EA075 Memória virtual

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EA075 Memória virtual"

Transcrição

1 EA075 Memória virtual Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC) Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) Prof. Levy Boccato 1

2 Motivação Problema: programas cujos tamanhos ultrapassavam a capacidade da memória física. Projeto de software precisava incluir: Divisão do programa em partes (segmentos); Identificação de partes mutuamente exclusivas. Durante a execução, comandos do programa traziam as partes (segmentos) necessários do disco para a memória antes de serem referenciadas. Somente partes já presentes na memória poderiam ser referenciadas. 2

3 Motivação Atualmente, um processo em execução utiliza a memória para armazenar código e variáveis (dados). Além disso, o processador deve executar vários processos, sendo que cada processo tem seu espaço de memória. É necessário, portanto, compartilhar partes da memória física entre os processos. 3

4 Motivação Surgem dois espaços de memória: Espaço de memória endereçável por um processador (processo) endereço virtual. Memória física instalada endereço físico. A solução presente nos sistemas modernos de computação explora: O conceito de memória virtual. O particionamento da memória principal e dos processos em blocos (páginas ou segmentos). Um mecanismo de gerenciamento automático de endereços virtuais / físicos. 4

5 Considere o seguinte cenário: a memória principal de um sistema de computação foi particionada em pedaços iguais de tamanho fixo, denominados frames (blocos), e que cada processo também foi dividido em blocos de tamanho fixo, denominados páginas. Quando o sistema operacional decide trazer um processo do disco para a memória principal, ele carrega as páginas que compõem este processo em blocos livres da memória principal. Os blocos livres não são necessariamente adjacentes. Se fossem, bastaria ajustar o endereço de base do processo carregado para converter os endereços lógicos (expressos como um deslocamento ou posição relativa ao início do programa) em endereços físicos. No caso geral, o sistema operacional mantém uma tabela de página para cada processo. 5

6 Memória Virtual Como é feito o ajuste dos endereços contidos no programa? Cada endereço virtual consiste em um número de página e um endereço relativo dentro daquela página (offset). O processador usa a tabela de páginas associada ao processo para gerar um endereço físico dividido em número de bloco e endereço relativo dentro do bloco. Como o tamanho de página é, predominantemente, feito igual ao tamanho do bloco, o offset é o mesmo nos endereços virtual e físico. Memória principal Exemplo: Tabela de páginas Endereço físico Endereço virtual Número da página 1 30 Offset Número do bloco Página 1 do processo

7 Paginação por demanda: cada página de um processo somente é trazida para a memória quando for necessária. Ideia: Carregar algumas páginas de um processo na memória principal. Caso o programa desvie para uma instrução ou necessite de um dado contido em uma página que não esteja na memória principal, uma falta de página ocorrerá, o que leva o sistema operacional a trazer esta página do disco para a memória. Assim, Apenas algumas páginas de um processo permanecem na memória principal. Mais processos podem ser mantidos na memória. Tempo é reduzido, pois as páginas não utilizadas não entram e saem da memória. É possível ter um processo com tamanho maior que toda a memória principal. 7

8 O sistema operacional precisa gerenciar este esquema de paginação de forma inteligente. Por exemplo, ao trazer uma nova página do disco, ele precisa escolher um bloco da memória principal a ser substituído. Entram em cena neste momento algoritmos de substituição de página, que são bastante parecidos com as técnicas de substituição de linha em memórias cache. Além disso, é preciso optar por uma política de escrita, tal qual ocorre com a memória cache. 8

9 Mapeamento de endereços via tabela de páginas Endereço virtual Número de página virtual Offset Tabela de páginas Memória principal Número de bloco físico Offset Endereço físico 9

10 Exemplo Cada página equivale a 4k bytes 12 bits para identificar um byte (offset). Endereço virtual de 32 bits. Número de página virtual 20 bits Offset 12 bits Ao todo, existem 2 20 páginas diferentes. Então, a tabela de páginas possui 2 20 linhas. Se cada linha contém 4 bytes incluindo o endereço físico e outras informações -, a tabela de páginas deste processo ocupa cerca de 4 MB. 10

11 Tabela de páginas invertida Em geral, o número de páginas físicas (blocos) é menor que o número de páginas virtuais. Ideia: a parte referente ao número de página virtual é mapeada em um valor usando uma função de hash (dispersão, espalhamento) simples. Este valor serve como índice para a tabela de páginas invertida. Existe uma entrada (linha) na tabela de página invertida para cada bloco da memória física. Assim, uma proporção fixa da memória física é exigida para essa tabela, independentemente do número de processos ou páginas virtuais admitidas. Como mais de um endereço virtual pode ser mapeado na mesma linha da tabela, uma técnica de encadeamento é usada para gerenciar as situações de conflito. 11

12 Tabela de páginas invertida Exemplo: memória física dividida em N blocos Endereço virtual Número da página virtual 0x0001 Offset 0x013 hash Índice de 1 a N 0x63 Próximo Bits de controle (e.g., validade, dirty bit) e de identificação do processo Número do bloco físico 0x01 12

13 Tabela de páginas invertida Exemplo: memória física dividida em N blocos Endereço virtual Número da página virtual 0x0001 Offset 0x013 hash Índice de 1 a N Número da página Número do bloco Número da página Número do bloco Número da página Número do bloco Havendo colisão, os pares (número de página virtual / número do bloco físico) associados a uma linha são organizados em uma lista. 13

