IX JORNADA DE ESTÁGIO DE SERVIÇO SOCIAL A PRÁTICA DO SERVIÇO SOCIAL NA COMPANHIA DE HABITAÇÃO DE PONTA GROSSA- PROLAR

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "IX JORNADA DE ESTÁGIO DE SERVIÇO SOCIAL A PRÁTICA DO SERVIÇO SOCIAL NA COMPANHIA DE HABITAÇÃO DE PONTA GROSSA- PROLAR"

Transcrição

1 IX JORNADA DE ESTÁGIO DE SERVIÇO SOCIAL A PRÁTICA DO SERVIÇO SOCIAL NA COMPANHIA DE HABITAÇÃO DE PONTA GROSSA- PROLAR SANTOS, Marcia Pedroso dos (estágio ll) SANTOS, Nessyane Messias (estágio l) SCHEFFER, Sandra Maria (supervisor) VIEZZER, Marines Kabbas (supervisor) Palavras-chaves: Habitação, Pratica profissional, Comunidade. Resumo: A Companhia de Habitação de Ponta Grossa- PROLAR foi implementada em 1989 através da Lei Municipal n. 4298, sendo órgão gestor da habitação no município de Ponta Grossa- Pr. Seu principal objetivo é propor soluções para o problema habitacional do município, atendendo os setores de menor renda, elaborando planos e programas contidos no Estatuto Social interno. Relata-se também a prática do Serviço Social na instituição, o qual iniciou-se com a contratação de vinte e uma estagiárias de serviço social a qual é considerado a porta de entrada da demanda na instituição. O Serviço Social na PROLAR utiliza-se de vários instrumentais, tais como: abordagens, relatórios sociais, visitas domiciliares, entrevistas, atendimento socioeconômico, reuniões educativas com grupos, dentre outros. O Serviço Social trabalha na perspectiva da pré e pós moradia, abrangendo não somente o objeto que é a casa, mas principalmente o ser humano que irá habitar nela, buscando trabalhar com o indivíduo, a fim de propor melhorias na qualidade de vida. Como projeto de intervenção apresentado, demonstra-se a atuação do Serviço Social no pós moradia, através de dois eixos: Associação de Moradores e Meio Ambiente no Conjunto Habitacional Parque dos Sabiás, os quais tem por finalidade fortalecer os moradores para reivindicarem os direitos da comunidade, bem como proporcionar momentos de reflexão sobre o lugar em que vivem. Introdução O presente trabalho tem como objetivo apresentar o campo de estágio na Companhia de Habitação de Ponta Grossa PROLAR. Expõe-se também, como o Serviço Social vem desenvolvendo suas atividades dentro da instituição e através dos projetos realizados na comunidade, o que propicia ao estagiário a vivência da prática profissional do Assistente Social, bem como os instrumentos que por ele são utilizados, para a formação acadêmica. 1. Contextualização do Campo de estágio

2 2 A PROLAR Companhia de Habitação de Ponta Grossa "[...] foi criada em 13 de setembro de 1989 através da Lei Municipal n. 4298, na gestão do prefeito municipal Pedro Wosgrau Filho. (SCHEFFER, 2003, p. 59). Ela foi instituída pois fazia parte de uma meta de campanha eleitoral do prefeito na área habitacional. A PROLAR surge no município de Ponta Grossa com a proposta de executar a política habitacional. Entre os seus objetivos, pode-se generalizar que o principal é propor soluções para o problema habitacional do município, atendendo os setores de menor renda, elaborando planos e programas (contidos no Estatuto Social- PROLAR). Além disso, propõem alternativas para captação de recursos oriundos da União. A partir da aprovação de seus projetos junto ao Governo Federal, inicia-se o processo de implantação dos conjuntos habitacionais. Atualmente, a PROLAR tem atuado em parceria com a CAIXA, através do Programa Minha Casa Minha Vida, na implantação de diversos Conjuntos Habitacionais para a baixa renda. Também atua com o programa de lotes urbanizados, mas não com programas novos, somente lotes remanescentes de programas anteriores. Paralelamente a estes programas a Companhia tem recursos desde 2007 do Fundo Nacional de Habitação de Interesse Social, através de dois Conjuntos Habitacionais. Este recurso destina-se a familias residentes em área de risco, sendo que um destes Conjuntos denominado Conjunto Habitacional Parque dos Sabiás, é foco deste trabalho. A demanda geral da PROLAR, se constitui de todas as pessoas que procuram os serviços da Companhia e que pretendem adquirir um lote ou casa para si e sua família. Atualmente conta com aproximadamente famílias cadastradas aguardando programas de lotes ou casas. Os cadastros sócioeconômicos realizados na Companhia de Habitação, passam por uma análise através de critérios. Também é realizado visitas domiciliares, por amostragem de alguns cadastros, para constatar as situações apresentadas nos mesmos Serviço Social na PROLAR O Serviço Social foi uma das primeiras atividades desenvolvida na Companhia. Isso ocorre devido à necessidade de identificar qual a demanda habitacional existente no município de Ponta Grossa. As atividades da PROLAR iniciaram-se em outubro de 1989, com a contratação de vinte e uma estagiárias de

3 3 Serviço Social para realizar o cadastramento da demanda interessada por habitação popular em Ponta Grossa. O Serviço Social nessa instituição, objetiva concretizar o direito á moradia do cidadão, assim como capacitá-lo para além da moradia. Atualmente trabalha-se com os beneficiários dos Conjuntos Habitacionais voltando-se para os eixos: mobilização comunitária, geração de renda e meio ambiente. Em geral, o Serviço Social desenvolve ações de promoção social ao indivíduo no que se refere à habitação, agindo de forma esclarecedora e orientadora, para que os cidadãos que procuram a instituição possam compreender o processo que envolve a política de habitação. Atualmente existem profissionais de Serviço Social que são contratados pela PROLAR para trabalhar com desenvolvimento da comunidade, o que abriu expectativas para o campo de atuação profissional. De acordo com Castro (1986): Os assistentes sociais foram integrados aos planos de desenvolvimento comunitário. A inserção dos assistentes sociais em programas de Desenvolvimento de Comunidade ocorreu diante do contexto histórico da profissão onde o Ministério das Cidades definiu através da normativa nº8 a regulamentaçãodo trabalho social na formação das novas comunidades, esta deve-se ao conhecimento da profissão em relação a trabalho com grupos e acerca de administração de serviços comunitários Instrumentais do Serviço Social O serviço Social desenvolve sua prática profissional mediante as ações de necessidade da moradia, através dos seguintes instrumentais: Abordagem, Visitas Domiciliares, Entrevistas, Escuta Ativa, Relatórios, Pareceres sociais, Atendimento Socioeconômico, Reuniões Educativas com grupos, entre outros. De acordo com Costa (2012) os instrumentos utilizados pelos profissionais de Serviço Social consistem em procedimentos técnicos operativos que norteiam as ações profissionais tornando-se meios de interação do profissional juntamente com seu objeto de intervenção. Desta maneira os instrumentais são definidos teoricamente e assumem caráter que consiste na ética e no projeto ético político do Serviço Social. Os instrumentais apresentados são utilizados desde o atendimento inicial com a demanda, até o pós- ocupação.

