Ministério do Reino/Informações dos governadores e magistrados das ilhas adjacentes e ultramar ( )

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ministério do Reino/Informações dos governadores e magistrados das ilhas adjacentes e ultramar ( )"

Transcrição

1 Ministério do Reino/Informações dos governadores e magistrados das ilhas adjacentes e ultramar ( ) Teresa Tremoceiro de Novembro A Torre do Tombo ao encontro de Todos em

2 Informações dos governadores e magistrados das ilhas adjacentes e ultramar (série) Dimensão: 14 maços (por descrever com documentação desorganizada). Tratamento arquivístico concluído em 2011: A recuperação possível da ordem original dos documentos, na sua maioria compostos, Cotação. 2

3 Secretaria de Estado dos Negócios do Reino Atribuições relativas aos territórios ultramarinos: Concessão de homenagens ao governo, capitania ou fortaleza Despacho de mercês por graça ou remuneração de serviços Concessão de benefícios das Ordens Militares Outras 3

4 Áreas geográficas Territórios ultramarinos portugueses: Brasil, Angola, Índia, Açores, Moçambique, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Madeira, China (Macau) 4

5 Assinalados a vermelho os territórios ultramarinos portugueses no séc. XVII, XVIII Referência: LAGARTIXA, Custódio; PEREIRA, Helena e GOMES, José - Viver a História: 8.º ano. 2.ª ed. Carnaxide: Santillana Constância, p. 77. ISBN:

6 Brasil Documenta actividades desenvolvidas por: Juntas provisionais dos governos, Juntas provisórias, governadores de algumas capitanias, bispos do Pará e Maranhão, Localidades dominantes: Baía, Maranhão e Pará (capitanias/províncias), Trata sobre o comércio de escravos da costa de África, algodão, tabaco, cochonilha, café, cacau, ouro, índios, missões 6

7 Mapa das exportações do Maranhão para Lisboa (1780) Cota actual: Ministério do Reino, mç

8 Imagem da planta Nopal - onde é produzida a cochinilha assinalada a branco (em anexo de um documento de 1789) Cota actual: Ministério do Reino, mç

9 Mapa de ouro fundido na Casa da Fundição de Goiás (1755) Cota actual: Ministério do Reino, mç

10 Angola Correspondência na sua maioria dos governadores, com referências a rainha Ginga, proveniente de Luanda (São Paulo de Assunção) e Benguela. Assuntos abordados: - comércio/extracção de negros/escravos para o Brasil (embarcações e costumes), - comércio/transporte de marfim, urzela (corante), animais selvagens, - fortalezas, fortificações, presídios. 10

11 Angola Mapa dos escravos exportados da capitania de Benguela para o Brasil (1762 a 1795) Cota actual: Ministério do Reino, mç. 604, 11

12 Excerto de contrato dos direitos dos escravos e marfim de Angola (1758) Cota actual: Ministério do Reino, mç

13 Índia Documentos produzidos pelos vice-reis da Índia, na sua maioria em Goa e Diu. Temáticas: Missões, jesuítas, mandarins, chá proveniente da China, marfim. 13

14 Açores São Miguel, Terceira, Faial e Pico Mercadores de vinhos de Ponta Delgada Condecorações Madeira Governador da ilha, governador do Forte de São Filipe, juízes do povo Plantações de vinhas na freguesia de Câmara de Lobos 14

15 Moçambique Governadores e governo provisório desta capitania Condecorações e nomeações Memórias de toda a África Oriental Artilharia e munições Cabo Verde Ribeira Grande (ilha de Santiago) Memória sobre estado da instrução pública 15

16 São Tomé e Príncipe Ofícios produzidos por: governador geral, governadores destas ilhas, pelo presidente do governo provisório Contém mapas da população 16

17 China (Macau) Correspondência dos governadores de Macau Nau Nossa Senhora da Conceição Ofício de Rodrigo de Castro, governador de Macau, para o Conde de Oeiras, secretário de Estado do Reino (1770) Cota actual: Ministério do Reino, mç

18 Relações entre territórios (dominantes nesta documentação): Entre capitanias do Brasil Entre Angola e o Brasil Plantas/mapas existentes Plantas/mapas retirados encontram-se na Colecção de plantas, mapas e outros documentos iconográficos, série do mesmo fundo. 18

19 O comércio no Império Português no séc. XVI Referência: REIS, A. do Carmo - Atlas dos Descobrimentos. Porto: Porto Editora, p

Provedoria e Junta da Real Fazenda do Funchal: tratamento arquivístico em 2012

Provedoria e Junta da Real Fazenda do Funchal: tratamento arquivístico em 2012 Provedoria e Junta da Real Fazenda do Funchal: tratamento arquivístico em 2012 Teresa Tremoceiro Fátima Ó Ramos Arquivo Nacional da Torre do Tombo (ANTT) Divisão de Tratamento Técnico Documental e Aquisições

Leia mais

A expansão portuguesa do século XV

A expansão portuguesa do século XV A expansão do século XV O gigante Adamastor Águas ferventes e terra plana Motivações da expansão O Motivações sociais: O Clero: expandir a fé cristã entre outros povos O Nobreza: obter recompensas

Leia mais

DIPLOMATAS PORTUGUESES NO BRASIL Por Carlos Eduardo Barata. Parte II (Continuação) = 1844 = 12 D. JOSÉ DE VASCONCELOS E SOUZA [o mesmo do ítem 11-2]

DIPLOMATAS PORTUGUESES NO BRASIL Por Carlos Eduardo Barata. Parte II (Continuação) = 1844 = 12 D. JOSÉ DE VASCONCELOS E SOUZA [o mesmo do ítem 11-2] DIPLOMATAS PORTUGUESES NO BRASIL Por Carlos Eduardo Barata Parte II (Continuação) = 1844 = 12 D. JOSÉ DE VASCONCELOS E SOUZA [o mesmo do ítem 11-2] A partir de 1844, aparece servindo na função de Encarregado

Leia mais

FRANCESES NO BRASIL FORTALEZA DE SANTA CRUZ DA BARRA - NITERÓI

FRANCESES NO BRASIL FORTALEZA DE SANTA CRUZ DA BARRA - NITERÓI FRANCESES NO BRASIL FORTALEZA DE SANTA CRUZ DA BARRA - NITERÓI AS INVASÕES FRANCESAS 2ª invasão 1612 Maranhão Fundação da França Equinocial e a Cidade de São Luís Comandante Daniel de La Touche Obs: esse

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO II ETAPA LETIVA HISTÓRIA 4.º ANO/EF 2015

