RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Fevereiro de 2015 ETANOL HIDRATADO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Fevereiro de 2015 ETANOL HIDRATADO"

Transcrição

1 CDC - Coordenadoria de Defesa da Concorrência RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Fevereiro de 2015 ETANOL HIDRATADO 1. Introdução Neste relatório será apresentado o comportamento dos preços de etanol hidratado combustível e identificados municípios com baixos índices de dispersão de preços de revenda, no mercado nacional, utilizando-se, basicamente, as informações do Levantamento de Preços ANP. A segunda seção apresenta o comportamento dos preços dos produtores de etanol hidratado nos últimos seis meses nas unidades produtoras dos estados de São Paulo e Alagoas. Em seguida, analisa a evolução recente dos preços médios de produção e revenda em nível regional, ressaltando os municípios cujos preços médios situam-se em patamares elevados em relação aos de suas respectivas regiões. A terceira seção aponta, em cada região, os mercados de revenda com níveis muito baixos de dispersão entre os preços, para uma avaliação posterior mais detalhada, levando-se em conta características estruturais que possam caracterizar indícios de práticas anticompetitivas. relatório. A última seção reúne as principais considerações finais deste

2 2. Comportamento dos preços. 2.1 Produção A Tabela 1 expressa os preços do etanol hidratado nas unidades produtoras dos estados de São Paulo e de Alagoas, nos últimos seis meses. Esses dois estados foram responsáveis por cerca de 49% da produção nacional desse biocombustível 1. Tabela 1 Evolução do Preço do Etanol Hidratado nas Unidades Produtoras dos Estados de São Paulo e Alagoas setembro de 2014 a fevereiro de Mês/Ano R$/litro (1) São Paulo Variação (mensal) Variação (12 meses) R$/litro (1) Alagoas Variação (mensal) Variação (12 meses) set/14 1,201-0,5% 4,5% 1,366 2,8% out/14 1,138-5,2% -2,2% 1,269-7,1% -2,1% nov/14 1,218 7,0% 1,1% 1,233-2,8% -3,9% dez/14 1,266 3,9% -1,2% 1,258 2,0% -7,1% jan/15 1,326 4,7% 3,2% 1,303 3,6% -6,5% fev/15 1,385 4,5% 1,2% 1,389 6,6% -1,4% Fonte: CEPEA/ESALQ/USP/USP NOTA: Não há dados disponíveis referentes ao preço do etanol hidratado no Estado de Alagoas, no mês de agosto de Os Gráficos 1 e 2 ilustram os preços médios mensais de produção do etanol hidratado nos estados de São Paulo e Alagoas, respectivamente, a partir de janeiro de O gráfico expressa os efeitos da sazonalidade 2 nos preços de produção desse biocombustível. 1 Safra 2013/2014 de acordo com Série Histórica de Produção Etanol Hidratado - CONAB, disponível em <http://www.conab.gov.br/conteudos.php?a=1252&t=>. 2 A principal influência sazonal nos preços do etanol hidratado é o período de safra na produção da canade-açúcar, que corresponde aos meses de abril a novembro no centro-sul do Brasil e setembro a março do ano seguinte no Nordeste.

3 Gráfico 1 - Preços médios mensais de produção do etanol hidratado no estado de São Paulo janeiro de 2012 a fevereiro de 2015 (R$/litro) Fonte: CEPEA/ESALQ/USP/USP Gráfico 2 - Preços médios mensais de produção do etanol hidratado no estado de Alagoas janeiro de 2012 a fevereiro de 2015 (R$/litro) Fonte: CEPEA/ESALQ/USP/USP NOTA: Não há dados disponíveis referentes ao etanol hidratado no Estado de Alagoas, no mês de agosto de Os principais fatores que podem explicar flutuações dos preços do etanol hidratado nas unidades produtoras são os períodos de safra e entressafra da cana-de-açúcar, as variações climáticas e o volume de estoque existente.

4 Em fevereiro de 2015, o preço médio de produção do etanol hidratado, nas unidades produtoras do estado de São Paulo (Gráfico 1), apresentou aumento de 4,5% em relação ao mês de janeiro de Segundo pesquisadores do Cepea/Esalq, esse movimento foi impulsionado principalmente pelo período de entressafra da cana-de-açúcar e pela maior demanda no início do mês em razão do aumento no preço da gasolina comum. 3 No estado de Alagoas, o preço médio de produção do etanol hidratado (Gráfico 2), referente a janeiro de 2015, foi de R$1,389/litro, o que representa um aumento de 6,6% em relação a janeiro de O Gráfico 3 mostra a relação entre os preços médios da gasolina C e do etanol hidratado nos postos revendedores em cada uma das 27 unidades federativas no mês de referência deste relatório. O limite de 70% entre os preços do etanol hidratado e da gasolina C, referente à vantagem econômica em adquirir o etanol hidratado, está indicado pela linha horizontal vermelha no gráfico. 3 Disponível em Acesso em 23 de março de 2015.

5 Gráfico 3 - Relação entre os preços médios mensais de revenda da gasolina comum e do etanol hidratado nas 27 unidades federativas do Brasil (fevereiro/2015) Fonte: Levantamento de Preços/ANP Considerando-se o preço médio por estado (Gráfico 3), verificase que, em fevereiro de 2015, o comparativo por estado entre gasolina e etanol não sofreu alterações em relação ao mês de janeiro de 2015, apesar das alterações tributárias em vigor desde o início do mês, que levaram ao aumento tanto do preço da gasolina C quanto do etanol hidratado. Com isso, o consumo de etanol manteve-se mais vantajoso economicamente vis-à-vis à gasolina comum nos estados de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná e São Paulo.

6 2.2 Revenda O Gráfico 4 mostra a comparação entre os preços médios mensais de revenda observados nas regiões brasileiras, com base nos valores referentes aos últimos doze meses, de acordo com o Levantamento de Preços ANP. Gráfico 4 - Preços médios mensais de revenda de etanol hidratado por região (R$/litro) Fonte: Levantamento de Preços/ANP De acordo com o Gráfico 4, em fevereiro de 2015, as cinco regiões apresentaram elevações em seus preços médios de revenda de etanol hidratado, registrando as seguintes variações: +7,4%, na região Centro-Oeste; +2,9%, na região Nordeste; +3,2%, na região Norte; +8,3%, na região Sudeste e +9,8%, na região Sul. Com base nos preços médios de revenda nos municípios pesquisados, no mês de referência deste relatório, foi elaborado o Gráfico 5, que apresenta a distribuição desses preços por região em intervalos de R$ 0,200/litro.

