MANUAL DE ORÇAMENTO PÚBLICO _ MOP

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL DE ORÇAMENTO PÚBLICO _ MOP"

Transcrição

1 Superintendência de Orçamento Público MANUAL DE ORÇAMENTO PÚBLICO _ MOP ANEXO VII _ CLASSIFICAÇÃO DAS FONTES DE RECURSOS Versão

2 ANEXO VII CLASSIFICAÇÃO DAS FONTES DE RECURSOS CLASSIFICAÇÃO POR TIPO Fontes de Recursos - seu conceito está relacionado à origem ou procedência dos recursos que devem ser gastos para uma determinada finalidade. São constituídas por agrupamentos de naturezas de receitas, atendendo a uma determinada regra de destinação legal, servindo para indicar como são financiadas as despesas orçamentárias. A individualização é necessária para evidenciar sua aplicação, segundo determinação legal. A classificação por fontes é estabelecida no orçamento federal pela Portaria SOF nº 1, de 19 de fevereiro de Para o orçamento do Estado da Bahia, a classificação consiste em um código de dois dígitos, observado o seguinte esquema: Recursos do Tesouro (arrecadados diretamente pelo Estado), subdivididos em Fontes Próprias do Tesouro e Outras do Tesouro, e Recursos de Outras Fontes, cuja arrecadação é efetuada diretamente pelas entidades da Administração Indireta. PRÓPRIAS DO TESOURO 00 Recursos Ordinários não Vinculados do Tesouro 01 Recursos Ordinários de Contrapartida de Convênios e Operações de Crédito 02 Cota-Parte do ICMS Devida aos Municípios 03 Cota-Parte do IPVA Devida aos Municípios 06 Cota-Parte do Imposto sobre Exportação de Produtos Industrializados Devida aos Municípios 07 Recursos Vinculados ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação 14 Recursos Vinculados à Educação 28 Recursos do Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza 29 Recursos Destinados a Programa de Investimento 30 Recursos Vinculados às Ações e Serviços Públicos de Saúde 39 Recursos de Utilização Exclusiva na Reserva de Contingência OUTRAS DO TESOURO 04 Multas Vinculadas ao Fundo Estadual de Proteção ao Consumidor 05 Taxas Vinculadas ao Departamento Estadual de Trânsito 08 Cota-Parte do Salário Educação 09 Indenizações pela Extração de Óleo Bruto, Xisto Betuminoso e Gás, Utilização de Recursos Hídricos e Exploração de Recursos Minerais 10 Taxas e Multas Vinculadas à Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transporte e Comunicação da Bahia 11 Contribuições do Fundo Nacional de Assistência Social 12 Contribuições do Fundo Nacional de Atendimento à Criança e ao Adolescente

3 FONTE ESPECIFICAÇÃO SIGLA 13 Recursos Diretamente Arrecadados por Órgãos da Administração Direta 15 Recursos do Programa de Consolidação do Equilíbrio Fiscal para o Desenvolvimento do Estado da Bahia Lei nº /09 16 Taxas Vinculadas ao Fundo Especial de Aperfeiçoamento dos Serviços Policiais!! "#$ %&' 17 Contribuições de Intervenção do Domínio Econômico 18 Taxas e Multas Vinculadas à Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia 19 Remuneração de Depósitos Bancários de Convênios com a União Adm. Direta 20 Taxas Vinculadas ao Poder Judiciário ( 21 Operações de Crédito Internas 22 Contribuições do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação 23 Operações de Crédito Internas em Bens e/ou Serviços 24 Operações de Crédito Externas em Bens e/ou Serviços 25 Operações de Crédito Externas 26 Recursos de Alienação de Bens Adm. Direta 27 Recursos Vinculados ao Fundo do Meio Ambiente da Bahia 31 Contribuições e/ou Auxílios de Órgãos e Entidades Federais - Adm. Direta 32 Contribuições e/ou Auxílios de Órgãos e Entidades Estaduais - Adm. Direta 33 Contribuições e/ou Auxílios de Órgãos e Entidades Municipais - Adm. Direta 34 Outras Contribuições e/ou Auxílios - Adm. Direta ) 35 Restituição de Recursos Oriundos de Operação de Crédito 36 Recursos Vinculados ao Fundo de Despesa Sanitária Vegetal 37 Contribuições e/ou Auxílios de Órgãos e Fundos Internacionais Adm. Direta * 38 Taxas e Multas Vinculadas ao Fundo Estadual de Saúde RECURSOS DE OUTRAS FONTES 40 Recursos Diretamente Arrecadados por Entidades da Administração Indireta 41 Contribuição para o Plano de Previdência Social do Servidor 42 Contribuições para o Plano de Saúde do Servidor 43 Recursos do Fundo Estadual de Recursos Hídricos da Bahia + 45 Recursos pelo Fornecimento de Água Bruta de Reservatórios 46 Recursos Vinculados ao Desenvolvimento do Desporto - Lei nº 9.615/98 47 Fundo Nacional de Saúde - Convênio,

4 FONTE ESPECIFICAÇÃO SIGLA 48 Fundo Nacional de Saúde - Sistema Único de Saúde - Receita de Prestação de Serviços de Saúde 49 Transferências do Fundo Nacional de Saúde para o Fundo Estadual de Saúde 50 Recursos do Fundo de Cultura da Bahia 51 Operações de Crédito Internas em Moeda 52 Operações de Crédito Internas em Bens e Serviços 53 Operações de Crédito Externas em Bens e Serviços 55 Operações de Crédito Externas em Moeda 56 Recursos de Alienação de Bens Adm. Indireta 57 Receitas Capitalizáveis Funprev 58 Recursos do Fundo Previdenciário dos Servidores Públicos do Estado da Bahia 59 Remuneração de Depósitos Bancários de Convênios com a União Adm. Indireta 60 Contribuições do Fundo de Investimento Econômico e Social da Bahia 61 Contribuições e/ou Auxílios de Órgãos e Entidades Federais - Adm. Indireta 62 Contribuições e/ou Auxílios de Órgãos e Entidades Estaduais - Adm. Indireta 63 Contribuições e/ou Auxílios de Órgãos e Entidades Municipais - Adm. Indireta 64 Contribuições e/ou Auxílios de Entidades Privadas Nacionais - Adm. Indireta 65 Transferências de Entidades Privadas Internacionais Adm. Indireta 66 Transferências de Órgãos e Fundos Internacionais Adm. Indireta * 69 Outras Contribuições e/ou Auxílios - Adm. Indireta ) 80 Recursos Vinculados Transferências SUS Bl Atenção Básica - 81 Recursos Vinculados Transferências SUS Bl Atenção de MAC Ambulatorial e Hospitalar - 82 Recursos Vinculados Transferências SUS Bl Vigilância em Saúde - 83 Recursos Vinculados Transferências SUS Bl Assistência Farmacêutica -, 84 Recursos Vinculados Transferências SUS Bl Gestão do SUS - 85 Recursos Vinculados Transferências SUS Bl Investimentos na Rede de Serviços SUS - * Também chamado de Recursos Livres

5 CLASSIFICAÇÃO DAS FONTES DE RECURSOS CLASSIFICAÇÃO POR ORIGEM E APLICAÇÃO DOS RECURSOS Considerando que algumas Fontes indicam origem, enquanto que outras aplicação dos recursos, podemos, alternativamente, propor uma classificação que combine estes dois aspectos. Assim, apresentamos a seguir os agrupamentos onde as fontes são arranjadas pela sua origem ou seu destino. Isto é, seja oriunda da contratação de uma operação de crédito ou a assinatura de um convênio, seja pela vinculação por preceitos legais ou a fundo específico. OPERAÇÃO DE CRÉDITO CÓDIGO DESCRIÇÃO 15 Recursos do Programa de Consolidação do Equilíbrio Fiscal para o Desenvolvimento do Estado da Bahia Lei nº /09 21 Operações de Crédito Internas 23 Operações de Crédito Internas em Bens e/ou Serviços 24 Operações de Crédito Externas em Bens e/ou Serviços 25 Operações de Crédito Externas 29 Recursos Destinados a Programa de Investimento 35 Restituição de Recursos Oriundos de Operação de Crédito 51 Operações de Crédito Internas em Moeda 52 Operações de Crédito Internas em Bens e Serviços 53 Operações de Crédito Externas em Bens e Serviços 55 Operações de Crédito Externas em Moeda CONVÊNIO CÓDIGO DESCRIÇÃO 19 Remuneração de Depósitos Bancários de Convênios com a União Adm. Direta 31 Contribuições e/ou Auxílios de Órgãos e Entidades Federais - Adm. Direta 32 Contribuições e/ou Auxílios de Órgãos e Entidades Estaduais - Adm. Direta 33 Contribuições e/ou Auxílios de Órgãos e Entidades Municipais - Adm. Direta 34 Outras Contribuições e/ou Auxílios - Adm. Direta 37 Contribuições e/ou Auxílios de Órgãos e Fundos Internacionais Adm. Direta 47 Fundo Nacional de Saúde - Convênio 59 Remuneração de Depósitos Bancários de Convênios com a União Adm. Indireta 61 Contribuições e/ou Auxílios de Órgãos e Entidades Federais - Adm. Indireta 62 Contribuições e/ou Auxílios de Órgãos e Entidades Estaduais - Adm. Indireta 63 Contribuições e/ou Auxílios de Órgãos e Entidades Municipais - Adm. Indireta 64 Contribuições e/ou Auxílios de Entidades Privadas Nacionais - Adm. Indireta 65 Transferências de Entidades Privadas Internacionais Adm. Indireta 66 Transferências de Órgãos e Fundos Internacionais Adm. Indireta 69 Outras Contribuições e/ou Auxílios Adm. Indireta

