RECURSO ORDINÁRIO NA AIND Nº Recorrente: Marcos Eugênio Bortolini Recorrida: Editora Gazeta do Povo S. A.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RECURSO ORDINÁRIO NA AIND Nº 12950-2007-010-09-00-0 Recorrente: Marcos Eugênio Bortolini Recorrida: Editora Gazeta do Povo S. A."

Transcrição

1 EGRÉGIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 9ª REGIÃO COLENDA 3ª TURMA ÍNCLITOS JULGADORES RECURSO ORDINÁRIO NA AIND Nº Recorrente: Marcos Eugênio Bortolini Recorrida: Editora Gazeta do Povo S. A. MEMORIAIS MARCOS EUGÊNIO BORTOLINI, já qualificado nos autos em epígrafe, vem, por seu advogado firmado, com o devido acatamento e respeito a Vossas Excelências, apresentar memoriais nos termos abaixo descritos. Pelas provas colhidas nos autos, está devidamente demonstrado que o Recorrente foi vítima de assédio moral, perpetrado por prepostos da Recorrida, em total desrespeito aos direitos personalíssimos do mesmo. Segundo especialistas da área, para se configurar o assédio moral é necessário que se cumpram 4 (quatro) pré-requisitos: a) Dolo/intenção de desestabilizar emocionalmente a vítima e degradar o ambiente de trabalho, visando afastá-la do emprego; b) Freqüência dos ataques; c) Situação de cerco e d) Análise do Conjunto da Obra e não dos fatos isolados. Com o intuito de selecionar informações e fatos relevantes constantes do processo, de forma organizada e sintética, baseadas nos requisitos necessários para a configuração e conseqüente prova da ocorrência do assédio moral, demonstram-se, a seguir, pontos a serem considerados no caso em tela. 1

2 1. Imediatidade O Recorrente demorou quase 2 (dois) anos para ajuizar a ação de indenização por assédio moral, simplesmente porque não conseguiu em Curitiba um advogado para representá-lo, apesar de ter consultado mais de 20 advogados (vide cópia de cartões de visitas anexo), o advogado que ajuizou a ação é de Santa Catarina. Alguns dos advogados de Curitiba alegaram que, se fosse uma simples Reclamatória Trabalhista fariam, mas como se tratava de uma ação que mexia com a imagem da empresa, não poderiam atuar porque tinham relações com a Recorrida, outros disseram que o Dr. Francisco da Cunha Pereira pertencia aos quadros da OAB e não queriam se indispor e alguns apenas declinavam sem explicar o motivo. Se alguém contata mais de 20 advogados é porque se sentiu muito lesado. 2. Inação Compulsória Executivo de Contas X Contato III O Recorrente foi indicado pela consultora Ligia Guerra para realizar uma entrevista ( /09:00h) com o Sr. Rogério Mainardes (fls.73), Diretor Corporativo de Marketing da RPC e seu amigo de longa data, e, durante a entrevista, foi convidado por 2 (duas) vezes para trabalhar na Gazeta do Povo/RPC. O objetivo principal do Recorrente era prestar serviços para a RPC através de sua empresa, M1 Sports, mas aceitou o convite e foi encaminhado, pelo Sr. Rogério Mainardes, para participar de um processo seletivo para o cargo de Executivo de Contas conforme faz prova a Análise Caliper (fls. 80 e 81 - anexas), na Globalhunters RH. No final da 1ª entrevista na Globalhunters RH (empresa que realizou o processo seletivo com 4 etapas juntamente com a RPC/Gazeta do Povo fls.10, item 1.8), o consultor Anderson Luis Gomes (fls.73), explanou as condições financeiras do cargo para o qual o Recorrente concorria Executivo de Contas R$ 3.500,00 fixo + comissões, podia-se chegar a R$ 9.000,00 mas, na média, chegava-se a R$ 6.000,00 mensais. O Recorrente foi selecionado e comunicado por duas vezes. Na primeira vez apenas comunicaram que havia sido selecionado e, na segunda, no dia , dia anterior ao dia do exame médico admissional (fls.85 - anexo), foi comunicado que havia sido selecionado, mas haviam mudanças em relação ao 2

3 cargo e às condições financeiras (fls.10, item 1.9) Contato III (fls.84 - anexo) R$ 971, 07 fixo + comissões (R$ 1.881, 19 se atingisse 100% da meta) + ajuda de custo (R$ 377, 67). Imediatamente, o Recorrente dirigiu-se ao escritório da consultora Ligia Guerra, que entrou em contato com o Sr. Rogério Mainardes, o qual disse que o Recorrente deveria aceitar, pois o erro seria corrigido. A correção não ocorreu. 3. Inação Compulsória Segmentação de Carteira X Contato III O Recorrente participou de processo seletivo e foi selecionado para o cargo Executivo de Contas, mas foi contratado para um cargo bem inferior financeiramente e aquém de sua capacidade profissional, como Contato III, mediante promessa de que o erro seria corrigido, o que não ocorreu e, além disso, realizou um trabalho de Gerência ou Diretoria, já que fez a Análise e a Segmentação da Carteira comercial do setor automotivo da Gazeta do Povo (fls.140 a 150; fls.155/156 anexo). O trabalho de Segmentação de Carteira realizado pelo Recorrente na Gazeta do Povo é semelhante a outro realizado pelo mesmo quando era Gerente Sênior, conforme cópia da Carteira de Trabalho (fls. 74 a 79 - anexo) da Fininvest no Rio de Janeiro, com a supervisão de seu Diretor na época, em 1998 (fls.355 a 369 anexo). A Segmentação de Carteira feita pelo Recorrente foi copiada e o trabalho assumido pelo novo Gerente da Gazeta do Povo, Sr. Daniel Haschelevici (fls. 151 a anexo). "ASSÉDIO MORAL - CONTRATO DE INAÇÃO - INDENIZAÇÃO POR DANO MORAL - A tortura psicológica, destinada a golpear a autoestima do empregado, visando forçar sua demissão ou apressar sua dispensa através de métodos que resultem em sobrecarregar o empregado de tarefas inúteis, sonegar-lhe informações e fingir que não o vê, resultam em assédio moral, cujo efeito é o direito à indenização por dano moral, porque ultrapassa o âmbito profissional, eis que minam a saúde física e mental da vítima e corrói a sua auto-estima. No caso dos autos, o 3

4 assédio foi além, porque a empresa transformou o contrato de atividade em contrato de inação, quebrando o caráter sinalagmático do contrato de trabalho, e por conseqüência, descumprindo a sua principal obrigação que é a de fornecer trabalho, fonte de dignidade do empregado." (TRT - 17ª Região - RO Ac. 2276/ Rel. Juíza Sônia das Dores Dionízio - 20/08/02, na Revista LTr 66-10/1237). 4. Ameaça Sofrida pelo Recorrente Depoimento Falso de Marcos Siffert O diretor Marcos Siffert diz que o Recorrente foi demitido da Gazeta do Povo e que não o ameaçou, conforme se lê em seu depoimento na Delegacia de Polícia (fls.257 anexo). O Recorrente diz o contrário, que foi ele que solicitou o seu desligamento por não estar na posição correta (cargo correto) e que foi ameaçado, conforme se lê no Boletim de Ocorrência lavrado (fls anexo)e em seu depoimento na Delegacia de Polícia (fls anexo). No Termo de Rescisão de Contrato de Trabalho (fls.135 anexo), documento oficial fornecido pela própria Gazeta do Povo, consta no "campo 25" que o desligamento ocorreu por iniciativa do empregado, além disso, o Recorrente teve que indenizar a Recorrida por ter solicitado o seu desligamento antecipado, conforme se lê na dedução feita no Termo de Rescisão devido ao Art 480 da CLT: Havendo termo estipulado o empregado não se poderá desligar do contrato, sem justa causa, sob pena de ser obrigado a indenizar o empregador do prejuízo que desse fato lhe resultarem Ora, essas duas posições provam que o Recorrente estava dizendo a verdade e que o depoimento de Marcos Siffert é falso, ou seja, que o Recorrente solicitou o seu desligamento por ser contratado para um cargo inadequado inação compulsória e evidencia a ocorrência da ameaça sofrida pelo Recorrente. 5. Ameaça Sofrida pelo Recorrente Falsificação de Documento pela Recorrida Pouco depois de ser ameaçado no dia , o Recorrente enviou o 14 para Marcelo Pajolla e Rogério Mainardes (fls.157/158 4

