Planejamento Estratégico

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Planejamento Estratégico"

Transcrição

1

2 As sluções em Mbilidade Urbana da Fundatec têm cm fc sistemas inteligentes que agregam cnceits e métds através de atuaçã multidisciplinar e trazem knw hw internacinal para aplicar em melhrias das infraestruturas brasileiras. Ist significa enxergar prjet pr váris ânguls para analisar as melhres alternativas e encntrar a melhr sluçã. Planejament Estratégic

3 Planejament Estratégic Fc em atender necessidade em: Planejament Estratégic Equipe multidisciplinar cm mais de cem cnsultres Engenharia Cmputaçã, Cmunicaçã, Planejament, Gestã de Prjets, Análise Financeira Staff de cerca de 70 prfissinais para apiar a execuçã ds prjets Cnsultria Organizacinal e Institucinal Gestã de Prjets Inteligent Transprt System ITS Mega Events Mdelagem Capacitaçã e Treinament Cnvênis Pesquisa e Desenvlviment

4 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Estruturaçã de planejament estratégic para órgãs gestres e peradres de transprte públic; Implementaçã de metdlgia e mecanisms de revisã e acmpanhament de planejament estratégic; Mdelagem de plans de açã e investiments Análise de business plan e mecanisms de financiament; Análise ecnômica e peracinal de prjets de investiment em mbilidade urbana

5 CONSULTORIA Reestruturaçã rganizacinal; Api em prcesss de turn ver e rerganizaçã institucinal; Acmpanhament e cnsultria em prcesss licitatóris; Cnsultria técnica especializada; Gestã de cnvênis de cperaçã técnic-financeira cm entidades nacinais e internacinais; Api na captaçã de recurss e financiaments ante a entidades nacinais e internacinais; Api a prcesss de cncessã e PPP - Desenvlviment, implantaçã e peraçã de mecanisms de regulaçã e fiscalizaçã; Supervisã, auditria e fiscalizaçã de prjets; Implementaçã de mecanisms de gestã da qualidade e certificaçã

6 GESTÃO DE PROJETOS Implementaçã e peraçã de PMO (Prject Management Office), basead na metdlgia PMI. Treinament e capacitaçã de equipes em metdlgia de gestã de prjets, cm fc nas diretrizes d PMI (Prject Management Institute); Acmpanhament de riscs e indicadres de prjet; Gestã da mudança (Change Management); Gestã da qualidade; Elabraçã e gestã de crngramas, incluind gestã de metas e pnts de cntrle físic-financeir; Api técnic especializad in lc as gestres; Desenvlviment de dcumentaçã e mecanisms de gestã de prjet; Api na crdenaçã de prjets cm equipes multidisciplinares, através de especialistas técnics sb demanda; Frneciment de prfissinais especialistas certificads.

7 Planejament Estratégic INTELLIGENT TRANSPORT SYSTEM - ITS Os Sistemas de Transprtes Inteligentes (ITS) em Trânsit e Transprte Públic agregam tecnlgia de infrmaçã e cmunicaçã à infraestrutura de transprte e veículs para gerar melhrias em segurança, gerenciament, prvisã de infrmaçã, gerenciament d mei ambiente, integraçã de tráfeg, trânsit e transprte públic, acessibilidade e percepçã d usuári. Ou seja, impactam n gerenciament da mbilidade urbana cm um td.

8 Planejament Estratégic INTELLIGENT TRANSPORT SYSTEM - ITS A crdenaçã inteligente de tráfeg e transprte públic minimiza s impacts negativs que tant demandam a atençã das autridades de transprte. Reduçã de custs peracinais Otimizaçã da frta e infrmaçã em temp real para peradres e usuáris Autmaçã de prcesss e melhria da qualidade ds serviçs

9 INTELLIGENT TRANSPORT SYSTEM ITS A equipe Fundatec em Mbilidade Urbana é referência na implantaçã de sluções em Intelligent Transprt System - ITS. Análise de viabilidade de investiments em ITS; Segurança de transprte via ITS; Gerenciament de prjets; Cnsultria peracinal; Api na integraçã tecnlógica e especificaçã de sistemas para ITS; Análise de impact na segurança tecnlógica e peracinal de investiments; Análise e estruturaçã de arquitetura glbal de ITS e mdel peracinal análise e seleçã de estruturas e mdels de benchmark; Mecanisms de interperabilidade entre sistemas (em especial bilhetagem eletrônica); Análise técnica da ferta de frnecedres; Análise, preparaçã e/u atualizaçã de term de referência (cadern técnic);

10 SYSTEM ITS Api na cncepçã, implantaçã e peraçã d prjet executiv de ITS; INTELLIGENT TRANSPORT Capacitaçã e treinament; Auditria e hmlgaçã; Api na gestã de prjets; Especificaçã técnica de sistemas; Melhria da qualidade e timizaçã de perações via ITS; Assessria tecnlógica; Api a implantaçã de sistemas; Testes de aceitaçã; Resluçã de prblemas (Trubleshting); Prjet de CCOs integrads para tráfeg e transprte públic.

11 Planejament Estratégic MEGA EVENTOS Vltad para preparaçã e rganizaçã da Mbilidade Urbana em cidades sedes de grandes events, cm Cpa d Mund na África d Sul e na Alemanha, a Fundatec viabiliza trca de experiências e infrmações entre diferentes países e entidades brasileiras de transprte e trânsit. O bjetiv é dispnibilizar prfissinais e vivências internacinais para cidades e gverns brasileirs realizarem a cncepçã, revisã, implantaçã e acmpanhament ds Plans de Mbilidade Urbana d Event, cm Cpa d Mund e Olimpíadas.

12 Planejament Estratégic CAPACITAÇÃO E TREINAMENTO Através de técnics e especialistas cm prática prfissinal e acadêmica, a Fundatec pderá desenvlver, a partir da necessidade da rganizaçã, prgramas de capacitaçã em diferentes temas de Mbilidade Urbana. O fc é treinar técnicas e cnheciments necessáris para a frça de trabalh.

13 Planejament Estratégic CONVÊNIOS - PESQUISA & DESENVOLVIMENTO A Fundatec é capacitada para gerenciar prjets de Pesquisa & Desenvlviment na área de Mbilidade Urbana, através de cnvênis cm entidades e rganisms financiadres nacinais e internacinais.

14 POR QUÊ FUNDATEC? A Fundatec ferece uma prpsta de alt valr agregad a custs eficientes, calcada em cnjunt abrangente de cmpetências e na experiência de nssa equipe. Cmbinaçã de experiência executiva cm us intensiv de melhres práticas em cnsultria, técnicas quantitativas avançadas e metdlgias prprietárias. Equipe experiente cm sólid track-recrd de prjets. Mais de 400 prjets de pesquisa & desenvlvida executads cm sucess. Relacinament cm mais de 200 rganizações públicas em diverss serviçs cm cnsultrias, execuçã de cncurss públics e prjets de pesquisa e desenvlviment. Entidade privada sem fins lucrativs vltada para pesquisa, ensin e desenvlviment pdend executar serviçs pr dispensa licitaçã, cnfrme artig 24, incis XIII, Lei 8.666/93.

