DIRETORIA GERAL FAZENDO ACONTECER

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DIRETORIA GERAL FAZENDO ACONTECER"

Transcrição

1 ESCATOLOGIA DIRETORIA GERAL FAZENDO ACONTECER

2 INTRODUÇÃO 1. CONCEITO 1.1 O que é Escatologia? É a área da Teologia Sistemática, que trata da Doutrina das últimas coisas, ou os últimos acontecimentos históricos da humanidade. Entendemos que, estes últimos acontecimentos estão intimamente relacionados com o Reino de Deus. 1.2 O Reino de Deus. A expressão Reino de Deus foi usada por Jesus com muita freqüência (Mat. 12:28) 1, (Mc. 1:14; 9:1), (Lc. 13:18-20), (Jô 3:3). A natureza desse reino mencionado por Jesus, não implicada em uma área geográfica, mas sim, ao governo e o poder de Deus, (Lc. 19:12). Trata-se do governo de Deus em ação, (Sl. 145:13), (Dn. 2:44). 1 - LEIA AGORA Ao lado de algumas referências bíblicas foi colocado um número, como por exemplo, (mt. 12:28) nesta página. Você encontrará esta referência transcrita nas margens de anotações com seu respectivo número indicando a passagem. (Tradução de João Ferreira de Almeida, edição contemporânea). Encontramos o âmago do ensino bíblico sobre as últimas coisas na gloriosa aparição do Senhor, conforme Jesus mesmo enfatizou: Então verão o Filho do Homem vir nas nuvens com grande poder e glória, (Mc. 13:26). (Estudando as Doutrinas da Bíblia Bruce Miline Abu Editora/ págs. 259,262) 1 Mas, se expulso os demônios pelo Espírito de Deus, certamente é chegado a vós o reino de Deus. 2. O ESTUDO DAS PROFECIAS. 2.1 O caráter israelítico da mensagem profética. O ministério preditivo dos profecias tinha em vista o povo da Aliança, tratando do seu pecado, seus fracassos e o seu futuro glorioso. Os gentios são mencionados no V.T., como instrumento que Deus usou para castigar o seu povo (Israel), mas também são participantes da graça que será demonstrada. A Igreja como corpo não estava na visão dos profetas do V.T., (Efésios 3:1-16). 2.2 O estudo da Escatologia está relacionado com a restauração final de Israel. O primeiro advento (nascimento de Jesus), meio pelo qual Deus providenciou a redenção do homem, aconteceria através do sofrimento de Jesus, (Is. 53). Quando ao segundo advento, será no estabelecimento do Seu Reino Glorioso, quando as promessas nacionais dadas pelo Senhor a Israel serão cumpridas. APROFUNDANDO O ESTUDO. LEIA (Rm 11:1-32) A benção de Israel como nação repousa primeiramente sobre a Aliança Abraâmica, Gn. 12:12) A benção de Israel como nação repousa sobre a Aliança Palestínica, (Dt. 30:3). A benção de Israel como nação repousa também sobre a Aliança Davidica, II Sm 7:16). Isto concede a profecia preditiva o seu caráter messiânico e escatológico. 3. A IMPORTÂNCIA DO ESTUDO DAS PROFECIAS.

3 3.1 Estudar os elementos proféticos das Escrituras é importante pelas seguintes razões: A nossa fé é fortalecida Contribui para o amadurecimento e conhecimento de Deus. Passamos a ver a ação de Deus no contexto da história. Dá-nos uma compreensão dos acontecimentos atuais do mundo. Ver o plano de Deus para a vida do homem. 3.2 Leis que regem a interpretação das profecias. LEI DA PROGRESSÃO Onde cada era está sob a influência de uma profecia predominante. LEI DA RESERVA Onde entendemos que, algumas verdades proféticas estão ocultas ao entendimento humano. LEI DA COMPREENSÃO Quando observamos dois eventos num mesmo texto, separado por longo espaço de tempo. LEI DA LINGUAGEM Leva em consideração o tipo de linguagem que está sendo usado no texto. ATENÇÃO: Os objetivos da unidade e a verificação de aprendizagem devem ser lidos antes de iniciar o estudo da unidade. Isto deverá sempre claro em sua mente onde você deverá chegar com o estudo. É importante também para a organização das informações. OBJETIVOS: A Objetivos desta Unidade: Que o aluno conheça os aspectos dessa Doutrina; Levar o aluno a preparação para a Segunda Vinda de Jesus; Aproveitar cada oportunidade para exercitar os talentos que o Senhor tem lhe dado. APRENDIZADO: B Verificação de Aprendizagem: O que você deve fazer para mostrar que alcançou os objetivos desse estudo: 1. Saber escrever os dois aspectos da Vinda de Jesus. 2. Mostrar na Bíblia os fundamentos dessa Doutrina. 3. Fazer uma auto-análise da sua vida espiritual, como preparação para a Vinda do Senhor.

4 UNIDADE - I O ARREBATAMENTO DA IGREJA 1. O QUE É O ARREBATAMENTO DA IGREJA? 1.1 Introdução: Ao abordar o assunto do Segundo Advento estamos ingressando num dos campos mais delicados e controvertidos da Teologia. As diferentes opiniões que resultaram em controvérsias, não são meramente especulativas. Tocam nas fontes mais profundas do coração e estão vitalmente relacionadas com as experiências dos homens. A Segunda Vinda de Jesus é um tema que tem agitado a Igreja, e de um modo geral tem cativado a atenção e o coração de todas as faixas etárias da Igreja. É uma Doutrina que diz respeito a todos. 1.2 Analisaremos este assunto sob dois tópicos gerais: A VOLTA PESSOAL DE JESUS PARA BUSCAR A IGREJA, E A ORDEM DOS EVENTOS RELACIONADOS COM A SUA VINDA. 2. A VINDA DE JESUS. 2.1 O porquê da Vinda de Jesus? As Escrituras ensinam claramente que Cristo veio ao mundo para efetuar a redenção do homem e assim também virá novamente receber para Si mesmo a Sua Igreja redimida, (Hb 9:27). 2.2 A Segunda Vinda de Cristo terá dois aspectos distintos: Primeiro Aspecto Será o arrebatamento da Igreja. Segundo Aspecto Será o estabelecimento do milênio. NOTA: Tanto na primeira fase como na segunda, essa Doutrina se toma cada vez mais elemento de revelação do senhorio e esplendor de Cristo como o Rei dos reis e o Senhor dos senhores. Repetidas vezes o Senhor disse que a glória da Sua vinda seria visível aos olhos de todos num corpo glorificado, sobre as nuvens do céu, no pleno esplendor de Sua majestade real. REFERÊNCIAS BÍBLICAS: Lc. 17:24; Mt 24:30; Mt 25:31; Lc 19:12; Mt 13:40 41, 49; Lc 18:18, e seu último prolongado discurso Mt capts. 24 e 25. Termos do N.T. que são usados como expressão da Segunda Vinda de Jesus. POURASIA, é o termo mais comum usado no N.T. Referências: Mt. 24:3, I Co. 15:23, I Ts. 2:19, II Ts. 2:1,8. Significa vinda, chegada, presença. Jesus virá em pessoa, como aconteceu na encarnação. Será a volta do Rei, (Lc 19:12). - APOKALYPSIS, ocasião em que as coisas ocultas virão à luz. Referências: I Co 1:7, II Ts. 1:7, I Pd. 1:7. - EPIPHANEIA, significa: aparecimento, ou manifestação. Referências: II Ts. 2:8, Tt. 2:13.

5 A SEGUNDA VINDA DE JESUS É O EVENTO DOMINANTE DA PROFECIA DO FUTURO. Ele próprio está associado com a ressurreição universal, ao julgamento da humanidade e a consumação de todas as coisas. Jesus sempre falou da Sua vinda como Filho do Homem. Com esta verdade ele procurou tranqüilizar os discípulos. EXERCÍCIO DE REFLEXÃO (1) 1 Selecione nos Evangelhos, todas as referências proféticas pronunciadas por Jesus aos discípulos, com a finalidade de encorajá-los antes de subir para o Pai. 2 Que consolo e encorajamento pessoal, encontra nestas profecias? 3. OS FUNDAMENTOS BÍBLICOS DA DOUTRINA DA SEGUNDA VINDA DE JESUS. 3.1 Amplas referências indicam as realidades da Segunda Vinda de Jesus: Mt 24:3, I Co 15:23, II Co 7:6, I Ts. 2:19, I Ts. 3:13, II Ts. 2:1, Tg 5:17, II Pd. 1:16, I Jo 2:28 Esta doutrina profética está registrado nos três evangelhos sinóticos: - Mateus (24:1 / 25:46); - Mateus (13:1-37); - Mateus (21:4-36). No Evangelho de Mateus Cap. 24 Os Discípulos levantaram três importantes questões: 1. Quando sucederão estas coisas? 2. Que sinal haverá da Tua Vinda? 3. Que sinal haverá da consumação dos séculos? 3.2 A revelação mais direta encontramos nas próprias palavras do Senhor Jesus. (Mt. 23:38 39), Mt. 24:2,3 3.3 Várias passagens do V.T, falam das glórias do reino messiânico. São mencionadas em termos que não foram cumpridos na primeira vinda de Cristo, (II Sm 7:16), Sl 2), Is 2:1-5, Is 11:1-10, Is 40:3-5, Is. 49:6, Jr. 33:15, Ml. 4:1-3. Além disso Daniel refere-se diretamente à vinda do Senhor em glória, (Mc. 13:26, I Ts. 4:17, Ap 1:7-13, Ap. 14:14. Estudando as Doutrinas da Bíblia Bruce Milene Editora Abu/pág. 262 NOTA: Visto que este assunto envolve, quase exclusivamente o uso da profecia, convém observar em resumo alguns dos princípios que se aplicam a este departamento. A primeira profecia encontramos no proto-evangelho, Gn.3: Esse texto reúne em si mesmo todas as profecias quanto ao conflito entre a serpente e a semente da mulher. EXERCÍCIO DE REFLEXÃO (2). 1 - As profecias do V.T. podem ser assim assinaladas: - Aquelas que se cumpriram antes da encarnação de Jesus. - Aquelas que se cumpriram na encarnação. - Aquelas que se estenderam até o N.T., aos períodos da Igreja.

6 2 Agora, procure referências bíblicas que se encaixam nesta classificação de profecias. 3.4 Que sinal haverá da Tua vinda? (Mt. 24:3) Em resposta a pergunta dos discípulos, Jesus não hesitou em descrever os acontecimentos que teriam lugar antes da Sua vinda. Na resposta de Jesus encontramos uma predição de três tipos de acontecimentos, os quais entendem pelo restante do Seu discurso que estas épocas estão relacionadas entre si. 3.5 Épocas que assinalam a Segunda Vinda de Jesus: a) Haverá uma época de tribulação, distúrbios no mundo físico, conflitos políticos e desintegração social (Mt 24:7; 15-22). Certamente que estas circunstâncias servirão para despertar a Igreja e usá-las como referencial na propagação do Evangelho. b) A evangelização do mundo em ritmo acelerado Mt. 28: Jesus deixou esta responsabilidade com os Seus discípulos. Esta foi a Grande Comissão dada a Igreja. Pregar o Evangelho é acreditar e anunciar que Jesus vem. Leia: At. 1:8, Mt. 24:14. c) Haverá um tempo de apostasia devido ao engano do pecado Mt. 24:10-12, A revelação progressiva da verdade divina a respeito do anti-cristo é muito característico das Escrituras. Aqui, Jesus fala de falsos cristos e falsos profetas. - O apóstolo João fala de uma pluralidade de anticristos (I Jo. 2:18, 4:3. - O apóstolo Paulo escreveu a respeito da apostasia predominante nos últimos dias. II Ts. 2:3-4. SEIS CATEGORIAS DE SINAIS: 1. Sinais na área da decadência espiritual Mt. 24?:4-12, I Tm. 4:1. 2. Sinais na área da liderança religiosa Mt. 24:5,11 24; 3. Sinais na área política Mt. 24:6-9; 4. Sinais na área do relacionamento Mt. 24:10, II Tm. 3:1-4; 5. Sinais na área da evangelização 24:14; 3.6 Quando Jesus virá? (Mt. 24:3) 6. Sinais no mundo físico Mt. 24: Jesus disse que este assunto está reservado para o Pai, At. 1:7 e Mt. 24:36. O apóstolo Paulo fala a respeito (I Ts. 5:1-3). 3.7 O modo como Jesus virá. Temos que entender que esta fase da vinda de Cristo certamente terá dois aspectos: a) O primeiro será o ARREBATAMENTO DA IGREJA num abrir e fechar de olhos estaremos reunidos para sempre com o Senhor (I Ts. 4:16-18). b) O segundo será por OCASIÃO DO ESTABELECIMENTO DO SEU REINO MILENAL na terra. Jesus virá com a Igreja com poder e grande glória e todo o olho verá, Mt. 24: 26-27; Este momento será indicado pelos distúrbios da própria natureza, Mt. 24:29-31.

