ATA DA 199ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE AUTORIDADE PORTUÁRIA DOS PORTOS DE SALVADOR E ARATU, REALIZADA EM 25 DE MARÇO DE 2010 Às oito horas do

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ATA DA 199ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE AUTORIDADE PORTUÁRIA DOS PORTOS DE SALVADOR E ARATU, REALIZADA EM 25 DE MARÇO DE 2010 Às oito horas do"

Transcrição

1 ATA DA 199ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE AUTORIDADE PORTUÁRIA DOS PORTOS DE SALVADOR E ARATU, REALIZADA EM 25 DE MARÇO DE 2010 Às oito horas do dia vinte e cinco do mês de março do ano de dois mil e dez, na Sala de Reuniões da Diretoria Executiva da CODEBA, foi realizada a 199ª Reunião Ordinária do Conselho de Autoridade Portuária dos Portos de Salvador e Aratu, sob a presidência do conselheiro Jorge Luiz Zuma e Maia e com as presenças dos conselheiros Adary Oliveira, Alberto Chicourel Neto, Antônio Alberto Cotrim Silva, Carlos Antônio Borges Cohim Silva, Edenval José de Carvalho Urpia, Elizabeth Akemi Ishii Kodato, Ivan Pedro Bispo dos Santos, Joaquim Luiz de Souza, Jorge de Castro Silva, José Frederico Maciel, Lúcio Félix de Souza Filho, Luiz Fernando Studart Ramos de Queiroz, Marco Aurélio Luiz Martins, Paulo Henrique de Almeida, Renato Neves da Rocha Filho e Ulisses Souza Oliveira Júnior. Os conselheiros Demir Lourenço Júnior, Gilberto Morais Moura Costa Filho e João Luiz Gomes e Silva informaram que não poderiam tomar parte desta reunião. Iniciando a reunião, o conselheiro Jorge Zuma empossou o conselheiro Martinho Cândido Velloso dos Santos, como seu substituto neste CAP, representando o Governo Federal no Bloco I Poder Público e também Presidente do Colegiado. O engenheiro Jorge Zuma explicou que o seu afastamento deveu-se a razões profissionais na Secretaria Especial de Portos, vez que considera que há muito trabalho a ser desenvolvido neste CAP e ele não estava podendo dedicar maior tempo a essas atividades e conciliar com as atividades naquela Secretaria. A seguir, expressou a sua satisfação com a indicação do atual Presidente e teceu elogios às suas atividades profissionais na SEP; agradeceu também a todos os membros do CAP, pela ajuda prestada durante a sua gestão. Continuando, comentou que ainda assim passará a ser presente ainda mais na Bahia, considerando as dragagens que serão realizadas nos portos de Salvador e Aratu, trabalhos esses que ele está encarregado de acompanhar pela SEP. Seguindo-se, os conselheiros presentes se apresentaram ao atual Presidente e foram manifestados cumprimentos e tecidos elogios à atuação do engenheiro Jorge Zuma. Logo após, o Presidente versou sobre suas experiências na área portuária e atividades no CAP do Porto de Paranaguá, de onde provinha, agradecendo a acolhida dos conselheiros. A seguir, procedeu-se a Pauta desta reunião. I. Exame e aprovação da Ata da 198ª reunião ordinária, realizada em 25/02/2009: a referida Ata, contendo os ajustes dos conselheiros João Luiz Gomes, Lúcio Félix e Luiz Fernando Queiroz, foi aprovada e assinada. II. Leitura e distribuição de documentos expedidos e/ou recebidos pelo Conselho: a) o Presidente deu conhecimento da correspondência do conselheiro Jorge Augusto Halla Guimarães, recebida nesta data, onde este registra sua renúncia ao cargo de conselheiro suplente representante do Município de Salvador, no Bloco I deste CAP, em virtude de seu desligamento funcional; b) Moção de Repúdio emitida pela Intersindical/Sindicatos de Trabalhadores Portuários da Orla de Salvador e Aratu, recebida nesta data, contrária a ações praticadas pela diretoria do OGMOSA, em detrimento a determinações do Conselho de Supervisão do referido Órgão Gestor; c) o engenheiro Jorge Zuma comentou o encaminhamento, ao CAP, do texto por si emitido, correspondente às questões de contratações de trabalhadores avulsos levantadas pelo OGMOSA. III. Informes do(s) representante(s) do CAP no CDA/CODEBA; informes do Conselho de Supervisão do OGMOSA: ante a ausência do conselheiro Luiz Borba, esses informes não foram realizados. O conselheiro Marco Martins sugeriu que doravante sejam apresentados, antecipadamente, pelos representantes de CAP no CDA Luiz Borba, representante deste CAP, e Libério Menezes, representante do CAP de Ilhéus -, relatórios executivos sobre assuntos contemplados nas reuniões daquele colegiado. O Presidente opinou que deverá continuar a apresentação desses informes pelo conselheiro Luiz Borba, representante do CAP no CDA e no Conselho de Supervisão do OGMOSA, e que esse conselheiro, entretanto, poderia encaminhar relatório resumido indicando apenas os pontos relevantes de interesse deste Colegiado, discutidos nas reuniões daquele CDA, com seus respectivos encaminhamentos, independentemente dos citados informes. Continuando, o Presidente esclareceu que o propósito desses relatórios não é de intromissão nas atividades do CDA ou de outros conselhos, mas de enriquecimento das informações que possam contribuir com este CAP. Após a emissão de alguns posicionamentos sobre esse assunto, o Colegiado acolheu a sugestão do conselheiro Marco Martins e o Presidente informou que encaminhará Ofício ao conselheiro Luiz Borba, informando essa solicitação. IV. Indicadores de desempenho operacional e

2 segurança dos Portos de Salvador e Aratu: após emissão de considerações acerca do relatório Dados Estatísticos de Acidentes do Trabalho nos Portos Organizados de Salvador e Aratu, relativo ao mês de fevereiro/2010, emitido pelo OGMOSA e encaminhado pela CODEBA ao CAP, o Colegiado acolheu observações registradas pelos conselheiros Ulisses Júnior, Frederico Maciel e Adary Oliveira e decidiu - a título de contribuição para o aprimoramento desse relatório -, encaminhar Ofício àquele órgão, contendo observações sobre alguns itens do citado documento: a) nas colunas Efetivo e H.H.E.R., são citados quantitativos iguais a zero, para número de empregados efetivos das empresas operadoras CABOTO e INTERMARÍTIMA, o que acarreta um resultado equivocado na determinação dos percentuais; b) deveriam estar incluídos no mesmo relatório os dados estatísticos relativos aos terminais marítimos instalados no Porto de Aratu; c) na coluna Total, por órgão, deveria incluir também os números correspondentes aos operadores portuários, e não somente aqueles relativos a esse OGMOSA e trabalhadores avulsos. A seguir, o conselheiro Adary Oliveira solicitou ao engenheiro Jorge Zuma informações sobre os trabalhados de dragagens dos portos de Salvador e Aratu, conduzidos pela SEP. O engenheiro Jorge Zuma informou que as dragagens de Salvador e Aratu necessitam de dois tipos de equipamentos: draga para sucção e recalque e outra para retirar o material e levar à área de despejo; esse último equipamento ainda está a caminho, vindo do Rio Grande do Sul, por isso não se pode iniciar sucção e recalque sem o outro equipamento para a retirada, senão as operações portuárias do Porto de Aratu parariam. Assim, a pedido da Diretoria Executiva da CODEBA, aquela Secretaria está fazendo intervenção em Ilhéus, em relação à dragagem, devido à situação crítica do seu canal de acesso. Disse que essa intervenção visa a promover limpeza da área e recolhimento dos sedimentos que estão ali depositados, para depois retomar os serviços de Salvador e Aratu, com o trabalho conjunto das duas dragas citadas. Prosseguindo, informou que o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN havia solicitado a execução de rastreamento tipo sísmica rasa de materiais históricos/arqueológicos na área do Cais de Água de Meninos, em Salvador, e que o material encontrado foi retirado e enviado para laboratório e então foi dada a autorização para realizar a dragagem da área. V. Comunicado oficial, além da exoneração a pedido, da presidência do Conselho de Autoridade Portuária: esse comunicado foi realizado no início da reunião, conforme registros anteriores. VI. Operações de exportação de frutas in natura no Porto de Salvador (informes do Grupo de Trabalho): o conselheiro Carlos Cohim informou que o encontro com as empresas exportadoras de frutas do Vale do São Francisco poderá ocorrer em 27 ou 29/4/2010 e que foram mantidos contatos com as Câmaras de Fruticultura de Juazeiro e de Petrolina e com a CODEBA, para organização do evento, quando serão ouvidas as principais queixas acerca das operações de frutas no Porto de Salvador e levantar medidas que poderão ser tomadas para melhorar o desempenho desse porto, tais como: promover aumento da área de movimentação e fazer o Porto de Salvador se tornar mais atrativo para esse tipo de operação. O mesmo conselheiro citou que a empresa Hamburg Sud manifestou interesse em aumentar essas operações e disse que o maior gargalo é o recolhimento de contêineres no depot do Porto de Salvador; também falou que o conselheiro Joaquim Souza tem algumas ideias sobre o assunto. O Presidente sugeriu pautar o assunto para a próxima reunião. Seguindo, o conselheiro Marco Martins citou que essas cargas estão sendo desviadas para os portos de Pecém e de Suape e que a CODEBA precisa tomar a iniciativa para solucionar esse problema, promovendo a atração da movimentação dessa carga, sugerindo o posicionamento da área de negócios da CODEBA. Logo após, o Diretor Presidente da CODEBA, José Muniz Rebouças, fez-se presente à reunião, informando que foram apresentados projetos à SEP, visando ao repasse de investimentos pelo PAC-2 (Programa de Aceleramento do Crescimento), entretanto apesar das gestões e esforços empreendidos, os investimentos solicitados pela Companhia foram cortados. A seguir, o conselheiro Luiz Fernando Queiroz parabenizou a presença do Presidente da CODEBA e sua honestidade em relatar esse ocorrido, dizendo que não são somente os portos que estão envolvidos, mas todo o Estado da Bahia, e que é preciso mobilização de todos os agentes envolvidos, inclusive do CAP; por isso, o conselheiro informou que levará o assunto à reunião que ocorrerá nesta data, na 2

