ACADEMIA NACIONAL SUPERIOR DE ORQUESTRA. Ano lectivo de 2013/2014 REGULAMENTO DE BOLSAS DE ESTUDO. Capítulo I Disposições Gerais

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ACADEMIA NACIONAL SUPERIOR DE ORQUESTRA. Ano lectivo de 2013/2014 REGULAMENTO DE BOLSAS DE ESTUDO. Capítulo I Disposições Gerais"

Transcrição

1 ACADEMIA NACIONAL SUPERIOR DE ORQUESTRA Ano lectivo de 2013/2014 REGULAMENTO DE BOLSAS DE ESTUDO Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1 Objecto O presente Regulamento disciplina a atribuição de Bolsas de Estudo a estudantes inscritos e matriculados na Academia Nacional Superior de Orquestra (ANSO). Artigo 2 Âmbito A ANSO através da sua entidade instituidora a Associação Música Educação e Cultura O Sentido dos Sons, doravante designada por Metropolitana, atribui anualmente com a ressalva do estipulado no artigo 3, a atribuição de dois tipos de bolsas de estudo: a Bolsa de Ingresso e a Bolsa de Apoio Social, para as licenciaturas em Instrumentista, Direcção de Orquestra e Piano para Música de Câmara e Acompanhamento. As Bolsas não são acumuláveis. Artigo 3 Carácter discricionário A Metropolitana não se obriga a fazer a atribuição de Bolsas todos os anos. O número de Bolsas a conceder em cada ano lectivo é decidido em conjunto pela Direcção da Metropolitana e pelo Conselho de Direcção da ANSO. Artigo 4 Duração As Bolsas são concedidas pelo período de um ano lectivo, sujeitas a avaliação semestral. A Direcção da Metropolitana e o Conselho de Direcção da ANSO, podem determinar o cancelamento da Bolsa no final do 1º semestre caso ocorram uma ou mais das situações previstas no artigo 7. Artigo 5 Bolsa de estudo A Bolsa de Estudo é uma prestação pecuniária, de valor variável, para comparticipação no pagamento da propina anual de frequência de um curso

2 de Instrumentista, Direcção de Orquestra e Piano para Música de Câmara e Acompanhamento. Considera-se propina anual de frequência a importância fixada para pagamento da frequência escolar, nela não se incluindo as importâncias pagas para o concurso de acesso, inscrição, matrícula e todos os demais actos académicos sujeitos a pagamento. Artigo 6 Prazo de Candidatura Cada uma das Bolsas terá uma data de candidatura, que será tornada pública através de edital afixado na ANSO e no site Cada concurso é aberto durante um prazo de 15 dias úteis e os resultados são divulgados num prazo de 10 dias úteis e comunicados pessoalmente a cada um dos candidatos. Artigo 7 Causas da cessação imediata das bolsas atribuidas São causas de cessação imediata das bolsas, a verificação de uma ou mais, das condições seguintes: a) a constatação, durante o período de vigência da bolsa, da falta de veracidade das informações prestadas no processo de atribuição; b) a baixa considerável do rendimento escolar no âmbito da ANSO; c) a reprovação por faltas a uma cadeira do plano curricular; d) a reprovação em 2ª época a uma cadeira do plano curricular; e) o não cumprimento ou o cumprimento irregular das contrapartidas definidas neste regulamento; f) a falta injustificada aos concertos sinfónicos realizados com a OML no final de cada trimestre; g) o não cumprimento das obrigações escolares, curriculares e extra curriculares, definidas pela ANSO; h) a alteração significativa das condições económicas do bolseiro. Artigo 8 Efeitos da anulação de matrículas Os alunos beneficiários de bolsas de estudo e com a matrícula anulada antes do fim do ano lectivo, devem proceder ao pagamento da propina na íntegra. A Direcção da Metropolitana e o Conselho de Direcção da ANSO podem deliberar sobre casos excepcionais. Capítulo II Da Bolsa de Ingresso Artigo 9 Aplicabilidade A Bolsa de Ingresso só se aplica aos alunos que ingressam pelo regime normal de acesso.

3 Artigo 10 Número anual e valor da bolsa 1. A Bolsa de Ingresso é financiada por patrocinadores externos e regese pelo presente Regulamento. 2. A bolsa tem o valor de Para o ano lectivo de 2013/2014, existem 4 bolsas para o 1º ano das Licenciaturas em: 1 bolsa para Instrumentista de viola 1 bolsa para Instrumentista de contrabaixo 1 bolsa para Instrumentista de fagote 1 bolsa para Instrumentista de oboé Artigo 11 No final das provas de acesso e caso não haja alunos para a licenciatura nos instrumentos referidos no artigo 10º nº 3, a Direcção da Metropolitana e o Conselho de Direcção da ANSO podem decidir atribuir as bolsas a outros instrumentos. Artigo 12 Critérios de atribuição para a Bolsa de Ingresso 1 - A atribuição da bolsa é calculada em função : a) de conclusão do 12º ano e com nota positiva na prova de ingresso; b) da nota a instrumento, na prova de acesso à ANSO, igual ou superior a 16 (dezasseis) valores; c) da situação económica do aluno e do seu agregado familiar. 2 Os critérios referidos no nº 1 tem a seguinte ponderação: a) 5% b) 50% c) 45% Capítulo III Da Bolsa de Apoio Social Artigo 13 Valor da bolsa 1 - A Bolsa de Apoio Social é financiada pela Metropolitana. Para o ano lectivo de 2013/2014 o valor total é de e abrange os alunos do 1º, 2º e 3º ano das licenciaturas da ANSO. 2 Os alunos do 1º ano só se podem candidatar a bolsa no final do 1º semestre lectivo. 3 - Os valores a atribuir são os seguintes: a)redução de 75% na propina anual; b) redução de 50% na propina anual; c) redução de 25% na propina anual.

4 Artigo 14 Critérios de atribuição para a Bolsa de Apoio Social A atribuição da bolsa é calculada em função: a) da nota de média final de conclusão do semestre ou ano anterior, igual ou superior a 15 (quinze) valores; b) do mérito artístico e académico; c) da situação económica do aluno e do seu agregado familiar; d) até à data da candidatura à bolsa, ter efectuado os pagamentos mensais da propina anual e não ter qualquer divida para com a Metropolitana. Capítulo IV Da Candidatura às Bolsas de Ingresso e Apoio Social Artigo 15 Instrução do pedido de Bolsa de Ingresso O processo de candidatura é instruido com: 1- requerimento em modelo pré impresso fornecido pela secretaria da ANSO, integralmente preenchido; 2- fotocópia da última declaração de IRS do aluno e do seu agregado familiar, no caso de ser tributado pelo agregado familiar; 3- fotocópias das despesas do próprio e do agregado familiar, a saber: a. renda de casa ou prestação da compra de habitação; b. recibo do alojamento, no caso de alunos deslocados; c. recibo do passe social de transportes públicos do aluno; d. despesas de educação de irmãos do aluno; e. prestações a liquidar na compra de instrumento utilizado; f. pagamento de seguro do instrumento utilizado. 4- O aluno poderá ser solicitado a apresentar os originais dos documentos referidos no número anterior, para verificação da autenticidade dos mesmos. 5- O aluno pode ser convocado para uma entrevista, se a sua situação necessitar de posteriores esclarecimentos. Artigo 16 Instrução do pedido de Bolsa de Apoio Social O processo de candidatura é instruido com: 1 requerimento em modelo pré impresso fornecido pela secretaria da ANSO, integralmente preenchido; 2 comprovativo da Tesouraria que não existem mensalidades da propina anual em dívida; 3 comprovativo da média final de conclusão do semestre ou ano anterior; 4 fotocópia da última declaração de IRS do aluno e do seu agregado familiar, no caso de ser tributado pelo agregado familiar; 5 documento comprovativo que solicitou bolsa ao FAS;