6 VINCULAÇÃO CONSTITUCIONAL E LEGAL CÓDIGO DESCRIÇÃO 02 Cota-Parte do ICMS Devida aos Municípios 03 Cota-Parte do IPVA Devida aos Municípios 05 Taxas Vinculadas ao Departamento Estadual de Trânsito 06 Cota-Parte do Imposto sobre Exportação de Produtos Industrializados Devida aos Municípios 07 Recursos Vinculados ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação 08 Cota-Parte do Salário Educação 09 Indenizações pela Extração de Óleo Bruto, Xisto Betuminoso e Gás, Utilização de Recursos Hídricos e Exploração de Recursos Minerais 10 Taxas e Multas Vinculadas à Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transporte e Comunicação da Bahia 14 Recursos Vinculados à Educação 18 Taxas e Multas Vinculadas à Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia 20 Taxas Vinculadas ao Poder Judiciário 26 Recursos de Alienação de Bens Adm. Direta 30 Recursos Vinculados às Ações e Serviços Públicos de Saúde 45 Recursos pelo Fornecimento de Água Bruta de Reservatórios 48 Fundo Nacional de Saúde - Sistema Único de Saúde - Receita de Prestação de Serviços de Saúde 49 Transferências do Fundo Nacional de Saúde para o Fundo Estadual de Saúde 56 Recursos de Alienação de Bens Adm. Indireta 80 Recursos Vinculados Transferências SUS Bl Atenção Básica 81 Recursos Vinculados Transferências SUS Bl Atenção de MAC Ambulatorial e Hospitalar 82 Recursos Vinculados Transferências SUS Bl Vigilância em Saúde 83 Recursos Vinculados Transferências SUS Bl Assistência Farmacêutica 84 Recursos Vinculados Transferências SUS Bl Gestão do SUS 85 Recursos Vinculados Transferências SUS Bl Investimentos na Rede de Serviços SUS RECURSO PROVENIENTE DE FUNDO CÓDIGO DESCRIÇÃO ESTADUAL 04 Multas Vinculadas ao Fundo Estadual de Proteção ao Consumidor 07 Recursos Vinculados ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação 27 Recursos Vinculados ao Fundo do Meio Ambiente da Bahia 28 Recursos do Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza 36 Recursos Vinculados ao Fundo de Defesa Sanitária Vegetal 38 Taxas e Multas Vinculadas ao Fundo Estadual de Saúde 41 Contribuição para o Plano de Previdência Social do Servidor

7 CÓDIGO DESCRIÇÃO 42 Contribuições para o Plano de Saúde do Servidor 43 Recursos do Fundo Estadual de Recursos Hídricos da Bahia 50 Recursos do Fundo de Cultura da Bahia 57 Receitas Capitalizáveis Funprev 58 Recursos do Fundo Previdenciário dos Servidores Públicos do Estado da Bahia 60 Contribuições do Fundo de Investimento Econômico e Social da Bahia NACIONAL 11 Contribuições do Fundo Nacional de Assistência Social 12 Contribuições do Fundo Nacional de Atendimento à Criança e ao Adolescente 16 Taxas Vinculadas ao Fundo Especial de Aperfeiçoamento dos Serviços Policiais 17 Contribuições de Intervenção do Domínio Econômico 22 Contribuições do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação 46 Recursos Vinculados ao Desenvolvimento do Desporto - Lei nº 9.615/98 47 Fundo Nacional de Saúde - Convênio 48 Fundo Nacional de Saúde - Sistema Único de Saúde - Receita de Prestação de Serviços de Saúde 49 Transferências do Fundo Nacional de Saúde para o Fundo Estadual de Saúde RECURSOS DISCRICIONÁRIOS CÓDIGO DESCRIÇÃO 00 Recursos Ordinários não Vinculados do Tesouro 01 Recursos Ordinários de Contrapartida de Convênios e Operações de Crédito 13 Recursos Diretamente Arrecadados por Órgãos da Administração Direta 40 Recursos Diretamente Arrecadados por Entidades da Administração Indireta

8 CLASSIFICAÇÃO DAS FONTES DE RECURSOS EQUIVALÊNCIA ENTRE FONTES DA ADMINISTRAÇÃO DIRETA E INDIRETA./ /28: ;.2/83.9 8< 47 86/=./ /28: ;.12/8" RECURSOS DA ADMINISTRAÇÃO DIRETA RECURSOS DA ADMINISTRAÇÃO INDIRETA CÓD DESCRIÇÃO CÓD DESCRIÇÃO CONVÊNIO 19 Remuneração de Depósitos Bancários de Convênios com a União Adm. Direta 31 Contribuições e/ou Auxílios de Órgãos e Entidades Federais Adm. Direta 32 Contribuições e/ou Auxílios de Órgãos e Entidades Estaduais Adm. Direta 33 Contribuições e/ou Auxílios de Órgãos e Entidades Municipais Adm. Direta 34 Outras Contribuições e/ou Auxílios Adm Direta 59 Remuneração de Depósitos Bancários de Convênios com a União Adm. Indireta 61 Contribuições e/ou Auxílios de Órgãos e Entidades Federais Adm. Indireta 62 Contribuições e/ou Auxílios de Órgãos e Entidades Estaduais Adm. Indireta 63 Contribuições e/ou Auxílios de Órgãos e Entidades Municipais Adm. Indireta 64 Contribuições e/ou Auxílios de Entidades Privadas Nacionais Adm. Indireta 37 Contribuições e/ou Auxílios de Órgãos e Fundos Internacionais Adm. Direta 66 Transferências de Órgãos e Fundos Internacionais Adm. Indireta RECURSOS DIRETAMENTE ARRECADADOS 13 Recursos Diretamente Arrecadados por Órgãos da Administração Direta 40 Recursos Diretamente Arrecadados por Entidades da Administração Indireta ALIENAÇÃO DE BENS 26 Recursos de Alienação de Bens - Adm. Direta 56 Recursos de Alienação de Bens - Adm. Indireta

9 CLASSIFICAÇÃO DAS FONTES DE RECURSOS FONTES E USOS DE RECURSOS && &! > 2.0 ; > 2.0 A 0 1 2B 1/. &C./8 82/ D?.0 &#./8 82/ D?.0 &J 46/ / /: ; /80 8/ = /19 ;.132B 1/." : A //4: ; E82/"! $ %F 0 0 G D?.0 2? //43.80 H6G / E/ D?.0 180? F I 2/"! $ % G D?.0 2? //43.80 H6G / E/ D?.0 180? F?28: ;.0?386?28: ;.0?386 K L "' #L H1CJ "&! "' L 820 4?.2/=832.M 5 34: ;.?2.9.: ;.< /. 84/: ;. 180?.6D/380 0 / = H.N O/7 81.H0?3869 /H80 : A G 4/0 8: A 0 P ( &$ ?82/89 /.0 / T 0 /. L "J! U 1#! "&%"' CH 86/2818?68 L "' $ U 1 C&"&L "' L 340 /.1.0?2.G ?2.O/ /Q 8: ;.H?2./: ;.1= R 8< 40 : ;.19 8/286?29 8/ / > /.1.0?2.G : ;.1= / R 286Q 8: ;.17 /.0 8/ /7 80 M 1438: ;.H?0 < G 8: ;.1=.29 8: A 0 H / R /.1?2.G ?83/8: ;.8?2=:.89 / S R 0 /24/428: ;.0 /249 /86Q 8: ; H.N O/ S :.0?20 / > 2.0 " /81.H268/7 80 8! &V 1.?2.14/.1823/8180 /85 80?6.5 23D3.1.?.121?.6D38?68?20 /8: ; :.0?W N > G 428: 8?W N 638H?2.? ? / : A 0 1.*2G ;." &L./8 82/1.9?.0 /.0.N 2 2/"! $ % G D?.0 2? //43.80 H6G /280?28: ;.0? N /28

10 CLASSIFICAÇÃO DAS FONTES DE RECURSOS FONTES E USOS DE RECURSOS &U 5?.2/8: ; / /286Q D?.0 I /: ; / : ;.> Q 8: ; = : ;. &%./8 82/1.86> : ;. X $ 1.82/"C! C18 R 2/C$ ' 18 R 1"!! "J ' J &U R 32/. L "&&#1C%"! C"&L &' 1Q 8: A 0?685 /28: ;.1 *6.24/.H0 /./49.0. > 0 H/6Q 8: ; D ?6.28: ; E/ D?.0 180? F // /: ; /.1.0.? : ;.> 0 38 $ #&L H2G 4689 /818?68 W N 638" 1"!! "J ' J &U 2/"C&J 18 R 2/"C&18 R 1" U "' ' &' &R ' "C%! 1&U "! &"&J H 84/: ;. : A / ?2.G ?2.O/.0 7.6/81.0? Q 8: ; /: ;. 1438: ;. N > 0 38H 1 = ?2.? : ; D /9 / //0 /243D?.0 H0 /81.0 H0 /2/ G A 0 N ! $ V 8C$ V 8G 0 /;.H?0 < 40 8H?2.0?3: ; R C&V 8#&V 8G 28: ;.12G 82G Q 8: ;.24286R J $ V 8$ $ V 8G 0 /;.H8?2.7 /89 /.? : ; S D123.0 H ? : ; N /" N 0 "P89 N B 9?.10 24/6Q 818?828=0 A 0 132B 1/."! & / M 380 /814861G 468: ;.1 27 :.0 W N G 8H 280?.2/.9 438: ;.18 8S 8 U "#! J 1! ' "&$ "' % 0 N 0 H12/ G 2N 80 2;.4/6Q / ?29 / N O/7.0 H?29 /18H832/B /.289 2G G 81.H 8 8?638: ; /2.0 H?828 8.N /: ; / /19 /.10 48=86181"!!./2N 4: A ! C./2N 4: A /19 /. M 28: / L "' #&H1C%"! C"' $ R 1" %"U J C' # L "' U $ 1CJ "&U "' L R 32/. L "! ' %1&$ &C' U " 0 /;.: A H H =28H142 =28 G 2N 8 2.? ?828 =8382. N =D3. 1?20 /8: ;. : A /48188? :.0 H?2.G ?2.O/ " > 2.0 M 5 34: ;. 1?2.G /28N 86S. : A : ?.6D/38 1 8/19 / / : /" N 0 "P =/ : /814861/19 /.M

11 CLASSIFICAÇÃO DAS FONTES DE RECURSOS FONTES E USOS DE RECURSOS! # /89 / ?.2*2G ; /28: ;.2/8 28: / < 480 < 42 10? > /. 1 8: A 0 H 7.6/8180? : ; N O/7.H 20?/8180 H. < 4 =.29 8?63> 7 0 H N 2 63/8: A 0 3./28/ /28: ;. W N 638" G 0 68: ;.0 3D= > : ;. 1.?2.G /28N 86S. 1. *2G ;."! J M 1438: ;. 2/"C! C18 9.1=381.?68 84/: ; /.1.0." //43.86 N 0 "P5 3/.869 /8: ;.H/280?.2/ W 1H3.=.29 2/" $ #&U C! C18! $ G : ;.1.< 46DN ? /.1.0 / S 8-!! "#$ %&' -!! "#$ %&'!! "#$ %1&U &! &'? : A 0?2.2/> /9 /.3.0 /8/ ?638: A /81..=.29 6G 0 68: ;. 0?3D= : A 0?2.2/> *2G ; " 2/8! L L "%' L H1C%"&U "' $ ?828.2< 4?89 /.9 8/286180?.6D /82 : A ?.6 0?386 1?2=:.89 / : ? ?0 8: ; G ?0 0.86H 13.22/ D3. 1.?.12 1?.6D38H 1?20 /8: ; :.0 0?3D= = > 2810 G 428: 8?W N 638=0 386Q 8: ;.1.349?29 /. 186G 0 68: ; /28/7.?.6386! U./2N 4: A 0 1 /27 : ; D.3.Y 9 3.! % / M 380 /814861=0 8 G 2.?34> 28188S 8! ' 9 428: ;. 1?Z 0 /.0 83> ;.-19 "2/8 1"! &"L #L &C 8G 89 /.10 4N 0 D1.0 8?2:.0.4/280?.2/1> N 40 /D7 6HG > 0 : A 0 1. =282N 8 8/ ?/2Z 6.R=8389 /.1?2.O/.0 89 N / W 0 /28 1.?/2Z G > 0 R 8. =8389 /.1?2.G =280 /24/4281/280?.2/0 " Z 1G.2N 4/> / S 8R #"' $ L 1!! "! C"! ' %! ? : ;. 1 8: A 0 1 1= /> : A G 218N 7 G /86H.3./2.61?2.14/.0 1.2G 9 8G 2.?34> N / ?638: ;.= /0 36N / /28: ;.2/81. 0 /81.8;.".=.29?83/481. *2G ; " 2/8

