O TRIGO NO BRASIL E NO MUNDO CADEIA DE PRODUÇÃO, TRANSFORMAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O TRIGO NO BRASIL E NO MUNDO CADEIA DE PRODUÇÃO, TRANSFORMAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO"

Transcrição

1 O TRIGO NO BRASIL E NO MUNDO CADEIA DE PRODUÇÃO, TRANSFORMAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO Prof José Roberto Canziani DERE/UFPR Profª Vania Di Addario Guimarães DERE/UFPR Agosto

2 SEQUÊNCIA DA APRESENTAÇÃO Estrutura do mercado internacional do trigo Cadeia produtiva do trigo no Brasil Oferta, Demanda e Preços Comparativo do trigo com outras culturas Oferta, Demanda e Preços Políticas de apoio à comercialização Pesquisa agropecuária Setores industriais Entraves ao desenvolvimento produtivo do trigo no Brasil: pontos para discussão.

3 ESTRUTURA DO MERCADO INTERNACIONAL DO TRIGO

4 Preços médios anuais e produção mundial de trigo, 1960 a 2009 Fontes: USDA e FMI. Preço deflacionado pelo IPA/USA

5 Produtividade de trigo, países/regiões selecionadas Fonte: USDA

6 CALENDÁRIO AGRÍCOLA DO TRIGO PLANTIO COLHEITA JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ Hemisfério Norte TRIGO DE INVERNO Índia China Estados Unidos Rússia França Reino Unido Alemanha TRIGO DE PRIMAVERA China Estados Unidos Rússia Canadá Hemisfério Sul TRIGO DE INVERNO Austrália Brasil - Paraná Brasil - Rio Grande do Sul Argentina

7 Estoque final de trigo no mundo, 99/00 a 09/10 Fonte: USDA

8 Preços médios anuais e relação estoque/consumo mundial de trigo, 1960 a Fontes: USDA e FMI. Preço deflacionado pelo IPA/USA

9 Preços deflacionados do trigo FOB Golfo do México jan/1957 a junho/2009 Fonte: FMI. Preço deflacionado pelo IPA/USA

10 Preços do trigo nas Bolsas de Chicago e Kansas e FOB Golfo - Jun/04 a Jun/09 Fonte: CBOT, KCBT e SAGPYA

11 Preço FOB Argentina e Golfo do México, Dez/Fev, 1993/94 a 2008/ Dólares por tonelada /94 94/95 95/96 96/97 97/98 98/99 99/00 FOB Golfo do México - Dez/Fev Fonte: SAGPYA 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 FOB Portos Argentinos - Dez/Fev 06/07 07/08 08/09

12 Evolução da produção nos maiores produtores mundiais, safras 90/91 a 2009/10 Fonte: USDA

13 Evolução das exportações, principais países/blocos, safras 99/00 a 2009/10 Fonte: USDA

14 Exportações/importações líquidas de trigo por país 2009 Fonte: USDA

15 Importações mundiais de trigo por regiões no mundo safra 08/09 Fonte: USDA

16 Principais usos do trigo em diversos continentes América do Sul Oceania América do Norte Central Europa Asia Africa Mundo 0% Alim. Humana Fonte: FAO 20% Alim. Animal 40% Sementes 60% Perda 80% Outros Usos 100% Uso Industrial

17 Consumo percapita do trigo em diversos continentes 110,9 Europa 68,5 América do Norte e Central 67 Mundo Asia 64 Oceania 59,9 55,7 América do Sul 46,3 África Em Kg/habitante/ano Fonte: FAO

18 COMPARATIVO DO TRIGO COM OUTRAS CULTURAS

19 Participação das exportações na produção mundial, produtos selecionados, década de 2000 Fonte: USDA

20 Participação dos 5 maiores nas exportações mundiais, safra 08/09 Fonte: USDA

21 Evolução dos estoques mundiais, produtos selecionados Fonte: USDA

22 Evolução da relação estoque/consumo mundial, produtos selecionados Fonte: USDA

23 PREÇOS RELATIVOS - INTERNACIONAIS Fonte: FMI

24 Relações de preços entre grãos, últimas cinco décadas Fonte: FMI

25 ÍNDICE DE PREÇOS DE ALGUMAS COMMODITIES NO MERCADO INTERNACIONAL Fonte: CBOT, NYCE, FMI

26 CADEIA PRODUTIVA DO TRIGO NO BRASIL

27 Produção de trigo no Brasil por município, 2007 Cor Fonte: IBGE De Até

28 Área plantada no PR principais culturas de inverno e milho safrinha, safras 1977/78 a 2008/09 Fonte: CONAB

29 Evolução da área plantada e produção de trigo no Brasil Fonte: CONAB

30 PRODUTIVIDADE DO TRIGO NO BRASIL Fonte: CONAB, JUL/09

31 Oferta de trigo no Brasil 16,0 14,0 Importação Produção Estoque Inicial Milhões de toneladas 12,0 10,0 8,0 5,7 7,1 5,3 6,2 6,3 5,6 6,9 7,8 6,9 6,0 4,0 6,1 5,8 5,7 4,9 6,0 4,1 2,2 2,0-3,2 2,9 0,8 1,0 0,9 1,4 01/02 02/03 03/04 04/05 Fonte: CONAB, JUL/09 2,3 2,0 1,8 1,6 05/06 06/07 07/08 08/09 2,6 09/10

32 Importações brasileiras de trigo mil toneladas ARGENTINA Fonte: SECEX URUGUAI/PARAGUAI EUA/CANADÁ DEMAIS PAÍSES até jun FARINHA/MISTURAS

33 Demanda de trigo no Brasil 16,0 Estoque Final Exportação Consumo 14,0 1,4 Milhões de toneladas 12,0 10,0 1,0 0,0 0,9 2,0 2,3 1,4 0,8 1,6 1,8 0,0 0,0 0,0 2,4 2,6 0,4 0,8 0,4 8,0 6,0 10,1 9,9 9,9 10,2 10,7 10,3 10,4 10,8 11,1 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 4,0 2,0 - Fonte: CONAB, JUL/09

34 Preços do trigo ao produtor no Paraná, jan/1985 a jul/2009. Fontes: Dados básicos, SEAB/DERAL.

35 Preços do trigo nacional e importado, 1973 a Fonte: Tomasini, R. - Revista de Política Agricola, Abr/Jun-1996

36 Preço Oficial FOB Argentina e no mercado de lotes no Brasil e Argentina, Jun/03 a Jun/09. Fonte: SAGPYA e CEPEA

37 Diferença de preços (PR RS) - Jan/03 a Mai/09 Fonte: CEPEA

38 Estimativa do preço de paridade de importação São Paulo SP e Londrina - PR Fonte: Cálculos dos autores

39 Preço Oficial FOB Argentina e Valor Médio FOB Importações Brasileiras, Jan/06 a Jun/09. Fonte: SAGPYA e SECEX

40 Preço médio anual das importações brasileiras de trigo, 1997 a ARGENTINA URUGUAI/PARAGUAI ESTADOS UNIDOS / CANADÁ 330 TOTAL US$/tonelada FOB Fonte: SECEX até jun

