se:çao J CON GRESSO I tadcs e n- 19, de 1952, no Senado r'cdel'al', que aclesconla p'lla~l'a[<).~

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "se:çao J CON GRESSO I tadcs e n- 19, de 1952, no Senado r'cdel'al', que aclesconla p'lla~l'a[<).~"

Transcrição

1 " ) ESTADOS UNDOS 00 BRASl. 0lA81000 CONGRESSO NACONAL se:çao J ua 1C - rt:' 9 CU'UL UDER~L 5,mão conjunta CON GRESSO para pre.claçãode vetos presidenciais Dia 18 de janeiro, cts 14,30 horll8: (COnvocação feita em ) Veto a" Projeto de Lei (n," 2,825, de 1953, na Cãmara dos Deputados, e J:lP 337, de no Senado Federal), que estende aos subtenentes e sargentos '\!~ pal'ticlpal"3.m da campanha. da itália, habilitados com o curso de Comandante de Pelotão, Seção ou equivalente, os beneficios da Lei n; 1.782, de 2+ de dezemüro de 1952,' aase~ura promoção, ao serem aposentados, _ runctonáríos cwis da Unláo e das entidades autárquicas que prestaram ser,'ç() mimar nas FOrças Armadas dur:mte a última guerra, e dá outraa provídênctas... Dia 20 de ja7lelro. às 14,30 horas: (Con\'Ocação feita em ) VC;O 90 Projeta (n." 4,218, de 1954, na Cimara dos Deputados e n." 220. ~e 10,4, nljs~nado Federal>, que autoriza o Poder Executl.vo a abrír, pelo 'llnlstérl.) da Ag'icultura, o crédito especial de quinhentos nill cruzelr"" C'" ,00), para ocorrer às despesas com a reallzação d.a Festa da 14 ro,nj:j.. Dia 21 de janelro~ eis 21 /loras: (Can\'Ocação feita em ' ) V~t<) ao Projeto n." 2.436, de i9~2,na C~m',ra.dos DcputaClOll l! no" 116, j~ 1954,11<) Senado Federal),que cria o fnstituto de Apcsentadarla epen- G5es dos RCvnomiárlo~ e.da outraa provídêneíaa.: - Dia 24 de janeiro, às' H,30 7~oras: Con\'Ocação feita em )...eto ao Projeto n,' sei, de 1951, na C:l.mara dcsdeputados e n," 140,,: ~ 1954, no Senado Federal), Que cria, na Qladl'f) da Secretaria do Tribunal <t,~ Justiça do Distrito Federal, trés funções gr:ttlflcadas de secretário de TlrlllJ. de Jull;amento, l)la 25 de 1anelro, As 2l l/oras: (Convocnção feita em ) Veto rll~rc'al\ ao Projeto de Lei n' 258, de 1951, na Cllmara aos uellu ~1r10'. e n," 162, de 1953,.no Senado Federal>, que díspõe s6breo provlmento,:,! cargos da carreira ele Petetive.do Quadro Permanente do Ministério ~a.:ru,;!ç:j. e Negócios ntorlores - Departamento Fedel'al de. Segurança Pú ~l\ca, D/a 26 de janeiro, às 14,30 horas: (Convocação feita em 28 12~195t> veto (tot9h no Projeto de Le'l (n,o de na Câmara dos DepU.,l~.doa, e n,' 320. de 1953, no Senado Federal>, que dispõe sêlbl'e. a c:trl'~ira de "-l.,.ellte Flsca.l de mposto de Renda. ' Dia 27 de 1aneiro, 4s ~1!LoraS: (Convocação feltaein5~1-1955) Veto ([otall ao Projeto'de Lei n' 4,044, de na Câmara dos D~pu "'das. e n." 124, ele 1954, no Senado Federal), que 'etltlca il Lei n , de ai de dezemu-ro de que estima a receita e :~a a despesa da lnião.p:tra o ~J;~l~iclo de 1954,. Na mesma se.sllo: (Convocação feita em ) Veto (l}9rclah ao Projeto de ~ n,' 3.a05,.dl! \!o CA.mara. dos l'~(lt.lr,lldoll e n,u 82, de no Senado Federllll; ;Que fxa oaefetl\'03; da:'.,'v(vo.s Arma.d.as, em temdo do paz. NACONAL,. QUNTA-FERA. 20 DE JANERO DE tadcs e n- 19, de 1952, no Senado r'cdel'al', que aclesconla p'lla~l'a[<).~ Dia 28 de [anetro, às 14,30 l/oral:. :, (Convocação feita em "al Veto. (to tal) ao Projeto de Lei n' 666, de 19)1. na Câmnra do! D~O'll art. 8.' da Lei n,' 1.181; de 11 de agosto ce 1950, que 1A1tOl'l~a abur ':1',, luto para subvencionar empresas de navegação aérea. Na mesma Sessâo: rconvocaçiio feita- em ) Veto (total) ao Projeto de Lei n.' de 1953, na câmara dos Deputados e n.v 269, de 1953, no Senado Fedei a'. que concede auxdlos de... Cr$ ,00, Cr$ 100,000,00 e Cr 100,000,00, respectrvamente A&!OClll:;a.o &!rrana de Defesa dos Agro-Peeuari.Stas, de jul, 'R. Q. su; li E"poúçá:) Agro~Pecuária e Feira de Amostras, do Crato. Ceará, e à Exl>Osição lie QaJ,i) i LeHeu'o e de Corte, de Caprinos e de Suinos, de Terezlna, Piauí.! Relatório n.o 10, de 1955 Art. 2.~... Esta lei entrar' em 01, gol' na da ta. de. sua publicação reva- Comissão., Mista encarrêgada de gadas as disposições em contl'iriq". relator o vetototai apôsto pelo lilstótico. S', presidente da llepública ao "'. Projeto de Lei (n,o 666, de 1951, O projeto de lei em apreço é oriun_ 71a Càmarados Depu.tados, e nu.. do de. mensagem,da pode~. Execueimero 19, de 1952, no Senado Fe. vo, n, , de 31 de malo de!!51 tieral», 'Que. acrescenta. parágra. accmpannadu de uma exposição de' t» ao art. 8,' da Lei de Motll',DS do Ministério das. Rela~õell 17 de agôsto de 1S50. que au.tori. Ext~r,ores, em que se Justiflca a ne 2a a abertura' de crédito especial cesslda~e do diploma legal pleitead<j destinado a subvencionar empré,( atesanco-se as sej;ullll;çs razões.' las ete transporte aéreo". 1 As despesas com o transporta :,de malas aéreas para levar a cor.. O' Re"",: Deputado Saturnma Bra- respondênncia trocada entre. a St:cl e. "a. taria de Estado.das Relações Eltte, RELAtóRO ríores e as Missões diplomáticas da' Bl'asl! no exterior crescem acentua- 0 Sr. Pl'esidcnteda '..epública, damente a ponto de atingir cêrca usa:ndo~ca atribuição que lhe conte. de crs ,00 (trezentos mil crurem os artigos 70,1 1.., e 87, da zeíros) em 1950, Constituição Federal, dellberou vetar 2, Um:l.,vez 'que R lei n, o d. totalmente o projeto de lei da Oâma- 17 d~ agosto de '1950, concedeu sub: ra dos DeDputados n." 666 de 1951 (no vençao às empresas t:oacionais d' senado n, 19 52), assim redigido: transportes aéreos. na base de ' "Acl'Cscelltaparâzrafo ao artlgo 01'$ 10,00 por quilômetro de v~"n~ 8.' da Lei n.> 1950, que autoriza a trecho compree~~jdo entre a últim'j tinado a subvencionar emprêsas de escala em terrltono nacíonal eo pontransporte aéreo, to terminal da linha, parace Jusco qu! se exja das mesmas emprêsas bent!o,o Congl'essoNacional decreta: f1c1adas. o transporte gratuito das Art,. 1,' - O art, 8.. da Lei nu- malas d;plomátlcas, desde que nál> mero 1.181, de 17 de.agõsto de 1950, excedam o pêso de 3 qllllogl'amas. passa a tel' o sesulnte paragra(o.unl. nclusl\'e o recipente, lt uma das maca: da1jdades t!n:::ontradas para se resolve ra <luestao dos recursos nece.ssá.- "Parágrafo único, As. mesmas R rios ao sustelo. das despesas sem res,.' tl'allsportar, Çom senção de tabs e trin:;:ir a referida troca de. corre. ônus de qualquer natureza, as ma- pondência. las diplomáticas trocadll8. entre a 3. o A medida pro.posta.tem prece- Secretaria de Estudo das Relações dentes em t Exterlol'es e as Missões dipl.omátlcr..s d., ou ros paises. e foi tentaa em 19"8 e 1943 pel() Diretor ~ do Brasil' em pa(ses servidos por suas ral. do Departamento de Correios -. respeatlvaa llnhas,alnda que 001 Telégl'af dl'- ~ comblnaplío com ontrll8 emprêsas con... os. me an..., portarla,.a que ~ n"!l se submeteram as empresas n. gênel'es, ficando esta.belecldo,o pesa tet'e;sadas, por falta de apôlo' legal milldmo de 3 (três) q,ui!ogtql\las pau, 4. Algumas empresas fazem.escada mala diplomática, lnclwive o pontàneqme:l1t~, o menclonido trlulsresclecuyo recpiente". 'llcjl't<!!j''l\t-ulto, "

2 A C()ll1i.'~~odp Tl"ans"ol'tet ComU ~'k.~~~n~ liõl C\m1ÚJ'il di.:_s Depui n(~os rili j~\o""l\el à apl'o'r'uo do»rcre 1<1 dej~i envíuüo pelo Executivo por t:'fs l'::r'écs. ]. r Porque n~ ernprf.!=á~ já fi1?i::m Jll:-:l.lH.r:mrnle o trr.nsporte corno m ~"\'l)~~\'a o J.,,1il'l.isterio das ReJ"çÕi:'~.E,~\te:-lorEs~ 2. o ~orqlle o flii~o, máximo das ma... Jus f"mnlil11i~~c1o a um valol'relauvamcn!e peoucno. ~'." pol'('ue a dílninuiç3n da receita cl",s ~n1~'r':'~:1~ era imii::-:"jflc:lnte' em hn ch subvencâo concedida pelo G'U\len1o. A ('[;m:lr~ tin' Drnllt~dosl'\~ro"(ll " projeto. que foi enviado ao senado.. N~ outra Cn'n tio riongresso três CcmissõEs foram ouvidas: A primeira foi a deco!u'tituicãoe Jus/ira. oue se maníresror nela constitllcionalidllde da proposição. A se:,unda foi a de T'nnsport s C'cmunifflãões e Obras Públicos que ecnsiderando os térmos de um oticío do M,nistério da Aeronáutica, na Cjl:ela época enviado ao Senado foi contrária à aprovaçâo do projeto de lei, alegando que o assunto fôra re..ulado satisfatóriamente. uma vez l<ljêll as emor';~as eoncessíoriârias hn "iam. e. Õ'~ntAneamente. asi'mmldo O eomorormsso do refe'rlrlo transcorre. sem Ônnsllora a União, conforme c:orrl.1 atos assinados. A terceíra foi a comíssão de Finan (as que opinou pela aprovação por que:. 1 - :Havia preced~ntest1"1 outros l'al5l'! C<lmo nformava o Ministério (lnsrelaç 6es Exteriores. li - Algumas emprêsas estavam det.uando o transpcrte gratuit<j es ]lontilneamente.! - A medida não llfetarla nre ''''itll rias cinco emprêses Que expo J'a mas linhas aéreas lnternaciooois, le. "'''4_U _ )ler.u.ri&m ' 'Puuz",t. - JOiC. Al1auJtG '1Ç-"'"4.71t1 AQl'&.GO COlol oi. lo' l,et,/.orlo" tw Alnlela lalul - warn,w" 0001W1lll:1" 1,' 1.,10rUl - ~... lilll<ll.... ~'&4rUl -.. ~e ulumar.ea.!.pp" _ dumbel'lq MQW' tasluo tsorralbo _ AntOnio aula, ft,eu!uoe. u q\larl.u-ltuu, A JU bor... 5_etOl'lO _ PaUlo Wa\:.l, ljectlc& rso U'W li'...ujoeoc... Lideres Partidários " '. Q.'- L.''''1 -,QU"O Oapaoema: Vlce Lll1erell l';ul'loolilll~' ll8c1lj CarltU'O. AUllQ Qll.&marl.l J'elaoso. Constitulolo.'J~sfiç.: :- ) _ Deodoro "e1l~:>u~,.':"' ~. _ """'U1G"'"i.'...' '" );., -A~U Mlnr.lÍron. -' PTB,' ~J ~ U~~~ A!arl~ :- 2~' DrARO DO COfl,lCPF.C:SO N"c,nr.JA L (Sec;Ao ) EXPEDENTE CEPART AMENTO O! MPRENSA NAC!ONAL.,".TO"... ALBERTO DE BRiTO PERERA e"'p". DO' "iço.d ualleaç& MURLO FLRR'ERA ALV~S DÁRO DO CONGRe:SS~NACONAL Ç"'O mpr.u. n" Ollelo.. do D.p~rl.m.n'o d. mpr.r... NaciOnal 1 ~s ' Eat.rlor AVEN.!DA RODRGUES ALVES, t!"!''l!j leputcles PUTCU.U./ rulccoullos C.pllaJ lat.rlllr Capital 1'.rlor.' tr.... ".. ~. Cri t/oo ~ ",.., ' crt,l..... Crt H,OO,.. ea:1 - %c.&... li " utlrl.r.,u. rl pre.na.,.. ".D.lllru,"litr- -l" se...,u1,.., ',oca.,ar t' fll,oaafjl'dlt.r a"...d...lor.. leo.' 40 tlejanchdtdto.,..ato' 'u.lplloç., 4licltuaO.4".,r.'erboll URl por mllo 4. 0"'.'01 fal.,"lal ltj4oa a 111'01' 4. r.tourelro.40 'ln...\o ',. ' Jlul.atl..-O...p...'.. i 11v1fl 6rrlo ffcjaj vlo l.r o40' 't,"/a..u.ao.'lte 1 cllollvlo... - O calto 40 '611..r' lu,"i.cr.uld Ck1 U..,er z.recl. '.corrl' oo.rll' _ la Cri U. ~t Janeiro de 1955 R.ZÕES D() VETO Subindo n mencionada propcsfção para a sançâo rpresídencíal, o S llhor Prt:;idcr. :e da República deliberou vetá-a, sob os seguintes undarnentos: 1. O) A subvenção estabelecida em 19&0, pela.ei n.> 1.181, de 17 de agôsto de que foi cuídadosamente estudada naquela época certac...~. e çlo...o:...çlo mente já não representa hoje o mes- H::'LM:.JT HAMACHER mo auxílio que. representava naquela oeasíãc.: 2. ' As emprêsas nacionais errfrentam forte concorrência estrangeira, razão funda mental da subvenção dada pelo Qo1'êrno 1"edel'al. 3. D) O projeto, se convertído em lei, faria diminuir. de medo sens!l", a receita das. emprésas conces.~j()nárias, lima vez que a mala postal é uma das fontes apreciáveis d:tquela receita. 4. ) A obrigação de efetuar C transporte -nínda que em combinação com outras emprêsas eoncêneres" necessáríamente. estrangeiras. porque a nossa polftica aérea é contrária ',à.,.00 competícão de companhias nacionais na mesma rota - poderá 11'1'111' os ".00. transportadores nacionais a contrairem débitos em moeda forte com sells competidores estrangeíro», quando fo l.. Cr' lal,oo "' irt i_ rem obrigados a transferir para terceiros as malas que deveriam transportar.". 5. P) O Ckll'ê1'l1o ria retirar parte daquilo que dá, a titulo de snbvencão. Não seria de-estranhar, pol'tanto.,!l! Ali emprêsas, em breve víessem lollcltar Aumento de subvenção. tanto mais que. já ll\o bastantes 115 obrga,,!. ç6es mpostas' pela lei que se de!ej~ modificar. JUttlflcando dessa forma AS ruóes que o levnram 'anão sancionar o projeto de le, o Sr. Presidente da República subinete o seu veto à. l,pl'eclaçao do congresso Nacional. Bala dae Se&ôes. em 17 de jaás quais o Govêrno concede 'liubven-1 C<lmo 'Viera da Câmara, que, por suanelro de v() CZ'Aquhw, Prtção anua..1 de eêrca de vez., havia acelta.do a redação pl'o-. sldente. -.. soturn.in.o. Braga..Re- Cr$ ,00...." posta pelo Executivo. em sua men- lator. - PUnia Pompeu. - V/U'O O Senado aprovou o proje~ tal sagem idlclal.. Filho. - GUilh~rme' Mo/aqulo8.. CAMARA'.DOSDEP'UTADOS Resolução n," 578, de 19 de Janeiro de 1955 Au.tori2a G ltfesr., lia Cl.marll o adquirir automóveis e da C llf~~ prot'idénetas 1"lÇO saber quell C{unarlldoa. Deputados aprovou e eu promulgo a Beguinte.' RESOLUÇAO. A~t"; 1." - 'E' B M'esB' da CAmára dos Depulados autorizada 11 adqul. rir O\'lze automóveis de passageiros e duas camionetas para os' Bel'ViçOS desta Caso do Congresso Nacional, nos têrmoa da Lei n." 1.410, de 10 de Agli8tO de Art. 2." - Os automóvejs, atualmente em uso, sel'iío vendidos em concorrêneia Art. 3.' _ Esta Resoluçlío entrará em vigor na data de l1la p\lb1lca~ çlío, revogaaas as disposições em contrário. CAmara doll Deputados, em 19 de Janeiro de 1955 NPlE11 RAl~. COMSSOES PE-RMANENTES ~,,",.. " ",,',' ' '..,.. ~. " AliomárBaleeiro - tldn., - ALtOllhl hutaçlq.- t'~d.., :.. AiitOJlloP~lÍotô -UUN,.. ~ Amida -cbla,.... : PQCô; /_ BlTfto t'mto... "l"l~. " - BtaeQll.O Vlla.àlrel - 1'60, '..'. -B1laoPlJllo -DDN. '.'.-,. - Dl.lie, d. Oarvalno: -,. PRo.al- Pemando NÓ.brtel - p:n...,:'... Qodól 1ha _ P81k.» - ojarbll "lradhao- PSD lt - JDt.Jotlu, - E'SD. P.R. - tjde, - Duerma.nllo OZUl: "lc' L.llleua. _C».. ".~iü~~ a uauo UlDal... P.S.. - Lider - ; r.l; ~ Loaer -' dalll PU.. t','1 ~. - L.leer - 1l1l10 ljarllll. '.l).cj.-.oc -AmlQa uamaa; VO-L.laer - AAar. Af&llJo..,.. M. ti. - L.har lnll1am ",et&ler: VC.-UCllt - t'odcladq GOl!alllel.... a - YO" - Oh.ndo Dl1...; Vlll.-L.Cler - armo ali :::iuvella. to."!,- l.ocer - 'KODer1O '110- BDCO Parlamentar ndependlnt. (f_a. -'P.L.,- P.R.P... f_..n.) Uler _ UltrmaDClll CJ'U_ 'li. "1~'-LlO.t... _ 'L _ KaUl l'l.. 'U'... WOlfralll...taMr... '11\1... W1üíi CVQl - 'H - 1i.lD ';aolw.,-'..,,~' '1~ - JOf Mal,o. MO. U - J..QCloBlt 'llcour' ':~ DTB: 1. -' Ollllelfit":8fllo... 'PSU. ".i< 1'/ - PaUlO!AWO -'PSl'. li ~ RaUl PUa - PL ftudllon pacheto JUN., "

3 Quinta-feira 20 ~"....1== ~ - Teixera QuelrOl _ :.\l _ UUS&~ U"ll.a. ile i'1t. :.:'~ - Va~o - l."11. ;.:~ - Vaco. ",ln''ml''o..lujllllt Adall Bal'1'eto - UDN. Alde Sampaio - UDN. A1' t"'ll.tmh.u - t-ld. A,'istillano Ramos - UDN'. A~L<...,uD - r' i. U1UCOÇ'w ljuar&e - 'SU. ~.tuuu /ll.u""'1 - t'l:u. u'uln.rnllllq Q.,UUYlr. - PSU. l'/lu "':t&l _ t'h...u... ' :Wll... ~, liu'~1 (la AlurAl.,,~.o ttom. - r'l:lu. MencllOt r'lmellw - PD. MOUr drulj -' "5J.1.,Mun.1 r'aleao - t'lip. paulo Oouto _, ri b Pereira Lima - UDN. t"ulhj DPlomacia 1 - H~lío C30bal... PR - ",.U A~lltl., :l AJelOe Carnelro- PSD. a - CMloli Rooerto -!'í)d., - Cunl:ll MacllaClO - f'l:ld. ij - EàlUJerta -àe,castra -ljoh. ~ -!''ijaat:l[a Oarcl. - '?SD, 7 -,FaVU Cu.trlata -.'6... B - Oen Barreuóa - UD/li. ~ - Hel'mel le Sousa - t'~1). lgl - lvete Var~'1 - i'tb. l~ - Osvaldo Co.ta - f'1:l1) Menotl lel fllcchj., - PTD OVlàlo à! "''''eu -PliO_ H - Vaga - PTB. U V~o - UON Vall:O _ UON. lll.-n'l'trr.....l1:j't CUlúl' -'UeDo - PlJ.. liqlllroo...1&0-1'1"11. tlcoo u.ml)tio - UlJl\ lwnoon!'acllmo - UUN. ~ '''Jl luoelro ltla ~W 'R. ~sco -,,::ir, '1lllCo- UuN Varo -..du. itcullófll U quartal relr.1.. M ~..e~ tlora. Q lla "1'no»r.o al\o" ";ueuju Raimundo Padílha -."..nàu. Comisão de Eoonomia _!tul f'.m.u'a - UU'l - prt nllclllt ~ - SUY10 ccnenlque - FUl. v. '..-huc1.nt... a - AlOlh Ulot,U - flso _ ~r.cro u.oa.to -' YUN. a - t1arrot ae "arnino - 'Tli 11 - Mrl&làO l'llllco - t'lü. ' - 1;0~' ftollrlllu" - t'l:l j)afllll r.r.co - l'liuj.» - l:aulorao (J.t.llo - 1"1' li:uzeblo ltocl'l' -, l"errelr. ltotartlo. - l'~. 12 -Lrll /.UlOoerl - ULJi l.l -.altll. Araul0 - uu~. U -.ol" ROMA - ' " 14 - L012.rt41 \Atol. t'~d LoW' Vllnl "'f" UDto!. 1».,... UJ.r. - "tiu. urlol A.JYU1l - P~U. Se..retarlo - ~U10 Rlldl1. ll."/ar - St1Hl8t1ao ","ia, a. Al o;li.oc "Cueln l:,elll1l D' "o. j)ó.clllo~.. to - :rcll.'i..rreto MU. Reunloe. u "r.''' Qumtll-~lf'" 11 U.\l aof", D lial& /UrlWO Q. 1il.1Q,,.aQollll. SCC ctclrc. Ao..riu.., -..;. 8,ln. R\'elYtl ~Da~' RnjQo doir.. ",.lt u..culoflh./o -.UO" 1O&r" t'l ':Ul'l'O. l~ - M"llhll" "'lu -,g MlrlO Allrll. - PTa.. li - Nagcueio'.'on~eDll., - PllC. ~ - UrlllA"1 - 'D. u - Vla'l R.\Dllro 101 lalltal "'PN :12 - VlrclllQ 'r.,ora - UUM. li - W, rr611cll - PU) Jt - Wlllaa ClllAàa...,;... y..--nd. Dl.lRO DO CONGRESSO NACONAL (Seção ly Janeiro ele Ul&TlTtrrlJll.",UJP1'11 u.. "WtQ - UU", ""'lalt.11.d.r.. - '.C. ~LJJUhl Macuw.ao - 1"'bU. a:jpo.o Cl' A1meu" _ r~f'. tt.tlflu. t'llltlonceu - t" "....-oerel& ~8"OCCl - Pk..4.. "..,na.. t'llto - VUH. "'.loau illt.ao _ "::'U. ~'''''Lano -' urnln líljar.1t.,1..'1z11.' _ V.u LlUQu. Cc \. jj<l(;u1orr'" - H~'tll ouc'4g, Educaçao t ",ua. finanças - lar... PlUlU'O -,111) 'lcl11lt.. ",-,..... t.uo lnor..&e - Ut)N - 'lo O "'''C'''' ~loerlO. *lauo", - A'oo _18g&10 - UUl\. - AUlQ e"...uko - l'sd UaterlO C ~""". AnU Sau'lJ - UO~, ''''lnll...rlo.au ltelaçoel lo'lltlll'lllr'oll' -... no....ua - ~tiu,,"' e. haellcla - t;qquul /.ljj'~ - 1'81' JJ.fVOt 1.'- t...rt.- u~joç::. - ')1.:'1) E1PQlQ C1' A/lJ. _ fiel'. ' tterljerl...n - uu Jll' ti0l11laçlo 'U'(..!Mul' terlo O Alrlcw~ur&l. 1...me.:. tilttln~uw't _ E'se Coucr_ Nal:lon'J,..~OC "'UllU'~ ".,ea - Uu'" Alfaro U... - f'lll~ AUli61G At&lO' "'''''.<l - ~ulll. J$eUJ''''llll r lf."an - <'1Ot'. ~Urlltrl a.l,;... ~ro - "l:lo. uelto..e~.tll1. - "i. (.ill.. ~U twún,uea -' "'~. NJ a. ""O"U. - ljl..j"'. Uur.1 "u oma,... ~ r'c1.. rlrrolra,w..r\lll. - t'.:or Heuu \oiau&l - t"f( KeraCl1" ~e.c;.';' t':l.. J~" >l.uo~rr. - t'" 11 lalalc\e";olltlpn" uu!\. WlCurlo' Lell,' - l,jh. "UOUlll Weoelro. _ "ulll. 1ll.n(lol1~' "'"11' - "... ti_til "uen. - "!:ia.!talalulla...& ljun. 1""0 UJlr. <'lsd Sllltlr.QO l".cl1l1ccl - 1"::l1.l 'O, "1 lu...tltu'o. ",-o-oi, MJ( :r "lrue.", nr.. lteulh)e. lurn'... ".. - 1erç&l f Uln~.t-relr:u.. U.J~ l~"u ~"... ~ntónlo t.:lrlot. 111rm. _» - Be,unOJ 1'..r,.' lrlll.. O,ao tloru 11" N "l\ul ~ ;.1'101. l'urmll Plenl 1 "."1 Srcr,t.rC _ An,elo J"" '1ar.h lu~1&1 '...Cl u,..., lu'"... 'l'urmel, S_'ANO AlbtrtoNuclmel"!Ul1.. a. Ou.elll vi,ela. lalllltl U.cUtoo'... - lu'll' ""18.. 'e. Cl& 1,. Legislação Social 1 - Rldellrall40...ua - "'1".,., AlU"",.~" _ UDN - 'N- ""..lctf&e; _ Arm'lJlo P'alcio - P!D. - lan:alomeu L.l&DarO - l'ao i - Oel. PeÇll.lJl& - 1"1'11..- Cunn. flu.no - J:rnf.D,t S.tlJ'O - - fo". UUN. - hrlllllclo \,'Or.. - 1:'80. - li - L.telUlt 1A1" - Muru, ~'j,'ao' - 1DN. PlOto li - /11.1*111 ClrneU'o - l"l, li - Orl&llda U&lltll - 'l:la., - l'unu. CO'J11V - P'". J - 1"a"10 l.>utl'a - foso. li - f'en6rla ClValr.ntl -ltd~. li - fen<lorlco B!elT'- PSU. l! -H" - pst.. lti,ntuto Í'.'UUft rado a UJer' -... "'.mpa. Verr... AOrua", - 'St' "'10 - P ll1.' LAUllcl<lU ".el" - Mell<lOnç. tir.1 - JUN. <'SUo 'llclao UU8)O' - ljljjl. ~'C,.tllrlO - illu uau"la. tllu'l/lal - Mano "'U1Z. "'.1l1nud,11 K.UDOU.. Quart,l! t te.t8! 'ta l1\1f.&!li :lall!tellq dllotr... 1~- Macedo S~re.,e 511\-a - PSO la - Usvalao FOlllcea _ 1"TB J'' Pill'.aU ai 8>11'l'010 - p'nllflr. Ji) - Ponte. Vieira - flso,mm", "- OetOlle $010\1.1" lg,.. 'l1'llltão 11o1 Cunha - PR 'CU~. ri - Valoemar AJel1.ntara -' P:;D, _ Cam'lat Vlrlal 'l8 - Vago - l."60. "'"1&1111'. :11 :... Arnalào çerllejra_ PSP - ",- ~O- Aoelarao Anarea _ PTB.' L.llUO '-lrul - UDf Abelarao Mlta _ PTB. ~2 _ ClávL. t'eslallz _ PSl,MVOP ) - Wo&e /11.'.0 - i'~. Kooer", Morena... tino ;13 _ DantllB JUnior _ UDN. ' - lulo 1tam0l - P"Ul. :!. _ 1'l'eltas Cavalcantl- udn. ' V'O. ~b - JanCluhy Carnetro - t'sd - ln&trrl'rc...njft ~ - J,olo,A~rlplna - ljdn, Pollel t.nt4d1o "'&O~ _ ljjll. 'J't- Jo.qutm RamOl - PSD Ali- lseoec1tc1 "'rrulnto _ fld Leite Neto' - flsd ta4n1.tem LAl10 00aü0- lliw. ~ naej Nov..el - PR,V.lor,- t'lr1nl101.' (,)\1flll _ aol:lp. ao -. Moura Andrade - Cu~ura a.r\clq - '.ou. - """.-ue.1o d. lauta - "'NlCla.u. fi&. - r e' - - A<&Wl...rr.to - UU". ADarl' Ar,u)a - l"1j.,. j -..,.nuf V1..&caarP - ~W. ~- nrmu r-e", - a'lu lo.. ~1"ll'" "'UCUJü Neo~lrOll - UDN...".11.. U 1'10:0 - ljul'l.,li - M.noe, f'.l%oto _ UU~. - MarlollenJ - 1'$1', ~ MlJur. BruJt.. t'l:lu. " - NerrelrOl "&leio - PSO.,4 - P&rlnnOll O. ljuvp". psp. la - ".UO Couto - PTB.1 - YtctQrtno.correa - t'sd..,... Vla - na..a.rrrvtoíl,...,aulftc Anl1lre "~'l"roocl - Uj)~. AlJClll'QO ""1_ l"u., j,,/wej Cl' "arv,'ú1o - t'1i&. lj.uaur.. We/lalJlj~' -,:si. /ll.uloll. N<; - l'~. /l.0d "LrtJO -, 'l:o. UllolJ' Ku,lülU - VU't, M'Clf"CrO Dlalll1. {..ar.. O U11. /ll.elo rune. UUCUlO1l'.ro Marl... 1J00lt '11'9 10reU", twunla. li quultu tlu'u " Ü..r.. U 1&1. "DUlO rrolg. - P:i1> - rln PDC Neator OUlN'te ~ 1'10;...W1O... '-iulc"ç~ Panee d', Arruda - flsj) M.',.v" Ranler1 M..zzlllt - fll$d.s,,d.uer.. :M -.Ru R.mOl. - i'tb U4lnllt,eno lft :111_ Vllter At'ld.. - PT Vanllel'lel ~ÍllÚor UDN,1U16 li 1QU1...,"'areM 3'1 - Vi... ' li "" DOr" VO-NO....U. 1 ~ & " il -.1.~ i 14 ~, Saúde Pública,..,.. NovelJl JQDX -t';:l1) ''''CO'.... :illlnp&jq - JU - r~.,..."".,,,. Acrl~' '1r1' -...:ou. Atlt4l!Jl.o.,;unele - uutl. reau lsu'eu" - t"~"...e.., ~"'1'U - 1"'1.., t.:uuunoo "'UC"" - t'tai. "VlU O. ~...u... - "~. erlelu ~Rl' - t'lor, ~...o...l.lt..rlllrl" _ t'lld.' ~1" "ltur, - YU'l. ', ~M' 1"1<1'010- t',>j aro v&"'11 - t>, UYlalO UUaJ'C' - t''''... t"e, elf.,uopn - JUN " l:l""'<1o "acn.1o - ~1S0. \ \\'ourlm W.w.. '- pau-. 'UTTtrfOl Serviço Publico Civil,. -.enl_mlo raraa t'. e«laelltt: Al'mlnao CorrOll 'l.uu ru A'1 Pttllmoo - P*l l_uj"ulw, &rln - 1'111'. l..lurg "':ru2 - JUl'o :>&..uo lt..1u - t> la VU"11110 uurre.. - t'::0. ~e<.:'tt",... - uua. Q.AUU :\tpu.,i11(1ldg '''.LU' - R aklarefl a. "elo. ijactllollll".. ",CU. ou"'.... l:lelro "',n'o" ti qulnt,lelrll U, 110 ru ai 111'.uel1... nluaao.,"' A" W. Segurança Nacion~ L10l1ol' f'liueu'e(\o - l."so _ P._ "UC1.Le. ~ - üajdino ào Valle - ~e-.p'e51tlelu', ' Vi AlVlll'U CasteHo - flsd. Uantul Coelho, - p'ra, s - UU!u' Qe ADOraae - UDN" ti -. Jose UUlolUlua - flso. 1 - Lacel'aa Wemeclc -!"R. 8 - l..ucu10 ilileaeu'u! _ li, - MailHllac5 ".uto _ UJN.'. uufli ej.pell:oto -...~ Mário ~ew - PSP. U - Moul'l l:rastl -. ~O, 13 - Nl'gl'CU'C l"al(1110, _ PSD Paranilo. o~ _. <ra - c'<:oi'," 15 - l.".ulo Couto - PTB, 18 - Vletol'lno t:n!'l'ea -PSD ValtO - f'ts, U"T'VTO '.UUUTf Abelardo Mata - fltb. A1J.~re.J.'t1'ültuwes - LiUN. Daniel de Carvalho _ l."r. l.>eoctol'o de Me.,., 'nça - PSP. Mota Neto - flso, Nel!lOnPal'lJós - 1';)D. "11. (JSLO.la Rogus!>:l..; UDN. l:lecretal'io - OJal011 ravarel ela C:unnll Melo FUno., '!)atuog1'ala -. Mal'lada Olôl'la Pé. reslqreuy, tleuntoem à8 quinta~relras, 'si:\uin. le l1ora8, na ::ll!.la "Satllno 8arrollll"., v!c'- t'fe«llen t., - Arl t"lool.. _ pu. 4 -.Della.. MerrU:l... PD ~ l''o'tes -,1-'::;0. d - Guriel ao Amaral _ PRo - Joto Camllo - t'sd, -Jose Amauà _ pso José Remero _ PTB_ lo -Ulpo Coelho _ PSO. - Lourenço JUnJor- PSP C/",~. :2 - Aürlo l'ajmerlo _,p'ri 13 - P8.ra1l10 Borba -PT& Rallriunclo Padllha - UDH Romeu Lourençlo _ PTJ. 11'- Rondon f'~hl!co -,ljt)m 11 - \'..ldemar RUpp _ UDN:, ' lvuttttrroa u... Da lu. RoHao - PRo...D.Oao Por. - 'PlW. "~11oOf lellrla _ UU\..._...'l'Ol -UU. MYQl lajoie - V,..

