Evitar e controlar as substâncias tóxicas Podemos forçar as empresas a limparem o que poluíram Custos escondidos e quem os paga...

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Evitar e controlar as substâncias tóxicas... 450 Podemos forçar as empresas a limparem o que poluíram... 451 Custos escondidos e quem os paga..."

Transcrição

1 Evitar e controlar as substâncias tóxicas Podemos forçar as empresas a limparem o que poluíram Custos escondidos e quem os paga Poluição do ar Monitoria da poluição do ar História: A brigada do balde Produção limpa Pequenos negócios mais limpos História: Produção mais limpa nos curtumes História: Um exemplo de produção limpa Eliminação não segura de resíduos tóxicos História: O Projecto de Reservas de Africa Comércio de produtos tóxicos História: Peguem no vosso lixo tóxico e vão-se embora História: Um jogo pela saúde Acordos internacionais sobre a eliminação de resíduos tóxicos Actividade: Jogo das cobras e escadas

2 Parem a poluição Comunidades contra a poluição Não consigo respirar À medida que aprendemos mais sobre os perigos dos químicos tóxicos na nossa saúde e no nosso meio ambiente, cada vez mais pessoas se estão a organizar para prevenir os danos, e para descobrir formas mais saudáveis e mais sustentáveis de produzir as coisas. Os negociantes, os líderes governamentais e alguns cientistas tentam justificar os perigos da poluição tóxica, dizendo que uma certa quantidade de risco é aceitável como o preço a pagar pelo desenvolvimento e o progresso (para podermos ter electricidade, cuidados médicos, transportes, computadores, etc.). Mas o que eles não nos dizem é que é possível ter estes benefícios de formas que sejam seguras, para as pessoas e para o meio ambiente (ver página 458). Em vez de aceitar riscos desnecessários, podemos escolher promover a produção segura de alimentos, produtos fabricados e energia, ao mesmo tempo que prevenimos a poluição tóxica, tanto quanto possível.

3 Prevenir a exposição à poluição tóxica começa com o princípio da precaução (ver página 32), que significa pensar no perigo que uma acção ou um produto podem causar antes os fazer ou usar. Embora possamos tomar decisões pessoais e comunitárias para evitar causar tantos danos quanto possível, também precisamos de exigir que os negociantes e os nossos governos ponham a saúde a longo prazo, de todas as pessoas, ricas e pobres, e do meio ambiente, antes do lucro das empresas e do lucro pessoal. Muitas das coisas que fazemos todos os dias afectam a forma como nós e os outros estamos mais ou menos expostos às substâncias tóxicas. Há algumas exposições diárias que não conseguimos controlar através de decisões pessoais. Mas há algumas exposições que podemos limitar, fazendo escolhas que ajudam a mantermo-nos, às nossas famílias e às nossas comunidades, mais seguros e saudáveis. As escolhas pessoais levam muitas vezes à acção comunitária, uma vez que rapidamente podemos ver como é impossível qualquer pessoa controlar sozinha os danos que enfrentamos, causados pelos produtos tóxicos. Para parar os danos causados pelas substâncias tóxicas, precisamos do seguinte: Aprender e ensinar os outros sobre o que são os produtos tóxicos e como é que as substâncias tóxicas podem causar danos. Leia este livro, fale com as pessoas e aprenda com as organizações que disponibilizam informação sobre substâncias tóxicas. Escolas, centros de saúde, locais de trabalho, centros comunitários e as nossas casas podem ser lugares para educar a comunidade sobre os produtos tóxicos e a saúde (para uma actividade de discussão comunitária sobre substâncias tóxicas, ver página 468). nas nossas casas, no abastecimento da água, nos bairros, nos locais de trabalho, nas escolas e na região. Para avaliar os impactos da poluição tóxica na nossa comunidade, faça uma caminhada pelo lixo (ver página 391), faça uma avaliação de saúde (ver página 500) ou crie um grupo para monitorar a poluição (ver página 456). Fique longe das fontes conhecidas de substâncias tóxicas. Reduza o uso de produtos tóxicos descobrindo alternativas mais seguras para produtos de limpeza (ver página 373) e usando formas não tóxicas de controlo de pragas (ver páginas 296 a 301, e 366). Controle os produtos tóxicos planeando um programa comunitário de resíduos sólidos (ver página 396), protegendo os pontos de água (ver página 75) e trabalhando para deslocar os negócios ou actividades tóxicos para longe dos lugares onde se produzem alimentos e zonas públicas, como por exemplo parques. Garanta que os materiais tóxicos não são guardados, usados ou libertados dentro ou perto do lugar onde vivem as pessoas. Trabalhe para garantir que sobretudo as crianças, os velhos, os doentes e as mulheres grávidas ou a amamentar não estão expostos a substâncias tóxicas.

4 Não podemos escolher o ar que respiramos, a água que bebemos ou os materiais com que o nosso patrão nos faz trabalhar, e muitas vezes não podemos saber a que é que estamos expostos nos alimentos que comemos ou nos produtos que usamos. Por isso, precisamos de organizar os negócios e os governos para que reduzam o uso de substâncias tóxicas e a ameaça de poluição tóxica. Muitas pessoas a trabalharem juntas, partilhando a crença de que alguma coisa é demasiado perigosa, têm o poder de fazer a mudança. A responsabilidade da poluição tóxica é sobretudo das indústrias Os químicos com que poluidoras, como por exemplo as trabalhamos fábricas de produção de electricidade, estão a fazernos doentes. as manufacturas, as indústrias de extracção de petróleo e minério, enquanto o fardo de viver com a poluição tóxica e limpá-la recai habitualmente sobre as pessoas que vivem perto do problema. Algumas comunidades têm sido capazes de mudar esta responsabilidade e mostrar que se uma indústria ou empresa específica cria um problema deve resolvê-lo e comprometer-se com práticas seguras (para conhecer histórias de comunidades que forçaram as empresas a limpar o que poluíram, ver páginas 344, 465, 483 e 521). O governo é responsável por proteger as pessoas em relação à poluição. Mas as empresas poderosas e as instituições financeiras internacionais pressionam os governos para que se libertem ou ignorem os regulamentos sobre o uso de substâncias tóxicas. É preciso muita pressão comunitária para que os governos criem e façam cumprir leis que protegem as pessoas, sobretudo nos países que lutam por atrair empresas que invistam neles. Mas as campanhas comunitárias podem forçar a mudança das leis (ver páginas 417, 465, 466, 473 e 480), bem como usar as leis ambientais existentes (ver Apêndice B). A empresa podia usar menos químicos tóxicos e dar-nos melhor protecção Muitas indústrias desenvolveram formas de substituir materiais e métodos de produção tóxicos por outros que são mais sustentáveis e que causam menos danos à saúde das pessoas e ao meio ambiente. Ver página 458 para mais informação sobre métodos de produção limpos e formas de influenciar as empresas a adoptarem-nos. No fundo, há demasiado consumo pelos ricos. Uma grande parte da solução passa por diminuir o consumo e a produção de resíduos, usando o suficiente mas não demasiado. Mas a empresa não admite que estes químicos são um problema. Cabenos a nós fazermos a empresa levar a nossa segurança a sério.

5 Muitas indústrias que produzem e usam materiais tóxicos dizem às pessoas que os seus materiais e produtos são seguros e necessários. Mas isto não é verdade. Muitos químicos e produtos que as pessoas antigamente pensavam que eram seguros e necessários, como por exemplo o plástico PVC, a gasolina com chumbo ou os pesticidas, são agora conhecidos como causadores de grandes danos. E para muitos químicos tóxicos existem alternativas mais seguras, se a indústria tentar descobri-los e usá-los. O desenvolvimento industrial tem muitos custos escondidos sob a forma de danos ao meio ambiente e de problemas de saúde para as pessoas. Estes custos escondidos são habitualmente pagos pelas pessoas que precisam de viver com os danos das substâncias tóxicas e não pelas indústrias que causam estes danos. Permitir que estes custos sejam desligados das empresas envolvidas em actividades que propagam substâncias tóxicas é uma maneira de elas protegerem e aumentarem os seus lucros. Estes lucros são muitas vezes muito grandes, certamente suficientemente grandes para apoiar práticas mais seguras e a protecção da saúde das pessoas. As pessoas que sofrem os piores efeitos da poluição industrial são habitualmente os trabalhadores das indústrias poluidoras. Também são afectados aqueles que vivem perto dessas indústrias e que não podem mudarse para lugares menos poluídos. Muitos problemas de saúde causados por substâncias tóxicas não podem ser curados (ver Capítulo 16). Por isso, mesmo quando alguém pode pagar tratamentos caros, e a maior parte de nós não pode, os estragos feitos à nossa saúde são muitas vezes permanentes. A verdadeira solução é proibir o uso de materiais muito tóxicos e regulamentar, rigidamente, o uso de substâncias tóxicas que são necessárias e que não têm substitutos mais seguros. As indústrias têm que pagar o custo de encontrarem alternativas mais seguras e protecções melhores para os trabalhadores, as comunidades e os consumidores em todo o lado. Embora as indústrias sejam responsáveis por fazer e usar químicos tóxicos e resíduos tóxicos, cada um de nós, independentemente de viver numa pequena aldeia ou numa grande cidade, é afectado pelo ciclo global de produção e resíduos. Sejam os sacos de plástico que são usados pelas pessoas em todo o mundo (ver página 389) ou as muitas substâncias e métodos de produção tóxicos que fazem parte da produção de um único computador, carro ou telefone móvel, cada um de nós está ligado a um ciclo mundial de produção tóxica e de resíduos tóxicos.

6 METALURGIA EMPRESA QUÍMICA EMPRESA DE ELECTRÓNICA EMPRESA DE PLÁSTICOS LIXEIRA DE RESÍDUOS TÓXICOS LIXEIRA COMUNITÁRIA As poluem o ar, a água e o solo com químicos tóxicos e metais pesados. Para mais informação sobre refinarias, ver página 513. As libertam metais pesados como o mercúrio e o chumbo (ver páginas 338 e 368) e toxinas como a dioxina (ver página 341). As de todos os tipos podem causar poluição, mas podem melhorar usando métodos de produção limpos (ver página 458). As deixam passar químicos para o solo e para a água subterrânea, causando problemas graves durante muitos anos. Os libertam químicos tóxicos para o ar, para a água e para o solo (ver página 423). As, como por exemplo as fábricas de curtumes, cromados, roupas e baterias, podem causar poluição e problemas de saúde graves, tanto para os trabalhadores como para as pessoas que estão perto dessas indústrias (ver páginas 459 a 464). As causam poluição devastadora, desde radiações a dioxinas, e deixam resíduos perigosos que podem durar muitas gerações.