12 CLASSIFICAÇÃO DAS FONTES DE RECURSOS FONTES E USOS DE RECURSOS C& (413> 2. ( L "' $ $ 1&J "&L "' L!! "#$! H1! ' "! C"&% C!?28: A 0 1 2B 1/./280 84/.2Q 8/7 80?3D=38?828 3./28/8: ;.1.?28: ;.1 32B 1/.O4/.80 //4: A 0 = CC C# CJ./2N 4: A / : ;.?28: A 0 1 2B 1/./ :.0?28: A 0 1 2B 1/.5 / :.0 1" $ "$ #U L %R 32/. %U C1! $ "! &"L ' " 84/.2Q 8/7 80?3D=38?828 3./28/8: ;.1.?28: ;.1 32B 1/.O4/.80 //4: A 0 = /.2Q 8/ /28/.0 = C$?28: A 0 1 2B 1/.5 /280 84/.2Q 8/7 80?3D=38?828 3./28/8: ;.1.?28: ; ?828.2< 4?89 /.9 8/ :.0 18(40 /: /81.H? /1.2N 4861(40 /: 810 /82?82/ ? S : ;.1/ (413> 2.H?828.8?2=:.89 /.0 //43.86/ /7.(413> 2."./28/8: A 0 19?2B 0 /9.0 =8389 /.0 /2.0?828?.0 0 N 6/ : ;.1?2.G ?2.O/.0 " ?2.G ?2.2H9 B 1.?29 > 2.H? ?68 ;.H = /81.0 H0 /2/.1286H 22/Z 2.0 H43D?.0 0 /8N 639 /.0?82/ R / N /41.H9 84/: ;.0 /> G ?2.29 B 1.R?2382H? /H80?2.?.0 /80.2: 89 /> = /8N 639 / B 1.0 4?2.29 8/1.0?68 ;.H ?8/N 6Q 8: ;.10 40?2.G ?2.O/ /2Q G.7 2." N 0 "P19 / /6Q 8: ; /28?82/180.9 /9.?28: A 0 < /9 H /H8.=8389 /.1?2.O/.0?2.G =4189 /86"./28/8: ;.1.?28: ;.132B 1/./28H13.22/1=.239 /.1 N :.0 H.N O/.18 4/.2Q 8/7 8"./28/8: ;.1.?28: ;.132B 1/.5 /28H13.22/1=.239 /.1 N :.0.N O/.18684/.2Q 8/7 8./28/8: A 0 19?2B 0 /9.0 =8389 /.0 5 /2.0?828?.0 0 N 6/ : ;.1?2.G ?2.O/ /81." 84/: ;. : A (413> 2. : A 0 1. *2G ; / ?2.G N O/ /.2Q 8/7 80 : A 0 1. : A 0 1. N O/ /.2Q 8/7 80 : A 0 1. N O/ /.2Q 8/7 80 : A 0 1. N O/ /.2Q 8/7 80

13 CLASSIFICAÇÃO DAS FONTES DE RECURSOS FONTES E USOS DE RECURSOS CL CU C% C' #& : ; "2/ N /188S / N 8/228138: ;.18.N 2Q / G /9 / M 0 : A 0 27 :.0 W N W 1 #!./2N 4: A D6.0 1 *2G ;.0 / "2/8 #C./2N 4: A D6.0 1 *2G ;.0 / / "2/8 ##./2N 4: A D6.0 1 *2G ;.0 / ?80 32B 1/.O4/.80 //4: A 0 =83280 / ' "J ##1&! "&#"&$ R 32/. ' "J L! 1C&"&L "&$ R 2/J J 18! &! && 2/"C! U 18 R U "U ' ' 1&U "&C"&! H 86/2818?68! &"J #! 1 C&"! C"&L 2/"J 18 K U "' %%1 C! "! C"&! H86/2818?68 ' "$ &' 1C&"&$ "&$ "!! "&$ #1&L "&L "&% C' &&R L "$ %! H1&J "&$ "' J R U "' J CH1&$ "!! "&C N 0 "P8?638: ;.10 /8=./?82810?0 8< 4;.0 O87 0 /9 /.17 0 /8289?82818.?68.1/28N 86S ?2B 0 /9. 0 / N 2/428M 0 10?0 8138?/86H5 3/.< /828.4? /8280 8: A 0?27 0 /80 9?68.0 H?2.G ?2.O/.0? /2.6H8? : ;.H : ;.H8234?28: ;.89 N /86. 0 /81.188S 8H ?69 /828.6D/380 / N /1 2./: ;.M " 8N 6Q 82M?.?468: ;.1.0 / D7 0 1G N 27 38H34O ;.8? : A 0 0 4?69 / /2: ;.HS 8N /8: ;.H1438: ;.H0 8W 1H2=.2:.1218= /2.0?2.G // /81.0? S.2818 < "? : A 0?2.2/> /9 /. 3.0 /8/ ?638: A > 2.0 M 5 34: ;.1?2.G /28N 86S W /7 8H ?6832/828188W 1" N 0 "P.10 24/6Q 818?828= /.H9 18/?27 0 0? ?/86H5 3/. < /82 8.4?27 ".1.0 : A : A : A 0?2.2/> ?638: ; N 0 N 8.=.29?83/481. *2G ; " *2G ; " *2G ; " 2/8

14 CLASSIFICAÇÃO DAS FONTES DE RECURSOS FONTES E USOS DE RECURSOS 19 "2/8 #J 4/280./2N 4: A D "2/8 N 0 "P 6N /2.0 /81.0 //4: A 0? =.29?83/481. *2G ; " 2/8 #$ 0 //4: ; : ; ?28: ;.132B 1/.;.4/6Q 81.0 ".1.0 1?28: ;.1 2B 1/. #L =0 88/> 28 G /86 #U./2N 4: A D6.0 1 *2G ; / "2/8 #% / / W 1! &"J #J 1CC"! C"&L 40 / /: ;.H9 6S.285?80 ; : ?S 81.0?68H0 0 8> 2818/48: ;." * 84/: ;. : A G *2G ; " 2/8 L "$ %! 1&J "&$ "' J > 2.0 M 5 34: ;.1?2.G /28N 86S W /7 8H ?6832/828188W 1H 3.9?211.8: A 0 268/7 80 8P N 0 N 8 8/19 /.M 0 8W 1H Q 81.H/G 286H2G.86Q 81. S 282< 4Q 81.R 7 G 6T 380 8/> 28R 7 G 6T 38?19.6Z G 388: A W 11/ / ?.1/R 3./2.6=0 386Q 8: ;.180 8G 20 0 A N /H6 3.9? N /1/28N 86S.H Z 2G ;.0 8=0 R?20 /8: ;.18?../B 33.= D? : ;. 0 4?6/7 818: A : W 1R = : ;.18?.6D/385 34: ;.1" #' /6Q 8: ; ,! &! 1&J "&$ "&&R /19 /.1? /G /0.4/ /.0 = ?27 0 /.0 " /19 /.1? /G /0.1.0

15 CLASSIFICAÇÃO DAS FONTES DE RECURSOS FONTES E USOS DE RECURSOS J & /89 / ?.2/ /28: ;.12/8 J!./2N 4: ;.? / /.0 = ?27 0 /.0 " 1328: ;. 18/ / : ;.18/ / " =41. 12/8 U "CJ ' 1&U "&! "' % 86/2818?680 0 %"$ #$ H 1! #"! C"&C ' "&&#1 #&"&! "&J "! &"' $ $ 1C! "! C"&U 42H ?/86Q Y < 486< 42 8/42Q /6Q 81.0.?8G 89 /.1.0 N =D3.0?27 13> ?W N /8/4/> 2.0 H /820 H1< 480 < /81.188S 8HG :.?W N 63.8/B /8 H ?1/0 H8/B < 40 5 /G 8.W 6/9. N =D / /41." N 4?27 J C./2N 4: A 0? W J # / D S 8 ' "$ C%1CC"&L "&$ R 32/. ' "$ $ C1C! "&' "&$ " %"! ' J H1C! "&! "&C 32/.! C"&CJ H1 C$ "&#"! & G 828/81?8G 89 /.1.0?2.7 /.0 18?.0 /81.28H =.29 8H13.22/0 18/ ;.?28/381.0?6.0 S = /7.H G 0 68/7.(413> 2.H? / N /80? (40 /: 8HN ?6.0 12G / /82< 480 =418: A 0 0 //4D /180?6. 0 /81.R G 828/ N /.0 11.: 8H7 861Q H 7 6S 3H831/ :.H8/7 181H=8639 / ;.R?2./: ;.M 9 8/2181HM?8/2181M 81.: ;.R M 0 8W G ?1/0 " > 2.0 M 9 84/: ; W W N / " 820 4?.2/=832.M.6D/380 / D123.0 M 0 8: A 0?27 0 / / D G 2> =380 " N 0 "P /9 /.0.0 / S D ?28: ;.H 234?28: ;.9 84/: ;.1N 8228G 0 H0 0 / G 8: ;.H0 0 / /: ;. : A N 40 27