5 6 fotocópias das despesas do próprio e do agregado familiar, a saber: a. renda de casa ou prestação da compra de habitação; b. recibo do alojamento, no caso de alunos deslocados; c. recibo do passe social de transportes públicos do aluno; d. despesas de educação de irmãos do aluno; e. prestações a liquidar na compra de instrumento utilizado; f. pagamento de seguro do instrumento utilizado. 7 O aluno poderá ser solicitado a apresentar os originais dos documentos referidos no número anterior, para verificação da autenticidade dos mesmos. 8 O aluno pode ser convocado para uma entrevista, se a sua situação necessitar de posteriores esclarecimentos. Capítulo V Contrapartidas Artigo 17 Colaboração com a Metropolitana 1. Todos os alunos bolseiros estão obrigados a colaborar com a Metropolitana: a) na realização de animações escolares e ateliers; b) em actividades de cariz pedagógico no âmbito das instituições de ensino da Metropolitana. 2. Estas acções serão sempre realizadas durante o ano lectivo. 3. Nesta colaboração não estão incluídas: a) a participação na OAM, que é obrigatória para os alunos da ANSO; b) as participações na temporada de música de câmara e recitais da OML, que serão negociadas à parte; c) as eventuais participações na OML, que serão negociadas à parte. Artigo 18 Quantificação das contrapartidas A quantificação das horas mensais desta colaboração far-se-á de acordo com os seguintes números máximos: 1. redução de 25% da propina anual... 2 horas 2. redução de 50% da propina anual... 4 horas 3. redução de 75% da propina anual e bolsa de ingresso... 8 horas Artigo 19 Acumulação e contabilização de horas A carga horária estipulada no artigo 18 poderá, por conveniência da Metropolitana, ser acumulável em cada trimestre escolar, ou excepcionalmente no trimestre seguinte ou mesmo no ano lectivo.

6 Artigo 20 Convocação 1. Os alunos são convocados pelas instituições da Metropolitana, de acordo com cada caso e sempre que possível, com uma semana de antecedência. 2. As mesmas instituições poderão anular as referidas convocatórias. 3. O aluno convocado que não possa comparecer por motivo de força maior (aula constante do horário, exame ou doença) à colaboração que lhe foi solicitada, deve justificá-la apresentando comprovativo e com uma antecedência minima de 72 horas. Artigo 21 Contrapartida complementar Durante o período em que são beneficiários de bolsas da ANSO, os alunos são obrigados a mencionar este facto nos seus curricula e programas de concerto, incluindo o nome das instituições ou empresas que conferem ou patrocinam a bolsa. 30.Abril.2013

Universidade Lusófona do Porto Bolsas de Estudo. Regulamento

Universidade Lusófona do Porto Bolsas de Estudo. Regulamento Universidade Lusófona do Porto Bolsas de Estudo Regulamento 1. Requisitos a cumprir para candidatura - Não ser detentor/a de grau académico universitário; - Não beneficiar de outra bolsa de estudo ou vantagem

Leia mais

Regulamento de Concessão de Bolsas de Estudo Para o Ensino Superior. Aprovado após deliberação em reunião de Câmara de dia 16 de Dezembro de 2009

Regulamento de Concessão de Bolsas de Estudo Para o Ensino Superior. Aprovado após deliberação em reunião de Câmara de dia 16 de Dezembro de 2009 Regulamento de Concessão de Bolsas de Estudo Para o Ensino Superior Aprovado após deliberação em reunião de Câmara de dia 16 de Dezembro de 2009 Beja, 2009 Artigo 1º Objecto O presente regulamento estabelece

Leia mais

LICENCIATURA EM CINEMA E AUDIOVISUAL

LICENCIATURA EM CINEMA E AUDIOVISUAL LICENCIATURA EM CINEMA E AUDIOVISUAL NORMAS REGULAMENTARES Curso do 1º ciclo de estudos do ensino superior, de cariz universitário, conferente do grau de licenciado, adequado ao Processo de Bolonha, constante

Leia mais

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO. Preâmbulo

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO. Preâmbulo REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO Preâmbulo Faz parte da missão do grupo Águas de Portugal (Grupo AdP) constituir-se como uma referência no setor do ambiente, de forma a promover a universalidade,

Leia mais

Despacho nº A/98

Despacho nº A/98 Despacho nº 13766-A/98 (do Gabinete do Secretário de Estado do Ensino Superior, publicado no Diário da República, 2ª. Série, 2º Suplemento, no dia 7 de Agosto de 1998) Despacho nº 13766-A/98 (2ª Série).

Leia mais

LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS FOTOGRAFIA

LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS FOTOGRAFIA LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS FOTOGRAFIA NORMAS REGULAMENTARES Curso do 1.º ciclo de estudos do ensino superior, de cariz universitário, conferente do grau de licenciado, adequado ao Processo de Bolonha,

Leia mais

Circular nº04/ Incidência da Comparticipação Crianças com idades compreendidas entre os 0 e os 5 anos:

Circular nº04/ Incidência da Comparticipação Crianças com idades compreendidas entre os 0 e os 5 anos: Circular nº04/2012 Assunto: COMPARTICIPAÇÃO DAS DESPESAS DE EDUCAÇÃO PARA O ANO LECTIVO DE 2012/2013 (Creches, Infantários, Componente de Apoio à Família e Actividades de Tempos Livres) Caro Associado:

Leia mais

CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE OEIRAS REGULAMENTO CENTRO DE DIA

CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE OEIRAS REGULAMENTO CENTRO DE DIA CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE OEIRAS REGULAMENTO CENTRO DE DIA Artigo 1º Definição 1. O Centro Social Paroquial de Oeiras com sede na Igreja Matriz de Oeiras, é uma Instituição Particular de Solidariedade

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE GRÂNDOLA REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO PARA O ENSINO SUPERIOR

CÂMARA MUNICIPAL DE GRÂNDOLA REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO PARA O ENSINO SUPERIOR CÂMARA MUNICIPAL DE GRÂNDOLA REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO PARA O ENSINO SUPERIOR Cap. I Disposições Gerais Artigo 1º Objeto O presente regulamento disciplina a atribuição de bolsas de

