ACADEMIA NACIONAL SUPERIOR DE ORQUESTRA. Ano lectivo de 2013/2014 REGULAMENTO DE BOLSAS DE ESTUDO. Capítulo I Disposições Gerais

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ACADEMIA NACIONAL SUPERIOR DE ORQUESTRA. Ano lectivo de 2013/2014 REGULAMENTO DE BOLSAS DE ESTUDO. Capítulo I Disposições Gerais"

Transcrição

1 ACADEMIA NACIONAL SUPERIOR DE ORQUESTRA Ano lectivo de 2013/2014 REGULAMENTO DE BOLSAS DE ESTUDO Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1 Objecto O presente Regulamento disciplina a atribuição de Bolsas de Estudo a estudantes inscritos e matriculados na Academia Nacional Superior de Orquestra (ANSO). Artigo 2 Âmbito A ANSO através da sua entidade instituidora a Associação Música Educação e Cultura O Sentido dos Sons, doravante designada por Metropolitana, atribui anualmente com a ressalva do estipulado no artigo 3, a atribuição de dois tipos de bolsas de estudo: a Bolsa de Ingresso e a Bolsa de Apoio Social, para as licenciaturas em Instrumentista, Direcção de Orquestra e Piano para Música de Câmara e Acompanhamento. As Bolsas não são acumuláveis. Artigo 3 Carácter discricionário A Metropolitana não se obriga a fazer a atribuição de Bolsas todos os anos. O número de Bolsas a conceder em cada ano lectivo é decidido em conjunto pela Direcção da Metropolitana e pelo Conselho de Direcção da ANSO. Artigo 4 Duração As Bolsas são concedidas pelo período de um ano lectivo, sujeitas a avaliação semestral. A Direcção da Metropolitana e o Conselho de Direcção da ANSO, podem determinar o cancelamento da Bolsa no final do 1º semestre caso ocorram uma ou mais das situações previstas no artigo 7. Artigo 5 Bolsa de estudo A Bolsa de Estudo é uma prestação pecuniária, de valor variável, para comparticipação no pagamento da propina anual de frequência de um curso

2 de Instrumentista, Direcção de Orquestra e Piano para Música de Câmara e Acompanhamento. Considera-se propina anual de frequência a importância fixada para pagamento da frequência escolar, nela não se incluindo as importâncias pagas para o concurso de acesso, inscrição, matrícula e todos os demais actos académicos sujeitos a pagamento. Artigo 6 Prazo de Candidatura Cada uma das Bolsas terá uma data de candidatura, que será tornada pública através de edital afixado na ANSO e no site Cada concurso é aberto durante um prazo de 15 dias úteis e os resultados são divulgados num prazo de 10 dias úteis e comunicados pessoalmente a cada um dos candidatos. Artigo 7 Causas da cessação imediata das bolsas atribuidas São causas de cessação imediata das bolsas, a verificação de uma ou mais, das condições seguintes: a) a constatação, durante o período de vigência da bolsa, da falta de veracidade das informações prestadas no processo de atribuição; b) a baixa considerável do rendimento escolar no âmbito da ANSO; c) a reprovação por faltas a uma cadeira do plano curricular; d) a reprovação em 2ª época a uma cadeira do plano curricular; e) o não cumprimento ou o cumprimento irregular das contrapartidas definidas neste regulamento; f) a falta injustificada aos concertos sinfónicos realizados com a OML no final de cada trimestre; g) o não cumprimento das obrigações escolares, curriculares e extra curriculares, definidas pela ANSO; h) a alteração significativa das condições económicas do bolseiro. Artigo 8 Efeitos da anulação de matrículas Os alunos beneficiários de bolsas de estudo e com a matrícula anulada antes do fim do ano lectivo, devem proceder ao pagamento da propina na íntegra. A Direcção da Metropolitana e o Conselho de Direcção da ANSO podem deliberar sobre casos excepcionais. Capítulo II Da Bolsa de Ingresso Artigo 9 Aplicabilidade A Bolsa de Ingresso só se aplica aos alunos que ingressam pelo regime normal de acesso.

3 Artigo 10 Número anual e valor da bolsa 1. A Bolsa de Ingresso é financiada por patrocinadores externos e regese pelo presente Regulamento. 2. A bolsa tem o valor de Para o ano lectivo de 2013/2014, existem 4 bolsas para o 1º ano das Licenciaturas em: 1 bolsa para Instrumentista de viola 1 bolsa para Instrumentista de contrabaixo 1 bolsa para Instrumentista de fagote 1 bolsa para Instrumentista de oboé Artigo 11 No final das provas de acesso e caso não haja alunos para a licenciatura nos instrumentos referidos no artigo 10º nº 3, a Direcção da Metropolitana e o Conselho de Direcção da ANSO podem decidir atribuir as bolsas a outros instrumentos. Artigo 12 Critérios de atribuição para a Bolsa de Ingresso 1 - A atribuição da bolsa é calculada em função : a) de conclusão do 12º ano e com nota positiva na prova de ingresso; b) da nota a instrumento, na prova de acesso à ANSO, igual ou superior a 16 (dezasseis) valores; c) da situação económica do aluno e do seu agregado familiar. 2 Os critérios referidos no nº 1 tem a seguinte ponderação: a) 5% b) 50% c) 45% Capítulo III Da Bolsa de Apoio Social Artigo 13 Valor da bolsa 1 - A Bolsa de Apoio Social é financiada pela Metropolitana. Para o ano lectivo de 2013/2014 o valor total é de e abrange os alunos do 1º, 2º e 3º ano das licenciaturas da ANSO. 2 Os alunos do 1º ano só se podem candidatar a bolsa no final do 1º semestre lectivo. 3 - Os valores a atribuir são os seguintes: a)redução de 75% na propina anual; b) redução de 50% na propina anual; c) redução de 25% na propina anual.