15 Planejament Estratégic Cnfira a seguir apresentaçã de Equipe de cnsultres cm experiência em 14 países Mais de 46 implementações práticas de ITS Seriedade e invaçã para atuar cm qualidade cmprmiss e velcidade Cases Resultads Parceirs Clientes

16 EXPERTISE DO CORPO TÉCNICO FUNDATEC EM MOBILIDADE URBANA PELO MUNDO Hlanda: Amsterdam Bélgica: Bruxelas Inglaterra: Lndres Prtugal:Lisba Plônia Alemanha: Berlim, Stuttgart Csta Rica Clômbia: Bgtá e Cali Paraguai : Assunçã Israel Àfrica d Sul:Cidade d Cab Vietnam Filipinas Argentina: Buens Aires Brasil: Ri de Janeir: Supervia, Fetranspr, SMTR Ribeirã Pret: Transurb Sã Paul: Metra, EMTU Prt Alegre: EPTC, Carris, Trensurb, ATP Bel Hriznte: PBH, BHTRANS Recife: Prvedr Espírit Sant: SETOP

17 CASES FUNDATEC E EQUIPE TÉCNICA : GESTÃO DE PROJETOS, PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E QUALIDADE SETOP-ES Gestã d prjet Viaje, patrcinad pela Uniã Eurpéia- 2009/2010. Mdelagem/Simulaçã d Bnde d Oeste de Lndres Cliente TfL IPMO d Prjet BRT Grande Vitória Secretaria de Transprte e Obras Públicas -Estad d Espírit Sant-2011-em andament. Gestã d Prjet d Sistema de ITS de Grande Vitória e Nv Centr de Cmand e Cntrle de Tráfeg e Transprte da Grande Vitória-2011-em andament. Api a Implementaçã d SITBUS e Api na Crdenaçã e Integraçã cm s Prjets de BRTs da Cidade de Bel Hriznte, Nv CCO de Transprte e Tráfeg e Implementaçã d Plan de Mbilidade da Cpa BHTRANS- Bel Hriznte 2011-em andament. Planejament Estratégic, api a Estruturaçã de PMO e Estruturaçã de Crdenadria de Planejament Subsecretaria de Transprtes SMTR RIO. Prject Integrad de Infrmaçã de Gestã n Ri de Janeir (Cliente: Secretaria de Transprtes d Municípi d Ri de Janeir ). Crdenaçã técnica e gerenciament de atividades relacinadas cm transprte públic, entre 2004 e 2010 para Departament Nacinal de Transprtes da Africa d Sul, para a Cpa d Mund Departament Nacinal de Transprte da Africa d Sul. Implantaçã de Sistema de Gestã Estratégic SGE- Trensurb / Implantaçã d Sistema de Gestã da Qualidade para certificaçã ISO 9001 em Implementaçã e/u adequaçã de sistemas a nrmas ISO 9001:2000, ISO e OHSAS Adequaçã sistema de Gestã PSQSP (Prgrama da Qualidade d Serviç Públic). Implementaçã de Gestã Estratégica cm BSC, em Prêmis Carris: Certificações nas nrmas ISO, Prêmi ANT 1999/2001, Prêmi PQGF 2003.

18 CASES SELECIONADOS FUNDATEC E EQUIPE TÉCNICA : EXPERTISE ITS Cnsultria ns prjets de prtal de venda de Vale Transprte e desenvlviment d prjet de cartã de transprte sem cntat para estudantes d gvern de Venezuela. Rede Pnt Cert, primeira e mair rede de recarga d bilhete Únic. Prpsta para Licitaçã Clearing Huse e backffice de Sistema de Bilhetagem Eletrônica para a EMTU de Recife (Cliente Cnfidencial). Prpsta para Sistema de ITS para a Licitaçã d BRT da Cidade de Cartagena Clômbia (Cliente Cnfidencial) Planejament e Implementaçã de Prjet de Sistema de Bilhetagem Eletrônica para a cidade Bucaramanga Clômbia e Estruturaçã de rede de cmercializaçã de crédits eletrônics. Reestruturaçã da rede de cmercializaçã de crédits eletrônics da Cidade de Sã Paul. Plan de Negócis para a Implementaçã de rede de cmercializaçã de crédits eletrônics para s Trens de Buens Aires. Prjet de Sistema de ITS de Operaçã de Transprte Públic para cnsórci prpnentepara Sistema Metrplitan em Bel Hriznte MG. Prjet de Sistemas de Operaçã de Transprte Públic para diverss cnsórcis e empresas prpnentes em licitações e cncessões de Transprte Públic. Elabraçã de mei de pagament para turistas Cartã pré-pag. Prpsta Sistema de Embarcad Interperável e Evlutiv para Municípi de Prt Alegre e Avaliaçã de Ofertas de Sistemas Embarcads para Integradr d Sindicat de Empresas Metrplitanas de Prt Alegre. Cnstruçã de prpsta de Sistema Embarcad para a Cidade d Cab, África d Sul (Siemens). Prjet de avaliaçã de frnecedres, especificaçã de bilhetagem cm utrs mdais metrplitans para Operadr de Crredr Metrplitan (Sã Paul). Prpsta de Clearing Huse para 3 ds 5 cnsórcis fertantes na licitaçã d Metrpass, de Sã Paul. Prjet de sistema de frtas/avl para prpsta para Vietnã, cidade de Hanói(Siemens). Desenvlviment de ferta tecnlógica para entrada n mercad brasileir de Transprt Telematics (Bilhetagem e Gestã de Frta) para Empresa Multinacinais de Cnsultria/Frnecedra de Sftware presente n mercad Brasileir. Cnsultria e frneciment de expertise em tecnlgias móveis celulares para transprtes para diverss frnecedres nacinais (cerca de 5). Prpsta para Sistema de Bilhetagem Eletrônica para a Csta Rica (Cliente Cnfidencial). Prjet de Sistema de Gestã de Frtas para grup participante da Licitaçã para Prjet Transmileni, em Bgtá. Prjet de Sistema de Bilhetagem Eletrônica e Mnitrament de Frta para a Frta Metrplitana de Assumpçã, Paraguai (Cnsórci Metrnec). Prjet de sistema de Gestã de frtas/avl para prpsta para a Prefeitura da Cidade de Campinas (Siemens). Estud d Ptencial de Mercad e Tecnlógic de Sistemas Embarcads n Brasil.