4 "lo Brand - PT. V..~O - t' La SecretArlo - L.UW Ablrall ~. P. nu "l!u[.m~ fo. ouart.. f!exr.u lelrl&.. ~,all nl l:mllllno na.s,._. Tomada de Contas 1 - GUllherm. '-1lLcnaClo - ljdn "'t.aenl, a - Uernlllll" LJnc~noro - f" U - r at.-,., utat'n,. J - Anlllo Mur~lJ'li _ t>su - ~rucn.. a~ ali lwcnl - t"l's. - ~'Uvlla" ljoo - t't:iu. - ~erral 1lO1lt111 - ~ un - nan':ll"'" &'U1Al - l"oso. - Ulllhume la vurelr. - 1'Sl. - )fl'.o deltrao - UUloi. - oorc. JaOUlll - UUl'. H - J,.,.. N... - Pll la. - "el1a~" t-'unenl'l - 1'1&0. U - UllDto r'onltel - t"::l1.l,4 - ".lconr'ju' cu.ta - "::;1". D - Vllrl SOorl4Ulo - JOl:W. li - Viro vaio. 'lllmnt'llto.".un.'" odtorllo Corrlll - ULlN Arlf.11Do UOrrel. - t'::iu. Cor"cl Nuoea - JOlUJ J01urD O Menaonl;' - HP. peroanelo p'errlrl - t'.. lacnloo ODrUlno - fi'! a. Vaia _ ljlln "Cf''rlO - :U Gaurela..A.zal.1t... "arl" "'UZ& O&.D' Reuna,., U ter!;... Qulnt."-'lltl' ti!t CO,... Da &la Re&o./tot'rOl. Transportes. Comunicaçõts e Obras Publicas 1-8enrlQur t'alnoocelll - r~ 'retlllent J -.01AR10 DO CONGRESSO NACONAL (Seção ) JlenellJ10 Vu..: PSD ~V~ 1" euaentl. ' :;:o AmaraJ Pl!11nto - P8D. - ~lellleute.meo'aqo - t'sd. - ilnllllo '-larlul - PU.. - ~'el'narial- r'errarl - t'ti. - Jaime lellelr. - P::lU li -...aravettt Couunno - ULlN. -.bnnael tilneto - PliLl. U - lbur\co Juppert_ JUN. li. - O'!"1.RoR'u~j(1 - Ul,;:-i. ~ - lalo 8rano' - PTB..a - Sllllru,nu Kra!Ía _ esn, 14 _ Ublralara Keltmeàlia o - P8'l - Va~o l"llho - UDN \ ~"concelo' CUlta - PiP. L,! - VallO - PSlJ TTllTO ".A.T. - SllC PDto- ULlN. 4 -,",uuunnll..:ualclnu. -..,... - "'lllcm1o A\lUll. - t'lil, _ Uel'hl~.(Jl; U",~norD _ t"u. - Jaie. MachaDO - UUN. '. _ wm. p'lluelrello - / - ljolu'elro JUftlOr - t'w. t'tu'. Secretario - LucUla Amannho di UreU'&. Allzrllar - LAela rjnt.qelll 1ln Doctllogrll/O - RoéU cll' A1nl'1d& Ml". Reun/a. U terç ' '111 r.lr'".. QUln&t' trinta!ler",... 1tlo' i'aw\ 11. 1'rlllltlJl. Bacia do São Francisco 1 - Vieira Cl atelcl - pl:jtl - h.. llelll. a - AZ12 ~aroll - PT1i - 'Of- ""6Utl..a. -Ols nw! Rolldo - '- lôarrara p;ernanael - "... - "'rou Marelrl - j>'j'~. - heug CoutlDllo - PaiU. t - JO Pre.ldlO '-POC. l-leandr<l MlLClel _ UDH, ' OpOOO "C1.1 _ l.lun. - kacn..oo ::loor1llbo - 1"'1Jl. 1 - Mirro Oomel - lju~. 12 -Ueáelto. Neto - esu. ( 11 - /eto C..mpelo- UlJN. - Roarlruel ~'br.. PlSD. 1i - Varo. li hro hco nTtrTO. ralunx1'll! LUla Qucll - idn. MUlo PJmerlCl - Munll P'11cl.o. - PSi'. 'UOC Ot)N. na' VuconllllOl Ootta.- PSP. V..nl R1ll1lrO doi &Dto _ pa. SeeretclríO - DJúdoSanll.lra Wl Ap / R.unOtl A OUlllt U-r. ru, Valorização Econ6mic;t.. da Amal6nia 1 - CoaraCJ Nua.. - PSD - rr. '111'711'., - VirllJUO 'lllt.. Rau - PP - VC, PrC.lllmtl. : - A'oolO l4..to. - U'DN. - AUrcQruualltlt - ~liu. - ilw1!o hrrelra. - "'U, - 4l~.nor 6011', - t'uo. 1 - Atlleltllutol _ t1o~. - :luoio C' Clmpoa _ OC:f. - FODleca SUYl - 'U, li - relia Yaloll - ("l's 11 - HUO Carneiro -!"lid, 1. - oalel. Uacllaao _. ljull 11 - "0&0 ll' All'lU -PaP. COM.S SOES ESPECAS Janeiro de 1955 ~ 14 - Nelloll ParljOl - '50. li - PaUlO Ó Aoreu - 'T. li -.RU ArUJO...,. P:ou. 1" - Vl"Ulo Correj.. -tlsd TrTllTO, '8JlA\'un:.. JO' OUlomuá - t'::l'u ""'\lo "lery - VOl'!. Paulo Nerl - P:$', PllnlO CoelhO _ P'rB. Secretllrlo - Djaloo ~anue1r1 061.LOpH ttcunloca....uarlu-teu-... Polígono das Sêcu 1 -O.car CUl1l'O - pau - n. lia""." : - AnQJ". 'emancldl - Dtllt... Vwe Prlllallll" a - Aur.ao»art.lr& - U'D'. -.tertler' a. ouero - PilJ. - Cl",U Rocrll\lel- l'!ia - '1'&1l01lOO...GO._...llt - "'&CCO MoDte _ p'u" - "oaqludl V'" _ PW. " - LAOllClU "'10 - '''alu..,. - ".aclonv ~rala - "'1' 1J - P_.1 Ar"UJO _ U&Jf PMOl Uu.rra - PlSU. 11 -Aallea Ol1CW-&... UUft, 14 -UbU t.w - PW valter.. - l' - Y...o va,o. 1111ftn'nOli '~JrJlTa lclanu aarr.~ ~ l.lu~. Olementl "edrldo - toso &pclo C1' A!mlld& _ t'~ AopOlClo "&C.l - OU".. Oll'lra.rlto ~ P~. i Vago - PTB. VO - fsd. Rtwu6u '' lu..na. telru... ~.oru a....1 PaUlO Cl nodtd. S'Cfellil1O _. J..Ulllll"Amlol'lnnod O1f1r&.. 4ullla, - Lld.. 1'onteneC. 111'. DactllÓ"../o ~.lja Cl. A/Ji"~ UlDa..~ Vale do Rio oact rllno CutrlOO - PaP. Olnll QQnçll,ea -'Ro Emtnê1 1 Conttituiç!o(N.'.1 tl WUp(l l,)llellll - t'tilj. Vala - P'tlll., NJlOle&o footlll.l. - PilO -,.,~. t'dnetrtl.\.lna, - 'C. oslllf'ulrlg' - ou... Al RepsD1J. c1e 1gS3) \ r.,.al.. ~ecr'tltg - iuuuouyel~,_. c.... "/fiaria DeoCl"Lo _.l1lj.l'l _ "10.. ".9A DO l'rabaulor ~;:,,=t'ciutelo _ Pav. Emenda' Constituição (N.o 2. Emlnda à Constlt~içio (N.'2, ~om:'l1'''~l:~'na.. U\llCUlll "lotero- ljuft. d. 1951) d.1gs2) CrlO Jú10r - '80. huclanc 1"'1' - JOl&..'.J'LANOD. tuljuplr,l9ao JOU. uaata. JUDlor - DUN.. ' UW.llarm. Maen&DO - UUh.,PLANO if.)uloiomwo DA laca NOt..'CA DA ~Al,llA U(J tuo fi., ClUe 'eruand. _ PSP, UlUllcfUle a. vu'l1'a.- JOHJ. /J(J d4u "KA.~U!.:::l\JU 1tA1B. lj(j UL.. UrOO Sal. _ PSD,.' tlua. 41berprll - t'au. o\rtw Auar. _ 1"111. Raouon t'&cneco - UD.t..'.. OtoJ RoUK _ UllN. \,u'" ",;.ala' - "'1'1' UllOJ &.Ua. _ t'l:w. PrtllUtl f ''''0.;. PSP. \'UOODC,JQ' Qo~ - JOfiP. U..2"*,. ~ -Na -".. -'_. t"~-._... a_..._.. 'lo'.tll'1g - Ulauaa 1. Qa '1Ub.. _~nuo PadlUla _ U1JN '.--.. ~!!~ Pw10. relr... vaio _ ~!Ü".. ~awol.ap~~ -... a lioua'.,. ~'""'. _unlllel&l "runuu Secr,t'tG _ DJúllo liullll:a,qoja waco j"'~' -.- aoru. ~ la3 -sallldo.arrolo... AM..'::.'11rD - DJ&ldo.&Ae.ira.OOJ Emenda" Conltltulçlo(N.! U. ~menda à Con.titulçlo(N.o 6, Emend. à Con.titúlçl0 (N. 7. Eni~nda 1 C;;ti;ulçlo (N.o 8, de 1~!"~ (lmpa.to Tlrritorlaif. di 1949) de 1952) (Alter. art.: 25. ~4..' c111~63).- Mna1do CtrdeJr - PaP.. e 124) MOOPtCAOAO DO ART, U. 1"- 1tn.C1HO 'l&uu. - PQ - DA OONTJTUJf"lAO) aoaoj l1ba - P*W. (OaOANZAçAO 00 'Í1!:No\lJO OarlOl L PSD _,.,..."'t.. Dodoro d.m.náulç.. _... rerral Eirej. _. UUl'l, 'J:lJERA..._.&ano _ "Ct ftoqr1l e. Prota AlUlar _. "1". ti'\od omellla - ''111. -Cll. O -e....tlo 101N. 00C,O.W1& _ P,u. Rara... OUtCUJ'l - UD1'i.,..wc- ",;ü;.~ :..UjJ~ A*'" J:leda&e'- UOlf _ r_ Joio 'Rc1. - pau. ".,0 - PO. Raw PUa - 1' 'lo'elál1o - la!la' A1Call.' B_.t4l1D - Vara Duque Ooe"* PUDlD Uo.1'0,... P'!"a. Anlelr. 11lteDCOurt Pn. ru.. 3eu'10.., OtYaldO ~'ClHC - l'u. WlOllCUJln. -,u. -.~ 'u'. "'. t"l1l. V"O - 1'1". Emtndá.. Constituiçlo (N.' '....,,;. -': ::::t4-;...l1d.!\... "'.U.. fia. ~:::. -,~:rel _... de 1953) Emenda à Conltltulçlo (N "::fm~'d~.~~:~a: de v 1953).(lmpa.to Sabre Jm.nda Con.titulçlo (N 7 Emenda à Constitulçlo (N.oa, D. OAR.A'l'D PUU':t'l'Oh nda. e Consignaç6esl e 11.A, d. 1949)' de1gs2). Ateno. sole. - UDl'!. Dt.DtoD 00'11'10 -P'..."1Lo\ odtlld.lo P.lZolo - UUlt. úl ~'lnl1lrl- UU1ll. QP3t11URAQAO DA -.' CClJUACAO 0& rlrrltonjo'.8enec1j&o Va1aClan., -PBD Maall'1l.Plrto. _ VOM... TORA l'l AJ:l\J &1.) '&t>e&a:j'1 Brocll.d da,rocha - l"rj nlla..ar.to -'11'. AlbrlO DtoclalO - UUl'4 -rr... Plor..,al CWL& - UW -,... Ooclor una - P.8D. UU Uwmarlll - rld. _..' h'clmu.,,volo - PaP' ''''0 'SD -~....'._._.- AnW &JlQ -, :JDt -...,.. Ster.Gr'io '. LUC!11a' - nh.' , 'C::OJ:::a"-== -..._~_.,aantllto '...arll 'rlp 0l,... _. _..r O :::.~~r:.-"'ca E.,eb.E1&J,

5 Quil1ta-feira 20 DARO DO CONCRESSO NACONAL (Seção ) Janeiro de Emenela 1 Consttuição (N.D13, para.aborlr o projeto do C6,, d. 19S3) diko Brasileiro' d Rldio. :<Autonomia do Distrito Federal) transmlss6.. Heitor BeJtrlo - ODN - 1'1'.11 Ew'lCC'llalll - PSD _ 'ruflltlt... acnto. Suu. PlBtc- ljlj:l - flot-4'r"!'afio Dutra - PSD - V'e.-"', Ullll. ~aenl" AlolllO Arlnol _ DDN. AfO!110 ArlnOl - ULJN. Barrete t'loto - 1':1'8. BeoJamD to'arljl - &'S. OC& Carnell'o - Pl:llJ. B" to'ortm ~ PlllJ. Saturnmo Srali - flso. Phlladelpno UJ'C1 - f::id., Stcrlltérao _ i"uoulo Amarlnho ' VaiO - PU. Q.lU', 811l-'fet4no - UUda 11. Al" RapO Au.rll14r _ Ud.. 'cntenel bucaao. R.wuOu na ls&la PaWO li' PrOD -- 5U1. Par. dar parec' 10Projlto n.' 3 _091, d. 1953,quli dis pa. sôbre aquísrcão di casa prôprla prestacãe de auis tanei. hospitalar ao, arlvido ri' civis da União Zdlberto 11~ Cutro - UDN..&:.lH'lOO S,Ju- P=:lJ). l"avto Cutrlolo -f'5p. OOdO uni - P5D. Va~o - l!'ta. 8ecret.trlo - LU1U. AbliaU 4 P'arM. Emenda à Constitulçlo (N.'1S, Pari dlr parecer ao Projeto di 195~) (nstitui o.steml de Para dlssldlos colltlvo' 1 ') do trabalho n.' 887, de 195,qu ntroduz govarno parlamentar..<. Lamllra Bm.ncóun -'11) alteraç6u no C6dizo Eleitoral Alberto Deodato - UDN.,.R,lata. lmalu!l.tu'o _ 1UJN _ h'su1",t. AltUl dantol -UU. ' 1'1*'10 outrtoto_ P!lP. 0''''''.., d. (11"'elra - i'lid. Ben~1l114l Vlldlre. _ PSD. Nelson Or.Jegna. - PTB. P&WO L.uro. PdP. OOutlnno CU&le..n" - "ra...:t '1'1.1'10 UUGr. -,UJ. P'l/O RamOl _ P'li. OOC2111 Ubl - PaD. -.. Vago- ljdn. Tar.o Dur.rl - PSU. Mines. Ptmllla.! -ftld. Slcr,tâMO - DJ1Jl ' lú!ltcretU. _ lnln o. OU"lrl la1l faulo Lauro... PM'.. Meto fuao. '. BlcreUtao - hnladdo CO*../ - l - Par atudar... medidas :. Para dar parecer -Ó,aoProJeto Emenda ACon.tltulçlo (N. H. proteçlo aoa rtcursol na n.'716. di que disp61 de. 195~).(Substitui o ertl,o turals do Pai. *b di' t.." d S.r. Par. estudar o problema dr assistência aos trabalhlldore~ ernpregados na extraçio G. borracha RESOLUCAO N 39S, D '-1-i::' Di!o:>Oaro a! M'nClonça - PSP.!:P'Jogo de Campoe - U1JN. illct.amelra Blt.rencourt _ :'::;LJ. PaUlO Ramos - P"rB Secret"rlo.. -MarO.lUM. Pari dar parecer hem.ndll" do Senado ao Projlto... miro B.5~1 qu mano t6m a declslio do Trlbunll d. Contas dlnleat6rla.0 rerlstro do contrato c.l.brad(.ntrl o Mtnlst6rlo da Alro nautlca R.nato Clpnnn: C.echlcl r 217. dispondo sabrl a rtvisao D&nlli l'araoo _ rlt) _,,,,.,.,.. g ri a a m nls ra~..o o da Conltitulçlo Fedlral) """. viço Social da ndustrll do USOLOÇAO N.'.181, D l'.'-l! M.nllel P1JlentJ -,m. Presidente da República) Ernânl Slltlro - tron. GuUhermlno de Oliveira - pad, Lula Garcia _ UDN. Lamell'a Blttencourt - PSD. Menezea 'P1Mentel _ l'sd. Paulo Lauro - PSP. Vieira Lina - PTB. Emenda'à Constituiçlo de 1954 (Artigo 41)' campos Ver~al _ PSP. Ca.rloi LUz - PSP. Celsa Peçanha.-PTB. Eurico salea - PSli. Hrebert Levy- UDN'. João Agrlplno~.UDN. OllvelraBrlto- P8D. Secretário - 8eba&tlãoLul. de M draàe Figueira. llerlltj11a'7 - tnln - Bllaeor. Slrviço Soelal do Com'rclo Arn..ldO Otrl1l1tl -'P. Arte. ãnlool... UU. Ollllea UUun..r... - 'SD... PT" (l1ulo i'arlnal -,ad. 'idltlt.... Vaao - i'8d. ClJ'met" d' ArDlltlnO. VallO - PSD. Jol.t Roma - P:lO. Ser,uno. -.10M Rodr"... Lauro Crua _ UDN. O1)'U Glmarl. - 1' o, Uha - JOSD.!lUac Pinto.. DOM. loua. V..,o _ ~ RoEldon PlcACO _ DOlf. Cinema, RAdlol Teatro lecrlw.rl.- 'U.. QouYlla. Pal1l0 Couto - rr-. 8rll1l10.1'lzlOD _ fmd - "... VuconccOl COSa _ J'P...,.1...._ Para dar parecer ao ProJ.to ooi Becre24no - Low111a A1narlnbO ai 10ll1Jf,Co - O1JJ - 'loto n.' 2.266, de 1952,qulmo, Pr..lálftl.. ' Oll,eltl. Barreto Pinto _. PTB. diflca a L do. mp&sto di -.Emenda à Cons~ituição n. o EuriCO Balei - JlSU. Consumo. quanto i vinda d. ", Pl&vlO OU'.l'\oto - PU olorplolctrcla _ UDl'l. ~ vinho embarricado para con d PUlhell'o ObalU - PSO. lumo particular,slcret4r'1o - &.UCW. AmartD!lo G. (Eleição do Presidente e Vice- Oilnua.. Nlnhl,e,.arrltcl - flbd - 'r AUZlllGr.- LAd Pontenell.,llent' Daelllogra/J - &ofjl Cl Almll4a laio S.Dlp&O - UDN. uma. Leite N.to - 'SD. Vallo.- P'l'l. 'Para dar partc.r la emtnda. Vago _ PSD. do Slnado ao Projeto no. secretario - Oy1110 Guardla 4e Car'uJho, mero di 1962, que, lnta do palamento d' a.par. dar parecr ao ProJlto n~' 18 '. 101.e.taxa'l concldl outras n.' 2.466, d. 1952, do Seracllldadls. aoloplrarlol nado, qu regula a açio po. trabalhador.. para fllto d. pular nltitulda pilo ertlgo obtençlo d. patlntl di n 141, parál,afo. 38, da Conl. u:n!u~ao N' atl DW 1"... tltulçio Federal lo,., ArnlL110 oerd'lra - PSP. OU GU1marl.. - PSD - Pr'" zmldl ~"t1'o - UDl'l..fdat., Altt N.'O - PSO. BUlO. Pnto UDM.. 1 Olvaldo PoC& - rra. Ooclo,.!lu' _ '80. Tarto.Dutn - PSD.. Q1'gel do AmJ'1 _ PTa.. ~tulo - Ellu acut. P..ulo Llluro _ t8p. - lcretl,rlo- Gld... RepuD. BenJ&m1nJl'lr&h - PSP _ Prt,tdftt Le6nlflu Mine - PSD _ 'f~ """14'"". l'!'anc~ Al'\lu - 'BO - k 11_. 'torntlnc!o Nótn'lp - PT. Perrll r-rr'la - UDN. Rellnl6el Da.aJa R.,O aal'l'oll., 8tcretárlo - lllu GoUy, Para Macedo.8o&ta - JOSD - ""'''.'!tot.. d'''~ Perr.!:a llj't1n- PSP -~. '-toro. ~, Broch..do da Rocha. - PTB, VlrllllO r..or. _ ODN. \ Yllortao 001''1& - PllD..~ Secrettrlo - DJalma T. di Clmhft...10 'W " da, parlcer.. Projeto n.'3.724, de qu di. p6. s&br. a situaçlo d. Vlnclm.ntos promoçlo doe: militare. sobrevlvlnt.. dot c.reo. d. B' da Lapa" d. operaça.. di Ulrra Para dar par,eer. '1 emlndal C&lO.. Para dar parlc.r '0 Projeto do Slnado ao,projlto n;'u.. n.' 1.923, d qu senta - Pàra elab~rar. prollto.abr. C d Jt.. ' de qu Spu'l" *b r. Para. dar pareceratmenda do d o.mpu. * t o d r.n d a O vln. concelslodl terraa vlal d._ norlij trall di reim. P'. Senado, ao. ProJet.on.' '1.C, 'clmentol O proyln~ol comunleaç ll..rclclos di nltlnoiârlo, m conformldadl. di 1951,qu displle. abrl.1 d O. f unc on ' O pu Abll CO comêrelo.ndú.tria na faixa do -,.. estatul o arlrtl,o 5.', atrlbul"6es doi auditor.. a. fedlrall. estadual. munlcl. di frontllras. B" C '' n.' XV, letra b. d 111 li, on.. qu Si rlfl,. o.paralrafo8.', pl, m com.oa oa m PROJ1l:TO.N.' 1.31' 4' 1 OOTROSl. tulçloflderal. ampllaa. do artllo 22. da Leln.' 830, tar.a.~. "lc..,;;:.1it. t.:~~v.10 Ec/.tenlqU - PTa- rr atrlbulçllll da.lnspltorla.01. di L&melralllttlncoUJ1 _ P50 _ "... ~ellor Jolt- - PSD - a ral PenltlnctArla - U:SOLOÇAO li.' 181 D 17-1-'~ cleftf Maoedo SOar.. - l'lw. OUlherlmno Clt 01lvelra - P~.,... OlloJ Ro\lllU - PW. Jolo Roma - Am. C1od0llllr W.t - JlP. A110mar la1..1:o.. t7mf, Vaio - P..UO' LAuro _ f S,,. OOclllt lha - PBD.., Secr,tllrto -1tlA11 C OllD1S1 J'l. 'VlrO - 1ON.. '. 01lMll Oulmar... - plu), A101l10 Cutro - PO. ruelredo CaMllh... Vila' - PT..'. Vqo PTa.. lecrtlolrlo _ DJaido8uclt1r ReuniOll 11. laia -P&o C!roa lcretirlo - 1'.Ulo L ele. &a-. VO - ODN ". c1racll 'luelra. tcrlt6j1o - Mil'io... ~

6 , 292 Quin1a-feira 2::> i!!! rara dar pareclr li.mlndal do Senado ao Pro;eto núml. '0 433-C. di qu cempleta o Ar! 31. V, letra "b", d! Comlssio Federal. lunçlio d. mdostos sôbre templos. bens servlçcs de.pllrtidos políticos. institul.:;/les de edu. caç~o de assistência &og"al cnesoluc;:ao C 38a. D 17,1-111 Art.1Jr!l.ntna - OUN (,.~acomll M!' - PSP 'l.trl BHtenCoHr Lopo Coelho _ PSD t.' no F'aJrnerlo - PTlf 'ecretarlo.. Joee ttoc1f1iurt ' ouza. Para d"r parecer' emenda de eemdo ao Projeto n di 1951, quert'lula a forma «l constituição da ComilSAo d. Promoç15es do Minilt6rio Público junto à 'ultl17a Mili tar, e da outras?rovidinciu - O~R'O 00 CONCRESSO NACONAL (Seç~or) Para dar parecer ao Projeto Para dar par.cer lo Projlto Para dar parecer a emenda cio n. a L 750. :te, 952,qu autoriza o Poder Executivo a no proarama ai ccnstruçãe , de 1952, que- altera n. U 2.562, d qu nclui Senado ao Projet() numero dlcretar o monop6lio utatal di primeira urgência dos O art. 1. da Lei n.o 403, de du uportações de mattriail troncos do?lano Rodoviário 24 de setembro de 1948, que estr;,t~gjcc.s litra.vh da Co.! Nacional o trecho Areal Bllo reestrutura os cargos de Temissão de Expo.-t~çào d' Horizonte.da Rodovia Rio soureiro e ajudante de lesou- Ald' sampao - UlJl -,.r ,11 RZSUL.Uc,;AO 111." '~l D Sl '-&3 PR."ZO 1\1'& O FiNAL. DA 1.1:018 WlfURA. Carmelo li,,-otlnd. Antôno Rorlelo _ P8D OUUbern',1 a~ Oh'~lrll - ~S). DolO! CleAlldrAd. _ LJt>N,. Menez. t'uoel.ttl - FeO. Umll Fl~u!'lredo - ped,. P.11!l''''''~o p","'''~ - ~',' Paulo couto _ PTB. Orlei Alv'- - "SD~ Paulo Nery _ ljon. Va.o - UUli. Secretârlo - FerJ:ando Co.ta VaiO - fta. _, -.!terellflo - LUlM.h1Cal.. rar" dar parecer ao Projeto '1'1U. n , di 1951, qu dls..pae labrl o Con..lho Nacional., d.-educação. Materillis EstrlltégicO Belo Horizonte reiro do Serviço Público Fe- Ollnto l"odleca _ PO _ Pr... dera/.. ti'fll. RESOLUÇAO N. 368, DE it-s-ss Ronoon P.chteO _ UDN. Antúnío Horário - P5D. COartlcy Nune. - PSO - R,/ator. Sltumlno ~ralla _ P'::;U. Ari Pitombo - PTB. t.:arrneld L) llo~tlno ~ 'l:õp. Va.sconcelo. Ce.ta _ 1'81" Fel'l'eu'a Martirui - PSP. LoUDlO t1nl'n"olu"1 _ lo Ui. Ovalao P'on~eca - P'l'M. Lafalete Coutinho - ljdn. ~oljerto LotlU _ PlSU. Urle, AVlrn... PSU. Lopa Coellla - PSD. Wl\lter ALall1. _ t"rb. Secretário - Alberto Nascimento. ~ecrelgrlo - \lera ~O.tll G1'lo. Se-cretarlo ""' Lucna Anlartnho l~.-- OVPlr., Para dar parecer a emenda do Pa'a dar parecer ao Proleto All(U - 1AC' 'onl.elleu. Senado ao Projeto número.." d. 1952, GUlcria Dllcllll.~ - jwaua ele l.lmeld ,.de 1954, que autofiara dar parecer à menda do uma Junta de Conciliaç~oe Uma. riza O Poder Executivo a abrir Senado ao Prc;eto n."843-c. Ju1aamento, com sede em Para dar parecer ao Proleto aopoder Judiciário - Justiça t1e1951, que determina a Barra Mllnsa. Estado do RiO n." 1.864, de que a Eleitoral - o crédito sunte- missão do'silo post,,1 comi. de Janeiro. dá outra. provi. tera o contrato di tocacãc de, mentar de CrS à mor ativo do 111 Conp'resso dências.rv~ço entre atividades el ' Verba 1, Consignação 3, Ane. Bras 11 elro ' d e, H om. opa t la Anr.enor.00~a - ljp1't - rr... Ull>_ POrtV"...':lUU. atltltas _ PSD _ P" xo n. O 28, do ürcamento ~ Ge. Otftll. lutenl' rat da União para tRE.lSOlUÇAO li l~a.d ' ArmAndo.CortflA _ PtlD. A.101~D Alv_. - DDN. RESOLUÇAO N. 368, DE '!l" l"orll!" - PSD CloVl~ "'. t~ n. -!"80.!\11 1:1 01dll' dp mp1da - P5P. LlrlvPrtp ceunnn - UJN.!lauto FlAmO - P'T'B 8e~rer.t.rlo - Lucüia Amarmho d. ()l1vclfa..'er'ftando N~tJrel. - PT...,., ".".". Leltl...to.. P8D _ lt,ta&ll'. AnaDlo Oorrela - PlW. JAuro O'UJ - uo~. PaUlO lauro - P8P. ".1t4nO.. LUl&AlllltJl d. Pa (1&1, para dar parec.r 10. ProJlto n , di 1952, que alt.ra O artigos 1, leuparagrafo. 2.', 7 ', nciso, 10, 12, partlrato ~nlco.,17 e 19, da Lei nlímlro dk 31.de dezembro d. 1951, que alterou dllposlç1511 do C6dl," d. Procelso Civil, relativa. lo Mandado d. Segurança "aranho. o. llllvelrl _. PSP. Ar. Pltomoo - P'U'. Benjamim Farah- PSP. "anet clt f\rr'lqa - 1't!L). LoDO CMM - PSU./ Oetúllo Moura - PSD. ""~o p'rlll Palllo Lauro - P.... Osvaldo Fonseca - PT:a. ~.c'elll.r'o _.lote H,oarllUe.. 5.~rtLaJ 1l,) - lj)11qo 81.ndelra 0<>\11' Pereira Lima _ UON. S"w.a. l()pe. Tarso Dutra - PSD. Para dar parecer ao Proleto Secretário - Luíza Abigaj] ~ Q...2 d 1""61 e autoriza 1Farias. ' Para estudar os probremas, n.-. e 7. qu.. Para dar parecer ao Projeto rllati\'''~ Ô custo di vida, o Poder ElClcutl~O a abm, pelo n.' 3.563, de 1953, quecillabastecimento produ~âo d. M~n1~téflo da V'a~ão e Obrai p~e.abre a reforma geral do a'neros alimentíciot Publicai, o cr6dlto.speclal slltema Administrativo cla Para dar partcer, ao projeto n , d1953. que alter. Lei do S610 (Decreto-Lei n.- 4 ' 656,.de 3 de Sltlmbro d.1942) Cf,rmlflo O' AfOetlno _ ]tr,,".n" Tu.o Dutra,. PSD -.lte11lor. B~l1.12o ell Rocha - P'J'B.,!:pilara Cl' Ot.lllpol - adt. ' '.'0 - i'~"', leeretirlo - Djaldo Bandllra 061' Lopea. Para.abora' o pro/lto do,eglmento para i Comlasa.. Parlam.ntar.s di nqu'rlto - aa.07 Uh. - PO - "..l4entl. 01l&U~.."arl." PJ), Arma.do Corrll. _,li). _, '&li -PTlS. 1lU PlDto _ l1dm.. J. lewlt.t.l:kl.. J)Jn1o auar~a d. c.r- OJalClO rodla - 'B., 'all1o.'.... ' "lo. Lallro -par.,. Daet1!ó1r.fa.-.TudStb MW1....'..,.t~ _. S'buU1o Ll...,.,... tjlo _ :.r-... tr~1 l'iud:a. a.'lz16t DO..otlll. dlcr$ ,000,00 pari Unlio conltrução e aparelhamlnto... do p6rto de Santar6m.abr. USOLoUCAO N.a M. DE l'1. n PralO..t ~a 6 à rio. Tapaj6s, "O Estado do artlo J\UUor - PtiU - Prtl14trat,. Par' 'll1r. JJJ -PTB - Vacl-P/,.. 1,lu. Epl1ogo 4' CUlpo.,.. CDN _,.,.., UUltaro Capanm. _ PSD. AfOZl-.!t.ftt... tulnol - UUN - ttlator...ot', ~loclo""lr 'Mllle' _ PO - &./Cl&Cl AtOn.lO.ut.oe _ 1'li'1..- PrlnelllCO M.c.do - na. arl,1go rjnoco - 'lib. LolllrlO 1,,111 _ <"SU.,~. Brochado tia Acena - PT. AomaBl MelO _ rad. Dantel '.rleo _PlD., h. '~relarlo - ",OH AOCll'~.. Deodoro ae\,f~don9. - f Al>UU all'lll1 la" - UUN,' Para dar parecer as' emendas WlC)CDelhO - P::hJ. do SenadoaoProieto- no' =::1 ~::.:. P:üo,-' C, de que fixa a 'ell'a O altlo - D. - d.ivisão administrativa ej'udi- :: ~úa... 'l.oe ciâria do Território Fe eral Vaco" tron, do Rio Branco. ~rcw1o - remando Rodr\rllee <aesoló(:ao N. 368, DE ) Para da,' pa';;; lo ProJete Lameira Blttencourt - P5D. LUClo Bltteneourt _ PTB. n , d. 195" que r.. Licurgo Leite - UDN. U' publicldad. aoverna. Paulo Ni!ry - PSP. Pereira da Silva _ PSD. menta da outras prov Secretário, - Lucrua Amarlnho., dancl'l 1 Para dar parecer a emenda do A1 Muoa _Pl'B - Prlll4Cat.. Senado ao Projeto número A!lomu Baleeiro - DDN ,,de 1951, que insti~ g:~ ~ar:~ 's&.8u. tui. normas especiais para Vlelra So"lrlJll1o - f'sp, aplicação de créditos orça-..=~tvlc -.,'LUZ. A\)laU " mentarios e adicionais conce. didos para promover e estio Pnr. dar parece' lo' Proletc d'~~r:.l'uj Dtodat4.. ODN -,.,,,.. mular O desenvolvimento da n.' 1.g07, de t9s2.qu. '~il.' investigação científica e tec- ' p6. 16br. tranltormaçicl OUtllho,Cabl'al - B.lator. nológica. dai emp,'u. ferrovl6.rlal, di OUYelra BMto - PD. Unl.o em locledada. ana~ ltesoloqao N DE nlmil, autorlza.co,, _-s tl tul. Arnaldo Oerdelra- PSP. Fernando Nóbrega - P.TB. çlo da Rld. F.rrovl6rla F~.~o:;o6~lr~~'PS). dlral S. A da outras,,.. Ra/mundo padllha.. UDN. vld'nell' _, secretario - Sebaatllo Lula de An lt&~1l'1wlo... ;.. 'D."-.lrll'" dfadl Flsuelrel1o, 11..'..,..,. '. -

7 Bro ~'"n d~ RO<'h~ _ n. var,lel!'l\rtm _ PH.D,.;. M<""o" Joppert - UUN. Wsll~. 8* - psp, Be' ;',r.1uw - L.ucll:a Amll.rlnllo d~ Ollvel". Pa-a dar parece! às menms do Sf'nlldo ao Prllleto núme ro C, de 19S2.que autoriza o Pcder ExecutiVo 11 lbrir. pelo Mini!!tério d! Edllc~ção. o cr~dito espieiai de c-s ,00. destinado " au.ih!!1 fi Preteitura Monl. CiP3' di Mato Crosso ". reconstrução e conservação dng edifícios do Pal!clo dos Capitães-Oenerals e d! llre/.(!'1 Santisslmll Trindade, e da outras provdências Jlll:P!Oll1CAON S8 O. 17. 'lft '110 el~ Cutro - t"su 1"r~lr' t:a'.,cantl - UU... J~''l (l. Mlr~U,.. PSP., Leite Netn - PlliO. \i~"n - l'tb l!ecr~tarlo - Vll'l Duqu. Coet. Gtllvao, Para dar parece li em.ndas do Senado ao Projeto. nome. ro '4S E. de qu alte,. redllc;ão.doa artlzo.; 864 ª65 do Cód1lo dt. p'r~c...o OARO CO CONC~ESSO N~CONAL (Seç!o ) ~.._."...- :=::::c RP.f'O'lÇ."O N' 493. Dt ' AlJoml1r S.leo.lro - ULJN. ~""l"mln ~'l&1"al1 - P::it'..l:U,,,c f'dto -UUtol. i'erna/llo ~'.rrllrl_ 1"1"8. n"lll'l~rnllnll O ~\l1veu'i\- PSO Helio (JLDJ - P~. L..melrl Hltf.pneourt - PSt'. RilnlerJ MZZlllJ,- PSU: VClr. Uni - 1"TB. Seerrt"rto ROQ.rlUU Cl, i'r ul. Pa rll dar n:hec" emenda do Senado ao Pr.ojeto n"mero 3S03-8, de, gs3. que autoriza o Poder Executivo. abrir, pelo Mlniltlrio do Tra balho, ndústria e Comárcio. o cr6dito suplementar d' Cr$ , em r. t6rço da Verba 1, do Anexo n.~ 24 do.orçamento di União (Le1n.o L de Dezembro de 1952),R~}S(,lUCAO N 3.a os ) 05Wluao l"ol\mc _. t"1'1 ParllnnOl CSr 011Vltra.- t'sp. Pone. drarrlld. - "SU. PoUtel Vlftra _ PSO Wllnorrle, Jtlnlor -,UDN. ~~C1etdTO - 1:1U QOUY". Par. 'dar p"recer. emend. do SeMdo lo Projeto núme ro d. 1953,.qu. a decido do Tribu mant~m nal, di Contas, denegatória ao registro do t6rrno de con trato celebrado entre o Mini,. t6rio da Educllçlo C Jltur. fi a firml F. Pereira" Carva lho LUa. rara da' parlcer 1 emlnd. do '!R!".5Cll 1CAO N 'S8, o, Senado ao Projeto n" 297 C, FerntrH1D N<\nr " - PTi. ae que disp5e.6bre o 1'''anclSoo Arullr - P~J.. 1.0<)1\ Coelho - PSD. d~sdobramento do. cursos de L.clllo MeeletrOfl - UDN. Ceografia de História nas PaUlo Nel'7 - P8P. Faculdades de Filosofia $ecret&rq - ~ a~uvd",,l'l':";ollloao N' 848 Civil (recurso.draordina rio) ltl,1l'.,( pf"'xo N ' '~3, D 17 i al' AZ7 M aroll - porb 1"lnvia llmlll,rluto PSP, UllaOl uns - L"eu Para dar parecer 10 f'rojet9 U1Y~lra klrlto - <'::lo 0'0:.,,111 11l.:UPlrO - UD'f, n " de 1953, que dis seererane _ bwllml1io l.._ ", Ao põe sôbre 11 ohr~.,,>t/lriecladl.;;raa. r'"leua ela concessão, pelos di,retor~s Parll apura-r-.--p-articição de de estradas de re~ro f,ederais. autoridades, funcionàrlos," es taduats 0\1 aut àrnurcas. de a':'entes públicos da União. eoati",,,"to até... 40~ nos fre, E" s a dos e Pre't 81 ur a d 'O' O 11 t!'!! ele matemll! destln ados t' F d'. 'd d à ' fito e era. em al'v' a S sobras mun c pai' sw(lrs\vil! contrll ti Consti. dl'~,;:,"!cl0 ç~ elelra - PSl? Prest., tutcâc ' o reglml democrã- /uoe Sampàlo - UUN. tico Lel:~ t-<elo -flsu p.,,~p '!e "'rl"'j(\&- E'SD. V'1n _ P''L S... r~tarlo _ Alberto Nu~lmellto Oom~ dr OUve!r. ParaCl:lr parecer ls.mlndas do,senado ao Projeto ""me ro 60S C. de que cri. Um~ estaçãe, de Vitiçulturll no,município d. Oaranhurl', Estado de Pernambuco H E80 ljcao 1' '.r l'ltomllo.. pns, JOR' BllLlll'8elo - UDN Parllnhoo de Ollvettl - PSP. Ponr. l' "l'1'ud. -P5D.,V.'P. OulmarA _. PSD. &~erft&rto - V11' DuqU' Ccetl r"v10, 01 J'- 111iParll dar parecer à emenda do M:tnll Bllrreto - UL>l\l. Senado ao' Projeto' n,' 682.C, ~'r-rnan Neto - PSO. li L.!.e 1'W,o- psu, de, 9S1. q~. coneedeaux o Paulo Nery - J:'$P. ao Centro de Pelqulsas Peda- PllnlO Ooelho.- porll.6 ' ' ~. Secrftano _ Jl'ernaodG COlta.! ~cas para nvestlgr. tuba..ôbre o dl!selwolvlmento'edu cacional do Brasil,. di 1'1.- "'.' 0111.») Carlol Vlllllllarel ""-PSU. NMar Joat - PlO. L.fturo ':lrua _ tjljn, :W'OD Olllepa _ "Ta., r?~relrl - PSP, lri.crrtll.rlo - Marle tustn. Para dar parecer às enlel1da~ do Senado ao Projeto número B..d. 1953, que autoriza o POder Execuuvc a abnr, pelo Ml1lstério da Saú.d~. o crédito es'.jeclal ai Cr$,.000 OOO.CO para atender àc despesas decorrerntes do V CO1~resso lnternacior, fll de ::::11Cer, li realizar-se nll cidade de São Paulo. em Jt<lho d~ 1954 RE~OLUl,,:hON" 368 DE t-ovelll Júnior - t':>u. r.~'wra Hte:-:1J - P~'J Artur. Sllnt,,~ - UDN O"va 1c1~ ~un,'l'<'a - 1"'11J, ::ircretarlo - f'ernan.:jo aa Co,1..t Para dar parecer às emendas do Senado ao Projeto nümero C, de 1951, que modilicll o arti/1;o 180 do Decreto lei n ~ de 1 de Dezembro da 194-::l (có dieo Penal) 'RESUUÇAO N ~6&. o Ma ron - p'1'b. (ioelo una - P~U. PaUlO uuro - PS1". 111SSCll UUlmarfles - PSD. Vllgo - ODN, SecretáriO _ Louiza AblillU cu FUlu. Para dar p:necer à,menda.de Senado ao Projeto núme ro C. d. 1952, que mant~m a decisão do TriblJl1a de Contas denegatória ao registro do têrmo de contrato de coooeração celebrado entr.a União Antônio Bran dão Cavalcllntl lua mulher Hilda' Cordeiro Brandia (RESOLOCAO N 381. D 17-i-53 AnOr. ~ emsude. - OON. LApa Coelho - flso..ldeneo21et Plml'nU - PSD. Paralllo Borea - P1'S, Vuconr.eJoa CO~t.1 - psp. BecretlLl'lO - i:llla uouvell..11 Y 1l31 Farl darparec.' às en'.nd ~ elo Senado AO ~ro,eto numa* '0 2. S81.E... de' 952. q,,<s in~titui salário adici"nal P~~i\ os trab alnador es que presterlll servico em co oratc p~rnhi. nente com il1flarráve.sem condições de oericulosidadlt 'REsnl UCAr, N \o.sfi~ U~.l... w;s) Acorro lifn'u _ PSD. AJ1}SJO AJf'~ - up!\ Cf'"" Pf<:Rn tia _ t'''b. P~UJO L.".ro - p~~ R"" _r' \'1 "":7.'11 _ p:so ol'crctllflo - Ulla~ 1\5;18 Repulll. cano Para dar parecer à emenda do Senado AO Projeto número C.de.'.952. que, autonz a o Poder EKeClJtl"G 11 nrnl1'~ ver o re ap arelhamente das Hospedarias ds Mlgral1tes. situadas tem M8 náus, Belém e Fcrt ateza, e di eutras providênc1tls!r~;,';ll 'Ç"O \l 368 1>J:17 8/~3}. A'r~;a110 l,~lff _10N. C~O l'ec;nnha - P"líl La:llelrn 81ttencnurt - 1'50. P~'"l" Nfn - PlôP '" 1'1 1 h l-'onr,n VPlrl - l-'so, '~.' SecrrtllrlO - fi'err.hndo Co~t.". Para dar p(lrec~r /t em""da do Senado ao Projeto n ~ 124.C. de que concede as emprêsas ou firmas qu ellplo~eltl a nd"strl8 t umaeeira. senção di direitos parll 'm!lortac;íio de mâc1uinas l~rlcola3 na cult'ura fabri C8Ç~0 do fumo em!!:erlll materia ~ destin a~o's,jo cultt. nado lo cultivo di fumo cllpeíro f;!~sllll,;"('l N ~~ D!: 17 ~ e. "'da ~",rrer,o - UJN "'rnat<1~ engolfa - losp UermAno 11ocltnOfTl - P''B. Lllm~lrA B'rr~neourt - P:lD. Pane. ~e ArrUda _ PSU.. SecreUr10 - Joe' ROOrllt\". ~.rl dar psrecer As emendai do Sen lido ao Projeto. núme" ro 3 738~B.dl que dispõ. lôbr. registro d. diplo'\'\lls expedidos pelol Par/l dar parec.r 1 emendl do estabeleeimentos d. eensino Senado ao Pro:eto nome ( elt!srelclo profissional to d. 1952,'que ft~:~ol LJCAO. N ô O: alter. li redação doart 1 UtMO l./j1lo PSJ - "'~Slden"'. '1arl\O Uutra - P:lU -!telelof " ~ da lei n. 264.d.25 di Feva. B~nlllmlrr ~'lrall - P~P. reir~ de' 948. que f. ixa O Mllnoel Pelloto - U'&lN..4 RU RAmo' - PT. vencimentos dos.f,unciotíãrlos 8el'retlLrlo- Oll1l10 Bandllll'li 061/ di Secretaria do Superior l.n~~. Tribunal abre. ao Poder, Pf. dar parlcer à. emend~ do JudlciArlo _ Justiça Militar Senado ao PrOjeto num -o er~dito suph3rrientar d. ro , de 1953, que Cr$ 537 _ em refc5rço,mantám a decisão do Torib.Ude dotaçâo do Anexo n.- 26 nll~. de Conta,9 dene~at6rta ao do Orçamento da União (Le re",15t ro do termo d. contrato n,o de1o d. Dezen,. celebrado ntra o Ministro da bro de 1952) Airicultur.a e Juvlnal Noguej. RESOLOOAO N D l'l.8-uj ra de ASS~ e.sua mulher Ral. Anora ioernaoa.. - ULJ.1\j _..,... munda ArlJnda Nogueira l1ellt.;. RE:SOLU<;AO N 368. Dl!: n-.51 L.opl\ CoelhO - P!'iD - J1.~M"', Benlamlm Farnn - PSP. Ferrera, Martlnl - l?8p. Mllnoel peixoto _ OUN. Oswaldo JlUnaeca - 1"1'3. ";;1 PaUlo Couto - PU, POllJe (ltarruda - P8D. Pereira 4', SOU1a..: 1'20., 8ecretarlo - UJUn;a.1.. da cillili.; Vnldl'maJ Atcnol,arl - P$O. b!o ~, ihr't~rlo:. 1:11.. Qo~yta,

