Linha Phoenix com a cara do Windows 8

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Linha Phoenix com a cara do Windows 8"

Transcrição

1 Edição 106 Junho 2013 Publicação da Contmatic Phoenix para seus clientes e parceiros Linha Phoenix com a cara do Windows 8 Reestruturados e modernizados, os sistemas da Contmatic oferecem o que há de melhor no mercado; Live Cont faz conexão direta e em tempo real com as novidades da empresa Informática para ex-moradores de rua e dependentes químicos EFD-IRPJ, a nova obrigação acessória Dacon: prazo de entrega encerra-se no dia 7

2 editorial O cliente em primeiro lugar Em abril do ano passado, antecipei a vocês, parceiros e clientes, de que a Contmatic já trabalhava no desenvolvimento dos programas da Linha Phoenix com a cara do Windows 8. Pois bem, nossos sistemas, que já são referência nos mercados contábil, fiscal e administrativo, estão prontos e com layout parecido com o novo sistema operacional da Microsoft. O resultado de todo o trabalho está aí para ser comprovado. Com a cara do Windows 8 criamos novos instaladores, estilo de menu em árvore (TreeView), telas com o tema do Windows (XP Prateado, W7 e W8) e o Live Cont. Sérgio Contente Presidente da Contmatic Phoenix Idealizador e mantenedor da Fundação Sérgio Contente Deus seja louvado Nesta edição: 3 6 Confira o artigo de Anderson Hernandes sobre o mercado contábil 4 7 Vem aí o Sistema de Rastreamento e Autenticação de Mercadorias Dacon: entrega tem prazo 5 prorrogado até o dia 7 de junho 9 Com o novo instalador vocês ganham mais praticidade na instalação dos sistemas e com o TreeView oferecemos mais facilidades de navegação no menu, com busca pelo nome da tela. Além disso, criamos o Live Cont, com a cara do Windows 8. Nele disponibilizamos acesso em tempo real a todas as informações da Contmatic, de produtos a serviços. Essas são apenas algumas das novidades que criamos para vocês. E estamos atentos às novas mudanças. Afinal, na Contmatic, o cliente estará sempre em primeiro lugar. EFD-IRPJ: nova obrigação passa a valer a partir de 2014 Contmatic Loja Phoenix é destaque em feira de automação Fundação Sérgio Contente leva caminhão-escola para Jarinu Foto Divulgação canal aberto O Contmatic Mais publica a coluna Canal Aberto mensalmente. Nela apresentamos depoimentos de alunos e participantes dos cursos e palestras, e de colaboradores de clientes da Contmatic Phoenix. Envie também seu relato para o acompanhado de uma foto com uma resolução de, no mínimo, 300 dpi. Os depoimentos serão analisados pela Comissão Editorial, que pode reproduzí-los e editá-los total ou parcialmente. Oops! Na edição 105, a foto publicada nesta coluna como sendo de Maria Inês Aparecida Brito é, na verdade, de Rosa Maria dos Santos. Confira o depoimento dela para a seção: Faço os cursos Contmatic desde 2008 e sempre aprendemos coisas novas. O interessante é que os professores atuam na área e levam para a sala de aula experiências vividas no dia a dia muito enriquecedoras. Agradeço ao presidente da Contmatic, Sérgio Contente, pela oportunidade e espero que ele possa levar, para todo o país, esse trabalho de crescimento e qualificação profissional Rosa Maria dos Santos Arujá/SP Saiu o ganhador do Mês do Contabilista Em abril, a Contmatic Phoenix promoveu o Mês do Contabilista em sua página no Facebook, em homenagem ao Dia do Contabilista, comemorado no dia 25 daquele mês. Todos os participantes concorreram a um par de ingressos para o musical O Rei Leão ou a um tablet. O pernambucano de Paulista, Roberto Cícero Santana (foto), foi o grande vencedor e preferiu levar o tablet para casa. Fotos Divulgação Contmatic Phoenix Rua Padre Estevão Pernet, 215, Tatuapé, São Paulo/SP, CEP Telefone: (11) Conselho editorial: Sérgio Contente (Presidência) - Mário Hessel (Diretoria executiva) - Priscila Ribeiro - Salgado (Cursos) - Ailton dos Santos Silva (TI) - Bernadete Conceição (Legalmatic) - Roberval Lourenço (Vendas) - Rita de Cássia Müller (Marketing) Produção editorial: Versátil Comunicação Estratégica (www.versatilcomunicacao.com.br) Textos: Helder Horikawa Secretaria: Vanessa Lima Jornalista responsável: Cícero Vieira (MTb ) Projeto gráfico: Thatto Comunicação 360º (www.thatto. com.br) Impressão: Coktail Gráfica e Editora Periodicidade: mensal Tiragem: 20 mil exemplares - As opiniões expressas em artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores. Fale com a Contmatic: Comercial: (11) Financeiro: (11) Cursos: (11) Treinamentos: (11) Suporte: Folha: (11) G5/Junior: (11) Orion: (11) Contábil: (11) Rede: (11) Outros: (11) contmatic

3 a palavra é sua Como a segmentação do mercado contábil afeta a sua empresa? Anderson Hernandes* O mercado contábil sempre foi característico pela sua amplitude de opções de atuação e nos últimos anos isso tornou-se ainda mais amplo. São tantas as possibilidades de atuação para uma empresa, que se não houver segmentação de mercado, dificilmente ela será bem sucedida. Existem diferentes formas de estratificar o mercado, o que impede esgotar o assunto em único artigo. Considero, porém, a segmentação como o princípio de qualquer estratégia nesse respeito. Baseado na classificação das empresas pelo seu porte, descreverei cada uma delas pela na receita operacional bruta anual. Microempresas Mercado formado principalmente por empresas do Simples Nacional. Em geral o atendimento é prestado diretamente para o proprietário da empresa e o enfoque de atendimento está na área fiscal. Dificilmente a empresa utilizará relatórios contábeis para gerenciamento, sendo que eles atenderão especialmente o Fisco. Nesse mercado valoriza-se mais o preço como diferencial e o contabilista não é visto como um profissional influente na estratégia da companhia. O segmento é característico de baixa fidelização de clientes e alto índice de inadimplência. Pequenas Empresas A limitação do faturamento impede que essas empresas se enquadrem como Simples Nacional e, portanto, a maior parte delas se enquadrará no regime de Lucro Presumido. Normalmente elas são mais estruturadas e muitas já utilizam um sistema ERP modesto. Os relatórios gerenciais são mais valorizados, mas a periodicidade dos balancetes normalmente se restringe a elaboração trimestral ou semestral. Com a futura obrigatoriedade do Sped Contábil para essas empresas, haverá uma valorização maior dos serviços. Nesse mercado elas buscam alternativas de redução tributária, mas o seu porte não permite tantas possibilidades de planejamento tributário. Médias Empresas Grupo formado por indústrias ou atacadistas, o que permite maiores possibilidades de atuação. Domínio da tributação do Lucro Real e, consequentemente, contabilidade tributária é obrigatório para atuar nesse mercado. A contabilidade de custos e relatórios gerenciais também são exigências para aqueles que buscam prestar um assessoramento adequado a esses clientes. Apesar de encontrarmos a contabilidade interna em muitas dessas empresas, há uma busca acentuada pelo outsourcing com alocação de profissionais no cliente. Para atender esse mercado é imprescindível que a empresa contábil tenha estrutura e profissionais qualificados, o que torna seus custos maiores do que os segmentos mencionados anteriormente. Média-grande empresa Nesse segmento a atuação é muito restrita e quando terceirizada, está nas mãos de grandes empresas de outsourcing. Muitas vezes, a empresa terceirizada atua em conjunto com funcionários da própria companhia. No âmbito de sistemas, elas utilizam normalmente ERPs de presença internacional, exigindo que os profissionais terceirizados tenham conhecimento na utilização desses. Além disso, a complexidade das movimentações contábeis e fiscais é maior, envolvendo participações em diversas empresas, algumas estrangeiras, onde um erro interpretativo de lançamento pode gerar grandes prejuízos tributários. Grandes empresas Temos um mercado altamente restrito. Poucas empresas de outsourcing contábil estão capacitadas para atender as necessidades dessas companhias. A maior parte delas possui equipes internadas de profissionais em áreas correlatas a área contábil, atuando em conjunto com os trabalhadores alocados, quando existirem. Somente um departamento contábil e fiscal de uma empresa de grande porte envolve um número de profissionais maior que a maior parte das empresas contábeis espalhadas pelo Brasil. Num mercado onde um erro pode representar custos altíssimos, apenas um número limitado de escritórios contábeis se aventuram a atender esse mercado. Nesse artigo destaquei apenas uma das possíveis estratégias de segmentação para atendimento ao mercado de serviços contábeis. Empresas maiores exigem um grau de personalização diferenciada, profissionais mais qualificados e preparados para atender os complexos procedimentos contábeis, fiscais e tributários. Para empresas que atendem as microempresas, oferecer um alto grau de personalização pode aumentar a fidelidade, mas dificilmente os clientes estarão dispostos a arcar com os custos adicionais relacionados com essa estratégia. A escolha de um mercado alvo para uma empresa contábil não é uma decisão simples, mas tem um grau de importância fundamental para o sucesso dela. Desse modo, avaliar adequadamente as oportunidades e desafios de cada mercado, estabelecendo estratégias de marketing acertadas, é um dos principais desafios na gestão para empresas contábeis da atualidade. *É empresário contábil, escritor e palestrante contmatic 3

4 Espaço Contábil Rastreamento de mercadorias: medida vale a partir deste mês O Sistema Nacional de Identificação, Rastreamento e Autenticação de Mercadorias, popularmente batizado de Brasil ID, institui um conjunto de instrumentos que promovam modernização da fiscalização de mercadorias, com efeitos a partir de 1º de junho. Um de seus objetivos é potencializar os demais sistemas de informação criados nos últimos anos para aumentar o controle fiscal, como a Nota Fiscal Eletrônica (NF-e), Sped Fiscal e o Conhecimento de Transporte de Carga Eletrônico (CT-e), entre outros. O sistema Brasil ID representa um grande avanço no processo de automação de monitoramento da circulação de mercadorias, pois reduz sensivelmente a sonegação por meio do cruzamento eletrônico dos produtos em circulação com os dados da NF-e e Sped. Com a implantação de iniciativas desse tipo, a fiscalização obterá indícios sobre pontos de passagem da mercadoria constante nos documentos fiscais, além de facilitar o registro de passagem dos mesmos pelos Estados que realizam fiscalização de fronteira, como os Estados do Centro-Oeste e do Nordeste, argumenta Marcelo Fernandez, supervisor de Fiscalização de Documentos Digitais da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo (Sefaz-SP). De acordo com ele, essa informação permitirá uma seleção mais apurada de caminhões a serem verificados em barreiras fiscais, bem como marcará os documentos que norteiam a operação comercial e a prestação de serviço de transporte, impedindo que o documento venha a ser cancelado posteriormente. O Brasil ID se baseia no emprego da tecnologia de Identificação por Radiofrequência (RFID) e, além da automatização dos processos e do tratamento diferenciado nos postos fiscais, vai agilizar a logística de transporte e reduzir custo e tempo. Segundo Fernandez, ainda não estão definidos os setores econômicos cujas mercadorias serão rastreadas. Por hora está em desenvolvimento um plano piloto para testar o modelo e a captação de informações pelas antenas. Mas entendemos que esse projeto, aliado a outras iniciativas, vai gerar informações para que o Fisco combata a fraude e simulação de operações comerciais entre os Estados, resguardando, assim, a arrecadação tributária, diz o supervisor. Segundo Fernandez, ainda não estão definidos os setores cujas mercadorias serão rastreadas Foto Divulgação Tributos devem ser discriminados na Nota Fiscal A partir de 10 de junho, começa a valer a obrigatoriedade de discriminar, nas notas fiscais ou documento equivalente, a carga tributária sobre produtos e serviços. A Lei n /2012 estabelece que deverá constar, obrigatoriamente, o valor aproximado dos tributos federais, estaduais e municipais que incidem e influenciam na formação do preço. Os estabelecimentos deverão informar, por exemplo, os tributos do IPI (Imposto sobre Produtos In- dustrializados), ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), ISS (Impostos sobre Serviços), PIS/Pasep (Programa de Integração Social/Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público), Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social), IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), contribuições previdenciárias e, em alguns casos, II (Imposto de Importação), PIS/Pasep-Importação e Cofins-Importação. Procurada para comentar sobre as penalidades às empresas que não cumprirem com a legislação, a Sefaz-SP, por meio de sua assessoria de imprensa, diz que aguarda a regulamentação da lei. Pelo texto do projeto, o descumprimento sujeitará o infrator às sanções administrativas previstas no art. 56 do Código de Defesa do Consumidor, como por exemplo, o pagamento de multa e até o fechamento do local. 4 contmatic