4 4 É realizado também, dentro da PROLAR, o desenvolvimento da comunidade o qual se dá através de três eixos principais: geração de renda, desenvolvimento de comunidade e meio ambiente. Os projetos existentes na PROLAR, abrangem estes temas, realizando a intervenção nas dimensões teórico-metodológica, técnicooperativa e investigativa, intervindo na realidade da comunidade para fins de consolidar o acesso e a garantia dos direitos sociais e sendo um mobilizador de recursos comunitários. Dessa forma apresentamos o Projeto Parque dos Sabiás, o qual as estagiárias de Serviço Social, deste trabalho, desenvolvem seus projetos de intervenção. 1.4 Projetos no Conjunto Habitacional Parque do Sabiás Projeto de Intervenção: O homem e o meio ambiente O Conjunto Habitacional Parque dos Sabiás é formado por 168 casas, das quais 56 já estão ocupadas por famílias em área de risco da região das vilas Coronel Cláudio e Olarias. O projeto de intervenção: o homem e o meio ambiente, tem por finalidade realizar reuniões com os moradores do Conjunto Habitacional Parque dos Sabiás, proporcionando e reflexões através da educação ambiental, para fim de proporcionar aos mutuários residentes condições para que se compreendam como parte do meio ambiente, oferecendo-lhes conhecimento necessário para proporcionar a reflexão junto aos moradores do Parque dos Sabiás sobre a questão ambiental e sustentabilidade para fins de práticas ambientais de conservação, preservação e alteração de valores Projeto de intervenção: Mobilizando o Parque dos Sabiás para a organização comunitária O projeto de desenvolvimento de comunidade visa proporcionar aos moradores do Parque dos Sabiás uma melhor qualidade de vida no conjunto, através da organização comunitária. O qual se concretizará através da formação da associação de moradores do conjunto Parque dos Sabiás. Como toda comunidade necessita de uma organização comunitária para lutarem juntos pela garantia de seus direitos sociais, percebe-se a importância em

5 5 estar trabalhando no sentido de orientarmos para a formação de uma associação de moradores no Conjunto. 2. Resultados e Discussão Baseados nos projetos de intervenção desenvolvidos pelas acadêmicas de serviço social e com supervisão da Assistente Social contratada para o Projeto Parque dos Sabiás, temos alguns resultados: - A execução do projeto O Homem e O Meio Ambiente vem sendo organizado e executado no Conjunto em paralelo as atividades da formação da Associação de Moradores. - A implantação da Associação de Moradores vem sendo um processo que tem avanços e retrocessos. Apesar do planejamento realizado, tem-se várias interferências externas que constituem-se um desafio para a prática profissional, como também percebe-se a necessidade de estratégias para redefinir as ações. 2. Considerações finais O Serviço Social busca efetivar a política habitacional para que os usuários tenham acesso ao direito de uma moradia digna e assim garantindo a emancipação dos sujeitos beneficiados. O estágio realizado na instituição tem sido de grande relevância para a formação profissional, principalmente com os projetos de intervenção, onde tem-se maior contato com a teoria aprendida durante o curso de serviço social. REFERÊNCIAS CASTRO, M. M. História do serviço social na América Latina. S. Paulo, Cortez, COMPANHIA DE HABITAÇÃO DE PONTA GROSSA PROLAR. Estatuto Social. Ponta Grossa, COSTA. C. M.O. D.S; OS Instrumentos de Trabalho do Serviço Social Enquanto a Expressão da Dimensão Politica, XII Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e VIII Encontro Latino Americano de Pós-Graduação Universidade do Vale do Paraíba. SCHEFFER, Sandra Maria. Espaço urbano e política habitacional: uma análise sobre o programa de lotes urbanizados da PROLAR. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais). Universidade Estadual de Ponta Grossa. Ponta Grossa, 2003.

O COTIDIANO PROFISSIONAL DO ASSISTENTE SOCIAL NA COMPANHIA DE HABITAÇÃO DE PONTA GROSSA - PROLAR

O COTIDIANO PROFISSIONAL DO ASSISTENTE SOCIAL NA COMPANHIA DE HABITAÇÃO DE PONTA GROSSA - PROLAR O COTIDIANO PROFISSIONAL DO ASSISTENTE SOCIAL NA COMPANHIA DE HABITAÇÃO DE PONTA GROSSA - PROLAR RIBEIRO, Ana Paula Santos 1 (estagio I), e-mail: ana.paula.santos.865@gmail.com HOLZMANN, Liza (supervisora

Leia mais

VIII Jornada de estágio de Serviço Social.

VIII Jornada de estágio de Serviço Social. VIII Jornada de estágio de Serviço Social. CONSTRUÇÃO E FORTALECIMENTO DA PRÁTICA PROFISSIONAL DO SERVIÇO SOCIAL NA DIVISÃO DE GESTÃO DE BENEFICIOS DO MUNICÍPIO DE PONTA GROSSA. *ALMEIDA, Ana Beatriz Baggio

Leia mais

CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL- CRAS JARDIM CARVALHO PONTA GROSSA- PARANÁ

CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL- CRAS JARDIM CARVALHO PONTA GROSSA- PARANÁ CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL- CRAS JARDIM CARVALHO PONTA GROSSA- PARANÁ PACHECO, Flávia Sacchelli (estágio I), e-mail: flavia_sacchelli@yahoo.com.br PUCHTA, Tiago Messias Torres (estágio

Leia mais

IX JORNADA DE ESTÁGIO DE SERVIÇO SOCIAL A PRÁTICA PROFISSIONAL DO SERVIÇO SOCIAL NO CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL CRAS PALMEIRA¹ / PR.

IX JORNADA DE ESTÁGIO DE SERVIÇO SOCIAL A PRÁTICA PROFISSIONAL DO SERVIÇO SOCIAL NO CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL CRAS PALMEIRA¹ / PR. IX JORNADA DE ESTÁGIO DE SERVIÇO SOCIAL A PRÁTICA PROFISSIONAL DO SERVIÇO SOCIAL NO CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL CRAS PALMEIRA¹ / PR. MARTINS, Mayara Lucia (Estágio I), e-mail: mayamartins1993@hotmail.com.

Leia mais

RELATÓRIO DAS AÇÕES DESENVOLVIDAS NO PROJETO DE TRABALHO SOCIAL COM MORADORES DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA - MÊS JULHO/2015

RELATÓRIO DAS AÇÕES DESENVOLVIDAS NO PROJETO DE TRABALHO SOCIAL COM MORADORES DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA - MÊS JULHO/2015 RELATÓRIO DAS AÇÕES DESENVOLVIDAS NO PROJETO DE TRABALHO SOCIAL COM MORADORES DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA - MÊS JULHO/2015 ATIVIDADE REALIZADA DESCRIÇÃO Entrega do Centro Comunitário da FCK Construções

Leia mais

As atribuições dos profissionais das Equipes de Saúde da Família, de saúde bucal e de acs

As atribuições dos profissionais das Equipes de Saúde da Família, de saúde bucal e de acs Anexo I As atribuições dos profissionais das Equipes de Saúde da Família, de saúde bucal e de acs As atribuições globais abaixo descritas podem ser complementadas com diretrizes e normas da gestão local.

