PORTARIA SF Nº 147, DE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PORTARIA SF Nº 147, DE"

Transcrição

1 PORTARIA SF Nº 147, DE O SECRETÁRIO DA FAZENDA, considerando as significativas modificações introduzidas na Portaria SF nº 083, de , e alterações, que dispõe sobre antecipação tributária, na aquisição de mercadoria procedente de outra Unidade da Federação, e tendo em vista a necessidade de promover novos ajustes na referida sistemática, RESOLVE: I - O contribuinte que adquirir mercadoria em outra Unidade da Federação, inclusive para uso, consumo e ativo fixo, fica sujeito ao recolhimento antecipado do ICMS, conforme o disposto nesta Portaria, com base no art. 54, V, do Decreto nº , de , e alterações, observadas as normas específicas contidas no mencionado art. 54, nas seguintes hipóteses: a) adquirente inscrito no Cadastro de Contribuintes do Estado de Pernambuco CACEPE: 1. na atividade de comércio atacadista ou varejista; 2. em qualquer dos códigos da Classificação Nacional de Atividades Econômicas - CNAE relacionados no Anexo 1; 3. na atividade de prestação de serviço de transporte, em qualquer dos códigos da CNAE relacionados no Anexo 2, relativamente às aquisições de mercadoria destinada a uso ou consumo do estabelecimento ou a integrar o respectivo ativo fixo; 4. na atividade de indústria, em qualquer dos códigos da CNAE relacionados no Anexo 3; b) contribuinte com as respectivas atividades suspensas, nas situações discriminadas em ato normativo específico, observando-se o disposto no inciso VIII, relativamente à hipótese ali prevista; c) adquirente com recolhimento do ICMS na forma do Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte - Simples Nacional; II - A antecipação prevista no inciso I não se aplica quando ocorrer qualquer das seguintes hipóteses: a) antecipação do ICMS relativo à respectiva mercadoria; b) substituição tributária relativa ao ICMS, referente às operações subseqüentes; c) fase seguinte da circulação da mercadoria com isenção, não-incidência, imunidade ou diferimento do recolhimento do imposto; d) no caso da alínea "a" do mencionado inciso I, na aquisição por transferência entre estabelecimentos do mesmo titular, desde que o adquirente, cumulativamente: 1. esteja credenciado, nos termos estabelecidos em portaria específica do Secretário da Fazenda, para recolhimento do imposto em momento posterior ao da respectiva passagem da mercadoria pela primeira unidade fiscal deste Estado; 2. seja inscrito no CACEPE em código da CNAE diverso dos constantes dos Anexos 1, 2, 3 ou 4; e) aquisição da mercadoria for efetuada por: 1. contribuinte que tenha a condição de central de distribuição, nas seguintes hipóteses: 1.1. quando beneficiário do Programa de Desenvolvimento do Estado de Pernambuco PRODEPE, nos termos do 11, IV, do art. 54 do Decreto nº , de 1991, e alterações; 1.2. quando o reconhecimento da referida condição ocorra nos termos do Decreto nº , de , e alterações, que institui sistemática de tributação referente ao ICMS incidente nas operações realizadas por central de distribuição de supermercados e de lojas de departamentos; 2. contribuinte dispensado, mediante credenciamento, da antecipação do imposto, na condição de contribuinte-substituto, em relação às operações subseqüentes, nas aquisições efetuadas

2 em outra Unidade da Federação de mercadoria diversa daquela objeto da substituição tributária; 3. estabelecimento industrial beneficiário do PRODEPE; 4. contribuinte credenciado para utilização, conforme o caso, das sistemáticas especiais de tributação previstas para: 4.1. as operações com produtos alimentícios, de higiene pessoal e de limpeza e bebidas, realizadas por estabelecimento comercial atacadista, relativamente à aquisição desses produtos; 4.2. as operações com fios, tecidos, artigos de armarinho e confecções, quando a aquisição for realizada por estabelecimento comercial atacadista ou industrial e o produto adquirido for fios, tecidos e artigos de armarinho; f) aquisição de mercadoria efetuada por contribuinte que atenda às condições previstas no art. 14, LIII, do Decreto nº , de 1991, e alterações; III - Relativamente à base de cálculo do imposto antecipado, será observado o seguinte: a) a mencionada base de cálculo corresponderá ao valor da operação constante da respectiva Nota Fiscal, excluindo-se aqueles relativos às operações não alcançadas pela sistemática prevista nesta Portaria; b) na hipótese do inciso I, "a", 2, quando a mercadoria não for destinada a uso, consumo ou ativo fixo do adquirente, o valor previsto na alínea "a" será acrescido do montante correspondente à aplicação dos percentuais indicados no Anexo 1 sobre o referido valor, observado o disposto na alínea "h"; c) na hipótese de suspensão de atividade, conforme inciso I, "b", o valor previsto na alínea "a" será acrescido do montante correspondente à aplicação do percentual de (trinta por cento) ou daquele previsto no Anexo 1, dos dois o maior, sobre o referido valor; d) exclui-se da mencionada base de cálculo o valor do ICMS relativo à substituição tributária, retido pelo remetente da respectiva mercadoria, se houver; e) quando a mercadoria estiver relacionada em pauta fiscal específica para a entrada de produtos adquiridos em outra Unidade da Federação, será considerado, entre o valor da respectiva pauta e o da base de cálculo prevista nesta Portaria, aquele que for maior; f) quando a base de cálculo do imposto relativo à operação subseqüente for reduzida, aquela do imposto antecipado será igualmente contemplada com a referida redução; g) na hipótese do inciso I, "a" e "b", quando a mercadoria estiver submetida ao sistema de redução de base de cálculo resultando em carga tributária líquida, nos termos do art. 24 do Decreto nº , de 1991, e alterações, será observado o seguinte: 1. quando o valor da respectiva carga líquida for inferior àquele correspondente ao imposto antecipado, o adquirente deve antecipar apenas o montante relativo à aplicação do percentual equivalente à carga líquida sobre o valor da operação constante da respectiva Nota Fiscal; 2. o valor antecipado será abatido do imposto relativo à saída subseqüente sujeita à carga líquida, na forma prevista no inciso VI, "a"; h) nas hipóteses a seguir, a referida base de cálculo será aquela prevista na alínea "a" deste inciso, não se adotando qualquer acréscimo de valor agregado, ainda que o contribuinte esteja inscrito no CACEPE em qualquer dos códigos da CNAE relacionados no Anexo 1 ou esteja com as respectivas atividades suspensas: 1. o adquirente recolher o ICMS na forma do Simples Nacional, conforme o inciso I, "c"; 2. a mercadoria adquirida seja programa de computador ("software") não-personalizado; IV - Para efeito do recolhimento antecipado do imposto previsto no inciso I, o respectivo cálculo será efetuado aplicando-se sobre a base de cálculo estabelecida no inciso III, conforme o caso: a) mercadoria adquirida por contribuinte inscrito no CACEPE em qualquer dos códigos da CNAE relacionados no Anexo 1, conforme inciso I, "a", 2, exceto aqueles relativos ao comércio atacadista, ou no caso de suspensão de atividade, conforme inciso I, "b", o percentual