7 Gráfico 5 - Preços médios mensais de revenda de etanol hidratado por região e faixa de preços (fevereiro/2015) 2% 5% 1% 66% 32% 25% 14% 14% 52% R$/litro > 2,800 47% 59% 24% 13% 2,600-2,799 2,400-2,599 2,200-2,399 < 2,199 18% 43% 25% 16% 19% 16% 9% Norte Nordeste C-Oeste Sudeste Sul Fonte: Levantamento de Preços/ANP A partir do Gráfico 5, observa-se que, em fevereiro de 2015, na região Norte, 84% dos preços de revenda foram iguais ou superiores a R$ 2,600/litro. Na região Nordeste, 98% dos preços estiveram entre R$2,200/litro e R$ 2,799/litro, enquanto que, na região Sul, esse percentual foi de 90%. No Centro-Oeste, 84% dos preços foram superiores a R$2,200/litro e na região Sudeste, 81% dos preços foram inferiores a R$2,600/litro. Os municípios pesquisados que apresentaram os maiores preços médios mensais de revenda, em cada região brasileira, foram: Itacoatiara (AM) no Norte, Balsas (MA) no Nordeste, Paranaíba (MT) no Centro-Oeste, Jaguaré (ES) no Sudeste e Uruguaiana (RS) no Sul.

8 3. Mercados com Baixos Níveis de Dispersão de Preços Para identificar os mercados municipais com baixos níveis de dispersão de preços, foram calculados coeficientes de variação 4 dos preços de revenda de etanol hidratado, pesquisados em cada semana de fevereiro de Coeficientes inferiores a 0,010 5 caracterizam uma dispersão de preços muito pequena, o que indica que há maior possibilidade de alinhamento dos preços ao consumidor final. A Tabela 2 mostra o total de municípios por região que apresentaram simultaneamente as seguintes características: Coeficientes de variação iguais ou inferiores a 0,010, em pelo menos em quatro das cinco semanas pesquisadas no mês; e Número de postos revendedores pesquisados por semana superior ou igual a 15. Tabela 2 Número de municípios com as características supracitadas Região Nº de municípios Norte 0 Nordeste 0 Centro-Oeste 1 Sudeste 1 Sul 0 4 Coeficiente de variação = desvio-padrão/preço médio. É uma medida de variação relativa utilizada para comparar as variabilidades de duas ou mais amostras de tamanhos diferentes. Quanto mais baixo o seu valor, menor será a dispersão entre os preços. 5 Esses valores representam uma baixa variabilidade entre os preços e, em geral, mais de 70% deles estão em intervalos de até R$ 0,020/litro.

9 4. Considerações Finais Em fevereiro de 2015, o preço médio de produção do etanol hidratado, em São Paulo, apresentou variação positiva de 4,5%. Já no estado de Alagoas, o preço médio de produção do etanol hidratado, referente a fevereiro de 2015, foi de R$1,389/litro, o que representa um aumento de 6,6% em relação a janeiro de Tais aumentos foram impulsionados principalmente pelo período de entressafra da cana-de-açúcar e pela maior demanda em razão do aumento no preço da gasolina comum no início desse mês. Com relação aos preços médios de revenda de etanol hidratado, em fevereiro de 2015, as cinco regiões apresentaram variações positivas: região Centro-Oeste (7,4%) região Nordeste (2,9%); região Norte (3,2%), região Sudeste (8,2%) e região Sul (9,8%). Nesse mês, foram observados baixos índices de dispersão dos preços de revenda em 2 municípios. A ANP irá aprofundar a análise dos mercados de revenda de etanol hidratado para estes municípios a fim de avaliar a existência de indícios de infração contra a ordem econômica, com base, principalmente, nas evoluções dos índices de dispersão entre os preços e das margens brutas de revenda. As análises elaboradas pela ANP, a fim de verificar possíveis indícios de práticas anticompetitivas por parte dos agentes econômicos que atuam no mercado nacional de combustíveis, atendem, em geral, solicitações/denúncias encaminhadas por órgãos dos poderes Judiciário, Legislativo e Executivo, do Ministério Público Federal, dos Ministérios Públicos Estaduais, dos Procons e de outras entidades públicas ou civis em todo o país. No que se refere à análise de detecção de indícios de prática de cartel no mercado de revenda de combustíveis, a ANP utiliza metodologia própria expressa na Nota Técnica ANP Metodologia adotada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis para Detecção de Cartéis, que está disponível no endereço eletrônico da Agência. Deve-se ressaltar que esta metodologia visa à detecção de indícios de alinhamento de preços em determinado mercado, do ponto de vista da análise estritamente econômica, com objetivo de dar cumprimento ao disposto no art. 10 da Lei 9.478/1997, que confere à ANP a atribuição de informar ao Conselho Administrativo de Defesa da Concorrência (CADE), entidade vinculada ao Ministério da Justiça que integra o Sistema Brasileiro de Defesa da Concorrência, de fato que possa configurar indício de infração da ordem econômica, para que estes órgãos tomem as providências cabíveis no âmbito da legislação pertinente.

10 Além disso, cabe ressaltar que a constatação de indícios a partir da análise econômica não é suficiente para afirmar que ocorreu acordo para eventual fixação de preços pelos agentes e, logo, que se configure prática anticompetitiva, pois é fundamental a existência de provas diretas do acordo entre os agentes. Logo, não se pode descartar a possibilidade de que análises complementares do comportamento dos preços realizadas por outros órgãos competentes ou por esta ANP, a partir de informações adicionais e/ou utilizando metodologia distinta, alcancem diferentes resultados estatísticos. Nos últimos doze meses, a ANP elaborou análises acerca dos mercados de revenda de etanol hidratado, sob a ótica da defesa da concorrência, referentes ao seguinte município: Município UF Período Chapecó SC novembro de 2013 a março de 2014 Loanda PR outubro de 2011 a julho de 2012 Distrito Federal DF janeiro de 2013 a maio de 2014 Governador Valadares MG janeiro de 2013 a junho de 2014 Goiânia GO janeiro de 2014 a novembro de 2014

RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Janeiro de 2015 ETANOL HIDRATADO

RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Janeiro de 2015 ETANOL HIDRATADO CDC - Coordenadoria de Defesa da Concorrência RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Janeiro de 2015 ETANOL HIDRATADO 1. Introdução Neste relatório será apresentado o comportamento dos preços de

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Março de 2015 ETANOL HIDRATADO

RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Março de 2015 ETANOL HIDRATADO CDC - Coordenadoria de Defesa da Concorrência RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Março de 2015 ETANOL HIDRATADO 1. Introdução Neste relatório será apresentado o comportamento dos preços de etanol

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Setembro de 2015 GASOLINA COMUM

RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Setembro de 2015 GASOLINA COMUM CDC Coordenadoria de Defesa da Concorrência RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Setembro de 2015 GASOLINA COMUM 1. Introdução Neste relatório será apresentado o comportamento dos preços da gasolina

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Novembro de 2007 GLP

RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Novembro de 2007 GLP CDC - Coordenadoria de Defesa da Concorrência RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Novembro de 2007 GLP 1. Introdução Neste relatório será analisado o comportamento do mercado de revenda de GLP

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Junho de 2009 GLP

RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Junho de 2009 GLP CDC - Coordenadoria de Defesa da Concorrência 1. Introdução RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Junho de 2009 GLP Neste relatório será analisado o comportamento do mercado de revenda de GLP à

Leia mais

Entre os levantamentos de preços divulgados pela ANP, Balneário Camboriú apresenta maior variação no preço da gasolina em janeiro

Entre os levantamentos de preços divulgados pela ANP, Balneário Camboriú apresenta maior variação no preço da gasolina em janeiro Publicação mensal do curso de Ciências Econômicas da Universidade Comunitária da Região de Chapecó Ano 4, Nº 01 Janeiro/2015 Entre os levantamentos de preços divulgados pela ANP, Balneário Camboriú apresenta

Leia mais

Santa Catarina inicia com altas nos preços da gasolina em fevereiro

Santa Catarina inicia com altas nos preços da gasolina em fevereiro Publicação mensal do curso de Ciências Econômicas da Universidade Comunitária da Região de Chapecó Ano 4, Nº 02 Fevereiro/2015 Santa Catarina inicia com altas nos preços da gasolina em fevereiro Desde

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Dezembro de 2010 ETANOL HIDRATADO

RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Dezembro de 2010 ETANOL HIDRATADO CDC - Coordenadoria de Defesa da Concorrência RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Dezembro de 2010 ETANOL HIDRATADO 1. Introdução Neste relatório será analisado o comportamento do mercado de

Leia mais

Preço da gasolina praticado pelas principais cidades Catarinenses apresenta variação de R$ 0,497 por litro

Preço da gasolina praticado pelas principais cidades Catarinenses apresenta variação de R$ 0,497 por litro Publicação mensal do curso de Ciências Econômicas da Universidade Comunitária da Região de Chapecó Ano 4, Nº 05 Maio/2015 Preço da gasolina praticado pelas principais cidades Catarinenses apresenta variação

Leia mais

Após aumento, preço do combustível praticado pela maior parte das principais cidades Catarinenses apresenta queda em março

Após aumento, preço do combustível praticado pela maior parte das principais cidades Catarinenses apresenta queda em março Publicação mensal do curso de Ciências Econômicas da Universidade Comunitária da Região de Chapecó Ano 4, Nº 03 Março/2015 Após aumento, preço do combustível praticado pela maior parte das principais cidades

Leia mais

Preço da gasolina varia R$ 0238 entre os municípios catarinenses analisados pela ANP

Preço da gasolina varia R$ 0238 entre os municípios catarinenses analisados pela ANP Publicação mensal do curso de Ciências Econômicas da Universidade Comunitária da Região de Chapecó Ano 4, Nº 11 Novembro/2015 Preço da gasolina varia R$ 0238 entre os municípios catarinenses analisados

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Setembro de 2014 ÓLEO DIESEL

RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Setembro de 2014 ÓLEO DIESEL CDC Coordenadoria de Defesa da Concorrência RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Setembro de 2014 ÓLEO DIESEL 1. Introdução Neste relatório será apresentado o comportamento dos preços do óleo

Leia mais

Análise da evolução dos preços de milho no Brasil

Análise da evolução dos preços de milho no Brasil Introdução Análise da evolução dos preços de milho no Brasil Michele Souza Freitas (1), Rubens Augusto de Miranda (2), João Carlos Garcia (3) Segundo a Conab, na safra 2014/15, dos 202,3 milhões de toneladas

Leia mais

Carga Tributária dos Combustíveis por Estado. Referência: Setembro/2016

Carga Tributária dos Combustíveis por Estado. Referência: Setembro/2016 Carga Tributária dos Combustíveis por Estado Referência: Setembro/2016 Pontos importantes da Lei 12.741/2012 para a revenda de combustíveis Art. 1º Emitidos por ocasião da venda ao consumidor de mercadorias

Leia mais

1 - INTRODUÇÃO 2 - METODOLOGIA

1 - INTRODUÇÃO 2 - METODOLOGIA SUMÁRIO 1. Introdução... 2 2. Metodologia... 2 3. Estimativa da Área Plantada... 3 4. Estimativa da Produção... 3 5. Avaliação das Culturas... 4 5.1 Algodão... 4 5.2 Arroz... 4 5.3 Feijão... 5 5.4 Milho...

Leia mais

Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de Minas Gerais

Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de Minas Gerais PESQUISA DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM BELO HORIZONTE: ALUGUÉIS Abril de 2016 APRESENTAÇÃO DA PESQUISA Realizada pela Fundação IPEAD/UFMG, esta pesquisa tem o objetivo de fornecer informações sobre o mercado

Leia mais

Evolução das Despesas Estaduais

Evolução das Despesas Estaduais PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CONTABILIDADE E ECONOMIA SINDICATO DAS EMPRESAS DE SERVIÇOS CONTÁBEIS DO RS Convênio FACE/PUCRS e SESCON-RS Relatório 2 Evolução das Despesas

Leia mais

EMPREGO INDUSTRIAL Dezembro de 2013

EMPREGO INDUSTRIAL Dezembro de 2013 EMPREGO INDUSTRIAL Dezembro de 2013 Emprego industrial 28 de Janeiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA SUMÁRIO EXECUTIVO INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO - no acumulado do ano, foi