41 Preços do trigo ao produtor e mínimo no Paraná, ago/1995 a jul e dez/2009. Fontes: Dados básicos, SEAB/DERAL e CONAB.

42 Estoque público de trigo no Brasil, Jan/1992 a Jun/ OPÇÃO AGF CAF Toneladas jan/92jan/93jan/94jan/95jan/96jan/97jan/98jan/99jan/00jan/01jan/02jan/03jan/04jan/05jan/06jan/07jan/08jan/09 Fonte: CONAB

43 Intervenção governamental (R$) no mercado de trigo, safra 2008/2009. AGF; R$ 125,57; 26% C. OPÇÃO; R$ 206,55; 42% PEP; R$ 159,25; 32% Total: R$ 491,37 milhões Fonte: CONAB, jun/2009

44 Evolução da colheita, comercialização, importação e estoques de trigo com o produtor, Safra 08/09. Fonte: SEAB/DERAL, SECEX e cálculos dos autores

45 Evolução da colheita, comercialização, importação e estoques de trigo com o produtor, Safra 07/ Em mil toneladas AGO SET OUT NOV DEZ JAN FEV MAR ABR MAI Volume colhido Estoque do produto nacional Volume comercializado pelo produtor Importação Fonte: SEAB/DERAL, SECEX e cálculos dos autores JUN JUL

46 Importações brasileiras de trigo Fonte: SECEX

47 Trigo Rentabilidade da estocagem Fonte: Dados básicos SEAB/DERAL; cálculos dos autores

48 Comparativo: preço mínimo x custo de produção. Fonte: CONAB E OCEPAR

49 Preços mínimos e custos de produção (média ponderada PR e RS), safra , , ,30 31,80 30,37 30 R$/saca 25, ,46 22, Preço Mínimo Trigo Brando Tipo 3 Custeio da Lavoura Fonte: CONAB, março/2009 Preço Mínimo Trigo Brando Tipo 1 Custo Variável Preço Mínimo - Preço Mínimo Trigo Pão - Tipo Trigo 1 Melhorador Tipo 1 Custo Operacional Custo Total

50 Produção de farinhas no Brasil, Norte 2% Centro Oeste 3% Nordeste 26% Sudeste 32% Sul 37% Fonte: ABITRIGO Capacidade de Moagem: 15,72 milhões de toneladas Consumo interno: 10,04 milhões de toneladas

51 Importação de trigo por porto, 2009 Fonte: SECEX

52 Importação de trigo por porto, 2009 Fonte: SECEX

53 Consumo de trigo e derivados, DOMÉSTICO; 14% OUTROS; 5% BISCOITOS; 10% PANIFICAÇÃO; 54% MASSAS; 17% Fonte: ABITRIGO

54 Consumo de trigo e derivados, BISCOITOS OUTROS 2,4% DOMÉSTICO 14,0% OUTROS 5,0% PANIFICAÇÃO (PADARIA) 44,3% BISCOITOS CREAM CRAKER 2,2% BISCOITOS DOCES SECOS E AMANTEIGADOS 2,5% BISCOITOS RECHEADOS 2,9% PANIFICAÇÃO (SUPERMERCADO) 9,7% MASSAS FRESCAS 0,4% MASSAS INSTANTÂNEAS 1,8% Fonte: ABITRIGO MASSAS SECAS 14,7%

55 Setor de massas alimentícias no Brasil, Tipo de massas Secas Instantâneas Frescas Total NCM Massas com ovos e não recheadas ( ) Massas não cozidas e não recheadas ( ) Massas cozidas, recheadas e prep. outro modo ( ) Outras massas cozidas e recheadas ( ) Total Fonte: ABIMA Vendas (mil t) Exportações (mil t) % 87% 11% 3% 100% Consumo (Kg/hab/ano) 5,5 0,7 0,2 6,4 Importações (mil t) % % 1,4 7% 0,8 5% 16,4 78% 15,8 88% 2,9 14% 0,2 1% 0,4 2% 1,2 7% 21,1 100% 18,0 100%

56 Faturamento por setor industrial de trigo e consumo percapita no Brasil, Setores Moagem de trigo Panificação e confeitaria Biscoitos Massas Total Fonte: ABITRIGO Faturamento Consumo Partic. % (R$ bilhões) (Kg/hab/ano) 11,34 19,92 7,37 4,67 43,3 26,2% 46,0% 17,0% 10,8% 100,0% 55,0 33,0 5,9 6,4

57 ENTRAVES AO DESENVOLVIMENTO DO TRIGO NO BRASIL Pontos para discussão

58 Estimativas de déficits e excedentes de trigo por estado 2007 Fonte: Dados básicos IBGE e Abitrigo

59 Área plantada no PR, verão e inverno culturas selecionadas, safras 1977/78 a 2008/09 Fonte: CONAB

60 PRODUTIVIDADE DO TRIGO EM REGIÕES DO BRASIL E DA ARGENTINA, 1990 A Fonte: IBGE e SAGPYA

61 Pesquisa primária: Fatores que caracterizam o desempenho tecnológico do trigo. Textura do grão; 6% Ciclo (Precoce e Médio); 8% Tolerância a alumínio; 4% Resistência a doenças; 38% Alveografia W; 9% Produtividade; 11% Tolerância a germinação na espiga e debulha; 12% Porte e Resistência ao acamamento; 12% Obs: Média para as regiões 6, 7 e 8 do Paraná, safra 2002/03. Dados agrupados. Fonte: SAAB et all, Revista Política Agrícola, Mar/2005.

62 EVOLUÇÃO DO W MÉDIO, NA ARGENTINA, PARANÁ E RIO GRANDE DO SUL, 1998/99 E 2004/06. RS 2004/06 RS 1998/99 PR 2004/06 PR 1998/99 ARG 2004/06 ARG 1998/99 0% 10% J. Macedo, % 30% W < % 50% 60% 200 < W < % 80% W > 250 Alveografia W = Trabalho (1/ Joules) 90% 100%

63 ÁREA (%) DE TRIGO POR TIPO E POR ESTADO. BRASIL 2009 MS 2009 MS 2004 SP 2009 SP 2004 SC 2009 SC 2004 RS 2009 RS 2004 PR 2009 PR % 10% 20% 30% Brando 40% 50% Pão Fonte: Kleffmann,2009 e Embrapa, % 70% Melhorador 80% 90% 100%

64 Benefícios do cultivo do trigo no Brasil Uso mais racional e eficiente da infraestrutura nas propriedades rurais. Estimativa Ocepar: redução no custo total de produção da safra de verão. milho (6,1% a 8,4%). soja (9,1 e 12,2%). Uso mais racional e eficiente do solo plantio direto - menor erosão e proliferação de plantas invasoras. Área ocupada (2009): 2,35 milhões de hectares Área disponível: 5,20 milhões de hectares. Área potencial: 15,20 milhões de hectares.

