TEATRO TOMAZ DE FIGUEIREDO TOMAZ DE FIGUEIREDO TEATRO OBRAS COMPLETAS DE TOMAZ DE FIGUEIREDO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TEATRO TOMAZ DE FIGUEIREDO TOMAZ DE FIGUEIREDO TEATRO OBRAS COMPLETAS DE TOMAZ DE FIGUEIREDO"

Transcrição

1 CapaTomazFigueiredo TEATRO 5/14/03 3:19 PM Page 1 TOMAZ DE FIGUEIREDO OBRAS COMPLETAS DE TOMAZ DE FIGUEIREDO TOMAZ DE FIGUEIREDO TEATRO TEATRO A «exuberância barroca» da sua escrita dramatúrgica, aliada ao lirismo e, sobretudo, ao surrealismo, garantem a Tomaz de Figueiredo um lugar honroso na história do nosso teatro, ainda que, por agora, e graças a esta edição, todas as suas peças somente possam «vir à leitura». Mas o palco reclama-as para, quiçá, lhes limar arestas, pôr-lhes à prova as reais qualidades cénicas, e merecerem, assim, a ovação prolongada que lhes auguro. ANTÓNIO MANUEL COUTO VIANA INCM IMPRENSA NACIONAL -CASA DA MOEDA

2 TOMAZ DE FIGUEIREDO TEATRO Prefácio de ANTÓNIO MANUEL COUTO VIANA IMPRENSA NACIONAL-CASA DA MOEDA LISBOA 2003

3 Tomaz de Figueiredo foi, por três vezes, surpresa para o meu espírito. Conheci-o na intimidade dos meus, pelos estios da Ribeira- -Lima, eu adolescente, ele a roçar os quarenta. Muito pimpão da sua musculatura, como o observa José Régio, não o supunha um homem de letras, antes um atleta. Mas, em 1947, eis que dá à estampa A Toca do Lobo, que o consagrou romancista. Mas, em 1956, surge nos escaparates dos livreiros o livro de poesia Guitarra, que o consagra poeta. E, por fim, em 1965, o volume Teatro I revela-nos o dramaturgo de garra, com as peças A Rapariga da Lorena, O Visitador Extraordinário e A Barba do Menino Jesus. É certo que, tal como o poeta assomara, em 1927, nas folhas da revista presença, com um soneto lapidar, também o dramaturgo dera sinal de si, em 1942, nas páginas do jornal Acção, com um breve diálogo, O Embate, insuficiente para um juízo seguro sobre o valor do autor no género, a impor-se só anos mais tarde, com dois textos vanguardistas, na revista Tempo Presente: Os Lírios Brancos e O Visitador Extraordinário. De Teatro I, o destaque vai logo para A Rapariga da Lorena, construída em moldes clássicos, e onde o então problema da Argélia, desastrosamente resolvido pelo general Charles de Gaulle, serve de tema principal, com roupagem medieva, atraindo companhias teatrais, como a todo-poderosa Amélia Rey Collaço-Robles Monteiro, que, após prolongadas negociações com Tomaz de Figueiredo, acabou por não a levar à cena. (Este calvário sofrera-o, igualmente, José Régio, com aquele Jacob e o Anjo, que lhe é obra-prima.) 9

4 E aqui entro eu, de baraço ao pescoço; eu, que me propus, em 1971, quando tinha a meu cargo a direcção artística da Oficina de Teatro da Universidade de Coimbra, incluir A Rapariga da Lorena no repertório do agrupamento, juntamente com O Livro de Cristóvão Colombo, de Paul Claudel, e, com ambos, rumar, nesse ano, a Angola, à Madeira e aos Açores. Infelizmente, as dificuldades de montagem da obra claudeliana impossibilitaram que a alta espiritualidade desta se aliasse à acusação indignada à política francesa no norte africano, integrando momentos de extraordinária riqueza épica. E A Rapariga da Lorena, mais uma vez, não experimentou o tablado, como eu desejava, numa estreia a que o Tomaz, sempre aberto às iniciativas culturais juvenis, prometera assistir. Creio que, até hoje, apenas lhe conheceu a cena (e é notória a injustiça) o seu curto acto lírico A Barba do Menino Jesus, representado por Varela Silva, no papel de Velho, e Manuel Coelho, no papel de Visitante, com encenação de Varela Silva e cenário meu, no Teatro de São Luís, na noite festiva das comemorações do 25.º aniversário das Edições Verbo, já falecido o dramaturgo. Anos atrás, a RTP exibira-o na pequena pantalha, com os actores Luís Filipe e João Perry, sob a realização de Herlander Peyroteo, que tomou demasiado à letra o título da obra, fazendo o neto ostentar uma farta e espessa barba comprida. No entanto, o avô apenas sente a barba do neto, o seu Menino Jesus, quando o beija na despedida. Episódio comovedor, na evocação de um passado penoso e feliz do autor, tão densamente a perpassar nos seus romances e contos, agora num enredo dramático que dispensa acção, que supera a acção. 10

5 O mesmo realizador apresentou, no mesmo local, a farsa trágica, ou auto, ou alegoria (chamemos-lhe assim), O Visitador Extraordinário, onde um dos mais singulares bonecos de Tomaz, aqui nomeado O Figurão Obeso, grotesco burocrata, com largo desenvolvimento em tanta ficção do autor, orneia e escouceia em estúpida e brutal violência contra o sublime da Poesia, num papel a tentar qualquer actor famoso. Devo dizer que, de toda a criação dramatúrgica de Tomaz de Figueiredo, é O Visitador Extraordinário a receber o meu mais vibrante aplauso de leitor e de espectador. Creio ser com Os Lírios Brancos que Tomaz inicia a decidida incursão pelo nonsense, pela aventura surrealista, que não mais abandonará o seu teatro. Charge supina aos Importantes da nossa política e da nossa sociedade tecnocrata, com os seus tiques de linguagem e de pose, peca, talvez, por excessivamente palavrosa e repetitiva, embora dando largas a uma fantasia exuberante. Exemplo crescente de tais incursões e aventuras é a anedota delirante O Homem do Quiosque, «acontecimento em três actos», que pretendi encenar para a minha Companhia Nacional de Teatro, sediada no Teatro da Trindade, cujo repertório dependia da aprovação de um Conselho de Leitura da FNAT, proprietária da sala de espectáculos. Lamentavelmente, a peça foi achada inconveniente pelo Conselho e afastada das tábuas. Qual a causa da recusa? O facto de um dos seus bonecos, o Julião, o «Portentoso filho», alvar como toda a família, ser amigo e companheiro de borgas de um ministro! 11

