ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DA EVANGELIZAÇÃO DA INFÂNCIA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DA EVANGELIZAÇÃO DA INFÂNCIA"

Transcrição

1 ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DA EVANGELIZAÇÃO DA INFÂNCIA

2 EVANGELIZAÇÃO INFANTIL - QUANDO IMPLANTAR A TAREFA? Crianças com os pais ou responsáveis nas tarefas específicas para adultos; Filhos de trabalhadores precisam de atendimento específico; Chegada de crianças em busca de atendimento espiritual; A intensa procura desse atendimento na Casa; Trabalhadores interessados na implantação do trabalho.

3 EVANGELIZAÇÃO INFANTIL - O QUE É ESSENCIAL PARA A IMPLANTAÇÃO DO TRABALHO? Apoio dos Dirigentes da Casa; O Evangelizando; O Evangelizador; Uma Coordenação para o trabalho; Espaço físico e horário adequados; Um programa a ser seguido.

4 Evangelização Espírita Infanto-Juvenil - Estrutura Organizacional Apoio Pedagógico COORDENADOR DIRETOR Secretaria Evangelizadores Evangelizandos Ciclo de Pais Equipe de lanche Equipe de passe

5 EVANGELIZAÇÃO INFANTIL O COORDENADOR: Forma e alimenta o grupo características: Agregador, ter experiência de trabalho em equipe, e em coordenação pedagógica. Atribuições: Acompanhar as atividades de Evangelização; Frequentar junto com a equipe, cursos, palestras, encontros e treinamentos; Providenciar o material necessário ao funcionamento dos trabalhos; Orientar os evangelizadores; Incentivar reuniões com pais; Implantar Ciclo de Pais; Promover, sistematicamente o treinamento de sua equipe

6 EVANGELIZAÇÃO INFANTIL O COORDENADOR: Requisitos essenciais: Ser Espírita comportamento e conhecimento doutrinário; Se possível, ter conhecimento de pedagogia e psicologia; Ter capacidade de liderança; Ser sensível às questões da evangelização da criança; Manter boa integração com os dirigentes da Casa; Integrar-se ao Movimento Espírita.

7 EVANGELIZAÇÃO INFANTIL O EVANGELIZADORES: Grupos relativamente permanentes que investem na autoformação. Atribuições: Conduzir o trabalho junto à criança; Participar das reuniões com os pais; Integrar-se às atividades promovidas por sua Casa Espírita e pelo Movimento Espírita voltadas à área de infância ; Participar de cursos, palestra, seminários, Encontros promovidos pela coordenação ou Órgão de Unificação que objetive seu aprimoramento e atualização; Comparecer assídua e pontualmente aos planejamentos e às atividades;

8 Estrutura Pedagógica.

9 Um projeto curricular deve estar aberto às modificações e correções que se fizerem necessárias após sua aplicação e desenvolvimento. Sua estrutura deve ser suficientemente flexível para integrar e mesmo potencializar essas novas contribuições, em um processo de enriquecimento progressivo. (Coll, César, Psicologia e Currículo. Ed. Ática. São Paulo, p O O próprio serviço, em palavras articuladas, mas à luz da experiência, falará conosco sobre quaisquer alterações que se façam necessárias... De tempos em tempos ser-nos-á necessário uma pausa avaliativa para revermos a extensão e a qualidade dos serviços prestados e das tarefas realizadas. Somente assim podemos verificar o melhor rendimento dos nossos propósitos. Bezerra de Menezes Separata do Reformador 1982.

10 EVANGELIZAÇÃO ESPÍRITA UMA VISÃO DO CURRICULO DA FEB Currículo: Conjunto de experiências vividos pelo aluno. 1. FUNDAMENTAÇÃO (Jesus e Kardec); 2.OBJETIVOS (transformação, iluminação o Homem de Bem); 3.O O PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM (foco o no evangelizando orientação pedagógica: Jesus e Kardec). 4.METODOLOGIA (partindo das experiências mais imediatas do evangelizando para depois estabelecer as generalizações);

11 EVANGELIZAÇÃO ESPÍRITA INFANTIL Uma Visão do Currículo da FEB 5. PLANO CURRICULAR Sua organização envolve: Núcleo Central: Conteúdos doutrinários a ser desenvolvido mediante atividades didáticas, de expressão artística, recreativas e de autoconhecimento. Parte Complementar: Práticas educativas que integrem a criança na Casa Espírita enriquecendo sua vivência na Doutrina (assistência social, administrativas, campanhas educativas) 6. AVALIAÇÃO: Deve alcançar todos os elementos do processo ensino-aprendizagem na evangelização (cognitivo, afetivo e social)

12 Estrutura Pedagógica da Evangelização Infanto-Juvenil Integração Vertical Complexidade Crescente dos Conteúdos Juventude - 3º Ciclo (18 a 21 anos) Juventude - 2º Ciclo (15 a 17 anos) Juventude - 1º Ciclo (13 a 14 anos) Infância - 3º Ciclo (11 e 12 anos) Infância - 2º Ciclo (09 a 10 anos) Infância - 1º Ciclo (07 a 08 anos) Jardim - (05 e 06 anos) Maternal - (03 e 04 anos) Ordenação Seqüencial dos Conteúdos Integração Horizontal

13 Algo mais a ser dito? Filhos,...Unamo-nos, que a tarefa é de todos nós. Somente a união nos proporciona forças para o cumprimento de nossos serviços, trazendo a fraternidade por lema e a humildade por garantia de êxito. Com Jesus nos empreendimentos do Amor e com Kardec na força da Verdade,, teremos toda orientação aos nossos passos, todo o equilíbrio a nossa conduta. Irmanemo-nos no sublime ministério da evangelização de almas e caminhemos adiante, avançando com otimismo. Os amigos e companheiros desencarnados podem inspirar e sugerir, alertar e esclarecer, mas é necessário reconhecermos que a oportunidade do trabalho efetivo é ensejo bendito junto aos que desfrutam a bênção da reencarnação. Jesus aguarda! Cooperemos com o Cristo na evangelização do Homem. Paz!. Bezerra de Menezes trecho final de Mensagem recebida pelo Julio Cezar Grandi Ribeiro, Separata do Reformador out/1982

