de ICMS no MS. Informações complementares estão disponíveis em:

5 Credenciamento Pesquisadores Análise dos pedidos de credenciamento é realizado pelas diretorias técnicas do CNPq. Instituições de Pesquisa Os pedidos de credenciamento das instituições são analisados pela Comissão de Credenciamento e por Comitê Consultivo designados pelo presidente do CNPq. O credenciamento tem validade de 5 anos.

6 Quais instituições podem importar? institutos de pesquisa federais e estaduais; institutos de pesquisa sem fins lucrativos instituídos por leis federais ou estaduais; universidades federais e estaduais; organizações sociais com contrato de gestão com o Ministério da Ciência e Tecnologia; fundações sem fins lucrativos das instituições referidas anteriormente; pesquisadores e cientistas credenciados e no âmbito de projeto aprovado pelo CNPq; fundações de direito privado, sem fins lucrativos, que atendam aos requisitos do art. 14 do Código Tributário Nacional.

7 O que pode ser importado? Máquinas, equipamentos, aparelhos e instrumentos, bem como suas partes e peças de reposição, acessórios, matérias-primas e produtos intermediários necessário à execução de projetos de pesquisa científica e/ou tecnológica;

8 Orçamento Internacional Fatura proforma (proforma invoice) Após o credenciamento, o importador deve obter do fornecedor uma fatura proforma do produto a ser importado; A fatura proforma deve estar em nome do importador INSTITUIÇÃO (caso de importação institucional) ou do PESQUISADOR(caso de importação pelo sistema importa fácil). Informações importantes da fatura proforma: Nome importador, CNPJ ou CPF (se for o caso), Descrição detalhada do produto, validade, tipo de transporte/frete, dados bancários no exterior, tipo de representante no Brasil (se for o caso), tipo de embalagem, pelo líquido, peso bruto, tipo de frete, entre outras.

9 Registro da Importação De posse da proforma o importador deverá fazer o registro eletrônico da importação no SISCOMEX Sistema Integrado de Comércio Exterior da Receita Federal; MODALIDADES: Licenciamento Simplificado de Importação LSI : para importações até US$ ,00 ; Licenciamento de Importação LI: para importações com valor superior à US$ ,00;

10 Licenciamento Simplificado de Importação LSI até US$ ,00 O pesquisador ou importador institucional pode: Utilizar o serviço Importa Fácil Ciência dos Correios; Utilizar o Setor de Importação de sua instituição de vínculo, o qual deve ter acesso HABILITADO ao SISCOMEX; Utilizar o serviço de um Despachante Aduaneiro.

11 Anuência da Importação pelo CNPq Após o registro no SISCOMEX (modalidade LSI ou LI), o sistema fará o direcionamento do licenciamento para análise e anuência do CNPq. Aspectos importantes para anuência: Importador devidamente credenciado; Verificação da filiação institucional do Executor/Coordenador da pesquisa e o respectivo vínculo à instituição credenciada pelo CNPq; Compatibilidade dos itens importados junto ao projeto de pesquisa; Disponibilidade da Cota Global Anual junto ao Ministério da Fazenda.

12 Outros órgãos anuentes Dependendo do tipo de produto que está sendo importado o licenciamento poderá estar sujeito, também, à análise de outros órgãos anuentes, tais como: ANVISA; CNEN; IBAMA; MAPA/VIGIAGRO; Polícia Federal.

13 Pagamento Internacional Com o licenciamento deferido pelo CNPq o importador irá efetuar o pagamento da importação ao exportador se dirigindo a uma agência bancária que esteja autorizada a operar com câmbio ou utilizando cartão de crédito internacional.

14 Procedimentos de Embarque O importador envia as instruções de embarque para o exportador, onde deverão constar todas as informações técnicas necessárias para que a mercadoria chegue ao território brasileiro corretamente; Aguarda que o exportador proceda o embarque da mercadoria; O prazo de embarque depende do exportador, habitualmente esse prazo vem estipulado na fatura proforma.

15 Registro da DI A mercadoria chegando no país, o importador registra no SISCOMEX a Declaração de Importação DI ou Declaração Simplificada de Importação DSI para dar início à liberação alfandegária junto à Receita Federal; A Declaração de Importação é o documento que irá caracterizar a nacionalização do material importado quando da sua entrada na alfândega, compreende o conjunto de informações fiscais e administrativas correspondentes a uma operação de importação.

16 Documentos para Liberação Para proceder a liberação dos materiais o importador deverá apresentar na Receita Federal os documentos emitidos pelo exportador: Via original do conhecimento de carga ou documento equivalente; Via original da fatura comercial, assinada pelo exportador; Romaneio de carga (packing list), onde estão listadas as características do volume.

17 Despacho Aduaneiro Registrada a Declaração de Importação no SISCOMEX é iniciado o procedimento de despacho aduaneiro, a DI ou DSI é submetida à análise fiscal e selecionada para um dos canais de conferência. Tal procedimento da seleção da Receita Federal recebe o nome de parametrização.

18 Casos Especiais Doações de Equipamentos/Materiais Para receber materiais como doações deverá ser solicitada fatura proforma e correspondente carta de doação, visado pelo Consulado Brasileiro, na origem, quando ultrapassar US$ 1.000,00 (Um mil dólares) e para mandar embarcar os materiais tem que obter previamente a LI (licença de importação).

19 Canais de Conferência CANAL VERDE A mercadoria é desembaraçada automaticamente sem qualquer verificação, devendo o importador comparecer à Alfândega apenas para retirar o Comprovante de Importação. CANAL AMARELO Será realizada conferência dos documentos de instrução da DI e das informações constantes na declaração e, não sendo constatada nenhuma irregularidade, é efetuado o desembaraço aduaneiro. CANAL VERMELHO No caso de seleção para o canal vermelho, há, além da conferência documental, a conferência física da mercadoria.

20 Instrução Normativa 799/07 da Receita Federal Com a edição do Decreto 6.262/07 a Receita Federal editou a Instrução Normativa nº 799/07 objetivando simplificar a liberação alfandegária, as simplificações compreendem: 1. fim da seleção obrigatória para canal amarelo; 2. Direcionamento de no mínimo 90% das declarações para o canal verde, com consequente desembaraço; 3. Tratamento prioritário no despacho, quando selecionado para canais de conferência; 4. Redução das exigências documentais, na hipótese de seleção para conferência documental.