5 Espaço Contábil Foto Elza Fiúza/ABr Dacon: entrega até o dia 7 Contribuintes e profissionais contábeis devem ficar atentos com a entrega, até o quinto dia útil de junho (dia 7), do Demonstrativo de Apuração de Contribuições Sociais (Dacon) relativo a fatos geradores ocorridos nos meses de outubro de 2012 a março de Esse é o novo prazo dado pelo Fisco por meio da Instrução Normativa RFB nº 1.348/13. As prorrogações relativas aos fatos geradores de outubro a dezembro de 2012 valem para as pessoas jurídicas do Lucro Real e Presumido. Já àquelas relativas aos fatos geradores de janeiro a março deste ano aplicam-se apenas aos do Lucro Real, tendo em vista que a IN RFB nº 1.305/12 dispensou, a partir de janeiro último, a entrega da referida obrigação, em relação as pessoas jurídicas optantes pelo Lucro Presumido, já que essas devem apresentar somente a EFD-Contribuições a partir de então. A prorrogação, segundo o secretário-geral da Receita, Carlos Alberto de Freitas Barreto, aplica-se também aos casos de extinção, incorporação, fusão, cisão parcial ou cisão total que ocorrerem nos meses de outubro de 2012 a março de Quem deixar de apresentar o Dacon no prazo, ou que o fizer com incorreções ou omissões, está sujeito à multa de 2% ao mês-calendário ou fração, incidente sobre o montante da Cofins, ou, na sua falta, da contribuição para o PIS/Pasep, informado no Dacon, ainda que integralmente pago, no caso de falta de entrega desse demonstrativo ou de entrega após o prazo, limitada a 20% daquele montante. Caso apresente com incorreções, a multa é de R$ 20 para cada grupo de dez informações incorretas ou omitidas. A multa mínima a ser aplicada será de R$ 200, tratando-se de pessoa jurídica inativa e R$ 500, nos demais casos. Observado os valores mínimos, as multas serão reduzidas em 50%, quando o demonstrativo for apresentado após o prazo, mas antes de qualquer procedimento de ofício, e em 20%, se houver a apresentação do demonstrativo no prazo fixado em intimação. Instrução Normativa foi comunicada por Barreto, secretário-geral da Receita Federal ECD, Fcont e DIPJ até o final do mês Devem ser entregues à Receita Federal, até o final deste mês, a Escrituração Contábil Digital (ECD) Sped Contábil, o Controle Fiscal Contábil de transição (Fcont) e a Declaração de Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (DIPJ). As duas primeiras devem ser entregues até o dia 28 de junho. A última até o dia 30. A entrega da DIPJ, referente ao exercício do ano de 2012, é obrigatória para todas as pessoas jurídicas e equiparadas tributadas por meio do Lucro Real, Lucro Presumido e Lucro Arbitrado, assim como as entidades imunes e isentas ao IRPJ. As exceções ficam por conta das empresas optantes pelo Simples Nacional, órgãos públicos, autarquias e fundações públicas, além das pessoas jurídicas inativas. O Fcont é obrigatório às empresas de Lucro Real sujeitas ao Regime Tributário de Transição (RTT). A entrega da ECD, por sua vez, é uma obrigação devida pelas pessoas jurídicas tributadas pelo Lucro Real. A Receita Federal, por meio da Instrução Normativa nº 1.352/13, prorrogou o prazo de entrega da ECD e Fcont nos casos de extinção, cisão parcial, cisão total, fusão ou incorporação, ocorridos de janeiro a maio do ano da entrega dos documentos para situações normais. Ambos os arquivos digitais podem ser enviados até o último dia útil do mês de junho do referido ano. A não entrega de ambos no prazo determinado, ou as suas apresentações com incorreções ou omissões, acarreta multas de acordo com o art. 57 da MP nº /01. contmatic 5

6 Espaço Contábil A partir de 2014, vem aí a EFD-IRPJ Com a introdução da nova obrigação, elimina-se automaticamente a entrega do Lalur e da DIPJ Foto Divulgação Agora é para valer. Por meio da Instrução Normativa RFB nº 1.353/2013, o Fisco instituiu a Escrituração Fiscal Digital do Imposto sobre a Renda e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido da Pessoa Jurídica (EFD-IRPJ). A novidade é obrigatória, a partir do ano-calendário 2014, para as pessoas jurídicas sujeitas à apuração do IR pelos regimes de Lucro Real, Lucro Presumido ou Lucro Arbitrado, e também às imunes e isentas. Segundo José de Souza, presidente da Federação dos Contabilistas do Estado de São Paulo (Fecontesp), nos casos de extinção, cisão parcial, cisão total, fusão ou incorporação, a EFD-IRPJ deverá ser entregue pelas pessoas jurídicas extintas, cindidas, fusionadas, incorporadas e incorporadoras, até o último dia útil do mês subsequente ao do evento, exceto nos casos em que o evento ocorrer de janeiro a maio do Souza, presidente da Fecontesp: cada empresa deverá ter cuidado inerente ao seu enquadramento ano-calendário, hipótese em que a entrega se fará até o último dia útil do mês de junho do referido ano. A EFD-IRPJ deverá ser transmitida anualmente ao Sped até o último dia útil do mês de junho do ano seguinte ao ano- -calendário a que se refira. Apesar do receio de muitos contabilistas, que imaginavam a princípio um aumento da carga de trabalho, a introdução dessa nova obrigação acessória foi até bem recebida. Após familiarização com as novas regras, felizmente percebemos que estávamos enganados. A EFD-IRPJ elimina automaticamente a escrituração do Livro de Apuração do Lucro Real (Lalur) e a entrega da Declaração de Informações Econômico-Fiscais da Pessoa Jurídica (DIPJ). Particularmente não vejo complexidade e muito menos burocracia, argumenta Souza. Apesar de acreditar que não haverá dificuldade para a transmissão do arquivo, o presidente da Fecontesp recomenda aos profissionais contábeis extremo cuidado e certificação na elaboração da nova obrigação em função das multas em caso de erro. Essa nova obrigação atinge empresas do Lucro Real, Lucro Presumido, Lucro Arbitrado e as pessoas jurídicas imunes e isentas. Cada uma deverá ter cuidado inerente ao seu enquadramento. Entendo que o cuidado principal deve ser com as informações das obrigações relativas aos anos calendários de 2012 e 2013, como por exemplo, as da DIPJ, já que a Receita deverá tomar como parâmetro os valores apresentados nessas declarações, revela o presidente da Fecontesp. De olho nas multas A não apresentação da EFD-IRPJ nos prazos fixados gera ao contribuinte as seguintes multas: a) R$ 500 por mês, quando a pessoa jurídica for tributada pelo Lucro Presumido no ano-calendário anterior; b) R$ 1,5 mil por mês, quando a pessoa jurídica for tributada pelo Lucro Real ou Arbitrado no ano-calendário anterior; c) 0,2% sobre o faturamento do mês anterior, não inferior a R$ 100, por informações inexatas, incompletas ou omitidas. 6 contmatic

7 especial Contmatic Loja Phoenix é destaque na Autocom 2013 No final deste mês, a Contmatic Phoenix participa, pela primeira vez, da Feira e Congresso Internacional de Automação Comercial e Tecnologia para o Varejo (Autocom). Em sua 15ª edição, o evento, que ocorre entre os dias 25 e 27 no Expo Center Norte, em São Paulo, é o mais completo e importante encontro de empresas do setor de automação da América Latina. A Contmatic apresentará na feira o seu sistema de automação comercial que controla toda a frente de caixa e efetua o controle gerencial na retaguarda de micros e pequenos comércios em geral. Lançado no ano passado, ele já foi apresentado no Eescon, em Campos do Jordão, e na Feira do Empreendedor do Sebrae, em São Paulo. O sistema é composto pelos softwares Contmatic Loja Phoenix (Retaguarda) onde se concentram os cadastros e controles de estoque, financeiro e faturamento, além dos relatórios gerenciais, e o Contmatic PDV Phoenix, instalado em cada caixa e que tem a finalidade de efetuar as vendas diretamente aos consumidores, trabalhando em conjunto com o TEF (Transferência Eletrônica de Fundos conecta e faz as transações financeiras de cartões de débito, crédito, voucher, etc). O PDV atende a legislação PAF-ECF e foi desenvolvido para trabalhar com as principais impressoras fiscais do mercado e atender as administradoras de cartões Cielo, Redecard, Amex e Tecban. Segundo a gerente de Marketing Rita Muller, o objetivo no Expo Center Norte é divulgar o sistema aos varejistas, apontando suas qualidades e benefícios. Um dos maiores diferenciais é que ele foi desenvolvido com a tecnologia cloud computing Contmatic Loja Phoenix foi apresentado pela primeira vez no Eescon explica. Dessa forma, o sistema pode ser acessado de qualquer parte do mundo, apresentando uma interface muito intuitiva, que facilita o trabalho dos varejistas. Além do Contmatic Loja Phoenix, outro destaque da empresa é o Orion, programa de ERP (Enterprise Resource Planning) que integra todos os dados e processos de compras, estoque, produção, faturamento e financeiro de uma companhia em um único sistema, além de enviar informações automaticamente para a área contábil. Sempre nos preocupamos em desenvolver sistemas integrados. Por esse motivo criamos a linha empresarial, que atende a companhias e comércios e os integra diretamente com a contabilidade, argumenta o presidente Sérgio Contente. Serviço 15ª Autocom Expo Center Norte Pavilhão Amarelo Dias 25, 26 e 27 de junho Horário: das 14 às 21 horas Endereço: Rua José Bernardo Pinto, Vila Guilherme Ensino à Distância Programação do EAD Contmatic DESDE O FINAL DE 2012, a Contmatic Phoenix disponibiliza de forma gratuita, para seus cerca de 17 mil clientes, o EAD (Ensino à Distância) com treinamentos dos sistemas da Linha Phoenix. Essa novidade facilita o trabalho dos consultores técnicos no atendimento aos clientes com dúvidas operacionais nos sistemas. Confira a programação dos treinamentos neste mês de junho. GRATUITO TREINAMENTO C.H. DATA HORÁRIO G5 Phoenix - Parte cadastral 1h10 03/06 9h30-10h40 Contábil Phoenix - Fcont e Sped Contábil (ECD) 1h10 04/06 16h - 17h10 G5 Phoenix - Escrituração de notas e livros fiscais 1h10 04/06 9h30-10h40 G5 Phoenix - Obrigações acessórias 1h10 05/06 9h30-10h40 G5 Phoenix - Integrações 1h10 06/06 9h30-10h40 Folha Phoenix - Desoneração 1h10 10/06 9h30-10h40 Folha Phoenix - Parte cadastral 1h10 11/06 9h30-10h40 Contábil Phoenix - Fcont e Sped Contábil (ECD) 1h10 11/06 16h - 17h10 Folha Phoenix - Cálculos e relatórios 1h10 12/06 9h30-10h40 Folha Phoenix - Férias individuais e coletivas 1h10 13/06 9h30-10h40 Folha Phoenix - Rescisão e rescisão complementar 1h10 14/06 9h30-10h40 G5 Phoenix - EFD-Contribuições - Lucro Presumido: cadastros 1h10 17/06 16h - 17h10 G5 Phoenix - EFD-Contribuições - Lucro Presumido: escrituração e arquivo 1h10 18/06 16h - 17h10 contmatic 7

