IMPACTOS DA NORMA DE DESEMPENHO NA INDÚSTRIA DE MATERIAIS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "IMPACTOS DA NORMA DE DESEMPENHO NA INDÚSTRIA DE MATERIAIS"

Transcrição

1 I WORKSHOP DE DESEMPENHO MINASCON /agosto/2014 IMPACTOS DA NORMA DE DESEMPENHO NA INDÚSTRIA DE MATERIAIS Laura Marcellini Diretora Técnica ABRAMAT

2 IMPACTOS DA NORMA DE DESEMPENHO NA INDÚSTRIA DE MATERIAIS 1. ENQUETE SOBRE IMPACTOS DA NORMA NA INDÚSTRIA realizada pela ABRAMAT com suas associadas em Fevereiro/ EXEMPLOS DE AÇÕES DA INDÚSTRIA ESQUADRIAS, DRYWALL 3. APLICAÇÃO DA NORMA NO PMCMV contribuição da indústria de materiais

3 Associadas ABRAMAT

4 Enquete realizada com associados ABRAMAT em Fevereiro/2014 IMPACTO OU OPORTUNIDADE NOVOS ENSAIOS COMPORTAMENTO EM USO, CONTRIBUIÇÃO NO DESEMPENHO DA EDIFICAÇÃO RELEVÂNCIA ALTA COMENTÁRIOS Escassez de laboratórios acreditados pelo INMETRO p/ atender demanda gerada pela norma de desempenho. Prazos longos de espera, custos elevados - principalmente ensaios de segurança ao fogo; - alguns casos demora em ensaios de acústica. => Ações de entidades setoriais para viabilizar os principais ensaios e publicar dados

5 Enquete realizada com associados ABRAMAT em Fevereiro/2014 IMPACTO OU OPORTUNIDADE DESENVOLVIMENTO DE PARÂMETROS PARA ESTIMAR VIDA ÚTIL RELEVÂNCIA ALTA ou MÉDIA COMENTÁRIOS Não existem ainda métodos precisos (só estimativas) exigindo desenvolvimento de ensaios de simulação acelerada de condições de uso e exposição, principalmente para elementos e sistemas formados por diferentes componentes e diferentes materiais; Em diversos casos (plásticos / louças / drywall) existem parâmetros nas normas dos produtos, e são avaliados pelos PSQs.

6 Enquete realizada com associados ABRAMAT em Fevereiro/2014 IMPACTO OU OPORTUNIDADE RELEVÂNCIA COMENTÁRIOS INVESTIMENTO EM NOVOS TESTES NO PROCESSO DE PRODUÇÃO DENTRO DA EMPRESA BAIXA Diversas empresas investindo em melhorias dos ensaios que já realizam; Maioria dos segmentos já tem testes suficientes na produção.

7 Enquete realizada com associados ABRAMAT em Fevereiro/2014 IMPACTO OU OPORTUNIDADE DESENVOLVIMENTO DE NOVOS PRODUTOS OU MELHORIAS NOS ATUAIS PARA ATENDER NORMA DE DESEMPENHO RELEVÂNCIA ALTA COMENTÁRIOS - Viabilização de alguns produtos inovadores que não eram competitivos, devido à preferência do mercado por outros de menor valor e desempenho inferior; - Novos sistemas construtivos voltados ao desempenho também estão agregando produtividade, organização de canteiro e segurança nas obras.

8 Enquete realizada com associados ABRAMAT em Fevereiro/2014 IMPACTO OU OPORTUNIDADE DEMANDA POR ITENS EXISTENTES NO PORTFÓLIO ANTES NÃO DEMANDADOS RELEVÂNCIA COMENTÁRIOS MÉDIA Em diversos casos vai ocorrer aumento de demanda por itens que já estavam disponíveis (de maior valor agregado e melhor desempenho vida útil, redução de ruídos, aumento de segurança,...) Também se espera uma redução da não conformidade técnica no mercado.

9 Enquete realizada com associados ABRAMAT em Fevereiro/2014 IMPACTO RELEVÂNCIA COMENTÁRIOS MUDANÇA NA COMUNICAÇÃO MÉDIA - Mudanças geradas principalmente pela necessidade de informar ao mercado sobre instalação, uso adequado e manutenções (substituições de componentes) para atingimento da vida útil; - Diversas entidades setoriais, gerentes dos PSQs estão desenvolvendo manuais gerais por segmento (Associação Drywall, AFEAL, AFEAÇO, ASFAMAS, etc); - Indústrias estão produzindo manuais específicos e também melhorias até nas embalagens de produtos.

10 Enquete realizada com associados ABRAMAT em Fevereiro/2014 Destaques: Carência de laboratórios acreditados no Brasil para atender demanda das indústrias na realização dos novos ensaios requeridos muito poucos para alguns tipos de ensaios (segurança ao fogo) => atraso na disponibilização de informação/resultados e aumento de custos. Dificuldades em estabelecer relação entre o desempenho sistêmico da edificação e o de um produto/componente => necessidade de avanço em pesquisa (Universidade-empresa).

11 Enquete realizada com associados ABRAMAT em Fevereiro/2014 Destaques (cont.): Normas de produtos já foram ou estão sendo revisadas pelos setores que integram os PSQs /PBQP-H para ter enfoque em Desempenho Exemplos esquadrias, drywall (a seguir) Investimentos adicionais das indústrias: ensaios em laboratórios externos e internos, P&D, capacitação de equipes, distribuidores e da mão-de-obra que aplica os produtos

12 Contribuições da NBR Instrumentalização do Código de Defesa do Consumidor Rastreabilidade disciplina relações entre os elos da cadeia produtiva Redução da concorrência predatória e da não conformidade (produtos nacionais e importados) Instrumento de diferenciação de produtos e das marcas

13 Exemplos da indústria de materiais - ESQUADRIAS EVOLUÇÃO DAS NORMAS DE PRODUTOS Atual: ABNT NBR :2011 Esquadrias externas para edificações Parte 1: Terminologia ABNT NBR :2011 Esquadrias externas para edificações Parte 2: Requisitos e classificação ABNT NBR :2011 Esquadrias externas para edificações Parte 3: Métodos de ensaio Desde Fevereiro de 2011: mais 2 partes pela ABNT/CEE-191 Comissão de Estudo Especial de Esquadrias encaminhamento para ABNT para Consulta Nacional em Agosto/2014, provável publicação até Dezembro/2014: ABNT NBR :2014 Esquadrias externas para edificações Parte 4: Requisitos adicionais de desempenho; ABNT NBR :2014 Esquadrias externas para edificações Parte 5: Instalação e manutenção.

14 Exemplos da indústria de materiais - ESQUADRIAS Durante o mesmo período (FEV/11 a AGO/14): a Comissão de estudos ABNT/CEE-191 recebeu dos laboratórios de ensaios credenciados no PSQ de Esquadrias de Aço, a informação que as Partes 2 e 3 publicadas em 2011 necessitavam de novos ajustes para melhorar sua interpretação nos requisitos de classificação e desempenho, e nas metodologias de ensaios. A CEE-191 trabalhou paralelamente as cinco partes da norma, e verificou também a necessidade de criar mais 2 partes. Então, o projeto de revisão da NBR 10821:2014 passará a conter 07 partes, denominadas conforme a seguir

15 Exemplos da indústria de materiais - ESQUADRIAS ABNT NBR 10821:2014 Esquadrias para edificações Parte 1 Esquadrias externas e internas Terminologia; ABNT NBR 10821:2014 Esquadrias para edificações Parte 2 Esquadrias externas Requisitos e Classificação; Nesta parte são cobertos estanqueidade (ar e água), resistência e funcionamento (Rajadas de ventos e operações de manuseio), durabilidade (resistência a corrosão). ABNT NBR 10821:2014 Esquadrias para edificações Parte 3 Esquadrias externas e internas Métodos de ensaio; ABNT NBR 10821:2014 Esquadrias para edificações Parte 4 Esquadrias externas Requisitos adicionais de desempenho; Nesta parte são cobertos acústica, conforto térmico e ventilação.