7 3.8 O propósito da Segunda Vinda de Jesus. Com base em vários textos das Escrituras, concluímos que a Segunda Vinda de Jesus tem alguns propósitos bem definidos. a) O cumprimento da Sua Obra Redentora, At. 3: b) Receber a Sua noiva (Igreja) pela qual deu a Sua vida, Ef. 5: c) Outros propósitos estão declarados nas parábolas subseqüentes ao Sermão profético de Mateus cap. 24. Jesus instruiu os discípulos a dispensar a máxima atenção a vigilância e fidelidade nas coisas do Reino. Leia Mt. 24:42,44, 40,41, EXERCICIOS DE REFLEXÃO (3): Relacione nas parábolas do Evangelho de Mateus Cap. 25 Alguns dos propósitos da Segunda Vinda de Jesus. NOTA: O propósito da Vinda de Jesus, na última parte deste discurso escatológico é bem conhecido por meio das parábolas das dez virgens e a dos talentos. Na primeira, ele salienta a falta de uma preparação adequada para a Sua vinda, enquanto que na última enfatiza o exercício do ministério cristão, colocando em prática os talentos e dons recebidos para o crescimento e edificação do Reino de Deus. Naquele dia todos nós daremos conta da nossa mordomia. LEIA Mt. 25: Características que diferenciam o arrebatamento da Igreja não se confundem com a Sua vinda em glória. VEJAMOS: a) O modo como se dará o arrebatamento. I Ts. 4:15-17, I Ts. 5:1-2. b) Os sinais cósmicos assinalados por Mateus (24:29-30), diz respeito a vinda de Cristo em glória para estabelecer o milênio na terra. Ap. 1:7, II Pd. 3:5-13. c) As diferenças físicas do arrebatamento e da vinda de Cristo em glória são notáveis. - O arrebatamento será um fato solene. Mt. 25:13. - Enquanto que a vinda de Cristo em glória será uma manifestação de poder, força e glória. APROFUNDANDO ESTUDO: 1. O enfoque doutrinário da parábola da figueira: OS SINAIS DOS TEMPOS Mt. 24:32-33; 2. O enfoque doutrinário da parábola do servo: A IMPORTÂNCIA DE FAZER A VONTADE DE DEUS Mt. 24:45-47; 3. O enfoque doutrinário da parábola das dez virgens: A VIDA CHEIA DO ESPÍRITO Mt. 25:8; 4. O enfoque doutrinário da parábola dos talentos: SERVIR A DEUS COM OS DONS Mt. 25: EXERCÍCIOS DE REFLEXÃO (4): Nas quatro parábolas seguidas ao sermão profético, assinale o tipo de alerta que Deus nos faz em cada parábola. 1 Na parábola da figueira Mt. 24:32-34; 2 Na parábola do servo bom e mal Mt. 24:45-51; 3 Na parábola das dez virgens Mt. 25:1-13; 4 Na parábola dos talentos Mt. 25:14-30.

8 4. TEORIAS RELACIONADAS COM O ARREBATAMENTO DA IGREJA E A GRANDE TRIBULAÇÃO. 4.1 Arrebatamento pré-tribulacional. a) Significado: O arrebatamento da Igreja ocorrerá antes que comece o período de sete anos de tribulação descrito no Apocalipse. Por essa razão a Igreja não passará pela Grande Tribulação. b) Base bíblica interpretada por esse ponto de vista. A promessa de ser guardado da hora da provação Ap. 3:10. A Grande Tribulação é um período de derramamento da ira de Deus, da qual a Igreja está isenta. Ap. 6:17, I Ts. 1:10, 5: Arrebatamento meso-tribulacional. a) Significado: O arrebatamento acontecerá no final da Grande Tribulação. O arrebatamento é distinto da Vinda de Cristo em glória por um pequeno intervalo de tempo. Este ponto de vista afirma que a Igreja permanecerá na terra durante todo o período da Tribulação. b) Base bíblica interpretada por esse ponto de vista. O arrebatamento e a Segunda Vinda de Cristo são descritos com as mesmas palavras. A preservação da ira de Deus significa proteção para os crentes durante a Tribulação. Haverá santos na terra durante a Tribulação Mt. 24: Arrebatamento parcial. a) Significado: Que somente os crentes que forem considerados dignos serão arrebatados antes da ira de Deus ser derramada sobre a terra, e assim os outros que foram fiéis permanecerão na terra durante a Tribulação. b) Base bíblica interpretada por esse ponto de vista; Hb. 9:28, Deus nos exorta a vigilância e preparo. (Parte das teorias acima mencionadas, estão contidas na Bíblia Anotada) DESCRIÇÃO DO ARREBATAMENTO Textos: I Ts. 4:13-18, I Co 15:17-51, Jo 14:1-3. Ordem dos acontecimentos: 1) A descida de Cristo (At 1:11) 2) 2) A ressurreição dos mortos em Cristo (I Ts. 4:16) 3) A transformação dos corpos mortais para imortais dos crentes que viverem nessa ocasião. (I Ts. 4:17); 4) Depois Cristo voltará a terra para estabelecer o Seu Reino Milenal, (Mt. 24:29-30).

9 UNIDADE II OBJETIVOS: Que o aluno tome conhecimento das teorias a respeito da ocasião da Segunda Vinda de Cristo. Saiba que apesar de toda a especulação teológica em torno do assunto, o mais importante é estar preparado. Que o aluno tenha um quadro em mente dos acontecimentos das últimas coisas. VERIFICAÇÃO DE APRENDIZAGEM: O que você deve fazer para mostrar que alcançou os objetivos desse estudo: 1. Memorizar o significado de cada teoria apresentada. 2. Descrever os eventos que sucederão a Segunda Vinda de Jesus. 1. TEORIA PÓS-MILENISTA. TEORIAS MILENISTAS Ocasião do arrebatamento da igreja Conceito: A teoria pós-milenista afirma que, a Segunda Vinda de Cristo se dará depois do milênio. 1.2 A ordem dos acontecimentos: A época final do período da Igreja (i.é seus últimos 1000 anos) é o milênio, que será uma época de paz e abundância promovida pelos esforços da Igreja, seguido a Segunda Vinda de Jesus. Segundo essa teoria, o passo seguinte será uma ressurreição generalizada, e depois desta o juízo final e a eternidade. 1.3 Quanto ao método de interpretação. A interpretação pós-milenista é amplamente espiritualizada no que tange a profecia. De acordo com essa interpretação espiritualizada, apocalipse cap. 20 será cumprido num reino eterno estabelecido pelos esforços da Igreja. NOTA: As diferenças existentes entre estas teorias, têm a ver somente com a ordem dos eventos que estão ligados ao segundo advento (vinda de Jesus). O pós-mileniarismo moderno é geralmente atribuído a Daniel Writby ( ). APROFUNDADNO O ESTUDO: A DOUTRINA PÓS-MILENAR PODE SER RESUMIDA EM QUATRO PONTOS: 1) A primeira ressurreição é um reavivamento da cusa, princípios, doutrinas, caráter e espírito dos antigos mártires e santos; 2) O milênio será precedido pelo triunfo sobre o anticristo; 3) Satanás não mais enganará as nações. As doutrinas dos mártires e seu espírito serão revividos; 4) A Igreja florescerá e a santidade triunfará durante mil anos. 1.4 Exposição de Richard Watson sobre o Pós-milenismo. Esta exposição sobre o milênio e as bênçãos que serão mais especialmente desfrutadas durante esse período, como assinala a profecia, é extraída dos escritos de Watson, antigo teólogo metodista: a) Os que participarão da primeira ressurreição (Zc. 14:20-21);

10 b) Existem motivos para se esperar um notável derramamento do Espírito por volta do início deste período feliz, assim como aconteceu na ocasião do primeiro estabelecimento do Reino de Cristo no mundo. Referências Is , Rm 11:26-27, Is 59-:20-21, Ez 36:27, Ez 39:28-29, Zc 12:10. c) O Evangelho será amplamente divulgado. Espalhando o conhecimento do Senhor por todo o mundo de um modo mais eficaz como jamais ocorreu (Is. 11:9-12). d) Os judeus se converterão a fé do Messias e participarão como os gentios das bênçãos do Seu reino. O apóstolo Paulo em (Rm.11) trata deste assunto e o confirma com as profecias do V.T. Fala de Israel num sentido literal, isto é, como a posteridade natural de Abraão, (Rm 11:7,11,12,15,17). Todavia, nega que tropeçaram para cair de maneira irrecuperável, porém através de sua queda, a salvação pode chegar aos gentios e estes por sua vez puderam provocar ciúmes nos judeus, (v. 11). Paulo argumenta que a queda e o enfraquecimento dos judeus se tornaram em riqueza para os gentios. ARGUMENTOS DE RICHARD WATSON SOBRE O TEXTO (Rm.11) - O dia da plenitude dos judeus chegará, quando serão reorganizados na videira e sua restauração será a Glória do Senhor entre as nações, (Rm 11:12, 15). - Os gentios foram enxertados contra a natureza, (o que indica que a dispensação da graça é um período determinado de tempo). (Rm 11:24). - Paulo defende este evento com certeza de que estes fatos literalmente serão uma realidade. - A futura conversão desse povo é um mistério, o sentido oculto das profecias, onde o contexto prediz tanto a rejeição como a restauração dos judeus, (Is. 59:20-21), (Is. 27:9). 1.5 Outras anotações dadas por Watson: a) A pureza da comunhão, do culto, da disciplina da Igreja visível. Serão restaurados segundo o modelo primitivo dos apóstolos. b) A presença e a habitação do Senhor estarão no meio do Seu povo. Todos serão convocados a pureza da comunhão e da santidade pessoal, prometendo habitar com eles e andar com eles, (II Co 6:16-17). Isto se cumprirá de maneira notável durante o período do milênio. c) Este será um tempo de paz, tranqüilidade e segurança universal. Quando animais por natureza, selvagens, cruéis, se tornarão mansos e inofensivos, (Is. 11:6-10). Não haverá guerras nem derramamento de sangue entre as nações durante este período feliz, (Is 2:4). d) Os governantes e os juízes civis serão todos mantedores da paz e da justiça (Is. 60:17-19). Dos santos era o domínio junto com o Senhor (Dn. 7:24-28), (Mt. 5:5), (Ap. 5:10, 20:4). O SENHOR PROMETEU LEVANTAR ISRAEL DAS SEPULTURAS Ez. 37: Todos serão reunidos: Israel e Igreja num só rebanho. -Certamente haverá símbolos tão visíveis da presença e habitação de Deus que serão alvos de atenção do mundo, produzindo convicção e temor como nos dias primitivos da Igreja (At. 2:47, 5:11-3, I Co. 24:25).

11 2. TEORIA AMILENISTA. 2.1 Conceito: Esta teoria afirma que a Segunda Vinda de Cristo se dará no fim do período da Igreja, e nega que haverá um milênio na terra. Estritamente falando, os amilenistas crêem que a condição presente dos justos no céu é o milênio. Identificam o milênio com a eternidade. Afirmam também que o reino de Cristo no coração dos crentes, significa o milênio, pois Jesus disse: O Reino de Deus está dentro de vós. 2.2 A ordem dos acontecimentos. A era da Igreja terminará num tempo de convulsão, Cristo voltará, haverá ressurreição e juízo final seguido da eternidade. 2.3 Método de interpretação. A interpretação amilenista espiritualiza as promessas feitas a Israel como nação, afirmando que são cumpridas na Igreja. De acordo com esse ponto de vista, Apocalipse cap. 20 descreve a cena das almas no céu durante o período entre a primeira e a segunda vinda de Cristo. 3. TEORIA PRÉ-MILENISTA. 3.1 Conceito: A teoria pré-milenista afirma que a Segunda Vinda de Cristo acontecerá antes do milênio. 3.2 Ordem dos acontecimentos. A era da Igreja terminará no tempo da Grande Tribulação, com a volta de Jesus, depois estabelece o Seu reino por mil anos, quando vai acontecer a ressurreição e o juízo dos não-salvos, vindo em seguida a eternidade. 3.3 Método de interpretação. O pré-milenismo segue o método de interpretação normal literal, histórico. O cap. 20 de Apocalipse é entendido literalmente. (parte do material constante nas teorias citadas, são abordadas na Bíblia Anotada) NOTA: Entro os que defendem a teoria pré-milenista, não há unanimidade quanto ao tempo em que vai ocorrer o arrebatamento da Igreja. Há quem afirme que a Igreja não entrará na Grande Tribulação, enquanto outros acreditam que a Igreja será arrebatada no meio da Grande Tribulação. 3.4 Na teoria pré-milenista é também considerado dois pontos de vista: Primeiro Os que consideram a Igreja como completa, identificando o segundo advento como sendo o arrebatamento da Igreja, a revelação de Cristo e a primeira ressurreição, colocando todos estes acontecimentos antes do milênio. Segundo Os que consideram a Igreja incompleta até o tempo do segundo advento, separando o arrebatamento e a revelação de Cristo da conflagração, estando o milênio entre os dois.