8 nossos parceiros ContCor, só elogios aos sistemas da Contmatic Instalada na agitada Rua Florêncio de Abreu, bem no centro de São Paulo, a ContCor Assessoria Contábil e Fiscal completa uma década de funcionamento em São dez anos também de história e parceria com a Contmatic Phoenix. Quando criamos a empresa, procuramos por softwares que atendessem a nossa demanda. Fizemos uma ampla pesquisa e chegamos à conclusão de que Contmatic seria a melhor fornecedora, diz Valdemir Soprani, que tem como sócio o amigo Robson de Cássio Rodrigues Filho. A ContCor utiliza os sistemas Contábil, Folha, JR e G5 Phoenix. São programas que nos atendem muito bem, sempre em constante desenvolvimento. O JR, por exemplo, nos agrega segurança nas apurações dos tributos. O Folha, por sua vez, nos atende plenamente elaborando todos os documentos necessários, bem como suas obrigações. E o G5 trouxe a rápida integração dos documentos fiscais e arquivos digitais, argumenta Soprani. Os sócios também lembram da importância do trabalho dos consultores. A consultoria Legalmatic é muito útil, importante para esclarecimentos, sempre nos dando respostas objetivas. Soprani e Rodrigues Filho estão no comando do escritório que completa dez anos em 2013 A consultoria por telefone também nos atende com eficiência e agilidade, argumentam os diretores. A ContCor tem como objetivo a prestação de serviços nas áreas contábil, fiscal, folha de pagamento, assessoria tributária e legalização de empresas. Em 2003, iniciou suas atividades com apenas um funcionário. Hoje, tem sete colaboradores, que atendem a 55 clientes. Foto Divulgação Foto Divulgação Perfeita adequação dos programas às rotinas da Contess Sob o comando de Adilson Carlos Pavani, a Contess Contabilidade e Assessoria, de Valinhos, a 90 km de São Paulo, é um dos mais antigos parceiros da Contmatic Phoenix. Já são, nas contas de seu diretor, mais de duas décadas com os sistemas desenvolvidos pela equipe do empresário Sérgio Contente. A receita desse sucesso? Só temos uma palavra: qualidade. É o que sempre oferecemos aos nossos clientes e é o que a Contmatic nos proporciona com suas soluções, diz Pavani. Pavani com sua equipe de colaboradores: parceria desde as primeiras versões do G5 De acordo com ele, desde o início da parceria a Contmatic sempre mostrou-se à frente de seus concorrentes. Quando ainda utilizávamos sistemas em DOS o ponto forte era a perfeita adequação dos programas às rotinas do escritório. Hoje, isso ainda acontece. Assim, as adaptações dos usuários são sempre muito mais fáceis e intuitivas, revela Pavani. Para ele, é um orgulho fazer parte dos 25 anos de história da Contmatic. Ficamos honrados em sermos parceiros desde as primeiras versões do G5 Phoenix. Evoluímos com a Contmatic, que sempre esteve acessível, principalmente na pessoa do seu presidente Sérgio Contente, que não poupa esforços em nos atender, argumenta o empresário. Com as crescentes exigências fiscais, não há outra opção senão contarmos com fornecedores de softwares que sejam ágeis e ofereçam soluções integradas, como a Contmatic, completa. A Contess executa serviços a pessoas jurídicas e físicas, tendo uma equipe qualificada com mais de 20 anos de experiência. Além disso, oferece ferramentas de controles de última geração para proporcionar aos clientes um serviço de qualidade nas mais diversas áreas. 8 contmatic

9 ações sociais sérgio contente Ensinar informática a ex-moradores de rua e dependentes químicos: um novo desafio Caminhão-escola da Fundação Sérgio Contente está na Casa de Restauração São Miguel Arcanjo Depois de formar cerca de 110 alunos capitaneados pela Associação dos Moradores do Distrito de Barnabés, em Juquitiba, o caminhão-escola da Fundação Sérgio Contente rodou cerca de 150 quilômetros para desembarcar em Jarinu, na região de Atibaia, na primeira semana de maio. Lá, o veículo está à disposição em um sítio da Casa de Restauração São Miguel Arcanjo, da Missão Belém, um projeto da igreja católica que visa promover, por meio de acolhida e triagem em centro de tratamento, a recuperação física, mental, religiosa, moral, social e a reinserção social de ex-moradores de rua e dependentes químicos. O caminhão-escola foi uma solicitação do padre Gianpietro Carraro, coordenador da Missão Belém. Ele fica por lá até julho ou agosto. O grupo já faz um excelente trabalho, resgatando os moradores das ruas e das drogas, convidando-os a conhecer os sítios e casas onde encontram uma nova família, laborterapia e apoio espiritual, diz Sérgio Contente, idealizador e mantenedor da fundação que leva seu nome. O empresário espera que os cursos de informática e a qualificação profissional ajudem os missionários nessa tarefa de restauração dos ex-dependentes químicos no recomeço na sociedade. Se o projeto vai dar resultados, só o futuro vai nos dizer, pois é um projeto pioneiro. O importante é tentarmos sempre construir um mundo melhor, mais humano e justo, diz Sérgio Contente. No sítio o procedimento de recuperação das pessoas é feito por meio de evangelização, laborterapia, oficinas de artesanato, pintura, projetos educacionais, esportivos, culturais, profissionalizantes, tratamento psicológico, terapêutico e acompanhamento individualizado para reinserção social, profissional e familiar. Hoje, um total de 320 pessoas, a partir dos 18 anos, vivem no local, onde contam com marcenaria, serralheria e uma pequena fábrica industrial de pães. Desde que foi lançado em 2006, o caminhão-escola sempre esteve presente na periferia, inclusive no interior do Estado, atendendo a comunidades carentes. Essa é a primeira vez que a fundação leva o veículo para atender esse grupo específico de excluídos da sociedade. A informática é o que tenho a oferecer, é o que eu sei fazer e está ao meu alcance, explica o presidente da Contmatic. Onde fica Rua Jar-Gino, 707, Vale do Cisne Bairro Maracanã Jarinu/SP Tel: (11) Raio X do sítio Caminhão na estrada O caminhão-escola, como é conhecida a unidade móvel da Fundação Sérgio Contente, foi lançado em 2006 e já beneficiou aproximadamente 2 mil alunos. Com 14 metros de comprimento e quase 3 metros de largura, transforma-se em uma sala de aula com 30 computadores conectados à internet, ar-condicionado, retroprojetor e telão. Antes de chegar a Jarinu, ele passou por mais de dez bairros paulistanos e pelos municípios de São José do Rio Preto, São Vicente, Peruíbe, Osasco, Biritiba-Mirim, Caieiras e Juquitiba. O sítio da Casa de Restauração São Miguel Arcanjo abriga ex-moradores de rua e dependentes químicos, resgatados, principalmente, na região da Cracolândia, em São Paulo. Nos 20 primeiros dias eles ficam na casa de triagem, para uma adaptação ao local e às regras. Após esse período, eles assinam um Termo de Caminhada com Deus para permanência no local. Na casa Aspirantado, cada um dos abrigados aprende a seguir as palavras bíblicas e as ações para o próprio sustento no sítio. Esse processo tem a duração de seis meses para desintoxicação (não utilizam médicos, somente as orações). Após esse semestre, a pessoa decide se vai ficar e ajudar na comunidade ou seguirá com sua vida fora do local. Já fui interno do sítio. Passei muito tempo no mundo das drogas e graças a esse projeto consegui me livrar do vício e hoje posso ajudar meus irmãos, revela Márcio Antônio dos Santos, assessor do padre Gianpietro. Depois de 25 anos no mundo das drogas, 18 deles como usuário de crack e passar oito anos preso, ele chegou a Jarinu em 2009, onde é ministro da eucaristia. contmatic 9

10

11 Sistemas Contmatic Contmatic com a cara do Windows 8 Layouts dos programas da Linha Phoenix foram preparados a exemplo do novo sistema operacional da Microsoft; Live Cont é uma das novidades Como uma empresa de tecnologia, antecipamos os testes para prepararmos nossos sistemas às novidades que teremos em breve. Os clientes terão à disposição toda Linha Phoenix com a cara do Windows 8. Foi dessa forma que o presidente da Contmatic Phoenix, Sérgio Contente, anunciou aos clientes, em abril do ano passado, nesta mesma publicação (edição 92), de que a empresa já testava seus programas no novo sistema operacional da Microsoft, lançado oficialmente em outubro de Promessa feita, promessa cumprida. A Contmatic já disponibiliza todos os seus sistemas da Linha Phoenix com a cara do Windows 8. Estamos sempre trabalhando para manter a qualidade dos nossos programas e a satisfação dos clientes. Por isso reestruturamos e modernizamos os sistemas, disponibilizando-os com o que há de mais avançado tecnologicamente no mercado, reafirma Sérgio Contente. Com esse conceito, integramos as soluções de ponta com as facilidades de acesso aos produtos e serviços que oferecemos gratuitamente aos parceiros, completa. A Linha Phoenix é composta, entre outros, pelo Gescon, G5, Contábil, Folha, Orion, JR e ADM. A equipe de desenvolvedores da Contmatic criou nesses sistemas novos instaladores, estilo de menu em árvore (TreeView), telas com o tema do Windows (XP Prateado, W7 e W8) e o Live Cont. Com a reestruturação e modernização dos programas, o cliente Contmatic tem uma série de vantagens. Com o novo instalador, por exemplo, ele ganha mais praticidade na instalação dos sistemas, com identificação automática do gerenciador de banco de dados. O TreeView, por sua vez, oferece mais facilidade de navegação no menu, com busca pelo nome da tela, esclarecem Leandro Guasco Domingues e Carlos Alfredo Monteiro Batista, respectivamente, superintendente de Desenvolvimento e consultor de sistemas da Contmatic. A aparência das telas ficou mais agradável e vai pegar o tema do Windows que já foi previamente configurado, de acordo com a preferência do usuário, completam. Mais facilidades Uma das grandes novidades da Linha Phoenix com a cara do Windows 8 é o Live Cont, conjunto de serviços e softwares da Contmatic. A maioria deles consiste em aplicações na web, acessadas a partir de um navegador. Por meio do Live Cont é possível o cliente ter acesso em tempo real a atualizações dos sistemas, agenda de cursos, palestras e treinamentos à distância, últimas notícias, dicas de utilização dos programas, TV Contmatic, Legalmatic, Suporte Técnico e o Suporte Online. contmatic 11