16 Exemplos da indústria de materiais - ESQUADRIAS ABNT NBR 10821:2014 Esquadrias para edificações Parte 5 Esquadrias externas Instalação e manutenção. informações necessárias para elaboração de um manual de instalação e manutenção de uma esquadria externa: Recebimento, Armazenamento, Preparação do Vão e da Esquadria, Instalação e Fixação no Vão, Limpeza e Pintura de Acabamento, Limpeza da esquadria, Lubrificação e Repintura. ABNT NBR 10821:2015 Esquadrias para edificações Parte 6 Esquadrias internas Requisitos e classificação, métodos de ensaios, instalação e manutenção; Nesta parte são cobertos resistência e funcionamento (Rajadas de ventos e operações de manuseio), durabilidade (resistência a corrosão), os métodos de ensaios e toda instalação e manutenção (semelhante a parte 5). ABNT NBR 10821:2015 Esquadrias para edificações Parte 7 Esquadrias externas e internas Critérios para o atendimento à Vida Útil de Projeto.

17 Exemplos indústria de materiais - DRYWALL Partes da Norma de Desempenho que estão relacionadas ao sistema Drywall

18 Exemplos indústria de materiais - DRYWALL Conjunto de Normas Técnicas do Drywall Especificação Data Descrição ABNT NBR : /09/09 Sistemas construtivos em chapas de gesso para drywall - Projeto e procedimentos executivos para montagem.parte 1: Requisitos para sistemas usados como paredes Normas do Sistema alinhadas com NBR ABNT NBR : 2009 ABNT NBR : 2009 ABNT NBR : /09/09 Sistemas construtivos em chapas de gesso para drywall - Projeto e procedimentos executivos para montagem. Parte 2: Requisitos para sistemas usados como forros 04/09/09 Sistemas construtivos em chapas de gesso para drywall - Projeto e procedimentos executivos para montagem. Parte 3: Requisitos para sistemas usados como revestimentos 07/04/10 Chapas de gesso para drywall - Requisitos ABNT NBR : /04/10 Chapas de gesso para drywall - Métodos de ensino ABNT NBR : /03/09 Perfis de aço para sistemas construtivos em chapas de gesso para drywall - Requisitos e métodos de ensaio 18

19 Exemplos indústria de materiais - DRYWALL Exigência - NBR a) Segurança Desempenho estrutural Segurança contra incêndio Segurança no uso e operação b) Habitabilidade Estanqueidade Desempenho térmico Desempenho acústico Desempenho lumínico Saúde e higiene Funcionalidade e acessibilidade Conforto tátil Qualidade do ar Empreendimentos: Devem atender desde 19 de julho de 2013 c) Sustentabilidade Durabilidade Manutenabilidade Adequação ambiental 19

20 Exemplos indústria de materiais - DRYWALL Requisitos da NBR parte 4 Ações cargas Suspensas Impacto de corpo mole Impacto de corpo duro Impactos causados pelas batidas de portas. Ações transmitidas por impactos nas portas. Segurança contra incêndio Estanqueidade Isolamento Acústico Entre Janeiro de 2013 a agosto de 2014 todos os ensaios foram refeitos, e ainda em este ano será lançada uma cartilha com todas as confirmações de atendimento.

21 Exemplos indústria de materiais - DRYWALL Publicação gratuita

22 Detalhe publicação DRYWALL Pagina 11

23 Detalhe publicação DRYWALL Utilizações Tipologia Mecânica Acústica Fogo

24 04/09/2014 -Evento com 2 palestras BH

25 DRYWALL - Introdução à técnica de projeto Parte 1 Apresentação do Sistema Parte 2 Atendimento à Norma de Desempenho NBR Parte 3 Especificação e Quantitativo Parte 4 Recebimento de materiais, acompanhamento e aceite de serviços Curso de 8 horas dia 16/09/2014 em BH (15 vagas) Inscrições pelo Site

26 Aplicação da Norma de Desempenho no PMCMV Projeto para Avaliação de Desempenho de subsistemas tradicionais (coordenação Secretaria Nacional da Habitação Ministério das Cidades CTECH/PBQP-H) Contribuição das entidades da indústria no GT Caracterização de subsistemas

27 Aplicação da Norma de Desempenho no PMCMV Projeto para Avaliação de Desempenho de subsistemas tradicionais (coordenação Secretaria Nacional da Habitação Ministério das Cidades CTECH/PBQP-H) Contribuição das entidades da indústria no GT de caracterização de subsistemas

28 ABRAMAT Av. Paulista, 1159 Conj. 212/213 Cerqueira César São Paulo SP Fone/ fax: (11)

Impactos da Norma para as indústrias de materiais de construção

Impactos da Norma para as indústrias de materiais de construção Impactos da Norma para as indústrias de materiais de construção Walter Cover Presidente Executivo da ABRAMAT Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção ABRAMAT Novas incumbências para

Leia mais

Lacunas de conhecimento tecnológico para o desempenho de edificações residenciais Luis Carlos Bonin

Lacunas de conhecimento tecnológico para o desempenho de edificações residenciais Luis Carlos Bonin 18/junho/2015 Caesar Business Faria Lima São Paulo, SP Lacunas de conhecimento tecnológico para o desempenho de edificações residenciais Luis Carlos Bonin Esta apresentação mostra os resultados de um trabalho

Leia mais

Normas Ensaios e Verificações de Desempenho de Esquadrias. Enga. Michele Gleice ITEC Instituto Tecnológico da Construção Civil

Normas Ensaios e Verificações de Desempenho de Esquadrias. Enga. Michele Gleice ITEC Instituto Tecnológico da Construção Civil Normas Ensaios e Verificações de Desempenho de Esquadrias Enga. Michele Gleice ITEC Instituto Tecnológico da Construção Civil NBR 15575 Edificações Habitacionais 2000 2013 2008 ABNT NBR 15575-4 NBR 15575:2013

Leia mais

ASPECTOS DE DESEMPENHO DOS SISTEMAS DE REVESTIMENTOS DE FACHADAS. Enga. Célia Maria Martins Neves DESEMPENHO

ASPECTOS DE DESEMPENHO DOS SISTEMAS DE REVESTIMENTOS DE FACHADAS. Enga. Célia Maria Martins Neves DESEMPENHO ASPECTOS DE DESEMPENHO DOS SISTEMAS DE REVESTIMENTOS DE FACHADAS Enga. Célia Maria Martins Neves cneves@superig.com.br DESEMPENHO 1 70 80 90 materiais tradicionais mdo treinada no canteiro desafios localizados

Leia mais

ÍNDICE FUNDAMENTAÇÃO 3 3. INFORMAÇÕES 3 4. DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA E 4 5. GRÁFICO DE INFORMAÇÕES