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 411/2015 CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

PROJETO DE LEI Nº 411/2015 CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS PROJETO DE LEI Nº 411/2015 Aprova o PLHIS Plano Local de Habitação de Interesse Social do Município de Jaboticabal e dá outras providências. CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. Fica aprovado e instituído

Leia mais

Programa de Regularização Fundiária

Programa de Regularização Fundiária Programa de Regularização Fundiária O Programa de Regularização Fundiária (PRF) é um processo urbanístico, social e jurídico que objetiva a regularização da posse da terra para a população de baixa renda,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA PROAC

REGIMENTO INTERNO DA PROAC DA PROAC 2009 2 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES CAPÍTULO II DA PRÓ-REITORIA E SEUS FINS CAPÍTULO III DA CONSTITUIÇÃO DA PRÓ-REITORIA CAPÍTULO IV DA ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO SECÇÃO I DA SECRETARIA

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICAS GERÊNCIAS.

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICAS GERÊNCIAS. REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICAS GERÊNCIAS. IFNMG - Câmpus Pirapora 1 1- O QUE É O NPG O Núcleo de Práticas Gerenciais - NPG é um laboratório de práticas administrativas, com layout devidamente planejado

Leia mais

A PRÁTICA PROFISSIONAL DO SERVIÇO SOCIAL NA DIVISÃO DE GESTÃO DE BENEFICIOS DO MUNICÍPIO DE PONTA GROSSA.

A PRÁTICA PROFISSIONAL DO SERVIÇO SOCIAL NA DIVISÃO DE GESTÃO DE BENEFICIOS DO MUNICÍPIO DE PONTA GROSSA. A PRÁTICA PROFISSIONAL DO SERVIÇO SOCIAL NA DIVISÃO DE GESTÃO DE BENEFICIOS DO MUNICÍPIO DE PONTA GROSSA. ALMEIDA, Ana Beatriz Baggio de (estagio II), VINHOLO, Sandra Inês, (supervisor de campo), e-mail:

Leia mais

III U Localização na Cidade / Centralidades Regionais

III U Localização na Cidade / Centralidades Regionais I EMPREENDIMENTO E.H.I.S. SÍTIO PAIOLZINHO Vila Yolanda II Cidade Tiradentes Município de São Paulo ENTIDADE ORGANIZADORA APOIO Associação de Auxílio Mútuo da Região Leste ASSESSORIA TÉCNICA RBANIA Arquitetura

Leia mais

Companhia Estadual de Habitação Popular

Companhia Estadual de Habitação Popular Companhia Estadual de Habitação Popular Programa Cidade Madura Antecedentes Nos últimos anos os brasileiros e, consequentemente, os paraibanos deram um salto na sua expectativa de vida. Segundo o IBGE,

Leia mais

VIII Jornada de Estágio de Serviço Social O SERVIÇO SOCIAL NA PROLAR: BUSCANDO A EFETIVAÇÃO DO DIREITO À MORADIA.

VIII Jornada de Estágio de Serviço Social O SERVIÇO SOCIAL NA PROLAR: BUSCANDO A EFETIVAÇÃO DO DIREITO À MORADIA. VIII Jornada de Estágio de Serviço Social O SERVIÇO SOCIAL NA PROLAR: BUSCANDO A EFETIVAÇÃO DO DIREITO À MORADIA. LIMA Evelyn Paula Soares Matioski de 1 RIBEIRO Juliana 2 SANTOS Marcia Pedroso dos 3 SCHIMANSKI

Leia mais

VIII JORNADA DE ESTÁGIO DE SERVIÇO SOCIAL

VIII JORNADA DE ESTÁGIO DE SERVIÇO SOCIAL O SERVIÇO SOCIAL NO MINISTÉRIO PÚBLICO DO PARANÁ SANTOS, Natália Rodrigues Lima do 1 LOPES, Consuelo Szczerepa 2 SILVA, Lenir Aparecida Mainardes 3 Resumo: O presente artigo tem por finalidade apresentar

Leia mais

GT: 7 - DESENVOLVIMENTO E CIDADANIA

GT: 7 - DESENVOLVIMENTO E CIDADANIA GT: 7 - DESENVOLVIMENTO E CIDADANIA A IMPORTÂNCIA DOS EQUIPAMENTOS PÚBLICOS PARA OS MUTUÁRIOS DO CONJUNTO HABITACIONAL PARQUE DOS SABIÁS, NO MUNICÍPIO DE PONTA GROSSA/PR. Estefany Cristine de Andrade (Universidade

Leia mais

Palavras-chave: estágio, política assistencial, apreensão de conhecimentos

Palavras-chave: estágio, política assistencial, apreensão de conhecimentos A PRÁTICA DO SERVIÇO SOCIAL NA UNIDADE INSTITUCIONAL DO CENTRO DE REFERÊNCIA DA ASSISTENCIA SOCIAL DO BAIRRO SANTA LUZIA, NO MUNICÍPIO DE PONTA GROSSA. SCHULTZ, Denise Stroberg (Estágio I), BELLO, Tatyana

Leia mais

Ilmo. Sr. Miguel Luiz Bucalem, Secretário Municipal de Desenvolvimento Urbano, e equipe técnica do Consórcio Nova Luz

Ilmo. Sr. Miguel Luiz Bucalem, Secretário Municipal de Desenvolvimento Urbano, e equipe técnica do Consórcio Nova Luz ASSOCIAÇÃO DE MORADORES E TRABALHADORES DA NOVA LUZ na luta pela inclusão social, pelo desenvolvimento da cidadania e pela preservação da memória e da diversidade na Nova Luz São Paulo, 14 de janeiro de

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE 12/2008 APROVA AS DIRETRIZES DO NÚCLEO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO FRANCISCANO DO PARANÁ UNIFAE.

RESOLUÇÃO CONSEPE 12/2008 APROVA AS DIRETRIZES DO NÚCLEO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO FRANCISCANO DO PARANÁ UNIFAE. RESOLUÇÃO CONSEPE 12/2008 APROVA AS DIRETRIZES DO NÚCLEO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO FRANCISCANO DO PARANÁ UNIFAE. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão CONSEPE,

Leia mais

Projetos focados no atendimento a Grupos Sociais Específicos. Programa Nacional de Habitação Rural PNHR INDÍGENA

Projetos focados no atendimento a Grupos Sociais Específicos. Programa Nacional de Habitação Rural PNHR INDÍGENA Projetos focados no atendimento a Grupos Sociais Específicos Programa Nacional de Habitação Rural PNHR INDÍGENA Povos Indígenas no Acre O projeto foi criado para atender as famílias pertencentes as terras

Leia mais

VIII JORNADA DE ESTÁGIO DE SERVIÇO SOCIAL

VIII JORNADA DE ESTÁGIO DE SERVIÇO SOCIAL 1 VIII JORNADA DE ESTÁGIO DE SERVIÇO SOCIAL PROJETO DE EXTENSÃO: FORTALECIMENTO DO SISTEMA DE GARANTIAS DOS DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES NOS MUNICÍPIOS DA REGIÃO DOS CAMPOS GERAIS. LAVORATTI

Leia mais

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS UNICRUZ - UNIVERSIDADE DE CRUZ ALTA CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - LICENCIATURA REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS CURRICULARES

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS UNICRUZ - UNIVERSIDADE DE CRUZ ALTA CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - LICENCIATURA REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS CURRICULARES REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS UNICRUZ - UNIVERSIDADE DE CRUZ ALTA CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - LICENCIATURA REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS CURRICULARES Art. 1º - O presente regulamento estabelece as normas para a efetivação

Leia mais

MUTIRÕES JOSÉ MARIA AMARAL E FLORESTAN FERNANDES

MUTIRÕES JOSÉ MARIA AMARAL E FLORESTAN FERNANDES MUTIRÕES JOSÉ MARIA AMARAL E FLORESTAN FERNANDES HISTÓRICO DA ENTIDADE CONHECENDO UM POUCO DA LESTE 1 Constituído de trabalhadores e trabalhadoras sem moradia da região leste 1 da cidade de São Paulo,

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Habitação. CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Representação de Apoio ao Desenvolvimento Urbano

MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Habitação. CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Representação de Apoio ao Desenvolvimento Urbano MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Habitação CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Representação de Apoio ao Desenvolvimento Urbano SNHIS / FNHIS - Lei nº 11.124/05 ESTRUTURA BÁSICA DO PLANO MUNICIPAL DE

Leia mais

RESOLUÇÃO. Santa Rosa, RS, 01 de setembro de 2010.