12 legalmatic phoenix CONTÁBIL Uma empresa enquadrada no Lucro Presumido, que entrega mensalmente o Sped Fiscal, é obrigada a fazer o mesmo com a Escrituração Contábil Digital (ECD)? Cumpre esclarecer que o Sped Fiscal (ICMS/IPI) e o Sped Contábil (Escrituração Contábil Digital ECD) são projetos distintos, cujos critérios de obrigatoriedades não são os mesmos, ou seja, não quer dizer que a obrigatoriedade de um leva a entrega do outro. Dessa forma, para a ECD mantém-se o previsto na Instrução Normativa RFB nº 787/07, a qual destaca que estão obrigadas a adotá-la todas as sociedades empresárias com base no Lucro Real. Para as demais sociedades a entrega é facultativa. Uma microempresa que no ano-calendário obteve faturamento maior do que seu enquadramento, no ano seguinte é obrigada mudar para Empresa de Pequeno Porte (EPP)? Em se tratando de desenquadramento por exceder o limite de receita bruta anual, previsto por lei, a ME, nesse caso, passará no ano-calendário seguinte, automaticamente, à condição de EPP. Do mesmo modo, a EPP que no ano-calendário não ultrapassar o limite de receita bruta anual de R$ 360 mil passará, no ano-calendário seguinte, automaticamente, à condição de ME. Empresas optantes pelo Lucro Presumido estão obrigadas a entregar a Escrituração Contábil Digital (ECD) e o Fcont? A Escrituração Contábil Digital (ECD), ou Sped Contábil, é obrigatória somente às sociedades empresárias sujeitas a apuração do Imposto de Renda com base no Lucro Real, conforme determina a Instrução Normativa RFB nº 787/07, sendo facultativa a entrega para as outras sociedades empresárias (Lucro Presumido). Entretanto, a partir do momento que a entidade entrega o arquivo digital de forma facultativa, fica obrigatória a entrega no mesmo formato também nos exercícios posteriores. Já o Controle Fiscal Contábil de Transição (Fcont) é obrigatório às entidades do Lucro Real e optantes ao RTT. Sendo assim, até o momento não há obrigatoriedade para a entrega da ECD e Fcont pelas empresas no regime tributário de Lucro Presumido. Para distribuir o lucro apurado é necessária autorização (declaração) dos sócios? No encerramento do ano-calendário a que se refere a escrituração, o resultado líquido final apurado pela pessoa jurídica, na confrontação entre as receitas e os custos, as despesas e os encargos do período, em sendo positivo (lucro), deverão receber, quando for o caso, as destinações que lhe são próprias, sempre em acordo com a proposta dos administradores por meio de assembleia geral ou a decisão dos sócios observados disposições legais, estatutárias ou contratuais pertinentes, conforme determina o artigo 997 do Novo Código Civil - Lei nº /02. Assim, havendo omissão no contrato sobre o assunto, os sócios deverão decidir a destinação dos lucros apurados em reunião e as decisões tomadas deverão ser registradas em Livro Ata conforme artigo do Novo Código Civil. TRIBUTÁRIA É obrigatória a entrega da EFD-ICMS/IPI sem movimento? Sim, pois não há disposição legal dispensando o contribuinte da entrega da EFD-ICMS/IPI quando sem operações ou prestações de entradas e/ou saídas. Em referência à obrigatoriedade da entrega da EFD-ICMS/ IPI, cuja data de início tem como referencia o mês de maio de 2013, em qual data o inventário deve ser informado? O contribuinte que iniciou a obrigatoriedade da EFD-ICMS/IPI em julho de 2013, deverá incluir o inventário do último dia do mês de junho, conforme item 2, 4º do artigo 4º da Portaria CAT (Coordenadoria da Administração Tributária) nº 147/09. O contribuinte optante pelo Simples Nacional sediado em São Paulo (SP), que adquire mercadorias de outro Estado tributado com alíquota de 4% do ICMS, precisa calcular a diferença obedecendo a fração interna de São Paulo? Nas operações objeto da questão, para fins de cálculo do diferencial de alíquotas, devem ser consideradas a alíquota de 4% do ICMS, face a alteração promovida pelo Decreto nº /13, que em seu artigo 1º, inciso II, alterou a redação do parágrafo 8º do artigo 115 do RICMS/SP no que concerne ao ICMS sobre o diferencial de alíquotas. Antes dessa alteração, a alíquota, de acordo com a legislação, era de 12%. Sendo assim, se a alíquota interna da mercadoria for de 18% por exemplo, o ICMS sobre o diferencial será de 14%. Contribuinte paulista, optante pelo Simples Nacional, nas aquisições interestaduais de mercadorias importadas, cuja alíquota do ICMS é de 4%, quando do cálculo do ICMS referente ao diferencial de alíquotas na forma do parágrafo 8 do artigo 115 do RICMS/SP, a alíquota interestadual a ser adotada ainda é a de 12%? Não. Nas operações objeto da questão deverão ser consideradas a alíquota de 4%, face a alteração promovida pelo Decreto nº , publicado no DOE/SP de 28 de fevereiro de 2013, que em seu artigo 1º, inciso II, alterou a redação do parágrafo 8º do artigo 115 no que concerne ao ICMS sobre o diferencial de alíquotas, todos do RICMS/SP. Antes dessa alteração, a alíquota era de 12%. 12 contmatic

13 Uma funcionária apresenta um atestado onde afirma-se que ela deve ficar afastada por 20 dias para acompanhar o seu filho que está hospitalizado. A empresa deve abonar essas faltas ou ela deve solicitar o benefício previdenciário? Inexiste qualquer dispositivo legal que obrigue o empregador a abonar as faltas do trabalhador no serviço com o objetivo de acompanhar familiares (descendentes, cônjuge, ascendentes) ao médico. Portanto, os empregados faltosos podem, a princípio, sofrer os descontos. Observa-se que há apenas o Precedente Normativo nº 95, que assegura ao empregado o abono de um dia por semestre quando acompanhar o filho menor de 6 anos ao médico, desde que apresente ao empregador o comprovante da ausência. Sendo assim, não há o que se falar em afastamento pela Previdência Social, visto se tratar de filho e não a funcionária que encontra-se doente. Porém, a empresa pode, ao seu critério, abonar essas faltas ou conceder à funcionária uma licença sem remuneração pelo período em que estiver cuidando de seu filho. Quando o empregado pede demissão do serviço, ele pode optar em reduzir o horário de trabalho durante o aviso prévio em duas horas diárias? Não. Conforme disposições do artigo 488 da CLT, o horário normal de trabalho do empregado, durante o prazo do aviso, quando a rescisão tiver sido promovida pelo empregador, será reduzido de duas horas diárias, sem prejuízo do salário integral, ou por opção do empregado, trabalhar sem a redução das duas horas diárias e optar em deixar de trabalhar por sete dias corridos. Sendo assim, o empregado que pediu demissão não terá o direito de optar pela redução ora mencionada. O empregador doméstico é obrigado a recolher a contribuição previdenciária de sua diarista, a qual não possui vínculo de emprego? O empregador doméstico somente é responsável pelo recolhimento da contribuição previdenciária de sua empregada quando há vínculo de trabalho, como determina a legislação. Assim, se a pessoa em questão presta serviços como diarista, sem qualquer vínculo, a responsabilidade de efetuar o recolhimento da contribuição é da própria trabalhadora. Quando o empregado é admitido no final do mês, para fins de definição do direito ao salário-família, deve-se considerar o saldo de salário ou o salário integral? Nos termos da Portaria Interministerial MPS/MF nº 15/13, o direito à cota do salário família é definida em razão da remuneração que seria devida ao empregado no mês, independentemente do número de dias efetivamente trabalhados. Dessa forma, ainda que o empregado tenha sido admitido no final do mês, a remuneração para fins de direito do salário será aquela a que seria devida se estivesse trabalhado o mês completo. Ademais, somente o valor da cota do salário-família que é devida proporcionalmente aos dias trabalhados nos meses de admissão e demissão do empregado. TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA consultoria LegalMatic Com profissionais atualizados, experientes e bastante atentos, a Consultoria Legalmatic Phoenix oferece, gratuitamente aos clientes da Contmatic, o esclarecimento adequado das principais dúvidas sobre a legislação e os procedimentos das áreas tributária, contábil, trabalhista e previdenciária. Descontos salariais O artigo 462 da CLT proíbe apenas descontos unilaterais no salário. Os descontos autorizados, na forma do caput ou do parágrafo 1º do artigo, ou ainda do art. 444 da CLT, são lícitos, independentemente de a verba estar arrolada na previsão do artigo TRT/SP RO ª Turma Luiz Edgar Ferraz de Oliveira Reembolso Conceito A natureza conceitual do reembolso é a de recebimento em restituição. Na concepção jurídica, é o direito que assegura-a quem haja despendido quantias por conta de outrem ou lhe tenha dado por empréstimo, a restituição dos mesmos valores antecipados. Sem o prévio desembolso, portanto, não há como se cogitar de reembolso TRT/SP RO ª Turma Wilma Nogueira de Araújo Vaz da Silva Desconto Multa de trânsito Nos termos do parágrafo 1º, do art. 462 da CLT, os descontos no salário do empregado, decorrentes de dano por ele provocado, somente serão lícitos quando houver previsão contratual ou na hipótese de estar evidenciada a ocorrência de dolo, traduzida pela intenção de causar prejuízos ao patrimônio do empregador TRT/MG RO 9397/02 7ª Turma Wilméia da Costa Benevides Gratificação natalina O 13º salário integra o salário-de-contribuição para fins de incidência da alíquota previdenciária, sendo devido o recolhimento quando do pagamento ou crédito da última parcela ou na rescisão do contrato de trabalho, a teor do 7º do art. 28 da Lei nº 8212/91 e 6º do art. 214 do Decreto nº 3.048/99 TRT/MG RO 1776/02 5ª Turma - Juíz José Murilo de Morais jurisprudência contmatic 13

14 Galeria Contmatic em ação no RJ e SP Fotos Divulgação Alexandre Pereira, Diva Jesualdi (presidente do CRC RJ), Márcia Tavares (presidente do Sescon-RJ), Damaris Amaral (presidente do Sindicon RJ) e Rita Muller Antes mesmo de inaugurar oficialmente a sua filial no Rio de Janeiro, a Contmatic Phoenix já participa a pleno vapor das atividades dos profissionais contábeis daquele Estado. A gerente de Marketing Rita Muller, acompanhado de Alexandre Pereira, do Departamento Comercial, prestigiou a cerminônia do Dia do Contabilista na capital carioca. Marcos Calil (cliente da Contmatic em Marília) e Rita Muller A gerente de Marketing Rita Muller também representou a Contmatic Phoenix na solenidade de certificação do Programa de Qualidade de Empresas Contábeis (PQEC) promovida pelo Sescon-SP. O evento ocorreu no Credicard Hall, em São Paulo, no dia 2 de maio. Alexandre Pereira (Departamento Comercial da Contmatic) e sua esposa Isabel Castro Também na Cidade Maravilhosa, a Contmatic Phoenix marcou sua participação na 5ª Caminhada da Vitória, organizada pelo Sindicato dos Contabilistas do Rio de Janeiro. O palco foi o Aterro do Flamengo, no feriado de 1º de maio, Dia do Trabalho. O Dia do Contabilista, organizado pelo Sindcont-SP, foi uma grande festa. A Contmatic Phoenix foi representada pelo gerente comercial Roberval Lourenço. A cerimônia ocorreu no dia 25 de abril. Luiz Fernando Nóbrega (presidente do CRC SP), Victor Domingos Galloro (presidente do Sindcont-SP) e Roberval Lourenço palestra VAGAS LIMITADAS Consultor Lourivaldo aborda juros sobre capital próprio no dia 10 Com previsão para durar quatro horas, o consultor e mestre em Contabilidade pela Pontíficia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e pós-graduado em Direito Tributário pelo Instituto Brasileiro de Estudos Tributários (IBET), Lourivaldo Lopes da Silva, faz a palestra Juros sobre capital próprio no dia 10 de junho, no auditório da Contmatic Phoenix, em São Paulo. O evento ocorre a partir das 14 horas. Na programação constam, entre outros assuntos, limite de dedutibilidade, alteração do patrimônio líquido durante o período-base, a economia tributária com a remuneração do capital próprio e a posição da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). A palestra é gratuita para clientes. Não clientes pagam uma taxa de R$ 250. A Contmatic Phoenix fica na Rua Padre Estevão Pernet, 215, no bairro do Tatuapé, em São Paulo. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (11) Lourivaldo faz a palestra no auditório da Contmatic Phoenix, em São Paulo Foto Divulgação 14 contmatic