Leia mais

PROGRAMA ANDIFES DE MOBILIDADE ACADÊMICA EDITAL PROGRAD Nº 01/2015 DE 05 DE JANEIRO DE 2015

PROGRAMA ANDIFES DE MOBILIDADE ACADÊMICA EDITAL PROGRAD Nº 01/2015 DE 05 DE JANEIRO DE 2015 PROGRAMA ANDIFES DE MOBILIDADE ACADÊMICA EDITAL PROGRAD Nº 01/2015 DE 05 DE JANEIRO DE 2015 A PRÓ-REITORA DE GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO - UNIFESP, no uso de suas atribuições, nos termos

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE SALVATERRA DE MAGOS. Regulamento para atribuição de bolsas de estudo a alunos do ensino superior. Preâmbulo

CÂMARA MUNICIPAL DE SALVATERRA DE MAGOS. Regulamento para atribuição de bolsas de estudo a alunos do ensino superior. Preâmbulo CÂMARA MUNICIPAL DE SALVATERRA DE MAGOS Regulamento para atribuição de bolsas de estudo a alunos do ensino superior Preâmbulo O desenvolvimento de medidas de carácter social com o intuito de melhorar as

Leia mais

Instituto Superior Politécnico Metropolitano de Angola IMETRO REGULAMENTO DO PAGAMENTO DE PROPINAS

Instituto Superior Politécnico Metropolitano de Angola IMETRO REGULAMENTO DO PAGAMENTO DE PROPINAS Instituto Superior Politécnico Metropolitano de Angola IMETRO 2016 Capítulo I. DEFINIÇÕES 1. Considera-se Propina, a importância mensal paga pela prestação dos serviços de ensino, e que condicionam a frequência

Leia mais

CANDIDATURA A BOLSA DE ESTUDO

CANDIDATURA A BOLSA DE ESTUDO Ex. mo Sr. Presidente da Câmara Municipal de Proença-a-Nova I - IDENTIFICAÇÃO E RESIDÊNCIA BI/Cartão do Cidadão NIF E-mail Data de Nascimento NIB Estado Civil Naturalidade Sexo Filiação do Cônjuge (Se

Leia mais

Escola Superior de Tecnologia de Setúbal Instituto Politécnico de Setúbal www.estsetubal.ips.pt Vias de Acesso às Licenciaturas da ESTSetúbal/IPS 12º Ano + Prova(s) de Ingresso Concurso Nacional Preferências:

Leia mais

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO AOS MELHORES CALOIROS DA UNIVERSIDADE DE AVEIRO

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO AOS MELHORES CALOIROS DA UNIVERSIDADE DE AVEIRO PROPOSTA DE ALTERAÇÃO AO REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO AOS MELHORES CALOIROS DA UNIVERSIDADE DE AVEIRO O Regulamento de Atribuição de Bolsas de Estudo aos Melhores Caloiros da Universidade

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHADOR-ESTUDANTE (aprovado pelo Conselho Directivo em 2 de Dezembro de 2009, sob proposta do Conselho Pedagógico)

REGULAMENTO DO TRABALHADOR-ESTUDANTE (aprovado pelo Conselho Directivo em 2 de Dezembro de 2009, sob proposta do Conselho Pedagógico) REGULAMENTO DO TRABALHADOR-ESTUDANTE (aprovado pelo Conselho Directivo em 2 de Dezembro de 2009, sob proposta do Conselho Pedagógico) O novo Código do Trabalho aprovado pela Lei nº 7/2009, de 12 de Fevereiro,

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DA REDE PÚBLICA DO CONCELHO DE ALPIARÇA

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DA REDE PÚBLICA DO CONCELHO DE ALPIARÇA REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DA REDE PÚBLICA DO CONCELHO DE ALPIARÇA O presente documento tem por objecto a regulamentação

Leia mais

Regulamento dos regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso no ano lectivo de 2009/2010

Regulamento dos regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso no ano lectivo de 2009/2010 Regulamento dos regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso no ano lectivo de 2009/2010 Nos termos do artigo 10.º do Regulamento dos Regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso

Leia mais

DESPACHO. Em anexo é republicado o Regulamento nº 10/2012 com a nova redação, agora como Regulamento nº 10/2013. O PRESIDENTE DA ESTeSL

DESPACHO. Em anexo é republicado o Regulamento nº 10/2012 com a nova redação, agora como Regulamento nº 10/2013. O PRESIDENTE DA ESTeSL DESPACHO N.º 12/2013 Data: 2013/03/08 Para conhecimento de: Pessoal Docente, Discente e não Docente ASSUNTO: Alteração ao Regulamento nº 10/2012. A recente revisão do Regulamento do Ciclo de Estudos Conducente

Leia mais

Serviço de Educação e Bolsas REGULAMENTO DE BOLSAS PARA INVESTIGAÇÃO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artº 1º

Serviço de Educação e Bolsas REGULAMENTO DE BOLSAS PARA INVESTIGAÇÃO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artº 1º Serviço de Educação e Bolsas REGULAMENTO DE BOLSAS PARA INVESTIGAÇÃO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artº 1º 1. Com o fim principal de estimular a investigação nos vários ramos do saber, a Fundação Calouste

Leia mais

EDITAL DE BOLSA DO PROJETO MILTON SANTOS DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR ( PROMISAES 2013)

EDITAL DE BOLSA DO PROJETO MILTON SANTOS DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR ( PROMISAES 2013) UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ REITORIA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS COORDENAÇÃO DE APOIO SOCIAL PROGRAMA ESTUDANTE CONVÊNIO DE GRADUAÇÃO PEC G EDITAL DE BOLSA DO PROJETO MILTON SANTOS DE ACESSO AO ENSINO

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO DO ESTUDANTE INTERNACIONAL NA ESCOLA SUPERIOR ARTÍSTICA DO PORTO (ESAP)

REGULAMENTO DO CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO DO ESTUDANTE INTERNACIONAL NA ESCOLA SUPERIOR ARTÍSTICA DO PORTO (ESAP) REGULAMENTO DO CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO DO ESTUDANTE INTERNACIONAL NA ESCOLA SUPERIOR ARTÍSTICA DO PORTO (ESAP) Artigo 1º Objeto O presente regulamento disciplina o concurso especial de acesso

Leia mais

(Preâmbulo) CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artigo 1.º (Objeto e âmbito)

(Preâmbulo) CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artigo 1.º (Objeto e âmbito) (Preâmbulo) Conforme disposto no Decreto-Lei nº 113/2014 de 16 de julho, aprova-se o Regulamento dos Concursos Especiais de Acesso e Ingresso no Ensino Superior a aplicar no Instituto Superior de Ciências

Leia mais

EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF-UFGD N O 01/2016 PROCESSO SELETIVO DE INGRESSO NO CURSO DE MESTRADO NACIONAL PROFISSIONAL EM ENSINO DE FÍSICA POLO UFGD

EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF-UFGD N O 01/2016 PROCESSO SELETIVO DE INGRESSO NO CURSO DE MESTRADO NACIONAL PROFISSIONAL EM ENSINO DE FÍSICA POLO UFGD EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF-UFGD N O 01/2016 PROCESSO SELETIVO DE INGRESSO NO CURSO DE MESTRADO NACIONAL PROFISSIONAL EM ENSINO DE FÍSICA POLO UFGD 1. PREÂMBULO 1.1. A Comissão Coordenadora do Polo UFGD

Leia mais

MATRÍCULAS/INSCRIÇÕES 2015/2016 3º CICLO DE ESTUDOS EM CRIMINOLOGIA 1º ANO/1ªVEZ. PRAZO DE MATRÍCULA Até 12 de agosto de 2015

MATRÍCULAS/INSCRIÇÕES 2015/2016 3º CICLO DE ESTUDOS EM CRIMINOLOGIA 1º ANO/1ªVEZ. PRAZO DE MATRÍCULA Até 12 de agosto de 2015 MATRÍCULAS/INSCRIÇÕES 2015/2016 3º CICLO DE ESTUDOS EM CRIMINOLOGIA 1º ANO/1ªVEZ PRAZO DE MATRÍCULA Até 12 de agosto de 2015 As matrículas/inscrições no ano letivo de 2015/2016 serão eletrónicas (via e-mail).