Espírita da Juventude

Espírita da Juventude Orientação para a Ação Evangelizadora Espírita da Juventude SUBSÍDIOS E DIRETRIZES miolo - Orientação para AEEJ.indd 1 29/04/2016 10:00:47 Federação Espírita Brasileira Orientação para a Ação Evangelizadora

Leia mais

FEDERAÇÃO ESPÍRITA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. A FEEES e o Movimento Espírita do Estado do Espírito Santo

FEDERAÇÃO ESPÍRITA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. A FEEES e o Movimento Espírita do Estado do Espírito Santo FEDERAÇÃO ESPÍRITA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO A FEEES e o Movimento Espírita do Estado do Espírito Santo A Federação Espírita do Espírito Santo, fundada em 1921, é constituída pelo Conselho Estadual e

Leia mais

Atividades Básicas no Centro Espírita

Atividades Básicas no Centro Espírita Atividades Básicas no Centro Espírita Pessoas/ Espíritos Estudo Prática Divulgação Desejos Necessidades Expectativas Atendimento Serviços Centro Espírita CFN/FEB-Perri Conceptos, Funciones y Actividades

Leia mais

Orientação para a. Ação Evangelizadora. Espírita da Infância SUBSÍDIOS E DIRETRIZES. miolo - Orientação para AEEI.indd 1 29/04/ :59:22

Orientação para a. Ação Evangelizadora. Espírita da Infância SUBSÍDIOS E DIRETRIZES. miolo - Orientação para AEEI.indd 1 29/04/ :59:22 Orientação para a Ação Evangelizadora Espírita da Infância SUBSÍDIOS E DIRETRIZES miolo - Orientação para AEEI.indd 1 29/04/2016 09:59:22 Federação Espírita Brasileira Orientação para a Ação Evangelizadora

Leia mais

EVANGELIZAÇÃO ESPÍRITA INFANTOJUVENIL

EVANGELIZAÇÃO ESPÍRITA INFANTOJUVENIL EVANGELIZAÇÃO ESPÍRITA INFANTOJUVENIL / O QUE É A EVANGELIZAÇÃO ESPÍRITA INFANTOJUVENIL? EVANGELIZAÇÃO ESPÍRITA INFANTOJUVENIL Toda ação voltada ao estudo da Doutrina Espírita e à vivência do Evangelho

Leia mais

EVANGELIZAÇÃO ESPÍRITA DA CRIANÇA E DO JOVEM. Documentos Orientadores. Organizado por Miriam Dusi

EVANGELIZAÇÃO ESPÍRITA DA CRIANÇA E DO JOVEM. Documentos Orientadores. Organizado por Miriam Dusi EVANGELIZAÇÃO ESPÍRITA DA CRIANÇA E DO JOVEM Documentos Orientadores Organizado por Miriam Dusi FILME O Começo da Vida VÍDEO - EVANGELIZAÇÃO QUALIDADE DA COLHEITA Qualidade Doutrinária Qualidade Pedagógica

Leia mais

A Atividade de Atendimento Fraterno Pelo Diálogo Vinde a mim todos vós que estais aflitos e sobrecarregados, que eu vos aliviarei.

A Atividade de Atendimento Fraterno Pelo Diálogo Vinde a mim todos vós que estais aflitos e sobrecarregados, que eu vos aliviarei. A Atividade de Atendimento Fraterno Pelo Diálogo Vinde a mim todos vós que estais aflitos e sobrecarregados, que eu vos aliviarei. (Jesus - Mateus 11: 28) Objetivo: Conhecer a atividade do Atendimento

Leia mais

ANEXO I CARGO: PROFESSOR ATRIBUIÇÕES:

ANEXO I CARGO: PROFESSOR ATRIBUIÇÕES: ANEXO I CARGO: PROFESSOR ATRIBUIÇÕES: a) Descrição Sintética: Orientar a aprendizagem do aluno; participar no processo de planejamento das atividades da escola; organizar as operações inerentes ao processo

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO CONCURSO PÚBLICO - EDITAL 050/2014. Anexo 2 Atribuições dos Cargos

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO CONCURSO PÚBLICO - EDITAL 050/2014. Anexo 2 Atribuições dos Cargos SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO CONCURSO PÚBLICO - EDITAL 050/2014 Anexo 2 Atribuições dos Cargos AGENTE DE APOIO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL Acompanhar, auxiliar e orientar os alunos nas Atividades de Vida

Leia mais

Ética, Justiça e Espiritualidade

Ética, Justiça e Espiritualidade Ética, Justiça e Espiritualidade A Associação Jurídico-Espírita Cristã do Estado de Goiás realizará em 17 de abril, das 9h às 16h, o 1º Encontro Espírita-Jurídico do Estado, com apresentação de seminários

Leia mais

AME - Aliança Municipal Espírita de Uberlândia Núcleo de Educação Espírita Departamento de Família

AME - Aliança Municipal Espírita de Uberlândia Núcleo de Educação Espírita Departamento de Família AME - Núcleo de Educação Espírita Departamento de Família Sendo os primeiros médicos da alma dos filhos, deveriam (os pais) ser instruídos não só de seus deveres, mas dos meios de cumprí-los. AlIan Kardec

Leia mais

Regimento Interno Departamento de Infância e Juventude DIJ SEMP URE LESTE

Regimento Interno Departamento de Infância e Juventude DIJ SEMP URE LESTE 1 Regimento Interno Departamento de Infância e Juventude DIJ SEMP URE LESTE DA FINALIDADE: Artigo 1º: o Departamento de Infância e Juventude tem por finalidade promover o estudo e orientação da Doutrina

Leia mais

Regulamenta a Lei Complementar Nº 067, de 24 de maio de 2005.