8 ~, 2~4 C:uilita-feÍl'a 20 DARO DO COl\iORESSO NACONAL (seção ) Para d.lt jlarecer àeme"dll do Senlldr uprojeto número E. Cle l""~ modifial dispc',rl;ões da Lei n 618, de 18 de Setembro de que regula 8 aqur.,ção.8 perdll e / rt'11u/!,ção (la nacionalidade e 11 perda dos direitos pol ticos Jj.F.SlLl'CAO N [1 17-P-]9511 (Junto ~'oml"ca -':;lll Phuaaelfo varcla _...~O. Alr.Mllo Lt'1.. - UN Hurlenranor, t11~arl1a PTS. O.. mpn~ Versa' - PiOr. t>..cretvlo - l!\et'~.'tlfoo l"'ruell'll, l'lmuollimar!f'! - PSD. Ne6tor J081 - Pl:lD. MlW'CQ JopP~r' - lltjl';. H.ldetlranao Blsll~l1a - ~TB. Au;;.aLO Meu.. - i'';l'. Para dar parecer l;s emendas do Se.naoo ao Projeto númer de 1953, que modifica o artigo 40 da Lei Orgânica elo Distrito Federa.l RESOLUÇAO N S68, Dl!: Pllra dar parecer à emenda do Sitiado ao Proleto nüme- ouelardo Andréa - P''B. ro C. di que dá Benjamin Farah _ f'sp. nova redaçâe ao artigo 3" do Decreto-Lei n. D 58. de 10.r!' BllUlFortlll - PSO. Dezembro de que dis~ MauriciO Joppert _ UlN. põe sõbre o loteamento e 'tenda de terrenos pará paga. Nestor JoU -PSD. mellto em prlstac:õea Secretario - ADE l H SouJl BEt50LUÇAO N J61l 1J/l17 '-P~~ l'tila. Sõbre r,,~titutt' do "'cool.. do Açuca.r REStlLUCAO N,. ~()BO)l' ~,Prno at~ ~o-e-b41 "'eil. /ll'/.o - 1'1>11 pre.,fj('11tl J"." "~rono.;. litln _ Rt/lllOl ~"vl\ro Cutelo - PSD. SMr PlntD. - l1un M,r,llke-~ RRrreto - PSP. Walll" - PTB C'-"rpt';'rl0 - Lucllla Aroarinho Cl.. OUvelra.. o Dl!pllrtamento Nacional e. E3tradu d. Rodagem te. ca"""ul.u:::an " 2:1/1. or 2-'-M -, lp!'azou :1'-1-'105) CllrlOl LU' - f'su _ ""'1111'111( lirana _ PTS - r;oetator. Anal' "ernanl1e,' - LJDN. OuO' l1p AnataO. - tdn. lffitlo, O"a - PSfJ Jl)l~ Romll - JlJ~,..m S& - f'sp!s~"retarlo - O).Ulo Bllndelr. GOl' Lopca.. Sôbre operaç6es da Cartera. de mportação Exportaçio do JR"'t:O do Brull(OiXM) PRAZO A1' M' COMSSÕES DE ".mar.; PPl:10to - PSD, Arl t'ltllrn~ - P'l'B BttllklOll1 ji;.rllh -t'!:il',,llulhtl'mt '~ar1m10 _ UPN. S~tllr.,'nfl Brflllft -'PElU. o;""rttirlo - 0,81do B"nllelrll OOll C~. Só"re.0' Jogos d. Aur fte::iu1('...0 N- J{)'J, O~ 1 1 U (prazo ltê 31-]2-9541!:..alalelte couunne - tlon _ "'. taefil. U!"'C!O '...~'"elll. "On.eee1l - P'l'B - VC. 'ltlnj Ultrl - PSD' - t.latot. Aoll\nl' Barr.to - (;..JCumu MWt _ UON. l"l:lp, t. '10 Cenal _. PM. Menaonca Sr.,a P'l' AUDe"e, Plment..l - ~1lD.!'llpolfào "~nt"llpl'. R.lmuntln PfttlUh. - lldn. Rnt1rll!l'l"!!tlnra _ PSl.>.. St'Qretarlo - MaU1tua OClAyJ(. ~anl1lll'tno. Sabre O Lloyd Brasileiro H!tSUloUÇAO M. - ~J Camllpla.- tl'd1l. Slll'l'etc P1fltc -P'l'B. l>eodoro Men4oLOl - PP. fa6nlllu Melo - ~. Ocar Carneiro -.f'sd. S.eretVlo - JoH ftoc1r11u1 SOllR. - m. O 30.""' Para dar parecer à emenda do Senado ao Projeto,n," 400-0, de que dl~rée sôbre o penhor dos produtos agrícolas :~ESOLlJÇAO N." 368. DE 7-9 lu5, Arnaldo C~rdlera - 1'S1'. Daniel ParaCO - PSU. Frma0 Neto - 1'50. Silvio Echenlque - f'tb. SOUZl Carmo - ODN. seeretãrtc - ojalma Cunhll Mel!( Filho. Para dar parecer às emendas do Senado ao.proieto n." 249-C. de que define e pune o crime de genocidio. RESOLUÇAO 368. DE 1'70.1,53 Alu1.!iio Alves- U:tN'. Eenjamin Farah - PSP. Fernando Ferrarl - Hermu de sousa - PTB. PSD. Ovldio à Abreu., Secretário _ Vera Duque costa., NQUERTO Sôbr. peraçõeõ. d. crédito rtalizadu entre o Banco do Bruil S.A emprêsftl de publicidade falada e escrita (R.ESOLOCAO N." 2ll) ('razoat. ls--s) Cutl1l10 C.,r... - PSP - Prell' lelllt A1enClLrAJ'arlp. '- OON - Vie. he'lt1enf" OUlnuml MachadO - ODN - R. tluf f\lapoleio P'ontenell._ PSO SUtl ;ltulclu Lnttnnaanelltt' em &-11-&3' Para dar parecer às emendas do Senado ao Projeto ", de 1952~ que dispõe sôbrc a reatízaçãe dos exames de suücrênota ao exercicio de magistério nos cursos secundários.. RESOLO~:Ao 358, PE AM.U Barl'eto - lldn. ' Celso Peçanna - 1'TB. Coelho de Souza r-: PL. Eurico Salles- PSO. Leite Neto. - psr. SecretArio _. Alberto Naselll1elllO, Para dar parecer ao projeto n.o , que dis~õe sêbre a aplioação ~as reservas dassooicdades de seguros e de oapitalização... Aluisio de Castro - P.S..O. - Presidente. Lameíra Blttencourt - P.S,D. Relator. AJolslo.Alves - 'lj,d.l\t. JoelPresldlo - F.O.C. Vago - P.S,P..,Secretdrio- Alberto NMelmfonto. Sôbr.lnvesti&llr a procedênca do, bens e valor.s d. proprl. dad. do. diretores e lunelon6.rlos da CEXM fteliolur"0 N 35' PlC )' lprllzo aul J2-'-6t' OetCllo Moura - PSD - "',,.- dente... -, CoutllUlc CaVbJCf.llt.l - p'ra -.,_ Ator. LJlln'U J'llntor - UDN. Mun' f'&lcl.o - PlilP. O\lt'lto t"olllecl - PSD. SNlretàrto - OJlllma r; Cunha 'velo rllho.. ~elo sr. Qullhernllno caa OU"eua.1 ~ RUaebrllndo BlJ'rUa - P'l'D. Sôbre O Departamento Naêklnat L.eoberto Leal. - pso. de Obras Contai a, Sicae,', VieM OUimllrl.et _ PSD.!ecratãtlo - C,yhlo OU~dl11 tle- h.esoj."ucao N. lti8. O n ' 2» :'àrnlho, Dactll6fra!o _ Juclltll MunlJ..r 11'R4Z0 ATa '-l-h)... ~etal. aeunlol no lallo Mabr" U n borll.. Para etam. das op.r.ç&e. da.cartelra.d.r.d ~'conto. ' clacalxa d. Mobilizaçlo 8an clrl. Mauricio Jopperl - "DH -,.,.",. trnl. Pllulo RunOl - JlT -,..,.,... lal1llt, 01lnll' Brito - pao - Rela'or., CllCWJllJ A&ill.t - 1':51'.. rrlnollcoafr\l11.l' - PiO JL1du.ll, oatnelj'o - P6D. UlD4ro Mllellll - OOl'l. :>tear C'l1lelro - P8U. Ml.n.el ~O"ll~ - P",. leeret~ ~ JoH RoCrlJ\let.t 01l,,~jra Brto - PSO ~ Presld~nt. lresol.uçao M.' 1~ D -' U Al1ow&l S~llll 1~.e1l'O _ OUl - A. Mlllt CPruoatt' l1-12). tlljllc! "loto - lll.>n. DaonJl'1 l"nraco _ PSO. AclcltOQUlUl _ PSD _ ~"._ Sôbr. 11 Emprha,. ncorpora-!'lnjo Coelho - PTB. Para exame dos atos do Pr ~flnl.. dll ao Patrim&nloNaclonl.l WUOD (,:unna - t':ip. d.nte' do n.titutc. Bralilelro 'ernlndo Perrarl - rr. - Fle". Y&n. ft.lbelo 1101 e.ntcl 1'1\. do Caf' (Lei. nl. 1M. d. f't(.ülu,,resuloçao N.-.,'D J ~6Jl kft'*'rlcl - JoH ftoclrllul. 194, J. c1. 1P52) OlYa1do.Cllta - P8D. fprao.t,t 11 1J"1N) J JClo6 Boc1táClo - lldn. RESOLOCAO H".' U> Mllnhl. Barr.to -PEP. O1aaee Un - pso.- 'rllltl"'t.. para apurar as rrl!gularldad.. cpruo at,t a '.),.retra l..o, - UDN. MaW'lchl oopper' - (UN - rk.. Jt&a1ez~MutiW -1C.1Of1o i"t'uldenl. ocorrida. naantlla C.artelra C1odD' 11l'l. - PilO _ l'"sctl.ft'. L.olO Ooelllo - PO. Pl&olllll Ol1lllplo - udn _ /lllator Secretirlo - l4uardo QuJalarle~ di Exportaljio mportaçlo.uolllo M.de1l'lle - utln. Al1J.h1l BatreLO _ UON,. Al MUDr ralc&o - P'. (CEXM),unto. Alinela do AUla MDreU'a - 1'11'. Dotllóll'afo _ RllNl1a clt AJmel'~ OuJl Roru11tl -UUN..noo do 8r U 'm fort.. P.retra Lapi!l - UDN. ' 1Ja1l.. l'a'o Utr. - ped. Vlkarlno Corr". _ f 50. Aez C,. Vt.1ra UD - 1"'1». Varo - PTB. AWlllar - ta4apoleal1 11&10 -"'ra,.:gl8oloçao N.a 62..Da ' l:iecr.t&rl(j "016 Ro4rU".. Rewu6t.. l&l "Paulll l.tron Reunllllll Da Sl.Rll'~ BarrDl.,..." d. lujlo di 1"" iolll. ua. ""'&&r~. ~ &11U ljouyt

9 Quinta feira. 20 e. 'ara apurar a&lrrelularldadel \ na Estrada d. flrrocolb!(resoluqao C,' 416, oa...""" ~ ~PrlO..W U),'Uml 1"lUell.do - pau - Pral' 'Oltll. Mll.rfo palm6r111 - PTB -. lklalor Maurico JOlP.rc - UDC. lia tumido Br"a - PD. li. i.llnon~eol eolta _ PP. lil.cret6.rlo - MUla llllla.. rara exame d.apllcaqio dada \, ao mpô.to Sindical ~au:sol.uç10 C.' 201. Olt cpruo W ), Ro4r1lU_ Btabra - 1'10' - PrUl lle7tl..,slla. Pinte - ODl' - 1.,.,or. Bel1Jlmm "'1'11:1 - PSP. ' OnlJ f't.'lao _ Psu.,, RellnlO_11a t.-ll ".UUlO.raDd1~ " l1dllr.,secrett.rla - Gilda li. AM R'pu "lcllno., A.lZ.t, - Unl40 lou Uel~ D"ct&lDfr.,o -L.UClOll lsu_ -" 2:ll:clro. D~RO DO CONCP.ESSO NACONAL (Seçlo ) Janeiro d~ )fiara apurar fatol denunciados ArmandO ('illjeio - PSD ~ Mtl OUllhenn.\ho de OUv.1a - PiD. de Serviço :'úbl1ço Civll. em que J,,!;1;1 'b d C" c.ulclu em.--1h pelo a. flcwrult H~\lo 0 1 _p.. eonste doa assentamentos dos tuncreda trl una a.mara por 'Outtt',.. nárlqs Luiza AlJgall de Farias, Ms!1 eeaslãe da discussão do Pro i1arrol Carn!ho -..n. w,melrl ~ltt.ncollr1- PiD... Lei:e Passos Coutinho, Pedro Bl'l1().Lo RllndOllt'loC~ - uul'c f:5u.fltl... dos S~ntos e José Severino da Cunll:& [eto n. 1 2_ d ;\Oldo em :3,1-"', pelo 91:.,Jlcun, Rlnl.....uu - P8P voto de '.OU.VO' pelos bons servl~lls' lresotucao N 480, Dt ll&i) Ol' ~:~:~ 'aulmarh. _ PO. Vleirl L.1Jl - m.. fi~e:;~:o~aà~~~ls~à:j~:r~~~e~~atr~; CPrazo até ) e;~q.rer.arlll - OJll&. unrel."1' Secr.Áno - J* Rolt... Cl'lnquél'ito sôbre Operacôes da c.arte:» Getll1lo M..ura _ PtNllle"c.. cunnl...10 "uno.!'to~.. ra de klxpol'ta~ão e 1'll))Ortac o r;() --, Banco do Brasil em que solicita con- BllnG fllnl.o - DDN. P,r, apurar a particlpllç50 di --- slgnacâo de. elogio nos ass~ntam~n;"" C'H10B Vlllaarel - PBD... l Para invest'lg ar textos COl1 t n dos funclonal'los o.anda.halck e 1'1- JOllqUllD RlmDfo _ fad..utorldld.s. funclonarlal 11'.. s a cíola Soar~sF"1l''.~lro pelos bons 8~r- Os\'aldo "ou,eel - P'rl. aa.nt.s públicol di União,. tesca Carta-Manifesto do ivicos prestados à. mesma Com\s~,io. ~~\~~o"la~~b;o P~PUD(. isudos Pref.itura do Dis. Sr. Getúlio V~rg~s. Ex Presi :~i~~:~i~dodr~a~~ro~ni~~~t~dec~a;:'~ Secr~rarl0 - li1lj"' ~elrn ~n.1l trito Federal,.m atlvldlde! dente da Repubhca. ex-contrarado da Seeretarla da Ca- D"ct'lo' o-rafo Luclol- Soar.. fll C.mara, em que solícita sua rcadmíssêo llhe~'o~ " -. "sub"ers vai contra a onltl- Gulherme Machado - UON - Pre. aos seua serviços, - O requertmento tulçao O recime democr6tlco Sidente,! ~i) Oficiai Lerrlslatlvo Mar'a Merceo~' P. t'. lonamlnt Lamelra Blttencourt -: PSO _ Re- Lopes de Souza, prornovldo à classe, ar.,"vlsllar o ~ac. o GtJ:SOLOÇAO M.' 4'1. D '.1-a5t, lator.. "O", em que solícita se.la contado......_ d. 'nergla lléttlca nos Esta,. lex"'clc1ona referida classe a part.lr d d Sã Paulo Rio d' cpruo a" -U-11Mt A:mando Cerdelra - PSP. de dnxe ~e novembro de mil novecenos.. ~.,.' Luclo Blttencourt - PTS. tos e clnquenta e quatro é assim d~s~ Janeiro Distrto Federal 111omlr."~ - U1>l. Napoleão Fontenele _ PSO pachado pela Me~a: - Deferld'l em 'CRESOLUÇAO N," :77. OE 1954) lj~n.frmlft... rll! _ PSP. Secretário _ DJalma Ta.val'êa da parte par~ o efeito de ser anlíeadn a,... "emando P-erran - "'1'B. Cunh:J. Mclo Filho, requerente o disposto no parât';raí~ (Requel'lmento n. 1, primeiro do artigo. quarenta do Esta- (Prazo até ). M ESA tuto.dos Funclonár.los i:'úbllcos 01".1.. da Unl!o, - Relatado neto senhor Maurico.loppert - UDN- l'tc JOSé Oulmarâ es, é :lprova~.o, por una- ' oiciente. ', nlmidade. o seu parecer tavcràveí &O Aos doze díaado mês de janell'oclil[v,nte. Alcldel Raimundo de Ollvelra projeto de resolucâo número setseen '. Helio Macedo Soarea - t;jsd -.~.- a.no de, mu'novecento.s e ~lnquent.a e'.tavues"e"do AjUdant~.. de porteirll,\tos e.dssenove, 'de mil novecentos e' lator.. cinco eune-se, às dez hdl ali, a Mesa padrão L, Jasé da Sil1a.Braga ~m clnquenta e quatro que estende <i Le"m'l'O Maciel -UON. da C!l.mara dos DeputadOS. Compar~- que pedem, respectivamente, novel1tabeneficios da le núiner- dois mil du~ Llfila,FguelreClO - PSD, cem os Senhores Nereu Ramos, JO!~ e ~uarenta e. cinco dla~ de licenr.s zentos e oitenta e quatro, de. nave dt! Mxhaelo Sobrnho - PTS. Augusto, Adroaldo _da Costll, Rui Sln- pala tratamento de saude. - SâD lagôsto de mil novecentos e clnquenta. RoClrlgues se.abra - 1'50. toa e. José GUlmal a.es. respectlvament,c alnda, deferidos ' aeguintes requeri e quatro. ao! extranumerários. mensa. Sala Brand _ PTB. Presidente, Primeiro e S~undo Vice- mentos: do Pr~ldente da Comissão listas da Câmara dos ~putados.. Vaacancelos,Colta - tose". Presdentes e Tereelro e Quarto Secre. Viq;io. Távora - UDN. tár10s. Deixam de eomparecer. com Secretario - LueiUa. Amarlnllo Cle causa Justlflcada, os Senhores Rui A ATAS DAS C.OM JSS~ES ~llveira.. meida e Carvalho sobrnho, respectl- V i AuxlUBr - Uda Fontenell.Silva,,-amante, Primeiro e Segundo Secretá- COml SSO s Permanentes... 'riol Lida a ata da reunião anterioré.. dllljutado membro de sociedade efl'u r. De.ctllolrafo _ RoséUa dealluell1a aprovada e mandada publicar, - O subven~ianrda pelo Govêrno Federal. J,lma. Senhol' Ru Santos, Relator d' pl'o- De Constituição e Justiça Representar,Aó do Or. Octavio Paea jeto de resoluçiio número trezentos' e Lemp Zamlth de São Paulo.. vinte e dois S, de mil novecentos e CONVOCAÇAO EXTRAORDNARA A~ Senhor Deputado Ulysses.Gut.. cinquênta e t'h, que reorgamza o rtlll\lo DF. R:t1Nlio mal'aes: Regimento nterno da Câmara, adós Aos dezoit:l dias do mês de janeiro Projeto n,o 4. 95S-54,de a.u:orla 40 expucarões detalhadas. sobr~ a, ela- d d'l Sr.. Belljamin Farah, que dlstl6e sõbrl boração' de sua redação final submete o. ano e ml,novecentos e clnquellta venria de bens em leilão pu'bllc". '. e cinco, à.a quinze horas. na Sala v a materia ao exame da Mesa, a qual Afrânio de Melo Franco, deixou de (RedJstrlbuldoJ. é,.por unanimidade, aprovada, - C ie l'eunlra Comlasão de Constituição De' Fl'nanças Senhor Adroaldo Costa relata oe Sa.- e JUltiça, por falta de "quorum" re lancetes da Secretaria d~ Câmara. gimental, presentes os senhores depu- D referentes aos meses de setembro, 01\ tadoe Daniel de 'Carvalho PreSidente Smm:ure./\o F'Ef'('.'. EM ta l.)1!: tubro e novembro do ano pr6ximo _ Ulysses Guimarães -Ft'rnando JANERO DE 1955 findo. sendo. os respectivos pal'ecp.rel! Nobreza - Godo)' lha - Arrud3. Dl'put~dó João Agripino: aprovados por unanimidade, - O Se Câmara - Rondon Pacheco e Raul nhor Presidente dá conhecimento tia Pila. E. para constar. eu. Paulo Oflcl\n , que erla novõs proposta,_ do "Jornal do Comércio" Rocha, Secret~rio, a.vrel o presente C9.rgos a Junta de Conclliavilo para mprcssâo do 11vro ntitulado térmo de reunão que será nllblll"ado cl, 279~), "soares Flho, o política e parlamen- e asslmdo pelo Senhor Presidente, Deputado Clavl! Pestana: tar". de autoria da senhora Mara uma vez aprondo, F.soUna pinheiro, aa importê.ncia de rtrmo DE REUNÃO Projeto n. 4,878-54, que ooneed" cento e trinta 1011 cruzeiros para edl- Aos dezenove diaa do mêa de ja- l$en~ão de direitos, demais taxas aduil. ção de dois mil exemplares, em bro-, nelro de mu novecentos e clnquenta nelras e impoettl5 de consumo excer.o chura. ~ qual é aceita por un:miml-\.e cinco,. às quinze horas,. na Sala a taxa de pre\'ldência Boclal, para dade. - Lida a propost,a dos Senho- -U'nnio de Melo Franco, deixou de material destinado a Escola Lactári;) res Max Sperber '" Cia. Ltda, para se l'eunir 11 Comissão de Constituição e Amb 11latét'!o da Matriz de Cosm~ arrendamento ao restaurante. da. Cá.- e Justiça, por falta de "quorum" "l Damião (, 2779). mara dos Deputados na prólllma Le- regimental, Jlresentes O sellhores Deputado Janduhy Carnero: glatura a Mcsa resolve por unaril deputados Daniel de Carvalho, Pre, ' Projeto 3715, de 1954, que autorza ::h'idade, 'mandar ~brir concorrência sidente - Fernando Nobrega - Alo- o poaer Executivo abrir o erédlt:) virtude de o atual contrato expirar mal" Baleeiro - paulo Laura - Qo- especial de, ~r$ 10,000, destl :~ vigência em trinta e um de janeiro doy lha - Raul Pllla. - Arruda' nado a aquislçaode sede própria par. eorrente: 1 "'"' A Mesa tomando conhe Cê.mara e Paulo Couto, E. para eons l\ Academia Brasileira de Ciênclaa. eimentoda requerimento da Comlssâo tal', eu, Paulo Rocha. secretár!o, la de.nquérito para apurar Fatos Oe vre! o presente têrmo.de reuniao que.delegislaçãosocial. - nunciad~~, da Tribuna da Câmara, por se1'â publicado e.assinada 'peto. se- ~A"""RA' DS...S'T1'H""lr.a Para nvtstlcar ai cençal de, ocaslâó da dscussão do projeto dos nhor Pl'esidente,,uma vez aprovado.....= v'...~ mportaçlod. caminh dúzentos e trlnh A; de mll nove- O SENHOR PRESDENTE F'EZAB, 'Projeto ' n, 3,909-53, do Depueento! e cinquenta e três, em que.seguntes DSTRBUÇOES brlo Coutinho Cavale~nti, que re-.otjtro vticulo. conc.didol pede vel'b'a para atendel' às despesas gula o r('pauso remunerado ra pela extinta "Cart.lra de com serviços externos e d111gêneia 1\Q PeríOdo de Convocado Exfraordinária empr('gados que trabalham 11 ra.s 3.",E"porta~lo E"porta"lo" Estado do padl'ansá, ~~W1 d~ o~b~ AG 'Senhor Deputado Fernando eom!se~o. (Em _ e A: ". ".. depoimentos o eet-..rdo 0D t " Nobrega' Deputado Tarso Dutra '(CEXM) fi mal d. P. r lho daquele.estado e o epu auo ' ~ '. '... a r. Fernando Flores, deferiu nos têrmoo'l. Carta de or, Abreu 2. Projetll n" 4,222,54, dt) Oepa~. nambuco do despacho do Senhor P,'esldente. _. Tclxelra - Advogado -, P_:L.. tado Bel1.1amill Farah. que altera Q Ldo o oficio doolretor de Serviço Ao?enhOl' Deputado Alomar Ba art, 238 eo J)artgrafo,. da Conl1U~OLUÇAO M, m, D , de. Tlquigrafla em que pede reallza~r, leelro,...' saudacão dali. Leis do Trabalho 1)8.. LueUla...derOl _ UDl _ Pr., drconcurso para preenchlmento~e ndicação n,"5)-55. de autoria do ereto Lel n 5, 452,de l~5 53?tlt.uio d v:i.ga iniciai existente na earrelracle Sr. Veira Lns, que ndlea a Comia m, S~cllo.Vl e revor! O n ~ o se. e 6,." da mesmoartlgõ, bem ~ino ê; "11.,. JCU C PP '101 Taqulgl'afo, 11. Mesa resolve, por una lão de Constituição e JUltiça se ma l p'r~~:::ei. -.- ' nlmldade abr.ir o eitado concurso. _nlfeste 16bre le ac.ha incurjo na n arti~o 344 e eeua pftr'~raf0,8 :111m.., l.amelr. Btl.acoW1 PO _,. Blo defe~\dos 08requerlmentOll do Ex- (Mm~tl~lladll~e,;lreVlata'1ol' artigo de Janeiro de 195~1 - Ao DeputaciD. ~rsnumerll.rlo Mensallst:l, refer~ncla. 48, n,.tra a, lb. C01lo'ltltulçãv. o CelsoPccanhl.....,... lo.. - 5

10 2.95 Quinta feira 20 e, t. Proietl' n, 4.,718-54, do Depu' t~à'o Fcmando '<óbl'egn, que dispõe l'jõbrp eontrib\1içi\o de segurados no.~ lll~tht;to~ de F:'cvidencia te;).l 13~e j;'::t.)j"(\ de 1~55) Ao Deputado.lnisio Alves. ~. P'ojeto n , do _Pode!' 'Executivo,que di nova r"daçao no t 3.' do al't~g'o 17 e no al'tt";o H do Decreto-'Lei n de ~Em ) -."0 DeT-utndo Tal'sO ::Dutra. 5. Projeto n, 3.6~S~53,.do Dp.putado Jcfeo CatJ2,nn~, que determina. ljue a fn:ta de assiduidade íntegral 1100 trabalho não altera nem suspende as' vantagens de qualque: majoracao cc>nse~uida por sentençn JudJClal..n;,s 1iti"ios entre patrões e empre~aoes. Em H--55). - Ao Deputado TelllórlO Coveclc:1!1tL 6.P o.1eto '. d<; ~;,ufado Frota M:uiar, "ue 91spoe sóbre pro\'el'to~ de 3posentadona. dos ínncionárics da Estrad.. de ~C"'O Central do Brasil cem H--05) AO DnlJutado Tar~o...:::::,\. Oe Tomada de Conlas ATADA la.r.eunao CONVO CACAO AC's treze dia,'; do mês de Jam~ro de às 15 horas, na.s~laregu Enrros, reuniu-se, R C<)llllSSa,' de To, mn,na de C:mt~s, com a ~"esença d'8s Senhores Detlut~dos GUll1'PPl1e Ma chado. Pre,1dentr. Mene7.es Pmentel. P."nch~do da Rocha, Al'm~ndo c?rrta. Antonio Mari~ Co':re~, Hei, ar P-ltl'ão. JcE~ Npiv,,-, VasconeeJo~ poftl\,:mnchado!'obrinho e Cozraey Ntl11e~. De:ltaram da e~mparer.er os "enho~es C;orrn~no Dnokh ()l'l1, A"S10 Mo' cwa. Ellvrddo...ldi, Ferra7. E~re.in, Fran cl<c(l Aguiar, Jor~e Jabour P VPlra Sobrinho. ~ apr'lvorla a at~, d!! ren nino ant.rrlor.o S~nh~r Pres'nente dfl. a palnvl'a a" DC1lutarlo.Mene:"os Pimentel rela tor,dos pr"cp~~os a.hal~o J"oneio!'ad"~: ofício no , no T-oi1)vn,,1 d~ Contas. qt'p re'll~a ' e r;iftro ~O, ec~trrto celpb~~do.er;,tre (J Sprv!co cl~ l".statistica,,~ "r~,"'t\l'1 DARO DO CONCRESSO NACONAL (Seção ) Janeiro de 1S55 corpcratlt'n - Ao Deputado Mcneze.e Sllla "Afrânio de Melo Frallco". Rio, mctlvea que h:lvi:tlll determjn~cjg Plmc:ltel.' 19 de janeiro de Luiza Abigail àquele pedido de inquérito com c "ta- Z. Ofício n, 2.6(,0-54, do Tribunnl de Fadas, Secretário. eclmento do 51'. Armlndo C, Moura de contas, que recusa registro ao e, fez sentir ainda, que como também contrato celebrado entre o SCl''ÇJ Comissões de nquérito deseja o encerramento do caso omaía Agro-ndusLrial do Departamento Na- Cóinissão Espechü Para dar parecer- à emerda à Constituição n.o 17, de 1954 (ELEÇAO DO PRESDENTE E VCE~PRESDENTE DA' REPU BLCA)' cojvochçko Na forma do art. 52,do }tel;unento nterna, ficam convocados as!lenhores Membros desta 'COmla8iq, ]lara uma reunilio a realtziu'-se lul1anhl, dia 20,de corrente; '" 15 horll8, na..'.' breve pomivel, me autorizava a conzucíonal do Obras contra as Secas Para i1vestlgar as lieencas de llicar sua decisão à -esta Comissão de e o St'.~lodoHldo de Oliveira Cal'- rnuortacão de. caminhões e nquérito", Com a palavra o,senllor valh1- Ao Deputado Menezes P- ", '-.' id Lamcíra Blttencourt - Relator, ccnmcntel. outros \iecu OS concedi as sratuíou-se com o Senhor João Roma 3. 'OHeio n. 2.e56 54, do Tribunal pela extinta Carteira de Ex. pelo seu "requel:imento de desistén«de Contas, que recusa registl'o ao pcrtação e lmportaçâa (C". ele," das dirlgênclas anteriormente so contrato celebrado entre o scrvíco. '... ' _a lícítadas e que írtam além de entra- Af."ro-!ndu~trial do Dép3rtame.:1to Na X/til) a firmas de Pernam- var c bom andamento dos trabalho" ci~nal de Obras CrJntra as SeCRS e (l Sr. Linz Bezel'',a de Oliveira -.0\0, ú b UCO ra Comissão ccnduzír a fatos conhecimento.', dos SenhOl'es Z Membros 'fi J. de 'Df'putac1o Me:Jezes Pimentel. ATA DA 3." REUXJiO ORDNARA, desta Comissão e solicitou ao Senhol 4. Ofbo n. 2 6a~-54., do Tribunal REALZADA EM 17 D'E JANERO' Presidente que convocasse uma reude ocntns. que recusa registro ao DE 1055, níão para a présima sex.a-reíra, dia contrato çr!ebrado entre o Millictf~'lO, 21 do corrente, fi- fim de que êle apreda Saúde e a L.B.A. - Ao Depu- A?sde7.ef:,ete ~!lls do mês de ja- sentasse seu relatório li Comissão. a tadjmel1ezes pimentel. llcho de.mll. l:o~ec~ntos,e cmquent~ Senhor Luellio Medeiros após deferll MATÉ~H DTSTRl3UDA EM 18 DE e emco, as dezesseis 11010S, na Sal" a solicitação do Senhor Relator en- JA::--lERO DE 1955, AO DEPUTADO «sabíno Bm'l'oso", re~11lu-se, ordi;:a. cerrou a reunião' às dezessels ho~as ~ BROCHADO DA ROCHA: rlnmente, e~t~ COllll&S.O de nfjuel~to, ouarenta minutos. E. para constar, sjb ~ Pl'cs:dzncla do Scnl10rLucJo éu, Djalma Tavares da Cunha Melo L Of,"-lo 1'1, 127 e.'i5, do Tribunal Meden'os - Presidente. Presentes os Pilho, Secretário, lavrel a presente lle contas. que recusa registro. ao Senhorcs Lamen'a Blttencou:'t - ~e- ata que uma vez lida e aprovada contrato cele~rudo entre o ooverno nter, Barros. de. Carvalh,!, Gal~mo será assinada pelo Senhor Presidente',1-0 Tel'ri~"rio Federal do Rio J31'a:lCO do Valle e victonno Corrêa. Deíxa- ' ".. a fl1'111<. TekrOll COll.'tl'utomS. A. ram de comparecer por motivo justífl- CONVOCN"AO ' 2. Ofic\o n., 12S-55. do Tribunal de cado os Senhores clodormr Milet -." contas. que recusa registro ~u coutrato celeb"ado entre o Governo do Vi:c-Pl'esidente e Ulysses Guimarrles. De Ata: pol lida, aprovada e assinada ficam ordem do SenhorPreslêente, convocados os Senh()reS Mero Território Federal do Rio Branco e a a da l eu.l1ii\0 anterior. Dando inicio bros desta Comissão, para uma reunjão' firma 'Hkcon ccnstrutera S., A..,para aos trabalhos o Se!1bor P;'esídente a realizar se, na próxima.!exta-feira,!oca:~o de serviços técnleo-profls~lv" concedc'r a palavra ao Senhor Lalllei- dia 21 do c{)l'l'ente, às quinze horas 118is 'refel'entes a CO'1.~tnl~iio do Pôrto Ta Bittencourt. Com apulavra o Se- e trinta minutos. na. Sala "Sabino F'luyi~l do lll's'l:o Território, nl10r Relator deu conhecimento aos Barroso". Rio de Janeiro, em S de 3. Oficio, n do '1:ribunal de Scnll~res Membros da Camissão das Janeiro de ) Dialma Tavares Contas quere~us3 reg-istro ao con dil!-ênc:as constantes da denúncia do da Cunha, Melo Filho, Secretíu'io. tl 2.to celeh:'ado entre o GOVêl'~O do Senhor João Roma e que ainda não ' 't'el'rilóri(' Federal ~o Rio Brmco e ~ tinham sido completada.s, Usaram da Comissoão Parlamelltar de.ln'--! 'rnl", Tcq,~n COl1strutora, S. A" pam 1 S nl 1'0. Lu ili, " " pa avra os e 10 M dei o.., ~ C o e r S "Lle'", to sobre operaço-es de lncacão de serviços té:nico Orofi~ _ Presidente, BarroS de Carvalho, " sto'1áis referentes,à eon~trucãn do 'Galdino do Valle e VictOl'ino C<Jrrêa Créllito,real izadas entre C), Quartel da Guarda Terrtorial, do tecendo eonsiderações sóbl'e as dill- Banco do Brasil S, A. e Enl- '11eSmO "erritórlo. gências prapostas e a impossibilidade ' 4. oticio n' l3q~55" do Tribunal de de levá-las a efeilo., Houve gravação prêsas de Publicidade Falada: conta.!', que recusa registro ao con pelo Serviço de Taquigrafia da Casa e Escrita, Res, trat.o ceteb1'~do entre o Govêrno do das palavras dos Senhores r,{embros Terril.6rin Fed~ral c.o Rio B'aneo e a da C<Jmi$ão a qual fica fazendo parte n:rmo DE REUNlAO firma Tel:ton Construtora S. A.. d d ' t 'd A nld Jaime integrante desta ata. 08 prra eputa as Aos tl'eze dias do mê" de j,",nelro c~.~:ullen o. a ve a li t d dda.. Brasil. pm Boa Vlsta.. sa en aram a necess n e e um en de mil novecentos e clnquenta ~, tl~ do T'aba!l'<' e a.b.m. Wo-ld 5. Oficio n. 131,55, do Tribunal ele tendilnento do Senhor Presidente da cinco, às dezesseis,horas," à Sala' Trade 'Corporatinn, pa"".locacao d~s Comissão com o deputado João Roma 'C P' t h Contas, que recus~ regi,tro ao con- no sentido deste retirar as. demais ' ar os exo li Filo', conforme.contrato celehradoentrp o Govêrno do dl1~gências, Com o objetivo de desin- vocação feita. compareeeram os se. jl;etv;""~ d{> mánujt1?~ elétl'lea~ ele co.. 'ta ḣi1lrlade e e,~tnt!sti~a. o"ln~nil-!l ~elo Território Federal do Rio Branco e a nhores Castilho Cabral,' Pr&ldente, 'r~~istro do contrato menconado. a firma Tplrton construtora S. A.. l'ara eumbh' se d", mi.ssão que lhe confia e Guilhel'me,'Macl- 1C10, Relator Geral e. 'Comisséo aprovou o pqrecer com ext~dio dos "01.05 dos l'en h <)l'es <:;,\11 lherme Machado e B or.h~d~ d'l floo' e1-ta. inda rnm,r prlavra osenll~; DeputAd('\,Mene~e~ Plm~ntel qll~ il parerer dado aos ~e!l'tllll;tes o! C.os do Trlbunr;.! de Oontas,2. 606~54, ll1e recusa re~lst"o ao contrato cel~":ado entre o Servi!)o Al!ro!ndu~tri~1 do l'lepar:amento Naclonal de Obra~ c-ontm 'a" secas eo Senho~ 1,\1i~ Bezerr'l de OUveir". "~ra d..~mpenhar a fu!1çp.... de Qllimicn EsnerlRli~~do em anlílí~es d~ 5ó10s: de oue reell~are~l.~t.ro ~o contr~to eelebrado, entre o S<;>t'vir~-Al!To Jnd\1otrial do ne;lartament<> Naclnl1'11 de Obl'n~ Con:ra no e~.e2s e o Seo1-torClnt:!onldo de Olivelf,3lCar'aJ.hll, 'ar:l rtrlsemnel1hllj' a tunçao ~7 Al~6. nclm<l esu"c;~ll'fldo em genet..ca,~. getnl: 2.6~ 54, o.llp recusa enl!' l M111stérlo d~ SnlÍde e, a Lptrl~. Bp2~il"\rf\ O' Assi~+êncln,p'lra jocaeft.o: dõs f!l'\lnos 3&J. 3D~, Am, 402 e em. do Rdlficlo L.B.A.., ~to a.ave: nlda General Jllsto, 27~, lote,13. fi relfltor discorda d41s atos dll T'bunal ele Contas. oplnanm pelos r'; Jlstros dos contratos: a Comlss~" \'Coou de acôrdo com o~ parecerel! ~. tel~. Nada mllls havendo a tratat, fol levantada L reunl!!o. do que, J)lT!\ constar. lavrei a presente ata:!:m Gouvb, Seeretll.rlo.».A~RA DSTRBUlDA. EM 12~1-5S.. Oficio 21,.,, , do Tribunal de COntl\.S, que reculla registro ao' lqltrat() celebrado' entre o Serviço de :EBtntlsticn da Pre\'idêncla tlo 'n'aba1hoea r.b.m. World Trade ". './' co!lstruoão do nterna to, Misto na ram, o Senhor Lucilio },f.edelros re Hildebrando Blsaglla, DeillRram de 1 T 'tó' solveu suspender por 1<l minutos a S h Serra ela Lua, nmue e errl 1':0. l'euni" o,, a fim de entrlfr em contáto oomparecer 05' en ares Alencar.Ara" ~. Ofi:10 n , do' Trlhunal.. ripe, Vlce Presidente, Leoberto LeAl.' de Cemtas, que recusa registro ao com o Senhor João Roma. Escoado o GullhermJlO de Oliveira e U1yss~ ~(1ntrato celebrado entrc o Q-ovêrno tempo sem que fósse encontrado na Guimarães. Verificada a falta de nu. tio Território Fr'àer~1 do Rio B'anco CMa o nobre representante de Per mero regimental para deliberar, 2'e. ~ a fil'ma Te1<ton Con.strutora S, A., nambuco, o Senhor Presidente após quereu o Senhor Relator Geral sendo parnc:mstrucã" do Paláco Governa convoc~l' nova reunião para amanhã, deferido pelo Senhor Presidente, lj.y!. 1l1~r' tnl de Boa Vista, n:tcuele,ter- dia 18 do; corrente,,às quinze hor~ pero Secretaro fósse encaminhado.. rlt6rlo. ' e trinta mmutos, encerrou,a reuniao cada Membro da Comissâo um exem-' 7. Ofldo n, , do Tribunal de às cle~essete horm. E, para c~n.star, plar do, "Diarlo. do CongJ. e~so NFl;' Contas, que recusa re~btro ao con- eu, DJalllla Taval'es da Cunha Melo clonal" de 19 de agosto de 1954 que trato celebl':adot'nt re o ao,'êrno do Filho, Sec'etáJ:io, lavrei a presente publicou o -Relatório a 11m àe' qui Territóro F'E'd~ral do Rio Branco e a ata que,. uma vez Jlda e aprovada, de acól'do com as deliberações llprofirma Tekton Construtora S, A.. para será a.ssmada pelo Senhor Presiden- vadas, cada um 'apresentasse, re!atit'onstrução do Palacio Governamental te, vamente à eada uma das operaçoes, t:le Boa Vista, naqucle Território. ATA DA 4." REUNfAO ORDNARA, o seu parecer nos têrmos da letra D 8, projeto n, que apro\'1\ REAUZADA EM 18 DE JANERO da ~solução n.o Determnou c têrm~ do eontlaro celebrado entre DE 1955,,. aindn o Senhor' Presidente, ftlsse con o Departanlento Nncional de Por- Aos dezoito dias do mês de janeiro vocada nova reunião,para o, dia 21.. to..~, Rios e Canas, e a Cobra~il Cia. de mil novecentos e cin~uenta e cln de janeiro corrente, sexta feiríl. de-o de Minerscão e,,metalu1gia Brasll co, às dezesseis horiui, na 'Sala, "Sabl vendo ser S()licitada especialmente lt para a c~nstrução de uma instalrç~o no Barroso", reunlu-se,ordinàrlamen- presença do Senhor Vice-Presidente de ncostag-em para movimentação de te, est~ ComJa.,ão de nquérito, sob 11 dada 11 necessdade do Senhor Pre':' petróleo e seus derivados, Presldencla do Senhor Lt.clllo Medei sldente se eneont:-ar ausente. E, para ros - Presdente, Presentes Os Se constar, eu, Dyhlo GURl'dia de Cal'. nhol'05 Lameira Bittencourt -'-'- Re. v?\lho, Secl'etário, lavrei Q presente lator, Barros de Cál''alho, Galdino do Termo, Valle e Vlct()rino Correa, Deixal'am de comparecer por motivo',justificado Comissão Parlamentar de n OS Senhores Clodomlr, Milet, - Vice. PresPente e Uly.sses ~ulmarães. Ata: Quérito,sôbre operações de Foi lida, aprovada e asinada, a da Crédito realizadas entre o reunão, anterior. Dandolnicip a()s trabalhos o,senhor Presidente,})ro. Banco do Brasil S. A. e Emprêsas de Publicidade Fala. nunclou R, seguintes palllvra.s: "Quero trazer ao conhecimento dos Seno nhores Membros desta COllllll8l\o que da e Escrita. de c6rdo com a resolução ontem to:. (Resolução ) mada, me entendi pessoalmente com ttrmo DE REUNAO o deputado,joão Roma, o,qual resol- A ' ", 'leu de8úlur dllll dlligénclllb prop04tas de OS'U se l! das do mês' de janeiro em9lrtude de havercesslldo um do!i cinco m._ ndovecen~8' 'e, clnquenta e,... e~elles... horas trinta,111-