3 Associação Comercial da Bahia - ACB, entidade que ele representa neste Colegiado, e que sugerirá convite para o Presidente da CODEBA fazer uma exposição do assunto naquela Associação. Sequenciando, o Presidente do CAP comentou que o Porto de Paranaguá, igualmente aos portos baianos, também não receberá nenhum aporte de recursos do PAC-2. Citou que os principais investimentos irão para os portos de Itaqui, Suape, Santos, Itajaí e Rio Grande. Quanto à ação política, disse que, no que tange aos investimentos no setor portuário, considera que a Bahia acordou tardiamente e deixou outros irem à frente, enfatizando que não foi o critério burocrático de classificação das entidades portuárias que mobilizou a alocação de recursos, ratificando que o Porto de Paranaguá, por exemplo, bem classificado qualquer que seja o critério, não recebeu investimentos no PAC-1 - excetuando os recursos para dragagem, comuns aos demais portos - ou no PAC-2. Por sua vez, o conselheiro Lúcio Félix disse que no início do primeiro governo do Presidente Lula foi criada lista dos principais portos do Brasil e Salvador e Aratu não faziam parte dela, mas passaram a integrá-la após muita luta, e que a Bahia tem que se mobilizar, juntando que, igualmente ao conselheiro Luiz Fernando Queiroz, também comentará o assunto na ACB, na reunião desta data, e que ambos sugerirão aos presidentes daquela Associação, da Federação das Indústrias do Estado da Bahia e da Federação do Comércio para irem a Brasília discutir o assunto com o Ministrochefe da SEP. Em seguida, o conselheiro Ulisses Júnior disse que, como cidadão, espera que a partir de agora prossigam os questionamentos acerca do assunto, enfatizando a necessidade de união. Seguiu-se a fala do conselheiro Adary Oliveira, que comentou que a ACB deverá levar o assunto ao Fórum Empresarial da Bahia, para fazer moção e promover a repercussão do assunto na imprensa. Prosseguindo, o conselheiro Adary Oliveira disse haver notado que a maioria dos portos brasileiros é voltada à movimentação de grãos e minérios e que continua a política prioritária de exportação de produtos primários de baixo valor agregado, ao invés de privilegiar a exportação de produtos manufaturados de maior valor agregado, e isso nos coloca como uma nação ainda em desenvolvimento. Também citou que alguns portos são estadualizados, a exemplo de Paranaguá, Pecém, Suape, e estes receberam mais recursos que os portos federais. Continuando, o mesmo conselheiro juntou que a CODEBA precisa reforçar a sua área de marketing, pois está perdendo a movimentação de frutas para os estados do Ceará e de Pernambuco, já que os empresários acham que os portos baianos não estão prestando um bom atendimento. O conselheiro Luiz Fernando Queiroz solicitou registrar moção de louvor ao empenho e ao pronunciamento realizado, nesta reunião, pelo Diretor Presidente da CODEBA, José Rebouças, que, em seguida, retirou-se do recinto. Logo após, o conselheiro Marco Martins registrou que a Bahia está colocada em segundo plano na estrutura-matriz da economia do Brasil e que o porto é o principal elo de desenvolvimento econômico do País. Com a palavra, o conselheiro Renato Neves da Rocha falou que a última obra portuária em portos públicos na Bahia já tem 22 anos, denotando que o processo de desatenção e pouca importância para com os nossos portos já é antigo, juntando-se, agora, a exclusão dos portos baianos do eixo logístico do País; também disse que a sociedade não valoriza o Porto de Salvador e o considera obsoleto. Seguiram-se comentários do conselheiro Adary Oliveira, que falou sobre a construção do Complexo Portuário Portosul, na região sul do Estado da Bahia, composto de porto em mar aberto com terminal privativo, juntamente com construção de porto público e uma área de apoio logístico zona industrial, além do novo aeroporto da cidade de Ilhéus. Esse conselheiro considera que a possibilidade de ser construído porto naquela região já começa a atrair interesse de diversas empresas. O Presidente do CAP sugeriu que esse assunto seja contemplado em apresentação específica, se possível na próxima reunião. Logo após, o conselheiro Ulisses Júnior registrou que concordava com a fala do conselheiro Renato Neves da Rocha, acerca do pensamento da sociedade sobre o Porto de Salvador, citando que são necessárias as participações efetivas dos representantes do Governo do Estado e do Município de Salvador nas reuniões do CAP, para favorecer a mudança dessa opinião. Por sua vez, o conselheiro Joaquim Souza comentou que há alguns anos houve proposta de um secretário do Governo do Estado da Bahia para demolir os muros do Porto de Salvador para integrar o mar à cidade e que, então, esse conselheiro escrevera mensagem àquele secretário, lamentando essa ideia. Seguiu-se a 3

