NOTAÇÕES. Observação: Os sistemas de coordenadas considerados são cartesianos retangulares. Considere as seguintes afirmações: x 1

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "NOTAÇÕES. Observação: Os sistemas de coordenadas considerados são cartesianos retangulares. Considere as seguintes afirmações: x 1"

Transcrição

1 MATEMÁTICA NOTAÇÕES : conjunto dos números reais : conjunto dos números complexos i: unidade imaginária: i = z: módulo do número z Re(z): parte real do número z Im(z): parte imaginária do número z det M : determinante da matriz M M T : transposta da matriz M M : inversa da matriz M I n : matriz identidade n n MN : produto das matrizes M e N d(p, r): distância do ponto P à reta r AB: segmento de reta de extremidades nos pontos A e B [a, b] = {x : a x b} [a, b[ = {x : a x < b} ]a, b] = {x : a < x b} ]a, b[ = {x : a < x < b} X\Y = {x X e x Y} Observação: Os sistemas de coordenadas considerados são cartesianos retangulares. Considere as seguintes afirmações: x I. A função f(x) = log 0 é estritamente cres - x cente no intervalo ], + [. II. A equação x+ = x possui uma única solução real. lil. A equação (x + ) x = x admite pelo menos uma so - lução real positiva. É (são) verdadeira(s) a) apenas I. b) apenas I e II. c) apenas II e III. d) I, II e III. e) apenas III. I) Se {x ; x } ]; + [, com x < x, então: x < x > < x x < x x x x ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

2 log 0 < log 0 x log 0 x < log 0 e, x x portanto, f é estritamente crescente, e a afirmação (I) é verdadeira. x x II) x + = x x. = x. x x = = x x = log A equação proposta tem uma única solução e a afirmação (II) é verdadeira. III) (x + ) x > x, x + e afirmação (IV) é falsa. Resposta: B ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

3 Se x é um número natural com 0 dígitos, então o número de dígitos da parte inteira de x 7 é igual a a) 8. b) 86. c) 87. d) 88. e) 89. x é um número natural de 0 dígitos, então: 0 0 < x < < log x < <. log x < ,7 < log x 7 < 87,8 0 87,7 < x 7 < 0 87,8 Assim, a parte inteira de x 7 tem 88 dígitos. Resposta: D ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

4 Escolhendo-se, aleatoriamente, três números inteiros distintos no intervalo [, 0], a probabilidade de que eles estejam, em alguma ordem, em progressão geométrica é igual a a). b). c) d). e) São possíveis C 0, = = 0 escolhas difetes de três números inteiros no intervalo [; 0]... Considerando apenas razões inteiras das progressões geométricas, em alguma ordem, temos oito casos a considerar, que são os ternos (; ; ), (; ; 9), (; ; 6); (; ; 8), (; 6; 8), (; 6; ), (; 8; 6) e (; 0; 0). Assim, a probabilidade pedida seria 8 p = = e a resposta seria A. 0 8 No entanto, existem mais três ternos de números intei - ros que estão em progressão geométrica e com razão não inteira, são eles: (; 6; 9), (8; ; 8) e (9; ; 6). Neste caso, a resposta correta é p = e nenhuma resposta é 0 correta. Resposta: SEM ALTERNATIVA CORRETA. ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

5 π Se tg x = 7 e x π,, então sen x é igual a a). b). c). 8 8 d). e). 6 Sendo tg x = 7 e x π π;, temos: sec x = + tg x sec x = 8 I) cos x = cos x = sec x 8 II) sen x + cos x = sen x + 8 = sen 7 x = sen x =, pois 8 x π, π III) Lembrando que sen (x) = sen x sen x, temos: sen (x) =. sen (x) = +. 6 sen (x) = 8 Resposta: B ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

6 Seja (a, a, a ) a sequência definida da seguinte forma: a = 000 e a n = log 0 ( + a n ) para n. Considere as afirmações a seguir: I. A sequência (a n ) é decrescente. II. a n > 0 para todo n. III. a n < para todo n. É (são) verdadeira(s) a) apenas I. b) apenas I e II. c) apenas II e III. d) I, II e III. e) apenas III. a = 000 e a n = log 0 ( + a n ), para n a = log 0 ( + a ) = log 0 ( + 000) = log 0 00 =, a = log 0 ( + a ) = log 0 ( +, ) = log 0 (, ) = 0, a = log 0 ( + a ) = log 0 ( + 0, ) = 0, a n = log 0 ( + 0, ) = 0, Resposta: D ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

7 6 Seja P n um polígono convexo regular de n lados, com n. Considere as afirmações a seguir: I. P n é inscritível numa circunferência. II. P n é circunscritível a uma circunferência. III. Se n é o comprimento de um lado de P n e a n é o com - a primento de um apótema de P n, então n todo n. n para É (são) verdadeira(s) a) apenas I. b) apenas II. c) apenas III. d) apenas I e II. e) I, II e III. O A H A n A H n H A H A I) Verdadeira. Sendo O o centro do polígono regular de n lados, os triângulos A OA, A OA, A OA,..., A n OA são congruentes e OA é o raio da circunferência circunscrita ao triângulo. II) Verdadeira. Da congruência dos triângulos, temos: OH = OH = OH =... = OH n e OH é raio da circunferência inscrita no polígono. ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

8 III) Falsa. O a n A H n n A No triângulo OH A, temos: n α tg α = tg = n a n a n = n α tg a n Assim, teremos α tg a n n > quando α > tg < Por exemplo, no polígono regular com lados, temos: α α = e tg = tg = tg (60 ) = = = = < +. + a Logo, > Resposta: D ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

9 7 Um triângulo está inscrito numa circunferência de raio cm. O seu maior lado mede cm e sua área é de cm. Então, o menor lado do triângulo, em cm, mede a). b). c). d). e). 6 6 A h B m H O - m C I) Como o raio da circunferência circunscrita ao triân gulo mede cm e o maior lado mede cm, po demos concluir que o triângulo é retângulo. Assim, sendo S sua área, em centímetros quadra - dos, tem-se:. h S = = h = II) No triângulo retângulo ABC, temos: h = m. ( m) = m m m m + = 0 m =, pois se AB é o menor lado, então m <. Assim, a medida AB do menor lado é dada por: (AB) = (BC). (BH) (AB) =. AB = Resposta: B ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

10 8 Se o sistema de equações x + y + z = x + y + 7z = x + y + az = b é impossível, então os valores de a e b são tais que a) a = 6 e b. b) a 6 e b. c) a 6 e b =. d) a = 6 e b =. e) a é arbitrário e b. x + y + z = x + y + z = x + y + 7z = y + z = x + y + az = b y + (a )z = b 6 x + y + z = y + z = (a 6)z = b Se o sistema é impossível, então: a 6 = 0 b 0 a = 6 b Resposta: A ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

11 9 Se P e Q são pontos que pertencem à circunferência x + y = e à reta y = ( x), então o valor do cosseno do ângulo PÔQ é igual a a). b). c). 7 d). e). 7 I) Os pontos P e Q são as soluções do sistema a seguir: x + y = y = ( x) x = 0 8 x = y = ou 6 y = II) Sendo P(0; ) e Q ; pontos da circunferência x + y = de centro O(0; 0) e raio r =, 8 6 resulta a seguinte figura: y P(0;) O x Q( _ 8 ;-6 _ ( III) PQ = = = + = = 6 IV) (PQ) = (OP) + (OQ). OP. OQ. cos (P ^OQ) 6 = +... cos (P ^OQ) 8. cos (P ^OQ) = cos (P ^OQ) = Resposta: A ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

12 0 Um triângulo retângulo tem perímetro igual a l, em que l é o comprimento da hipotenusa. Se α e β são seus ângulos agudos, com α < β, então sen (β α) é igual a a). b) 6 +. c) 6. e) 8 0. d) 0. I) Sendo x e y os comprimentos dos catetos do triângulo retângulo, temos: x + y = x + y + = x + y = x + y = ( ) x + y = x + y + xy =.(6 ) x + y = + xy =.(6 ). x y =.( ) x y.. =. sen β. cos β = sen (β) = II) sen (β) + cos (β) = cos (β) = ( ) cos (β) = 0 cos(β) = 0, pois α < β III) sen(β α) = sen[β (90 β)] = = sen(β 90 ) = cos (β) = ( 0 ) = = 0 Resposta: D ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

13 Se M = e N =, então MN T M N 0 é igual a a) b) 7 c) d) e) I) M = 0 det M = e M = 0 II) M. N T =. = 0 0 III) M. N =. = = IV) M.N T M.N = = = Resposta: C ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

14 Considere as afirmações a seguir: I. Se z e w são números complexos tais que z iw = i e w z = + i, então z + w = + 6i. II. A soma de todos os números complexos z que satisfazem z + z = + i é igual a zero. III. Se z = i, então z 9 = 9 ( + i). É (são) verdadeira(s) a) apenas I. b) apenas I e II. c) apenas I e III. d) apenas II e III. e) I, II e III. I) Verdadeira z iw = i w z = + i w iw = + i ( i)w = + i + i + i + i w = =. = + i i i + i Como w z = + i e w = + i, tem-se: + i z = + i z = i Assim, z + w = ( i) + ( + i) = = i + + i + i = + 6i II) Verdadeira Sendo z = a + bi, tem-se:. z + z = + i. (a + b ) + (a + bi) = + i a + b + a + abi b = + i a + b = ab = a + b = b = a a a + = 0 b = ou ou a a = b = a = b = ou a = ou b = Assim: z = + i, z = i, z = a = b = + i, z = i e z + z + z + z = 0 ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