3 correspondente à alíquota do ICMS vigente para as operações internas, deduzindo-se do resultado obtido o valor do crédito destacado na Nota Fiscal de aquisição; b) adquirente inscrito no CACEPE na atividade de comércio atacadista, o percentual máximo de 5% (cinco por cento), ressalvadas as exceções previstas na legislação; c) contribuinte credenciado pela SEFAZ, para utilização da sistemática de tributação para operações realizadas por estabelecimento comercial atacadista com produtos alimentícios, de limpeza, de higiene pessoal e bebidas, de que trata o Decreto nº , de , e alterações, dispensado da antecipação prevista nesta Portaria, nos termos do inciso II, "e", 4.1, quando adquirir mercadoria diversa dos mencionados produtos, observada, quanto aos produtos de higiene pessoal e de limpeza, a especificação contida no art. 6º do mencionado Decreto nº , de 2002, e alterações, os seguintes percentuais: 1. 5% (cinco por cento), quando a mercadoria for adquirida: 1.1. nas Regiões Sul ou Sudeste, exceto o Estado do Espírito Santo; 1.2. a estabelecimento comercial nas Regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste ou no Estado do Espírito Santo; 2. 3% (três por cento), quando a mercadoria for adquirida a estabelecimento industrial ou produtor nas Regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste ou no Estado do Espírito Santo; d) aquisição de programa de computador ("software") não-personalizado, o percentual de 1% (um por cento); e) adquirente com recolhimento do ICMS na forma do Simples Nacional, estabelecido na Mesorregião do Agreste Pernambucano e inscrito no CACEPE nos códigos da CNAE constantes do Anexo 5, o percentual de 4% (quatro por cento); f) nos demais casos, o percentual correspondente à diferença entre a alíquota do ICMS vigente para as operações internas e aquela prevista para as operações interestaduais; V - O imposto calculado na forma do inciso IV será recolhido: a) por ocasião da passagem da mercadoria pela primeira unidade fiscal deste Estado, nos termos do art. 54, 1º, III, "a", do Decreto nº , de 1991, e alterações; b) quando o contribuinte estiver credenciado pela Secretaria da Fazenda, nos termos estabelecidos em portaria específica do Secretário da Fazenda, independentemente de a mercadoria ter passado por qualquer unidade fiscal deste Estado: 1. até o último dia do mês subseqüente ao da respectiva entrada da mercadoria neste Estado; 2. até o último dia do segundo mês subseqüente ao da entrada da mercadoria no Estado, quando o adquirente estiver localizado nos Municípios de Afrânio, Cabrobó, Dormentes, Lagoa Grande, Orocó, Petrolina, Santa Maria da Boa Vista e Terra Nova, que compõem a Microrregião de Petrolina, integrante da Mesorregião do São Francisco Pernambucano, conforme estabelecido no 20 do art. 54 do Decreto nº , de 1991, e alterações; c) não passando a mercadoria por qualquer unidade fiscal deste Estado, na hipótese de o recolhimento do imposto estar previsto para o momento da passagem da mercadoria pela primeira unidade fiscal, nos termos da alínea "a": no prazo de 08 (oito) dias, contados a partir da data de saída da mercadoria do estabelecimento remetente, ou, na falta desta, da data de emissão da respectiva Nota Fiscal; VI - O lançamento do ICMS efetivamente recolhido nos termos do inciso V: a) deve ser efetuado: 1. na coluna "Contribuinte-Substituído - ICMS na Fonte" do livro Registro de Entradas, na mesma linha em que tiver sido escriturada a respectiva Nota Fiscal, quando o recolhimento ocorrer no período fiscal da entrada da mercadoria; 2. no Registro de Apuração do ICMS, mediante escrituração do valor do imposto relativo à respectiva Nota Fiscal, no quadro "Detalhamento - Outros Créditos", com indicação do mencionado documento fiscal, quando o recolhimento ocorrer em período diverso daquele da entrada da mercadoria;

4 b) não deve ser efetuado quando o imposto for referente à mercadoria destinada a: 1. uso e consumo do adquirente; 2. contribuinte que recolha o ICMS na forma do Simples Nacional; c) na hipótese de mercadoria destinada a ativo fixo, devem ser observadas as respectivas normas relativas ao crédito fiscal, previstas na legislação específica; VII - O pagamento do ICMS antecipado, nos termos desta Portaria: a) não exime o contribuinte de recolher: 1. nos prazos previstos no inciso V, "b", o montante correspondente à diferença entre o imposto efetivamente devido e aquele recolhido nos termos desta Portaria, relativamente: 1.1. à aquisição de mercadoria para uso, consumo ou ativo fixo, quando o imposto antecipado relativo à referida aquisição for inferior ao valor correspondente à aplicação da diferença de alíquota de que trata o 24 do art. 14 do Decreto nº , de 1991, e alterações, sobre o valor da operação de aquisição; 1.2. à utilização de serviço de transporte cuja prestação tenha se iniciado em outra Unidade da Federação, correspondente à aquisição de que trata o subitem 1.1; 2. o valor relativo ao ICMS apurado na respectiva escrita fiscal; 3. o valor relativo ao recolhimento mensal do imposto correspondente ao Simples Nacional; b) deve ser realizado, ainda que: 1. a mercadoria não tenha passado por unidade fiscal deste Estado; 2. o cálculo do imposto e a emissão do DAE sejam de responsabilidade do contribuinte, mediante registro das Notas Fiscais referentes às mercadorias que não passaram por qualquer unidade fiscal deste Estado, pelo próprio contribuinte, no sistema eletrônico de transmissão de dados denominado ARE Virtual; VIII - As normas contidas nesta Portaria aplicam-se ao contribuinte que estiver omisso por 02 (dois) períodos fiscais, consecutivos ou alternados, em relação à transmissão ou entrega do arquivo digital do Sistema de Escrituração Fiscal - SEF, bem como de outros documentos de informações econômico-fiscais, observando-se ainda: a) o disposto neste inciso não se aplica ao contribuinte obrigado a entregar o documento "Resumo das Operações e Prestações Índice de Participação dos Municípios / ICMS", relacionado em portaria específica do Secretário da Fazenda; b) o recolhimento do imposto referido neste inciso ocorrerá nos termos do inciso V, "a" e "c"; c) a antecipação do imposto ocorrerá independentemente: 1. da natureza do estabelecimento; 2. de a aquisição da mercadoria ser efetuada por contribuinte enquadrado nas situações previstas no inciso II, "d", "e" e "f"; 3. da efetivação da suspensão das atividades do contribuinte, prevista no inciso XX, "g", da Portaria SF nº 185, de , e alterações; IX - Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação, produzindo efeitos a partir de ; X - Revogam-se as disposições em contrário e, em especial, a Portaria SF nº 083, de , e alterações. DJALMO DE OLIVEIRA LEÃO Secretário da Fazenda ANEXO 1 DA PORTARIA SF Nº 147 /2008 CNAEs RELATIVOS AOS CONTRIBUINTES SUJEITOS À ANTECIPAÇÃO DO ICMS, NA

5 AQUISIÇÃO DE MERCADORIA EM OUTRA UNIDADE DA FEDERAÇÃO, INCLUSIVE POR TRANSFERÊNCIA, COM PERCENTUAL DE AGREGAÇÃO (Incisos I, "a", 2, e II, "d", 2) Nº DA CNAE DESCRIÇÃO DA CNAE PERCENTUAL DE AGREGAÇÃO /01 Comércio por atacado de peças e acessórios novos para veículos automotores /03 Comércio a varejo de peças e acessórios novos para veículos automotores /02 Comércio por atacado de peças e acessórios para motocicletas e motonetas /05 Comércio a varejo de peças e acessórios para motocicletas e motonetas /01 Comércio atacadista de tecidos /02 Comércio atacadista de artigo de cama, mesa e banho /03 Comércio atacadista de artigo de armarinho /01 Comércio atacadista de artigos do vestuário e acessórios, exceto profissionais e de segurança /02 Comércio atacadista de roupas e acessórios para uso profissional e de segurança do trabalho /01 Comércio atacadista de calçados 20% /01 Comércio atacadista de equipamentos elétricos de uso pessoal e doméstico /02 Comércio atacadista de aparelhos eletrônicos de uso pessoal e doméstico /01 Comércio atacadista de equipamentos de informática /02 Comércio atacadista de suprimentos para informática /00 Comércio atacadista de componentes eletrônicos e equipamentos de telefonia e comunicação /02 Comércio atacadista de fios e fibras beneficiados /00 Comércio varejista especializado de equipamentos e

6 suprimentos de informática /01 Comércio varejista de tecidos /02 Comércio varejista de artigo de armarinho /03 Comércio varejista de artigo de cama, mesa e banho /00 Comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios /01 Comércio varejista de calçados 20% ANEXO 2 DA PORTARIA SF Nº 147 /2008 CNAEs RELATIVOS A CONTRIBUINTES SUJEITOS À ANTECIPAÇÃO DO ICMS, NA AQUISIÇÃO DE MERCADORIA EM OUTRA UNIDADE DA FEDERAÇÃO, INCLUSIVE POR TRANSFERÊNCIA, PARA USO, CONSUMO OU ATIVO FIXO (Incisos I, "a", 3, e II, "d", 2) Nº DA CNAE Nº DA CNAE /00 Transporte ferroviário de carga /01 Transporte ferroviário de passageiros, intermunicipal e interestadual /02 Transporte ferroviário de passageiros, municipal e em região metropolitana /01 Transporte rodoviário coletivo de passageiros, com itinerário fixo, municipal /02 Transporte rodoviário coletivo de passageiros, com itinerário fixo, intermunicipal em região metropolitana /01 Transporte rodoviário coletivo de passageiros, com itinerário fixo, intermunicipal, exceto em região metropolitana /02 Transporte rodoviário coletivo de passageiros, com itinerário fixo, interestadual /02 Serviço de transporte de passageiros - locação de automóveis com motorista /01 Transporte rodoviário coletivo de passageiros, sob regime de fretamento, municipal /02 Transporte rodoviário coletivo de passageiros, sob regime de fretamento, intermunicipal, interestadual e internacional /04 Organização de excursões em veículos rodoviários próprios, intermunicipal, interestadual e internacional /01 Transporte rodoviário de carga, exceto produtos perigosos e mudanças, municipal /02 Transporte rodoviário de carga, exceto produtos perigosos e mudanças, intermunicipal, interestadual e internacional /03 Transporte rodoviário de produtos perigosos /04 Transporte rodoviário de mudanças /00 Transporte dutoviário