ÍNDICE FUNDAMENTAÇÃO 3 3. INFORMAÇÕES 3 4. DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA E 4 5. GRÁFICO DE INFORMAÇÕES ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... Pág. 3 2. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL... Pág. 3 3. INFORMAÇÕES TÉCNICAS... Pág. 3 4. DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA E COMPROBATÓRIA... Pág. 4 5. GRÁFICO DE ISOPLETAS... Pág.5 6. CONCLUSÃO... Pág.5

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO PALESTRANTE

APRESENTAÇÃO DO PALESTRANTE APRESENTAÇÃO DO PALESTRANTE MINICURRÍCULO Engenheira Civil, UEFS (2006) Especialista em Engenharia da Qualidade, UFBA (2007) Mestranda em Gestão e Tecnologia Industrial GETEC, SENAI CIMATEC Tem experiência

Leia mais

NORMA DE DESEMPENHO. Antônio Carlos Pimenta Araújo Consultor Técnico e da Qualidade ANICER

NORMA DE DESEMPENHO. Antônio Carlos Pimenta Araújo Consultor Técnico e da Qualidade ANICER NORMA DE DESEMPENHO Antônio Carlos Pimenta Araújo Consultor Técnico e da Qualidade ANICER Belo Horizonte, MG, setembro de 2016 ANICER Assoc. Nac. da Ind. Cerâmica Produtos de cerâmica vermelha Dados da

Leia mais

WWW.PAINEISTERMOISOLANTES.COM.BR Sistema construtivo industrializado alinhado aos critérios da norma de desempenho para empreendimentos habitacionais Giovani Oliveira Gerente do Segmento Revestimentos

Leia mais

Aplicação das normas ABNT NBR Edificações habitacionais Desempenho e ABNT NBR Esquadrias

Aplicação das normas ABNT NBR Edificações habitacionais Desempenho e ABNT NBR Esquadrias Aplicação das normas ABNT NBR 15575 Edificações habitacionais Desempenho e ABNT NBR 10821 - Esquadrias Enga. Fabiola Rago Beltrame Coordenadora da CEE-191 (ABNT) Esquadrias Diretora do IBELQ Instituto

Leia mais

1º Workshop Avaliação de Desempenho na Prática

1º Workshop Avaliação de Desempenho na Prática 1º Workshop Avaliação de Desempenho na Prática 2º Debatedor Prof.Dr. Douglas Barreto Professor Adjunto do Departamento de Engenharia Civil da Universidade Federal de São Carlos Conceito de Desempenho Uma

Leia mais

PROGRAMA SETORIAL DA QUALIDADE DE PORTAS DE MADEIRA PARA EDIFICAÇÕES

PROGRAMA SETORIAL DA QUALIDADE DE PORTAS DE MADEIRA PARA EDIFICAÇÕES PROGRAMA SETORIAL DA QUALIDADE DE PORTAS DE MADEIRA PARA EDIFICAÇÕES O Programa Setorial da Qualidade de Portas de Madeira para Edificações (PSQ-PME), desenvolvido e coordenado pela Associação Brasileira

Leia mais

Audiência Pública. Registro de Preços para Construção de

Audiência Pública. Registro de Preços para Construção de Audiência Pública Registro de Preços para Construção de Estabelecimentos de Ensino Público Projeto Piloto: Construção Escolas ProInfância Desafio: Melhorar a eficiência do processo, e garantir:. Edifícios

Leia mais

ALTERAÇÕES NO SISTEMA DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE DE EMPRESAS DE SERVIÇOS E OBRAS SiAC PBQP-H

ALTERAÇÕES NO SISTEMA DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE DE EMPRESAS DE SERVIÇOS E OBRAS SiAC PBQP-H ALTERAÇÕES NO SISTEMA DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE DE EMPRESAS DE SERVIÇOS E OBRAS SiAC PBQP-H ESPECIALIDADES TÉCNICAS DO SiAC Execução de obras Subsetor obras de edificações; Subsetor obras de saneamento

Leia mais

Entidade Setorial Nacional Mantenedora

Entidade Setorial Nacional Mantenedora Entidade Setorial Nacional Mantenedora Associação Nacional de Fabricantes de Esquadrias de Alumínio Av. Marquês de São Vicente, 121 - Bloco B - 4 andar, sala 401 Barra Funda I CEP 01139-001 I São Paulo

Leia mais

Sextante Ltda. Rua da Assembléia, 10 sala 1817 Rio de Janeiro RJ (21) Programa Setorial da Qualidade

Sextante Ltda. Rua da Assembléia, 10 sala 1817 Rio de Janeiro RJ (21) Programa Setorial da Qualidade Av. Marechal Câmara, 160 grupo 632 - Centro - Rio de Janeiro, RJ CEP: 20020-080 Tel.: (21) 2262-3882 Fax: (21) 2533-1872 E-mail: abitam@abitam.com.br www.abitam.com.br Sextante Ltda Rua da Assembléia,

Leia mais

O FUTURO NÓS CONSTRUÍMOS

O FUTURO NÓS CONSTRUÍMOS O FUTURO NÓS CONSTRUÍMOS Análise dos Critérios de Atendimento à Norma de Desempenho ABNT NBR 15.575 Estudo de caso em empresas do programa Inovacon-CE AGRADECIMENTOS Instituições de ensino INOVACON Programa

Leia mais

O projeto. Projeto Norma de Desempenho ABNT NBR 15575

O projeto. Projeto Norma de Desempenho ABNT NBR 15575 O projeto Preocupado em qualificar suas empresas associadas para atender plenamente aos requisitos da norma, o Sinduscon NH firmou convênio em Março de 2012 com o Instituto Tecnológico de Desempenho ITT

Leia mais

O que é Desempenho Desempenho, dos componentes, elementos e sistemas:

O que é Desempenho Desempenho, dos componentes, elementos e sistemas: O que é Desempenho Desempenho, dos componentes, elementos e sistemas: no ambiente criado (projeto) e ambiente construído (obra/edifício) Comportamento em uso de um produto, frente às condições de exposição.

Leia mais

GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETOS ACÚSTICA. Marco Antônio Vecci

GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETOS ACÚSTICA. Marco Antônio Vecci GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETOS ACÚSTICA Marco Antônio Vecci Local: EXPOMINAS BH Data: 08/08/2016 FASE A CONCEPÇÃO DO PRODUTO ESTUDO PRELIMINAR Consultoria e Ensaios Consultoria: Análise preliminar entre

Leia mais

A Experiência da MRV na Implantação da NBR 15575

A Experiência da MRV na Implantação da NBR 15575 RESULTADOS ADEQUAÇÃO DE PROCESSOS NORMA DE DESEMPENHO GRUPO MINAS GERAIS MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S/A A Experiência da MRV na Implantação da NBR 15575 REALIZAÇÃO Flávio Paulino de Andrade e Silva

Leia mais

ENCONTRO INTERNACIONAL SOBRE SUSTENTABILIDADE NA CONSTRUÇÃO

ENCONTRO INTERNACIONAL SOBRE SUSTENTABILIDADE NA CONSTRUÇÃO ENCONTRO INTERNACIONAL SOBRE SUSTENTABILIDADE NA CONSTRUÇÃO 04 de junho de 2009 Realização: Carlos Alberto de Moraes Borges caborges@tarjab.com.br Estrutura da apresentação Normalização e o Sistema regulatório

Leia mais

CONSTRUÇÃO CIVIL II ENG 2333 (2016/1)

CONSTRUÇÃO CIVIL II ENG 2333 (2016/1) ENG 2333 (2016/1) Aula 01 - Norma de Desempenho DESAFIOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL Patologias diversas e cada vez mais precoces; Manutenção complicada; Acidentes e desconfortos; Má durabilidade; Falta de parâmetros

Leia mais

Nº Desempenho de sistemas habitacionais com painéis pré-moldados de concreto: uma experiência real apresentada pelo IPT.