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE OEIRAS. Regulamento Municipal para o Programa de Turismo Sénior

CÂMARA MUNICIPAL DE OEIRAS. Regulamento Municipal para o Programa de Turismo Sénior CÂMARA MUNICIPAL DE OEIRAS Regulamento Municipal para o Programa de Turismo Sénior Preâmbulo Considerando a necessidade de apoiar as pessoas idosas, proporcionando-lhes momentos lúdicos, de lazer e de

Leia mais

EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF-URCA N O 01/2015 PROCESSO SELETIVO DE INGRESSO NO CURSO DE MESTRADO NACIONAL PROFISSIONAL EM ENSINO DE FÍSICA POLO 31

EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF-URCA N O 01/2015 PROCESSO SELETIVO DE INGRESSO NO CURSO DE MESTRADO NACIONAL PROFISSIONAL EM ENSINO DE FÍSICA POLO 31 Universidade Regional do Cariri - URCA Centro de Ciências e Tecnologia Departamento de Física Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física - Polo 31 EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF-URCA N O 01/2015 PROCESSO

Leia mais

DESAFIO ANGLO LONDRINENSE REGULAMENTO

DESAFIO ANGLO LONDRINENSE REGULAMENTO DESAFIO ANGLO LONDRINENSE REGULAMENTO O Colégio Londrinense realiza a 3ª edição do Desafio Anglo Londrinense para alunos do 9º ano do Ensino Fundamental à 3ª série do Ensino Médio de 2016, e também para

Leia mais

EDITAL DE BOLSA DO PROJETO MILTON SANTOS DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR ( PROMISAES) 2013

EDITAL DE BOLSA DO PROJETO MILTON SANTOS DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR ( PROMISAES) 2013 EDITAL DE BOLSA DO PROJETO MILTON SANTOS DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR ( PROMISAES) 2013 A Pró-Reitoria de Graduação - PRG e a - DAE, no uso de suas atribuições, em conformidade com o disposto na Portaria

Leia mais

MUNICÍPIO DE VALPAÇOS PREÂMBULO

MUNICÍPIO DE VALPAÇOS PREÂMBULO REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO PREÂMBULO Nos termos do artigo 235.º n.º 2 da Constituição da República Portuguesa, as Autarquias são pessoas colectivas territoriais dotadas de

Leia mais

Artigo 2º Conceito de Estudante Internacional 1. É estudante internacional o estudante que não tem nacionalidade portuguesa.

Artigo 2º Conceito de Estudante Internacional 1. É estudante internacional o estudante que não tem nacionalidade portuguesa. Artigo 1º Objetivo e âmbito de aplicação O presente regulamento tem como objetivo dar cumprimento ao artigo 14º do Decreto-Lei nº 36/2014, de 10 março e aplica-se exclusivamente aos estudantes internacionais

Leia mais

REGULAMENTO DAS PROVAS ESPECIALMENTE ADEQUADAS DESTNADAS A AVALIAR A CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DE MAIORES DE 23 ANOS.

REGULAMENTO DAS PROVAS ESPECIALMENTE ADEQUADAS DESTNADAS A AVALIAR A CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DE MAIORES DE 23 ANOS. Regulamento Nos termos da lei e dos estatutos da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa (FCT/UNL), procede-se à atualização do Regulamento das Provas Especialmente Adequadas

Leia mais

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO APOIO AO ARRENDAMENTO HABITACIONAL. DOCUMENTAÇÃO OBRIGATÓRIA para instrução da candidatura

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO APOIO AO ARRENDAMENTO HABITACIONAL. DOCUMENTAÇÃO OBRIGATÓRIA para instrução da candidatura FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO APOIO AO ARRENDAMENTO HABITACIONAL DOCUMENTAÇÃO OBRIGATÓRIA para instrução da candidatura (APRESENTAR ORIGINAIS E ENTREGAR FOTOCÓPIAS DE TODOS OS DOCUMENTOS) B.I./ C.C./Cédula

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM AUDIOLOGIA (edição )

EDITAL MESTRADO EM AUDIOLOGIA (edição ) EDITAL MESTRADO EM AUDIOLOGIA (edição -) Nos termos do Decreto-Lei n.º 42/2005, de 22 de fevereiro, do Decreto-Lei n.º 74/2006 de 24 de março, com as alterações introduzidas pelo Decreto-Lei n.º 107/2008

Leia mais

DESPACHO N.º D/97

DESPACHO N.º D/97 DESPACHO N.º 10324-D/97 Despacho nº 10324-D/97 (2ª Série). - No quadro do objectivo, estabelecido pelo Programa do Governo, de reforçar a acção social escolar, foram aprovados, no passado mês de Abril,

Leia mais

Universidade Federal de Lavras Departamento de Ciências Exatas Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física - UFLA

Universidade Federal de Lavras Departamento de Ciências Exatas Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física - UFLA Universidade Federal de Lavras Departamento de Ciências Exatas Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física - UFLA EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF-UFLA N O 01/2016 PROCESSO SELETIVO DE INGRESSO NO CURSO DE

Leia mais

REGULAMENTO AÇÃO SOCIAL ESCOLAR 1º CICLO MANUAIS ESCOLARES

REGULAMENTO AÇÃO SOCIAL ESCOLAR 1º CICLO MANUAIS ESCOLARES REGULAMENTO AÇÃO SOCIAL ESCOLAR 1º CICLO MANUAIS ESCOLARES Divisão de Educação e Promoção Social Ano Letivo 2014/2015 Regulamento Municipal para atribuição de Auxílios Económicos relativos a manuais escolares,

Leia mais

Capítulo II Inscrições e Desistências

Capítulo II Inscrições e Desistências Capítulo I Funcionamento da Escola de Música Marista 1. A Escola de Música Marista (E.M.M) é dirigida por um coordenador, nomeado pela Direção do Externato Marista. É função desse coordenador dirigir a

Leia mais

Regulamento de Deslocações da Universidade da Madeira

Regulamento de Deslocações da Universidade da Madeira Regulamento de Deslocações da Universidade da Madeira A Lei nº 59/2008, de 11 de Setembro, que regula o Regime de Contrato de Trabalho em Funções Públicas, com efeitos a partir de 1 de Janeiro de 2009,