65 Benefícios do cultivo do trigo no Brasil Produtores (150 mil); empregos diretos (160 mil); empregos indiretos (900 mil). Ganhos com maior circulação de renda: insumos, bens de capital, industrialização, armazenagem, transporte e outros serviços. Economia de divisas com importações. Média 1999/2008: US$ 1,06 bilhões por ano 2008: US$ 2,17 bilhões

66 Entraves ao desenvolvimento do trigo no Brasil Fatores incontroláveis (mercado internacional): Produção mundial crescente (subsídios). Produtividade mundial crescente (novas tecnologias). Preços internacionais decrescentes no longo prazo. Maior facilidade de se produzir em altas latitudes. Exigência de maior qualidade pelos consumidores. Risco inerente à cultura (clima). Fatores dificilmente controláveis (mercado interno): Maior capacidade instalada dos moinhos no litoral brasileiro e produção concentrada na região sul. Pulverização do consumo no tempo e espaço. Concorrência do trigo regional (Mercosul). Câmbio e taxas de juros

67 Entraves ao desenvolvimento do trigo no Brasil Fatores controláveis: Maior competitividade do trigo argentino e internacional. Maiores investimentos em pesquisa agropecuária; Políticas de mercado externo (Tarifas) - Manter TEC p/ outras origens e elevar tarifa s/ farinhas e misturas; Custo elevado no transporte de cabotagem. Apoio à comercialização interna (PEP e VEP); Legislação do setor (incentivar maior concorrência, rever tributação para indústria naval brasileira, etc.)

68 Entraves ao desenvolvimento do trigo no Brasil Fatores controláveis: Garantia de renda agrícola. Preço mínimo acima do custo operacional; Financiamentos a condições adequadas (juros, limites, etc.); Seguro agrícola (subvenção ao prêmio); Comercialização com pouca liquidez. Contratos de opção de venda, EGF, CAF, etc. Reduzir e unificar ICMS s/ trigo, derivados e serviços de transporte. Classificação e segregação do trigo. Recomendação de cultivares (zoneamento)

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

TRIGO Período de 27 a 30/07/2015

TRIGO Período de 27 a 30/07/2015 TRIGO Período de 27 a 30/07/205 Tabela I - PREÇO PAGO AO PRODUTOR (em R$/60 kg) Centro de Produção Unid. 2 meses Períodos anteriores mês (*) semana Preço PR 60 kg 34,43 34,35 34,45 34,42 Semana Atual Preço

Leia mais

REGIÕES DE MAIOR CONCENTRAÇÃO NA PRODUÇÃO DE SOJA NO BRASIL

REGIÕES DE MAIOR CONCENTRAÇÃO NA PRODUÇÃO DE SOJA NO BRASIL RELATÓRIO DA SAFRA DE SOJA E MILHO REGIÕES DE MAIOR CONCENTRAÇÃO NA PRODUÇÃO DE SOJA NO BRASIL Relatório do USDA traz levantamento das regiões de produção de soja no Brasil, com a concentração da produção

Leia mais

CENÁRIO DO TRIGO PARA O BRASIL

CENÁRIO DO TRIGO PARA O BRASIL CENÁRIO DO TRIGO PARA O BRASIL EDSON CSIPAI BUNGE ALIMENTOS S.A. 25-10-2010 A importância do TRIGO no CUSTO dos negócios... Moinho de Trigo 80% Indústria de Macarrão 85% A formação do preço do trigo...

Leia mais

SOBRE COMERCIALIZAÇÃO DE ARROZ

SOBRE COMERCIALIZAÇÃO DE ARROZ CICLO DE PALESTRAS E DEBATES SOBRE COMERCIALIZAÇÃO DE ARROZ E TRIGO NO BRASIL Comissão de Agricultura e Reforma Agrária do Senado Federal Flávio Turra Gerente Técnico e Econômico da Ocepar fturra@ocepar.org.br

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

TRIGO Período de 25 a 29/04/2016

TRIGO Período de 25 a 29/04/2016 TRIGO Período de 25 a 29/04/206 Tabela I - PREÇO PAGO AO PRODUTOR (em R$/60 kg) Centro de Produção Unid. 2 meses Períodos anteriores mês (*) semana Preço PR 60 kg 33,89 40,3 4,45 4,60 Semana Atual Preço

Leia mais

TRIGO Período de 03 a 07/08/2015

TRIGO Período de 03 a 07/08/2015 TRIGO Período de 03 a 07/08/205 Tabela I - PREÇO PAGO AO PRODUTOR (em R$/60 kg) Centro de Produção Unid. 2 meses Períodos anteriores mês (*) semana Preço PR 60 kg 34,43 34,35 34,42 34,30 Semana Atual Preço

Leia mais

Trigo: Evolução dos preços recebidos pelos agricultores no PR e RS (jan/03 a abr/08) jan/07 mai/07. jan/06 set/06. set/05

Trigo: Evolução dos preços recebidos pelos agricultores no PR e RS (jan/03 a abr/08) jan/07 mai/07. jan/06 set/06. set/05 Trigo: Porque os preços estão subindo? Os agricultores brasileiros que ainda possuem trigo para vender estão recebendo atualmente um preço em reais, bem superior aos verificados nesta mesma época em anos

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ARROZ NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ARROZ NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ARROZ NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

TRIGO ABASTECIMENTO NACIONAL

TRIGO ABASTECIMENTO NACIONAL TRIGO ABASTECIMENTO NACIONAL Paulo Magno Rabelo Diretoria de Política Agrícola e Informações Analista de Mercado SITUAÇÃO NO MUNDO PRODUÇÃO MUNDIAL E BRASILEIRA DOS PRINCIPAIS GRÃOS EM 2014/15 ÁREA, PRODUÇÃO,

Leia mais

AGROSAFRA SETEMBRO DE 2015

AGROSAFRA SETEMBRO DE 2015 AGROSAFRA SETEMBRO DE 2015 1. Indicadores da macroeconomia brasileira. 2. Agro-cotações no PR para soja, trigo e milho - anual e mensal. 3. Agro-cotações na CBOT (bolsa de Chicago) para soja, trigo e milho

Leia mais

ALGODÃO TENDÊNCIAS PARA O MERCADO

ALGODÃO TENDÊNCIAS PARA O MERCADO ALGODÃO TENDÊNCIAS PARA O MERCADO Analista de Mercado Élcio A. Bento elcio@safras.com.br ALGODÃO CIF SÃO PAULO R$/@ Preço Mínimo R$ 44,6/@ ALGODÃO CIF SÃO PAULO R$/2 Jul A FORMAÇÃO DE PREÇOS NO MERCADO

Leia mais

ELEVAÇÃO DOS CUSTOS DE PRODUÇÃO NA AGRICULTURA

ELEVAÇÃO DOS CUSTOS DE PRODUÇÃO NA AGRICULTURA ELEVAÇÃO DOS CUSTOS DE PRODUÇÃO NA AGRICULTURA Trabalho Elaborado pela Gerência Técnica e Econômica da Ocepar Curitiba, julho de 2008 ELEVAÇÃO DOS CUSTOS DE PRODUÇÃO I - INTRODUÇÃO: A agricultura brasileira

Leia mais

A economia agrícola internacional e a questão da expansão agrícola brasileira ABAG. Alexandre Mendonça de Barros

A economia agrícola internacional e a questão da expansão agrícola brasileira ABAG. Alexandre Mendonça de Barros A economia agrícola internacional e a questão da expansão agrícola brasileira ABAG Alexandre Mendonça de Barros 05 de Agosto de 2013 1 Índice As transformações da economia agrícola internacional Vantagens

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

Dados estatísticos dos principais produtos do Agronegócio Brasileiro

Dados estatísticos dos principais produtos do Agronegócio Brasileiro Dados estatísticos dos principais produtos do Agronegócio Brasileiro CADERNO DE ESTATÍSTICAS Uma publicação da Representação do IICA/Brasil Elaboração: Daniela Faria e Diego Machado 1. Apresentação 2.