19 CASES SELECIONADOS FUNDATEC E EQUIPE TÉCNICA: EXPERTISE ITS Prjet e Implementaçã de rede de vendas avançadas e gestã de vendas para a SuperVia. Planejament de sistemas de Transprt Telematics (Bilhetagem Eletrônica, Gestã de Operaçã e Infrmaçã a usuári) para a Cidade de Bel Hriznte (MG). Planejament e Implementaçã de Prjet de Sistema de Bilhetagem Eletrônica para a cidade de Ribeirã Pret. Planejament e Implementaçã de Prjet de Sistema de Bilhetagem Eletrônica para a cidade Cali, Clômbia e Estruturaçã de rede de cmercializaçã de crédits eletrônics. Planejament de Prjet de Sistema de Bilhetagem Eletrônica para crredr Metrplitan de Sã Paul Sã Mateus-Jabaquara (BRT cm 200mil passageirs dia). Prjet de Sistema de Bilhetagem Eletrônica para a Cidade de Prt Alegre. Prjet de Sistema Nacinal de Pagament Eletrônic para Pedágis (América Latina-Cnfidencial). Prjet de Sistemas de Operaçã de Transprte Públic para diverss cnsórcis e empresas prpnentes em licitações e cncessões de Transprte Públic. Diverss prjets na área de M2M e sistemas de pagaments avançads. Cnsultria de Desenvlviment de Negócis para diverss clientes e segments. Auditria e Verificaçã de Segurança em Sistema de Bilhetagem em Cncessinári de Operaçã de Bilhetagem Eletrônica- Clômbia (UTRYT) Avaliaçã de Arquitetura Tecnlógica e Segurança de Platafrma de Bilhetagem Eletrônica Sã Paul (CBSS)-2010 Prjet Bilhete únic d Ri de Janeir (Cliente: Secretaria de Transprtes Municípi d Ri de Janeir ) Prjet Integrad de Infrmaçã de Gestã n Ri de Janeir (Cliente: Secretaria de Transprtes d Municípi d Ri de Janeir ). Prjet básic (a prpsta) Fleet Management System e infrmações d usuári na cidade d Ri de Janeir (Cliente: Secretaria de Transprtes d Municípi d Ri de Janeir ). Análise e Avaliaçã Executiv SITbus Prject (Sistema Integrad de Mnitrament e Operaçã de Transprte Públic e Sistema de Infrmações d Usuári, na cidade de Bel Hriznte) Cntratante: Bel Hriznte, BHTrans ). Design e especificações detalhadas d Sistema de Bilhetagem Eletrônica, Sistema Mnitrizaçã Integrada e Funcinament d Sistema de Transprte Públic e as infrmações d usuári na cidade de Bel Hriznte (Cliente: Prefeitura de Bel Hriznte-2008). Prjet d Sistema Interperável de AFC da Otlis, Prtugal. Cnsultria em tecnlgias móveis para diverss prjets nacinais e internacinais. Prjet d ITS, infraestrutura de estações e especificaçã Veicular para BRT da Cidade de Manaus VETEC/Prefeitura de Manaus. Implantaçã d SITBUS e api na definiçã d ITS para s BRTs de Bel Hriznte e integraçã cm Nv CCO de Tráfeg e Transprte Públic BHTRANS-2011-em andament. Prjet de Frneciment de cmpnentes de Interperabilidade para Sistema AFC da STIB, Bruxelas. Prjet de ITS d Sistema de BRTs da Cidade de Prt Alegre em andament. Prjet de e PMO ITS d BRT Grande Vitória SETOP-ES-2011-em andament.

20 CASES DE CLIENTES FUNDATEC E EQUIPE TÉCNICA EM CONSULTORIA E PROJETOS

21 ENSINO: ESCOLA PROFISSIONAL, PÓS GRADUAÇÃO EDUCAÇÃO CORPORATIVA: TREINAMENTO, CONSULTORIA, PROJETOS SELEÇÃO DE PESSOAS: ESTÁGIOS, EFETIVOS, CONCURSOS PÚBLICOS Endereç: Rua Prfessr Cristian Fischer,2012 Prt Alegre, RS CEP Fne: / Redes @FDT_efetivs

Serviços. Consultoria Treinamento Logís5ca Reversa

Serviços. Consultoria Treinamento Logís5ca Reversa Serviçs Cnsultria Treinament Lgís5ca Reversa Cnsul'ng Prjets de Supply Chain Implementaçã de Sistemas Lgís5cs Diagnós5c Operacinal Oprtunidades de Reduçã de Cust Reestruturaçã de Operações Lgís5ca Internacinal

Leia mais

táxis compartilhados Shared-transport / Shared-taxi

táxis compartilhados Shared-transport / Shared-taxi Benefícis ds serviçs de transprte de táxis cmpartilhads Shared-transprt / Shared-taxi Reuniã de Especialistas sbre Transprte Urban Sustentável: Mdernizand e Trnand Eclógicas as Frtas de Táxis nas Cidades

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação Os nvs uss da tecnlgia da infrmaçã nas empresas Sistemas de Infrmaçã Prf. Marcel da Silveira Siedler siedler@gmail.cm SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Planejament

Leia mais

MASTERCOMP ESCOLA DE INFORMÁTICA

MASTERCOMP ESCOLA DE INFORMÁTICA www.mastercmp.net 1 www.mastercmp.net www.mastercmp.net INFORMAÇO ES ADICIONAIS DO CURSO DE PROMODEL E MS PROJECT Prgramaçã: Carga hrária: 32 Hras Lcal: Sã Sebastiã d Paraís MG Prgramas usads n curs: MS

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR 1. Históric da Jrnada AGIR Ns ambientes crprativs atuais, a adçã de um mdel de gestã integrada é uma decisã estratégica n api às tmadas

Leia mais

Proposta. Treinamento Lean Thinking Mentalidade Enxuta. Apresentação Executiva

Proposta. Treinamento Lean Thinking Mentalidade Enxuta. Apresentação Executiva Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta www.masterhuse.cm.br Prpsta Cm Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta Apresentaçã Executiva Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta Cpyright 2011-2012

Leia mais

é a introdução de algo novo, que atua como um vetor para o desenvolvimento humano e melhoria da qualidade de vida

é a introdução de algo novo, que atua como um vetor para o desenvolvimento humano e melhoria da qualidade de vida O que é invaçã? Para a atividade humana: é a intrduçã de alg nv, que atua cm um vetr para desenvlviment human e melhria da qualidade de vida Para as empresas: invar significa intrduzir alg nv u mdificar

Leia mais

Gestor de Inovação e Empreendedorismo (m/f) GIE /15 P

Gestor de Inovação e Empreendedorismo (m/f) GIE /15 P A Pessas e Sistemas, empresa de Cnsultria na área da Gestã e ds Recurss Humans e cm atividade nas áreas de Recrutament e Seleçã, Frmaçã e Cnsultria, prcura para a Câmara Municipal de Amarante - Agência

Leia mais

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde Anex V Sftware de Registr Eletrônic em Saúde Implantaçã em 2 (duas) Unidades de Saúde Índice 1 INTRODUÇÃO... 3 2 ESTRATÉGIAS E PROCEDIMENTOS DE IMPLANTAÇÃO... 3 4 INFRAESTRUTURA NAS UNIDADES DE SAÚDE -

Leia mais

A atuação do Síndico Profissional é a busca do pleno funcionamento do condomínio. Manuel Pereira

A atuação do Síndico Profissional é a busca do pleno funcionamento do condomínio. Manuel Pereira A atuaçã d Síndic Prfissinal é a busca d plen funcinament d cndmíni Manuel Pereira Missã e Atividades Habilidade - Cnhecems prfundamente a rtina ds cndmínis e seus prblemas administrativs. A atuaçã é feita