RESOLUÇÃO. Santa Rosa, RS, 01 de setembro de 2010. RESOLUÇÃO CAS N. 23/2010, DE 01 DE SETEMBRO DE 2010. APROVA O REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE ATENDIMENTO AO CIDADÃO NAC DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL DAS FACULDADES INTEGRADAS MACHADO DE ASSIS FEMA. O CONSELHO

Leia mais

VIII JORNADA DE ESTÁGIO DE SERVIÇO SOCIAL CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL NOVO HORIZONTE, CARAMBEÍ PR

VIII JORNADA DE ESTÁGIO DE SERVIÇO SOCIAL CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL NOVO HORIZONTE, CARAMBEÍ PR VIII JORNADA DE ESTÁGIO DE SERVIÇO SOCIAL CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL NOVO HORIZONTE, CARAMBEÍ PR RUPPEL. ANGELA MARIA 1 PEREIRA. TÁSSIA² SOUZA. C. D. S³ Resumo: Este trabalho pretende apresentar

Leia mais

DEPARTAMENTO DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL DEPARTAMENTO DE TRABALHO SOCIAL

DEPARTAMENTO DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL DEPARTAMENTO DE TRABALHO SOCIAL DEPARTAMENTO DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL DEPARTAMENTO DE TRABALHO SOCIAL NOVEMBRO DE 2015 Dez anos da Política Habitacional: Avanços, Potencialidades e a Continuação de uma Política Principais Urbanizações

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES. A construção de uma política habitacional de Estado. Recife/PE, 28 de novembro de 2017

MINISTÉRIO DAS CIDADES. A construção de uma política habitacional de Estado. Recife/PE, 28 de novembro de 2017 MINISTÉRIO DAS CIDADES A construção de uma política habitacional de Estado Recife/PE, 28 de novembro de 2017 POLÍTICA NACIONAL DE HABITAÇÃO 2007 2009 2016/2017 2017 2018 URBANIZAÇÃO PRODUÇÃO HABITACIONAL

Leia mais

PRÁTICA PROFISSIONAL E DASAFIOS DO COTIDIANO NO CREAS CRIANÇA E ADOLESCENTES (SENTINELA) NO MUNICIPIO DE PONTA GROSSA

PRÁTICA PROFISSIONAL E DASAFIOS DO COTIDIANO NO CREAS CRIANÇA E ADOLESCENTES (SENTINELA) NO MUNICIPIO DE PONTA GROSSA PRÁTICA PROFISSIONAL E DASAFIOS DO COTIDIANO NO CREAS CRIANÇA E ADOLESCENTES (SENTINELA) NO MUNICIPIO DE PONTA GROSSA BARTMEYER, Tania (estagio I), e-mail: taniabartmeyer@hotmail.com VALIGURA, Maristela

Leia mais

Rede Mobilizadores. Elaboração de Projetos Sociais: aspectos gerais

Rede Mobilizadores. Elaboração de Projetos Sociais: aspectos gerais Atividade Final: Elaboração de Pré-Projeto Aluno: Maurício Francheschis Negri 1 Identificação do Projeto Rede Mobilizadores Elaboração de Projetos Sociais: aspectos gerais Um dia na escola do meu filho:

Leia mais

RESIDENCIAIS ARY ABUSSAFI DE LIMA e GREGÓRIO CORRÊA

RESIDENCIAIS ARY ABUSSAFI DE LIMA e GREGÓRIO CORRÊA RESIDENCIAIS ARY ABUSSAFI DE LIMA e GREGÓRIO CORRÊA CONQUISTA DE MORADIA DIGNA PARA 313 FAMILIAS Agência Municipal de Habitação de Campo Grande - EMHA Fevereiro Prefeitura Municipal de Campo Grande/MS

Leia mais

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO E INCLUSAO SOCIAL

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO E INCLUSAO SOCIAL ANEXO I A QUE SE REFERE O ART. 1º DO EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 01/2012. SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO E INCLUSAO SOCIAL ÁREA DE ATUAÇÃO: PETI- Programa de Erradicação do Trabalho Infantil

Leia mais

Faculdade de Balsas REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICAS CONTÁBEIS (NPC)

Faculdade de Balsas REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICAS CONTÁBEIS (NPC) Faculdade de Balsas REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICAS CONTÁBEIS (NPC) (Aprovado pela Resolução COP N o 07/2009 de 05 de agosto de 2009) Mantenedora: Unibalsas Educacional Ltda Balsas MA 2009 1 REGULAMENTO

Leia mais

d. Fixar conceitos e metodologia apresentados no Manual do PLHIS.

d. Fixar conceitos e metodologia apresentados no Manual do PLHIS. Curso: Plano de Habitação de Interesse Social Participante: Município: Estado: Objetivos de Aprendizagem: Capacitar os atores institucionais e sociais para elaboração do PLHIS; Conhecer estudos e pesquisas

Leia mais

COLEGIADO DE SERVIÇO SOCIAL

COLEGIADO DE SERVIÇO SOCIAL UFES CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS E ECONÔMICAS COLEGIADO DE SERVIÇO SOCIAL Av. Fernando Ferrari, S/N - Campus Universitário Bairro Goiabeiras - Vitória ES CEP: 29060-900 - TeleFax: (27) 3335 2596 E-mail:

Leia mais

Campus Itaqui Curso de Ciência e Tecnologia de Alimentos Normas para o Estágio Supervisionado Obrigatório

Campus Itaqui Curso de Ciência e Tecnologia de Alimentos Normas para o Estágio Supervisionado Obrigatório Campus Itaqui Curso de Ciência e Tecnologia de Alimentos Normas para o Estágio Supervisionado Obrigatório 1. ASPECTOS LEGAIS O Estágio Supervisionado tem caráter curricular obrigatório e é uma exigência

Leia mais

Sistema Nacional de Habitação de Interesse Social - Brasil

Sistema Nacional de Habitação de Interesse Social - Brasil Sistema Nacional de Habitação de Interesse Social - Brasil Lei 11.124/2005 Evaniza Rodrigues Maio de 2006 Déficit habitacional e de habitabilidade 7,2 milhões de famílias necessitam de uma moradia 82%

Leia mais

REGIMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS CURRICULARES DE CURSOS DE GRADUAÇÃO, E DE ENSINO TÉCNICO TÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS CAPÍTULO I DA NATUREZA

REGIMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS CURRICULARES DE CURSOS DE GRADUAÇÃO, E DE ENSINO TÉCNICO TÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS CAPÍTULO I DA NATUREZA 1 REGIMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS CURRICULARES DE CURSOS DE GRADUAÇÃO, E DE ENSINO TÉCNICO TÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS CAPÍTULO I DA NATUREZA Art. 1º. Estas normas regulamentam os estágios dos cursos

Leia mais

ANEXO II DA RESOLUÇÃO CEPE Nº. 085, DE 14 DE DEZEMBRO DE FL. 1 DE 1

ANEXO II DA RESOLUÇÃO CEPE Nº. 085, DE 14 DE DEZEMBRO DE FL. 1 DE 1 ANEXO II DA RESOLUÇÃO CEPE Nº. 085, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011. FL. 1 DE 1 ANEXO II INSTRUMENTO DE ACOMPANHAMENTO DO ESTÁGIO, PREVISTO NO 1º DO ART. 3º E INCISO IV DO ART. 7º DA LEI Nº 11.788/08 RELATÓRIO

Leia mais

PROGRAMA DE MESTRADO EM DIREITO

PROGRAMA DE MESTRADO EM DIREITO PROGRAMA DE MESTRADO EM DIREITO disciplina: Função socioambiental da propriedade pública e privada docente: Wallace Paiva Martins Junior discente: Renata Sioufi Fagundes dos Santos 2016 TUTELA DO MEIO

Leia mais

REGULAMENTO DAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS

REGULAMENTO DAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS REGULAMENTO DAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS. REGULAMENTO DAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS O presente Regulamento das Práticas Pedagógicas tem por finalidade disciplinar os critérios e formas procedimentais que orientam

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DA FERA CURSOS DE GRADUAÇÃO

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DA FERA CURSOS DE GRADUAÇÃO SOCIEDADE DE ENSINO SUPERIOR DO AGRESTE LTDA - SOESA 1 REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DA FERA CURSOS DE GRADUAÇÃO Arapiraca-AL 2016 SOCIEDADE DE ENSINO SUPERIOR DO AGRESTE LTDA - SOESA

Leia mais

LEI N.º 1.848/2014 DATA: 25/04/2014

LEI N.º 1.848/2014 DATA: 25/04/2014 LEI N.º 1.848/2014 DATA: 25/04/2014 SÚMULA: Dispõe sobre a Política Municipal de Meio Ambiente e institui o Fundo Municipal do Meio Ambiente (FMMA) do Município de Pinhão, e dá outras providências. A Câmara

Leia mais

Of. nº 1.050/GP. Paço dos Açorianos, 22 de novembro de Senhora Presidente:

Of. nº 1.050/GP. Paço dos Açorianos, 22 de novembro de Senhora Presidente: Of. nº 1.050/GP. Paço dos Açorianos, 22 de novembro de 2011. Senhora Presidente: Encaminho a Vossa Excelência, para apreciação desse Poder Legislativo, o presente Projeto de Lei que Institui o Plano Municipal

Leia mais

CHEQUE MAIS MORADIA Modelo de execução de política pública na habitação de interesse social

CHEQUE MAIS MORADIA Modelo de execução de política pública na habitação de interesse social Modelo de execução de política pública na habitação de interesse social ANTECEDENTES DO PROJETO Reestruturação da Agência Goiana de Habitação - AGEHAB para atuar como Construtora e indutora do processo

Leia mais

VIII JORNADA DE ESTÁGIO DE SERVIÇO SOCIAL CARACTERIZAÇÃO DO CAMPO DE ESTÁGO CENTRO DE REFERÊNCIA ASSISTÊNCIA SOCIAL VILA ROSA - PALMEIRA - PR

VIII JORNADA DE ESTÁGIO DE SERVIÇO SOCIAL CARACTERIZAÇÃO DO CAMPO DE ESTÁGO CENTRO DE REFERÊNCIA ASSISTÊNCIA SOCIAL VILA ROSA - PALMEIRA - PR VIII JORNADA DE ESTÁGIO DE SERVIÇO SOCIAL GARCIA, Andressa de Oliveira 1. TRENTINI, Fabiana Vosgerau 2. CARACTERIZAÇÃO DO CAMPO DE ESTÁGO CENTRO DE REFERÊNCIA ASSISTÊNCIA SOCIAL VILA ROSA - PALMEIRA -

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS, LICENCIATURA.

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS, LICENCIATURA. REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS, LICENCIATURA. Dispõe sobre a prática das Atividades de Estágio Supervisionado do Curso de Ciências Biológicas, Licenciatura da Faculdade

Leia mais

EDUCADOR SOCIAL SITE: FACEBOOK: CARITAS ARQUIDIOCESANA DE PORTO ALEGRE SAS FACEBOOK: MENSAGEIRO DA CARIDADE

EDUCADOR SOCIAL SITE:  FACEBOOK: CARITAS ARQUIDIOCESANA DE PORTO ALEGRE SAS FACEBOOK: MENSAGEIRO DA CARIDADE EDUCADOR SOCIAL SITE: WWW.CARITASPORTOALEGRE.ORG FACEBOOK: CARITAS ARQUIDIOCESANA DE PORTO ALEGRE SAS FACEBOOK: MENSAGEIRO DA CARIDADE ATUAÇÃO PROFISSIONAL CRIANÇAS ADOLESCENTES ADULTOS IDOSOS ÁREAS DE

Leia mais

DIREITO DE POSSE E À MORADIA DIGNA: O CONJUNTO DOS BOSQUES DO LENHEIRO

DIREITO DE POSSE E À MORADIA DIGNA: O CONJUNTO DOS BOSQUES DO LENHEIRO DIREITO DE POSSE E À MORADIA DIGNA: O CONJUNTO DOS BOSQUES DO LENHEIRO Autores Eduardo Marin de Brito Orientador m rio Luis Attab Braga Apoio Financeiro Fae 1. Introdução

Leia mais

VIII Jornada de Estágio de Serviço Social

VIII Jornada de Estágio de Serviço Social VIII Jornada de Estágio de Serviço Social ESTÁGIO NA ASSOCIAÇÃO DE PROMOÇÃO À MENINA APAM DE PONTA GROSSA/ PR. GOMES, R. C. Ana¹ LAVORATTI, Cleide² ROSA, Odineusa M.³ RESUMO: O presente trabalho tem por

Leia mais

ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS

ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS CARGO ADMINISTRATIVO I ADMINISTRATIVO II COMUNITÁRIO DE SAÚDE DE COMBATE A ENDEMIAS ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS ATRIBUIÇÕES Executar tarefas auxiliares de escritórios e secretária envolvendo registros,

Leia mais

DISPÕE SOBRE A ESTRUTURA DA SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE SANTA TEREZINHA - PARAÍBA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

DISPÕE SOBRE A ESTRUTURA DA SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE SANTA TEREZINHA - PARAÍBA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LEI Nº 518/2018 DE 29 DE OUTUBRO DE 2018. DISPÕE SOBRE A ESTRUTURA DA SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE SANTA TEREZINHA - PARAÍBA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A PREFEITA MUNICIPAL DE SANTA

Leia mais

EDITAL Nº 08/2017 PROCESSO DE SELEÇÃO DE PESSOAL

EDITAL Nº 08/2017 PROCESSO DE SELEÇÃO DE PESSOAL EDITAL Nº 08/2017 PROCESSO DE SELEÇÃO DE PESSOAL A Comissão Permanente de Seleção de Pessoal da COOPERATIVA DE PRODUÇÃO DA REGIÃO DO PIEMONTE DA DIAMANTINA, instituída por sua Diretoria por meio da ATA

Leia mais

POLÍTICA DE ESTÁGIOS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ - UNIFEI

POLÍTICA DE ESTÁGIOS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ - UNIFEI POLÍTICA DE ESTÁGIOS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ - UNIFEI Outubro/2015 A Política de Estágios da Universidade Federal de Itajubá apresenta as diretrizes para seleção e realização do estágio, os

Leia mais

PLANO DE ENSINO Geral: Preparar as(os) estudante para o ingresso no estágio curricular obrigatório.