Leia mais

CESTA BÁSICA do Município de Catalão-GO

CESTA BÁSICA do Município de Catalão-GO BOLETIM Setembro 2015 CESTA BÁSICA do Município de Catalão-GO Mês de Referência: 09/2015 Mês de Divulgação: 10/2015 Profa. Dra. Michelle da Silva Borges Karen Brina Borges de Deus; Luciene Maria Borges

Leia mais

Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de Minas Gerais

Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de Minas Gerais PESQUISA DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM BELO HORIZONTE: ALUGUÉIS Janeiro de 2016 APRESENTAÇÃO DA PESQUISA Esta pesquisa é realizada pela Fundação IPEAD/UFMG com o apoio da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte

Leia mais

PESQUISA DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM BELO HORIZONTE: ALUGUÉIS

PESQUISA DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM BELO HORIZONTE: ALUGUÉIS PESQUISA DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM BELO HORIZONTE: ALUGUÉIS Janeiro de 2015 APRESENTAÇÃO DA PESQUISA Esta pesquisa é realizada pela Fundação IPEAD/UFMG com o apoio da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte

Leia mais

Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento

Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento Janeiro de 2008 Apresentado por Fernando Chacon Diretor de Marketing de Cartões do Banco Itaú 1 Mercado de Cartões Faturamento anual: R$ bilhões

Leia mais

VCMH/IESS. Variação de Custos Médico-Hospitalares. Edição: Janeiro de 2016 Data-base: Junho de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO

VCMH/IESS. Variação de Custos Médico-Hospitalares. Edição: Janeiro de 2016 Data-base: Junho de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO Variação de Custos Médico-Hospitalares Edição: Janeiro de 2016 Data-base: Junho de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO O VCMH/IESS O índice VCMH/IESS para planos individuais atingiu 17,1% no período de 12 meses terminados

Leia mais

LSPA. Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. Dezembro de Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no ano civil

LSPA. Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. Dezembro de Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no ano civil Diretoria de Pesquisas Coordenação de Agropecuária Gerência de Agricultura LSPA Dezembro de 2013 Levantamento Sistemático da Produção Agrícola Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas

Leia mais

CESTA BÁSICA do Município de Catalão-GO

CESTA BÁSICA do Município de Catalão-GO BOLETIM Janeiro 2016 CESTA BÁSICA do Município de Catalão-GO Mês de Referência: 01/2016 Mês de Divulgação: 02/2016 Profa. Dra. Michelle da Silva Borges; Karen Brina Borges de Deus; Luciene Maria Borges

Leia mais

Combustíveis e seus reajustes. Número 19 abril 2006 NOTA TÉCNICA

Combustíveis e seus reajustes. Número 19 abril 2006 NOTA TÉCNICA Combustíveis e seus reajustes Número 19 abril 2006 NOTA TÉCNICA Combustíveis e seus reajustes O aumento do álcool, neste 1º trimestre de 2006, assustou os consumidores. Muitos deles, com veículos bicombustíveis,

Leia mais

Chapecó tem aumento de 2,50% em fevereiro no valor do Cesto de produtos básicos

Chapecó tem aumento de 2,50% em fevereiro no valor do Cesto de produtos básicos Publicação mensal do curso de Ciências Econômicas da Universidade Comunitária da Região de Chapecó Ano 20, Nº 2 Fevereiro/2015 Chapecó tem aumento de 2,50% em fevereiro no valor do Cesto de produtos básicos

Leia mais

F.17 Cobertura de redes de abastecimento de água

F.17 Cobertura de redes de abastecimento de água Comentários sobre os Indicadores de Cobertura até 6 F.17 Cobertura de redes de abastecimento de água Limitações: Requer informações adicionais sobre a quantidade per capita, a qualidade da água de abastecimento

Leia mais

Munícipios de Santa Catarina apresentam queda nos preços da gasolina no mês de agosto de 2014

Munícipios de Santa Catarina apresentam queda nos preços da gasolina no mês de agosto de 2014 Publicação mensal do curso de Ciências Econômicas da Universidade Comunitária da Região de Chapecó Ano 3, Nº 7 Agosto/2014 Munícipios de Santa Catarina apresentam queda nos preços da gasolina no mês de

Leia mais

Fundação de Proteção e Defesa do consumidor Procon. Relatório de Pesquisa Preço da Gasolina e Etanol

Fundação de Proteção e Defesa do consumidor Procon. Relatório de Pesquisa Preço da Gasolina e Etanol Fundação de Proteção e Defesa do consumidor Procon Relatório de Pesquisa Preço da Gasolina e Etanol presentação Com o propósito de disseminar informação para os consumidores em se tratando de um dos produtos

Leia mais

PESQUISA DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM BELO HORIZONTE: ALUGUÉIS

PESQUISA DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM BELO HORIZONTE: ALUGUÉIS PESQUISA DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM BELO HORIZONTE: ALUGUÉIS Março de 2015 APRESENTAÇÃO DA PESQUISA Esta pesquisa é realizada pela Fundação IPEAD/UFMG com o apoio da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte

Leia mais

Governo de Mato Grosso Secretaria de Estado de Planejamento e Coordenação Geral Superintendência de Planejamento Coordenadoria de Avaliação

Governo de Mato Grosso Secretaria de Estado de Planejamento e Coordenação Geral Superintendência de Planejamento Coordenadoria de Avaliação Governo de Mato Grosso Secretaria de Estado de Planejamento e Coordenação Geral Superintendência de Planejamento Coordenadoria de Avaliação ET CA/SP/SEPLAN nº 02/2013 Evolução da extrema pobreza em Mato

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

Preço da cesta básica diminui em quinze cidades

Preço da cesta básica diminui em quinze cidades 1 São Paulo, 07 de julho de 2015. NOTA À IMPRENSA Preço da cesta básica diminui em quinze cidades O valor do conjunto de bens alimentícios básicos diminuiu em 15 das 18 cidades onde o DIEESE - Departamento

Leia mais

Cesta Básica. Boletim Abril

Cesta Básica. Boletim Abril Cesta Básica Boletim Abril - 2012 O custo da cesta básica na cidade de Ilhéus diminuiu 1,46%, de R$204,03 em março passou para R$201,06 em abril (Tabela 1). A redução de 10,61% no preço da banana foi o

Leia mais

Resultado do Estoque de Empregos Formais RAIS 2002 a 2013

Resultado do Estoque de Empregos Formais RAIS 2002 a 2013 Enfoque Econômico é uma publicação do IPECE que tem por objetivo fornecer informações de forma imediata sobre políticas econômicas, estudos e pesquisas de interesse da população cearense. Por esse instrumento