14 Em tese, como a tabela de páginas é armazenada na memória, cada referência de memória virtual pode causar dois acessos à memória física: O primeiro para buscar a entrada apropriada da tabela de páginas. O segundo para buscar os dados desejados. Para evitar isto, usa-se uma memória cache especial para armazenar entradas da tabela de páginas, chamada de translation lookaside buffer (TLB). 14

15 Translation lookaside buffer (TLB): funciona da mesma maneira que uma memória cache e deve conter as entradas da tabela de páginas que foram usadas recentemente. Pelo princípio da localidade, a maior parte das referências à memória virtual será para locais que estão nas páginas usadas recentemente. 15

16 O esquema de tradução de endereços via TLB e tabela de páginas ocorre junto com o sistema de memória cache convencional: 1) O sistema de gerenciamento de memória consulta o TLB para ver se a entrada da tabela de página correspondente está presente. Se estiver, o endereço físico é gerado combinando o número de bloco com o offset. 2) Caso contrário, a entrada é acessada a partir de uma tabela de página (que está na memória). 3) Quando o endereço físico for gerado, a memória cache é consultada para ver se o bloco contendo a palavra desejada está presente. 4) Caso não esteja, a palavra desejada é recuperada da memória principal. 16

EA960 Memória virtual

EA960 Memória virtual EA960 Memória virtual Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC) Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) Prof. Levy Boccato 1 Motivação Vimos no tópico anterior como a memória cache pode

Leia mais

Gerência de Memória. Paginação

Gerência de Memória. Paginação Gerência de Memória Paginação Endereçamento Virtual (1) Espaço de endereçamento dos processos não linearmente relacionado com a memória física Cada vez que são usados, os endereços virtuais são convertidos

Leia mais

Gerenciamento de Memória

Gerenciamento de Memória Gerenciamento de Memória Prof. Clodoaldo Ap. Moraes Lima Paginação Espaço de endereço de um processo pode ser não contíguo; ao processo é alocado memória física sempre que disponível. Divide memória física

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores I

Organização e Arquitetura de Computadores I Organização e Arquitetura de Computadores I Slide 1 Memória Virtual os primeiros computadores (início dos anos 60) tinham memória principal muito reduzida O PDP-1 funcionava com uma memória de 4096 palavras

Leia mais

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição Capítulo 8 Suporte do sistema operacional slide 1 Objetivos e funções Conveniência: Tornar o computador mais fácil de usar. Eficiência:

Leia mais

Arquitetura e Organização de Computadores

Arquitetura e Organização de Computadores UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Arquitetura e Organização de Computadores Suporte ao Sistema Operacional Prof. Helcio

Leia mais

AULA 14 - Memória Virtual

AULA 14 - Memória Virtual AULA 14 - Memória Virtual A idéia básica da memória virtual é permitir que programas muito maiores que a memória disponível possam ser executados. Para isso, em 1961 Fotheringham criou o método conhecido

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PROCESSOS

GERENCIAMENTO DE PROCESSOS GERENCIAMENTO DE PROCESSOS Sistema Monotarefa: Executa Espera (E/S) Executa Espera (E/S) Tempo O tempo de (E/S) é muito maior que o de processamento. O processador fica ocioso a maior parte do tempo. Março

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Gerência de Memória Memória virtual Edson Moreno edson.moreno@pucrs.br http://www.inf.pucrs.br/~emoreno Slides baseados nas apresentações dos prof. Tiago Ferreto e Alexandra Aguiar

Leia mais

Capítulo 8: Memória Principal. Operating System Concepts 8 th Edition

Capítulo 8: Memória Principal. Operating System Concepts 8 th Edition Capítulo 8: Memória Principal Silberschatz, Galvin and Gagne 2009 Objetivos Fornecer uma descrição detalhada das várias formas de organizar a memória do computador Discutir várias técnicas de gerenciamento

Leia mais

Gerenciamento de Memória

Gerenciamento de Memória Gerenciamento de Memória Conceitos básicos Swapping Alocação contígua Paginação Segmentação Segmentação com paginação Atribuição de endereços (ligação) de código e dados na memória A atribuição de endereços

Leia mais

Gerência de memória III

Gerência de memória III Gerência de memória III Eduardo Ferreira dos Santos Ciência da Computação Centro Universitário de Brasília UniCEUB Maio, 2016 1 / 45 Sumário 1 Memória Virtual Segmentação Paginação 2 Alocação de páginas

Leia mais

Gestão de Memória. Espaço de Endereçamento

Gestão de Memória. Espaço de Endereçamento Gestão de Memória Parte I Mecanismos Espaço de Endereçamento Conjunto de posições de memória que um processo pode referenciar E se referenciar outras posições de memória? HW de gestão de memória desencadeia

Leia mais

Memória Virtual. Prof. M.Sc. Bruno R. Silva CEFET-MG Campus VII

Memória Virtual. Prof. M.Sc. Bruno R. Silva CEFET-MG Campus VII Prof. M.Sc. Bruno R. Silva CEFET-MG Campus VII Permitir o compartilhamento seguro e eficiente da memória entre vários programas Remover os transtornos de programação de uma quatidade pequena e limitada