Leia mais

1.2. Situação da Cultura do Trigo no Brasil e no Mundo

1.2. Situação da Cultura do Trigo no Brasil e no Mundo 1.2. Situação da Cultura do Trigo no Brasil e no Mundo TRIGO BALANÇO MUNDIAL Ano Área Produção Consumo Consumo Estoque final (mil ha) (mil t) (mil t) per capta (mil t) (kg/hab/ano) 2007/08 217.102 612.708

Leia mais

1- CENÁRIOS DO MERCADO E PREÇOS PARA SOJA, MILHO E TRIGO SAFRA 2014/15.

1- CENÁRIOS DO MERCADO E PREÇOS PARA SOJA, MILHO E TRIGO SAFRA 2014/15. 1- CENÁRIOS DO MERCADO E PREÇOS PARA SOJA, MILHO E TRIGO SAFRA 2014/15. 1.1 - SOJA No caso da soja a produção mundial nas últimas 2 safras aumentou em 17% e a produção prevista para 2014/15 pelo Departamento

Leia mais

Cenários Agrícolas 15/16 e 16/17

Cenários Agrícolas 15/16 e 16/17 Cenários Agrícolas 15/16 e 16/17 Soja Milho Trigo André Pessôa 11 de Novembro de 2015 Soja Soja/Mundo Oferta e Demanda (mmt) GAP 320 Produção Consumo 222 211 260 264 239 252 22 13 259 240 268 283 262 276

Leia mais

Perspec8vas para a agropecuária brasileira para os próximos cinco anos

Perspec8vas para a agropecuária brasileira para os próximos cinco anos www.imea.com.br Perspec8vas para a agropecuária brasileira para os próximos cinco anos Daniel Latorraca Superintendente Agenda Visão da cadeia de grãos nos últimos 10 anos Visão da pecuária nos últimos

Leia mais

A semente do cooperativismo no desenvolvimento competitivo do Estado do Paraná

A semente do cooperativismo no desenvolvimento competitivo do Estado do Paraná Fórum de Competitividade da Câmara Americana de Comércio - AMCHAM Curitiba 27/setembro/2017 Curitiba/PR A semente do cooperativismo no desenvolvimento competitivo do Estado do Paraná Eng. Agr. J O S É

Leia mais

(41) (41) Engenheiro-agrônomo e analista de mercado da AgRural Commodities Agrícolas

(41) (41) Engenheiro-agrônomo e analista de mercado da AgRural Commodities Agrícolas OS MERCADOS DE SOJA e MILHO EM 13/14 FERNANDO MURARO JR. Engenheiro-agrônomo e analista de mercado da AgRural Commodities Agrícolas SINDIADUBOS Curitiba (PR), 31/out/13 www.agrural.com.br fmuraro@agrural.com.br

Leia mais

PANORAMAS DE MERCADO DE GRÃOS: MILHO E SOJA FLAVIO ANTUNES CONSULTOR EM GERENCIAMENTO DE RISCOS. Bebedouro, 21 de junho de 2017

PANORAMAS DE MERCADO DE GRÃOS: MILHO E SOJA FLAVIO ANTUNES CONSULTOR EM GERENCIAMENTO DE RISCOS. Bebedouro, 21 de junho de 2017 PANORAMAS DE MERCADO DE GRÃOS: MILHO E SOJA FLAVIO ANTUNES CONSULTOR EM GERENCIAMENTO DE RISCOS Bebedouro, 21 de junho de 2017 Disclaimer A INTL FCStone não é responsável por qualquer redistribuição deste

Leia mais

Fechamento dos Mercados Segunda-feira 07/11/16 granoeste.com.br (45) Atual Ant. Dif.

Fechamento dos Mercados Segunda-feira 07/11/16 granoeste.com.br (45) Atual Ant. Dif. COMPLEXO SOJA CBOT - Soja (U$/Bushel = 27,216) Máx Min NOV 989,25 981,50 7,75 992,00 981,75 JAN 998,50 990,75 7,75 1.001,75 990,00 MAR 1005,50 997,25 8,25 1.007,75 996,25 MAI 1012,25 1004,00 8,25 1.014,25

Leia mais

LEITE E DERIVADOS JULHO / 2015

LEITE E DERIVADOS JULHO / 2015 LEITE E DERIVADOS JULHO / 2015 1. Mercado nacional 1.1 Preços pagos ao produtor Os preços nominais médios brutos 1 pagos ao produtor em ho, ponderados pela produção, dos e estados pesquisados pelo Centro

Leia mais

TRIGO Período de 10 a 14/08/2015

TRIGO Período de 10 a 14/08/2015 TRIGO Período de 0 a 4/08/205 Tabela I - PREÇO PAGO AO PRODUTOR (em R$/60 kg) Centro de Produção Unid. 2 meses Períodos anteriores mês (*) semana Preço PR 60 kg 34,43 34,35 34,30 34,04 Semana Atual Preço

Leia mais

Gerenciamento de risco no agronegócio Ivan Wedekin

Gerenciamento de risco no agronegócio Ivan Wedekin Gerenciamento de risco no agronegócio Ivan Wedekin Junho de 2008 Assim caminha a humanidade 1. O consumidor é o grande beneficiário da inovação tecnológica no agronegócio. 2. Mais integração e adensamento

Leia mais

Balanço Anual 2016 e Perspectivas Coletiva de Imprensa 06/02/2017

Balanço Anual 2016 e Perspectivas Coletiva de Imprensa 06/02/2017 Balanço Anual 2016 e Perspectivas 2017 Coletiva de Imprensa 06/02/2017 O PANO DE FUNDO INTERNACIONAL: PIB TRIMESTRAL Comparativo Internacional (Variação % em volume em relação aos 4 trimestres imediatamente

Leia mais

TRIGO Período de 04 a 08/04/2016

TRIGO Período de 04 a 08/04/2016 TRIGO Período de 04 a 08/04/2016 Tabela I - PREÇO PAGO AO PRODUTOR (em R$/60 kg) Centro de Produção Unid. 12 meses Períodos anteriores 1 mês (*) 1 semana Preço PR 60 kg 33,89 40,13 40,62 41,00 Semana Atual

Leia mais

ANÁLISE DO MERCADO TRIGO. Análise para 2016

ANÁLISE DO MERCADO TRIGO. Análise para 2016 ANÁLISE DO MERCADO TRIGO Análise para 2016 SOJA MUNDO ANÁLISE DO MERCADO DE TRIGO MUNDO LONGO PRAZO Consumo e Projeção do Consumo Mundial de Trigo (em milhões de toneladas) 900 800 700 600 616 713 741

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS Dezembro/2011 jan/07 mar/07 mai/07 jul/07 set/07 nov/07 jan/08 mar/08 mai/08 jul/08 set/08 nov/08 jan/09 mar/09 mai/09 jul/09

Leia mais

TRIGO NO ESTADO DE PERNAMBUCO Bruno Valentim Gomes Eng.º Agrônomo

TRIGO NO ESTADO DE PERNAMBUCO Bruno Valentim Gomes Eng.º Agrônomo TRIGO NO ESTADO DE PERNAMBUCO Bruno Valentim Gomes Eng.º Agrônomo O estado de Pernambuco não possui produção de trigo devido, principalmente, a pouca adaptação desta cultura às condições de clima no estado.