Leia mais

A Estratégia do Tribunal de Justiça do Rio Grande Do Sul

A Estratégia do Tribunal de Justiça do Rio Grande Do Sul A Estratégia d Tribunal de Justiça d Ri Grande D Sul PODER JUDICIÁRIO Missã: De acrd cm fundament d Estad, Pder Judiciári tem a Missã de, perante a sciedade, prestar a tutela jurisdicinal, a tds e a cada

Leia mais

Projetos, Programas e Portfólios

Projetos, Programas e Portfólios Prjets, Prgramas e Prtfólis pr Juliana Klb em julianaklb.cm Prjet Segund PMBOK (2008): um prjet é um esfrç temprári empreendid para criar um nv prdut, serviç u resultad exclusiv. Esta definiçã, apesar

Leia mais

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA CAMINHO PARA ELABORAÇÃO DE AGENDAS EMPRESARIAIS EM ADAPTAÇÃO ÀS MUDANÇAS DO CLIMA Prpsta de Framewrk Resultad d diálg crrid em 26 de junh de 2013, n Fórum Latin-American

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA REQUISITOS TECNICOS O Prgrama de Api as Actres Nã Estatais publica uma slicitaçã para prestaçã

Leia mais

QUEM SOMOS. projectos. processos. gestão. produtividade. l 2

QUEM SOMOS. projectos. processos. gestão. produtividade. l 2 Acreditads pr Partners 1. QUEM SOMOS l 2 A g3p cnsulting apsta na prmçã da excelência peracinal, através da realizaçã de prjects de cnsultria e frmaçã, que ptenciam ganhs a nível da melhria da prdutividade

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL Intrduçã O presente Regulament cnstitui um dcument intern d curs de Ciências Cntábeis e tem pr bjetiv reger as atividades relativas a Estági de Iniciaçã

Leia mais

PARQUE CAPITAL DIGITAL Termo de Referência

PARQUE CAPITAL DIGITAL Termo de Referência PARQUE CAPITAL DIGITAL Term de Referência Brasília, junh de 2005. 1 SUMÁRIO I CONTEXTO... 4 I.1 Parques tecnlógics... 4 I.2 O que é um Parque Tecnlógic de TIC... 5 I.3 Mtivaçã d Parque Capital Digital...

Leia mais

MODALIDADE DE FORMAÇÃO

MODALIDADE DE FORMAÇÃO CURSO 7855 PLANO DE NEGÓCIO - CRIAÇÃO DE PEQUENOS E MÉDIOS NEGÓCIOS Iníci ------ Duraçã 50h Hrári(s) ------ OBJECTIVOS GERAIS - Identificar s principais métds e técnicas de gestã d temp e d trabalh. -

Leia mais

O desafio da regulação econômico-financeira dos operadores públicos de serviços de saneamento básico no Brasil: primeiras experiências

O desafio da regulação econômico-financeira dos operadores públicos de serviços de saneamento básico no Brasil: primeiras experiências O desafi da regulaçã ecnômic-financeira ds peradres públics de serviçs de saneament básic n Brasil: primeiras experiências Karla Bertcc Trindade VI Fr Iber American de Regulación 11/11/2013 - Mntevide,

Leia mais

1. Objetivo Geral. Página 1 de 5 CURSO LEADER COACH BELÉM. SESI Serviço Social da Indústria. IEL Instituto Euvaldo Lodi

1. Objetivo Geral. Página 1 de 5 CURSO LEADER COACH BELÉM. SESI Serviço Social da Indústria. IEL Instituto Euvaldo Lodi O país d futur parece estar chegand para muits brasileirs que investiram em qualidade e prdutividade prfissinal, empresarial e pessal ns últims ans. O gigante adrmecid parece estar despertand. Dads d Centr

Leia mais

Academia FI Finanças

Academia FI Finanças Academia FI Finanças A Academia é melhr caminh para especializaçã dentr de um tema n ERP da SAP. Para quem busca uma frmaçã cm certificaçã em finanças, mais indicad é participar da próxima Academia de

Leia mais

Uma nova proposta para a Agenda Ambiental Portuária

Uma nova proposta para a Agenda Ambiental Portuária Uma nva prpsta para a Agenda Ambiental Prtuária Marcs Maia Prt Gerente de Mei Ambiente O grande desafi a tratar cm as questões ambientais prtuárias é bter um resultad equilibrad que harmnize s cnflits

Leia mais

CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO

CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO Cnteúd prgramátic CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO Este é cnteúd prgramátic d curs preparatóri n nv prgrama CDO-0001 para a certificaçã CmpTIA CDIA+. CONCEITUAL ECM Apresentaçã ds cnceits envlvids

Leia mais

WORKSHOP SOBRE PARCERIAS PÚBLICO- PRIVADAS E CONCESSÕES

WORKSHOP SOBRE PARCERIAS PÚBLICO- PRIVADAS E CONCESSÕES WORKSHOP SOBRE PARCERIAS PÚBLICO- PRIVADAS E CONCESSÕES Tribunal de Cntas da Uniã Marcel Pachec ds Guaranys Brasília, 22.11.2011 ROTEIRO Dads d setr Infraestrutura aeprtuária: desafis Definiçã da mdalidade

Leia mais

Cursos Profissionais de Nível Secundário (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março)

Cursos Profissionais de Nível Secundário (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março) REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Curss Prfissinais de Nível Secundári (Decret-Lei n.º 74/2004, de 26 de Març) Família Prfissinal: 07 - Infrmática 1. QUALIFICAÇÕES / SAÍDAS PROFISSIONAIS As qualificações de nível

Leia mais

CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI

CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI 6.1 Requisits de Capacidade e Experiência d Prestadr A ANEEL deveria exigir um puc mais quant a estes requisits, de frma a garantir uma melhr qualificaçã da empresa a ser cntratada.

Leia mais

Nome do programa, pesquisa ou produto: Projeto Censo GIFE 2005/2006

Nome do programa, pesquisa ou produto: Projeto Censo GIFE 2005/2006 1 GIFE Grup de Instituts, Fundações e Empresas Dads da rganizaçã Data de elabraçã da ficha: Fev 2008 Nme: GIFE Grup de Instituts, Fundações e Empresas Endereç: Av. Brigadeir Faria Lima, 2.413 1º andar

Leia mais

Principais Informações

Principais Informações Principais Infrmações Quem é Benefix Sistemas? Frmada pr ex-executivs e equipe de tecnlgia da Xerx d Brasil, que desenvlvem e suprtam sluções e estratégias invadras para setr públic, especializada dcuments

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS. Uma visão geral Baseado nas diretrizes do PMI

GESTÃO DE PROJETOS. Uma visão geral Baseado nas diretrizes do PMI GESTÃO DE PROJETOS Uma visã geral Bead n diretrizes d PMI 1 Intrduçã Objetiv da Apresentaçã O bjetiv é frnecer uma visã geral ds prcesss de Gestã de Prjets aplicads à Gestã de Empreendiments. O que é Prjet?