21 Referências b?codigomenu=13199&codigonoticia=180&codigoret=13 221&bread=15

Aprendendo na Prática Siscomex

Aprendendo na Prática Siscomex Aprendendo na Prática Siscomex Apresentação do Professor Professor: Douglas Cândido. Administrador com ênfase em Comércio Exterior pela Estácio de Sá, MBA em Gestão de Negócios Internacionais pela FGV,

Leia mais

Um despachante aduaneiro é o profissional especializado no desembaraço de mercadorias que transitam por alfândegas (aduana)

Um despachante aduaneiro é o profissional especializado no desembaraço de mercadorias que transitam por alfândegas (aduana) DESPACHO ADUANEIRO Um despachante aduaneiro é o profissional especializado no desembaraço de mercadorias que transitam por alfândegas (aduana) Um despachante oficial em Portugal é um representante por

Leia mais

VOL. I. Importação e Exportação

VOL. I. Importação e Exportação Coleção de Importação e Exportação VOL. I Tratamento Administrativo e Aduaneiro da Importação e Exportação José Marcelo Fernandes Araújo Analista de Exportação pela Olivetti do Brasil S/A - Analista de

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA IMPORTAÇÃO

PROCEDIMENTOS PARA IMPORTAÇÃO PROCEDIMENTOS PARA IMPORTAÇÃO INTRODUÇÃO GERAL A UFOP como instituição de pesquisa, está isenta pela Lei 8.010/90 do pagamento dos impostos na importação de bens destinados exclusivamente à pesquisa científica

Leia mais

Licenciamento Direto de Importação LDI DFPC

Licenciamento Direto de Importação LDI DFPC Licenciamento Direto de Importação LDI DFPC Acesso aos Sistemas SISCOMEX e VICOMEX Para emissão do Licenciamento de Importação, a empresa deve providenciar sua habilitação no SISCOMEX, junto à SRF, conforme

Leia mais

MINISTÉRIO DO COMÉRCIO

MINISTÉRIO DO COMÉRCIO MINISTÉRIO DO COMÉRCIO Agência para a Promoção de Investimento e Exportações MANUAL DO EXPORTADOR Procedimentos Administrativos Luanda, 10 de Julho de 2015 INDICE I. INTRODUÇÃO 2 II. PREAMBULO...2 III.

Leia mais

Prof.Msc.Ricardo Lozano PUCGOIAS 2014

Prof.Msc.Ricardo Lozano PUCGOIAS 2014 Prof.Msc.Ricardo Lozano PUCGOIAS 2014 FLUXOGRAMA DE EXPORTAÇÃO 1 - PLANEJAMENTO Novos mercados Mais lucros Mais empregos Maior escala de produção e vendas Separar uma parte da produção para o mercado interno

Leia mais

OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR COTAS E INFORMAÇÕES GERAIS

OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR COTAS E INFORMAÇÕES GERAIS OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR LICENÇAS DE IMPORTAÇÃO LICENÇAS DE IMPORTAÇÃO COTAS E INFORMAÇÕES GERAIS LEGISLAÇÃO Portaria SECEX Nº 23/11 - Tratamento Administrativo Portaria DECEX nº 08/91 - Material

Leia mais

HISTÓRICO DE REVISÕES

HISTÓRICO DE REVISÕES PÁGINA: 1/13 DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO DIRAD ÁREAS SIEX/ QUALIDADE CÓDIGO DE CLASSIFICAÇÃO DO DOCUMENTO 010 TíTULO: IMPORTAR COM COBERTURA CAMBIAL ELABORADO EM: 11/02/2014 REVISADO EM: 12/02/2014 APROVADO

Leia mais

Declaração de Importação (DI) Desembaraço Aduaneiro. NCM Habilitação SISCOMEX. Tratamento Administrativo. Deferida. Licença de Importação (LI)

Declaração de Importação (DI) Desembaraço Aduaneiro. NCM Habilitação SISCOMEX. Tratamento Administrativo. Deferida. Licença de Importação (LI) 1 Desembaraçada Desembaraço Aduaneiro Deferida Vinculada à DI Declaração de Importação (DI) NCM Habilitação SISCOMEX Tratamento Administrativo Importação Dispensada de Licenciamento Deferida Licença de

Leia mais

Aspectos Administrativos Gerais da Importação

Aspectos Administrativos Gerais da Importação Aspectos Administrativos Gerais da Importação Define-se importação como sendo o ato de inserir no país produtos ou serviços oriundos do exterior, sendo que o processo de tal aquisição oportuniza o intercâmbio

Leia mais

FLUXOGRAMA DE EXPORTAÇÃO

FLUXOGRAMA DE EXPORTAÇÃO FLUXOGRAMA DE EXPORTAÇÃO 1. PLANEJAMENTO Novos mercados; Mais lucros; Mais empregos Separar uma parte da produção para o mercado interno e outra para o mercado externo, pois a exportação é um processo

Leia mais

Ministério da Saúde AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA

Ministério da Saúde AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA Ministério da Saúde AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 99 DE 30 DE DEZEMBRO DE 2008(*) Dispõe sobre controle de importações e exportações de substâncias

Leia mais

Passo a Passo para Iniciar uma Exportação

Passo a Passo para Iniciar uma Exportação Passo a Passo para Iniciar uma Exportação Apresentação do Professor Professor: Douglas Cândido. Administrador com ênfase em Comércio Exterior pela Estácio de Sá, MBA em Gestão de Negócios Internacionais

Leia mais

Despacho Aduaneiro de Importação. Decisão

Despacho Aduaneiro de Importação. Decisão 1 Despacho Aduaneiro de Importação Declaração de Importação (DI) NCM Habilitação SISCOMEX Tratamento Administrativo Importação Dispensada de Licenciamento Deferido Licença de Importação (LI) Licenciamento

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 25, DE 15 DE ABRIL DE 2003

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 25, DE 15 DE ABRIL DE 2003 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 25, DE 15 DE ABRIL DE 2003 As importações de vegetais, seus produtos, derivados e partes, subprodutos,