6 De um ministro que o protegia e lhe achava graça. Intocáveis, os ministros dos Governos da época, embora não tivessem nome nem rosto. Revelei ao autor o absurdo da condenação. E ele tratou de solucionar o óbice, substituindo o ministro por um alto comissário e, até, o director-geral por um simples director. Mas só venho a descobrir estas emendas, agora, no original pronto para publicação! Infelizmente, Tomaz não me deu notícia desta sua cedência às exigências da Mesa Censória e O Homem do Quiosque deixou de fazer parte das minhas pretensões de empresário. Foi pena! No enredo da peça, avulta Cornélia, «a Filha Muito Inteligente», que o espectador/leitor reconhece na estupidez de «essa Judite», d A Gata Borralheira, caricatura feroz da solteirona metediça, sordidamente sovina, burlescamente ignorante e jactanciosa, assassina da beleza e do amor. É ela, com os seus «detesto» e os seus «eu cá acho», tão gabada pela mãe lorpa, julgando-a sempre um portento «em tudo o que se mete». É ela, ainda, a «mana Evarista» d A Noite das Oliveiras e a Maria Eufémia do conto hilariante Umas Horas Agradáveis ou Requiem para uma Infausta Defunta. Personagem de características tão vincadamente teatrais, recebe, quando Maria Eufémia, a comicidade do elogio fúnebre neste conto que, nas mãos de um encenador inteligente e artista, facilmente se poderá transformar em espectáculo. Garante-o a minha experiência de cena. 12

7 Também n A Nobre Cauda, que considero a peça de Tomaz mais surreal e inventiva, as habituais personagens de ficção do autor se transformam em bonecos teatrais, como o «Excelentíssimo Administrador Delegado» (vestira já a farpela do «Importante Grandioso de Melo», do «Figurão Obeso» e do «Austero Pai de Família»), com os seus berros, as suas grosserias, os seus palavrões e calinadas gramaticais, evoca um dos protagonistas d A Gata Borralheira, histérico pai de «essa Judite» trapalhona. Tomaz de Figueiredo, quer no seu teatro, quer na sua ficção, andou sempre à roda das mesmas figuras, dos mesmos fantasmas, dos mesmos bonecos que lhe dominaram a vida, o enterneceram ou desesperaram. Não sei como viriam a ser realizadas as duas obras Loiros de Morte ou, talvez, Quarto Minguante e O Morto e os Vivos, de que nos deixou os planos e alguns fragmentos de diálogo. Mas admito, pelas máscaras apontadas, que o dramaturgo iria continuar a divertir-se e a divertir-nos com a sátira costumada à família de títeres, às suas ambições, cobiças e asneiras. Curiosamente, O Morto e os Vivos trouxe-me à lembrança, no recurso ao retrato falante, aquele pequeno «esquisso teatral» (como lhe chamaria Fernando Amado) impresso in Acção. Concluindo a ligeireza deste comentário, direi que a «exuberância barroca» da sua escrita dramatúrgica, aliada ao lirismo e, sobretudo, ao surrealismo, como sabiamente lhe reconhece a autoridade analítica de Duarte Ivo Cruz, garantem a Tomaz de Figueiredo um lugar honroso na história do nosso teatro, ainda que, por agora, e graças a esta edição, todas as suas peças somente possam «vir à leitura». 13

8 Mas o palco reclama-as para, quiçá, lhes limar arestas, pôr- -lhes à prova as reais qualidades cénicas, e merecerem, assim, a ovação prolongada que lhes auguro. Casa da Pedra Funchal de Sintra Páscoa de 2003 ANTÓNIO MANUEL COUTO VIANA 14

9 ÍNDICE Prefácio, por ANTÓNIO MANUEL COUTO VIANA... 9 A RAPARIGA DA LORENA O VISITADOR EXTRAORDINÁRIO A BARBA DO MENINO JESUS OS LÍRIOS BRANCOS OU A SALVAÇÃO UNIVERSAL O HOMEM DO QUIOSQUE A NOBRE CAUDA O EMBATE LOIROS DE MORTE OU, TALVEZ, QUARTO MINGUANTE (fragmento) 373 O MORTO E OS VIVOS (fragmento) A propósito do teatro de Tomaz de Figueiredo (entrevista semi- -imaginária por MARIA ANTÓNIA DE FIGUEIREDO DE SANTOS LOUREIRO)

Em Roma: Surge como imitação do teatro grego (tragédia e comédia); Apogeu deu-se no séc. III-II a.c., com Plauto e Terêncio; Insere-se nos Jogos

Em Roma: Surge como imitação do teatro grego (tragédia e comédia); Apogeu deu-se no séc. III-II a.c., com Plauto e Terêncio; Insere-se nos Jogos O TEXTO DRAMÁTICO O teatro é a poesia que sai do livro e se faz humana. (Frederico García Lorca) Professor Luís Araújo 1 O que é o teatro? Uma das mais antigas expressões artísticas do Homem; Tem origem

Leia mais

Cara Professora, Caro Professor,

Cara Professora, Caro Professor, A olhinhos menina de rasgados Cara Professora, Caro Professor, Estamos oferecendo a você e a seus alunos um belo livro de narrativa A menina de olhinhos rasgados, do premiado autor mineiro Vanderlei Timóteo.

Leia mais

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro;

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro; EIXO TEMÁTICO: 1 TEXTO LITERÁRIO E NÃO LITERÁRIO 1) Analisar o texto em todas as suas dimensões: semântica, sintática, lexical e sonora. 1. Diferenciar o texto literário do não-literário. 2. Diferenciar

Leia mais

QUESTÃO 04 QUESTÃO 05

QUESTÃO 04 QUESTÃO 05 QUESTÃO 01 Arte abstrata é uma arte: a) que tem a intenção de representar figuras geométricas. b) que não pretende representar figuras ou objetos como realmente são. c) sequencial, como, por exemplo, a

Leia mais

ROMANTISMO PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS LITERÁRIAS

ROMANTISMO PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS LITERÁRIAS ROMANTISMO O Romantismo foi uma estética artística surgida no início do século XVIII, que provocou uma verdadeira revolução na produção literária da época. Retratando a força dos sentimentos, ela propôs

Leia mais

Clube de Teatro Escola EB - 2,3 de Perafita

Clube de Teatro Escola EB - 2,3 de Perafita 1 Clube de Teatro Escola EB - 2,3 de Perafita Ana Moreira, Coordenadora O Clube de Teatro da Escola E.B. 2,3 de Perafita apresentou-se em cena nos dias 21 e 24 de Maio, com o seu mais recente trabalho

Leia mais

SUPLEMENTO DE ATIVIDADES

SUPLEMENTO DE ATIVIDADES SUPLEMENTO DE ATIVIDADES NOME: N O : ESCOLA: SÉRIE: 1 Considerado um dos mais importantes escritores de todos os tempos, Edgar Allan Poe se inscreveu na história da literatura mundial com seu estilo inconfundível.