5 anexo) onde relata a ameaça sofrida e o cargo inadequado. O 14 foi encaminhado para o Jefferson do RH, foi gerado então o 15. O 15 não existe sem a mensagem que foi encaminhada do 14. A Recorrida falsificou um documento, pois juntou aos autos o e- mail 15 (fls.326 anexo), enviado ao Jefferson do RH, e suprimiu a mensagem encaminhada do 14, exatamente onde é relatada a ameaça sofrida e o cargo inadequado inação compulsória. A conclusão (fls.392 anexo) da Perícia Técnica realizada (fls.389 a anexo) atesta a falsificação do documento. 6. Ameaça Sofrida pelo Recorrente Negativa das Imagens A Recorrida diz, através de ofício (fls.260 anexo) que não possui mais as imagens devido ao tempo decorrido, porém, foi comunicada através de e- mail para Rogério Mainardes e Marcelo Pajolla, fls.157 e 158, 15 minutos após ocorrida a ameaça, também foi lavrado o Boletim de Ocorrência, fls.159, no dia seguinte, e foi protocolada uma representação criminal, 2 meses e 10 dias após, portanto, a Recorrida sabia que havia ocorrido a ameaça através de seus prepostos, não pode alegar desconhecimento e seus prepostos, como também, a Recorrida, são responsáveis pela manutenção destas imagens. STF Súmula nº /12/ Súmula da Jurisprudência Predominante do Supremo Tribunal Federal - Anexo ao Regimento Interno. Edição: Imprensa Nacional, 1964, p Presunção - Culpa do Patrão ou Comitente - Ato Culposo do Empregado ou Preposto É presumida a culpa do patrão ou comitente pelo ato culposo do empregado ou preposto. ASSÉDIO MORAL E A RESPONSABILIDADE CIVIL DO EMPREGADOR. 1. O dano moral está presente quando se tem a ofensa ao patrimônio ideal do trabalhador, tais como: a honra, a liberdade, a imagem, o nome etc. Não há dúvidas de que o dano moral deve ser ressarcido (art. 5º, V e X, CF). O que justifica o dano moral, nos moldes da exordial, é o assédio moral. 2. O assédio moral é a exposição do trabalhador a situações humilhantes e constrangedoras, repetitivas e 5

6 prolongadas durante a jornada de trabalho e no exercício de suas funções. 3. O empregador, pela culpa na escolha e na fiscalização, torna-se responsável pelos atos de seus prepostos (Súmula n. 341, STF). A responsabilidade é objetiva do empregador. Contudo, torna-se necessária a prova do preposto, logo, temos o fator da responsabilidade subjetiva, pela modalidade extracontratual (art. 159, Código Civil de 1916, atual 186, Código Civil de 2002). Os requisitos da responsabilidade civil subjetiva são: a) ato comissivo ou omissivo; b) dano moral; c) nexo causal; d) culpa em sentido amplo (dolo) ou restrito (negligência, imprudência ou imperícia). 7. Ameaça Sofrida pelo Recorrente Sentença de 1 Grau Apesar das evidências e provas descritas anteriormente nos itens 3, 4 e 5, a respeitável Sentença de 1 grau diz sobre a ameaça (fls.398 anexo): O único episódio que poderia caracterizar violação aos direitos personalíssimos do Recorrente foi o incidente da discussão com o Sr. Marcos, fls.296. Todavia, nenhuma prova da veracidade desse relato veio ao caderno processual... Não há dúvida de que esse entendimento é absurdo, pois a presente demanda judicial nunca teve por finalidade somente a indenização pelos ataques diretos realizados no incidente acima, mas sim de toda a relação de emprego, desde sua constituição até o momento de seu desligamento da empresa, estando comprovado nos autos que o requerente se preparou para realizar entrevistas e conseguir adentrar nos quadros da empresa como Executivo de Contas, e nunca como Contato III, sendo essa a primeira prova e ocorrência do assédio moral sofrido. Posteriormente, aí sim o recorrente começou a ser atacado de formas variadas, pouco a pouco, minando sua auto estima, e criando uma situação extremamente desconfortante, já que prometeram solucionar a questão da contratação errada, mas nunca o fizeram, nem mesmo tiveram intenção de fazê-lo, o que se denota é que a recorrida se utilizou de má-fé em sua contratação, justamente para obter um profissional com grande qualificação, ganhando pouco, mas fazendo o serviço dos gerentes da instituição. Outrossim, importante frisar que a questão do assédio moral normalmente é comprovada através de provas, indícios e evidências, já que como se viu nos presentes autos, algumas das provas estão em posse da empresa, que faz 6

7 ataques velados aos funcionários, respondendo alguns e deixando de responder através de documentos ou qualquer outro meio que deixe vestígios, ou seja, se o JUDICIÁRIO sempre querer interpretar as situações de assédio moral a favor do empregador e com a necessidade de comprovação inverossímel, estará basicamente impossibilitando os empregados de buscarem seus direitos, e nos presentes autos existem diversas provas, indícios e evidências suficientes para comprovar o ocorrido. I - Dolo/Intenção Baseado na informação de que o erro na contratação seria corrigido, o Recorrente ficou surpreso quando, no 1º dia de trabalho, escutou, logo pela manhã, a explicação sobre a diferença dos cargos (Executivo de Contas versus Contato III) do Jefferson do RH (fls.11, item 2.2 e fls.102) dizendo que a empresa que fez o processo de seleção não sabia para qual cargo era este processo seletivo, todavia, ao final da tarde, recebeu a Análise Caliper (fls.80/81 - anexo), que desmentia a explicação dada por Jefferson do RH, ou seja, os erros eram intencionais. O Recorrente enviou um ao Sr. Rogério Mainardes e Ligia Guerra (fls anexo) - relatando os fatos e solicitando ajuda para corrigir o erro cometido, conforme havia sido combinado e recebeu um com uma resposta ilógica do Sr. Rogério Mainardes (fls anexo), que se omitiu totalmente, conforme descrito nas fls. 12, item 2.4. Estas pessoas traíram a confiança do Recorrente....por assédio moral na relação de emprego deve- se entender o comportamento traiçoeiro ou a seqüência de atos patronais, ou de seus prepostos, ostensivos, de molestação ou de importunação praticados com a intenção de enfraquecer moralmente o trabalhador, com a finalidade de forçá-lo a praticar ou deixar de praticar algo contra a sua vontade, como por exemplo, afastar-se do emprego ou aceitar alteração contratual lesiva a seus interesses (fls.30, 2º parágrafo). O contrato de trabalho transformou-se em um contrato de inação compulsória e, a forma como se deu a contratação, deixa claro a intenção de rebaixar o Recorrente. 7

8 A literatura à respeito da matéria tem como pioneira no Brasil a médica do trabalho Doutora Margarida Barreto, que conceitua o assédio moral nos termos a seguir transcritos: em nosso entender, o assédio moral caracteriza-se pela intencionalidade; consiste na constante e deliberada desqualificação da vítima, seguida de sua consequente fragilização, com intuito de neutralizá-la em termos de poder. Este enfraquecimento psíquico pode levar o indivíduo vitimizado a uma paulatina despersonalização. Sem dúvida, trata-se de um processo disciplinador em que se procura anular a vontade daquele que, para o agressor, se apresenta como ameaça. II Frequência dos Ataques Pode-se perceber a frequência dos ataques pelos fatos descritos e registrados nos s (fls.13-19, item 2.6). Ressaltamos alguns destes fatos/ataques: a - Explicação da diferença de cargos dadas pelo Sr. Jefferson/RH e, depois, o recebimento do teste Caliper que o desmentia (fls.11, item 2.2; fls.80,81); b Omissão e resposta por do Sr.Rogério Mainardes (fls.12, item 2.4 e fls ); c - O Recorrente foi chamado de arrogante e que não deveria se considerar uma estrela, isto de forma verbal, por Marcelo Pajolla, o que foi relatado nos s enviados pelo Recorrente ( fls. 102 e fls.15 conjunto de 3 e- mails nº 4 - item 2); d - Quando cobrados para acertar a situação do cargo, o Sr. Marcos Siffert e o Sr. Rogério Mainardes dizem que as possibilidades de carreira são infinitas..., frase análoga àquela utilizada pelo Recorrente no processo seletivo (fls.104 anexo); e - A Recorrida sugere atuação profissional em Paranaguá/PR, o processo seletivo foi para Curitiba/PR (fls. 107); f - A Gazeta solicita o preenchimento de uma ficha de solicitação de emprego, quando o Recorrente já havia sido registrado na empresa e onde existia um campo com cargo pretendido (fls.107); 8