Nº Desempenho de sistemas habitacionais com painéis pré-moldados de concreto: uma experiência real apresentada pelo IPT. COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 174566 Desempenho de sistemas habitacionais com painéis pré-moldados de concreto: uma experiência real apresentada pelo IPT Luciana Alves de Oliveira Palestra apresentado no SEMINÁRIO

Leia mais

WWW.PAINEISTERMOISOLANTES.COM.BR Novas tecnologias para isolamento térmico na construção civil: PIR e PUR Rodnei Massamiti Abe Gerente Técnico em Eficiência Energética Dow Brasil Painéis Termoisolantes

Leia mais

Desempenho Térmico de edificações Aula 12: Diretrizes Construtivas para Habitações no Brasil NBR15220

Desempenho Térmico de edificações Aula 12: Diretrizes Construtivas para Habitações no Brasil NBR15220 Desempenho Térmico de edificações NBR15220 PROFESSOR Roberto Lamberts ECV 5161 UFSC FLORIANÓPOLIS + objetivos + requisitos usuários + NBR 15220 + NBR 15220-3 + parâmetros e condições de contorno + estratégias

Leia mais

Lançamento. Manual para Contratação de Projetos para o Desempenho de Edificações Habitacionais

Lançamento. Manual para Contratação de Projetos para o Desempenho de Edificações Habitacionais Lançamento Manual para Contratação de Projetos para o Desempenho de Edificações Habitacionais Manual para Contratação de Projetos para o Desempenho de Edificações Habitacionais Processo de Projeto para

Leia mais

CÂMARA TÉCNICA DE ARQUITETURA DE INTERIORES. Norma de Desempenho Norma de Reforma

CÂMARA TÉCNICA DE ARQUITETURA DE INTERIORES. Norma de Desempenho Norma de Reforma CÂMARA TÉCNICA DE ARQUITETURA DE INTERIORES Norma de Desempenho Norma de Reforma CÂMARA TÉCNICA DE ARQUITETURA DE INTERIORES Arq. Celso Saito celso.saito@asset.arq.br tel. 44 3029-7500/ 44 9858-0707 Câmara

Leia mais

BOLETIM DE NORMALIZAÇÃO GRUPO DE ACOMPANHAMENTO DE NORMAS COMAT/CBIC

BOLETIM DE NORMALIZAÇÃO GRUPO DE ACOMPANHAMENTO DE NORMAS COMAT/CBIC BOLETIM DE NORMALIZAÇÃO GRUPO DE ACOMPANHAMENTO DE NORMAS COMAT/CBIC Reunião da Comissão de Materiais, Tecnologia, Qualidade e Produtividade 05/março/2015 NORMAS ABNT EM CONSULTA NACIONAL Fonte: http://www.abntonline.com.br/consultanacional/

Leia mais

Evolução recente da indústria e importância do varejo de materiais de construção

Evolução recente da indústria e importância do varejo de materiais de construção Evolução recente da indústria e importância do varejo de materiais de construção Walter Cover (Presidente Executivo - ABRAMAT) Evento Fórum Momentos e Tendências do Varejo Brasileiro Para Materiais de

Leia mais

Desempenho em serviço Prof. Maristela Gomes da Silva

Desempenho em serviço Prof. Maristela Gomes da Silva Desempenho em serviço Prof. Maristela Gomes da Silva Departamento de Engenharia Civil Bibliografia referência para esta aula ISAIA, G. C. (editor) Materiais de Construção Civil e Princípios de ciência

Leia mais

II Seminário de Engenharia Diagnóstica em Edificações PAINEL 3

II Seminário de Engenharia Diagnóstica em Edificações PAINEL 3 II Seminário de Engenharia Diagnóstica em Edificações PAINEL 3 PALESTRANTES: - Jerônimo Cabral P. Fagundes Neto - José Eduardo Granato - Roberto Falcão Bauer NOVEMBRO - 2013 PAINEL 3 PERÍCIAS DE ENGENHARIA

Leia mais

Entidade Gestora Técnica

Entidade Gestora Técnica SINDICATO NACIONAL DA INDÚSTRIA DE PRODUTOS DE CIMENTO SINDICATO DA INDÚSTRIA DE PRODUTOS DE CIMENTO DO ESTADO DE SÃO PAULO Av. Paulista, 1313 10º andar Conj. 1070 01311-923 São Paulo SP Tel.: (11) 3149-4040

Leia mais

VISÃO SETORIAL E INSTITUCIONAL DA NBR NORMA DE DESEMPENHO

VISÃO SETORIAL E INSTITUCIONAL DA NBR NORMA DE DESEMPENHO VISÃO SETORIAL E INSTITUCIONAL DA NBR 15575 NORMA DE DESEMPENHO PROCESSO DE ELABORAÇÃO DA NBR 15575 Investimento da CEF através de Projeto FINEP com o objetivo de criar uma metodologia para avaliação de

Leia mais

Entidade Setorial Nacional Mantenedora

Entidade Setorial Nacional Mantenedora Entidade Setorial Nacional Mantenedora Associação Nacional de Fabricantes de Esquadrias de Alumínio Av. Marques de São Vicente, 121 - Bloco B - 4 andar, sala 401 I Barra Funda CEP 01139-001 I São Paulo

Leia mais

Saiba como adequar sua edificação à NBR 15575/2013.

Saiba como adequar sua edificação à NBR 15575/2013. Ensaios de Desempenho. Saiba como adequar sua edificação à NBR 15575/2013. CONCREMAT INSPEÇÓES E LABORATÓRIOS. UMA MARCA DAS EMPRESAS CONCREMAT. Com mais de 60 anos de experiência no mercado nacional e

Leia mais

DIVISÃO TÉCNICA DE ENGENHARIA DE INCÊNDIO DO INSTITUTO DE ENGENHARIA

DIVISÃO TÉCNICA DE ENGENHARIA DE INCÊNDIO DO INSTITUTO DE ENGENHARIA DIVISÃO TÉCNICA DE ENGENHARIA DE INCÊNDIO DO INSTITUTO DE ENGENHARIA Sistema de detecção wireless e seus dispendiosos equívocos contra os consumidores Coronel Engenheiro Civil e de Segurança do Trabalho

Leia mais

Entidade Setorial Nacional Mantenedora. Entidade Gestora Técnica PROGRAMA SETORIAL DA QUALIDADE DE ESQUADRIAS DE ALUMÍNIO TEXTO DE REFERÊNCIA.

Entidade Setorial Nacional Mantenedora. Entidade Gestora Técnica PROGRAMA SETORIAL DA QUALIDADE DE ESQUADRIAS DE ALUMÍNIO TEXTO DE REFERÊNCIA. Entidade Setorial Nacional Mantenedora Associação Nacional de Fabricantes de Esquadrias de Alumínio Av. Marques de São Vicente, 121 4º andar, sala 401 Barra Funda - São Paulo SP cep 01139-001 Telefone:

Leia mais

Saiba como adequar sua edificação à NBR 15575/2013.