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO II ETAPA LETIVA HISTÓRIA 4.º ANO/EF 2015 SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA MANTENEDORA DA PUC Minas E DO COLÉGIO SANTA MARIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO II ETAPA LETIVA HISTÓRIA 4.º ANO/EF 2015 Caro(a) aluno(a), É tempo de conferir os conteúdos estudados

Leia mais

FILIAIS E AGÊNCIAS DO BNU - A implementação da rede de agências do Banco Nacional Ultramarino -

FILIAIS E AGÊNCIAS DO BNU - A implementação da rede de agências do Banco Nacional Ultramarino - FILIAIS E AGÊNCIAS DO BNU - A implementação da rede de agências do Banco Nacional Ultramarino - O desenvolvimento da área financeira em Portugal teve a sua eclosão na segunda metade do século XIX. Um exemplo

Leia mais

Direção de Serviços de Desenvolvimento Agroalimentar. Rural e Licenciamento. Divisão de Apoio à Agricultura e Pescas

Direção de Serviços de Desenvolvimento Agroalimentar. Rural e Licenciamento. Divisão de Apoio à Agricultura e Pescas Direção de Serviços de Desenvolvimento Agroalimentar Rural e Licenciamento Divisão de Apoio à Agricultura e Pescas Relatório das Atividades de Inspeção Exportação / INFINET 202 INSPEÇÃO FITOSSANITÁRIA

Leia mais

Índice. Aquisições da nacionalidade portuguesa (Nº), por tipo de aquisição e sexo,

Índice. Aquisições da nacionalidade portuguesa (Nº), por tipo de aquisição e sexo, Índice Processos Entrados e Findos de Concessão de Nacionalidade Portuguesa, de 2007 a 2011, por Artigo da Lei da Nacionalidade (Lei n.º 37/81, de 3 de Outubro alterada e republicada pela Lei Orgânica

Leia mais

Dicionário do Português Atual Houaiss

Dicionário do Português Atual Houaiss grandes coleções As grandes coleções estão no Círculo. Obras de referência para toda a família e para todos os momentos, sejam eles de estudo ou de lazer. Porque o saber não ocupa lugar, a não ser na estante,

Leia mais

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 18 AGOSTO DE 2010 ORDEM DO DIA

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 18 AGOSTO DE 2010 ORDEM DO DIA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 18 AGOSTO DE 2010 ORDEM DO DIA EXPEDIENTE 1. Ofício da Junta de Freguesia da Quinta do Conde a enviar o texto da moção subordinada ao

Leia mais

A RAA em números. Geografia

A RAA em números. Geografia 09 Foto: Espectro A RAA em números Geografia O arquipélago dos Açores é constituído por nove ilhas dispersas no Atlântico Norte ao longo de 600 km, segundo uma orientação noroeste-sudeste e enquadrado

Leia mais

PORTUGAL E OS DESCOBRIMENTOS NA MAXIMAFILIA

PORTUGAL E OS DESCOBRIMENTOS NA MAXIMAFILIA A. EURICO CARLOS ESTEVES LAGE CARDOSO PORTUGAL E OS DESCOBRIMENTOS NA MAXIMAFILIA EDIÇÃO DO AUTOR LISBOA 1998 ÍNDICE A - CAUSAS PARTICULARES DA EXPANSÃO MARÍTIMA.. 7 1. Situação Geográfica e Política do

Leia mais

BRASIL COLÔNIA ( )

BRASIL COLÔNIA ( ) 1 - O CICLO DO AÇÚCAR Séc. XVI e XVII (auge). Nordeste (BA e PE). Litoral. Solo e clima favoráveis. Experiência de cultivo (Açores, Cabo Verde e Madeira). Mercado consumidor. Alto valor na Europa. Participação

Leia mais

ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DE ASSOCIAÇÕES DE CONSUMIDORES DE PAÍSES, TERRITÓRIOS E REGIÕES ADMINISTRATIVAS DE LÍNGUA OFICIAL PORTUGUESA OU COM ACORDOS

ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DE ASSOCIAÇÕES DE CONSUMIDORES DE PAÍSES, TERRITÓRIOS E REGIÕES ADMINISTRATIVAS DE LÍNGUA OFICIAL PORTUGUESA OU COM ACORDOS ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DE ASSOCIAÇÕES DE CONSUMIDORES DE PAÍSES, TERRITÓRIOS E REGIÕES ADMINISTRATIVAS DE LÍNGUA OFICIAL PORTUGUESA OU COM ACORDOS ESPECIAIS NO DOMÍNIO DA PRESERVAÇÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO CONCELHO DE PONTA DELGADA

APRESENTAÇÃO DO CONCELHO DE PONTA DELGADA APRESENTAÇÃO DO CONCELHO DE PONTA DELGADA GEOGRAFIA O concelho Ponta Delgada está situado no extremo sudoeste da maior ilha do arquipélago dos Açores (S. Miguel). A sua área é 231,89 Km 2 que se encontram

Leia mais

A Economia Mineradora (Século XVIII) O Processo de Independência. 1 A Economia Mineradora do Século XVIII. 2 As Reformas Pombalinas

A Economia Mineradora (Século XVIII) O Processo de Independência. 1 A Economia Mineradora do Século XVIII. 2 As Reformas Pombalinas Aula 13 e 14 A Economia Mineradora (Século XVIII) 1 A Economia Mineradora do Século XVIII Setor 1601 2 As Reformas Pombalinas 3 ealvespr@gmail.com Objetivo da aula Analisar a crise do Antigo Sistema Colonial

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural, I.P. Índice

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural, I.P. Índice Índice Duração Média Mensal dos Trabalhadores por Conta de Outrem (TCO) Estrangeiros (a tempo completo e incompleto) no Período do Trabalho Normal, por Nacionalidade, 2010-2012... 2 Número de Trabalhadores

Leia mais

3.º Ciclo do Ensino Básico (Decreto - Lei nº 17/2016, de 4 de abril)

3.º Ciclo do Ensino Básico (Decreto - Lei nº 17/2016, de 4 de abril) INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA História 2016 Prova 19 / 2016 1ª e 2ª Fase 3.º Ciclo do Ensino Básico (Decreto - Lei nº 17/2016, de 4 de abril) O presente documento divulga informações relativas

Leia mais

Os Arquivos da Inquisição

Os Arquivos da Inquisição A/495306 Maria do Carmo Jasmins Dias Farinha Os Arquivos da Inquisição Série IDD's Arquivo Nacional da Torre do Tombo Serviço de Publicações e Divulgação Lisboa -1990 Nota prévia 7 Prefácio Introdução

Leia mais

SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE 2ª DIVISÃO, 8ª SECÇÃO

SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE 2ª DIVISÃO, 8ª SECÇÃO DIRECÇÃO DE CULTURA E HISTÓRIA MILITAR ARQUIVO HISTÓRICO MILITAR SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE 2ª DIVISÃO, 8ª SECÇÃO INVENTÁRIO DE DOCUMENTOS Lisboa 2007 FICHA TÉCNICA: Direcção de Cultura e História Militar Arquivo

Leia mais

Paula Cristina Pereira de Azevedo Pamplona Ramos, casada, nascida a , na freguesia de Nossa Senhora da Conceição, Angra do Heroísmo.