Leia mais

Comunicado ao Mercado

Comunicado ao Mercado MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ/MF nº 08.343.492/0001-20 NIRE 31.300.023.907 Comunicado ao Mercado No 4T15 a Companhia alcançou R$ 1,4 bilhão em vendas contratadas, e no ano de 2015 atingimos

Leia mais

Perfil das Micro e Pequenas Empresas no ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Perfil das Micro e Pequenas Empresas no ESTADO DO RIO DE JANEIRO Perfil das Micro e Pequenas Empresas no ESTADO DO RIO DE JANEIRO NOTA CONJUNTURAL DO OBSERVATÓRIO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, SETEMBRO DE 2011 03 2011 PANORAMA GERAL O crescimento

Leia mais

ICMS: um retrato da economia brasileira em 2015

ICMS: um retrato da economia brasileira em 2015 ICMS: um retrato da economia brasileira em 2015 Pedro Jucá Maciel 1 INTRODUÇÃO O ICMS, imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre prestações de serviços de transporte interestadual,

Leia mais

27 de abril de 2016. Coletiva de imprensa ESTIMATIVA SAFRA 2016/2017

27 de abril de 2016. Coletiva de imprensa ESTIMATIVA SAFRA 2016/2017 27 de abril de 2016 Coletiva de imprensa ESTIMATIVA SAFRA 2016/2017 ROTEIRO I. Considerações sobre a atual situação do setor sucroenergético II. Bioeletricidade III. Condições climáticas e agronômicas

Leia mais

Preço do etanol tem queda nas principais cidades de Santa Catarina

Preço do etanol tem queda nas principais cidades de Santa Catarina Publicação mensal do curso de Ciências Econômicas da Universidade Comunitária da Região de Chapecó Ano 4, Nº 07 Julho/2015 Preço do etanol tem queda nas principais cidades de Santa Catarina Desde janeiro

Leia mais

LEITE E DERIVADOS JULHO / 2015

LEITE E DERIVADOS JULHO / 2015 LEITE E DERIVADOS JULHO / 2015 1. Mercado nacional 1.1 Preços pagos ao produtor Os preços nominais médios brutos 1 pagos ao produtor em ho, ponderados pela produção, dos e estados pesquisados pelo Centro

Leia mais

Cesta básica sobe em todas as capitais

Cesta básica sobe em todas as capitais 1 São Paulo, 04 de setembro de 2007. NOTA À IMPRENSA Cesta básica sobe em todas as capitais Todas as 16 capitais onde o DIEESE Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos realiza

Leia mais

Metodologia de Arbitragem de Preços de Ajuste de Contratos Futuros de Etanol Hidratado

Metodologia de Arbitragem de Preços de Ajuste de Contratos Futuros de Etanol Hidratado Metodologia de Arbitragem de Preços de Ajuste de Contratos Futuros de Etanol Hidratado Neste documento é descrita a metodologia de arbitragem adotada para determinar os preços de ajuste de contratos futuros

Leia mais

Perspectivas do Etanol na Matriz de Transportes do Brasil

Perspectivas do Etanol na Matriz de Transportes do Brasil Perspectivas do Etanol na Matriz de Transportes do Brasil SEMINÁRIO INTERNACIONAL: USO EFICIENTE DO ETANOL Aurélio César Nogueira Amaral Diretor 20.09.2016 Missões da ANP REGULAR Estabelecer as normas

Leia mais

Atendimento de Saúde Ocupacional e Acidente do Trabalho no Sistema Unimed

Atendimento de Saúde Ocupacional e Acidente do Trabalho no Sistema Unimed Atendimento de Saúde Ocupacional e Acidente do Trabalho no Sistema Unimed ESTUDO REALIZADO PELA ÁREA DE INFORMAÇÕES ESTRATÉGICAS DA UNIMED DO BRASIL: José Carlos de Barros Gerente Paulo José Especialista

Leia mais

CARNE BOVINA Período: JULHO/2011

CARNE BOVINA Período: JULHO/2011 CARNE BOVINA Período: JULHO/2011 MERCADO INTERNO BOVINO Quadro I - PREÇOS PAGOS AOS PRODUTORES - R$/unidade PERÍODOS ANTERIORES PRAÇA UF UNID 12 MESES 6 MESES 1 MÊS Barretos SP @ 81,55 104,88 100,70 97,27

Leia mais

Emprego Industrial Agosto de 2014

Emprego Industrial Agosto de 2014 Emprego Industrial Agosto de 2014 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de agosto de 2014, o saldo de emprego em Santa Catarina voltou a crescer (6.599 postos e variação de 0,3% em relação ao estoque de julho). A indústria

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

Custo da Cesta Básica aumenta em 17 cidades

Custo da Cesta Básica aumenta em 17 cidades 1 São Paulo, 06 de junho de 2016. NOTA À IMPRENSA Custo da Cesta Básica aumenta em 17 cidades Em maio, houve elevação do custo do conjunto de alimentos básicos em 17 das 27 capitais brasileiras, de acordo

Leia mais

Setor Público Brasileiro

Setor Público Brasileiro PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CONTABILIDADE E ECONOMIA SINDICATO DAS EMPRESAS DE SERVIÇOS CONTÁBEIS DO RS Parceria FACE/PUCRS e SESCON-RS Relatório 25 Evolução das

Leia mais

5. NÍVEL DE ATIVIDADE ECONÔMICA. Álvaro Alves de Moura Jr.

5. NÍVEL DE ATIVIDADE ECONÔMICA. Álvaro Alves de Moura Jr. 98 5. NÍVEL DE ATIVIDADE ECONÔMICA Álvaro Alves de Moura Jr. O principal destaque na análise do nível de atividade econômica se refere à mudança na metodologia do cálculo do PIB, que passou a incluir informações

Leia mais

Emprego Industrial Janeiro de 2015

Emprego Industrial Janeiro de 2015 Emprego Industrial Janeiro de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de janeiro de 2015, o saldo de empregos em Santa Catarina cresceu em relação a dezembro (14.637 postos e variação de 0,7%). A indústria de transformação

Leia mais

O MERCADO DE SOJA 1. INTRODUÇÃO

O MERCADO DE SOJA 1. INTRODUÇÃO O MERCADO DE SOJA 1. INTRODUÇÃO A cultura da soja apresenta relevante importância para a economia brasileira, sendo responsável por uma significativa parcela na receita cambial do Brasil, destacando-se

Leia mais

Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007

Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007 Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007 REGIÃO NORTE 5.951.408 87,35 861.892 12,65 6.813.300 RONDÔNIA 760.521 88,11 102.631 11,89 863.152 ACRE 298.081 85,86 49.094

Leia mais

Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016

Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016 Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016 Diretoria Adjunta de Análise e Disseminação de Informações Gerência de Indicadores Econômicos Em fevereiro de 2016, no acumulado de 12 meses,

Leia mais

Na atividade de têxtil e confecção ocorreu o maior volume de contratações (1.069 postos).