12 O FUNDAMENTO BÍBLICO DA TEORIA PRÉ-MILENISTA: - Apoio bíblico para esta teoria está baseado nas passagens que descrevem o reinado do Messias em termos de uma ordem terrena (Is. 2:2-5), (Ml. 4:1-3), (Zc. 14:9-16s). - A teoria também se vale de referências, tais como: (Mt. 19:28), (At. 1:6s). - Também admitem um espaço de tempo entre a volta de Jesus e a era eterna (I Co. 15:23-25), (I Ts. 4:13s). (Estudando as Doutrinas da Bíblia Bruce Miline/pág. 272 Abu Editora). NOTA: O QUE AGOSTINHO ENSINAVA? Agostinho ensinava que o reinado de Cristo se referia a era da Igreja, que compreendia todo o período de tempo entre o primeiro advento (encarnação de Jesus), e o segundo advento (a vinda de Jesus). Ensinava também que o milênio era o sexto período de mil anos da história do mundo. Contudo, a Igreja rejeitou esta teoria e sustentou que o milênio devia ser identificado como a dispensação evangélica (atual dispensação), interpretando o número anos apenas como um simbolismo de uma totalidade ao invés de um espaço de tempo definido. TEORIA CATÓLICA ROMANA. Segundo o Dr. Wilmers em seu Hand Book of the Christian Religion, declara que Cristo virá novamente para julgar os vivos e os mortos e este julgamento geral encerra a presente ordem das coisas. Ninguém poderá com certeza predizer o dia do juízo. Mas sabemos que não virá antes do cumprimento pleno das profecias. ORDEM DOS ACONTECIMENTOS NO CONCEITO NA TEORIA ESPIRITUALISTA DA IGREJA CATÓLICA ROMANA. 1) O Evangelho será propagado no mundo inteiro (Mt. 24:14); 2) Haverá uma grande apostasia na Igreja (II Ts. 2:3); 3) Grande decadência na vida cristã, corrupção moral, manifestando-se lúxuria e sensualidade (Lc. 17:26-30); 4) Finalmente surgirá o anticristo (II Ts. 2:3-4); 5) Os últimos dias serão precedidos de guerra, peste e fome (Mt. 24:4-5). Estes fatos serão seguidos de diversos sinais e catástrofes - (Mt. 24:20) (Lc. 21:25-26); 6) O dia do juízo encerrará a presente ordem das coisas. Depois a humanidade passará por uma experiência dupla: - Os bem-aventurados irão para o céu; - Os pecadores que não se arrependeram irão para o inferno. 4. O DESENVOLVIMENTO DA DOUTRINA NA IGREJA. 4.1 O segundo advento caracteriza o ensino dos apóstolos de três modos: A proeminência que deram aos assuntos escatológicos. A esperança da vida eterna associada a ressurreição de Cristo e Sua volta prometida (Jo. 14:1-3) A esperança de vida eterna se projeta para além deste período terreno. 4.2 Três períodos marcaram o desenvolvimento da Doutrina na Igreja:

13 a) Primeiro período: PRIMITIVO. Os historiadores de um modo geral concordam que, desde a morte dos apóstolos até o tempo de Orígenes, o que predominava era o premileniarismo, que era aceito pela Igreja. Duas afirmações fundamentais caracterizaram essa doutrina: - Que as Escrituras nos ensinam a aguardar um milênio universal de paz e justiça sobre a terra e que a era milenar será introduzida pela segunda vinda de Jesus. - Que a teoria milenar tem sua origem no judaísmo, pois, aparece mais proeminentemente entre os cristãos judeus do que entre as Igrejas gentias. b) Segundo período: REFORMA. Data o início da Reforma, desde o tempo em que Lutero começou a publicar seus trabalhos, por volta do ano Durante esse período, a Doutrina do Milênio, que havia caído em descrédito, foi novamente restaurada. Aqui destacamos duas coisas que contribuíram para isso: O crescimento do declínio do Papa, que era considerado como um dos sinais certos da pronta vinda de Cristo. Os reformadores consideravam o Papa como o anticristo (idéia que hoje tem sido completamente descartada). Houve muitas ocorrências naturais e estranhas durante esse período, tais como: terremotos, cometas, além de muitas transformações políticas, que provocaram uma tensão nervosa. c) Terceiro período: MODERNO. A partir do século XVIII, foi introduzido um novo período na história do pré-milenismo com a publicação do Comentário sobre a Revelação (1740) de Bengel. Dr. John Gill ( ) foi contemporâneo inglês de Bengel, que fez uma exposição de seu ponto de vista sob sete pontos principais: Chama-se reino especial, peculiar, diferente do reino da natureza e de seu reino espiritual. Esse reino será glorioso e Invisível (II Tm. 4:1). Este reino se instalará depois que todos os inimigos de Cristo e de Seu povo forem destruídos. O anticristo será destruído. Cristo descerá pessoalmente para aprisionar satanás e seus anjos. Este reino de Cristo será caracterizado por duas ressurreições: a ressurreição dos justos e a ressurreição dos ímpios. O reino será estabelecido antes do juízo final. Será um reino glorioso e visível, que terá lugar na terra, não no céu.

14 UNIDADE III A DOUTRINA DA GRANDE TRIBULAÇÃO OBJETIVOS: Que o aluno conheça os aspectos que envolvem a Grande Tribulação; Ter uma auto-crítica quanto a sua natureza. Que o aluno veja Deus nos movimentos sucessivos da história. APRENDIZADO: O que você deve fazer para mostrar que alcançou os objetivos desse estudo: Descrever a profecia das Setenta Semanas de Daniel. Explicar a relação que existe deste evento com Israel e a Igreja. SEMANAS DE DANIEL 1. A RELAÇÃO TEOLÓGICA DA GRANDE TRIBULÇÃO COM A PROFECIA DAS SETENTA SEMANAS DE DANIEL. 1.1 As circunstâncias da Profecia das Setenta Semanas. A profecia das setenta semanas aconteceu sob determinadas circunstâncias: O cativeiro da Babilônia, (II Cr. 36:17-21). Uma profecia anterior fora dada ao profeta Jeremias, quanto ao tempo de cativeiro, (Jr. 25:11). Daniel estava orando sobre o futuro do seu povo e de sua cidade, (Dn. 9:4-19). 1.2 A medida de tempo usado na profecia. a) Que tipo de semanas se refere a Profecia? No V.T. os judeus tinham duas medidas para o número 7 (Lv. 25: 1-4). Conforme esta passagem tem: Sete anos, sétimo ano sábado de repouso da terra. Sete dias, sétimo dia sábado de repouso do homem. A partir deste ponto, deduzimos que as semanas referidas na Profecia, significam: anos. b) Eis algumas razões para se pensar em sete anos na Profecia. Daniel estava pensando não apenas em anos, mas num múltiplo de sete (10 x 7), (Dn. 9:1-2). Neste caso, não poderia ser semanas de dias o que daria um total de 490 dias. Pouco tempo para tantos acontecimentos. Outra razão, a palavra hebraica shabua, somente num lugar a encontra se referindo as semanas de dias (Dn. 10:2-3). Dificilmente, Daniel teria jejuado 21 anos, mas sim 21 dias. c) Se estas semanas, são formadas de anos, qual será a duração do ano?

15 NOTA: É possível chegarmos a uma conclusão, tomando como base os calendários usados na história dos povos, apesar dos erros existentes. Será que as Escrituras podem nos fornecer alguma base? Existem evidências que, o ano profético das Escrituras é de 360 dias, ou 12 meses de 30 dias. CONCLUSÃO: O primeiro mês conhecido na história bíblica era de 30 dias e ano de 12 meses, ano, portanto, de 360 dias. O ARGUMENTO HISTÓRICO DO DILÚVIO COMPROVA O ANO DE 360 DIAS, ANO DE 12 MESES, MÊS DE 30 DIAS. Leia Gn. 7:11 e Gn, 8:4. Aqui temos um período de 5 meses. COMPARE Gn. 7:24 com Gn. 8:3, a duração do mesmo período é dada em dias. 1.3 O argumento profético, medida da Profecia. Dn. 9:27. Aqui é mencionado um período de perseguição aos judeus pelo príncipe vindouro, que fará uma aliança com os judeus. Na metade da semana, o equivalente a um tempo, tempos e metade de tempo. CONCLUSÃO: Assim sendo 3 ½ anos correspondem a 42 meses, que é igual a 1260 dias. O tempo usado na profecia de Daniel é realmente 7 semanas de 7 anos = 490 anos. VEJA A RELAÇÃO QUE EXISTE ENTRE ESSE TEMPO MENCIONADO EM DANIEL E O DE APOCALIPSE. - Ap. 12:4-7, fala da mesma perseguição aos santos judeus com duração de 42 meses. - Agora leia: Ap. 12:13-14, se referindo a mesma perseguição com tempo de duração exatamente conforme Dn. 9:25. - Este mesmo período é definido em 1260 dias Ap. 12:6 1.4 Quanto ao início do período da profecia está claro na Profecia de Daniel. O decreto que se refere a Profecia de Daniel, é aquele que encontramos no livro de Neemias (Nm. 1:1-4, 2:1-8). Neemias registra sob a inspiração a data exata desse decreto, (2:1). NOTA: Alguns comentários fixam a ordem como sendo os decretos de Ciro, Dário e Artaxerxes. Não pode ser porque estes decretos estão relacionados com a construção do templo e não da cidade. DECRETOS RELACIONADOS COM A CONSTRUÇÃO DO TEMPLO DE JERUSALÉM: - Referências: Ed. 1:1-2, 4:1-5, 4:11-24, 6:1-5, 6:14-15, 7:11, 20, 27. Cada referência fala da casa do Senhor. - Foi a notícia das condições do muro e dos portões da cidade que despertou Neemias. - Pediu permissão ao rei para reedificar a cidade após ter orado. (v.5). - Seu pedido ousado, foi atendido pela graça de Deus, (2:8). 1.5 Os parêntesis proféticos indicado na Profecia Dn. 9:26. Nesta passagem há um intervalo de tempo que separa dois eventos históricos: a morte de Jesus e a destruição de Jerusalém (esta aconteceu no

16 ano 70 d.c., pelo imperador Tito). Este intervalo conhecido como parêntesis profético, não foi revelado a Daniel. PARÊNTESIS PROFÉTICO MENCIONADO POR ISAÍAS E ZACARIAS: - Leia Is. 9:6 Um menino nos nasceu, este evento está separado por um tempo deste outro: o governo está sobre os seus ombros. - Outro exemplo: Zc. 9:9-10 num jumentinho (tempo) Ele anunciará paz as nações. 2. A NATUREZA DA GRANDE TRIBULAÇÃO. 2.1 O Tempo da Grande Tribulação. Como já vimos acima, é na 70 Semanas da Profecia de Daniel, portanto durará 3 ½ anos Dn. 9:27. A metade desse período é apresentado pelas expressões 42 meses e 1260 dias. Confira com Ap. 11:2-3. Para entender o elemento tempo, analise a profecia de Daniel das Setenta Semanas e o Apocalipse, quando menciona o rompimento do anticristo com Israel, na segunda metade da 70ª. Semana. A NATUREZA DA GRANDE TRIBULAÇÃO: Ira Is. 5:9, Ap. 6:16-17, 11:18, 14: Juízo Ap. 14:7, 15:4, 16:5,7, 19:2. Indignação Ap. 3:10. Angústia Jr. 30:7, Sf. 11:14-15, Dn. 12:1. Destruição I Ts. 5:3., Transtorno Is. 24:1-4, Castigo Is. 24: Prova Ap. 3: O que distingue a Grande Tribulação. Referências: Mt. 24:21, Ap. 6: A descrição da Grande Tribulação. Trata-se do julgamento do mundo. As três séries de juízos descrevem esse julgamento, Ap. 6,8,9,16. Israel será nessa ocasião perseguido, Mt. 24:9,22, Ap. 12:17. Nesse período o domínio do anticristo chegará ao seu clímax, II Ts. 2, Ap. 13. São descrições bem notáveis. 2.4 O desfecho da Grande Tribulação. O término da Tribulação acontecerá na batalha do Armagedom e no retorno de Cristo à terra, Ap O PROPÓSITO DA GRANDE TRIBULAÇÃO. Preparar o povo de Israel para receber o Messias, Jr. 30:7. Converter uma multidão de judeus, que entrará nas bênçãos do Reino, quando experimentará o cumprimento de todos os pactos de Israel, (Ml. 4:5-6). Derramar o juízo sobre os homens e as nações incrédulas, Ap. 3:10.