7 O ar é poluído quando fica contaminado com gases venenosos e pequenas partículas de poeira. A maior parte da poluição do ar é causada pela queima de (petróleo, carvão, gasóleo e gasolina) para fazer funcionar motores, fábricas e centrais eléctricas (ver página 526). O vento e a chuva podem transportar a poluição do ar para longe do lugar onde ela foi criada. Isto causa problemas de saúde às pessoas em todo o lado. Habitualmente, a poluição do ar é pior nas cidades, nas zonas industriais, nas zonas baixas ou nas áreas rodeadas por montanhas, e nos lugares onde o ar fica bloqueado e não se desloca bem. A poluição do ar pode conter metais pesados, como o mercúrio e o chumbo (ver páginas 337 a 340, e 368 a 370), POPs (ver página 340) e outros produtos químicos tóxicos como o dióxido de enxofre. Se você estiver a fazer monitoria da poluição do ar, é útil saber quais os produtos químicos que existem no ar. Mas lembre-se de que é habitualmente mais útil saber como proteger-se e à sua comunidade dos danos causados pela poluição do ar do que saber exactamente o que é que existe no ar. A poluição do ar causa problemas de saúde graves, incluindo muitos cancros e doenças respiratórias (ver páginas 330 a 331). A poluição do ar causa chuva ácida que estraga as florestas, os pontos de água e os edifícios, bem como os nossos pulmões. Além disso, a poluição do ar é uma das principais causas do aquecimento global (ver página 33).

8 A monitoria da poluição do ar é um método usado por uma comunidade durante uma campanha contra uma empresa ou indústria poluidora. A monitoria permite que muitas pessoas participem na campanha e permite construir uma base de provas que podem ser usadas para pressionar as empresas ou indústrias a deixarem de poluir. Monitorar ou verificar a poluição do ar começa com os seus sentidos e o seu bom senso. Para saber qual o efeito que a poluição do ar está a ter na sua comunidade, peça às pessoas que façam um registo do que cheiram, vêem, ouvem, provam ou sentem. Quanto mais pessoas fizerem isto, mais possibilidade a comunidade vai ter de identificar e parar a poluição. Algumas comunidades fazem a monitoria do ar usando um método simples e de baixo custo chamado a brigada do balde. Um balde de plástico de 20 litros, com uma válvula e um saco especial, são usados para colher amostras de ar. Ao abrir a válvula quando há uma emissão de substâncias tóxicas, ou em qualquer altura em que o ar está especialmente poluído, uma pequena quantidade de ar é sugada para dentro do saco. O saco é então retirado do balde e enviado para um laboratório, para descobrir quais os químicos que contém (ver secção de Recursos). Fazer com que a amostra de ar seja testada por um laboratório é a parte mais cara da brigada do balde. A maior parte dos países não tem laboratórios que possam ou queiram testar a amostra de ar adequadamente, por isso, pode ser necessário enviá-la para a Europa ou para os Estados Unidos. Algumas comunidades fazem recolha de dinheiro para uma brigada do balde indo de porta em porta ou realizando danças, festas ou encontros em casa. Muitas comunidades usam a brigada do balde junto com outras actividades de organização comunitária, como por exemplo entrevistas e estudos. Elas também informam os meios de comunicação social e o governo sobre as emissões tóxicas e tentam forçar as refinarias e outras indústrias poluidoras a usarem equipamento seguro e a reduzirem as emissões.

9 Durban, na África do Sul, é uma cidade rodeada por refinarias de petróleo e oleodutos, uma grande área de armazenamento de produtos químicos, fábricas de produtos químicos, têxteis e papel e aterros tóxicos. Todos os dias, as pessoas de Durban estão expostas a elevados níveis de poluição do ar, poluição da água e a todos os problemas de saúde que resultam da exposição constante aos químicos tóxicos. Os acidentes industriais, as fugas dos tanques de armazenamento e os oleodutos avariados são comuns, causando incêndios e destruição dos pântanos vizinhos e dos recursos de água subterrânea. Em 1999, um grupo chamado GroundWork formou-se para ajudar as pessoas de Durban a monitorar a poluição do ar. Usando o método da brigada do balde, a comunidade começou a testar o ar para descobrir substâncias tóxicas sempre que havia um sinal de gás, uma explosão ou uma emissão tóxica. Depois, enviaram os sacos cheios de poluição do ar para um laboratório nos Estados Unidos para serem testados. Os testes de laboratório descobriram níveis elevados de tóxicos, incluindo dióxido de enxofre, óxido de azoto e benzeno. Os resultados dos testes a amostras de ar recolhidas perto de uma escola mostraram que as crianças estavam expostas a níveis de poluição tão altos como se elas estivessem todos os dias, durante todo o dia, numa auto-estrada movimentada. 7 de Novembro de a Libertação de tóxico notificada numa fabrica de químicos Os activistas mostraram os resultados dos testes ao governo e às indústrias poluidoras e também os anunciaram na rádio, nos jornais e na comunidade. A empresa petrolífera estatal disse que os testes não eram correctos e recolheu as suas próprias amostras de ar. Mas quando as suas amostras foram testadas, descobriram níveis de venenos ainda mais altos! O método da brigada do balde ajudou a criar um movimento nacional contra a poluição na África do Sul. Sob a pressão do movimento crescente de justiça ambiental, o governo aprovou a Lei da Qualidade do Ar em A cidade de Durban também criou o seu próprio sistema de monitoria do ar. Desde então, tem havido uma diminuição visível da poluição do ar. A brigada do balde ajudou os membros da comunidade a sentirem-se mais fortes, mais corajosos e mais capazes de desafiarem as indústrias poluidoras. Com este aumento de confiança, eles forçaram o governo a ouvi-los. Ainda há um problema grave de poluição na África do Sul. À medida que as fábricas de produtos químicos, as refinarias e os oleodutos envelhecem, aumenta o perigo de acidentes. Mas, combinando uma organização comunitária forte com uma ferramenta para recolher amostras de poluição tóxica, as pessoas de Durban sentiram-se mais seguras. E mostraram ao resto do seu país e ao mundo que as pessoas podem levar a indústria e o governo a assumirem a responsabilidade pela sua poluição. Residentes lutam por ai limpo

10 As fábricas de produtos químicos, as refinarias de petróleo e outras fábricas podem ter acidentes que libertam, de repente, grandes quantidades de químicos tóxicos. As refinarias também libertam gases tóxicos como parte da sua manutenção regular. Uma emissão tóxica pode ser parecida com uma nuvem de fumo ou um grande incêndio, ou pode ser simplesmente a libertação de um cheiro forte. Isto pode ser assustador. E também pode ser mortal. A curto prazo, há passos que as pessoas podem dar, durante e depois de uma emissão tóxica e derrame de químicos, para reduzir os danos (ver Apêndice A). A longo prazo, é preciso uma organização da comunidade para pressionar as indústrias e os governos a fazerem cumprir melhores normas de segurança. Conforme a situação e a rapidez com que você responde, por vezes é mais seguro ficar simplesmente dentro de casa. Noutras situações, é mais seguro deixar a área tão rapidamente quanto possível. Formação e um bom plano comunitário de emergência vão ajudá-lo a saber quando ficar e quando partir. Faça algum tipo de registo. Marque a hora do dia em que a emissão aconteceu e quanto tempo durou. Tome também nota de quaisquer cheiros estranhos, coisas que vê, reacções físicas (sensações no seu corpo) e reacções de outras pessoas e animais por perto. Esta informação pode ser útil mais tarde para tomar medidas comunitárias. Faça fotografias e vídeos, se for seguro fazê-los. Estes podem ser usados mais tarde no tribunal ou em campanhas. Se as pessoas ficaram expostas a substâncias químicas, ajude-as a irem imediatamente a um posto de saúde ou hospital. Contacte o governo local e os meios de comunicação social e conte o que aconteceu. Convoque uma reunião para informar todos na comunidade sobre o que aconteceu e para organizar uma resposta. Incentive os membros da comunidade a partilharem as suas experiências e sentimentos. Isto vai ajudar as pessoas a recuperarem do acontecimento e a criarem solidariedade na comunidade. Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira 14h25: Fumo branco da fábrica. Cheiro a ovos podres.

11 As tecnologias e os métodos existem para produzir e vender produtos sem causar poluição ou lixos tóxicos. A protege a saúde das pessoas e a saúde do meio ambiente. Uma fábrica de papel usa árvores, água, electricidade e produtos químicos como o cloro. Uma fábrica de papel com produção limpa reduz a poluição usando: Sobretudo papel reciclado e árvores de florestas geridas sustentadamente; Uma fonte de energia renovável (como a energia solar ou do vento), em vez de electricidade de combustíveis fósseis como o petróleo e o carvão; Nenhum cloro ou outros químicos tóxicos; Tão pouca água quanto possível. A água é reutilizada várias vezes e depois é tratada para a tornar segura para voltar ao meio ambiente. A maior parte das indústrias pode usar um processo de produção limpa. O calor das fábricas pode ser usado para gerar electricidade e os resíduos de um processo podem, muitas vezes, ser usados como materiais noutro processo. A produção limpa pode reduzir os resíduos a quase nada. E como a produção limpa reutiliza materiais e energia, ela também poupa dinheiro. Mas, como as empresas habitualmente não pagam para limpar o que poluem ou prevenir a poluição e os danos que causam, elas precisam muitas vezes de ser forçadas, por pressão popular ou normas governamentais, para mudarem para métodos de produção mais limpos.