Leia mais

TEMA: Como tirar o RADAR, passo fundamental para você começar a exportar ou importar

TEMA: Como tirar o RADAR, passo fundamental para você começar a exportar ou importar FIRJAN INTERNACIONAL CONVIDA: SÉRIE TIRA-DÚVIDAS COMÉRCIO EXTERIOR TEMA: Como tirar o RADAR, passo fundamental para você começar a exportar ou importar RADAR ou HABILITAÇÃO NO SISCOMEX? Habilitação no

Leia mais

HISTÓRICO DE REVISÕES

HISTÓRICO DE REVISÕES PÁGINA: 1/13 DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO DIRAD ÁREAS SIEX/ QUALIDADE CÓDIGO DE CLASSIFICAÇÃO DO DOCUMENTO 010 TíTULO: EXPORTAR SEM COBERTURA CAMBIAL ELABORADO EM: 10/02/2014 REVISADO EM: 12/03/2014 APROVADO

Leia mais

HISTÓRICO DE REVISÕES

HISTÓRICO DE REVISÕES PÁGINA: 1/12 DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO DIRAD ÁREAS SIEX/ QUALIDADE CÓDIGO DE CLASSIFICAÇÃO DO DOCUMENTO 010 TíTULO: ANALISAR PROCESSO PARA PAGAMENTO DE SERVIÇOS COM OU SEM RETENÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA

Leia mais

Portaria SECEX nº 23/ Tratamento Administrativo. Portaria DECEX nº 08/ Material Usado. Decreto nº 6.759/ Regulamento Aduaneiro

Portaria SECEX nº 23/ Tratamento Administrativo. Portaria DECEX nº 08/ Material Usado. Decreto nº 6.759/ Regulamento Aduaneiro 1 2 Portaria SECEX nº 23/2011 - Tratamento Administrativo Portaria DECEX nº 08/1991 - Material Usado Decreto nº 6.759/2009 - Regulamento Aduaneiro 3 Despacho Aduaneiro de Importação Declaração de Importação

Leia mais

1ºRegistro da empresa Atualizar o objeto social da empresa incluindo a atividade de importação e os tipos de produtos que serão importados.

1ºRegistro da empresa Atualizar o objeto social da empresa incluindo a atividade de importação e os tipos de produtos que serão importados. 1 IMPORTAR FÁCIL IMPORTAÇÃO FÁCIL: SAIBA COMO SER UM IMPORTADOR 1ºRegistro da empresa Atualizar o objeto social da empresa incluindo a atividade de importação e os tipos de produtos que serão importados.

Leia mais

DESCRITIVO DO PROCESSO CONTROLAR PROCESSO DE EXPORTAÇÃO

DESCRITIVO DO PROCESSO CONTROLAR PROCESSO DE EXPORTAÇÃO DESCRITIVO DO PROCESSO 04.01.02. CONTROLAR PROCESSO DE EXPORTAÇÃO BRASÍLIA, 09/03/16 1. Diagrama do processo 04.01.02. CONTROLAR PROCESSO DE EXPORTAÇÃO CoordenaçãoGeral de Planejamento, Organização e Avaliação

Leia mais

TERMO DE CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO IMPORTA FÁCIL

TERMO DE CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO IMPORTA FÁCIL TERMO DE CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO IMPORTA FÁCIL 1. OBJETO DO TERMO 1.1. Este TERMO apresenta as condições gerais de prestação dos serviços de entrega desembaraço aduaneiro, consignados

Leia mais

OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR LICENÇAS DE IMPORTAÇÃO COTAS E INFORMAÇÕES GERAIS

OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR LICENÇAS DE IMPORTAÇÃO COTAS E INFORMAÇÕES GERAIS OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR LICENÇAS DE IMPORTAÇÃO COTAS E INFORMAÇÕES GERAIS LEGISLAÇÃO Portaria SECEX Nº 23/11 - Tratamento Administrativo Portaria DECEX nº 08/91 - Material Usado Decreto nº 6.759/09

Leia mais

Controle administrativo no comércio exterior

Controle administrativo no comércio exterior Controle administrativo no comércio exterior O que é o controle administrativo Controle exercido com o objetivo de verificar a consonância da operação pretendida em relação às normas comerciais, técnicas,

Leia mais

Profa. Lérida Malagueta. Unidade IV SISTEMÁTICA DE

Profa. Lérida Malagueta. Unidade IV SISTEMÁTICA DE Profa. Lérida Malagueta Unidade IV SISTEMÁTICA DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO Importação Importar consiste em uma operação de compra de produtos no mercado exterior e sua respectiva entrada em um país Necessidade

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE IMPORTAÇÃO

PROCEDIMENTOS DE IMPORTAÇÃO PROCEDIMENTOS DE IMPORTAÇÃO Para aquisição/renovação de softwares a Universidade deve atender os requisitos da instrução normativa 04/2010, conforme publicado no OF. CIRCULAR Nº. 004 CSU/PROF/UFOP, de

Leia mais

Exporta Fácil. Comercialização para o exterior

Exporta Fácil. Comercialização para o exterior Comercialização para o exterior Comercialização para o exterior Comercialização para o exterior Preparar a Exportação e postar via Comercialização para o exterior Comercialização para o exterior Invoices

Leia mais

Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX

Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX Controle Administrativo no Comércio Exterior São Paulo, 18 de setembro de 2013 Controle administrativo 1. O que é o controle administrativo? 2. Aspectos

Leia mais

1. Quais são os casos em que determinada importação estará sujeita a contingenciamento?

1. Quais são os casos em que determinada importação estará sujeita a contingenciamento? 1. Quais são os casos em que determinada importação estará sujeita a contingenciamento? 2. Quais são as características das Cotas Tarifárias concedidas sob os Acordos no âmbito 3. Quais são as características

Leia mais

Formação de Despachante Aduaneiro

Formação de Despachante Aduaneiro Formação de Despachante Aduaneiro Apresentação do Professor Professor: Marco Antônio da Silva. Administrador de empresas, formado em Administração e carreira profissional desenvolvida na área de Comércio

Leia mais

Acompanhamento dos Processos de Despacho. Conaportos Agosto de 2013

Acompanhamento dos Processos de Despacho. Conaportos Agosto de 2013 Acompanhamento dos Processos de Despacho Conaportos Agosto de 2013 Fluxo Logístico/Processual da Carga na Importação 1 2a 4 Atracação do Navio no Porto Deferimento de LI pelo Órgão Anuente, nos casos em

Leia mais

Passos na Importação Roteiro Básico. Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012

Passos na Importação Roteiro Básico. Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012 Roteiro Básico Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012 1º Passo Efetuar contatos com fornecedor (exportador). 2º Passo Formalizar as negociações com fornecedor (exportador). 3º Passo Negociar a condição de

Leia mais

Despacho Aduaneiro de Importação. Declaração de Importação (DI) NCM Habilitação SISCOMEX. Tratamento Administrativo. Deferido.