Saiba como adequar sua edificação à NBR 15575/2013. Ensaios de Desempenho. Saiba como adequar sua edificação à NBR 15575/2013. CONCREMAT INSPEÇÓES E LABORATÓRIOS. A Concremat Inspeções e laboratórios possui corpo de engenheiros e técnicos experientes em

Leia mais

Nº COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 171000 A norma de desempenho de edificações NBR 15.575 Julio Cesar Sabadini de Souza Slides apresentado no Encontro Nacional da Indústria de Cerâmica Vermelha, 41., 2012, Campo Grande/MS

Leia mais

Instituto Falcão Bauer da Qualidade

Instituto Falcão Bauer da Qualidade Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE Instituto Falcão Bauer da Qualidade DIRETRIZES TÉCNICAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS E CONSTRUÇÃO DE QUADRAS POLIESPORTIVAS COBERTAS PARA ESTABELECIMENTOS

Leia mais

TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO II CÓDIGO: IT837 CRÉDITOS: T2-P2 INSTITUTO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E URBANISMO

TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO II CÓDIGO: IT837 CRÉDITOS: T2-P2 INSTITUTO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E URBANISMO TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO II CÓDIGO: IT837 CRÉDITOS: T2-P2 INSTITUTO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E URBANISMO OBJETIVO DA DISCIPLINA: Fornecer ao aluno as informações necessárias sobre a constituição,

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES DE DESEMPENHO EM EMPREENDIMENTOS DE HIS

ESPECIFICAÇÕES DE DESEMPENHO EM EMPREENDIMENTOS DE HIS ESPECIFICAÇÕES DE DESEMPENHO EM EMPREENDIMENTOS DE HIS 2.1 Diretrizes gerais de projeto para atender aos requisitos de desempenho 2.1.1 Segurança no uso e operação 2.1.2 Segurança contra

Leia mais

também de acordo com o Sistema Métrico Internacional e conforme exigência da norma ABNT

também de acordo com o Sistema Métrico Internacional e conforme exigência da norma ABNT STEEL FRAME O Steel Frame é uma alternativa já consolidada e amplamente usada há dezenas de anos em países desenvolvidos. Ao contrário das estruturas convencionais de construção, são usados perfis de aço

Leia mais

Desempenho Térmico de edificações Aula 12: Diretrizes Construtivas para Habitações no Brasil NBR15220

Desempenho Térmico de edificações Aula 12: Diretrizes Construtivas para Habitações no Brasil NBR15220 Desempenho Térmico de edificações NBR15220 PROFESSOR Roberto Lamberts ALEJANDRO NARANJO ECV 5161 UFSC FLORIANÓPOLIS estrutura introdução parte 3 NBR15220 exemplo 2 x Normas de Desempenho Buscam atender

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DAS EMPRESAS PSQ EA GGC 0367 D/12 Pág. 1 / 9

CLASSIFICAÇÃO DAS EMPRESAS PSQ EA GGC 0367 D/12 Pág. 1 / 9 CLASSIFICAÇÃO DAS EMPRESAS PSQ EA GGC 0367 D/12 Pág. 1 / 9 Conforme Anexo B do Relatório Setorial N.º PSQ EA GGC 0367 D/12, de Abril de 2012, da AFEAÇO Associação Nacional dos Fabricantes de e da ABNT

Leia mais

LANÇAMENTO. Placo Impact. Soluções para paredes resistentes a impactos.

LANÇAMENTO. Placo Impact. Soluções para paredes resistentes a impactos. LANÇAMENTO Placo Impact Soluções para paredes resistentes a impactos. O que é rigidez? A rigidez de um sistema define a capacidade do mesmo suportar situações imprevisiveis, trata-se de uma propriedade

Leia mais

18/junho/2015 Caesar Business Faria Lima São Paulo, SP. Desempenho potencial de alvenarias de blocos cerâmicos vazados Eng Ercio Thomaz

18/junho/2015 Caesar Business Faria Lima São Paulo, SP. Desempenho potencial de alvenarias de blocos cerâmicos vazados Eng Ercio Thomaz 18/junho/2015 Caesar Business Faria Lima São Paulo, SP Desempenho potencial de alvenarias de blocos cerâmicos vazados Eng Ercio Thomaz 1 Quem deve atender é o sistema construtivo como um todo (paredes,

Leia mais

Como definir a Vida Útil de Projeto segundo a NBR Arq. Barbara Kelch Colaboradora do GTNormas / AsBEA

Como definir a Vida Útil de Projeto segundo a NBR Arq. Barbara Kelch Colaboradora do GTNormas / AsBEA Como definir a Vida Útil de Projeto segundo a NBR 15.575 Arq. Barbara Kelch Colaboradora do GTNormas / AsBEA Norma de Desempenho ABNT NBR 15.575 Objetivo: Alavancar tecnicamente a qualidade requerida e

Leia mais

Perfil. Referência no mercado capixaba em: Inovação Tecnológica; Gestão da Produção; Sustentabilidade. Fundada em 1995 LOGO EMPRESA

Perfil. Referência no mercado capixaba em: Inovação Tecnológica; Gestão da Produção; Sustentabilidade. Fundada em 1995 LOGO EMPRESA Perfil Fundada em 1995 Referência no mercado capixaba em: Inovação Tecnológica; Gestão da Produção; Sustentabilidade. Primeira Reação. ABORDAGENS 1 2 3 4 5 6 Gestão do Conhecimento Participar de Grupos

Leia mais

TIPOS/ MODELOS DOS PRODUTOS ALVO

TIPOS/ MODELOS DOS PRODUTOS ALVO TIPOS/ MODELOS DOS PRODUTOS ALVO Janela de correr veneziana 03 e 06 folhas Janela de correr 02 e 04 folhas Maxim Maxim-ar ar Janela Integrada 02 folhas Portas de correr 02 folhas Podendo ser incluída a

Leia mais

Programa Setorial da Qualidade Esquadrias de Aço. PSQ EA TR 07/16 Pág. 1 / 23

Programa Setorial da Qualidade Esquadrias de Aço. PSQ EA TR 07/16 Pág. 1 / 23 PSQ EA TR 07/16 Pág. 1 / 23 Entidade Setorial Nacional Mantenedora Rua Gabriel Janikian, 280 Quinta das Paineiras São José do Rio Preto/SP CEP.: 15.080-350 Fone: (17) 3222-1790 www.afeaco.com.br afeaco@afeaco.com.br

Leia mais

Gerenciamento da Construção Civil

Gerenciamento da Construção Civil Gerenciamento da Construção Civil FSP - Faculdade Sudoeste Paulista Departamento. Engenharia Civil ENGª. M.Sc. Ana Lúcia de Oliveira Daré Cap. 8 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 8. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 8.1 Considerações

Leia mais

TRABALHANDO AO LADO DO SETOR PARA O CUMPRIMENTO DA NORMA ABNT NBR 15575/2013 EDIFICAÇÕES HABITACIONAIS - DESEMPENHO

TRABALHANDO AO LADO DO SETOR PARA O CUMPRIMENTO DA NORMA ABNT NBR 15575/2013 EDIFICAÇÕES HABITACIONAIS - DESEMPENHO TRABALHANDO AO LADO DO SETOR PARA O CUMPRIMENTO DA NORMA ABNT NBR 15575/2013 EDIFICAÇÕES HABITACIONAIS - DESEMPENHO I WORKSHOP DE DESEMPENHO: Projeto de edificação para o Desempenho Norma de Desempenho