Leia mais

18 - A surpresa... 175 19 A fuga... 185 20 O atraso... 193 21 Vida sem máscaras... 197 22 - A viagem... 209 23 - A revelação...

18 - A surpresa... 175 19 A fuga... 185 20 O atraso... 193 21 Vida sem máscaras... 197 22 - A viagem... 209 23 - A revelação... Sumário Agradecimentos... 7 Introdução... 9 1 - Um menino fora do seu tempo... 13 2 - O bom atraso e o vestido rosa... 23 3 - O pequeno grande amigo... 35 4 - A vingança... 47 5 - O fim da dor... 55 6

Leia mais

Teatro O Santo e a Porca ( 1957)

Teatro O Santo e a Porca ( 1957) Modernismo Teatro O Santo e a Porca ( 1957) Biografia Ariano Suassuna (1927-2014) foi um escritor brasileiro. "O Auto da Compadecida", sua obra prima, foi adaptada para a televisão e para o cinema. Sua

Leia mais

Peça teatral Aldeotas : processos de criação e relações entre o teatro narrativo, a encenação e a voz cênica do ator Gero Camilo.

Peça teatral Aldeotas : processos de criação e relações entre o teatro narrativo, a encenação e a voz cênica do ator Gero Camilo. Peça teatral Aldeotas : processos de criação e relações entre o teatro narrativo, a encenação e a voz cênica do ator Gero Camilo. Palavras-chave: teatro narrativo; corpo vocal; voz cênica. É comum que

Leia mais

Em primeiro lugar, deverá encaixar a frase 2 dentro da frase 1, tal como nos exemplos seguintes:

Em primeiro lugar, deverá encaixar a frase 2 dentro da frase 1, tal como nos exemplos seguintes: CÓDIGO DE IDENTIFICAÇÃO Neste exercício deverá transformar conjuntos de duas frases numa frase apenas. Em primeiro lugar, deverá encaixar a frase 2 dentro da frase 1, tal como nos exemplos seguintes: 1)

Leia mais

ROMANTISMO NO BRASIL - PROSA

ROMANTISMO NO BRASIL - PROSA AULA 12 LITERATURA PROFª Edna Prado ROMANTISMO NO BRASIL - PROSA Na aula passada nós estudamos as principais características da poesia romântica no Brasil.Vimos o fenômeno das três gerações românticas:

Leia mais

de Let s do it (Let s Fall in Love)

de Let s do it (Let s Fall in Love) SINGLE SINGERS BAR ( ) Os alemães em Berlim, fazem Como em Amesterdão Em Bombaim fazem Em Goa, Diu e Damão Galegos, bascos, catalães fazem Em França, em São Francisco e em Guimarães fazem Façamos, amor

Leia mais

Formação de Português 2013/2014

Formação de Português 2013/2014 Formação de Português 2013/2014 Oficina de formação: Ler para compreender, interpretar, reagir e apreciar 6.ª sessão Objetivos do ensino da leitura de poesia Alimentar o gosto pela sonoridade da língua

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE CONCURSO VESTIBULAR

PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE CONCURSO VESTIBULAR PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE CONCURSO VESTIBULAR T E A T R O LEIA COM ATENÇÃO 01. Ao receber este caderno de prova verifique se contém 20 questões. Caso contrário, reclame ao fiscal da sala

Leia mais

O FIM ÓPERA ÍNTIMA de Carlos Marecos, sobre «O Fim, "história dramática" em 2 quadros», de António Patrício (1878-1930)

O FIM ÓPERA ÍNTIMA de Carlos Marecos, sobre «O Fim, história dramática em 2 quadros», de António Patrício (1878-1930) O FIM ÓPERA ÍNTIMA O FIM ÓPERA ÍNTIMA de Carlos Marecos, sobre «O Fim, "história dramática" em 2 quadros», de António Patrício (1878-1930) Música Carlos Marecos Libreto e Encenação Paulo Lages Direcção

Leia mais

I Mostra de teatro infantil no Teatro Glaucio Gil agita as férias no Rio

I Mostra de teatro infantil no Teatro Glaucio Gil agita as férias no Rio I Mostra de teatro infantil no Teatro Glaucio Gil agita as férias no Rio I Mostra de Teatro Infantil para toda a Familia promete animar as férias de janeiro, trazendo peças consagradas e uma estreia nacional,

Leia mais

Leitores arteiros e seus respeitáveis fantoches

Leitores arteiros e seus respeitáveis fantoches Leitores arteiros e seus respeitáveis fantoches Anderson Gomes Universidade Positivo Manter conversas on-line em ambientes virtuais ou ler um livro? Jogar vídeo-game ou debruçar-se sobre a literatura?

Leia mais

Reflexões de Fernando Peixoto sobre o texto teatral Caminho de Volta (Consuelo de Castro)

Reflexões de Fernando Peixoto sobre o texto teatral Caminho de Volta (Consuelo de Castro) Reflexões de Fernando Peixoto sobre o texto teatral Caminho de Volta (Consuelo de Castro) Victor Miranda Macedo Rodrigues Universidade Federal de Uberlândia Orientadora: Rosangela Patriota Ramos O escritor,

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Sobre Fernando Pessoa

APRESENTAÇÃO. Sobre Fernando Pessoa SUMÁRIO APRESENTAÇÃO Sobre Fernando Pessoa... 7 Ricardo Reis, o poeta clássico... 21 ODES DE RICARDO REIS... 29 CRONOLOGIA... 170 ÍNDICE DE POEMAS... 175 5 6 APRESENTAÇÃO Sobre Fernando Pessoa Falar de

Leia mais

Entrevista sobre o Programa Pica

Entrevista sobre o Programa Pica Entrevista sobre o Programa Pica Ficha de Identificação Nome: Artur Ribeiro Cargo/Função: Co-Argumenista Programa: Pica Questões 1. Qualidade - Na sua opinião, o que pode ser considerado qualidade em televisão

Leia mais

1 - Como o Teatro entrou na sua vida?