17 OS PACTOS DE DEUS COM ISRAEL NO V.T. 1) Aliança Abraâmica Gn. 12:2-3. 2) Aliança Palestínica Dt. 3:3. 3) Aliança Davídica II Sm. 7:16 PONTOS DE VISTA BASEADO EM Mt. 24: Que Mt. 24:4-8 descreve eventos da era da Igreja, que sucede o começo da 70ª. Semana. 2 Que esta passagem tem dupla interpretação, se referindo em parte a Igreja e em parte a tribulação. 3 Que Mt. 24:4-14, se referem à primeira metade da 70ª. Semana e os (vs ) se relaciona com a última metade, a grande tribulação e logo virá o fim. 4 Há também o ponto de vista que sugere os (vs. 4-8) como sendo a primeira metade da tribulação e os (vs. 9-26) a outra metade. À luz das Escrituras não podemos negar que a fonte da Grande Tribulação será um período de tempo, quando a ira e o juízo de Deus caíram sobre a terra, diferente de todas as tribulações precedentes. Durante este período, satanás será testado e a sua animosidade contra Israel, Ap. 12: Reflexão Pessoal: Qual o seu ponto de vista pessoal? UNIDADE IV O DIA DO SENHOR E A ERA MILENAR OBJETIVOS: Que através desse estudo o aluno sinta encorajado e inspirado a servir ao Senhor todos os dias da sua vida, para que possa fazer parte das bem-aventuranças do Dia do Senhor. Que o entendimento dessa doutrina, seja uma fonte de consolo e esperança. 1. A EXPRESSÃO DIA DO SENHOR, O QUE SERÁ? 1.1 O Dia do Senhor. Um dos maiores temas da Profecia no V.T. e N.T., é a verdade profética relacionada com o Dia do Senhor. O período que cobre o Dia do Senhor vai desde o regresso de Cristo a terra com poder e grande glória, até o final do Milênio. Há quem afirme ser o Dia do Senhor o arrebatamento da Igreja como evento inaugural, acompanhado da ressurreição dos justos e a transladação dos vivos para o encontro com o Senhor nas nuvens. 1.2 Quanto tempo durará entre o arrebatamento da Igreja e a vinda do Senhor em glória? A resposta a esta questão depende muito da teoria milenar adotada. A maioria dos escritores acham que será um período de 3 ½ anos, ou seja a primeira parte da 70ª semana de Daniel. Segundo esse ponto de vista, o

18 arrebatamento acontecerá no início da 70ª semana. Durante esse tempo os santos estarão participando das Bodas do Cordeiro nas regiões celestes, enquanto a terra estará passando por um período de Tribulação. O término do Dia do Senhor é visto nas seguintes passagens: Referências: Is. 2:12, 13:6,9, Ez. 13:5, 30:3, Jl. 1:15, 2:1,11,31, II Pd. 3:10. Este termo Dia do Senhor, ocorre mais de 75 vezes no V.T. Os eventos relacionados com o Dia do Senhor encontramos especificamente no Apocalipse O Dia do Senhor e o Dia de Cristo qual é a diferença? Há controvérsias quanto a estes dois dias identificados nas Escrituras como Dia do Senhor e o Dia de Cristo. Este tema tem sido mal entendido por vários interpretes. Cremos que o Dia do Senhor, começa na manifestação de Cristo como Rei dos reis e Senhor dos senhores (segundo aspecto da Sua vinda). Entendemos que essa manifestação gloriosa e poderosa não poderá ocorrer até que aparece o anticristo. A conclusão que chegamos numa análise mais profunda é que o Dia de Cristo, como indica algumas versões, é uma tradução errada. A tradução correta é Dia do Senhor. II Ts. 2:1 temos aqui o arrebatamento da Igreja. II Ts. 2:2 temos aqui a manifestação de Cristo. 2. A ERA MILENAR 2.1 Conceito: Trata-se do período de 1000 anos que Cristo reinará sobre a terra, dando cumprimento as Alianças Abraâmicas e Davídicas, bem como a Nova Aliança. As Alianças que Deus fez com Abraão, Isaque e Jacó todas denominadas de Aliança Abraâmica: - Com Abraão: Gn. 12:1-3,7, 13:14-18, 17:1-8, 15-22, 22: Com Isaque: Gn. 26:1-5, 28: Com Jacó: Gn. 28:13-15, 35: Designações dada a era milenar: O milênio é chamado de Reino dos Céus - Mt 6:10, Reino de Deus Lc. 19:11, Reino de Cristo Ap. 11:15, Regeneração Mt. 19:28, Tempos de Refrigério At. 3:19 e O mundo porvir Hb. 2: O governo do Milênio. Seu cabeça será Cristo Ap. 19:16. Seu caráter será um reino espiritual que produzirá paz, equidade, justiça, prosperidade e glória Is. 11:2-5. Sua capital será Jerusalém Ap. 2:3. Sua relação com satanás durante este período satanás será acorrentado, sendo liberto no final do Milênio para liderar uma revolta contra Cristo Ap. 20. Então satanás será derrotado e lançado definitivamente no inferno.

19 É uma matéria muito difícil de entender com a razão. Cristo estabelecendo na terra um reino espiritual com a Igreja glorificada. Você já pensou nisto. Seu governo tratará de coisas terrenas, quando o Pacto feito com Abraão e Davi, serão finalmente cumpridos em toda a sua plenitude e toda terra saberá que Deus é o Senhor. Aleluia. 2.4 Característica espiritual do Milênio. Será um reino caracterizado por JUSTIÇA Is. 60:21, 26:2. Será um reino caracterizado pela OBEDIÊNCIA Ef. 1:9-10. Será um reino caracterizado por SANTIDADE Sl. 98:1, Is. 52:10. Será um reino caracterizado pela VERDADE Zc. 8:8, Is. 65:16. Será um reino caracterizado pela PLENITUDE DO ESPÍRITO SANTO Ez. 36:27, 37:14, Jl. 2: A CONDIÇÕES EXISTENTES NO MILÊNIO. Muitos serão os benefícios desse período de glória. a) Paz nacional e individual será o fruto do reinado do Messias Is. 2:4, 9:7, 11:6-9, Ez. 28:26, Mq. 4:2-3. b) Gozo a plenitude da alegria será uma característica plena desse período, Is. 9:3-4, 12:3-6, 14:7-8, 60:15, 61:7,10, Jr. 30:8-9, 31:13-14, Sf. 3: c) Santo mediante o reinado teocrático de Cristo, Is. 1:26, 17:4:3-4, 29:18-23, 60:21, 61:10, Jr. 31:23, Ez. 36:24-31, 43:7-12, Zc.8:3, Ap. 21:4. d) Consolo Cristo ministrará pessoalmente cada necessidade do Seu reino, Is. 12:1-2, 29:22-23, 31:6-7, 40:1-2, Jr. 31:23-25, Zc. 9:11-12, Ap. 21:4. e) Conhecimento o ministério do Rei oferecerá aos Seus súditos pleno conhecimento, Is. 11:1-2,9, 41:19-20, Hb. 2:14, Jr. 3:14-15, 23:1-4. f) Instrução este conhecimento se obterá mediante instrução que emanará do Rei Is. 2:2-3, 12:3-6, 25:9, 30:20, 32:3-4, Jr. 3:14-15, 23:1-4. g) Não haverá morte nem enfermidade será uma característica marcante desse período, Is. 33:24, Jr. 30:17, Ez. 34:16. h) Trabalho esse período não se caracterizará pela ociosidade e sim pelo trabalho digno e bem pago, haverá um sistema econômico perfeito, no qual as necessidades dos homens serão satisfeitas, Is , 65:21-23, Jr. 31:5, Ez. 48: i) Prosperidade será um tempo de prosperidade sem igual, Is. 41:1, 35:1,12, 30:23-25, 62:8-9,65:21-23, Jr. 31:5,12, Ez. 34:26. Muito se tem dito que o Milênio será o cumprimento total de todos os pactos de Deus com Israel. Será um período reservado para o cumprimento destes Pactos. Esta era milenar, na qual os propósitos de Deus eram completamente realizados aqui na terra, deve merecer toda a nossa atenção e estudo.

20 3. O MILÊNIO E OS PACTOS DE DEUS COM ISRAEL. 3.1 O Pacto de Deus com Abraão. As promessas desse Pacto com respeito a terra e a descendência, se cumprirá na era milenar, Is. 10:21-22, 19:25,43:1,65:8-9, Jer. 30:22, 32:37-44, Ez. 34:24, Ml. 3:16-18, Zc. 13: O Pacto de Deus com Davi. As promessas desse Pacto com respeito ao trono e a casa real, também terá seu cumprimento no Milênio, Is. 11:1-2, 55:3, 11, Jr. 23:5-8, 33:20-26, Ez. 34:23-25, 37: PROVISÕES DO PACTO DAVÍDICO: II Sm. 7: O reino será estabelecido. - O templo será construído. - O trono do reino será estabelecido para sempre. 3.3 O Pacto Palestino. As promessas do Pacto Palestino com respeito a posse da terra, serão cumpridas em Israel na era milenar, Is. 65:9, Ez. 16:60-63, 36: O Novo Pacto. As promessas desse Novo Pacto, segundo o qual, a nação terá um novo coração, as bênçãos do perdão, a plenitude do Espírito, se cumprirá na era milenar, Jr. 31:31-34, 32:35-39, Ez. 11:18-20, A natureza do novo Pacto: a) É um Pacto incondicional gracioso Jr. 31: b) É um Pacto perpétuo Ez. 37:26, Jr. 31: c) É um Pacto que será impresso na mente e no coração Jr. 31:33. AS PROVISÕES DO NOVO PACTO: - Restauração Os. 2: Perdão dos pecados Jr. 31:34. - Morada do Espírito Jr. 31:33, Ez. 36: JERUSALÉM NA ERA MILENAR. 4.1 A cidade será o centro das atenções da terra. Ref.: Is. 2:2-4, Jr. 31:6, Ml. 4: A cidade será o centro do governo milenal de Cristo. Ref.: Jr. 3:17, 30:16-17, 31:6, Ez. 43:5-6, Zc. 8: A cidade será uma cidade glorioso que dará honra e louvor a Jeová. Ref.: Is. 52:1-2, 60:14-21, 61:3, 62:1-12, Jr. 30:18, 33:16, Zc. 2: A cidade será protegida pelo poder do Rei. Ref.: Is. 14:32, 25:4, 26:1-4, 33: A cidade será grandemente ampliada em relação a sua superfície atual.

21 Ref.: Jr. 31:38-40, Ez. 48:30-35, Zc. 14: A cidade será acessível a todos naqueles dias. Ref.: Is. 35: A cidade será o centro da adoração. Ref.: Jr. 30:16-21, 31:6,23, Zc. 8:8, A cidade permanecerá para sempre. Ref.: Is. 9:7, 33:20, Jl. 3: PROVISÕES DO PACTO PALESTINO: Dt. 30: A nação seria arrancada da terra por sua infidelidade Dt. 28: Haverá um arrependimento futuro para Israel Dt. 28:63-68, 30: O Messias regressaria Dt. 30: Israel seria restaurado a sua terra Dt. 30:5. - Israel seria convertido como nação Dt. 3: A nação receberia a plenitude da benção. Dt. 30:9. A PALESTINA NO MILÊNIO. 1) Será herança particular de Israel Ez. 36:8,12, 47:22-23, Zc. 8:12. 2) Sua tipografia será alterada Is. 33:10-11, Ez. 47:1-12, Jl.3:18, Zc. 4:7. 3) Será uma terra fértil e produtiva Is. 29:17, 32:15, 35:1-7, 51:3, Jr. 31:27-28, Ez. 34:27, Am. 9:13. 4) Haverá abundância de chuva Is. 30:23-25, 35:6-7, 41:17-18, Ez. 34:26, Zc. 10:1. 5) Será redistribuída entre as doze tribos de Israel Ez. 48: A RELAÇÃO DE CRISTO COM O MILÊNIO. É evidente que um reino teocrático não poderia acontecer sem a manifestação da presença da pessoa de Cristo. Nomes e títulos dados a Jesus, estão relacionados com a era milenar. Is. 4:2, 11:1, Jr. 23:5, 33:15, Zc. 3:8, Dn. 7:22-24, Is. 59: Será um período de completa manifestação da glória do Senhor. A glória de um governo Is. 9:6, Sl. 45:4. A glória de uma herança Dn. 11:16, 41; 8:9. A glória de uma magistratura Dt. 18:18-19, Is. 33:21,22. A glória de um reinado Is. 11:10, Jr. 23:6, Zc. 3: O Milênio manifestará a glória dos atributos do Senhor. a) Sua onisciência será reconhecida. Is. 66:18. b) Sua onipotência permanecerá durante toda a era. Is. 41:10, 17, 18, Sl. 46:1,5. c) Jesus receberá adoração como Deus. Is. 66:23, Sl. 86:9, Zc. 14: d) Sua justiça se manifestará plenamente. Sl 45:4,7, Sl. 98:2, Is. 1:27, 10:22, 28:17, 60:21. e) Haverá manifestação plena da misericórdia divina Is. 63:7-19, 54:7-10, 40:10-13, Sl. 89:3.