Paula Cristina Pereira de Azevedo Pamplona Ramos, casada, nascida a , na freguesia de Nossa Senhora da Conceição, Angra do Heroísmo. NOTA BIOGRÁFICA. 1 - Dados Pessoais Paula Cristina Pereira de Azevedo Pamplona Ramos, casada, nascida a 23-08- 1967, na freguesia de Nossa Senhora da Conceição, Angra do 2 - Habilitações Literárias Ensino

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL 5º ANO História e Geografia de Portugal

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL 5º ANO História e Geografia de Portugal PLANIFICAÇÃO ANUAL DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL 5º ANO História e Geografia de Portugal Tema 0 - Conhecer o Manual 2012/2013 Aulas previstas-5 1º Período Apresentação Material necessário para o

Leia mais

António Furtado Gráfica Eborense Évora 1969 24,5 x 19 cm 12 p. 4. Lda Lisboa 1949 26 x 19,5 cm 183 p. 10 sua História: Vol. 1

António Furtado Gráfica Eborense Évora 1969 24,5 x 19 cm 12 p. 4. Lda Lisboa 1949 26 x 19,5 cm 183 p. 10 sua História: Vol. 1 A abolição da pena de morte António Furtado 1969 24,5 x 19 cm 12 p. 4 dos Santos A Família Pousão em Elvas (Elementos para a Eurico Gama Minerva Comercial, 24,5 x 19 cm 29 p. 5 Biografia do Pintor Henrique

Leia mais

Agrupamento de Escolas da Senhora da Hora, Matosinhos Prova de Equivalência à Frequência do Ensino Básico

Agrupamento de Escolas da Senhora da Hora, Matosinhos Prova de Equivalência à Frequência do Ensino Básico Agrupamento de Escolas da Senhora da Hora, Matosinhos Prova de Equivalência à Frequência do Ensino Básico INFORMAÇÃO PROVA DE HISTÓRIA 2016 9º ANO DE ESCOLARIDADE (DECRETO-LEI N.º 139 / 2012, DE 5 DE JULHO)

Leia mais

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Gabinete do Presidente NOTA INFORMATIVA

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Gabinete do Presidente NOTA INFORMATIVA NOTA INFORMATIVA Para os efeitos tidos por convenientes, tenho a honra de informar esse órgão de Comunicação Social, que Sua Excelência o Presidente da ALRAA, Senhor Dr. Fernando Menezes, receberá em audiência

Leia mais

1 Breve história da Agricultura ais Há m de 50an0os Antes dos portugueses desembarcarem no Brasil, os índios tinham o seu jeito de viver e de produzir. Quando estes colonizadores vieram, roubaram as terras

Leia mais

Agora disponível nas Livrarias Conhecimento PEARSON MOÇAMBIQUE CATÁLOGO 2016 PRIMÁRIO E SECUNDÁRIO APRENDENDO SEMPRE

Agora disponível nas Livrarias Conhecimento PEARSON MOÇAMBIQUE CATÁLOGO 2016 PRIMÁRIO E SECUNDÁRIO APRENDENDO SEMPRE Agora disponível nas Livrarias Conhecimento PEARSON MOÇAMBIQUE CATÁLOGO 2016 PRIMÁRIO E SECUNDÁRIO APRENDENDO SEMPRE Temos o prazer de apresentar o Catálogo Primário e Secundário da Pearson Moçambique.

Leia mais

Ana Horta.

Ana Horta. Ana Horta E-mail: anahorta.pintora@gmail.com NOTA BIOGRÁFICA Ana Horta Pseudónimo de Ana Cristina Gonçalves Santos, em homenagem aos seus Avós Maternos. Nasceu em 1966, em Lisboa, mas desde tenra idade

Leia mais

NOTA INFORMATIVA Licenças sem vencimento / Licenças sem remuneração

NOTA INFORMATIVA Licenças sem vencimento / Licenças sem remuneração NOTA INFORMATIVA Licenças sem vencimento / Licenças sem remuneração Com vista à uniformização de entendimentos procede-se aos seguintes esclarecimentos sobre a concessão de licenças sem vencimento/remuneração,

Leia mais

HENRIQUE DE PAIVA COUCEIRO Indivíduo, militar e político

HENRIQUE DE PAIVA COUCEIRO Indivíduo, militar e político HENRIQUE DE PAIVA COUCEIRO Indivíduo, militar e político Prefácio I-1 Antes de mais queria dizer e salientar que é uma grande responsabilidade falar sobre Paiva Couceiro, mesmo sendo simplesmente para

Leia mais

HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL

HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares Direção de Serviços da Região Centro PROJECTO CURRICULAR DE DISCIPLINA ANO LECTIVO 2015/2016 HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA SÉ GUARDA

Leia mais

Agrupamento de Escolas Dr. Vieira de Carvalho. INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL MARÇO de 2014

Agrupamento de Escolas Dr. Vieira de Carvalho. INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL MARÇO de 2014 Agrupamento de Escolas Dr. Vieira de Carvalho INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL MARÇO de 2014 Prova 05 2014 --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

RECENSEAMENTO ESCOLAR ANUAL 2005/2006 POPULAÇÃO ESCOLAR - Inscrições

RECENSEAMENTO ESCOLAR ANUAL 2005/2006 POPULAÇÃO ESCOLAR - Inscrições «Instrumento de notação do Sistema Estatístico Nacional (Lei 6/89, de 15 de Abril) de RESPOSTA OBRIGATÓRIA, registado no INE sob o n.º 9746, válido até 31/12/2006» RECENSEAENTO ESCOLAR ANUAL 2005/2006

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGUALVA MIRA SINTRA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGUALVA MIRA SINTRA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGUALVA MIRA SINTRA código 171608 Escola Básica D. Domingos Jardo MANUAL ADOPTADO: HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL - HGP AUTORES: ANA OLIVEIRA/ FRANCISCO CANTANHEDE/ MARÍLIA GAGO

Leia mais

Informação - de Exame de Equivalência à Frequência de História e Geografia de Portugal

Informação - de Exame de Equivalência à Frequência de História e Geografia de Portugal Informação - de Exame de Equivalência à Frequência de História e Geografia de Portugal 2.º Ciclo do Ensino Básico 2015 Prova 05 5 Páginas 1. INTRODUÇÃO O presente documento visa divulgar as caraterísticas

Leia mais

AS INVASÕES FRANCESAS

AS INVASÕES FRANCESAS AS INVASÕES FRANCESAS 2ª invasão 1612 Maranhão Fundação da França Equinocial e a Cidade de São Luís Comandante Daniel de La Touche Obs: esse período Portugal passava para domínio espanhol 1ª invasão Rio

Leia mais

UE e os países de língua portuguesa.

