Parecer n É o relatório sucinto.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Parecer n É o relatório sucinto."

Transcrição

1 Parecer n Fundação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha. Fundação instituída e mantida pelo Poder Público, sendo órgão integrante da Administração indireta do Estado do Rio Grande do Sul. É pessoa jurídica de direito privado, nos termos do art. 2., da Lei Estadual n , de 23 de janeiro de O Conselho Estadual de Educação é o órgão competente para aprovar, reconhecer, credenciar, supervisionar e avaliar os cursos superiores que porventura venham ser ministrados pela referida Fundação. A Excelentíssima Secretária de Estado da Educação encaminhou o presente processo administrativo para exame e parecer sobre a natureza jurídica da Fundação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha. A matéria tem relevância na medida em que a conceituada instituição de ensino encontra-se em vias de implantar curso superior de Tecnólogo, havendo divergências entre órgãos do Estado e da União quanto à competência para análise e aprovação de curso superior. É o relatório sucinto. O Decreto Estadual n , de 03 de maio de 1966, em seu artigo 1., criou um estabelecimento de ensino técnico de grau colegial denominado Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha.

2 A Lei Estadual n , de 23 de janeiro de 1967, autorizou a instituição de uma Fundação sob o nome de Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha. A Lei Estadual n , de 27 de novembro de 1970, em seu artigo 3., modificou em parte o objeto da Fundação, acrescendo a possibilidade de formação de técnicos de nível superior, destinados à indústria, e seu aperfeiçoamento e especialização. O Decreto Estadual n , de 13 de outubro de 1971, autorizou modificações no Estatuto da Fundação e que já estavam aprovadas pela Resolução n. 289, de 11 de maio de 1971, do Conselho Técnico da referida Entidade. O Estatuto da Fundação reza no artigo 3., letra a : Inspirada nos princípios de liberdade e nos ideais de solidariedade humana, a Fundação tem por objetivo: a) ministrar o ensino técnico industrial, de grau médio e superior visando o preparo do indivíduo para o domínio dos recursos científicos e tecnológicos que lhe permitam vencer as dificuldades do meio, mercê de um trabalho especializado e produtivo; Tratando da natureza jurídica da Fundação Liberato Salzano Vieira da Cunha a procuradora Elaine de Albuquerque Petry, no excelente Parecer sob o n : entidade de direito privado. Fundação Liberato Salzano Vieira da Cunha:

3 Em verdade o que vai definir o caráter público ou privado de um ente é a declaração do legislador. O ente público é criado diretamente pela lei, ao passo que o ente privado tem autorizada a sua constituição pelo legislador. Assim, no primeiro caso, temos as autarquias e, no segundo caso, temos as sociedades de economia mista. No caso da Escola Técnica da Fundação Liberato Salzano Vieira da Cunha a questão é dirimida pelo art. 2., da Lei Estadual n , de 23 de janeiro de 1967, com a seguinte redação: A Fundação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha é uma entidade de direito privado, dotada de autonomia administrativa, didática, econômica e financeira, regendo-se por Estatuto aprovado pelo Governo do Estado e adquirirá personalidade jurídica a partir da inscrição, no Registro Civil das Pessoas Jurídicas, do seu ato constitutivo, com o qual serão apresentados o estatuto e o decreto que o aprovar. Entretanto a natureza jurídica do ato constitutivo da Fundação Liberato Salzano Vieira da Cunha não lhe retira a qualidade de fundação instituída e mantida pelo Poder Público. A Lei Federal n /96 dispõe expressamente no artigo 10, IV: Os Estados incumber-se-ão de: IV autorizar, reconhecer, credenciar, supervisonar e avaliar, respectivamente, os cursos das instituições de educação superior e os estabelecimentos do seu sistema de ensino. (O grifo é nosso) Tratando dos sistemas de ensino dos Estados, dispõe o artigo 17, I, do mesmo diploma legal: Federal compreendem: Os sistemas de ensino dos Estados e do Distrito

4 I as instituições de ensino mantidas, respectivamente, pelo Poder Público estadual e pelo Distrito Federal; Considerando que, segundo consta do processo e pelo que se tem conhecimento, a fundação em comento é mantida com recursos públicos, é de concluir que, para fins de definir a competência de atuação e tão somente para isso deve-se tomar em consideração as definições da LDBE, submetendo ao Estado (Conselho Estadual de Educação) a aprovação, reconhecimento, credenciamento, supervisão e avaliação dos cursos superiores de seu sistema de ensino. Em resumo, para a LDBE se a entidade é mantida com recursos públicos estaduais a competência para aprovar o funcionamento de curso superior é estadual. Como ente da Administração indireta do Estado do Rio Grande do Sul concluo ser o Conselho Estadual de Educação o órgão que deve apreciar, analisar e aprovar seus pleitos para instalar cursos superiores. É o parecer. Porto Alegre, 30 de maio de Sérgio de Barcellos Boehl Procurador do Estado Ref. Proc. Adm. n /98-1

5

6 Processo nº /98.1 Acolho as conclusões do PARECER nº 12590, da Procuradoria do Domínio Público Estadual, de autoria do Procurador do Estado Doutor SÉRGIO DE BARCELLOS BOEHL. Restitua-se o expediente à Excelentíssima Senhora Secretária de Estado da Educação. Em 17 de agosto de Paulo Peretti Torelly, Procurador-Geral do Estado.