Leia mais

Níveis de memória. Diferentes velocidades de acesso. Memória Cache. Memórias Auxiliar e Auxiliar-Backup

Níveis de memória. Diferentes velocidades de acesso. Memória Cache. Memórias Auxiliar e Auxiliar-Backup Memória Níveis de memória Diferentes velocidades de acesso Pequeno Alto(a) Cache RAM Auxiliar Auxiliar-Backup Memória Cache altíssima velocidade de acesso acelerar o processo de busca de informações na

Leia mais

Memória. Gestão do espaço lógico Paginação Segmentação com paginação

Memória. Gestão do espaço lógico Paginação Segmentação com paginação Memória Gestão do espaço lógico Paginação Segmentação com paginação Paginação Divide-se a memória física em pequenos blocos de tamanho fixo chamados de páginas físicas (ou frames) o tamanho é uma potência

Leia mais

Gestão de Memória. Espaço de Endereçamento

Gestão de Memória. Espaço de Endereçamento Gestão de Memória Parte I Mecanismos Espaço de Endereçamento Conjunto de posições de memória que um processo pode referenciar Para ler, escrever ou executar E se referenciar outras posições de memória?

Leia mais

Sistemas Operacionais. - Gerência de Memória -

Sistemas Operacionais. - Gerência de Memória - Sistemas Operacionais - Gerência de Memória - Memória Virtual É uma técnica sofisticada de gerência de memória As memórias principal e secundária são combinadas, dando ao usuário a impressão de existir

Leia mais

Fundamentos de Sistemas Operacionais

Fundamentos de Sistemas Operacionais Fundamentos de Sistemas Operacionais Aula 6 Gerenciamento de Memória Prof. Galvez Considerações Gerais Multiprogramação implica em manter-se vários processos em memória Memória necessita ser alocada de

Leia mais

Universidade Federal de Campina Grande Departamento de Sistemas e Computação Curso de Bacharelado em Ciência da Computação.

Universidade Federal de Campina Grande Departamento de Sistemas e Computação Curso de Bacharelado em Ciência da Computação. Universidade Federal de Campina Grande Departamento de Sistemas e Computação Curso de Bacharelado em Ciência da Computação Organização e Arquitetura de Computadores I Organização e Arquitetura Básicas

Leia mais

Gerenciamento de memória

Gerenciamento de memória Gerenciamento de memória O que faz? Controla o uso dos espaços em memória Controla os modos de endereçamento dos processos Como funciona a memória? Hierarquia de memória A falta de desempenho A velocidade

Leia mais

Memória Virtual. Ciclo 4 AT2. Prof. Hermes Senger

Memória Virtual. Ciclo 4 AT2. Prof. Hermes Senger Memória Virtual Ciclo 4 AT2 Prof. Hermes Senger Nota O presente material foi elaborado com base no material didático do livro Sistemas Operacionais, 3ª edição, de H.M.Deitel, P.J. Deitel, D.R. Choffnes,

Leia mais

Organização e Arquitetura de computadores

Organização e Arquitetura de computadores Organização e Arquitetura de computadores Revisão: hierarquia de memória Utilização do conceito da localidade para apresentar ao usuário toda a quantidade de memória disponível no sistema processador 4-8

Leia mais

Sistemas Operacionais Memória Virtual

Sistemas Operacionais Memória Virtual Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul UEMS Curso de Licenciatura em Computação Sistemas Operacionais Memória Virtual Prof. José Gonçalves Dias Neto profneto_ti@hotmail.com Introdução Memória virtual

Leia mais

Memoria. UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Faculdade de Engenharia Departamento de Informática

Memoria. UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Faculdade de Engenharia Departamento de Informática Arquitectura de Computadores II Engenharia Informática (11545) Tecnologias e Sistemas de Informação (6621) Memoria Fonte: Arquitectura de Computadores, José Delgado, IST, 2004 Nuno Pombo / Paulo Fazendeiro

Leia mais

Gestão de memória - Memory Management Unit (MMU)

Gestão de memória - Memory Management Unit (MMU) Gestão de memória - Memory Management Unit (MMU) A distinção entre espaço de edereçamento virtual e espaço de endereçamento físico é fundamental na eficiente gestão do recurso memória física (RAM) por

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS. Gerência de Memória Apostila 7

SISTEMAS OPERACIONAIS. Gerência de Memória Apostila 7 SISTEMAS OPERACIONAIS Gerência de Memória Apostila 7 1.0 INTRODUÇÃO Historicamente, a memória principal sempre foi vista como um recurso escasso e caro. Uma das maiores preocupações dos projetistas foi

Leia mais

Gerência da Memória. Adão de Melo Neto

Gerência da Memória. Adão de Melo Neto Gerência da Memória Adão de Melo Neto 1 Memória Principal Antigamente Recurso escasso Desenvolvimento de um sistema operacional (SO) que não ocupassem muito espaço de memória principal (MP) Atualmente

Leia mais

Arquitetura de Sistemas Operacionais

Arquitetura de Sistemas Operacionais Arquitetura de Sistemas Operacionais Francis Berenger Machado Luiz Paulo Maia Capítulo 10 Gerência de Memória Virtual Cap 10 Gerência de Memória Virtual 1 Sumário Introdução Espaço de Endereçamento Virtual

Leia mais

Sistemas Operacionais Aula 12: Gerência de Memória. Ezequiel R. Zorzal

Sistemas Operacionais Aula 12: Gerência de Memória. Ezequiel R. Zorzal Sistemas Operacionais Aula 12: Gerência de Memória Ezequiel R. Zorzal ezorzal@unifesp.br www.realidadeaumentada.com.br Objetivos Fornecer uma descrição de várias maneiras de organizar o hardware de memória.