4 Artigo 14 Critérios de atribuição para a Bolsa de Apoio Social A atribuição da bolsa é calculada em função: a) da nota de média final de conclusão do semestre ou ano anterior, igual ou superior a 15 (quinze) valores; b) do mérito artístico e académico; c) da situação económica do aluno e do seu agregado familiar; d) até à data da candidatura à bolsa, ter efectuado os pagamentos mensais da propina anual e não ter qualquer divida para com a Metropolitana. Capítulo IV Da Candidatura às Bolsas de Ingresso e Apoio Social Artigo 15 Instrução do pedido de Bolsa de Ingresso O processo de candidatura é instruido com: 1- requerimento em modelo pré impresso fornecido pela secretaria da ANSO, integralmente preenchido; 2- fotocópia da última declaração de IRS do aluno e do seu agregado familiar, no caso de ser tributado pelo agregado familiar; 3- fotocópias das despesas do próprio e do agregado familiar, a saber: a. renda de casa ou prestação da compra de habitação; b. recibo do alojamento, no caso de alunos deslocados; c. recibo do passe social de transportes públicos do aluno; d. despesas de educação de irmãos do aluno; e. prestações a liquidar na compra de instrumento utilizado; f. pagamento de seguro do instrumento utilizado. 4- O aluno poderá ser solicitado a apresentar os originais dos documentos referidos no número anterior, para verificação da autenticidade dos mesmos. 5- O aluno pode ser convocado para uma entrevista, se a sua situação necessitar de posteriores esclarecimentos. Artigo 16 Instrução do pedido de Bolsa de Apoio Social O processo de candidatura é instruido com: 1 requerimento em modelo pré impresso fornecido pela secretaria da ANSO, integralmente preenchido; 2 comprovativo da Tesouraria que não existem mensalidades da propina anual em dívida; 3 comprovativo da média final de conclusão do semestre ou ano anterior; 4 fotocópia da última declaração de IRS do aluno e do seu agregado familiar, no caso de ser tributado pelo agregado familiar; 5 documento comprovativo que solicitou bolsa ao FAS;

5 6 fotocópias das despesas do próprio e do agregado familiar, a saber: a. renda de casa ou prestação da compra de habitação; b. recibo do alojamento, no caso de alunos deslocados; c. recibo do passe social de transportes públicos do aluno; d. despesas de educação de irmãos do aluno; e. prestações a liquidar na compra de instrumento utilizado; f. pagamento de seguro do instrumento utilizado. 7 O aluno poderá ser solicitado a apresentar os originais dos documentos referidos no número anterior, para verificação da autenticidade dos mesmos. 8 O aluno pode ser convocado para uma entrevista, se a sua situação necessitar de posteriores esclarecimentos. Capítulo V Contrapartidas Artigo 17 Colaboração com a Metropolitana 1. Todos os alunos bolseiros estão obrigados a colaborar com a Metropolitana: a) na realização de animações escolares e ateliers; b) em actividades de cariz pedagógico no âmbito das instituições de ensino da Metropolitana. 2. Estas acções serão sempre realizadas durante o ano lectivo. 3. Nesta colaboração não estão incluídas: a) a participação na OAM, que é obrigatória para os alunos da ANSO; b) as participações na temporada de música de câmara e recitais da OML, que serão negociadas à parte; c) as eventuais participações na OML, que serão negociadas à parte. Artigo 18 Quantificação das contrapartidas A quantificação das horas mensais desta colaboração far-se-á de acordo com os seguintes números máximos: 1. redução de 25% da propina anual... 2 horas 2. redução de 50% da propina anual... 4 horas 3. redução de 75% da propina anual e bolsa de ingresso... 8 horas Artigo 19 Acumulação e contabilização de horas A carga horária estipulada no artigo 18 poderá, por conveniência da Metropolitana, ser acumulável em cada trimestre escolar, ou excepcionalmente no trimestre seguinte ou mesmo no ano lectivo.

6 Artigo 20 Convocação 1. Os alunos são convocados pelas instituições da Metropolitana, de acordo com cada caso e sempre que possível, com uma semana de antecedência. 2. As mesmas instituições poderão anular as referidas convocatórias. 3. O aluno convocado que não possa comparecer por motivo de força maior (aula constante do horário, exame ou doença) à colaboração que lhe foi solicitada, deve justificá-la apresentando comprovativo e com uma antecedência minima de 72 horas. Artigo 21 Contrapartida complementar Durante o período em que são beneficiários de bolsas da ANSO, os alunos são obrigados a mencionar este facto nos seus curricula e programas de concerto, incluindo o nome das instituições ou empresas que conferem ou patrocinam a bolsa. 30.Abril.2013

Regulamento de Atribuição de Bolsas de Estudo

Regulamento de Atribuição de Bolsas de Estudo Regulamento de Atribuição de Bolsas de Estudo Artigo 1º Objecto O presente regulamento estabelece as normas para atribuição de bolsas de estudo a estudantes do ensino secundário e superior, residentes

Leia mais

Regulamento de Atribuição de Bolsas de Estudo da Cooperativa de Ensino Superior Politécnico e Universitário CRL - CESPU

Regulamento de Atribuição de Bolsas de Estudo da Cooperativa de Ensino Superior Politécnico e Universitário CRL - CESPU Regulamento de Atribuição de Bolsas de Estudo da Cooperativa de Ensino Superior Politécnico e Universitário CRL - CESPU SECÇÃO 1 CATEGORIAS E NÚMERO DE BOLSAS DE ESTUDO Artigo 1.º 1. A CESPU, CRL institui

Leia mais

Regulamento de Matrículas, Inscrições e Propinas

Regulamento de Matrículas, Inscrições e Propinas Regulamento de Matrículas, Inscrições e Propinas I - Matrículas 1. A matrícula é o acto administrativo, a realizar no início de cada ano lectivo e que confere ao estudante o direito a ingressar no estabelecimento

Leia mais

REGULAMENTO PARA A ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO E.A.S.S.

REGULAMENTO PARA A ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO E.A.S.S. REGULAMENTO PARA A ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO E.A.S.S. Artigo 1.º Objeto e âmbito 1. O presente regulamento define o processo de atribuição de bolsas de estudo pela Família Soares dos Santos para a

Leia mais

Regulamento Municipal de Bolsas de Estudo

Regulamento Municipal de Bolsas de Estudo Regulamento Municipal de Bolsas de Estudo Preâmbulo A educação e formação dos jovens famalicenses são factores essenciais para o desenvolvimento económico e social do concelho e da região onde nos inserimos.

Leia mais

Regulamento de Concessão de Bolsas de Estudo Para o Ensino Superior. Aprovado após deliberação em reunião de Câmara de dia 16 de Dezembro de 2009

Regulamento de Concessão de Bolsas de Estudo Para o Ensino Superior. Aprovado após deliberação em reunião de Câmara de dia 16 de Dezembro de 2009 Regulamento de Concessão de Bolsas de Estudo Para o Ensino Superior Aprovado após deliberação em reunião de Câmara de dia 16 de Dezembro de 2009 Beja, 2009 Artigo 1º Objecto O presente regulamento estabelece

Leia mais

Junta de Freguesia de Avanca

Junta de Freguesia de Avanca Junta de Freguesia de Avanca Cadernos de Encargos Regulamento de Atribuição de Bolsa de Estudo ao Ensino Superior [Novembro de 2011] Preâmbulo A constituição da República Portuguesa no capítulo III, Direito

Leia mais

REGULAMENTO PARA A ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO E.A.S.S.