1 - Como o Teatro entrou na sua vida? 1 - Como o Teatro entrou na sua vida? Lá pelos idos da década de sessenta (1961...), eu chegava à São Paulo com uma mala velha de couro repleta de sonhos, fantasias muitas e esperanças tantas... Lá encontrei

Leia mais

LEITURA ORIENTADA NA SALA DE AULA

LEITURA ORIENTADA NA SALA DE AULA LEITURA ORIENTADA NA SALA DE AULA UMA AVENTURA NO PALÁCIO DA PENA COLEÇÃO UMA AVENTURA ATIVIDADES PROPOSTAS Leitura de um capítulo por aula; Preenchimento de fichas de trabalho; Correção das fichas no

Leia mais

Entre 1940 a 1960, uma coleção de romances intitulada Biblioteca

Entre 1940 a 1960, uma coleção de romances intitulada Biblioteca I M A G E M N O B R A S I L COM A PALAVRA, AS IMAGENS! representações do feminino nas capas dos romances da Biblioteca das Moças (1940-1960) Maria Teresa Santos Cunha Entre 1940 a 1960, uma coleção de

Leia mais

...Divertido e lúdico, com cenas de pura poesia circense. JORNAL O GLOBO / REVISTA RIO SHOW

...Divertido e lúdico, com cenas de pura poesia circense. JORNAL O GLOBO / REVISTA RIO SHOW APRESENTA ...Divertido e lúdico, com cenas de pura poesia circense. JORNAL O GLOBO / REVISTA RIO SHOW ...Surpreendente a forma como, magnetizada a platéia assiste à peça... CLASSIFICAÇÃO REVISTA VEJA

Leia mais

Currículo Referência em Teatro Ensino Médio

Currículo Referência em Teatro Ensino Médio Currículo Referência em Teatro Ensino Médio 1º ANO - ENSINO MÉDIO Objetivos Conteúdos Expectativas Investigar, analisar e contextualizar a história do Teatro compreendendo criticamente valores, significados

Leia mais

PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE

PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE 1. JUSTIFICATIVA A região do Baixo Tocantins apresenta-se na área cultural e artística, é um grande celeiro de talentos, que vem enraizado culturalmente em nosso povo,

Leia mais

O ENSINO DE LITERATURA NO ENSINO MÉDIO: UMA TENTATIVA DE ALIAR O CONHECIMENTO AO PRAZER DA LEITURA.

O ENSINO DE LITERATURA NO ENSINO MÉDIO: UMA TENTATIVA DE ALIAR O CONHECIMENTO AO PRAZER DA LEITURA. O ENSINO DE LITERATURA NO ENSINO MÉDIO: UMA TENTATIVA DE ALIAR O CONHECIMENTO AO PRAZER DA LEITURA. JULIANA SYLVESTRE DA SILVA CESILA (UNICAMP). Resumo O desafio do professor de colocar o aluno em contato

Leia mais

Content Area Grade Quarter Língua Portuguesa 6ª Serie Unidade I

Content Area Grade Quarter Língua Portuguesa 6ª Serie Unidade I Content Area Grade Quarter Língua 6ª Serie Unidade I Texto: parágrafos: descritivo/comparativo; reconto; resenha crítica, anedota, cartum, revista em quadrinhos Linguística: comunicação: elementos/códigos;

Leia mais

LER a partir dos 8 anos GUIA DE LEITURA MARIAALZIRACABRAL. O livro qu e. só queria. ser lido JOSÉ JORGE LETRIA. Ilustrações de Daniel Silva

LER a partir dos 8 anos GUIA DE LEITURA MARIAALZIRACABRAL. O livro qu e. só queria. ser lido JOSÉ JORGE LETRIA. Ilustrações de Daniel Silva LER a partir dos 8 anos GUIA DE LEITURA MARIAALZIRACABRAL O livro qu e só queria ser lido JOSÉ JORGE LETRIA Ilustrações de Daniel Silva Apresentação da obra Esta é a história de um livro triste. Triste

Leia mais

O Pintor da Vida moderna

O Pintor da Vida moderna Charles Baudelaire O Pintor da Vida moderna concepção e organização Jérôme Dufilho e Tomaz Tadeu tradução e notas Tomaz Tadeu Copyright da tradução e das notas 2010 Tomaz Tadeu Copyright das imagens das

Leia mais

Lição 2 Por que Necessitamos de Perdão? Lição 1 Nosso Pai é um Deus Perdoador. A Bênção pelo Perdão. A Bênção pelo Perdão

Lição 2 Por que Necessitamos de Perdão? Lição 1 Nosso Pai é um Deus Perdoador. A Bênção pelo Perdão. A Bênção pelo Perdão Lição 1 Nosso Pai é um Deus Perdoador 1. Você já fugiu de casa? Para onde foi? O que aconteceu? 2. Qual foi a maior festa que sua família já celebrou? Explique. 3. Você é do tipo mais caseiro, ou gosta

Leia mais

Espetáculo Números de circo um espetáculo para crianças Grupo Os Geraldos

Espetáculo Números de circo um espetáculo para crianças Grupo Os Geraldos Espetáculo Números de circo um espetáculo para crianças Grupo Os Geraldos O espetáculo Números de circo um espetáculo para crianças, que completa dois anos de circulação em abril de 2013, nasceu de uma

Leia mais

Aula 13.2 Conteúdo: O Quinhentismo: os jesuítas e o trabalho missionário INTERATIVIDADE FINAL LÍNGUA PORTUGUESA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA

Aula 13.2 Conteúdo: O Quinhentismo: os jesuítas e o trabalho missionário INTERATIVIDADE FINAL LÍNGUA PORTUGUESA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA Aula 13.2 Conteúdo: O Quinhentismo: os jesuítas e o trabalho missionário Habilidades: Conhecer o trabalho missionário jesuítico na figura de seu principal mentor: Padre José de Anchieta Revisão 1º Período

Leia mais

COMPANHIADEACTORES ATELIER DE EXPRESSÃO ARTÍSTICA

COMPANHIADEACTORES ATELIER DE EXPRESSÃO ARTÍSTICA COMPANHIADEACTORES ATELIER DE EXPRESSÃO ARTÍSTICA em LISBOA ESPECTÁCULO FINAL 28 de Junho de 2006 Página 1/7 COMPANHIADEACTORES ATELIER DE EXPRESSÃO ARTÍSTICA Juvenil Local: TEATRO DO CAMPO ALEGRE PORTO

Leia mais

É O AMOR, de João Canijo

É O AMOR, de João Canijo É O AMOR, de João Canijo por Daniel Ribas Da experiência do amor: um filme-processo Em 2012, o festival de cinema Curtas Vila do Conde organizou o Campus / Estaleiro, um intenso programa com estudantes

Leia mais

ANABELA. procura e acha mais do que procura. Cara Professora, Caro Professor,

ANABELA. procura e acha mais do que procura. Cara Professora, Caro Professor, ANABELA procura e acha mais do que procura Cara Professora, Caro Professor, Primeiramente, queremos expressar nossa alegria por você ter sugerido ou estar pensando em sugerir um livro de teatro, para leitura

Leia mais

Programacao. programacao de aniversario

Programacao. programacao de aniversario Programacao programacao de aniversario Teatro de Tabuas comemora 13 anos com temporada em Campinas Duas estruturas itinerantes estarao em atividade O grupo Teatro de Tábuas, sediado na cidade de Campinas,

Leia mais

Testemunha 4. Sinopse. Apresentação. Rio de Janeiro, Brasil 2011 documentário 70 min HD cor