Na atividade de têxtil e confecção ocorreu o maior volume de contratações (1.069 postos). JAN/2016 Sumário Executivo No mês de janeiro de 2016, o saldo de empregos em Santa Catarina aumentou em relação a dezembro (7.211 postos e variação de 0,4%). A indústria de transformação também teve desempenho

Leia mais

Estado de São Paulo tem a maior quantidade de POS a cada mil habitantes; Maranhão, a menor

Estado de São Paulo tem a maior quantidade de POS a cada mil habitantes; Maranhão, a menor INFORMATIVO PARA A IMPRENSA ML&A Comunicações Fernanda Elen fernanda@mla.com.br (11) 3811-2820 ramal 833 Cresce a aceitação de cartões em 2015, aponta a Boanerges & Cia. Estado de São Paulo tem a maior

Leia mais

NOTÍCIAS ETENE 04 DE MAIO DE 2011 RESULTADOS DO CENSO 2010

NOTÍCIAS ETENE 04 DE MAIO DE 2011 RESULTADOS DO CENSO 2010 NOTÍCIAS ETENE 04 DE MAIO DE 2011 RESULTADOS DO CENSO 2010 População brasileira cresce quase 20 vezes desde 1872 A população do Brasil alcançou a marca de 190.755.799 habitantes na data de referência do

Leia mais

Baixa oferta de leite no mercado começa impactar cadeia produtiva

Baixa oferta de leite no mercado começa impactar cadeia produtiva Publicação mensal do curso de Ciências Econômicas da Universidade Comunitária da Região de Chapecó Ano 21, Nº 07 Julho/2016 Baixa oferta de leite no mercado começa impactar cadeia produtiva O curso de

Leia mais

Emprego Industrial Dezembro de 2014

Emprego Industrial Dezembro de 2014 Emprego Industrial Dezembro de 2014 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de dezembro de 2014, o saldo de empregos em Santa Catarina recuou em relação ao estoque de novembro (-36.691 postos e variação de -1,8%). A

Leia mais

Dados Demográficos: Grandes Regiões, Estados e Municípios. Boletim Técnico Gonçalves & Associados Edição 04 - Maio/2013.

Dados Demográficos: Grandes Regiões, Estados e Municípios. Boletim Técnico Gonçalves & Associados Edição 04 - Maio/2013. Estudo de Perfil do Consumidor Potencial Brasil - Dados Demográficos: Grandes Regiões, Estados e Municípios Boletim Técnico Gonçalves & Associados Edição 04 - Maio/ Edição 2009 www.goncalvesassociados.com

Leia mais

SEÇÃO 1 Panorama Internacional. Petróleo 1.1 Reservas 1.2 Produção 1.3 Refino 1.4 Preços. Gás Natural 1.5 Reservas 1.6 Produção

SEÇÃO 1 Panorama Internacional. Petróleo 1.1 Reservas 1.2 Produção 1.3 Refino 1.4 Preços. Gás Natural 1.5 Reservas 1.6 Produção SEÇÃO 1 Panorama Internacional Petróleo 1.1 Reservas 1.2 Produção 1.3 Refino 1.4 Preços Gás Natural 1.5 Reservas 1.6 Produção 1 Esta seção apresenta informações sobre o desempenho da indústria mundial

Leia mais

Município de Chapecó tem aumento de 0,75% no preço da gasolina em janeiro de 2016

Município de Chapecó tem aumento de 0,75% no preço da gasolina em janeiro de 2016 Publicação mensal do curso de Ciências Econômicas da Universidade Comunitária da Região de Chapecó Ano 5, Nº 1 Janeiro/2016 Município de Chapecó tem aumento de 0,75% no preço da gasolina em janeiro de

Leia mais

Balanço dos 10 anos do Selo Combustível Social

Balanço dos 10 anos do Selo Combustível Social SEMINÁRIO NACIONAL DE AVALIAÇÃO DO SELO COMBUSTÍVEL SOCIAL: A INCLUSÃO SOCIAL E PRODUTIVA DA AGRICULTURA FAMILIAR NOS 10 ANOS DO PNPB Balanço dos 10 anos do Selo Combustível Social Dezembro de 2015 Brasília

Leia mais

Associação Brasileira dos Produtores de Soja

Associação Brasileira dos Produtores de Soja Associação Brasileira dos Produtores de Soja De acordo com o 5 Levantamento de safra 2015/16, publicado em fevereiro pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), a área plantada deve crescer 3,6%

Leia mais

EVOLUÇÃO SALARIAL. Categoria: Federação dos Trabalhadores da Saúde do Estado de São Paulo. Material de suporte para categorias em data-base INPC-IBGE

EVOLUÇÃO SALARIAL. Categoria: Federação dos Trabalhadores da Saúde do Estado de São Paulo. Material de suporte para categorias em data-base INPC-IBGE EVOLUÇÃO SALARIAL Categoria: Material de suporte para categorias em data-base Deflatores: IPCA-IBGE INPC-IBGE março de 2015 Este trabalho contém o estudo sobre o comportamento dos salários desde 01-março-2014

Leia mais

Mamona Período: março de 2014

Mamona Período: março de 2014 Mamona Período: março de 2014 Quadro I: preço pago ao produtor Centro de Produção UF Unidade 12 meses (a) Média de Mercado 1 mês (b) Mês atual (c) Preço mínimo Var % (c/a) Irecê BA 60kg 128,18 130,38 126,73

Leia mais

Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos

Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos Escritório Regional da Bahia Rua do Cabral, 15 - Nazaré CEP 40.055.010 Salvador Bahia Telefone: (71) 3242-7880 Fax: (71) 3326-9840 E-mail: erba@dieese.org.br Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos

Leia mais

O Território Brasileiro Atual II

O Território Brasileiro Atual II L.E. Semana 1 Sábado O Território Brasileiro Atual II Caracterização do território: fusos horários e divisão regional Fusos horários Fusos horários Características Decreto nº 2.784, de 18 de junho de 1913.