PLANO DE ENSINO Geral: Preparar as(os) estudante para o ingresso no estágio curricular obrigatório. PLANO DE ENSINO 1. Identificação Disciplina: Oficina de Preparação ao Estágio Código: DSS7105 Pré-requisito: DSS 7110 Turmas: 04309 Fase: 4ª Professor (a): Andréa Márcia Santiago Lohmeyer Fuchs Carga horária:

Leia mais

BALANÇO DA POLÍTICA HABITACIONAL URBANA PMCMV - ENTIDADES FUNDO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL - FDS

BALANÇO DA POLÍTICA HABITACIONAL URBANA PMCMV - ENTIDADES FUNDO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL - FDS BALANÇO DA POLÍTICA HABITACIONAL URBANA PMCMV - ENTIDADES 2009-2014 FUNDO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL - FDS MINHA CASA, MINHA VIDA - ENTIDADES PMCMV ENTIDADES/ FDS Produção e aquisição de unidades habitacionais

Leia mais

RELATÓRIO DE EXECUÇÃO DO OBJETO DA PARCERIA 2017

RELATÓRIO DE EXECUÇÃO DO OBJETO DA PARCERIA 2017 Lar Espírita "Ivan Santos de Albuquerque" Mantenedor da Creche Especial "Maria Claro" Rua João Wagner Wey, 1.240 Bloco B Jd. América - Sorocaba SP Tel: 3229-4949 CNPJ: 71.868.962/0002-96 RELATÓRIO DE EXECUÇÃO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE RESOLUÇÃO N o 042/2018-CONSEPE, de 10 de abril de 2018. Institui a Política Ambiental da Universidade Federal do Rio Grande do Norte UFRN.

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO I - DAS BASES CONCEITUAIS Art. 1.º O Estágio Curricular constitui-se numa atividade de investigação, explicitação, interpretação e intervenção na realidade

Leia mais

Briefing Institu cional

Briefing Institu cional Briefing Institu cional 01 Quem somos TETO é uma organização internacional presente na América Latina e Caribe, que atua há 10 anos no Brasil pela defesa dos direitos das pessoas que vivem nas favelas

Leia mais

GT 7: DESENVOLVIMENTO E CIDADANIA A MAJORITARIEDADE FEMININA NA DEMANDA POR HABITAÇÃO NA COMPANHIA DE HABITAÇÃO DE PONTA GROSSA PR (PROLAR)

GT 7: DESENVOLVIMENTO E CIDADANIA A MAJORITARIEDADE FEMININA NA DEMANDA POR HABITAÇÃO NA COMPANHIA DE HABITAÇÃO DE PONTA GROSSA PR (PROLAR) GT 7: DESENVOLVIMENTO E CIDADANIA A MAJORITARIEDADE FEMININA NA DEMANDA POR HABITAÇÃO NA COMPANHIA DE HABITAÇÃO DE PONTA GROSSA PR (PROLAR) Alanna Cultz (UEPG); Email: alana96_@hotmail.com Eduarda Caroline

Leia mais

PROGRAMA DE TRABALHO

PROGRAMA DE TRABALHO PROGRAMA DE TRABALHO (Proposta de Gestão 2014-2018) Chapa: SAÚDE NO OESTE DO PARÁ Candidatos: Prof. Dr. WALDINEY PIRES MORAES (DIRETOR) Prof. Dr. WILSON SABINO (VICE-DIRETOR) Santarém 2014 1 ÍNDICE 1.APRESENTAÇÃO...3

Leia mais

REGULAMENTO DAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DO CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

REGULAMENTO DAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DO CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS - FMB REGULAMENTO DAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DO CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS 2017 CIÊNCIAS BIOLÓGICAS - FMB CIÊNCIAS BIOLÓGICAS O presente Regulamento das Práticas Pedagógicas

Leia mais

Capítulo I DO PROGRAMA MUNICIPAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL

Capítulo I DO PROGRAMA MUNICIPAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL LEI Nº 2.598 DE 21 DE MAIO DE 2015. Dispõe sobre o Programa Municipal de Habitação de Interesse Social PMHIS, cria o Fundo Municipal e Habitação de Interesse Social FMHIS, revoga a Lei Municipal n 2.235,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DAPARAÍBA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DAPARAÍBA RESOLUÇÃO N o XXX, DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO Estabelece a Política Ambiental da Universidade Federal da Paraíba. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA, no uso das competências que

Leia mais

FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA CURSO DE PEDAGOGIA. PORTARIA NORMATIVA 3, de 18 de fevereiro de 2010.

FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA CURSO DE PEDAGOGIA. PORTARIA NORMATIVA 3, de 18 de fevereiro de 2010. FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA CURSO DE PEDAGOGIA PORTARIA NORMATIVA 3, de 18 de fevereiro de 2010. Institui as orientações e as atividades aprovadas para a realização da carga horária de Estágio Supervisionado

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL PLANO DE ENSINO 1. Identificação Disciplina: Supervisão de Estágio Obrigatório I Código: DSS 7131 Turma: 06339 Fase: 6ª Semestre: 2017.2 Carga Horária: 72h semestrais/04h semanais Professoras: Dra. Andréa

Leia mais

PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA PMCMV Fundo de Arrendamento Residencial - FAR PROJETO BÁSICO

PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA PMCMV Fundo de Arrendamento Residencial - FAR PROJETO BÁSICO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA PMCMV Fundo de Arrendamento Residencial - FAR PROJETO BÁSICO CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA EXECUÇÃO DO PROJETO DE TRABALHO TÉCNICO SOCIAL EMPREENDIMENTO RESIDENCIAL: ALPHA.

Leia mais

EDITAL Nº 001/2019 PROCESSO DE SELEÇÃO DE PESSOAL

EDITAL Nº 001/2019 PROCESSO DE SELEÇÃO DE PESSOAL Associação Comunitaria dos Pequenos Agricultores de Caldeirão ACOPAC. CNPJ: 63.102.222/0001-35 - Inscrição Estadual: 046.067.287 Povoado do Caldeirão, s/n, Araci-Ba. - Fundação: 07/08/1990 Contato: acopacaraci@gmail.com

Leia mais

Cria o Conselho Municipal de Habitação de Interesse Social e dá outras providências.

Cria o Conselho Municipal de Habitação de Interesse Social e dá outras providências. Fone: (77)3621- PROJETO DE LEI Nº 05/2010, DE 26 DE MARÇO DE 2010. Cria o Conselho Municipal de Habitação de Interesse Social e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE COTEGIPE, ESTADO DA BAHIA,

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Art. 2º Esta Resolução entra em vigor nesta data, revogando a Resolução CONSEACC/BP 76/2009 e demais disposições contrárias.