15 III) Falsa Se z = i, então: z 9 = ( i) 8. ( i) = [( i) ] 9. ( i) = = [ i] 9. ( i) = 9. i 9. ( i) = = 9. i. ( i) = 9. ( i) Resposta: B ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

16 Sejam λ uma circunferência de raio cm e PQ uma corda em λ de comprimento cm. As tangentes a λ em P e em Q interceptam-se no ponto R exterior a λ. Então, a área do triângulo PQR, em cm, é igual a a). b). c) d). e). 6. I) Como PQ tem mesma medida que o raio, podemos concluir que o triângulo PQO é equilátero. Assim, O ^QP = 60 e P ^QR = 0. II) Sendo M ponto médio de PQ, temos MQ =. III) No triângulo retângulo QMR, temos: MQ cos 0 = = QR = QR QR Assim, a área S, em centímetros quadrados, do triân - gulo PQR, é dada por: (PQ). (QR). sen 0.. S = = = Resposta: E ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

17 Se a reta de equação x = a divide o quadrilátero cujos vértices são (0, ), (, 0), (, 0) e (6, ) em duas regiões de mesma área, então o valor de a é igual a a). b) 6. c). d) 7. e) 7. y D s a+ P C B A E O a 6 x I) A área S do quadrilátero BCDE é a soma das áreas dos triângulos BCE e CDE. Dessa forma, temos: S = + S = 0 unidades de área II) Equação da reta s, que contém os pontos C (0; ) e D (6; ): x 6 0 y = 0 x y + = 0 III) Ponto P, interseção entre as retas (r) x = a e (s) x y + = 0: r x = a x y + = 0 x = a a + y = P a + a ; ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

18 IV) A área A, do quadrilátero ABCP, é igual à diferen - ça entre a área do trapézio AOCP e a área do triângulo OCB, e deve resultar, metade da área do quadrilátero BCDE. Dessa forma, temos: a +. A = = (a + ) a a = 7, pois a > 0 Resposta: D + a = 6 a + a = 0 ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

19 Seja p o polinômio dado por p(x) = x 8 + x m x n, em que os expoentes 8, m, n formam, nesta ordem, uma progressão geométrica cuja soma dos termos é igual a. Considere as seguintes afirmações: I. x = 0 é uma raiz dupla de p. II. x = é uma raiz dupla de p. III. p tem quatro raízes com parte imaginária não nula. Destas, é(são) verdadeira(s) a) apenas I. b) apenas I e II. c) apenas I e III. d) apenas II e III. e) I, II e III Se (8; m; n) é uma progressão geométrica cuja soma dos termos é, então: 8 + m + n = m = 8. n m = 8. (6 m) m + 8m 8 = 0 m = ou m = Para m =, temos n = 8, que não convém, pois os expoentes do polinômio são naturais. Para m =, temos n = e p(x) = x 8 + x x I) x = 0 é raiz dupla de p(x), pois p(x) = x. (x 6 + x ) II) A equação x 6 + x = 0 admite x = e x = como raízes simples, pois, pelo dispositivo de Briot-Ruffini, temos: e III) As demais raízes de p(x) são raízes da equação x + 0. x +. x + 0. x + = 0 x + x + = 0 x = 7 x = i, que são números complexos com parte imaginária não nula. Desta forma: I é verdadeira, II é falsa, pois x = é raiz simples e III é verdadeira. Resposta: C n = 6 m m = 8. n 7 ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

20 6 Seja ABC um triângulo equilátero e suponha que M e N são pontos pertencentes ao lado BC tais que BM = MN = = NC. Sendo α a medida, em radianos, do ângulo M^AN, então o valor de cos α é a). b). c). 6 6 d). e) I) Sendo a medida do lado do triângulo equilátero ABC, temos: BM = MN = NC = II) Aplicando-se a lei dos cossenos no triângulo ABM, temos: (AM) = +... cos 60 = = +. AM = III) AM = AN =, pois os triângulos ABM e ACN são congruentes. IV) Aplicando-se a lei dos cossenos no triângulo AMN, temos: = cos α 7. cos α = Resposta: A cos α = cos α = 9 9 ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

21 7 Uma esfera S, de raio R > 0, está inscrita num cone circular reto K. Outra esfera, S, de raio r, com 0 < r < R, está contida no interior de K e é simultaneamente tangente à esfera S e à superfície lateral de K. O volume de K é igual a π R π R a). b). r (R r) r (R r) π R π R c). d). r (R r) r (R r) e) π R. r (R r) Vamos admitir que a esfera de menor raio esteja entre a de maior raio e o vértice do cone. I) Da semelhança dos triângulos retângulos ATP e AQS da figura, temos: AP PT AS x + r x + r + R = = SQ r R xr + rr = xr + r r + Rr x = R r II) A altura h do cone é tal que r h = AP + PS + SO = x + r + R = + (R + r) = R r r = + (R r ) R r R h = R r III) No triângulo ATP, temos: AT + PT = AP AT + r = (x + r) ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

22 AT = x + xr AT r = r + r R r R r AT r = r + r = (R r) + r (R r) (R r) (R r) AT r = R r Rr (R r) AT = R r IV) Da semelhança dos triângulos ATP e AOC, temos: AT AO OC. R. r = R V) O volume V do cone K é V =. π OC. h = = π. Resposta: B r Rr PT R r r = = OC R OC R r R Rr R. = R r R OC = Rr π R r (R r) ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

23 8 Considere o polinômio p com coeficientes complexos definido por p(z) = z + ( + i)z + ( + i)z + ( + i)z + ( + i). Podemos afirmar que a) nenhuma das raízes de p é real. b) não existem raízes de p que sejam complexas conju - gadas. c) a soma dos módulos de todas as raízes de p é igual a +. d) o produto dos módulos de todas as raízes de p é igual a. e) o módulo de uma das raízes de p é igual a.. I) i é raiz do polinômio p(z), pois p(i) = i + ( + i). i + ( + i). i + ( + i). i + ( + i) = = + ( + i). (i + i + i + ) = ( + i). 0 = 0 II) i é raiz do polinômio p(z), pois p( i) = ( i) + ( + i). ( i) + ( + i). ( i) + ( + i).. ( i) + ( + i) = + ( + i). ( i + i i + ) = = ( + i). 0 = 0 III) Desta forma, p(z) é divisível por (z i) (z ( i)) = z + e p(z) = [z + ( + i) z + ( + i)]. (z + ), pois p(z) z + 0 z + ( + i) z + ( + i) IV) As raízes de z + ( + i) z + ( + i) = 0 são z = i e z = V) O conjunto solução de p(z) = 0 é S = {i; i; i; } Como i = i = e i =, o módulo de uma das raízes de p é Resposta: E ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

24 9 Pintam-se N cubos iguais utilizando-se 6 cores diferentes, uma para cada face. Considerando que cada cubo pode ser perfeitamente distinguido dos demais, o maior valor possível de N é igual a a) 0 b) c) 0 d) e) 0 A face superior do cubo pode ser pintada de 6 formas diferentes. A face inferior pode ser pintada de formas diferentes. As faces laterais podem ser pintadas de P * =! = 6 (permutação circular) formas diferentes. No entanto, como qualquer uma das faces pode ser a superior, o número de maneiras de pintar o cubo é 6.. P * = 0 6 Assim, o maior valor de N é 0. Resposta: E ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

25 0 Em um triângulo equilátero ABC de lado, considere os pontos P, M e N pertencentes aos lados AB, BC e AC, respectivamente, tais que a) P é o ponto médio de AB; b) M é o ponto médio de BC; c) PN é a bissetriz do ângulo A^PC. Então, o comprimento do segmento MN é igual a a) 0 b) c) 6 d) 0 e) I) No triângulo APC, retângulo em P, temos: AP + PC = AC + PC = PC = II) Pelo teorema da bissetriz, temos: AN CN CN CN = = AP PC CN = CN = ( + ) CN CN = III) No triângulo CMN, temos MN = CM + CN. CM. CN. cos 60 MN = + ( ).. ( ). MN = 0 MN = 0 Resposta: D ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

26 AS QUESTÕES DISSERTATIVAS, NUMERADAS DE A 0, DEVEM SER RESOLVIDAS E RESPONDIDAS NO CADERNO DE SOLUÇÕES. Seja f a função definida por f(x) = log x+ (x x 8). Determine: a) O domínio D f da função f. b) O conjunto de todos os valores de x D f tais que f(x) =. c) O conjunto de todos os valores de x D f tais que f(x) >. a) Se f(x) = log x + (x x 8), deve-se ter: x x 8 > 0 x < ou x > x + > 0 x > x > x + x 0 Assim, D f = {x x > } b) f(x) = log x + (x x 8) = (x + ) = x x 8 x + x + = x x 8 x = 9 x = 9 D f V = Ø c) f(x) > log x+ (x x 8) > Como x >, f(x) é estritamente crescente, assim: x x 8 > x + x x 9 > 0 + x < ou x > + x >, pois x > Respostas: a) D f = {x x > } b) V = Ø + c) V = x x > ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

