Centro Acadêmico Paulo Freire - CAPed Maceió - Alagoas - Brasil ISSN:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Centro Acadêmico Paulo Freire - CAPed Maceió - Alagoas - Brasil ISSN:"

Transcrição

1 O MATERIAL DOURADO NA COMPREENSÃO DAS OPERAÇÕES BÁSICAS NO CONJUNTO DOS NÚMEROS INTEIROS. Lenilson Oliveira do Nascimento - IFAL 1 Douglas Lopes do Nascimento- IFAL 2 William Moura da Silva- IFAL 3 RESUMO O presente trabalho está relacionado ao uso pedagógico do material dourado como ferramenta auxiliar no processo de aprendizagem das operações básicas no conjunto dos números inteiros, apresentando materiais concretos para o conhecimento do abstrato, como, os números positivos e os números negativos em uma reta, problemas para conhecimento de temperatura, saldo, fuso horário, lucro e prejuízo. O aspecto metodológico é tanto qualitativo quanto quantitativo, cujo objetivo é propor uma alternativa didática a partir de uma abordagem dinâmica e atrativa, que contribua para o processo de ensino e aprendizagem da matemática. Esse estudo será fundamentado em Polya quando trata da importância da aprendizagem através de situações problemas, a partir dos estudos de Lorenzato ao tratar do processo de aprendizagem através da relação entre conceitos abstratos e situações concretas e nas discussões de Pais ao tratar da teoria dos campos conceituais como elemento indispensável no processo de aprendizagem a partir dos seus ditos conceitos. Espera-se que essa discussão possa contribuir no processo da formação docente aja vista a importância do conhecimento de metodologias adequadas para o tratamento de conceitos básicos, auxiliando no processo de verbalização tendo em vista as necessidades do professor de qualquer que seja a área do conhecimento de se expressar sobre os conceitos, com o objetivo de proporcionar uma aprendizagem. PALAVRAS-CHAVE: Material Dourado. Compreensão de conceitos. Números Inteiros. 1 PROBLEMÁTICA DA PESQUISA Diante do que é visto em nosso cotidiano nas salas de aulas em relação às altas taxas de reprovação e a não compreensão dos conceitos matemáticos, percebe-se que não se trabalha em sala de aula da maneira devida, ou seja, associando o material didático que é o material dourado as operações básicas relacionadas aos números inteiros, pois, consideramos a associação uma grande 1 Graduando em Licenciatura em Matemática 2 Graduando em Licenciatura em Matemática 3 Graduando em Licenciatura em Matemática

2 ferramenta para a aprendizagem dos discentes, através dos conceitos implícitos nos próprios MDs. Portanto, partindo da utilização do material dourado (MD), tem-se a finalidade de dar sentido aos conceitos matemáticos relacionados aos números inteiros a partir de uma abordagem mais dinâmica e lúdica para uma melhor compreensão dos conteúdos estudados pelos alunos. 2 OBJETIVOS Diante de nossas percepções de sala de aula, percebemos que os alunos pouco entendem ou gostam do ensino de matemática com um todo, dessa forma podemos perceber que os mesmos, não compreendem de conceitos matemáticos, e tampouco conseguem relacionar ao cotidiano. Com isso, busca-se através de procedimentos metodológicos adotados em sala de aula perceber a importância da aprendizagem através de conceitos matemáticos, associando a prática pedagógica do professor ao material didático manipulável. Percebe-se assim, que este processo pode auxiliar o professor em sua prática em relação ao ensino e aprendizagem dos alunos, direcionada às operações básicas dos números inteiros. Contudo, o objetivo do nosso trabalho é propor uma alternativa didática a partir de uma abordagem dinâmica e atrativa, que contribua para o processo de ensino e aprendizagem da matemática. 3 METODOLOGIA Os dados utilizados nesta pesquisa, realizada no Instituto Federal de Alagoas, foram coletados de sites disponibilizados na internet e de fontes bibliográficas. O nosso estudo além de estar alinhado ao uso do material didático manipulável (Material Dourado) na compreensão de conceitos matemáticos a partir de sua prática pedagógica em laboratório, tem como base um estudo bibliográfico e analítico. As obras e sites foram:

3 a) POLYA, George. A arte de resolver problemas. Rio de Janeiro: Interciência, b) PAIS, Luiz Carlos. Didática da Matemática: uma análise da influência francesa. Belo Horizonte: Autêntica, c) LORENZATO, Sergio. O laboratório de ensino de matemática na formação de professores. Campinas: Autores associados, d) Número Natural. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/n%c3%bamero_natural.> Acesso em: 20 maio e) FALZETTA, Ricardo. Use peças no lugar de números. Disponível em: <http://www.magiadamatematica.com/uss/pedagogia/34-material-douradonova-escola.pdf> Acesso em: 20 maio f) Ideb de alagoas. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&task=view&id=66 39> Acesso em: 22 maio de RESULTADOS De acordo com a análise documental deste estudo, percebemos a relevância do uso dos materiais didáticos manipuláveis como um auxiliar na pratica pedagógica e para que os alunos compreendam de forma prática e lúdica que os conceitos estão implícitos em tais materiais. Portanto é importante enfatizar a importância da compreensão de conceitos no processo de aprendizagem, pois, a construção do aprendizado de conceitos como um todo, dissociados do cotidiano nem sempre caracterizará aprendizado. 5 CONSIDERAÇÕES FINAIS O material dourado é um ótimo recurso para auxiliar no processo de ensino e aprendizagem. Consideramos assim, que as operações de adição e subtração podem ser trabalhadas com mais qualidade, sendo uma das formas mais fáceis do aluno compreender as transformações das classes de numeração decimal. A partir deste estudo, percebe-se que a utilização destes materiais para o ensino das quatro operações proporcionou contribuições nos processos de ensino e

4 aprendizagem. Com o passar do tempo, foram criados outras formas para utilização do Material Dourado. Na aula prática ficou bem claro que o uso de materiais didáticos manipuláveis chama a atenção dos discentes e faz com que eles compreendam melhor os conceitos matemáticos implícitos no MD, fazendo com que relacionem tais conceitos em seu cotidiano. Logo, através da aula percebe-se que as instituições de ensino precisam desenvolver critérios para o uso dos Materiais Didáticos (MD) e concomitantemente auxiliem no desenvolvimento da aprendizagem do estudante. Portanto, a escola possui vários tipos de MD, faltando apenas o professor planejar melhor sua aula e utilizá-lo, isso não cabendo apenas ao professor de matemática dos ensinos fundamentais e sim a todos, dos outros níveis e modalidade de ensino (ensino médio e superior), pois, como já colocado os MD podem ser utilizados em todos os anos escolares para o desenvolvimento do ensino e aprendizagem dos sujeitos educacionais (docentes e discentes). REFERÊNCIAS POLYA, George. A arte de resolver problemas. Ed. Interciência. Rio de Janeiro PAIS, Luiz Carlos. Didática da Matemática: uma análise da influência francesa. Belo Horizonte: Autêntica, LORENZATO, Sergio. O laboratório de ensino de matemática na formação de professores. Autores associados Número Natural. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/n%c3%bamero_natural.> Acesso em: 20 maio FALZETTA, Ricardo. Use peças no lugar de números. Disponível em: <http://www.magiadamatematica.com/uss/pedagogia/34-material-dourado-novaescola.pdf> Acesso em: 20 maio 2015.