Leia mais

Seminário Construção Sustentável Gestão de Resíduos da Construção. Lilian Sarrouf

Seminário Construção Sustentável Gestão de Resíduos da Construção. Lilian Sarrouf Seminário Construção Sustentável Gestão de Resíduos da Construção Lilian Sarrouf Resíduos da Construção Civil 28 PNRS e a Construção Civil 28 Membro do GT Técnico MMA Política Nacional de Resíduos e a

Leia mais

PROGRAMA SETORIAL DA QUALIDADE DOS COMPONENTES PARA SISTEMAS CONSTRUTIVOS EM CHAPAS DE GESSO PARA DRYWALL

PROGRAMA SETORIAL DA QUALIDADE DOS COMPONENTES PARA SISTEMAS CONSTRUTIVOS EM CHAPAS DE GESSO PARA DRYWALL PROGRAMA SETORIAL DA QUALIDADE DOS COMPONENTES PARA SISTEMAS EMPRESAS PARTICIPANTES E SUA CLASSIFICAÇÃO NO PROGRAMA (ordem alfabética por empresa) CNPJ Marca comercializada Componentes comercializados

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DAS EMPRESAS PSQ EA RS 01/12 Pág. 1 / 14

CLASSIFICAÇÃO DAS EMPRESAS PSQ EA RS 01/12 Pág. 1 / 14 CLASSIFICAÇÃO DAS EMPRESAS PSQ EA RS 01/12 Pág. 1 / 14 Conforme Anexo D do Relatório Setorial N.º PSQ EA RS 01/12, de Dezembro de 2012, da AFEAÇO Associação Nacional dos Fabricantes de e da BELTRAME Engenharia.

Leia mais

ProAcústica 24.Abril.13. Dia Internacional de Conscientização Sobre o Ruído

ProAcústica 24.Abril.13. Dia Internacional de Conscientização Sobre o Ruído As expectativas da nova norma no mercado imobiliário Eng. Carlos Alberto Moraes Borges NORMALIZAÇÃO Na ultima década, diversas norma quem implicam na acústica das edificações foram atualizadas, criadas,

Leia mais

Técnicas de construção. Vedações Verticais. Profa. Keila Bento

Técnicas de construção. Vedações Verticais. Profa. Keila Bento Técnicas de construção Vedações Verticais Profa. Keila Bento Vedações verticais Definição UM SUBSISTEMA DOS EDIFÍCIOS CONSTITUÍDO PELOS ELEMENTOS QUE: DEFINEM E LIMITAM VERTICALMENTE O EDIFÍCIO E SEUS

Leia mais

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC ENSAIO

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC ENSAIO ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO Norma de Origem: NIT-DICLA-016 Folha: 1 Total de Folhas: 10 RAZÃO SOCIAL/DESIGNAÇÃO DO LABORATÓRIO INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS DO ESTADO DE SÃO

Leia mais

Profª Mônica Suely G. de Araujo

Profª Mônica Suely G. de Araujo Profª Mônica Suely G. de Araujo Desempenho Características Confiabilidade Reputação 2 1 Durabilidade Utilidade Resposta Estética 3 Projeto Conformidade Capabi lidade Atendi mento ao Cliente Cultura da

Leia mais

CONNASP CONGRESSO NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA

CONNASP CONGRESSO NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA Sistema Construtivo Penitenciário augusto.esteca@gmail.com augusto.esteca@gmail.com SISCOPEN Sistema Construtivo Penitenciário é visto como um conjunto indivisível formado de componentes interligados

Leia mais

GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETOS ARQUITETURA

GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETOS ARQUITETURA GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETOS ARQUITETURA Apresentação FERNANDA BASQUES - Arquiteta 18 Anos de experiência Sócia Diretora da Viabile Planejamento e Projetos 03 Grupos de Estudos da Norma 01 Diretora do

Leia mais

AFAP- PVC ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE PERFIS DE PVC PARA CONSTRUÇÃO CIVIL TESIS TECNOLOGIA E QUALIDADE DE SISTEMAS EM ENGENHARIA

AFAP- PVC ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE PERFIS DE PVC PARA CONSTRUÇÃO CIVIL TESIS TECNOLOGIA E QUALIDADE DE SISTEMAS EM ENGENHARIA AFAP- PVC ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE PERFIS DE PVC PARA CONSTRUÇÃO CIVIL TESIS TECNOLOGIA E QUALIDADE DE SISTEMAS EM ENGENHARIA Referência: PROGRAMA SETORIAL DA QUALIDADE DE PERFIS DE PVC

Leia mais

PROGRAMA SETORIAL DA QUALIDADE DOS COMPONENTES PARA SISTEMAS CONSTRUTIVOS EM CHAPAS DE GESSO PARA DRYWALL

PROGRAMA SETORIAL DA QUALIDADE DOS COMPONENTES PARA SISTEMAS CONSTRUTIVOS EM CHAPAS DE GESSO PARA DRYWALL PROGRAMA SETORIAL DA QUALIDADE DOS COMPONENTES PARA SISTEMAS ALGE Metalúrgica Ltda. SP: 08.445.558/0001-92 ALGE ANANDA Metais Ltda. SP: 4.215.721/0001-70 ANANDA ASFOR Comercial Ltda. EPP SP: 01.321.046/0001-75

Leia mais

ponto de vista do projeto de Arquitetura Eng. Civil Davi Akkerman

ponto de vista do projeto de Arquitetura Eng. Civil Davi Akkerman Os requisitos de desempenho acústico do ponto de vista do projeto de Arquitetura Eng. Civil Davi Akkerman Ruídos internos e externos aos edifícios - DESEMPENHO ACÚSTICO - Normas técnicas 1) Normas Técnicas

Leia mais

Sistemas de Paredes. Parede Segurança

Sistemas de Paredes. Parede Segurança Parede Segurança CATÁLOGO TÉCNICO 2014 Parede composta por duas linhas de perfis guias e montantes em aço galvanizado intercaladas por tela metálica, com duas camadas de chapa de gesso sobrepostas em cada

Leia mais

O USO DO LIGHT STEEL FRAME NO EMPREENDIMENTO VIDA VIVA CLUBE CENTRO

O USO DO LIGHT STEEL FRAME NO EMPREENDIMENTO VIDA VIVA CLUBE CENTRO 3º Seminário de Tecnologia e Inovação da Construção Civil O USO DO LIGHT STEEL FRAME NO EMPREENDIMENTO VIDA VIVA CLUBE CENTRO ENGº JOÃO PAULO MARIA Melnick Even, com 23 anos de atuação no mercado gaúcho

Leia mais

A nova norma de Desempenho de Edificações e seus impactos sobre a manutenibilidade

A nova norma de Desempenho de Edificações e seus impactos sobre a manutenibilidade A nova norma de Desempenho de Edificações e seus impactos sobre a manutenibilidade PAULO EDUARDO FONSECA DE CAMPOS Professor Doutor da Universidade de São Paulo (USP) Superintendente do ABNT/CB-02 - Comitê

Leia mais

SERVIÇOS TÉCNICOS E TECNOLÓGICOS. Proposta Técnica. Norma de Desempenho Adequação de Processos. Construção Civil ATENDIMENTO EM REDE SENAI DR-PR

SERVIÇOS TÉCNICOS E TECNOLÓGICOS. Proposta Técnica. Norma de Desempenho Adequação de Processos. Construção Civil ATENDIMENTO EM REDE SENAI DR-PR SERVIÇOS TÉCNICOS E TECNOLÓGICOS Proposta Técnica Norma de Desempenho Adequação de Processos ATENDIMENTO EM REDE SENAI DR-PR Construção Civil 1 OBJETIVO Este documento tem por finalidade apresentar os

Leia mais

O FUTURO NÓS CONSTRUÍMOS

O FUTURO NÓS CONSTRUÍMOS O FUTURO NÓS CONSTRUÍMOS A importância do PBQP-H para as construtoras Arq. Marcos Galindo 12/05/2106 INSTITUIÇÃO DO PROGRAMA Portaria nº 134, de 18/12/1998, do Ministério do Planejamento e Orçamento Objetivo

Leia mais

SISTEMA CONSTRUTIVO EM STELL FRAME FICHA CATALOGRÁFICA-4 DATA: DEZEMBRO/2010.