Leia mais

REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO

REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO Um prject eurpeu em clabraçã cm a EHFA Eurpean Health and Fitness Assciatin, cm sede em Bruxelas Regist ds Prfissinais Intrduçã Estams numa fase em que a Tutela

Leia mais

Eixo. Norte-Sul. Anhanguera Eixo. Preferenciais. Corredores

Eixo. Norte-Sul. Anhanguera Eixo. Preferenciais. Corredores Crredres Preferenciais Eix Anhanguera Eix Nrte-Sul Capital d Estad de Giás 200km a Sudeste de Brasília Fundada em 1933 1,4 milhões de habitantes Mais de 30 parques Em Giânia há uma única rede de serviçs

Leia mais

III Seminário do Agronegócio. Financiamento e Marketing 24 e 25 de novembro de 2005 Auditório da Biblioteca Central Universidade Federal de Viçosa

III Seminário do Agronegócio. Financiamento e Marketing 24 e 25 de novembro de 2005 Auditório da Biblioteca Central Universidade Federal de Viçosa III Seminári d Agrnegóci Financiament e Marketing 24 e 25 de nvembr de 2005 Auditóri da Bibliteca Central Universidade Federal de Viçsa RELATÓRIO FINAL O EVENTO O III Seminári d Agrnegóci fi realizad dias

Leia mais

(1) (2) (3) Estágio II Semestral 6 Inovação e Desenvolvimento de Produtos Turísticos

(1) (2) (3) Estágio II Semestral 6 Inovação e Desenvolvimento de Produtos Turísticos Estági II Semestral 6 Invaçã e Desenvlviment de Prduts Turístics Desenvlviment e Operacinalizaçã de Prjects Turístics Inglês Técnic IV Legislaçã e Ética d Turism Opçã Semestral 4 6/6 Sistemas de Infrmaçã

Leia mais

CAPACITAÇÃO EM SIMULAÇÃO PARA O MUNDO REAL DA SAÚDE

CAPACITAÇÃO EM SIMULAÇÃO PARA O MUNDO REAL DA SAÚDE CAPACITAÇÃO EM SIMULAÇÃO PARA O MUNDO REAL DA SAÚDE Institut Instituiçã fcada na geraçã de sluções para a implementaçã e gestã pedagógica de Núcles de Treinament e Capacitaçã de prfissinais e acadêmics

Leia mais

1ª EDIÇÃO. Regulamento

1ª EDIÇÃO. Regulamento 1ª EDIÇÃO Regulament 1. OBJETIVO O Prêmi BRASILIDADE é uma iniciativa d Serviç de Api às Micr e Pequenas Empresas n Estad d Ri de Janeir SEBRAE/RJ, idealizad pr Izabella Figueired Braunschweiger e cm a

Leia mais

Ministério da Justiça. Orientações para a preparação dos Policiais que atuam na Região

Ministério da Justiça. Orientações para a preparação dos Policiais que atuam na Região Ministéri da Justiça Departament da Plícia Federal Academia Nacinal de Plícia Secretaria Nacinal de Segurança Pública Departament de Pesquisa, Análise da Infrmaçã e Desenvlviment Humanan Orientações para

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PIAUÍ. PROJETO OTIMIZAR Plano do Programa

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PIAUÍ. PROJETO OTIMIZAR Plano do Programa 1. Escp u finalidade d prjet PROJETO OTIMIZAR Plan d Prgrama O Prjet Otimizar visa aprimrar ações implantadas que têm pr bjetiv a reduçã de cnsum de materiais e criar mecanisms de avaliaçã que pssam medir

Leia mais

Glossário das Metas Prioritárias 2010 Versão 1.2.14 Agosto/2010

Glossário das Metas Prioritárias 2010 Versão 1.2.14 Agosto/2010 Meta Priritária 5 Implantar métd de gerenciament de rtinas (gestã de prcesss de trabalh) em pel mens 50% das unidades judiciárias de 1º grau. Esclareciment da Meta Nã estã sujeits a esta meta s tribunais

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatóri de Gerenciament de Riscs 2º Semestre de 2014 1 Sumári 1. Intrduçã... 3 2. Gerenciament de Riscs... 3 3. Risc de Crédit... 4 3.1. Definiçã... 4 3.2. Gerenciament... 4 3.3. Limites de expsiçã à

Leia mais

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30)

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30) UNIP Brasília - Crdenaçã CG/CW/GR/AD Senhres Aluns, Seguem infrmações imprtantes sbre PIM: 1. O QUE É? - Os PIM (Prjet Integrad Multidisciplinar) sã prjets brigatóris realizads els aluns ds curss de graduaçã

Leia mais

SI à Qualificação e Internacionalização de PME Projectos Individuais e de Cooperação Aviso nº 7/SI/2011

SI à Qualificação e Internacionalização de PME Projectos Individuais e de Cooperação Aviso nº 7/SI/2011 Objectiv Tiplgia SI à Qualificaçã e Internacinalizaçã de PME Prjects Individuais e de Cperaçã Avis nº 7/SI/2011 Prmçã da cmpetitividade das empresas através d aument da prdutividade, da flexibilidade e

Leia mais

GERENCIAMENTO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM. Solução de Gestão Eletrônica de Documentos Acadêmicos

GERENCIAMENTO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM. Solução de Gestão Eletrônica de Documentos Acadêmicos GERENCIAMENTO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM Sluçã de Gestã Eletrônica de Dcuments Acadêmics OBJETIVOS DA SOLUÇÃO BENEFÍCIOS GERAIS A Sluçã ECMDOC de Gestã de Dcuments Acadêmics, tem cm principais

Leia mais

Sistema de Gestão de BPM

Sistema de Gestão de BPM 1/13 ESTA FOLHA ÍNDICE INDICA EM QUE REVISÃO ESTÁ CADA FOLHA NA EMISSÃO CITADA R. 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 R. 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 FL. FL. 01 X 26 02 X 27 03 X 28 04 X 29 05 X 30 06 X

Leia mais

PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 30/2009 BNDES ANEXO I - INTRODUÇÃO

PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 30/2009 BNDES ANEXO I - INTRODUÇÃO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 30/2009 BNDES ANEXO I - INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO 1.1. Infrmações Institucinais 1.1.1 Caracterizaçã, Missã e Objetivs O BNDES é uma empresa pública federal dtada de persnalidade

Leia mais

WORKSHOPS SOBRE AS POSSIBILIDADES DE COOPERAÇÃO / CONCENTRAÇÃO NO SECTOR AUXILIAR NAVAL

WORKSHOPS SOBRE AS POSSIBILIDADES DE COOPERAÇÃO / CONCENTRAÇÃO NO SECTOR AUXILIAR NAVAL WORKSHOPS SOBRE AS POSSIBILIDADES DE COOPERAÇÃO / CONCENTRAÇÃO NO SECTOR AUXILIAR NAVAL ÍNDICE I. Apresentaçã e bjectivs d wrkshp II. III. Resultads ds inquérits Ambiente cmpetitiv Negóci Suprte Prcesss

Leia mais

(X) Acompanhamento ( ) Revisão ( ) Mudança ( ) Outro. 2. Participantes Nome Unidade e-mail Assinatura Lista Impressa e Assinada