Leia mais

Gerenciamento de memória Memória Virtual

Gerenciamento de memória Memória Virtual Sistemas Operacionais Gerenciamento de memória Memória Virtual Capítulos 8 Operating Systems: Internals and Design Principles W. Stallings Requisitos Memória Virtual e Paginação referências em um processo

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores I

Organização e Arquitetura de Computadores I Organização e Arquitetura de Computadores I Memória Cache Slide 1 Introdução Tamanho Função de Mapeamento Política de Escrita Tamanho da Linha Número de Memórias Cache Cache em Níveis Slide 2 Introdução

Leia mais

Sistemas de Gerência de Bancos de Dados. Módulo 1 - Armazenamento

Sistemas de Gerência de Bancos de Dados. Módulo 1 - Armazenamento Sistemas de Gerência de Bancos de Dados Módulo 1 - Armazenamento Tópicos Introdução Gerência do Buffer Pool Armazenamento em SGBDs Convencionais Armazenamento em SGBDs Orientados a Objeto Introdução Etapas

Leia mais

Sistemas de Memória III

Sistemas de Memória III Sistemas de Memória III José Costa Introdução à Arquitetura de Computadores Departamento de Engenharia Informática (DEI) Instituto Superior Técnico 2014-11-26 José Costa (DEI/IST) Sistemas de Memória III

Leia mais

Sistemas de Memória III

Sistemas de Memória III Sistemas de Memória III José Costa Introdução à Arquitetura de Computadores Departamento de Engenharia Informática (DEI) Instituto Superior Técnico 2013-11-29 José Costa (DEI/IST) Sistemas de Memória III

Leia mais

UFRJ IM - DCC. Sistemas Operacionais I. Unidade III Memória Virtual. Prof. Antonio Carlos Gay Thomé Prof. Aux. Simone Markenson Pech 1

UFRJ IM - DCC. Sistemas Operacionais I. Unidade III Memória Virtual. Prof. Antonio Carlos Gay Thomé Prof. Aux. Simone Markenson Pech 1 18/9/009 UFRJ IM - DCC Sistemas Operacionais I Unidade III Memória Virtual 18/9/009 Prof. Antonio Carlos Gay Thomé Prof. Aux. Simone Markenson Pech 1 ORGANIZAÇÃO DA UNIDADE Processador Memória Primária

Leia mais

Arquitectura de Computadores

Arquitectura de Computadores Arquitectura de Computadores Memória Secundária (13.4) José Monteiro Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores Departamento de Engenharia Informática (DEI) Instituto Superior Técnico 29

Leia mais

Gestão de memória - Memory Management Unit (MMU)

Gestão de memória - Memory Management Unit (MMU) Gestão de memória - Memory Management Unit (MMU) A distinção entre espaço de edereçamento virtual e espaço de endereçamento físico é fundamental na eficiente gestão do recurso memória física (RAM) por

Leia mais

Memória. Memória Cache

Memória. Memória Cache Memória Memória Cache Revisão - Memória Principal Memória que armazena os dados e programas em linguagem de máquina em execução corrente Razoavelmente barata Tempo de acesso da ordem de nano-segundos a

Leia mais

Gerência de Memória. Segmentação

Gerência de Memória. Segmentação Gerência de Memória Segmentação Qual a visão que o usuário tem da memória? Com a paginação ocorre a separação entre a visão da memória pelo usuário e a memória física 2 Sistemas Operacionais Memória Segmentada

Leia mais

Gerência de Memória. Gerência de Memória Introdução e Particionamento. Novo capítulo. Aulas anteriores. Plano da aula. Memória lógica & física

Gerência de Memória. Gerência de Memória Introdução e Particionamento. Novo capítulo. Aulas anteriores. Plano da aula. Memória lógica & física Aulas anteriores Gerência de Memória Introdução e Particionamento Marcelo Johann Ciclo de Compilação, ligação e carga INF - Sistemas Operacionais I N - Marcelo Johann - 9/ Aula : Slide INF - Sistemas Operacionais

Leia mais

Universidade Federal de Campina Grande Departamento de Sistemas e Computação Curso de Bacharelado em Ciência da Computação.