CONSUN Conselho Universitário DECISÃO Nº 432/2015

CONSUN Conselho Universitário DECISÃO Nº 432/2015 CONSUN Conselho Universitário DECISÃO Nº 432/2015 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO, em sessão de 27/11/2015, tendo em vista o constante no processo nº 23078.034370/13-31, considerando a proposta apresentada pela

Leia mais

Documentação Exigida Por Nível de Cadastramento

Documentação Exigida Por Nível de Cadastramento 1 Documentação Exigida Por Nível de Cadastramento Instituto Federal Catarinense Novembro de 2014 2 Sumário 1- Pessoa Física...3 2- Pessoa Jurídica...4 2.1- Órgão Público...4 2.2- Autarquias e Fundações

Leia mais

Entidades fundacionais as fundações públicas Conceito

Entidades fundacionais as fundações públicas Conceito 28 comum a todos os consorciados que, de forma isolada, não poderiam alcançar. Assim, os entes federativos firmam um contrato sem fins lucrativos, após a devida autorização legislativa de cada um, possibilitando

Leia mais

TRANSCRIÇÃO FIEL DA LEI Nº 1.840, DE 19 DE JUNHO DE 1.962

TRANSCRIÇÃO FIEL DA LEI Nº 1.840, DE 19 DE JUNHO DE 1.962 TRANSCRIÇÃO FIEL DA LEI Nº 1.840, DE 19 DE JUNHO DE 1.962 AUTORIZA A PREFEITURA A INSTITUIR, POR ESCRITURA PÚBLICA, UMA FUNDAÇÃO DENOMINADA FUNDAÇÃO SANTO ANDRÉ, QUE TERÁ POR FINALIDADE, MANTER A FACULDADE

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO

DIREITO ADMINISTRATIVO DIREITO ADMINISTRATIVO ESTRUTURA ADMINISTRATIVA O estudo da Administração Pública em geral, compreendendo a sua estrutura e as suas atividades, devem partir do conceito de ESTADO, sobre o qual repousa

Leia mais

Entidades fundacionais as fundações públicas Conceito

Entidades fundacionais as fundações públicas Conceito 2.6.2. Entidades fundacionais as fundações públicas 2.6.2.1. Conceito O Código Civil dispõe, em seu art. 40, que as pessoas jurídicas serão de direito público e de direito privado, e, em seu art. 44, que

Leia mais

EXERCÍCIOS. Administração Indireta. Aspectos Gerais

EXERCÍCIOS. Administração Indireta. Aspectos Gerais Direito Administrativo Vinícius Soares EXERCÍCIOS Administração Indireta Aspectos Gerais Julgue o item a seguir. 1. (Cespe/Prefeitura de São Paulo/2016) As pessoas administrativas que formam a administração

Leia mais

Direito Administrativo

Direito Administrativo Direito Administrativo Centralização, Descentralização, Concentração e Desconcentração Professora Tatiana Marcello www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Administrativo CENTRALIZAÇÃO, DESCENTRALIZAÇÃO,

Leia mais

MUNICÍPIO DE ROLADOR/RS. Parecer 039/13/PJM

MUNICÍPIO DE ROLADOR/RS. Parecer 039/13/PJM Parecer 039/13/PJM Consulente: Prefeito. Assunto: Controle preventivo de constitucionalidade. Referência: Processo Administrativo nº. 564/2013. Ementa: DIREITO CONSTITUCIONAL. PROCESSO LEGISLATIVO. PROJETO

Leia mais

Participação dos Consórcios Intermunicipais de Saúde de MG no processo de credenciamento/contratação de serviços no SUS/MG

Participação dos Consórcios Intermunicipais de Saúde de MG no processo de credenciamento/contratação de serviços no SUS/MG Participação dos Consórcios Intermunicipais de Saúde de MG no processo de credenciamento/contratação de serviços no SUS/MG Jacqueline D. B. Lobo Leite Autoridade Sanitária / Auditoria Assistencial GAA/SR

Leia mais

PARECER Nº É o relatório.

PARECER Nº É o relatório. PARECER Nº 12769 CONCURSO FISCAL TRIBUTOS ESTADUAIS - C. 984/93. Impossibilidade de concessão de efeitos retroativos à nomeação determinada em decisões judiciais. Vêm à esta Procuradoria Geral do Estado,

Leia mais

DECRETO Nº 7.808, DE 20 DE SETEMBRO DE 2012

DECRETO Nº 7.808, DE 20 DE SETEMBRO DE 2012 DECRETO Nº 7.808, DE 20 DE SETEMBRO DE 2012 Cria a Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal do Poder Executivo - Funpresp-Exe, dispõe sobre sua vinculação no âmbito do Poder Executivo

Leia mais

I RELATÓRIO: II ANÁLISE:

I RELATÓRIO: II ANÁLISE: INTERESSADA: AUTARQUIA MUNICIPAL DO ENSINO SUPERIOR DE GOIANA FACULDADE DE INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE GOIANA ASSUNTO: RECONHECIMENTO DO CURSO NORMAL SUPERIOR RELATOR: CONSELHEIRO ARNALDO CARLOS

Leia mais

PARECER N X L IS (a

PARECER N X L IS (a PARECER N X L. 7 75 IS (a FDRH. REQUERIMENTO DE EMPREGADA DE REDUÇÃO DA CARGA HORÁRIA SEMANAL COM A PROPORCIONAL REDUÇÃO SALARIAL. POSSIBILIDADE. REITERAÇÃO DO PARECER 8.035/89. Trata-se de expediente

Leia mais

ESTATUTO FUNDAÇÃO EDUARDO CARLOS PEREIRA

ESTATUTO FUNDAÇÃO EDUARDO CARLOS PEREIRA ESTATUTO FUNDAÇÃO EDUARDO CARLOS PEREIRA CAPITULO I Da Natureza, Denominação, Sede, Finalidade Artigo 1º A Fundação Eduardo Carlos Pereira, dotada e organizada pela Igreja Presbiteriana Independente do

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 086/2005-CEPE/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 086/2005-CEPE/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 086/2005-CEPE/UNICENTRO Cria o Núcleo de Educação a Distância da Universidade Estadual do Centro-Oeste, UNICENTRO e aprova o seu Regulamento. O REITOR DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE,