SISTEMA CONSTRUTIVO EM STELL FRAME FICHA CATALOGRÁFICA-4 DATA: DEZEMBRO/2010. Tecnologias, sistemas construtivos e tipologias para habitações de interesse social em reassentamentos. SISTEMA CONSTRUTIVO EM STELL FRAME FICHA CATALOGRÁFICA-4 DATA: DEZEMBRO/2010. Tecnologias, sistemas

Leia mais

Relatório de Acompanhamento do Programa Setorial da Qualidade de Extintores para o Uso em Edificações

Relatório de Acompanhamento do Programa Setorial da Qualidade de Extintores para o Uso em Edificações Entidade Setorial Nacional Mantenedora ABIEX - Associação Brasileira das Indústrias de Equipamentos Contra Incêndio e Cilindros de Alta Pressão Rua Vergueiro, 3.153 Cj. 71 CEP 04101-000 São Paulo SP Fone

Leia mais

GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETOS_ESTRUTUR A

GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETOS_ESTRUTUR A GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETOS_ESTRUTUR A Eng.Leonardo Braga Passos, Msc Sócio/Diretor PI-Engenharia e Consultoria Diretor Regional BH-ABECE (2015/2016) INTRODUÇÃO / OBJETIVO O Manual para Contratação

Leia mais

ABINT Associação Brasileira das Indústrias de Nãotecidos e Tecidos Técnicos

ABINT Associação Brasileira das Indústrias de Nãotecidos e Tecidos Técnicos Entidade Setorial Nacional Mantenedora ABINT Associação Brasileira das Indústrias de Nãotecidos e Tecidos Técnicos Av. Brigadeiro Faria Lima, 1478-3º andar - cj 312 CEP 01452-002 - São Paulo/SP Fone: 11-3032-3015

Leia mais

Evoluções do segmento de pisos e revestimentos industriais. Eng Wagner Gasparetto Presidente ANAPRE 31/março/10

Evoluções do segmento de pisos e revestimentos industriais. Eng Wagner Gasparetto Presidente ANAPRE 31/março/10 Realização Apoio Evoluções do segmento de pisos e revestimentos industriais Eng Wagner Gasparetto Presidente ANAPRE 31/março/10 Sistema Piso Industrial Revestimento Placa de Concreto Barreira de Vapor

Leia mais

Sistemas de Forros. FGE Forro Gypsum Estruturado. Sistemas de Forros. Sistema S47

Sistemas de Forros. FGE Forro Gypsum Estruturado. Sistemas de Forros. Sistema S47 CATÁLOGO TÉCNICO 201 FGE Forro Gypsum Estruturado Forro composto pelo aparafusamento de chapas de gesso com 1.200 mm de largura, em perfis de canaletas de aço galvanizado, suspenso por pendurais compostos

Leia mais

LANÇAMENTO. Placo Phonique. Solução acústica para seu conforto e tranquilidade. AF-Folder Placo Phonique_23x21.indd 1

LANÇAMENTO. Placo Phonique. Solução acústica para seu conforto e tranquilidade. AF-Folder Placo Phonique_23x21.indd 1 Placo Phonique LANÇAMENTO Solução acústica para seu conforto e tranquilidade. AF-Folder Placo Phonique_23x21.indd 1 05/03/14 20:48 Ssshhh... o silêncio é ouro. O excesso de ruído é uma das principais queixas

Leia mais

Workshop CAIXA-CBIC Análise Compartilhada da Norma de Desempenho. Ana Paula M. Menegazzo Alais Coluchi

Workshop CAIXA-CBIC Análise Compartilhada da Norma de Desempenho. Ana Paula M. Menegazzo Alais Coluchi Workshop CAIXA-CBIC Análise Compartilhada da Norma de Desempenho Ana Paula M. Menegazzo Alais Coluchi SETOR DE PLACAS CERÂMICAS PARA REVESTIMENTO A favor da publicação da ABNT NBR 15575 Alguns ajustes

Leia mais

HISTÓRIA. 2.2 Características Térmicas do Bloco CCA: Transmitância e capacidade térmica conceitos e valores

HISTÓRIA. 2.2 Características Térmicas do Bloco CCA: Transmitância e capacidade térmica conceitos e valores 1. HISTÓRIA O Concreto Celular Autoclavado foi desenvolvido na Suécia em 1924 por Joahan Axel Erickon, que buscava por um produto com características semelhantes à da madeira, com estrutura sólida, bom

Leia mais

Programa Setorial da Qualidade Esquadrias de Aço. PSQ EA TR 01 Pág. 1 / 29

Programa Setorial da Qualidade Esquadrias de Aço. PSQ EA TR 01 Pág. 1 / 29 PSQ EA TR 01 Pág. 1 / 29 Entidade Setorial Nacional Mantenedora Rua Gabriel Janikian, 280 Sala 03 Quinta das Paineiras São José do Rio Preto/SP CEP.: 15.080-350 Fone: (17) 3222-1790 abraesp@abraesp.com.br

Leia mais

ÁREA DO CONCURSO: TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL

ÁREA DO CONCURSO: TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL PROGRAMA E BIBLIOGRAFIA DO CONCURSO PARA PROVIMENTO DE VAGA DE PROFESSOR ADJUNTO EM REGIME DE 20 HORAS SEMANAIS PARA O DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE MATERIAIS E CONSTRUÇÃO ÁREA DO CONCURSO: TÉCNICAS DE

Leia mais

Normas ABNT em Consulta Pública, Publicadas, Confirmadas ou Canceladas 18 de Outubro à 04 de Novembro de2016

Normas ABNT em Consulta Pública, Publicadas, Confirmadas ou Canceladas 18 de Outubro à 04 de Novembro de2016 em, Publicadas, Confirmadas ou Canceladas ABNT/CEE-185 ABNT NBR 16569 _ Parede e laje de concreto celular estrutural moldada no local para a construção de edificações Projeto, execução e controle Requisitos

Leia mais

DESEMPENHO DAS EDIFICAÇÕES

DESEMPENHO DAS EDIFICAÇÕES DESEMPENHO DAS EDIFICAÇÕES SUMÁRIO Conceito e Definição de Desempenho Histórico do desempenho das edificações; Abordagem de desempenho nas edificações; Norma Prescritivas X Normas de Desempenho; Metodologia

Leia mais

Qualidade feita para durar

Qualidade feita para durar Qualidade feita para durar Fundada em 9 na cidade de Brasília pelos irmãos Gravia, a pequena serralheria que fabricava esquadrias sob encomenda, p r o d u z i a e s t r u t u r a s m e t á l i c a s e