Universidade Federal de Campina Grande Departamento de Sistemas e Computação Curso de Bacharelado em Ciência da Computação. Universidade Federal de Campina Grande Departamento de Sistemas e Computação Curso de Bacharelado em Ciência da Computação Organização e Arquitetura de I Organização e Arquitetura Básicas B de (Parte II)

Leia mais

Durante a evolução das arquiteturas de computadores e principalmente dos Sistemas Operacionais, muitas tecnologias tiveram que ser aprimoradas para

Durante a evolução das arquiteturas de computadores e principalmente dos Sistemas Operacionais, muitas tecnologias tiveram que ser aprimoradas para UM ESTUDO SOBRE O MECANISMO DE PAGINAÇÃO DE MEMÓRIA E OS ALGORITMOS DE SUBSTITUIÇÃO DE PÁGINAS FIFO E LRU Fernando Sales Ferreira, fernandobrabat@hotmail.com William Antônio Faria Da Silva, William_8716@hotmail.com

Leia mais

Capítulo 6 Nível do Sistema Operacional

Capítulo 6 Nível do Sistema Operacional Capítulo 6 Nível do Sistema Operacional - Sistema Operacional: Programa que, do ponto de vista do programador, adiciona uma grande quantidade de instruções e funcionalidades bem além das disponibilizadas

Leia mais

Memória virtual. Sistemas de Computação

Memória virtual. Sistemas de Computação Memória virtual Fundamentos Memória virtual separação da memória lógica do usuário da memória física somente uma parte do programa precisa estar na memória para execução espaço de endereçamento lógico

Leia mais

Sistemas de Informação. Sistemas Operacionais

Sistemas de Informação. Sistemas Operacionais Sistemas de Informação Sistemas Operacionais GERÊNCIA DE MEMÓRIA SUMÁRIO 5. GERÊNCIA DE MEMÓRIA: 5.1 Introdução; 5.2 Funções Básicas; 5.3 Alocação Contígua Simples; 5.4 Técnica de Overlay; ; 5.6 Swapping.

Leia mais

AGT0001 Algoritmos Aula 01 O Computador

AGT0001 Algoritmos Aula 01 O Computador AGT0001 Algoritmos Aula 01 O Computador Karina Girardi Roggia karina.roggia@udesc.br Departamento de Ciência da Computação Centro de Ciências Tecnológicas Universidade do Estado de Santa Catarina 2016

Leia mais

Capítulo 9: Memória Virtual. Operating System Concepts 8 th Edition

Capítulo 9: Memória Virtual. Operating System Concepts 8 th Edition Capítulo 9: Memória Virtual Silberschatz, Galvin and Gagne 2009 Objetivos Descrever os benefícios de um sistema de memória virtual Explicar os conceitos de paginação sob demanda, algoritmo de substituição

Leia mais

Aula 12. Gerência de Memória - Paginação

Aula 12. Gerência de Memória - Paginação Aula 12 Gerência de Memória - Paginação 11 Gerência de memória- o contexto da paginação 12 O que é a paginação 13 Implementação 14 Referências: Capítulo 9 (94) O contexto da paginação Revisão de gerência

Leia mais

Tabela Hash. Disciplina: Estruturas de Dados Professora: Camila Taumaturgo M.Sc.

Tabela Hash. Disciplina: Estruturas de Dados Professora: Camila Taumaturgo   M.Sc. Tabela Hash Disciplina: Estruturas de Dados Professora: Camila Taumaturgo email: camila.taumaturgo@ifrn.edu.br Sumário Tabela Hash Introdução Princípios de funcionamento Funções de Dispersão Tratamento

Leia mais

Capítulo 6 Gerência de Memória 103

Capítulo 6 Gerência de Memória 103 Capítulo 6 Gerência de Memória 103 out. Mais tarde, ele sofrerá um swap-in, ou seja, será copiado novamente para a memória. Seu descritor de processo volta então para a fila do processador, e sua execução

Leia mais

FUNDAMENTOS DE ARQUITETURAS DE COMPUTADORES MEMÓRIA CACHE CAPÍTULO 5. Cristina Boeres

FUNDAMENTOS DE ARQUITETURAS DE COMPUTADORES MEMÓRIA CACHE CAPÍTULO 5. Cristina Boeres FUNDAMENTOS DE ARQUITETURAS DE COMPUTADORES MEMÓRIA CACHE CAPÍTULO 5 Cristina Boeres Introdução! Diferença de velocidade entre Processador e MP O processador executa uma operação rapidamente e fica em

Leia mais

13 de Maio de Aula 17

13 de Maio de Aula 17 13 de Maio de 2005 1 Memória Virtual I Aula 17 Estrutura desta aula Conceitos fundamentais em Memória Virtual (MV) Paginação e segmentação Terminologia Vantagens da MV Mecanismos de tradução dos endereços

Leia mais

Aula 13. Gerência de Memória - Segmentação

Aula 13. Gerência de Memória - Segmentação Aula 13 Gerência de Memória - Segmentação 1.1 Limitações da paginação - o contexto da segmentação 1.2 O que é a segmentação 1.3 Implementação 1.4 Referências: Capítulo 9 (9.5) O problema com a paginação

Leia mais

Sistemas Operacionais: Memória Virtual

Sistemas Operacionais: Memória Virtual Sistemas Operacionais: Memória Virtual Memória virtual Memória virtual: separação entre a visão lógica do usuário e a memória física Somente uma parte do programa necessita estar na memória para executar

Leia mais

Gerência de Memória Memória Virtual e Paginação

Gerência de Memória Memória Virtual e Paginação Memória Virtual e Paginação Carlos Gustavo A. da Rocha Memória virtual O tamanho das memórias aumenta rápido :) Mas o tamanho dos softwares aumenta mais rápido :( Devido a isto os SOs devem ser capazes