Regulamenta a Lei Complementar Nº 067, de 24 de maio de 2005. Regulamenta a Lei Complementar Nº 067, de 24 de maio de 2005. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE NATAL NO RIO GRANDE DO NORTE, no uso da atribuição que lhe confere o Artigo, da Constituição Municipal e, tendo

Leia mais

ANEXO I ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS ESPECIFICAÇÃO DO CARGO DE PROFESSOR

ANEXO I ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS ESPECIFICAÇÃO DO CARGO DE PROFESSOR Cargo: Professor Classe: A,B,C,D, ANEXO I ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS ESPECIFICAÇÃO DO CARGO DE PROFESSOR Orientar a aprendizagem dos alunos; Participar das atividades da escola: Organizar as operações inerentes

Leia mais

SÍNTESE DO PERFIL E DAS ATRIBUIÇÕES DOS COORDENADORES DAS UNIDADES SOCIOASSISTENCIAIS. Perfil e principais atribuições do Coordenador do CREAS

SÍNTESE DO PERFIL E DAS ATRIBUIÇÕES DOS COORDENADORES DAS UNIDADES SOCIOASSISTENCIAIS. Perfil e principais atribuições do Coordenador do CREAS SÍNTESE DO PERFIL E DAS ATRIBUIÇÕES DOS COORDENADORES DAS UNIDADES SOCIOASSISTENCIAIS Perfil e principais atribuições do Coordenador do CREAS Escolaridade de nível superior de acordo com a NOB/RH/2006

Leia mais

EREU - Encontro Regional Espírita de Unificação

EREU - Encontro Regional Espírita de Unificação 1 EREU - Encontro Regional Espírita de Unificação REUNIR IV (Baixada Fluminense, Petrópolis e São José do Vale do Rio Preto) Dia 16 de Julho de 2017 - de 8 às 14:30 h. LOCAL: Colégio Estadual de Magé -

Leia mais

PROJETO DE APOIO PSICOPEDAGÓGICO AO UNIVERSITÁRIO

PROJETO DE APOIO PSICOPEDAGÓGICO AO UNIVERSITÁRIO PROJETO DE APOIO PSICOPEDAGÓGICO AO UNIVERSITÁRIO GUARAPUAVA 2017 1. Introdução O Núcleo de Apoio Psicopedagógico (NAPP) é um órgão de apoio educacional, de caráter permanente e de natureza multidisciplinar

Leia mais

Regulamento do Comitê de Acessibilidade e Inclusão.

Regulamento do Comitê de Acessibilidade e Inclusão. Regulamento do Comitê de Acessibilidade e Inclusão. 2016. Regulamento do Comitê de Acessibilidade e Inclusão CAPÍTULO I DA NATUREZA, FINALIDADES E OBJETIVOS Art. 1º O Comitê de Acessibilidade e Inclusão

Leia mais

NÚCLEO INTEGRADO DE PRÁTICAS ADMINISTRATIVAS - REGULAMENTO INTERNO TÍTULO I DA FINALIDADE DO NÚCLEO DE PRÁTICAS ADMINISTRATIVAS

NÚCLEO INTEGRADO DE PRÁTICAS ADMINISTRATIVAS - REGULAMENTO INTERNO TÍTULO I DA FINALIDADE DO NÚCLEO DE PRÁTICAS ADMINISTRATIVAS NÚCLEO INTEGRADO DE PRÁTICAS ADMINISTRATIVAS - REGULAMENTO INTERNO A AESGA no uso de suas atribuições regimentais vem regulamentar o funcionamento do Núcleo Integrado de Práticas Administrativas. TÍTULO

Leia mais

DIDÁTICA APLICADA À EVANGELIZAÇÃO

DIDÁTICA APLICADA À EVANGELIZAÇÃO DIDÁTICA APLICADA À EVANGELIZAÇÃO Introdução Partindo da certeza de que a obra de Jesus e a Doutrina Espírita são portadoras de toda uma proposta pedagógica de libertação e transformação do homem, passemos

Leia mais

Encontro de Evangelizadores de -MT Reflexão: Caminho educativo amoroso

Encontro de Evangelizadores de -MT Reflexão: Caminho educativo amoroso Encontro de Evangelizadores de -MT Reflexão: Caminho educativo amoroso Música: Aprender Facilitadora : Daniele Stefanini Breve histórico da Evangelização Infantil Breve histórico da Evangelização Espírita

Leia mais

Lei Complementar Nº 58 de 13 de setembro de 2004 de Natal

Lei Complementar Nº 58 de 13 de setembro de 2004 de Natal Lei Complementar Nº 58 de 13 de setembro de 2004 de Natal O PREFEITO MUNICIPAL DO NATAL, Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei Complementar: TÍTULO I DO PLANO DE CARREIRA

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE GUAÍRA SP PROCESSO SELETIVO EDITAL 001/2017

PREFEITURA MUNICIPAL DE GUAÍRA SP PROCESSO SELETIVO EDITAL 001/2017 PRIMEIRA RETIFICAÇÃO A Prefeitura Municipal de Guaíra, Estado de São Paulo, torna público que realizará por meio do INSTITUTO EXCELÊNCIA LTDA - ME, na forma prevista no artigo 37, inciso IX, da Constituição

Leia mais

CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA MANUAL DE AT ATIVIDADES TRANSVERSAL

CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA MANUAL DE AT ATIVIDADES TRANSVERSAL CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA MANUAL DE AT ATIVIDADES TRANSVERSAL CONCEITOS, NORMAS E PROCEDIMENTOS REGULAMENTO ATIVIDADES TRANSVERSAL I DA DEFINIÇÃO Art. 1º Por Transversalidade

Leia mais

Etapas de realização da reunião mediúnica

Etapas de realização da reunião mediúnica FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Mediunidade: Estudo e Prática Programa 2 Módulo I A prática mediúnica na casa espírita Etapas de realização da reunião mediúnica Tema 2 O que define o êxito de uma atividade

Leia mais

Conversa de Formigas Uma formiga conversando com outra: -Qual é o seu nome? -Fu. -Fu o que? -Fu miga. E você? -Ota. -Ota o que?

Conversa de Formigas Uma formiga conversando com outra: -Qual é o seu nome? -Fu. -Fu o que? -Fu miga. E você? -Ota. -Ota o que? Conversa de Formigas Uma formiga conversando com outra: -Qual é o seu nome? -Fu. -Fu o que? -Fu miga. E você? -Ota. -Ota o que? -Ota fu miga Metodologia de uma Escola Bíblico-Catequética Método. [do gr.