9 g - Solicitam que o Recorrente utilizasse o seu 2º nome Eugênio, devido ao Marcos Siffert (fls.107); h - Mesmo utilizando o nome Eugênio, o permanecia e, quando mudou, após insistentes pedidos, ficou (fls.114, fls.136 e fls.138). Pelo padrão da empresa deveria ser ; i - Gerente solicita que o Recorrente realize uma operação irregular com a empresa Dinamicar (fls.113); j - O Recorrente recebe a maior carteira da equipe 300 empresas e, quando reclama, cai para 200 (fls.113); k - O Recorrente realiza a segmentação da carteira (fls.140/150; 155/156), baseado na Segmentação de Carteira (fls. 355/369) que realizou na Matriz da Fininvest/RJ, como Gerente Senior (fls. 74/79) e, depois seu trabalho é assumido pelo novo Gerente Daniel (fls. 151/154); l - O celular do Recorrente some dentro da Recorrida, do que foi registrado Boletim de Ocorrência (fls ) - o valor do celular não é ressarcido, mesmo com o Termo de Responsabilidade (fls.132) e não é deduzido o seu valor (fls ), o que demonstra que algum funcionário da Recorrida furtou o mesmo, caso contrário o valor do celular seria deduzido na rescisão. m - Crachá e carteira da Unimed errados (fls. 137); n Ameaça sofrida pelo Recorrente. III Situação de Cerco A situação de cerco se configura totalmente, já que o Recorrente não encontrava alternativas e não tinha nenhum apoio para poder sair da situação em que se encontrava. IV Conjunto da Obra 9

10 Analisando o conjunto da obra e não cada fato isoladamente, percebese claramente a ocorrência do assédio moral. 8. Das Testemunhas No que se refere a prova testemunhal pleiteada pelo recorrente, vale destacar que somente desistiu da oitiva das testemunhas presentes na audiência, justamente porque uma delas não trabalhava diretamente na empresa, ao lado do recorrente, e a outra era uma testemunha complementar daquelas principais. Entretanto, a ausência das testemunhas mais importantes, Sr. Rogério Mainardes, Marcos Siffert e Marcelo Pajolla, ocorreu por equívoco do juízo singular, e também devido a estratégia adotada pela Recorrida, que alegou desconhecimento das intimações dos mesmos na petição de (fls.276) poucos dias antes da Audiência. Destaque-se que o juízo a quo indeferiu diversos requerimentos para intimação da testemunha Rogério Mainardes no seu endereço atual e da intimação por edital das outras testemunhas, tendo em vista que todas não trabalhavam mais na Recorrida. O não comparecimento das mesmas à Audiência, causou prejuízo à produção de prova testemunhal pelo Recorrente, que as exigiu, mas teve como resposta o encerramento da intrução, sendo que de forma contraditória o próprio juízo posteriormente alega não ter encontrado provas de ocorrência de assédio moral nos autos. O juízo deveria ter buscado a verdade, ter aceito o requerimento de realizar a prova testemunhal pleiteada, pois como se vê ficou em dúvida, todavia já existia nos autos grande arcabouço probatório documental que tem condições de conduzir à reforma da Sentença de 1º Grau para se condenar a Recorrida por Assédio Moral praticado contra o Recorrente, ou ao menos considerar a necessidade dos autos retornarem a vara de origem para que as demais testemunhas sejam ouvidas. A Recorrida não pode alegar tal desconhecimento, já que protocolou petição e pediu vista dos autos em , conforme consta no segundo parágrafo da petição de fls.231, após solicitação de nova intimação das referidas testemunhas feita em (fls.225) pelo Recorrente, que foi reiterada por mais 2 (duas) vezes (fls e fls ). 1 0

11 Tal alegação (falta de ciência) causa, no mínimo, estranheza, devido aos documentos constantes do processo 9. Dos Reflexos/Conseqüências na Vida do Recorrente Conforme consta dos autos, o Recorrente teve prejuízos em seu projeto de vida, na sua empresa (M1Sports) que iniciava e foi inviabilizada, na sua rede de relações profissionais que foi afetada, na universidade (com o cancelamento do MBA da FGV), na sua vida social (condomínio onde residia e academia de ginástica), junto aos seus familiares; mais todo o prejuízo, dano moral e material, emocional e psicológico percebidos, cujos efeitos, nas mais diversas áreas, podem perdurar por anos. Diante do exposto, a Reforma da Sentença de 1º Grau para se condenar a Recorrida por Assédio Moral contra o Recorrente, fixando-se indenização proporcional ao dano causado ao mesmo e à capacidade econômica da Recorrida, como também, sua condenação por falsidade documental e litigância de má-fé, fixando-se indenização ao Recorrente na forma do art. 18 caput e 2º do CPC, é medida que se impõe para que se faça justiça. Nestes Termos, Pede Deferimento. Brusque/SC p/ Curitiba/PR, 06 de Julho de Fabrizio Aires Bortolini OAB/SC

12 1 2

O Dano Moral no Direito do Trabalho

O Dano Moral no Direito do Trabalho 1 O Dano Moral no Direito do Trabalho 1 - O Dano moral no Direito do Trabalho 1.1 Introdução 1.2 Objetivo 1.3 - O Dano moral nas relações de trabalho 1.4 - A competência para julgamento 1.5 - Fundamentação

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO Acórdão 10ª Turma INDENIZAÇÃO. DANO MORAL. ATRASO NA ENTREGA DAS GUIAS DO FGTS E SEGURO- DESEMPREGO. A demora injustificada na entrega das guias do FGTS e do Seguro- Desemprego, feita ultrapassado o decêndio

Leia mais

executivo e sua remuneração era de R$ 3.000,00 acrescida de gratificação de um terço de seu salário.

executivo e sua remuneração era de R$ 3.000,00 acrescida de gratificação de um terço de seu salário. EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DA VARA DO TRABALHO DE FLORIANÓPOLIS/SC ANA KARENINA, estado civil..., profissão..., residente e domiciliada na Rua..., nº..., cidade... estado..., CEP..., representada

Leia mais

Contrarrazões do autor, às fls. 353/362.

Contrarrazões do autor, às fls. 353/362. Acórdão 5ª Turma PODER JUDICIÁRIO FEDERAL DANO MORAL USO DE BOTTONS COM CORES PARA DISTINGUIR QUEM VENDE MAIS CASA BAHIA No presente caso, restou comprovado que os vendedores eram obrigados a usar bottons

Leia mais

NÚCLEO PREPARATÓRIO DE EXAME DE ORDEM

NÚCLEO PREPARATÓRIO DE EXAME DE ORDEM ENDEREÇAMENTO E QUALIFICAÇÃO EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DA... VARA DO TRABALHO DE... A, estado civil..., profissão..., portador do RG nº..., inscrito no CPF nº..., portador da CTPS..., série...,

Leia mais

1. PETIÇÃO INICIAL RECLAMAÇÃO TRABALHISTA.

1. PETIÇÃO INICIAL RECLAMAÇÃO TRABALHISTA. 1. PETIÇÃO INICIAL RECLAMAÇÃO TRABALHISTA. Fundamento legal: Art. 840 CLT Subsidiariamente: 282 do CPC. Partes: Reclamante (autor), Reclamada (ré). Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz do Trabalho da ª Vara

Leia mais

INTRODUÇÃO CONCEITO DE ASSÉDIO SEXUAL CRIME DE ASSÉDIO SEXUAL. * O crime de assédio sexual foi introduzido pela Lei 10.224/01.

INTRODUÇÃO CONCEITO DE ASSÉDIO SEXUAL CRIME DE ASSÉDIO SEXUAL. * O crime de assédio sexual foi introduzido pela Lei 10.224/01. O ASSÉDIO SEXUAL E O ASSÉDIO MORAL NO AMBIENTE DE TRABALHO PROFESSORA ADRIANA C. CALVO Mestranda da PUC/SP e Coordenadora do Curso de Direito do Trabalho do IELF INTRODUÇÃO De fato, a linha-mestra do comportamento

Leia mais

COORDIGUALDADE Coordenadoria Nacional de Promoção de Igualdade de Oportunidade e Eliminação da Discriminação no Trabalho

COORDIGUALDADE Coordenadoria Nacional de Promoção de Igualdade de Oportunidade e Eliminação da Discriminação no Trabalho MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO COORDIGUALDADE Coordenadoria Nacional de Promoção de Igualdade de Oportunidade e Eliminação da Discriminação no Trabalho Procuradoria Regional do Trabalho da 1ª Região Av.