REGULAMENTO PARA A ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO E.A.S.S. REGULAMENTO PARA A ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO E.A.S.S. Artigo 1.º Objeto e âmbito 1. O presente regulamento define o processo de atribuição de bolsas de estudo pela Família Soares dos Santos para a

Leia mais

REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO

REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO MUNICÍPIO DE ALJEZUR CÂMARA MUNICIPAL REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO Âmbito e objectivos Artigo 1.º 1 - A Câmara Municipal de Aljezur atribui bolsas de estudo aos alunos residentes no

Leia mais

Regulamento para Atribuição de Bolsas de Estudo

Regulamento para Atribuição de Bolsas de Estudo Artigo 1º Objecto O presente regulamento estabelece as normas de atribuição de bolsas de estudo por parte da Câmara Municipal de Vila do Porto a estudantes residentes no concelho, matriculados e inscritos

Leia mais

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO. Preâmbulo

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO. Preâmbulo REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO Preâmbulo Faz parte da missão do grupo Águas de Portugal (Grupo AdP) constituir-se como uma referência no setor do ambiente, de forma a promover a universalidade,

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE GRÂNDOLA REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO PARA O ENSINO SUPERIOR

CÂMARA MUNICIPAL DE GRÂNDOLA REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO PARA O ENSINO SUPERIOR CÂMARA MUNICIPAL DE GRÂNDOLA REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO PARA O ENSINO SUPERIOR Cap. I Disposições Gerais Artigo 1º Objeto O presente regulamento disciplina a atribuição de bolsas de

Leia mais

Universidade Lusófona do Porto Bolsas de Estudo. Regulamento

Universidade Lusófona do Porto Bolsas de Estudo. Regulamento Universidade Lusófona do Porto Bolsas de Estudo Regulamento 1. Requisitos a cumprir para candidatura - Não ser detentor/a de grau académico universitário; - Não beneficiar de outra bolsa de estudo ou vantagem

Leia mais

Rua de Manuel Múrias, 12-5º Esqº Lisboa REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO

Rua de Manuel Múrias, 12-5º Esqº Lisboa REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO FRATERNIDADE ROSACRUZ DE PORTUGAL Rua de Manuel Múrias, 12-5º Esqº rosacruz@mail.telepac.pt 1500-419 Lisboa REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO E DE PRÉMIOS POR MÉRITO ESCOLAR Artigo 1º Âmbito

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO APROVADO 19 de Novembro de 2010 O Presidente, (Paulo Parente) ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO REGULAMENTO DE PROPINAS Artigo 1.º Âmbito de aplicação 1) O presente regulamento aplica-se a todos os

Leia mais

Preâmbulo. 1. É aprovado o Regulamento de Bolsa de Estudos do ISPT. 2. O presente Regulamento entra imediatamente em vigor.

Preâmbulo. 1. É aprovado o Regulamento de Bolsa de Estudos do ISPT. 2. O presente Regulamento entra imediatamente em vigor. Preâmbulo Tornando-se necessário regulamentar o processo de atribuição de Bolsas de Estudos à estudantes matriculados no Instituto Superior Politécnico de Tete (ISPT) e, no uso da competência que lhe é

Leia mais

REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO PARA O ENSINO SUPERIOR A ALUNOS RESIDENTES NO CONCELHO DE S. JOÃO DA MADEIRA

REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO PARA O ENSINO SUPERIOR A ALUNOS RESIDENTES NO CONCELHO DE S. JOÃO DA MADEIRA REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO PARA O ENSINO SUPERIOR A ALUNOS RESIDENTES NO CONCELHO DE S. JOÃO DA MADEIRA Pretende-se, com este regulamento, incentivar e proporcionar condições de frequência

Leia mais

CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE OEIRAS. REGULAMENTO A.T.L. DE SANTO AMARO TELEFONE: / Ano Lectivo 2010/2011

CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE OEIRAS. REGULAMENTO A.T.L. DE SANTO AMARO TELEFONE: / Ano Lectivo 2010/2011 CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE OEIRAS REGULAMENTO A.T.L. DE SANTO AMARO TELEFONE: 21 441 49 54 / 93 596 11 54 Ano Lectivo 2010/2011 cspo@sapo.pt I OBJECTIVOS O trabalho neste Estabelecimento é promovido e

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO. Serviços Académicos. Assunto: TABELA DE PROPINAS, TAXAS E EMOLUMENTOS a vigorar no ano lectivo 2016/2017

ORDEM DE SERVIÇO. Serviços Académicos. Assunto: TABELA DE PROPINAS, TAXAS E EMOLUMENTOS a vigorar no ano lectivo 2016/2017 DE: Direcção PARA: Serviços Académicos DATA: 14-04-2016 N.º: 2016003 Assunto: TABELA DE PROPINAS, TAXAS E EMOLUMENTOS a vigorar no ano lectivo 2016/2017 Por deliberação da Direcção da CEU-Cooperativa de

Leia mais

Município de São Pedro do Sul. Regulamento de Acção Social Escolar 1º Ciclo do Ensino Básico e Transportes Escolares

Município de São Pedro do Sul. Regulamento de Acção Social Escolar 1º Ciclo do Ensino Básico e Transportes Escolares Município de São Pedro do Sul Regulamento de 1º Ciclo do Ensino Básico e Transportes Escolares O presente regulamento tem como objectivo regulamentar e uniformizar procedimentos para a atribuição de auxílios

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE SALVATERRA DE MAGOS. Regulamento para atribuição de bolsas de estudo a alunos do ensino superior. Preâmbulo

CÂMARA MUNICIPAL DE SALVATERRA DE MAGOS. Regulamento para atribuição de bolsas de estudo a alunos do ensino superior. Preâmbulo CÂMARA MUNICIPAL DE SALVATERRA DE MAGOS Regulamento para atribuição de bolsas de estudo a alunos do ensino superior Preâmbulo O desenvolvimento de medidas de carácter social com o intuito de melhorar as

Leia mais

TABELA DE EMOLUMENTOS A PRATICAR NA SECRETARIA DOS SERVIÇOS ACADÉMICOS NO ANO DE 2006

TABELA DE EMOLUMENTOS A PRATICAR NA SECRETARIA DOS SERVIÇOS ACADÉMICOS NO ANO DE 2006 TABELA DE EMOLUMENTOS A PRATICAR NA SECRETARIA DOS SERVIÇOS ACADÉMICOS NO ANO DE 2006 1. CERTIDÕES 1.1 - Certidão de conclusão do Curso (Magistério Primário, Bacharelato, Complemento, Qualificação, "CESE",