Leia mais

CURSO DE EDUCAÇÃO MEDIÚNICA

CURSO DE EDUCAÇÃO MEDIÚNICA CURSO DE EDUCAÇÃO MEDIÚNICA AULA 31 Fluxo CAD/ATE e CAD/PET 1 Significado das siglas ATE ATendimento Espiritual CAD Centro de Atendimento à Desobsessão PET Programa de Evangelização do Trabalhador 2 FICHA

Leia mais

CURSO: PEDAGOGIA EMENTAS º PERÍODO

CURSO: PEDAGOGIA EMENTAS º PERÍODO CURSO: PEDAGOGIA EMENTAS - 2016.1 1º PERÍODO DISCIPLINA: HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO Estudo da história geral da Educação e da Pedagogia, enfatizando a educação brasileira. Políticas ao longo da história engendradas

Leia mais

INDEPAC MISSÃO VISÃO

INDEPAC MISSÃO VISÃO O INDEPAC é especializado em serviços de Consultoria e Assessoria Educacional, nas dimensões: administrativa, jurídica e pedagógica, além de oferecer cursos de formação em serviço, voltados para o aprimoramento

Leia mais

Entrevista com Bezerra de Menezes (Espírito)

Entrevista com Bezerra de Menezes (Espírito) Entrevista com Bezerra de Menezes (Espírito) - 1982 5 anos da campanha permanente de evangelização Resposta de Bezerra de Menezes, por meio do médium Júlio Cezar Grandi Ribeiro, a um questionário que lhe

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE FISIOTERAPIA CAPÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE FISIOTERAPIA CAPÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE FISIOTERAPIA CAPÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES Art.1º O presente Regulamento disciplina a oferta, o funcionamento e o registro acadêmico das

Leia mais

ATIVIDADES AGRUPADAS POR TIPO 26/09/2017

ATIVIDADES AGRUPADAS POR TIPO 26/09/2017 Atendimento fraterno Atividades assistenciais 09:30 às 10:30 Atendimento fraterno 16:00 às 17:00 Atendimento fraterno 19:30 às 21:30 Atendimento fraterno 16:00 às 17:00 Atendimento fraterno 20:00 às 21:00

Leia mais

Aliança Espírita Evangélica RGA 2015

Aliança Espírita Evangélica RGA 2015 Aliança Espírita Evangélica RGA 2015 TEMA RGA 2015 Nossa Aliança com Jesus acolhendo e evangelizando corações na nova era. Local: Unisa Campus 1 RGA 2015 Rua Professor Enéas de Siqueira Neto, 340, Jardim

Leia mais

CENTRO ESPÍRITA MARIA MADALENA CEMA CALENDÁRIO DE ATIVIDADES Domingo Segunda-Feira Terça-Feira Quarta-Feira Quinta-Feira Sexta-Feira Sábado

CENTRO ESPÍRITA MARIA MADALENA CEMA CALENDÁRIO DE ATIVIDADES Domingo Segunda-Feira Terça-Feira Quarta-Feira Quinta-Feira Sexta-Feira Sábado Janeiro 1 (Conf. Universal) 2 Léon Denis 3 4 5 6 7 8 9 A Gênese - 148 anos 10 11 12 13 14 15 16 O Livro dos Médiuns 155 anos Assembleia Geral Ordinária 1 16h 19h 17 18 19 20 21 22 23 TELUZES 24 25 26 27

Leia mais

DEPARTAMENTO LEGISLATIVO DA CÂMARA MUNICIPAL DE fortaleza, em iç" de ckr~uj. de 2011.

DEPARTAMENTO LEGISLATIVO DA CÂMARA MUNICIPAL DE fortaleza, em iç de ckr~uj. de 2011. INDICAÇÃO No02 5/_1_2_~ 11~ "Dispõe sobre a criação do Cargo de Coordenador de Creches no Município de Fortaleza e dá outras providências." o Vereador abaixo signatário, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico Plano de Curso nº 168 aprovado pela portaria Cetec nº 125 de 03/10/2012 Etec Sylvio de Mattos Carvalho Código: 103 Município: Matão Eixo Tecnológico: Ambiente

Leia mais

ORIENTAÇÃO AO CENTRO ESPÍRITA FEB

ORIENTAÇÃO AO CENTRO ESPÍRITA FEB ORIENTAÇÃO AO CENTRO ESPÍRITA FEB X Participação do Centro Espírita nas Atividades de Unificação do Movimento Espírita 1. FUNDAMENTAÇÃO O Espiritismo é uma questão de fundo; prender-se à forma seria puerilidade

Leia mais

II FÓRUM NACIONAL DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR CONFESSIONAIS ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CATÓLICA DO BRASIL ANEC

II FÓRUM NACIONAL DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR CONFESSIONAIS ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CATÓLICA DO BRASIL ANEC II FÓRUM NACIONAL DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR CONFESSIONAIS ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CATÓLICA DO BRASIL ANEC ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE INSTITUIÇÕES EDUCACIONAIS EVANGÉLICAS - ABIEE 1 A PASTORAL

Leia mais

João Carvalho Neto realiza palestras e seminários gratuitamente. Entre em contato para agendar.

João Carvalho Neto realiza palestras e seminários gratuitamente. Entre em contato para agendar. João Carvalho Neto realiza palestras e seminários gratuitamente. Entre em contato para agendar. joaoneto@joaocarvalho.com.br FEVEREIRO DATA: 07/02 20hs DATA: 16/02 09hs LOCAL: CE Campo da Paz Praia Seca

Leia mais

FEDERAÇÃO ESPÍRITA DO ESTADO DO CEARÁ PLANEJAMENTO DA COORDENAÇÃO DE ARTE E EDUCAÇÃO ESPÍRITA ( )

FEDERAÇÃO ESPÍRITA DO ESTADO DO CEARÁ PLANEJAMENTO DA COORDENAÇÃO DE ARTE E EDUCAÇÃO ESPÍRITA ( ) 1 FEDERAÇÃO ESPÍRITA DO ESTADO DO CEARÁ PLANEJAMENTO DA COORDENAÇÃO DE ARTE E EDUCAÇÃO ESPÍRITA (2017-2018) Este plano de trabalho tem como objetivo nortear as ações que deverão ser realizadas com o intuito

Leia mais

A gratificação da função foi implementada pela Lei Complementar nº de 15/10/2007 e pela Lei Complementar nº de 01/07/2013.