27 Sejam x e y pertencentes ao intervalo [0, π]. Determine todos os pares ordenados (x, y) tais que cos x sen y = sen x + cos y = I) Se x e y pertencem ao intervalo [0; π], então 0 sen x e 0 sen y cos x sen y = sen x + cos y = cos x = + sen y sen x = cos y ( cos x) + ( sen x) = + sen y cos y = + = + seny + sen y + + cos y+cos y = + sen y + cos y+ cos y+cos y = sen y + cos y+cos y cos y cos y = sen y + cos y + cos y cos y cos y + + cos y = cos y cos y + cos y + cos y cosy = 0 6cos y + 6 cos y + 8 cos y cosy = 0 ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

28 II) Fazendo cos y = p, resulta: 6 p + 6 p + 8 p p = 0. Nesta equação, p = e p = são raízes, pois, por Briot-Ruffini, temos: e As outras duas raízes são raízes da equação 6 p + 6 p + = 0, ou seja, p = (dupla) III) Para p =, temos cos y = e sen x +. = sen x = 0 sen x 6 + que não serve, pois IV) Para p =, temos cos y = e sen x +. = sen x = Neste caso: x = ou x = e y = π π O par ; pode ver: 6 π π π é solução do sistema, como se π π 6 + cos sen =. = π π 6 sen + cos = +. = ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

29 π π O par ; não é solução da primeira equação, como pode se ver: π π cos x sen y = cos sen = 6 + = = V) Para p =, temos cos y = e sen x +. = sen x = π π Neste caso x = ou x = e y = π 6 π π O par ; 6 é solução do sistema, como se vê: π π cos sen =. = 6 π π sen + cos =. +. = 6 π π O par ; não satisfaz a primeira equa- ção, pois π π cos x sen y = cos sen = 6 =. = Assim, os pares que satisfazem o sistema são π π ; e π π ; 6 6 π π Respostas: ; e π π ; 6 ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

30 Um hexágono convexo regular H e um triângulo equilá - tero T estão inscritos em circunferências de raios R H e R T, respectivamente. Sabendo-se que H e T têm mesma área, determine a razão. R H R T A R T O R T R H R H R T R H B H C I) Sendo S H a área do hexágono regular, temos: (R. (R S H = 6. = H ) H ).. II) No triângulo equilátero ABC, temos: R R AH = R T + T = T, pois O é baricentro do triângulo. Assim, sendo L T a medida do lado do triângulo ABC, temos: L AH = T.. R L T = T. L T = R T. III) Sendo S T a área do triângulo ABC, temos: (L (R S T = = T ) T ).. =. (R (R IV) S H = S T = T ) H ). R H R T R = H = R T (R T ) R Resposta : H = R T ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

31 Seja A a matriz de ordem x, dada por A = 0 0 a) Determine todas as matrizes B tais que BA = I. b) Existe uma matriz B com BA = I que satisfaça BB T = I? Se sim, dê um exemplo de uma dessas matrizes. Seja B a matriz x dada por B = 0 x a b 0 a) B. A = I. 0 = y c d 0 x + b = b = x a + b = 0 a = x y + d = 0 d = y c + d = c = + y x y a c b d B = x y x y + x y b) B. B T = I x y x x x 0. x + y = y y + y 0 x y x + (x ) + ( x) = xy + (x ). ( + y) + ( x). ( y) = 0 y + ( + y) + ( y) = ou Assim, um exemplo para a matriz B é x = y = x = y =, quando x = e y = 0 Respostas: a) B = x y x y + x y b) Sim, um exemplo é ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

32 Numa certa brincadeira, um menino dispõe de uma caixa contendo quatro bolas, cada qual marcada com apenas uma destas letras: N, S, L e O. Ao retirar aleatoriamente uma bola, ele vê a letra correspondente e devolve a bola à caixa. Se essa letra for N, ele dá um passo na direção Norte; se S, em direção Sul, se L, na direção Leste e se O, na direção Oeste. Qual a probabilidade de ele voltar para a posição inicial no sexto passo? I) A probabilidade de retirar bolas N e bolas S é 6., 6 P6 =. 0 II) A probabilidade de retirar bolas L e bolas O é 6., 6 P6 =. 0 III) A probabilidade de retirar bolas N, bolas S, uma bola L e uma bola O é IV) A probabilidade de retirar bolas L, bolas O, uma bola N e uma bola S é 6., 6 P6 =. 80 V) A probabilidade de voltar para a posição inicial é = 00 = = Resposta: 6., 6 P6 = ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

33 6 Sejam S um subconjunto de e P = (a, b) um ponto de. Define-se distância de P a S, d(p, S), como a menor das distâncias d(p, Q), com Q S: d(p, S) = min{d(p, Q) : Q S}. Sejam S = {(x, y) : x = 0 e y } e S = {(x, y) : y = 0}. a) Determine d(p, S ) quando P = (, ) e d(q, S ) quando Q = (, 0). b) Determine o lugar geométrico dos pontos do plano equidistantes de S e de S. S = {(x; y) x = 0 e y } é o conjunto de pontos do eixo das ordenadas, com ordenada maior ou igual a. S = {(x;y) y = 0} é o conjunto de pontos do eixo das abscissas. Na figura, os dois conjuntos aparecem em destaque. a) d(p; S ) = PT =, abscissa de P, e d(q; S ) = AQ = + ( ) =, hipotenusa do triângulo retângulo AOQ. b) São equidistantes de S e S : b) Os pontos da reta y = x, com abscissa e orde - nada maiores ou iguais a. b) Os pontos da reta y = x, com abscissas menores ou iguais a. b) O ponto da parábola de foco A(0; ), diretriz y = 0, vértice (0; ) e equação x =. (y ) y = x + ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

34 A figura mostra este lugar geométrico Assim, o lugar geométrico pedido é S = {(x; y) : (y = x, se x ) ou y = x +, se x ou (y = x, se x )} Respostas: a) d(p,s ) = e d(q,s ) = b) vide gráfico ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

35 7 Sejam a, b, c números reais com a 0. a) Mostre que a mudança x + = z transforma a equação x ax + bx + cx + bx + a = 0 numa equação de segundo grau. b) Determine todas as raízes da equação x + x x + x + = 0. a) I) Se z = x +, então z = x + + x x + = z x II) Se a 0, então zero não é raiz da equação. III) ax + bx + cx + bx + a = 0 ax b a + bx + c + + = 0 x x x + x + a + b + c = 0 x x a (z ) + bz + c = 0 az + bz + (c a) = 0, que é uma equação do ọ grau. b) I) x + x x + x + = 0 x + x + + = 0 x x x + x + x + = 0 x x z + z = 0 z + z = 0 z = ou z = II) x + x = x + x + = 0 x = ± = ± III) x + = x x + = 0 x = x Respostas: a) demonstração b) { + ; ; + i ; i } ± i ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

36 8 Considere as circunferências λ : x + y 8x + y = 0 e λ : x + y x 8y = 8. O triângulo ABC satisfaz as seguintes propriedades: a) o lado AB coincide com a corda comum a λ e λ ; b) o vértice B pertence ao primeiro quadrante; c) o vértice C pertence a λ e a reta que contém AC é tangente a λ. Determine as coordenadas do vértice C. I) A circunferência λ : x + y 8x + y = 0 possui centro C (; ) e raio R = 0 e a cir - cunferência λ : x + y x 8y = 8 possui centro C (; ) e raio R =. II) x + y 8x + y = 0 x + y x 8y = 8 x y = x + y x 8y = 8 x = y x + y x 8y = 8 (y ) + y. (y ) 8y = 8 y 0y = 0 y = 0 e x = ou y = e x = 6 Logo, a corda comum a λ e λ possui extremos A( ; 0) e B(6; ), pois B pertence ao primeiro quadrante. ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

37 III) O coeficiente angular da reta que passa por 0 A( ; 0) e C (; ) é = + IV) A reta (t), tangente a λ em A( ; 0), é perpen - dicular à reta que passa por A e C e, portanto, tem coeficiente angular y = (x + ) e equação V) Os vértices A e C pertencem a λ e à reta (t). Logo: x + y 8x + y = 0 y = (x + ) x +. (x + ) 8x +.. (x + ) = 0 x 8x 76 = 0 x = ou x = Para x =, tem-se y = 0 e ( ; 0) são as coordenadas do ponto A. Assim, ponto C tem x = que resulta 6 y =, portanto, o ponto C é 8 6 ; Resposta: C 8 6 ; 8 8 ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

38 9 Determine o termo constante do resto da divisão do polinômio ( + x + x ) 0 por ( + x). I) Como ( + x + x ) 0 = [x (x + ) + ] 0 = 0 = [x (x + )] [x (x + )] [x (x + )] 0 + [x (x + )] [x (x + )] + = 9 0 = (x + ) 0 x 0 (x + ) x 9 (x + ) x x (x + ) + 0 x (x + ) +, o 7 resto da divisão de ( + x + x) 0 por ( + x) é o mes mo resto da divisão de 780 x ( + x ) + 0 x ( + x) + por ( + x). II) 780x ( + x) + 0 x ( + x) + = = 780 x + 60 x + 80 x + 0 x + e ( + x) = x + x + x + Dividindo um pelo outro utilizando o método da chave, resulta: 780x + 60x + 80x + 0x + x + x + x + 780x 0x 0x 780x 780x x 0x 70x + 780x + 0x + 0x x + 600x + 78 III) Desta forma, o resto da divisão de ( + x + x ) 0 por ( + x) é 80x + 600x + 78, cujo termo independente é 78. Resposta: 78 ITA (º DIA) DEZEMBRO/0