12 Quando os donos de negócios e os trabalhadores compreendem como é que os resíduos químicos e industriais podem prejudicá-los e a todos na comunidade, muitas vezes eles estão dispostos a fazer mudanças nos materiais e métodos de produção para reduzir os danos. Às vezes, contudo, é necessário pressionálos, tanto de formas positivas como negativas, para obter mudanças que vão beneficiar a saúde da comunidade. Há várias formas de influenciar os negócios a escolherem métodos de produção mais limpos. Os proibir ou regulamentar o uso de químicos tóxicos e os processos de produção perigosos; recusar-se a comprar produtos que sejam produzidos de formas prejudiciais; disponibilizar fundos para os negócios mudarem para métodos de produção limpos; cobrar menos impostos aos negócios que usem produção limpa e recolher mais impostos dos negócios que usem métodos prejudiciais. As educar-se a si mesmas, aos donos dos negócios e aos trabalhadores sobre os perigos das substâncias tóxicas e os benefícios dos métodos de produção limpos; boicotar (recusarse a comprar) produtos feitos por uma empresa as tintas Williams ou vendidos por um negócio que seja poluidor; informar outras pessoas sobre alternativas não tóxicas que podem substituir os produtos tóxicos; usar os meios de comunicação para denunciar práticas tóxicas e celebrar os sucessos dos negócios sustentáveis não tóxicos. Os aprender, seguir e fazer cumprir normas sobre o manuseamento seguro de substâncias tóxicas e introduzir medidas de protecções contra as substâncias tóxicas que lhes sejam favoráveis, nos seus contratos do sindicato. Tintas de luxo Williams Às vezes, os donos dos pequenos negócios não compreendem totalmente os danos que as substâncias tóxicas podem causar. Quando eles e os seus trabalhadores usam, guardam e deitam fora químicos tóxicos de maneiras não seguras, habitualmente só estão a tentar poupar dinheiro, tempo e trabalho. No fundo, muitos empresários vivem nas mesmas comunidades que estão a poluir e são amigos e vizinhos das pessoas afectadas. Ou podem conhecer métodos de produção limpos, mas sentem que não podem pagar o custo de fazer mudanças. Mas, com o passar do tempo, os custos elevados dos cuidados de saúde para os trabalhadores feridos e a limpeza ambiental por danos à comunidade vai muitas vezes acabar por fazer gastar mais tempo e dinheiro, em vez de os poupar. Quando os pequenos negócios mudam para práticas de produção limpas, eles benificiam toda a comunidade, e também o seu futuro como negócio, a tornarem-se mais sustentáveis. Aberto Tintas Williams contem chumbo Apoiem negócios limpos Boicotem NÃO as tintas venenosas

13 Muitas tintas para tingir tecidos são feitas com metais pesados e outros químicos tóxicos. Os resíduos do fabrico destas tintas são, muitas vezes, deitados nos cursos de água, enchendo-os com poluentes que são perigosos e difíceis de limpar. Os pequenos negócios na indústria de tinturaria podem reduzir os lixos perigosos, seguindo estas indicações: Evitar a maior parte das tintas tóxicas, como por exemplo as tintas azo e procurar alternativas mais seguras. As tintas azo, conhecidas por causarem defeitos de nascença, são habitualmente usadas na impressão, nos têxteis, na produção de papel, nos medicamentos e nas indústrias alimentares. Controlar a quantidade de substâncias tóxicas usadas. Reutilizar os subprodutos do tingimento como materiais para fazer outros produtos. Reutilizar a água das lavagens para fazer a próxima dose de tinta. Usar mangueiras de alta pressão para limpar e reduzir a quantidade de águas residuais. Pôr etiquetas nos materiais tóxicos e guardá-los em áreas seguras, longe dos cursos de água. As fábricas de curtumes que produzem couro usam grandes quantidades de água, sais e químicos tóxicos, como por exemplo diferentes formas de crómio. No fim do processo de curtimento das peles, estes químicos são muitas vezes deitados fora, como lixo, nos rios e outros cursos de água. Por causa disso, as comunidades à volta das fábricas de curtumes têm muitas vezes água de beber muito contaminada. A curto prazo, estes tóxicos podem causar bronquite, asma e outros problemas de respiração. A longo prazo, repetidas exposições às substâncias tóxicas podem causar defeitos de nascença e cancros. Algumas fábricas de curtumes usam métodos de produção não tóxicos ou menos tóxicos. Os métodos tradicionais de curtir usam partes dos animais para um curtimento mais seguro e mais limpo. Para as fábricas que usam crómio, há formas de recuperar e reciclar o crómio para que seja usado menos crómio e que menos deste crómio seja transformado em lixo. Isto reduz os custos e a poluição tóxica. A água usada nos banhos de curtimento pode ser reciclada e a água residual pode ser tratada para a tornar mais segura antes de ser deitada fora.

14 A cidade de Léon, no México, é famosa pelos seus sapatos de couro de grande qualidade. As fábricas de curtumes de Léon são pequenos negócios, importantes para a sobrevivência económica da comunidade. Infelizmente, as operações de curtimento costumavam deitar fora os resíduos químicos directamente nos cursos de água locais, causando doenças graves. Com o passar dos anos, Léon aprovou leis para regulamentar a poluição, mas as fábricas de curtumes quase nunca obedeciam a essas leis. Muitos donos de fábricas de curtumes pensavam que reduzir a poluição era demasiado caro e iria prejudicar o seu negócio. No entanto, quando milhares de pássaros morreram por causa da poluição num pântano perto de Léon, a organização local do comércio que representava as fábricas de curtumes começou a procurar formas de reduzir a poluição sem prejudicar o negócio. Foi então que ficaram a saber mais sobre a produção limpa. Nos anos seguintes, a organização do comércio ajudou as fábricas de curtumes a reduzirem a poluição e muitas fábricas mudaram as suas práticas. Elas não o fizeram só porque queriam proteger a água de beber local ou os pássaros migratórios. Elas fizeram-no porque viram que a produção limpa podia fazer poupar dinheiro e produzir couro de maior qualidade. As fábricas de curtumes de África e da Ásia trabalharam com a Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO) para encontrarem maneiras diferentes de recuperarem e reutilizarem os químicos usados no curtimento das peles. O Projecto Produção Mais Limpa da UNIDO mostrou que mais de metade da poluição das fábricas de curtumes podia ser reduzida através do uso cuidado e eficaz dos recursos naturais usando quantidades mais pequenas e usando-as com mais cuidado. As fábricas de curtumes de Léon aprenderam com o projecto da UNIDO e começaram a praticar métodos de produção mais limpos. Primeiro, usaram um novo processo no qual mais crómio no banho de curtimento entrava em contacto com o couro e menos crómio acabava como resíduo. A seguir, uma enzima (produto natural que causa mudanças químicas) substituía os químicos perigosos usados para suavizar o couro. Algumas fábricas de curtumes que produziam couro de menor qualidade começaram a usar o curtimento vegetal em vez do curtimento com crómio, eliminando uma parte muito tóxica e cara do processo. As fábricas de curtumes que não conseguiram encontrar alternativa ao crómio começaram a reutilizá-lo, em vez de o deitarem fora depois da primeira utilização. O mesmo foi feito com as grandes quantidades de água cheia de químicos. Algumas fábricas construíram sistemas de tratamento de águas residuais para limparem a água e a reciclarem para reutilização, protegendo e preservando os recursos de água. Agora, os trabalhadores de couro de Léon conhecem a produção limpa. Quando você lhes perguntar porque é que usam estes métodos novos, eles podem dizer-lhe que é para proteger os cursos de água locais. Mas eles também lhe vão dizer que agora produzem couro de maior qualidade por um custo mais baixo do que antigamente.

15 As belas vistas dos montes de São Francisco, nos EUA, atraem muitos turistas de todo o mundo. O mesmo acontece com a variedade de alimentos servidos por muitos dos seus pequenos restaurantes. Mas, com muitos restaurantes, o óleo de cozinha usado tornou-se num problema, bloqueando os esgotos e custando dinheiro à cidade. A cidade requer que todos os restaurantes usem uma armadilha para a gordura, para impedir o óleo de entrar nos esgotos, mas esvaziar e limpar as armadilhas para a gordura é um processo caro. Muitos pequenos negócios são propriedade de imigrantes recentes que não têm dinheiro para isso. A Comissão dos Serviços Públicos de São Francisco, encarregada dos esgotos da cidade, decidiu que, em vez de cobrar grandes multas aos restaurantes por não eliminarem o seu óleo adequadamente, iria oferecer-lhes uma solução. Eles iriam recolher o óleo usado e usá-lo para fazer andar os autocarros da cidade! Quando o motor a gasóleo foi inventado, ele queimava combustíveis leves como o óleo vegetal. Mas, como o petróleo era barato e em abundância, e as empresas que o produziam eram poderosas, a maior parte dos motores a gasóleo passou a usar petróleo. Agora, com um problema grave de poluição e aquecimento global causado pelo petróleo, as pessoas estão a voltar ao óleo vegetal como um combustível mais limpo e menos caro. O óleo vegetal pode ser usado depois de fazer pequenas mudanças a um motor a gasóleo, ou o óleo pode ser transformado em biodiesel, que pode ser usado sem mudanças. Queimar biodiesel reduz drasticamente a poluição do ar que causa asma e cancro e não causa aquecimento global. Comparado com outros combustíveis, como o gás natural, o biodiesel também é mais barato. Fazer biocombustíveis através da reciclagem de óleo usado é diferente de produzir uma nova cultura só para fazer combustível. Mantém os resíduos fora dos esgotos e dá-lhes um novo uso. Para fazer a produção limpa funcionar, a Comissão de Serviços Públicos de São Francisco contratou falantes de várias línguas para visitarem os restaurantes e recolherem o óleo usado. Os donos dos restaurantes já não pagam para se verem livres do óleo e a cidade beneficia, tendo menos esgotos bloqueados e combustível mais barato para os seus autocarros. Agora, em vez de cheirar a trânsito, as ruas de São Francisco cheiram a comida frita. O que traz mais turistas do que nunca para os restaurantes locais.