Testemunha 4. Sinopse. Apresentação. Rio de Janeiro, Brasil 2011 documentário 70 min HD cor Testemunha 4 Rio de Janeiro, Brasil 2011 documentário 70 min HD cor Sinopse Uma personagem, uma atriz e o passar das horas em um interrogatório do Holocausto. Apresentação O documentário acompanha a trajetória

Leia mais

REITORIA DA UNIVERSIDADE DE LISBOA - SALÃO NOBRE

REITORIA DA UNIVERSIDADE DE LISBOA - SALÃO NOBRE REITORIA DA UNIVERSIDADE DE LISBOA - SALÃO NOBRE 23, 24 E 25 DE ABRIL. 18h30 Entrada livre PROGRAMA 23 ABRIL 18h 30 - Quem é Ricardo de José Barahona 19h 15 48 de Susana Sousa Dias 24 ABRIL 18h 30 - Antes

Leia mais

AS TRÊS EXPERIÊNCIAS

AS TRÊS EXPERIÊNCIAS Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 8 Ọ ANO EM 2014 Disciplina: PoRTUGUÊs Prova: desafio nota: Texto para as questões de 1 a 7. AS TRÊS EXPERIÊNCIAS Há três coisas para

Leia mais

O DIREITO ÀS MEMÓRIAS NEGRAS E A OUTRAS HISTÓRIAS : AS COLEÇÕES DO JORNAL O EXEMPLO. Maria Angélica Zubaran

O DIREITO ÀS MEMÓRIAS NEGRAS E A OUTRAS HISTÓRIAS : AS COLEÇÕES DO JORNAL O EXEMPLO. Maria Angélica Zubaran O DIREITO ÀS MEMÓRIAS NEGRAS E A OUTRAS HISTÓRIAS : AS COLEÇÕES DO JORNAL O EXEMPLO Maria Angélica Zubaran Sabemos que, no âmbito das ciências humanas, a memória está relacionada aos processos da lembrança

Leia mais

A DRAMATURGIA NO ATO TEATRAL

A DRAMATURGIA NO ATO TEATRAL A DRAMATURGIA NO ATO TEATRAL Calixto de Inhamuns A palavra dramaturgia, usando a pesquisa do mestre Alexandre Mate, nasce de drama (sentido conotativo de) ação e tourgia (sentido de trabalho, de tecimento),

Leia mais

ENTREVISTA CONCEDIDA AO ESCRITOR FLÁVIO IZHAKI Realizada em 21.VII.08 A PROPÓSITO DE RETRATO DESNATURAL (diários 2004 a 2007) Evando Nascimento

ENTREVISTA CONCEDIDA AO ESCRITOR FLÁVIO IZHAKI Realizada em 21.VII.08 A PROPÓSITO DE RETRATO DESNATURAL (diários 2004 a 2007) Evando Nascimento ENTREVISTA CONCEDIDA AO ESCRITOR FLÁVIO IZHAKI Realizada em 21.VII.08 A PROPÓSITO DE RETRATO DESNATURAL (diários 2004 a 2007) Evando Nascimento Renomado professor universitário, autor de títulos de não

Leia mais

As suas principais obras

As suas principais obras Cena do Fidalgo Gil Vicente nasceu na cidade de Guimarães em 1466. É considerado o primeiro grande dramaturgo português, além de poeta. Enquanto homem de teatro, parece ter também desempenhado as tarefas

Leia mais

Cabra macho e cidadão do mundo

Cabra macho e cidadão do mundo Cabra macho e cidadão do mundo Uma poesia antilírica, dirigida ao intelecto, mais presa à realidade objetiva do poema enquanto criação; Cronologicamente pertence à geração de 45, mas dela se afasta pela

Leia mais

Da sala de aula à sala de ensaio: uma proposta para a formação do professor de teatro

Da sala de aula à sala de ensaio: uma proposta para a formação do professor de teatro Da sala de aula à sala de ensaio: uma proposta para a formação do professor de teatro Ricardo Carvalho de Figueiredo Universidade Federal de Minas Gerais Professor Assistente Doutorando em Artes EBA/UFMG

Leia mais

PROJETO DE LEITURA A PEDRA NO SAPATO DO HERÓI ORÍGENES LESSA INTENÇÃO: INSTIGAR A CURIOSIDADE E AMPLIAR O REPERTÓRIO DO ALUNO

PROJETO DE LEITURA A PEDRA NO SAPATO DO HERÓI ORÍGENES LESSA INTENÇÃO: INSTIGAR A CURIOSIDADE E AMPLIAR O REPERTÓRIO DO ALUNO PARTE 1 PROJETO DE LEITURA A PEDRA NO SAPATO DO HERÓI ORÍGENES LESSA PRÉ-LEITURA ATIVIDADES ANTERIORES À LEITURA INTENÇÃO: INSTIGAR A CURIOSIDADE E AMPLIAR O REPERTÓRIO DO ALUNO 1. Conhecendo o autor...

Leia mais

Veja São Paulo. Guia da Folha

Veja São Paulo. Guia da Folha Veja São Paulo Guia da Folha A companhia Solas de Vento estréia seu primeiro espetáculo para o publico infantil com direção de Carla Candiotto, uma adaptação livre do famoso romance de Julio Verne. Release:

Leia mais

José Eduardo Agualusa

José Eduardo Agualusa José Eduardo Agualusa entrevista Direitos Reservados «A linguagem num livro para crianças deve ser o mais rica possível e inteligente, porque as crianças são mais inteligentes que os adultos» Mariana Sim-Sim

Leia mais

Home Page : www.barralink.com.br/teatro e-mail : teatro@barralink.com.br ÍNDICE

Home Page : www.barralink.com.br/teatro e-mail : teatro@barralink.com.br ÍNDICE Home Page : www.barralink.com.br/teatro e-mail : teatro@barralink.com.br ÍNDICE TEATRO ESPÍRITA... 2 A VISÃO GERAL... 2 EXERCÍCIOS TEATRAIS DRAMATICIDADE COM ESPIRITUALIDADE... 2 DIREÇÃO TEATRAL... 3 O

Leia mais

Olhar de Novo. Espetáculo de Teatro Fórum sobre bullying. Dirigido ao ensino secundário. 35.ª produção Baal17 Companhia de teatro

Olhar de Novo. Espetáculo de Teatro Fórum sobre bullying. Dirigido ao ensino secundário. 35.ª produção Baal17 Companhia de teatro Olhar de Novo Espetáculo de Teatro Fórum sobre bullying Dirigido ao ensino secundário 35.ª produção Baal17 Companhia de teatro Olhar de Novo - Sinopse e ficha técnica Na vida, como no Facebook, os gostos