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 20, DE 04 DE ABRIL DE

LEI COMPLEMENTAR Nº 20, DE 04 DE ABRIL DE LEI COMPLEMENTAR Nº 20, DE 04 DE ABRIL DE 2002-06-07 DISPÕE SOBRE A REESTRUTURAÇÃO DA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DE ALAGOAS FAPEAL, INSTITUÍDA PELA LEI COMPLEMENTAR Nº 05, DE 27 DE SETEMBRO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 40/2010, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2010, DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO (CEPE) DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS - UNIFAL-MG

RESOLUÇÃO Nº 40/2010, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2010, DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO (CEPE) DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS - UNIFAL-MG MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL-MG Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700 37130-00 Alfenas - MG RESOLUÇÃO Nº 40/2010, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2010, DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA

Leia mais

Pessoas Jurídicas. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Pessoas Jurídicas. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Pessoas Jurídicas Pessoas Jurídicas Pessoas jurídicas são entidades criadas para a realização de um fim e reconhecidas pela ordem jurídica como sujeitos de direitos e deveres. Pessoas Jurídicas Características:

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO IV DA ORGANIZAÇÃO DOS PODERES CAPÍTULO IV DAS FUNÇÕES ESSENCIAIS À JUSTIÇA Seção I Do Ministério Público Art. 127. O Ministério Público é instituição

Leia mais

Piso Salarial dos ACS e ACE. Lei /14 e Decreto 8.474/15. Natal, 15 de julho de 2015.

Piso Salarial dos ACS e ACE. Lei /14 e Decreto 8.474/15. Natal, 15 de julho de 2015. Piso Salarial dos ACS e ACE Lei 12.994/14 e Decreto 8.474/15 Natal, 15 de julho de 2015. O Piso Nacional criado corresponde ao vencimento inicial dos ACS e ACE (Art. 9º- A). Desse modo, o valor fixado

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 62º da Constituição, adota a seguinte Medida Provisória, com força de lei:

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 62º da Constituição, adota a seguinte Medida Provisória, com força de lei: MEDIDA PROVISÓRIA Nº. 2.200-2, 2, DE 24 DE AGOSTO DE 2001 Institui a Infra-Estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, transforma o Instituto Nacional de Tecnologia da Informação em autarquia,

Leia mais

08/12/2014. Constituição Federal. Ordem Social. Trabalho. Seguridade Social TÍTULO VIII - DA ORDEM SOCIAL. CAPÍTULO I - DISPOSIÇÃO GERAL (art.

08/12/2014. Constituição Federal. Ordem Social. Trabalho. Seguridade Social TÍTULO VIII - DA ORDEM SOCIAL. CAPÍTULO I - DISPOSIÇÃO GERAL (art. Constituição Federal TÍTULO VIII - DA ORDEM SOCIAL CAPÍTULO I - DISPOSIÇÃO GERAL (art. 193) CAPÍTULO II - DA SEGURIDADE SOCIAL Seção I - Disposições Gerais (arts. 194 e 195) Seção II - Da Saúde (arts.

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL DE 1ª INSTÂNCIA SEÇÃO JUDICIÁRIA DO MARANHÃO 5ª VARA =============================================== D E C I S Ã O

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL DE 1ª INSTÂNCIA SEÇÃO JUDICIÁRIA DO MARANHÃO 5ª VARA =============================================== D E C I S Ã O Processo nº 32921-53.2010.4.01.3700 Classe: 32921-53.2010.4.01.3700 Autor: MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL Réu: CAIXA ECONÔMICA FEDERAL D E C I S Ã O Trata-se de apreciação de liminar, em sede de ação civil

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO PARECER Nº

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO PARECER Nº PARECER Nº 13.429 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO. CUSTOS A CARGO DO ESTADO QUANDO HOUVER CORRELAÇÃO ENTRE O CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO CURSO E AS ATRIBUIÇÕES DO CARGO OU FUNÇÃO EXERCIDA. ARTIGO 34 DA CONSTITUIÇÃO

Leia mais

Reunião COSEMS-CE. Lei /2014. Piso Salarial dos ACS e ACE

Reunião COSEMS-CE. Lei /2014. Piso Salarial dos ACS e ACE Reunião COSEMS-CE Lei 12.994/2014 Piso Salarial dos ACS e ACE O Piso Nacional criado corresponde ao vencimento inicial dos ACS e ACE (Art. 9º-A). Desse modo, o valor fixado não contempla eventuais adicionais

Leia mais

LEGISLAÇÃO INDIGENISTA

LEGISLAÇÃO INDIGENISTA - LEGISLAÇÃO INDIGENISTA - - Lei nº 5.371/67 - Criação da FUNAI - Professor: Marcos Girão - OS ANTECESSORES 1 OS ANTECESSORES ANTES DA EXISTÊNCIA DA FUNAI o Serviço de Proteção aos Índios (SPI) o Conselho

Leia mais

PARECER Nº, DE RELATOR: Senador ANIBAL DINIZ. RELATOR AD HOC: Senador PAULO PAIM I RELATÓRIO

PARECER Nº, DE RELATOR: Senador ANIBAL DINIZ. RELATOR AD HOC: Senador PAULO PAIM I RELATÓRIO PARECER Nº, DE 2013 Da COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS E LEGISLAÇÃO PARTICIPATIVA, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 122, de 2013, da Senadora Lúcia Vânia, que dispõe sobre a transferência direta de recursos

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CONSELHO DIRETOR

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CONSELHO DIRETOR FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CONSELHO DIRETOR Resolução n.º 01, de 14 de fevereiro de 2008 A Presidente do Conselho Diretor da Fundação Universidade Federal do Acre, em exercício, no uso das atribuições

Leia mais

Ministério da Educação

Ministério da Educação Página 1 de 8 Marcelo Franca Alves De: "BDE online" Para: Enviada em: sexta-feira, 4 de novembro de 2005 19:23 Assunto: BDE on-line - Nº 759-04.11.2005