Despacho Aduaneiro de Importação. Declaração de Importação (DI) NCM Habilitação SISCOMEX. Tratamento Administrativo. Deferido. 1 Despacho Aduaneiro de Importação Declaração de Importação (DI) NCM Habilitação SISCOMEX Tratamento Administrativo Importação Dispensada de Licenciamento Deferido Licença de Importação (LI) Licenciamento

Leia mais

Dados do fabricante x despacho aduaneiro: redobre a sua atenção

Dados do fabricante x despacho aduaneiro: redobre a sua atenção Dados do fabricante x despacho aduaneiro: redobre a sua atenção O conceito de fabricante é do conhecimento de todos porque de fácil assimilação: fabricante é todo aquele que fabrica um produto. Porém,

Leia mais

DECRETO Nº , DE 31 DE JULHO DE 2002

DECRETO Nº , DE 31 DE JULHO DE 2002 DECRETO Nº 46.966, DE 31 DE JULHO DE 2002 Introduz alterações no Regulamento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestações de Serviços - RICMS e dá outras providências GERALDO ALCKMIN, Governador

Leia mais

IMPORTAÇÃO FÁCIL: CÂMBIO PASSO A PASSO SAIBA COMO SER UM IMPORTADOR

IMPORTAÇÃO FÁCIL: CÂMBIO PASSO A PASSO SAIBA COMO SER UM IMPORTADOR IMPORTAÇÃO FÁCIL: CÂMBIO PASSO A PASSO SAIBA COMO SER UM IMPORTADOR 1º Passo: Registro da empresa Atualizar o objeto social da empresa incluindo a atividade de importação e os tipos de produtos que serão

Leia mais

7ª REGIÃO FISCAL - ALFÂNDEGA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL NO PORTO DO RIO DE JANEIRO

7ª REGIÃO FISCAL - ALFÂNDEGA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL NO PORTO DO RIO DE JANEIRO 7ª REGIÃO FISCAL - ALFÂNDEGA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL NO PORTO DO RIO DE JANEIRO ORDEM DE SERVIÇO Nº 15, DE 18 DE NOVEMBRO DE 2008: Disciplina no âmbito da Alfândega do Porto do Rio de Janeiro/RJ os

Leia mais

Como Habilitar Exportadora e Importadora no Radar / RFB

Como Habilitar Exportadora e Importadora no Radar / RFB Como Habilitar Exportadora e Importadora no Radar / RFB Apresentação do Professor Professor: João Marcos Andrade. Despachante Aduaneiro desde 1998, formado em Administração de Empresas pela Facet Faculdades

Leia mais

Instrução Normativa SRF nº 300, de 14 de fevereiro de 2003

Instrução Normativa SRF nº 300, de 14 de fevereiro de 2003 Instrução Normativa SRF nº 300, de 14 de fevereiro de 2003 Disciplina a saída temporária de mercadorias da Zona Franca de Manaus, das Áreas de Livre Comércio e da Amazônia Ocidental. O SECRETÁRIO DA RECEITA

Leia mais

Habilitação de Empresas para Importação e Exportação - RADAR

Habilitação de Empresas para Importação e Exportação - RADAR Habilitação de Empresas para Importação e Exportação - RADAR Apresentação do Professor Professor: Douglas Cândido. Administrador com ênfase em Comércio Exterior pela Estácio de Sá, MBA em Gestão de Negócios

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 881/07-GSF, DE 25 DE OUTUBRO DE 2007.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 881/07-GSF, DE 25 DE OUTUBRO DE 2007. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 881/07-GSF, DE 25 DE OUTUBRO DE 2007. Institui o Sistema de Exportação - SISEXP -. O SECRETÁRIO DE ESTADO DE FAZENDA, no uso das atribuições, tendo em vista o disposto no art. 82

Leia mais

CONVERSANDO COM ESPECIALISTAS DE MERCADO: O papel do despachante aduaneiro no comércio internacional

CONVERSANDO COM ESPECIALISTAS DE MERCADO: O papel do despachante aduaneiro no comércio internacional CONVERSANDO COM ESPECIALISTAS DE MERCADO: O papel do despachante aduaneiro no comércio internacional Horário: 19h10 Local: Sala UL 25, bloco amarelo, FCA Limeira, 05 de setembro de 2012. O DESPACHANTE

Leia mais

ANO XXVII ª SEMANA DE AGOSTO DE 2016 BOLETIM INFORMARE Nº 33/2016

ANO XXVII ª SEMANA DE AGOSTO DE 2016 BOLETIM INFORMARE Nº 33/2016 ANO XXVII 2016 3ª SEMANA DE AGOSTO DE 2016 BOLETIM INFORMARE Nº 33/2016 IMPORTAÇÃO/EXPORTAÇÃO REGIME ESPECIAL DE DRAWBACK... Pág. 213 ICMS - MG DIFERIMENTO DO ICMS EM OPERAÇÕES INTERESTADUAIS COM DESPERDÍCIOS

Leia mais

Despacho Aduaneiro de Importação. Decisão

Despacho Aduaneiro de Importação. Decisão 1 Despacho Aduaneiro de Importação Declaração de Importação (DI) NCM Habilitação SISCOMEX Tratamento Administrativo Importação Dispensada de Licenciamento Deferido Licença de Importação (LI) Licenciamento

Leia mais

Dúvidas. Remessas Expressas Perguntas e Respostas. 1 O que é? 2 Tributação. 3 Valor Máximo dos bens. 4 Bens que podem ser enviados