16 CLASSIFICAÇÃO DAS FONTES DE RECURSOS FONTES E USOS DE RECURSOS J $ J L J U J % J ' ? /. 1 G 4824/ /Z /.1.0?.2/.- ' "L! $ ' % W W 1 0 / W 13/ /8: ;.127 :.0 1 8W 1!! "&$ &1&L "&L "&%E82/"! J H30.F 18N 80 /39 /.1[> G 480 G./89 /.0 8/> 2.H9 6S.2818< : ;.1810?.N > G 48H /.0 //43.86 /3.6Z G 3.H38?83/8: ;./289 /.H0 /41.0 H?2.O/.0.N 280 H.4/280? /.2" 40 /828: A 0 G 229.0?8288?.6D/380 / S D123.0 : A " ' "L! $ ' %E 6B FH.9 /82?2> /380 10?.2/7 80 = ;.= < 40 2=2.82/" 86/2818?68 1" C! U 18.0 //4: ;.1286"! &"L U C&#" : A 0 : A W 1? / W 1 $ & / S 8.2/ /B W 1.2/ /B W 1 ' "J #! 1!! "&C"&$ H 86/2818?68 ' "%J L 1 C%"! C"&$ " 8389 /.180 8: A :.0?W N W 1" 8389 /.180 8: A :.0?W N W 1" 8? =0 /8: A 0 346/4280 H3.9 N 80.? ?20 0 ;.R? ?.?468: ;.8.0 N 0 H0?8:.0 H8/ :.0 346/4280 R 0 / /.346/ /81.9 / G A 0 H19 828< 46N 2818H ?68O89 /.8< : A 0 346/4280 R 8?.828: A /: ;.H : ;.H89?68: ;.234?28: ;.1.?8/29 Y.346/ /2869 8/ /81.R 3/7 828?0 < G 8: ;.1.3.S 39 /.0.N 2346/428 6G 48G 0 82/D0 /380 R 84/: ;. : A /: ;. : A /: ;. : A G > 2N /2410 N 0 8N 0 N 8 0 8N 0 N 8 0 8N 0 N 8

17 CLASSIFICAÇÃO DAS FONTES DE RECURSOS FONTES E USOS DE RECURSOS $!?28: A 0 1 2B 1/./ $ C?28: A 0 1 2B 1/./ :.0 $ #?28: A 0 1 2B 1/.5 / :.0 $ $?28: A 0 1 2B 1/.5 / $ L : ; "12/8 84/.2Q 8/7 80?3D=38?828 3./28/8: ;.1.?28: ;.1 32B 1/.O4/.80 //4: A 0 = /.2Q 8/7 80?3D=38?828 3./28/8: ;.1.?28: ;.1 32B 1/.O4/.80 //4: A 0 = /.2Q 8/7 80?3D=38?828 3./28/8: ;.1.?28: ;.1 32B 1/.O4/.80 //4: A 0 =83280 / /.2Q 8/7 80?3D=38?828 3./28/8: ;.1.?28: ;.1 32B 1/.O4/.80 //4: A 0 =83280 / ' "J ##1&! "&#"&$ R 32/. ' "J L! 1C&"&L "&$ R 2/J J 18! &! && 3/7 82.8?2=:.89 /.182/0 /80 /B > ?20 0 ;.18346/428R? /23T 9 N : ;.1N 0 8/ / /2.0 0 /81.0 8D0 0 H1= /428N 888R Q =8Q 2H =2/0 G 24?.0 = "./28/8: A 0 19?2B 0 /9.0 =8389 /.0 /2.0?828?.0 0 N 6/ : ;.1?2.G ?2.O/.0.N O/.18 4/.2Q 8/7 8"./28/8: ;.1.?28: ;.132B 1/./28H13.22/1=.239 /.1 N :.0 H.N O/.18 4/.2Q 8/7 8"./28/8: ;.1.?28: ;.132B 1/.5 /28H13.22/1=.239 /.1 N :.0.N O/.18684/.2Q 8/7 8./28/8: A 0 19?2B 0 /9.0 =8389 /.0 5 /2.0?828?.0 0 N 6/ : ;.1?2.G ?2.O/.0.N O/.18684/.2Q 8/7 8" : A 0 1. /1810.N O/ /.2Q 8/7 80 : A 0 1. /1810.N O/ /.2Q 8/7 80 : A 0 1. /1810.N O/ /.2Q 8/7 80 : A 0 1. /1810.N O/ /.2Q 8/7 8 =18.0 /8/4/..4G 9 /.18/181 0? ?/86 / " 12/8 $ U 3/80 8?/86Q > 7 0 4?27! &"' $ $ 1C! "! C"&U " 42H ?/86Q Y < 486< 428/42Q /6Q 81.0.?8G 89 /.1.0 N =D3.0?27 13> ?W N /8/4/> 2.0 H /820 H1< 486< N 4?27

18 CLASSIFICAÇÃO DAS FONTES DE RECURSOS FONTES E USOS DE RECURSOS 1.0 /81.188S 8HG :.?W N 63.8/B /8 H ?1/0 H8/B < 40 5 /G 8.W 6/9.N =3> / /41." $ % > W N / S 8! &"' $ $ 1C! "! C"&U " 42H ?/86Q Y < 486< 42 8/42Q /6Q 81.0.?8G 89 /.1.0 N =D3.0?27 13> ?W N /8/4/> 2.0 H /820 H1< 486< /81.188S 8< 4G :.?W N 63.8?82/ /8 H ?1/0 " N 8?27 $ ' 9 428: ;. 1?Z 0 /.0 83> ;.-19 "12/8 L & L! L C L #./2N 4: A /9 /.3.Y S 8./2N 4: A D6.0 1 *2G ;.0 / "12/8./2N 4: A D6.0 1 *2G ;.0 / / "12/8./2N 4: A D6.0 1 *2G ;.0 / ?80 U! &"' $ $ H1C! "! N / ?638: ;.= /0 36N / /28: ;.12/81. 0 /81.8;." %"L #C1! C"&L "&#H 86/2818?680 0 %"L J J H1 CJ "&U "&# ' "C%L H1 &! "! 4=223./2N 4: A 0 10 /81.0 H /H87 0 /9 /.0 9 =280 /24/4289 8: A 0 18/42Q / D?.0?8G 89 /.11D /81." N 0 "P41.18/42Q 83./> N 6 N 0 "P9 S 49 8S?Z /0 B?29 /1884/6Q 8: ; ?828.?8G 89 /.110? ? G H < 480 < 42.4/280 10? /0 ; /89 / /9 /.0.48: A 0 8?.8180?6. N 0 "P8?638: ;.10 /8=./?82810?0 8< 4;.0 O87 0 /9 /.17 0 /8289?82818.?68.1/28N / " 12/8 D7 18: A 0 / " 12/8 / " 12/8 / "

19 CLASSIFICAÇÃO DAS FONTES DE RECURSOS FONTES E USOS DE RECURSOS 19 "12/8 12/8 L J./2N 4: A D6.0 1 / / " 12/8 L $ / / " / " 12/8 L L *2G ; / " 12/8 / " 12/8 L ' 4/280./2N 4: A D "12/8 / " 12/8 %& /: ;. > 0 38 %! /: ;. 9 N 468/ ?/8682 %C %# G 6T W /38 %J /;.1. -, : A 0 : A 0 : A 0 : A 0 : A N 0 N 8 0 8N 0 N 8 0 8N 0 N 8 0 8N 0 N 8 0 8N 0 N 8

20 CLASSIFICAÇÃO DAS FONTES DE RECURSOS FONTES E USOS DE RECURSOS %$ /9 / :.0 : A 0 1. ' U 0 //4: ;.1.41N =8Q * Também chamada de Recursos Livres Observações: Aplicação de acordo com a proposta orçamentária para Manutenção - conjunto de operações que se realizam de modo contínuo e se destinam à manutenção e ao funcionamento de órgãos e entidades governamentais; Pessoal - despesas relacionadas aos compromissos com o vencimento e vantagens de pessoal; Ações do PPA - Projetos e/ou Atividades que concorram para expansão ou aperfeiçoamento da Ação do Governo; 0 8N 0 N 8 Operações Especiais - despesas que não contribuem para a manutenção das ações de governo, das quais não resulta um produto, e não geram a contraprestação direta sob a forma de bens ou serviços.

306 Cota-Parte do Imposto sobre Exportação de Produtos Industrializados Devida aos Municípios - exerc ant

306 Cota-Parte do Imposto sobre Exportação de Produtos Industrializados Devida aos Municípios - exerc ant ANEXO II - A CLASSIFICAÇÃO DAS S DE RECURSOS (ordenada Siplan) 00 (1) 100 (1) Recursos Ordinários não Vinculados do Tesouro 300 (1) Recursos Ordinários não Vinculados do Tesouro - exerc ant 01 (1) 100

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO. 01 100 Recursos Ordinários de Contrapartida de Convênios e Operações de Crédito

ESPECIFICAÇÃO. 01 100 Recursos Ordinários de Contrapartida de Convênios e Operações de Crédito ANEXO II - A CLASSIFICAÇÃO DAS FONTES DE RECURSOS ANO 2012 E 2013-2014 ORDENADO ANO 2012 00 100 Recursos Ordinários não Vinculados do Tesouro 00 300 Recursos Ordinários não Vinculados do Tesouro 01 100

Leia mais

CONFERÊNCIA DE ABERTURAS DA RECEITA, DESPESA E PROGRAMAÇÃO FINANCEIRA

CONFERÊNCIA DE ABERTURAS DA RECEITA, DESPESA E PROGRAMAÇÃO FINANCEIRA 1. Objetivo Estabelecer procedimentos para conferência das aberturas da receita, despesa e programação financeira, por meio das respectivas funcionalidades Abertura da Receita ABR, Abertura da Despesa

Leia mais

Demonstrativo de Funções, Subfunções e Programas por Projetos e Atividades - Anexo VII

Demonstrativo de Funções, Subfunções e Programas por Projetos e Atividades - Anexo VII 01 Legislativa 3.000.000 52.200.000 55.200.000 01031 Ação Legislativa 7.834.000 7.834.000 010310028 ATUAÇÃO LEGISLATIVA DA CÂMARA MUNICIPAL DE 7.834.000 7.834.000 01122 Administração Geral 3.000.000 38.140.000

Leia mais

A. ABERTURA DA DESPESA:...

A. ABERTURA DA DESPESA:... SUMÁRIO 1. Objetivo... 3 2. Procedimentos... 3 A. ABERTURA DA DESPESA:... 3 Centralizadora x Executora(s): validação do orçamento registrado na unidade centralizadora e nas unidades executoras (exclusivo

Leia mais

PORTARIA N o 42, DE 14 DE ABRIL DE 1999 (ATUALIZADA) (*) (Publicada no D.O.U. de 15.04.99)

PORTARIA N o 42, DE 14 DE ABRIL DE 1999 (ATUALIZADA) (*) (Publicada no D.O.U. de 15.04.99) PORTARIA N o 42, DE 14 DE ABRIL DE 1999 (ATUALIZADA) (*) (Publicada no D.O.U. de 15.04.99) Atualiza a discriminação da despesa por funções de que tratam o inciso I do 1 o do art. 2 o e 2 o do art. 8 o,

Leia mais

R$ 1,00 2012 2013 2014 2015 Total. VALORES PREVISTOS POR UNIDADE ORÇAMENTÁRIA R$ 1,00 2012 2013 2014 2015 Total Unidades Orçamentárias