Leia mais

Regulamento da Candidatura através dos Regimes de Reingresso, Mudança de Curso ou Transferência. Ano Letivo 2013/2014

Regulamento da Candidatura através dos Regimes de Reingresso, Mudança de Curso ou Transferência. Ano Letivo 2013/2014 Regulamento da Candidatura através dos Regimes de Reingresso, Mudança de Curso ou Transferência (Portaria nº401/2007, de 5 de abril) Ano Letivo 2013/2014 A Portaria nº401/2007, de 5 de abril, aprova o

Leia mais

REGULAMENTO INTEGRALIZAÇÃO DE DISCIPLINAS EM CARÁTER ESPECIAL

REGULAMENTO INTEGRALIZAÇÃO DE DISCIPLINAS EM CARÁTER ESPECIAL REGULAMENTO INTEGRALIZAÇÃO DE DISCIPLINAS EM CARÁTER ESPECIAL Recife / PE, 2013 Institui as normas para integralização de disciplinas dos cursos de graduação em caráter especial CAPÍTULO I - DAS NORMAS

Leia mais

A música mais perto METROPOLITANA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DA METROPOLITANA

A música mais perto METROPOLITANA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DA METROPOLITANA METROPOLITANA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DA METROPOLITANA A música mais perto A Metropolitana é uma instituição cultural e pedagógica, sem fins lucrativos, constituída em Março de 1992 para promover e ensinar

Leia mais

REGULAMENTO DO SUBSÍDIO AO ARRENDAMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SANTO TIRSO

REGULAMENTO DO SUBSÍDIO AO ARRENDAMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SANTO TIRSO REGULAMENTO DO SUBSÍDIO AO ARRENDAMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SANTO TIRSO Artigo 1.º (Âmbito) 1 O presente regulamento regula a concessão de subsídio ao arrendamento pelo município de Santo Tirso. 2 Podem

Leia mais

Regulamento Financeiro

Regulamento Financeiro Regulamento Financeiro 01/10/2014 Conteúdo Enquadramento... 3 1 Cursos de estudos superiores profissionalizantes-cesp... 3 1.1 Matrícula... 3 1.2 Propina... 3 1.3 Seguro Escolar... 4 1.4 Penalizações...

Leia mais

EDITAL. PROCESSO DE ADMISSÃO DE NOVOS ALUNOS PARA 2017 Do 2º ao 9º ano do Ensino Fundamental e 1ª e 2ª série do Ensino Médio

EDITAL. PROCESSO DE ADMISSÃO DE NOVOS ALUNOS PARA 2017 Do 2º ao 9º ano do Ensino Fundamental e 1ª e 2ª série do Ensino Médio EDITAL PROCESSO DE ADMISSÃO DE NOVOS ALUNOS PARA 2017 Do 2º ao 9º ano do Ensino Fundamental e 1ª e 2ª série do Ensino Médio O Diretor Geral do Colégio Santo Inácio, no uso de suas atribuições regimentais

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA Nº 01/2016 AUXÍLIO TRANSPORTE PARA DESLOCAMENTO DE ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS E DE NÍVEL TÉCNICO PRESENCIAL FORA DO DOMICÍLIO

CHAMADA PÚBLICA Nº 01/2016 AUXÍLIO TRANSPORTE PARA DESLOCAMENTO DE ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS E DE NÍVEL TÉCNICO PRESENCIAL FORA DO DOMICÍLIO CHAMADA PÚBLICA Nº 01/2016 AUXÍLIO TRANSPORTE PARA DESLOCAMENTO DE ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS E DE NÍVEL TÉCNICO PRESENCIAL FORA DO DOMICÍLIO O MUNICÍPIO DE SERTANÓPOLIS, ESTADO DO PARANÁ, CNPJ n. 76.245.034/0001-08,

Leia mais

.::. Diretorio Central dos Estudantes.::. ::.DCE UniCEUB.:: Gestão 2016/2017

.::. Diretorio Central dos Estudantes.::. ::.DCE UniCEUB.:: Gestão 2016/2017 EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA PROFESSORES CURSO DE LÍNGUAS DCE O presidente do Diretório Central dos Estudantes do UniCEUB, Rafael Calixto de Sousa, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, torna

Leia mais

EDITAL. 2. Vagas. 1/5 Pólo Maria Fernanda Resende. Serviços Centrais Avenida do Brasil, 53-B LISBOA Tel.: / Fax:

EDITAL. 2. Vagas. 1/5 Pólo Maria Fernanda Resende. Serviços Centrais Avenida do Brasil, 53-B LISBOA Tel.: / Fax: Concurso Especial dos Estudantes Aprovados nas provas especialmente adequadas destinadas a avaliar a capacidade para a frequência do Curso de Licenciatura em Enfermagem da ESEL dos maiores de 23 anos.

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO DE BOLSAS DE ESTUDO REGULAMENTO DE BOLSAS DE ESTUDO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO DE BOLSAS DE ESTUDO REGULAMENTO DE BOLSAS DE ESTUDO REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE ----------- MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO DE BOLSAS DE ESTUDO REGULAMENTO DE BOLSAS DE ESTUDO Maputo, 2010 1 ÍNDICE CAPÍTULO I Disposições Gerais 3 CAPÍTULO II Bolsas de Estudo

Leia mais

EDITAL PROEX N 0 09/2014. Edital para seleção de monitores do projeto Camerata Theophillus

EDITAL PROEX N 0 09/2014. Edital para seleção de monitores do projeto Camerata Theophillus EDITAL PROEX N 0 09/2014 Edital para seleção de monitores do projeto Camerata Theophillus A Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL-MG), por meio da torna pública a abertura de inscrições para a seleção

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE BELMONTE REGULAMENTO. Subsídio "Apoio ao Estudante"

CÂMARA MUNICIPAL DE BELMONTE REGULAMENTO. Subsídio Apoio ao Estudante CÂMARA MUNICIPAL DE BELMONTE REGULAMENTO Subsídio "Apoio ao Estudante" A educação é a forma mais simples de transformar uma sociedade. Uma população mais culta permite acolher novas ideias de futuro e

Leia mais

Câmara Municipal de Mealhada

Câmara Municipal de Mealhada Câmara Municipal de Mealhada Normas de funcionamento dos serviços da Componente de Apoio à Família nos Estabelecimentos de Educação Pré-Escolar do Município da Mealhada NORMAS DE FUNCIONAMENTO DOS SERVIÇOS

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE MESTRADO PROFISSIONAL EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE MESTRADO PROFISSIONAL EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDITAL Nº. 01, DE 21 DE JUNHO DE 2016 PROCESSO SELETIVO O PROFIAP da Universidade Federal de Sergipe comunica que estarão abertas inscrições para a seleção de estudantes para atuar

Leia mais

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO Analista Técnico I Belo Horizonte Código da vaga: EX026/16

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO Analista Técnico I Belo Horizonte Código da vaga: EX026/16 COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO Analista Técnico I Belo Horizonte Código da vaga: EX026/16 O Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Minas Gerais SEBRAE - MG, CNPJ nº 16.589.137/0001-63, inscrição

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL Procuradoria da República no Município de São Pedro da Aldeia/RJ

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL Procuradoria da República no Município de São Pedro da Aldeia/RJ Edital nº 02, de 26 de maio de 2010 1º PROCESSO SELETIVO PÚBLICO PARA A FORMAÇÃO DE QUADRO DE RESERVA DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL MÉDIO DA PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE SÃO PEDRO DA ALDEIA RJ I

Leia mais

1. A bolsa de Estudo é um apoio social directo aos Associados, estudantes, filhos, adoptados e netos financeiramente carenciados.