Leia mais

Língua Portuguesa. 1º ano. Unidade 1

Língua Portuguesa. 1º ano. Unidade 1 Língua Portuguesa 1º ano Unidade 1 Linguagem Linguagem, língua, fala Unidade 4 - capítulo 12 Linguagem verbal e não verbal Unidade 4 - capítulo 12 e 13 Signo linguístico Unidade 4 - capítulo 12 Denotação

Leia mais

Atividades - O Hino Nacional Brasileiro

Atividades - O Hino Nacional Brasileiro Atividades - O Hino Nacional Brasileiro Educador, o projeto a seguir é sobre música. A proposta consiste em uma série de procedimentos para o trabalho de interpretação do Hino Nacional Brasileiro. Para

Leia mais

D E D I C A T Ó R I A

D E D I C A T Ó R I A DEDICATÓRIA Qual será então minha recompensa, Tito, se alivio tua pena e se apaziguo o tormento que te faz sofrer? Pois me é permitido, não é mesmo, Ático?, dirigirme a ti com os mesmos versos que os dirigidos

Leia mais

EXPLORANDO A OBRA (ALUNOS SENTADOS EM CÍRCULO)

EXPLORANDO A OBRA (ALUNOS SENTADOS EM CÍRCULO) Explorando a obra EXPLORANDO A OBRA (ALUNOS SENTADOS EM CÍRCULO) INTRODUÇÃO Antes da leitura Peça para que seus alunos observem a capa por alguns instantes e faça perguntas: Qual é o título desse livro?

Leia mais

CURRÍCULOS 2015/2016

CURRÍCULOS 2015/2016 CURRÍCULOS 2015/2016 Ensino Regular Departamento: Línguas Disciplina: Português Ano de Escolaridade: 10º ano 1.º Período Aulas Previstas: +/- 54 Conteúdos Programáticos: Unidade 0 Diagnóstico e Projeto

Leia mais

Romeu e Julieta na poesia de José Saramago: uma lição de rebeldia 1

Romeu e Julieta na poesia de José Saramago: uma lição de rebeldia 1 Romeu e Julieta na poesia de José Saramago: uma lição de rebeldia 1 BORGES, Suellen (G. Letras/UNIOESTE). CHAVES, Regina (G. Letras/UNIOESTE). SIBIN, Elisabete Arcalá (Mstª Orient. Letras/UNIOESTE). RESUMO:

Leia mais

Xixi na Cama. Cara Professora, Caro Professor,

Xixi na Cama. Cara Professora, Caro Professor, Xixi na Cama Cara Professora, Caro Professor, Estamos oferecendo a você e a seus alunos mais um livro da coleção Revoluções: Xixi na Cama, do autor mineiro Drummond Amorim. Junto com a obra, estamos também

Leia mais

JORNAL DA EREBAS. Editorial. Quem foi Vergílio Ferreira? Lançamento do JORNAL DA EREBAS!

JORNAL DA EREBAS. Editorial. Quem foi Vergílio Ferreira? Lançamento do JORNAL DA EREBAS! 1 JORNAL DA EREBAS (Escola de Referência para a Educação Bilingue de Alunos Surdos) V O L U M E 1, E D I Ç Ã O 1 I 6 D E Z E M B R O 2 0 1 5 Trimestral JORNAL DA EREBAS Escola Secundária Vergílio Ferreira

Leia mais

Mateus 4, 1-11. Respondeu-lhe Jesus: «Vai-te, Satanás, pois está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a Ele prestarás culto.

Mateus 4, 1-11. Respondeu-lhe Jesus: «Vai-te, Satanás, pois está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a Ele prestarás culto. Mateus 4, 1-11 Respondeu-lhe Jesus: «Vai-te, Satanás, pois está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a Ele prestarás culto.». Este caminho de 40 dias de jejum, de oração, de solidariedade, vai colocar-te

Leia mais

Dalcídio Jurandir inspira projeto teatral Por Luciana Medeiros, colaboradora do Guiart

Dalcídio Jurandir inspira projeto teatral Por Luciana Medeiros, colaboradora do Guiart Dalcídio Jurandir inspira projeto teatral Por Luciana Medeiros, colaboradora do Guiart Ponta de Pedras, ilha do Marajó, Pará, 10 de janeiro de 1909. Nasce ali e naquela data uma das maiores expressões

Leia mais

2010 PRÊMIO CORUJA DO SERTÃO 2ª FASE - REDAÇÃO

2010 PRÊMIO CORUJA DO SERTÃO 2ª FASE - REDAÇÃO 2010 PRÊMIO CORUJA DO SERTÃO 2ª FASE - REDAÇÃO NOME: Jaguarari, outubro de 2010. CADERNO DO 6º E 7º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 2010 Numa carta de Papai Noel destinada às crianças, ele comunica que não será

Leia mais

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL 1. TÍTULO DO PROGRAMA As histórias do Senhor Urso. 2. EPISÓDIO TRABALHADO "A peça". 3. SINOPSE DO EPISÓDIO ESPECÍFICO Em um dia de verão, os brinquedos aproveitam o sol

Leia mais

PROPOSTA PEDAGÓGICA. Elaborada por Ana Carolina Carvalho

PROPOSTA PEDAGÓGICA. Elaborada por Ana Carolina Carvalho PROPOSTA PEDAGÓGICA Elaborada por Ana Carolina Carvalho PROPOSTA PEDAGÓGICA Crianças do Brasil Suas histórias, seus brinquedos, seus sonhos elaborada por ANA CAROLINA CARVALHO livro de JOSÉ SANTOS ilustrações

Leia mais

Anjo Emprestado. Cristina Magalhães

Anjo Emprestado. Cristina Magalhães Anjo Emprestado Cristina Magalhães [uma chancela do grupo LeYa] Rua Cidade de Córdova, n. 2-2610 -038 Alfragide http://caderno.leya.com caderno@leya.pt 2011, Cristina Magalhães Todos os direitos reservados.

Leia mais

Para pensar o. livro de imagens. Para pensar o Livro de imagens

Para pensar o. livro de imagens. Para pensar o Livro de imagens Para pensar o livro de imagens ROTEIROS PARA LEITURA LITERÁRIA Ligia Cademartori Para pensar o Livro de imagens 1 1 Texto visual Há livros compostos predominantemente por imagens que, postas em relação,

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia

Universidade Federal de Uberlândia PRIMEIRA QUESTÃO A) É importante que o candidato ressalte o fato de que, na ilha, a princípio, tudo é eletivo : cabe aos indivíduos escolher os seus papéis. Esta liberdade da constituição do sujeito deve

Leia mais

Natal é palavra eletrizante. Natal é palavra de doce harmonia para nosso coração. Quantas belas lembranças evocam à nossa mente!