7 5011-4/01 Transporte marítimo de cabotagem - carga /01 Transporte marítimo de longo curso - carga /02 Transporte por navegação interior de carga, intermunicipal, interestadual e internacional, exceto travessia /01 Transporte por navegação de travessia, municipal /00 Transporte aéreo de passageiros regular /01 Serviço de táxi aéreo e locação de aeronaves com tripulação /99 Serviços de transporte aéreo de passageiros não-regular não especificados nas demais subclasses /00 Transporte aéreo de carga /00 Carga e descarga /02 Operações de terminais /04 Organização logística do transporte de carga /05 Operador de transporte multimodal - otm /02 Serviços de entrega rápida ANEXO 3 DA PORTARIA SF Nº 147 /2008 CNAEs RELATIVOS AOS ESTABELECIMENTOS INDUSTRIAIS SUJEITOS À ANTECIPAÇÃO DO ICMS, NA AQUISIÇÃO DE MERCADORIA EM OUTRA UNIDADE DA FEDERAÇÃO (Incisos I, "a", 4, e II, "d", 2) Nº DA CNAE DESCRIÇÃO DA CNAE /00 Preparação e fiação de fibras de algodão /00 Preparação e fiação de fibras têxteis naturais, exceto algodão /00 Fiação de fibras artificiais e sintéticas /00 Fabricação de linhas para costurar e bordar /00 Tecelagem de fios de algodão /00 Tecelagem de fios de fibras têxteis naturais, exceto algodão /00 Tecelagem de fios de fibras artificiais e sintéticas /00 Fabricação de tecidos de malha /00 Fabricação de artefatos têxteis para uso doméstico /00 Fabricação de tecidos especiais, inclusive artefatos /01 Confecção de roupas íntimas /02 Facção de roupas íntimas /01 Confecção de peças do vestuário, exceto roupas íntimas e as confeccionadas sob medida /02 Confecção, sob medida, de pecas do vestuário, exceto roupas íntimas /03 Facção de peças do vestuário, exceto roupas íntimas /01 Confecção de roupas profissionais, exceto sob medida /02 Confecção, sob medida, de roupas profissionais

8 1422-3/00 Fabricação de artigos do vestuário, produzidos em malharias e tricotagens, exceto meias /01 Fabricação de calçados de couro /00 Fabricação de calçados de material sintético /00 Fabricação de calçados de materiais não especificados anteriormente /05 Fabricação de aviamentos para costura ANEXO 4 DA PORTARIA SF Nº 147 /2008 CONTRIBUINTES SUJEITOS À ANTECIPAÇÃO DO ICMS, NA AQUISIÇÃO DE MERCADORIA EM OUTRA UNIDADE DA FEDERAÇÃO, INCLUSIVE POR TRANSFERÊNCIA (Incisos I, "a", 1, e II, "d", 2) Nº DA CNAE DESCRIÇÃO DA CNAE /00 Comércio atacadista de café em grão /08 Comércio atacadista de matérias-primas agrícolas com atividade de fracionamento e acondicionamento associada /09 Comércio atacadista de alimentos para animais /99 Comércio atacadista de matérias-primas agrícolas não especificadas nas demais subclasses /00 Comércio atacadista de leite e laticínios /01 Comércio atacadista de cereais e leguminosas beneficiados /02 Comércio atacadista de farinhas, amidos e féculas /03 Comércio atacadista de cereais e leguminosas beneficiados, farinhas, amidos e féculas, com atividade de fracionamento e acondicionamento associada /01 Comércio atacadista de carnes bovinas e suínas e derivados /02 Comércio atacadista de aves abatidas e derivados /03 Comércio atacadista de pescados e frutos do mar /99 Comércio atacadista de carnes e derivados, de outros animais /01 Comércio atacadista de café torrado, moído e solúvel /02 Comércio atacadista de açúcar /03 Comércio atacadista de óleos e gorduras /04 Comércio atacadista de pães, bolos, biscoitos e similares /05 Comércio atacadista de massas alimentícias /06 Comércio atacadista de sorvetes /07 Comércio atacadista de chocolates, confeitos, balas, bombons e semelhantes /01 Comércio atacadista de produtos alimentícios em geral /02 Comércio atacadista de produtos alimentícios em geral, com atividade de fracionamento e acondicionamento associada /99 Comércio atacadista especializado em outros produtos alimentícios não especificados nas demais subclasses /01 Comércio varejista de mercadorias em geral, com predominância de produtos

9 alimentícios - hipermercados /02 Comércio varejista de mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios supermercados /00 Comércio varejista de mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios - minimercados, mercearias e armazéns /99 Comércio varejista de produtos alimentícios em geral ou especializado em produtos alimentícios não especificados nas demais subclasses /02 Padaria e confeitaria com predominância de revenda /03 Comércio varejista de laticínios e frios /04 Comércio varejista de doces, balas, bombons e semelhantes /01 Comércio varejista de carnes - açougues /02 Peixaria /00 Comércio varejista especializado de eletrodomésticos e equipamentos de áudio e vídeo /01 Comércio varejista de móveis ANEXO 5 DA PORTARIA SF Nº 147 /2008 CNAEs RELATIVOS A CONTRIBUINTES ENQUADRADOS NO SIMPLES NACIONAL, SUJEITOS À ANTECIPAÇÃO DO ICMS, NA AQUISIÇÃO DE MERCADORIA EM OUTRA UNIDADE DA FEDERAÇÃO, COM PERCENTUAL DIFERENCIADO (Inciso IV, "e") Nº DA CNAE DESCRIÇÃO DA CNAE /00 Preparação e fiação de fibras de algodão /00 Preparação e fiação de fibras têxteis naturais, exceto algodão /00 Fiação de fibras artificiais e sintéticas /00 Fabricação de linhas para costurar e bordar /00 Tecelagem de fios de algodão /00 Tecelagem de fios de fibras têxteis naturais, exceto algodão /00 Tecelagem de fios de fibras artificiais e sintéticas /00 Fabricação de tecidos de malha /01 Estamparia e texturização em fios, tecidos, artefatos têxteis e peças do vestuário /02 Alvejamento, tingimento e torção em fios, tecidos, artefatos têxteis e peças do vestuário

10 1340-5/99 Outros serviços de acabamento em fios, tecidos, artefatos têxteis e peças do vestuário /00 Fabricação de artefatos têxteis para uso doméstico /00 Fabricação de artefatos de tapeçaria /00 Fabricação de artefatos de cordoaria /00 Fabricação de tecidos especiais, inclusive artefatos /00 Fabricação de outros produtos têxteis não especificados nas demais subclasses /01 Confecção de roupas íntimas /02 Facção de roupas íntimas /01 Confecção de peças de vestuário, exceto roupas íntimas e as confeccionadas sob medida /02 Confecção, sob medida, de peças do vestuário, exceto roupas íntimas /03 Facção de peças do vestuário, exceto roupas íntimas /01 Confecção de roupas profissionais, exceto sob medida /02 Confecção, sob medida, de roupas profissionais /03 Facção de roupas profissionais /00 Fabricação de acessórios do vestuário, exceto para segurança e proteção /00 Fabricação de meias /00 Fabricação de artigos do vestuário, produzidos em malharias e tricotagens, exceto meias /01 Fabricação de roupas de proteção e segurança e resistentes a fogo /05 Fabricação de aviamentos para costura /03 Comércio atacadista de algodão /01 Comércio atacadista de tecidos /02 Comércio atacadista de artigos de cama, mesa e banho

11 4641-9/03 Comércio atacadista de artigos de armarinho /01 Comércio atacadista de artigos do vestuário e acessórios, exceto para uso profissional e de segurança /02 Comércio atacadista de roupas e acessórios para uso profissional e de segurança do trabalho /02 Comércio atacadista de fios e fibras beneficiados /01 Comércio varejista de tecidos /02 Comércio varejista de artigos de armarinho /03 Comércio varejista de artigos de cama, mesa e banho /00 Comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios

PESCADOS. atualizado em 09/06/2016 alterados os itens 2, 3.3.1, 3.3.2, 3.3.3, 3.5, 3.8, 4.1, 4.3, 6.1 e 6.2