11 , Quinta-feira 20 =-= nutos, à sala "Carlos Peixoto Filho", compareceram pura areuniiio CDnVDcadn pejo "D:lÍrlo do Congresso Nacional" de 5 do corrente, DS Senhores Cns,Hl1o Cabral, Presidente e Gullhermc Machado. R c a t o r Geral. Tcndn deixado de comparecer os Senuorcs Alencar Ararlpe, Viee-Presldente, Híldebrando Blsaglla, Gullhermino de Oliveira, Leobertga-Lenl e tjli~ses Guimarães, fot constatada n falta de número regimental para del iberur, conseqüentemente, não sendo 'cnlir.ndn a reunião. Determinou o Se:lhDr Pre:s:dente rõsse convocada 110'/" reumão para o. dia 13 de janeiro nu Snla "Cados Peixoto Fllho", às dezesseis horas, E, para constar, eu, Dyi1'.0 Gunrdia de Carvalho, Secretário, lavrel o presente T6rmo. SESS,~O EXTRAORDNARA DA SESSÃO LEGSLATVA DA LEGSLATURA Oradores inscritos para o Expediente :rlll'lebrnndo Blsaglia. Jo~~ AU~usto. Pobeitc Morena, "rom Acuíar, Campo,, VergaJ. ('ol~tinho Cavalcanti. Enilo~o de Campos. :J\o!t111iz Falcão. J"se Aug-usto. Ar'i Pltombo SESSÃO EM 19 DE JANERO DE 1955 '(r.onljocao.ão Extraordinária) José Augusto Adronlno Costa RUy Santos J.)"2 Gulmar5~s Humberto Moura António Maia Amazonas. Jaime Araújo - UDN Pbuí Demerval Lobão - PTB Ceará Armando Falcão - Pl?D.eiio Samoalo - UDN Nel1 zes Pimentel - PSD Ot{,vio Lobo -. PSD RiiJ Omndc do Norle "lui.,io Alves - UDN José Arnaud - PSD Pal'alba Emnnl <:1tlro... UDN J)áo Agripino -UDN Ala.goas )\[endonra Bra;:a- PTB RU3' Pal11cira- UON Sergipe Fml'ci~eo Maeeelo - P''B Luis Gal'cia - UDN Bahia Lafuyette Coti1:inho - UDN E$plrito Santo Dulcil10 Monteiro - U'1N Dstrito. Fed~' E,'ello da Silveira -, 1"l'Ota A~ular -' PTB Ro1lerto 1\1oren(\- PR'l Rio de Janeiro' C'lr1rys Roberto - PSD Saturnlno Bt'all'R _ PSP Minas Gerais Albet'to D~odato - UDN,eopodo Maciel. - UDN g"usa Carmo - tjdn. São Pnulp N-lsnn Omegna - PTB. Pnl'llnâ: OsWja Roguskl -UDN PRFsrm:NCA DOS SRS, ADROALno COSTA. 2. VeE-PRESDEN; 'l'e N1:REtJ RAMOS E JOS!l AU GUSTO, 1.. VCE PRESDE~TE, As 14 horas comparecem as se. nhores: Santa Cata1'ina Al'lstlllano.Ramos - UON Leobcl'to Lelll - PSO ) l.lro DO CONCRESSO N-CONAl (SeçRO l Janeiro de g. Rio Grande do Sul e1el pueblo puert~rrlqueno por U d4reje"'fl4 Comissão. - Parec. hombres que en \.losta. Rica sostíenen, àa Ce'issão de Segurança Na.cwnal tuvorávet às emendas de rit.. Achyles Mincarone - PTB con alto esphitu y devocíon profunda, Cés:u' santos - PTB eussão de ns,: 1,2,3,4 (em p~r_ Clóvis pestana - PSD la intcgrfdad de los princípios demoera tícos ante la agresion de quíenes Nestor.rost - P5D te) 5,6, 7, 8, 9. 10, 12, 13, L. 15, Wi11y FrolJch - PSD pretenden que brantnr por a íuerzu 16. e com emendas da ComissgrJ.. An.apá de ~ls armas un gobíerno establecldo e parecer pelo arquivamento /til COllracy Nunes - PSD por la tuerza dc n voluntad popular: (4,0) Comissão de Finn,as. tercero: rntícnr ante los pueblos dcmocruücos de! mundo. su expresion (Do Poder Executivo) o SR, PRESDENTE: de soüdnrídad con elpueblo de COSt:l \1ENS:\GEMA QUE SE REFEREM Rica cxhortandolcs a que hagan gual exprcsion de sol ídarldad com n te OS PARECERES A lista de presença acusa o compareclmcntodc 48 Senhores Deoulados; Esfá aberta a sessão. o SR, HUMBEP,TO MOURA: (Suplente de Secrct.uru», scrv!.tdo de 2,") procede à leltura da ata da sessão antecedente, a qual é, sem observações assiriada. OSR, PRESDENTE. Passa -se à leitura do exnemente O SR,..EAO SAMPAO: (sen:!ndo de 1.' Secretário) cede :l leitura do. se"uinte Expediente Oficios TelegTunla pro- Do Presidente 1'10 Senado de San,1uan Puerlo Rico, nos se;];uintes têl'n1os:.. E}:mo. Pl'eslrJe~ te de n Cârnal'adc Dinutados - Rio: Tenemes el honorde eomunicarl. en atelleion a los sentimjento~ de solldarledad d ' 1oc'.'nt;r.a que profesan el pueblo de P'lerto F; roo y ese gran oueblo el texb oficial de la reso lucion coneurre!te oue aprobo en su sesion de eate: ce de enel'o de mil novecientos cb1cuenta 11 elnco n AsambleaLeg-ls'aUva de Estado Llbre asoclaco de Puerto Rico sbbre la agresion de 1]1'e ha sino objeto la democracia en Cosí:l Rica: "Para eonc'enn 1:1 agr~sio\1 de que.es o1)jeto la del1"'ocl'aeia rn Co<ta Rica, y para ntros fines, por cu9nto. laelemoeracia esta sisndo atrcada en uno de su, mas t)reclal'os llalum'tes. el1.~merica. n Rcpuh1ica rle Costa Riea; por cnanto, siendo el Pllfblo de Costa Rca ey-nj'esion e.1emlllnr de 'ealielad deluocl'ntica, la a!!r esion oue contl'a esta ajli viene. perpetrando,.e. tlene. necesa1'lamente, que ponel' 'n actitud de alerta ator: JS los americanos que or"fesaln~ a rnn"ieclon de que en la renl!t'lad dl'mor'at;~a. es ~1.1e a~ienta sus ful'dnlt'pntc; la llb~rtnel y la se ~u\'ld"d d~ la!!:'nt~ del \1u ovomundo PO\' CllRnto. el-nlehl(l de PUl'rto Rico. cree nt'f1f~''t"l~''l'11'~nte Pt1,~ ~rrn \'lrtud de n democra da, asl c~mo en la amlstac1 y pn la paz entre lo!' nueblos, 001'.cltonto, 1'1 pu~blo eostaricen.se v elnue"'10 nllcl 'oo~icc1"'.o 'stan plenamente.lrtct'(lfinc'os por la comun erec'l1cia on los 11r)!'clnio, de la demo. cracia.\' por elcomul1 expeno ele que esos pl inciplcr.- no ~enn vulnerados ljal'a ~le contr:ouyan a garnntlzar la ;ubsi~tel1cia y la int~gridad. de la demoeracla en Am~~tc:l: por euanto, todo intento d~ d~strúh' por la vioiencia ltn "obi e ~'no estnbkcido por la llbl,e. voluntad de 108 gobcrnaelos, col1stituye une' amenaza que hnc~ hnppl'at!vo, pa a la pres~l'vnclon d~ lia democracia en Amerlca, r.lovllizar, en n! 11t A11t e tuerz:l. moral.. la de.!o.s \1tlelJlo~ ibres de eonciencia nuevo l11unçlo.: PO' cu n n t o, los ljuertorrlollpno~ cl'pemo.. tirm~mente 'que cualqulcr ngresion a las nstltu. clones democrdlcn, 'n este hemis feriorconstltl. ~ un grave pcllgro oal'a la-.lnt~grldnd tle esa!' instltu clones en Aníedcn, Rosu]evese por.la Asamb1~n T,~crl' littivr <:11'1 E>tndo.Llbre Asoclndo de PUel'to Rico: primero: eondenal', C<lm.l for la pre~ente con dena, la agre.-on de que es objeto la delijocl'ucla ('li Co!tARicn: se~undo: expresar el re.!!\lc!o Y 1:1.admiraciOll puesta eu n ustlcía de Dios Todo Senhor P"eudcntc da Càmare do. poderoso: cuartc: enviar copia de Deputados: esta rcsclucíon a1conp;resfo de los Estados Unidos, a los parlamentos de Os,Hrei'C's prcrroqativas. gora,,!'a. toc1aslas Republleas de la Amcr.cn e rl'sp'jnsohijid<lu('~ inerl?jllel'i, aos rrul.ta Latina, a las Asum'il-ns t~glolnt~\'ns. rcs do Excret-o. da Marinha e da.ae-ode todos los est ndos de Estados náutica cnn'id,' taucados no «E,tatulo Unidos, a n oinantzacíon de las 1'1n- d M' D clones Unirias, a i~ O!'!;~n'7acion de os.,,'t';r~," a.!'rovado pele e(1,'lo- Estados. Americanos ': a la prensa lei n (, (i9~ de L. de setembro de íbre de Arnerlca. - Sann: R, Oui-, sofreram eun:. pr()nlltl'1~'.o da nova nones, Presidente Senado. - Ernesto. Carta ~/;.nllé' alçjumas alterações que Ramos Atttonini, Presidente Câmara,' cumpr." scia.n h.ll Odu.:tda, naquele E,..- de Representnntes. tnro,. OfiCiOS.. A,;", do ponc de vista constltuctona], Do Tn1luna1 de contas de 13 do, ~<r" rcv ' b. ~ ;se t..', d. corrente. remetendo processo de- c1c'-:,,,' '".J 1,, (' n ~ Cildtl.:/ e urqencisão denezatórta de' reaistro a con.. _ela, pcrouc dela estac rlc'l"'h'nrlrndca,t trato celebrndo entre a Delrgr,qClú dulei.'. '\ôbrc. imhvid.ad"., promoçêcs..ver.cí Tribtln~l de Contas e a Sra. An-te- mcntos e V"~'",c"s. hcran ça mitar e lína da Glória Ce" ~"8i!'a Carvalho. del1.ois oue di: ",'speito ôs Fôrça, Arpara locação de imóvel em Barra do mada- e que têm corno base o Estatuto Piral. ':0< Militare' ' Ã t ComL~sã~ de Tomada de De con fnr;;;id~dr cmn 0 crue prec<"it1l3 C011 as.. o Dlt"g 6- de.. " h Do Ministério dn Ecluca~ão e Saúdp. o e O~stltl1ÇclO'. ten o. de 18 dês te, encaminhando as infor- hn"r~ d~ slbllh't<.'r " apreclaç<10 OOb Sema~ões solicitadas nela Requerimento nhne'; D~~utados o allexc antoprojt'to n. 2,260, de 1954, de autoria d" q'.l~ rel1serv~nd~ os linhas q~rai. do E S', Deputado Rui. Santos, 8ôbr t"t,,,,, antrrior "50,6 ajusta ao e',pirito "'quais as pagame'üos feitos na admt- e à ' tra da C~rto Macnn promúloartij nlstraç'ia Smões Fllho,n~.B;thia". "m 1"46; mo' lamhem ~oll1rleta e' Con- Do 1u~ue~~- f~\~tore~,?:slr:,~'val'8 s")i~a crrta~ d'.,pesi,ôes ~sparsas ~m l!". Criminal, pedindo licença pàm que q~,. <.Õ~s post~l'oros.. alqumas dos ouais seja processado " Deputado Emilio "."~v~m.apenas aos servidores públicos Carlos, em virtu.:e de um aeideme e"..,. de automóvel no qual foi parte. Rio de Tanciro, ~m 11 de set.~mbro dll A Comissão de Justiça. 19-::7 - Ettnlro G. DllTR.\, Da. Prcfeitura Municipal de Sã(. Tiag-o (Minas G,rais), enviando o relatório da aplklção dada à quota sóbre o impósto de renda. A Comissãu de Tomada Contas. São lidos e vão a mprmir seg-uintes Projetos Projeto n.o 793 C, de 19,t9 de Es~atuto elos Militares TiTULO Disposição pl'elimillar ~. A~t, 1 E:ste E.'taluto r"nla a!f. t,u3;lê.o: rl:-\"r!"('s ff'''tlol1:õiabilidad(''s. rt'çlahas, dretos e prerrogativas do> QJi!l.. tal'c,). TiTULO H Dispõe sôbre o Estatuto dos Dos miit:lres Militares;. tendo pareceres das CAPTULO 1 Cornissces de Con"stituicão e Justica, com emendas ao item "d" do Gcncralid.1dcs artigo 73 e ao 1 2," do artigo 41 A 2 do /lroielo do Executivo; de Se- rt S~o militares os brasil~iros,,?uran,a Nacional, com emendas com -'jtu~ção d~hnida na hi~rarqu'a mao inciso 3 da letra "b". do ar-!ic.ar' que estejam ems~,,,i,o ative da. tioo SO ao 1 2," do artigo De e. For,as Armadas e os que delas se ealinea. ';d" do artigo 73 e de F" nhamafasrado p'lfa a!nati"idade. com na1u(as, eom.elllendoao 3. do drre'~o a proventos. artigo 47.- Pal'eeel'es. dasreje-,*. ' As Fõrças Atmadas sllo cons' ridas.comlssões sôrre emendas de t,tulddc p~lo E~ército, p~la Marmha pauta: dez ComissCio dó COllslitui~ pela A"'onillltica e suas r~.<p,'cti;'as reção e '-ustira - lavorável.', eon- Sc''' "' qual1do convocad~;.. trário às de 1l8.: 1, 2, 3 4,9, A e 15, pela eonstituci01.alidade dai l n. carta potente do olicia! da r~ de ns.: 6.7. J3 e '4 eeméndas da ;"rv? de 2'dasse e o certificado de ~ Comissáo ns,: 17 e 18): da Co- SC'fvma,n~o inve,tem o cidadão da qua' missào de Segurança Nacional ja- ld~d~ d~ mi!'tar,. vorávei às de ns.: 6, 7, 8. 9, lo, Art, 3' Os mililares constitu~m umij 12, (em pauta) 17 e 18. classe espccinl des~rvidor~s da Pãtrla contrário às dens.:, 2. 3, 4. 5, denominada Ciass~ dos Militares.. 11 e 15, COlll subemenda à de nú. Art. io O militar oodd Mr da at'v~ mero 16 e emendo., da Comissão d Q e da Comissão de Finllças _ ja- a re's~r\'a ou r~for"'ado.,. v01'lível às de n, 9. lo, 12,17 e 18, 1.2 Mililar da rcs~rva éo que está à sjbe7nenda da Comlssao de Se- na. ~.'tua'ão de inatividade r~muuerada grirança ti rte n. 16 e à! emendas da Comissáode Se[lllrançl1 àde su.elto a ~onvoenção para o 5rrvlço att" n,' 16 e às emendas da Comis_ Vo,O m,lttat da reserva conse'rvarã e.ta são de segurança de ns,: d,'nomfmç50 ainda que convocado. 28, , 41 e 43. f 3,' Mi'i~ar r~f(1rmodo ~ o que estl Contrário às de fls.: 1, e 5 na!tl~acâo de inatividade' r<"mullerad. e às da Comissüo desegu'an"a d~~~brlgado. ddintivamente. do servi"'; Nacional de nume,'os: 21, 25.32, mllttar. ~- 35." 38 e comiderando pre;udl-.art, S" Olngres~o nas Fô'ça~ Arllla".. cada, as ele nl,: 29, 30 ~ 31; t6das das t ac~~slvel... todos os braalleiroa..-

12 2~9 tuinta fe.il'a 2') e...,..,,.,,,...~=---====- -=~~ ~cr\'aja. as ccndlções de cidadania. ioilm. caoacicaoe nsica, moral e ntelectual. previstas nas leis e regulamentos e~pi.~\.;"l~.co Lxerc.tc, 0'1 Mannna e da.ac1 ou~"r" a. Pa-. yrald único. O ingresso nos qllauro~oe ohciars só é ocrmltido aos brasrlcircs natos e nos postos ini"3ls estabelecidos para as respectivas escalas h.ci a.ouicas,. Art. 6" A situação do oficial é de' Hruda pejos direitos; reqallas. prerroqatívas C ccvcrcs inerentes ao nõsto Que lhe fór outcrcaoc em carta patente: a sttuação na praça e ddinidapclos direitos. rcqalía-, e deveres inerentes à (radua ção nu'.h(fór contrrlda na forma da lei ou dos " 1\dôV1entos. Art 7' 0, carqos, funções e atribui' çõeb dr" mihtarcs, da ativa e da reser va são ~pftnictos nas ieis e nos reçlulamente- e. pe ria!s dr Exército. da Marl nh., e na Aeron!lutira. Art. 8.' Na terminnlo!1ia dêste Est~ tuto. a.,'terência a.milltares,. abrance todos O~ cestos e oraduações da hierarqula ml"tar. Onande o d'spositivo!t restrinai' ó um det~rm'nad" ctrculo, p6' to ou q-aduação, a êle se fará a devida referência. CAPTULO P'~r8' Graduados: " Sarg~nto. 2' Sargtnto. 3 Snrgento. Soldado NA MARNHA 'Oficiais Oliclais Generais: Almirante.. 'At'll1lrante de Esquadra. Vke Almiranle. Olicials Sl1p~r'or~s:. Capitão de Mar t Guerra. Capllão dl' Franata. Capitão de Corveta. Capitllo Tenente. ' Olciais Subalterno.1 'Tenente. 2' Tenente. 1)ARO 00 CONaRESSO NACrÓN.!'l (~ecfio '\ Janeiro de Oliciais li - AERONÁU1'lCA Of,ciai. GenCl'uis: M<lrechal do Ar. Tcnenre-Brigadeiro. Maior-Brigadeiro. Brigadeiro. Oticials Supertorea. Coronel. Tenente-Coronel. Maior. Capitão. Oficiais Subalternos: 1.0 Tenente. 2. Tenente, Al-t. 14. Os militares do Exército t CAPTULO V Aeronáutica cujos postos ou qraduações l DOS leveues r. 'R!SPONSBLDDES DOS tenham a mesura dt."o;ltlna~ijo flc'ncr:ca. fora do âmbito interno de suas Fõr- M1LlT/RES "as ou quando desempenharem mís- 8) defender a Pátria e garantir; na s6es em conjunto. acrescemarão aos esfera de suas atribuições, os pude,":! mesmos a ndicação da corporação a constíturlonais, a lei e a ordem: que pertencerem e. alem desta. se ne- b) desempenhar com dignida'de e cessárlo, a do.qu..dro r"spedivo.de efil'iênria as funções que lhe forem atríacôrdo com as normas em vigor. buidas:. Art. 15. A precedência, entre mlllta- r) cumprir e fuzer cumprir as "leís, rcs e civis. em missao diplomática. é requlamentares, instruções e ordens r('gul::da em lei especial; e. em outras emanadas das autoridades competentes, comissões, no pais e no estrangeiro. pe- d) zelar pela honra e reputação de los refiulamentcs em viror... sua classe, observando procedimento Paràqralo único. Nas solenidades 'irrepreensive!.na vida pública e na oficiais. a precedên,da obedece ao dís-particular.e cumprindo. com ex~tld"q, Praças posto nas "Normas Protocolares" e seus deveres para com a SOCiedade, Graduados: "Lista de Precedéncla", e acatar a àutoridade civil: 1, Sarpenro, A- 16 O'l't' formam os se- f) satísfaaer, cem pontualidade, OS 2. Saruento,. rt. : s mu: ares compromissos assumidos e dar assís- 3,. Saruento. quintes Crculas; têncla moral e material à família: Cabo e Taileíro Mor 11) oficiais g~nerajs' g) ser discreto em suas atividades e Saldado de L' classe e Taifelro de b, oficiais superiores; maneiras. em sua linguagem falada ou L' classe. c] capitâes;, escrita: Soldado de 2.' classe e falfeiro de d) oficiais subalternos. asp"lrllntcs li '.,11) abster-se de,' em pu.'bllco, o,u em 2.' classe. oficial e guarda-marinha: particular. comentar assunto atinente a e) cadetes. aspirantes a guarda-ma. defesa nacional. seja ou não de cará- 1.0 Os Aspirantes a oficial (Exér- rlnha e alunos: ter sigiloso; dto e Aeronáutica. osguar.,las marl- f) sub-tenentes. sub-oficiais e sllrgen:, O estar preparado física. moral e nnas, os alunos das Escora Militares tos:. intelectualmente. para o cabal desem- cadetes do Exérclto e da Aeronáutica g) cabos. soldados. marinheirosr. tal. penho de sua função; evasptrantcs a quarda-marínna. os eirtos-e grumetes. 11 ser leal em tódas às círcunstân» DA H!ERA~QlA E DA sub-tenentes, os suboltcíaís e' os alunos 'P\'~ 9' A hierarquia nas Fôr,as Ar '1" das Escolas Pccparatórias são llraç3~ Parágrafo único. A identidade dos elas, '... madas é', s"eci.~is. com situação peculiar na bíe- eíreulos não implica na obrigatoriedade Art. 2.0 O superior. como gula mais. rarquia." de rancho e alojamento comuns. experímentadc, é obrigado 11 tratar os 1- ~ic~:trcno 2.. A situz.ç:io das praças é assim Arl. 17. SGocombatenles os mill. subordinados. em geral, com urbaníregulada: tares pertencentes aos quadros das Ar- dade e.os. rec~utas:'em particular. com Oficiais Generars:.,. -.. d - benevolência. ínterêsse econslderação, ai os asplr~ntes a oh~lal. e os guln. mas do Exérclto, nos 'lua ros.de com- Art O militar deve conduzir-se, ~:;;~:t~e Ex'rcill1. das-marínnas 'em proceu"ncla sôbre as batentes dos Corpos de. UhclitlS e Pes- mesmo fora do serviço de acôrdo.~om General d~ D,vi>:io. demais praças:,, ' " s~al Subaftemc da Marmha e da Aero "os princlpios de disdiplina, educa,ao e,neral d~ f3 u, ~)1... b os cadetes alunos da E~cola M nautic:a.. e r~speito. '. litar e da Escola de Aeronáutcale 05 '. G Oficiais S J...~"cres: aspirantes a guarda-marinha (ajunos. da,captulo Art. 24. A violaçllo do deverml1ltil.r, Coronel. R-eola Naval) têm preced~nda sobre '- 1 na sua mais elementar 11.simples mani- Tenente Corem!. os sub.tenenles e sub-oficiais: DA PUNçAO MLTAR lestação, e transgressão disciplinar; 11 Maior. ci. os sub-tenl'nrese sub oflclals llm A'rt. 18. Função militar l aativl- ofensa a êsse dever. na sua expr~~,llo Capit50. prered"ncia sôbre os alunos das B.s- dade especifica de profissão nas r6,r- mais complexa. é crme militar, cooso- Oficiais 'bn"lternost colas tos: Preparatórias e sõbre os sargen-,as Armadas. ante os Códigos e Leis Penais. Parágrafo único, No, concurso' de 'Tenente. d) os alunos das Escolas,Prepara. Art. 19. A fun,fio militar. efetiva. crime militar e transgressllo disciplinar. 2.' Tenente. tõrias têm la hierarquia grau corres- interina ou em comissão. é conferida será aplicada somente a pena relativa pondente a terceiro sargento. aos oficiais e praças na forma esta ao crime. bc:lecida em leis ou regulamenlos. Art. 10. Os postos de Marechal. A. Art. 25. Os mililares da allva e os da alirantee Marechal do Ar. somente ].o Quando convocados, os oh reserva convocades podem: no nler~sse podem ser preenchidos em tempo de ciais e praças da reserva exerçem as de s<livaguardar a pr6pria dignidade guerra... ",.mesmas funções dos seus corresponden. pl'ofissional. ser compeljdosa prestar Art~ 11. O acesso na hierarquia ml- tes da ati\'li... ' _contas da origem e a natureza de seus lita.ré grad,ual e suces,'siv,o. me,d,ianle, 2. 9 s, :lllhtares da reser\!a remu- b,e,ns,, móveis, e semoventes. promoçào. na forma da le.. nerada. nao con.~ocados e.~s reforma Parágra!oúnlco. Para o 'procedi_ Arl.12. A precedência hierárquica d?s pod~jj1 ~e:, ~e:i1gnados?ara fun- mento que se tornàr necessário. 530 auentre OS militares ê regulada pelo pésto çoes.da auvldacle prevlstasn~s leis toridade. compelentes;, os Ministros Mou ilraduaçllo e. em caso de gualdade. orgâolcas das Fõrças Armadas. desde Utares; os Diretôres de Pessoal e de pela anllguldade relativa, 'salvo nos que previamente declarem acellar o Serviços. os Comandantes de Regl~ell casos de precedência funcionai. eslabe. :exerclclo dessas funções. Militares. Distritos Na.,.alseZonas leclda em lei. Art. 20. O Dficial que se revélar. Aéreas. P~râgrafo único. ~osto é o grau profissional ou.moralmente incapaz Arl, 26.,Aos mililares da silva. em hlerarqulco dos oficias, conferido po, para o desempenhada funçlio &trá dela 5.,ti ê d d' '0 d. decreto e ass~gurado em Carla-Pa- afastado.. -' ervjço avo...ve a O.azer par", e tente: graduaçllo é o grau hierárquico i 1. Sã 't t d. fumas comercas ou ndustriais de d f 'd", d. o compe co es para e cr qualquer natureza e exercer cargo ou as praças, con etl o por alo e aulo- mnar o afasta,mento da funçao militar:" 'd h "" ridade competente. '. empr"l? remunera o estran 05 tl O'U1-. a) no Dslrilo Federal. os titulares çâo Mlhlar. Arl. 13. A antiguidade em. cada das pasls respectivs.que mandarlio sub 1 o A "l' h' pósto ou graduação assegura a prece. mele' o ofica a ljlgamt'nto de acordo,~. os ml ltares abilita~os. medência hlerárqulça. observada a reli- collla leglslaçlio em vl~r; dian~e dlpl~ma, para o t'xerdclo ~e trl,lio do arl. 12. e é cóntada: a partir prof,lssiles lberais. correlatas com' S do dia da respectiva promoç:lo. (decla- b) fora do Distrito Federal os Co atlvld~dcs por fes. desempenhadas ra,40. nomea,lio o,u encorpora,lo, '" 18lvo ma,ndantes d,e,zona Ml,lltar. Dlstrlt0l nas. FOrças Armadas. épe,rmitldo no Praça. se em decreto DU em alo de aulorl. Naval. Zona Aérea. ou ainda Coman nlulto de desenvolver a prática pro-. Gr:lduad~s: dade competente for deterwlnadaoutra dantes' de Esquadra ou FOrça Naval flsslona' - o exer~c1o deallvldades data., solad~ fora da sede, qúe deverao sub- tl1cnleo.p!oflssionais no melo civil. des-.' Sargenlo.., 1. No caso de ser gual a anti. meter o ato ao respectivo tllular. o de que. em. absoluto nâo haja prejul%o 2. Sargenlo. guidade. referida neste artigo. pravale. qual.. se o aprovar. proc'ederi\ como para o servço militar. 3. o Sargen0. " eerá a do grau hlerârqulco anterior: se delermlna a. letra anterior., Osmiliiareadà reserva. quando. Cabo e Talfelro de 1.' dasse. subalatlr -a gual~ade. decidir' a data f 2, O afastamento.~a função acar- convocados. não podem tratar.nos Cor. Marlnhelro de 1.' classe. So'dad~ ela praça e por fim a do. Dasclmento, rela. ~m de oulrasmedldlls' legais: poso Navo.s ou quaisquer estabtlçcljllenffl' eapeclallzadol e TalEdro de 2. t 2. 0 Em gualdade de p6alo ou.) " prlvaçllo do exerclclo de qual. tos multares. bem como repartl\'lle l pl10 d,lle. Marinheiro de 2.' cjaue.. Sol graduaço. os ml1lt,are. da ativa.1'" quer llldçao:.. bllcaa civs de lilterêsses de. tndútrll,iído t Ta/lelro de 3.' dane. prece~tncla sobre O. da. reserva ou.,.) perda da'raliflcaç80relallva ao cu comércl~ 11 Qúe.ealelamou 1110 uso- _~UAlete; reforldlldoa. R&to. ' 'clado