5 Ideb de alagoas. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&task=view&id=6639> Acesso em: 22 maio de 2015.

Plano de Ensino Docente

Plano de Ensino Docente Plano de Ensino Docente IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Matemática FORMA/GRAU: ( ) integrado ( ) subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado (x) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE: ( x ) Presencial

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DE MATERIAIS MANIPULÁVEIS NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES: JOGO CARA A CARA DE POLIEDROS

A UTILIZAÇÃO DE MATERIAIS MANIPULÁVEIS NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES: JOGO CARA A CARA DE POLIEDROS A UTILIZAÇÃO DE MATERIAIS MANIPULÁVEIS NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES: JOGO CARA A CARA DE POLIEDROS Formação de Professores e Educação Matemática (FPM) GT 08 Jailson Lourenço de PONTES jail21.jlo@gmail.com

Leia mais

O QUADRO VALOR DE LUGAR, A TEORIA DE REPRESENTAÇÕES SEMIÓTICAS E AS ESTRUTURAS ADITIVAS NO 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL RESUMO

O QUADRO VALOR DE LUGAR, A TEORIA DE REPRESENTAÇÕES SEMIÓTICAS E AS ESTRUTURAS ADITIVAS NO 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL RESUMO O QUADRO VALOR DE LUGAR, A TEORIA DE REPRESENTAÇÕES SEMIÓTICAS E AS ESTRUTURAS ADITIVAS NO 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL Renato Carneiro da Silva, UFC, renatoccfav@yahoo.com.br Paulo Meireles Barguil, UFC,

Leia mais

P L A N O D E E N S I N O. DEPARTAMENTO: Matemática PROFESSOR: Valdir Damázio Júnior DISCIPLINA:Didática da Matemática SIGLA: ODIM0001 TURMA:

P L A N O D E E N S I N O. DEPARTAMENTO: Matemática PROFESSOR: Valdir Damázio Júnior DISCIPLINA:Didática da Matemática SIGLA: ODIM0001 TURMA: P L A N O D E E N S I N O DEPARTAMENTO: Matemática PROFESSOR: Valdir Damázio Júnior DISCIPLINA:Didática da Matemática SIGLA: ODIM0001 TURMA: CARGA HORÁRIA TOTAL: 72 horas TEÓRICO/PRÁTICA: 72 horas CURSO(S):

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA SOBRE O ESTÁGIO SUPERVISIONADO II: O USO DA HISTÓRIA DA MATEMÁTICA E DO MATERIAL DOURADO NAS AULAS DE MATEMÁTICA.

RELATO DE EXPERIÊNCIA SOBRE O ESTÁGIO SUPERVISIONADO II: O USO DA HISTÓRIA DA MATEMÁTICA E DO MATERIAL DOURADO NAS AULAS DE MATEMÁTICA. RELATO DE EXPERIÊNCIA SOBRE O ESTÁGIO SUPERVISIONADO II: O USO DA HISTÓRIA DA MATEMÁTICA E DO MATERIAL DOURADO NAS AULAS DE MATEMÁTICA. Pedro Marinho de Araújo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia

Leia mais

Diego Aparecido Maronese Matemática. Íria Bonfim Gaviolli Matemática

Diego Aparecido Maronese Matemática. Íria Bonfim Gaviolli Matemática Edital Pibid n 11 /2012 CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID Plano de Atividades (PIBID/UNESPAR) Tipo do produto: Plano de Aula 1 IDENTIFICAÇÃO SUBPROJETO MATEMÁTICA/FECEA:

Leia mais

LETRAMENTO DIGITAL: A INFORMÁTICA NA ESCOLA. Jarbas Oliveira (UFCG); Wilho da Silva Araújo (UFCG)

LETRAMENTO DIGITAL: A INFORMÁTICA NA ESCOLA. Jarbas Oliveira (UFCG); Wilho da Silva Araújo (UFCG) LETRAMENTO DIGITAL: A INFORMÁTICA NA ESCOLA Jarbas Oliveira (UFCG); Wilho da Silva Araújo (UFCG) Resumo: Este projeto didático foi elaborado sob a coordenação da Professora Maria do Socorro Silva produzido

Leia mais

ATLAS ESCOLAR HISTÓRICO, GEOGRÁFICO, AMBIENTAL DE ITABUNA BAHIA: Sistema Pedológico

ATLAS ESCOLAR HISTÓRICO, GEOGRÁFICO, AMBIENTAL DE ITABUNA BAHIA: Sistema Pedológico ATLAS ESCOLAR HISTÓRICO, GEOGRÁFICO, AMBIENTAL DE ITABUNA BAHIA: Sistema Pedológico Ailto Rodrigues Damaceno Filho Discente do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Ensino de Geografia (UESC/BA) Graduação

Leia mais

DESAFIOS MATEMÁTICOS POR MEIO DOS MATERIAIS DIDÁTICOS BLOCOS LÓGICOS, PEÇAS RETANGULARES E PEÇAS POLIGONAIS

DESAFIOS MATEMÁTICOS POR MEIO DOS MATERIAIS DIDÁTICOS BLOCOS LÓGICOS, PEÇAS RETANGULARES E PEÇAS POLIGONAIS DESAFIOS MATEMÁTICOS POR MEIO DOS MATERIAIS DIDÁTICOS BLOCOS LÓGICOS, PEÇAS RETANGULARES E PEÇAS POLIGONAIS Pedro Ribeiro Barbosa 1 pperiba@ig.com.br Aline de Carvalho Oliveira 2 alynepedcg@gmail.com Renê

Leia mais

JOGOS MATEMÁTICOS: UMA ALTERNATIVA METODOLÓGICA PARA CRIANÇAS COM NECESSIDADES EDUCATIVAS ESPECIAIS NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

JOGOS MATEMÁTICOS: UMA ALTERNATIVA METODOLÓGICA PARA CRIANÇAS COM NECESSIDADES EDUCATIVAS ESPECIAIS NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL Sociedade Brasileira de na Contemporaneidade: desafios e possibilidades JOGOS MATEMÁTICOS: UMA ALTERNATIVA METODOLÓGICA PARA CRIANÇAS COM NECESSIDADES EDUCATIVAS ESPECIAIS NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CEAD PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CEAD PLANO DE ENSINO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CEAD PLANO DE ENSINO I IDENTIFICAÇÃO Curso: Pedagogia a Distância Departamento: Departamento de Pedagogia a Distância Disciplina:

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. TURMA: 3º semestre. Cleber Mateus Duarte Porciuncula EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. TURMA: 3º semestre. Cleber Mateus Duarte Porciuncula EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Matemática FORMA/GRAU:( )integrado ( x )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( x ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS INSTITUTO DE MATEMÁTICA E ESTATÍSTICA EPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA. Atividade 1

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS INSTITUTO DE MATEMÁTICA E ESTATÍSTICA EPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA. Atividade 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS INSTITUTO DE MATEMÁTICA E ESTATÍSTICA EPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA Atividade 1 Disciplina: Conteúdos e metodologias do ensino de matemática para a Educação Básica

Leia mais

REFLEXÕES DOCENTES ACERCA DA DISCALCULIA

REFLEXÕES DOCENTES ACERCA DA DISCALCULIA REFLEXÕES DOCENTES ACERCA DA DISCALCULIA Liziane Batista Souza Universidade Federal de Santa Maria -UFSM liziane.souza6@gmail.com Danieli Martins Ambrós Universidade Federal de Santa Maria -UFSM danieliambros@yahoo.com.br