Leia mais

Arquitetura de Computadores. Ciclo de Busca e Execução

Arquitetura de Computadores. Ciclo de Busca e Execução Arquitetura de Computadores Ciclo de Busca e Execução Ciclo de Busca e Execução Início Buscar a próxima instrução Interpretar a instrução Executar a instrução Término Funções realizadas pela UCP Funções

Leia mais

Programas Aplicativos. Sistema Operacional. Hardware

Programas Aplicativos. Sistema Operacional. Hardware Nível do 1 O Programadores Programas Aplicativos Usuários Hardware 2 Sistemas Operacionais Tipos Monousuário É utilizado por um só usuário por vez. Multiusuários Vários usuários utilizando em diferentes

Leia mais

MEMÓRIA CACHE FELIPE G. TORRES

MEMÓRIA CACHE FELIPE G. TORRES MEMÓRIA CACHE FELIPE G. TORRES MEMÓRIA CACHE O uso da memória cache visa obter velocidade de memória próxima das memórias mais rápidas que existem e, ao mesmo tempo, disponibilizar uma memória de grande

Leia mais

Sistemas Operacionais. - Gerência de Memória -

Sistemas Operacionais. - Gerência de Memória - Sistemas Operacionais - Gerência de Memória - Gerenciamento de Memória A organização e a gerência de memória são fatores importantes no projeto de sistemas operacionais Um dos objetivos é desenvolver um

Leia mais

LISTA DE EXERCICIOS 2

LISTA DE EXERCICIOS 2 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA APLICADA SISTEMAS OPERACIONAIS I N - INF01142 LISTA DE EXERCICIOS 2 Não há gabarito, nem respostas aos exercícios

Leia mais

ULA. Combina uma variedade de operações lógicas e matemáticas dentro de uma única unidade.

ULA. Combina uma variedade de operações lógicas e matemáticas dentro de uma única unidade. PROCESSADOR ULA Combina uma variedade de operações lógicas e matemáticas dentro de uma única unidade. ULA Uma ULA típica pode realizar as operações artiméticas: - adição; - subtração; E lógicas: - comparação

Leia mais

EA869 Pipeline. Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC) Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) Prof.

EA869 Pipeline. Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC) Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) Prof. EA869 Pipeline Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC) Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) Prof. Levy Boccato 1 Objetivos Conhecer técnicas de como melhorar o desempenho de um processador.

Leia mais

Capítulo 5 Livro do Mário Monteiro Conceituação. Elementos de projeto de memória cache

Capítulo 5 Livro do Mário Monteiro Conceituação. Elementos de projeto de memória cache Capítulo 5 Livro do Mário Monteiro Conceituação Princípio da localidade Funcionamento da memória cache Elementos de projeto de memória cache Mapeamento de dados MP/cache Algoritmos de substituição de dados

Leia mais

2ª Lista de Exercícios de Arquitetura de Computadores

2ª Lista de Exercícios de Arquitetura de Computadores 2ª Lista de Exercícios de Arquitetura de Computadores Questões 1. Um microprocessador realiza uma sondagem periódica (polling) junto a um módulo de E/S a cada 0,5 ms. Cada sondagem em si gasta 500 ciclos.

Leia mais

Prof. Kleber R. Rovai

Prof. Kleber R. Rovai Msn: klrovai@hotmail.com E-mail: Skype: klrovai 2 1 2 Idealmente, o que todo programador deseja é dispor de uma memória que seja: Grande; Rápida; não volátil. Hierarquia de memórias: pequena quantidade

Leia mais

Pesquisa em Memória Secundária. Prof. Jonas Potros

Pesquisa em Memória Secundária. Prof. Jonas Potros Pesquisa em Memória Secundária Prof. Jonas Potros Pesquisa em Memória Secundária Pesquisa em memória secundária: arquivos que contém mais registros do que a memória interna pode armazenar. Algoritmos e

Leia mais

Sistemas Operacionais. Rômulo Silva de Oliveira Alexandre da Silva Carissimi Simão Sirineo Toscani

Sistemas Operacionais. Rômulo Silva de Oliveira Alexandre da Silva Carissimi Simão Sirineo Toscani 11 Sistemas Operacionais Rômulo Silva de Oliveira Alexandre da Silva Carissimi Simão Sirineo Toscani Introdução Multiprogramação implica em manter-se vários processos em memória Memória necessita ser alocada

Leia mais

Sistemas de Informação. Sistemas Operacionais

Sistemas de Informação. Sistemas Operacionais Sistemas de Informação Sistemas Operacionais GERÊNCIA DE MEMÓRIA VIRTUAL SUMÁRIO 6 GERÊNCIA DE MEMÓRIA VIRTUAL: 61 Introdução; 62 Espaço de Endereçamento Virtual; 63 Mapeamento; 64 Memória Virtual por

Leia mais

GERÊNCIA DE MEMÓRIA. INF009 Laboratório de Sistemas Operacionais

GERÊNCIA DE MEMÓRIA. INF009 Laboratório de Sistemas Operacionais GERÊNCIA DE MEMÓRIA INF9 Laboratório de Sistemas Operacionais Agenda Motivação Gerência de memória com monoprogramação Gerência de memória com multiprogramação Partições Fixas Divisão e Alocação das Partições

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais GERÊNCIA da MEMÓRIA VIRTUAL MACHADO/MAIA: CAPÍTULO 10 Prof. Pedro Luís Antonelli Anhanguera Educacional MEMÓRIA VIRTUAL -INTRODUÇÃO A Memória Virtual (virtual memory) é uma técnica