1. A bolsa de Estudo é um apoio social directo aos Associados, estudantes, filhos, adoptados e netos financeiramente carenciados. BOLSAS DE ESTUDO E SÉNIOR REGULAMENTO REGULAMENTO PARA AS BOLSAS DE ESTUDO E DAS BOLSAS SENIORES O Conselho de Administração do Cofre de Previdência, deliberou em 14 de Maio de 2013, (acta nº14/13) a atribuição

Leia mais

ANATOMIA HUMANA EDITAL N. º 011/2015. I. DAS VAGAS, REMUNERAÇÃO, REGIME JURÍDICO E CARGA HORÁRIA.

ANATOMIA HUMANA EDITAL N. º 011/2015. I. DAS VAGAS, REMUNERAÇÃO, REGIME JURÍDICO E CARGA HORÁRIA. CONCURSO DE MONITORIA ANATOMIA HUMANA EDITAL N. º 011/2015. I. DAS VAGAS, REMUNERAÇÃO, REGIME JURÍDICO E CARGA HORÁRIA. 1- Número de vagas: 01 vaga 2- O aluno no exercício da função de monitor receberá

Leia mais

01 de abril de 2016 Republicação

01 de abril de 2016 Republicação Regulamento Geral dos Regimes de Reingresso e de Mudança de Par Instituição / Curso no Ensino Superior e do Concurso Especial de Acesso para Titulares de Cursos Superiores 2016 01 de abril de 2016 Republicação

Leia mais

REDAÇÃO MODELO EDITAL N. º 066/2011. ( Somente alunos a partir do 3º ao 7º períodos do Curso de Jornalismo)

REDAÇÃO MODELO EDITAL N. º 066/2011. ( Somente alunos a partir do 3º ao 7º períodos do Curso de Jornalismo) CONCURSO DE MONITORIA REDAÇÃO MODELO EDITAL N. º 066/2011 ( Somente alunos a partir do 3º ao 7º períodos do Curso de Jornalismo) I. DAS VAGAS, BOLSA DE MONITORIA, REGIME JURÍDICO E CARGA HORÁRIA. 1- Número

Leia mais

PROCESSO SELETIVO INTERNACIONAL OSB 2011 **Edital atualizado em 19/05/2011

PROCESSO SELETIVO INTERNACIONAL OSB 2011 **Edital atualizado em 19/05/2011 PROCESSO SELETIVO INTERNACIONAL OSB 2011 **Edital atualizado em 19/05/2011 A Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB) anuncia processo seletivo para o preenchimento de posições nos seguintes naipes: VIOLINO

Leia mais

INFORMAÇÕES SOBRE O FUNCIONAMENTO DA AMAC

INFORMAÇÕES SOBRE O FUNCIONAMENTO DA AMAC ACADEMIA MUSICAL DOS AMIGOS DAS CRIANÇAS INFORMAÇÕES SOBRE O FUNCIONAMENTO DA AMAC Curso de Iniciação Instrumental Curso de Iniciação Musical ano letivo 2016/2017 1. CURSO DE INICIAÇÃO INSTRUMENTAL O Curso

Leia mais

FACULDADE SÃO FRANCISCO DE JUAZEIRO-BA

FACULDADE SÃO FRANCISCO DE JUAZEIRO-BA EDITAL N. 1 SELEÇÃO DE ALUNOS PARA MONITORIA DA EMPRESA JÚNIOR, ESCRITÓRIO MODELO E LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA FACULDADE SÃO FRANCISCO DE

Leia mais

EDITAL N.º 10/2011. Dispõe sobre o Processo de Matrícula para o Curso de Extensão: Instrumentação Cirúrgica.

EDITAL N.º 10/2011. Dispõe sobre o Processo de Matrícula para o Curso de Extensão: Instrumentação Cirúrgica. 1 EDITAL N.º 10/2011 Dispõe sobre o Processo de Matrícula para o Curso de Extensão: Instrumentação Cirúrgica. O Centro de Educação Profissional Irmão Mário Cristóvão, mantido pela Associação Paranaense

Leia mais

Rua Imaculada Conceição, 1155 Prado Velho Curitiba, Paraná CEP: Fone (41)

Rua Imaculada Conceição, 1155 Prado Velho Curitiba, Paraná CEP: Fone (41) 1 EDITAL N.º 02/2016 DISPÕE SOBRE O PROCESSO DE MATRÍCULA PARA O CURSO LIVRE DE INSTRUMENTAÇÃO CIRÚRGICA O Mário Cristóvão - TECPUC, mantido pela, torna pública a abertura do processo de matrícula para

Leia mais

Viana do Castelo, de março de O Presidente do IPVC. Rui Alberto Martins Teixeira. Página 1 de 8

Viana do Castelo, de março de O Presidente do IPVC. Rui Alberto Martins Teixeira. Página 1 de 8 Despacho IPVC-P /2016 REGULAMENTO DAS PROVAS ESPECIALMENTE ADEQUADAS DESTINADAS A AVALIAR A CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DOS CURSOS SUPERIORES DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE VIANA DO CASTELO DOS MAIORES DE

Leia mais

TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO

TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO Nos termos do artigo 10.º do Regulamento dos Regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso no Ensino Superior aprovado

Leia mais

EDITAL COMPLETO PROCESSO SELETIVO PROGRAMA MULHERES MIL

EDITAL COMPLETO PROCESSO SELETIVO PROGRAMA MULHERES MIL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CAMPUS VITÓRIA Avenida Vitória, 1729 Jucutuquara 29040-780 Vitória ES 27 3331-2110 EDITAL COMPLETO PROCESSO SELETIVO 30 2013 PROGRAMA MULHERES

Leia mais

Artigo 1º Condições para requerer a inscrição

Artigo 1º Condições para requerer a inscrição UNIVERSIDADE DE TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO Escola Superior de Enfermagem de Vila Real Diário da República, 2.ª série N.º 70 9 de Abril de 2008 Aviso n.º 11073/2008 Provas especialmente adequadas destinadas

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO APROVADO 16 de Maio de 2011 O Presidente, (Paulo Parente) ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO REGULAMENTO DE EQUIPARAÇÃO A BOLSEIRO Artigo 1.º Objecto O presente regulamento define as condições da atribuição

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO UFES COORDENAÇÃO DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID EDITAL N.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO UFES COORDENAÇÃO DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID EDITAL N. UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO UFES COORDENAÇÃO DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID EDITAL N.º 001/2014 PROCESSO SELETIVO PARA BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID UFES