UE e os países de língua portuguesa. UE e os países de língua portuguesa http://dossiers.eurocid.pt/lusofonia Índice Língua Demografia do português UE e língua portuguesa UE e países de língua portuguesa Dossiê eletrónico Língua ( ) todas

Leia mais

A VIAGEM DE VASCO DA GAMA À ÍNDIA

A VIAGEM DE VASCO DA GAMA À ÍNDIA A 312 HISTÓRIA DA MARINHA PORTUGUESA A VIAGEM DE VASCO DA GAMA À ÍNDIA 1497-1499 Coordenador JOSÉ MANUEL GARCIA Autores JOSÉ MANUEL GARCIA FERNANDO GOMES PEDROSA JOSÉ MANUEL MALHÃO PEREIRA MARÍLIA DOS

Leia mais

Ano Letivo 2014/ Lista de manuais escolares adotados

Ano Letivo 2014/ Lista de manuais escolares adotados Ano Letivo 2014/2015 - Lista de manuais escolares adotados Escola: Escola Básica Padre José Rota, Forte da Casa, Vila Franca de Xira Código: 1114540 Endereço Av. Terra da Pastoria Localidade Forte da Casa

Leia mais

CENTRO CULTURAL DE BELÉM. PALESTRAS SOBRE HISTÓRIA DE PORTUGAL Janeiro Março de 2015. Segunda Parte Época Moderna

CENTRO CULTURAL DE BELÉM. PALESTRAS SOBRE HISTÓRIA DE PORTUGAL Janeiro Março de 2015. Segunda Parte Época Moderna CENTRO CULTURAL DE BELÉM PALESTRAS SOBRE HISTÓRIA DE PORTUGAL Janeiro Março de 2015 Segunda Parte Época Moderna Nuno Gonçalo Monteiro Instituto de Ciências Sociais Universidade de Lisboa Quarta Sessão

Leia mais

INVENTÁRIO DO FUNDO CÂMARA MUNICIPAL DE OURO PRETO PROVÍNCIA

INVENTÁRIO DO FUNDO CÂMARA MUNICIPAL DE OURO PRETO PROVÍNCIA GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA ARQUIVO PÚBLICO MINEIRO INVENTÁRIO DO FUNDO CÂMARA MUNICIPAL DE OURO PRETO PROVÍNCIA Revisão e Atualização Diretoria de Arquivos Permanentes

Leia mais

BRASIL PORTUGUÊS PERÍODO PRÉ COLONIAL PERÍODO COLONIAL PROF. DE HISTÓRIA TÁCIUS FERNANDES BLOG:

BRASIL PORTUGUÊS PERÍODO PRÉ COLONIAL PERÍODO COLONIAL PROF. DE HISTÓRIA TÁCIUS FERNANDES BLOG: BRASIL PORTUGUÊS PERÍODO PRÉ COLONIAL PERÍODO COLONIAL 1. ESPANHA X PORTUGAL A BULA INTER COETERA ASSINADO EM 1493. LINHA IMAGINÁRIA A 100 LÉGUAS A OESTE DE CABO VERDE. LESTE: PORTUGAL. OESTE: ESPANHA.

Leia mais

Histórico da Preservação do Patrimônio no Brasil. José La Pastina Filho Professor da UFPr e Superintendente do IPHAN/PARANÁ

Histórico da Preservação do Patrimônio no Brasil. José La Pastina Filho Professor da UFPr e Superintendente do IPHAN/PARANÁ Histórico da Preservação do Patrimônio no Brasil José La Pastina Filho Professor da UFPr e Superintendente do IPHAN/PARANÁ 1 Século XVIII 1742: Carta de D. André de Mello e Castro, Vice Rei do Brasil ao

Leia mais

COLÉGIO RAINHA SANTA ISABEL

COLÉGIO RAINHA SANTA ISABEL COLÉGIO RAINHA SANTA ISABEL PROGRAMA DA VISITA DE ESTUDO S. MIGUEL, FAIAL E PICO AÇORES Páscoa 2017 ANO LETIVO DE 2016/2017 1º DIA: 5 DE ABRIL DE 2017 Partida de Coimbra às 6 h; Embarque no Aeroporto Humberto

Leia mais

PORTUGUÊS 4 o BIMESTRE

PORTUGUÊS 4 o BIMESTRE PORTUGUÊS 4 o BIMESTRE Leia o trecho com atenção. Vicente era um menino pobre que tinha um pangaré. O pangaré era preto, bem feio, bem magro e bem velho. O cavalo servia para puxar a carroça do pai de

Leia mais

Os aldeamentos indígenas paulistas na representação cartográfica de Daniel Pedro Müller (1837)

Os aldeamentos indígenas paulistas na representação cartográfica de Daniel Pedro Müller (1837) Os aldeamentos indígenas paulistas na representação cartográfica de Daniel Pedro Müller (1837) Em 20 de agosto de 1798, o tenente-general José Arouche de Toledo Rendon (1756-1834) foi nomeado pelo então

Leia mais

PODER LOCAL E ATIVIDADES ECONÔMICAS: O comércio externo da América portuguesa a partir dos mapas de cargas de exportação em Salvador no século XVIII.