Dúvidas. Remessas Expressas Perguntas e Respostas. 1 O que é? 2 Tributação. 3 Valor Máximo dos bens. 4 Bens que podem ser enviados Dúvidas Remessas Expressas Perguntas e Respostas 1 O que é? 2 Tributação 3 Valor Máximo dos bens 4 Bens que podem ser enviados 5 Bens que NÃO podem ser enviados 6 Diferença entre Remessa Expressa e Postal

Leia mais

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL Instrução Normativa nº 1.456, de 10.03.14 DOU-1, de 11.03.14. SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL Altera a Instrução Normativa SRF nº 611, de 18 de janeiro de 2006, que dispõe sobre a utilização de

Leia mais

Registro: 019/09 Data de Abertura: 12/03/2009 hs. Via de Transporte: MARITIMA Filial responsavel pelo processo: Campinas Ref. Cliente: XYD (M) SDN BHD

Registro: 019/09 Data de Abertura: 12/03/2009 hs. Via de Transporte: MARITIMA Filial responsavel pelo processo: Campinas Ref. Cliente: XYD (M) SDN BHD Manutenção de Processos de Importação - Follow.Net usuário ativo: rafael.pontes@grupocimex.com.br Abertura Operacional Registro: 019/09 Data de Abertura: 12/03/2009 hs Area de Negócios do Cliente: Cliente:

Leia mais

Importação: Regras básicas

Importação: Regras básicas Importação: Regras básicas Pagamentos de importação de mercadorias em Angola 1 Procure o Ministério do Comércio (MINCO) para proceder ao registo de Exportador e Importador (REI). 3 Negocie com seu Exportador/Fornecedor:

Leia mais

DRAWBACK INTEGRADO DRAWBACK INTEGRADO

DRAWBACK INTEGRADO DRAWBACK INTEGRADO Secretaria de Comércio Exterior - SECEX Departamento de Operações de Comércio Exterior Decex DRAWBACK INTEGRADO Normas, Procedimentos e DúvidasD DECEX CGEX Coordenação-Geral de Mecanismos de Exportação

Leia mais

Sistemática do Comércio Exterior Adriana Viana Ana Cristina Bidueira Hellen Assunção Emanoela Pacheco Marla Noleto Karina Rodrigues

Sistemática do Comércio Exterior Adriana Viana Ana Cristina Bidueira Hellen Assunção Emanoela Pacheco Marla Noleto Karina Rodrigues Prof. Alexandre Almeida Sistemática do Comércio Exterior Adriana Viana Ana Cristina Bidueira Hellen Assunção Emanoela Pacheco Marla Noleto Karina Rodrigues O RECOF é o regime que permite a importação de

Leia mais

NIEx. 30º AgroEx Manaus. 26 de novembro de 2009

NIEx. 30º AgroEx Manaus. 26 de novembro de 2009 NIEx NÚCLEO DE INTEGRAÇÃO PARA EXPORTAÇÃO Caminhos para Exportar 30º AgroEx Manaus 26 de novembro de 2009 FASES DO PROCESSO EXPORTADOR Fase Mercadológica Fase Comercial Fase Administrativa Fase Aduaneira

Leia mais

C I R C U L A R C Ó D I G O N Ú M E R O D A T A 040/2012 MFZ /06/2012 SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL A S S U N T O

C I R C U L A R C Ó D I G O N Ú M E R O D A T A 040/2012 MFZ /06/2012 SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL A S S U N T O Sindicato Nacional das Empresas de Navegação Marítima Rua Visconde de Inhaúma, 134 Gr 1005 CEP 20094-900 - Centro - Rio de Janeiro RJ Brasil Tel.: (55 21) 3232-5600 Fax.: (55 21) 3232-5619 E-mail: syndarma@syndarma.org.br

Leia mais

TRIBUTAÇÃO SOBRE O COMÉRCIO EXTERIOR Imposto de Importação Imposto de Exportação. Prof. Marcelo Alvares Vicente

TRIBUTAÇÃO SOBRE O COMÉRCIO EXTERIOR Imposto de Importação Imposto de Exportação. Prof. Marcelo Alvares Vicente TRIBUTAÇÃO SOBRE O COMÉRCIO EXTERIOR Imposto de Importação Imposto de Exportação Prof. Marcelo Alvares Vicente Tributação sobre o Comércio Exterior Necessidade de análise sistemática do Ordenamento jurídico

Leia mais

Segurança e Conformidade no Comércio Internacional

Segurança e Conformidade no Comércio Internacional Segurança e Conformidade no Comércio Internacional Programa de Operador Econômico Autorizado Consiste na certificação concedida pelas Aduanas aos operadores da cadeia logística internacional que atendem

Leia mais

Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos Departamento Internacional

Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos Departamento Internacional PERGUNTAS E RESPOSTAS 1. O que é Importação via Correio? A importação via Correios é o serviço que lhe permite comprar/adquirir produtos de qualquer parte do mundo por meio da Internet, de catálogos ou

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Demonstrar o DCR-E na NF-e emitida na Zona Franca

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Demonstrar o DCR-E na NF-e emitida na Zona Franca de Segmentos Demonstrar o DCR-E na NF-e emitida na Zona Franca 11/03/2014 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3

Leia mais

DOU 23/12/16, SEÇÃO 1, PÁG SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 1.678, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2016

DOU 23/12/16, SEÇÃO 1, PÁG SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 1.678, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2016 DOU 23/12/16, SEÇÃO 1, PÁG. 154. SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 1.678, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2016 Altera a Instrução Normativa SRF nº 228, de 21 de outubro de 2002, que dispõe

Leia mais

Parágrafo único. Além das exigências estabelecidas nos Anexos do Decreto nº 5.053, de 24 de abril de

Parágrafo único. Além das exigências estabelecidas nos Anexos do Decreto nº 5.053, de 24 de abril de MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 29, DE 14 DE SETEMBRO DE 2010 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição

Leia mais

Importações sujeitas a Licenciamento Automático

Importações sujeitas a Licenciamento Automático Importações sujeitas a Licenciamento Automático Estão sujeitas a licenciamento automático as seguintes importações: Produtos relacionados no SISCOMEX e disponíveis no endereço eletrônico do MDIC; Operações