Leia mais

DIRETRIZES PARA A DISCIPLINA DE PRÁTICA PEDAGÓGICA

DIRETRIZES PARA A DISCIPLINA DE PRÁTICA PEDAGÓGICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MEC UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ UNIFAP PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO PROGRAD COORDENADORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO COEG COLEGIADO DO CURSO DE GEOGRAFIA DIRETRIZES PARA A DISCIPLINA

Leia mais

PROPOSTA ATIVIDADES COM O JCLIC

PROPOSTA ATIVIDADES COM O JCLIC PROPOSTA ATIVIDADES COM O JCLIC 1 Título: Fisionomia do Relevo 2 Autor: Nilse Lúcia Girotto 3 Aplicativo utilizado: JClic: Palavras Cruzadas 4 Disciplina: Geografia 5 Objetivos / Expectativas de aprendizagem:

Leia mais

Unidade 1 Sobre o Trabalho de conclusão de curso

Unidade 1 Sobre o Trabalho de conclusão de curso Unidade 1 Sobre o Trabalho de conclusão de curso O Trabalho de Conclusão de Curso TCC é um requisito obrigatório para a conclusão do curso, realizada no final do Curso de Licenciatura em Pedagogia da Universidade

Leia mais

A INFLUENCIA DO ESPAÇO NA CRIAÇÃO DE ESPAÇOS DE APRENDIZAGEM DE ALTA QUALIDADE. Pedro Nuno Moreira da Silva

A INFLUENCIA DO ESPAÇO NA CRIAÇÃO DE ESPAÇOS DE APRENDIZAGEM DE ALTA QUALIDADE. Pedro Nuno Moreira da Silva A INFLUENCIA DO ESPAÇO NA CRIAÇÃO DE ESPAÇOS DE APRENDIZAGEM DE ALTA QUALIDADE. Pedro Nuno Moreira da Silva psilva@est.ipcb.pt Apresentação do Trabalho Phd. Universidade de Évora Doutoramento em Sistemas

Leia mais

UMA VISÃO SOBRE JOGOS LÚDICOS COMO MÉTODO FACILITADOR PARA O ENSINO DE QUÍMICA

UMA VISÃO SOBRE JOGOS LÚDICOS COMO MÉTODO FACILITADOR PARA O ENSINO DE QUÍMICA UMA VISÃO SOBRE JOGOS LÚDICOS COMO MÉTODO FACILITADOR PARA O ENSINO DE QUÍMICA Maiane Sousa Pereira (1); Mairis Sousa Pereira (1); Adriely de Castro Silva (2); PEREIRA, Maiane S., SOUSA PEREIRA, Mairis,

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL MARECHAL RONDON ANA PATRÍCIA PICOLO FÁBIO JOSÉ DE ARAUJO GIOVANA FERREIRA APRENDENDO GEOMETRIA PLANA E ESPACIAL COM AS TECNOLOGIAS

ESCOLA ESTADUAL MARECHAL RONDON ANA PATRÍCIA PICOLO FÁBIO JOSÉ DE ARAUJO GIOVANA FERREIRA APRENDENDO GEOMETRIA PLANA E ESPACIAL COM AS TECNOLOGIAS ESCOLA ESTADUAL MARECHAL RONDON ANA PATRÍCIA PICOLO FÁBIO JOSÉ DE ARAUJO GIOVANA FERREIRA APRENDENDO GEOMETRIA PLANA E ESPACIAL COM AS TECNOLOGIAS NOVA ANDRADINA - MS MAIO DE 2009 ESCOLA ESTADUAL MARECHAL

Leia mais

Unidade III METODOLOGIA E PRÁTICA DO ENSINO DA MATEMÁTICA E CÊ CIÊNCIASC. Prof. Me. Guilherme Santinho Jacobik

Unidade III METODOLOGIA E PRÁTICA DO ENSINO DA MATEMÁTICA E CÊ CIÊNCIASC. Prof. Me. Guilherme Santinho Jacobik Unidade III METODOLOGIA E PRÁTICA DO ENSINO DA MATEMÁTICA E CÊ CIÊNCIASC Prof. Me. Guilherme Santinho Jacobik O ensino de ciências segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais O ensino de Ciências tem

Leia mais

ANEXO I ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS ESPECIFICAÇÃO DO CARGO DE PROFESSOR

ANEXO I ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS ESPECIFICAÇÃO DO CARGO DE PROFESSOR Cargo: Professor Classe: A,B,C,D, ANEXO I ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS ESPECIFICAÇÃO DO CARGO DE PROFESSOR Orientar a aprendizagem dos alunos; Participar das atividades da escola: Organizar as operações inerentes

Leia mais

PROJETO DAS FACULDADES MAGSUL e FIP/Magsul 2º semestre 2012

PROJETO DAS FACULDADES MAGSUL e FIP/Magsul 2º semestre 2012 Pedagogia: Aut. Dec. nº 93110 de 13/08/86 / Reconhecido Port. Nº 717 de 21/12/89/ Renovação Rec. Port. nº 3.648 de 17/10/2005 Educação Física: Aut. Port. nº 766 de 31/05/00 / Rec. Port. nº 3.755 de 24/10/05

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DO LIVRO PARADIDÁTICO NO ENSINO DE MATEMÁTICA NA MODALIDADE EJA: CONTRIBUIÇÕES PARA UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA.

A UTILIZAÇÃO DO LIVRO PARADIDÁTICO NO ENSINO DE MATEMÁTICA NA MODALIDADE EJA: CONTRIBUIÇÕES PARA UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA. A UTILIZAÇÃO DO LIVRO PARADIDÁTICO NO ENSINO DE MATEMÁTICA NA MODALIDADE EJA: CONTRIBUIÇÕES PARA UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA. Autor: Fernanda Cíntia Costa Matos Universidade Federal do Ceará fcintiacm@gmail.com

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense - Campus Sombrio

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense - Campus Sombrio PLANO DE ENSINO Curso Disciplina/Carga horária Professor Responsável Licenciatura em Matemática ESTG 04- Estágio Supervisionado IV (150h.a) Nome: Marleide Coan Cardoso email:marleide@ifc-sombrio.edu.br

Leia mais

APROXIMANDO A MATEMÁTICA DA REALIDADE DO EDUCANDO

APROXIMANDO A MATEMÁTICA DA REALIDADE DO EDUCANDO APROXIMANDO A MATEMÁTICA DA REALIDADE DO EDUCANDO Willian Carvalho da Silva (Bolsista)¹ Prof. a Dr. a Regina Litz Lablém (Orientadora)² 1 Estudante Bolsista do Curso de matemática da UEMS, Unidade Universitária

Leia mais

PORTARIA FAIBI N 014/2012 DE 02/08/2012. Oferta, na FAIBI, o curso de extensão Conteúdos de Matemática nos anos iniciais do ensino fundamental.