Leia mais

PROCESSO Nº TST-RR-315-13.2013.5.09.0029. A C Ó R D Ã O 6ª Turma KA/cbb/tbc

PROCESSO Nº TST-RR-315-13.2013.5.09.0029. A C Ó R D Ã O 6ª Turma KA/cbb/tbc A C Ó R D Ã O 6ª Turma KA/cbb/tbc RECURSO DE REVISTA. INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS. ASSÉDIO MORAL E VIOLAÇÃO DE CORRESPONDÊNCIA ELETRÔNICA (E-MAIL). Trata-se de pedido de indenização por danos morais,

Leia mais

Responsabilidade Civil e Criminal em Acidentes de Trabalho. M. J. Sealy

Responsabilidade Civil e Criminal em Acidentes de Trabalho. M. J. Sealy Responsabilidade Civil e Criminal em Acidentes de Trabalho O Conceito de Acidente de Trabalho (de acordo com a Lei 8.213/91 Art. 19) Acidente do trabalho é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço

Leia mais

DA RESPONSABILIDADE CIVIL DO MÉDICO por Jackson Domenico e Ana Ribeiro - RESPONSABILIDADE CIVIL OBJETIVA E SUBJETIVA

DA RESPONSABILIDADE CIVIL DO MÉDICO por Jackson Domenico e Ana Ribeiro - RESPONSABILIDADE CIVIL OBJETIVA E SUBJETIVA DA RESPONSABILIDADE CIVIL DO MÉDICO por Jackson Domenico e Ana Ribeiro - RESPONSABILIDADE CIVIL OBJETIVA E SUBJETIVA A responsabilidade civil tem como objetivo a reparação do dano causado ao paciente que

Leia mais

Conceito. Responsabilidade Civil do Estado. Teorias. Risco Integral. Risco Integral. Responsabilidade Objetiva do Estado

Conceito. Responsabilidade Civil do Estado. Teorias. Risco Integral. Risco Integral. Responsabilidade Objetiva do Estado Conceito Responsabilidade Civil do Estado é a obrigação que ele tem de reparar os danos causados a terceiros em face de comportamento imputável aos seus agentes. chama-se também de responsabilidade extracontratual

Leia mais

Novidades Trabalhistas

Novidades Trabalhistas Novidades Trabalhistas Acerto rescisório, demora na liberação da guia do seguro-desemprego e ausência de punição gradativa são os temas tratados nessa quinzena e que merecem atenção das empresas. Veja

Leia mais

AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO

AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO 1 1) O DIREITO MATERIAL DE PAGAMENTO POR CONSIGNAÇÃO a) Significado da palavra consignação b) A consignação como forma de extinção da obrigação c) A mora accipiendi 2 c)

Leia mais

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Rio de Janeiro

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Rio de Janeiro 63 4ª TURMA RECURSAL DOS JUIZADOS ESPECIAIS FEDERAIS PROCESSO Nº 0000798-11.2011.4.02.5164/01 (2011.51.64.000798-0/01) RECORRENTE: ALEXANDRE ANDERSON DE SOUZA RECORRIDA: UNIAO FEDERAL RELATORA: JUÍZA FEDERAL

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO A C Ó R D Ã O 3ª T U R M A PODER JUDICIÁRIO FEDERAL MEMBRO DE CONSELHO CONSULTIVO. ESTABILIDADE. DESCABIMENTO. Não faz jus à estabilidade sindical o empregado eleito pelo órgão consultivo da entidade,

Leia mais

LABORATÓRIO 3. VI EXAME DE ORDEM UNIFICADO 2ª FASE DIREITO DO TRABALHO LABORATÓRIO 3 PROFA. Maria Eugênia Conde @mageconde.

LABORATÓRIO 3. VI EXAME DE ORDEM UNIFICADO 2ª FASE DIREITO DO TRABALHO LABORATÓRIO 3 PROFA. Maria Eugênia Conde @mageconde. Caso Prático Emerson Lima propôs reclamação trabalhista, pelo rito ordinário, em face de Rancho dos Quitutes, alegando que trabalhava como atendente em uma loja de conveniência localizada em um posto de

Leia mais

EXERCÍCIO DE SALA 1. 2- Do mérito: 2.1- Da responsabilidade do recorrente:

EXERCÍCIO DE SALA 1. 2- Do mérito: 2.1- Da responsabilidade do recorrente: EXERCÍCIO DE SALA 1 2- Do mérito: 2.1- Da responsabilidade do recorrente: A decisão recorrida, proferida pelo Eg TRT, manteve a sentença de primeiro grau que havia reconhecido a responsabilidade do recorrente,

Leia mais

SENTENÇA. Foi concedida a antecipação dos efeitos da tutela para suspender a exigibilidade da notificação de nº 2012/808804682957086 (evento 9).

SENTENÇA. Foi concedida a antecipação dos efeitos da tutela para suspender a exigibilidade da notificação de nº 2012/808804682957086 (evento 9). AÇÃO ORDINÁRIA (PROCEDIMENTO COMUM ORDINÁRIO) Nº 5029780-43.2013.404.7000/PR AUTOR : ETEVALDO VAZ DA SILVA ADVOGADO : LEONILDA ZANARDINI DEZEVECKI RÉU : UNIÃO - FAZENDA NACIONAL MPF : MINISTÉRIO PÚBLICO

Leia mais

Simões Rodrigues Advogados Associados S. C. José Ricardo Simões Rodrigues OAB RO 8888 Cláudio Roberto Simões Rodrigues OAB RO 9999

Simões Rodrigues Advogados Associados S. C. José Ricardo Simões Rodrigues OAB RO 8888 Cláudio Roberto Simões Rodrigues OAB RO 9999 EXCELENTÍSSIMO(A) SENHOR(A) JUIZ(A) DE DIREITO DA 4ª VARA CÍVEL DA COMARCA DE ROLIM DE MOURA - RO Autos N.: 010060099999 Classe: AÇÃO DE REPARAÇÃO POR DANOS MORAIS E MATERIAIS Requerente: TATIANE DAS FLORES

Leia mais

SENTENÇA. Processo Digital nº: 1020139-94.2015.8.26.0562 Classe - Assunto Procedimento Ordinário - Espécies de Contratos Requerente: Requerido:

SENTENÇA. Processo Digital nº: 1020139-94.2015.8.26.0562 Classe - Assunto Procedimento Ordinário - Espécies de Contratos Requerente: Requerido: fls. 25 SENTENÇA Processo Digital nº: 1020139-94.2015.8.26.0562 Classe - Assunto Procedimento Ordinário - Espécies de Contratos Requerente: Requerido: Justiça Gratuita Juiz(a) de Direito: Dr(a). Thais

Leia mais

Acórdão-5ªC RO 00982-2009-030-12-00-2

Acórdão-5ªC RO 00982-2009-030-12-00-2 Acórdão-5ªC RO 00982-2009-030-12-00-2 TÉCNICO DE FUTEBOL. DIREITO DE IMAGEM. NATUREZA SALARIAL. O pagamento efetuado ao técnico de futebol pelo uso da imagem, quando parcela ajustada para o pagamento do

Leia mais

ARTIGO: AUDIÊNCIA TRABALHISTA

ARTIGO: AUDIÊNCIA TRABALHISTA ARTIGO: AUDIÊNCIA TRABALHISTA Carlos Roberto Pegoretti Júnior 1 RESUMO: Audiência. Ato solene conduzido por magistrado. Princípios aplicáveis: irredutibilidade dos direitos do empregado, verdade real,

Leia mais

Responsabilidades do Empregador

Responsabilidades do Empregador Responsabilidades do Empregador RESPONSABILIDADE SOLIDÁRIA trabalhador poderá exigir que a obrigação seja satisfeita integralmente por um dos coobrigados (p.ex.: grupo de empresas, empreiteiros) RESPONSABILIDADE

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DA VARA DO TRABALHO DE CURITIBA PR

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DA VARA DO TRABALHO DE CURITIBA PR EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DA VARA DO TRABALHO DE CURITIBA PR Tomi Lee Gando, brasileiro, casado, técnico eletricista, portador de CTPS n. 01010, série 010, inscrito no PIS sob o n. 010.010.010-10

Leia mais

ACÓRDÃO 0001289-24.2013.5.04.0018 RO Fl. 1. DESEMBARGADOR GILBERTO SOUZA DOS SANTOS Órgão Julgador: 3ª Turma

ACÓRDÃO 0001289-24.2013.5.04.0018 RO Fl. 1. DESEMBARGADOR GILBERTO SOUZA DOS SANTOS Órgão Julgador: 3ª Turma 0001289-24.2013.5.04.0018 RO Fl. 1 DESEMBARGADOR GILBERTO SOUZA DOS SANTOS Órgão Julgador: 3ª Turma Recorrente: Recorrente: Recorrido: Origem: Prolator da Sentença: SÔNIA MARIA BROCHADO DUARTE - Adv. Délcio

Leia mais

X EXAME DE ORDEM UNIFICADO 2ª FASE DIREITO EMPRESARIAL. Modelo de Contestação:

X EXAME DE ORDEM UNIFICADO 2ª FASE DIREITO EMPRESARIAL. Modelo de Contestação: X EXAME DE ORDEM UNIFICADO 2ª FASE DIREITO EMPRESARIAL Modelo de Contestação: Sistema de passos: 1º passo: Sergio Peres x Refrigeração Nacional (empresa de pequeno porte) Vinculo: Pedidos: 1-dano moral

Leia mais

DA INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS.