Leia mais

BOLETIM DO MILHO Nº 13

BOLETIM DO MILHO Nº 13 BOLETIM DO MILHO Nº 13 COMERCIALIZAÇÃO O acompanhamento semanal de safras do DERAL indica que foram comercializadas, no Paraná, até o momento, 10,4 milhões de toneladas de milho, o que representa 73% da

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ALGODÃO DEZEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ALGODÃO DEZEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ALGODÃO DEZEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MILHO NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MILHO NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MILHO NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

INDÚSTRIA DE ALIMENTOS NOVEMBRO DE 2016

INDÚSTRIA DE ALIMENTOS NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INDÚSTRIA DE ALIMENTOS NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

Gestão de Recebíveis. Um Novo Cenário

Gestão de Recebíveis. Um Novo Cenário 2015-16 Gestão de Recebíveis Um Novo Cenário Sobre a recuperação da economia americana: No começo achávamos que viria a recuperação em V, começamos a falar em U, daí passaram para o L - Austan Goolsbee

Leia mais

MILHO: MERCADO E PERSPECTIVAS FUTURAS. Carlos Cogo

MILHO: MERCADO E PERSPECTIVAS FUTURAS. Carlos Cogo MILHO: MERCADO E PERSPECTIVAS FUTURAS Carlos Cogo CENÁRIOS PARA A ECONOMIA MUNDIAL Saída dos EUA da Parceria Transpacífica (TPP) compõem a parceria Japão, Canadá, México, Austrália, Vietnã, Malásia, Peru,

Leia mais

SAFRAS PERSPECTIVAS PARA A SOJA EM 2009

SAFRAS PERSPECTIVAS PARA A SOJA EM 2009 SAFRAS & Mercado PERSPECTIVAS PARA A SOJA EM 2009 1700 1600 1500 1400 SOJA - CBOT X PETRÓLEO - NYMEX 1658,00 Soja 145,45 Petróleo 150 140 130 120 US$ cents/bushel 2008 16-jan 31-jan 14-fev 29-fev 14-mar

Leia mais

Fechamento dos Mercados Quinta-feira 13/10/16 granoeste.com.br (45) Atual Ant. Dif.

Fechamento dos Mercados Quinta-feira 13/10/16 granoeste.com.br (45) Atual Ant. Dif. COMPLEXO SOJA CBOT - Soja (U$/Bushel = 27,216) Máx Min NOV 956,25 945,50 10,75 959,50 937,25 JAN 964,75 953,50 11,25 967,50 945,25 MAR 971,00 960,25 10,75 974,00 952,00 MAI 978,00 967,25 10,75 980,50 959,75

Leia mais

SEAB Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento DERAL - Departamento de Economia Rural. MILHO PARANENSE - SAFRA 2013/14 Novembro de 2013

SEAB Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento DERAL - Departamento de Economia Rural. MILHO PARANENSE - SAFRA 2013/14 Novembro de 2013 MILHO PARANENSE - SAFRA 2013/14 Novembro de 2013 A estimativa para a 1ª safra de milho, temporada 2013/14, aponta uma redução de aproximadamente 180 mil hectares, que representa um decréscimo de 23% em

Leia mais

ENTENDENDO O MERCADO DO MILHO 01/07/2015

ENTENDENDO O MERCADO DO MILHO 01/07/2015 ENTENDENDO O MERCADO DO MILHO 01/07/2015 Índice O panorama do milho O mercado mundial do milho O mercado do milho em Mato Grosso Principais rotas de escoamento do milho no Estado Como se formam os preços

Leia mais

Associação Brasileira dos Produtores de Soja

Associação Brasileira dos Produtores de Soja Associação Brasileira dos Produtores de Soja 1. PREVISÃO DE SAFRA E DESTINAÇÃO De acordo com o 7 Levantamento de safra 2015/16, publicado em abril pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), a área

Leia mais

Levantamento de Custos de Produção de Cascavel PR

Levantamento de Custos de Produção de Cascavel PR Levantamento de Custos de Produção de Cascavel PR Os produtores de Cascavel se reuniram no dia 29/06, para realizar o levantamento de custos de produção de grãos para o projeto Campo Futuro, uma iniciativa

Leia mais

EXPECTATIVA MÉDIA ANUAL DO MERCADO PARA A ECONOMIA BRASILEIRA: PIB, JUROS, CÂMBIO E INFLAÇÃO TAXA DE JUROS SELIC

EXPECTATIVA MÉDIA ANUAL DO MERCADO PARA A ECONOMIA BRASILEIRA: PIB, JUROS, CÂMBIO E INFLAÇÃO TAXA DE JUROS SELIC Indicadores EXPECTATIVA MÉDIA ANUAL DO MERCADO PARA A ECONOMIA BRASILEIRA: PIB, JUROS, CÂMBIO E INFLAÇÃO - 2010-2014 ANO TAXA DE CRESCIMENTO DO PIB TAXA DE JUROS SELIC TAXA DE CÂMBIO R$/US$ TAXA DE INFLAÇÃO

Leia mais

MUNDO. Elaboração: EMBRAPA TRIGO/Socioeconomia JANEIRO, 2014

MUNDO. Elaboração: EMBRAPA TRIGO/Socioeconomia JANEIRO, 2014 Elaboração: EMBRAPA TRIGO/Socioeconomia JANEIRO, 2014 MUNDO Tabela 1. Área, rendimento e oferta e demanda de TRIGO no mundo, safras 2011/12, 2012/13 e 2013/14. Item 2011/2012 2012/2013(A) 2013/2014 (B)

Leia mais

LSPA. Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. Dezembro de Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no ano civil

LSPA. Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. Dezembro de Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no ano civil Diretoria de Pesquisas Coordenação de Agropecuária Gerência de Agricultura LSPA Dezembro de 2013 Levantamento Sistemático da Produção Agrícola Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas

Leia mais

Fechamento dos Mercados Sexta-feira 13/10/17 granoeste.com.br (45)

Fechamento dos Mercados Sexta-feira 13/10/17 granoeste.com.br (45) COMPLEXO SOJA CBOT - Soja (U$/Bushel = 27,216) Máx Min NOV 1000,25 992,00 8,25 1003,25 990,25 JAN 1010,25 1002,50 7,75 1013,00 1000,50 MAR 1019,25 1012,00 7,25 1022,25 1010,25 MAI 1.028,00 1.021,25 6,75