Leia mais

CAPACITAÇÃO. Programação. Centro Tecnológico do Calçado SENAI. Local: Avenida Pedro Adams Filho, 6338 Novo Hamburgo/RS

CAPACITAÇÃO. Programação. Centro Tecnológico do Calçado SENAI. Local: Avenida Pedro Adams Filho, 6338 Novo Hamburgo/RS CAPACITAÇÃO Programação Centro Tecnológico do Calçado SENAI Local: Avenida Pedro Adams Filho, 6338 Novo Hamburgo/RS DATA DA REALIZAÇÃO AGENDA DE TREINAMENTOS NO SENAI EM NOVO HAMBURGO TREINAMENTOS PREVISTOS

Leia mais

Matéria elaborada com base na legislação vigente em:

Matéria elaborada com base na legislação vigente em: CALÇADOS E SUAS PARTES - Suspensão do IPI Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 19.07.2012. Sumário: 1 - INTRODUÇÃO 2 - AQUISIÇÕES DE MATÉRIA-PRIMA, PRODUTO INTERMEDIÁRIO E MATERIAL DE EMBALAGEM

Leia mais

Formulário Consulta Pública RFB. Apresentação e orientações

Formulário Consulta Pública RFB. Apresentação e orientações Formulário Consulta Pública RFB Apresentação e orientações Este Formulário tem a finalidade de receber contribuições da sociedade organizada para subsidiar a tomada de decisão sobre uma Consulta Pública

Leia mais

Exportação Passo a Passo

Exportação Passo a Passo Sumário 3 4 5 6 1. INTRODUÇÃO 7 2. IMPORTÂNCIA DA ATIVIDADE EXPORTADORA POR QUE EXPORTAR? 9 2.1. A internacionalização da empresa 10 2.2. Etapas da internacionalização da empresa 2.3. Considerações importantes

Leia mais

DOCUMENTOS E MODELO DE PROCURAÇÃO NECESSÁRIO PARA O CREDENCIAMENTO PERANTE A RECEITA FEDERAL DA 8 a REGIÃO FISCAL (SÃO PAULO).

DOCUMENTOS E MODELO DE PROCURAÇÃO NECESSÁRIO PARA O CREDENCIAMENTO PERANTE A RECEITA FEDERAL DA 8 a REGIÃO FISCAL (SÃO PAULO). DOCUMENTOS E MODELO DE PROCURAÇÃO NECESSÁRIO PARA O CREDENCIAMENTO PERANTE A RECEITA FEDERAL DA 8 a REGIÃO FISCAL (SÃO PAULO). NO INTUITO DE PROVIDENCIARMOS NOSSO CREDENCIAMENTO COMO REPRESENTANTES DE

Leia mais

Data da Emissão: / / Assinatura do Representante

Data da Emissão: / / Assinatura do Representante Declaração: 17/0131482-9 Data do Registro: 24/01/2017 1 SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL - RFB PORTO DE SANTOS EXTRATO DA DECLARAÇÃO DE IMPORTAÇÃO CONSUMO Modalidade do Despacho: NORMAL Quantidade

Leia mais

Acesso à informação Participe Serviços Legislação Canais

Acesso à informação Participe Serviços Legislação Canais Page 1 of 6 BRASIL Acesso à informação Participe Serviços Legislação Canais Ir para o conteúdo 1 Ir para o menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Links Fale conosco SEFAZ Menu Curtir 0 Tweetar 0 CONVÊNIO

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Custos ou despesas nacionais relativos a importação - SP

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Custos ou despesas nacionais relativos a importação - SP 16/11/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 3 4. Conclusão... 6 5. Informações Complementares... 6 6. Referências... 6 7.

Leia mais

Instrução Normativa nº 424 de

Instrução Normativa nº 424 de SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL - SRF Instrução Normativa nº 424 de 19.05.2004 Disciplina o regime de suspensão da Contribuição para o PIS/Pasep-Importação e da Cofins-Importação, na importação de bens por

Leia mais

Caminhos para Exportar

Caminhos para Exportar NIEx NÚCLEO DE INTEGRAÇÃO PARA EXPORTAÇÃO Caminhos para Exportar 33º AgroEx Marco-CE ADILSON OLIVEIRA FARIAS Assessor técnico JULIANA CAETANO JALES Assistente técnico FASES DO PROCESSO EXPORTADOR Fase

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SRF Nº 155, DE 22 DE DEZEMBRO DE 1999

INSTRUÇÃO NORMATIVA SRF Nº 155, DE 22 DE DEZEMBRO DE 1999 INSTRUÇÃO NORMATIVA SRF Nº 155, DE 22 DE DEZEMBRO DE 1999 Dispõe sobre a utilização de declaração simplificada na importação e na exportação. O SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL, no uso de suas atribuições

Leia mais

O aperfeiçoamento do regime RECOF amplia oportunidades dos benefícios para todos os segmentos da indústria

O aperfeiçoamento do regime RECOF amplia oportunidades dos benefícios para todos os segmentos da indústria RECOF e RECOF-SPED Saiba como a sua empresa pode potencializar o uso do regime, tendo uma ampla visão de governança, garantindo compliance e aumentando a competitividade, tanto no que tange aos aspectos

Leia mais

Funda. Fundo ppara o Desenvolvimento das Atividades Portuárias. Receita de ICMS

Funda. Fundo ppara o Desenvolvimento das Atividades Portuárias. Receita de ICMS Funda Fundo ppara o Desenvolvimento das Atividades Portuárias Receita de ICMS CONCEITO Incentivo Financeiro LEGISLAÇÃO Lei nº 2.508, de 22/05/1970 e suas alterações. REGULAMENTAÇÃO Inicialmente pelo Decreto

Leia mais

Tributos aduaneiros. I- Imposto sobre importação de produtos estrangeiros II (art.