DA INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS. Fl. 1 Reclamante: Evandra Schau Marques Reclamado: Lojas Renner S.A. VISTOS, ETC. Evandra Schau Marques ajuíza ação trabalhista contra Lojas Renner S.A. em 11/11/2011. Após exposição fática e fundamentação

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVI EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVI EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL A sociedade empresária Pedreira TNT Ltda. foi condenada em 1º grau na reclamação trabalhista movida pelo exempregado Gilson Cardoso de Lima (Processo 009000-77.2014.5.12.0080),

Leia mais

7. Tópicos Especiais em Responsabilidade Civil. Tópicos Especiais em Direito Civil

7. Tópicos Especiais em Responsabilidade Civil. Tópicos Especiais em Direito Civil 7. Tópicos Especiais em Responsabilidade Civil Tópicos Especiais em Direito Civil Introdução A Responsabilidade Civil surge em face de um descumprimento obrigacional pela desobediência de uma regra estabelecida

Leia mais

DIREITOS DO TRABALHADOR NA RESCISÃO DO CONTRATO

DIREITOS DO TRABALHADOR NA RESCISÃO DO CONTRATO Autora: Idinéia Perez Bonafina Escrito em julho/2015 DIREITOS DO TRABALHADOR NA RESCISÃO DO CONTRATO 1. DIREITOS DO TRABALHADOR NA RESCISÃO DO CONTRATO O presente artigo abordará os direitos do trabalhador

Leia mais

COMPLEXO EDUCACIONAL DAMÁSIO DE JESUS EXAME DA OAB 2011.2 2ª FASE DIREITO DO TRABALHO AULA RECURSO ORDINÁRIO E TERCEIRIZAÇÃO

COMPLEXO EDUCACIONAL DAMÁSIO DE JESUS EXAME DA OAB 2011.2 2ª FASE DIREITO DO TRABALHO AULA RECURSO ORDINÁRIO E TERCEIRIZAÇÃO COMPLEXO EDUCACIONAL DAMÁSIO DE JESUS EXAME DA OAB 2011.2 2ª FASE DIREITO DO TRABALHO AULA RECURSO ORDINÁRIO E TERCEIRIZAÇÃO ESTRUTURA DO RECURSO ORDINÁRIO 1ª PEÇA: PETIÇÃO DE INTERPOSIÇÃO OU PEÇA DE ENCAMINHAMENTO

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL OAB

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL OAB PADRÃO DE RESPOSTAS PEÇA PROFISSIONAL Contratado pela empresa Clínica das Amendoeiras, em razão de uma reclamação trabalhista proposta em 12.12.2012 pela empregada Jussara Péclis (número 1146-63.2012.5.18.0002,

Leia mais

2 FASE DIREITO CIVIL ESTUDO DIRIGIDO DE PROCESSO CIVIL 2. Prof. Darlan Barroso - GABARITO

2 FASE DIREITO CIVIL ESTUDO DIRIGIDO DE PROCESSO CIVIL 2. Prof. Darlan Barroso - GABARITO Citação 2 FASE DIREITO CIVIL ESTUDO DIRIGIDO DE PROCESSO CIVIL 2 Prof. Darlan Barroso - GABARITO 1) Quais as diferenças na elaboração da petição inicial do rito sumário e do rito ordinário? Ordinário Réu

Leia mais

O O CONFLITO ENTRE O PODER DE DIREÇÃO DA EMPRESA E A INTIMIDADE/PRIVACIDADE DO EMPREGADO NO AMBIENTE DE TRABALHO. Adriana Calvo

O O CONFLITO ENTRE O PODER DE DIREÇÃO DA EMPRESA E A INTIMIDADE/PRIVACIDADE DO EMPREGADO NO AMBIENTE DE TRABALHO. Adriana Calvo O O CONFLITO ENTRE O PODER DE DIREÇÃO DA EMPRESA E A INTIMIDADE/PRIVACIDADE DO EMPREGADO NO AMBIENTE DE TRABALHO Adriana Calvo Professora de Direito do Trabalho do Curso Preparatório para carreiras públicas

Leia mais

ACÓRDÃO. Rio de Janeiro, 05 de outubro de 2010. Desembargador ROBERTO FELINTO Relator

ACÓRDÃO. Rio de Janeiro, 05 de outubro de 2010. Desembargador ROBERTO FELINTO Relator DÉCIMA OITAVA CÂMARA CÍVEL Apelação Cível nº 0355516-46.2008.8.19.0001 Apelante 1 : AZZURRA PARIS VEÍCULOS LTDA. Apelante 2 : SUL AMÉRICA COMPANHIA NACIONAL DE SEGUROS Apelados 1 : OS MESMOS Apelado 2

Leia mais

REGULAMENTO Nº 001 Rev.04-A PROCEDIMENTO ARBITRAL NA ÁREA TRABALHISTA

REGULAMENTO Nº 001 Rev.04-A PROCEDIMENTO ARBITRAL NA ÁREA TRABALHISTA TAESP Arbitragem & O Mediação, com sede nesta Capital do Estado de São Paulo, na Rua Santa Isabel, 160 cj.43, nos termos dos Artigos 5º, 13, 3º e 21 da Lei 9.307/96, edita o presente REGULAMENTO PARA PROCEDIMENTOS

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SEVERINO SOMBRA. Quebra de sigilo em concurso vestibular CAIO TÁCITO

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SEVERINO SOMBRA. Quebra de sigilo em concurso vestibular CAIO TÁCITO FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SEVERINO SOMBRA Quebra de sigilo em concurso vestibular CAIO TÁCITO Em face de denúncias de violação do sigilo em concurso vestibular para cursos mantidos pela Fundação Educacional

Leia mais

Acórdão 8a Turma. V O T O CONHECIMENTO Conheço do recurso, eis que atendidos os requisitos de admissibilidade.

Acórdão 8a Turma. V O T O CONHECIMENTO Conheço do recurso, eis que atendidos os requisitos de admissibilidade. Acórdão 8a Turma PROCESSO: 0112000-70.2006.5.01.0521 RTOrd PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO Gab Des Edith Maria Correa Tourinho Av. Presidente Antonio

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO

DIREITO ADMINISTRATIVO DIREITO ADMINISTRATIVO RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO Atualizado até 13/10/2015 RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO NOÇÕES INTRODUTÓRIAS Quando se fala em responsabilidade, quer-se dizer que alguém deverá

Leia mais

ASSÉDIO MORAL NO TRABALHO

ASSÉDIO MORAL NO TRABALHO ASSÉDIO MORAL NO TRABALHO Conceito: É toda e qualquer conduta abusiva (gesto, palavra, escritos, comportamento, atitude, etc.) que, intencional e freqüentemente, fira a dignidade e a integridade física

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL DOS OPERADORES DE NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS

RESPONSABILIDADE CIVIL DOS OPERADORES DE NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS RESPONSABILIDADE CIVIL DOS OPERADORES DE NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS Atividade de intermediação de negócios imobiliários relativos à compra e venda e locação Moira de Toledo Alkessuani Mercado Imobiliário Importância

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

RESPONSABILIDADE CIVIL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA RESPONSABILIDADE CIVIL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 1 Suponha se que Maria estivesse conduzindo o seu veículo quando sofreu um acidente de trânsito causado por um ônibus da concessionária do serviço público

Leia mais

Responsabilidade dos bancos por riscos/danos ambientais Demarest & Almeida Advogados Associados

Responsabilidade dos bancos por riscos/danos ambientais Demarest & Almeida Advogados Associados Responsabilidade dos bancos por riscos/danos ambientais Demarest & Almeida Advogados Associados São Paulo, 17 de maio de 2012 I. Apresentação II. Legislação Federal Básica III. Responsabilidade Ambiental

Leia mais

RECURSO ORDINÁRIO TRT/RO - 0033300-35.2009.5.01.0017 - RTOrd A C Ó R D Ã O 4ª Turma

RECURSO ORDINÁRIO TRT/RO - 0033300-35.2009.5.01.0017 - RTOrd A C Ó R D Ã O 4ª Turma Convenção coletiva. SESI O SESI não é representado por sindicato de hospitais e estabelecimentos de serviços de saúde, sendo entidade cuja atividade preponderante é orientação e formação profissional.