PORTARIA FAIBI N 014/2012 DE 02/08/2012. Oferta, na FAIBI, o curso de extensão Conteúdos de Matemática nos anos iniciais do ensino fundamental. PORTARIA FAIBI N 014/2012 DE 02/08/2012 Oferta, na FAIBI, o curso de extensão Conteúdos de Matemática nos anos iniciais do ensino fundamental. O DIRETOR GERAL da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO

ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO INTRODUÇÃO As diferentes unidades que compõem o conjunto de cadernos, visam desenvolver práticas de ensino de matemática que favoreçam as aprendizagens dos alunos. A

Leia mais

VISÃO GERAL DA DISCIPLINA

VISÃO GERAL DA DISCIPLINA VISÃO GERAL DA DISCIPLINA Antes eu não gostava de Matemática, mas agora a professora joga, conta história e deixa a gente falar né? Então é bem mais divertido, eu estou gostando mais. Pedro, 9 anos. Neste

Leia mais

UMA ABORDAGEM SOBRE NÚMEROS INTEIROS NUMA TURMA DE 7º ANO EJA Educação Matemática na Educação de Jovens e Adultos GT 11 RESUMO

UMA ABORDAGEM SOBRE NÚMEROS INTEIROS NUMA TURMA DE 7º ANO EJA Educação Matemática na Educação de Jovens e Adultos GT 11 RESUMO UMA ABORDAGEM SOBRE NÚMEROS INTEIROS NUMA TURMA DE 7º ANO EJA Educação Matemática na Educação de Jovens e Adultos GT 11 Alexsandra Ramalho COSTA CEAI Dr. João Pereira de Assis alexsandraramalhoc@gmail.com

Leia mais

CONEXÕES E REGULARIDADES NO ENSINO DA MATEMÁTICA. Rudinei José Miola

CONEXÕES E REGULARIDADES NO ENSINO DA MATEMÁTICA. Rudinei José Miola CONEXÕES E REGULARIDADES NO ENSINO DA MATEMÁTICA Rudinei José Miola rmiola@positivo.com.br PARA INÍCIO DE CONVERSA ATIVIDADE MATEMÁTICA Por atividade matemática deve entender-se uma mescla entre tarefa,

Leia mais

A Adição e Subtração no 3 ano do Ensino Fundamental Anos Iniciais.

A Adição e Subtração no 3 ano do Ensino Fundamental Anos Iniciais. A Adição e Subtração no 3 ano do Ensino Fundamental Anos Iniciais. Antonio Rodrigues S. Filho¹. Graduando do curso de Pedagogia - UFCG naldo_cz@hotmail.com Ítala Rayane Campos². Graduanda do curso de Pedagogia

Leia mais

CONSTRUINDO O CONCEITO DE ÁREA POR MEIO DA HISTÓRIA DA MATEMÁTICA

CONSTRUINDO O CONCEITO DE ÁREA POR MEIO DA HISTÓRIA DA MATEMÁTICA 1 CONSTRUINDO O CONCEITO DE ÁREA POR MEIO DA HISTÓRIA DA MATEMÁTICA Edilene Simões Costa dos Santos FAO edilenesc@gmail.com Resumo Cristiano Alberto Muniz, UnB - cristianoamuniz@gmail.com, Maria Terezinha

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: Licenciatura em Matemática Missão O Curso de Licenciatura em Matemática tem por missão a formação de docentes com um novo perfil fundamentado na conexão de dois eixos,

Leia mais

UM ESTUDO SOBRE A CONSTRUÇÃO DE UM CADERNO DE ORIENTAÇÕES PARA MATERIAIS CONCRETOS E JOGOS NO ENSINO DA MATEMÁTICA

UM ESTUDO SOBRE A CONSTRUÇÃO DE UM CADERNO DE ORIENTAÇÕES PARA MATERIAIS CONCRETOS E JOGOS NO ENSINO DA MATEMÁTICA UM ESTUDO SOBRE A CONSTRUÇÃO DE UM CADERNO DE ORIENTAÇÕES PARA MATERIAIS CONCRETOS E JOGOS NO ENSINO DA MATEMÁTICA Calene Rocha Silva 1, Renata Lourinho da Silva 2 RESUMO O presente trabalho está sendo

Leia mais

Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS. Uma instituição do grupo

Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS. Uma instituição do grupo Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS F U T U R O T E N D Ê N C I A S I N O V A Ç Ã O Uma instituição do grupo CURSO 2 OBJETIVOS Discutir e fomentar conhecimentos sobre a compreensão das potencialidades,

Leia mais

REGULAMENTO BRINQUEDOTECA

REGULAMENTO BRINQUEDOTECA REGULAMENTO BRINQUEDOTECA O Regulamento da Brinquedoteca foi aprovado pelo CONSUP mediante a CONSUP n 01/2015 data 06 de janeiro de 2015. Pelos professores Joseney Spréa, Eliane Silva dos Santos, David

Leia mais

AULAS PRÁTICAS DE QUÍMICA: REPOLHO ROXO COMO INDICADOR ÁCIDO-BASE

AULAS PRÁTICAS DE QUÍMICA: REPOLHO ROXO COMO INDICADOR ÁCIDO-BASE AULAS PRÁTICAS DE QUÍMICA: REPOLHO ROXO COMO INDICADOR ÁCIDO-BASE Gicelia Moreira RESUMO Universidade Federal de Campina Grande-UFCG, gicelia.moreira2009@gmail.com Diante muitas dificuldades encontradas

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA NO ESTADO DE SÃO PAULO: REFLEXÃO SOBRE O ESTÁGIO E PRÁTICAS DE ENSINO i

CURSO DE PEDAGOGIA NO ESTADO DE SÃO PAULO: REFLEXÃO SOBRE O ESTÁGIO E PRÁTICAS DE ENSINO i 1 CURSO DE PEDAGOGIA NO ESTADO DE SÃO PAULO: REFLEXÃO SOBRE O ESTÁGIO E PRÁTICAS DE ENSINO i LIMA, Vanda Moreira Machado Faculdade de Ciências e Tecnologia/UNESP- Presidente Prudente, SP Este artigo apresenta

Leia mais

UM ESTUDO SOBRE AS FORMAS GEOMÉTRICAS EM NOSSO COTIDIANO. Instituto de Ciências Exatas da Universidade Federal de Minas Gerais

UM ESTUDO SOBRE AS FORMAS GEOMÉTRICAS EM NOSSO COTIDIANO. Instituto de Ciências Exatas da Universidade Federal de Minas Gerais UM ESTUDO SOBRE AS FORMAS GEOMÉTRICAS EM NOSSO COTIDIANO Fernanda Lima Ferreira Instituto de Ciências Exatas da Universidade Federal de Minas Gerais Introdução O presente relato de experiência se refere

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DA RETA REAL POR ALUNOS DO ENSINO MÉDIO CONSIDERANDO A METODOLOGIA DE INVESTIGAÇÃO MATEMÁTICA: ALGUMAS REFLEXÕES1 1

A CONSTRUÇÃO DA RETA REAL POR ALUNOS DO ENSINO MÉDIO CONSIDERANDO A METODOLOGIA DE INVESTIGAÇÃO MATEMÁTICA: ALGUMAS REFLEXÕES1 1 A CONSTRUÇÃO DA RETA REAL POR ALUNOS DO ENSINO MÉDIO CONSIDERANDO A METODOLOGIA DE INVESTIGAÇÃO MATEMÁTICA: ALGUMAS REFLEXÕES1 1 Paula Maria Dos Santos Pedry 2, Sandra Beatriz Neuckamp 3, Andréia De Fátima