PESCADOS. atualizado em 09/06/2016 alterados os itens 2, 3.3.1, 3.3.2, 3.3.3, 3.5, 3.8, 4.1, 4.3, 6.1 e 6.2 atualizado em 09/06/2016 alterados os itens 2, 3.3.1, 3.3.2, 3.3.3, 3.5, 3.8, 4.1, 4.3, 6.1 e 6.2 HISTÓRICO DE ATUALIZAÇÕES DATA ATUALIZAÇÃO ITENS ALTERADOS 11/04/2016 Alterados os itens 4 e 4.1 2 3 ÍNDICE

Leia mais

Diário Oficial do Estado de São Paulo Seção 1 Volume 126 Número 243 São Paulo, quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Diário Oficial do Estado de São Paulo Seção 1 Volume 126 Número 243 São Paulo, quarta-feira, 28 de dezembro de 2016 Diário Oficial do Estado de São Paulo Seção 1 Volume 126 Número 243 São Paulo, quarta-feira, 28 de dezembro de 2016 DECRETO Nº 62.385, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2016 Dispõe sobre a possibilidade de contribuintes

Leia mais

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA DE ESTÍMULO À CIDADANIA FISCAL. Mês/Ano - Código de Nacional de Atividade Econômica - CNAE

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA DE ESTÍMULO À CIDADANIA FISCAL. Mês/Ano - Código de Nacional de Atividade Econômica - CNAE CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA DE ESTÍMULO À CIDADANIA FISCAL Mês/Ano - Código de Nacional de Atividade Econômica - CNAE OUTUBRO/2007 5611_2/01 - RESTAURANTES E SIMILARES NOVEMBRO/2007 4721_1/01

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA FAZENDA LB% ATIVIDADE ECONÔMICA Comércio a varejo de automóveis, camionetas e utilitários novos

GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA FAZENDA LB% ATIVIDADE ECONÔMICA Comércio a varejo de automóveis, camionetas e utilitários novos GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA FAZENDA ANEXO ÚNICO À PORTARIA SEFAZ N o 1799, de 30 de dezembro de 2002. (Redação dada pela Portaria nº 011 de 11.01.07). CÓDIGO CÓDIGO 1.0 2.0 LB% ATIVIDADE

Leia mais

Av. Baruel, São Paulo - SP - CEP (11)

Av. Baruel, São Paulo - SP - CEP (11) Vide Medida Provisória nº 582, de 2012 NCM 02.03 02.06 02.09 02.10.1 05.04 05.05 05.07 05.10 05.11 Capítulo 16 Capítulo 19 2515.11.00 2515.12.10 2516.11.00 2516.12.00 30.02 30.03 30.04 3005.90.90 3815.12.10

Leia mais

Setor produtivo G03 - Borracha e Plástico. Contém estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE /01 Confecção de roupas profissionais, exceto sob

Setor produtivo G03 - Borracha e Plástico. Contém estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE /01 Confecção de roupas profissionais, exceto sob Setor produtivo G03 - Borracha e Plástico. Contém 1114186 estabelecimentos. CNAE DESCRIÇÃO DO CNAE 1413-4/01 Confecção de roupas profissionais, exceto sob medida 1413-4/02 Confecção, sob medida, de roupas

Leia mais

Setor produtivo G04 - Confecção e Têxtil. Contém estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE /00 Preparação e fiação de fibras de algodão

Setor produtivo G04 - Confecção e Têxtil. Contém estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE /00 Preparação e fiação de fibras de algodão Setor produtivo G04 - Confecção e Têxtil. Contém 1937980 estabelecimentos. CNAE DESCRIÇÃO DO CNAE 1311-1/00 Preparação e fiação de fibras de algodão 1312-0/00 Preparação e fiação de fibras têxteis naturais,

Leia mais

GOVERNO DE ALAGOAS SECRETARIA EXECUTIVA DE FAZENDA

GOVERNO DE ALAGOAS SECRETARIA EXECUTIVA DE FAZENDA GOVERNO DE ALAGOAS SECRETARIA EXECUTIVA DE FAZENDA DECRETO Nº 1.284, DE 06 DE JUNHO DE 2003. Publicado no DOE em 09 de junho de 2003. Dispõe sobre a sistemática de tributação do ICMS para operações realizadas

Leia mais

DECRETO N , DE 06 DE AGOSTO DE 2009

DECRETO N , DE 06 DE AGOSTO DE 2009 DECRETO N 29.816, DE 06 DE AGOSTO DE 2009 * Publicado no DOE em 07/08/2009. ALTERA DISPOSIÇÕES DO DECRETO 24.569, DE 31 DE JULHO DE 1997, QUE CONSOLIDA E REGULAMENTA A LEGISLAÇÃO DO IMPOSTO SOBRE OPERAÇÕES

Leia mais

EMPRESA DE REFEIÇÕES COLETIVAS

EMPRESA DE REFEIÇÕES COLETIVAS atualizado em 10/12/2015 alterados os itens 1 e 3 2 ÍNDICE 1. REGRAS GERAIS...5 2. CREDENCIAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DO CRÉDITO PRESUMIDO...6 3. RECUPERAÇÃO DOS CRÉDITOS RELATIVOS À MERCADORIA SUJEITA AO

Leia mais

Data de Ingresso 01/12/ /08/ /11/ /03/2015

Data de Ingresso 01/12/ /08/ /11/ /03/2015 SETOR 1. Serviços de Tecnologia da Informação (TI) e de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) Análise e desenvolvimento de sistemas Data de Ingresso Alíquotas Programação Análise e desenvolvimento

Leia mais

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO CONCEITO NO CONTEXTO DA LEI /2011

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO CONCEITO NO CONTEXTO DA LEI /2011 DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO CONCEITO NO CONTEXTO DA LEI 12.546/2011 COMÉRCIO VAJERISTA / CRITÉRIO DE APLICAÇÃO POR CNAE Os segmentos de comércio varejista, ficam sob a alíquota de 1%, cujas atividades

Leia mais

RESOLUÇÃO SEFA Nº 145/2015

RESOLUÇÃO SEFA Nº 145/2015 O SECRETÁRIO DE ESTADO DA FAZENDA, com fundamento nos Ajustes SINIEF 1/2013, 22/2013 e 5/2014; no inciso XIV do art. 45 da Lei n. 8.485, de 3 de junho de 1987; no 4º do art. 26 da Lei Complementar n. 123,

Leia mais

AGENDA TRIBUTÁRIA PAULISTA: FEVEREIRO DE COM. CAT Nº 2, DE 26/01/2017

AGENDA TRIBUTÁRIA PAULISTA: FEVEREIRO DE COM. CAT Nº 2, DE 26/01/2017 AGENDA TRIBUTÁRIA PAULISTA: FEVEREIRO DE 2017 - COM. CAT Nº 2, DE 26/01/2017 Declara as datas fixadas para cumprimento das obrigações principais e acessórias do mês de fevereiro de 2017. O Coordenador

Leia mais

SUCATA E LINGOTES E TARUGOS DE METAIS NÃO-FERROSOS

SUCATA E LINGOTES E TARUGOS DE METAIS NÃO-FERROSOS SUCATA E LINGOTES E TARUGOS DE METAIS NÃO-FERROSOS atualizado em 29/03/2016 ÍNDICE 1. CONCEITOS INICIAIS...4 1.1. Sucata...4 1.2. Diferimento...4 2. SISTEMA DE TRIBUTAÇÃO...4 3. NA AQUISIÇÃO DA SUCATA

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Antecipação tributária do imposto - entrada de mercadoria proveniente de outra UF - SP

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Antecipação tributária do imposto - entrada de mercadoria proveniente de outra UF - SP Segmentos mercadoria proveniente de outra UF - SP 11/05/2016 Título do documento Sumário 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 3.1 Antecipação Tributária...