Leia mais

O Papel da Procuradoria Federal na Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis MARCELO MENDONÇA PROCURADOR-GERAL SUBSTITUTO

O Papel da Procuradoria Federal na Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis MARCELO MENDONÇA PROCURADOR-GERAL SUBSTITUTO O Papel da Procuradoria Federal na Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis MARCELO MENDONÇA PROCURADOR-GERAL SUBSTITUTO Lei nº 2.123, de 01/12/1953 Art. 2º - Os atuais cargos ou funções

Leia mais

MUNICÍPIO DE ROLADOR/RS. Parecer 042/14/PJM

MUNICÍPIO DE ROLADOR/RS. Parecer 042/14/PJM Parecer 042/14/PJM Consulente: Departamento de Pessoal (DEPEL). Assunto: Contribuição previdenciária de servidor efetivo ocupante de cargo em comissão. Referência: Processo Administrativo nº. 760/2014

Leia mais

Da Advocacia Pública arts , e Seção III Da Advocacia e da Defensoria Pública arts

Da Advocacia Pública arts , e Seção III Da Advocacia e da Defensoria Pública arts ADVOCACIA CF/1988 - Título IV - Da Organização dos Poderes; Capítulo IV - Das Funções Essenciais à Justiça; Seção II Da Advocacia Pública arts. 131-132, e Seção III Da Advocacia e da Defensoria Pública

Leia mais

Setor social associação

Setor social associação Setor social associação Administração Pública Iniciativa Privada Autarquia Fundação Dir. Público Consórcio Dir. Público Consórcio Dir.Privado Empresa Dependente Empresa Pública Soc. Economia Mista Organização

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO PARECER N

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO PARECER N PARECER N 14.376 CEDIC. Vínculo empregatício. Estabilidade. Reconhecimento judicial. Ato de demissão nulo. Efetividade. Efeitos da sentença. Reiteração do Parecer 13417/02. Vem a esta Equipe de Consultoria

Leia mais

Lei de Diretrizes e Bases

Lei de Diretrizes e Bases Lei de Diretrizes e Bases 01. Segundo a Lei de Diretrizes e Bases, a avaliação do desempenho do aluno deverá ser contínua e cumulativa, considerando-se a: a) prevalência dos aspectos quantitativos sobre

Leia mais

Organização Administrativa Direito Administrativo

Organização Administrativa Direito Administrativo RESUMO Organização Administrativa Direito Administrativo 1 Índice Organização Administrativa... 3 Fundamento... 3 Legislação... 3 Administração Pública... 3 Órgãos Públicos... 3 Concentração e Desconcentração...

Leia mais

Universidade Federal da Bahia. Sistema de Desenvolvimento Institucional PO - Procedimento Operacional. Pró-Reitoria de Planejamento e Orçamento

Universidade Federal da Bahia. Sistema de Desenvolvimento Institucional PO - Procedimento Operacional. Pró-Reitoria de Planejamento e Orçamento Unidade Universidade Federal da Bahia Pró-Reitoria de Planejamento e Orçamento Processo Acordos tripartite entre a UFBA Sistema de Desenvolvimento Institucional PO - Procedimento Operacional 1 de 5 Glossário

Leia mais

LEIS LEI Nº 13.466 DE 22 DE DEZEMBRO DE 2015LEI Nº 13.466 DE 22 DE DEZEMBRO DE 2015

LEIS LEI Nº 13.466 DE 22 DE DEZEMBRO DE 2015LEI Nº 13.466 DE 22 DE DEZEMBRO DE 2015 Salvador, Quarta-feira 23 de dezembro de 2015 Ano C N o 21.843 LEIS LEI Nº 13.466 DE 22 DE DEZEMBRO DE 2015LEI Nº 13.466 DE 22 DE DEZEMBRO DE 2015 Dispõe sobre a organização e funcionamento das Universidades

Leia mais

CREDENCIAMENTO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR. PORTARIA No- 354, DE 14 DE MARÇO DE 2008

CREDENCIAMENTO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR. PORTARIA No- 354, DE 14 DE MARÇO DE 2008 CREDENCIAMENTO 12 ISSN 1677-7042 1 Nº 53, terça-feira, 18 de março de 2008 SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR PORTARIA No- 354, DE 14 DE MARÇO DE 2008 O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso de suas atribuições,

Leia mais

EDITAL N 01/ REVISTA DA PROCURADORIA

EDITAL N 01/ REVISTA DA PROCURADORIA EDITAL N 01/2016 - REVISTA DA PROCURADORIA TÍTULO I DA REVISTA Art. 1 - A Revista da Procuradoria do Município de João Pessoa tem como objetivo a promoção e o incentivo ao debate técnico, científico e

Leia mais

Decreto executivo n.º 66/99 de 7 de Maio

Decreto executivo n.º 66/99 de 7 de Maio Decreto executivo n.º 66/99 de 7 de Maio Havendo a necessidade de dar cumprimento ao estatuído no ponto único, artigo 5º do Capítulo V e no nº, artigo.º do Capítulo IV do Decreto- Lei nº 7/97, de 1 de

Leia mais

RESOLUÇÃO DA PROVA DE TÉCNICO DA RECEITA FEDERAL Direito Administrativo

RESOLUÇÃO DA PROVA DE TÉCNICO DA RECEITA FEDERAL Direito Administrativo RESOLUÇÃO DA PROVA DE TÉCNICO DA RECEITA FEDERAL - 2005 Henrique Cantarino www.editoraferreira.com.br Direito Administrativo Caros amigos, voltamos com a correção das questões da prova de Técnico da Receita

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE PORTARIA Nº 1641/2015-Reitoria/IFRN Natal (RN), 26 de outubro de 2015. Regulamenta a Flexibilização da Jornada de Trabalho dos Servidores Técnico-Administrativos em Educação do IFRN. O REITOR DO INSTITUTO

Leia mais

PARECER Nº É o relatório.