Leia mais

RESUMOS DOS MINICURSOS

RESUMOS DOS MINICURSOS 3 a Semana Acadêmica da Licenciatura em Matemática da UTFPR-CT A Formação do Professor Pesquisador RESUMOS DOS MINICURSOS 1. Organização e apresentação de dados educacionais (20 vagas trazer calculadora

Leia mais

A DIFERENÇA ENTRE O ESTÁGIO SUPERVISIONADO E O PIBID NA FORMAÇÃO INICIAL EM EDUCAÇÃO FÍSICA

A DIFERENÇA ENTRE O ESTÁGIO SUPERVISIONADO E O PIBID NA FORMAÇÃO INICIAL EM EDUCAÇÃO FÍSICA A DIFERENÇA ENTRE O ESTÁGIO SUPERVISIONADO E O PIBID NA FORMAÇÃO INICIAL EM EDUCAÇÃO FÍSICA (Autor) Bruno Rocha; (Co-autor) Júlio César Andrade; (Co-autor) Cláudia Jeciane Souza; (Coautor) Mylena Teixeira

Leia mais

SOCIEDADE EDUCACIONAL DE SANTA CATARINA INSTITUTO SUPERIOR TUPY

SOCIEDADE EDUCACIONAL DE SANTA CATARINA INSTITUTO SUPERIOR TUPY SOCIEDADE EDUCACIONAL DE SANTA CATARINA INSTITUTO SUPERIOR TUPY PLANO DE ENSINO IDENTIFICAÇÃO Curso: Engenharia Mecânica Período/Módulo: 1 o Período Disciplina/Unidade Curricular: Cálculo I Código: CE375

Leia mais

ANÁLISE DAS RESOLUÇÕES DE PROBLEMAS ENVOLVENDO CÍRCULO E CIRCUNFERÊNCIA NA PRODUÇÃO DAS PEÇAS DE ARTESANATO COM CAPIM DOURADO

ANÁLISE DAS RESOLUÇÕES DE PROBLEMAS ENVOLVENDO CÍRCULO E CIRCUNFERÊNCIA NA PRODUÇÃO DAS PEÇAS DE ARTESANATO COM CAPIM DOURADO ANÁLISE DAS RESOLUÇÕES DE PROBLEMAS ENVOLVENDO CÍRCULO E CIRCUNFERÊNCIA NA PRODUÇÃO DAS PEÇAS DE ARTESANATO COM CAPIM DOURADO Luciana Tavares de Sousa; Rochelande Felipe Rodrigues Aluna do Curso de Licenciatura

Leia mais

COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE PLANEJAMENTO / 2016

COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE PLANEJAMENTO / 2016 COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE PLANEJAMENTO / 16 OBJETIVO GERAL: Mediar a atividade docente na área de Língua inglesa de maneira deleitosa e colaborativa para os princípios escolares, éticos e sociais,

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE SÓLIDOS GEOMÉTRICOS A PARTIR DA VISUALIZAÇÃO DO SOFTWARE POLY EM UMA TURMA DO ENSINO MÉDIO: RELATO DE PRÁTICA DE SALA DE AULA

CONSTRUÇÃO DE SÓLIDOS GEOMÉTRICOS A PARTIR DA VISUALIZAÇÃO DO SOFTWARE POLY EM UMA TURMA DO ENSINO MÉDIO: RELATO DE PRÁTICA DE SALA DE AULA na Contemporaneidade: desafios e possibilidades CONSTRUÇÃO DE SÓLIDOS GEOMÉTRICOS A PARTIR DA VISUALIZAÇÃO DO SOFTWARE POLY EM UMA TURMA DO ENSINO MÉDIO: RELATO DE PRÁTICA DE SALA DE AULA Benjamim Cardoso

Leia mais

(1)Campus Mata Norte-UPE; (1)Campus Mata Norte-UPE;

(1)Campus Mata Norte-UPE; (1)Campus Mata Norte-UPE; JOGOS COMO FERRAMENTA NAS AULAS DE MATEMÁTICA: UM ESTUDO REFLEXIVO SOBRE A TORRE DE HANÓI COM PROFESSORES DOS ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO Driele Aline Moreira de Oliveira (1), Flávia Maria

Leia mais

PLANO DE CURSO. Código: FIS09 Carga Horária: 60 Créditos: 03 Pré-requisito: Período: IV Ano:

PLANO DE CURSO. Código: FIS09 Carga Horária: 60 Créditos: 03 Pré-requisito: Período: IV Ano: PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Licenciatura em Educação Física Disciplina: Educação Física na Infância Professor: Gilson Pereira Souza E-mail: professorgilsonpereira@gmail.com Código:

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DOS CURSOS SUPERIORES DE LICENCIATURA

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DOS CURSOS SUPERIORES DE LICENCIATURA REGULAMENTO DE ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DOS CURSOS SUPERIORES DE LICENCIATURA Normatiza a realização dos estágios supervisionados previstos nas Matrizes Curriculares dos Cursos Superiores de Licenciatura

Leia mais

Universidade Federal do Pará Campus Universitário Marajó-Breves Faculdade de Matemática PROJETO DE EXTENSÃO EDUCAÇÃO MATEMÁTICA NO APOIO

Universidade Federal do Pará Campus Universitário Marajó-Breves Faculdade de Matemática PROJETO DE EXTENSÃO EDUCAÇÃO MATEMÁTICA NO APOIO Universidade Federal do Pará Campus Universitário Marajó-Breves Faculdade de Matemática PROJETO DE EXTENSÃO EDUCAÇÃO MATEMÁTICA NO APOIO AO ENSINO BÁSICO Coordenador: LUIZ ANTONIO RIBEIRO NETO DE OLIVEIRA

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA LEITURA E INTERPRETAÇÃO NA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS MATEMÁTICOS. PALAVRAS-CHAVE: leitura. interpretação. problemas matemáticos.

A IMPORTÂNCIA DA LEITURA E INTERPRETAÇÃO NA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS MATEMÁTICOS. PALAVRAS-CHAVE: leitura. interpretação. problemas matemáticos. A IMPORTÂNCIA DA LEITURA E INTERPRETAÇÃO NA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS MATEMÁTICOS Ananda Venise da Costa 1 anandavenise@gmail.com Samara Maria Viana da Silva² samaraviana@ifpi.edu.br RESUMO O presente trabalho

Leia mais

APRENDENDO COM O LUDO AÇÃO E RADICAL

APRENDENDO COM O LUDO AÇÃO E RADICAL ESCOLA ESTADUAL LUIS VAZ DE CAMÕES IPEZAL/ANGÉLICA- MS APRENDENDO COM O LUDO AÇÃO E RADICAL Ipezal/Angélica MS Abril 2012 ESCOLA ESTADUAL LUIS VAZ DE CAMÕES IPEZAL/ANGÉLICA- MS APRENDENDO COM O LUDO AÇÃO

Leia mais

Lueny Amorim de oliveira (1); Lainne Saraiva Garreta (1); Malena Correia Costa (2) Antônia Gomes do Nascimento (3)

Lueny Amorim de oliveira (1); Lainne Saraiva Garreta (1); Malena Correia Costa (2) Antônia Gomes do Nascimento (3) A HISTÓRIA DA QUÍMICA COMO INSTRUMENTO MOTIVADOR NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM DA DISCIPLINA DE QUÍMICA NAS TURMAS DE 1 ANO DO ENSINO MÉDIO: PERCEPÇÃO DOS EDUCANDOS. Lueny Amorim de oliveira (1);