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos ICMS Substituição Tributação por CNAE

Parecer Consultoria Tributária Segmentos ICMS Substituição Tributação por CNAE ICMS Substituição Tributação por CNAE 18/10/2013 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 6 5. Informações

Leia mais

Portaria ST nº 811, de 20/3/ DOE RJ de 22/3/2012

Portaria ST nº 811, de 20/3/ DOE RJ de 22/3/2012 Portaria ST nº 811, de 20/3/2012 - DOE RJ de 22/3/2012 Atualiza o manual de diferimento, ampliação de prazo de recolhimento, suspensão e de incentivos e benefícios de natureza tributária. O Superintendente

Leia mais

Comunicado CAT 14, de

Comunicado CAT 14, de Comunicado CAT 14, de 25 07 2016 (DOE 26 07 2016) O Coordenador da Administração Tributária declara que as datas fixadas para cumprimento das Obrigações Principais e Acessórias, do mês de AGOSTO de 2016,

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Page 1 of 6 GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Decreto nº 54.976, de 29 de outubro de 2009 Introduz alterações no Regulamento do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações

Leia mais

Ceará > Março/2016. Data Tributos Descrição

Ceará > Março/2016. Data Tributos Descrição OBS: As informações contidas nesta página são de caráter informativo, não dispensando a consulta a um profissional especializado, devido à freqüência com que os conteúdos sofrem alterações. Ceará > Março/2016

Leia mais

DECRETO Nº , DE 10 DE NOVEMBRO DE 2004

DECRETO Nº , DE 10 DE NOVEMBRO DE 2004 DECRETO Nº 49.113, DE 10 DE NOVEMBRO DE 2004 Introduz alterações no Regulamento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestações de Serviços - RICMS GERALDO ALCKMIN, Governador do Estado de São

Leia mais

ATENÇÃO SEGUE ABAIXO A LEI CORRESPONDENE A ESSA COBRANÇA. Dispõe sobre a substituição tributária nas operações interestaduais com autopeças.

ATENÇÃO SEGUE ABAIXO A LEI CORRESPONDENE A ESSA COBRANÇA. Dispõe sobre a substituição tributária nas operações interestaduais com autopeças. ATENÇÃO Senhores clientes pessoa jurídica (REVENDEDORES), informamos que nas operações referente a venda de peças, componentes e acessórios para veículos automotores, o calculo dos impostos é diferenciado.

Leia mais

Obrigações Estaduais de Alagoas - Agosto 2011

Obrigações Estaduais de Alagoas - Agosto 2011 Obrigações Estaduais de Alagoas - Agosto 2011 Dia: 02 ICMS-AL - Transmissão Eletrônica de Dados - Operações Interestaduais com Combustíveis - Transportador Revendedor Retalhista -TRR As informações relativas

Leia mais

Orientações Consultoria de Segmentos ICMS Substituição Tributação por CNAE

Orientações Consultoria de Segmentos ICMS Substituição Tributação por CNAE ICMS Substituição Tributação por CNAE 24/01/2017 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 8 5. Informações

Leia mais

Gestão Tributária- Escrituração Fiscal- Prof.Ademir Macedo de Oliveira Senac São Paulo- Unidade 24 de Maio

Gestão Tributária- Escrituração Fiscal- Prof.Ademir Macedo de Oliveira Senac São Paulo- Unidade 24 de Maio 1 CST: ICMS - IPI PIS - COFINS e Quadro sinótico das fiscais e tratamento tributário com base nas Legislações: ICMS- RICMS-SP DECRETO 45.490/2000 IPI- LEGISLAÇÃO FEDERAL Tabelas: I- II III da Instrução

Leia mais

GOVERNO DE ALAGOAS SECRETARIA DA FAZENDA

GOVERNO DE ALAGOAS SECRETARIA DA FAZENDA GOVERNO DE ALAGOAS SECRETARIA DA FAZENDA DECRETO Nº 43, de 23 de fevereiro de 2001 DOE 01.03.2001 Altera o Regulamento do ICMS, aprovado pelo Decreto nº 35.245, de 26 de dezembro de 1991, implementando

Leia mais

Base legal: artigo 423-A do RICMS/SP, Cláusula vigésima sexta do Convênio ICMS n 110/2007. Ato COTEPE/ICMS n 37/2015.

Base legal: artigo 423-A do RICMS/SP, Cláusula vigésima sexta do Convênio ICMS n 110/2007. Ato COTEPE/ICMS n 37/2015. AGENDA TRIBUTÁRIA ICMS/SP PARA O MÊS DE MARÇO 01/03 3 Feira Entrega, por transmissão eletrônica de dados, pelo Transportador Revendedor Retalhista TRR, das informações relativas às operações interestaduais

Leia mais

Base legal: artigo 423-A do RICMS/SP, Cláusula vigésima sexta do Convênio ICMS n 110/2007. Ato COTEPE/ICMS n 37/2015.

Base legal: artigo 423-A do RICMS/SP, Cláusula vigésima sexta do Convênio ICMS n 110/2007. Ato COTEPE/ICMS n 37/2015. AGENDA TRIBUTÁRIA ICMS/SP PARA O MÊS DE FEVEREIRO 02/02 3 Feira Principal COMBUSTÍVEIS Arquivo Magnético Entrega, por transmissão eletrônica de dados, pelo Transportador Revendedor Retalhista TRR, das

Leia mais

Econet Calendário de Obrigações e Tabelas Práticas 1

Econet Calendário de Obrigações e Tabelas Práticas 1 Econet Calendário Obrigações e Tabelas Práticas 1 CALENDÁRIO MENSAL DAS OBRIGAÇÕES FISCAIS DE ABRIL 2012 ICMS / MT 02.04 (2ª feira) Transportador Revendor Retalhista (TRR) - Informações Relativas às Operações

Leia mais

TABELA DE OPERAÇÕES FISCAIS

TABELA DE OPERAÇÕES FISCAIS TABELA DE OPERAÇÕES FISCAIS Operações amparadas ou beneficiadas com tratamento diferenciado - Roteiro prático Todas as operações que envolvam mercadorias devem estar acobertadas por documento idôneo emitido

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR DECRETO Nº 4.105, DE 29 DE JANEIRO DE 2009. ALTERA O REGULAMENTO DO ICMS, APROVADO PELO DECRETO Nº 35.245, DE 26 DE DEZEMBRO DE 1991, PARA IMPLEMENTAR DISPOSIÇÕES DOS PROTOCOLOS ICMS 107, DE 16 DE NOVEMBRO

Leia mais

DECRETO Nº , DE 17 DE DEZEMBRO DE 2013

DECRETO Nº , DE 17 DE DEZEMBRO DE 2013 Página 1 de 5 DECRETO Nº 59.967, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2013 (DOE 18-12-2013) Introduz alterações no Regulamento do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços

Leia mais

Pergunte à CPA. Diferimento Regras gerais

Pergunte à CPA. Diferimento Regras gerais 26/05/2014 Pergunte à CPA Diferimento Regras gerais Apresentação: José A. Fogaça Neto SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA Hipóteses Antecedente Concomitante Subsequente Denominada também de substituição tributária

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Nota Fiscal Conjugada Rio Grande do Sul

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Nota Fiscal Conjugada Rio Grande do Sul Nota Fiscal Conjugada Rio Grande do Sul 02/12/2013 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 5 3.1. Definição... 7 3.2. Previsão

Leia mais

Pergunte à CPA. Regras da aplicação das ST dos Novos Protocolos entre São Paulo e Rio de Janeiro a partir de

Pergunte à CPA. Regras da aplicação das ST dos Novos Protocolos entre São Paulo e Rio de Janeiro a partir de 27/11/2014 Pergunte à CPA Regras da aplicação das ST dos Novos Protocolos entre São Paulo e Rio de Janeiro a partir de 27.11.2014 Apresentação: Helen Mattenhauer Convênio e Protocolos CONVÊNIO: Constitui

Leia mais

Distrito Federal > Setembro/2016

Distrito Federal > Setembro/2016 OBS: As informações contidas nesta página são de caráter informativo, não dispensando a consulta a um profissional especializado, devido à freqüência com que os conteúdos sofrem alterações. Distrito Federal

Leia mais

DECRETO N , DE 27 DE NOVEMBRO DE 2008

DECRETO N , DE 27 DE NOVEMBRO DE 2008 * Publicado no DOE em 27/11/2008. DECRETO N 29.560, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2008 REGULAMENTA A LEI Nº 14.237, DE 10 DE NOVEMBRO DE 2008, QUE DISPÕE SOBRE O REGIME DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA NAS OPERAÇÕES

Leia mais

ANEXO I. SEGMENTO ECONÔMICO/CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS CNAE (principal)

ANEXO I. SEGMENTO ECONÔMICO/CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS CNAE (principal) ANEXO I SEGMENTO ECONÔMICO/CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS CNAE (principal) SEGMENTO ECONÔMICO CNAE (Subclasse) Alimentação 1091102 Alimentação 4721102 Alimentação 4721103 Alimentação 4721104

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Protocolo 21/2011 Operações com origem em São Paulo

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Protocolo 21/2011 Operações com origem em São Paulo Protocolo 21/2011 Operações com origem em São Paulo 23/04/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1. ICMS Próprio... 4

Leia mais

Pergunte à CPA Decreto /2015

Pergunte à CPA Decreto /2015 Pergunte à CPA Decreto 61.084/2015 Alterações no artigo 132-A: Artigo 132-A - Ressalvado o disposto no artigo 132, nas demais hipóteses previstas na legislação, tais como não-obrigatoriedade de uso de

Leia mais

ÚLTIMAS ALTERAÇÕES NA LEGISLAÇÃO ESTADUAL. 1- RS ICMS Obrigatoriedade da informação da NCM/SH nas notas fiscais

ÚLTIMAS ALTERAÇÕES NA LEGISLAÇÃO ESTADUAL. 1- RS ICMS Obrigatoriedade da informação da NCM/SH nas notas fiscais ÚLTIMAS ALTERAÇÕES NA LEGISLAÇÃO ESTADUAL 1- RS ICMS Obrigatoriedade da informação da NCM/SH nas notas fiscais Atráves do Decreto 46.81, de 11-1-009, foram realizadas alterações no RICMS/RS que tratam

Leia mais

21:24:15]

21:24:15] ICMS/SP - Antecipação tributária do imposto na entrada de mercadoria proveniente de outra Unidade da Federação 2 de Maio de 2012 Em face da publicação da 43/2012 - DOE SP de 14.04.2012; 47/2012 - DOE SP

Leia mais

DECRETO Nº , DE 1º DE AGOSTO DE 2013.