Leia mais

CONJUNTURA MENSAL MAIO

CONJUNTURA MENSAL MAIO SOJA - MATO GROSSO CONJUNTURA MENSAL MAIO ANO 1 Nº1 O mercado de soja tem observado movimentação de queda em seus preços, decorrente principalmente das evoluções no lado da oferta, tanto em âmbito nacional

Leia mais

PROPOSTAS PARA O SETOR TRITÍCOLA BRASILEIRO SAFRA 2008

PROPOSTAS PARA O SETOR TRITÍCOLA BRASILEIRO SAFRA 2008 PROPOSTAS PARA O SETOR TRITÍCOLA BRASILEIRO SAFRA 2008 Curitiba, janeiro de 2008. PROPOSTAS DE POLÍTICAS PARA A TRITICULTURA BRASILEIRA SITUAÇÃO DA TRITICULTURA Ao longo das últimas décadas os produtores

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E SOCIOLOGIA ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA "LUIZ DE QUEIROZ"

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E SOCIOLOGIA ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ O conteúdo deste arquivo foi elaborado pela equipe Cepea no início de março/2008. Neste arquivo: Produtores de Mato Grosso deixam de ganhar até 38% Vendas antecipadas diminuem lucro do produtor Colheita

Leia mais

Fundamentos de mercado Grãos.

Fundamentos de mercado Grãos. Fundamentos de mercado Grãos. www.intlfcstone.com www.intlfcstone.com.br Étore Baroni Curitiba PR, 11 novembro 2016 Disclaimer A negociação de derivativos, tais como futuros, opções e swaps pode não ser

Leia mais

Conjunturas do Mercado Cafeeiro

Conjunturas do Mercado Cafeeiro O U T U B R O, 2 0 1 6 NELSON CARVALHAES PRESIDENTE CECAFÉ Conjunturas do Mercado Cafeeiro Brasil é o maior caso de sucesso no mundo do café Panorama Café foi introduzido em 1727 Área recorde de 4,9 milhões

Leia mais

A A DEMANDA de PAPEL MUNDIAL e SUSTENTABILIDADE. 2o. CONGRESSO FLORESTAL DO MATO GROSSO DO SUL 8 de Junho de 2010

A A DEMANDA de PAPEL MUNDIAL e SUSTENTABILIDADE. 2o. CONGRESSO FLORESTAL DO MATO GROSSO DO SUL 8 de Junho de 2010 A A DEMANDA de PAPEL MUNDIAL e SUSTENTABILIDADE 2o. CONGRESSO FLORESTAL DO MATO GROSSO DO SUL 8 de Junho de 2010 CONTEÚDO 1. PERFIL DO SETOR BRASILEIRO DE C&P 2. OVERVIEW DO SETOR BRASILEIRO DE C&P 3.

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS FEVEREIRO/2016 Resumo de desempenho Fevereiro 2016 Variáveis R$ milhões constantes Variação percentual sobre Mês No bimestre mês

Leia mais

O MERCADO DE SOJA 1. INTRODUÇÃO

O MERCADO DE SOJA 1. INTRODUÇÃO O MERCADO DE SOJA 1. INTRODUÇÃO A cultura da soja apresenta relevante importância para a economia brasileira, sendo responsável por uma significativa parcela na receita cambial do Brasil, destacando-se

Leia mais

Soja Análise da Conjuntura Agropecuária MUNDO SAFRA 2014/15

Soja Análise da Conjuntura Agropecuária MUNDO SAFRA 2014/15 Soja Análise da Conjuntura Agropecuária Novembro de 2014 MUNDO SAFRA 2014/15 Devido ao aumento das cotações nas últimas safras, principalmente na comparação com o milho, o cultivo da soja vem aumentando

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: FEVEREIRO/2012 CEPEA - SOJA I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Diferenciais de preços 2. Estimativa do valor das alternativas

Leia mais

O panorama nacional do mercado de lácteos 2017 & Valter Bertini Galan MilkPoint Inteligência

O panorama nacional do mercado de lácteos 2017 & Valter Bertini Galan MilkPoint Inteligência O panorama nacional do mercado de lácteos 2017 & 2018 Valter Bertini Galan MilkPoint Inteligência www.dairyvision.com.br www.milkpoint.com.br/mercado Agenda O que temos até o momento em 2017 A memória

Leia mais

BOLETIM SEMANAL. Milho - Análise. 17 de agosto de 2012 Número: 216

BOLETIM SEMANAL. Milho - Análise. 17 de agosto de 2012 Número: 216 Milho - Análise PESO DA TECNOLOGIA: O valor dos insumos no mês de julho para o plantio do milho 2ª safra 2012/13 tomou rumo contrário ao esperado e reduziu. Adquirindo os insumos para o plantio de milho

Leia mais

Atualmente lavouras da Região Centro-Sul, principalmente Guarapuava e União da Vitória, estão sendo afetadas pela estiagem.

Atualmente lavouras da Região Centro-Sul, principalmente Guarapuava e União da Vitória, estão sendo afetadas pela estiagem. Data : 11/03/2004 Hora : Título: Milho Fonte: Autor: Vera da Rocha Matéria: Apesar dos problemas climáticos no Paraná, ou seja, chuvas irregulares e mal distribuídas desde o início do ano, a produção da

Leia mais

Semana Fiesp/Ciesp de Meio Ambiente

Semana Fiesp/Ciesp de Meio Ambiente Semana Fiesp/Ciesp de Meio Ambiente Agronegócio Brasileiro PIB Brasileiro (2007) US$ 1.314 bilhões Agronegócio 37% Empregos (2006) 25% US$ 329,9 bilhões Exportações (2007) Agronegócio US$ 58,4 bilhões

Leia mais

CONJUNTURA QUINZENAL 01 A 15/02/2016

CONJUNTURA QUINZENAL 01 A 15/02/2016 SOJA - MATO GROSSO CONJUNTURA QUINZENAL 01 A 15/02/2016 ANO 2 Nº14 A colheita avança e começa a derrubar os preços da soja em Mato Grosso. De acordo com dados do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária

Leia mais

EXPECTATIVA MÉDIA ANUAL DO MERCADO PARA A ECONOMIA BRASILEIRA: PIB, JUROS, CÂMBIO E INFLAÇÃO TAXA DE JUROS SELIC

EXPECTATIVA MÉDIA ANUAL DO MERCADO PARA A ECONOMIA BRASILEIRA: PIB, JUROS, CÂMBIO E INFLAÇÃO TAXA DE JUROS SELIC Indicadores EXPECTATIVA MÉDIA ANUAL DO MERCADO PARA A ECONOMIA BRASILEIRA: PIB, JUROS, CÂMBIO E INFLAÇÃO - 2011-2014 ANO TAXA DE CRESCIMENTO DO PIB TAXA DE JUROS SELIC TAXA DE CÂMBIO R$/US$ TAXA DE INFLAÇÃO