Leia mais

RELATO SOBRE GRANDEZAS E UNIDADES DE MEDIDA EM UM SÉTIMO ANO COM METODOLOGIA DA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS

RELATO SOBRE GRANDEZAS E UNIDADES DE MEDIDA EM UM SÉTIMO ANO COM METODOLOGIA DA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS RELATO SOBRE GRANDEZAS E UNIDADES DE MEDIDA EM UM SÉTIMO ANO COM METODOLOGIA DA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS Marcelo Renan Augusto Ferreira 1 Universidade Tecnológica Federal do Paraná marcelokenny@gmail.com

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE NA FORMAÇÃO INICIAL DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA

A UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE NA FORMAÇÃO INICIAL DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA A UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE NA FORMAÇÃO INICIAL DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA Carla de Araújo Universidade Estadual da Paraíba tapcarla@gmail.com Profª. Dra. Abigail Fregni Lins Universidade Estadual

Leia mais

PESQUISA SOBRE O NÍVEL DE SATISFAÇÃO DOS PROFESSORES COM OS CURSOS DE CAPACITAÇÃO

PESQUISA SOBRE O NÍVEL DE SATISFAÇÃO DOS PROFESSORES COM OS CURSOS DE CAPACITAÇÃO PESQUISA SOBRE O NÍVEL DE SATISFAÇÃO DOS PROFESSORES COM OS CURSOS DE CAPACITAÇÃO Kelvin Henrique Correia de Holanda; Ademária Aparecida de Sousa Universidade Federal de Alagoas; kelvinhenrique16@hotmail.com;

Leia mais

APLICAÇÃO DA FÍSICA EXPERIMENTAL NA ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO JOSÉ GONÇALVES DE QUEIROZ

APLICAÇÃO DA FÍSICA EXPERIMENTAL NA ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO JOSÉ GONÇALVES DE QUEIROZ APLICAÇÃO DA FÍSICA EXPERIMENTAL NA ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO JOSÉ GONÇALVES DE QUEIROZ José Vanderlan L. OLIVEIRA 1, Adriano Trindade de BARROS 1, Janduy Guerra de ARAÚJO 1 Osvaldo

Leia mais

A ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL CONGÊNITA E ADQUIRIDA ATRAVÉS DE JOGOS PEDAGÓGICOS.

A ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL CONGÊNITA E ADQUIRIDA ATRAVÉS DE JOGOS PEDAGÓGICOS. A ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL CONGÊNITA E ADQUIRIDA ATRAVÉS DE JOGOS PEDAGÓGICOS. Luciana Barros Farias Lima Instituto Benjamin Constant Práticas Pedagógicas Inclusivas

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: MATEMÁTICA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Matemática FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( X ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

Legenda 0 à 25% de Acertos Baixo De 26 à 50% de Acertos Intermediário De 51 à 75% de Acertos Adequado De 76 à 100% de Acertos Avançado

Legenda 0 à 25% de Acertos Baixo De 26 à 50% de Acertos Intermediário De 51 à 75% de Acertos Adequado De 76 à 100% de Acertos Avançado Relação de Descritores que apresentam os erros mais frequentes cometidos pelos estudantes nas Avaliações Diagnósticas de 2012 do ProEMI/JF no estado do Ceará Em 2012 foram aplicadas Avaliações Diagnósticas

Leia mais

Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia do Pará, Servidora Pública do Estado:

Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia do Pará,   Servidora Pública do Estado: ANÁLISE DO CONHECIMENTO DE PROFESSORES E ALUNOS SOBRE A UTILIZAÇÃO DE SOFTWARES EDUCACIONAIS NO PROCESSO DE ENSINO- APRENDIZAGEM. Pabllo Antonny Silva dos Santos; Maria Cristina Quaresma e Silva; Vanessa

Leia mais

MINI-CURSO SUPERANDO A CONFUSÃO PERÍMETRO-ÁREA: UMA PROPOSTA DIDÁTICA

MINI-CURSO SUPERANDO A CONFUSÃO PERÍMETRO-ÁREA: UMA PROPOSTA DIDÁTICA MINI-CURSO SUPERANDO A CONFUSÃO PERÍMETRO-ÁREA: UMA PROPOSTA DIDÁTICA Edinéia Brito Maia Bispo (UESB) 1 Leandro da Luz Araújo (UESB) 2 Luciana Correia de Amorim (UESB) 3 Ludimila Silva Carvalho (UESB)

Leia mais

RESOLUÇÃO N 17/16 CAEPE RESOLVE

RESOLUÇÃO N 17/16 CAEPE RESOLVE Conselho de Administração, Ensino, Pesquisa e Extensão CAEPE RESOLUÇÃO N 17/16 CAEPE REVOGA A RESOLUÇÃO Nº 08/15 E DISPÕE SOBRE AS NORMAS E CRITÉRIOS PARA A OFERTA E O FUNCIONAMENTO DE COMPONENTES CURRICULARES

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Decanato Acadêmico

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Decanato Acadêmico Unidade Universitária: Escola de Engenharia Curso: Licenciatura em Química Núcleo Temático: Químico Pedagógico Disciplina: Conteúdo e Metodologia do Ensino de Química I Código da Disciplina: 06013201 Professor(es):

Leia mais

O PROEXT A SERVIÇO DA EJA

O PROEXT A SERVIÇO DA EJA O PROEXT A SERVIÇO DA EJA Thamiriz Martins Teixeira, IF Sudeste de MG Campus Rio Pomba Paula Reis de Miranda, IF Sudeste de MG Campus Rio Pomba RESUMO O presente trabalho apresenta atividades desenvolvidas

Leia mais

O PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM NO ENSINO DA FÍSICA EM CAJAZEIRAS- PB

O PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM NO ENSINO DA FÍSICA EM CAJAZEIRAS- PB O PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM NO ENSINO DA FÍSICA EM CAJAZEIRAS- PB José Robbyslandyo da Silva Santos robbyn23@hotmail.com Juliano de Sousa bezerra soujulianosousa@gmail.com soujulianosouza@hotmail.com

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. ANO DA TURMA: 7º semestre EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. ANO DA TURMA: 7º semestre EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Matemática Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Matemática FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado (X ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

AS DIFICULDADES DO PROFESSOR NO ENSINO DA GEOMETRIA ESPACIAL NAS ESCOLAS ESTADUAIS NO MUNICÍPIO DE SANTA CRUZ

AS DIFICULDADES DO PROFESSOR NO ENSINO DA GEOMETRIA ESPACIAL NAS ESCOLAS ESTADUAIS NO MUNICÍPIO DE SANTA CRUZ AS DIFICULDADES DO PROFESSOR NO ENSINO DA GEOMETRIA ESPACIAL NAS ESCOLAS ESTADUAIS NO MUNICÍPIO DE SANTA CRUZ Rosângela Araújo da Silva Instituto Federal do Rio Grande do Norte rosangela.silva@ifrn.edu.br

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 7º

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 7º PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Gestão Escolar IV Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 7º 1 - Ementa (sumário, resumo) Dimensões da participação: política,

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO TURMA: 2015 EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO TURMA: 2015 EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação CURSO: Técnico Manutenção e Suporte a Informática FORMA/GRAU:( X )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( )

Leia mais

FIGURAS PLANAS E ESPACIAIS

FIGURAS PLANAS E ESPACIAIS CURSO DE FORMAÇÃO CONTINUADA EM MATEMÁTICA PARA PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA (4º E 5º ANOS) PROFESSORA ANDRESSA CESANA CEUNES/UFES/DMA FIGURAS PLANAS E ESPACIAIS AGOSTO DE 2015 A PEDAGOGIA DO TEXTO é

Leia mais

JOGO DAS TRÊS PISTAS DO CLIMA E VEGETAÇÃO DO BRASIL: UMA PROPOSTA DIDÁTICA DO PROJETO PIBID GEOGRAFIA UENP.