16 As empresas que não usam métodos de produção limpos produzem muitas vezes grandes quantidades de resíduos tóxicos. Para algumas indústrias, como a indústria química e as indústrias de exploração mineira e petróleo, os resíduos tóxicos podem ser o seu maior produto! Como os resíduos tóxicos podem ser extremamente caros e difíceis de eliminar com segurança, é comum deitarem-se fora resíduos perigosos. E, sem grandes surpresas, esta eliminação de resíduos feita habitualmente acrescenta outra fonte de doenças ao fardo dos problemas de saúde enfrentados pelas pessoas nas comunidades pobres. Cada vez mais negócios estão a ser organizados para manter os produtos tóxicos fora dos lixos, reciclando uma parte ou a totalidade destes. Mas, até mesmo actividades amigas do ambiente como a reciclagem devem ser feitas com cuidado, para prevenir que os materiais tóxicos prejudiquem os trabalhadores e o meio ambiente. Garantir que as indústrias eliminam os resíduos com responsabilidade é apenas uma parte da solução. Para acabar verdadeiramente com o problema dos resíduos tóxicos, precisamos de mudar a forma como a indústria funciona. A única forma segura de eliminar resíduos tóxicos é, em primeiro lugar, deixar de os criar. As empresas e as agências de desenvolvimento promoveram pesticidas para os camponeses durante décadas como parte da solução para a fome. Mas muitos cientistas e camponeses reconhecem agora que os pesticidas criam mais problemas do que os que resolvem. Quem é que vai eliminar estes produtos químicos mortais? Como é que isso pode ser feito com segurança? Nos países ao longo de África, mais de toneladas de pesticidas e outros resíduos tóxicos não usados e não desejados são guardados em recipientes com fugas. Para limpar estas substâncias tóxicas e impedir que sejam deitados fora mais venenos, um grupo de agências governamentais e organizações internacionais formou o Programa de Reservas de África (ASP, na sigla inglesa). Os grupos do ASP têm diferentes ideias sobre como limpar os resíduos. Alguns dizem que a maneira mais fácil e barata é queimá-los. O Banco Mundial e vários governos estão a construir incineradores para o fazer. Outros grupos do ASP dizem que queimar os resíduos vai libertar mais venenos para o ar e água e sugerem métodos de eliminação mais seguros. A partir de agora, não há formas verdadeiramente seguras de destruir estes produtos químicos. Desenvolver métodos mais seguros vai ser mais caro do que queimar e vai levar tempo. À medida que o ASP trabalha para resolver este problema, os resíduos tóxicos estão ao vento e infiltram-se na água subterrânea. Estes venenos e as doenças que eles causam fazem parte da herança mortal das empresas químicas e das agências de desenvolvimento que os fizeram e que promoveram o seu uso.

17 As baterias de ácido de chumbo dos carros são habitualmente recicladas por causa dos metais que contêm. Na maior parte dos lugares, este não é um processo industrial organizado, mas é feito nas casas e nos quintais. A reciclagem de baterias cria poluição grave por chumbo, danificando a saúde e o meio ambiente. A exposição a curto prazo a níveis elevados de chumbo pode causar vómitos, diarreia, convulsões (ataques), coma ou mesmo morte (ver páginas 368 a 370). Nalguns lugares, as pequenas baterias caseiras são postas de lado e o pó preto de dentro delas é usado para fazer corantes, tintas e produtos de beleza. Este pó é muito venenoso e nunca deve ser usado para estes fins. Ele é feito de cádmio, chumbo, zinco, mercúrio e outros metais pesados tóxicos. Se o pó for usado, ele deve ser manuseado com luvas e máscara na cara e os resíduos devem ser eliminados com segurança. A melhor maneira de reduzir a exposição às toxinas nas baterias é que os produtores de baterias recolham as baterias usadas e garantam que elas são recicladas em condições de segurança. Alguns países têm leis que regulam a reciclagem segura de baterias. Produzir equipamento electrónico, como por exemplo computadores, televisões, telefones móveis e rádios, requer uma grande quantidade de recursos. O equipamento electrónico também contém muitas substâncias tóxicas, como por exemplo chumbo, cádmio, bário, mercúrio e retardadores de chamas (ver página 372), PCBs e plástico PVC (ver página 341). Muitas vezes, os produtos electrónicos acabam em aterros sanitários onde as substâncias tóxicas que eles contêm se infiltram na água subterrânea. Ou são desmontados e os materiais que contêm são reciclados, muitas vezes à mão, usando solventes perigosos. Isto causa problemas de saúde graves para as pessoas que fazem a reciclagem e transfere os materiais tóxicos para outros produtos que vão causar mais problemas de saúde mais tarde. A solução mais segura é exigir às empresas de produtos electrónicos que assumam a responsabilidade de reciclarem em segurança e redesenharem os seus produtos para que estes usem menos materiais perigosos e durem mais tempo. E as pessoas que compram e usam produtos electrónicos podem reduzir os resíduos perigosos mandando arranjá-los quando se avariam, em vez de os deitarem fora.

18 O é a exportação de um país para outro de resíduos tóxicos e materiais perigosos. Como muitas vezes os países ricos tentam deitar fora os seus resíduos em zonas distantes, e como os governos dos países pobres muitas vezes não têm poder para os impedir, o comércio de produtos tóxicos significa, na maior parte das vezes, que os países ricos e as comunidades ricas deitam fora os seus resíduos nos países mais pobres e nas comunidades mais pobres. Apesar de acordos internacionais para proteger a saúde e o meio ambiente, o comércio de produtos tóxicos faz parte dos negócios globais. Mesmos que eles sejam perigosos, os produtos como o tabaco, os pesticidas, os alimentos GM, o amianto, o gás com chumbo, os produtos electrónicos avariados e outros são habitualmente enviados dos países ricos para os mais pobres. Algum comércio de produtos tóxicos é proibido pela lei internacional (ver página 467). Mas, como muitos activistas de saúde e direitos humanos sabem, as leis só protegem as pessoas quando as pessoas se organizam para as fazer cumprir. O Khian Sea foi um barco carregado com toneladas de cinzas tóxicas incineradas da cidade de Filadélfia nos Estados Unidos, que deveriam ser deitadas fora em qualquer lugar fora dos Estados Unidos. Mas onde quer que ele fosse, as pessoas rejeitavam-no. Primeiro, o barco foi para as Bahamas, depois para a República Dominicana, mas estes países não aceitaram os resíduos. O barco navegou até às Honduras, às Bermudas, à Guiné-Bissau e às Antilhas Holandesas. Mas nenhum país queria as cinzas tóxicas. Desesperada por descarregar, a tripulação do barco mentiu em relação à sua carga. Às vezes diziam que as cinzas eram material de construção ou enchimento para estradas. Mas os activistas ambientais mantinham-se um passo à frente do barco, informando os países sobre o que realmente a cinza era. Ninguém queria esta carga, até que ela chegou ao Haiti. Aí, o governo apoiado pelos EUA deixou que as cinzas entrassem no país, agora chamadas de adubo toneladas de cinzas foram deitadas na praia na cidade de Gonaives, no Haiti. Passado pouco tempo, a indignação pública forçou os oficiais haitianos a admitirem que não estavam a receber adubo. Deram ordens para que os resíduos fossem devolvidos ao barco. Mas o Khian Sea já tinha desaparecido durante a noite. Durante 2 anos, o Khian Sea andou de país em país a tentar deitar fora as restantes toneladas de cinzas. A tripulação até foi obrigada a esconder o nome do barco. Mesmo assim, nenhum país foi enganado e obrigado a aceitar a carga. Mais tarde, um membro da tripulação testemunhou num tribunal, dizendo que a maior parte dos resíduos foram deitados no oceano Índico. No fim, toneladas de cinzas foram postas de volta num aterro em Filadélfia, graças a anos de esforços dos activistas.

19 Infelizmente, ignorar resíduos tóxicos não faz com que eles desapareçam. Quando novos projectos de desenvolvimento são iniciados nas cidades, habitualmente, as pessoas ficam excitadas com os novos mercados, casas, zonas de recreio e empregos que vão ser criados. Mas, sobretudo quando estes projectos são construídos em lugares onde houve uma fábrica ou uma base militar, as pessoas devem ter o cuidado de garantir que o próprio solo não se torna numa lixeira de resíduos tóxicos. E se se tornou, os resíduos tóxicos devem ser eliminados com segurança. Quando a cidade de San Diego, EUA, começou a construir um novo estádio, os fãs da equipa de basebol dos San Diego Padres ficou excitada. O novo estádio seria melhor para ver os jogos e a sua construção ia trazer empregos para a comunidade. Mas um estudo de impacto ambiental (EIA) mostrou que o projecto também teria maus efeitos no meio ambiente e na saúde das pessoas. O lugar proposto estava contaminado com químicos tóxicos. O plano pedia que o solo tóxico fosse escavado e queimado mesmo no meio da cidade. Os membros de um grupo local, a Coligação para a Saúde Ambiental (CSA), sabiam que isto iria causar problemas de saúde graves. Por isso, organizaram a comunidade para que exigisse uma alternativa. Os membros da CSA e da comunidade pediram aos responsáveis da cidade que rejeitassem o plano, mas a cidade negou-lhes esse pedido. A comunidade organizou então mais de 100 residentes para protestarem no local de construção. Quando os meios de comunicação locais relataram o assunto, parecia que o clube não se preocupava com os seus fãs. Em breve, os donos da equipa concordaram em descobrir outra forma de eliminarem o solo tóxico. A CSA também mostrou como é que o novo estádio iria causar um aumento no trânsito, na poluição do ar e na asma entre as crianças do bairro. Depois de muitas reuniões, a Coligação para a Saúde Ambiental ajudou a desenvolver novos planos de construção mais saudáveis. Até mesmo quando são organizadas reuniões públicas e produzidos estudos de impacto ambiental, isto não significa que um projecto vai estar livre de perigo. No caso do estádio de San Diego, os construtores queriam ir com o projecto avante, apesar de conhecerem o perigo de queimar solo tóxico e os problemas com os planos do estádio. Foi preciso um grupo organizado e dedicado estudar os relatórios, ir às reuniões e protestar nas ruas para levar o governo a reduzir os danos. Muitas pessoas em San Diego prestam atenção a cada jogo que os San Diego Padres jogam. Agora, eles podem apoiar a sua equipa e saber que ela não os fez ficarem doentes.