Leia mais

Equiparação a Bolseiro

Equiparação a Bolseiro Instituto Politécnico de Coimbra (IPC) Equiparação a Bolseiro Regulamento Preâmbulo Face ao disposto no artigo 29º- A do Decreto-Lei nº 207/2009, de 31 de Agosto - Estatuto da Carreira do Pessoal Docente

Leia mais

REGULAMENTO DE BOLSA DE MÉRITO ESPECIAL (ANO LECTIVO 2016/2017)

REGULAMENTO DE BOLSA DE MÉRITO ESPECIAL (ANO LECTIVO 2016/2017) Artigo 1.º Objectivos O presente Regulamento define as regras de atribuição de bolsas de mérito especial que visam incentivar e apoiar os estudantes, com melhor classificação escolar, que pretendem frequentar

Leia mais

PROCESSO SELETIVO ENEM EDITAL Nº 01

PROCESSO SELETIVO ENEM EDITAL Nº 01 PROCESSO SELETIVO ENEM 2017.1 EDITAL Nº 01 SUMÁRIO 1. Da Validade... 3 2. Das Inscrições... 3 3. Da Avaliação... 4 4. Do Resultado... 4 5. Da Matrícula... 4 6. Do regime escolar e semestralidade... 5 7.

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE PRO-REITORIA DE POS GRADUAÇÃO E PESQUISA COORDENAÇÃO DE PESQUISA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE PRO-REITORIA DE POS GRADUAÇÃO E PESQUISA COORDENAÇÃO DE PESQUISA EDITAL Nº 1, DE 20 DE NOVEMBRO DE 2015 PROCESSO SELETIVO A Coordenação de Pesquisa (COPES), setor vinculado a Pro-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa (POSGRAP) da Universidade Federal de Sergipe, comunica

Leia mais

EDITAL PROCESSO SELETIVO 2015 CURSO DE EXTENSÃO PERMANENTE MUSICALIZAÇÃO INFANTIL

EDITAL PROCESSO SELETIVO 2015 CURSO DE EXTENSÃO PERMANENTE MUSICALIZAÇÃO INFANTIL EDITAL PROCESSO SELETIVO 2015 CURSO DE EXTENSÃO PERMANENTE MUSICALIZAÇÃO INFANTIL O Diretor da Escola de Música da Universidade do Estado de Minas Gerais, Professor Rogério Bianchi Brasil, no uso de suas

Leia mais

Regulamento do Cartão Municipal do Idoso

Regulamento do Cartão Municipal do Idoso Regulamento do Cartão Municipal do Idoso Preâmbulo Considerando a importância crescente do papel das autarquias locais, no âmbito do apoio às populações, a Câmara Municipal de Grândola atenta que está

Leia mais

EDITAL PROCESSO DE ADMISSÃO DE NOVOS ALUNOS PARA º ano do Ensino Fundamental

EDITAL PROCESSO DE ADMISSÃO DE NOVOS ALUNOS PARA º ano do Ensino Fundamental EDITAL PROCESSO DE ADMISSÃO DE NOVOS ALUNOS PARA 2017 1º ano do Ensino Fundamental O Diretor Geral do Colégio Santo Inácio, no uso de suas atribuições regimentais e em consonância com a legislação em vigor,

Leia mais

EDITAL PIBID/UFCG Nº 03/2015 SELEÇÃO PÚBLICA DE ALUNOS BOLSISTAS

EDITAL PIBID/UFCG Nº 03/2015 SELEÇÃO PÚBLICA DE ALUNOS BOLSISTAS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE PRÓ-REITORIA DE ENSINO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA EDITAL PIBID/UFCG Nº 03/2015 SELEÇÃO

Leia mais

Curso de Pós - Licenciatura de Especialização em Enfermagem Médico-Cirúrgica

Curso de Pós - Licenciatura de Especialização em Enfermagem Médico-Cirúrgica ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DE COIMBRA ÁREA CIENTÍFICA DE ENFERMAGEM DO ADULTO E IDOSO Curso de Pós - Licenciatura de Especialização em Enfermagem Médico-Cirúrgica REGIME DE FREQUÊNCIA, AVALIAÇÃO, PRECEDÊNCIAS

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS. Introdução

CONDIÇÕES GERAIS. Introdução CONDIÇÕES GERAIS Introdução A criação da Classe de Dança da Associação Equestre de Viana do Alentejo, resultam da cessação da actividade na Casa do Benfica em Viana do Alentejo, por vontade das alunas

Leia mais

http://www3.esvilela.pt/exames-nacionais PROVAS DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA (1º E 2º CICLO) 2016 QUAIS AS CONDIÇÕES DE APROVAÇÃO? No final do 1º ciclo do ensino básico o aluno obtém a menção de Aprovado

Leia mais

Universidade Federal de Pelotas Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis Coordenadoria de Benefícios REGULAMENTAÇÃO DO PROGRAMA AUXÍLIO PRÉ-ESCOLAR

Universidade Federal de Pelotas Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis Coordenadoria de Benefícios REGULAMENTAÇÃO DO PROGRAMA AUXÍLIO PRÉ-ESCOLAR Universidade Federal de Pelotas Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis Coordenadoria de Benefícios REGULAMENTAÇÃO DO PROGRAMA AUXÍLIO PRÉ-ESCOLAR CAPÍTULO I DO PROGRAMA Art. 1º. O Programa Auxílio Pré-Escolar

Leia mais

Circular Informativa nº 2/PRES/2016

Circular Informativa nº 2/PRES/2016 Circular Informativa nº 2/PRES/2016 Assunto: Informação sobre o processo de matrícula/inscrição no ano letivo de 2016/2017 1. Inscrições de Trabalhadores Estudantes Os estudantes a quem foi atribuído Estatuto

Leia mais

AVISO - MATRÍCULAS NO PRÉ-ESCOLAR. As inscrições decorrem de 15 de abril a 15 de junho.

AVISO - MATRÍCULAS NO PRÉ-ESCOLAR. As inscrições decorrem de 15 de abril a 15 de junho. AVISO - MATRÍCULAS NO PRÉ-ESCOLAR ANO LETIVO - 2015/2016 As inscrições decorrem de 15 de abril a 15 de junho. www.portaldasescolas.pt A ESCOLA DISPONIBILIZA COMPUTADOR PARA O EFEITO. O ENCARREGADO DE EDUCAÇÃO

Leia mais

Regulamento de Funcionamento. da Componente de Apoio à Família nos. Estabelecimentos de. Educação Pré-Escolar do Município da Guarda.