Leia mais

Mamona Período: janeiro de 2016

Mamona Período: janeiro de 2016 Mamona Período: janeiro de 2016 Quadro I: preço pago ao produtor Centro de Produção UF Unidade 12 meses (a) Média de Mercado 1 mês (b) Mês atual (c) Preço mínimo Var % (c/a) Irecê BA 60kg 78,96 93,13 88,33

Leia mais

A Economia Global e as Perspectivas para o Agronegócio Brasileiro

A Economia Global e as Perspectivas para o Agronegócio Brasileiro A Economia Global e as Perspectivas para o Agronegócio Brasileiro Henrique de Campos Meirelles Julho de 20 1 pico = 100 Valor de Mercado das Bolsas Mundiais pico 100 Atual 80 Japão 60 40 crise 1929 20

Leia mais

PANORAMA Y PERSPETIVAS DEL MERCADO MUNDIAL PARA EL ARROZ DEL MERCOSUR

PANORAMA Y PERSPETIVAS DEL MERCADO MUNDIAL PARA EL ARROZ DEL MERCOSUR PANORAMA Y PERSPETIVAS DEL MERCADO MUNDIAL PARA EL ARROZ DEL MERCOSUR Tiago Sarmento Barata Mestre em Agronegócios Analista de mercado de arroz Relação comercial entre os países do mercosul... Dez anos

Leia mais

Associação Brasileira dos Produtores de Soja

Associação Brasileira dos Produtores de Soja Associação Brasileira dos Produtores de Soja De acordo com o 5 Levantamento de safra 2015/16, publicado em fevereiro pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), a área plantada deve crescer 3,6%

Leia mais

FUNDAMENTOS ECONÔMICOS E TENDÊNCIAS 2017 PAULO MOLINARI. Safras & Mercado Paulo Molinari

FUNDAMENTOS ECONÔMICOS E TENDÊNCIAS 2017 PAULO MOLINARI. Safras & Mercado Paulo Molinari cmasafras11 FUNDAMENTOS ECONÔMICOS E TENDÊNCIAS 2017 PAULO MOLINARI Safras & Mercado Paulo Molinari GRANDES QUESTÕES 2017 Situação econômica - Demanda e câmbio Safras da América do Sul 2017 nos Estados

Leia mais

SOJA Período: 11 a 15/05/ meses mês semana. Períodos anteriores. Paridade Exportação Centro de Referência Unid Efetivo (1)

SOJA Período: 11 a 15/05/ meses mês semana. Períodos anteriores. Paridade Exportação Centro de Referência Unid Efetivo (1) SOJA Período: 11 a 15/05/2015 Centro de Produção Quadro I - PREÇO PAGO AO PRODUTOR (em R$) Unid Períodos anteriores 12 1 1 meses mês semana Média mercado Semana atual Composto atacado Preço Mínimo SORRISO-MT

Leia mais

BOLETIM SEMANAL. Milho - Análise

BOLETIM SEMANAL. Milho - Análise 3-jan-12 4-jan-12 5-jan-12 6-jan-12 7-jan-12 8-jan-12 9-jan-12 10-jan-12 11-jan-12 12-jan-12 13-jan-12 14-jan-12 15-jan-12 16-jan-12 17-jan-12 18-jan-12 19-jan-12 É mesmo CADÊ A SEMENTE?: O principal insumo

Leia mais

1 - INTRODUÇÃO 2 - METODOLOGIA

1 - INTRODUÇÃO 2 - METODOLOGIA SUMÁRIO 1. Introdução... 2 2. Metodologia... 2 3. Estimativa da Área Plantada... 3 4. Estimativa da Produção... 3 5. Avaliação das Culturas... 4 5.1 Algodão... 4 5.2 Arroz... 4 5.3 Feijão... 5 5.4 Milho...

Leia mais

Agronegócio em Mato Grosso. Abril 2013

Agronegócio em Mato Grosso. Abril 2013 Agronegócio em Mato Grosso Abril 2013 Brasil Visão Geral Brasil - Visão Geral Area 8,5 milhões km 2 (5º maior) População (2011) 195 milhões (6 º maior) PIB (2011) US$ 2,47 Trilhões (6 ª maior) Produção

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS Fevereiro/2013 Faturamento Bruto mensal R$ milhões constantes (defl. Col. 32/FGV) Média Jan-Fev 2008 6.188 2009 4.446 2010 5.178

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS AGOSTO/2016 Resumo de desempenho Agosto 2016 Variáveis R$ milhões constantes Variação percentual sobre Mês No ano mês anterior

Leia mais

MANUAL PRÁTICO DA CONJUNTURA ECONÔMICA Parte 2 11/11/2015

MANUAL PRÁTICO DA CONJUNTURA ECONÔMICA Parte 2 11/11/2015 MANUAL PRÁTICO DA CONJUNTURA ECONÔMICA Parte 2 11/11/2015 Índice 4 Agronegócio 7 Agricultura e seus efeitos regionais 5 6 4.1. O que é Agronegócio? 4.2. Por que analisar o Agronegócio? Conjuntura econômica

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos BENS DE CAPITAL NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos BENS DE CAPITAL NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos BENS DE CAPITAL NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM CASCAVEL-PR

CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM CASCAVEL-PR CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM CASCAVEL-PR Foi realizado no dia 11 de julho de 2012 em Cascavel (PR), o painel de custos de produção de grãos. A pesquisa faz parte do Projeto Campo Futuro da Confederação

Leia mais

Bilhões de Pessoas. Cenário Global. Fonte: ONU (dez/2010). Elaboração:FIEP-Deagro

Bilhões de Pessoas. Cenário Global. Fonte: ONU (dez/2010). Elaboração:FIEP-Deagro Maringá(PR) 18.05.2012 Bilhões de Pessoas Cenário Global Demanda População Mundial Mundial por Alimentos Fonte: ONU (dez/2010). Elaboração:FIEP-Deagro Cenário Global Urbanização 1,34 bi hab. 1,2 bi hab.

Leia mais

CONJUNTURA DO MERCADO DE MANDIOCA E DERIVADOS NO BRASIL

CONJUNTURA DO MERCADO DE MANDIOCA E DERIVADOS NO BRASIL CONJUNTURA DO MERCADO DE MANDIOCA E DERIVADOS NO BRASIL 1 SEMESTRE/2011 Fábio Isaías Felipe Pesquisador do Cepea/ESALQ/USP E-mail: fifelipe@esalq.usp.br Fone: 55 19 3429-8847 Fax: 55 19 3429-8829 http://www.cepea.esalq.usp.br

Leia mais

Avicultura e Suinocultura: Cenário Nacional e Mundial Desafios e Oportunidades

Avicultura e Suinocultura: Cenário Nacional e Mundial Desafios e Oportunidades FRANCISCO TURRA Presidente Executivo Avicultura e Suinocultura: Cenário Nacional e Mundial Desafios e Oportunidades Brasil é o 4º Maior Exportador Mundial de Produtos Agrícolas Exportação de produtos agrícolas