Natal é palavra eletrizante. Natal é palavra de doce harmonia para nosso coração. Quantas belas lembranças evocam à nossa mente! Círculo de Casais - Dirigentes: Abel e Lourdinha Passos Paróquia são Francisco Xavier Niterói RJ 19/12/03 Comentarista: Chegou o Natal! Natal é palavra eletrizante. Natal é palavra de doce harmonia para

Leia mais

Amar Dói. Livro De Poesia

Amar Dói. Livro De Poesia Amar Dói Livro De Poesia 1 Dedicatória Para a minha ex-professora de português, Lúcia. 2 Uma Carta Para Lúcia Querida professora, o tempo passou, mas meus sonhos não morreram. Você foi uma pessoa muito

Leia mais

ROMANTISMO EM PORTUGAL E NO BRASIL

ROMANTISMO EM PORTUGAL E NO BRASIL AULA 10 LITERATURA PROFª Edna Prado ROMANTISMO EM PORTUGAL E NO BRASIL I - CONTEXTO HISTÓRICO Na aula passada nós estudamos as principais características do Romantismo e vimos que a liberdade era a mola

Leia mais

Conto n.o 5: A minha mãe é a Iemanjá 24.07.12. Ele ficava olhando o mar, horas se o deixasse. Ele só tinha cinco anos.

Conto n.o 5: A minha mãe é a Iemanjá 24.07.12. Ele ficava olhando o mar, horas se o deixasse. Ele só tinha cinco anos. Contos Místicos 1 Contos luca mac doiss Conto n.o 5: A minha mãe é a Iemanjá 24.07.12 Prefácio A história: esta história foi contada por um velho pescador de Mongaguá conhecido como vô Erson. A origem:

Leia mais

Doutores da Alegria Arte, Formação e Desenvolvimento

Doutores da Alegria Arte, Formação e Desenvolvimento A organização Doutores da Alegria Arte, Formação e Desenvolvimento informa aos interessados os procedimentos para o envio de projetos artísticos para a programação de 2014 do projeto Plateias Hospitalares

Leia mais

Texto a ser submetido ao Prêmio VivaLeitura 2014 UM OLHAR NEGRO: RELATO DA EXPERIÊNCIA DO PONTO DE CULTURA SANTA BÁRBARA

Texto a ser submetido ao Prêmio VivaLeitura 2014 UM OLHAR NEGRO: RELATO DA EXPERIÊNCIA DO PONTO DE CULTURA SANTA BÁRBARA Texto a ser submetido ao Prêmio VivaLeitura 2014 UM OLHAR NEGRO: RELATO DA EXPERIÊNCIA DO PONTO DE CULTURA SANTA BÁRBARA JUSTIFICATIVA Desde 1996, o trabalho social voluntário, voltado para crianças e

Leia mais

Aldeia de Santa Margarida

Aldeia de Santa Margarida Aldeia de Santa Margarida Agenda Cultural Cultural Edição Especial - Nov Dez 2013 Agenda Cultural Propriedade: Junta de Freguesia de Aldeia de Santa Margarida Edição Especial Nov. Dez. 2013 Distribuição

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

DISTRIBUIÇÃO GRATUITA A IMPORTÂNCIA DAS OBRAS DE FÉ William Soto Santiago Cayey Porto Rico 16 de Março de 2011 Reverendo William Soto Santiago, Ph. D. CENTRO DE DIVULGAÇÃO DO EVANGELHO DO REINO http://www.cder.com.br E-mail:

Leia mais

TROCANDO IDEIAS SOBRE A OBRA

TROCANDO IDEIAS SOBRE A OBRA Ideias sobre a obra TROCANDO IDEIAS SOBRE A OBRA (ALUNOS SENTADOS EM CÍRCULO) INTRODUÇÃO Qual é o nome do autor da obra? Quem é o ilustrador? Em que página há informações sobre o autor e o ilustrador?

Leia mais

Revista HISTEDBR On-line

Revista HISTEDBR On-line da dissertação de mestrado: CORRÊA, Roselâine Casanova. Vida Cultural em Santa Maria: O caso da Escola de Teatro Leopoldo Fróes (1943-1983). Dissertação (Mestrado). PUC Rio Grande do Sul. Porto Alegre

Leia mais

O teatro lírico de Hilda Hilst

O teatro lírico de Hilda Hilst O teatro lírico de Hilda Hilst Cristyane Batista LEAL (FL/CAPES) cristyaneleal@hotmail.com Solange Fiúza Cardoso YOKOZAWA (Orientadora) solyokozawa@bol.com.br Palavras-chave: Teatro Hilda Hilst drama lírico

Leia mais

A VIAGEM DO PAI NATAL AOS AÇORES

A VIAGEM DO PAI NATAL AOS AÇORES ANA ISABEL FERREIRA A VIAGEM DO PAI NATAL AOS AÇORES Teatro Para Crianças Ilustrações de Michael J:iudêc,..Letrasa...,ava as edições FICHA TÉCNICA Título - A Viagem do Pai Natal aos Açores Edição - Letras

Leia mais

GUARDAS DE BELO HORIZONTE USAM TAPA-OUVIDOS

GUARDAS DE BELO HORIZONTE USAM TAPA-OUVIDOS CLUBE EDUCACIONAL GESTAR NA ESCOLA TRAJETÓRIA II Atividades da I Unidade 7º ano / 6ª série António Manuel Couto Viana (poeta português). Versos de palmo e meio (1994). (Fragmento). Questão 1 - A expressão

Leia mais

Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo

Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo Autora: Tell Aragão Personagens: Carol (faz só uma participação rápida no começo e no final da peça) Mãe - (só uma voz ela não aparece) Gigi personagem

Leia mais

Feito de Barro para uma Cultura Viva 1. Anderson Alves de MORAIS 2 Iraê Pereira MOTA 3 Faculdade do Vale do Ipojuca, Caruaru, PE.