NOTAÇÕES. R : conjunto dos números reais C : conjunto dos números complexos

NOTAÇÕES. R : conjunto dos números reais C : conjunto dos números complexos NOTAÇÕES R : conjunto dos números reais C : conjunto dos números complexos i : unidade imaginária: i = 1 z : módulo do número z C Re(z) : parte real do número z C Im(z) : parte imaginária do número z C

Leia mais

GABARITO ITA PROVA 2015/2016 MATEMÁTICA

GABARITO ITA PROVA 2015/2016 MATEMÁTICA GABARITO ITA PROVA 0/06 MATEMÁTICA PROVA 7// : conjunto de números reais : conjunto dos números complexos i : unidade imaginária: i = z : Módulo do número z Re(z) : parte real do número z Im (z) : parte

Leia mais

NOTAÇÕES. : inversa da matriz M : produto das matrizes M e N : segmento de reta de extremidades nos pontos A e B

NOTAÇÕES. : inversa da matriz M : produto das matrizes M e N : segmento de reta de extremidades nos pontos A e B NOTAÇÕES R C : conjunto dos números reais : conjunto dos números complexos i : unidade imaginária i = 1 det M : determinante da matriz M M 1 MN AB : inversa da matriz M : produto das matrizes M e N : segmento

Leia mais

{ } Questão 1. Considere as seguintes afirmações sobre o conjunto U = { 0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9} Questão 2. Seja o conjunto = { : 0 e 2 2

{ } Questão 1. Considere as seguintes afirmações sobre o conjunto U = { 0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9} Questão 2. Seja o conjunto = { : 0 e 2 2 NOTAÇÕES : conjunto dos números complexos. : conjunto dos números racionais. : conjunto dos números reais. : conjunto dos números inteiros. = 0,,,,.... { } { } * =,,,.... i : unidade imaginária; i =. z=x+iy,

Leia mais

NOTAÇÕES. Observação: Os sistemas de coordenadas considerados são os cartesianos retangulares.

NOTAÇÕES. Observação: Os sistemas de coordenadas considerados são os cartesianos retangulares. MATEMÁTICA NOTAÇÕES : conjunto dos números reais : conjunto dos números complexos i : unidade imaginária i = det M : determinante da matriz M M : inversa da matriz M MN : produto das matrizes M e N AB

Leia mais

P (A) n(a) AB tra. Observação: Os sistemas de coordenadas considerados são cartesianos retangulares.

P (A) n(a) AB tra. Observação: Os sistemas de coordenadas considerados são cartesianos retangulares. NOTAÇÕES N = f; ; 3; : : :g i : unidade imaginária: i = R : conjunto dos números reais jzj : módulo do número z C C : conjunto dos números complexos Re z : parte real do número z C [a; b] = fx R; a x bg

Leia mais

a k. x a k. : conjunto dos números complexos i: unidade imaginária; i 2 = 1 z : módulo do número z z: conjugado do número z M m n

a k. x a k. : conjunto dos números complexos i: unidade imaginária; i 2 = 1 z : módulo do número z z: conjugado do número z M m n ITA MATEMÁTICA NOTAÇÕES = {,,,...} : conjunto dos números reais [a, b] = {x ; a x b} [a, b[ = {x ; a x < b} ]a, b[ = {x ; a < x < b} A\B = {x; x A e x B} k a n = a + a +... + a k, k n = k a n x n = a 0

Leia mais

GABARITO ITA MATEMÁTICA

GABARITO ITA MATEMÁTICA GABARITO ITA MATEMÁTICA Sistema ELITE de Ensino ITA - 014/01 GABARITO 01. D 11. B 0. C 1. E 0. D 1. C 04. E 14. D 0. D 1. E 06. E 16. A 07. B 17. E 08. B 18. A 09. C 19. A 10. A 0. C Sistema ELITE de Ensino

Leia mais

a média de gols da primeira rodada, M G a média de gols das duas primeiras rodadas e x o número de gols da segunda rodada, tem-se 15 + x 15 M G

a média de gols da primeira rodada, M G a média de gols das duas primeiras rodadas e x o número de gols da segunda rodada, tem-se 15 + x 15 M G MATEMÁTICA O número de gols marcados nos 6 jogos da primeira rodada de um campeonato de futebol foi 5,,,, 0 e. Na segunda rodada, serão realizados mais 5 jogos. Qual deve ser o número total de gols marcados

Leia mais

p a p. mdc(j,k): máximo divisor comum dos números inteiros j e k. n(x) : número de elementos de um conjunto finito X. (a,b) = {x : a < x < b}.

p a p. mdc(j,k): máximo divisor comum dos números inteiros j e k. n(x) : número de elementos de um conjunto finito X. (a,b) = {x : a < x < b}. MATEMÁTICA NOTAÇÕES = {0,,,,...} : conjunto dos números inteiros : conjunto dos números racionais : conjunto dos números reais : conjunto dos números complexos i: unidade imaginária; i = Izl: módulo do

Leia mais

01. (UFRGS/2003) Se n é um número natural qualquer maior que 1, então n! + n 1 é divisível por. (A) n 1. (B) n. (C) n + 1. (D) n! - 1. (E) n!.

01. (UFRGS/2003) Se n é um número natural qualquer maior que 1, então n! + n 1 é divisível por. (A) n 1. (B) n. (C) n + 1. (D) n! - 1. (E) n!. 0. (UFRGS/00) Se n é um número natural qualquer maior que, então n! + n é divisível por n. n. n +. n! -. n!. 0. (UFRGS/00) Se num determinado período o dólar sofrer uma alta de 00% em relação ao real,

Leia mais

MATEMÁTICA SARGENTO DA FAB

MATEMÁTICA SARGENTO DA FAB MATEMÁTICA BRUNA PAULA 1 COLETÂNEA DE QUESTÕES DE MATEMÁTICA DA EEAr (QUESTÕES RESOLVIDAS) QUESTÃO 1 (EEAr 2013) Se x é um arco do 1º quadrante, com sen x a e cosx b, então é RESPOSTA: d QUESTÃO 2 (EEAr

Leia mais

Matemática 41 c Resolução 42 b Resolução 43 e OBJETIVO 2001

Matemática 41 c Resolução 42 b Resolução 43 e OBJETIVO 2001 Matemática c Numa barraca de feira, uma pessoa comprou maçãs, bananas, laranjas e peras. Pelo preço normal da barraca, o valor pago pelas maçãs, bananas, laranjas e peras corresponderia a 5%, 0%, 5% e

Leia mais

Prova Vestibular ITA 2000

Prova Vestibular ITA 2000 Prova Vestibular ITA Versão. ITA - (ITA ) Sejam f, g : R R definidas por f ( ) = e g cos 5 ( ) =. Podemos afirmar que: f é injetora e par e g é ímpar. g é sobrejetora e f é bijetora e g é par e f é ímpar

Leia mais

Geometria Analítica - AFA

Geometria Analítica - AFA Geometria Analítica - AFA x = v + (AFA) Considerando no plano cartesiano ortogonal as retas r, s e t, tais que (r) :, (s) : mx + y + m = 0 e (t) : x = 0, y = v analise as proposições abaixo, classificando-

Leia mais

FUVEST Você na elite das universidades! MATEMÁTICA ELITE SEGUNDA FASE

FUVEST Você na elite das universidades! MATEMÁTICA ELITE SEGUNDA FASE www.elitecampinas.com.br Fone: (9) -7 O ELITE RESOLVE IME 00 PORTUGUÊS/INGLÊS Você na elite das universidades! FUVEST 00 SEGUNDA FASE MATEMÁTICA www.elitecampinas.com.br Fone: (9) 5-0 O ELITE RESOLVE FUVEST

Leia mais

Prova 3 Matemática. N ọ DE INSCRIÇÃO:

Prova 3 Matemática. N ọ DE INSCRIÇÃO: Prova QUESTÕES OBJETIIVAS N ọ DE ORDEM: NOME DO CANDIDATO: N ọ DE INSCRIÇÃO: IINSTRUÇÕES PARA A REALIIZAÇÃO DA PROVA. Confira os campos N ọ DE ORDEM, N ọ DE INSCRIÇÃO e NOME, conforme o que consta na etiqueta

Leia mais

Prova 3 Matemática. N ọ DE INSCRIÇÃO:

Prova 3 Matemática. N ọ DE INSCRIÇÃO: Prova QUESTÕES OBJETIIVAS N ọ DE ORDEM: NOME DO CANDIDATO: N ọ DE INSCRIÇÃO: IINSTRUÇÕES PARA A REALIIZAÇÃO DA PROVA. Confira os campos N ọ DE ORDEM, N ọ DE INSCRIÇÃO e NOME, conforme o que consta na etiqueta

Leia mais

Prova 3 Matemática. N ọ DE INSCRIÇÃO:

Prova 3 Matemática. N ọ DE INSCRIÇÃO: Prova QUESTÕES OBJETIIVAS N ọ DE ORDEM: NOME DO CANDIDATO: N ọ DE INSCRIÇÃO: IINSTRUÇÕES PARA A REALIIZAÇÃO DA PROVA. Confira os campos N ọ DE ORDEM, N ọ DE INSCRIÇÃO e NOME, conforme o que consta na etiqueta

Leia mais

Prova 3 Matemática. N ọ DE INSCRIÇÃO:

Prova 3 Matemática. N ọ DE INSCRIÇÃO: Prova QUESTÕES OBJETIIVAS N ọ DE ORDEM: NOME DO CANDIDATO: N ọ DE INSCRIÇÃO: IINSTRUÇÕES PARA A REALIIZAÇÃO DA PROVA. Confira os campos N ọ DE ORDEM, N ọ DE INSCRIÇÃO e NOME, conforme o que consta na etiqueta

Leia mais

TIPO DE PROVA: A. Questão 1. Questão 4. Questão 2. Questão 5. Questão 3. alternativa D. alternativa D. alternativa D. alternativa B.