15 Contmatic Phoenix Pacote All-Inclusive cursos contmatic Foto Divulgação Noir Alves de Paiva, instrutor e palestrante CURSO DE ANALISTA FISCAL EM SP, RIO PRETO E CAMPINAS O curso de analista fiscal procura orientar o profissional para uma análise correta, aplicando rigorosamente a legislação, evitando, assim, expor o contribuinte a penalidades fiscais e tributárias no que se refere aos tributos indiretos. Segundo o instrutor e pales- trante dos Cursos Contmatic, Noir Alves de Paiva, que há 30 anos atua na área fiscal de uma companhia metalúrgica multinacional e de uma empresa de logística, distribuição, transporte e trading company, o curso é direcionado para gerentes, contadores, coordenadores, analistas e assistentes fiscais, profissionais da área de compras, vendas e Tecnologia da Informação confira a programação completa abaixo: Os cursos são gratuitos para clientes da Contmatic Phoenix, a quem são destinados 90% das vagas. Os 10% restantes são dedicados a não clientes, estudantes de universidades e de cursos técnicos mediante pagamento de inscrição a partir de R$ 250. Alunos de universidades e de cursos técnicos conveniados à Contmatic têm desconto de 60% e os não conveniados, 30%. Inscrições, mediante a disponibilidade de vagas, podem ser efetuadas por meio do site vagas limitadas garanta já a sua! Matriz (São Paulo) Tel. (11) Área contábil C.H. Datas Horários Alterações contratuais 8h * 15/6 8h30-17h30 Contabilidade geral 28h * 8, 15, 22 e 29/6 e 6, 13 e 20/7 9h - 13h Contabilidade para não contadores 16h * 5, 7, 12 e 14/6 18h30-22h30 Área tributária C.H. Datas Horários Analista fiscal 32h * 3, 4, 5, 6, 10, 11, 12, 13/6 18h30-22h30 * 8, 15, 22 e 29/6 8h30-17h30 Básico de ICMS 9h * 22 e 29/6 9h - 13h30 Dacon e DCTF 6h * 8/6 9h -16h EFD-Contribuições (PIS/Cofins) 6h * 19 e 20/6 19h - 22h * 10, 11, 12, 13, 17, 18, 19 e 20/6 19h - 22h * 15, 22, e 29/6 e 6, 13 e 20/7 9h - 13h Escrita fiscal 24h * 15, 22, e 29/6 e 6, 13 e 20/7 14h - 18h * 11, 13, 18, 20, 25 e 27/06 19h - 22h Faturamento e emissão de notas fiscais Retenções na fonte (PIS,Cofins, CSLL, IRRF, ISSQN E INSS-PJ) 16h 2 e 4/7 * 8 e 15/6 8h30-17h30 * 17, 19, 24 e 26/6 18h30-22h30 16h * 3 a 6/6 18h30-22h30 * 8/6 9h - 16h Sped Fiscal (ICMS/IPI) 6h * 29/6 9h - 16h Substituição tributária 14h * 22 e 29/6 9h - 17h Área trabalhista C.H. Datas Horários * 3, 4, 10, 11, 17, 18, 24 e 25/6 19h - 22h30 Departamento pessoal 28h * 10, 11, 12, 13, 17, 18, 19 e 20/6 9h - 12h30 *19 e 20/6 9h - 13h Desoneração da folha de pagamento 8h * 27 e 28/6 18h30-22h30 Gestão de RH e relações trabalhistas 8h * 18, 20 e 25/6 19h - 21h40 São José dos Campos - Tel. (12) Área tributária C.H. Datas Horários EFD-Contribuições (PIS/Cofins) 6h 18 e 19/6 18h30-21h30 Escrita fiscal 24h 20, 21, 24, 25, 26 e 27/6 18h30-22h30 Retenções na fonte (PIS,Cofins, CSLL, IRRF, ISSQN E INSS-PJ) 16h 10 a 13/6 18h30-22h30 Área trabalhista C.H. Datas Horários Gestão de RH e relações trabalhistas 8h 15/6 9h - 18h Campinas - Tel. (19) Área contábil C.H. Datas Horários Contabilidade geral 28h 8, 15, 22 e 29/6 9h - 17h Área tributária C.H. Datas Horários Analista fiscal 32h 17, 18, 19, 20, 24, 25, 26 e 27/6 18h30-22h30 Escrita fiscal 24h 5, 6, 10, 11, 12 e 13/6 18h30-22h30 Área trabalhista C.H. Datas Horários Departamento pessoal 28h 17, 18, 19, 20, 24, 25 e 26/6 18h30-22h30 Gestão de RH e relações trabalhistas 8h 8/6 8h30-17h30 Justa causa 8h 22/6 8h30-17h30 Noções básicas do Direito do trabalho 8h 15/6 8h30-17h30 Marília - Tel. (14) Área tributária C.H. Datas Horários EFD-Contribuições (PIS/Cofins) 6h 17 e 18/6 19h - 22h Escrita fiscal 24h 8, 15, 22 e 29/6 9h - 16h Ribeirão Preto - Tel. (16) Área contábil C.H. Datas Horários Contabilidade de custos 20h 24 a 28/6 18h30-22h30 Área tributária C.H. Datas Horários Básico de ICMS 9h 22/6 8h - 18h Retenções na fonte (PIS,Cofins, CSLL, IRRF, ISSQN E INSS-PJ) 16h 15 e 29/6 8h30-17h30 Área trabalhista C.H. Datas Horários Departamento pessoal 28h 4, 5, 6, 10, 11, 12 e 13/6 18h30-22h30 Equiparação salarial 4h 8/6 9h - 13h São José do Rio Preto - Tel. (17) Área tributária C.H. Datas Horários Analista fiscal 32h 3, 4, 5, 6, 7, 10, 11 e 12/6 18h30-22h30 Escrita fiscal 24h 8, 15, 22 e 29/6 8h - 15h Área trabalhista C.H. Datas Horários Departamento pessoal 28h 8, 15, 22 e 29/6 8h - 16h Desoneração da folha de pagamento 8h 17 e 18/6 18h30-22h30 Gestão de RH e relações trabalhistas 8h 24 e 25/6 18h30-22h30 * As vagas dos cursos indicados com asterisco não estão disponíveis no site, pois primeiramente serão convocados os inscritos na lista de espera. Até o dia 20 de cada mês, a Contmatic Phoenix torna disponível, em a programação de cursos do mês subsequente. Para recebê-la por , mantenha seus dados atualizados. Para isso, acesse o site digite o seu código e senha na área Cliente. Na próxima janela, clique na opção Cadastro de s do MAC.

16

www.audicgroup.com.br DR SPED

www.audicgroup.com.br DR SPED www.audicgroup.com.br DR SPED a EMPRESA A Audic Group no Brasil tem o compromisso com os seus clientes de buscar a satisfação por eles desejada, para tanto dedica-se na identificação dos problemas, na

Leia mais

Principais Aspectos do Sistema Público de Escrituração Digital SPED

Principais Aspectos do Sistema Público de Escrituração Digital SPED Principais Aspectos do Sistema Público de Escrituração Digital SPED Como trabalhamos? no passado a pouco tempo Daqui para frente ECD Escrituração Contábil Digital IN RFB 787/07 O que é? : É a substituição

Leia mais

Instrução Normativa RFB n 1.353/13 MAIO DE 2.013

Instrução Normativa RFB n 1.353/13 MAIO DE 2.013 Instrução Normativa RFB n 1.353/13 MAIO DE 2.013 PRINCIPAIS CONSIDERAÇÕES O Art. 1 da IN RFB n 1353/13 instituiu a Escrituração Fiscal Digital do Imposto sobre a Renda e da Contribuição Social sobre o

Leia mais

empresas constantes de seus anexos, de acordo com o Estado da Federação em que estava localizado o contribuinte.

empresas constantes de seus anexos, de acordo com o Estado da Federação em que estava localizado o contribuinte. SPED O Sistema Público de Escrituração Digital, mais conhecido como Sped, trata de um projeto/obrigação acessória instituído no ano de 2007, através do Decreto nº 6.022, de 22 de janeiro de 2007. É um

Leia mais

O arquivo da EFD-Contribuições deverá ser validado, assinado digitalmente e transmitido, via Internet, ao ambiente Sped.

O arquivo da EFD-Contribuições deverá ser validado, assinado digitalmente e transmitido, via Internet, ao ambiente Sped. 001 O que é a EFD-Contribuições? A EFD-Contribuições é a Escrituração Fiscal Digital da Contribuição para o PIS/Pasep, da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e da Contribuição

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Comparativo leiaute DIPJ 2014 x ECF

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Comparativo leiaute DIPJ 2014 x ECF Comparativo leiaute DIPJ 2014 x ECF 05/05/2014 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas Pelo Time da Eficiência Comercial... 3 3. Análise da Legislação... 4 3.1 Comparativo

Leia mais

SPED. EFD CONTRIBUIÇÕES (Palestra) ANTONIO SÉRGIO DE OLIVEIRA WWW.PORTALDOSPED.COM.BR

SPED. EFD CONTRIBUIÇÕES (Palestra) ANTONIO SÉRGIO DE OLIVEIRA WWW.PORTALDOSPED.COM.BR SPED EFD CONTRIBUIÇÕES (Palestra) ANTONIO SÉRGIO DE OLIVEIRA WWW.PORTALDOSPED.COM.BR ANTONIO SÉRGIO DE OLIVEIRA Contador, Administrador de Empresas, Pós Graduado em Gestão Pública, Técnico em Contabilidade,

Leia mais

EFD. Contribuições Atualização. Abril 2013. Elaborado por: Antônio Sérgio de Oliveira

EFD. Contribuições Atualização. Abril 2013. Elaborado por: Antônio Sérgio de Oliveira Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

Instrução Normativa SRF nº 543, de 20 de maio de 2005 (*)

Instrução Normativa SRF nº 543, de 20 de maio de 2005 (*) Instrução Normativa SRF nº 543, de 20 de maio de 2005 (*) DOU de 24.5.2005 Dispõe sobre o Demonstrativo de Apuração de Contribuições Sociais (Dacon) relativo a fatos geradores ocorridos no ano-calendário

Leia mais

AGENDA TRIBUTÁRIA FEDERAL: DEZEMBRO DE 2015 - ADE CODAC Nº 37, DE 20/11/2015

AGENDA TRIBUTÁRIA FEDERAL: DEZEMBRO DE 2015 - ADE CODAC Nº 37, DE 20/11/2015 AGENDA TRIBUTÁRIA FEDERAL: DEZEMBRO DE 2015 - ADE CODAC Nº 37, DE 20/11/2015 Divulga a Agenda Tributária do mês de dezembro de 2015. O COORDENADOR-GERAL DE ARRECADAÇÃO E COBRANÇA, no uso da atribuição

Leia mais

SPED Contábil e SPED ECF

SPED Contábil e SPED ECF SPED Contábil e SPED ECF Impactos nas Rotinas Empresárias Prof. Marcos Lima Marcos Lima Contador (graduado pela UECE) Especialista em Auditoria (UNIFOR) Diretor de Relacionamentos da Fortes Contabilidade

Leia mais

MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL

MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL Conheça as condições para recolhimento do Simples Nacional em valores fixos mensais Visando retirar da informalidade os trabalhadores autônomos caracterizados como pequenos

Leia mais

O que é o Sistema Público de Escrituração Digital - SPED?

O que é o Sistema Público de Escrituração Digital - SPED? SPED PIS/COFINS Teoria e Prática O que é o Sistema Público de Escrituração Digital - SPED? E v e l i n e B a r r o s o Maracanaú - CE Março/2 0 1 2 1 2 Conceito O SPED é instrumento que unifica as atividades

Leia mais

ECF DIPJ INCLUÍDA NO SPED

ECF DIPJ INCLUÍDA NO SPED ECF DIPJ INCLUÍDA NO SPED O que é ECF Escrituração Contábil Fiscal? Demonstra o cálculo do IRPJ e da CSLL Sucessora da DIPJ Faz parte do projeto SPED Instituída pela Instrução Normativa RFB 1.422/2013

Leia mais

ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL (ECF)

ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL (ECF) ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL (ECF) Grant Thornton - Brasil Junho de 2015 Agenda Considerações Iniciais; Obrigatoriedade de Transmissão; Penalidades (Multas); Informações a serem Transmitidas; Recuperação

Leia mais

EFD-Contribuições Informações PIS/COFINS

EFD-Contribuições Informações PIS/COFINS EFD-Contribuições Informações PIS/COFINS 1. Introdução 2. Obrigatoriedade e dispensa 3. Periodicidade e prazo de entrega (Alterações IN nº 1.305/2012 e ADE Cofis nº 65/2012) 4. Dispensa do Dacon 5. Forma

Leia mais

Palestrante: Anderson Aleandro Paviotti

Palestrante: Anderson Aleandro Paviotti Palestrante: Anderson Aleandro Paviotti Perfil do Palestrante: Contador, Consultor e Professor Universitário Colaborador do Escritório Santa Rita desde 1991 Tributação das Médias e Pequenas Empresas Como

Leia mais

LEI 12.973/2014 E SPED: ADAPTAÇÃO ÀS NOVAS OBRIGAÇÕES TRIBUTÁRIAS

LEI 12.973/2014 E SPED: ADAPTAÇÃO ÀS NOVAS OBRIGAÇÕES TRIBUTÁRIAS LEI 12.973/2014 E SPED: ADAPTAÇÃO ÀS NOVAS OBRIGAÇÕES TRIBUTÁRIAS Visão geral dos impactos das novas evidenciações e diferenças de práticas contábeis advindas da IN 1.515. Subcontas. ECF e suas implicações.