Leia mais

REGULAMENTO DA UNIVERSIDADE LUSÍADA NORTE (PORTO)PARA ATRIBUIÇÃO DA BOLSA LUSÍADA PORTO DE CONHECIMENTO

REGULAMENTO DA UNIVERSIDADE LUSÍADA NORTE (PORTO)PARA ATRIBUIÇÃO DA BOLSA LUSÍADA PORTO DE CONHECIMENTO REGULAMENTO DA UNIVERSIDADE LUSÍADA NORTE (PORTO)PARA ATRIBUIÇÃO DA BOLSA LUSÍADA PORTO DE CONHECIMENTO Artigo 1.º Objecto O presente Regulamento prevê as regras para o concurso, apreciação e atribuição

Leia mais

Regulamento Municipal de Atribuição de Bolsas de Estudo. Nota Justificativa

Regulamento Municipal de Atribuição de Bolsas de Estudo. Nota Justificativa Câmara Municipal Serviço de Educação Regulamento Municipal de Atribuição de Bolsas de Estudo Nota Justificativa O Regulamento Municipal para atribuição de Bolsas de Estudo a estudantes residentes no concelho

Leia mais

CAPÍTULO I Disposições Gerais

CAPÍTULO I Disposições Gerais REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO A ESTUDANTES DO ENSINO SUPERIOR Preâmbulo O direito a uma justa e efetiva igualdade de oportunidades no acesso e sucesso escolares, consagrado constitucionalmente,

Leia mais

Despacho nº A/98

Despacho nº A/98 Despacho nº 13766-A/98 (do Gabinete do Secretário de Estado do Ensino Superior, publicado no Diário da República, 2ª. Série, 2º Suplemento, no dia 7 de Agosto de 1998) Despacho nº 13766-A/98 (2ª Série).

Leia mais

MUNICIPIO DE LAGOA Algarve

MUNICIPIO DE LAGOA Algarve Processo de Candidatura a Bolsas de Estudo para alunos do concelho de Lagoa que frequentam cursos do ensino superior Página 1/7 * DOCUMENTAÇÃO A APRESENTAR * 1. Requerimento ao Presidente da Câmara Municipal

Leia mais

LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS FOTOGRAFIA

LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS FOTOGRAFIA LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS FOTOGRAFIA NORMAS REGULAMENTARES Curso do 1.º ciclo de estudos do ensino superior, de cariz universitário, conferente do grau de licenciado, adequado ao Processo de Bolonha,

Leia mais

LICENCIATURA EM CINEMA E AUDIOVISUAL

LICENCIATURA EM CINEMA E AUDIOVISUAL LICENCIATURA EM CINEMA E AUDIOVISUAL NORMAS REGULAMENTARES Curso do 1º ciclo de estudos do ensino superior, de cariz universitário, conferente do grau de licenciado, adequado ao Processo de Bolonha, constante

Leia mais

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO POR MÉRITO

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO POR MÉRITO REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO POR MÉRITO ÍNDICE OBJECTO 3 ÂMBITO 3 CONCEITO 3 COMPETÊNCIAS 4 VALOR DA BOLSA 4 NÚMERO DE BOLSAS A ATRIBUIR 4 DISTRIBUIÇÃO DAS BOLSAS 4 ADMISSÃO 4 CRITÉRIOS

Leia mais

Regulamento Municipal para a Concessão de Bolsas de Estudo a Estudantes do Ensino Superior MUNICIPIO DE FORNOS DE ALGODRES

Regulamento Municipal para a Concessão de Bolsas de Estudo a Estudantes do Ensino Superior MUNICIPIO DE FORNOS DE ALGODRES 2015 Regulamento Municipal para a Concessão de Bolsas de Estudo a Estudantes do Ensino Superior MUNICIPIO DE FORNOS DE ALGODRES Índice Nota Justificativa... 2 Capítulo I Disposições Gerais... 2 Artigo

Leia mais

Regulamento dos regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso no ano lectivo de 2009/2010

Regulamento dos regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso no ano lectivo de 2009/2010 Regulamento dos regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso no ano lectivo de 2009/2010 Nos termos do artigo 10.º do Regulamento dos Regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso

Leia mais

CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE OEIRAS

CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE OEIRAS CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE OEIRAS REGULAMENTO CRECHE O POMBAL ANO LECTIVO 2011/2012 TELEFONE: 21 441 58 25 / 93 596 11 56 cspo@sapo.pt I OBJECTIVOS O trabalho neste Estabelecimento é promovido e realizado

Leia mais

Município do Cartaxo Gabinete Jurídico

Município do Cartaxo Gabinete Jurídico Regulamento Municipal de Atribuição de Bolsas de Estudo Preâmbulo O Município do Cartaxo tem como objectivo primacial a prossecução dos interesses próprios e comuns dos seus munícipes. Neste sentido, é

Leia mais

Regulamento Municipal de Bolsas de Estudo. Pelouro da Juventude

Regulamento Municipal de Bolsas de Estudo. Pelouro da Juventude Regulamento Municipal de Bolsas de Estudo Pelouro da Juventude Aprovado pela Reunião de Câmara do dia 28 de Julho de 2010 e na Reunião da Assembleia Municipal do dia 1 de Outubro de 2010 1 Regulamento

Leia mais

4. Será necessário o preenchimento e envio/entrega de: a. Formulário de candidatura (disponível em

4. Será necessário o preenchimento e envio/entrega de: a. Formulário de candidatura (disponível em EDITAL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO PÓS- GRADUADO EM NUTRIÇÃO CELULAR ATIVA E ORTOMOLECULAR ANO LECTIVO DE 2016/2017 REPUBLICAÇÃO Agostinho Luís da Silva Cruz, Presidente da Escola Superior de Tecnologia da

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO DA CÂMARA MUNICIPAL DE ALJUSTREL NOTA JUSTIFICATIVA

REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO DA CÂMARA MUNICIPAL DE ALJUSTREL NOTA JUSTIFICATIVA REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO DA DE ALJUSTREL NOTA JUSTIFICATIVA O Município de Aljustrel tem como objectivo primacial a prossecução dos interesses próprios e comuns dos seus

Leia mais

LICENCIATURA EM DESIGN DE COMUNICAÇÃO

LICENCIATURA EM DESIGN DE COMUNICAÇÃO LICENCIATURA EM DESIGN DE COMUNICAÇÃO NORMAS REGULAMENTARES Curso do 1º ciclo de estudos do ensino superior, de cariz universitário, conferente do grau de licenciado, adequado ao Processo de Bolonha, constante

Leia mais

1. A Fundação Eugénio de Almeida definirá, anualmente, o montante global de recursos financeiros destinados à concessão de bolsas de estudo.