(X) Acompanhamento ( ) Revisão ( ) Mudança ( ) Outro. 2. Participantes Nome Unidade e-mail Assinatura Lista Impressa e Assinada Ata de Reuniã 1. DADOS GERAIS Prjet/demanda Reuniã Mensal de Status Reprt de Prjets Identificadr Data 26/03/14 Unidade Mtiv (X) Acmpanhament ( ) Revisã ( ) Mudança ( ) Outr 2. Participantes Nme Unidade

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS Versã 0.0 25/10/2010 Sumári 1 Objetivs... 3 2 Cnceits... 3 3 Referências... 3 4 Princípis... 3 5 Diretrizes d Prcess... 4 6 Respnsabilidades... 5 7

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Análise e Desenvlviment de Sistemas 3ª série Fundaments de Sistemas Operacinais A atividade prática supervisinada (ATPS) é um métd de ensinaprendizagem desenvlvid

Leia mais

Advisory. Audit. Corporate. BPO / Accounting

Advisory. Audit. Corporate. BPO / Accounting BPO / Accunting Audit Advisry TAX Labr Crprate A JCG Cnsultria Para se trnarem cmpetitivas n mund glbalizad e se estabelecerem num mercad em crescente evluçã, a tendência atual nas empresas é a terceirizaçã

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatóri de Gerenciament de Riscs 2º Semestre de 2015 1 Sumári 1. Intrduçã... 3 2. Gerenciament de Riscs... 3 2.1. Organgrama... 4 3. Risc de Crédit... 4 3.1. Definiçã... 4 3.2. Gerenciament... 4 3.3.

Leia mais

Seminário Pontificia Universidade Católica do Rio Grande do Sul PUCRS 20 a 22 de Outubro de 2014. Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

Seminário Pontificia Universidade Católica do Rio Grande do Sul PUCRS 20 a 22 de Outubro de 2014. Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação Seminári Pntificia Universidade Católica d Ri Grande d Sul PUCRS 20 a 22 de Outubr de 2014 Ministéri da Ciência, Tecnlgia e Invaçã ÍNDICE Cm funcina CNPq? Sistema de Avaliaçã Prjets e Blsas. Platafrmas

Leia mais

DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS

DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS Prjets n Bima Amazônia A Critéris Orientadres B C D E F Cndicinantes Mínims para Prjets Mdalidades de Aplicaçã ds Recurss Restriçã de Us ds Recurss Critéris

Leia mais

PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO

PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO R.M. Infrmática Cmérci e Serviç Ltda CNPJ: 04.831.742/0001-10 Av. Rdrig Otávi, 1866, Módul 22 Distrit Industrial - Manaus - AM Tel./Fax (92) 3216-3884 http://www.amaznit.cm.br e-mail: amaznit@amaznit.cm.br

Leia mais

INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES. Excelência na Formação através da Experiência e Aplicação MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO

INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES. Excelência na Formação através da Experiência e Aplicação MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO E IEES I EDUCAÇÃO DE SAÚDE INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES Excelência na Frmaçã através da Experiência e Aplicaçã MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO 1.CARGA HORÁRIA 32 Hras 2.DATA E LOCAL

Leia mais

PROGRAMA DESENVOLVIMENTO RURAL CONTINENTE 2014-2020. DESCRIÇÃO DA AÇÃO Versão: 1 Data: 28/10/2013

PROGRAMA DESENVOLVIMENTO RURAL CONTINENTE 2014-2020. DESCRIÇÃO DA AÇÃO Versão: 1 Data: 28/10/2013 PROGRAMA DESENVOLVIMENTO RURAL CONTINENTE 2014-2020 DESCRIÇÃO DA AÇÃO Versã: 1 Data: 28/10/2013 M5. ORGANIZAÇÃO DA PRODUÇÃO AÇÃO 5.1. CRIAÇÃO DE AGRUPAMENTOS E ORGANIZAÇÃO DE PRODUTORES NOTA INTRODUTÓRIA

Leia mais

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da Comissão de Acompanhamento, sendo composto por duas partes:

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da Comissão de Acompanhamento, sendo composto por duas partes: DOC. CA/N/15/08 PROGRAMA OPERACIONAL ALENTEJO EIXO 2 DESENVOLVIMENTO URBANO E EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL INSTRUMENTO: MOBILIDADE TERRITORIAL O presente dcument suprta a apreciaçã d

Leia mais

GESTÃO DE LABORATÓRIOS

GESTÃO DE LABORATÓRIOS Seminári Luanda, 26,27,28,29 e 30 de Mai de 2014 - Htel **** Guia Prática GESTÃO DE LABORATÓRIOS Finanças Assegure uma gestã eficaz de tdas as áreas 40 hras de Frmaçã Especializada Cnceits ecnómic-financeirs

Leia mais

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL Objetivs: Gestã Empresarial Desenvlver cmpetências para atuar n gerenciament de prjets, prestand cnsultria

Leia mais

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil;

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil; TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE ANÁLISE DA REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVO PARA CÁLCULOS DO VALOR DO IMPAIRMENT E VIDA ÚTIL RESIDUAL, EM CONFORMIDADE COM O DISPOSTO

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Econômico Regional e Local dos Municípios do Pontal do Paranapanema

Plano de Desenvolvimento Econômico Regional e Local dos Municípios do Pontal do Paranapanema Plan de Desenvlviment Ecnômic Reginal e Lcal ds Municípis d Pntal d Paranapanema 1ª Etapa Diagnóstic Ecnômic e Definiçã de Cenáris Apresentaçã as municípis 20/08/2014 Cnvêni: Elabraçã: Plan de Desenvlviment

Leia mais

Gestão do Escopo 1. Planejamento da Gestão do Escopo: 2. Definição do Escopo: 3. Elaboração da EDT(EAP): 4. Verificação do Escopo:

Gestão do Escopo 1. Planejamento da Gestão do Escopo: 2. Definição do Escopo: 3. Elaboração da EDT(EAP): 4. Verificação do Escopo: Gestã d Escp 1. Planejament da Gestã d Escp: i. Autrizaçã d prjet ii. Definiçã d escp (preliminar) iii. Ativs em cnheciments rganizacinais iv. Fatres ambientais e rganizacinais v. Plan d prjet i. Plan

Leia mais

Capítulo VII Projetos de eficiência energética em iluminação pública Por Luciano Haas Rosito*

Capítulo VII Projetos de eficiência energética em iluminação pública Por Luciano Haas Rosito* 20 Api O Setr Elétric / Julh de 2009 Desenvlviment da Iluminaçã Pública n Brasil Capítul VII Prjets de eficiência energética em iluminaçã pública Pr Lucian Haas Rsit* Neste capítul abrdarems s prjets de

Leia mais

Presidência da República Federativa do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva, presidente. MINISTÉRIO DO TURISMO Walfrido dos Mares Guia, ministro de Estado

Presidência da República Federativa do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva, presidente. MINISTÉRIO DO TURISMO Walfrido dos Mares Guia, ministro de Estado Presidência da República Federativa d Brasil Luiz Ináci Lula da Silva, presidente MINISTÉRIO DO TURISMO Walfrid ds Mares Guia, ministr de Estad Secretaria Nacinal de Plíticas de Turism Airtn Ngueira Pereira,