Regulamento de Funcionamento. da Componente de Apoio à Família nos. Estabelecimentos de. Educação Pré-Escolar do Município da Guarda. Regulamento de Funcionamento da Componente de Apoio à Família nos Estabelecimentos de Educação Pré-Escolar do Município da Guarda. Regulamento de Funcionamento da Componente de Apoio à Família nos Estabelecimentos

Leia mais

EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF-UFRJ N O 02/2016 PROCESSO SELETIVO DE INGRESSO NO CURSO DE MESTRADO NACIONAL PROFISSIONAL EM ENSINO DE FÍSICA POLO UFRJ

EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF-UFRJ N O 02/2016 PROCESSO SELETIVO DE INGRESSO NO CURSO DE MESTRADO NACIONAL PROFISSIONAL EM ENSINO DE FÍSICA POLO UFRJ Universidade Federal do Rio de Janeiro Centro de Ciências Matemáticas e da Natureza Instituto de Física Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF-UFRJ N O 02/2016 PROCESSO

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Gabinete do Reitor

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Gabinete do Reitor REGULAMENTO DE PROPINAS As instituições de Ensino Superior prestam um serviço de ensino que deve ser qualitativamente exigente e adaptado aos objetivos de formação global do cidadão e de formação específica

Leia mais

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO PARA O CURSO DE APERFEIÇOAMENTO E FORMAÇÃO EM RADIOLÓGICA E DIAGNÓSTICO POR IMAGEM

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO PARA O CURSO DE APERFEIÇOAMENTO E FORMAÇÃO EM RADIOLÓGICA E DIAGNÓSTICO POR IMAGEM EDITAL DO PROCESSO SELETIVO PARA O CURSO DE APERFEIÇOAMENTO E FORMAÇÃO EM RADIOLÓGICA E DIAGNÓSTICO POR IMAGEM O Médico-Coordenador do Serviço de Radiologia e Diagnóstico por imagem do Hospital Bandeirantes

Leia mais

EXAMES FINAIS NACIONAIS E PROVAS DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ESCLARECIMENTOS PARA OS ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO

EXAMES FINAIS NACIONAIS E PROVAS DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ESCLARECIMENTOS PARA OS ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO Quando são publicados os resultados da avaliação interna? As pautas de avaliação interna (de frequência) são publicadas dia 8 de junho. Quem se deve inscrever para a realização de exames finais nacionais?

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO ESCOLA DE MUSICA

REGULAMENTO INTERNO ESCOLA DE MUSICA REGULAMENTO INTERNO DA ESCOLA DE MUSICA Artigo 1º Objecto A Associação Cultural Musimax é uma Escola do Ensino Artístico Especializado em Música, e tem como principal objecto o ensino da música. Artigo

Leia mais

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DO ATELIER DE ARTES PLÁSTICAS

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DO ATELIER DE ARTES PLÁSTICAS NORMAS DE FUNCIONAMENTO DO ATELIER DE ARTES PLÁSTICAS O Atelier de Artes Plásticas é um serviço que se encontra ao dispor de todos os interessados, visando instruí-los e dotá-los das ferramentas básicas

Leia mais

Regimento do Conselho Geral da Universidade de Évora

Regimento do Conselho Geral da Universidade de Évora Regimento do Conselho Geral da Universidade de Évora O Conselho Geral da Universidade de Évora, adiante designado por Conselho Geral, é o órgão de governo previsto no n.º 1 da alínea a) do artigo 11.º

Leia mais

EDITAL DE TRANSFERÊNCIA FATEC TAUBATÉ Nº. 01/2016 DE 01 DE JUNHO DE REMANEJAMENTO ENTRE FATEC s

EDITAL DE TRANSFERÊNCIA FATEC TAUBATÉ Nº. 01/2016 DE 01 DE JUNHO DE REMANEJAMENTO ENTRE FATEC s EDITAL DE TRANSFERÊNCIA FATEC TAUBATÉ Nº. 01/2016 DE 01 DE JUNHO DE 2016. REMANEJAMENTO ENTRE FATEC s O Diretor da, no uso de suas atribuições legais, faz saber que serão abertas as inscrições para participação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO UFES COORDENAÇÃO DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID CAMPUS GOIABEIRAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO UFES COORDENAÇÃO DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID CAMPUS GOIABEIRAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO UFES COORDENAÇÃO DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID CAMPUS GOIABEIRAS EDITAL N.º 001/2015 PROCESSO SELETIVO PARA BOLSA DE INICIAÇÃO

Leia mais

EDITAL PARA EXAME DE BOLSAS DE ESTUDOS PARA O ANO LETIVO DE 2017 DO COLÉGIO SER Taboão da Serra, Agosto de Das disposições preliminares

EDITAL PARA EXAME DE BOLSAS DE ESTUDOS PARA O ANO LETIVO DE 2017 DO COLÉGIO SER Taboão da Serra, Agosto de Das disposições preliminares EDITAL PARA EXAME DE BOLSAS DE ESTUDOS PARA O ANO LETIVO DE 2017 DO COLÉGIO SER Taboão da Serra, Agosto de 2016. 1. Das disposições preliminares 1.1 O exame é de responsabilidade do Colégio SER; 1.2 O

Leia mais

EDITAL FATEC SÃO ROQUE Nº 01/2014 DE 12 DE MAIO DE 2014

EDITAL FATEC SÃO ROQUE Nº 01/2014 DE 12 DE MAIO DE 2014 EDITAL FATEC SÃO ROQUE Nº 01/2014 DE 12 DE MAIO DE 2014 O Diretor da Faculdade de Tecnologia de São Roque no uso de suas atribuições legais torna público que estão abertas as inscrições para participação

Leia mais

EDITAL CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO NO IPCA. Ano Letivo de 2016/2017

EDITAL CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO NO IPCA. Ano Letivo de 2016/2017 EDITAL CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO NO IPCA Ano Letivo de 2016/2017 Por delegação de competências do Presidente do Instituto Politécnico do Cávado e Ave, Agostinha Patrícia Silva Gomes faz saber

Leia mais

NORMAS DO PROCESSO SELETIVO DE CANDIDATOS ÀS VAGAS REMANESCENTES DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA PUC-CAMPINAS 2º SEMESTRE DE 2012

NORMAS DO PROCESSO SELETIVO DE CANDIDATOS ÀS VAGAS REMANESCENTES DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA PUC-CAMPINAS 2º SEMESTRE DE 2012 NORMAS DO PROCESSO SELETIVO DE CANDIDATOS ÀS VAGAS REMANESCENTES DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA PUC-CAMPINAS 2º SEMESTRE DE 2012 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1 o O presente Processo Seletivo tem

Leia mais

UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE FACULDADE DE ECONOMIA E D I T A L

UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE FACULDADE DE ECONOMIA E D I T A L UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE FACULDADE DE ECONOMIA E D I T A L PROGRAMA DE MESTRADO EM GESTÃO DE POLÍTICAS ECONÓMICAS 4ª EDIÇÃO/2012 BOLSAS DE ESTUDO A Universidade Eduardo Mondlane (UEM), assinou um

Leia mais

REGULAMENTO DA SALA DE ESTUDO ACOMPANHADO. Nota justificativa

REGULAMENTO DA SALA DE ESTUDO ACOMPANHADO. Nota justificativa REGULAMENTO DA SALA DE ESTUDO ACOMPANHADO Nota justificativa A elevada taxa de insucesso escolar resulta, em grande parte, da ausência ou uso inapropriado de estratégias de estudo e pela não existência

Leia mais