A gratificação da função foi implementada pela Lei Complementar nº de 15/10/2007 e pela Lei Complementar nº de 01/07/2013. A Diretora da EE NOSSA SENHORA DOS NAVEGANTES, em Guarujá com fundamento na Resolução SE 75 de 30/12/2014, torna público o processo para seleção de docente para a função gratificada de Professor Coordenador

Leia mais

Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso

Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso AUTO-AVALIAÇAO INSTITUCIONAL DO CURSO DE PEDAGOGIA FACED-UFAM / Alunos Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso Indicador Objetivos do Curso 02 - Conheço o Projeto Pedagógico do Curso e os

Leia mais

161-1 LICENCIATURA PLENA EM PEDAGOGIA Regime Regular NÚMERO MÍNIMO DE PERÍODOS 1 DISCIPLINA CARGA HORÁRIA TIPO

161-1 LICENCIATURA PLENA EM PEDAGOGIA Regime Regular NÚMERO MÍNIMO DE PERÍODOS 1 DISCIPLINA CARGA HORÁRIA TIPO PÁGINA: 1 INGRESSOS DE 20041 161-1 LICENCIATURA PLENA EM PEDAGOGIA Regime Regular NÚMERO MÍNIMO DE PERÍODOS 1 NÚMERO MÁXIMO DE PERÍODOS 9 CARGA HORÁRIA 3640 1 132 FUNDAMENTOS ÉTICOS DE EDUCAÇÃO 30 OBRIGATORIA

Leia mais

Plano de Ações de Melhoria

Plano de Ações de Melhoria Plano de Ações de Escola Básica Elias Garcia Escola Básica Miquelina Pombo J. I. da Sobreda 2014/2015 1 INTRODUÇÃO O presente plano de ações de melhoria 2014/15 - resulta da avaliação do plano de ações

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2012 Ensino Técnico Etec Monsenhor Antonio Magliano Código: 088 Município: Garça / SP EIXO Tecnológico: Ambiente, Saúde e Segurança Habilitação Profissional Técnica de Nível Médio

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BELÉM SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - SEMEC CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2011

PREFEITURA MUNICIPAL DE BELÉM SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - SEMEC CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2011 CONCURSOPÚBLICON.º01/2011DASECRETARIAMUNICIPALDEEDUCAÇÃO SEMEC 1 / 15 PREFEITURA MUNICIPAL DE BELÉM, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2011. ANEXO 03 INFORMAÇÕES DOS CARGOS Cargo 01 PROFESSOR LICENCIADO PLENO PEDAGOGIA

Leia mais

Rua: Padre de Conde, S/N - Suarão - Itanhaém - SP CEP: TEL/FAX: (013) TEL: (013)

Rua: Padre de Conde, S/N - Suarão - Itanhaém - SP CEP: TEL/FAX: (013) TEL: (013) Rua: Padre de Conde, S/N - Suarão - Itanhaém - SP CEP: 11740-000 TEL/FAX: (013) 3422-4975 TEL: (013) 3422-4985. EDITAL PARA PREENCHIMENTO DE VAGA PARA PROFESSOR OORDENADOR A Diretora da Escola Estadual

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 084/2015 CONSU/IFAC.

RESOLUÇÃO Nº 084/2015 CONSU/IFAC. RESOLUÇÃO Nº 084/2015 CONSU/IFAC. Dispõe sobre o Regulamento das Atribuições da Coordenação Técnico Pedagógica COTEP do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre IFAC. O PRESIDENTE SUBSTITUTO

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE ORIENTADORES DE TCC Edital n.º 01/2017

EDITAL DE SELEÇÃO DE ORIENTADORES DE TCC Edital n.º 01/2017 1.SOBRE A PESQUISA Faculdade de Ensino Superior do Piauí FAESPI EDITAL DE SELEÇÃO DE ORIENTADORES DE TCC Edital n.º 01/2017 O acelerado crescimento do conhecimento nos últimos anos tornou impraticável

Leia mais

Manual de Estágio Supervisionado

Manual de Estágio Supervisionado Manual de Estágio Supervisionado Este Manual do Estágio Supervisionado contém informações e orientações importantes e necessárias aos estudantes do curso de Pedagogia. Nele, encontram-se os procedimentos

Leia mais

12. INSTITUTOS DA CASA ESPÍRITA E o semeador, saiu a semear... (Lucas, 8:4).

12. INSTITUTOS DA CASA ESPÍRITA E o semeador, saiu a semear... (Lucas, 8:4). 12. INSTITUTOS DA CASA ESPÍRITA E o semeador, saiu a semear... (Lucas, 8:4). Jovem amigo, para melhor executar suas tarefas, a Casa Espírita se organiza em Institutos que são departamentos especializados

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTRUMENTO DE CONHECIMENTO, REFLEXÃO E DECISÃO

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTRUMENTO DE CONHECIMENTO, REFLEXÃO E DECISÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTRUMENTO DE CONHECIMENTO, REFLEXÃO E DECISÃO ALBUQUERQUE, Rosa 1 NEGREIROS, Gláucia 2 VASCONCELOS, Maria Auxiliadora Marques 3 Introdução No ano de 2004 o Governo Federal

Leia mais

DAS COORDENAÇÃO DE EIXO_TECNOLÓGICO

DAS COORDENAÇÃO DE EIXO_TECNOLÓGICO DAS COORDENAÇÃO DE EIXO_TECNOLÓGICO TÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADES Art. 1 - À coordenação de eixo-tecnológico compete: I - Convocar e presidir as reuniões do Colegiado de Curso; II - Submeter à Coordenação

Leia mais

Uma destas importantes parcerias é com o INSTITUTO AOCP.