R$ 1,00 2012 2013 2014 2015 Total. VALORES PREVISTOS POR UNIDADE ORÇAMENTÁRIA R$ 1,00 2012 2013 2014 2015 Total Unidades Orçamentárias PPA 212-215 PROGRAMA - 546 - Gestão, Manutenção e Serviços ao Estado Valor Global R$ 1, 2.888.542.769 2.993.951.96 3.133.467.663 3.281.47.521 12.297.369.859 ÓRGAO:1 - Assembleia Legislativa VALORES PREVISTOS

Leia mais

DETALHAMENTO DOS RECURSOS DO ORÇAMENTO GERAL DA UNIÃO

DETALHAMENTO DOS RECURSOS DO ORÇAMENTO GERAL DA UNIÃO DETALHAMENTO DOS RECURSOS DO ORÇAMENTO GERAL DA UNIÃO MODALIDADE NACIONAL (TODOS OS ESTADOS PODEM CAPTAR) EXERCÍCIO 2015 PORTO ALEGRE, 13 DE JULHO DE 2015 1 INTRODUÇÃO A seguir estão detalhadas as oportunidades

Leia mais

Código Especificação Fiscal Seg.Social Investimentos Total

Código Especificação Fiscal Seg.Social Investimentos Total 100 Fortalecimento da Atuação Legislativa 8.475.000 8.475.000 101 Fortalecimento do Controle Externo Estadual 80.649.880 80.649.880 102 Fortalecimento do Controle Externo Municipal 3.245.000 3.245.000

Leia mais

ESTADO DO AMAZONAS PREFEITURA MUNICIPAL DE MANAUS PODER EXECUTIVO

ESTADO DO AMAZONAS PREFEITURA MUNICIPAL DE MANAUS PODER EXECUTIVO QUADRO I - RECEITA ORÇAMENTÁRIA POR CATEGORIA E FONTE 1. RECEITAS CORRENTES 3.770.007.000 Receita Tributária 976.512.000 Receita de Contribuições 251.081.000 Receita Patrimonial 76.136.000 Receita de Serviços

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial 0352 Abastecimento Agroalimentar 22000 1049 Acesso à Alimentação 0351 Agricultura Familiar - PRONAF 1215 Alimentação Saudável 1016 Artesanato Brasileiro 28000 0135 Assentamentos Sustentáveis para Trabalhadores

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA

ESTADO DE SANTA CATARINA ESTADO DE SANTA CATARINA TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DIRETORIA DE CONTROLE DOS MUNICÍPIOS - DMU DESTINAÇÃO DA RECEITA PÚBLICA - APLICÁVEL PARA O EXERCÍCIO DE 2012 CODIFICAÇÃO UTILIZADA PARA CONTROLE DAS

Leia mais

PROGRAMA: 0553 - Atuação Legislativa da Câmara dos Deputados. PROGRAMA: 0551 - Atuação Legislativa do Senado Federal

PROGRAMA: 0553 - Atuação Legislativa da Câmara dos Deputados. PROGRAMA: 0551 - Atuação Legislativa do Senado Federal PROGRAMA: 0553 - Atuação Legislativa da Câmara dos Deputados 3.172.280 9.772.013 Despesas Correntes 2.964.653 9.031.347 Despesas de Capital 207.627 740.666 3.172.280 12.944.292 9.772.013 PROGRAMA: 0551

Leia mais

Anexo II - Programas de Gestão, Manutenção e Serviços ao Estado

Anexo II - Programas de Gestão, Manutenção e Serviços ao Estado Anexo II - Programas de Gestão, Manutenção e Serviços ao Estado PROGRAMA: 0553 - Atuação Legislativa da Câmara dos Deputados 3.185.780 9.806.513 Despesas Correntes 2.978.153 9.065.847 Despesas de Capital

Leia mais

8 - FONTES DE FINANCIAMENTO DAS DESPESAS DO ORÇAMENTO DA SEGURIDADE SOCIAL

8 - FONTES DE FINANCIAMENTO DAS DESPESAS DO ORÇAMENTO DA SEGURIDADE SOCIAL 8 - FONTES DE FINANCIAMENTO DAS DESPESAS DO ORÇAMENTO DA SEGURIDADE SOCIAL Fontes de Financiamento das Despesas do Orçamento da Seguridade Social Receitas Vinculadas (A) 261.219.912.063 1.1.2.1.17.00

Leia mais

Índice alcançado em 2004. Índice alcançado em 2005. Regionalização Valor Total 01/2001 12/2007. 1579 Aperfeiçoamento das Atividades e.

Índice alcançado em 2004. Índice alcançado em 2005. Regionalização Valor Total 01/2001 12/2007. 1579 Aperfeiçoamento das Atividades e. Relatório de Avaliação Plano Plurianual Programa 773 Gestão da Política de Administração Financeira e Contábil da União Responsável 25 Ministério da Fazenda (MF) Objetivo Públicoalvo Valores em, Contribuir

Leia mais

PROPOSTA DE PROGRAMAS E AÇÕES PARA O PNRH

PROPOSTA DE PROGRAMAS E AÇÕES PARA O PNRH PROPOSTA DE PROGRAMAS E AÇÕES PARA O PNRH Objetivo Geral PROPOR PROGRAMAS, AÇÕES E ESTRATÉGIAS, INTERSETORIAIS E INTERINSTITUCIONAIS, VISANDO ASSEGURAR O DESENVOLVIMENTO INTEGRADO E SUSTENTÁVEL DOS USOS

Leia mais

COMUNICADO SEGES Nº 02 Servidores públicos federais cada vez mais qualificados

COMUNICADO SEGES Nº 02 Servidores públicos federais cada vez mais qualificados COMUNICADO SEGES Nº 02 Servidores públicos federais cada vez mais qualificados Outubro de 2009 Brasília - DF MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Gestão - SEGES COMUNICADO SEGES

Leia mais

Curso: Administração Disciplina: Administração Pública Prof: Carlos Henrique CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL -PROGRAMÁTICA

Curso: Administração Disciplina: Administração Pública Prof: Carlos Henrique CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL -PROGRAMÁTICA 1 Curso: Administração Disciplina: Administração Pública 6º Semestre Prof: Carlos Henrique CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL -PROGRAMÁTICA Na verdade, o que existe é a junção de duas classificações distintas: a

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CASTELO - ES CONSOLIDADO ESPÍRITO SANTO 27.165

PREFEITURA MUNICIPAL DE CASTELO - ES CONSOLIDADO ESPÍRITO SANTO 27.165 001 - CÂMARA MUNICIPAL DE CASTELO 001 - CÂMARA MUNICIPAL DE CASTELO 01 Legislativa 2.410.000,00 450.000,00 2.860.000,00 01031 Ação Legislativa 2.410.000,00 450.000,00 2.860.000,00 010310001 APOIO ADMINISTRATIVO

Leia mais

As mensagens de erro são representadas por um código seguido da descrição do erro encontrado. Abaixo segue a estrutura do código de erro:

As mensagens de erro são representadas por um código seguido da descrição do erro encontrado. Abaixo segue a estrutura do código de erro: Anexo I - Regras de Validação DCA 2014 O presente anexo possui o objetivo de apresentar a estrutura das mensagens de erros emitidas quando o sistema encontra alguma inconsistência na validação das fórmulas

Leia mais

CONFERÊNCIAS NACIONAIS REALIZADAS (1941-2009)

CONFERÊNCIAS NACIONAIS REALIZADAS (1941-2009) 1 CONFERÊNCIA NACIONAL DE JUVENTUDE 1.1 1ª Conferência Nacional de Juventude Secretaria-Geral da Presidência da República Brasília-DF 27 a 30/04/2008 SIM SIM SIM 2 CONFERÊNCIA DE GAYS, LÉSBICAS,BISSEXUAIS,

Leia mais

Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2014

Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2014 Programa 0901 - Operações Especiais: Cumprimento de Sentenças Judiciais Número de Ações 227 Ação Orçamentária - Padronizada da União 0005 - Cumprimento de Sentença Judicial Transitada em Julgado (Precatórios)

Leia mais

CONFERÊNCIAS NACIONAIS REALIZADAS (1941-2009)

CONFERÊNCIAS NACIONAIS REALIZADAS (1941-2009) Secretaria-Geral da Presidência da República Secretaria Nacional de Articulação Social 1 CONFERÊNCIA NACIONAL DE JUVENTUDE 1.1 1ª Conferência Nacional de Juventude 2 2.1 CONFERÊNCIA DE GAYS, LÉSBICAS,BISSEXUAIS,

Leia mais

Plano Plurianual DESENVOLVIMENTO, PRODUTIVIDADE E INCLUSÃO SOCIAL ANEXO II

Plano Plurianual DESENVOLVIMENTO, PRODUTIVIDADE E INCLUSÃO SOCIAL ANEXO II Plano Plurianual 216 219 DESENVOLVIMENTO, PRODUTIVIDADE E INCLUSÃO SOCIAL ANEXO II PROGRAMA: 21 - Aprimoramento do Ministério Público Orçamentos Fiscal e da Seguridade Social 82.71 268.863 Despesas Correntes

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CASTELO CONSOLIDADO ESPÍRITO SANTO 27.165

PREFEITURA MUNICIPAL DE CASTELO CONSOLIDADO ESPÍRITO SANTO 27.165 001 - CÂMARA MUNICIPAL DE CASTELO 001 - CÂMARA MUNICIPAL DE CASTELO 01 Legislativa 1.405.502,77 1.405.502,77 01031 Ação Legislativa 1.405.502,77 1.405.502,77 010310001 APOIO ADMINISTRATIVO DA CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

PLANO PLURIANUAL DE AÇÃO GOVERNAMENTAL 2012-2015 RELAÇÃO DE PROGRAMAS SOCIAIS (Inciso I do art. 12 da Lei n.º 20.024, de 9 de janeiro de 2012)

PLANO PLURIANUAL DE AÇÃO GOVERNAMENTAL 2012-2015 RELAÇÃO DE PROGRAMAS SOCIAIS (Inciso I do art. 12 da Lei n.º 20.024, de 9 de janeiro de 2012) ADMINISTRAÇÃO DE ESTÁDIOS DO ESTADO DE MINAS GERAIS 181 GERENCIAMENTO DE ESTÁDIOS E PROMOÇÃO DE EVENTOS ESPORTIVOS, RELIGIOSOS E SOCIO-CULTURAIS AGÊNCIA REGULADORA DE SERVIÇOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA

Leia mais

RECEITA SEGUNDO AS CATEGORIAS ECONÔMICAS

RECEITA SEGUNDO AS CATEGORIAS ECONÔMICAS 10000000 11000000 11100000 11120000 11120200 11120400 11120431 11120434 11120800 11130000 11130500 11130501 11130502 11130503 11130504 11130505 11130506 11200000 11210000 11212500 11212501 11212502 11212600