PARECER Nº É o relatório. PARECER Nº 11661 Estudo de Impacto Ambiental - EIA/RIMA. Equipe multidisciplinar. Licitação. Serviços de assessoramento e consultoria. Resolução CONAMA 01/86. Comunicado CAGE Nº 03/97 O Secretário dos

Leia mais

ACOMPANHAR A LEGISLAÇÃO, NORMAS E DECISÕES JUDICIAIS DE RECURSOS HUMANOS. HISTÓRICO DE REVISÕES. Elaborado por: José Carlos S Pereira

ACOMPANHAR A LEGISLAÇÃO, NORMAS E DECISÕES JUDICIAIS DE RECURSOS HUMANOS. HISTÓRICO DE REVISÕES. Elaborado por: José Carlos S Pereira Ministério da Saúde FIOCRUZ Fundação Oswaldo Cruz ACOMPANHAR A LEGISLAÇÃO, NORMAS E DECISÕES JUDICIAIS DE RECURSOS HUMANOS. HISTÓRICO DE REVISÕES Data Revisão Descrição da Revisão 00 Emissão Inicial 10/03/2012

Leia mais

REGIMENTO INSTITUCIONAL DE PÓS- GRADUAÇÃO LATO SENSU

REGIMENTO INSTITUCIONAL DE PÓS- GRADUAÇÃO LATO SENSU REGIMENTO INSTITUCIONAL DE PÓS- GRADUAÇÃO LATO SENSU Bom Jesus do Itabapoana - RJ 2017 Capítulo I Das Disposições Preliminares Art. 1º - Os Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu (Especialização) da FAMESC

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 116 DE 08 DE ABRIL DE 2015.

RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 116 DE 08 DE ABRIL DE 2015. RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 116 DE 08 DE ABRIL DE 2015. Disciplina a concessão de visto a cientista, pesquisador, professor e ao profissional estrangeiro que pretenda vir ao País para participar das atividades

Leia mais

Ministério da Educação

Ministério da Educação Nº 582 - Quarta feira, 12 de maio de 2004 O BDE on-line é um suplemento da Enciclopédia de Legislação e Jurisprudência da Educação Brasileira Ministério da Educação Gabinete do Ministro - Portaria nº 1.195

Leia mais

PROPOSTA DE LEI Nº 226/X (ORÇAMENTO DO ESTADO PARA 2009) PROPOSTA DE ALTERAÇÃO. Exposição de Motivos

PROPOSTA DE LEI Nº 226/X (ORÇAMENTO DO ESTADO PARA 2009) PROPOSTA DE ALTERAÇÃO. Exposição de Motivos PROPOSTA DE LEI Nº 226/X (ORÇAMENTO DO ESTADO PARA 2009) PROPOSTA DE ALTERAÇÃO Exposição de Motivos Garantir que todos os cidadãos residentes na Madeira disponham de uma habitação condigna tem sido uma

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CONSELHO DIRETOR

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CONSELHO DIRETOR Resolução nº 005, de 12 de junho de 2017 O Presidente do Conselho Diretor da Fundação Universidade Federal do Acre, Prof. Dr. Minoru Martins Kinpara, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA NPJ FACULDADE DINÂMICA DO VALE DO PIRANGA FADIP

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA NPJ FACULDADE DINÂMICA DO VALE DO PIRANGA FADIP REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA NPJ FACULDADE DINÂMICA DO VALE DO PIRANGA FADIP O Núcleo de Prática Jurídica do Curso de Bacharelado em Direito da FADIP Faculdade Dinâmica do Vale do Piranga,

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO NORTE REITORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO DE PÓS GRADUAÇÃO REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO NORTE REITORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO DE PÓS GRADUAÇÃO REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU CENTRO UNIVERSITÁRIO DO NORTE REITORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO DE PÓS GRADUAÇÃO REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Aprovado pelo CONSUNI Nº15 em 24/05/2016 ÍNDICE CAPITULO I Da Constituição,

Leia mais

PORTARIA R N.º 080/2009, de 18 de maio de Processo: /

PORTARIA R N.º 080/2009, de 18 de maio de Processo: / PORTARIA R N.º 080/2009, de 18 de maio de 2009 : 23000.091441/2009-33 O Reitor Pro Tempore do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Sudeste de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SUBCOMISSÃO DE POLÍTICA GERAL INTRODUÇÃO

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SUBCOMISSÃO DE POLÍTICA GERAL INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO A Subcomissão de Política Geral, em 23 de junho de 2015, procedeu à apreciação, relato e emissão de parecer sobre a Proposta de Lei n.º 342/XII/4 que altera o Código Civil, aprovado pelo Decreto-Lei

Leia mais

JORNAL OFICIAL Quarta-feira, 23 de Setembro de 2009

JORNAL OFICIAL Quarta-feira, 23 de Setembro de 2009 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Quarta-feira, 23 de Setembro de 2009 I Série Número 96 Sumário SECRETARIAS REGIONAIS DA EDUCAÇÃO E CULTURA E DO PLANO E FINANÇAS Portaria n.º 119/2009 Fixa as

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ODONTOLOGIA

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ODONTOLOGIA ORIENTAÇÕES PARA OFERECIMENTO DE ESTÁGIOS A ESTUDANTES DA FOUSP Para empresa ou Cirurgião(ã)-Dentista 1. Carta de apresentação da empresa ou Cirurgião(ã)-Dentista com as seguintes informações: a) Dados

Leia mais

DIREITO EMPRESARIAL E DO CONSUMIDOR. Pessoas e sujeitos de direito: Pessoas Jurídicas

DIREITO EMPRESARIAL E DO CONSUMIDOR. Pessoas e sujeitos de direito: Pessoas Jurídicas DIREITO EMPRESARIAL E DO CONSUMIDOR Pessoas e sujeitos de direito: Pessoas Jurídicas 2 8/10/2010 Profa. Rosinete Cavalcante 1. Pessoas [...] ser ao qual se atribuem direitos e obrigações.. (VENOSA, 2005,