Uma destas importantes parcerias é com o INSTITUTO AOCP. A Fundação de Apoio à FAFIPA é uma entidade sem fins lucrativos que atua na área da Educação Superior, em cursos de pós-graduação em diversas áreas do conhecimento, cursos de formação e capacitação de

Leia mais

NÚCLEO DE APOIO PSICOPEDAGÓGICO AO DISCENTE

NÚCLEO DE APOIO PSICOPEDAGÓGICO AO DISCENTE NÚCLEO DE APOIO PSICOPEDAGÓGICO AO DISCENTE REGULAMENTO DO NÚCLEO DE APOIO PSICOPEDAGÓGICO O presente regulamento tem por finalidade normatizar as atividades do Núcleo de Atendimento Psicopedagógico aos

Leia mais

REGULAMENTO NÚCLEO DE ATENDIMENTO EDUCACIONAL AO DISCENTE FACULDADE CNEC ILHA DO GOVERNADOR

REGULAMENTO NÚCLEO DE ATENDIMENTO EDUCACIONAL AO DISCENTE FACULDADE CNEC ILHA DO GOVERNADOR REGULAMENTO NÚCLEO DE ATENDIMENTO EDUCACIONAL AO DISCENTE FACULDADE CNEC ILHA DO GOVERNADOR Núcleo de Atendimento Educacional ao Discente NAED Regulamento CAPÍTULO I DA NATUREZA E OBJETIVOS DO NAED Art.

Leia mais

Processos Avaliação do Ensino e Aprendizagem

Processos Avaliação do Ensino e Aprendizagem Processos Avaliação do Ensino e Aprendizagem Apoio Parceria Coordenação Técnica Iniciativa Duas dimensões da gestão educacional Processos de Gestão Pedagógica Processos da Gestão Administrativa e Financeira

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 001/2013 DO COLEGIADO DO CURSO DE PEDAGOGIA

RESOLUÇÃO Nº 001/2013 DO COLEGIADO DO CURSO DE PEDAGOGIA RESOLUÇÃO Nº 001/2013 DO COLEGIADO DO Regulamenta o funcionamento das disciplinas Projeto Integrado de Prática Educativa (PIPE) 1 e 2 Estágio Supervisionado 1 e 2 como atividades planejadas do Curso. O

Leia mais

FACULDADE HORIZONTINA - FAHOR PAE - PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS

FACULDADE HORIZONTINA - FAHOR PAE - PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS FACULDADE HORIZONTINA - FAHOR PAE - PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS HORIZONTINA - RS 2011 PAE Programa de Acompanhamento de Egressos I HISTÓRICO Desde 2006, ano em que formou a sua primeira turma,

Leia mais

Minicurso: Jogos e Dinâmicas de Grupo. Fabiana Sanches e Rosa Maria

Minicurso: Jogos e Dinâmicas de Grupo. Fabiana Sanches e Rosa Maria Minicurso: Jogos e Dinâmicas de Grupo Fabiana Sanches e Rosa Maria As dinâmicas são instrumentos, ferramentas que estão dentro de um processo de formação e organização, que possibilitam a criação e recriação

Leia mais

MINUTA REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS UNESP CAMPUS DE MARÍLIA

MINUTA REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS UNESP CAMPUS DE MARÍLIA MINUTA REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS UNESP CAMPUS DE MARÍLIA Capítulo I Do conceito e Objetivos Art. 1º - O Estágio Supervisionado do curso de

Leia mais

Portfólio de Produtos

Portfólio de Produtos Portfólio de Produtos 1 Pessoas Alguns sintomas que podem revelar o que está acontecendo no seu RH... Muito focado em tarefas operacionais. Não sabe quais são as atividades prioritárias. Não sabe quais

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO (cursos presenciais e à distância)

ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO (cursos presenciais e à distância) FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOMÉDICAS DE CACOAL DIREÇÃO ACADÊMICA REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO (cursos presenciais e à distância) CACOAL 2015 CAPÍTULO I DO CONCEITO, FINALIDADE

Leia mais

Princípios para uma Catequese Renovada. Eu vim para que tenham a vida Jo 10,10

Princípios para uma Catequese Renovada. Eu vim para que tenham a vida Jo 10,10 Princípios para uma Catequese Renovada Eu vim para que tenham a vida Jo 10,10 Por que Renovada? Podemos renovar o que ainda não existe? Como renovar? Introdução A renovação atual da catequese nasceu para

Leia mais

EVANGELIZAÇÃO INTRODUÇÃO OBJETIVOS PRINCÍPIOS METODOLÓGICOS O EVANGELIZANDO O EVANGELIZADOR A IMPORTÂNCIA DA EVANGELIZAÇÃO

EVANGELIZAÇÃO INTRODUÇÃO OBJETIVOS PRINCÍPIOS METODOLÓGICOS O EVANGELIZANDO O EVANGELIZADOR A IMPORTÂNCIA DA EVANGELIZAÇÃO EVANGELIZAÇÃO INTRODUÇÃO OBJETIVOS PRINCÍPIOS METODOLÓGICOS O EVANGELIZANDO O EVANGELIZADOR A IMPORTÂNCIA DA EVANGELIZAÇÃO INTRODUÇÃO A denominação de Evangelização Espírita Infanto-Juvenil se dá à transmissão

Leia mais

Professores do PED criam Mestrado Profissional em Educação: Formação de Formadores. Marli Eliza Dalmazo Afonso de André

Professores do PED criam Mestrado Profissional em Educação: Formação de Formadores. Marli Eliza Dalmazo Afonso de André Compartilhando... Professores do PED criam Mestrado Profissional em Educação: Formação de Formadores Marli Eliza Dalmazo Afonso de André Com muitos anos de experiência na formação de mestrandos e doutorandos

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS CURRICULARES

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS CURRICULARES REGULAMENTO DE ESTÁGIOS CURRICULARES CAPÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES Art. 1. Os estágios curriculares do Curso de Graduação em Psicologia do Centro Universitário Redentor são considerados como

Leia mais

Plano de Ensino Docente

Plano de Ensino Docente Plano de Ensino Docente IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Matemática FORMA/GRAU: ( ) integrado ( ) subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado (x) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE: ( x ) Presencial

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO E ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO E ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO E ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO PALMAS/2011 SUMÁRIO CAPÍTULO I - DA NATUREZA...03 CAPÍTULO II - DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO...03 Seção I - Da