DECRETO Nº , DE 1º DE AGOSTO DE 2013. DECRETO Nº 31.270, DE 1º DE AGOSTO DE 2013. Publicado no DOE em 02/08/2013 DISPÕE SOBRE O REGIME DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA COM CARGA LÍQUIDA DO ICMS NAS OPERAÇÕES COM MATERIAL DE CONSTRUÇÃO, FERRAGENS

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Operação com ICMS Diferido - SE

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Operação com ICMS Diferido - SE Operação com ICMS Diferido - SE 18/12/2013 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 5 4. Conclusão... 6 5. Informações

Leia mais

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA - REDUÇÃO DA MVA EM 70% NAS SAÍDAS DESTINADAS A EMPRESAS DO SIMPLES NACIONAL SITUADAS EM SANTA CATARINA

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA - REDUÇÃO DA MVA EM 70% NAS SAÍDAS DESTINADAS A EMPRESAS DO SIMPLES NACIONAL SITUADAS EM SANTA CATARINA SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA - REDUÇÃO DA MVA EM 70% NAS SAÍDAS DESTINADAS A EMPRESAS DO SIMPLES NACIONAL SITUADAS EM SANTA CATARINA Matéria elaborada com base na Legislação vigente em 29.08.2010. SUMÁRIO:

Leia mais

CADASTRO COMERCIAL. Regime de inscrição no cadastro dos estabelecimentos comerciais. Decreto-Lei nº 48/2011, de 1 de abril Artigo 14º

CADASTRO COMERCIAL. Regime de inscrição no cadastro dos estabelecimentos comerciais. Decreto-Lei nº 48/2011, de 1 de abril Artigo 14º CADASTRO COMERCIAL Regime de inscrição no cadastro dos estabelecimentos comerciais Decreto-Lei nº 48/2011, de 1 de abril Artigo 14º SUBSECÇÃO III Cadastro comercial Artigo 14.º Regime de inscrição no cadastro

Leia mais

Decreto nº , (DOE de 06/06/09 - Retificado no DOE de 10/06/09)

Decreto nº , (DOE de 06/06/09 - Retificado no DOE de 10/06/09) Decreto nº 54.422, (DOE de 06/06/09 - Retificado no DOE de 10/06/09) Introduz alterações no Regulamento do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa DECRETO Nº 46.429, DE 23 DE JUNHO DE 2009. (publicado no DOE nº 117, de 24 de junho de 2009) Modifica o Regulamento

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Empresas enquadradas na desoneração da folha de Pagamento com alíquotas distintas entre as atividades

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Empresas enquadradas na desoneração da folha de Pagamento com alíquotas distintas entre as atividades Pagamento com alíquotas distintas entre as atividades 20/05/2014 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 8 4. Conclusão...

Leia mais

VENDAS FORA DO ESTABELECIMENTO

VENDAS FORA DO ESTABELECIMENTO atualizado em 01/03/2016 alterados os itens 2, 3, 4.1.1, 4.1.2, 4.2, 4.3 e Legislação Consultada 2 ÍNDICE 1. CONCEITO...5 2. FASES...5 3. CONTRIBUINTE DE OUTRO ESTADO...5 4. CONTRIBUINTE DESTE ESTADO...6

Leia mais

Anexos 4. 0 Substituição Tributária Anexos Substituição Tributária das Operações com Lâmpadas Elétricas

Anexos 4. 0 Substituição Tributária Anexos Substituição Tributária das Operações com Lâmpadas Elétricas Anexos 4. 0 Substituição Tributária Anexos 4. 13 Substituição Tributária das Operações com Lâmpadas Elétricas Protocolo ICMS 17/1985 Alterações: Protocolo 09/1986, 10/87, 51/91, 08/98, 26/01, 37/01, 42/08,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA DA CPRH Nº 006/2015

INSTRUÇÃO NORMATIVA DA CPRH Nº 006/2015 INSTRUÇÃO NORMATIVA DA CPRH Nº 006/2015 Altera o Anexo Único da Instrução Normativa CPRH nº 005/2014. A Diretora Presidente da AGÊNCIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE - CPRH, no uso da atribuição que lhe confere

Leia mais

Agenda Tributária do Estado de Santa Catarina Julho/2014

Agenda Tributária do Estado de Santa Catarina Julho/2014 Agenda Tributária do Estado de Santa Catarina Julho/2014 01/07-3 Feira Entrega, por transmissão eletrônica de dados, pelo Transportador Revendedor Retalhista - TRR, das informações relativas às operações

Leia mais

"24. soluções à base de acetona, em embalagens de conteúdo igual ou inferior a 500 ml, ;" (NR);

24. soluções à base de acetona, em embalagens de conteúdo igual ou inferior a 500 ml, ; (NR); Decreto nº 59.619, de 18.10.2013 - DOE SP de 19.10.2013 Introduz alterações no Regulamento do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte

Leia mais

2º Na hipótese do inciso I do parágrafo 1º, a substituição tributária caberá ao estabelecimento da empresa industrial ou ao contribuinte substituto

2º Na hipótese do inciso I do parágrafo 1º, a substituição tributária caberá ao estabelecimento da empresa industrial ou ao contribuinte substituto Anexos 4. 0 Substituição Tributária Anexos 4. 12 Substituição Tributária das Operações com Lâmina de Barbear, Aparelho de Barbear Descartável, Isqueiro. Protocolo ICMS 16/1985 Alterações: Protocolo 09/1986,10/87,50/91,07/98,14/00,

Leia mais

Portaria CAT 53, de

Portaria CAT 53, de Publicado no D.O.E. (SP) de 25/05/2013 Portaria CAT 53, de 24-05-2013 Disciplina a atribuição, por regime especial, da condição de sujeito passivo por substituição tributária, conforme inciso VI do artigo

Leia mais

Page 1 of 5 RICMS 2000 - Atualizado até o Decreto 55.438, de 17-02-2010. SEÇÃO II - DAS OPERAÇÕES COM ÁLCOOL CARBURANTE SUBSEÇÃO I - DAS OPERAÇÕES COM ÁLCOOL ETÍLICO HIDRATADO CARBURANTE Artigo 418 - Na

Leia mais

DECRETO N , DE 31 DE OUTUBRO DE /10/2006 * Publicado no DOE em 31/10/2006.

DECRETO N , DE 31 DE OUTUBRO DE /10/2006 * Publicado no DOE em 31/10/2006. DECRETO N 28.443, DE 31 DE OUTUBRO DE 2006 31/10/2006 * Publicado no DOE em 31/10/2006. Dispõe sobre o regime de substituição tributária nas operações com tecidos e os produtos de aviamento que indica.