13 Quinta-feira 20 DARO DO CONORESSO NACONAL lsec;ao )' Janeiro de !)9 f 3.' E' vedado ao ali dais da ativa no cxcrcrclode função de nstrutor nos diversos Estabelldrnentas de Ensino mlhtae, o dessempenho de cargos de magistério ou unções-de direção. ger~ncia e outras de caráter administrativo em estabeleclmentos de ensino cívll ou curso particulares. embora nãc oficia lzados, 4. Aos oficiais da reserva providos em caráter efetivo nas funções de magistério militar é extensiva a proíblção do pará(jrafo anterior, salvo quanto ao exercicio de magistério em estabelecimentos ohclals de ensino superior. dei' de que hala correlação de matéria e compatibilidade de' horários., 5, Os mllítares da ativa. podem exercer, diretamente, a gest~ de seus bens. desde que não nfrinjam o dispoato no presente artigo. - Art. 27. cabe aos militares 8 responsabilidade ntegral das deelsocs que tomem ou, dos atos que pratiquem. n. clusive da conseqüência da exec1lçllo de missões e ordens por êles laxativamente determlnadaa. Parágrafo único. No cumprimento de ordem emanada de autoridade lupenor. o executante nãe fica exonerado de responsabílldada pela prática de qual-. quer crime. Art. 28. A nobservância ou falha de exação no cumprimento dos deveres, espectficados nas lets e regulamentos, acarreta responsabilidade funcionai, que pode ser pecuniária. disciplinar ou pe~ Dal. "conseante a.legislação em vigor. b) declaracãc. em tempo ele paz, Pelo Art O militar não pode ficar Superior Tribunal Militar ou em tempo detido ou prêso em estabelecieeuto, re. de guerra externa ou civil. por Trlbu partição, corpo ou navio, cu)... comannal especial, de índiqnldade com o olt- dante 011 chefe não tenha posto ou gra. clalato ou de ncompatibilidade colll duação gualou superior ao seu este, nos seguintes casos: Art. 43 _ S6 em caso de ~agrante - perda da qualidade de cidadão delito, o militar pode ser prêso por brasileiro: autoridade policial. 2 - nos casos previstos na legisla. l Quando se der o caso previsto ção penal ou em ~glslação especial neste artigo, a autoridade polícíal fará concernente à segurança do Batado: entrega do prêso à autcrld.ide. militar 3 - reconhecimento de rrolessar dou- mais próxtma, só podendo retê-lo na detrina nociva a disciplina. à detesa da legada, ou posto peltcíal, durante o Pátria e à garantia dos poderes ccnsu-, tempo necessárío à lavratura do auto de tucícnaís, da lei e da ordem. flagrante., :- 2 A autoridade policial que mal- Art. 31. O uso dos unlforrnu ~o tratar ou consentir seja maltratado qual. Exército, da Madnha e da Aeronâu quer' prêso militar. ou nãe lhe dispensar nca, e privativo dos militares. o. tratamento devido ao põsto ou gra \.0 _ Us.nllltares da ativa usam duação, será responsabilizada mediante os uniformes previstos nos regulamen. procedimento da autoridade militar com- as respectivos..,petente; 2. - Os oftelals da reserva e o~ 3" A autoridade mllitarecmpetente, relonnados usam os unllonnes da ativa, mediante requisição de autoridade Judio com distintivos correspondentes a sua eíáría, mandará guardar, por força fesnuaçãe militar. deral, o pretorio ou tribunal. se durante 3. - Os ml1ltares da reserva, o processo 'ou Julgamento. no foro eívll, auando convocados, usam os uniforme. houver perigo de vida para qualquer mt. eia ativa.. 11tar.. 4." - Os asilados usam o uniforme ou traje,civil conforme f6r previsto no Art. 4'1. As promoções dos ofh:lail das FOrças Armadas serão feltalde con Regulamento do Aslno de nvâlldoll da formidade com as normas estabeleetdaa Pátria. ou nstruçoes especiais. em leis' especiais.para o Exército, a Art Os oficiais da. reserva e ~ Marinha e a Aeronáutica. obedecendo à reformados só "odem usar seus. Wlifur. prescrlçoes dêste Estatuto. me, por ocasião de cerimonlaà Oclala. Art. 45. As promoç~s ebedeeerãe militares e ctvtcas, aos principlos de: Art Não podem usar o. W 4) antiguidade. recaindo no oficia formes militares: / mais antlro, com os requisitos exigidos; CAPTULO V a) - os militares que forem demiti b) escolha do Presidente ela Repll dos,l1cen~lados ou exclufdos em ~rlude buca. para promoçllo a oficial general; DOS?RBTOS, RBGALlAS. l'rbrrogatlvas e de sentença, ou ato deprimente. com de. cl merecimento, recaindo obrlratórla YANTAGENS DOS "'lutares cíaraçâo expressa deprolbl,lio do lso e dnlcamente entre oficiais ~duldoa llq do uniforme' quadro de acesso por êste prlociplo. Art. 29. Sao direitos e regalias dos b).:... os ~ficla[s da reserva ou refor. 1 A lelespecjflcará os casos de Q)ilit,ares:.,mados que. pefaprátca de afqe ndlg;' Prolllo~llodos militares epost-mertema, /l) propriedade da patente. garantida' nos, forem proibidos de usã-les, por ato 2 As vagas aberta~ nos quadros em toda a plenitude: dos Ministros das pastas respectlval:,das F~rças Armadas serão prenehidas 111 b) uso d~s designaçoes.blerârqulcas: c) Os subcíícíaís, subtenentes, lorma. da lei e dos r~gulamentos. " uso dos unlfo' d sarqentos e praças lícenctados do lervl~c 3 Nenhum militar pode ser trans-.. rples. ns gn as e 11-. '. ~ ferido compuls6r1amente para a relerva. t1ntivos multares, cor.respondentes.ao atlvo.das FOrças Armadas.. d d h f... t ldad... d es e que a a vaga "" an!lu e...sto. gra uaçllo, quadro, funçllo ou Art.' 3+ _ O militar.fardado' goza aberta no quadro a qu'e pertença e a curllo:. das' prerrogativas e tem as 'obrlg'lçoes mesma lhe de",a competir. d, honras e tratamento que lhes fo- correspondentes ao uniforme.e às n. Art. 46.' Se em qualquer quadro hou. rem devidos. al~m ~e outras prerrogatj signlasque Usa..,ver excesso de miltares em rela,ao ao vas ou regalias que lhes sejam asse Art. 35..;.. O u.~ ndébito do uni. leu efetivo legal. os e~cedentes flcarllo {Juradas em leis e regulamentos;. forme, como do posto. é ctlme, ficando na sltuaçllo de adido nesse quadro. e) exercido da funçlio correspondente "inlrator sujeito às penas da' le.. Parágrafo 11lco. Os excedentesserlo ao.pôsta ou à g'raduaçllo:.. Art. 36 _ No exteror do pall, sólncluldos no quadro na medida da aber. ) promllção, de ac6rdo.com legisla. aos mll1tares que ai estiverem em tura ele vagas. ~ao especial; s:u oficial é perniitldo o UO de uni. Art. 47. Os dreitos referent~s a g) percepçllo de venélmentos e vanta i..rrilea... vencimentos e vantagens da atividade (lens, na forma da lei:., Ar!. 37 _ E' proibido o u~ 11,,. ~. e os proventos da natividade remune 11) ~amporte para si, sua faml1la' e formes em manifestações de caráter po- rada, compreendendo os militares da respecllvas bagagens, por conta de Es- ljuco-partldárlo. reserva. O reformados e os asilados. tado,. de acordo com a leglslaç:l~ 'respec. Art. 3& _ Só f permitido usar com ser~o definidos é regulados pelo. C6- Uva:. '.. os uniformes, Rslgnia.,.distlntlvos. 1e- digo ele Vencimentos e Vantagens dos ) constltulçllo ~ herança militar: dalhas ou condecoraçl5es prevsto. ou Ml1ltar:s... ' J) julgamento em fóro especial" no~ autorl%ados nos regulamentos ou,pa. f Para os!'ostos ou gradua delitos militares: 111)5' de uniformes.. _ ç!le. guais e.funç!lesaoluogal. atei 1) porte de armas. quando ofidal: estabelecerá gual remuneraçlio ao. ml _m) dispensas de serviço;. Ar!. 39 -E vedad!) li UO :dlvl ltares do Exército, da Marinha e da li). férias; dual ou por parte. de corpora;íle. civil, Aeron6utlca. o) licenças; de uniformes, emblemas. ln'ilnlal OU. 2" O desempenho das funçees de p) recompensas; distintivos que ~fereçam semelhánça cu comando. dlreç!o, chefas de unidades, q) tratamento de saúde, até com. possam ser confun<lldos com O usados 6rgãoa autonomos ou POrças. ou, ex. pleto reatabelecimento, ql.do -. d. pelos militares.. cepcionalmente. de outras previstas. em ('jentadlj.ferldo ou por motiva' de mo- Parágrafo únlcl) O nfratores \el. dará direito à percepç:lo de vania. Jz~tla' adquirida.' em.serviço, Caro anha dêste artigo ftcam sujeitos às Penall., ll.ens de represertaçao estabelecidas no ou manutençao da ordem pública' p ;i1desprevlstas em leis eu regulamenfot. C6clgo de Vencimentos e Vantagens r) transferência para a rese~ ou' Art As prerrogativas do, ll- dos Ml1ltares. r.derma com. llares.:oconslituldall pelai honras f 3 PeriOdicamente, Cl gov!rno' de., os proventos correspon.. t á'... ~ dentes de aco d d' tab')a' "e v-o.. dignidades edlstlnç6es aos postos. gra. erm nar a re,.silo a. ~" 'w " r o com a e.. d'o. f O cimentos e vantagens dos milttare.. de s) demssão a pedido e licenciamento llaç es.e un ç es.. madoa adaptá.las às modificaç!les do do serviço ativo, 'la forma da lei.,. Art.,4' :...-As continências, u hoa- custo da vida. Art. 30. A perda do posto e patente rãs e os sinais de respeito obedccl:l11 li Art. 4S. Os venclmentol do. mu. 50 se verifica por uma ~as legulnte, regulamentaç:lo correspondente. tares nlo são passlveis' de penhora, causas: -..,.. Parágrafo único- NenhÍ1lll militar arresto. ou sequestro,. salvo para paga. a) sentença. condenatória passada em pode dispensar as honras.e 1iDa11 de mento de alimento. à esposa ou aos julgado, cua pena restritiva da llbl't respejto nerentes ao 'seu posto ou;ra filhos, na forma eatabeledcla por dedo dadc individuai ultrapasse. dois nol duação, salvo no caso de f\lllerl1.. do de autoridade. ludlcldrla comoetente; Parágrafo único. A impenhorablll. dade dos vencimentos não exclui previdências disciplinares e administra.tvas, determinadas pelo comandante. clretor ou chefe do ccrpe, navio. repartção ou estabelecimento. sob cujas ordens servir, tendentes a compelir o militar 'ao pagamento de dividas legaimente contraídas. Art. 49. As \ispensas de serviço podem ser: a) comuns; b) gala; c} nolo: d) trãnslto: d) nstalação. re São autoridades eompetentes para conceder as dispensas de servl~o: ClS Mfnl.,tros, os'oficiais generall, D comandantes de corpos ou navios e O chefes de repartições ou. estabelecilllen tos. ' 2 As dispensas de serviço. salvo a de nstalação, podem ser gozada~ onde convier ao militar, acrltérlo do re~ pcctlvo Ministério. Art. 50. As dispensas de aervl.o' obedecem aos seguintes prazos: a) comuns. até:. - dez dias. quando.da alçada cio comandante do cerpc ou navló. Oll autoridade equivalente 2 - vínte dola~, quando concedidas por oficiai Reneral: 3. - trinta dias, quando conced.1d". pelo Ministro. b) gala ou nofo: de alto dias, con. cedidos pela autoridade a quem o mll!tar estiver diretamente subordinado: e) trânsito: de trinta dias. excluido o tempo passado em viagem, concedidos automàtlcamente no ato de de.. ligamento: d) nstalação} cinco ou de% dias; conforme se trate de militar ao ou acompanhado de.famllia. concedido. pela autoridade' a 'quem o militar estiver diretamente subordinado e alerem gozado! na sede para onde for o militar designado. Art. 51. As dispensa- de. ervlço previstas no artigo anterior silo aempre concedoldas com venclmentoa integrals.'. Art. 52. Férias s~o dlspens3s obrigatórias de sl'rvlço, concedidas anualmente aos militares em épocaa fludal pela autoridade competente'. ' Parágrafo único. As punlçoes decorrentes. de.transgres.'ao dlllclpjimuo a!o.tlram o direito a férias. Art. 53. Somente em' caso ie necessidade da segurança nacloll81. manuten,~o da ordem ou motivo. de força maior., po&!rllo deixar deaer concedidas as férias. " Ao militar que, por ell:lg~ncla da segurança nacional ou da ordem pública, nllo forem concedidas as féria:' anuais a que tiver direito. f facu1tadll: 4) go%<1-las cu.mulatlvamente, no ano seguinte:.. b) contar pelo dobro. para efeito de, inatividade, o perfodo 1l~0 gozada. f 2" Ao. militar que por motivo de força major nlo puder go:ar. as férias' na época regulamentar é facultado: a) go:á~las em outra épaca (DO mesmo ano) a Jul::o da autoriàade competente: b) go%<1.las cumulati...amente. coa as do ano seguinte. Art. 35., As férias sll.ode i 45 dias '- para os 'oficiais ~geiter.ã1!t 30 dias- para Os deinalsmllitares. com mais de um a!lo de ael'\o'iço..... Art., 55. O militar da lliyl pode' te.r licença \lbra;.,., a) tratar, lo oficiai, suhetenelllc. subofldal 9U sargento) da~pr6prla Rl. de. _.....

14 D"R io DO CONCRESSO NACONAL (SeçAo ' Janeiro de QUrl1ta'feira.~2~"~_..."':'... ~~~~~~~~~~;;;;;;';;;'~~~~~~~_...~_~~~~~"""'"7'~~~J, - d,r - completar,' como ori~ial sub) tratar (o oficial. subtcncnte. sub- onde servir. no caso de eselar pro- perior, 6 anos no último põsto da hloficial Oll SóH\ll'ntO) de saúde de pessoa roqá-a. deve fazer.a. devld~ partfe!pa- crarquía do respectivo quadro: ele sua.f.imília: ção à autorldade militar mais próxtn~a. f) _ for atingido pelas dlsposlções c) aperfeiçoar (o oficial) seus co- que providenciará sôbre nova mspeçao. legais que regulam a obtenção das co. nhccuncntos técnicos.. 0U rcalicar estu- Art. 65. Qlando a nnta Mílttar tas mlnimas de vagas anuals no quadro dos no pais. ou no estrangeiro. por de Saúde opinar pela necessidade. de c pôsto que lhe correspondcrn, l:ulll<l própria: urgente mudança de clima. a autorídad) triltnr lo oflclul) de seus inte- de' competente deverá providenciar íme- Art e tranferico para -a rer(-s,,, particulares ou trabalhar em in- diatamente o afastamento aconselhado. serva. a seu requerimento. o militar e forma.ç50. calculadas pelai respectivas escolas: b) aos ollcíals com cinco (JU mais anos de serviço. ndependente de qualquer ndenízação, Parágrafo único. nárlo é transferido direito a quelquer O cflclal dcmissiopara a reserva, sem remuneração. CAPTULO V dó.'tria particular: '1 que contar mais de 25 anos de ser- Á el exercer atividade técnica.de sua Art. 66. Aphcnm-se ao mdt~r que viço. computados na forma do artigo D\ ADÇ O csp,da'idade em orqanízaçôcs civis; necessitar de licença por.motlvo de 96 seu par~grnfo 1.' e rtras 9 c h. Art. 81 O militar lca na ~itua,;;o f exercer caruo público civil de doença. em. pessoa d~ amllla as mes- do paráqrafo 2.'. dêste Estatuto. de adido ao respectivo quadro nos. se- latllreza tcmporúria: mas. dlsposicões prev.lstas pa!'a o caso 1.' _ O direito. 11 transefcrêncla guintes casos: 'l ser 1''''10 " dlsposíçâo de outro de tratamento da própria saúde, para a reserva a pedido. pode ser sus- a) _ quando promovido sem, satlsminstério, ou qovêrno estildua.j.. ter- Art O militar que tenha obtido penso a [ulzo do Govêrno, na viqên- fa:er as condições legais,ou for em rrtoiial 011 municipal. par cxcrcicic de licença. cnnseclltiva ou não, para tra- cla da sltuaçãc de guerra ou de mo- excesso _ conforme o art. 4Ci dêste qualquer lunç"o:. tamento de saúde de pessoa de sua a- bllízação. Estatuto;. hl exercer carço r-letivo;,m!1ia. no prazo máximo previsto no 2.' _ Não podem ser transeferldcs b) _ quan-do. cessado o motivo de _il dl'scmp,' nha:. lo.oficiill) com,s-! art. 62. não pode renová-la senão após para a reserva. nem obter licenciamento agregação ou em racão de sentença, soes de cara ter.cvjl. estranhas ao ser- ; última em cu]o gõ:o estêve, do serviço ativo. embora satisfaçam reverta à atividade. na forma dos ilr~ VÇO público... ' todas as exigências legais. os militares: tigos 88 e 89: Paráqra ío único. As licenças paro Art. 68. Aos.'llhtcnentes. subo lc a.s c) _ quando nomeado ou dcsiçnada tratumcnto de saúde ficam subordinadas e sarqentos a licença de que trata e 11) submetidos a nquérito militar ou para qualquer cargo. função ou cormsp prévia.inspcçüo de saüde, art. 66 s~ pode ser conccdlda se con- comum: são. ae caráter ou nterêsse especifica- Art. 56. A licença será contada: tarern vmaís de 9 anos de «tempo de b) sujeitos a processo. no foro mlll- mente militares, ou assim considerados ai no caso de tratamento da própria efetivo servlcos. tar ou civil. ou no cumprimento da.. u.. > pelo Govêmo. no pais ou no estranqe.rc, maú:lc a partir da data do afastamcntc Art. 69..As llcenças referldas nas pena de qualquer natureza. porém não computados numericamente rhotivo da função. para clrlto da liletras e. 55 ó c) respondcnd., a conselho de [ustl- nos quadro'. de efetivo do Exército. da â, e. f. g, e i do art. s f d. t o eença: b nna demais casos a partir da oodem ser concedi d as quand o não' con- ícação 3.' ou O dlspostlvc e tu qameno. na letra b do padata em que o Boletim nterno publicar trariarem o ínterêsse elo serviço e con- rágra.fo anterior não se aplica ao.s ofl Atl. 82 _ No caso especificado.na Maunha.ou da Aeronáutica. tar O il apresentação do interessado para o rnilltar maís de 10 anos de efétívo dais da. reserva de 2'.. casse c.nvocados, 1 ctra c. do artigo anterior. 'f' o o irta, t f' ' g~:o da mesma.. serviço. 4.' O pedido de transferência para curá adido ao respectivo quadro. sem 1.' - Às licen~as previstas. nas a reserva nlio ~xime.0 militar doc)jm- número. no lugar que ocupava. Art. 57. São competentes para con letras e e e do artigc 55.. só devem ser prlmento dos sell.' dever.s. até a. pu- F' f. C. ado o m~tl'vo,< ar<lgra o un co.- "'.'.. " ced"r a licenças: no ra,o da letra a do al'. 55. a concedidas mediante parecer do órgão bll caç~o. do ato de d sligamento na o c"ta _ adlc"o.,~ voltará o ofl'cial a ser 'in., d d técnico competente. forma re~ulamentar. c1uidona escala numél!ca. na p~ meira lllltoridade a qcu estivor.stl 10r ína o o '. 2.' - As icen,'as. "'revistas nas Art. 75. A praça qu. pelo seu tenl- f 'd e J" tar. que deva entrilr em irença: let"a ~... c. d, e c i pc1em ser concedi- h d -. vana " que se veri lcar em seu quu {O ") no' e J -. ais ' 'sos. o Mimstro. ã té 1'0 de serviço. ten a lrelto ~ssequra. põsto. ~ o "'" - das. me,~m.o com pr~rrog8ç o a o do 11 transferência paraa. reserva re- Art, 58. As licenças. salvo para pl'a:o maxlmo de doi~ anos. munerada. só-perde ~sse direito se for trat<lmento da própria saúde. podem ser Art. 70 _ Ao mij tar só é concecl. expulso do Exército: da Marinha ou CAPTULO V cassadas pelos respecti\os Ministros. da nova licença. ncq casos prev1stos da Aeron~utica. de ac6rdo. com as preso DA AGREGAÇÃO em casos de emergente necessidade da nas letras c. d. e. f,o e i do artigo 55. crlçlles da legislação respectiva.. Art. 83 _ Agregação é a s!~laç:ro.. egurançanacional.. após cinco anos do término da an- Art. 76. A passagem eompuls6rla ou de inatividade transitória' dos mjlit,!l'el Parágrafo único. Tôda ieença flca i terior. yoluntária para a reserva nlio senta que. embora pertencentes aos quadrlll auton~ti'amente cassada uma ve: de.. o militar da lndenl:ação de preiul~o' da ativa da! Fôrças Armadas, não são cr~tada a mobili~ação geral.... Art. 71 :-: Rr~omr~nsas ~~o conces-. caúsados 11 Fazenda Nacional oua ter computadós nas resptlvas escalas numé- Arl. 59. As licenças [lodem ser 'O~s. especlal~ /~tas aos mltares por eelros. nem do paqamento das. penslles ricas dos Almánaques do.\lessoal do J'rorrogadas ex-officio ou ",diante so- serviços merltorlos que hajam pres- arbitradas em sentença judicial. :.xército. da Marinha li dil Ael'01l6uti.a. icitaç[lo do militar. antes de ftndo atado.. '1', pra:o da licença anterior. ~ 1.' - São r~co:npensas militares: Art. 77. Os proventos dos mllta: por motivos diversos. Art. 60. Ao militar é permitido a _ rêmios de honra ao mérito; r~s transferld<;,s para a r~serva e::-offl~ Art. 84 _ Os motiv'os de ~gregação. gozaras licenças de. oue trata o art.;; b) _ ~;taçlío.ehdcs l louvores: c/o ou a pedl.do. s~o. prnnorc~nc~d~~~ tratados.emleglslaçâo espedal. são: onde lhe convier. ficando. entretanto. c) _ medalhas d~ serviços ptesta. anos de servço ~ ~xados n d - M' a) _ incapacidade palil.0. serviço obrlgodo a parllcipar o enderêço ao dos na guerra ou' na pa:1 d,c Vencimentos e antagens os, mjitar, veriljcaoa em i1j"pe\ão de saücomandante ou chefe a quem estiver d) _ condecoraçllrs: htares:.. de. ap6s seis meses de 11l0lestia conti. 2lubordmado e apresentar-se onde e:li e) _ medalhas comemorativas: Paraqrafo unlco. Os proventos dos mi: Duada, embora 'curável: ver servindo. até a data da terminaç~lo. f) _ rêmlos em dinheiro. por tra. ltares da reserva. salvo exc~cões pre. b) _ licença para tratar de nterêsses Art 61 Fica ressalvado ao miltar b 1 1'1' di" obras vistas em lei. não est'lo 'uleltos a re partl,',iares. ou dedicar'se d trabal.ho.dl.... ' h a los rea 1:8 os. nvenç...esou 'd li ao q 3lquer que eja o óirelto de desistir da cença que e,+ublicadas de ~arm.er t~cnleo e de re. uç o <lu supress. llldúmrla particular. assim lambem c"m~ fár concedida. ou do resto daquela' em conhecida utilidade 11 Defesa Naclo- a sua sltuaç1io jurldlca. preendluos o desempenho de comis'~ej cuio qô:o se achar... nal: Art. 78. O militar da silva ou. da de (",'áter civil. estranhas lo serviço Arl. 62. As i~enças continuadas para /1)' _ lcença especial.. reserva passa ã situa,ao de refor.mado púl:.licc. e o exercício de atlvldadestéctriltamento d~ saude nao podel. ultrapas~ '2.' _ As recom('ensas doj eonce. de acordo com a leqislaç30 especlah nicas de suas especialidades emorganl-.ar os s~g\llotes prazos:. didas consoante dísfosiçlles legais ou.) por ter.atin~i~o no posto Oll gra.zaçlle. civis:.. a) ofciais - dois a.nos: re!lulamentares.. dua,ao a dade limte de permanência c) _ licença maior de Sel~ meses. para b) subtenentes. suboflclals e sar- Art O. militar tem direito 8 na reserva:. tratawento de saúde de pes!oa da laml-!g(ntos :- um ano. " r uma licença espeeialc1e seis meses. com ~) por nvalide: ou incapacidade f- lia:.. 1.' Quando o mlht8r, após os p d' venci"lentos integrais. por decênio n sica definitiva, para todo o serviço ml d _. cumprimento dt pena de prisão ' %OS 'acima. 16r Julgado necesslta~ e terrupto de eletivo servço. a qual pc. litar:, até dos anos'. Dova licença. será reformado ou hcen- dera sergo:ada total ou parcialmente. cl por sentença ludiciária condena- e) _ dese;çãol cladcl de acordo com a legislaçao es 1.' _ A licença por motivo de mo tórla 11 reforma. passada em lulgado: ti _ extravio: pedal.. l~stla ou ferimento em campanha ou ato d) por ter sido iulgado ncapaz. pro 1/) 'nvestlduraem targo público 2.' Os pra!os referidos n~ste ar de serviço nllo nterrompe o decênio. lsslonal_ ou moralment~, em processo ~ivjld~ r. tul'e:a temporária; tgo ficam aumentados para o dobro. 2.' - Serão acres~ldos pelo.dll: regular...) _ t;r po"sto à disposlçl!o de outro no caso de a licença deeorrerde molés- bro ao.tempo de serviço do mllttar. ParaágraFo línfco. A reforma dos ofl. Minl~l\,ri< ou Gcivêrno Estadual. Territia ou ferimento em campanha ou ser- para fins de nativld.ade. os Petfodí: s clal~ da reserva. no exercido de ma- tori.;! ou Municipal. para o exe~'clclo "ço. de. licença especial.\ que. êle ten a glstério. é regulada em lei especial. de qu~lqt.cr lunç:lo de caráter CVl de-.., feito lus. sem os ha"er gozado.... ta t r xpres- Art. 63. O, militar que se encontrar Art. 73 _ e transferido ex-o/llcio Art. 79. O militar reformado por ver.~o esta c rcuns dnc a cons a e 1'- 110 estrangeiro e necessitar de con~es' pará a reserva o nll1itarque: ncapacidade flslca que ~':'r julgado apto sam~.te do ato de nomeaçào ou dcs C alio ou prorro~aç.ao de,licença l'ara a) ~ atingir no. posto,ou ~radue- em nspeçllo de saúde. feita porlunta n~ça,':,... ' trata mento de saude. de, erá apresen, ç~o a dade limite de permanência no superior de recursos. desde que nao íl _ aceitaçao de cargo eletivo:..tar atestado. médico ã alltorldade. a.e!'viço ativo;.... lenha excedido a dade limite de per. f) _ liceo,a ao.~ oficiais para lperieltlue estiver subordlnado~ ou: quando b) aceitar cargo público civl. de manência na reserve. é transferido para çoar seus conhecimentos' t~(nicos ou reaesta.'n110 exist~r. à. aut?rldade consular provimento efetivo:..'. mesma..,.. i:ar estudos no pais e D) estralllleiro, lrasllelra mais próx,ma, resalvad~. c) _ tiver mais de oito anos. eonse.art. 80. A demlss~o do serviço atl por ~l.lllta pl'ópria;.. aos. Ministros. a.fa~llldade de.exigr cutlvos,on nlio. de afastamento da atl- vo é conceddo. ressalvados os casos L f.. P d f novo atestado fornecdo por outro m~' vidade militar: legais de mpedimento: '-:01 êlgra o ~nlco. ara to os os e e _ 'dico d).- fllr nomeado em earoter efe a)' aos oficiais com menos de cinco,r! qjals. n agregação l! ~ollslderada a Alt. 64. O miltar fm gozo de licença tlvo e permanente para fun,ao de ma, nosde oficialato. m~dlante nde!11:a. Fal'tir.Qél data do ato ou filto que a nlljoo Jl~ril triltalllcnlo de saúde. ora do local llistério militar.,ao dai despesasconl sua preporilçao tlvou..

15 Quinta-feirá 20 DlARO 00 CONGRESSO ~!.~CON,jL (~eç~o ) Ar:, 85 - O militar ~ considerado ex travir-co. para os efeitos De "grega,ão ~[ló,< 3C dias de desaparecimento ocorrtcio, m campanha, em via~~m (terrestre. ll"rlr:ma ou aérea). em raso d~ cala rt' 'da ',e pública ou no desempenho de quakn.er servíço, ~ ' - Os militares na sltuação prevlsta neste artigo, conservam os direitos. vencimentos e vantagens como se estio vesscm permaneci do no serviço ativo, até o prazo de 6 meses, findo o qual se far,1 a habtl'tação dos herdeiros à hcrança militar. 2' - Os venelmentos e vantaqens (los militares extraviados. são p8qo~ ao seu5 herdeiros, na forola estabelecida na le,,<lac~o do montepio militar.,,",'rr militares a,regados per. eletivo. t ebettlos vencimentos e vantaqens ra r('dlcado~ no C<lrliClo de Venelmzmose V:r.tagens dos Militares. CAPTULO V O... RE'ERSAo Art. 87 '- O Governo pode. em qual. Uú' tempo, mandar reverter àat,vloo(le \ uulítar aaregado. exceto nos ca,... dai etras li, d. e. [, e 1 do artgo ~t. Art. SS - O mlitar agregado reverte.:1 s.:rviço ativo tão logo cesse o W\ll'1' "'0 que determinou a agregação. h,râgralo ilnico - O aliciai 4~e re Wll<.' à atividade figura adido ao.> seu lu~dro, ocupan<;!o " mesmo número do que se lhe segue em anti~uidade, deven do entrar na escalanum~rlca na prlmej ra "ana que se verificar em seu quadro p6sto. Art. 89,- O ml1ltar demitido. ou ex 'Pul>o. por fôrça de sentença ludldária.,captulo X DO TEMPO D! SEVlÇO Art. 9'1 - A partir da dara.do n ~es.so no lervio.1ltivo do Exército. da Y!:llrlnh. e di Aero0i1utlca. O' Du1ltare. começam a contar tempo de serv.,e nas recebidos em combate. ou na maniuen- ' PJ) ferimento recebido. na dd~sa c!la Fôrças Armadas.,50 da ordem pública. ou de moléstia ordem, das instituições ou do re,"/" Paráqralo único. Na apuração de adquir.da em campanha, será computado C erimento recebido em COlllp,,(l(~ tempo de serviço dos militares. serão ccrno se êle o tivesse passado nn exer deco.rrcnte de a,[,o ínimíqa: computados: cicio ete'tiva das funções «ue desernpe- d moj~"t,a d'luirida ouagravjd. ti i nnava. até o íiruíte fixado na 2.'. em canipanna. a) tempo de efe VO scrv 1'0;, d"st a t. b) anos de serviço. ' e r Ja o Art A percepção de l"ens10 Ar! Tempo de efetivo serviço TTULOS 111 e,,".ecial exclul.das pensões de ~ O espaço de tc.1po. cantado dia" d-a CPO e ele mr-íc-sôldo. entre a data iniciai de pruca e a riata D~.casamentD e da herança militar r- Art A herança militar é ist'nta ce licenciamento, da translerênc:a p:ra a CAPTULO ele qualquer ta". ou ímpõsto: n;,o é reserav ou da reforma.. penhorúvel, nâo responde por d/vldá" l' Na puração d? tempo de ;!W' DO CASAMENTO DOS MLlnR.'~.h> seu instituid,)r. e a sua pe.rc<p,9o vo serviço sà~ d~j~:ldos 01\ tler':li,)s uão constitui acumulação. Á~.s5alvaJaG não computáveis e desprezados 00.. cr~' Art. 98. Os militares em servlco dtsoosto no artigo anterior. elmos previsto" ua eqlslavão vir..,te ex ativo mediante permissão da autoriceto o tempo dobrado de!e~h.o de dadecompetente. podem contrair ma- P,,"á~rafo único. Aberan,a m/i~" r.ampanha, que é conslderado e rvlço trlmônío: apenas responde pela contribui":,, meti. <ai para o Estada e pelas dívidas ~arll 2' S~o pcrlodos não come':lá')r\! aj ao atínqírem o oficialato:.xim li Fascnda Nacional. se contra,d". na apuração do etempo de eldivj ser- bl quando, possu~rem. qraduação ' pelos herdeiros, já.na g5~0 da pm,,"q, V,("O> o tempo íutecral passado p...o mí- igual 011 superior a 3.slrgento: ) l.tar: -, c) quando completarem oito ano. de, ~ em licença pelos motlvos;lr~vis' serviço ou 25 de idade nos demais catos no artigo 55 dsête Estatuto;!lOS. b) coma desertor: Art. 99. São autoridades competenc) 'em cumpnmento de prls3(\. com tes para conceder l': permlss"o; prrjul:o do serviço. conseqüente oi. crl' ) M' t ollctaís..e (,u de transgressao <;!isciplinar: os 10 5 ros, para os - d) baixado a hospital, por m.livo generais: nlh, conseqüente de serviço. cam '8nhll b) os Diretores do Pessoal ou dos u(, manutenção da ordem' pública. Serviços. para os oficiais que servem Art Ano~ de serviço (CO11='-'t:l. na Capital Federal: c) OS comalldantes de Regiões 1\'li leis para fins de inatividade).a,, M ao litares, Distritos Navais e Zonas A~. '1a dos tempos de efeltvo serviço arli, reas. para os oficiais que sem vem em \la anterior, Demsive tempo dobr.":) dr seus respectivos territórios; cal1"p~nha). do. periodos comp-,t"vm dj os comandantes de Corpos nu somente na apur"ção do! anos de ser' Navios e Diret >'~S ou Chefe! de Re. viço e dos acr~scilmls legais. '1' São p~rlo(los computâv~,s "" partições ou praçatas. Estabelecimentos. para as l11~nte na apuraç~o dos canos oie servi ç01o,.,~ jntegraim~nte pa..ados em licfr Parágrafo únco. A permiss~o para.ó por outra sentença paderá reverter à,ç~ PC" motivo do artigo 55 dêste Esta- contrair matrimônio com mulher estran tlfol~~o anterior. tu...,..... gelra çepende de autorização expres!,a ~,' 530 perlodos computaveis cemc do Ministro respectivo. CAPTULO X acr~s' mos l'gals: Art Os aspirantes a oficial de> DA EXCLUSÃO. EXPULSA0., RENCLUS~O a, bervl,o ~m «guarnições espfcldls' e cc"misso..s delimites) - o pre {ictc Exõrclta, da Acronutica, os guardasmarinha e. os alunos das Escolas Miti. TtTULO CAPTULO V DSPOSÇÕES GERAS Art Os militares da ativa slio isentos do serviço de júri. Art A. condições de ingres5q no oficialato ue 2,' classe da reserva elas Forças Armadas e os dtretros, deveres, re~pon"abiiidade~ e prerru\lll. tivas. dos ohciai.. a ela. pertencentes >l! t'do previstos rm, ll"js, er~l1ujam, nto. ~speciais do Exúdto. da Marmha e 'da Aeronautica. Art, l!. Os alunos dos Centros 'lu Núcleos de. Preparal;iio de Ofkiai3 da Reserva. -":entros, de Formação de Reservistas, Tiros de Guerra. Unidades Quadro~. Colégios Militares, Escolas de Aprendizes Marinh~iros e Grt:lnetes. n~o pertencem á classe dos militar". e têm sua situação, eireitos. deveres e etc.. regulados por legislação própria. Art Os milttares que falece. rem. em qualquer dos ca5o,s previstos no E RE,\131LlTAÇÃO ' ' em lu' especiais: wres e Preparatórios, não podem Cal". d d ' b) «servi'daõreo1o. à razão de um trair matrimànio. art podem ser promovidos "polt. Art. 90 -Serão exc ~ 05 isclp (1 J ano por trezentas (300) hollls de nlartem". a critéria do GO\ ~rao. ' narmente a, praças. COll1olqualquer gra \'60: até o limite máximo de 5 anos, Ar!. lo\. São passiveis de punições, duaçill e com qualquer tempo de serviço, c<'lnforml' a leglslaçllo espedill- previstas nas leis e regulamentos espe CAPTULO l qu<' d<'vaol ser afastados a bem da dlsd c) «curso do Col~glo Militar.- c elals. os transgressores das presentes DSPOSções TR.~NST6RtA3 plw>t. de acordo com o que estiver esta d' t ri na disposlr;ões sóbre casa menta. ainda que bel " '."" 110' R'g'ulamentos D'scl"ljnare~ "nnce ido por legis aç"o an e ar ~ di' Art 113 A t,,,~~.' forma dos regulamentos dês!e estacele~ ~ste resu te e mposição lega..., os a uals. sargentos a- do Exe, CtO. dil Marll1ha e da Aeronáu Olmento de' ensino: CAPTULO n dante,s ~o EXérc!t~. ficam assegl~radoa tica. d) «curso acad~mlco' _ (para 0< os dretos adqutrldos na vlgmcla tia Art. 91- Serão expulsas as praças médicos.!armadutlcos e dentistoi. a.' DE HERANÇA MLTAR legislação anterior. e os que viereju a com.:..alquer tempo de servi~o e qual C.orpo de Saúde), li razaode um () Art A herança militar ~ cons- ser atribuídos aos primeiros sargentas. qua áladua~âo que:. ano dos respectivos cursos nas FaeuHa: titulda pelas pensões de montepio dt. 'Art. 1H. Ficam asseguradas ao~,,) -, forem consideradas de locapa c!es civs. ap6s cada cinco anos de pre~' meio-s6jdo. ou por pensllo f!'special. sub-aficiais e praças que. na data da cija J moral. por se tornarem preludo taçao de efeitvo serv\.ço. at~ o hu!te expedição do DeCreto-lei n. 9.69S. de.. d m pu'bll'ca ou à dignidade m' K~ Os dir-tos relatl'vos ao ~ ClalS oor e_ mári:na de três anos: nn, t de setembro de 19i6. lá tinham preealuar. ele acordo com o que estabelecfleq1 el. cur~os de Escolas de Ap.~,:dlzes montepio militar. ao melocsõldo dos ofi chldas as condições neces'ârias a pas. DA R~gulamentQS Dsciplinares do Ezér Y~rlr,hejros e Grumetes, computo nte- ciais e as pensões especiais sao def11l1- sagem para. a reserva. a pedido, à. cite:.. lia Marinha e da Aeronáutica: lu "ra! cc tempo de curso feito COlll.-pro- dos t regulados em leis especiais. honrâs vencmentos e vantagens con_ praças especiais e O sargentol. medlac, ve;lômento. de acllrdo com os re,s.jec!l Parágrafo único. Atendendo à dlfe- cedidas pelo art. 32 da Lei 'de lnatlvl~ te C'.c.'uselho de Disciplina e as dema~ \'os reg llamentos: rença de colldir;ões. entre aeltabili.dadf dade dos Militares. a' "ue se refere O praçin med ante inqu~ rl to ' "os oficlal's a das pra"as contrl'-ul'ntas O.., ~. ir «serviço públ!cot _,c1lmp'lto n' [l, a. eereto-lei n.o 197. de 22 de janeiro b - forem passlvels dessa ~n. em tegral do, tempo de ser.vlço públl~(' ft- do montepio militar. a lei regulara os de con~f!'c:i!éncla de sentença ludlclâna. pas- -leralestadual 0'1 municipal: calos em que será a~egurada,. peno 'Art A pensljo de melo-sódo saoa tm Julgado, ) ' lab O ~041'ro 510 aos herdeiros' do militar. lia hipó. continuará a ser regulada pela Tabela Ar',. 9'. - A. raillc1us.!o da.praa" a. 9. «cen,a espec -.a.~ ~.se da perda da patente. para aqueletl. d o trm"'" correspondente a - ~" pro e vencimentas da lei n.- 1.'173. de 9, bem o' dl'scl"lina ou pc'r motivo de coc- ';..-.. d' da epulsâo ou ec\usao forçada para d 06 ~.. todo ntegral ou parcial l!ogoza o, e e janeiro de 19, com- o acréscimo ver "nela do serviço; deverá ser"rt~f' de~sa licença:. 5 ('... previsto no art. '.. d,? D~ereto-...l dida d.. processo administrativo. fl~'lodo hl "E"rlas" _ os perlodos previstos Art. loi. Os oficiais da ativa. da n.o de 31 de de:embro de 19'15. li per!dan~llcia nli ativa;, conclfetclll2laa t nol t.o do art. 53. deste Estatuto. reserva e reformados. contribuintes do, até a sua revis!o. le!11~lar,ll" QU~ lhe for apllc6vel.,. Ar 97 Td servi o em cam. montepio.mllitar delxar!o.. por morte, Parágrafo único. O disposto no "... Arl, 93 - A reabuita,ao da lu~. t~ empo e. ''. a.seus herdeiros.além da pensllo de sente artigo abrange herdeiros dq, ofl~ expllbil 1Nií processada,de ac(\r'i,) ct>m 'lanha é aquele em que o ~ tar par- montepo a de ~eio-aojdo. clàls falecido! a partir de. 1 de lanelto. a' "rescrk:le~ dos regul"m~ntos ~1.,.,'D ~iclpe de eletlvils 'operil~(\es. e guerra. Art.,lOS. A praça da ativa. da rt- de uélres do Exucilo. da Martnha e :a ric'.co tempo de serviço em cam-.. ", ron~llicli, ' h. á. t d.. elo d6bra e dará serva ou relormada. contrbunte cio Art Ao. oficiais da atual R..,ano 1! ser con li o Piais.. montepio militar. del%ará. por morte. a serva Atva da Marinha apllca-w _ dlr~lto a vanta9ms espec.!lcu5 herdelro.a. a pens40 de 'Dontepío. disposto ao art.26 dêste. Estatuto.. A, 2,c. A àutoridade competente 11-, Ar! 106 -Os militares delx do ti êstetl.oficiais nâo leapllca preceuri\ 05 Umltes de contagem do temp.. seus herdeiros unia pcnsao espe~lal. lia dência no 2. do art. 1-3 ~$l:e Batade campanha.. forma que a le iestabelecer. quando f"lt- tuto... 3., O tempo que o ~Ultar passou cido' em codseqüênclà de:.art. 17" A pre~nte lei entra~a e.,u. vlee a passar afastado. éie suas fu...,.,. vigor na da.ta de sua pubucaçlo. rcwç6es,em COl)se"üêilclll de lerldlen~s a) acdente em servlçel gadas as disposições em contr:l.rlo