Leia mais

ministério da MinC Ministério da Cultura Quantidade de Pedidos: 968 Média mensal de pedidos: 80,67

ministério da MinC Ministério da Cultura Quantidade de Pedidos: 968 Média mensal de pedidos: 80,67 Relatório de de Acesso à Informação e Solicitantes (*) Informações adicionais para o correto entendimento do relatório podem ser encontradas na última seção. Órgão(s) de referência ministério da MinC Ministério

Leia mais

Anexo I Programas de Governo

Anexo I Programas de Governo 2 ISSN 6777042 Nº 28, quintafeira, 8 de fevereiro de 2007 Anexo I Programas de Governo Nº 28, quintafeira, 8 de fevereiro de 2007 ISSN 6777042 3 Plano Plurianual 20042007 Anexo I Programas de Governo Megaobjetivo:

Leia mais

Relatório de Avaliação do PPA 2012-2015

Relatório de Avaliação do PPA 2012-2015 Relatório de Avaliação do PPA 2012-2015 2014, ano base 2013 Dimensão Estratégica (vol. 1) e Programas Temáticos (vol. 2) Resumo do preenchimento Esther Bemerguy de Albuquerque Secretária de Planejamento

Leia mais

RELATÓRIO APRESENTADO

RELATÓRIO APRESENTADO CONGRESSO NACIONAL COMISSÃO MISTA DE PLANOS, ORÇAMENTOS PÚBLICOS E FISCALIZAÇÃO PROJETO DE LEI DE REVISÃO DO PLANO PLURIANUAL PARA 2004-2007 (Projeto de Lei nº 41/2005-CN) RELATÓRIO APRESENTADO SUBSTITUTIVO

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE LEI N. 1.522, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2003 Estima a Receita, fixa a Despesa do Estado para o exercício financeiro de 2004 e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE seguinte Lei: FAÇO SABER

Leia mais

R E C E I T A G E R A L RECURSOS DE TODAS AS FONTES

R E C E I T A G E R A L RECURSOS DE TODAS AS FONTES TESOURO OUTRAS FONTES T O T A L ----------------------------------------------------------------------------------------------------- CÓDIGO E S P E C I F I C A Ç Ã O RECURSOS OUTROS TOTAL RECURSOS OUTROS

Leia mais

Demonstrativo das Receitas Diretamente Arrecadadas por Órgão/Unidade Orçamentária

Demonstrativo das Receitas Diretamente Arrecadadas por Órgão/Unidade Orçamentária Demonstrativo das Receitas Diretamente Arrecadadas por Órgão/Unidade Orçamentária 01. 000 Câmara dos Deputados 1.462.885 1.388.134 74.751 01. 901 Fundo Rotativo da Câmara dos Deputados 1.462.885 1.388.134

Leia mais

Objetivos Consolidar uma política garantidora de direitos Reduzir ainda mais a desigualdade social

Objetivos Consolidar uma política garantidora de direitos Reduzir ainda mais a desigualdade social AGENDA SOCIAL AGENDA SOCIAL Estamos lutando por um Brasil sem pobreza, sem privilégios, sem discriminações. Um país de oportunidades para todos. A melhor forma para um país crescer é fazer que cada vez

Leia mais

Brasil. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Secretaria de Orçamento Federal. Orçamentos da União exercício financeiro 2016:

Brasil. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Secretaria de Orçamento Federal. Orçamentos da União exercício financeiro 2016: Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal - SOF SEPN 516, Bloco "D" Lote 08 70770-524 - Brasília, DF Telefone: (61) 2020 2000 Brasil. Ministério do Planejamento, Orçamento

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS PARA ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE GOVERNO

DIRETRIZES GERAIS PARA ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE GOVERNO DIRETRIZES GERAIS PARA ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE GOVERNO POR UM CEARÁ MELHOR PRA TODOS A COLIGAÇÃO POR UM CEARA MELHOR PRA TODOS, com o objetivo de atender à Legislação Eleitoral e de expressar os compromissos

Leia mais

"XI - custo médio por beneficiário, por unidade orçamentária, por órgão e por Poder, dos gastos com: a) assistência médica e odontológica;"

XI - custo médio por beneficiário, por unidade orçamentária, por órgão e por Poder, dos gastos com: a) assistência médica e odontológica; Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal ASSISTÊNCIA MÉDICA E ODONTOLÓGICA AOS SERVIDORES, EMPREGADOS E SEUS DEPENDENTES Lei nº 10.707, de 30 de julho de 2003, Inciso

Leia mais

GOVERNO FEDERAL INSTITUIÇÃO/ÓRGÃO FEDERAL TELEFONE E-MAIL Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos - APEXBrasil

GOVERNO FEDERAL INSTITUIÇÃO/ÓRGÃO FEDERAL TELEFONE E-MAIL Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos - APEXBrasil GOVERNO FEDERAL INSTITUIÇÃO/ÓRGÃO FEDERAL TELEFONE E-MAIL Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos - APEXBrasil (61) 3426-0202 presidencia@apexbrasil.com.br Banco Central do Brasil

Leia mais

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Fazenda Contadoria Geral do Estado

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Fazenda Contadoria Geral do Estado 11120431 Imposto de Renda Retido nas Fontes sobre os Rendimentos do Trabalho 00 2.885.556.099,44 11120434 Imposto de Renda Retido nas Fontes sobre outros Rendimentos 00 205.497.947,46 11120501 Cota-Parte

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CUIABÁ SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO E FINANÇAS LOA - LEI ORÇAMENTÁRIA ANUAL - 2014

PREFEITURA MUNICIPAL DE CUIABÁ SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO E FINANÇAS LOA - LEI ORÇAMENTÁRIA ANUAL - 2014 01101 - CÂMARA MUNICIPAL DE CUIABÁ 01 - LEGISLATIVA 031 - Ação Legislativa 0001 - ATUAÇÃO LEGISLATIVA DA CÂMARA MUNICIPAL 2001 - Manutenção e Conservação de Bens Imóveis 37.602.000 37.602.000 37.602.000

Leia mais

ESTADO MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE VARZEA GRANDE

ESTADO MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE VARZEA GRANDE PREFEITURA MUNICIPAL DE VARZEA GRANDE 01 Legislativa 805.000,00 9.050.603,94 9.855.603,94 01.031 Ação Legislativa 01.031.0001 Gestão Legislativa 805.000,00 9.050.603,94 9.855.603,94 805.000,00 9.050.603,94

Leia mais

ANEXO IX - DEMONSTRATIVO VII METAS E PRIORIDADES - COMPATIBILIZAÇÃO DA LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS COM O PLANO PLURIANUAL

ANEXO IX - DEMONSTRATIVO VII METAS E PRIORIDADES - COMPATIBILIZAÇÃO DA LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS COM O PLANO PLURIANUAL METAS E PRIORIDADES - COMPATIBILIZ DA LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS COM O PLANO PLURIANUAL TÍTULO PRODUTO TIPO DE META 2013 2001 Administração Legislativa Serviços Realizados ORÇAMENTÁRIA 95% 0001 GESTÃO

Leia mais

ORÇAMENTOS DA UNIÃO EXERCÍCIO FINANCEIRO 2015

ORÇAMENTOS DA UNIÃO EXERCÍCIO FINANCEIRO 2015 REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE ORÇAMENTO FEDERAL ORÇAMENTOS DA UNIÃO EXERCÍCIO FINANCEIRO 2015 PROJETO DE LEI ORÇAMENTÁRIA VOLUME II Consolidação

Leia mais

EXPOSIÇÕES DE MOTIVOS DO CONSEA CONSULTORIA CAISAN

EXPOSIÇÕES DE MOTIVOS DO CONSEA CONSULTORIA CAISAN EXPOSIÇÕES DE MOTIVOS DO CONSEA CONSULTORIA CAISAN OBJETO DA CONSULTORIA Produtos: Sistematizar as Exposições de Motivos emitidas pelo CONSEA desde 2003 Subsidiar a construção de respostas para as Exposições

Leia mais

Abastecimento Agroalimentar TOTAL: 19.423.105.939

Abastecimento Agroalimentar TOTAL: 19.423.105.939 Plano Plurianual 24-27 Megaobjetivo: Inclusão social e redução das desigualdades sociais Desafio: Combater a fome visando a sua erradicação e promover a segurança alimentar e nutricional, garantindo o

Leia mais

o Povo do.município de Fruta de Leite, por seus representantes

o Povo do.município de Fruta de Leite, por seus representantes Projeto de Lei N.o Çl1- /2015 "Estima a Receita e Fixa a Despesa do Município de Fruta de Leite para o Exercício Financeiro de 2016 e dá outras Providências". o Povo do.município de Fruta de Leite, por

Leia mais

Anexo 07. Demonstrativo da Despesa do Estado Discriminada a Nível de Programa

Anexo 07. Demonstrativo da Despesa do Estado Discriminada a Nível de Programa Anexo 07 Demonstrativo da Despesa do Estado Discriminada a Nível de Programa DEMONSTRATIVO DA DESPESA DO ESTADO DISCRIMINADA A NIVEL DE PROGRAMA ANEXO 07 DA LEI 4.320/64 FOLHA: 1 01 LEGISLATIVA 1.052.751,74

Leia mais

Monitoramento e assessoria técnica para ações de saneamento básico.