Tributos aduaneiros. I- Imposto sobre importação de produtos estrangeiros II (art. Tributos aduaneiros Os tributos sobre o comércio exterior têm natureza predominantemente extrafiscal, ou seja, de interferência no domínio econômico, com importante papel no desempenho das exportações,

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil ALFÂNDEGA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DO PORTO DE SALVADOR

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil ALFÂNDEGA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DO PORTO DE SALVADOR MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil ALFÂNDEGA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DO PORTO DE SALVADOR PORTARIA ALF/SDR Nº 14, de 5 de maio de 2014. Disciplina o atendimento da Seção

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA AQUISIÇÕES POR IMPORTAÇÃO

PROCEDIMENTOS PARA AQUISIÇÕES POR IMPORTAÇÃO Edital Pró-Equipamentos CAPES 11/2014 PROCEDIMENTOS PARA AQUISIÇÕES POR IMPORTAÇÃO CADASTRO DE PRODUTOS Antes de iniciar o processo de compra, pesquisar se o equipamento está cadastrado (se possui um código

Leia mais

Formulário Consulta Pública RFB. Apresentação e orientações

Formulário Consulta Pública RFB. Apresentação e orientações Formulário Consulta Pública RFB Apresentação e orientações Este Formulário tem a finalidade de receber contribuições da sociedade organizada para subsidiar a tomada de decisão sobre uma Consulta Pública

Leia mais

I IRPJ, CSLL, PIS e COFINS, excetuados os recolhimentos vinculados às operações de comércio exterior, a

I IRPJ, CSLL, PIS e COFINS, excetuados os recolhimentos vinculados às operações de comércio exterior, a I IRPJ, CSLL, PIS e COFINS, excetuados os recolhimentos vinculados às operações de comércio exterior, a parcelamentos ordinários ou especiais e a tributos exigidos em lançamentos de ofício; ou II Contribuição

Leia mais

RS - ICMS - REPETRO - Isenção, redução da base de cálculo e transferência de saldo credor - Alterações

RS - ICMS - REPETRO - Isenção, redução da base de cálculo e transferência de saldo credor - Alterações Edição nº. 07 Gestão 2011-2014 19 de setembro de 2011. ALERTA GERENCIAL RS - ICMS - REPETRO - Isenção, redução da base de cálculo e transferência de saldo credor - Alterações Por meio do Dec. Est. RS Nº

Leia mais

Programa Comex Infoco. Tema: Domine os Trâmites Documentais na Exportação

Programa Comex Infoco. Tema: Domine os Trâmites Documentais na Exportação Programa Comex Infoco Tema: Domine os Trâmites Documentais na Exportação Apresentação do Professor André Renato Gomes Graduado em Administração de Empresas com Ênfase em Comércio Exterior pela Universidade

Leia mais

DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL - RFB ~ V EXTRATO CONSUMO DA DECLARAÇÃO DE IMPORTAÇÃO

DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL - RFB ~ V EXTRATO CONSUMO DA DECLARAÇÃO DE IMPORTAÇÃO Data do Registro: 15/0912008 1/6 ~~ ~V!\PORTO SECRET DE ARIA SANTOS DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL - RFB ~ V EXTRATO CONSUMO DA DECLARAÇÃO DE IMPORTAÇÃO Modalidade do despacho: NORMAL Quantidade de adições:

Leia mais

(61) EQN 102/103, Lote 1 - Asa Norte

(61) EQN 102/103, Lote 1 - Asa Norte DRAWBACK INTEGRADO Secretaria de Comércio Exterior - SECEX Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX DRAWBACK INTEGRADO Entendendo os procedimentos do Drawback, um estímulo a mais para exportar.

Leia mais

2. COMO IMPORTAR 1 PLANEJAMENTO 2 CONTATOS COM POTENCIAIS FORNECEDORES 3 IDENTIFICAR NCM, TRATAMENTO ADMINISTRATIVO E TRIBUTÁRIO.

2. COMO IMPORTAR 1 PLANEJAMENTO 2 CONTATOS COM POTENCIAIS FORNECEDORES 3 IDENTIFICAR NCM, TRATAMENTO ADMINISTRATIVO E TRIBUTÁRIO. 1 2 2. COMO IMPORTAR 2.1. FLUXOGRAMA DE IMPORTAÇÃO 1 PLANEJAMENTO A fase de planejamento das importações é geralmente parte integrante do planejamento geral da empresa para atender sua necessidade de máquinas,

Leia mais

Of. Circular nº 145/2015-DSG/CECOM/PRA Curitiba, 26 de maio de ASSUNTO: Procedimentos para abertura de Processos de Importações para PESQUISAS

Of. Circular nº 145/2015-DSG/CECOM/PRA Curitiba, 26 de maio de ASSUNTO: Procedimentos para abertura de Processos de Importações para PESQUISAS Of. Circular nº 145/2015-DSG/CECOM/PRA Curitiba, 26 de maio de 2015. DE: DSG/CECOM PARA: Interessados, Professores e Pesquisadores. ASSUNTO: Procedimentos para abertura de Processos de Importações para

Leia mais

DRAWBACK INTEGRADO. Secretaria de Comércio Exterior - SECEX. Normas, Procedimentos e Dúvidas DRAWBACK INTEGRADO

DRAWBACK INTEGRADO. Secretaria de Comércio Exterior - SECEX. Normas, Procedimentos e Dúvidas DRAWBACK INTEGRADO Secretaria de Comércio Exterior - SECEX Departamento de Operações de Comércio Exterior Decex DRAWBACK INTEGRADO Normas, Procedimentos e Dúvidas SECEX DECEX DEINT DECOM DEPLA DENOC DECEX CGEX Coordenação-Geral

Leia mais

Drawback. 1. O que é o regime de drawback?