Leia mais

Sistemas operacionais P A G I N A Ç Ã O D E M E M Ó R I A

Sistemas operacionais P A G I N A Ç Ã O D E M E M Ó R I A Sistemas operacionais P A G I N A Ç Ã O D E M E M Ó R I A O Espaço de Endereçamento lógico de um processo pode ser não contínuo; aloca-se memória física ao processo sempre que esta é disponível. A memória

Leia mais

Memória Virtual. Adriano J. Holanda 1/3/2016

Memória Virtual. Adriano J. Holanda 1/3/2016 Memória Virtual Adriano J. Holanda 1/3/2016 Paginação Páginas O SO lida com páginas de memória física ao invés de bytes ou palavras. As páginas são gerenciadas pela MMU (Memory Management Unit Unidade

Leia mais

LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS. PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO

LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS. PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO Gerência de Memória Virtual Conteúdo retirado do livro Arquitetura de Sistemas Operacionais Francis Berenger Machado

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS. 3ª. Lista de Exercícios

SISTEMAS OPERACIONAIS. 3ª. Lista de Exercícios SISTEMAS OPERACIONAIS INF09344 - Sistemas Operacionais / INF02780 - Sistemas Operacionais / INF02828 - Sistemas de Programação II Prof a. Roberta Lima Gomes (soufes@gmail.com) 3ª. Lista de Exercícios Data

Leia mais

Sistemas de Computação. Memória virtual (cont.)

Sistemas de Computação. Memória virtual (cont.) Memória virtual (cont.) Thrashing Se um processo não possui páginas suficientes para ser executado na memória, a taxa de falta de páginas pode se tornar muito alta. baixa utilização de CPU sistema operacional

Leia mais

ICET CURSO: Ciência da Computação e Sistemas de Informação (Sistemas Operacionais Abertos) Estudos Disciplinares. Campus: Data: / / Nome: Questão 1:

ICET CURSO: Ciência da Computação e Sistemas de Informação (Sistemas Operacionais Abertos) Estudos Disciplinares. Campus: Data: / / Nome: Questão 1: ICET CURSO: Ciência da Computação e Sistemas de Informação (Sistemas Operacionais Abertos) Estudos Disciplinares Campus: Data: / / Nome: RA: Turma: Questão 1: Silberschatz, Galvin e Gagne (c) 2007 Os alunos

Leia mais

Entrada e Saída e Dispositivos

Entrada e Saída e Dispositivos Entrada e Saída e Dispositivos Uma das funções do Sistema Operacional é: - Gerência de dispositivos de E/S. Operações: - Tratamento de interrupções - Tratamento erros - Interfaceamento entre os dispositivos

Leia mais

Arquitectura de Computadores

Arquitectura de Computadores Arquitectura de Computadores Hierarquia de Memória; Memória Cache (13.2 e 13.3) José Monteiro Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores Departamento de Engenharia Informática (DEI) Instituto

Leia mais

Administração de Memória

Administração de Memória Administração de Memória 4.1 Administração básica de memória 4.2 Swapping 4.3 Memória Virtual 4.4 Algoritmos de substituição de páginas 4.5 Modelando algoritmos de substituição de páginas 4.6 Tópicos de

Leia mais

Gerência da Memória. Adão de Melo Neto

Gerência da Memória. Adão de Melo Neto Gerência da Memória Adão de Melo Neto 1 Memória Principal Antigamente Recurso escasso Desenvolvimento de um sistema operacional (SO) que não ocupassem muito espaço de memória principal (MP) Atualmente

Leia mais

Memória Cache: Funcionamento

Memória Cache: Funcionamento Microcontroladores e Interfaces º Ano Eng. Electrónica Industrial Carlos A. Silva º Semestre de 5/6 http://www.dei.uminho.pt/lic/mint Assunto: Memória Cache Aula #9 9Maio6-M Memória Cache: Funcionamento

Leia mais

Microprocessadores. Memórias

Microprocessadores. Memórias s António M. Gonçalves Pinheiro Departamento de Física Covilhã - Portugal pinheiro@ubi.pt Arquitectura de Microcomputador Modelo de Von Neumann Barramento de Endereços µprocessador Entrada/Saída Barramento

Leia mais

Projeto Lógico de Computadores. Profa. MSc. Carolina Melo Santana

Projeto Lógico de Computadores. Profa. MSc. Carolina Melo Santana Projeto Lógico de Computadores Profa. MSc. Carolina Melo Santana karolstana@yahoo.com.br Nível de Máquina de Sistema Operacional Dinâmica: Batata quente Perguntas a serem respondidas pelos alunos que estiverem

Leia mais

Gerenciamento de memória

Gerenciamento de memória Gerenciamento de memória Pedro Cruz EEL770 Sistemas Operacionais Lembretes Trabalho Dia 22 de setembro de 2017 Calendário Gregoriano James Kurose Amanhã, CT2, 15h 2 Relembrando: processo na memória Pilha