Leia mais

DECRETO Nº DE 04 DE AGOSTO DE 2017 D E C R E T A

DECRETO Nº DE 04 DE AGOSTO DE 2017 D E C R E T A DECRETO Nº 17.815 DE 04 DE AGOSTO DE 2017 Altera o Decreto nº 13.780, de 16 de março de 2012, que regulamenta o Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços

Leia mais

Procedimento. Levantamento de Estoque e recolhimento do imposto. Contribuintes sujeitos ao Regime Periódico de Apuração - RPA

Procedimento. Levantamento de Estoque e recolhimento do imposto. Contribuintes sujeitos ao Regime Periódico de Apuração - RPA Procedimento Levantamento de Estoque e recolhimento do imposto Contribuintes sujeitos ao Regime Periódico de Apuração - RPA O contribuinte substituído, sujeito ao Regime Periódico de Apuração - RPA que,

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Redução do montante do impostos recolhido nas operações de importação - PE

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Redução do montante do impostos recolhido nas operações de importação - PE Redução do montante do impostos recolhido nas operações de importação - PE 24/06/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4

Leia mais

Orientações Consultoria de Segmentos ICMS ST para transportadoras de produtos da Petrobrás

Orientações Consultoria de Segmentos ICMS ST para transportadoras de produtos da Petrobrás 10/02/2014 Orientações Consultoria Tributária de Segmentos Título do documento Sumário 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 3.1 Decreto Nº 20.686, De 28

Leia mais

DECRETO Nº , DE 26 DE ABRIL DE 2011

DECRETO Nº , DE 26 DE ABRIL DE 2011 Publicado no DOE em 28/04/2011 DECRETO Nº 30.519, DE 26 DE ABRIL DE 2011 DISPÕE SOBRE O REGIME DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA COM CARGA LÍQUIDA DO ICMS NAS OPERAÇÕES COM PEÇAS, COMPONENTES E ACESSÓRIOS PARA

Leia mais

Coordenação de Serviços e Comércio COSEC 07/2017

Coordenação de Serviços e Comércio COSEC 07/2017 Coordenação de Serviços e Comércio COSEC 07/2017 Pesquisa Anual de Comércio PAC 2015 Sumário Objetivos da PAC Segmentos e classes de atividade Aspectos metodológicos Principais resultados Objetivos da

Leia mais

REPASSE AO FUNDO ESTADUAL DE COMBATE E ERRADICAÇÃO DA POBREZA PELO CONTRIBUINTE QUE APURA SEU ICMS PRÓPRIO EM CONTA GRÁFICA

REPASSE AO FUNDO ESTADUAL DE COMBATE E ERRADICAÇÃO DA POBREZA PELO CONTRIBUINTE QUE APURA SEU ICMS PRÓPRIO EM CONTA GRÁFICA REPASSE AO FUNDO ESTADUAL DE COMBATE E ERRADICAÇÃO DA POBREZA PELO CONTRIBUINTE QUE APURA SEU PRÓPRIO EM CONTA GRÁFICA A Secretaria de Fazenda de Mato Grosso (SefazMT) esclarece as regras para a operacionalização

Leia mais

atualizado em 15/07/2016 ANTECIPAÇÃO TRIBUTÁRIA: PORTARIA SF Nº 147/2008 alterados os itens 1.3.2, 1.3.3, 1.3.4, 1.7, 1.8, 2.2 e 3.3.

atualizado em 15/07/2016 ANTECIPAÇÃO TRIBUTÁRIA: PORTARIA SF Nº 147/2008 alterados os itens 1.3.2, 1.3.3, 1.3.4, 1.7, 1.8, 2.2 e 3.3. atualizado em 15/07/2016 ANTECIPAÇÃO TRIBUTÁRIA: PORTARIA SF Nº 147/2008 alterados os itens 1.3.2, 1.3.3, 1.3.4, 1.7, 1.8, 2.2 e 3.3.1 HISTÓRICO DE ATUALIZAÇÕES DATA ATUALIZAÇÃO 14/06/2016 ITENS ALTERADOS

Leia mais

Rio de Janeiro > Janeiro/2017

Rio de Janeiro > Janeiro/2017 OBS: As informações contidas nesta página são de caráter informativo, não dispensando a consulta a um profissional especializado, devido à freqüência com que os conteúdos sofrem alterações. Rio de Janeiro

Leia mais

GOVERNO DE RONDÔNIA SECRETARIA DE ESTADO DE FINANÇAS COORDENADORIA DA RECEITA ESTADUAL GETRI GERÊNCIA DE TRIBUTAÇÃO PARECER Nº 483/07/GETRI/CRE/SEFIN

GOVERNO DE RONDÔNIA SECRETARIA DE ESTADO DE FINANÇAS COORDENADORIA DA RECEITA ESTADUAL GETRI GERÊNCIA DE TRIBUTAÇÃO PARECER Nº 483/07/GETRI/CRE/SEFIN Interessado : DELEGACIA DA 4ª DRRE/CACOAL. Assunto : Tratamento tributário nas operações de substituição em garantia. EMENTA: OPERAÇÕES DE REMESSA PARA REPOSIÇÃO EM GARANTIA NOVAS DISPOSIÇÕES INTRODUZIDAS

Leia mais

Índice. Gustavo Prado Gerente de Consultoria ASIS Projetos

Índice. Gustavo Prado Gerente de Consultoria ASIS Projetos Índice O que é a Substituição Tributária? 3 Convênio ICMS nº 52/2017: Introdução 4 Convênios Revogados 5 Pontos de Atenção 6 Mercadorias 7 Responsabilidade 8 Cálculo 9 Exemplificando o Cálculo (MVA) 10

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Redução Base de Cálculo ICMS-ST no Simples Nacional - GO

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Redução Base de Cálculo ICMS-ST no Simples Nacional - GO 16/10/2013 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas Pelo Cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 5 5. Informações Complementares... 5 6. Referências...

Leia mais

GIA-ST GUIA NACIONAL DE INFORMAÇÃO E APURAÇÃO DO ICMS SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA

GIA-ST GUIA NACIONAL DE INFORMAÇÃO E APURAÇÃO DO ICMS SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA GIA-ST GUIA NACIONAL DE INFORMAÇÃO E APURAÇÃO DO ICMS SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA INTRODUÇÃO A GIA-ST (Guia Nacional de Informação e Apuração do ICMS Substituição Tributária) é a declaração que contém as informações

Leia mais

Certidão Simplificada

Certidão Simplificada Certidão Simplificada Certificamos que as informações abaixo constam dos documentos arquivados nesta Junta Comercial e são vigentes na data de sua expedição. Nome Empresarial: Natureza Jurídica: Número

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Recolhimento de ICMS ST sobre a operação de frete

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Recolhimento de ICMS ST sobre a operação de frete 09/02/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1 Alíquota prevista para a operação... 7 4. Conclusão... 10 5. Referências...

Leia mais

Pergunte à CPA. Substituição Tributária entre os Estados de SP e RJ

Pergunte à CPA. Substituição Tributária entre os Estados de SP e RJ 21/07/2014 Pergunte à CPA Substituição Tributária entre os Estados de SP e RJ Apresentação: Helen Mattenhauer Convênio e Protocolos CONVÊNIO: Constitui um acordo entre os Estados, cujo elaboração tem por

Leia mais

ICMS/NACIONAL SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA E ANTECIPAÇÃO TRIBUTÁRIA DO ICMS COM ENCERRAMENTO DE TRIBUTAÇÃO Normas Gerais Confaz divulga convênio.

ICMS/NACIONAL SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA E ANTECIPAÇÃO TRIBUTÁRIA DO ICMS COM ENCERRAMENTO DE TRIBUTAÇÃO Normas Gerais Confaz divulga convênio. ICMS/NACIONAL SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA E ANTECIPAÇÃO TRIBUTÁRIA DO ICMS COM ENCERRAMENTO DE TRIBUTAÇÃO Normas Gerais Confaz divulga convênio. MAPA ETECNICO FISCAL - www.etecnico.com.br - facebook/mapaetecnicofiscal

Leia mais

Setor produtivo G08 - Metalurgia (3). Contém estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE /99 Extração de outros minerais não-metálicos não

Setor produtivo G08 - Metalurgia (3). Contém estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE /99 Extração de outros minerais não-metálicos não Setor produtivo G08 - Metalurgia (3). Contém 1393107 estabelecimentos. CNAE DESCRIÇÃO DO CNAE 0899-1/99 Extração de outros minerais não-metálicos não especificados anteriormente 1091-1/01 Fabricação de

Leia mais

Dos Créditos a Descontar na Apuração da Contribuição para o PIS/Pasep e da Cofins

Dos Créditos a Descontar na Apuração da Contribuição para o PIS/Pasep e da Cofins Assunto: Contribuição para PIS/PASEP e COFINS Instrução Normativa SRF nº 594, de 26 de dezembro de 2005 Dispõe sobre a incidência da Contribuição para o PIS/Pasep, da Cofins, da Contribuição para o PIS/Pasep-Importação

Leia mais

CALENDÁRIO DE OBRIGATORIEDADE EMISSAO DE NOTA FISCAL DE CONSUMIDOR ELETRONICA NO ESTADO DO PARANÁ

CALENDÁRIO DE OBRIGATORIEDADE EMISSAO DE NOTA FISCAL DE CONSUMIDOR ELETRONICA NO ESTADO DO PARANÁ CALENDÁRIO DE OBRIGATORIEDADE EMISSAO DE NOTA FISCAL DE CONSUMIDOR ELETRONICA NO ESTADO DO PARANÁ A Secretaria de Fazenda do estado do Paraná publicou no último dia 09/04/2015 a Resolução SEFA 145/2015

Leia mais

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Comprovante de Inscrição e de Situação Cadastral Contribuinte, Confira os dados de Identificação da Pessoa Jurídica e, se houver qualquer divergência, providencie junto à RFB a sua atualização cadastral.