16 --302 Quinta feira ~ D.RO DO CONORESSO NACONAL (Seç~o ).,.. Parerer da Comissõo d: c.:on~titlliçâo '''''l(' previstos na lei penal ou Da leqi. e [ustiçe taçêc espcciaí ar ddesa do Esla<lo; j. - rccouncc.mcutc oe prorcssar coutnua O Exm.v Sr. Presidente da Rcpú- 110C<VO ilais"'pj:lla. á dctcsa da Patna blka. em Mensagem de 11 de serem- C" 9iiranl:" aos poderes ccnstítucionars, J,ro úlumo. eucaminhou \ considera- aa lcl c da Of(.'cnJ';" (ão desta Càma ra o ar-tcprojcto do t» 1 cmpo ele serviço: corrtgíndc 110'0 Estatuto dos Militares. com o sensível disparidade entre o Estatuto Vljllr,j se objetiva adaptar.0 atual, apro- gente e o texto constttucionat - que. "",io pelo Decreto-lei n.v 6; 983. de illhis. já 101 objeto ele uma consulta da 2 de setembro de 19~6. às alterações Coml""o de ::)egurançal'<acionala esta. impostas pelo texto consntuclonal vi- v anteprojeto. capo X. arts, 9i Yi. em gente. e ainda. consçlidar disposições li ei "uod iência ao arllgo 192 na Ccnstí,/'ver.as esparsas lraglnentanamente em tuição quec.aruqo lll~. i 6" manda apnleis postericres. ca, tampem aos militares. inclui (;0010 Lei tipicarncnte militar. pelo seu con-, a crescímo legab aos epcríodos computeudo, caracterisríces e finalidades, eis ti.t.vc1s».:fel tempo, ce serviço do militai que. pela propria: definição do seu prí- o qcómp.jlo integral do tempo de serviçc melro arliijo. se destina d "rcqular a federal, cstacual ou municipal Stuação deveres, rcsponsae.lrdaces, re- E' de acentuar, ainda. que o antelliljias. direitos e deveres do. milicares. projeto, melhor dispondo sôbre a.mateli de. ver que pouco nos compete na ri" que o Estatuto em vigor, consiçna, ~J~t"tla cm c~am~, salva no toc~ntc a..~ maneira expressa. com!j edireltc dq a sua har mon Z3 \ 1:1 0 com os preceitos mhtar, c \n~o mais como ato de l.beconstitucionais. sejam os que constl- ralidade ou mercê dos seu. superiores. as tucm Os postulados' básicos, de noss." teflas. lieenl'as, dispensas de servir". Le Mista, sejam os dispositívos pertí- treuuncnto de seúde em caso de llcldente.. entes ás "Fôrças ';'rmadas, q~e i~~e- _>l' do,'n,a em serviço ou cl'mpanha, {lt,)m todo o Ululo "11 da Ccnsntuíçac. para tal eieilo in.crito no seu artigo 29 De tal arte, por urna l6gica e na na discr:m,naçào dos (direitos e regalias tural dlstllbuição da maleria. de dc's milit..res). acordo com a. ""a COn'l'el~nc.a e.~e- Em dr_l~ ponlos, porém. entendemos clahzada, ~aera a Com.ssao de :s!. que o projeto merece emendado para 9 urança. Naclollal pl"onunc.~.r.se so- mais fir! conciliação com a letra e o esbrc ornemo c a colwcmel1c'a. do pirito d., nossa Lei Suprema. ildteprojeto. como a mas tecnicamente aparelhaoapara desobrigar-se ai quando faz ransfcrir. ex-olfieia. de lal lllcumbencia regiment'!. até nbng"~ol'1amentc paar a Reserva o miporque iormaela, em sua quase '"tar. "om~acio para o magstério miiitdf..manimidade. pelos militares com Como já foi acoito. aliás. por expc~s ~"'~ento nesta CaEa. HcanJo~nO~t' apcnab, -.iva ~llanllnidac1c, por esta Coml.iSõ.,), o estudo do scu. a.p«to propriamente em rc...ção ao projeto da criação do cvll,c,cuclontll. Quadrv do Magisterio Mailar. a que E em t.a! prelirnmar ficaremos, não no apre,('lltamos um.ubsllluuvo. a Co. s a1ol.ganclo em 'Onsldcra~õcs eàlfdltnas tlluiçfi,-, apcna$ autorza' a, passdg~m à especialização ne lossas atribul..õeo. =ara a roserva do militar na ativa quilll- Antes do mais. vale ressalvar ':lue o do "'te aceitar cargo e.."rranho à.'la anteprojeto pouco se atastuu do t:~taiu.. carrc.~ a. te.vlgente. mantendo dlp.. mesmé ai.,, Ora. não há negar que o ptofe.sor tribulção da matéra. dôle divergillco mjlitm ex.rcenoo "ua aolvldade em ~,. epcnas na nova rcc1ação'de qucl.:'( tu\1c~ wci'jeclm~!110 JnlHtar, sujeito à disl:jpljna ls disposlllvos. de UlU nloao feral mal" e à n'erarqula militar com nourcio e ~xata e apurada. como ocorre "O "a.~ltul prerru\lativa., militares, indusive.a 00 \o V - Do. Deveres e!<e.pollsab;;. uso Ú" tarda e do direto ao põ~t... lidados - na passagem para o Código de oallou com ajunos militares e leclona,,-10 Vencimentos e 'Vantagens da deti.llção e mater.a, mlliítare ou. pejo menos. p~r regujamentaçãone todos OS dire,tcs re- tifjen.t~. aum currlculo ml1itar. port""'" lativo5 a venclmt"nto5. 'va::tagcns( pro~ ê.stes a!'pcl:tos, cir,unst~ndas e COLdl' ventos dos militares. indusive os 'li' re',ô~s. - em verdade não. ocupa cargo ZC.,'''' relormados e asilados. e ilas alte- cxtranh~ à suaearrcira. Muito ao c.:ln,.a..oe5 impostas pela Carta.(.m:>titu tráric, He. no maglstério Mililar. Cu.. Ú CiO:d] de ls de setembro dc nu:l.,.aubltàvelmente. a trabalhar para. Em rejaç~o ao qlle o anteprojdt ino- ela.e dentrodela. em ato e em intenção va. ; ara se por de acordo COrT. a Cons- devotando suas alividades ao aprltnotilui.;ão vigente, themos o cuida 10 de ramento e fortab:lmento das cjass~s "er;filar e.conduir sua inteira COt,,"~tJn' armadas. cia ('om as direlrizes de nos~a r/a~na guperimos. pois. a elimina;ão do item Carta nos seguintes pontos essenciais: d do artigo 73 do ante-projelo, por o a) Perda de pôsto e patente. o ar- enlendermos contrário. ao artigo 182 pa ligo :;0. depois de no anlerlor. lo~o no ráfrafo 3' da Constituição. tem primeira. se inscrever como d:râto b) O arllgo 41 parágrafo 2' doar. e r.:!,;.s/z1j do militar (a proprie~dnde c:!a te-proleto. tamqém ao nosso ver. pre "alenle. garanlia em toda a suapbl!tu- cisa pequena alleração no seu COllte ÚolO. &. re!}ula os casos de perda de peslo e a fim de que. na prática. nllo possibilite pal('fj te em absoluta conformidade com a violaçllo do artigo \08 da Constitui. o "rt,go 182 2' da ConslHui\~ó, só çfio. que só permite a extensão do. fo:o prewndo aquela m~dida extr-ma e ex- mi!ltar. que é um 16ro.especial Ou de cepclonal para as eventualidades de seno exeeçllo, aos. civis) para re,pressao de fençacondenat6ria. passada em iuls;ado. crimes conlra a segurança externa do de pena restrltllja da liberdade. ir:dilji- Pal~ ou as nstllulções militares:\>. lual superior a dois anos. e da dedatll- Assim. ao nvés de Se dispor. como no tllo, em tempo de Paz. pelo Superior ante-projeto. que - «autoridade. polt "tibunb Militar. 00. em tempo de 9uet. clal que mallratar ou consentir sela mal '11 externo ou civil. por 1'rt'lunal espe. tr~tado qualquer prêso militar, ou do tial. de indignidade do olicialato ou de da mediante procedimento da autoridllje 'ncomplltibilidade com ~ste. nas rê!6nl!losto ou graduaçlo serâ responsabillzatas hlpóleses que espeeiflca.- cua le' lhe dispensar o tratamento devido ao "ltlmidade se nos 8flgura 8cima de qual- militarcompetentt). propomos.. como Cluer dúvda ou crillca. pela sua not6rla emenda sela sllbstitulda esta parte final r ndlscllllvel proced~n. la: ~.,..' \lerda pela ser;ulnte expressllo:«, respon.. oüalldade de cidadlio tlrasllelro: 2 - sablllzada na f_a da ld penal ESludado o anle-proj~to de Eslatuto dos. Militares no seu aspecto co1""'11 tu ciona,l, na Comissão de ConstituH,ão e J~.sliça. pelo ReJalor oeslgnado,o lustre Deputado Sr. Lameira Blttencourt, re~ta a esta Comissão de Se(urança Nactl>nal ence! á-io do ponto de vista do intethse oas FOrças Armadas. E'o que pas~" a!a.er.. 1') - Promulgado durante a fase -la mai.:>r pujança do ESlado Novo ano Je j 9i1 ~ o primelro Eslatuto d,s Mihtares, baixado com o Decreto;)ei nl',.!ter.:l 3.8M. não poderia SUbS1Stil "...r muito tempo. após o restabelecimento d/'l reghlle democrático no.pals. Os precel. tos da Constituição Cle 1937, que el'.t:1o prc\'a:cclam para cercar de excepcional~ card~tlas o poder cer.trali:ador do c:lcfe do go\ll'rno federal. haveriam de ler 9ul"OC o espírito do legislador ordi::ãrio esta';ot,ovista no sentido de reduzir as Fôrças Armadas da Naç~o à condição de. guarda pretoriana. (As Fôrças. Ar' madas são instituição 'nacionais perma. "o.:;tes. orl1anlzadas sõbre a base da disciplinahierárqulca e da fiel obediência à lllltoridede do Pre.,idente da Rppub/i. co» (ArtigCl sel1undo do Oecrelo 'el dta.' do 1. Tal disposlçao de 11.'1.. aliás slmplts re.p"o.:.ução do artiqo 161. da Carla ou torgada, s6 enconlra similar na Consti. tuição monárqulca- a de 25 de mar~o de 18:24 - mas asqlm m~smo sem tão profundo desvirtuame.nlodo papé! das fôrças de defesa do mpério. que vinham de se recomendar 11 gratidão nacional pela sua atuação nas lutas d".ln~ep~n. dênéla do pais. ca força militar (artl' co 147) é essencialmente obediente; la mais se poderá reunir sem qlle lhe sela ordenado pela auloridade legitima». ca., Poder ElCecut[vocompetc privativamente (artlqo H8) empregar a força arma da de mar c terra. como bem lhe parecer conveniente à segurança e defesa do m' pérlo~. A República acabou com o poder D"S.oal. amplo. dlscridonário. elevand.:l a iôrça armada à dignidade de guardi~ \ da Pária e da ordem. «As forças de terra e mar sllo nstituções nacionais permanentes. destlnadasd J.efesadll p;\. triano exterjor e à manutençllo dus le!s no nterior. A fôrça armada é ess~ncil!l mente obediente. dentro dos limites da rei, 80S seus suprires blerârquleos. e obrl' gada asusleotar as nstlluiç6es cons tltuclonals).,(artigo 14. da, Constl tuiçlla de 1891). Ou.,conforme a Conslitulção de no aeu arl1go 162': «As. ftlrças 8rmadas sllo n~li!u!çoca Dlcionaia permanente., t, den Janero de S:io as observações que se nos cíere- re.dlj lei, essencialmente obediente. cem fazer. dentro.de nessas atriburçõcs aos seus superiores hierárquicos. Desregimentais sôbre o ante-projeto.do novo tinham-se a defender a Pálrla e {la.' Estatuto dos Militares. ranllr os poderes constitucionais, 11 Assim, parece-nos de justiça reconhe- ordem e a leb, cer e proclamar a constitucionalidade do Obidil'ncla e disciplina são os freios ante-projeto em exame. sob cuja conve- legais. que hão de manter as lôrças níêlcia, no ponte de vista dos lntcrês- armadas de uma nação na órblta dos ses da orga01zação e funcionamento das suas atrlbulções, 'sem que elas se consnessas ínsntuíções militares, melhor dirá. tíuam em ameaça b ordem interna C! dentre de sua competência técníca e es- ao exercícío do poder civil. A escala peviallzada, a Comissão de Segurança, hierárquca apresenta os dllerentes es Nacional. calões de subordlnaçãc e de comnndot E' o nosso parecer. mas a lei tolhe o arbilrio pessoal da. queles que mandam. e asseqnra os di- Sala da Ccmlesãc de Conslituiçao e reitos dos que tem o dever de obdecer. Justiça. em.30 de dezembro de A dícíplína resultada nitida compreensão. - Agamemnon MagaMe&. PreSldenle. dêsse dever e das suas pr~rro\1ati"ns e - Lemeira Bitencourt. Rrlator _ Gmc- regalias. Só ela. é cepa. de verdadeira chc Cardoso. - Freite» e Castro.. _ camaradaqem, fruto também da conííanca Costa Neto. - Hermes Lima. -Atll- mútua. Na guerra tem ela o pocer de liba Nogueira. _ Gustav» Capanema. reunir e harrncntzar os esforços indi\'i - Edgar Arrllda. _ Edllardo Duvnier. duais. mullíplicando a força e a ca- -e- Afonso Arinos. _ Pltm«B.»set», pacídade de cada um pela forçn e 11...; losé Cri~pim, com restrlções, eapacidadede' odos. Garanlir a oro dem nterna. sustentar as nstjttliçõ~s Parecer da Comissão de SegurlD~a naclonals e defender a pmr[a contra e Nacional estranqelro são assim as vmtssões da~ forças Armadas. as quais. por si 56, quandob~m compreendi<!as e de._emnenhdas. tl1stlflcam os sacrificios olle fa:1 Naçllo para a slla manutenção, Mas di'.so emporia em sumbissllo ncondiciom e oor so encontra limites na própria lei o cuenuncll poderá conferir. por outro lado à fõrça armllda o direito do exame prévio das ordens que deve cumprir. slo Seria a negac50 do prlnclnio da sl1hordinncão militar.. 2.') - Não foi assim que compreendeu a Constituidlo de que restabelceu a simples ohediência. sem limites ao crcfe do Peder Exerlltivo. Houve. como- oue uma retro\1radação ~omodo de definir a subord;nae~o T'lllllar. da cllel não poderia doixar ~e sofrer!nlluénc!a a leqislação orninárln. 1)al a concepção do primeiro Estatuto dos Militares,.que não podendo mais tarde resistir à conla do res~url1imento do e~plrilo democrátlco. se viu sllb~ti. tuldo. às vésperas da promlll,."ç1io da COllstltuiç1!o dr",46, por um olltro. balo xado com o 'Decreto-lei n. 9. OQ8 de 2 d.. ~etembro de e~colmado da e»drúlcula dlsposiçilo de fundo típicamente totalitário. mas. ainda no lodo, em essência. igual ao primeiro. E' tste o atual nstrumento juridico em que ~e delinem os direitos, prerrogativos e regalias.nerentes à ","cao militar. que f lde setembro de 1947 mal passado 1lJ ano da vigl'ncia daqllêle'último, o opder Executivo propõe seia subslitllída pelo anteproieto ora submetido à apreciação da Câamara dos Deputados. Srm dúvida isto correspondea.uma!nfludivel necessidade: realustar a legislação renlanescenle do Estado Novo ao espírito e à letra,da Constitlliçno de 18 de setembro de reunindo em que só corpo dl~posição esparsascon~ cernentes à mesma matéria e comple~ tando a com o que for necessário à. sua intel1ral aplicação., 3.').:.. O a\1te\lroleto governamental apura e melhora n redação de vãrios artigos. cuios textos torna mais daros e, pertanto. menos sujeitos a controvérsias. Ellminha di~poslçoe~ que' por sua nalure:a devem figurar sõmenle do Código de. Venclmenlos e VantagenS ou na Lei de natividade.. 4") - Como inovaçllo, cumpre assinalar..,':, al. o que estatul o artigo 30.DO. Capitulo V. Corréspondente ao de iulmero 35 do. Código atnal. e concer_ nente 11 4'perda do posto e "alênte~,. cuas condlçoes, em parle, silo pasm_ em. conformidade com o 8rlig<J 32.1'01 rágrafo segundo da Constllulçllo na_ali" nea A, e no silena e 2. da lllinell,1

17 Janeirod t:'.linta-feira 20 D1MlO PO CONCRESSO NACONAL (Seção _...." ll1'" cuc jã agora colidem. no tem ]ros PabJo. - Fernandes Flore~. com nômlcas dos nos50~me!os de tran~'rlloal às Armtu" -. pessoa! do d,.st. Cãamara dos Dcputados acaba d~las rc5tri,llcs formuladas'pdo meu vote portes jã francamente em regime de ~eruiç()s". d t b 1 de/lcit. A medida visa por outro lado eil r('''o'v~r aprovan o.0 prol' o numeral ver a. Além disso o abuso que essa me. minar residuns d'uma artstocracra in. '119 A 4!\. que dispõe sõbre a reforma didaprovoca é. de tal natureza quelconceblvel e inconveniente no seio da. dos militares. Em conseq"~ncia propo-.,\nteprojeto Sór.~E O ESTAifU ltleg:\ se a ter dúvidas sõbre ae"-, Fôrça, Armada,' duma DemO,'ra"90. mos a <'i!,r~~5ão do referido tem 3. O TO DOS :VllU7!\RES' tensão da mesma.' 1- Adelmar Rocha - RUll A/melaa. "rtilo, n. aliena C, enquadra por mo- Sala. das Se'sõe-. _ Jurandllr Pres', Acrescentar ao art, 96 osegt.ll:ce: tivo," políticos, e. é O ba<tante. EMe:-lD.~ N!" a 2 " l 3.. ('S acre-cimos e<p~~f\r1d<ls b\ "'~nda contar O tempo de escr-: N. ~ nc!l~rágnlfo an'ôêr:o~ tkm ereito re- '1"<;" r>ilh)óco:> pdo.< artigos 9of-Y, no Suprema-se o ncíso 3. da Je.:ra ti, do Acrescente 80 J 1.. do arti~o 47: troanvo, c".,rtul" X, de "côrdo. com o estabe- artigo 30. "n fine" "Pollcla 11llital' e Corpo de Jus.tiliC2r;aO t~ch,., no artíno 192 da Constituição Bombeiros". Não. on b 1 d apllcado aos rnllítares de conforrnldade EMNDA!li.' 2 " Sala das Sessões. - JuramJ.i/r PUas. do Est:d;Q~: l~:s.'e~e p~~ase;v re~;;~ com o m"~'lrafo sexto do artigo 182. Suprima-se a altnca.á do ort'jo n" susuttcattca VdOU se rerormem na vi.~énch' 010 d admitir. no artigo 29, como dl- mero 73. _.. consntutcão e do tuturo Estatuto 00, telh do. l11i1itar~s, e não mais como SaO hoje reservas do xércítc MJliLares sejam beneficiados com os 11'0 d~,lm"le~.liheralldade, ou mercê l!ml!no'\ N.' 3 N." 3 ac:e~clmos em carsa e os já transter:. di d. ao. para a mesma reserva ou la relov~rnam~nta. ' recornper ~.a... "pensa o Suprema-se O pad;;ra,q 2., do artlgc suprtrna-se o. artigo 66. formad.os. fiquem excluídos dêsses!)c. Ee'~"'('o. tratamento de saúde em ~aso de 43. Justificativa nencios. - Adelmar Roc a - Rlltl c,d,~t~, ou de doenca adquirida em. d C' d Si, Anneuu: - Antenor BOQea - Carlo~ servtco nll em camnanha, Sala de,rcunmo a ornl~sjo ~ ~'..ncontestilvelmel1~e. e. sentlrnenar o de AedeiroJ - Litro Machaào - A/Joi. d\ mandar transferir ex. omeio, paraqurança Nadopal.. 5 de m;;lu de 19-18'1 dlsposítívo mas se ele nao consta.pa.ra /lar.ao Mata ~ coetuo Roario/tcs -. te~~r'/a o oftclal que lôr nomeado «em 1- Eucl!Jdc. F/fllelreda. os civs con:o constar. para os mui- Jo.~e Leo1l1eZ - Benedto Va!actares - c;)r:\"r definitivo e errnanente> para _ tares ~ue tem como fundamento de t.one» Cancacto - Antôn!o çorr~a - f ~ d.. P (1'1 D PARECER DA COMlSS.\O Dt:. F sua fo mação educacional os princr- Ptinia Lemos - Arruda CamQ;ra - unçolo. e '::~~lst~r o m tar a nea, N,'NÇAS 10s de uma fl\~sofja stoica. ttsres da Cunha. i:lo arfioo,31. Nãonns parece U5to, Sala das sessees. _ ~urandllr Ples, ~é anttcíconstttucjonal. F6ra preclso qur tle consideras~e estranha à carreira das No ~st,!do a que. procedemo~ do ano N. 4 Elr,"~< a func~o de prcfcssor militar. teproleto que acompanha li Mensagem :Valetra'.cr"v~r a arcumentacãe " res- n de 19-17, ref~rente ao E<l3tutc Acrescente-se nas disposições tran v ~ ~'M t sltorlas: "OS ofíctars que tenham pro- J>~H"', nroduzicla nele provedo relator do~ ílítares. cinqlrno-nos a seu sspec ~ moção por atos de bravura quando c1~ r..,mi.lsão d~ Con'titL1ic~o e Justiça: rconomlco flnanceiro. pois. ~tn relaçãc reformados têm dreito ao pósto ime- ~Çnmo lã fo aceito, aliás. por ele- aos demais, as Comissões de. ~nstl: dlatanlente superior. ~re~sr,,~ tn~n;mldade, por esta Comls- tul,ão e Tustl,a e de S~!lurança Naclona Slla das S<!ssões. - Jurant!lr Pires: 1~" em rer~çl'ln ao profeto da crillção - órf/llo8 espec1ali%ado~ no assunto -:- Co Qu"rlro do MaQ~tpri... MilHar, a qut M ~mltlram parecer. N." 5 E"r'~'ntamos um substitutivo, a Cons. Decoreu referida Mensallem da ne Substitua-se li letra li do artigo 73 trtu;c,;o.,.,enas alttorlza R na.<sagem para c~~sidade de.adaptar.se o Estatuto do. por: ta reg~rv" do militar M ativa Q\13ndo Mflll'll'e~ da promtllnaçllo de nos~a Car- blaceltar eargo llúbh.co civil salvo ~<t.. aceitar. cargo estranho 11 sua car. ta Magna de introduzindo-se os eletlvos,os de ministros ae Eatado, reln. para êsse 11m. alqumas modiflcaçlles. e, em tempo le guerra. os que lnte-,. R~latlvamente aos Hen.s abordado.s pe. ressem, direta ou indiretamente. a.seco"~, nlla h.~ negar que o proles. las duas Comlss6e técnicas da Casa, a gurança. naclonal. l:or m;1it"r ell:~rc~ntio sua atividade em que aludimos. Mda temos a opor, afi- Sala. lias S<!ssões. - Jurandllr Ptres. e~t".hel~dm"nt~ militar. suleito à dis. 'lurando.se.nos. entretanto. deva.ser JU- SubstitUir l. alineas b, c e. ti do ct;j'm e à.'leararaula militar, COll prlmido ao 110'010. Estatuto o f 3. de 2. G do art. 9,' pela SegUlll~ allnea: Ptonra. P prerroqatlvas militares ndu- art. 47. Clue di:: C - OS cadetes. os aspirantes <aluslve a rio liso da farda e do direito ao.. nos da Escola Nava\) e os alunos das r~ci"'naa.., matúlas 1l1l\itares. ou. ge1o ~Perlildicamente, o Govérno (le EllColas Prepara.tórlas não. sào consipõ~lo. lidando ~"m alunos militares e terminará a revisão das tabelas d~ cter&dos ne sup.erlures ne subordinameni)~. n~rti,,~ntes a um currlcul0, ml. ven~lmentos do. militares. de mode dos dose subtentes. 9ub ollciais, sarfitar. flor tod(l~ êstes a~pectoj. c!rcuns. aadaptá las às modificações do gentos edeais praças, e taceda, 110' tânc1a~ e condl,c5es _ em verdade não custo da vldu. siçãoespeciaj. que ocu}illm nas Fórças " Armadas. li\ouoa crrqo estran ho ~. sua carrelra. oor envolver matéria que tllo s6mente Justificaçtio M"j~" ao rontrárlo. P1l. no llaglstérlo ao Gov~rno.cabe deliberar. c:onsrderanm ' t f d bità t. A medda consubstanclada nesta, ar. con mua. nu. ve mente, a ra do se. que djta revlsl10 pode acar..tar, eme-aa visa ellmniar possívels recai. balhar nara etr e dentro dela. em ato conform~ o caso aumento OLl dimlnulçãc... i elo ~ em jnl'nc~o devotando suas ativdades de vencimentos.' ~f:~o!e~~~e~~~sa!:ei~:~:a d; ~o aorift1nr~llento e fortaleclmento das S A. 6 C 1 13 d oficiais sobre os substenentes, sub-ofir:lno<e armrdas~.,a a «nt n o ar os~.em ~ ciais, sargentos e demas praças. Etn conformldai:fe com tllo acerta- Julho de Horaclo 'Lafu, Rela- Além disso. o crlterlo da 'presente í!a~ ~o"~lderrçlles, sugrrlmos a ellml. toro proposição evltarê. continuem a ser naç~o da referida aliena D. do artigo "A'R!!Cl!a feridos preceitos do "Regula.p1ento de 7.3. do antpnroleto. r Conti~nci&S' e sinais de Respeito" '" r, - S u b emter ao 'roro ml itar <a A tomlssllo d e F n:mças op na. f a de. c:<lg-em vez que, a em rep-a,nem OS alunos saudaç/l() militar. nem OS!1t!oridarle policia que maltratar ou voràvelmente ao parecer do' Relator. subtenentes, llub.oficials, sargentos e consentir sela maltratado qualquer pr!. bem como A emenda constante do demais praças a fazem. ~o militar. ou nao h~ dispensar o tra. mesmo. 1 r'atnen!(\ devido ao po.to" '(Artigo 43, Sala «AntOnio Carlos), em 13 de Cumpre acrescentar ser essa a or - parligrafo segundo)'. E/ uma mova,ao Julho de Horaclo Laler. Pre. ~~~~a~~o~:d:u~~s~~cl;~co~~rt~;!rue con~rarla o tlarãçlrafo prmeiro do aldellte em. xerclcio. - Horacio L8fer' fol'mação de oficlais só têm hlerar aruqo 108 êla ConstltulÇ'llo, o- que! s6 Relator. - Aloysio de Castro. - Dio qula entre si e no nterior dos Esta!li:lmlt~ 11 extençllo do foro. militar aos c/eelo Duarte. -Osvaldo 'Lima. - leledmentoll que cursam. sso resul cvs. qllani:fo se tratjl de «repressllo de Luiz: Vianna.,;,. Souza LelJo, lauro ta, certamente, do fato dos alunos c!rm~ contra a 5equrança externa d.o Montenel1ro, - OrlandoBraJil.- Ago&- não exercerem, a rigor, funçíio mll1tar llat~.otlconfra 'ls lnstltulci'les m111ares~' tlnho Monteiro. _ Perntlndo Nóbrega. bcm d.efinlda. - Ade/mar Rocha. Pronomos. íim c:ollscqüêncl;lóa,ua - 'G~!>ritl Pasos. - Se!1ad.u Vianna. x." 7 ~upressão.,.""'.: - A/ornar. Baleeiro., - Toledo Pita. Suçrlma-se a al1nea CJ do art.. ia. ~"r - No mab, Somol!l! pareer EMENDAS DE PAUTA A Qu-E:SE qu" o anteproleto (lovemamental s6bre REFEREM da PARECERa Justificação ) Est~tutodos Militares. 90de ser re N" 1. '0 art. 9." coloca o caputfoe ocacornendado ll) plenáro da CAmara (Jo~ pltdo-ullente en'tre os oficiais rupe.... t '-' "".., i: d' iorea. - At!.e/mão Rocha. uepn aaob.." e representa. sem. úvl 11 SU\lrlmll-se.. letr3. h do artigo 29 am melhllramento na!eg!s!açllo nílfltar, Celo Ca.pitu~o V):. lf.' 8 ~nquailradp qlle.t!carl nos moldes de. mocraticos constitucionais. JustlflcativCJ Suprlma-St" a art Sara éjl' Reunillo!fa ComY8:o íje Se Tr4nslto livre para sf e para sua'.,jl$ti/icaçãó ÇJuranca NRdon~t. 5 de maio de faml1la é posltlvament'"' demais. ela. A eoneepçio de guerra tola n40 -ArtF",,.Berllarile,, Presidente. - Eu ro, estê. que os miutaretquando trana comporta asex:pres,uliea - "militare. c1!1í:1es F(lue1redo.Relator. - Turael M8'!orldos devem ter tr'.lpdrte J)ara si co/lootenles:: - ""lilttares ndo '!JillMe6, - A"e'marPoéha..- Arruda esua-famfila.mu u'. <11spositlo as co~l~~esdl'tl~"i1o Ccit::? l' atua. Cifmllta. _ 'O.6rloTuyuty. _ ÜQ- sim de or4.em senér1c,.,poder.. cano. s "~ - e pordo lla':!.el._ 10&ot:eal, -'Ne~re.l. côrrer pàr~, lirl.vat' ' llon41çliee eoo mente.oolllllste nas eçreslllies -le, Suprimir a letra h do art. 55. JUstlção: 11: evidentemente inconstitucional. 11 que dispõe a letra n do art, 55. Fo~e a competência do Ministro da Querra conceder licença ao mllltar. quer se.la êje da ativa, reserva ou reformad/), oara comcliclatur-se a qualquer mano dato, ou cargo. eletivo. A Constituição é elara a respeito não re5tr\nl!e () d \reito de. nenhuma cldadão para candidatar-se a não ser no que dl&pfle o art. 38, pará~rafo e incisos, tudo da constituição Federal em Vigor. 5.S., R Almeida Adelmar Rocha - FrelfasDiniz Vandolli de Barros - Aramis Ataldlt.,. Bailara Lima - Fernande: F/ores - Flores /facl/llha - Abelardo 11ata - Lino!fachat!o - Coelho Rodri gul!s. lf' U RedJa. se o f t.o do art, 2. da se.uln~!orma: - As Fôrças Armadas das Constl tuidos essencialmente nela EXércto, Marinha e Aeronáutlca. Justificação Com'em não alterar o te,lto cons. titucional. O art. 176 da Carta Mog na define com claresa - FOrças Ar madas e de mesmo forma o seu ar~. 183 qullndo às Pllcials Ml11tares. Compreendo com o art. 183 que 011 Pollclais. M\Utares. mesmo convoca dos não ficam lnduldas na exjlressão Generlca. - Fôrças Armadal. \)O~ o petrágrafo únko d~see artigo esptelflca que as P()licl~js Mllltares quando convocados go~a:n da.s mes mas vantagens.atrlb\l!rl~s ao p~.<soa1 11' EXército. selencial1do qtul.odo" 1-rarln11a e AeronAutica, pejo.que se con~lue não lhes ter ndui';... nas. Fôrças Armada.~. PiXa qut a.n:anhil. tliose dê out~a lnte~preeação li. ex pressão-. FOçças Armadas Julgo tclnvenente elimnar 9. p~rte final do 1., Of& emendado.. p-ois em nadlli pre,llldicul9. ti decreto das PoliclalB Milltares. S.S ' -Freitas 1;)1111:, x. 12 St:!)~tltua-se j, palal'1'a por "atl\'a" no art , Jt:~tilicaçJo Estf. claro o êrro.de mpreull.o S.S Fre~tas Dlni~, x. 13 No art.u nos ten$ r r. m façam se as segui11ltes a1te~a;oes' /l) ltclloi, U e nl sepa~em';e do ~tredulo 4e. oc!claesllu\1eriorea o il<!sio.o. C'Pltao. CD!t4oiotenento Qfl.

18 301;- Quinta-feira:2,) DARO DO Cor~C~E$SO t.lj!~(\~al (Seção ) --, --.,..., ="''"'''''~.""..'''''''~~...,,'''''''',...,.,''''''''~ ~u.o res-sectivnmente. pr.raccnst!- j"l:.t'e:;ri esses pu.l"lol' um onde errcula 1;:tel'01(;Ói>lr,o entre, O.'iClllt~ superíorf~ e ~ut,a~ terr.os. JUstitica5'ão Prest:m.e-se 't;;i'm~m uma fnu:a ou fni. Liot :m;::l'c:8~..i.o!~orqü.ant() o art. 16 Q'lJ projc~o~e"z ::.~'ia d estrucào. \.' Nos.te as 1,11 e!li. Ex~rcito \!t~:'j!111:"1 e Aeronúutíca. respectiva :t&h"]-:.t.e mcluu-se o zra duado sub- tepr.1:.e suu-oüc.ai 'e ~üb te n. acima da S;alu\"l':l - 1.0,sarg ent.o, j\(stitica"ão N;,o há til craca r asao para a cl:lssífka,ão es.iecia! césses gracuaoos. ~ SUO len. Ou S\lb-olicla! esta perft:;t amente mte irado na n.eraruuía DJ~ll tar e constitue uma graduacão c.tdlno'u,!j.erre:~.mente ccnsoiídace na ~'1tegoria das :::::ú;as de ore, ou Tace da le,islac~o miiltar. Dar'lhe o.itra e''':'-f'ciftcacão e ;lrocurar complexlca C1p -oara C'Uusa tilo sim olí. 10 S. 30-j 19!B. - Freitas tnniz, N. i 1.' do art. 9. eliminam-se a! pah:.vras subler. e sub-ofidaes cem Janeiro de 1955 Elo\ENDA N. ~ DUDA f.' 5 J:KEf1lA Jf.' a ~ Jllsiijicação ' De t,al arte, por uma lógca e natu r Parecer contrário. Quer o!:st"luto s ü'.. ral di~trlbuiçá(> da matéria. de acorde do Funclonár!o. vigente, em leu r.:tl A emenda é Lima cem eq enc a..8 com a sua competência especíahzada. [O 172. quer o Projeto em curso nes- "ue [orn:u~~mos no art,,13., caberá à Comissão de Se~uranÇa Na- ta. Casa, no art. 2{)5 (aprovado pelllo?.om? re,,;a sz:eral e arbmàrlan.ent~ cíonal pronunciar-se sõbre o mérito e comissão de Justiça), ou art, 201 ~P,lC~\f'1. n.1o,:e deve perml~lr_ a ai a conveniênc:ia do anteprojeto. como (aprovado pela Comissão de Sfl'viçol!l reraeao d,a 8!hlQuldade de, ~flclai' do a mais tecnícamente aparelhada para Públicos)" ambos asseguram expresmesmo nósto irnoondo-se aínda fl::~r desobrigar-se de tal ncumbência re- lamente aquele dircito ao funclonár!d as exceçoes que o caso pode compor- gimental. até porque formada. em sua público da União. e assim não i\íõmol tal'. ", quase unanimidade. pelos militares motivo algum para não extendê-lo o ~tre :ss~~~.oexcecões d?~ram as Que com assento nesta Casa,!lcando.nos, tambem aos militares, Que. índíscutí,st~o e~dm..."das n~ oresente ernen- apenas. o estudo do seu aspecto P:O' velmente, ainda Que não houvesse êsel lia cuax das O.~~S sao ~dm:u(las'pel~ priamente constitllcivllu.l. Eem tal precedente, a Janto fariam jus p~lo l:el d~. Prcmocões tuec eto lel num c preliminur ficaremos. nao nos alon- multo que vale sua nocre carreira, ~o 5 ;"5, ~; ~8 d,e \:~~ho de 1:4:. ~:ti. gando em constderncões extranhas à.0 E"..n..o.", u:.m,a a,~"e.lll nda espectahzacào de nossas atrlbuir;õe~y, ~ejaolconstltulçao em vigor art MO posto, dentro da ortentaeão flr., 4.. mada por esta Comissão. apreciamos. Sala das Sps, õ~s. '2!l delu!ho de separadamente. cada uma das dese,l , - em/os de Meciei7 os. seis emendas ora. submetidas ao nos- N,'17 se exame: A lctra d) do art. 95 suprima.~c a EMENDA )1. o 1 express:,o finol: "nte o limite máximo Do ilustre Deputado Juramllr Pires de três 13) anos. F'~rerlra. Man.da suprimír a letra h) do art 29 do erojeto, sob o funda- Ju,.tijicaçêio mento de que "trânsito, livre para s A restrição Que a presente emenda (o militar) e para 1\ famllia é positj. "e.propõe suprimir, perfeitamente,'amente demais". eegundo argumenaplicá~'el aos ca~o~ de dentl5tr~ e faro ta a 5ua just.1ficaç!io. macêutlcos. ' lt!justa e \n:ld~ql1ada Há el'!dente equivoco. Como de fá n"!m cancele se a letra c cio i 2 do mesmo art. Justljicaçâo Dara os módlrn,. Qllf em Qt'Ai'"\l~rfa. ci! \'erlf1caçào, por uma 81mplee leltuculdades oficiais dop ais cursam seis ra do seu texto, o cue o aludido dispoante '6l anos de ensijlo superior. Par~ce-' sltlvo a8sel'ura é col'a mui diversa do. -, con!eo;uêll<:!a da emenda flor. '108 ter ~jdo tntencão dos autores do livre trânsito, a que nemeequer se Em 3C FreitCl Dlnil. anteprojeto do Estatuto unlformisar refere, 'dlreta ou ndiretamente., clllra 1'1,. 15 " concessão do tempo relativo aos ou subentendldamente. Trata-se. tão CUl'!iOS de academias, CM8 ou millta- semente, do direito,de transdorte e Ao a.rt '1'8. tenc!o em vista o período de t,r~s baga!l!em. para o mllltal' e sua famllla. 5ullrima-u. na parte final. a ex- '3) ano_ (ue constitui o ensino mlli- ainda aslln. não de um modo total e,,prees'ão, tal' sunerior. absoluto, mas. apenas,quando "de -!alvo se em decreto ou fm ato da Entretanto, ouanto ao curso do~ acordo com,a legjelaç;liorespecuva", f!.lltoridade com?etente fór à~termina- médicos mtjlt1res, P1rere-nos" diante "Direto dêntico, auas. dá-se ao fun Ga outra data". do expe)ho in1ustn li restrlçâo refe- cionãrlo civil desde o Decreto número Justificaç/lo rioa.- Someio )llnior de 8 de dezembro de 1918, Que consolidou as dtspaslçõee legais e re C<ln!orme se verltlca pela sim:>le! N. 18 vulamentares refprentes aoe funcioná. 'leitura do artlgo a emendar a anu No art; 7~ nclua-se a letra b) do rloe chile dll Uniio até o projeto do gull1ace oellne,' em caca posto. a 00' art. 96 _ sel'l'lco público. Estatuto dos mesmos funcloná.rlos. ora!lição hlerarqtllca do oficial. A seu '.' em curso nesta,clmara. que, confor tlll'no.a antiguidade e função da dala JustlflcaçtJo me,lá aprovado nesta Comissâo e na Gil promeç~o. data que afin~l. cons' A carta Ma~na, em seue arte. 192 e d.e Serviços Públicos Cvil!, em seu ar tlt~'e,a çtulc1'lal ca,racterist.ca da 182. '.0 manda Que seja computado tigo 181, 2. ~spõe Que o transporte 'preceoêll4:la entre of.clals do mesmo ntegralmente oara,efeito de dl~llonl- do funconário e da famma correrá poho., bllldade o tempo de serviço público DOr conta do, Oov!mo. nclulda a ba- Se,a an.tiguidade assegu!a a :Jrece- federal,' estadual emllplit"lol'..,'~agem, segundo o uu art" 188. déncla, nao parece cablyel conceder O oróprlo rflntor" em,~u l~,~ecpr. t:udo,,,~ claro, em caso de transferfn!t! a faculdade ele mo((!icã la livre- tem!l assnala ""l1e o anteo!oleto cia ou nomelll;ao Dara, lugar diverso mente,,porque tanto lmportapa em corrige sensl,el dlspll.1'ldade en-,r;, o, daquele em Que se,rvt,' llubverter o ~rincfoio da hlerarqu l a m ti'" lt e ela re re<entã' e oue é subretu- ~ta uto v ~ente e o temo con_t U-Justo e razoâl'el o queconce 4<11. a asepó -inhituicâo mlllta,r. c;'onal. o oual manda computar intt 1e o projeto. - assegurando ao' mucj.oar. ~esmo \emoo, d~sde Que a pro- (l"a/mente,o referido temno df 5ervlco. tar o mesmo quetem a clvll,- nada áal n t ~'tltular no exerci- para cue sela verda.de1ram~nte n. 11Jstl!1cando, assíj, o qljt proplie li mor; ves e, U 'd ri tegral "êsse computo. llarece-nos êmenda. elo de um direto adquir o.\!oro.l constitucional sua inclusãq no!lrt. 74 mente de acordo coma lei. MO!!OdP flln' ' " ficar ao ar'oitrio de outrem alterar a a de aue.,elam concedidas aos dat d ato e creou a{luê1e direito,. mlllta~es Que,la tenham ellercldo fun, N~ q~e dlzq~e''jeito á eitt1acíl<:> dos ~fio nublfra. civil, os dlreitor constan oficiais _ cujas '''oatentes são ltaran- te. do referido artigo. - BomiÍo J7f.. titlll8 em tod:a nrenltllde". a norma njor. que,!le oretende nstituir ê 001", nc-'nvenlente e, de constitucionalidade d uv1dosa, em face do.! prccfitos esta. belecidos nos art, 141, oarâl!tafo 3. e art. 182, da. constituição "e'deral. Quanto is, praeae. a ressalve. ~ noperante. uma vez Que. não tendo U f'l'aduaç6es as ltarantlas..",elt\lradas 501\ postos, podem ser modlficadm por ato de autoridade oomnetfnte. n c'1ependentemente ele outrae dis'po~çoes, tolém das Que estão collsl.gnadat Apresentada. ainda, pelo no b rt Deputado Jurandlr Pires Fe:nira, manda reformar no posto mediata. mente superior o mllltar Que tiver sido promovido por ato de bravura. Parecer contrário, mportaria numa espécie de bí-promoeão, pouco justa e razoável e tanto menos compreensível e aceitável Quando decorrido já,na maioria elas vêses, bastante tempo do motivo de que se orginaria, permitido do se de tal, arte. premiar a Quem, por procedlment.o posterior, não o mereça. Do mesmo deputado. Proplle sube. tltuir a letra 11) do art. 73 do Proje, to pelo seguinte: ""eltar cargo público clvü. salvo os eletlvos,os de M" nlstroe de Estado, e.em tem» ill guerra os que nteressem, direta ou ndiretamente, a seglu'ança nadona1". Parecer c01tr4rlo. Mesmo sob, a ponto de vista puramente jurióico, n!o vemos convenlêncillt nem vanta~ fiem na redação proposta, Que, "date venla", a nosso ver, só vem ~bscurecer o Que no projeto,está claro e pre. clso.', ' '. S1 no llj't. 73. bl do,projeto!e inclui "aceitar cargo público civil de FOt>iménto efetivo" COllO, uma dlll Cl1lSBS dto transferência e:t-ol1icio da 1l111tar para a reserva, necessàrlamen. te, excluídas' estão t6dal' tos esjleelel previstas lia emenda, que nao são no pro\'lmento efetivo. sem objeto, por fla~antemepte, desneceseárla, a alteração proposta na emenda. Da autoria do UUltre Deputado.\de1 mar Rocha. Sublitltueas allneas bl. cl e!flio '. do art. 11.' do Proje. to pela eegulnte adnea: C), Oe cadetes ~A 2 os a5jllrante~( alunoe da Escola NavalJ e 06 alunos das Escolas Preparatórias Ainda do- Deputado Jurandlr Pires nio são considerados nem suverlorea Peneira, Propõe acrescentar-se ao ar. nem subordlnaclos dos subtenentes. tigo 47, 1. do Projeto as palavras sub-oflciaie, sargentos e demais l)1'a pollclas, mlluares,e bombeiros". çae, em" face da posição especial Que PARECER DA COMSSAO DE visando, assim, equiparar ll8 remune-. ocupam nas fôrças Armadas. ~ONS''1'UÇAo E JUSTÇA raç6ee deslllle corporações. dos Esta A menda. envolve, 'n1tldamen,te, mól~ dos; U do ExércitO. da M&rlnha e da. tfria de Jlura técnica e.organl:aç!io O Projeto n. 7113"8, oriundo de Aeronáutica. para os mesmos postos milita,r; para cu)'a exata lpreci,arlio DO,' Mensagem do Exmo. Sr, Presidente e graduações da RepÚblica, Que dispõe 861l1'e o E-' faltam conhecimentos e atribuiçoes tatatuto doe Militares, volta a esta CO. PArecer COlltr4rfD. A emmde. é cla pecla!sadas. Limitamo-nos, 'as.im. a missão para efeito de parecer'sobre morosamente inconstitucional e n-afirmar., ua constitucionalidade e, pa-. as 18 emendas, apresentadas, em cus conveniente. Abena do nosao llstlltu rli'melhor clarea! do seu. sentido,,pro-, culsao única, em p1en6.rlo. to Bâslca que, em seu art.,'. XV. l, por ligeira alteraç:lo de, redac;:lo:.1 Quan ', do "ela primeira vez tr.~-tou a.penal~onfere to União, compet6ncla palavras - «em iace da pi>.>içllo t.- ' _. para...e1llr,uo sômente, sobre 01' '- ' " pa ~ a referldaproposlçao):)or ~ste ôrl';10, ~ZlÇio, lnstruç'o. fuatlc:a e raran. pcc.a que Cltp~m,.., u[fl!'.."maalls1m nos pronunciamos e6bre como tias dloll podelae mllltares", Hm ~e. dlln passa. m para logo após caju.m deverlamos encarar a matéria, fixan. julo,. claro, da competencla. supletl. das Escola. Plepilratórlau. no' rflnllamento~ vlgentee. Sala'elas Bes_ões. 29 de Julho de C4rlol,de Jfedeirol. cio diretrizes e rumo' 'que, por, entlo, va e complemmtardos Estados" nada N. 16 uldimemente, aprovadas nesta. Co- dlsdóndo sebre ""cmentos e 1'0""-..,!MENPA N" 7 mlssi(), merecem relembradu.. gens, que s,er', tosslm, mawria d aex. '," A Tit lo...pltulo n c'usiva. atrlbul"'o e't "uel1, e, -nd-.'. Também.. " ou, "... Lel tipicamente lilltar, pelo seu ' ch S Deputado Adelmar d Ro-, 16 Acr. ' '' ente. se ônde convier: conteúdo, caracteristicas e finalidades. ~ nll(leltável e njusta porque mpa. a. uprlll:. a a nea c o, art.., - ""_" ria a varas unldadr.s da_ Federaçlío, uma \n quo '1) art. 9- do Proteto., ' d O't a eis que -pela própria d,...o 'do seu d blll" d fi ' 't' t, Art... A antl';(\lldade e P s 0'0_ ar&1go primeiro se destina a "regular e, pequenas poss lia es nance - co o<:a o caplr..o e o C:i1p'..o-tenerJ t que se refere o art. 13desta lei. se p. a situlll;áo, dev,eres, responsabtlldades, rae, despesas superiores los.se,us recur- entre os oficiais sliprrlores', nao,se ju.. &!ler" Se!' alterada auando o oneial ti regalias, direito e e deveres dosmlllta-' $Os. - tllicando, a,sim. um cl.culo div~l'lo pi!rlt nr,sido proljlc)v1do' ndevidamente ou res», é de ver' que pouco nos comp~te êssrs postos, como 'faz"o dlspositi\lc fjfm vaga', ou, a!nda,quando e~sa a na matéria em exame, salvo no to- '~A cuja eliminação se' pedi. ',. tl!rac' o rôr ellllres!ll\mente deter~. cante.àsua harrnonl!lltçao com 'os pre,tmnbém elo operoso Deputlldo Ju- Dai..' ~ na"ut-~ da 'emenda,,"ur dií. DAda.emdedsãojUdlc1al d~,que n o cel&os constitucl(lnals" \!ejam os '\tue' randlr Plre!F'errelr... Objetlya.1 eu ~ ~ba-,recurso-:. constituem os DO~tll1adoe básicos,,de,.mb;lação do,&1'.. 6&.do proje&o.que die. respeito,~ prllpria or!jilni:aç:lo das di1". :"t'ivê,[l;j'afo \ínlco..entende-se, 1)Or ~Ol8.Lej, Mâlflm8",~ej~m., <1e!lJspmil~ 00e s6bre a. llcenca do mwtar!xlr sesatü1adas, llpareceijdo:.s~liil. 1101,1,:rornaCl!o inde,illa, a. tl~enhbouver tlvo! 'pertll'lcnw!s ts" F'orr:~s' Armadall. dot'rlçá em. pebroa da iaroma, sob a olhos lrigos e progildos'dõ lurbta. ~omcl ' bbf'i1rtldó a tmas as condições esta tlue lnte!?1;.lm ~odo o tltulo vn da alegac:âo de' nio cater!4ual din!to ao nuunto de,alia transcedd~da miltar. beleclda:> na lei refpectl,ll. Constltuiçao. funckiwixlo tlv).1:. ümitóltnu.noa ilmmar _... to1tl1i- '