Feito de Barro para uma Cultura Viva 1. Anderson Alves de MORAIS 2 Iraê Pereira MOTA 3 Faculdade do Vale do Ipojuca, Caruaru, PE. Feito de Barro para uma Cultura Viva 1 Anderson Alves de MORAIS 2 Iraê Pereira MOTA 3 Faculdade do Vale do Ipojuca, Caruaru, PE. RESUMO: Este paper tem como objetivo relatar o processo de produção de um

Leia mais

... QUE EU DIMINUA E CRISTO CRESÇA NOS CORAÇÕES! Portifólio

... QUE EU DIMINUA E CRISTO CRESÇA NOS CORAÇÕES! Portifólio ... QUE EU DIMINUA E CRISTO CRESÇA NOS CORAÇÕES! Portifólio Projeto AtendA Cristo Atendendo o chamado de amor! Na busca de levar o amor de Cristo a todas as pessoas, foi que nasceu o Projeto AtendA Cristo,

Leia mais

DEZ lugares para reviver Os Maias em Lisboa Clique aqui para ver a notícia no site

DEZ lugares para reviver Os Maias em Lisboa Clique aqui para ver a notícia no site Editora Zahar Veículo: Sites Data: 27/06/2014 Tópico: Institucional Página: 00:00:00 Editoria: Saraiva Conteúdo 1 / 1 DEZ lugares para reviver Os Maias em Lisboa Clique aqui para ver a notícia no site

Leia mais

O MEDO: TEMAS TABU NAS AULAS DE TEATRO COM CRIANÇAS DE CINCO ANOS

O MEDO: TEMAS TABU NAS AULAS DE TEATRO COM CRIANÇAS DE CINCO ANOS O MEDO: TEMAS TABU NAS AULAS DE TEATRO COM CRIANÇAS DE CINCO ANOS Ricardo Augusto Santos de Oliveira ricktchen@gmail.com UNIGAP Especialização em Educação Infantil Comunicação Relato de Experiência Resumo:

Leia mais

A diferença entre charge, cartum, tirinha e caricatura

A diferença entre charge, cartum, tirinha e caricatura A diferença entre charge, cartum, tirinha e caricatura É essencial que todo vestibulando saiba diferenciar e interpretar charges, cartuns, tirinhas e caricaturas. Dessa forma buscarei elucidar as semelhanças

Leia mais

A Corte Chegou Cândida Vilares e Vera Vilhena PROJETO DE LEITURA. Ficha Autoras: Romance histórico. As autoras A vivência como professoras

A Corte Chegou Cândida Vilares e Vera Vilhena PROJETO DE LEITURA. Ficha Autoras: Romance histórico. As autoras A vivência como professoras A Corte Chegou Cândida Vilares e Vera Vilhena PROJETO DE LEITURA 1 As autoras A vivência como professoras foi a base de trabalho das autoras. Na sala de aula, puderam conviver com a realidade de leitura

Leia mais

A Participação Cívica dos Jovens

A Participação Cívica dos Jovens A Participação Cívica dos Jovens 2 Parlamento dos Jovens 2009 Nos dias 25 e 26 de Maio de 2009, realizou-se em Lisboa, no Palácio de São Bento, a Sessão Nacional do Parlamento dos Jovens 2009 do Ensino

Leia mais

A PREENCHER PELO ALUNO

A PREENCHER PELO ALUNO Prova Final do 1.º e do 2.º Ciclos do Ensino Básico PLNM (A2) Prova 43 63/2.ª Fase/2015 Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho A PREENCHER PELO ALUNO Nome completo Documento de identificação Assinatura

Leia mais

ANALISAR OBJECTOS ARTÍSTICOS

ANALISAR OBJECTOS ARTÍSTICOS ANALISAR OBJECTOS ARTÍSTICOS Um dos aspectos essenciais à história da arte, à antropologia e à museologia, a análise de objectos artísticos e antropológicos é o tema deste workshop em 10 sessões, orientado

Leia mais

DEDICATÓRIA. Dedico esta obra a todos os leitores de Uma. Incrível História Euro-Americana no período em

DEDICATÓRIA. Dedico esta obra a todos os leitores de Uma. Incrível História Euro-Americana no período em DEDICATÓRIA Dedico esta obra a todos os leitores de Uma Incrível História Euro-Americana no período em que esta foi postada no blog Dexaketo, tornando-a o folhetim mais lido na história do blog até meados

Leia mais

António Manuel Couto Viana

António Manuel Couto Viana António Manuel Couto Viana Entrevistado por Maria Augusta Silva AGOSTO 2004 Nasceu (1923) em Viana do Castelo, filho de pai português e mãe espanhola. Inesgotável a aventura poética, pujante, de António

Leia mais

TEMPOS DE SOLIDÃO. Jó 23:8-11

TEMPOS DE SOLIDÃO. Jó 23:8-11 TEMPOS DE SOLIDÃO Jó 23:8-11 Na semana passada, eu falei muito sobre maldições, punições e castigos que Deus envia aos desobedientes e rebeldes. Falei sobre a disciplina Divina, cuja finalidade é o verdadeiro

Leia mais

Fundado em 19 de MARÇO de 1990 - Diretora: Maria Coeli Galiaço Prata. A grandiosa Feira de Artesanato do Educandário São José!

Fundado em 19 de MARÇO de 1990 - Diretora: Maria Coeli Galiaço Prata. A grandiosa Feira de Artesanato do Educandário São José! JORNAL do Edição Nº 13 De 1º a 30 de SETEMBRO de 2012 Educandário São José Fundado em 19 de MARÇO de 1990 - Diretora: Maria Coeli Galiaço Prata A grandiosa Feira de Artesanato do Educandário São José!

Leia mais

DISCURSO DE FORMATURA

DISCURSO DE FORMATURA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS INSTITUTO DE FILOSOFIA, SOCIOLOGIA E POLÍTICA CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DISCURSO DE FORMATURA Turmas 2014/2: Bacharelado e Licenciatura ORADOR: Prof. Francisco Eduardo Beckenkamp

Leia mais

ANAIS ELETRÔNICOS ISSN 235709765

ANAIS ELETRÔNICOS ISSN 235709765 ENSINO DE LITERATURA: PROPOSTA DE LEITURA DE MANOEL DE BARROS NO ENSINO FUNDAMENTAL Leidiane FAUSTINO LIMA 1 Aluska Silva CARVALHO 2 RESUMO O presente trabalho pretende refletir sobre questões metodológicas

Leia mais

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Design 2011-1 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Design 2011-1 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais. Especial Online ISSN 1982-1816 www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.html DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO Design 2011-1 DESENVOLVENDO A IDENTIDADE VISUAL DE UMA POUSADA EM CONSERVATÓRIA Alunos: OLIVEIRA,

Leia mais

RIO DE JANEIRO SELEÇÃO DE PROJETOS ARTÍSTICOS 2015/2016

RIO DE JANEIRO SELEÇÃO DE PROJETOS ARTÍSTICOS 2015/2016 RIO DE JANEIRO SELEÇÃO DE PROJETOS ARTÍSTICOS 2015/2016 1. Introdução Doutores da Alegria Arte, Formação e Desenvolvimento informa aos interessados os procedimentos para o envio de projetos artísticos

Leia mais

SEXUALIDADE: DESATANDO OS NÓS NA ADOLESCÊNCIA

SEXUALIDADE: DESATANDO OS NÓS NA ADOLESCÊNCIA SEXUALIDADE: DESATANDO OS NÓS NA ADOLESCÊNCIA Por Marcos Ribeiro* Um pouco dessa história começa por volta dos 10/12 anos, quando meninos e meninas começam a sofrer as primeiras transformações físicas,

Leia mais