Leia mais

Responsabilidade Civil nas Atividades Empresariais. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Responsabilidade Civil nas Atividades Empresariais. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Responsabilidade Civil nas Atividades Empresariais Para Reflexão Ao indivíduo é dado agir, em sentido amplo, da forma como melhor lhe indicar o próprio discernimento, em juízo de vontade que extrapola

Leia mais

Afastada a pertinência de conexão em audiência. O autor apresentou defesa quanto ao pedido contraposto e impugnação à contestação.

Afastada a pertinência de conexão em audiência. O autor apresentou defesa quanto ao pedido contraposto e impugnação à contestação. Vistos e Examinados estes Autos nº 0030100-02.2013.8.16.0182, que figuram como partes: AUTORA: SHIRLEY MACIEL SOARES ANDRADE RÉ: MAURINI DE SOUZA RÉU: WILSON HORSTMEYER BOGADO 1. RELATÓRIO Trata-se de

Leia mais

IV - APELACAO CIVEL 374161 2000.50.01.011194-0

IV - APELACAO CIVEL 374161 2000.50.01.011194-0 RELATOR : DESEMBARGADOR FEDERAL GUILHERME COUTO DE CASTRO APELANTE : UNIAO FEDERAL APELADO : JOSÉ RODRIGUES PINHEIRO ADVOGADO : SONIA REGINA DALCOMO PINHEIRO ORIGEM : QUARTA VARA FEDERAL DE VITÓRIA (200050010111940)

Leia mais

TURMA RECURSAL ÚNICA J. S. Fagundes Cunha Presidente Relator

TURMA RECURSAL ÚNICA J. S. Fagundes Cunha Presidente Relator RECURSO INOMINADO Nº 2006.3281-7/0, DO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL DA COMARCA DE FAZENDA RIO GRANDE RECORRENTE...: EDITORA ABRIL S/A RECORRIDO...: RAFAELA GHELLERE DAL FORNO RELATOR...: J. S. FAGUNDES CUNHA

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E CIDADANIA

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E CIDADANIA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E CIDADANIA PROJETO DE LEI N o 5.423, DE 2009 Acrescenta dispositivo à Consolidação das Leis do Trabalho, aprovada pelo Decreto-lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, estabelecendo

Leia mais

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO. PROJETO DE LEI N o 2.369, DE 2003 (Apensados PL nº 2.593, de 2003, e PL nº 4.

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO. PROJETO DE LEI N o 2.369, DE 2003 (Apensados PL nº 2.593, de 2003, e PL nº 4. COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI N o 2.369, DE 2003 (Apensados PL nº 2.593, de 2003, e PL nº 4.593, de 2009) Dispõe sobre o assédio moral nas relações de trabalho.

Leia mais

VISTOS, relatados e discutidos estes autos, em que são partes as acima identificadas: RELATÓRIO

VISTOS, relatados e discutidos estes autos, em que são partes as acima identificadas: RELATÓRIO ESTADO DA PARAÍBA 21 PODER JUDICIÁRIO 1 Apelação Cível n. 888.2002.014.833-4/001 Relator: Des. Luiz Silvio Ramalho Júnior Apelante: GM Factoring Sociedade de Fomento Comercial Ltda Advogada: Maria Irinea

Leia mais

PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA

PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Apelação Cível nº 0059871-12.2007.8.19.0001 Apelante: JONETES TERESINHA BOARETTO Apelado: GRANDE HOTEL CANADÁ LTDA. Relator: DES. CUSTÓDIO TOSTES DECISÃO MONOCRÁTICA

Leia mais

O Eg. Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região, em acórdão de fls. 382/404, negou provimento ao Recurso Ordinário do Reclamante.

O Eg. Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região, em acórdão de fls. 382/404, negou provimento ao Recurso Ordinário do Reclamante. A C Ó R D Ã O (8ª Turma) GDCJPS/lfa/bt RECURSO DE REVISTA DANO MORAL CANCELAMENTO INDEVIDO DO PLANO DE SAÚDE Na esteira de diversos precedentes desta Corte, configura ato ilícito capaz de gerar danos morais

Leia mais

Nesses termos, pede deferimento. Uberaba/MG,

Nesses termos, pede deferimento. Uberaba/MG, MERITÍSSIMA JUÍZA DE DIREITO DO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL DA COMARCA DE UBERABA/ MINAS GERAIS. Autos n. 701. Secretaria cível BANCO xxxx., já qualificado nos autos epigrafados da AÇÃO DECLARATÓRIA DE INEXISTÊNCIA

Leia mais

V I S T O S, relatados e discutidos estes autos de

V I S T O S, relatados e discutidos estes autos de EMENTA RECURSO ORDINÁRIO, provenientes da CURITIBA - PR, sendo Recorrentes ADVOGADO ASSOCIADO - VÍNCULO DE EMPREGO - NÃO CONFIGURADO - Comprovado que a parte autora firmou "contrato de associação com advogado"

Leia mais

MED. CAUT. EM AÇÃO CAUTELAR 1.406-9 SÃO PAULO RELATOR

MED. CAUT. EM AÇÃO CAUTELAR 1.406-9 SÃO PAULO RELATOR MED. CAUT. EM AÇÃO CAUTELAR 1.406-9 SÃO PAULO RELATOR : MIN. GILMAR MENDES REQUERENTE(S) : PROCURADOR-GERAL DA REPÚBLICA REQUERIDO(A/S) : UNIÃO ADVOGADO(A/S) : ADVOGADO-GERAL DA UNIÃO REQUERIDO(A/S) :

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.084.748 - MT (2008/0194990-5) RELATOR RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO SIDNEI BENETI : AGRO AMAZÔNIA PRODUTOS AGROPECUÁRIOS LTDA : DÉCIO JOSÉ TESSARO E OUTRO(S) :

Leia mais

PROCESSO: 0000108-40.2010.5.01.0482 - RTOrd A C Ó R D Ã O 4ª Turma

PROCESSO: 0000108-40.2010.5.01.0482 - RTOrd A C Ó R D Ã O 4ª Turma Multa de 40% do FGTS A multa em questão apenas é devida, nos termos da Constituição e da Lei nº 8.036/90, no caso de dispensa imotivada, e não em qualquer outro caso de extinção do contrato de trabalho,

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 963.454 - SC (2007/0143805-5) RELATOR RECORRENTE ADVOGADOS RECORRIDO PROCURADOR INTERES. : MINISTRO PAULO DE TARSO SANSEVERINO : LIBERTY PAULISTA SEGUROS S/A : SÉRGIO ALEXANDRE SODRÉ

Leia mais

357 VIGÉSIMA SEXTA CÂMARA CÍVEL/CONSUMIDOR APELAÇÃO CÍVEL PROCESSO Nº 0005263-56.2012.8.19. ANA MARIA PEREIRA DE OLIVEIRA

357 VIGÉSIMA SEXTA CÂMARA CÍVEL/CONSUMIDOR APELAÇÃO CÍVEL PROCESSO Nº 0005263-56.2012.8.19. ANA MARIA PEREIRA DE OLIVEIRA VIGÉSIMA SEXTA CÂMARA CÍVEL/CONSUMIDOR APELAÇÃO CÍVEL APELANTE: BANCO DO BRASIL S/A APELANTE: CLAUDIO FELIPE CUSTODIO LESSA APELADO: OS MESMOS RELATOR: DES. ANA MARIA PEREIRA DE OLIVEIRA Relação de consumo.