Leia mais

IN RFB 1.015/10 - IN - Instrução Normativa RECEITA FEDERAL DO BRASIL - RFB nº 1.015 de 05.03.2010

IN RFB 1.015/10 - IN - Instrução Normativa RECEITA FEDERAL DO BRASIL - RFB nº 1.015 de 05.03.2010 IN RFB 1.015/10 - IN - Instrução Normativa RECEITA FEDERAL DO BRASIL - RFB nº 1.015 de 05.03.2010 O SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL SUBSTITUTO, no uso da atribuição que lhe confere o inciso III

Leia mais

ECF Considerações Iniciais

ECF Considerações Iniciais Outubro de 2014 ECF Considerações Iniciais A ECF é mais um dos projetos da RFB que integrará o SPED (Disciplinada pela Instrução Normativa RFB 1.422/2013). O layout da ECF pode ser encontrado no website

Leia mais

SPED PIS E COFINS SPED PIS E COFINS. Sistema Questor SPED PIS E COFINS - SPED PIS E COFINS - 0brigatoriedade. Objetivos do Curso

SPED PIS E COFINS SPED PIS E COFINS. Sistema Questor SPED PIS E COFINS - SPED PIS E COFINS - 0brigatoriedade. Objetivos do Curso Sistema Questor SPED PIS E COFINS SPED Sistema Público de Escrituração Digital EFD Escrituração Fiscal Digital Instrutor: - Jocenei Friedrich Apoio: - Sejam todos bem-vindos Objetivos do Curso Conhecer

Leia mais

Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Domingo 1 2 3 4 5 6 Clique e veja o compromisso do dia aqui

Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Domingo 1 2 3 4 5 6 Clique e veja o compromisso do dia aqui Atenção 01 Aqueles contribuintes obrigados ao envio mensal do arquivo SINTEGRA ao SEFAZ, devem observar a data de entrega, conforme definido pelo fisco. Atenção 02 Essas informações não substituem aquelas

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2012

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2012 CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2012 Orientações Básicas INFORMAÇÕES GERAIS PESSOA JURÍDICA 1) DCTF : (Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais) ATENÇÃO! Apresentação MENSAL obrigatória pelas Pessoas

Leia mais

Escrituração Contábil Digital (ECD) Escrituração Contábil Fiscal (ECF)

Escrituração Contábil Digital (ECD) Escrituração Contábil Fiscal (ECF) Escrituração Contábil Digital (ECD) Escrituração Contábil Fiscal (ECF) José Jayme Moraes Junior Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil Supervisor Nacional da ECD e da ECF Escrituração Contábil Digital

Leia mais

Projeto SPED de A a Z

Projeto SPED de A a Z Consultoria e Treinamentos Apresentam: Projeto SPED de A a Z SPED Decreto nº 6.022 22/01/07 Instituir o Sistema Público de Escrituração Digital (SPED) Promover a integração dos fiscos; Racionalizar e uniformizar

Leia mais

Instrução Normativa RFB nº 1.397, de 16 de setembro de 2013

Instrução Normativa RFB nº 1.397, de 16 de setembro de 2013 Instrução Normativa RFB nº 1.397, de 16 de setembro de 2013 DOU de 17.9.2013 Dispõe sobre o Regime Tributário de Transição (RTT) instituído pelo art. 15 da Lei nº 11.941, de 27 de maio de 2009. O SECRETÁRIO

Leia mais

ANO XXII - 2011-4ª SEMANA DE ABRIL DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 17/2011 PIS/PASEP/COFINS IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA

ANO XXII - 2011-4ª SEMANA DE ABRIL DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 17/2011 PIS/PASEP/COFINS IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA ANO XXII - 2011-4ª SEMANA DE ABRIL DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 17/2011 PIS/PASEP/COFINS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL DO PIS/PASEP E DA COFINS - EFD-PIS/COFINS - NORMAS GERAIS Introdução - Pessoas Jurídicas

Leia mais

1. O que é ECF? 2. Obrigatoriedade; 3. Prazo de Entrega; 4. Informações e Estrutura; 5. Penalidades; 6. Considerações Finais.

1. O que é ECF? 2. Obrigatoriedade; 3. Prazo de Entrega; 4. Informações e Estrutura; 5. Penalidades; 6. Considerações Finais. ECF Escrituração Contábil Fiscal Aspectos gerais. Por: Luana Romaniuk. Em junho de 2015. SUMÁRIO 1. O que é ECF? 2. Obrigatoriedade; 3. Prazo de Entrega; 4. Informações e Estrutura; 5. Penalidades; 6.

Leia mais

Neste bip. EFD Contribuições. Você sabia? Prazo final para entrega dos arquivos ECD e FCONT. edição 22 Junho de 2012

Neste bip. EFD Contribuições. Você sabia? Prazo final para entrega dos arquivos ECD e FCONT. edição 22 Junho de 2012 Neste bip EFD Contribuições... 1 Prazo final para entrega dos arquivos ECD e FCONT... 1 Configuração da Demonstração do Fluxo de Caixa... Configuração do Plano de Contas de acordo com a Lei 11.638/07...

Leia mais

Escrituração Fiscal Digital EFD ICMS/IPI. Dulcineia L. D. Santos

Escrituração Fiscal Digital EFD ICMS/IPI. Dulcineia L. D. Santos Escrituração Fiscal Digital EFD ICMS/IPI Dulcineia L. D. Santos Sistema Público de Escrituração Digital SPED Decreto n. 6.022, de 22/01/2007. Objetivos do SPED: unificar as atividades de recepção, validação,

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011 CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011 Orientações Básicas INFORMAÇÕES GERAIS PESSOA JURÍDICA 1) DCTF : (Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais) ATENÇÃO! Apresentação MENSAL obrigatória pelas Pessoas

Leia mais

OBRIGAÇÕES FISCAIS FEDERAIS JULHO/12

OBRIGAÇÕES FISCAIS FEDERAIS JULHO/12 CIRCULAR 37/12 Novo Hamburgo, 02 de julho de 2012. OBRIGAÇÕES FISCAIS FEDERAIS JULHO/12 DIA 04 IR-FONTE Pessoas obrigadas: pessoas jurídicas que efetuaram retenção na fonte nos pagamentos ou créditos decorrentes

Leia mais

PIS/ COFINS. NOTÍCIAS DA SEMANA (14/02/11 a 18/02/11)

PIS/ COFINS. NOTÍCIAS DA SEMANA (14/02/11 a 18/02/11) PIS/ COFINS NOTÍCIAS DA SEMANA (14/02/11 a 18/02/11) I NOVAS SOLUÇÕES DE CONSULTAS.... 2 A) LOCADORAS DE VEÍCULOS PODEM SE CREDITAR DE 1/48 (UM QUARENTA O OITO AVOS) NO CÁLCULO DOS CRÉDITOS DE PIS/COFINS

Leia mais

Orientações sobre Micro Empreendedor Individual

Orientações sobre Micro Empreendedor Individual Orientações sobre Micro Empreendedor Individual Micro Empreendedor individual Definição Microempreendedor Individual (MEI) é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário.

Leia mais

EFD Contribuições (PIS/COFINS) Atualizado com a Instrução Normativa RFB nº 1.280/2012

EFD Contribuições (PIS/COFINS) Atualizado com a Instrução Normativa RFB nº 1.280/2012 PIS/COFINS EFD Contribuições (PIS/COFINS) Atualizado com a Instrução Normativa RFB nº 1.280/2012 CONTEÚDO 1. INTRODUÇÃO 2. CERTIFICADO DIGITAL 3. OBRIGATORIEDADE 3.a Dispensa de Apresentação da EFD-Contribuições

Leia mais

SIMPLES NACIONAL 1. NOÇÕES GERAIS

SIMPLES NACIONAL 1. NOÇÕES GERAIS SIMPLES NACIONAL 1. NOÇÕES GERAIS SIMPLES NACIONAL 1.1. O que é O Simples Nacional é um regime tributário diferenciado, simplificado e favorecido previsto na Lei Complementar nº 123, de 2006, aplicável

Leia mais

ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL SPED ECF. PROFESSOR: FELLIPE GUERRA Sergipe, 24 de Agosto de 2015.

ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL SPED ECF. PROFESSOR: FELLIPE GUERRA Sergipe, 24 de Agosto de 2015. ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL SPED ECF PROFESSOR: FELLIPE GUERRA Sergipe, 24 de Agosto de 2015. PROFESSOR: FELLIPE GUERRA Contador, Consultor Empresarial e Especialista em SPED. Coordenador da Comissão

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Adoção Inicial a Lei nº 12.973/2014 contabilização mantida em subcontas

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Adoção Inicial a Lei nº 12.973/2014 contabilização mantida em subcontas Adoção Inicial a Lei nº 12.973/2014 contabilização mantida em subcontas 24/09/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 4 3.1

Leia mais

COMISSÃO MISTA PARA DISCUSSÃO DA LEGISLAÇÃO DA MICRO EMPRESA E EMPRESA DE PEQUUENO PORTE

COMISSÃO MISTA PARA DISCUSSÃO DA LEGISLAÇÃO DA MICRO EMPRESA E EMPRESA DE PEQUUENO PORTE PROPOSTAS PARA TRATAMENTO TRIBUTÁRIO DA MICROEMPRESA E EMPRESA DE PEQUENO PORTE EM MATO GROSSO Comissão criada pela Portaria nº 030/SUGP/SEFAZ de 04/05/04 LEGENDA ATENDIDO PTA RP 2004 1. MINUTA DE LEI

Leia mais

SUMÁRIO. 5- Certificação Digital e Procuração para a RFB

SUMÁRIO. 5- Certificação Digital e Procuração para a RFB 2 SUMÁRIO I- INTRODUÇÃO II- BREVE HISTÓRICO III- PRINCIPAIS ASPECTOS LEGAIS ( IN 1177/11) 1- Obrigatoriedade da apresentação 2- Dispensa da Apresentação 3- Forma e lugar da apresentação 4- Prazo de entrega

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL. Apresentamos a seguir as principais alterações ocorridas na legislação tributária no mês de maio de 2011.

INFORMATIVO MENSAL. Apresentamos a seguir as principais alterações ocorridas na legislação tributária no mês de maio de 2011. INFORMATIVO MENSAL Apresentamos a seguir as principais alterações ocorridas na legislação tributária no mês de maio de 2011. I FEDERAL IPI - NOVAS DISPOSIÇÕES SOBRE A SUSPENSÃO DO IMPOSTO NA EXPORTAÇÃO

Leia mais

Regime Tributário Unificado e Simplificado

Regime Tributário Unificado e Simplificado SUPER SIMPLES, uma abordagem para escolas de idiomas A partir de 1/7/07, estará em funcionamento o regime único de tributação, instituído pela Lei Complementar nº123, conhecida também como Super Simples

Leia mais

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA AGOSTO DE 2014. c) multa ou qualquer vantagem por rescisão de contratos.