20 Durante anos, os países ricos da América do Norte e da Europa usaram a África, a Ásia, a América Latina e a Europa de Leste como lugares para lixeiras tóxicas, sem qualquer pressão legal para pararem. Finalmente, a acção comunitária nos países mais pobres, em conjunto com pressão de ambientalistas em todo o mundo, ganhou acções que resultaram em acordos internacionais que ilegalizaram o comércio de produtos tóxicos. O primeiro acordo foi a Convenção de Basileia sobre o Controlo dos Movimentos Transfronteiriços de Resíduos Perigosos e sua Eliminação (1992). Este acordo foi conquistado por causa dos activistas que seguiram o Khian Sea, o barco que viajou à volta do mundo tentando deitar fora a sua carga de cinzas tóxicas. Os países que assinaram a Convenção de Basileia concordam em tratar, reutilizar e eliminar resíduos tóxicos tão perto quanto possível do lugar onde eles são produzidos, em vez de os enviarem para outros países. Em 2001, 92 países assinaram a Convenção de Estocolmo sobre os Poluentes Orgânicos Persistentes (POPs, ver página 340). Esta convenção proíbe a produção e uso dos 12 POPs mais perigosos (chamados a Dúzia Suja ) e torna ilegal comercializá-los, excepto se o uso de um certo produto químico vai prevenir mais danos do que ele causa (como por exemplo o uso específico de DDT para controlar a malária, ver página 150). Um terceiro acordo foi aprovado em 2004: a Convenção de Roterdão sobre Consentimento com Informação Prévia. Isto requer que um país notifique e obtenha permissão de outro país quando quer exportar produtos químicos perigosos. Quando as pessoas conhecem e usam estes acordos, eles podem ser uma ferramenta importante para tornar o mundo mais saudável e mais justo. Mas há muitas maneiras de os países e as empresas darem a volta à lei. Para mais informação sobre formas de usar estas e outras leis internacionais nas suas lutas pela saúde ambiental, ver Apêndice B. Não deitem lixo sobre nós!

Desigualdades: causa e efeito dos problemas de saúde ambiental... 22 O controlo das empresas é mau para a nossa saúde... 24 Criar instituições

Desigualdades: causa e efeito dos problemas de saúde ambiental... 22 O controlo das empresas é mau para a nossa saúde... 24 Criar instituições Desigualdades: causa e efeito dos problemas de saúde ambiental......... 22 O controlo das empresas é mau para a nossa saúde...................... 24 Criar instituições comunitárias...........................................

Leia mais

Combate as alterações climáticas. Reduz a tua pegada e muda o mundo!!

Combate as alterações climáticas. Reduz a tua pegada e muda o mundo!! Combate as alterações climáticas Reduz a tua pegada e muda o mundo!! O dióxido de carbono é um gás naturalmente presente na atmosfera. À medida que crescem, as plantas absorvem dióxido de carbono, que

Leia mais

O desastre com gás tóxico em Bhopal... 36 A luta pelos direitos e pela justiça... 37 Como é que as substâncias tóxicas entram nos nossos corpos...

O desastre com gás tóxico em Bhopal... 36 A luta pelos direitos e pela justiça... 37 Como é que as substâncias tóxicas entram nos nossos corpos... O desastre com gás tóxico em Bhopal.................................... 36 A luta pelos direitos e pela justiça........................................ 37 Como é que as substâncias tóxicas entram nos nossos

Leia mais

Hoje vamos falar de... ENERGIA

Hoje vamos falar de... ENERGIA Hoje vamos falar de... ENERGIA A ENERGIA ESTÁ EM TODO O LADO. OS CARROS ANDAM COM A ENERGIA ARMAZENADA NA GASOLINA MUITOS BRINQUEDOS SÃO MOVIDOS COM A ENERGIA ARMAZENADA NAS PILHAS. OS BARCOS À VELA SÃO

Leia mais

As fotos a seguir são tristemente verdadeiras...

As fotos a seguir são tristemente verdadeiras... As fotos a seguir são tristemente verdadeiras... Quem é responsável por enfrentar esta situação? Prefeitura? Entidades de defesa do ambiente?? Governo? Meios de comunicação? Cientistas? Organizações

Leia mais

::Seu João o Senhor sabe o que é o meio ambiente?

::Seu João o Senhor sabe o que é o meio ambiente? O Meio Ambiente ::Seu João o Senhor sabe o que é o meio ambiente? Seu João: Não sei não! Mas quero que você me diga direitinho pra eu aprender e ensinar todo mundo lá no povoado onde eu moro. : Seu João,

Leia mais

As trabalham directamente com as questões de saúde ambiental e podem disponibilizar formação, materiais e outros tipos de apoio.

As trabalham directamente com as questões de saúde ambiental e podem disponibilizar formação, materiais e outros tipos de apoio. Apresentamos aqui uma selecção de organizações, materiais impressos e recursos da internet que podem fornecer alguma informação útil sobre saúde ambiental. Listámos as organizações e os materiais que são

Leia mais

Mobilizar para a saúde ambiental... 12 A mudança leva tempo... 13 Actividades para aprender e mobilizar... 14 As mulheres precisam de uma voz...

Mobilizar para a saúde ambiental... 12 A mudança leva tempo... 13 Actividades para aprender e mobilizar... 14 As mulheres precisam de uma voz... Mobilizar para a saúde ambiental........................... 12 A mudança leva tempo................................... 13 Actividades para aprender e mobilizar........................ 14 As mulheres precisam

Leia mais

Escola Secundária/3 Morgado Mateus

Escola Secundária/3 Morgado Mateus Escola Secundária/3 Morgado Mateus Disciplina de Geografia A Poluição nas grandes cidades Diogo nº 9 9ºA Filipe nº 13 9ºA Francisco nº 14 9ºA Professora: Maria Otília Duarte Ano lectivo de 2007/2008 Introdução

Leia mais

A minha missão é... Proteger o meu planeta!

A minha missão é... Proteger o meu planeta! A minha missão é... Proteger o meu planeta! Energia A energia que utilizas todos os dias não nasce nos eletrodomésticos lá de casa nem nos postes de iluminação da rua. É transformada a partir do petróleo,

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA PROMINOL P 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Data de emissão: 13 / 03 / 08 Nome do produto: Uso do produto: PROMINOL P Adubo Empresa responsável pela comercialização:

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA PROMI FERTIL Especial Hortícolas 18-8-6 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Data de emissão: 13 / 03 / 08 Nome do produto: Promi-Fertil Especial Hortícolas 18-8-6 Uso do

Leia mais

Estudo de Impacto Ambiental

Estudo de Impacto Ambiental Leis Os direitos humanos, e às vezes os direitos ambientais (o direito a ter um ambiente seguro e saudável), são protegidos pelas leis de muitos países. Este livro inclui muitas histórias sobre como é

Leia mais

Sistema Gestão Ambiental

Sistema Gestão Ambiental Sistema Gestão Ambiental Sistema Gestão Ambiental - ISO 14001 Agora você vai conhecer o Sistema de Gestão Ambiental da MJRE CONSTRUTORA que está integrado ao SGI, entender os principais problemas ambientais

Leia mais

Ideal Qualificação Profissional

Ideal Qualificação Profissional 2 0 1 1 Finalista Estadual - SP Categoria Serviços de Educação 2 0 1 2 Vencedora Estadual - SP Categoria Serviços de Educação 2 0 1 2 Finalista Nacional Categoria Serviços de Educação Apresentação O desenvolvimento

Leia mais

Os Direitos do Consumidor:

Os Direitos do Consumidor: DIREITOS E DEVERES Segundo a legislação, consumidores são todas as pessoas que compram bens para uso pessoal, a alguém que faça da venda a sua profissão. A Lei n.º 24/96, de 31 de Julho estabelece os direitos

Leia mais

2. Porque queremos diminuir a Pegada Ecológica? 4. Em que consiste a sustentabilidade ambiental?

2. Porque queremos diminuir a Pegada Ecológica? 4. Em que consiste a sustentabilidade ambiental? 1. Quais são as dimensões do Desenvolvimento Sustentável? 2. Porque queremos diminuir a Pegada Ecológica? a) Económica b) Social c) Ambiental d) Todas as anteriores a) Melhorar a nossa qualidade de vida

Leia mais

Geração de Energia a partir do lixo urbano. Uma iniciativa iluminada da Plastivida.

Geração de Energia a partir do lixo urbano. Uma iniciativa iluminada da Plastivida. Geração de Energia a partir do lixo urbano. Uma iniciativa iluminada da Plastivida. Plástico é Energia Esta cidade que você está vendo aí de cima tem uma população aproximada de 70.000 mil habitantes e

Leia mais

Bem-vindo à Evonik Degussa Antwerpen

Bem-vindo à Evonik Degussa Antwerpen pagina 1 van 26 Bem-vindo à Evonik Degussa Antwerpen A Evonik Degussa Antwerpen é uma empresa de químicos e parte de um grupo global. A sua segurança, assim como a nossa, é muito importante, pelo que existem

Leia mais

1. Promover a saúde ambiental comunitária... 1. 2. Compreender e mobilizar para a saúde comunitária... 11

1. Promover a saúde ambiental comunitária... 1. 2. Compreender e mobilizar para a saúde comunitária... 11 1. Promover a saúde ambiental comunitária.......................... 1 Promotores de saúde param a cólera.... 2 Trabalhar em conjunto para a mudança. 3 O que é que tornou esta organização de saúde tão bem-sucedida?.........