JOGO DAS TRÊS PISTAS DO CLIMA E VEGETAÇÃO DO BRASIL: UMA PROPOSTA DIDÁTICA DO PROJETO PIBID GEOGRAFIA UENP. JOGO DAS TRÊS PISTAS DO CLIMA E VEGETAÇÃO DO BRASIL: UMA PROPOSTA DIDÁTICA DO PROJETO PIBID GEOGRAFIA UENP. LANGAME, Vanessa Montalvo - Universidade Estadual do Norte do Paraná UENP SANTOS, Jéssica M.

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Ensino Médio Etec Plano de Curso nº aprovado pela portaria Cetec nº de / / Etec: Código: 208 Município: São Paulo Eixo Tecnológico: Habilitação Profissional:

Leia mais

AULA PRÁTICA SOBRE MORFOLOGIA E HISTOLOGIA VEGETAL: UM INCENTIVO PARA ALUNOS DO ENSINO MÉDIO

AULA PRÁTICA SOBRE MORFOLOGIA E HISTOLOGIA VEGETAL: UM INCENTIVO PARA ALUNOS DO ENSINO MÉDIO AULA PRÁTICA SOBRE MORFOLOGIA E HISTOLOGIA VEGETAL: UM INCENTIVO PARA ALUNOS DO ENSINO MÉDIO José Lucas de Araújo (1); José Jailson Lima Bezerra (1); Jakeline Moreira Da Silva (1); Vinnicius Duarte Nunes

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Alfabetização e Letramento Código da Disciplina: EDU328 Curso: Pedagogia Semestre de oferta da disciplina: 5º Faculdade responsável: Pedagogia Programa em vigência a

Leia mais

FAMEBLU Engenharia Civil

FAMEBLU Engenharia Civil Disciplina LOGÍSTICA EMPRESARIAL E ENGENHARIA DE TRÁFEGO FAMEBLU Engenharia Civil Aula 1: Apresentação Plano de Ensino Estratégia Corporativa Professor: Eng. Daniel Funchal, Esp. Curso: ENGENHARIA CIVIL

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO. Licenciatura EM educação básica intercultural TÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO. Licenciatura EM educação básica intercultural TÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Licenciatura EM educação básica intercultural TÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Artigo 1º - O Estágio Supervisionado de que trata este regulamento refere-se à formação de

Leia mais

Curso: PEDAGOGIA Curriculo: 0004-L DISCIPLINAS EM OFERTA 2º Semestre de NOT

Curso: PEDAGOGIA Curriculo: 0004-L DISCIPLINAS EM OFERTA 2º Semestre de NOT GR02734 GR02105 GR02160 GR02735 GR02736 SEMESTRE 1 Carga Horária Docentes Escola e Contexto 72.00 Não ofertada no 2º semestre de 2016 Estudo da Formação da Sociedade Contemporânea 72.00 Não ofertada no

Leia mais

Diego Aparecido Maronese Matemática. Íria Bonfim Gaviolli Matemática

Diego Aparecido Maronese Matemática. Íria Bonfim Gaviolli Matemática Edital Pibid n 11 /2012 CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID Plano de Atividades (PIBID/UNESPAR) Tipo do produto: Plano de Aula 1 IDENTIFICAÇÃO SUBPROJETO MATEMÁTICA/FECEA:

Leia mais

RELAÇÃO ENTRE A CONTEXTUALIZAÇÃO E A EXPERIMENTAÇÃO ACERCA DAS QUESTÕES DO ENEM EM QUÍMICA

RELAÇÃO ENTRE A CONTEXTUALIZAÇÃO E A EXPERIMENTAÇÃO ACERCA DAS QUESTÕES DO ENEM EM QUÍMICA RELAÇÃO ENTRE A CONTEXTUALIZAÇÃO E A EXPERIMENTAÇÃO ACERCA DAS QUESTÕES DO ENEM EM QUÍMICA José Geovane Jorge de Matos 1 ; Lillyane Raissa Barbosa da Silva 2 ; Magadã Marinho Rocha de Lira 3. 1 Bolsista

Leia mais

EXPERIÊNCIA COMO ORIENTADORA DO PACTO NACIONAL PELA IDADE CERTA EM CATALÃO-GO.

EXPERIÊNCIA COMO ORIENTADORA DO PACTO NACIONAL PELA IDADE CERTA EM CATALÃO-GO. EXPERIÊNCIA COMO ORIENTADORA DO PACTO NACIONAL PELA IDADE CERTA EM CATALÃO-GO. SILVA, Gislene de Sousa Oliveira 1 Universidade Federal de Goiás Regional Catalão-GO. FIRMINO, Janaina Karla Pereira da S.

Leia mais

Conteúdos e Didática de História

Conteúdos e Didática de História Conteúdos e Didática de História Professora autora: Teresa Malatian Departamento de História da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais UNESP / Franca. Bloco 2 Disciplina 21 Didática dos Conteúdos Conteúdos

Leia mais

PRATICA PEDAGOGICA INTERDISCIPLINAR, POSSIBILIDADE DE ENSINO SOBRE DIVERSIDADE CULTURA NO ENSINO FUNDAMENTAL.

PRATICA PEDAGOGICA INTERDISCIPLINAR, POSSIBILIDADE DE ENSINO SOBRE DIVERSIDADE CULTURA NO ENSINO FUNDAMENTAL. PRATICA PEDAGOGICA INTERDISCIPLINAR, POSSIBILIDADE DE ENSINO SOBRE DIVERSIDADE CULTURA NO ENSINO FUNDAMENTAL. Joyce Ludimile Tavares de Lira UFPE- Universidade Federal de Pernambuco joyceludmile@hotmail.com

Leia mais

TABELA NAVAL: USO DO LÚDICO NO ENSINO DA TABELA PERIÓDICA

TABELA NAVAL: USO DO LÚDICO NO ENSINO DA TABELA PERIÓDICA TABELA NAVAL: USO DO LÚDICO NO ENSINO DA TABELA PERIÓDICA Claudiana Maria da Silva 1 ; Maria Aparecida Nazário Cassiano 1 ; Juliana Andreza Figueirôa 2 ; Vera Lúcia da Silva Augusto Filha 3 ; Maria Josileide

Leia mais

PROPOSTA DIDÁTICA. 1) João tem R$ 84,30. Pedro tem R$ 31,50 a mais que João, e José tem R$ 54,25 a mais que Pedro. Quanto tem os três juntos?