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA AGOSTO DE 2014. c) multa ou qualquer vantagem por rescisão de contratos. Até dia Obrigação AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA AGOSTO DE 2014 Histórico ocorridos no período de 21 a 31.07.2014, incidente sobre rendimentos de (art. 70, I, letra "b", da Lei nº 11.196/2005 ): 5

Leia mais

SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL. Socorro Oliveira 11.MARÇO.2010

SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL. Socorro Oliveira 11.MARÇO.2010 SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL Socorro Oliveira 11.MARÇO.2010 DECRETO Nº 6.022-22/01/07 Eliminar a redundância de informações por meio da padronização das Obrigações Acessórias Uniformizar as

Leia mais

ASSUNTOS DIVERSOS FÉRIAS COLETIVAS

ASSUNTOS DIVERSOS FÉRIAS COLETIVAS BOLETIM INFORMATIVO DUARTE BENETTI CONTABILIDADE ANO XXIX Nº 122 Dezembro / 2013 Assuntos Diversos...1 Fiscal... 2 Pessoal... 3 Social... 4 Feriado e Agenda Obrigações...5 Mensagem...6 ASSUNTOS DIVERSOS

Leia mais

SIEEESP - SEMINÁRIO JURIDICO EDUCACIONAL. Tributação das Instituições de Ensino Particulares Perspectivas e Medidas. Wagner Eduardo Bigardi 27/05/2014

SIEEESP - SEMINÁRIO JURIDICO EDUCACIONAL. Tributação das Instituições de Ensino Particulares Perspectivas e Medidas. Wagner Eduardo Bigardi 27/05/2014 SIEEESP - SEMINÁRIO JURIDICO EDUCACIONAL Tributação das Instituições de Ensino Particulares Perspectivas e Medidas Wagner Eduardo Bigardi 27/05/2014 Sistema Tributário Nacional Conjunto de regras jurídicas

Leia mais

Mesa de Debates CRC/RJ Lei 12.973/2014 e o novo regime tributário pós RTT. Claudio Yano 20 de maio de 2014

Mesa de Debates CRC/RJ Lei 12.973/2014 e o novo regime tributário pós RTT. Claudio Yano 20 de maio de 2014 Mesa de Debates CRC/RJ Lei 12.973/2014 e o novo regime tributário pós RTT Claudio Yano 20 de maio de 2014 DIPJ 2014 Prazo de entrega Programa Gerador aprovado pela IN RFB 1.463/14; Prazo para entrega:

Leia mais

GUIA PRÁTICO EFD-CONTRIBUIÇÕES

GUIA PRÁTICO EFD-CONTRIBUIÇÕES GUIA PRÁTICO EFD-CONTRIBUIÇÕES Maio de 2012 O QUE É A EFD-Contribuições trata de arquivo digital instituído no Sistema Publico de Escrituração Digital SPED, a ser utilizado pelas pessoas jurídicas de direito

Leia mais

SPED CONTÁBIL. Escrituração Contábil Digital. Professor Filemon Augusto de Oliveira 23/05/2014 Congresso de Contabilidade do Agreste Alagoano

SPED CONTÁBIL. Escrituração Contábil Digital. Professor Filemon Augusto de Oliveira 23/05/2014 Congresso de Contabilidade do Agreste Alagoano SPED CONTÁBIL Escrituração Contábil Digital Professor Filemon Augusto de Oliveira 23/05/2014 Congresso de Contabilidade do Agreste Alagoano É HORA DE AGRADECER!!! O modelo mudou... Quem escrevia cartinha,

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Retenções na fonte IRRF e CSRF geradas na DIRF

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Retenções na fonte IRRF e CSRF geradas na DIRF Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Retenções na fonte IRRF e CSRF geradas na DIRF 27/11/2014 Título do documento Sumário 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da

Leia mais

Contribuição Sindical dos empregados. Neste bip. Você sabia? edição 19 Março de 2012

Contribuição Sindical dos empregados. Neste bip. Você sabia? edição 19 Março de 2012 Neste bip Contribuição Sindical dos empregados... 1 Alterações no Aviso Prévio conforme Circular MTE 10/2011... 2 Formas de contabilização da Escrita Fiscal... 3 Importação de Notas Fiscais de Serviço...

Leia mais

Professor José Sérgio Fernandes de Mattos

Professor José Sérgio Fernandes de Mattos Professor Apresentação: 1. Instituído pelo Decreto nº 6.022, de 22 de janeiro de 2007, o Sistema Público de Escrituração Digital (Sped) faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento do Governo Federal

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA RECEITA 28576_ LEI GERAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS LEI COMPLEMENTAR Nº 123, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2006

ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA RECEITA 28576_ LEI GERAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS LEI COMPLEMENTAR Nº 123, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2006 ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA RECEITA 28576_ LEI GERAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS LEI COMPLEMENTAR Nº 123, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2006 PERGUNTAS E RESPOSTAS Este documento é de caráter meramente

Leia mais

CCA BERNARDON DESTAQUES DA SEMANA: CONTADORES E ADVOGADOS SEMANÁRIO Nº 45/2014 2ª SEMANA NOVEMBRO DE 2014

CCA BERNARDON DESTAQUES DA SEMANA: CONTADORES E ADVOGADOS SEMANÁRIO Nº 45/2014 2ª SEMANA NOVEMBRO DE 2014 News Consultoria, treinamento para gestão administrativa e atuação em processos e negócios. CCA BERNARDON CONTADORES E ADVOGADOS SEMANÁRIO Nº 45/2014 2ª SEMANA NOVEMBRO DE 2014 DESTAQUES DA SEMANA: TRIBUTOS

Leia mais

Sistema Público de Escrituração Digital SPED NONO NONONO NO NONO NONO NONONO NONO

Sistema Público de Escrituração Digital SPED NONO NONONO NO NONO NONO NONONO NONO Sistema Público de Escrituração Digital SPED NONO NONONO NO NONO NONO NONONO NONO CIESP de Sorocaba 13 de agosto de 2015 O NONO Sistema NONONO Público NONONO NONONO de NONO Escrituração Digital O SPED

Leia mais

Bloco K + ECF. Bloco K no SPED Fiscal. Apresentação: 21/05/2015

Bloco K + ECF. Bloco K no SPED Fiscal. Apresentação: 21/05/2015 Bloco K + ECF Apresentação: Danilo Lollio Graduado em Análise de Sistemas pela Universidade Mackenzie. Formado em Pedagogia pela Universidade de São Paulo -USP. Gerente de Legislação da Wolters Kluwer

Leia mais

Programa Contag Consultoria e Escola de Negócios, representação da Nasajon Sistemas no Amapá

Programa Contag Consultoria e Escola de Negócios, representação da Nasajon Sistemas no Amapá Programa Contag Consultoria e Escola de Negócios, representação da Nasajon Sistemas no Amapá Instrutor: José Jeová Junior Contador, com formação nesta área pelo Instituto IOB de São Paulo Dinâmica das

Leia mais

SPED. EFD CONTRIBUIÇÕES (Palestra) ANTONIO SÉRGIO DE OLIVEIRA WWW.PORTALDOSPED.COM.BR ANTONIO SÉRGIO DE OLIVEIRA

SPED. EFD CONTRIBUIÇÕES (Palestra) ANTONIO SÉRGIO DE OLIVEIRA WWW.PORTALDOSPED.COM.BR ANTONIO SÉRGIO DE OLIVEIRA SPED EFD CONTRIBUIÇÕES (Palestra) ANTONIO SÉRGIO DE OLIVEIRA WWW.PORTALDOSPED.COM.BR 1 ANTONIO SÉRGIO DE OLIVEIRA Contador, Administrador de Empresas, Pós Graduado em Gestão Pública, Técnico em Contabilidade,

Leia mais

EFD PIS COFINS Teoria e Prática

EFD PIS COFINS Teoria e Prática EFD PIS COFINS Teoria e Prática É uma solução tecnológica que oficializa os arquivos digitais das escriturações fiscal e contábil dos sistemas empresariais dentro de um formato digital específico e padronizado.

Leia mais

Agenda Tributária: de 12 a 18 de fevereiro de 2015

Agenda Tributária: de 12 a 18 de fevereiro de 2015 Agenda Tributária: de 12 a 18 de fevereiro de 2015 Dia: 13 CIDE - Combustíveis - 9331 Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico incidente sobre a comercialização de petróleo e seus derivados, gás

Leia mais

Manual CIAP Controle de Crédito de ICMS do Ativo Permanente.

Manual CIAP Controle de Crédito de ICMS do Ativo Permanente. Manual CIAP Controle de Crédito de. DESENVOLVENDO SOLUÇÕES Autor: Laila M G Gechele Doc. Vrs. 01 Revisão: Gustavo e Mauro Aprovado em: Março de 2014. Nota de copyright Copyright 2014 Teorema Informática,

Leia mais

AUDITORIA ELETRÔNICA EM ARQUIVOS FISCAIS E CONTÁBEIS

AUDITORIA ELETRÔNICA EM ARQUIVOS FISCAIS E CONTÁBEIS VOCÊ JÁ TEM POUCO TEMPO. UTILIZE ESSE TEMPO PARA RESOLVER OUTROS PROBLEMAS. ACHAR E SOLUCIONAR OS PROBLEMAS TRIBUTÁRIOS E NO SPED FAZ PARTE DAS NOSSAS ESPECIALIDADES. AUDITORIA ELETRÔNICA EM ARQUIVOS FISCAIS

Leia mais

esocial esocial Diminuir o custo de produção, o controle e disponibilização das informações trabalhistas, previdenciárias e fiscais;

esocial esocial Diminuir o custo de produção, o controle e disponibilização das informações trabalhistas, previdenciárias e fiscais; Ref.: nº 26/2015 esocial 1. Conceito O esocial é um projeto do Governo Federal que vai coletar as informações descritas em seu objeto, armazenando-as em Ambiente Nacional, possibilitando aos órgãos participantes,

Leia mais

Elaborado por: Gisleise Nogueira de Aguiar. O conteúdo desta apostila é de inteira responsabilidade do autor (a).

Elaborado por: Gisleise Nogueira de Aguiar. O conteúdo desta apostila é de inteira responsabilidade do autor (a). Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

Edição 120 Agosto 2014. Publicação da Contmatic Phoenix para seus clientes e parceiros

Edição 120 Agosto 2014. Publicação da Contmatic Phoenix para seus clientes e parceiros Edição 120 Agosto 2014 Publicação da Contmatic Phoenix para seus clientes e parceiros editorial OPERAÇÕES QUE FACILITAM O TRABALHO DAS EMPRESAS Não é tarefa fácil desenvolver softwares que facilitem e

Leia mais

República Federativa do Brasil Estado do Ceará Município de Juazeiro do Norte Poder Executivo

República Federativa do Brasil Estado do Ceará Município de Juazeiro do Norte Poder Executivo DECRETO N.º 501, DE 27 DE SETEMBRO DE 2011. Regulamenta a instituição do gerenciamento eletrônico do ISSQN- Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza, a escrituração econômico-fiscal e a emissão de documento

Leia mais

EFD PIS COFINS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL

EFD PIS COFINS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL EFD PIS COFINS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL 1. INTRODUÇÃO Este artigo tem por objetivo trazer considerações relevantes quanto a dados inerentes à Escrituração Fiscal Digital da Contribuição para o PIS/Pasep

Leia mais

67. As ME e EPP, optantes ou não pelo Simples Nacional, podem emitir que tipo de nota fiscal?

67. As ME e EPP, optantes ou não pelo Simples Nacional, podem emitir que tipo de nota fiscal? OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS 67. As ME e EPP, optantes ou não pelo Simples Nacional, podem emitir que tipo de nota fiscal? Nas operações de vendas a contribuinte, a Nota Fiscal, modelos 1 e 1-A ou a Nota Fiscal

Leia mais

SINDCONT-SP SINDCONT-SP

SINDCONT-SP SINDCONT-SP SPED, ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL EFD E OS DOCUMENTOS ELETRÔNICOS 2007/2008 Programa: - Sistema Público de Escrituração Digital - SPED - Escrituração Fiscal Digital - EFD - Documentos Eletrônicos do SPED:

Leia mais

Boletim Mensal - Novembro/2015

Boletim Mensal - Novembro/2015 Boletim Mensal - Novembro/2015 Fiscal Contábil RH Notícias Calendário Obrigações Fiscal Fisco irá cruzar informações de bancos com o Imposto de Renda e apertar contribuinte. A partir de janeiro de 2016,