Leia mais

SUMÁRIO. 1.3 CONCEITOS DE SISTEMA OPERACIONAL Processos Arquivos O shell 42

SUMÁRIO. 1.3 CONCEITOS DE SISTEMA OPERACIONAL Processos Arquivos O shell 42 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO 21 1.1 O QUE É O SISTEMA OPERACIONAL? 23 1.1.1 O sistema operacional como uma máquina estendida 23 1.1.2 O sistema operacional como gerenciador de recursos 24 1.2 HISTÓRIA DOS SISTEMAS

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais GERÊNCIA da MEMÓRIA MACHADO/MAIA: CAPÍTULO 09 Prof. Pedro Luís Antonelli Anhanguera Educacional Gerenciamento da Memória Programas precisam ser trazidos para a memória para serem

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores. Ivan Saraiva Silva

Organização e Arquitetura de Computadores. Ivan Saraiva Silva Organização e Arquitetura de Computadores Hierarquia de Memória Ivan Saraiva Silva Hierarquia de Memória A Organização de Memória em um computador é feita de forma hierárquica Registradores, Cache Memória

Leia mais

Programação de Sistemas

Programação de Sistemas Programação de Sistemas Gestão de memória : registos e alocação Programação de Sistemas Registos e Alocação : 1/11 Introdução (1) A gestão de memória aborda as melhores estratégias para atribuir ( allocate

Leia mais

Unidade II. Organização de Computadores. Prof. Renato Lellis

Unidade II. Organização de Computadores. Prof. Renato Lellis Unidade II Organização de Computadores Prof. Renato Lellis Ciclo de Execução da Instrução 1. Trazer a próxima instrução da memória até o registrador 2. Alterar o contador de programa para indicar a próxima

Leia mais

Cap. 10 Gerência de Memória Virtual 1

Cap. 10 Gerência de Memória Virtual 1 Arquitetura de Sistemas Operacionais Francis Berenger Machado Luiz Paulo Maia Capítulo 10 Gerência de Memória Virtual Cap 10 Gerência de Memória Virtual 1 Introdução Espaço de Endereçamento Virtual Mapeamento

Leia mais

Classificação e Pesquisa de Dados. Aula 23 Organização de Arquivos: Arquivos Indexados, Diretos e Arquivos Invertidos

Classificação e Pesquisa de Dados. Aula 23 Organização de Arquivos: Arquivos Indexados, Diretos e Arquivos Invertidos Classificação e Pesquisa de Dados Aula 23 Organização de Arquivos: Arquivos Indexados, Diretos e Arquivos Invertidos UFRGS INF1124 Arquivo indexado - AI Indicação de uso Baixa freqüência de acessos seqüenciais

Leia mais

Hierarquia de Memória

Hierarquia de Memória Hierarquia de Memória Organização da cache AC1 Hierarquia da Memória: Organização 1 Mapeamento Directo A cada endereço de memória corresponde apenas uma linha da cache. linha = resto (endereço do bloco

Leia mais

Arquitetura e Organização de Computadores

Arquitetura e Organização de Computadores UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO DEPARTAMENTO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CIÊNCIAS EXATAS E E NATURAIS NATURAIS CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Arquitetura e Organização

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores

Organização e Arquitetura de Computadores Organização e Arquitetura de Computadores MemóriaVirtual Edson Moreno edson.moreno@pucrs.br http://www.inf.pucrs.br/~emoreno Gerência de memória convencional Divide um programa em unidades menores Partes

Leia mais

Célula, Palavra, Ciclo de Instruções e Lógica Temporizada

Célula, Palavra, Ciclo de Instruções e Lógica Temporizada Célula, Palavra, Ciclo de Instruções e Lógica Temporizada IFBA Instituto Federal de Educ. Ciencia e Tec Bahia Curso de Analise e Desenvolvimento de Sistemas Arquitetura de Computadores 20 e 21/30 Prof.

Leia mais

Reserva de memória não-contígua significa que a memória atribuída a um objecto pode ser composta de bocados espalhados pela memória física.

Reserva de memória não-contígua significa que a memória atribuída a um objecto pode ser composta de bocados espalhados pela memória física. Gestão de Memória Não-Contígua Reserva de memória não-contígua significa que a memória atribuída a um objecto pode ser composta de bocados espalhados pela memória física. Embora os endereços virtuais sejam

Leia mais

Hierarquia de Memória

Hierarquia de Memória No projeto de um sistema digital, deve-se ter em mente que hardware menor geralmente é mais rápido do que hardware maior. A propagação do sinal é uma das principais causas de atrasos. No caso da memória,

Leia mais

Fundamentos de Sistemas Operacionais. Gerência de Memória. Prof. Edwar Saliba Júnior Março de Unidade Gerência de Memória

Fundamentos de Sistemas Operacionais. Gerência de Memória. Prof. Edwar Saliba Júnior Março de Unidade Gerência de Memória Gerência de Memória Prof. Edwar Saliba Júnior Março de 2007 1 Memorial... Programas em execução e dados acessados por ele devem estar na memória principal (ou pelo menos parte dele); Porém, a memória principal

Leia mais

Gerência de Dispositivos. Adão de Melo Neto

Gerência de Dispositivos. Adão de Melo Neto Gerência de Dispositivos Adão de Melo Neto 1 Gerência de Dispositivos Introdução Acesso ao Subsistema de E/S Subsistema de E/S Device Drivers Controladores Dispositivos de E/S Discos Magnéticos Desempenho,

Leia mais