Leia mais

Onde estamos. Campus Santa Rita do Sapucaí MG. Escritório São Paulo SP WTC - World Trade Center - 18º andar

Onde estamos. Campus Santa Rita do Sapucaí MG. Escritório São Paulo SP WTC - World Trade Center - 18º andar Onde estams Campus Santa Rita d Sapucaí MG Escritóri Sã Paul SP WTC - Wrld Trade Center - 18º andar Santa Rita d Sapucaí MG Vale da Eletrônica +40 mil Habitantes R$ 2.7 bi Faturament d setr em 2014 +14.000

Leia mais

CURSO GESTÃO DE PROJECTOS SOCIAIS DE INTERVENÇÃO

CURSO GESTÃO DE PROJECTOS SOCIAIS DE INTERVENÇÃO CURSO GESTÃO DE PROJECTOS SOCIAIS DE INTERVENÇÃO Intrduçã Os prjects sciais nascem d desej de transfrmar uma determinada realidade. O prject deve sempre cnter um cnjunt de acções planeadas e articuladas,

Leia mais

1 Institucional. 1.1 Sobre a Vensis. 1.2 Missão, Políticas e Valores. 1.2.1 Missão. 1.2.2 Política da Qualidade

1 Institucional. 1.1 Sobre a Vensis. 1.2 Missão, Políticas e Valores. 1.2.1 Missão. 1.2.2 Política da Qualidade Institucinal 1 Institucinal 1.1 Sbre a Vensis A Vensis é uma empresa especializada n desenvlviment de sluções integradas para gestã de empresas. Atuand n mercad de tecnlgia da infrmaçã desde 1998, a empresa

Leia mais

PROCESSO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE DO GRUPO HISPASAT

PROCESSO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE DO GRUPO HISPASAT PROCESSO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE DO GRUPO HISPASAT GRUPO HISPASAT Mai de 2014 PRIVADO PRIVADO E CONFIDENCIAL E Dcument Dcument prpriedade prpriedade HISPASAT,S.A. da 1 Prcess de atendiment a cliente

Leia mais

5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO:

5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO: 5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO: 5.1 INTRODUÇÃO A rganizaçã da manutençã era cnceituada, até há puc temp, cm planejament e administraçã ds recurss para a adequaçã à carga de trabalh esperada.

Leia mais

Avaliando a Gestão para Resultados nas áreas fiscais dos Estados

Avaliando a Gestão para Resultados nas áreas fiscais dos Estados Banc Interamerican de Desenvlviment Instituições para Desenvlviment Avaliand a Gestã para Resultads nas áreas fiscais ds Estads DOCUMENTO PARA DISCUSSÃO # IDB-DP-276 Pedr Luiz Bezerra Ana Lúcia Dezlt Cai

Leia mais

Pós-graduação. em Negócios e Marketing de Moda

Pós-graduação. em Negócios e Marketing de Moda Pós-graduaçã em Negócis e Marketing de Mda Pós-graduaçã em Negócis e Marketing de Mda Intrduçã A Faculdade Santa Marcelina é recnhecida nacinalmente pel seu pineirism pr lançar a primeira graduaçã de mda

Leia mais

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2012 / 2013

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2012 / 2013 Inserir data e Hra 08/10/2012 N.º PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2012 / 2013 CURSO/CICLO DE FORMAÇÃO: Técnic De Turism 2010/2013 DISCIPLINA: Operações Técnicas em Empresas Turísticas An: 3º N.º TOTAL

Leia mais

A UERGS E O PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS

A UERGS E O PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS A UERGS E O PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS O Prgrama Ciência sem Frnteiras, lançad n dia 26 de julh de 2011, é um prgrama d Gvern Federal que busca prmver a cnslidaçã, a expansã e a internacinalizaçã

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Faculdade de Tecnlgia SENAI Flrianóplis e Faculdade de Tecnlgia SENAI Jaraguá d Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduaçã Lat Sensu MBA em Gestã de Prjets A Faculdade de Tecnlgia SENAI/SC em Flrianóplis

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA 1. Intrduçã e Objetivs a) O Cncurs de Ideias OESTECIM a minha empresa pretende ptenciar apareciment de prjets invadres na regiã d Oeste sempre numa perspetiva de desenvlviment ecnómic e scial. b) O Cncurs

Leia mais

Everton Saulo Silveira

Everton Saulo Silveira Evertn Saul Silveira 2014 Curriculum Vitae Endereç: Rua Brges Hermidas, 115 Casa 09 Majr Prates E-mails: saul997@yah.cm.br, evertn.silveira@sebraemg.cm.br Celular: (38) 9109-2050 9913-8705 CPF: 053.678.036-60

Leia mais

Guia de Leitura do Plano Diretor de Tecnologia da Informação

Guia de Leitura do Plano Diretor de Tecnologia da Informação Guia de Leitura d Plan Diretr de Tecnlgia da Infrmaçã O Plan Diretr de Tecnlgia da Infrmaçã (PDTI) é um instrument de diagnóstic, planejament e gestã ds recurss e prcesss de Tecnlgia da Infrmaçã (TI).

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009 Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( )

PLANO DE ENSINO 2009 Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médi PLANO DE ENSINO 2009 Médi Prfissinalizante ( ) Prfissinalizante ( ) Graduaçã ( x ) Pós-graduaçã ( ) I. Dads Identificadres Curs Superir de Tecnlgia em Gestã Ambiental

Leia mais

Curso de Extensão: Finanças Corporativas

Curso de Extensão: Finanças Corporativas 1. Apresentaçã Curs de Extensã: Finanças Crprativas Uma crpraçã é, genericamente, caracterizada pela tmada de duas decisões fundamentais, a de financiament e a de investiment. O prcess de seleçã, análise

Leia mais

Global Knowledge Portugal

Global Knowledge Portugal Glbal Knwledge Prtugal Quem é a Glbal Knwledge? A Glbal Knwledge é a empresa líder a nível mundial em frmaçã IT & Business Skills Adaptam-ns às necessidades ds nsss clientes ministrams curriculum cmplet

Leia mais

SEMINÁRIO FINANÇAS EFINANCIAMENTO VIABILIZANDO INVESTIMENTO NAS PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS 17 DE NOVEMBRO, 2014

SEMINÁRIO FINANÇAS EFINANCIAMENTO VIABILIZANDO INVESTIMENTO NAS PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS 17 DE NOVEMBRO, 2014 SEMINÁRIO FINANÇAS EFINANCIAMENTO VIABILIZANDO INVESTIMENTO NAS PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS 17 DE NOVEMBRO, 2014 ESTRATÉGIA DESEGMENTAÇÃO ESTRATÉGIA DE SEGMENTAÇÃO Estrutura segmentada vltada a estratégia

Leia mais

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões:

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões: Pessal, vislumbr recurss na prva de cnheciments específics de Gestã Scial para as seguintes questões: Questã 01 Questã 11 Questã 45 Questã 51 Questã 56 Vejams as questões e arguments: LEGISLAÇÃO - GESTÃO