TIPO DE PROVA: A. Questão 1. Questão 4. Questão 2. Questão 5. Questão 3. alternativa D. alternativa D. alternativa D. alternativa B. Questão TIPO DE PROVA: A Um mapa está numa escala :0 000 000, o que significa que uma distância de uma unidade, no mapa, corresponde a uma distância real de 0 000 000 de unidades. Se no mapa a distância

Leia mais

TIPO DE PROVA: A. Questão 1. Questão 4. Questão 2. Questão 3. Questão 5. alternativa C. alternativa B. alternativa A.

TIPO DE PROVA: A. Questão 1. Questão 4. Questão 2. Questão 3. Questão 5. alternativa C. alternativa B. alternativa A. Questão TIPO DE PROVA: A Sabe-se que o quadrado de um número natural k é maior do que o seu triplo e que o quíntuplo desse número k é maior do que o seu quadrado. Dessa forma, k k vale: a) 0 b) c) 6 d)

Leia mais

Questão 2. Questão 1. Questão 3. alternativa D. alternativa D. alternativa B

Questão 2. Questão 1. Questão 3. alternativa D. alternativa D. alternativa B NOTAÇÕES C: conjunto dos números compleos. Q: conjunto dos números racionais. R: conjunto dos números reais. Z: conjunto dos números inteiros. N {0,,,,...}. N {,,,...}. 0: conjunto vazio. A \ B { A; B}.

Leia mais

TD GERAL DE MATEMÁTICA 2ª FASE UECE

TD GERAL DE MATEMÁTICA 2ª FASE UECE Fundação Universidade Estadual do Ceará - FUNECE Curso Pré-Vestibular - UECEVest Fones: 3101.9658 / E-mail: uecevest_itaperi@yahoo.com.br Av. Dr. Silas Munguba, 1700 Campus do Itaperi 60714-903 Fone: 3101-9658/Site:

Leia mais

A 1. Na figura abaixo, a reta r tem equação y = 2 2 x + 1 no plano cartesiano Oxy. Além disso, os pontos B 0. estão na reta r, sendo B 0

A 1. Na figura abaixo, a reta r tem equação y = 2 2 x + 1 no plano cartesiano Oxy. Além disso, os pontos B 0. estão na reta r, sendo B 0 MATEMÁTICA FUVEST Na figura abaixo, a reta r tem equação y = x + no plano cartesiano Oxy. Além disso, os pontos B 0, B, B, B 3 estão na reta r, sendo B 0 = (0,). Os pontos A 0, A, A, A 3 estão no eixo

Leia mais

MATEMÁTICA A - 12o Ano N o s Complexos - Equações e problemas Propostas de resolução

MATEMÁTICA A - 12o Ano N o s Complexos - Equações e problemas Propostas de resolução MATEMÁTICA A - 1o Ano N o s Complexos - Equações e problemas Propostas de resolução Exercícios de exames e testes intermédios 1. Simplificando as expressões de z 1 e z, temos que: Como i 19 i + i i, vem

Leia mais

Simulado Nacional ITA

Simulado Nacional ITA Simulado Nacional ITA Matemática Durate o simulado é proibido consultar qualquer tipo de material e o uso de calculadora. As respostas devem ser submetidas em paperx.com.br em até duas horas a partir do

Leia mais

CPV O cursinho que mais aprova na fgv

CPV O cursinho que mais aprova na fgv O cursinho que mais aprova na fgv FGV economia a Fase 0/dezembro/00 MATEMÁTICA 0 Na parte sombreada da figura, as extremidades dos segmentos de reta paralelos ao eixo y são pontos das representações gráficas

Leia mais

Prova Vestibular ITA 1995

Prova Vestibular ITA 1995 Prova Vestibular ITA 1995 Versão 1.0 ITA - 1995 01) (ITA-95) Seja A = n ( 1) n!. π + sen ; n ℵ n! 6 a) (- 1) n n. b) n. c) (- 1) n n. d) (- 1) n+1 n. e) (- 1) n+1 n. Qual conjunto abaixo é tal que sua

Leia mais

Professor Mascena Cordeiro

Professor Mascena Cordeiro www.mascenacordeiro.com Professor Mascena Cordeiro º Ano Ensino Médio M A T E M Á T I C A. Determine os valores de m pertencentes ao conjunto dos números reais, tal que os pontos (0, -), (, m) e (-, -)

Leia mais

ENSINO PRÉ-UNIVERSITÁRIO PROFESSOR(A) TURNO. 01. Determine a distância entre dois pontos A e B do plano cartesiano.

ENSINO PRÉ-UNIVERSITÁRIO PROFESSOR(A) TURNO. 01. Determine a distância entre dois pontos A e B do plano cartesiano. SÉRIE ITA/IME ENSINO PRÉ-UNIVERSITÁRIO PROFESSOR(A) ALUNO(A) TURMA MARCELO MENDES TURNO SEDE DATA Nº / / TC MATEMÁTICA Geometria Analítica Exercícios de Fixação Conteúdo: A reta Parte I Exercícios Tópicos

Leia mais

MATEMÁTICA CADERNO 3 CURSO E. FRENTE 1 Álgebra. n Módulo 11 Módulo de um Número Real. 5) I) x + 1 = 0 x = 1 II) 2x 7 + x + 1 0

MATEMÁTICA CADERNO 3 CURSO E. FRENTE 1 Álgebra. n Módulo 11 Módulo de um Número Real. 5) I) x + 1 = 0 x = 1 II) 2x 7 + x + 1 0 MATEMÁTICA CADERNO CURSO E ) I) + 0 II) 7 + + 0 FRENTE Álgebra n Módulo Módulo de um Número Real ) 6 + < não tem solução, pois a 0, a ) A igualdade +, com + 0, é verificada para: ọ ) + 0 ou ọ ) + + + +

Leia mais

UNICAMP Você na elite das universidades! MATEMÁTICA ELITE SEGUNDA FASE

UNICAMP Você na elite das universidades! MATEMÁTICA ELITE SEGUNDA FASE www.elitecampinas.com.br Fone: (19) -71 O ELITE RESOLVE IME 004 PORTUGUÊS/INGLÊS Você na elite das universidades! UNICAMP 004 SEGUNDA FASE MATEMÁTICA www.elitecampinas.com.br Fone: (19) 51-101 O ELITE

Leia mais

6. Considere. igual a : (A) f (x) + 2x f(x) = 0 (B) f (x) x f(x) = 0 (C) f (x) + f(x) = 0 (D) f (x) f(x) = 0 (E) f (x) 2x f(x) = 0

6. Considere. igual a : (A) f (x) + 2x f(x) = 0 (B) f (x) x f(x) = 0 (C) f (x) + f(x) = 0 (D) f (x) f(x) = 0 (E) f (x) 2x f(x) = 0 QUESTÃO ÚNICA 0,000 pontos distribuídos em 50 itens Marque no cartão de respostas a única alternativa que responde de maneira correta ao pedido de cada item.. O valor da área, em unidades de área, limitada

Leia mais

MATEMÁTICA APLICADA À AGRIMENSURA PROF. JORGE WILSON

MATEMÁTICA APLICADA À AGRIMENSURA PROF. JORGE WILSON MATEMÁTICA APLICADA À AGRIMENSURA PROF. JORGE WILSON PROFJWPS@GMAIL.COM DEFINIÇÕES GEOMETRIA PLANA Ponto: Um elemento do espaço que define uma posição. Reta: Conjunto infinito de pontos. Dois pontos são

Leia mais

o anglo resolve a prova de Matemática do ITA

o anglo resolve a prova de Matemática do ITA o anglo resolve a prova de Matemática do ITA Código: 858005 É trabalho pioneiro. Prestação de serviços com tradição de confiabilidade. Construtivo, procura colaborar com as Bancas Examinadoras em sua tarefa

Leia mais

ITA º DIA MATEMÁTICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

ITA º DIA MATEMÁTICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR ITA - 2006 3º DIA MATEMÁTICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Matemática Questão 01 Seja E um ponto externo a uma circunferência. Os segmentos e interceptam essa circunferência nos pontos B e A, e, C

Leia mais

Solução Comentada da Prova de Matemática

Solução Comentada da Prova de Matemática Solução Comentada da Prova de Matemática 01. Considere, no plano cartesiano, os pontos P(0,1) e Q(,3). A) Determine uma equação para a reta mediatriz do segmento de reta PQ. B) Determine uma equação para

Leia mais

RETA E CIRCUNFERÊNCIA

RETA E CIRCUNFERÊNCIA RETA E CIRCUNFERÊNCIA - 016 1. (Unifesp 016) Na figura, as retas r, s e t estão em um mesmo plano cartesiano. Sabe-se que r e t passam pela origem desse sistema, e que PQRS é um trapézio. a) Determine

Leia mais

2 Uma caixa d'água cúbica, de volume máximo, deve ser colocada entre o telhado e a laje de uma casa, conforme mostra a figura ao lado.