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa DECRETO Nº 46.576, DE 20 DE AGOSTO DE 2009. (publicado no DOE nº 161, de 21 de agosto de 2009) Modifica o Regulamento

Leia mais

Posicionamento Consultoria de Segmentos Obrigações Acessórias para o AMPARA-RS

Posicionamento Consultoria de Segmentos Obrigações Acessórias para o AMPARA-RS Posicionamento Consultoria de Segmentos Obrigações Acessórias para o AMPARA-RS 09/11/2016 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 2.1. Procedimento SEFAZ -

Leia mais

CIRCULAR Nº 10/2009 SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA DO ICMS: NOVOS PRODUTOS

CIRCULAR Nº 10/2009 SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA DO ICMS: NOVOS PRODUTOS São Paulo, 27 de abril de 2009. Prezado Cliente, CIRCULAR Nº 10/2009 SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA DO ICMS: NOVOS PRODUTOS Tem sido prática reiterada do governo estadual a publicação de Decreto elevando a lista

Leia mais

FECOMERCIO-SP. Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo

FECOMERCIO-SP. Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo Empregador do Comércio FECOMERCIO-SP Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo Corretor Parceiro, conheça as atividades econômicas dos associados à Fecomercio-SP. CNAE 3513-1/00

Leia mais

DECRETO Nº , DE 5 DE MAIO DE 2005.

DECRETO Nº , DE 5 DE MAIO DE 2005. DECRETO Nº 18.211, DE 5 DE MAIO DE 2005. Introduz alterações ao Regulamento do ICMS, aprovado pelo Decreto nº 13.640, de 13 de novembro de 1997, para implementar as disposições contidas nos Ajustes SINIEF

Leia mais

https://www.iobonlineregulatorio.com.br/templates/coreonline/onlineho...

https://www.iobonlineregulatorio.com.br/templates/coreonline/onlineho... 1 de 16 02/10/2017 17:25 Agenda de Obrigações Estadual - São Paulo - Outubro/2017 Orientações IOB Esta agenda contém as principais obrigações a serem cumpridas nos prazos previstos na legislação em vigor.

Leia mais

ATUALIZAÇÃO DE ICMS. MARÇO/2016 As palestras, ministradas pelos servidores Ricardo Oliveira e Denise Salazar, da Superintendência de Tributação

ATUALIZAÇÃO DE ICMS. MARÇO/2016 As palestras, ministradas pelos servidores Ricardo Oliveira e Denise Salazar, da Superintendência de Tributação ATUALIZAÇÃO DE ICMS MARÇO/2016 As palestras, ministradas pelos servidores Ricardo Oliveira e Denise Salazar, da Superintendência de Tributação CEST Código Especificador da Substituição Tributária SEGMENTOS

Leia mais

DECRETO Nº /2016 PRIMAVERA TRIBUTÁRIA

DECRETO Nº /2016 PRIMAVERA TRIBUTÁRIA INFORME JURÍDICO JANEIRO/2017 DECRETO Nº 62.386/2016 PRIMAVERA TRIBUTÁRIA ALTERAÇÃO - CONDIÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DA REDUÇÃO DA BASE DE CÁLCULO DO ICMS NAS SAÍDAS INTERNAS DE PERFUMES, COSMÉTICOS E PRODUTOS

Leia mais

RESOLUÇÃO CGSN Nº 60, DE 22 DE JUNHO DE 2009

RESOLUÇÃO CGSN Nº 60, DE 22 DE JUNHO DE 2009 DOU 24.06.2009 RESOLUÇÃO CGSN Nº 60, DE 22 DE JUNHO DE 2009 Altera as Resoluções CGSN n 4, de 30 de maio de 2007, n 10, de 28 de junho de 2007, n 18, de 10 de agosto de 2007, n 51, de 22 de dezembro de

Leia mais

CONTABILIDADE TRIBUTÁRIA MÓDULO 2

CONTABILIDADE TRIBUTÁRIA MÓDULO 2 CONTABILIDADE TRIBUTÁRIA MÓDULO 2 Índice 1. Impostos incidentes sobre o valor agregado...3 1.1 Fato gerador... 3 1.2 Contribuintes... 4 1.3 Competência... 4 1.4 Princípios constitucionais... 4 1.5 Base

Leia mais

DECRETO Nº DE 27 DE DEZEMBRO DE 2016 D E C R E T A

DECRETO Nº DE 27 DE DEZEMBRO DE 2016 D E C R E T A DECRETO Nº 17.304 DE 27 DE DEZEMBRO DE 2016 Altera o Decreto nº 13.780, de 16 de março de 2012, que regulamenta o Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços

Leia mais

Orientações Consultoria de Segmentos IN 1.298/16 Alteração das Regras para Substituição Tributária no Serviço de Transportes Interestadual ICMS/GO

Orientações Consultoria de Segmentos IN 1.298/16 Alteração das Regras para Substituição Tributária no Serviço de Transportes Interestadual ICMS/GO IN 1.298/16 Alteração das Regras para Substituição Tributária no Serviço de Transportes Interestadual ICMS/GO 06/09/2017 Sumário 1 Questão... 3 2 Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 2.1 Conteúdo... 4

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária

Parecer Consultoria Tributária Questão O cliente, do ramo industrial, sediado no Paraná, adquire um bem para seu imobilizado, cujo NCM está sujeito a substituição tributária (ICMS cobrado antecipadamente por substituição tributária).

Leia mais

Portaria CAT - 16, de

Portaria CAT - 16, de Page 1 of 5 Portaria CAT - 16, de 23-1-2009 (DOE 24-01-2009) Estabelece a base de cálculo na saída de produtos sujeitos à substituição tributária na hipótese que especifica Com as alterações das Portarias

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos CIAP Modelo C Apropriação em frações distintas

Parecer Consultoria Tributária Segmentos CIAP Modelo C Apropriação em frações distintas CIAP Modelo C Apropriação em frações distintas 12/05/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1. IN 45/98... 4 3.2. EFD

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Diferencial de Alíquota Produto ST com Redução do Conv. 52/91 e Alíquota Interestadual de 4%

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Diferencial de Alíquota Produto ST com Redução do Conv. 52/91 e Alíquota Interestadual de 4% Diferencial de Alíquota Produto ST com Redução do Conv. 52/91 e Alíquota Interestadual de 4% 17/11/2016 Sumário 1 Questão... 3 2 Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 2.1 Fórmula e Exemplo do Cálculo...

Leia mais

ORIENTAÇÃO QUANTO AOS DIVERSOS PROCEDIMENTOS PARA EMISSÃO DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA REGIME NORMAL

ORIENTAÇÃO QUANTO AOS DIVERSOS PROCEDIMENTOS PARA EMISSÃO DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA REGIME NORMAL ORIENTAÇÃO QUANTO AOS DIVERSOS PROCEDIMENTOS PARA EMISSÃO DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA REGIME NORMAL Segue abaixo apenas orientações, e não regras, nossa legislação é muito complexa, portanto consulte seu

Leia mais

Apresentação. Aluisio de Andrade Lima Neto

Apresentação. Aluisio de Andrade Lima Neto Apresentação Esta obra objetiva a preparação de candidatos ao cargo de Auditor Fiscal do Tesouro Estadual da Secretaria da Fazenda do Estado de Pernambuco. Procuramos nesta obra abordar os três impostos

Leia mais

Orientações Consultoria de Segmentos ICMS/MT Mudanças no prenchimento da EFD ICMS/IPI em decorrências de alterações introduzidas na Portaria 7/2017

Orientações Consultoria de Segmentos ICMS/MT Mudanças no prenchimento da EFD ICMS/IPI em decorrências de alterações introduzidas na Portaria 7/2017 ICMS/MT Mudanças no prenchimento da EFD ICMS/IPI em decorrências de alterações introduzidas na Portaria 7/2017 26/05/2017 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Fundo Estadual de Combate e Erradicação a Pobreza - MS

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Fundo Estadual de Combate e Erradicação a Pobreza - MS Fundo 04/12/2013 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Analise da Legislação... 3 2.1. Estado do Mato Grosso do Sul... 3 3. Normas Legais... 4 4. Documentos Fiscais... 8 4.1. Documento Fiscal

Leia mais