4 fala do conselheiro Marco Martins, que disse que tendo em vista a realização da Copa do Mundo/2014 no Brasil, é preciso reforçar a utilização da área do Porto de Salvador para receptivo de passageiros ao mesmo tempo com as operações de movimentação de cargas, reforçando também a posição desse porto como eminentemente conteneiro e então, gradativamente, se buscar alternativas para movimentação de carga geral e outras cargas. Na sequência, foi feito o comentário do conselheiro Ivan Pedro, que falou da sua preocupação acerca da situação relatada pelo Diretor Presidente da CODEBA, sobre os recursos que não serão recebidos do Governo Federal pela Companhia, realçando a importância e compromisso do CAP na discussão dos assuntos atinentes aos portos baianos, complementando considerar necessário que os representantes do Governo do Estado participem das reuniões deste Conselho e apresentem as suas contribuições. A seguir, o conselheiro Frederico Maciel manifestou a opinião de que o momento é de união de forças e de esforços e disse que considera importante a CODEBA informar ao CAP quais são os projetos que foram encaminhados à SEP, visando ao recebimento de investimentos pelo PAC-2, para o Colegiado tomar conhecimento e poder encaminhar melhor as contribuições, sugestão que foi compartilhada pelo Conselheiro Lúcio Félix. O Presidente acolheu o sugerido e solicitou que na próxima reunião o conselheiro Renato Neves da Rocha realize a apresentação desses projetos. Na sequência, o conselheiro Antonio Cotrim opinou que seria interessante que o representante do CAP no CDA também pudesse levar proposições do CAP para discutir naquele Conselho; com relação à movimentação de frutas, disse que a maior movimentação dessa carga já foi, há algum tempo, realizada pelo Porto de Salvador, complementando que essa questão mercadológica precisa que ter ação proativa para ser discutido o que está acontecendo e quais são os entraves que estão ocorrendo, para apontar os encaminhamentos que a CODEBA deverá adotar para reverter essa situação. A seguir, o conselheiro Marco Martins sugeriu que o Diretor de Gestão Comercial e Desenvolvimento de Negócios DCD da CODEBA apresente, formalmente, trimestralmente, a posição da CODEBA sobre novos negócios. O Presidente sugeriu pautar o assunto para a próxima reunião. O conselheiro Ulisses Júnior disse que em próxima reunião que será realizada em Brasília, manifestará pessoalmente ao Ministro-chefe da SEP - que possivelmente estará presente à referida reunião -, a preocupação da classe trabalhadora quanto ao não recebimento dos já citados recursos pela CODEBA. Em seguida, o conselheiro Jorge Castro indagou qual foi o critério utilizado para classificação dos portos contemplados no PAC, e então o Presidente informou que a primeira classificação ocorreu para a definição dos primeiros quatro portos para a Agenda Portos, em 2004, esclarecendo que as primeiras classificações não seguiram critérios determinísticos, surgindo, a partir daí, estudos, como o realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada - IPEA, que sistematizou esse processo, criando um método de ordenação de portos que leva em conta cargas movimentadas, valor agregado, hinterlândia; entretanto, acredita que o critério dessa classificação ainda tenha um forte viés político. A propósito, o Presidente sugeriu que a CODEBA passe a incorporar informações relativas a valor agregado nas análises de movimentações de cargas constantes do seu relatório estatístico. Em sequência, o conselheiro Edenval Urpia comentou que considera necessidade imperiosa a CODEBA desenvolver atividades de marketing e complementou que o Governo do Estado, a própria CODEBA, o segmento empresarial e os usuários deveriam utilizar recursos de informação no sentido de divulgar à sociedade e conscientizar a população quanto à importância do porto na economia do Estado da Bahia, como único grande equipamento de prestação de serviços à cidade, com toda a sua potencialidade, desmistificando também interesses aleatórios. O Presidente comentou que esse tipo de ação não é só da CODEBA, mas de todos os segmentos envolvidos. Continuando, também disse que de todas as cidades que conhece, a primeira ou segunda maior fonte de arrecadação de ISS costuma ser o porto. Em seguimento, o conselheiro Lúcio Félix comentou que o exemplo de abandono do porto já vem das lideranças políticas, seguido do conselheiro Luiz Fernando Queiroz, que disse que a CODEBA precisa adotar o papel de liderança na sociedade para explicar a importância do porto. Logo após, o conselheiro Joaquim Souza informou que há algum tempo escreveu artigo sobre a necessidade de se repensar o porto e do governo deixar de lado ingestões políticas. Seguiu-se o comentário do conselheiro Antônio Cotrim, que se 4

5 referiu ao trabalho executado pelo IPEA, citado anteriormente pelo Presidente, nesta reunião, informando que o estudo se encontra disponível na Biblioteca da CODEBA. Logo após, o conselheiro Ulisses Júnior ratificou o registro das ausências dos representantes do Governo do Estado nas reuniões deste CAP; no momento também registrou que em 26/3/2010 o Presidente da República estará em Ilhéus, assinando a autorização da licitação das obras da Ferrovia Oeste-Leste e que certamente ali não haverá ninguém para - tendo em vista os prejuízos que serão causados a toda a comunidade portuária - criticar a decisão do Governo Federal quanto à retirada dos portos da Bahia da sua frente de investimentos, apesar dos 10 projetos apresentados pela CODEBA. Dando prosseguimento, o engenheiro Jorge Zuma informou que o Diretor Presidente da CODEBA insistiu na SEP, quanto aos recursos que a CODEBA teve negados, e conseguiu sensibilizar algumas pessoas, visando à possibilidade de se reverter a decisão. Complementou que tem certeza absoluta de que investimentos serão aplicados na Bahia, especificamente em Salvador, e que o PAC-2 sofrerá modificações e acredita que as expansões dos portos de Salvador e Aratu poderão ocorrer. O conselheiro Marco Martins comentou que mesmo diante da alteração da tarifa portuária, ainda não ocorreu a manutenção dos equipamentos operacionais do Porto de Aratu, solicitando informações quanto à realização da parada anual de manutenção daquele porto. Em seguida, o conselheiro Renato Neves da Rocha disse que quando houve reajuste da tarifa, realmente o objetivo da CODEBA era proceder à manutenção dos equipamentos, executando parada efetiva para esses serviços, inclusive priorizando a segurança do trabalhador, porém o adiamento do início dessa parada se deve às dificuldades para contratação de um dos principais serviços, que se refere à recuperação dos equipamentos/serviços de caldeiraria; foram realizadas licitações, porém a primeira foi deserta e na segunda as empresas participantes não possuíam a qualificação técnica necessária, por isso está sendo realizado o terceiro certame, pois a CODEBA deve executar as suas contratações obedecendo aos preceitos legais. O mesmo conselheiro afirmou que essa não é uma justificativa da Companhia, mas está relatando o ocorrido. Com a palavra, o conselheiro Jorge Castro corroborou o posicionamento do conselheiro Marco Martins, observando que se a parada de manutenção for realizada na época das chuvas, haverá aumento do tempo de navios com operação paralisada e/ou esperando para atracar nos cais e assim os custos aumentarão. VII. Comunicados finais de interesse: já contemplados durante a reunião, nos assuntos tratados de forma generalizada no item anterior. Como nada mais houvesse a tratar, o Presidente finalizou a reunião e eu, Ivair Alves Santos, secretário executivo deste Conselho, lavrei esta Ata, que, após lida e achada conforme, vai assinada por mim, pelo Presidente e pelos conselheiros presentes. Salvador, 25 de março de MARTINHO CÂNDIDO VELLOSO DOS SANTOS PAULO HENRIQUE DE ALMEIDA Bloco I Governo Federal (Presidente - Titular) Bloco I Governo do Estado (Suplente) ALBERTO CHICOUREL NETO RENATO NEVES DA ROCHA FILHO Bloco I Município (Titular) Bloco II Administração Portuária (Titular) ANTÔNIO ALBERTO COTRIM SILVA JORGE DE CASTRO SILVA Bloco II Administração Portuária (Suplente) Bloco II Armadores (Titular) LÚCIO FÉLIX DE SOUZA FILHO ELIZABETH AKEMI ISHII KODATO Bloco II Terminais Privados (Titular) Bloco II Demais Operadores Portuários (Suplente) IVAN PEDRO BISPO DOS SANTOS EDENVAL JOSÉ DE CARVALHO URPIA Bloco III Trabalhadores Portuários Avulsos (Titular) Bloco III Trabalhadores Portuários Avulsos (Titular) 5

6 ULISSES SOUZA OLIVEIRA JÚNIOR Bloco III Demais Trabalhadores Portuários com Vínculo (Titular) LUIZ FERNANDO STUDART RAMOS DE QUEIROZ Bloco IV Proprietários e Consignatários de Mercadorias (Titular) ADARY OLIVEIRA Bloco IV Proprietários e Consignatários de Mercadorias (Titular) JOAQUIM LUIZ DE SOUZA Bloco IV Terminais Retroportuários (Titular) JOSÉ FREDERICO MACIEL Bloco IV Importadores e Exportadores de Mercadorias (Suplente) CARLOS ANTÔNIO BORGES COHIM SILVA Bloco IV Proprietários e Consignatários de Mercadorias (Suplente) MARCO AURÉLIO LUIZ MARTINS Bloco IV Proprietários e Consignatários de Mercadorias (Suplente) IVAIR ALVES SANTOS Secretário Executivo 6

ATA DA 212ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE AUTORIDADE PORTUÁRIA CAP DOS PORTOS DE SALVADOR E ARATU, REALIZADA EM 15 DE ABRIL DE 2011 Às oito horas

ATA DA 212ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE AUTORIDADE PORTUÁRIA CAP DOS PORTOS DE SALVADOR E ARATU, REALIZADA EM 15 DE ABRIL DE 2011 Às oito horas 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 ATA DA 212ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE AUTORIDADE PORTUÁRIA

Leia mais

ATA 94ª RO CAP/PSFS 1. VERIFICAÇÃO DE PRESENÇA E APROVAÇÃO DA ATA DA 93ª REUNIÃO ORDINÁRIA

ATA 94ª RO CAP/PSFS 1. VERIFICAÇÃO DE PRESENÇA E APROVAÇÃO DA ATA DA 93ª REUNIÃO ORDINÁRIA LOCAL E DATA ATA 94ª RO CAP/PSFS No dia 04 de novembro de 2003, às 09h30m, no auditório do Hotel Zibamba, no Município de São Francisco do Sul, sob a presidência de Marco Antônio Dechichi, representante

Leia mais

ATA DA 48ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL. DA GERÊNCIA EXECUTIVA DO INSS NO DISTRITO FEDERAL.