Monitoramento e assessoria técnica para ações de saneamento básico. Monitoramento e assessoria técnica para ações de saneamento básico. EIXO1: Monitoramento de possibilidades de captação de convênios para melhoria nos serviços e infraestruturas de saneamento básico. PRODUTO

Leia mais

Prefeitura Municipal de AJURICABA LDO - Lei de Diretrizes Orçamentárias - 2016 Anexo V - Meta Fiscal da Despesa - Rol de Programas

Prefeitura Municipal de AJURICABA LDO - Lei de Diretrizes Orçamentárias - 2016 Anexo V - Meta Fiscal da Despesa - Rol de Programas Página: 1 0000 OPERAÇÕES ESPECIAIS 101 Restituição de Recursos 4.000,00 5.000,00 6.000,00 201 Contribuição PASEP 290.000,00 300.000,00 310.000,00 301 Sentenças Judiciais e Precatórios 6.000,00 8.000,00

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Programa Nacional de Extensão Universitária PROEXT Programa Mais Cultura nas Universidades

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Programa Nacional de Extensão Universitária PROEXT Programa Mais Cultura nas Universidades MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Programa Nacional de Extensão Universitária PROEXT Programa Mais Cultura nas Universidades Gramado, RS 21/05/2015 PROEXT Legislação Decreto n 6.495, de 30/06/08 Institui o PROEXT

Leia mais

Síntese do planejamento do Governo Federal para a Copa do Mundo 2014 Brasília, Setembro de 2012

Síntese do planejamento do Governo Federal para a Copa do Mundo 2014 Brasília, Setembro de 2012 Code-P0 Síntese do planejamento do Governo Federal para a Copa do Mundo 2014 Brasília, Setembro de 2012 Code-P1 O Brasil recebe os grandes eventos esportivos em um contexto favorável COPA OLIMPÍADAS Brasil

Leia mais

Balancete Financeiro - RECEITA

Balancete Financeiro - RECEITA Balancete Financeiro Pagina 1/6 RECEITAS ORÇAMENTÁRIAS 1.0.0.0.00.00.00.00 RECEITAS CORRENTES 5.554.843,81 55.865.864,51 1.1.0.0.00.00.00.00 RECEITA TRIBUTÁRIA 596.903,38 5.277.172,60 1.1.1.0.00.00.00.00

Leia mais

20114 Advocacia-Geral da União. Apoio às Políticas Públicas e Áreas Especiais 0580 Defesa Jurídica da União. 92000 Atividades Padronizadas

20114 Advocacia-Geral da União. Apoio às Políticas Públicas e Áreas Especiais 0580 Defesa Jurídica da União. 92000 Atividades Padronizadas Anexo III - s Responsáveis por s 20114 Advocacia-Geral da União 0580 Defesa Jurídica da União 92000 Atividades Padronizadas 0750 Apoio Administrativo 0807 Investimento das Empresas Estatais em Infra-Estrutura

Leia mais

BAIXO ARAGUAIA PORTAL DA AMAZÔNIA BAIXADA CUIABANA NOROESTE

BAIXO ARAGUAIA PORTAL DA AMAZÔNIA BAIXADA CUIABANA NOROESTE BAIXO ARAGUAIA PORTAL DA AMAZÔNIA BAIXADA CUIABANA NOROESTE APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA TERRITÓRIOS RIOS DA CIDADANIA Objetivos Os Territórios TERRITÓRIOS RIOS Os Territórios Rurais se caracterizam por: conjunto

Leia mais

PROJETO DE LEI ORÇAMENTÁRIA PARA 2007

PROJETO DE LEI ORÇAMENTÁRIA PARA 2007 Secretaria de Orçamento Federal - SOF Assessoria de Consolidação - ASCON PROJETO DE LEI ORÇAMENTÁRIA PARA 2007 No Estado do Rio de (RJ) Ministério da Ciência e Tecnologia 0 23.384 23.384 Implantação de

Leia mais

Câmara Municipal de Uberaba Sua Confiança. Nosso Trabalho. LEI N.º 9.623

Câmara Municipal de Uberaba Sua Confiança. Nosso Trabalho. LEI N.º 9.623 Sua Confiança. Nosso Trabalho. LEI N.º 9.623 Estima a receita e fixa a despesa do Município de Uberaba para o exercício de 2005, e contém outras disposições. O Povo do Município de Uberaba, Estado de Minas

Leia mais

Prefeitura Municipal de Ibertioga Balancete Financeiro (Consolidado) Página 1 Período: 01/08/2011 a 31/08/2011 18/10/2011 10:03:48

Prefeitura Municipal de Ibertioga Balancete Financeiro (Consolidado) Página 1 Período: 01/08/2011 a 31/08/2011 18/10/2011 10:03:48 Prefeitura Municipal de Ibertioga Balancete Financeiro (Consolidado) Página 1 ORCAMENTARIAS 1 Receitas Correntes 871.896,14 7.105.194,18 11 Receita Tributária 15.190,79 116.474,16 111 Impostos 14.948,39

Leia mais

01. Câmara Municipal. 02. Secretaria Municipal de Governo. 03. Gabinete do Vice-Prefeito. 04. Procuradoria Geral do Município

01. Câmara Municipal. 02. Secretaria Municipal de Governo. 03. Gabinete do Vice-Prefeito. 04. Procuradoria Geral do Município Estrutura Administrativa e Principais 01. Câmara Municipal - Lei Orgânica do Município de Teresina, de 05 de abril de 1991. - Votar o Orçamento Anual e o Plano Plurianual, bem como autorizar abertura de

Leia mais

Agência Nacional de Vigilância Sanitária

Agência Nacional de Vigilância Sanitária Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA n 49/13 Esta resolução tem por objetivo aplicar no âmbito da vigilância sanitária as diretrizes e os objetivos do Decreto nº 7.492,

Leia mais

AGENDA DE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE COPA 2014

AGENDA DE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE COPA 2014 Code-P0 AGENDA DE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE COPA 2014 Agenda de Trabalho Junho 2011 Claudio Langone Code-P1 OPORTUNIDADE PARA O BRASIL 2011 - Jogos Militares Mundiais 2012 - RIO + 20 - Cúpula das

Leia mais

PODER EXECUTIVO - PROGRAMAS ESTRUTURADORES PLANO PLURIANUAL - 2010/2013 - Lei 6.716, de 22 de dezembro de 2010.

PODER EXECUTIVO - PROGRAMAS ESTRUTURADORES PLANO PLURIANUAL - 2010/2013 - Lei 6.716, de 22 de dezembro de 2010. 2001 Administração Legislativa Serviços Realizados Percentual 95% 0001 GESTÃO LEGISLATIVA E CIDADANIA 2002 Processamento Legislativo Ações Realizadas Percentual 95% 2003 Modernização Administrativa Gestão

Leia mais

Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias 2016 e Programação Orçamentária 2015. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão

Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias 2016 e Programação Orçamentária 2015. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias 2016 e Programação Orçamentária 2015 Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão 2015 1 Cenário Macroeconômico Revisto 2015 2016 2017 2018 PIB (crescimento

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO INSTITUCIONAL - 2015 (POSIÇÃO EM 22/07/15 - ÓRGÃOS / UNIDADES ORÇAMENTÁRIAS)

CLASSIFICAÇÃO INSTITUCIONAL - 2015 (POSIÇÃO EM 22/07/15 - ÓRGÃOS / UNIDADES ORÇAMENTÁRIAS) CLASSIFICAÇÃO INSTITUCIONAL - 2015 (POSIÇÃO EM 22/07/15 - ÓRGÃOS / UNIDADES ORÇAMENTÁRIAS) 01000 - ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO 01001 - Assembléia Legislativa do Estado 02000 - TRIBUNAL DE CONTAS DO

Leia mais

Desenvolvimento da Agricultura Irrigada no Brasil, sob Cenários Sustentáveis (PCT BRA/IICA/08/002)

Desenvolvimento da Agricultura Irrigada no Brasil, sob Cenários Sustentáveis (PCT BRA/IICA/08/002) Desenvolvimento da Agricultura Irrigada no Brasil, sob Cenários Sustentáveis (PCT BRA/IICA/08/002) Data do Início: 01/01/2008 Data do Término: 31/12/2011 Valor: R$ 21.000.000,00 Objetivo: Desenvolvimento

Leia mais

CONSIGNADO PÚBLICO ADVOCACIA GERAL DA UNIÃO AGENCIA BRASILEIRA DE INTELIGÊNCIA ABIN AGENCIA NACIONAL DE ÁGUAS ANA AGENCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL

CONSIGNADO PÚBLICO ADVOCACIA GERAL DA UNIÃO AGENCIA BRASILEIRA DE INTELIGÊNCIA ABIN AGENCIA NACIONAL DE ÁGUAS ANA AGENCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL CONSIGNADO PÚBLICO ADVOCACIA GERAL DA UNIÃO AGENCIA BRASILEIRA DE INTELIGÊNCIA ABIN AGENCIA NACIONAL DE ÁGUAS ANA AGENCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL AGENCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA AGENCIA NACIONAL

Leia mais

MANUAL DE ORÇAMENTO PÚBLICO _ MOP

MANUAL DE ORÇAMENTO PÚBLICO _ MOP Superintendência de Orçamento Público MANUAL DE ORÇAMENTO PÚBLICO _ MOP ANEXO I _ CLASSIFICAÇÃO INSTITUCIONAL Versão 2011 1 ANEXO I CLASSIFICAÇÃO INSTITUCIONAL ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ESTADUAL 01.00.000

Leia mais

PORTARIA N o 21 DE 28 DE JULHO DE 2006 (publicada no DOU de 01/08/2006, seção I, página 77)

PORTARIA N o 21 DE 28 DE JULHO DE 2006 (publicada no DOU de 01/08/2006, seção I, página 77) PORTARIA N o 21 DE 28 DE JULHO DE 2006 (publicada no DOU de 01/08/2006, seção I, página 77) Dispõe sobre a classificação orçamentária por natureza de receita para aplicação no âmbito da União. O SECRETÁRIO

Leia mais

Financiamento e gasto da Política Social brasileira Brasil

Financiamento e gasto da Política Social brasileira Brasil Financiamento e gasto da Política Social brasileira Brasil Jorge Abrahão de Castro Diretor da Diretoria de Estudos e Políticas Sociais (Disoc) do IPEA Brasília, 21 de outubro de 2011 POLÍTICAS SETORIAIS

Leia mais

Governo Municipal de Rondon do Pará ORÇAMENTO PROGRAMA PARA 2014 - Consolidado DEMONSTRATIVO DA LEGISLAÇÃO DA RECEITA

Governo Municipal de Rondon do Pará ORÇAMENTO PROGRAMA PARA 2014 - Consolidado DEMONSTRATIVO DA LEGISLAÇÃO DA RECEITA Governo Municipal de Rondon do Pará ORÇAMENTO PROGRAMA PARA 2014 - Consolidado DEMONSTRATIVO DA LEGISLAÇÃO DA RECEITA MESTRE 1000.00.00.00.00 Receitas Correntes 1100.00.00.00.00 Receita Tributária 1110.00.00.00.00

Leia mais

Congresso Nacional Setembro/2013. Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira Câmara dos Deputados

Congresso Nacional Setembro/2013. Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira Câmara dos Deputados Congresso Nacional Setembro/2013 Informativo Conjunto PLOA 2014 Principais elementos característicos do Projeto de Lei Orçamentária para 2014 PL nº 09/2013-CN, encaminhado por intermédio da Mensagem nº

Leia mais

ESTADO DO TOCANTINS PAG.: 1 SECRETARIA DO PLANEJAMENTO E ORCAMENTO EXERCICIO: 2016 SIOR - SISTEMA ORCAMENTARIO R$ 1,00

ESTADO DO TOCANTINS PAG.: 1 SECRETARIA DO PLANEJAMENTO E ORCAMENTO EXERCICIO: 2016 SIOR - SISTEMA ORCAMENTARIO R$ 1,00 ESTADO DO TOCANTINS PAG.: 1 01 ASSEMBLEIA LEGISLATIVA 010 ASSEMBLEIA LEGISLATIVA 0100 RECURSOS ORDINARIOS - ADMINISTRACAO DIRETA 219.950.000 127.037.708 80.070.039 12.842.253 TOTAL ==> 219.950.000 127.037.708