Leia mais

REGULAMENTO DA AÇÃO DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

REGULAMENTO DA AÇÃO DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REGULAMENTO DA AÇÃO DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DA DEFINIÇÃO Art. 1º. A Ação de Responsabilidade Social da Faculdade Canção Nova é entendida como diversas práticas desenvolvidas pelo corpo discente desta

Leia mais

PROGRAMA BÁSICO DA DOUTRINA ESPÍRITA SEMP -2017

PROGRAMA BÁSICO DA DOUTRINA ESPÍRITA SEMP -2017 PROGRAMA BÁSICO DA DOUTRINA ESPÍRITA SEMP -2017 COORDENADORES Carlos Massucci Fernanda Chueire Luiz Arthur Chagas Nicole Ventura FICHAS DE INSCRIÇÃO Sociedade Espírita Os Mensageiros da Paz Fundada em

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO CEAL APLA - Assessoria de Planejamento. Abr/2014

PLANO ESTRATÉGICO CEAL APLA - Assessoria de Planejamento. Abr/2014 2014-2020 APLA - Assessoria de Planejamento 1 Abr/2014 Índice Apresentação.... 03 Recomendações Recomendações Gerais... 04 Aspectos potencializadores do PLANO ESTRATÉGICO... 05 Aspectos negativos da não

Leia mais

PLANO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL SUPERVISIONADO

PLANO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL SUPERVISIONADO PLANO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL SUPERVISIONADO Habilitação: Técnico em Química Área Profissional: Controle e Processos Industriais Carga horária total: 1.720 h/a - 5. Objetivos do Estágio: 1.433 horas mais

Leia mais

Atribuições das Decanias, Direção de Unidade Acadêmicas, Chefias de Departamento e Coordenação de Curso

Atribuições das Decanias, Direção de Unidade Acadêmicas, Chefias de Departamento e Coordenação de Curso Atribuições das Decanias, Direção de Unidade Acadêmicas, Chefias de Departamento e Coordenação de Curso Reunião de 01/11/2012 Considerando o atual Regimento interno da UNIRIO Acréscimo de novas atribuições

Leia mais

Aula 2. Módulo I Educação Ambiental e Sustentabilidade. Curso de Atualização em Educação Ambiental e Sustentabilidade. Jaqueline Figuerêdo Rosa

Aula 2. Módulo I Educação Ambiental e Sustentabilidade. Curso de Atualização em Educação Ambiental e Sustentabilidade. Jaqueline Figuerêdo Rosa www.cursoeduambientalifbaiano.wordpress.com Curso de Atualização em Educação Ambiental e Sustentabilidade Módulo I Educação Ambiental e Sustentabilidade Aula 2 Jaqueline Figuerêdo Rosa Mas, o que é Educação

Leia mais

EDITAL PARA PREENCHIMENTO DE VAGA PARA PROFESSORES COORDENADOR

EDITAL PARA PREENCHIMENTO DE VAGA PARA PROFESSORES COORDENADOR SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO DIADEMA E. E. PROFESSORA ANTONIETA BORGES ALVES Av. Dom Pedro I, 365 Vila Conceição- Diadema SP Tel. 40542321 EDITAL PARA PREENCHIMENTO DE VAGA

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROFESSOR COORDENADOR DO ENSINO MÉDIO

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROFESSOR COORDENADOR DO ENSINO MÉDIO GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO - REGIÃO DE SANTOS EE MARECHAL DO AR EDUARDO GOMES Av. Castelo Branco s/nº Jd. Enguaguaçu - Vicente de Carvalho/Guarujá-S.P.

Leia mais

Federação Espírita Roraimense Área de Infância e Juventude AIJ XIX CONFRATERNIZAÇÃO DAS JUVENTUDES ESPÍRITAS RORAIMENSES

Federação Espírita Roraimense Área de Infância e Juventude AIJ XIX CONFRATERNIZAÇÃO DAS JUVENTUDES ESPÍRITAS RORAIMENSES Federação Espírita Roraimense Área de Infância e Juventude AIJ XIX CONFRATERNIZAÇÃO DAS JUVENTUDES ESPÍRITAS RORAIMENSES REGULAMENTO L.E. Perg. 794 Poderia a sociedade reger-se, unicamente, pelas leis

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE DOS CURSOS OFERECIDOS PELA FATESP

REGULAMENTO DO NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE DOS CURSOS OFERECIDOS PELA FATESP REGULAMENTO DO NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE DOS CURSOS OFERECIDOS PELA FATESP Teresina PI /2014. REGULAMENTO DO NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE - NDE CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º O presente Regulamento

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 213 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011.

RESOLUÇÃO Nº. 213 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011. RESOLUÇÃO Nº. 213 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E CULTURA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS, no uso de suas atribuições legais e considerando o Parecer nº.

Leia mais

XXI Congresso Nacional das Guardas Municipais. Novo Hamburgo/RS, 17 a 19 de agosto de 2011

XXI Congresso Nacional das Guardas Municipais. Novo Hamburgo/RS, 17 a 19 de agosto de 2011 XXI Congresso Nacional das Guardas Municipais Novo Hamburgo/RS, 17 a 19 de agosto de 2011 Em 2011, a Secretaria Nacional de Segurança Pública criou Grupo de Trabalho para iniciar processo de discussão

Leia mais

Centro Espírita. Fé, Esperança e Caridade. Informes. Vem ai!! Atualmente. Edição Especial de Aniversário. Pag.