R E S O L U Ç Ã O. Art. 2º Esta Resolução entra em vigor nesta data, revogando a Resolução CONSEACC/BP 76/2009 e demais disposições contrárias. RESOLUÇÃO CONSEACC/BP 20/2017 ALTERA O REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA DO CAMPUS BRAGANÇA PAULISTA DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO USF. A Presidente do Conselho Acadêmico de Campus

Leia mais

TEMA IV - A Inovação Tecnológica na Produção Social de Habitação - 179

TEMA IV - A Inovação Tecnológica na Produção Social de Habitação - 179 TEMA IV - A Inovação Tecnológica na Produção Social de Habitação - 179 Progr ograma Mutirão Carlos Alberto Balotta Barros de Oliveira Eduardo Dicenzi Savioli Fernanda de Toledo Gallinucci Guilherme Eduardo

Leia mais

Projeto Inclusão Social Urbana Nós do Centro. Prefeitura de São Paulo União Européia

Projeto Inclusão Social Urbana Nós do Centro. Prefeitura de São Paulo União Européia Projeto Inclusão Social Urbana Nós do Centro Prefeitura de São Paulo União Européia Histórico do Projeto Cooperação técnica bilateral da Prefeitura de São Paulo com a União Européia com duração de quatro

Leia mais

FÓRUM DE SUPERVISORES DE ESTÁGIO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL: FORTALECENDO A POLÍTICA DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL

FÓRUM DE SUPERVISORES DE ESTÁGIO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL: FORTALECENDO A POLÍTICA DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL FÓRUM DE SUPERVISORES DE ESTÁGIO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL: FORTALECENDO A POLÍTICA DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL SILVA, Edna Denis da 1 ROCHA SILVA, Flora Regina da. 2 OLIVEIRA, Janine Maria de.

Leia mais

Viela da Paz. Projeto de Urbanização

Viela da Paz. Projeto de Urbanização Viela da Paz Projeto de Urbanização Histórico da Área - Cronologia Agosto de 1989 termo de cooperação entre a PMSP e Associação do Cemitério dos Protestantes para implantação de praça na área municipal

Leia mais

3 º. S I M P Ó S I O M I N E I R O D E ASSISTENTES SOCIAIS T Â N I A MARIA R A M O S D E G. D I N I Z J U N H O D E

3 º. S I M P Ó S I O M I N E I R O D E ASSISTENTES SOCIAIS T Â N I A MARIA R A M O S D E G. D I N I Z J U N H O D E 3 º. S I M P Ó S I O M I N E I R O D E ASSISTENTES SOCIAIS T Â N I A MARIA R A M O S D E G. D I N I Z J U N H O D E 2 0 1 3 PROPOSTA DA EXPOSIÇÃO Problematizar questão urbana e o direito à cidade Construir

Leia mais

AVALIAÇÃO SOCIAL E A CONCESSÃO DO BPC PARA PESSOA COM DEFICIÊNCIA. Eixo Temático I - Questão Social e Serviço Social

AVALIAÇÃO SOCIAL E A CONCESSÃO DO BPC PARA PESSOA COM DEFICIÊNCIA. Eixo Temático I - Questão Social e Serviço Social ISSN 2359-1277 AVALIAÇÃO SOCIAL E A CONCESSÃO DO BPC PARA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Drielly Andressa Claro, driellyclaro@hotmail.com; Jaqueline Zuin dos Santos (Orientadora), jaque.zuin.s@gmail.com; Keila

Leia mais

QUEM SOMOS. ...pela defesa dos direitos das pessoas que vivem nas favelas mais precárias e invisíveis...

QUEM SOMOS. ...pela defesa dos direitos das pessoas que vivem nas favelas mais precárias e invisíveis... BRIEF INSTITUCIONAL 2017 ...pela defesa dos direitos das pessoas que vivem nas favelas mais precárias e invisíveis... QUEM SOMOS TETO é uma organização internacional presente na América Latina e Caribe,

Leia mais

Gerenciamento Social no Metrô de São Paulo. Reassentamento de Famílias e Indivíduos Vulneráveis Atingidos pela Expansão

Gerenciamento Social no Metrô de São Paulo. Reassentamento de Famílias e Indivíduos Vulneráveis Atingidos pela Expansão Gerenciamento Social no Metrô de São Paulo Reassentamento de Famílias e Indivíduos Vulneráveis Atingidos pela Expansão 18ª Semana de Tecnologia Metroferroviária São Paulo 13 de Setembro de 2012 setembro

Leia mais

FÓRUM DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS DO ESTADO DA PARAÍBA REGIMENTO INTERNO. Capítulo I. Do Fórum

FÓRUM DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS DO ESTADO DA PARAÍBA REGIMENTO INTERNO. Capítulo I. Do Fórum FÓRUM DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS DO ESTADO DA PARAÍBA REGIMENTO INTERNO Capítulo I Do Fórum Art. 1 - O Fórum de Educação de Jovens e Adultos (EJA) do Estado da Paraíba, criado em 27/10/1999, é um

Leia mais

VIII Jornada de Estágio de Serviço Social NÚCLEO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL, JURÍDICA, E DE ESTUDOS SOBRE A PESSOA IDOSA

VIII Jornada de Estágio de Serviço Social NÚCLEO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL, JURÍDICA, E DE ESTUDOS SOBRE A PESSOA IDOSA VIII Jornada de Estágio de Serviço Social NÚCLEO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL, JURÍDICA, E DE ESTUDOS SOBRE A PESSOA IDOSA BANHOS 1, Fernanda Gomes; LAVORATTI 2, Cleide; MALUCELLI 3, Andressa Pacenko; OLIVEIRA

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS E FINALIDADES CAPITULO II DA DEFINIÇÃO

REGULAMENTAÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS E FINALIDADES CAPITULO II DA DEFINIÇÃO REGULAMENTAÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS E FINALIDADES Artigo 1º - O presente regulamento visa disciplinar o Estágio Curricular Supervisionado dos cursos

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Art. 2º Esta Resolução entra em vigor nesta data, revogando a Resolução CONSEACC/BP 13/2015 e demais disposições contrárias.

R E S O L U Ç Ã O. Art. 2º Esta Resolução entra em vigor nesta data, revogando a Resolução CONSEACC/BP 13/2015 e demais disposições contrárias. RESOLUÇÃO CONSEACC/BP 24/2017 ALTERA O REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENFERMAGEM DO CAMPUS BRAGANÇA PAULISTA DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO USF. A Presidente do Conselho Acadêmico de

Leia mais

FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR E FORMAÇÃO INTEGRAL FAEF

FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR E FORMAÇÃO INTEGRAL FAEF REGULAMENTO N. 001 /2015 REGULAMENTO GERAL DO NÚCLEO DE EXTENSÃO E AÇÃO COMUNITÁRIA NEACO DA FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR E FORMAÇÃO INTEGRAL FAEF GARÇA/SP Vanessa Zappa, Diretora da FACULDADE DE ENSINO

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Capítulo 8 Políticas de Atendimento aos Discentes

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Capítulo 8 Políticas de Atendimento aos Discentes PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL 2015 2019 Capítulo 8 Políticas de Atendimento aos Discentes Florianópolis Dezembro 2014 CAPÍTULO 8...8.1 POLÍTICAS DE ATENDIMENTO AOS DISCENTES...8.1 8.1 INGRESSO...8.1