2 Uma caixa d'água cúbica, de volume máximo, deve ser colocada entre o telhado e a laje de uma casa, conforme mostra a figura ao lado. MATEMÁTICA Uma pessoa possui a quantia de R$7.560,00 para comprar um terreno, cujo preço é de R$5,00 por metro quadrado. Considerando que os custos para obter a documentação do imóvel oneram o comprador

Leia mais

MATEMÁTICA. Questões de 01 a 04

MATEMÁTICA. Questões de 01 a 04 GRUPO 1 TIPO A MAT. 5 MATEMÁTICA Questões de 01 a 04 01. Considere duas circunferências concêntricas em C, conforme figura, em que a externa representa o círculo trigonométrico e a interna, o velocímetro,

Leia mais

Turma preparatória para Olimpíadas.

Turma preparatória para Olimpíadas. p: João Alvaro w: www.matemaniacos.com.br e: joao.baptista@iff.edu.br Turma preparatória para Olimpíadas. TRIÂNGULOS - V01 DEFINIÇÃO Sejam três pontos não colineares A, B e C, o triângulo ABC é uma figura

Leia mais

02 Do ponto P exterior a uma circunferência tiramos uma secante que corta a

02 Do ponto P exterior a uma circunferência tiramos uma secante que corta a 01 Em um triângulo AB AC 5 cm e BC cm. Tomando-se sobre AB e AC os pontos D e E, respectivamente, de maneira que DE seja paralela a BC e que o quadrilátero BCED seja circunscritível a um círculo, a distância

Leia mais

NOTAÇÕES. : distância do ponto P à reta r : segmento de extremidades nos pontos A e B

NOTAÇÕES. : distância do ponto P à reta r : segmento de extremidades nos pontos A e B R C i z Rez) Imz) det A tr A : conjunto dos números reais : conjunto dos números complexos : unidade imaginária: i = 1 : módulo do número z C : parte real do número z C : parte imaginária do número z C

Leia mais

Simulado AFA. 2. Sejam x e y números reais tais que: Então, o número complexo z = x + yi. é tal que z 3 e z valem, respectivamente: (D) i e 1.

Simulado AFA. 2. Sejam x e y números reais tais que: Então, o número complexo z = x + yi. é tal que z 3 e z valem, respectivamente: (D) i e 1. Simulado AFA 1. Uma amostra de estrangeiros, em que 18% são proficientes em inglês, realizou um exame para classificar a sua proficiência nesta língua. Dos estrangeiros que são proficientes em inglês,

Leia mais

IME º DIA MATEMÁTICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

IME º DIA MATEMÁTICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR IME - 2003 1º DIA MATEMÁTICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Matemática Questão 01 Seja z um número complexo de módulo unitário que satisfaz a condição z 2n 1, em que n é um número inteiro positivo.

Leia mais

1 a) Quantos múltiplos de 9 há entre 100 e 1000? b) Quantos múltiplos de 9 ou 15 há entre 100 e 1000?

1 a) Quantos múltiplos de 9 há entre 100 e 1000? b) Quantos múltiplos de 9 ou 15 há entre 100 e 1000? MATEMÁTICA 1 a) Quantos múltiplos de 9 há entre 100 e 1000? b) Quantos múltiplos de 9 ou 1 há entre 100 e 1000? a) Os múltiplos inteiros de 9 compreendidos entre 100 e 1000 formam uma progressão aritmética

Leia mais

Prof. Luiz Carlos Moreira Santos. Questão 01)

Prof. Luiz Carlos Moreira Santos. Questão 01) Questão 01) A figura abaixo representa o perfil de uma escada cujos degraus têm todos a mesma extensão (vide figura), além de mesma altura. Se AB = m e BCA mede 0º, então a medida da extensão de cada degrau

Leia mais

PROVA 3 conhecimentos específicos

PROVA 3 conhecimentos específicos PROVA conhecimentos específicos MATEMÁTICA QUESTÕES OBJETIVAS QUESTÕES APLICADAS A TODOS OS CANDIDATOS QUE REALIZARAM A PROVA ESPECÍFICA DE MATEMÁTICA. UEM Comissão Central do Vestibular Unificado GABARITO

Leia mais

Coordenadas Cartesianas

Coordenadas Cartesianas 1 Coordenadas Cartesianas 1.1 O produto cartesiano Para compreender algumas notações utilizadas ao longo deste texto, é necessário entender o conceito de produto cartesiano, um produto entre conjuntos

Leia mais

Questão 01. Calcule o número de alunos que visitaram os dois museus. Questão 02

Questão 01. Calcule o número de alunos que visitaram os dois museus. Questão 02 Questão 01 Um grupo de alunos de uma escola deveria visitar o Museu de Ciência e o Museu de História da cidade. Quarenta e oito alunos foram visitar pelo menos um desses museus. 20% dos que foram ao de

Leia mais

84 x a + b = 26. x + 2 x

84 x a + b = 26. x + 2 x Para a fabricação de bicicletas, uma empresa comprou unidades do produto A, pagando R$ 96,00, e unidades do produto B, pagando R$ 84,00. Sabendo-se que o total de unidades compradas foi de 6 e que o preço

Leia mais

Assinale as questões verdadeiras some os resultados obtidos e marque na Folha de Respostas:

Assinale as questões verdadeiras some os resultados obtidos e marque na Folha de Respostas: PROVA DE MATEMÁTICA - TURMAS DO O ANO DO ENSINO MÉDIO COLÉGIO ANCHIETA-BA - MAIO DE 0. ELABORAÇÃO: PROFESSORES OCTAMAR MARQUES E ADRIANO CARIBÉ. PROFESSORA MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA Assinale as questões

Leia mais

Exercícios de Aprofundamento 2015 Mat Geo. Analítica

Exercícios de Aprofundamento 2015 Mat Geo. Analítica Exercícios de Aprofundamento 015 Mat Geo. Analítica 1. (Unicamp 015) Seja r a reta de equação cartesiana x y. Para cada número real t tal que 0 t, considere o triângulo T de vértices em (0, 0), (t, 0)

Leia mais

( )( ) = =

( )( ) = = GABARITO IME MATEMÁTICA Questão Assinale a alternativa verdadeira: (A) 06 0 < 07 06

Leia mais

EXERCICIOS DE APROFUNDAMENTO - MATEMÁTICA - RETA

EXERCICIOS DE APROFUNDAMENTO - MATEMÁTICA - RETA EXERCICIOS DE APROFUNDAMENTO - MATEMÁTICA - RETA - 015 1. (Unicamp 015) Seja r a reta de equação cartesiana x y 4. Para cada número real t tal que 0 t 4, considere o triângulo T de vértices em (0, 0),

Leia mais

OS PRISMAS. 1) Definição e Elementos :

OS PRISMAS. 1) Definição e Elementos : 1 OS PRISMAS 1) Definição e Elementos : Dados dois planos paralelos α e β, um polígono contido em um desses planos e um reta r, que intercepta esses planos, chamamos de PRISMA o conjunto de todos os segmentos

Leia mais

TIPO DE PROVA: A. Questão 3. Questão 1. Questão 4. Questão 2. alternativa D. alternativa E. alternativa D. alternativa D

TIPO DE PROVA: A. Questão 3. Questão 1. Questão 4. Questão 2. alternativa D. alternativa E. alternativa D. alternativa D Questão TIPO DE PROVA: A O algarismo das dezenas do número! é: a) 5 b) 0 c) d) 7 e) A quantidade de zeros com que termina o número n! é igual ao número de fatores 5 presentes em sua fatoração. Na fatoração

Leia mais

Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri.

Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri. INSTRUÇÕES Ministério da Educação Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Diretoria de Educação Aberta e a Distância Especialização em Matemática

Leia mais

MÓDULO 17. Radiciações e Equações. Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias MATEMÁTICA

MÓDULO 17. Radiciações e Equações. Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias MATEMÁTICA Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias MATEMÁTICA. Mostre que MÓDULO 7 Radiciações e Equações 3 + 8 5 + 3 8 5 é múltiplo de 4. 2. a) Escreva A + B como uma soma de radicais simples. b) Escreva

Leia mais

MATEMÁTICA MÓDULO 10 EQUAÇÕES E INEQUAÇÕES TRIGONOMÉTRICAS 1. EQUAÇÕES TRIGONOMÉTRICAS BÁSICAS 1.1. EQUAÇÃO EM SENO. sen a arcsena 2k, k arcsena 2k, k

MATEMÁTICA MÓDULO 10 EQUAÇÕES E INEQUAÇÕES TRIGONOMÉTRICAS 1. EQUAÇÕES TRIGONOMÉTRICAS BÁSICAS 1.1. EQUAÇÃO EM SENO. sen a arcsena 2k, k arcsena 2k, k EQUAÇÕES E INEQUAÇÕES TRIGONOMÉTRICAS. EQUAÇÕES TRIGONOMÉTRICAS BÁSICAS Vamos mostrar como resolver equações trigonométricas básicas, onde temos uma linha trigonométrica aplicada sobre uma função e igual

Leia mais

NOTAÇÕES. : conjunto dos números naturais : conjunto dos números inteiros : conjunto dos números reais

NOTAÇÕES. : conjunto dos números naturais : conjunto dos números inteiros : conjunto dos números reais MATEMÁTICA NOTAÇÕES : conjunto dos números naturais : conjunto dos números inteiros : conjunto dos números reais mxn ( ): conjunto das matrizes reais m x n det(m): determinante da matriz M M t : transposta

Leia mais

Escola Secundária de Francisco Franco Matemática 12.º ano Números Complexos - Exercícios saídos em (Exames Nacionais 2000)

Escola Secundária de Francisco Franco Matemática 12.º ano Números Complexos - Exercícios saídos em (Exames Nacionais 2000) Mais exercícios de.º ano: www.prof000.pt/users/roliveira0/ano.htm Escola Secundária de Francisco Franco Matemática.º ano Números Complexos - Exercícios saídos em (Exames Nacionais 000). Seja C o conjunto

Leia mais

Matemática B Extensivo V. 7

Matemática B Extensivo V. 7 GRITO Matemática Etensivo V. 7 Eercícios ) D ) D ) I. Falso. O diâmetro é dado por. r. cm. II. Verdadeiro. o volume é dado por π. r² π. ² π cm² III. Verdadeiro. (, ) (, ) e assim, ( )² + ( )² r² fica ²

Leia mais

Questão 2. Questão 1. Questão 3. Resposta. Resposta. Resposta

Questão 2. Questão 1. Questão 3. Resposta. Resposta. Resposta ATENÇÃO: Escreva a resolução COMPLETA de cada questão no espaço a ela reservado. Não basta escrever apenas o resultado final: é necessário mostrar os cálculos ou o raciocínio utilizado. Questão Emumasalaháumalâmpada,umatelevisão

Leia mais

Prova 3 Matemática. N ọ DE INSCRIÇÃO:

Prova 3 Matemática. N ọ DE INSCRIÇÃO: Prova QUESTÕES OBJETIIVAS N ọ DE ORDEM: NOME DO CANDIDATO: N ọ DE INSCRIÇÃO: IINSTRUÇÕES PARA A REALIIZAÇÃO DA PROVA Confira os campos N ọ DE ORDEM, N ọ DE INSCRIÇÃO e NOME, conforme o que consta na etiqueta

Leia mais

Prova 3 Matemática. N ọ DE INSCRIÇÃO:

Prova 3 Matemática. N ọ DE INSCRIÇÃO: Prova QUESTÕES OBJETIIVAS N ọ DE ORDEM: NOME DO CANDIDATO: N ọ DE INSCRIÇÃO: IINSTRUÇÕES PARA A REALIIZAÇÃO DA PROVA Confira os campos N ọ DE ORDEM, N ọ DE INSCRIÇÃO e NOME, conforme o que consta na etiqueta

Leia mais

Exercícios de Aprofundamento Matemática Geometria Analítica

Exercícios de Aprofundamento Matemática Geometria Analítica 1. (Unicamp 015) Seja r a reta de equação cartesiana x y 4. Para cada número real t tal que 0 t 4, considere o triângulo T de vértices em (0, 0), (t, 0) e no ponto P de abscissa x t pertencente à reta

Leia mais

PROFESSOR FLABER 2ª SÉRIE Circunferência

PROFESSOR FLABER 2ª SÉRIE Circunferência PROFESSOR FLABER ª SÉRIE Circunferência 01. (Fuvest SP) A reta s passa pelo ponto (0,3) e é perpendicular à reta AB onde A=(0,0) e B é o centro da circunferência x + y - x - 4y = 0. Então a equação de

Leia mais

Módulo de Geometria Anaĺıtica Parte 2. Circunferência. Professores Tiago Miranda e Cleber Assis

Módulo de Geometria Anaĺıtica Parte 2. Circunferência. Professores Tiago Miranda e Cleber Assis Módulo de Geometria Anaĺıtica Parte Circunferência a série E.M. Professores Tiago Miranda e Cleber Assis Geometria Analítica Parte Circunferência 1 Exercícios Introdutórios Exercício 1. Em cada item abaixo,

Leia mais

Gabarito - Matemática - Grupos I e J

Gabarito - Matemática - Grupos I e J 1 a QUESTÃO: (,0 pontos) Avaliador Revisor x O gráfico da função exponencial f, definida por f( x) = k a, foi construído utilizando-se o programa de geometria dinâmica gratuito GeoGebra (http://www.geogebra.org),

Leia mais

Exercícios de Aprofundamento Mat Geom Espacial

Exercícios de Aprofundamento Mat Geom Espacial 1. (Fuvest 015) No cubo ABCDEFGH, representado na figura abaixo, cada aresta tem medida 1. Seja M um ponto na semirreta de origem A que passa por E. Denote por θ o ângulo BMH e por x a medida do segmento

Leia mais

Exercícios de Revisão

Exercícios de Revisão Professor: Cassio Kiechaloski Mello Disciplina: Matemática Exercícios de Revisão Geometria Analítica Geometria Plana Geometria Espacial Números Complexos Polinômios Na prova de recuperação final, não será

Leia mais

MATEMÁTICA II LISTA DE GEOMETRIA PLANA - III

MATEMÁTICA II LISTA DE GEOMETRIA PLANA - III MATEMÁTICA II LISTA DE GEOMETRIA PLANA - III 0 Dois círculos de centros A e B são tangentes exteriormente e tangenciam interiormente um círculo de centro C. Se AB = cm, AC = 7 cm e BC = 3 cm, então o raio

Leia mais

Escola Naval 2010 ( ) ( ) 8 ( ) 4 ( ) 4 (

Escola Naval 2010 ( ) ( ) 8 ( ) 4 ( ) 4 ( Escola Naval 0 1. (EN 0) Os gráficos das funções reais f e g de variável real, definidas por f(x) = x e g(x) = 5 x interceptam-se nos pontos A = (a,f(a)) e B = (b,f(b)), a b. Considere os polígonos CAPBD

Leia mais

Na forma reduzida, temos: (r) y = 3x + 1 (s) y = ax + b. a) a = 3, b, b R. b) a = 3 e b = 1. c) a = 3 e b 1. d) a 3

Na forma reduzida, temos: (r) y = 3x + 1 (s) y = ax + b. a) a = 3, b, b R. b) a = 3 e b = 1. c) a = 3 e b 1. d) a 3 01 Na forma reduzida, temos: (r) y = 3x + 1 (s) y = ax + b a) a = 3, b, b R b) a = 3 e b = 1 c) a = 3 e b 1 d) a 3 1 0 y = 3x + 1 m = 3 A equação que apresenta uma reta com o mesmo coeficiente angular

Leia mais

A Matemática no Vestibular do ITA. Material Complementar: Prova 2014. c 2014, Sergio Lima Netto sergioln@smt.ufrj.br

A Matemática no Vestibular do ITA. Material Complementar: Prova 2014. c 2014, Sergio Lima Netto sergioln@smt.ufrj.br A Matemática no Vestibular do ITA Material Complementar: Prova 01 c 01, Sergio Lima Netto sergioln@smtufrjbr 11 Vestibular 01 Questão 01: Das afirmações: I Se x, y R Q, com y x, então x + y R Q; II Se

Leia mais

Av. João Pessoa, 100 Magalhães Laguna / Santa Catarina CEP

Av. João Pessoa, 100 Magalhães Laguna / Santa Catarina CEP Disciplina: Matemática Curso: Ensino Médio Professor(a): Flávio Calônico Júnior Turma: 3ª Série E M E N T A II Trimestre 2013 Conteúdos Programáticos Data 21/maio 28/maio Conteúdo FUNÇÃO MODULAR Interpretação

Leia mais

( ) Questão 41. Questão 43. Questão 42. alternativa E. alternativa E. alternativa D

( ) Questão 41. Questão 43. Questão 42. alternativa E. alternativa E. alternativa D Questão Os vértices de um triângulo ABC, no plano cartesiano, são: A (, 0), B (0, ) e C 0,. Então, o ângulo BAC mede: ( ) a) 60 o b) 5 o c) 0 o d) 8 o e) 5 o alternativa E alternativa E De acordo com a

Leia mais

NOTAÇÕES. +... + a n. , sendo n inteiro não negativo k =1. Observação: Os sistemas de coordenadas considerados são cartesianos retangulares.