Leia mais

COMO ELABORAR REGULAMENTO INTERNO DE LICITAÇÕES E CONTRATOS DE ACORDO COM A NOVA LEI DAS ESTATAIS

COMO ELABORAR REGULAMENTO INTERNO DE LICITAÇÕES E CONTRATOS DE ACORDO COM A NOVA LEI DAS ESTATAIS COMO ELABORAR REGULAMENTO INTERNO DE LICITAÇÕES E CONTRATOS DE ACORDO COM A NOVA LEI DAS ESTATAIS COM OS AUTORES DO LIVRO LEI DAS ESTATAIS COMENTÁRIOS AO REGIME JURÍDICO LICITATÓRIO E CONTRATUAL DA LEI

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS DEPARTAMENTO DE TEORIA GERAL DO DIREITO E DIREITO PRIVADO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS DEPARTAMENTO DE TEORIA GERAL DO DIREITO E DIREITO PRIVADO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS DEPARTAMENTO DE TEORIA GERAL DO DIREITO E DIREITO PRIVADO CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR Edital

Leia mais

PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 12/6/2013, Seção 1, Pág.7. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 12/6/2013, Seção 1, Pág.7. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 12/6/2013, Seção 1, Pág.7. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Conselho Estadual de Educação do Ceará UF: CE

Leia mais

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins aprova e eu sanciono a seguinte Lei:

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins aprova e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1.160, DE 19 DE JUNHO DE 2000. Publicado no Diário Oficial nº 937 Reestrutura a Fundação Universidade do Tocantins e adota outras providências. O Governador do Estado do Tocantins, Faço saber que

Leia mais

A CONTRATAÇÃO DE BENS E SERVIÇOS NA PETROBRAS

A CONTRATAÇÃO DE BENS E SERVIÇOS NA PETROBRAS A CONTRATAÇÃO DE BENS E SERVIÇOS NA PETROBRAS 1 Natureza Jurídica da PETROBRAS Constituição da República Art. 173. Ressalvados os casos previstos nesta Constituição, a exploração direta de atividade econômica

Leia mais

REGIMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO (CPA)

REGIMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO (CPA) REGIMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO (CPA) FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS DA SANTA CASA DE SÃO PAULO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1 - O presente regimento disciplina a organização,

Leia mais

M I N I S T É R I O DA EDUCACÃO CONSELHO F E D E R A L DE INTERESSADO/MANTENEDORA INSTITUIÇÃO TOLEDO DE ENSINO

M I N I S T É R I O DA EDUCACÃO CONSELHO F E D E R A L DE INTERESSADO/MANTENEDORA INSTITUIÇÃO TOLEDO DE ENSINO M I N I S T É R I O DA EDUCACÃO CONSELHO F E D E R A L DE EDUCACÃO INTERESSADO/MANTENEDORA INSTITUIÇÃO TOLEDO DE ENSINO UF SP ASSUNTO: Aprovação das Alterações Curriculares dos cursos de Direito, Pedagogia,

Leia mais

PARECER JURÍDICO AO PROJETO DE LEI Nº 777/2016

PARECER JURÍDICO AO PROJETO DE LEI Nº 777/2016 Excelentíssimo Sr. Presidente da Câmara de Vereadores do Município de Pouso Alegre, Minas Gerais, Pouso Alegre 12 de abril de 2016. PARECER JURÍDICO AO PROJETO DE LEI Nº 777/2016 Projeto de autoria do

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DE PERNAMBUCO

O GOVERNADOR DO ESTADO DE PERNAMBUCO LEI Nº 11.200 DE 30/01/1995 (DOPE 31/01/1995) ESTRUTURA ADMINISTRATIVA DO ESTADO NOTA 1: Os cargos em comissão fixados nesta Lei, foram extintos pelo Art. 16 da Lei nº 11.629, de 28 de janeiro de 1999.

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL RIO GRANDE DO SUL Coordenadoria de Taquigrafia e Acórdãos

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL RIO GRANDE DO SUL Coordenadoria de Taquigrafia e Acórdãos PROCESSO N o 15008300 PROCEDÊNCIA: CAMAQUÃ RECORRENTE: JOSÉ NAPOLEÃO KASPRZAK CANDIDATO A VEREADOR PELO PPB RECORRIDO: MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL DA 12ª ZONA --------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PRAÇA DA REPÚBLICA, 53 - FONE CEP

CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PRAÇA DA REPÚBLICA, 53 - FONE CEP CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PRAÇA DA REPÚBLICA, 53 - FONE 255.20.44 - CEP. 01045-903 PROCESSO CEE N : 0778/92 - Ap. Doe. 390/99/91 INTERESSADO Antônio Inácio de Aragão ASSUNTO : Consulta sobre curso

Leia mais

SENADO FEDERAL PARECER N 670, DE 2015

SENADO FEDERAL PARECER N 670, DE 2015 SENADO FEDERAL PARECER N 670, DE 2015 Da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, sobre a Mensagem nº 61, de 2015 (nº 312/2015, na origem), que submete à consideração do Senado Federal o nome do

Leia mais

COMPANHIA CATARINENSE DE ÁGUAS E SANEAMENTO - CASAN

COMPANHIA CATARINENSE DE ÁGUAS E SANEAMENTO - CASAN COMPANHIA CATARINENSE DE ÁGUAS E SANEAMENTO - CASAN, sociedade de economia mista estadual, inscrita no C.N.P.J. sob o nº 82.508.433/0001-17, constituída em 02 de julho de 1971, em conformidade com a Lei

Leia mais

Pessoa Jurídica. Profa. Zélia Prates

Pessoa Jurídica. Profa. Zélia Prates Pessoa Jurídica Profa. Zélia Prates Pessoa jurídica - Conceito Consiste num conjunto de pessoas ou de bens, dotado de personalidade jurídica própria e constituído na forma da lei, para consecução de fins

Leia mais

9. ORGANIZAÇÂO ADMINISTRATIVA

9. ORGANIZAÇÂO ADMINISTRATIVA 9. ORGANIZAÇÂO ADMINISTRATIVA 9.1 Estrutura Organizacional, Instâncias de Decisão e Organograma Institucional e Acadêmico (conforme Estatuto e Regimento Geral). O Instituto Federal de Ciência e Tecnologia

Leia mais

O Advogado-Geral do Estado, Dr. José Bonifácio Borges de Andrada, proferiu no Parecer abaixo o seguinte Despacho: De acordo.