1. A Fundação Eugénio de Almeida definirá, anualmente, o montante global de recursos financeiros destinados à concessão de bolsas de estudo. REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS de ESTUDO PARA LICENCIATURA (1º CICLO) Aprovado pelo Conselho de Administração da Fundação Eugénio de Almeida em 26 de Setembro de 2008 ARTIGO 1º ÂMBITO E OBJECTO

Leia mais

CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE OEIRAS REGULAMENTO CENTRO DE DIA

CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE OEIRAS REGULAMENTO CENTRO DE DIA CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE OEIRAS REGULAMENTO CENTRO DE DIA Artigo 1º Definição 1. O Centro Social Paroquial de Oeiras com sede na Igreja Matriz de Oeiras, é uma Instituição Particular de Solidariedade

Leia mais

ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO

ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO REGULAMENTO No contexto do mundo actual a educação e a formação escolar são tarefas que competem a toda a sociedade. O presente Regulamento é elaborado ao abrigo do disposto

Leia mais

Regulamento Municipal de Atribuição de Bolsas de Estudo e Outros Apoios aos Alunos do Ensino Superior Preâmbulo

Regulamento Municipal de Atribuição de Bolsas de Estudo e Outros Apoios aos Alunos do Ensino Superior Preâmbulo Regulamento Municipal de Atribuição de Bolsas de Estudo e Outros Apoios aos Alunos do Ensino Superior Preâmbulo Considerando que o direito a uma justa e efectiva igualdade de oportunidades no acesso e

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DA REDE PÚBLICA DO CONCELHO DE ALPIARÇA

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DA REDE PÚBLICA DO CONCELHO DE ALPIARÇA REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DA REDE PÚBLICA DO CONCELHO DE ALPIARÇA O presente documento tem por objecto a regulamentação

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO. Serviços Académicos

ORDEM DE SERVIÇO. Serviços Académicos DE: Conselho de Administração PARA: Serviços Académicos DATA: 31-03-2017 N.º: 2017006 Assunto: TABELA DE PROPINAS, TAXAS E EMOLUMENTOS a vigorar no ano lectivo 2017/2018 Por deliberação do Conselho de

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL PARA A CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO A ESTUDANTES DO ENSINO SUPERIOR

REGULAMENTO MUNICIPAL PARA A CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO A ESTUDANTES DO ENSINO SUPERIOR REGULAMENTO MUNICIPAL PARA A CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO A ESTUDANTES DO ENSINO SUPERIOR Índice Nota Justificativa... 3 Capítulo I Disposições Gerais... 4 Artigo 1º... 4 Objeto... 4 Artigo 2º... 4 Âmbito...

Leia mais

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO DO CEFAD. Preâmbulo:

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO DO CEFAD. Preâmbulo: Preâmbulo: O desenvolvimento das sociedades democráticas exige cada vez mais políticas educativas que promovam uma efectiva igualdade de oportunidades, traduzida na aposta da qualificação para a promoção

Leia mais

EDITAL. Concurso de Acesso e Ingresso no Curso de Pós-Graduação em Enfermagem do Trabalho

EDITAL. Concurso de Acesso e Ingresso no Curso de Pós-Graduação em Enfermagem do Trabalho EDITAL Concurso de Acesso e Ingresso no Curso de Pós-Graduação em Enfermagem do Trabalho A Universidade dos Açores faz saber que está aberto concurso de acesso à Pós-Graduação em Enfermagem do Trabalho,

Leia mais

Regras Técnicas

Regras Técnicas Regras Técnicas 2007-2008 2008 Considerando o regime de atribuição de bolsas de estudo a estudantes do Ensino Superior Público, determino os critérios e procedimentos técnicos a adoptar pelos Serviços

Leia mais

MUNICÍPIO DE VALPAÇOS PREÂMBULO

MUNICÍPIO DE VALPAÇOS PREÂMBULO REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO PREÂMBULO Nos termos do artigo 235.º n.º 2 da Constituição da República Portuguesa, as Autarquias são pessoas colectivas territoriais dotadas de

Leia mais

LICENCIATURA EM TEATRO INTERPRETAÇÃO E ENCENAÇÃO

LICENCIATURA EM TEATRO INTERPRETAÇÃO E ENCENAÇÃO LICENCIATURA EM TEATRO INTERPRETAÇÃO E ENCENAÇÃO NORMAS REGULAMENTARES Curso do do 1º ciclo de estudos do ensino superior, de cariz universitário, conferente do grau de licenciado, adequado ao Processo

Leia mais

Circular nº04/ Incidência da Comparticipação Crianças com idades compreendidas entre os 0 e os 5 anos:

Circular nº04/ Incidência da Comparticipação Crianças com idades compreendidas entre os 0 e os 5 anos: Circular nº04/2012 Assunto: COMPARTICIPAÇÃO DAS DESPESAS DE EDUCAÇÃO PARA O ANO LECTIVO DE 2012/2013 (Creches, Infantários, Componente de Apoio à Família e Actividades de Tempos Livres) Caro Associado:

Leia mais

(Preâmbulo) CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artigo 1.º (Objeto e âmbito)

(Preâmbulo) CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artigo 1.º (Objeto e âmbito) (Preâmbulo) Conforme disposto no Decreto-Lei nº 113/2014 de 16 de julho, aprova-se o Regulamento dos Concursos Especiais de Acesso e Ingresso no Ensino Superior a aplicar no Instituto Superior de Ciências

Leia mais

REGULAMENTO PARA PAGAMENTO DE EMOLUMENTOS, TAXAS E PROPINAS

REGULAMENTO PARA PAGAMENTO DE EMOLUMENTOS, TAXAS E PROPINAS Ano 2011/2012 Data 16/06/2011 Página 1 de 4 REGULAMENTO PARA PAGAMENTO DE EMOLUMENTOS, TAXAS E PROPINAS Elaborado: Conselho de Direcção Aprovado: Conselho de Direcção Este regulamento esclarece e contextualiza

Leia mais

MUNICÍPIO DE AMARES. Regulamento de Concessão de Bolsas de Estudo para os Cursos do Ensino Médio e Superior

MUNICÍPIO DE AMARES. Regulamento de Concessão de Bolsas de Estudo para os Cursos do Ensino Médio e Superior MUNICÍPIO DE AMARES Regulamento de Concessão de Bolsas de Estudo para os Cursos do Ensino Médio e Superior A educação é, no contexto do mundo actual, uma tarefa que cabe a toda a sociedade. Neste sentido,

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO DO ESTUDANTE INTERNACIONAL NO ISMT

REGULAMENTO DO CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO DO ESTUDANTE INTERNACIONAL NO ISMT REGULAMENTO DO CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO DO ESTUDANTE INTERNACIONAL NO ISMT Em conformidade com o Decreto-Lei nº 36/2014, de 10 de março, que regula o Estatuto do Estudante Internacional,