22 f) A bondade do Senhor também se manifestará. Jr. 33:9, 15, Zc. 9:17, Is.52:7. g) A santidade de Deus terá sua expressão absoluta. Ap. 15:4, Ez. 36:20-23, Is. 4: O TEMPLO MILENAR 6.1 Grande parte da profeta de Ezequiel, é dedicado a este tema: o templo na era milenar. Ez. 40:1 46:24. Sua estrutura. Seu sacerdócio. Seus ritos. UNIDADE V INTRODUÇÃO AOS ACONTECIMENTOS PROFÉTICOS DO APOCALIPSE OBJETIVOS: Tomar conhecimento das diversas formas que são usadas para interpretação do APOCALIPSE. E que nenhuma delas satisfaz plenamente. Conhecer a estrutura da mensagem do APOCALIPSE. Entender que há vários elementos no APOCALIPSE que Deus reservou para Si mesmo a sua interpretação. 1. ESTRUTURA DO LIVRO DO APOCALIPSE. 1.1 Significado do termo APOCALIPSE. A palavra APOCALIPSE usada como título do livro, vem do grego apokalupsis, que significa: revelação daquilo que estava anteriormente escondido. 1.2 No APOCALIPSE, Jesus é apresentado relacionado com três tempos distintos: Aquele que é que era que há de vir - 1:4. Assim sendo, Jesus é apresentado no APOCALIPSE relacionado: a) Com a Igreja - 1:9 3:22. b) Com a Tribulação - 4:1 19:21. c) Com o reino milenal - 20:1-10. d) Com o estado esterno - 20:11 22: As três principais divisões do Apocalipse: 1:19. De acordo com esta passagem, João recebeu a revelação nesta ordem: a) As coisas passadas as coisas que vistes, i.é., a visão da Patmos - 1:1-20. b) As coisas presentes as que são, i.é., as Igrejas existentes - 2:1 3:22. c) As coisas futuras as que hão de acontecer depois destas, i.é., os acontecimentos depois da dispensação da Igreja - 4:1, 22:5.

23 Cristo é apresentado também como: 1) Soberano dos reis da terra 1:5 2) O esposo e a cabeça da Igreja 2:1 3:22, 19:7-9. 3) O Leão da tribo de Judá 5:5. 4) O Cordeiro que for morto, (5:6,12). 5) O Sumo Sacerdote 8:3-6. 6) O Rei Juiz 19:11 20: A terceira divisão do Apocalipse (4:1 22:1) caracteriza-se pela série de sete: a) Sete selos - 4:1 8:1. b) Sete trombetas 8:2 11:19. c) Sete taças 15:1 16:21. d) Sete flagelos 17:1 20:15. e) Sete coisas novas 21:1 22: O Apocalipse foi escrito para a Igreja. Deve revelar aos servos do Senhor as coisas que hão de acontecer. Foi escrito para a Igreja e fala cerca de Israel e Igreja. A história da humanidade pode ser contada com apenas três palavras: Geração. Degeneração. Regeneração. EXERCÍCIO DE REFLEXÃO: Faça uma breve descrição dos sete selos 4:1 8:1. 2. APOCALIPSE COMO LITERATURA PROFÉTICA. 2.1 Estilo completamente diferente da literatura profética precedente. O autor designou o seu livro como uma profecia 1:3 22:7. João não menciona profetas do V.T., mas usa o seu próprio nome. João não narra a história passada, mas olha profeticamente dentro do próprio futuro. O Livro apesar das passagens sombrias, não comunica pessimismo, e sim otimismo. O Apocalipse insiste com seus leitores sobre as grandes exigências éticas. 2.2 Data e autoria: Duas opiniões quanto a ocasião em que o livro foi escrito: A primeira indica que foi durante o reinado de Nero (ano 17 d.c.). Muito cedo para João ter escrito. A segunda indica o (ano 85 d.c.) durante a perseguição promovida por Domiciano. No ano seguinte, João foi libertado e permitida a sua volta a Éfeso. Há no entanto, uma forte tendência que define a data no fim do reinado Domiciano (ano 96 d.c.). Quanto a autoria não há dúvida que seja o Apóstolo João. 2.3 O Livro trabalha os acontecimentos em torno do simbolismo do número 7. a) Há sete cartas para sete Igrejas caps. 1 3.

24 b) Sete selos e sete trombetas caps c) Sete taças caps d) Sete candeeiros cap. 1: 12, 20. e) Sete estrelas cap. 1: 16, 20. f) Sete anjos 1:20. g) Sete tochas 4:5. h) Sete trovões 10: 3-4. i) Um dragão vermelho com sete cabeças e sete diademas 17:3-7 j) Sete montes 17:9. k) Sete reis 17:9-10. AS SETE BEM AVENTURANÇAS DO APOCALIPSE. - Os que lêem esta profecia 1:3. - Os mortos que morrem no Senhor 14:13. - Aquele que vigia 16:15. - Aqueles que são chamados as Bodas do Cordeiro 19:9. - Aquele que tem parte na primeira ressurreição 20:6. - Aquele que guarda as palavras deste livro 22:7. - Aqueles que lavam as suas vestiduras 22:14. (Manual Bíblico Halley, pág. 603) 3. EXISTEM QUATRO MANEIRAS DE INTERPRETAR O APOCALIPSE: Há muitas e diferentes interpretações que são dadas ao Apocalipse. Cada uma delas apresenta suas dificuldades. Não existe uma interpretação que responda a todos os pormenores e símbolos usados no Apocalipse. 3.1 Interpretação preterista. Entende que o livro se refere aos eventos dos seus dias, escrito com o propósito de confortar a Igreja que estava sendo perseguida na ocasião da revelação. De acordo com essa interpretação, temos os seguintes: a) O tema do livro. É a vitória de Cristo sobre o Império Romano, e se relaciona quase que exclusivamente com a época de João. Assim a linguagem do Apocalipse é essencialmente figurada. b) Os sete selos do Apocalipse. São simbólicos dos terríveis juízos prestes a desabar sobre o império, e dá segurança a Igreja. c) As sete trombetas. Se refere a outros juízos sobre o império, enquanto a Igreja continua segura. d) A besta o falso profeta e a Babilônia. A besta é o Império Romano e o falso profeta é o sacerdócio organizado para impor o culto do imperador. A Babilônia é a cidade de Roma. e) As sete taças. São os últimos juízos que provocam a queda de Roma. A isto segue o milênio na terra.

25 3.2 Interpretação futurista. Entende que a maioria dos fatos registrados no livro ainda vai acontecer no futuro, e ocorrerá em breve espaço de tempo na época da vinda do Senhor. De acordo com essa interpretação, temos os seguintes: a) As sete Igrejas. São os sete períodos da história da Igreja. Até o cap. 20 o livro trata de um período de sete anos que precede imediatamente a segunda vinda do Senhor. b) Os sete selos. É um esboço do período de sete anos; as etapas do reinado do anticristo e a atividade evangelística pela quais muitos judeus e gentios serão salvos. c) As sete trombetas. São as terríveis torturas que serão submetidas a terra. d) A besta. É um anticristo, um ditador internacional, cabeça de um império de dez reinos. Babilônia será a sede do anticristo. e) As sete taças. São as catástrofes que sobrevirão à terra durante o reinado do anticristo. NOTA: Esse ponto de vista acredita que o Milênio será literalmente 1000 anos, em que Cristo, com Seus santos, reinarão na terra. 3.3 Interpretação histórica. Entende que o livro do Apocalipse foi destinado a antecipar uma vista geral de todo o período da história da Igreja, desde a época de João até o fim. Leia a Manual Bíblico de Halley/Ed. Vida Nova. INTERPRETAÇÃO HISTÓRICA. Primeiro selo: Era de prosperidade no Império Romano ( d.c.) Segundo selo: Desastre no Império Romano ( d.c.). Quinto selo: Era de perseguição ( d.c.). Sexto selo: Cristianização do Império ( d.c.). Primeira a quarta trombetas: Queda do Império Romano ( d.c.). Quinta trombeta: Ascensão do Maometismo ( d.c.). Sexta trombeta: Ascensão do poder turco ( d.c.). Abertura do livro: Era da Bíblia aberta (1500). As duas testemunhas: A Igreja e a Bíblia (1500). Medição do templo: Era da reforma da Igreja (1500). A besta: Poder mundial conferido ao papado ( ). O falso profeta: A Igreja apostada no poder ( ). Babilônia: Roma ( ). Primeira a quinta taças: São os juízos sobre o poder do Papa ( ).

Analisando Daniel 9:25, 26 e 27. Qual o objetivo das Setenta Semanas? Daniel 9:24: "Setenta Semanas são determinadas sobre o teu povo...

Analisando Daniel 9:25, 26 e 27. Qual o objetivo das Setenta Semanas? Daniel 9:24: Setenta Semanas são determinadas sobre o teu povo... Analisando Daniel 9:25, 26 e 27 Qual o objetivo das Setenta Semanas? Daniel 9:24: "Setenta Semanas são determinadas sobre o teu povo..." As semanas são semanas de anos: 1 semana = 7 anos e de acordo com

Leia mais

LIÇÃO 1 ESCATOLOGIA, O ESTUDO DAS ÚLTIMAS COISAS. Prof. Lucas Neto

LIÇÃO 1 ESCATOLOGIA, O ESTUDO DAS ÚLTIMAS COISAS. Prof. Lucas Neto LIÇÃO 1 ESCATOLOGIA, O ESTUDO DAS ÚLTIMAS COISAS Prof. Lucas Neto INTRODUÇÃO O FIM DA HUMANIDADE O fim da humanidade na terra será marcada pela gloriosa volta de Jesus e nos desdobramentos dos acontecimentos,

Leia mais

LIÇÃO 3 A SEGUNDA VINDA DE CRISTO O ARREBATAMENTO DA IGREJA. Prof. Lucas Neto

LIÇÃO 3 A SEGUNDA VINDA DE CRISTO O ARREBATAMENTO DA IGREJA. Prof. Lucas Neto LIÇÃO 3 A SEGUNDA VINDA DE CRISTO O ARREBATAMENTO DA IGREJA Prof. Lucas Neto A GLÓRIA É DE DEUS INTRODUÇÃO O ARREBATAMENTO DA IGREJA O arrebatamento da igreja do Senhor Jesus, será o mais extraordinário

Leia mais

COMO ENTENDER A DIVISÃO DO LIVRO DE APOCALIPSE

COMO ENTENDER A DIVISÃO DO LIVRO DE APOCALIPSE COMO ENTENDER A DIVISÃO DO LIVRO DE APOCALIPSE A corrente Pós-Milenista Crê que o mundo vai ser cristianizado e que teremos um grande e poderoso reavivamento e o crescimento espantoso da igreja ao ponto

Leia mais

APOCALIPSE APOCALIPSE, UMA MENSAGEM URGENTE PARA A IGREJA

APOCALIPSE APOCALIPSE, UMA MENSAGEM URGENTE PARA A IGREJA APOCALIPSE 1.1-8 APOCALIPSE, UMA MENSAGEM URGENTE PARA A IGREJA INTRODUÇÃO Dois fatores contribuem para que muitos crentes evitem o livro de Apocalipse: a) A idéia de que ele é um livro selado, que trata

Leia mais

A CIDADE SANTA DO APOCALIPSE A NOVA JERUSALÉM. vivendopelapalavra.com. Por: Helio Clemente

A CIDADE SANTA DO APOCALIPSE A NOVA JERUSALÉM. vivendopelapalavra.com. Por: Helio Clemente A CIDADE SANTA DO APOCALIPSE A NOVA JERUSALÉM vivendopelapalavra.com Por: Helio Clemente Todos os grandes intérpretes do Apocalipse adotam uma visão paralela das descrições do livro, as sete igrejas, os

Leia mais

ESCATOLOGIA - Doutrina das últimas coisas.

ESCATOLOGIA - Doutrina das últimas coisas. ESCATOLOGIA - Doutrina das últimas coisas. Em relação à volta do Senhor Jesus, a única unanimidade que há entre os teólogos é que ela acontecerá. Nos demais aspectos, são várias correntes defendidas. Cada

Leia mais

A profecia das 70 SEMANAS DE DANIEL

A profecia das 70 SEMANAS DE DANIEL A profecia das 70 SEMANAS DE DANIEL AS SETENTA SEMANAS DE DANIEL Profetizadas há 2600 anos (v. 1) Daniel sabia que o fim do cativeiro estava próximo (v.2 cf. Jr 25.11, 12; 29.10) Daniel entenderia que

Leia mais

LIÇÃO 3 - O DIA DO SENHOR. Prof. Lucas Neto

LIÇÃO 3 - O DIA DO SENHOR. Prof. Lucas Neto LIÇÃO 3 - O DIA DO SENHOR Prof. Lucas Neto A GLÓRIA É DE DEUS INTRODUÇÃO O DIA DO SENHOR EM TODAS AS ÉPOCAS O dia do Senhor representou para Judá e Israel um severo julgamento devido a altivez humana que

Leia mais

Daniel 9 A PROFECIA DAS 70 SEMANAS DE DANIEL

Daniel 9 A PROFECIA DAS 70 SEMANAS DE DANIEL Daniel 9 A PROFECIA DAS 70 SEMANAS DE DANIEL AS SETENTA SEMANAS DE DANIEL Profetizadas há 2600 anos (v. 1) Daniel sabia que o fim do cativeiro estava próximo (v.2 cf. Jr 25.11, 12; 29.10) Daniel orava

Leia mais

Os apóstolos serão juízes sobre as 12 tribos de Israel; Mateus 19:28

Os apóstolos serão juízes sobre as 12 tribos de Israel; Mateus 19:28 12. O Reino milenar de Cristo ( Apocalipse 20:1~10) #112r O cap.20 de Apocalipse que estamos estudando, cita no início e no final os mil anos de duração do período do Milênio, todavia não os descreve;

Leia mais

Assunto Bodas do cordeiro, julgamento das nações e propósitos do Milênio.