O Advogado-Geral do Estado, Dr. José Bonifácio Borges de Andrada, proferiu no Parecer abaixo o seguinte Despacho: De acordo. O Advogado-Geral do Estado, Dr. José Bonifácio Borges de Andrada, proferiu no Parecer abaixo o seguinte Despacho: De acordo. Em 16/9/2009 Procedência: Instituto Estadual de Florestas - IEF Interessado:

Leia mais

CRIAÇÃO DE UMA ASSOCIAÇÃO DE ADMINISTRADORES DE INSOLVÊNCIA FUNDAMENTAÇÃO

CRIAÇÃO DE UMA ASSOCIAÇÃO DE ADMINISTRADORES DE INSOLVÊNCIA FUNDAMENTAÇÃO CRIAÇÃO DE UMA ASSOCIAÇÃO DE ADMINISTRADORES DE INSOLVÊNCIA FUNDAMENTAÇÃO 1. Introdução O Estado Moçambicano encetou um processo de reformas legislativas e administrativas, visando dotar o País de leis

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS RESOLUÇÃO Nº 03/2005

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS RESOLUÇÃO Nº 03/2005 RESOLUÇÃO Nº 03/2005 Normatiza a integralização de estágios no Curso de Psicologia da UFMG. O, no uso de suas atribuições e considerando: A Lei 6494 de 7 de Dezembro de 1977; O Decreto 87.497 de 18 de

Leia mais

03/04/2017. Departamento de Psicologia Psicologia da Aprendizagem aplicada à área escolar Profª Ms. Carolina Cardoso de Souza

03/04/2017. Departamento de Psicologia Psicologia da Aprendizagem aplicada à área escolar Profª Ms. Carolina Cardoso de Souza Departamento de Psicologia Psicologia da Aprendizagem aplicada à área escolar Profª Ms. Carolina Cardoso de Souza Preâmbulo...assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança,

Leia mais

DECRETO Nº , DE 13 DE MAIO DE 2015

DECRETO Nº , DE 13 DE MAIO DE 2015 Secretaria Geral Parlamentar Secretaria de Documentação Equipe de Documentação do Legislativo DECRETO Nº 56.111, DE 13 DE MAIO DE 2015 Dispõe sobre a reorganização parcial da Secretaria Municipal dos Negócios

Leia mais

Organização da Aula. Direito Administrativo Aula n. 2. Contextualização

Organização da Aula. Direito Administrativo Aula n. 2. Contextualização Organização da Aula Direito Administrativo Aula n. 2 Administração Pública Professor: Silvano Alves Alcantara Contextualização Câmara autoriza prefeito a criar empresa pública para gerir novo Pronto-Socorro

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Centro de Ciências Jurídicas Departamento de Direito Público Geral e Processual

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Centro de Ciências Jurídicas Departamento de Direito Público Geral e Processual SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Centro de Ciências Jurídicas Departamento de Direito Público Geral e Processual CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR Edital nº

Leia mais

LEI ORGÂNICA DO DISTRITO FEDERAL. Professor Rodrigo Francelino

LEI ORGÂNICA DO DISTRITO FEDERAL. Professor Rodrigo Francelino LEI ORGÂNICA DO DISTRITO FEDERAL Professor Rodrigo Francelino 1.4 LEI ORGÂNICA DO DISTRITO FEDERAL (3 QUESTÕES) Título I Dos Fundamentos da Organização dos Poderes e do Distrito Federal. Título II Da

Leia mais

Fundação de Ensino Eurípedes Soares da Rocha.

Fundação de Ensino Eurípedes Soares da Rocha. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO FEDERAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA/MANTENEDORA Fundação de Ensino Eurípedes Soares da Rocha. UF SP ASSUNTO: Autorização para cursos de especialização (pós-graduação lato sensu)

Leia mais

COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO N o 118, DE 2015 (Do Sr. Adilton Sachetti) Autoriza, nos termos do 3º do art. 231 da Constituição Federal, o aproveitamento

Leia mais

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES INSTRUÇÃO NORMATIVA SECOM-PR N o 3, DE 4 DE MARÇO DE 2010. Dispõe sobre a suspensão da publicidade dos órgãos e entidades do Poder Executivo Federal, no período eleitoral, e dá outras providências. O MINISTRO

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 1.563/16.

LEI MUNICIPAL Nº 1.563/16. LEI MUNICIPAL Nº 1.563/16. Este ato esteve fixado no painel de publicação no período de 31/05/2016 a 30/06/2016. Graziele Natividade Mat. 610 Responsável. Autoriza a contratação temporária de excepcional

Leia mais

Flexibilização da Jornada de UFOP

Flexibilização da Jornada de UFOP Flexibilização da Jornada de Trabalho dos servidores TAE UFOP HISTÓRICO 24/05/2013 Aprovação pelo CUNI da proposta de Flexibilização da Jornada de Trabalho dos Técnico Administrativos em Educação da UFOP.