Leia mais

BOLSAS DE ESTUDO E SÉNIOR

BOLSAS DE ESTUDO E SÉNIOR BOLSAS DE ESTUDO E SÉNIOR REGULAMENTO REGULAMENTO PARA AS BOLSAS DE ESTUDO E DAS BOLSAS SENIORES O Conselho de Administração do Cofre de Previdência, deliberou em 14 de Maio de 2013, (acta nº14/13) a atribuição

Leia mais

Instituto Politécnico de Bragança Regulamento dos concursos especiais de acesso e ingresso no ciclo de estudos conducente ao grau de licenciado

Instituto Politécnico de Bragança Regulamento dos concursos especiais de acesso e ingresso no ciclo de estudos conducente ao grau de licenciado Instituto Politécnico de Bragança Regulamento dos concursos especiais de acesso e ingresso no ciclo de estudos conducente ao grau de licenciado Artigo 1.º Objecto e âmbito O presente regulamento estabelece

Leia mais

(Preâmbulo) Artigo 1.º Objecto e âmbito

(Preâmbulo) Artigo 1.º Objecto e âmbito Instituto Politécnico de Bragança Regulamento dos regimes de mudança de curso, transferência e de reingresso no ciclo de estudos conducente ao grau de licenciado (Preâmbulo) A legislação decorrente da

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO DE BOLSAS DE ESTUDO REGULAMENTO DE BOLSAS DE ESTUDO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO DE BOLSAS DE ESTUDO REGULAMENTO DE BOLSAS DE ESTUDO REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE ----------- MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO DE BOLSAS DE ESTUDO REGULAMENTO DE BOLSAS DE ESTUDO Maputo, 2010 1 ÍNDICE CAPÍTULO I Disposições Gerais 3 CAPÍTULO II Bolsas de Estudo

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO DO ESTUDANTE INTERNACIONAL NA ESCOLA SUPERIOR ARTÍSTICA DO PORTO (ESAP)

REGULAMENTO DO CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO DO ESTUDANTE INTERNACIONAL NA ESCOLA SUPERIOR ARTÍSTICA DO PORTO (ESAP) REGULAMENTO DO CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO DO ESTUDANTE INTERNACIONAL NA ESCOLA SUPERIOR ARTÍSTICA DO PORTO (ESAP) Artigo 1º Objeto O presente regulamento disciplina o concurso especial de acesso

Leia mais

Despacho Nº 18/2016. Assunto: Normas orientadoras relativas à inscrição, pagamento de propinas, taxas e emolumentos na FCSH/NOVA.

Despacho Nº 18/2016. Assunto: Normas orientadoras relativas à inscrição, pagamento de propinas, taxas e emolumentos na FCSH/NOVA. Despacho Nº 18/2016 Assunto: Normas orientadoras relativas à inscrição, pagamento de propinas, taxas e emolumentos na FCSH/NOVA Por proposta do Subdiretor para os Estudantes, Prof. Doutor João Soeiro de

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE PENAFIEL REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO. Nota Justificativa

CÂMARA MUNICIPAL DE PENAFIEL REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO. Nota Justificativa REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO Nota Justificativa A Câmara Municipal de Penafiel está ciente do papel fundamental que a educação desempenha no desenvolvimento de uma comunidade,

Leia mais

Serviço de Educação e Bolsas REGULAMENTO DE BOLSAS PARA INVESTIGAÇÃO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artº 1º

Serviço de Educação e Bolsas REGULAMENTO DE BOLSAS PARA INVESTIGAÇÃO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artº 1º Serviço de Educação e Bolsas REGULAMENTO DE BOLSAS PARA INVESTIGAÇÃO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artº 1º 1. Com o fim principal de estimular a investigação nos vários ramos do saber, a Fundação Calouste

Leia mais

Regulamento Financeiro

Regulamento Financeiro Regulamento Financeiro 01/10/2014 Conteúdo Enquadramento... 3 1 Cursos de estudos superiores profissionalizantes-cesp... 3 1.1 Matrícula... 3 1.2 Propina... 3 1.3 Seguro Escolar... 4 1.4 Penalizações...

Leia mais

REGULAMENTO DO SUBSÍDIO AO ARRENDAMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SANTO TIRSO

REGULAMENTO DO SUBSÍDIO AO ARRENDAMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SANTO TIRSO REGULAMENTO DO SUBSÍDIO AO ARRENDAMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SANTO TIRSO Artigo 1.º (Âmbito) 1 O presente regulamento regula a concessão de subsídio ao arrendamento pelo município de Santo Tirso. 2 Podem

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE HOTELARIA E TURISMO DO ESTORIL. Regulamento do Pagamento de Propinas de CET

ESCOLA SUPERIOR DE HOTELARIA E TURISMO DO ESTORIL. Regulamento do Pagamento de Propinas de CET ESCOLA SUPERIOR DE HOTELARIA E TURISMO DO ESTORIL Regulamento do Pagamento de Propinas de CET Nos termos previstos nos artigos 15º e 16º da Lei n.º 37/2003, de 22 de Agosto (Lei que define as bases do

Leia mais

Preçário Ano Letivo 2015/16

Preçário Ano Letivo 2015/16 Preçário Ano Letivo 2015/16 CTeSP Inscrição na Prova de Maiores de 23 Anos * 80 Inscrição na prova de Avaliação de Conhecimentos para candidatos que não possuam 12º ano 100 Candidatura 1ª Fase 150 Candidatura

Leia mais

REGULAMENTO N.º 3/2015

REGULAMENTO N.º 3/2015 REGULAMENTO N.º 3/2015 REGULAMENTO DAS PROVAS ESPECIALMENTE ADEQUADAS DESTINADAS A AVALIAR A CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS NA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DA SAÚDE

Leia mais

CANDIDATURA A BOLSA DE ESTUDO

CANDIDATURA A BOLSA DE ESTUDO Ex. mo Sr. Presidente da Câmara Municipal de Proença-a-Nova I - IDENTIFICAÇÃO E RESIDÊNCIA BI/Cartão do Cidadão NIF E-mail Data de Nascimento NIB Estado Civil Naturalidade Sexo Filiação do Cônjuge (Se

Leia mais

Universidade Portucalense Infante D. Henrique

Universidade Portucalense Infante D. Henrique Universidade Portucalense Infante D. Henrique Bolsas de Estudo Regulamento 1. Requisitos a cumprir para candidatura a) Não ser detentor de grau académico universitário; b) Não beneficiar de outra bolsa

Leia mais

Termos e Condições de atribuição de Bolsas de Estudo para o Ensino Superior. Universidade Portucalense Infante D. Henrique