Assunto Bodas do cordeiro, julgamento das nações e propósitos do Milênio. Assunto Bodas do cordeiro, julgamento das nações e propósitos do Milênio. Tendo em vista que já nos foi apresentado o tribunal de CRISTO a primeira fase onde nosso serviço a DEUS e ao próximo será avaliado

Leia mais

I - INTRODUÇÃO AO LIVRO

I - INTRODUÇÃO AO LIVRO APOCALIPSE Estudo Bíblico Quarta-feira 20hs. Rev. Rogério I - INTRODUÇÃO AO LIVRO IPMN 2016 REV. ROGÉRIO F. DE ALMEIDA AUTOR AUTORIA O autor do livro - João (1:1,1:4, 22:8). Era conhecido das Igrejas da

Leia mais

A Volta de Jesus Subsídio para a conversa teológica (os livros da IBC estão à disposição para pesquisa) Scanner da matéria A Volta de Cristo da Teologia Sistemática de Wayne Grudem e ao final um esquema

Leia mais

A SEGUNDA VOLTA DE CRISTO

A SEGUNDA VOLTA DE CRISTO A SEGUNDA VOLTA DE CRISTO 1 - Só existirá uma nova vinda de Cristo. Esta segunda vinda será um evento pessoal e físico, Jesus voltará fisicamente à terra, a mesma pessoa que deixou os apóstolos na ascensão

Leia mais

PANORAMA ESCATOLÓGICO PRÉ-TRIBULACIONISTA INTRODUÇÃO

PANORAMA ESCATOLÓGICO PRÉ-TRIBULACIONISTA INTRODUÇÃO PANORAMA ESCATOLÓGICO PRÉ-TRIBULACIONISTA INTRODUÇÃO DEFININDO ESCATOLOGIA O Estudo das últimas coisas O futuro em termos pessoais e cósmicos Tem a ver com a Igreja Israel as Nações VOCÊ! Temas e Termos

Leia mais

A volta de Jesus é iminente, pois pode acontecer a qualquer momento.

A volta de Jesus é iminente, pois pode acontecer a qualquer momento. LIÇÃO 12 - A VOLTA DE JESUS Texto Bíblico: Apocalipse 19.11-16 Objetivos: Compreender as implicações sobre a segunda vinda de Cristo. Resgatar em sua vida cristã a bendita expectativa da volta de Cristo.

Leia mais

Lição n.º 6 - A UNIDADE DA BÍBLIA

Lição n.º 6 - A UNIDADE DA BÍBLIA Lição n.º 6 - A UNIDADE DA BÍBLIA Lição n.º 6 (Início) Objeto de estudo: Reconhecer o fato de que a unidade da Bíblia é uma das provas de sua autenticidade! 1 Versículo-chave: Cl 1.26-27 O ministério que

Leia mais

A segunda besta é também conhecido como falso profeta (Ap ;19.20 ; 20.10) a cerca dele podemos dizer:

A segunda besta é também conhecido como falso profeta (Ap ;19.20 ; 20.10) a cerca dele podemos dizer: Estudo Básico escatológico sobre o arrebatamento. Vamos no estudo desta noite dar continuidade a eventos que acontecerão durante o período de tribulação e grande tribulação. Falamos no estudo passado sobre

Leia mais

O Reino de Deus. Estudo Bíblico e Sistemático

O Reino de Deus. Estudo Bíblico e Sistemático O Reino de Deus Estudo Bíblico e Sistemático Antigo Testamento Sl 103.19 Deus é visto como o rei da criação, tendo domínio sobre todos os aspectos da criação (inanimados, animados e humanos). Ao criar

Leia mais

ESCATOLOGIA BÍBLICA. Apocalipse

ESCATOLOGIA BÍBLICA. Apocalipse ESCATOLOGIA BÍBLICA Apocalipse 7.9-17 A visão dos glorificados 9 Depois destas coisas, vi, e eis grande multidão que ninguém podia enumerar, de todas as nações, tribos, povos e línguas, em pé diante do

Leia mais

autoridade sobre as nações, porque me foram dados e posso dá-los a quem eu quiser (Lc 4.6). Embora Deus seja soberano e Satanás não possa fazer nada

autoridade sobre as nações, porque me foram dados e posso dá-los a quem eu quiser (Lc 4.6). Embora Deus seja soberano e Satanás não possa fazer nada Introdução No cerne da verdade redentora bíblica está a esperança abençoada do glorioso segundo advento pessoal de Jesus Cristo. A salvação tem que ver com a redenção dos homens como indivíduos e como

Leia mais

Título: DEPOIS DESTAS COISAS Autor: G. H. HAYHOE. Literaturas em formato digital:

Título: DEPOIS DESTAS COISAS Autor: G. H. HAYHOE. Literaturas em formato digital: Título: DEPOIS DESTAS COISAS Autor: G. H. HAYHOE Literaturas em formato digital: www.acervodigitalcristao.com.br Literaturas em formato Impresso: www.verdadesvivas.com.br Evangelho em 03 Minutos: www.3minutos.net

Leia mais

Aula II A Igreja, como uma entidade espiritual, espelha numa determinada localidade o próprio Deus e seus propósitos.

Aula II A Igreja, como uma entidade espiritual, espelha numa determinada localidade o próprio Deus e seus propósitos. Aula II A Igreja, como uma entidade espiritual, espelha numa determinada localidade o próprio Deus e seus propósitos. Por que a Igreja existe? Qual o seu propósito? Por que Deus a deixou no mundo? E pôs

Leia mais

LIÇÃO 10 A DIMENSÃO PRESENTE E FUTURA DO REINO. Prof. Lucas Neto

LIÇÃO 10 A DIMENSÃO PRESENTE E FUTURA DO REINO. Prof. Lucas Neto LIÇÃO 10 A DIMENSÃO PRESENTE E FUTURA DO REINO Prof. Lucas Neto A GLÓRIA É DE DEUS INTRODUÇÃO A DIMENSÃO DO REINO DE DEUS O Reino de Deus é adimensional existindo por si só no plano espiritual e material.

Leia mais

LIÇÃO 13 - O MILÊNIO E A NOVA JERUSALÉM. Texto bíblico: Apocalipse Motivação

LIÇÃO 13 - O MILÊNIO E A NOVA JERUSALÉM. Texto bíblico: Apocalipse Motivação LIÇÃO 13 - O MILÊNIO E A NOVA JERUSALÉM Texto bíblico: Apocalipse 20.1-6 Motivação Esta é a última lição. Com ela encerramos o maior repertório de revelações bíblicas sobre o céu e o final dos tempos.

Leia mais

De um modo geral as pessoas têm medo do futuro revelado no Apocalipse.

De um modo geral as pessoas têm medo do futuro revelado no Apocalipse. INTRODUÇÃO De um modo geral as pessoas têm medo do futuro revelado no Apocalipse. O período da Grande Tribulação parece sombrio, mas qual deve ser nosso olhar para esse período. O propósito deste livro

Leia mais

LIÇÃO 12 NA VINDA DE JESUS BOA ESPERANÇA. Prof. Lucas Neto

LIÇÃO 12 NA VINDA DE JESUS BOA ESPERANÇA. Prof. Lucas Neto LIÇÃO 12 NA VINDA DE JESUS BOA ESPERANÇA Prof. A GLÓRIA É DE DEUS INTRODUÇÃO EM BREVE CRISTO VOLTARÁ Em breve Cristo vai voltar segundo a sua promessa para buscar a sua fiel igreja. Nesta lição estudaremos

Leia mais

INTRODUÇÃO AO TRIMESTRE - Trimestre temático O desafio da evangelização obedecendo ao ide do Senhor Jesus de levar as boas novas a toda criatura.

INTRODUÇÃO AO TRIMESTRE - Trimestre temático O desafio da evangelização obedecendo ao ide do Senhor Jesus de levar as boas novas a toda criatura. INTRODUÇÃO AO TRIMESTRE - Trimestre temático O desafio da evangelização obedecendo ao ide do Senhor Jesus de levar as boas novas a toda criatura. - A Igreja foi criada para dar seguimento ao ministério

Leia mais

IGREJA. Sua Natureza

IGREJA. Sua Natureza IGREJA Sua Natureza A igreja é a comunidade de todos os cristãos de todos os tempos. Wayne Grudem A igreja é o novo Israel de Deus que revela nesse tempo Sua glória Thiessen A igreja é a a assembléia dos

Leia mais

Evangelhos e atos. Observações

Evangelhos e atos. Observações NOVO TESTAMENTO Muitas vezes e de diversos modos outrora falou Deus aos nossos pais pelos profetas. Ultimamente nos falou por seu Filho (Hebreus 1,1-2) EVANGELHOS E ATOS Evangelhos e atos Os melhores recursos

Leia mais

PLANO DE LEITURA DA BÍBLIA

PLANO DE LEITURA DA BÍBLIA PLANO DE LEITURA DA BÍBLIA Como Ler a Bíblia Reserve tempo para ler a Bíblia cada dia. É bom guardar sempre a mesma hora. Dedique tanto tempo quanto seja possível, cuidando para que outras coisas não interrompam

Leia mais

HAMARTIOLOGIA: DOUTRINA DO PECADO

HAMARTIOLOGIA: DOUTRINA DO PECADO HAMARTIOLOGIA: DOUTRINA DO PECADO I - A ORIGEM DO PECADO 1. Em relação a Deus. Em Seu plano permitiu que suas criaturas (anjos e homens) tivessem a liberdade (livre arbítrio) de viver em amor e obediência

Leia mais

evangelização obedecendo ao ide do Senhor Jesus de levar as boas novas a toda criatura.

evangelização obedecendo ao ide do Senhor Jesus de levar as boas novas a toda criatura. O Trimestre temático O desafio da evangelização obedecendo ao ide do Senhor Jesus de levar as boas novas a toda criatura. O A Igreja foi criada para dar seguimento ao ministério terreno do Nosso Senhor

Leia mais

SÓ EXISTIRÁ UMA NOVA VINDA DE CRISTO, QUE SERÁ VISÍVEL POR TODA HUMANIDADE

SÓ EXISTIRÁ UMA NOVA VINDA DE CRISTO, QUE SERÁ VISÍVEL POR TODA HUMANIDADE vivendopelapalavra.com Por: Helio Clemente SÓ EXISTIRÁ UMA NOVA VINDA DE CRISTO, QUE SERÁ VISÍVEL POR TODA HUMANIDADE A segunda vinda de Cristo será um evento pessoal e físico, Jesus voltará fisicamente

Leia mais

As visões dos profetas não se constituem em manifestações físicas de Deus, mas aparições espirituais em sonhos ou estado de êxtase.

As visões dos profetas não se constituem em manifestações físicas de Deus, mas aparições espirituais em sonhos ou estado de êxtase. vivendopelapalavra.com Por: Helio Clemente Conforme a Escritura, Deus é espírito puro, imaterial e invisível, é simples e não se constitui de partes. Está escrito que homem algum viu a Deus; está escrito

Leia mais

Textos bíblicos e observações Jörg Garbers - Ms. de Teologia. A volta de Cristo

Textos bíblicos e observações Jörg Garbers - Ms. de Teologia. A volta de Cristo Textos bíblicos e observações Jörg Garbers - Ms. de Teologia A volta de Cristo Introdução A palavra segunda vinda ou volta não ocorre no NT. Parusia: Estar presente / Presença Visita oficial de um príncipe

Leia mais

Confie no poder de Deus Efésios 6.10,11 Pr. Vlademir Silveira Série Armadura de Deus Mensagem # 1 IBMC 07/10/12

Confie no poder de Deus Efésios 6.10,11 Pr. Vlademir Silveira Série Armadura de Deus Mensagem # 1 IBMC 07/10/12 Introdução Confie no poder de Deus Efésios 6.10,11 Pr. Vlademir Silveira Série Armadura de Deus Mensagem # 1 IBMC 07/10/12 Série de 5 mensagens sobre a Armadura de Deus no livro de Efésios. Efésios 1.1

Leia mais

A REVELAÇÃO E A MISSÃO DE DEUS (MISSIO DEI)

A REVELAÇÃO E A MISSÃO DE DEUS (MISSIO DEI) A REVELAÇÃO E A MISSÃO DE DEUS (MISSIO DEI) Teologia Bíblica da Missão de Deus RELEMBRAR A MISSÃO NOS EVANGELHOS 1. Jesus Cristo homem é o exemplo padrão para o exercício da Missão de Deus (intimidade

Leia mais

AS OBRAS DE JESUS CRISTO NO MEIO DE SUA IGREJA Introdução. Sexta-feira, 22 de julho de 2016 Bogotá, Colômbia

AS OBRAS DE JESUS CRISTO NO MEIO DE SUA IGREJA Introdução. Sexta-feira, 22 de julho de 2016 Bogotá, Colômbia AS OBRAS DE JESUS CRISTO NO MEIO DE SUA IGREJA Introdução Sexta-feira, 22 de julho de 2016 Bogotá, Colômbia NOTA AO LEITOR Nossa intenção é fazer uma transcrição fiel e exata desta Mensagem, tal como foi

Leia mais

O Espírito Santo. Ontem e Hoje

O Espírito Santo. Ontem e Hoje O Espírito Santo Ontem e Hoje E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, a fim de que esteja para sempre convosco, o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não no vê, nem

Leia mais

PPROFECIA ESCATOLÓGICA

PPROFECIA ESCATOLÓGICA PPROFECIA ESCATOLÓGICA DOUTRINA DAS ÚLTIMAS COISAS Este termo deve ser entendido como reverência ao estágio final do plano de Deus na história Esta profecia se baseia no conceito de que Deus tem um projeto

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIRO ON LINE

CURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIRO ON LINE CURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIRO ON LINE AULA 6: SOTERIOLOGIA Baseado em Jeremias 9: 24, a Igreja Pentecostal Deus é Amor oferece a você, obreiro, a oportunidade aprofundar seu conhecimento na palavra de Deus

Leia mais

OS OFÍCIOS DE CRISTO REI. vivendopelapalavra.com. Por: Helio Clemente. - Rei:

OS OFÍCIOS DE CRISTO REI. vivendopelapalavra.com. Por: Helio Clemente. - Rei: OS OFÍCIOS DE CRISTO REI vivendopelapalavra.com Por: Helio Clemente - Rei: Para se entender a plenitude do reinado de Cristo é de extrema importância que se tenha em mente que este reinado é espiritual.