Leia mais

Os aspectos ambientais dos resíduos eletrônicos E-LIXO

Os aspectos ambientais dos resíduos eletrônicos E-LIXO Os aspectos ambientais dos resíduos eletrônicos E-LIXO Junho de 2009 Realidade Atual População Desenvolvimento Tecnológico Demanda de bens de consumo Aumento da demanda de produtos descartáveis aumento

Leia mais

O LIXO É UM LUXO! Atividade prática sobre reciclagem

O LIXO É UM LUXO! Atividade prática sobre reciclagem Projetos para a Sala de Aula O LIXO É UM LUXO! Atividade prática sobre reciclagem 5 a a 8 a SÉRIES Softwares necessários: Microsoft excel 97 Microsoft powerpoint 97 Microsoft publisher 97 Guia do Professor

Leia mais

Página 1 de 8-01/04/2014-5:59

Página 1 de 8-01/04/2014-5:59 PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS BANCO DE QUESTÕES - LÍNGUA PORTUGUESA - 4 ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ========================================================================== Texto 1 LIXO NO LIXO Dá para

Leia mais

Profa. Ana Luiza Veltri

Profa. Ana Luiza Veltri Profa. Ana Luiza Veltri EJA Educação de Jovens e Adultos Água de beber Como está distribuída a água no mundo? A Terra, assim como o corpo humano, é constituída por dois terços de água; Apenas 1% da quantidade

Leia mais

Magazine Meio Ambiente

Magazine Meio Ambiente Página 1 de 5 Magazine Meio Ambiente MEIO AMBIENTE Dez atitudes domésticas ecologicamente corretas Publicado a 28 Janeiro 2011 por Danielrox01 Substituir sacolas de plástico A sacola de plástico é a atual

Leia mais

Nos estúdios encontram-se um entrevistador (da rádio ou da televisão) e um representante do Ministério da Terra, Ambiente e Desenvolvimento Rural

Nos estúdios encontram-se um entrevistador (da rádio ou da televisão) e um representante do Ministério da Terra, Ambiente e Desenvolvimento Rural Guião de Programa de Rádio e Televisão Tema: Redução de Emissões de Desmatamento e Degradação Florestal (REDD+) Nos estúdios encontram-se um entrevistador (da rádio ou da televisão) e um representante

Leia mais

Importância do ar para os seres vivos

Importância do ar para os seres vivos Importância do ar para os seres vivos A ATMOSFERA A atmosfera éconstituída por várias camadas. Cada camada tem características próprias: TROPOSFERA: Éa camada mais próxima da terra. Éconstituída por uma

Leia mais

O homem e o meio ambiente

O homem e o meio ambiente A U A UL LA O homem e o meio ambiente Nesta aula, que inicia nosso aprendizado sobre o meio ambiente, vamos prestar atenção às condições ambientais dos lugares que você conhece. Veremos que em alguns bairros

Leia mais

Escola Secundária da Maia Técnico de Manutenção industrial de Electromecânica

Escola Secundária da Maia Técnico de Manutenção industrial de Electromecânica Escola Secundária da Maia Técnico de Manutenção industrial de Electromecânica Introdução Ao longo deste trabalho, vamos falar de um gravíssimo problema ambiental, A NIVEL MUNDIAL! que poucos ou quase ninguém

Leia mais

A Grande Viagem do Lixo

A Grande Viagem do Lixo Olá! Eu sou a Clarinha a mascote da Lipor. Sempre que me vires, é sinal que alguém está a cuidar do ambiente e a aprender como viver num mundo mais limpo, mais verde. E tu? sabias que... Há 4 R s nossos

Leia mais

ROBERT BOSCH LIMITADA

ROBERT BOSCH LIMITADA F0LHA...: 1 de 5 1 _ Identificação do Produto e Fabricante Nome do Produto: Acumulador elétrico de energia Nome do Fabricante sob licença da Robert Bosch Ltda.: Enertec do Brasil Ltda. Endereço: Av. Independência,

Leia mais

Como Eu Ensino Biomas brasileiros Material de apoio

Como Eu Ensino Biomas brasileiros Material de apoio Roteiro da atividade: Jogo da Sobrevivência Como jogar 1. Cada jogador iniciará o jogo com uma população de sessenta quatis na primeira geração e, portanto, marcará na folha-região 60 indivíduos no eixo

Leia mais

Economia Internacional

Economia Internacional Economia Internacional A abertura de novos mercados criou condições para que a produção econômica mundial crescesse em mais de 150% desde 1980, com a poluição aumentando no mesmo ritmo. Amplo consenso

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA A COLETA SELETIVA DO LIXO E DICAS DE CONSUMO CONSCIENTE

INSTRUÇÕES PARA A COLETA SELETIVA DO LIXO E DICAS DE CONSUMO CONSCIENTE 12:43 Page 1 INSTRUÇÕES PARA A COLETA SELETIVA DO LIXO E DICAS DE CONSUMO CONSCIENTE Jardins é Page 2 LIXO UM PROBLEMA DE TODOS Reduzir a quantidade de lixo é um compromisso de todos. Uma pessoa é capaz

Leia mais

Não é um sector específico (Pequenas e médias empresas em geral) - Go to 3

Não é um sector específico (Pequenas e médias empresas em geral) - Go to 3 INQUÉRITO EUROPEU DAS PME E O MEIO-AMBIENTE Bem-vindo ao inquérito europeu sobre as PMEs e o meio-ambiente. O questionário deve demorar entre 5-10 minutos para ser concluído. Obrigado! Instituto Tecnológico

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA BIOESTIM K 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Data de emissão: 13 / 03 / 08 Nome do produto: Uso do produto: BIOESTIM K Adubo Empresa responsável pela comercialização:

Leia mais

Produtos químicos PERIGOSOS

Produtos químicos PERIGOSOS Produtos químicos PERIGOSOS Como podemos identificar os produtos químicos perigosos? Os produtos químicos estão presentes em todo o lado, quer em nossas casas, quer nos locais de trabalho. Mesmo em nossas

Leia mais

Lista Classificativa de Projectos de Construção que Precisam de se Sujeitar à Avaliação de Impacto Ambiental (experimental)

Lista Classificativa de Projectos de Construção que Precisam de se Sujeitar à Avaliação de Impacto Ambiental (experimental) Lista Classificativa de de Construção que Precisam de se Sujeitar à Avaliação de Impacto Ambiental (experimental) 1. Objectivo Para acelerar as acções referente ao estabelecimento do regime da avaliação

Leia mais

Água. Material de Apoio - Água

Água. Material de Apoio - Água Água Material de Apoio Programa Escola Amiga da Terra Mapa Verde Realização: Instituto Brookfield Assessoria: Práxis Consultoria Socioambiental Este material foi utilizado pelos educadores participantes

Leia mais

C a m p a n h a I n s t I t u C I o n a l

C a m p a n h a I n s t I t u C I o n a l Viva Melhor! Campanha Institucional CAMPANHA VIVA MELHOR! Camisetas garrafa squeeze saco lixo para carro FOLHETO PROMOCIONAL CAMPANHA Viva Melhor! JUNTOS, PODEMOS CONSTRUIR UM CAMINHO MAIS SOLIDÁRIO E

Leia mais

Gestão Ambiental Resíduo Hospitalar. Gizelma de A. Simões Rodrigues

Gestão Ambiental Resíduo Hospitalar. Gizelma de A. Simões Rodrigues Gestão Ambiental Resíduo Hospitalar Gizelma de A. Simões Rodrigues SBS Hospital Sírio Libanês Instituição Filantrópica de saúde, ensino e pesquisa. Hospital de alta complexidade Matriz 172.000 m² 5.900

Leia mais

Campanha de Limpeza e Conservação do Ambiente da Nossa Terra. A Câmara Municipal das Lajes do Pico convida todos os munícipes a aderir à

Campanha de Limpeza e Conservação do Ambiente da Nossa Terra. A Câmara Municipal das Lajes do Pico convida todos os munícipes a aderir à Campanha de Limpeza e Conservação do Ambiente da Nossa Terra A Câmara Municipal das Lajes do Pico convida todos os munícipes a aderir à Campanha de Limpeza e Conservação do Ambiente da Nossa Terra, e a

Leia mais

O que fazemos em Moçambique

O que fazemos em Moçambique 2008/09 O que fazemos em Moçambique Estamos a ajudar 79.850 crianças afectadas pelas inundações Estamos a proporcionar kits para a escola a 1.000 órfãos e crianças vulneráveis Registámos 1.745 crianças

Leia mais

São mais de 80 os serviços que garantem o correcto acondicionamento e encaminhamento do papel/cartão para os respectivos pontos de recolha.

São mais de 80 os serviços que garantem o correcto acondicionamento e encaminhamento do papel/cartão para os respectivos pontos de recolha. A Câmara Municipal procura ser um exemplo de bom desempenho ambiental. A gestão ambiental da autarquia promove, através de um conjunto de projectos, a reciclagem junto dos munícipes e dos seus trabalhadores.

Leia mais

Sustentabilidade do Planeta. Todo mundo deve colaborar!

Sustentabilidade do Planeta. Todo mundo deve colaborar! Sustentabilidade do Planeta Todo mundo deve colaborar! Situação no mundo atual O Planeta pede socorro!!!! A atividade humana tem impactado negativamente o meio ambiente. Os padrões atuais de consumo exploram

Leia mais

INDUFIX FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ 014 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA

INDUFIX FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ 014 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA FISPQ 014 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Indufix Código interno: 2000 Empresa: Indutil Indústria de Tintas Ltda. e-mail: indutil@indutil.com.br

Leia mais

Doenças do ciclo da ureia e acidúrias orgânicas Para jovens

Doenças do ciclo da ureia e acidúrias orgânicas Para jovens Doenças do ciclo da ureia e acidúrias orgânicas Para jovens www.e-imd.org O que é uma doença do ciclo da ureia/acidúria orgânica? A comida que ingerimos é fragmentada pelo corpo com a ajuda de milhares

Leia mais

MANUAL SERVIÇOS AMBIENTAIS NO CORREDOR ETNOAMBIENTAL TUPI MONDÉ CADERNO DE ATIVIDADES

MANUAL SERVIÇOS AMBIENTAIS NO CORREDOR ETNOAMBIENTAL TUPI MONDÉ CADERNO DE ATIVIDADES MANUAL SERVIÇOS AMBIENTAIS NO CORREDOR ETNOAMBIENTAL TUPI MONDÉ CADERNO DE ATIVIDADES MÓDULO I Corredor Etnoambiental Tupi Mondé Atividade 1 Conhecendo mais sobre nosso passado, presente e futuro 1. No

Leia mais

Plano de negócio de Fogões Melhorados Mbaula. Agência de Desenvolvimento Económico Local de Sofala. Plano de negócio

Plano de negócio de Fogões Melhorados Mbaula. Agência de Desenvolvimento Económico Local de Sofala. Plano de negócio ADEL-SOFALA M O Ç A M B I Q U E Á F R I C A Agência de Desenvolvimento Económico Local de Sofala Julho 2008 Plano de negócio para Produtores dos Fogões Melhorados Mbaula 1 Indice 1. Sumário Executivo...