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS no Estado do Rio de Janeiro Balanço de 2012

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS no Estado do Rio de Janeiro Balanço de 2012 NOTA CONJUNTURAL GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS no Estado do Rio de Janeiro Balanço de 2012 OBSERVATÓRIO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, JANEIRO DE 2013 19 2013 PANORAMA GERAL Os

Leia mais

Brasília,26 de novembro de SETOR SUCROALCOOLEIRO

Brasília,26 de novembro de SETOR SUCROALCOOLEIRO Brasília,26 de novembro de 2015. SETOR SUCROALCOOLEIRO Açúcar: Avaliação de Oferta e Demanda Mundial F o n t e : U S D A Superávit/Déficit Global S&D Safra 15/16 (base Out-Set) Produção / Demanda Balanço

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS no Estado do Rio de Janeiro JANEIRO DE 214 BRASIL O saldo líquido de empregos formais no primeiro mês de 214 foi de 29.595 empregos em todo o país, segundo o Cadastro Geral

Leia mais

PIB PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DE RONDÔNIA 2014

PIB PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DE RONDÔNIA 2014 PIB PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DE RONDÔNIA 2014 A Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão SEPOG/RO, através da Gerência do Observatório em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia

Leia mais

Petróleo e Biocombustíveis: A eterna busca pela autossuficiência. Suani Teixeira Coelho Sao Paulo, 5 de agosto de 2013

Petróleo e Biocombustíveis: A eterna busca pela autossuficiência. Suani Teixeira Coelho Sao Paulo, 5 de agosto de 2013 Petróleo e Biocombustíveis: A eterna busca pela autossuficiência Suani Teixeira Coelho Sao Paulo, 5 de agosto de 2013 No segmento de refino, a produção de derivados atingiu 2,02 milhões de barris/dia,

Leia mais

Emprego Industrial Outubro de 2015

Emprego Industrial Outubro de 2015 Emprego Industrial Outubro de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de ubro de 2015, o saldo de empregos em Santa Catarina reduziu em relação ao estoque de setembro (-4.475 postos e variação de -0,2%). A indústria

Leia mais

Balanço da Atividade da Fiscalização da ANP no Mercado de GLP. Encontro Técnico do GLP de de dezembro de 2015 São Paulo - SP

Balanço da Atividade da Fiscalização da ANP no Mercado de GLP. Encontro Técnico do GLP de de dezembro de 2015 São Paulo - SP Balanço da Atividade da Fiscalização da ANP no Mercado de GLP Encontro Técnico do GLP de 2015 09 de dezembro de 2015 São Paulo - SP Fiscalização do Abastecimento 2 Agentes Econômicos Sujeitos à Fiscalização

Leia mais

Consulta Pública No N v o a v a Re R g e u g l u a l m a en e t n a t ç a ã ç o ã pa p r a a r o o Et E a t n a o n l o

Consulta Pública No N v o a v a Re R g e u g l u a l m a en e t n a t ç a ã ç o ã pa p r a a r o o Et E a t n a o n l o Consulta Pública Nova Regulamentação para o Etanol Considerações O objetivo da regulamentação proposta é garantir o abastecimento de anidro no mercado nacional. No entanto, as medidas anunciadas não garantem

Leia mais

GIRASSOL Período: Julho de 2012

GIRASSOL Período: Julho de 2012 GIRASSOL Período: Julho de 2012 QUADRO I PREÇOS PAGO AO PRODUTOR (R$ 60/Kg) Centro de Referência Un Período Anteriores Período atual Variação (%) Julho/11 Julho/12 Preços Mínimos (60/Kg) Centro Sul 60

Leia mais

Emprego Industrial Setembro de 2014

Emprego Industrial Setembro de 2014 Emprego Industrial Setembro de 2014 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de setembro de 2014, o saldo do emprego voltou a crescer em Santa Catarina (7.033 postos e variação de 0,3% em relação ao estoque de agosto).

Leia mais

Cesta básica de Porto Alegre registra variação de 1,43% em abril de 2016

Cesta básica de Porto Alegre registra variação de 1,43% em abril de 2016 1 Cesta básica de Porto Alegre registra variação de 1,43% em abril de 2016 Porto Alegre, 11 de maio de 2016. NOTA À IMPRENSA Em abril de 2016, a Cesta Básica de Porto Alegre calculada pelo DIEESE registrou

Leia mais

PROJETO AGROMINERAIS PARA BIOCOMBUSTÍVEIS

PROJETO AGROMINERAIS PARA BIOCOMBUSTÍVEIS PROJETO AGROMINERAIS PARA BIOCOMBUSTÍVEIS Potencial Agrícola e de Mercado no Brasil para Biocombustíveis e Biodiesel Centro de Tecnologia Mineral - CETEM Cia. Nacional de Abastecimento - Conab ÂNGELO BRESSAN

Leia mais

CESTA BÁSICA DE CAMPINAS: dezembro de 2007

CESTA BÁSICA DE CAMPINAS: dezembro de 2007 CESTA BÁSICA DE CAMPINAS: dezembro de 2007 Cândido Ferreira da Silva Filho 1 Introdução A pesquisa da cesta básica de Campinas, atividade de extensão realizada pela PUC Campinas, acompanha a evolução dos

Leia mais

PÓLO COSTA DAS PISCINAS/PARAÍBA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DO TURISMO SUSTENTÁVEL ANEXO V GASTOS TURÍSTICOS TABELAS

PÓLO COSTA DAS PISCINAS/PARAÍBA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DO TURISMO SUSTENTÁVEL ANEXO V GASTOS TURÍSTICOS TABELAS PÓLO COSTA DAS PISCINAS/PARAÍBA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DO TURISMO SUSTENTÁVEL ANEXO V GASTOS TURÍSTICOS TABELAS JOÃO PESSOA-PB, JUNHO 2004 TABELA Nº01 GASTO MÉDIO INDIVIDUAL DIÁRIO em R$ 1.00,