Drawback. 1. O que é o regime de drawback? Drawback 1. O que é o regime de drawback? O drawback é um regime aduaneiro especial que consiste na suspensão, isenção ou restituição dos tributos incidentes nos produtos utilizados no processo produtivo

Leia mais

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL Regime de Tributação Simplificada Importações por Remessas Postais

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL Regime de Tributação Simplificada Importações por Remessas Postais SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL Regime de Tributação Simplificada Importações por Remessas Postais RFB/SUARI/COANA/COFIA/DIDES Buenos Aires, 08 de novembro de 2011 Tópicos: 1. Panorama Atual do

Leia mais

SEMINÁRIO DE COMÉRCIO INTERNACIONAL: CENÁRIO ANTIGLOBALIZAÇÃO E RESTRIÇÕES DA OMC A POLÍTICAS INDUSTRIAIS 27/04/2016

SEMINÁRIO DE COMÉRCIO INTERNACIONAL: CENÁRIO ANTIGLOBALIZAÇÃO E RESTRIÇÕES DA OMC A POLÍTICAS INDUSTRIAIS 27/04/2016 SEMINÁRIO DE COMÉRCIO INTERNACIONAL: CENÁRIO ANTIGLOBALIZAÇÃO E RESTRIÇÕES DA OMC A POLÍTICAS INDUSTRIAIS 27/04/2016 EQUIPE Programas brasileiros contestados Inovar-Auto Lei de Informática PADIS PATVD

Leia mais

PORTARIA Nº 015 -COLOG, DE 05 DE OUTUBRO DE 2009.

PORTARIA Nº 015 -COLOG, DE 05 DE OUTUBRO DE 2009. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO COMANDO LOGÍSTICO PORTARIA Nº 015 -COLOG, DE 05 DE OUTUBRO DE 2009. Dispõe sobre o tráfego de produtos controlados por meio da Empresa Brasileira de Correios e

Leia mais

Edição nº de abril de ALERTA GERENCIAL ALTERAÇÕES NA LEGISLAÇÃO ESTADUAL

Edição nº de abril de ALERTA GERENCIAL ALTERAÇÕES NA LEGISLAÇÃO ESTADUAL Edição nº 127 11 de abril de 2011. ALERTA GERENCIAL ALTERAÇÕES NA LEGISLAÇÃO ESTADUAL 1) Procedimento Administrativo Tributário 1 Elevação de Multas 1 Instituição da Autoregularização: 2 Criação do Domicílio

Leia mais

Perguntas e Respostas mais Freqüentes IMPORTA FÁCIL CIÊNCIA

Perguntas e Respostas mais Freqüentes IMPORTA FÁCIL CIÊNCIA Perguntas e Respostas mais Freqüentes IMPORTA FÁCIL CIÊNCIA 1. O Que é? O Importa Fácil Ciência é destinado a pesquisadores/entidades de pesquisa cientifica ou tecnológica, devidamente credenciadas no

Leia mais

Todos os dias são efetuados grande quantidade de pagamentos do ICMS - importação a mais que o devido.

Todos os dias são efetuados grande quantidade de pagamentos do ICMS - importação a mais que o devido. User ICMS com Exatidão Todos os dias são efetuados grande quantidade de pagamentos do ICMS - importação a mais que o devido. O principal erro ocorre por não se ter o Perfil Tributário da mercadoria. Ao

Leia mais

PRANA SIGNIFICA ENERGIA VITAL. FOCADOS NISSO, NOS EMPENHAMOS PARA SER A ENERGIA PROPULSORA DA SUA RELAÇÃO COM O COMÉRCIO INTERNACIONAL CONECTANDO

PRANA SIGNIFICA ENERGIA VITAL. FOCADOS NISSO, NOS EMPENHAMOS PARA SER A ENERGIA PROPULSORA DA SUA RELAÇÃO COM O COMÉRCIO INTERNACIONAL CONECTANDO PRANA SIGNIFICA ENERGIA VITAL. FOCADOS NISSO, NOS EMPENHAMOS PARA SER A ENERGIA PROPULSORA DA SUA RELAÇÃO COM O COMÉRCIO INTERNACIONAL CONECTANDO SEUS NEGÓCIOS COM O MUNDO. QUEM SOMOS SOMOS UMA EMPRESA

Leia mais

Unidade III SISTEMÁTICA DE. Profa. Lérida Malagueta

Unidade III SISTEMÁTICA DE. Profa. Lérida Malagueta Unidade III SISTEMÁTICA DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO Profa. Lérida Malagueta Pontos de vista da exportação Exportação: é o ato de vender os produtos e serviços de sua empresa em um mercado fora do território

Leia mais

FLUXOGRAMA DE EXPORTAÇÃO

FLUXOGRAMA DE EXPORTAÇÃO FLUXOGRAMA DE EXPORTAÇÃO 1. PLANEJAMENTO Novos mercados; Mais lucros; Mais empregos Separar uma parte da produção para o mercado interno e outra para o mercado externo, pois a exportação é um processo

Leia mais

ADUANA FRAUDE EM IMPORTAÇÃO 1 SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL AUDITOR FISCAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL

ADUANA FRAUDE EM IMPORTAÇÃO 1 SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL AUDITOR FISCAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL ADUANA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL APRESENTAÇÃO: DANIEL BEZERRA DOS SANTOS AUDITOR FISCAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL FRAUDE EM IMPORTAÇÃO 1 OBJETIVO Abordar, de forma sucinta, as atividades

Leia mais

Decanato de Administração (DAF) Diretoria de Importação e Exportação (DIMEX / DAF) MANUAL DE IMPORTAÇÃO UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA

Decanato de Administração (DAF) Diretoria de Importação e Exportação (DIMEX / DAF) MANUAL DE IMPORTAÇÃO UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Decanato de Administração (DAF) Diretoria de Importação e Exportação (DIMEX / DAF) MANUAL DE IMPORTAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 4 A DIRETORIA DE DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO -

Leia mais

COMPARATIVO. Instrução Normativa SRF nº 102, de 20 de dezembro de 1994 Instrução Normativa SRF nº 1.479, de 07 de julho de 2014

COMPARATIVO. Instrução Normativa SRF nº 102, de 20 de dezembro de 1994 Instrução Normativa SRF nº 1.479, de 07 de julho de 2014 COMPARATIVO Instrução Normativa SRF nº 102, de 20 de dezembro de 1994 Instrução Normativa SRF nº 1.479, de 07 de julho de 2014 Disciplina os procedimentos de controle aduaneiro de carga aérea procedente

Leia mais

RECOF-SPED: Curitiba 26.Outubro.2016

RECOF-SPED: Curitiba 26.Outubro.2016 www.pwc.com RECOF-SPED: Curitiba 26.Outubro.2016 Recof-Sped x Drawback RECOF-SPED Exterior Importação de insumos Exportação do produto industrializado Brasil Declaração de Admissão na importação ou Nota

Leia mais