NOTAÇÕES. +... + a n. , sendo n inteiro não negativo k =1. Observação: Os sistemas de coordenadas considerados são cartesianos retangulares. MATEMÁTICA NOTAÇÕES : conjunto dos números reais : conjunto dos números complexos i: unidade imaginária, i = z: módulo do número z Re(z): parte real do número z Im(z): parte imaginária do número z det

Leia mais

1 B 1 Dado z = ( 1 + 3 i), então z n é igual a

1 B 1 Dado z = ( 1 + 3 i), então z n é igual a MATEMÁTICA NOTAÇÕES : conjunto dos números naturais : conjunto dos números inteiros : conjunto dos números racionais : conjunto dos números reais : conjunto dos números complexos i: unidade imaginária:

Leia mais

ACADEMIA DA FORÇA AÉREA PROVA DE MATEMÁTICA 1998

ACADEMIA DA FORÇA AÉREA PROVA DE MATEMÁTICA 1998 PROVA DE MATEMÁTICA 998 Se a seqüência de inteiros positivos (,, y) é uma Progressão Geométrica e (+, y, ) uma Progressão Aritmética, então, o valor de + y é a) b) c) d) A soma das raízes da equação log

Leia mais

RECUPERAÇÃO FINAL DE MATEMÁTICA PROFESSOR GILMAR BORNATTO

RECUPERAÇÃO FINAL DE MATEMÁTICA PROFESSOR GILMAR BORNATTO 1. (Unesp) Seja A = [a Œ] a matriz 2 x 2 real definida por a Œ = 1 se i j e a Œ = -1 se i > j. Calcule A. 2. (Unesp) Seja A=[a Œ] a matriz real 2 x 2 definida por a Œ=1 se i j e a Œ=-1 se i>j. Calcule

Leia mais

Se tgx =, então cosx =. 3 3 O valor máximo de y = senx cos 60 + sen 60 cosx é 2.

Se tgx =, então cosx =. 3 3 O valor máximo de y = senx cos 60 + sen 60 cosx é 2. 4 4 A distância do ponto P (- 2; 6) à reta de equação 3x + 4y 1 = 0 é. 19. 0 0 Se cos x > 0, então 0 < x < 90. Se tgx =, então cosx =. 2 2. 3 3 O valor máximo de y = senx cos 60 + sen 60 cosx é 2. 4 4

Leia mais

IME º DIA MATEMÁTICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

IME º DIA MATEMÁTICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR IME - 2006 1º DIA MATEMÁTICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Matemática Questão 01 Sejam a 1 = 1 i, a n = r + si e a n+1 = (r s) + (r + s)i (n > 1) termos de uma sequência. DETERMINE, em função de n,

Leia mais

Banco de questões. Geometria analítica: ponto e reta ( ) ( ) ( )

Banco de questões. Geometria analítica: ponto e reta ( ) ( ) ( ) UNIDADE X geometria analítica CAPÍTULO 8 Geometria analítica: ponto e reta Banco de questões 1 (Cesgranrio RJ) Observe a figura e considere uma reta r cuja equação é y = x +. A esse respeito, são feitas

Leia mais

MATEMÁTICA Galileu Galilei Qu e st ão 0 1

MATEMÁTICA Galileu Galilei Qu e st ão 0 1 008 008 I A MATEMÁTICA "A matemática é o alfabeto com que Deus escreveu o mundo" Galileu Galilei {0,,,,...} : conjunto dos números inteiros : conjunto dos números reais : conjunto dos números complexos

Leia mais

GABARITO ITA 2014/2015 MATEMÁTICA

GABARITO ITA 2014/2015 MATEMÁTICA GABARITO ITA 04/05 MATEMÁTICA //4 Notações : conjunto dos números reais : conjunto dos números complexos i : unidade imaginária i = z Re(z) : módulo de número z : parte real do número z Im(z) : parte imaginária

Leia mais

1ª Avaliação. 1) Obtenha a fórmula que define a função linear f, sabendo que (3) 7 f =.

1ª Avaliação. 1) Obtenha a fórmula que define a função linear f, sabendo que (3) 7 f =. 1ª Avaliação 1) Obtenha a fórmula que define a função linear f, sabendo que (3) 7 f. ) Determine o domínio da função abaio. f ( ) 3 3 8 9 + 14 3) Determine o domínio da função abaio. f ( ) 1 ( 3)( ) 4)

Leia mais

COLÉGIO ANCHIETA-BA. ELABORAÇÃO: PROF. ADRIANO CARIBÉ e WALTER PORTO. RESOLUÇÃO: PROFA. MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA

COLÉGIO ANCHIETA-BA. ELABORAÇÃO: PROF. ADRIANO CARIBÉ e WALTER PORTO. RESOLUÇÃO: PROFA. MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA A AVALIAÇÃO UNIDADE II -5 COLÉGIO ANCHIETA-BA ELABORAÇÃO: PROF. ADRIANO CARIBÉ e WALTER PORTO. PROFA. MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA - (MACK) Em uma das provas de uma gincana, cada um dos 4 membros de cada equipe

Leia mais

Exercícios de exames e provas oficiais

Exercícios de exames e provas oficiais mata Exercícios de exames e provas oficiais. Na figura, está representado, no plano complexo, um quadrado cujo centro coincide com a origem e em que cada lado é paralelo a um eixo. Os vértices deste quadrado

Leia mais

5) [log 5 (25 log 2 32)] 3 = [log 5 (5 2 log )] 3 = = [log 5 (5 2 5)] 3 = [log ] 3 = 3 3 = 27

5) [log 5 (25 log 2 32)] 3 = [log 5 (5 2 log )] 3 = = [log 5 (5 2 5)] 3 = [log ] 3 = 3 3 = 27 MATEMÁTICA CADERNO CURSO E ) [log ( log )] = [log ( log )] = = [log ( )] = [log ] = = 7 FRENTE ÁLGEBRA n Módulo 7 Logaritmos: Definição e Existência ) a) log 8 = = 8 = = b) log 8 = = 8 = = c) log = = (

Leia mais

UFBA / UFRB a Fase Matemática RESOLUÇÃO: Professora Maria Antônia Gouveia. QUESTÕES de 01 a 08

UFBA / UFRB a Fase Matemática RESOLUÇÃO: Professora Maria Antônia Gouveia. QUESTÕES de 01 a 08 UFBA / UFRB 008 1a Fase Matemática Professora Maria Antônia Gouveia QUESTÕES de 01 a 08 INSTRUÇÃO: Assinale as proposições verdadeiras, some os números a elas associados e marque o resultado na Folha de

Leia mais

NOTAÇÕES A. ( ) 0. B. ( ) 1. C. ( ) 2. D. ( ) 4. E. ( ) 8. são disjuntos, A B=

NOTAÇÕES A. ( ) 0. B. ( ) 1. C. ( ) 2. D. ( ) 4. E. ( ) 8. são disjuntos, A B= NOTAÇÕES = {,,,...} : conjunto dos números reais : conjuntodos números complexos [ ab, ] = { x ; a x b} ( a, + ) = a, + = { x ; a< x < + } A\ B= { x A; x B} A : complementar doconjunto A i :unidade imaginária;

Leia mais

Questão 1 Questão 2. Resposta. Resposta

Questão 1 Questão 2. Resposta. Resposta Questão 1 Questão Um jogo consiste num dispositivo eletrônico na forma de um círculo dividido em 10 setores iguais numerados, como mostra a figura. A figura mostra um sistema rotativo de irrigação sobre

Leia mais

MATEMÁTICA. Questão 01. Questão 02 PROVA 3 - CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS RESPOSTA: 24 - NÍVEL MÉDIO 01) INCORRETA. RESPOSTA: 25 - NÍVEL MÉDIO

MATEMÁTICA. Questão 01. Questão 02 PROVA 3 - CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS RESPOSTA: 24 - NÍVEL MÉDIO 01) INCORRETA. RESPOSTA: 25 - NÍVEL MÉDIO PROVA 3 - CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS É uma forma de os professores do Colégio Platão contribuírem com seus alunos, orientando-os na resolução das questões do vestibular da UEM. Isso ajuda o vestibulando

Leia mais

MATEMÁTICA 3 ( ) A. 17. Sejam f(x) = sen(x) e g(x) = x/2. Associe cada função abaixo ao gráfico que. 2 e g.f 3. O número pedido é = 75

MATEMÁTICA 3 ( ) A. 17. Sejam f(x) = sen(x) e g(x) = x/2. Associe cada função abaixo ao gráfico que. 2 e g.f 3. O número pedido é = 75 MATEMÁTICA 3 17. Sejam f() sen() e g() /2. Associe cada função abaio ao gráfico que melhor a representa. Para cada associação feita, calcule i k, onde i é o número entre parênteses à direita da função,

Leia mais

DO ENSINO MÉDIO. ELABORAÇÃO: PROFESSOR OCTAMAR MARQUES. RESOLUÇÃO: PROFESSORA MARIA ANTÔNIA GOUVEIA.

DO ENSINO MÉDIO. ELABORAÇÃO: PROFESSOR OCTAMAR MARQUES. RESOLUÇÃO: PROFESSORA MARIA ANTÔNIA GOUVEIA. RESOLUÇÃO DA AVALIAÇÃO FINAL DE MATEMÁTICA APLICADA EM 008 NO COLÉGIO ANCHIETA-BA, AOS ALUNOS DA a SÉRIE DO ENSINO MÉDIO. ELABORAÇÃO: PROFESSOR OCTAMAR MARQUES. PROFESSORA MARIA ANTÔNIA GOUVEIA. 0. D C

Leia mais

Questão 01 EB EA = EC ED. 6 x = 3. x =

Questão 01 EB EA = EC ED. 6 x = 3. x = Questão 0 Seja E um ponto eterno a uma circunferência. Os segmentos EA e ED interceptam essa circunferência nos pontos B e A, e, C e D, respectivamente. A corda AF da circunferência intercepta o segmento

Leia mais