PODER LOCAL E ATIVIDADES ECONÔMICAS: O comércio externo da América portuguesa a partir dos mapas de cargas de exportação em Salvador no século XVIII. PODER LOCAL E ATIVIDADES ECONÔMICAS: O comércio externo da América portuguesa a partir dos mapas de cargas de exportação em Salvador no século XVIII. Maria Patrícia da Silva Santos 1 Orientadora: Avanete

Leia mais

Cadeia Produtiva do Café

Cadeia Produtiva do Café UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO Cadeia Produtiva do Café ACADÊMICOS: Anderson Carrion, Cândido de Moraes, Gustavo Bastos, Joélio Maia, Julio Cordeiro ORIGEM Essa

Leia mais

TEMA E EXPANSÃO E MUDANÇA NOS SÉCULOS XV E XVI

TEMA E EXPANSÃO E MUDANÇA NOS SÉCULOS XV E XVI TEMA E EXPANSÃO E MUDANÇA NOS SÉCULOS XV E XVI 1. Expansionismo Europeu 1.1. Rumos da expansão 1.1.1. Os avanços da expansão e as rivalidades luso-castelhanas 1.1.2. A chegada à Índia e ao Brasil 1.2.

Leia mais

MINISTÉRIO DO AMBIENTE, ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E ENERGIA

MINISTÉRIO DO AMBIENTE, ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E ENERGIA Diário da República, 1.ª série N.º 231 28 de novembro de 2014 5999 principal, podem integrar o júri para recrutamento para preenchimento de postos no âmbito da carreira de enfermagem, titulares das categorias

Leia mais

Prova Escrita de História e Geografia de Portugal

Prova Escrita de História e Geografia de Portugal PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho Prova Escrita de História e Geografia de Portugal 6º Ano de Escolaridade Prova 05 / 2.ª Fase 12 Páginas Duração da Prova: 90 minutos.

Leia mais

Colégio Vasco da Gama LISTA DE MANUAIS ESCOLARES ADOPTADOS ANO LECTIVO 2011/2012

Colégio Vasco da Gama LISTA DE MANUAIS ESCOLARES ADOPTADOS ANO LECTIVO 2011/2012 7º ANO LÍNGUA PORTUGUESA P 7 Ana Santiago Sofia Paixão 7º ANO INGLÊS NEW GETTING ON 7 (MANUAL E WORKBOOK) Mª Emília Diniz e Angelina Torres 7º ANO FRANCÊS MOTS CROISES 1 Suzana Costa e Luisa Pacheco 7º

Leia mais

M A P A S G E O G R A F I A. Noções de Cartografia para estudantes do 6º Ano. Prof. José Gusmão Rodrigues

M A P A S G E O G R A F I A. Noções de Cartografia para estudantes do 6º Ano. Prof. José Gusmão Rodrigues M A P A S Noções de Cartografia para estudantes do 6º Ano G E O G R A F I A Prof. José Gusmão Rodrigues Clique com o mouse sobre o título desejado ou vá clicando enter para ver a apresentação completa

Leia mais

SEMINÁRIO Exportar para o México

SEMINÁRIO Exportar para o México SEMINÁRIO Exportar para o México Gonçalo Gaspar Diretor Direção Internacional de Negócio da CGD Porto, 26 de Setembro de 2012 1 Índice México: relacionamento comercial com Portugal Grupo CGD: Presença

Leia mais

Capítulo 05 * Portugal na Baixa Idade Média * A expansão comercial e marítima europeia * O período Pré-Colonial. Profª Maria Auxiliadora 1º Ano

Capítulo 05 * Portugal na Baixa Idade Média * A expansão comercial e marítima europeia * O período Pré-Colonial. Profª Maria Auxiliadora 1º Ano Capítulo 05 * Portugal na Baixa Idade Média * A expansão comercial e marítima europeia * O período Pré-Colonial Profª Maria Auxiliadora 1º Ano As Monarquias Ibéricas (Portugal / Espanha) REVOLUÇÃO

Leia mais

9 o 25b 00n 39 o 41b 10n 9 o 25b 00n 38 o 40b 40n 9 o 16b 50n 38 o 34b 50n. 9 o 12b 00n 38 o 24b 30n

9 o 25b 00n 39 o 41b 10n 9 o 25b 00n 38 o 40b 40n 9 o 16b 50n 38 o 34b 50n. 9 o 12b 00n 38 o 24b 30n N. o 213 14 de Setembro de 2002 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B 6441 3. o A eficácia da concessão está dependente de prévia sinalização, de acordo com as condições definidas nas Portarias n. os 1103/2000

Leia mais

REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO JOÃO CRUZ REIS FILHO SECRETÁRIO DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Brasília/DF JULHO DE 2015 22 CENÁRIO POPULACIONAL

Leia mais

ANEXO I MEMBROS DA SUBCOMISSÃO F1 DA COMISSÃO DE AVALIAÇÃO EXTERNA F NA ÁREA DA GESTÃO

ANEXO I MEMBROS DA SUBCOMISSÃO F1 DA COMISSÃO DE AVALIAÇÃO EXTERNA F NA ÁREA DA GESTÃO ANEXO I MEMBROS DA SUBCOMISSÃO F1 DA COMISSÃO DE AVALIAÇÃO EXTERNA F NA ÁREA DA GESTÃO ALBERTO JOSÉ SANTOS RAMALHEIRA Licenciatura em Finanças no Instituto Superior de Ciências Económicas e Financeiras

Leia mais

DISCIPLINA DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA 5.º Ano

DISCIPLINA DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA 5.º Ano 1. COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS COMPETÊNCIAS GERAIS - Pesquisar, seleccionar e organizar informação para a transformar em conhecimento mobilizável. (C. G. 6) - Usar adequadamente linguagens das diferentes áreas

Leia mais

Mapa de Vagas para ingresso em área de especialização - Concurso IM 2015

Mapa de Vagas para ingresso em área de especialização - Concurso IM 2015 23.11.2015 Mapa de Vagas para ingresso em área de especialização - Concurso IM 2015 Anatomia Patológica Centro Hospitalar de São João, EPE 2 Instituto Português de Oncologia do Porto Francisco Gentil,

Leia mais

EMENTA ESCOLAR I Trimestre Ano 2016

EMENTA ESCOLAR I Trimestre Ano 2016 Disciplina: EMENTA ESCOLAR I Trimestre Ano 2016 História Professor: Rodrigo Bento Turma: 3º série Ensino Médio Data Conteúdo 11/fevereiro APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA CAPITULO I HG HISTORIOGRAFIA E PRE HISTORIA

Leia mais

BANDEIRA DA FUNDAÇÃO. D. Afonso Henriques. (1128-1185) Fundador de Portugal

BANDEIRA DA FUNDAÇÃO. D. Afonso Henriques. (1128-1185) Fundador de Portugal BANDEIRA DA FUNDAÇÃO D. Afonso Henriques (1128-1185) Fundador de Portugal ÍNDICE Origem de Portugal Península Ibérica 8 Primeiros habitantes da Península Ibérica (Iberos-Celtas)... 8 Lusitanos 9 Lusitânia

Leia mais

Disciplina/Bloco Título ISBN Autor(es) Editora Preço Ciências Naturais- Bloco 1 Descobrir a Terra

Disciplina/Bloco Título ISBN Autor(es) Editora Preço Ciências Naturais- Bloco 1 Descobrir a Terra Ensino Básico Recorrente Mediatizado Escola Secundária Vitorino Nemésio Disciplina/Bloco Título ISBN Autor(es) Editora Preço Ciências Naturais- Bloco 1 Descobrir a Terra 7 978-989-647-667-0 Cristina Antunes,

Leia mais

Cinofer Esmalte Forja e Cinofer Esmalte Liso são duas soluções CIN que, de forma rápida e cómoda, permitem decorar e proteger o metal.