Leia mais

As ferramentas SIG na análise e planeamento da inclusão. João Pereira Santos

As ferramentas SIG na análise e planeamento da inclusão. João Pereira Santos As ferramentas SIG na análise e planeament da inclusã Jã Pereira Sants 1 Agenda Apresentaçã Intergraph Evluçã SIGs Prjects SIGs Exempls Questões 2 Apresentaçã Intergraph Fundada em 1969, cm nme de M&S

Leia mais

Base Industrial de Defesa Brasileira Desafios e Perspectivas

Base Industrial de Defesa Brasileira Desafios e Perspectivas Cicl de Semináris OIC / IEA 2012 Base Industrial de Defesa Brasileira Desafis e Perspectivas Prf. Dr. Marcs Jsé Barbieri Ferreira UNICAMP Sã Paul, 23 de Abril de 2012 Intrduçã Objetiv Apresentar s desafis

Leia mais

Boletim Comercial. Tema: BC003 Plano de Disponibilidade Ilimitada de Recursos UV. Introdução

Boletim Comercial. Tema: BC003 Plano de Disponibilidade Ilimitada de Recursos UV. Introdução Bletim Cmercial Tema: BC003 Plan de Dispnibilidade Ilimitada de Recurss UV Intrduçã Sistemas de cura UV sã cada vez mais presentes em indústrias que imprimem grandes vlumes de materiais, independente d

Leia mais

ANGELO MOLINO JUNIOR Franquias BR

ANGELO MOLINO JUNIOR Franquias BR Frmaçã Acadêmica u Prfissinal Graduad em Marketing pela ESPM / 1998 Graduad em Matemática pela USP / 2008 Outrs Curss Abril/ 2013 - Cnstruçã de Marcas USP; Març/ 2012 - Branding: Cnstruçã e Gestã de Marcas

Leia mais

SUMÁRIO. A Stavale & CCT oferece treinamentos abertos e in company.

SUMÁRIO. A Stavale & CCT oferece treinamentos abertos e in company. A Stavale & CCT ferece treinaments aberts e in cmpany. Clabradres mais qualificads e empresa mais lucrativa. Sluções mais rápidas e efetivas. Treinaments custmizads para sua empresa. Dispms de sala cm

Leia mais

Seminário de Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Seminário de Gestão Resíduos Sólidos Urbanos Seminári de Gestã Resídus Sólids Urbans EKOS 2015 Brasília, 27 de agst de 2015 Área de Mei Ambiente Martin Inguville martin.inguville@bndes.gv.br O Resídu Sólid Urban é apenas um ds tips de resídus, embra

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO www.passencncurs.cm.br Infrmações sbre Cncurs Inscrições: 10/10/2014 a 07/11/2014 Carg: Assessr: Administraçã Taxa de Inscriçã: R$ 187,45 Salári/Remuneraçã: R$ 9.897,27 Nº Vagas: 01 Data da Prva: nã definida

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE RESOLUÇÃO N 379, DE 19 DE OUTUBRO DE 2006 Cria e regulamenta sistema de dads e infrmações sbre a gestã flrestal n âmbit d Sistema Nacinal

Leia mais

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Federal d Ceará Campus de Sbral Curs de Engenharia da Cmputaçã Regulament para realizaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs Intrduçã Este dcument estabelece as regras básicas para funcinament das

Leia mais

Universidade Luterana do Brasil Faculdade de Informática. Disciplina de Engenharia de Software Professor Luís Fernando Garcia www.garcia.pro.

Universidade Luterana do Brasil Faculdade de Informática. Disciplina de Engenharia de Software Professor Luís Fernando Garcia www.garcia.pro. Universidade Luterana d Brasil Faculdade de Infrmática Disciplina de Engenharia de Sftware Prfessr Luís Fernand Garcia www.garcia.pr.br EVOLUÇÃO EM ENGENHARIA DE SOFTWARE 10 Sistemas Legads O investiment

Leia mais

3 Formulação da Metodologia 3.1. Considerações Iniciais

3 Formulação da Metodologia 3.1. Considerações Iniciais 53 3 Frmulaçã da Metdlgia 3.1. Cnsiderações Iniciais O presente capítul tem cm finalidade prpr e descrever um mdel de referencia para gerenciament de prjets de sftware que pssa ser mensurável e repetível,

Leia mais

ESCOPO DETALHADO - CO 137-012 - Modelos 3D e Vinhetas Animadas

ESCOPO DETALHADO - CO 137-012 - Modelos 3D e Vinhetas Animadas ESCOPO DETALHADO - CO 137-012 - Mdels 3D e Vinhetas Animadas Cntrataçã de prdutra para desenvlviment ds mdels 3D das marcas e das vinhetas de animaçã 3D O Cmitê Ri 2016 pretende cm este prcess seletiv

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO www.passencncurs.cm.br Infrmações sbre Cncurs Inscrições: 01/09/2014 a 07/10/2014 Carg: Analista Financeir Cntábil Taxa de Inscriçã: R$ 75,00 Salári/Remuneraçã: R$ 7.491,32 Nº Vagas: 01 Data da Prva: 30/11/2014

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO COORDENADORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Intranet Municipal

PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO COORDENADORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Intranet Municipal Intranet Municipal Sumári INTRODUÇÃO... 3 O que é Intranet... 3 HISTÓRICO DO DOCUMENTO... 3 BENEFÍCIOS DA UTILIZAÇÃO DE UMA INTRANET... 4 CONCEITUANDO UMA INTRANET... 4 PRINCIPAIS VANTAGENS NA UTILIZAÇÃO

Leia mais

Geoprocessamento integrado à gestão de propriedades rurais piloto COCAMAR em Jussara-PR Autor:

Geoprocessamento integrado à gestão de propriedades rurais piloto COCAMAR em Jussara-PR Autor: Geprcessament integrad à gestã de prpriedades rurais pilt COCAMAR em Jussara-PR Autr: Flavi Duran Altimari Geprcessament aplicad a gestã de prpriedades rurais Autres: Flavi D. Altimari 54 Unidades (Entrepsts)

Leia mais

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO 1 de 7 1. OBJETIVO Este prcediment estabelece prcess para cncessã, manutençã, exclusã e extensã da certificaçã de sistema de segurança cnfrme ABNT NBR 15540. 2. DOCUMENTOS COMPLEMENTARES - ABNT NBR 15540:2013:

Leia mais

A Cooperação para a Saúde no Espaço da CPLP

A Cooperação para a Saúde no Espaço da CPLP A Cperaçã para a Saúde n Espaç da CPLP Ainda antes da I Reuniã de Ministrs da Saúde da CPLP, realizada em Abril de 2008, em Cab Verde, fram adptads s seguintes instruments que, n quadr da saúde, pretenderam

Leia mais

Implantação do Escritório de Projetos na área de RH: Um olhar estratégico

Implantação do Escritório de Projetos na área de RH: Um olhar estratégico Implantaçã d Escritóri de Prjets na área de RH: Um lhar estratégic Regina Buzetti Meneghelli UO-ES/RH Alexandre de Castr Faria Fidelis UO-ES/RH O gerenciament de prjets é utilizad pr rganizações ds mais

Leia mais