Leia mais

DECLARAÇÃO DE FÉ. CONPLEI Conselho Nacional de Pastores e Líderes Evangélicos Indígenas

DECLARAÇÃO DE FÉ. CONPLEI Conselho Nacional de Pastores e Líderes Evangélicos Indígenas DECLARAÇÃO DE FÉ CONPLEI Conselho Nacional de Pastores e Líderes Evangélicos Indígenas DAI-AMTB Departamento de Assuntos Indígenas, Associação de Missões Transculturais Brasileiras Campo Grande, MS: 2016

Leia mais

Slide 2

Slide 2 ( ) Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme Sua soberana vontade para o que for útil (I Co.12:1-12). www.portalebd.org.br Slide 2 O Uma

Leia mais

Ensinos de Cristo O que Jesus Cristo ensinou?

Ensinos de Cristo O que Jesus Cristo ensinou? Introdução à 23/05/2011 A doutrina de Cristo segundo as escrituras Ensinos de Cristo O que Jesus Cristo ensinou? Ensinos de Cristo Jesus anunciou a chegada do reino, propôs altos padrões éticos àqueles

Leia mais

AULA VII ESCATOLOGIA A DOUTRINA DAS ÚLTIMAS COISAS. I.No princípio

AULA VII ESCATOLOGIA A DOUTRINA DAS ÚLTIMAS COISAS. I.No princípio AULA VII ESCATOLOGIA A DOUTRINA DAS ÚLTIMAS COISAS I.No princípio a. O Propósito da Criação Doxologia Rm 11.36; Cl 1.15-17; Ef 1.4-6 b. A Soberania Mediada é Instituída O homem deveria dominar sobre a

Leia mais

A esperança segundo a Bíblia. Devocional. Russell Shedd

A esperança segundo a Bíblia. Devocional. Russell Shedd Devocional A esperança segundo a Bíblia A Bíblia inspira esperança. De Gênesis a Apocalipse, há uma corrente animadora de antecipação. A catástrofe no Jardim do Éden provocou a ira de Deus contra os culpados

Leia mais

em retribuição à rejeição da mais ampla oportunidade de salvação que já houve, mandará o maior juízo que já se abateu sobre a Terra.

em retribuição à rejeição da mais ampla oportunidade de salvação que já houve, mandará o maior juízo que já se abateu sobre a Terra. O Toda dispensação termina com um juízo. O Deus é justo (Sl.145:17) e, portanto, em retribuição à rejeição da mais ampla oportunidade de salvação que já houve, mandará o maior juízo que já se abateu sobre

Leia mais

Preparado por: Pr. Wellington Almeida. LIÇÃO O Filho de Davi. O Evangelho. Mateus

Preparado por: Pr. Wellington Almeida. LIÇÃO O Filho de Davi. O Evangelho. Mateus Preparado por: Pr. Wellington Almeida LIÇÃO O Filho de Davi 01 O Evangelho Mateus de esboço INTRODUÇÃO Embora Mateus fosse um desprezado, o Senhor olhou para o coração dele e o escolheu para ser discípulo.

Leia mais

História da Igreja. Prof. Dener I Aula 1 I 19/03/2017

História da Igreja. Prof. Dener I Aula 1 I 19/03/2017 História da Igreja Prof. Dener I Aula 1 I 19/03/2017 1. O que é a Igreja? É um edifício construído com pedras vivas. Também vós mesmos, como pedras que vivem, sois edificados casa espiritual para serdes

Leia mais

INTRODUÇÃO - A salvação do homem por Cristo Jesus era um mistério que só foi plenamente revelado com a encarnação do Verbo.

INTRODUÇÃO - A salvação do homem por Cristo Jesus era um mistério que só foi plenamente revelado com a encarnação do Verbo. INTRODUÇÃO - A salvação do homem por Cristo Jesus era um mistério que só foi plenamente revelado com a encarnação do Verbo. - O primeiro a pregar o evangelho ao homem foi o próprio Deus no Éden. I O PROTOEVANGELHO

Leia mais

COPYRIGHT TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - SABER E FÉ

COPYRIGHT TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - SABER E FÉ Aviso importante! Esta matéria é uma propriedade intelectual de uso exclusivo e particular do aluno da Saber e Fé, sendo proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo, exceto em breves citações

Leia mais

Título: O CÂNTICO DOS CÂNTICOS DO NOIVO Autor: C. E. LUNDEN. Literaturas em formato digital:

Título: O CÂNTICO DOS CÂNTICOS DO NOIVO Autor: C. E. LUNDEN. Literaturas em formato digital: Título: O CÂNTICO DOS CÂNTICOS DO NOIVO Autor: C. E. LUNDEN Literaturas em formato digital: www.acervodigitalcristao.com.br Literaturas em formato Impresso: www.verdadesvivas.com.br Evangelho em 03 Minutos:

Leia mais

DEUS É BOM E IMUTÁVEL

DEUS É BOM E IMUTÁVEL Eu,, servo de Deus e do Senhor Jesus Cristo, envio saudações a todo o povo de Deus espalhado pelo mundo inteiro. DEUS É BOM E IMUTÁVEL INTRODUÇÃO Não podemos perder de vista nunca que apesar de todas as

Leia mais

Devocional. Céus Abertos Pastor Carlito Paes

Devocional. Céus Abertos Pastor Carlito Paes BÍBLIA Devocional Céus Abertos Pastor Carlito Paes 2 ROTEIRO BÍBLIA: ENTENDENDO A PALAVRA DE DEUS O que devo conhecer sobre a bíblia? Diversidade dos Autores Condições de alguns autores quando foram inspirados

Leia mais

LIÇÃO 03 - ADORAÇÃO A DEUS E AO CORDEIRO

LIÇÃO 03 - ADORAÇÃO A DEUS E AO CORDEIRO LIÇÃO 03 - ADORAÇÃO A DEUS E AO CORDEIRO Texto bíblico: Apocalipse 4-5 Motivação Os imperadores romanos eram pessoas muito poderosas. Tão poderosas que imaginavam poder receber honras e adoração como se

Leia mais

Classe Adultos. Obedecendo ao Ide do Senhor Jesus de levar as Boas-Novas a toda criatura

Classe Adultos. Obedecendo ao Ide do Senhor Jesus de levar as Boas-Novas a toda criatura Classe Adultos Obedecendo ao Ide do Senhor Jesus de levar as Boas-Novas a toda criatura OBJETIVOS OBJETIVO GERAL Saber que Deus exige de cada crente uma atitude evangelística responsável e amorosa.

Leia mais

Conhecendo a minha Bíblia Antigo Testamento

Conhecendo a minha Bíblia Antigo Testamento Conhecendo a minha Bíblia Antigo Testamento 1ª Igreja Presbiteriana Independente de Londrina Área de Apoio de Educação Cristã Escola Bíblica Esperança Examinai as Escrituras... porque são elas que testificam

Leia mais

OA salvação do homem por Cristo Jesus era um mistério que só foi plenamente revelado com a encarnação do Verbo.

OA salvação do homem por Cristo Jesus era um mistério que só foi plenamente revelado com a encarnação do Verbo. OA salvação do homem por Cristo Jesus era um mistério que só foi plenamente revelado com a encarnação do Verbo. OO primeiro a pregar o evangelho ao homem foi o próprio Deus no Éden. www.portalebd.org.br

Leia mais

ASCENSÃO DO SENHOR. LEITURA I Actos 1, Leitura dos Actos dos Apóstolos. No meu primeiro livro, ó Teófilo,

ASCENSÃO DO SENHOR. LEITURA I Actos 1, Leitura dos Actos dos Apóstolos. No meu primeiro livro, ó Teófilo, ASCENSÃO DO SENHOR LEITURA I Actos 1, 1-11 Leitura dos Actos dos Apóstolos No meu primeiro livro, ó Teófilo, narrei todas as coisas que Jesus começou a fazer e a ensinar, até ao dia em que foi elevado

Leia mais

TEOLOGIA BÍBLICA DE MISSÕES

TEOLOGIA BÍBLICA DE MISSÕES TEOLOGIA BÍBLICA DE MISSÕES O Pentateuco e Missões O palco: criação e queda. Os primórdios da humanidade Chamado de Abraão A Lei Israel e Missões (Livros Históricos) 1. Um povo 2. Uma nação 3. Um reino

Leia mais

Edições. Biblioteca VIDA NOVA de Recursos Pedagógicos para Teologia Sistemática, de Wayne Grudem

Edições. Biblioteca VIDA NOVA de Recursos Pedagógicos para Teologia Sistemática, de Wayne Grudem Biblioteca VIDA NOVA de Recursos Pedagógicos para Teologia Sistemática, de Wayne Grudem Estrutura da Obra Parte I II III IV V VI VII Conteúdo Introdução A Doutrina da Palavra De Deus A Doutrina de Deus

Leia mais

A REVELAÇÃO E A MISSÃO DE DEUS (MISSIO DEI)

A REVELAÇÃO E A MISSÃO DE DEUS (MISSIO DEI) A REVELAÇÃO E A MISSÃO DE DEUS (MISSIO DEI) Teologia Bíblica da Missão de Deus Tema missiológico comum: Reino de Deus Mais de 70 vezes é referido por Jesus nos Evangelhos O tema destaca-se do começo ao

Leia mais

Introdução Traduções e Referências Bíblicas Lição Conceitos Básicos. Lição Criação. Lição 3...

Introdução Traduções e Referências Bíblicas Lição Conceitos Básicos. Lição Criação. Lição 3... SUMÁRIO Introdução... 7 Traduções e Referências Bíblicas... 8 Lição 1... 10 Conceitos Básicos Lição 2... 12 Criação Lição 3... 14 Queda Lição 4... 16 A Promessa do Senhor Lição 5... 18 A Chegada do Salvador

Leia mais

A Oração. Egmon Pereira. 23 de Agosto de Igreja Presbiteriana do Brasil. A Oração. Egmon Pereira. Texto Bíblico. Introdução.

A Oração. Egmon Pereira. 23 de Agosto de Igreja Presbiteriana do Brasil. A Oração. Egmon Pereira. Texto Bíblico. Introdução. Igreja Presbiteriana do Brasil 23 de Agosto de 2016 Mateus 6.5-15 5 E, quando orardes, não sereis como os hipócritas; porque gostam de orar em pé nas sinagogas e nos cantos das praças, para serem vistos

Leia mais

Planejamento. 1. Introdução 2. Painel Histórico 3. Painel dos Livros 4. Painel Geográfico 5. Painel Temático

Planejamento. 1. Introdução 2. Painel Histórico 3. Painel dos Livros 4. Painel Geográfico 5. Painel Temático NOVO TESTAMENTO Planejamento 1. Introdução 2. Painel Histórico 3. Painel dos Livros 4. Painel Geográfico 5. Painel Temático Introdução Fatores que favoreceram ao Ministério de Jesus Língua e cultura globalizadas

Leia mais

E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É me dado todo o poder no céu e na terra.

E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É me dado todo o poder no céu e na terra. Casas Abertas Estudos Diversos Batismo O batismo cristão é uma de duas ordenanças que Jesus instituiu para a igreja: E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É me dado todo o poder no céu e na terra.