19 Quinta-feira 20.,.,., D1AR0 DO CONCRESSO N,\(ONAL (Seção r Jal~eiro d~ tucio""lid.1c1e. A douta Comis,aodr' Ça8 Armadas são constituldas.e4sen- r médk~ umasitlja~~o de ocloljl pre- de uns e outros. Releva alndu tere.. S~~"r'allça Nacional melhor dirá sôbrc eiaimoiue -,- note-se bem - er.sendal- tcrl,ão de seus direitos, centar, que o Estatuto dos Militares; a sua conveniência face os inlcn:ss«, mente, do Exé rclto, Marinha e AC'O- por se aplícar tão 56 ao pessoal..~". A. ti 1 1 ' 7' lllilil"res do Paí90.. náutica. não afastou, de modo algum" ~u~la ernen a n; ue no an go,.crviço ativo na s Força" Armaua, apossíbtltdnde das rcspect ívns reservas i d?, :,',o"elo ~,letra, do ~.rugo 96. :.0 cg:c C:c~:l S~ tcnl1~ :.tfustudo pa:. tnrnném as integrarem, quando C011\'O-. SU\.,o,publleo, f'~la ustírícar a sua a manv.dade". tartigu 2. n do pl'oje" EMENDA N G 8 cedas acettação..oasta -e.ertr que objetiva e La em est udos i, não podcra ubrunger as' po~lc",.:'''j que '.-ião consideradaa Aiod" do deputado Adclmar Rocha, P,'cic a e:xclusào do art. 17 do Prc torça" auxítlarcs, reservas do E:,er [cto, que define oq ue deva se euten CtO" (arugo 183, du Constitulçãor, der por militar combatente. - sob o fundamente de que a guerra moderna. tota), não mais autorl:a ou cpssíbilíta li disrlnção feita pelo Projete. Apenas reconhecemos a constitltciona, "«,,de da emenda, SObre o seu acêrto técntco-militar,,caberá à Comlss:io de S..'glll <Jllça Naclcnaí pronunciar-se a resp..lto, EMENDA N Q 9 D, mesmo lustre deputado. Acresccnta ao da. 96 o seguinte 3": «O, acré-rimox espectfícados no pal'ágrafo autcrlor têm efeito retroativo PJrcn'r conmuio, eis que a rctrca "ão pretendida pela emenda, conforme dal ament... di:.ua ju~tifjcaçflo, vi;" alcallçar também a. reformas e rescl' vas lã antel'lormente concedida!, com modifica,áo dc situações jurldicas estabelcidas à base de uma legislaç",) diversa. Valiosa.t concludente a liç50 de Carlos Ma~imilauo s~br~ espécl~ rigoro, o\ameltto al1áloçjil tm sua feição jul'idica; ca lei vigorante quando o funciobário é aposentado ou pede para o Ser é a que di,clpl!na a aposentadoria:, f.. u as condições da mesma., 05,"cncil1l~ntos e outro. proventos~.,«dl...:ito Nnternacionab. 19~6. pág.. 935). EMENDA 21,' 11, rp"li?a ela o cumnrimento do disposto A finalidade das reservas constste.] no, arti~()g 1;)2 l 6. e Hl2 da consnexatamente, em, quando ncccssàrro : turão. em vírt ude dos quaís deve ser juntarem-se à" rôrcas armadas, ela ati- ínreuraímente conmdo em nvor do va, para, com elas se mregraudo e milita', para efeito de reforma. temse confundindo, aumentarem os ere- po de servico público federal, estadual EMENDA N.o 13 :M~ND,\ N," 3 tívos precisos pata a defesa dot'ais, e muniriual. Somos. assim, pela sua Manda suprimir o art.íqo 66. O artigo '183, patágrdfo único da 3111',?va~ão,, Parecer con/1'a'lo - Certamente e,1- Constituição. apenas corrobora,,(jo.- E nosso parecer. C31l 0U,.ao ilustre autor da ernenna, o' que arlrmu e. e rolo. O rela tui da firma essa evidência Não vemcs eo- Sala das Rel1nlõe, da Cnmhslin de Coml.s:,lio dê Justica Ao avesso da mo possa ser argiiido com argumento Constituição e Justiça, em 31 de agõs- que lhe pereceu ser um P j"u"j,;c) contrárto. to de Aqamen"o71 Magalhries, 110\'0, e excepcíonaí, contendo alo"!:m8nda N.O 12 Presidente. - 1.allle!ra 8.iJ.tencourl. militares, a d!~':ei'içco elo arriao ~ Relator, - Benedito V~l1adares, - do projeto vem-lhes reassegura r van- Pilrerl!T favcjrá~'el, Rel.ífíca eví-.4f01/.'~ Arinr», - Gurael do Amaral tauem Já estabelecida na lei anterior; dente engano' de"rcduçãci. - A/l.n1//,irando Rp"liiio. - Aristsâe«e gualme'.1fe conotriirra uns runcíouat.arqura. _ enrlas W(lldclor. - l'ios civis pr lo Estatuto que lilese Edllnrdo DWJil'icr. - Plmín tsarrrt» oplicáve.ademal.". seria estender de _ Edqa1'rf. rl~ Arrudn. - Plnheiro Ma- musíado os rigal'cscle uma ffilosotla cliodo. _ Gus/al'o Capanem~. estoicn" que se impõe ao militar. exi- Propõe o inverso da emenda n, 7, ;:ir que éle não oossa acudír à 'pt".<- ~c':,~~'~l~d~ti~~~~i~u~~l~~;'~~~~~a~l~ ~'~~: PAREC~6R~~Ç~O~~~iJ~APE SE-' ~<~~ ct;i'tosv~orf~i~jj~~men~;rl)~~ue~';~i~~: titull'em uma classe 1ntenuedial'ia e das su~s obrigações e deveres. e.'pec:al.. P,. b' Envolvendo questâo de organi?acâo alee~r so te M d ~men as (lô t ~ EME,\ N. 4 mil.ltul'. aper,as afirmamos as'la. CO.i- lapresentadas em plenano. Manda acrescent.al t:a.> di,poslç~e~ líllwionalidade. Quanto à. sua ccnve, EMFNOA NO 1 trunsltó;'las; niéncia, s~~ pon;o, de vlst~ d? ntel'ês:." "Os oficiais que tenham promoçâo se,das '.cla.~,es alnudas, di lo A a dou t\f:\ndfl SUlll'lmlt.. a letl'a /1 do arti- por atos de brllvllra. quando relor. ta Comissao de Segurança Nacional. '~o 29 (Cap1tulo Vl. modos, têm direito ao põsto imedia. Parecer eolllrario - Em confol" lamente superiol''', ' EMENDA N,o 14 inidane com o ponto de vista do!lus- parecer contrário - ntelramenc. Também relatva a.assunto pura- tl'e' relll'or d3 matéria na Comissão de acordo eolu o relator da Comissã.ct mente mllltar, não contendo.nenhumá de, J1,tl~a, sy. Deputa~o Lame;]': de Justiça.,:u'vl'da U,.". d" ellre'to a esclal'ecer E' vel &t,encout a stlpressao t. ~ao proposta.. nos palece acelá E" MEND.\ N, o> ConstlluC!onnl. A di'!1osição em ap\'e~o visa asse- Mal;da substitur a ietra 11 do llt'-' ~U1'ar aos mtlltares, quando remov- tilio 73. por: ' EMENDA N 10 'ElENDA N. 15 do,. o dlt'eito ao seu transporte pes- D b D d R A soa. da d sua famllia. e bagagens, por "111 Aceitar cur;o pliblleo cvil, o no re eputa o u mei a e Manda suprimir na pal'le tlna1 do conta. do Estado, "de acordo com a Ealvo eletivo, os de Min~stro de Esv,irios outros ilustres repres~nlante.. a tlgo 13 a expl'esoào "salvo se em legislação em vigor". Não havera, ~ado, e. em tempo de guerra. O! qu Suprime a l~tra h) do art. 55. que decreto ou em ato da autoridade com- pois.' peri~o de at'bitrio, nem se co- nteressam. direta OU indiretamente inclui entre os casol de licença a ser lletentefór determinada outro colsa. a:üa d~ Une tr{m~!td. Direito gull.1 à sellw'ança nacional". concedida ao militar o exerc:ldo de PU1'eeer canlràrio. Não procede é concedirto 1\0, tunclonál'ios clvl~. Pal'e,ccr confrório... ltt~lramente cargo e1.o(ivo. assim dependente daque, emenda: não se justificam os receios e jll. o era também aos militares em de acordo _com o parecei' dc, relator la formalidade. que. segundo se depre' que a inspil'aram. Pelo que saue'\1os. leis anterores. da Comtssao de JUstlça, que CO18end~ do texto incriminado, poderá. Ou e eonse:,;uimos apul'ar. 11 faculdade de ~MENO.\,N." 2 dera "f1all'raltt'emente desnecessária a não. er d~lerida...,er contada a antiguidade do militar, alteração proposta".. Par~cer favorável. A emenda pro- -não, nutomatkamellte, do dia da Manda acrescclltar, in flnl!, ao pa- Além disso, ela é nconstitucional. c~d~, Em verdade, o militar. para ex~r' promoção, mas, por. ato ou decreto rágrafo 1, do8rtjgo 47" a e"pres- Basta atentar combjnad~metlte. nls c~r cargo eletivo, nllo precjsa dare posterior. nâo importa em risco, ame- :() b "Policia Militar e Corpo de queestaluem os paralll alus3.' e 4. quisito da licença. nem esta leria ca' "'" nu O",juízo para os se-' nter\; SS om eiras". artigo 182, da ConstitUção Federal. bivel na espécie, maxlme, quando peia e direitos. mas, ao contrário. visabe- Parecer con.lrário -Vê-se, peto pelo!; qualr,se l'e claro que, sómenr~da,'''o do art. 55. i:omo já dito. cia neftciá.lo com.a possibilidade de, por. tato de ter sido empregado o si.ngll" te por aceitar e Q1'rJo 1l1cbiicCl permad ' "d E j' r " motivo justo. ser a sua p'rom""'o con- lar - ':Poll.cia Militar e Corpo ar nl!llt-e. serft o nnjitar transterldo. ex- PSo el'la ser nell~ a.se assim ocolr er. vl~lo Bombelros" _. que.0 ilustre autor da alicio. para :l re,~o'va e que quandls erá, por.ventura. nelegive o mi itar, siderada' como de data. anter or.v. g" emenda cogitou somente das corpo- ocorrer o caso de f'~ercjclo de tunou. o que dará Da 'mesma. ficará êle como daquela em que devera ocorrer rações - de policia e bombeiros ao çâo temporária, elrtiva Ou neio.duimpedido de investlr se 110 cargo para se vaga hou\'esse. Distrito Federal, e não das detódas se-a-á simplesmente, a agregação as que o elcgcu. a soberania popular, atra- A ressalva que a emenda quer su- as Unidade.-; da Unão, como. pareceu respectivo quadro. SO tlepol~ de con. "'és o nstrumento legitimo e constituo pl'imirassegura. no tocante. â pro.- a.o relator da Comissil.o de Justiça. tados oito anos lestas eondlções,-'e donal do voto 1 Evidentemente - Nao' moção, uma retroaçâo dos seus efet- Assm. ela escapa à eritica.de se' que terá. lugar o alastamentopara a A demonstrá-lo. basta invocar o art..38 tas Que só pode representar uma ga- "clamorosamcnte incons.t~tuclonal" rejerva. Fora dai. n~na pode estada COllstituição. DeverA êle, então, SU" rnntla e uma vanta!iem para o mllitar, por terir o E.~tatuto Basieo' em SeU bc ecer a r~spe.ito. a 11'1 ordinária., ieltat'-se a alguma penalidade? Tam- ~ãose justiflca,assim, a.,sua ellml- artigo 5., XV,f), para incidr em. EMENA N.o 6,'" bém - Nâo! As únicas restrl.c;6ea ll' â. gual vielo se. estudada à luz do que que fica sujeito o militar nvestldoem naç o.- preccitua o pa!'ágrafoúnlco do ar Mandn substitur os alineas b. C cargo públlço temporârlo, efetivo ou EMENDA tlgo 183:. - -QualUlo moblllza4oa dao parágrafo 2,", artigo.9 por: não. são asdo art. 182, 4., da Cons- ~ervlçoda União, em t~mpo de ruer- "c) Os cade-es os i liwic.ii.o, "'ue.na,nda apenas a"re... "é-o ra e:-:terna ou civil. o seu pessoal nos da Escola N'ov'a1) :sosp!'aanlutneosradl~: ~.. De acôrdo com o acimaespost,o. da- (do! ""Uctas em ge a 1".lv T.'. ~ ~... e crl11tm' seu tempo somente para efeito _...~ r, nc,.., e /l...,colas Preparht6nas na.. (. - ti d d f mos parecer favol'ável, eliminando se, do. D,trlto Federal1 go~art\ (M m!"~- '='er~dos nem super[o e..o s~o C b 008e promoçflo por an gu a e. trans e- porém, a restrita SÓ", eis que, co- mas vantagens atr1bu1das ao pessoal nado!! dos SUbtencn[e: nembsuftord~. l'êncla para a reserva ou reforma. mo ji dito, freqüentes vêzes, a antigui do. EXército". sargentos demajs pra...~u ~o Cfll,L... Aliás, parece ter havido no caso mê- dade do militarae conta.não da sua. dr poslcll. 1,,-,em ac ro engano de redaçao, oriundo. talve~. llromoçao. mu, de data.anterlo~ i sua ça:ll~ot:1nd~ude~~~~~~llne~t~o~~~:'; F6rças Ar~liJ~~,a que Ocupam ~ai ainda do art. 135 do ~tatuto vlroente, efeltvaçllo. forçu, nao havera equpa'ação ae' Parecer!tJvordvcl es que o prõpro Projeto em seu.r- Alé' d dezesseis emendai, to- vantagen$. Mas, mporta dizer, tal!la!'a. estabelecer. 'e-e ~..o hl. raz!1 tigo 84, i). ao descriminar osmotlvd5 ram.~.~ P;~:entes,- jf. 'Perante esta equiparação., em,;endo sempre íelta. entre cadetes. as8r;ntt'nclamillt.ar dp np.r~g'lclão, o;:" esgotar todos os ComlSÍ;âo allás em perfetla forma a respntadr C1uanto à PoliCia Militar njarlnha e aluno! das CS Es a ruarda CfWl" de Ueença. nclu, aeparadamen- rea'lmental. duás outras d'l, autoria e. ao Corp~ de Bombeiros. do D1str~- nu at6rlll.!,. de' um parte, ec~~t pre: ~:: ; ~~~it:~a~;oci~~oel:~iv~~.~nça do lustre dellutado RomAo J\1nlor;. :Or:6~ra~mo.stlcfo~ll~ar:u1dj:~~~:it: ~;.:, sg:-oficl~ e sargentes. d: n:. Um" m~"da s"f1~lmlr. na letra, bl. te. para. lloatoe OUl1'aduaollls m. A a unos du Escolas' de for. do 8rtlgo 96, a'.expressao final' at6 teuaü ' funções analoi'u" ruala re- te: ç!tlg e fj~~is nlo exercem, de.fa. o limte ml\xinlo de tranoa", P4- munlr~es nos da li'6rçaa Am'" colisld -o e aar,entos.de OU. Dânovll rednçao la 1.0 do art. li,. recer favorlílll!l. Constitucional justo das "col6t1tuldas Cl8lenclal1nente ~-1'> ~rc~~la~ comoseu~!upe. '" Pr'j t. -~. d... o 'nlle propõe li emenda. qu vlaa con- lo Bx6rclto, Marinha Aeroniutlaa". e da "~. da. E8eola 'Milltll..o o eo...an o. seru_o C arece ~ilerar 11 atender a. altuição doi' mé- Llla. pllolals. como ainda hi PD.uco pirant;;-;...!.daatt'oni1utlca, S,... ~~ j~st:~~t~çac~~t~l:::r.di c6rdo dlcoa: culoeurao, como bldo,.. taz a qu tr&nliltou pela CA.maradC cola NaYl i~.im..rnr da.. em!leis. -e. nloaj)l!ftu.81 tr,1a anoa. DeputadQ,.mandando rea'ltar 08' Prepa:at6rlll poruno.1 as Eaoll Parecer eontrdrlo. A' Constltulçlo a Sem \reuflcaclo callmada1ll1a lro-!:nelmentolclol.erviclor. d.. Vallo. ]lclllt08 nem 1"l\il~.O OC~!lrlllar, eql llare. 1,., lu'.li J'6r-. poalçlaelll exame.' crlar... la lara'o...1l rerulaclct... li hutu,111& mll1tar,..... ~~._~~~

20 306 Q:..il1ta-jeira 20 DARO DO 'CONCRESSO NACONAL (SeçAo ) Janeiro de 1955 eedência alguma e. devem obedíêu- /.. Mas,. o 1. d; art4lo 2. do pro- tlvamente à 2. e 3, respectíva- MOS postos de Marechll.l. Almira"te... ~VJ"tJlLe.ti oüe.ais",. JeLO nao inehn nas Forças Armatia! mente. e Marechal dó Arsómente podem ser somente as policias militares, quando preer.chídcs, respectivamente, pcruei:!ltnda N," 7 mobilizados,e' sim, de um modo ge- Emendas apresentadas na comissão neraís do Exército, Almirante de Es. ralo tódas as reservas do.exército, de Justlça. quadra e Tenente Brígadeiro, que te. suprimir a alínea e do ar' Marmha e. Aeronáutica, qualld(j e l' nham tido serviço de Guerra", convocadas E'o accssôrío que, em EMENDA N,, Parecer contruria - E' prll1clpf-> Manrta t:~o lb. Parecr.r fa1)orarel -' Se, pelo a~' tino 9." são os capitães co.ceados el~cre os oficiais superiores, nao n" razao para nao os consmcrar co "0 per-tencendo a é..e circuic para :\)dos ~s eleitos. Pl::DA N.O 8 Manda suprimir o 'artigo 17. pare~~r Jai:oráVel - EmbOra quelh'~ Ul~~a tradíç.,«secular nas.~l~r" ç~ zrmacas,...o.exército pnn.apa.niente, m,o na nconyenien~ ern Cjue seja acctacía a smenca, ~,)!, quanto se saiba também que. ".:'0 ccnceno de guerra total, a".lu allllraocl,. nem mesmo se pckle"l~ ta-er c11stinção entre ~o1l.4 de o)ij~' racões e ~on4 de retagu(l,rda. puls que. mcldernament~, na f~e.nte como Da retaguarda, se combate. En'.:etanto, todos os regulamento~ mil" 'lxes ainda a consagram., EMlNDtt' N,o 9 Man().a acrescentar ao artlgo 96: "Paragralo 3." - Os acresclmos especillcados no parágrafo anter;cl caso de guerra. completará ( e,j- estabelecido nas Leis que regulam às scncial, definido no artigo 176 da Manda: suprimi!' r:a le~a, d elo ar- promoções nas FórçM Armadll.5 que consütuíção. tlgo 96, n fl1le,a expressao:.' "a asce.nsão. nos postos da nlerarqu.a "até 'o limite mãxímo de tr~s militar, é gradual c sucessiva", Logo, EMENDA N.o 1:1 (3 anos)... torna-se desnecessário dizer que "OS POStos de Marechal Almirante e Mapor "rtlva". Pare<:er favorável - De acôrdo cil~n' recnal do Ar sómente podem 8\l1' Mana.. substituir no 2,0. do ar- as raz~es expressas pel~ reiator ti... preenchidos por Generais do Exérc:to, Parecer fat'orát'el ':'- Trata-se fie ccrrunr êrro.de.fmpressão 011 le cópia. EMFNDA N," 13 n) Parecer favorável - Em da rej~j ;ão da emenda n.o 7 ecóreto cem a JUStlflcaçâo. b) Manda intercalar. no artigo 9. nos itens, U e lu, come '1':'" duados, o sub- tenente e o sub-oücta., Pal'ecer favorável - Não há, ae acima do 1.0 sargento. fato ruío' para considerar l pane o sub-tenente do EXé~ito e. da Aeronáutica, e o sub-oficle.l da Marínha, SãO graduações de pra\oa Cí. prol EMFNDA N.O 14 tem eleito retroativo'.,. 1) Manda elltninar.as DalaV"a~ Parecer fat orlí.t'el - Tomand~ ~~: "sub-tenentes e sub-oflclll.is", no bora emelevaclo apreço ai áonlll~ do artigo 9,0, por não de\'ereu cio nobre rel da hcoa~ ssac1ocao ser considerados pracas especl4~. Justiça que dator esaconse.. da emellda, julgo que se a pod~ Parecer favorável _ JA estilo, ptlla enoarar ainda do pgllto dt! vista 03 emenda anterior, lncluidos Cilmo p~aequidaele que e:a. procura estll:~,e. ças graduadas. cer, São as mesmas as oondlçoes.02) Manda suprimir a letra c. do as exinênclas, sacriflclos, e~; q do mesmo artigo 9,.!:.' que estao ou a Nacao mpoe aos, ma '10"[\ Pr,judicada - O assunto fl~a liestiveram ao seu sel'\ iço. ~ a.rm <juldsdo com a adoção da eml!llria nntagcm, df tle i se c~~~:;ial alca'n.' n.o 7, sóbre a qual oíerecell1os pitpode, em. sp.os caao 11 ção. de' Ca.'o~ recer ~avorável. çar 05 outros..." Maximiliano, citada pe,o llustre.11~-. 5 rlsta S',LameiraBitencourt, pa~e:~ EMEND~ N,o 1 'ap:icar-se ao caso de f\lnclon~r.j Manda su"rimjr, no artigo 13, n público que se queira valer. ~ar:l fine, a expressâo: a sua aposentadori..,. de dlsposlçao "salvo se em decreto ou ato da de lei ar.terior ao ato que. o at"s.au do <ervi"" e não os da lei enl.ãq autoridade oompetent.e íór determl 'w nada, outra data". l'igora7lte. D f Entendemos, porém, que nara Pa.recer contrario - e con o~n mr.is c<jmp!eta ooediêneia à. tku,c& dade co mo parecer do relator o.a legislativa, a propooslcão oonsuhs~~?' ComisEâo de Justiça. rlada da emenda n.o 9 devera :;t'l J:MENDA N,o 16 1ncluida. oomo um.nova. artl~o. n'l.s dlsposiçôes.transitórias, tomando ~ Manda acrescentar, no titulo, Caredacão abaixo. que a toma mal. p~tujo li: clara' e de mais fáci~ aplicação: C' Art. "A antiguidade de posto. M Art.. - 8erao computa~). a que se reíere o artlbo 13 ãesta aos mljltares.1á afastados do. serv.~~ 1ei' s/j poderá. ser alterada Quanao auvo os acréscimos constantes d11 o 'oflcial tiver sido promovidoln 2, do artigo Cl6. de.dl' o,~e...ej, devidamente ou sem vaga. quar.do tquerido 1Ji!1os nteressados. ess," alteração fór expressamente de- 11) tennlnada em decisão judicial de EMENDA N.o que não caiba mais recurao, Manda suprimr a letra h CO ar- Parágrafo único.-eutende-se por tlgo 55...). promoção indevida a que não houver parecer favorável - (em par,:.!. obedecido a tmas as condi~es. es' _ De acórdo com o pare~er do re- tabelecidas na 1el re.spectiva." Jawr da C<lmissão. de Justça, Par{..CfV' favorável _ De acordo. em EMENDA lc.o 11.Manda redigir o 1.0 cío artigo 2,": " 1.0 _ As Fôrças Armadas do constituldas essencialmente P e~? Exérelto, Marinha e Aeronáutica.. Parecer contrá,rio - ~ ac6rdo ~om G ponto de \ista do relator da ~o' missão de' Justiça. E' insofism9.~el tue o 1. do artigo 2. do proj~;.o eompleta o sentido das dls!xlsiçoec, estatuldas nos artigos 176 e 183, Ct>'l1 Gseu parâgrafo único, da cal't,a -t.tagna, Na primeira se estabe.:~ce Clur.. as. F6rças Armadas slio loustituldas, essencialmente, P'!lo Exér Clto, Marinha e' Aeronáutica: na sel1jlda, que 05 policiais mllltares slio 'n!~rvas do Exército, e. uma vez mobilizados ntegrafu-~e nele com as.. 1l\e5ll1llS 'vantasens atribulc1as ao leu. JH6O&. ' principio, com o ponto de vista do relator da Comissão de Justiça, dando-se, porém, a reda.çlo aba'.xo, romo sub-emenda, para fl~urarcomo parê.grafo 1.0'do artigo Sub-emenda - "AntigUidade de posto a que se refere.!ste art:;o sópol1er& ser alteralta em ressarcimento deproteri~â.o, ou quando o oficiai tiver sido promovido ndevidamente, ou.e'1l...aga, ou ainda quando essa aitel'll;áo fór expressamente de-o terminada em.declsl0 jwl1clal c1e qllo cão caiba.. mais l'ecursos. En,tende-se por promoção tnde Ylda. a Que não houvero'liedecldo a ttldas as.condiçães estabelecidas na lei respectiva"... Nota - Os fi 1. e 2. 0 dêsoe ~esrn~~~igo.13 j)as~o.. re&p_ec_- comíssão de Justça. NilO la ~USt.l- AJml.rante de EsquA.dra e Tenente BJ'ilicatlv.a pl!ra que persísta o írnite gadelro" }Xlis s~o êstes os postos q'le, de tres anos :;lara o.acrésc1l\jo ao hierarquicamente.. tempo de serviço dos médícos, quanao Quanto à exigência do sel'vico d! o.cursc que fazer é de seis. guerra, importa mantê-la, Jl1R~nllo Lei anterior já iarantlu ésse cu- forma em que está no projeto - p,m reíto aos médico(em serviço no tempo de guf}rra - pois q'je na paz vls:a Exército e na Armaaa: a de numero não há funçao para 'os pontos qu~!lo e ee Cle 6' de janero.de 1022, que emenda visa criar permane'l~e'.r,erlt~. assim rezava em seu artigo 64: Eles correspondem mals O:'lc.sa:J1entS - come era na lei.antlga francesa ".os oficiais efetivos do Oorpode a uma honraria. conferida a generais Sa.udt: Cio Exercito e da Armada con- do mala elevado gráu dll nlc'a\'qui~ tarão, unicamente para os efeitos de militar que "houvesse". comam/alto. reforma, em cada 5 anos que tj.verem com ex/to excepcional. tro1".5 d tfj(ltj.j d. efetivo serviço militar, um ano da a armas diante'do tnlmlgo". seu respectivo curso. com aproveltamente, nas EllOOlas Superiores". EMENDA li. 23 A re~~rlçlio sw-giu com a Lei namero '-~3l. <e 31 <e Janeiro ae ' Manda substituir a palavra -, egula. mentares"!lor "regulamento~',.letr:l C) do artigo 21. Parecer favorável - Tratll se v1$1. velmal"" de um érro de red...;il,~. MENDA N;o 18 Manaa incluir no artigo 7~ a 1'!~ra b; do artigo 96 - serviço público. Parecer fa1jor4vel - De ac6rd<l "om o ponw de vista do lustre relator da ComiSlllo de J\1Stlça. H a es('lare.ce:. Mand'a suprimir a aunea b do artlentretanto, que se trata da letra f) go 33, t não b) do 2,0 do artigo 96. Emendas ltpresentadlls na 00111is510 Parecer favorável - Não, paetece de Segur:ln..~. duvida, em face do artl~') le2 ela 'Constltu~c;ão, que. sómente a perda- EMEN1lA H,0.19 da patente pode privar o mlií,.r, lcja éle da ativa, reserva ou retormaclu, Manda suprltnlr o 3, do artigo 47. da prerrogativa de usar o UnUJ'me, A Parecer contrário - A dlsposiçào disposição da aunea b do artisu 33. do cuja supressao propõe o ilustre au;or projeto deve, pois, ser supl'lmllla. O' da. emenda.está conforme as atri- que deverá persistir é o artfj'l a2, :juo bui;ôes que a Oonstituição Federa, resula em que atos os ofl".:i'!l. a... reconsidera.da C<lmpetência exclusl"a serva ou reformados ~der/io se ap:edo Presidente da República (12.0,.r- sentar l!1iformlzados. mporta, porem, ttgo' 6'.,. E não collde com o tem. r que regulamentos disciplinares obrl do artigo 55 do mesmo lnstltuul Le- ~uem'nos a adotar a compwltllra migal. em virtude do qual é ao Congres.so lltar quando fardados deforma ~re.s Naconal que incumbe "votar os t1"- crlta. para os da ativa.. butos próprios da União e regular a arrecadaç~o e a distribuiçáo das ren- UE:NlA N,O 25 ~s". O que o 3, do artigo 47 do p':ojeto prescreve é que 0- gov"r'lo. Manda sup:'imlr o, únco do. art (Poder Executivo) determine perlod- go "78. camente. a revisão às tabelas c1e ven- Parecer contrário...; Não htl. onclln "-tmenuls e vantagens dos milltarm, renlente, e. menos fere direito algum, de a('ôrdo com a niciativa. que a reservar para let especial a. rjgulaio ConstltUiçlio lhe 'reserva, para sujfll- mentação.da reforma. dos OtlCi'll5 cl" w qualquer modificação - é 6brlo reserva no exerciclo do magkitério. -à apreclaçlio do Congresso Nado- Esta mesma preso:rlção é feita no ~xna!'. Deve, pois, ser mantido, sub.1- to do próprio arugo 78, para o 'r,;lttar tltulndo-se. porém, a palavra. "detel- da ativa ou da reserva. que,lassar minar'" por "promov~r". a situação de reformado. Logo,' não há a dualidade de tratamentoapon.. RENDA K. d M tada pejo digno autor ela emenda. Mand.a. ""rlmir. O 2.0 do.r.'~o 'Tals leis especiais haverão de refpeltar 'O o que garante o artigo 182 da Cons-, titulçáo, para. todos, com as rcspectl- Parecer.. favorável - De lnteu'o Vll5 patentes. acordo com a.justificaç40 apresen- tmenda!.o 26' tada pelo nobre. autor da emends. Trata-se, lnduvità...elmente do 2: c Mand:-. SUprimir o arugo 32. artigo 13 e nao 12 :houve erro ne numeraçlo dos artigos no avulso dis Parecer c~ntrárlo _'OqUeoartllilo ér!butdo. copiado aitll.a do próprio art- 32 prescreve sâo os atos públlcos a Que!rinal do anteprojeto que acompanhou os militlues da reserva ou retorm.ados a Mensagem Presidencial. p.oderão comparecer fardados,. como para os da. at.i"a, os regulameutos, o DmlDA!f.0 21 ' fazem, estipulando qual o uniforme para. cada um dêles. Num e outro caso não htl. rutriçâo de uni direito: Manda suprimir O. 4. ' do art1go há, sim. rell1llamenteçlio do uso ele ~B.. uma prerrogati.a. quanto ao que.parecer favorável _ De Môrdo com prescreve. o 1., do artllj't da. la justificaç~o..a dlsposiçlio do Constl~l'~l.o, é devér-se que ali se to. do artigo 26, mporta numa r~s- trata, simplesmente, ele vadal' aos que' trição li. um. direito sscguraclo pela não são ml1ltareso uso de titulos, pos Constitulçlo.. tos e u'lliorl1les, cuidado que não foi tido na elaborac;ão da ConstitU~liO de m..ma x.c 22 91, o que deu margem aabllllo. e fa- Pr -.A vares..gual preserlç!lolll.uela surgiu, ",.,.,8-& QQ.st1tui\OA.o <oar~ cem maior.(llarcza no f '3.,.do artlllo Ul, po.r <a. ConsUtuipl1o d. 3',. c_

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.)

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.) 32988 Quarta-feira 22 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Ou tu bro de 2003 Art. 3º O Gru po Parlamentar reger-se-á pelo seu regulamento in ter no ou, na falta deste, pela decisão da ma i o ria absoluta de seus mem

Leia mais

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e :

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 13 DE JULH DE 2015! Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : Caso vo cê nunca t e nh a pa

Leia mais

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10 QUESTÃO 1 VESTIBULAR FGV 010 JUNHO/010 RESOLUÇÃO DAS 15 QUESTÕES DE MATEMÁTICA DA PROVA DA MANHÃ MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A O mon i tor de um note book tem formato retangular com a di ag o nal medindo

Leia mais

Questionário sobre o Ensino de Leitura

Questionário sobre o Ensino de Leitura ANEXO 1 Questionário sobre o Ensino de Leitura 1. Sexo Masculino Feminino 2. Idade 3. Profissão 4. Ao trabalhar a leitura é melhor primeiro ensinar os fonemas (vogais, consoantes e ditongos), depois as

Leia mais

REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM No u s o d a c o mp e t ê n c i a p r e v i s t a al í n e a v ) d o n. º 1 d o ar t i g o 64º d o De c r e t o -Le i n. º 1

Leia mais

MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR

MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR O Sonho de Renato O Sonho de Renato a e i o u A E I O U so nho de Re na to Eu sou Renato Valadares Batista. Tenho 14 anos. Sou filho de Pedro Batista e Luzia Valadares.

Leia mais

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO 1. RESULTADOS QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO 1.1- QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO: AMOSTRA REFERENTE AS

Leia mais

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 Estratégico III Seminário de Planejamento Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 G es tão Em pre sa rial O rie nta ção pa ra om erc ado Ino vaç ão et

Leia mais

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to.