ATA DA 48ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL. DA GERÊNCIA EXECUTIVA DO INSS NO DISTRITO FEDERAL. ATA DA 48ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO DA GERÊNCIA EXECUTIVA DO INSS NO DISTRITO FEDERAL. Aos vinte e nove dias do mês de janeiro de dois mil e quatorze, as dez horas e trinta minutos deu-se a última chamada

Leia mais

Regimento Interno do Conselho de Gestão Ambiental do Porto do Rio Grande

Regimento Interno do Conselho de Gestão Ambiental do Porto do Rio Grande Regimento Interno do Conselho de Gestão Ambiental do Porto do Rio Grande CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO, ESTRUTURA E ORGANIZAÇÃO Art.1º. O Conselho de Gestão Ambiental do Porto do Rio Grande (doravante denominado

Leia mais

Portos Brasileiros: Diagnósticos, Políticas e Perspectivas

Portos Brasileiros: Diagnósticos, Políticas e Perspectivas Portos Brasileiros: Diagnósticos, Políticas e Perspectivas Congresso Internacional NAVEGAR 2010 Carlos Campos Neto Carlos.campos@ipea.gov.br Porto Alegre, agosto de 2010 2/33 Sumário Diagnóstico Marco

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS FACULDADE DE DIREITO E RELAÇÕES INTERNACIONAIS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS FACULDADE DE DIREITO E RELAÇÕES INTERNACIONAIS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS FACULDADE DE DIREITO E RELAÇÕES INTERNACIONAIS ATA DA SEXTA REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DIRETOR DA FACULDADE DE DIREITO E RELAÇÕES

Leia mais

Capacitação e Qualificação Profissional do Trabalhador Portuário elementos para formulação de uma política em um cenário pós Lei 12.815/13.

Capacitação e Qualificação Profissional do Trabalhador Portuário elementos para formulação de uma política em um cenário pós Lei 12.815/13. Capacitação e Qualificação Profissional do Trabalhador Portuário elementos para formulação de uma política em um cenário pós Lei 12.815/13. 1ª REUNIÃO FORUM A nova Lei dos Portos (Lei nº 12.815/2013),

Leia mais

ATA DA DÉCIMA TERCEIRA REUNIÃO DA COMISSÃO PERMANENTE DO PROGRAMA DE APOIO A PLANOS DE REESTRUTURAÇÃO E EXPANSÃO DAS UNIVERSIDADES FEDERAIS REUNI NA

ATA DA DÉCIMA TERCEIRA REUNIÃO DA COMISSÃO PERMANENTE DO PROGRAMA DE APOIO A PLANOS DE REESTRUTURAÇÃO E EXPANSÃO DAS UNIVERSIDADES FEDERAIS REUNI NA ATA DA DÉCIMA TERCEIRA REUNIÃO DA COMISSÃO PERMANENTE DO PROGRAMA DE APOIO A PLANOS DE REESTRUTURAÇÃO E EXPANSÃO DAS UNIVERSIDADES FEDERAIS REUNI NA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA, realizada no dia dez do mês

Leia mais

Data : 23.08.2012 Horário: 09:00 Local : Sala de reuniões da Gex-Chapecó/SC Rua Condá, 600D Bairro Santa Maria- Chapecó-SC

Data : 23.08.2012 Horário: 09:00 Local : Sala de reuniões da Gex-Chapecó/SC Rua Condá, 600D Bairro Santa Maria- Chapecó-SC INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL ATA DA QUINQUAGÉSIMA OITAVA (58ª) REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DA GERÊNCIA-EXECUTIVA DO INSS EM CHAPECÓ-SC Data : 23.08.2012 Horário: 09:00 Local

Leia mais

PORTARIA Nº 281, DE 16 DE JUNHO DE 2015

PORTARIA Nº 281, DE 16 DE JUNHO DE 2015 PORTARIA Nº 281, DE 16 DE JUNHO DE 2015 Aprova o anexo Regimento Interno do Fórum Permanente para o Transporte Rodoviário de Cargas. O SECRETÁRIO-EXECUTIVO, SUBSTITUTO, DO MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES, no

Leia mais

PROJETO OUVIDORIA VAI À ESCOLA

PROJETO OUVIDORIA VAI À ESCOLA PROJETO OUVIDORIA VAI À ESCOLA SALVADOR 2012 GOVERNADOR Jaques Wagner VICE-GOVERNADOR Otto Alencar SECRETÁRIO DA EDUCAÇÃO Osvaldo Barreto Filho SUB-SECRETÁRIO DA EDUCAÇÃO Aderbal de Castro Meira Filho

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL ATA DA 16ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DA GERÊNCIA-EXECUTIVA DO INSS EM VARGINHA/MG. Data: 28/02/2007 Horário:14:30hs Local: Gerência Executiva

Leia mais

Manuel Lima Soares Filho Presidente do CEG/FDID. Anastácio Jorge Matos de Souza Marinho Conselheiro - PGE

Manuel Lima Soares Filho Presidente do CEG/FDID. Anastácio Jorge Matos de Souza Marinho Conselheiro - PGE 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 Aos oito dias do mês de janeiro de dois mil e sete, às nove horas,

Leia mais

Política Portuária Nacional e Programa de Arrendamentos

Política Portuária Nacional e Programa de Arrendamentos Política Portuária Nacional e Programa de Arrendamentos Antonio Henrique P. Silveira Ministro-Chefe da Secretaria de Portos Comissão de Fiscalização Financeira e Controle 10/jun/2014 Novo Marco do Setor

Leia mais

CONSELHO DE AUTORIDADE PORTUÁRIA CAP PORTOS DE NATAL E AREIA BRANCA

CONSELHO DE AUTORIDADE PORTUÁRIA CAP PORTOS DE NATAL E AREIA BRANCA CONSELHO DE AUTORIDADE PORTUÁRIA CAP PORTOS DE NATAL E AREIA BRANCA ATA DA 167ª REUNIÃO ORDINÁRIA, LAVRADA SOB A FORMA DE SUMÁRIO. DATA E HORA: LOCAL: QUORUM: 18 de setembro de 2009, às 09h00 horas. Sede

Leia mais

Decisão do STF permite contratação de professores federais por Organização Social

Decisão do STF permite contratação de professores federais por Organização Social Decisão do STF permite contratação de professores federais por Organização Social Na mesma semana em que os trabalhadores brasileiros tomaram as ruas e conseguiram suspender a votação do Projeto de Lei

Leia mais

ICKBio MMA MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE

ICKBio MMA MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE ICKBio INSTRUÇÃO NORMATIVA No- 11, DE 8 DE JUNHO DE 2010 Disciplina as diretrizes, normas e procedimentos para a formação e funcionamento de Conselhos Consultivos em unidades de conservação federais. O

Leia mais

CIRCULAR 085/2007 Paranaguá, 29 de maio de 2007.

CIRCULAR 085/2007 Paranaguá, 29 de maio de 2007. Sindicato dos Operadores Portuários do Estado do Paraná Av. Coronel José Lobo, 734 Fone:(41) 3422.8000 Fax: (41) 3423.2834 Paranaguá - PR E-mail: sindop@sindop.org.br - www.sindop.org.br CIRCULAR 085/2007

Leia mais

CIRCULAR 043/2007 Paranaguá, 26 de março de 2007.

CIRCULAR 043/2007 Paranaguá, 26 de março de 2007. Sindicato dos Operadores Portuários do Estado do Paraná Av. Coronel José Lobo, 734 Fone:(41) 3422.8000 Fax: (41) 3423.2834 Paranaguá - PR E-mail: sindop@sindop.org.br - www.sindop.org.br CIRCULAR 043/2007

Leia mais

LEI Nº 2.998/2007 CAPÍTULO I DA COMPOSIÇÃO

LEI Nº 2.998/2007 CAPÍTULO I DA COMPOSIÇÃO LEI Nº 2.998/2007 REGULAMENTA O CONSELHO MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO URBANO - COPLAN, CRIADO NO ARTIGO 2º, DA LEI COMPLEMENTAR N.º 037/2006, DE 15 DE DEZEMBRO, QUE DISPOE SOBRE NORMAS DE

Leia mais

Ministério da Educação - MEC

Ministério da Educação - MEC Ministério da Educação - MEC Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação - SETEC Instituto Federal de Educação, Ciência de Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais. Diretoria

Leia mais

Audiência Pública Senado Federal Comissão de Agricultura e Reforma Agrária Comissão de Serviços de Infraestrutura

Audiência Pública Senado Federal Comissão de Agricultura e Reforma Agrária Comissão de Serviços de Infraestrutura Presidência da República Secretaria de Portos Audiência Pública Senado Federal Comissão de Agricultura e Reforma Agrária Comissão de Serviços de Infraestrutura 29 de junho de 2010 Subsecretário de Planejamento