Leia mais

Receita Orçamentária: conceitos, codificação e classificação 1

Receita Orçamentária: conceitos, codificação e classificação 1 Receita Orçamentária: conceitos, codificação e classificação 1 Para melhor identificação dos ingressos de recursos aos cofres públicos, as receitas são codificadas e desmembradas nos seguintes níveis:

Leia mais

Programa Arca das Letras

Programa Arca das Letras Programas Federais Programa Arca das Letras Objetivo: Incentivar a leitura e facilitar o acesso aos livros em assentamentos e comunidades de agricultura familiar e de remanescentes de quilombos. Ministério

Leia mais

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE SUMARÉ

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE SUMARÉ LEI Nº 5456, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2012. Estima a receita e fixa a despesa do Município de Sumaré para o exercício financeiro de 2013, e dá outras providências.- O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE SUMARÉ seguinte

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VARGEM BONITA - M.G Livro Nº 18 Folha Nº 015

PREFEITURA MUNICIPAL DE VARGEM BONITA - M.G Livro Nº 18 Folha Nº 015 Folha Nº 015 LEI Nº. 1.058/2014 ESTIMA A RECEITA E FIXA A DESPESA DO MUNICÍPIO PARA O EXERCÍCIO DE 2015 O Prefeito do Município: Faço saber que a Câmara Municipal de Vargem Bonita aprovou e eu sanciono

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZEIRO DO SUL PPA 2010/2013 CLASSIFICAÇÃO DOS PROGRAMAS E AÇÕES POR FUNÇÃO E SUBFUNÇÃO SUBFUNÇÃO PROGRAMA AÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZEIRO DO SUL PPA 2010/2013 CLASSIFICAÇÃO DOS PROGRAMAS E AÇÕES POR FUNÇÃO E SUBFUNÇÃO SUBFUNÇÃO PROGRAMA AÇÃO FUNÇÃO: 01 - LEGISLATIVA 031 Ação Legislativa 0001 - Execução da Ação Legislativa Manutenção das Atividades Legislativas FUNÇÃO: 02 - JUDICIÁRIA 122 Administração Geral 0006 - Defesa Jurídica do Município

Leia mais

Estado de Mato Grosso Lei Orçamentária Anual Exercicio 2012 RECURSOS DO TESOURO

Estado de Mato Grosso Lei Orçamentária Anual Exercicio 2012 RECURSOS DO TESOURO RECURSOS DO TESOURO FISCAL + SEGURIDADE 100 Recursos Ordinários do Tesouro Estadual 4.022.014.750,00 101 Recursos de Incentivos Concedidos Relativos à Indústria, Comércio e Correlatos 42.292.334,00 103

Leia mais

FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE DE LONDRINA

FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE DE LONDRINA FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE DE LONDRINA LEGISLAÇÃO: Leis Municipais nº 1.639 de 24/03/1970, nº 2.811 de 13/10/1977, nº 4.897 de 17/12/1991, nº 4.911 de 27/12/1991, nº 6.236 de 13/07/1995, nº 8.445 de 04/07/2001e

Leia mais

Detalhamento da Receita

Detalhamento da Receita Detalha da Receita 1.0.0.0.00.00 RECEITAS CORRENTES 7.987.325.00 1.1.0.0.00.00 RECEITA TRIBUTÁRIA 1.1.1.0.00.00 IMPOSTOS 425.500.00 1.1.1.2.00.00 Impostos sobre o Patrimônio e a Renda 1.1.1.2.02.00 Imposto

Leia mais

Prefeitura Municipal de Santa Vitória

Prefeitura Municipal de Santa Vitória Estado de Minas Gerais 000 - CONSOLIDADO Período: 01-02-2015 a 28-02-2015 01021 25-03-2015 10:43:32 1.0.0.0.00.00.00 Receitas Correntes 104.781.529,32 7.967.161,22 17.057.545,28 1.1.0.0.00.00.00 Receita

Leia mais

Presidência da República Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial Secretaria de Políticas para Comunidades Tradicionais

Presidência da República Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial Secretaria de Políticas para Comunidades Tradicionais Presidência da República Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial Secretaria de Políticas para Comunidades Tradicionais Equipe Técnica Cristiana dos Santos Luiz Cecília Bezerra Sousa Dênis

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 172, de 27 de MAIO de 2015. O MINISTRO DE ESTADO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO, no uso das atribuições que lhe confere

Leia mais

3.2.4 PUBLICIDADE E PROPAGANDA

3.2.4 PUBLICIDADE E PROPAGANDA TRIBUNAL DE CONTA DO DITRITO FEDERAL 3.2.4 PUBLICIDADE E PROPAGANDA As despesas relativas à atividade 8505 Publicidade e Propaganda, nos OF, totalizaram R$ 98,1 milhões, conforme discriminado a seguir.

Leia mais

II - Locação de Imóveis: a) 33903615 - Locação de Imóveis b) 33903910 - Locação de Imóveis

II - Locação de Imóveis: a) 33903615 - Locação de Imóveis b) 33903910 - Locação de Imóveis PORTARIA N o 172, DE 27 DE MAIO DE 2015 O MINISTRO DE ESTADO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO, no uso das atribuições que lhe confere o inciso II do Parágrafo único do art. 87, da Constituição Federal,

Leia mais

Fórum AECIs. fevereiro/2015

Fórum AECIs. fevereiro/2015 Fórum AECIs fevereiro/2015 Pauta Diretrizes do modelo de prestação de contas Contas da administração direta dos ministérios Papel das secretarias-executivas No Sistema de Prestação de Contas (e-contas)

Leia mais

Receita Orçamentária: Conceitos, codificação e classificação 1

Receita Orçamentária: Conceitos, codificação e classificação 1 Para mais informações, acesse o Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público, Parte I Procedimentos Contábeis Orçamentários, 5ª edição. https://www.tesouro.fazenda.gov.br/images/arquivos/artigos/parte_i_-_pco.pdf

Leia mais

EIXO 3 ADMINISTRÇÃO PÚBLICA. D 3.4 Planejamento e Gestão Orçamentária e Financeira (24h) Professor: James Giacomoni. Aula 5

EIXO 3 ADMINISTRÇÃO PÚBLICA. D 3.4 Planejamento e Gestão Orçamentária e Financeira (24h) Professor: James Giacomoni. Aula 5 EIXO 3 ADMINISTRÇÃO PÚBLICA D 3.4 Planejamento e Gestão Orçamentária e Financeira (24h) Professor: James Giacomoni Aula 5 17 a 19, 21 a 25, 28 e 29 de novembro de 2011 Classificações orçamentárias Despesa

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PRESIDENTE KUBITSCHEK Estado de Minas Gerais MENSAGEM Nº

PREFEITURA MUNICIPAL DE PRESIDENTE KUBITSCHEK Estado de Minas Gerais MENSAGEM Nº MENSAGEM Nº Senhores membros da Câmara Municipal, Submeto à elevada deliberação de V. Exªs. o texto do projeto de lei que institui o Plano Plurianual para o período de 2002 a 2005. Este projeto foi elaborado

Leia mais

Departamento de Geração de Renda e

Departamento de Geração de Renda e Departamento de Geração de Renda e Agregação de Valor - DGRAV ESTRUTURA DO MDA Gabinete do Ministro Secretaria Executiva Secretaria da Agricultura Familiar SAF Secretaria de Reordenamento Agrário - SRA

Leia mais

Consolidado Orçamento Fiscal - Adendo VI Anexo 7, da Lei nº 4320, de 17/03/64. (Portaria SOF nº 8, de 04/02/85) Em R$ 1,00

Consolidado Orçamento Fiscal - Adendo VI Anexo 7, da Lei nº 4320, de 17/03/64. (Portaria SOF nº 8, de 04/02/85) Em R$ 1,00 Governo Municipal de Castanhal ORÇAMENTO PROGRAMA PARA 2015 Consolidado Orçamento Fiscal - Adendo VI Anexo 7, da Lei nº 4320, de 17/03/64. (Portaria SOF nº 8, de 04/02/85) Em R$ 1,00 PROGRAMA DE TRABALHO

Leia mais

Área Técnica: Equipe responsável pelo SIOPS Área de Economia da Saúde e Desenvolvimento Secretaria Executiva Ministério da Saúde.

Área Técnica: Equipe responsável pelo SIOPS Área de Economia da Saúde e Desenvolvimento Secretaria Executiva Ministério da Saúde. Assunto: Composição dos indicadores estaduais calculados automaticamente pelo SIOPS, após a declaração de dados contábeis, pelos Estados e pelo DF, a partir do SIOPS 2007 semestral. Área Técnica: Equipe

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE SÃO BENEDITO, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal, aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

O PREFEITO MUNICIPAL DE SÃO BENEDITO, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal, aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: LEI ORDINÁRIA Nº 929/2015, DE 09 DE FEVEREIRO DE 2015 Altera a Lei Municipal nº 922/2014 e seu anexo e dá outras providencias. O PREFEITO MUNICIPAL DE SÃO BENEDITO, no uso de suas atribuições legais, faz

Leia mais

Código Especificação Fiscal Seg.Social Investimentos Total

Código Especificação Fiscal Seg.Social Investimentos Total 100 Fortalecimento da Atuação Legislativa 15.020.000 15.020.000 101 Fortalecimento do Controle Externo Estadual 67.755.000 67.755.000 102 Fortalecimento do Controle Externo Municipal 3.784.000 3.784.000

Leia mais

MUNICIPIO DE MIMOSO DO SUL PREFEITURA E FMS ESPIRITO SANTO 27.174.119/0001-37 BALANCETE ANALÍTICO DA RECEITA ORÇAMENTÁRIA JULHO DE 2014 Arrecadação

MUNICIPIO DE MIMOSO DO SUL PREFEITURA E FMS ESPIRITO SANTO 27.174.119/0001-37 BALANCETE ANALÍTICO DA RECEITA ORÇAMENTÁRIA JULHO DE 2014 Arrecadação 11120200000 - IMPOSTO SOBRE A PROPRIEDADE PREDIAL E TERRITORIAL URBANA 320.000,00 37.605,75 336.345,12 16.345,12 11120431000 - IMPOSTO DE RENDA RETIDO NAS FONTES SOBRE OS REND. DO TRABALHO 143.000,00 71.571,96

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N o 13/2014 Aprova o Orçamento Interno da Universidade Federal da Paraíba, para o exercício financeiro de 2014.

Leia mais

Orçamento ANEXO III ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO DAS EMPRESAS CONTROLADAS PELO ESTADO

Orçamento ANEXO III ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO DAS EMPRESAS CONTROLADAS PELO ESTADO Governo do Estado de Minas Gerais Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão Subsecretaria de Planejamento, Orçamento e Qualidade do Gasto Superintendência Central de Planejamento e Programação Orçamentária

Leia mais