Cinofer Esmalte Forja e Cinofer Esmalte Liso são duas soluções CIN que, de forma rápida e cómoda, permitem decorar e proteger o metal. Referência no mercado das tintas e vernizes, as cores inovadoras da CIN são fruto de anos de investigação que resultam em produtos que oferecem qualidade, o melhor rendimento e soluções únicas para o interior

Leia mais

EMENTA ESCOLAR III Trimestre Ano 2016

EMENTA ESCOLAR III Trimestre Ano 2016 EMENTA ESCOLAR III Trimestre Ano 2016 Disciplina: História Professor: Rodrigo Bento Turma: 9º ano Ensino Fundamental II Data Conteúdo 29/agosto CAPITULO XI O SOCIALISMO REAL: CHINA, VIETNA E CUBA 02/setembro

Leia mais

N O T A V E R B A L. A Embaixada da Áustria apresenta ao Ministério dos Negócios Estrangeiros de Portugal

N O T A V E R B A L. A Embaixada da Áustria apresenta ao Ministério dos Negócios Estrangeiros de Portugal BGBl. III - Ausgegeben am 16. Dezember 2014 - Nr. 235 1 von 5 Ref. Lissabon-ÖB/KONS/0370/2014 N O T A V E R B A L A Embaixada da Áustria apresenta ao Ministério dos Negócios Estrangeiros de Portugal os

Leia mais

GEOGRAFIA 9 ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª ANDREZA XAVIER PROF. WALACE VINENTE

GEOGRAFIA 9 ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª ANDREZA XAVIER PROF. WALACE VINENTE GEOGRAFIA 9 ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª ANDREZA XAVIER PROF. WALACE VINENTE CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade II Comunicação e tecnologia. 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula 7.2 Conteúdos A presença da economia

Leia mais

Ano: 2014 Por denominação: Euros ( ) Mês: Fevereiro. Fonte: Banco de Portugal Denominação

Ano: 2014 Por denominação: Euros ( ) Mês: Fevereiro. Fonte: Banco de Portugal Denominação MOEDAS DE COLEÇÃO EMITIDAS EM PORTUGAL Ano: 2014 Por denominação: Euros ( ) Mês: Fevereiro Fonte: Banco de Portugal Denominação Liga Ano de Emissão Limite de Emissão Emitidas 10 3 moedas Por Emitir TOTAL

Leia mais

Guimarães. Nuno Rodolfo da Nova Oliveira da Silva, Economista com escritório na

Guimarães. Nuno Rodolfo da Nova Oliveira da Silva, Economista com escritório na Exmo(a). Senhor(a) Doutor(a) Juiz de Direito do Tribunal Judicial de Guimarães 4º Juízo Cível Processo nº 1610/09.6TBGMR Insolvência de OURIGUIMA - Joalheiros, Lda V/Referência: Data: Nuno Rodolfo da Nova

Leia mais

ANTES DA ORDEM DO DIA

ANTES DA ORDEM DO DIA Agenda da Reunião Ordinária da Câmara Municipal de Lamego "Segunda-Feira, 11 de maio de 2015" ANTES DA ORDEM DO DIA 01- Resumo de receita e despesa do Bar da Câmara e do Bar do Cais de Bagaúste Informação

Leia mais

O Analfabetismo na cidade do Rio de Janeiro:

O Analfabetismo na cidade do Rio de Janeiro: ISSN 1984-7203 C O L E Ç Ã O E S T U D O S C A R I O C A S O Analfabetismo na cidade do Rio de Janeiro: 1991-2000 Nº 20020801 Agosto - 2002 Fernando Cavallieri, Márcia Frota Sigaud - IPP/Prefeitura da

Leia mais

1º TRIMESTRE EXPORTAR A 1ª VEZ MISSÕES EMPRESARIAIS. Condições de participação ARGÉLIA CHINA E MACAU MARROCOS TURQUIA FEVEREIRO MARÇO

1º TRIMESTRE EXPORTAR A 1ª VEZ MISSÕES EMPRESARIAIS. Condições de participação ARGÉLIA CHINA E MACAU MARROCOS TURQUIA FEVEREIRO MARÇO FEVEREIRO MARÇO ARGÉLIA CHINA E MACAU MARROCOS TURQUIA ÁFRICA DO SUL E MOÇAMBIQUE COLÔMBIA E CHILE ÍNDIA ISRAEL Condições de participação CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO 1 AS são uma ação financiada pelo FEDER,

Leia mais

- Leilão 26 Fevereiro 2013 v1.1 1

- Leilão 26 Fevereiro 2013 v1.1 1 132960000 Lote 1A - Quadro com nota de 500 euros 24k gold 132940001 Lote 1 - Lote de 3 notas do Banco de Angola, nota de Mil Escudos de 1973 Luiz de Camões, nota de Mil Escudos de 1972 Marechal Carmona

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL 2º CICLO HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL 5.º ANO Documento(s) Orientador(es): Programa de História e Geografia de Portugal

Leia mais

Nome: Nº: Turma: Este caderno contém questões de: Português Matemática História Geografia Ciências - Espanhol

Nome: Nº: Turma: Este caderno contém questões de: Português Matemática História Geografia Ciências - Espanhol Nome: Nº: Turma: Este caderno contém questões de: Português Matemática História Geografia Ciências - Espanhol 1 Os exercícios deverão ser feitos no caderno, contendo as páginas dos mesmos. Livro Apoema

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA QUINTA DO CONDE Escola Básica Integrada/JI da Quinta do Conde. Departamento de Ciências Humanas e Sociais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA QUINTA DO CONDE Escola Básica Integrada/JI da Quinta do Conde. Departamento de Ciências Humanas e Sociais HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL Distribuição dos tempos letivos disponíveis para o 5 º ano de escolaridade 1º Período 2º Período 3º Período *Início:15-21 de setembro 2015 *Fim:17 dezembro 2015 *Início:4