Centro Espírita. Fé, Esperança e Caridade. Informes. Vem ai!! Atualmente.  Edição Especial de Aniversário. Pag. Centro Espírita Fé, Esperança e Caridade www.feesperanca.ni.org.br Jul. 2017 Rua Bernardino de Mello, 1579 - Centro - N.I - Tel.: 2668-3070 Edição Especial de Aniversário Informes Reunião deliberativa

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO- ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS CURSO DE PEDAGOGIA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO REGULAMENTO Anápolis, 2 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA

Leia mais

A AÇÃO EDUCATIVA DA CASA ESPÍRITA

A AÇÃO EDUCATIVA DA CASA ESPÍRITA Página 1 de 5 A AÇÃO EDUCATIVA DA CASA ESPÍRITA Sandra Mª Borba Pereira (RN) A Casa Espírita representa a base sobre a qual o Movimento Espírita se ergue como resultado do esforço humano no estudo, prática

Leia mais

INSTITUTO FLORENCE DE ENSINO DIRETORIA ACADÊMICA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA

INSTITUTO FLORENCE DE ENSINO DIRETORIA ACADÊMICA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA INSTITUTO FLORENCE DE ENSINO DIRETORIA ACADÊMICA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA RELATÓRIO FINAL DE AVALIAÇÃO DOCENTE SÃO LUÍS 2012 1. INTRODUÇÃO O Plano de Desenvolvimento Institucional PDI do Instituto

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente - 2017 Ensino Técnico Etec Sylvio de Mattos Carvalho Plano de Curso nº 224 aprovado pela portaria Cetec nº 168 de 07/05/2013 Código: 103 Município: Matão Eixo Tecnológico: Gestão

Leia mais

CAPÍTULO I - Conceituação e Objetivos

CAPÍTULO I - Conceituação e Objetivos REGULAMENTO GERAL TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC Ensino Técnico do Centro Paula Souza CAPÍTULO I - Conceituação e Objetivos Art. 1º O Trabalho de Conclusão de Curso - TCC constitui-se numa atividade

Leia mais

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO CAPÍTULO I Das Considerações Preliminares Art.1º O presente Regulamento disciplina a oferta, o funcionamento e o registro acadêmico

Leia mais

PLANO DE AÇÃO

PLANO DE AÇÃO INSTITUTO FLORENCE DE ENSINO SUPERIOR COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO PLANO DE AÇÃO 2016-207 São Luís 2016 1 INTRODUÇÃO O plano de ações da CPA define os rumos dos trabalhos que serão desenvolvidas pela

Leia mais

LEAX na 29ª feira do Livro de Passo Fundo/RS

LEAX na 29ª feira do Livro de Passo Fundo/RS LEAX na 29ª feira do Livro de Passo Fundo/RS A LEAX Livraria Espírita participa de 31 de outubro a 8 de novembro da 29ª Feira do Livro de Passo Fundo/RS. Promovida pela Associação dos Livreiros ALPF, a

Leia mais

PLANO DE COORDENAÇÃO DE ÁREA 2014

PLANO DE COORDENAÇÃO DE ÁREA 2014 PLANO DE COORDENAÇÃO DE ÁREA 2014 Área/Habilitação: Enfermagem/ Agente Comunitário de Saúde/ Ensino Técnico Nº de HAE: 12 ETEC: Prof. Mário Antônio Verza Código: 164 Município: Palmital/SP Nome do Coordenador(a):

Leia mais

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE RELAÇÕES PÚBLICAS Estágio Supervisionado em Relações Públicas

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE RELAÇÕES PÚBLICAS Estágio Supervisionado em Relações Públicas REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE RELAÇÕES PÚBLICAS Estágio Supervisionado em Relações Públicas O estágio em Relações Públicas é compreendido como um mecanismo que promove a interação do aluno

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA CAPITULO I - DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA CAPITULO I - DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA Dispõe sobre o Regulamento do Estágio Curricular Supervisionado do Curso de Licenciatura em Pedagogia da Faculdade Capivari.

Leia mais

EDITAL Nº 06, DE 30 DE MAIO DE 2017 SELEÇÃO DE ESTUDANTES PARA ATUAR NO NÚCLEO DE PRÁTICAS EM GESTÃO

EDITAL Nº 06, DE 30 DE MAIO DE 2017 SELEÇÃO DE ESTUDANTES PARA ATUAR NO NÚCLEO DE PRÁTICAS EM GESTÃO EDITAL Nº 06, DE 30 DE MAIO DE 2017 SELEÇÃO DE ESTUDANTES PARA ATUAR NO A Coordenação do Curso de Administração da Faculdade Dinâmica do Vale do Piranga (FADIP), por meio do Núcleo de Práticas em Gestão,

Leia mais

REUNIÃO DE PAIS ENSINO MÉDIO -1º E 2º ANOS Compromisso Família e Escola

REUNIÃO DE PAIS ENSINO MÉDIO -1º E 2º ANOS Compromisso Família e Escola REUNIÃO DE PAIS ENSINO MÉDIO -1º E 2º ANOS Compromisso Família e Escola Visão Vamos oferecer uma educação apaixonante, que marque o coração e a mente dos que passam pela Escola Marista, de tal forma que

Leia mais

DCN DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS

DCN DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DCN DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS 01. As Diretrizes Curriculares Nacionais para EJA (CNE,2000) preconizam princípios norteadores da ação pedagógica da escola: (A) éticos, políticos e estéticos; (B)

Leia mais

Faculdades Integradas Ipitanga

Faculdades Integradas Ipitanga REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DAS FACULDADES INTEGRADAS IPITANGA Válido a partir 01/06/2011 CAPÍTULO I DAS ATIVIDADES Art. 1 o As Atividades Complementares têm a finalidade

Leia mais

REGULAMENTO DE REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO Faculdade de Enfermagem Luiza de Marillac

REGULAMENTO DE REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO Faculdade de Enfermagem Luiza de Marillac REGULAMENTO DE REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO Faculdade de Enfermagem Luiza de Marillac 2 TÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES GERAIS Artigo 1º - Os Cursos da FELM mantém estágios curriculares supervisionados que se constituem

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSUNI-ILACVN Nº 06/2017, de 29 de junho de 2017.

RESOLUÇÃO CONSUNI-ILACVN Nº 06/2017, de 29 de junho de 2017. RESOLUÇÃO CONSUNI-ILACVN Nº 06/2017, de 29 de junho de 2017. Dispõe sobre a criação do Núcleo de Informática em Ciências da Saúde, bem como aprova seu Regimento Interno. O CONSELHO DO INSTITUTO LATINO-AMERICANO

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico Plano de Curso nº 239 aprovado pela portaria Cetec nº 172 de 13/09/2013 Etec Sylvio de Mattos Carvalho Código: 103 Município: Matão Eixo Tecnológico: Controle

Leia mais