Termos e Condições de atribuição de Bolsas de Estudo para o Ensino Superior. Universidade Portucalense Infante D. Henrique Termos e Condições de atribuição de Bolsas de Estudo para o Ensino Superior Universidade Portucalense Infante D. Henrique 1. Requisitos a cumprir para candidatura a) Não ser detentor de grau académico

Leia mais

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO AOS MELHORES CALOIROS DA UNIVERSIDADE DE AVEIRO

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO AOS MELHORES CALOIROS DA UNIVERSIDADE DE AVEIRO PROPOSTA DE ALTERAÇÃO AO REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO AOS MELHORES CALOIROS DA UNIVERSIDADE DE AVEIRO O Regulamento de Atribuição de Bolsas de Estudo aos Melhores Caloiros da Universidade

Leia mais

REGULAMENTO DE PAGAMENTO DE PROPINAS DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE TOMAR

REGULAMENTO DE PAGAMENTO DE PROPINAS DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE TOMAR REGULAMENTO DE PAGAMENTO DE PROPINAS DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE TOMAR Artigo 1º Obrigação de pagamento de propina 1. Nos termos da Lei da Lei de Bases do Financiamento do Ensino Superior Público (Lei

Leia mais

Regulamento de Mobilidade Internacional de Estudantes do Instituto de Estudos Políticos. I. Disposições Gerais. Artigo 1º.

Regulamento de Mobilidade Internacional de Estudantes do Instituto de Estudos Políticos. I. Disposições Gerais. Artigo 1º. Regulamento de Mobilidade Internacional de Estudantes do Instituto de Estudos Políticos I. Disposições Gerais Artigo 1º (Objecto) 1. O presente Regulamento rege a mobilidade internacional de estudantes

Leia mais

REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE SUBSÍDIO AO ARRENDAMENTO A ESTRATOS SOCIAIS DESFAVORECIDOS PREÂMBULO

REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE SUBSÍDIO AO ARRENDAMENTO A ESTRATOS SOCIAIS DESFAVORECIDOS PREÂMBULO REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE SUBSÍDIO AO ARRENDAMENTO A ESTRATOS SOCIAIS DESFAVORECIDOS PREÂMBULO O presente regulamento municipal constitui um dos instrumentos que permitirá materializar a intenção

Leia mais

A música mais perto METROPOLITANA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DA METROPOLITANA

A música mais perto METROPOLITANA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DA METROPOLITANA METROPOLITANA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DA METROPOLITANA A música mais perto A Metropolitana é uma instituição cultural e pedagógica, sem fins lucrativos, constituída em Março de 1992 para promover e ensinar

Leia mais

JUNTA DE FREGUESIA DE PROENÇA-A-VELHA

JUNTA DE FREGUESIA DE PROENÇA-A-VELHA + MI/ JUNTA DE FREGUESIA DE PROENÇA-A-VELHA REULA ENTO DE ATRIBU ÇÃO DE APO O AOS JOVENS EM IDADE SCOLAR NA FREGUESIA DE PROENÇA-A-VELHA DEZEMBRO DE 2013 fl REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIO ESCOLAR NA

Leia mais

DESPACHO N.º D/97

DESPACHO N.º D/97 DESPACHO N.º 10324-D/97 Despacho nº 10324-D/97 (2ª Série). - No quadro do objectivo, estabelecido pelo Programa do Governo, de reforçar a acção social escolar, foram aprovados, no passado mês de Abril,

Leia mais

1. A bolsa de Estudo é um apoio social directo aos Associados, estudantes, filhos, adoptados e netos financeiramente carenciados.

1. A bolsa de Estudo é um apoio social directo aos Associados, estudantes, filhos, adoptados e netos financeiramente carenciados. BOLSAS DE ESTUDO E SÉNIOR REGULAMENTO REGULAMENTO PARA AS BOLSAS DE ESTUDO E DAS BOLSAS SENIORES O Conselho de Administração do Cofre de Previdência, deliberou em 14 de Maio de 2013, (acta nº14/13) a atribuição

Leia mais

Regulamento dos Regimes de Reingresso, Mudança de Curso e Transferência

Regulamento dos Regimes de Reingresso, Mudança de Curso e Transferência Regulamento dos Regimes de Reingresso, Mudança de Curso e Transferência A Portaria n 401/2007, de 5 de Abril, aprova o Regulamento dos Regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso no Ensino

Leia mais

Regulamento do Concurso de Acesso e Ingresso nos Cursos Ministrados pelo ISAVE

Regulamento do Concurso de Acesso e Ingresso nos Cursos Ministrados pelo ISAVE Regulamento do Concurso de Acesso e Ingresso nos Cursos Ministrados pelo Instituto Superior de Saúde do Alto Ave CAPÍTULO I Candidatura Artigo 1º Condições de candidatura aos cursos do 1. Para realizar

Leia mais

REGULAMENTO DE BOLSA DE MÉRITO ESPECIAL (ANO LECTIVO 2016/2017)

REGULAMENTO DE BOLSA DE MÉRITO ESPECIAL (ANO LECTIVO 2016/2017) Artigo 1.º Objectivos O presente Regulamento define as regras de atribuição de bolsas de mérito especial que visam incentivar e apoiar os estudantes, com melhor classificação escolar, que pretendem frequentar

Leia mais

CIRCULAR INFORMATIVA

CIRCULAR INFORMATIVA CIRCULAR INFORMATIVA Nº. 22 Data: 2015/05/12 Para conhecimento de: Pessoal docente, discente e não docente ASSUNTO: - Regulamento das Provas Especialmente Adequadas a Avaliar a Capacidade para a Frequência

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE BELMONTE REGULAMENTO. Subsídio "Apoio ao Estudante"

CÂMARA MUNICIPAL DE BELMONTE REGULAMENTO. Subsídio Apoio ao Estudante CÂMARA MUNICIPAL DE BELMONTE REGULAMENTO Subsídio "Apoio ao Estudante" A educação é a forma mais simples de transformar uma sociedade. Uma população mais culta permite acolher novas ideias de futuro e

Leia mais

C/CONHECIMENTO A: REMETIDO A:

C/CONHECIMENTO A: REMETIDO A: DATA: NÚMERO: C/CONHECIMENTO A: REMETIDO A: SG Secretaria-Geral do Ministério da Educação... GGF Gabinete de Gestão Financeira... DGIDC Direcção-Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular... DGRHE

Leia mais

REGULAMENTO DE ACESSO E INGRESSO

REGULAMENTO DE ACESSO E INGRESSO REGULAMENTO DE ACESSO E INGRESSO Artigo 1.º Âmbito O presente Regulamento destina-se a regular o acesso e ingresso nos cursos da Escola Superior Artística de Guimarães, adiante designada por ESAG. Artigo

Leia mais

Nome/Designação... Bilhete de identidade ou Cartão de Cidadão nº... emitido em.../.../...