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Infraestrutura Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Técnico em Edificações FORMA/GRAU:( )integrado ( X )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

GT DESEMPENHO/BA Eng. Priscila Freitas

GT DESEMPENHO/BA Eng. Priscila Freitas GT DESEMPENHO/BA Eng. Priscila Freitas ENG. PRISCILA FREITAS Engenheira Civil, UEFS (2006) Especialista em Engenharia da Qualidade, UFBA (2007) Mestranda em Gestão e Tecnologia Industrial GETEC, SENAI

Leia mais

Entidade Setorial Nacional Mantenedora

Entidade Setorial Nacional Mantenedora Entidade Setorial Nacional Mantenedora ASFAMAS-IP - Associação Brasileira dos Fabricantes de Materiais para Saneamento - Grupo Setorial Instalações Prediais R. General Furtado Nascimento, 684 conj. 64

Leia mais

SiNAT. Sistema Nacional de Avaliação Técnica de Produtos Inovadores

SiNAT. Sistema Nacional de Avaliação Técnica de Produtos Inovadores SiNAT Sistema Nacional de Avaliação Técnica de Produtos Inovadores Maria Salette Weber Coordenadora Geral do PBQP-H Secretaria Nacional de Habitação Ministério das Cidades HISTÓRICO Década de 80: início

Leia mais

Qualificação de Mão de Obra da construção civil

Qualificação de Mão de Obra da construção civil Qualificação de Mão de Obra da construção civil Laura Marcellini Dir Técnica ABRAMAT Reunião do Sub Grupo de Mão de Obra do GT Segurança nas Edificações DECONCIC/FIESP 14/abr/2014 Dimensões do tema Recursos

Leia mais

Esse é o nosso negócio. A INFORMAÇÃO DE QUE VOCÊ PRECISA. NEM MAIS, NEM MENOS.

Esse é o nosso negócio. A INFORMAÇÃO DE QUE VOCÊ PRECISA. NEM MAIS, NEM MENOS. Esse é o nosso negócio. A INFORMAÇÃO DE QUE VOCÊ PRECISA. NEM MAIS, NEM MENOS. Novas demandas de mercado exigem que modelos técnicos consagrados sejam incorporadas a novas tecnologias, novos conhecimentos

Leia mais

Técnicas das Construções I ALVENARIA. Prof. Carlos Eduardo Troccoli Pastana (14) AULA 6

Técnicas das Construções I ALVENARIA. Prof. Carlos Eduardo Troccoli Pastana (14) AULA 6 200888 Técnicas das Construções I ALVENARIA Prof. Carlos Eduardo Troccoli Pastana pastana@projeta.com.br (14) 3422-4244 AULA 6 Objetivos: 1. DISCUTIR A IMPORTÂNCIA DA ALVENARIA DE VEDAÇÃO. 2. DISCUTIR

Leia mais

VANTAGEM COMPETITIVA DAS EMPRESAS COM PROCESSO DE QUALIFICAÇÃO

VANTAGEM COMPETITIVA DAS EMPRESAS COM PROCESSO DE QUALIFICAÇÃO VANTAGEM COMPETITIVA DAS EMPRESAS COM PROCESSO DE QUALIFICAÇÃO Msc. Marcelo Matsusato 12/08/2015 1 TECNISA ATUAÇÃO GEOGRÁFICA 2 1 12/08/2015 PRODUTOS E MERCADOS RESIDENCIAL COMERCIAL CORPORATIVO 3 Gestão

Leia mais

SUGESTÕES PARA REVISÃO DA ORMA AB T BR :2008, REFERE TES AO DESEMPE HO TÉRMICO

SUGESTÕES PARA REVISÃO DA ORMA AB T BR :2008, REFERE TES AO DESEMPE HO TÉRMICO SUGESTÕES PARA REVISÃO DA ORMA AB T BR 15.575:2008, REFERE TES AO DESEMPE HO TÉRMICO Adriana C. de Brito (1); Fulvio Vittorino (2); Marcelo de M. Aquilino (3); Maria Akutsu (4) (1) Laboratório de Conforto

Leia mais

Nº COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 172083 Construção sustentável: premissas básicas e contexto atual Adriana Camargo de Brito Palestra apresentada SEMANA DE ESTUDOS DE GESTÃO AMBIENTAL, DESAFIOS E OPORTUNIDADES EM

Leia mais

SEMINÁRIO DESEMPENHO DAS EDIFICAÇÕES SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO SINDUSCON MG / SENAI / FIEMG 29/04/16

SEMINÁRIO DESEMPENHO DAS EDIFICAÇÕES SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO SINDUSCON MG / SENAI / FIEMG 29/04/16 SEMINÁRIO DESEMPENHO DAS EDIFICAÇÕES SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO SINDUSCON MG / SENAI / FIEMG 29/04/16 TEMA: ESCOPO E ANÁLISE CRÍTICA DE PROJETOS DE INCÊNDIO Definir o escopo de contratação de projetos de

Leia mais

Proteção Passiva Contra Incêndio. Isolamento Térmico. Isolamento Acústico

Proteção Passiva Contra Incêndio. Isolamento Térmico. Isolamento Acústico Proteção Passiva Contra Incêndio Isolamento Térmico Isolamento Acústico R E N G E N H A R I A PROTEÇÃO PASSIVA CONTRA INCÊNDIO Selagem de Shafts Fachada/Pele de Vidro - Fire Stop Na ocorrência de um incêndio,

Leia mais

Contier Arquitetura. Contier Arquitetura

Contier Arquitetura. Contier Arquitetura Apresentação Contier Arquitetura Contier Arquitetura É uma empresa de Arquitetura e Urbanismo que atua em âmbito nacional; É uma empresa capaz de criar e implementar projetos afinados com o mercado, duradouros

Leia mais

ESCOLA POLITÉCNICA FUNDAÇÃO CARLOS ALBERTO VANZOLINI UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Evolução Vanzolini _Qualinstal 28/06/2016 2

ESCOLA POLITÉCNICA FUNDAÇÃO CARLOS ALBERTO VANZOLINI UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Evolução Vanzolini _Qualinstal 28/06/2016 2 FUNDAÇÃO CARLOS ALBERTO VANZOLINI ESCOLA POLITÉCNICA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO 2 Instituída em 1967 por professores do Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da Universidade de São

Leia mais

CAMINHOS PARA A APROVAÇÃO DE INOVAÇÃO TÉCNOLÓGICA PARA HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL VERA FERNANDES HACHICH / TESIS

CAMINHOS PARA A APROVAÇÃO DE INOVAÇÃO TÉCNOLÓGICA PARA HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL VERA FERNANDES HACHICH / TESIS CAMINHOS PARA A APROVAÇÃO DE INOVAÇÃO TÉCNOLÓGICA PARA HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL VERA FERNANDES HACHICH / A Desde 1989: ações de base tecnológica para apoiar os setores industriais no regramento da

Leia mais

CC-MD 24 RESERVATORIO ELEVADO 16agosto17

CC-MD 24 RESERVATORIO ELEVADO 16agosto17 CC-MD 24 RESERVATORIO ELEVADO 16agosto17 INTRODUÇÃO: O presente Memorial descreve e especifica os requisitos mínimos para fornecimento e instalação de reservatório de agua potável e incêndio, para a Escola

Leia mais