Leia mais

ÁGUA QUE BRILHA E ILUMINA A VIDA Aos Educadores:

ÁGUA QUE BRILHA E ILUMINA A VIDA Aos Educadores: ÁGUA QUE BRILHA E ILUMINA A VIDA Aos Educadores: A consciência ecológica levanta-nos um problema de profundidade e vastidão extraordinárias. Temos que defrontar ao mesmo tempo o problema da Vida na Terra,

Leia mais

Grandes Problemas Ambientais

Grandes Problemas Ambientais Grandes Problemas Ambientais O aumento do efeito de estufa; O aquecimento global; A Antárctica; A desflorestação; A Amazónia; A destruição da camada de ozono; As chuvas ácidas; O clima urbano; Os resíduos

Leia mais

Jardim Escola Aladdin

Jardim Escola Aladdin Jardim Escola Aladdin Os 4 Rs da Sustentabilidade Rio de janeiro 2016 Objetivo geral Esse projeto tem como objetivo promover o envolvimento dos alunos, professores, pais e comunidade em defesa à sustentabilidade

Leia mais

Dicas Consumo Sustentável 2.fev.2015

Dicas Consumo Sustentável 2.fev.2015 Dicas Consumo Sustentável 2.fev.2015 Nas compras: Se gosta de produtos mais exóticos que não se encontram no comércio local, então poderá optar pelo comércio justo. Existem já algumas lojas no nosso país

Leia mais

Legislação ambiental 1: uso regular

Legislação ambiental 1: uso regular Os testes tribológicos foram conduzidos em um equipamento específico para este tipo de análise, porque trabalha com pequenas quantidades de materiais (peça, ferramenta e fluído de corte). Tal equipamento

Leia mais

EXTRUTOP FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ 017 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA

EXTRUTOP FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ 017 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA FISPQ 017 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Extrutop Código interno: AGM215 e AGM216 Empresa: Indutil Indústria de Tintas Ltda. e-mail: indutil@indutil.com.br

Leia mais

Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE

Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE Preservação e Conservação A preservação é o esforço para proteger um ecossistema e evitar que ele seja modificado. Depende também da presença e ação do homem sobre

Leia mais

Lista das frases de risco e de segurança

Lista das frases de risco e de segurança Lista das frases de risco e de segurança FRASES DE RISCO R1 : Explosivo no estado seco. R2 : Risco de explosão por choque, fricção, fogo ou outras fontes de ignição. R3 : Grande risco de explosão por choque,

Leia mais

AULA 5. A herança da Revolução Industrial: o problema atual.

AULA 5. A herança da Revolução Industrial: o problema atual. AULA 5 A herança da Revolução Industrial: o problema atual. Roberto queria ir até Londres e Sofia concordou porque queria conhecer o lugar onde começou o progresso da nossa civilização com a Revolução

Leia mais

Vida e Ambiente Violência

Vida e Ambiente Violência Vida e Ambiente Violência Trabalho realizado por: João Afonso Silva, Ricardo Morais, Rui Cruz, Carla, Filipa e Inês Escola Secundária do Padrão da Légua, 10º F O que é? Violência contra o ambiente é danificar

Leia mais

Escola Profissional Desenvolvimento Rural de Abrantes. O consumismo de energia

Escola Profissional Desenvolvimento Rural de Abrantes. O consumismo de energia Escola Profissional Desenvolvimento Rural de Abrantes O consumismo de energia Consumo de Energia O consumo da energia no mundo está resumido na sua maioria pelas fontes tradicionais como o petróleo, carvão

Leia mais

Tratar danos causados por produtos químicos; Tratar queimaduras; Estado de choque; Respiração de socorro (respiração boca-a-boca).

Tratar danos causados por produtos químicos; Tratar queimaduras; Estado de choque; Respiração de socorro (respiração boca-a-boca). Quando se trabalha ou se está exposto a substâncias perigosas no local de trabalho, na comunidade ou em casa, é importante estar tão seguro quanto possível e estar preparado para acidentes. Esta secção

Leia mais

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-10

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-10 DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-10 1) O que significa DBTE? Diesel de Baixo Teor de Enxofre. Aqui no Brasil são dois os tipos: o S-50 (2012) e o S-10 a partir de 2.013, onde S= enxofre, 10 ou 50 ppm=

Leia mais

FICHA TÉCNICA DE SEGURANÇA DO PRODUTO QUÍMICO - FISPQ Data da Revisão: 06.03.06

FICHA TÉCNICA DE SEGURANÇA DO PRODUTO QUÍMICO - FISPQ Data da Revisão: 06.03.06 01. Identificação do Produto e da Empresa. Nome do Produto: Rotosafe Bro 700 001 OR 0050 nº Material: 110319 Nome da Empresa: Domingos Araújo Neto Endereço: Av. Francisco Sá, 3405 Monte Castelo Fortaleza

Leia mais

DEFINIÇÃO: Matriz energética é toda a energia disponibilizada para ser transformada, distribuída e consumida nos processos produtivos.

DEFINIÇÃO: Matriz energética é toda a energia disponibilizada para ser transformada, distribuída e consumida nos processos produtivos. R O C H A DEFINIÇÃO: Matriz energética é toda a energia disponibilizada para ser transformada, distribuída e consumida nos processos produtivos. O petróleo e seus derivados têm a maior participação na

Leia mais

REVISÃO 2º BIMESTRE LIXO E SEU DESTINO

REVISÃO 2º BIMESTRE LIXO E SEU DESTINO REVISÃO 2º BIMESTRE LIXO E SEU DESTINO 1) Analise as alternativas sobre aspectos relacionados ao lixo e marque (V) para as verdadeiras e (F) para as falsas. ( ) O lixo é caracterizado como tudo aquilo

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - FISPQ

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - FISPQ FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - FISPQ PRODUTO: BATERIA MOURA 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Nome da Empresa: Endereço: Bateria Moura Acumuladores Moura

Leia mais

Os riscos ambientais e o seu impacto para o sector empresarial: Soluções ao nível de seguros

Os riscos ambientais e o seu impacto para o sector empresarial: Soluções ao nível de seguros Os riscos ambientais e o seu impacto para o sector empresarial: Soluções ao nível de seguros Famalicão 14 de Julho de 2010 Jorge Cardoso Agenda Introdução ao Meio Ambiente Definição de risco e responsabilidade

Leia mais

GE Power & Water Water & Process Technologies. Recursos preciosos, desafios prementes, melhores soluções.

GE Power & Water Water & Process Technologies. Recursos preciosos, desafios prementes, melhores soluções. GE Power & Water Water & Process Technologies Recursos preciosos, desafios prementes, melhores soluções. Recursos preciosos Se o consumo de água continuar a aumentar à mesma taxa, as estatísticas deixam

Leia mais

Tensão Capacidade (mm) (mm) (g) (V) (mah) PR10-D6A PR70 1,4 75 5,8 3,6 0,3 PR13-D6A PR48 1,4 265 7,9 5,4 0,83 PR312-D6A PR41 1,4 145 7,9 3,6 0,58

Tensão Capacidade (mm) (mm) (g) (V) (mah) PR10-D6A PR70 1,4 75 5,8 3,6 0,3 PR13-D6A PR48 1,4 265 7,9 5,4 0,83 PR312-D6A PR41 1,4 145 7,9 3,6 0,58 Produto Pilha de zinco-ar Nome do modelo IEC Nominal Nominal Diâmetro Altura Peso Tensão Capacidade (mm) (mm) (g) (V) (mah) PR10-D6A PR70 1,4 75 5,8 3,6 0,3 PR13-D6A PR48 1,4 265 7,9 5,4 0,83 PR312-D6A

Leia mais

Resoluções RESOLUÇÃO Nº 9, DE 31 DE AGOSTO DE 1993

Resoluções RESOLUÇÃO Nº 9, DE 31 DE AGOSTO DE 1993 Resoluções RESOLUÇÃO Nº 9, DE 31 DE AGOSTO DE 1993 Resolução CONAMA Nº 009/1993 - "Estabelece definições e torna obrigatório o recolhimento e destinação adequada de todo o óleo lubrificante usado ou contaminado".

Leia mais

Práticas Verdes Para Condomínios

Práticas Verdes Para Condomínios Guia de Práticas Verdes Para Condomínios A economia que faz bem para o seu bolso e para o meio ambiente Com o objetivo de incentivar e disseminar práticas sustentáveis em condomínios, o Secovi Rio criou

Leia mais

Problemas Ambientais Urbanos

Problemas Ambientais Urbanos Problemas Ambientais Urbanos INVERSÃO TÉRMICA É comum nos invernos, principalmente no final da madrugada e início da manhã; O ar frio, mais denso, é responsável por impedir a dispersão de poluentes (CO,

Leia mais

Limpeza e Sustentabilidade. Osmar Viviani Consultor Técnico 1

Limpeza e Sustentabilidade. Osmar Viviani Consultor Técnico 1 Limpeza e Sustentabilidade Osmar Viviani Consultor Técnico 1 ANTIGAMENTE > conceito primário de aproveitamento Trapos (sobras), sabão caseiro, balde, vassoura, rodo, escovão... Era só o que se usava na

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA Edição revista (*) Nº : 5. 2.2 : Gás não inflamável e não tóxico.

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA Edição revista (*) Nº : 5. 2.2 : Gás não inflamável e não tóxico. Página : 1 2.2 : Gás não inflamável e não tóxico. Atenção 1 Identificação da substância/ preparação e da sociedade/ empresa Identificador do produto Designação Comercial : AR Reconstituido K/AR Comprimido/

Leia mais

Formulário de Candidatura para admissão como membro do Cluster 2Bparks

Formulário de Candidatura para admissão como membro do Cluster 2Bparks Formulário de Candidatura para admissão como membro do Cluster 2Bparks Eu, abaixo-assinado/a, declaro que a organização que represento solicita a sua admissão como Membro do Cluster Ambiental 2Bparks e

Leia mais

GLOSSÁRIO MICROBIOLÓGICOS FÍSICO-QUÍMICOS PARÂMETROS PARÂMETROS

GLOSSÁRIO MICROBIOLÓGICOS FÍSICO-QUÍMICOS PARÂMETROS PARÂMETROS PARÂMETROS MICROBIOLÓGICOS Coliformes Fecais (E.Coli), Enterococos, Clostrídios Perfringens Os organismos pertencentes a este grupo estão presentes nas matérias fecais de todos os animais de sangue quente.