Leia mais

Ano Letivo 2016/ Lista de manuais escolares adotados

Ano Letivo 2016/ Lista de manuais escolares adotados 5.º Ano Ciências Naturais Novo CSI 5-978-989-767-106-7 Adriana Ramos, Vítor Areal Editores, SA 19.02 Ciências Sob Lima Investigação História e Geografia de Portugal Novo Viagens 978-989-767-108-1 Armando

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA ARQUIVO PÚBLICO MINEIRO INVENTÁRIO DA COLEÇÃO BARÃO HOMEM DE MELLO

GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA ARQUIVO PÚBLICO MINEIRO INVENTÁRIO DA COLEÇÃO BARÃO HOMEM DE MELLO GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA ARQUIVO PÚBLICO MINEIRO INVENTÁRIO DA COLEÇÃO BARÃO HOMEM DE MELLO Revisão e Atualização Diretoria de Arquivos Permanentes Diretoria de

Leia mais

2011 / Portugal 2012 / Brasil. 2013 / Angola. 2014 / Cabo Verde

2011 / Portugal 2012 / Brasil. 2013 / Angola. 2014 / Cabo Verde 2011 / Portugal 2012 / Brasil 2013 / Angola 2014 / Cabo Verde Índice: - Porquê GetOut? - O Congresso do Empreendedor Lusófono - Angola - Missão ao Congresso Porquê GetOut? Portugal: Crescimento económico

Leia mais

10º Ano Módulos 1, 2 e 3 Total de horas: 81 ou seja, 54 aulas de 90 minutos MÓDULOS/ CONTEÚDOS

10º Ano Módulos 1, 2 e 3 Total de horas: 81 ou seja, 54 aulas de 90 minutos MÓDULOS/ CONTEÚDOS 10º Ano Módulos 1, 2 e 3 Total de horas: 81 ou seja, 54 aulas de 90 minutos MÓDULOS/ CONTEÚDOS Módulo 1 O Quadro natural de O Relevo COMPETÊNCIAS A - Compreender as grandes características do relevo de

Leia mais

CURRICULUM VITAE DE ANA MADALENA TRIGO DE SOUSA INVESTIGADORA-AUXILIAR DO CENTRO DE ESTUDOS DE HISTÓRIA DO ATLÂNTICO (CEHA) FUNCHAL, 2015

CURRICULUM VITAE DE ANA MADALENA TRIGO DE SOUSA INVESTIGADORA-AUXILIAR DO CENTRO DE ESTUDOS DE HISTÓRIA DO ATLÂNTICO (CEHA) FUNCHAL, 2015 CURRICULUM VITAE DE ANA MADALENA TRIGO DE SOUSA INVESTIGADORA-AUXILIAR DO CENTRO DE ESTUDOS DE HISTÓRIA DO ATLÂNTICO (CEHA) FUNCHAL, 2015 1 IDENTIFICAÇÃO PESSOAL Nome Ana Madalena Rosa Barros Trigo de

Leia mais

SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E CULTURA DIREÇÃO REGIONAL DA EDUCAÇÃO INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE HISTÓRIA.

SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E CULTURA DIREÇÃO REGIONAL DA EDUCAÇÃO INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE HISTÓRIA. SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E CULTURA DIREÇÃO REGIONAL DA EDUCAÇÃO INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE HISTÓRIA Código 19 3.º Ciclo do Ensino Básico Ano Letivo 2015 / 2016 O presente documento

Leia mais

O Barroco Colonial e o Mosteiro de São Bento no Rio de Janeiro

O Barroco Colonial e o Mosteiro de São Bento no Rio de Janeiro O Barroco Colonial e o Mosteiro de São Bento no Rio de Janeiro Roberto Hofmann, São Bento, Rio de Janeiro, 23 de Junho 2002 O Barroco Colonial Principais intenções dos colonizadores portugueses: Tomar

Leia mais

8.º Ano Expansão e mudança nos séculos XV e XVI O expansionismo europeu Renascimento, Reforma e Contrarreforma

8.º Ano Expansão e mudança nos séculos XV e XVI O expansionismo europeu Renascimento, Reforma e Contrarreforma Escola Secundária Dr. José Afonso Informação-Prova de Equivalência à Frequência História Prova 19 2016 3.º Ciclo do Ensino Básico O presente documento divulga informação relativa à prova de equivalência

Leia mais

http://cogeplip.org/ DIRECTRIZES PARA A SUBMISSÃO DE ABSTRACTS Convite Encontra-se presentemente aberto o processo de submissão de abstracts para o 3º Congresso de Geologia dos Países de Língua Portuguesa.

Leia mais

PAÍS CLAUSULAS DESIGNAÇÃO QUADRO DE ROTAS DIREITOS DE TRÁFEGO CAPACIDADE/FREQUÊNCIAS TIPO U.E. Direitos de tráfego indisponíveis

PAÍS CLAUSULAS DESIGNAÇÃO QUADRO DE ROTAS DIREITOS DE TRÁFEGO CAPACIDADE/FREQUÊNCIAS TIPO U.E. Direitos de tráfego indisponíveis ÁFRICA DO SUL Não Multidesignação Portugal-Pontos intermédios em África-Joanesburgo e/ou Cidade do Cabo- em África 5ª liberdade num ponto intermédio sujeita a acordo entre as Autoridades Aeronáuticas.

Leia mais

PAISAGISMO. Antonio Castelnou

PAISAGISMO. Antonio Castelnou PAISAGISMO Antonio Castelnou CASTELNOU Introdução Por PAISAGEM (do latim pagus = território rural; pelo fr. paysage) pode-se entender tudo aquilo que se vê ou que nossa visão alcança; objeto de nossa percepção,

Leia mais

Marques Pereira SOCIEDADE DE GEOGRAFIA DE LISBOA

Marques Pereira SOCIEDADE DE GEOGRAFIA DE LISBOA ALFREDO GOMES DIAS A 377749 Fundo Marques Pereira SOCIEDADE DE GEOGRAFIA DE LISBOA CENTRO DE ESTUDOS ORIENTAIS DA FUNDAÇÃO ORIENTE ÍNDICE Apresentação 5 Introdução 7 Dois Homens, Um Pensamento. Construção

Leia mais

Outline. I. Introdução. II. Importância do algodão na economia. III. A Cadeia de valor do algodão. VI. Análise SWOT. V. Factores de competitividade