Leia mais

O PREPOSTO NA JUSTIÇA DO TRABALHO

O PREPOSTO NA JUSTIÇA DO TRABALHO O PREPOSTO NA JUSTIÇA DO TRABALHO Conteúdo Programático: Conceito; A Importância do Preposto no Processo Trabalhista; Perfil Psicológico recomendado para um Preposto; Comportamento e Atitude do Preposto

Leia mais

Petições Trabalhistas 3.0

Petições Trabalhistas 3.0 Contestações 1. Contestação - ação de cobrança de contribuição sindical 2. Contestação - ação rescisória trabalhista 3. Contestação - adicional de insalubridade - limpeza de banheiro - empresa 4. Contestação

Leia mais

FACULDADE CAMPO LIMPO PAULISTA PLANO DE CARREIRA DO PESSOAL TÉCNICO-ADMINISTRATIVO TÍTULO I DO REGULAMENTO CAPÍTULO I DO CORPO TÉCNICO-ADMINISTRATIVO

FACULDADE CAMPO LIMPO PAULISTA PLANO DE CARREIRA DO PESSOAL TÉCNICO-ADMINISTRATIVO TÍTULO I DO REGULAMENTO CAPÍTULO I DO CORPO TÉCNICO-ADMINISTRATIVO FACULDADE CAMPO LIMPO PAULISTA PLANO DE CARREIRA DO PESSOAL TÉCNICO-ADMINISTRATIVO TÍTULO I DO REGULAMENTO Art. 1º - Este Plano de Carreira do Pessoal Técnico-Administrativo é um instrumento de constituição

Leia mais

JORNADA DE TRABALHO 1 LIMITE DE DURAÇÃO E ANOTAÇÃO DA JORNADA PACTUADA

JORNADA DE TRABALHO 1 LIMITE DE DURAÇÃO E ANOTAÇÃO DA JORNADA PACTUADA 1 / 5 JORNADA DE TRABALHO 1 LIMITE DE DURAÇÃO E ANOTAÇÃO DA JORNADA PACTUADA A jornada máxima de trabalho, fixada pela Constituição Federal de 1988 e confirmada pelo art. 58 do Estatuto Laboral, é de 8

Leia mais

Vigésima Sétima Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro

Vigésima Sétima Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro APELAÇÃO CÍVEL Nº 0460569-74.2012.8.19.0001 APELANTE: ALINE ALMEIDA PERES APELADO: INSTITUTO BRASILEIRO DE MEDICINA DE REABILITAÇÃO LTDA RELATOR: DES. FERNANDO ANTONIO DE ALMEIDA APELAÇÃO CÍVEL DIREITO

Leia mais

BRIGAS ENTRE EMPREGADOS Considerações Gerais

BRIGAS ENTRE EMPREGADOS Considerações Gerais BRIGAS ENTRE EMPREGADOS Considerações Gerais ROTEIRO 1. INTRODUÇÃO 2. REAÇÃO A UMA PROVOCAÇÃO INJUSTA 3. OFENSAS FÍSICAS 4. OFENSAS VERBAIS 5. BRIGAS FORA DA EMPRESA 5.1. Em frente ao estabelecimento empresarial

Leia mais

Processo nº 0024.12.301.686-7 Ação de Indenização Autor: Émerson Gil Tremea e outros Réu : Educadora Itapoã Ltda

Processo nº 0024.12.301.686-7 Ação de Indenização Autor: Émerson Gil Tremea e outros Réu : Educadora Itapoã Ltda 1 Processo nº 0024.12.301.686-7 Ação de Indenização Autor: Émerson Gil Tremea e outros Réu : Educadora Itapoã Ltda Vistos, etc. Ementa: Escola particular. Aluno reprovado em teste de seleção, por insuficiência

Leia mais

VI Exame OAB 2ª FASE Padrão de correção Direito do Trabalho

VI Exame OAB 2ª FASE Padrão de correção Direito do Trabalho VI Exame OAB 2ª FASE Padrão de correção Direito do Trabalho Peça 1) Estrutura inicial O examinando deve elaborar uma contestação, indicando o fundamento legal (artigo 847 da CLT ou artigo 300 do CPC),

Leia mais

PROCESSO Nº TST-RR-210219-18.2013.5.21.0004. A C Ó R D Ã O (5ª Turma) DCTRV/hla/dtn

PROCESSO Nº TST-RR-210219-18.2013.5.21.0004. A C Ó R D Ã O (5ª Turma) DCTRV/hla/dtn A C Ó R D Ã O (5ª Turma) DCTRV/hla/dtn AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE REVISTA. HONORÁRIOS PERICIAIS. DEMANDANTE BENEFÍCIÁRIA DA JUSTIÇA GRATUITA. VENCEDORA PARCIAL NA DEMANDA. PERDEDORA EM RELAÇÃO

Leia mais

UNESC Faculdades Integradas de Cacoal Mantidas pela Associação Educacional de Rondônia E-mail: unesc@unescnet.br - Internet: www.unescnet.

UNESC Faculdades Integradas de Cacoal Mantidas pela Associação Educacional de Rondônia E-mail: unesc@unescnet.br - Internet: www.unescnet. NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA (NPJ) ANEXO VI (Edital n. 02/2014-2) CRONOGRAMA SEMESTRAL 9.º PERÍODO DEPENDÊNCIA N. DATAS ATIVIDADES EQUIVALÊNCIA Disponibilização do Cronograma Semestral de atividades no átrio

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL. Justiça do Trabalho - 2ª Região 04ª VARA DO TRABALHO DE OSASCO. Processo nº 0000080-14.2011.5.02.0384

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL. Justiça do Trabalho - 2ª Região 04ª VARA DO TRABALHO DE OSASCO. Processo nº 0000080-14.2011.5.02.0384 Aos 09 dias do mês de agosto de 2013, às 09:00 horas, na sala de audiências desta Vara do Trabalho, sob a minha presença, Dr. Leonardo Grizagoridis da Silva, Juiz do Trabalho Substituto, foram apregoados

Leia mais

O Erro Médico. Erro de Diagnóstico e Erro de Procedimento Alessandra Abate. cit., p. 422). ! " # $ % % & ' ( ( ( ( % ) * +, -.

O Erro Médico. Erro de Diagnóstico e Erro de Procedimento Alessandra Abate. cit., p. 422). !  # $ % % & ' ( ( ( ( % ) * +, -. O Erro Médico Erro de Diagnóstico e Erro de Procedimento Alessandra Abate Primeiramente vale mencionar a dificuldade de se fazer um diagnóstico em qualquer fase do tratamento de um paciente ou até mesmo

Leia mais

PROCESSO Nº TST-RR-358-35.2014.5.03.0011. A C Ó R D Ã O (8ª Turma) GMMCP/dpf/klg

PROCESSO Nº TST-RR-358-35.2014.5.03.0011. A C Ó R D Ã O (8ª Turma) GMMCP/dpf/klg A C Ó R D Ã O (8ª Turma) GMMCP/dpf/klg RECURSO DE REVISTA INTERPOSTO SOB A ÉGIDE DA LEI Nº 10.015/2014 NULIDADE DA CITAÇÃO ÔNUS DO DESTINATÁRIO Na forma do art. 841, 1º, da CLT, A notificação será feita

Leia mais

RECURSO ORDINÁRIO TRT/RO - 0001505-23.2011.5.01.0055 - RTOrd A C Ó R D Ã O 7ª Turma

RECURSO ORDINÁRIO TRT/RO - 0001505-23.2011.5.01.0055 - RTOrd A C Ó R D Ã O 7ª Turma HORAS EXTRAS. CONTROLE DE PONTO. ESTABELECIMENTO COM MENOS DE 10 FUNCIONÁRIOS. Não possuindo a reclamada mais de 10 empregados, é do reclamante o ônus de comprovar a jornada indicada na inicial. Inteligência

Leia mais

: MIN. DIAS TOFFOLI GRANDE

: MIN. DIAS TOFFOLI GRANDE RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 686.721 SÃO PAULO RELATOR RECTE.(S) PROC.(A/S)(ES) RECDO.(A/S) ADV.(A/S) INTDO.(A/S) ADV.(A/S) : MIN. DIAS TOFFOLI :MUNICÍPIO ESTÂNCIA BALNEÁRIA DE PRAIA GRANDE :PROCURADOR-GERAL

Leia mais

CONCLUSÃO Em 04/05/2015, faço conclusão destes autos a MM. Juíza de Direito, Dra. Fernanda Gomes Camacho. Eu,, Escrevente, subscrevi.

CONCLUSÃO Em 04/05/2015, faço conclusão destes autos a MM. Juíza de Direito, Dra. Fernanda Gomes Camacho. Eu,, Escrevente, subscrevi. fls. 1075 CONCLUSÃO Em 04/05/2015, faço conclusão destes autos a MM. Juíza de Direito, Dra. Fernanda Gomes Camacho. Eu,, Escrevente, subscrevi. SENTENÇA Processo nº: 1040391-49.2015.8.26.0100 Classe -

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ.

EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ. EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ. Assunto: Desconto da Contribuição Sindical previsto no artigo 8º da Constituição Federal, um dia de trabalho em março de 2015.