Leia mais

CAPÍTULO I: DA NATUREZA E FINALIDADE

CAPÍTULO I: DA NATUREZA E FINALIDADE REGULAMENTO DOS NÚLCLEOS DE ESTUDOS AFRO-BRASILEIROS E INDÍGENAS (NEABIs) DO IFRS Aprovado pelo Conselho Superior do IFRS, conforme Resolução nº 021, de 25 de fevereiro de 2014. CAPÍTULO I: DA NATUREZA

Leia mais

CONSELHO ACADÊMICO DO ENSINO DE GRADUAÇÃO ATA DA 26ª REUNIÃO

CONSELHO ACADÊMICO DO ENSINO DE GRADUAÇÃO ATA DA 26ª REUNIÃO Aos dezessete dias do mês de maio de dois mil e doze, às oito horas e trinta minutos, na sala de 5 10 15 20 25 reuniões da Reitoria, teve início a 26ª Reunião do Conselho Acadêmico de Ensino de Graduação

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CONSELHO DE AUTORIDADE PORTUÁRIA PORTOS DE SALVADOR E ARATU SUMÁRIO

REGIMENTO INTERNO CONSELHO DE AUTORIDADE PORTUÁRIA PORTOS DE SALVADOR E ARATU SUMÁRIO REGIMENTO INTERNO CONSELHO DE AUTORIDADE PORTUÁRIA SUMÁRIO CAPÍTULO I - COMPETÊNCIA ART. 1º CAPÍTULO II - COMPOSIÇÃO ART. 2º a 4º CAPÍTULO III - REQUISITOS E IMPEDIMENTOS ART. 5º a 6º CAPÍTULO IV - DEVERES

Leia mais

Com característica de transporte de cargas com grandes volumes e conseqüente redução de custos, o transporte marítimo na matriz de transporte

Com característica de transporte de cargas com grandes volumes e conseqüente redução de custos, o transporte marítimo na matriz de transporte 61 6 Conclusão Neste capítulo apresentaremos algumas conclusões sobre o conteúdo deste trabalho, tais conclusões servirão para avaliar a atual situação logística do comércio exterior brasileiro através

Leia mais

FORUM PERMANENTE DA AGENDA 21 LOCAL DE SAQUAREMA REGIMENTO INTERNO. CAPITULO 1-Da natureza, sede, finalidade, princípios e atribuições:

FORUM PERMANENTE DA AGENDA 21 LOCAL DE SAQUAREMA REGIMENTO INTERNO. CAPITULO 1-Da natureza, sede, finalidade, princípios e atribuições: FORUM PERMANENTE DA AGENDA 21 LOCAL DE SAQUAREMA REGIMENTO INTERNO CAPITULO 1-Da natureza, sede, finalidade, princípios e atribuições: Artigo I: O Fórum Permanente da Agenda 21 de Saquarema, criado pelo

Leia mais

Regimento Interno do Comitê de Remuneração e Sucessão

Regimento Interno do Comitê de Remuneração e Sucessão Regimento Interno do Comitê de Remuneração e Sucessão 1 ARTIGO Artigo 1º - NATUREZA, OBJETO E APROVAÇÃO DO REGIMENTO INTERNO Artigo 2º - COMPOSIÇÂO, CARGOS E MANDATOS Artigo 3º - DA PRESIDÊNCIA E SECRETARIADO

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO CONSULTIVO DO AUDIOVISUAL DE PERNAMBUCO

REGIMENTO DO CONSELHO CONSULTIVO DO AUDIOVISUAL DE PERNAMBUCO REGIMENTO DO CONSELHO CONSULTIVO DO AUDIOVISUAL DE PERNAMBUCO CAPITULO I DA NATUREZA E FINALIDADE Art. 1º - O Conselho Consultivo do Audiovisual de Pernambuco, órgão colegiado permanente, consultivo e

Leia mais

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES Secretaria de Gestão dos Programas de Transportes. A Melhoria da Estrutura Portuária

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES Secretaria de Gestão dos Programas de Transportes. A Melhoria da Estrutura Portuária MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES Secretaria de Gestão dos Programas de Transportes A Melhoria da Estrutura Portuária AGENDA PORTOS Coordenação das ações de governo, na Câmara de Política de Infra-estrutura,

Leia mais

Ata de Reunião. Data da Reunião: 02/07/2013 Horário: 10h00min às 18h00min Local: Apex Brasil.

Ata de Reunião. Data da Reunião: 02/07/2013 Horário: 10h00min às 18h00min Local: Apex Brasil. Ata de Reunião 1. IDENTIFICAÇÃO DA REUNIÃO Data da Reunião: 02/07/2013 Horário: 10h00min às 18h00min Local: Apex Brasil. Líder da Reunião: Regina Silvério Telefones: (61) 3426-0785 Ordem do dia: Reunião

Leia mais

RESUMO DA 3ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO SUPERIOR EM 22 DE MAIO DE 2013

RESUMO DA 3ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO SUPERIOR EM 22 DE MAIO DE 2013 RESUMO DA 3ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO SUPERIOR EM 22 DE MAIO DE 2013 1 Expediente Retorno e ciência do parecer jurídico da Procuradoria Federal sobre a nova composição do Conselho Superior A Reitora

Leia mais

Relatório da Oficina das Agendas de Implementação e Monitoramento do PMGIRS

Relatório da Oficina das Agendas de Implementação e Monitoramento do PMGIRS Relatório da Oficina das Agendas de Implementação e Monitoramento do PMGIRS OURO VERDE - SC PRODUTO 11 Setembro de 2014 1 SUMÁRIO 1. Identificação 3 2. Objetivo da Atividade 3 3. Relato da atividade 3

Leia mais

CRA Departamento de Comunicação e Marketing Ata de Reunião 23.10.2008

CRA Departamento de Comunicação e Marketing Ata de Reunião 23.10.2008 CRA Departamento de Comunicação e Marketing Ata de Reunião 23.10.2008 I. Chamada de Ordem Adm. Glaucia Pascoaleto Araujo Conselho Regional dos Administradores de São Paulo. Reunião com Coordenadores dos

Leia mais

Ata de Reunião. Ministério Público do Estado de Goiás 8:30 HORAS SALA T-11 - MPGO 22/09/08 REUNIÃO PRESIDIDA POR TIPO DE REUNIÃO

Ata de Reunião. Ministério Público do Estado de Goiás 8:30 HORAS SALA T-11 - MPGO 22/09/08 REUNIÃO PRESIDIDA POR TIPO DE REUNIÃO Ata de Reunião 22/09/08 8:30 HORAS SALA T-11 - MPGO REUNIÃO PRESIDIDA POR TIPO DE REUNIÃO SECRETÁRIO PARTICIPANTES Maurício Alexandre Gebrim 3 a Reunião Ordinária da Comissão de Gestão Ambiental Déborah

Leia mais

ATA DA DÉCIMA SEGUNDA REUNIÃO DA COMISSÃO PERMANENTE DO PROGRAMA DE APOIO A PLANOS DE REESTRUTURAÇÃO E EXPANSÃO DAS UNIVERSIDADES FEDERAIS REUNI NA

ATA DA DÉCIMA SEGUNDA REUNIÃO DA COMISSÃO PERMANENTE DO PROGRAMA DE APOIO A PLANOS DE REESTRUTURAÇÃO E EXPANSÃO DAS UNIVERSIDADES FEDERAIS REUNI NA ATA DA DÉCIMA SEGUNDA REUNIÃO DA COMISSÃO PERMANENTE DO PROGRAMA DE APOIO A PLANOS DE REESTRUTURAÇÃO E EXPANSÃO DAS UNIVERSIDADES FEDERAIS REUNI NA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA, realizada no dia três do mês

Leia mais

CONSELHO DE AUTORIDADE PORTUÁRIA - CAP PORTO DE SÃO FRANCISCO DO SUL SC

CONSELHO DE AUTORIDADE PORTUÁRIA - CAP PORTO DE SÃO FRANCISCO DO SUL SC ATA DA 139ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE AUTORIDADE PORTUÁRIA DO PORTO DE SÃO FRANCISCO DO SUL REALIZADA AOS VINTE E UM DIAS DO MÊS DE SETEMBRO DO ANO DE DOIS MIL E NOVE. Aos vinte e um dias do mês

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO. Assunto Ação Responsável Prazo

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO. Assunto Ação Responsável Prazo MISSÃO: Implementar um novo modelo de gestão do Estado de Mato Grosso, comprometido com a inclusão social, o desenvolvimento econômico sustentável e a superação das desigualdades sociais e regionais. GOVERNO

Leia mais

Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros

Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros Uma evolução nos sistemas de controle gerencial e de planejamento estratégico Francisco Galiza Roteiro Básico 1 SUMÁRIO:

Leia mais

ATA DA AUDIÊNCIA PÚBLICA 001/99, REALIZADA EM 14 DE MAIO DE 1999.