PROPOSTA DIDÁTICA. 1) João tem R$ 84,30. Pedro tem R$ 31,50 a mais que João, e José tem R$ 54,25 a mais que Pedro. Quanto tem os três juntos? PROPOSTA DIDÁTICA 1. Dados de Identificação 1.1 Nome do bolsista: André da Silva Alves 1.2 Série/Ano/Turma: 6º e 7º anos 1.3 Tempo da aula: 2,5 horas 1.4 Conteúdo desenvolvido: Operações Fundamentais com

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio. Habilitação Profissional: Técnico em informática para Internet Integrado ao Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio. Habilitação Profissional: Técnico em informática para Internet Integrado ao Ensino Médio Plano de Trabalho Docente - 2015 Ensino Médio Código: 0262 ETEC ANHANQUERA Município: Santana de Parnaíba Área de Conhecimento: Matemática Componente Curricular: Matemática Série: 1ª Eixo Tecnológico:

Leia mais

UMA ANÁLISE DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PEDAGOGIA NA PERSPECTIVA DO TRABALHO DOS PEDAGOGOS (2010) 1

UMA ANÁLISE DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PEDAGOGIA NA PERSPECTIVA DO TRABALHO DOS PEDAGOGOS (2010) 1 UMA ANÁLISE DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PEDAGOGIA NA PERSPECTIVA DO TRABALHO DOS PEDAGOGOS (2010) 1 RIBEIRO, Eliziane. Tainá. Lunardi. 2 ; ALVES, Bruna. Pereira.³; SIQUEIRA, Gabryely. Muniz. 4 ;

Leia mais

Eixo temático 1: Pesquisa em Pós-Graduação em Educação e Práticas Pedagógicas.

Eixo temático 1: Pesquisa em Pós-Graduação em Educação e Práticas Pedagógicas. 1 Contribuições para o Ensino de Função: um panorama a partir de dissertações e teses sobre ensino e aprendizagem com modelagem matemática produzidas no Brasil João Pereira Viana Filho - joão-pvf@hotmail.com

Leia mais

Plano de Ensino Docente

Plano de Ensino Docente Plano de Ensino Docente IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Matemática FORMA/GRAU: ( ) integrado ( ) subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado (x) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE: ( x ) Presencial

Leia mais

AS HISTÓRIAS EM QUADRINHOS (HQs) E SUAS INFLUÊNCIAS NA MATEMÁTICA DO ENSINO BÁSICO: POSSIBILIDADES PARA A TRIGONOMETRIA

AS HISTÓRIAS EM QUADRINHOS (HQs) E SUAS INFLUÊNCIAS NA MATEMÁTICA DO ENSINO BÁSICO: POSSIBILIDADES PARA A TRIGONOMETRIA AS HISTÓRIAS EM QUADRINHOS (HQs) E SUAS INFLUÊNCIAS NA MATEMÁTICA DO ENSINO BÁSICO: POSSIBILIDADES PARA A TRIGONOMETRIA Victor Marcelino de O. Santoianni Universidade Estadual da Paraíba; marcelinovictor22@gmail.com

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MULLER. Projeto Khan Academy: plataforma educacional na construção da aprendizagem da Matemática

ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MULLER. Projeto Khan Academy: plataforma educacional na construção da aprendizagem da Matemática ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MULLER Projeto Khan Academy: plataforma educacional na construção da aprendizagem da Matemática IVINHEMA-MS JUNHO/2016 ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MULLER Projeto Khan

Leia mais

Escola SENAI Antônio Souza Noschese Santos -SP. Proposta Pedagógica. Uma nova visão

Escola SENAI Antônio Souza Noschese Santos -SP. Proposta Pedagógica. Uma nova visão Escola SENAI Antônio Souza Noschese Santos -SP Proposta Pedagógica Uma nova visão Nossa Proposta Pedagógica é a tradução do nosso compromisso com o desenvolvimento das pessoas, da sociedade e da indústria

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE DOBRADURAS DE PAPEL NO ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA

UTILIZAÇÃO DE DOBRADURAS DE PAPEL NO ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA UTILIZAÇÃO DE DOBRADURAS DE PAPEL NO ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA Shirley Aparecida de Morais Escola 31 de março shiamo@seed.pr.gov.br Rita de Cássia Amaral Vieira rcamaral@hotmail.comr Samantha

Leia mais

REGULAMENTO DE NIVELAMENTO

REGULAMENTO DE NIVELAMENTO MANTIDA PELA INSTITUIÇÃO PAULISTA DE ENSINO E CULTURA - IPEC REGULAMENTO DE NIVELAMENTO 1 1. Introdução No Brasil, os alunos ingressantes no ensino superior apresentam muitas dificuldades em acompanhar

Leia mais

Aluno(a): / / Cidade Polo: CPF: Curso: ATIVIDADE AVALIATIVA ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA

Aluno(a): / / Cidade Polo:   CPF: Curso: ATIVIDADE AVALIATIVA ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA Aluno(a): / / Cidade Polo: E-mail: CPF: Curso: ATIVIDADE AVALIATIVA ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA Preencha o GABARITO: 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 Observação: Nesta atividade há 10 (dez) questões de múltipla

Leia mais

O ENSINO DE GEOGRAFIA MEDIADO PELAS HISTÓRIAS EM QUADRINHOS

O ENSINO DE GEOGRAFIA MEDIADO PELAS HISTÓRIAS EM QUADRINHOS O ENSINO DE GEOGRAFIA MEDIADO PELAS HISTÓRIAS EM QUADRINHOS Vanessa da Silva Freitas (Graduanda em Geografia / UEPB) Wanessas2mm@gmail.com Lívia Maria Serafim Duarte Oliveira (PPFP/UEPB) Serafim_livia@hotmail.com

Leia mais

O LÚDICO COMO FERRAMENTA DE ENSINO NA MATEMÁTICA: O USO DOS JOGOS NAS EXPERIÊNCIAS DO PIBID NO ENSINO FUNDAMENTAL

O LÚDICO COMO FERRAMENTA DE ENSINO NA MATEMÁTICA: O USO DOS JOGOS NAS EXPERIÊNCIAS DO PIBID NO ENSINO FUNDAMENTAL O LÚDICO COMO FERRAMENTA DE ENSINO NA MATEMÁTICA: O USO DOS JOGOS NAS EXPERIÊNCIAS DO PIBID NO ENSINO FUNDAMENTAL Jamilly Souza Tenório milly_tenorio@hotmail.com Jean Jullian dos Santos Ferreira- jean_jullian13@hotmail.com

Leia mais

PRODUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICO-PEDAGÓGICOS PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA: UMA AÇÃO DO PIBID/MATEMÁTICA/CCT/UFCC

PRODUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICO-PEDAGÓGICOS PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA: UMA AÇÃO DO PIBID/MATEMÁTICA/CCT/UFCC PRODUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICO-PEDAGÓGICOS PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA: UMA AÇÃO DO PIBID/MATEMÁTICA/CCT/UFCC Dhiego Vieira do Amaral (UFCG); Késia de Mélo Hermenegildo (UFCG); Severino Horácio da Silva

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DO JOGO BINGO DOS ELEMENTOS QUÍMICOS COMO RECURSO DIDÁTICO NO ENSINO DE QUÍMICA

A UTILIZAÇÃO DO JOGO BINGO DOS ELEMENTOS QUÍMICOS COMO RECURSO DIDÁTICO NO ENSINO DE QUÍMICA A UTILIZAÇÃO DO JOGO BINGO DOS ELEMENTOS QUÍMICOS COMO RECURSO DIDÁTICO NO ENSINO DE QUÍMICA Givanildo Freire da Costa (1); Renato do Nascimento (1); Christiane Marques Rodrigues (2); Maria Betania Hermenegildo

Leia mais