Leia mais

jan/12 fev/12 mar/12 abr/12 mai/12 jun/12 jul/12 ago/12 set/12 out/12 nov/12 dez/12

jan/12 fev/12 mar/12 abr/12 mai/12 jun/12 jul/12 ago/12 set/12 out/12 nov/12 dez/12 Coordenadoria de Defesa da Evolução Concorrênciados preços de GLP (R$ / botijão de 13 kg) Brasil Preço de Realização do Produtor 11,33 11,34 11,33 11,34 11,33 11,34 11,34 11,33 11,34 11,34 11,34 11,34

Leia mais

EXTERNALIDADES SOCIAIS DOS DIFERENTES COMBUSTÍVEIS NO BRASIL

EXTERNALIDADES SOCIAIS DOS DIFERENTES COMBUSTÍVEIS NO BRASIL EXTERNALIDADES SOCIAIS DOS DIFERENTES COMBUSTÍVEIS NO BRASIL Márcia Azanha Ferraz Dias de Moraes Cinthia Cabral da Costa Joaquim José Maria Guilhoto Luiz Gustavo Antonio de Souza Fabíola Cristina Ribeiro

Leia mais

EVOLUÇÃO SALARIAL (Não considerando a incorporação da Gratificação Nova Escola como reajuste)

EVOLUÇÃO SALARIAL (Não considerando a incorporação da Gratificação Nova Escola como reajuste) EVOLUÇÃO SALARIAL (Não considerando a incorporação da Gratificação Nova Escola como reajuste) Categoria: Profissionais da Educação da Rede Estadual de Ensino do Rio de Janeiro (Magistério) Deflatores:

Leia mais

Preço da cesta sobe em 14 capitais

Preço da cesta sobe em 14 capitais 1 São Paulo, 01 de novembro de 2006 NOTA À IMPRENSA Preço da cesta sobe em 14 capitais Quatorze capitais registraram aumento no preço da cesta básica, em outubro, de acordo com a Pesquisa Nacional da Cesta

Leia mais

Produtividade do trabalho e encadeamento setorial nos anos 2000

Produtividade do trabalho e encadeamento setorial nos anos 2000 Produtividade do trabalho e encadeamento setorial nos anos 2000 3ª Conferência para o Desenvolvimento - CODE Mesa: A Dinâmica Recente da Produtividade no Brasil Gabriel Coelho Squeff Técnico de Planejamento

Leia mais

PLD (Preço de Liquidação das Diferenças)

PLD (Preço de Liquidação das Diferenças) 9 05 5 PLD (Preço de Liquidação das Diferenças) Fonte: PLD: CCEE / PLD médio: PONDERAÇÃO COMERC. PLD médio é a média ponderada dos valores já divulgados do PLD, pelas horas das semanas publicadas. 2. PLD

Leia mais

SÍNTESE DO COMPORTAMENTO DO MERCADO DE TRABALHO FORMAL EM ALAGOAS ABRIL DE 2015

SÍNTESE DO COMPORTAMENTO DO MERCADO DE TRABALHO FORMAL EM ALAGOAS ABRIL DE 2015 SÍNTESE DO COMPORTAMENTO DO MERCADO DE TRABALHO FORMAL EM ALAGOAS ABRIL DE 2015 Superintendência de Produção da Informação e do Conhecimento (SINC) Diretoria de Estatística e Indicadores Analisando os

Leia mais

Preços e comercialização de milho-verde na Ceasa Minas

Preços e comercialização de milho-verde na Ceasa Minas Preços e comercialização de milho-verde na Ceasa Minas Karina C. S. Moura 1, Jason O. Duarte 2 e João C. Garcia 2 1 Estagiária PIBIC/CNPq da Embrapa Milho e Sorgo. karinamoura35@gmail.com. 2. Pesquisadores

Leia mais

PANORAMA ATUAL DA ECONOMIA GOIANA

PANORAMA ATUAL DA ECONOMIA GOIANA 8 PANORAMA ATUAL DA ECONOMIA GOIANA A crise econômico-financeira originada nos Estados Unidos, em 2008, denominada Crise dos Subprime, afetou toda a economia mundial. A atual crise da União Europeia, chamada

Leia mais

1. Quantidade de pedidos de acesso à informação. Órgão(s) de referência. Período de consulta: 5/2015 a 5/2016

1. Quantidade de pedidos de acesso à informação. Órgão(s) de referência. Período de consulta: 5/2015 a 5/2016 Relatório de Pedidos de Acesso à Informação e Solicitantes (*) Informações adicionais para o correto entendimento do relatório podem ser encontradas na última seção. Órgão(s) de referência Período de consulta:

Leia mais

Soja Análise da Conjuntura Agropecuária MUNDO SAFRA 2014/15

Soja Análise da Conjuntura Agropecuária MUNDO SAFRA 2014/15 Soja Análise da Conjuntura Agropecuária Novembro de 2014 MUNDO SAFRA 2014/15 Devido ao aumento das cotações nas últimas safras, principalmente na comparação com o milho, o cultivo da soja vem aumentando

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Maio/15) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

15 capitais apresentaram redução no custo da Cesta Básica

15 capitais apresentaram redução no custo da Cesta Básica 1 São Paulo, 11 de maio de 2016. NOTA À IMPRENSA 15 capitais apresentaram redução no custo da Cesta Básica Em abril, em 15 das 27 capitais do Brasil houve redução do custo do conjunto de alimentos básicos

Leia mais

INFORME À IMPRENSA Mercado de energia elétrica: consumo no NE

INFORME À IMPRENSA Mercado de energia elétrica: consumo no NE Consumo residencial de eletricidade do NE supera, pela primeira vez, o do Sul Taxa de atendimento na região praticamente se iguala à média brasileira Rio de Janeiro, 09/07/2008 A primeira metade de 2008

Leia mais

Vimos que é possível sintetizar os dados sob a forma de distribuições de frequência e gráficos. Pode ser de interesse apresentar esses dados através d

Vimos que é possível sintetizar os dados sob a forma de distribuições de frequência e gráficos. Pode ser de interesse apresentar esses dados através d UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA MEDIDAS DE POSIÇÃO E DISPERSÃO Departamento de Estatística Luiz Medeiros Vimos que é possível sintetizar os dados sob a forma de distribuições de frequência e gráficos.

Leia mais

Tópicos em Gestão da Informação II

Tópicos em Gestão da Informação II Tópicos em Gestão da Informação II Aula 05 Variabilidade estatística Prof. Dalton Martins dmartins@gmail.com Gestão da Informação Faculdade de Informação e Comunicação Universidade Federal de Goiás Exercício

Leia mais