Leia mais

A história da criação da lei /2010

A história da criação da lei /2010 1 Seminário de Capacitação do CAU/SP: O CAU que queremos A história da criação da lei 12.378/2010 São Paulo - Junho de 2012 Projeto de Lei n 347/2003 (Senador José Sarney) Tramitação a partir de 19.8.2003

Leia mais

DIRETRIZES DO SISTEMA BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO

DIRETRIZES DO SISTEMA BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO Normas NR: NO 1 Pág: 1/8 DIRETRIZES DO SISTEMA BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO 1. Objetivo Determinar as diretrizes do Sistema Brasileiro de Acreditação desenvolvido sob a égide e orientação da Organização Nacional

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA EXECUTIVA PORTARIA Nº 323, DE 3 DE JULHO DE 2008

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA EXECUTIVA PORTARIA Nº 323, DE 3 DE JULHO DE 2008 MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA EXECUTIVA PORTARIA Nº 323, DE 3 DE JULHO DE 2008 Estabelece a Tabela de Valores da Gratificação por Encargo de Curso ou Concurso - GECC e o correspondente

Leia mais

P A R E C E R. Excelentíssimo Senhor Procurador-Chefe,

P A R E C E R. Excelentíssimo Senhor Procurador-Chefe, PROCEDIMENTO ADM. N.: 08144-000.143/2011. PARECER N.: 032/2011/ASSJUR. P A R E C E R EMENTA: PARTICIPAÇÃO NO CURSO CURSO DE SIAFI OPE- RACIONAL, FORNECIDO PELA ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO FAZENDÁRIA - ESAF.

Leia mais

ATA - Exercício Direito Administrativo Exercício Giuliano Menezes Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

ATA - Exercício Direito Administrativo Exercício Giuliano Menezes Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. ATA - Exercício Direito Administrativo Exercício Giuliano Menezes 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. ATA - Exercícios Giuliano Menezes 01)Marque V ou F: a) O

Leia mais

Artigo 1.º (Objetivo e âmbito) Artigo 2.º (Condições para requerer a inscrição)

Artigo 1.º (Objetivo e âmbito) Artigo 2.º (Condições para requerer a inscrição) REGULAMENTO DAS PROVAS DESTINADAS A AVALIAR A CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO CURSO DE LICENCIATURA EM ENFERMAGEM DA ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM S. FRANCISCO DAS MISERICÓRDIAS, DOS TITULARES DE UM DIPLOMA

Leia mais

Ministério da Educação

Ministério da Educação Página 1 de 7 Marcelo Franca Alves De: "BDE online" Para: Enviada em: sábado, 16 de abril de 2005 00:08 Assunto: BDE on-line - Nº 688-15.04.2005 Nº 688

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUVENTUDE E DESPORTOS

MINISTÉRIO DA JUVENTUDE E DESPORTOS MINISTÉRIO DA JUVENTUDE E DESPORTOS REGIME JURÍDICO DAS ASSOCIAÇÕES JUVENIS E ESTUDANTIS Decreto nº 15/03 de 22 de Abril (Diário da República I Série nº 31, de 22 de Abril de 2003) A juventude angolana

Leia mais

CIMPOR Cimentos de Portugal, SGPS, S.A. Regulamento da Comissão de Auditoria

CIMPOR Cimentos de Portugal, SGPS, S.A. Regulamento da Comissão de Auditoria CIMPOR Cimentos de Portugal, SGPS, S.A. Regulamento da Comissão de Auditoria CIMPOR Cimentos de Portugal, SGPS, S.A. Regulamento da Comissão de Auditoria PREÂMBULO A Comissão de Auditoria da CIMPOR Cimentos

Leia mais

1. Da legislação que rege a jornada de trabalho dos servidores da Administração Pública Federal direta, suas autarquias e fundações

1. Da legislação que rege a jornada de trabalho dos servidores da Administração Pública Federal direta, suas autarquias e fundações Nota Técnica nº 02/2009 SINASEFE. Jornada semanal de 30 horas. Portaria 1497 do Ministério da Educação. Pretensão de aplicação aos servidores dos Institutos Federais, CEFETs e Escolas Técnicas vinculadas

Leia mais

02/11/2016 ÓRGÃO E ENTIDADE, DESCONCENTRAÇÃO E DESCENTRALIZAÇÃO ÓRGÃO E ENTIDADE, DESCONCENTRAÇÃO E DESCENTRALIZAÇÃO

02/11/2016 ÓRGÃO E ENTIDADE, DESCONCENTRAÇÃO E DESCENTRALIZAÇÃO ÓRGÃO E ENTIDADE, DESCONCENTRAÇÃO E DESCENTRALIZAÇÃO ÓRGÃO E ENTIDADE, DESCONCENTRAÇÃO E DESCENTRALIZAÇÃO ÓRGÃO E ENTIDADE, DESCONCENTRAÇÃO E DESCENTRALIZAÇÃO Lei 9.784/99: Art. 1º, 2º. Para os fins desta Lei, consideram-se: I - órgão - a unidade de atuação

Leia mais

vinculados ao Fundo Previdenciário da União, dos Estados, do Distrito Federal

vinculados ao Fundo Previdenciário da União, dos Estados, do Distrito Federal 1 NOTA JURÍDICA N.º 004/2007 DA TAXA ADMINISTRATIVA PARA MANUTENÇÃO DOS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES PÚBLICOS Diversos questionamentos têm sido feitos acerca dos gastos administrativos

Leia mais

Câmara dos Deputados

Câmara dos Deputados Câmara dos Deputados COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI N o 6.038, DE 2013. Regulamenta o exercício da atividade profissional de Técnico em Biblioteconomia. Autor:

Leia mais

b. Na análise e definição das linhas de orientação das políticas de sustentabilidade e de responsabilidade social.

b. Na análise e definição das linhas de orientação das políticas de sustentabilidade e de responsabilidade social. Banif Banco Internacional do Funchal, SA Regulamento da Comissão Interna Especializada de Governo Societário do Conselho de Administração Artigo 1.º Missão: 1. A Comissão Interna Especializada de Governo

Leia mais