Leia mais

EXERCÍCIO MODELO QUEIXA-CRIME

EXERCÍCIO MODELO QUEIXA-CRIME 2ª Fase OAB/FGV Direito Processual Penal Monitoria Penal Karina Velasco EXERCÍCIO 1 O juiz, ao proferir sentença condenando João por furto qualificado, admitiu, expressamente, na fundamentação, que se

Leia mais

CONTRATUAL Obrigação de meio X Obrigação de Resultado. EXTRACONTRATUAL (ex. direito de vizinhança, passagem, águas, etc)

CONTRATUAL Obrigação de meio X Obrigação de Resultado. EXTRACONTRATUAL (ex. direito de vizinhança, passagem, águas, etc) Artigo 186, do Código Civil: Aquele que, por ação ou omissão voluntária, negligência ou imprudência, violar direito e causar dano a outrem, ainda que exclusivamente moral, comete ato ilícito. CONTRATUAL

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO Acórdão 1a Turma PODER JUDICIÁRIO FEDERAL RECURSO ORDINÁRIO. CERCEAMENTO DE DEFESA. NULIDADE. Quando o juiz determina a produção de determinada prova, imperativo é que as partes, em seu dever de contribuir

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.117.258 - PR (2009/0008836-2) RELATOR RECORRENTE PROCURADOR RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO HERMAN BENJAMIN : INSTITUTO NACIONAL DE COLONIZAÇÃO E REFORMA AGRÁRIA - INCRA : VALDEZ ADRIANI

Leia mais

FATO TÍPICO. Conduta (dolosa ou culposa; comissiva ou omissiva) Nexo de causalidade Tipicidade

FATO TÍPICO. Conduta (dolosa ou culposa; comissiva ou omissiva) Nexo de causalidade Tipicidade TEORIA GERAL DO CRIME FATO TÍPICO Conduta (dolosa ou culposa; comissiva ou omissiva) Resultado Nexo de causalidade Tipicidade RESULTADO Não basta existir uma conduta. Para que se configure o crime é necessário

Leia mais

PROCESSO Nº TST-RR-542-30.2010.5.04.0002. A C Ó R D Ã O 3ª Turma GMAAB/obc/ct/smf

PROCESSO Nº TST-RR-542-30.2010.5.04.0002. A C Ó R D Ã O 3ª Turma GMAAB/obc/ct/smf A C Ó R D Ã O 3ª Turma GMAAB/obc/ct/smf AGRAVO DE INSTRUMENTO. RECURSO DE REVISTA. ABONO PECUNIÁRIO. CONCESSÃO SEM O REQUERIMENTO DO EMPREGADO. O e. Tribunal Regional indeferiu o pedido de indenização

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO 3ª REGIÃO (2) NET SERVIÇOS DE COMUNICAÇÃO S.A. GESILVA REPRESENTAÇÕES LTDA.

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO 3ª REGIÃO (2) NET SERVIÇOS DE COMUNICAÇÃO S.A. GESILVA REPRESENTAÇÕES LTDA. PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO 3ª REGIÃO 01209 2013 019 03 00 1 RO RECORRENTES: RECORRIDOS: (1) JOSÉ PAULINO DA SILVA (2) NET SERVIÇOS DE COMUNICAÇÃO S.A. OS MESMOS E GESILVA REPRESENTAÇÕES

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVII EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVII EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Você foi procurado pelo Banco Dinheiro Bom S/A, em razão de ação trabalhista nº XX, distribuída para a 99ª VT de Belém/PA, ajuizada pela ex-funcionária Paula, que

Leia mais

Ponto 1. Ponto 2. Ponto 3

Ponto 1. Ponto 2. Ponto 3 DIREITO DO TRABALHO PEÇA PROFISSIONAL Ponto 1 Pedro ingressou com reclamação trabalhista contra o estado de São Paulo para ver reconhecido o vínculo de emprego entre ambos, ainda que não tenha havido prévia

Leia mais

Atualizações Trabalhistas

Atualizações Trabalhistas Atualizações Trabalhistas Aviso-prévio não pode ser suprimido por norma coletiva, suplente de Conselho Fiscal tem estabilidade sindical e empregado pago para não trabalhar deve ser indenizado por assédio

Leia mais

Sentença. 1. Relatório. Relatório dispensado (artigo 38 da Lei 9.099/95). 2. Fundamentação

Sentença. 1. Relatório. Relatório dispensado (artigo 38 da Lei 9.099/95). 2. Fundamentação Processo : 2013.01.1.151018-6 Classe : Procedimento do Juizado Especial Cível Assunto : Contratos de Consumo Requerente : CELSO VIEIRA DA ROCHA JUNIOR Requerido : EMPRESA EBAZAR Sentença 1. Relatório Relatório

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 772.818 - RS (2005/0132229-4) RELATOR : MINISTRO CASTRO FILHO RECORRENTE : LUCIANA GHELLER LUQUE ENGEL ADVOGADO : PAULO RICARDO DUARTE DE FARIAS E OUTRO RECORRIDO : BOURBON ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL E PENAL NA ÁREA DA SEGURANÇA DO TRABALHO

RESPONSABILIDADE CIVIL E PENAL NA ÁREA DA SEGURANÇA DO TRABALHO RESPONSABILIDADE CIVIL E PENAL NA ÁREA DA SEGURANÇA DO TRABALHO RESPONSABILIDADE CIVIL E CRIMINAL DECORRENTE DE ACIDENTES DE TRABALHO Constituição Federal/88 Art.1º,III A dignidade da pessoa humana. art.5º,ii

Leia mais

NOTIFICAÇÃO Nº 007.2015.59.1.1.930434.2014.56225

NOTIFICAÇÃO Nº 007.2015.59.1.1.930434.2014.56225 NOTIFICAÇÃO Nº 007.2015.59.1.1.930434.2014.56225 O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO AMAZONAS, pela Promotora de Justiça Dra. DELISA OLÍVIA VIEIRALVES FERREIRA, no exercício regular de suas atribuições institucionais,

Leia mais

Número: 0020259-07.2013.5.04.0751

Número: 0020259-07.2013.5.04.0751 Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região - 2º Grau PJe - Processo Judicial Eletrônico Consulta Processual Número: 0020259-07.2013.5.04.0751 Classe: RECURSO ORDINÁRIO - Relator: JURACI GALVAO JUNIOR 09/07/2014

Leia mais

Nº 2324/2014 - ASJTC/SAJ/PGR

Nº 2324/2014 - ASJTC/SAJ/PGR Nº 2324/2014 - ASJTC/SAJ/PGR Suspensão de Liminar nº 764/AM Relator: Ministro Presidente Requerente: Estado do Amazonas Requerido: Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas Interessado: Ministério Público

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO A C Ó R D Ã O 8ª T U R M A RECURSO ORDINÁRIO. REGISTROS DE HORÁRIO. PROVA DA JORNADA DE TRABALHO. INVALIDADE. Registros de horário que não refletem a jornada efetivamente cumprida são imprestáveis à pré-constituição

Leia mais

OAB 2ª FASE PENAL PROF. SIDNEY FILHO

OAB 2ª FASE PENAL PROF. SIDNEY FILHO OAB 2ª FASE PENAL PROF. SIDNEY FILHO MEMORIAIS (OAB/SP 133 - ADAPTADO) Pedro foi acusado de roubo qualificado por denúncia do Promotor de Justiça da comarca, o dia 1 de julho de 2006. Dela constou que

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Funcionário Preso

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Funcionário Preso Funcionário Preso 15/04/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 3.1 Informação Sefip... 5 4. Conclusão... 6 5. Referências...

Leia mais

L G E ISL S A L ÇÃO O ES E P S EC E IAL 8ª ª-

L G E ISL S A L ÇÃO O ES E P S EC E IAL 8ª ª- DIREITO PENAL IV LEGISLAÇÃO ESPECIAL 8ª - Parte Professor: Rubens Correia Junior 1 Direito penal Iv 2 ROUBO 3 - Roubo Qualificado/Latrocínio 3º Se da violência resulta lesão corporal grave, a pena é de

Leia mais

DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0009461-06.2014.8.19.0000 RELATORA: DES

DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0009461-06.2014.8.19.0000 RELATORA: DES DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0009461-06.2014.8.19.0000 RELATORA: DES. MARIA INÊS DA PENHA GASPAR AGRAVANTE: JORGE LUIZ GOMES AGRAVADO: ROSANE GONÇALVES DO NASCIMENTO AGRAVO DE INSTRUMENTO.

Leia mais