Nome/Designação... Bilhete de identidade ou Cartão de Cidadão nº... emitido em.../.../... Exmo. Senhor Presidente da Câmara Municipal de S. João da Madeira Genérico nº. /. Entrada n.º... Data:.. /... /... O Funcionário:... Assunto: BOLETIM DE CANDIDATURA A BOLSA DE ESTUDO 1. IDENTIFICAÇÃO Nome/Designação...

Leia mais

MUNICIPIO DE VILA DO BISPO REGULAMENTO DE ATRIBIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO E BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO

MUNICIPIO DE VILA DO BISPO REGULAMENTO DE ATRIBIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO E BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO MUNICIPIO DE VILA DO BISPO REGULAMENTO DE ATRIBIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO E BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO Preâmbulo É atribuição das Autarquias locais deliberar em matéria de acção social, designadamente no que

Leia mais

REGULAMENTO DE BOLSAS DE ESTUDO EM PORTUGAL PARA LICENCIATURA E MESTRADO INTEGRADO DESTINADAS A ESTUDANTES AFRICANOS DE LÍNGUA PORTUGUESA

REGULAMENTO DE BOLSAS DE ESTUDO EM PORTUGAL PARA LICENCIATURA E MESTRADO INTEGRADO DESTINADAS A ESTUDANTES AFRICANOS DE LÍNGUA PORTUGUESA REGULAMENTO DE BOLSAS DE ESTUDO EM PORTUGAL PARA LICENCIATURA E MESTRADO INTEGRADO DESTINADAS A ESTUDANTES AFRICANOS DE LÍNGUA PORTUGUESA 2017 CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artº. 1º. 1. A Fundação Calouste

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO

REGULAMENTO DO PROGRAMA MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO REGULAMENTO DO PROGRAMA MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO PREÂMBULO No intuito de dar coerência às politicas sociais desenvolvidas no Concelho de S. Pedro do Sul, a Câmara Municipal de S. Pedro

Leia mais

Processo de Candidatura ao Concurso Público Local para atribuição de fogos municipais de Habitação Social

Processo de Candidatura ao Concurso Público Local para atribuição de fogos municipais de Habitação Social Processo de Candidatura ao Concurso Público Local para atribuição de fogos municipais de Habitação Social Quatro Fogos de Habitação Unifamiliar, sitos na Vila e Freguesia de Vila Nova de Paiva, em regime

Leia mais

UNIVERSIDADE DOS AÇORES REITORIA

UNIVERSIDADE DOS AÇORES REITORIA Edital N.º 26/2017 Concurso de Acesso e Ingresso no mestrado em Gestão de Turismo Internacional A Universidade dos Açores faz saber que está aberto concurso de acesso ao mestrado em Gestão de Turismo Internacional,

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA A BOLSAS DE QUALIFICAÇÃO E ESPECIALIZAÇÃO ARTÍSTICA 2017

REGULAMENTO DO PROGRAMA A BOLSAS DE QUALIFICAÇÃO E ESPECIALIZAÇÃO ARTÍSTICA 2017 REGULAMENTO DO PROGRAMA A BOLSAS DE QUALIFICAÇÃO E ESPECIALIZAÇÃO ARTÍSTICA 2017 Preâmbulo O departamento de Acão Cultural da Fundação GDA, através do programa de Apoio a Bolsas de Qualificação e Especialização

Leia mais

UNIVERSIDADE DOS AÇORES REITORIA

UNIVERSIDADE DOS AÇORES REITORIA Edital N.º 20/2017 Concurso de Acesso e Ingresso na Pós-Graduação em E-Learning A Universidade dos Açores faz saber que está aberto concurso de acesso à Pós-Graduação em E-Learning, que funcionará totalmente

Leia mais

REGULAMENTO DAS BOLSAS DE ESTUDO INTERNAS

REGULAMENTO DAS BOLSAS DE ESTUDO INTERNAS ~ REPÚBLICA DE ANGOLA SECRETARIA DE ESTADO PARA O ENSINO SUPERIOR REGULAMENTO DAS BOLSAS DE ESTUDO INTERNAS LUANDA,DEZEMBRO/2007 REGULAMENTO DAS BOLSAS DE ESTUDO INTERNAS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

Leia mais

REGULAMENTO DA COMPONENTE SÓCIO-EDUCATIVA DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

REGULAMENTO DA COMPONENTE SÓCIO-EDUCATIVA DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR ARTIGO 1º Objecto 1- O presente regulamento tem por objecto definir o funcionamento dos serviços da componente de apoio à família, no âmbito de: a) Fornecimento de almoço b) Prolongamento de horário 2-

Leia mais

REGULAMENTO DAS PROVAS E CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO DOS MAIORES DE 23 ANOS

REGULAMENTO DAS PROVAS E CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO DOS MAIORES DE 23 ANOS PROVAS E CONCURSO ESPECIAL DE I Âmbito e disposições gerais 1. O presente regulamento estabelece as normas para a realização das provas especialmente adequadas à avaliação da capacidade para a frequência

Leia mais

CIRCULAR INFORMATIVA

CIRCULAR INFORMATIVA CIRCULAR INFORMATIVA Nº. 17 Data: 2013/03/26 Para conhecimento de: Pessoal docente, discente e não docente ASSUNTO: - Regulamento das Provas Especialmente Adequadas a Avaliar a Capacidade para a Frequência

Leia mais

REGULAMENTO DOS CONCURSOS ESPECIAIS DE ACESSO E DE INGRESSO NO ENSINO SUPERIOR NA ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE PAULA FRASSINETTI

REGULAMENTO DOS CONCURSOS ESPECIAIS DE ACESSO E DE INGRESSO NO ENSINO SUPERIOR NA ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE PAULA FRASSINETTI REGULAMENTO DOS CONCURSOS ESPECIAIS DE ACESSO E DE INGRESSO NO ENSINO SUPERIOR NA ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE PAULA FRASSINETTI CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1.º Objeto O presente regulamento

Leia mais

Regulamento de Estágios para o Primeiro e Segundo Ciclo Cursos de Ciência Política e Relações Internacionais 2009 / 2010

Regulamento de Estágios para o Primeiro e Segundo Ciclo Cursos de Ciência Política e Relações Internacionais 2009 / 2010 Regulamento de Estágios para o Primeiro e Segundo Ciclo Cursos de Ciência Política e Relações Internacionais 2009 / 2010 Âmbito O presente Regulamento de Estágios é válido para os alunos dos Cursos de

Leia mais