Leia mais

www. zaninisistemas.com.br

www. zaninisistemas.com.br www. zaninisistemas.com.br Sistemas para Lojistas e Empresas Corporativas ERP Gestor Financeiro Gerenciador NF-e CRM Gestão de Clientes Gestão de Sistemas Contábeis Contabilidade Escrita Fiscal RH & Folha

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA ENCERRAR UMA EMPRESA

PROCEDIMENTOS PARA ENCERRAR UMA EMPRESA PROCEDIMENTOS PARA ENCERRAR UMA EMPRESA Equipe Portal de Contabilidade Para encerrar as atividades de uma empresa, é preciso realizar vários procedimentos legais, contábeis e tributários, além de, é claro,

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA AS ASSOCIAÇÕES DE PASSO FUNDO

MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA AS ASSOCIAÇÕES DE PASSO FUNDO NÚCLEO DE APOIO CONTÁBIL E FISCAL UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS PASSO FUNDO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS, ADMINISTRATIVAS E CONTÁBEIS. Professora Orientadora: Ms. Mirna Muraro

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Demonstrações Contábeis por Tipo e Tamanho de Empresa e Reflexos na Escrituração Contábil Digital (ECD)

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Demonstrações Contábeis por Tipo e Tamanho de Empresa e Reflexos na Escrituração Contábil Digital (ECD) 1 Parecer Consultoria Tributária Segmentos Demonstrações Contábeis por Tipo e Tamanho de Empresa e Reflexos na Escrituração Contábil Digital (ECD) 04/06/2014. Contábeis por Tipo e Tamanho de Empresa 1

Leia mais

ECD + ECF - NOVAS REGRAS - 2014

ECD + ECF - NOVAS REGRAS - 2014 XII ENCONTRO ALAGOANO DE CONTABILIDADE CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DE ALAGOAS ECD + ECF - NOVAS REGRAS - 2014 Prof. Filemon Augusto de Oliveira MUITO PRAZER!!! Fé Família Trabalho AGRADECIMENTOS

Leia mais

GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA

GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA SUMÁRIO >> Introdução... 3 >> O que é a nota fiscal eletrônica?... 6 >> O que muda com esse novo modelo de documento fiscal?... 8 >> O DANFE - Documento Acessório

Leia mais

AUDITORIA FISCO-CONTÁBIL DAS DEMONSTRAÇÕES ELETRÔNICAS COMPLIANCE FISCAL ELETRÔNICO

AUDITORIA FISCO-CONTÁBIL DAS DEMONSTRAÇÕES ELETRÔNICAS COMPLIANCE FISCAL ELETRÔNICO AUDITORIA FISCO-CONTÁBIL DAS DEMONSTRAÇÕES ELETRÔNICAS COMPLIANCE FISCAL ELETRÔNICO Nossos serviços de auditoria das Obrigações Eletrônicas utilizam ferramentas que permitem auditar os arquivos enviados

Leia mais

NF-e Nota Fiscal Eletrônica

NF-e Nota Fiscal Eletrônica NF-e Nota Fiscal Eletrônica Através do FórmulaCerta é possível efetuar o envio da Nota Fiscal Eletrônica, mas para fazer uso desta rotina é necessário efetuar algumas configurações para realizar esta tarefa.

Leia mais

Plantão de Dúvidas. Escrituração Contábil Fiscal ECF e Escrituração Contábil Digital - ECD

Plantão de Dúvidas. Escrituração Contábil Fiscal ECF e Escrituração Contábil Digital - ECD Plantão de Dúvidas Tema: Escrituração Contábil Fiscal ECF e Escrituração Contábil Digital - ECD com Lázaro Rosa da Silva 1 - Somos uma entidade sem fins lucrativos e temos mensalmente um PIS Sobre Folha

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Transferência de Crédito de ICMS de Fornecedor Optante do Simples Nacional

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Transferência de Crédito de ICMS de Fornecedor Optante do Simples Nacional 09/01/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1 Transferência de Crédito do ICMS pelos Optantes do... 4 3.2 Do Ressarcimento

Leia mais

Principais Formas de Tributação no Brasil Reginaldo Gonçalves

Principais Formas de Tributação no Brasil Reginaldo Gonçalves Principais Formas de Tributação no Brasil Reginaldo Gonçalves 2.1 A Tributação no Brasil 2.2 Opção pela Tributação - Lucro Real 2.3 Opção pela Tributação - Lucro Presumido 2.4 Opção pela Tributação - Lucro

Leia mais

Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação.

Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação. Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação. 1) Tipos de Empresas Apresenta-se a seguir, as formas jurídicas mais comuns na constituição de uma Micro ou

Leia mais

Retenção de Impostos e Contribuições

Retenção de Impostos e Contribuições Retenção de Impostos e Contribuições COMO A FONTE PAGADORA DEVE DESCONTAR: IR PIS/PASEP COFINS CSLL ISS INSS Resumo do conteúdo: IR Fonte Assalariados / Pro Labore IR Fonte Terceiros e Não Assalariados

Leia mais

TRIBUTOS: SAIBA COMO DOMINAR OS FANTASMAS DA BUROCRACIA CORPORATIVA

TRIBUTOS: SAIBA COMO DOMINAR OS FANTASMAS DA BUROCRACIA CORPORATIVA 1 SUMÁRIO Introdução Quais as principais obrigações com que devo me preocupar? ECF EFD Contribuições SPED Fiscal SPED Contábil esocial Como lidar com todas essas informações? Organize-se para evitar penalizações

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PINHEIRO PRETO DECRETO Nº 4.042, DE 22 DE JULHO DE 2014.

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PINHEIRO PRETO DECRETO Nº 4.042, DE 22 DE JULHO DE 2014. DECRETO Nº 4.042, DE 22 DE JULHO DE 2014. Regulamenta a Lei nº 1.775, de 10 de junho de 2014, dispondo sobre o modelo, requisitos, emissão e cancelamento da Nota Fiscal de Serviços Eletrônica NFS-e, institui

Leia mais

Escrituração Contábil Digital ECD. Brasília, 18 de maio de 2012

Escrituração Contábil Digital ECD. Brasília, 18 de maio de 2012 Escrituração Contábil Digital ECD Brasília, 18 de maio de 2012 Abrangência do Sped NF-e Integração ECD NFS-e ReceitanetBX EFD Int e-lalur CT-e EFD Social FCont EFD Contribuições e-lalur Livro Eletrônico

Leia mais

GUIA PRÁTICO DO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL MEI

GUIA PRÁTICO DO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL MEI GUIA PRÁTICO DO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL MEI 2009 APRESENTAÇÃO O Guia Prático do Microempreendedor Individual MEI - é uma publicação da FENACON e dos sindicatos que fazem parte do Sistema SESCAP/SESCON.

Leia mais

ICMS ANTECIPADO ESPECIAL - NÃO OPTANTES DO SIMPLES NACIONAL

ICMS ANTECIPADO ESPECIAL - NÃO OPTANTES DO SIMPLES NACIONAL ICMS ANTECIPADO ESPECIAL - NÃO OPTANTES DO SIMPLES NACIONAL PERGUNTAS E RESPOSTAS 1. Em que se constitui o ICMS ANTECIPADO ESPECIAL? R= Em valor correspondente à diferença entre a alíquota interna e a

Leia mais

Mapeamento ECF. w w w. b r l c o n s u l t o r e s. c o m. b r

Mapeamento ECF. w w w. b r l c o n s u l t o r e s. c o m. b r Mapeamento ECF Projeto SPED ECF Introdução A Escrituração Contábil Fiscal (ECF) substitui a Declaração de Informações Econômico- Fiscais da Pessoa Jurídica (DIPJ), a partir do ano-calendário 2014. São

Leia mais

SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL

SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL O que você irá ver O que é o SPED; SPED Fiscal; Abrangência do projeto; O PAC e o SPED; Benefícios para as Empresas; Benefícios para a Fisco; SPED Contábil; Nota

Leia mais

REALIZAÇÃO: APOIO: 1

REALIZAÇÃO: APOIO: 1 1 REALIZAÇÃO: APOIO: Agenda 2 Bloco K Parte I Legislação Aplicável Conceitos e estrutura do EFD ICMS-IPI Diferença entre o Bloco H e o Bloco K Entrega por estabelecimento Origem do Bloco K Obrigatoriedade

Leia mais

Neste bip. Você Sabia? Validação da Chave da Nota Fiscal Eletrônica. edição 25 Setembro de 2012

Neste bip. Você Sabia? Validação da Chave da Nota Fiscal Eletrônica. edição 25 Setembro de 2012 Neste bip Validação da Chave da Nota Fiscal Eletrônica... 1 Importação de Conhecimentos de Transporte Eletrônicos... 2 Demonstrações Contábeis Obrigatórias para Pequenas e Médias Empresas (NBC TG 1000)...

Leia mais

Novas obrigações digitais: Penalidades e o fim da DACON Palestra

Novas obrigações digitais: Penalidades e o fim da DACON Palestra Novas obrigações digitais: Penalidades e o fim da DACON Palestra Quem sou eu... Pai, marido, corinthiano, louco por barcos, empreendedor, especialista em Arquivos Digitas e SPED Trabalho com arquivos digitais

Leia mais

Decreto Nº1601 de 19 de Agosto de 2009 DECRETA:

Decreto Nº1601 de 19 de Agosto de 2009 DECRETA: Decreto Nº1601 de 19 de Agosto de 2009 Av. Presidente Vargas, 3.215 Vila Maria INSTITUI O GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DO ISSQN, A ESCRITURAÇÃO ECONÔMICO- FISCAL E A EMISSÃO DE GUIA DE RECOLHIMENTO POR MEIOS

Leia mais

OBRIGAÇÕES FISCAIS SOCIAIS DA APM

OBRIGAÇÕES FISCAIS SOCIAIS DA APM COMUNICADO FDE / DRA Nº 001/2015 OBRIGAÇÕES FISCAIS E SOCIAIS DA APM 2 0 1 5 Página 1 de 9 O objetivo deste texto é informar aos dirigentes das Associações de Pais e Mestres APMs de Escolas Estaduais conveniadas

Leia mais

Aspectos gerais para validação da EFD Contribuições Lucro Presumido

Aspectos gerais para validação da EFD Contribuições Lucro Presumido Aspectos gerais para validação da EFD Contribuições Lucro Presumido Sumário Aspectos gerais para validação da EFD Contribuições Lucro Presumido 1. Cadastro de Empresas... 2 2. Cadastro de Participantes...

Leia mais

Neste bip. Participação nos Lucros e Resultados. Você Sabia? Rescisão Complementar. Edição 54 Fevereiro de 2015

Neste bip. Participação nos Lucros e Resultados. Você Sabia? Rescisão Complementar. Edição 54 Fevereiro de 2015 Neste bip Participação nos Lucros e Resultados... Rescisão Complementar... 1 DIRF 2015... 2 Novas Alterações Trabalhistas e Previdenciárias... 3 EFD ICMS-IPI... 4 Nova Tabela de INSS e Salário Família...

Leia mais

Palestra. ICMS/SP Substituição Tributária Regime Especial Distribuidor. Apoio: Elaborado por: Giuliano Kessamiguiemon Gioia

Palestra. ICMS/SP Substituição Tributária Regime Especial Distribuidor. Apoio: Elaborado por: Giuliano Kessamiguiemon Gioia Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

Sistema Público de Escrituração Digital

Sistema Público de Escrituração Digital O SPED O Sistema Público de Escrituração Digital tem por objetivo promover a integração entre os órgãos reguladores e de fiscalização da União, FISCOS Estaduais e futuramente Municipais. Isso mediante

Leia mais

ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 29/11/2011

ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 29/11/2011 ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 29/11/2011 Recolhimento Espontâneo 001 Quais os acréscimos legais que incidirão no caso de pagamento espontâneo de imposto ou contribuição administrado pela Secretaria da Receita

Leia mais