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA PROMINOL Ca 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Data de emissão: 13 / 03 / 08 Nome do produto: Uso do produto: PROMINOL Ca Adubo Empresa responsável pela comercialização:

Leia mais

Learning by Ear Aprender de Ouvido Meio-Ambiente 06 Energias Renováveis

Learning by Ear Aprender de Ouvido Meio-Ambiente 06 Energias Renováveis Learning by Ear Aprender de Ouvido Meio-Ambiente 06 Energias Renováveis Texto: Richard Lough [pronuncia-se Loque] Redacção e conceito: Johannes Beck Tradução: Maria Kremer Intro Alô! Bem vindos à série

Leia mais

VAMOS FAZER MENOS LIXO: REDUÇÃO REUTILIZAÇÃO REDUÇÃO, REUTILIZAÇÃO E RECICLAGEM

VAMOS FAZER MENOS LIXO: REDUÇÃO REUTILIZAÇÃO REDUÇÃO, REUTILIZAÇÃO E RECICLAGEM 1 VAMOS FAZER MENOS LIXO: REDUÇÃO, REUTILIZAÇÃO E RECICLAGEM POLÍTICA DOS 3 R S: consiste na aplicação dos seguintes princípios, por ordem de prioridade: REDUÇÃO da quantidade de resíduos produzidos e

Leia mais

O que é saneamento básico?

O que é saneamento básico? O que é saneamento básico? Primeiramente, começaremos entendendo o real significado de saneamento. A palavra saneamento deriva do verbo sanear, que significa higienizar, limpar e tornar habitável. Portanto,

Leia mais

Sinais. O mundo está a mudar

Sinais. O mundo está a mudar Sinais O mundo está a mudar O nosso Planeta está a aquecer, do Pólo Norte ao Polo Sul. Os efeitos do aumento da temperatura estão a acontecer e os sinais estão por todo o lado. O aquecimento não só está

Leia mais

Riscos Ambientais e de Saúde PúblicaP

Riscos Ambientais e de Saúde PúblicaP Resíduos Hospitalares e a sua Perigosidade Segurança a e Higiene na Produção e Tratamento de Resíduos Hospitalares Riscos Ambientais e de Saúde PúblicaP 1. Gestão de Resíduos O Tratamento dos RSH é um

Leia mais

FICHA DE SEGURANÇA 2001/58/CE Data de revisão: 08/04/2014 Pág. 1 de 6

FICHA DE SEGURANÇA 2001/58/CE Data de revisão: 08/04/2014 Pág. 1 de 6 FICHA DE SEGURANÇA 2001/58/CE Data de revisão: 08/04/2014 Pág. 1 de 6 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA 1.1 Descrição do artigo: Limpa Churrasqueiras HUJE 1.2 Utilizações previstas: Limpeza de Gorduras

Leia mais

Lixo. A vida é repleta de Química, Física, História e todas outras ciências que estudamos. Da mesma maneira, o ENEM, aborda os conteúdos que

Lixo. A vida é repleta de Química, Física, História e todas outras ciências que estudamos. Da mesma maneira, o ENEM, aborda os conteúdos que Lixo 1 A vida é repleta de Química, Física, História e todas outras ciências que estudamos. Da mesma maneira, o ENEM, aborda os conteúdos que estudamos em temáticas que rementem ao nosso cotidiano. Dessa

Leia mais

SISTEMA BACIA DE CONTENÇÃO (BACON) RHODIA POLIAMIDA E ESPECIALIDADES USINA QUÍMICA DE PAULÍNIA - NOV/07

SISTEMA BACIA DE CONTENÇÃO (BACON) RHODIA POLIAMIDA E ESPECIALIDADES USINA QUÍMICA DE PAULÍNIA - NOV/07 SISTEMA BACIA DE CONTENÇÃO (BACON) RHODIA POLIAMIDA E ESPECIALIDADES USINA QUÍMICA DE PAULÍNIA - NOV/07 1 SISTEMA BACON: OBJETIVO O BACON (BAcia de CONtenção) é um Sistema de Proteção para o Rio Atibaia

Leia mais

Projecto Bio-Escola Episódios de uma escola sustentável

Projecto Bio-Escola Episódios de uma escola sustentável Ano lectivo 2011-2012 Projecto Bio-Escola Episódios de uma escola sustentável Concurso do Ano Internacional da Juventude - Inovação/Energias renováveis Escola Secundária Anselmo de Andrade Projecto elaborado

Leia mais

Joana Coelho, nº12, 9ºB Lisandra Maia, nº14, 9ºB

Joana Coelho, nº12, 9ºB Lisandra Maia, nº14, 9ºB Joana Coelho, nº12, 9ºB Lisandra Maia, nº14, 9ºB Índice Índice Introdução... 3 Os diferentes tipos de poluição... 4 A poluição... 5 Nas águas... 5 No ar... 6 Sonora... 6 Visual... 7 Do solo... 7 Algumas

Leia mais

6. O que indica este sinal? a) um perigo possível b) uma via de evacuação c) material de combate ao fogo d) direcção das casas de banho

6. O que indica este sinal? a) um perigo possível b) uma via de evacuação c) material de combate ao fogo d) direcção das casas de banho 1. Uma autorização de trabalho é um documento: a) que tem de promover a concertação entre todos os que tenham a ver com o trabalho. b) em que vêm estipuladas as condições relativas à maneira de trabalhar

Leia mais

FÉRIAS ESCOLARES ACIDENTES DOMÉSTICOS

FÉRIAS ESCOLARES ACIDENTES DOMÉSTICOS FÉRIAS ESCOLARES X ACIDENTES DOMÉSTICOS As férias escolares exigem mais cuidados com os acidentes domésticos porque as crianças ficam mais tempo em casa e isso aumenta o risco de ocorrerem acidentes que

Leia mais

SENADO FEDERAL EVITE O CIGARRO SENADOR CLÉSIO ANDRADE

SENADO FEDERAL EVITE O CIGARRO SENADOR CLÉSIO ANDRADE SENADO FEDERAL EVITE O CIGARRO SENADOR CLÉSIO ANDRADE 2 Evite o cigarro apresentação Depois que foi identificado como problema de saúde pública, o cigarro tem sido combatido em campanhas de comunicação,

Leia mais

13-09-2010 MATERIAIS RECICLÁVEIS, PROCESSO DE RECICLAGEM

13-09-2010 MATERIAIS RECICLÁVEIS, PROCESSO DE RECICLAGEM MATERIAIS RECICLÁVEIS, PROCESSO DE RECICLAGEM 1 2 Introdução História da limpeza; Educação Ambiental; Campanhas de Sensibilização, Publicidade; Reciclagem antigamente; Materiais reutilizáveis; Processos

Leia mais

ATITUDES QUE DEVES DE TOMAR: Economizar Reciclar e Reutilizar

ATITUDES QUE DEVES DE TOMAR: Economizar Reciclar e Reutilizar A Crise da Água ATITUDES QUE DEVES DE TOMAR: Economizar Reciclar e Reutilizar ÁGUA A água é um recurso natural que depende da maneira como o Homem a utiliza para ser renovável ou não. Quando se pensa que

Leia mais

Posicionamento sobre gás de xisto, óleo de xisto, metano em camada de carvão e fracking

Posicionamento sobre gás de xisto, óleo de xisto, metano em camada de carvão e fracking Posicionamento sobre gás de xisto, óleo de xisto, metano em camada de carvão e fracking Nós, uma aliança de organizações não governamentais dedicadas à saúde e ao meio ambiente, temos sérias preocupações

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUIÍMICO ( FISPQ )

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUIÍMICO ( FISPQ ) 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Anti Ruído Tradicional Aplicação: Reparação e emborrachamento de veículos. Fornecedor: Nome: Mastiflex Indústria e Comércio Ltda Endereço : Rua

Leia mais

PRINCÍPIOS DO RIO. Princípio 1

PRINCÍPIOS DO RIO. Princípio 1 PRINCÍPIOS DO RIO António Gonçalves Henriques Princípio 1 Os seres humanos são o centro das preocupações para o desenvolvimento sustentável. Eles têm direito a uma vida saudável e produtiva em harmonia

Leia mais

FORNECEMOS EQUIPAMENTOS E LINHAS COMPLETAS PARA FABRICAÇÃO DE PELLET S PELLETS DE MADEIRA O COMBUSTIVEL DE AMANHÃ

FORNECEMOS EQUIPAMENTOS E LINHAS COMPLETAS PARA FABRICAÇÃO DE PELLET S PELLETS DE MADEIRA O COMBUSTIVEL DE AMANHÃ FORNECEMOS EQUIPAMENTOS E LINHAS COMPLETAS PARA FABRICAÇÃO DE PELLET S PELLETS DE MADEIRA O COMBUSTIVEL DE AMANHÃ Os Pellets são um combustível ideal, limpo e de CO2 neutro. Podem ser produzidos através

Leia mais

Resultado da enquete realizada no evento: "Impactos e Mudanças Climáticas"

Resultado da enquete realizada no evento: Impactos e Mudanças Climáticas Resultado da enquete realizada no evento: "Impactos e Mudanças Climáticas" Obs.: a numeração entre parênteses representa a quantidade de referências a mesma afirmação. De que forma impacto nas mudanças

Leia mais

Como funcionam as bacias hidrográficas... 156 O ciclo da água... 156 Como é que as bacias hidrográficas protegem a água e o solo...

Como funcionam as bacias hidrográficas... 156 O ciclo da água... 156 Como é que as bacias hidrográficas protegem a água e o solo... Como funcionam as bacias hidrográficas............................... 156 O ciclo da água.......................................................... 156 Como é que as bacias hidrográficas protegem a água

Leia mais

Bem-Vindo a um Mundo de Processos de Ventilação Inteligentes

Bem-Vindo a um Mundo de Processos de Ventilação Inteligentes Bem-Vindo a um Mundo de Processos de Ventilação Inteligentes A PlymoVent oferece-lhe o seguinte: Poupanças Instalaçao da: Poupança de energia; Poupança de dinheiro; Melhoria na saúde dos colaboradores;

Leia mais

É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto.

É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto. É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto. REDUZIR REUTILIZAR RECUPERAR RECICLAR A redução deve ser adaptada por

Leia mais