ATA DA AUDIÊNCIA PÚBLICA 001/99, REALIZADA EM 14 DE MAIO DE 1999. ATA DA AUDIÊNCIA PÚBLICA 001/99, REALIZADA EM 14 DE MAIO DE 1999. Aos quatorze dias do mês de maio de mil novecentos e noventa e nove, às quatorze horas e trinta minutos, no Auditório da Agência Nacional

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE - Conselho Nacional de Saúde - Comissão Nacional de Ética em Pesquisa GLOSSÁRIO

MINISTÉRIO DA SAÚDE - Conselho Nacional de Saúde - Comissão Nacional de Ética em Pesquisa GLOSSÁRIO MINISTÉRIO DA SAÚDE - Conselho Nacional de Saúde - Comissão Nacional de Ética em Pesquisa GLOSSÁRIO A Aguardando apreciação do colegiado Situação do projeto visível apenas para os membros do CEP, neste

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO ANUAL

RELATÓRIO TÉCNICO ANUAL ( L O G O M A R C A DO Ó R G Ã O C O N T R A T A N T E ) CONTRATO DE GESTÃO Nº / ORGANIZAÇAO SOCIAL: UNIDADE PUBLICIZADA: RELATÓRIO TÉCNICO ANUAL ANO Data da entrega do Relatório: / / Recebido por: Sumário

Leia mais

CONSELHO ADMINISTRATIVO

CONSELHO ADMINISTRATIVO 1 CONSELHO ADMINISTRATIVO ATA DA TERCEIRA REUNIÃO ORDINÁRIA ANO 2013 Felixlândia, 09 de abril de 2013. Horário:14h00min. Local:Sala do Ipremfel Conselheiros Presentes: José Messias Mariz, Marcos Benedito

Leia mais

V Encontro Nacional dos Representantes Empresariais nos Conselhos de Autoridade Portuária. A Integração da ANTAQ com o CAP

V Encontro Nacional dos Representantes Empresariais nos Conselhos de Autoridade Portuária. A Integração da ANTAQ com o CAP V Encontro Nacional dos Representantes Empresariais nos Conselhos de Autoridade Portuária A Integração da ANTAQ com o CAP Fernando Fialho Diretor-Geral da ANTAQ Brasília, 14 de setembro de 2006 Sumário

Leia mais

2 3ATA DA 128ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE 4DE FORTALEZA 5Às quatorze horas do dia doze de janeiro do ano de dois mil e dez, no

2 3ATA DA 128ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE 4DE FORTALEZA 5Às quatorze horas do dia doze de janeiro do ano de dois mil e dez, no 1 3ATA DA 18ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE 4DE FORTALEZA 5Às quatorze horas do dia doze de janeiro do ano de dois mil e dez, no Auditório do 6CMSF, situado na Rua do Rosário, nº 83

Leia mais

ASSOCIAÇÃO JUINENSE DE ENSINO SUPERIOR DO VALE DO JURUENA AJES INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DO VALE DO JURUENA

ASSOCIAÇÃO JUINENSE DE ENSINO SUPERIOR DO VALE DO JURUENA AJES INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DO VALE DO JURUENA ASSOCIAÇÃO JUINENSE DE ENSINO SUPERIOR DO VALE DO JURUENA AJES INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DO VALE DO JURUENA ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO Ata Nº. 0072 Aos vinte e dois dias

Leia mais

Item 2.0 Aprovação da Ata 21

Item 2.0 Aprovação da Ata 21 - 1-1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 ATA DA VIGÉSIMA TERCEIRA REUNIÃO DA COMISSÃO PERMANENTE DO PROGRAMA DE APOIO A PLANOS DE REESTRUTURAÇÃO E EXPANSÃO DAS

Leia mais

COMPARTILHAMENTO ENTRE BIBLIOTECAS DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO REGIMENTO

COMPARTILHAMENTO ENTRE BIBLIOTECAS DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO REGIMENTO COMPARTILHAMENTO ENTRE BIBLIOTECAS DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO REGIMENTO CAPÍTULO I Da denominação, localização e finalidades Art. 1º O Compartilhamento entre Bibliotecas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL MG COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS (CEUA) REGIMENTO INTERNO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL MG COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS (CEUA) REGIMENTO INTERNO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL MG COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS (CEUA) REGIMENTO INTERNO I INTRODUÇÃO Art. 1º. A Comissão de Ética no Uso de Animais (CEUA), organizada pela UNIFAL MG, é um

Leia mais

VICE-DIREÇÃO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO REGIMENTO INTERNO DA COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO

VICE-DIREÇÃO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO REGIMENTO INTERNO DA COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO VICE-DIREÇÃO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO REGIMENTO INTERNO DA COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO Da Concepção e Objetivos Art.1º A extensão acadêmica é um processo educativo, cultural, que se articula ao ensino

Leia mais

COLEGIADO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO

COLEGIADO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 ATA DA SEPTOAGÉSIMA TERCEIRA REUNIÃO DO COLEGIADO DO CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO DA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA (RN) RN - 006/01

RESOLUÇÃO NORMATIVA (RN) RN - 006/01 RESOLUÇÃO NORMATIVA (RN) RN - 006/01 EMITENTE Presidência Aprovada pela Diretoria REUNIÃO DE 01/06/2005 Revisão Nº 01 Aprovada pela Diretoria REUNIÃO DE 10/01/2007 ASSUNTO Contratação de Prestação de Serviços

Leia mais

SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A.

SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A. SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A. CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REGIMENTO INTERNO DOS COMITÊS COMITÊ DE FINANÇAS E ORÇAMENTO APROVADO PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO EM 24 DE SETEMBRO DE 2014 SUMÁRIO I INTRODUÇÃO

Leia mais

Kit de Apoio à Gestão Pública 1

Kit de Apoio à Gestão Pública 1 Kit de Apoio à Gestão Pública 1 Índice CADERNO 3: Kit de Apoio à Gestão Pública 3.1. Orientações para a reunião de Apoio à Gestão Pública... 03 3.1.1. O tema do Ciclo 4... 03 3.1.2. Objetivo, ações básicas

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COLÉGIO DE PRESIDENTES DAS SUBSEÇÕES CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E FINALIDADES

REGIMENTO INTERNO DO COLÉGIO DE PRESIDENTES DAS SUBSEÇÕES CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E FINALIDADES 1 REGIMENTO INTERNO DO COLÉGIO DE PRESIDENTES DAS SUBSEÇÕES CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E FINALIDADES Art. 1º O Colégio de Presidentes das Subseções é órgão de Consulta, Sugestões e de Recomendações ao Conselho

Leia mais

SECRETARIA DE SAÚDE SECRETARIA EXECUTIVA DE COORDENAÇÃO GERAL DIRETORIA GERAL DE PLANEJAMENTO - GERÊNCIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA E PARTICIPATIVA

SECRETARIA DE SAÚDE SECRETARIA EXECUTIVA DE COORDENAÇÃO GERAL DIRETORIA GERAL DE PLANEJAMENTO - GERÊNCIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA E PARTICIPATIVA NOTA TÉCNICA 07/13 RELATÓRIO ANUAL DE GESTÃO - RAG ORIENTAÇÕES GERAIS Introdução O Planejamento é um instrumento de gestão, que busca gerar e articular mudanças e aprimorar o desempenho dos sistemas de

Leia mais

ATA DE REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA

ATA DE REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA Aos vinte e sete dias do mês de dezembro do ano de dois mil e seis, às quatorze horas e treze minutos, na empresa Associação de Ensino Superior de Nova Iguaçu, sediada na Acidentes, registrada na delegacia

Leia mais

Projeto Alvorada: ação onde o Brasil é mais pobre

Projeto Alvorada: ação onde o Brasil é mais pobre Projeto Alvorada: ação onde o Brasil é mais pobre N o Brasil há 2.361 municípios, em 23 estados, onde vivem mais de 38,3 milhões de pessoas abaixo da linha de pobreza. Para eles, o Governo Federal criou

Leia mais

Apresentação. Caicó/RN 2010

Apresentação. Caicó/RN 2010 Regimento Interno da Comissão Própria de Avaliação da Faculdade Católica Santa Teresinha CPA/FCST (Aprovado pela Resolução 001/2010-DG/FCST, datado de 14/07/2010) Caicó/RN 2010 Apresentação O Regimento

Leia mais

ATA DA 198ª REUNIÃO ORDINÁRIA

ATA DA 198ª REUNIÃO ORDINÁRIA ATA DA 198ª REUNIÃO ORDINÁRIA Aos vinte e dois dias do mês de outubro do ano de dois mil e doze, às nove horas, reuniu-se o Conselho de Autoridade Portuária do Porto do Rio Grande - CAP/RG, na sede da

Leia mais

Conforme solicitação dos Conselheiros, a reunião teve a seguinte estrutura:

Conforme solicitação dos Conselheiros, a reunião teve a seguinte estrutura: Ata da 1 Reunião Extraordinária do Conselho de Usuários STFC da Companhia de Telecomunicações do Brasil Central - CTBC da cidade de Franca estado de São Paulo no dia 03 de dezembro de 2008 às 09h02min.