Leia mais

Painel: O desempenho econômico brasileiro no cenário mundial

Painel: O desempenho econômico brasileiro no cenário mundial XIX Congresso Brasileiro de Economia Painel: O desempenho econômico brasileiro no cenário mundial Prof. Dr. Antonio Corrêa de Lacerda aclacerda@pucsp.br Bonito, 09 de Setembro de 2011. Page 1 Economia

Leia mais

Soja-Comercialização Safra 2011/12 e Cenario 2012/13. NILVA CLARO COSTA nilva.claro@conab.gov.br

Soja-Comercialização Safra 2011/12 e Cenario 2012/13. NILVA CLARO COSTA nilva.claro@conab.gov.br Soja-Comercialização Safra 2011/12 e Cenario 2012/13 NILVA CLARO COSTA nilva.claro@conab.gov.br Comercialização Safra-2011/12 60,00 55,00 50,00 45,00 40,00 35,00 30,00 25,00 20,00 S oja Grã o P re ços

Leia mais

03/10/2014. Roteiro da Apresentação FINANCEIRIZAÇÃO DO MERCADO ANÁLISE TÉCNICA E DE CICLOS OFERTA E DEMANDA

03/10/2014. Roteiro da Apresentação FINANCEIRIZAÇÃO DO MERCADO ANÁLISE TÉCNICA E DE CICLOS OFERTA E DEMANDA OS MERCADOS DE SOJA, MILHO E TRIGO EM 2015 FERNANDO MURARO JR. Engenheiro agrônomo e analista de mercado da AgRural Commodities Agrícolas OCEPAR Curitiba (PR), 02/out/14 www.agrural.com.br A INFORMAÇÃO

Leia mais

Trigo Outubro NASDAQ INTL 1

Trigo Outubro NASDAQ INTL 1 Trigo Outubro 2015 www.intlfcstone.com NASDAQ INTL 1 Mapa do ciclo do Trigo Mundial 2 MUNDO Maior produção mundial da história, 731,61 MMT; 3ª safra recorde mundial na sequencia; Estoque ainda maiores

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS JANEIRO/2016 Resumo de desempenho Janeiro 2016 Variáveis R$ milhões constantes Variação percentual sobre Mês/Ano mês anterior

Leia mais

Cenário e a gestão do produtor em tempos de crise. Fernando Lobo Pimentel Eng. Agrônomo e Advogado

Cenário e a gestão do produtor em tempos de crise. Fernando Lobo Pimentel Eng. Agrônomo e Advogado Cenário e a gestão do produtor em tempos de crise Fernando Lobo Pimentel Eng. Agrônomo e Advogado Agenda Cenário macroeconômico Internacional Doméstico Mercado agrícola Soja e milho Status da Safra Atual

Leia mais

A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO E DE BENS DE CAPITAL

A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO E DE BENS DE CAPITAL A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO E DE BENS DE CAPITAL Uma análise do período 2000 2011 Maio de 2012 Balança Comercial da indústria de transformação (US$ bilhões FOB) Saldo Importação Exportação

Leia mais

TRIGO Período de 02 a 06/11/2015

TRIGO Período de 02 a 06/11/2015 TRIGO Período de 02 a 06//205 Tabela I - PREÇO PAGO AO PRODUTOR (em R$/60 kg) Centro de Produção Unid. 2 meses Períodos anteriores mês (*) semana Preço Atual PR 60 kg 29,56 35,87 36,75 36,96 Semana Atual

Leia mais

UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÃO - ECA NÚCLEO DE PESQUISAS ECONÔMICO-SOCIAIS NUPES

UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÃO - ECA NÚCLEO DE PESQUISAS ECONÔMICO-SOCIAIS NUPES UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÃO - ECA NÚCLEO DE PESQUISAS ECONÔMICO-SOCIAIS NUPES 1. CESTA BÁSICA FAMILIAR No mês de maio, o custo da

Leia mais

Clusters de etanol de milho em Mato Grosso

Clusters de etanol de milho em Mato Grosso Realização Parceria Técnica Clusters de etanol de milho em Mato Grosso Daniel Latorraca Ferreira daniel@imea.com.br Agenda Análise de mercado Escopo do trabalho Metodologia de composição dos clusters Resultados

Leia mais

CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM GUARAPUAVA-PR

CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM GUARAPUAVA-PR CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM GUARAPUAVA-PR Foi realizado no dia 10 de julho de 2012 em Guarapuava (PR), o painel de custos de produção de grãos. A pesquisa faz parte do Projeto Campo Futuro da Confederação

Leia mais

Balanço 2016 Perspectivas Cana-de-açúcar

Balanço 2016 Perspectivas Cana-de-açúcar Cana-de-açúcar 85 86 Balanço 2016 Perspectivas 2017 Perspectivas 2017 DÉFICIT NA PRODUÇÃO MUNDIAL DE AÇÚCAR, AUMENTO DA DEMANDA E QUEDA NOS ESTOQUES MANTERÃO TENDÊNCIA DE PREÇOS ALTOS A perspectiva é de

Leia mais

O reflexo do crédito rural e suas implicações no custo de produção

O reflexo do crédito rural e suas implicações no custo de produção O reflexo do crédito rural e suas implicações no custo de produção SISTEMA SINDICAL SISTEMA SINDICAL RURAL PATRONAL BRASILEIRO CNA Federações da Agricultura Estaduais Sindicatos Rurais Produtores Rurais

Leia mais

Ambiente econômico nacional e internacional

Ambiente econômico nacional e internacional Ambiente econômico nacional e internacional Apresentação para elaboração do documento referencial 2015-19 no Ministério do Turismo Manoel Pires - MF Cenário internacional O mundo se recupera da crise,

Leia mais

SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO

SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO WALTER ANTÔNIO ADÃO SUPERINTENDENTE DE DESENVOLVIMENTO AGROPECUARIO E DA SILVICULTURA SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO CENÁRIOS - AGRONEGÓCIO 2

Leia mais

SETOR DE CELULOSE E PAPEL

SETOR DE CELULOSE E PAPEL SETOR DE CELULOSE E PAPEL 7º Encontro da Cadeia Produtiva de Madeira e Móveis BENTO GONÇALVES 12/11/2008 Pedro Vilas Boas Dados Gerais Cadeia Produtiva do Setor Florestal Lenha Carvão Vegetal PRODUÇÃO

Leia mais

Painel II: A Força do Agronegócio Brasileiro no Mercado Internacional. Comércio Exterior Agrícola

Painel II: A Força do Agronegócio Brasileiro no Mercado Internacional. Comércio Exterior Agrícola Painel II: A Força do Agronegócio Brasileiro no Mercado Internacional Comércio Exterior Agrícola Comércio Agrícola Mundial 2016 Principais Produtos Produção Exportação Nº de destinos do Brasil Açúcar 1

Leia mais

Resultados de Junho de 2014

Resultados de Junho de 2014 Junho / 2014 Resultados de Junho de 2014 - Exportação: US$ 20,5 bi, em valor, e média diária de US$ 1,023 bilhão; sobre mai-14, aumento de 3,6%, pela média diária; sobre jun-13, redução de 3,5%, pela média

Leia mais