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. GASTRONOMIA Instruções Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. Res pe i te mar gens e en tra das de pa rá gra fo. Use as in for ma ções

Leia mais

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 D A T A D E A B E R T U R A : 2 9 d e d e z e m b r o d e 2 0 1 0 H O R Á R I O : 9:0 0 h o r a s L O C A L D A S E S S Ã O P Ú B L I C A: S a l a d a C P L/

Leia mais

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O O s depós itos fos s ilíferos, o s s ítios paleontológ icos (paleobiológicos ou fossilíferos) e o s fós s eis q u e a p r e s e n ta m valores científico, educativo o u cultural

Leia mais

Quadro de conteúdos. Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano. Lição 1 As crianças e os lugares onde vivem

Quadro de conteúdos. Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano. Lição 1 As crianças e os lugares onde vivem Quadro de conteúdos Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano Língua Portuguesa Matemática História Geografia Ciências Naturais Arte Inglês ABC da passarinhada O alfabeto Quantidade A ideia de quantidade Eu, criança

Leia mais

Tópicos Quem é é a a PP aa nn dd ui t t?? PP oo rr qq ue um CC aa bb ea men tt oo PP er ff oo rr ma nn cc e? dd e AA ll tt a a Qua ll ii dd aa dd e e PP aa nn dd ui t t NN et ww oo rr k k II nn ff rr aa

Leia mais

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009 FGV 010/1-13.1.009 VESTIBULAR FGV 010 DEZEMBRO 009 MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A PROVA DE MATEMÁTICA QUESTÃO 1 (Prova: Tipo B Resposta E; Tipo C Resposta C; Tipo D Resposta A) O gráfico abaio fornece o

Leia mais

Classificação Periódica dos Elementos

Classificação Periódica dos Elementos Classificação Periódica dos Elementos 1 2 3 1 Massa atômica relativa. A incerteza no último dígito é 1, exceto quando indicado entre parênteses. Os valores com * referemse Número Atômico 18 ao isótopo

Leia mais

Prgrmçã O Mu s u Év r, p r l ém f rcr s s i g ns «vi s i t s cl áss i cs» qu cri m s p nt s c nt ct nt r s di v rs s p úb l ic s qu vi s it m s c nt ú d s d s u ri c s p ó l i, p r cu r, c nc m i t nt

Leia mais

VESTIBULAR UNICAMP 2010-1ª FASE - NOVEMBRO/2009

VESTIBULAR UNICAMP 2010-1ª FASE - NOVEMBRO/2009 VESTIBULAR UNICAMP 2010-1ª FASE - NOVEMBRO/2009 Comentário da Redação Nes te ano, a pro va de Re da ção da Uni camp foi ex ce len te. Em pri me i ro lu gar, pelo res pe i to ao for ma to tra di ci o nal

Leia mais

n o m urd ne Hel e n o mis

n o m urd ne Hel e n o mis Em nosso cotidiano existem infinitas tarefas que uma criança autista não é capaz de realizar sozinha, mas irá torna-se capaz de realizar qualquer atividade, se alguém lhe der instruções, fizer uma demonstração

Leia mais

White Paper. Boas Práticas de E-mail Marketing

White Paper. Boas Práticas de E-mail Marketing White Paper Boas Práticas de E-mail Marketing Saiba como alguns cuidados simples podem melhorar os resultados de suas campanhas de e-mail marketing Para garantir a qualidade no mix de comunicação atual,

Leia mais

J u i n 2 0 0 9 L e ttr e d 'i n fo r m a ti o n n 1 9 E d i to r i al E p p u r si m u o ve «E t p o u r ta n t e l l e b o u g e» m u r m u r a G a l l i l é e s u r s o n c h a m p e s t l a r g e.

Leia mais

Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades

Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades PNV 289 Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades Orides Bernardino São Leopoldo/RS 2012 Centro de Estudos Bíblicos Rua João Batista de Freitas, 558 B. Scharlau Caixa Postal 1051 93121-970

Leia mais

'!"( )*+%, ( -. ) #) 01)0) 2! ' 3.!1(,,, ".6 )) -2 7! 6)) " ) 6 #$ ))!" 6) 8 "9 :# $ ( -;!: (2. ) # )

'!( )*+%, ( -. ) #) 01)0) 2! ' 3.!1(,,, .6 )) -2 7! 6))  ) 6 #$ ))! 6) 8 9 :# $ ( -;!: (2. ) # ) !" #$%&& #% 1 !"# $%& '!"( )*+%, ( -. ) #) /)01 01)0) 2! ' 3.!1(,,, " 44425"2.6 )) -2 7! 6)) " ) 6 #$ ))!" 6) 4442$ ))2 8 "9 :# $ ( -;!: (2. ) # ) 44425"2 ))!)) 2() )! ()?"?@! A ))B " > - > )A! 2CDE)

Leia mais

Correção da Unicamp 2010 2ª fase - Física feita pelo Intergraus. 12.01.2010

Correção da Unicamp 2010 2ª fase - Física feita pelo Intergraus. 12.01.2010 da Unicamp 010 ª fase - Física 1.01.010 UNICAMP 010 - FÍSICA Esta prova aborda fenômenos físicos em situações do cotidiano, em experimentos científicos e em avanços tecnológicos da humanidade. Em algumas

Leia mais

MODALIDADES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL DOS QUADROS SUPERIORES NAS EMPRESAS

MODALIDADES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL DOS QUADROS SUPERIORES NAS EMPRESAS MODALIDADES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL DOS QUADROS SUPERIORES NAS EMPRESAS João Pedro Cordeiro Resumo O presente artigo versa sobre as práticas de gestão de recursos humanos pelas empresas, e mais especificamente

Leia mais

PADRÕES DE VIDA DOS ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS NOS PROCESSOS DE TRANSIÇÃO PARA A VIDA ADULTA

PADRÕES DE VIDA DOS ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS NOS PROCESSOS DE TRANSIÇÃO PARA A VIDA ADULTA PADRÕES DE VIDA DOS ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS NOS PROCESSOS DE TRANSIÇÃO PARA A VIDA ADULTA Rosário Mauritti Resumo Este artigo começa por analisar a influência das origens sociais nas trajectórias de

Leia mais

Correção da Unicamp 2009 2ª fase - Matemática feita pelo Intergraus. 14.01.2009

Correção da Unicamp 2009 2ª fase - Matemática feita pelo Intergraus. 14.01.2009 MATEMÁTICA 1. O transporte de carga ao porto de Santos é feito por meio de rodovias, ferrovias e dutovias. A tabela abaixo for ne ce al guns da dos re la ti vos ao trans por te ao por to no pri me i ro

Leia mais

REFORMA POLÍTICA. Capítulo VI

REFORMA POLÍTICA. Capítulo VI REFORMA POLÍTICA Capítulo VI REFORMA QUE O GOVERNO LULA E O CONGRESSO NACIONAL DEVEM PRIORIZAR [espontânea e única, em %] Pe so 1 0 0 % Re fe rê ncia s a re form a s Re form a Agrá ria 7 Re form a Tra

Leia mais

1111E111E1111 APROVADO. Câmara de Vereadores de Pindamonhangaba Estado de São Paulo 3 1 AGO. 2015. Vereador Felipe César Presidente

1111E111E1111 APROVADO. Câmara de Vereadores de Pindamonhangaba Estado de São Paulo 3 1 AGO. 2015. Vereador Felipe César Presidente Câmara de Vereadores de Pindamonhangaba Estado de São Paulo REQUERIMENTO EMENTA: Ao Sr. Prefeito Municipal, com cópia para conhecimento do Ministério Público, solicitando informar em que termos vem sendo

Leia mais

White Paper. Datas Comemorativas. Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais

White Paper. Datas Comemorativas. Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais Datas Comemorativas White Paper Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais As datas comemorativas podem ser exploradas para rentabilizar o seu comércio, seja ele físico ou online. Dedique

Leia mais

Missa Nossa Senhora do Brasil

Missa Nossa Senhora do Brasil é%0'.m> }JÍU Pe. José Alves Mssa Nossa Senhoa do Basl PARTTURA Paa 3 vozes guas e Assebléa (*) (*) A pate paa Assebléa é edtada sepaadaente " en cha A 10. Publcado pela: Cossão Aqudocesana de Músca Saca

Leia mais

FACULDADES UNIFICADAS DA. Curso de Direito Escritório de Assistência Jurídica Registro OAB 6614 DA F UNDAÇ Ã O EDUCACIONAL DE B ARRETOS

FACULDADES UNIFICADAS DA. Curso de Direito Escritório de Assistência Jurídica Registro OAB 6614 DA F UNDAÇ Ã O EDUCACIONAL DE B ARRETOS FACULDADES UNIFICADAS DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE BARRETOS Curso de Direito Escritório de Assistência Jurídica Registro OAB 6614 REGULAMENTO DO NÚ CLEO DE PRÁ TICA JURÍ DICA DA F UNDAÇ Ã O EDUCACIONAL DE

Leia mais

Correção da Unicamp 2010 2ª fase - Geografia feita pelo Intergraus. 12.01.2010

Correção da Unicamp 2010 2ª fase - Geografia feita pelo Intergraus. 12.01.2010 UNICAMP 2010 - GEOGRAFIA 13. Ob serve o gráfico abaixo e responda às questões: a) Indi que a(s) re gião(ões) do glo bo com ta xa de es pe ran ça de vi da ao nas cer in fe ri or à mé dia mun di al, nos

Leia mais

andréa del fuego os malaquias

andréa del fuego os malaquias andréa del fuego os malaquias 1 Serra Morena é ín gre me, úmi da e fértil. Aos pés de la vi vem os Malaquias, ja ne la com ta manho de porta, porta com autoridade de madeira escura. Corre, Adolfo! Donana

Leia mais

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o NPQV Variável Educação Prof. Responsáv v el :: Ra ph aa el BB ii cc uu dd o ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO 2º Semestre de 2003 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO As atividades realizadas

Leia mais

REVISÃO DO PLANO DE CONTROLE AMBIENTAL PCH PIEDADE JUNHO/2007

REVISÃO DO PLANO DE CONTROLE AMBIENTAL PCH PIEDADE JUNHO/2007 REVISÃO DO PLANO DE CONTROLE AMBIENTAL JUNHO/27 VOLUME II ANEXOS ANEXO I DESENHOS... 1 Revisão do Plano de Controle Ambiental PCH Piedade Junho/27 ANEXO I DESENHOS Sigla PIE-CAN-2 PIE-ACE-2 PIE-RESG-1

Leia mais

EXEMPLAR DE ASSINANTE DA IMPRENSA NACIONAL

EXEMPLAR DE ASSINANTE DA IMPRENSA NACIONAL ISSN 677-7042 Ano CL N o - 53 Brasília - DF, sexta-feira, 9 de agosto de 203 Sumário. PÁGINA Atos do Poder Executivo... Presidência da República... Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento...

Leia mais

Fa la de Ben to Ser ras, co bra dor de bi lhe tes, nas ci do e mo ra dor em Amo rins:

Fa la de Ben to Ser ras, co bra dor de bi lhe tes, nas ci do e mo ra dor em Amo rins: Fa la de Ben to Ser ras, co bra dor de bi lhe tes, nas ci do e mo ra dor em Amo rins: «Diz que quer con tar tu do dos prin cí pios? Dos prin cí pios a gen te nun ca sa be. Quan do é o ca so de se lhe pôr

Leia mais

Z Ao Sr..,..,.,,,,...,...,.,...,.,...,..,..,..,.." em...,

Z Ao Sr..,..,.,,,,...,...,.,...,.,...,..,..,..,.. em..., . ~ '( tle "" ~" O' ) '). ública dos Estados Unidos do Brasil J f Câ mara dos Deputados (D::> P o der Executivo) ASSUNTO: PROTOCOLO N.O. < ~"Ut'0Fi7fl.O.i. Ül!a.r. h.x.ecuti vo2 abrlrao l'lg de s A~ e.

Leia mais

RELAÇÕES ENTRE MUNDO RURAL E MUNDO URBANO Evolução histórica, situação actual e pistas para o futuro

RELAÇÕES ENTRE MUNDO RURAL E MUNDO URBANO Evolução histórica, situação actual e pistas para o futuro RELAÇÕES ENTRE MUNDO RURAL E MUNDO URBANO Evolução histórica, situação actual e pistas para o futuro João Ferrão Resumo As visões recentes sobre o mundo rural revelam grande permeabilidade à ideia de património

Leia mais

soluções sustentáveis soluções sustentáveis

soluções sustentáveis soluções sustentáveis soluções sustentáveis 1 1 1 2 3 KEYAS S OCIADOS UNIDADES DE NEGÓCIO ALGUNS CLIENTES 2 2 1 2 3 KEYAS S OCIADOS UNIDADES DE NEGÓCIO ALGUNS CLIENTES 3 3 APRES ENTAÇÃO A KEYAS S OCIADOS a tu a d e s d e 1

Leia mais

w w w. v o c e s a. c o m. b r SEFAZ BAHIA

w w w. v o c e s a. c o m. b r SEFAZ BAHIA sumário executivo w w w. v o c e s a. c o m. b r w w w. e x a m e. c o m. b r melhores empresas para você trabalhar São Pau lo, setembro de 2010. Pre za do(a) Sr(a)., SEFAZ BAHIA Em pri mei ro lu gar,

Leia mais

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O P A R A N Á L E T Í C I A M A R I A G R O B É R I O

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O P A R A N Á L E T Í C I A M A R I A G R O B É R I O U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O P A R A N Á L E T Í C I A M A R I A G R O B É R I O A B O R T O : U M A Q U E S T Ã O M O R A L, L E G A L, C U L T U R A L E E C O N Ô M I C A C U R I T I B A

Leia mais

10.1 Objetivos, Conceitos e Funções. Os obje ti vos prin ci pais do con tro le orça men tá rio são: Responsabilidade pelo Controle Orçamentário

10.1 Objetivos, Conceitos e Funções. Os obje ti vos prin ci pais do con tro le orça men tá rio são: Responsabilidade pelo Controle Orçamentário Capítulo 10 Controle Orçamentário Essa etapa acon te ce após a exe cu ção das tran sa ções dos even tos eco nô mi cos pre vis - tos no plano orça men tá rio. Não se con ce be um plano orça men tá rio sem

Leia mais

dos novos d e s e n v o I v i m e n t o s urbanos nas malhas i n f r a - e s t r u t u r a i s

dos novos d e s e n v o I v i m e n t o s urbanos nas malhas i n f r a - e s t r u t u r a i s REPUBLICA DEMOCRÁTICA WÍ DE SÃO TOME E PRÍNCIPE ( U nidade'disciplina-trabalho) GOVE RN O DECRETO-LEl N.' 029/2014 No âmbito do p roje cto de "Ap o io ao Desenvolvimento urbano em São Tomé e Príncìpe",

Leia mais

Si Mesmo. Logosófica. Carlos Bernardo González Pecotche. Editora RAUMSOL

Si Mesmo. Logosófica. Carlos Bernardo González Pecotche. Editora RAUMSOL Carlos Bernardo González Pecotche RAUMSOL A Herança de Si Mesmo Editora Logosófica A HerAnçA de Si Mesmo Ao publicar o presente tra balho, o autor levou em conta a repercussão que ele pode alcançar no

Leia mais

Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março. Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março

Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março. Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Prova Escrita de Física e Química A Prova Escrita

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL DEPARTAMENTO DE ACOMPANHAMENTO DO FUNDEF PRESIDENTES DOS CONSELHOS ESTADUAIS DO FUNDEF

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL DEPARTAMENTO DE ACOMPANHAMENTO DO FUNDEF PRESIDENTES DOS CONSELHOS ESTADUAIS DO FUNDEF 1. AC 2. AM JONATHAS SANTOS ALMEIDA DE CARVALHO HERALDO LUCAS MELO (068) 922-3257 / 226-4656 / 226-3939 Fax (068) 223-6421 jsantos@tre/ac.gov.br Rua Manoel Cesário, 100 Bairro Capoeira 69.000-000 Rio Branco

Leia mais

HABERMAS E A ESFERA PÚBLICA: RECONSTRUINDO A HISTÓRIA DE UMA IDEIA

HABERMAS E A ESFERA PÚBLICA: RECONSTRUINDO A HISTÓRIA DE UMA IDEIA HABERMAS E A ESFERA PÚBLICA: RECONSTRUINDO A HISTÓRIA DE UMA IDEIA Filipe Carreira da Silva Resumo Este artigo tem por objectivo discutir a noção de esfera pública proposta por Jürgen Habermas. Para tanto,

Leia mais

16 CARLOS RODRIGUES BRANDÃO

16 CARLOS RODRIGUES BRANDÃO 16 CARLOS RODRIGUES BRANDÃO 1 a Começa assim Este jogo começa com todos os participantes procurando as PA LAVRAS SEMENTES. E isso não é nada difícil! Basta as pessoas que vão jogar o jogo saírem conversando

Leia mais

lh e c o n fe re o in c is o II d o a rt. 4 º d o Re g u la m e n to d o D e p a rta m e n to -G e ra l d o Pe s s o a l (R-1 56 ), a p ro v a d o

lh e c o n fe re o in c is o II d o a rt. 4 º d o Re g u la m e n to d o D e p a rta m e n to -G e ra l d o Pe s s o a l (R-1 56 ), a p ro v a d o PORTARIA Nº 1 6 4 -D G P, D E 4 D E NOV E M B RO D E 2 0 1 1. Alte ra a d is trib u iç ã o d e e fe tiv o d e m ilita re s te m p o rá rio s, p a ra o a n o d e 2 0 1 1. O CHEFE DO DEPARTAMENTO-GERAL DO

Leia mais

A Gonçalves no México I N F O R M A

A Gonçalves no México I N F O R M A I N F O R M A Novembro de 2007 Depois de atuar por quase três anos no México com um escritório comercial, a Gonçalves investe em uma unidade industrial no país, que entrará em operação no início de 2008.

Leia mais

UNICAMP 2012 (2ª Fase)

UNICAMP 2012 (2ª Fase) 1. Re so lu ção (se rá con si de ra do ape nas o que es ti ver den tro des te es pa ço). a)...in te res se do pú bli co (L1): Tra ta-se de um subs tan ti vo pos to que de ter mi na do pe lo ar ti go o,

Leia mais

ABRI AS PORTAS A CRISTO (Hino ao Beato João Paulo II)

ABRI AS PORTAS A CRISTO (Hino ao Beato João Paulo II) Órg. 6 11 q = 60 me mf ortas a ris to! Não te mais, não te nhais do: 'scanca rai o vosso cora ção ao mor de Deus. RI POR RIO (Hino ao eato João Paulo II) ortas a ris to! Não te mais não te nhais me do;

Leia mais

DELIBERAÇÃO PLENÁRIA DPABR Nº 0014-01/2015

DELIBERAÇÃO PLENÁRIA DPABR Nº 0014-01/2015 PROCESSO INTERESSADO ASSUNTO CAU/BR IMPLEMENTAÇÃO DA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DA COORDENADORIA DA RIA DELIBERAÇÃO PLENÁRIA DPABR Nº 0014-01/2015 Altera a Deliberação Plenária n 38, de 2014, que dispõe

Leia mais

República Federativa do Brasil. Deputados (DO SR. FRANCISCO AMARAL)

República Federativa do Brasil. Deputados (DO SR. FRANCISCO AMARAL) República Federativa do Brasil Câmara dos Deputados (DO SR. FRANCISCO AMARAL) ASSUNTO: PROTOCOLO N.o.... ~... :J:) é3:...!l:? Y. é3:... :r. ~.~é3:ç.~?... é3: 0... c:l.l:':t...?? 41.. ª()... :pf3..ç.r..~.t..9.:::.l

Leia mais

Uni ver si da de lan ça gri fe com a mar ca PUC Mi nas

Uni ver si da de lan ça gri fe com a mar ca PUC Mi nas Informativo mensal da unidade Contagem da PUC Minas nº 78 Agosto de 2008 Uni ver si da de lan ça gri fe com a mar ca PUC Mi nas Com três li nhas de pro du tos bá si ca, es cri tó rio e es por ti va, a

Leia mais

White Paper. Mais produtividade e mobilidade com Exchange Server. O correio eletrônico é uma das ferramentas de

White Paper. Mais produtividade e mobilidade com Exchange Server. O correio eletrônico é uma das ferramentas de White Paper Mais produtividade e mobilidade com Exchange Server Entenda como usar melhor a plataforma de correio eletrônico da Microsoft para ganhar mais eficiência na comunicação da sua empresa O correio

Leia mais

CONHECIMENTOS TRADICIONAIS E PROPRIEDADE INTELECTUAL

CONHECIMENTOS TRADICIONAIS E PROPRIEDADE INTELECTUAL CONHECIMENTOS TRADICIONAIS E PROPRIEDADE INTELECTUAL Miguel Correia Pinto e Manuel Mira Godinho Resumo Com os avanços nos domínios da biotecnologia registados nas décadas mais recentes, os conhecimentos

Leia mais

10 motivos para investir e se apaixonar

10 motivos para investir e se apaixonar 10 motivos para investir e se apaixonar CONHEçA UM POUCO MAIS SObRE A CIDADE que NãO PARA DE CRESCER E que TEM TUDO PARA fazer O MESMO PELA SUA EMPRESA. o Brasil está se firmando como um gigante do desenvolvimento

Leia mais

White Paper. Flexibilidade e economia na era IP

White Paper. Flexibilidade e economia na era IP White Paper Flexibilidade e economia na era IP Saiba como utilizar as tecnologias mais modernas de comunicação de voz pela internet para conseguir mais economia e rapidez em telefonia para sua empresa

Leia mais

t " u _A ~ _t-º-!):_~_ª _

t  u _A ~ _t-º-!):_~_ª _ 0 0,_,_,, 0.0 _ 0.0. _. _ ' ASSUNTO CÂMARA DOS DEPUTADOS (' 1J?l J77 f3,4 ) t " u _A ~ _t-º-!):_~_ª _ uºu._ $ _~~_h? _~.P _~p~ t:_a9 C? u!l.ªq _~E.1a._~u_ªe. u _B.?:! :"fg s._ Xt. _~ _b-º-_ u_ªu up.9._~_t.j.

Leia mais

CONTROLE AVES DE VENDA EXPOSIÇÃO 2014 ORLANDO NASCIMENTO- 21 98825-5609/96739-8619

CONTROLE AVES DE VENDA EXPOSIÇÃO 2014 ORLANDO NASCIMENTO- 21 98825-5609/96739-8619 CONTROLE AVES DE VENDA EXPOSIÇÃO 2014 CRIADOR TELEFONE GAIOLA ANEL SEXO NOMENCLATURA VALOR OBS ORLANDO NASCIMENTO- 21 98825-5609/96739-8619 1 IB-105-40-13 FM CN OP AM MF IN 100,00 BANCO: 2 BB-3992-44-11

Leia mais

7a. Edição Editora Atlas

7a. Edição Editora Atlas FIB - FACULDADES INTEGRADAS DE BAURU Pós-graduação em Auditoria, Controladoria e Finanças Disciplina: PLANEJAMENTO E CONTROLE ORÇAMENTÁRIO Slide 1 Professor: MASAKAZU HOJI ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA

Leia mais

ÉTICA, LIBERDADE DE INFORMAÇÃO, DIREITO À PRIVACIDADE E REPARAÇÃO CIVIL PELOS ILÍCITOS DE IMPRENSA 1

ÉTICA, LIBERDADE DE INFORMAÇÃO, DIREITO À PRIVACIDADE E REPARAÇÃO CIVIL PELOS ILÍCITOS DE IMPRENSA 1 ÉTICA, LIBERDADE DE INFORMAÇÃO, DIREITO À PRIVACIDADE E REPARAÇÃO CIVIL PELOS ILÍCITOS DE IMPRENSA 1 Eládio Torret Rocha Ju iz de Direito do TJSC SUMÁRIO: 1. Intro du ção; 2. A im pren sa e a li mi ta

Leia mais

PROCESSO ORÇAMENTÁRIO

PROCESSO ORÇAMENTÁRIO PROCESSO ORÇAMENTÁRIO Consultor de Orçamento: Ricardo Volpe E mail: ricardo.volpe@camara.gov.br PROCESSO ORÇAMENTÁRIO SOCIEDADE E GOVERNO ASPECTO POLÍTICO E LEGAL ASPECTO ECONÔMICO E FISCAL ASPECTO ADMINISTRATIVO

Leia mais

A MESA DIRETORA Deputado RICARDO MOTTA PRESIDENTE

A MESA DIRETORA Deputado RICARDO MOTTA PRESIDENTE A MESA DIRETORA Deputado RICARDO MOTTA PRESIDENTE Deputado GUSTAVO CARVALHO 1 VICE-PRESIDENTE Deputado LEONARDO NOGUEIRA 2 VICE-PRESIDENTE Deputado GUSTAVO FERNANDES 1 SECRETÁRIO Deputado RAIMUNDO FERNANDES

Leia mais

P i s cina s : 2 P i s ci n a e x te rior de á g u a d e m a r a q u e cida P i s ci n a i n te ri or d e á g u a

P i s cina s : 2 P i s ci n a e x te rior de á g u a d e m a r a q u e cida P i s ci n a i n te ri or d e á g u a E M P R IM E I R A MÃO T h e O i ta v os é o e x c lu s i v o h o te l d e 5 e s tre la s q u e co m p le t a e v a l ori za a ofe rta d a Q u i n ta d a M a ri n h a, co n s olid a n d o -a c om o d e

Leia mais

12 ru e d e R ib e a u v illé. T é l. :03.88.57.51.7 1 / Fa x : Ed it é le 13 /05/2016 à 17 :23 Page : 1 / 12

12 ru e d e R ib e a u v illé. T é l. :03.88.57.51.7 1 / Fa x : Ed it é le 13 /05/2016 à 17 :23 Page : 1 / 12 R A M F A R A N D O L E 12 ru e d e R ib e a u v illé 6 7 7 3 0 C H A T E N O IS R e s p o n s a b le s d u R e la is : B ie g e l H. - R o e s c h C. T é l. :03.88.57.51.7 1 / Fa x : * * * * * * * * *

Leia mais

n. deputados federais:

n. deputados federais: DEPUTADOS FEDERAIS sistema proporcional, lista plurinominal (partido apresenta vários nomes), lista aberta Art. 45, CF/88: 1º - O número total de Deputados, bem como a representação por Estado e pelo Distrito

Leia mais

IN S A In s titu t N a tio n a l

IN S A In s titu t N a tio n a l IN S A : U m a re d e d e 5 e s c o la s s u p e rio re s d e e n g e n h a ria O INS A de Rennes existe desde 1966 R ouen O INS A de Rouen existe desde 1985 O INS A de S trasbourg existe desde 2003 R

Leia mais

PALMA. Catálogo de QRCode. 1. Encontre o QRCode 2. Com a câmera do celular mire no QRCode. 3. Comece a aula. www.programapalma.com.

PALMA. Catálogo de QRCode. 1. Encontre o QRCode 2. Com a câmera do celular mire no QRCode. 3. Comece a aula. www.programapalma.com. R PALMA Programa de Alfabetização na Língua Materna Inovação, Educação e Soluções Tecnológicas Catálogo de QRCode www.programapalma.com.br 1. Encontre o QRCode 2. Com a câmera do celular mire no QRCode

Leia mais

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA LEGISLATIVA NATAL, 25.03.2008 BOLETIM OFICIAL 2423 ANO XIX TERÇA-FEIRA

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA LEGISLATIVA NATAL, 25.03.2008 BOLETIM OFICIAL 2423 ANO XIX TERÇA-FEIRA A MESA DIRETORA Deputado ROBINSON FARIA PRESIDENTE Deputada MÁRCIA MAIA 1 VICE-PRESIDENTE Deputado RICARDO MOTTA 1 SECRETÁRIO Deputado LUIZ ALMIR 3 SECRETÁRIO Deputado EZEQUIEL FERREIRA 2 VICE-PRESIDENTE

Leia mais

-",, -- - - O Presidente da Comissão de. :z:: o Presidente da Comissão de. k Ao Sr...

-,, -- - - O Presidente da Comissão de. :z:: o Presidente da Comissão de. k Ao Sr... .--------------- ------- - ------ - República Federativa do Brasil ASSUNTO: Câmara dos Deputados (DO SR. PACHE CO CHAVES) PROTOCOLO N.o N... p..i...p.q....()pl:. a.. 11.()... i..ll.çi..c:l;:p..çjª... 4....

Leia mais

Exmo. Sr. Des. Anto nio Lo yo la Vi e i ra do Órgão Espe ci al do Tri bu nal de Jus ti ça do Esta - do do Pa ra ná.

Exmo. Sr. Des. Anto nio Lo yo la Vi e i ra do Órgão Espe ci al do Tri bu nal de Jus ti ça do Esta - do do Pa ra ná. Advo ga dos Exmo. Sr. Des. Anto nio Lo yo la Vi e i ra do Órgão Espe ci al do Tri bu nal de Jus ti ça do Esta - do do Pa ra ná. Man da do de Se gu ran ça 768.003-5 Jul ga men to: Órgão Espe ci al. Rel.:

Leia mais

O P a pel da M ídia no C o ntro le da s P o lític a s de S a úde

O P a pel da M ídia no C o ntro le da s P o lític a s de S a úde B ra s ília, 26 de s etem bro de 2009 C o ntro le da s P o lític a s de L uiz R ibeiro FU N Ç Ã O D O J O R N A L I S M O J o r n a lis m o é a a tiv id a d e p r o fis s io n a l q u e c o n s is te e

Leia mais

ESTADO DO PIAUÍ TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO PIAUÍ DIÁRIO OFICIAL ELETRÔNICO Nº 95/16

ESTADO DO PIAUÍ TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO PIAUÍ DIÁRIO OFICIAL ELETRÔNICO Nº 95/16 ESTADO DO PIAUÍ TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO PIAUÍ ATOS DA PRESIDÊNCIA TERESINA - PI Disponibilização: Segunda-feira, 23 de maio de 2016 - Publicação: Terça-feira, 24 de maio de 2016. (Resolução TCE/PI

Leia mais

LEI Nº 5.869, DE 11 DE JANEIRO DE 1973. Insti tui o Código de Processo Ci vil.

LEI Nº 5.869, DE 11 DE JANEIRO DE 1973. Insti tui o Código de Processo Ci vil. Outubro de 2003 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Sexta-feira 31 34351 ares, me diante a exibição de ofí cio ou mandado em forma regular. 1º So men te se ex pe di rá pre ca tó ria, quando, por essa for ma, for

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO IV DA ORGANIZAÇÃO DOS PODERES CAPÍTULO I DO PODER LEGISLATIVO Seção II Das Atribuições do Congresso Nacional Art. 49. É da competência exclusiva

Leia mais

In for má ti ca, ar qui vos, me mó ria, in ter net.

In for má ti ca, ar qui vos, me mó ria, in ter net. UMA MEMÓRIA PARA A TECNOLOGIA Fa us to Co lom bo Re su mo O tema da me mó ria, quan do as so ci a do ao das no vas tec no lo gi as, pro duz in te res san tes cor re la ções na me di da em que a in for

Leia mais

16/02/2014. Masakazu Hoji. ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Uma Abordagem Prática. 5a. Edição Editora Atlas. Capítulo 1 INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA

16/02/2014. Masakazu Hoji. ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Uma Abordagem Prática. 5a. Edição Editora Atlas. Capítulo 1 INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DMNSTRÇÃ FNNCER Uma bordagem Prática 5a. Edição Editora tlas Masakazu Hoji NTRDUÇÃ À Capítulo 1 DMNSTRÇÃ FNNCER 1.1 dministração financeira nas empresas 1.2 ntegração dos conceitos contábeis com os conceitos

Leia mais

República dos Estados Unidos do Brasil. ( elo OA. '""1~ck.o ~., V.fr~~) ~. -4-~~~ ~-C/.~T - Of/A~~ - DISTRI BUiÇÃO

República dos Estados Unidos do Brasil. ( elo OA. '1~ck.o ~., V.fr~~) ~. -4-~~~ ~-C/.~T - Of/A~~ - DISTRI BUiÇÃO '.. República dos Estados Unidos do Brasil lol Q) < W '. C f 811 '1 \ o Z Câm a ra d o s D e p utad os ( elo OA. '""1~ck.o ~. V.fr~~) ASSUNTO : PROTOCOLO N.o....... ~. -4-~~~ ~-C/.~T - Of/A~~ - ~ _. CI&tnz~-1.At~O.~

Leia mais

Consulta sobre mudança de mantenedora. Walter Costa Porto

Consulta sobre mudança de mantenedora. Walter Costa Porto UNIVERSIDADE REGIONAL DO CARIRI Consulta sobre mudança de mantenedora Walter Costa Porto Reitor da Universidade Regional do Cariri-URCA, com sede na cida do Crato, Estado do Ceará, o Professor Antônio

Leia mais

Sa i ba mais so bre Fator Previdenciário Págs. 10 a 13. O que você pre ci sa saber sobre re ci cla gem de lixo Pág. 20

Sa i ba mais so bre Fator Previdenciário Págs. 10 a 13. O que você pre ci sa saber sobre re ci cla gem de lixo Pág. 20 Sa i ba mais so bre Fator Previdenciário Págs. 10 a 13 O que você pre ci sa saber sobre re ci cla gem de lixo Pág. 20 To dos so mos igua is, ape nas te - mos di fi cul da des di fe ren tes. Le o nar do

Leia mais

Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos

Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos Pesqui Odontol Bras 2003;17(Supl 1):33-41 Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos Conselho Nacional de Saúde - Resolução 196/96 Pes qui sa Qu a li fi ca ção do pesquisador

Leia mais

SENADO FEDERAL COMISSÃO DE EDUCAÇÃO, CULTURA E ESPORTE PAUTA DA 30ª REUNIÃO. (2ª Sessão Legislativa Ordinária da 55ª Legislatura)

SENADO FEDERAL COMISSÃO DE EDUCAÇÃO, CULTURA E ESPORTE PAUTA DA 30ª REUNIÃO. (2ª Sessão Legislativa Ordinária da 55ª Legislatura) SENADO FEDERAL COMISSÃO DE EDUCAÇÃO, CULTURA E ESPORTE PAUTA DA 30ª REUNIÃO (2ª Sessão Legislativa Ordinária da 55ª Legislatura) 29/06/2016 QUARTA-FEIRA às 10 horas e 30 minutos Presidente: Senador Romário

Leia mais

www.investorbrasil.com

www.investorbrasil.com Proposta curso preparatório para CPA 20 - ANBIMA www.investorbrasil.com Apresentação INVESTOR APRESENTAÇÃO A INVESTOR é uma escola que nasceu da necessidade das pessoas aprenderem as ferramentas e instrumentos

Leia mais

Subseção I Disposição Geral

Subseção I Disposição Geral Subseção I Disposição Geral Art. 59. O processo legislativo compreende a elaboração de: I - emendas à Constituição; II - leis complementares; III - leis ordinárias; IV - leis delegadas; V - medidas provisórias;

Leia mais

Vamos Subir Nova Voz

Vamos Subir Nova Voz c c Vamos Subir Nova Voz 2 Letra e Música: Lucas Pimentel Arr: Henoch Thomas 2 5 2 to Eu-pos tem - po te-nho ou vi - do a pro- 2 g g 8 mes - sa de que vi - rás pra res -ga -tar os fi-lhos Teus Nem sem-pre

Leia mais

A history of child's rights in Portuguese speaking countries.

A history of child's rights in Portuguese speaking countries. Estudos Históricos (Rio de Janeiro), vol. 25, núm. 50, 2012, pp. 475-478. A history of child's rights in Portuguese speaking countries. Arend, Silvia Maria Favero. Cita: Arend, Silvia Maria Favero (2012).

Leia mais

SISTEMA MODULAR DE FOLHA DE PAGAMENTO

SISTEMA MODULAR DE FOLHA DE PAGAMENTO SISTEMA MODULAR DE FOLHA DE PAGAMENTO TERMO DE ABERTURA DO PROJETO... 5 P A R T I C I P A N T E S... 5 I D E N T I F I C A Ç Ã O D O P R O J E T O... 5 Nome e Sigla do Projeto... 5 Cliente e Representante...

Leia mais

KEITH CAMERON SMITH. As 10 principais diferenças entre os milionários e a classe média

KEITH CAMERON SMITH. As 10 principais diferenças entre os milionários e a classe média KEITH CAMERON SMITH As 10 principais diferenças entre os milionários e a classe média Prefácio Por que es cre vi es te livro? Três mo ti vos me le va ram a es cre ver es te li vro. O pri - meiro foi a

Leia mais

1. A cessan do o S I G P R H

1. A cessan do o S I G P R H 1. A cessan do o S I G P R H A c esse o en de reç o w w w.si3.ufc.br e selec i o ne a o p ç ã o S I G P R H (Siste m a I n te g ra d o de P la ne ja m e n t o, G estã o e R e c u rs os H u m a n os). Se

Leia mais

Q UA N TO ELA REALMENTE C U S TA PA RA A SUA EMPRESA?

Q UA N TO ELA REALMENTE C U S TA PA RA A SUA EMPRESA? Q UA N TO ELA REALMENTE C U S TA PA RA A SUA EMPRESA? I n d ú s t ri a, amiga do meio ambiente O uso dos mananciais hídri cos é de impo rtância e s t rat é g i ca para a Indústri a. Além de essencial à

Leia mais

SÊNECA Sobre os enganos do mundo

SÊNECA Sobre os enganos do mundo coleção idealizada e coordenada por Gustavo Piqueira SÊNECA Sobre os enganos do mundo fotos Olegario Schmitt 3 são paulo 2011 Quem se la men ta de que al guém te nha mor ri do se la men ta de ter nas

Leia mais

AGÊNCIA AMBIENTAL FEDERAL AMERICANA - USEPA

AGÊNCIA AMBIENTAL FEDERAL AMERICANA - USEPA AGÊNCIA AMBIENTAL FEDERAL AMERICANA - USEPA Emenda ao 40 CFR Parts 261, 266, 268 e 271 Documento: FERTILIZANTES À BASE DE ZINCO PRODUZIDOS A PARTIR DE MATERIAL SECUNDÁRIO PERIGOSO Julho/2002 S U M Á R

Leia mais

CONGRESSO NACIONAL COMISSÃO MISTA DA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 720, DE 2016 PAUTA DA 2ª REUNIÃO. (2ª Sessão Legislativa Ordinária da 55ª Legislatura)

CONGRESSO NACIONAL COMISSÃO MISTA DA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 720, DE 2016 PAUTA DA 2ª REUNIÃO. (2ª Sessão Legislativa Ordinária da 55ª Legislatura) CONGRESSO NACIONAL COMISSÃO MISTA DA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 720, DE 2016 PAUTA DA 2ª REUNIÃO (2ª Sessão Legislativa Ordinária da 55ª Legislatura) 06/07/2016 QUARTA-FEIRA às 11 horas e 30 minutos Presidente:

Leia mais

2 - Esta deliberação entra em vigor na data de sua publicação.

2 - Esta deliberação entra em vigor na data de sua publicação. PROCESSO INTERESSADO ASSUNTO CAU/BR PROJETO DE RESOLUÇÃO QUE TRATA DA 1ª REPROGRAMAÇÃO DO PLANO DE AÇÃO E ORÇAMENTO DO CAU/BR - 2016 DELIBERAÇÃO PLENÁRIA DPOBR Nº 0051-06/2016 Aprova o Projeto de Resolução

Leia mais

COASTAL TOURISM, ENVIRONMENT, AND SUSTAINABLE LOCAL DEVELOPMENT

COASTAL TOURISM, ENVIRONMENT, AND SUSTAINABLE LOCAL DEVELOPMENT RECENSÃO COASTAL TOURISM, ENVIRONMENT, AND SUSTAINABLE LOCAL DEVELOPMENT [Lígia Noronha, Nelson Lourenço, João Paulo Lobo-Ferreira, Anna Lleopart, Enrico Feoli, Kalidas Sawkar, e A. G. Chachadi (2003),

Leia mais

Tassos Lycurgo DIREITO CONSTITUCIONAL. Notas de Aula (Esboço) Docente: Prof. Dr. Tassos Lycurgo Website: www.lycurgo.org E-mail: TL@ufrnet.

Tassos Lycurgo DIREITO CONSTITUCIONAL. Notas de Aula (Esboço) Docente: Prof. Dr. Tassos Lycurgo Website: www.lycurgo.org E-mail: TL@ufrnet. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DEPARTAMENTO DE DIREITO PÚBLICO DIREITO CONSTITUCIONAL Notas de Aula (Esboço) Atualizada em: 18.10.06 Docente: Prof. Dr.

Leia mais

A Prefeitura Municipal de Conceição da Feira, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR.

A Prefeitura Municipal de Conceição da Feira, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR. Edição Nº Nº 030/2012 00034 Sexta-Feira Quit-Feira 22 08 de de Fevereiro Março de 2012 2013 A Prefeitura Municipal de Conceição da Feira, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR.

Leia mais