Leia mais

Fundo Setorial de Petróleo e Gás Natural Comitê Gestor REGIMENTO INTERNO

Fundo Setorial de Petróleo e Gás Natural Comitê Gestor REGIMENTO INTERNO MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO Fundo Setorial de Petróleo e Gás Natural Comitê Gestor REGIMENTO INTERNO (aprovado na 49ª Reunião do Comitê realizada em 11 de abril de 2013) CAPÍTULO I Do

Leia mais

ATA DA REUNIÃO CONJUNTA DAS CÂMARAS SETORIAIS DE HABITAÇÃO E URBANISMO/MEIO AMBIENTE/ AGRICULTURA E ABASTECIMENTO E IND. COM.

ATA DA REUNIÃO CONJUNTA DAS CÂMARAS SETORIAIS DE HABITAÇÃO E URBANISMO/MEIO AMBIENTE/ AGRICULTURA E ABASTECIMENTO E IND. COM. ATA DA REUNIÃO CONJUNTA DAS CÂMARAS SETORIAIS DE HABITAÇÃO E URBANISMO/MEIO AMBIENTE/ AGRICULTURA E ABASTECIMENTO E IND. COM. E MINERAÇÃO Aos seis dias do mês de fevereiro do ano de dois mil e sete, reuniu-se

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DO HOSPITAL MATERNO INFANTIL PRESIDENTE VARGAS. Capítulo I Da denominação e sede

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DO HOSPITAL MATERNO INFANTIL PRESIDENTE VARGAS. Capítulo I Da denominação e sede REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DO HOSPITAL MATERNO INFANTIL PRESIDENTE VARGAS Capítulo I Da denominação e sede Art. 1º A Associação dos Amigos do Hospital Materno-Infantil Presidente Vargas,

Leia mais

NOTA TÉCNICA No 1/2011

NOTA TÉCNICA No 1/2011 Agência Nacional de Vigilância Sanitária NOTA TÉCNICA No 1/2011 Esclarecimentos e orientações sobre o funcionamento de instituições que prestem serviços de atenção a pessoas com transtornos decorrentes

Leia mais

PROCEDIMENTO DA QUALIDADE

PROCEDIMENTO DA QUALIDADE Pág.: 1 de 6 1. OBJETIVO Realizar o gerenciamento dos projetos desde o seu planejamento, desenvolvimento, recebimento, análise crítica, controle e distribuição nas obras. 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA Manual

Leia mais

Representante da Sociedade Civil Organizada Calixto Nunes da França. Representante Discente Artur da Costa Júnior

Representante da Sociedade Civil Organizada Calixto Nunes da França. Representante Discente Artur da Costa Júnior I DADOS DA INSTITUIÇÃO Nome: Faculdade de Medicina de Juazeiro do Norte Código da IES INEP: 1547 Caracterização da IES: Instituição Privada Sem Fins Lucrativos Estado: Ceará Cidade: Juazeiro do Norte Composição

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 016/2015 DE 05 DE MARÇO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 016/2015 DE 05 DE MARÇO DE 2015 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 016/2015 DE 05

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO. PORTARIA Nº CF-POR-2012/00116 de 11 de maio de 2012

PODER JUDICIÁRIO. PORTARIA Nº CF-POR-2012/00116 de 11 de maio de 2012 PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL CONSELHO DA JUSTIÇA FEDERAL PORTARIA Nº CF-POR-2012/00116 de 11 de maio de 2012 Dispõe sobre a composição, o funcionamento e as atribuições dos Comitês Gestores do Código

Leia mais

NORMA DE AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO FUNCIONAL - NOR 312

NORMA DE AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO FUNCIONAL - NOR 312 MANUAL DE GESTÃO DE PESSOAS COD. 300 ASSUNTO: AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO FUNCIONAL COD: NOR 312 APROVAÇÃO: Resolução DIREX Nº 009/2012 de 30/01/2012 NORMA DE AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO 1/17 ÍNDICE

Leia mais

Wilen Manteli Diretor Presidente - ABTP

Wilen Manteli Diretor Presidente - ABTP "A importância dos terminais portuários para a competitividade do Polo de Camaçari Wilen Manteli Diretor Presidente - ABTP 19 de Setembro de 2014 Salvador - BA Caracterização A luta por uma legislação

Leia mais

medida. nova íntegra 1. O com remuneradas terem Isso é bom

medida. nova íntegra 1. O com remuneradas terem Isso é bom Entrevista esclarece dúvidas sobre acúmulo de bolsas e atividadess remuneradas Publicada por Assessoria de Imprensa da Capes Quinta, 22 de Julho de 2010 19:16 No dia 16 de julho de 2010, foi publicada

Leia mais

A VERDADE SOBRE AS FUNERÁRIAS NO MUNICÍPIO DO RJ:

A VERDADE SOBRE AS FUNERÁRIAS NO MUNICÍPIO DO RJ: A VERDADE SOBRE AS FUNERÁRIAS NO MUNICÍPIO DO RJ: Quando Sérgio Arouca assumiu a Secretaria Municipal de Saúde do RJ, publicou um decreto colocando o sistema funerário para controle dos assistentes sociais.

Leia mais

PROCESSO Nº 23062.000509/12-59

PROCESSO Nº 23062.000509/12-59 Destaques da Proposta de Programa de Capacitação dos Servidores Técnico- Administrativos em Educação aprovados durante a 435ª Reunião do Conselho Diretor PROCESSO Nº 23062.000509/12-59 ALTERAÇÕES GERAIS

Leia mais

Ata n. 25 da Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Medeiros Neto BA.

Ata n. 25 da Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Medeiros Neto BA. Ata n. 25 da Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Medeiros Neto BA. Aos quatro (04) dias do Mês de Março (03) do ano de Dois Mil e Treze (2013), às 17:35 horas, com a presença de nove (09) vereadores,

Leia mais

SÚMULA DA 69ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO

SÚMULA DA 69ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO Data: 17 de dezembro de 2013 Local: Sala de GT s - Edifício "Santo Antônio de Sant'Anna Galvão" Av. Rebouças, 1028 2º andar Jardim Paulista São Paulo / SP Coordenação: Eng. civil, eng. oper. mec. máq.

Leia mais

RESPOSTAS E ESCLARECIMENTOS ÀS CONTRIBUIÇÕES RECEBIDAS NA CONSULTA PÚBLICA PARA REVISÃO DA POLIGONAL DO PORTO ORGANIZADO DE VILA DO CONDE

RESPOSTAS E ESCLARECIMENTOS ÀS CONTRIBUIÇÕES RECEBIDAS NA CONSULTA PÚBLICA PARA REVISÃO DA POLIGONAL DO PORTO ORGANIZADO DE VILA DO CONDE PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE PORTOS SECRETARIA DE POLÍTICAS PORTUÁRIAS RESPOSTAS E ESCLARECIMENTOS ÀS CONTRIBUIÇÕES RECEBIDAS NA CONSULTA PÚBLICA PARA REVISÃO DA POLIGONAL DO PORTO ORGANIZADO

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE

REGIMENTO INTERNO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE REGIMENTO INTERNO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE TÍTULO I DA COMPOSIÇÃO E DAS COMPETÊNCIAS CAPÍTULO I - DA COMPOSIÇÃO Art. 1º O CONSEPE é o órgão colegiado superior que supervisiona e

Leia mais

2) ATIVIDADES O Conselho Comunitário é um fórum de caráter consultivo e, por natureza a ele compete:

2) ATIVIDADES O Conselho Comunitário é um fórum de caráter consultivo e, por natureza a ele compete: PROTOCOLO PROTOCOLO DE CONSTITUIÇÃO DO CONSELHO COMUNITÁRIO CONSULTIVO, CELEBRADO ENTRE AS EMPRESAS DO POLO PETROQUÍMICO DO SUL, SIGNATÁRIAS DO PROGRAMA ATUAÇÃO RESPONSÁVEL, E OS MEMBROS DAS COMUNIDADES