Leia mais

Treinamento de Instrutores Bíblicos. Como Ensinar Doutrinas Básicas Adventistas

Treinamento de Instrutores Bíblicos. Como Ensinar Doutrinas Básicas Adventistas North A meric an Divisio n Portuguese Mi nistry Treinamento de Instrutores Bíblicos Como Ensinar Doutrinas Básicas Adventistas Como Ensinar Doutrinas Básicas Adventistas Objetivo Uma compreensão clara

Leia mais

Interpretando o Apocalipse Por Pastor Luiz Antonio.

Interpretando o Apocalipse Por Pastor Luiz Antonio. Interpretando o Apocalipse Por Pastor Luiz Antonio. VERSÍCULOS DE 8 A 11. 8. Eu sou o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim, diz o Senhor, que é, e que era, e que há de vir, o Todo-poderoso....O Alfa e o

Leia mais

CRISTO CUMPRIU E ACABOU COM O REGIME DO ANTIGO TESTAMENTO

CRISTO CUMPRIU E ACABOU COM O REGIME DO ANTIGO TESTAMENTO CRISTO CUMPRIU E ACABOU COM O REGIME DO ANTIGO TESTAMENTO A glória de Jesus Cristo brilha ainda mais claramente quando O vemos em sua relação apropriada com o Antigo Testamento. Ele tem uma relação magnificente

Leia mais

Veremos hoje os últimos acontecimentos da escatologia enumerados da seguinte forma: 1)

Veremos hoje os últimos acontecimentos da escatologia enumerados da seguinte forma: 1) 11 Os últimos Acontecimentos Escatológicos Fim do mundo é uma frase muito ouvida em todas as épocas. Sab emos que não passa de uma força de expressão, visto que, na realidade, não existirá o fim do mundo.

Leia mais

Por maior que seja um império humano, nenhum subsistirá por muito tempo ao Reino de Deus.

Por maior que seja um império humano, nenhum subsistirá por muito tempo ao Reino de Deus. LIÇÃO 11 - AS TAÇAS DA IRA Texto Bíblico: Apocalipse 16.1-9 Objetivos: Reconhecer a soberania de Deus sobre o mundo; Investir na submissão ao senhorio de Cristo. Recursos Materiais: Sete taças de vidro

Leia mais

ESCOLA DA FÉ Paróquia Santo Antonio do Pari Aula 7: Jesus, o Filho de Deus - 2ª parte.

ESCOLA DA FÉ Paróquia Santo Antonio do Pari Aula 7: Jesus, o Filho de Deus - 2ª parte. ESCOLA DA FÉ Paróquia Santo Antonio do Pari Aula 7: Jesus, o Filho de Deus - 2ª parte. Frei Hipólito Martendal, OFM. São Paulo-SP, 31 de maio de 2012. revisão, comentários e dúvidas sobre as aulas anteriores.

Leia mais

Advento é uma palavra latina, ad-venio,

Advento é uma palavra latina, ad-venio, Advento -Tempo de preparação para o Natal - Advento é uma palavra latina, ad-venio, que significa aproximar-se, vir chegando aos poucos. Durante as quatro semanas do Advento preparamo-nos para o Natal.

Leia mais

LIÇÃO 3 A SALVAÇÃO E O ADVENTO DO SALVADOR. Prof. Lucas Neto

LIÇÃO 3 A SALVAÇÃO E O ADVENTO DO SALVADOR. Prof. Lucas Neto LIÇÃO 3 A SALVAÇÃO E O ADVENTO DO SALVADOR Prof. Lucas Neto A GLÓRIA É DE DEUS INTRODUÇÃO O NASCIMENTO DO SALVADOR Deus antes da fundação do mundo já providenciara o plano de salvação da humanidade e esta

Leia mais

A REVELAÇÃO E A MISSÃO DE DEUS (MISSIO DEI)

A REVELAÇÃO E A MISSÃO DE DEUS (MISSIO DEI) A REVELAÇÃO E A MISSÃO DE DEUS (MISSIO DEI) Teologia Bíblica da Missão de Deus Paulo Adolfo A Revelação e a Missão de Deus (Missio Dei) Objetivos da matéria: 1. Apresentar as bases bíblicas para o projeto

Leia mais

O Rev. Ronaldo Lidório comentou esse texto e trabalhou a MISSÃO.

O Rev. Ronaldo Lidório comentou esse texto e trabalhou a MISSÃO. 1 O LIVRO E O CORDEIRO O Rev. Ronaldo Lidório comentou esse texto e trabalhou a MISSÃO. 1) A Missão do Pai é Reinar 2) A Missão do Filho é Pagar o Preço; 3) A Missão da Igreja é servir ao Cordeiro Jesus.

Leia mais

Slide 2

Slide 2 E, naquele tempo, se levantará Miguel, o grande príncipe, que se levanta pelos filhos do teu povo, e haverá um tempo de angústia, qual nunca houve, desde que houve nação até àquele tempo; mas, naquele

Leia mais

ESCATOLOGIA BÍBLICA. Apocalipse Prof. Davi Albuquerque

ESCATOLOGIA BÍBLICA. Apocalipse Prof. Davi Albuquerque ESCATOLOGIA BÍBLICA Apocalipse 11. 15-19 Prof. Davi Albuquerque A sétima trombeta 15 O sétimo anjo tocou a trombeta, e houve no céu grandes vozes, dizendo: O reino do mundo se tornou de nosso Senhor e

Leia mais

Guia orientador de meditação bíblica diária Epístola aos Romanos (2)

Guia orientador de meditação bíblica diária Epístola aos Romanos (2) Pág. 1 Pessoal, ainda lembram o meu nome? Sou o Rômulo, membro da igreja em Roma e estou contando sobre uma carta que recebemos de um Sr. Paulo. Já mencionei que a recepção desta carta gerou o maior alvoroço

Leia mais

O REINO DO MESSIAS POIS TEU O REINO, O PODER E A GLÓRIA PARA SEMPRE, AMEM! FESTA DOS TABERNÁCULOS SUKKOT

O REINO DO MESSIAS POIS TEU O REINO, O PODER E A GLÓRIA PARA SEMPRE, AMEM! FESTA DOS TABERNÁCULOS SUKKOT O REINO DO MESSIAS POIS TEU O REINO, O PODER E A GLÓRIA PARA SEMPRE, AMEM! FESTA DOS TABERNÁCULOS SUKKOT - 2015 O ISRAEL DE DEUS Efésios 2: 16-22 - Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas

Leia mais

Arnold Doolan. Mistérios da Escritura EDIÇÃO DE:

Arnold Doolan. Mistérios da Escritura EDIÇÃO DE: Arnold Doolan Mistérios da Escritura EDIÇÃO DE: 2 Mistérios da Escritura TÍTULO: AUTOR: EDITOR: TIRAGEM: COPYRIGHTS: MISTÉRIOS DA ESCRITURA ARNOLD DOOLAN REFRIGÉRIO Av. João de Deus, 1486 4500-389 Espinho,

Leia mais

Interpretando o Apocalipse Por Pastor Luiz Antonio.

Interpretando o Apocalipse Por Pastor Luiz Antonio. Interpretando o Apocalipse Por Pastor Luiz Antonio. VERSÍCULOS DE 12 A 16. 12. E virei-me para ver quem falava comigo. E virando-me, vi sete castiçais de ouro. 13. E no meio dos sete castiçais um semelhante

Leia mais

CRISTOLOGIA: DOUTRINA DE CRISTO

CRISTOLOGIA: DOUTRINA DE CRISTO CRISTOLOGIA: DOUTRINA DE CRISTO ETERNIDADE DEUS PAI LOGUS ESPIRITO SANTO A TRINDADE 1Jo.5.7 LOGUS QUER DIZER PALAVRA OU VERBO SE REFERE AO FILHO NA ETERNIDADE I - SUA PRÉ-EXISTÊNCIA 1 - SUA EXISTÊNCIA

Leia mais

Sumário. Prefácio... 13

Sumário. Prefácio... 13 Sumário Prefácio... 13 PARTE UM O LEGADO ISRAELITA 1. Cristianismo e judaísmo... 29 A separação dos caminhos... 29 O cristianismo e o cânone hebraico da Escritura... 40 O cristianismo e a interpretação

Leia mais

APOCALIPSE 4:1-4 O TRONO DE DEUS, A SALA DE COMANDO DO UNIVERSO.

APOCALIPSE 4:1-4 O TRONO DE DEUS, A SALA DE COMANDO DO UNIVERSO. APOCALIPSE 4:1-4 O TRONO DE DEUS, A SALA DE COMANDO DO UNIVERSO. INTRODUÇÃO Agora a visão que segue será das grandes tensões que a Noiva enfrentará até a segunda vinda do Noivo - Esta revelação inclui

Leia mais

PARA NÃO ESQUECER. Blog IEBU:

PARA NÃO ESQUECER. Blog IEBU: Duas tarefas realizadas na aula anterior: 1ª) memorizar o versículo-chave; 2ª) Aprender a classificar os livros do Antigo Testamento, enumerandoos sequencialmente. Parabéns à classe! Blog IEBU: www.iebu.wordpress.com

Leia mais

As promessas da encarnação cronologia. vivendopelapalavra.com. Por: Helio Clemente. Na criação:

As promessas da encarnação cronologia. vivendopelapalavra.com. Por: Helio Clemente. Na criação: As promessas da encarnação cronologia vivendopelapalavra.com Por: Helio Clemente Na criação: Gênesis 3,15: Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá

Leia mais

LIÇÃO 9 AS BESTAS DO DRAGÃO. Texto bíblico: Apocalipse 13. Motivação

LIÇÃO 9 AS BESTAS DO DRAGÃO. Texto bíblico: Apocalipse 13. Motivação LIÇÃO 9 AS BESTAS DO DRAGÃO Texto bíblico: Apocalipse 13 Motivação No séc. XIII, um monge italiano foi chamado para interpretar uma carta estranha encontrada entre os documentos de um cardeal. Ele leu

Leia mais

Capítulo XXV da Confissão de Fé de Westminster DA IGREJA

Capítulo XXV da Confissão de Fé de Westminster DA IGREJA REVISTA PALAVRA VIVA Apoio didático Lição 3 Capítulo XXV da Confissão de Fé de Westminster DA IGREJA I. A Igreja Católica ou Universal, que é invisível, consiste do número total dos eleitos que já foram,

Leia mais

Dinâmica e estrutura do discipulado. Ademir Ifanger

Dinâmica e estrutura do discipulado. Ademir Ifanger Dinâmica e estrutura do discipulado Ide, pregai o evangelho e fazei discípulos, constitui a essência do mandato de Jesus Cristo. Existem duas razões fundamentais no discipulado cristão: 1. Levar o discípulo

Leia mais

Importância da Ressurreição de Cristo

Importância da Ressurreição de Cristo Introdução à 22/08/2011 A doutrina de Cristo segundo as escrituras Importância da Ressurreição de Cristo O que as escrituras afirmam sobre a ressurreição de Cristo? 1. Doutrina fundamental do Cristianismo:

Leia mais

Pr. Jaziel Rodrigues,

Pr. Jaziel Rodrigues, www.ierueti.ch Pr. Jaziel Rodrigues, 13.03.2016 Introdução 1: A palavra «Apocalipse» quer dizer Revelação. Por isso este livro é conhecido também como: «A Revelação de Deus ao apóstolo João» (1.1) Foi

Leia mais

O LIVRO DO APOCALIPSE INTRODUÇÃO (B. BÍBLICA) vivendopelapalavra.com. Revisão e versos acrescentados (RA) por: Helio Clemente. O livro de Apocalipse:

O LIVRO DO APOCALIPSE INTRODUÇÃO (B. BÍBLICA) vivendopelapalavra.com. Revisão e versos acrescentados (RA) por: Helio Clemente. O livro de Apocalipse: O LIVRO DO APOCALIPSE INTRODUÇÃO (B. BÍBLICA) vivendopelapalavra.com Revisão e versos acrescentados (RA) por: Helio Clemente O livro de Apocalipse: Chama-se assim o último livro da Bíblia pelo fato de

Leia mais

O apocalipse de João. Roteiro 21

O apocalipse de João. Roteiro 21 O apocalipse de João Roteiro 21 FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Livro I Cristianismo e Espiritismo Módulo II O Cristianismo FEB EADE Livro I Módulo II Roteiro 21 O

Leia mais

ESCATOLOGIA BÍBLICA. Apocalipse

ESCATOLOGIA BÍBLICA. Apocalipse ESCATOLOGIA BÍBLICA Apocalipse 12.1-6 Apocalipse 12.1-6 A mulher e o dragão 1 Viu-se grande sinal no céu, a saber, uma mulher vestida do sol com a lua debaixo dos pés e uma coroa de doze estrelas na cabeça,

Leia mais

OS PROFETAS MENORES RESUMO

OS PROFETAS MENORES RESUMO OS PROFETAS MENORES RESUMO Os doze livros que compõem os Profetas Menores variam em data entre os séculos VIII e V a.c LIÇÃO 2, OSÉIAS A FIDELIDADE NO RELACIONAMENTO COM DEUS O ESBOÇO DO LIVRO DE OSEIAS

Leia mais