Outline. I. Introdução. II. Importância do algodão na economia. III. A Cadeia de valor do algodão. VI. Análise SWOT. V. Factores de competitividade Outline I. Introdução II. Importância do algodão na economia III. A Cadeia de valor do algodão VI. Análise SWOT V. Factores de competitividade VI. Conclusões I. Introdução A cultura do algodão constitui

Leia mais

A mais remota Agência Bancária do Império Colonial Português

A mais remota Agência Bancária do Império Colonial Português A mais remota Agência Bancária do Império Colonial Português A Carta Régia de Dom Luís I, de 16 de maio de 1864, sancionou o decreto das cortes gerais, de 10 de maio, autorizando a criação de um banco

Leia mais

LISTA DE MANUAIS ESCOLARES ADOTADOS /2015. Agrupamento de Escolas Caranguejeira-Santa Catarina da Serra Código

LISTA DE MANUAIS ESCOLARES ADOTADOS /2015. Agrupamento de Escolas Caranguejeira-Santa Catarina da Serra Código Agrupamento de Escolas Caranguejeira-Santa Catarina da Serra Código 330255 Endereço: Santa Catarina da Serra Localidade: Santa Catarina da Serra Código Postal: 2495-143 Concelho: Leiria Distrito: Leiria

Leia mais

A ORDEM HOSPITALEIRA DE S. JOÃO DE DEUS EM PORTUGAL. 1550 João de Deus faleceu em Granada, na Casa dos Pisa, Espanha, e 8 de Março.

A ORDEM HOSPITALEIRA DE S. JOÃO DE DEUS EM PORTUGAL. 1550 João de Deus faleceu em Granada, na Casa dos Pisa, Espanha, e 8 de Março. 1 História de S. João de Deus S. João de Deus história A ORDEM HOSPITALEIRA DE S. JOÃO DE DEUS EM PORTUGAL 1495 João Cidade Duarte nasceu em Montemor-o-Novo. 1550 João de Deus faleceu em Granada, na Casa

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MIRA EB DE MIRA PLANIFICAÇÂO ANUAL DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL - 5º ANO. Ano letivo 2013/2014

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MIRA EB DE MIRA PLANIFICAÇÂO ANUAL DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL - 5º ANO. Ano letivo 2013/2014 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MIRA EB DE MIRA PLANIFICAÇÂO ANUAL DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL - 5º ANO Ano letivo 2013/2014 Manual de História e Geografia de Portugal do 5º Ano : «Saber

Leia mais

MUNICIPAL SUMÁRIO 2.º SUPLEMENTO AO BOLETIM MUNICIPAL N.º 1158 RESOLUÇÕES DOS ÓRGÃOS DO MUNICÍPIO CÂMARA MUNICIPAL

MUNICIPAL SUMÁRIO 2.º SUPLEMENTO AO BOLETIM MUNICIPAL N.º 1158 RESOLUÇÕES DOS ÓRGÃOS DO MUNICÍPIO CÂMARA MUNICIPAL B O L E T I M C Â M A R A M U N I C I P A L D E L I S B O A 2.º SUPLEMENTO AO BOLETIM SUMÁRIO RESOLUÇÕES DOS ÓRGÃOS DO MUNICÍPIO CÂMARA Deliberações (Reunião Pública de Câmara realizada em 27 de abril

Leia mais

- Fernão, mentes? - Minto!

- Fernão, mentes? - Minto! Na etapa 3, leste um excerto do primeiro capítulo da Peregrinação de Fernão Mendes Pinto, numa adaptação de Aquilino Ribeiro. Nesta etapa, vais ler um excerto do último capítulo do original, Peregrinação,

Leia mais

CATÁLOGO DE DOCUMENTOS MANUSCRITOS AVULSOS REFERENTES À VISITA DO OURO EXISTENTES NO ARQUIVO HISTÓRICO ULTRAMARINO DE LISBOA

CATÁLOGO DE DOCUMENTOS MANUSCRITOS AVULSOS REFERENTES À VISITA DO OURO EXISTENTES NO ARQUIVO HISTÓRICO ULTRAMARINO DE LISBOA CATÁLOGO DE DOCUMENTOS MANUSCRITOS AVULSOS REFERENTES À VISITA DO OURO EXISTENTES NO ARQUIVO HISTÓRICO ULTRAMARINO DE LISBOA ORGANIZAÇÃO DESIGNAÇÃO CÓDIGO / COTA Entidade Detentora: ARQUIVO HISTÓRICO ULTRAMARINO

Leia mais

AGENDA EVENTOS SETEMBRO DEZEMBRO SUPLEMENTOS ALIMENTARES

AGENDA EVENTOS SETEMBRO DEZEMBRO SUPLEMENTOS ALIMENTARES AGENDA EVENTOS SETEMBRO DEZEMBRO SUPLEMENTOS ALIMENTARES PONTOS CHAVE PARA CUMPRIR AS EXIGÊNCIAS DE ROTULAGEM, APRESENTAÇÃO E PUBLICIDADE 28 de Setembro de 2016 CLASSIFICAÇÃO DOS PRODUTOS: OS PRODUTOS

Leia mais

SENEGAL Comércio Exterior

SENEGAL Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC SENEGAL Comércio Exterior Agosto de 2015 Principais Indicadores

Leia mais

CARTAS NÁUTICAS E CARTAS ELETRÓNICAS DE NAVEGAÇÃO DE PORTUGAL

CARTAS NÁUTICAS E CARTAS ELETRÓNICAS DE NAVEGAÇÃO DE PORTUGAL S. R. MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL MARINHA INSTITUTO HIDROGRÁFICO CARTAS NÁUTICAS E CARTAS ELETRÓNICAS DE NAVEGAÇÃO DE PORTUGAL ÍNDICE 2013 A imagem da capa do Índice 2013 resulta da sobreposição da 1.ª

Leia mais

OS ALUNOS DO 5.º ANO DEVEM ADQUIRIR OS MANUAIS ESCOLARES de ACORDO COM LISTA DIVULGADA

OS ALUNOS DO 5.º ANO DEVEM ADQUIRIR OS MANUAIS ESCOLARES de ACORDO COM LISTA DIVULGADA 5.º ANO DISCIPLINA ISBN TÍTULO DO MANUAL EDITOR Português 978-972-0-20011-2 Livro Aberto- Português-5.ºano Porto Editora AUTORES Ermelinda Rodrigues, Fernanda Costa e Lídia Bom Matemática 978-972-0-20543-8

Leia mais