Leia mais

Conselho Gestor de Tecnologia da Informação e Comunicação Ata Nº 18, de 8 de outubro de 2014 (Sessão Extraordinária do Conselho Gestor de TIC)

Conselho Gestor de Tecnologia da Informação e Comunicação Ata Nº 18, de 8 de outubro de 2014 (Sessão Extraordinária do Conselho Gestor de TIC) Conselho Gestor de Tecnologia da Informação e Comunicação Ata Nº 18, de 8 de outubro de 2014 (Sessão Extraordinária do Conselho Gestor de TIC) Presidente: Leonardo Bidese de Pinho Aos oito dias de outubro

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA A DEFESA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EM PROTEÇÃO DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS DA UNIVERSIDADE DE ITAÚNA

PROCEDIMENTO PARA A DEFESA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EM PROTEÇÃO DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS DA UNIVERSIDADE DE ITAÚNA PROCEDIMENTO PARA A DEFESA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EM PROTEÇÃO DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS DA UNIVERSIDADE DE ITAÚNA O Coordenador do Curso de Mestrado da Universidade de Itaúna (UIT), Professor Dr. Gregório

Leia mais

PRODUTO 1 METODOLOGIA Plano Local de Habitação de Interesse Social PLHIS Município de Teresópolis - RJ

PRODUTO 1 METODOLOGIA Plano Local de Habitação de Interesse Social PLHIS Município de Teresópolis - RJ PRODUTO 1 METODOLOGIA Plano Local de Habitação de Interesse Social PLHIS Município de Teresópolis - RJ Setembro/2010 APRESENTAÇÃO Este documento denominado Metodologia é o primeiro produto apresentado

Leia mais

Faculdade de Direito Promove Comissão Própria de Avaliação PROJETO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

Faculdade de Direito Promove Comissão Própria de Avaliação PROJETO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Faculdade de Direito Promove Comissão Própria de Avaliação PROJETO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Abril de 2012 Página 1 de 11 Sumário Introdução 3 Justificativa 5 Objetivos 6 Metodologia 7 Dimensões de

Leia mais

Carta do II Fórum Brasileiro de Usuários de Portos - USUPORT

Carta do II Fórum Brasileiro de Usuários de Portos - USUPORT Carta do II Fórum Brasileiro de Usuários de Portos - USUPORT Os participantes do II Fórum Brasileiro de Usuários de Portos e Transporte, realizado em 11 de agosto de 2014, no Grande Hotel São Francisco,

Leia mais

PROJETO IICA/BRA/09/005 TERMO DE REFERÊNCIA: MODALIDADE PRODUTO

PROJETO IICA/BRA/09/005 TERMO DE REFERÊNCIA: MODALIDADE PRODUTO INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA PROJETO IICA/BRA/09/005 TERMO DE REFERÊNCIA: MODALIDADE PRODUTO 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratar consultoria por produto para formular

Leia mais

NORMA VISTORIA DE VEÍCULOS DE CARGA

NORMA VISTORIA DE VEÍCULOS DE CARGA CODEBA PALAVRAS CHAVES INSPEÇÃO, VEÍCULOS, CARGA P..04 DEX- 312ª REVISÃO N.º 1 / 6 SUMÁRIO 1. OBJETIVO 2. DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 3. PROCEDIMENTOS BÁSICOS 3.1 Acesso a Área de Operação Portuária 3.2

Leia mais

Ora, é hoje do conhecimento geral, que há cada vez mais mulheres licenciadas, com mestrado, doutoramentos, pós-docs e MBA s.

Ora, é hoje do conhecimento geral, que há cada vez mais mulheres licenciadas, com mestrado, doutoramentos, pós-docs e MBA s. Bom dia a todos e a todas, Não é difícil apontar vantagens económicas às medidas de gestão empresarial centradas na igualdade de género. Em primeiro lugar, porque permitem atrair e reter os melhores talentos;

Leia mais

ATA DA 40ª REUNIÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA DO CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS CONARQ

ATA DA 40ª REUNIÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA DO CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS CONARQ Conselho Nacional de Arquivos CONARQ ATA DA 40ª REUNIÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA DO CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS CONARQ 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 Aos seis dias do

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

CONPLAM Conselho de Planejamento Urbano e Meio Ambiente de Natal

CONPLAM Conselho de Planejamento Urbano e Meio Ambiente de Natal PEDIDO DE VISTAS Conselheiro WILSON LUIZ CARDOSO (Clube de Engenharia do RN) PROCESSO: Nº. 00000.022525/2008-73 (SEMURB) Cadastrado em 02/07/2008 ASSUNTO: Solicita Análise do CONPLAM sobre o substitutivo

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE USUÁRIOS DOS PORTOS DA BAHIA

ASSOCIAÇÃO DE USUÁRIOS DOS PORTOS DA BAHIA Por que Minha Empresa é Associada Usuport? Apresentamos aqui o resumo de atuação da Usuport, com os seus principais trabalhos, que demonstra a vantagem de se tornar uma associada. Construindo permanentemente

Leia mais

Processos Gerenciais

Processos Gerenciais UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Processos Gerenciais Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Processos Gerenciais. 1.

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE FARIAS BRITO

CÂMARA MUNICIPAL DE FARIAS BRITO ATA DA VIGÉSIMA SÉTIMA SESSÃO ORDINÁRIA DO SEGUNDO PERÍODO DA DÉCIMA OITAVA LEGISLATURA DA CÂMARA MUNICIPAL DE FARIAS BRITO, CEARÁ. Aos 04 (quatro) dias do mês de setembro de 2013 (dois mil e treze), às

Leia mais

REGIMENTO DA ESCOLA DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

REGIMENTO DA ESCOLA DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL REGIMENTO DA ESCOLA DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Sumário TÍTULO I - DA ESCOLA DE ENGENHARIA E SEUS FINS TÍTULO II - DOS ÓRGÃOS DA ADMINISTRAÇÃO DA ESCOLA DE ENGENHARIA CAPÍTULO

Leia mais

Planos de Logística e Contratações Sustentáveis

Planos de Logística e Contratações Sustentáveis Planos de Logística e Contratações Sustentáveis Jhéssica Cardoso Brasília, 5 de fevereiro de 2015 Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Elaborando Planos de Gestão de Logística Sustentável

Leia mais

PROCEDIMENTO SISTÊMICO DA QUALIDADE

PROCEDIMENTO SISTÊMICO DA QUALIDADE 1. OBJETIVO Estabelecer, documentar, implementar, aprimorar e manter um, que assegure a conformidade com os requisitos da norma de referência. 2. CONTROLE DE DOCUMENTOS E REGISTRO 2. CONTROLE DE DOCUMENTOS

Leia mais

Novas Regras Básicas para Estrutura e Funcionamento do FBEI

Novas Regras Básicas para Estrutura e Funcionamento do FBEI 1 Novas Regras Básicas para Estrutura e Funcionamento do FBEI 1. Finalidade O FBEI é uma instância de organização e articulação interinstitucional, suprapartidária, que agrega diversos órgãos, organizações

Leia mais

CÂMARA DE GRADUAÇÃO PARECER CEPE Nº 069/2014 ASSUNTO: Determinações ao Colegiado de Curso de Bacharelado em Ciências Contábeis, da UEPG. PROCESSO Nº 09296 de 13 de junho de 2014. RELATÓRIO Tendo em vista

Leia mais

RESOLUÇÃO CSA N.º 05, DE 14 DE ABRIL DE 2015

RESOLUÇÃO CSA N.º 05, DE 14 DE ABRIL DE 2015 RESOLUÇÃO CSA N.º 05, DE 14 DE ABRIL DE 2015 Altera o Regimento Interno da Comissão Própria de Avaliação (CPA) das Faculdades Ponta Grossa. A Presidente do Conselho Superior de Administração das Faculdades

Leia mais

Proposta de Candidatura Diretoria da Presidência Agrobio Consultoria Júnior Gestão 2013. Isabella Assunção Cerqueira Procópio

Proposta de Candidatura Diretoria da Presidência Agrobio Consultoria Júnior Gestão 2013. Isabella Assunção Cerqueira Procópio Proposta de Candidatura Diretoria da Presidência Agrobio Consultoria Júnior Gestão 2013 Isabella Assunção Cerqueira Procópio Janeiro de 2013 1 Sumário 1. Dados Básicos de Identificação...3 2. Histórico

Leia mais