Leia mais

EDITAL Nº 01/2016 NUCLEO DE ESTUDOS E DEFESA DE DIREITOS DA INFÂNCIA E DA JUVENTUDE NEDIJ PROGRAMA UNIVERSIDADE SEM FRONTEIRAS USF

EDITAL Nº 01/2016 NUCLEO DE ESTUDOS E DEFESA DE DIREITOS DA INFÂNCIA E DA JUVENTUDE NEDIJ PROGRAMA UNIVERSIDADE SEM FRONTEIRAS USF EDITAL Nº 01/2016 NUCLEO DE ESTUDOS E DEFESA DE DIREITOS DA INFÂNCIA E DA JUVENTUDE NEDIJ PROGRAMA UNIVERSIDADE SEM FRONTEIRAS USF SUBPROGRAMA INCUBADORA DOS DIREITOS SOCIAIS O Coordenador do NÚCLEO DE

Leia mais

Plano de Metas CRESS 20ª. Região MT 2014

Plano de Metas CRESS 20ª. Região MT 2014 Plano de Metas CRESS 20ª. Região MT 2014 Este plano registra objetivo, metas e as atividades a serem desenvolvidas pelo CRESS-20ª região, por meio de suas comissões Orientação e Fiscalização Profissional;

Leia mais

PROGRAMA LEITE GAÚCHO MANUAL OPERATIVO

PROGRAMA LEITE GAÚCHO MANUAL OPERATIVO PROGRAMA LEITE GAÚCHO MANUAL OPERATIVO PORTO ALEGRE, NOVEMBRO DE 2011 GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL TARSO GENRO SECRETÁRIO DE DESENVOLVIMENTO RURAL, PESCA E COOPERATIVISMO IVAR PAVAN DIRETOR

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO INTERNA NÚCLEO DE APOIO ÀS PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECÍFICAS NAPNE \CAMPUS BARREIRAS

REGULAMENTAÇÃO INTERNA NÚCLEO DE APOIO ÀS PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECÍFICAS NAPNE \CAMPUS BARREIRAS REGULAMENTAÇÃO INTERNA NÚCLEO DE APOIO ÀS PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECÍFICAS NAPNE \CAMPUS BARREIRAS Considerando o Termo de Acordo de Metas e Compromissos firmado entre a Rede Federal de Educação Profissional

Leia mais

Viver Belém - Rural. Zenaldo Coutinho Prefeito. João Cláudio Klauatau Guimarães Secretário Municipal de Habitação

Viver Belém - Rural. Zenaldo Coutinho Prefeito. João Cláudio Klauatau Guimarães Secretário Municipal de Habitação SEHAB SECRETARIA MUNICIPAL DE HABITAÇÃO Viver Belém - Rural Zenaldo Coutinho Prefeito João Cláudio Klauatau Guimarães Secretário Municipal de Habitação José Wilson Ribeiro de Oliveira Diretor Geral Objetivos

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA AVALIAÇÃO E DA INFORMAÇÃO NA ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL DE ESTUDANTES EM PROCESSO DE TOMADA DE DECISÃO

A IMPORTÂNCIA DA AVALIAÇÃO E DA INFORMAÇÃO NA ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL DE ESTUDANTES EM PROCESSO DE TOMADA DE DECISÃO A IMPORTÂNCIA DA AVALIAÇÃO E DA INFORMAÇÃO NA ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL DE ESTUDANTES EM PROCESSO DE TOMADA DE DECISÃO PASSOS, Huana Freire Cirilo, Universidade Federal da Paraíba, Discente colaborador,

Leia mais

ASSOCIAÇÃO INDÍGENA MASSACARÁ KAIMBÉ-AIMKA PROCESSO DE SELEÇÃO DE PESSOAL

ASSOCIAÇÃO INDÍGENA MASSACARÁ KAIMBÉ-AIMKA PROCESSO DE SELEÇÃO DE PESSOAL ASSOCIAÇÃO INDÍGENA MASSACARÁ KAIMBÉ-AIMKA CNPJ: 63.081.699/0001-81 EDITAL Ne 043 /2019 PROCESSO DE SELEÇÃO DE PESSOAL A Comissão Permanente de Seleção de Pessoal da Associação Indígena Massacará Kaimbé

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA

Leia mais

PORTARIA N DE 21 DE MAIO DE 2015

PORTARIA N DE 21 DE MAIO DE 2015 PORTARIA N 1.421 DE 21 DE MAIO DE 2015 O REITOR DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SERGIPE, no uso das atribuições que lhe confere a Lei nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008, em

Leia mais

São Paulo, 22 de novembro de 2013 Prédio da Faculdade de Medicina da USP - Av. Dr. Arnaldo, 455 Cerqueira César

São Paulo, 22 de novembro de 2013 Prédio da Faculdade de Medicina da USP - Av. Dr. Arnaldo, 455 Cerqueira César PROJETO REGIÃO OESTE Fundação Faculdade de Medicina São Paulo, 22 de novembro de 2013 Prédio da Faculdade de Medicina da USP - Av. Dr. Arnaldo, 455 Cerqueira César Agenda Institucional Projeto Região Oeste

Leia mais

ENFERMAGEM ATENÇÃO BÁSICA E SAÚDE DA FAMÍLIA. Parte 3. Profª. Lívia Bahia

ENFERMAGEM ATENÇÃO BÁSICA E SAÚDE DA FAMÍLIA. Parte 3. Profª. Lívia Bahia ENFERMAGEM ATENÇÃO BÁSICA E SAÚDE DA FAMÍLIA Parte 3 Profª. Lívia Bahia Atribuições comuns a todos os profissionais da Atenção Básica: Manter atualizado o cadastramento das famílias e dos indivíduos no

Leia mais

O SERVIÇO SOCIAL E SUAS CONTRIBUIÇOES NO PROJETO PATRONATO DE PARANAVAÍ: UMA APROXIMAÇÃO COM A TEMÁTICA

O SERVIÇO SOCIAL E SUAS CONTRIBUIÇOES NO PROJETO PATRONATO DE PARANAVAÍ: UMA APROXIMAÇÃO COM A TEMÁTICA ISSN 2359-1277 O SERVIÇO SOCIAL E SUAS CONTRIBUIÇOES NO PROJETO PATRONATO DE PARANAVAÍ: UMA APROXIMAÇÃO COM A TEMÁTICA Simone Xavier Amâncio, mony.amancio@hotmail.com; Erick Dawson de Oliveira, erickdawson@hotmail.com

Leia mais

Remoções em áreas de suposto risco. Os casos Estradinha (Tabajaras) e Prazeres

Remoções em áreas de suposto risco. Os casos Estradinha (Tabajaras) e Prazeres Remoções em áreas de suposto risco Os casos Estradinha (Tabajaras) e Prazeres Contexto: No dia 08 de abril, Eduardo Paes, Prefeito do Rio, afirma que vai realizar a remoção de 13 (treze) mil domicílios

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM GESTÃO EDUCACIONAL: REFLEXÕES TEÓRICO PRÁTICAS

ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM GESTÃO EDUCACIONAL: REFLEXÕES TEÓRICO PRÁTICAS ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM GESTÃO EDUCACIONAL: REFLEXÕES TEÓRICO PRÁTICAS Autor(a): Luanna Maria Beserra Filgueiras (1); Maria das Graças Soares (1); Jorismildo da Silva Dantas (2); Jorge Miguel Lima Oliveira

Leia mais